I TORNEIO DE INTEGRAÇÃO CIENTÍFICA TIC

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "I TORNEIO DE INTEGRAÇÃO CIENTÍFICA TIC"

Transcrição

1 I TORNEIO DE INTEGRAÇÃO CIENTÍFICA TIC EDITAL DE CONCRETO CONVENCIONAL ÁREA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO Maceió 2012

2 1 Introdução O concreto é material construtivo amplamente disseminado. Podemos encontrá-lo em nossas casas de alvenaria, em rodovias, em pontes, nos edifícios mais altos do mundo, em torres de resfriamento, em usinas hidrelétricas e nucleares, em obras de saneamento, até em plataformas de extração petrolífera móveis. Estima-se que anualmente são consumidas 11 bilhões de toneladas de concreto, o que dá, segundo a Federación Iberoamericana de Hormigón Premesclado (FIHP), aproximadamente, um consumo médio de 1,9 tonelada de concreto por habitante por ano, valor inferior apenas ao consumo de água. No Brasil, o concreto que sai de centrais dosadoras gira em torno de 30 milhões de metros cúbicos. De maneira sucinta, pode-se afirmar que o concreto é uma pedra artificial que se molda à inventividade construtiva do homem. Este foi capaz de desenvolver um material que, depois de endurecido, tem resistência similar às das rochas naturais e, quando no estado fresco, é composto plástico: possibilita sua modelagem em formas e tamanhos os mais variados. (Revista CONCRETO, nº 53, jan./mar. 2009) 2 Objetivo O presente edital objetiva regulamentar os procedimentos do Torneio de Integração Científica (TIC), na prova de criação de concreto convencional. Onde os participantes moldarão três corpos-de-prova de concreto, com dimensões pré-estabelecidas e que seja capaz de atingir altas resistências no ensaio de compressão axial. Este desafio pretende testar a habilidade dos competidores na produção de concreto resistente. 3 Metodologia Ao fim do prazo de inscrição, as equipes terão 1 (uma) semana para revisão bibliográfica (vide item 5.2 para consulta de datas importantes) e durante essa semana poderão agendar uma visita ao laboratório juntamente ao monitor de sua equipe (vide item 3.3) para conhecer o ambiente do

3 laboratório e eventual esclarecimento de dúvidas. Essa visita deverá ocorrer na semana imediatamente posterior à revisão bibliográfica Materiais e Confecção dos Corpos de prova As confecções dos corpos de prova tal como seu rompimento serão feitas no Núcleo de Pesquisas Tecnológicas (NPT) sob supervisão de monitores e técnicos do Laboratório de Estruturas e Materiais (LEMA). O concreto produzido será do tipo convencional e o traço utilizado - ou seja, a proporção de cada material - deverá ser estabelecido pela equipe, de modo que seja utilizado APENAS os seguintes materiais: Cimento Porland Brita Areia Água Os materiais necessários para realização do desafio, assim como os equipamentos, serão disponibilizados pelo LEMA. Nenhuma equipe estará autorizada a utilizar outro material diferente dos anteriormente citados Procedimento Os participantes deverão produzir uma quantidade suficiente de concreto para moldá-lo em três corpos de prova cilíndricos com dimensões 10cmx20cm (diâmetro x altura). Feito isso, os corpos de prova ficarão em cura úmida por período de 28 dias, até que sejam rompidos. Durante qualquer etapa do procedimento experimental a equipe deve, obrigatoriamente, estar acompanhada do monitor ou de um técnico do laboratório. Não estando a mesma autorizada a utilizar nenhum equipamento sem prévia liberação. 3.3 Monitoria Cada equipe será acompanhada por um monitor que será responsável por auxiliar o grupo sendo possível também o esclarecimento de dúvidas com o monitor online. Os monitores receberão um treinamento, organizado pelo Programa Especial de Capacitação Discente (PEC), no qual aprenderão

4 suas responsabilidades e deveres, de tal forma a não influenciarem na nota final das equipes participantes. Os monitores presenciais acompanharão suas equipes nos dias de visita ao laboratório e confecção dos corpos de prova. Já o monitor online será responsável por sanar dúvidas via ou chat online, sendo todos esses meios de comunicação divulgados após o início do torneio Relatório Após o rompimento dos corpos de prova, cada equipe deverá elaborar um relatório para avaliação, narrando sucintamente o procedimento experimental e o traço adotados. Esse relatório será corrigido por uma banca avaliadora composta por professores do Centro de Tecnologia (CTEC). 4 Formas de avaliação Para determinar a equipe vencedora serão feitas as seguintes avaliações: 4.1 Etapa experimental Avaliação visual e geométrica: Serão avaliadas as características geométricas dos corpos de prova, verificando se os mesmos possuem dimensões condizentes com as apresentadas pelo edital, podendo apresentar variação de 2% para cada dimensão (altura ou diâmetro). Ainda nessa inspeção será avaliada a qualidade da moldagem dos corpos, observando a ausência de trincas, quebras, superfícies irregulares e deformações. Nessa avaliação o corpo de prova poderá ser considerado: Tabela 1 Situação Pontuação (C i *) Aprovado 1 Aprovado com penalização 0,8 Reprovado Corpo de prova eliminado

5 *C i = Coeficiente de inspeção visual e geométrica. Sendo i a especificação numérica para diferenciar cada corpo de prova, assumindo os valores 1, 2 ou 3. Neste item, recomenda-se a leitura da NBR 5738 Concreto Procedimento para moldagem e cura dos corpos de prova. I) Aprovação Corpos de prova serão aprovados quando atenderem às exigências do item 3.1 II) Penalização Serão aprovados com penalização os corpos de prova que apresentarem variações em quaisquer dimensões maiores que 2% e menores ou iguais a 4%. Também receberão penalizações os que apresentarem deficiência de moldagem como previamente exemplificada no item III) Reprovação Serão reprovados os corpos de prova que por sua moldagem ineficaz sejam considerados inaptos à submissão do ensaio de compressão axial. A reprovação também será aplicada aos corpos que apresentarem variações em quaisquer dimensões maiores que 4% Resistências à compressão axial Verificada a aptidão no item 4.1, os corpos de prova serão rompidos por compressão axial, onde serão registradas as cargas máximas de ruptura (R) em quilograma- força (Kgf) que serão convertidas para megapascal MPa. Para fins práticos de aplicação será adotado: (Equação 1) Com os resultados dos rompimentos dos 3 corpos de prova de cada equipe, serão descartados o de maior e o de menor valor de carga de ruptura, sendo o aproveitado o que apresentar a carga

6 intermediária. Desse modo, a equipe que alcançar maior valor intermediário de resistência, receberá nota 10 nesse quesito, sendo a nota das demais equipes encontradas por regra de três simples. (Equação 2) Sendo o valor da Nota (N) de cada equipe multiplicada pelo valor do coeficiente de inspeção visual e geométrica (C i ) do respectivo corpo de prova. Desse modo encontraremos o valor da pontuação (P) alcançada na etapa experimental. Logo: 4.2 Relatório (Equação 3) As equipes deverão elaborar um relatório explicando sucintamente o procedimento experimental adotado. Este relatório deverá ser entregue na data estabelecida no item 5.2. Os relatórios serão avaliados por professores do Centro de Tecnologia especializados. Estes atribuirão notas aos relatórios que serão convertidas em um coeficiente para cálculo do resultado final. O valor do Coeficiente do relatório é determinado pela tabela a seguir: Tabela 2 Nota do Relatório Coeficiente (CR)* 9 Nota Nota 9 0,9 7 Nota 8 0,8 7 > Nota 0,7 *CR = Coeficiente de Relatório 5 Regulamento específico 5.1 Das Equipes Está PROIBIDA a participação de alunos com pesquisas na área de materiais de construção e construção civil nesse desafio.

