A criação de duplos diplomas franco-brasileiros

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A criação de duplos diplomas franco-brasileiros"

Transcrição

1 A criação de duplos diplomas franco-brasileiros Dossiê CenDoTeC INTRODUÇÃO... 2 DUPLO DIPLOMA: UMA PARCERIA DE EXCELÊNCIA... 4 CONTEXTOS NACIONAIS E EUROPEU... 6 A CRIAÇÃO DE UM DUPLO DIPLOMA... 8 O CASO DA CO-TUTELA DE TESE OS DUPLOS DIPLOMAS FRANCO-BRASILEIROS ISSN

2 Introdução Campo de estudo Duplo diploma, diploma conjunto, diploma integrado, diploma comum. Existem diversas denominações para designar os programas tratados neste dossiê. Optamos por reter somente os currículos ao final dos quais o estudante recebe ou um diploma de cada um dos parceiros ou um diploma comum. A co-tutela internacional de tese doutoral responde a esse critério e portanto será abordada neste contexto. Situação franco-brasileira Os primeiros duplos diplomas franco-brasileiros datam do início dos anos Existem hoje 70 diplomas introduzidos por 13 instituições brasileiras e 38 instituições francesas. Eles ilustram o interesse dos estabelecimentos de ensino superior de reforçar e de facilitar a cooperação internacional. Aliam uma formação com alto valor agregado à oportunidade de descobrir a cultura de um outro país. Os cursos de engenharia foram pioneiros na criação desses programas: na França, as Ecoles Centrales mostraram-se particularmente ativas. Em conseqüência, numerosos exemplos serão colhidos das experiências da engenharia. Os 13 parceiros brasileiros - Universidade Federal do Ceará - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo - Universidade Estadual de Campinas - Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Escola Politécnica da Universidade Federal do Rio de Janeiro - Universidade Federal de Santa Catarina - Universidade Federal de Uberlândia - Universidade Federal Tecnológica do Paraná - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - Faculdade de Economia, de Administração e de Contabilidade da Universidade de São Paulo - Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo - Faculdade do Instituto Brasileiro do Mercado de Capitais do Rio de Janeiro Os 38 parceiros franceses - Ecole Centrale de Paris - Ecole Centrale de Lille - Ecole Centrale de Nantes - Ecole Centrale de Lyon - Ecole Centrale de Marseille - Institut National des Sciences Appliquées Lyon - Institut National des Sciences Appliquées Toulouse - Institut National des Sciences Appliquées Rouen - Institut National des Sciences Appliquées Rennes - Institut National des Sciences Appliquées Strasbourg - Ecole Nationale des Mines de Paris - Ecole Nationale des Mines de Nancy - Ecole Nationale des Mines de Saint-Etienne - Ecole Nationale Supérieure de Télécommunication - Ecole Polytechnique - Ecole Nationale des Ponts et Chaussées - Ecole Nationale Supérieure de Chimie et de Physique de Paris Duplos Diplomas 2

3 - Ecole Nationale Supérieure de Chimie et de Physique de Bordeaux - Ecole Nationale Supérieure de Chimie de Montpellier - Ecole Nationale Supérieure de Chimie de Lille - Ecole Nationale Supérieure d Arts et Métiers - Ecole Nationale Supérieure de Techniques Avançées - Université Technologique de Compiègne - Université Technologique de Troyes - Université Technologique de Belfort-Montbéliard - Institut d Etudes Politiques de Paris - Institut National Agronomique Paris Grignon - Ecole Supérieure d Agriculture d Angers - Institut Supérieur d Agriculture de Beauvais - Institut Supérieur d Agriculture de Lille - Institut Supérieur d Agriculture Rhône-Alpes de Lyon - Ecole Supérieure d Agriculture de Purpan (Toulouse) - Ecole de Management de Normandie - Institut Européen d Etudes Commerciales Supérieures de Strasbourg - Université Nice / Sophia-Antipolis - Euromed Ecole de Management de Marseille - Institut National Polytechnique de Toulouse - Université Grenoble 2 Pierre Mandes France Contexto legislativo Esses programas desenvolvem-se em um contexto geral de abertura dos cursos para o âmbito internacional conforme testemunha, no plano europeu, o processo de Bolonha. Na França, as novas regras sobre os duplos diplomas e a co-tutela de tese vão claramente no sentido do desenvolvimento da cooperação internacional. Do lado brasileiro, não há legislação sobre o assunto; as universidades reconhecidas têm grande liberdade de ação e podem validar os diplomas estrangeiros por meio de procedimentos específicos. Criação de um duplo diploma A partir dos relatos das experiências, tenta-se, neste dossiê, esquematizar o procedimento de criação de um duplo diploma. Isso se efetua em cinco etapas: - Identificação do parceiro e encontro das equipes pedagógicas; - Comparação do currículos e definição da colaboração; - Validação administrativa; - Seleção e envio dos primeiros estudantes; - Retorno dos estudantes e outorga dos primeiros diplomas. Para cada etapa, exemplos ilustrarão as opções feitas pelos estabelecimentos implicados. NB : Este dossiê prático busca desmistificar a complexidade da introdução de um programa de duplo diploma. Seus comentários sobre a qualidade deste dossiê e sua utilidade poderão ser transmitidos pelo endereço eletrônico Duplos Diplomas 3

4 Duplo Diploma: uma parceria de excelência Princípios e objetivos No contexto da cooperação franco-brasileira, os programas de duplo diploma possibilitam aos melhores alunos ingressarem em um estabelecimento parceiro no exterior por um período determinado a fim de lá efetuarem parte de seus estudos. À conclusão desse curso, os estudantes são diplomados pelas duas instituições. Do ponto de vista dos estudantes, esses programas oferecem uma chance única de enriquecer sua formação por um período de estudos no exterior. Além dos aspectos acadêmicos e profissionais, eles representam uma aventura humana e cultural verdadeiramente enriquecedora. Para os estabelecimentos, a introdução de tal programa corresponde a um desejo de oferecer uma formação de alto valor agregado aos seus alunos. É interessante observar que os relatos das primeiras experiências indicam conseqüências muito positivas para as instituições implicadas. Universidade Estadual de Campinas - Unicamp, sobre o duplo diploma com as Ecoles Centrales Os motivos que nos levaram à assinatura do Duplo Diploma são muitos, mas podemos destacar a formação profissional diferenciada dos nossos alunos e sua integração em uma nova cultura. Para os alunos que retornam, a experiência no exterior será uma ajuda importante no mercado de trabalho globalizado. Devemos lembrar que estamos enviando para a França os nossos melhores alunos, aqueles que possuem os melhores coeficientes de rendimento (CR) e com isso, divulgam o nome da Unicamp de uma maneira positiva no exterior. Contato: Prof. Dr. Jose Pissolato Filho Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS e as Ecoles Centrales Com a parceria com as Ecoles Centrales, conta-se formar um Engenheiro com perfil diferenciado, apresentando entre outras as características abaixo: - forte base técnica em sua especialidade; - forte base generalista, permitindo uma boa comunicação com profissionais de outras áreas de engenharia diferentes de sua especialidade e a capacidade de organizar e gerenciar projetos multidisciplinares em engenharia; - forte base gerencial e administrativa; - capacidade de adaptação; - visão globalizada do mercado com forte conhecimento das culturas brasileira (latinoamericana) e francesa (européia). Contato : Prof. Dr. João Manoel Gomes da Silva Jr. Duplos Diplomas 4

5 Relatos muito positivos Os programas de duplo diploma suscitam, em geral, relatos muito positivos tanto dos professores como dos estudantes que tiveram a oportunidade de participar. Para as Universidades que assinaram o Duplo Diploma, aumenta a possibilidade de atração dos melhores alunos no vestibular. Além disso, quando os nossos alunos entram no primeiro ano do curso, eles já sabem que um dos critérios de seleção é o coeficiente de rendimento (CR). Nesse sentido, tem-se observado uma melhora considerável no CR depois da assinatura do Duplo Diploma. Prof. Dr. Jose Pissolato Filho, Unicamp. Os programas de duplo diploma têm ensejado interações pedagógicas, tanto através de intervenções dos alunos que retornaram da França, como através de eventos binacionais. Criou-se um ambiente cosmopolita na universidade, com a presença dos alunos estrangeiros e com a concorrência para a seleção daqueles que poderão ampliar sua formação no exterior. Prof. Dr. Marcos Azevedo da Silveira, PUC-RIO. Bem mais que aspectos acadêmicos ou profissionais, o grande trunfo tirado desse período na Europa é a experiência cultural. Essa vivência me modificou profundamente e desejo, pois, a todos os estudantes uma oportunidade como essa. Eric Ramos Pasquati, Escola Politécnica da Universidade de São Paulo/Ecole Centrale Lyon, Presidente da Associação de Formação Internacional da Politécnica AFPI Para mim, sem dúvidas, o fato de eu ter feito o DD foi um diferencial. Nas entrevistas os entrevistadores ficavam muito estusiasmados com a minha trajetória acadêmica. Ígor Fernandes, Universidade Federal do Ceará/Ecole Centrale de Lyon O Diploma Integrado tem duas facetas que são, na verdade, os dois pontos principais de interesse de um programa desse tipo. O primeiro é obviamente a imersão em outra cultura, que abre obrigatoriamente os horizontes. O segundo, que é uma decorrência natural desse primeiro aspecto, é poder estudar aquilo que se gosta sob uma perspectiva diferente. A visão européia e mais precisamente francesa das Relações Internacionais me permitiu estabelecer comparações com a formação que eu havia tido até então, o que me faz sentir que esse outro ângulo influenciou positivamente para sempre a minha maneira de pensar. Gustavo dos Santos Pereira, PUC-SP / Sciences Po Paris. O Duplo Diploma foi um diferencial super importante na minha contratação pela Procter&Gamble, e é uma experiência muito reconhecida pelas empresas. Fábio Feital, Unicamp / Ecole Centrale Lyon Duplos Diplomas 5

