EDITAL DE PREGÃO (ELETRÔNICO) 26/2014 PROCESSO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EDITAL DE PREGÃO (ELETRÔNICO) 26/2014 PROCESSO"

Transcrição

1 EDITAL DE PREGÃO (ELETRÔNICO) n 26/2014 PROCESSO n 14/173-M ENDEREÇO ELETRÔNICO: ou DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 30/09/2014. DATA E HORA DA ABERTURA DA SESSÃO PÚBLICA: DIA 16/10/2014, ÀS 09:30 HORAS OFERTA DE COMPRA: OC00029 O Senhor WAGNER VIEIRA, Gerente de Licitações, Patrimônio e Suprimentos da Fdação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo FAPESP, usando a competência delegada pelos artigos 3º e 7º, inciso I, do Decreto Estadual nº , de 06 de novembro de 2002, c.c. artigo 8º, do Decreto Estadual nº , de 24 de jho de 2005, torna público que se acha aberta, nesta Unidade, licitação na modalidade PREGÃO, a ser realizada por intermédio do sistema eletrônico de contratações denominado Bolsa Eletrônica de Compras do Governo do Estado de São Paulo Sistema BEC/SP, com utilização de recursos de tecnologia da informação, denominada PREGÃO ELETRÔNICO, do tipo MENOR PREÇO GLOBAL Processo 14/173-M, objetivando a contratação de empresa especializada para reforma, ampliação, reestruturação e adequação de layouts em dependências de imóveis da FAPESP, sob o regime de empreitada por preços itários, que será regida pela Lei Federal nº , de 17 de Julho de 2002, pelo Decreto Estadual nº , de 24 de jho de 2005, pelo regulamento anexo a Resolução nº CC-27, de 25 de maio de 2006, aplicando-se, subsidiariamente, no que couberem, as disposições da Lei Federal nº 8.666, de 21 de jho de 1993, da Lei estadual nº 6.544, de 22 de novembro de 1989, do Decreto Estadual n.º , de 06 de novembro de 2002, da Resolução CEGP-10, de 19 de Novembro de 2002, e demais normas regulamentares aplicáveis à espécie. As propostas deverão obedecer às especificações deste instrumento convocatório e seus anexos e serão encaminhadas por meio eletrônico após o registro dos interessados em participar do certame e o credenciamento de seus representantes, no Cadastro Unificado de Fornecedores do Estado de São Paulo CAUFESP. A sessão pública de processamento do pregão será realizada no endereço eletrônico ou no dia e hora mencionados no preâmbulo deste Edital e será conduzida pelo pregoeiro com o auxílio da equipe de apoio, designados nos autos do processo em epígrafe e indicados no sistema pela 1

2 autoridade competente. I - DO OBJETO: 1. A presente licitação tem por objeto a contratação de empresa especializada para reforma, ampliação, reestruturação e adequação de layouts em dependências de imóveis da FAPESP, conforme especificações constantes no Memorial Descritivo - Anexo I. 2. A VISTORIA do local dos serviços é obrigatória e deverá ser realizada pela licitante que apresentar interesse (vide Anexo IX Recibo de Atestado de Vistoria) A licitante interessada em participar deste certame deverá vistoriar, com o acompanhamento de um servidor da FAPESP, o local onde serão executados os serviços, podendo ser realizada no período de 30/09/2014 a 15/10/2014, mediante prévio agendamento pelos telefones (0_11) ou 4353, no horário das 08h às 17h, vedado o agendamento de data única para todos os interessados Na vistoria, somente será permitida a participação de representantes legais, procuradores ou prepostos com poderes específicos ou credenciados pelas empresas interessadas em participar do certame, mediante apresentação dos respectivos documentos. 3. A despesa para realização das reformas e adequações foi estimada em ,94 (dois milhões, trinta e oito mil, trezentos e setenta reais e noventa e quatro centavos), e onerará os recursos orçamentários e financeiros do elemento econômico Obras e Instalações, do Programa de Atividade Atividades da FAPESP Os valores referenciais (média apurada) itários e totais constam da Planilha de Proposta de Preços Anexo VII. II - DA PARTICIPAÇÃO: 1. Poderão participar do certame todos os interessados em contratar com a Administração Estadual que estiverem registrados no CAUFESP, em atividade econômica compatível com o seu objeto, sejam detentores de senha para participar 2

3 de procedimentos eletrônicos e tenham credenciado os seus representantes, na forma estabelecida no regulamento que disciplina a inscrição no referido cadastro. 1.1 O registro no CAUFESP, o credenciamento dos representantes que atuarão em nome da licitante no sistema de pregão eletrônico e a senha de acesso, deverão ser obtidos anteriormente à abertura da sessão pública e autorizam a participação em qualquer pregão eletrônico realizado por intermédio do Sistema BEC/SP. 1.2 As informações a respeito das condições exigidas e dos procedimentos a serem cumpridos, para o registro no CAUFESP, para o credenciamento de representantes e para a obtenção de senha de acesso, estão disponíveis no endereço eletrônico ou Fica vedada a participação de cooperativas no presente Pregão, nos termos do Decreto Estadual nº /2010 e do Comicado nº 01/2010 da Corregedoria Geral da Administração. 1.4 O Projeto Básico e o Projeto Executivo da presente licitação foram desenvolvidos pela Empresa Interarq Arquitetos Associados Ltda., sendo certo que a mesma não poderá participar, direta ou indiretamente, da licitação ou da execução de obra ou serviço e do fornecimento de bens a eles necessários, nos termos do art. 9º, I, da Lei 8.666/93, ressalvada a possibilidade de sua participação nos termos do 1º, do art. 9º, da Lei 8.666/ A participação no certame está condicionada, ainda, a que o interessado ao acessar, inicialmente, o ambiente eletrônico de contratações do Sistema BEC/SP, declare, mediante assinalação nos campos próprios, que inexiste qualquer fato impeditivo de sua participação no certame ou de sua contratação, que conhece e aceita os regulamentos do Sistema BEC/SP, relativos à Dispensa de Licitação, Convite e Pregão Eletrônico. 3. A licitante responde integralmente por todos os atos praticados no pregão eletrônico, por seus representantes devidamente credenciados, assim como pela utilização da senha de acesso ao sistema, ainda que indevidamente, inclusive por pessoa não credenciada como sua representante. 4. Cada representante credenciado poderá representar apenas uma licitante, em cada pregão eletrônico. 3

4 5. O envio da proposta vinculará a licitante ao cumprimento de todas as condições e obrigações inerentes ao certame. 6. Para o exercício do direito de preferência de que trata o subitem 6, bem como para fruição do benefício da habilitação com irregularidade fiscal previsto na alínea f, do subitem 9, ambos do item V deste Edital, a condição de microempresa ou de empresa de pequeno porte, deverá constar do registro da licitante jto ao CAUFESP. III - DAS PROPOSTAS: 1. As propostas deverão ser enviadas por meio eletrônico disponível no endereço ou na opção PREGÃO ENTREGAR PROPOSTA, desde a divulgação da íntegra do Edital no referido endereço eletrônico, até o dia e horário previstos no preâmbulo, devendo a licitante, para formulá-las, assinalar a declaração de que cumpre integralmente os requisitos de habilitação constantes do Edital. 2. O preço total/global para a prestação de serviços será ofertado no formulário eletrônico próprio, em moeda corrente nacional, em algarismos apurados nos termos do subitem 4 deste item III, sem inclusão de qualquer encargo financeiro ou previsão inflacionária. Nos preços propostos deverão estar incluídos, além do lucro, todas as despesas e custos, como por exemplo: transportes, tributos de qualquer natureza e todas as despesas, diretas ou indiretas, relacionadas com o fornecimento do objeto da presente licitação. 3. O prazo de validade da proposta será de 60 (sessenta) dias. 4. Não será admitida cotação inferior à quantidade prevista neste Edital A proposta de preços deverá ser orçada em valores vigentes no mês de sua apresentação. 5. Prazo para pagamento da fatura: o pagamento será realizado mediante medição dos serviços executados que ateste da realização dos serviços, nos termos dos subitens 6, 6.1 e 6.2, do item VIII do Edital, obedecendo-se o Cronograma Físico (a ser aprovado pela FAPESP), em até 30 dias da emissão das respectivas faturas, contados da data do aceite correspondente. 6. Todos os créditos serão realizados no Banco do Brasil S.A., nos termos do Decreto Estadual nº , de 18 de janeiro de 2010, para fins de pagamento; 4

5 7. No formulário eletrônico de encaminhamento da proposta deverá ser anexado arquivo contendo: Planilha de Proposta de Preços (Modelo no Anexo VII do Edital), preenchida em todos os seus tópicos e sem elementos que permitam a identificação da licitante ofertante, sob pena de desclassificação da mesma e exclusão do certame Só serão aceitos arquivo(s) contendo o(s) anexo(s) indicado(s) no subitem 7, deste item III, elaborado(s) no formato(s) indicado(s) no formulário eletrônico de encaminhamento da proposta Havendo divergência entre os valores consignados no(s) arquivo(s) indicado(s) no subitem 7, deste item III, e os valores lançados no formulário eletrônico de encaminhamento da proposta, prevalecerão estes últimos. 8. Os prazos de execução e entrega deverão obedecer ao estabelecido no Cronograma Físico (a ser aprovado pela FAPESP) A execução dos serviços deverá ter início na data prevista na Ordem de Início dos serviços, que será expedida pela Gerência Administrativa no prazo máximo de 05 (cinco) dias úteis a contar da data de assinatura do Contrato Os serviços deverão ser executados e concluídos de acordo com cronograma a ser aprovado pela FAPESP, tudo nos prazos totais e concorrentes estipulados na Tabela 2 Prazos de Execução contida no subitem 6.4. do Memorial Descritivo Anexo I do Edital, inclusive sábados, domingos e feriados. IV - DA HABILITAÇÃO: 1. O julgamento da habilitação se processará na forma prevista no subitem 9, do item V, deste Edital, mediante o exame dos documentos a seguir relacionados, os quais dizem respeito a: 1.1. HABILITAÇÃO JURÍDICA: a) Registro empresarial na Jta Comercial, no caso de empresário individual (ou cédula de identidade em se tratando de pessoa física não empresária); 5

6 b) Ato constitutivo, estatuto ou contrato social atualizado e registrado na Jta Comercial, em se tratando de sociedade; c) Documentos de eleição ou designação dos atuais administradores, tratando-se de sociedades empresárias; d) Ato constitutivo atualizado e registrado no Registro Civil de Pessoas Jurídicas tratando-se de sociedade não empresária, acompanhado de prova da diretoria em exercício; e) Decreto de autorização em se tratando de sociedade empresária estrangeira em fcionamento no País, e ato de registro ou autorização para fcionamento expedido pelo órgão competente, quando a atividade assim o exigir. 1.2 REGULARIDADE FISCAL E TRABALHISTA: a) Prova de Inscrição no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas do Ministério da Fazenda (CNPJ) ou no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF); b) Prova de Inscrição no Cadastro de Contribuintes Estadual e/ou Micipal, relativo à sede ou ao domicílio da licitante, pertinente ao seu ramo de atividade e compatível com o objeto do certame; c) Certidão de regularidade de débito com a Fazenda Estadual e Micipal, da sede ou do domicílio da licitante; d) Certidão de regularidade de débito para com o Sistema de Seguridade Social (INSS), e o Fdo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS); e) Certidão Conjta Negativa ou Positiva com efeitos de Negativa, relativa a tributos federais e dívida ativa da União. f) Certidão Negativa de Débitos Trabalhistas (CNDT) ou Positiva com efeitos de Negativa, instituída pela Lei nº / QUALIFICAÇÃO ECONÔMICO-FINANCEIRA: a) Certidão negativa de falência, recuperação judicial e extrajudicial, expedida pelo distribuidor da sede da pessoa jurídica, ou de execução patrimonial, expedida pelo distribuidor do domicílio da pessoa física; 6

7 1.4 QUALIFICAÇÃO TÉCNICA: a) Apresentação de atestados de fornecimento, pertinentes e compatíveis em características, quantidade e prazos referentes ao objeto da contratação, contemplando no mínimo 50% da quantidade da execução pretendida, nos termos da súmula 24 do TCE de São Paulo, para comprovação da qualificação operacional; a.1) Os atestados deverão ser fornecidos por pessoas jurídicas de direito público ou privado em nome da empresa participante, com a indicação do cargo e telefone de quem assinou o atestado para confirmação. b) A empresa deve possuir no seu quadro permanente (vínculo profissional), na data de apresentação da proposta, profissional(ais) de nível superior, registrado(s) no CREA e/ou CAU Conselho de Arquitetura e Urbanismo como responsável(eis) técnico(s) da mesma, detentor(es) de atestado(s) de responsabilidade técnica, acompanhado(s) da(s) Certidão(ões) de Acervo Técnico emitida(s) pelo CREA e/ou CAU, mediante anotação(ões) expressa(s) que vincule(m) o(s) profissional(ais) ao(s) atestado(s), por execução de serviços com características semelhantes ao objeto. b.1) As parcelas de maior relevância exigidas para comprovação da capacidade técnico-profissional são: 1. Execução de Obras em Estrutura Metálica, Inclusive Escadas; 2. Instalação de Ar- Condicionado Tipo Self; 3. Instalação de Forro Mineral; e 4. Impermeabilização de Área Externa Sujeita à Tráfego. b.2) A comprovação de que referido(s) profissional(ais) pertece(m) ao quadro permanente da empresa (vínculo profissional) poderá se dar da seguinte forma: apresentação do contrato social no caso de sócio(s); apresentação do(s) registro(s) na(s) carteira(s) profissional(is), ficha(s) de empregado(s) ou contrato(s) de trabalho no caso de empregados; e apresentação do contrato de prestação de serviços no caso de profissional(is) autônomo(s) que preencha(m) os requisitos e se responsabilize(m) tecnicamente pela execução dos serviços. b.3) Relativamente às comprovações exigidas neste subitem, apresentar toda a documentação respectiva. 7

8 c) Certidão de registro da Empresa no CREA e/ou CAU Conselho de Arquitetura e Urbanismo, em vigor, devidamente atualizada em todos os dados contratuais. O documento deverá estar da validade da data de apresentação. d) Declaração subscrita por representante legal da licitante, elaborada em papel timbrado da empresa, atestando que utiliza produtos e subprodutos de origem exótica, ou de origem nativa, que tenham procedência legal, nos termos do Decreto Estadual n.º , de 02 de jho de e) Declaração subscrita por representante legal da licitante, elaborada em papel timbrado da empresa, atestando que no caso de utilização de produtos e subprodutos listados no artigo 1º do Decreto Estadual n.º , de 02 de jho de 2008, a obrigação de sua aquisição de pessoa jurídica devidamente cadastrada no CADMADEIRA. e.1) Caso a própria empresa licitante comercialize referidos produtos e subprodutos, deverá apresentar comprovante de seu cadastramento/inscrição no CADMADEIRA do Estado de São Paulo, com validade na data de sua apresentação Atestado de Vistoria, fornecido pela FAPESP por ocasião da visita, assegurando ter conhecimento do local onde serão executados os serviços, conforme modelo - Anexo IX do Edital A Licitante interessada em participar deste certame deverá vistoriar, com o acompanhamento de um servidor da FAPESP, o local onde serão executados os serviços, podendo ser realizada no período de 30/09/2014 a 15/10/2014 (nos dias úteis), mediante prévio agendamento pelos telefones (0_11) ou 4353, no horário das 08h às 17h, vedado o agendamento de data única para todos os interessados Na vistoria, somente será permitida a participação de representantes legais, procuradores ou prepostos com poderes específicos ou credenciados pelas empresas interessadas em participar do certame, mediante apresentação dos respectivos documentos. Obs.: O mesmo documento poderá servir para realizar as comprovações exigidas nos subitens a), b) e b.1) retro, caso contenha todos os elementos exigidos para comprovação em todos esses subitens. 8

9 1.5 OUTRAS COMPROVAÇÕES: Declaração subscrita por representante legal da licitante, elaborada em papel timbrado da empresa, atestando que: a) encontra-se em situação regular perante o Ministério do Trabalho, conforme modelo anexo ao Decreto estadual nº , de 06/03/ Anexo II deste Edital; b) inexiste impedimento legal para licitar ou contratar com a Administração, inclusive em virtude das disposições da Lei estadual nº , de 12 de fevereiro de 1999 conforme Anexo VI deste Edital; c) atende às normas relativas à saúde e segurança do trabalho (parágrafo único, art. 117, Constituição do Estado) Anexo VIII deste Edital; e Carta de compromisso elaborada em papel timbrado, subscrita por seu representante legal, afirmando a disposição da licitante em contratar, nos limites estabelecidos no artigo 4, do Decreto Estadual n de 07/11/2009, os beneficiários do Programa de Inserção de Egressos do Sistema Penitenciário no Mercado de Trabalho Pró-Egresso, de acordo com o modelo que constitui Anexo XI deste edital 2. DISPOSIÇÕES GERAIS: 2.1 Na hipótese de não constar prazo de validade nas certidões apresentadas, a Administração aceitará como válidas as expedidas até 180 (cento e oitenta) dias imediatamente anteriores à data de apresentação das propostas. V - DA SESSÃO PÚBLICA E DO JULGAMENTO: 1. No dia e horário previstos neste Edital, o Pregoeiro dará início à sessão pública do Pregão Eletrônico, com a abertura automática das propostas e a sua divulgação, pelo sistema, na forma de grade ordenatória, em ordem crescente de preços. 2. A análise das propostas pelo Pregoeiro, visará ao atendimento das condições estabelecidas neste Edital e seus anexos. 2.1 Serão desclassificadas as propostas: 9

10 a) cujo objeto não atenda as especificações, prazos e condições fixados no Edital; b) que apresentem preço baseado exclusivamente em proposta das demais licitantes; c) que por ação da licitante ofertante, contenham elementos que permitam a sua identificação; d) que não apresentem o anexo de apresentação obrigatória exigido no Item III Das Propostas, subitem 7 do Edital A desclassificação se dará por decisão motivada do Pregoeiro. 2.2 Serão desconsideradas ofertas ou vantagens baseadas nas propostas das demais licitantes O eventual desempate de propostas do mesmo valor será promovido pelo sistema, com observância dos critérios legais estabelecidos para tanto. 3. Nova grade ordenatória será divulgada pelo sistema, contendo a relação das propostas classificadas e das desclassificadas. 4. Será iniciada a etapa de lances, com a participação de todas as licitantes detentoras de propostas classificadas A formulação de lances será efetuada, exclusivamente, por meio do sistema eletrônico Os lances deverão ser formulados em valores distintos e decrescentes, inferiores ao menor preço total do item, ou em valores distintos e decrescentes inferiores ao do último valor apresentado pela própria licitante ofertante, observada, em ambos os casos, a redução mínima entre os lances, conforme Anexo IV, aplicável, inclusive, em relação ao primeiro formulado, prevalecendo o primeiro lance recebido, quando ocorrerem 2 (dois) ou mais lances do mesmo valor A aplicação do valor de redução mínima entre os lances incidirá sobre o preço total/global A etapa de lances terá a duração inicial de 15 (quinze) minutos. 10

11 4.2.1 A A duração da etapa de lances será prorrogada automaticamente pelo sistema, visando à continuidade da disputa, quando houver lance admissível ofertado nos últimos 03 (três) minutos do período inicial de que trata o subitem 4.2 ou nos sucessivos períodos de prorrogação automática Não havendo novos lances ofertados nas condições estabelecidas no subitem , a duração da prorrogação encerrarse-á, automaticamente, quando atingido o terceiro minuto contado a partir do registro no sistema, do último lance que ensejar prorrogação No decorrer da etapa de lances, as licitantes serão informadas pelo sistema eletrônico: a) dos lances admitidos e dos inválidos, horários de seus registros no sistema e respectivos valores; b) do tempo restante para o encerramento da etapa de lances A etapa de lances será considerada encerrada findos os períodos de duração indicados no subitem Encerrada a etapa de lances, o sistema divulgará a nova grade ordenatória, contendo a classificação final, em ordem crescente de valores Para essa classificação, será considerado o último preço admitido de cada licitante. 6. Com base na classificação a que alude o subitem 5 deste item, será assegurada às licitantes microempresas e empresas de pequeno porte, preferência à contratação, observadas as seguintes regras: 6.1. A microempresa ou empresa de pequeno porte, detentora da proposta de menor valor, dentre aquelas cujos valores sejam iguais ou superiores até 5% (cinco por cento) ao valor da proposta melhor classificada, será convocada pelo pregoeiro, para que apresente preço inferior ao da melhor classificada, no prazo de 05 (cinco) minutos, sob pena de preclusão do direito de preferência A convocação recairá sobre a licitante vencedora de sorteio, no caso de haver propostas empatadas, nas condições do subitem Não havendo a apresentação de novo preço, inferior ao preço da proposta melhor classificada, serão convocadas para o exercício do direito de preferência, respeitada a ordem de classificação, as demais microempresas e empresas de 11

12 pequeno porte, cujos valores das propostas se enquadrem nas condições indicadas no subitem Caso a detentora da melhor oferta, de acordo com a classificação de que trata o subitem 05, seja microempresa, empresa de pequeno porte, não será assegurado o direito de preferência, passando-se, desde logo, à negociação do preço. 7. O Pregoeiro poderá negociar com o autor da oferta de menor valor, obtida com base nas disposições dos subitens 6.1 e 6.2, ou, na falta desta, com base na classificação de que trata o subitem 5, mediante troca de mensagens abertas no sistema, com vistas à redução do preço. 8. Após a negociação, se houver, o Pregoeiro examinará a aceitabilidade do menor preço, decidindo, motivadamente, a respeito A aceitabilidade será aferida a partir dos preços de mercado vigentes na data da apresentação das propostas, coerentes com a execução do objeto ora licitado, acrescidos dos respectivos encargos sociais e benefícios e despesas indiretas (BDI), apurados mediante pesquisa realizada pelo órgão licitante, que será jtada aos autos por ocasião do julgamento. 9. Considerada aceitável a oferta de menor preço, passará o Pregoeiro ao julgamento da habilitação, observando as seguintes diretrizes: a) Verificação dos dados e informações do autor da oferta aceita, constantes do CAUFESP e extraídos dos documentos indicados no item IV Da Habilitação deste Edital; b) Caso os dados e informações existentes no CAUFESP, não atendam aos requisitos estabelecidos no item IV deste Edital, o Pregoeiro verificará a possibilidade de suprir ou sanear eventuais omissões ou falhas, mediante consultas efetuadas por outros meios eletrônicos hábeis de informações; b.1) Essa verificação será certificada pelo Pregoeiro na ata da sessão pública, devendo ser anexados aos autos, os documentos passíveis de obtenção por meio eletrônico, salvo impossibilidade devidamente certificada e justificada; c) A Licitante poderá, ainda, suprir ou sanear eventuais omissões ou falhas, relativas ao cumprimento dos requisitos e condições de habilitação estabelecidos no Edital, mediante a apresentação de novos documentos ou a substituição de documentos anteriormente ofertados, desde que os envie no curso da própria sessão pública do pregão e até a decisão sobre a 12

13 habilitação, por meio de fac-símile (fax) nº (0XX11) , ou pelo e- mail: d) A Administração não se responsabilizará pela eventual indisponibilidade dos meios eletrônicos hábeis de informações, no momento da verificação a que se refere a alínea b, ou dos meios para a transmissão de cópias de documentos a que se refere a alínea c, ambas deste subitem 9. Na hipótese de ocorrerem essas indisponibilidades e/ou não sendo supridas ou saneadas as eventuais omissões ou falhas, na forma prevista nas alíneas b e c, a licitante será inabilitada, mediante decisão motivada; e) Os originais ou cópias autenticadas por tabelião de notas, dos documentos enviados na forma constante da alínea a e c, deverão ser apresentados na Gerência de Licitações, Patrimônio e Suprimentos, sita na Rua Pio XI, nº 1.500, 4º andar, Alto da Lapa São Paulo - SP, em até 02 (dois) dias úteis após o encerramento da sessão pública, sob pena de invalidade do respectivo ato de habilitação e a aplicação das penalidades cabíveis; f) Para habilitação de microempresas ou empresas de pequeno porte, não será exigida comprovação de regularidade fiscal, mas será obrigatória a apresentação dos documentos indicados no subitem 1.2, alíneas a a e do item IV deste Edital, ainda que os mesmos veiculem restrições impeditivas à referida comprovação; g) Constatado o cumprimento dos requisitos e condições estabelecidos no Edital, a licitante será habilitada e declarada vencedora do certame. h) Por meio de aviso lançado no sistema, o Pregoeiro informará aos demais licitantes que poderão consultar as informações cadastrais da licitante vencedora utilizando opção disponibilizada no próprio sistema para tanto. Deverá, ainda, informar, o teor dos documentos recebidos por fac-símile ou outro meio eletrônico. 10. A licitante habilitada nas condições da alínea f, do subitem 9 deste item V, deverá comprovar sua regularidade fiscal, sob pena de decadência do direito à contratação, sem prejuízo da aplicação das sanções cabíveis. 11. A comprovação de que trata o subitem 10 deste item V deverá ser efetuada mediante a apresentação das competentes certidões negativas de débitos, ou positivas com efeito de negativa, no prazo de 05 (cinco) dias úteis, contado a partir do momento em que a licitante for declarada vencedora do certame, prorrogável por igual período, a critério da Administração (novo prazo de acordo com a LC 147/2014). 13

14 12. Ocorrendo a habilitação na forma indicada na alínea f, do subitem 9, a sessão pública será suspensa pelo Pregoeiro, observados os prazos previstos no subitem 11, para que a licitante vencedora possa comprovar a regularidade fiscal de que tratam os subitens 10 e 11 deste item V. 13. Por ocasião da retomada da sessão, o Pregoeiro decidirá motivadamente sobre a comprovação ou não da regularidade fiscal de que tratam os subitens 10 e 11 deste item V, ou sobre a prorrogação de prazo para a mesma comprovação, observado o disposto no mesmo subitem Se a oferta não for aceitável, ou se a licitante desatender às exigências para a habilitação, ou não sendo saneada a irregularidade fiscal, nos moldes dos subitens 10 a 13 deste item V, o Pregoeiro, respeitada a ordem de classificação de que trata o subitem 5 do item V, examinará a oferta subseqüente de menor preço, negociará com o seu autor, decidirá sobre a sua aceitabilidade e, em caso positivo, verificará as condições de habilitação e, assim, sucessivamente, até a apuração de uma oferta aceitável cujo autor atenda aos requisitos de habilitação, caso em que será declarado vencedor. VI - DO RECURSO, DA ADJUDICAÇÃO E DA HOMOLOGAÇÃO: 1. Divulgado o vencedor ou, se for o caso, saneada a irregularidade fiscal nos moldes dos subitens 10 a 13 do item V, o Pregoeiro informará às licitantes, por meio de mensagem lançada no sistema, que poderão interpor recurso, imediata e motivadamente, por meio eletrônico, utilizando para tanto, exclusivamente, campo próprio disponibilizado no sistema. 2. Havendo interposição de recurso, na forma indicada no subitem 1 deste item, o Pregoeiro, por mensagem lançada no sistema, informará aos recorrentes que poderão apresentar memoriais contendo as razões de recurso, no prazo de 3 (três) dias após o encerramento da sessão pública, e as demais licitantes que poderão apresentar contra razões, em igual número de dias, os quais começarão a correr do término do prazo para apresentação de memoriais, sendo-lhes assegurada vista imediata dos autos, no endereço da idade promotora da licitação, ou seja, na Rua Pio XI, nº 1.500, 4º andar, Alto da Lapa São Paulo - SP. 2.1 Os memoriais de recurso e as contrarrazões serão oferecidas, por meio eletrônico, no sítio ou opção RECURSO, e a apresentação de documentos relativos às peças antes indicadas, se houver, será efetuada mediante protocolo, na Gerência de Licitações, Patrimônio e Suprimentos, sita na Rua Pio XI, nº 1.500, 4º 14

15 andar, Alto da Lapa São Paulo - SP, observados os prazos estabelecidos no subitem 2, deste item. 3. A falta de interposição na forma prevista no subitem 1 deste item, importará na decadência do direito de recurso e o pregoeiro adjudicará o objeto do certame ao vencedor, na própria sessão, encaminhando o processo à autoridade competente, para a homologação. 4. Decididos os recursos e constatada a regularidade dos atos praticados, a autoridade competente adjudicará o objeto da licitação à licitante vencedora e homologará o procedimento licitatório. 5. O recurso terá efeito suspensivo e o seu acolhimento importará na invalidação dos atos insuscetíveis de aproveitamento. 6. A adjudicação será feita considerando a totalidade do objeto. 7. A vencedora do certame obriga-se a apresentar, no prazo de 02 (dois) dias úteis contados da data de adjudicação do objeto, os novos preços itários e total para a contratação, a partir do total final obtido no certame respeitando o valor referencial itário de cada item. A licitante deverá realinhar seus preços de forma que todos os valores itários fiquem abaixo dos valores de referência Esses novos preços serão apresentados pela licitante vencedora em nova planilha a ser entregue diretamente na Gerência de Licitações, Patrimônio e Suprimentos, sita na Rua Pio XI, nº 1.500, 4º andar, Alto da Lapa São Paulo SP Se a licitante vencedora deixar de cumprir a obrigação estabelecida no subitem 7, deste item VI, no prazo ali mesmo assinalado, os preços itários finais válidos para a contratação serão apurados pelo Contratante, com a aplicação do percentual que retrate a redução obtida entre o valor total oferecido na proposta inicial e o valor total final obtido no certame, indistintamente, sobre cada um dos preços itários ofertados na referida proposta. VII - DA DESCONEXÃO COM O SISTEMA ELETRÔNICO: 1. À licitante caberá acompanhar as operações no sistema eletrônico, durante a sessão pública do pregão, respondendo pelos ônus decorrentes de sua desconexão ou da inobservância de quaisquer mensagens emitidas pelo sistema. 15

16 1.1 A desconexão do sistema eletrônico com o pregoeiro, durante a sessão pública, implicará: a) fora da etapa de lances, na sua suspensão e o seu reinício, desde o ponto em que foi interrompida. Neste caso, se a desconexão persistir por tempo superior a 15 (quinze) minutos, a sessão pública deverá ser suspensa e reiniciada somente após comicação expressa às licitantes, de nova data e horário para a sua continuidade; b) durante a etapa de lances, na continuidade da apresentação de lances pelas licitantes, até o término do período de duração inicial estabelecido no Edital. 1.2 A desconexão do sistema eletrônico com qualquer licitante, não prejudicará a conclusão válida da sessão pública ou do certame. VIII - DO LOCAL, DAS CONDIÇÕES DE EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS E DAS MEDIÇÕES: 1. O objeto desta licitação deverá ser executado no edifício sede da FAPESP, localizado à Rua Pio XI, nº 1.500, e no seu outro imóvel localizado na mesma rua no nº 1590, ambos em São Paulo/SP, correndo por conta da Licitante vencedora as despesas de seguro, transporte (inclusive estacionamento), tributos, encargos trabalhistas e previdenciários decorrentes da execução do objeto contratado, em conformidade com o estabelecido nos Anexos I, V e X deste Edital Os serviços deverão ser executados e concluídos de acordo com cronograma físico (a ser aprovado pela FAPESP), tudo nos prazos totais e concorrentes estipulados na Tabela 2 Prazos de Execução contida no subitem 6.4. do Memorial Descritivo Anexo I do Edital, inclusive sábados, domingos e feriados. 2. Os trabalhos serão fiscalizados por intermédio de engenheiros ou arquitetos e seus auxiliares, designados pela FAPESP, doravante denominados FISCALIZAÇÃO que serão designados quando da contratação Toda e qualquer alteração do projeto, necessário à execução dos serviços, compete à FISCALIZAÇÃO, devendo ser elaborado e fornecido à CONTRATADA através da FISCALIZAÇÃO. 16

17 2.2. A CONTRATADA deverá acatar de imediato, as ordens da FISCALIZAÇÃO, desde que não contrariem as Especificações do Anexo I e do Contrato Ficam reservados à FISCALIZAÇÃO o direito e a autoridade para resolver todo e qualquer caso singular, duvidoso ou omisso, não previsto no Contrato, nestas Especificações, no Projeto e em tudo o mais que, de qualquer forma, se relacione ou venha a se relacionar, direta ou indiretamente, com a obra em questão e seu complemento A CONTRATADA deverá, permanentemente, ter e colocar à disposição da FISCALIZAÇÃO os meios necessários e aptos a permitir a medição dos serviços executados, bem como a inspeção das instalações da obra, dos materiais e dos equipamentos, independentemente das inspeções e do canteiro de trabalho. 3. A existência e a atuação da FISCALIZAÇÃO em nada diminuem a responsabilidade única, integral e exclusiva da CONTRATADA, no que concerne às obras e suas implicações próximas ou remotas, sempre de conformidade com o Contrato e demais leis ou regulamentos vigentes. 4. Serão realizadas vistorias pela CONTRATANTE ou prepostos devidamente qualificados, que terão por objetivo: a avaliação da qualidade e do andamento dos serviços prestados; a medição dos serviços executados para efeito de faturamento; e a recepção de serviços concluídos, especialmente ao final da obra Todas as vistorias deverão ser acompanhadas pelo arquiteto ou engenheiro indicado pela CONTRATADA A realização das vistorias deverá ser registrada no diário da obra, e as anotações da Fiscalização na mesma terão validade de comicação escrita, devendo ser rubricadas pelos representantes de ambas as partes. 5. Os serviços serão fiscalizados pela CONTRATANTE ou seu(s) preposto(s) e, após a inspeção física de qualidade por comissão ou servidor designado para tanto, serão recebidos em conformidade com o disposto nos artigos 70 e 71 da Lei nº 6.544/89, e 73 e 74 da Lei nº 8.666/93, e as regras específicas estabelecidas no instrumento convocatório e seus anexos. 6. As medições para faturamento deverão ocorrer ao término de cada etapa, ou 17

