LEI N. 1520/2009, DE 22 DE JULHO DE 2009.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LEI N. 1520/2009, DE 22 DE JULHO DE 2009."

Transcrição

1 MUNICÍPIO DO IPOJUCA LEI N. 1520/2009, DE 22 DE JULHO DE EMENTA: Autoriza o Poder Executivo a criar a empresa pública denominada Agência de Desenvolvimento Econômico do Ipojuca - AD. Ipojuca, ajusta o Plano Plurianual ( ) do, autoriza a abertura de Crédito Adicional Especial ao Orçamento Vigente e dá outras providências. O Prefeito do de Ipojuca, Estado de Pernambuco, no uso de suas atribuições conferidas pela Lei Orgânica Municipal, faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte lei: Art. 1 - Fica o Poder Executivo Municipal autorizado a criar a Agência de Desenvolvimento Econômico do Ipojuca - AD. Ipojuca. Empresa Pública Municipal, com personalidade jurídica de direito privado, a ser constituída sob a forma de sociedade limitada, com patrimônio próprio e autonomia administrativa e financeira, vinculada à Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Econômico do. Parágrafo Primeiro - A AD. Ipojuca terá sede e foro no do Ipojuca e prazo de duração indeterminado. Parágrafo Segundo - Após a publicação da presente lei, o Poder Executivo constituirá a empresa pública, mediante o registro do seu Estatuto no órgão competente, devendo instalar, no prazo máximo de 30 (trinta) dias da sua constituição, os seus órgãos administrativos, mediante nomeação, da sua Diretoria, Conselho Fiscal e Conselho de Administração, < Art. 2 - A Agência de Desenvolvimento Econômico do Ipojuca - AD. Ipoiuca tem por objeto social a promoção do desenvolvimento do, através de ações indutoras e de apoio aos setores industriais, comercial, de serviços e agroindústria. Art. 3 - Para consecução de seu objeto social a AD. Ipq.

2 I - Administrar instrumentos e mecanismos próprios e/ou estabelecidos pelo Governo do do IPOJUCA para implementar ações de fomento e atração de investimentos; II - Adquirir e alienar terrenos, implementar atividades de planejamento, incorporação, comercialização e locação de imóveis e outras correlatas, como apoio aos setores secundários e terciários, diretamente ou com a participação de agentes dos setores públicos e privados; III - Administrar programas e projetos atribuídos pelo Governo do e/ou por meio de convênios firmados com agentes públicos; IV - Realizar Parcerias Público-Privadas, Consórcios Imobiliários e Operações Urbanas Consorciadas na forma indicada pelo Plano Diretor, visando o desenvolvimento do território municipal e sua integração com a Região Metropolitana do Recife e a geração de emprego e renda. Art. 4 - A AP. Ipojuca terá uma estrutura básica constituída pelos seguintes órgãos de direção superior; a) Conselho de Administração; b) Conselho Fiscal; c) Diretoria. Parágrafo Único - Os membros integrantes dos órgãos de direção serão de livre contratação e demissão pelo Chefe do Poder Executivo, na forma dos artigos seguintes, para mandatos de 4 (quatro) anos, permitida a recondução. Art. 5 - O Conselho de Administração será composto por 5 (cinco) membros titulares a serem nomeados pelo Prefeito do, dos quais um deles será obrigatoriamente o Diretor Presidente da AP. Ipoiuca. Parágrafo Único - A presidência do Conselho de Administração será exercida por um dos membros a ser nomeado pelo Prefeito do, excetuando o Diretor Presidente. Art. 6 - Compete ao Conselho de Administração: I - definir a política de atuação do AP. Ipoiuca: II - examinar e aprovar o plano anual de trabalho da AP. Ipojuca, bem como as alterações propostas pelo Diretor Presidente da Empresa no decorrer do exercício; III - examinar os relatórios anuais da Diretoria; IV - sugerir alterações no Regimento Interno da AP. ipojuca: V - praticar os demais atos previstos na lei como de sua competência. Art. 7 - O Conselho de Administração reunir-se-á, ordinária e obrigatoriamente, uma vez em cada quadrimestre e, extraordinariamente, sempre que convocado pelo Diretor Presidente da AP. Ipoiuca ou pela maioria de seus membr95r"~p i" ofício e com a antecedência mínima de 48 (quarenta e oito) horas.

3 Ari 8 - O Conselho de Administração poderá deliberar, em primeira convocação, com o mínimo de dois terços dos seus componentes e, em segunda convocação, 1 (uma) hora após a primeira, com, no mínimo, 2 (dois) dos seus integrantes. Parágrafo Único - Das reuniões do Conselho de Administração serão lavradas atas circunstanciadas. Art. 9 - O Conselho Fiscal será constituído por 3 (três) titulares e 3 (três) suplentes designados pelo Prefeito do do Ipojuca e seu Presidente será escolhido entre seus membros, na reunião de instalação. Art Compete ao Conselho Fiscal: I - examinar e dar parecer sobre balancetes e balanços financeiros da AP. Ipojuca: II - examinar e dar parecer sobre a prestação de contas anua! da AP. Ipojuca: III - examinar em qualquer tempo os livros e papéis da AP. ipojuca; IV - emitir parecer sobre outras matérias, por solicitação da Diretoria ou do Conselho de Administração. Art O Conselho Fiscal reunir-se-á ordinária e obrigatoriamente uma vez por trimestre e, extraordinariamente, sempre que convocado por ofício, com a antecedência mínima de 48 (quarenta e oito) horas, pelo seu Presidente, pela Diretoria ou por seu Conselho Administrativo, lavrando-se ata de sua reunião. Art A AP. Ipoiuca será dirigida por seu Diretor Presidente, auxiliado pelo Diretor Administrativo-Financeiro, nomeados pelo Prefeito do do Ipojuca, para o exercício dos respectivos cargos. Art À Diretoria compete: I - elaborar o programa de trabalho, o orçamento e suas alterações no decorrer do exercício respectivo, controlando as ações dele decorrentes; II - praticar atos e assinar contratos, convênios, acordos, empréstimos e ajustes, observando o disposto na presente Lei; III - constituir procuradores por tempo determinado, para exercer atos necessários ao perfeito funcionamento da AP. Ipojuca, inclusive para representá-la em juízo ou fora dele, devendo o respectivo instrumento procuratório ser subscrito pelo Diretor Presidente e peto Diretor Administrativo-Financeiro; IV - elaborar relatórios anuais de sua gestão para apreciação do Conselho Administrativo Art Ao Diretor Presidente caberá a supervisão geral das atividades da AP. Ipojuca e sua representação em todos os contatos externos necessários a realização dos objetivos da Empresa. Art Ao Diretor Administrativo-Financeiro caberá a gestão da estrutura organizacional, bem como praticar em conjunto com o Diretor Presidente todos os aíesnte Administração, observando o disposto no Regimento Interno, e ainda, substitujjxo Djr^tc^Pr^sidente em suas ausências.

4 Art A Diretoria Administrativa-Financeira compreende as seguintes unidades administrativas: a) Administração e Recursos Humanos; b) Contabilidade; Art Poderão ser postos à disposição da AP. Ipoiuca, com ou sem ônus para os entes de origem e mediante requerimento do Diretor Presidente, servidores da Administração Direta ou Indireta, ou de fundações constituídas e mantidas pelo Poder Público, desde que autorizados pelo Prefeito do do Ipojuca. Art O regime de pessoal será o da Consolidação das Leis do Trabalho, e o ingresso no quadro de Pessoal Permanente da AP. Ipojuca dar-se-á mediante prévia aprovação em concurso público, observada ordem de classificação obtida pelos candidatos. Art O Chefe do Poder Executivo aprovará, mediante Decreto, o estatuto da empresa pública e disporá, da mesma forma, sobre a sua estrutura organizacional, as competências das unidades orgânicas, o Plano de Cargos e Salários e o Regimento Interno da AP. Ipoiuca. Art O capital social da AD. Ipoiuca será formado por recursos exclusivamente públicos, e totalmente integralizado pelo. Parágrafo Único - A integralização poderá se dar por meio de incorporação de hens móveis ou imóveis. Art Constituirão recursos da AD. Ipoiuca: I - receitas decorrentes da prestação de serviços de toda natureza, compatíveis com suas finalidades, oriundas de órgãos e entidades públicas ou particulares, mediante contratos, ajustes ou acordos; II - créditos de qualquer natureza que lhes forem destinados; III - transferências e dotações consignadas à empresa no Orçamento Programa do, além de créditos orçamentários adicionais ou especiais; IV - recurso de capital, inclusive resultantes da conversão, em espécie, de bens e direitos; V - renda dos bens patrimoniais; VI - recurso de operação de crédito, inclusive os provenientes de empréstimos e financiamentos; VII - doações feitas à empresa; VIM - produto da venda de bens inservíveis; e IX - renda proveniente de outras fontes. Art A contratação de obras, serviços, compras e alienações será precedida de procedimento licitatório, na forma da legislação em vigor, garantidos instrumentos ágeis indispensáveis ao exercicto da atividade econômica, observados os princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, eficiência, isort5rni^j^f» corno da vinculação ao instrumento convocatório, da economicidade, do jylgaprépí^ objetivo e dos que lhes são correlates.