6 Contextos nacionais e europeu Na Europa: integração dentro do Espaço europeu do ensino superior No contexto do processo de Bolonha, a União Européia visa a criar um Espaço unificado de ensino superior até Um dos eixos prioritários é o desenvolvimento de cooperações que levem ao reconhecimento e à outorga de um diploma comum. A Europa apóia intercâmbios realizados no contexto de acordos intitucionais, que garantem segurança para os estudantes. Esse propósito compreende também a mobilidade docente, a mobilidade virtual, a elaboração de programas comuns com a criação de mecanismos adequados de reconhecimento. A Convenção sobre o reconhecimento das qualificações relativas ao ensino superior, conhecida pelo nome de Lisbon Recognition Convention, adotada em 11 de abril de 1997 e em vigor desde 1. o de fevereiro de 1999, é o texto jurídico de referência. Essa Convenção pode também servir de guia para a identificação de boas práticas. As disposições aplicam-se, mutatis mutandis, a toda formação de ensino superior, de qualquer origem, bem como às formações aplicadas por dois ou vários sistemas nacionais de educação. O comitê da Convenção de Lisboa adotou uma recomendação em 9 de junho de 2004 sobre o reconhecimento dos diplomas comuns, aplicável em todos os Estados signatários. Ela defini o diploma comum como uma formação de ensino superior ministrada por no mínimo dois estabelecimentos, tendo como base um currículo elaborado e/ou aplicado conjuntamente, com eventualmente a participação de outras instituições. Esse diploma pode ser emitido como: - um diploma comum como complemento de um ou vários diplomas nacionais; - um diploma comum outorgado pelos estabelecimentos responsáveis pelo programa de estudo, sem diploma nacional; - um ou vários diplomas nacionais outorgados oficialmente como a prova do ensino comum. Recomenda-se que as autoridades competentes de cada país reconheçam o diploma comum estrangeiro, a menos que haja uma diferença significativa entre ele e a formação correspondente no sistema nacional. Os Estados signatários são instados a retirarem todos os obstáculos legais ao reconhecimento dos diplomas comuns estrangeiros. A aplicação do sistema europeu de transferência de créditos (ECTS) para facilitar o reconhecimento dos diplomas é indicada por esse comitê. O princípio do ECTS é simples: uma convenção estabelece que a carga de trabalho de um estudante em tempo integral durante um ano corresponde a 60 créditos. Assim, os créditos são atribuídos a cada atividade escolar em função de seu peso na carga de trabalho anual. Mais informações: Espaço europeu do ensino superior: «Lisbon recognition convention»: Recomendação de 9 de junho de 2004: ECTS: Na França: uma legislação que facilita a cooperação internacional Antecipando as futuras exigências européias, a França decidiu adaptar sua legislação. Assim, o decreto N. o de 11 de maio de 2005 rege a outorga de diplomas em parceria internacional. No nível doutoral, a co-tutela internacional de tese é regulada pelo Decreto de 6 de janeiro de O princípio adotado para o decreto de 11 de maio de 2005 é o seguinte: um estabelecimento francês reconhecido capaz de outorgar um diploma garantido pelo Estado pode desde então concluir acordos com estabelecimentos estrangeiros capazes de outorgar em seu país um diploma de mesmo nível e na mesma área, a fim de organizarem juntos a formação e outorgarem um diploma conjunto. Duplos Diplomas 6

7 A parceria tem por objetivo organizar o currículo e a validação do diploma. Compreende uma convenção que especifica as modalidades de formação, de constituição das equipes pedagógicas, de controle dos conhecimentos bem como modalidades de validação que respeitem as exigências de qualidade da certificação francesa. Essa convenção estabelece igualmente as condições de inscrição dos estudantes, da alternância dos períodos de formação nos países em questão, da constituição das bancas, da atribuição dos créditos europeus e do acompanhamento material, pedagógico em lingüístico dos estudantes. Os estabelecimentos franceses podem se engajar nesse tipo de parceria internacional sem autorização suplementar do Estado. A iniciativa deve, no entanto, ser objeto de uma declaração. No momento da avaliação periódica após sua criação, a parceria é analisada a partir de um relatório específico. As decisões quanto à sua continuidade são tomadas a partir dessa avaliação. No caso da co-tutela de tese internacional, é dada grande liberdade aos estabelecimentos franceses. Em particular, as universidades e outros estabelecimentos podem deixar de observar a lei no caso de incompatibilidade entre as regras francesas e as regras do país parceiro. A convenção assinada entre as instituições parceiras determina as normas adotadas. O doutorado é plenamente reconhecido pela França desde que a convenção entre os dois estabelecimentos garanta o reconhecimento no país parceiro. Mais informações: Textos franceses: Co-tutela: No Brasil: ausência de legislação específica e poder das universidades Não existe legislação específica no Brasil; as universidades reconhecidas pelo Ministério brasileiro da Educação podem validar os diplomas e os títulos estrangeiros. No contexto da criação do duplo diploma pela PUC-Rio e diversas escolas de engenharia, o professor Marcos A. da Silveira apresenta o contexto jurídico brasileiro. No caso do programa da PUC-Rio, cada parceiro outorga um diploma. - Uma instituição valida o diploma da outra, eventualmente exigindo que o aluno siga disciplinas complementares: esta situação não é proibida pela legislação brasileira; - A instituição de origem concede o título para aluno que completa o seu curso em outra instituição. Esta situação contraria as normas brasileiras, a menos que se use um grande número de disciplinas eletivas, sem deixar de atender os outros requisitos legais; - Duas instituições fornecem um único diploma (diploma conjunto), validado pelas duas: não sabemos como legalizar esta situação pelo lado brasileiro. Diversas condições devem ser preenchidas para que seja outorgado um diploma aos estudantes que tenham cursado em uma escola estrangeira: - O aluno deve ter coberto 75% das disciplinas constantes no currículo oficial da escola brasileira, entre disciplinas cursadas no país ou no exterior mas reconhecidas pelo sistema de equivalência de créditos. A lista de matérias previstas nas Diretrizes Curriculares e coberta pelo currículo da escola brasileira deve ser totalmente contemplada. - Ter sido aprovado em Trabalho de Fim de Curso e Estágio Supervisionado de duração mínima de 160 horas). - O número total de horas de aula e de laboratório, somando o cursado com sucesso nas duas escolas, deve ser maior que ou igual ao estipulado pelo currículo da escola brasileira, se bem que seja admitida uma folga de 25% no número de horas ao considerar as equivalências. Deve ser cumprida a porcentagem mínima exigida por lei para o número de horas de laboratório. - Em contrapartida, não há exigência oficial quanto a tempo mínimo de permanência na escola brasileira. Além disso, cada universidade brasileira tem o poder de agregar suas próprias condições. Como exemplo, a PUC-Rio exige que um terço dos créditos sejam obtidos em suas dependências. Duplos Diplomas 7

8 A criação de um duplo diploma Etapa 1: Etapa 2 Identificar e encontrar os responsáveis Comparar e elaborar os currículos Etapa 3 Validar a parceria Etapa 4 Etapa 5 Selecionar e enviar os estudantes Fazê-los retornar e entregar o diploma Da criação do duplo diploma à entrega do diploma da primeira turma Etapa 1: Identificação do parceiro e contato com as equipes pedagógicas O objetivo aqui é o de encontrar estabelecimentos com os quais seria possível uma parceria. O ponto fundamental é a confiança de cada escola na qualidade da formação ministrada pelo outro parceiro. Os projetos de duplo diploma freqüentemente são iniciados por uma rede de professores, uma colaboração antiga ou um evento internacional. As partes, sejam elas francesas ou brasileiras, podem contar com o apoio dos serviços da Embaixada da França no Brasil ou do CenDoTeC. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade - FEA da Universidade de São Paulo - USP e EUROMED Marseille Ecole de Management A criação de um duplo diploma entre a FEA e a EUROMED Marseille é fruto não somente dos acordos de cooperação precedentes entre os dois estabelecimentos, mas também das boas relações mantidas entre a região PACA e o Estado de São Paulo. Contato : Prof. Dr. Edson Luiz Riccio Duplos Diplomas 8

