A RELAÇÃO ENTRE A MOTIVAÇÃO E A ROTATIVIDADE DE FUNCIONÁRIOS EM UMA EMPRESA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A RELAÇÃO ENTRE A MOTIVAÇÃO E A ROTATIVIDADE DE FUNCIONÁRIOS EM UMA EMPRESA"

Transcrição

1 A RELAÇÃO ENTRE A MOTIVAÇÃO E A ROTATIVIDADE DE FUNCIONÁRIOS EM UMA EMPRESA Elaine Schweitzer Graduanda do Curso de Hotelaria Faculdades Integradas ASSESC RESUMO Em tempos de globalização, a troca de informações e conhecimentos proporciona a todos grandes possibilidades. Esse caminho aberto provoca uma verdadeira corrida por melhores oportunidades e causa uma grande taxa de rotatividade nas empresas. Mas, esses índices não crescem somente por este motivo. Há uma série de fatores que influenciam no agravamento deste problema. Por um lado, vemos as pessoas, que em busca de uma vida melhor, buscam novos conhecimentos e oportunidades. Por outro lado, está a empresa, que procura buscar sempre o melhor qualificado e muitas vezes acaba por demitir alguns de seus funcionários, substituindo-os por outros mais bem preparados. A motivação de um funcionário está diretamente ligada às taxas de rotatividade de cada empresa entre outros fatores. Uma grande rotatividade gera insegurança e desmotiva o pessoal, que passa a exercer suas tarefas com menos dedicação. Palavras Chave: Rotatividade, Motivação, Fidelização, Funcionário. 1. INTRODUÇÃO A rotatividade dos funcionários é freqüentemente citada como um dos fatores que contribuem para o fracasso das taxas de produtividade dos funcionários de uma empresa em relação à seus concorrentes. É também um dos fatores principais do aumento ou diminuição das ofertas de trabalho. Mesmo numa empresa onde os demais fatores permaneçam inalterados, à medida em que os funcionários saem, a disponibilidade interna de pessoal cai. Isso envolve custos diretos e indiretos para a organização.

2 A motivação de um funcionário está diretamente ligada à sua permanência na empresa. Se sente-se motivado é porque sente-se seguro. Um é conseqüência do outro e um contribui para o sucesso do outro. Nos últimos anos, muitas empresas começaram a se preocupar com o seu capital intelectual, voltando suas atenções também para seu cliente interno, tornando-se empresas centradas nas pessoas. Esta aproximação interna proporciona um compartilhamento de todos os valores da empresa dos funcionários. As empresas centradas nas pessoas contratam de acordo com a cultura de cada indivíduo, reconhecendo que para contribuir de fato, devem sentir-se à vontade no que fazem, motivados a executar suas tarefas. É essencial que líderes estejam inseridos nesse contexto, para que possam atuar a fim de proporcionar uma maior interação e motivação entre os funcionários. Líderes pró-ativos têm o papel de assegurar o clima positivo em uma organização. Ao desenvolverem programas baseados em pessoas, conseqüentemente desenvolvem habilidades entre as pessoas envolvidas. O líder deve saber identificar as características de cada um de seus colaboradores e trabalhar a motivação individualmente para alcançar os objetivos da empresa. É importante que cada indivíduo saiba o seu papel, sinta-se responsável e principalmente seja reconhecido no que faz. Ninguém pode sentir-se motivado se não acreditar na utilidade do seu trabalho. Os investimentos em pessoal são investimentos a longo prazo. Treinamento e capacitação são fatores que contribuem para a permanência de um funcionário na empresa. As empresas que conseguem manter uma força de trabalho qualificada têm mais chances de reter seus clientes.

