Contracepção de Emergência entre Estudantes de Ensino Médio e Público do Município de S. Paulo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Contracepção de Emergência entre Estudantes de Ensino Médio e Público do Município de S. Paulo"

Transcrição

1 Contracepção de Emergência entre Estudantes de Ensino Médio e Público do Município de S. Paulo Regina Figueiredo Instituto de Saúde SES/SP Equipe de Pesquisa: Regina Figueiredo, Maria Mercedes Escuder, Cecília Gói Porto Alves, Lígia Pupo

2 Objetivos Traçar perfil de comportamentos sexuais e reprodutivos de adolescentes Verificar comportamento contraceptivo e de Prevenção de DST/Aids Verificar o conhecimento e uso da contracepção de emergência Verificar formas de uso da contracepção de emergência Verificar impactos de uso da contracepção de emergência sobre uso de preservativos

3 Metodologia da Pesquisa Pesquisa Quantitativa, utilizando amostra representativa de município de São Paulo dividido em 4 macro-regiões (Norte, Sul, Centro-Oeste e Leste) Nível de Confiança de 95% Sorteio de 152 classes de 38 escolas também sorteadas, com proporcionalidade de período e região da cidade de São Paulo Entrevista com alunos de Ensino Médio rede estadual de SP Questionários auto-preenchidos pelos próprios alunos em sala de aula

4 Resultados Perfil da Amostra Matutino (%) Vespertino (%) Noturno (%) Sexo Mulheres 56,3 59,3 49,8 Faixa etária Homens 43,7 40,7 50,2 Até 14 anos 5,9 14,29 0,8 15 a 16 anos 64,1 84,13 38,5 17 a 18 anos 27,4 1,6 48,8 19 a 25 anos 2,4 0 10,8 Etnia/r aça Mais de 25 anos 0,1 0 1,2 branca 51,9 50,0 43,3 preta 9,5 8,6 11,5 amarela 2,7 4,8 3,0 parda 33,7 34,9 39,2 indígena 2,1 1,6 2,9

5 Resultados Nível de Informação 100% afirmaram conhecimento de pelo menos 1 método contraceptivo 96,7% citaram conhecimento da camisinha (+ lembrado) 90,5% citaram a pílula Meninas citam mais métodos e citam mais a pílula e injeção Meninos citam a mais apenas o coito interrompido 85% conhecem a contracepção de emergência

6 Distribuição Percentual do Conhecimento de Contraceptivos, segundo método. Projeto CE - São Paulo ,00 98,27 90,46 80,00 % 60,00 40,00 20,00 0,00 39,04 24,31 19,27 13,77 11,44 9,88 8,73 8,63 2,06 1,98 0,44 0,15 0,08 Camisinha Masculina Pílula DIU CE Injeção Outro Diafragma Camisinha Feminina Esterilização Feminina Esterilização Masculina Coito Interrompido Adesivo Coito Interrompido + Camisinha Anel Vaginal Implante

7 Observações: Com exceção da camisinha masculina, há diferença significativa na citação espontânea de outros métodos conforme o sexo: a pílula é citada por 96,7% das meninas e 83,1% dos meninos (P = 0,0000); a injeção por 28,1% e 8,8% (P = 0,0000), a contracepção de emergência de 29,7% e 17,9% (P = 0,0000). Apenas o coito interrompido foi mais referido por meninos (2,8%) do que entre meninas (1,4%) (P = 0,0068).

8 Regiões não diferentes (exc. DIU) Distribuição Percentual do Conhecimento de Contraceptivos, segundo região do município. Projeto CE - São Paulo ,0 90,0 98,798,2 97,5 98,5 90,4 90,4 92,1 89,6 80,0 70,0 % 60,0 50,0 40,0 30,0 20,0 49,6 42,2 35,2 36,0 25,0 25,3 22,9 23,2 22,6 19,5 14,1 20,4 10,0 0,0 Cam isinha Masculina Pílula DIU CE Injeção Centro Leste Norte Sul

9 Resultados - Local de Informação 36,9% afirmaram NUNCA ter aula sexualidade/prevenção 78,1% dos meninos NUNCA passou em serviços de saúde para abordagem de Saúde Sexual e Reprodutiva 44,1% das meninas NUNCA passaram em Serviços de Saúde Sexual e Reprodutiva

10 Não há diferença na informação escolar por região ou período de estudo: Percentual dos temas que já foram abordados na escola, segundo região. Projeto CE - São Paulo ,0 90,0 80,0 70,0 60,0 67,2 67,6 63,0 65,1 83,6 84,2 83,1 80,8 90,2 89,1 90,3 88,0 69,3 66,7 66,2 61,2 %* 50,0 40,0 30,0 37,9 34,6 36,1 30,1 20,0 10,0 0,0 Concepção / Fecundação Transa/Form as de Sexo Prevenção Gravidez AIDS/Cam isinha Uso de Drogas Centro Leste Norte Sul

11 Observações Fonte de informação na maioria das vezes é informal Informações não vem da escola e nem de serviços de saúde Portanto, pode ser tardia e proporcionar riscos

12 Onde e Como ouviu falar em CE. Projeto CE - São Paulo Com am igos/conhecidos 65,2 Na escola Na televisão 47,4 48,7 Com parentes 32,7 Em revistas/jornais 28,4 Em serviços de saúde/m édicos Na farmácia 16,1 20,2 Outro lugar 4,2 0,0 10,0 20,0 30,0 40,0 50,0 60,0 70,0 %

13 Conhecimento CE tem citação predominante em estudantes com chefia de família com escolaridade de nível médio e superior, quando comparados com os que nunca estudaram e os que têm até a 4ª série (P=0,0072).

