MÉTODOS DE RECICLAGEM A FRIO. Engº Juliano Gewehr Especialista de Produtos e Aplicações

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MÉTODOS DE RECICLAGEM A FRIO. Engº Juliano Gewehr Especialista de Produtos e Aplicações"

Transcrição

1 MÉTODOS DE RECICLAGEM A FRIO Engº Juliano Gewehr Especialista de Produtos e Aplicações

2 Estabilização de Solos Recicladora Wirtgen Reciclagem de Pavimentos Asfálticos

3 Estabilização de solos Processamento a frio in situ Reciclagem a frio in situ Reciclagem a frio na usina

4 ESTABILIZAÇÃO DE SOLOS: Estabilização do subleito e/ou da subbase

5 MODIFICAÇÃO DO SOLO: Sem ligante = Solo Solo corrigido granulometricamente

6 ESTABILIZAÇÃO DE SOLOS: Antes Depois

7 MODIFICAÇÃO DO SOLO COM LIGANTE: Ligante + = Solo Cal/Cimento Solo Estabilizado

8 Com cal Sem cal Amostras do ensaio em banheira de água xyxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

9 ESTABILIZAÇÃO DE SOLOS COM LIGANTE

10 Câmara de mistura pequena para pequenas profundidades Câmara de mistura grande para grandes profundidades Volume variável, até 50 cm de profundidade de trabalho

11 ESTABILIZAÇÃO DE SOLOS COM CAL: Comparativo de exigências para transporte. Exemplo: Produção diária: m² - Espessura da camada: 40 cm A. Substituição do solo: Material removido: 0,4 m x m² x 1,9 t / m³ = 7600 t Material novo: 0,4 m x m² x 2,0 t / m³ = 8000 t Material total transportado = t Exigências totais de transporte c/ 15 t/caminhão = caminhões B. Estabilização: Teor de ligante aprox. 5 % por massa 0,4 m x m² x 2,0 t / m³ x 0,05 = 400 t Exigência total de transporte com 15 t/caminhão = 27 caminhões 97% de redução das exigências de transporte

12 ESTABILIZAÇÃO DE SOLOS COM CAL: Comparativo Substituição do Solo x Estabilização Redução significativa das exigências para transporte Menor demanda de infraestrutura existente (estradas) Menor exigência de volume no local de disposição Área de pedreira para novos materiais são minimizadas Método de construção rápido = tempo reduzido de construção CONCLUSÃO: Redução de Custos

13 Estabilização de solos Processamento a frio in situ Reciclagem a frio in situ Reciclagem a frio na usina

14 PROCESSAMENTO A FRIO IN SITU: Construção de camadas de base

15 PROCESSAMENTO A FRIO IN SITU: Ligante + = Cimento Água Material granular não ligado Base granular ligada

16 PROCESSAMENTO A FRIO IN SITU: Bomba controlada por microprocessador para a adição de água Pré-espargimento de cimento Câmara de fresagem e mistura

17 PROCESSAMENTO A FRIO IN SITU

18 Estabilização de solos Processamento a frio in situ Reciclagem a frio in situ Reciclagem a frio na usina

19 RECICLAGEM A FRIO IN SITU: Camadas superiores do pavimento

20 Escavação Reconstrução total Caro, Tempo de construção longo, Acomodação do trânsito Sobrecamadas espessas de asfalto Método relativamente rápido, Problemas de avaliação, rachaduras de reflexão Reciclagem a frio profunda Custo eficaz, Ambientalmente responsável,rápido Reciclagem Reconstrução Opções de manutenção Sobrecamadas espessas Capa fina

21 Pavimento desgastado Camadas de asfalto Base granular Sub-base Granular Subleito Estrada recuperada Capa fina Camada Reciclada A frio Subleito Recuperação estrutural de pavimentos desgastados

22 RECICLAGEM A FRIO IN SITU: Ligante Cimento água Camada asfáltica de base granular + = emulsão espuma de asfalto água água Base granular ligada Cimento emulsão água Material fresado Cimento espuma de asfalto água

23 RECICLAGEM A FRIO IN SITU: EMULSÃO BETUMINOSA Emulsão Emulsão: Dispensa fina de dois líquidos que são normalmente não misturáveis

24 RECICLAGEM A FRIO IN SITU: EMULSÃO BETUMINOSA Vista microscópica da emulsão betuminosa

25 RECICLAGEM A FRIO IN SITU: EMULSÃO BETUMINOSA - + Força de atração Particulado Emulsão betuminosa Força de atração entre o material e a emulsão betuminosa

26 RECICLAGEM A FRIO IN SITU: ESPUMA DE ASFALTO Betume quente para outros bicos Água Ar Câmara de A área com superfície Espuma mais de ampla permite a mistura expansão de betume com agregados bico frios e úmidos asfalto de espuma

27 RECICLAGEM A FRIO IN SITU: ESPUMA DE ASFALTO Espuma de asfalto Emulsão betuminosa Betume Emulsão

28 RECICLAGEM A FRIO IN SITU: ESPUMA DE ASFALTO Bomba de água controlada por microprocessador para a injeção de água para a espuma do betume quente Injeção de betume quente Injeção de água para compactação Câmara de fresagem e mistura

29 RECICLAGEM A FRIO IN SITU

30 15 cm Barra de Aspersão com 16 bicos onde o betume quente é espumado nas câmaras de expansão

31 Economia de custos: Redução ou eliminação do transporte de materiais Reutilização dos materiais Economia de mão de obra dado à redução significativa do tempo da obra Economia de energia já que o aquecimento de materiais é desnecessário Economia de tempo: Recicladoras modernas capazes de altas taxas de produtividade - possibilidade de m²/dia Menor risco de acidentes com a redução do tempo de construção

32 Muito Cimento Maior resistência Pouco Cimento Sem agente ligante Mistura Espuma de Asfalto - Cimento Mistura Granular Espuma Misturas Viscoelástica- Espuma Maior flexibilidade

33 Muito Cimento Maior resistência Pouco Cimento Sem agente ligante Depende de: Mistura Espuma de Asfalto - Cimento Características da obra Preços locais Disponibilidade de insumos Política Mistura Granular Espuma Misturas Viscoelástica- Espuma Maior flexibilidade

34 Estabilização de solos Processamento a frio in situ Reciclagem a frio in situ Reciclagem a frio na usina

35 RECICLAGEM A FRIO NA USINA Reaproveitamento de material fresado em mistura a frio

36 RECICLAGEM A FRIO NA USINA Modelo Wirtgen KMA 220 (Produção 220 ton/h)

37 RECICLAGEM A FRIO NA USINA KMA 220 Fácil transporte e fácil instalação

38 aprox. 20 m RECICLAGEM A FRIO NA USINA Descarga caminhão aprox. 30 m Silo de cimento Tanque de CAP Pá carregadeira l Tanque de água

39 Ligante Cimento água + = emulsão água espuma de asfalto água Material fresado ou concreto triturado Cimento emulsão água Material para camada de ligação ou base Cimento espuma de asfalto água

