Engenharia de Software Unidade I Visão Geral

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Engenharia de Software Unidade I Visão Geral"

Transcrição

1 Conteúdo programático Engenharia de Software Unidade I Visão Geral Prof. Francisco Gerson A. de Meneses O que é Produtos de Software Distribuição de Software Um sistema de Software O software em um cenário problemático O que fazer? O que é Um sistema de Software Software não é apenas o programa, são os programas de computador com sua documentação associada e os dados de configuração necessários para fazer com que esses programas operem corretamente. Um sistema de software, usualmente, consiste em: uma série de programas separados, arquivos de configuração que são usados para configurar esses programas, documentação do sistema, que descreve a estrutura desse sistema, documentação do usuário, que explica como utilizar o sistema, e em alguns casos sites Web para que os usuários possam fazer download das informações recentes do produto. Produtos de Software Há dois tipos de produtos de software: Os desenvolvidos para o mercado (produtos genéricos). Ex.: O pacote MS Office, SGBD s (Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados). Os desenvolvidos para um cliente específico (produtos sob encomenda ou personalizados) Ex: Programas de Controle de Estoque ou para Controle de Vendas em uma determinada Loja, Sistema para um determinado Supermercado. Não há um consenso sobre as categorias genéricas que poderiam ser aplicadas para enquadrar os softwares que são desenvolvidos; porém pode-se atribuir uma classificação conjugando-se o ambiente e a finalidade para os quais se destina. Além dos softwares: Básicos (Sistemas Operacionais), Aplicativos (Funcionalidades aos usuários) e Utilitários (Manutenção e preservação dos dados) Podemos destacar:

2 Software embutido: pode assumir características de software básico, software aplicativo ou ambos simultaneamente. Em geral o software embutido cuida de toda a operacionalidade de um dispositivo e reside em uma memória só de leitura (read-only). Tais dispositivos vão desde um simples relógio de pulso, um palm, chips com funções de controle em automóveis, celulares, fornos de microondas etc. Software de tempo real (real time): Refere-se ao imediatismo de resposta decorrente de sua atividade de monitoração, análise ou controle, que tanto pode ser parte de um software básico quanto aplicativo. Software inteligente : Refere-se ao uso de algoritmos e recursos oriundos da área da Inteligência Artificial, que favorecem funções que são direcionadas para a solução de problemas específicos. Software especialista: Refere-se ao software especialmente desenvolvido para uma área do conhecimento, ou negócio restrito, onde exige-se alto grau de especialização, funcionando, inclusive, como um assistente técnico no auxílio ao usuário. Quando incorporam softwares inteligentes, pode-se dizer que se trata da inteligência aplicada a uma especialidade. Distribuição de Software Software comercial Software shareware Software livre (Free Software) Software gratuito (Freeware) Segundo definição do SEI (Software Engineering Institute): Engenharia é a aplicação sistemática do conhecimento cientifico na criação e construção de soluções para problemas práticos a serviço do gênero humano. Engenharia de Software é uma forma de engenharia que aplica os princípios da ciência da computação e matemática para alcançar soluções com melhor custo-benefício para o problema do software. (SEI, 1990). Para o IEEE (Institute of Electrical and Electronic Engineers): Engenharia de Software trata-se da aplicação sistemática, disciplinada, quantificável para o desenvolvimento, operação e manutenção do software. (IEEE, 1990). A atividade de engenharia não pode prescindir da garantia da qualidade do produto, da conformidade às normas, e do planejamento e gerenciamento de custos e prazos. O Software como fruto da engenharia é o grande objetivo que se busca, a fim de conseguir obter-se um produto confiável, funcionando de maneira eficiente e economicamente viável. Por funcionamento eficiente deve-se considerar que o software deverá atender às necessidades do usuário, SOB A ÓTICA DELE.

3 Os fundamentos científicos para a engenharia de software envolvem o uso de modelos abstratos e precisos que permitem ao engenheiro especificar, projetar, implementar e manter sistemas de software, avaliando e garantindo sua qualidade. A engenharia de software deve oferecer mecanismos para se planejar e gerenciar o processo de desenvolvimento. A partir da década de 1960: Aumento da demanda pela criação de software motivados por: a acentuada quebra da hegemonia da aplicação de computadores nas áreas militares e acadêmicas, ascensão da aplicação na indústria, o surgimento de novas linguagens de programação (COBOL, por exemplo), O desenvolvimento de software ocorria de maneira informal, sem a aplicação de qualquer método. O desenvolvimento de software dependia totalmente de quem o construía, caracterizando-se mais por uma obra de arte do que propriamente um produto de formalismo técnico. Os profissionais que desenvolviam o software, por sua vez, estavam envolvidos com a realidade da tecnologia em si e não propriamente com os problemas que deveriam ser resolvidos. Haviam características do hardware que mereciam muita atenção nos projetos a serem desenvolvidos e, não raramente, eram restritivas, especialmente aquelas pertinentes ao dimensionamento de recursos, já que o hardware era o item de maior custo. À medida que tais softwares eram desenvolvidos e crescia o número de sistemas baseados em computadores, passou-se a verificar que os desenvolvimentos eram marcados por: atrasos e falhas na maioria dos projetos que resultavam em metas não atingidas, custos imprevisíveis e sistemas de difícil manutenção. Em 1968, constatada a situação caótica em que se encontrava o desenvolvimento de software, que ficou conhecida como a crise do software, foi realizada na Alemanha, uma conferência internacional como uma tentativa de se encontrar caminhos que viessem a melhorar o desenvolvimento de software. A conferência foi promovida pelo grupo de estudo em ciência da computação, do comitê de ciências da OTAN, figurando como principal organizador o Professor Fritz Bauer, que escolheu deliberadamente para título da conferência a frase Engenharia de Software, por ser provocativa, implicando a necessidade de um software que fosse concebido sobre critérios, que tivesse fundamentações teóricas, por meio de práticas disciplinadas, ou seja, que fosse criado segundo processos formais de engenharia. A partir de então passou-se a criar uma consciência da urgência de padrões e deu-se então o surgimento de alguns modelos ao longo do tempo, como os conhecidos: Modelo Estruturado Modelo Essencial Modelo Orientado a Objetos Embora se tenha caminhado muito, sob o ponto de vista das padronizações e conseqüentes vantagens oferecidas pelo conceito de engenharia, o que falta, ainda, efetivamente, é que se pratique o que se prega.

