CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO PERÍODO 2011 A 2016

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO PERÍODO 2011 A 2016"

Transcrição

1 CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO PERÍODO 2011 A Aprovados pelo IV Forum Atletismo do Brasil em Aprovados pela Assembléia Geral da CBAt em Campeonatos Mundiais de Adultos Daegu, Coréia do Sul 27 de agosto a 04 de setembro de 2011 a) Serão convocados os atletas que, em provas individuais, atendam às seguintes condições, até o máximo de 3 (três) por prova: - que tenham se sagrado campeões sul-americanos de Atletismo em 2011 e que tenham obtido o índice B estabelecido pela IAAF no período de 1º. de janeiro a 31 de julho de 2011; - tenham obtido o índice estabelecido pela CBAt, equivalente a 12ª marca na média dos três últimos Campeonatos Mundiais de Adultos ou Jogos Olímpicos (ver relação no anexo I) no período de 1 o de janeiro até 31 de julho de 2011; nas provas em que o índice da CBAt seja inferior aos da IAAF (A ou B), prevalecerá este último em conformidade com o Regulamento desta para os Campeonatos. b) Para as provas de maratona e marcha atlética 50km, o período de obtenção de índice será de 1º. de setembro de 2010 até 08 de maio de 2011, sendo convocados os cinco primeiros do Ranking Brasileiro desse período, para a Maratona, uma vez que esta é válida como Copa do Mundo de Maratona e os três primeiros para a marcha 50km. c) Para as provas de metros rasos, 20km marcha atlética, heptatlo e decatlo, o período de obtenção de índice será de 1º. de setembro de 2010 até 31 de julho de d) Se, em qualquer prova, houver quatro ou mais atletas que atendam as condições acima, a convocação será realizada conforme abaixo: - quatro atletas com índice CBAt: serão convocados o campeão sul-americano de adultos, se for o caso; e os dois primeiros colocados do ranking brasileiro de adultos, no período de 1 o de janeiro até (data a ser determinada) de Caso algum atleta esteja contemplado nas duas últimas situações, será convocado o atleta subseqüente do ranking brasileiro. d) As equipes de revezamentos serão convocadas desde que obtenham o índice exigido pela CBAt, e, desde que, pelo menos, 2 atletas obtenham o índice nas provas singulares de 100m ou 200m para o revezamento 4x100m e 400m para o revezamento 4x400m. e) Caso alguma equipe obtenha os seguintes resultados (média do 6º lugar nos últimos três Campeonatos Mundiais e/ou Jogos Olímpicos) no período de 1º de setembro de 2010 a 31 de julho de 2011, não será necessário o atendimento ao critério constante do item d) acima: 4x100m masculino x100m feminino x400m masculino x400m feminino

2 f) Serão convocados para compor as equipes de revezamento do Brasil, quando for o caso, os seguintes atletas: Equipe classificada entre as cinco primeiras do mundo, no período de 1º. de janeiro a (data a ser determinada) de 2011, serão convocados: 6 atletas 4 primeiros colocados dos 100m do ranking brasileiro, 2 primeiros colocados dos 200m do ranking brasileiro, 6 primeiros colocados dos 400m do ranking brasileiro. - Equipe classificada a partir da sexta colocação mundial, no período de 1º de janeiro a (data a ser determinada) de 2011: serão convocados: 5 atletas 3 primeiros colocados dos 100m do ranking brasileiro, 2 primeiros colocados dos 200m do ranking brasileiro, 5 primeiros colocados dos 400m do ranking brasileiro. g) Os índices devem ser obtidos em competições oficiais organizadas em conformidade com as Regras da IAAF e, se realizadas no Brasil, de acordo com as normas da CBAt, com a presença obrigatória de Delegado Técnico indicado por esta. No caso de competições promovidas por Federações filiadas, as devem constar de seus calendários oficiais, enviados para a CBAt, até 28 de fevereiro de h) Resultados obtidos em competições universitárias ou escolares somente serão aceitos pela CBAt com a presença obrigatória de Delegado Técnico indicado por esta e que a equipe de arbitragem que atue nas mesmas seja a da respectiva federação estadual filiada à CBAt. i) Resultados obtidos em competições mistas (entre participantes masculinos e femininos), realizadas inteiramente em estádios não serão aceitos. j) Resultados obtidos com ajuda de vento (mais de 2m/s) não serão aceitos. k) Resultados em competições indoor (recinto fechado) serão aceitos. l) Não serão convocados atletas com menos de 16 (dezesseis) anos de idade em 31 de dezembro de m) Não serão convocados atletas com menos de 18 (dezoito) anos de idade em 31 de dezembro de 2011 nas provas de arremesso/lançamentos, decatlo, m rasos e 20 km Marcha Atlética. n) Não serão convocados atletas com menos de 20 (vinte) anos de idade em 31 de dezembro de 2011 nas provas de Maratona e 50 km Marcha Atlética. o) Nos casos sujeitos a controvérsia para definição de atletas, prevalecerá sempre o Ranking Brasileiro no período de 1º. de janeiro a (data a ser determinada) de p) Os casos omissos serão dirimidos pelo Conselho Técnico da CBAt. 2. Campeonatos Mundiais de Adultos Moscou, Rússia 10 a 18 de agosto de A determinar a) Serão convocados os atletas que, em provas individuais, atendam às seguintes condições, até o máximo de 3 (três) por prova: 2

3 - que tenham se sagrado campeões sul-americanos de Atletismo em e que tenham obtido o índice B estabelecido pela IAAF no período de 1º. de janeiro a (data a ser determinada) de ; - tenham obtido o índice estabelecido pela CBAt, equivalente a 12ª marca na média dos três últimos Campeonatos Mundiais de Adultos ou Jogos Olímpicos (a serem estabelecidos) no período de 1 o de janeiro até (data a ser determinada) de ; nas provas em que o índice da CBAt seja inferior aos da IAAF (A ou B), prevalecerá este último em conformidade com o Regulamento desta para os Campeonatos. b) Para as provas de maratona e marcha atlética 50km, o período de obtenção de índice será de 1º. de setembro de até (data a ser determinada) de maio de, sendo convocados os cinco primeiros do Ranking Brasileiro desse período, para a Maratona e os três primeiros para a marcha 50km. c) Se, em qualquer prova, houver quatro ou mais atletas que atendam as condições acima, a convocação será realizada conforme abaixo: - quatro atletas com índice CBAt: serão convocados o campeão sul-americano de adultos, se for o caso; o campeão do Troféu Brasil de, e o primeiro do ranking brasileiro de adultos, no período de 1 o de janeiro até (data a ser determinada) de. Caso algum atleta esteja contemplado nas duas últimas situações, será convocado o atleta subseqüente do ranking brasileiro. d) Serão convocados para compor as equipes de revezamento do Brasil, quando for o caso, os seguintes de atletas: - Equipe classificada entre as cinco primeiras do mundo, no período de 1º de janeiro a (data a ser determinada) de, serão convocados: - 6 atletas - 2 (dois) primeiros do Ranking Brasileiro de Adultos nos 100m. 2 (dois) primeiros do Ranking Brasileiro de Adultos nos 200m. 2 (dois) primeiros dos 100m do Troféu Brasil de Atletismo de. 3 (três) primeiros do Ranking Brasileiro de Adultos nos 400m. 3 (três) primeiros dos 400m do Troféu Brasil de Atletismo de. Caso exista coincidência de atletas nas condições acima, serão convocados os atletas em seqüência do Ranking Brasileiro de Atletismo de 1º de janeiro a (data a ser determinada) de Equipe classificada a partir da sexta colocação mundial, no período de 1º de janeiro a (data a ser determinada) de : serão convocados 5 (cinco) atletas. - 5 atletas - 2 (dois) primeiros do Ranking Brasileiro de Adultos nos 100m. 2 (dois) primeiros do Ranking Brasileiro de Adultos nos 200m. O primeiro dos 100m do Troféu Brasil de Atletismo de. 3 (três) primeiros do Ranking Brasileiro de Adultos nos 400m. 2 (dois) primeiros dos 400m do Troféu Brasil de Atletismo de. e) Os índices devem ser obtidos em competições oficiais organizadas em conformidade com as Regras da IAAF e, se realizadas no Brasil, de acordo com as normas da CBAt, com a presença obrigatória de Delegado Técnico indicado por esta. No caso de competições promovidas por Federações filiadas, as devem constar de seus calendários oficiais, enviados para a CBAt, até 28 de fevereiro de. 3