5 Art Face à criação da Agência de Desenvolvimento Econômico do Ipojuca - AP. Ipojuca, fica ajustado o Plano Plurianual , aprovado pela Lei Municipal n 1.416, de 15 de setembro de 2005 e revisado pela Lei Municipal n 1.506, de 10 de dezembro de exercício de 2009, em conformidade com o Crédito Adicional Especial autorizado pela presente Lei, na forma evidenciada a seguir: ÓRGÃO: SECRETARIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO Programas Orçamentários Recursos de Todas as Fontes Unidade: 1800 AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO IPOJUCA - AD IPOJUCA Programa: 1825 CONSTRUÇÃO E MELHORIA DE HABITAÇÕES E NÚCLEOS URBANOS (Finalístico) - Facilitar o acesso à população carente de moradia aos programas habitacionais promovidos pelo setor público - Melhorar as condições de moradia da população do assentada em áreas de risco ou locais impróprios para urbanização - Assistir à população de baixa renda na construção e reforma de moradia - Definir instrumentos de regularização fundiária em áreas de interesse social definidas no Plano Diretor do Dados Financeiros ,00 Total , ELABORAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DE PROGRAMA HABITACIONAL E NÚCLEOS URBANOS - Elaborar planos habitacionais de interesse social no Exercício Unidade de Medida 2009 Plano Total: - Elaborar projeto de melhoria de habitabilidade em zonas de riscos, alagados e áreas de preservação ambiental e nas ZE!S definidas no Plano Exercício Unidade de Medida 2009 Total: - Elaborar plano de regularização fundiária das ZEIS Exercício Unidade de Medida 2009 Plano Total: Programa: 1830 FOMENTO E PROMOÇÃO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO MUNICÍPIO (Finalístico} - Apoiar atividades produtivas e a geração de emprego e renda; - Apoiar a atração de grandes empreendimentos, buscando a implantação de projetos estruturadores. Dados Financeiros ,00 Total , VIABILIZAÇÃO DA IMPLANTAÇÃO DE PROJETOS ESTRUTURA.

6 - Elaborar projetos de desenvolvimento econômico sustentável Exercício Unidade de Medida 2009 Total: Programa: 1836 DESAPROPRIAÇÃO DE TERRAS NO MUNICÍPIO (Finalístico) Objetive: - Executar programas de desapropriação de terras no município destinadas a loteamento e comercialização com a população de baixa renda, em obediência às determinações do artigo 167 da Lei Orgânica Municipal Dados Financeiros ,00 Total , EXECUÇÃO DE AÇÕES DE DESAPROPRIAÇÃO DE TERRAS NO MUNICÍPIO - Desapropriar terras destinadas a loteamento e comercialização com a população de baixa renda Exercício Unidade de Medida 2009 Ação Contínua Total: Programa: 1853 AMPLIAÇÃO E MELHORIA DAS CONDIÇÕES URBANÍSTICAS E DE HABITABILIDADE (Finalístico) - Melhorar as condições urbanísticas e de habitabilidade no Dados Financeiros ,00 Total , DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES URBANÍSTICAS - Elaborar projetos de arquitetura e engenharia para execução de infra-estrutura, equipamentos e mobiliário urbano no Exercício Unidade de Medida Total: Programa: 1854 GESTÃO TÉCNICA E ADMINISTRATIVA D:* AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DE IPOJUCA-ADIPOJUCA (Apoio Administrativo) - Desenvolver atividades técnico-administrativas e a gestão dos serviços de apoio à execução das ações finalisticas da empresa; - Elaborar projetos de desenvolvimento municipal. Dados Financeiros ,00 Total ,00

7 2.133 APOIO TÉCNICO E ADMINISTRATIVO ÀS AÇÕES DA AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DE IPOJUCA - AD IPOJUCA - Capacitar pessoal da Empresa Exercício Unidade de Medida 2009 Ação Contínua 1 Total: 1 - Desenvolver atividades técnicas e administrativas de natureza financeira, de pessoal, de material e de patrimônio, necessários ao desenvolvimento do órgão Exercício Unidade de Medida 2009 Ação Contínua 1 Total: 1 DEMONSTRATIVO DOS PROGRAMAS POR ÓRGÃO EXECUTOR Recursos de Todas as Fontes (Em R$) Programa 2009 Total ÓRGÃO: SECRETARIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO - AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO IPOJUCA- AD IPOJUCA 1825 CONSTRUÇÃO E MELHORIA DE HABITAÇÕES E NÚCLEOS URBANOS , ,00 l 1830 FOMENTO E PROMOÇÃO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO MUNICÍPIO , , DESAPROPRIAÇÃO DE TERRAS NO MUNICÍPIO , , AMPLIAÇÃO E MELHORIA DAS CONDIÇÕES URBANÍSTICAS E DE HABITABILIDADE ' , , GESTÃO TÉCNICA E ADMINISTRATIVA DA AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO IPOJUCA - AD , ,00 DA EMPRESA , ,00 Art Fica o Chefe do Poder Executivo Municipal autorizado a abrir Crédito Adicional Especial ao Orçamento Vigente, no valor de R$ ,00 (três milhões, novecentos e noventa e cinco mil e duzentos reais), destinado ao Programa de Trabalho da Agência de Desenvolvimento Econômico do Ipojuca - AD IPOJUCA, de acordo com o seguinte demonstrativo: Órgão: SECRETARIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO Unidade: 1801 AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO IPOJUCA - AD IPOJUCA Finalidades: - Administrar instrumentos e mecanismos próprios e/ou estabelecidos pelo Governo do de IPOJUCA para implementar ações de fomento e atração de investimentos; - Adquirir e alienar terrenos, implementar atividades de planejamento, incorporação, comercialização e locação de imóveis e outras correlatas, como apoio aos setores secundários e terciários, diretamente ou com a participação de agentes dos setores públicos e privados; - Administrar programas e projetos atribuídos pelo Governo do e/ou por meio de convênios firmados com agentes púbicos; - Realizar Parcerias Público-Privadas, Consórcios Imobiliários e Operações Urbanas Consorciadas na forma indicada pelo Plano Diretor, visando o desenvolvimento do território municipal e sua i Metropolitana do Recife e a ger?. jão de emprego e renda.

