CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO - 2014"

Transcrição

1 CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO Aprovados pelo IV Forum Atletismo do Brasil em Aprovados pela Assembléia Geral da CBAt em Revisados pelo I Fórum Técnico de Alto Rendimento em Campeonatos Mundiais de Atletismo Indoor 07 a 09 de março de 2014 Sopot, Polônia a) Serão convocados os atletas que obtiverem os índices estabelecidos pela IAAF (relação anexa), no período de 1º de janeiro de 2013 até 23 de fevereiro de 2014, até o máximo de 2 (dois) atletas por prova, prevalecendo sempre, quando for o caso, os índices obtidos em pista coberta. b) Se, em qualquer prova, houver três ou mais atletas com índice, serão convocados os dois primeiros do Ranking Brasileiro da prova, no período de 1º de janeiro de 2013 até 23 de fevereiro de 2014, prevalecendo em todos os casos, os índices obtidos em pista coberta. c) Todos os atletas para serem convocados devem participar de, no mínimo, 1 (uma) prova durante os meses de janeiro e fevereiro de 2014, para avaliação de sua condição física. 2. Campeonatos Mundiais de Atletismo de Juvenis 22 a 27 de julho de 2014 Eugene, USA a) Serão convocados os atletas que tenham obtido o índice estabelecido pela CBAt (relação anexa), equivalente a 12ª marca na média dos três últimos Campeonatos Mundiais de Juvenis no período de 1 o de janeiro até 29 de junho de 2014; nas provas em que o índice da CBAt seja inferior aos da IAAF, prevalecerá este último. b) No caso de em qualquer prova, haver 3 (três) ou mais atletas com índice, será convocado o campeão dos Campeonatos Brasileiros de Juvenis, inter seleções estaduais, e o primeiro colocado do ranking brasileiro de juvenis de 1º. de janeiro até 29 de junho de c) No caso de um mesmo atleta estar contemplado nas duas situações, será convocado o atleta subseqüente do ranking brasileiro de juvenis conforme acima. d) Para compor as equipes de revezamentos serão convocadas desde que obtenham o índice exigido pela CBAt, ou desde que, pelo menos, 2 atletas obtenham o índice nas provas singulares de 100m ou 200m para o revezamento 4x100m e 400m para o revezamento 4x400m. Caso alguma equipe obtenha os resultados abaixo, equivalentes a média do 6º lugar nos três últimos Campeonatos Mundiais de Juvenis, no período de 1º. de janeiro a 29 de junho de 2014, não será necessário o atendimento as exigências constantes do item d) acima: 4x100m masculino x100m feminino x400m masculino 3: x400m feminino 3:

2 Para compor os revezamentos, serão convocados os 2 primeiros das provas de 100m e 400m dos Campeonatos Brasileiros de Juvenis Inter Seleções Estaduais de 2014 e os 2 primeiros colocados do Ranking Brasileiro de Juvenis das provas de 100m e 400m, e o primeiro colocado Ranking Brasileiro de Juvenis dos 200m (para o 4x100m) no período de 1º. de janeiro a 29 de junho de No caso de um mesmo atleta estar contemplado nas duas situações, será convocado o atleta subseqüente do ranking brasileiro de juvenis. e) Somente serão aceitos índices obtidos com implementos e especificações oficiais da categoria de juvenis. 3. Campeonatos Mundiais de Revezamentos 24 e 25 de maio de 2014 Nassau, Bahamas Os revezamentos 4x100 e 4x400m serão convocados desde que obtenham os índices abaixo, estabelecidos pela IAAF, no período de 1º de janeiro de 2013 a 23 de abril de 2014: 4x100m Masculino: Feminino: x400m Masculino: 3:04.10 Feminino: 3:33.00 Os revezamentos 4x200m, 4x800m e 4x1.500m, serão convocados desde que no mínimo quatro (4) atletas tenham obtido os índices abaixo, estabelecidos pela CBAt, nas respectivas provas individuais: 200m Masculino: Feminino: m Masculino: 1:48.00 Feminino: 2: m Masculino: 3:45.00 Feminino: 4:23.00 Serão convocados para compor as equipes do Brasil que participarão dos campeonatos, cinco atletas por revezamento, utilizando-se para isto o Ranking Brasileiro de Adultos no período de 1º de janeiro de 2013 a 23 de abril de 2014, das provas afins com os revezamentos: 4x100m 100m rasos 4x400m 400m rasos 4x1.500m 1.500m rasos 4x200m 200m rasos 4x800m 800m rasos 4. Campeonatos Mundiais de Meia Maratona 29 de março de 2014 Copenhagen, Dinamarca Serão convocados os primeiros colocados do Ranking Brasileiro da Meia-Maratona, no masculino e feminino, no período de 1º. de janeiro de 2013 até 02 de março de Copa do Mundo de Marcha Atlética 03 e 04 de maio de 2014 Taicang, China a) Serão convocados os atletas campeões sul-americanos individualmente ou por equipes, nas diferentes categorias constantes da Copa do Mundo de Marcha Atlética. b) No caso de não haver atletas brasileiros campeões sul-americanos, serão convocados os 3 (três) primeiros colocados do Ranking Brasileiro, nas provas de 20km masculino e feminino Adulto e de 10km Masculino e Feminino Juvenil, no período de 1º. de janeiro até 20 de abril de 2014, que tenham obtido os índices abaixo : 20km Masculino Adulto: 1:26:00 20km Feminino Adulto: 1:38:00 10km Masculino Juvenil: 45:00 2

3 10km Feminino Juvenil: 52:00 c) Serão convocados 3 (três) primeiros colocados do Ranking Brasileiro, na prova de 50km masculino, no período de 1º. de janeiro de 2013 até 16 de fevereiro de 2014 de 2012, que tenham obtido o índice de 4: Jogos Desportivos Sul-americanos 13 a 16 de março de 2014 Santiago, Chile Serão convocados os atletas melhores classificados em provas individuais do Ranking Brasileiro de Atletismo de Adultos de 2013, até o máximo de dois (2) atletas por prova, respeitando a cota estabelecida pelo Comitê Olímpico Brasileiro, responsável pela participação do Brasil no evento, que é de 60 (sessenta) atletas, sendo 30 no masculino e 30 no feminino. A definição desta convocação será realizada pela Superintendência de Alto Rendimento da CBAt, considerando-se para este fim os atletas melhores colocados no Ranking Sul Americano de Adultos de 2013, em provas individuais. As equipes de revezamentos serão compostas pelos atletas convocados para provas individuais, em função da cota limite estabelecida pelo COB. 7. Campeonatos Ibero-Americanos de Atletismo 1º a 03 de agosto de 2014 São Paulo, SP a) Serão convocados os dois primeiros colocados do Ranking Brasileiro de Adultos no período de 1º de outubro de 2013 a 1º de julho de b) Serão convocados para compor as equipes de revezamento 4x100m, os três primeiros classificados nos 100m rasos e os dois primeiros classificados nos 200m rasos, do Ranking Brasileiro de Adultos no período de 1º. de outubro de 2013 a 1º de julho de Caso haja coincidência de atletas nas condições acima, serão chamados os atletas do Ranking Brasileiro, no período acima, dos 100m rasos em sequência. c) Serão convocados para compor as equipes de revezamento 4x400m, os cinco primeiros classificados nos 400m rasos do Ranking Brasileiro de Adultos no período de 1º. de outubro de 2013 a 1º de julho de Copa Pan Americana de Provas Combinadas 16 e 17 de julho de 2014 Ontário, Canadá a) Serão convocados os dois primeiros colocados do Ranking Brasileiro de Adultos no período de 1º de outubro de 2013 a 15 de junho de 2014, masculino e feminino e o primeiro colocado do Ranking Brasileiro de Juvenis no período de 1º de outubro de 2013 a 15 de junho de 2014, masculino e feminino. 9. Campeonatos Sul-Americanos de Cross Country 23 de fevereiro de 2014 Assunção, Paraguai Serão convocados os 5 (cinco) primeiros colocados, na prova adulta masculino; os 4 (quatro) primeiros colocados nas provas adulta feminina e juvenil masculina e feminina e os 3 (três) primeiros colocados nas provas de menores masculina e feminina, da Copa Brasil de Cross Country de