4 O software em um cenário problemático Os modelos criados vivem um processo constante de maturação adequando-se a novas realidades dos negócios. Assim o que falta é simplesmente colocar algum método em prática e, definitivamente, abandonar o descaso do desenvolvimento anárquico e suas conseqüências. (TONSIG, 2008). É ainda mais freqüente do que se imagina a presença de desenvolvedores entregando aos seus clientes, softwares sem qualidade: Mal estruturados, Consumidores de recursos de máquina, Que não atendem completamente às necessidades reais dos usuários, Atrasos na entrega, quer seja um novo desenvolvimento ou customizações, Com custos elevados, Não utilizam qualquer tipo de método formal na gestão do projeto e documentação do produto. O software em um cenário problemático O que fazer? O aumento do grau de complexidade dos softwares: normalmente tratam uma gama muito grande de variáveis, são intervenientes nos processos automatizados, clientes cada vez mais exigentes. portanto, é fator fundamental o planejamento, como parte integrante da aplicação de um modelo de desenvolvimento. Os paradigmas de engenharia de software propiciam métodos e técnicas que mostram exatamente como deve-se proceder para construir software. Por método pode-se entender um caminho a ser percorrido em etapas, onde se aplica um conjunto de técnicas, o que permitirá a construção de um software eficiente e seguro. Decorrentes de aprimoramento das melhores práticas, hoje existem vários métodos para o desenvolvimento de software. O objetivo básico do estabelecimento de um método padronizado de desenvolvimento de sistemas é obter: maior consistência no trabalho, trabalho sistematizado, padronização de documentos e linguagens, melhor qualidade oferecida ao usuário, maior facilidade de treinamento de novos analistas, melhor controle dos resultados obtidos, maximização dos resultados. Ainda sobre o método, para Roger Pressman (Pressman 1995), Os métodos envolvem um amplo conjunto de tarefas que incluem: planejamento e estimativa de projeto, análise de requisitos de software e de sistemas, projeto da estrutura de dados, arquitetura de programa e algoritmo de processamento, codificação, teste manutenção.

5 Exercício Assim como um engenheiro civil ou um médico seguem determinados procedimentos diante de diversas situações quanto às suas atividades profissionais, também um desenvolvedor de software deve seguir procedimentos na construção de um sistema de informação. Se tais procedimentos não existirem, a construção de software estará ligada ao caos; portanto, um método visa proporcionar procedimentos a serem seguidos em cada etapa do desenvolvimento de um software. Para cada etapa de um determinado método aplicam-se uma ou várias técnicas. 1. Formule um conceito para software? 2. Explique os tipos de produtos de software? 3. Liste as categorias de software e comente cada uma? 4. Diferencie software livres de softwares gratuitos 5. Formule um conceito para Engenharia de 6. O que motivou o surgimento da Engenharia de 7. Quais os problemas mais comuns, ainda existentes, na produção de software? 8. Quais os objetivos básicos do estabelecimento de métodos padronizados no desenvolvimento de sistemas? 9. Os métodos envolvem um amplo conjunto de tarefas que incluem várias atividades, cite-as: 10.Quais as vantagens de se aplicar os conceitos da Engenharia de Bibliografia TONSIG, S. L. Engenharia de Software Análise e Projeto de Sistemas. Editora Ciência Moderna, 2ª Edição, SOMMERVILLE, Ian. Engenharia de Software. São Paulo: Addison-Wesley, 6ª Edição, PRESSMAN, Roger S. Engenharia de Software. Rio de Janeiro: McGraw-Hill, Notas de aula

Introdução à. Engenharia de Software. Givanaldo Rocha de Souza givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.

Introdução à. Engenharia de Software. Givanaldo Rocha de Souza givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu. "Antes de imprimir pense em sua responsabilidade e compromisso com o MEIO AMBIENTE." Engenharia de Software Introdução à Engenharia de Software Givanaldo Rocha de Souza givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Introdução Engenharia Engenhar Sistema Software Alguns Conceitos 1 Definição É a aplicação sistemática, disciplinada e com abordagem quantitativa para o desenvolvimento, operação

Leia mais

Apostila da disciplina Introdução à Engenharia de Software Professor: Sandro Melo Faculdades São José Curso de Tecnologia de Sistemas de Informação

Apostila da disciplina Introdução à Engenharia de Software Professor: Sandro Melo Faculdades São José Curso de Tecnologia de Sistemas de Informação Capítulo 1: Software e Engenharia de Software O que é? E quem produz? Porque é importante? Quais são as fases? Qual o resultado? Como avaliar? Arcabouço: processo, conjunto de métodos e ferramentas. 1.1

Leia mais

Faculdade Pitágoras. Engenharia de Software. Prof.: Julio Cesar da Silva. juliocesar@tecnocracia.eti.br. Http://e-academy.com.br

Faculdade Pitágoras. Engenharia de Software. Prof.: Julio Cesar da Silva. juliocesar@tecnocracia.eti.br. Http://e-academy.com.br Faculdade Pitágoras Engenharia de Software Prof.: Julio Cesar da Silva juliocesar@tecnocracia.eti.br Http://e-academy.com.br Conceitos Iniciais Informática: Ciência que visa o tratamento da Informação.