3 2. ROTATIVIDADE A rotatividade nas empresas vem sendo um ponto bastante delicado de ser trabalhado. Uma empresa onde a troca de funcionários é muito grande só tem a perder com isso. Há sempre aquele novo funcionário que precisa de uma atenção maior e acaba por atrapalhar o rendimento dos outros. Além disso, perde-se todo o trabalho desenvolvido com ele, no case da demissão. E mais tempo e dinheiro são gastos com a entrada de um substituto. Tempos atrás, a Marriott, uma das maiores cadeias mundiais de hotelaria, avaliou a relação entre a rotatividade de funcionários e a retenção de clientes. Calculou o impacto da redução de 10% da rotatividade em duas de suas divisões. Descobriu que a economia de custos decorrente da manutenção de funcionários, somada ao aumento da receita gerada pela retenção de clientes geraria lucros superiores nas duas divisões analisadas. (Fonte: Revista Exame) Esta pesquisa mostra a importância da manutenção de um funcionário. Ela reflete nos resultados. A rotatividade nas empresas gera uma perda em vários aspectos. De um lado, a empresa perde todo o treinamento e investimento feito na contratação de um colaborador. De outro lado, perde de proporcionar ao seu cliente um atendimento mais qualificado, baixando a possibilidade de retorno do mesmo ao hotel. Para um funcionário, trabalhar em uma empresa com alta rotatividade gera certa insegurança no mesmo, fazendo com que este, trabalhe desmotivado e não proporcione ao hóspede tudo o que poderia ser apresentado. Um fator importante não é somente selecionar boas pessoas, treiná-las e capacitá-las freqüentemente, é também organizar a empresa de modo que elas sejam motivadas e possam colocar suas idéias em prática. Este é o maior problema na implantação de uma gestão baseada em pessoas. Muitas empresas implementam uma declaração de missão e valores ou experimentam ações mais coletivas de remuneração, como a participação nos lucros, ou

4 compartilham informações e objetivos, com vistas à interação cultural dos funcionários. Mas, no entanto, esses elementos só funcionam em conjunto. Além disso, pessoas motivadas e talentosas precisam ter a oportunidade de tomar decisões reais, participar efetivamente das decisões do hotel. De nada adianta dispor de funcionários inteligentes, treinados, informados e comprometidos se não podem participar de uma tomada de decisão. Também é fundamental que as contribuições feitas pelos colaboradores sejam colocadas em prática. Se nada mudar, é provável que o funcionário sinta-se frustrado e desmotivado. Para que tudo isso funcione realmente é fundamental a presença de setor de Recursos Humanos bem organizado. O R.H. é base de tudo, sua função é encontrar meios de ajudar os gerentes a atrair, reter e motivar o talento e a capacitação de cada funcionário. As organizações de sucesso caracterizam-se pelo envolvimento dos funcionários, pela fidelidade, pelo prazer e pela rotatividade abaixo da média, o que causa conseqüentemente, um bom desempenho financeiro. Em um mundo em que todo trabalho depende de conhecimento e o capital intelectual é indispensável para o sucesso econômico, é lógico que a capacidade de atrair, reter e utilizar os talentos das pessoas proporciona uma vantagem competitiva. (BOHLANDER, 2003) Outro fator considerável para o aumento da rotatividade dos funcionários em uma empresa é o próprio mercado externo. Há uma grande disputa pelos mais qualificados e estes profissionais receberão muitas ofertas de emprego. Um funcionário que se destaca, não é destaque somente no seu local de trabalho. Ele chama a atenção também do mercado. Se é destaque é porque tem algo diferente, que pode ser atrativo para a concorrência. O trabalho do setor de Recursos Humanos é importante nesta hora. É preciso saber manter o seu cliente interno para não perdê-lo para seu concorrente.

5 O recrutamento e seleção em uma empresa podem garantir o sucesso de uma contratação. Várias são as formas de escolher um novo colaborador. Segundo Lúcia Menezes, gerente de desenvolvimento de R.H. da Método Engenharia, a indicação de um outro funcionário na hora da contratação é muito mais eficaz do ponto de vista de integração, o indicado já virá ciente dos valores da empresa.(fonte: Jornal Valor Econômico) Isso contribui para a permanência do mesmo na empresa. O sucesso de uma empresa atualmente está ligado a diversos fatores que geram um círculo de atividades para um todo. As empresas já se deram conta de que quanto melhor for a relação entre o trabalho, a família, esporte e saúde, menor será o desgaste do indivíduo ao longo do tempo, maior será sua produtividade e sua permanência na mesma. Tudo isso está ligado a um perfil menos operacional e mais ligado às estratégias. 3. MOTIVAÇÃO Motivar um funcionário não é só apenas recompensá-lo financeiramente. Proporcionar recompensas intrínsecas do prazer, do crescimento, do trabalho em equipe, do desafio e da realização facilitam as oportunidades e os funcionários se sentirem bem com suas conquistas e contarem com o reconhecimento das pessoas com quem se importam. Tudo isso faz parte de um grande círculo de atividades voltadas para a satisfação dos clientes internos, para alcançar o que deve ser um dos maiores objetivos, satisfazer e manter o cliente externo. A estabilidade no emprego também tem sua importância. Ao sentir-se seguro em seu local de trabalho, o colaborador fará suas atividades de forma leve e precisa. Um grande índice de rotatividade em uma empresa deixa-a sem identidade. Todo o trabalho empregado em um novo funcionário como o recrutamento e o treinamento do