8 DESCRIÇÃO DO PROGRAMA DE TRABALHO Programa: CONSTRUÇÃO E MELHORIA DE HABITAÇÕES E NÚCLEOS URBANOS - Facilitar o acesso à população carente de moradia aos programas habitacionais promovidos pelo setor público - Melhorar as condições de moradia da população do assentada em áreas de risco ou locais impróprios para urbanização - Assistir á população de baixa renda na construção e reforma de moradia - Definir instrumentos de regularização fundiária em áreas de interesse social definidas no Plano Diretor do ELABORAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DE PROGRAMA HABITACIONAL E NÚCLEOS URBANOS - Elaborar planos habitacionais de interesse social no Exercício Unidade de Medida 2009 Plano 1 - Elaborar projeto de melhoria de habitabilidade em zonas de riscos, alagados e áreas de preservação ambientai e nas ZEIS definidas no Plano Exercício Unidade de Medida Elaborar plano de regularização fundiária das ZEIS Exercício Unidade de Medida 2009 Plano 1 Programa: 1830 FOMENTO E PROMOÇÃO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO MUNICÍPIO - Apoiar atividades produtivas e a geração de emprego e renda; - Apoiar a atração de grandes empreendimentos, buscando a implantação de projetos estruturadores, VIABIL.ZAÇÃO DA IMPLANTAÇÃO DE PROJETOS ESTRUTURADORES - Elaborar projetos de desenvolvimento econômico sustentável Exercício Unidade de Medida Programa: 1836 DESAPROPRIAÇÃO DE TERRAS NO MUNICÍPIO - Executar programas de desapropriação de terras no município destinadas a loteamento e comercialização com a população de baixa renda, em obediência às determinações do artigo 167 da Lei Orgânica Municipal EXECUÇÃO DE AÇÕES DE DESAPROPRIAÇÃO DE TERRAS HO MUNICÍPIO - Desapropriar terras destinadas a loteamento e comercialização com a população de baixa renda Exercício Unidade de Medida 2009 Ação Continua

9 Programa: 1853 AMPLIAÇÃO E MELHORIA DAS CONDIÇÕES URBANÍSTICAS E DE HABITABILIDADE - Melhorar as condições urbanísticas e de habitabilidade no DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES URBANÍSTICAS - Elaborar projetos de arquitetura e engenharia para execução de infra-estrutura, equipamentos e mobiliário urbano no Exercício Unidade de Medida Programa: 1854 GESTÃO TÉCNICA E ADMINISTRATIVA DA AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DE IPOJUCA-ADIPOJUCA - Desenvolver atividades técnicc-administrativas e a gestão dos serviços da apoio a execução das ações finalístícas da empresa; - Elaborar projetos de desenvolvimento municipal ,2.133 APOIO TÉCNICO-ADMINISTRATIVO ÀS AÇÕES DA AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DE IPOJUCA - AD IPOJUCA - Capacitar pessoal da Empresa Exercício Unidade de Medida 2009 Ação Continua - Desenvolver atividades técnicas e administrativas de natureza financeira, de pessoal, de material e de patrimônio. necessários ao desenvolvimento da Empresa Exercício Unidade de Medida 2009 Ação Continua 1 Poder Unidade Órgão R$ ,00 R$ , Executivo 18 - SECRETARIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO Agência de Desenvolvimento Econômico do Ipojuca - AD IPOJUCA Elaboração e Implementação de Programas Habitacionais e Núcleos Urbanos Outros Serviços de Terceiros - Pessoa Jurídica Viabilização da Implantação de s Estruturadores Material de Consumo R$13.000, Outros Serviços de Terceiros - Pessoa Jurídica R$ , Obras e Instalações R$ ,00 ^ ^r\^

10 Equipamentos e Material Permanente R$40.000,00 R$ , Desenvolvimento de Ações Urbanísticas Material de Consumo R$ , Obras e Instalações R$ , Equipamentos e Material Permanente R$ ,00 R$ , Execução de Ações de Aquisição de Imóveis R$ ,00 R$ ,00 Desapropriação de Terras no Apoio Técnico-Administrativo às Ações da Agência de Desenvolvimento Econômico do Ipojuca -AD IPOJUCA Vencimentos e Vantagens Fixas - Pessoal Civil R$ , Obrigações Patronais R$48.400, Diárias - Pessoal Civil RS CO Material de Consumo RS , Passagens e Despesas com Locomoção R$ , Outros Serviços de Terceiros - Pessoa Jurídica R$40.000, Ressarcimento de Despesas com Pessoal Requisitado R$40.000, Equipamentos e Material Permanente R$20.800,00 R$ ,00 l GERAL R$ ,00 Art Os recursos necessários à abertura do Crédito Adicional Especial de que trata o artigo anterior são provenientes da anulação das dotações a seguir discriminadas: Poder Órgão Unidade 2 - Executivo 18 - SECRETARIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Econômico Elaboração e Implementação de Programas HaJ^itaoômiíré Núcleos Urbanos s^ /is/ Outros Serviços de Terceiros - Pesso^ur^dícaX/

11 R$ ,00 R$ , Viabilização da Implantação de s Estruturadores Material de Consumo R$ , Outros Serviços de Terceiros - Pessoa Jurídica R$50.000, Obras e Instalações R$ , Equipamentos e Material Permanente R$40.000,00 R$ , Desenvolvimento de Ações Urbanísticas Material de Consumo R$ Obras e Instalações R$ , Equipamentos e Material Permanente R$ ,00 R$ , Apoio Técnico-Administrativo às Ações da Planejamento e Desenvolvimento Econômico Diárias - Pessoal Civil R$ 5.000, Passagens e Despesas com Locomoção R$ ,00 R$ ,00 Secretaria de Órgão Unidade Formulação de Instrumentos de Políticas Públicas Desenvolvimento Municipal Outros Serviços de Terceiros - Pessoa Jurídica R$ , Outros Serviços de Terceiros - Pessoa Jurídica R$ ,39 R$ , Encargos Gerais do 1900 Encargos Gerais do - sob a supervisão Secretaria de Finanças e Gestão Execução de Ações de Desapropriação de Terras Aquisição de Imóveis R$ ,61 R$ ,61 de da no GERAL R$ ,00 Art O orçamento de investimento da Agência de Desenvolvimen do Ipojuca - AD Ipojuca, no exercício de 2009, constitui-se das dofc

12 a investimentos no orçamento fiscal, formalizado pelo Crédito Adicional Especial de que trata a presente lei. Ari 27 - Os atos praticados pela AD. Ipojuca estarão sujeitos à fiscalização do Órgão Central de Controle Interno do Poder Executivo no Municipal, do Tribunal de Contas do Estado e dos demais órgãos de controle interno e externo legalmente previstos. Art Esta lei entra em vigor na data de sua publicação. Art Revogam-se as disposições em contrário. Gabinete do Prefeito de Ipojuca, 22 de julho de PEDR LHO Eduardoíaura Filho Procurador Geral Adjunto do OAB/PE

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE LEI N. 1.099, DE 1º DE DEZEMBRO DE 1993 "Dispõe sobre a constituição do Conselho Estadual do Bem-Estar Social e a criação do Fundo Estadual a ele vinculado e dá outras providências." O GOVERNADOR DO ESTADO

Leia mais

Marcones Libório de Sá Prefeito

Marcones Libório de Sá Prefeito Mensagem n. 010 /2015 Salgueiro, 14 de Setembro de 2015. Senhor Presidente, Senhores (as) Vereadores (as), Considerando os princípios de descentralização e transparência, que tem levado esta administração

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº2.557 0/08

LEI MUNICIPAL Nº2.557 0/08 LEI MUNICIPAL Nº2.557 0/08 INSTITUI A POLÍTICA MUNICIPAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A Câmara Municipal de Caeté, Minas Gerais, aprova: Art. 1º - Fica instituída a Política

Leia mais

LEI N 547, DE 03 DE SETEMBRO DE 2010.

LEI N 547, DE 03 DE SETEMBRO DE 2010. Pág. 1 de 5 LEI N 547, DE 03 DE SETEMBRO DE 2010. CRIA O FUNDO MUNICIPAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL FMHIS E INSTITUI O CONSELHO GESTOR DO FMHIS. O PREFEITO MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL ACRE, EM EXERCÍCIO,

Leia mais

ESTADO DO ACRE PREFEITURA MUNICIPAL DE MÂNCIO LIMA GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 19/091 MÂNCIO LIMA ACRE, 06 DE NOVEMBRO DE 1991.

