Blocos econômicos ou Megamercados

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Blocos econômicos ou Megamercados"

Transcrição

1

2 Blocos econômicos ou Megamercados Bloco Econômico é uma integração de países nos aspectos econômicos e sociais, visando seu. Os blocos econômicos constituem expressivos espaços integrados de livre comércio. Esses podem ser identificados como Áreas de Livre Comércio, União Aduaneira, Mercado Comum e União Econômica e Monetária.

3

4 Blocos econômicos ou Megamercados eliminação ou redução de taxas alfandegárias. União Aduaneira eliminação de barreiras alfandegárias; fixação de tarifa comum externa. Mercado Comum eliminação de todas as taxas alfandegárias e livre circulação de pessoas capitais e serviços. mercado comum que adota uma moeda única.

5

6 Os ancestrais da União Europeia O Benelux criado em 1948 e assinado em 1958, teve objetivo de facilitar e aumentar suas importações e exportações mediante a diminuição das taxas alfandegárias. A Comunidade Europeia do Carvão e do Aço (CECA) criada em 1951 com o objetivo de criar um mercado comum por meio de acordos relativos aos preços e às taxas de transporte entre esses países.

7

8 União Europeia Em 1957, com a assinatura do, foi criada a Comunidade Econômica Europeia ou Mercado Comum Europeu. Tinha o objetivo de garantir a livre circulação de mercadorias, serviços e futuramente, pessoas entre seus membros. No início participaram seis países: Bélgica, Holanda, Luxemburgo, Alemanha Ocidental, França e Itália. Atualmente a União Europeia conta com 28 membros.

9

10 E o Brexit? Ao final de junho de 2016 a apuração dos votos do plebiscito no Reino Unido terminou revelando uma vantagem de 51,9% do eleitorado a favor do. O grupo que defendia a permanência do país na União Europeia teve 16,141 milhões de votos, ou apoio de. O comparecimento às urnas ficou em 72% entre os cerca de 46,5 milhões de eleitores registrados para a votação. O voto não é obrigatório no Reino Unido.

11 E o Brexit? é uma expressão que mistura as palavras Britain ( bretanha ) e exit ( saída ). Foi usada para identificar. Ainda não se sabe quando o R.U vai sair, visto que especialistas dizem que, no mínimo, leva dois anos (podendo se estender até quatro) até que seja possível arrumar todas as leis e acordos comerciais.

12

13 União Europeia O, que instituiu a Comunidade Econômica Europeia (CEE), foi assinado março de 1957 e entrou em vigor em janeiro de O Tratado de Roma institui: A União aduaneira, ou CEE, que foi conhecida popularmente como o "Mercado comum, com o gradativo fim das barreiras alfandegárias; A Comunidade Europeia da Energia Atômica (Euratom). De início este mercado comum afetava somente à livre circulação de bens.

14 O União Europeia, também conhecido como Tratado da União Europeia (TUE) acabou somando à já existente integração econômica com uma unificação política. Substituiu a denominação Comunidade Europeia pelo termo atual de União Europeia. Criou metas de livre movimento de produtos, pessoas, serviços e capital e deu.

15 O O União Europeia, veio criar um "espaço de liberdade, segurança e justiça", e conferiu ainda maiores garantias em matéria de direitos fundamentais ( )., abriu, assim, a via para a reforma institucional necessária ao alargamento da União Europeia aos países candidatos do Leste e do Sul da Europa que entraria em vigor em 1 de Maio de 2004.

16

17 União Europeia Em 1º de dezembro de 2009, entrou em vigor o ou, (assinado em 2007) que substitui a Constituição européia de O tratado confere à União Europeia personalidade jurídica própria para assinar acordos internacionais de nível comunitário. Nomeia o presidente do Conselho Europeu e o Alto Representante para a Política Exterior do bloco.

18 Os últimos a entrar A União Europeia passou de 15 para 25 Estados em 1 de maio de 2004 com a adesão de 10 novos Estados. Bulgária e Romênia entraram em 2007 e em 2013 a se torna o 28º membro da UE. Com quase 500 milhões de habitantes, a abriga cerca de 8% da população mundial. Polônia Hungria República Tcheca Eslováquia Eslovênia Estônia Letônia Lituânia Chipre Malta Bulgária Romênia

19 União Europeia A Croácia fez o pedido de adesão à União Europeia (UE) a 21 de fevereiro de O Parlamento Europeu aprovou a adesão da Croácia à União Europeia no dia 1 de dezembro de 2011, tornando-se assim este país o 28º Estado-membro da UE em 1 de julho de 2013.

20

21

22

23 Nafta O Nafta, ou Acordo de Livre Comércio da América do Norte é um tratado envolvendo Canadá, México e EUA, tendo o como associado, numa. Foi precedido de acordo em 1988 entre Canadá e Estados Unidos; Em 13 de agosto de 1992, o bloco recebeu a adesão dos mexicanos. Foi ratificado em 1993, entrando em funcionamento no dia 1º de janeiro de 1994.

24 Nafta Dentre seus principais objetivos, o busca: Diminuir as barreiras alfandegárias. Melhorar as relações comerciais entre seus membros possibilitando meios de investimentos entre os mesmos. Se organizar economicamente em resposta ao crescimento da União Europeia. Melhorar a situação econômica mexicana para assim diminuir a imigração ilegal dos mexicanos para os EUA.

25

26

27 Área de Livre Comércio das Américas A é um acordo comercial idealizado pelos EUA. Segundo o tratado seriam gradualmente derrubadas as barreiras ao comércio entre os estados-membros e se prevê a isenção de tarifas alfandegárias para quase todos os itens de comércio entre os países associados. A ALCA seria composta por 34 países americanos, na prática os mesmos que integram a Organização dos Estados Americanos, exceto Cuba.

28

29 A APEC é um bloco econômico formado por 21 países asiáticos, americanos e da Oceania. Dentre os países formadores se destacam: Japão, Austrália, Nova Zelândia, Tigres Asiáticos, EUA, Canadá, China, etc. Tornou-se um bloco econômico apenas em 1994, na Conferência de Seattle, quando os países se comprometeram a transformar o Pacífico numa área de livre comércio consolidada em 2020.

