Função: 87 ou PDIF-1 Diferencial Percentual e 87-2 ou PDIF-2 Diferencial Instantâneo. Ferramenta Utilizada: CE-6006; CE-6710; CE-7012 ou CE-7024

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Função: 87 ou PDIF-1 Diferencial Percentual e 87-2 ou PDIF-2 Diferencial Instantâneo. Ferramenta Utilizada: CE-6006; CE-6710; CE-7012 ou CE-7024"

Transcrição

1 Tutorial de Teste Tipo de Equipamento: Relé de Proteção Marca: Schweitzer Modelo: 787 Função: 87 ou PDIF-1 Diferencial Percentual e 87-2 ou PDIF-2 Diferencial Instantâneo. Ferramenta Utilizada: CE-6006; CE-6710; CE-7012 ou CE-7024 Objetivo: Teste de Configuração de Ajustes, Teste de Ponto e Levantamento da Característica de Slope. Controle de Versão: Versão Descrições Data Autor Revisor 1.0 Versão Inicial 13/03/2017 M.R.C. 1

2 Sumário 1. Conexão com o CE Fonte Auxiliar Bobinas de Corrente Entrada Binária Comunicação com o relé Parametrização do relé SEL General Configuration Transformer Differential Elements Ajustes das Saídas Binárias Slot A Enviando os Ajustes Ajustes do software Diferenc Abrindo o Diferenc Configurando os Ajustes Sistema Ajustes Diferenciais Tela Diferencial > Ajuste Prot. Diferencial > Ajuste Tela Diferencial > Ajuste Prot. Diferencial > Definição do Slope Tela Diferencial > Equipamento Protegido / TC s Direcionamento de Canais e Configurações de Hardware Configuração dos Testes Teste de Configuração Teste de Ponto Teste de Busca Resultado Final do Teste de Busca Relatório APÊNDICE A A.1 Designações de terminais A.2 Dados Técnicos APÊNDICE B

3 Termo de Responsabilidade INSTRUMENTOS PARA TESTES ELÉTRICOS As informações contidas nesse tutorial são constantemente verificadas. Entretanto, diferenças na descrição não podem ser completamente excluídas; desta forma, a CONPROVE se exime de qualquer responsabilidade, quanto a erros ou omissões contidos nas informações transmitidas. Sugestões para aperfeiçoamento desse material são bem vindas, bastando o usuário entrar em contato através do O tutorial contém conhecimentos obtidos dos recursos e dados técnicos no momento em que foi escrito. Portanto a CONPROVE reserva-se o direito de executar alterações nesse documento sem aviso prévio. Este documento tem como objetivo ser apenas um guia, o manual do equipamento a ser testado deve ser sempre consultado. ATENÇÃO! O equipamento gera valores de correntes e tensões elevadas durante sua operação. O uso indevido do equipamento pode acarretar em danos materiais e físicos. Somente pessoas com qualificação adequada devem manusear o instrumento. Observa-se que o usuário deve possuir treinamento satisfatório quanto aos procedimentos de manutenção, um bom conhecimento do equipamento a ser testado e ainda estar ciente das normas e regulamentos de segurança. Copyright Copyright CONPROVE. Todos os direitos reservados. A divulgação, reprodução total ou parcial do seu conteúdo, não está autorizada, a não ser que sejam expressamente permitidos. As violações são passíveis de sansões por leis 3

4 1. Conexão com o CE-6006 INSTRUMENTOS PARA TESTES ELÉTRICOS Sequência para testes de relé 787 no software Diferenc No apêndice A-1 mostram-se as designações dos terminais do relé. 1.1 Fonte Auxiliar Ligue o positivo (borne vermelho) da Fonte Aux. Vdc ao pino Power + (A01) do relé, ligue o negativo (borne preto) da Fonte Aux Vdc ao pino Power - (A02) do relé. Figura Bobinas de Corrente Ligue os canais de corrente I1, I2 e I3 do CE-6006 aos pinos Z01, Z03 e Z05 do relé respectivamente, ligue os três comuns do CE-6006 ao pino Z02 do relé formando então a ligação do enrolamento um. Da mesma maneira, para estabelecer a conexão do enrolamento 2, ligue os canais de corrente I4, I5 e I6 aos pinos Z07, Z09 e Z011 do relé respectivamente, ligando os três comuns ao pino Z08. Figura 2 4

5 1.3 Entrada Binária INSTRUMENTOS PARA TESTES ELÉTRICOS Ligue a entrada binária do CE-6006 à saída binária do relé. BI1 ao pino A03 e seu comum ao pino A04 do relé. 2. Comunicação com o relé 787 Figura 3 Primeiramente abre-se o AcSELerator QuickSet e liga-se um cabo ethernet (ou serial) do notebook com o relé. Em seguida clica-se duas vezes no ícone do software. Figura 4 Ao abrir o programa, seleciona-se o arquivo do relé caso já tenha sido realizado a comunicação. Caso contrário clique em New. Figura 5 5