7 Cada equipe deverá ser composta por no mínimo 2 (dois) e no máximo 4 (quatro) alunos da UFAL matriculados do 1º ao 8º período. 5.2 Das Datas Tabela 3 Ações Datas Inscrições 01/10/12 até 26/10/12 Revisão Bibliográfica 29/10/12 até 04/11/12 Apresentação do Laboratório 05/11/12 até 08/11/12 Confecção de Corpo de Prova 09/11/12 Ruptura dos Corpos de Prova 07/12/12 Entrega dos Relatórios 07/12/12 até 14/12/12 Resultados e premiação 16/01/ Do Resultado Final O resultado será divulgado no dia 16 de janeiro de 2013, conforme a tabela 3, onde será divulgada a pontuação final de cada equipe. Esta é calculada por: (Equação 4) Sendo declarada campeã a equipe que alcançar a maior pontuação final (PF). 5.4 Dos critérios de desempate Caso haja empate entre duas ou mais equipes, será considerada a vencedora a equipe que respectivamente: 1 Alcançar o maior valor de carga de ruptura em um dos corpos de prova 2 Obtiver maior nota no relatório 3 Equipe que primeiro tiver realizado sua inscrição no TIC

8 5.5 Da Eliminação da Equipe A equipe será considerada desistente caso não haja o comparecimento de no mínimo 1 (um) membro no laboratório no dia e hora estabelecidos para confecção dos corpos de prova ou que o relatório não seja entregue até a data máxima estabelecida. 6 Considerações Finais Qualquer fato ocorrido que estiver fora das especificações do edital e que seja solicitado por equipe que considere lesada, sofrerá sufrágio universal entre os membros da organização.

TecnoFacens º Concurso de Concreto Colorido CONCRETAR

TecnoFacens º Concurso de Concreto Colorido CONCRETAR TecnoFacens 2017 5º Concurso de Concreto Colorido CONCRETAR Regulamento do 5º Concurso de Concreto Colorido (Concretar) 1. OBJETIVO 1.1 Este concurso pretende testar a habilidade dos competidores na preparação

Leia mais

TecnoFacens º Maratona de Dosagem de Concreto TEMA: Concreto Leve

TecnoFacens º Maratona de Dosagem de Concreto TEMA: Concreto Leve TecnoFacens 2017 1º Maratona de Dosagem de Concreto TEMA: Concreto Leve Regulamento do 1ª Maratona de Dosagem de Concreto 1. OBJETIVO 1.1 Esta maratona pretende testar a habilidade dos competidores em

Leia mais

CONCURSO II CONCURSO DO CONCRETO

CONCURSO II CONCURSO DO CONCRETO CONCURSO II CONCURSO DO CONCRETO REGULAMENTO 2013 a) Objetivos: O concurso compreende a elaboração de um corpo de prova de concreto a ser submetido ao ensaio de resistência à compressão axial e a elaboração

Leia mais

REGULAMENTO DO PRIMEIRO CONCURSO CONCREBOL FATEC TATUAPÉ 2016

REGULAMENTO DO PRIMEIRO CONCURSO CONCREBOL FATEC TATUAPÉ 2016 REGULAMENTO DO PRIMEIRO CONCURSO CONCREBOL FATEC TATUAPÉ 2016 1 OBJETIVO 1.1 O objetivo deste concurso é testar a habilidade dos competidores no desenvolvimento de métodos construtivos e produção de concretos

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO CONCRETO COLORIDO DE ALTA RESISTÊNCIA COCAR 2016

REGULAMENTO DO CONCURSO CONCRETO COLORIDO DE ALTA RESISTÊNCIA COCAR 2016 REGULAMENTO DO CONCURSO CONCRETO COLORIDO DE ALTA RESISTÊNCIA COCAR 2016 1/11 1 OBJETIVO 1.1 Este Concurso tem por objetivo testar a habilidade dos competidores na preparação de concretos resistentes e

Leia mais

High Perfomance Color Concrete

High Perfomance Color Concrete CENTRO UNIVERSITÁRIO TUPY DESAFIO DA ENGENHARIA CIVIL High Perfomance Color Concrete Joinville Setembro 2016 2 REGULAMENTO OBJETIVO: Moldar um corpo-de-prova com concreto de alto desempenho, colorido,

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO CONCRETO COLORIDO DE ALTA RESISTÊNCIA COCAR 2015

REGULAMENTO DO CONCURSO CONCRETO COLORIDO DE ALTA RESISTÊNCIA COCAR 2015 1/11 REGULAMENTO DO CONCURSO CONCRETO COLORIDO DE ALTA RESISTÊNCIA COCAR 2015 1 OBJETIVO 1.1 Este Concurso tem por objetivo testar a habilidade dos competidores na preparação de concretos resistentes e

Leia mais

CONCRETO COLORIDO ECOEFICIENTE Eco-CC 2012

CONCRETO COLORIDO ECOEFICIENTE Eco-CC 2012 REGULAMENTO DO 3º CONCURSO CONCRETO COLORIDO ECOEFICIENTE Eco-CC 2012 1 OBJETIVO Moldar um corpo-de-prova com concreto colorido ecoeficiente, com dimensões préestabelecidas que seja capaz de atingir altas

Leia mais

MERCADO NEWTON CURSO DE ENGENHARIA CIVIL CONCRETO COLORIDO DE ALTA RESISTÊNCIA - COCAR 2017/1

MERCADO NEWTON CURSO DE ENGENHARIA CIVIL CONCRETO COLORIDO DE ALTA RESISTÊNCIA - COCAR 2017/1 MERCADO NEWTON CURSO DE ENGENHARIA CIVIL REGULAMENTO DO 4º CONCURSO CONCRETO COLORIDO DE ALTA RESISTÊNCIA - COCAR 2017/1 1 OBJETIVO 1.1 Este Concurso tem por objetivo testar a habilidade dos competidores

Leia mais

I COMPETIÇÃO ARGAMASHOW

I COMPETIÇÃO ARGAMASHOW I COMPETIÇÃO ARGAMASHOW 1. APRESENTAÇÃO A Universidade Potiguar - UnP, através da Comissão Organizadora do V Workshop da Escola de Engenharia e Ciências exatas (WEECE) Unidade Nascimento de Castro, torna

Leia mais

CONCRETO COLORIDO DE ALTA RESISTÊNCIA COCAR 2014

CONCRETO COLORIDO DE ALTA RESISTÊNCIA COCAR 2014 1/11 REGULAMENTO DO 1º CONCURSO CONCRETO COLORIDO DE ALTA RESISTÊNCIA COCAR 2014 1 OBJETIVO 1.1 Este Concurso tem por objetivo testar a habilidade dos competidores na preparação de concretos resistentes

Leia mais

MERCADO NEWTON - CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DOSAGEM 2017/1