4 10. Campeonatos Sul-Americanos de Marcha Atlética 15 e 16 de fevereiro de 2014 Cochabamba, Bolívia Serão convocados os 3 (três) primeiros colocados da Copa Brasil de Marcha Atlética de 2014, nas provas de adultos e de juvenis. 11. Campeonato Sul-Americano de Milha de Rua 08 de agosto de 2014 Belém, PA Serão convocados os 6 (seis) primeiros colocados do Ranking Brasileiro Adulto de 1º de janeiro a 27 de junho de 2014, da prova de 1.500m masculino. 12. Campeonatos Sul-Americanos de Atletismo de Menores 17 a 19 de outubro de 2014 Tarija, Colômbia a) Serão convocados os dois primeiros colocados das provas individuais nos Campeonatos Brasileiros de Menores Interseleções de b) Para o Revezamento Medley serão convocados o primeiro colocado das provas de 100m e 200m e os dois primeiros colocados da prova de 400m dos Campeonatos Brasileiros de Menores Interseleções de Campeonatos Sul-Americanos de Atletismo Sub a 05 de outubro de 2014 San Luis, Argentina a) Serão convocados os dois primeiros colocados das provas individuais nos Campeonatos Brasileiros Sub-23 de b) Para compor as equipes de revezamentos serão convocados os 4 (quatro) primeiros colocados das provas de 100m e 400m dos Campeonatos Brasileiros acima indicados. 14. Campeonatos Sul-Americanos de Maratona 06 de abril de 2014 Santiago, Chile Serão convocados um atleta no masculino e uma atleta no feminino. 15. Campeonatos Sul-Americanos de Meia Maratona 11 de maio de 2014 Assunção, Paraguai Serão convocados um atleta no masculino e uma atleta no feminino. 16. Seletiva Sul Americana para os Jogos Olímpicos da Juventude 17 e 18 de maio de Colômbia a) Serão convocados os dois (2) primeiros colocados, nascidos nos anos de 1997 e 1998, em provas individuais, do Ranking Brasileiro de Menores, no período de 1º. de agosto de 2013 a 27 de abril de Campeonatos Sul-Americano de Corrida em Montanha 2014 Serão convocados o primeiro colocado no masculino e a primeira colocada no feminino, nos Campeonatos Brasileiros Caixa de Corrida em Montanha de

5 18. Meetings Internacionais no Brasil - Grande Prêmio Brasil Caixa Governo do Pará de Atletismo - Grande Prêmio Caixa Sesi de Atletismo - Grande Prêmio Caixa São Paulo de Atletismo Participação de atletas brasileiros: Estar entre os 50 primeiros do ranking mundial da IAAF, nas provas constantes dos eventos, até o dia 31 de dezembro de 2013, conforme Regulamento da IAAF. A critério exclusivo dos organizadores, podem ser convidados outros atletas para participar dos eventos. Serão convidados os treinadores brasileiros que tiverem 4 (quatro) ou mais atletas no evento, e os que tenham atletas entre os 10 (dez) primeiros colocados no Ranking da IAAF. 19. Critérios Gerais Adicionais a) Em todos os casos, os atletas convocados deverão estar fisicamente aptos para integrar seleções brasileiras de Atletismo, comprovado por atestado médico expedido pelos seus clubes e enviados para a CBAt antes do embarque das delegações. b) A escalação de atletas para compor as equipes de revezamentos nas diversas competições será de competência exclusiva dos respectivos treinadores convocados. c) A decisão final sobre a participação ou não de atletas em determinadas provas nos eventos internacionais, considerando a inscrição oficial realizada pela CBAt, visando obtenção do melhor resultado possível, será de competência da Comissão Técnica presente ao evento. d) Somente podem integrar as Seleções Brasileiras treinadores que possuam atleta(s) compondo as mesmas. Este dispositivo não se aplica ao Treinador Chefe. e) A convocação de treinadores em todas as Seleções Brasileiras é de competência exclusiva da CBAt. f) Os critérios aprovados poderão sofrer modificações em razão de alterações promovidas pela IAAF, C.O.B., AIA, CONSUDATLE, etc., nos regulamentos das competições respectivas. g) Nenhum índice estabelecido pela CBAt será válido se obtido em pistas situadas em altitude acima de metros (nível do mar), com exceção daqueles obtidos em Campeonatos Oficiais disputados por Seleções Brasileiras convocadas pela CBAt. h) Em todos os casos em que a convocação for definida pelo ranking brasileiro e houver dois ou mais atletas com a mesma marca, será convocado o atleta que possuir a segunda melhor marca entre os empatados, e assim sucessivamente. 5

6 CAMPEONATOS MUNDIAIS DE ATLETISMO INDOOR 7 a 9 de Março de 2014 SOPOT - POLÔNIA RELAÇÃO DE ÍNDICES MÍNIMOS ESTABELECIDOS PELA IAAF Aprovados pelo Conselho em Masculino Feminino Provas Indoor Outdoor Indoor Outdoor (100m) 60m (100m) m : : m 2: : :41.00 / 3:58.00 (milha) 7: Observações: 3: m 7:42.00/13:15.00 (5000m) (110m c/bar.) 4:14.00/4:31.00 (milha) 3000m 9: m com Bar Sem Índice 4x400m Sem Índice 2.30 Salto em Altura Salto com Vara Salto em Distância Salto Triplo Arremesso do Peso : :38.00 /15:00.00 (5000m) (100m c/bar) 1. Período de obtenção de índice: 1º de janeiro de 2013 a 23 de fevereiro de Tempos manuais não são aceitos. 3. Resultados com assistência do vento (+ de 2.0 m/s) não são aceitos. 6

7 CAMPEONATOS MUNDIAIS DE JUVENIS 22 a 27 de Julho de 2014 Eugene Estados Unidos RELAÇÃO DE ÍNDICES MÍNIMOS ESTABELECIDOS PELA CBAt Homens Provas Mulheres m m m : m 2: : m 4: m 9: (1) 5.000m (1) 30: m - 8: m c/obstáculos 10: m com barreiras m com barreiras m com barreiras : m marcha atlética 47: (2) Revezamento 4X (2) 3:11.26 (2) Revezamento 4X400 3:44.77 (2) - Heptatlo Decatlo (1) Salto em altura 1.82 (1) 5.10 Salto com Vara (1) Salto em Distância 6.10 (1) Salto Triplo Arremesso do Peso Lançamento do Disco Lançamento do Martelo Lançamento do Dardo (1) Provas em que a média do 12ª resultado foi inferior ao índice estabelecido pela IAAF, prevalecendo, desta forma, o índice da mesma. (2) Índices estabelecidos em conformidade com a alínea d) dos Critérios de Convocação para o evento da CBAt, no ano de

8 O PRAZO PARA OBTENÇÃO DE ÍNDICES É DE 1º DE JANEIRO A 29 DE JUNHO DE

CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA ATLETAS INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO 2015

CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA ATLETAS INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO 2015 CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA ATLETAS INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO 2015 1. Copa Pan-Americana de Cross Country 21 de fevereiro de 2015 Cartagena, COL Serão convocados os 4 (quatros)

Leia mais

CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA ATLETAS INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO EM 2016

CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA ATLETAS INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO EM 2016 1. Campeonatos Sul-Americanos de Marcha Atlética 50km 28 de fevereiro de 2016 Rio de Janeiro, BRA Serão convocados os 4 (quatros) primeiros atletas do ranking brasileiro da prova em 2015. 2. Campeonatos

Leia mais

CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA ATLETAS E TREINADORES INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO EM 2017

CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA ATLETAS E TREINADORES INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO EM 2017 O presente critério considerará as parcerias com o Comitê Olímpico do Brasil, Ministério do Esporte e principalmente o patrocínio da Caixa Econômica Federal, entre outras fontes, podendo ser revisto a

Leia mais

NORMA 12. CATEGORIAS OFICIAIS DO ATLETISMO BRASILEIRO POR FAIXA ETÁRIA Aprovada pela Assembléia Geral em

NORMA 12. CATEGORIAS OFICIAIS DO ATLETISMO BRASILEIRO POR FAIXA ETÁRIA Aprovada pela Assembléia Geral em NORMA 12 CATEGORIAS OFICIAIS DO ATLETISMO BRASILEIRO POR FAIXA ETÁRIA Aprovada pela Assembléia Geral em 23.02.2011 Art. 1º - As categorias e respectivas faixas etárias da Confederação Brasileira de Atletismo

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO ATLETISMO

REGULAMENTO TÉCNICO ATLETISMO ATLETISMO Art. 1º - As competições de Atletismo serão regidas pelas Regras de Competições da Federação Internacional de Atletismo Amador, pelas normas da CBAT (Confederação Brasileira de Atletismo), por

Leia mais

Regulamento Específico. Atletismo

Regulamento Específico. Atletismo Regulamento Específico Atletismo 2015 Art. 1º - A competição de atletismo dos Jogos Escolares de Minas Gerais JEMG/2015 obedecerá às Regras Oficiais da IAAF - Associação Internacional das Federações de

Leia mais

DISPÕE SOBRE AS NORMAS PARA A COMPOSIÇÃO DOS ATLETAS DA SELEÇÃO BRASILEIRA:

DISPÕE SOBRE AS NORMAS PARA A COMPOSIÇÃO DOS ATLETAS DA SELEÇÃO BRASILEIRA: Folha: 1/9 DISPÕE SOBRE AS A COMPOSIÇÃO DOS ATLETAS DA SELEÇÃO BRASILEIRA: 1. Para a composição da Seleção Brasileira, no mês de janeiro de cada ano, os atletas deverão passar por um Processo Seletivo,

Leia mais

CAMPEONATOS BRASILEIROS DE ATLETISMO SUB-20 SUB-18 SUB-16

CAMPEONATOS BRASILEIROS DE ATLETISMO SUB-20 SUB-18 SUB-16 CAMPEONATOS BRASILEIROS DE ATLETISMO SUB-20 SUB-18 SUB-16 Art. 1º - Com a finalidade de identificar o máximo desempenho nas provas do atletismo, através das entidades de prática do atletismo brasileiro,

Leia mais

XL CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-18 - INTERSELEÇÕES

XL CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-18 - INTERSELEÇÕES XL CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-18 - INTERSELEÇÕES Art. 1º - Os CAMPEONATOS BRASILEIROS DE ATLETISMO SUB-18 têm por propósito básico a integração nacional, a difusão do Atletismo e a

Leia mais

VII CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-18 - INTERCLUBES

VII CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-18 - INTERCLUBES VII CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-18 - INTERCLUBES Art. 1º - Art. 2º - Art. 3º - Art. 4º - Art. 5º - Art. 6º - Os CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-18 INTERCLUBES têm por

Leia mais

CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-23

CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-23 CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-23 Art. 1º - Os CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-23 têm por propósito básico a integração nacional, a difusão do Atletismo e a verificação do

Leia mais

SELETIVA NACIONAL GYMNASIADE 2016

SELETIVA NACIONAL GYMNASIADE 2016 SELETIVA NACIONAL GYMNASIADE 2016 Atletismo Boletim 2 Seletiva Nacional Gymnasiade 2016 Mensagem do Presidente da CBDE Realização Confederação Brasileira do Desporto Escolar Federação de Esportes Estudantis

Leia mais

REGULAMENTO DAS EQUIPES DE ALTO RENDIMENTO DA

REGULAMENTO DAS EQUIPES DE ALTO RENDIMENTO DA REGULAMENTO DAS EQUIPES DE ALTO RENDIMENTO DA CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE TRIATHLON JANEIRO 2011 CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE TRIATHLON CAPÍTULO I INTRODUÇÃO As Equipes de Alto Rendimento da Confederação

Leia mais

FEDERAÇÃO DE GINÁSTICA DE SANTA CATARINA

FEDERAÇÃO DE GINÁSTICA DE SANTA CATARINA 1 GENERALIDADES TORNEIO ESTADUAL DE GINÁSTICA RÍTMICA REGULAMENTO TÉCNICO 2015 1.1 É aberta a participação no Torneio Estadual de Ginástica Rítmica a qualquer entidade filiada ou não à FGSC. 1.2 As inscrições

Leia mais

REGULAMENTO DOS CAMPEONATOS BRASILEIROS CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE TRIATHLON CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE TRIATHLON

REGULAMENTO DOS CAMPEONATOS BRASILEIROS CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE TRIATHLON CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE TRIATHLON REGULAMENTO DOS CAMPEONATOS BRASILEIROS 2012 CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE TRIATHLON JANEIRO 2012 CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE TRIATHLON REGULAMENTO DOS CAMPEONATOS BRASILEIROS DE 2012 1. CAMPEONATO BRASILEIRO

Leia mais

Fevereiro. Março. Abril

Fevereiro. Março. Abril Fevereiro 21 02 COPA BRASIL CAIXA DE CROSS COUNTRY São Paulo BRA Março 05 03 a 06 03 CAMPEONATOS PAN-AMERICANOS DE CROSS COUNTRY Vargas VEM 19/03 CAMPEONATO ESTADUAL CAIXA DE ATLETISMO SUB-20/ FESTIVAL

Leia mais

XXXVII CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO DE MENORES - INTERESTADUAL

XXXVII CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO DE MENORES - INTERESTADUAL XXXVII CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO DE MENORES - INTERESTADUAL Art. 1º - Os CAMPEONATOS BRASILEIROS DE ATLETISMO DE MENORES têm por propósito básico a integração nacional, a difusão do Atletismo

Leia mais

REGULAMENTO DO CAMBOR

REGULAMENTO DO CAMBOR REGULAMENTO DO CAMBOR CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE ORIENTAÇÃO 2016 (Em vermelho as atualizações da AGO de 31/01/16) CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE ORIENTAÇÃO Fundada em 11 de janeiro de 1999 Filiada à Federação

Leia mais

MARCAS DE QUALIFICAÇÃO NAS COMPETIÇÕES NACIONAIS ÉPOCA 2016/2017

MARCAS DE QUALIFICAÇÃO NAS COMPETIÇÕES NACIONAIS ÉPOCA 2016/2017 NAS COMPETIÇÕES NACIONAIS ÉPOCA 2016/2017 Condições de aceitação de marcas de qualificação: A. O prazo de obtenção de marcas de qualificação nas competições que o exijam é compreendido entre o dia 16 de