40 LINHA DE PRODUTOS DO GRUPO WIRTGEN Estabilização de Solos / Reciclagem de Camadas Asfálticas

41 LINHA DE PRODUTOS DO GRUPO WIRTGEN Estabilização de Solos / Reciclagem de Camadas Asfálticas Espargidores Streumaster Recicladoras Wirtgen Rolos Compactadores Hamm

42 ESPARGIDORES DE AGENTES LIGANTES Transportadora Roda celular Caracol Caracol espargidor para dosagem e espargimento de cal

43 RECICLADORAS 498 units 33% 332 units 22% 180 units 12% 514 units 33% Estabilizadora sem barra de pulverização / injeção Unidades entregues desde 1995: 1524 Estabilizadora / Recicladora com uma barra de pulverização/ injeção de água Recicladora com duas barras de pulveriração / injeção de água e emulsão betuminosa Recicladora com duas barras de pulverização / injeção de água e espuma de asfalto

44 353 América do Norte Europa ocidental 18 Leste Europeu e Rússia 3 India 123 China América Latina Brasil Oriente Médio 89 África 40 Sudeste da Ásia 71 Austrália

45

46 Cold Recycling Technology 342 páginas Inglês Equipamentos para Reciclagem 41 páginas Português Espuma de Asfalto 32 páginas Português

47 Muito Obrigado!!!

Pavimentação Sustentável: reaproveitamento do resíduo da construção civil e de material fresado com espuma de asfalto

Pavimentação Sustentável: reaproveitamento do resíduo da construção civil e de material fresado com espuma de asfalto Pavimentação Sustentável: reaproveitamento do resíduo da construção civil e de material fresado com espuma de asfalto Valmir Bonfim Diretor Técnico do Grupo ANE Fresagem de pavimentos Microfresagem para

Leia mais

A usina misturadora que vai até a obra. Usina misturadora móvel de reciclagem a frio KMA 220

A usina misturadora que vai até a obra. Usina misturadora móvel de reciclagem a frio KMA 220 A usina misturadora que vai até a obra Usina misturadora móvel de reciclagem a frio KMA 220 A usina misturadora móvel com megacapacidade O transporte caro agora é coisa do passado Sejamos honestos: vários

Leia mais

OBTENÇÃO E PREPARAÇÃO do RAP e do RAM (*)

OBTENÇÃO E PREPARAÇÃO do RAP e do RAM (*) 38 PARTE IV OBTENÇÃO E PREPARAÇÃO do RAP e do RAM (*) 1. INTRODUÇÃO A reciclagem das camadas do pavimento pode ser executada na pista, ou em usina central ou fixa. Os processos de obtenção dos materiais

Leia mais

SUSTENTABILIDADE E RECICLAGEM DE MATERIAIS EM PAVIMENTAÇÃO

SUSTENTABILIDADE E RECICLAGEM DE MATERIAIS EM PAVIMENTAÇÃO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE TRANSPORTES PTR 2388 TRANSPORTE E MEIO AMBIENTE SUSTENTABILIDADE E RECICLAGEM DE MATERIAIS EM PAVIMENTAÇÃO 14/ABR/2016 DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE TRANSPORTES RECICLAGEM

Leia mais

16º. Encontro Técnico DER/PR A Importância da Reciclagem e das Soluções Sustentáveis em Pavimentação

16º. Encontro Técnico DER/PR A Importância da Reciclagem e das Soluções Sustentáveis em Pavimentação 16º. Encontro Técnico DER/PR A Importância da Reciclagem e das Soluções Sustentáveis em Pavimentação Profa. Dra. Liedi Bariani Bernucci Professora Titular Coordenadora do Laboratório de Tecnologia de Pavimentação

Leia mais

IP-04 INSTRUÇÃO PARA DIMENSIONAMENTO DE PAVIMENTOS FLEXÍVEIS PARA TRÁFEGO LEVE E MÉDIO

IP-04 INSTRUÇÃO PARA DIMENSIONAMENTO DE PAVIMENTOS FLEXÍVEIS PARA TRÁFEGO LEVE E MÉDIO 1. OBJETIVO O objetivo deste documento é apresentar as diretrizes para o dimensionamento de pavimentos flexíveis de vias urbanas submetidas a tráfego leve e médio no Município de São Paulo. 2. ESTUDO GEOTÉCNICO

Leia mais

Utilização de Material Proveniente de Fresagem na Composição de Base e Sub-base de Pavimentos Flexíveis

Utilização de Material Proveniente de Fresagem na Composição de Base e Sub-base de Pavimentos Flexíveis Utilização de Material Proveniente de Fresagem na Composição de Base e Sub-base de Pavimentos Flexíveis Garcês, A. Universidade Estadual de Goiás, Anápolis-GO, Brasil, alexandregarces@gmail.com Ribeiro,

Leia mais

Prof. Engº Pery C. G. de Castro. Revisado em outubro de 2009 PARTE - I INTRODUÇÃO

Prof. Engº Pery C. G. de Castro. Revisado em outubro de 2009 PARTE - I INTRODUÇÃO Prof. Engº Pery C. G. de Castro Revisado em outubro de 2009 PARTE - I INTRODUÇÃO 1 CONCEITO DE RECICLAGEM DE PAVIMENTOS É um processo que visa a melhorar as características de rolamento e a estrutura do

Leia mais

CAPÍTULO 2 RECICLAGEM DE PAVIMENTOS

CAPÍTULO 2 RECICLAGEM DE PAVIMENTOS CAPÍTULO 2 RECICLAGEM DE PAVIMENTOS 2.1 INTRODUÇÃO A reciclagem, desde o seu aparecimento, tem-se mostrado ao longo dos anos como uma boa alternativa de reabilitação de pavimentos. Têm-se desenvolvido

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. * escavação dos materiais constituintes do terreno natural até o greide de terraplenagem indicado no projeto;

MEMORIAL DESCRITIVO. * escavação dos materiais constituintes do terreno natural até o greide de terraplenagem indicado no projeto; MEMORIAL DESCRITIVO Município: Piratini/RS Local da obra: Rua 24 de Maio, Rua Princesa Isabel e Rua Rui Ramos. Área total: 12.057,36 m² 1) Introdução: O presente Memorial Descritivo tem por finalidade

Leia mais

MEMÓRIA DE CALCULO E ESP.TECNICAS

MEMÓRIA DE CALCULO E ESP.TECNICAS MEMÓRIA DE CALCULO E ESP.TECNICAS 1 - INTRODUÇÃO Tem este por finalidade orientar e especificar a execução dos serviços e empregos dos materiais que farão parte das obras de Pavimentação Asfáltica de 3.511,00m

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Obra: pavimentação asfáltica. Município: QUINZE DE NOVEMBRO

MEMORIAL DESCRITIVO. Obra: pavimentação asfáltica. Município: QUINZE DE NOVEMBRO MEMORIAL DESCRITIVO Obra: pavimentação asfáltica Município: QUINZE DE NOVEMBRO 1 - INTRODUÇÃO Tem este por finalidade orientar e especificar a execução dos serviços e empregos dos materiais que farão parte