18 em período não superior a 30 (trinta) dias, a partir da respectiva ordem de início dos serviços, conforme previsto no Memorial Descritivo Anexo I do Edital, sendo precedidas de solicitação da CONTRATADA, acompanhada de relatório sobre o andamento dos serviços a ser apresentado pela mesma, com antecedência de 05 (cinco) dias As medições obedecerão aos critérios que estão especificados no Boletim 158 da CPOS Critérios de Medição e Remeração, conforme estipulado no Anexo I Memorial Descritivo do Edital Em cada medição, como condição para recebimento das obras e/ou serviços de engenharia executados, será obrigatória a apresentação pela contratada ao responsável pelo recebimento, as notas fiscais de aquisição dos produtos e subprodutos de madeira, acompanhadas de declaração de emprego apenas de produtos e subprodutos de madeira de origem exótica, ou no caso de uso de produtos ou subprodutos listados no artigo 1º do Decreto Estadual n.º /08, de que as aquisições foram efetuadas de pessoas jurídicas cadastradas no CADMADEIRA. 7. O(s) profissional(is) indicado(s) pela licitante, para fins de comprovação de capacitação técnico-profissional (Item IV, subitem 1.4, b, do Edital), deverá(ão) participar das obras e serviços licitados, admitindo-se sua substituição, devidamente justificada, por profissional(is) de experiência equivalente ou superior, desde que previamente demonstrada sua capacitação, nos termos deste Edital, e após aprovação pela FAPESP. IX DOS PAGAMENTOS E REAJUSTE DE PREÇOS 1. Para efeito de pagamento, a contratada encaminhará à Gerência Administrativa, após a medição dos serviços executados que ateste a realização dos serviços, observado o Cronograma Físico (a ser aprovado pela FAPESP), nos termos do subitem 6, 6.1. e 6.2., do item VIII do Edital, a respectiva nota fiscal/fatura acompanhada do relatório dos serviços prestados no período/etapa a que o pagamento se referir. 2. O pagamento será realizado mediante medição dos serviços executados que ateste a realização dos serviços, obedecendo-se o Cronograma Físico da Obra (a ser aprovado pela FAPESP), em até 30 dias contados da emissão do Termo de Aceite correspondente. 3. As notas fiscais/faturas que apresentarem incorreções serão devolvidas à contratada para as devidas correções. Nesse caso, o prazo de que trata o 18

19 subitem 2, IX, começará a fluir a partir da data de apresentação da nota fiscal/fatura, sem incorreções. 4. O pagamento será feito mediante crédito aberto em conta corrente em nome da Contratada no Banco do Brasil S.A., nos termos do Decreto Estadual nº , de 18 de janeiro de Constitui condição para a realização dos pagamentos a inexistência de registros em nome da Contratada no Cadastro Informativo dos Créditos não Quitados de Órgãos e Entidades Estaduais do Estado de São Paulo CADIN ESTADUAL, o qual deverá ser consultado por ocasião da realização de cada pagamento. 6. Havendo atraso nos pagamentos, sobre o valor devido, incidirá correção monetária nos termos do artigo 74 da Lei Estadual nº 6.544/89, bem como juros moratórios à razão de 0,5% (meio por cento) ao mês, calculados pro rata tempore, em relação ao atraso verificado. 7. Os preços serão irreajustáveis De acordo com a Lei Federal nº de 29/06/95, somente serão reajustados os contratos com prazo superior a 12 (doze) meses. X DA CONTRATAÇÃO: 1. A contratação decorrente desta licitação será formalizada mediante celebração de Termo de Contrato, cuja minuta integra este Edital como Anexo V Se, por ocasião da formalização do Contrato, as certidões de regularidade de débito da Adjudicatária perante o Sistema de Seguridade Social (INSS), o Fdo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), a Fazenda Nacional (Certidão Conjta Negativa de Débitos ou Positiva com efeitos de Negativa, relativa a tributos federais e dívida ativa da União), e a Certidão Negativa de Débitos Trabalhistas (CNDT) ou Positiva com efeitos de Negativa, instituída pela Lei nº /2011, estiverem com os prazos de validade vencidos, o órgão licitante verificará a situação por meio eletrônico hábil de informações, certificando nos autos do processo a regularidade e anexando os documentos passíveis de obtenção por tais meios, salvo impossibilidade devidamente justificada Se não for possível atualizá-las por meio eletrônico hábil de informações, 19

20 a Adjudicatária será notificada para, no prazo de 02 (dois) dias úteis, comprovar a situação de regularidade de que trata o subitem 1.1 deste item X, mediante a apresentação das certidões respectivas, com prazos de validade em vigência, sob pena de a contratação não se realizar Constitui condição para a celebração da contratação a inexistência de registros em nome da adjudicatária no Cadastro Informativo dos Créditos não Quitados de Órgãos e Entidades Estaduais do Estado de São Paulo CADIN ESTADUAL, o qual deverá ser consultado por ocasião da respectiva celebração. 2. A adjudicatária deverá, no prazo de 05 (cinco) dias úteis contados da data da convocação, comparecer na Gerência Administrativa, sita na Rua Pio XI, nº 1.500, 4º andar, Alto da Lapa São Paulo - SP, para assinar o termo de contrato. 2.1 Fica facultado à Gerência Administrativa, em casos devidamente justificados pela adjudicatária, a realização da assinatura do contrato em local diverso do estabelecido no subitem anterior. 2.2 O prazo de 05 (cinco) dias úteis poderá ser prorrogado pela FAPESP, à critério da Gerência Administrativa, em decorrência da complexidade técnica envolvida para finalização minuta de Contrato, bem como em decorrência da necessidade de apresentação de documentos e/ou comprovações pela(s) licitante(s) vencedora(s). 3. Quando a Adjudicatária deixar de comprovar a regularidade fiscal, nos moldes das alíneas g e h, ou na hipótese de invalidação do ato de habilitação com base no disposto na alínea e, todas do subitem 9 do item V ou, ainda, quando convocada dentro do prazo de validade de sua proposta, não apresentar a situação regular de que trata o subitem 1.1 deste item XI, ou se recusar a assinar o contrato, serão convocadas as demais licitantes classificadas, para participar de nova sessão pública do pregão, com vistas à celebração da contratação. 3.1 Essa nova sessão será realizada em prazo não inferior a 03 (três) dias úteis, contados da divulgação do aviso. 3.2 A divulgação do aviso ocorrerá por publicação no Diário Oficial do Estado de São Paulo DOE e divulgação nos endereços eletrônicos ou e opção e-negociospublicos. 3.3 Na sessão, respeitada a ordem de classificação, observar-se-ão as disposições dos subitens 7 a 10 do Item V e subitens 1, 2, 3, 4 e 6 do Item 20

21 VI, todos deste Edital Não sendo possível a retomada do Pregão no ambiente eletrônico, o mesmo será convertido em Presencial e reaberto, devendo ser mantida a ordem de classificação das licitantes que ocorreu na sessão eletrônica. 4. A contratação será efetivada segdo o regime de EMPREITADA POR PREÇOS UNITÁRIOS, conforme Planilha de Proposta de Preços apresentada pela licitante em sua Proposta Comercial (ou após realinhamento que contemple a redução de preços na etapa de lances e/ou negociação). 5. O contrato será celebrado com duração de 6 (seis) meses, contados da data de sua assinatura O prazo mencionado no subitem anterior poderá ser prorrogado por igual (is) e sucessivo (s) período(s), a critério da Administração, nos termos e condições permitidos pela legislação vigente As prorrogações de prazo de vigência serão formalizadas mediante celebração dos respectivos termos de aditamento ao contrato, respeitadas as condições prescritas na Lei Federal nº 8.666/ A não prorrogação do prazo de vigência contratual por conveniência da Administração não gerará à contratada direito a qualquer espécie de indenização. 5.4 A proponente contratada ficará obrigada a aceitar, nas mesmas condições contratuais, os acréscimos ou supressões que se fizerem necessários, até 25% (vinte e cinco por cento) do valor inicial atualizado. 6. O contrato terá vigência por todo o período de garantia/assistência dos bens e serviços objeto do Pregão, conforme prazos e condições especificadas no Anexo I Memorial Descritivo. 7. A execução dos serviços deverá ter início na(s) data(s) prevista(s) na(s) Ordem(s) de Início dos serviços, que será(ão) expedida(s) pela Gerência Administrativa, sendo a 1ª no prazo máximo de 05 (cinco) dias úteis a contar da assinatura do Contrato Os serviços deverão ser executados e concluídos de acordo com cronograma físico (a ser aprovado pela FAPESP), tudo nos prazos totais e concorrentes estipulados na Tabela 2 Prazos de Execução contida no subitem 6.4. do Memorial Descritivo Anexo I do Edital, 21

22 inclusive sábados, domingos e feriados. 8. Os serviços não poderão ser transferidos, no todo ou em parte, e, excepcionalmente, a Contratada poderá subempreitar serviços específicos e/ou especializados, ou subcontratar o fornecimento de equipamentos, quando for o caso, desde que previamente autorizada pela FAPESP, nos termos e condições contratuais, em especial o subitem 5.8 do Memorial Descritivo Anexo I do Edital. 9. Após o término de cada etapa, a contratada elaborará relatório contendo os quantitativos itários e totais de cada um dos tipos de serviços efetivamente realizados, conforme Cronograma Físico (a ser aprovado pela FAPESP), observadas as condições de medição dos subitens 6, 6.1 e 6.2, do item VIII deste Edital. 10. Deverá a Adjudicatária apresentar, como requisito obrigatório para assinatura do Contrato: a) Cronograma Físico de execução do Objeto da Licitação, conforme subitem 5.1. do Memorial Descritivo Anexo I do Edital A falta de comprovação de qualquer dos requisitos exigidos para assinatura do Contrato gerará a invalidação do ato de habilitação e a retomada do certame nos moldes dos subitens 3, 3.1, 3.2, 3.3 e 3.4., deste Item X. XI - DAS CONDIÇÕES DE RECEBIMENTO DO OBJETO: 1. O objeto da presente licitação será atestado pela Gerência Administrativa da FAPESP, conforme Anexo V Minuta de Contrato, através da equipe de FISCALIZAÇÃO, a cada etapa da prestação de serviços, através de medições observadas as condições dos subitens 6, 6.1 e 6.2, do item VIII deste Edital, obedecido o Cronograma Físico (a ser aprovado pela FAPESP). 2. Havendo rejeição do serviço, no todo ou em parte, a licitante vencedora, deverá no prazo estabelecido pela Administração, observando as condições estabelecidas, corrigir a prestação do serviço Na impossibilidade de serem refeitos os serviços rejeitados, ou na hipótese de não serem os mesmos executados, o valor respectivo será descontado da importância devida à contratada, sem prejuízo da aplicação das sanções cabíveis. 22

23 3. Constatadas irregularidades no objeto contratual, a Contratante poderá: a) se disser respeito à especificação, rejeitá-lo no todo ou em parte, determinando sua substituição ou rescindindo a contratação, sem prejuízo das penalidades cabíveis; a.1) na hipótese de substituição, a Contratada deverá fazê-la em conformidade com a indicação da Administração, no prazo máximo de 03 (três) dias, contados da notificação por escrito, mantido o preço inicialmente contratado; b) se disser respeito à diferença de quantidade ou de partes, determinar sua complementação ou rescindir a contratação, sem prejuízo das penalidades cabíveis; b.1) na hipótese de complementação, a Contratada deverá fazê-la em conformidade com a indicação da Contratante, no prazo máximo de 03 (três) dias, contados da notificação por escrito, mantido o preço inicialmente contratado. 4. Após a conclusão de todos os trabalhos, será redigido e assinado o Termo de Recebimento Definitivo das Obras e Serviços contratados, nos termos estipulados no Anexo V Minuta de Contrato, onde será formalmente declarado que o prazo de garantia e responsabilidade mencionado no artigo 618 caput do Código Civil, bem como os demais prazos de garantia exigidos no Anexo I Memorial Descritivo, para bens e equipamentos, serão contados, em qualquer hipótese, a partir da data deste documento Os prazos para atendimento e assistência técnica no caso de problemas, falhas e defeitos dentro do período de garantia estão estipulados no Anexo I Memorial Descritivo. XII DAS SANÇÕES PARA O CASO DE INADIMPLEMENTO: 1. Ficará impedida de licitar e contratar com a Administração direta e autárquica do Estado de São Paulo pelo prazo de até 05 (cinco) anos, a pessoa física ou jurídica, que praticar quaisquer atos previstos no art. 7º da Lei Federal nº , de 17/07/2002, c.c. com art. 15 da Resolução CEGP-10, de 19/11/ A sanção de que trata o subitem anterior poderá ser aplicada jtamente com as multas previstas na Portaria PR nº17/2004, garantindo o exercício de prévia e ampla defesa, e deverá ser registrada no e-cadfor e sítio 23

24 XIII- DA GARANTIA CONTRATUAL: 1. Após a assinatura do contrato, a licitante vencedora deverá, no prazo de 10 (dez) dias, prorrogáveis mediante requerimento fdamentado (vide contrato Anexo V), prestar garantia correspondente a 5% (cinco por cento) sobre o valor total da contratação, em conformidade com o disposto no art. 56 da Lei federal nº 8.666/ Se a adjudicatária optar pela modalidade seguro-garantia, das condições especiais da respectiva apólice deverá constar disposição expressa, estipulando a responsabilidade da Seguradora pelo pagamento dos valores relativos a multas de quaisquer espécies, aplicadas à tomadora dos seguros A garantia prestada será restituída (e/ou liberada) após o cumprimento integral de todas as obrigações contratuais e, quando em dinheiro, será atualizada monetariamente, conforme dispõe o 4º do art. 56 da Lei federal nº 8.666/ A não prestação de garantia equivale à recusa injustificada para a contratação, caracterizando descumprimento total da obrigação assumida, ficando a adjudicatária sujeita às penalidades legalmente estabelecidas, inclusive multa, observado o disposto na Portaria PR nº17/2004 da FAPESP. XIV- DAS DISPOSIÇÕES RELATIVAS AO PROGRAMA INSTITUÍDO PELO DECRETO Nº / Para a consecução dos objetivos contidos no Decreto n /2009, a licitante vencedora disponibilizará aos beneficiários do Programa PRÓ-EGRESSO, indicados no artigo 2, do Decreto n /2009, vagas envolvidas diretamente na execução dos serviços, observados os limites estabelecidos no artigo 4 e único do Decreto n / A quantidade mínima das vagas a que se refere o subitem 1 será disponibilizada considerando-se o número de trabalhadores necessários à execução dos serviços, desde que em regime de dedicação exclusiva. 1.2 A relação de proporcionalidade entre o número de vagas disponibilizadas pela 24

25 Contratada com base no disposto nos subitens 1 e 1.1 e o número de trabalhadores necessários à execução dos serviços, deverá ser mantida durante toda a vigência do contrato, incluindo eventuais prorrogações. 2. A Contratada deverá apresentar ao gestor do contrato, no prazo de até 5 (cinco) dias úteis contado do início efetivo da execução dos serviços, a lista dos empregados que ocuparão as vagas disponibilizadas com base no disposto nos subitens 1 e 1.1, de acordo com o modelo que constitui Anexo X deste edital. (OBS: trata-se do(s) modelo(s) que constitui(em) o(s) Anexo(s) II ao Decreto n /2009 e/ou ao Decreto n /2009 e que deverá(ão) ser alçado(s) à condição de Anexo(s) integrante(s) deste Edital). 2.1 Caso na lista de empregados de que trata o subitem 2 constem indivíduos portadores de necessidades especiais, deverá ser observado o disposto no artigo 12 do Decreto n / Havendo subcontratação nos moldes admitidos neste Edital aplicar-se-ão, à(s) Subcontratada(s), as disposições previstas no item XIV e respectivos subitens. XV- DAS DISPOSIÇÕES FINAIS: 1. As normas disciplinadoras desta licitação serão interpretadas em favor da ampliação da disputa, respeitada a igualdade de oportidade entre as licitantes, desde que não comprometam o interesse público, a finalidade e a segurança da contratação. 2. Das sessões públicas de processamento do Pregão será lavrada ata circstanciada, observado o disposto no artigo 14, inciso XII, do regulamento anexo à Resolução CC 27/2006, a ser assinada pelo Pregoeiro e pela equipe de apoio. 3. O sistema manterá sigilo quanto à identidade das licitantes, para o Pregoeiro até a etapa de negociação com o autor da melhor oferta e para os demais, até a etapa de habilitação. 4. O resultado deste Pregão e os demais atos pertinentes a esta licitação, sujeitos à publicação, serão divulgados no Diário Oficial do Estado e nos sítios eletrônicos opção e-negociospublicos e ou opção pregão eletrônico. 5. Até 2 (dois) dias úteis anteriores à data fixada para abertura da sessão pública, qualquer pessoa poderá, por meio do sistema eletrônico, solicitar esclarecimentos, providências ou impugnar o ato convocatório do Pregão Eletrônico. 25

26 5.1 A impugnação, assim como os pedidos de esclarecimentos serão formulados em campo próprio do sistema, encontrados na opção EDITAL, sendo respondidos pelo subscritor do Edital que decidirá no prazo de até 1 (um) dia útil, anterior à data fixada para abertura da sessão pública. 5.2 Acolhida a impugnação contra o ato convocatório, será designada nova data para realização da sessão pública. 6. Os casos omissos do presente Pregão serão solucionados pelo Pregoeiro e as questões relativas ao sistema, pelo Departamento de Controle de Contratações Eletrônicas DCC. 7. As empresas interessadas em participar do Pregão, deverão realizar a vistoria prévia para a prestação dos serviços. 7.1 Será obrigatória a vistoria do local onde será executado o serviço licitado, ficando a Contratante isenta de posteriores reclamações por parte dos licitantes. 7.2 A vistoria estará sob a coordenação da Gerência Administrativa (Setor de Infra-estrutura), podendo ser realizada no período de 30/09/2014 a 15/10/2014, mediante prévio agendamento pelos telefones (0_11) ou 4353, no horário das 08h às 17h, vedado o agendamento de data única para todos os interessados, conforme o Anexo IX. 7.3 Na vistoria, somente será permitida a participação de representantes legais, procuradores ou prepostos com poderes específicos ou credenciados pelas empresas interessadas em participar do certame, mediante apresentação dos respectivos documentos. 8. Integram o presente Edital: Anexo I Memorial Descritivo - Projetos Básico e Executivo, Critérios de Medição e Plantas/Desenhos; Anexo II Modelo de Declaração de Regularidade perante o Ministério do Trabalho; Anexo III Portaria PR nº17/2004; Anexo IV Valores mínimos entre os lances ofertados; Anexo V Minuta de Contrato; Anexo VI Modelo de Declaração de Inexistência de Impedimento legal para licitar ou contratar com a Administração Pública. Anexo VII Planilha de Proposta de Preços Anexo VIII Modelo de Declaração de Atendimento às Normas de Saúde e 26

27 Segurança do Trabalho. Anexo IX Recibo de Atestado de Vistoria Anexo X Modelo de Carta Compromisso do Programa Pró-Egresso 9. Para dirimir quaisquer questões decorrentes da licitação, não resolvidas na esfera administrativa, será competente o foro da Fazenda Pública da Comarca da Capital do Estado de São Paulo. São Paulo, 25 de setembro de Wagner Vieira Gerente de Licitações, Patrimônio e Suprimentos 27

28 ANEXO I MEMORIAL DESCRITIVO PROJETOS BÁSICO E EXECUTIVO, CRITÉRIOS DE MEDIÇÃO E PLANTAS/DESENHOS NOTA TÉCNICA: Estão sendo mencionadas marcas de materiais tais como: Remaster, Hter Douglas, fabricação Armstrong, Philips, DECA, Docol, Luxaflex, etc., por se tratar de reformas e adequações de edificação da sede da FAPESP, sendo necessária, portanto, a padronização e a compatibilidade com os materiais já existentes. Obs.1: Esse edital, na íntegra, e todos os arquivos eletrônicos a ele vinculados serão fornecidos às empresas interessadas em participar da licitação em mídia eletrônica disco CD. Os licitantes deverão se dirigir Gerência de Licitações, Patrimônio e Suprimentos, situada à Rua Pio XI, 1.500, 4º andar, Alto da Lapa, São Paulo/SP, no horário das 08h às 17h, e entregar um CD virgem gravável (R ou R/W), ocasião em que será gravado o arquivo digital, sem ônus para os licitantes. Obs.2: 1. Deverá a Adjudicatária apresentar, como requisito obrigatório para assinatura do Contrato: a) Cronograma Físico de execução do Objeto da Licitação, conforme subitem 5.1. do Memorial Descritivo Anexo I do Edital Toda a documentação necessária para a realizar as comprovações do atendimento desta exigência deverá ser apresentada na assinatura do contrato. A falta de comprovação de qualquer dos requisitos exigidos para assinatura do Contrato gerará a invalidação do ato de habilitação e a retomada do certame nos moldes dos subitens 3, 3.1, 3.2, 3.3 e 3.4. do Item X. 28

29 EDIFÍCIO SEDE DA FAPESP RUA PIO XI, 1500 ALTO DA LAPA SÃO PAULO SP TERMO DE REFERÊNCIA MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Reforma, ampliação, reestruturação e adequação de layouts nas Dependências da FAPESP 2014 Setor de Infraestrutura FAPESP Arq. Paula Fonseca- CAU SP Nº A Arq. Bro Torquato- CAU SP Nº A

30 TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETO Contratação de empresa de engenharia para realização de serviço de adequação e reforma nas dependências da FAPESP, compreendendo e execução de escada metálica de emergência, ampliação do segdo pavimento e readequação de algs Setores do segdo e quarto pavimentos e reforma geral de imóvel pertencente a FAPESP. 2. VISTORIA 2.1 A VISTORIA do local dos serviços é obrigatória e deverá ser realizada pela licitante que apresentar interesse (vide Anexo IX Recibo de Atestado de Vistoria) A licitante interessada em participar deste certame deverá vistoriar, com o acompanhamento de um servidor da FAPESP, o local onde serão executados os serviços, podendo ser realizada no período de 30/09/2014 a 15/10/2014, mediante prévio agendamento pelos telefones (0_11) ou 4353, no horário das 08h às 17h, vedado o agendamento de data única para todos os interessados Na vistoria, somente será permitida a participação de representantes legais, procuradores ou prepostos com poderes específicos ou credenciados pelas empresas interessadas em participar do certame, mediante apresentação dos respectivos documentos VERIFICAÇÕES PRELIMINARES Compete ao interessado em executar a obra efetuar completo estudo de plantas e discriminações técnicas fornecidas pela FAPESP que compõe o projeto básico para a execução do serviço, assim como uma visita ao local da obra, pois a contratante não aceitará alegações da contratada referente ao desconhecimento, incompreensão, dúvida ou 30

31 esquecimento de qualquer detalhe especificado, sendo de sua responsabilidade qualquer ônus daí decorrente. 3. GENERALIDADES Todas as medidas e dimensões e detalhamentos de fixações apresentadas neste Memorial Descritivo servem apenas como parâmetros prévios, sendo de inteira responsabilidade de a Contratada proceder todas as medições necessárias para a realização dos serviços e ou das obras objeto deste memorial; Todos os serviços deverão ser executados em conformidade com a norma reguladora NR 18 Condições e Meio Ambiente do Trabalho na Indústria da Construção, publicada pela Federação Jorge Duprat Figueiredo, de Segurança e Medicina do Trabalho Fdacentro do Ministério do Trabalho, e Manual de Aplicação da NR 18 publicado pelo Sindicato da Construção Civil do Estado de São Paulo SINDUSCON. Complementarmente, deverão ser tomadas outras medidas preventivas necessárias para evitar acidentes de trabalho e para garantir a segurança individual e coletiva das pessoas envolvidas nos serviços e ou nas obras, dos ocupantes do prédio e inclusive de vizinhos e de terceiros A empresa deverá apresentar protótipo antes de executar os serviços, quando cabível Todos os detalhes deverão ser devidamente verificados no ato da vistoria preliminar, e posteriormente, na vistoria técnica para elaboração dos projetos A responsabilidade técnica pelo descarte dos entulhos e das peças removidas, que não forem de interesse da FAPESP, será de responsabilidade da Contratada e deverão atender às normas ambientais vigentes e preferencialmente, adotar um caráter sustentável com o envio desses dejetos para reciclagem DESENHOS DE REFERÊNCIA Deverão ser consultados na lista de desenho anexa, ANEXO A. Dos resultados desta verificação, que deverá anteceder à assinatura dos contratos de 31

32 execução, fornecimento e montagens, deverá a empresa CONTRATADA dar imediata ciência, por escrito, ao CONTRATANTE de discrepâncias, interferências, omissões, erros e indefinições que tenham observado, inclusive sobre qualquer transgressão a Normas Técnicas Oficiais, Regulamentos ou Posturas em vigor, de modo que os mesmos possam ser sanados em tempo de não prejudicarem o desenvolvimento dos serviços na Obra, ou a futura condição de uso da edificação. 4. QUALIFICAÇÃO TÉCNICA PARA HABILITAÇÃO 4.1 A empresa licitante interessada em participar do certame deverá atender todos os requisitos de qualificação técnica exigidos no subitem 1.4, do Item IV Da Habilitação do Edital. 4.2 Os Atestados de Capacidade Técnica deverão ser emitidos por empresa de Direito Público ou Privado, em papel timbrado da mesma, com CNPJ, telefones e endereço para confirmação dos dados pela FAPESP. Anexar Cópia da Certidão de Acervo Técnico (CAT) da qual conste Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) do engenheiro/ arquiteto em questão por execução de obra ou serviço de características compatíveis em gênero e quantidade. PARCELAS DE MAIOR RELEVÂNCIA PARA APRESENTAÇÃO DOS ATESTADOS: 1. EXECUÇÃO DE OBRAS EM ESTRUTURA METÁLICA, INCLUSIVE ESCADAS. 2. INSTALAÇÃO DE AR-CONDICIONADO TIPO SELF 3. INSTALAÇÃO DE FORRO MINERAL 4. IMPERMEABILIZAÇÃO DE ÁREA EXTERNA, SUJEITA A TRÁFEGO. 32

33 5. DOS SERVIÇOS 5.1- GENERALIDADES Fornecimento de Cronograma físico no ato da assinatura do Contrato; Fornecimento de As-builts ao término dos serviços. Os projetos deverão ser entregues plotados e também em mídia digital, em AUTOCAD release 2012, ou superior. No Ato do Recebimento da OIS- Ordem de Início de Serviços, a Contratada deverá proceder a abertura do Diário de Obras, sem o qual a ordem de início não será expedida, entretanto o cronograma não será alterado quanto a data da entrega final, ficando a Contratada sujeita às penalidades cabíveis; A obra e serviços deverão ser realizados de acordo com a conveniência, ou necessidade da FAPESP, portanto os serviços poderão ser realizados aos finais de semana, feriados e em horário noturno, SEM QUALQUER ÔNUS À FAPESP; Os As-builts, deverão ser feitos de acordo com o layout definitivo dos ambientes; Emissão de ART (engenharia) e/ou RRT (arquitetura) de todos os projetos: arquitetura, civil (estrutural), mecânico (ar-condicionado) e elétrica, de acordo com as atribuições CONFEA; OS PROFISSIONAIS, ENGENHEIROS (DIVERSAS ATRIBUIÇÕES) E ARQUITETOS DEVERÃO COMPROVAR VÍNCULO COM A CONTRATADA LOCAIS DE INTERVENÇÃO As intervenções ocorrerão nos seguintes locais: IMÓVEL À RUA PIO XI, 1590 Retrofit geral do imóvel, conforme projeto 33

34 SEGUNDO PAVIMENTO- Edifício sede (ACESSO PELA RUA PIO XI, 1500) Ampliação da Recepção Reforma das áreas contíguas à Recepção Reforma dos sanitários Impermeabilização e execução de novo piso no estacionamento de visitantes QUARTO PAVIMENTO- Edifício Sede Execução de Sala de Reião Instalação de novo equipamento de ar-condicionado, tipo self Reforma das áreas contíguas, conforme projeto ESCADA DE EMERGÊNCIA Construção de escada metálica, de emergência, conforme Norma do Corpo de Bombeiros, no Auditório Governador Carvalho Pinto, 4º pavimento, do Edifício Sede da FAPESP. 5.3-EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA Serão obedecidas todas as recomendações com relação à segurança do trabalho contidas na forma reguladora NR-8 do Ministério do Trabalho. 5.4-EXECUÇÃO DA OBRA a. A obra será localmente administrada por um profissional do Contratante devidamente inscrito no CREA/CAU, o qual deverá estar presente em todas as fases importantes de execução dos serviços e não menos de dois dias por semana. 34

35 b. Todo o serviço deverá ser anotado em um Diário de Obras com as anotações de eventos relevantes, desenhos, alvarás, etc. e endereços e telefones de contato do responsável. c. Contará com engenheiros, encarregados, vigias além de pessoal de escritório para a execução das tarefas inerentes a obra. O responsável técnico da obra (ART-RRT) será Engenheiro ou Arquiteto, com formação plena, devidamente inscrita no Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia- CREA, ou Conselho de Arquitetura e Urbanismo- CAU, da Região sob a qual esteja jurisdicionada a obra. O RT será obrigatoriamente o profissional que acompanhará a obra. O Arquiteto ou Engenheiro responsável pela administração da obra deverá ser designado e responsável da obra deverá estar presente durante as visitas técnicas da Fiscalização. d. Caberá a Contratada, selecionar os operários com comprovada capacidade técnica e dimensionar o quadro de acordo com o porte da obra. e. A Fiscalização poderá exigir da Contratada, a substituição de qualquer profissional do canteiro de obras, desde que verificada sua incompetência na execução das tarefas, bem como apresentar hábitos de conduta nocivos à boa administração do canteiro. f. A substituição de qualquer profissional será processada, no máximo, 48 (quarenta e oito) horas após a comicação, por escrito, da Fiscalização. g. O prazo para a entrega da RT é de 07 dias úteis após a expedição da Ordem de Início de Serviços (OIS). 5.5 DESPESAS DIVERSAS DE OBRA Todo o material de escritório de obras será de inteira responsabilidade do Executante, inclusive o fornecimento e o preenchimento, na parte que lhe competir, do Livro de Ordens e Ocorrências (DIÁRIO DE OBRAS). A obra será mantida permanentemente limpa, sendo o entulho transportado para os locais indicados pela Fiscalização, onde será utilizado como aterro, se for o caso. 35

36 Durante o período de execução da obra deverão ser mantidos em perfeitas condições de tráfego os acessos à obra e aos setores do edifício FAPESP, quer para veículos, quer para pedestres. Concluídos os serviços, o canteiro será desativado, devendo ser feita imediatamente a retirada das máquinas, equipamentos, restos de materiais de propriedade do Executante e entulhos em geral. A área deverá ser deixada perfeitamente limpa e em condições de ser utilizada pelo Contratante. A Contratação de Caçambas deverá seguir a legislação micipal e as mesmas deverão ser devidamente registradas na Prefeitura Micipal. A entrega e local de permanência das caçambas deverão ser comicadas à FAPESP para aprovação. Todos os fcionários diretos e indiretos deverão estar iformizados e identificados. A entrada de veículos, pessoas e materiais deverão ser comicadas com antecedência à FAPESP, para liberação. A entrega de materiais será de total responsabilidade da contratada devendo ser fiscalizada por pessoa designada. Os serviços de reforma propostos serão realizados com a FAPESP em fcionamento, faz-se, portanto, necessário o planejamento prévio detalhado, aprovado pela FAPESP, das etapas executivas dos serviços de forma a garantir a perfeita continuidade das atividades atualmente desenvolvidas. O melhor local para execução e instalação do Canteiro de Obras deverá ser objeto de aprovação do setor de Infraestrutura da FAPESP através de projeto para este fim, a ser executado pela Contratada. Toda e qualquer alteração do projeto deverá ser formalizada e aprovada pelo Setor de Infraestrutura da FAPESP. As marcas, modelos e tipos, bem como os processos de fabricação, execução e tecnologia utilizados e indicados são referenciais, em caso de substituição os 36

37 mesmos só poderão ser substituídos por outros de igual ou superior qualidade e especificações técnicas, devidamente comprovadas através de atestados ou ensaios e ainda deverão ser aprovados pelo Setor de Infraestrutura da FAPESP. Cada serviço corresponde a um critério de medição e remeração de acordo com os Critérios de Medição e Remeração- Boletim 161- CPOS. A obra será licitada por preço global e será remerada de acordo com a medição efetuada (preço itário por item, de acordo com BOLETIM 161- CPOS). 5.6 PARA A EMISSÃO DO T.R.D (Termo de Recebimento Definitivo) A Contratada não receberá o Termo de Recebimento Definitivo sem a entrega e recolhimento da RT dos as-builts, com os devidos responsáveis técnicos, de acordo com atribuições CONFEA; Apresentação da comprovação da origem e certificação da madeira concedida pelo Forest Stewardship Cocil (FSC)- FSC BRASIL; Apresentação de selo verde de eficiência energética, o PROCEL, mínimo B, voltado para identificar os equipamentos que apresentam níveis ótimos de eficiência energética, para lâmpadas e aparelhos de ar-condicionado; Apresentar o Documento de Controle de Transporte de Resíduos, em conformidade com as normas da Agência Brasileira de Normas Técnicas - (VER TABELA 1 DESTE ANEXO). 5.7 RETIRADAS E DEMOLIÇÕES As remoções deverão ser executadas nos locais indicados em projeto, conforme necessidades para a implantação dos novos Leiautes Procedimentos de execução A retirada ou demolição deverão ser executadas por meio de ferramental 37

