Portuguese FAQs PRÓLOGO PROGRAMA CLÍNICO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Portuguese FAQs PRÓLOGO PROGRAMA CLÍNICO"

Transcrição

1 Portuguese FAQs PROGRAMA CLÍNICO PRÓLOGO Clementia Pharmaceuticals está iniciando o programa clínico de fase 2 para palovarotene em pacientes com fibrodisplasia ossificante progressiva (FOP). O Estudo PVO-1A-201 é um estudo clínico de palovarotene de fase 2, duplo cego, controlado por placebo, em pacientes com FOP no momento de um surto. Pacientes com pelo menos 15 anos de idade, que estão passando por um surto nos ombros, braços, quadris ou pernas, e para os quais a medicação do estudo pode ser iniciada dentro de sete dias após o início do surto serão distribuídos aleatoriamente para receber palovarotene ou placebo durante seis semanas, com seis semanas de acompanhamento adicional. Vinte e quatro pacientes serão incluídos neste estudo: dezoito randomizados para uma das três doses de palovarotene e seis para o placebo. O objetivo deste estudo é determinar se palovarotene tem efeito sobre a neoformação óssea, durante e depois de um surto, em que dose, e com quais efeitos colaterais associados. A Clementia também está planejando um estudo de extensão aberto para PVO-1A-201 para qualquer paciente que complete o estudo clínico duplo cego de doze semanas.

2 A seguir, estão perguntas e respostas sobre aspectos específicos dos estudos da Clementia. Estas foram preparadas para responder certas perguntas que a comunidade FOP possa ter e, ao mesmo tempo, assegurar o cumprimento das regulamentações pertinentes em relação à comunicação sobre uma droga experimental. Para mais informações sobre Clementia, visite clementiapharma.com. PERGUNTAS FREQUENTES PALOVAROTENE 1. O que é palovarotene? RESPOSTA: PPalovarotene é um gama receptor de ácido retinóico (RARy) agonista e pertence a uma classe de compostos chamados retinóides sistêmicos. Foi demonstrado que estes compostos bloqueiam a formação de osso em diversos modelos de ratos com FOP. Palovarotene está sendo investigado como tratamento potencial para FOP. 2. Palovarotene foi testado em animais? RESPOSTA: Sim, palovarotene foi testado em animais saudáveis e em modelos animais para FOP. O teste em animais saudáveis ajudou a determinar alguns possíveis efeitos colaterais em humanos. Quando testado em modelos animais para FOP, palovarotene preveniu a neoformação óssea após lesão de forma diretamente proporcional à dosagem; ou seja, quanto maior a dose, maior a prevenção óssea.

3 3. Qual é o efeito esperado de palovarotene em humanos com FOP? RESPOSTA: Palovarotene preveniu a neoformação óssea em vários modelos de ratos para FOP, mas não é conhecido se fará o mesmo em humanos. O estudo clínico de fase 2 que a Clementia está conduzindo foi desenhado para avaliar o efeito, se houver, que o palovarotene tem na neoformação óssea durante e após um surto em pacientes com FOP e em qual dose. Além disso, este estudo clínico avaliará os efeitos colaterais associados com palovarotene em pacientes com FOP. 4. Alguma pessoa já tomou palovarotene? Algum desses pacientes tinha FOP? RESPOSTA: Oitocentas e vinte e cinco pessoas, incluindo voluntários saudáveis e pacientes com enfisema, haviam tomado palovarotene até junho de 2014, mas nenhuma delas era paciente de FOP. PVO-1A-201, O ESTUDO CLÍNICO DE FASE 2 DE PALOVAROTENE EM PACIENTES COM FOP 5. Qual é o objetivo do estudo de fase 2 de palovarotene? RESPOSTA: O objetivo deste estudo clínico é investigar se o palovarotene tem efeito na neoformação óssea durante e após um surto em pacientes com FOP, em qual dose e com quais efeitos

4 colaterais associados. 6. Quem pode participar do estudo clínico de fase 2? RESPOSTA: Este estudo clínico foi desenhado para observar os efeitos de palovarotene em pacientes com FOP portadores da mutação R206H e incluirá 24 pacientes. Pacientes com pelo menos 15 anos de idade que sejam capazes de realizar o exame e a inscrição dentro de sete dias após de surto localizado nos ombros, braços, quadris ou pernas poderão ser considerados para a inclusão no estudo clínico de fase 2. Os pacientes devem estar dispostos a receber tratamento com prednisona de acordo com as diretrizes de tratamento da FOP; não apresentar nenhum dos critérios de exclusão do estudo clínico; e ser capazes de comparecer às visitas de protocolo agendadas durante os três meses do estudo. Mais detalhes e critérios de recrutamento do ensaio clínico encontram-se emwww.clinicaltrials.gov. 7. Por que este estudo clínico de fase 2 é limitado a vinte e quatro pacientes? RESPOSTA: Estudos clínicos são desenhados para fornecer as informações necessárias para determinar a segurança e eficácia do composto em investigação da maneira mais eficiente e com o menor risco possível para os pacientes. Foi determinado que 24 sujeitos seriam suficientes para responder se o palovarotene pode prevenir ou diminuir a quantidade de ossificação heterotópica durante e após um surto, e em qual dosagem. 8. Porque crianças com FOP não podem participar do

5 estudo clínico de fase 2? RESPOSTA: São necessárias mais informações antes que crianças possam ser incluídas em um estudo clínico com palovarotene. A Clementia está realizando as atividades necessárias para obter essas informações, as quais incluem estudos em animais e estudos clínicos adicionais.v 9. O que é exigido dos participantes que estão incluídos no estudo clínico de fase 2? RESPOSTA: Os pacientes serão submetidos a um histórico completo, além de um exame físico e avaliações laboratoriais, para determinar se eles atendem todos os critérios de inclusão do estudo clínico. Os pacientes que atenderem os critérios de inclusão e forem incluídos no estudo clínico serão então atribuídos aleatoriamente para receber palovarotene ou placebo, o qual será tomado pelo paciente pela manhã após o café da manhã durante seis semanas. Esses pacientes serão acompanhados por mais seis semanas após a interrupção da medicação de estudo, e portanto, a participação total no estudo clínico é de 12 semanas. Serão realizadas várias avaliações durante o estudo clínico para determinar se o palovarotene tem efeito na neoformação óssea durante um surto, e quais são os efeitos colaterais. Essas avaliações incluem radiografia, tomografia computadorizada e ressonância magnética do local do surto, classificação de sintomas de inchaço e dor pelo paciente e amplitude de movimento no local do surto. Além disso, os pacientes completarão questionários destinados a avaliar limitações físicas e outras medidas de saúde geral. Finalmente, os efeitos colaterais serão avaliados. No geral,