Leia mais

RECUPERAÇÃO ASFÁLTICA DOS ACESSOS INTERNOS MEMORIAL DESCRITIVO

RECUPERAÇÃO ASFÁLTICA DOS ACESSOS INTERNOS MEMORIAL DESCRITIVO RECUPERAÇÃO ASFÁLTICA DOS ACESSOS INTERNOS MEMORIAL DESCRITIVO Concórdia, dezembro de 2008 1 - APRESENTAÇÃO Este projeto refere-se à recuperação da pavimentação asfáltica em CAUQ (Concreto Asfáltico Usinado

Leia mais

APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NO RECAPEAMENTO DA AVENIDA NOSSA SENHORA DA LUZ CURITIBA PR

APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NO RECAPEAMENTO DA AVENIDA NOSSA SENHORA DA LUZ CURITIBA PR APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NO RECAPEAMENTO DA AVENIDA NOSSA SENHORA DA LUZ CURITIBA PR Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Colaboração: Eng. Ivan Macedo JULHO 1998 Revisado JANEIRO 2011 - Departamento

Leia mais

ANEXO A CADERNO DE ENCARGOS DA OBRA EN 244 BENEFICIAÇÃO ENTRE PONTE DE SÔR E O ENTRONCAMENTO

ANEXO A CADERNO DE ENCARGOS DA OBRA EN 244 BENEFICIAÇÃO ENTRE PONTE DE SÔR E O ENTRONCAMENTO ANEXO A CADERNO DE ENCARGOS DA OBRA EN 244 BENEFICIAÇÃO ENTRE PONTE DE SÔR E O ENTRONCAMENTO COM A EN 118 RECICLADO SEMI - QUENTE COM EMULSÃO BETUMINOSA 1. Definição Define-se como reciclado semi-quente

Leia mais

Somos uma empresa especializada em aglu nar os componentes do CBUQ Concreto Betuminoso Usinado a Quente convencional ou modificado.

Somos uma empresa especializada em aglu nar os componentes do CBUQ Concreto Betuminoso Usinado a Quente convencional ou modificado. Somos uma empresa especializada em aglu nar os componentes do CBUQ Concreto Betuminoso Usinado a Quente convencional ou modificado. Nossa maior responsabilidade além da socioambiental é o controle do teor

Leia mais

Construção. e Manutenção de Infra-estruturas de Transportes. IST - DECivil. Total de páginas: 15 1. Aula T7 Pavimentos. Materiais de pavimentação:

Construção. e Manutenção de Infra-estruturas de Transportes. IST - DECivil. Total de páginas: 15 1. Aula T7 Pavimentos. Materiais de pavimentação: 1/44 Construção e Manutenção de Infra-estruturas de Transportes Aula T7 Pavimentos Sumário da aula Materiais de pavimentação: Misturas betuminosas Composição Principais funções nas camadas do pavimento

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO ENTRE

ESTUDO COMPARATIVO ENTRE Associação de Ensino Superior Unificado do Centro Leste ESTUDO COMPARATIVO ENTRE PAVIMENTO RÍGIDO R E FLEXÍVEL Msc. Flavia Regina Bianchi Engª.. Isis Raquel Tacla Brito Engª.. Veronica Amanda Brombley

Leia mais

CONCRETO BETUMINOSO RECICLADO A FRIO - Página 1 de 1 RESTAURAÇÃO ESPECIFICAÇÃO DE SERVIÇO CONCRETO BETUMINOSO RECICLADO A FRIO

CONCRETO BETUMINOSO RECICLADO A FRIO - Página 1 de 1 RESTAURAÇÃO ESPECIFICAÇÃO DE SERVIÇO CONCRETO BETUMINOSO RECICLADO A FRIO CONCRETO BETUMINOSO RECICLADO A FRIO - Página 1 de 1 RESTAURAÇÃO ESPECIFICAÇÃO DE SERVIÇO CONCRETO BETUMINOSO RECICLADO A FRIO 1. CONCEITOS BÁSICOS 1.1. A reciclagem é definida como a reutilização dos

Leia mais

as perspetivas de reabilitação de pavimentos no estado de são paulo - brasil: enquadramento e técnicas usuais

as perspetivas de reabilitação de pavimentos no estado de são paulo - brasil: enquadramento e técnicas usuais 34_ 38 A malha rodoviária do Estado de São Paulo foi construída predominantemente pelo governo estadual. Suas rodovias troncais atualmente esreabilitação de pavimentos as perspetivas de reabilitação de

Leia mais

Prefeitura Municipal de Tramandaí / RS MEMORIAL DESCRITIVO. MUNICÍPIO: Tramandaí / RS RUAS DE PERFILAGEM SOBRE CALÇAMENTO IRREGULAR

Prefeitura Municipal de Tramandaí / RS MEMORIAL DESCRITIVO. MUNICÍPIO: Tramandaí / RS RUAS DE PERFILAGEM SOBRE CALÇAMENTO IRREGULAR MEMORIAL DESCRITIVO MUNICÍPIO: Tramandaí / RS RUAS DE PERFILAGEM SOBRE CALÇAMENTO IRREGULAR Local: Diversas Ruas Introdução: O presente Memorial Descritivo tem por finalidade expor de maneira detalhada

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA C.B.U.Q.

MEMORIAL DESCRITIVO DE PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA C.B.U.Q. MEMORIAL DESCRITIVO DE PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA C.B.U.Q. Inter.: PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE CATANDUVA. 1. PESQUISA: Os logradouros contemplados com a pavimentação asfáltica deverão ser objeto de análise

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO OBRA:

MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: SERVIÇOS INICIAIS, CAPEAMENTO ASFÁLTICO, QUEBRA-MOLA, SINALIZAÇÃO E SERVIÇOS FINAIS E COMPLEMENTARES MUNICÍPIO: ALMIRANTE TAMANDARÉ DO SUL - RS LOCAL: RUA LUIZ GRAEF ÁREA: 427,20

Leia mais

/ RS MEMORIAL DESCRITIVO MUNICÍPIO:

/ RS MEMORIAL DESCRITIVO MUNICÍPIO: MEMORIAL DESCRITIVO MUNICÍPIO: Tramandaí / RS RUAS DE TAPA BURACO E MICROREVESTIMENTO Local: Diversas Ruas Introdução: O presente Memorial Descritivo tem por finalidade expor de maneira detalhada as normas

Leia mais

GENERALIDADES SOBRE PAVIMENTOS

GENERALIDADES SOBRE PAVIMENTOS GENERALIDADES SOBRE PAVIMENTOS Pavimento x outras obras civis Edifícios: Área de terreno pequena, investimento por m 2 grande FS à ruptura grande Clima interfere muito pouco no comportamento estrutural

Leia mais

COMPOSIÇÃO DE PREÇO UNITÁRIO

COMPOSIÇÃO DE PREÇO UNITÁRIO COMPOSIÇÃO DE PREÇO CÓDIGO: 02.110.00 SERVIÇO: REGULARIZAÇÃO DO SUBLEITO : m² E.0.06 E.0.07 E.0.13 E.1.01 E.1.05 E.4.07 MOTONIVELADORA CAT 120 H TRATOR AGRÍCOLA M.FERGUSON MF292 ROLO COMPACT. PC AP CA25PC

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL BIDIM COMO ELEMENTO RETARDADOR DE TRINCAS NA RESTAURAÇÃO DA RODOVIA DOS IMIGRANTES EM SÃO PAULO

UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL BIDIM COMO ELEMENTO RETARDADOR DE TRINCAS NA RESTAURAÇÃO DA RODOVIA DOS IMIGRANTES EM SÃO PAULO UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL BIDIM COMO ELEMENTO RETARDADOR DE TRINCAS NA RESTAURAÇÃO DA RODOVIA DOS IMIGRANTES EM SÃO PAULO Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Distribuidor: Ramalho Comercial Ltda.