38 apropriado conforme o material a ser retirado ou demolido, tomando-se o devido cuidado para não danificar outros elementos que serão preservados. As áreas envolvidas nos trabalhos de demolição deverão ser devidamente protegidas, bem como tubulações e outros elementos que permanecerão na área de intervenção. A execução dos serviços de retiradas, demolição e retirada do entulho deverá cumprir todas as exigências e determinações previstas na legislação e normas da Associação Brasileira de Normas ABNT. Após a retirada ou demolição dos elementos e / ou materiais que não serão reaproveitados, promover a fragmentação, a seleção e a acomodação manual do entulho em lotes, em local indicado pela Gerenciadora e / ou Contratante, para a posterior remoção. Os materiais que serão reaproveitados deverão ser devidamente protegidos e depositados em local apropriado indicado pela Gerenciadora e / ou Contratante Legislação e normas aplicáveis Resolução nº 307, de 5 de julho de Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil, do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA). Resolução nº 348, de 16 de agosto de 2004 Altera a Resolução CONAMA nº 307, incluindo o amianto na classe de resíduos perigosos, do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA). NBR 5682 / Contratação, execução e supervisão de demolições. NBR 8419 / 1996 Apresentação de projetos de aterros sanitários de resíduos sólidos urbanos. 38

39 NBR / 2004 Resíduos da construção civil e resíduos volumosos Áreas de transbordo e triagem Diretrizes para projeto, implantação e operação. NBR / 2004 Resíduos sólidos da construção civil e resíduos inertes Aterros Diretrizes para projeto, implantação e operação. NBR / 2004 Resíduos sólidos da construção civil Áreas de reciclagem Diretrizes para projeto, implantação e operação. A CONTRATADA deverá atentar-se ao Decreto 49675/2005, aprovado pelo Governador Geraldo Alckmin, e publicado no dia do meio Ambiente do ano de 2005, estabelece o controle ambiental para a utilização de produtos e subprodutos de madeira de origem nativa em obras e serviços de engenharia contratados pelo Estado de São Paulo A CONTRATADA deverá se atentar em relação aos resíduos sólidos: Item TABELA 1- QUANTO AOS RESÍDUOS Fonte: As Caçambas contratadas deverão seguir a legislação micipal e as 1.A 1.B mesmas deverão ser devidamente registradas na Prefeitura Micipal, para fins de fiscalização do fiel cumprimento do Programa Micipal de Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil. Em nenhuma hipótese a Contratada poderá dispor os resíduos originários da contratação aterros de resíduos domiciliares, áreas de bota fora, encostas, corpos d água, lotes vagos e áreas protegidas por Lei, bem como em áreas não licenciadas. PMSP PMSP 39

40 1.C A Contratada comprovará, sob pena de multa, que todos os resíduos removidos estão acompanhados de Controle de Transporte de Resíduos, em conformidade com as normas da Agência Brasileira de Normas Técnicas - ABNT, ABNT NBR n.º , , , e , de Tabela 1 ABNT- Associação Brasileira de Normas Técnicas 5.8 SUB-CONTRATADAS É admitida a sub-empreitada desde que autorizada pela FISCALIZAÇÃO, apenas para a execução de serviços especializados, permanecendo com a CONTRATADA a responsabilidade e a garantia de todos os serviços, conforme prescrito em legislação As empresas subcontratadas deverão apresentar atender os mesmos requisitos da CONTRATADA e apresentarem os Atestados e Comprovações exigidos no Item 4 deste Termo de Referência. 5.9 ARREMATES FINAIS E TESTES DE FUNCIONAMENTO Arremates Finais Serão executados todos os serviços destinados aos arremates finais da obra, para sua entrega em perfeito estado, tais como pinturas e revestimentos. Para cada item construtivo será empregada a técnica adequada, discriminada para os diversos estágios de construção Testes de Fcionamento 40

41 Serão executados testes para verificação de todos os aparelhos e equipamentos, verificando-se o fcionamento normal das instalações de águas pluviais LIMPEZA FINAL DE CADA ETAPA DE OBRA E/OU SERVIÇOS Após a realização de todos os testes nas instalações e o aceite das normas por parte da FISCALIZAÇÃO, a CONTRATADA deverá efetuar a limpeza de cada etapa de obra e serviço e, ao término, PROCEDER A LIMPEZA GERAL, removendo todo resto de material, entulho, poeira, sujeiras impregnadas no piso, paredes, tetos e vidros. A obra deverá ser mantida limpa, sendo feita limpeza diária e bota-fora semanal. Todo o entulho deverá ser removido do terreno, pela CONTRATADA, às suas expensas. A limpeza final deverá ser executada com materiais e equipamentos específicos para o tipo de acabamento a que se destina, não sendo admitido qualquer dano causado nas instalações e acabamentos da obra. Os serviços de limpeza deverão ser acompanhados e coordenados por técnico especializado na área de segurança e limpeza, com conhecimento técnico dos materiais e equipamentos a serem empregados. A CONTRATADA DEVERÁ PROCEDER A LIMPEZA COM FIRMA TERCEIRIZADA, DEVIDAMENTE HABILITADA, OU TER FUNCIONÁRIOS EM SEU QUADRO, CONTRATADOS PARA ESSE FIM. NÃO SERÃO ACEITOS MENORES DE IDADE, TÃO POUCO A SUBCONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA OU JURÍDICA QUE PRESTE SERVIÇOS À FAPESP. A obra será entregue em perfeito estado de limpeza e conservação. Deverão apresentar fcionamento perfeito todas as suas instalações, equipamentos e aparelhos, com as 41

42 instalações definitivamente ligadas às redes (águas, esgoto, águas pluviais, etc.) Serão lavados convenientemente e de acordo com as especificações, os pisos, ferragens e metais, devendo ser removidos quaisquer vestígios de tintas, manchas e argamassa. Todas as dependências das edificações, arruamentos e áreas envolvidas pela obra, serão entregues totalmente limpas e isentas de entulhos; Os entulhos minerais e demais entulhos e detritos deverão ser removidos para local apropriado, devidamente autorizado pela FISCALIZAÇÃO. A. Material Cerâmico A limpeza de todas as superfícies revestidas ou pavimentadas com material cerâmico deverá ser feita com água e sabão, ou com produtos recomendados pelos fabricantes. B. Vidros A limpeza de manchas e respingos de tinta deverá ser feita com removedor adequado. C. Ferragens de esquadrias e caixilhos Todas as ferragens de esquadrias e caixilhos, tais como fechaduras, fechos, cremonas, dobradiças, trilhos, carretilhas e outros materiais, deverão ser completamente limpos e livres de marcas e resíduos de construção, sendo devidamente lubrificadas as suas partes móveis de mecânicas, devendo apresentar os movimentos completamente livres. Os metais cromados ou niquelados serão limpos com removedor adequado e polidos com flanela, para a recuperação do brilho natural. D. Aparelhos Sanitários e de Iluminação 42

43 A limpeza far-se-á lavando-os com água e sabão neutro, não sendo admitido o uso de solução com ácido. E. Revestimento externo em pedra Todas as superfícies revestidas com perda deverão ser limpas com hidrojateamento. Atenção especial deverá ser dada à vegetação existente, que não poderá ser danificada DESMONTAGEM DAS INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS Serão executados todos os trabalhos necessários às desmontagens de instalações provisórias que foram utilizadas na obra, como desmontagem de tapumes, barracões e depósitos. Será providenciada a arrumação do material passível de posterior utilização, procedendo-se ao empilhamento de tábuas, convenientemente despregadas e livres de ferragens, classificação de tubulações remanescentes, assim como da disposição, em local adequado, para remoção de todas as ferramentas e equipamentos auxiliares. Serão devidamente removidos da obra todos os materiais e equipamentos, assim como peças remanescentes e sobras utilizáveis de materiais, ferramentas e acessórios. 6- CRONOGRAMA 6.1- A empresa vencedora deverá executar os serviços de acordo com cronograma a ser aprovado pela FAPESP e de acordo com suas necessidades. O cronograma deverá apresentar todos os profissionais envolvidos no serviço, com várias equipes, inclusive para serviço noturno; 43

44 6.2- Os serviços serão realizados inclusive em horários extraordinários, tais como sábados, domingos, feriados e durante a noite; 6.3- A FAPESP encontra-se em área de restrição de circulação de caminhões- (Zona Máxima Restrição de Circulação ZMRC), que não podem circular das 5h00 às 21h00 de 2ª a 6ª feira e aos sábados, das 10h00 às 14h PRAZOS DE EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS As O.I.S (Ordem de Início de Serviço) serão distribuídas por serviço e os pagamentos serão realizados após 30 dias da emissão da T.R.D (Termo de Recebimento Definitivo) de cada serviço. O prazo para a realização dos serviços será de acordo com a Tabela 02 -Prazos. TABELA 2- PRAZOS DE EXECUÇÃO Prazo para execução Item Obra (Dias corridos, a contar da data da emissão da O.I.S) 01 Imóvel à rua Pio XI, 1590 (Casa Anexa) Sanitários 2º Pavimento 20* 03 Recepção 2º Pavimento, inclusive 20* estacionamento de visitantes 04 4º Pavimento e 5º Pavimento 20* 05 Escada de emergência Auditório 30 (4ªºPavimento) *Obs.: Itens 02 a 04 P REVER A EXECUÇÃO DURANTE FÉRIAS COLETIVAS FAPESP. Tabela 02- Prazos 44

45 7-GARANTIA Os serviços deverão ter garantia de 05 anos a contar da emissão do Termo de Recebimento Definitivo da Obra (TRD) Garantia dos equipamentos Os equipamentos, independentemente da Garantia do Fabricante, terão garantia pelo prazo de 36 meses, sendo a empresa contratada responsável pelos mesmos dentro do prazo vigente, a iniciar a partir do recebimento definitivo (TRD) A MANUTENÇÃO INTEGRAL DOS MESMOS FICARÁ A CARGO DA EMPRESA CONTRATADA, SOB SUPERVISÃO DE UM Eng.º MECÂNICO. A CONTRATADA DEVERÁ EXECUTAR MANUTENÇÃO CORRETIVA E PREVENTIVA DO SISTEMA (MENSAL) SENDO QUE DO 1º AO 12º MÊS EM GARANTIA E DO 13º AO 36º MÊS, A EMPRESA SERÁ REMUNERADA MENSALMENTE PELO SERVIÇO PRESTADO, ATRAVÉS DE UM CONTRATO DE MANUTENÇÃO A empresa deve prestar assistência técnica integral PREVENTIVA OU CORRETIVA, nos prazos de vigência dos serviços e/ou equipamentos no prazo de até 24 horas. O não atendimento ao prazo estipulado concede à FAPESP o direito de realizar os reparos e/ou substituições necessárias, sendo a Contratada responsável por todos os custos. 8. MEMORIAL DESCRITIVO DE ARQUITETURA 8.1- ITEM 1- IMÓVEL LOCALIZADO À RUA PIO XI,

46 Imagem 01- Fachada do imóvel objeto de intervenção I FINALIDADE O presente memorial- Parte 1- tem por finalidade indicar os serviços a serem executados estabelecendo Normas, Especificação de Serviços e Materiais nos aspectos pertinentes às particularidades da obra de imóveis pertencentes à FAPESP, localizada na Rua Pio XI, 1590 Alto da Lapa/ São Paulo. A área total da reforma é de 85,70. 46

47 Trata-se da reforma do pavimento térreo da casa para adaptação do uso para escritório administrativo. No pavimento inferior será executado fechamento na sala de treinamento em sistema tipo drywall com porta de acesso à copa. A área a ser reformada é constituída dos seguintes ambientes: Pavimento inferior: Passagem da Sala de Treinamento para a Copa; Térreo: Todos os ambientes. II - OBJETO DA OBRA As obras a executar são as seguintes: Execução da obra de reforma da Casa Anexa, pertencente à FAPESP, com a adaptação do pavimento térreo para fcionamento como escritório administrativo. Execução de todos os serviços complementares necessários à implantação da obra: instalações de ventilação e ar condicionado, instalações hidráulicas, instalações elétricas em baixa tensão, tubulações para lógica e telefonia. A LICITANTE deverá obrigatoriamente visitar o local antes da elaboração de sua proposta para execução dos serviços, não se aceitando alegações futuras de desconhecimento das condições existentes. Será de responsabilidade da CONTRATADA a adoção de medidas visando a integridade das pessoas assim como de bens patrimoniais da FAPESP. III ESPECIFICAÇÕES DE SERVIÇOS 47

48 1. LOCALIZAÇÃO DA OBRA A obra será realizada na casa anexa da FAPESP, situada à Rua Pio XI, 1590 Alto da Lapa/ São Paulo, conforme mapa de localização abaixo: Ver Imagem 03 (ampliação) Imagem 02- VISTA ÁREA DA REGIÃO Imagem 03- VISTA ÁREA DA REGIÃO 48

49 2. DEMOLIÇÕES A CONTRATADA deverá programar com a FISCALIZAÇÃO da CONTRATANTE o cronograma das demolições, reaproveitáveis ou não, e a remoção de entulho e demais elementos a serem retirados das áreas existentes a serem reformadas. Deverá ser dada especial atenção à desmontagem e retirada dos elementos das instalações hidráulicas, elétricas e mecânicas, para evitar a paralisação de qualquer outra atividade do edifício. Sempre que houver necessidade de interrupção no fornecimento de algum dos sistemas de utilidades em operação, esta só será efetivada após consulta e expressa autorização por escrito pela FISCALIZAÇÃO e nos horários por ela determinados. 2.1 Escopo de demolições: Demolição parcial de alvenaria existente conforme indicado no projeto de arquitetura; Demolição de piso cerâmico externo da entrada da casa; Demolição de revestimento cerâmico dos dois sanitários e da área de serviço; Remoção de louças e metais existentes nos sanitários; Remoção de bancada de granito e pertences da copa; Demolição de base da bancada da copa; Remoção de esquadrias metálicas e de madeira conforme indicado no projeto de arquitetura; Demolição de forro e cobertura da área de serviço conforme indicado no projeto de arquitetura; Demolição de rodapé cerâmico existente conforme indicado no projeto de arquitetura; Remoção de cordão meia-cana do rodapé de madeira existente conforme 49

50 indicado no projeto de arquitetura; 3. ALVENARIAS 3.1 Blocos de Concreto Serão utilizados nos fechamentos de vãos indicados no projeto de arquitetura. Os blocos de concreto terão dimensões de 11,5x19x39cm, apresentando faces sem empenamentos, com moldagem perfeita e arestas definidas. Serão assentados com argamassa mista de cal e areia no traço 1:4, com adição de 100 kg de cimento por m³. As fiadas serão perfeitamente niveladas e aprumadas. As jtas terão espessura máxima de 12 mm, rebaixadas à ponta de colher, ficando regularmente colocadas em linhas horizontais contínuas e verticais descontínuas (amarração alternada). A espessura final das paredes com acabamento será de acordo com as cotas do projeto. 4 PAREDES E PAINÉIS 4.1 DIVISÓRIAS EM LAMINADO ESTRUTURAL Os painéis e portas serão em laminado melamínico estrutural TS, com acabamento texturizado dupla face, cor Platina TX. Montantes em alumínio anodizado na cor natural. Dobradiças automáticas tipo selfclosing em liga especial de alumínio (03 idades por porta), com duplo apoio para o pino eixo, articulado sobre buchas de nylon, com controle do ângulo de permanência de 30 (abertura parcial), 0 (fechada), ou qualquer outro ângulo múltiplo de 30. Fechadura Universal tipo tarjeta livre/ocupado com o corpo em nylon reforçado com fibra 50

51 de vidro. Cabideiro padrão, reforçado,um por box. Fornecedores de referência: Neocom mod. Alcoplac ou similar, desde que atenda as mesmas características técnicas e seja devidamente aprovado pela FISCALIZAÇÂO. 4.2 DIVISÓRIAS PISO-TETO As divisórias piso-teto deverão obedecer aos detalhes respectivos quanto à dimensão e fcionamento. Deverão ser executadas com estrutura em alumínio com pintura eletrostática na cor branco e painéis paginados em BP melamínico 18 mm cor branco, saque frontal individual, com isolamento acústico por lã de rocha 32kg/m³ aplicada em seu interior. Módulos com vidro deverão possuir sistema de fixação com vedação e apresentar vidro duplo, cristal, incolor, 6mm. A porta de correr deverá ter 38mm de espessura, ser embutida no módulo adjacente quando aberta, e apresentar dimensões e ferragens que possibilitem seu perfeito fcionamento. Este conjto deverá ser acompanhado por trilhos e roldanas específicos, fechadura do tipo bico de papagaio e puxador duplo em aço inox escovado. DV01 Sala 01 / Circulação Dim.: 150x265x9cm Divisória piso-teto na cor branco com painéis paginados e meio quadro de vidro cristal 6mm duplo. DV02 Sala 04 / Sala 05 / Circulação Dim.: ( ) x 250 x 9cm Divisória piso-teto na cor branco com porta embutida de correr, painéis paginados e um módulo com meio quadro de vidro cristal 6mm duplo e altura de 200 cm. 51

52 Fornecedores de referência: TC6 Divisórias Linha Evolution, Div Design, Voko ou similar, desde que atenda as mesmas características técnicas e seja devidamente aprovado pela FISCALIZAÇÂO. 4.3 Divisórias em gesso acartonado As divisórias para fechamento da área de treinamento serão executadas em painéis de gesso acartonado tipo standard na espessura total de 10cm, sistema Drywall, com isolamento acústico de lã de rocha com densidade de 48kgf/m³. As divisórias serão formadas por painéis simples de gesso natural com aditivos revestidos por cartão duplex de 12,5 mm de espessura, duplos, com largura de 1,20 m e altura até o forro a modo de preservar o mesmo para futuras modificações de layout. A estrutura interna das divisórias deverá ser dimensionada pelo fabricante de modo a vencer as alturas do projeto e demais esforços incidentes na divisória, bem como para estruturar as aberturas de vãos necessárias para a instalação dos caixilhos indicados no projeto. As placas serão estruturadas internamente com guias U fixadas no piso e estrutura e montantes duplos verticais de aço galvanizado a cada 60 cm encaixados e parafusados nas guias. As placas são fixadas por meio de parafusos a cada 30 cm nos montantes verticais. As jtas entre placas e paredes são invisíveis e feitas de papel Kraft e gesso resultando numa superfície lisa e iforme. No encontro entre divisórias e estrutura de concreto deverá ser prevista jta que absorva possíveis movimentos estruturais sem que os 52

53 mesmos afetem as divisórias. As divisórias serão internamente preenchidas em sua totalidade por painéis de lã de rocha. 5 ESQUADRIAS DE MADEIRA 5.1 Portas As esquadrias serão executadas de acordo com o projeto de arquitetura, em madeira de primeira qualidade e não poderão apresentar sinais de empenamento, deslocamento, rachaduras, lascas, desigualdades da madeira ou outros defeitos. As portas serão em compensado de cedro com miolo constituído de sarrafos de cedro aromático ou madeira similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas, aglutinados com cola a prova d água, conhecido como compensado naval. O requadro da porta será constituído por peças de cedro aromático ou madeira similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas com largura suficiente para eventuais cortes ou ajustes sem prejuízo da sua estrutura. O conjto assim descrito deverá receber capeamento com duas lâminas de cedro aromático, uma em cada face, que receberão acabamento conforme descrito abaixo. Batentes e guarnições serão em madeira, fixados às alvenarias através de parafusos de latão e buchas plásticas ou grapas fixadas por encaixe nos montantes respectivamente. Receberão pintura com tinta esmalte sintético. PM01 Dim.: 92x210cm Porta com 01 folha de abrir de 92x210cm com espessura total de 35mm. Com batente e 53

54 guarnição, o conjto receberá acabamento em pintura esmalte sintético cor branco. PM02 Dim.: 82x210cm Porta com 01 folha de abrir de 82x210cm com espessura total de 35mm. A folha terá acabamento em madeira conforme padrão existente para verniz. Batente e guarnição receberão acabamento em pintura esmalte sintético cor branco 5.2 Ferragens As ferragens para esquadrias observarão rigorosamente, no tipo de acabamento, as seguintes especificações: As ferragens serão inteiramente novas, em perfeitas condições de fcionamento e acabamento. O assentamento de ferragens será procedido com particular cuidado pelo Construtor. Os rebaixos ou encaixes para dobradiças, fechaduras de embutir, etc., terão a forma das ferragens, não sendo toleradas folgas que exijam emendas, taliscas de madeira, ou qualquer outro recurso. Para o assentamento, serão empregados parafusos de qualidade, acabamento e dimensões correspondentes aos das peças que fixarem. A localização das ferragens nas esquadrias será medida com precisão, de modo a serem evitadas discrepâncias de posição ou diferenças de nível perceptíveis à vista; As maçanetas das portas, salvo condições especiais, serão localizadas a 105 cm do piso acabado. 54

55 Nas fechaduras compostas apenas de entradas de chaves, estas ficarão, também, a 105 cm do piso. As ferragens, principalmente as dobradiças, deverão ser suficientemente robustas, de forma a suportarem com folga o regime de trabalho a que venham a ser submetidas. Todas as fechaduras serão de cilindro do tipo monobloco formato redondo. As fechaduras fcionarão, somente durante a obra, com chave mestra. Após a obra, conforme instruções do fornecedor, a CONTRATADA removerá o dispositivo de mestragem sem que haja troca do cilindro, permitindo o acionamento das fechaduras por meio de suas chaves normais. A chave mestra deverá, em conjto com as demais chaves, ser entregue após o recebimento das obras à FISCALIZAÇÃO. As ferragens serão de latão acabamento cromado, conforme descrição abaixo e indicações em projeto de arquitetura: 55

56 Imagem 04- Conjto de fechadura - Fechadura de cilindro em latão - Ref. ST 55/ ST2. La Fonte, Metalúrgica Yale, Papaiz ou similar, desde que atenda as mesmas características técnicas e seja devidamente aprovado pela FISCALIZAÇÂO. - Maçanetas - Ref. CR 515 La Fonte, Metalúrgica Yale, Papaiz ou similar, desde que atenda as mesmas características técnicas e seja devidamente aprovado pela FISCALIZAÇÂO. - Rosetas, Entradas, Tranquetas - Ref. 307 La Fonte, Metalúrgica Yale, Papaiz ou similar, desde que atenda as mesmas características técnicas e seja devidamente aprovado pela FISCALIZAÇÂO. - Dobradiças extra forte com anéis - Ref. 485 (4 x 3) La Fonte, Metalúrgica Yale, Papaiz ou similar, desde que atenda as mesmas características técnicas e seja devidamente aprovado pela FISCALIZAÇÂO. 6 ESQUADRIAS METÁLICAS 6.1 Alumínio As esquadrias de alumínio serão executadas de acordo com o projeto de arquitetura em alumínio com acabamento em pintura eletrostática branca, séries 30, 42 ou superior, de acordo com os vãos e conforme os desenhos do projeto. Deverão ser utilizados, na fabricação das esquadrias, perfis de liga de alumínio extrudado, ABNT Serão utilizados perfis da ALCAN. Os perfis deverão ser dimensionados para resistir às cargas originadas do seu peso próprio, peso dos vidros e, 56

57 principalmente, suportar carga de ventos. As esquadrias deverão ser fornecidas montadas e completas, incluindo fechos, baguetes, placas de arremate, contramarcos, vedações, etc. Deverão apresentar-se estanques à chuva, com elementos de redução de ruído. Quando da sua fixação, deverá ser realizada a calafetação da jta entre a alvenaria e o alumínio, com massa vedante, elástica ou plástica permanente, visando à vedação de umidade exterior. Os vidros serão assentados em gaxetas de neprene ou silicone. Deverá ser rigorosamente evitado o contato direto entre peças metálicas e peças de alumínio. O isolamento será conseguido através da pintura de cromato de zinco, borracha clorada, elastômero, betume ou metalizante a zinco. Qualquer outro processo de isolamento somente poderá ser utilizado após aprovação expressa da FISCALIZAÇÃO. Os quadros deverão ser montados evitando o uso de parafusos ou rebites. Quando isso não for possível, os parafusos ou rebites deverão apresentar ajustamento perfeito, sem folgas, diferenças de nível ou rebarbas nas linhas de jção. Os detalhes das ligações por meio de parafusos deverão ser projetados, para que os mesmos fiquem invisíveis, e deverão constar dos projetos a serem submetidos à aprovação da FISCALIZAÇÃO. Os quadros serão idos por meio de parafusos auto-atarrachantes ou cantilhões de perfis de alumínio. As esquadrias serão fixadas por meio de parafusos aos chumbadores previamente 57

58 instalados na estrutura e/ou paredes, tomadas as devidas precauções para isolamento do contato direto do alumínio com metais ferrosos. Após a instalação das esquadrias, a superfície do alumínio será protegida pela aplicação de tinta-filme, a ser removida apenas ao final da obra. 6.2 Janelas Conforme detalhes em projeto, serão executados: CA01 Dim.: 155 x105cm Caixilho de correr com 04 folhas, sendo duas fixas, em alumínio com acabamento em pintura eletrostática na cor branco. Vidro temperado incolor, espessura de 6mm. V01 Dim.: 120 x110cm Requadro fixo em alumínio com acabamento em pintura eletrostática na cor branco. Vidro temperado incolor, espessura de 6mm RECOMENDAÇÕES A SEREM SEGUIDAS PELA CONTRATADA: - Proteção do Alumínio As peças de alumínio deverão ser protegidas com papel crepe para o transporte, manuseio e estocagem. O papel somente deverá ser retirado na hora da montagem. Deverão ser tomados os cuidados para não ferir as superfícies, especialmente durante as operações de transporte e desmontagem das esquadrias. Recomenda-se, quando possível, que os caixilhos sejam montados somente após a conclusão dos serviços de massa. - Montagem dos Vidros 58

59 A colocação dos vidros deverá ser feita de maneira a se evitar danos aos caixilhos. 7 VIDROS 7.1 Condições gerais Os vidros serão de qualidade adequada aos fins a que se destinam claros, sem manchas, bolhas e de espessura iforme e sem empenamentos. Deverão obedecer aos requisitos da EB-92. O transporte e o armazenamento dos vidros serão executados de modo a protegêlos contra acidentes, utilizando embalagens apropriadas e evitando a estocagem em pilhas. Deverão permanecer com suas etiquetas de fábrica, até serem instalados e inspecionados. Fora as gaxetas, os demais componentes de vidraçaria e materiais de vedação, deverão chegar à obra em recipientes herméticos, lacrados e com a etiqueta do fabricante. Os vidros serão fornecidos em dimensões previamente determinadas, obtidas através de medidas das esquadrias tiradas na obra e procurando sempre que possível evitar cortes no local da construção. As placas de vidro serão cuidadosamente cortadas, com contornos nítidos, não 59

60 podendo apresentar defeitos como extremidades lascadas, pontas salientes e cantos quebrados, nem folga excessiva com relação ao requadro de encaixe. As bordas dos cortes deverão ser esmerilhadas de forma a se tornarem lisas e sem irregularidades. Referência: Vidros coms, incolor da Santa Marina, Blindex ou similar, desde que atenda as mesmas características técnicas e seja devidamente aprovado pela FISCALIZAÇÂO. 7.2 Tipos de Vidros Serão utilizados os seguintes tipos de vidros conforme descrição abaixo: - Vidro temperado liso incolor com 6mm de espessura; - Espelho em vidro cristal liso com 4mm de espessura; 8 COBERTURA Será executada nova cobertura na área de serviço da casa anexa. 8.1 Estrutura A estrutura da cobertura será metálica conforme os desenhos do projeto apresentado 8.2 Telhamento As telhas serão metálicas termo acústicas, constituídas por duas telhas com perfil trapezoidal L40 com núcleo de poliuretano injetado As telhas em chapa de aço zincado, grau "B", (260 g / ), perfil trapezoidal, acabamento com tinta poliéster em ambas as faces, ambas com 0,50 mm de espessura, intermeadas com poliuretano injetado, com densidade mínima de 30 kg / m>, com 30 mm de espessura. 60

61 Cor a ser definida pela FAPESP 8.3 Subcobertura isolante e impermeabilizante O sistema de subcobertura isolante e impermeabilizante deverá ser constituído pela aplicação de lâmina refletiva sob o telhamento e sobre a estrutura da cobertura. Lâmina composta por "foil" de alumínio em ambas as faces, idas à alma de papel kraft de alta densidade com adesivos especiais e uma malha protetora que atua como reforço, por meio de extrusão com as características: a) Barreira radiante e impermeável; b) Espessura 139,50 micras, com variação de 5%; c) Refletividade de 95%, com variação de 10%; d) Emissividade de 5%, com variação de 10%; e) Dimensões: bobinas com largura de 1,30 m. 8.4 Rufos e calhas em chapa galvanizada As chapas de aço galvanizado deverão ser com espessura mínima de chapa nº 24, nos cortes e dimensões conforme projeto executivo de Estrutura. Acabamento dos rufos e calhas com pintura em tinta esmalte sintético acetinado na mesma cor das telhas. 61

62 Imagem 05- TELHA DE ALUMÍNIO SANDUICHADA A cobertura deverá oferecer total estanqueidade. Todos os encontros de telhas com paredes, estrutura de concreto, etc., deverão apresentar-se perfeitamente vedados ainda que não expressamente detalhados nos desenhos do projeto. Os rufos, contra rufos, e capeamentos serão em chapa galvanizada nº 24 dobrada, pintada na cor determinada pela FAPESP. Serão chumbados nas paredes ou parafusados ao concreto e vedados com mastique. Os rufos laterais, contra rufos, e capeamentos serão lisos, e os rufos de topo e cumeeiras serão dentados no mesmo perfil da telha. Fornecedores de referência: Perfillor, Panisol, MBP ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas 8.5 Acessórios Os rufos laterais deverão ser adequados ao modelo de telha adotado e fixados conforme indicação em projeto, e com acabamento em pintura na cor branco. O rufo de topo deverá ser em chapa de aço galvanizada nº24, desenvolvimento 33cm, chumbado na alvenaria e com acabamento em pintura na cor branco. 62

63 9- IMPERMEABILIZAÇÃO Antes da aplicação deverá ser feita a limpeza da superfície por meio de escova de aço e água, ou jato d'água de alta pressão para a remoção de óleos, graxas, desmoldantes, ou partículas soltas, e secagem completa da mesma. A aplicação deverá ser feita em demãos cruzadas, com o auxílio de uma trincha, rolo ou vassoura de pelos macia sobre a superfície previamente umedecida. 8.6 Piso externo A área de entrada que tiver seu piso cerâmico existente demolido, indicada em projeto, receberá impermeabilização com argamassa polimérica bicomponente semi-flexível, à base de cimento, agregados minerais inertes, polímeros acrílicos e aditivos. 8.7 Laje A laje da entrada principal, indicada em projeto, receberá impermeabilização com argamassa polimérica bicomponente semi-flexível, à base de cimento, agregados minerais inertes, polímeros acrílicos e aditivos. 63

64 Imagem 06- Gradil e muro de pedras do imóvel 10- FORROS A infraestrutura de sustentação do forro suspensos deverá ser providenciada diretamente pela construtora, dentro dos procedimentos convencionais e normas de segurança, garantindo-lhe permanente estabilidade, sob sua inteira responsabilidade Forro de gesso acartonado Os forros indicados como gesso serão executados em placas fixas e bordas rebaixadas, do tipo acartonado em ambas as faces, na espessura de 12,5 mm, jtas invisíveis, preparado para pintura. A fixação dos painéis deverá ser feita através de estrutura metálica galvanizada de forma a garantir a estabilidade do conjto e o arremate com as alvenarias será feito através de 64

65 tabicas metálicas, seguindo detalhe de projeto. Durante a execução do forro deverão ser verificados todos os detalhes previstos no projeto, atentando-se principalmente para os seguintes controles: -verificação prévia do fcionamento de instalações que resultarão embutidas no plenum; -prévia proteção de componentes metálicos (janelas, etc.) que poderão ser atingidos por pasta de gesso de rejtamento; -prévia conclusão dos trabalhos que possam ter interferência no forro (revestimento de paredes, instalação de caixilhos, etc.); -verificação da cota, do nível e do posicionamento de referências para a instalação dos perfis e/ou das placas; -correta localização de luminárias -dimensões mínimas de seção transversal dos tirantes; -limitação das flechas dos perfis de sustentação; -tipo de aço e tipo de proteção anticorrosiva dos perfis de sustentação; -características das pinturas dos perfis; -características dos demais acessórios (presilhas, cantoneiras, dispositivos de ião, etc.). Fornecedores de referência: Knauf, Placo Saint-Gobain, Gypsum ou similar, desde que atenda as mesmas características técnicas e seja devidamente aprovado pela FISCALIZAÇÂO. 65

66 Imagem 07- FORRO DE GESSO ACARTONADO a. Forro acústico em fibra mineral Será executado forro em placas de fibra mineral com pintura a base de látex aplicada em fábrica e aplicação de bioblock plus na frente e verso das placas, NRC min. 0,55, espessura 15mm com borda tegular. Modulação 62,5 x 62,5cm, conforme detalhes em projeto. O forro deverá ser instalado com sistema de perfis e tirantes metálicos em aço fornecidos pelo mesmo fabricante. Os perfis serão em aço galvanizado tipo T de 15/16 em banho quente e costura dupla de fábrica, com capa de poliéster branca e 24mm de base. Fornecedores de referência: Armstrong Mod. Georgian, PROPUS, Hter Douglas ou similar, desde que atenda as mesmas características técnicas e seja devidamente aprovado pela FISCALIZAÇÂO. 66

67 Imagem 08- FORRO MINERAL 11- REVESTIMENTO DE PAREDES Antes de ser iniciado qualquer serviço de revestimento de paredes, deverão ser testadas todas as canalizações nelas contidas, conforme recomendações dos Projetos de Instalações Elétricas e Hidráulicas. a. Chapisco com Argamassa de Cimento e Areia Todas as alvenarias bem como as superfícies de concreto previstas para posterior revestimento de qualquer tipo (massa única, massa fina, azulejos, etc.) receberão chapisco comum com argamassa de cimento e areia, traço: 1:3. b. Emboço único Todas as alvenarias internas previstas para receberem pintura serão emboçadas com camada única de argamassa mista de cimento, cal em pasta e areia no traço 1:2:8. Todas as alvenarias previstas para receberem revestimentos cerâmicos serão emboçadas com argamassa mista de cimento e areia no traço 1:4, sendo vedado a utilização de cal. Somente após a pega completa da argamassa de assentamento das alvenarias e do chapisco prévio e embutidas e testadas todas as tubulações, deverão ser aplicadas a camada única de revestimento com emboço. O emboço deverá ser fortemente comprimido contra as superfícies e sarrafeado, tendo 67