ESTADO DO ACRE PREFEITURA MUNICIPAL DE MÂNCIO LIMA GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 19/091 MÂNCIO LIMA ACRE, 06 DE NOVEMBRO DE 1991. LEI Nº 19/091 MÂNCIO LIMA ACRE, 06 DE NOVEMBRO DE 1991. DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LUIS HELOSMAN DE FIGUEIREDO, PREFEITO MUNICIPAL DE MÂNCIO LIMA, ESTADO

Leia mais

DECRETO Nº 36726 DE 18 DE JANEIRO DE 2013

DECRETO Nº 36726 DE 18 DE JANEIRO DE 2013 DECRETO Nº 36726 DE 18 DE JANEIRO DE 2013 Aprova o Estatuto da Fundação Cidade das Artes. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais e tendo em vista o que dispõe o Decreto

Leia mais

Prefeitura Municipal de Bauru Estado de São Paulo

Prefeitura Municipal de Bauru Estado de São Paulo Prefeitura Municipal de Bauru Estado de São Paulo Lei nº 2166, de 25 de setembro de 1979 Autoriza a criação da EMPRESA MUNICIPAL DE TRANSPORTES URBANOS DE BAURU EMTURB. OSVALDO SBEGHEN, Prefeito Municipal

Leia mais

LEI Nº 358/2011. Súmula: Institui o Fundo Municipal de Saúde e dá outras providências. Capitulo I. Objetivos

LEI Nº 358/2011. Súmula: Institui o Fundo Municipal de Saúde e dá outras providências. Capitulo I. Objetivos LEI Nº 358/2011 Faço saber a todos os habitantes que a Câmara Municipal de Cafeara, Estado do Paraná aprovou e eu sanciono a presente Lei, que revoga a Lei nº. 084/92 de 17/09/1992. Súmula: Institui o

Leia mais

LEI Nº 562/93 - DE, 22 DE NOVEMBRO 1.993. MÁRCIO CASSIANO DA SILVA, Prefeito Municipal de Jaciara, no uso de suas atribuições legais,

LEI Nº 562/93 - DE, 22 DE NOVEMBRO 1.993. MÁRCIO CASSIANO DA SILVA, Prefeito Municipal de Jaciara, no uso de suas atribuições legais, LEI Nº 562/93 - DE, 22 DE NOVEMBRO 1.993. DISPÕE SOBRE A CONSTITUIÇÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DO BEM ESTAR SOCIAL E CRIAÇÃO DO FUNDO MUNICIPAL A ELE VINCULADO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. MÁRCIO CASSIANO DA

Leia mais

LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007.

LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007. LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007. Dispõe sobre a criação do Instituto Escola de Governo e Gestão Pública de Ananindeua, e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE ANANINDEUA estatui, e eu

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DO ARRAIAL PROJETO DE LEI MUNICIPAL N.º. /2007, DE 26 DE NOVEMBRODE 2007.

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DO ARRAIAL PROJETO DE LEI MUNICIPAL N.º. /2007, DE 26 DE NOVEMBRODE 2007. PROJETO DE LEI MUNICIPAL N.º. /2007, DE 26 DE NOVEMBRODE 2007. Cria o Fundo Municipal de Microcrédito e Apoio à Economia Solidaria-FUMAES e Institui o Conselho Gestor do FUMAES e da outras providências.

Leia mais

DECRETO Nº 30226 DE 8 DE DEZEMBRO DE 2008

DECRETO Nº 30226 DE 8 DE DEZEMBRO DE 2008 DECRETO Nº 30226 DE 8 DE DEZEMBRO DE 2008 Regulamenta o Fundo Especial Projeto Tiradentes, criado pela Lei nº 3.019, de 2000, de 3 de maio de 2000. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE NEPOMUCENO

PREFEITURA MUNICIPAL DE NEPOMUCENO LEI N 495, DE 21 DE OUTUBRO DE 2014. DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DE ESPORTES E DO FUNDO MUNICIPAL DE ESPORTES E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS O Povo do Município de Nepomuceno, Minas Gerais,

Leia mais

LEI N. 084/91. O PREFEITO MUNICIPAL DE ALTO TAQUARI, Estado de Mato Grosso, no uso de suas atribuições legais, etc.

LEI N. 084/91. O PREFEITO MUNICIPAL DE ALTO TAQUARI, Estado de Mato Grosso, no uso de suas atribuições legais, etc. LEI N. 084/91 Institui o Fundo Municipal de Saúde e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE ALTO TAQUARI, Estado de Mato Grosso, no uso de suas atribuições legais, etc. Faço saber que a Câmara

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO DECRETO Nº.1478-R de 14 de Abril de 2005 Regulamenta a Lei Complementar nº290, de 23 de junho de 2004, publicada no Diário Oficial do Estado em 25 de junho de 2004, que dispõe sobre a criação da Fundação

Leia mais

Estado de Mato Grosso Prefeitura Municipal de Itanhangá CNPJ: 07.209.225/0001-00 Gestão 2013/2016

Estado de Mato Grosso Prefeitura Municipal de Itanhangá CNPJ: 07.209.225/0001-00 Gestão 2013/2016 LEI Nº 323/2013 Data: 31 de Outubro de 2013 SÚMULA: Autoriza a Abertura de Crédito Adicional Suplementar por anulação parcial ou total de dotações orçamentárias, e da outras providências. O Senhor João

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MORRINHOS Estado de Goiás LEI N. 1.233, DE 28 DE DEZEMBRO DE 1.993. O PREFEITO MUNICIPAL DE MORRINHOS,

PREFEITURA MUNICIPAL DE MORRINHOS Estado de Goiás LEI N. 1.233, DE 28 DE DEZEMBRO DE 1.993. O PREFEITO MUNICIPAL DE MORRINHOS, LEI N. 1.233, DE 28 DE DEZEMBRO DE 1.993. Institui o Fundo Municipal de Saúde e da outras providencias.. O PREFEITO MUNICIPAL DE MORRINHOS, Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu, Prefeito Municipal,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE URUAÇU ESTADO DE GOIÁS PODER EXECUTIVO SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO CNPJ 01.219.807/0001-82

PREFEITURA MUNICIPAL DE URUAÇU ESTADO DE GOIÁS PODER EXECUTIVO SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO CNPJ 01.219.807/0001-82 Lei n.º 1.482/2009 Uruaçu-Go., 31 de agosto de 2009. Dispõe sobre a criação da Secretaria Municipal de Transporte e Serviços Urbanos altera a lei 1.313/2005 e dá outras O PREFEITO MUNICIPAL DE URUAÇU,

Leia mais

o artigo 13, VIII do Estatuto da UEPG;

o artigo 13, VIII do Estatuto da UEPG; Certifico que a presente Resolução foi disponibilizada neste local no dia 05/12/2014 Graziela de Fátima Rocha Secretaria da Reitoria RESOLUÇÃO UNIV. N o 43, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2014. Aprova o Regimento

Leia mais

O Prefeito Municipal de Cuiabá-MT: Faço saber que a Câmara Municipal de Cuiabá-MT aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

O Prefeito Municipal de Cuiabá-MT: Faço saber que a Câmara Municipal de Cuiabá-MT aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: ^ PREFEITURA DE PROJETO DE LEI N DE DE DE 2013. AUTORIZA O PODER EXECUTIVO A CRIAR A EMPRESA PÚBLICA DENOMINADA EMPRESA CUIABANA DE SAÚDE. O Prefeito Municipal de Cuiabá-MT: Faço saber que a Câmara Municipal

Leia mais

DECRETO Nº 38.125 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2013. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais e,

DECRETO Nº 38.125 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2013. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais e, DECRETO Nº 38.125 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2013 Cria a Empresa Pública de Saúde do Rio de Janeiro S/A RIOSAÚDE e aprova seu Estatuto. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS E S T A T U T O C A P Í T U L O I DA FUNDAÇÃO

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS E S T A T U T O C A P Í T U L O I DA FUNDAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS E S T A T U T O C A P Í T U L O I DA FUNDAÇÃO Art. 1º - A Fundação Universidade Federal de São Carlos - FUFSCar, criada pelo Decreto n.º 62.758, de 22 de maio

Leia mais

LEI Nº 213/1994 DATA: 27 DE JUNHO DE 1.994. SÚMULA: INSTITUI O FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE E DA OUTRAS PROVIDENCIAS. CAPITULO I DOS OBJETIVOS

LEI Nº 213/1994 DATA: 27 DE JUNHO DE 1.994. SÚMULA: INSTITUI O FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE E DA OUTRAS PROVIDENCIAS. CAPITULO I DOS OBJETIVOS LEI Nº 213/1994 DATA: 27 DE JUNHO DE 1.994. SÚMULA: INSTITUI O FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE E DA OUTRAS PROVIDENCIAS. O Sr. Ademir Macorin da Silva, Prefeito Municipal de Tapurah, Estado de Mato Grosso, no

