Sistemas Embarcados:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sistemas Embarcados:"

Transcrição

1 Sistemas Embarcados: Microcontroladores Prof. Protásio Laboratório de Microengenharia/DEE/CEAR/UFPB

2 Norma Técnica (Standard) De acordo com o INMETRO (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia), uma norma técnica é: um documento aprovado por uma instituição reconhecida, que prevê, para um uso comum e repetitivo, REGRAS, DIRETRIZES ou CARACTERÍSTICAS para os produtos ou processos e métodos de produção conexos, e cuja observância não é obrigatória. Também pode incluir prescrições em matéria de terminologia, símbolos, embalagem, marcação ou etiquetagem aplicáveis a um produto, processo ou método de produção, ou tratar exclusivamente delas.

3 Standard Em ciência e tecnologia, a palavra inglesa standard é utilizada com pelo menos dois significados diferentes: Como um regulamento técnico (RT) ou uma norma técnica (NT) a grande diferença entre RT e NT reside na obrigatoriedade de aplicação do primeiro. Como um padrão de medição.

4 Norma Técnica (Standard) Existem vários tipos de standard. Exemplos: Technical standard. A standard that describes the characteristics of applying accumulated technical or management skills and methods in the reation of a product or performing a service. Component standard. A standard that describes the characteristics of data or program components. Description standard. A standard that describes the characteristics of product information or procedures provided to help understand, test, install, operate, or maintain the product. Design standard. A standard that describes the characteristics of a design or a design description of data or program components. Measurement standard. A standard that describes the characteristics of evaluating a process of product. Method standard. A standard that describes the characteristics of the orderly process or procedure used in the engineering of a product or performing a service.

5 Standards em Sistemas Embarcados Considere o modelo arquitetural abaixo. Camada de Aplicativos Camada de Software de Sistema Camada de Hardware Este é geral para todos os SE.

6 Standards em Sistemas Embarcados Standards podem definir as funcionalidades que são específicas para cada camada do modelo de sistema embarcado. Os Standards podem ser classificados em: Específicos de mercado De propósito geral Ou estarem em ambas as categorias.

7 Standards em Sistemas Embarcados Standards específicos de mercado Relativos a um particular grupo de sistema embarcados relacionados e que compartilham características e técnicas similares ao usuário final. Exemplos: Bens eletrônicos de consumo (Consumer Electronics) TVs, jogos, aparelhos domésticos (microondas, lavadoras de roupa, etc.), etc. Equipamentos médicos Equipamentos de controle e automação industrial Equipamentos de rede e de comunicação Indústria automotiva Indústria aeroespacial e de defesa Automação de escritório

8 Standards em Sistemas Embarcados Standards de propósito geral Exemplos: Padrões de redes HTTP (Hypertext Transfer Protocol) TCP (Transmission Control Protocol)/IP (Internet Protocol) IEEE (Institute of Electronics and Electrical Engineers) Ethernet Padrão de Local Area Networks (LANs) Bluetooth J2ME (Java 2 Micro Edition).NET Compact Framework HTML (Hyper Text Markup Language)

9 Standards e Linguagens de Programação Não há uma linguagem de programação que seja perfeita para todos os sistemas embarcados. De acordo com o padrão da linguagem de programação escolhida, pode-se introduzir mudança na arquitetura do sistema embarcado. Por exemplo: se for JAVA, deve coexistir um componente adicional, o JVM (Java Virtual Machine). Também é possível usar mais de uma linguagem de programação Por exemplo, assembly inline em um programa em C Ademais, existem linguagem com vários padrões, por exemplo, C, C++.

10 Standards e Linguagens de Programação Evolução das Linguagens de Programação

11 Standards e Linguagens de Programação A linguagem de máquina é a única que o hardware pode executar diretamente, assim: São usados mecanismos para gerar códigos de máquina a partir de outras linguagem. Esses mecanismos podem ser: Pré-processamento Etapa opcional realizada antes da tradução ou interpretação. É uma etapa de organização de códigos fontes. Tradução Mecanismo que traduz uma linguagem de um nível maior em outra de nível menor. A compilação é um tipo de tradução. Interpretação Mecanismo em que um programa em uma linguagem de baixo nível é utilizado para interpretar instruções de uma outra linguagem em nível maior. Exemplo: BASIC.

12 Standards e Linguagens de Programação Pré-processamento É uma etapa opcional e inicial dos processos de tradução e de interpretação a fim de facilitar estes processos. Exemplo: em C ou C++, o pré-processamento é que realiza o processamento de macros (fragmentos de códigos) #define MAX(a,b) (a > b)? a : b

13 Standards e Linguagens de Programação Compilação É a etapa de geração de código, a partir de uma dada linguagem, para uma linguagem alvo específica de mais baixo nível. Em geral, o resultado da compilação é um código objeto (*.o em C ou C++, é um código padronizado em um formato anterior ao código de máquina) ou bytecode (.class em JAVA).

14 Standards e Linguagens de Programação Linkagem É a etapa de geração de código de máquina a partir de um código objeto considerando outros códigos ou bibliotecas necessárias. O resultado da linkagem é o arquivo executável a ser transferido para o sistema embarcado. Bibliotecas

15 Standards e Linguagens de Programação Fluxo de compilação e linkagem em C

16 Exemplos de linguagem de programação que afetam a arquitetura do Sistema Embarcado Relembrando: Compilação: traduz o código fonte de uma vez só. Interpretação: gera (interpreta) código(s) de máquina para cada linha de código fonte por vez. Source L1 Source L2 Source L3 Source L4 Source L5 Target Code for Source L1 Target Code for Source L2 Target Code for Source L3 Source L6

17 Exemplos de linguagem de programação que afetam a arquitetura do Sistema Embarcado Linguagem de programação interpretadas Um subclasse das linguagem de programação Interpretadas são as linguagens de script: Exemplos: PHP, Perl, Python, JavaScript, HTML, Linguagens de script são de alto nível e com características avançadas, tais como: Independência de plataforma Resolução do tipo de dado realizada on-the-fly Geração de código em tempo de execução e executado imediatamente Prototipação rápida Em geral, usam APIs (Application Programming Interface) Uma API é um conjunto de comandos ou padrões de programação (biblioteca) para acesso (em alto nível, ou seja, sem envolvimento com detalhes de implementação) às funcionalidades de uma dado ambiente de software ou aplicativo.

18 Exemplos de linguagem de programação que afetam a arquitetura do Sistema Embarcado SCRIPT Um script é uma listagem sequencial de eventos. Um evento pode ser: Chamada de um comando Chamada de uma função Uma configuração, etc. S ee e e n O uso de script facilita a reexecução de rotinas. Exemplo: um arquivo bath (do DOS ou do Linux) é um script.