MERCADO NEWTON - CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DOSAGEM 2017/1 MERCADO NEWTON - CURSO DE ENGENHARIA CIVIL REGULAMENTO DO 1º CONCURSO DOSAGEM 2017/1 1 DISPOSIÇÕES GERAIS 1.1 O Concurso DOSAGEM diz respeito à avaliação da resistência à compressão de um corpo de prova

Leia mais

CONCREBOL UNISOCIESC

CONCREBOL UNISOCIESC CENTRO UNIVERSITÁRIO TUPY CENTRO UNIVERSITÁRIO TUPY OLIMPÍADAS DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DESAFIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL CONCREBOL UNISOCIESC Joinville Setembro 2014 2 REGULAMENTO TEMA: CONCREBOL OBJETIVO: Construir

Leia mais

HIGH PERFORMANCE COLOR CONCRETE HPCC 2011

HIGH PERFORMANCE COLOR CONCRETE HPCC 2011 1/7 REGULAMENTO DO 2º CONCURSO HIGH PERFORMANCE COLOR CONCRETE HPCC 2011 1 OBJETIVO Moldar um corpo-de-prova com concreto de alto desempenho colorido, com dimensões pré-estabelecidas que seja capaz de

Leia mais

REGULAMENTO DO 2º CONCURSO CONCREBOL 2017

REGULAMENTO DO 2º CONCURSO CONCREBOL 2017 REGULAMENTO DO 2º CONCURSO CONCREBOL 2017 O concurso da amostra competitiva "CONCREBOL" é o desafio de construir uma esfera (BOLA) de concreto leve, com os materiais e as dimensões estabelecidos neste

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO CONCREBOL 2016

REGULAMENTO CONCURSO CONCREBOL 2016 REGULAMENTO CONCURSO CONCREBOL 2016 1/11 1 OBJETIVO 1.1 Este Concurso tem por objetivo testar a habilidade dos competidores no desenvolvimento de métodos construtivos e na produção de concretos leves homogêneos

Leia mais

I TORNEIO DE INTEGRAÇÃO CIENTÍFICA TIC

I TORNEIO DE INTEGRAÇÃO CIENTÍFICA TIC I TORNEIO DE INTEGRAÇÃO CIENTÍFICA TIC Edital do Desafio Área: Petróleo, Gás e Biocombustíveis Tema: Produção de Biocombustíveis Maceió 2012 1. INTRODUÇÃO As razões para o interesse pelos biocombustíveis

Leia mais

CONCRETO COLORIDO DE ALTA RESISTÊNCIA COCAR 2016

CONCRETO COLORIDO DE ALTA RESISTÊNCIA COCAR 2016 REGULAMENTO DO 3º CONCURSO CONCRETO COLORIDO DE ALTA RESISTÊNCIA COCAR 2016 1/11 1 OBJETIVO 1.1 Este Concurso tem por objetivo testar a habilidade dos competidores na preparação de concretos resistentes,

Leia mais

REGULAMENTO DO 1º CONCURSO CONCREBOL 2015

REGULAMENTO DO 1º CONCURSO CONCREBOL 2015 REGULAMENTO DO 1º CONCURSO CONCREBOL 2015 1/11 1 OBJETIVO 1.1Este Concurso tem por objetivo testar a habilidade dos competidores no desenvolvimento de métodos construtivos e na produção de concretos leves

Leia mais

VII SAECI SEMANA ACADÊMICA DE ENGENHARIA CIVIL

VII SAECI SEMANA ACADÊMICA DE ENGENHARIA CIVIL REGULAMENTO DA 1ª COMPETIÇÃO DO CONCRETO COM A MAIOR RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO AXIAL VII SAECI SEMANA ACADÊMICA DE ENGENHARIA CIVIL 1. OBJETIVO Dosar concreto que, na idade de 14 (quatorze) dias, possua

Leia mais

REGULAMENTO DO 7º CONCURSO CONCREBOL 2010

REGULAMENTO DO 7º CONCURSO CONCREBOL 2010 1/9 REGULAMENTO DO 7º CONCURSO CONCREBOL 2010 1) OBJETIVO Construir uma esfera (bola) de concreto simples, com dimensões pré-estabelecidas, que seja capaz de rolar em uma trajetória retilínea. Este concurso

Leia mais

Edital do 1º CONCREBOL / CEULP ULBRA. Centro Acadêmico de Engenharia Civil

Edital do 1º CONCREBOL / CEULP ULBRA. Centro Acadêmico de Engenharia Civil Edital do 1º CONCREBOL / CEULP ULBRA Centro Acadêmico de Engenharia Civil 1) OBJETIVO 1.1. Construir uma esfera (bola) de concreto simples, com dimensões pré-estabelecidas, que seja capaz de rolar em uma

Leia mais

CONTROLE TECNOLÓGICO DO CONCRETO

CONTROLE TECNOLÓGICO DO CONCRETO 13. CONEX Pôster Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( X ) TECNOLOGIA CONTROLE

Leia mais

REGULAMENTO DO 10º CONCURSO CONCREBOL 2013

REGULAMENTO DO 10º CONCURSO CONCREBOL 2013 REGULAMENTO DO 10º CONCURSO CONCREBOL 2013 1 OBJETIVO Construir uma esfera (bola) de concreto leve, com dimensões pré-estabelecidas, que seja capaz de rolar em uma trajetória retilínea. Este Concurso pretende

Leia mais

VII SAECI SEMANA ACADÊMICA DE ENGENHARIA CIVIL

VII SAECI SEMANA ACADÊMICA DE ENGENHARIA CIVIL REGULAMENTO DA 1ª COMPETIÇÃO DE CONCRETO COM A MENOR DISPERSÃO DA RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO AXIAL VII SAECI SEMANA ACADÊMICA DE ENGENHARIA CIVIL 1. OBJETIVO Dosar concreto à compressão, utilizando método

Leia mais

CONCRETO: QUEM SABE, FAZ AO VIVO 2017

CONCRETO: QUEM SABE, FAZ AO VIVO 2017 REGULAMENTO DO 1º CONCURSO CONCRETO: QUEM SABE, FAZ AO VIVO 2017 1/10 1 OBJETIVO 1.1 Este Concurso tem por objetivo avaliar a habilidade dos competidores na dosagem de concretos autoadensáveis coesos com

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II TECNOLOGIA DA ARGAMASSA E DO CONCRETO

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II TECNOLOGIA DA ARGAMASSA E DO CONCRETO SEÇÃO DE ENSINO DE ENGENHARIA DE FORTIFICAÇÃO E CONSTRUÇÃO MAJ MONIZ DE ARAGÃO MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II TECNOLOGIA DA ARGAMASSA E DO CONCRETO Resistência característica da dosagem. Responsabilidades

Leia mais

SEMANA DE ENGENHARIA E ARQUITETURA REGULAMENTO DO 2º CONCURSO DOSAGEM CBUQ 2017/2

SEMANA DE ENGENHARIA E ARQUITETURA REGULAMENTO DO 2º CONCURSO DOSAGEM CBUQ 2017/2 SEMANA DE ENGENHARIA E ARQUITETURA REGULAMENTO DO 2º CONCURSO DOSAGEM CBUQ 2017/2 1 DISPOSIÇÕES GERAIS 1.1 O Concurso DOSAGEM CBUQ diz respeito à avaliação da resistência à compressão diametral de um corpo