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLOGICA NIT

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLOGICA NIT RESOLUÇÃO CONSU Nº. 33/21 DE 3 DE AGOSTO DE 21. A Presidente do Conselho Superior Universitário da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas, no uso de suas atribuições regimentais, e consequente

Leia mais

LEI Nº 2.998/2007 CAPÍTULO I DA COMPOSIÇÃO

LEI Nº 2.998/2007 CAPÍTULO I DA COMPOSIÇÃO LEI Nº 2.998/2007 REGULAMENTA O CONSELHO MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO URBANO - COPLAN, CRIADO NO ARTIGO 2º, DA LEI COMPLEMENTAR N.º 037/2006, DE 15 DE DEZEMBRO, QUE DISPOE SOBRE NORMAS DE

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA FUNDAÇÃO INSTITUTO TECNOLÓGICO DE JOINVILLE - (FITEJ)

REGIMENTO INTERNO DA FUNDAÇÃO INSTITUTO TECNOLÓGICO DE JOINVILLE - (FITEJ) REGIMENTO INTERNO DA FUNDAÇÃO INSTITUTO TECNOLÓGICO DE JOINVILLE - (FITEJ) CAPÍTULO I NATUREZA E FINALIDADES Art 1º. A Fundação Instituto Tecnológico de Joinville, doravante denominada FITEJ, entidade

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE OURO PRETO ESTADO DE MINAS GERAIS

PREFEITURA MUNICIPAL DE OURO PRETO ESTADO DE MINAS GERAIS LEI N." 23/98 CRIA o FUNDO MUNICIPAL DE PRESERVAÇÃO CULTURAL DE OURO PRETO - FPC E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. o povo do Município de Ouro Preto, por seus representantes na Câmara Municipal, decreta e eu,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PILÕES CNPJ: 08.148.488/0001-00 CEP: 59.5960-000

PREFEITURA MUNICIPAL DE PILÕES CNPJ: 08.148.488/0001-00 CEP: 59.5960-000 1 9 6 3 1 9 6 3 PREFEITURA MUNICIPAL DE PILÕES CNPJ: 08.148.488/0001-00 CEP: 59.5960-000 Lei nº 299/ 2008. Dispõe sobre a criação do Conselho Municipal do Idoso, do Fundo Municipal do Idoso e dá outras

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DO FUNDO DE APOSENTADORIA E PENSÃO DO SERVIDOR- FAPS

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DO FUNDO DE APOSENTADORIA E PENSÃO DO SERVIDOR- FAPS REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DO FUNDO DE APOSENTADORIA E PENSÃO DO SERVIDOR- FAPS CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1.º - O Conselho Fiscal do Fundo de Aposentadoria e Pensão do Servidor- FAPS, criado

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE TEIXEIRA DE FREITAS ESTADO DA BAHIA

PREFEITURA MUNICIPAL DE TEIXEIRA DE FREITAS ESTADO DA BAHIA _ LEI Nº 429/07 Cria a Secretaria Municipal de Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, e dá outras providências. O Prefeito Municipal de Teixeira de Freitas, Estado da Bahia. Faço saber que a Câmara Municipal

Leia mais

CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS

CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Dispõe sobre o Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico FNDCT, e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º O Fundo Nacional de Desenvolvimento

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SIMÃO DIAS Gabinete do Prefeito

PREFEITURA MUNICIPAL DE SIMÃO DIAS Gabinete do Prefeito LEI Nº. 632 /2014 03 de dezembro de 2.014 Dispõe sobre a criação do Programa de Coleta Seletiva com inclusão Social e Econômica dos Catadores de Material Reciclável e o Sistema de Logística Reversa e seu

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 09/2010

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 09/2010 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 09/2010 Aprova o Regimento Interno da Comissão Interna de Supervisão da Carreira dos Cargos

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO Secretaria Extraordinária de Apoio às Políticas Educacionais Casa Civil Governo de Mato Grosso PROJETO DE LEI Nº

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO Secretaria Extraordinária de Apoio às Políticas Educacionais Casa Civil Governo de Mato Grosso PROJETO DE LEI Nº PROJETO DE LEI Nº Modifica a LC 30/93 e adota outras providências. Autoria: Poder Executivo A Assembléia Legislativa do Estado do Mato Grosso aprova e o Governador do Estado sanciona a seguinte Lei Complementar:

Leia mais

LEI Nº 2.422, DE 08 DE ABRIL DE 2008 CERTIDÃO Certifico e dou fé que esta Lei foi publicada no placard do Município no dia- / /

LEI Nº 2.422, DE 08 DE ABRIL DE 2008 CERTIDÃO Certifico e dou fé que esta Lei foi publicada no placard do Município no dia- / / LEI Nº 2.422, DE 08 DE ABRIL DE 2008 CERTIDÃO Certifico e dou fé que esta Lei foi publicada no placard do Município no dia- / / JANE APARECIDA FERREIRA =Responsável pelo placard= Dispõe sobre a composição,

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Habitação. CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Representação de Apoio ao Desenvolvimento Urbano

MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Habitação. CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Representação de Apoio ao Desenvolvimento Urbano MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Habitação CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Representação de Apoio ao Desenvolvimento Urbano SNHIS / FNHIS - Lei nº 11.124/05 REQUISITOS PARA ADESÃO DOS MUNICÍPIOS AO

Leia mais

LEI N 1.892/2008 Dá nova redação a Lei nº 1.580/2004

LEI N 1.892/2008 Dá nova redação a Lei nº 1.580/2004 LEI N 1.892/2008 Dá nova redação a Lei nº 1.580/2004 Povo do Município de Viçosa, por seus representantes legais, aprovou e eu, em seu nome, sanciono e promulgo a seguinte Lei: Das disposições Gerais Art.

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 111/2001, de 29 de Novembro de 2001.

LEI MUNICIPAL Nº 111/2001, de 29 de Novembro de 2001. LEI MUNICIPAL Nº 111/2001, de 29 de Novembro de 2001. Revoga a Lei Municipal n.º 084/2001, dá novas disposições sobre a criação do Conselho de Alimentação Escolar do Município e dá outras providências.

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA LEI Nº 2.051, DE 23 DE OUTUBRO DE 2015 (D.O.M. 23.10.2015 N. 3.759 Ano XVI) DISPÕE sobre a estrutura organizacional da Secretaria Municipal de Administração, Planejamento e Gestão Semad, suas finalidades

Leia mais

LEI N.º 3.590 de 2 de maio de 2006.

LEI N.º 3.590 de 2 de maio de 2006. LEI N.º 3.590 de 2 de maio de 2006. O PREFEITO MUNICIPAL DE URUGUAIANA: Dispõe sobre a Estrutura Administrativa e institui organograma da Câmara Municipal de Uruguaiana e dá outras providências. Faço saber,

Leia mais

Lei N.º 1215 / 2012. Dispõe Sobre a Autorização para Abertura de Crédito Adicional Suplementar e dá Outras Providências.

Lei N.º 1215 / 2012. Dispõe Sobre a Autorização para Abertura de Crédito Adicional Suplementar e dá Outras Providências. Lei N.º 1215 / 2012 Dispõe Sobre a Autorização para Abertura de Crédito Adicional Suplementar e dá Outras Providências. O Prefeito Municipal de Rubinéia, Aparecido Goulart, no uso das atribuições que lhe

Leia mais

GABINETE DO PREFEITO

GABINETE DO PREFEITO LEI Nº. 1.193/2015 AUTOR: MESA DIRETORA SÚMULA: CRIA O CONSELHO E O FUNDO MUNICIPAL DE REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO SUSTENTÁVEL DO MUNICÍPIO DE ARIPUANÃ, ESTADO DE MATO GROSSO, E

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, DURAÇÃO E FINALIDADE

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, DURAÇÃO E FINALIDADE REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, DURAÇÃO E FINALIDADE Art. 1º - O Conselho Municipal do Idoso CMI de Carlos Barbosa, criado pela Lei Municipal nº 1754,

Leia mais

L E G I S L A Ç Ã O Lei nº 20/68. O PREFEITO MUNICIPAL DE MOSSORÓ: FAÇO SABER que a Câmara MunIcipal aprovou e eu sanciono a seguinte

L E G I S L A Ç Ã O Lei nº 20/68. O PREFEITO MUNICIPAL DE MOSSORÓ: FAÇO SABER que a Câmara MunIcipal aprovou e eu sanciono a seguinte L E G I S L A Ç Ã O Lei nº 20/68 TRANSFORMA A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA CIÊNCIA E D TÉCNICA EM FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE REGIONAL DO RIO GRANDE DO NORTE E DÁ OUTRAS PR0VIDÊNCIAS. Lei: O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

Estatutos da Associação Cecília e João (ACJ)

Estatutos da Associação Cecília e João (ACJ) Estatutos da Associação Cecília e João (ACJ) Capítulo I Da Associação Art. 1º - A Associação Cecília e João (ACJ), entidade de personalidade jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, com sede em

Leia mais

CAPITULO I DA POLÍTICA MUNICIPAL DO COOPERATIVISMO.