14 Opinião CE Você acha que a CE pode fazer algum mal à saúde? Projeto CE - São Paulo ,0 56,1 50,0 40,0 26,9 % 30,0 20,0 17,0 10,0 0,0 Sim Não Não sei

15 Resultados - Prática Sexual 55,6% já mantiveram relações sexuais média de iniciação sexual = 15 anos ambos os sexos 98,9% relações heterossexuais 72,7% sexo feito em parceria fixa

16 Percentual de Prática Sexual, segundo faixa etária. Projeto CE - São Paulo ,0 85,4 80,0 70,0 60,0 54,6 63,4 %* 50,0 40,0 30,0 20,0 10,0 0,0 32,8 Até 15 anos 16 anos 17 anos 18 e mais

17 Tipo de Prática Sexual Realizada, segundo sexo. Projeto CE - São Paulo ,8 93,2 92, % ,5 43,7 41,9 44,1 50,3 47,0 32, , , Vaginal Fez Oral Recebeu Oral Anal Masculino Fem inino Total

18 Resultados práticas de risco 34,4% já tiveram problemas/sintomas quanto à Saúde Sexual cerca de 15% já engravidaram 80% das gestações foram indesejadas

19 Raça/ Cor e Religião NÃO interferem no uso de métodos contraceptivos e nem de preservativos

20 Resultado uso de contraceptivos 14,1% dos que fizeram sexo NUNCA usaram nenhum tipo de contracepção Camisinha foi método mais usado= 95% Pílula Anticoncepcional (2o. + usado = 37,1%) Contracepção de Emergência (3o + usado = 30,1%)

21 Uso de Métodos em geral para evitar gravidez. (Resposta espontânea) Projeto CE - São Paulo Cam isinha Masculina 95,4 Pilula 37,1 CE 9,4 Injeção 3,0 0,0 10,0 20,0 30,0 40,0 50,0 60,0 70,0 80,0 90,0 100,0 %*

22 Não há diferença por região Uso de Métodos, segundo região. Projeto CE - São Paulo ,0 96,3 96,4 93,4 93,6 80,0 60,0 %* 40,0 38,4 36,4 40,2 35,3 20,0 0,0 9,9 10,1 9,2 8,2 1,4 3,4 3,4 Camisinha Masculina Pilula CE Injeção Centro Leste Norte Sul 3,3

23 Menos Uso Camisinha no noturno Uso de Métodos, segundo período. Projeto CE - São Paulo ,0 97,5 93,8 94,7 80,0 60,0 40,0 31,6 41,5 23,7 20,0 0,0 10,6 10,5 7,7 4,3 1,3 2,6 Cam isinha Masculina Pilula CE Injeção Matutino Noturno Vespertino

24 Resultados uso de camisinha Usada atualmente por 72,4% Menos usada em parceria fixa Menos usada entre meninas com parceria de meninos + velhos Menos usada entre os mais velhos menos usada no período noturno (20% a menos)

25 88, 7% de Uso Atual de Camisinha Dentre os que usam preservativo, qual a freqüência. Projeto CE - São Paulo ,0 61,6 60,0 50,0 % 40,0 24,3 30,0 14,1 20,0 10,0 0,0 Quase nunca Quase sempre Todas as vezes

26 Menos usada no sexo oral Uso de Preservativo conforme a Prática Sexual ,5 84,1 87,0 87, % ,5 15,9 13,0 12,9 0 Vaginal Fez Oral Recebeu Oral Anal Sim, usa camisinha nas relações sexuais Não usa camisinha

27 Meninas: menor uso de preservativo (84,3%), que rapazes (92,7%) (P = 0,0000) menor freqüência de uso, apenas 51,5% usam em todas as relações, contra 66,2% dos rapazes (P = 0,0000).

28 Freqüencia Camisinha X Sexo Freqüência do Uso de Preservativo, segundo sexo. Projeto CE - São Paulo , ,5 % ,2 21,4 27,1 10 9,6 0 Masculino Fem inino Quase Nunca Quase Sempre Todas as vezes

29 Fatores para não uso de Camisinha: Maior idade Parceria fixa Uso de pílula anticoncepcional, Uso de injeção

30 Resultado uso de pílula e injeção Mais usadas em relacionamentos de parceria fixa Mais usadas entre mais velhos Mais usadas no período noturno

31 Uso de Métodos, segundo faixas etárias Projeto CE - São Paulo ,0 97,7 95,7 94,9 94,0 80,0 %* 60,0 40,0 30,6 24,9 40,9 48,5 20,0 0,0 10,0 10,6 7,2 8,7 1,4 2,4 3,5 Camisinha Masculina Pilula CE Injeção 4,3 Até 15 anos 16 anos 17 anos 18 e mais anos

32 A ocorrência de gestações é um fator importante para o uso de todos os métodos contraceptivos (com exceção do preservativo, mais utilizado entre quem não engravidou (P=0,0001). (Vivência de Risco Gera Comportamento na Adolescência)

33 Resultado uso de C. Emergência Uso predominante com parceiro fixo (78,3%) Uso maior quanto mais idade/noturno Adquirida diretamente em farmácias = 73,6% Apenas 10,7% retirou em serviços de saúde Usado repetidamente e erroneamente por 14,5%

34 Local de Aquisição CE Distribuição Percentual da CE, segundo forma de obtenção. Projeto CE - São Paulo Farm ácia 73,6 Nam orado/nam orada trouxe 21,7 Posto de Saúde Am igos / Conhecidos Médico Part. / Convênio Parentes 7,4 4,3 3,3 1,3 0,0 10,0 20,0 30,0 40,0 50,0 60,0 70,0 80,0 %

35 Distribuição percentual da quantidade de CE ingeridas na vida. Projeto CE - São Paulo duas vezes 26,8% uma vez 53,0% 3 ou mais vezes 20,3%

36 Freqüência de Uso CE Percentual do uso de CE (com prática sexual e hétero). Projeto CE - São Paulo Última Relação 0,9 Últimos 6 meses 17,0 Na Vida 30, %

37 Motivo de Uso da CE Distribuição Percentual do Uso de CE, segundo motivo do último uso. Projeto CE - São Paulo A camisinha furou 39,30 Estava sem camisinha na hora 22,84 Não quis pôr / usar camisinha 18,85 Era pra eu gozar fora e não deu / não quis 12,46 Não uso camisinha e não tinha usado nenhum outro método 7,44 Outro Estava sob efeito de álcool e drogas e não usei prevenção 2,88 4,15 Fui forçada / forcei a fazer sexo 0,64 0,00 5,00 10,00 15,00 20,00 25,00 30,00 35,00 40,00