6 essas avaliações serão realizadas na linha de base (no momento da inscrição), na semana 6 (ao final do tratamento) e na semana 12 (após o acompanhamento de 6 semanas). Mais detalhes do ensaio clínico encontram-se em O que significa ser atribuído aleatoriamente para receber um tratamento com placebo no estudo clínico de fase 2? RESPOSTA: Os pacientes incluídos no estudo clínico de fase 2 serão atribuídos aleatoriamente (um processo semelhante a tirar cara ou coroa) para receber palovarotene ou placebo. Neste estudo clínico você terá uma probabilidade de vinte e cinco por cento (uma em quatro) de receber placebo e uma probabilidade de setenta e cinco por cento (três em quatro) de receber palovarotene. 11. O que é um tratamento placebo e porque está sendo utilizado no estudo clínico de fase 2? RESPOSTA: Placebo é um produto sem ação terapêutica, com aparência semelhante à do composto experimental, mas não é e não contém palovarotene. Os tratamentos placebo são normalmente exigidos em estudos clínicos para determinar se um composto experimental oferece qualquer benefício de tratamento e para determinar os efeitos colaterais. A utilização de um grupo placebo em um estudo clínico ajuda a determinar se os efeitos observados são do composto experimental, ou são devidos ao acompanhamento cuidadoso dos pacientes como parte de um estudo clínico, ou ocorrem por acaso.

7 12. Os pacientes do estudo clínico de fase 2 poderão receber seu tratamento normal, como prednisona para surtos, outras medicações e/ou dispositivos (como oxigênio, CPAP [pressão positiva contínua], etc.)? RESPOSTA: Sim. O protocolo do ensaio clínico não permite alguns medicamentos por causa de potenciais interações com palovarotene, mas prednisona, oxigênio e CPAP são permitidos. Mais detalhes sobre o ensaio clínico, incluindo medicações aceitáveis, encontram-se em Além disso, a equipe do estudo clínico discutirá essas informações com você. 13. E se o paciente incluído no estudo clínico de fase 2 apresentar efeitos colaterais devido ao tratamento? RESPOSTA: TOs efeitos colaterais mais frequentes associados com palovarotene incluem efeitos na pele e membranas mucosas (por exemplo, parte interna do nariz e boca) incluindo pele seca, lábios ressecados, coceira, erupção, vermelhidão da pele, descamação e descascamento da pele, inflamação dos lábios, boca seca e olhos secos. Existem outros efeitos colaterais potenciais associados com a classe de medicações do palovarotene (chamadas retinóides), e estes serão descritos no processo de consentimento esclarecido quando o paciente for considerado para inscrição neste estudo clínico. O paciente terá a oportunidade de discutir quais são esses potenciais riscos à saúde com a equipe do estudo clínico. Se o paciente apresentar um efeito colateral durante o estudo clínico, ele será cuidadosamente avaliado pelo médico da clínica e tratado de forma apropriada.

8 Além disso, o paciente pode optar por interromper a participação no estudo clínico a qualquer momento. 14. Onde o estudo clínico de fase 2 está sendo realizado? RESPOSTA: The clinical trial is being conducted at three sites as listed below. O estudo clínico está sendo realizado em três locais, como indicado abaixo. Haverá uma equipe do estudo clínico em cada local clínico, bem informada sobre FOP e bem treinada no protocolo de estudo clínico. Os detalhes sobre a prontidão do local encontram-se em a. University of Pennsylvania Médicos do estudo clínico: Dr. Robert Pignolo e Dr. Fred Kaplan b. University of California, São Francisco Médico do estudo clínico: Dr. Ed Hsiao c. Hôpital Necker-Enfants Malades, Paris, França Médico do estudo clínico: Dr. Genevieve Baujat 15. Pacientes que não moram nos EUA ou França poderão participar deste estudo clínico? RESPOSTA: Sim, pacientes que moram fora dos EUA ou França poderão ser considerados para inclusão no estudo. No entanto, há muitos desafios de praticidade para estes pacientes participarem do estudo com sucesso. Esses desafios incluem exigências rigorosas de viagens durante um surto: o paciente deve ser capaz de chegar ao local clínico, ser submetido a todas as atividades de triagem e iniciar a medicação do estudo dentro de sete dias após o início do surto. Além disso, o paciente deve ser capaz de comparecer ao local clínico para todas as visitas necessárias durante as 12 semanas do estudo clínico, deslocando-se ou

9 mudando-se para perto do local clínico durante as 12 semanas. Além disso, já que algumas avaliações do estudo envolvem questionários sobre resultados relatados pelo paciente, os quais o paciente deve preencher pessoalmente, o paciente deve ser fluente em inglês, francês, italiano ou espanhol. Decisões finais sobre elegibilidade e inclusão serão tomadas pelo investigador principal em cada local clínico. 16. A Clementia oferecerá suporte financeiro para transporte e hospedagem aos participantes do estudo clínico de fase 2 que moram longe demais para ir até o local clínico de carro? RESPOSTA: Sim, todos os custo razoáveis associados à participação neste estudo serão cobertos, incluindo viagem e acomodações para o paciente e um cuidador. 17. Se este estudo clínico de fase 2 for bem sucedido, ele levará à aprovação comercial? RESPOSTA: Este estudo clínico de fase 2 está testando se o palovarotene tem efeito sobre a neoformação óssea durante um surto em pacientes com FOP e em qual dose. Ele também avaliará os efeitos colaterais do palovarotene em pacientes com FOP. Serão necessários estudos adicionais para que uma agência regulatória, tal como a Agência de Administração Federal de Alimentos e Medicamentos dos EUA e a Agência Europeia de Medicamentos, revise a aplicação comercial de palovarotene como tratamento para FOP.

10 18. Qual é o cronograma para a aprovação da comercialização do palovarotene? RESPOSTA: O cronograma para a aprovação comercial ainda não é conhecido. 19. O que acontece com o paciente após completar sua participação no estudo clínico de fase 2? RESPOSTA: A Clementia está planejando um estudo de extensão aberto para PVO-1A-201 para os pacientes que completarem o estudo clínico duplo cego de doze semanas. Aberto significa que o paciente incluído neste estudo clínico de extensão que apresentar outro surto será tratado com palovarotene independentemente do paciente ter recebido placebo ou palovarotene no primeiro estudo. Os detalhes serão publicados emwww.clinicaltrials.gov quando o estudo clínico for iniciado.

