Questionário do Programa Bandeira Azul Brasil para Praias

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Questionário do Programa Bandeira Azul Brasil para Praias"

Transcrição

1 Questionário do Programa Bandeira Azul Brasil para Praias 1. Informações sobre a praia candidata: 1.1 Nome da Praia 1.2 Região da Praia 1.3 Localização Geográfica Latitude: Longitude: 1.4 Nome do responsável pela praia (p. ex.: Associação de Moradores) 1.5 Endereço 1.6 Telefone/ fax Fone: ( ) / Fax: ( ) 1.7 / web page 1.8 Nome para contato 1.9 Média estimada de usuários durante os meses de verão 1.10 População residente no balneário 1.11 Extensão da linha de praia 1.12 Praia sinalizada na rede viária (s / n) 2. Informações sobre o município: 2.1 Região 2.2 Município 2.3 Endereço da prefeitura 2.4 Telefone / fax Fone: ( ) / Fax: ( ) 2.5 / web page 2.6 População residente no município 2.7 População durante o verão 2.8 Número de praias do município 3. Qualidade da água 3.1 Balneabilidade A qualidade da água do mar no último veraneio estava de acordo com os valores dos parâmetros da resolução CONAMA 274/ Qual é a freqüência das análises durante a temporada de verão? Existem riachos, rios ou outros cursos de água na linha de praia? Se sim, a balneabilidade é afetada?

2 3.1.5 A praia é afetada por resíduos sólidos provenientes da água para a areia? Se sim, que medidas são tomadas para solucionar tal situação? São efetuadas análises de coliformes fecais? São efetuadas análises de coliformes totais? São efetuadas análises de estreptococos fecais? Existe uma entidade responsável em afixar informação atualizada sobre balneabilidade? Qual? Existe uma entidade responsável em afixar informação atualizada sobre balneabilidade? Qual? 3.2 Águas residuais A área está livre de descargas de efluentes industriais ou urbanos, incluindo descargas provenientes dos estabelecimentos da própria praia? Se não, especifique o tipo de água residual e sua proveniência: Especifique os tipos de indústrias poluentes no município com influência direta na praia: 3.3 Planos de Emergência Existem planos de emergência regionais e/ou locais de combate a eventuais acidentes de poluição na praia? O plano de emergência inclui um esquema de informação ao público sobre acidentes de poluição? O plano de emergência cobre operação de limpeza? O plano de emergência especifica as responsabilidades das autoridades locais?

3 3.4 Material de origem biológica A praia está livre de algas e de outros materiais de origem vegetal? (Exceto após eventos meteorológicos) Se não, é mantido por razões ecológicas? Tal situação prejudica a balneabilidade? 3.5 Tratamento de águas residuais Qual a porcentagem do bairro servida por um sistema de tratamento? As águas residuais dos bairros são tratadas numa estação de tratamento própria ou municipal? Indique a capacidade do tratamento No município existe alguma descarga de águas residuais sem tratamento? Se sim, especifique o número de descargas sem tratamento, o tipo, a carga de poluente e a população a que se referem: 4. Informação e Educação Ambiental 4.1 Mecanismos de aviso para prever ou constatar poluição na praia Existem meios que permitem informar rapidamente o público se, por algum motivo, a praia se tornar gravemente insegura? 4.2 Informação fixada na praia sobre áreas ecologicamente sensíveis na costa A praia encontra-se integrada ou próxima a uma Área de Preservação Permanente APP? Se sim, existe informação disponível sobre o comportamento a ser adotado nessas áreas? Se sim, qual é o local escolhido para fixar tal informação?

4 4.3 Realização de atividades de Educação Ambiental Existe(m) ator(es) social(is) capaz(es) de realizar atividades de educação ambiental? Existem projetos ou atividades de educação/informação ambiental? Quantos? Quais as entidades (governamentais e nãogovernamentais) participantes? O município possui Agenda 21? O município tem projetos que visam à racionalização da utilização dos recursos naturais? 4.4 Normas de Uso da Praia Existe legislação relativa ao uso da praia, afixadas em locais de atendimento ao público? Em que zona da praia são afixadas as normas de uso descrevendo o comportamento adequado a ser adotado? Quais são os meios de divulgação da informação? 4.5 Centros de Educação Ambiental Existem centros de interpretação ambiental ou alguma estrutura de promoção de sensibilização ambiental? 5. Gestão Ambiental e Equipamentos 5.1 Plano de ordenamento A praia está de acordo com os planos de ordenamento do município? (p.ex. Planos Diretores do Município) Existem estruturas na praia ou em seu entorno que não estão de acordo com o referido plano?

5 5.2 Recipientes de lixo Existem recipientes para o recolhimento de lixo em número adequado, devidamente conservados e seguros, e regularmente esvaziados? Com que freqüência são esvaziados os recipientes? Qual o destino final destes resíduos? O município possui um plano de redução da quantidade de resíduos, por exemplo, compostagem orgânica, coleta seletiva, coleta de óleo de cozinha, etc? 5.3 Limpeza da Praia Durante o veraneio as praias são mantidas limpas, isentas de lixos ou resíduos de qualquer espécie? Com que freqüência ocorre essa limpeza? 5.4 Outras atividades Existe circulação de veículos motorizados, exceto os autorizados na praia? Existem competições de carros ou motos na praia? Existem descargas de entulho na praia? Existe campismo não autorizado na praia? 5.5 Acesso seguro à praia O acesso à praia é seguro e adequado, e encontra-se em bom estado de conservação? De que forma é garantido o acesso seguro (rampas, escadas, passarelas de madeira, etc.)?

6 5.6 Conflitos de usos da praia A praia e a área de banho estão livres de ações conflituosas das diversas utilizações (esportes, lazer, surfe, pesca, trabalho, ecossistemas sensíveis)? Se não, indique o conflito de interesses e de que forma é evitado, bem como, qual o meio utilizado para delimitar as diferentes áreas. 5.7 Instalações sanitárias Existem instalações sanitárias, acessíveis ao público em geral, em boas condições de higiene e cujo destino final do(s) esgoto(s) é o apropriado? Qual é o número de sanitários? Com que freqüência é efetuada a limpeza desses sanitários? Qual é o numero de sanitários para deficientes? Indique o destino final dos resíduos (fossa séptica ou outro): 5.8 Salva-vidas Existem equipes de salva-vidas em serviço durante o veraneio de acordo com as normas do Corpo de Bombeiros? Quantos salva-vidas existem na praia? Os equipamentos estão conforme as normas do Corpo de Bombeiros? Que tipo de equipamento existe? (p. ex: bóias, oxigênio, etc.)