9 Universidade Federal de Uberlândia e INSA Lyon A UFU e o INSA de Lyon têm uma longa e profícua história de cooperação que se iniciou em dezembro de 1987, por meio do estabelecimento de um acordo de intercâmbio entre estudantes brasileiros e franceses de graduação em Engenharia Mecânica. Este acordo foi posteriormente estendido a outras áreas e expandido, para contemplar outras modalidades de cooperação: intercâmbio de pesquisadores e professores, missões de ensino e pesquisa, desenvolvimento conjunto de trabalhos de pesquisa, co-orientação de teses etc. Contato : Profa. Raquel S. L. Rade Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e Ecoles Centrales Os primeiros contatos com as Ecoles Centrales francesas foram feitos ao longo das International Conferences on Engineering Education. Esse contato aumentou com a participação de vários alunos da PUC-Rio no programa de graduação-sanduíche da CAPES. Assim, em 1999, a equipe do Intergroupe des Ecoles Centrales visitou a PUC-Rio, quando foi organizado um acordo para um programa de duplo diploma, assinado no ano seguinte. Contato : Prof. Dr. Marcos Azevedo da Silveira Uma vez identificados os parceiros potenciais, convém avaliar a pertinência da realização de um duplo diploma bem como a capacidade de se desenvolver um projeto em comum. Em numerosos casos, o duplo diploma foi precedido por outros tipos de colaborações que possibilitaram às duas instituições aprender a se conhecer e trabalhar juntas. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e Institut d Etudes Politiques de Paris Antes da assinatura do programa de diploma integrado (2002), a PUC-SP e a Sciences Po já eram parceiras no contexto de um acordo de cooperação (1988). Isso propiciou viagens de estudo, intercâmbios de estudante de graduação e pós-graduação, doutoradossanduíche, doutorados em co-tutela, pós-doutorados, conferências, cursos e seminários. No âmbito destas atividades, a PUC-SP já acolheu 27 estudantes de Sciences Po e enviou 29 estudantes àquela instituição, para intercâmbio de 1 ou 2 semestres, com revalidação de créditos cursados. A implantação de um programa de diploma integrado pela PUC-SP e pela Sciences Po foi fruto dessas experiências. Contato : Prof Dr. Reginaldo Mattar Nasser Etapa 2: Comparação dos currículos e definição das modalidades de cooperação Nessa etapa, flexibilidade e abertura de espírito devem prevalecer. Na realidade, não é necessário que os currículos se correspondam integralmente: um diploma pode corresponder a 70% do outro; o estudante deverá então validar os 30% restantes para obter o duplo diploma. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e Institut d Etudes Politiques de Paris Como os Diplomas de Bacharel em Relações Internacionais da PUC-SP (4 anos) e de Master da Sciences Po (5 anos) não têm a mesma equivalência, foi proposto um Programa de Diploma Integrado. Os estudantes da PUC-SP obtêm os títulos de Bacharel em Relações Internacionais da PUC-SP no 9º sem e o Master da Sciences Po no 10º sem. Contato : Prof Dr. Reginaldo Mattar Nasser Duplos Diplomas 9

10 Quanto à equivalência das disciplinas, a equipe pedagógica dispõe de margem de negociação: equivalência disciplina por disciplina ou por grupo de disciplinas. Esse grau de liberdade existe igualmente para a definição das modalidades da cooperação: percurso a ser seguido pelos estudantes, tempo dedicado em cada instituição etc. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz e INA Paris-Grignon O acordo para duplo diploma de graduação foi assinado em 14 de abril Para candidatar-se ao programa o aluno da ESALQ deve estar no 7o. período e ficará na instituição parceira por, no mínimo, três semestres. Contato : Profa. Maria Lucia Carneiro Vieira, Universidade Tecnológica Federal do Paraná e as Universités Technologiques de Compiègne, Troyes e Belfort-Montbéliard O acordo estabelece que o aluno da UTFPR após haver concluído os dois primeiros anos (quatro períodos) do curso no Brasil, poderá continuar os seus estudos em uma das Universidades conveniadas, seguindo um plano de estudos validado pelos responsáveis das duas instituições. Um desses semestres será realizado em atividades de estágio. Contato : Prof. Dr. Claudio Martin, Escola Politécnica da Universidade de São Paulo e Ecoles Centrales Depois dos cinco primeiros semestres, os alunos da Poli-USP realizam dois anos de estudo em uma das Escolas Centrais parceiras. Em seguida, retornam para fazer os os últimos três semestres do curso. Os alunos das Ecoles Centrales integram a Poli após a conclusão de seus oito primeiros semestres. Eles entram no sexto ano e permanecem dois anos. Nos dois casos, o curso tem 6 anos de duração, ou seja, um ano a mais do que a duração do percurso normal para o diploma de engenheiro. Etudiants de la Poli Etudiants des Ecoles Centrales Contato : Prof. Dr. Antonio Carlos Vieira Coelho Duplos Diplomas 10

11 Université Fédérale du Rio Grande do Sul et Ecoles Centrales Le programme prévoit 6 années d étude dont deux dans l établissement partenaire. Une des caractéristiques principales de ce double diplôme est la fixation de la correspondance des divers cycles d étude (cycle basique, cycle professionnel, Spécialisation, par exemple) et la reconnaissance des crédits par groupes de disciplines. Contato : Prof. Dr. Joao Manoel Gomes da Silva Jr. Esta fase de discussão pode levar tempo. Por exemplo, decorreram-se quase dois anos entre a proposta de duplo diploma feita à Unicamp pelas Ecoles Centrales (2001) e a efetiva assinatura (2003). Etapa 3: Validação pelas instâncias superiores Após a fase de elaboração do programa, é necessário que a convenção seja validada pelas autoridades competentes de cada parceiro: o reitor ou o presidente da universidade, os diretores das escolas etc. Projeto de Duplo Diploma entre a Universidade Federal de Santa Catarina e as escolas INSA A UFSC e as escolas INSA adotaram uma abordagem um pouco diferente. A validação do acordo ocorre antes do trabalho sobre as equivalências de diploma. No esquema apresentado, as etapas 2 e 3 estariam invertidas. Esse acordo foi validado por todas as instâncias da UFSC bem como pelo Reitor da Universidade e pelos diretores das escolas INSA. Contato : Prof. José Carlos Etapa 4: Seleções e envios dos primeiros estudantes Qualquer que seja a Universidade, o programa de duplo diploma dirige-se aos melhores alunos. É organizada uma seleção rigorosa. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e Institut d`etudes Politiques de Paris O processo seletivo é realizado em três etapas: - início de dezembro (final do 4º período): pré-seleção por meio de avaliação do grau de conhecimento de francês e análise dos dossiês de candidatura por parte da Coordenação do Curso de Relações Internacionais; - abril (5.º período): apresentação de certificado de proficiência em língua francesas (TCF nível 5 ou DALF C1) e entrevista em francês com os candidatos pré-selecionados por uma Comissão de Seleção, formada por representante da PUC-SP, representante da Sciences Po e terceiro membro, convidado por ambas as Instituições; - maio/junho: análise das candidaturas pré-selecionadas pela Comissão de Seleção da Sciences Po. Contato : Prof. Dr. Reginaldo Mattar Nasser Duplos Diplomas 11

12 Universidade Federal do Ceará e Ecoles Centrales A pré-seleção é feita obedecendo aos seguintes critérios: o aluno deveria ter IRA (Índice de Rendimento Acadêmico) superior a 8,25, não possuir reprovações e possuir o curriculum vitae aprovado pela Câmara de Tutores. A segunda etapa consiste em uma entrevista em português com os membros da Câmara de Tutores, e representante da Coordenadoria de Assuntos Internacionais - CAI da UFC. A terceira etapa consiste em uma entrevista com os diretores dos departamentos de cooperação interncional e os professores franceses representantes das Écoles Centrales. A entrevista pode ser feita em inglês, francês ou excepcionalmente em espanhol. Nesta etapa, é exigida uma carta de motivação. Contato : Prof. Dr. Joao José Hiluy Filho Uma vez selecionado o candidato, é preciso se assegurar de que ele terá os meios de usufruir plenamente de sua estada. Existem diversas fontes de financiamento: as bolsas (Egide, Capes, bolsas Eiffel, programa Brafitec, programa Brafagri etc.) ou o financiamento privado (solicitação às empresas, realização de estágios remunerados etc.). O dossiê da Edufrance sobre a cooperação universitária franco-brasileira está disponível na Internet: Ele oferece um panorama das bolsas disponíveis segundo a nacionalidade dos candidatos. Escola Politécnica da Universidade Federal do Rio de Janeiro Quanto ao financiamento, atualmente a CAPES financia, através do programa Brafitec (programa de graduação sanduíche), a permanência de alunos brasileiros em instituições de ensino no exterior, por um ano. Adicionalmente, as escolas participantes irão buscar parcerias no meio empresarial para o financiamento deste programa. Contato : Prof. Dr. Ricardo Manfredi Naveiro Universidade Federal de Uberlândia e INSA Lyon As bolsas com duração de um ano para a realização do duplo diploma serão as do Programa CAPES-BRAFITEC. Previu-se estágios remunerados a partir do final do primeiro ano cursado no INSA e no segundo semestre do segundo ano para manutenção dos estudantes no segundo ano da mobilidade. Contato : Profa. Raquel S. L. Rade A Universidade Federal do Ceará ressalta que os aspectos culturais podem trazer dificuldades no início da estada e que eles devem ser solucionados rapidamente. Pode ser organizado um acompanhamento do estudante. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade FEA da Universidade de São Paulo USP e EUROMED Marseille Ecole de Management A convenção entre os dois estabelecimentos prevê apoio aos estudantes estrangeiros pela organização de um serviço para assisti-los em seus deveres administrativos. A criação de uma tutoria para ajudá-los a se adaptar aos procedimentos e métodos pedagógicos da instituição que acolhe também é citada nesse documento. Contato : Prof. Dr. Edson Luiz Riccio Duplos Diplomas 12

13 Etapa 5: O retorno e a entrega do diploma É possível que surjam dificuldades no primeiro ano de conclusão do programa principalmente por causa da novidade do programa e de uma possível falta de referências na colaboração. Com a experiência, esses problemas são rapidamente superados. O retorno ao Brasil foi um pouco tumultuado devido ao fato de sermos a primeira turma. A equivalência de disciplinas foi uma questão polêmica, porém com a criação de uma comissão de professores na Pró-Reitoria de Graduação esse problema provavelmente não se repetirá para as turmas seguintes. O prazo prometido foi respeitado, e a primeira turma de engenheiros duplo diplomados da Unicamp / Ecole Centrale formou-se 3 semestres após o retorno da França. Pedro Neiva Kvieska, Unicamp EC Nantes. Duplos Diplomas 13