19 Exemplos de linguagem de programação que afetam a arquitetura do Sistema Embarcado O uso de linguagem de scripts adiciona um componente na arquitetura do Sistema Embarcado: o INTERPRETADOR. O interpretador é um componente de software que processa scripts (linhas de código fonte) on-the-fly. Camada de Aplicativos Interpretador Camada de Software de Sistema Camada de Hardware

20 Exemplos de linguagem de programação que afetam a arquitetura do Sistema Embarcado Exemplo de interpretadores: Arquitetura de um sistema embarcado com a camada de aplicação contendo um browser e interpretadores Interpretador JavaScript e HTTP

21 Exemplos de linguagem de programação que afetam a arquitetura do Sistema Embarcado Todas linguagens de script são interpretadas Mas nem toda linguagem interpretada são de script. Exemplo: Linguagem JAVA Incorpora compilação e interpretação

22 Exemplos de linguagem de programação que afetam a arquitetura do Sistema Embarcado Linguagem JAVA Esquema de compilação na máquina host O bytecode java é o código alvo e é independente de plataforma.

23 Exemplos de linguagem de programação que afetam a arquitetura do Sistema Embarcado Linguagem JAVA Na máquina-alvo (o sistema embarcado), o bytecode java é executado em uma JVM. JVM pode estar em qualquer camada da arquitetura do sistema embarcado Camada de Aplicação Camada de Aplicação Camada de Aplicação Camada de Software de sistema Camada de Software de sistema Java Virtual Machine Java Device Drivers Java Virtual Machine Camada de Software de sistema Processador Java Camada de Hardware Camada de Hardware Camada de Hardware JVM in Hardware, i.e, ARM s Gazelle, Ajile s aj100 JVM part of System layer, i.e., Skelmir s Cee-J, Esmertec/Insignia s Jeode and Jbed, Tao s Intent, Kava s KavaVM JVM complied in application, i.e., Esmertec s Jbed, Kava KavaVM, IBM s J9

24 Exemplos de linguagem de programação que afetam a arquitetura do Sistema Embarcado Linguagem JAVA Uma JVM tem impacto o projeto de sistemas embarcados em: Tamanho Velocidade, e Funcionalidade. Uma JVM contém primariamente: As classes integradas ao JVM Máquina de execução (execution engine) que executa o código java

25 Exemplos de linguagem de programação que afetam a arquitetura do Sistema Embarcado Componentes de uma JVM Classes integradas ao JVM Máquina de execução

26 Exemplos de linguagem de programação que afetam a arquitetura do Sistema Embarcado Componentes de uma JVM Classes integradas ao JVM São bibliotecas compiladas de byte code e são comumente denominadas de JAVA APIs Java APIs permitem ao programador executar funções do sistema e reuso de código Aplicativos em Java requerem o uso de Java API classes juntamente com seu próprio código. As APIs diferem de acordo com a aplicação e podem incluir: Gerenciamento de memória, Suporte de rede Suporte gráfico, etc.

27 Exemplos de linguagem de programação que afetam a arquitetura do Sistema Embarcado Componentes de uma JVM Classes integradas ao JVM Exemplos de APIs para dois padrões de java embarcado pjava JVM APIs (Personal Java)

28 Exemplos de linguagem de programação que afetam a arquitetura do Sistema Embarcado Componentes de uma JVM Classes integradas ao JVM Exemplos de APIs para dois padrões de java embarcado J2ME (Java 2 Micro Edition) J2ME JVM (User Interface)

29 Exemplos de linguagem de programação que afetam a arquitetura do Sistema Embarcado Componentes de uma JVM Padrões de java embarcado

30 Exemplos de linguagem de programação que afetam a arquitetura do Sistema Embarcado Componentes de uma JVM Máquina de execução (Execution Machine) Em geral, é composta de: Colletor de Lixo (garbage collector, GC) Desalocar memória não necessária Unidade de processamento de byte code Interpreta o byte code em código de máquina.

31 Exemplos de linguagem de programação que afetam a arquitetura do Sistema Embarcado.NET Compact Framework É uma proposta de Microsoft que permite aplicativos escritos em C#, Visual Basic e JavaScript serem executados em dispositivos embarcados. O código fonte nessas linguagens são convertidos em uma linguagem intermediária independente de plataforma: MSIL (Microsoft Intermediate Language)

32 Exemplos de linguagem de programação que afetam a arquitetura do Sistema Embarcado.NET Compact Framework

33 Rede Uma rede é um conjunto de máquinas autônomas e interconectadas. Sistema embarcado em rede Em certas aplicações, um sistema embarcado precisa se comunicar com um outro sistema (máquina host, um servidor, outro sistema embarcado, etc.) Para isso, então é preciso ter um esquema de rede. Para a comunicação é preciso: Sistema de interconexão comum entre os dispositivos Protocolo de rede para interoperabilidade. Padrões são extremamente importante. Por que?

34 A princípio, o projetista de sistemas embarcados deve conhecer: A distância entre os dispositivos O meio físico a ser utilizado Arquitetura geral da rede

35 As redes podem ser: Homogênea se todos as máquinas por ela interconectadas são idênticas. Caso contrário, heterogênea. Redes heterogêneas demandam padronização: Em nível de hardware (tensões, frequências, etc.) Em nível de software (por exemplo, representação de dados e formatação de mensagens).

36 Distância entre os dispositivos Em geral, as redes podem ser: Redes Locais (LAN: Local Area Network) (< 100 m) Interconectam máquinas que estão nas proximidades uma das outras. Por exemplo: no mesmo prédio, na mesma sala, etc. Tipicamente, par trançado metálico é empregado como meio físico. Redes de Campus (CAN: Campus Area Network) (<10 km) Interconectam máquinas em nível de campus (fábrica, universidade, etc.). Tipicamente são compostas de várias LANs interligadas por uma rede de alto desempenho (backbone) baseada em fibra óptica. Redes Metropolitanas (MAN: Metropolitan Area Network) (5-100 km) Interconectam máquinas e LANs em nível regional Redes de Longa Distância (WAN: Wide Area Network) Interconectam máquinas e/ou LANs que estão distribuídos em uma grande área geográfica (em nível nacional, continental, ou até mundial (como a Internet).

37 Meio físico Em geral, os meios físicos podem ser classificados como: Guiados O sinal é guiado através de um caminho físico com fronteiras bem definidas. Exemplos: fios ou cabos condutores Não-Guiados O sinal não é guiado através de um caminho físico com fronteiras bem definidas, mas sim em meios como o vácuo, ar ou água.

38 Meio físico Uma outra forma de classificar os meios físicos, pode ser em: Wired Baseado no uso de fios ou cabos condutores Wireless Baseado em comunicação sem uso de fios ou cabos condutores.

39 Parâmetros importantes que diferenciam os meios de comunicação Tipo de dado: analógico ou digital Capacidade de dados o meio pode transportar Largura de banda: taxa de dados em bits por segundo. Latência: quantidade de tempo gasto para que um dado vá da origem ao destino. Velocidade em que o meio transporta dados da origem ao destino

40 Parâmetros importantes que diferenciam os meios de comunicação Distância máxima Exemplos: Meios sem perda: não há perda de energia por unidade de distância Meios com perda: não há perda de energia por unidade de distância Exemplo: em sistema wireless, existe a perda de propagação em que a potência do sinal cai com o quadrado da distância percorrida. Suscetibilidade a interferências externas Eletromagnetic Interference (EMI), Radio Frequency Interference (RFI), condições climáticas, etc.