Declaração de Helsinque Associação Médica Mundial

Declaração de Helsinque Associação Médica Mundial A. Introdução Declaração de Helsinque Associação Médica Mundial Princípios éticos para as pesquisas médicas em seres humanos Adotado pela 18ª Assembléia Médica Mundial Helsinque, Finlândia, junho do 1964

Leia mais

PR 2 PROCEDIMENTO. Auditoria Interna. Revisão - 2 Página: 1 de 9

PR 2 PROCEDIMENTO. Auditoria Interna. Revisão - 2 Página: 1 de 9 Página: 1 de 9 1. OBJETIVO Estabelecer sistemática de funcionamento e aplicação das Auditorias Internas da Qualidade, fornecendo diretrizes para instruir, planejar, executar e documentar as mesmas. Este

Leia mais

DECLARAÇÃO DE HELSINKI DA ASSOCIAÇÃO MÉDICA MUNDIAL. Princípios Éticos para Pesquisa Clínica Envolvendo Seres Humanos

DECLARAÇÃO DE HELSINKI DA ASSOCIAÇÃO MÉDICA MUNDIAL. Princípios Éticos para Pesquisa Clínica Envolvendo Seres Humanos DECLARAÇÃO DE HELSINKI DA ASSOCIAÇÃO MÉDICA MUNDIAL Princípios Éticos para Pesquisa Clínica Envolvendo Seres Humanos Adotado da 18ª Assembléia Médica Mundial Helsinki, Finlândia, Junho 1964 e emendas da

Leia mais

Pesquisa Clínica. Orientações aos pacientes

Pesquisa Clínica. Orientações aos pacientes Pesquisa Clínica Orientações aos pacientes 2009 Ministério da Saúde. É permitida a reprodução total ou parcial desta obra, desde que citada a fonte. Tiragem: 1000 exemplares Criação, Informação e Distribuição

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE Coordenadoria de Serviços de Saúde INSTITUTO DANTE PAZZANESE DE CARDIOLOGIA

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE Coordenadoria de Serviços de Saúde INSTITUTO DANTE PAZZANESE DE CARDIOLOGIA DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA ANÁLISE DE PROJETOS DE PESQUISA 1 Folha de Rosto http://portal2.saude.gov.br/sisnep/pesquisador - está folha de rosto deverá ser impressa em 3 vias; deverá ser assinada pelo

Leia mais

Medindo a Qualidade de Vida em Estudos Clínicos de FC: Outra Peça do Quebra-Cabeça

Medindo a Qualidade de Vida em Estudos Clínicos de FC: Outra Peça do Quebra-Cabeça Ensaios Clínicos Medindo a Qualidade de Vida em Estudos Clínicos de FC: Outra Peça do Quebra-Cabeça Janice Abbott, PhD Professora de Psicologia da Saúde Faculdade de Saúde Universidade de Central Lancashire

Leia mais

Ensaios Clínicos. Alexander R. Precioso

Ensaios Clínicos. Alexander R. Precioso Ensaios Clínicos Alexander R. Precioso Diretor da Divisão de Ensaios Clínicos e Farmacovigilância - Instituto Butantan Pesquisador do Instituto da Criança HC / FMUSP Introdução Os recentes desenvolvimentos

Leia mais

Lista de checagem do protocolo

Lista de checagem do protocolo MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA Comitê de Ética em Pesquisa Lista de checagem do protocolo A avaliação do projeto

Leia mais

Diretrizes para os Estudos de Caso

Diretrizes para os Estudos de Caso Diretrizes para os Estudos de Caso Observação: Esta seção apresenta 5 estudos de caso de questões de saúde reprodutiva com o intuito de estimular discussões sobre o material apresentado no currículo. Além

Leia mais

Manual do Paciente sobre Terapias com Células-Tronco

Manual do Paciente sobre Terapias com Células-Tronco Sociedade Internacional para a Pesquisa com Células-Tronco Manual do Paciente sobre Terapias com Células-Tronco Apêndice I das Diretrizes para a Aplicação Clínica das Células-Tronco Tradução para o Português

Leia mais

Documentos Necessários ao Protocolo de Pesquisa

Documentos Necessários ao Protocolo de Pesquisa Documentos Necessários ao Protocolo de Pesquisa 3. PROTOCOLO DE PESQUISA 3.1) Protocolo de pesquisa: é o conjunto de documentos, que pode ser variável a depender do tema, incluindo o projeto, e que apresenta

Leia mais

Relatório do estudo - Notificação

Relatório do estudo - Notificação Relatório do estudo - Notificação Título do estudo: Data de início: 25/6/2007 Responsável pelo relatório: Data de Conclusão: CPF: Prioridade: Nenhuma Status: Recrutando Protocolo: Processo (ID): Patrocinador

Leia mais

É uma fratura comum que ocorre em pessoas de todas as idades. Anatomia. Clavícula

É uma fratura comum que ocorre em pessoas de todas as idades. Anatomia. Clavícula Fratura da Clavícula Dr. Marcello Castiglia Especialista em Cirurgia do Ombro e Cotovelo É uma fratura comum que ocorre em pessoas de todas as idades. Anatomia O osso da clavícula é localizado entre o

Leia mais

A Avaliação Ética da Investigação Científica de Novas Drogas:

A Avaliação Ética da Investigação Científica de Novas Drogas: Unidade de Pesquisa Clínica A Avaliação Ética da Investigação Científica de Novas Drogas: A importância da caracterização adequada das Fases da Pesquisa Rev. HCPA, 2007 José Roberto Goldim Apresentado

Leia mais

INFORMATICA PARA A VIGILANCIA E GESTAO DE INFORMACOES EM SAUDE: Prof. Dr. Joao Bosco Siqueira

INFORMATICA PARA A VIGILANCIA E GESTAO DE INFORMACOES EM SAUDE: Prof. Dr. Joao Bosco Siqueira INFORMATICA PARA A VIGILANCIA E GESTAO DE INFORMACOES EM SAUDE: Epi-INFO Prof. Dr. Joao Bosco Siqueira No nosso exercício, vamos investigar um surto de gastroenterite aguda ocorrido após um jantar. Vamos

Leia mais

2.1 Os projetos que demonstrarem resultados (quádrupla meta) serão compartilhados na Convenção Nacional.

2.1 Os projetos que demonstrarem resultados (quádrupla meta) serão compartilhados na Convenção Nacional. O Prêmio Inova+Saúde é uma iniciativa da SEGUROS UNIMED que visa reconhecer as estratégias de melhoria e da qualidade e segurança dos cuidados com a saúde dos pacientes e ao mesmo tempo contribua com a

Leia mais

Módulo 3 Procedimento e processo de gerenciamento de riscos, PDCA e MASP

Módulo 3 Procedimento e processo de gerenciamento de riscos, PDCA e MASP Módulo 3 Procedimento e processo de gerenciamento de riscos, PDCA e MASP 6. Procedimento de gerenciamento de risco O fabricante ou prestador de serviço deve estabelecer e manter um processo para identificar

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

* Substituir o animal vertebrado por um invertebrado ou outra forma de vida inferior, culturas de tecidos/células a simulações em computadores;

* Substituir o animal vertebrado por um invertebrado ou outra forma de vida inferior, culturas de tecidos/células a simulações em computadores; PESQUISAS COM ANIMAIS VERTEBRADOS As regras a seguir foram desenvolvidas baseadas em regulamentações internacionais para ajudar aos alunos pesquisadores a proteger o bem-estar de ambos, o animal pesquisado

Leia mais

5) Você é capaz de abrir as embalagens dos medicamentos que usa?