68 como gabaritos faixas mestras verticais, executadas, previamente, com o mesmo tipo de argamassa. Para superfícies que receberão pintura, o paramento final deverá apresentar superfície lisa, e para as superfícies que receberão revestimento cerâmico, o paramento final deverá apresentar superfície áspera ou riscada para melhorar a aderência do revestimento final. O aspecto final deve apresentar-se iforme, sem falhas, fissuras de retração ou descontinuidades, resultando em superfície absolutamente plana. c. Revestimento cerâmico- sanitários e área de serviço Será utilizado porcelanato acabamento natural, retificado, dim.: 500x500mm, aplicado com jtas a prumo, e rodapé no mesmo material e acabamento, dim.:100x500mm. O rejtamento será feito com argamassa adesiva impermeável pré-fabricada, tipo cimento colante. As jtas deverão ser iformes, com aproximadamente 2 mm de espessura, o que poderá ser obtido com o uso de linha de nylon. O posicionamento dos elementos das instalações elétricas e hidráulicas deverá ser feito com a devida antecedência para que não haja interferência ou descontinuidade nos trabalhos. As peças a serem utilizadas em arremates deverão ser cortadas com ferramentas adequadas, não devendo apresentar rachaduras ou emendas. As bordas de corte serão tratadas de forma a se apresentarem lisas e sem irregularidades. 68

69 Imagem 09- Piso e rodapé em Porcelanato Fornecedores de referência: Eliane Minimum Cimento NA, Portobello, Cecrisa ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas. 12- PISOS Piso de madeira existente O piso de taco de madeira existente deverá ser fixado onde necessário, lixado e calafetado para posterior aplicação de resina à base de água tipo Bona. A aplicação deverá ser feita em três demãos com intervalo de 8 horas e lixamento após cada demão. Deverá ser adotado produto para tráfego médio ou alto e com acabamento fosco. 69

70 Imagem 10- Piso em tacos Placas vinílicas de 30x30cm Nos locais indicados em projeto serão utilizadas placas vinílicas semi-flexíveis compostas por resinas de PVC, plastificantes, cargas minerais e pigmentos, isentas de amianto em sua formulação. As placas tem dimensões de 30x30cm e 3,2mm de espessura. Para a colocação das placas deverão ser seguidas rigorosamente as especificações do fabricante. A base deverá estar perfeitamente limpa. Após a limpeza, aplicar massa de preparação de cimento CP32, cola PVA e água com desempenadeira de aço lisa em 2 demãos até formar camada não superior a 3mm. As placas serão assentadas com adesivo recomendado pelo fabricante. Após a aplicação final do piso deverá ser aplicada cera protetora específica para o produto em tantas camadas quanto recomendadas pelo fabricante. Fornecedores de referência: Tarkett Fademac - Paviflex Thru cor 966-Prata ou similar, desde que atenda as mesmas características técnicas e seja devidamente aprovado pela FISCALIZAÇÂO. 70

71 12.3. Piso cerâmico A área de entrada que tiver seu piso cerâmico existente demolido, indicada em projeto, receberá piso em placa cerâmica extrudada, não esmaltada, monoqueima, com garras cônicas (prismáticas) de fixação, antiderrapante, com pingadeira no mesmo material e acabamento. Para assentamento, usar argamassa colante aditivada adequada para ambientes externos. O rejtamento deverá ser feito com rejte cimentício adequado para ambientes externos na mesma cor do piso cerâmico. Fornecedores de referência: Gail Linha Arquitetura Natural, modelos 1009/1300 e 3409/1300 ou similar, desde que atenda as mesmas características técnicas e seja devidamente aprovado pela FISCALIZAÇÂO. Imagem 11- Piso de cerâmica extrudada Rodapé de poliestireno Nos locais indicados em projeto, será utilizado rodapé em poliestireno com 7cm de altura, com pintura em tinta esmalte na cor branco. A instalação será executada com bucha T, conforme as recomendações do fabricante. Os cantos serão executados com cortes a 45º. Deverá ser aplicada massa corrida nas jtas para acabamento. 71

72 Para emenda das barras cada extremidade deverá ser cortada em ângulo de 45º, de forma que ao ir as barras um corte cubra completamente o outro. A fixação deverá ser feita próxima às emendas. Fornecedores de referência: Santa Luzia Molduras Modelo. 451 ou similar, desde que atenda as mesmas características técnicas e seja devidamente aprovado pela FISCALIZAÇÂO. Imagem 12- Rodapé em MDF Rodapé de madeira Os locais indicados em projeto receberão rodapé de madeira, seguindo padrão existente. O mesmo não deverá apresentar imperfeições, sinais de empenamento, deslocamento, rachaduras, lascas, desigualdades da madeira ou outros defeitos e receberá acabamento com verniz. 72

73 Imagem 13- Rodapé em madeira do Piso Tipo Parquet Rodapé cerâmico A área de entrada que tiver seu piso cerâmico existente demolido, indicada em projeto, receberá rodapé em cerâmica extrudada não esmaltada. Para assentamento, usar argamassa colante aditivada adequada para ambientes externos. O rejtamento deverá ser feito com rejte cimentício adequado para ambientes externos na mesma cor do piso cerâmico. Fornecedores de referência: Gail Linha Arquitetura Natural, modelo 4009/1300 ou similar, desde que atenda as mesmas características técnicas e seja devidamente aprovado pela FISCALIZAÇÂO. 73

74 Imagem 14- Rodapé em cerâmica Extrudada 13. -LOUÇAS E METAIS Louças Sanitárias e Acessórios Os aparelhos serão de qualidade superior sem manchas ou defeitos e colocados conforme indicado no projeto de arquitetura. No rejtamento dos aparelhos, será empregada pasta de cimento branco. As louças deverão ser brancas e do tipo e fabricantes abaixo listados ou similar, desde que atenda as mesmas características técnicas e seja devidamente aprovado pela FISCALIZAÇÂO; As louças deverão ser brancas e do tipo e fabricantes abaixo listados ou similar, desde que atenda as mesmas características técnicas e seja devidamente aprovado pela FISCALIZAÇÂO; a) Bacia sanitária com caixa acoplada, com assento plástico Ref.: Deca Vogue Plus P505 / Assento Vogue Plus AP 50, Celite, Incepa ou similar, desde que atenda as mesmas características técnicas e seja devidamente aprovado pela 74

75 FISCALIZAÇÂO. Imagem 15- bacia sanitária b) Lavatório com cola suspensa Ref.: Deca Vogue Plus L510+C510, Celite, Incepa ou similar, desde que atenda as mesmas características técnicas e seja devidamente aprovado pela FISCALIZAÇÂO. Imagem 16- Lavatório com cola c) Cuba de apoio oval de parede cor branco Ref.: Deca L69, Incepa, Celite ou similar, desde que atenda as mesmas características técnicas e seja devidamente aprovado pela FISCALIZAÇÂO. 75

76 Imagem 17-Cuba de apoio Metais Todos os metais serão inteiramente novos, em perfeitas condições de fcionamento e acabamento. Quando da colocação dos metais nos aparelhos, não se permitirão furos ou adaptações nas peças observando-se locais próprios de colocação. a) Torneira de parede para lavatório curta Ref.: Deca Decamatic 1171C, Docol, Fabrimar ou similar, desde que atenda as mesmas características técnicas e seja devidamente aprovado pela FISCALIZAÇÂO. Imagem 18-Torneira de parede para lavatório curta b) Torneira de mesa para lavatório 76

77 Ref.: Deca Decamatic 1175C, Docol, Fabrimar ou similar, desde que atenda as mesmas características técnicas e seja devidamente aprovado pela FISCALIZAÇÂO. Imagem 19- Torneira de mesa para lavatório c) Sifão cromado para lavatórios de sanitários Ref.: Deca 1680, Docol, Fabrimar ou similar, desde que atenda as mesmas características técnicas e seja devidamente aprovado pela FISCALIZAÇÂO. Imagem 20- Sifão 14. INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Luminárias 77

78 - Luminária quadrada de embutir em forro modular para 4 lâmpadas fluorescentes T5 de 14W. Corpo em chapa de alumínio. Refletor e aletas parabólicas em alumínio miro. Dimensões: 617x617x41mm / Nicho 600x600mm Ref.: Lumicenter FAA04-E414, Mega Light, Itaim Iluminação ou similar, desde que atenda as mesmas características técnicas e seja devidamente aprovado pela FISCALIZAÇÂO. Imagem 21- Luminária de embutir- 4 Lâmpadas - Luminária quadrada de embutir em forro de gesso para 2 lâmpadas fluorescentes compactas de 18W. Corpo em chapa de aço tratada com acabamento em pintura eletrostática epóxi-pó na cor branco. Refletor em alumínio anodizado e difusor em acrílico translúcido. Dimensões: 260x260x85mm / Nicho: 235x235mm Ref.: Mega Light PE200/ACR, Lumicenter, Itaim Iluminação ou similar, desde que atenda as mesmas características técnicas e seja devidamente aprovado pela FISCALIZAÇÂO. 78

79 Imagem 22- Luminária de embutir- difusor em acrílico - Arandela blindada com 1 lâmpada incandescente de 100w h=225cm. Imagem 23- Arandela blindada (tartaruga) Canaletas em alumínio Canaleta aparente na cor branco liso, confeccionadas em perfis de alumínio com 02 vias, contendo separadores internos, presilhas (retentores) para fixar a fiação, tampa removível do mesmo material e curvas/derivações. Acompanham todos os demais acessórios para fixação, emendas e finalizadores, caixas 79

80 de instalação de pontos completa (espelho, tomadas, plugs e módulos internos). Devem atender às normas e padrões elétricos em vigor bem como as normas e padrões adotados pela FAPESP. Ref.: Dutotec Linha Standard, Valemam, Multiway ou similar, desde que atenda as mesmas características técnicas e seja devidamente aprovado pela FISCALIZAÇÂO. Imagem 24- Foto Da Canaleta (Meramente Ilustrativa) 15. -PINTURA Os serviços de pintura somente serão iniciados após a secagem ou cura completa das superfícies a que se destinam, devendo as mesmas ser cuidadosamente limpas, escovadas e raspadas, para remover partes soltas, sujeiras, poeiras e outras substâncias estranhas. As superfícies a pintar deverão ser protegidas, de forma a evitar que poeiras, fuligens, cinzas e outros materiais estranhos possam se depositar durante a aplicação e secagem da tinta. Antes de iniciar-se qualquer serviço de pintura, deverá ser verificada a preparação da superfície de acordo com as recomendações dadas, e que a tinta seja apropriada ao tipo de superfície. 80

81 Deverá ser aplicada outra demão de tinta quando a precedente estiver perfeitamente seca, devendo observar um intervalo de 2 horas entre demãos sucessivas. Igual cuidado deverá ser tomado entre demãos de tinta e de massa plástica, observando um intervalo mínimo de 48 horas após cada demão de massa. Na aplicação de massas para preparo das superfícies deverá ser utilizada massa acrílica nas superfícies externas. Nas superfícies protegidas da umidade poderá ser utilizada massa corrida sem diluição. Deverão ser adotadas precauções especiais, com a finalidade de evitar respingos de tinta em superfícies não destinadas à pintura, tais como vidros, ferragens de esquadrias e outras. As superfícies que não serão pintadas deverão ser protegidas com tiras de papel, pano, fitas adesivas ou outros materiais. A remoção de salpicos deverá ser feita quando a tinta estiver seca, empregando removedor adequado, sempre que necessário. Antes do início de qualquer trabalho de pintura, será feita uma amostra de cores com as dimensões mínimas de 0,50 x 1,00 m no próprio local a que se destina, para aprovação do CONTRATANTE. Deverão ser usadas tintas de fabricação recente, prazo inferior a 90 dias, não sendo permitidas composições diferentes das indicações dos fabricantes. As tintas aplicadas deverão ser diluídas conforme orientação do fabricante e aplicadas na proporção recomendada. As camadas deverão ser iformes, sem corrimento, falhas ou marcas de pincéis. Todas as tintas deverão ser rigorosamente misturadas dentro das latas e periodicamente mexidas com uma espátula limpa, antes e durante a aplicação, para obter uma mistura densa iforme e evitar a sedimentação dos pigmentos e componentes mais densos. 81

82 A última demão de acabamento será aplicada somente após a conclusão dos serviços de forro, divisórias, iluminação, etc. Os trabalhos de pintura em locais desabrigados deverão ser suspensos em tempos de chuva ou de excessiva umidade. As cores aqui descritas são meramente referenciais. Os tons exatos a serem utilizados serão definidos durante as obras pela FISCALIZAÇÃO, mediante apresentação pela Construtora do catálogo do fabricante de tintas. Este catálogo deverá ser completo, incluindo todas as cores previstas em sistemas computadorizados de mixagem de pigmentos. Serão solicitadas amostras de no mínimo 1,00 nos locais antes da decisão final Superfície de metal galvanizado Preparar a superfície com lixa para ferro 150 ou 100 e, posteriormente, remover o pó com estopa embebida em aguarrás. Aplicar então um fdo para galvanizados (Galvite, Galvoprimer, Fdo para Galvanizados, etc) ou um fdo fosfatizante com trinchas de cerdas macias ou rolo de espuma. Para garantir a perfeita aderência, deixar secar entre 18 a 24 horas e lixar com lixa 150, eliminando o pó com estopa embebida em aguarrás. Depois disso aplicar o Esmalte sintético alto brilho em duas demãos Tinta acrílica Serão pintadas com tinta acrílica semi-brilho as paredes internas do pavimento térreo, parede construída em drywall no pavimento inferior e todas as paredes externas, além dos forros em gesso e lajes conforme indicação em projeto. Os procedimentos abaixo deverão ser observados quando da aplicação da pintura sobre 82

83 as superfícies emboçadas e emassadas: a) Serão removidas as manchas de óleo, graxa, mofo e outras porventura existentes, com detergente apropriado; b) Lixamento leve e remoção do pó ou partículas soltas; c) Uma demão de fdo selador acrílico, a rolo ou pincel, a título de queima ; d) Decorridas 24 (vinte e quatro) horas da aplicação do fdo, deverá ser feita a aplicação da massa acrílica, a ser executada com espátula ou desempenadeira de aço, em camadas finas e em número suficiente para um perfeito nivelamento da superfície. Deverá ser observado um intervalo mínimo de 3 (três) horas entre camadas de massa; e) Após 24 (vinte e quatro) horas, no mínimo, da aplicação da última camada de massa, lixamento, com lixa fina e remoção do pó com espanador; f) Uma demão de fdo selador acrílico a rolo ou pincel; após 12 (doze) horas, aplicação de 2 (duas) demãos de acabamento, a rolo, da tinta. Entre as 2 (duas) demãos haverá intervalo mínimo de 24 (vinte e quatro) horas. Todas as paredes internas serão pintadas em COR A DEFINIR, MEDIANTE A APRESENTAÇÃO DE CATÁLOGO. Para definição da cor das paredes externas, deverão ser feitas amostras em áreas de no mínimo 0,5x1m no próprio local a que se destina para aprovação do CONTRATANTE, das seguintes cores: - Suvinil Cor Broto de Feijão ou similar, desde que atenda as mesmas características técnicas e seja devidamente aprovado pela FISCALIZAÇÂO. - Suvinil Cor Grisalho ou similar, desde que atenda as mesmas características técnicas e seja devidamente aprovado pela FISCALIZAÇÂO; - Suvinil Cor Fio Metalizado ou similar, desde que atenda as mesmas características 83

84 técnicas e seja devidamente aprovado pela FISCALIZAÇÂO Tinta esmalte sintético PINTURA EM SUPERFÍCIES DE MADEIRA Os batentes e guarnições das esquadrias de madeira e rodapés receberão acabamento em pintura esmalte alto brilho na cor branca. Deverão ser previamente lixadas e completamente limpas de quaisquer resíduos. Todas as imperfeições serão corrigidas com massa. Após lixar a superfície, primeiro com lixa grossa e depois com lixa fina, deverá ser aplicada uma demão de primer selante, conforme recomendação do fabricante, a fim de garantir resistência à umidade e melhor aderência das tintas de acabamento PINTURAS EM SUPERFÍCIES METÁLICAS Os procedimentos abaixo deverão ser observados quando na aplicação do esmalte sintético nas superfícies metálicas: a) Toda a superfície metálica será completamente limpa de toda a ferrugem, quer por meios mecânicos - escova ou palha de aço, lixa ou outros meios, quer por processo químico. b) Limpas e secas as superfícies tratadas e antes que o processo de oxidação se reinicie, será aplicada uma demão de fdo preparador; c) Como acabamento final, duas demãos de tinta aplicadas a pincel. Serão pintadas com tinta esmalte sintético alto brilho na cor branco todos os caixilhos de 84

85 ferro, portas de madeira e rodapés, existentes e novos, estrutura metálica do alpendre, inclusive rufos e estrutura existente de cobertura a ser mantida, conforme indicação em projeto. Grades de proteção dos caixilhos, guarda-corpos, portões, porta de abrigo e plataforma metálica serão pintados com tinta esmalte sintético alto brilho em cor a definir, PROTÓTIPO COMERCIAL: - Suvinil Cor Casca de Árvore ou similar, desde que atenda as mesmas características técnicas e seja devidamente aprovado pela FISCALIZAÇÂO, se adotada a cor Broto de Feijão para as paredes externas; - Suvinil Cor Tubarão Cinza ou similar, desde que atenda as mesmas características técnicas e seja devidamente aprovado pela FISCALIZAÇÂO, se adotada a cor Grisalho para as paredes externas; - Suvinil Cor Manganês ou similar, desde que atenda as mesmas características técnicas e seja devidamente aprovado pela FISCALIZAÇÂO, se adotada a cor Fio Metalizado para as paredes externas. O mesmo processo adotado para a escolha da cor das paredes externas deverá ser adotado para a definição desta cor. AS CORES SERÃO DEFINIDAS PELA FISCALIZAÇÃO, MEDIANTE A APRESENTAÇÃO DE CATÁLOGOS E AMOSTRAS Verniz A porta de madeira indicada receberá lixamento e pintura em esmalte verniz acrílico, em duas demãos. As superfícies deverão resultar completamente iformes e regulares sem rugosidades ou asperezas. 85

86 16. -SERRALHERIA Plataforma metálica Para apoio das condensadoras de ar condicionado. Plataforma composta por perfis U enrijecidos de chapa de aço galvanizado dobrada, mão francesa invertida e chapa expandida de 3/16 em aço galvanizado, conforme projeto. O conjto receberá acabamento em pintura com tinta esmalte sintético na mesma cor das outras peças metálicas (ver itens 19.1 e 19.3) Grade de proteção em ferro para caixilho O caixilho CA01 deverá receber grade de proteção de ferro com acabamento em pintura com tinta esmalte sintético na mesma cor das outras grades- A SER DEFINIDO PELA FISCALIZAÇÃO- (ver item 19.3). A mesma deverá seguir padrão existente. Imagem 25- GRADE DE PROTEÇÃO 86

87 17. -GRANITOS Tampos No sanitário feminino terá tampo de granito Cinza Andorinha com espessura de 2 cm e deverá seguir detalhamento de projeto. Os granitos fornecidos serão aprovados pela FISCALIZAÇÃO, ATRAVÉS DE AMOSTRAS, e não deverão apresentar manchas, fissuras, trincas ou qualquer outra irregularidade. Imagem 26- GRANITO CINZA ANDORINHA 18. -DIVERSOS Peitoril em Cerâmica O peitoril do caixilho CA01 será em peça cerâmica, conforme padrão existente. 87

88 Imagem 27- Peitoril Em Cerâmica 19. -COMPLEMENTOS PAINEL SOLAR PARA AS JANELAS Especificação: Sistema tipo Roller, com tubo em liga de Alumínio Extrudado 6063 T6A2, diâmetro interno de 31 mm e externo de 34 mm, peso de 426 g/m. Dispositivo de acionamento em plástico injetado na cor cinza, medindo 65 mm x 79 mm, com relação de acionamento mínima de 1:1 que proporciona redução da força mecânica. Com trava retrátil de segurança jto ao suporte de fixação, impedindo o desencaixe mesmo com movimentos abruptos. Ponteira retrátil com trava de segurança ajustável por rosca, impedindo o desencaixe mesmo com movimentos abruptos. Suporte de fixação em aço galvanizado na cor alumínio, medindo 50 mm x 62 mm x 31 mm que permite o encaixe do dispositivo de acionamento em 3 diferentes posições, de 45º em 45º, permitindo adequar sua posição conforme o local de instalação de forma a melhorar a ergonomia no manuseio da cortina. Nivelador acoplável ao suporte de instalação em alumínio opcional do lado da ponteira para permitir ajustes de nível na superfície de instalação sem a necessidade de calços que interferem na solução estética. 88

89 Trilho inferior em formato retangular com 30 mm em liga de Alumínio Extrudado 6063 T6A2, com pintura eletrostática na cor alumínio, com canal para fixação do inserte plástico soldado no final do tecido e tampas laterais em plástico injetado na cor cinza (coordenada com o produto). Acionamento Corrente Plástica Acionamento manual que facilita o recolhimento da peça por compensar o esforço de subida com um sistema com corrente contínua com esferas plásticas de polietileno em cordão de poliéster na cor cinza. Enrolamento Padrão o tecido é recolhido por trás Invertido o tecido é recolhido pela frente Frestas Laterais Lado Comando 20 mm Lado Oposto 15 mm Características da Tela Solar Tecido Tela Solar tipo SilverScreen cor cinza clara face interna e Metalizado verso (Alumínio-face externa, processo de vaporização, 100% alumínio em altíssima temperatura em câmara a vácuo, que se fde a tela dando total aderência nos fios, em toda a superfície inclusive nas laterais, mantendo a abertura da tela de 4% sem preenchimento, promovendo a visão para o exterior sem ofuscamento, filtrando a luz excessiva que passaria através dos fios que estão cobertos pelo alumínio). A característica da tela solar metalizada, com fator de abertura 4%, é proporcionar maior reflexão de luz e melhor conforto térmico no ambiente, facilitando uma visão melhor do exterior, reduzindo o ofuscamento ou desconforto visual. Permite visibilidade do exterior e privacidade ao ambiente ao mesmo tempo, proporcionam conforto visual e térmico (alto desempenho na reflexão solar, alta capacidade de absorção solar e baixa transmissão 89

90 solar para o ambiente). Tela deve ser produzida de acordo com normas internacionais e padrões ISO e ISO Composição da Tela Solar tipo SilverScreen: Entre 36%-40% Fibra de Vidro e 64%-60% PVC, fator de abertura 4% Tecidos estruturados em fibra de vidro que não propagam chama em fção de sua composição, com estabilidade dimensional (não podendo esticar, encolher ou deformar e tão pouco ser afetado por extremas mudanças de temperatura). Tais características devem garantir a homogeneidade do tecido mesmo após vários anos de uso. Principais características: Atóxico Livre de formaldeído Antibactericida Translúcido com fator de abertura de 4% Espessura da Tela Solar Silver Screen: 0,5 mm Peso: 400 g/m2 Certificados de Garantia testados através de laboratórios terceirizados e reconhecidos exigidos: Garantia de produto atóxico: Certificado Oeko-Tek; GREENGUARD Garantia de Resistência ao Fogo da Tela Solar SilverScreen (NFPA classificação M1 - ISO 6941 / BS 5867 Part 2 Type B) Testes para a certificação dos Índices de proteção solar referente ao conforto térmico e visual da tela solar: Coeficiente de Sombreamento: Entre 20%-22% É o coeficiente que indica o quanto a tela solar em conjto com o vidro da janela (vidro simples de 6 mm transparente) é eficiente na absorção da radiação solar. Quanto mais 90

91 próximo de zero, melhor o conforto térmico. Transmissão Solar: Entre 3%-5% Percentual que indica a quantidade de radiação solar que passa pela tela, responsável pela sensação de calor no ambiente. Quanto maior a TS, maior a radiação solar transmitida ao ambiente. Fator que é variável segdo a composição, fator de abertura e cor da tela. Absorção Solar: Entre 18%-20% Percentual que indica a quantidade de radiação solar que a tela absorve, retendo o calor. Quanto maior o índice, maior a absorção do calor na própria tela. Fator variável segdo a composição, fator de abertura e cor da tela. Reflexão Solar: Entre 79%-77% Percentual que indica a quantidade de radiação solar que a tela reflete. Quanto maior o índice, maior a reflexão, portanto menor radiação solar transmitida ao ambiente. Fator variável segdo a composição, fator de abertura e cor da tela. Transmissão Visual: Entre 3%-5% É medido pela quantidade de luz percebida que passa pela tela. Reflexão Visual: 78%-76% Percentual que indica a quantidade de luz que a tela reflete. Fator de abertura: 4% Índice que indica o percentual de área não coberto com tela. Bloqueio de Raios UV: 96%- 95% Desejável: TABELA 01- FATOR DE ABERTURA DO PAINEL SOLAR 91

92 SilverScreen Light Grey (Cinza) g-value in % (coeficiente de transmissão de calor, Vidro simples 6 mm + Tela tipo SilverScreen Entre 17 a 19 quanto menor o índice melhor será a tela solar) U-value in W/K (coeficiente de transferência de Entre 1.5 a 1.7 calor, quanto mais próximo de 0 melhor será a tela solar) Propriedades acústicas: Aw (ISO 11654) = Entre 0, 30 0, 35 Classe de absorção acústica (ISO 11654): D NRC (ASTM - C423) = Entre 0,25 0,30 Certificados de Garantia devem ser testados através de laboratórios terceirizados e reconhecidos pelo LEED, Green Star e Breeam, que contribuem significantemente para obtenção de pontos em certificações para Edifícios Verdes através das metodologias LEED, Green Star e Breeam. TODOS OS ATESTADOS E CERTIFICADOS DEVERÃO SER ENTREGUES JUNTAMENTE COM O PRODUTO. Garantias dos Produtos Garantia de Cinco (5) anos do produto, a partir da data de expedição da T.R.D em caso de material defeituoso, vício oculto, erro de fabricação ou defeito nos componentes eletrônicos. Protótipo Comercial 92

93 Painel Modelo Rolô, fabricação Hter Douglas, Q31 Tela Solar padrão SilverScreen, cor Cinza claro, fator de abertura 4% - ROLSILD03 Acabamento Standard Acionamento através de corrente plástica. Imagem 28- PAINÉIS SOLARES 20. -INSTALAÇÕES DE AR CONDICIONADO Vide especificação completa no Memorial Descritivo (PROJETO EXECUTIVO) de Instalações de Ar Condicionado- ANEXO E Todas as tubulações de ar condicionado que ficarem deverão ser protegidas por canaletas metálicas INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Vide especificação completa no Memorial Descritivo (PROJETO EXECUTIVO) de Instalações elétricas- ANEXO D 93

94 22. INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS Vide especificação completa no Memorial Descritivo (PROJETO EXECUTIVO) de Instalações hidráulicas- ANEXO E 8.2- ITEM 2- EDIFÍCIO SEDE I FINALIDADE O presente memorial tem por finalidade indicar os serviços a serem executados estabelecendo Normas, Especificação de Serviços e Materiais nos aspectos pertinentes às particularidades da obra de reforma parcial e ampliações do Edifício Sede da FAPESP, localizado na Rua Pio XI, 1500 Alto da Lapa/ São Paulo. A área total da reforma é de 1147,73. Sendo: Primeiro pavimento: 113,89 Segdo pavimento: 639,70 Quarto pavimento: 394,14 Trata-se da reforma parcial do primeiro, segdo e quarto pavimentos do Edifício Sede para adequação do edifício às necessidades atuais da FAPESP. 94

95 II - OBJETO As obras a executar são as seguintes: a) Primeiro pavimento: - Ampliação e troca de revestimentos e forro da copa; - Instalação de painel, troca parcial de marcenaria e de forro da sala de espera/ café - Transformação área do atual CDI em uma sala de rack e duas salas de reião com a troca do forro da área; - Troca de piso, ampliação e troca de revestimento das jardineiras e execução de forro da área externa; b) Estacionamento de visitantes (segdo pavimento): - Troca de todo o piso externo em ardósia; -Demarcação de vagas; -Construção de rampa de acesso (pedestres); -Impermeabilização. c) Segdo pavimento: - Ampliação da recepção, troca de caixilhos, revestimentos, marcenaria e forro - Reforma dos sanitários masculino e feminino, de sanitário P.N.E. e fechamento da copa existente; d) Quarto pavimento: - Adaptação de Casa de Máquinas de ar condicionado para sala de reião, troca de forro da área administrativa e sanitários e substituição do fechamento existente na sala de reião da 95

96 diretoria administrativa por divisória piso-teto; As obras complementares a serem executadas são as seguintes: e) Adaptação das instalações da rede de água fria, esgoto, eletricidade em baixa tensão, tubulações para lógica, telefonia, áudio e vídeo e sistemas de ventilação, exaustão e ar condicionado. A LICITANTE deverá obrigatoriamente visitar o local antes da elaboração de sua proposta para execução dos serviços, não se aceitando alegações futuras de desconhecimento das condições existentes. Será de responsabilidade da CONTRATADA a adoção de medidas visando a integridade das pessoas assim como de bens patrimoniais da FAPESP. III ESPECIFICAÇÕES DE SERVIÇOS 1- LOCALIZAÇÃO DA OBRA A obra será realizada no edifício sede da FAPESP, situado à Rua Pio XI, 1500 Alto da Lapa/ São Paulo, conforme mapa de localização abaixo: 96

97 Imagem 29- IMPLANTAÇÃO SEM ESCALA 2- CONSIDERAÇÕES GERAIS As obras serão executadas obedecendo rigorosamente aos desenhos dos Projetos de Arquitetura, Estrutura Metálica e de Concreto, Instalações Hidráulicas, Instalações Elétricas, Ar Condicionado e seus detalhes e memoriais, este Memorial Descritivo e a Planilha Orçamentária, devidamente autenticados por ambas as partes, bem como as indicações, recomendações e/ou exigências constantes: - Das Normas Técnicas da ABNT; - Das Normas ou Catálogos dos Fabricantes; - Das Concessionárias Locais. Algs elementos de projetos, constantes do presente edital, poderão necessitar de maior 97

98 detalhamento para execução, e deverão ser apresentados durante as obras. Estes itens, no entanto, estão suficientemente claros nos desenhos do projeto e descrição do memorial quanto na planilha orçamentária para que as empresas licitantes apresentem suas propostas. A mudança de qualquer projeto, serviço ou material somente será admitida após autorização escrita dos responsáveis técnicos dos projetos, a qual será precedida de solicitação da CONTRATADA, jtando-se à mesma uma amostra para o devido exame e apresentando as razões determinantes do pedido. O estudo e aprovação dos pedidos de substituição só poderão ser efetuados quando cumpridas as seguintes exigências: - Declaração de que a substituição se fará sem ônus para a Contratante; - Apresentação de provas, pelo interessado, da equivalência técnica do produto proposto ou especificado, compreendendo como peça fdamental o laudo do exame comparativo dos materiais, efetuado por laboratório tecnológico idôneo, definido pela fiscalização. Nos itens do presente memorial, onde houver indicação de marca, nome de fabricante ou tipo comercial, estas indicações se destinam a definir o tipo e padrão de qualidade requerido. No caso de não ser mais fabricado algum material especificado e seus similares, a CONTRATADA apresentará uma proposta de substituição para aprovação da FISCALIZAÇÃO, ou esta indicará o seu substituto. Mesmo que a CONTRATADA tenha apresentado em sua proposta de preços o valor do material supostamente similar ao previsto, isto não será considerado como justificativa para a mudança da especificação. 98

99 Quaisquer serviços ou materiais diferentes aos especificados e sem autorização supra exigida, serão passíveis de demolição ou remoção, cabendo à CONTRATADA reexecução ou substituição, bem como outras correções que em decorrência se tornarem necessárias, tudo sem qualquer ônus para a FAPESP. Acréscimos, reduções ou modificações que impliquem em alterações do prazo contratual, deverão ser previamente autorizados pela CONTRATANTE, observados os preços itários da proposta original ou acordados entre as partes, quando forem diferentes dos incluídos na licitação. A CONSTRUTORA manterá na obra, permanente um mostruário dos materiais especificados, bem como cópias dos projetos a disposição da FISCALIZAÇÃO. Compete às empresas contratadas fazer minucioso estudo, através da leitura dos componentes gráficos apresentados - desenhos, memoriais e outras peças - dos projetos acima, além de outros documentos integrantes da documentação técnica fornecida pela CONTRATANTE para a execução da obra. 3. DESENHOS DE REFERÊNCIA Deverão ser consultados na lista de desenho anexa. Dos resultados desta verificação, que deverá anteceder à assinatura dos contratos de execução, fornecimento e montagens, deverão as empresas contratadas dar imediata ciência, por escrito, ao CONTRATANTE de discrepâncias, interferências, omissões, erros e indefinições que tenham observado, inclusive sobre qualquer transgressão a Normas 99

100 Técnicas Oficiais, Regulamentos ou Posturas em vigor, de modo que os mesmos possam ser sanados em tempo de não prejudicarem o desenvolvimento dos serviços na Obra, ou a futura condição de uso da edificação. 4. REMOÇÕES E DEMOLIÇÕES 4.1 Considerações gerais As remoções e demolições dos materiais existentes tais como louças, metais, esquadrias, divisórias, luminárias, deverão ser executadas visando o reaproveitamento destes, de modo que sejam desmontados com zelo, embalados, transportados, descarregados, armazenados, acomodados, relacionados e quantificados, por tipo de material, até local determinado pela FISCALIZAÇÃO. Todos os materiais inaproveitáveis e entulhos, provenientes das diversas demolições e limpeza da obra, deverão ser segregados por tipo, retirados da obra e transportados para local apropriado conforme entendimentos com a FISCALIZAÇÃO. Toda demolição deverá ser executada com ferramentas e equipamentos adequados, de modo a se preservar ao máximo as paredes e pisos aproveitáveis. Os entulhos deverão ser removidos diariamente, buscando sempre manter a obra limpa, desimpedida e organizada, oferecendo melhores condições de trabalho e higiene. Todos os transportes de materiais aproveitáveis ou de entulhos são de responsabilidade da CONTRATADA e fazem parte do escopo da obra. A limpeza da obra tanto externa quanto interna deverá ser feita de modo a deixar toda a área limpa para que não haja obstrução à circulação de materiais e operários. Deverá ser dada atenção especial ao transporte e movimentação de materiais, entulhos e equipamentos, pelos corredores de acesso aos edifícios e vias externas, no sentido de preservação das instalações 100