4 f) Resultados obtidos em competições universitárias ou escolares somente serão aceitos pela CBAt com a presença obrigatória de Delegado Técnico indicado por esta e que a equipe de arbitragem que atue nas mesmas seja a da respectiva federação estadual filiada à CBAt. g) Resultados obtidos em competições mistas (entre participantes masculinos e femininos), realizadas inteiramente em estádios não serão aceitos. h) Resultados obtidos com ajuda de vento (mais de 2m/s) não serão aceitos. i) Resultados em competições indoor (recinto fechado) serão aceitos. j) Não serão convocados atletas com menos de 16 (dezesseis) anos de idade em 31 de dezembro de. k) Não serão convocados atletas com menos de 18 (dezoito) anos de idade em 31 de dezembro de nas provas de arremesso/lançamentos, decatlo, m rasos e 20 km Marcha Atlética. l) Não serão convocados atletas com menos de 20 (vinte) anos de idade em 31 de dezembro de nas provas de Maratona e 50 km Marcha Atlética. m) Nos casos sujeitos a controvérsia para definição de atletas, prevalecerá sempre o Ranking Brasileiro no período de 1º. de janeiro a (data a ser determinada) de. n) Os casos omissos serão dirimidos pelo Conselho Técnico da CBAt. Obs.: os índices e prazos acima serão revisados para cada um dos Mundiais do ciclo. 3. Jogos Olímpicos Londres, Inglaterra 27 de julho a 12 de agosto de Rio de Janeiro, Brasil 05 a 21 de agosto de a) Serão convocados os atletas que, em provas individuais, atendam às seguintes condições, até o máximo de 3 (três) por prova: - tenham obtido o índice estabelecido pela CBAt, equivalente a 12ª marca na média dos três últimos Campeonatos Mundiais de Adultos ou Jogos Olímpicos (a serem estabelecidos) no período de 1 o de janeiro até (data a ser determinada) de ; nas provas em que o índice da CBAt seja inferior aos da IAAF, (A ou B), prevalecerá este último em conformidade com o Regulamento desta para os Jogos. b) Para as provas de maratona e marcha atlética 50km, o período de obtenção de índice será de 1º. de setembro de 2011 até (data a ser determinada) de maio de, sendo convocados os três primeiros do Ranking Brasileiro desse período, para a Maratona e para a marcha 50km. c) Se, em qualquer prova, houver quatro ou mais atletas que atendam as condições acima, a convocação será realizada conforme abaixo: - quatro atletas com índice CBAt: serão convocados o campeão do Troféu Brasil de, e os dois primeiros do ranking brasileiro de adultos, no período de 1 o de janeiro até (data a ser determinada) de. Caso algum atleta esteja contemplado nas duas últimas situações, será convocado o atleta subseqüente do ranking brasileiro. 4

5 d) Serão convocados para compor as equipes de revezamento do Brasil, quando for o caso, os seguintes atletas: - Equipe classificada entre as cinco primeiras do mundo, no período de 1º de janeiro a (data a ser determinada) de, serão convocados: - 6 atletas - 2 (dois) primeiros do Ranking Brasileiro de Adultos nos 100m. 2 (dois) primeiros do Ranking Brasileiro de Adultos nos 200m. 2 (dois) primeiros dos 100m do Troféu Brasil de Atletismo de. 3 (três) primeiros do Ranking Brasileiro de Adultos nos 400m. 3 (três) primeiros dos 400m do Troféu Brasil de Atletismo de. Caso exista coincidência de atletas nas condições acima, serão convocados os atletas em seqüência do Ranking Brasileiro de Atletismo de 1º de janeiro a (data a ser determinada) de. - Equipe classificada a partir da sexta colocação mundial, no período de 1º de janeiro a (data a ser determinada) de : serão convocados 5 (cinco) atletas. - 5 atletas - 2 (dois) primeiros do Ranking Brasileiro de Adultos nos 100m. 2 (dois) primeiros do Ranking Brasileiro de Adultos nos 200m. O primeiro dos 100m do Troféu Brasil de Atletismo de. 3 (três) primeiros do Ranking Brasileiro de Adultos nos 400m. 2 (dois) primeiros dos 400m do Troféu Brasil de Atletismo de. e) Os índices devem ser obtidos em competições oficiais organizadas em conformidade com as Regras da IAAF e, se realizadas no Brasil, de acordo com as normas da CBAt, com a presença obrigatória de Delegado Técnico indicado por esta. No caso de competições promovidas por Federações filiadas, as devem constar de seus calendários oficiais, enviados para a CBAt, até 28 de fevereiro de. f) Resultados obtidos em competições universitárias ou escolares somente serão aceitos pela CBAt com a presença obrigatória de Delegado Técnico indicado por esta e que a equipe de arbitragem que atue nas mesmas seja a da respectiva federação estadual filiada à CBAt. g) Resultados obtidos em competições mistas (entre participantes masculinos e femininos), realizadas inteiramente em estádios não serão aceitos. h) Resultados obtidos com ajuda de vento (mais de 2m/s) não serão aceitos. i) Resultados em competições indoor (recinto fechado) serão aceitos. j) Não serão convocados atletas com menos de 16 (dezesseis) anos de idade em 31 de dezembro de. k) Não serão convocados atletas com menos de 18 (dezoito) anos de idade em 31 de dezembro de nas provas de lançamentos, decatlo, m e 20 km Marcha Atlética. l) Não serão convocados atletas com menos de 20 (vinte) anos de idade em 31 de dezembro de nas provas de Maratona e 50 km Marcha Atlética. m) Nos casos sujeitos a controvérsia para definição de atletas, prevalecerá sempre o Ranking Brasileiro no período de 1º. de janeiro a (data a ser determinada) de. n) Os casos omissos serão dirimidos pelo Conselho Técnico da CBAt. 5

6 Obs.: os índices e prazos acima serão revisados para cada um dos Jogos do ciclo. 4. Campeonatos Mundiais Indoor Istambul. Turquia 09 a 11 de março de a) Serão convocados os atletas que obtiverem os índices exigidos pela IAAF, a serem divulgados, no período de 1º de janeiro de 2011 até (data a ser determinada) de, cumpridas as exigências estabelecidas pela IAAF para tal, até o máximo de 2 (dois) atletas por prova, prevalecendo sempre, quando for o caso, os índices obtidos em pista coberta. b) Se, em qualquer prova, houver três ou mais atletas com índice, serão convocados os dois primeiros do Ranking Brasileiro da prova, no período de 1º de maio de 2011 até (data a ser determinada) de, prevalecendo em todos os casos, os índices obtidos em pista coberta. c) Todos os atletas para serem convocados devem participar de, no mínimo, 1 (uma) prova durante os meses de janeiro e fevereiro de 2010, para avaliação de sua condição física. Obs.: os índices e prazos acima serão revisados para cada um dos Mundiais do ciclo. 5. Jogos Desportivos Pan Americanos Guadalajara, México 13 a 30 de outubro de 2011 Toronto, Canadá a) Será convocado o primeiro colocado do Ranking brasileiro de 1º. de janeiro a (data a ser determinada) de 2011, nas provas individuais. Poderá ser convocado um segundo atleta desde que obtenha o índice exigido pela CBAt que será equivalente a marca do 6º. Colocado do Ranking Pan-Americano de No caso de, em qualquer prova, três ou mais atletas obtiverem o índice, serão convocados o primeiros classificados do ranking brasileiro, no período acima. Serão convocados os revezamentos que estiverem entre os seis primeiros do Ranking Pan-Americano de As equipes serão compostas conforme abaixo: - 2 primeiros dos 100m do Troféu Brasil de Atletismo de primeiros dos 200m do Troféu Brasil de Atletismo de 2011; - 2 primeiros dos 100m do Ranking Brasileiro de Atletismo de 1º. de janeiro a (data a ser determinada) de primeiros dos 400m do Troféu Brasil de Atletismo de primeiros dos 400m do Ranking Brasileiro de Atletismo de 1º. de janeiro a (data a ser determinada) de No caso da Maratona e Marcha 50km, serão convocados os dois primeiros colocados, masculino e feminino, do ranking brasileiro de 1º de setembro de 2010 à (data a ser determinada) de maio de Obs.: os índices e prazos acima serão revisados para cada um dos Jogos do ciclo. 6. Campeonatos Mundiais de Cross Country Punta Umbria, Espanha 20 de março de

7 Serão convocados os atletas campeões sul-americanos, individualmente ou por equipes, nas diferentes categorias constantes dos Campeonatos Mundiais de Cross Country (juvenil e adulto). 7. Campeonatos Mundiais de Menores Lille, França 06 a 10 de julho de 2011 a) Serão convocados os atletas que tenham obtido o índice estabelecido pela CBAt, equivalente a 12ª marca na média dos três últimos Campeonatos Mundiais de Menores (ver relação no Anexo II) no período de 1 o de janeiro até (data a ser determinada) de 2011; nas provas em que o índice da CBAt seja inferior aos da IAAF, prevalecerá este último. b) Se, em qualquer prova, houver 3 (três) ou mais atletas com índice, será convocado o campeão dos Campeonatos Brasileiros de Menores, inter seleções estaduais, e o primeiro colocado do ranking brasileiro até (data a ser determinada) de c) No caso de um mesmo atleta estar contemplado nas duas situações, será convocado o atleta subseqüente do ranking brasileiro. d) Para o Revezamento Medley serão convocados o primeiro colocado das provas de 100m, 200m e 400m dos Campeonatos Brasileiros de Menores Inter Seleções Estaduais de 2011, o primeiro colocado das provas de 200m e 400m no Ranking Brasileiro de Menores de 1º de janeiro até (data a ser determinada) de 2011, observado o seguinte: - caso haja coincidência de atletas nas provas de 100m e 200m, será convocado o segundo atleta dos 200m dos Campeonatos Brasileiros de Menores Inter Seleções Estaduais de 2011; - caso haja coincidência de atletas nas provas de 200m e 400m, será convocado o segundo atleta dos 400m dos Campeonatos Brasileiros de Menores Inter Seleções Estaduais de 2011; - caso alguma equipe obtenha o resultado abaixo (equivalente a média do 8º lugar dos três últimos Campeonatos Mundiais de Menores), no período de 1º de janeiro a (data a ser determinada) de 2011, não será necessário o atendimento as exigências do item d) acima: Masculino: 1:54.52 Feminino: 2:10.60 e) Somente serão aceitos índices obtidos com implementos e especificações oficiais da categoria. Obs.: os índices e prazos acima serão revisados para cada um dos Mundiais do ciclo. 8. Campeonatos Mundiais de Juvenis a) Serão convocados os atletas que tenham obtido o índice estabelecido pela CBAt, equivalente a 12ª marca na média dos três últimos Campeonatos Mundiais de Juvenis (a serem determinados) no período de 1 o de janeiro até (data a ser determinada) de ; nas provas em que o índice da CBAt seja inferior aos da IAAF, prevalecerá este último. 7