30 APEC A Apec poderá vir a se tornar o maior bloco do século XXI, visto que concentra economias dinâmicas e expressivas. Seu entretanto, é o de acomodar os interesses comerciais (além das diferenças culturais) de suas principais potencias.

31

32

33

34 Mercosul O Mercosul planejou tornar-se de início um mercado comum. Entende-se por mercado comum a associação comercial entre países, tendo por base principalmente a: ;.

35 Mercosul Criado em 1991, pelo, tem como sócios fundadores o Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai. Em virtude da remoção de Fernando Lugo da presidência do Paraguai, o país foi temporariamente suspenso do bloco;.

36

37 Mercosul O bloco continua sendo uma, que em janeiro de 1995 efetivou-se como uma área de livre comércio com a queda de tarifas alfandegárias. Foi estabelecida a para os países-membros, sobre os produtos importados.

38 A Tarifa Externa Comum corresponde a um conjunto de tarifas que estabelece, desde 01/01/1995, os direitos de importação para os países membros do Mercosul (Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai), com base na Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM) para produtos e serviços. O objetivo da TEC é estimular a competitividade desses países e evitar a formação de oligopólios ou reservas de mercado.

39

40 Mercosul O Mercosul conta com cinco países associados:, Chile, Colômbia, Equador e Peru. e assinaram um acordo-quadro de associação com o Mercosul em e entram apenas como países observadores.

41 Mercosul ASPECTOS POSITIVOS Maior integração da América do Sul Liderança do Brasil Aumento do fluxo comercial na América do Sul Investimentos em infraestrutura nos países participantes ASPECTOS NEGATIVOS Necessita melhorar infraestrutura dos transportes Zona aduaneira nem sempre é obedecida Fragilidade política do mercado Situação de subdesenvolvimento dos países membros

42 Novo modelo de passaporte brasileiro, com a indicação "MERCOSUL".

43

44

45 A Unasul é uma união intergovernamental que integra as duas uniões aduaneiras existentes na região: o e a, como parte de um contínuo processo de integração sul-americana. A Unasul é formada pelos doze países da América do Sul, cuja população total foi estimada em cerca de 400 milhões habitantes, em 1 de Julho de 2010.

46

47

48 Unasul O Tratado Constitutivo da Unasul foi assinado em 23 de maio de 2008, em Brasília. Uma das iniciativas da Unasul é a criação de um mercado comum, de 2014 até O Banco do Sul estabelecerá a política monetária onde um dos objetivos principais será.

49 Unasul Visitas por cidadãos sul-americanos para qualquer país sul-americano (exceto Guiana Francesa) de até 90 dias requerem apenas a apresentação da carteira de identidade. Em 24 de novembro de 2006, Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Guiana, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela terminaram por abandonar os requerimentos de visto para viagens a turismo entre nacionais.

50

51

52 Outros blocos econômicos ASEAN (Associação de Nações do Sudeste Asiático) seus principais objetivos são acelerar o crescimento econômico e fomentar a paz e a estabilidade regionais; CEI (Comunidade dos Estados Independentes) envolve 10 repúblicas que pertenciam à antiga União Soviética (Armênia, Azerbaijão, Bielorrússia, Casaquistão, Quirguistão, Moldávia, Rússia, Tajiquistão, Ucrânia e Uzbequistão).

53 Outros blocos econômicos Acordo Comercial sobre Relações Econômicas entre Austrália e Nova Zelândia (ANZCERTA) Criado em 1983 para estreitar as relações econômicas entre. Comunidade Andina de Nações Inicialmente era conhecida como Pacto Andino. A partir de 1996, começou a utilizar o nome atual. É formada por.

A FORMAÇÃO DOS BLOCOS ECONÔMICOS

A FORMAÇÃO DOS BLOCOS ECONÔMICOS A FORMAÇÃO DOS BLOCOS ECONÔMICOS PROF. DE GEOGRAFIA: BIANCA 1º TRIM - GEOGRAFIA 2016 INTRODUÇÃO Para a formação dos blocos econômicos, os países firmam acordos comerciais, estabelecendo medidas que visam

Leia mais

Características Gerais

Características Gerais Características Gerais Bloco mais antigo; Está no mais adiantado estágio de integração; Estágios de Integração Objetivos Zona de Livre Comércio União Aduaneira Mercado Comum União Monetária União Política

Leia mais

MUNDO A PRODUÇÃO DO ESPAÇO GLOBAL ( NO MATERIAL PÁGINAS 51 A 55

MUNDO A PRODUÇÃO DO ESPAÇO GLOBAL ( NO MATERIAL PÁGINAS 51 A 55 MUNDO A PRODUÇÃO DO ESPAÇO GLOBAL ( NO MATERIAL PÁGINAS 51 A 55 Pós-Segunda Guerra Mundial A regionalização do mundo em países capitalistas e socialistas Critério: organização econômica, social e política

Leia mais

A União Europeia (UE) é um bloco econômico criado em 1992 para estabelecer uma cooperação econômica e política entre os países europeus.

A União Europeia (UE) é um bloco econômico criado em 1992 para estabelecer uma cooperação econômica e política entre os países europeus. A União Europeia A União Europeia (UE) é um bloco econômico criado em 1992 para estabelecer uma cooperação econômica e política entre os países europeus. É um dos exemplos de blocos mais avançados apresentando

Leia mais

Fordismo e Produção Flexível

Fordismo e Produção Flexível Fordismo e Produção Flexível Diferenças entre o modo de produção fordista e o modo de produção flexível Fordismo Produção Flexível produção em massa e em grande escala; produtos padronizados; mão-de-obra

Leia mais

Como tudo começou? O que enfraqueceu esse desejo? Crise de 29; Governo de Hitler (1933); 2ªGM

Como tudo começou? O que enfraqueceu esse desejo? Crise de 29; Governo de Hitler (1933); 2ªGM BLOCOS ECONÔMICOS A EUROPA DOS 28 Como tudo começou? 1926: 1º congresso da União Pan-Europeia em Viena (Áustria) 24 países aprovaram um manifesto para uma organização federativa na Europa O que enfraqueceu

Leia mais

América. Divisões: 35 países e 18 dependências. População total: habitantes.