Leia mais

/ RS MEMORIAL DESCRITIVO MUNICÍPIO:

/ RS MEMORIAL DESCRITIVO MUNICÍPIO: MEMORIAL DESCRITIVO MUNICÍPIO: Tramandaí / RS RUAS DE PERFILAGEM E CAPEAMENTO ASFÁLTICO Local: Diversas Ruas Introdução: O presente Memorial Descritivo tem por finalidade expor de maneira detalhada as

Leia mais

ANEXO IV MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA BOA VISTA PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA URBANA

ANEXO IV MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA BOA VISTA PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA URBANA 1 ANEXO IV MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA BOA VISTA PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA URBANA LOCALIZAÇÃO: Avenida Jacob Wagner Sobrinho NOVA BOA VISTA / RS JUNHO DE 2013 1 2 1.0 INTRODUÇÃO

Leia mais

Os fatores que influem na dosagem das misturas, vinculadas com as propriedades que se busca atingir no conjunto são:

Os fatores que influem na dosagem das misturas, vinculadas com as propriedades que se busca atingir no conjunto são: Misturas Betuminosas As misturas asfálticas constituem sistemas plástico-elásticos cujos componentes tem características, composta de uma fase sólida, que é constituída pelos agregados pétreos de elevado

Leia mais

Prof. Engº Pery C. G. de Castro. Revisado em outubro de 2009 PARTE - III PROJETO DA MISTURA RECICLADA A QUENTE

Prof. Engº Pery C. G. de Castro. Revisado em outubro de 2009 PARTE - III PROJETO DA MISTURA RECICLADA A QUENTE Prof. Engº Pery C. G. de Castro Revisado em outubro de 2009 PARTE - III PROJETO DA MISTURA RECICLADA A QUENTE 1 ORIENTAÇÃO PARA PROJETO DA MISTURA RECICLADA A QUENTE 1) Definição das porcentagens dos materiais;

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS OBRA: Pavimentação Asfáltica em Concreto Betuminoso Usinado a Quente (CBUQ) sobre revestimento existente. LOCAL: Rua Olímpio Maciel e Rua José Coelho. Fevereiro / 2010 1 SUMÁRIO

Leia mais

8. MISTURAS ASFÁLTICAS

8. MISTURAS ASFÁLTICAS 8. MISTURAS ASFÁLTICAS CONCEITUAÇÃO Produtos obtidos em usina, a quente ou a frio, envolvendo agregados e ligantes asfálticos, adequadamente. CLASSIFICAÇÃO Pré misturados a quente (PMQ) - Temperatura 121

Leia mais

Soluções de pavimentos urbanos para baixo volume de tráfego e cidades pequenas. Prof. Dr. Walter Canales Sant Ana Universidade Estadual do Maranhão

Soluções de pavimentos urbanos para baixo volume de tráfego e cidades pequenas. Prof. Dr. Walter Canales Sant Ana Universidade Estadual do Maranhão Soluções de pavimentos urbanos para baixo volume de tráfego e cidades pequenas. Prof. Dr. Walter Canales Sant Ana Universidade Estadual do Maranhão Jun/2012 1. Baixo Volume de Tráfego? 2. Por que pavimentar?

Leia mais

RECICLAGEM DE CAMADA BETUMINOSA COMO SUB-BASE ESTABILIZADA COM CIMENTO NA BR 381: UMA EXPERIENCIA

RECICLAGEM DE CAMADA BETUMINOSA COMO SUB-BASE ESTABILIZADA COM CIMENTO NA BR 381: UMA EXPERIENCIA RECICLAGEM DE CAMADA BETUMINOSA COMO SUB-BASE ESTABILIZADA COM CIMENTO NA BR 381: UMA EXPERIENCIA I. APRESENTAÇÃO César Augusto Rodrigues da Silva Juarez Miranda Jr. Este trabalho apresenta a experiência

Leia mais

DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS

DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS ES-P23-REPARAÇÃO DE PAVIMENTOS DANIFICADOS POR ABERTURA DE VALAS DOCUMENTO DE CIRCULAÇÃO EXTERNA 1 ÍNDICE PÁG. 1. OBJETO E OBJETIVO...3 2. S...3 3. RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS

Leia mais

Errata Nº 02 Edital Nº 0364/2007-18 CONCORRÊNCIA PÚBLICA

Errata Nº 02 Edital Nº 0364/2007-18 CONCORRÊNCIA PÚBLICA Ministério dos Transportes Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL/DNIT/PI Errata Nº 02 Edital Nº 0364/2007-18 CONCORRÊNCIA PÚBLICA 1 LOTE 01: No QUADRO DE QUANTIDADES,

Leia mais

RECICLAGEM DE PAVIMENTO COM ESPUMA DE ASFALTO

RECICLAGEM DE PAVIMENTO COM ESPUMA DE ASFALTO RECICLAGEM DE PAVIMENTO COM ESPUMA DE ASFALTO Conteúdo Obra de Referência Objetivo Fresagem / Reciclagem O Processo A Execução Consumo de Materiais e Produção Estratégia de Abastecimento da Obra. Conteúdo

Leia mais

VOLUME 9 METODOLOGIAS CONSTRUTIVAS DE PAVIMENTAÇÃO

VOLUME 9 METODOLOGIAS CONSTRUTIVAS DE PAVIMENTAÇÃO VOLUME 9 1 INTRODUÇÃO A execução de obras e serviços de pavimentação no meio urbano requer um planejamento específico, com a utilização de métodos adequados e dominados pelas empresas executoras. A utilização

Leia mais

DEPARTAMENTO DE ÁGUA E ESGOTO DE BAGÉ DEPARTAMENTO DE PROJETOS MEMORIAL DESCRITIVO

DEPARTAMENTO DE ÁGUA E ESGOTO DE BAGÉ DEPARTAMENTO DE PROJETOS MEMORIAL DESCRITIVO DEPARTAMENTO DE ÁGUA E ESGOTO DE BAGÉ DEPARTAMENTO DE PROJETOS MEMORIAL DESCRITIVO REPAVIMENTAÇÃO EM PAVIMENTOS COM PEDRA IRREGULAR, PARALELEPÍPEDO, BLOCOS DE CONCRETO E CBUQ. 2015 APRESENTAÇÃO Trata o

Leia mais

13 o Encontro Técnico DER-PR

13 o Encontro Técnico DER-PR 13 o Encontro Técnico DER-PR Imprimaduras Impermeabilizante e Ligante Osvaldo Tuchumantel Jr. Imprimadura ato ou efe ito de imprima r Impermeabilizante - Aplicação uniforme de material betuminoso sobre