CAPITULO I DA POLÍTICA MUNICIPAL DO COOPERATIVISMO. LEI Nº 1.827/2009. EMENTA: Institui a política de apoio e incentivo ao desenvolvimento do Cooperativismo no âmbito do município de Santa Cruz do Capibaribe/PE e dá outras providências. A MESA DIRETORA

Leia mais

MUNICÍPIO DE PANAMBI RS

MUNICÍPIO DE PANAMBI RS DECRETO MUNICIPAL Nº 064/2014, DE 02 DE JULHO DE 2014. REGULAMENTA A LEI MUNICIPAL 3.681/2013, INSTITUIDORA DO FUNDO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA PESSOA IDOSA E DA OUTRAS PROVIDENCIAS. Miguel Schmitt Prym,

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA LEI Nº 2.054, DE 29 DE OUTUBRO DE 2015 (D.O.M. 29.10.2015 N. 3.763 Ano XVI) DISPÕE sobre a estrutura organizacional da Secretaria Municipal de Finanças, Tecnologia da Informação e Controle Interno Semef,

Leia mais

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE SUMARÉ

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE SUMARÉ LEI Nº 5456, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2012. Estima a receita e fixa a despesa do Município de Sumaré para o exercício financeiro de 2013, e dá outras providências.- O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE SUMARÉ seguinte

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 326, DE 4 DE OUTUBRO DE 2000 (AUTORIA DO PROJETO: PODER EXECUTIVO)

LEI COMPLEMENTAR Nº 326, DE 4 DE OUTUBRO DE 2000 (AUTORIA DO PROJETO: PODER EXECUTIVO) LEI COMPLEMENTAR Nº 326, DE 4 DE OUTUBRO DE 2000 (AUTORIA DO PROJETO: PODER EXECUTIVO) Publicação: DODF nº 192 de 5/10/2000 PÁG.01 e 02. Regulamentada pelo Decreto nº 21.933, de 31/01/2001 DODF nº 23,

Leia mais

01. Câmara Municipal. 02. Secretaria Municipal de Governo. 03. Gabinete do Vice-Prefeito. 04. Procuradoria Geral do Município

01. Câmara Municipal. 02. Secretaria Municipal de Governo. 03. Gabinete do Vice-Prefeito. 04. Procuradoria Geral do Município Estrutura Administrativa e Principais 01. Câmara Municipal - Lei Orgânica do Município de Teresina, de 05 de abril de 1991. - Votar o Orçamento Anual e o Plano Plurianual, bem como autorizar abertura de

Leia mais

1 Prefeitura Municipal de Luís Eduardo Magalhães ESTADO DA BAHIA

1 Prefeitura Municipal de Luís Eduardo Magalhães ESTADO DA BAHIA A 1 CNPJ 04.214.41910001-05 DECRETO N 3.091, DE 05 DE JANEIRO DE 2014. "Dispõe sobre a estrutura organizacional da Procuradoria Geral do Município ". O PREFEITO MUNICIPAL DE LUIS EDUARDO MAGALHÃES,, no

Leia mais

DECISÃO Nº 193/2011 D E C I D E

DECISÃO Nº 193/2011 D E C I D E CONSUN Conselho Universitário DECISÃO Nº 193/2011 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO, em sessão de 08/04/2011, tendo em vista o constante no processo nº 23078.032500/10-21, de acordo com o Parecer nº 022/2011 da

Leia mais

CONSÓRCIOS INTERMUNICIPAIS. FARID TENORIO Fev / 2008

CONSÓRCIOS INTERMUNICIPAIS. FARID TENORIO Fev / 2008 CONSÓRCIOS INTERMUNICIPAIS FARID TENORIO Fev / 2008 Aspectos Legais ETAPA 1 - Protocolo de Intenções O protocolo de intenções é o documento inicial do consórcio público e seu conteúdo mínimo deve obedecer

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE LEI Nº 9.692, DE 18 DE JANEIRO DE 2013.

RIO GRANDE DO NORTE LEI Nº 9.692, DE 18 DE JANEIRO DE 2013. RIO GRANDE DO NORTE LEI Nº 9.692, DE 18 DE JANEIRO DE 2013. Estima a receita e fixa a despesa do Estado do Rio Grande do Norte para o exercício financeiro de 2013 e dá outras providências. A GOVERNADORA

Leia mais

CEMIG TRADING S.A. ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Duração

CEMIG TRADING S.A. ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Duração CEMIG TRADING S.A. O presente Estatuto é uma consolidação do aprovado pela Escritura Pública de Constituição, em 29-07-2002 - arquivada na JUCEMG em 12-08-2002, sob o nº 3130001701-0, e pelas Assembléias

Leia mais

REGIMENTO INTERNO Aprovado dia 02 de julho de 1982

REGIMENTO INTERNO Aprovado dia 02 de julho de 1982 REGIMENTO INTERNO Aprovado dia 02 de julho de 1982 Artigo 1º. - A FUNDAÇÃO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM AGRONOMIA, MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA - FUNEP, além das disposições constantes de seu Estatuto

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 021/2007 DO CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG

RESOLUÇÃO Nº 021/2007 DO CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas. UNIFAL-MG Comissão Permanente de Propriedade Intelectual RESOLUÇÃO Nº 021/2007 DO CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Página 1 de 5 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 7.405, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2010. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84,

Leia mais

Legislação Tributária ARRECADAÇÃO. Início dos Efeitos 10057/2014 14-02-2014 14-02-2014 1 14/02/2014 14/02/2014

Legislação Tributária ARRECADAÇÃO. Início dos Efeitos 10057/2014 14-02-2014 14-02-2014 1 14/02/2014 14/02/2014 Legislação Tributária ARRECADAÇÃO Ato: Lei Número/Complemento Assinatura Publicação Pág. D.O. Início da Vigência Início dos Efeitos 10057/2014 14-02-2014 14-02-2014 1 14/02/2014 14/02/2014 Ementa: Cria

Leia mais

Art. 2º Ao Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional - CONSEA-SC - compete:

Art. 2º Ao Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional - CONSEA-SC - compete: LEI Nº 12.911, de 22 de janeiro de 2004 Dispõe sobre a criação do Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional - CONSEA-SC - e do Fundo Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional - FUNSEA-SC

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE CAPÍTULO I DA POLÍTICA ESTADUAL DE APOIO AO COOPERATIVISMO

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE CAPÍTULO I DA POLÍTICA ESTADUAL DE APOIO AO COOPERATIVISMO LEI N. 1.598, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2004 Institui a Política Estadual de Apoio ao Cooperativismo. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE seguinte Lei: FAÇO SABER que a Assembléia Legislativa do Estado do Acre decreta

Leia mais

A Faculdade de Ciências Farmacêuticas no uso de suas atribuições legais e regimentais;

A Faculdade de Ciências Farmacêuticas no uso de suas atribuições legais e regimentais; MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS FACULDADE DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700. Alfenas MG. CEP 37130-000 Fone (35)3299-1350 A Faculdade de Ciências Farmacêuticas

Leia mais

ESTATUTO DA FUNDAÇÃO ABRAHAM LINCOLN CAPITULO I DA NOMEAÇÃO, DO REGIME JURIDICO, DA DURAÇÃO, DA SEDE E DO FORO

ESTATUTO DA FUNDAÇÃO ABRAHAM LINCOLN CAPITULO I DA NOMEAÇÃO, DO REGIME JURIDICO, DA DURAÇÃO, DA SEDE E DO FORO ESTATUTO DA FUNDAÇÃO ABRAHAM LINCOLN CAPITULO I DA NOMEAÇÃO, DO REGIME JURIDICO, DA DURAÇÃO, DA SEDE E DO FORO Art.1º - A FUNDAÇÃO ABRAHAM LINCOLN, doravante denominada Fundação, instituída pelo Partido

Leia mais

Farmácia Universitária

Farmácia Universitária Universidade Federal de Alfenas UNIFAL-MG Faculdade de Ciências Farmacêuticas Farmácia Universitária Regimento Interno Título I Da Farmácia Universitária Art. 1o A Farmácia Universitária da UNIFAL-MG,

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 12, de 06 de outubro de 2014.