América. Divisões: 35 países e 18 dependências. População total: habitantes. América Divisões: 35 países e 18 dependências. Área total: 42.189.120 km². População total: 902.892.047 habitantes. Densidade: 21 hab./km². Idiomas principais: espanhol, inglês, português, francês, holandês,

Leia mais

BLOCOS ECONÔMICOS União Europeia(E.U.), MERCOSUL, NAFTA e ALCA. GeoDANIEL Colégio Salesiano São José

BLOCOS ECONÔMICOS União Europeia(E.U.), MERCOSUL, NAFTA e ALCA. GeoDANIEL Colégio Salesiano São José BLOCOS ECONÔMICOS União Europeia(E.U.), MERCOSUL, NAFTA e ALCA GeoDANIEL Colégio Salesiano São José Índice 1.O que são blocos econômicos 2. União Europeia 3. MERCOSUL 4. NAFTA 5. O caso do México 6. ALCA

Leia mais

A GLOBALIZAÇÃO. Esse processo se torna mais forte a partir de 1989 com o fim do socialismo na URSS.

A GLOBALIZAÇÃO. Esse processo se torna mais forte a partir de 1989 com o fim do socialismo na URSS. A A A globalização é um fenômeno pelo qual ocorre uma influência estrangeira nos hábitos de consumo, na vida social, econômica, serviços e informações. Esse processo se torna mais forte a partir de 1989

Leia mais

O que é a União Europeia (UE)?

O que é a União Europeia (UE)? O que é a União Europeia (UE)? 28 Estados-Membros Mais de 500 milhões de habitantes Atuais candidatos à adesão à UE: Albânia, antiga República Iugoslava da Macedônia, Montenegro, Sérvia e Turquia Tratados

Leia mais

DIREITO DE INTEGRAÇÃO ECONÔMICA. s s.

DIREITO DE INTEGRAÇÃO ECONÔMICA. s s. DIREITO DE INTEGRAÇÃO ECONÔMICA s s s www.trilhante.com.br ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 4 Zonas de Preferências Tarifárias:...4 Zona de Livre Comércio:... 5 União Aduaneira:... 5 Mercado Comum:... 5 União Política

Leia mais

Oferecimento Fábrica de Camisas Grande Negão

Oferecimento Fábrica de Camisas Grande Negão Oferecimento Fábrica de Camisas Grande Negão PROFESSOR CLAUDIO F GALDINO - GEOGRAFIA Tem como uma das ideias principais a visão de que haja uma integração maior entre países e a facilitação no comércio

Leia mais

Aulas 04,05,06 Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência Bolsistas: Dayan Muniz e Marlúcio Neto Escola Estadual Imperial Marinheiro

Aulas 04,05,06 Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência Bolsistas: Dayan Muniz e Marlúcio Neto Escola Estadual Imperial Marinheiro Aulas 04,05,06 Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência Bolsistas: Dayan Muniz e Marlúcio Neto Escola Estadual Imperial Marinheiro Turma 8º ano A Professor (a)/supervisor (a): Inês Pacheco

Leia mais

Ângela Marli Ewerling Luíz BLOCOS ECONÔMICOS NAFTA MERCOSUL UNASUL UNIÃO EUROPEIA SADC APEC ASEAN

Ângela Marli Ewerling Luíz BLOCOS ECONÔMICOS NAFTA MERCOSUL UNASUL UNIÃO EUROPEIA SADC APEC ASEAN Blocos Econômicos Ângela Marli Ewerling Luíz BLOCOS ECONÔMICOS NAFTA MERCOSUL UNASUL UNIÃO EUROPEIA SADC APEC ASEAN Sobre a autora Ângela Marli Ewerling Luíz Graduação: Licenciatura em Geografia - FAFI

Leia mais

UNIÃO EUROPEIA. Em 1986 foi criado o fundo de desenvolvimento regional, para ajudar os países mais pobres.

UNIÃO EUROPEIA. Em 1986 foi criado o fundo de desenvolvimento regional, para ajudar os países mais pobres. UNIÃO EUROPEIA UNIÃO EUROPEIA A União Europeia(UE) é uma união econômica e política entre 28 países: Alemanha, Áustria, Bélgica, Bulgária, Chipre, Croácia, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia,

Leia mais

Cidadania Europeia. Trabalho realizado por: Joana Ferreira 11ºH Área de Integração

Cidadania Europeia. Trabalho realizado por: Joana Ferreira 11ºH Área de Integração Cidadania Europeia Trabalho realizado por: Joana Ferreira 11ºH Área de Integração UNIÃO EUROPEIA Momentos Importantes da construção Europeia 1950 - A 9 de Maio deu-se a declaração de Robert Schuman; 1951

Leia mais

BLOCOS ECONÔMICOS. Prof. Carlos Alberto Regalo

BLOCOS ECONÔMICOS. Prof. Carlos Alberto Regalo BLOCOS ECONÔMICOS Prof. Carlos Alberto Regalo BENELUX Início 1948 Países membros Bélgica, Holanda e Luxemburgo Sede Bruxelas (Bélgica) Propostas integração econômica e redução de taxas alfandegárias PLANO

Leia mais

CAPÍTULO 3 BRASIL E MERCOSUL PROFESSOR LEONAM JUNIOR COLÉGIO ARI DE SÁ CAVALCANTE

CAPÍTULO 3 BRASIL E MERCOSUL PROFESSOR LEONAM JUNIOR COLÉGIO ARI DE SÁ CAVALCANTE CAPÍTULO 3 BRASIL E MERCOSUL PROFESSOR LEONAM JUNIOR COLÉGIO ARI DE SÁ CAVALCANTE ORIGEM DO MERCOSUL P. 30 e 31 Os blocos econômicos promovem uma maior integração econômica, social e cultural entre as

Leia mais

11/03/2013 BLOCOS ECONÔMICOS. O Comércio multilateral e os blocos regionais

11/03/2013 BLOCOS ECONÔMICOS. O Comércio multilateral e os blocos regionais BLOCOS ECONÔMICOS O Comércio multilateral e os blocos regionais 1 O comércio multilateral Bretton Wood (1944) FMI Banco Mundial (Bird) OIC GATT OMC 2 PRINCÍPIOS DA OMC Não discriminação dos países membros