7 5.9 Serviços de primeiros-socorros Existe local para prestação de serviços de primeiros-socorros, devidamente assinalado por painel informativo? Indique se existem profissionais que prestem assistência em caso de necessidade de cuidados de saúde e quais horários eles se encontram acessíveis: 5.10 Animais domésticos na praia Existe controle à presença de animais domésticos na praia, incluindo placas informando que é proibida a presença desses animais na praia? 5.11 Fonte de água potável Existe água potável disponível ao público na praia? Se sim, de que forma é protegida para o consumo humano Indique qual o tipo de fornecimento de água potável existente (bares, restaurantes, fonte pública, outros): 5.12 Telefone público Existe telefone facilmente acessível ao público, ou outro meio de comunicação rápida (ex. rádio), devidamente indicado em painel?

8 5.13 Rampas e instalações sanitárias para deficientes motores Existem rampas e instalações sanitárias para portadores de necessidades especiais? Se não, existe alguma praia no município equipada com essas estruturas? 5.14 Edifícios e equipamentos em boas condições de conservação Todos os edifícios e equipamentos existentes na praia estão em bom estados de conservação (seguros, limpos e em boas condições estéticas)? Nos cuidados de manutenção são usados produtos ambientalmente compatíveis? 5.15 Equipamentos para coleta seletiva de materiais recicláveis Existem equipamentos para coleta seletiva de materiais recicláveis (vidros, metais, plásticos, outros materiais recicláveis)? Se a praia não dispõe desses equipamentos, explique o motivo: O município dispõe de algum projeto que estabeleça metas para reutilização e reciclagem de resíduos: 5.16 Meios de transporte sustentáveis Existem meios de transporte não-poluentes na área de praia (bicicletas, transporte público)? Se sim, explique como O município tem um plano de gestão com vista a reduzir o tráfego de veículos para as praias, e conseqüentemente, o impacto ambiental negativo na zona costeira?

GERAÇÃO DE RESÍDUOS. Planejamento e Gestão de Resíduos

GERAÇÃO DE RESÍDUOS. Planejamento e Gestão de Resíduos GERAÇÃO DE RESÍDUOS Planejamento e Gestão de Resíduos FONTES GERADORAS ORIGEM DE ACORDO COM A CLASSIFICAÇÃO Domiciliar Comercial Institucional Serviços Públicos (limpeza pública) Serviços de saúde Indústria

Leia mais

SANEAMENTO BÁSICO PESQUISA NACIONAL DE GESTÃO MUNICIPAL DO SANEAMENTO BÁSICO GMSB BLOCO 02 IDENTIFICAÇÃO DA PREFEITURA

SANEAMENTO BÁSICO PESQUISA NACIONAL DE GESTÃO MUNICIPAL DO SANEAMENTO BÁSICO GMSB BLOCO 02 IDENTIFICAÇÃO DA PREFEITURA Diretoria de Pesquisas - DPE Coordenação de População e Indicadores Sociais - COPIS PESQUISA NACIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO - 008 GESTÃO MUNICIPAL DO SANEAMENTO BÁSICO GMSB BLOCO 0 IDENTIFICAÇÃO DO QUESTIONÁRIO

Leia mais

MUNICÍPIO DO PORTO SANTO

MUNICÍPIO DO PORTO SANTO MUNICÍPIO DO PORTO SANTO Normas Concurso de Fotografia BANDEIRA AZUL - 30 ANOS, 30 CRITÉRIOS, UM OBJETIVO Regulamento ENQUADRAMENTO O concurso de fotografia Bandeira Azul 30 Anos, 30 Critérios, Um Objetivo

Leia mais

Avaliação preliminar das nascentes do Rio Mundaú inserida na zona urbana do município de Garanhuns

Avaliação preliminar das nascentes do Rio Mundaú inserida na zona urbana do município de Garanhuns Avaliação preliminar das nascentes do Rio Mundaú inserida na zona urbana do município de Garanhuns Tafnes da Silva Andrade Márcio Nóbrega ; Adrielle Castilho & Genilza França CPRH/UIGA INTRODUÇÃO Entende-se

Leia mais

DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA DE ALIMENTOS

DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA DE ALIMENTOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA DE ALIMENTOS CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS GLOSSÁRIO Danilo José P. da Silva Série Sistema de Gestão Ambiental Viçosa-MG/Janeiro/2011 Glossário

Leia mais

Qualidade da Água em Rios e Lagos Urbanos

Qualidade da Água em Rios e Lagos Urbanos Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia Hidráulica e Sanitária PHD 2537 Água em Ambientes Urbanos Qualidade da Água em Rios e Lagos Urbanos Novembro 2008 Felipe Carvalho

Leia mais

Perfil de Água Balnear de Água de Madeiros

Perfil de Água Balnear de Água de Madeiros Perfil de Água Balnear de Água de Madeiros Identificação da Água Balnear Nome da Água Balnear Água de Madeiros Código da Água Balnear PTCV9J Ano de Identificação 1999 Categoria/Tipo Água balnear costeira/costa

Leia mais

Perfil de Água Balnear da Formosa

Perfil de Água Balnear da Formosa Perfil de Água Balnear da Formosa Identificação da Água Balnear Nome da Água Balnear FORMOSA Código da Água Balnear PTCX7W Ano de Identificação 2001 Categoria/Tipo Água balnear costeira/costa Atlântica

Leia mais

RECEPÇÃO DE CALOUROS COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS UFES Campus ALEGRE

RECEPÇÃO DE CALOUROS COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS UFES Campus ALEGRE RECEPÇÃO DE CALOUROS 2017-1 COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS UFES Campus ALEGRE RECEPÇÃO DE CALOUROS 2017-1 Dr. Anderson Lopes Peçanha Professor da Universidade Federal do Espírito Santo Departamento

Leia mais

Perfil de Água Balnear do Porto da Calada

Perfil de Água Balnear do Porto da Calada Perfil de Água Balnear do Porto da Calada Identificação da Água Balnear Nome da Água Balnear PORTO DA CALADA Código da Água Balnear PTCJ2H Ano de Identificação 2001 Categoria/Tipo Água balnear costeira/costa