Leia mais

EDITAL - CONCREBOL 2017

EDITAL - CONCREBOL 2017 EDITAL - CONCREBOL 2017 PALMAS TO. 20/03/2017 1.0 OBJETIVO 1.1 Este Concurso tem por objetivo testar a habilidade dos competidores no desenvolvimento de métodos construtivos e na produção de concretos

Leia mais

AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO NO CONCRETO EM IDADES AVANÇADAS

AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO NO CONCRETO EM IDADES AVANÇADAS AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO NO CONCRETO EM IDADES AVANÇADAS Lucas Palma Tasca 1 ; Francislaine Facina 2, Janaina de Melo Franco³, Judson Ribeiro RESUMO: O concreto é um dos materiais mais utilizados

Leia mais

MERCADO NEWTON - CURSOS DE ENGENHARIA E ARQUITETURA A PONTE 2017/2

MERCADO NEWTON - CURSOS DE ENGENHARIA E ARQUITETURA A PONTE 2017/2 MERCADO NEWTON - CURSOS DE ENGENHARIA E ARQUITETURA REGULAMENTO DO 3º CONCURSO A PONTE 2017/2 1 DISPOSIÇÕES GERAIS 1.1 O Concurso A PONTE diz respeito à avaliação do protótipo de uma ponte, construída

Leia mais

REGULAMENTO DO 12º CONCURSO CONCREBOL 2015

REGULAMENTO DO 12º CONCURSO CONCREBOL 2015 REGULAMENTO DO 12º CONCURSO 1/11 CONCREBOL 2015 1 OBJETIVO 1.1 Este Concurso tem por objetivo testar a habilidade dos competidores no desenvolvimento de métodos construtivos e na produção de concretos

Leia mais

1 MERCADO NEWTON - CURSOS DE ENGENHARIA E ARQUITETURA A PONTE 2017/1

1 MERCADO NEWTON - CURSOS DE ENGENHARIA E ARQUITETURA A PONTE 2017/1 1 MERCADO NEWTON - CURSOS DE ENGENHARIA E ARQUITETURA REGULAMENTO DO 2º CONCURSO A PONTE 2017/1 2 DISPOSIÇÕES GERAIS 2.1 O Concurso A PONTE diz respeito à avaliação do protótipo de uma ponte, construída

Leia mais

CENTRO PAULA SOUZA FATEC PIRACICABA

CENTRO PAULA SOUZA FATEC PIRACICABA CENTRO PAULA SOUZA FATEC PIRACICABA Regulamento do Programa de Iniciação Científica da Unidade Fatec Piracicaba Sumário Lista de Anexos... 3 1. Introdução... 4 2. Sobre o Projeto de Iniciação Científica...

Leia mais

TecnoFacens 2017 III DESAFIO ESTRUTURAL. TecnoFacens º Desafio Estrutural

TecnoFacens 2017 III DESAFIO ESTRUTURAL. TecnoFacens º Desafio Estrutural TecnoFacens 2017 III DESAFIO ESTRUTURAL TecnoFacens 2017 5º Desafio Estrutural 1 Regulamento do 5º Desafio Estrutural 1. DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Neste Desafio, os alunos irão construir com palito de pipa,

Leia mais

FEPI - CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ITAJUBÁ CURSO DE ENGENHARIA MECANICA I TORNEIO DE GUINDASTE

FEPI - CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ITAJUBÁ CURSO DE ENGENHARIA MECANICA I TORNEIO DE GUINDASTE FEPI - CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ITAJUBÁ CURSO DE ENGENHARIA MECANICA I TORNEIO DE GUINDASTE ITAJUBÁ 2015 GUINDASTE DE MACARRÃO ENGENHARIA MECANICA FEPI E-MAIL: mecanica@fepi.br 1 DISPOSIÇÕES GERAIS O torneio

Leia mais

Coordenação/Colegiado ao(s) qual(is) será vinculado: Engenharia Civil

Coordenação/Colegiado ao(s) qual(is) será vinculado: Engenharia Civil FORMULÁRIO PARA INSCRIÇÃO DE PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA. Coordenação/Colegiado ao(s) qual(is) será vinculado: Engenharia Civil Curso (s) : Engenharia Civil Nome do projeto: CARACTERIZAÇÃO DO MÓDULO

Leia mais

ESTUDO PARA UTILIZAÇÃO DE AREIA DE FUNDIÇÃO EM ELEMENTOS DE CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND 1

ESTUDO PARA UTILIZAÇÃO DE AREIA DE FUNDIÇÃO EM ELEMENTOS DE CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND 1 ESTUDO PARA UTILIZAÇÃO DE AREIA DE FUNDIÇÃO EM ELEMENTOS DE CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND 1 Gabriela Blatt 2, Pedro Goecks 3, Cristiane Carine Dos Santos 4, Geannina Terezinha Dos Santos Lima 5, Cristina

Leia mais

OLIMPÍADA CATARINENSE DE REDAÇÃO. 1 a Edição

OLIMPÍADA CATARINENSE DE REDAÇÃO. 1 a Edição OLIMPÍADA CATARINENSE DE REDAÇÃO 1 a Edição 1. Responsabilidade: A 1ª Olimpíada Catarinense de Redação (OCR 2016) é um projeto, sem fins lucrativos, realizado pela Secretaria de Educação do Estado, em

Leia mais

II CONCURSO DE PONTES DE MACARRÃO DA SEMANA DE ENGENHARIA CIVIL - UFRJ

II CONCURSO DE PONTES DE MACARRÃO DA SEMANA DE ENGENHARIA CIVIL - UFRJ II CONCURSO DE PONTES DE MACARRÃO DA SEMANA DE ENGENHARIA CIVIL - UFRJ 1 DISPOSIÇÕES GERAIS 1.1 Inscrição 1.1.1 Cada equipe poderá participar com apenas uma ponte e cada pessoa só poderá integrar uma única

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE CRUZEIRO EDITAL PARA MONITORIA 1º semestre/2016

ESCOLA SUPERIOR DE CRUZEIRO EDITAL PARA MONITORIA 1º semestre/2016 ESCOLA SUPERIOR DE CRUZEIRO EDITAL PARA MONITORIA 1º semestre/2016 A Escola Superior de Cruzeiro - ESC, torna público e aberto, para conhecimento dos alunos interessados, a concorrência para monitoria

Leia mais

UNICESUMAR CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MARINGÁ EDITAL VI TORNEIO PROFESSOR MAURO ARAÚJO VI TORNEIO PROFESSOR MAURO ARAÚJO UNICESUMAR.