14 O caso da co-tutela de tese A co-tutela internacional de tese é regida por um decreto específico de 6 de janeiro de Cada co-tutela de tese se realiza no contexto de uma convenção que une dois parceiros em um princípio de reciprocidade. Esse acordo deve ser assinado no mais tardar ao final do primeiro ano após a inscrição para a tese. O doutorando deve estar inscrito no estabelecimento de origem e/ou no estabelecimento parceiro durante todo o período de sua estada. Convenção O decreto exige a assinatura de uma convenção específica para cada to-tutela que indique, no mínimo: Nome das duas instituições Nome do doutorando Data de inscrição ao doutorado Duração prevista da tese Duração dos períodos de trabalho em cada instituição A universidade que recebe o pagamento da inscrição A cobertura social do estudante em cada país O alojamento e os auxílios financeiros de que beneficia o doutorando Nome dos orientadores de tese Modalidades de designação da banca Local da defesa Língua de redação e de defesa da tese A regulamentação relativa ao registro, ao referenciamento e à reprodução da tese Pré-requisitos O estudante deve possuir título que lhe habilite a se inscrever no doutorado nos dois países. O projeto de pesquisa, redigido nas duas línguas, deve ser aprovado pelos dois orientadores de tese, francês e brasileiro. Os dois orientadores de tese devem demonstrar a antecedência de suas colaborações científicas ou, ainda melhor, que suas equipes colaboram. O tema de pesquisa deve ser aprovado pelas instâncias competentes de cada estabelecimento. A convenção deve ser assinada em três exemplares, em francês e em português, pelos orientadores de tese, pelos responsáveis do programa ou do departamento, bem como pelos reitores ou presidentes das universidades envolvidas. Financiamentos O colégio doutoral franco-brasileiro concede bolsas aos doutorandos. Para mais informações: Na França, quando existe uma convenção de co-tutela internacional, o departamento em questão pode solicitar um auxílio por ocasião da publicação de licitações de mobilidade de doutorandos do Ministério da Pesquisa: Duplos Diplomas 14

15 Os duplos diplomas franco-brasileiros Atualização Uma base de dados atualizada sobre os duplos diplomas franco-brasileiros está disponível no site do CenDoTeC no seguinte endereço: Os duplos diplomas ativos No total, 398 estudantes receberam duplos diplomas ou estão em formação para recebê-los. Escolas / Universidades brasileiras Escolas / Universidades francesas parceiras Área Situação Número estudantes de Responsáveis brasileiros Universidade Federal do Ceará - UFC Ecoles Centrales de Paris, Lille, Nantes, Lyon e Marseille Engenharia Em vigor desde 2000 (2005) Brasil para França: 50 França para Brasil: 5 Prof. dr. João José Hiluy Filho - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro Ecoles Centrales de Paris, Lille, Nantes, Lyon, INSA Toulouse e Lyon, ENSMSE, ENSMN, ENST Engenharia Em vigor desde alunos no total Prof. dr. Marcos Azevedo da Silveira Escola Politécnica da Universidade de São Paulo - POLI/USP Ecoles Centrales de Paris, Lille, Nantes, Lyon e Marseille; Ecole Polytechnique, ENSMSE, ENSMN, ENPC, ENSCP, ENSCL, ENSTA, ENSCM, ENSCPB Engenharia Em vigor desde 2001 (2005) Brasil para França: 115 França para Brasil: 27 Prof. dr. Antonio Carlos Vieira Coelho - Duplos Diplomas 15

16 Universidade Estadual de Campinas UNICAMP Ecoles Centrales de Paris, Lille, Nantes e Lyon; ENSAM Engenharia Em vigor desde 2001 para as Ecoles Centrales 2004 para a ENSAM (2006) Brasil para França: 28 Prof. dr. Jose Pissolato Filho (Ecoles Centrales) - Prof. dr. José Roberto de França Arruda (ENSAM) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul UFRGS Ecoles Centrales de Paris, Lille, Nantes, Lyon e Marseille Engenharia Em vigor desde 2002 Brasil para França: 31 Prof. dr. João Manoel Gomes da Silva Jr. - Escola Politécnica da Universidade Federal do Rio de Janeiro POLI/UFRJ Ecoles Centrales de Paris, Lille, Nantes, Lyon e Marseille; Ecole Polytechnique Paris, Ecole des Mines de Paris, ENSTA Engenharia Em vigor desde 2004 para as Ecoles Centrales (2006) Brasil para França: 22 França para Brasil: 2 Prof. dr. Ricardo Manfredi Naveiro - Universidade Federal de Santa Catarina INSA Lyon, Toulouse, Rouen, Rennes e Strasbourg; ENSMSE Engenharia 2006 com a ENSMSE em via de assinatura com as INSA ENSMSE (2007) : 2 alunos brasileiros, 1 aluno francês INSA : 1 aluno brasileiro realiza o curso previsto e será diplomado retroativamente Prof. José Carlos Perreira - Prof. dr. Julio Felipe Szeremeta (ENSMSE) Prof. Essaïd Bilal (ENSMSE) Universidade de Uberlândia Federal INSA Lyon e INSA Rouen Engenharia Assinatura em dez Premiera turma em 2006 Prof.a Raquel S. L. Rade - Universidade Tecnológica Federal do Paraná UTFPR UTC, UTT, UTBM Engenharia Em vigor desde 2004 Brasil para França: 7 Prof. dr. Claudio Martin - Assessoria de Relaçoes Internacionais - Duplos Diplomas 16

17 Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Sciences Po Relações Internacionais Em vigor desde 2002 Brasil para França: 6 Prof. dr. Reginaldo Mattar Nasser - Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP FEA/USP Euromed Marseille Administração Em vigor desde 2003 Brasil para França: 8 França para Brasil: 3 Prof. dr. Edson Luiz Riccio Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz ESALQ/USP Faculdade Ibmec / RJ INA Paris-Grignon; Groupement FESIA: ESA Agronomia Angers, ISAB Beauvais, ISA Lille, ISARA Lyon, ESAP Ecole de Management de Normandie; Institut Européen d'etudes Commerciales Supérieures Strasbourg (IECS) Gestão/Comércio (MBA) Em vigor desde abr (INA) 2006 (groupement FESIA) EMN (2001), IECS (2002) Primeira turma em 2006 EMN (por semestre, por ano): 1 aluno enviado, 1 aluno recebido IECS (por semestre, por ano): 1 aluno enviado, 2 alunos recebidos Prof.a Maria Lúcia Carneiro Vieira - Prof. dr. Luiz Flavio Autran Monteiro Gomes - Andressa Amaya - Duplos Diplomas 17

18 Os projetos em via de assinatura A Ecole Nationale des Mines de Saint-Etienne mantém atualmente discussões com a Universidade Federal de Minas Gerais sobre a criação de um novo programa de duplo diploma. O Intituto Toledo de Ensino ITE de Bauru assinou recentemente um acordo de cooperação com as universidades francesas ligadas à Maison des Pays du Cône Sud. Esse acordo prevê a criação de duplos diplomas destinados a brasileiros. O estudante se inscreverá no ITE e, ao mesmo tempo, em um dos estabelecimentos franceses parceiros. O ensino ministrado pelo ITE dará direito a 70-80% do diploma francês; os 20-30% restantes serão obtidos pelo acompanhamento dos cursos de professores franceses que virão ao Brasil. Enfim, uma iniciativa que poderá representar uma nova forma de colaboração entre a França e o Brasil em matéria de educação e de formação: o projeto do Instituto de Tecnologia e Gestão da Inovação Heliópolis. Essa estrutura é dirigida pela Ecole des Mines de Saint-Etienne em parceria com o Sapiens Parque S.A. Parque de Inovação, a Fundação Certi, a associação Acate e a Universidade Federal de Santa Catarina. Situado em Florianópolis, ele visa um público profissional a quem será proposto, em um primeiro momento, quatro tipos de prestações: uma formação avançada em engenharia e tecnologia, um painel de cursos de curta duração para executivos e dirigentes, um MBA em gestão da tecnologia para a inovação e um centro de pesquisa que se concentrará nas áreas de pesquisa das empresas parceiras e do Sapiens Parque. Dossiê CenDoTeC Este dossiê foi realizado em novembro de 2006 Elaboração: Maxence Motte, Halumi T. Takahashi, Elise Guerrero Tradução : Neusa W. Ferreira Diretor de publicação: Pierre Fayard Contate o CenDoTeC para todo dossiê de informação científica sobre a França CenDoTeC - Centro Franco-Brasileiro de Documentação Técnica e Científica Av. Prof. Dr. Lineu Prestes, Cidade Universitária São Paulo - SP Tel.: (11) Fax: (11) Duplos Diplomas 18

NOTÍCIAS DA FRANÇA Dezembro de 2007

NOTÍCIAS DA FRANÇA Dezembro de 2007 NOTÍCIAS DA FRANÇA Dezembro de 2007 Bolsas de estudos com inscrições abertas BOLSA EIFFEL Bolsa de excelência oferecida pelo Ministério das Relações Exteriores da França com valor mensal de aproximadamente