Leia mais

Módulo 11 Setor 171. Blocos econômicos I Prof. Lucas Guide 3º ano EM

Módulo 11 Setor 171. Blocos econômicos I Prof. Lucas Guide 3º ano EM Módulo 11 Setor 171 Blocos econômicos I Prof. Lucas Guide 3º ano EM O que são Blocos Econômicos? Os blocos econômicos são grupos de países que se unem com interesses mútuos e com objetivo de garantir o

Leia mais

União Europeia Docente: Pedro Moreira Ano Lectivo: 2012/2013

União Europeia Docente: Pedro Moreira Ano Lectivo: 2012/2013 União Europeia Docente: Pedro Moreira Ano Lectivo: 2012/2013 Como Nasceu a União Europeia? Depois da guerra...a paz, a solidariedade na Europa Em 1951, nasceu a primeira Comunidade - a Comunidade Europeia

Leia mais

Os institutos seculares do mundo

Os institutos seculares do mundo Os institutos seculares do mundo DADOS ESTATÍSTICOS - Maio de 2018 Pesquisa realizada no final de 2017 entre os membros da CMIS CMIS Conferenza Mondiale Istituti Secolari Observação de método: a base dos

Leia mais

UNIÃO EUROPEIA. Profº Marcelo Câmara. Curso JB preparatório para o Instituto Rio Branco Não é permitida a reprodução deste material.

UNIÃO EUROPEIA. Profº Marcelo Câmara. Curso JB preparatório para o Instituto Rio Branco Não é permitida a reprodução deste material. UNIÃO EUROPEIA Profº Marcelo Câmara HISTÓRICO Comunidade Europeia do Carvão do Aço/CECA (1951) Alemanha, Bélgica, França, Luxemburgo, Países Baixos e Itália. Tratado de Roma: Comunidade Econômica Europeia/CEE

Leia mais

O continente europeu

O continente europeu EUROPA: CARACTERÍSTICAS GERAIS O continente europeu Continente pequeno, ocupa 7% das terras emersas do planeta, apenas 10,3 milhões de Km², é uma península da Ásia Estende-se do oceano Atlântico aos montes

Leia mais

Características Gerais

Características Gerais Características Gerais O QUE É A UNIÃO EUROPEIA? Segundo os seus tratados a União Europeia é um espaço de livre circulação de pessoas, capital, mercadorias e serviços Origem: A EU está relaciona da com

Leia mais

A Formação de Blocos Regionais

A Formação de Blocos Regionais A Formação de Blocos Regionais O COMÉRCIO MUNDIAL O comércio internacional de serviços perfaz atualmente uma parcela considerável do comércio entre países; Esse comércio é representado por fretes, turismo

Leia mais

O COMÉRCIO MUNDIAL A OMC (Organização Mundial do Comércio) criada em 1995, tenta estabelecer as normas das relações comerciais, também em relação a pr

O COMÉRCIO MUNDIAL A OMC (Organização Mundial do Comércio) criada em 1995, tenta estabelecer as normas das relações comerciais, também em relação a pr O COMÉRCIO MUNDIAL A OMC (Organização Mundial do Comércio) criada em 1995, tenta estabelecer as normas das relações comerciais, também em relação a propriedade intelectual e patentes (documento que atesta

Leia mais

Geografia Prof. Franco A FORMAÇÃO DA UNIÃO EUROPEIA E SEUS DESDOBRAMENTOS Email: ffrancogeo@bol.com.br UNIÃO EUROPEIA INTRODUÇÃO UNIÃO EUROPEIA: EVOLUÇÃO PLANO MARSHALL = (EUA) PLANO SCHUMAN = (FRA x

Leia mais

A EUROPA DOS 28 Módulo 15 frente 03- Livro 02 páginas: 210 a 212

A EUROPA DOS 28 Módulo 15 frente 03- Livro 02 páginas: 210 a 212 A EUROPA DOS 28 Módulo 15 frente 03- Livro 02 páginas: 210 a 212 1948: BENELUX, primeiro bloco econômico do mundo (pós 2ª Guerra Mundial). HISTÓRICO Integrantes: Bélgica, Holanda e Luxemburgo. 1952: CECA

Leia mais

A UNIÃO EUROPEIA E O DIÁLOGO INTERCULTURAL MNE DGAE

A UNIÃO EUROPEIA E O DIÁLOGO INTERCULTURAL MNE DGAE A UNIÃO EUROPEIA E O DIÁLOGO INTERCULTURAL O CAMINHO PARA A UNIÃO EUROPEIA O QUE SE COMEMORA NO ANO EUROPEU 2008 QUIZ O CAMINHO PARA A UNIÃO EUROPEIA No século XX, depois das Guerras Mundiais (a 2ª foi

Leia mais

Europa destruída após a s d u a s G r a n d e s Guerras mundiais ( e 1939 a 1945).

Europa destruída após a s d u a s G r a n d e s Guerras mundiais ( e 1939 a 1945). A UNIÃO EUROPEIA MOMENTO HISTÓRICO Europa destruída após a s d u a s G r a n d e s Guerras mundiais (1914-1918 e 1939 a 1945). Europa dividida entre E u r o p a o c i d e n t a l (capitalistas) e Europa

Leia mais

IBES. Disciplina: Geopolítica Professora: Fernanda Tapioca Ministrada dia INTEGRAÇÃO ECONOMICA

IBES. Disciplina: Geopolítica Professora: Fernanda Tapioca Ministrada dia INTEGRAÇÃO ECONOMICA IBES Disciplina: Geopolítica Professora: Fernanda Tapioca Ministrada dia 08.04.14 INTEGRAÇÃO ECONOMICA Sumário: 1. Conceito/ Significado 2. Espécies: nacional, internacional e mundial 3. Integração econômica

Leia mais

GLOBALIZAÇÃO E BLOCOS ECONÔMICOS

GLOBALIZAÇÃO E BLOCOS ECONÔMICOS GLOBALIZAÇÃO E BLOCOS ECONÔMICOS PUC GO 2015 LOZANO EXERCÍCIOS ESSENCIAIS (Unicamp-SP) GLOBALIZAÇÃO As transformações representadas na figura a seguir permitiram ao autor considerar que há aniquilamento

Leia mais

Blocos econômicos. Bloco Econômico é uma integração de países nos. desenvolvimento e maior poder de competição.

