VIA MATRIS Novena Perpétua de Nossa Senhora das Dores 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "VIA MATRIS Novena Perpétua de Nossa Senhora das Dores 1"

Transcrição

1 VIA MATRIS Novena Perpétua de Nossa Senhora das Dores 1 Introdução Assim como celebramos a Via Sacra, caminho percorrido por Jesus na sua paixão e morte de cruz, celebramos também a Via Matris, isto é, o caminho de dor percorrido por Maria, desde a profecia do justo Simeão até a morte de cruz e o sepultamento do seu filho Jesus. Foi o caminho que ela fez ao lado de Jesus, cooperando com ele na obra de redenção humana. Celebramos as dores de Maria não para mover-nos de compaixão por ela, pelo que ela sofreu, mas antes para encher-nos de coragem e enfrentar como ela, de pé, os sofrimentos desta vida e, ao mesmo tempo, para colocar-nos, como ela, aos pés das infinitas cruzes que afligem os homens e mulheres de hoje, para levar-lhes conforto e esperança de libertação. Não é, portanto, uma celebração para provocar sentimentalismo ou pietismo, mas sim com-paixão e solidariedade com os que sofrem. Desde as origens, os Servos de Maria sempre tiveram a Virgem Gloriosa, Mãe da Misericórdia, como sua Senhora e fundadora. Mas, a partir do século XVII até meados do século XX, a devoção a Nossa Senhora das Dores passou a ser considerada como o aspecto predominante do seu carisma mariano. A Via Matris é uma expressão dessa devoção e foi introduzida no Brasil em 1920, quando os primeiros Servos 1 O presente roteiro da Via Matris foi composto por frei José M. Milanez, segundo o esquema tradicional (Leitura Bíblica, reflexão, invocações e canto). São originais do autor apenas a reflexão que segue à leitura do evangelho e as orações. 109

2 de Maria aqui chegaram. Até a década de sessenta, era celebrada toda sexta-feira em nossas igrejas. Depois, ficou alguns anos esquecida e hoje volta a ser valorizada. O presente roteiro da Via Matris segue o esquema tradicional, isto é: leitura do evangelho, breve reflexão, invocações e canto. Esse exercício de piedade também evoca as sete dores de Maria. A Via Matris, como a Via Sacra, celebra-se em procissão, passando de uma estação para outra. Cada estação representa uma das sete principais dores de Maria. A origem dessa prática de piedade remonta ao século XVIII. Era praticada inicialmente, de maneira privada, nas igrejas dos Servos de Maria da Espanha. É de 1842 um documento conservado até hoje, que apresenta o método de celebração da Via Matris. Esse piedoso exercício é conhecido também como Novena perpétua de Nossa Senhora das Dores e teve como seu maior propagador frei Tiago M. Keane ( ), servita norte-americano, que, em 1937, introduziu sua celebração toda sexta-feira na igreja dos Servos de Maria de Chicago, dedicada a Nossa Senhora das Dores. Daí a devoção expandiu-se rapidamente em 45 Estados do país e em cerca de 20 países do mundo. Frei Tiago escreveu um opúsculo intitulado Novena em honra de Nossa Mãe Dolorosa que alcançou a tiragem de seis milhões de exemplares e dezessete edições, e foi traduzido em vinte e dois idiomas 2. 2 Esses dados sobre a Via Matris foram extraídos do Dicionário de Mariologia (dirigido por Stefano de Fiores e Salvatore Meo), edição em língua portuguesa, Paulus, São Paulo 1995, p ; cf. também ALESSIO MARIA ROSSI, Manuale di storia dell Ordine dei Servi di Maria, Roma 1956, p ; e Livro de Oração dos 110

3 A primeira edição em língua portuguesa foi publicada em São Paulo, em No frontispício do opúsculo dizse que foi extraída de fontes aprovadas e preparada para uso do povo pelo Revdo. Pe. Thiago M. Keane, O.S.M., e traduzida para o português por frei Thiago M. Mattioli, O.S.M. 3. Os trechos evangélicos são tirados da Bíblia Sagrada, tradução da CNBB. As orações e a breve reflexão que segue à leitura evangélica são uma humilde tentativa do autor para adaptar o conteúdo da mensagem e da oração à nossa realidade brasileira. A estrofe e o refrão do canto entoado enquanto se passa de uma estação para outra são do cancioneiro popular tradicional. Servos de Maria, 2ª edição revista e ampliada por frei José M. Milanez, São José dos Campos 2002, p Novena Perpétua em honra de Nossa Senhora das Dores, trad. frei Thiago M. Mattioli, Tipografia do Orfanato Cristóvão Colombo, São Paulo, 1942, 26 p. 111

4 Primeira dor PROFECIA DE SIMEÃO Evangelho de Lucas (2, 22.25a.34-35) Quando se completaram os dias da purificação, segundo a lei de Moisés, levaram o menino a Jerusalém para apresentá-lo ao Senhor... Ora, em Jerusalém vivia um homem piedoso e justo, chamado Simeão, que esperava a consolação de Israel... Simeão os abençoou e disse a Maria, a Mãe: «Este menino será causa de queda e de reerguimento para muitos em Israel. Ele será um sinal de contradição. E a ti, uma espada traspassará tua alma, e assim serão revelados os pensamentos de muitos corações». 112

5 Reflexão Jesus, segundo Simeão, haveria de ser um sinal de contradição. De fato, para alguns, isto é, para os que o rejeitaram e o levaram à cruz, foi motivo de queda e de condenação; para outros, isto é, para os que o aceitaram e acreditaram nele, foi motivo de reerguimento e de salvação. Maria guardava todas estas coisas e as meditava no seu coração (Lc 2,19), mas seu olhar deixava, sem dúvida, transparecer a dor. O poeta contempla o olhar de Maria e canta 4 : Num sonho todo feito de incerteza, de noturna e indizível ansiedade, é que eu vi teu olhar de piedade e, mais que piedade, de tristeza... Maria conviveu com Jesus na casa de Nazaré e o acompanhou depois na vida pública. Participou de suas alegrias e tristezas, mas principalmente do seu sofrimento, quando o viu rejeitado pelos seus, condenado, flagelado e levado à cruz e à morte. Tudo isso foi como uma espada a lhe traspassar a alma. O célebre hino Stabat Mater, que descreve a presença de Maria ao pé da cruz, assim recorda as palavras do justo Simeão: Na sua alma agoniada / enterrou-se a dura espada / de uma antiga profecia. Pensemos nas mães dos dias de hoje que vêem seus filhos levados à morte, vítimas das guerras, da fome e de todo tipo de violência. A espada continua a traspassar o 4 Trata-se de Antero de Quental, ( 1891). É a primeira estrofe do soneto intitulado: À Virgem Santíssima, cheia de graça, Mãe de misericórdia, citado por CLODOVIS M. BOFF, OSM, Nossa Senhora das Bem-aventuranças, Edições Paulinas, São Paulo, 1984, p

6 coração de muitas mães. O homem e a mulher foram feitos para ter vida e vida em abundância e não para morrer, vítimas das espadas fabricadas pela maldade humana. Oração Deus nosso Pai, pelas palavras de Simeão, predissestes uma vida de sofrimento para a mãe do vosso Filho. Concedei, vos pedimos, que seguindo o exemplo da mesma Virgem Maria, cujo coração foi traspassado pela espada da dor, saibamos enfrentar os sofrimentos da vida presente e ser solidários com o sofrimento dos irmãos. Por Cristo nosso Senhor. Amém! Invocações D. Ave, Maria, cheia de graça... T. Santa Maria, mãe de Deus... D. Nossa Senhora das Dores. T. Rogai por nós! Canto De Simeão as vozes no templo escutais, cruéis profecias. Bendita sejais! Bendita sejais, Senhora das Dores! Ouvi nossos rogos, mãe dos pecadores! 114

7 Segunda dor FUGA PARA O EGITO Evangelho de São Mateus (2,13-15) Depois que os magos se retiraram, o anjo do Senhor apareceu em sonho a José e lhe disse: «Levanta-te, toma o menino e sua mãe e foge para o Egito! Fica lá até que eu te avise, porque Herodes vai procurar o menino para matálo». José levantou-se, de noite, com o menino e a mãe, e partiu para o Egito e lá ficou até a morte de Herodes. Assim se cumpriu o que o Senhor tinha dito pelo profeta: Do Egito chamei o meu filho. 115