6 mesmo, torna-se em vão. Até que o novo funcionário adapte-se completamente à cultura da empresa leva tempo e custa dinheiro. Se num período curto de tempo houver uma grande rotatividade entre os funcionários da empresa, sempre haverá uma parcela dos mesmos, em fase de adaptação. Nesta fase inicial, é menos provável que este consiga expressar todo o seu conhecimento e capacidade, podendo a empresa perder uma grande chance de conquistar definitivamente um cliente. A permanência de um funcionário por um longo tempo na empresa faz com que este adquira conhecimentos que só se tem com o passar do tempo e com a experiência. A rotatividade quebra esse vínculo entre a empresa e o funcionário, quebrando também a possibilidade de fidelização de um hóspede. A fidelização da clientela tem um dos seus pontos mais delicados o atendimento recebido pelo cliente. Um funcionário motivado proporciona um atendimento muito mais qualificado e muito mais individualizado, capaz de encantar o cliente e fazer com que o mesmo, volte ao hotel. A capacidade e motivação interna são a alma do negócio, pois quem faz a organização não são somente as máquinas e estratégias, mas principalmente as pessoas que a integram. Elas precisam sentir-se integrantes daquele lugar. (GIL, 2001) CONSIDERAÇÕES FINAIS Numa era marcada pela reestruturação, cortes de pessoal e rotatividade tendem a ser vistos como uma atividade natural ou até essencial para a sobrevivência de uma empresa. A grande oferta de mão-de-obra contribui significativamente para que as empresas dispensem empregados sempre que julgarem necessário. Em decorrência disto, os empregados temem por suas vagas, gerando uma insegurança, e, por conseqüência, uma desmotivação do funcionário.

7 Um funcionário desmotivado não produz bem e causa prejuízos para a empresa. A motivação é fundamental para uma boa produtividade e por conseqüência um incremento nos lucros. É necessário criar condições para que os colaboradores desejem permanecer na empresa, sintam a contribuição significativa para o seu desenvolvimento profissional e pessoal. REFERÊNCIAS BECHER, Nelson. Proteja quem serve Quer manter seus clientes? Cuide bem de quem lida com eles. Revista Exame 31/07/2002; VALIM, Carlos Eduardo. Secção Eu & Carreira. Jornal Valor Econômico 09/04/2003; BOHLANDER, George W. Administração de Recursos Humanos. São Paulo: Pioneira Thonson Learning, GIL, Antônio Carlos. Gestão de Pessoas: Enfoque nos Papéis Profissionais. São Paulo. Atlas 2001.

Por que deixar a empresa quando tudo indica que o melhor é ficar?

Por que deixar a empresa quando tudo indica que o melhor é ficar? Por que deixar a empresa quando tudo indica que o melhor é ficar? Cléber Jorge de Mello Silva Adriane Vieira Faculdade de Estudos Administrativos - Fead RESUMO A temática desse artigo está inserida no

Leia mais

Capítulo 1 Bases conceituais da Avaliação de Desempenho Humano

Capítulo 1 Bases conceituais da Avaliação de Desempenho Humano INTRODUÇÃO Na maioria das empresas a avaliação remete quase sempre à gestão do desempenho, cuja ferramenta principal ainda é a avaliação de desempenho. Existem nas organizações diferentes avaliações de