Leia mais

REGULAMENTO RELATIVO À HOMOLOGAÇÃO DE RECORDES DE PORTUGAL, RECORDES NACIONAIS E RECORDES NACIONAIS DE ESTRADA

REGULAMENTO RELATIVO À HOMOLOGAÇÃO DE RECORDES DE PORTUGAL, RECORDES NACIONAIS E RECORDES NACIONAIS DE ESTRADA REGULAMENTO RELATIVO À HOMOLOGAÇÃO DE RECORDES DE PORTUGAL, RECORDES NACIONAIS E RECORDES NACIONAIS DE ESTRADA NACIONAIS E RECORDES NACIONAIS DE ESTRADA Página 1 de 16 A. Homologação de Recordes de Portugal

Leia mais

Regulamento Específico de Atletismo

Regulamento Específico de Atletismo Regulamento Específico de Atletismo ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. ESCALÕES ETÁRIOS... 4 3. DISCIPLINAS... 4 4. PARTICIPAÇÃO / INSCRIÇÃO... 4 5. CONSTITUIÇÃO DA EQUIPA DE AJUIZAMENTO... 5 6. REGULAMENTO

Leia mais

CAMPEONATO PERNAMBUCANO ADULTO DE ATLETISMO REGULAMENTO

CAMPEONATO PERNAMBUCANO ADULTO DE ATLETISMO REGULAMENTO DO CAMPEONATO CAMPEONATO PERNAMBUCANO ADULTO DE ATLETISMO REGULAMENTO Art. 1º - O Campeonato Pernambucano Adulto de Atletismo, tem a finalidade básica de desenvolver o atletismo no estado de Pernambuco,

Leia mais

MARCAS DE QUALIFICAÇÃO NAS COMPETIÇÕES NACIONAIS ÉPOCA 2015/2016

MARCAS DE QUALIFICAÇÃO NAS COMPETIÇÕES NACIONAIS ÉPOCA 2015/2016 NAS COMPETIÇÕES NACIONAIS ÉPOCA 2015/2016 Condições de aceitação de marcas de qualificação: A. O prazo de obtenção de marcas de qualificação nas competições que o exijam é compreendido entre o dia 16 de

Leia mais

Boletim Informativo 01/2016

Boletim Informativo 01/2016 Confederação Brasileira de Remo 04/03/2016 Boletim Informativo 01/2016 Campeonato Brasileiro de Barcos Curtos Seletiva Nacional 2016 O Campeonato Brasileiro de Barcos Curtos será realizado entre os dias

Leia mais

TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXII Edição

TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXII Edição TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXII Edição Art. 1º - Art. 2º - Art. 3º - O Troféu Brasil de Atletismo é uma competição realizada anualmente que têm por propósito básico a difusão do Atletismo e a verificação

Leia mais

1.2. Simultaneamente ao Campeonato Brasileiro, será disputada a Copa Latino Americana de Freefly, com a participação de times convidados.

1.2. Simultaneamente ao Campeonato Brasileiro, será disputada a Copa Latino Americana de Freefly, com a participação de times convidados. 1. Sobre o evento: 2. Modalidades: 3. Critérios para definição das categorias / Freefly: 4. Tentativa de quebra de recorde: 5. Inscrição: 6. Vagas e saltos: 7. Saltos e regras: 8. Programação: 9. Juízes:

Leia mais

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO NACIONAL

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO NACIONAL CRITÉRIOS DE SELEÇÃO NACIONAL A Seleção Nacional é um grande motivo de orgulho para atletas, treinadores, dirigentes de clubes, associações e federação, família, amigos e para todos os portugueses em geral.

Leia mais

PRINCIPAIS ALTERAÇÕES 2015 REGULAMENTO PADRÃO DE TORNEIOS ABERTOS

PRINCIPAIS ALTERAÇÕES 2015 REGULAMENTO PADRÃO DE TORNEIOS ABERTOS PRINCIPAIS ALTERAÇÕES 2015 REGULAMENTO PADRÃO DE TORNEIOS ABERTOS 2) DAS CATEGORIAS 12MP 12ME 14MP 14ME 16MP 16ME 18M 11/12 Anos Masculino Principiantes 11/12 Anos Masculino Estreantes 13/14 Anos Masculino

Leia mais

MODELO DE EDITAL UTILIZADO PELA FUNDEPAG PARA CONTRATAÇÕES PROCESSO SELETIVO FUNDEPAG Nº 004/2013

MODELO DE EDITAL UTILIZADO PELA FUNDEPAG PARA CONTRATAÇÕES PROCESSO SELETIVO FUNDEPAG Nº 004/2013 MODELO DE EDITAL UTILIZADO PELA FUNDEPAG PARA CONTRATAÇÕES PROCESSO SELETIVO FUNDEPAG Nº 004/2013 EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PARA A CONTRATAÇÃO DE PESSOAL PARA O(A) FUNDAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO DA PESQUISA

Leia mais

IIº CAMPEONATO CLUBE ESPANHOL DE FUTEBOL DE 6

IIº CAMPEONATO CLUBE ESPANHOL DE FUTEBOL DE 6 IIº CAMPEONATO CLUBE ESPANHOL DE FUTEBOL DE 6 REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Preliminares Art. 1º - O 2º Campeonato Clube Espanhol de Futebol de 6 será promovido pela superintendência de esporte do

Leia mais

MUNICÍPIOS DA REGIÃO DE SETÚBAL, ASSOCIAÇÕES e ESCOLAS JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2016 REGULAMENTO

MUNICÍPIOS DA REGIÃO DE SETÚBAL, ASSOCIAÇÕES e ESCOLAS JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2016 REGULAMENTO JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2016 FUTEBOL DE 11 E DE 7 REGULAMENTO 1. Organização A organização das competições de Futebol de 11 e de 7 nos Jogos do Futuro da Região de Setúbal 2016 são da responsabilidade

Leia mais

Associação de Atletismo de Braga

Associação de Atletismo de Braga Setembro 2009 20 1 / 1 III Mini-Maratona APCG Guimarães Outubro 2009 04 2 / 1 Meia Maratona Portugal Lisboa 11 3 / 1 18º Campeonato Mundo Meia Maratona Birmingham Inglaterra 18 4 / 1 22ª Taça Clubes Campeões

Leia mais

NORMA 12. CATEGORIAS OFICIAIS DO ATLETISMO BRASILEIRO POR FAIXA ETÁRIA Aprovada pela Assembleia Geral em 26.04.2014 Atualizada em 19.02.

NORMA 12. CATEGORIAS OFICIAIS DO ATLETISMO BRASILEIRO POR FAIXA ETÁRIA Aprovada pela Assembleia Geral em 26.04.2014 Atualizada em 19.02. NORMA 12 CATEGORIAS OFICIAIS DO ATLETISMO BRASILEIRO POR FAIXA ETÁRIA Aprovada pela Assembleia Geral em 26.04.2014 Atualizada em 19.02.2015 Art. 1º - As categorias e respectivas faixas etárias da Confederação

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE VOLEIBOL XIRA 2016

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE VOLEIBOL XIRA 2016 REGULAMENTO ESPECÍFICO DE VOLEIBOL XIRA 2016 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 REGULAMENTO DO VOLEIBOL DE PAVILHÃO... 4 2. INSCRIÇÕES... 4 3. ESCALÕES ETÁRIOS / TEMPO DE JOGO... 4 4. CONSTITUIÇÃO / IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

CAMPEONATO CEARENSE CAIXA ADULTO DE ATLETISMO 28 e 29 de Agosto de 2015 REGULAMENTO

CAMPEONATO CEARENSE CAIXA ADULTO DE ATLETISMO 28 e 29 de Agosto de 2015 REGULAMENTO CAMPEONATO CEARENSE CAIXA ADULTO DE ATLETISMO 28 e 29 de Agosto de 2015 REGULAMENTO DO CAMPEONATO Art. 1º - O Campeonato Cearense Caixa ADULTO de Atletismo, tem a finalidade básica de desenvolver o atletismo

Leia mais

2º - Os Campeonatos são realizados com provas para ambos os sexos.