41 Tipos padrões de meio físico Par trançado Cabo coaxial Fibra óptica Microondas Rádiodifusão Infravermelho

42 Arquitetura geral de rede Fornece a relação entre os dispositivos conectados pela rede. As arquitetura mais comuns são: Ponto-a-ponto Cliente-Servidor Híbrida

43 Arquitetura ponto-a-ponto Não há controle centralizado na rede. Cada dispositivo na rede gerencia seus próprios recursos e requisitos. Usualmente são implementadas em LAN São mais simples de serem implementadas

44 Arquitetura cliente-servidor Há um dispositivo centralizado de controle na rede, denominado de servidor. Os outros dispositivos são denominados de clientes. Em geral, clientes contêm poucos recursos e utilizam recursos do servidor. São utilizadas tanto para LAN quanto para WAN

45 Arquitetura de redes de difusão (broadcast) Todas as máquinas compartilham uma mesma linha de transmissão. Mensagens/pacotes enviados por uma máquina são recebidas por todas as demais. Se o endereço de destino contido na mensagem for diferente do endereço da máquina que a recebeu, a mensagem é descartada Barramento Radiodifusão via satélite Anel

46 Arquitetura de rede X topologia de rede A topologia de rede se refere ao arranjo físico entre os dispositivos conectados no qual é determinado pela: Arquitetura da rede Meio de comunicação (wired X wireless) Distância entre os dispositivos

47 Exemplos de topologias de rede Árvore Malha Barramento Estrela Anel Malha Completa

48 Interconexão de sistemas É necessário ter um padrão para que máquinas diferentes se comuniquem em uma rede heterogênea. Questões: Camada de aplicativos Como um aplicativo envia uma mensagem a uma outra máquina? Como um aplicativo comunica essa mensagem até o meio físico através de sua arquitetura? Essa comunicação deve atender a algum procedimento (protocolo, codificação, aspectos físicos: tensão, frequência,...) em todas as máquinas? Máquina 1 Máquina 2 Máquina 3 Máquina N Camada de sistema Camada de Hardware Meio Físico...

49 Modelo OSI (Open Systems Interconnection) É um modelo aberto de interconexão de dispositivos em rede. Foi criado em 1980 pelo ISO (International Organization for Standardization) Normaliza a interconexão em sete camadas de rede: Camada física Camada de enlace de dados Camada de rede Camada de transporte Camada de seção Camada de apresentação Camada de aplicação

50 Modelo OSI (Open Systems Interconnection) Máquina 1 Máquina 2 Aplicação Protocolo da camada de aplicação Aplicação Apresentação Protocolo da camada de apresentação Apresentação Interface entre camadas Seção Transporte Protocolo da camada de seção Protocolo da camada de transporte Seção Transporte Rede Protocolo da camada de rede Rede Enlace Protocolo da camada de enlace Enlace Física Protocolo da camada física Física Meio Físico

51 Modelo OSI (Open Systems Interconnection) Distribuição das camadas na arquitetura da máquina Application Layer Presentation Layer Session Layer Application Software Layer Transport Layer Network Layer System Software Layer Data-Link Layer Physical Layer Hardware Layer

52 Modelo OSI (Open Systems Interconnection) O modelo OSI contempla a transferência de dados entre camadas e entre máquinas. Exemplo Suponha que um dado na camada de aplicativo será enviado à camada de aplicativo de um outro dispositivo Na descida, cada camada acrescenta um nova informação de controle (header) Na subida, é o contrário.

53 Modelo OSI (Open Systems Interconnection) Camada física Responsável pela geração dos sinais elétricos, ópticos ou eletromagnéticos que serão propagados pelo meio físico. Os protocolos nesta camada especificam: níveis de tensão, duração, técnicas de multiplexação, pinagem, etc.

54 Modelo OSI (Open Systems Interconnection) Exemplos de protocolos de camada física

55 Modelo OSI (Open Systems Interconnection) Camada de enlace de dados A camada de enlace utiliza a camada física para a transmissão de quadros de dados (DataLink Frames). Quadros de dados: conjunto de bytes delimitados por sequências préestabelecidas de bits. A camada de enlace: Envia/recebe quadros de dados e aguarda/envia o respectivo quadro de reconhecimento de recepção. Verifica se todos os quadros de dados foram recebidos. Verifica a ocorrência de erros. Se sim, envia novamente o quadro. Verifica o endereço de origem do quadro. Verifica se o quadro recebido é para o dispositivo. Controla o fluxo de dados: ordem de chegada, taxa de recepção, etc.

56 Modelo OSI (Open Systems Interconnection) Camada de enlace de dados Se o quadro recebido é para o dispositivo, retira o cabeçalho correspondente à camada de enlace de dados. Os bits ou frames restantes são denominados de datagram que é enviado para a camada superior seguinte.

57 Modelo OSI (Open Systems Interconnection) Camada de enlace de dados

58 Modelo OSI (Open Systems Interconnection) Camada de rede Nesta camada, as redes podem ser subdivididas em subredes. A camada de rede controla a operação dessas subredes. Uma de suas funções é o roteamento de pacotes da máquina de origem à máquina de destino. O roteamento pode apresentar características dinâmicas (mudança de rotas de acordo com o trafego em certos roteadores) ou estáticas (usando sempre a mesma rota entre duas máquinas). Máquinas em uma mesma subrede se comunicar através de seus endereços físicos. Máquinas em subredes diferentes se comunicar através de um endereço adicional, denominado de endereço de rede.

59 Modelo OSI Camada de rede Se o dado for para o dispositivo: É retirado o cabeçalho da camada de rede Os campos de dados restantes é denominado de pacote (packet). O pacote é passado para a camada de transporte.

60 Modelo OSI Exemplos de protocolos de camada de rede

61 Modelo OSI Camada de transporte É a primeira a estabelecem especificamente a comunicação máquina-a-máquina. As camadas anteriores (física, de enlace e de rede) são empregadas na comunicação roteador-roteador, roteador-máquina, máquinamáquina. Os protocolos da camada de transporte são responsáveis por: Particionar os dados da camada superior (camada de seção) em unidades menores Assegurar confiabilidade garantindo que: Os pacotes sejam recebidos e transmitidos na ordem correta. Sejam transmitidos em taxa razoável

62 Modelo OSI Camada de transporte Ao receber um pacote, a camada de transporte retira o cabeçalho da camada de transporte. Os dados restantes são denominados de messagem e são passados para a camada superior.

63 Modelo OSI Camada de transporte Exemplos de protocolos

64 Modelo OSI Camada de seção Uma seção é a conexão entre dois aplicativos executados em máquinas diferentes a fim de organizar e sincronizar a troca de informação. Os protocolos da camada de seção: Estabelecem seções definindo regras de diálogo entre os dois aplicativos. Separam e gerenciam os dados de cada seção Regulam o fluxo de dados de cada seção Assegura que os aplicativos envolvidos nas seções são os corretos.