8 Reflexão Herodes dissera aos magos: Quando encontrardes o menino, avisai-me para que também eu vá adorá-lo (Mt 2,8). Mas, conhecendo as más intenções dele, os magos voltaram para suas terras por outro caminho. Herodes então encheu-se de furor, porque não podia admitir que houvesse outro rei em Israel. Diante das ameaças de Herodes, José, avisado pelo anjo de Deus, teve que fugir com a esposa e a criança. Abandonar a própria terra e casa, a oficina de carpinteiro, parentes e amigos, e rumar para uma terra longínqua e desconhecida, percorrendo de Belém ao delta do Nilo um caminho de mais de 250 quilômetros, foi um ato de coragem e de fé de Maria e de José. Mas a ordem de Deus a José era clara: Toma o menino e sua mãe e foge para o Egito! Fica lá até que eu te avise. Era preciso salvar o filho a qualquer custo. Quantos são hoje os que vivem em constante exílio e migração, sempre fugindo dos Herodes atuais, que se chamam perseguição política, racismo, conflitos étnicos, fome, desemprego, falta de moradia, de assistência medica e de educação, sempre buscando, no desconhecido, melhores condições de vida. Milhões são os prófugos, os exilados e os migrantes que vagueiam pelo mundo, longe de sua terra, dos seus parentes e amigos, erradicados de sua cultura. A história se repete. É o desterro forçado da Família de Nazaré que se prolonga na história da humanidade. 116

9 Oração Deus nosso Pai, fizestes da Virgem Maria, mãe do vosso Filho, a mulher forte que conheceu a pobreza e o sofrimento, a fuga e o exílio. Suplicantes, vos pedimos que, seguindo o exemplo da Virgem das Dores, saibamos lutar para defender a vida e os direitos fundamentais da pessoa humana contra as injustiças e a perseguição dos prepotentes. Por Cristo nosso Senhor. Amém! Invocações D. Ave, Maria, cheia de graça... T. Santa Maria, mãe de Deus... D. Nossa Senhora das Dores T. Rogai por nós! Canto Manda o céu um anjo dizer que fujais do sevo tirano, Bendita sejais! Bendita sejais, Senhora das Dores, ouvi nossos rogos, mãe dos pecadores! 117

10 Terceira dor PERDA DE JESUS NO TEMPLO Evangelho de Lucas (2, 41-49) Todos os anos, os pais de Jesus iam a Jerusalém para a festa da Páscoa. Quando o menino completou doze anos, eles foram para a festa, como de costume. Terminados os dias da festa, enquanto eles voltavam, Jesus ficou em Jerusalém, sem que seus pais percebessem. Pensando que se encontrasse na caravana, caminharam um dia inteiro. Começaram então a procurálo entre os parentes e conhecidos. Mas como não o encontrassem, voltaram a Jerusalém, procurando-o. Depois de três dias, o encontraram no templo, sentado entre os mestres, ouvindo-os e fazendo-lhes perguntas. 118

11 Reflexão Aos doze anos, todo menino judeu era levado ao templo e confiado aos mestres da lei ou rabis para ser iniciado no conhecimento da Lei do Senhor, ou seja, do Tora ou Pentateuco, que contém os primeiros cinco livros da Bíblia. No caminho de volta para Nazaré, seus pais se dão conta que o Menino não está na caravana. Podemos imaginar a aflição de Maria e José que o procuram por toda parte, não o encontram e têm de voltar até Jerusalém. E já tinham feito o caminho de um dia. È bom saber que Nazaré dista de Jerusalém mais de cem quilômetros. À angústia une-se o cansaço da viagem. Além do mais, Maria e José tinham ainda gravadas na memória as ameaças e a perseguição de Herodes e a fuga para o Egito. Em nossos dias, é viva e dramática a situação de tantas crianças perdidas, que vagueiam pelas ruas e praças das nossas cidades e metrópoles, fugidas de casa ou roubadas às suas famílias, matriculadas pelo destino na escola das drogas, da prostituição e da violência, alvo elas próprias de todo tipo de violência. São as crianças de rua que vemos todos os dias nos noticiários de TV: maltrapilhas, sujas, dormindo na calçada, pedindo esmola, assaltando os passantes. Vivendo em tal situação, o que podem aprender para a vida essas crianças? Como poderão crescer sadias? Que futuro terão? Quando aparecerá alguém que vá procurá-las e resgatá-las dessa situação? 119

12 Oração Deus nosso Pai, por três dias, Maria e José procuraram, aflitos, seu filho Jesus. Suplicantes, vos pedimos que, amparados pela Virgem das Dores, busquemos sempre na penitência e na conversão o reencontro com o vosso Filho, e sejamos solidários com tantas crianças, que vagueiam pelas ruas e praças de nossas cidades, vítimas da injustiça social, da desagregação familiar e da violência. Por Cristo nosso Senhor. Amém! Invocações D. Ave, Maria, cheia de graça... T. Santa Maria, mãe de Deus... D. Nossa Senhora das Dores T. Rogai por nós! Canto Voltando do templo, Jesus não achais. Que susto sofrestes! Bendita sejais! Bendita sejais, Senhora das Dores, ouvi nossos rogos, mãe dos pecadores! 120

13 Quarta dor ENCONTRO COM JESUS NO CAMINHO DO CALVÁRIO Evangelho de Lucas (23,26-28) Enquanto levavam Jesus, tomaram um certo Simão de Cirene, que voltava do campo, e mandaram-no carregar a cruz atrás de Jesus. Seguia-o uma grande multidão do povo, bem como de mulheres que batiam no peito e choravam por ele. Jesus, porém, voltou-se para elas e disse: Mulheres de Jerusalém, não choreis por mim! Chora por vós mesmas e por vossos filhos! 121

14 Reflexão Não se diz explicitamente se no meio da grande multidão que o seguia ou das mulheres que batiam no peito estava também a mãe de Jesus, mas certamente ela devia estar aí e o acompanhou até a cruz. É o encontro doloroso da mãe aflita com o filho condenado à morte. Ao sofrimento físico de Jesus junta-se o sofrimento daquela que vê o filho, que passara a vinda pregando e fazendo o bem, ser incompreendido, injustiçado, caluniado, vilipendiado e condenado à morte de cruz. Jesus e Maria unem-se na dor para realizar a obra de redenção da humanidade. Quem nunca viu, nos dias de hoje, mães perderem seus filhos, vítimas da violência e da maldade humana? Referindo-se a Maria, assim canta o poeta 5 : «Tu és, ó mãe, toda mãe que hoje ama; tu és, ó mãe, toda a mãe que hoje chora seu filho morto, seu filho traído, mães aos milhares, mães amortalhadas! Filhos que sempre se estão a matar, filhos vendidos, traídos, sem número, filhos feridos e em cruzes pregados: ímpia bandeira de um ímpio poder». 5 Trata-se de frei David M. Turoldo, escritor e poeta da Ordem dos Servos de Maria, que compôs os hinos dos Ofícios Próprios OSM. Estes versos são do hino do Ofício das Leituras da festa da Bemaventurada Virgem Maria ao pé da Cruz. 122

15 Oração Deus nosso Pai, no caminho do Calvário, vosso filho Jesus e Maria sua mãe se encontram. Suplicantes, vos pedimos que, seguindo o exemplo da Virgem das Dores, saibamos ir ao encontro dos que sofrem, compreendendo, compartilhando e aliviando suas dores. Por Cristo nosso Senhor. Amém! Invocações D. Ave, Maria, cheia de graça... T. Santa Maria, mãe de Deus... D. Nossa Senhora das Dores T. Rogai por nós! Canto Que dor indizível quando o encontrais com a cruz às costas. Bendita sejais! Bendita sejais, Senhora das Dores, ouvi nossos rogos, mãe dos pecadores! 123

16 Quinta dor MARIA AO PÉ DA CRUZ Evangelho de João (19,25-27) Junto à cruz de Jesus estavam de pé sua mãe e a irmã de sua mãe, Maria de Cléofas, e Maria Madalena. Jesus, ao ver sua mãe, ao lado dela, o discípulo que ele amava, disse à mãe: Mulher, eis o teu filho! Depois disse ao discípulo: Eis a tua mãe! A partir daquela hora, o discípulo a acolheu junto de si. 124

17 Reflexão É a cena clássica do Calvário, descrita por João e tão comentada pelos santos Padres da Igreja, que a iconografia ilustrou com as mais variadas formas e estilos e que o poeta canta dizendo: «Sim, no Calvário, ó Mãe, tu choraste, ao pé da cruz, traspassada de dor: como pudeste sofrer tanto assim, sem sucumbir, nem fugir, nem gritar?» 6. Eram poucos ao pé da Cruz. Dos doze discípulos, apenas um. De todos os que haviam sido beneficiados pelos milagres e curas de Jesus, ninguém. Mas lá estava Maria, a mãe, de pé, e outras mulheres. Colocar-se com Maria aos pés das infinitas cruzes que afligem os homens e as mulheres do nosso tempo é missão prioritária do cristão. Tive fome e me destes de comer; tive sede e me destes de beber; fui peregrino e me acolhestes; estive nu e me vestistes, enfermo e me visitastes, preso e viestes ver-me... (Mt 25,35-36) Basta olhar ao nosso redor, abrir um jornal ou ver um noticiário de TV para constatarmos quantas são as cruzes que afligem a humanidade de hoje. Toda criação espera ser libertada da escravidão, exclama São Paulo (Rm 8,21). Que fazer? É nosso dever de cristãos e de Servos de Maria colocar-nos aos pés dessas infinitas cruzes, onde o Filho do Homem continua sendo crucificado nos irmãos e irmãs, para levar-lhes conforto e esperança de libertação. Maria, a mãe da misericórdia e da compaixão, nos dá o exemplo. Seja ela a nossa imagem-guia. 6 Do Hino das Vésperas da festa da B. Virgem Maria ao pé da Cruz. 125