2º - Os Campeonatos são realizados com provas para ambos os sexos. REGULAMENTO ESTADUAL SUB 20 2016 Art. 1º - Os CAMPEONATOS ESTADUAIS CAIXA DE ATLETISMO SUB -20 têm por propósito básico a integração estadual, a difusão do Atletismo e a verificação do desenvolvimento

Leia mais

SELETIVA OLIMPÍADA RIO 2016

SELETIVA OLIMPÍADA RIO 2016 SELETIVA OLIMPÍADA RIO 2016 Versão 2.0 (10/11/2015) DA COMPOSIÇÃO DA EQUIPE OLÍMPICA ARTIGO 1 O presente documento tem por finalidade estabelecer as regras do Sistema de Seletiva para vaga na Seleção Brasileira

Leia mais

ATLETISMO Nº 01 11/11/2015

ATLETISMO Nº 01 11/11/2015 ATLETISMO Nº 01 11/11/2015 ATLETISMO Local: Estádio Willie Davids Endereço: Av. Prudente de Morais, s/n - Maringá Data: 12/11/2015 Horário: 14h00 Local: Hotel Deville - Maringá LOCAL DE COMPETIÇÃO REUNIÃO

Leia mais

TROFÉU NORTE-NORDESTE CAIXA DE ATLETISMO SUB-16

TROFÉU NORTE-NORDESTE CAIXA DE ATLETISMO SUB-16 TROFÉU NORTE-NORDESTE CAIXA DE ATLETISMO SUB-16 Art. 1º O TROFÉU NORTE-NORDESTE DE ATLETISMO SUB-16 têm por propósito básico a integração regional, a difusão do Atletismo e a verificação do desenvolvimento

Leia mais

Art. 3º - Os Campeonatos são disputados anualmente, podendo ser realizados em mais de uma edição ao longo do ano.

Art. 3º - Os Campeonatos são disputados anualmente, podendo ser realizados em mais de uma edição ao longo do ano. Art. 1º - Os CAMPEONATOS ESTADUAIS CAIXA DE ATLETISMO ADULTO têm por propósito básico a integração estadual, a difusão do Atletismo e a verificação do desenvolvimento de seu estágio técnico nos diversos

Leia mais

FEDERAÇÃO ALAGOANA DE JUDÔ

FEDERAÇÃO ALAGOANA DE JUDÔ REGULAMENTO Prezados Presidentes e Professores, I COPA CIDADE DE MACEIÓ DE JUDÔ Vimos por meio desta, convidar este conceituado estabelecimento de ensino a participar da I COPA CIDADE DE MACEIÓ DE JUDÔ

Leia mais

CAMPEONATO NACIONAL DE JUVENIS EM PISTA COBERTA

CAMPEONATO NACIONAL DE JUVENIS EM PISTA COBERTA CAMPEONATO NACIONAL DE JUVENIS EM PISTA COBERTA 1. NORMAS REGULAMENTARES 1.1- Poderão participar atletas masculinos e femininos, dos escalões de Juvenis, que tenham obtido os resultados de qualificação

Leia mais

MÉRITO ESPORTIVO CLÃ DELFOS

MÉRITO ESPORTIVO CLÃ DELFOS MÉRITO ESPORTIVO CLÃ DELFOS A medalha do Mérito Esportivo Clã Delfos é conferida ao atleta que destaca durante o ano, por desempenho técnico, dedicação,, colaboração, evolução técnica e capacidade de reação

Leia mais

Processo Seletivo. Para atuar em Equipe NASF. Vaga em Aberto e Formação de Cadastro Reserva

Processo Seletivo. Para atuar em Equipe NASF. Vaga em Aberto e Formação de Cadastro Reserva Processo Seletivo Para atuar em Equipe NASF Vaga em Aberto e Formação de Cadastro Reserva Categoria Total de vagas Vagas Pessoas com Deficiência Carga Horária Semanal Vencimento Mensal (R$) Pré-Requisito

Leia mais

CAMPEONATO ESTADUAL MINEIRO CAIXA DE ATLETISMO SUB 23

CAMPEONATO ESTADUAL MINEIRO CAIXA DE ATLETISMO SUB 23 CAMPEONATO ESTADUAL MINEIRO CAIXA DE ATLETISMO SUB 23 O Campeonato Estadual Mineiro Caixa de Atletismo Sub 23 tem como objetivos proporcionar aos nossos atletas aprimoramento físico e técnico, servindo

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO VOLEIBOL ATC

REGULAMENTO INTERNO VOLEIBOL ATC REGULAMENTO INTERNO VOLEIBOL ATC DAS FINALIDADES I- O presente regulamento disciplina todas as atividades desenvolvidas pelo Departamento de Vôlei do clube. DA COMPOSIÇÃO II- O Clube disponibiliza equipes

Leia mais

ATLETISMO Nº 02 04/09/2014

ATLETISMO Nº 02 04/09/2014 ATLETISMO Nº 02 04/09/2014 ATLETISMO LOCAL DE COMPETIÇÃO Local: Pista da UEL Endereço: Rodovia Celso Garcia Cid, PR 445 km 380. POWERADE Para a edição de 2014, a Powerade oferecerá uma premiação aos atletas

Leia mais

Esportes de Marca. Aula 1. Atletismo, levantamento de peso e halterofilismo

Esportes de Marca. Aula 1. Atletismo, levantamento de peso e halterofilismo Esportes de Marca Aula 1 Atletismo, Objetivos 1 Apresentar três esportes da categoria ESPORTES DE MARCA e suas principais regras. 2 Conhecer a história desses esportes e como entraram nos Jogos Olímpicos

Leia mais

ABDEM EVENTO - INTERNACIONAL

ABDEM EVENTO - INTERNACIONAL ABDEM EVENTO - INTERNACIONAL A - CAMPEONATO MUNDIAL DE ATLETISMO - CLASSE T20 (MASCULINO-PRINCIPAL), PROVA 100m RASOS - REALIZADO NO EQUADOR DE 20a27/09/2015 A - CAMPEONATO MUNDIAL DE ATLETISMO - CLASSE

Leia mais

Art. 1º Estabelecer orientações para a implementação no âmbito do Projeto Bolsa- Formação dos ciclos especiais de capacitação:

Art. 1º Estabelecer orientações para a implementação no âmbito do Projeto Bolsa- Formação dos ciclos especiais de capacitação: PORTARIA MJ Nº 183, DE 9 DE FEVEREIRO DE 2010 Regulamenta os arts. 9º, 10 e 15 do Decreto nº 6.490, de 19 de junho de 2008, alterados pelo Decreto nº 7.081, de 26 de janeiro de 2010, e dá outras providências.