UNICESUMAR CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MARINGÁ EDITAL VI TORNEIO PROFESSOR MAURO ARAÚJO VI TORNEIO PROFESSOR MAURO ARAÚJO UNICESUMAR. UNICESUMAR CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MARINGÁ EDITAL VI TORNEIO PROFESSOR MAURO ARAÚJO VI TORNEIO PROFESSOR MAURO ARAÚJO UNICESUMAR Edital MARINGÁ-PR 2016 DISPOSIÇÕES GERAIS O torneio Ponte de Macarrão do

Leia mais

Ensaio de compressão

Ensaio de compressão A UU L AL A Ensaio de compressão Podemos observar o esforço de compressão na construção mecânica, principalmente em estruturas e em equipamentos como suportes, bases de máquinas, barramentos etc. Às vezes,

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE PÓ DE SERRA PARA CURA DO CONCRETO

UTILIZAÇÃO DE PÓ DE SERRA PARA CURA DO CONCRETO Resumo UTILIZAÇÃO DE PÓ DE SERRA PARA CURA DO CONCRETO Célio Sebastião Rigo Discente do C. S. de Tecnologia em Controle de Obras, IFMT Campus Cuiabá Marcos de Oliveira Valin Jr Prof. Esp. do IFMT, Campus

Leia mais

Estudo comparativo da resistência à compressão obtida entre concreto produzido com areia artificial e areia natural

Estudo comparativo da resistência à compressão obtida entre concreto produzido com areia artificial e areia natural - 1 - Ministério da Educação Brasil Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri UFVJM Minas Gerais Brasil Revista Vozes dos Vales: Publicações Acadêmicas Reg.: 120.2.095 2011 UFVJM ISSN: 2238-6424

Leia mais

EDITAL Nº 10 DE 29 DE MARÇO 2017 CONCURSO PARA ELABORAÇÃO DE LOGOTIPO PARA SEMANA ACADÊMICA DE MODA DO IFRS - CAMPUS ERECHIM

EDITAL Nº 10 DE 29 DE MARÇO 2017 CONCURSO PARA ELABORAÇÃO DE LOGOTIPO PARA SEMANA ACADÊMICA DE MODA DO IFRS - CAMPUS ERECHIM Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Erechim EDITAL Nº 10 DE 29 DE MARÇO 2017 CONCURSO

Leia mais

DISCUSSÃO ATUAL NÃO CONFORMIDADE DO CONCRETO

DISCUSSÃO ATUAL NÃO CONFORMIDADE DO CONCRETO DISCUSSÃO ATUAL NÃO CONFORMIDADE DO CONCRETO Concretos fornecidos podem não estar atingindo a resistência à compressão pedida nos projetos estruturais. Polêmica envolve construtores, concreteiras, projetistas

Leia mais

IV Seminário de Iniciação Científica VIABILIDADE DE UTILIZAÇÃO DE PNEUS INSERVÍVEIS COMO AGREGADOS NA COMPOSIÇÃO DE CONCRETO PARA CALÇADA DE BORRACHA

IV Seminário de Iniciação Científica VIABILIDADE DE UTILIZAÇÃO DE PNEUS INSERVÍVEIS COMO AGREGADOS NA COMPOSIÇÃO DE CONCRETO PARA CALÇADA DE BORRACHA Inhumas, 16 e 1 de setembro de 2010 VIABILIDADE DE UTILIZAÇÃO DE PNEUS INSERVÍVEIS COMO AGREGADOS NA COMPOSIÇÃO DE CONCRETO PARA CALÇADA DE BORRACHA Daniele Elias dos Santos/Bolsista dani_esantos@yahoo.com.br

Leia mais

CONCRETO COLORIDO DE ALTA RESISTÊNCIA COCAR 2017

CONCRETO COLORIDO DE ALTA RESISTÊNCIA COCAR 2017 REGULAMENTO DO 4º CONCURSO CONCRETO COLORIDO DE ALTA RESISTÊNCIA COCAR 2017 1/12 1 OBJETIVO 1.1 Este Concurso tem por objetivo testar a habilidade dos competidores na preparação de concretos resistentes,

Leia mais

TecnoFacens 2016. CONCRETAR Desafio do Concreto Colorido

TecnoFacens 2016. CONCRETAR Desafio do Concreto Colorido TecnoFacens 2016 CONCRETAR Desafio do Concreto Colorido REGULAMENTO DO 4º CONCRETAR Desafio do Concreto Colorido 1. OBJETIVO 1.1 Este concurso pretende testar a habilidade dos competidores na preparação

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PARA BOLSISTAS PET ENGENHARIA DE ALIMENTOS

EDITAL DE SELEÇÃO PARA BOLSISTAS PET ENGENHARIA DE ALIMENTOS 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Pró-Reitoria de Graduação Instituto de Ciência e Tecnologia de Alimentos PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL PET-Engenharia de Alimentos / SESU / MEC EDITAL DE SELEÇÃO

Leia mais

OLIMPÍADA CATARINENSE DE REDAÇÃO. 5 a EDIÇÃO

OLIMPÍADA CATARINENSE DE REDAÇÃO. 5 a EDIÇÃO OLIMPÍADA CATARINENSE DE REDAÇÃO 5 a EDIÇÃO 1. Responsabilidade: A 1ª Olimpíada Catarinense de Redação (OCR 2016) é um projeto, sem fins lucrativos, realizados pela Imaginie, em parceria com a Secretaria

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PARA BOLSISTAS PET ENGENHARIA DE ALIMENTOS

EDITAL DE SELEÇÃO PARA BOLSISTAS PET ENGENHARIA DE ALIMENTOS 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Pró-Reitoria de Graduação Instituto de Ciência e Tecnologia de Alimentos PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL PET-Engenharia de Alimentos / SESU / MEC EDITAL DE SELEÇÃO

Leia mais

EDITAL MONITORIA 2013

EDITAL MONITORIA 2013 EDITAL MONITORIA 2013 SELEÇÃO DE ALUNOS DO CURSO DE ENFERMAGEM PARA EXERCÍCIO DA MONITORIA DE DISCIPLINAS TEÓRICO PRÁTICAS, CONFORME ESTABELECE ESTE EDITAL A coordenação do Curso de Enfermagem torna público

Leia mais

PRODUÇÃO DE CONCRETO COM USO DE AGREGADOS RECICLADOS ORIUNDOS DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL 1

PRODUÇÃO DE CONCRETO COM USO DE AGREGADOS RECICLADOS ORIUNDOS DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL 1 PRODUÇÃO DE CONCRETO COM USO DE AGREGADOS RECICLADOS ORIUNDOS DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL 1 Daniela Dolovitsch De Oliveira 2, Felipe Dalla Nora Soares 3, Giovanni Dos Santos Batista 4, Júlia Regina

Leia mais

Regulamento para o PROCESSO SELETIVO TROIA-02/2016

Regulamento para o PROCESSO SELETIVO TROIA-02/2016 Regulamento para o PROCESSO SELETIVO TROIA-02/2016 Este Regulamento da Equipe TROIA Tecnologia, Robótica, Otimização e Inteligência Artificial irá reger o Processo Seletivo da Equipe no segundo semestre

Leia mais

Regulamento para o PROCESSO SELETIVO TROIA-02/2017

Regulamento para o PROCESSO SELETIVO TROIA-02/2017 Regulamento para o PROCESSO SELETIVO TROIA-02/2017 Este Regulamento da Equipe TROIA Tecnologia, Robótica, Otimização e Inteligência Artificial irá reger o Processo Seletivo da Equipe no segundo semestre