18 Oração Deus nosso Pai, ao pé da cruz unistes a Virgem Maria aos sofrimentos do vosso Filho, fazendo-a co-redentora da humanidade. Suplicantes, vos pedimos que, seguindo o exemplo da Virgem das Dores, saibamos colocar-nos aos pés das infinitas cruzes dos nossos irmãos e irmãs, para levar-lhes conforto e esperança de libertação. Por Cristo nosso Senhor. Amém! Invocações D. Ave Maria, cheia de graça... T. Santa Maria, Mãe de Deus... D. Nossa Senhora das Dores, T. Rogai por nós! Canto A dor ainda cresce quando contemplais Jesus expirando. Bendita sejais! Bendita sejais, Senhora das Dores, ouvi nossos rogos, mãe dos pecadores! 126

19 Sexta dor MARIA RECEBE NOS BRAÇOS O CORPO DE JESUS Evangelho de Marcos (15,43-46a) José de Arimatéia, membro respeitável do Sinédrio, que também esperava o reino de Deus, cheio de coragem foi a Pilatos pedir o corpo de Jesus. Pilatos ficou admirado quando soube que Jesus estava morto. Chamou o centurião e perguntou se tinha morrido havia muito tempo. Informado pelo centurião, Pilatos entregou o corpo a José. Ele comprou um lençol de linho, desceu Jesus da cruz e envolveu-o no lençol. 127

20 Reflexão Aí está a Pietà (a Piedade), obra-prima de Michelangelo, venerada na basílica de São Pedro, no Vaticano, e reproduzida em milhares de cópias espalhadas pelo mundo inteiro. Maria, sentada, aconchega ao colo seu filho morto. A perfeição dos traços das imagens marmóreas de Jesus e de Maria e a dor reproduzida com solenidade e perfeição no rosto da mãe, suscitam piedade e compaixão. Diante desse quadro, canta o poeta: «Pouco mais tarde da cruz o tiraram e o depuseram, ó Mãe, em teu colo; não parecias gerá-lo de novo e, qual criança de peito, aleitá-lo? Eras o colo de todas as mães: vendo-te assim, quem não há de chorar? Era uma cena jamais antes vista: és a Piedade que abraça os que sofrem!» 7 Abraçar a dor do irmão, abraçar a causa dos pobres, dos excluídos, dos doentes, dos angustiados e deprimidos, não é para os fracos. É para os fortes. Para aqueles que, como Maria, sabem permanecer de pé junto à cruz e não se abalam diante do sofrimento, nem desanimam. Para aqueles que alicerçam sua vida em Deus e na sua Palavra. Para aqueles que, diante da morte, acreditam na ressurreição, e por isso lutam para renovar o mundo e se empenham com obras de caridade e de misericórdia, a exemplo do bom samaritano. Sim, porque não existe fé sem obras. Mostra-me tua fé sem as obras que eu por minhas obras te mostrarei a fé, diz São Tiago. 7 Do hino das II Vésperas da solenidade de Nossa Senhora das Dores, 15 de setembro. 128

21 Oração Deus, nosso Pai, estando tudo consumado, o corpo do vosso filho foi descido da cruz e entregue nos braços de Maria, sua mãe. Suplicantes, vos pedimos que, seguindo o exemplo da Virgem das Dores, tenhamos os braços sempre abertos para acolher os excluídos da sociedade, escutar seus clamores e solidarizar-nos com eles na luta pela vida. Por Cristo nosso Senhor. Amém! Invocações D. Ave, Maria, cheia de graça... T. Santa Maria, Mãe de Deus... D. Nossa Senhora das Dores T. Rogai por nós! Canto No vosso regaço seu corpo abrigais, com ele abraçada, bendita sejais! Bendita sejais, Senhora das Dores, ouvi nossos rogos, mãe dos pecadores. 129

22 Sétima dor SEPULTAMENTO DE JESUS Evangelho de João (19,40-42) Eles pegaram então o corpo de Jesus e o envolveram, com perfumes, em faixas de linho, do modo como os judeus costumam sepultar. No lugar onde Jesus foi crucificado, havia um jardim e, no jardim, um túmulo novo, onde ninguém tinha sido ainda sepultado. Por ser dia de preparação para os judeus, e como o túmulo estava perto, foi lá que eles colocaram Jesus. 130

23 Reflexão Foi um enterro de pobre, feito às pressas no final da tarde, porque era, para os Judeus, o dia de preparação do sábado, e acompanhado por poucos, como canta o poeta: «Para o sepulcro o carregam amigos, não mais que sete, segundo João: este é o enterro mais pobre do mundo, ouve-se apenas a pedra a rolar...» 8. Tudo parece ter chegado ao fim. A Mãe, João e os poucos amigos e amigas, depois que o tútmulo foi fechado com uma pedra, voltam para casa. A desolação é total. A dor da mãe atingira seu nível mais profundo. Sem marido e sem filho. Estava só! Era a Senhora da Soledade. Mas Ela não perde a esperança: seu Filho ressuscitará, como ele mesmo disse. Ela o deposita no sepulcro, sim, mas espera sua ressurreição. Ademais, Ela toma consciência do alcance das palavras de Jesus: «Eis aí o teu filho!» E assume a sua função de mãe de todos os homens e mulheres. No Natal, tornara-se mãe de Jesus. Agora, no Calvário, mãe de todos os seres humanos. E, mais tarde, em Pentecostes, mãe da Igreja. Maria alcança a plenitude da maternidade. Esta a fé que deve acompanhar-nos quando sepultamos uma pessoa querida: o corpo é posto debaixo da terra, mas sua vida continua. Uma vez gerados no ventre materno, nossa vida dura para sempre: alguns anos, envolvida no corpo humano, depois, revestida de um corpo 8 Hino das II Vésperas do Ofício da Solenidade de Nossa Senhora das Dores. 131

24 incorruptível. Como será isso? Deus sabe e isso nos basta. Oração Deus, nosso Pai, a Virgem Maria com alguns irmãos e irmãs acompanhou o seu filho à sepultura. Suplicantes, vos pedimos que, seguindo o exemplo da Virgem das Dores, caminhemos ao lado a lado dos que sofrem, para criarmos com eles uma aliança de amor, que os faça passar da morte para a ressurreição. Por Cristo nosso Senhor. Amém! Invocações D. Ave, Maria, cheia de graça... T. Santa Maria, mãe de Deus... D. Nossa Senhora das Dores T. Rogai por nós! Canto Sem filho, e tal filho! Então suportais cruel soledade. Bendita sejais! Bendita sejais, Senhora das Dores, ouvi nossos rogos, mãe dos pecadores. 132

25 CONCLUSÂO [Conclui-se a Via Matris com a ladainha de Nossa Senhora das Dores, o oremos e a bênção final, como segue:] Ladainha de Nossa Senhora das Dores (p ) Oração Ó Deus, quisestes que a vida da Virgem Maria fosse marcada pelo mistério da dor. Humildemente vos pedimos: concedei-nos trilhar a seu lado o caminho da fé e unir nossos sofrimentos à paixão de Cristo, para que se tornem momentos de graça e instrumentos de salvação. Por Cristo nosso Senhor. Amém! Bênção D. O Senhor esteja convosco T. Ele está no meio de nós! D. Por intercessão da Virgem das Dores, abençoe-vos o Deus todo-poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo. T. Amém 133

26 Í N D I C E Apresentação INTRODUÇÃO 1. A devoção mariana na história dos Servos de Maria 2. O culto a Nossa Senhora das Dores 3. A devoção a Nossa Senhora das Dores no Brasil COROA DE NOSSA SENHORA DAS DORES Introdução I. PERFIL HISTÓRICO - Formas incipientes - Como nasceu a Coroa - Os capítulos gerais - A Coroa nas Constituições - Concessão de indulgências II. NATUREZA E CARÁTER DA COROA - Oração comunitária - Oração bíblica - Oração de significado cristológico, eclesial e antropológico - Oração de estrutura numérica III. FORMA E ESTRUTURA DA COROA - Formulário tradicional - Formulário novo - Duas formas de celebração - Elementos estruturais da Coroa 134