Leia mais

Projeto de Desenvolvimento de Software. Apresentação (Ementa) e Introdução

Projeto de Desenvolvimento de Software. Apresentação (Ementa) e Introdução Projeto de Desenvolvimento de Software Apresentação (Ementa) e Introdução Msc. Eliezio Soares Graduação em Análise e Desenvolvimento de Sistemas IFRN Mestrado em Sistemas e Computação - DIMAp / UFRN Experiência

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Slide 05 Modelos de Processos Maurício Archanjo Nunes Coelho mauricio.coelho@ifsudestemg.edu.br Instituto Federal Análise de Sistemas Por que surgiu a Engenharia de Software? Resposta

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Universidade São Judas Tadeu Profª Dra. Ana Paula Gonçalves Serra Engenharia de O Processo Uma Visão Genérica Capítulo 2 (até item 2.2. inclusive) Engenharia de - Roger Pressman 6ª edição McGrawHill Capítulo

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE

QUALIDADE DE SOFTWARE DOCENTE PROFESSOR CELSO CANDIDO QUALIDADE DE SOFTWARE Formação: o Bacharel em Sistemas de Informações (SI); o MBA em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC). Conhecimentos: o Web Designer; o Arquitetura

Leia mais

Análise e Projeto de Sistemas. Engenharia de Software. Análise e Projeto de Sistemas. Contextualização. Perspectiva Histórica. A Evolução do Software

Análise e Projeto de Sistemas. Engenharia de Software. Análise e Projeto de Sistemas. Contextualização. Perspectiva Histórica. A Evolução do Software Análise e Projeto de Sistemas Análise e Projeto de Sistemas Contextualização ENGENHARIA DE SOFTWARE ANÁLISE E PROJETO DE SISTEMAS ENGENHARIA DA INFORMAÇÃO Perspectiva Histórica Engenharia de Software 1940:

Leia mais

c. Técnica de Estrutura de Controle Teste do Caminho Básico

c. Técnica de Estrutura de Controle Teste do Caminho Básico 1) Defina: a. Fluxo de controle A análise de fluxo de controle é a técnica estática em que o fluxo de controle através de um programa é analisado, quer com um gráfico, quer com uma ferramenta de fluxo

Leia mais

MODELAGEM DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

MODELAGEM DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Unidade III MODELAGEM DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Daniel Arthur Gennari Junior Sobre esta aula Ciclo de Vida de Sistemas Engenharia de Software Aplicações de Software Diagramação de Software Ciclo

Leia mais

Introdução Ciclo de vida tradicional de desenvolvimento Prototipagem Pacotes de software Desenvolvimento de 4ª geração Terceirização

Introdução Ciclo de vida tradicional de desenvolvimento Prototipagem Pacotes de software Desenvolvimento de 4ª geração Terceirização Prof. Ricardo José Pfitscher Material elaborado com base em: José Luiz Mendes Gerson Volney Lagemann Introdução Ciclo de vida tradicional de desenvolvimento Prototipagem Pacotes de software Desenvolvimento

Leia mais

Requisitos de Software

Requisitos de Software Requisitos de Software (Cap 6 - Sommerville) UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS Curso de Ciência da Computação Engenharia de Software I Prof. Rômulo Nunes de Oliveira Requisitos funcionais e não funcionais

Leia mais

Visão Geral Parte 1. O que é engenharia de software?

Visão Geral Parte 1. O que é engenharia de software? Visão Geral Parte 1 Jair C Leite DIMAp/UFRN O que é engenharia de software? É uma disciplina da engenharia dedicada a todos os aspectos da produção de software. Engenheiros de software devem adotar uma

Leia mais

Introdução à Ciência da Computação

Introdução à Ciência da Computação 1 Universidade Federal Fluminense Campus de Rio das Ostras Curso de Ciência da Computação Introdução à Ciência da Computação Professor: Leandro Soares de Sousa e-mail: leandro.uff.puro@gmail.com site:

Leia mais

Engenharia de Software. Tema 1. Introdução à Engenharia de Software Profa. Susana M. Iglesias

Engenharia de Software. Tema 1. Introdução à Engenharia de Software Profa. Susana M. Iglesias Engenharia de Software Tema 1. Introdução à Engenharia de Software Profa. Susana M. Iglesias Sistemas Computacionais Automatiza ou apóia a realização de atividades humanas (processamento da informação)

Leia mais

Aula 2 Revisão 1. Ciclo de Vida. Processo de Desenvolvimento de SW. Processo de Desenvolvimento de SW. Processo de Desenvolvimento de SW

Aula 2 Revisão 1. Ciclo de Vida. Processo de Desenvolvimento de SW. Processo de Desenvolvimento de SW. Processo de Desenvolvimento de SW Ciclo de Vida Aula 2 Revisão 1 Processo de Desenvolvimento de Software 1 O Processo de desenvolvimento de software é um conjunto de atividades, parcialmente ordenadas, com a finalidade de obter um produto

Leia mais

Processo de Software - Revisão

Processo de Software - Revisão Processo de Software - Revisão Curso de Especialização DEINF - UFMA Desenvolvimento Orientado a Objetos Prof. Geraldo Braz Junior Referências: Pressman, R. S. Engenharia de Software, McGraw-Hill, 6ª. Edição,

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS Engenharia Mecânica 9ª Série Fabricação Assistida por Computador A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software de Software Gerenciamento de de Software Dedica-se a assegurar que o nível requerido de qualidade seja atingido Em um produto de software Envolve a definição de padrões e procedimentos apropriados de qualidade

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Conceitos básicos sobre E.S: Ambiência Caracterização do software Fases de desenvolvimento 1 Introdução Aspectos Introdutórios Crise do Software Definição de Engenharia do Software 2 Crise do Software