Leia mais

Gestão Estratégica de Pessoas - uma Ferramenta Poderosa

Gestão Estratégica de Pessoas - uma Ferramenta Poderosa Gestão Estratégica de Pessoas - uma Ferramenta Poderosa Renata Fernandes de Oliveira Lima renatartemidia@yahoo.com.br FMN Resumo:O processo de globalização, principalmente na esfera empresarial fez com

Leia mais

QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO X AUTO- REALIZAÇÃO HUMANA

QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO X AUTO- REALIZAÇÃO HUMANA ICPG Instituto Catarinense de Pós-Graduação www.icpg.com.br 1 QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO X AUTO- REALIZAÇÃO HUMANA Silvinha Moretti Instituto Catarinense de Pós-Graduação ICPG Gestão Estratégica de

Leia mais

Trabalho de Conclusão de Curso

Trabalho de Conclusão de Curso UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE Departamento de Administração Graduação Trabalho de Conclusão de Curso O Impacto do Desenvolvimento de Lideranças no Clima

Leia mais

Gestão por Competências Uma Questão de Sobrevivência em um Ambiente Empresarial Incerto

Gestão por Competências Uma Questão de Sobrevivência em um Ambiente Empresarial Incerto Gestão por Competências Uma Questão de Sobrevivência em um Ambiente Empresarial Incerto Andrea Vieira Soares Coordenadora de Qualidade do RAC MBA em Recursos Humanos FGV-RJ Administradora George Albin

Leia mais

Palavras-Chave: Benefícios Espontâneos, Remuneração, Gestão de Pessoas.

Palavras-Chave: Benefícios Espontâneos, Remuneração, Gestão de Pessoas. A implementação do sistema de benefícios espontâneos nas organizações como fator de desenvolvimento empresarial consistente Um panorama da região sul fluminense Ilton Curty Leal Junior 1 Anne Jéferson

Leia mais

Como parar de perder seus talentos

Como parar de perder seus talentos Como parar de perder seus talentos Um guia de como reter seus funcionários O crescimento econômico global deverá ser retomado. E será muito bem acolhido pelas empresas. No entanto, o reaquecimento da economia

Leia mais

CLÍNICA VETERINÁRIA São Paulo 2ª Edição - 2005

CLÍNICA VETERINÁRIA São Paulo 2ª Edição - 2005 CLÍNICA VETERINÁRIA São Paulo 2ª Edição - 2005 ÍNDICE UM ALERTA AO EMPREENDEDOR... 7 PARA NÃO FRACASSAR... 8 SOBRE OPORTUNIDADE... 10 PLANO DE NEGÓCIO: O QUE É? COMO ELABORAR?... 11 O QUE CONSIDERAR NUM

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING. O futuro não está à nossa frente. Ele já aconteceu. (Kotler, 2000, pg.23)

ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING. O futuro não está à nossa frente. Ele já aconteceu. (Kotler, 2000, pg.23) KOTLER, Philip Administração de Marketing 10ª Edição, 7ª reimpressão Tradução Bazán Tecnologia e Lingüística; revisão técnica Arão Sapiro. São Paulo: Prentice Hall, 2000. ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING O futuro

Leia mais

QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO

QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO ISSN 1984-9354 QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO JAQUELINE ARAUJO DOS SANTOS (LATEC / UFF) Resumo: Os temas relacionados à qualidade de vida no trabalho estão cada vez mais sendo objeto de estudo e presentes

Leia mais

GUIA DE GESTÃO FINANCEIRA PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

GUIA DE GESTÃO FINANCEIRA PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS GUIA DE GESTÃO FINANCEIRA PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS 1 Inspire-se, acredite em você e... sucesso! 2 G UIA DE GESTÃO FINANCEIRA PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS Ninguém entra em um jogo para perder, certo?