Leia mais

Instruções para a redução, o tratamento e a separação de resíduos de materiais resultantes de convenções e exposições

Instruções para a redução, o tratamento e a separação de resíduos de materiais resultantes de convenções e exposições Instruções para a redução, o tratamento e a separação de resíduos de materiais resultantes de convenções e exposições Introdução: Para se articular com a política de tratamento de resíduos sólidos Reciclagem

Leia mais

PLANO DE ORDENAMENTO DA ALBUFEIRA DE IDANHA

PLANO DE ORDENAMENTO DA ALBUFEIRA DE IDANHA PLANO DE ORDENAMENTO DA ALBUFEIRA DE IDANHA Proposta Plano Plano de Execução Câmara Municipal de Idanha-a-Nova Julho 2005 ÍNDICE 1. METODOLOGIA... 3 2. PROPOSTAS DE INTERVENÇÃO... 4 3. QUADROS-SÍNTESE

Leia mais

LAVAGEM AUTOMOTIVA. Bairro: Município: CEP: CNPJ/CPF: Telefone: Fax:

LAVAGEM AUTOMOTIVA. Bairro: Município: CEP: CNPJ/CPF: Telefone: Fax: LAVAGEM AUTOMOTIVA 1. Identificação Empresa/Interessado: Endereço: Bairro: Município: CEP: CNPJ/CPF: Telefone: Fax: E-mail: Atividade: Localização do empreendimento (Endereço): Bairro: CEP: Contato: Cargo/Função:

Leia mais

Perfil de Água Balnear das Bicas

Perfil de Água Balnear das Bicas Perfil de Água Balnear das Bicas Identificação da Água Balnear Nome da Água Balnear BICAS Código da Água Balnear PTCH8C Ano de Identificação 2000 Categoria/Tipo Água balnear costeira/costa Atlântica Mesotidal

Leia mais

Como elaborar um MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO (7ª PARTE)

Como elaborar um MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO (7ª PARTE) Como elaborar um MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO (7ª PARTE) Passo a passo para a elaboração do manual de BPF - Condições ambientais Manejo de resíduos Observação: Em Observação: algumas empresas

Leia mais

Certificação ISO

Certificação ISO Sistema de Gestão Ambiental SGA Certificação ISO 14.000 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL - SGA Definição: Conjunto de ações sistematizadas que visam o atendimento das Boas Práticas, das Normas e da Legislação

Leia mais

Perfil de Água Balnear de Ana de Aviz

Perfil de Água Balnear de Ana de Aviz Perfil de Água Balnear de Ana de Aviz Identificação da Água Balnear Nome da Água Balnear ANA DE AVIZ Código da Água Balnear PTCU9E Ano de Identificação 1999 Categoria/Tipo Água balnear interior em rio

Leia mais

Módulo 2. Requisitos Legais Identificação da Legislação Aplicável Requisito da norma ISO Exercícios.

Módulo 2. Requisitos Legais Identificação da Legislação Aplicável Requisito da norma ISO Exercícios. Módulo 2 Requisitos Legais 2.1. Identificação da Legislação Aplicável. 2.2. Requisito 4.3.1. da norma ISO 14001. Exercícios. 2.1. Identificação da Legislação Aplicável Aspectos e Impactos Ambientais Identificação

Leia mais

Perfil de Água Balnear da Foz do Lizandro - Rio

Perfil de Água Balnear da Foz do Lizandro - Rio Perfil de Água Balnear da Foz do Lizandro - Rio Identificação da Água Balnear Nome da Água Balnear FOZ DO LIZANDRO - RIO Código da Água Balnear PTCW3M Ano de Identificação 2013 Categoria/Tipo Água balnear

Leia mais

Praia do Pisão (Santa Cruz)

Praia do Pisão (Santa Cruz) Praia do Pisão (Santa Cruz) Identificação da Água Balnear Nome da Água Balnear PISAO (STA. CRUZ) Código da Água Balnear PTCW9X Ano de Identificação 1993 Categoria/Tipo Água balnear costeira/costa Atlântica

Leia mais

LOCAL Frente às escadas de acesso à praia

LOCAL Frente às escadas de acesso à praia PERFIL DE ÁGUA BALNEAR IDENTIFICAÇÃO DA ÁGUA BALNEAR NOME Marina de Portimão CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO PTCU2K LOCALIZAÇÃO DA ÁGUA BALNEAR E DO PONTO DE MONITORIZAÇÃO PAÍS Portugal DISTRITO Faro CONCELHO

Leia mais

Perfil de Água Balnear da Foz do Arelho Lagoa

Perfil de Água Balnear da Foz do Arelho Lagoa Perfil de Água Balnear da Foz do Arelho Lagoa Identificação da Água Balnear Nome da Água Balnear FOZ DO ARELHO-LAGOA Código da Água Balnear PTCE7K Ano de Identificação 1993 Categoria/Tipo Água balnear

Leia mais

Praia da Areia Sul. Administração da Região Hidrográfica do Tejo e Oeste. Identificação da Água Balnear. Fotografia

Praia da Areia Sul. Administração da Região Hidrográfica do Tejo e Oeste. Identificação da Água Balnear. Fotografia Praia da Areia Sul Identificação da Água Balnear Nome da Água Balnear AREIA SUL Código da Água Balnear PTCK7H Ano de Identificação 1995 Categoria/Tipo Água balnear costeira/costa Atlântica Mesotidal Moderadamente

Leia mais

Perfil de Água Balnear da Praia Grande

Perfil de Água Balnear da Praia Grande Perfil de Água Balnear da Praia Grande Identificação da Água Balnear Nome da Água Balnear GRANDE Código da Água Balnear PTCX2W Ano de Identificação 1991 Categoria/Tipo Água balnear costeira/costa Atlântica

Leia mais

Perfil de Água Balnear da Foz do Sizandro - Mar

Perfil de Água Balnear da Foz do Sizandro - Mar Perfil de Água Balnear da Foz do Sizandro - Mar Identificação da Água Balnear Nome da Água Balnear Foz do Sizandro - Mar Código da Água Balnear PTCH9C Ano de Identificação 2013 Categoria/Tipo Água balnear

Leia mais

Perfil de Água Balnear da Nazaré

Perfil de Água Balnear da Nazaré Perfil de Água Balnear da Nazaré Identificação da Água Balnear Nome da Água Balnear NAZARE Código da Água Balnear PTCX9F Ano de Identificação 1991 Categoria/Tipo Água balnear costeira/costa Atlântica Mesotidal