6 Na próxima tela ajusta-se o modelo e a versão do relé testado. Verifique no painel frontal através do seguinte caminho Status > Relay Status > FID. Figura 6 Em seguida o Part Number deve ser ajustado. Utilize o seguinte caminho para visualizar Status > Relay Status > PART NUM. Figura 7 Em seguida clique no ícone em destaque de acordo com a figura abaixo: 6

7 3. Parametrização do relé SEL 787 Figura General Após ter sido estabelecida a conexão clique ao lado de Global e em General e ajuste o valor da sequência de fase e da frequência. Figura 9 7

8 3.2. Configuration Clique ao lado de Group 1 > Set 1 e escolha a opção Configuration. Nessa janela ajusta-se: a potência nominal do transformador de força, se a compensação da defasagem é feita pelo próprio relé, o tipo da conexão do TC, a relação de transformação de TC, as matrizes de compensação angular e a tensão nominal de cada enrolamento. Os outros ajustes dessa janela não estão ativos. Figura Transformer Differential Elements Nessa opção habilita-se a função diferencial, são mostrados os valores dos TAP s (calculados automaticamente), ajusta-se o valor de corrente diferencial mínimo para TRIP e para alarme, os dois slopes, o ponto de joelho e por fim a corrente do diferencial irrestrita. Os outros ajustes são referentes à função de restrição harmônica não sendo relevantes para esse tutorial. 8

9 4. Ajustes das Saídas Binárias Figura Slot A Clique ao lado de Logic 1 > Outputs e selecione a opção Slot A e faça o seguinte ajuste para o campo OUT101. Figura 12 9

10 4.2. Enviando os Ajustes INSTRUMENTOS PARA TESTES ELÉTRICOS Clique no ícone selecionado e envie pelo menos os seguintes ajustes. Figura 13 Figura 14 10

11 5. Ajustes do software Diferenc INSTRUMENTOS PARA TESTES ELÉTRICOS 5.1. Abrindo o Diferenc Clique no ícone do gerenciador de aplicativos CTC. Figura 15 Efetue um clique no ícone do software Diferenc. Figura 16 11

12 Figura Configurando os Ajustes Ao abrir o software a tela de Ajustes abrirá automaticamente (desde que a opção Abrir Ajustes ao Iniciar encontrado no menu Opções Software esteja selecionada). Caso contrário clique diretamente no ícone Ajustes. Figura 18 Dentro da tela de Ajustes preencha a aba Inform. Gerais com dados do dispositivo testado, local da instalação e o responsável. Isso facilita a elaboração relatório sendo que essa aba será a primeira a ser mostrada. 12

13 5.3. Sistema Figura 19 Na tela a seguir dentro da sub aba Nominais são configurados os valores de frequência, sequencia de fase, tensões primárias e secundárias, correntes primárias e secundárias, relações de transformação de TPs e TCs. Existe ainda duas sub abas Impedância e Fonte cujos dados não são relevantes para esse teste. Figura 20 13

14 Existem outras abas onde o usuário pode inserir notas e observações, figuras explicativas, pode criar um check list dos procedimentos para realização de teste e ainda criar um esquema com toda a pinagem das ligações entre mala de teste e o equipamento de teste. 6. Ajustes Diferenciais 6.1. Tela Diferencial > Ajuste Prot. Diferencial > Ajuste O padrão inicial para o campo Entrada de Dados é definido como Usuário, dessa forma, todos os outros ajustes, tais como TAP, compensação de defasamento, correção de mismatch, tipo da corrente de medição, enrolamento de referência para cálculos e opção de eliminação de sequência zero são habilitados para que o usuário possa, de acordo com o relé, realizar o ajuste corretamente (Configuração Livre). Este método permite ao usuário testar qualquer tipo de relé diferencial, porém exige um conhecimento maior do relé. Para facilitar a entrada de dados, os ajustes dos principais relés disponíveis no mercado já foram padronizados. Ao selecionar um dos relés da lista, apenas os ajustes parametrizáveis serão habilitados. Figura 21 Escolhendo a máscara SEL 787 os ajustes tornam-se mais fáceis. As tolerâncias de corrente e de tempo foram retiradas do apêndice A. 14

15 Figura Tela Diferencial > Ajuste Prot. Diferencial > Definição do Slope Nessa tela devem ser inseridos os valores das inclinações ( Slope 1 e Slope 2 ) e do Knee Point. Figura 23 15

16 6.3. Tela Diferencial > Equipamento Protegido / TC s Nessa aba deve-se informar o equipamento protegido, o número de enrolamentos, tensões nominais, potências nominais, as correntes primárias e secundárias dos TCs principais e as correntes dos TCs auxiliares caso haja necessidade. Neste teste utilizam-se os ajustes para um relé que está protegendo um transformador de 2 enrolamentos. Entretanto é possível testar além da proteção diferencial de transformadores, as proteções de barra, gerador, motor e linha. Para proteção de transformadores existe a possibilidade de testes em até quatro enrolamentos, utilizando duas malas de teste simultaneamente. Figura Direcionamento de Canais e Configurações de Hardware Clique no ícone ilustrado abaixo. 16