Leia mais

ANÁLISE DA UTILIZAÇÃO DA CINZA GERADA A PARTIR DO PROCESSO DE QUEIMA DO BAGAÇO DA CANA-DE-AÇÚCAR NA PRODUÇÃO DE CONCRETO

ANÁLISE DA UTILIZAÇÃO DA CINZA GERADA A PARTIR DO PROCESSO DE QUEIMA DO BAGAÇO DA CANA-DE-AÇÚCAR NA PRODUÇÃO DE CONCRETO ANÁLISE DA UTILIZAÇÃO DA CINZA GERADA A PARTIR DO PROCESSO DE QUEIMA DO BAGAÇO DA CANA-DE-AÇÚCAR NA PRODUÇÃO DE CONCRETO André Fontebassi Amorim Silva (1), Jéssica da Silva Coelho (2), Jéssica Laila Rodrigues

Leia mais

10ª JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA

10ª JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL-RIO-GRANDENSE PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, INOVAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO (PROPESP) 10ª JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA A 10ª Jornada de Iniciação

Leia mais

1º CONCURSO OPTMASSA

1º CONCURSO OPTMASSA º CONCURSO OPTMASSA CONCURSO DE FORMULAÇÃO ALVO PARA ARGAMASSAS DE REVESTIMENTO Regulamento O CONCURSO OPTMASSA está inserido na X Semana Pensando em Argamassa, promovida pelo Instituto Politécnico da

Leia mais

SEMANA DAS ENGENHARIAS E ARQUITETURA FEITEP 2017 REGULAMENTO DO CONCURSO DA CHARRETE

SEMANA DAS ENGENHARIAS E ARQUITETURA FEITEP 2017 REGULAMENTO DO CONCURSO DA CHARRETE SEMANA DAS ENGENHARIAS E ARQUITETURA FEITEP 2017 REGULAMENTO DO CONCURSO DA CHARRETE O Concurso O Concurso é estritamente Cultural e Artístico, promovido durante a semana de Engenharias e Arquitetura da

Leia mais

A) DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DISCIPLINA: ENG 2301 Materiais de Construção Civil II PROFESSOR: Mayara Queiroz Moraes Custódio TURMA: B01 SUBTURMA: 1; 2

A) DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DISCIPLINA: ENG 2301 Materiais de Construção Civil II PROFESSOR: Mayara Queiroz Moraes Custódio TURMA: B01 SUBTURMA: 1; 2 A) DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DISCIPLINA: ENG 2301 Materiais de Construção Civil II PROFESSOR: Mayara Queiroz Moraes Custódio TURMA: B01 SUBTURMA: 1; 2 B) EMENTA Argamassa: conceito, classificação, propriedades,

Leia mais

EDITAL N 01/2017 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO DE BOLSISTAS INSTRUTORES PARA O CENTRO DE INCLUSÃO DIGITAL

EDITAL N 01/2017 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO DE BOLSISTAS INSTRUTORES PARA O CENTRO DE INCLUSÃO DIGITAL EDITAL N 01/2017 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO DE BOLSISTAS INSTRUTORES PARA O CENTRO DE INCLUSÃO DIGITAL A Universidade Federal de Alagoas - UFAL, instituição de Ensino Superior integrante do Sistema

Leia mais

Dosagem Experimental do Concreto - Método IPT / EPUSP

Dosagem Experimental do Concreto - Método IPT / EPUSP Alunos: UNIP - UNIVERSIDADE PAULISTA ICET - Instituto de Ciências de Exatas e de Tecnologias Profª. Moema Castro, MSc. LABORATÓRIO DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL Dosagem Experimental do Concreto - Método

Leia mais

RESISTÊNCIA À ABRASÃO HIDRÁULICA DE CONCRETOS COM AGREGADOS DE LAMA VERMELHA

RESISTÊNCIA À ABRASÃO HIDRÁULICA DE CONCRETOS COM AGREGADOS DE LAMA VERMELHA RESISTÊNCIA À ABRASÃO HIDRÁULICA DE CONCRETOS COM AGREGADOS DE LAMA VERMELHA Carlos Rodrigo Costa Rossi Graduando em Engenharia Civil, Universidade Federal do Pará e-mail carlosrossi03@hotmail.com Michelle

Leia mais

E MEMBROS DA COMUNIDADE EXTERNA

E MEMBROS DA COMUNIDADE EXTERNA PROJETO UniCEUB ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO NA EJA - 19ª turma EDITAL 1º/ 2016 - SELEÇÃO DE ALUNOS DO UniCEUB, VOLUNTÁRIOS E MEMBROS DA COMUNIDADE EXTERNA A pró-reitora acadêmica do Centro Universitário

Leia mais

PRODUÇÃO DE CONCRETO DE ALTA RESISTÊNCIA (CAR) A PARTIR DE SEIXO DE RIO, COMO AGREGADO GRAÚDO, E A ADIÇÃO DE SÍLICA ATIVA

PRODUÇÃO DE CONCRETO DE ALTA RESISTÊNCIA (CAR) A PARTIR DE SEIXO DE RIO, COMO AGREGADO GRAÚDO, E A ADIÇÃO DE SÍLICA ATIVA PRODUÇÃO DE CONCRETO DE ALTA RESISTÊNCIA (CAR) A PARTIR DE SEIXO DE RIO, COMO AGREGADO GRAÚDO, E A ADIÇÃO DE SÍLICA ATIVA INTRODUÇÃO Laerte Melo Barros 1, Carlos Benedito Santana da Silva Soares 2 Thiago

Leia mais

I COMPETIÇÃO DA PONTE DE MACARRÃO

I COMPETIÇÃO DA PONTE DE MACARRÃO I COMPETIÇÃO DA PONTE DE MACARRÃO REGULAMENTO 1. INTRODUÇÃO O Grupo PET - Estruturas do Curso de Engenharia Civil da Universidade Católica de Brasília estará realizando neste semestre a I Competição da

Leia mais

III GINCANA ESTADUAL DE ECONOMIA DO ESPÍRITO SANTO REGULAMENTO

III GINCANA ESTADUAL DE ECONOMIA DO ESPÍRITO SANTO REGULAMENTO III GINCANA ESTADUAL DE ECONOMIA DO ESPÍRITO SANTO REGULAMENTO CAPÍTULO I OBJETIVOS Art. 1º - OBJETIVOS GERAIS O Torneio Gincana Estadual de Economia do Espírito Santo, registrado como Gincana Capixaba

Leia mais

REGULAMENTO: CONCURSO GUINDASTE DE PAPEL

REGULAMENTO: CONCURSO GUINDASTE DE PAPEL REGULAMENTO: CONCURSO GUINDASTE DE PAPEL A engenharia estrutural é o ramo da engenharia civil que utiliza cálculos concepção de estruturas. De forma simplificada, é a aplicação da mecânica das estruturas

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DE AGREGADOS GRAÚDOS DISPONÍVEIS NA REGIÃO EXTREMO OESTE DE SANTA CATARINA, UTILIZADOS NA DOSAGEM DE CONCRETO

CARACTERIZAÇÃO DE AGREGADOS GRAÚDOS DISPONÍVEIS NA REGIÃO EXTREMO OESTE DE SANTA CATARINA, UTILIZADOS NA DOSAGEM DE CONCRETO CARACTERIZAÇÃO DE AGREGADOS GRAÚDOS DISPONÍVEIS NA REGIÃO EXTREMO OESTE DE SANTA CATARINA, UTILIZADOS NA DOSAGEM DE CONCRETO Orientador: BERTOLDI, Loivo Pesquisador: STAUDT, Alcinei C. Resumo Devido ao

Leia mais

EDITAL DA II COMPETIÇÃO DE CONCRETO DE ALTA RESITÊNCIA DO CEULP/ULBRA. Centro Acadêmico de Engenharia Civil

EDITAL DA II COMPETIÇÃO DE CONCRETO DE ALTA RESITÊNCIA DO CEULP/ULBRA. Centro Acadêmico de Engenharia Civil EDITAL DA II COMPETIÇÃO DE CONCRETO DE ALTA RESITÊNCIA DO CEULP/ULBRA Centro Acadêmico de Engenharia Civil 1. Disposições Gerais 1.1 OBJETIVO 1.1.1 Confeccionar dois Corpos de prova de 10x20 de concreto

Leia mais

PROGRAMA DE MONITORIA UNIP. A UNIP oferece ao aluno a oportunidade de iniciar-se na função docente através do exercício de Monitorias.