Leia mais

Aula 04. Prof Wesley Sathler www.wesleysathler.webnode.com.br

Aula 04. Prof Wesley Sathler www.wesleysathler.webnode.com.br Aula 04 Prof Wesley Sathler www.wesleysathler.webnode.com.br Atualmente existe uma enorme quantidade de softwares (ou programas, ou sistemas de software) disponíveis para diversas finalidades. Desde o

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 1

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 1 ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 1 Índice 1. Introdução...3 1.1. O que é um Computador?... 3 1.2. Máquinas Multiníveis... 3 2 1. INTRODUÇÃO 1.1 O QUE É UM COMPUTADOR? Para estudarmos como um computador

Leia mais

Engenharia de Software: conceitos e aplicações. Prof. Tiago Eugenio de Melo, MSc tiagodemelo@gmail.com

Engenharia de Software: conceitos e aplicações. Prof. Tiago Eugenio de Melo, MSc tiagodemelo@gmail.com Engenharia de Software: conceitos e aplicações Prof. Tiago Eugenio de Melo, MSc tiagodemelo@gmail.com 1 Objetivos da aula Apresentar os conceitos de Engenharia de Software e explicar a sua importância.

Leia mais

Engenharia de Software e Gerência de Projetos Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios

Engenharia de Software e Gerência de Projetos Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Engenharia de Software e Gerência de Projetos Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Cronograma das Aulas. Hoje você está na aula Semana

Leia mais

A NECESSIDADE DE UMA NOVA VISÃO DO PROJETO NOS CURSOS DE ENGENHARIA CIVIL, FRENTE À NOVA REALIDADE DO SETOR EM BUSCA DA QUALIDADE

A NECESSIDADE DE UMA NOVA VISÃO DO PROJETO NOS CURSOS DE ENGENHARIA CIVIL, FRENTE À NOVA REALIDADE DO SETOR EM BUSCA DA QUALIDADE A NECESSIDADE DE UMA NOVA VISÃO DO PROJETO NOS CURSOS DE ENGENHARIA CIVIL, FRENTE À NOVA REALIDADE DO SETOR EM BUSCA DA QUALIDADE ULRICH, Helen Departamento de Engenharia de Produção - Escola de Engenharia

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 14 PROFª BRUNO CALEGARO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 14 PROFª BRUNO CALEGARO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 14 PROFª BRUNO CALEGARO Santa Maria, 01 de Novembro de 2013. Revisão aula passada Projeto de Arquitetura Decisões de projeto de Arquitetura

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO I. Família Pai, mãe, filhos. Criar condições para a perpetuação da espécie

ADMINISTRAÇÃO I. Família Pai, mãe, filhos. Criar condições para a perpetuação da espécie 1 INTRODUÇÃO 1.1 ORGANIZAÇÃO E PROCESSOS A administração está diretamente ligada às organizações e aos processos existentes nas mesmas. Portanto, para a melhor compreensão da Administração e sua importância

Leia mais

! Software e Engenharia de Software! Engenharia de Software e Programação! Histórico. " Crise do Software

! Software e Engenharia de Software! Engenharia de Software e Programação! Histórico.  Crise do Software Agenda Introdução a Engenharia de Cleidson de Souza cdesouza@ufpa.br http://www.ufpa.br/cdesouza! e Engenharia de! Engenharia de e Programação! Histórico " Crise do! No Silver Bullet! Fases Genéricas do

Leia mais

Professor: Curso: Disciplina: Aula 4-5-6

Professor: Curso: Disciplina: Aula 4-5-6 Professor: Curso: Disciplina: Aula 4-5-6 Turma: Esp. Marcos Morais de Sousa Sistemas de informação Engenharia de Software I Engenharia de Requisitos 03º semestre 1 Engenharia de Requisitos Prof. Marcos

Leia mais

Introdução a Banco de Dados Aula 03. Prof. Silvestri www.eduardosilvestri.com.br

Introdução a Banco de Dados Aula 03. Prof. Silvestri www.eduardosilvestri.com.br Introdução a Banco de Dados Aula 03 Prof. Silvestri www.eduardosilvestri.com.br Arquiteturas de Banco de Dados Arquiteturas de BD - Introdução Atualmente, devem-se considerar alguns aspectos relevantes

Leia mais

Computador E/S, Memória, Barramento do sistema e CPU Onde a CPU Registradores, ULA, Interconexão interna da CPU e Unidade de controle.

Computador E/S, Memória, Barramento do sistema e CPU Onde a CPU Registradores, ULA, Interconexão interna da CPU e Unidade de controle. Introdução Os principais elementos de um sistema de computação são a unidade central de processamento (central processing unit CPU), a memória principal, o subsistema de E/S (entrada e saída) e os mecanismos

Leia mais

Capítulo 2. Processos de Software. 2011 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados. slide 1

Capítulo 2. Processos de Software. 2011 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados. slide 1 Capítulo 2 Processos de Software slide 1 Tópicos apresentados Modelos de processo de software. Atividades de processo. Lidando com mudanças. Rational Unified Process (RUP). Um exemplo de um processo de

Leia mais

18º Congresso de Iniciação Científica IMPLEMENTAÇÃO DE UM MODELO DE TESTE DE APLICAÇÕES WEB

18º Congresso de Iniciação Científica IMPLEMENTAÇÃO DE UM MODELO DE TESTE DE APLICAÇÕES WEB 18º Congresso de Iniciação Científica IMPLEMENTAÇÃO DE UM MODELO DE TESTE DE APLICAÇÕES WEB Autor(es) HARLEI MIGUEL DE ARRUDA LEITE Orientador(es) PLÍNIO ROBERTO SOUZA VILELA Apoio Financeiro PIBIC/CNPQ