38 Minoria Acha que é para uso regular: Voce acha que a CE deve ser usado? (Entre os que já usaram CE) Projeto CE - São Paulo ,9 40,0 36,0 35,0 30,0 % 25,0 20,0 16,9 15,0 10,0 5,0 4,7 2,6 0,0 Sempre Às vezes Quase nunca Nunca Não sei

39 Uso repetido: Em relações onde o casal não quis usar camisinha Essas relações ocorrem geralmente em parceria fixa

40 Uso de Camisinha X CE Uso de Camisinha atualmente por Uso de Contracepção de Emergência na vida. Projeto CE - São Paulo ,0 90,0 80,0 70,0 60,0 85,0 91,7 % 50,0 40,0 30,0 20,0 10,0 0,0 Já usou CE na vida Nunca usou CE

41 Quantidade de Camisinha X CE Uso de Camisinha (em todas as vezes que faz sexo) por Uso de Contracepção de Emergência. Projeto CE - São Paulo , ,2 % Já usou CE na vida Nunca usou CE

42 Preocupação com DST X CE Percentual da preocupação com DST/AIDS e Gravidez, segundo Uso de CE nos últimos 6 meses. Projeto CE - São Paulo ,0 90,0 80,0 70,0 60,0 90,7 86,1 % 50,0 40,0 30,0 20,0 10,0 0,0 8,6 DST/AIDS 12,5 0,7 1,4 Gravidez Sempre As vezes Não

43 Comportamento de Risco 60 O que faria se quisesse ter relação sexual e não tivesse camisinha, segundo sexo (entre todos os estudantes). Projeto CE - São Paulo , ,0 % ,0 10,9 29,3 23,7 19,7 12,2 0 Teria a relação mesmo assim Não teria a relação de jeito nenhum Depende de quem fosse o parceiro Não sei Masculino Feminino

44 Conclusões Pesquisa aponta ampla prática sexual adolescente Aponta falta de apoio estrutural e de orientação preventiva para este público Aponta que metade das meninas e quase 80% dos meninos não recebem orientação e nem foram acompanhados em serviços de saúde 50% não foram acompanhados nas escolas Portanto, ALTA vulnerabilidade para gestações não-planejadas e DST/aids

45 Conclusões Contraceptivos Há 15% dos adolescentes sem cobertura contraceptiva Quase 90% usam preservativo Motivo de Uso do Preservativo está associado à prevenção da GRAVIDEZ PARCERIAS FIXAS promovem redução de uso de preservativo Consequentemente maior uso de contracepção de emergência, pílula e injeção

46 Contracepção de Emergência Cerca de 15% está mal informado sobre o método e pode utilizá-lo indiscriminadamente Maioria absoluta (85%) não acha que é método de uso regular Contracepção de Emergência, não provoca diminuição na adesão de preservativo, Ao contrário, é a menor adesão a este em parcerias fixas que aumenta o uso da opção emergencial

47 Orientações Uso incorreto ou repetido da contracepção de emergência pode ser reduzido com maior acesso a informações de prevenção e a serviços de Saúde para a busca de métodos regulares

48 Perspectivas Há necessidade de atualização de profissionai de Saúde e Educação para que atuem conforme as novas legislações nacionais ATUALIZAÇÃO/PROTOCOLOS Há necessidade dos programas e secretarias fazerem cumprir as novas legislações nacionais conquistadas LEVANTAMENTOS / FISCALIZAÇÃO

49 FIM

Contracepção de Emergência entre Estudantes de Ensino Médio e Público do Município de S. Paulo

Contracepção de Emergência entre Estudantes de Ensino Médio e Público do Município de S. Paulo Contracepção de Emergência entre Estudantes de Ensino Médio e Público do Município de S. Paulo Regina Figueiredo Instituto de Saúde SES/SP reginafigueiredo@uol.com.br Equipe de Pesquisa: Regina Figueiredo,

Leia mais

(Inquérito Nacional Sobre Saúde Reprodutiva e Comportamento Sexual dos Jovens e ADolescentes)

(Inquérito Nacional Sobre Saúde Reprodutiva e Comportamento Sexual dos Jovens e ADolescentes) INJAD (Inquérito Nacional Sobre Saúde Reprodutiva e Comportamento Sexual dos Jovens e ADolescentes) OBJECTIVOS DO INJAD Proporcionar informação sobre saúde reprodutiva dos jovens e adolescentes que seja

Leia mais

Sim. Principalmente se a mulher estiver no período fértil.

Sim. Principalmente se a mulher estiver no período fértil. É legal saber! Gravidez Transar uma única vez, pode engravidar? Sim. Principalmente se a mulher estiver no período fértil. Minha menstruação na desceu. Estou grávida? Depende. É importante cada mulher

Leia mais

Estudo quantitativo. Fevereiro 2012. Em parceria com

Estudo quantitativo. Fevereiro 2012. Em parceria com Estudo quantitativo Duarte Vilar Fevereiro 2012 Em parceria com CARACTERIZAÇÃO GERAL CARACTERIZAÇÃO DA AMOSTRA 40 35 44,6 Masculino 30 25 55,0 Feminino 20 15 10 5 0 19 E MENOS 20-29 MAIS DE 30 35,0 30,0

Leia mais

A GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA

A GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA A GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA Edna G. Levy A questão da gravidez na adolescência é muito mais comum do que parece ser, a reação inicial e geral é que este problema só acontece na casa dos outros, na nossa

Leia mais

Unidade II Vida e ambiente Aula 7.1 Conteúdo: Métodos Contraceptivos.

Unidade II Vida e ambiente Aula 7.1 Conteúdo: Métodos Contraceptivos. Unidade II Vida e ambiente Aula 7.1 Conteúdo: Métodos Contraceptivos. 2 Habilidade: Compreender o funcionamento dos principais métodos contraceptivos (comportamentais, químicos, de barreira e definitivos).