Leia mais

Perfil de Água Balnear do Moinho de Baixo Meco

Perfil de Água Balnear do Moinho de Baixo Meco Perfil de Água Balnear do Moinho de Baixo Meco Identificação da Água Balnear Nome da Água Balnear MOINHO DE BAIXO-MECO Código da Água Balnear PTCN7E Ano de Identificação 1991 Categoria/Tipo Água balnear

Leia mais

PROGRAMA DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DAS ZONAS BALNEARES

PROGRAMA DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DAS ZONAS BALNEARES Ministério da Saúde USP de Concelho de PROGRAMA DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DAS ZONAS BALNEARES A. Identificação do Local de Avaliação 1. Código: 2. Designação da zona balnear: 3. Curso de água (designação):

Leia mais

Perfil de Água Balnear do Guincho

Perfil de Água Balnear do Guincho Perfil de Água Balnear do Guincho Identificação da Água Balnear Nome da Água Balnear Guincho Código da Água Balnear PTCV7Q Ano de Identificação 1992 Categoria/Tipo Água balnear costeira/costa Atlântica

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS CENTRO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS CENTRO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS CENTRO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA Comunicado CVS 162, de 29/07/ 2009 A Diretora Técnica do Centro de Vigilância

Leia mais

disposição de resíduos, mesmo que tratados.

disposição de resíduos, mesmo que tratados. Usos: Abastecimento para consumo humano, com desinfecção Preservação do equilíbrio natural das comunidades aquáticas Preservação dos ambientes aquáticos em unidades de conservação de proteção integral

Leia mais

PLATAFORMA ITUIUTABA LIXO ZERO

PLATAFORMA ITUIUTABA LIXO ZERO PLATAFORMA ITUIUTABA LIXO ZERO Humberto Minéu IFTM/Câmpus Ituiutaba Doutorando em Geografia/UFU hmineu@gmail.com Ituiutaba, 08 de maio de 2014. EMMAV CAIC 2 Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS)

Leia mais

Administração da Região Hidrográfica do Algarve. Olhos de Água CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO PTCV9U

Administração da Região Hidrográfica do Algarve. Olhos de Água CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO PTCV9U PERFIL DE ÁGUA BALNEAR IDENTIFICAÇÃO DA ÁGUA BALNEAR NOME Olhos de Água CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO PTCV9U LOCALIZAÇÃO DA ÁGUA BALNEAR E DO PONTO DE MONITORIZAÇÃO PAÍS Portugal DISTRITO Faro CONCELHO Albufeira

Leia mais

CONCEITOS FUNDAMENTAIS

CONCEITOS FUNDAMENTAIS CONCEITOS FUNDAMENTAIS José Antonio Tosta dos Reis Departamento de Engenharia Ambiental Universidade Federal do Espírito Santo A palavra HIDROLOGIA é originada das palavras gregas HYDOR (que significa

Leia mais

Perfil de Água Balnear da Baleia

Perfil de Água Balnear da Baleia Perfil de Água Balnear da Baleia Identificação da Água Balnear Nome da Água Balnear BALEIA Código da Água Balnear PTCX3T Ano de Identificação 2004 Categoria/Tipo Água balnear costeira/costa Atlântica Mesotidal

Leia mais

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS Marisa Brasil Engenheira de Alimentos MBA em Qualidade, Segurança, Meio Ambiente, Saúde e Responsabilidade Social Especialista em Engenharia Ambiental e Saneamento Básico

Leia mais

nº 09/2017 PMAS - Pense no Meio Ambiente SIRTEC Tema: GESTÃO DE RESÍDUOS RECICLÁVEIS

nº 09/2017 PMAS - Pense no Meio Ambiente SIRTEC Tema: GESTÃO DE RESÍDUOS RECICLÁVEIS nº 09/2017 PMAS - Pense no Meio Ambiente SIRTEC Tema: GESTÃO DE RESÍDUOS RECICLÁVEIS POLÍTICA INTEGRADA DE SEGURANÇA, SAÚDE E MEIO AMBIENTE POLÍTICA INTEGRADA Disponíveis nos murais e no site da empresa

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC)

TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC) TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC) 1 - Justificativa: Este Termo de Referência tem como finalidade orientar os Geradores para a elaboração

Leia mais

PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Associação Aquerê - APEMA

PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Associação Aquerê - APEMA PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Associação Aquerê - APEMA Resumo das ações realizadas em Maraú - BA Março, Abril e Maio e julho de 2016 Coordenação: Priscilla Valentim Educadora Ambiental: Manu Stucchi Atividades

Leia mais

Perfil de Água Balnear de Aldeia do Mato

Perfil de Água Balnear de Aldeia do Mato Perfil de Água Balnear de Aldeia do Mato Identificação da Água Balnear Nome da Água Balnear ALDEIA DO MATO Código da Água Balnear PTCT9H Ano de Identificação 2004 Categoria/Tipo Água balnear interior em

Leia mais

ATIVIDADES CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Pré-Escolar e 1º Ciclo

ATIVIDADES CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Pré-Escolar e 1º Ciclo GUIA DE ATIVIDADES de educação ambiental ATIVIDADES CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Pré-Escolar e 1º Ciclo Centro de Educação Ambiental de Albufeira Localização: Quinta da Palmeira - R. dos Bombeiros Voluntários

Leia mais

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO DE ESGOTO DO MUNICÍPIO DE RIO CLARO

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO DE ESGOTO DO MUNICÍPIO DE RIO CLARO RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO DE ESGOTO DO MUNICÍPIO DE RIO CLARO PRESTADOR: DAAE DEPARTAMENTO DE ÁGUA E ESGOTOS DE RIO CLARO PARCEIRA: ODEBRECHT AMBIENTAL RIO CLARO S/A Relatório R7 Continuação diagnóstico

Leia mais

FORMULÁRIO DE CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO

FORMULÁRIO DE CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO FORMULÁRIO DE CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO É expressamente proibido qualquer tipo de intervenção em Área de Preservação Permanente. Deverá ser observada rigorosamente a formatação deste formulário,

Leia mais

Gestão do Risco para a Saúde

Gestão do Risco para a Saúde Gestão do Risco para a Saúde As Directivas de Águas Balneares e a Vigilância Sanitária DIRECTIVA 2006/7/CE GESTÃO DA QUALIDADE DAS ÁGUAS BALNEARES DIVISÃO DE SAÚDE AMBIENTAL DIRECÇÃO GERAL DA SAÚDE Índice