Leia mais

UNEMAT SISTEMA DE INFORMAÇÃO (SI) Professora: Priscila Pelegrini priscila_pelegrini@unemat-net.br

UNEMAT SISTEMA DE INFORMAÇÃO (SI) Professora: Priscila Pelegrini priscila_pelegrini@unemat-net.br UNEMAT SISTEMA DE INFORMAÇÃO (SI) Professora: Priscila Pelegrini priscila_pelegrini@unemat-net.br SINOP MT 2015-1 COMO SÃO DESENVOLVIDOS OS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO? São desenvolvimento como uma estrutura

Leia mais

Gerenciamento de Qualidade. Paulo C. Masiero Cap. 24 - SMVL

Gerenciamento de Qualidade. Paulo C. Masiero Cap. 24 - SMVL Gerenciamento de Qualidade Paulo C. Masiero Cap. 24 - SMVL Introdução Melhoria nos níveis gerais de qualidade de software nos anos recentes. Diferenças em relação ao gerenciamento da qualidade na manufatura

Leia mais

Disciplina: Técnicas de Racionalização de Processos Líder da Disciplina: Rosely Gaeta NOTA DE AULA 04 O PROJETO DE MELHORIA DOS PROCESSOS

Disciplina: Técnicas de Racionalização de Processos Líder da Disciplina: Rosely Gaeta NOTA DE AULA 04 O PROJETO DE MELHORIA DOS PROCESSOS Disciplina: Técnicas de Racionalização de Processos Líder da Disciplina: Rosely Gaeta NOTA DE AULA 04 O PROJETO DE MELHORIA DOS PROCESSOS 3.4 O PROJETO DE MELHORIA DE PROCESSOS 3.4.1 - CONCEITO DE PROJETO

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO A disciplina aborda o estudo da área de Informática como um todo, e dos conceitos fundamentais,

Leia mais

Engenharia de Software: Introdução. Mestrado em Ciência da Computação 2008 Profa. Itana Gimenes

Engenharia de Software: Introdução. Mestrado em Ciência da Computação 2008 Profa. Itana Gimenes Engenharia de Software: Introdução Mestrado em Ciência da Computação 2008 Profa. Itana Gimenes Programa 1. O processo de engenharia de software 2. UML 3. O Processo Unificado 1. Captura de requisitos 2.

Leia mais

Cartilha do ALUNO EMPREENDEDOR POLITÉCNICA

Cartilha do ALUNO EMPREENDEDOR POLITÉCNICA 1 Cartilha do ALUNO EMPREENDEDOR POLITÉCNICA Diretor Acadêmico: Edison de Mello Gestor do Projeto: Prof. Marco Antonio da Costa 2 1. APRESENTAÇÃO Prepare seus alunos para explorarem o desconhecido, para

Leia mais

Fundamentos de Engenharia de Software. Josino Rodrigues (josinon@gmail.com)

Fundamentos de Engenharia de Software. Josino Rodrigues (josinon@gmail.com) Fundamentos de Engenharia de Software Josino Rodrigues (josinon@gmail.com) Apresentação Quem sou eu Quem são vocês? Qual seu nível de conhecimento associado a disciplina e quais suas expectativas? Objetivo

Leia mais

Análise e Projeto de Sistemas

Análise e Projeto de Sistemas Análise e Projeto de Sistemas Gerenciamento de Projetos Conteúdo: Introdução Aula: I Prof.: Eude Lacerda E-mail: eude.lacerda@ifnmg.edu.br Apresentação Introdução ao gerenciamento de projetos de software

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação I

Administração de Sistemas de Informação I Administração de Sistemas de Informação I Prof. Farinha Aula 04 Conceito Sistema de Informação é uma série de elementos ou componentes inter-relacionados que coletam (entrada), manipulam e armazenam (processo),

Leia mais

Auditoria de Sistemas de Informação. Everson Santos Araujo <everson@por.com.br>

Auditoria de Sistemas de Informação. Everson Santos Araujo <everson@por.com.br> Auditoria de Sistemas de Informação Everson Santos Araujo 2 Abordagens Ao redor do computador Através do computador Com o computador 3 Ao redor do computador Auditoria de documento-fonte

Leia mais

Conceitos Básicos de Rede. Um manual para empresas com até 75 computadores

Conceitos Básicos de Rede. Um manual para empresas com até 75 computadores Conceitos Básicos de Rede Um manual para empresas com até 75 computadores 1 Conceitos Básicos de Rede Conceitos Básicos de Rede... 1 A Função de Uma Rede... 1 Introdução às Redes... 2 Mais Conceitos Básicos

Leia mais

IIH Introdução à Informática e Hardware

IIH Introdução à Informática e Hardware Prof. MSc. André Luis Gobbi Primo andre.gobbi@ifsp.edu.br INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO - CAMPUS VOTUPORANGA Técnico em Manutenção e Suporte em Informática IIH Introdução

Leia mais

Objetivos Específico

Objetivos Específico Banco de Dados Ementa (DBA) Conceitos Gerais sobre Banco de Dados Instalação e configuração da Ferramenta de Banco de Dados. Elaboração de projeto de Banco de Dados. Implementação do projeto de Banco de

Leia mais

natureza do projeto e da aplicação métodos e ferramentas a serem usados controles e produtos que precisam ser entregues

natureza do projeto e da aplicação métodos e ferramentas a serem usados controles e produtos que precisam ser entregues Modelo De Desenvolvimento De Software É uma representação abstrata do processo de desenvolvimento que define como as etapas relativas ao desenvolvimento de software serão conduzidas e interrelacionadas

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados e Sistemas para Internet Disciplina: Projeto Integrador III Prof.: Fernando Hadad Zaidan

Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados e Sistemas para Internet Disciplina: Projeto Integrador III Prof.: Fernando Hadad Zaidan Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados e Sistemas para Internet Disciplina: Projeto Integrador III Prof.: Fernando Hadad Zaidan Ago-2008 1 Gestão de requisitos 2 Bibliografia: PAULA

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Qualidade de Software Conceitos, estudo, normas Giuliano Prado de Morais Giglio profgiuliano@yahoo.com.br Objetivos Definir Qualidade Definir Qualidade no contexto de Software Relacionar Qualidade de Processo

Leia mais

TI Aplicada. Aula 02 Áreas e Profissionais de TI. Prof. MSc. Edilberto Silva prof.edilberto.silva@gmail.com http://www.edilms.eti.