5) Você é capaz de abrir as embalagens dos medicamentos que usa? MOATT (ferramenta para auxílio na educação de pacientes em tratamento oral contra o câncer) Esta ferramenta foi preparada para assistir os profissionais de saúde na avaliação e educação de pacientes que

Leia mais

Informações ao Paciente

Informações ao Paciente Informações ao Paciente Introdução 2 Você foi diagnosticado com melanoma avançado e lhe foi prescrito ipilimumabe. Este livreto lhe fornecerá informações acerca deste medicamento, o motivo pelo qual ele

Leia mais

Ocorrências de casos humanos de influenza suína no México e EUA Informe do dia 26.04.09, às 13h

Ocorrências de casos humanos de influenza suína no México e EUA Informe do dia 26.04.09, às 13h Ministério da Saúde Gabinete Permanente de Emergências em Saúde Pública ALERTA DE EMERGÊNCIA DE SAÚDE PÚBLICA DE IMPORTÂNCIA INTERNACIONAL Ocorrências de casos humanos de influenza suína no México e EUA

Leia mais

Proposta de Projeto de Pesquisa

Proposta de Projeto de Pesquisa Proposta de Projeto de Pesquisa 1. Dados do Projeto e do Proponente Título do Projeto: XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX Subtítulo: XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX Programa de Pós-Graduação: Mestrado

Leia mais

A-3 Modelos de formulários para pesquisa com os trabalhadores sobre a exposição a sangue ou outros materiais biológicos no ambiente de trabalho

A-3 Modelos de formulários para pesquisa com os trabalhadores sobre a exposição a sangue ou outros materiais biológicos no ambiente de trabalho A-3 Modelos de formulários para pesquisa com os trabalhadores sobre a exposição a sangue ou outros materiais biológicos no ambiente de trabalho Esta pesquisa ajuda a avaliar os aspectos relativos à notificação

Leia mais

Informatizado Terapia comportamental cognitiva (CCBT): Perguntas comuns na prática clínica

Informatizado Terapia comportamental cognitiva (CCBT): Perguntas comuns na prática clínica Informatizado Terapia comportamental cognitiva (CCBT): Perguntas comuns na prática clínica Dr. Lina Gega Chumbo clínica Northumberland Primary Care terapias psicológicas Serviço lina.gega @ mhco.org.uk

Leia mais

Roteiro SENAC. Análise de Riscos. Monitoramento e Controle de Riscos. Monitoramento e Controle de Riscos. Monitoramento e Controle de Riscos

Roteiro SENAC. Análise de Riscos. Monitoramento e Controle de Riscos. Monitoramento e Controle de Riscos. Monitoramento e Controle de Riscos SENAC Pós-Graduação em Segurança da Informação: Análise de Parte 8 Leandro Loss, Dr. loss@gsigma.ufsc.br http://www.gsigma.ufsc.br/~loss Roteiro Análise de Quantitativa Qualitativa Medidas de tratamento

Leia mais

Nova Resolução ANVISA RDC nº 38/2013, Programas de Acesso Expandido, Uso Compassivo e Fornecimento Pós-Estudo

Nova Resolução ANVISA RDC nº 38/2013, Programas de Acesso Expandido, Uso Compassivo e Fornecimento Pós-Estudo Nova Resolução ANVISA RDC nº 38/2013, Programas de Acesso Expandido, Uso Compassivo e Fornecimento Pós-Estudo PATRÍCIA FERRARI ANDREOTTI Coordenação de Pesquisa, Ensaios Clínicos e Medicamentos Novos -

Leia mais

Será que doses elevadas de creatina "atrasam o início clínico" da doença de Huntington? Porquê a creatina?

Será que doses elevadas de creatina atrasam o início clínico da doença de Huntington? Porquê a creatina? Notícias científicas sobre a Doença de Huntington. Em linguagem simples. Escrito por cientistas. Para toda a comunidade Huntington. Será que doses elevadas de creatina "atrasam o início clínico" da doença

Leia mais

O Acordo de Madrid relativo ao Registro. Internacional de Marcas e o Protocolo. referente a este Acordo: Objetivos,

O Acordo de Madrid relativo ao Registro. Internacional de Marcas e o Protocolo. referente a este Acordo: Objetivos, O Acordo de Madrid relativo ao Registro Internacional de Marcas e o Protocolo referente a este Acordo: Objetivos, Principais Características, Vantagens Publicação OMPI N 418 (P) ISBN 92-805-1313-7 2 Índice

Leia mais

Estudo PARTNER. Foi convidado a participar neste estudo porque é um parceiro VIH positivo numa relação com um homem.

Estudo PARTNER. Foi convidado a participar neste estudo porque é um parceiro VIH positivo numa relação com um homem. Informação ao participante e consentimento informado para o parceiro VIH positivo Estudo PARTNER O estudo PARTNER é um estudo levado a cabo com casais em que: (i) um parceiro é VIH positivo e o outro é

Leia mais

Informação para o paciente

Informação para o paciente Informação para o paciente Viramune - nevirapina 18355 BI Viramune brochure POR_V2.indd 1 14-12-11 14:19 Introdução Viramune é um medicamento para o tratamento do HIV. Este prospecto contém informação

Leia mais

INSTRUÇÕES/INFORMAÇÕES

INSTRUÇÕES/INFORMAÇÕES INSTRUÇÕES/INFORMAÇÕES IMPORTANTES PARA AS INSTITUIÇÕES PARCEIRAS RESPONSÁVEIS PELO RECRUTAMENTO E PRÉ-SELEÇÃO DE CANDIDATOS I. INFORMAÇÕES GERAIS: O Programa Jovens Embaixadores é um intercâmbio de três

Leia mais

Resumo do Protocolo Partner

Resumo do Protocolo Partner Resumo do Protocolo Partner Estudo em casais serodiscordantes em relação ao VIH para estimativa da taxa de transmissão de VIH e investigação de factores associados à utilização de preservativo. Partners

Leia mais

Título: Modelo Bioergonomia na Unidade de Correção Postural (Total Care - AMIL)

Título: Modelo Bioergonomia na Unidade de Correção Postural (Total Care - AMIL) Projeto: Unidade de Correção Postural AMIL Título: Modelo Bioergonomia na Unidade de Correção Postural (Total Care - AMIL) Autores: LACOMBE,Patricia, FURLAN, Valter, SONSIN, Katia. Instituição: Instituto

Leia mais

SINEPE-ES em Ação REGULAMENTO

SINEPE-ES em Ação REGULAMENTO SINEPE-ES em Ação REGULAMENTO 1. Objetivos da Diplomação e Premiação A diplomação SINEPE-ES em Ação é uma iniciativa do Sindicato das Empresas Particulares de Ensino do Estado do Espírito Santo SINEPE/ES,

Leia mais

Como solicitar reembolso: Valores de Reembolso: Prévia de Reembolso:

Como solicitar reembolso: Valores de Reembolso: Prévia de Reembolso: Como solicitar reembolso: Você deve preencher o envelope para Solicitação de Reembolso (disponível em qualquer agência bancária do banco Bradesco), anexando os documentos necessários, e enviá-lo por malote

Leia mais

PRESIDENTE DA AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA- ANVISA) Bom-dia, Ministro Presidente do Supremo Tribunal

PRESIDENTE DA AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA- ANVISA) Bom-dia, Ministro Presidente do Supremo Tribunal O SR. DIRCEU RAPOSO DE MELLO (DIRETOR PRESIDENTE DA AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA- ANVISA) Bom-dia, Ministro Presidente do Supremo Tribunal Federal, Ministro Gilmar Mendes, em nome de quem eu

Leia mais

Contaminação do Ar, Ruído e Vibrações

Contaminação do Ar, Ruído e Vibrações 1 CONVENÇÃO N. 148 Contaminação do Ar, Ruído e Vibrações I Aprovada na 63ª reunião da Conferência Internacional do Trabalho (Genebra 1977), entrou em vigor no plano internacional em 11.7.79. II Dados referentes

Leia mais

Tratado do Paris contra o câncer

Tratado do Paris contra o câncer Tratado do Paris contra o câncer portugais portuguese 71 72 Profundamente pertubados pelas repercussões importantes e universais do câncer sobre a vida humana, o sofrimento humano, e sobre a produtividade

Leia mais

PLANIFICAÇÃO OPERACIONAL DA PESQUISA

PLANIFICAÇÃO OPERACIONAL DA PESQUISA Laboratório de Psicologia Experimental Departamento de Psicologia UFSJ Disciplina: Método de Pesquisa Quantitativa TEXTO 8: PLANIFICAÇÃO OPERACIONAL DA PESQUISA Autora: Prof. Marina Bandeira,Ph.D. 1. POPULAÇÃO-

Leia mais

Informações Gerais sobre Vistos Passo a Passo

Informações Gerais sobre Vistos Passo a Passo Informações Gerais sobre Vistos Passo a Passo Se você planeja viajar aos Estados Unidos e precisa solicitar o visto pela primeira vez ou quer renovar um visto que ainda esteja válido ou que tenha expirado

Leia mais

DECLARAÇÃO DE HELSINQUE DA ASSOCIAÇÃO MÉDICA MUNDIAL (WMA) Princípios Éticos para Pesquisa Médica envolvendo Seres Humanos

DECLARAÇÃO DE HELSINQUE DA ASSOCIAÇÃO MÉDICA MUNDIAL (WMA) Princípios Éticos para Pesquisa Médica envolvendo Seres Humanos DECLARAÇÃO DE HELSINQUE DA ASSOCIAÇÃO MÉDICA MUNDIAL (WMA) Princípios Éticos para Pesquisa Médica envolvendo Seres Humanos Adotada pela 18ª Assembleia Geral da Associação Médica Mundial (Helsinque, Finlândia,

Leia mais

Unidade de Pesquisa Clínica

Unidade de Pesquisa Clínica Unidade de Pesquisa Clínica A EQUIVALÊNCIA FARMACÊUTICA NO CONTEXTO DA INTERCAMBIALIDADE ENTRE MEDICAMENTOS GENÉRICOS E DE : BASES TÉCNICAS E CIENTÍFICAS abril/04 SÍLVIA STORPIRTIS1,2; RAQUEL MARCOLONGO1;

Leia mais

Gestão de Desempenho... Promove Sucesso. Um Guia de Visão Geral

Gestão de Desempenho... Promove Sucesso. Um Guia de Visão Geral Gestão de Desempenho... Promove Sucesso. Um Guia de Visão Geral Gestão de Desempenho... Promove Sucesso. Na Watson, reconhecemos que o sucesso global da nossa Empresa é impulsionado pelo compromisso de

Leia mais

Estudo PARTNER. Foi convidado a participar neste estudo porque tem uma relação em que é o parceiro VIH positivo.

Estudo PARTNER. Foi convidado a participar neste estudo porque tem uma relação em que é o parceiro VIH positivo. Informação ao participante e consentimento informado para o parceiro VIH positivo Estudo PARTNER O estudo PARTNER é um estudo levado a cabo com casais em que: (i) um parceiro é VIH positivo e o outro é

Leia mais

GUIA DO PACIENTE DE RADIOTERAPIA

GUIA DO PACIENTE DE RADIOTERAPIA GUIA DO PACIENTE DE RADIOTERAPIA GUIA DO PACIENTE Você está iniciando o seu tratamento e acompanhamento conosco. Com o objetivo de esclarecer algumas dúvidas, elaboramos este guia com as informações sobre

Leia mais

Considerando que em 14 de janeiro de 1982, foram depositados os Instrumentos de Ratificação, pelo Brasil,

Considerando que em 14 de janeiro de 1982, foram depositados os Instrumentos de Ratificação, pelo Brasil, Página 1 DECRETO Nº 93.413, de 15 de outubro de 1986 Promulga a Convenção nº 148 sobre a Proteção dos Trabalhadores Contra os Riscos Profissionais Devidos à Contaminação do Ar, ao Ruído e às Vibrações

Leia mais

Um estudo da Universidade Stanford reforça o papel da finasterida, comumente usada contra a calvície, na prevenção ao câncer de próstata

Um estudo da Universidade Stanford reforça o papel da finasterida, comumente usada contra a calvície, na prevenção ao câncer de próstata Um estudo da Universidade Stanford reforça o papel da finasterida, comumente usada contra a calvície, na prevenção ao câncer de próstata Naiara Magalhães Ricardo Benichio MAIS SEGURANÇA Depois de cinco

Leia mais

ESCLARECIMENTOS A RESPEITO DA SUBMISSÃO DE PROJETO DE PESQUISA

ESCLARECIMENTOS A RESPEITO DA SUBMISSÃO DE PROJETO DE PESQUISA ESCLARECIMENTOS A RESPEITO DA SUBMISSÃO DE PROJETO DE PESQUISA TODOS OS PROTOCOLOS DE PESQUISA DEVEM SER SUBMETIDOS AO CEP VIA PLATAFORMA BRASIL Se você é um Usuário novo, acesse o link www.saude.gov.br/plataformabrasil

Leia mais

Encontrar adequados com o PEP- Localizador de Talentos. Mais fácil, mais barato e melhor!