8 b) No caso de em qualquer prova, haver 3 (três) ou mais atletas com índice, será convocado o campeão dos Campeonatos Brasileiros de Juvenis, inter seleções estaduais, e o primeiro colocado do ranking brasileiro de juvenis de 1º. de janeiro até (data a ser determinada) de. c) No caso de um mesmo atleta estar contemplado nas duas situações, será convocado o atleta subseqüente do ranking brasileiro de juvenis conforme acima. d) As equipes de revezamentos serão convocadas desde que obtenham o índice exigido pela CBAt, ou desde que, pelo menos, 2 atletas obtenham o índice nas provas singulares de 100m ou 200m para o revezamento 4x100m e 400m para o revezamento 4x400m. Caso alguma equipe obtenha os resultados abaixo, equivalentes a média do 6º lugar nos três últimos Campeonatos Mundiais de Juvenis, no período de 1º. de janeiro a (data a ser determinada) de, não será necessário o atendimento as exigências constantes do item d) acima: 4x100m masculino 4x400m masculino 4x100m feminino 4x400m feminino Serão convocados os 2 primeiros das provas de 100m e 400m dos Campeonatos Brasileiros de Juvenis Inter Seleções Estaduais de e os 2 primeiros colocados do Ranking Brasileiro de Juvenis no período de 1º. de janeiro a (data a ser determinada) de. e) Somente serão aceitos índices obtidos com implementos e especificações oficiais da categoria de juvenis. Obs.: os índices e prazos acima serão revisados para cada um dos Mundiais do ciclo. 9. Campeonatos Mundiais de Meia Maratona Serão convocados os primeiros colocados do Ranking Brasileiro da Meia-Maratona, no masculino e feminino, no período de 1º. de outubro de 2011 até (data a ser determinada) de. 10. Jogos Sul-americanos Os critérios para este evento serão determinados posteriormente quando tiverem sido definidas a faixa etária e provas para o mesmo. 11. Campeonatos Sul-Americanos de Cross Country

9 Serão convocados os 5 (cinco) primeiros colocados, na prova adulta masculino; os 4 (quatro) primeiros colocados nas provas adulta feminina e juvenil masculina e feminina e os 3 (três) primeiros colocados nas provas de menores masculina e feminina, da Copa Brasil de Cross Country de Campeonatos Sul-Americanos de Marcha Atlética Serão convocados os 3 (três) primeiros colocados da Copa Brasil de Marcha Atlética de, nas provas de adultos e de juvenis. 13. Copa Pan-Americana de Marcha Atlética 2011 Serão convocados os 3 (três) primeiros colocados da Copa Brasil de Marcha Atlética de 2011, nas provas de adultos e de juvenis. 14. Copa do Mundo de Marcha Atlética Saransk, Rússia a) Serão convocados os atletas campeões sul-americanos individualmente ou por equipes, nas diferentes categorias constantes da Copa do Mundo de Marcha Atlética. b) No caso de não haver atletas brasileiros campeões sul-americanos, serão convocados os 3 (três) primeiros colocados do Ranking Brasileiro, nas provas de 20km masculino e feminino, no período de 1º. de janeiro até (data a ser determinada) de, que tenham obtido os índices abaixo : 20km Masculino: 20km Feminino: (a ser determinado). (a ser determinado). c) Serão convocados 3 (três) primeiros colocados do Ranking Brasileiro, na prova de 50km masculino, no período de 1º. de janeiro de 2011 até (data a ser determinada) de, que tenham obtido o índice de (a ser determinado). Os atletas que obtiverem índice na prova de 50km masculino para a Copa do Mundo não poderão participar dos Campeonatos Sul-Americanos de Marcha Atlética na mesma prova. Obs.: os índices e prazos acima serão revisados para cada uma das Copas do ciclo. 15. Campeonatos Ibero-Americanos de Atletismo a) Serão convocados os atletas com índice estabelecido pela A.I.A., até o máximo de 2 (dois) por prova, no período de 1º de janeiro de até (data a ser determinada) de 2010, considerados os resultados de competições que derem entrada na sede da CBAt até as horas (horário Manaus) do dia (data a ser determinada) de. 9

10 b) No caso de, em qualquer prova, haver três ou mais atletas com índice, serão convocados os dois primeiros classificados do ranking brasileiro de adultos no período de 1º. de janeiro de a (data a ser determinada) de. c) Os revezamentos serão convocados desde que alguma equipe de clube, seleção estadual ou seleção nacional obtenham os índices estabelecidos, ou, desde que, pelo menos, 2 (dois) atletas obtenham o índice exigido nas provas correspondentes (100m e 400m). d) Serão convocados para compor as equipes de revezamento 4x100m, os três primeiros classificados nos 100m rasos e os dois primeiros classificados nos 200m rasos, do Ranking Brasileiro de adultos no período de 1º. de janeiro a (data a ser determinada) de. Caso haja coincidência de atletas nas condições acima, serão chamados os atletas do Ranking Brasileiro, no período acima, dos 100m rasos em sequência. e) Serão convocados para compor as equipes de revezamento 4x400m, os quatro primeiros classificados nos 400m rasos do Ranking Brasileiro de adultos no período de 1º. de janeiro a (data a ser determinada) de. Obs.: os índices e prazos acima serão revisados para cada um dos Campeonatos do ciclo. 16. Campeonato Sul-Americano de Milha de Rua 2011 Serão convocados os 3 primeiros colocados do ranking brasileiro Adulto de 1º de janeiro do ano da competição até 15 (quinze) dias, (data a ser determinada em 2011) antes da data de realização do evento, na prova de 1.500m. 17. Campeonatos Sul-Americanos Adultos Buenos Aires, Argentina 2011 a) Serão convocados os dois primeiros colocados das provas individuais no Troféu Brasil de Atletismo de b) Em caso de desistência, será convocado o atleta subseqüente do Troféu Brasil na prova. c) Os atletas que não atenderem à convocação da CBAt para participar dos Campeonatos Sul-Americanos não serão convocados para integrar a seleção brasileira aos Campeonatos Mundiais de Berlim. Se o não atendimento à convocação para os Campeonatos Sul-Americanos se der por motivo aceito pela CBAt, o atleta não poderá participar de competições esportivas durante 15 dias após o término da competição sul-americana. 10

11 d) Para compor as equipes de revezamentos serão convocados os 4 (quatro) primeiros colocados das provas de 100m e 400m do Troféu Brasil de Atletismo. 18. Campeonatos Sul-Americanos de Juvenis Colômbia 2011 a) Serão convocados os dois primeiros colocados das provas individuais nos Campeonatos Brasileiros de Juvenis Inter Seleções Estaduais de b) Para compor as equipes de revezamentos serão convocados os 4 (quatro) primeiros colocados das provas de 100m e 400m dos Campeonatos Brasileiros acima indicados. 19. Campeonatos Sul-Americanos de Menores a) Serão convocados os dois primeiros colocados das provas individuais nos Campeonatos Brasileiros de Menores Inter Seleções Estaduais de. b) Para o Revezamento Medley serão convocados o primeiro colocado das provas de 100m e 200m e os dois primeiros colocados da prova de 400m dos Campeonatos Brasileiros de Menores Inter Seleções Estaduais de. 20. Campeonatos Sul-Americanos Sub-23 a) Serão convocados os dois primeiros colocados das provas individuais nos Campeonatos Brasileiros Sub-23 de. b) Para compor as equipes de revezamentos serão convocados os 4 (quatro) primeiros colocados das provas de 100m e 400m dos Campeonatos Brasileiros acima indicados. 21. Meetings Internacionais no Brasil 2011 Participação de atletas brasileiros: Estar entre os 50 primeiros do ranking mundial da IAAF, nas provas constantes dos eventos, até o dia 31 de dezembro de 2010, conforme Regulamento da IAAF. A critério exclusivo dos organizadores, podem ser convidados outros atletas para participar dos eventos. 11

12 Serão convidados os treinadores brasileiros que tiverem 4 (quatro) ou mais atletas no evento, e os que tenham atletas entre os 10 (dez) primeiros colocados no Ranking da IAAF. Obs.: As condições acima serão revisados para cada uma das temporadas do ciclo. 22. Jogos da Lusofonia Goa, Índia Os critérios para este evento serão determinados posteriormente quando tiver sido confirmada a data para o mesmo. 23. Campeonatos Pan-Americanos de Atletismo de Juvenis 2011 Os critérios para este evento serão determinados posteriormente quando tiver sido confirmada a data de realização do mesmo. 24. Campeonatos Sul-Americano de Meia Maratona 2011 Serão convocados um atleta no masculino e uma atleta no feminino. 25. Campeonatos Sul-Americano de Corrida em Montanha 2011 Serão convocados o primeiro colocado no masculino e a primeira colocada no feminino, nos Campeonatos Brasileiros Caixa de Corrida em Montanha de Critérios Gerais Adicionais a) Em todos os casos, os atletas convocados deverão estar fisicamente aptos para integrar seleções brasileiras de Atletismo, comprovado por laudo médico expedido pelos seus clubes e enviados para a CBAt antes do embarque das delegações. b) A escalação de atletas para compor as equipes de revezamentos nas diversas competições será de competência exclusiva dos respectivos treinadores. c) A decisão final sobre a participação ou não de atletas em determinadas provas nos eventos internacionais, visando obtenção do melhor resultado possível, será de competência da Comissão Técnica presente ao evento. 12

13 d) Somente podem integrar as Seleções Brasileiras treinadores que possuam atleta(s) compondo as mesmas. Este dispositivo não se aplica ao Treinador Chefe. e) A indicação de treinadores em todas as Seleções Brasileiras é de competência exclusiva da CBAt. f) Os critérios aprovados poderão sofrer modificações em razão de alterações promovidas pela IAAF, C.O.B., AIA, CONSUDATLE, etc., nos regulamentos das competições respectivas. g) Nenhum índice estabelecido pela CBAt será válido se obtido em pistas situadas em altitude acima de metros (sob o nível do mar), com, exceção daqueles obtidos em Campeonatos Oficiais disputados por Seleções Brasileiras convocadas pela CBAt. 13