Blocos econômicos. Bloco Econômico é uma integração de países nos. desenvolvimento e maior poder de competição. Blocos econômicos Bloco Econômico é uma integração de países nos aspectos, visando seu desenvolvimento e maior poder de competição. Eles constituem expressivos espaços integrados de livre comércio. Esses

Leia mais

Unidade. Geopolítica, geoeconomia e poder mundial. Globalização e regionalização: os blocos econômicos. Capítulo 30. Livro: Parte III, p.

Unidade. Geopolítica, geoeconomia e poder mundial. Globalização e regionalização: os blocos econômicos. Capítulo 30. Livro: Parte III, p. Unidade VI Geopolítica, geoeconomia e poder mundial Capítulo 30 Globalização e regionalização: os blocos econômicos Tópicos do capítulo Blocos de integração econômica União Europeia Mercosul Livro: Parte

Leia mais

BLOCOS ECONÔMICOS Profº Gustavo Silva

BLOCOS ECONÔMICOS Profº Gustavo Silva BLOCOS ECONÔMICOS Profº Gustavo Silva O comércio multilateral Bretton Wood (1944) FMI Banco Mundial (Bird) OIC GATT OMC PRINCÍPIOS DA OMC Não discriminação dos países membros Reciprocidade Acesso aos

Leia mais

Innovation Digest. Dezembro Análise de Posicionamento relativo de Portugal

Innovation Digest. Dezembro Análise de Posicionamento relativo de Portugal Innovation Digest Dezembro 2010 Análise de Posicionamento relativo de Indicadores de Posicionamento relativo de Posicionamento Global Suiça E.U.A Dinamarca Suécia Alemanha Reino Unido Luxemburgo Coreia

Leia mais

PROFESSOR: ANDERSON JOSÉ SOARES. Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações:

PROFESSOR: ANDERSON JOSÉ SOARES. Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações: GOIÂNIA, 06 / 05/ 2016 PROFESSOR: ANDERSON JOSÉ SOARES DISCIPLINA: GEOGRAFIA SÉRIE:9º ALUNO(a): No Anhanguera você é + Enem Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações:

Leia mais

PROFª Msc LIA MARA WEDY TEMA: REGIONALIZAÇÃO DO MUNDO E OS BLOCOS ECONÔMICOS

PROFª Msc LIA MARA WEDY TEMA: REGIONALIZAÇÃO DO MUNDO E OS BLOCOS ECONÔMICOS COLÉGIO POLICIAL MILITAR FELICIANO NUNES PIRES PROFª Msc LIA MARA WEDY DISCIPLINA: GEOGRAFIA TURMA: 9º ANO TEMA: REGIONALIZAÇÃO DO MUNDO E OS BLOCOS ECONÔMICOS Profª Msc Lia Mara Wedy REGIONALIZAÇÃO DO

Leia mais

PROFESSOR: ANDERSON JOSÉ SOARES. ALUNO(a): Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações:

PROFESSOR: ANDERSON JOSÉ SOARES. ALUNO(a): Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações: GOIÂNIA, / 06/ 2016 PROFESSOR: ANDERSON JOSÉ SOARES DISCIPLINA: GEOGRAFIA SÉRIE:9º ALUNO(a): RECUPERAÇÃO SEMESTRAL/JUNHO 2016 No Anhanguera você é + Enem Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente

Leia mais

DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO

DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO Parte 1 Prof. Renata Menezes Direito comunitário ou Europeu x integração: a integração econômica passou a ser vista com bons olhos a partir de Adam Smith, com a Teoria as

Leia mais

Tendo em vista essa informação e considerando as questões comerciais da chamada globalização, pode ser dito que:

Tendo em vista essa informação e considerando as questões comerciais da chamada globalização, pode ser dito que: Exercícios sobre blocos econômicos Exercícios 1. Se algum acordo de comércio tinha tudo para dar certo foi aquele firmado entre México, Estados Unidos e Canadá. Sancionado em 1994, o Acordo de Livre Comércio

Leia mais

GEOGRAFIA, 2ª Série A Formação de Blocos Regionais O COMÉRCIO MUNDIAL

GEOGRAFIA, 2ª Série A Formação de Blocos Regionais O COMÉRCIO MUNDIAL O COMÉRCIO MUNDIAL O comércio internacional de serviços perfaz atualmente uma parcela considerável do comércio entre países; Esse comércio é representado por fretes, turismo global, serviços de informática,

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES JULHO / 2016 SUMÁRIO Pág. 1 - ANÁLISE 3 2 - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 - DESTINOS 5 4 - COURO BOVINO POR TIPO 6 5 - DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS JULHO 2016 As Exportações de Couros e Peles apresentadas

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES MARÇO / 215 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 -

Leia mais

Info. Sinproquim. Blocos Econômicos

Info. Sinproquim. Blocos Econômicos Publicação do Sindicato das Indústrias de Produtos Químicos para Fins Industriais e da Petroquímica no Estado de São Paulo Março/2019 Ano 1 Edição nº 01 rmações sobre operações de comércio exterior de

Leia mais

A Política Comercial Comum (PCC)

A Política Comercial Comum (PCC) A IMPORTÂNCIA DO ESPAÇO COMUNITÁRIO NO MUNDO A Política Comercial Comum (PCC) Política Comercial Comum 17,1% do comércio mundial. 18% das importações de bens. 16% das exportações de bens 1º exportador

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES ABRIL / 2016 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE 3 2 - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 - DESTINOS 5 4 - COURO BOVINO POR TIPO 6 5 - DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS ABRIL 2016 As Exportações de Couros e Peles apresentadas

Leia mais

MERCADO DE ALIMENTOS E BEBIDAS UNIÃO EUROPEIA E CHINA

MERCADO DE ALIMENTOS E BEBIDAS UNIÃO EUROPEIA E CHINA MERCADO DE ALIMENTOS E BEBIDAS UNIÃO EUROPEIA E CHINA INFORMAÇÕES PARA A FEIRA ANUGA 217 COLÔNIA (ALEMANHA) US$ Bilhões EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE ALIMENTOS E BEBIDAS Gráfico 1 Exportações brasileiras