Leia mais

Perfil de Água Balnear de Peniche de Cima

Perfil de Água Balnear de Peniche de Cima Perfil de Água Balnear de Peniche de Cima Identificação da Água Balnear Nome da Água Balnear PENICHE DE CIMA Código da Água Balnear PTCN3U Ano de Identificação 2008 Categoria/Tipo Água balnear costeira/costa

Leia mais

NOSSA POLÍTICA AMBIENTAL

NOSSA POLÍTICA AMBIENTAL A PUMA TAMBORES, com o objetivo de divulgar a sua política ambiental e conscientizar seus fornecedores e prestadores de serviços quanto aos aspectos ambientais, elaborou este Manual de Requisitos Ambientais

Leia mais

Perfil de Água Balnear do Rei do Cortiço

Perfil de Água Balnear do Rei do Cortiço Perfil de Água Balnear do Rei do Cortiço Identificação da Água Balnear Nome da Água Balnear REI DO CORTIÇO Código da Água Balnear PTCV8M Ano de Identificação 2010 Categoria/Tipo Água balnear costeira/costa

Leia mais

Perfil de Água Balnear. Madeira. Madeira. Ribeira do Faial

Perfil de Água Balnear. Madeira. Madeira. Ribeira do Faial Pe r f i l d e Á g u a B a l n e a r Perfil de Água Balnear Ribeira do Faial Ribeira do Faial Identificação da Água Balnear Nome da Água Balnear: Ribeira do Faial Código da Água Balnear: PTMK7D Ano de

Leia mais

Perfil de Água Balnear do Baleal-Campismo

Perfil de Água Balnear do Baleal-Campismo Perfil de Água Balnear do Baleal-Campismo Identificação da Água Balnear Nome da Água Balnear BALEAL-CAMPISMO Código da Água Balnear PTCD7K Ano de Identificação 2008 Categoria/Tipo Água balnear costeira/costa

Leia mais

Perfil de Água Balnear do Tarquínio-Paraíso

Perfil de Água Balnear do Tarquínio-Paraíso Perfil de Água Balnear do Tarquínio-Paraíso Identificação da Água Balnear Nome da Água Balnear TARQUINIO-PARAISO Código da Água Balnear PTCJ8N Ano de Identificação 2004 Categoria/Tipo Água balnear costeira/costa

Leia mais

ARTIGO COM APRESENTAÇÃO ORAL - ENGENHARIA AMBIENTAL AVALIAÇÃO DOS IMPACTOS SÓCIO-AMBIENTAIS NA PRAIA DO CRISPIM, MARAPANIM-PA

ARTIGO COM APRESENTAÇÃO ORAL - ENGENHARIA AMBIENTAL AVALIAÇÃO DOS IMPACTOS SÓCIO-AMBIENTAIS NA PRAIA DO CRISPIM, MARAPANIM-PA ARTIGO COM APRESENTAÇÃO ORAL - ENGENHARIA AMBIENTAL AVALIAÇÃO DOS IMPACTOS SÓCIO-AMBIENTAIS NA PRAIA DO CRISPIM, MARAPANIM-PA DEYVERSON PANTOJA SOARES, ANDRÉ LUIZ DE CASTRO PARAENSE, JÉSSICA FERREIRA PEREIRA,

Leia mais

Perfil de Água Balnear do Porto da Areia Sul

Perfil de Água Balnear do Porto da Areia Sul Perfil de Água Balnear do Porto da Areia Sul Identificação da Água Balnear Nome da Água Balnear PORTO DA AREIA SUL Código da Água Balnear PTCD3U Ano de Identificação 2011 Categoria/Tipo Água balnear costeira/costa

Leia mais

Perfil de Água Balnear Azul

Perfil de Água Balnear Azul Perfil de Água Balnear Azul Identificação da Água Balnear Nome da Água Balnear AZUL Código da Água Balnear PTCD2P Ano de Identificação 1995 Categoria/Tipo Água balnear costeira/costa Atlântica Mesotidal

Leia mais

Boas práticas para o Desenvolvimento Sustentável O contributo do Município de Mafra

Boas práticas para o Desenvolvimento Sustentável O contributo do Município de Mafra Seminário Eco-EscolasEscolas 2017 Boas práticas para o Desenvolvimento O contributo do Município de Mafra Câmara Municipal de Mafra Ílhavo - 20, 21 e 22 de janeiro de 2017 Seminário Eco-EscolasEscolas

Leia mais

Perfil de Água Balnear do Mar

Perfil de Água Balnear do Mar Perfil de Água Balnear do Mar Identificação da Água Balnear Nome da Água Balnear PRAIA DO MAR Código da Água Balnear PTCH3J Ano de Identificação 1991 Categoria/Tipo Água balnear costeira/costa Atlântica

Leia mais

NORMAS DE MEIO AMBIENTE

NORMAS DE MEIO AMBIENTE ANEXO III REF. EDITAL DE TOMADA DE PREÇOS Nº. 001/2017 NORMAS DE MEIO AMBIENTE PÁG 1 DE 5 NORMAS AMBIENTAIS PARA SERVIÇOS DE IMPLANTAÇÃO DE SISTEMA DE BOMBEAMENTO E REFRIGERAÇÃO DOS MANCAIS DAS UNIDADES

Leia mais

Praias Antropizadas Conforme citado anteriormente, os perfis 1, 5, 7, 9 (Passo de Torres), 13, 14, (Balneário Gaivota), 19, 21, 24, 25, 27 (Balneário

Praias Antropizadas Conforme citado anteriormente, os perfis 1, 5, 7, 9 (Passo de Torres), 13, 14, (Balneário Gaivota), 19, 21, 24, 25, 27 (Balneário Praias Antropizadas Conforme citado anteriormente, os perfis 1, 5, 7, 9 (Passo de Torres), 13, 14, (Balneário Gaivota), 19, 21, 24, 25, 27 (Balneário Arroio do Silva), 37, 38 e 39 (Rincão, Içara) apresentam

Leia mais

SAÚDE AMBIENTAL E VIGILÂNCIA SANITÁRIA

SAÚDE AMBIENTAL E VIGILÂNCIA SANITÁRIA SAÚDE AMBIENTAL E VIGILÂNCIA SANITÁRIA Conteúdo 9: Gerenciamento de Resíduos Sólidos Não Perigosos: Classificação dos Resíduos Sólidos (perigosos e não perigosos). Função do gerenciamento dos resíduos