Leia mais

A Tecnologia da Informação ERP e seus Benefícios na Gestão de Processos e Crescimento dos Negócios

A Tecnologia da Informação ERP e seus Benefícios na Gestão de Processos e Crescimento dos Negócios RESUMO A Tecnologia da Informação ERP e seus Benefícios na Gestão de Processos e Crescimento dos Negócios Autoria: Mágli Rodrigues, Lilian Moreira de Alvarenga Assolari Na busca pela competitividade, as

Leia mais

O VALOR DO CAPITAL INTELECTUAL E A SUA CORRELAÇÃO COM O VALOR DO PATRIMÔNIO ECONÔMICO-FINANCEIRO UM ESTUDO DE CASO

O VALOR DO CAPITAL INTELECTUAL E A SUA CORRELAÇÃO COM O VALOR DO PATRIMÔNIO ECONÔMICO-FINANCEIRO UM ESTUDO DE CASO O VALOR DO CAPITAL INTELECTUAL E A SUA CORRELAÇÃO COM O VALOR DO PATRIMÔNIO ECONÔMICO-FINANCEIRO UM ESTUDO DE CASO 1 ARÃO, Queli 2 GANDOLFO, Dayana 3 DA ROSA, Msc Wanderlan Barreto Resumo A capacidade

Leia mais

TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO NAS ORGANIZAÇÕES LUDMILA LOUZEIRA DE SALLES SÍLVIA LETÍCIA PINTO CARVALHO DE FARIA

TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO NAS ORGANIZAÇÕES LUDMILA LOUZEIRA DE SALLES SÍLVIA LETÍCIA PINTO CARVALHO DE FARIA FACULDADE CATÓLICA DE ANÁPOLIS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO NAS ORGANIZAÇÕES LUDMILA LOUZEIRA DE SALLES SÍLVIA LETÍCIA PINTO CARVALHO DE FARIA

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO PARA O SUCESSO EMPRESARIAL

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO PARA O SUCESSO EMPRESARIAL 1 A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO PARA O SUCESSO EMPRESARIAL Esliane Carecho Borges da Silva (Docente Orientadora das Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS) Márcia Cristina da Silva Leon (Discente do

Leia mais

A COMUNICAÇÃO NA EMPRESA E SUA INFLUÊNCIA NOS PROJETOS. Resumo. Introdução. Sérgio Marcos Silva Leitão 1

A COMUNICAÇÃO NA EMPRESA E SUA INFLUÊNCIA NOS PROJETOS. Resumo. Introdução. Sérgio Marcos Silva Leitão 1 2 A COMUNICAÇÃO NA EMPRESA E SUA INFLUÊNCIA NOS PROJETOS Sérgio Marcos Silva Leitão 1 Resumo Este artigo tem como objetivo mostrar como as falhas no processo de comunicação podem ser uma das principais

Leia mais

O LÍDER E SUA INFLUÊNCIA NA MOTIVAÇÃO DA EQUIPE. Clélia Maria Diniz Carvalho Souza

O LÍDER E SUA INFLUÊNCIA NA MOTIVAÇÃO DA EQUIPE. Clélia Maria Diniz Carvalho Souza 1 O LÍDER E SUA INFLUÊNCIA NA MOTIVAÇÃO DA EQUIPE Clélia Maria Diniz Carvalho Souza 2 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO LIBERTAS CONSULTORIA E TREINAMENTO CENTRO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO CURSO DE

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS: impactos na gestão de pessoas

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS: impactos na gestão de pessoas GESTÃO POR COMPETÊNCIAS: impactos na gestão de pessoas Management based on competencies: impacts on people management 1 Manuela Sampaio Lana1 Victor Cláudio Paradela Ferreira 2 RESUMO Os modelos tradicionais

Leia mais

INFLUÊNCIA DO ESTILO DE LIDERANÇA NOS RESULTADOS ORGANIZACIONAIS: UM ESTUDO DE CASO EM EMPRESA DE CONSULTORIA - ENEO

INFLUÊNCIA DO ESTILO DE LIDERANÇA NOS RESULTADOS ORGANIZACIONAIS: UM ESTUDO DE CASO EM EMPRESA DE CONSULTORIA - ENEO 1 INFLUÊNCIA DO ESTILO DE LIDERANÇA NOS RESULTADOS ORGANIZACIONAIS: UM ESTUDO DE CASO EM EMPRESA DE CONSULTORIA Trabalho apresentado no Encontro de Estudos Organizacionais da Anpad - ENEO 2004. Denise

Leia mais

REMUNERAÇÃO VARIÁVEL: STOCK OPTIONS, VALOR ECONÔMICO AGREGADO, PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS OU RESULTADOS E BENEFÍCIOS FLEXÍVEIS