Encontrar adequados com o PEP- Localizador de Talentos. Mais fácil, mais barato e melhor! Encontrar adequados com o PEP- Localizador de Talentos. Mais fácil, mais barato e melhor! PROCURA com o PEP-Localizador de Talentos: Exemplo de muitos candidatos Em apenas 2 semanas, o número de 3135 candidatos

Leia mais

Comitê Consultivo Governamental

Comitê Consultivo Governamental Comitê Consultivo Governamental Regras de auxílio viagem do GAC 23 de junho de 2015 Histórico O orçamento da ICANN determinou o auxílio viagem para 30 membros do GAC em cada encontro da ICANN. Esses membros

Leia mais

Folha de Informação rubricada sob nº do processo nº (a)

Folha de Informação rubricada sob nº do processo nº (a) Folha de Informação rubricada sob nº do processo nº (a) Parecer CoBi 008/2011 Consulta sobre a solicitação de exames de rotina para detectar vírus HIV e uso de drogas ilícitas. Termo de responsabilidade

Leia mais

Aplicabilidade das Data: FMEA Falta de Energia Elétrica. 3º SEPAGE - Coren-SP 22/07/2011

Aplicabilidade das Data: FMEA Falta de Energia Elétrica. 3º SEPAGE - Coren-SP 22/07/2011 Aplicabilidade das Ferramentas Título da da Palestra: Qualidade Data: FMEA Falta de Energia Elétrica 3º SEPAGE - Coren-SP 22/07/2011 História dos Riscos Construção do Empire State 1930 102 andares Cenário

Leia mais

BULLYING EI! QUEM É VOCÊ?

BULLYING EI! QUEM É VOCÊ? CONCURSO PARA PROFESSORES do EM das Etecs: Trabalhando com os roteiros de aprendizagem ROTEIRO DE APRENDIZAGEM BULLYING EI! QUEM É VOCÊ? a) APRESENTAÇÃO: Este roteiro tem como objetivo geral, trabalhar

Leia mais

CÓPIA NÃO CONTROLADA. DOCUMENTO CONTROLADO APENAS EM FORMATO ELETRÔNICO. PSQ PROCEDIMENTO DO SISTEMA DA QUALIDADE

CÓPIA NÃO CONTROLADA. DOCUMENTO CONTROLADO APENAS EM FORMATO ELETRÔNICO. PSQ PROCEDIMENTO DO SISTEMA DA QUALIDADE PSQ PROCEDIMENTO DO SISTEMA DA QUALIDADE PSQ 290.0339 - PROCEDIMENTO DO SISTEMA DA QUALIDADE APROVAÇÃO CARLOS ROBERTO KNIPPSCHILD Gerente da Qualidade e Assuntos Regulatórios Data: / / ELABORAÇÃO REVISÃO

Leia mais

Ensaios clínicos Ajudar os pacientes a lutar contra o cancro

Ensaios clínicos Ajudar os pacientes a lutar contra o cancro Ensaios clínicos Ajudar os pacientes a lutar contra o cancro Os ensaios clínicos são estudos de investigação realizados em voluntários humanos para responder a questões científicas específicas. Especialmente

Leia mais

DOUTORADO EM PSICOLOGIA CLÍNICA

DOUTORADO EM PSICOLOGIA CLÍNICA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA ACADÊMICA DOUTORADO EM PSICOLOGIA CLÍNICA S e l e ç ã o d a 6 ª T u r m a 2014 E D I T A L ABERTURA DE INSCRIÇÃO À SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA O CURSO DE

Leia mais

Engenharia de Software II: Criando o cronograma do projeto. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

Engenharia de Software II: Criando o cronograma do projeto. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Engenharia de Software II: Criando o cronograma do projeto Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Definição das atividades. Sequenciamento das atividades. Estimativa de recursos

Leia mais

Comitê de Ética em Pesquisa cep@usjt.br - tel: 27991944

Comitê de Ética em Pesquisa cep@usjt.br - tel: 27991944 Comitê de Ética em Pesquisa cep@usjt.br - tel: 27991944 Guia para o preenchimento de projetos na Plataforma Brasil Acesse a Plataforma Brasil com seu e-mail de acesso e senha. a) Para submeter um protocolo

Leia mais

Gerenciamento de Riscos do Projeto Eventos Adversos

Gerenciamento de Riscos do Projeto Eventos Adversos Gerenciamento de Riscos do Projeto Eventos Adversos 11. Gerenciamento de riscos do projeto PMBOK 2000 PMBOK 2004 11.1 Planejamento de gerenciamento de riscos 11.1 Planejamento de gerenciamento de riscos

Leia mais

O que é câncer de mama?

O que é câncer de mama? Câncer de Mama O que é câncer de mama? O câncer de mama é a doença em que as células normais da mama começam a se modificar, multiplicando-se sem controle e deixando de morrer, formando uma massa de células

Leia mais

COMISSÃO DE LEGISLAÇÃO E PARECERES PARECER n.º 012/2014

COMISSÃO DE LEGISLAÇÃO E PARECERES PARECER n.º 012/2014 COMISSÃO DE LEGISLAÇÃO E PARECERES PARECER n.º 012/2014 Assunto: Legalidade de administração de contraste em clínica radiológica e de diagnóstico por imagem. Aprovado na 539ª Reunião Ordinária de Plenário

Leia mais

Elaboração do Projeto de Pesquisa

Elaboração do Projeto de Pesquisa Elaboração do Projeto de Pesquisa Pesquisa Pesquisa é um conjunto de atividades, que tem como finalidade solucionar e esclarecer dúvidas e problemas; comprovar hipóteses; Utiliza procedimentos próprios,

Leia mais

CAPÍTULO VI - AVALIAÇÃO DE RISCOS, PROCESSOS DECISÓRIOS E GERENCIAMENTO DE RISCOS

CAPÍTULO VI - AVALIAÇÃO DE RISCOS, PROCESSOS DECISÓRIOS E GERENCIAMENTO DE RISCOS CAPÍTULO VI - AVALIAÇÃO DE RISCOS, PROCESSOS DECISÓRIOS E GERENCIAMENTO DE RISCOS VI.1. Introdução A avaliação de riscos inclui um amplo espectro de disciplinas e perspectivas que vão desde as preocupações

Leia mais

Regulamento do Padi 1. OBJETIVO

Regulamento do Padi 1. OBJETIVO 1 de 10 1. OBJETIVO Este regulamento tem como objetivo definir as regras que regem o Programa de Acreditação em Diagnóstico por Imagem (Padi) e os principais conceitos aplicáveis aos processos de auditoria

Leia mais

Condução da Pesquisa. a visão do patrocinador. Eduardo Motti Gerente de Pesquisa Clínica Pfizer. I Curso de Pesquisa Clínica SBMF/ANVISA Maio 2007

Condução da Pesquisa. a visão do patrocinador. Eduardo Motti Gerente de Pesquisa Clínica Pfizer. I Curso de Pesquisa Clínica SBMF/ANVISA Maio 2007 Condução da Pesquisa a visão do patrocinador Eduardo Motti Gerente de Pesquisa Clínica Pfizer Finalidade da Pesquisa Aprovação Regulatória Primeira aprovação Expansão das indicações Outra Novos comparadores