Leia mais

Innovation Digest. Janeiro Análise de Posicionamento relativo de Portugal

Innovation Digest. Janeiro Análise de Posicionamento relativo de Portugal Innovation Digest Janeiro 2012 Análise de Posicionamento relativo de Indicadores de Posicionamento relativo de Posicionamento Global Suiça Dinamarca Suécia Reino Unido Coreia Alemanha E.U.A Holanda Luxemburgo

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES MAIO / 215 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 -

Leia mais

GLOBALIZAÇÃO Profº Gustavo Silva

GLOBALIZAÇÃO Profº Gustavo Silva GLOBALIZAÇÃO Profº Gustavo Silva A Globalização não é um fenômeno novo. É só lembramos das Grande Navegações realizadas por portugueses e espanhóis e veremos que até mesmo a descoberta do Brasil já faz

Leia mais

PIB PAÍSES DESENVOLVIDOS (4 trimestres, %)

PIB PAÍSES DESENVOLVIDOS (4 trimestres, %) PIB PIB PAÍSES DESENVOLVIDOS (4 trimestres, %) dez/92 jun/93 dez/93 jun/94 dez/94 jun/95 dez/95 jun/96 dez/96 jun/97 dez/97 jun/98 dez/98 jun/99 dez/99 jun/00 dez/00 jun/01 dez/01 jun/02 dez/02 jun/03

Leia mais

COMO SERIA A NOSSA VIDA SEM A UNIÃO EUROPEIA?

COMO SERIA A NOSSA VIDA SEM A UNIÃO EUROPEIA? COMO SERIA A NOSSA VIDA SEM A UNIÃO EUROPEIA? O QUE É A UNIÃO EUROPEIA? A União Europeia é uma união de países democráticos europeus, que partilham valores comuns e que se encontram empenhados num projeto

Leia mais

Paying Taxes CPLP 2013 Apresentação de resultados

Paying Taxes CPLP 2013 Apresentação de resultados www.pwc.pt Paying Taxes CPLP 213 Apresentação de resultados Jaime Carvalho Esteves 23 de janeiro 213 Agenda 1. Metodologia Paying Taxes 2. Resultados CPLP 3. Comparações 4. Relações económicas entre Portugal

Leia mais

RESPOSTAS DAS SUGESTÕES DE AVALIAÇÃO GEOGRAFIA 9 o ANO

RESPOSTAS DAS SUGESTÕES DE AVALIAÇÃO GEOGRAFIA 9 o ANO RESPOSTAS DAS SUGESTÕES DE AVALIAÇÃO GEOGRAFIA 9 o ANO 1. 2. 3. 4. Unidade 2 a) A globalização pode ser entendida como o conjunto de transformações recentes na economia do planeta. (V) b) O processo de

Leia mais

PROTOCOLOS e DECLARAÇÕES anexas ao Tratado de Lisboa PROTOCOLOS

PROTOCOLOS e DECLARAÇÕES anexas ao Tratado de Lisboa PROTOCOLOS PROTOCOLOS e DECLARAÇÕES anexas ao Tratado de Lisboa PROTOCOLOS Protocolo (N.º 1) relativo ao papel dos Parlamentos nacionais na União Protocolo (N.º 2) relativo à aplicação dos princípios da subsidiariedade

Leia mais

BLOCO ECONÔMICO: FORMAÇÃO, TIPOLOGIAS E FUNCIONALIDADE

BLOCO ECONÔMICO: FORMAÇÃO, TIPOLOGIAS E FUNCIONALIDADE BLOCO ECONÔMICO: FORMAÇÃO, TIPOLOGIAS E FUNCIONALIDADE Centro Universitário Leonardo da Vinci UNIASSELVI Administração (ADG-0314) Comércio Exterior 08/12/2015 RESUMO O objetivo deste estudo é mostrar como

Leia mais

ORGANIZAÇÕES INTERNACIONAIS. Aula expositiva 9ºs anos 2º bimestre

ORGANIZAÇÕES INTERNACIONAIS. Aula expositiva 9ºs anos 2º bimestre ORGANIZAÇÕES INTERNACIONAIS Aula expositiva 9ºs anos 2º bimestre PRECEDENTES Início do século XX: - Muitas diferenças culturais, econômicas, políticas, religiosas etc. entre os países. - Muitos conflitos,

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES MARÇO 2017 SUMÁRIO Pág. 1 - ANÁLISE 3 2 - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 - DESTINOS 5 4 - COURO BOVINO POR TIPO 6 5 - DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS MARÇO 2016 As Exportações de Couros e Peles apresentadas

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES SETEMBRO / 2015 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES FEVEREIRO / 215 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES JUNHO / 215 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 -

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES OUTUBRO / 2015 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4

Leia mais

GEOGRAFIA 9º ANO. Profº. CARLOS FERREIRA

GEOGRAFIA 9º ANO. Profº. CARLOS FERREIRA GEOGRAFIA 9º ANO Profº. CARLOS FERREIRA UNIÃO EUROPEIA Bandeira da União Europeia HISTÓRICO A União Europeia é o maior bloco econômico do mundo, conhecido pela livre circulação de bens, pessoas e mercadorias

Leia mais

Coordenação Geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro. ano 2 Nº15 27/março/2012

Coordenação Geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro. ano 2 Nº15 27/março/2012 Coordenação Geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro Equipe Técnica Kennya Beatriz Siqueira - Pesquisadora Embrapa Gado de Leite Alziro Vasconcelos Carneiro - Analista Embrapa Gado de

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES JULHO 2018 SUMÁRIO PÁG. 1 ANÁLISE 3 2 CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 DESTINOS.. 5 4 COURO BOVINO POR TIPO 6 5 DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS JULHO 2018 As Exportações de Couros e Peles apresentadas

Leia mais

Carta IEDI nº 809 Indústria Mundial: O Brasil na contramão dos emergentes

Carta IEDI nº 809 Indústria Mundial: O Brasil na contramão dos emergentes Carta IEDI nº 809 Indústria Mundial: O Brasil na contramão dos emergentes ANEXO ESTATÍSTICO Crescimento anual do VTI e VTI per capita, 2005-2015, (em %, em U$ constante 2010). VTI total VTI per capita