17 Figura 25 Em seguida clique no ícone destacado para configurar o hardware. Figura 26 Escolha a configuração dos canais, ajuste a fonte auxiliar e o método de parada das entradas binárias. Para finalizar clique em OK. 17

18 Figura 27 Na próxima tela escolha Básico e na janela seguinte (não mostrada) escolha SIM, por fim clique em Confirmar. 8. Configuração dos Testes Figura 28 Na aba de configurações o importante é o correto direcionamento dos canais de geração e a seleção da interface de parada do cronômetro para BI01. Habilite uma pré-falta com valores nominais com tempo de 500ms para que o Teste de Ponto seja feito de maneira adequada. 18

19 Figura Teste de Configuração A ideia geral do teste de configuração é verificar se os ajustes do relé e os ajustes parametrizados no software estão compatíveis, já que o software visa simular o comportamento do relé. Para tal, entre com o novo ponto conforme os dados abaixo: - Entrada de Dados: Idif e Irest - Idif: 1In - Irest: 2In - Local da Fonte: Enr. 1 - Local do Curto: Enr. 2 - Tipo de Falta: ABC 19

20 Figura 30 Ao iniciar o teste o usuário deverá entrar com os valores de corrente diferencial e restrição lidos no relé que deverão estar dentro da faixa de valores de tolerância dada pelo fabricante em relação aos valores calculados no software. Para visualizar os valores medidos pelo relé escolha a opção Interface Homem Máquina e escolha a opção Differential no software AcSELerator. Figura 31 20

21 Ao entrar com os dados, o software irá realizar a essa comparação automática dos dados. Figura Teste de Ponto Figura 33 A aprovação do teste de configuração possibilita que os outros dois testes possam ser realizados com sucesso. Caso o resultado seja Reprovado, revise todas as ligações e ajustes entre mala de teste e o relé. Para o teste de ponto clique no campo Sequencia escolha o tipo de falta, o valor inicial e final de corrente de restrição. 21

22 Figura 34 Ao iniciar o teste todos os pontos serão testados sequencialmente e o status irá se atualizar automaticamente. A figura a seguir mostra o resultado de um teste onde 8 pontos foram testados. O detalhe a ser observado é que os pontos testados devem estar dentro do limite de geração dos canais de corrente, caso contrário o ponto não será testado e um status informando de que o ponto está fora do limite de geração será apresentado. Figura 35 22

23 11. Teste de Busca INSTRUMENTOS PARA TESTES ELÉTRICOS Verifica-se que os pontos dentro da região de operação, atuaram dentro do tempo previsto, já os pontos fora da região de operação não atuaram. Para a realização do teste de busca clique no campo Sequência escolha o tipo de falta, o local da fonte, o local do curto e os valores de corrente de restrição inicial, final e passo. Figura 36 Inicie a geração clicando no ícone destacado abaixo ou através do comando Alt +G. Figura Resultado Final do Teste de Busca Nesse teste podem ser visualizados os valores encontrados de corrente diferencial, caso estejam dentro da faixa de tolerância dada pelo fabricante são aprovados, caso contrário são reprovados. 23

24 12. Relatório Figura 38 Após finalizar o teste clique no ícone destacado na figura anterior ou através do comando Ctrl +R para chamar a tela de pré-configuração do relatório. Escolha a língua desejada assim como as opções que devem fazer parte do relatório. Figura 39 24

25 Figura 40 25

26 APÊNDICE A INSTRUMENTOS PARA TESTES ELÉTRICOS A.1 Designações de terminais Figura 41 26

27 A.2 Dados Técnicos INSTRUMENTOS PARA TESTES ELÉTRICOS 27

28 APÊNDICE B INSTRUMENTOS PARA TESTES ELÉTRICOS Equivalência de parâmetros do software e o relé em teste. Tabela 1 Software Diferenc Relé SEL 787 Parâmetro Figura Parâmetro Figura Tensão Enr.1 24 VWDG1 Winding 1 Line-to-Line 10 Voltage Tensão Enr.2 24 VWDG2 Winding 2 Line-to-Line 10 Voltage Potência Enr.1 24 MVA Maximum Transformer Capacity 10 Potência Enr.2 24 MVA Maximum Transformer Capacity 10 Ip Primária Enr.1 24 CTR1 Winding CT Ratio ( *5,0A) 10 Ip Primária Enr.2 24 CTR2 Winding CT Ratio( *5,0A) 10 Ajustes do Diferencial 22 O87P Restrained Element Operation 11 Pickup Current PU Ajustes do Diferencial 22 A.2 Dados Técnicos Tempo Ajustes do Instantâneo 22 U87P Unrestrained Element Current 11 Pickup PU Ajustes do Instantâneo 22 A.2 Dados Técnicos Tempo Enr.1 (CTC) 24 W1CTC Winding 1 CT Conn. 11 Compensation Enr.2 (CTC) 24 W2CTC Winding 2 CT Conn. 11 Compensation Slope 1 22 SLP1 Restraint Slope 1 Percentage 11 Slope 2 22 SLP2 Restraint Slope 2 Percentage 11 Knee Point 22 IRS1 Restraint Current Slope1 Limit 11 28