Leia mais

Manual de Acolhimento e Orientações do Usuário

Manual de Acolhimento e Orientações do Usuário FAPAC - FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS ITPAC PORTO NACIONAL INSTITUTO TOCANTINENSE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS PORTO LTDA CLÍNICA ODONTOLÓGICA Manual de Acolhimento e Orientações do Usuário Normas de

Leia mais

EFEITOS ADVERSOS A MEDICAMENTOS

EFEITOS ADVERSOS A MEDICAMENTOS EFEITOS ADVERSOS A MEDICAMENTOS INTRODUÇÃO As informações contidas neste folheto têm a finalidade de orientar as pessoas que passaram ou que podem passar pela experiência não-desejada dos efeitos adversos

Leia mais

Gripe A (H1N1) de origem suína

Gripe A (H1N1) de origem suína Gripe A (H1N1) de origem suína A gripe é caracterizada como uma doença infecciosa com alto potencial de contagio causado pelo vírus Influenza. Este vírus apresenta três tipos, sendo eles o A, B e C. Observam-se

Leia mais

UNIDADE DE PESQUISA CLÍNICA Centro de Medicina Reprodutiva Dr Carlos Isaia Filho Ltda.

UNIDADE DE PESQUISA CLÍNICA Centro de Medicina Reprodutiva Dr Carlos Isaia Filho Ltda. UNIDADE DE PESQUISA CLÍNICA Centro de Medicina Reprodutiva Dr Carlos Isaia Filho Ltda. Avaliação do risco de viés de ensaios clínicos randomizados pela ferramentada colaboração Cochrane Alan P. V. de Carvalho,

Leia mais

Perguntas e Respostas: Protocolo HVTN 910

Perguntas e Respostas: Protocolo HVTN 910 Perguntas e Respostas: Protocolo HVTN 910 Versão 1- Atualizado em 18/Nov/2011 1. O que é o Protocolo HVTN 910? O Protocolo HVTN 910 é um estudo clínico que avaliará por quanto tempo vacinas experimentais

Leia mais

POLÍTICA DE PRIVACIDADE

POLÍTICA DE PRIVACIDADE POLÍTICA DE PRIVACIDADE Obrigado por acessar a BaxTalent, uma ferramenta do processo de inscrição online para vaga de trabalho da Baxter. Antes de usar a BaxTalent você deve ler esta política de privacidade.

Leia mais

Índice. Informações sobre conteúdo do site...04

Índice. Informações sobre conteúdo do site...04 Índice Informações sobre conteúdo do site...04 Como usar o site...05 Conhecendo o site... 06 Conectando ao site...10 Resumo de suas reservas...11 Iniciando a pesquisa...12 Como fazer reserva de hotel Definindo

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA O ENCAMINHAMENTO DE PROJETO DE PESQUISA

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA O ENCAMINHAMENTO DE PROJETO DE PESQUISA MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA O ENCAMINHAMENTO DE PROJETO DE PESQUISA I. FORMA E CONTEÚDO DO PROJETO DE PESQUISA: O projeto de pesquisa deverá ser escrito em português e conter necessariamente os seguintes

Leia mais

Modelo de Plano de Ação

Modelo de Plano de Ação Modelo de Plano de Ação Para a implementação da Estratégia Multimodal da OMS para a Melhoria da Higiene das Mãos Introdução O Modelo de Plano de Ação é proposto para ajudar os representantes de estabelecimentos

Leia mais

EDITAL Nº 072/2014. 1.2. O cronograma letivo será desenvolvido, conforme a seguir:

EDITAL Nº 072/2014. 1.2. O cronograma letivo será desenvolvido, conforme a seguir: 1 EDITAL Nº 072/2014 PROCESSO DE SELEÇÃO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA (MESTRADO PROFISSIONAL EM ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA), DA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA

Leia mais

REQUISITOS PRINCIPAIS: Regulamentação final sobre controles preventivos de alimentos para consumo animal Visão rápida

REQUISITOS PRINCIPAIS: Regulamentação final sobre controles preventivos de alimentos para consumo animal Visão rápida O FDA oferece esta tradução como um serviço para um grande público internacional. Esperamos que você a ache útil. Embora a agência tenha tentado obter uma tradução o mais fiel possível à versão em inglês,

Leia mais

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT MASTER IN PROJECT MANAGEMENT PROJETOS E COMUNICAÇÃO PROF. RICARDO SCHWACH MBA, PMP, COBIT, ITIL Calendário das Aulas 12/08 19/08 26/08 02/09 06/09 Atividade Extra 09/09 16/09 23/09 30/09 07/10 - Avaliação

Leia mais

Shopping Iguatemi Campinas Reciclagem

Shopping Iguatemi Campinas Reciclagem Shopping Iguatemi Campinas Reciclagem 1) COMO FUNCIONA? O PROBLEMA OU SITUAÇÃO ANTERIOR Anteriormente, todos os resíduos recicláveis ou não (com exceção do papelão), ou seja, papel, plásticos, vidros,

Leia mais

Desafio IEEE HTC Brasil Uma simples ideia pode mudar o mundo

Desafio IEEE HTC Brasil Uma simples ideia pode mudar o mundo Uma simples ideia pode mudar o mundo 2 O HTC começou com uma aliança entre o IEEE, a Fundação das Nações Unidas e o Instituto Vodafone, para encontrar soluções tecnológicas para algumas das maiores necessidades

Leia mais

NORMA NBR ISO 9001:2008

NORMA NBR ISO 9001:2008 NORMA NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema

Leia mais

Conferência Internacional do Trabalho Convenção 159

Conferência Internacional do Trabalho Convenção 159 Conferência Internacional do Trabalho Convenção 159 Convenção sobre Reabilitação Profissional e Emprego de Pessoas Deficientes. A Conferência Geral da Organização Internacional do Trabalho: Convocada em

Leia mais

CONSENTIMENTO INFORMADO Versão #

CONSENTIMENTO INFORMADO Versão # FORMULÁRIO TIPO FOLHA DE INFORMAÇÃO AO PARTICIPANTE /FORMULÁRIO DE CONSENTIMENTO INFORMADO E AUTORIZAÇÃO PARA USO E DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÃO MÉDICA chilshflsdk. TÍTULO DO ENSAIO CLÍNICO: PROTOCOLO Nº.

Leia mais

Introdução. Importante: O Programa não inclui atendimento de urgência/emergência. Nestes casos deverão ser procurados os serviços específicos.

Introdução. Importante: O Programa não inclui atendimento de urgência/emergência. Nestes casos deverão ser procurados os serviços específicos. Introdução A Assistência Domiciliar surge para responder à demanda de individualização da assistência, realizando cuidados na privacidade do domicílio do paciente, possibilitando ao mesmo e à família participarem

Leia mais

Módulo 4 Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 6.5, 6.51, 6.5.2, 6.5.3, 6.5.4, 6.5.5, 6.5.6, 6.5.7, 6.6, 6.6.1, 6.6.2, 6.7, 6.