27 IV. VALOR E USO PASTORAL DA COROA - A Coroa e os Servos de Maria hoje - Tempo litúrgico e Coroa de N. Sra. Das Dores - O Rosário e a Coroa V. COMO REZAR A COROA 1. Formulário tradicional - 1º Roteiro - 2º Roteiro 2. Formulário novo - 1º Roteiro - 2º Roteiro VIA MATRIS Introdução 1ª Dor: Profecia de Simeão 2ª Dor: Fuga para o Egito 3ª Dor: Perda de Jesus no Templo 4ª Dor: Encontro com Jesus no caminho do Calvário 5ª Dor: Maria ao pé da Cruz 6ª Dor: Maria recebe nos braços o corpo de Jesus 7ª Dor: Sepultamento de Jesus Conclusão Í N D I C E 135

Diocese de Osasco COMISSÃO DIOCESANA DE LITURGIA Subsídio Paralitúgico para o Ano Santo da Misericórdia MMXV MMXVI

Diocese de Osasco COMISSÃO DIOCESANA DE LITURGIA Subsídio Paralitúgico para o Ano Santo da Misericórdia MMXV MMXVI Diocese de Osasco COMISSÃO DIOCESANA DE LITURGIA Subsídio Paralitúgico para o Ano Santo da Misericórdia MMXV MMXVI CELEBRAÇÃO DO SETENÁRIO DAS DORES DE MARIA SANTÍSSIMA Comentário Inicial Irmãos, meditando

Leia mais

DEVOÇÃO ÀS SETE DORES DE NOSSA SENHORA

DEVOÇÃO ÀS SETE DORES DE NOSSA SENHORA 1 DEVOÇÃO ÀS SETE DORES DE NOSSA SENHORA Editoria Perfeita Devoção www.perfeitadevocao.org É fundamental a todo católico e mais ainda a todo escravo do Divino Amor aprimorar-se em sua terna devoção Àquela

Leia mais

NOVENA À SAGRADA FAMÍLIA

NOVENA À SAGRADA FAMÍLIA NOVENA À SAGRADA FAMÍLIA Introdução: A devoção à Sagrada Família alcançou grande popularidade no século XVII, propagando-se rapidamente não só na Europa, mas também nos países da América. A festa, instituída

Leia mais

Português. Sagrada Família de Jesus, Maria e José B. Leitura I Ben-Sirá 3,3-7.14-17a (gr. 2-6.12-14)

Português. Sagrada Família de Jesus, Maria e José B. Leitura I Ben-Sirá 3,3-7.14-17a (gr. 2-6.12-14) Português Sagrada Família de Jesus, Maria e José B Deus apareceu na terra e começou a viver no meio de nós. (cf. Bar 3,38) Leitura I Ben-Sirá 3,3-7.14-17a (gr. 2-6.12-14) Deus quis honrar os pais nos filhos

Leia mais

NOVENA A SÃO PEREGRINO: PROTETOR DOS DOENTES DE CÂNCER. Comentarista: Quem foi São Peregrino? São Peregrino, foi um frade da Ordem dos

NOVENA A SÃO PEREGRINO: PROTETOR DOS DOENTES DE CÂNCER. Comentarista: Quem foi São Peregrino? São Peregrino, foi um frade da Ordem dos NOVENA A SÃO PEREGRINO: PROTETOR DOS DOENTES DE CÂNCER Comentarista: Quem foi São Peregrino? São Peregrino, foi um frade da Ordem dos Servos de Maria e ficou conhecido como o protetor contra o câncer.

Leia mais

NOVENA PRIMEIRO DIA. Glória a ti Deus Pai, tu que chamaste a Rafqa à santa vida monástica e foste para ela Pai e Mãe.

NOVENA PRIMEIRO DIA. Glória a ti Deus Pai, tu que chamaste a Rafqa à santa vida monástica e foste para ela Pai e Mãe. NOVENA O verdadeiro crente deve conscientizar-se da importância da oração em sua vida. O senhor Jesus disse : Rogai sem cessar ; quando fazemos uma novena que é uma de oração, estamos seguindo um ensinamento

Leia mais

JESUS CRISTO FOI CONCEBIDO PELO PODER DO ESPÍRITO SANTO, E NASCEU DA VIRGEM MARIA (CONT)

JESUS CRISTO FOI CONCEBIDO PELO PODER DO ESPÍRITO SANTO, E NASCEU DA VIRGEM MARIA (CONT) JESUS CRISTO FOI CONCEBIDO PELO PODER DO ESPÍRITO SANTO, E NASCEU DA VIRGEM MARIA (CONT) 11-02-2012 Catequese com adultos 11-12 Chave de Bronze Em que sentido toda a vida de Cristo é Mistério? Toda a vida

Leia mais

CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo. CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo

CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo. CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo Tens uma tarefa importante para realizar: 1- Dirige-te a alguém da tua confiança. 2- Faz a pergunta: O que admiras mais em Jesus? 3- Regista a resposta nas linhas.

Leia mais

OUTRAS ORAÇÕES PAI NOSSO ORAÇÃO A SÃO JERÔNIMO. Pai nosso que estais nos céus. Santificado seja o vosso nome. Venha a nós o vosso reino

OUTRAS ORAÇÕES PAI NOSSO ORAÇÃO A SÃO JERÔNIMO. Pai nosso que estais nos céus. Santificado seja o vosso nome. Venha a nós o vosso reino OUTRAS ORAÇÕES PAI NOSSO Pai nosso que estais nos céus Santificado seja o vosso nome Venha a nós o vosso reino Seja feita a vossa vontade Assim na Terra como no Céu O pão nosso de cada dia nos dai hoje

Leia mais

Vivendo a Liturgia Ano A

Vivendo a Liturgia Ano A Vivendo a Liturgia Junho/2011 Vivendo a Liturgia Ano A SOLENIDADE DA ASCENSÃO DO SENHOR (05/06/11) A cor litúrgica continua sendo a branca. Pode-se preparar um mural com uma das frases: Ide a anunciai

Leia mais

Rosarium Virginis Mariae

Rosarium Virginis Mariae EDITORA AVE-MARIA Introdução O Rosário da Virgem Maria, que ao sopro do Espírito Santo de Deus se foi formando gradualmente no segundo milênio, é oração amada por numerosos santos e estimulada pelo magistério.

Leia mais

MARIA ÍCONE DA IGREJA SOLIDÁRIA NAS DORES DO POVO

MARIA ÍCONE DA IGREJA SOLIDÁRIA NAS DORES DO POVO MARIA ÍCONE DA IGREJA SOLIDÁRIA NAS DORES DO POVO Reflexão Estamos preparando o Jubileu dos 300 anos do encontro da Imagem de Nossa Senhora Aparecida e 160 anos da declaração do Dogma da Imaculada Conceição

Leia mais

1ª Leitura - Ex 17,3-7

1ª Leitura - Ex 17,3-7 1ª Leitura - Ex 17,3-7 Dá-nos água para beber! Leitura do Livro do Êxodo 17,3-7 Naqueles dias: 3 O povo, sedento de água, murmurava contra Moisés e dizia: 'Por que nos fizeste sair do Egito? Foi para nos

Leia mais

JESUS É CONDENADO À MORTE

JESUS É CONDENADO À MORTE É um caminho de oração muito presente na tradição da Igreja: ele ajuda os fiéis a fazer memória da paixão de Cristo para que o seu amor salvífico seja revelado em suas vidas e suscitar uma activa participação

Leia mais

Nossa Senhora Chitãozinho & Xororó Cubra-me com seu manto de amor Guarda-me na paz desse olhar Cura-me as feridas e a dor me faz suportar

Nossa Senhora Chitãozinho & Xororó Cubra-me com seu manto de amor Guarda-me na paz desse olhar Cura-me as feridas e a dor me faz suportar Nossa Senhora Chitãozinho & Xororó Cubra-me com seu manto de amor Guarda-me na paz desse olhar Cura-me as feridas e a dor me faz suportar Que as pedras do meu caminho Meus pés suportem pisar Mesmo ferido

Leia mais

IV FÓRMULAS DE BÊNÇÃO PARA LAUDES E VÉSPERAS

IV FÓRMULAS DE BÊNÇÃO PARA LAUDES E VÉSPERAS IV FÓRMULAS DE BÊNÇÃO PARA LAUDES E VÉSPERAS I. Nas celebrações do Tempo Advento Deus omnipotente e misericordioso, que vos dá a graça de comemorar na fé a primeira vinda do seu Filho Unigénito e de esperar

Leia mais

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa.