14 CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO PERÍODO 2010 A ANEXO I Campeonatos Mundiais de Atletismo 27 de agosto a 04 de setembro de 2011 Daegu Korea RELAÇÃO DE ÍNDICES MÍNIMOS ESTABELECIDOS PELA CBAt Masculino Prova Feminino m m m m m m (1)(2) m (2) m / 100m c/bar m c/bar m c/obstáculos (2) 20km Marcha Atlética (2) km Marcha Atlética (1)(2) 4x100m (2) (1)(2) 4x400m (2) 2.27 Salto em Altura Salto com Vara Salto em Distância Salto Triplo Arremesso do Peso Lançamento do Disco Lançamento do Martelo Lançamento do Dardo (2) Decatlo / Heptatlo 6178 (2) O prazo para obtenção dos índices acima é de 1º de janeiro a 31 de julho de 2011, observado o seguinte: (1) Provas em que o índice da CBAt anteriormente divulgado, foi alterado para o menor índice da IAAF exigido para inscrição nos Campeonatos (o índice CBAt destas provas era inferior ao índice mínimo da IAAF para inscrição). 14

15 (2) Para estas provas o prazo de obtenção dos índices é de 1º de setembro de 2010 até 31 de julho de As informações completas sobre a obtenção dos índices encontram-se nos Critérios de Convocação de CBAt para o evento. 15

16 CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO PERÍODO 2010 A ANEXO II CAMPEONATOS MUNDIAIS DE ATLETISMO DE MENORES 06 a 10 de julho de 2011 Lille França RELAÇÃO DE ÍNDICES MÍNIMOS EXIGIDOS PELA CBAt Masculino Prova Feminino m m m m m m Obstaculos m c/bar./100m c/bar m c/ bar Marcha Medley Combinada Altura Vara Distancia Triplo Peso Disco Martelo Dardo O prazo para obtenção dos índices acima é de 1º de janeiro a (data a ser determinada) de Para melhor entendimento devem ser compreendidos os critérios de convocação da CBAt para o evento em sua totalidade. 16

CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA ATLETAS INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO 2015

CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA ATLETAS INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO 2015 CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA ATLETAS INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO 2015 1. Copa Pan-Americana de Cross Country 21 de fevereiro de 2015 Cartagena, COL Serão convocados os 4 (quatros)

Leia mais

CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA ATLETAS E TREINADORES INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO EM 2017

CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA ATLETAS E TREINADORES INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO EM 2017 O presente critério considerará as parcerias com o Comitê Olímpico do Brasil, Ministério do Esporte e principalmente o patrocínio da Caixa Econômica Federal, entre outras fontes, podendo ser revisto a

Leia mais

CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA ATLETAS INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO EM 2016

CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA ATLETAS INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO EM 2016 1. Campeonatos Sul-Americanos de Marcha Atlética 50km 28 de fevereiro de 2016 Rio de Janeiro, BRA Serão convocados os 4 (quatros) primeiros atletas do ranking brasileiro da prova em 2015. 2. Campeonatos

Leia mais

CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO - 2014

CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO - 2014 CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO - 2014 Aprovados pelo IV Forum Atletismo do Brasil em 11.12.2009 Aprovados pela Assembléia Geral da CBAt em 13.12.2009 Revisados

Leia mais

NORMA 12. CATEGORIAS OFICIAIS DO ATLETISMO BRASILEIRO POR FAIXA ETÁRIA Aprovada pela Assembléia Geral em

NORMA 12. CATEGORIAS OFICIAIS DO ATLETISMO BRASILEIRO POR FAIXA ETÁRIA Aprovada pela Assembléia Geral em NORMA 12 CATEGORIAS OFICIAIS DO ATLETISMO BRASILEIRO POR FAIXA ETÁRIA Aprovada pela Assembléia Geral em 23.02.2011 Art. 1º - As categorias e respectivas faixas etárias da Confederação Brasileira de Atletismo

Leia mais

CAMPEONATOS BRASILEIROS DE ATLETISMO SUB-20 SUB-18 SUB-16

CAMPEONATOS BRASILEIROS DE ATLETISMO SUB-20 SUB-18 SUB-16 CAMPEONATOS BRASILEIROS DE ATLETISMO SUB-20 SUB-18 SUB-16 Art. 1º - Com a finalidade de identificar o máximo desempenho nas provas do atletismo, através das entidades de prática do atletismo brasileiro,

Leia mais

CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-23

CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-23 CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-23 Art. 1º - Os CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-23 têm por propósito básico a integração nacional, a difusão do Atletismo e a verificação do

Leia mais

TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXVI Edição

TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXVI Edição TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXVI Edição Art. 1º - Art. 2º - Art. 3º - O Troféu Brasil de Atletismo é uma competição realizada anualmente que têm por propósito básico a difusão do Atletismo e a verificação

Leia mais

XL CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-18 - INTERSELEÇÕES

XL CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-18 - INTERSELEÇÕES XL CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-18 - INTERSELEÇÕES Art. 1º - Os CAMPEONATOS BRASILEIROS DE ATLETISMO SUB-18 têm por propósito básico a integração nacional, a difusão do Atletismo e a

Leia mais

VII CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-18 - INTERCLUBES

VII CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-18 - INTERCLUBES VII CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-18 - INTERCLUBES Art. 1º - Art. 2º - Art. 3º - Art. 4º - Art. 5º - Art. 6º - Os CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-18 INTERCLUBES têm por

Leia mais

CAMPEONATOS BRASILEIROS DE ATLETISMO SUB-23

CAMPEONATOS BRASILEIROS DE ATLETISMO SUB-23 CAMPEONATOS BRASILEIROS DE ATLETISMO SUB-23 Art. 1º - Art. 2º - Art. 3º - Art. 4º - Art. 5º - Art. 6º - Com a finalidade de identificar o máximo desempenho nas provas do atletismo, através das entidades

Leia mais

XXXVII CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO DE MENORES - INTERESTADUAL

XXXVII CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO DE MENORES - INTERESTADUAL XXXVII CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO DE MENORES - INTERESTADUAL Art. 1º - Os CAMPEONATOS BRASILEIROS DE ATLETISMO DE MENORES têm por propósito básico a integração nacional, a difusão do Atletismo

Leia mais

TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXII Edição

TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXII Edição TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXII Edição Art. 1º - Art. 2º - Art. 3º - O Troféu Brasil de Atletismo é uma competição realizada anualmente que têm por propósito básico a difusão do Atletismo e a verificação

Leia mais

CAMPEONATO PERNAMBUCANO ADULTO DE ATLETISMO REGULAMENTO

CAMPEONATO PERNAMBUCANO ADULTO DE ATLETISMO REGULAMENTO DO CAMPEONATO CAMPEONATO PERNAMBUCANO ADULTO DE ATLETISMO REGULAMENTO Art. 1º - O Campeonato Pernambucano Adulto de Atletismo, tem a finalidade básica de desenvolver o atletismo no estado de Pernambuco,

Leia mais

CAMPEONATO CEARENSE CAIXA ADULTO DE ATLETISMO 28 e 29 de Agosto de 2015 REGULAMENTO

CAMPEONATO CEARENSE CAIXA ADULTO DE ATLETISMO 28 e 29 de Agosto de 2015 REGULAMENTO CAMPEONATO CEARENSE CAIXA ADULTO DE ATLETISMO 28 e 29 de Agosto de 2015 REGULAMENTO DO CAMPEONATO Art. 1º - O Campeonato Cearense Caixa ADULTO de Atletismo, tem a finalidade básica de desenvolver o atletismo

Leia mais

CAMPEONATOS DE PORTUGAL

CAMPEONATOS DE PORTUGAL CAMPEONATOS DE PORTUGAL 1. NORMAS REGULAMENTARES 1.1- Poderão participar atletas masculinos e femininos dos escalões de Juniores e Seniores que tenham obtido os resultados de qualificação que se indicam

Leia mais

CAMPEONATOS ESTADUAIS DE ATLETISMO SUB-20 Revisado após definições dos representantes dos comitês em

CAMPEONATOS ESTADUAIS DE ATLETISMO SUB-20 Revisado após definições dos representantes dos comitês em CAMPEONATOS ESTADUAIS DE ATLETISMO SUB-20 Revisado após definições dos representantes dos comitês em 12.04.17 CAPITULO I - DA FINALIDADE Art. 1º - Os CAMPEONATOS ESTADUAIS DE ATLETISMO SUB-20 é uma competição

Leia mais

CAMPEONATOS DE PORTUGAL AR LIVRE E CAMPEONATO NACIONAL DE SUB-23

CAMPEONATOS DE PORTUGAL AR LIVRE E CAMPEONATO NACIONAL DE SUB-23 CAMPEONATOS DE PORTUGAL AR LIVRE E CAMPEONATO NACIONAL DE SUB-23 1. NOTA INTRODUTÓRIA Em simultâneo com os Campeonatos de Portugal Absolutos será disputado o Campeonato Nacional de Sub-23 em que serão

Leia mais

TROFÉU NORTE-NORDESTE CAIXA DE ATLETISMO SUB-16

TROFÉU NORTE-NORDESTE CAIXA DE ATLETISMO SUB-16 TROFÉU NORTE-NORDESTE CAIXA DE ATLETISMO SUB-16 Art. 1º O TROFÉU NORTE-NORDESTE DE ATLETISMO SUB-16 têm por propósito básico a integração regional, a difusão do Atletismo e a verificação do desenvolvimento

Leia mais

CAMPEONATO CEARENSE CAIXA SUB-18 DE ATLETISMO 23 e 24 de julho de 2016 REGULAMENTO

CAMPEONATO CEARENSE CAIXA SUB-18 DE ATLETISMO 23 e 24 de julho de 2016 REGULAMENTO CAMPEONATO CEARENSE CAIXA SUB-18 DE ATLETISMO 23 e 24 de julho de 2016 REGULAMENTO DO CAMPEONATO Art. 1º - O Campeonato Cearense Caixa SUB-18 de Atletismo, tem a finalidade básica de desenvolver o atletismo

Leia mais

2º - Os Campeonatos são realizados com provas para ambos os sexos.