Leia mais

SECRETARIA DE OBRAS PROJETO BÁSICO DE ENGENHARIA

SECRETARIA DE OBRAS PROJETO BÁSICO DE ENGENHARIA PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIATUBA / GO SECRETARIA DE OBRAS PROJETO BÁSICO DE ENGENHARIA SOLUÇÃO 1 - APLICAÇÃO DE MICRO REVESTIMENTO E EXECUÇÃO DE TAPA BURACO GOIATUBA/GO JULHO/2013 1. INTRODUÇÃO A Prefeitura

Leia mais

Conceitos de Projeto e Execução

Conceitos de Projeto e Execução Pisos Industriais: Conceitos de Projeto e Execução Públio Penna Firme Rodrigues A Importância do Pavimento Industrial Conceituação Piso - Pavimento Quanto à fundação Fundação direta (sobre solo ou isolamento

Leia mais

AULA 4 AGLOMERANTES continuação

AULA 4 AGLOMERANTES continuação AULA 4 AGLOMERANTES continuação Disciplina: Materiais de Construção I Professora: Dra. Carmeane Effting 1 o semestre 2014 Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Engenharia Civil ASFALTOS Pavimento

Leia mais

Ensaios Geotécnicos Material do subleito os ensaios estão apresentados no quadro 01

Ensaios Geotécnicos Material do subleito os ensaios estão apresentados no quadro 01 PROCEDIMENTO PARA DIMENSIONAR PAVIMENTAÇÃO EM VIAS DE TRÁFEGO LEVE E MUITO LEVE DA PMSP PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO PAULO/P01 1 Introdução Apresenta-se os procedimentos das diretrizes para o dimensionamento

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA

MEMORIAL DESCRITIVO PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA MEMORIAL DESCRITIVO É OBRIGATÓRIO A EXECUÇÃO DOS ENSAIOS DE CONTROLE TECNOLÓGICO DAS OBRAS DE PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA, SENDO INDISPENSÁVEL À APRESENTAÇÃO DO LAUDO TÉCNICO DE CONTROLE TECNOLÓGICO E DOS RESULTADOS

Leia mais

A empresa. Estamos sempre à procura de novas ideias.

A empresa. Estamos sempre à procura de novas ideias. A empresa. Projectamos e construímos plantas para a produção de concreto e asfalto. O nosso objectivo é criar novas ideias para conseguir máquinas versáteis, eficientes, fortes e duráveis. Independentemente

Leia mais

O presente memorial descritivo tem por finalidade descrever os serviços que compõe a obra de Capeamento Asfáltico nas vias acima descritas.

O presente memorial descritivo tem por finalidade descrever os serviços que compõe a obra de Capeamento Asfáltico nas vias acima descritas. MEMORIAL DESCRITIVO CAPEAMENTO ASFÁLTICO SOBRE PEDRAS IRREGULARES Proprietário: MUNICÍPIO DE ITATIBA DO SUL Local: - Rua Argentina = 5.910,43 m²; - Rua Estados Unidos = 1.528,98 m². Total = 7.439,41 m²

Leia mais

Departamento de Estradas e Rodagem de Minas Gerais

Departamento de Estradas e Rodagem de Minas Gerais Departamento de Estradas e Rodagem de Minas Gerais Diretoria de Infra-Estrutura Manual de Fiscalização de Obras e Vias Rurais Rodovia: Contrato: Lista de Verificação das Principais Atividades do Eng. Fiscal

Leia mais

TRABALHOS TÉCNICOS INTERDEPENDÊNCIA DAS CARACTERÍSTICAS FÍSICAS DAS MISTURAS BETUMINOSAS TIPO C.B.U.Q.

TRABALHOS TÉCNICOS INTERDEPENDÊNCIA DAS CARACTERÍSTICAS FÍSICAS DAS MISTURAS BETUMINOSAS TIPO C.B.U.Q. 01 / 07 SINOPSE O trabalho apresenta aspectos conceituais do comportamento das relações físicas envolvidas no sistema, e misturas tipo C.B.U.Q., levando em consideração as características físicas rotineiras

Leia mais

V JORNADAS LUSO-BRASILEIRAS DE PAVIMENTOS: POLÍTICAS E TECNOLOGIAS

V JORNADAS LUSO-BRASILEIRAS DE PAVIMENTOS: POLÍTICAS E TECNOLOGIAS Isaac Eduardo Pinto MONITORAMENTO DA RECICLAGEM COM ESPUMA DE ASFALTO NA RODOVIA BA-535, CAMAÇARI - BAHIA Engenheiro Civil, Mestre em Engenharia Civil em Infra-estrutura de Engenharia de Transportes -

Leia mais

Pavimentação - base estabilizada granulometricamente

Pavimentação - base estabilizada granulometricamente MT - DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO - IPR DIVISÃO DE CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA Rodovia Presidente Dutra km 163 - Centro Rodoviário, Parada de Lucas

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO Pavimentação Asfáltica

MEMORIAL DESCRITIVO Pavimentação Asfáltica PREFEITURA MUNICIPAL DE GALVÃO ESTADO DE SANTA CATARINA MEMORIAL DESCRITIVO Pavimentação Asfáltica Rua Manoel Lustosa Martins Julho 2015 MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Execução de pavimentação asfáltica sobre

Leia mais

Relatório técnico sobre o pavimento da pista pedonal/ciclovia incluída na obra de Reconversão dos Viveiros Florestais de Mealhada/Parque Urbano

Relatório técnico sobre o pavimento da pista pedonal/ciclovia incluída na obra de Reconversão dos Viveiros Florestais de Mealhada/Parque Urbano Relatório técnico sobre o pavimento da pista pedonal/ciclovia incluída na obra de Reconversão dos Viveiros Florestais de Mealhada/Parque Urbano Requerente: CÂMARA MUNICIPAL DE MEALHADA Aveiro, Agosto de

Leia mais

Universidade do Estado de Mato Grosso Engenharia Civil Estradas II

Universidade do Estado de Mato Grosso Engenharia Civil Estradas II Universidade do Estado de Mato Grosso Engenharia Civil Estradas II Especificações dos Materiais Ana Elza Dalla Roza e Lucas Ribeiro anaelza00@hotmail.com - luccasrsantos@gmail.com Emprego dos materiais

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE SERVIÇO

ESPECIFICAÇÃO DE SERVIÇO ESPECIFICAÇÃO DE SERVIÇO AREIA ASFALTO A FRIO Grupo de Serviço PAVIMENTAÇÃO Código DERBA-ES-P-16/01 1. OBJETIVO Esta especificação de serviço define os critérios que orientam a execução de areia asfalto

Leia mais

SUMÁRIO. 1 As máquinas possibilitam a construção 1. 4 Solos e rochas 94. 5 Equipamentos para compactação e estabilização do terreno 118

SUMÁRIO. 1 As máquinas possibilitam a construção 1. 4 Solos e rochas 94. 5 Equipamentos para compactação e estabilização do terreno 118 SUMÁRIO 1 As máquinas possibilitam a construção 1 Ser competitivo 1 A história dos equipamentos de construção 3 O setor da construção civil 10 Segurança 11 Os contratos de construção civil 13 O planejamento

Leia mais

HISTÓRICO DA EVOLUÇÃO DAS USINAS

HISTÓRICO DA EVOLUÇÃO DAS USINAS HISTÓRICO DA EVOLUÇÃO DAS USINAS Histórico da evolução das Usinas de Asfalto. USINAS VOLUMÉTRICAS. USINAS BATCH ou GRAVIMÉTRICAS. USINAS DRUM MIX FLUXO PARALELO. USINAS CONTRA FLUXO O processo volumétrico

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE LUCÉLIA Avenida Brasil, 1101 Centro CEP 17780-000 - Lucélia Estado de São Paulo Telefone (18) 3551-9200 pmluce@terra.com.