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Encontro com a Palavra Agosto/2011 Mês de setembro, mês da Bíblia 1 encontro Nosso Deus se revela Leitura Bíblica: Gn. 12, 1-4 A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Boas

Leia mais

1ª ESTAÇÃO: JESUS É CONDENADO À MORTE

1ª ESTAÇÃO: JESUS É CONDENADO À MORTE Romeiros da Matriz de Vila Franc a do Campo VIA SACRA EUCARÍSTICA Quaresma 2014 D: Graças e louvores se dêem a todo o momento! (3x) Todos: Ao Santíssimo e Diviníssimo Sacramento! D: Em nome do Pai, do

Leia mais

NOSSA SENHORA DAS DORES Padroeira principal da Ordem

NOSSA SENHORA DAS DORES Padroeira principal da Ordem 15 de setembro NOSSA SENHORA DAS DORES Padroeira principal da Ordem Solenidade Para nós Servos de Maria, a devoção a Nossa Senhora das Dores está ligada ao simbolismo do hábito preto e evoca um episódio

Leia mais

DIA DE ORAÇÃO PELA JMJ RIO2013

DIA DE ORAÇÃO PELA JMJ RIO2013 ROTEIRO PARA O DIA DE ORAÇÃO PELA JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE RIO2013 Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude - CNBB CANTO DE ENTRADA (Canto a escolha) (Este momento de oração pode ser associado

Leia mais

Curso de Discipulado

Curso de Discipulado cidadevoadora.com INTRODUÇÃO 2 Este curso é formado por duas partes sendo as quatro primeiras baseadas no evangelho de João e as quatro últimas em toda a bíblia, com assuntos específicos e muito relevantes

Leia mais

Tríduo Pascal - Ano C

Tríduo Pascal - Ano C 1 A celebração da Missa Vespertina da Ceia do Senhor inaugura o Sagrado Tríduo Pascal, o coração do ano litúrgico, no qual celebramos a morte, sepultura e a ressurreição de Jesus Cristo. Trata-se de um

Leia mais

CANTOS - Novena de Natal

CANTOS - Novena de Natal 1 1 - Refrão Meditativo (Ritmo: Toada) D A7 D % G Em A7 % Onde reina o amor, frater---no amor. D A7 D % G A7 D Onde reina o amor, Deus aí está! 2 - Deus Trino (Ritmo: Balada) G % % C Em nome do Pai / Em

Leia mais

JESUS CRISTO PADECEU SOB PÔNCIO PILATOS, FOI CRUCIFICADO, MORTO E SEPULTADO

JESUS CRISTO PADECEU SOB PÔNCIO PILATOS, FOI CRUCIFICADO, MORTO E SEPULTADO JESUS CRISTO PADECEU SOB PÔNCIO PILATOS, FOI CRUCIFICADO, MORTO E SEPULTADO 25-02-2012 Catequese com adultos 11-12 Chave de Bronze Como se deu a entrada messiânica em Jerusalém? No tempo estabelecido,

Leia mais

Sagrado Coração de Jesus

Sagrado Coração de Jesus Trezena em honra ao Sagrado Coração de Jesus Com reflexões sobre suas doze promessas a Santa Margarida Maria de Alacoque EDITORA AVE-MARIA Introdução Antes de o prezado leitor iniciar esta Trezena em honra

Leia mais

Sumário Rosário de Nossa Senhora

Sumário Rosário de Nossa Senhora Sumário PRECES DIÁRIAS DO CRISTÃO... 13 1. Sinal da Cruz... 13 2. Pai-Nosso... 14 3. Ave-Maria... 15 4. Glória ao Pai... 16 5. Creio... 16 6. Invocação ao Espírito Santo... 17 7. Bênção contra a Tristeza...

Leia mais

Maria, mãe de Deus, no mistério de Cristo e da Igreja Fundamentos bíblicos na Lumen Gentium VIII

Maria, mãe de Deus, no mistério de Cristo e da Igreja Fundamentos bíblicos na Lumen Gentium VIII Maria, mãe de Deus, no mistério de Cristo e da Igreja Fundamentos bíblicos na Lumen Gentium VIII Quando, porém, chegou a plenitude do tempo, enviou Deus o seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a Lei,

Leia mais

Vigília Jubilar. Vigília do dia 17 para 18. Abrir às 21 horas do dia 17/10 e encerrar às 6h da manhã do dia 18/10.

Vigília Jubilar. Vigília do dia 17 para 18. Abrir às 21 horas do dia 17/10 e encerrar às 6h da manhã do dia 18/10. Vigília Jubilar Vigília do dia 17 para 18. Abrir às 21 horas do dia 17/10 e encerrar às 6h da manhã do dia 18/10. Material: Uma Bíblia Vela da missão Velas para todas as pessoas ou pedir que cada pessoa

Leia mais

NOVENA DE NATAL 2015. O Natal e a nossa realidade. A jovem concebeu e dará à luz um filho, e o chamará pelo nome de Emanuel.

NOVENA DE NATAL 2015. O Natal e a nossa realidade. A jovem concebeu e dará à luz um filho, e o chamará pelo nome de Emanuel. NOVENA DE NATAL 2015 O Natal e a nossa realidade A jovem concebeu e dará à luz um filho, e o chamará pelo nome de Emanuel. (Is 7,14) APRESENTAÇÃO O Natal se aproxima. Enquanto renovamos a esperança de

Leia mais

1. Com o Dízimo, aprendemos a AGRADECER a Deus e ao próximo.

1. Com o Dízimo, aprendemos a AGRADECER a Deus e ao próximo. 1. Com o Dízimo, aprendemos a AGRADECER a Deus e ao próximo. Ao contribuir com o dízimo, saímos de nós mesmos e reconhecemos que pertencemos tanto à comunidade divina quanto à humana. Um deles, vendo-se

Leia mais

Caridade quaresmal. Oração Pai-nosso S. João Bosco Rogai por nós. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Bom dia a todos!

Caridade quaresmal. Oração Pai-nosso S. João Bosco Rogai por nós. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Bom dia a todos! 2ª feira, 09 de março: Dar esmola Bom dia! Há gestos que nesta altura a quaresma, ganham uma dimensão ainda maior. Enchem-nos. Um dia, uma mulher vestida de trapos velhos percorria as ruas de uma aldeia

Leia mais

IIIDomingo Tempo Pascal- ANO A «..Ficai connosco, Senhor, porque o dia está a terminar e vem caindo a noite

IIIDomingo Tempo Pascal- ANO A «..Ficai connosco, Senhor, porque o dia está a terminar e vem caindo a noite Ambiente: Os comentadores destacaram, muitas vezes, a intenção teológica deste relato. Que é que isto significa? Significa que não estamos diante de uma reportagem jornalística de uma viagem geográfica,

Leia mais

CELEBRAÇÃO ARCIPRESTAL DA EUCARISTIA EM ANO DA FÉ

CELEBRAÇÃO ARCIPRESTAL DA EUCARISTIA EM ANO DA FÉ CELEBRAÇÃO ARCIPRESTAL DA EUCARISTIA EM ANO DA FÉ SEIA 23 DE JUNHO 2013 ENTRADA NÓS SOMOS AS PEDRAS VIVAS DO TEMPLO DO SENHOR, NÓS SOMOS AS PEDRAS VIVAS DO TEMPLO DO SENHOR, POVO SACERDOTAL, IGREJA SANTA

Leia mais

Páscoa do Senhor de 2015 Missa do Dia.

Páscoa do Senhor de 2015 Missa do Dia. Páscoa do Senhor de 2015 Missa do Dia. Caríssimos Irmãos e Irmãs: Assim que Maria Madalena vira o túmulo vazio, correu à Jerusalém atrás de Pedro e João. Tiraram o Senhor do sepulcro, e não sabemos onde

Leia mais

Bem - Aventuranças. Conselho Inter-paroquial de Catequese Lamas, 22 de Novembro de 2007

Bem - Aventuranças. Conselho Inter-paroquial de Catequese Lamas, 22 de Novembro de 2007 Bem - Aventuranças Conselho Inter-paroquial de Catequese Lamas, 22 de Novembro de 2007 Eu estou à tua porta a bater, Eu estou à tua porta a bater, Se me abrires a porta entrarei para enviar. Eu preciso

Leia mais

DOMINGO VII DA PÁSCOA. Vésperas I

DOMINGO VII DA PÁSCOA. Vésperas I DOMINGO VII DA PÁSCOA (Onde a solenidade da Ascensão não é transferida para este Domingo). Semana III do Saltério Hi n o. Vésperas I Sa l m o d i a Salmos e cântico do Domingo III. Ant. 1 Elevado ao mais

Leia mais

O Movimento de Jesus

O Movimento de Jesus O Movimento de Jesus Tudo começou na Galiléia Quando Jesus começou a percorrer a Palestina, indo das aldeias às cidades, anunciando a Boa Nova do Evangelho, o povo trabalhador ia atrás dele. A fama de

Leia mais

Bíblia para crianças. apresenta O SÁBIO REI

Bíblia para crianças. apresenta O SÁBIO REI Bíblia para crianças apresenta O SÁBIO REI SALOMÃO Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:Lazarus Adaptado por: Ruth Klassen O texto bíblico desta história é extraído ou adaptado da Bíblia na Linguagem

Leia mais

QUEM ANUNCIA AS BOAS NOVAS COOPERA COM O CRESCIMENTO DA IGREJA. II Reunião Executiva 01 de Maio de 2015 São Luís - MA

QUEM ANUNCIA AS BOAS NOVAS COOPERA COM O CRESCIMENTO DA IGREJA. II Reunião Executiva 01 de Maio de 2015 São Luís - MA QUEM ANUNCIA AS BOAS NOVAS COOPERA COM O CRESCIMENTO DA IGREJA II Reunião Executiva 01 de Maio de 2015 São Luís - MA At 9.31 A igreja, na verdade, tinha paz por toda Judéia, Galiléia e Samaria, edificando-se

Leia mais

Aparição da Mãe Divina. Colina do Cristo Redentor, Carmo da Cachoeira, MG, Brasil. Domingo, 12 de fevereiro de 2012, às 20h40.