Leia mais

GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA POR: AMANDA REIS NORMANDIA AG.EDUCADOR II SMERJ

GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA POR: AMANDA REIS NORMANDIA AG.EDUCADOR II SMERJ GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA POR: AMANDA REIS NORMANDIA AG.EDUCADOR II SMERJ OBJETIVO: DISCUTIR A INCIDÊNCIA DA GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA ASSUNTOS ABORDADOS: ADOLESCÊNCIA GRAVIDEZ PRECOCE PREVENÇÃO DA GRAVIDEZ

Leia mais

Juventude e Vulnerabilidade Sexual em Situações de Lazer-Festa

Juventude e Vulnerabilidade Sexual em Situações de Lazer-Festa In: Boletim do Instituto de Saúde, nº 40, dezembro de 2006. São Paulo, Instituto de Saúde SES. Juventude e Vulnerabilidade Sexual em Situações de Lazer-Festa Regina Figueiredo 1 Marta Mc Britton 2 Tânia

Leia mais

A AIDS NA TERCEIRA IDADE: O CONHECIMENTO DOS IDOSOS DE UMA CASA DE APOIO NO INTERIOR DE MATO GROSSO

A AIDS NA TERCEIRA IDADE: O CONHECIMENTO DOS IDOSOS DE UMA CASA DE APOIO NO INTERIOR DE MATO GROSSO A AIDS NA TERCEIRA IDADE: O CONHECIMENTO DOS IDOSOS DE UMA CASA DE APOIO NO INTERIOR DE MATO GROSSO SATO, Camila Massae 1 Palavras-chave: Idoso, AIDS, conhecimento Introdução A população idosa brasileira

Leia mais

Educação Sexual: Quem ama cuida. Cuide-se!*

Educação Sexual: Quem ama cuida. Cuide-se!* Educação Sexual: Quem ama cuida. Cuide-se!* SANTOS, Jessica Suriano dos 1 ; ANJOS, Antônio Carlos dos 2 ; RIBEIRO, Álvaro Sebastião Teixeira 3 Palavras-chave: Educação Sexual; Doenças Sexualmente Transmissíveis;

Leia mais

Gravidez precoce e a saúde da mulher. Geografia da Saúde Prof. Raul Borges Guimarães

Gravidez precoce e a saúde da mulher. Geografia da Saúde Prof. Raul Borges Guimarães Gravidez precoce e a saúde da mulher Geografia da Saúde Prof. Raul Borges Guimarães Gravidez indesejada? https://www.youtube.com/watch?v=fzg3mtvbhdu O que você acha desta charge? Essa imagem tem circulado

Leia mais

MÉTODOS CONTRACEPTIVOS. Professora Daiana Escola La Salle Águas Claras 8º ano

MÉTODOS CONTRACEPTIVOS. Professora Daiana Escola La Salle Águas Claras 8º ano MÉTODOS CONTRACEPTIVOS Professora Daiana Escola La Salle Águas Claras 8º ano METODOS DE BARREIRA Imobilizam os espermatozoides, impedindo-os de entrar em contato com o óvulo e ocorrer a fecundação. Espermicidas

Leia mais

COMPARAÇÃO DOS CONHECIMENTOS SOBRE SEXO, GRAVIDEZ, DST s E AIDS ANTES E APÓS TREINAMENTO ADOLESCENTES MULTIPLICADORES

COMPARAÇÃO DOS CONHECIMENTOS SOBRE SEXO, GRAVIDEZ, DST s E AIDS ANTES E APÓS TREINAMENTO ADOLESCENTES MULTIPLICADORES COMPARAÇÃO DOS CONHECIMENTOS SOBRE SEXO, GRAVIDEZ, DST s E AIDS ANTES E APÓS TREINAMENTO ADOLESCENTES MULTIPLICADORES Fernanda Bartalini Mognon¹, Cynthia Borges de Moura² Curso de Enfermagem 1 (fernanda.mognon89@gmail.com);

Leia mais

Tipos de Anticoncepcionais

Tipos de Anticoncepcionais Tipos de Anticoncepcionais Dr. Orlando de Castro Neto Métodos anticoncepcionais ou métodos contraceptivos são maneiras, medicamentos e dispositivos usados para evitar a gravidez. Muitas vezes o método

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA: ADOLESCENTES E ATIVIDADE SEXUAL PRECOCE EM UMA UNIDADE DE SAÚDE NA ZONA OESTE RJ

RELATO DE EXPERIÊNCIA: ADOLESCENTES E ATIVIDADE SEXUAL PRECOCE EM UMA UNIDADE DE SAÚDE NA ZONA OESTE RJ Revista Eletrônica Novo Enfoque, ano 2013, v. 17, n. 17, p. 134 138 RELATO DE EXPERIÊNCIA: ADOLESCENTES E ATIVIDADE SEXUAL PRECOCE EM UMA UNIDADE DE SAÚDE NA ZONA OESTE RJ PORTO, Adriana Vianna Costa 1

Leia mais

Dicas para você trabalhar o livro Mamãe, como eu nasci? com seus alunos.

Dicas para você trabalhar o livro Mamãe, como eu nasci? com seus alunos. Dicas para você trabalhar o livro Mamãe, como eu nasci? com seus alunos. Caro professor, Este link do site foi elaborado especialmente para você, com o objetivo de lhe dar dicas importantes para o seu

Leia mais

PESQUISA SAÚDE E EDUCAÇÃO: CENÁRIOS PARA A CULTURA DE PREVENÇÃO NAS ESCOLAS BRIEFING

PESQUISA SAÚDE E EDUCAÇÃO: CENÁRIOS PARA A CULTURA DE PREVENÇÃO NAS ESCOLAS BRIEFING BR/2007/PI/H/3 PESQUISA SAÚDE E EDUCAÇÃO: CENÁRIOS PARA A CULTURA DE PREVENÇÃO NAS ESCOLAS BRIEFING Brasília 2007 PESQUISA SAÚDE E EDUCAÇÃO: CENÁRIOS PARA A CULTURA DE PREVENÇÃO NAS ESCOLAS BRIEFING -

Leia mais

CESOP. Data /05/2007 Hora do início : Hora do fim : Entrevistador:

CESOP. Data /05/2007 Hora do início : Hora do fim : Entrevistador: Inquérito n.º CESOP Saúde e Sexualidade Versão Masculina (V2) Data /05/2007 Hora do início : Hora do fim : Entrevistador: Chamo-me e trabalho para o Centro de Estudos e Sondagens de Opinião da Universidade