Leia mais

EDITAL AREX. 1. Instituições Parceiras e Vagas oferecidas com bolsa BRAFITEC

EDITAL AREX. 1. Instituições Parceiras e Vagas oferecidas com bolsa BRAFITEC EDITAL AREX INTERCÂMBIO CURSOS DE ENGENHARIA NA FRANÇA Estão abertas as inscrições para seleção de estudantes de Engenharia (são elegíveis todos os cursos de Engenharia da UNESP que tenham homólogos nas

Leia mais

O PROGRAMA INTERNACIONAL DE DUPLA DIPLOMAÇÃO: A EXPERIÊNCIA PIONEIRA DA UFC

O PROGRAMA INTERNACIONAL DE DUPLA DIPLOMAÇÃO: A EXPERIÊNCIA PIONEIRA DA UFC O PROGRAMA INTERNACIONAL DE DUPLA DIPLOMAÇÃO: A EXPERIÊNCIA PIONEIRA DA UFC João José Hiluy Filho - hiluy@ufc.br João Cesar Moura Mota - mota@gtel.ufc.br Universidade Federal do Ceará Centro de Tecnologia

Leia mais

VAGAS PARA INTERCÂMBIO NA FRANÇA

VAGAS PARA INTERCÂMBIO NA FRANÇA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS EDITAL CONJUNTO CAI/EEC Nº 007/2015 VAGAS PARA INTERCÂMBIO NA FRANÇA A Coordenadoria de Assuntos Internacionais (CAI) e a Escola de Engenharia Civil

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARA COORDENADORIA DE ASSUNTOS INTERNACIONAIS CENTRO DE TECNOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARA COORDENADORIA DE ASSUNTOS INTERNACIONAIS CENTRO DE TECNOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARA COORDENADORIA DE ASSUNTOS INTERNACIONAIS CENTRO DE TECNOLOGIA EDITAL N 07, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012 SELEÇÃO PARA O PROGRAMA DE DUPLO DIPLOMA DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA. (TURMA

Leia mais

http://www.puc-rio.br/ensinopesq/ccci/ Novembro de 2014

http://www.puc-rio.br/ensinopesq/ccci/ Novembro de 2014 a http://www.puc-rio.br/ensinopesq/ccci/ Novembro de 2014 Metas e Desafios da Internacionalização na PUC-Rio A Internacionalização na PUC-Rio Estrutura acadêmico-administrativa Coordenação Central de Internacionalização:

Leia mais

Edital nº 009/2012 DRII/UFU CAPES/BRAFITEC

Edital nº 009/2012 DRII/UFU CAPES/BRAFITEC Edital para a Seleção Complementar de Novas Bolsas, no âmbito dos Projetos BRAFITEC, aprovados junto à CAPES, para Estudantes de Graduação dos Cursos de Engenharia Civil, Engenharia Elétrica, Engenharia

Leia mais

Grupo Convênios Duplo Diploma (Graduação) Coordenador: Fernando Josepetti Fonseca - Poli Relator: Raul Franzolin Neto - FZEA

Grupo Convênios Duplo Diploma (Graduação) Coordenador: Fernando Josepetti Fonseca - Poli Relator: Raul Franzolin Neto - FZEA Grupo Convênios Duplo Diploma (Graduação) Coordenador: Fernando Josepetti Fonseca - Poli Relator: Raul Franzolin Neto - FZEA Visão Geral Por que Duplo-Diploma? Situação Atual na USP e internacional Dificuldades

Leia mais

Programa de Graduação Internacional em Dupla Titulação GCUB/UC Edital GCUB nº. 002/2010

Programa de Graduação Internacional em Dupla Titulação GCUB/UC Edital GCUB nº. 002/2010 1 Programa de Graduação Internacional em Dupla Titulação GCUB/UC Edital GCUB nº. 002/2010 A Associação Grupo Coimbra de Dirigentes de Universidades Brasileiras (GCUB), formalmente constituída em 27 de

Leia mais

E D I T A L DIPLOMA INTEGRADO PUC-SP/SCIENCES PO 2012

E D I T A L DIPLOMA INTEGRADO PUC-SP/SCIENCES PO 2012 E D I T A L DIPLOMA INTEGRADO PUC-SP/SCIENCES PO 2012 Estão abertas as inscrições para seleção de candidatos do curso de Relações Internacionais da Faculdade de Ciências Sociais da PUC-SP para o programa

Leia mais

Notícias da França Especial Bolsas. Fevereiro 2010. Bolsas Master Ile-de-France 2010

Notícias da França Especial Bolsas. Fevereiro 2010. Bolsas Master Ile-de-France 2010 Notícias da França Especial Bolsas Fevereiro 2010 Bolsas Master Ile-de-France 2010 Estão abertas as inscrições para as bolsas Master Ile-de-France 2010 As bolsas consistem em uma ajuda anual de 10.500

Leia mais

Art. 3º Cada Programa de Pós-Graduação é organizado em 1 (um) Corpo Docente e 1 (uma) Comissão de Pós-Graduação (CPG).

Art. 3º Cada Programa de Pós-Graduação é organizado em 1 (um) Corpo Docente e 1 (uma) Comissão de Pós-Graduação (CPG). 1 O Programa de Pós-Graduação do Observatório Nacional foi credenciado pelo parecer do Conselho Federal de Educação CFE, 05/73 de 22/01/73. Foi recredenciado pelo CFE, através do Parecer 755/93 de 06/12/93,

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU - MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL. Sumário

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU - MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL. Sumário REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU - MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL Sumário Capítulo I: DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA... Capítulo II: DA ADMINISTRAÇÃO DO PROGRAMA...

Leia mais

Programa Conjunto de Bolsas de Doutorado na República Federal da Alemanha 2010/2011 DAAD - CAPES CNPq

Programa Conjunto de Bolsas de Doutorado na República Federal da Alemanha 2010/2011 DAAD - CAPES CNPq Programa Conjunto de Bolsas de Doutorado na República Federal da Alemanha 2010/2011 DAAD - CAPES CNPq I. DEFINIÇÃO E OBJETIVO As bolsas do Programa conjunto de doutorado na Alemanha são concedidas em cooperação

Leia mais

Roteiro para apresentação de projetos de cooperação internacional, inclusive seu Plano Operacional. Identificação das Associações Universitárias

Roteiro para apresentação de projetos de cooperação internacional, inclusive seu Plano Operacional. Identificação das Associações Universitárias Roteiro para apresentação de projetos de cooperação internacional, inclusive seu Plano Operacional O objetivo deste roteiro é facilitar a apresentação e a análise das propostas de projetos encaminhadas,

Leia mais

Programa de Licenciaturas Internacionais CAPES/UC

Programa de Licenciaturas Internacionais CAPES/UC Programa de Licenciaturas Internacionais CAPES/ Edital nº 008/2011/CAPES A Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), por meio de sua Diretoria de Relações Internacionais,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SOCIOLOGIA CAPÍTULO I - DOS OBJETIVOS

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SOCIOLOGIA CAPÍTULO I - DOS OBJETIVOS REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SOCIOLOGIA CAPÍTULO I - DOS OBJETIVOS Art. 1 o - O Programa de Pós-Graduação em Sociologia, vinculado ao Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade

Leia mais

E D I T A L DIPLOMA INTEGRADO PUC-SP/SCIENCES PO 2015

E D I T A L DIPLOMA INTEGRADO PUC-SP/SCIENCES PO 2015 E D I T A L DIPLOMA INTEGRADO PUC-SP/SCIENCES PO 2015 Estão abertas as inscrições para seleção de candidatos do curso de Relações Internacionais da Faculdade de Ciências Sociais da PUC-SP para o programa

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE TECNOLOGIA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE TECNOLOGIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE TECNOLOGIA EDITAL nº 01/2013-TC de 07 DE FEVEREIRO DE 2013 Estabelece as regras do processo de seleção de alunos de graduação do Curso de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO PRÓ REITORIA DE ENSINO. EDITAL nº 55/2014 PROEN

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO PRÓ REITORIA DE ENSINO. EDITAL nº 55/2014 PROEN EDITAL nº 55/2014 PROEN SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA INTERCÂMBIO INTERNACIONAL EM CURSOS DE ENGENHARIA NA FRANÇA/BRAFITEC A Pró-Reitora de Ensino da Universidade Federal do Maranhão, no uso de suas atribuições

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO EDITAL 01/2013/ECA/EST/UEA

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO EDITAL 01/2013/ECA/EST/UEA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO EDITAL 01/2013/ECA/EST/UEA Processo de Pré-Seleção ao Programa de Cooperação Brasil/França CAPES/BRAFITEC,

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação

Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação Faculdade de Informática Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação Regulamento Capítulo I Da Atribuição e Organização Geral Art. 1 - O Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação (PPGCC),

Leia mais

E D I T A L DIPLOMA INTEGRADO PUC-SP/SCIENCES PO 2013

E D I T A L DIPLOMA INTEGRADO PUC-SP/SCIENCES PO 2013 E D I T A L DIPLOMA INTEGRADO PUC-SP/SCIENCES PO 2013 Estão abertas as inscrições para seleção de candidatos do curso de Relações Internacionais da Faculdade de Ciências Sociais da PUC-SP para o programa

Leia mais

ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO

ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade internacional para estágio dos estudantes de Licenciatura

Leia mais

Projetos CAPES-BRAFITEC Prof. JoãoManoel Gomes da Silva Jr.