Aparição da Mãe Divina. Colina do Cristo Redentor, Carmo da Cachoeira, MG, Brasil. Domingo, 12 de fevereiro de 2012, às 20h40. Aparição da Mãe Divina. Colina do Cristo Redentor, Carmo da Cachoeira, MG, Brasil. Domingo, 12 de fevereiro de 2012, às 20h40. Como no dia de ontem, o grupo reuniu-se às 19h30 para iniciar a tarefa de

Leia mais

#62. O batismo do Espírito Santo (continuação)

#62. O batismo do Espírito Santo (continuação) O batismo do Espírito Santo (continuação) #62 Estamos falando sobre alguns dons do Espírito Santo; falamos de suas obras, dos seus atributos, como opera o novo nascimento e, por último, estamos falando

Leia mais

Os encontros de Jesus. sede de Deus

Os encontros de Jesus. sede de Deus Os encontros de Jesus 1 Jo 4 sede de Deus 5 Ele chegou a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, que ficava perto das terras que Jacó tinha dado ao seu filho José. 6 Ali ficava o poço de Jacó. Era mais ou

Leia mais

SINAL DA CRUZ Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

SINAL DA CRUZ Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém. SINAL DA CRUZ Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém. OFERECIMENTO DO ROSÁRIO Divino Jesus, nós Vos oferecemos este Rosário que vamos rezar, contemplando os mistérios de nossa Redenção. Concedei-nos,

Leia mais

Evangelhos. www.paroquiadecascais.org

Evangelhos. www.paroquiadecascais.org Evangelhos 1. Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus (Mt 5, 1-12a) ao ver a multidão, Jesus subiu ao monte e sentou-se. Rodearam-n O os discípulos e Ele começou a ensiná-los, dizendo:

Leia mais

SOLENE CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA

SOLENE CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA SOLENE CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA Antes da Solene celebração, entregar a lembrança do centenário No Final terá um momento de envio onde cada pessoa reassumirá a missão. O sinal deste momento será a colocação

Leia mais

Obs.: José recebeu em sonho a visita de um anjo que lhe disse que seu filho deveria se chamar Jesus.

Obs.: José recebeu em sonho a visita de um anjo que lhe disse que seu filho deveria se chamar Jesus. Anexo 2 Primeiro momento: contar a vida de Jesus até os 12 anos de idade. Utilizamos os tópicos abaixo. As palavras em negrito, perguntamos se eles sabiam o que significava. Tópicos: 1 - Maria e José moravam

Leia mais

O Baptismo Bíblico (Mateus 3:13-17)

O Baptismo Bíblico (Mateus 3:13-17) O Baptismo Bíblico (Mateus 3:13-17) Tivemos esta manhã a alegria de testemunhar vários baptismos bíblicos. Existem outras coisas e outras cerimónias às quais se dá o nome de baptismo. Existe até uma seita,

Leia mais

Maria Maria Maria Maria

Maria Maria Maria Maria 1 Ave, Maria! 2 Introdução Poucas vezes, Maria é citada nas Escrituras Sagradas. Na verdade, são apenas 17 passagens, algumas relativas aos mesmos fatos, distribuídas nos quatro Evangelhos, e uma passagem

Leia mais

Adoração ao Santíssimo Sacramento. Catequese Paroquial de Nossa Senhora da Lapa. 4 de Março de 2014

Adoração ao Santíssimo Sacramento. Catequese Paroquial de Nossa Senhora da Lapa. 4 de Março de 2014 Adoração ao Santíssimo Sacramento Catequese Paroquial de Nossa Senhora da Lapa 4 de Março de 2014 Leitor: Quando nós, cristãos, confessamos a Trindade de Deus, queremos afirmar que Deus não é um ser solitário,

Leia mais

Mateus 4, 1-11. Respondeu-lhe Jesus: «Vai-te, Satanás, pois está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a Ele prestarás culto.

Mateus 4, 1-11. Respondeu-lhe Jesus: «Vai-te, Satanás, pois está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a Ele prestarás culto. Mateus 4, 1-11 Respondeu-lhe Jesus: «Vai-te, Satanás, pois está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a Ele prestarás culto.». Este caminho de 40 dias de jejum, de oração, de solidariedade, vai colocar-te

Leia mais

LECTIO DIVINA JESUS CHAMA SEUS DISCI PULOS

LECTIO DIVINA JESUS CHAMA SEUS DISCI PULOS LECTIO DIVINA JESUS CHAMA SEUS DISCI PULOS 1 TEXTO BÍBLICO - Lucas 6,12-19 (Fazer uma Oração ao Espírito Santo, ler o texto bíblico, fazer um momento de meditação, refletindo sobre os três verbos do texto

Leia mais

A Palavra de Deus. - É na Palavra de Deus que o homem encontra o conhecimento a respeito da Vida, de onde viemos e onde vamos viver a eternidade.

A Palavra de Deus. - É na Palavra de Deus que o homem encontra o conhecimento a respeito da Vida, de onde viemos e onde vamos viver a eternidade. A Palavra de Deus 2 Timóteo 3:16-17 Pois toda a Escritura Sagrada é inspirada por Deus e é útil para ensinar a verdade, condenar o erro, corrigir as faltas e ensinar a maneira certa de viver. 17 E isso

Leia mais

CATEDRAL DIOCESANA DE CAMPINA GRANDE PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO

CATEDRAL DIOCESANA DE CAMPINA GRANDE PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO CATEDRAL DIOCESANA DE CAMPINA GRANDE PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO SOBRE NÓS FAZEI BRILHAR O ESPLENDOR DE VOSSA FACE! 3 º DOMINGO DA PÁSCOA- ANO B 22 DE ABRIL DE 2012 ANIM: (Saudações espontâneas)

Leia mais

Domingo dentro da Oitava de Natal SAGRADA FAMÍLIA DE JESUS, MARIA E JOSÉ. Vésperas I

Domingo dentro da Oitava de Natal SAGRADA FAMÍLIA DE JESUS, MARIA E JOSÉ. Vésperas I Domingo dentro da Oitava de Natal Semana I do Saltério SAGRADA FAMÍLIA DE JESUS, MARIA E JOSÉ Festa Quando o Natal do Senhor é num Domingo, a festa da Sagrada Família celebra-se no dia 30 de Dezembro e

Leia mais

MANUAL. Esperança. Casa de I G R E J A. Esperança I G R E J A. Esperança. Uma benção pra você! Uma benção pra você!

MANUAL. Esperança. Casa de I G R E J A. Esperança I G R E J A. Esperança. Uma benção pra você! Uma benção pra você! MANUAL Esperança Casa de I G R E J A Esperança Uma benção pra você! I G R E J A Esperança Uma benção pra você! 1O que é pecado Sem entender o que é pecado, será impossível compreender a salvação através

Leia mais

O NASCIMENTO DE JESUS

O NASCIMENTO DE JESUS Bíblia para crianças apresenta O NASCIMENTO DE JESUS Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:M. Maillot Adaptado por: E. Frischbutter; Sarah S. O texto bíblico desta história é extraído ou adaptado da

Leia mais

Dia a dia. com o Evangelho 2016. Texto e comentário Ano C São Lucas

Dia a dia. com o Evangelho 2016. Texto e comentário Ano C São Lucas 7 8 9 Dia a dia 10 com o Evangelho 2016 11 12 Texto e comentário Ano C São Lucas 13 14 15 16 17 18 19 20 21 Direção editorial: Claudiano Avelino dos Santos Assistente editorial: Jacqueline Mendes Fontes

Leia mais

NOVE DIAS COM IRMÃ CLARA FIETZ NA ESCOLA DE JESUS CRISTO

NOVE DIAS COM IRMÃ CLARA FIETZ NA ESCOLA DE JESUS CRISTO NOVE DIAS COM IRMÃ CLARA FIETZ NA ESCOLA DE JESUS CRISTO ORAÇÃO DO INÍCIO DA NOVENA SENHOR JESUS CRISTO, Vós nos encorajastes a Vos trazer nossa preocupação na oração. Se me pedirdes alguma coisa em meu

Leia mais

LECTIO DIVINA 26 de julho de 2015 Domingo XVII do Tempo Comum Ano B. O mais bonito que o pão tem é poder ser partido e repartido. D.