Leia mais

METODOS CONTRACEPTIVOS ENF. MARIANA P. JUSTINO

METODOS CONTRACEPTIVOS ENF. MARIANA P. JUSTINO METODOS CONTRACEPTIVOS ENF. MARIANA P. JUSTINO METODOS DE BARREIRA Imobilizam os espermatozóides, impedindo-os de entrar em contato com o óvulo e de haver fecundação. Espermicidas (sob a forma de óvulos,

Leia mais

Sumário. Aids: a magnitude do problema. A epidemia no Brasil. Característica do Programa brasileiro de aids

Sumário. Aids: a magnitude do problema. A epidemia no Brasil. Característica do Programa brasileiro de aids Sumário Aids: a magnitude do problema A epidemia no Brasil Característica do Programa brasileiro de aids Resultados de 20 anos de luta contra a epidemia no Brasil Tratamento Prevenção Direitos humanos

Leia mais

Pesquisa Nacional de Saúde

Pesquisa Nacional de Saúde Diretoria de Pesquisas Coordenação de Trabalho e Rendimento Pesquisa Nacional de Saúde 21/08/15 Histórico INVESTIGAÇÃO DO TEMA SAÚDE... 1998 2003 2008 2013 PNAD Características da PNS Pesquisa Domiciliar

Leia mais

TD DE CIÊNCIAS 8ª. série PROFa. Marjory Tôrres. INTRODUÇÃO À GENÉTICA Os princípios básicos da Hereditariedade

TD DE CIÊNCIAS 8ª. série PROFa. Marjory Tôrres. INTRODUÇÃO À GENÉTICA Os princípios básicos da Hereditariedade TD DE CIÊNCIAS 8ª. série PROFa. Marjory Tôrres INTRODUÇÃO À GENÉTICA Os princípios básicos da Hereditariedade Todas as pessoas são diferentes, cada um é único, apresentam características que são próprias

Leia mais

iagnóstico de Situação Secundária com 3º Ciclo do Marco de Canaveses

iagnóstico de Situação Secundária com 3º Ciclo do Marco de Canaveses No Marco Sabemos Mais Sobre @ Doenças Sexualmente Transmissíveis / Métodos Contracetivos (SMS@DST) Dia iagnóstico de Situação na Escola Secundária com 3º Ciclo do Marco de Canaveses Realizado pela: ASSOCIAÇÃO

Leia mais

MS divulga retrato do comportamento sexual do brasileiro

MS divulga retrato do comportamento sexual do brasileiro MS divulga retrato do comportamento sexual do brasileiro Notícias - 18/06/2009, às 13h08 Foram realizadas 8 mil entrevistas com homens e mulheres entre 15 e 64 anos. A análise das informações auxiliará

Leia mais

O retrato do comportamento sexual do brasileiro

O retrato do comportamento sexual do brasileiro O retrato do comportamento sexual do brasileiro O Ministério da Saúde acaba de concluir a maior pesquisa já realizada sobre comportamento sexual do brasileiro. Entre os meses de setembro e novembro de

Leia mais

Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar 2012

Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar 2012 Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar 2012 Rio de Janeiro, 19 / 06 / 2013 1 - Introdução 2 - Objetivos 3 - Coleta dos Dados 4 - Instrumentos de Coleta 5 - Temas abordados 6 - Universo da Pesquisa 7 - Análise

Leia mais

ESF Dr. MAURO NETO REALIZAÇÃO: Kamila Paula Lopes Acadêmica do 8º Período- Curso de Bacharel em Enfermagem Estagio Supervisionado II

ESF Dr. MAURO NETO REALIZAÇÃO: Kamila Paula Lopes Acadêmica do 8º Período- Curso de Bacharel em Enfermagem Estagio Supervisionado II REALIZAÇÃO: Kamila Paula Lopes Acadêmica do 8º Período- Curso de Bacharel em Enfermagem Estagio Supervisionado II ESF Dr. MAURO NETO Profª. Enfª. Drª. Isabel Cristina Belasco Coordenadora do Curso de Enfermagem

Leia mais

Homens e contracepção: análise estatística de dados qualitativos *

Homens e contracepção: análise estatística de dados qualitativos * Homens e contracepção: análise estatística de dados qualitativos * Maria Coleta Oliveira ** O presente artigo tem por objetivo avaliar os resultados da aplicação de técnicas estatísticas na análise de

Leia mais

O impacto da desigualdade de gênero no comportamento sexual e reprodutivo de mulheres jovens de diferentes classes sociais 1.

O impacto da desigualdade de gênero no comportamento sexual e reprodutivo de mulheres jovens de diferentes classes sociais 1. O impacto da desigualdade de gênero no comportamento sexual e reprodutivo de mulheres jovens de diferentes classes sociais 1 Alessandra Sampaio Chacham 2 Malco Braga Camargos 3 Mônica Bara Maia 4 Palavras-chave:

Leia mais

Indicadores de Autonomia: identificando a desigualdade de gênero na trajetória sexual e reprodutiva de mulheres jovens em diferentes classes sociais

Indicadores de Autonomia: identificando a desigualdade de gênero na trajetória sexual e reprodutiva de mulheres jovens em diferentes classes sociais Indicadores de Autonomia: identificando a desigualdade de gênero na trajetória sexual e reprodutiva de mulheres jovens em diferentes classes sociais Alessandra Sampaio Chacham 1 Mônica Bara Maia 2 Malco

Leia mais

TD de revisão 8º Ano- 4ª etapa- 2015

TD de revisão 8º Ano- 4ª etapa- 2015 TD de revisão 8º Ano- 4ª etapa- 2015 1. Classifique os métodos anticoncepcionais abaixo, relacionando as colunas: (1) Natural ou comportamental (2) De Barreira (3) Hormonal (4)Cirúrgico ( ) Camisinha (M)

Leia mais

IV. ANTICONCEPÇA, O. Gráfico 4.1 Conhecimento de Métodos Anticoncepcionais Mulheres Atualmente Unidas

IV. ANTICONCEPÇA, O. Gráfico 4.1 Conhecimento de Métodos Anticoncepcionais Mulheres Atualmente Unidas IV. ANTICONCEPÇA, O A prevalência da anticoncepção no Nordeste é um dos temas centrais desta investigação. Entretanto, antes de abordar o uso atual de métodos anticoncepcionais, toma-se necessário analisar