2º - Os Campeonatos são realizados com provas para ambos os sexos. REGULAMENTO ESTADUAL SUB 20 2016 Art. 1º - Os CAMPEONATOS ESTADUAIS CAIXA DE ATLETISMO SUB -20 têm por propósito básico a integração estadual, a difusão do Atletismo e a verificação do desenvolvimento

Leia mais

TROFÉU NORTE-NORDESTE CAIXA DE ATLETISMO SUB-18

TROFÉU NORTE-NORDESTE CAIXA DE ATLETISMO SUB-18 TROFÉU NORTE-NORDESTE CAIXA DE ATLETISMO SUB-18 Art. 1º O TROFÉU NORTE-NORDESTE DE ATLETISMO SUB-18 têm por propósito básico a integração regional, a difusão do Atletismo e a verificação do desenvolvimento

Leia mais

CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES (Fase de Apuramento)

CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES (Fase de Apuramento) CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES (Fase de Apuramento) 1. NORMAS REGULAMENTARES 1.1- Normas Gerais 1.1.1 A participação nas provas coletivas organizadas pela FPA é reservada aos clubes portugueses que tenham

Leia mais

Art. 3º - Os Campeonatos são disputados anualmente, podendo ser realizados em mais de uma edição ao longo do ano.

Art. 3º - Os Campeonatos são disputados anualmente, podendo ser realizados em mais de uma edição ao longo do ano. Art. 1º - Os CAMPEONATOS ESTADUAIS CAIXA DE ATLETISMO ADULTO têm por propósito básico a integração estadual, a difusão do Atletismo e a verificação do desenvolvimento de seu estágio técnico nos diversos

Leia mais

REGULAMENTO RELATIVO À HOMOLOGAÇÃO DE RECORDES DE PORTUGAL, RECORDES NACIONAIS E RECORDES NACIONAIS DE ESTRADA

REGULAMENTO RELATIVO À HOMOLOGAÇÃO DE RECORDES DE PORTUGAL, RECORDES NACIONAIS E RECORDES NACIONAIS DE ESTRADA REGULAMENTO RELATIVO À HOMOLOGAÇÃO DE RECORDES DE PORTUGAL, RECORDES NACIONAIS E RECORDES NACIONAIS DE ESTRADA NACIONAIS E RECORDES NACIONAIS DE ESTRADA Página 1 de 16 A. Homologação de Recordes de Portugal

Leia mais

MARCAS DE QUALIFICAÇÃO NAS COMPETIÇÕES NACIONAIS ÉPOCA 2015/2016

MARCAS DE QUALIFICAÇÃO NAS COMPETIÇÕES NACIONAIS ÉPOCA 2015/2016 NAS COMPETIÇÕES NACIONAIS ÉPOCA 2015/2016 Condições de aceitação de marcas de qualificação: A. O prazo de obtenção de marcas de qualificação nas competições que o exijam é compreendido entre o dia 16 de

Leia mais

CAMPEONATO NACIONAL DE JUVENIS EM PISTA COBERTA

CAMPEONATO NACIONAL DE JUVENIS EM PISTA COBERTA CAMPEONATO NACIONAL DE JUVENIS EM PISTA COBERTA 1. NORMAS REGULAMENTARES 1.1- Poderão participar atletas masculinos e femininos, dos escalões de Juvenis, que tenham obtido os resultados de qualificação

Leia mais

CRITÉRIOS DE SELECÇÃO PARA COMPETIÇÕES INTERNACIONAIS. Época de2011

CRITÉRIOS DE SELECÇÃO PARA COMPETIÇÕES INTERNACIONAIS. Época de2011 CRITÉRIOS DE SELECÇÃO PARA COMPETIÇÕES INTERNACIONAIS Época de2011 F.P.A. Dezembro de 2010 CAMPEONATO DA EUROPA PISTA COBERTA Paris (FRA) 4 a 6 Março 2011 Marcas Referência MASCULINOS FEMININOS P. Coberta

Leia mais

CAMPEONATOS DE PORTUGAL EM PISTA COBERTA

CAMPEONATOS DE PORTUGAL EM PISTA COBERTA CAMPEONATOS DE PORTUGAL EM PISTA COBERTA 1. NORMAS REGULAMENTARES 1.1.- Poderão participar atletas masculinos e femininos dos escalões Júnior e Sénior que tenham obtido os resultados que se indicam na

Leia mais

NORMA 12. CATEGORIAS OFICIAIS DO ATLETISMO BRASILEIRO POR FAIXA ETÁRIA Aprovada pela Assembleia Geral em 26.04.2014 Atualizada em 19.02.

NORMA 12. CATEGORIAS OFICIAIS DO ATLETISMO BRASILEIRO POR FAIXA ETÁRIA Aprovada pela Assembleia Geral em 26.04.2014 Atualizada em 19.02. NORMA 12 CATEGORIAS OFICIAIS DO ATLETISMO BRASILEIRO POR FAIXA ETÁRIA Aprovada pela Assembleia Geral em 26.04.2014 Atualizada em 19.02.2015 Art. 1º - As categorias e respectivas faixas etárias da Confederação

Leia mais

ATLETISMO Nº 01 11/11/2015

ATLETISMO Nº 01 11/11/2015 ATLETISMO Nº 01 11/11/2015 ATLETISMO Local: Estádio Willie Davids Endereço: Av. Prudente de Morais, s/n - Maringá Data: 12/11/2015 Horário: 14h00 Local: Hotel Deville - Maringá LOCAL DE COMPETIÇÃO REUNIÃO

Leia mais

CAMPEONATO ESTADUAL MINEIRO CAIXA DE ATLETISMO SUB 23

CAMPEONATO ESTADUAL MINEIRO CAIXA DE ATLETISMO SUB 23 CAMPEONATO ESTADUAL MINEIRO CAIXA DE ATLETISMO SUB 23 O Campeonato Estadual Mineiro Caixa de Atletismo Sub 23 tem como objetivos proporcionar aos nossos atletas aprimoramento físico e técnico, servindo

Leia mais

MARCAS DE QUALIFICAÇÃO NAS COMPETIÇÕES NACIONAIS ÉPOCA 2016/2017

MARCAS DE QUALIFICAÇÃO NAS COMPETIÇÕES NACIONAIS ÉPOCA 2016/2017 NAS COMPETIÇÕES NACIONAIS ÉPOCA 2016/2017 Condições de aceitação de marcas de qualificação: A. O prazo de obtenção de marcas de qualificação nas competições que o exijam é compreendido entre o dia 16 de

Leia mais

ABDEM EVENTO - INTERNACIONAL

ABDEM EVENTO - INTERNACIONAL ABDEM EVENTO - INTERNACIONAL A - CAMPEONATO MUNDIAL DE ATLETISMO - CLASSE T20 (MASCULINO-PRINCIPAL), PROVA 100m RASOS - REALIZADO NO EQUADOR DE 20a27/09/2015 A - CAMPEONATO MUNDIAL DE ATLETISMO - CLASSE

Leia mais

ATLETISMO Nº 02 04/09/2014

ATLETISMO Nº 02 04/09/2014 ATLETISMO Nº 02 04/09/2014 ATLETISMO LOCAL DE COMPETIÇÃO Local: Pista da UEL Endereço: Rodovia Celso Garcia Cid, PR 445 km 380. POWERADE Para a edição de 2014, a Powerade oferecerá uma premiação aos atletas

Leia mais

REGULAMENTO GERAL. 3 - É permitida a reunião de associações da mesma região para participação dos Jogos.

REGULAMENTO GERAL. 3 - É permitida a reunião de associações da mesma região para participação dos Jogos. 1 DA FINALIDADE V JOGOS NACIONAIS DA MAGISTRATURA DE 26 A 30 DE MAIO DE 2010 Foz do Iguaçu PR REGULAMENTO GERAL Art. 1º - Os JOGOS NACIONAIS DA MAGISTRATURA, competição oficial da ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS

Leia mais

ATLETISMO Nº 02 12/11/2015

ATLETISMO Nº 02 12/11/2015 ATLETISMO Nº 02 12/11/2015 Local: Estádio Willie Davids Endereço: Av. Prudente de Morais, s/n - Maringá ATLETISMO LOCAL DE COMPETIÇÃO NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA COMPETIÇÃO 1. Área de Aquecimento Os atletas

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO ATLETISMO

REGULAMENTO TÉCNICO ATLETISMO Art. 1º - As competições de Atletismo serão regidas pelas Regras de Competições da Federação Internacional de Atletismo Amador, pelas normas da CBAT (Confederação Brasileira de Atletismo), por este Regulamento

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE ATLETISMO CURSO BÁSICO DE ARBITRAGEM MARINGÁ PR 21, 22 E 23 DE AGOSTO DE 2015 PROGRAMAÇÃO

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE ATLETISMO CURSO BÁSICO DE ARBITRAGEM MARINGÁ PR 21, 22 E 23 DE AGOSTO DE 2015 PROGRAMAÇÃO CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE ATLETISMO CURSO BÁSICO DE ARBITRAGEM MARINGÁ PR 21, 22 E 23 DE AGOSTO DE 2015 PROGRAMAÇÃO UNIDADE I CONTEÚDO Distribuição do material/apresentação O Atletismo Entidades de organização