PROGRAMA DE MONITORIA UNIP. A UNIP oferece ao aluno a oportunidade de iniciar-se na função docente através do exercício de Monitorias. PROGRAMA DE MONITORIA UNIP A UNIP oferece ao aluno a oportunidade de iniciar-se na função docente através do exercício de Monitorias. 1. Regulamento do Programa de Monitoria 1.1 O que é Monitoria A UNIP

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PARA ESTUDANTES PET COMPUTAÇÃO-

EDITAL DE SELEÇÃO PARA ESTUDANTES PET COMPUTAÇÃO- 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Pró-Reitoria de Graduação EDITAL DE SELEÇÃO PARA ESTUDANTES PET COMPUTAÇÃO- Aos alunos do Curso de Ciência da Computação e Engenharia da Computação desta Universidade:

Leia mais

REGULAMENTO DA AGÊNCIA EXPERIMENTAL DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA AGÊNCIA CARIJÓ

REGULAMENTO DA AGÊNCIA EXPERIMENTAL DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA AGÊNCIA CARIJÓ REGULAMENTO DA AGÊNCIA EXPERIMENTAL DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA AGÊNCIA CARIJÓ CAPÍTULO I DO OBJETO Art. 1º A Agência Experimental é um laboratório vinculado ao Curso de Comunicação Social - com habilitação

Leia mais

REGULAMENTO I CONCURSO DE QUADRILHAS DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO E MEIO AMBIENTE FAEMA

REGULAMENTO I CONCURSO DE QUADRILHAS DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO E MEIO AMBIENTE FAEMA REGULAMENTO I CONCURSO DE QUADRILHAS DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO E MEIO AMBIENTE FAEMA Capítulo I Da finalidade Art. 1º A Faculdade de Educação e Meio Ambiente - FAEMA, com o objetivo de estimular, valorizar

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA SECRETARIA DE IMPLANTAÇÃO DO CAMPUS EDITAL Nº 01, DE 21 DE AGOSTO DE 2017

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA SECRETARIA DE IMPLANTAÇÃO DO CAMPUS EDITAL Nº 01, DE 21 DE AGOSTO DE 2017 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA SECRETARIA DE IMPLANTAÇÃO DO CAMPUS EDITAL Nº 01, DE 21 DE AGOSTO DE 2017 CONSIDERANDO a Lei nº 11.778/08 e a RESOLUÇÃO CONSUN

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DO DESAFIO LANÇADOR DA ENGENHARIA MECÂNICA

REGULAMENTO GERAL DO DESAFIO LANÇADOR DA ENGENHARIA MECÂNICA REGULAMENTO GERAL DO DESAFIO LANÇADOR DA ENGENHARIA MECÂNICA 2016-2 I. Da Definição 1.1. O desafio do curso de Engenharia Mecânica é uma competição acadêmica destinada aos alunos de graduação regularmente

Leia mais

Fundação Carmel itana Mário Pal mério MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL II ENSAIOS MECÂNICOS. Professor: Yuri Cardoso Mendes

Fundação Carmel itana Mário Pal mério MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL II ENSAIOS MECÂNICOS. Professor: Yuri Cardoso Mendes Fundação Carmel itana Mário Pal mério MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL II ENSAIOS MECÂNICOS Professor: Yuri Cardoso Mendes 12.1 PROPRIEDADES MECÂNICAS: Os ensaios mecânicos realizados no concreto tem função

Leia mais

ENSINO DE TÉCNICAS DE REUTILIZAÇÃO E APLICAÇÃO DE RESÍDUOS DE CELULOSE (PAPELÃO E JORNAL) COMO AGREGADOS DE ARGAMASSA DA CONSTRUÇÃO CIVIL

ENSINO DE TÉCNICAS DE REUTILIZAÇÃO E APLICAÇÃO DE RESÍDUOS DE CELULOSE (PAPELÃO E JORNAL) COMO AGREGADOS DE ARGAMASSA DA CONSTRUÇÃO CIVIL ENSINO DE TÉCNICAS DE REUTILIZAÇÃO E APLICAÇÃO DE RESÍDUOS DE CELULOSE (PAPELÃO E JORNAL) COMO AGREGADOS DE ARGAMASSA DA CONSTRUÇÃO CIVIL MSc. Robson Fleming; Docente/Pesquisador: Departamento de Engenharia

Leia mais

REGULAMENTO FEIRA DE CIÊNCIAS E INOVAÇÃO 26 de outubro de 2017

REGULAMENTO FEIRA DE CIÊNCIAS E INOVAÇÃO 26 de outubro de 2017 REGULAMENTO FEIRA DE CIÊNCIAS E INOVAÇÃO 26 de outubro de 2017 Poderão participar da I Feira de Ciências e Inovação de Afogados da Ingazeira, edição 2017, estudantes, professores e professoras do Ensino

Leia mais

EDITAL DO CONCURSO DA PONTE DE PALITOS DE PICOLÉ

EDITAL DO CONCURSO DA PONTE DE PALITOS DE PICOLÉ EDITAL DO CONCURSO DA PONTE DE PALITOS DE PICOLÉ CONCURSO DA PONTE DE PALITOS DE PICOLÉ A SER REALIZADO NOS DIAS 10 A 14 DE NOVEMBRO DURANTE A V SEMANA DE ENGENHARIA CIVIL 2015. TEMA: TECNOLOGIAS CONSTRUTIVAS

Leia mais

Regulamento Gincana Cultural Nacional Escoteira 2ª fase

Regulamento Gincana Cultural Nacional Escoteira 2ª fase Regulamento Gincana Cultural Nacional Escoteira 2ª fase Artigo Primeiro - O que é a Gincana Cultural Nacional Escoteira? Gincana Cultural Nacional Escoteira é um projeto organizado pela União dos Escoteiros

Leia mais

Estudo por meio de strain gages do comportamento do concreto estrutural convencional e reciclado

Estudo por meio de strain gages do comportamento do concreto estrutural convencional e reciclado BE2008 Encontro Nacional Betão Estrutural 2008 Guimarães 5, 6, 7 de Novembro de 2008 Estudo por meio de strain gages do comportamento do concreto estrutural convencional e reciclado Júnia Nunes de Paula

Leia mais

EDITAL MONITORIA 2017/2

EDITAL MONITORIA 2017/2 EDITAL MONITORIA 2017/2 Edital de Seleção para o Programa de Monitoria Acadêmica do Curso de Serviço Social da Faculdade Metropolitana de Manaus- FAMETRO Nº. 7 de 2017/1. A Direção Geral da Faculdade Metropolitana