65 Modelo OSI Camada de seção Ao receber uma mensagem, a camada de seção retira o cabeçalho da camada de seção. Os dados restantes são passados para a camada superior.

66 Modelo OSI Camada de seção Exemplos de protocolos

67 Modelo OSI Camada de apresentação Protocolos nesta camada são responsáveis por: Converter dados em formato genéricos para que possam ser transmitidos. Compressão/descompressão de dados Criptografia/descriptografia de dados Conversão de caracteres Exemplo: Quando um float é transmitido, o mesmo é convertido para uma representação padronizada, enviado através da rede, e reconvertido na representação adotada pela máquina de destino.

68 Modelo OSI Camada de apresentação A camada de apresentação retira o cabeçalho da camada de apresentação. Os dados restantes (mensagem) são passados para a camada superior.

69 Modelo OSI Camada de apresentação Exemplos de protocolos

70 Modelo OSI Camada de aplicação Nesta camada é iniciada a conexão de rede por um dispositivo para um outro dispositivo. Protocolos na camada de aplicação são usados diretamente como aplicativos de rede. Esses aplicativos de rede é que virtualmente conectam a outros aplicativos executados em outros dispositivos.

71 Modelo OSI Camada de aplicação Exemplos de protocolos

72 Tarefa Como podem ser classificados os padrões utilizados em sistemas embarcados? Nomeie e defina 4 grupos de padrões de mercados específicos. Dê 3 exemplos de padrões de cada grupo. Nomeie e defina 4 grupos de padrões de propósito geral. Dê 3 exemplos de padrões de cada grupo. Qual a diferença entre uma linguagem de alto nível de uma de baixo nível? Dê exemplo de cada uma. Um compilador pode ser localizado em: a) Na máquina alvo. b) Na máquina host. c) Na máquina alvo e/ou na máquina host. d) Nenhuma acima Qual a diferença entre compilador cruzada de um compilador? Qual a diferença entre compilador e de um montador (assembler)? O que é um interpretador? Dê dois exemplos de linguagem interpretada Qual a diferença entre LAN, CAN, MAN e WAN? Quais os tipos de meios de transmissão que podem conectar dispositivos? O que é o modelo OSI? Quais são as camadas do modelo OSI? Dê exemplo de dois protocolos em cada camada do modelo OSI.

Revisão. Karine Peralta karine.peralta@pucrs.br

Revisão. Karine Peralta karine.peralta@pucrs.br Revisão Karine Peralta Agenda Revisão Evolução Conceitos Básicos Modelos de Comunicação Cliente/Servidor Peer-to-peer Arquitetura em Camadas Modelo OSI Modelo TCP/IP Equipamentos Evolução... 50 60 1969-70

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES MEMÓRIAS DE AULA AULA 1 APRESENTAÇÃO DO CURSO, HISTÓRIA, EQUIPAMENTOS E TIPOS DE REDES Prof. José Wagner Bungart CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Definição de Redes de Computadores e Conceitos

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula Complementar - MODELO DE REFERÊNCIA OSI Este modelo se baseia em uma proposta desenvolvida pela ISO (International Standards Organization) como um primeiro passo em direção a padronização dos protocolos

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Introdução Redes de Computadores Marco Antonio Montebello Júnior marco.antonio@aes.edu.br Rede É um conjunto de computadores chamados de estações de trabalho que compartilham recursos de hardware (HD,

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES 08/2013 Material de apoio Conceitos Básicos de Rede Cap.1 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a leitura da bibliografia básica.

Leia mais

Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Redes de Computadores Prof. Sergio Estrela Martins

Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Redes de Computadores Prof. Sergio Estrela Martins Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Redes de Computadores Prof. Sergio Estrela Martins Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a leitura

Leia mais

Exercícios de Redes de Computadores Assuntos abordados: Conceitos gerais Topologias Modelo de referência OSI Modelo TCP/IP Cabeamento 1.

Exercícios de Redes de Computadores Assuntos abordados: Conceitos gerais Topologias Modelo de referência OSI Modelo TCP/IP Cabeamento 1. Exercícios de Redes de Computadores Assuntos abordados: Conceitos gerais Topologias Modelo de referência OSI Modelo TCP/IP Cabeamento 1. (CODATA 2013) Em relação à classificação da forma de utilização

Leia mais

Modelos de Redes em Camadas

Modelos de Redes em Camadas Modelos de Redes em Camadas Prof. Gil Pinheiro 1 1. Arquitetura de Sistemas de Automação Sistemas Centralizados Sistemas Distribuídos Sistemas Baseados em Redes Arquitetura Cliente-Servidor 2 Sistemas

Leia mais

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP HTTP (Hypertext Transfer Protocol ) Protocolo usado na Internet para transferir as páginas da WWW (WEB). HTTPS (HyperText Transfer

Leia mais

REDE DE COMPUTADORES

REDE DE COMPUTADORES SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL REDE DE COMPUTADORES Tecnologias de Rede Topologias Tipos de Arquitetura Prof. Airton Ribeiro de Sousa E-mail: airton.ribeiros@gmail.com 1 REDES LOCAIS LAN -

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES Conteúdo 1 Topologia de Redes 5 Escalas 5 Topologia em LAN s e MAN s 6 Topologia em WAN s 6 2 Meio Físico 7 Cabo Coaxial 7 Par Trançado 7 Fibra Óptica 7 Conectores 8 Conector RJ45 ( Par trançado ) 9 Conectores

Leia mais

Meio Físico. Mensagem. Protocolo. Emissor e Receptor. Data Terminal Equipment Data Communications Equipment

Meio Físico. Mensagem. Protocolo. Emissor e Receptor. Data Terminal Equipment Data Communications Equipment Emissor Receptor Meio Físico Mensagem Protocolo Emissor e Receptor Data Terminal Equipment Data Communications Equipment (DTE) + (DCE) Meio Físico Mensagem ( pacote ) O meio físico É o elemento que transmite

Leia mais

André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes

André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes Noções de Redes: Estrutura básica; Tipos de transmissão; Meios de transmissão; Topologia de redes;

Leia mais

Prof. Manuel A Rendón M

Prof. Manuel A Rendón M Prof. Manuel A Rendón M Tanenbaum Redes de Computadores Cap. 1 e 2 5ª. Edição Pearson Padronização de sistemas abertos à comunicação Modelo de Referência para Interconexão de Sistemas Abertos RM OSI Uma

Leia mais

O que é uma rede industrial? Redes Industriais: Princípios de Funcionamento. Padrões. Padrões. Meios físicos de transmissão

O que é uma rede industrial? Redes Industriais: Princípios de Funcionamento. Padrões. Padrões. Meios físicos de transmissão O que é uma rede industrial? Redes Industriais: Princípios de Funcionamento Romeu Reginato Julho de 2007 Rede. Estrutura de comunicação digital que permite a troca de informações entre diferentes componentes/equipamentos

Leia mais

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal:

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal: Redes - Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Comunicação sempre foi, desde o início dos tempos, uma necessidade humana buscando aproximar comunidades distantes.