PREFEITURA MUNICIPAL DE LUCÉLIA Avenida Brasil, 1101 Centro CEP 17780-000 - Lucélia Estado de São Paulo Telefone (18) 3551-9200 pmluce@terra.com. MEMORIAL DESCRITIVO Obra: RECAPEAMENTO ASFÁLTICO TIPO (C.B.U.Q.). Município: Lucélia S.P. Local: (RUA ARARAQUARA), Trecho entre a Rua Manoel Rodrigues e Rua Nemetala Audi. ÁREA = (7,00 m x 83,29 m) = 583,03

Leia mais

PROJETO BÁSICO DE ENGENHARIA

PROJETO BÁSICO DE ENGENHARIA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE FONTOURA XAVIER SECRETARIA DO PLANEJAMENTO LOCAL: AVENIDA 25 DE ABRIL ASSUNTO: PROJETO DE CAPEAMENTO ASFÁLTICO ÁREA TOTAL: 4.935,75 m² PROJETO BÁSICO

Leia mais

Associação Nacional de Entidades de Produtores de Agregados para Construção Civil. Agregados para a Construção Civil no Brasil

Associação Nacional de Entidades de Produtores de Agregados para Construção Civil. Agregados para a Construção Civil no Brasil Associação Nacional de Entidades de Produtores de Agregados para Construção Civil Agregados para a Construção Civil no Brasil Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal Fernando M. Valverde

Leia mais

A Nova Geração Recicladoras a frio e estabilizadoras de solos Série WR. WR 200 WR 200 i WR 240 WR 240 i WR 250

A Nova Geração Recicladoras a frio e estabilizadoras de solos Série WR. WR 200 WR 200 i WR 240 WR 240 i WR 250 A Nova Geração Recicladoras a frio e estabilizadoras de solos Série WR WR 200 WR 200 i WR 240 WR 240 i WR 250 Conteúdo Valor agregado que traz benefícios... 4 Três máquinas classe mundial para o poder

Leia mais

2.º Seminário Engenharia Rodoviária O FUTURO DA PAVIMENTAÇÃO

2.º Seminário Engenharia Rodoviária O FUTURO DA PAVIMENTAÇÃO 2.º Seminário Engenharia Rodoviária O FUTURO DA PAVIMENTAÇÃO ENQUADRAMENTO Portugal é o 5º país da Europa dos 27+6 (Turquia, Noruega, Suíça, Croácia, Macedónia e Islândia) com mais km de AEs por milhão

Leia mais

TRANSPORTES E OBRAS DE TERRA

TRANSPORTES E OBRAS DE TERRA TRANSPORTES E OBRAS DE TERRA Movimento de Terra e Pavimentação NOTAS DE AULA Projeto de Pavimento Prof. Edson de Moura Aula 02 Tipos de misturas asfálticas noções básicas 2011 TIPOS DE MISTURAS ASFÁLTICAS

Leia mais

Reciclagem a frio. Tecnologia de reciclagem a frio Wirtgen

Reciclagem a frio. Tecnologia de reciclagem a frio Wirtgen Reciclagem a frio Tecnologia de reciclagem a frio Wirtgen Wirtgen GmbH Reinhard-Wirtgen-Strasse 2 53578 Windhagen Alemanha Fone: +49 (0) 26 45 / 131-0 Fax: +49 (0) 26 45 / 131-242 Primeira edição: 2012

Leia mais

TECNOLOGIA EM RECICLAGEM E FRESAGEM DE PAVIMENTOS CONTROLES CONSTRUTIVOS UTILIZADOS EM OBRAS DE RECICLAGEM PROFUNDA

TECNOLOGIA EM RECICLAGEM E FRESAGEM DE PAVIMENTOS CONTROLES CONSTRUTIVOS UTILIZADOS EM OBRAS DE RECICLAGEM PROFUNDA TECNOLOGIA EM RECICLAGEM E FRESAGEM DE PAVIMENTOS CONTROLES CONSTRUTIVOS UTILIZADOS EM OBRAS DE RECICLAGEM PROFUNDA ENG. PAULO CESAR ARRIEIRO - paulocesar@pavisan.com.br - SET / 2007 1. Introdução A experiência

Leia mais

TIPOS DE REVESTIMENTOS ASFÁLTICOS

TIPOS DE REVESTIMENTOS ASFÁLTICOS TIPOS DE REVESTIMENTOS ASFÁLTICOS Introdução Tipos de revestimentos asfálticos 2 Introdução Revestimento: Camada destinada a receber a carga dos veículos e da ação climática Composição de agregados + ligante

Leia mais

MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA

MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA Projeto de Execução Designação da empreitada CONSERVAÇÃO E REABILITAÇÃO DA E.M. 242-1 E ESTRADA ATLÂNTICA Julho de 2015 MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES PARA FRESAGEM DO PAVIMENTO - Página 1 de 1 ESPECIFICAÇÕES PARA FRESAGEM DO PAVIMENTO

ESPECIFICAÇÕES PARA FRESAGEM DO PAVIMENTO - Página 1 de 1 ESPECIFICAÇÕES PARA FRESAGEM DO PAVIMENTO ESPECIFICAÇÕES PARA FRESAGEM DO PAVIMENTO - Página 1 de 1 ESPECIFICAÇÕES PARA FRESAGEM DO PAVIMENTO 1.0 DEFINIÇÃO A fresagem de um pavimento (base ou revestimento) com o emprego de equipamento próprio

Leia mais

Concreto Definições. Concreto Durabilidade. Concreto Definições. Concreto Definições. Produção do concreto ANGELO JUST.

Concreto Definições. Concreto Durabilidade. Concreto Definições. Concreto Definições. Produção do concreto ANGELO JUST. UNICAP Curso de Arquitetura e Urbanismo EXECUÇÃO DE ESTRUTURAS DE CONCRETO: Mistura, transporte, lançamento, adensamento e cura. MATERIAIS E TECNOLOGIA CONSTRUTIVA 1 Prof. Angelo Just da Costa e Silva

Leia mais

CONSERVAÇÃO DE ROTINA

CONSERVAÇÃO DE ROTINA CONSERVAÇÃO DE ROTINA PARTE 3 Engº Pery C. G. de Castro Revisado em setembro/2009 1 CONSERVAÇÃO DE ROTINA Visa corrigir os defeitos que surgem no pavimento. Em alguns tipos de defeitos é possível dar duas

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA PROPONENTE: PREFEITURA PALMITINHO

MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA PROPONENTE: PREFEITURA PALMITINHO OBRA: PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA PROPONENTE: PREFEITURA PALMITINHO MEMORIAL DESCRITIVO 1.0-OBJETO: O presente memorial tem por finalidade descrever as obras e serviços necessários para execução de Pavimentação