PROJETO DE LEI Nº 12, de 06 de outubro de 2014. PROJETO DE LEI Nº 12, de 06 de outubro de 2014. PODER LEGISLATIVO Cria o Conselho e o Fundo Municipal de Proteção aos Animais edá outras providências. A Câmara Municipal decreta: Capítulo I Do Fundo Municipal

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 7.405, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2010. Institui o Programa Pró-Catador, denomina Comitê Interministerial para Inclusão Social

Leia mais

LEI N. º 1000/2008 de 23 de dezembro de 2008.

LEI N. º 1000/2008 de 23 de dezembro de 2008. LEI N. º 1000/2008 de 23 de dezembro de 2008. SÚMULA: Dispõe sobre autorização para abertura de Crédito Adicional Suplementar. O PREFEITO DO MUNICIPIO DE PAULA FREITAS, Estado do Paraná, no uso de suas

Leia mais

ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO SISTEMA ESTADUAL DE ANÁLISE DE DADOS - SEADE

ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO SISTEMA ESTADUAL DE ANÁLISE DE DADOS - SEADE ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO SISTEMA ESTADUAL DE ANÁLISE DE DADOS - SEADE CAPÍTULO I Da Fundação e seus objetivos Artigo 1º - A Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados SEADE, rege-se por estes Estatutos,

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 478, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2012.

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 478, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2012. RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 478, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2012. Dispõe sobre concessão de incentivos à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no âmbito do Estado do Rio Grande do Norte.

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS O PREFEITO DE MANAUS LEI DELEGADA N 10, DE 31 DE JULHO DE 2013 (D.O.M. 31.07.2013 N. 3221 Ano XIV) DISPÕE sobre a estrutura organizacional da SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS, TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO CONSELHO DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR CAE DO MUNICÍPIO NOS TERMOS DA MEDIDA PROVISÓRIA 1979-19, DE 02 DE

DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO CONSELHO DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR CAE DO MUNICÍPIO NOS TERMOS DA MEDIDA PROVISÓRIA 1979-19, DE 02 DE LEI 2510 DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO CONSELHO DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR CAE DO MUNICÍPIO NOS TERMOS DA MEDIDA PROVISÓRIA 1979-19, DE 02 DE JUNHO DE. DOWNLOAD PARA IMPRESSÃO Lei 2510 ***** TEXTO COMPLETO *****

Leia mais

DO CONSELHO MUNICIPAL DE DIREITOS DO IDOSO. Art. 2º. Compete ao Conselho Municipal de Direitos do Idoso:

DO CONSELHO MUNICIPAL DE DIREITOS DO IDOSO. Art. 2º. Compete ao Conselho Municipal de Direitos do Idoso: PROJETO DE LEI Nº 2.093/09, de 30 de junho de 2.009 Dispõe sobre criação do Conselho Municipal de Direitos do Idoso e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE GOIATUBA, Estado de Goiás, faz saber

Leia mais

Dispõe sobre a transformação da Fundação Estadual do Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia do Estado de Roraima FEMACT-RR, e do

Dispõe sobre a transformação da Fundação Estadual do Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia do Estado de Roraima FEMACT-RR, e do Este texto não substitui o original publicado no Diário Oficial, de 07/07/2011 LEI N 815 DE 7 DE JULHO DE 2011 Dispõe sobre a transformação da Fundação Estadual do Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia do

Leia mais

Parágrafo Único: O Conselho Municipal de Política Habitacional Popular CMPHP é vinculado diretamente ao Gabinete do Prefeito Municipal.

Parágrafo Único: O Conselho Municipal de Política Habitacional Popular CMPHP é vinculado diretamente ao Gabinete do Prefeito Municipal. GABINETE DO PREFEITO LEI MUNICIPAL N.º 1170/2007 DE 19 DE ABRIL DE 2007. CRIA O CONSELHO MUNICIPAL DE POLÍTICA HABITACIONAL POPULAR CMPHP E INTITUI O FUNDO MUNICIPAL HABITACIONAL POPULAR FUNDHAPO, E DÁ

Leia mais

LEI Nº 3.262/07 DE 13/12/07

LEI Nº 3.262/07 DE 13/12/07 LEI Nº 3.262/07 DE 13/12/07 ESTIMA A RECEITA E FIXA A DESPESA DO MUNICÍPIO DE CAMPOS NOVOS PARA O EXERCÍCIO DE 2008 Cirilo Rupp, Prefeito em exercício do Município de Campos Novos, Estado de Santa Catarina,

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS CAPÍTULO II DA FINALIDADE, VINCULAÇÃO E SEDE

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS CAPÍTULO II DA FINALIDADE, VINCULAÇÃO E SEDE LEI N. 2.031, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2008 Institui o Serviço Social de Saúde do Acre, paraestatal de direito privado, na forma que especifica. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE seguinte Lei: FAÇO SABER que

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE ESPORTES E DA JUVENTUDE SUBSECRETARIA DA JUVENTUDE

SECRETARIA DE ESTADO DE ESPORTES E DA JUVENTUDE SUBSECRETARIA DA JUVENTUDE Sugestão de projeto de lei para um CMJ Autor: Poder Executivo Cria o Conselho Municipal da Juventude CMJ e dá outras providências. O povo do Município de, por seus representantes, decreta e eu sanciono

Leia mais

LEI N 280 DE 18 DE SETEMBRO DE 2007

LEI N 280 DE 18 DE SETEMBRO DE 2007 LEI N 280 DE 18 DE SETEMBRO DE 2007 Súmula: Dispõe sobre o Sistema de Controle Interno Municipal, nos termos do artigo 31 da Constituição Federal e do artigo 59 da Lei Complementar n 101/2000 e cria a

Leia mais

Modelo - Projeto de Lei Municipal de criação do Conselho Municipal do Idoso

Modelo - Projeto de Lei Municipal de criação do Conselho Municipal do Idoso Fonte: Ministério Público do Rio Grande do Norte Responsável: Dra. Janaína Gomes Claudino Criação do Conselho Municipal do Idoso Modelo - Projeto de Lei Municipal de criação do Conselho Municipal do Idoso

Leia mais

REGIMENTO DO NÚCLEO DE PESQUISA EM PROJETO DE ARQUITETURA CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E FINALIDADE

REGIMENTO DO NÚCLEO DE PESQUISA EM PROJETO DE ARQUITETURA CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E FINALIDADE Preâmbulo Os representantes do CONFAUeD, reunidos em assembléia, no dia 30 de junho de 2011, para instituição dos regimentos dos seus laboratórios e núcleos, após deliberação aprovou o REGIMENTO INTERNO

Leia mais

Previdenciária Du Pont do Brasil

Previdenciária Du Pont do Brasil Estatuto da Sociedade Previdenciária Du Pont do Brasil Julho de 2014 Estatuto Duprev 1 Julho 2014 Estatuto Duprev Estatuto da sociedade PrEvidEnciária du Pont do Brasil Julho de 2014 Estatuto duprev 3