Leia mais

Briefing. Boletim Epidemiológico 2010

Briefing. Boletim Epidemiológico 2010 Briefing Boletim Epidemiológico 2010 1. HIV Estimativa de infectados pelo HIV (2006): 630.000 Prevalência da infecção (15 a 49 anos): 0,61 % Fem. 0,41% Masc. 0,82% 2. Números gerais da aids * Casos acumulados

Leia mais

7ª série / 8º ano U. E. 11

7ª série / 8º ano U. E. 11 7ª série / 8º ano U. E. 11 Os sistemas genitais masculino e feminino A espécie humana se reproduz sexuadamente. As células reprodutivas femininas os óvulos são produzidas nos ovários da mulher, e as células

Leia mais

Relato de Pesquisa e Proposta de Intervenção

Relato de Pesquisa e Proposta de Intervenção Elaboração COMPORTAMENTO SEXUAL, REPRODUTIVO e USO DE ÁLCOOL, PELOS JOVENS NO CARNAVAL GUARUJÁ - SP, 2006 Relato de Pesquisa e Proposta de Intervenção Colaboração: REDE CE Rede Brasileira de Promoção de

Leia mais

O uso do preservativo entre jovens homens que fazem sexo com homens, frequentadores de boates gays, no Município do Rio de Janeiro, Brasil.

O uso do preservativo entre jovens homens que fazem sexo com homens, frequentadores de boates gays, no Município do Rio de Janeiro, Brasil. Universidade Veiga de Almeida Centro de Ciências Biológicas da Saúde Curso de Graduação em Enfermagem Campus Tijuca O uso do preservativo entre jovens homens que fazem sexo com homens, frequentadores de

Leia mais

TÍTULO: Autores: INSTITUIÇÃO: Endereço: Fone (21) 22642082/ 25876570 - Fax (21) 22642082. E-mail: (cinfo_nesa@yahoo.com.

TÍTULO: Autores: INSTITUIÇÃO: Endereço: Fone (21) 22642082/ 25876570 - Fax (21) 22642082. E-mail: (cinfo_nesa@yahoo.com. TÍTULO: ADOLESCENTES E O USO DO PRESERVATIVO FEMININO Autores: Luiza Maria Figueira Cromack; Dulce Maria Fausto de Castro; Stella Regina Taquette; Francislene Pace; André Melo; Janice Dutra; Roberta Souza.

Leia mais

< Maria Inês; nº 17; 9ºB > < Ricardo Santos; nº18; 9ºB >

< Maria Inês; nº 17; 9ºB > < Ricardo Santos; nº18; 9ºB > Índice < Maria Inês; nº 17; 9ºB > < Ricardo Santos; nº18; 9ºB > Índice Índice... 2 Métodos Contraceptivos... 3 O que são?... 3 Métodos Reversíveis... 4 Métodos Contraceptivos Hormonais... 4 Pílula Contraceptiva...

Leia mais

Os Números da Obesidade no Brasil: VIGITEL 2009 e POF 2008-2009

Os Números da Obesidade no Brasil: VIGITEL 2009 e POF 2008-2009 Os Números da Obesidade no Brasil: VIGITEL 2009 e POF 2008-2009 Maria Edna de Melo A Organização Mundial da Saúde (OMS) projetou que em 2005 o mundo teria 1,6 bilhões de pessoas acima de 15 anos de idade

Leia mais

Preservativo Feminino

Preservativo Feminino Preservativo Feminino Há milhares de anos que as mulheres usam os métodos contraceptivos de que dispõem. Na bíblia, há referência ao coito interrompido e nos registos do Egipto antigo existem descrições

Leia mais

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 43 MÉTODOS CONTRACEPTIVOS

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 43 MÉTODOS CONTRACEPTIVOS BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 43 MÉTODOS CONTRACEPTIVOS Como pode cair no enem? (UFC) A pílula do dia seguinte é composta de hormônios, os mesmos da pílula anticoncepcional comum, só que em doses mais elevadas.

Leia mais

M t é o t d o os o Contraceptivos

M t é o t d o os o Contraceptivos Métodos Contraceptivos São meios utilizados para evitar a gravidez quando esta não é desejada, permitindo a vivência da sexualidade de forma responsável. Permitem o planeamento familiar. 2 Como se classificam

Leia mais

Palavras-chave: Comportamento sexual de risco; Psicologia da Saúde; Universitários; Prevenção.

Palavras-chave: Comportamento sexual de risco; Psicologia da Saúde; Universitários; Prevenção. COMPORTAMENTO SEXUAL DE RISCO EM ESTUDANTES DE PSICOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE Ellidja Evelyn de Sousa Barbalho Lúcia Maria de Oliveira Santos Departamento de Psicologia GEPS

Leia mais

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - Síntese

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - Síntese 2014 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - Síntese Dieese Subseção Força Sindical 19/09/2014 PESQUISA NACIONAL POR AMOSTRA DE DOMICILIOS - PNAD 2013 Síntese dos Indicadores POPULAÇÃO A Pesquisa

Leia mais

Uso do preservativo por adolescentes masculinos no início da atividade sexual

Uso do preservativo por adolescentes masculinos no início da atividade sexual PESQUISA Uso do preservativo por adolescentes masculinos no início da atividade sexual Enir Ferreira dos Santos Aluna do Curso de Graduação em Enfermagem. Dulcilene Pereira Jardim Docente do Curso de Graduação

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE O DIA MUNDIAL SEM CARRO SETEMBRO/ OUTUBRO DE 2007 JOB939 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA OBJETIVO LOCAL Levantar junto à população da área em estudo opiniões relacionadas

Leia mais

VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: ESTUDO EXPLORATÓRIO E REFLEXIVO NO CREAS DO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE SP

VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: ESTUDO EXPLORATÓRIO E REFLEXIVO NO CREAS DO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE SP Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 385 VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: ESTUDO EXPLORATÓRIO E REFLEXIVO NO CREAS DO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE

Leia mais

Pesquisa sobre motivação para o uso das drogas (estudo em aberto)