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores... 1 Mobilidade... 1 Hardware de Rede... 2 Redes Locais - LANs... 2 Redes metropolitanas - MANs... 3 Redes Geograficamente Distribuídas - WANs... 3 Inter-redes... 5 Software de Rede...

Leia mais

INTRODUÇÃO À REDES DE COMPUTADORES. Dois ou mais computadores conectados um ao outro por um meio de transmissão.

INTRODUÇÃO À REDES DE COMPUTADORES. Dois ou mais computadores conectados um ao outro por um meio de transmissão. INTRODUÇÃO À REDES DE COMPUTADORES O que é uma Rede? Dois ou mais computadores conectados um ao outro por um meio de transmissão. Uma Rede de Computadores é constituída por vários computadores conectados

Leia mais

Fundamentos de Rede. Aula 01 - Introdução e Redes

Fundamentos de Rede. Aula 01 - Introdução e Redes Fundamentos de Rede Aula 01 - Introdução e Redes Contextualização Séculos XVIII e XIX - Revolução Industrial máquinas mecânicas, taylorismo, fábricas hierarquia, centralização da decisão, mainframes Séculos

Leia mais

Comunicando através da rede

Comunicando através da rede Comunicando através da rede Fundamentos de Rede Capítulo 2 1 Estrutura de Rede Elementos de comunicação Três elementos comuns de comunicação origem da mensagem o canal destino da mensagem Podemos definir

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais Administração de Sistemas de Informação Gerenciais UNIDADE V: Telecomunicações, Internet e Tecnologia Sem Fio. Tendências em Redes e Comunicações No passado, haviam dois tipos de redes: telefônicas e redes

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - Aula 2 - MODELO DE REFERÊNCIA TCP (RM TCP) 1. INTRODUÇÃO O modelo de referência TCP, foi muito usado pela rede ARPANET, e atualmente usado pela sua sucessora, a Internet Mundial. A ARPANET é de grande

Leia mais

Software de rede e Modelo OSI André Proto UNESP - São José do Rio Preto andre.proto@sjrp.unesp.br O que será abordado Hierarquias de protocolos (camadas) Questões de projeto relacionadas às camadas Serviços

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. José Gonçalves Pereira Filho Departamento de Informática zegonc@inf.ufes.br

Redes de Computadores. Prof. José Gonçalves Pereira Filho Departamento de Informática zegonc@inf.ufes.br Redes de Computadores Prof. José Gonçalves Pereira Filho Departamento de Informática zegonc@inf.ufes.br Classificação de Redes Redes de Computadores Conjunto de nós processadores capazes de trocar informações

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Hardware de Rede Slide 1 Tipos de Redes segundo a Abrangência PAN (Personal Area Network): interconexão de equipamentos com distância máxima de 10m. LAN (Local Area Network) ou Rede

Leia mais

AULA 01 INTRODUÇÃO. Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação

AULA 01 INTRODUÇÃO. Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação AULA 01 INTRODUÇÃO Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação CONCEITO Dois ou mais computadores conectados entre si permitindo troca de informações, compartilhamento de

Leia mais

Figura 1 - Comparação entre as camadas do Modelo OSI e doieee. A figura seguinte mostra o formato do frame 802.3:

Figura 1 - Comparação entre as camadas do Modelo OSI e doieee. A figura seguinte mostra o formato do frame 802.3: Introdução Os padrões para rede local foram desenvolvidos pelo comitê IEEE 802 e foram adotados por todas as organizações que trabalham com especificações para redes locais. Os padrões para os níveis físico

Leia mais

Protocolo. O que é um protocolo? Humano: que horas são? eu tenho uma pergunta

Protocolo. O que é um protocolo? Humano: que horas são? eu tenho uma pergunta Protocolo O que é um protocolo? Humano: que horas são? eu tenho uma pergunta Máquina: Definem os formatos, a ordem das mensagens enviadas e recebidas pelas entidades de rede e as ações a serem tomadas

Leia mais

Placa de Rede. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. MAN (Metropolitan Area Network) Rede Metropolitana

Placa de Rede. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. MAN (Metropolitan Area Network) Rede Metropolitana Rede de Computadores Parte 01 Prof. André Cardia Email: andre@andrecardia.pro.br MSN: andre.cardia@gmail.com Placa de Rede Uma placa de rede (NIC), ou adaptador de rede, oferece capacidades de comunicações

Leia mais

Modelo de Camadas OSI

Modelo de Camadas OSI Modelo de Camadas OSI 1 Histórico Antes da década de 80 -> Surgimento das primeiras rede de dados e problemas de incompatibilidade de comunicação. Década de 80, ISO, juntamente com representantes de diversos

Leia mais

09/06/2011. Profª: Luciana Balieiro Cosme

09/06/2011. Profª: Luciana Balieiro Cosme Profª: Luciana Balieiro Cosme Revisão dos conceitos gerais Classificação de redes de computadores Visão geral sobre topologias Topologias Barramento Anel Estrela Hibridas Árvore Introdução aos protocolos

Leia mais

TI Aplicada. Aula 05 Redes de Computadores (parte 2) Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com http://www.edilms.eti.br

TI Aplicada. Aula 05 Redes de Computadores (parte 2) Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com http://www.edilms.eti.br TI Aplicada Aula 05 Redes de Computadores (parte 2) Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com http://www.edilms.eti.br Conceitos Básicos Equipamentos, Modelos OSI e TCP/IP O que são redes? Conjunto de

Leia mais

Curso de Introdução à Redes de Computadores

Curso de Introdução à Redes de Computadores Curso de Introdução à Redes de Computadores Motivação: Devido a expansão do uso de computadores em instituições de ensino; no setor comercial e em residências tornou-se interessante a interconexão destes

Leia mais

REDES INTRODUÇÃO À REDES

REDES INTRODUÇÃO À REDES REDES INTRODUÇÃO À REDES Simplificando ao extremo, uma rede nada mais é do que máquinas que se comunicam. Estas máquinas podem ser computadores, impressoras, telefones, aparelhos de fax, etc. Ex: Se interligarmos

Leia mais

Capítulo VI Telecomunicações: Redes e Aplicativos

Capítulo VI Telecomunicações: Redes e Aplicativos Capítulo VI Telecomunicações: Redes e Aplicativos Uma rede nada mais é do que máquinas que se comunicam. Estas máquinas podem ser computadores, impressoras, telefones, aparelhos de fax, etc. Se interligarmos

Leia mais

MASSACHUSETTS INSTITUTE OF TECHNOLOGY SLOAN SCHOOL OF MANAGEMENT. Fatores Tecnológicos, Estratégicos e Organizacionais

MASSACHUSETTS INSTITUTE OF TECHNOLOGY SLOAN SCHOOL OF MANAGEMENT. Fatores Tecnológicos, Estratégicos e Organizacionais MASSACHUSETTS INSTITUTE OF TECHNOLOGY SLOAN SCHOOL OF MANAGEMENT 15.565 Integração de Sistemas de Informação: Fatores Tecnológicos, Estratégicos e Organizacionais 15.578 Sistemas de Informação Global:

Leia mais

Avaya Networking. Rafael Rocha, Sales Engineer Westcon Convergence

Avaya Networking. Rafael Rocha, Sales Engineer Westcon Convergence Avaya Networking Rafael Rocha, Sales Engineer Westcon Convergence Programação 1. Introdução (02/set - 10:00) 2. Conceitos básicos I (16/set - 10:00) 3. Conceitos básicos II (07/out - 10:00) 4. Conhecimento

Leia mais

A utilização das redes na disseminação das informações

A utilização das redes na disseminação das informações Internet, Internet2, Intranet e Extranet 17/03/15 PSI - Profº Wilker Bueno 1 Internet: A destruição as guerras trazem avanços tecnológicos em velocidade astronômica, foi assim também com nossa internet

Leia mais

O modelo ISO/OSI (Tanenbaum,, 1.4.1)

O modelo ISO/OSI (Tanenbaum,, 1.4.1) Cenário das redes no final da década de 70 e início da década de 80: Grande aumento na quantidade e no tamanho das redes Redes criadas através de implementações diferentes de hardware e de software Incompatibilidade

Leia mais

Informática Aplicada I. Sistemas Operacionais Projeto e Implementação Andrew S. Tanenbaum Albert S. woodhull

Informática Aplicada I. Sistemas Operacionais Projeto e Implementação Andrew S. Tanenbaum Albert S. woodhull Informática Aplicada I Sistemas Operacionais Projeto e Implementação Andrew S. Tanenbaum Albert S. woodhull 1 Conceito de Sistema Operacional Interface: Programas Sistema Operacional Hardware; Definida

Leia mais

Evolução na Comunicação de

Evolução na Comunicação de Evolução na Comunicação de Dados Invenção do telégrafo em 1838 Código Morse. 1º Telégrafo Código Morse Evolução na Comunicação de Dados A evolução da comunicação através de sinais elétricos deu origem

Leia mais

Universidade de Brasília

Universidade de Brasília Universidade de Brasília Introdução a Microinformática Turma H Redes e Internet Giordane Lima Porque ligar computadores em Rede? Compartilhamento de arquivos; Compartilhamento de periféricos; Mensagens

Leia mais

RCO2. LANs, MANs e WANs Visão geral

RCO2. LANs, MANs e WANs Visão geral RCO2 LANs, MANs e WANs Visão geral 1 LAN, MAN e WAN Classificação quanto a alcance, aplicação e tecnologias Distâncias: WAN: : distâncias arbitrariamente longas MAN: : distâncias médias (urbanas) LAN:

Leia mais

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross Redes Pablo Rodriguez de Almeida Gross Conceitos A seguir serão vistos conceitos básicos relacionados a redes de computadores. O que é uma rede? Uma rede é um conjunto de computadores interligados permitindo

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Capítulo 1 Gustavo Reis gustavo.reis@ifsudestemg.edu.br - O que é a Internet? - Milhões de elementos de computação interligados: hospedeiros = sistemas finais - Executando aplicações

Leia mais

Introdução à Computação: Sistemas de Computação

Introdução à Computação: Sistemas de Computação Introdução à Computação: Sistemas de Computação Beatriz F. M. Souza (bfmartins@inf.ufes.br) http://inf.ufes.br/~bfmartins/ Computer Science Department Federal University of Espírito Santo (Ufes), Vitória,

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. Dr. Rogério Galante Negri

Redes de Computadores. Prof. Dr. Rogério Galante Negri Redes de Computadores Prof. Dr. Rogério Galante Negri Rede É uma combinação de hardware e software Envia dados de um local para outro Hardware: transporta sinais Software: instruções que regem os serviços

Leia mais

Rede de Computadores Modulo I Conceitos Iniciais

Rede de Computadores Modulo I Conceitos Iniciais Rede de Computadores Modulo I Conceitos Iniciais http://www.waltercunha.com Bibliografia* Redes de Computadores - Andrew S. Tanenbaum Editora: Campus. Ano: 2003 Edição: 4 ou 5 http://www.submarino.com.br/produto/1/56122?franq=271796

Leia mais

APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES PARTE - III

APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES PARTE - III APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES PARTE - III 1 REDE DE COMPUTADORES III 1. Introdução MODELO OSI ISO (International Organization for Standardization) foi uma das primeiras organizações a definir formalmente

Leia mais

Redes de Computadores - Capitulo II 2013. prof. Ricardo de Macedo 1 ISO INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDZATION

Redes de Computadores - Capitulo II 2013. prof. Ricardo de Macedo 1 ISO INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDZATION Capitulo 2 Prof. Ricardo de Macedo ISO INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDZATION Organização Internacional para Padronização. Definição de um padrão de interoperabilidade. Modelo OSI OSI OPEN SYSTEM

Leia mais

Estrutura de um Rede de Comunicações. Redes e Sistemas Distribuídos. Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação. Redes de comunicação de dados

Estrutura de um Rede de Comunicações. Redes e Sistemas Distribuídos. Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação. Redes de comunicação de dados Estrutura de um Rede de Comunicações Profa.. Cristina Moreira Nunes Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação Utilização do sistema de transmissão Geração de sinal Sincronização Formatação das mensagens

Leia mais

4. Rede de Computador

4. Rede de Computador Definição Uma rede de computadores é formada por um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos, interligados por um sub-sistema de comunicação, ou seja, é quando

Leia mais

Capítulo 2 - Conceitos Básicos de Redes. Associação dos Instrutores NetAcademy - agosto de 2007 - Página

Capítulo 2 - Conceitos Básicos de Redes. Associação dos Instrutores NetAcademy - agosto de 2007 - Página Capítulo 2 - Conceitos Básicos de Redes 1 Redes de Dados Inicialmente o compartilhamento de dados era realizado a partir de disquetes (Sneakernets) Cada vez que um arquivo era modificado ele teria que

Leia mais

Redes de Computadores. Introdução

Redes de Computadores. Introdução Redes de Computadores Introdução Rede de Computadores Uma rede de computadores é formada por um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos, interligados por

Leia mais

ATIVIDADE 1. Definição de redes de computadores

ATIVIDADE 1. Definição de redes de computadores ATIVIDADE 1 Definição de redes de computadores As redes de computadores são criadas para permitir a troca de dados entre diversos dispositivos estações de trabalho, impressoras, redes externas etc. dentro

Leia mais

Capítulo 11: Redes de Computadores. Prof.: Roberto Franciscatto

Capítulo 11: Redes de Computadores. Prof.: Roberto Franciscatto Capítulo 11: Redes de Computadores Prof.: Roberto Franciscatto REDES - Introdução Conjunto de módulos de processamento interconectados através de um sistema de comunicação, cujo objetivo é compartilhar

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA

Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA Disciplina: Redes de Computadores Prof.: Rafael Freitas Reale Aluno: Data / / Prova Final de Redes Teoria Base 1) Qual o tipo de ligação e a topologia respectivamente

Leia mais

Placa de Rede. Rede de Computadores. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. Placa de Rede

Placa de Rede. Rede de Computadores. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. Placa de Rede Rede de Computadores Prof. André Cardia Email: andre@andrecardia.pro.br MSN: andre.cardia@gmail.com Placa de Rede Uma placa de rede (NIC), ou adaptador de rede, oferece capacidades de comunicações nos

Leia mais

O QUE É REDES DE COMPUTADORES?