101 e segurança dos usuários. Todos os danos, estragos, furos, nichos, etc., em pisos, paredes, estruturas, etc, causados pela remoção dos materiais deverão ser consertados pela CONTRATADA e estar diluídos nos preços da planilha. 4.2 Escopo das demolições: Primeiro pavimento: - Demolição de alvenaria e porta entre copa e área de serviço; - Remoção de tanque da área de serviço; - Demolição de fechamento externo em elemento vazado da área de serviço; - Demolição de revestimento cerâmico acima da bancada de granito da copa; - Demolição do piso da copa; - Remoção das luminárias da copa; - Demolição do forro da área de espera; - Remoção das luminárias da sala de espera localizadas no forro a ser demolido; - Remoção das luminárias da sala de espera e circulação localizadas nos forros a serem mantidos, indicadas em projeto; - Remoção de marcenaria da área de espera indicada em projeto; - Remoção de mobiliário da sala de CDI; - Remoção do gabinete em marcenaria da copa; - Remoção de piso elevado e caixas de elétrica da sala de CDI para reaproveitamento posterior; - Demolição de fechamento de tubulação frigorífica do ar condicionado da sala de CDI; 101

102 - Remoção de tubulação frigorífica do ar condicionado da sala de CDI; - Remoção de porta da sala de CDI; - Demolição do forro da sala de CDI; - Demolição de piso e parte do detalhe em granito da área externa; - Demolição de parte de mureta da jardineira da área externa, conforme indicado em projeto; - Demolição do revestimento externo do piso e muretas das jardineiras; - Proteção mecânica, impermeabilização e regularização do piso externo e muretas da jardineira Estacionamento de visitantes: - Remoção parcial de gradil; - Remoção de luminária de piso; - Demolição de piso externo em ardósia, inclusive pedras assentadas no topo dos degraus sob muretas; - Remoção de grelhas em ferro fdido das canaletas existentes Segdo pavimento: - Remoção de caixilho da área de correspondências; - Remoção para reforma do guichê da recepção; - Demolição parcial de rodapé do guichê da recepção; - Demolição dos revestimentos em madeira indicados em projeto; - Remoção do balcão de atendimento da recepção; - Remoção de caixilho de vidro da recepção; - Remoção de guarda-corpo em vidro; - Demolição do forro da recepção e das áreas de informações e correspondências; 102

103 - Remoção de luminárias dos forros indicados para demolição; - Demolição de alvenaria conforme indicação em projeto dos sanitários; - Demolição de piso cerâmico dos sanitários; - Demolição do enchimento de piso dos sanitários; - Demolição de revestimento cerâmico dos sanitários; - Demolição de rampa da circulação entre os sanitários; - Remoção das divisórias sanitárias; - Remoção de louças e metais dos sanitários; - Demolição do forro dos sanitários e da circulação conforme indicado em projeto; - Remoção das luminárias dos sanitários e da circulação; - Remoção de portas de madeira das entradas dos sanitários; - Remoção para posterior reinstalação das máquinas de caixa eletrônico e café da circulação Quarto pavimento: - Demolição de fechamento em gesso e porta da sala de reião da diretoria administrativa; - Demolição de fechamento em madeira da sala de ar condicionado; - Remoção de quadro elétrico da sala de ar condicionado; - Demolição de bases em concreto da sala de ar condicionado; - Remoção de dutos e máquinas existentes da sala de ar condicionado; - Remoção das 4 portas do fechamento em madeira da circulação; - Remoção de tubulação de ar condicionado conforme indicado em projeto; - Demolição do forro dos sanitários masculino e feminino, conforme indicado em projeto. Especial atenção deverá ser dada ao transporte e movimentação de materiais, entulho equipamentos pelas áreas de circulação do edifício, visando à preservação das instalações e segurança dos usuários. 103

104 5. INSTALAÇÃO DO CANTEIRO DA OBRA 5.1 Ligações provisórias Nos locais onde não se disponha dos serviços necessários, a CONTRATADA deverá providenciar o fornecimento da água e a instalação de um grupo de geradores com capacidade compatível com a necessidade de carga para operação dos equipamentos e iluminação, durante a execução dos serviços, se cabível. 5.2 Alojamentos e canteiro A CONTRATADA deverá elaborar antes do início das obras e mediante ajuste com a FISCALIZAÇÃO o projeto do canteiro de obras, dentro dos padrões exigidos pelas concessionárias de serviços públicos. A construção do canteiro está condicionada à aprovação de seu projeto pela FISCALIZAÇÃO. A CONTRATADA instalará o canteiro de obras (container), conforme localização determinada pela FISCALIZAÇÃO, instalado de acordo com as exigências dos órgãos públicos, bem como atenderá as normas cabíveis no tocante ao sindicato da categoria, Normas de Segurança do Trabalho, DRT do Ministério do Trabalho e o programa de condições e meio ambiente de trabalho da indústria da construção (PCMAT). O canteiro não poderá interferir nas atividades da área e na construção em si. Deverá prever, pelo menos, um barracão para apoio às atividades de construção, com área suficiente para comportar dependências destinadas ao Escritório da Obra, dependências para FISCALIZAÇÃO, com área aproximada de 16, dependências destinadas ao armazenamento de materiais, etc. 104

105 A CONTRATADA será responsável, até o final das obras, pela adequada manutenção, operação, limpeza, vigilância e boa apresentação do Canteiro de Obras e de todas as suas instalações. Nisso, incluso os especiais cuidados higiênicos para o uso compartilhado dos sanitários e vestiários da FAPESP e conservação dos pátios internos, acessos e caminhos de serviço. 5.3 Locação da obra (escada de emergência Auditório e estruturas metálicas em geral) A obra será locada após concluída a movimentação de terra e limpeza do terreno com acompanhamento topográfico, observando-se rigorosamente as indicações do projeto. A CONTRATADA será responsável por qualquer erro de alinhamento ou nível, e correndo por sua conta a demolição e reconstrução dos serviços. Durante os trabalhos de preparo do terreno, a CONTRATADA deverá providenciar a drenagem (conforme norma de especificação atinente à drenagem), desvio e/ou canalização das águas pluviais, evitando assim, que as mesmas venham a prejudicar as obras em andamento. 6. MOVIMENTAÇÃO DE TERRA À CONTRATADA cabe a movimentação de terra que se fizer necessária para a execução do projeto, utilizando-se, para isso, processos mecânicos. Os serviços serão executados, com material selecionado no local de corte, em camadas de, no máximo, 20 cm de espessura, devidamente compactado com equipamentos mecânicos, 105

106 até que se obtenha superfícies planas, perfeitamente adensadas e compactadas. O grau de compactação deverá atender às seguintes considerações: - Camada final de terraplenagem densidade superior a 100% PN; - Corpo do aterro - densidade superior a 95% PN. Toda a terra retirada no local deverá ser transportada para local adequado, podendo ser indicada pela Fiscalização. O transporte deverá ser feito sob a supervisão da fiscalização da FAPESP. 7. SERVIÇOS INICIAIS 7.1 Despesas gerais O responsável técnico da CONTRATADA deverá acompanhar no canteiro de obras a execução dos serviços e somente com ele o CONTRATANTE manterá entendimentos. Deverá haver na obra, em caráter permanente, pelo menos um mestre de obra capaz. Qualquer substituição dos elementos acima deverá ser comicada antecipadamente à FISCALIZAÇÃO. Problemas técnicos que porventura aparecerem durante a execução da obra, deverão ser solucionados pelo RT da CONTRATADA, e submetidos à aprovação do CONTRATANTE, sempre por escrito. A CONTRATANTE poderá solicitar à CONTRATADA a substituição de pessoal, caso julgue 106

107 inadequada sua permanência no canteiro de obras. Tal substituição deverá ser realizada em prazo máximo de 48 (quarenta e oito) horas. 7.2 Transportes diversos Todos os transportes de pessoal e material, inclusive da FISCALIZAÇÃO, correrão por conta da CONTRATADA. 7.3 Retirada de entulhos Será de responsabilidade da CONTRATADA a retirada do entulho da região do canteiro onde se executar a obra. A empresa contratada para a retirada de entulho deverá obrigatoriamente ser licenciada pelo Micípio de São Paulo e deverá ser exigida a apresentação do comprovante de destinação final adequado para o entulho. 8. INFRAESTRUTURA E SUPERESTRUTURA 8.1 Fdações A execução das fdações obedecerá às indicações do projeto de concreto armado e de fdações em todos os seus detalhes e às Normas Brasileiras no que forem aplicáveis. As fdações serão constituídas pelos elementos indicados nos projetos de estrutura. 8.2 Blocos e baldrames As escavações deverão obedecer rigorosamente aos projetos arquitetônico e estrutural fornecido. Sempre que houver presença de água nas cavas das fdações, essa deverá ser 107

108 retirada por processo manual ou mecânico, não devendo permanecer estagnada por mais de 24 (vinte e quatro) horas. As bases das cavas deverão ser fortemente apiloadas para receber lastro de brita ou concreto magro, antes da colocação das ferragens. O concreto armado deverá ser executado obedecendo às prescrições das normas e métodos da ABNT. O reaterro lateral das fdações deverá ser apiloado em camadas de 20 (vinte) cm, umedecidas, após a execução do embasamento e impermeabilização. Os níveis dos blocos de fdação deverão ser baseados no projeto de fdações e perfeitamente compatíveis com os níveis determinados no projeto arquitetônico. Será executada rigorosamente de acordo com o projeto estrutural, em estrita observância às Normas Brasileiras (NB-1 e NB-3) e em perfeita obediência ao projeto arquitetônico. A dosagem de concreto deverá ser racional, com o traço em peso, conforme prescrições da ABNT. O aço a ser utilizado para a armação da estrutura deverá ser o indicado no projeto estrutural, não podendo ser substituído por outro, sem autorização expressa da FISCALIZAÇÃO. 8.3 Superestrutura A execução das estruturas em concreto armado deverão obedecer rigorosamente às disposições do projeto estrutural fornecido à CONTRATADA em todos os seus detalhes e especificações, de forma a atender as características estéticas do projeto arquitetônico bem como as Normas Técnicas oficiais que regem o assto e sua execução implica na integral responsabilidade da CONTRATADA por sua resistência e estabilidade. As formas para a execução do concreto deverão ser do tipo Formas prontas, dimensionadas 108

109 e racionalizadas, executadas com compensado resinado e/ou plastificado para serem reutilizadas pelo menos 6 vezes. As platibandas serão em concreto aparente. Deverá ser prevista a fabricação de um conjto para ser utilizado no 1º pavimento que será reaproveitado nos demais pavimentos. O cimbramento e o reescoramento deverão ser metálicos, com a utilização de torres e/ou escoras, vigas e barrotes. O concreto dos pilares, lajes e vigas deverá ser bombeado. O controle de níveis das concretagens deverá ser feito com aparelho a laser. Deverão ser instalados equipamentos para transporte de material, bandejas de proteção e telas externas ao edifício de acordo com as normas de segurança vigentes. OBSERVAÇÕES GERAIS: a) Na execução das formas - reprodução fiel do projeto, a adoção de contra flechas quando necessárias, nivelamento de lajes e vigas, suficiência de escoramento, contraventamentos de painéis que possam se deslocar quando do lançamento do concreto, furos para passagem das tubulações, vedação, limpeza e uso de madeira de boa qualidade. Não será admitido de forma algum lançamento de concreto diretamente no solo ou a utilização de filmes plásticos substituindo formas. As formas das fdações deverão ser executadas em tábuas de pinho de no mínimo 10 mm de espessura. 109

110 As amarrações que atravessam as formas deverão ser feitas com espaçamento regular. As formas deverão receber reforços em seus travamentos e contraventamentos para que não ocorram desvios verticais e horizontais quando da concretagem. Deverão estar alinhadas e niveladas. Antes de receber as armaduras, as caixarias deverão ser limpas e ter suas dimensões conferidas. Deverão ser usados espaçadores nas formas de modo a se garantir os cobrimentos mínimos das armaduras. Antes da concretagem, as formas deverão ser umedecidas até a saturação. O reaproveitamento das formas será permitido desde que sejam cuidadosamente limpas e não apresentem saliências ou deformações. b) Na execução da armadura - dobramento, número de barras e suas bitolas, posição de barras, amarração e recobrimento, de acordo com o projeto, não sendo permitidas emendas não previstas no projeto. c) No lançamento e adensamento do concreto - prescrições das normas e métodos da ABNT, de modo a assegurar perfeita homogeneidade e resistência, verificando-se:. Encharcamento das formas, até a saturação antes do lançamento do concreto.. A posição das armaduras durante o lançamento do concreto. 110

111 . A retirada das formas após os prazos previstos pela ABNT.. Transporte e lançamento do concreto, a fim de evitar a segregação das misturas ou perdas de seus elementos. Toda a concretagem deverá aguardar a sua liberação pela FISCALIZAÇÃO. 9. ESTRUTURA METÁLICA Serão executadas em estrutura metálica a escada de emergência e a ampliação da Recepção do 2 Pavimento da Sede da FAPESP. O fabricante deverá fornecer o projeto executivo de montagem das estruturas metálicas, fabricar, transportar e montar toda a estrutura de aço de acordo com os projetos básicos de estrutura metálica fornecidos, arquitetura e concreto armado, devendo-se levar em conta as condições existentes para acesso ao local. O executante corrigirá e substituirá qualquer parte ou peça que, na opinião do contratante ou seu nomeado, não preencha os requisitos desta especificação. Não serão permitidos cortes ou furos indevidos, com maçaricos. Todas as medidas deverão ser conferidas no local e qualquer alteração de material deverá ser aprovado pela FISCALIZAÇÃO, antes do início da fabricação. Os chumbadores e inserts deverão ser fornecidos antes da execução da estrutura de concreto armado. 111

112 A montagem deverá ser previamente planejada, em comum acordo com a FISCALIZAÇÃO e a Contratada encarregada das obras civis, evitando-se, assim, eventuais paralisações dos serviços. Todas as estruturas metálicas deverão ser executadas conforme especificações do Projeto de Estrutura Metálica. Além das normas pertinentes, no projeto de detalhamento das estruturas devem ser obedecidas as seguintes especificações técnicas.. Os eletrodos utilizados deverão ser compatíveis com o aço.. Os parafusos deverão receber tratamento anticorrosivo.. A CONTRATADA não poderá montar nem fabricar as estruturas metálicas antes de seu detalhamento ter sido aprovado por parte da FISCALIZAÇÃO. A pintura das estruturas será na cor cinza. As estruturas metálicas deverão ser entregues no local já com a pintura de acabamento. Após a montagem as mesmas deverão receber retoques de correção para a perfeita apresentação final. 10. PAREDES E PAINÉIS 10.1 Blocos de concreto 112

113 Serão utilizados nas paredes a serem executadas conforme indicado no projeto: - Blocos de concreto com dimensões de 11,5x19x39cm e 14 x19x39cm apresentando faces sem empenamentos, com moldagem perfeita e arestas definidas; As fiadas serão perfeitamente niveladas e aprumadas. As jtas terão espessura máxima de 12 mm, rebaixadas à ponta de colher, ficando regularmente colocadas em linhas horizontais contínuas e verticais descontínuas (amarração alternada). A espessura final das paredes com acabamento será de acordo com as cotas do projeto. Todas as vezes que as alvenarias estiverem em contato com a estrutura de concreto será executada jta horizontal composta de argamassa com adição de aditivo plastificante, com espessura variável de até 3cm. O aditivo plastificante substitui a cal na argamassa. As jtas serão arrematadas com argamassa pré-fabricada de cimento com aditivo de massa acrílica para posterior pintura. Todas as recomendações dos fabricantes deverão ser rigorosamente obedecidas. Fornecedores de referência: Intraplast N Sika; Vedalit Otto Baugart; Quimicryl ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas Divisórias em laminado estrutural Os painéis e portas serão em laminado melamínico estrutural TS, com acabamento texturizado dupla face, cor branco TX. As divisórias devem ter as placas laterais, rentes ao 113

114 chão, sem vãos. Sem perfis e montantes frontais aparentes, onde houver, devem ser discretos e em alumínio anodizado na cor natural. Dobradiças automáticas tipo self-closing em liga especial de alumínio (03 idades por porta), com duplo apoio para o pino eixo, articulado sobre buchas de nylon, com controle do ângulo de permanência de 30 (abertura parcial), 0 (fechada), ou qualquer outro ângulo múltiplo de 30. Fechadura Universal tipo tarjeta livre/ocupado com o corpo em nylon reforçado com fibra de vidro. Cabideiro padrão, um por box. Aparador, um por box. Fornecedores de referência: Neocom modelo a definir/ Cor Branco TX ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas. Imagem 30- Divisória sanitária 10.3 Divisórias em granito Nos sanitários do 2 pavimento será instalada divisória em granito branco polar, com espessura de 3cm, h=200cm. Os granitos fornecidos serão aprovados pela fiscalização e não deverão apresentar manchas, fissuras, trincas ou qualquer outra irregularidade. 114

115 10.4 Divisórias de gesso acartonado As divisórias internas dos ambientes indicados serão executadas em painéis de gesso acartonado na espessura indicada em projeto, sistema DryWall, com divisórias formadas por painéis simples conforme indicado em projeto. - Parede de gesso acartonado, tipo standard, com fechamento de apenas um lado em chapa única. Com montantes e guias a ser utilizado de espessura 4,8cm; - Parede de gesso acartonado, tipo (RU) resistente a umidade, esp.: 10cm com isolamento acústico de lã de rocha com densidade de 48kgf/m³ - (Sanitários 2 Pavimento); No primeiro pavimento, nas paredes utilizadas para a passagem das tubulações de ar condicionado, serão utilizados apenas os montantes e uma placa de fechamento, sem o isolamento. As divisórias serão formadas por painéis de gesso natural com aditivos revestidos por cartão duplex de 12,5mm de espessura, duplos, com largura de 1,20m e altura até o forro a modo de preservar o mesmo para futuras modificações de layout. A estrutura interna das divisórias deverá ser dimensionada pelo fabricante de modo a vencer as alturas do projeto e demais esforços incidentes na divisória, bem como para estruturar as aberturas de vãos necessárias para a instalação dos caixilhos indicados no projeto. As placas serão estruturadas internamente com guias U fixadas no piso e estrutura e 115

116 montantes duplos verticais de aço galvanizado a cada 60 cm encaixados e parafusados nas guias. As placas são fixadas por meio de parafusos a cada 30 cm nos montantes verticais. As jtas entre placas e paredes são invisíveis e feitas de papel Kraft e gesso resultando numa superfície lisa e iforme. No encontro entre divisórias e estrutura de concreto deverá ser prevista jta que absorva possíveis recalques estruturais sem que os mesmos afetem as divisórias. As divisórias serão preenchidas internamente em sua totalidade com lã de rocha. Onde indicado em projeto, as divisórias em gesso acartonado deverão receber reforço interno em madeira conforme detalhamento específico Divisórias piso-teto As divisórias piso-teto deverão obedecer as especificações em projeto. A divisória do primeiro pavimento deverá ser executada com estrutura em alumínio com pintura eletrostática na cor preto e painéis paginados em BP melamínico 18mm padrão madeirado conforme existente, saque frontal individual, com isolamento acústico por lã de rocha 32kg/m³ aplicada em seu interior. Deverão apresentar septo acústico em BP melamínico 18mm na cor branco. Os montantes ao lado das portas deverão abrigar o interruptor da sala. Módulos com vidro deverão possuir sistema de fixação com vedação e apresentar vidro duplo, cristal, incolor, 6mm. Deverão possuir persiana de alumínio de 16mm entre vidros, na cor prata/alumínio. 116

117 Imagem 31- Paginação da divisória As divisórias do quarto pavimento deverão ser executadas com estrutura em alumínio com pintura eletrostática na cor branco e painéis paginados em BP melamínico 18mm branco tx, saque frontal individual, com isolamento acústico por lã de rocha 32kg/m³ aplicada em seu interior. Deverão apresentar septo acústico em BP melamínico 18mm na cor branco. Os montantes ao lado das portas deverão abrigar o interruptor da sala. Módulos com vidro deverão possuir sistema de fixação com vedação e apresentar vidro simples, cristal, com jateamento cor branco, 6 mm. Todas as portas deverão ter 38mm de espessura, septo acústico em BP melamínico 18 mm na cor branco, fechadura, dobradiça, parador de porta e demais ferragens e acessórios necessários para instalação e perfeito fcionamento das mesmas. DV01 Salas de reião e rack 1º pavimento Dim.: ( )x310x9cm Divisória piso-teto com painéis paginados em padrão madeirado com septo na cor branco, 117

118 portas cegas e módulos com meio quadro de vidro duplo com persiana interna. DV02 Sala de reião 4º pavimento Dim.: 460x269x9cm Divisória piso-teto com painéis paginados, septo e porta na cor branco, intercalado com módulos com painéis paginados na cor branco e meio quadro de vidro simples jateado na cor branco. DV03 Sala de reião da Diretoria Administrativa 4º pavimento Dim.: 368x269x9cm Divisória piso-teto com painéis paginados, septo e porta na cor branco, intercalado com módulos com painéis paginados na cor branco e meio quadro de vidro simples jateado na cor branco. Fornecedores de referência: TC6 Divisórias Linha Evolution, Div Design, Voko ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas. 11. ESQUADRIAS DE MADEIRA As esquadrias serão executadas, com dimensões e acabamentos, de acordo com o projeto de arquitetura em madeira de primeira qualidade e não poderão apresentar sinais de empenamento, deslocamento, rachaduras, lascas, desigualdades da madeira ou outros defeitos. As portas serão em compensado de cedro com miolo constituído de sarrafos de cedro 118

119 aromático ou madeira similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas, aglutinados com cola a prova d água, conhecido como compensado naval. O requadro da porta será constituído por peças de cedro aromático ou madeira similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas com largura suficiente para eventuais cortes ou ajustes sem prejuízo da sua estrutura. O conjto assim descrito deverá receber capeamento com duas lâminas de cedro aromático, uma em cada face, que receberão acabamento em laminado melamínico na cor branco. Batentes e guarnições serão em madeira, fixados às alvenarias através de parafusos de latão e buchas plásticas ou grapas fixadas por encaixe nos montantes respectivamente. Receberão pintura com tinta esmalte sintético. Descrição Geral: As esquadrias serão executadas conforme descrição abaixo: PM01 - DIM.: 0,82x2,10m (2º pavimento - sanitários) Porta de madeira com 01 folha de abrir com mola hidráulica. PM02 - DIM.: 0,92x2,10m (2º pavimento sanitário P.N.E.) Porta de madeira com 01 folha de abrir, para PNE. e chapa de aço inox. PM03 - DIM.: 0,92x2,25m (2º pavimento - copa) Porta de madeira com 01 folha de abrir com mola hidráulica. PM05 - DIM.: 2,45x2,20m (4º pavimento) 119

120 Porta de madeira com 04 folhas de abrir com 03 frisos horizontais e acabamento em pintura com tinta esmalte sintético na cor branco. Puxador ponto redondo com acabamento cromado. A estrutura existente deverá ser mantida e receber o mesmo acabamento. medidas e sistema construtivo existentes deverão ser seguidos Ferragens Todas as ferragens para as esquadrias serão inteiramente novas, em perfeitas condições de fcionamento e acabamento. O assentamento de ferragens será procedido com particular cuidado pelo Construtor. Os rebaixos ou encaixes para dobradiças, fechaduras de embutir, chapa testas, etc., terão a forma das ferragens, não sendo toleradas folgas que exijam emendas, taliscas de madeira, ou qualquer outro recurso. Para o assentamento, serão empregados parafusos de qualidade, acabamento e dimensões correspondentes aos das peças que fixarem. A localização das ferragens nas esquadrias será medida com precisão, de modo a serem evitadas discrepâncias de posição ou diferenças de nível perceptíveis à vista; As maçanetas das portas, salvo condições especiais, serão localizadas a 105 cm do piso acabado. Nas fechaduras compostas apenas de entradas de chaves, estas ficarão, também, a 105 cm do piso. As hastes dos aparelhos de comando das serralherias, deverão correr ocultas no interior dos 120

121 marcos ou painéis, deixando aparente, apenas, os respectivos phos ou pomos. As ferragens principalmente as dobradiças, deverão ser suficientemente robustas, de forma a suportarem, com folga, o regime de trabalho a que venham a ser submetidas. Para evitar escorrimento ou salpicadura de tinta ou verniz em ferragens não destinadas à pintura, serão adotadas as precauções recomendadas. As ferragens serão de latão, da metalúrgica yale la fonte ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas, acabamento cromado, conforme descrição acima e indicações em projeto de arquitetura. IMAGEM 32- CONJUNTO DE FECHADURA - Fechadura de cilindro em latão - Ref. ST 55/ ST2. La Fonte, Metalúrgica Yale, Papaiz ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas - Maçanetas - Ref. CR 515 La Fonte, Metalúrgica Yale, Papaiz ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas - Rosetas, Entradas, Tranquetas - Ref. 307 La Fonte, Metalúrgica Yale, Papaiz ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas 121

122 - Dobradiças extra forte com anéis - Ref. 485 (4 x 3) La Fonte, Metalúrgica Yale, Papaiz ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas - Molas ref. Lafonte ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas 12. ESQUADRIAS METÁLICAS Serão executadas com perfis em série, obedecerão aos detalhes respectivos quanto à dimensão e fcionamento, com acabamento em pintura eletrostática, na cor branco. Essas esquadrias deverão ser fornecidas montadas e completas, incluindo fechos, baguetes, placas de arremate, contra marcos, vedações, etc. Deverão apresentar-se estanques à chuva, com elementos de redução de ruído. Quando da sua fixação, deverá ser realizada a calafetação da jta entre a alvenaria e o alumínio, com massa vedante, elástica ou plástica permanente, visando à vedação de umidade exterior. Os vidros serão assentados em gaxetas de neoprene ou silicone. As esquadrias serão executadas conforme descrição abaixo: PA02 DIM.: 0,80x2,15m Porta acústica em aço galvanizado com 01 folha de abrir, gaxetas e guilhotina na soleira, com acabamento em esmalte sintético cor branco. Batentes do mesmo material e acabamento. CA01 - DIM.: 1,80x0,65m 122

123 Caixilho tipo maximar em alumínio anodizado natural e vidro cristal liso, esp.:4mm; CA02 - DIM.:7,25x2,48m Caixilho tipo maximar em alumínio anodizado natural, com um módulo fixo e vidro laminado liso incolor, esp.:6mm; CA03 - DIM.: 5,71x1,63m Caixilho com vidro fixo e requadro em alumínio anodizado natural, com vidro temperado liso incolor, esp.:6mm; V01 DIM.: 1,27x2,48m Vidro temperado serigrafado liso incolor, esp.: 8mm, conforme padrão existente; 12.1 Gaxetas As gaxetas serão todas de etilo-propileno (EPDM) em composição adequada para proporcionar a dureza necessária para cada aplicação. Serão fornecidas pelo fabricante das esquadrias, sendo aceitas as marcas Neopreno, Baypren ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas; 12.2 Recomendações finais - Proteção do Alumínio As peças de alumínio deverão ser protegidas com papel crepe para o transporte, manuseio e estocagem. O papel somente deverá ser retirado na hora da montagem. Deverão ser tomados 123

124 os cuidados para não ferir as superfícies, especialmente durante as operações de transporte e desmontagem das esquadrias. Recomenda-se, quando possível, que os caixilhos sejam montados somente após a conclusão dos serviços de massa. Após a instalação das esquadrias, a superfície do alumínio será protegida pela aplicação de tinta-filme, a ser removida apenas ao final da obra. -Montagem dos Vidros A colocação dos vidros deverá ser feita de maneira a se evitar danos aos caixilhos Peitoril em granito Os peitoris dos caixilhos indicados deverão ser em granito natural Amarelo Samoa, com padrão de acabamento e dimensões conforme indicado em projeto de arquitetura. Imagem 33- GRANITO AMARELO SAMOA 124

125 13. VIDRO 13.1 Condições gerais Os vidros serão de qualidade adequada aos fins a que se destinam claros, sem manchas, bolhas e de espessura iforme e sem empenamentos. Deverão obedecer aos requisitos da EB-92. Deverão permanecer com suas etiquetas de fábrica, até serem instalados e inspecionados. Fora as gaxetas, os demais componentes de vidraçaria e materiais de vedação, deverão chegar à obra em recipientes herméticos, lacrados e com a etiqueta do fabricante. Os vidros serão fornecidos em dimensões previamente determinadas, obtidas através de medidas das esquadrias tiradas na obra e procurando sempre que possível evitar cortes no local da construção. As placas de vidro serão cuidadosamente cortadas, com contornos nítidos, não podendo apresentar defeitos como extremidades lascadas, pontas salientes e cantos quebrados, nem folga excessiva com relação ao requadro de encaixe. As bordas dos cortes deverão ser esmerilhadas de forma a se tornarem lisas e sem irregularidades 13.2 Tipos de vidros Serão utilizados os seguintes tipos de vidros conforme descrição abaixo: - Vidro cristal comum liso incolor 4mm de espessura; 125

126 - Vidro laminado liso incolor 6mm de espessura; - Vidro temperado liso incolor 6mm de espessura; - Vidro temperado serigrafado liso cor branco 8mm de espessura; - Espelho cristal incolor espessura 5mm. 14. IMPERMEABILIZAÇÕES Considerações gerais: Deverão ser verificados os caimentos dos pisos e lajes antes de iniciados os serviços de impermeabilização, assim como arremates para tubos, ralos, vigas invertidas ou quaisquer outros elementos que resultem em descontinuidade da superfície a ser impermeabilizada. Deve ser utilizada mão-de-obra de comprovada experiência para as impermeabilizações. Não devem ser executadas impermeabilizações em tempo excessivamente úmido. Devem ser testados os serviços pela prova d'água, tomando-se as devidas precauções quanto à sobrecarga para este teste. Devem ser observadas todas as recomendações dos fabricantes dos produtos Com Tinta Asfáltica Será executada nas seguintes superfícies: - superfícies de concreto não aparente das fdações que tenham contato com o solo; 126

127 Na execução da impermeabilização sobre as superfícies enterradas de concreto que tenham contato com o solo, deverão ser observados os seguintes procedimentos: a) a impermeabilização visa impedir a umidade por capilaridade e deverá ser executada com tinta à base de alcatrão aplicada em 3 (três) demãos, por meio de brocha; Cada demão só deverá ser aplicada quando a precedente estiver seca ao toque. Na execução da impermeabilização deverão ser observadas todas as recomendações e especificações do fabricante do material. Fornecedores de referência: Otto Baumgart, Sika, Denver, ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas 14.2 Com Argamassa Polimérica Os sanitários do 2º pavimento receberão impermeabilização com argamassa polimérica bicomponente, à base de cimento, agregados minerais inertes, polímeros acrílicos e aditivos, A aplicação deverá ser feita em demãos cruzadas, com o auxílio de uma trincha, rolo ou vassoura de pelos, macia, sobre a superfície previamente umedecida. Recomenda--se especial atenção a detalhes, como tubulação emergente, arestas de rodapés, jtas e outras ocorrências que provoquem descontinuidade do substrato, em que é aconselhada a utilização de um selante apropriado, previamente à aplicação da argamassa polimérica Com Manta Asfáltica espessura de 3mm. Será utilizada no piso e na jardineira do primeiro pavimento, piso externo e degraus no 127

128 segdo pavimento. SERVIÇOS PRELIMINARES E COMPLEMENTARES Preliminarmente à execução dos serviços de impermeabilização da área, deverá ser feita a remoção do contrapiso, proteção mecânica e impermeabilização existentes. Após a remoção deverá ser verificado o estado da regularização, ou seja, se a mesma se encontra bem aderida, e se os caimentos executados se encontram de acordo com o necessário. Caso a mesma se encontre bem aderida e com os caimentos adequados, deverá ser previsto um acerto na mesma (caso necessário). No caso de a mesma se encontrar em desacordo com o necessário, deverá se proceder a total remoção e reexecução. Os equipamentos existentes e suas tubulações serão removidos e recolocados. Também quando da execução da remoção é recomendável que seja prevista uma revisão das tubulações de descida, promovendo antes da execução da nova regularização a substituição dos tubos que apresentem problemas. A manta a ser utilizada deverá ser ensaiada de acordo com a NBR-9952/07 completa. Deverá ser previsto pelos proponentes o fornecimento de lotes únicos de cada tipo de manta, de modo a propiciar a realização de um ensaio de cada tipo de material. Estes serviços só poderão ser avaliados completamente após a execução da remoção, quando será possível avaliar e confirmar "in loco" os serviços à serem executados. 128

129 Preparação da superfície Para preparação da base, deverão ser adotados algs parâmetros básicos, conforme descrito a seguir: a. A área a ser tratada deverá estar isenta de corpos estranhos (pedaços de madeira, ferro etc.), pó, graxa ou óleos. Obs.: Após a remoção das impurezas, deve-se jatear a área com água em abdância, se necessário utilizar detergente para total retirada das sobras destes elementos. b. Deverão ser fixadas todas as tubulações e/ou corpos estranhos pertencentes a área. c. Após a limpeza deverão ser determinadas as cotas mínimas e máximas que poderão ser encontradas na área em questão (espessura de massa). Os eventuais ninhos e cavidades que existam na estrutura, deverão ser preenchidos com argamassa forte, traço 1:3 (em volume). d. Após a definição dos caimentos, execução das mestras, umedecer com água de amassamento a superfície sobre a qual deverá ser aplicada a argamassa de regularização. Os ralos, em geral, deverão ser chumbados com argamassa expansiva tipo "grout". Evitar arrematá-los sem antes tirar papéis, madeiras etc., a fim de garantir que o chumbamento seja o mais firme possível Preparação da argamassa Para preparação da argamassa, recomenda-se utilização de betoneira para homogeneização da mesma. O procedimento de execução deverá ser realizado conforme descrito a seguir: a. Preparar a água de amassamento, adicionando em 200L de água limpa e isenta de oleosidade e 20L de aditivo promotor de aderência com base acrílica. Bater bem até obter uma mistura homogênea. 129