Leia mais

Turismo de Habitação Portaria nº 937/2008, de 20 de Agosto

Turismo de Habitação Portaria nº 937/2008, de 20 de Agosto Turismo de Habitação Portaria nº 937/2008, de 20 de Agosto (atualizada em Outubrol 2016) Turismo de habitação 1. Imóvel antigo particular Imóvel que pelo seu valor arquitetónico, histórico ou artístico,

Leia mais

Praia oceânica Nome: Urbana Não urbana Costão. Piscina Coletiva Clube Escola de natação Escola Condomínio Parque aquático Residencial

Praia oceânica Nome: Urbana Não urbana Costão. Piscina Coletiva Clube Escola de natação Escola Condomínio Parque aquático Residencial FICHA DE SUPORTE NA AVALIAÇÃO E RELATÓRIO INDIVIDUAL DE ÁREA DE ATENÇÃO E DE ATIVIDADES DE RISCO EM AFOGAMENTO (cada área é avaliada separada em detalhes aqui) FORMULÁRIO Nº 01 Data do cadastro: 06/02/2017

Leia mais

Perfil de Água Balnear da Riviera

Perfil de Água Balnear da Riviera Perfil de Água Balnear da Riviera Identificação da Água Balnear Nome da Água Balnear RIVIERA Código da Água Balnear PTCH3V Ano de Identificação 1998 Categoria/Tipo Água balnear costeira/costa Atlântica

Leia mais

Perfil de Água Balnear das Pedras Negras Marinha Grande

Perfil de Água Balnear das Pedras Negras Marinha Grande Perfil de Água Balnear das Pedras Negras Marinha Grande Identificação da Água Balnear Nome da Água Balnear PEDRAS NEGRAS - MARINHA GRANDE Código da Água Balnear PTCH2J Ano de Identificação 2003 Categoria/Tipo

Leia mais

Como atender às necessidades da produção e do meio ambiente?

Como atender às necessidades da produção e do meio ambiente? Como atender às necessidades da produção e do meio ambiente? Encontre pontos de melhorias e adequações para a sua empresa e diminua gastos com multas ambientais Índice Introdução Tipos de Efluentes e Resíduos

Leia mais

Plano Municipal de Gestão de Resíduos do Município de Lisboa

Plano Municipal de Gestão de Resíduos do Município de Lisboa Plano Municipal de Gestão de Resíduos do Município de Lisboa [2015-2020] 4ª Comissão Ambiente e Qualidade de Vida Primeiro Plano Municipal de Resíduos na cidade de Lisboa O Caminho [Lisboa Limpa] Melhorar

Leia mais

Perfil de Água Balnear das Maçãs

Perfil de Água Balnear das Maçãs Perfil de Água Balnear das Maçãs Identificação da Água Balnear Nome da Água Balnear MACAS Código da Água Balnear PTCT2J Ano de Identificação 1992 Categoria/Tipo Água balnear costeira/costa Atlântica Mesotidal

Leia mais

Foto 1. Foto 2. Fotos:

Foto 1. Foto 2. Fotos: Foto 1 Foto 2 Fotos: Projeto: Sistema ecológico para reaproveitamento total das águas de banheiros residenciais, industriais e comerciais Organização: Insaite Página: 1/1 23º Prêmio Expressão de Ecologia:

Leia mais

MODELOS DE APOIO À DECISÃO DE PROJETOS DE DISPOSIÇÃO OCEÂNICA DE ESGOTOS

MODELOS DE APOIO À DECISÃO DE PROJETOS DE DISPOSIÇÃO OCEÂNICA DE ESGOTOS MODELOS DE APOIO À DECISÃO DE PROJETOS DE DISPOSIÇÃO OCEÂNICA DE ESGOTOS Teófilo Carlos do Nascimento Monteiro (1) Professor Doutor do Departamento de Saneamento e Saúde Ambiental da Escola Nacional de

Leia mais

Agrupamento de Escolas Terras de Larus Escola Básica 2,3 da Cruz de Pau Ciências Naturais 8º Ano Ficha de Avaliação

Agrupamento de Escolas Terras de Larus Escola Básica 2,3 da Cruz de Pau Ciências Naturais 8º Ano Ficha de Avaliação Agrupamento de Escolas Terras de Larus Escola Básica 2,3 da Cruz de Pau Ciências Naturais 8º Ano Ficha de Avaliação Nome: n.º Turma: Data: Classificação: Prof: Enc. Edu. 1. As figuras seguintes ilustram

Leia mais

Perfil de Água Balnear do Salgado

Perfil de Água Balnear do Salgado Perfil de Água Balnear do Salgado Identificação da Água Balnear Nome da Água Balnear SALGADO Código da Água Balnear PTCP7Q Ano de Identificação 1991 Categoria/Tipo Água balnear costeira/costa Atlântica

Leia mais

Gestão de Resíduos de Construção Civil. Plano de Gerenciamento de RCD. Profa. Ma. Tatiana Vilela Carvalho

Gestão de Resíduos de Construção Civil. Plano de Gerenciamento de RCD. Profa. Ma. Tatiana Vilela Carvalho Gestão de Resíduos de Construção Civil Plano de Gerenciamento de RCD Profa. Ma. Tatiana Vilela Carvalho Construção Civil do ponto de vista ambiental LELA CARVALHO Reflexão: De onde vêm os recursos naturais

Leia mais

Gestão Integrada de Saneamento Ambiental

Gestão Integrada de Saneamento Ambiental Um modelo inovador de gestão integrada O Semasa Autarquia Municipal criada em 1.969 a partir da estrutura do antigo DAE Departamento de Água e Esgoto de Santo André ÁGUA E ESGOTO DRENAGEM GESTÃO AMBIENTAL

Leia mais

Atos Normativos DECRETO Nº 195, DE 13 DE NOVEMBRO DE PORTARIA Nº. 508, DE 12 DE NOVEMBRO DE PORTARIA Nº. 485, DE 09 DE NOVEMBRO DE 2012.