O QUE É REDES DE COMPUTADORES? REDES DE COMPUTADORES Wagner de Oliveira O QUE É REDES DE COMPUTADORES? É a conexão de dois ou mais computadores através de um meio de comunicação (cabos, linhas telefônicas, etc.) Possibilita o compartilhamento

Leia mais

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP Modelo Arquitetural Motivação Realidade Atual Ampla adoção das diversas tecnologias de redes de computadores Evolução das tecnologias de comunicação Redução dos

Leia mais

1 Lista de exercícios 01

1 Lista de exercícios 01 FRANCISCO TESIFOM MUNHOZ 2007 1 Lista de exercícios 01 1) No desenvolvimento e aperfeiçoamento realizado em redes de computadores, quais foram os fatores que conduziram a interconexão de sistemas abertos

Leia mais

Prof. Luís Rodolfo. Unidade I REDES DE COMPUTADORES E

Prof. Luís Rodolfo. Unidade I REDES DE COMPUTADORES E Prof. Luís Rodolfo Unidade I REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO C Redes de computadores e telecomunicação Objetivo: apresentar os conceitos iniciais e fundamentais com relação às redes de computadores

Leia mais

Tecnologia da Informação Apostila 02

Tecnologia da Informação Apostila 02 Parte 6 - Telecomunicações e Redes 1. Visão Geral dos Sistemas de Comunicações Comunicação => é a transmissão de um sinal, por um caminho, de um remetente para um destinatário. A mensagem (dados e informação)

Leia mais

Tecnologia e Infraestrutura. Conceitos de Redes

Tecnologia e Infraestrutura. Conceitos de Redes Tecnologia e Infraestrutura Conceitos de Redes Agenda Introdução às Tecnologias de Redes: a) Conceitos de redes (LAN, MAN e WAN); b) Dispositivos (Hub, Switch e Roteador). Conceitos e tipos de Mídias de

Leia mais

Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Software

Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Software Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Software Disciplina: Redes de Computadores 2. Arquiteturas de Redes: Modelo em camadas Prof. Ronaldo Introdução n Redes são

Leia mais

Modelos de Camadas. Professor Leonardo Larback

Modelos de Camadas. Professor Leonardo Larback Modelos de Camadas Professor Leonardo Larback Modelo OSI Quando surgiram, as redes de computadores eram, em sua totalidade, proprietárias, isto é, uma determinada tecnologia era suportada apenas por seu

Leia mais

Disciplina : Transmissão de Dados

Disciplina : Transmissão de Dados Disciplina : Transmissão de Dados Paulo Henrique Teixeira Overwiew Conceitos Básicos de Rede Visão geral do modelo OSI Visão geral do conjunto de protocolos TCP/IP 1 Conceitos básicos de Rede A largura

Leia mais

Protocolos Hierárquicos

Protocolos Hierárquicos Protocolos Hierárquicos O que é a Internet? Milhões de elementos de computação interligados: hospedeiros = sistemas finais Executando aplicações distribuídas Enlaces de comunicação fibra, cobre, rádio,

Leia mais

Figura 1 Taxas de transmissão entre as redes

Figura 1 Taxas de transmissão entre as redes Conceitos de Redes Locais A função básica de uma rede local (LAN) é permitir a distribuição da informação e a automatização das funções de negócio de uma organização. As principais aplicações que requerem

Leia mais

Redes de Computadores I

Redes de Computadores I Redes de Computadores I Introdução a Redes de Computadores Prof. Esbel Tomás Valero Orellana Usos de Redes de Computadores Uma rede de computadores consiste de 2 ou mais computadores e/ou dispositivos

Leia mais

15/02/2015. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais

15/02/2015. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais Curso de Preparatório para Concursos Públicos Tecnologia da Informação REDES Conceitos Iniciais; Classificações das Redes; Topologias de Redes; Meios de Transmissão; Arquitetura de Redes; Conteúdo deste

Leia mais

Prof. Manuel A Rendón M

Prof. Manuel A Rendón M Prof. Manuel A Rendón M MORAES, C. C. Engenharia de Automação Industrial, Cap. 6 Tanenbaum, Redes de Computadores, Cap. 1.2 AGUIRRE, L. A. Enciclopédia da Automática, Volume II, Cap. 15.3 Escravo é um

Leia mais

Teleprocessamento e Redes Universidade Católica do Salvador. Aula 04 - Estrutura de Redes de Comunicação. Objetivo : Roteiro da Aula :

Teleprocessamento e Redes Universidade Católica do Salvador. Aula 04 - Estrutura de Redes de Comunicação. Objetivo : Roteiro da Aula : Teleprocessamento e Redes Universidade Católica do Salvador Aula 04 - Estrutura de Redes de Comunicação Objetivo : Nesta aula, vamos começar a entender o processo de interligação entre os equipamentos

Leia mais

MÓDULO 7 Modelo OSI. 7.1 Serviços Versus Protocolos

MÓDULO 7 Modelo OSI. 7.1 Serviços Versus Protocolos MÓDULO 7 Modelo OSI A maioria das redes são organizadas como pilhas ou níveis de camadas, umas sobre as outras, sendo feito com o intuito de reduzir a complexidade do projeto da rede. O objetivo de cada

Leia mais

Redes de Computadores UNIDADE 2:Conhecendo os equipamentos, dispositivos e serviços de TI.

Redes de Computadores UNIDADE 2:Conhecendo os equipamentos, dispositivos e serviços de TI. UNIDADE 2:Conhecendo os equipamentos, dispositivos e serviços de TI. *Definição *Contexto Atual *Meios de Transmissão *Equipamentos de Comunicação *Arquiteturas de Redes *Tecnologias de LAN s *Protocolos

Leia mais

Redes de computadores e Internet

Redes de computadores e Internet Polo de Viseu Redes de computadores e Internet Aspectos genéricos sobre redes de computadores Redes de computadores O que são redes de computadores? Uma rede de computadores é um sistema de comunicação

Leia mais

Introdução as Redes de Computadores Transparências baseadas no livro Computer Networking: A Top-Down Approach Featuring the Internet James Kurose e Keith Ross Redes de Computadores A. Tanenbaum e Prof.