Leia mais

A Integração no Espaço Europeu

A Integração no Espaço Europeu Ano Lectivo 2010/2011 ÁREA DE INTEGRAÇÃO Agrupamento de Escolas de Fronteira Escola Básica Integrada Frei Manuel Cardoso 12º Ano Apresentação nº 3 A Integração no Espaço Europeu Pedro Bandeira Simões Professor

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 2015 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 - DESTINO

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 2016 SUMÁRIO Pág. 1 - ANÁLISE 3 2 - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 - DESTINOS 5 4 - COURO BOVINO POR TIPO 6 5 - DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS

Leia mais

Innovation Digest. Abril Análise de Posicionamento relativo de Portugal

Innovation Digest. Abril Análise de Posicionamento relativo de Portugal Innovation Digest Abril 2015 Análise de Posicionamento relativo de Indicadores de Posicionamento relativo de Posicionamento Global Suiça Dinamarca E.U.A Reino Unido Suécia Alemanha Luxemburgo Coreia Holanda

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES JULHO 2017 SUMÁRIO Pág. 1 - ANÁLISE 3 2 - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 - DESTINOS 5 4 - COURO BOVINO POR TIPO 6 5 - DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES

Leia mais

Ação Cultural Externa Relatório Anual 2014 Indicadores. 2. Número de iniciativas apoiadas por áreas geográficas

Ação Cultural Externa Relatório Anual 2014 Indicadores. 2. Número de iniciativas apoiadas por áreas geográficas Ação Cultural Externa Relatório Anual 2014 Indicadores 1. Iniciativas apoiadas pelo Camões, IP a) número (total): 1071 2. Número de iniciativas apoiadas por áreas geográficas Áreas Geográficas Nº Iniciativas

Leia mais

Cidadania Europeia T R A B A L H O R E A L I Z A D O P O R : F I L I P A R E S E N D E N º º H

Cidadania Europeia T R A B A L H O R E A L I Z A D O P O R : F I L I P A R E S E N D E N º º H Cidadania Europeia T R A B A L H O R E A L I Z A D O P O R : F I L I P A R E S E N D E N º 2 1 1 2 2 1 1 º H Momentos importantes na construção da UE A Cidadania da União Europeia foi estabelecida pelo

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES JANEIRO / 215 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3

Leia mais

Naladi/SH 96 ARGENTINA BOLÍVIA BRASIL CHILE COLÔMBIA CUBA EQUADOR MÉXICO PARAGUAI PERU URUGUAI VENEZUELA E E E E E E E

Naladi/SH 96 ARGENTINA BOLÍVIA BRASIL CHILE COLÔMBIA CUBA EQUADOR MÉXICO PARAGUAI PERU URUGUAI VENEZUELA E E E E E E E Naladi/SH 96 ARGENTINA BOLÍVIA BRASIL CHILE COLÔMBIA CUBA EQUADOR MÉXICO PARAGUAI PERU URUGUAI VENEZUELA 01011100 E 01011910 E E E 01011990 E E E 01012000 E 01021000 E 01029000 E E E 01031000 E 01039100

Leia mais

GATT, OMC, Acordos Bilaterais e Acordos Multilaterais

GATT, OMC, Acordos Bilaterais e Acordos Multilaterais GATT, OMC, Acordos Bilaterais e Acordos Multilaterais GATT ² General Agreement on Tariffs and Trade GATT: Estabelecido em 1947; De início, foram 22 países a assinar o acordo: África do Sul, Austrália,

Leia mais

VERSÕES CONSOLIDADAS

VERSÕES CONSOLIDADAS 7.6.2016 Jornal Oficial da União Europeia C 202/1 VERSÕES CONSOLIDADAS DO TRATADO DA UNIÃO EUROPEIA E DO TRATADO SOBRE O FUNCIONAMENTO DA UNIÃO EUROPEIA (2016/C 202/01) 7.6.2016 Jornal Oficial da União

Leia mais

Jornal Oficial da União Europeia

Jornal Oficial da União Europeia L 30/6 2.2.2018 REGULAMENTO DELEGADO (UE) 2018/162 DA COMISSÃO de 23 de novembro de 2017 que altera o anexo I do Regulamento (UE) n. o 1305/2013 do Parlamento Europeu e do Conselho e os anexos II e III

Leia mais

São associações de países que estabelecem relações econômicas privilegiadas entre si.

São associações de países que estabelecem relações econômicas privilegiadas entre si. Blocos econômicos São associações de países que estabelecem relações econômicas privilegiadas entre si. Classificação: Zona de livre comércio; União Aduaneira; Mercado Comum; União Econômica e Monetária.

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES NOVEMBRO 2017 SUMÁRIO PÁG. 1 ANÁLISE 3 2 CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 DESTINOS.. 5 4 COURO BOVINO POR TIPO 6 5 DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES

Leia mais

GEOGRAFIA MÓDULO 14. O Brasil e o Mercosul. Professor Vinícius Moraes

GEOGRAFIA MÓDULO 14. O Brasil e o Mercosul. Professor Vinícius Moraes GEOGRAFIA Professor Vinícius Moraes MÓDULO 14 O Brasil e o Mercosul O Mercado Comum do Sul MERCOSUL representa um bloco econômico de iniciativa dos governos do Brasil, Paraguai, Uruguai e Argentina que,

Leia mais

Declaração nº A/63/635. Direitos humanos, orientação sexual e identidade de gênero

Declaração nº A/63/635. Direitos humanos, orientação sexual e identidade de gênero Declaração nº A/63/635 Direitos humanos, orientação sexual e identidade de gênero Lida na Assembléia Geral da Organização das Nações Unidas, em Nova York, em 18 de dezembro de 2008, no marco dos 60 anos

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 2017 SUMÁRIO PÁG. 1 ANÁLISE 3 2 CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 DESTINOS.. 5 4 COURO BOVINO POR TIPO 6 5 DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS

Leia mais

Innovation Digest. Janeiro Análise de Posicionamento relativo de Portugal

Innovation Digest. Janeiro Análise de Posicionamento relativo de Portugal Innovation Digest Janeiro 2014 Análise de Posicionamento relativo de Indicadores de Posicionamento relativo de Posicionamento Global Suiça Dinamarca Suécia Alemanha Noruega Irlanda Luxemburgo Coreia E.U.A