Atos Normativos DECRETO Nº 195, DE 13 DE NOVEMBRO DE PORTARIA Nº. 508, DE 12 DE NOVEMBRO DE PORTARIA Nº. 485, DE 09 DE NOVEMBRO DE 2012. 2 PREFEITURA DE JACOBINA/BA Atos Normativos DECRETO Nº 195, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2012. Antecipa feira livre do Povoado de Lages do Batata, deste Município. D E C R E T A: Art. 1º - Antecipa a realização

Leia mais

PREND Programa de Recebimento de Efluentes Não Domésticos

PREND Programa de Recebimento de Efluentes Não Domésticos SEUS ESGOTOS TRATADOS POR QUEM MAIS ENTENDE DO ASSUNTO Uma das grandes preocupações das empresas hoje em dia é o tratamento e a destinação de seus esgotos. A Sabesp está preparada para receber e tratar

Leia mais

Perfil de Água Balnear. Perfil de Água Balnear. Madeira. Madeira. Fontinha

Perfil de Água Balnear. Perfil de Água Balnear. Madeira. Madeira. Fontinha Perfil de Água Balnear Perfil de Água Balnear Fontinha Porto Santo - Fontinha Identificação da Água Balnear Nome da Água Balnear: Porto Santo Fontinha Código da Água Balnear: PTMJ9M Ano de Designação:

Leia mais

CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES ANEXO II FATOR DE SUSTENTABILIDADE

CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES ANEXO II FATOR DE SUSTENTABILIDADE CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES ANEXO II FATOR DE SUSTENTABILIDADE ITEM PONTOS I IMPLANTAÇÃO DO EDIFÍCIO MAX. 10 A) MOVIMENTAÇÃO DO SOLO Implantação do projeto adequada ao perfil natural do terreno, com

Leia mais

Incorporadora e Construtora. 38 anos no mercado. 121 empreendimentos lançados

Incorporadora e Construtora. 38 anos no mercado. 121 empreendimentos lançados Incorporadora e Construtora 38 anos no mercado 121 empreendimentos lançados 3,5 milhões de metros quadrados de área construída e em construção (24.475 unidades) EZ TOWERS certificação e diferenciais ambientais

Leia mais

MARLISCO. Marine Litter in Europe's Seas: Social Awareness and Co-responsibility. Conferência Nacional 14 Dezembro, Lisboa

MARLISCO. Marine Litter in Europe's Seas: Social Awareness and Co-responsibility.  Conferência Nacional 14 Dezembro, Lisboa MARLISCO Marine Litter in Europe's Seas: Social Awareness and Co-responsibility http://www.marlisco.eu/ Conferência Nacional 14 Dezembro, Lisboa OBJECTIVO PRINCIPAL Promover a sensibilização para as consequências

Leia mais

MÓDULO 2. Prof. Dr. Valdir Schalch

MÓDULO 2. Prof. Dr. Valdir Schalch RESÍDUOS SÓLIDOSS MÓDULO 2 Prof. Dr. Valdir Schalch RESÍDUOS SÓLIDOS S - DEFINIÇÃO... aqueles nos estados sólidos e semi-sólidos, que resultam de atividades da comunidade de origem: industrial, doméstica,

Leia mais

FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DE PALMAS DIRETORIA DE CONTROLE AMBIENTAL GERÊNCIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL

FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DE PALMAS DIRETORIA DE CONTROLE AMBIENTAL GERÊNCIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL TERMO DE REFÊRENCIA PARA ELABORACÃO DE PROJETO AMBIENTAL DE MATADOUROS, ABATEDOUROS, FRIGORÍFICOS, CHARQUEADOS E DERIVADOS DE ORIGEM ANIMAL Este Termo de Referência visa orientar na elaboração de PROJETO

Leia mais

Perfil de Água Balnear do Magoito

Perfil de Água Balnear do Magoito Perfil de Água Balnear do Magoito Identificação da Água Balnear Nome da Água Balnear MAGOITO Código da Água Balnear PTCW3L Ano de Identificação 1992 Categoria/Tipo Água balnear costeira/costa Atlântica

Leia mais

O PROJETO CIDADE DO POVO. Rio Branco - AC, 26 de julho de 2012

O PROJETO CIDADE DO POVO. Rio Branco - AC, 26 de julho de 2012 O PROJETO CIDADE DO POVO Rio Branco - AC, 26 de julho de 2012 O PROBLEMA O PROBLEMA O PROBLEMA O PROBLEMA O PROBLEMA O PROBLEMA O PROBLEMA O CONTEXTO Sustentabilidade Econômica : ZPE Parque Industrial

Leia mais

QUESTIONÁRIO PARA AVALIAÇÃO DE INTERVENÇÕES PARA PROMOÇÃO DE ATIVIDADE FÍSICA NA ATENÇÃO BÁSICA À SAÚDE IDENTIFICAÇÃO

QUESTIONÁRIO PARA AVALIAÇÃO DE INTERVENÇÕES PARA PROMOÇÃO DE ATIVIDADE FÍSICA NA ATENÇÃO BÁSICA À SAÚDE IDENTIFICAÇÃO QUESTIONÁRIO PARA AVALIAÇÃO DE INTERVENÇÕES PARA PROMOÇÃO DE ATIVIDADE FÍSICA NA ATENÇÃO BÁSICA À SAÚDE - ROTEIRO DE OBSERVAÇÃO RECADOS AO PESQUISADOR Caro colega: 1. Este instrumento será preenchido por

Leia mais

As frotas de pesca caracterizam-se de acordo com:

As frotas de pesca caracterizam-se de acordo com: As frotas de pesca caracterizam-se de acordo com: Tempo de permanência no mar. A dimensão das embarcações. O número de tripulantes. Assim, podemos classificar os tipos de pesca em: 1. Pesca Artesanal (de

Leia mais

DIAGNÓSTICO DA COLETA DE LIXO REALIZADO NOS BAIRROS VILA DA AMIZADE, OLARIA NORTE E SÃO LUIZ I, NO MUNICÍPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA PA

DIAGNÓSTICO DA COLETA DE LIXO REALIZADO NOS BAIRROS VILA DA AMIZADE, OLARIA NORTE E SÃO LUIZ I, NO MUNICÍPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA PA Salvador/BA 25 a 28/11/2013 DIAGNÓSTICO DA COLETA DE LIXO REALIZADO NOS BAIRROS VILA DA AMIZADE, OLARIA NORTE E SÃO LUIZ I, NO MUNICÍPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA PA Wilker Jose Caminha dos Santos, Ramynngly

Leia mais

Em 2010, o Brasil produziu 60,8 milhões de toneladas de lixo sólido. Destes, quase 31 milhões vieram de resíduos de novas construções e de demolições.