Leia mais

CAMPEONATO CEARENSE CAIXA SUB-18 DE ATLETISMO 23 e 24 de julho de 2016 REGULAMENTO

CAMPEONATO CEARENSE CAIXA SUB-18 DE ATLETISMO 23 e 24 de julho de 2016 REGULAMENTO CAMPEONATO CEARENSE CAIXA SUB-18 DE ATLETISMO 23 e 24 de julho de 2016 REGULAMENTO DO CAMPEONATO Art. 1º - O Campeonato Cearense Caixa SUB-18 de Atletismo, tem a finalidade básica de desenvolver o atletismo

Leia mais

C.C.R.E.7 DE SETEMBRO CAMPEONATO DE VERÃO VOLEI DE PRAIA

C.C.R.E.7 DE SETEMBRO CAMPEONATO DE VERÃO VOLEI DE PRAIA VOLEI DE PRAIA 2014 VOLEI DE PRAIA DUPLAS Art.1º - O Campeonato de Verão de Vôlei de Praia de Duplas do C.C.R.E. 7 de Setembro obedecerá as regras oficiais adotadas pela CBV e pelo que dispuser este regulamento.

Leia mais

CALENDÁRIO OFICIAL - PROVISÓRIO Publicado em

CALENDÁRIO OFICIAL - PROVISÓRIO Publicado em CALENDÁRIO OFICIAL - PROVISÓRIO Publicado em 13.12.2016 2017 FEVEREIRO 05 CBAt COPA BRASIL DE CROSS COUNTRY São Paulo BRA 19 CONSUDATLE Campeonatos Sul Americanos de Cross Country Santiago CHI MARÇO 05

Leia mais

TROFÉU NORTE-NORDESTE CAIXA DE ATLETISMO SUB-18

TROFÉU NORTE-NORDESTE CAIXA DE ATLETISMO SUB-18 TROFÉU NORTE-NORDESTE CAIXA DE ATLETISMO SUB-18 Art. 1º O TROFÉU NORTE-NORDESTE DE ATLETISMO SUB-18 têm por propósito básico a integração regional, a difusão do Atletismo e a verificação do desenvolvimento

Leia mais

TAÇA DE PORTUGAL DE CORRIDA EM MONTANHA

TAÇA DE PORTUGAL DE CORRIDA EM MONTANHA TAÇA DE PORTUGAL DE CORRIDA EM MONTANHA A Federação Portuguesa de Atletismo vai promover a realização da 13ª Taça de Portugal de Corrida de Montanha, Associação de Atletismo de Região Autónoma da Madeira,

Leia mais

OLIMPIUNI INFORMAÇÕES GERAIS DO EVENTO.

OLIMPIUNI INFORMAÇÕES GERAIS DO EVENTO. OLIMPIUNI Resgatando uma antiga tradição do Curso de Educação Física do UniBH, o UniBH realiza o OlimpiUNI, com a execução da AECS (Associação Esportiva Cultural e Social). O evento reunirá estudantes

Leia mais

CAMPEONATO DE PILOTOS 1. Poderão participar deste campeonato um máximo de 150 pilotos que serão divididos em até 5 baterias de 30 pilotos cada.

CAMPEONATO DE PILOTOS 1. Poderão participar deste campeonato um máximo de 150 pilotos que serão divididos em até 5 baterias de 30 pilotos cada. CAMPEONATO DE PILOTOS 1. Poderão participar deste campeonato um máximo de 150 pilotos que serão divididos em até 5 baterias de 30 pilotos cada. 2. Todos os pilotos disputarão entre si as 5 primeiras corridas

Leia mais

GABINETE COORDENADOR DO DESPORTO ESCOLAR REGULAMENTO ESPECÍFICO DE BASQUETEBOL

GABINETE COORDENADOR DO DESPORTO ESCOLAR REGULAMENTO ESPECÍFICO DE BASQUETEBOL GABINETE COORDENADOR DO DESPORTO ESCOLAR REGULAMENTO ESPECÍFICO DE BASQUETEBOL 2001-2002 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 1. ESCALÕES ETÁRIOS/BOLA DE JOGO... 4 2. CONSTITUIÇÃO DA EQUIPA... 4 3. DURAÇÃO DO JOGO...

Leia mais

CMT Colégio Militar Tiradentes. Ficha de Inscrição

CMT Colégio Militar Tiradentes. Ficha de Inscrição MODALIDADE: FUTSAL Nº Nome Completo do Atleta MODALIDADE: FUTSAL Nº Nome Completo do Atleta Brasília, de Junho de 25. MODALIDADE: Voleibol CMT Colégio Militar Tiradentes Nº Nome Completo do Atleta 11 12

Leia mais

Serão disponibilizadas 300 inscrições para Meia Maratona, 300 inscrições para a caminhada e 30 inscrições para as equipes do Revezamento.

Serão disponibilizadas 300 inscrições para Meia Maratona, 300 inscrições para a caminhada e 30 inscrições para as equipes do Revezamento. Data da prova: 20 de Setembro de 2015 Local: Concórdia - SC Horário: 16h00min Modalidades: MEIA MARATONA, REVEZAMENTO MISTO E CAMINHADA Categorias: Masculino e feminino. Inscrições até: 14 de Setembro

Leia mais

REGULAMENTO DAS PROVAS DE AVALIAÇÃO DE CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS

REGULAMENTO DAS PROVAS DE AVALIAÇÃO DE CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS REGULAMENTO DAS PROVAS DE AVALIAÇÃO DE CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS (Decreto-Lei nº 64/2006, de 21 de Março, com as alterações produzidas pelo Decreto-Lei nª.

Leia mais

EDITAL No. 418 - PROCESSO DE SELEÇÃO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GEOLOGIA DO QUATERNÁRIO

EDITAL No. 418 - PROCESSO DE SELEÇÃO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GEOLOGIA DO QUATERNÁRIO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GEOLOGIA DO QUATERNÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO QUINTA DA BOA VISTA S/N. SÃO CRISTÓVÃO CEP 20940-040 RIO DE JANEIRO, RJ BRASIL Tel: (21) 3938-1179 geoquater@mn.ufrj.br

Leia mais

CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES (Fase de Apuramento)

CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES (Fase de Apuramento) CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES (Fase de Apuramento) 1. NORMAS REGULAMENTARES 1.1- Normas Gerais 1.1.1 A participação nas provas coletivas organizadas pela FPA é reservada aos clubes portugueses que tenham

Leia mais

Instituto de Educação Ivoti GEGA 2015. Interturmas/Interséries 10 de novembro de 2015. Regulamento

Instituto de Educação Ivoti GEGA 2015. Interturmas/Interséries 10 de novembro de 2015. Regulamento Instituto de Educação Ivoti GEGA 2015 Interturmas/Interséries 10 de novembro de 2015 Regulamento 1.Participantes Cada turma será considerada uma equipe. Sendo assim, cada equipe poderá ser representada

Leia mais

GINÁSTICA RÍTMICA SELEÇÕES NACIONAIS E ALTO RENDIMENTO

GINÁSTICA RÍTMICA SELEÇÕES NACIONAIS E ALTO RENDIMENTO GINÁSTICA RÍTMICA SELEÇÕES NACIONAIS E ALTO RENDIMENTO 2013-2016 PROCESSO DE SELEÇÃO CAMPEONATO DA EUROPA 2014 BAKU, Azerbeijão Ginástica Rítmica 1.NOTAS INTRODUTÓRIAS Dando sequência ao processo de participação

Leia mais

LIGA TUBARONENSE DE FUTEBOL

LIGA TUBARONENSE DE FUTEBOL LIGA TUBARONENSE DE FUTEBOL (Filiada a Federação Catarinense de Futebol) COPA MASTER DE FUTEBOL - QUARENTÃO REGULAMENTO ESPECÍFICO Disposições preliminares: CAPÍTULO I Art. 1º: A Copa Master da Liga Tubaronense