Módulo 4 Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 6.5, 6.51, 6.5.2, 6.5.3, 6.5.4, 6.5.5, 6.5.6, 6.5.7, 6.6, 6.6.1, 6.6.2, 6.7, 6. Módulo 4 Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 6.5, 6.51, 6.5.2, 6.5.3, 6.5.4, 6.5.5, 6.5.6, 6.5.7, 6.6, 6.6.1, 6.6.2, 6.7, 6.8 Exercícios 6.5 Conduzindo atividades de auditoria no local

Leia mais

NOVAS TECNOLOGIAS DE PREVENÇÃO CIRCUNCISÃO MÉDICA MASCULINA

NOVAS TECNOLOGIAS DE PREVENÇÃO CIRCUNCISÃO MÉDICA MASCULINA NOVAS TECNOLOGIAS DE PREVENÇÃO CIRCUNCISÃO MÉDICA MASCULINA Dr. Robinson Fernandes de Camargo Interlocução de DST/Aids da Coordenadoria Regional de Saúde - Sudeste CIRCUNCISÃO MÉDICA MASCULINA No início

Leia mais

ResoluçãodaANVISARDCNº38,de 12 de agosto de 2013: Aprova o regulamento para os programas de. fornecimento de medicamento pósestudo.

ResoluçãodaANVISARDCNº38,de 12 de agosto de 2013: Aprova o regulamento para os programas de. fornecimento de medicamento pósestudo. ResoluçãodaANVISARDCNº38,de 12 de agosto de 2013: Aprova o regulamento para os programas de acesso expandido, uso compassivo e fornecimento de medicamento pósestudo. Apresentação: Biól. Andréia Rocha RELEMBRANDO

Leia mais

Ações de Adaptação de Comunidades e seus Ecossistemas aos Eventos Climáticos

Ações de Adaptação de Comunidades e seus Ecossistemas aos Eventos Climáticos PROCESSO SELETIVO 2011 Ações de Adaptação de Comunidades e seus Ecossistemas aos Eventos Climáticos REGULAMENTO Prezado Gestor, Criado em 2006, o Instituto HSBC Solidariedade é responsável por gerenciar

Leia mais

ATENDIMENTO AO REACH PELA PETROBRAS. Diretrizes

ATENDIMENTO AO REACH PELA PETROBRAS. Diretrizes ATENDIMENTO AO REACH PELA PETROBRAS Diretrizes 2012 Conteúdo Cláusula Página 1. Origem da Legislação...2 2. Alinhamento da PETROBRAS ao REACH...2 3. O que está abrangido pelo REACH e CLP?...3 4. O que

Leia mais

Planejamento Avançado da Qualidade Elementos APQP

Planejamento Avançado da Qualidade Elementos APQP Planejamento Avançado da Qualidade Elementos APQP São descritos a seguir objetivos, expectativas e requisitos relativos à documentação dos elementos individuais do APQP Status Report (ver QSV / S 296001

Leia mais

2. A proposta será avaliada pelo Subcomitê Virtual de Revisão (SVR) e examinada pelo Comitê de Projetos em março de 2013.

2. A proposta será avaliada pelo Subcomitê Virtual de Revisão (SVR) e examinada pelo Comitê de Projetos em março de 2013. PJ 45/13 9 janeiro 2013 Original: inglês Disponível em inglês e português P Comitê de Projetos 5. a reunião 7 março 2013 Londres, Reino Unido Empoderamento das mulheres nas cooperativas de café brasileiras

Leia mais

Câncer de Pulmão. Prof. Dr. Luis Carlos Losso Medicina Torácica Cremesp 18.186

Câncer de Pulmão. Prof. Dr. Luis Carlos Losso Medicina Torácica Cremesp 18.186 Câncer de Pulmão Todos os tipos de câncer podem se desenvolver em nossas células, as unidades básicas da vida. E para entender o câncer, precisamos saber como as células normais tornam-se cancerosas. O

Leia mais

3. Interpretação para os quatro idiomas oficiais (espanhol, francês, inglês e português) estará disponível.

3. Interpretação para os quatro idiomas oficiais (espanhol, francês, inglês e português) estará disponível. ED 2194/15 23 fevereiro 2015 Original: inglês P 5. o Fórum Consultivo sobre Financiamento do Setor Cafeeiro Termos de referência e programa 1. Com seus cumprimentos, o Diretor Executivo tem o prazer de

Leia mais

A SECRETARIA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, no uso de suas atribuições legais, e

A SECRETARIA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, no uso de suas atribuições legais, e PORTARIA SSST Nº 11, de 13/10/1994 "Publica a minuta do Projeto de Reformulação da Norma Regulamentadora nº 9 - Riscos Ambientais com o seguinte título: Programa de Proteção a Riscos Ambientais". A SECRETARIA

Leia mais

CEP/HCUFG Comitê de Ética em Pesquisa do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás

CEP/HCUFG Comitê de Ética em Pesquisa do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás CEP/HCUFG Comitê de Ética em Pesquisa do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás Como utilizar a PB - PLATAFORMA BRASIL para se cadastrar e submeter projetos de pesquisa ao CEP/HC/UFG: Entrar

Leia mais

Polimialgia reumática e arterite temporal Resumo de diretriz NHG M92 (fevereirio 2010)

Polimialgia reumática e arterite temporal Resumo de diretriz NHG M92 (fevereirio 2010) Polimialgia reumática e arterite temporal Resumo de diretriz NHG M92 (fevereirio 2010) Hakvoort L, Dubbeld P, Ballieux MJP, Dijkstra RH, Meijman HJ, Weisscher PJ, Willemse BG, Eizenga WH traduzido do original

Leia mais

BIOBANCO IMM PERGUNTAS FREQUENTES (FAQ)

BIOBANCO IMM PERGUNTAS FREQUENTES (FAQ) BIOBANCO IMM PERGUNTAS FREQUENTES (FAQ) Gostaria de doar sangue para apoiar a investigação médica. Como poderei fazer? Para doar uma amostra pode nos contactar (217999437 ou 965152588) ou visitar nos no

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO INICIAL - HOMEM VIH POSITIVO

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO INICIAL - HOMEM VIH POSITIVO INSTRUÇÕES PARA A EQUIPA DO ESTUDO: Após inscrição no estudo, os participantes devem preencher este questionário de avaliação inicial. Certifique-se de que é distribuído o questionário adequado. Após o

Leia mais

CPMG- SGT NADER ALVES DOS SANTOS CÂNCER DE PRÓSTATA PROF.WEBER

CPMG- SGT NADER ALVES DOS SANTOS CÂNCER DE PRÓSTATA PROF.WEBER CPMG- SGT NADER ALVES DOS SANTOS CÂNCER DE PRÓSTATA PROF.WEBER Próstata Sobre o Câncer Sintomas Diagnóstico e exame Tratamento Recomendações O QUE É A PRÓSTATA? A próstata é uma glândula que tem o tamanho

Leia mais