REMUNERAÇÃO VARIÁVEL: STOCK OPTIONS, VALOR ECONÔMICO AGREGADO, PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS OU RESULTADOS E BENEFÍCIOS FLEXÍVEIS REMUNERAÇÃO VARIÁVEL: STOCK OPTIONS, VALOR ECONÔMICO AGREGADO, PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS OU RESULTADOS E BENEFÍCIOS FLEXÍVEIS Wladmir Henriques Motta,Msc (UFF) mottaw@terra.com.br Funcionários motivados

Leia mais

VIABILIDADE DE ABERTURA DE UMA EMPRESA NO RAMO DE BELEZA E ESTÉTICA

VIABILIDADE DE ABERTURA DE UMA EMPRESA NO RAMO DE BELEZA E ESTÉTICA Instituto de Ciências Econômicas e Gerenciais Curso de Ciências Contábeis VIABILIDADE DE ABERTURA DE UMA EMPRESA NO RAMO DE BELEZA E ESTÉTICA Andréa Gomes de Oliveira Belo Horizonte 2011 Andréa Gomes de

Leia mais

UM MODELO PARA PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

UM MODELO PARA PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA TRABALHO DE GRADUAÇÃO UM MODELO PARA PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE PEQUENAS EMPRESAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Autor: Rodrigo Queiroz da Costa Lima

Leia mais

O futuro do trabalho: Impactos e desafios para as organizações no Brasil

O futuro do trabalho: Impactos e desafios para as organizações no Brasil O futuro do trabalho: Impactos e desafios para as organizações no Brasil anos Sumário Sobre a pesquisa...04 Tendências transformadoras para os negócios...07 Mudanças no perfil do trabalho e nas expectativas

Leia mais

A Gestão de Pessoas em Organizações Sem Fins Lucrativos: Principais Dilemas e Desafios

A Gestão de Pessoas em Organizações Sem Fins Lucrativos: Principais Dilemas e Desafios A Gestão de Pessoas em Organizações Sem Fins Lucrativos: Principais Dilemas e Desafios Sara Maria Costa Garay samacoga@gmail.com UFRJ Resumo:Levando em conta a necessidade crescente por profissionalização

Leia mais

Fatores organizacionais que geram insatisfação no servidor público e comprometem a qualidade dos serviços prestados

Fatores organizacionais que geram insatisfação no servidor público e comprometem a qualidade dos serviços prestados Fatores organizacionais que geram insatisfação no servidor público e comprometem a qualidade dos serviços prestados Ligia Maria Fonseca Affonso (AEDB) ligia.affonso@yahoo.com.br Henrique Martins Rocha

Leia mais

O lucro está no pós-venda

O lucro está no pós-venda O lucro está no pós-venda Algumas empresas de vanguarda conseguiram fazer com que o serviço pós-venda passasse de um centro de custo a uma vantagem competitiva. Por Paul F. Inglis Onde reside o maior potencial

Leia mais

Empresa familiar, suas vantagens, desvantagens e desafios: o caso da empresa Recuperadora Bras Soldas Ltda

Empresa familiar, suas vantagens, desvantagens e desafios: o caso da empresa Recuperadora Bras Soldas Ltda Empresa familiar, suas vantagens, desvantagens e desafios: o caso da empresa Recuperadora Bras Soldas Ltda Júnior de Andrade Centurion 1 José Jair Soares Viana 1 juninho.pj@terra.com.br jair100@gmail.com

Leia mais

A Importância do Desenvolvimento Humano para a Organização

A Importância do Desenvolvimento Humano para a Organização 1 A Importância do Desenvolvimento Humano para a Organização Isaura Fogari 1 Edgard Sérgio Teixeira 2 Resumo Na busca por sobrevivência no mercado muito competitivo da atualidade, as organizações precisam

Leia mais

Porque seus sonhos precisam de ação.

Porque seus sonhos precisam de ação. Porque seus sonhos precisam de ação. ATENÇÃO Este texto visa a fornecer informações institucionais sobre a economia e o mercado de valores mobiliários brasileiros. Não é uma recomendação de investimento

Leia mais