LECTIO DIVINA 26 de julho de 2015 Domingo XVII do Tempo Comum Ano B. O mais bonito que o pão tem é poder ser partido e repartido. D. Perguntas para a reflexão pessoal Perante as necessidades com que me deparo, predisponho-me a dar da minha pobreza, a pôr generosamente à disposição o que sou e o que tenho? Acredito no potencial dos outros,

Leia mais

DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESCOLA DOMINICAL

DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESCOLA DOMINICAL SUGESTÃO DE CELEBRAÇÃO DE NATAL 2013 ADORAÇÃO Prelúdio HE 21 Dirigente: Naqueles dias, dispondo-se Maria, foi apressadamente à região montanhosa, a uma cidade de Judá, entrou na casa de Zacarias e saudou

Leia mais

A grande refeição é aquela que fazemos em torno da Mesa da Eucaristia.

A grande refeição é aquela que fazemos em torno da Mesa da Eucaristia. EUCARISTIA GESTO DO AMOR DE DEUS Fazer memória é recordar fatos passados que animam o tempo presente em rumo a um futuro melhor. O povo de Deus sempre procurou recordar os grandes fatos do passado para

Leia mais

Imaculado Coração de Maria

Imaculado Coração de Maria Trezena em honra ao Imaculado Coração de Maria EDITORA AVE-MARIA Introdução A Editora Ave-Maria, ao apresentar ao público católico esta Trezena em honra ao Imaculado Coração de Maria, convida todos a se

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA A IMPORTÂNCIA DAS OBRAS DE FÉ William Soto Santiago Cayey Porto Rico 16 de Março de 2011 Reverendo William Soto Santiago, Ph. D. CENTRO DE DIVULGAÇÃO DO EVANGELHO DO REINO http://www.cder.com.br E-mail:

Leia mais

Mais do que ter devoção a Maria, precisamos imitá-la. (Raniero Cantalamessa)

Mais do que ter devoção a Maria, precisamos imitá-la. (Raniero Cantalamessa) O coordenador nacional do Ministério de Música e Artes, Juninho Cassimiro, dá continuidade às cartas aos artistas de toda a RCC do Brasil. No artigo anterior, a reflexão foi sobre a humildade Aos moldes

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

A Regra daterceira Ordem da Sociedade de São Francisco iii) Ordem para Admissões e Renovações I. O CONVITE

A Regra daterceira Ordem da Sociedade de São Francisco iii) Ordem para Admissões e Renovações I. O CONVITE A Regra daterceira Ordem da Sociedade de São Francisco iii) Ordem para Admissões e Renovações como ordenado pelo Capítulo Interprovincial da Terceira Ordem na Revisão Constitucional de 1993, e subseqüentemente

Leia mais

igrejabatistaagape.org.br [1] Deus criou o ser humano para ter comunhão com Ele, mas ao criá-lo concedeu-lhe liberdade de escolha.

igrejabatistaagape.org.br [1] Deus criou o ser humano para ter comunhão com Ele, mas ao criá-lo concedeu-lhe liberdade de escolha. O Plano da Salvação Contribuição de Pr. Oswaldo F Gomes 11 de outubro de 2009 Como o pecado entrou no mundo e atingiu toda a raça humana? [1] Deus criou o ser humano para ter comunhão com Ele, mas ao criá-lo

Leia mais

A Bíblia é para nós, cristãos, o ponto de referência de nossa fé, uma luz na caminhada de nossa vida.

A Bíblia é para nós, cristãos, o ponto de referência de nossa fé, uma luz na caminhada de nossa vida. LITURGIA DA PALAVRA A Palavra de Deus proclamada e celebrada - na Missa - nas Celebrações dos Sacramentos (Batismo, Crisma, Matrimônio...) A Bíblia é para nós, cristãos, o ponto de referência de nossa

Leia mais

O Canto Litúrgico. Como escolher os cantos para nossas celebrações?

O Canto Litúrgico. Como escolher os cantos para nossas celebrações? O Canto Litúrgico Como escolher os cantos para nossas celebrações? O que é Liturgia? Liturgia é antes de tudo "serviço do povo", essa experiência é fruto de uma vivencia fraterna, ou seja, é o culto, é

Leia mais

Faz um exercício de relaxamento coloca-te na presença de Deus. Reza um salmo (aquele que o teu coração pedir no momento).

Faz um exercício de relaxamento coloca-te na presença de Deus. Reza um salmo (aquele que o teu coração pedir no momento). O Caminho de Emaús Faz um exercício de relaxamento coloca-te na presença de Deus. Reza um salmo (aquele que o teu coração pedir no momento). Leitura: Lc 24, 13-35 Todos nós percorremos frequentemente o

Leia mais

Sagrada Família de Jesus, Maria e José Natal

Sagrada Família de Jesus, Maria e José Natal Sagrada Família de Jesus, Maria e José Natal 1ª Leitura Eclo 3,3-7.14-17a (gr.2-6.12-14) Leitura do Livro do Eclesiástico 3,3-7.14-17a (gr.2-6.12-14) 3Deus honra o pai nos filhos e confirma, sobre eles,

Leia mais

O líder convida um membro para ler em voz alta o objetivo da sessão:

O líder convida um membro para ler em voz alta o objetivo da sessão: SESSÃO 3 'Eis a tua mãe' Ambiente Em uma mesa pequena, coloque uma Bíblia, abriu para a passagem do Evangelho leia nesta sessão. Também coloca na mesa uma pequena estátua ou uma imagem de Maria e uma vela

Leia mais

XV DOMINGO DO TEMPO COMUM

XV DOMINGO DO TEMPO COMUM XV DOMINGO DO TEMPO COMUM Jesus chamou os doze Apóstolos e começou a enviá-los dois a dois 1. Admonição de entrada 2. Entrada: Em nome do Pai Refrão: Em nome do Pai, em nome do Filho, em nome do Espírito

Leia mais

NOVENA DE NOSSA SENHORA AUXILIADORA. 7º DIA: Sonho da jangada (MB VIII, 275-282) Nossa Senhora não abandona quem nela confia.

NOVENA DE NOSSA SENHORA AUXILIADORA. 7º DIA: Sonho da jangada (MB VIII, 275-282) Nossa Senhora não abandona quem nela confia. NOVENA DE NOSSA SENHORA AUXILIADORA 7º DIA: Sonho da jangada (MB VIII, 275-282) Nossa Senhora não abandona quem nela confia. ACOLHIDA FICO FELIZ Fico feliz em vir em tua casa, erguer minha voz e cantar.

Leia mais

FEB EADE - Livro III - Módulo II Roteiro 2 A autoridade de Jesus

FEB EADE - Livro III - Módulo II Roteiro 2 A autoridade de Jesus OBJETIVOS 1) Analisar em que se resume a autoridade do Cristo. 2) Esclarecer como o Espiritismo explica essa autoridade. IDEIAS PRINCIPAIS 1) Sob a autoridade moral do Cristo, somos guiados na busca pela

Leia mais

CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA

CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA Congregação das Irmãs Missionárias de São Carlos B. Scalabrinianas Centro de Estudos Migratórios Cristo Rei-CEMCREI Rua Castro Alves, 344 90430-130 Porto Alegre-RS cemcrei@cpovo.net www.cemcrei.org.br

Leia mais

ORAÇÃO EM FAMÍLIA Quaresma e Tempo Pascal

ORAÇÃO EM FAMÍLIA Quaresma e Tempo Pascal 1 PARÓQUIA DE Nª SRª DA CONCEIÇÃO, MATRIZ DE PORTIMÃO ORAÇÃO EM FAMÍLIA Quaresma e Tempo Pascal (O Ícone da Sagrada Família deve ser colocado na sala, num lugar de relevo e devidamente preparado com uma

Leia mais

Paulo Henrique de Oliveira Maria Theresa Oliveira de Medeiros Albuquerque

Paulo Henrique de Oliveira Maria Theresa Oliveira de Medeiros Albuquerque Paulo Henrique de Oliveira Maria Theresa Oliveira de Medeiros Albuquerque Pensamentos de São Josemaria Escrivá Um mês com Nossa Senhora Primeira Edição São Paulo 2012 PerSe Capa e seleção de figuras Paulo

Leia mais

MARIA, ESTRELA E MÃE DA NOVA EVANGELIZAÇÃO

MARIA, ESTRELA E MÃE DA NOVA EVANGELIZAÇÃO MARIA, ESTRELA E MÃE DA NOVA EVANGELIZAÇÃO anuncie a Boa Nova não só com palavras, mas, sobretudo, com uma vida transfigurada pela presença de Deus (EG 259). O tema da nova evangelização aparece com freqüência

Leia mais

I DOMINGO DA QUARESMA

I DOMINGO DA QUARESMA I DOMINGO DA QUARESMA LITURGIA DA PALAVRA / I Gen 2, 7-9; 3, 1-7 Leitura do Livro do Génesis O Senhor Deus formou o homem do pó da terra, insuflou em suas narinas um sopro de vida, e o homem tornou-se

Leia mais

A Bíblia afirma que Jesus é Deus

A Bíblia afirma que Jesus é Deus A Bíblia afirma que Jesus é Deus Há pessoas (inclusive grupos religiosos) que entendem que Jesus foi apenas um grande homem, um mestre maravilhoso e um grande profeta. Mas a Bíblia nos ensina que Jesus