Projetos CAPES-BRAFITEC Prof. JoãoManoel Gomes da Silva Jr. Projetos CAPES-BRAFITEC Prof. JoãoManoel Gomes da Silva Jr. COMOBE/EE O que é? Projetos para a promoção de intercâmbio bidirecional de alunos de graduação em engenharia entre Brasil e França Institucional:

Leia mais

EDITAL Nº 005/2012-PRPI

EDITAL Nº 005/2012-PRPI EDITAL Nº 005/2012-PRPI A Pró-reitora de Pesquisa e Inovação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará - IFCE, no uso de suas atribuições, torna público que estão abertas as inscrições

Leia mais

EDITAL Mobilidade Estudantil Brasil França CAPES BRAFITEC 2014

EDITAL Mobilidade Estudantil Brasil França CAPES BRAFITEC 2014 Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº 10.435, de 24 de abril de 2002 Reitoria EDITAL Mobilidade Estudantil Brasil França CAPES BRAFITEC 2014 Encontra-se aberto o processo

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO DA UNESP FFC/MARÍLIA. Seção I. Dos Objetivos

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO DA UNESP FFC/MARÍLIA. Seção I. Dos Objetivos REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO DA UNESP FFC/MARÍLIA Seção I Dos Objetivos Artigo 1º O Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Filosofia e Ciências de Marília será estruturado

Leia mais

1. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS E OBJETIVOS

1. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS E OBJETIVOS UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS DIRETORIA DE ASSUNTOS INTERNACIONAIS Qd. 109 Norte Av. NS 15, Prédio da DTE, sls 02 e 03 77001-090 Palmas-TO (63) 3232-8078/3232-8103 www.uft.edu.br dai@uft.edu.br EDITAL

Leia mais

FONDATION NATIONALE DES SCIENCES POLITIQUES - SCIENCES PO Cooperação acadêmica; intercâmbio de estudantes de pós-graduação e estudantes de graduação

FONDATION NATIONALE DES SCIENCES POLITIQUES - SCIENCES PO Cooperação acadêmica; intercâmbio de estudantes de pós-graduação e estudantes de graduação FEA FONDATION NATIONALE DES SCIENCES POLITIQUES - SCIENCES PO ; intercâmbio de estudantes de pós-graduação e estudantes de graduação Economia, Administração e Contabilidade Vigência: De 23/02/2011 até

Leia mais

Edital de Seleção de Mestrado 2013

Edital de Seleção de Mestrado 2013 Edital de Seleção de Mestrado 2013 1. EDITAL MESTRADO 2013: O Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal Fluminense, considerando o que estabelece a Resolução 37/2004

Leia mais

Programa de Licenciaturas Internacionais CAPES/UC

Programa de Licenciaturas Internacionais CAPES/UC Programa de Licenciaturas Internacionais CAPES/ Edital 035/2010/CAPES A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), por meio de sua Diretoria de Relações Internacionais, e com

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA. Regulamento do Terceiro Ciclo de Estudos. Conducente ao Grau de Doutor/a em Direito

FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA. Regulamento do Terceiro Ciclo de Estudos. Conducente ao Grau de Doutor/a em Direito FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Regulamento do Terceiro Ciclo de Estudos Conducente ao Grau de Doutor/a em Direito (versão em vigor a partir de 26 de março de 2015) Artigo 1.º Objeto 1

Leia mais

Programa Conjunto de Bolsas de Doutorado na República Federal da Alemanha 2011/2012 DAAD/ CAPES/CNPq

Programa Conjunto de Bolsas de Doutorado na República Federal da Alemanha 2011/2012 DAAD/ CAPES/CNPq Programa Conjunto de Bolsas de Doutorado na República Federal da Alemanha 2011/2012 DAAD/ CAPES/CNPq I. DEFINIÇÃO E OBJETIVO As bolsas do Programa conjunto de doutorado na Alemanha são concedidas em cooperação

Leia mais

Guia Prático da Cooperação Universitária Franco-Brasileira

Guia Prático da Cooperação Universitária Franco-Brasileira Guia Prático da Cooperação Universitária Franco-Brasileira Sumário CenDoTec... p4 EduFrance no Brasil... p5 O sistema francês de ensino superior LMD...p6,7,8,9 Tabela comparativa dos sistemas de ensino

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Tecnologia de Materiais

Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Tecnologia de Materiais Faculdade de Engenharia Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Tecnologia de Materiais Regulamento Capítulo I Da Atribuição e Organização Geral Art. 1 - O Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Tecnologia

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS. Programa de Pós-Graduação em Química Área de Concentração: Química Níveis Mestrado e Doutorado REGIMENTO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS. Programa de Pós-Graduação em Química Área de Concentração: Química Níveis Mestrado e Doutorado REGIMENTO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS Programa de Pós-Graduação em Química Área de Concentração: Química Níveis Mestrado e Doutorado REGIMENTO 2010 2 Os artigos que seguem neste Regimento referem-se ao Programa

Leia mais

CAPÍTULO I. Os Cursos Acadêmicos de Pós-Graduação stricto sensu, ministrados pela FEM, conduzem aos títulos acadêmicos de Mestre e de Doutor em:

CAPÍTULO I. Os Cursos Acadêmicos de Pós-Graduação stricto sensu, ministrados pela FEM, conduzem aos títulos acadêmicos de Mestre e de Doutor em: REGULAMENTO DOS CURSOS ACADÊMICOS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ENGENHARIA MECÂNICA E PLANEJAMENTO DE SISTEMAS ENERGÉTICOS DA FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA DA UNICAMP Dos Objetivos e Prazos CAPÍTULO

Leia mais

GABINETE DO REITOR COORDENAÇÃO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS

GABINETE DO REITOR COORDENAÇÃO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS GABINETE DO REITOR COORDENAÇÃO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS PROGRAMA DE GRADUAÇÃO / DOUTORADO SANDUÍCHE / PÓS-DOUTORADO / PESSOAL ACADEMICO E ADMINISTRATIVO PROGRAMA ERASMUS MUNDUS EBW+ Edital de Seleção

Leia mais

R E G I M E N T O PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU MESTRADO EM TEORIA LITERÁRIA DOS OBJETIVOS

R E G I M E N T O PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU MESTRADO EM TEORIA LITERÁRIA DOS OBJETIVOS R E G I M E N T O PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU MESTRADO EM TEORIA LITERÁRIA DOS OBJETIVOS Artigo 1º - O Programa de Pós-Graduação em Letras tem por objetivo a formação de docentes destinados

Leia mais

REGIMENTO GERAL DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU

REGIMENTO GERAL DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU REGIMENTO GERAL DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU (Regimento aprovado pelo Conselho Deliberativo da Fiocruz em 28/08/2008) 1. Dos Objetivos 1.1. A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) oferece programas de pós-graduação

Leia mais

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS TECNÓLOGO SANDUÍCHE NO CANADÁ CHAMADA PÚBLICA PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS ACCC Nº 107/2011

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS TECNÓLOGO SANDUÍCHE NO CANADÁ CHAMADA PÚBLICA PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS ACCC Nº 107/2011 PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS TECNÓLOGO SANDUÍCHE NO CANADÁ CHAMADA PÚBLICA PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS ACCC Nº 107/2011 O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação MCTI, o Ministério da Educação

Leia mais

Convocação. Documentos necessários para submissão

Convocação. Documentos necessários para submissão Convocação Seleção de estudantes de graduação dos cursos de engenharia elétrica, engenharia da computação e engenharia mecânica para estágio nas Universidades Norte Dakota (NDSU) e Universidade Tecnológica

Leia mais

Aprovados pelo Colegiado da Pós-Graduação

Aprovados pelo Colegiado da Pós-Graduação UCRITÉRIOS, REGRAS, PROCEDIMENTOS E DOCUMENTOS Aprovados pelo Colegiado da Pós-Graduação 1. Os alunos cujos orientadores tenham recebido quotas de bolsas individuais do CNPq ou da CAPES, mas que hajam

Leia mais

Programa Estágio de Curta Duração. CAPES/Fundação Carolina

Programa Estágio de Curta Duração. CAPES/Fundação Carolina Programa Estágio de Curta Duração CAPES/Fundação Carolina Edital DRI/CAPES nº. 007/2010 A Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), por meio de sua Diretoria de Relações

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ Instituto de Tecnologia EDITAL 01/2008/ITEC/UFPA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ Instituto de Tecnologia EDITAL 01/2008/ITEC/UFPA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ Instituto de Tecnologia EDITAL 01/2008/ITEC/UFPA Processo de Pré-Seleção aos Programas de Cooperação Brasil/França Ingènieur Technologie CAPES/BRAFITEC, Projetos n os 024/07,

Leia mais

Regimento da Pós-Graduação Stricto Sensu

Regimento da Pós-Graduação Stricto Sensu Regimento da Pós-Graduação Stricto Sensu TÍTULO I Do Regimento da Pós-Graduação Stricto Sensu Capítulo I Das Disposições Preliminares Artigo 1º - O Regime de Pós-Graduação Stricto Sensu, nos níveis de

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ PRO-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ PRO-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ PRO-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EDITAL 02/2015 PROPIT/NucLI PROCESSO SELETIVO DE PROFESSORES/BOLSISTAS

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E INOVAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E INOVAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E INOVAÇÃO 1ª RETIFICAÇÃO DO EDITAL Nº 026/-PRPI A Pró-reitora de Pesquisa e Inovação do Instituto

Leia mais

EDITAL DO PROGRAMA BRAFITEC/CT/UFC Nº 001/2015

EDITAL DO PROGRAMA BRAFITEC/CT/UFC Nº 001/2015 UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE TECNOLOGIA EDITAL DO PROGRAMA BRAFITEC/CT/UFC Nº 001/2015 PROCESSO SELETIVO PARA PARTICIPAÇÃO EM PROGRAMA DE INTERCÂMBIO PARA ESTUDO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA E

Leia mais

Diretrizes do Programa de Intercâmbio Internacional

Diretrizes do Programa de Intercâmbio Internacional Diretrizes do Programa de Intercâmbio Internacional SUMÁRIO Introdução... 2 Graduação... 3 Pós-Graduação... 5 1 Introdução A FGV Direito Rio mantém convênios com diversas universidades renomadas no exterior.