Leia mais

ESTUDO DA APLICABILIDADE DA ARGAMASSA PRODUZIDA A PARTIR DA RECICLAGEM DE RESÍDUO SÓLIDO DE SIDERURGIA EM OBRAS DE ENGENHARIA

ESTUDO DA APLICABILIDADE DA ARGAMASSA PRODUZIDA A PARTIR DA RECICLAGEM DE RESÍDUO SÓLIDO DE SIDERURGIA EM OBRAS DE ENGENHARIA ESTUDO DA APLICABILIDADE DA ARGAMASSA PRODUZIDA A PARTIR DA RECICLAGEM DE RESÍDUO SÓLIDO DE SIDERURGIA EM OBRAS DE ENGENHARIA 1. Introdução O impacto ambiental gerado pela exploração dos recursos minerais

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE BOLSISTAS PET COMPUTAÇÃO

EDITAL DE SELEÇÃO DE BOLSISTAS PET COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Pró-Reitoria de Graduação Instituto de Informática Programa de educação Tutorial Pet- Ciência da Computação/SESU/MEC EDITAL DE SELEÇÃO DE BOLSISTAS PET COMPUTAÇÃO

Leia mais

NBR 7170/1983. Tijolo maciço cerâmico para alvenaria

NBR 7170/1983. Tijolo maciço cerâmico para alvenaria NBR 7170/1983 Tijolo maciço cerâmico para alvenaria OBJETIVO: Fixar condições no recebimento de tijolos maciços cerâmicos destinados a obras de alvenaria, com ou sem revestimento; DEFINIÇÕES: 1. Tijolo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE ENFERMAGEM EDITAL 04/2016

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE ENFERMAGEM EDITAL 04/2016 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE ENFERMAGEM EDITAL 04/2016 MONITORIA, UMA PRÁTICA COOPERATIVA NA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM OBSTÉTRICA E PEDIÁTRICA A Faculdade de

Leia mais

TECNOFACENS 2015 III DESAFIO ESTRUTURAL. TecnoFacens 2016 IV DESAFIO ESTRUTURAL

TECNOFACENS 2015 III DESAFIO ESTRUTURAL. TecnoFacens 2016 IV DESAFIO ESTRUTURAL TECNOFACENS 2015 III DESAFIO ESTRUTURAL TecnoFacens 2016 IV DESAFIO ESTRUTURAL 1 CONSTRUÇÃO DE UMA VIGA TRELIÇADA UTILIZANDO PALITOS ROLIÇOS EM MADEIRA Resumo: Neste projeto, você irá construir um modelo

Leia mais

ARGAMASSAS E CONCRETOS DOSAGEM ABCP

ARGAMASSAS E CONCRETOS DOSAGEM ABCP ARGAMASSAS E CONCRETOS DOSAGEM ABCP Definição: DOSAGEM é o proporcionamento adequado e mais econômico de materiais: cimento, água, agregados, adições e aditivos. Definição: Segundo a NBR 12.655 existem

Leia mais

A ANÁLISE DA UTILIZAÇÃO DE RESÍDUOS DE CORPOS DE PROVA COMO AGREGADO RECICLADO PARA A PRODUÇÃO DE CONCRETO ECOLÓGICO DE APLICAÇÃO NÃO ESTRUTURAL

A ANÁLISE DA UTILIZAÇÃO DE RESÍDUOS DE CORPOS DE PROVA COMO AGREGADO RECICLADO PARA A PRODUÇÃO DE CONCRETO ECOLÓGICO DE APLICAÇÃO NÃO ESTRUTURAL A ANÁLISE DA UTILIZAÇÃO DE RESÍDUOS DE CORPOS DE PROVA COMO AGREGADO RECICLADO PARA A PRODUÇÃO DE CONCRETO ECOLÓGICO DE APLICAÇÃO NÃO ESTRUTURAL Odair Barros Fagundes (1) ; Warley Eduardo Santiago Silva

Leia mais

Edital para Submissão de Resumos do I Curso de Emergências Clínicas e Cirúrgicas no PA

Edital para Submissão de Resumos do I Curso de Emergências Clínicas e Cirúrgicas no PA Edital para Submissão de Resumos do I Curso de Emergências Clínicas e Cirúrgicas no PA Dispõe sobre a submissão de resumos para apresentação como pôster no I Curso de Emergências Clínicas e Cirúrgicas

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE MONITORIA VOLUNTÁRIA

PROCESSO SELETIVO DE MONITORIA VOLUNTÁRIA PROCESSO SELETIVO DE MONITORIA VOLUNTÁRIA A Faculdade Metropolitana de Manaus FAMETRO, através da Unidade 1 e 2, torna público que no período de 28/08/2017 a 04/09/2017, estarão abertas as inscrições para

Leia mais

CAMPEONATO DE TREBUCHET 2016/02

CAMPEONATO DE TREBUCHET 2016/02 REGULAMENTO CAMPEONATO DE TREBUCHET 2016/02 Apresentação O campeonato de Trebuchet dos Cursos de Engenharia da UNISOCIESC tem por objetivo aplicar conhecimentos adquiridos nas disciplinas de primeira a

Leia mais

DESAFIO DE ROBÓTICA SENAI

DESAFIO DE ROBÓTICA SENAI DESAFIO DE ROBÓTICA SENAI REGULAMENTO 2013 1º SEMESTRE Regulamento 2013 Introdução O conceito do Desafio foi desenvolvido pelo corpo de docentes, baseado em competições pré-existentes, com o intuito de

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Controle tecnológico, materiais de construção, caracterização de materiais.

PALAVRAS-CHAVE Controle tecnológico, materiais de construção, caracterização de materiais. 14. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido - ISSN 2238-9113 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE

Leia mais

NORMATIVA DE AVALIAÇÃO NOS CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO DO IF CATARINENSE CÂMPUS ARAQUARI CAPÍTULO I DA ORGANIZAÇÃO DO ENSINO

NORMATIVA DE AVALIAÇÃO NOS CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO DO IF CATARINENSE CÂMPUS ARAQUARI CAPÍTULO I DA ORGANIZAÇÃO DO ENSINO NORMATIVA DE AVALIAÇÃO NOS CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO DO IF CATARINENSE CÂMPUS ARAQUARI Estabelece e regulamenta o processo de avaliação nos Cursos Técnicos de Nível Médio nas formas Integrado e Subsequente

Leia mais

O poço de inspeção PI-5, objeto desta padronização, deve atender às seguintes normas técnicas ou outras que assegurem igual ou superior qualidade:

O poço de inspeção PI-5, objeto desta padronização, deve atender às seguintes normas técnicas ou outras que assegurem igual ou superior qualidade: 1 OBJETIVO Esta Norma estabelece as condições mínimas exigíveis para construção do poço de inspeção PI 5, em concreto. Também contém os acessórios que o compõem. O poço tem a sua aplicação em calçada próximo

Leia mais

Apresenta: Aracaju- 2017

Apresenta: Aracaju- 2017 Apresenta: Aracaju- 2017 EDITAL I CONCURSO CREAJR SE DE PONTES Nº01-2017 1. DISPOSIÇÕES GERAIS O presente concurso tem como intuito a construção e o teste de carga em pontes treliçadas, utilizando palitos

Leia mais