130 b. O traço da argamassa deverá ser 1:3 (cimento CP - 32 de fabricação recente e areia média peneirada, respectivamente), usando-se a água previamente preparada, dando à argamassa uma consistência pastosa e homogênea, sem contudo ser mole demais. No caso de o acerto da superfície proceder conforme descrito neste item, a argamassa deverá ser executada com espessura mínima de 2 cm Execução da regularização A regularização objetiva tratar adequadamente a superfície sobre a qual será aplicada a impermeabilização, devendo ser executada após a preparação da base e da argamassa conforme segue: a. A argamassa de regularização deverá ser batida em betoneira no próprio canteiro de obras, em distância não superior a 150 m. b. A textura deverá ser rústica, desempenada com desempenadeira de madeira e consistência bastante compacta, não devendo existir vazios. c. A cura prevista "mínima" é de 48 horas, sendo que só após esta é que deverá ser aplicado o sistema impermeabilizante especificado. d. As superfícies verticais deverão ser executadas sobre um chapisco de cimento e areia grossa, no traço 1:2 (em volume). e. Os cantos e arestas (verticais e horizontais) deverão ser arredondados em meia cana (R = 5 a 8cm), segdo a NBR f. As superfícies horizontais deverão receber caimento mínimo de 0,5% (NBR-9575, 1.998), em direção aos pontos de escoamento de água e a espessura mínima desta argamassa deverá ser de 2cm. g. Nas superfícies verticais a regularização deverá ficar afastada em relação a superfície acabada da parede, no mínimo 3 cm. 130

131 h. Aplicar sobre a regularização seca uma demão de primer, com rolo ou trincha e aguardar a secagem por no mínimo 6 horas i. Na região dos ralos, deverá ser criado um rebaixo de 1cm de profdidade, com área de 40x40 cm com bordas chanfradas para que haja nivelamento de toda a impermeabilização, após a colocação dos reforços previstos neste local. Os ralos e demais peças emergentes deverão estar adequadamente fixados de forma a executar os arremates Impermeabilização e proteção Sistema: Manta asfáltica, SBS, 3 mm, Tipo III-B, EL, PP ou AP, aderida a maçarico Após a limpeza total do substrato, retirando-se todos os agregados soltos, bem como poeira existente, proceder conforme segue: a. Aplicar uma demão de primer (NBR-9686/06), pintura de ligação, com pincel ou rolo, sobre a superfície a ser impermeabilizada. b. Após a completa secagem do primer, que é de aproximadamente 4 horas, dependendo das condições climáticas, fazer o alinhamento da manta e iniciar a aplicação. c. Fazer o alinhamento da manta conferindo o ponto de saída do sistema (esquadro). d. Ir desenrolando a manta NBR 9952/07 (manta asfáltica tipo III, B, EL, PP ou AP, com 3 mm de espessura, fabricada com asfalto elastomérico (SBS)), aquecendo a superfície e ao mesmo tempo a manta com maçarico, procedendo a colagem, aquecendo e espatulando os dois lados da mesma. e. Após a colocação da primeira manta, as demais deverão ser sobrepostas em 10cm, tomando-se precaução de que haja uma perfeita fusão entre as mantas. f. Durante a aplicação, exercer forte pressão sobre as mantas a fim de expulsar eventuais bolhas de ar que possam estar retidas entre estas e a superfície. g. Todas as emendas deverão ser aquecidas e espatuladas. 131

132 h. Executar a mantas na posição horizontal, subindo 10 cm para a vertical (rodapés). Colocar a manta na posição vertical, alinhando-a e aderindo-a, sobrepondo em 10 cm a manta aderida na horizontal. Nas emendas das mantas, deverá haver sobreposição de 10 cm que receberão biselamento para proporcionar perfeita vedação Teste de lâmina d água De acordo com a NBR-9574/1986, item 5.14, deverão ser colocadas barreiras na área impermeabilizada e ser executado o teste com lâmina d'água (5 cm) com duração mínima de 72 horas, para verificação da eficiência na aplicação do sistema empregado na área. Após a aplicação da manta asfáltica e teste de estanqueidade, aplicar duas demãos de tinta alumínio sobre a linha de biselamento (emendas das mantas) Proteção mecânica Sobre a impermeabilização aplicar argamassa de cimento e areia, traço 1:4, com 1 cm de espessura. Nas verticais, aplicar chapisco prévio com cimento e areia, traço volumétrico 1:3, proceder a colocação da tela galvanizada hexagonal, fio 24 (BWG), 1/2" ou tela plástica, comprimindo a mesma sobre a argamassa. Fixar a mesma com pino de aço ou pedaços de manta na faixa de aderência prevista em projeto e sobre esta executar a argamassa final. 15. FORROS A infraestrutura de sustentação do forro suspensos deverá ser providenciada diretamente pela construtora, dentro dos procedimentos convencionais e normas de segurança, garantindo-lhe 132

133 permanente estabilidade, sob sua inteira responsabilidade Forro de gesso acartonado Os forros indicados como gesso serão executados em placas fixas e bordas rebaixadas, do tipo acartonado em ambas as faces, na espessura de 12,5 mm, jtas invisíveis, preparado para pintura. A fixação dos painéis deverá ser feita através de estrutura metálica galvanizada de forma a garantir a estabilidade do conjto e o arremate com as alvenarias será feito através de tabicas metálicas, seguindo detalhe de projeto. Durante a execução do forro deverão ser verificados todos os detalhes previstos no projeto, atentando-se principalmente para os seguintes controles: - Verificação prévia do fcionamento de instalações que resultarão embutidas no plenum; - Prévia proteção de componentes metálicos (janelas, etc.) que poderão ser atingidos por pasta de gesso de rejtamento; - Prévia conclusão dos trabalhos que possam ter interferência no forro (revestimento de paredes, instalação de caixilhos, etc.); - Verificação da cota, do nível e do posicionamento de referências para a instalação dos perfis e/ou das placas; - Correta localização de luminárias - Dimensões mínimas de seção transversal dos tirantes; - Limitação das flechas dos perfis de sustentação; - Tipo de aço e tipo de proteção anticorrosiva dos perfis de sustentação; - Características das pinturas dos perfis; - Características dos demais acessórios (presilhas, cantoneiras, dispositivos de ião, etc.). 133

134 Fornecedores de referência: Knauf, Placo Saint-Gobain, Gypsum ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas Forros acústico em fibra mineral Será executado forro em placas de fibra mineral com pintura a base de látex aplicada em fábrica e aplicação de bioblock plus na frente e verso das placas, NRC min. 0,55, espessura 15mm com borda tegular. Modulação 62,5 x 62,5cm, conforme detalhes em projeto. O forro deverá ser instalado com sistema de perfis e tirantes metálicos em aço fornecidos pelo mesmo fabricante. Os perfis serão em aço galvanizado tipo T de 15/16 em banho quente e costura dupla de fábrica, com capa de poliéster branca e 24mm de base. Fornecedores de referência: Armstrong Mod. Georgian, Hter Douglas ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas 16.3 Forro de gesso acartonado perfurado Na sala de espera do primeiro pavimento será utilizado forro de gesso contínuo padrão perfurado quadrado de 12x12mm a cada 25mm, esp.:12,5mm, com coeficiente de absorção acústica NRC 0,74. Sobre o forro deverá ser aplicado lã de rocha com densidade de 48 kgf/cm³. O forro deverá ser instalado com sistema de perfis e tirantes metálicos em aço fornecidos pelo mesmo fabricante e receber acabamento em pintura com tinta acrílica cor branco. Fornecedores de referência: Saint Gobain Placo Mod. Rigitone 12/25Q ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas 134

135 16.4 Forro modular de alumínio A área externa do primeiro pavimento receberá forro modular removível de alumínio na cor branco, liso, apoiado em perfis metálicos tipo "T" suspensos por perfis rígidos. Modulação 62,5 x 62,5cm, conforme detalhes em projeto. Fornecedores de referência: Hter Douglas Mod. Tile Tegular cor Blanco Nieve 7000, Remaster, Refax ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas 17. REVESTIMENTOS DE PAREDES INTERNAS Antes de ser iniciado qualquer serviço de revestimento de paredes, deverão ser testadas todas as canalizações nelas contidas, conforme recomendações dos Projetos de Instalações Elétricas e Hidráulicas Chapisco com argamassa de cimento e areia Todas as alvenarias bem como as superfícies de concreto previstas para posterior revestimento de qualquer tipo (massa única, massa fina, azulejos, etc.) receberão chapisco comum com argamassa de cimento e areia, traço: 1: Emboço único Todas as alvenarias internas novas previstas para receberem pintura serão emboçadas com camada única de argamassa mista de cimento, cal em pasta e areia no traço 1:2:8. 135

136 Todas as alvenarias previstas para receberem revestimentos cerâmicos serão emboçadas com argamassa mista de cimento e areia no traço 1:4, sendo vedada a utilização de cal. Somente após a pega completa da argamassa de assentamento das alvenarias e do chapisco prévio e embutidas e testadas todas as tubulações, deverão ser aplicadas a camada única de revestimento com emboço. O emboço deverá ser fortemente comprimido contra as superfícies e sarrafeado, tendo como gabaritos faixas mestras verticais, executadas, previamente, com o mesmo tipo de argamassa. Para superfícies que receberão pintura, o paramento final deverá apresentar superfície lisa, e para as superfícies que receberão revestimento cerâmico, o paramento final deverá apresentar superfície áspera ou riscada para melhorar a aderência do revestimento final. O aspecto final deve apresentar-se iforme, sem falhas, fissuras de retração ou descontinuidades, resultando em superfície absolutamente plana Revestimentos cerâmicos As peças deverão estar limpas, isentas de materiais estranhos e deverão ser assentadas a seco, sem imersão prévia em água. As peças cerâmicas serão cuidadosamente escolhidas no canteiro de obras, quanto à qualidade, calibragem e desempenho, sendo descartadas todas as peças que demonstrarem defeitos de superfície, discrepância de bitola ou empeno. 136

137 Quanto à calibragem admite-se uma discrepância de bitola da ordem de 1 a 2 mm, sendo imprescindível, desta forma, que se proceda a uma cuidadosa seleção e classificação do material. O aspecto da superfície deverá apresentar-se iforme, sem falhas, fissuras de retração ou descontinuidade de aplicação da argamassa. As eventuais correções ou reparos deverão receber tratamento especial. Após terem sidos gerados cordões com a argamassa adesiva, e estando estes ainda frescos, efetua-se o assentamento, batendo-se uma a uma as cerâmicas. A espessura final da camada entre a cerâmica e o emboço será de 2 mm. Conforme indicação em projeto, serão utilizados os seguintes revestimentos cerâmicos: - Copa (1º pavimento) Revestimento em placa cerâmica na cor neve assentada com jtas a prumo, dim.: 10x10cm, 03 fiadas. Fornecedores de referência: Eliane - Arquitetural Mesh, ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas. 137

138 Imagem 35- REVESTIMENTO 10x10 O rejtamento será feito com argamassa adesiva impermeável pré-fabricada, tipo cimento colante, cor branco. - Sanitários (2º pavimento) Revestimento em placa cerâmica extrudada esmaltada cor branco com jtas em amarração, dim.: 24x5,5cm. Fornecedores de referência: Gail Revest Combicolor 2109 cor 2250 (branco), Portobello, Eliane ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas. O rejtamento será feito com argamassa acrílica, cor branco, conforme indicação do fabricante. Imagem

139 17.6 Rejtamento O rejtamento será feito com argamassa adequada, conforme especificação no item anterior. O rejtamento deverá ser feito com pasta obtida pela hidratação de massa pré-fabricada, especial para jtas de cerâmicas ou azulejos com adição de corantes na tonalidade predominante da cerâmica. As jtas deverão ser corridas e iformes, com espessura conforme recomendação do fabricante. Decorridas 48 horas do assentamento deverá ser verificada a perfeição dos serviços, percutindo uma a uma as cerâmicas e procedendo à imediata substituição daquelas que denotarem pouca aderência ou que se apresentarem lascadas, trincadas ou quebradas. A substituição deverá observar todo o processo descrito anteriormente. Após a completa secagem do rejtamento, verificadas e corrigidas as eventuais falhas ou defeitos de coloração, as superfícies serão completamente limpas com o uso de pano seco ou estopa limpa. As eventuais sobras de pasta de rejtamento secas e endurecidas não poderão, em hipótese alguma, ser reutilizadas. Fornecedores de referência: Gail, Eliane ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas 17.7 Argamassa adesiva Na aplicação das cerâmicas será utilizada argamassa adesiva especial pré-fabricada do tipo 139

140 cimento colante, misturada na proporção recomendada pelo fabricante. Os materiais deverão ser bem amassados e a argamassa resultante permanecerá em repouso por 15 minutos e reamassada antes do uso. A argamassa deverá ser preparada em pequenas quantidades, o suficiente para ser utilizada por um período máximo de 3 horas. A argamassa deverá ser aplicada diretamente sobre o emboço com o lado liso de uma desempenadeira de aço numa espessura de 3 mm a 4mm. Em seguida, com o lado denteado da desempenadeira, provocar o aparecimento de sulcos e cordões paralelos para melhor fixação. Fornecedores de referência: Gail, Eliane Ligamax Gold Extra, ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas Revestimento a base de fibra de vidro Revestimento a base de fibra de vidro lavável, fixado com cola adequada, com acabamento em pintura com tinta látex, acrílica na cor indicada em projeto. A superfície deverá estar limpa, lisa e regularizada. Preparar a cola vinílica no balde e aplicar com o rolo de pintura. Importante: espalhar a cola homogeneizando a superfície da parede. Aplicar o material na parede e fixar com auxílio de uma espátula. Utilizar a espátula de 30 cm regularizando a superfície evitando deformidades e o aparecimento de bolhas. Fazer o acabamento, cortando o material excedente no teto e no chão. Utilizar a espátula como guia para o corte das sobras do material. 140

141 Aguardar o tempo de secagem da cola. Aplicar a tinta quando a cola estiver seca Fornecedores de referência: Placo Saint Gobain Novelio T1009-Braid ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas - CASA DE MÁQUINAS PARA AR CONDICIONADO (4º PAVIMENTO) Revestimento acústico em manta de material não tecido sintético com 50mm de espessura com densidade de 35 kg/m³. Fornecedores de referência: Isonar Termobonder ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas. Imagem REVESTIMENTOS DE PAREDES EXTERNAS 18.3 Chapisco com argamassa de cimento e areia Todas as alvenarias bem como as superfícies de concreto previstas para posterior revestimento de qualquer tipo (massa única, massa fina, azulejos, etc.) receberão chapisco comum com argamassa de cimento e areia, traço: 1:3. 141

142 18.4 Emboço único Todas as alvenarias internas previstas para receberem pintura serão emboçadas com camada única de argamassa mista de cimento, cal em pasta e areia no traço 1:2:8. Todas as alvenarias previstas para receberem revestimentos cerâmicos serão emboçadas com argamassa mista de cimento e areia no traço 1:4, sendo vedada a utilização de cal. Somente após a pega completa da argamassa de assentamento das alvenarias e do chapisco prévio e embutidas e testadas todas as tubulações, deverão ser aplicadas a camada única de revestimento com emboço. O emboço deverá ser fortemente comprimido contra as superfícies e sarrafeado, tendo como gabaritos faixas mestras verticais, executadas, previamente, com o mesmo tipo de argamassa. Para superfícies que receberão pintura, o paramento final deverá apresentar superfície lisa, e para as superfícies que receberão revestimento cerâmico, o paramento final deverá apresentar superfície áspera ou riscada para melhorar a aderência do revestimento final. O aspecto final deve apresentar-se iforme, sem falhas, fissuras de retração ou descontinuidades, resultando em superfície absolutamente plana Prevenção de trincas Nas paredes externas aplicar fita de polietileno e membrana à base de emulsão PVA, armada com tela de aço galvazinado, no encontro da estrutura metálica e a alvenaria. O aspecto final deverá apresenta-se iforme, sem falhas, fissuras de retração ou descontinuidades, resultando em superfície absolutamente plana. 142

143 18.6 Revestimento em porcelanato A mureta da jardineira do primeiro pavimento receberá revestimento em porcelanato com jtas a prumo, dim.: 60x60cm, esp.: 8,5mm Fornecedores de referência: Eliane - Minimum Cimento RE, Portobello, Cecrisa ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas O rejtamento será feito com argamassa epóxi pré-fabricada, conforme indicação do fabricante Revestimento em argamassa especial As faces externas da alvenaria de vedação da copa receberão revestimento em argamassa a base de cimento Portland, agregados, aditivos, fibras e inibidores de retração, com efeito visual de cimento queimado, esp.:2mm. A aplicação deverá ser feita sobre emboço rugoso, limpo e levemente umedecido, com desempenadeira lisa, em faixas de até 1,5. Fornecedores de referência: Bautech - Cimento queimado, pronto, cor grafite ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas. Após aplicação do produto, a superfície não poderá ter contato com água por no mínimo 72h. Após esse período, deverá ser impermeabilizada com resina acrílica indicada pelo fabricante. Fornecedores de referência: Bautech - Resina Acrílica Multiuso Nota: A Construtora deverá apresentar para aprovação da fiscalização, quatro amostras de 143

144 acabamento e coloração para as paredes externas. 19. PISOS INTERNOS E EXTERNOS 19.3 Regularização de Base com Argamassa para Revestimento de Pisos Camada de argamassa, executada sob área coberta da construção, com solicitação leve, e espessura máxima de 2 cm, sobre laje ou lastro impermeabilizado. As fases de marcação ou marcação e elevação da alvenaria devem estar concluídas. Entretanto, a fixação ainda não deve ter sido executada. Se houver instalações elétricas no piso devem estar executadas e testadas. Conforme indicação em projeto, serão utilizados os seguintes pisos: 19.4 PISOS INTERNOS Piso elevado com carpete (Salas de reião do primeiro pavimento) As salas de reião do primeiro pavimento, bem como a área de circulação, receberão piso elevado em sistema de painéis de polipropileno reciclado de 50x50cm apoiados e intertravados por pedestais do mesmo material, fixos e componíveis, que deverá obedecer a norma ABNT O mesmo deverá apresentar altura acabada máxima básica de 70mm, chegando a até 270mm através das sobreposições dos pedestais, quando necessário. Piso elevado instalado nessa altura básica deverá possuir plenum de tráfego de cabos e 144

145 eletrodutos com altura livre mínima de 40mmx160mm, permitindo o cruzamento de dutos e cabos e calhas. Por tratar-se de área sujeita a alterações, o revestimento aplicado deverá permitir o remanejamento de suas placas, inclusive daquelas com caixas de tomada sem a necessidade de compra de novos revestimentos e ou inutilização dos existentes. O piso elevado quando instalado deverá permitir o aterramento do conjto para obter a capacidade de dissipação estática conforme Norma ASTM F150 - resistência a condutividade elétrica 1X109 b Max, antes da colocação do revestimento e para tanto será efetuado teste em loco. Em caso de continuidade, não deverão existir desníveis entre o piso ou piso elevado existente e os pisos a serem instalados. O piso deverá dispor de recursos técnicos ou construtivos que prescindam de aterramento de carcaça. Cada peça ou módulo deverá ser removível, por uso de ventosas ou outro acessório, sendo vedado o uso de parafusos de fixação. As peças deverão ser intertravadas entre si, garantindo perfeita estabilidade e rigidez do conjto. Os acessórios não poderão ser colados ou aparafusados à laje, contra piso ou piso sobre o qual será instalado. O sistema deverá prescindir de peças complementares de acabamento, senão aquela de fechamento vertical perimetral. Os pisos elevados deverão ser montados sobre manta de polietileno de alta densidade, núcleo fechado com características antichama e antiestática, com no mínimo 2,0mm de espessura, sob contra piso devidamente limpo e desempenado; Não serão admitidos pisos elevados cujos painéis, acessórios ou características construtivas apresentem ruídos ou deformações quando submetidas ao tráfego de pessoas. Todas as placas, mesmo as recortadas, deverão ter suas extremidades totalmente apoiadas. Os 145

146 recortes necessários deverão ser executados de modo que estes fiquem em local de menor impacto visual. O piso terá acabamento em placas de carpete de 50x50cm coladas com produto adequado às placas do piso. O rodapé será do mesmo material, com altura de 7cm. Deve ser modulado e colado ao piso elevado, não comprometendo a característica de movimentação das placas, inclusive com as caixas de tomada, preservando a facilidade na manutenção pelo próprio usuário sem a necessidade de compra de novos revestimentos e/ou perda dos existentes. As placas de revestimento deverão ser coladas às placas de piso dentro da modulação sem qualquer excesso que possa dificultar a remoção e reinstalação das placas de piso e que provoque atrito com placas adjacentes. O sistema contempla também a rede elétrica modular, que é constituída de caixas elétricas de piso, cabos de interligação e cabos de alimentação. As caixas elétricas de piso são metálicas e já são fornecidas seladas (do tipo tampa e caixa, rebitadas), contendo de um lado 3(três) conectores de troca rápida de 9 polos, do tipo fêmea e do outro lado 4(quatro) tomadas tripolares que podem ser de pino iversal ou pino chato padrão NEMA. Os cabos de interligação são constituídos de cabos de controle e conectores de 9 polos, do tipo macho, um em cada extremidade do cabo, sendo que um prensa-cabos de alumínio injetado fixa conector e capa externa do cabo de controle. Nas áreas de piso elevado o cabeamento elétrica deverá ser todo modular e fornecida montada, utilizando-se conectores polarizados e de engate rápido para as conexões padrão. As caixas de tomadas deverão possibilitar que se trabalhe com a tampa fechada, mesmo com os pinos conectados a fim de preservar a conexão e de possíveis acidentes dos usuários. As 146

147 tomadas elétricas utilizadas nas caixas de piso devem ser homologadas pelo INMETRO, atendendo a NBR 6147 sendo obrigatória à comprovação através de relatórios e laudos. É mandatário que as caixas elétricas de piso possam ser acessadas e mantidas independentes das placas de piso elevado, permitindo facilidade no remanejamento e acesso aos pontos elétricos e lógicos. O projeto de piso elevado é referencial. A CONTRATADA deverá providenciar jto à empresa fornecedora projeto executivo de instalação do piso elevado, sendo o mesmo aprovado antes da execução do serviço pela contratante. NÃO SERÁ ADMITIDA A CONTRATAÇÃO PARCIAL DO PISO ELEVADO, TRATA-SE DE CONTIUNUIDADE DE LINHA E, PORTANTO, O SISTEMA DEVERÁ SER INSTALADO INTEGRADO. Fornecedores de referência: Piso elevado Remaster ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas. Fornecedores de referência: Carpete Bealieu Linha Luxury, padrão 554/Black Diamond, Artesana, Damatex ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas 147

148 Imagem 38- ESQUEMA DO PISO ELEVADO Piso em porcelanato (Copa do primeiro pavimento) Será utilizado porcelanato acabamento natural, retificado, Dim.: 500x500mm, aplicado com jtas a prumo, e rodapé no mesmo material e acabamento, dim.:100x500mm. O rejtamento será feito com argamassa adesiva impermeável pré-fabricada, tipo cimento colante. As jtas deverão ser iformes, com aproximadamente 2 mm de espessura, o que poderá ser obtido com o uso de linha de nylon. O posicionamento dos elementos das instalações elétricas e hidráulicas deverá ser feito com a devida antecedência para que não haja interferência ou descontinuidade nos trabalhos. As peças a serem utilizadas em arremates deverão ser cortadas com ferramentas adequadas, não devendo apresentar rachaduras ou emendas. As bordas de corte serão tratadas de forma a se apresentarem lisas e sem irregularidades. 148

149 Imagem 39- Piso e rodapé em Porcelanato Fornecedores de referência: Eliane Minimum Cimento NA, Portobello, Cecrisa ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas Revestimento cerâmico- Piso em Porcelanato- SANITÁRIOS DO 2º PAVIMENTO Será aplicado nos sanitários e na área de serviço revestimento cerâmico assentado com jtas a prumo, dimensão 40 x 30cm, acabamento cor preto. Fornecedores de referência: Portobello-Linha Mineral, Black Polido, código 23205E, ou similar, desde que atenda as mesmas características técnicas e seja devidamente aprovado pela FISCALIZAÇÂO. IMAGEM 40- PISO CERÂMICO O rejtamento será feito com argamassa adesiva impermeável pré-fabricada, tipo cimento colante, cor preto. Fornecedores de referência: Fortaleza, Rejtabrás, Quartzolit ou similar, desde que atenda as mesmas características técnicas e seja devidamente aprovado pela 149

150 FISCALIZAÇÂO Piso em granito (Recepção e circulação dos sanitários do segdo pavimento) A recepção do segdo pavimento deverá receber piso em granito em placas conforme padrão existente na área de ampliação. O mesmo acontecerá na circulação dos sanitários e copa. O granito com espessura será de 2cm será assentado com argamassa colante. Os acabamentos e paginação deverão seguir o padrão existente. Os granitos fornecidos serão aprovados pela fiscalização e não deverão apresentar manchas, fissuras, trincas ou qualquer outra irregularidade. IMAGEM 41- GRANITO AMARELO SAMOA 150

151 Piso elevado com granito (Sala de reião do quarto pavimento) IMAGEM 42- INSTALAÇÃO DO SITEMA DE PISO ELEVADO EM POLIPROPILENO (ELÉTRICA, LÓGICA E REVESTIMENTO EM GRANITO AMARELO SAMOA) A sala de reião do quarto pavimento receberá piso elevado em sistema idêntico ao do item acima, sendo que seu acabamento será em placas com a cor conforme padrão existente. As placas de granito deverão medir 500X500mm ±1mm, com as dimensões calibradas, padrão exportação, com a espessura das placas de 15mm ±0,2mm. Todas as placas devem ser bizotadas em todo o perímetro da superfície de tráfego, para evitar quebra dos cantos. Grau de polimento superior a 80. Deve ser modulado e colado ao piso elevado, não comprometendo a característica de movimentação das placas, inclusive com as caixas de 151

152 tomada, preservando a facilidade na manutenção pelo próprio usuário sem a necessidade de compra de novos revestimentos e/ou perda dos existentes. As placas de revestimento deverão ser coladas às placas de piso dentro da modulação sem qualquer excesso que possa dificultar a remoção e reinstalação das placas de piso e que provoque atrito com placas adjacentes. Deverá existir em todo o perímetro das placas de revestimento, tratamento que elimine os riscos de quebra, esfoliação ou qualquer dano ao revestimento. Após a instalação deverá existir um espaço mínimo de 1mm (um milímetro) e máximo de 02mm (dois milímetros) entre as placas de piso elevado a fim de preservar as jtas de dilatação e que permitam a montagem e desmontagem das placas de piso. O peso dos revestimentos não deverá ser superior a 40 Kgf/, a fim de otimizar as sobrecargas admissíveis das lajes sobre as quais serão instalados o conjto piso elevado e revestimento. O sistema contempla também a rede elétrica modular, que é constituída de caixas elétricas de piso, cabos de interligação e cabos de alimentação. As caixas elétricas de piso são metálicas e já são fornecidas seladas (do tipo tampa e caixa, rebitadas), contendo de um lado 3(três) conectores de troca rápida de 9 pólos, do tipo fêmea e do outro lado 4(quatro) tomadas tripolares que podem ser de pino iversal ou pino chato padrão NEMA. Os cabos de interligação são constituídos de cabos de controle e conectores de 9 pólos, do tipo macho, um em cada extremidade do cabo, sendo que um prensa-cabos de alumínio injetado fixa conector e capa externa do cabo de controle. Nas áreas de piso elevado o cabeamento elétrica deverá ser todo modular e fornecida montada, utilizando-se conectores polarizados e de engate rápido para as conexões padrão. 152

153 As caixas de tomadas deverão possibilitar que se trabalhe com a tampa fechada, mesmo com os pinos conectados a fim de preservar a conexão e de possíveis acidentes dos usuários. As tomadas elétricas utilizadas nas caixas de piso devem ser homologadas pelo INMETRO, atendendo a NBR 6147 sendo obrigatória à comprovação através de relatórios e laudos. É mandatário que as caixas elétricas de piso possam ser acessadas e mantidas independentes das placas de piso elevado, permitindo facilidade no remanejamento e acesso aos pontos elétricos e lógicos. O projeto de piso elevado é referencial. A CONTRATADA deverá providenciar jto à empresa fornecedora projeto executivo de instalação do piso elevado, sendo o mesmo aprovado antes da execução do serviço pela contratante. Fornecedores de referência: Piso elevado revestido com granito Remaster ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas NÃO SERÁ ADMITIDA A CONTRATAÇÃO PARCIAL DO PISO ELEVADO, TRATA-SE DE CONTIUNUIDADE DE LINHA E, PORTANTO, O SISTEMA DEVERÁ SER INSTALADO INTEGRADO Pisos externos Piso em porcelanato (Área externa do primeiro pavimento) Será utilizado porcelanato acabamento resistente ao escorregamento, retificado, dim. 600x600mm, aplicado com jtas a prumo. O rejtamento será feito com argamassa adesiva impermeável pré-fabricada, tipo cimento colante. 153

154 As jtas deverão ser iformes, com aproximadamente 2 mm de espessura, o que poderá ser obtido com o uso de linha de nylon. As peças a serem utilizadas em arremates deverão ser cortadas com ferramentas adequadas, não devendo apresentar rachaduras ou emendas. As bordas de corte serão tratadas de forma a se apresentarem lisas e sem irregularidades. Imagem 43 Fornecedores de referência: Eliane Minimum Cimento RE, Portobello, Cecrisa ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas Piso em placas cerâmicas extrudadas (Estacionamento de Visitantes) O piso existente na área externa, em ardósia, que for demolido será substituído por placas cerâmicas extrudadas de alta resistência, tamanhos 600x300mm e 300x300mm, cor cinza claro, espessura 12mm, jtas de 3mm, superfície com proteção anti manchamento, não absorção de impurezas e fácil limpeza. Assentamento com argamassa de alto rendimento adequada e rejtamento com rejte aluminoso. As placas deverão ser assentadas conforme paginação detalhada em projeto. Notar que a área da entrada possui paginação diferente do resto da área. Sobre os degraus existente 154

155 embaixo das muretas, deverão ser usadas as placas de 600x300mm recortadas sob medida conforme largura do degrau. A face vertical do degrau (espelho) receberá acabamento cimentado. Fornecedores de referência: Hter Douglas/NBK Linha Kerart R10 cor cinza claro ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas. Imagem 44- CERÂMICA LINHA KERART 19.6 Soleiras As soleiras serão de granito Amarelo Samoa com espessura de 2 cm, com dimensões relativas a cada vão, conforme indicado no projeto de arquitetura SINALIZAÇÃO EXTERNA Sinalização Tátil Instalação de piso tátil, em porcelanato, 25 X 25 cm, de modo INTEGRADO, sem desnível 155

156 aparente. O piso tátil deverá ter cor contrastante com a do piso adjacente e será fixado integrado aos pisos existentes, nos locais e paginação definidos no projeto arquitetônico, observando no assentamento em argamassa e rejtamento obedecendo as recomendações do fabricante do piso. As peças do piso tátil deverão apresentar modulação que garanta a continuidade da textura e não poderá apresentar desnível com relação ao piso adjacente, exceto aquele existente no próprio relevo. Será aplicado piso tátil de alerta conforme indicado em projeto, cor azul. Protótipo Comercial: Eliane Linha Arqtec. Imagem 45- PORCELANATO TÁTIL A execução deve atender as normas da NBR 9050 e o Decreto 5296 de 02 de dezembro de Sinalização para vaga de estacionamento Pintura de faixas demarcatórias e sinalização horizontal para deficiente físico, em adesivo com acabamento microtexturizado e antiderrapante, conforme NBR Padrão a ser definido, mediante aprovação do Setor de Infraestrutura FASPESP. 156

157 Protótipo Comercial: Sinalização Horizontal para Deficientes Físicos - Redondo 1m-Seton, ou similar, desde que atenda às mesmas características técnicas Peitoris Nos caixilhos novos deverão ser instalados peitoris em granito Amarelo Samoa, seguindo o padrão existente, conforme indicação em projeto. 20. LOUÇAS E METAIS 20.3 Louças Sanitárias e Acessórios Os aparelhos serão de qualidade superior sem manchas ou defeitos e colocados conforme indicado no projeto de arquitetura. No rejtamento dos aparelhos, será empregada pasta de cimento branco. As louças deverão ser brancas e do tipo e fabricantes abaixo listados ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas; a) Bacia sanitária com caixa acoplada, com assento plástico Consumo de até 6 lts./descarga, cor branca, com assento plástico e tampas compatíveis com o conjto, em conformidade com as NBR 9338/97, 11852/92 e 6452/97; caixa com marcação de linha d água para regulagem de boia. Ref.: Deca Vogue Plus P505 / Assento Vogue Plus AP 50, ou similar, desde que apresentem 157

158 as mesmas características técnicas Imagem 46- BACIA COM CAIXA ACOPLADA b) Nos sanitários acessíveis ao uso de portadores de deficiências: Bacia sanitária com caixa de descarga de embutir, com assento plástico. Consumo de até 6 lts./descarga, cor branca, com assento plástico e tampas compatíveis com o conjto, em conformidade com as NBR 9338/97, 11852/92 e 6452/97; caixa com marcação de linha d água para regulagem de bóia. Ref.: Deca Linha Conforto mod. P510/ AP510 ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas Imagem 47- BACIA SANITÁRIA PADRÃO 158

159 c) Caixa de descarga de embutir Ref. Montana cód. 9000C ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas. Imagem 48- CAIXA DE DESCARGA DE EMBUTIR d) Lavatório com cola suspensa Ref.: Deca Vogue Plus L510+C510, ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas 159