Leia mais

TT 051 PAVIMENTAÇÃO BASES SUB-BASES

TT 051 PAVIMENTAÇÃO BASES SUB-BASES TT 051 PAVIMENTAÇÃO BASES SUB-BASES Eng. Mário Henrique Furtado Andrade TT 051 - PAVIMENTAÇÃO BASES / SUB-BASES 5 ESCOPO 1. Classificação 2. Camadas estabilizadas granulometricamente 3. Camadas Flexíveis

Leia mais

BETUMES ELASTER CONSTRUINDO AS ESTRADAS DO FUTURO

BETUMES ELASTER CONSTRUINDO AS ESTRADAS DO FUTURO BETUMES ELASTER CONSTRUINDO AS ESTRADAS DO FUTURO ELASTER GAMA DE BETUMES MODIFICADOS COM POLÍMEROS DA CEPSA, OBTIDOS ATRAVÉS DE REAÇÃO QUÍMICA A gama ELASTER inclui todos os betumes modificados com polímeros

Leia mais

ESP- 09/92 IMPRIMAÇÕES BETUMINOSAS

ESP- 09/92 IMPRIMAÇÕES BETUMINOSAS INTRODUÇÃO Especificações de serviços definem os critérios da utilização de imprimações betuminosas em camadas de pavimento, de obras sob a fiscalização da Prefeitura do Município de São Paulo. 1. DESCRIÇÃO

Leia mais

IV Seminário de Iniciação Científica

IV Seminário de Iniciação Científica ESTABILIZAÇÃO DE SOLOS COM CAL PARA USO EM PAVIMENTAÇÃO Juliane Barbosa Rosa 1,4., Carla Janaína Ferreira 2,4., Renato Cabral Guimarães 3,4.. 1 Bolsista PBIC/UEG 2 Voluntária Iniciação Científica PVIC/UEG

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MARAU

PREFEITURA MUNICIPAL DE MARAU PREFEITURA MUNICIPAL DE MARAU SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO, FAZENDA E PLANEJAMENTO EDITAL N.01/2015 - Contribuição de Melhoria Branco, Lot. Girardi. Notifica os proprietários dos imóveis sobre

Leia mais

BETUME BORRACHA. Pedro Seixas, PROBIGALP. Luís Gomes, MOTA-ENGIL. Susana Maricato, GALP ENERGIA

BETUME BORRACHA. Pedro Seixas, PROBIGALP. Luís Gomes, MOTA-ENGIL. Susana Maricato, GALP ENERGIA BETUME BORRACHA Pedro Seixas, PROBIGALP Luís Gomes, MOTA-ENGIL Susana Maricato, GALP ENERGIA Princípios gerais Construir Estradas de altas prestações; Colaborar na protecção do meio ambiente. Ecoeficácia

Leia mais

Dosagem de Concreto Compactado com Rolo Visando sua Aplicação em Bases e Sub-bases de Pavimentos

Dosagem de Concreto Compactado com Rolo Visando sua Aplicação em Bases e Sub-bases de Pavimentos Dosagem de Concreto Compactado com Rolo Visando sua Aplicação em Bases e Sub-bases de Pavimentos William Fedrigo Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Brasil, williamfedrigo@hotmail.com

Leia mais

Custo Horário dos Equipamentos --------> 427,86 B Mão de Obra Quantidade T501 Encarregado de turma 0,50 23,3400. 11,67 T701 Servente 2,00 9,9300

Custo Horário dos Equipamentos --------> 427,86 B Mão de Obra Quantidade T501 Encarregado de turma 0,50 23,3400. 11,67 T701 Servente 2,00 9,9300 DERTERRA001 Desm. dest. limpeza áreas c/arv. diam. até 0,15 m Prod. Equipe: 1.444,00 m² E003 Trator de Esteira com Lâmina (259KW) 1,00 1,00 427,86 20,28 427,86 dos Equipamentos --------> 427,86 T501 Encarregado

Leia mais

DEFEITOS, AVALIAÇÃO E RESTAURAÇÃO DE PAVIMENTOS ASFÁLTICOS

DEFEITOS, AVALIAÇÃO E RESTAURAÇÃO DE PAVIMENTOS ASFÁLTICOS DEFEITOS, AVALIAÇÃO E RESTAURAÇÃO DE PAVIMENTOS ASFÁLTICOS DEFEITOS DE SUPERFÍCIE DE PAVIMENTOS ASFÁLTICOS Defeitos de superfície Os defeitos de superfície são os danos ou deteriorações na superfície dos

Leia mais

APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NO RECAPEAMENTO ASFÁLTICO DA AVENIDA ÁGUA VERDE CURITIBA PR

APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NO RECAPEAMENTO ASFÁLTICO DA AVENIDA ÁGUA VERDE CURITIBA PR APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NO RECAPEAMENTO ASFÁLTICO DA AVENIDA ÁGUA VERDE CURITIBA PR Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Colaboração: Eng. André Fanaya SETEMBRO 1997 Revisado JANEIRO 2011-

Leia mais

Curso de Tecnologia de Pavimentos de Concreto. Módulo 4 Construção de Pavimentos

Curso de Tecnologia de Pavimentos de Concreto. Módulo 4 Construção de Pavimentos Curso de Tecnologia de Pavimentos de Concreto Módulo 4 Construção de Pavimentos Seção do Pavimento BR 101 NE (exemplo) Placa de concreto - 22 cm Tração na flexão > 4,5 MPa Barreira de segurança tipo New

Leia mais

AGREGADO RECICLADO DE RESÍDUO DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO (RCD) EM PAVIMENTAÇÃO

AGREGADO RECICLADO DE RESÍDUO DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO (RCD) EM PAVIMENTAÇÃO PAINEL: MATERIAIS ALTERNATIVOS AGREGADO RECICLADO DE RESÍDUO DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO (RCD) EM PAVIMENTAÇÃO ROSÂNGELA MOTTA Laboratório de Tecnologia de Pavimentação Departamento de Engenharia de Transportes

Leia mais

PMSP ETS-02/2009 BASE DE MATERIAL FRESADO COM ESPUMA DE ASFALTO

PMSP ETS-02/2009 BASE DE MATERIAL FRESADO COM ESPUMA DE ASFALTO 1. OBJETIVO O objetivo deste documento é a definição dos critérios que orientam a dosagem, usinagem e execução de base proveniente da reciclagem a frio em usina com espuma de asfalto do material fresado

Leia mais

Estudo Geotécnico sobre a Utilização de Resíduos de Construção e Demolição como Agregado Reciclado em Pavimentação

Estudo Geotécnico sobre a Utilização de Resíduos de Construção e Demolição como Agregado Reciclado em Pavimentação Estudo Geotécnico sobre a Utilização de Resíduos de Construção e Demolição como Agregado Reciclado em Pavimentação Mariana Santos de Siqueira Departamento de Engenharia Civil, Universidade de Pernambuco,

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Projeto: Capeamento asfáltico Município: Fontoura Xavier / RS