Leia mais

OPEN BRASIL LOTERIAS CAIXA DE ATLETISMO 2017 São Paulo 2017 World Para Athletics Grand Prix São Paulo/SP 20 a 23 de Abril de 2017 INFORMAÇÕES GERAIS

OPEN BRASIL LOTERIAS CAIXA DE ATLETISMO 2017 São Paulo 2017 World Para Athletics Grand Prix São Paulo/SP 20 a 23 de Abril de 2017 INFORMAÇÕES GERAIS OPEN BRASIL LOTERIAS CAIXA DE ATLETISMO 2017 São Paulo 2017 World Para Athletics Grand Prix São Paulo/SP 20 a 23 de Abril de 2017 INFORMAÇÕES GERAIS 1. Comitê Organizador Local Comitê Paralímpico Brasileiro

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE ATLETISMO DE SETÚBAL

ASSOCIAÇÃO DE ATLETISMO DE SETÚBAL ASSOCIAÇÃO DE ATLETISMO DE SETÚBAL ------------------------------- REGULAMENTOS APROVADOS PARA A ÉPOCA 2011/2012 -------------------------------- CONVÍVIO BENJAMINS A TROFÉU REGIONAL DE BENJAMINS B CAMPEONATO

Leia mais

CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES EM PISTA COBERTA (Fase Apuramento)

CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES EM PISTA COBERTA (Fase Apuramento) CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES EM PISTA COBERTA (Fase Apuramento) 1. NORMAS REGULAMENTARES 1.1. Normas Gerais 1.1.1. A participação nas provas colectivas organizadas pela FPA é reservada aos Clubes Portugueses

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DA NATAÇÃO 2016

REGULAMENTO ESPECÍFICO DA NATAÇÃO 2016 REGULAMENTO ESPECÍFICO DA NATAÇÃO 2016 Art. 1º. A Competição de Natação será realizada de acordo com as regras oficiais da Federação Internacional de Natação (FINA), da Confederação Brasileira de Desportos

Leia mais

FEDERAÇÃO DE DESPORTOS AQUÁTICOS DO DISTRITO FEDERAL FDA/DF

FEDERAÇÃO DE DESPORTOS AQUÁTICOS DO DISTRITO FEDERAL FDA/DF Critérios indicativos à Bolsa Atleta de Natação conforme Reunião da Diretoria da FDA/DF e técnicos filiados, realizada no dia 03 de fevereiro de 2016. I BOLSA ATLETA OLÍMPICA 1.1- O atleta de natação só

Leia mais

NOTA OFICIAL ATLETISMO

NOTA OFICIAL ATLETISMO DATA/ LOCAL/ HORÁRIOS Data: 03 de junho (DOMINGO) LIGA UNIVERSITÁRIA PAULISTA NOTA OFICIAL ATLETISMO Local: CENTRO ESPORTIVO E RECREATIVO VILA SÃO JOSÉ Estrada das Lágrimas, nº 90 Vila São José São Caetano

Leia mais

VIII JOGOS NACIONAIS DA MAGISTRATURA

VIII JOGOS NACIONAIS DA MAGISTRATURA VIII JOGOS NACIONAIS DA MAGISTRATURA REGULAMENTO GERAL 1 DA FINALIDADE Art. 1º - Os VIII JOGOS NACIONAIS DA MAGISTRATURA, competição oficial da ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS BRASILEIROS (AMB), têm como objetivo

Leia mais

SELEÇÃO BRASILEIRA DE ATLETISMO CRITÉRIOS DE ENTRADA CAMPEONATO MUNDIAL DE ATLETISMO PARALÍMPICO 2017

SELEÇÃO BRASILEIRA DE ATLETISMO CRITÉRIOS DE ENTRADA CAMPEONATO MUNDIAL DE ATLETISMO PARALÍMPICO 2017 SELEÇÃO BRASILEIRA DE ATLETISMO CRITÉRIOS DE ENTRADA CAMPEONATO MUNDIAL DE ATLETISMO PARALÍMPICO 2017 O Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), por meio de seu Departamento Técnico e da Coordenação Técnica

Leia mais

NOTA OFICIAL Nº 03/2016

NOTA OFICIAL Nº 03/2016 NOTA OFICIAL Nº 03/06 Prezados filiados, Campo Grande MS, 03 de Abril de 06. A Federação Escolar de Esportes de Mato Grosso do Sul vêm informar das seletivas para a Gymnasiade, que será realizada no período

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES COMPLEXO ESPORTIVO 9ª COPA UNIVATES/DCE 2016 REGULAMENTO GERAL

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES COMPLEXO ESPORTIVO 9ª COPA UNIVATES/DCE 2016 REGULAMENTO GERAL CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES COMPLEXO ESPORTIVO 9ª COPA UNIVATES/DCE 2016 REGULAMENTO GERAL DA PROMOÇÃO E ORGANIZAÇÃO: A promoção e a organização são do Centro Universitário UNIVATES/Complexo Esportivo

Leia mais

Campeonato Mineiro Infanto Juvenil de Natação de Verão X Troféu Fernanda Ferraz Santos. Participação: Exclusiva para filiadas Exclusiva para federados

Campeonato Mineiro Infanto Juvenil de Natação de Verão X Troféu Fernanda Ferraz Santos. Participação: Exclusiva para filiadas Exclusiva para federados Campeonato Mineiro Infanto Juvenil de Natação de Verão X Troféu Fernanda Ferraz Santos Entidades: Atletas: Participação: Exclusiva para filiadas Exclusiva para federados Programação: Data: 11 e 12 de novembro

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS VETERANOS GAÚCHOS DE ATLETISMO MASTER avega.com.br 31º CAMPEONATO ESTADUAL DE ATLETISMO MASTER REGULAMENTO

ASSOCIAÇÃO DOS VETERANOS GAÚCHOS DE ATLETISMO MASTER avega.com.br 31º CAMPEONATO ESTADUAL DE ATLETISMO MASTER REGULAMENTO REGULAMENTO 1. Regras da Competição 1.1. O 31 Campeonato Estadual de Atletismo Master será realizado obedecendo as regras da IAAF (adaptada ao Atletismo Master de acordo com a WMA), e a este regulamento.

Leia mais

OPapeldoesportenaescola; Porque somente os Esportes Coletivos são trabalhados na escola; Como trabalhar os esportes individuais na escola;

OPapeldoesportenaescola; Porque somente os Esportes Coletivos são trabalhados na escola; Como trabalhar os esportes individuais na escola; OPapeldoesportenaescola; Porque somente os Esportes Coletivos são trabalhados na escola; Como trabalhar os esportes individuais na escola; Introdução ao Atletismo; 1 PCN Parâmetro Curricular Nacional A

Leia mais

Jogos Champagnat 2013

Jogos Champagnat 2013 Jogos Champagnat 2013 Capítulo I Geral Art. 1º - Este Regulamento é o conjunto das disposições que regem os Jogos Champagnat 2013. Art. 2º - Os Jogos Champagnat são organizados pelo Colégio Marista Santa

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE COMPETIÇÕES

REGULAMENTO GERAL DE COMPETIÇÕES REGULAMENTO GERAL DE COMPETIÇÕES Aprovado em Assembleia Geral Extraordinária 21 e 22 de Setembro de 2013 Regulamento Geral de Competições Página 1 de 38 A. Disposições Gerais... 3 Artigo 1º - INSCRIÇÕES...

Leia mais

ATLETISMO Nº 02 20/09/2016

ATLETISMO Nº 02 20/09/2016 ATLETISMO Nº 02 20/09/2016 ATLETISMO LOCAL DE COMPETIÇÃO Local: Universidade Federal da Paraíba Endereço: Rua Nestor Rocha Arnaud, 250 Cidade Universitária PALESTRA TÉCNICA Data: 21/09/2016 Horário: 19h00

Leia mais

Estudo dirigido Corridas e Marcha (Responda apenas nos espaços indicados)

Estudo dirigido Corridas e Marcha (Responda apenas nos espaços indicados) Nome: Estudo dirigido Corridas e Marcha (Responda apenas nos espaços indicados) Observe a figura acima e responda as questões a seguir: 1. A sequência se refere à prova de. 2. Em que distâncias essa prova

Leia mais

REGULAMENTOS (Minuta)

REGULAMENTOS (Minuta) XVIII COPA NORDESTE DE CLUBES DE PISCINA CURTA INFANTIL JUVENIL JUNIOR e SÊNIOR TROFÉU MANOEL SOUZA 2016 ÍNDICE: REGULAMENTOS (Minuta) Capítulo Descrição Página I DAS FINALIDADES 2 II DA ORGANIZAÇÃO 2

Leia mais

https://www.facebook.com/novodesportouniversitariondu

https://www.facebook.com/novodesportouniversitariondu Organização, compromisso e qualidade em prol do esporte universitário paulista www.ndu.net.br https://www.facebook.com/novodesportouniversitariondu Sede Social Rua Luís Góis, 2.187 Mirandópolis São Paulo

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES COMPLEXO ESPORTIVO 10ª COPA UNIVATES/DCE 2017 REGULAMENTO GERAL

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES COMPLEXO ESPORTIVO 10ª COPA UNIVATES/DCE 2017 REGULAMENTO GERAL CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES COMPLEXO ESPORTIVO 10ª COPA UNIVATES/DCE 2017 REGULAMENTO GERAL DA PROMOÇÃO E ORGANIZAÇÃO A promoção e a organização são do Centro Universitário UNIVATES/Complexo Esportivo