Pesquisa sobre motivação para o uso das drogas (estudo em aberto) Pesquisa sobre motivação para o uso das drogas (estudo em aberto) Introdução A presente pesquisa foi realizada com o intuito de complementar as informações obtidas na pesquisa realizada (01 a 04 de abril

Leia mais

SEXUALIDADE E PREVENÇÃO DAS DST/AIDS NA TERCEIRA IDADE SEXUALIDADE E PREVENÇÃO DAS DST/AIDS NA TERCEIRA IDADE

SEXUALIDADE E PREVENÇÃO DAS DST/AIDS NA TERCEIRA IDADE SEXUALIDADE E PREVENÇÃO DAS DST/AIDS NA TERCEIRA IDADE SEXUALIDADE E PREVENÇÃO DAS DST/AIDS NA TERCEIRA IDADE SEXUALIDADE E PREVENÇÃO DAS DST/AIDS NA TERCEIRA IDADE Marília Viana Berzins Secretaria Municipal da Saúde /Cidade de São Paulo mariliaa@prefeitura.sp.gov.br

Leia mais

Método cem por cento garantido. Práticas de sexo seguro nas relações homoeróticas entre mulheres de segmentos médios em Porto Alegre

Método cem por cento garantido. Práticas de sexo seguro nas relações homoeróticas entre mulheres de segmentos médios em Porto Alegre Método cem por cento garantido. Práticas de sexo seguro nas relações homoeróticas entre mulheres de segmentos médios em Porto Alegre Por Nádia Elisa Meinerz Resumo: Esse artigo aborda as práticas de sexo

Leia mais

QUESTÃO 25. No sexo com mulheres, geralmente você costuma se preocupar com as Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs)?

QUESTÃO 25. No sexo com mulheres, geralmente você costuma se preocupar com as Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs)? QUESTÃO 25. No sexo com mulheres, geralmente você costuma se preocupar com as Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs)? Sempre 126 63,6% Nunca 30 15,2% Poucas Vezes 27 13,6% Muitas vezes 15 7,6% TOTAL

Leia mais

BOLSA FAMÍLIA Relatório-SÍNTESE. 53

BOLSA FAMÍLIA Relatório-SÍNTESE. 53 CAPÍTULO6 BOLSA FAMÍLIA Relatório-SÍNTESE. 53 Aspectos de gênero O Programa Bolsa Família privilegia como titulares as mulheres-mães (ou provedoras de cuidados), público que aflui às políticas de assistência

Leia mais

REPRODUÇÃO HUMANA MÉTODOS CONTRACEPTIVOS OU ANTICONCEPCIONAIS. Prof. Me. Cristino Rêgo 8º Ano Ensino Fundamental II

REPRODUÇÃO HUMANA MÉTODOS CONTRACEPTIVOS OU ANTICONCEPCIONAIS. Prof. Me. Cristino Rêgo 8º Ano Ensino Fundamental II REPRODUÇÃO HUMANA MÉTODOS CONTRACEPTIVOS OU ANTICONCEPCIONAIS Prof. Me. Cristino Rêgo 8º Ano Ensino Fundamental II Métodos Contraceptivos ou Anticoncepcionais 1 Coito Interrompido (Onanismo): Consiste

Leia mais

EXPOSIÇÃO DE RISCO DOS PARTICIPANTES DO PROJETO UEPG-ENFERMAGEM NA BUSCA E PREVENÇÃO DO HIV/AIDS

EXPOSIÇÃO DE RISCO DOS PARTICIPANTES DO PROJETO UEPG-ENFERMAGEM NA BUSCA E PREVENÇÃO DO HIV/AIDS 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA EXPOSIÇÃO DE RISCO DOS PARTICIPANTES DO PROJETO UEPG-ENFERMAGEM

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS Mestrado em Saúde Coletiva. O uso de preservativos na população de 15 a 24 anos no município de São Paulo.

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS Mestrado em Saúde Coletiva. O uso de preservativos na população de 15 a 24 anos no município de São Paulo. UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS Mestrado em Saúde Coletiva O uso de preservativos na população de 15 a 24 anos no município de São Paulo. DanielySciarotta de Araujo SANTOS 2015 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE

Leia mais

DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS: A PERCEPÇÃO DOS ALUNOS DA ESCOLA ESTADUAL PROFESSOR JOSÉ GOMES, PATOS, PARAÍBA, BRASIL

DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS: A PERCEPÇÃO DOS ALUNOS DA ESCOLA ESTADUAL PROFESSOR JOSÉ GOMES, PATOS, PARAÍBA, BRASIL DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS: A PERCEPÇÃO DOS ALUNOS DA ESCOLA ESTADUAL PROFESSOR JOSÉ GOMES, PATOS, PARAÍBA, BRASIL Kelvy Fellipe Gomes de Lima 1 ; Lucas Silva Leite 1 ; Anna Fernanda Beatriz Amorim

Leia mais

COMPORTAMENTO SEXUAL SOBRE O USO DOS PRESERVATIVOS ENTRE OS GRADUANDOS DO CURSO DE BIOLOGIA EM CAMPINA GRANDE-PB

COMPORTAMENTO SEXUAL SOBRE O USO DOS PRESERVATIVOS ENTRE OS GRADUANDOS DO CURSO DE BIOLOGIA EM CAMPINA GRANDE-PB COMPORTAMENTO SEXUAL SOBRE O USO DOS PRESERVATIVOS ENTRE OS GRADUANDOS DO CURSO DE BIOLOGIA EM CAMPINA GRANDE-PB SEXUAL BEHAVIOR ON CONDOM USE AMONG UNDERGRADUATE STUDENTS OF BIOLOGY IN CAMPINA GRANDE-PB

Leia mais

PROPOSTA PEDAGÓGICA... 03 Marcos Ribeiro. PGM 1: Prevenção das DST/AIDS... 24 Marcos Ribeiro e Wagner Reis

PROPOSTA PEDAGÓGICA... 03 Marcos Ribeiro. PGM 1: Prevenção das DST/AIDS... 24 Marcos Ribeiro e Wagner Reis SUMÁRIO PROPOSTA PEDAGÓGICA... 03 Marcos Ribeiro PGM 1: Prevenção das DST/AIDS... 24 Marcos Ribeiro e Wagner Reis PGM 2: Gravidez na adolescência... 34 Sylvia Cavasin PGM 3: Relações de gênero... 46 Tereza