TI Aplicada. Aula 02 Áreas e Profissionais de TI. Prof. MSc. Edilberto Silva prof.edilberto.silva@gmail.com http://www.edilms.eti. TI Aplicada Aula 02 Áreas e Profissionais de TI Prof. MSc. Edilberto Silva prof.edilberto.silva@gmail.com http:// Papéis... Um papel é uma definição abstrata de um conjunto de atividades executadas e dos

Leia mais

Tópicos da Aula. Que é são requisitos? Tipos de Requisitos. Requisitos Funcionais. Classificação de Requisitos. Requisitos de Software.

Tópicos da Aula. Que é são requisitos? Tipos de Requisitos. Requisitos Funcionais. Classificação de Requisitos. Requisitos de Software. Engenharia de Software Aula 06 Tópicos da Aula Software Eduardo Figueiredo http://www.dcc.ufmg.br/~figueiredo dcc603@gmail.com 26 Março 2012 Funcionais e não funcionais De usuário e do Engenharia de Estudo

Leia mais

! Software e Engenharia de Software! Engenharia de Software e Programação! Histórico. " Crise do Software

! Software e Engenharia de Software! Engenharia de Software e Programação! Histórico.  Crise do Software Agenda Introdução a Engenharia de Cleidson de Souza cdesouza@ufpa.br http://www.ufpa.br/cdesouza! e! e Programação! Histórico " Crise do! No Silver Bullet! Fases Genéricas do Processo de Desenvolvimento

Leia mais

2 Investimentos em Tecnologia da Informação

2 Investimentos em Tecnologia da Informação Investimentos em Tecnologia da Informação 19 2 Investimentos em Tecnologia da Informação Este capítulo visa apresentar os conceitos básicos e definições que farão parte do desenvolvimento desta dissertação.

Leia mais

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr Tecnologia da Informação Prof Odilon Zappe Jr Compatibilidade O termo compatibilidade refere-se aos diferentes componentes do computador (hardware e software) que são convenientes para o emprego das funções

Leia mais

Motivos para você ter um servidor

Motivos para você ter um servidor Motivos para você ter um servidor Com a centralização de dados em um servidor, você poderá gerenciar melhor informações comerciais críticas. Você pode proteger seus dados tornando o backup mais fácil.

Leia mais

Catálogo de cursos 2016

Catálogo de cursos 2016 Catálogo de cursos 2016 Fone: 3632-1446 MAIS DE 50 OPÇÕES DE CURSOS! VEJA ABAIXO ALGUNS DELES: @ PROFISSÕES DO SUPERMECADO DESENVOLVIMENTO DE SITES PARA INTERNET DESENHO MECÂNICO / ARQUITETURA COM AUTOCAD

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Software

Processo de Desenvolvimento de Software Processo de Desenvolvimento de Software Prof. Luiz Leão luizleao@gmail.com luizleao.com Introdução Conceitos Gerais de Processo de Desenvolvimento de Software (PDS). O que é? Para que serve? Problemas

Leia mais

LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza

LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza edwin@engenharia-puro.com.br www.engenharia-puro.com.br/edwin Introdução A A logística sempre existiu e está presente no dia a dia de todos nós, nas mais diversas

Leia mais

Metadados. 1. Introdução. 2. O que são Metadados? 3. O Valor dos Metadados

Metadados. 1. Introdução. 2. O que são Metadados? 3. O Valor dos Metadados 1. Introdução O governo é um dos maiores detentores de recursos da informação. Consequentemente, tem sido o responsável por assegurar que tais recursos estejam agregando valor para os cidadãos, as empresas,

Leia mais

Unidade IV GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade IV GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade IV GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI - Tecnologia da informação SI - Tecnologia da informação Com a evolução tecnológica surgiram vários setores onde se tem informatização,

Leia mais

Esta é uma história sobre 4 (quatro) pessoas: TODO MUNDO, ALGUÉM, QUALQUER UM e NINGUÉM.

Esta é uma história sobre 4 (quatro) pessoas: TODO MUNDO, ALGUÉM, QUALQUER UM e NINGUÉM. Faculdade de Enfermagem - Departamento de Enfermagem Básica Disciplina: Administração em Enfermagem I Docente: Bernadete Marinho Bara De Martin Gama Assunto: Métodos de Trabalho em Enfermagem. Objetivos:

Leia mais

Introdução a Computação

Introdução a Computação Introdução a Computação Aula 03 Profissões de TI Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com http:// Papéis... Um papel é uma definição abstrata de um conjunto de atividades executadas e dos respectivos

Leia mais

Processos de Desenvolvimento de Software

Processos de Desenvolvimento de Software Processos de Desenvolvimento de Software Gerenciamento de Projetos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência e

Leia mais

O modelo Entidade-Relacionamento. Agenda: -Modelagem de dados utilizando O Modelo Entidade-Relacionamento

O modelo Entidade-Relacionamento. Agenda: -Modelagem de dados utilizando O Modelo Entidade-Relacionamento O modelo Entidade-Relacionamento Agenda: -Modelagem de dados utilizando O Modelo Entidade-Relacionamento 1 Antes de começarmos: A modelagem conceitual é uma fase muito importante no plamejamento de um