Leia mais

APLICAÇÃO REDE APLICAÇÃO APRESENTAÇÃO SESSÃO TRANSPORTE REDE LINK DE DADOS FÍSICA 1/5 PROTOCOLOS DE REDE

APLICAÇÃO REDE APLICAÇÃO APRESENTAÇÃO SESSÃO TRANSPORTE REDE LINK DE DADOS FÍSICA 1/5 PROTOCOLOS DE REDE 1/5 PROTOCOLOS DE O Modelo OSI O OSI é um modelo usado para entender como os protocolos de rede funcionam. Para facilitar a interconexão de sistemas de computadores, a ISO (International Standards Organization)

Leia mais

Modelo OSI. Prof. Alexandre Beletti Ferreira. Introdução

Modelo OSI. Prof. Alexandre Beletti Ferreira. Introdução Modelo OSI Prof. Alexandre Beletti Ferreira Introdução Crescimento das redes de computadores Muitas redes distintas International Organization for Standardization (ISO) Em 1984 surge o modelo OSI Padrões

Leia mais

5.2 MAN s (Metropolitan Area Network) Redes Metropolitanas

5.2 MAN s (Metropolitan Area Network) Redes Metropolitanas MÓDULO 5 Tipos de Redes 5.1 LAN s (Local Area Network) Redes Locais As LAN s são pequenas redes, a maioria de uso privado, que interligam nós dentro de pequenas distâncias, variando entre 1 a 30 km. São

Leia mais

Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para

Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para Magistério Superior Especialista em Docência para Educação

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

Cap 01 - Conceitos Básicos de Rede (Kurose)

Cap 01 - Conceitos Básicos de Rede (Kurose) Cap 01 - Conceitos Básicos de Rede (Kurose) 1. Quais são os tipos de redes de computadores e qual a motivação para estudá-las separadamente? Lan (Local Area Networks) MANs(Metropolitan Area Networks) WANs(Wide

Leia mais

(Open System Interconnection)

(Open System Interconnection) O modelo OSI (Open System Interconnection) Modelo geral de comunicação Modelo de referência OSI Comparação entre o modelo OSI e o modelo TCP/IP Analisando a rede em camadas Origem, destino e pacotes de

Leia mais

Redes de Computadores e Teleinformática. Zacariotto 4-1

Redes de Computadores e Teleinformática. Zacariotto 4-1 Redes de Computadores e Teleinformática Zacariotto 4-1 Agenda da aula Introdução Redes de computadores Redes locais de computadores Redes de alto desempenho Redes públicas de comunicação de dados Computação

Leia mais

Fernando Albuquerque - fernando@cic.unb.br REDES LAN - WAN. Fernando Albuquerque (061) 273-3589 fernando@cic.unb.br

Fernando Albuquerque - fernando@cic.unb.br REDES LAN - WAN. Fernando Albuquerque (061) 273-3589 fernando@cic.unb.br REDES LAN - WAN Fernando Albuquerque (061) 273-3589 fernando@cic.unb.br Tópicos Modelos Protocolos OSI e TCP/IP Tipos de redes Redes locais Redes grande abrangência Redes metropolitanas Componentes Repetidores

Leia mais

Rede d s d e d Com o pu p t u ado d r o es Conceitos Básicos M d o e d los o de d Re R de d s:

Rede d s d e d Com o pu p t u ado d r o es Conceitos Básicos M d o e d los o de d Re R de d s: Tecnologia em Redes de Computadores Redes de Computadores Professor: André Sobral e-mail: alsobral@gmail.com Conceitos Básicos Modelos de Redes: O O conceito de camada é utilizado para descrever como ocorre

Leia mais

REDES DE 16/02/2010 COMPUTADORES

REDES DE 16/02/2010 COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Delfa M. HuatucoZuasnábar 2010 2 A década de 50 - Uso de máquinas complexas de grande porte operadas por pessoas altamente especializadas e o enfileiramento de usuários para submeter

Leia mais

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP Modelo Arquitetural Agenda Motivação Objetivos Histórico Família de protocolos TCP/IP Modelo de Interconexão Arquitetura em camadas Arquitetura TCP/IP Encapsulamento

Leia mais

Estrutura do tema ISC

Estrutura do tema ISC Introdução aos Sistemas de Computação (5) 6. Da comunicação de dados às redes de computadores Uma Rede de Computadores é constituida por: Estrutura do tema ISC 1. Representação de informação num computador

Leia mais

Redes de Dados. Aula 1. Introdução. Eytan Mediano

Redes de Dados. Aula 1. Introdução. Eytan Mediano Redes de Dados Aula 1 Introdução Eytan Mediano 1 6.263: Redes de Dados Aspectos fundamentais do projeto de redes e análise: Arquitetura Camadas Projeto da Topologia Protocolos Pt - a Pt (Pt= Ponto) Acesso

Leia mais

UNICE Ensino Superior Introdução a Redes de Computadores Aula 01

UNICE Ensino Superior Introdução a Redes de Computadores Aula 01 UNICE Ensino Superior Introdução a Redes de Computadores Aula 01 PROFESSOR: Hiarly Alves Rodrigues Paiva Introdução a Redes de Computadores FACULDADE UNICE Fortaleza CE Ementa Introdução. Topologias de

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Elementos da Comunicação Origem da mensagem ou remetente; O canal meio físico; Destino da mensagem ou receptor; Rede de dados ou redes de informação são capazes de trafegar diferentes

Leia mais

Universidade Federal do Acre. Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas

Universidade Federal do Acre. Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Universidade Federal do Acre Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Universidade Federal do Acre Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Pós-graduação Lato Sensu em Desenvolvimento de Software e Infraestrutura

Leia mais

Unidade 2.1 Modelos de Referência

Unidade 2.1 Modelos de Referência Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Redes de Computadores Disciplina: Redes de Computadores Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 2.1 Modelos de Referência 2 Bibliografia da disciplina

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Uma rede de computadores é um sistema de comunicação de dados constituído através da interligação de computadores e outros dispositivos, com a finalidade de trocar informação e partilhar

Leia mais

02/03/2014. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais

02/03/2014. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais Curso de Preparatório para Concursos Públicos Tecnologia da Informação REDES Conceitos Iniciais; Classificações das Redes; Conteúdo deste módulo Equipamentos usados nas Redes; Modelos de Camadas; Protocolos

Leia mais

Introdução a Ciência da Computação REDES DE COMPUTADORES

Introdução a Ciência da Computação REDES DE COMPUTADORES Introdução a Ciência da Computação REDES DE COMPUTADORES Professor: Carlos Henrique E-mail: carlos_hvr@yahoo.com.br Definição Inicial Tipos de Redes Servidores Arquitetura de Protocolos Topologia de Redes

Leia mais

Unidade 2.1 Modelos de Referência. Bibliografia da disciplina. Modelo OSI. Modelo OSI. Padrões 18/10/2009

Unidade 2.1 Modelos de Referência. Bibliografia da disciplina. Modelo OSI. Modelo OSI. Padrões 18/10/2009 Faculdade INED Unidade 2.1 Modelos de Referência Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores Disciplina: Fundamentos de Redes Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 2 Bibliografia da disciplina Bibliografia

Leia mais

Centro Tecnológico de Eletroeletrônica César Rodrigues. Atividade Avaliativa

Centro Tecnológico de Eletroeletrônica César Rodrigues. Atividade Avaliativa 1ª Exercícios - REDES LAN/WAN INSTRUTOR: MODALIDADE: TÉCNICO APRENDIZAGEM DATA: Turma: VALOR (em pontos): NOTA: ALUNO (A): 1. Utilize 1 para assinalar os protocolos que são da CAMADA DE REDE e 2 para os

Leia mais