Leia mais

CIDADANIA EUROPEIA ATIVA E INFORMADA

CIDADANIA EUROPEIA ATIVA E INFORMADA CIDADANIA EUROPEIA ATIVA E INFORMADA 2013 - Ano Europeu dos Cidadãos Objetivos: Colocar os cidadãos no centro do debate público Aproximação dos Cidadãos às instituições europeias; Promover e incentivar

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES DEZEMBRO 2018 SUMÁRIO PÁG. 1 ANÁLISE 3 2 CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 DESTINOS.. 5 4 COURO BOVINO POR TIPO 6 5 DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 QUALQUER PARTE DESTA OBRA PODERÁ SER REPRODUZIDA, DESDE QUE CITADO COMO

Leia mais

Coordenação Geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro

Coordenação Geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro Coordenação Geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro Equipe Técnica Kennya Beatriz Siqueira - Pesquisadora Embrapa Gado de Leite Alziro Vasconcelos Carneiro - Analista Embrapa Gado de

Leia mais

I Cenário Mundial. II Contexto Internacional e o Brasil. III Brasil: Situação Externa e Interna. Tendências. IV Paraná em Destaque V Brasil:

I Cenário Mundial. II Contexto Internacional e o Brasil. III Brasil: Situação Externa e Interna. Tendências. IV Paraná em Destaque V Brasil: I Cenário Mundial. II Contexto Internacional e o Brasil. III Brasil: Situação Externa e Interna. Tendências. IV Paraná em Destaque V Brasil: Projeções e Reflexões Fonte: FMI G7: EUA. Alemanha, Japão,

Leia mais

Estrutura Demográfica e Despesa com Previdência: Comparação do Brasil com o Cenário Internacional

Estrutura Demográfica e Despesa com Previdência: Comparação do Brasil com o Cenário Internacional temas de economia aplicada 11 Estrutura Demográfica e Despesa com Previdência: Comparação do Brasil com o Cenário Internacional Rogério Nagamine Costanzi (*) Trata-se de fato amplamente conhecido que existe

Leia mais

Innovation Digest. Janeiro Análise de Posicionamento relativo de Portugal

Innovation Digest. Janeiro Análise de Posicionamento relativo de Portugal Innovation Digest Janeiro 2013 Análise de Posicionamento relativo de Indicadores de Posicionamento relativo de Posicionamento Global Suiça Dinamarca Suécia Coreia Alemanha Reino Unido E.U.A Holanda Irlanda

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES JANEIRO 2019 SUMÁRIO PÁG. 1 ANÁLISE 3 2 CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 DESTINOS.. 5 4 COURO BOVINO POR TIPO 6 5 DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 QUALQUER PARTE DESTA OBRA PODERÁ SER REPRODUZIDA, DESDE QUE CITADO COMO

Leia mais

Vaticano. Cazaquistão. Quirguistão. Tajiquistão. Turquemenistão. Bielorrússia. Mongólia

Vaticano. Cazaquistão. Quirguistão. Tajiquistão. Turquemenistão. Bielorrússia. Mongólia A EUROPA ATUAL Vaticano Cazaquistão Quirguistão Tajiquistão Turquemenistão Bielorrússia Mongólia O Livro Branco sobre o Futuro da Europa, COM(2017)2025 do 1 de março de 2017. Adaptação com a inclusão da

Leia mais

META DA TAXA SELIC 14,5% 14,25% 13,75% 13,75% 13,5% 13,00% 13,25% 12,75% 12,25% 11,75% 12,75% 12,25% 12,75% 12,50% 12,5% 12,00%

META DA TAXA SELIC 14,5% 14,25% 13,75% 13,75% 13,5% 13,00% 13,25% 12,75% 12,25% 11,75% 12,75% 12,25% 12,75% 12,50% 12,5% 12,00% abr-08 ago-08 dez-08 abr-09 ago-09 dez-09 abr-10 ago-10 dez-10 abr-11 ago-11 dez-11 abr-12 ago-12 dez-12 abr-13 ago-13 dez-13 abr-14 ago-14 dez-14 abr-15 ago-15 dez-15 abr-16 ago-16 dez-16 META DA TAXA

Leia mais

Comissão Europeia. Conselho da União Europeia. Parlamento Europeu. Tribunal de Justiça. Tribunal de Contas. Comité Económico e Social

Comissão Europeia. Conselho da União Europeia. Parlamento Europeu. Tribunal de Justiça. Tribunal de Contas. Comité Económico e Social As instituições comunitárias Comissão Europeia Conselho da União Europeia Parlamento Europeu Tribunal de Justiça Tribunal de Contas Comité Económico e Social Comité das Regiões Banco Europeu de Investimentos

Leia mais

Unidade II SISTEMÁTICA DE. Profa. Lérida Malagueta

Unidade II SISTEMÁTICA DE. Profa. Lérida Malagueta Unidade II SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO Profa. Lérida Malagueta Comércio internacional Brasil: temos Procon / SPC Comércio Internacional: Necessidade de criação de órgãos, como: Fundo Monetário

Leia mais

Coordenação Geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro

Coordenação Geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro Coordenação Geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro Equipe Técnica Kennya Beatriz Siqueira - Pesquisadora Embrapa Gado de Leite Alziro Vasconcelos Carneiro - Analista Embrapa Gado de

Leia mais

REGULAMENTO DE EXECUÇÃO (UE) 2016/699 DA COMISSÃO

REGULAMENTO DE EXECUÇÃO (UE) 2016/699 DA COMISSÃO 11.5.2016 L 121/11 REGULAMENTO DE EXECUÇÃO (UE) 2016/699 DA COMISSÃO de 10 de maio de 2016 que estabelece os limites máximos orçamentais aplicáveis em 2016 a certos regimes de apoio direto previstos no

Leia mais

Tratados de Roma. Comunidade Económica: União Aduaneira - Politica Comercial Externa 6 Estados Membros

Tratados de Roma. Comunidade Económica: União Aduaneira - Politica Comercial Externa 6 Estados Membros Tratados de Roma Comunidade Económica: União Aduaneira - Politica Comercial Externa 6 Estados Membros Aprofundamento e Alargamentos sucessivos: Quatro liberdades: bens, serviços, capitais e pessoas (reconhecimento

Leia mais