Leia mais

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 1 a Edição Editora Sumário Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9 Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15 Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 Santos, Hugo Moreira, 1976-7 Motivos para fazer

Leia mais

O SENHOR É A NOSSA BANDEIRA. William Soto Santiago Sábado, 28 de Fevereiro de 2015 Vila Hermosa -Tabasco México

O SENHOR É A NOSSA BANDEIRA. William Soto Santiago Sábado, 28 de Fevereiro de 2015 Vila Hermosa -Tabasco México O SENHOR É A NOSSA BANDEIRA William Soto Santiago Sábado, 28 de Fevereiro de 2015 Vila Hermosa -Tabasco México Reverendo William Soto Santiago, Ph. D. CENTRO DE DIVULGAÇÃO DO EVANGELHO DO REINO http://www.cder.com.br

Leia mais

Músicos, Ministros de Cura e Libertação

Músicos, Ministros de Cura e Libertação Músicos, Ministros de Cura e Libertação João Paulo Rodrigues Ferreira Introdução Caros irmãos e irmãs; escrevo para vocês não somente para passar instruções, mas também partilhar um pouco da minha experiência

Leia mais

O texto representa uma cópia da carta ditada por Nosso Senhor Jesus Cristo as Santas: Matilda, Bridget e Isabel de Hungria, que pediam a Jesus

O texto representa uma cópia da carta ditada por Nosso Senhor Jesus Cristo as Santas: Matilda, Bridget e Isabel de Hungria, que pediam a Jesus O texto representa uma cópia da carta ditada por Nosso Senhor Jesus Cristo as Santas: Matilda, Bridget e Isabel de Hungria, que pediam a Jesus detalhes sobre sua Paixão antes da crucificação. Recebe o

Leia mais

Naquele mesmo dia, dois deles estavam indo para um povoado chamado Emaús, a onze quilômetros de Jerusalém.

Naquele mesmo dia, dois deles estavam indo para um povoado chamado Emaús, a onze quilômetros de Jerusalém. 13 Naquele mesmo dia, dois deles estavam indo para um povoado chamado Emaús, a onze quilômetros de Jerusalém. O episódio relatado por Lucas aconteceu no dia da ressurreição, durante e após uma caminhada

Leia mais

A Unidade de Deus. Jesus Cristo é o Único Deus. Pai Filho Espírito Santo. Quem é Jesus? Como os Apóstolos creram e ensinaram? O que a Bíblia diz?

A Unidade de Deus. Jesus Cristo é o Único Deus. Pai Filho Espírito Santo. Quem é Jesus? Como os Apóstolos creram e ensinaram? O que a Bíblia diz? A Unidade de Deus Quem é Jesus? Como os Apóstolos creram e ensinaram? O que a Bíblia diz? Vejamos a seguir alguns tópicos: Jesus Cristo é o Único Deus Pai Filho Espírito Santo ILUSTRAÇÃO Pai, Filho e Espírito

Leia mais

TRÍDUO PASCAL Ano B QUINTA-FEIRA SANTA

TRÍDUO PASCAL Ano B QUINTA-FEIRA SANTA TRÍDUO PASCAL Ano B Quando chegou a hora, Jesus se pôs à mesa, com os apóstolos. Ele disse: Desejei muito comer com vocês esta ceia pascal, antes de sofrer. (Lc 22, 14-15) QUINTA-FEIRA SANTA Evangelho

Leia mais

Jubileu de Prata 25 ANOS

Jubileu de Prata 25 ANOS Congregação das Irmãs Missionárias de São Carlos B. Scalabrinianas Centro de Estudos Migratórios Cristo Rei-CEMCREI Rua Castro Alves, 344 90430-130 Porto Alegre-RS cemcrei@cpovo.net www.cemcrei.org.br

Leia mais

Catequese da Adolescência 7º Catecismo Documentos de Apoio CATEQUESE 1 - SOMOS UM GRUPO COM JESUS. Documento I

Catequese da Adolescência 7º Catecismo Documentos de Apoio CATEQUESE 1 - SOMOS UM GRUPO COM JESUS. Documento I CATEQUESE 1 - SOMOS UM GRUPO COM JESUS Documento I CATEQUESE 1 - SOMOS UM GRUPO COM JESUS Documento 2 CATEQUESE 1 - SOMOS UM GRUPO COM JESUS Documento 3 CATEQUESE 2 - QUEM SOU EU? Documento 1 CATEQUESE

Leia mais

Todos Batizados em um Espírito

Todos Batizados em um Espírito 1 Todos Batizados em um Espírito Leandro Antonio de Lima Podemos ver os ensinos normativos a respeito do batismo com o Espírito Santo nos escritos do apóstolo Paulo, pois em muitas passagens ele trata

Leia mais

Demonstração de Maturidade

Demonstração de Maturidade Demonstração de Maturidade TEXTO BÍBLICO BÁSICO 2 Reis 4.12-17 12 - Então disse ao seu servo Geazi: Chama esta sunamita. E chamando-a ele, ela se pôs diante dele. 13 - Porque ele tinha falado a Geazi:

Leia mais

PARÓQUIA SÃO SEBASTIÃO E SÃO VICENTE CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA DA VÍGILIA DE PENTECOSTES COM OFÍCIO DIVINO Comunidade São Sebastião 19h30min

PARÓQUIA SÃO SEBASTIÃO E SÃO VICENTE CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA DA VÍGILIA DE PENTECOSTES COM OFÍCIO DIVINO Comunidade São Sebastião 19h30min PARÓQUIA SÃO SEBASTIÃO E SÃO VICENTE CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA DA VÍGILIA DE PENTECOSTES COM OFÍCIO DIVINO Comunidade São Sebastião 19h30min Terço Como de costume RITOS INICIAIS Enquanto se entoa o refrão

Leia mais

CELEBRAÇÃO PARA O DIA DO CATEQUISTA 2014

CELEBRAÇÃO PARA O DIA DO CATEQUISTA 2014 CELEBRAÇÃO PARA O DIA DO CATEQUISTA 2014 NO CAMINHO DO DISCIPULADO MISSIONÁRIO, A EXPERIÊNCIA DO ENCONCONTRO: TU ÉS O MESSIAS, O FILHO DO DEUS VIVO INTRODUÇÃO Queridos/as Catequistas! Com nossos cumprimentos

Leia mais

CATEQUESE. Sua Santidade o Papa Bento XVI Vaticano - Audiência Geral Quarta-feira, 16 de Janeiro de 2013

CATEQUESE. Sua Santidade o Papa Bento XVI Vaticano - Audiência Geral Quarta-feira, 16 de Janeiro de 2013 CATEQUESE Sua Santidade o Papa Bento XVI Vaticano - Audiência Geral Quarta-feira, 16 de Janeiro de 2013 Queridos irmãos e irmãs, O Concílio Vaticano II na Constituição sobre a Divina Revelação Dei Verbum,

Leia mais

Espiritualidade do Câmbio Sistêmico ou Mudança de Estruturas

Espiritualidade do Câmbio Sistêmico ou Mudança de Estruturas Espiritualidade do Câmbio Sistêmico ou Mudança de Estruturas Uma breve meditação sobre Mudança de Estruturas O objetivo desta meditação é redescobrir a dimensão espiritual contida na metodologia de mudança

Leia mais

ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO NA ABERTURA DO ANO SACERDOTAL 19 de junho de 2009. Fidelidade de Cristo, fidelidade do Sacerdote

ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO NA ABERTURA DO ANO SACERDOTAL 19 de junho de 2009. Fidelidade de Cristo, fidelidade do Sacerdote ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO NA ABERTURA DO ANO SACERDOTAL 19 de junho de 2009 Fidelidade de Cristo, fidelidade do Sacerdote 1 - MOTIVAÇÃO INICIAL: Dir.: Em comunhão

Leia mais

TRÍDUO PASCAL ORAÇÕES À MESA

TRÍDUO PASCAL ORAÇÕES À MESA TRÍDUO PASCAL ORAÇÕES À MESA 1. Quinta-Feira Santa Ao almoço D: Irmãos, Jesus Cristo fez de nós um reino de sacerdotes para Deus o nosso pai. T: A Ele, glória e poder / pelos séculos dos séculos. Amém.

Leia mais

NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, REI DO UNIVERSO

NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, REI DO UNIVERSO Domingo XXXIV e último NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, REI DO UNIVERSO Solenidade LEITURA I 2 Sam 5, 1-3 «Ungiram David como rei de Israel» Leitura do Segundo Livro de Samuel Naqueles dias, todas as tribos

Leia mais

Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão. Jorge Esteves

Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão. Jorge Esteves Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão Jorge Esteves Objectivos 1. Reconhecer que Jesus se identifica com os irmãos, sobretudo com os mais necessitados (interpretação e embora menos no

Leia mais