Leia mais

Elementos para suporte na Decisão Clínica e organização da atenção na Área de Saúde da Mulher

Elementos para suporte na Decisão Clínica e organização da atenção na Área de Saúde da Mulher PRÊMIO POR INOVAÇÃO E QUALIDADE 1 Identificação Título Implantação da linha de cuidado em Saúde da Mulher na USF Hidrolândia Área temática Elementos para suporte na Decisão Clínica e organização da atenção

Leia mais

USO DO PRESERVATIVO POR CASAIS HETEROSSEXUAIS EM UNIÃO ESTÁVEL

USO DO PRESERVATIVO POR CASAIS HETEROSSEXUAIS EM UNIÃO ESTÁVEL USO DO PRESERVATIVO POR CASAIS HETEROSSEXUAIS EM UNIÃO ESTÁVEL INTRODUÇÃO: Ítala Mônica de Sales Santos Joelma Barros de Sousa Ana Izabel Oliveira Nicolau As Doenças sexualmente transmissíveis, principalmente

Leia mais

Nome/Código arquivo: 2013_11_12 Mem.Reun.Saúde _ Escola do Evangelho Belo Monte Vitória do Xingu

Nome/Código arquivo: 2013_11_12 Mem.Reun.Saúde _ Escola do Evangelho Belo Monte Vitória do Xingu Assunto: Orientar e esclarecer as dúvidas da população sobre as Ações Preventivas na Área de Saúde Pública em virtude da construção da UHE Belo Monte. Redator: Èrica Silva Data: 12-11-2013 Duração: 14h30min

Leia mais

2- USO DE PRESERVATIVOS: PESQUISA NACIONAL MS / IBOPE, BRASIL 2003

2- USO DE PRESERVATIVOS: PESQUISA NACIONAL MS / IBOPE, BRASIL 2003 Paiva, V., Venturi, G., FrançaJr, I. & Lopes, F. 2 USO DE PRESERVATIVOS PESQUISA NACIONAL MS / IBOPE 2003 1 2 USO DE PRESERVATIVOS: PESQUISA NACIONAL MS / IBOPE, BRASIL 2003 Vera Paiva 1, 2, Gustavo Venturi

Leia mais

PROJETO EDUCAÇÃO PARA SAÚDE NA ESCOLA MARIANA JANSSEN MARIA GORETTI DE ALMEIDA

PROJETO EDUCAÇÃO PARA SAÚDE NA ESCOLA MARIANA JANSSEN MARIA GORETTI DE ALMEIDA PROJETO EDUCAÇÃO PARA SAÚDE NA ESCOLA PROGRAMA MÉDICO M DE FAMÍLIA DE NITERÓI MARIANA JANSSEN MARIA GORETTI DE ALMEIDA LOCAL: ESCOLA ESTADUAL LUCIANO PESTRE 2004 CRONOLOGIA TREINAMENTO DE DST/AIDS SECRETARIA

Leia mais

Para começar, algumas perguntas se referem a seu estado de saúde.

Para começar, algumas perguntas se referem a seu estado de saúde. 0 0 0 IDENTIFICADOR Para começar, algumas perguntas se referem a seu estado de saúde. A. De um modo geral, em comparação a pessoas da sua idade, como você considera o seu próprio estado de saúde? Muito

Leia mais

REDE NACIONAL DE ADOLESCENTES E JOVENS VIVENDO COM HIV/AIDS

REDE NACIONAL DE ADOLESCENTES E JOVENS VIVENDO COM HIV/AIDS REDE NACIONAL DE ADOLESCENTES E JOVENS VIVENDO COM HIV/AIDS Manuela Estolano Coordenadora Nacional Rede Nacional de Adolescentes e Jovens Vivendo com HIV/Aids REDE NACIONAL DE ADOLESCENTES E JOVENS VIVENDO

Leia mais

Caderneta de Saúde do(a) Adolescente

Caderneta de Saúde do(a) Adolescente Caderneta de Saúde do(a) Adolescente Dentre as ações do Ministério da saúde da área técnica da saúde do adolescente e do jovem, encontra-se a Caderneta da Saúde do(a) Adolescente (2009). portalsaude.saude.gov.br

Leia mais

PROGRAMA DE SAÚDE SEXUAL GOVERNAMENTAL: CONTRIBUIÇÕES, DIFICULDADES E LIMITAÇÕES

PROGRAMA DE SAÚDE SEXUAL GOVERNAMENTAL: CONTRIBUIÇÕES, DIFICULDADES E LIMITAÇÕES PROGRAMA DE SAÚDE SEXUAL GOVERNAMENTAL: CONTRIBUIÇÕES, DIFICULDADES E LIMITAÇÕES MARTYRES, Thais Raffaela dos Faculdade de Ensino Superior Dom Bosco Acadêmica do Curso de Farmácia Membro do Grupo de Bolsista

Leia mais

CAPÍTULO 6 INTENÇÕES REPRODUTIVAS E PLANEAMENTO DA FECUNDIDADE

CAPÍTULO 6 INTENÇÕES REPRODUTIVAS E PLANEAMENTO DA FECUNDIDADE CAPÍTULO 6 INTENÇÕES REPRODUTIVAS E PLANEAMENTO DA FECUNDIDADE O questionário do IDS de 1997 conteve várias questões para investigar as preferências reprodutivas da população entrevistada. Foi recolhida

Leia mais

UMA REVISÃO SISTEMÁTICA: O PROFISSIONAL DE SAÚDE E SEU OLHAR SOBRE O IDOSO E A AIDS

UMA REVISÃO SISTEMÁTICA: O PROFISSIONAL DE SAÚDE E SEU OLHAR SOBRE O IDOSO E A AIDS UMA REVISÃO SISTEMÁTICA: O PROFISSIONAL DE SAÚDE E SEU OLHAR SOBRE O IDOSO E A AIDS Nayara Ferreira da Costa¹; Maria Luisa de Almeida Nunes ²; Larissa Hosana Paiva de Castro³; Alex Pereira de Almeida 4

Leia mais