Leia mais

COPA PAULISTA DE FUTSAL SÉRIE A3 MENORES 2016 REGULAMENTO

COPA PAULISTA DE FUTSAL SÉRIE A3 MENORES 2016 REGULAMENTO DISPOSIÇÕES INICIAIS Federação Paulista de Futebol de Salão COPA PAULISTA DE FUTSAL SÉRIE A3 MENORES 2016 REGULAMENTO 1 - A Copa Paulista de Futsal Categorias Menores, tem como objetivo a promoção e divulgação

Leia mais

V. REGULAMENTAÇÃO RELATIVA À HOMOLOGAÇÃO DE RECORDES DE PORTUGAL, RECORDES NACIONAIS E RECORDES NACIONAIS DE ESTRADA

V. REGULAMENTAÇÃO RELATIVA À HOMOLOGAÇÃO DE RECORDES DE PORTUGAL, RECORDES NACIONAIS E RECORDES NACIONAIS DE ESTRADA V. REGULAMENTAÇÃO RELATIVA À HOMOLOGAÇÃO DE RECORDES DE PORTUGAL, RECORDES NACIONAIS E RECORDES NACIONAIS DE ESTRADA A. Homologação de Recordes de Portugal 1. GENERALIDADES Para que uma marca possa ser

Leia mais

REGULAMENTO 2ª COPA SANTA MÔNICA DE FUTSAL INFANTIL

REGULAMENTO 2ª COPA SANTA MÔNICA DE FUTSAL INFANTIL REGULAMENTO 2ª COPA SANTA MÔNICA DE FUTSAL INFANTIL 1 - DOS OBEJTIVOS: A 2ª Copa Santa Mônica de Futsal Infantil, tem como objetivo a integração dos atletas de futsal do clube, associados, e demais interessados

Leia mais

REGULAMENTO Campeonato Nacional da III divisão de Futsal

REGULAMENTO Campeonato Nacional da III divisão de Futsal REGULAMENTO Campeonato Nacional da III divisão de Futsal 1 CAPÍTULO I 5520. ORGANIZAÇÃO TÉCNICA 5520.1 - O CAMPEONATO NACIONAL DA III DIVISÃO É DISPUTADO POR SESSENTA E SEIS CLUBES, CINQUENTA E SEIS CLUBES

Leia mais

CAMPEONATO DE ESTRADA DO FAIAL

CAMPEONATO DE ESTRADA DO FAIAL 1 INDICE Competição Pág. CAMPEONATO DE ESTRADA DO FAIAL 3 TAÇA ADIF VEL/BARR E TAÇA ADIF SALTOS 4 1ª PROVA OBSERVAÇÃO INVERNO ADIF + TORNEIO DE BENJAMINS 6 CAMPEONATO CORTA-MATO DO FAIAL 1ª 7 TORNEIO DE

Leia mais

fundadoras e filiadas ativas nesta temporada

fundadoras e filiadas ativas nesta temporada Poderão participar do Desafio NDU de Basquete, as Atléticas fundadoras e filiadas ativas nesta temporada. Não haverá custo de inscrição ou arbitragem para a Atlética. Novas Atléticas que estiverem interessadas

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE ATLETISMO DE SETÚBAL

ASSOCIAÇÃO DE ATLETISMO DE SETÚBAL ASSOCIAÇÃO DE ATLETISMO DE SETÚBAL ------------------------------- REGULAMENTOS APROVADOS PARA A ÉPOCA 2011/2012 -------------------------------- CONVÍVIO BENJAMINS A TROFÉU REGIONAL DE BENJAMINS B CAMPEONATO

Leia mais

REGULAMENTO PARA A HOMOLOGAÇÃO DE INSTALAÇÕES DE ATLETISMO

REGULAMENTO PARA A HOMOLOGAÇÃO DE INSTALAÇÕES DE ATLETISMO REGULAMENTO PARA A HOMOLOGAÇÃO DE INSTALAÇÕES DE ATLETISMO 23 de Outubro de 2003 Página 1 de 7 Preâmbulo Na reunião do Conselho da IAAF de Maio de 1995, esta entidade decidiu que fosse concebido um sistema

Leia mais

IIº Campeonato de Futebol de 6 Clube Espanhol CAPITULO I. Disposições Preliminares

IIº Campeonato de Futebol de 6 Clube Espanhol CAPITULO I. Disposições Preliminares IIº Campeonato de Futebol de 6 Clube Espanhol REGULAMENTO CAPITULO I Disposições Preliminares Art. 1º: O 2º Campeonato Clube Espanhol de Futebol de 6 denominado Liga das Estrellas será promovido pela superintendência

Leia mais

CALENDÁRIO OFICIAL - PROVISÓRIO Atualizado em

CALENDÁRIO OFICIAL - PROVISÓRIO Atualizado em CALENDÁRIO OFICIAL - PROVISÓRIO Atualizado em 15.03.2017 2017 FEVEREIRO 05 CBAt COPA BRASIL DE CROSS COUNTRY São Paulo BRA 19 CONSUDATLE Campeonatos Sul Americanos de Cross Country Santiago CHI MARÇO 05

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE GABINETE DO SECRETÁRIO EDITAL Nº. 002/2010

PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE GABINETE DO SECRETÁRIO EDITAL Nº. 002/2010 Processo Seletivo Simplificado para preenchimento de cargos em caráter temporário, com fulcro na Lei Municipal nº 6.690/2005 que alterou o art. 4º, da Lei Municipal nº 4.302/1994 e no Decreto 5727/2008,

Leia mais

CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES EM PISTA COBERTA (Fase Apuramento)

CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES EM PISTA COBERTA (Fase Apuramento) CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES EM PISTA COBERTA (Fase Apuramento) 1. NORMAS REGULAMENTARES 1.1. Normas Gerais 1.1.1. A participação nas provas colectivas organizadas pela FPA é reservada aos Clubes Portugueses

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE COMPETIÇÕES

REGULAMENTO GERAL DE COMPETIÇÕES REGULAMENTO GERAL DE COMPETIÇÕES Aprovado em Assembleia Geral Extraordinária 21 e 22 de Setembro de 2013 Regulamento Geral de Competições Página 1 de 38 A. Disposições Gerais... 3 Artigo 1º - INSCRIÇÕES...

Leia mais

Regulamento Vote nos Melhores

Regulamento Vote nos Melhores Regulamento Vote nos Melhores Artigo 1.º Objecto 1. O Regulamento Vote nos Melhores estabelece a forma como se irá desenvolver a votação para atribuição dos Prémios anuais e mensais Individuais, nas categorias

Leia mais

FEDERAÇÃO CEARENSE DE FUTEBOL REC. Regulamento Específico - 2ª Divisão CAMPEONATO CEARENSE DA SEGUNDA DIVISÃO 2012

FEDERAÇÃO CEARENSE DE FUTEBOL REC. Regulamento Específico - 2ª Divisão CAMPEONATO CEARENSE DA SEGUNDA DIVISÃO 2012 CAMPEONATO CEARENSE DA SEGUNDA DIVISÃO 2012 REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COMPETIÇÃO CAPÍTULO I Da Denominação e Participação Art. 1º - O Campeonato Cearense da Segunda Divisão de 2012, doravante denominado

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE ATLETISMO CURSO BÁSICO DE ARBITRAGEM MARINGÁ PR 21, 22 E 23 DE AGOSTO DE 2015 PROGRAMAÇÃO

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE ATLETISMO CURSO BÁSICO DE ARBITRAGEM MARINGÁ PR 21, 22 E 23 DE AGOSTO DE 2015 PROGRAMAÇÃO CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE ATLETISMO CURSO BÁSICO DE ARBITRAGEM MARINGÁ PR 21, 22 E 23 DE AGOSTO DE 2015 PROGRAMAÇÃO UNIDADE I CONTEÚDO Distribuição do material/apresentação O Atletismo Entidades de organização