Leia mais

A. Disposições Gerais

A. Disposições Gerais FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE ATLETISMO Direção Técnica Nacional Sector juvenil Versão Final - ALTERAÇÕES EM 29/09/2012 Entrada em vigor: 1 de Janeiro de 2013 REGULAMENTO GERAL DE COMPETIÇÕES NORMAS REGULAMENTARES

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE COMPETIÇÕES ESCALÕES JOVENS

REGULAMENTO GERAL DE COMPETIÇÕES ESCALÕES JOVENS REGULAMENTO GERAL DE COMPETIÇÕES ESCALÕES JOVENS 01 de Janeiro de 2013 Regulamento Geral de Competições Escalões Jovens Página 1 de 19 NORMAS REGULAMENTARES PARA OS ESCALÕES JOVENS (BENJAMIM A JUVENIL)

Leia mais

TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXIII Edição

TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXIII Edição TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXIII Edição Art. 1º - Art. 2º - Art. 3º - O Troféu Brasil de Atletismo é uma competição realizada anualmente que têm por propósito básico a difusão do Atletismo e a verificação

Leia mais

GABARITO DO CADERNO DE ALUNO PARA O PROFESSOR

GABARITO DO CADERNO DE ALUNO PARA O PROFESSOR GABARITO DO CADERNO DE ALUNO PARA O PROFESSOR Prezado Professor O Caderno do Aluno é mais um instrumento para servir de apoio ao seu trabalho e ao aprendizado do aluno. Elaborado a partir do Caderno do

Leia mais

REGULAMENTO HOMOLOGAÇÃO DE RECORDES AADP

REGULAMENTO HOMOLOGAÇÃO DE RECORDES AADP REGULAMENTO HOMOLOGAÇÃO DE RECORDES AADP Artigo 1º. (Atleta) A marca deverá ter sido obtida por um atleta filiado na AADP, com taxas regularizadas e toda a documentação obrigatória para a filiação devidamente

Leia mais

R E G U L A M E N T O 2 0 0 6

R E G U L A M E N T O 2 0 0 6 CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO DE MENORES XXXIII Masculino e Feminino R E G U L A M E N T O 2 0 0 6 Emitido em 15/02/06 Art. 1º - Os CAMPEONATOS BRASILEIROS DE ATLETISMO DE MENORES têm por

Leia mais

SECTORES INFANTIS INICIADOS JUVENIS Velocidade e Estafetas. Barreiras 60m barreiras 80m barreiras (F) 100m barreiras (M) 250m barreiras Meio-Fundo

SECTORES INFANTIS INICIADOS JUVENIS Velocidade e Estafetas. Barreiras 60m barreiras 80m barreiras (F) 100m barreiras (M) 250m barreiras Meio-Fundo PROGRAMA DE PROVAS DOS ESCALÕES JOVENS VERSÃO FINAL (Infantis, Iniciados e juvenis) SECTORES INFANTIS INICIADOS JUVENIS Velocidade e Estafetas 60m 150m 4x 60m 80m 250m 4x 80m 100m 200m 300m 4x 100m Barreiras

Leia mais

CAMPEONATO MARANHENSE DE NATAÇÃO DE VERÃO 2016 I TROFÉU ESTAÇÃO CONHECIMENTO DE NATAÇÃO

CAMPEONATO MARANHENSE DE NATAÇÃO DE VERÃO 2016 I TROFÉU ESTAÇÃO CONHECIMENTO DE NATAÇÃO CAMPEONATO MARANHENSE DE NATAÇÃO DE VERÃO 2016 I TROFÉU ESTAÇÃO CONHECIMENTO DE NATAÇÃO REGULAMENTO CAPÍTULO I DAS FINALIDADES Art.1º Com a participação dos clubes filiados à Federação Maranhense de Desportos

Leia mais

OPEN LOTERIAS CAIXA DE NATAÇÃO 2017 WORLD PARA SWIMMING WORLD SERIES 20 a 23 de abril São Paulo/SP - Brasil INFORMAÇÕES GERAIS

OPEN LOTERIAS CAIXA DE NATAÇÃO 2017 WORLD PARA SWIMMING WORLD SERIES 20 a 23 de abril São Paulo/SP - Brasil INFORMAÇÕES GERAIS OPEN LOTERIAS CAIXA DE NATAÇÃO 2017 WORLD PARA SWIMMING WORLD SERIES 20 a 23 de abril São Paulo/SP - Brasil INFORMAÇÕES GERAIS 1. Comitê Organizador Local Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) 1.1. Contatos

Leia mais

REGULAMENTO. 3. O MT será constituído por 8 (oito) provas, bem como pelo Campeonato Regional por Equipas de Sub10 (Interclubes).

REGULAMENTO. 3. O MT será constituído por 8 (oito) provas, bem como pelo Campeonato Regional por Equipas de Sub10 (Interclubes). REGULAMENTO 1. O ATL MINI TOUR 2014 (MT) é um circuito de provas para os escalões de Sub8 e Sub10, promovido pela Associação de Ténis de Lisboa (ATL), havendo uma calendarização das provas através de um

Leia mais

Calendário de Competições 2014 / 2015 A. A. Braga

Calendário de Competições 2014 / 2015 A. A. Braga Calendário de Competições 204 / 205 A. A. Data Competição Local Âmbito Setembro 6 2º GP Atletismo Nª Sra. Das Dores Alvelos (Barcelos) AA 20 ª Prova Popular de Esmeriz e Cabeçudos Famalicão AA 2 0º GP

Leia mais

CALENDÁRIO OFICIAL 2017

CALENDÁRIO OFICIAL 2017 CALENDÁRIO OFICIAL 2017 FEVEREIRO 05 CBAt COPA BRASIL DE CROSS COUNTRY São Paulo BRA 19 CONSUDATLE Campeonatos Sul Americanos de Cross Country Santiago CHI MARÇO 05 CBAt COPA BRASIL DE MARCHA ATLÉTICA

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA FINALIDADE Regular a Orientação Técnica de 2013 às Federações filiadas à CBPM.

ORIENTAÇÃO TÉCNICA FINALIDADE Regular a Orientação Técnica de 2013 às Federações filiadas à CBPM. 1 ORIENTAÇÃO TÉCNICA 2013 1. FINALIDADE Regular a Orientação Técnica de 2013 às Federações filiadas à CBPM. 2. REFERÊNCIAS - Estatuto da CBPM; - Regulamento Técnico da CBPM; - Calendário Desportivo da

Leia mais

REGULAMENTO DA COPA RS DE REMO 2016

REGULAMENTO DA COPA RS DE REMO 2016 FEDERAÇÃO DE REMO DO RIO GRANDE DO SUL Decana das federações esportivas do Brasil REGULAMENTO DA COPA RS DE REMO 2016 1. Da COPA RS 1.1. A COPA RS DE REMO, doravante chamada apenas COPA RS, será disputada

Leia mais

CMT Colégio Militar Tiradentes. Ficha de Inscrição

CMT Colégio Militar Tiradentes. Ficha de Inscrição MODALIDADE: FUTSAL Nº Nome Completo do Atleta MODALIDADE: FUTSAL Nº Nome Completo do Atleta Brasília, de Junho de 25. MODALIDADE: Voleibol CMT Colégio Militar Tiradentes Nº Nome Completo do Atleta 11 12

Leia mais

CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO DE JUVENIS INTERSELEÇÕES LV Masculino e XLIII Feminino

CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO DE JUVENIS INTERSELEÇÕES LV Masculino e XLIII Feminino CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO DE JUVENIS INTERSELEÇÕES LV Masculino e XLIII Feminino Art. 1º - Os CAMPEONATOS BRASILEIROS DE ATLETISMO DE JUVENIS têm por propósito básico a integração nacional,

Leia mais

CAMPEONATO MUNDIAL DE JOVENS DE ATLETISMO 2017 CRITÉRIOS DE ENTRADA

CAMPEONATO MUNDIAL DE JOVENS DE ATLETISMO 2017 CRITÉRIOS DE ENTRADA CAMPEONATO MUNDIAL DE JOVENS DE ATLETISMO 2017 CRITÉRIOS DE ENTRADA O Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), por meio de seu Departamento Técnico e da Coordenação Técnica da modalidade de Atletismo, dentro

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE DESPORTOS PARA DEFICIENTES INTELECTUAIS

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE DESPORTOS PARA DEFICIENTES INTELECTUAIS CAMPEONATO BRASILEIRO DE NATAÇÃO ABDEM REGULAMENTO GERAL I - Das disposições Preliminares Art.1º - O Campeonato Brasileiro de Natação será promovido pela Associação Brasileira de Desportos para Deficientes

Leia mais

REGULAMENTO Vôlei

REGULAMENTO Vôlei REGULAMENTO 2017 - Vôlei 1. MISSÃO Criar um ambiente adequado para a prática esportiva, onde a competição entre equipes escolares se desenvolva de forma positiva, propiciando vivências práticas de valores

Leia mais

RECORDES MASCULINOS DO CLÃ DELFOS

RECORDES MASCULINOS DO CLÃ DELFOS 1 RECORDES MASCULINOS DO CLÃ DELFOS RECORDES DA CATEGORIA MASCULINA MASTER 65-69 1500 metros Orlandino Felinto Martins 5.40.30 1 o. Desafio FMA/Clã Delfos 11 5000 metros Orlandino Felinto Martins 20.33.00

Leia mais

10 Atletismo 10.1 Escalões: 10 - A, B, C, D e E, para masculinos e femininos Modalidades: Masculino Escalão B. Masculino Escalão C Corridas

10 Atletismo 10.1 Escalões: 10 - A, B, C, D e E, para masculinos e femininos Modalidades: Masculino Escalão B. Masculino Escalão C Corridas 10 Atletismo 10.1 Escalões: 10 - A, B, C, D e E, para masculinos e femininos. 10.2 Modalidades: N. Escalão A Escalão B Escalão C Corridas Escalão D Escalão E 1 50 m 2 60 m 3 100 m 100 m 100 m 4 200 m 200