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO CONSULTIVO DO AUDIOVISUAL DE PERNAMBUCO

REGIMENTO DO CONSELHO CONSULTIVO DO AUDIOVISUAL DE PERNAMBUCO REGIMENTO DO CONSELHO CONSULTIVO DO AUDIOVISUAL DE PERNAMBUCO CAPITULO I DA NATUREZA E FINALIDADE Art. 1º - O Conselho Consultivo do Audiovisual de Pernambuco, órgão colegiado permanente, consultivo e

Leia mais

RECEITAS DE CAPITAL 88.883.221 OPERAÇÕES DE CRÉDITO 59.214..075 TRANSFERÊNCIAS DE CAPITAL 29.669.146 TOTAL 1.136.493.735

RECEITAS DE CAPITAL 88.883.221 OPERAÇÕES DE CRÉDITO 59.214..075 TRANSFERÊNCIAS DE CAPITAL 29.669.146 TOTAL 1.136.493.735 LEI Nº 16.929 DE 15 DE DEZEMBRO DE 2003 ESTIMA A RECEITA E FIXA A DESPESA DA PREFEITURA DO RECIFE PARA O EXERCÍCIO DE 2004. O POVO DA CIDADE DO RECIFE, POR SEUS REPRESENTANTES, DECRETA E EU, EM SEU NOME,

Leia mais

Câmara Municipal de Uberaba Sua Confiança. Nosso Trabalho. LEI N.º 9.623

Câmara Municipal de Uberaba Sua Confiança. Nosso Trabalho. LEI N.º 9.623 Sua Confiança. Nosso Trabalho. LEI N.º 9.623 Estima a receita e fixa a despesa do Município de Uberaba para o exercício de 2005, e contém outras disposições. O Povo do Município de Uberaba, Estado de Minas

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Página 1 de 7 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 13.089, DE 12 DE JANEIRO DE 2015. Mensagem de veto Institui o Estatuto da Metrópole, altera a Lei n o 10.257,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe) REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO Art. 1º O CENTRO BRASILEIRO DE PESQUISA EM AVALIAÇÃO E SELEÇÃO

Leia mais

LEI DOS INSTRUMENTOS

LEI DOS INSTRUMENTOS LEI DOS INSTRUMENTOS LEI Nº 2.333 DE 06 DE OUTUBRO DE 2006 Dispõe sobre os Instrumentos de Política Urbana no Município de Itápolis. MAJOR AVIADOR MOACYR ZITELLI, Prefeito do Município de Itápolis, Estado

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DE CORRÊA RIBEIRO S/A COMÉRCIO E INDÚSTRIA CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO SOCIAL E PRAZO DE DURAÇÃO:

ESTATUTO SOCIAL DE CORRÊA RIBEIRO S/A COMÉRCIO E INDÚSTRIA CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO SOCIAL E PRAZO DE DURAÇÃO: ESTATUTO SOCIAL DE CORRÊA RIBEIRO S/A COMÉRCIO E INDÚSTRIA CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO SOCIAL E PRAZO DE DURAÇÃO: Denominação Artigo 1º - Corrêa Ribeiro S/A Comércio e Indústria é uma sociedade

Leia mais

FUNDO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - FMAS

FUNDO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - FMAS FUNDO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL Órgão/Sigla: Natureza Jurídica: Vinculação: Finalidade: FUNDO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - FMAS FUNDO SECRETARIA MUNICIPAL DO TRABALHO, ASSISTÊNCIA SOCIAL E DIREITOS

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 004/2013. O Prefeito Municipal de Governador Lindenberg ES, Estado do Espírito Santo apresenta o presente projeto de lei;

PROJETO DE LEI Nº 004/2013. O Prefeito Municipal de Governador Lindenberg ES, Estado do Espírito Santo apresenta o presente projeto de lei; PROJETO DE LEI Nº 004/2013 Ementa: Dispõe sobre o cargo de controlador interno e auditor público interno do Município de Governador Lindenberg ES e dá outras providências. O Prefeito Municipal de Governador

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - COEMA

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - COEMA GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - COEMA RESOLUÇÃO COEMA N 116, DE 03 DE JULHO DE 2014. Dispõe sobre as atividades de impacto ambiental

Leia mais

MODELO DE ESTATUTO DA SOCIEDADE DE AMIGOS DA BIBLIOTECA PÚBLICA (Este modelo deverá ser adaptado às situações locais)

MODELO DE ESTATUTO DA SOCIEDADE DE AMIGOS DA BIBLIOTECA PÚBLICA (Este modelo deverá ser adaptado às situações locais) MODELO DE ESTATUTO DA SOCIEDADE DE AMIGOS DA BIBLIOTECA PÚBLICA (Este modelo deverá ser adaptado às situações locais) CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE, DURAÇÃO Art. 1.º A SOCIEDADE DE AMIGOS DA

Leia mais

Art. 1º Fica aprovado, na forma do Anexo, o Regimento Interno do Conselho Nacional de Arquivos - CONARQ. JOSÉ EDUARDO CARDOZO ANEXO

Art. 1º Fica aprovado, na forma do Anexo, o Regimento Interno do Conselho Nacional de Arquivos - CONARQ. JOSÉ EDUARDO CARDOZO ANEXO PORTARIA Nº 2.588, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2011 Aprova o Regimento Interno do Conselho Nacional de Arquivos O MINISTRO DE ESTADO DA JUSTIÇA, no uso de suas atribuições previstas nos incisos I e II do parágrafo

Leia mais

LEI Nº 982 DE 16 DE MAIO DE 2013.

LEI Nº 982 DE 16 DE MAIO DE 2013. LEI Nº 982 DE 16 DE MAIO DE 2013. Dispõe sobre a criação, composição, competência e funcionamento do Conselho Municipal de Esporte e Lazer CMEL. O Povo do Município de Turvolândia Estado de Minas Gerais,

Leia mais

CAPÍTULO I. Parágrafo Único - Sua duração é por tempo indeterminado. CAPÍTULO II DAS ATIVIDADES DA FUNDAÇÃO

CAPÍTULO I. Parágrafo Único - Sua duração é por tempo indeterminado. CAPÍTULO II DAS ATIVIDADES DA FUNDAÇÃO ESTATUTO DA FUNDAÇÃO HOSPITAL SANTA LYDIA CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA JURÍDICA, SEDE E FORO Artigo 1º - A FUNDAÇÃO HOSPITAL SANTA LYDIA, cuja instituição foi autorizada pela Lei Complementar nº

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 02/13 DE 25/03/13

LEI COMPLEMENTAR Nº 02/13 DE 25/03/13 LEI COMPLEMENTAR Nº 02/13 DE 25/03/13 CRIA ORGÃOS E AMPLIA CARGOS DE PROVIMENTO EM COMISSÃO NA ESTRUTURA ADMINISTRATIVA DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL DE CAMPOS NOVOS, ACRESCENTA DISPOSITIVOS NA LEI COMPLEMENTAR

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CARAPICUIBA SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO URBANO E HABITAÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CARAPICUIBA SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO URBANO E HABITAÇÃO PREFEITURA MUNICIPAL DE CARAPICUIBA SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO URBANO E HABITAÇÃO Conforme aprovado em reunião do Conselho Municipal de Habitação, realizada aos 29 de maio de 2012; REGIMENTO

Leia mais

MINUTA FUNDAÇÃO DE APOIO A SERVIÇOS TÉCNICOS, ENSINO E FOMENTO A PESQUISAS REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS

MINUTA FUNDAÇÃO DE APOIO A SERVIÇOS TÉCNICOS, ENSINO E FOMENTO A PESQUISAS REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS MINUTA FUNDAÇÃO DE APOIO A SERVIÇOS TÉCNICOS, ENSINO E FOMENTO A PESQUISAS REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS Art. 1º A FUNDAÇÃO DE APOIO A SERVIÇOS TÉCNICOS, ENSINO E FOMENTO A PESQUISAS -

Leia mais

Agência Reguladora de Saneamento Básico do Estado da Bahia - AGERSA

Agência Reguladora de Saneamento Básico do Estado da Bahia - AGERSA Agência Reguladora de Saneamento Básico do Estado da Bahia - AGERSA RESOLUÇÃO Nº 006/2013 Altera a Resolução AGERSA nº 001/2013, que aprovou o Regimento da Agência Reguladora de Saneamento Básico do Estado

Leia mais