MEMORIAL DESCRITIVO. Projeto: Capeamento asfáltico Município: Fontoura Xavier / RS ANEXO IV MEMORIAL DESCRITIVO Projeto: Capeamento asfáltico Município: Fontoura Xavier / RS Local: Rua Pedro Azelin da Silva Trecho: Entre a Rua 09 de Julho e a Rua Ernesto Ferreira Maia Área: TRECHO 01:

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO ASFALTO FLEXÍVEL RECICLADO MICROFRESADO NA COMPOSIÇÃO DAS BASES DO PAVIMENTO UTILIZANDO CIMENTO PORTLAND

UTILIZAÇÃO DO ASFALTO FLEXÍVEL RECICLADO MICROFRESADO NA COMPOSIÇÃO DAS BASES DO PAVIMENTO UTILIZANDO CIMENTO PORTLAND UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ ÁREA DE CIÊNCIAS EXATAS E AMBIENTAIS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL UTILIZAÇÃO DO ASFALTO FLEXÍVEL RECICLADO MICROFRESADO NA COMPOSIÇÃO DAS BASES DO PAVIMENTO UTILIZANDO

Leia mais

Técnicas de conservação dos pavimentos da rede BCR. Dora Baptista, Fernanda Caetano, Joana Martins e Armando Matos - Brisa, Engenharia e Gestão

Técnicas de conservação dos pavimentos da rede BCR. Dora Baptista, Fernanda Caetano, Joana Martins e Armando Matos - Brisa, Engenharia e Gestão Técnicas de conservação dos pavimentos da rede BCR Dora Baptista, Fernanda Caetano, Joana Martins e Armando Matos - Brisa, Engenharia e Gestão Índice 1. Rede BCR 2. Processo para definição das técnicas

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO TERRAPLENAGEM REMOÇÃO DE CAMADA SUPERFICIAL (0,20 M)

MEMORIAL DESCRITIVO TERRAPLENAGEM REMOÇÃO DE CAMADA SUPERFICIAL (0,20 M) MEMORIAL DESCRITIVO É OBRIGATÓRIA A APRESENTAÇÃO DE LAUDO TÉCNICO DE CONTROLE TECNOLÓGICO E OS RESULTADOS DOS ENSAIOS REALIZADOS EM CADA ETAPA DOS SERVIÇOS, CONFORME EXIGÊNCIAS DO DNIT Departamento Nacional

Leia mais

Prof. Jacques de Medina. Prof. Jacques de Medina COPPE/UFRJ

Prof. Jacques de Medina. Prof. Jacques de Medina COPPE/UFRJ Prof. Jacques de Medina Prof. Jacques de Medina COPPE/UFRJ Prof. Jacques de Medina COPPE/UFRJ Avaliação do comportamento de dois trechos experimentais, sob ação de tráfego real na Rodovia BR 040 - Trecho

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO SOBRE OBRAS DE PAVIMENTAÇÃO RODOVIÁRIA

REGULAMENTAÇÃO SOBRE OBRAS DE PAVIMENTAÇÃO RODOVIÁRIA ESTUDO REGULAMENTAÇÃO SOBRE OBRAS DE PAVIMENTAÇÃO RODOVIÁRIA Rodrigo César Neiva Borges Consultor Legislativo da Área XIII Desenvolvimento Urbano, Trânsito e Transportes ESTUDO OUTUBRO/2008 Câmara dos

Leia mais

CBUQ Concreto Betuminoso Usinado a Quente

CBUQ Concreto Betuminoso Usinado a Quente ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PROJETO DE (Recapeamento) CBUQ Concreto Betuminoso Usinado a Quente 0,931 KM Rua Paulo Corrêa Lopes (B. São Bernardo) Setor Técnico Autores: Engº. Civil IVAN CESAR DE MELLO PINHEIRO

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES GERAIS PARA OBRAS RODOVIÁRIAS

ESPECIFICAÇÕES GERAIS PARA OBRAS RODOVIÁRIAS 1. DESCRIÇÃO PÁG. 01/17 A reciclagem profunda de pavimento com adição de espuma de asfalto tem como finalidade a obtenção de uma camada de pavimento reciclada, a partir do aproveitamento dos materiais

Leia mais

fl: 01 OBRA: TRECHO: EXTENSÃO: TOTAL DO ITEM: 1.1 R$ 322.651,12

fl: 01 OBRA: TRECHO: EXTENSÃO: TOTAL DO ITEM: 1.1 R$ 322.651,12 ANEXO VII - RUA 24 DE MAIO 637 metros (ETAPAS DO CONCEDENTE) 1 1.1 PAVIMENTO RUA 24 DE MAIO 1.1.1 TERRAPLANAGEM 8.475,72 1.1.1.1 Escavação Carga e Transporte mat.1ª Cat.c/ Escavadeira 1.200

Leia mais

1 - EQUIPAMENTO LABORATORIAL E REALIZAÇÃO DE ENSAIOS

1 - EQUIPAMENTO LABORATORIAL E REALIZAÇÃO DE ENSAIOS 1 - EQUIPAMENTO LABORATORIAL E REALIZAÇÃO DE ENSAIOS Sempre que solicitado a entidade executante deve dispor de meios para efectuar o controlo permanente, através dos seguintes ensaios: - Prensa para ensaios

Leia mais

A MOVICORTES ANGOLA integra o Grupo MOVICORTES S.A., com actividade em Portugal, Espanha, Angola e Moçambique.

A MOVICORTES ANGOLA integra o Grupo MOVICORTES S.A., com actividade em Portugal, Espanha, Angola e Moçambique. CATáLOGO de GAMA de construção, mineração e obras públicas A MOVICORTES ANGOLA representa e distribui em Angola, equipamentos de construção e obras públicas de marcas de referência, pela sua qualidade,

Leia mais

LINHA GERAL DE PRODUTOS PARA PAVIMENTAÇÃO E MINERAÇÃO

LINHA GERAL DE PRODUTOS PARA PAVIMENTAÇÃO E MINERAÇÃO LINHA GERAL DE PRODUTOS PARA PAVIMENTAÇÃO E MINERAÇÃO Todas as fotos, ilustrações e especificações estão baseadas em informações vigentes na data da aprovação desta publicação. A Ciber Equipamentos Rodoviários

Leia mais

LIGANTES ASFÁLTICOS PARA PAVIMENTAÇÃO ENSAIOS E CLASSIFICAÇÕES (PARTE 2)

LIGANTES ASFÁLTICOS PARA PAVIMENTAÇÃO ENSAIOS E CLASSIFICAÇÕES (PARTE 2) LIGANTES ASFÁLTICOS PARA PAVIMENTAÇÃO ENSAIOS E CLASSIFICAÇÕES (PARTE 2) Pavimentação NATURAIS ROCHAS ASFÁLTICAS XISTOS E ARENITOS LAGOS ASFÁLTICOS LIGANTES BETUMINOSOS PETRÓLEO ALCATRÃO SÓLIDOS OXIDADOS

Leia mais

PAVIMENTAÇÃO Conceitos Básicos de Pavimento Definição

PAVIMENTAÇÃO Conceitos Básicos de Pavimento Definição - Conceitos Básicos de PAVIMENTO - Camadas do pavimento - Projeto de Pavimentação - Materiais para pavimentação - Dimensionamento de pavimentos flexíveis - Dimensionamento de pavimentos rígidos - Bases

Leia mais