Leia mais

Catálogo decursos. metodologiaadvance.com.br MAIS DE 50 OPÇÕES DE CURSOS! VEJA ABAIXO ALGUNS DELES: DESENVOLVIMENTO DE SITES PARA INTERNET

Catálogo decursos. metodologiaadvance.com.br MAIS DE 50 OPÇÕES DE CURSOS! VEJA ABAIXO ALGUNS DELES: DESENVOLVIMENTO DE SITES PARA INTERNET Catálogo decursos Ensino de qualidade para todos 2016 MAIS DE 50 OPÇÕES DE CURSOS! VEJA ABAIXO ALGUNS DELES: @ PROFISSÕES DO SUPERMECADO DESENVOLVIMENTO DE SITES PARA INTERNET DESENHO MECÂNICO / ARQUITETURA

Leia mais

Engenharia de Software 01 - Introdução. Márcio Daniel Puntel marciopuntel@ulbra.edu.br

Engenharia de Software 01 - Introdução. Márcio Daniel Puntel marciopuntel@ulbra.edu.br Engenharia de Software 01 - Introdução Márcio Daniel Puntel marciopuntel@ulbra.edu.br Engenharia de Software Nações desenvolvidas dependem de software; Cada vez mais sistemas são controlados por software;

Leia mais

Unidade II MODELAGEM DE PROCESSOS

Unidade II MODELAGEM DE PROCESSOS Unidade II 3 MODELAGEM DE SISTEMAS 1 20 A fase de desenvolvimento de um novo sistema de informação (Quadro 2) é um momento complexo que exige um significativo esforço no sentido de agregar recursos que

Leia mais

GERÊNCIA DE PROJETOS DE SOFTWARE. Introdução

GERÊNCIA DE PROJETOS DE SOFTWARE. Introdução GERÊNCIA DE PROJETOS DE SOFTWARE Introdução GERÊNCIA DE PROJETOS DE SOFTWARE - INTRODUÇÃO Um projeto é como uma viagem em uma rodovia. Alguns projetos são simples e rotineiros, como dirigir até uma loja

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UFPR BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UFPR BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CI 221 DISCIPLINA: Engenharia de Software AULA NÚMERO: 5 DATA: / / PROFESSOR: Andrey APRESENTAÇÃO Nesta aula serão apresentados e discutidos os conceitos de Gestão de projetos de software, riscos de software,

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE MANUTENÇÃO APLICADO NO IFRN CAMPUS MOSSORÓ

SISTEMA DE GESTÃO DE MANUTENÇÃO APLICADO NO IFRN CAMPUS MOSSORÓ SISTEMA DE GESTÃO DE MANUTENÇÃO APLICADO NO IFRN CAMPUS MOSSORÓ Dayse Duarte Tenorio Diretoria Acadêmica de Eletrotécnica IFRN Campus Mossoró E-mail: dayse_tenoro_d@hotmail.com Lucas Duarte Almeida Departamento

Leia mais

Ética Profissional. Antônio Lopes, professor da USP, apresenta o conceito bastante preciso para Ética Profissional em seu livro Ética Profissional.

Ética Profissional. Antônio Lopes, professor da USP, apresenta o conceito bastante preciso para Ética Profissional em seu livro Ética Profissional. Ética Profissional É consenso de muitos autores e estudiosos que ética profissional está intimamente ligada aos princípios individuais que norteiam a conduta do ser humano diante dos fatos no seu dia-a-dia

Leia mais

Engenharia de aplicações web

Engenharia de aplicações web Engenharia de aplicações web Departamento de Matemática Universidade dos Açores Hélia Guerra helia@uac.pt aplicações web As Aplicações Web (WebApp) cresceram em complexidade e importância, abrangendo as

Leia mais

Metodologia de Desenvolvimento de Software. Prof. M.Sc. Sílvio Bacalá Jr

Metodologia de Desenvolvimento de Software. Prof. M.Sc. Sílvio Bacalá Jr Metodologia de Desenvolvimento de Software Prof. M.Sc. Sílvio Bacalá Jr Objetivos Discutir aspectos de Engenharia de Software Aplicar um método de desenvolvimento para especificação e projeto de software

Leia mais

Tópicos em Engenharia de Software (Optativa III) AULA 2. Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com (81 )9801-6619

Tópicos em Engenharia de Software (Optativa III) AULA 2. Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com (81 )9801-6619 Tópicos em Engenharia de Software (Optativa III) AULA 2 Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com (81 )9801-6619 Engenharia de Software Objetivo da aula Depois desta aula você terá uma revisão sobre o

Leia mais

Prof. Antonio Almeida de Barros Jr. Prof. Antonio Almeida de Barros Junior

Prof. Antonio Almeida de Barros Jr. Prof. Antonio Almeida de Barros Junior Prof. Antonio Almeida de Barros Jr. Introdução Dados Informações Banco de Dados Conceitos Básicos em Bancos de Dados Definição BD - Banco de Dados SGBD - Sistema de Gerenciamento de BD Programa de Aplicação

Leia mais

Na medida em que se cria um produto, o sistema de software, que será usado e mantido, nos aproximamos da engenharia.