Leia mais

CALENDÁRIO OFICIAL 2017

CALENDÁRIO OFICIAL 2017 CALENDÁRIO OFICIAL 2017 FEVEREIRO 05 CBAt COPA BRASIL DE CROSS COUNTRY São Paulo BRA 19 CONSUDATLE Campeonatos Sul Americanos de Cross Country Santiago CHI MARÇO 05 CBAt COPA BRASIL DE MARCHA ATLÉTICA

Leia mais

REGULAMENTO DO APURAMENTO NACIONAL

REGULAMENTO DO APURAMENTO NACIONAL REGULAMENTO DO APURAMENTO NACIONAL 7 e 8 de março 2014 ISF voleibol 2014 Campeonato Mundial Escolar ESPINHO & SANTA MARIA DA FEIRA 9 a 17 de ABRIL de 2014 CAMPEONATO MUNDIAL DE VOLEIBOL ESCOLAR 9 A 17

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE BASQUETEBOL

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE BASQUETEBOL REGULAMENTO ESPECÍFICO DE BASQUETEBOL 2009-2013 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...3 2. ESCALÕES ETÁRIOS/ BOLA DE JOGO/DURAÇÃO DE JOGO...4 3. CONSTITUIÇÃO DA EQUIPA...5 4. ARBITRAGEM...6 5. CLASSIFICAÇÃO/ PONTUAÇÃO/DESEMPATE...7

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE COMPETIÇÕES ESCALÕES JOVENS

REGULAMENTO GERAL DE COMPETIÇÕES ESCALÕES JOVENS REGULAMENTO GERAL DE COMPETIÇÕES ESCALÕES JOVENS 01 de Janeiro de 2013 Regulamento Geral de Competições Escalões Jovens Página 1 de 19 NORMAS REGULAMENTARES PARA OS ESCALÕES JOVENS (BENJAMIM A JUVENIL)

Leia mais

COMPLEXO ESPORTIVO PUC MINAS CIRCUITO PUC MINAS DE ESPORTES 2016

COMPLEXO ESPORTIVO PUC MINAS CIRCUITO PUC MINAS DE ESPORTES 2016 A Coordenação do Complexo Esportivo PUC Minas, no uso de suas atribuições, estabelece os objetivos e as diretrizes que regerão o Circuito PUC Minas de Esportes 2016. I DOS OBJETIVOS: Art. 1º - O Circuito

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE 2015/2016 PROVAS OFICIAIS

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE 2015/2016 PROVAS OFICIAIS REGULAMENTO ESPECÍFICO DE 2015/2016 PROVAS OFICIAIS INDICE INDICE... 2 PO1 CAMPEONATO NACIONAL DA 1.ª DIVISÃO MASCULINOS... 5 1 PRÉMIOS... 5... 5... 5 PO2 CAMPEONATO NACIONAL DA 2.ª DIVISÃO MASCULINOS...

Leia mais

DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO SUL-3

DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO SUL-3 DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO SUL-3 INSCRIÇÕES PARA CEL EDITAL 2015 O Dirigente Regional de Ensino da Diretoria de Ensino Região Sul-3, em atendimento às disposições da Resolução SE 03, de 28/01/2011, Resolução

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE GABINETE DO SECRETÁRIO

PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE GABINETE DO SECRETÁRIO EDITAL N 006/2011 Processo Seletivo Simplificado para preenchimento de cargos em caráter temporário, para compor a Rede Municipal de Saúde, com fulcro na Lei n 4.302/1994 alterada pela Lei nº 6.690/2005,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 003/2011 CONSED

RESOLUÇÃO Nº 003/2011 CONSED GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE ESPORTES E LAZER RESOLUÇÃO Nº 003/2011 CONSED Estabelece normas que definem critérios de prioridades para concessão da bolsa-atleta nas categorias

Leia mais

2ª ETAPA CIRCUITO NACIONAL DE VÔLEI DE PRAIA DOS SURDOS 2015 - BRASÍLIA/DF

2ª ETAPA CIRCUITO NACIONAL DE VÔLEI DE PRAIA DOS SURDOS 2015 - BRASÍLIA/DF REGULAMENTO GERAL CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS Art. 1º Este regulamento é o documento composto conjunto das disposições que regem a 2ª Etapa Circuito Nacional de Vôlei de Praia dos Surdos - 2015.

Leia mais

TRAVESSIA DA CIDADE DE PENEDO PERCURSO 3.500m INFANTIL A SENIOR

TRAVESSIA DA CIDADE DE PENEDO PERCURSO 3.500m INFANTIL A SENIOR TRAVESSIA DA CIDADE DE PENEDO PERCURSO 3.500m INFANTIL A SENIOR Data: 10 de janeiro de 2016 (domingo) Local: Rio São Francisco (Penedo) Percurso: 3.500 metros (Infantil a Senior) Data limite de inscrição:

Leia mais

8º CONCURSO CULTURAL DE DESENHOS CALENDÁRIO COOPEREMBRAER 2017 Tema: Cooperando para um mundo melhor. REGULAMENTO

8º CONCURSO CULTURAL DE DESENHOS CALENDÁRIO COOPEREMBRAER 2017 Tema: Cooperando para um mundo melhor. REGULAMENTO 8º CONCURSO CULTURAL DE DESENHOS CALENDÁRIO COOPEREMBRAER 2017 Tema: Cooperando para um mundo melhor. REGULAMENTO A Cooperativa de Crédito Mútuo dos Empregados da Embraer comunica a todos os seus associados,

Leia mais

ATLETISMO Nº 02 12/11/2015

ATLETISMO Nº 02 12/11/2015 ATLETISMO Nº 02 12/11/2015 Local: Estádio Willie Davids Endereço: Av. Prudente de Morais, s/n - Maringá ATLETISMO LOCAL DE COMPETIÇÃO NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA COMPETIÇÃO 1. Área de Aquecimento Os atletas

Leia mais

A. Disposições Gerais

A. Disposições Gerais FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE ATLETISMO Direção Técnica Nacional Sector juvenil Versão Final - ALTERAÇÕES EM 29/09/2012 Entrada em vigor: 1 de Janeiro de 2013 REGULAMENTO GERAL DE COMPETIÇÕES NORMAS REGULAMENTARES

Leia mais

RECORDES MASCULINOS DO CLÃ DELFOS

RECORDES MASCULINOS DO CLÃ DELFOS 1 RECORDES MASCULINOS DO CLÃ DELFOS RECORDES DA CATEGORIA MASCULINA MASTER 65-69 1500 metros Orlandino Felinto Martins 5.40.30 1 o. Desafio FMA/Clã Delfos 11 5000 metros Orlandino Felinto Martins 20.33.00

Leia mais

Introdução. Em todas as situações omissas, a FGP é soberana.

Introdução. Em todas as situações omissas, a FGP é soberana. Calendário de Competições de Ginástica Rítmica 2008/2009 Introdução O presente documento regulamenta os princípios orientadores de participação de todos os intervenientes (Associações e Clubes) nas Competições

Leia mais

OIDS: Saiba quais as modalidades que serão disputadas Agência Diref 23 de janeiro de 2015

OIDS: Saiba quais as modalidades que serão disputadas Agência Diref 23 de janeiro de 2015 OIDS: Saiba quais as modalidades que serão disputadas Agência Diref 23 de janeiro de 2015 O Comitê Organizador Nacional (CON) e o Conselho Nacional Permanente dos Jogos (CNPJ), estiveram reunidos no início

Leia mais