160 Imagem 49- Lavatório de cola e) Cuba em louça branca de semi-encaixe quadrada cor branco, Dim.: 550x420x160mm Ref. Deca ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas. Imagem 50- CUBA f) Lavatório para uso de portadores de deficiência física de canto em louça branca Ref.: Deca ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas 160

161 Imagem 51- Lavatório especial g) Mictório individual em louça branca com sifão integrado. Ref.: MICTÓRIO COM SIFÃO INTEGRADO Código M.713, Deca ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas. Imagem 52- MICTÓRIO 20.4 METAIS Todos os metais serão inteiramente novos, em perfeitas condições de fcionamento e acabamento. Quando da colocação dos metais nos aparelhos, não se permitirão furos ou adaptações nas peças observando-se locais próprios de colocação. 161

162 a) Torneira tipo Presmatic Ref. Deca - Torneira Decamatic c/ fechamento automático cód. 1170C ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas. Imagem 53- TORNEIRA DE PRESSÃO b) Torneira de lavagem Ref. Deca mod C3, Fabrimar, Docol ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas. Imagem 54- TORNEIRA DE JARDIM c) Torneira tipo Pressmatic para portadores de deficiência Ref. Docol - Torneira Pressmatic Benefit c/ alavanca cód , ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas 162

163 Imagem 55- TORNEIRA PARA DEFICIENTE d) Sifão cromado para lavatórios de sanitários Ref. Deca mod ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas da Docol ou Perflex Imagem 56- sifão cromado e) Sifão articulado para sanitário para portadores de deficiência Ref. Deca mod C

164 Imagem 57 -SIFÃO ARTICULADO f) Válvula de descarga para portadores de deficiência Ref. Docol, Deca, ou similar, desde que atenda às mesmas características técnicas Imagem 58 -VÁLVULA ESPECIAL g) Válvula para mictório com fechamento automático Ref. Deca cód. 2570C ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas. 164

165 Imagem 59 -VÁLVULA PARA MICTÓRIO h) Ducha higiênica Ref. Deca Linha Activa Max ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas. Imagem 60-DUCHA HIGIÊNICA 21. LUMINÁRIAS Em todos os locais, segdo o posicionamento especificado na Planta de Forro e Iluminação do projeto de arquitetura, serão utilizadas as luminárias descritas abaixo: 165

166 21.3 Luminárias internas a) Luminária quadrada de embutir em forro modular para 4 lâmpadas fluorescentes T5 de 14W. Corpo em chapa de alumínio. Refletor e aletas parabólicas em alumínio miro. Dimensões: 617x617x41mm / Nicho 600x600mm Ref.: Lumicenter FAA04-E414, Mega Light, Itaim Iluminação ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas Imagem 61-Luminária quadrada de embutir b) Luminária pendente para 01 lâmpada tubular T5 de 54w Com corpo em perfil de alumínio com acabamento em pintura eletrostática na cor branco. Difusor em acrílico translúcido. Alojamento do reator no próprio corpo e suspensão por cabos de aço. Dimensões: 1200x78x67mm Ref.: Itaim Iluminação 3436-P, Mega Light, Lumicenter ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas 166

167 Imagem 62 -Pendente c) Luminária quadrada de embutir em forro de gesso para 2 lâmpadas fluorescentes compactas de 26w. Corpo em chapa de aço tratada com acabamento em pintura eletrostática epóxi-pó na cor branco. Refletor em alumínio anodizado e difusor em louver parabólico alto brilho. Dimensões: 260x260x85mm / nicho: 235x235mm Ref.: Mega Light PE200, Lumicenter, Itaim Iluminação ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas Imagem 63-Luminária de embutir quadrada- 2 lâmpadas d) Luminária quadrada de embutir em forro de gesso para 2 lâmpadas fluorescentes compactas de 18W. Corpo em chapa de aço tratada com acabamento em pintura eletrostática epóxi-pó na cor 167

168 branco. Refletor em alumínio anodizado e difusor em acrílico translúcido. Dimensões: 260x260x85mm / Nicho: 235x235mm Ref.: Mega Light PE200/ACR, Lumicenter, Itaim Iluminação ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas Imagem 64-LUMINÁRIA DE EMBUTIR e) Luminária quadrada de sobrepor para 2 lâmpadas fluorescentes compactas de 18W. Corpo em chapa de aço tratada com acabamento em pintura eletrostática epóxi-pó na cor branco. Refletor em alumínio anodizado e difusor em acrílico translúcido. Dimensões: 260x260x85mm Ref.: Mega Light PS200, Lumicenter, Itaim Iluminação ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas Imagem 65- LUMINÁRIA QUADRADA DE SOBREPOR 168

169 f) Luminária quadrada de embutir com um foco orientável, para lâmpada halógena par 20 de 50w. Corpo em chapa de aço tratada com acabamento em pintura eletrostática epóxi-pó na cor branco. Dimensões: 145x145x130mm / nicho: 125x125mm Ref.: Mega Light PE1018/1, Lumicenter, Itaim Iluminação ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas Imagem 66- Luminária com foco orientável g) Luminária de embutir em forro de gesso para 01 lâmpada fluorescente T5 tubular de 28w. Corpo em alumínio e aço tratado com acabamento em pintura eletrostática epóxi-pó na cor branco. Difusor em acrílico translúcido. Dimensões: 1267x106x112mm / nicho: 1250x90mm Ref.: Mega Light FLE136, Lumicenter, Itaim Iluminação ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas 169

170 Imagem 67- Luminária T5 h) Luminária assimétrica de embutir em forro de gesso para 1 lâmpada fluorescente t5 tubular de 54w. Corpo em perfil de alumínio extrudado com acabamento em pintura eletrostática epóxi-pó na cor branco. Refletor em chapa de alumínio com acabamento matte. Dimensões: 1250x140x115mm Ref.: Mega Light FLE128, Lumicenter, Itaim Iluminação ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas Imagem 68 -Luminária assimétrica i) Fita de LED 14w/m com fontes de alimentação, conforme Projeto de forro e iluminação. Imagem 69- FITA DE LED 170

171 j) Luminária de embutir em forro de gesso para 01 lâmpada fluorescente T5 tubular de 14w. Corpo em alumínio e aço tratado com acabamento em pintura eletrostática epóxi-pó na cor branco. Difusor em acrílico translúcido. Dimensões: 647x106x112mm / nicho: 630x90mm Ref.: Mega Light FLE139, Lumicenter, Itaim Iluminação ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas Imagem 70- Luminária de embutir k) Luminária de sobrepor para 01 lâmpada fluorescente tubular T5 de 14w. Corpo em perfil de alumínio com acabamento em pintura eletrostática na cor branco. Difusor em acrílico leitoso. Dimensões: 590x78x67mm Ref.: Itaim Iluminação mod.3436-s, Mega Light, Lumicenter ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas Imagem 71-Luminária de sopbrepor 171

172 l) Luminária quadrada de sobrepor para 1 lâmpada fluorescente de 18w, dupla. Corpo em alumínio repuxado com acabamento em pintura eletrostática epóxi-pó na cor branca. Refletor em alumínio anodizado multi-facetado de alto brilho. Ref.: Megalight, Lumicenter, ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas. Imagem 72- Luminária quadrada de sobrepor 22. PINTURA 22.3 Condições gerais Os serviços de pintura somente serão iniciados após a secagem ou cura completa das superfícies a que se destinam, devendo as mesmas ser cuidadosamente limpas, escovadas 172

173 e raspadas, para remover partes soltas, sujeiras, poeiras e outras substâncias estranhas. As superfícies a pintar deverão ser protegidas, de forma a evitar que poeiras, fuligens, cinzas e outros materiais estranhos possam se depositar durante a aplicação e secagem da tinta. Antes de iniciar-se qualquer serviço de pintura, deverá ser verificada a preparação da superfície de acordo com as recomendações dadas, e que a tinta seja apropriada ao tipo de superfície. Deverá ser aplicada outra demão de tinta quando a precedente estiver perfeitamente seca, devendo observar um intervalo de 2 horas entre demãos sucessivas. Na aplicação de massas para preparo das superfícies, deverá ser utilizada massa acrílica nas superfícies externas. Nas superfícies, protegidas da umidade, poderão ser utilizadas massa corrida sem diluição. As superfícies que não serão pintadas deverão ser protegidas com tiras de papel, pano, fitas adesivas ou outros materiais. A remoção de salpicos deverá ser feita quando a tinta estiver seca, empregando removedor adequado, sempre que necessário. Antes do início de qualquer trabalho de pintura, será feita uma amostra de cores com as dimensões mínimas de 0,50 x 1,00 m no próprio local a que se destina, para aprovação do CONTRATANTE. Deverão ser usadas tintas de fabricação recente, prazo inferior a 90 dias, não sendo permitidas composições diferentes das indicações dos fabricantes 173

174 As tintas aplicadas deverão ser diluídas conforme orientação do fabricante e aplicadas na proporção recomendada. As camadas deverão ser iformes, sem corrimento, falhas ou marcas de pincéis. Todas as tintas deverão ser rigorosamente misturadas dentro das latas e periodicamente mexidas com uma espátula limpa, antes e durante a aplicação, para obter uma mistura densa iforme e evitar a sedimentação dos pigmentos e componentes mais densos. A última demão de acabamento será aplicada somente após a conclusão dos serviços de forro, divisórias, iluminação, etc. Os trabalhos de pintura em locais desabrigados deverão ser suspensos em tempos de chuva ou de excessiva umidade. As cores aqui descritas são meramente referenciais. Os tons exatos a serem utilizados serão definidos durante as obras pela fiscalização, mediante apresentação pela Construtora do catálogo do fabricante de tintas. Este catálogo deverá ser completo, incluindo todas as cores previstas em sistemas computadorizados de mixagem de pigmentos. Serão solicitadas amostras de no mínimo 1,00 nos locais antes da decisão final. Deverão ser adotadas precauções especiais, com a finalidade de evitar respingos de tinta em superfícies não destinadas à pintura, tais como vidros, ferragens de esquadrias e outras Tinta Acrilica Serão pintadas com tinta acrílica as paredes, além dos forros em gesso e lajes conforme indicação em projeto. 174

175 Os procedimentos abaixo deverão ser observados quando da aplicação da pintura sobre as superfícies emboçadas e emassadas: a) Serão removidas as manchas de óleo, graxa, mofo e outras porventura existentes, com detergente apropriado; b) Lixamento leve e remoção do pó ou partículas soltas; c) Uma demão de fdo selador acrílico, a rolo ou pincel, a título de queima ; d) Decorridas 24 (vinte e quatro) horas da aplicação do fdo, deverá ser feita a aplicação da massa acrílica, a ser executada com espátula ou desempenadeira de aço, em camadas finas e em número suficiente para um perfeito nivelamento da superfície. Deverá ser observado um intervalo mínimo de 3 (três) horas entre camadas de massa; e) Após 24 (vinte e quatro) horas, no mínimo, da aplicação da última camada de massa, lixamento, com lixa fina e remoção do pó com espanador; f) Uma demão de fdo selador acrílico a rolo ou pincel; g) Após 12 (doze) horas, aplicação de 2 (duas) demãos de acabamento, a rolo, da tinta. Entre as 2 (duas) demãos haverá intervalo mínimo de 24 (vinte e quatro) horas Superfície de metal galvanizado Preparar a superfície com lixa para ferro 150 ou 100 e, posteriormente, remover o pó com estopa embebida em aguarrás. Aplicar então um fdo para galvanizados (Galvite, Galvoprimer, Fdo para Galvanizados, etc) ou um fdo fosfatizante com trinchas de cerdas 175

176 macias ou rolo de espuma. Para garantir a perfeita aderência, deixar secar entre 18 a 24 horas e lixar com lixa 150, eliminando o pó com estopa embebida em aguarrás. Depois disso aplicar o Esmalte sintético alto brilho em duas demãos Tinta esmalte sintético Superfície de madeira Os batentes e guarnições e folhas das esquadrias de madeira receberão acabamento em pintura esmalte alto brilho na cor branca. Deverão ser previamente lixadas e completamente limpas de quaisquer resíduos. Todas as imperfeições serão corrigidas com massa. Após lixar a superfície, primeiro com lixa grossa e depois com lixa fina, deverá ser aplicada uma demão de primer selante, conforme recomendação do fabricante, a fim de garantir resistência à umidade e melhor aderência das tintas de acabamento. Pinturas em superfícies metálicas Estruturas Metálicas, Gradis, guarda-corpos, portões e plataforma metálica serão pintados com tinta esmalte sintético alto brilho em cor definida em projeto O mesmo processo adotado para a escolha da cor das paredes externas deverá ser adotado para a definição desta cor. Os procedimentos abaixo deverão ser observados quando na aplicação do esmalte sintético nas superfícies metálicas: 176

177 a) Toda a superfície metálica será completamente limpa de toda a ferrugem, quer por meios mecânicos - escova ou palha de aço, lixa ou outros meios, quer por processo químico. b) Limpas e secas as superfícies tratadas e antes que o processo de oxidação se reinicie, será aplicada uma demão de fdo preparador; c) Como acabamento final, duas demãos de tinta aplicadas a pincel. Serão pintadas com tinta esmalte sintético alto brilho na cor branco todos os caixilhos de ferro, portas de madeira e rodapés, existentes e novos, estrutura metálica do alpendre, inclusive rufos e estrutura existente de cobertura a ser mantida, conforme indicação em projeto. 23. SERRALHERIA 23.3 Corrimão e Guarda Corpo Estão previstos corrimãos na rampa de acesso no estacionamento. Os mesmos serão executados em tubos de aço galvanizado para acabamento em pintura esmalte sintético, conforme detalhes do projeto, e deverão seguir a NBR 9050/2004 (Acessibilidade de pessoas portadoras de deficiências). Na plataforma metálica será executado guarda corpo com tubos em aço galvanizado com h=1,20m e acabamento com pintura esmalte sintético. Não serão admitidas concordâncias em ângulo nos encontros e mudanças de direção do corrimão. Todas as concordâncias entre os elementos deverão ser curvas com raio nca inferior a 5cm. 177

178 As peças deverão ter pintura esmalte brilhante com cores definidas no projeto de arquitetura Barras de apoio dos sanitários No sanitário para portadores de necessidades especiais serão utilizadas barras de apoio em aço inoxidável com 4cm de diâmetro nas costas e na lateral da bacia e no entorno do lavatório. No sanitário masculino serão utilizadas barras na posição vertical ao lado de um dos mictórios, conforme projeto de arquitetura. Todas deverão seguir as recomendações da NBR 9050/2004 (Acessibilidade de pessoas portadoras de deficiências) Gradil metálico Serão instalados : GR01 DIM.: 2,52x2,10m Portão com 01 folha de abrir tipo gradil de ferro com malha dim.: 200x50mm e barra horizontal 5mm, acabamento em pintura esmalte sintético cor conforme padrão existente; GR02 DIM.: 0,69x2,10m Portão com 01 folha de abrir tipo gradil de ferro com malha dim.: 200x50mm e barra horizontal 5mm, acabamento em pintura esmalte sintético cor conforme padrão existente; GR03 DIM.: 0,70x2,10m Gradil de ferro com malha dim.: 200x50mm e barra horizontal 5mm, módulo fixo, acabamento em pintura esmalte sintético cor conforme padrão existente 178

179 GR04 DIM.: 1,05x2,10m Gradil de ferro com malha dim.: 200x50mm e barra horizontal 5mm, módulo fixo, acabamento em pintura esmalte sintético cor conforme padrão existente 23.6 Grelhas de ferro fdido As grelhas em ferro fdido existentes na área do estacionamento de visitantes serão substituídas por novas, também em ferro fdido, nos tamanhos: Conjto módulos de 122x25cm Conjto módulos de 125,5x24cm Conjto módulos de 141x24cm Cada módulo terá tela perfurada tipo moeda em aço inoxidável, furo de 17 a 22mm, fixada por baixo em toda a sua extensão e largura. As grelhas serão apoiadas em requadros de cantoneira também em ferro, grampeados, feitos sob medida para cada vão. 24. MARCENARIA Conforme projeto de arquitetura, serão executados: 24.1 MOB 01 Painel da sala de espera (1º pavimento) Móvel em compensado naval revestido com lâmina de madeira padrão Freijó Escuro (ref.: Léo madeiras), composto por duas torres, um módulo horizontal aberto e um módulo horizontal com portas e prateleira em vidro 15mm suspensa por afastadores de 10mm. Fdo em 179

180 espelho. DIM.: 4,0x2,45x0,35m 24.2 MOB 02 Armário da impressora (1º pavimento) Armário com 07 portas e uma porta falsa, 03 prateleiras e um nicho aberto com fdo. Conjto em compensado naval 20mm revestido com lâmina de madeira padrão Freijó Escuro (ref.: Léo madeiras). Prateleiras internas soltas e pinos instalados a cada 10cm para regulagem. DIM.: 2,50x2,45x0,45m 24.3 MOB 03 Gabinete sob granito da copa (1º pavimento) Gabinete com 04 portas e prateleiras internas em compensado naval 20mm revestido com laminado melamínico conforme padrão existente. Prateleiras aéreas com suporte invisível no mesmo material e acabamento. DIM.: 1,67x0,60x0,54m aprox. / 0,80x0,30x0, MOB 04 Bancada com mesa da copa (1º pavimento) Bancada com 04 portas e prateleiras internas, um gaveteiro e mesa para refeições com frontão em compensado naval 20mm revestido com laminado melamínico conforme padrão existente. Prateleiras aéreas com suporte invisível no mesmo material e acabamento. DIM.: 3,48x0,70x0,55m aprox. / 0,8x0,35x0,02 aprox MOB 05 Guichê (Setor de Correspondência) e painel de madeira (2º pavimento) Reforma do Guichê de atendimento existente, com novo tampo e fechamento tipo guilhotina em vidro com aplicação de película tipo persiana cor branco na peça superior, sem trilho inferior. Requadros deverão ser feitos com chapas de 30mm revestidas. Fdos e caixote superior do guichê deverão ser feitos com chapas de 15mm revestidas e na parte inferior do 180

181 guichê será revestido com vidro serigrafado branco 6mm colado diretamente no fdo do móvel. Todas as peças serão revestidas com laminado melamínico padrão madeirado Ref.: Carvalho Linheiro M821 NT (Fórmica) ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas MOB 06 Balcão da recepção (2º pavimento) Balcão de atendimento da recepção em compensado naval revestido com laminado melamínico padrão madeirado, ref.: Carvalho Linheiro M821 NT (Fórmica) ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas. Peça sobreposta em silestone, ref.: Branco Zeus ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas. Armário baixo complementar em duas peças com duas portas de correr cada em compensado naval revestido com laminado melamínico padrão madeirado, ref.: Carvalho Linheiro M821 NT (Fórmica) ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas. DIM.: 2,64x1,00x2,30m / 2,40x0,35x0,85m 25. DIVERSOS 25.1 Painel decorativo Painel usinado decorativo de 15mm revestido com lâmina PET 80% reciclada, com acabamento termolaminado a vácuo na cor branco, Aplicação por sistema de velcro de nos fdos do armário existente, conforme indicação em projeto. Ref.: Mentha PET Modelo Sphera ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas DIM.: 2,05x2,38m 181

182 Imagem 73- PAINEL DECORATIVO 25.2 Cortinas No segdo pavimento serão instaladas cortinas, sendo: - Recepção, CA02 Cortina com 08 painéis com tela solar 3% cor cinza, com acionamento manual. Ref.: Hter Douglas Luxaflex PLX Panamá 3 cor Silver ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas - Área de Correspondências, CA03 Cortina tipo persiana com lâminas horizontais de 25mm em alumínio cor cinza claro, com acionamento manual. Ref.: Hter Douglas Luxaflex Linha Metais Preciosos cor Light Grey ou similar, desde que 182

183 apresentem as mesmas características técnicas 25.3 Painel com Logotipo em letra caixa (Recepção) O painel que receberá o logotipo da FAPESP, na recepção será executado em vidro serigrafado 8mm cor branco. O logotipo será executado em letra caixa de aço inox, largura de 117cm, altura proporcional, espessura 2cm. Abaixo do logotipo será aplicado, também em aço inox, o texto FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DE SÃO PAULO em letras maiúsculas, largura 215cm, altura proporcional, espessura 1mm, em letra recortada. O conjto será fixado com fita dupla face no vidro. Ref.: Letreiros Montec ou similar, desde que apresentem as mesmas características técnicas 26. MÁRMORES E GRANITOS Estão previstos tampos de granito com espessura de 2cm nas bancadas da copa no 1o pavimento e dos sanitários feminino e masculino no 2o pavimento, conforme detalhamento do projeto de arquitetura. Na copa o granito deverá seguir o padrão existente: 183

184 IMAGEM 76-COPA DA PRESIDÊNCIA Nos sanitários, deverá ser no padrão Branco Polar. Os tampos deverão ser apoiados em perfis T metálicos. Os granitos fornecidos serão aprovados pela fiscalização e não deverão apresentar manchas, fissuras, trincas ou qualquer outra irregularidade. 27. INSTALAÇÕES DE AR CONDICIONADO Vide especificação completa no Projeto Executivo de Instalações de Ar Condicionado- ANEXO F 28. INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Vide especificação completa no Projeto Executivo de Instalações elétricas- ANEXO D. 29. INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS Vide especificação completa no Projeto Executivo de Instalações hidráulicas- ANEXO E. 184

EDITAL DE PREGÃO (ELETRÔNICO) 10/2014 PROCESSO

EDITAL DE PREGÃO (ELETRÔNICO) 10/2014 PROCESSO EDITAL DE PREGÃO (ELETRÔNICO) n 10/2014 PROCESSO n 13/350-M ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 17/06/2014. DATA

Leia mais

EDITAL DE PREGÃO (ELETRÔNICO) 17/2015 PROCESSO

EDITAL DE PREGÃO (ELETRÔNICO) 17/2015 PROCESSO EDITAL DE PREGÃO (ELETRÔNICO) n 17/2015 PROCESSO n 15/145-M ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 26/08/2015. DATA

Leia mais

EDITAL DE PREGÃO (ELETRÔNICO) 12/2016 PROCESSO

EDITAL DE PREGÃO (ELETRÔNICO) 12/2016 PROCESSO EDITAL DE PREGÃO (ELETRÔNICO) n 12/2016 PROCESSO n 16/134-M ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 10/06/2016. DATA

Leia mais

MINUTA DE EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO OBJETIVANDO A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTÍNUOS CONTRATADOS SOB O REGIME DE EMPREITADA POR PREÇO GLOBAL.

MINUTA DE EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO OBJETIVANDO A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTÍNUOS CONTRATADOS SOB O REGIME DE EMPREITADA POR PREÇO GLOBAL. MINUTA DE EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO OBJETIVANDO A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTÍNUOS CONTRATADOS SOB O REGIME DE EMPREITADA POR PREÇO GLOBAL. PREÂMBULO EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO n PROCESSO n OFERTA DE

Leia mais

EDITAL DE PREGÃO (ELETRÔNICO) 07/2015 PROCESSO

EDITAL DE PREGÃO (ELETRÔNICO) 07/2015 PROCESSO EDITAL DE PREGÃO (ELETRÔNICO) n 07/2015 PROCESSO n 15/054-M ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 21/05/2015. DATA

Leia mais

DATA E HORA DA ABERTURA DA SESSÃO PÚBLICA: 16/07/2009 às 09:00hs

DATA E HORA DA ABERTURA DA SESSÃO PÚBLICA: 16/07/2009 às 09:00hs EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO n 99/2009 PROCESSO n 001.0250.000.292/2009 OFERTA DE COMPRA Nº 090121000012009OC00510 ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br DATA DO INÍCIO DO PRAZO

Leia mais

FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DE SÃO PAULO

FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DE SÃO PAULO 1 EDITAL DE PREGÃO (ELETRÔNICO) n 02/2012 PROCESSO n 11/341-M ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 17/02/2012.

Leia mais

FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DE SÃO PAULO

FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DE SÃO PAULO 1 EDITAL DE PREGÃO (ELETRÔNICO) n 24/2010 PROCESSO n A-10/043 ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 01/09/2010.

Leia mais

EDITAL DE PREGÃO (ELETRÔNICO) 36/2014 PROCESSO

EDITAL DE PREGÃO (ELETRÔNICO) 36/2014 PROCESSO EDITAL DE PREGÃO (ELETRÔNICO) n 36/2014 PROCESSO n 14/352-M ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 24/11/2014. DATA

Leia mais

DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 09/06/2011. DATA E HORA DA ABERTURA DA SESSÃO PÚBLICA: 22/06/2011 09:00hs

DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 09/06/2011. DATA E HORA DA ABERTURA DA SESSÃO PÚBLICA: 22/06/2011 09:00hs EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO n 205/2011 PROCESSO n 001.0250.000.532/2011 OFERTA DE COMPRA Nº 090121000012011OC00516 ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br DATA DO INÍCIO DO

Leia mais

EDITAL DE PREGÃO (ELETRÔNICO) 19/2015 PROCESSO

EDITAL DE PREGÃO (ELETRÔNICO) 19/2015 PROCESSO EDITAL DE PREGÃO (ELETRÔNICO) n 19/2015 PROCESSO n 15/199-M ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 28/08/2015. DATA

Leia mais

Instruções para Cotação Eletrônica 152/2014

Instruções para Cotação Eletrônica 152/2014 Instruções para Cotação Eletrônica 152/2014 (Inciso II do Art. 24 da Lei nº 8.666/93 c/c Portaria nº 306, de 13 de dezembro de 2001). A União, por intermédio do Instituto Nacional de Câncer José Alencar

Leia mais

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA CNPJ 66.495.110/0001-80

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA CNPJ 66.495.110/0001-80 PREÂMBULO MODALIDADE: PREGÃO (ELETRÔNICO) N 151/2012 PROCESSO N 214/2012-A OFERTA DE COMPRA Nº 102601100652012OC00173 ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br DATA DO INÍCIO

Leia mais

DATA E HORA DA ABERTURA DA SESSÃO PÚBLICA: 07/04/2016 as 09h 00min

DATA E HORA DA ABERTURA DA SESSÃO PÚBLICA: 07/04/2016 as 09h 00min EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO OBJETIVANDO A AQUISIÇÃO DE BENS (ENTREGA IMEDIATA) EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO n 133/2016 PROCESSO n 001.0250.000.150/2016 OFERTA DE COMPRA Nº 090121000012016OC00143 ENDEREÇO

Leia mais

SEGUNDA ATUALIZAÇÃO DA ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº.006/2015 PREGÃO PRESENCIAL Nº.008/2015. VALIDADE: 01/04/2016

SEGUNDA ATUALIZAÇÃO DA ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº.006/2015 PREGÃO PRESENCIAL Nº.008/2015. VALIDADE: 01/04/2016 SEGUNDA ATUALIZAÇÃO DA ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº.006/2015 PREGÃO PRESENCIAL Nº.008/2015. VALIDADE: 01/04/2016 Aos três dias do mês de junho de 2015, o Município de Santo Antônio da Patrulha/RS, neste

Leia mais

PODER EXECUTIVO. Publicado no D.O de 18.02.2010 DECRETO Nº 42.301 DE 12 DE FEVEREIRO DE 2010

PODER EXECUTIVO. Publicado no D.O de 18.02.2010 DECRETO Nº 42.301 DE 12 DE FEVEREIRO DE 2010 Publicado no D.O de 18.02.2010 DECRETO Nº 42.301 DE 12 DE FEVEREIRO DE 2010 REGULAMENTA O SISTEMA DE SUPRIMENTOS NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O GOVERNADOR

Leia mais

MUNICÍPIO DE PORTO FERREIRA Estado de São Paulo DIVISÃO DE SUPRIMENTOS Seção de Licitações e Contratos

MUNICÍPIO DE PORTO FERREIRA Estado de São Paulo DIVISÃO DE SUPRIMENTOS Seção de Licitações e Contratos INSTRUÇÕES GERAIS PARA OBTENÇÃO DO C.R.C. (CERTIFICADO DE REGISTRO CADASTRAL), CONFORME DISPOSTO NA LEI Nº 8.666/93 1. CADASTRAMENTO 1.1 PROCEDIMENTO 1.1.1 A empresa interessada em obter o Certificado

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO REGIONAL DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO- DETRAN

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO REGIONAL DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO- DETRAN EDITAL EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO Nº 66/2014 PROCESSO DETRAN Nº 106851-2/2014 ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br e www.bec.fazenda.sp.gov.br DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA:

Leia mais

COMPANHIA DOCAS DE SÃO SEBASTIÃO

COMPANHIA DOCAS DE SÃO SEBASTIÃO COMPANHIA DOCAS DE SÃO SEBASTIÃO EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO Nº 010/2014 PROCESSO Nº. 025/14 OFERTA DE COMPRA (OC) nº: 163301160932014OC00039 ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br DATA DO INÍCIO DO PRAZO

Leia mais

Conselho Regional de Economia da Paraíba 21ª Região

Conselho Regional de Economia da Paraíba 21ª Região EDITAL DE LICITAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE CONTADOR PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PROFISSIONAIS CONTÁBEIS E DE ASSESSORIA CONTÁBIL PARA O CONSELHO REGIONAL DE ECONOMIA 21ª REGIÃO PARAÍBA CONVITE Nº 002/2016

Leia mais

HOSPITAL REGIONAL DE ASSIS - TELEFONE (18) 3302.6000- SITO PCA DR. SYMPHRÔNIO A. DOS SANTOS S/N CENTRO ASSIS- SP. CEP 19814-015

HOSPITAL REGIONAL DE ASSIS - TELEFONE (18) 3302.6000- SITO PCA DR. SYMPHRÔNIO A. DOS SANTOS S/N CENTRO ASSIS- SP. CEP 19814-015 MINUTA DE EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO OBJETIVANDO A COMPRA DE BENS (ENTREGA PARCELADA) PREÂMBULO EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO n 393/2015 PROCESSO n 001.0250.000.947/15 OFERTA DE COMPRA Nº 090121000012015OC00492

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS TRANSPORTES METROPOLITANOS DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO CENTRO DE SUPORTE LOGÍSTICO

SECRETARIA DE ESTADO DOS TRANSPORTES METROPOLITANOS DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO CENTRO DE SUPORTE LOGÍSTICO EDITAL DE PREGÃO (ELETRÔNICO) STM N 011/2013 OFERTA DE COMPRA Nº 370101000012013OC00020 PROCESSO STM Nº 00640/2013 AQUISIÇÃO DE 1 (UM) KIT UPGRADE PARA IBM TS3100 DE LTO-3 SCSI PARA LTO-5 SAS ENDEREÇO

Leia mais

EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO OBJETIVANDO A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS NÃO CONTÍNUOS CONTRATADOS SOB O REGIME DE EMPREITADA POR PREÇO GLOBAL

EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO OBJETIVANDO A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS NÃO CONTÍNUOS CONTRATADOS SOB O REGIME DE EMPREITADA POR PREÇO GLOBAL EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO OBJETIVANDO A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS NÃO CONTÍNUOS CONTRATADOS SOB O REGIME DE EMPREITADA POR PREÇO GLOBAL PREÂMBULO EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO n.º 111/2014 PROCESSO n.º 11512/2014

Leia mais

HOSPITAL DAS CLÍNICAS FACULDADE DE MEDICINA DE BOTUCATU HCFMB

HOSPITAL DAS CLÍNICAS FACULDADE DE MEDICINA DE BOTUCATU HCFMB EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO OBJETIVANDO A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTÍNUOS CONTRATADOS SOB O REGIME DE EMPREITADA POR PREÇO GLOBAL. PREÂMBULO EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO n 024/2013 PROCESSO n 0594/2013

Leia mais

EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO Nº 010/2015 PROCESSO Nº: 017.104/2014 PREÂMBULO

EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO Nº 010/2015 PROCESSO Nº: 017.104/2014 PREÂMBULO Página 1 de 31 EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO Nº 010/2015 PROCESSO Nº: PREÂMBULO Oferta de Compra nº 512101510502015OC00012 Endereço Eletrônico: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br Data do Início

Leia mais

a) Relação explícita do pessoal técnico especializado, adequado e disponível para a realização do

a) Relação explícita do pessoal técnico especializado, adequado e disponível para a realização do 2. CONDIÇÕES PARA CREDENCIAMENTO 2.1. Poderão participar deste Credenciamento, as empresas que: 2.1.1 Atendam a todas as exigências deste Edital, inclusive quanto à documentação constante deste instrumento

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE Coordenadoria de Serviços de Saúde CENTRO PIONEIRO EM ATENÇÃO PSICOSSOCIAL AJJE

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE Coordenadoria de Serviços de Saúde CENTRO PIONEIRO EM ATENÇÃO PSICOSSOCIAL AJJE EDITAL DE PREGÃO (ELETRONICO) N 017/2014 Processo nº: 001.0186.000.414/2014 Modalidade: Pregão Eletrônico CRITÉRIO: Menor Preço Endereço Eletrônico: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br Oferta

Leia mais

25/06/2013 11:00 2954 11º - SP

25/06/2013 11:00 2954 11º - SP EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO Nº 006/13 - REPUBLICAÇÃO PROCESSO Nº 037/13 OFERTA DE COMPRA Nº OC Nº 163301160932013OC00032 DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 12/06/2013 DATA E HORA

Leia mais

EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO SEADE 014/2015 EXPEDIENTE SEADE 058/2015 ENDEREÇO ELETRÔNICO

EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO SEADE 014/2015 EXPEDIENTE SEADE 058/2015 ENDEREÇO ELETRÔNICO EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO SEADE n.º 014/2015 EXPEDIENTE SEADE n.º 058/2015 ENDEREÇO ELETRÔNICO:www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA:

Leia mais

EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO OBJETIVANDO A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTÍNUOS CONTRATADOS SOB O REGIME DE EMPREITADA POR PREÇOS UNITÁRIOS.

EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO OBJETIVANDO A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTÍNUOS CONTRATADOS SOB O REGIME DE EMPREITADA POR PREÇOS UNITÁRIOS. EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO OBJETIVANDO A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTÍNUOS CONTRATADOS SOB O REGIME DE EMPREITADA POR PREÇOS UNITÁRIOS. PREÂMBULO EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO n.º 063/2014 PROCESSO n.º 4384/2014

Leia mais

CARTA CONVITE Nº 017/2007 TIPO: MENOR PREÇO

CARTA CONVITE Nº 017/2007 TIPO: MENOR PREÇO CARTA CONVITE Nº 017/2007 TIPO: MENOR PREÇO PROCESSO Nº 017/2007 Tipo de Licitação: MENOR PREÇO DATA: 22/08/2007 HORÁRIO: 10:00 HORAS LOCAL: Universidade de Brasília Campus Universitário Darcy Ribeiro

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE JAGUARAÇU ESTADO DE MINAS GERAIS

PREFEITURA MUNICIPAL DE JAGUARAÇU ESTADO DE MINAS GERAIS ATA DE REGISTRO DE PREÇOS/CONTRATO Nº004-B/2016 PROCESSO LICITATÓRIO Nº018/2016 MODALIDADE: PREGÃO PRESENCIAL N 006/2016 VALIDADE: 12 (doze) meses O Município de Jaguaraçu, neste ato representado por seu

Leia mais

Processo nº 50608.000045/2014-27

Processo nº 50608.000045/2014-27 Processo nº 50608.000045/2014-27 EXAME DA DOCUMENTAÇÃO DE HABILITAÇÃO JURÍDICA, FISCAL, ECONÔMICO FINANCEIRA EDITAL Nº 0438/2014-08. Objeto: Seleção de empresa especializada para Execução de serviços técnicos

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INSUMOS ESTRATÉGICOS DE SAÚDE INSTITUTO BUTANTAN

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INSUMOS ESTRATÉGICOS DE SAÚDE INSTITUTO BUTANTAN EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO OBJETIVANDO A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTRATADOS SOB O REGIME DE EMPREITADA POR PREÇO GLOBAL PREÂMBULO EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO n 10/2015 PROCESSO n 001.0702.000.024/2015

Leia mais

Tem por objetivo esta Licitação de prestação de serviços neste estabelecimento de ensino. Constante do anexo I, deste convite.

Tem por objetivo esta Licitação de prestação de serviços neste estabelecimento de ensino. Constante do anexo I, deste convite. MINUTA DO CONVITE Nº 0011/2015 Natureza da Despesa: MANUTENÇÃO E CONSERVAÇÃO DE BENS E IMÓVEIS Fonte Recurso: Fonte 51 FUNDEB- APORTE FINANCEIRO 2015 Data de Emissão: 29/10/2015 Data da Licitação: 09/11/2014

Leia mais

EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO OBJETIVANDO A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTÍNUOS CONTRATADOS SOB O REGIME DE EMPREITADA POR PREÇOS UNITÁRIOS.

EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO OBJETIVANDO A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTÍNUOS CONTRATADOS SOB O REGIME DE EMPREITADA POR PREÇOS UNITÁRIOS. EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO OBJETIVANDO A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTÍNUOS CONTRATADOS SOB O REGIME DE EMPREITADA POR PREÇOS UNITÁRIOS. EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO n 21/10 PROCESSO FP n 807/10 ENDEREÇO

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DE COMPRAS E CONTRATAÇÕES

REGULAMENTO INTERNO DE COMPRAS E CONTRATAÇÕES REGULAMENTO INTERNO DE COMPRAS E CONTRATAÇÕES A FUNDAÇÃO MATUTU certificada pelo Ministério da Justiça como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público - OSCIP, institui o presente Regulamento

Leia mais

PROJETO BÁSICO DE LICITAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE DE FORNECIMENTO DE CARTÕES MAGNÉTICOS DE ALIMENTAÇÃO E REFEIÇÃO COM CARGAS MENSAIS. EDITAL n.

PROJETO BÁSICO DE LICITAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE DE FORNECIMENTO DE CARTÕES MAGNÉTICOS DE ALIMENTAÇÃO E REFEIÇÃO COM CARGAS MENSAIS. EDITAL n. PROJETO BÁSICO DE LICITAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE DE FORNECIMENTO DE CARTÕES MAGNÉTICOS DE ALIMENTAÇÃO E REFEIÇÃO COM CARGAS MENSAIS EDITAL n. 005/2013 TOMADA DE PREÇO n. 001/2013 Item 01. Requisitos básicos

Leia mais

Dispõe sobre a Cotação Eletrônica de Preços no Estado do Rio Grande do Sul.

Dispõe sobre a Cotação Eletrônica de Preços no Estado do Rio Grande do Sul. LEI Nº 13.179, DE 10 DE JUNHO DE 2009 Business Online Comunicação de Dados Dispõe sobre a Cotação Eletrônica de Preços no Estado do Rio Grande do Sul. A GOVERNADORA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. Faço

Leia mais

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA CNPJ 66.495.110/0001-80 PREÂMBULO

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA CNPJ 66.495.110/0001-80 PREÂMBULO PREÂMBULO MODALIDADE: PREGÃO (ELETRÔNICO) N 170/2013 PROCESSO N 277/2013-A OFERTA DE COMPRA Nº 102601100652013OC00207 ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br DATA DO INÍCIO

Leia mais

ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br

ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO OBJETIVANDO A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TRANSPORTE MEDIANTE LOCAÇÃO DE VEÍCULOS, EM CARÁTER NÃO EVENTUAL, SEM CONDUTOR E QUILOMETRAGEM LIVRE, SOB O REGIME DE EMPREITADA POR PREÇOS

Leia mais

SESSÂO DE ABERTURA: Local: Rua Pamplona n.º 1.200, 7º andar São Paulo SP Horário: 10h30 horas do dia 03 de Agosto de 2009

SESSÂO DE ABERTURA: Local: Rua Pamplona n.º 1.200, 7º andar São Paulo SP Horário: 10h30 horas do dia 03 de Agosto de 2009 IMPORTANTE: PARA PARTICIPAR DA LICITAÇÃO O INTERESSADO DEVERÁ RETIRAR O EDITAL SOB PROTOCOLO COM ATÉ 24 HORAS DE ANTECEDÊNCIA DO CERTAME NA SEDE DO CONSELHO SITUADO À RUA PAMPLONA, 1200 JD. PAULISTA CEP

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO RIO DE JANEIRO EDITAL DE CHAMADA PARA CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIO Nº 001/2016

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO RIO DE JANEIRO EDITAL DE CHAMADA PARA CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIO Nº 001/2016 EDITAL DE CHAMADA PARA CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIO Nº 001/2016 1.INTRODUÇÃO 1.1 O COREN/RJ, com sede na Avenida Presidente Vargas, nº 502, 3º, 4º, 5º e 6º andares, Centro, Rio de Janeiro/RJ, torna público que

Leia mais

2ª CHAMADA EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 001/2015

2ª CHAMADA EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 001/2015 PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO SECRETARIA MUNICIPAL DE SERVIÇOS BÁSICOS SEMUSB 2ª CHAMADA EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 001/2015 Edital de chamamento público para formalização de convênio com

Leia mais

Estado do Amazonas PREFEITURA MUNICIPAL DE TONANTINS CNPJ: 04.628.608/0001-16 Endereço: Rua Leopoldo Peres, s/n Centro, Tonantins AM

Estado do Amazonas PREFEITURA MUNICIPAL DE TONANTINS CNPJ: 04.628.608/0001-16 Endereço: Rua Leopoldo Peres, s/n Centro, Tonantins AM EDITAL CONVITE Nº 002/2015 1 PREÂMBULO 1.1. A, através da COMISSÃO MUNICIPAL DE LICITAÇÃO CML, adiante denominada simplesmente CML, CONVIDA essa firma para participar do certame licitatório, na modalidade

Leia mais

CONTRATO nº 09/2004 CLÁUSULA PRIMEIRA - DO OBJETO

CONTRATO nº 09/2004 CLÁUSULA PRIMEIRA - DO OBJETO CONTRATO nº 09/2004 A AGÊNCIA REGULADORA DE SERVIÇOS PÚBLICOS DO ESTADO DE ALAGOAS ARSAL, pessoa jurídica de direito público, inscrita no CNPJ/MF sob o No. 04.730.141/0001-10 com sede à Rua Cincinato Pinto,

Leia mais

Processo nº 50608.002622/2012-53

Processo nº 50608.002622/2012-53 Processo nº 50608.002622/2012-53 EXAME DA HABILITAÇÃO JURÍDICA, FISCAL E ECONÔMICO-FINANCEIRA EDITAL Nº 0336/2014-08. Objeto: Elaboração de Projeto Executivo Detalhado para a Reforma e Ampliação da Unidade

Leia mais

4. Cada representante credenciado poderá representar apenas uma licitante, em cada pregão eletrônico.

4. Cada representante credenciado poderá representar apenas uma licitante, em cada pregão eletrônico. EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO n 27/2009 PROCESSO SAA N 12.738/2009 ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 14/12/2009

Leia mais

EDITAL DE PREGÃO ELETRONICO OBJETIVANDO A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTINUOS CONTRATADOS SOB O REGIME DE EMPREITADA POR PREÇO UNITÁRIO

EDITAL DE PREGÃO ELETRONICO OBJETIVANDO A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTINUOS CONTRATADOS SOB O REGIME DE EMPREITADA POR PREÇO UNITÁRIO EDITAL DE PREGÃO ELETRONICO OBJETIVANDO A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTINUOS CONTRATADOS SOB O REGIME DE EMPREITADA POR PREÇO UNITÁRIO PREAMBULO PREGÃO ELETRÔNICO Nº 565/2013 Processo nº 001.0250.001.446/2012

Leia mais

EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO OBJETIVANDO A AQUISIÇÃO DE COBERTURA EM POLICARBONATO PARA O CLP

EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO OBJETIVANDO A AQUISIÇÃO DE COBERTURA EM POLICARBONATO PARA O CLP EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO OBJETIVANDO A AQUISIÇÃO DE COBERTURA EM POLICARBONATO PARA O CLP PREÂMBULO EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO N 04/2014 - CLP PROCESSO N 96/2014 - CLP OFERTA DE COMPRA (OC) N 102327100612013OC00007

Leia mais

Caixa Postal 68041 01061-970 São Paulo, SP - Brasil.

Caixa Postal 68041 01061-970 São Paulo, SP - Brasil. EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO OBJETIVANDO CONTRATAÇÃO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO (STFC), CONTÍNUO POR MEIO DE ENTRONCAMENTOS DIGITAIS (E1) COM SERVIÇO DE DISCAGEM DIRETA A RAMAL (DDR),

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO VERA CRUZ

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO VERA CRUZ ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO VERA CRUZ SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO EDITAL DE LICITAÇÃO Nº 01/2010 MODALIDADE CONVITE PROCESSO Nº 058/2010 Contratação de serviços

Leia mais

PROCURADORIA GERAL DO ESTADO DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO Rua Pamplona, nº 227, 9º andar - Fone: 3372-6370 Internet: www.pge.sp.gov.

PROCURADORIA GERAL DO ESTADO DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO Rua Pamplona, nº 227, 9º andar - Fone: 3372-6370 Internet: www.pge.sp.gov. EDITAL DE PREGÃO (ELETRÔNICO) PGE nº 25/2014 PROCESSO PGE nº 16831-1173480/2014 OFERTA DE COMPRA: 400102000012014OC00117 END. ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br DATA DO INÍCIO DO

Leia mais

EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS OBJETIVANDO A CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS PARA A CONFECÇÃO DE CORDÕES PARA CRACHÁ.

EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS OBJETIVANDO A CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS PARA A CONFECÇÃO DE CORDÕES PARA CRACHÁ. EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS OBJETIVANDO A CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS PARA A CONFECÇÃO DE CORDÕES PARA CRACHÁ. PREÂMBULO: REGISTRO DE PREÇOS PARA FUTURA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS PARA

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS PROCESSO SUSEP 15414.003162/2008-71 PREGÃO ELETRÔNICO Nº 04/2009

MINISTÉRIO DA FAZENDA SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS PROCESSO SUSEP 15414.003162/2008-71 PREGÃO ELETRÔNICO Nº 04/2009 A Superintendência de Seguros Privados - SUSEP realizará, às 15 horas do dia 16 de julho de 2009, licitação na modalidade PREGÃO ELETRÔNICO, tipo MENOR PREÇO, conforme autorização da Senhora Chefe do DEAFI,

Leia mais

DATA E HORA DA ABERTURA DA SESSÃO PÚBLICA: 24/02/2011 9:00 HS.

DATA E HORA DA ABERTURA DA SESSÃO PÚBLICA: 24/02/2011 9:00 HS. EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO n 56/2011 PROCESSO n 001.0250.000.052/2011 OFERTA DE COMPRA Nº 090121000012011OC00067 ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br DATA DO INÍCIO DO PRAZO

Leia mais

TERMO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO 769/CIENTEC/2013

TERMO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO 769/CIENTEC/2013 TERMO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO 769/CIENTEC/2013 1. DO TERMO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO 1.1 A Fundação de Ciência e Tecnologia, torna público o presente Termo de Dispensa de Licitação, autorizada no expediente

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE JANDAIA DO SUL CNPJ: 75771204/0001-25

PREFEITURA MUNICIPAL DE JANDAIA DO SUL CNPJ: 75771204/0001-25 CONTRATO Nº. 48/2015 CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS, QUE ENTRE SI CELEBRAM O MUNICÍPIO DE JANDAIA DO SUL E A EMPRESA PORTO SEGURO COMPANHIA DE SEGUROS GERAIS O Município de Jandaia do Sul pessoa jurídica

Leia mais

EDITAL TOMADA DE PREÇO PARA AQUISIÇÃO DE TUBOS DE CONCRETO

EDITAL TOMADA DE PREÇO PARA AQUISIÇÃO DE TUBOS DE CONCRETO PREFEITURA MUNICIPAL DE SOLEDADE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E AGRICULTURA EDITAL TOMADA DE PREÇOS Nº 38/2015 TIPO MENOR PREÇO EDITAL TOMADA DE PREÇO PARA AQUISIÇÃO DE TUBOS DE CONCRETO O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

Edital de convite para

Edital de convite para CÂMARA MUNICIPAL DE ARVOREZINHA EDITAL DE CONVITE N.º 004/2014 PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 006/2014 TIPO MENOR PREÇO POR ITEM ENTREGA DA DOCUMENTAÇÃO E ABERTURA DOS ENVELOPES DA DOCUMENTAÇÃO: 13/11/2014,

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO ATA DE REGISTRO DE PREÇOS PREGÃO ELETRÔNICO 01/2010 Processo nº 0.000.000.001735/2010-31 VALIDADE 12 (DOZE) MESES ATA Nº 1/2010 No dia 21 de dezembro do ano de dois mil e dez, no CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO

Leia mais

I. INFORMAÇÕES INICIAIS II. GLOSSÁRIO

I. INFORMAÇÕES INICIAIS II. GLOSSÁRIO PU_TRADICIONAL_100MM_15M Condições Gerais I. INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: CARDIF CAPITALIZAÇÃO S.A. CNPJ Nº. : 11.467.788/0001-67 PRODUTO: PU_TRADICIONAL_100MM_15M MODALIDADE: TRADICIONAL

Leia mais

INSTITUTO CHAPADA DE EDUCAÇÃO E PESQUISA. Regulamento de Compras e Contratos

INSTITUTO CHAPADA DE EDUCAÇÃO E PESQUISA. Regulamento de Compras e Contratos INSTITUTO CHAPADA DE EDUCAÇÃO E PESQUISA Regulamento de Compras e Contratos A presidente do ICEP no uso de suas atribuições e de acordo com lei 9.790/99 e decreto 3.100, torna público o Regulamento de

Leia mais

EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO OBJETIVANDO A COMPRA DE BENS (ENTREGA IMEDIATA)

EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO OBJETIVANDO A COMPRA DE BENS (ENTREGA IMEDIATA) EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO OBJETIVANDO A COMPRA DE BENS (ENTREGA IMEDIATA) PREÂMBULO OFERTA DE COMPRA Nº 090168000012012OC00470 EDITAL DE PREGÃO (ELETRÔNICO) N 132/2012 PROCESSO N 001/0139000990/2012

Leia mais

EDITAL TOMADA DE PREÇO PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS DIVERSOS PARA EMEI GENI TEREZINHA COLOMBO.

EDITAL TOMADA DE PREÇO PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS DIVERSOS PARA EMEI GENI TEREZINHA COLOMBO. PREFEITURA MUNICIPAL DE SOLEDADE SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, CULTURA E DESPORTO. EDITAL TOMADA DE PREÇOS Nº 72/2015 TIPO MENOR PREÇO EXCLUSIVO PARA ME s e EPP s, CONFORME REDAÇÃO DADA PELA LC 147/2014.

Leia mais

DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 10/07/2014 DATA E HORA DA ABERTURA DA SESSÃO PÚBLICA:

DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 10/07/2014 DATA E HORA DA ABERTURA DA SESSÃO PÚBLICA: EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO SEADE N 022/2014 EXPEDIENTE SEADE N 062/2014 ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 10/07/2014

Leia mais

TERMO DE PARTICIPAÇÃO Nº 01/2012

TERMO DE PARTICIPAÇÃO Nº 01/2012 TERMO DE PARTICIPAÇÃO Nº 01/2012 PREÂMBULO O Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente - CONPAM sito à Rua Osvaldo Cruz, 2366 Dionísio Torres Fortaleza-CE, torna público este Termo de Participação,

Leia mais

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Fazenda Departamento Geral de Administração e Finanças TERMO DE REFERÊNCIA

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Fazenda Departamento Geral de Administração e Finanças TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA Código de Classificação: 13.02.01.15 1 DO OBJETO: A presente licitação tem por objeto a contratação de empresa para prestação dos serviços de cobertura securitária (seguro) para assegurar

Leia mais

FUNDO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE TURVO - PR. Tomada de Preço N.º 001/2014.

FUNDO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE TURVO - PR. Tomada de Preço N.º 001/2014. FUNDO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE TURVO - PR. Tomada de Preço N.º 001/2014. Emissão: 09/12/2014. Abertura: 29/12/2014. Horário: 10:00 H. O Fundo de Previdência dos Servidores Municipais

Leia mais

Secretaria de Estado da Saúde Coordenadoria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos de Saúde Instituto Butantan

Secretaria de Estado da Saúde Coordenadoria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos de Saúde Instituto Butantan EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO OBJETIVANDO A COMPRA DE BENS (ENTREGA IMEDIATA) PREÂMBULO EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO n 13/2015 PROCESSO n 001.0702.000.572/2014 OFERTA DE COMPRA N 090178000012015OC00117 ENDEREÇO

Leia mais

7 SPDM ASSOCIAÇÃO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA Programa de Atenção Integral à Saúde

7 SPDM ASSOCIAÇÃO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA Programa de Atenção Integral à Saúde REGULAMENTO DE COMPRAS e CONTRATAÇÃO DE OBRAS E SERVIÇOS DAS UNIDADES SOB GERENCIAMENTO DA O.S.S. SPDM ASSOCIAÇÃO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA PROGRAMA DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE A SPDM

Leia mais

RECIBO DE RETIRADA DE EDITAL PREGÃO ELETRÔNICO Nº 001/2014 PROCESSO Nº 637/2013 REPLICAÇÃO DE DVD. Cidade: Estado: Fone: Fax:

RECIBO DE RETIRADA DE EDITAL PREGÃO ELETRÔNICO Nº 001/2014 PROCESSO Nº 637/2013 REPLICAÇÃO DE DVD. Cidade: Estado: Fone: Fax: RECIBO DE RETIRADA DE EDITAL PREGÃO ELETRÔNICO Nº 001/2014 PROCESSO Nº 637/2013 REPLICAÇÃO DE DVD Razão Social: C.N.P.J. Nº: Endereço: E-mail: Cidade: Estado: Fone: Fax: Pessoa para contato: RECEBEMOS

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PROCESSO Nº: 21218.000183/2011-59

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PROCESSO Nº: 21218.000183/2011-59 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PROCESSO Nº: 21218.000183/2011-59 1. DA JUSTIFICATIVA 1.1 Dotar de melhores condições de trabalho a sala 12, da SUREG/AM, na qual atuam os empregados designados para compor

Leia mais

CARTILHA FORNECEDOR ENDEREÇO PARA ENVIO DE DOCUMENTOS:

CARTILHA FORNECEDOR ENDEREÇO PARA ENVIO DE DOCUMENTOS: CARTILHA FORNECEDOR ENDEREÇO PARA ENVIO DE DOCUMENTOS: Prefeitura Municipal de Almirante Tamandaré do Sul Setor de Licitações Rua Mário Linck, nº. 352, Centro Almirante Tamandaré do Sul/RS CEP 99523-000

Leia mais

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA CNPJ 66.495.110/0001-80 PREÂMBULO

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA CNPJ 66.495.110/0001-80 PREÂMBULO PREÂMBULO MODALIDADE: PREGÃO (ELETRÔNICO) N 131/2012 PROCESSO N 187/2012-A OFERTA DE COMPRA Nº 102601100652012OC00151 ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br DATA DO INÍCIO

Leia mais

CARTA CONTRATO N 253/2013, PREFEITURA MUNICIPAL

CARTA CONTRATO N 253/2013, PREFEITURA MUNICIPAL CARTA CONTRATO N 253/2013, celebrado entre a PREFEITURA MUNICIPAL DE PRESIDENTE FIGUEIREDO e a empresa CONSTRUTORA SEM FRONTEIRAS LTDA-EPP, objetivando CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA, na forma a

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE CREDENCIAMENTO 01/14

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE CREDENCIAMENTO 01/14 A COMPANHIA DE GÁS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL - SULGÁS, com sede na cidade de Porto Alegre/RS, à Rua Sete de Setembro, 1069 5º andar, Bairro Centro Histórico - CEP: 90010-191, com fundamento no artigo

Leia mais

O PREFEITO DE GOIÂNIA, no uso de suas atribuições legais, e CAPÍTULO I DO FUNDO MUNICIPAL DE ESPORTE E LAZER

O PREFEITO DE GOIÂNIA, no uso de suas atribuições legais, e CAPÍTULO I DO FUNDO MUNICIPAL DE ESPORTE E LAZER 1 Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 4139, DE 11 DE SETEMBRO DE 2013. Regulamenta o Fundo Municipal de Esporte e Lazer e o Incentivo ao Esporte e Lazer e dá outras providências. O PREFEITO DE GOIÂNIA, no

Leia mais

EDITAL DE LICITAÇÃO PREÂMBULO

EDITAL DE LICITAÇÃO PREÂMBULO 1 EDITAL DE LICITAÇÃO PREÂMBULO Pregão Eletrônico nº. 041/2014-E Processo nº. 2.335/2014 Endereço Eletrônico: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br Oferta de Compra: 172201170562014OC00053 Data

Leia mais

ATENÇÃO PARA O TERMO DE REFERÊNCIA ABAIXO. AVISO DE LICITAÇÃO COTAÇÃO ELETRÔNICA nº 82/2009

ATENÇÃO PARA O TERMO DE REFERÊNCIA ABAIXO. AVISO DE LICITAÇÃO COTAÇÃO ELETRÔNICA nº 82/2009 ATENÇÃO PARA O TERMO DE REFERÊNCIA ABAIXO. AVISO DE LICITAÇÃO COTAÇÃO ELETRÔNICA nº 82/2009 O CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO CNPq, fundação pública federal, vinculada ao

Leia mais

DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 09/03/2016 DATA E HORA DA ABERTURA DA SESSÃO PÚBLICA:

DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 09/03/2016 DATA E HORA DA ABERTURA DA SESSÃO PÚBLICA: EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO SEADE N 006/2016 EXPEDIENTE SEADEN 005/2016 ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 09/03/2016

Leia mais

CONCORRÊNCIA Nº. 001/2010/SENAR-AR/RO

CONCORRÊNCIA Nº. 001/2010/SENAR-AR/RO PROCESSO nº 006/2010 CONCORRÊNCIA SOB REGISTRO DE PREÇOS n.º 001/2010 CONTRATO SOB REGISTRO DE PREÇOS PARA FORNECIMENTO DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS, PRODUTOS DESCARTAVÉIS E PRODUTOS DE HIGIENE E LIMPEZA QUE

Leia mais

Prefeitura Municipal de Floriano Peixoto 01.612.289/0001-62 Avenida Alfredo Joahnes Dücker - 99.910-000 - Floriano Peixoto/RS EDITAL DE LICITAÇÃO

Prefeitura Municipal de Floriano Peixoto 01.612.289/0001-62 Avenida Alfredo Joahnes Dücker - 99.910-000 - Floriano Peixoto/RS EDITAL DE LICITAÇÃO Prefeitura Municipal de Floriano Peixoto 01.612.289/0001-62 Avenida Alfredo Joahnes Dücker - 99.910-000 - Floriano Peixoto/RS EDITAL DE LICITAÇÃO Processo...: 8/2015 Modalidade.: Convite Número...: 6/2015

Leia mais

COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 001/2012 EDITAL DE CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE TERCEIROS PESSOA JURÍDICA TIPO: MELHOR TÉCNICA

COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 001/2012 EDITAL DE CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE TERCEIROS PESSOA JURÍDICA TIPO: MELHOR TÉCNICA COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 001/2012 EDITAL DE CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE TERCEIROS PESSOA JURÍDICA TIPO: MELHOR TÉCNICA O Centro de Estudos de Cultura Contemporânea CEDEC, entidade privada sem fins lucrativos,

Leia mais

EEEP PROFESSOR GUSTAVO AUGUSTO LIMA E-mail: eeepgustavolima@escola.ce.gov.br Lavras da Mangabeira Ceará

EEEP PROFESSOR GUSTAVO AUGUSTO LIMA E-mail: eeepgustavolima@escola.ce.gov.br Lavras da Mangabeira Ceará MINUTA DO CONVITE Nº 030/2014. Natureza da Despesa: SERVIÇOS PESSOA JURÍDICA 3390390091 - REPASSE PARA MANUTENÇÃO DE ESCOLAS Data de Emissão: 29/09/2013 Data da Licitação: 09/10/2014 Hora da Licitação:

Leia mais

FUNDAÇÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA GUAMÁ

FUNDAÇÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA GUAMÁ ANEXO I ATO CONVOCATÓRIO Nº 002/2012 TERMO DE REFERÊNCIA OBJETO: Contratação de Empresa para Recrutamento, Seleção e Contratação de Pessoal para Treinamento, Capacitação e Consultoria à Fundação de Ciência

Leia mais

MUNICÍPIO DE CACHOEIRA ALTA,

MUNICÍPIO DE CACHOEIRA ALTA, CONTRATO ADM. Nº 053/2013. Contrato de Prestação de Serviços de Recuperação de pavimentação com TSD e PMF na via de acesso a cidade que entre si celebram o Município de CACHOEIRA ALTA, Goiás e a Empresa

Leia mais

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES DECRETO Nº 8.407 DE 18/12/2014 REGULAMENTA O CADASTRAMENTO DE PESSOAS FÍSICAS E JURÍDICAS NA DIVISÃO DE CADASTRO DE FORNECEDORES E PRESTADORES DE SERVIÇOS DICAD, SETOR INTEGRANTE DA SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO OBJETIVANDO A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTÍNUOS CONTRATADOS SOB O REGIME DE EMPREITADA POR PREÇOS UNITÁRIOS

EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO OBJETIVANDO A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTÍNUOS CONTRATADOS SOB O REGIME DE EMPREITADA POR PREÇOS UNITÁRIOS EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO OBJETIVANDO A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTÍNUOS CONTRATADOS SOB O REGIME DE EMPREITADA POR PREÇOS UNITÁRIOS PREÂMBULO: PREGÃO ELETRÔNICO DO TIPO MENOR PREÇO, OBJETIVANDO A EXECUÇÃO

Leia mais

INSTRUÇÃO Nº 402, DE 27 DE JANEIRO DE 2004

INSTRUÇÃO Nº 402, DE 27 DE JANEIRO DE 2004 Ministério da Fazenda Comissão de Valores Mobiliários INSTRUÇÃO Nº 402, DE 27 DE JANEIRO DE 2004 Estabelece normas e procedimentos para a organização e o funcionamento das corretoras de mercadorias. O

Leia mais

CADERNO DE COMPRAS E LICITAÇÕES

CADERNO DE COMPRAS E LICITAÇÕES 2010 PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO DIRETORIA DE COMPRAS E LICITAÇÕES CADERNO DE COMPRAS E LICITAÇÕES 1. OBJETIVO Este manual tem por objetivo esclarecer as questões

Leia mais

DECRETO Nº 50.077, DE 6 DE OUTUBRO DE 2008 Regulamenta o artigo 50 da Lei nº 14.223, de 26 de setembro de 2006, o qual dispõe sobre a celebração de

DECRETO Nº 50.077, DE 6 DE OUTUBRO DE 2008 Regulamenta o artigo 50 da Lei nº 14.223, de 26 de setembro de 2006, o qual dispõe sobre a celebração de DECRETO Nº 50.077, DE 6 DE OUTUBRO DE 2008 Regulamenta o artigo 50 da Lei nº 14.223, de 26 de setembro de 2006, o qual dispõe sobre a celebração de termos de cooperação com a iniciativa privada, visando

Leia mais

REGULAMENTO DE CREDENCIAMENTO DE PESSOAS JURÍDICAS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PROFISSIONAIS DE CONSULTORIA, INSTRUTORIA EM PROJETOS.

REGULAMENTO DE CREDENCIAMENTO DE PESSOAS JURÍDICAS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PROFISSIONAIS DE CONSULTORIA, INSTRUTORIA EM PROJETOS. REGULAMENTO DE CREDENCIAMENTO DE PESSOAS JURÍDICAS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PROFISSIONAIS DE CONSULTORIA, INSTRUTORIA EM PROJETOS. TOLEDO-PR Página 2 de 6 1. OBJETIVO 1.1 O presente regulamento objetiva

Leia mais

MINUTA DE EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO OBJETIVANDO A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTÍNUOS CONTRATADOS SOB O REGIME DE EMPREITADA POR PREÇOS UNITÁRIOS.

MINUTA DE EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO OBJETIVANDO A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTÍNUOS CONTRATADOS SOB O REGIME DE EMPREITADA POR PREÇOS UNITÁRIOS. MINUTA DE EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO OBJETIVANDO A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTÍNUOS CONTRATADOS SOB O REGIME DE EMPREITADA POR PREÇOS UNITÁRIOS. EDITAL DE PREGÃO (ELETRÔNICO) nº. 320/2015 PROCESSO n. 001.0250.000.760/2014

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA EDUCAÇÃO EEEP RITA MATOS LUNA JUCÁS CEARÁ

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA EDUCAÇÃO EEEP RITA MATOS LUNA JUCÁS CEARÁ Convite N. 004/2015 Natureza da Despesa/ OBJETIVO: Fonte do Recurso Contratação de Serviço de INSTALAÇÃO DE SERVIÇO DE LINK DE INTERNET - 5MB Dotação Orçamentária Data da Emissão 22/06/2015 Data da Licitação

Leia mais

DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 26/05/2008. DATA E HORA DA ABERTURA DA SESSÃO PÚBLICA: 09/06/2008 às 9:00 HS

DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 26/05/2008. DATA E HORA DA ABERTURA DA SESSÃO PÚBLICA: 09/06/2008 às 9:00 HS AQUISIÇÃO DE TECIDOS. EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO n 033/2008 OFERTA DE COMPRAS NR. 2008OC00264 PROCESSO n 001.0250.000.173/2008. ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.fazenda.sp.gov.br DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA

Leia mais

TERMO DE PARTICIPAÇÃO DA COTAÇÃO DE PREÇOS Nº0063 PREÂMBULO

TERMO DE PARTICIPAÇÃO DA COTAÇÃO DE PREÇOS Nº0063 PREÂMBULO TERMO DE PARTICIPAÇÃO DA COTAÇÃO DE PREÇOS Nº0063 PREÂMBULO Termo de Participação, via meio eletrônico, para a seleção da melhor proposta para aquisição por dispensa de licitação, nos termos do Decreto

Leia mais

EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS OBJETIVANDO A AQUISIÇÃO DE TIRAS REAGENTES DIVERSAS II, DE USO AMBULATORIAL E HOSPITALAR.

EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS OBJETIVANDO A AQUISIÇÃO DE TIRAS REAGENTES DIVERSAS II, DE USO AMBULATORIAL E HOSPITALAR. EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS OBJETIVANDO A AQUISIÇÃO DE TIRAS REAGENTES DIVERSAS II, DE USO AMBULATORIAL E HOSPITALAR. EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO N 159/2015 PROCESSO N 001.0001.002.178/2015

Leia mais

CONTRATO Nº 116/2013 CONTRATO QUE ENTRE SI CELEBRAM O MUNICÍPIO DE PIRAJUÍ E A EMPRESA BH FARMA COMÉRCIO LTDA. ME.

CONTRATO Nº 116/2013 CONTRATO QUE ENTRE SI CELEBRAM O MUNICÍPIO DE PIRAJUÍ E A EMPRESA BH FARMA COMÉRCIO LTDA. ME. CONTRATO Nº 116/2013 CONTRATO QUE ENTRE SI CELEBRAM O MUNICÍPIO DE PIRAJUÍ E A EMPRESA BH FARMA COMÉRCIO LTDA. ME. Aos 12 dias do mês de agosto de 2013, de um lado, o MUNICÍPIO DE PIRAJUÍ, pessoa jurídica

Leia mais

PREGÃO PRESENCIAL Nº 005/2013 PROCESSO SECOM Nº 0357/2012. Alterações e Normas complementares M I N U T A

PREGÃO PRESENCIAL Nº 005/2013 PROCESSO SECOM Nº 0357/2012. Alterações e Normas complementares M I N U T A IMPORTANTE: PARA PARTICIPAR DA LICITAÇÃO O INTERESSADO DEVERÁ PREENCHER O RECIBO DE RETIRADA DE EDITAL, CONSTANTE DO ANEXO I E DEVOLVER COM ATÉ 24 HS DE ANTECEDENCIA DO CERTAME PREGÃO PRESENCIAL Nº 005/2013

Leia mais