Na medida em que se cria um produto, o sistema de software, que será usado e mantido, nos aproximamos da engenharia. 1 Introdução aos Sistemas de Informação 2002 Aula 4 - Desenvolvimento de software e seus paradigmas Paradigmas de Desenvolvimento de Software Pode-se considerar 3 tipos de paradigmas que norteiam a atividade

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais Administração de Sistemas de Informação Gerenciais UNIDADE II: E-business Global e Colaboração Prof. Adolfo Colares Uma empresa é uma organização formal cujo o objetivo é produzir s ou prestar serviços

Leia mais

PROCESSOS DE CRIAÇÃO DE APLICATIVOS

PROCESSOS DE CRIAÇÃO DE APLICATIVOS PROCESSOS DE CRIAÇÃO DE APLICATIVOS Joaldo de Carvalho Wesley Oliveira Irlei Rodrigo Ferraciolli da Silva Rodrigo Clemente Thom de Souza INTRODUÇÃO O mundo está dominado pelos dispositivos móveis. A cada

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Rafael D. Ribeiro, M.Sc. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br A qualidade de software é responsabilidade de todos os participantes envolvidos no desenvolvimento de software.

Leia mais

Sist i em em I a n I fo f rm r at m i at zad

Sist i em em I a n I fo f rm r at m i at zad Sistema Informatizado Software Software Formado por algoritmos e suas representações para o computador (programas) Instruções codificadas necessárias para transformar dados em informações X Quando pessoas

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software 2.1 Capítulo 2 QUALIDADE DE SOFTWARE 1. INTRODUÇÃO Como foi mencionado no capítulo anterior, o papel da Engenharia de Software é, principalmente, fornecer métodos e ferramentas para

Leia mais

Unidade I Conceitos BásicosB. Conceitos BásicosB

Unidade I Conceitos BásicosB. Conceitos BásicosB à Engenharia de Software Unidade I Conceitos BásicosB Pedro de Alcântara dos Santos Neto pasn@ufpi.edu.br 1961 a 1963 Surgimento de novos Hardwares 1963-1968 Crise do Software! Incapacidade de se utilizar

Leia mais

Projeto de Desenvolvimento de Software

Projeto de Desenvolvimento de Software Projeto de Desenvolvimento de Software Processo de Desenvolvimento de Software Msc. Eliezio Soares eliezio.soares@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/elieziosoares Objetivos Conceituar genericamente

Leia mais

Engenharia de Software Aula 8 (Versão 2010-02)

Engenharia de Software Aula 8 (Versão 2010-02) Engenharia de Software Aula 8 (Versão 2010-02) As melhores práticas de Engenharia de Software: Verificar Continuamente a Qualidade do Software Controlar Mudanças de Software Professor Gabriel Baptista

Leia mais

Processos de Software

Processos de Software Processos de Software Prof. Márcio Lopes Cornélio Slides originais elaborados por Ian Sommerville O autor permite o uso e a modificação dos slides para fins didáticos O processo de Um conjunto estruturado

Leia mais

CAPABILITY MATURITY MODEL FOR SOFTWARE. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com

CAPABILITY MATURITY MODEL FOR SOFTWARE. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com CAPABILITY MATURITY MODEL FOR SOFTWARE Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com 1. Introdução Após décadas de incontáveis promessas sobre como aumentar à produtividade e qualidade de software,

Leia mais

A TECNOLOGIA REINVENTOU COMO CONSUMIDORES ASSISTEM TV

A TECNOLOGIA REINVENTOU COMO CONSUMIDORES ASSISTEM TV A TECNOLOGIA REINVENTOU COMO CONSUMIDORES ASSISTEM TV Como deve ser a resposta da Medição de Audiência? O DESAFIO NÃO É A FALTA DE DADOS DE AUDIÊNCIA. O DESAFIO É COMBINAR OS DADOS DE UMA FORMA QUE NOS

Leia mais

DESENVOLVENDO O SISTEMA

DESENVOLVENDO O SISTEMA DESENVOLVENDO O SISTEMA Declaração da Necessidade O primeiro passo do processo de análise de sistema envolve a identificação da necessidade [Pressman-95]. Normalmente o analista reúne-se com o usuário

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DOS PILARES DA MPT NO DESEMPENHO OPERACIONAL EM UM CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE COSMÉTICOS. XV INIC / XI EPG - UNIVAP 2011

IMPLANTAÇÃO DOS PILARES DA MPT NO DESEMPENHO OPERACIONAL EM UM CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE COSMÉTICOS. XV INIC / XI EPG - UNIVAP 2011 IMPLANTAÇÃO DOS PILARES DA MPT NO DESEMPENHO OPERACIONAL EM UM CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE COSMÉTICOS. XV INIC / XI EPG - UNIVAP 2011 Rogério Carlos Tavares 1, José Luis Gomes da Silva² 1 Universidade de

Leia mais

COMO REDIGIR ARTIGOS CIENTÍFICOS. Profa. EnimarJ. Wendhausen

COMO REDIGIR ARTIGOS CIENTÍFICOS. Profa. EnimarJ. Wendhausen COMO REDIGIR ARTIGOS CIENTÍFICOS Profa. EnimarJ. Wendhausen Objetivo do capítulo Contribuir para que o discente, seguindo as etapas apresentadas no texto, tenha condições de redigir um texto em conformidade

Leia mais

Sistema Datachk. Plano de Projeto. Versão <1.0> Z u s a m m e n a r b e i t I d e i a s C o l a b o r a t i v a s

Sistema Datachk. Plano de Projeto. Versão <1.0> Z u s a m m e n a r b e i t I d e i a s C o l a b o r a t i v a s Plano de Projeto Versão Z u s a m m e n a r b e i t I d e i a s C o l a b o r a t i v a s 2010 2 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autores 07/04/2010 1.0 Criação da primeira versão do Plano

Leia mais

Implantação do Sistema de Controle de Tempos Nas Agências de Atendimento - TMA

Implantação do Sistema de Controle de Tempos Nas Agências de Atendimento - TMA Implantação do Sistema de Controle de Tempos Nas Agências de Atendimento - TMA Projeto Nº 318 Tema: Atendimento a Clientes José César do Nascimento CELPE Sistema de Controle do Tempo Médio de Atendimento

Leia mais