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO EM CIDADANIA, CONFIANÇA E RESPONSABILIDADE SOCIAL

EDITAL MESTRADO EM COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO EM CIDADANIA, CONFIANÇA E RESPONSABILIDADE SOCIAL EDITAL MESTRADO EM COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO EM CIDADANIA, CONFIANÇA E RESPONSABILIDADE SOCIAL (Edição 2012-2014) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto-Lei

Leia mais

da Universidade Católica Portuguesa PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO

da Universidade Católica Portuguesa PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO Escola do Porto da Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS MOBILIDADE ACADÊMICA DE GRADUAÇÃO, MESTRADO E DOUTORADO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS MOBILIDADE ACADÊMICA DE GRADUAÇÃO, MESTRADO E DOUTORADO MOBILIDADE ACADÊMICA DE GRADUAÇÃO, MESTRADO E DOUTORADO EDITAL 02B/2015 RETIFICADO ERASMUS + na Università Ca Foscari Vitória, 19 de outubro de 2015. APRESENTAÇÃO A Secretaria de Relações Internacionais

Leia mais

1.2. Ser aprovado em um exame de língua estrangeira (inglês ou francês);

1.2. Ser aprovado em um exame de língua estrangeira (inglês ou francês); PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO MESTRADO EM EDUCAÇÃO EDITAL PARA SELEÇÃO 2016 O Programa de Pós-Graduação em Educação da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PPGE/PUC-Rio) torna pública

Leia mais

Edital N 10/2014 DRI/UFF

Edital N 10/2014 DRI/UFF Edital N 10/2014 DRI/UFF Dispõe sobre o programa de Mobilidade Internacional de alunos de graduação da Universidade Federal Fluminense para o segundo semestre de 2015 e primeiro de 2016. A Diretoria de

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO REGIONAL E MEIO AMBIENTE - UNIARA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO REGIONAL E MEIO AMBIENTE - UNIARA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO REGIONAL E MEIO AMBIENTE - UNIARA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: DINÂMICAS TERRITORIAIS E ALTERNATIVAS DE SUSTENTABILIDADE. CAPÍTULO I DA ORGANIZAÇÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PRPGP - UCB

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PRPGP - UCB UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PRPGP - UCB MESTRADO EM GESTÃO DO CONHECIMENTO E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - MGCTI REGULAMENTO DO MESTRADO EM GESTÃO DO CONHECIMENTO

Leia mais

Regimento de Pós-Graduação do Mestrado Profissionalizante em Instrumentação Científica

Regimento de Pós-Graduação do Mestrado Profissionalizante em Instrumentação Científica Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas CBPF/CNPq http://www.cbpf.br Rua Dr. Xavier Sigaud 150, Urca - Rio de Janeiro - RJ Cep: 22290-180 Tel: (021) 5867100 Fax: (021) 5867400 Regimento de Pós-Graduação

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP Programa de Estudos Pós-Graduados em Engenharia Biomédica

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP Programa de Estudos Pós-Graduados em Engenharia Biomédica EDITAL PARA O PROCESSO SELETIVO 2º/2014 Coordenador: Prof. Dr. Luiz Carlos de Campos Vice-Coordenadora: Profa. Dra. Annie France Frere Slaets Estarão abertas, no período de 14/04/2014 a 05/05/2014, as

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM JOGO E MOTRICIDADE NA INFÂNCIA. (Edição 2012-2014)

EDITAL MESTRADO EM JOGO E MOTRICIDADE NA INFÂNCIA. (Edição 2012-2014) 1/10 EDITAL MESTRADO EM JOGO E MOTRICIDADE NA INFÂNCIA (Edição 2012-2014) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de fevereiro, do Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de março, com as alterações que lhes

Leia mais

PROGRAMA DE INTERCÂMBIO INTERNACIONAL DA FESPSP. Edital de Seleção 2014. Universidade Autônoma de Barcelona

PROGRAMA DE INTERCÂMBIO INTERNACIONAL DA FESPSP. Edital de Seleção 2014. Universidade Autônoma de Barcelona PROGRAMA DE INTERCÂMBIO INTERNACIONAL DA FESPSP Edital de Seleção 2014 Universidade Autônoma de Barcelona A área de Extensão Acadêmica e Cooperação Internacional da FESPSP em conjunto com as coordenações

Leia mais

EDITAL Nº 15/2015 DIRGRAD PROGRAMA DE DUPLA DIPLOMAÇÃO EM ZOOTECNIA UTFPR CÂMPUS DOIS VIZINHOS E INSTITUTO POLITÉCNICO DE BRAGANÇA PORTUGAL

EDITAL Nº 15/2015 DIRGRAD PROGRAMA DE DUPLA DIPLOMAÇÃO EM ZOOTECNIA UTFPR CÂMPUS DOIS VIZINHOS E INSTITUTO POLITÉCNICO DE BRAGANÇA PORTUGAL PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ EDITAL Nº 15/2015 DIRGRAD PROGRAMA DE DUPLA DIPLOMAÇÃO EM ZOOTECNIA UTFPR CÂMPUS DOIS VIZINHOS E INSTITUTO POLITÉCNICO DE BRAGANÇA PORTUGAL A Diretora de Graduação

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA POLÍTICA E RELAÇÕES INTERNACIONAIS CURSO DE DOUTORADO TURMA 2013 EDITAL Nº

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA POLÍTICA E RELAÇÕES INTERNACIONAIS CURSO DE DOUTORADO TURMA 2013 EDITAL Nº PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA POLÍTICA E RELAÇÕES INTERNACIONAIS CURSO DE DOUTORADO TURMA 2013 EDITAL Nº 24/12 O Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (Iuperj) da Universidade Candido

Leia mais

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA, PARA ALUNOS DA UEA, PARA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE NA FRANÇA

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA, PARA ALUNOS DA UEA, PARA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE NA FRANÇA PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA, PARA ALUNOS DA UEA, PARA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE NA FRANÇA Tendo em vista a oportunidade propiciada pelo Programa Ciência sem Fronteiras, a Assessoria

Leia mais

Perguntas frequentes sobre Intercâmbio - Alunos de Graduação da FSP-USP. Tópicos Abordados

Perguntas frequentes sobre Intercâmbio - Alunos de Graduação da FSP-USP. Tópicos Abordados 1 Este FAQ visa esclarecer algumas dúvidas comuns entre os alunos de graduação da FSP-USP. Deve-se levar em conta que todo o processo de intercâmbio será adequado ao caso concreto, sendo que certos passos

Leia mais

Regulamento Geral dos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu

Regulamento Geral dos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu VICE-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA Regulamento Geral dos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu CAPÍTULO I DA FINALIDADE E DA ORGANIZAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO Art. 1º Os Programas de

Leia mais

PRÊMIO CAPES DE TESE - EDIÇÃO 2015. Edital nº 08/2015

PRÊMIO CAPES DE TESE - EDIÇÃO 2015. Edital nº 08/2015 PRÊMIO CAPES DE TESE - EDIÇÃO 2015 Edital nº 08/2015 Publicado no DOU de 09/04/15 seção 3 pág. 29 A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Capes, instituída como Fundação Pública,

Leia mais

INSTITUTO CIÊNCIAS DA SAÚDE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA

INSTITUTO CIÊNCIAS DA SAÚDE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA INSTITUTO CIÊNCIAS DA SAÚDE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA Mobilidade Internacional para Estudos REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade

Leia mais

Edital Ciência Sem Fronteiras: CNPq

Edital Ciência Sem Fronteiras: CNPq Edital Ciência Sem Fronteiras: CNPq A Coordenação Central de Cooperação Internacional (CCCI) da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) faz saber que estão abertas as inscrições para

Leia mais

CHAMADA DE SELEÇÃO PARA O PROGRAMA BRAFITEC/CAPES Ano 2014 Segundo Semestre. PROJETOS: UT s/paraná E REDE INSA - PUCPR/UTFPR

CHAMADA DE SELEÇÃO PARA O PROGRAMA BRAFITEC/CAPES Ano 2014 Segundo Semestre. PROJETOS: UT s/paraná E REDE INSA - PUCPR/UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Relações Empresariais e Comunitárias Diretoria de Relações Interinstitucionais PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO DA FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS UNESP CÂMPUS MARÍLIA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO DA FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS UNESP CÂMPUS MARÍLIA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO DA FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS UNESP CÂMPUS MARÍLIA Resolução Unesp-95, de 26/10/05 Seção I Dos Objetivos Artigo 1º - O programa

Leia mais

BOLSA DE DOUTORADO SANDUÍCHE NO EXTERIOR INFORMAÇÕES GERAIS

BOLSA DE DOUTORADO SANDUÍCHE NO EXTERIOR INFORMAÇÕES GERAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS UFMG ESCOLA DE ENGENHARIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SANEAMENTO, MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS BOLSA DE DOUTORADO SANDUÍCHE NO EXTERIOR INFORMAÇÕES GERAIS 2 INTRODUÇÃO