Em 2010, o Brasil produziu 60,8 milhões de toneladas de lixo sólido. Destes, quase 31 milhões vieram de resíduos de novas construções e de demolições. Em 2010, o Brasil produziu 60,8 milhões de toneladas de lixo sólido. Destes, quase 31 milhões vieram de resíduos de novas construções e de demolições. (Fonte: Panorama de Resíduos Sólidos no Brasil, 2011/Abrelpe-

Leia mais

Questionário: informações sobre a gestão municipal dos RSS

Questionário: informações sobre a gestão municipal dos RSS Questionário: informações sobre a gestão municipal dos RSS Seção 2 Identificação do município Município: Endereço completo da Prefeitura: CEP: Telefone (Inserir DDD): E-mail para contato: Seção 3 Identificação

Leia mais

Perfil de Água Balnear Azul

Perfil de Água Balnear Azul Perfil de Água Balnear Azul Identificação da Água Balnear Nome da Água Balnear Código da Água Balnear PONTA DOS CORVOS PTCQ9N Ano de Identificação 2013 Categoria/Tipo Nome da Zona Costeira Fotografia Água

Leia mais

Prefeitura Municipal de Vila Velha Estado do Espírito Santo Secretaria de Desenvolvimento Sustentável

Prefeitura Municipal de Vila Velha Estado do Espírito Santo Secretaria de Desenvolvimento Sustentável TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC) 1 OBJETIVO Este Termo de Referência tem como finalidade orientar os geradores de resíduos sólidos provenientes

Leia mais

Rainforest Alliance Certified TM Relatório de Auditoria. Fazenda Nossa Senhora de Fátima - Grupo Saquarema Agrícola Cerrado.

Rainforest Alliance Certified TM Relatório de Auditoria. Fazenda Nossa Senhora de Fátima - Grupo Saquarema Agrícola Cerrado. Rainforest Alliance Certified TM Relatório de Auditoria Resumo Público Fazenda Nossa Senhora de Fátima - Grupo Saquarema Agrícola Cerrado Produto(s) da fazenda: Café Arábica Imaflora Instituto de Manejo

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE CONTAGEM

CÂMARA MUNICIPAL DE CONTAGEM P R O M U L G A Ç Ã O D E L E I Faço saber que a Câmara Municipal de Contagem aprovou e eu promulgo e faço publicar, nos termos do 8º do art. 80 da Lei Orgânica do Município de Contagem, de 20 de março

Leia mais

- Aplicação Terrestre segurança na aplicação de produtos fitofarmacêuticos em zonas urbanas, zonas de lazer e vias de comunicação

- Aplicação Terrestre segurança na aplicação de produtos fitofarmacêuticos em zonas urbanas, zonas de lazer e vias de comunicação Seminário Uso Sustentável de Produtos Fitofarmacêuticos - Aplicação Terrestre segurança na aplicação de produtos fitofarmacêuticos em zonas urbanas, zonas de lazer e vias de comunicação Maria Paula Mourão

Leia mais

FOSSA SEPTICA ECODEPUR

FOSSA SEPTICA ECODEPUR Rev.1_21.07.16 FOSSA SEPTICA ECODEPUR APRESENTAÇÃO As Fossas Sépticas tipo ECODEPUR são recipientes estanques, destinados ao armazenamento e tratamento de águas residuais domésticas ou similares, através

Leia mais

[DESTINAÇÃO FINAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS]

[DESTINAÇÃO FINAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS] ATERROS SANITÁRIOS [DESTINAÇÃO FINAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS] 2013 O QUE SÃO OS RESÍDUOS SÓLIDOS? É O LIXO QUE PRODUZIMOS. NOSSO LIXO DE TODOS OS DIAS. E ESSES RESÍDUOS OU LIXO PODEM SER CLASSIFICADOS COMO:

Leia mais

- TERMO DE REFERÊNCIA - PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS

- TERMO DE REFERÊNCIA - PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - TERMO DE REFERÊNCIA - PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS APRESENTAÇÃO O presente Termo de Referência tem como finalidade orientar os geradores, assim definidos como pessoas físicas ou jurídicas,

Leia mais

VISITE NOSSO SITE

VISITE NOSSO SITE VISITE NOSSO SITE www. SOLUÇÕES DE COLETA PARA SUA EMPRESA 1 CONHEÇA A EMPRESA Um pouco sobre a empresa e sua atuação nos serviços prestados na coleta com resposabilidade ambiental e compromisso. 2 EQUIPAMENTOS

Leia mais

Perfil de Água Balnear de São Julião

Perfil de Água Balnear de São Julião Perfil de Água Balnear de São Julião Identificação da Água Balnear Nome da Água Balnear S. JULIAO Código da Água Balnear PTCE9W Ano de Identificação 1991 Categoria/Tipo Água balnear costeira/costa Atlântica

Leia mais

Os métodos e procedimentos de análise dos contaminantes gasosos estão fixados na Norma Regulamentadora - NR 15.

Os métodos e procedimentos de análise dos contaminantes gasosos estão fixados na Norma Regulamentadora - NR 15. Capítulo 5 Resíduos Industriais NR 25 25.1. Resíduos gasosos. 25.1.1. Os resíduos gasosos deverão ser eliminados dos locais de trabalho através de métodos, equipamentos ou medidas adequadas, sendo proibido

Leia mais

FISPQ FICHA DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUIMICOS

FISPQ FICHA DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUIMICOS FISPQ n : 004 Data última revisão: 06/05/2011 Página:1/5 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome do Produto: Amaciante Blanc Nome da Empresa: Class Industria Química Endereço: Rua Claudino Gazzi,

Leia mais

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE (PGRSS) ODONTOLOGIA O gerenciamento dos RSS constitui-se em um conjunto de procedimentos de gestão, planejados e implementados a partir de bases

Leia mais

Teramb, Empresa Municipal de Gestão e Valorização Ambiental, EEM

Teramb, Empresa Municipal de Gestão e Valorização Ambiental, EEM Governo dos Açores Direção Regional do Ambiente Operador de Gestão de Resíduos Teramb, Empresa Municipal de Gestão e Valorização Ambiental, EEM NIF 509620515 E-Mail teramb@gmail.com Instalação Aterro Intermunicipal

Leia mais