Leia mais

Boletim Informativo 01/2017

Boletim Informativo 01/2017 Confederação Brasileira de Remo 25/01/2017 Boletim Informativo 01/2017 Campeonato Brasileiro de Barcos Curtos Seletiva Nacional 2017 O Campeonato Brasileiro de Barcos Curtos será realizado entre os dias

Leia mais

V. REGULAMENTAÇÃO RELATIVA À HOMOLOGAÇÃO DE RECORDES DE PORTUGAL, RECORDES NACIONAIS E RECORDES NACIONAIS DE ESTRADA

V. REGULAMENTAÇÃO RELATIVA À HOMOLOGAÇÃO DE RECORDES DE PORTUGAL, RECORDES NACIONAIS E RECORDES NACIONAIS DE ESTRADA V. REGULAMENTAÇÃO RELATIVA À HOMOLOGAÇÃO DE RECORDES DE PORTUGAL, RECORDES NACIONAIS E RECORDES NACIONAIS DE ESTRADA A. Homologação de Recordes de Portugal 1. GENERALIDADES Para que uma marca possa ser

Leia mais

CALENDÁRIO OFICIAL - PROVISÓRIO Publicado em

CALENDÁRIO OFICIAL - PROVISÓRIO Publicado em CALENDÁRIO OFICIAL - PROVISÓRIO Publicado em 13.12.2016 2017 FEVEREIRO 05 CBAt COPA BRASIL DE CROSS COUNTRY São Paulo BRA 19 CONSUDATLE Campeonatos Sul Americanos de Cross Country Santiago CHI MARÇO 05

Leia mais

Regulamento Técnico Jogos Estudantis para Todos 2012 Secretaria Municipal de Educação e Desporto Novo Hamburgo

Regulamento Técnico Jogos Estudantis para Todos 2012 Secretaria Municipal de Educação e Desporto Novo Hamburgo Regulamento Técnico Jogos Estudantis para Todos 2012 Secretaria Municipal de Educação e Desporto Novo Hamburgo CAPÍTULO I Das Disposições Gerais Art. 1º - Este regulamento é o conjunto das disposições

Leia mais

COPA BRASIL DE PARA-CICLISMO ESTRADA E CONTRA RELÓGIO 2014 TROFÉU JOÃO SCHWINDT. Regulamento Geral

COPA BRASIL DE PARA-CICLISMO ESTRADA E CONTRA RELÓGIO 2014 TROFÉU JOÃO SCHWINDT. Regulamento Geral COPA BRASIL DE PARA-CICLISMO ESTRADA E CONTRA RELÓGIO 2014 TROFÉU JOÃO SCHWINDT Regulamento Geral Schwindt será disputada nos moldes da Copa do Mundo de Para-ciclismo da UCI, em quatro etapas a serem realizadas

Leia mais

CALENDÁRIO GERAL DA CBHb 2016

CALENDÁRIO GERAL DA CBHb 2016 ABRIL MARÇO FEVEREIRO JANEIRO CALENDÁRIO GERAL DA CBHb 2016 02/11.01.16 ADULTA TREINO E TORNEIO INTERNACIONAL ESPANHA 19/28.01.16 JUVENIL ACAMPAMENTO BLUMENAU / BRASIL 14/22.01.2016 JUVENIL TREINO BLUMENAU/

Leia mais

CRITÉRIOS DE SELECÇÃO PARA COMPETIÇÕES INTERNACIONAIS. Época de 2013

CRITÉRIOS DE SELECÇÃO PARA COMPETIÇÕES INTERNACIONAIS. Época de 2013 CRITÉRIOS DE SELECÇÃO PARA COMPETIÇÕES INTERNACIONAIS Época de 2013 Federação Portuguesa de Atletismo, Março 2013 39º CAMPEONATO MUNDO DE CORTA MATO Bydgoszcz, Polónia 24 Março MASCULINOS FEMININOS Seniores

Leia mais

XL Mini Olimpíadas Concelhias de Santa Maria da Feira 2016

XL Mini Olimpíadas Concelhias de Santa Maria da Feira 2016 XL Mini Olimpíadas Concelhias de Santa Maria da Feira 2016 REGULAMENTO DE ATLETISMO 1º - As provas de Atletismo serão realizadas no Estádio do Caldas de São Jorge Sport Clube, nos dias 9 e 10 de Julho

Leia mais

Centro de Atletismo de Arcos de Valdevez RESUMO DA ÉPOCA 2015/2016

Centro de Atletismo de Arcos de Valdevez RESUMO DA ÉPOCA 2015/2016 Centro de Atletismo de Arcos de Valdevez RESUMO DA ÉPOCA 2015/2016 Concluída mais uma brilhante temporada, o Centro de Atletismo de Arcos de Valdevez, prestes a alcançar o seu 20º aniversário, vem desta

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA FINALIDADE Regular a Orientação Técnica de 2016 às Federações filiadas à CBPM.

ORIENTAÇÃO TÉCNICA FINALIDADE Regular a Orientação Técnica de 2016 às Federações filiadas à CBPM. 1 ORIENTAÇÃO TÉCNICA 2016 1. FINALIDADE Regular a Orientação Técnica de 2016 às Federações filiadas à CBPM. 2. REFERÊNCIAS - Estatuto da CBPM; - Regulamento Técnico da CBPM; - Calendário Desportivo da

Leia mais

REGULAMENTO. 3. O MT será constituído por 8 (oito) provas, bem como pelo Campeonato Regional por Equipas de Sub10 (Interclubes).

REGULAMENTO. 3. O MT será constituído por 8 (oito) provas, bem como pelo Campeonato Regional por Equipas de Sub10 (Interclubes). REGULAMENTO 1. O ATL MINI TOUR 2016 (MT) é um circuito de provas para os escalões de Sub8 e Sub10, promovido pela Associação de Ténis de Lisboa (ATL), havendo uma calendarização das provas através de um

Leia mais

REGIMENTO ESPECÍFICO ANDEBOL. Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 3ª edição

REGIMENTO ESPECÍFICO ANDEBOL. Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 3ª edição REGIMENTO ESPECÍFICO ANDEBOL Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 3ª edição Índice Preâmbulo 5 Artigo 1.º Escalões Etários, Dimensões do Campo, Bola, Tempo de Jogo e Variantes

Leia mais

2 os Jogos Desportivos Populares de Macau. Regulamento

2 os Jogos Desportivos Populares de Macau. Regulamento 2 os Jogos Desportivos Populares de Macau Regulamento Organização: Instituto do Desporto do Governo da RAEM Co-organização: Associação Geral de Atletismo de Macau, Associação Geral de Natação de Macau,

Leia mais

REGRAS OFICIAIS DO RANKING BRASILEIRO DE BOLICHE

REGRAS OFICIAIS DO RANKING BRASILEIRO DE BOLICHE REGRAS OFICIAIS DO RANKING BRASILEIRO DE BOLICHE 1. Introdução: válidas a partir de 01.01.2015 Integram o ranking brasileiro de boliche todos os atletas filiados à Confederação Brasileira de Boliche CBBol,

Leia mais

REGULAMENTO DAS EQUIPES DE ALTO RENDIMENTO CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE TRIATHLON CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE TRIATHLON

REGULAMENTO DAS EQUIPES DE ALTO RENDIMENTO CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE TRIATHLON CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE TRIATHLON REGULAMENTO DAS EQUIPES DE ALTO RENDIMENTO 2013 CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE TRIATHLON JANEIRO 2013 CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE TRIATHLON CAPÍTULO I INTRODUÇÃO O Alto Rendimento da Confederação Brasileira

Leia mais

Tipo de prova - MTB XCO - Cross Country Olímpico Distância 3.200m/volta

Tipo de prova - MTB XCO - Cross Country Olímpico Distância 3.200m/volta Apresentação O Campeonato Paranaense de Mountain Bike Cross Country XCO será realizado na cidade de Santa Fé, em etapa única que vai definir os campeões de 2015 em todas as categorias oficiais disputadas.

Leia mais

CALENDÁRIO GERAL DA CBHb 2016

CALENDÁRIO GERAL DA CBHb 2016 CALENDÁRIO GERAL DA CBHb 2016 MÊS NAIPE DATA CATEGORIA EVENTO LOCAL JANEIRO FEVEREIRO MARÇO MASCULINO 02/11.01.16 ADULTA TREINO E TORNEIO INTERNACIONAL ESPANHA MASCULINO 19/28.01.16 JUVENIL ACAMPAMENTO

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO VOLEI DE PRAIA

REGULAMENTO TÉCNICO VOLEI DE PRAIA VOLEI DE PRAIA Art. 1º - O Campeonato de Voleibol de praia, naipes masculino e feminino, será regido pelas regras oficiais da Federação Internacional de Voleibol (FIVB), por este Regulamento e conforme

Leia mais

FEDERAÇÃO PAULISTA DE JUDÔ

FEDERAÇÃO PAULISTA DE JUDÔ CAMPEONATO PAULISTA FASES REGIONAL, INTER-REGIONAL E FINAL DIVISÕES ESPECIAL E ASPIRANTE REGULAMENTO Alessandro Panitz Puglia, presidente da Federação Paulista de Judô, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

A Proposta da IAAF 03. Campeonato para 13-15 anos de idade 03. Formato da Competição 04. Organização da Competição 05.

A Proposta da IAAF 03. Campeonato para 13-15 anos de idade 03. Formato da Competição 04. Organização da Competição 05. Índice: A Proposta da IAAF 03 Campeonato para 3-5 anos de idade 03 Formato da Competição 04 Organização da Competição 05 Resultados 06 Arbitragem necessária para o Evento 07 Preparação do Equipamento Necessário

Leia mais