Leia mais

U N I V E R S I D A D E C A T Ó L I C A D E B R AS Í L I A P R Ó - R E I T O R I A D E P Ó S - G R A D U A Ç Ã O E P E S Q U I S A P R PG P/ U C B

U N I V E R S I D A D E C A T Ó L I C A D E B R AS Í L I A P R Ó - R E I T O R I A D E P Ó S - G R A D U A Ç Ã O E P E S Q U I S A P R PG P/ U C B U N I V E R S I D A D E C A T Ó L I C A D E B R AS Í L I A P R Ó - R E I T O R I A D E P Ó S - G R A D U A Ç Ã O E P E S Q U I S A P R PG P/ U C B REGULAMENTO GERAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO

Leia mais

PROGRAMA DE DUPLA DIPLOMAÇÃO EM ENGENHARIA ELETRÔNICA - UTFPR CÂMPUS PONTA GROSSA E INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO - PORTUGAL

PROGRAMA DE DUPLA DIPLOMAÇÃO EM ENGENHARIA ELETRÔNICA - UTFPR CÂMPUS PONTA GROSSA E INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO - PORTUGAL EDITAL Nº /2015 - PROGRAD PROGRAMA DE DUPLA DIPLOMAÇÃO EM ENGENHARIA ELETRÔNICA - UTFPR CÂMPUS PONTA GROSSA E INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO - PORTUGAL O Pró-Reitor de Graduação e Educação Profissional

Leia mais

EDITAL Nº 004/2012-PRPI

EDITAL Nº 004/2012-PRPI EDITAL Nº 004/2012-PRPI A Pró-reitora de Pesquisa e Inovação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará - IFCE, no uso de suas atribuições, torna público que estão abertas as inscrições

Leia mais

Programa internacional de admissões - Brasil 2013-2014

Programa internacional de admissões - Brasil 2013-2014 0 Programa internacional de admissões - Brasil 2013-2014 ESCOLAS DE PARISTECH 1 UNIVERSIDADES BRASILEIRAS PARCEIRAS PUC-Rio Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro UFRJ Universidade Federal

Leia mais

PROGRAMA DE BOLSAS LUSO-BRASILEIRAS PARA ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO. Apresentação

PROGRAMA DE BOLSAS LUSO-BRASILEIRAS PARA ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO. Apresentação PROGRAMA DE BOLSAS LUSO-BRASILEIRAS PARA ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO Apresentação A Universidade Federal do Rio Grande do Sul e o Santander Universidades oferecem aos alunos de graduação de todas as áreas

Leia mais

PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTÁGIO PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS - PMEs SANTANDER UNIVERSIDADES

PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTÁGIO PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS - PMEs SANTANDER UNIVERSIDADES PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTÁGIO PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS - PMEs SANTANDER UNIVERSIDADES A Pró-Reitora de Assuntos Estudantis, no uso de suas atribuições, torna público o presente Edital contendo as normas

Leia mais

CANDIDATURA ÀS BOLSAS DE GRADUAÇÃO SANDUICHE NO EXTERIOR CNPQ/ PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS

CANDIDATURA ÀS BOLSAS DE GRADUAÇÃO SANDUICHE NO EXTERIOR CNPQ/ PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS CANDIDATURA ÀS BOLSAS DE GRADUAÇÃO SANDUICHE NO EXTERIOR CNPQ/ PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS CHAMADA INTERNA - N 0 01/2012 REITORIA O IFPR foi selecionado pelo CNPq para participar do programa Ciência

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM PROCESSOS QUÍMICOS E BIOLÓGICOS. (edição 2010-2012)

EDITAL MESTRADO EM PROCESSOS QUÍMICOS E BIOLÓGICOS. (edição 2010-2012) EDITAL MESTRADO EM PROCESSOS QUÍMICOS E BIOLÓGICOS (edição 2010-2012) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de Março, com as alterações introduzidas

Leia mais

Programa de Licenciaturas Internacionais CAPES/ Universidade de Lisboa

Programa de Licenciaturas Internacionais CAPES/ Universidade de Lisboa Programa de Licenciaturas Internacionais / (23 Dezembro de 2011) 1. Introdução 2. Objectivos 3. Organização e procedimentos 4. Regime de Titulação do Programa de Licenciaturas Internacionais /UL 5. Regime

Leia mais

Edital nº 002/2015 DRII/UFU CAPES/BRAFITEC

Edital nº 002/2015 DRII/UFU CAPES/BRAFITEC Edital para a Seleção de Estudantes de Graduação dos Cursos de Engenharia Aeronáutica, Engenharia de Agrimensura e Cartografia (Campus Monte Carmelo), Engenharia Ambiental, Engenharia Biomédica, Engenharia

Leia mais

O preenchimento das vagas dar-se-á mediante processo que abrangerá as seguintes etapas:

O preenchimento das vagas dar-se-á mediante processo que abrangerá as seguintes etapas: 1. EDITAL MESTRADO 2015: O Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal Fluminense, considerando o que estabelece a Resolução 37/2004 do Conselho de Ensino e Pesquisa, faz

Leia mais

FAQ S ESTUDOS ERASMUS

FAQ S ESTUDOS ERASMUS FAQ S ESTUDOS ERASMUS 1. Quem se pode candidatar? Podem-se candidatar ao programa Erasmus todos os estudantes cidadãos, ou com estatuto de residente permanente de um dos 27 países da União Europeia, e

Leia mais

C A P E S. 1. Apresentação. 2. Objetivo do programa. 3. Quem pode se candidatar

C A P E S. 1. Apresentação. 2. Objetivo do programa. 3. Quem pode se candidatar C A P E S Instruções para Candidatos a Bolsa de Doutorado Sanduíche Vinculados a Projetos Conjuntos da Coordenação-Geral de Cooperação Internacional da CAPES/CGCI. 1. Apresentação Este documento busca

Leia mais

REGIMENTO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS E LINGÜÍSTICA. (Doutorado, Mestrado e Especialização) REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I

REGIMENTO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS E LINGÜÍSTICA. (Doutorado, Mestrado e Especialização) REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I REGIMENTO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS E LINGÜÍSTICA (Doutorado, Mestrado e Especialização) REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E DA ORGANIZAÇÃO Art. 1º O PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS

Leia mais

Guia Prático Estudantes bolsistas Capes-Brafitec ou Capes-Brafagri

Guia Prático Estudantes bolsistas Capes-Brafitec ou Capes-Brafagri versão fevereiro 2013 Guia Prático Estudantes bolsistas Capes-Brafitec ou Capes-Brafagri Este guia é exclusivo para os estudantes bolsistas dos programas Capes-Brafitec ou Capes-Brafagri. O cumprimento

Leia mais

REGIMENTO TÍTULO I DOS FINS

REGIMENTO TÍTULO I DOS FINS TÍTULO I DOS FINS Programa de Pós-Graduação em Odontologia / PPgO Áreas de concentração em Estomatologia, Clínica Odontológica, Periodontia e Implantodontia, em nível de Mestrado Profissional. REGIMENTO

Leia mais

Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa

Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa MOBILIDADE INTERNACIONAL PARA ESTUDOS REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade internacional

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS. EDITAL CONJUNTO CAI/EA nº 01/2015 VAGAS PARA INTERCÂMBIO NA FRANÇA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS. EDITAL CONJUNTO CAI/EA nº 01/2015 VAGAS PARA INTERCÂMBIO NA FRANÇA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS EDITAL CONJUNTO CAI/EA nº 01/2015 VAGAS PARA INTERCÂMBIO NA FRANÇA A Coordenadoria de Assuntos Internacionais (CAI) e a Escola de Agronomia e Engenharia

Leia mais

NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO I - II - III IV - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA

Leia mais

III conferir, de acordo com o regime didático-científico do Programa, os graus de Doutor e Mestre Acadêmico;

III conferir, de acordo com o regime didático-científico do Programa, os graus de Doutor e Mestre Acadêmico; 1 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS-GRADUADOS EM SERVIÇO SOCIAL 1. Objetivos do Programa Artigo 1º - São objetivos do Programa: I formar pessoal nível de Mestrado Acadêmico, Doutorado e Pós-Doutorado,

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA ACADÊMICA DOUTORADO EM PSICOLOGIA CLÍNICA. S e l e ç ã o d a 4 ª T u r m a 2012 E D I T A L

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA ACADÊMICA DOUTORADO EM PSICOLOGIA CLÍNICA. S e l e ç ã o d a 4 ª T u r m a 2012 E D I T A L UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA ACADÊMICA DOUTORADO EM PSICOLOGIA CLÍNICA S e l e ç ã o d a 4 ª T u r m a 2012 E D I T A L ABERTURA DE INSCRIÇÃO À SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA O CURSO DE

Leia mais

UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO

UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO TÍTULO I - APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA... 1 TÍTULO II - DOS OBJETIVOS...

Leia mais

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS GRADUAÇÃO SANDUÍCHE NA FRANÇA CHAMADA PÚBLICA PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS/ CAMPUS FRANCE Nº 104 /2011

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS GRADUAÇÃO SANDUÍCHE NA FRANÇA CHAMADA PÚBLICA PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS/ CAMPUS FRANCE Nº 104 /2011 PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS GRADUAÇÃO SANDUÍCHE NA FRANÇA CHAMADA PÚBLICA PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS/ CAMPUS FRANCE Nº 104 /2011 O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação MCTI, o Ministério

Leia mais