Forest Stewardship Council FSC Brasil

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Forest Stewardship Council FSC Brasil"

Transcrição

1 Programa TSP Perguntas Frequentes 1. O que é o programa TSP? O programa TSP (do inglês Trademark Service Provider) foi criado no início de 2011 pelo FSC Internacional e diz respeito ao uso das marcas registradas do FSC por organismos não certificáveis, mediante registro junto aos escritórios nacionais do FSC. A ideia de estabelecer tal programa surgiu com o intuito de aprimorar o controle sobre a utilização da imagem e do selo FSC, garantir maior consistência do sistema de certificação e padronizar os procedimentos adotados pelos países quanto ao controle do uso da logomarca. Com o início do programa, cada escritório nacional do FSC pode tornar-se um TSP através da celebração de um contrato com o FSC Internacional e então oferecer serviços relacionados à logomarca aos seus clientes (incluindo orientação sobre a aplicação correta da marca, repasse de normas e criação de logos para uso promocional). Não apenas por ser esta uma solicitação do FSC Internacional, mas também pela urgência em reduzir o número de casos envolvendo o mau uso da marca registrada, o Conselho Diretor do FSC Brasil deliberou que o programa seria instituído no Brasil no segundo semestre de Qual é a norma que regula o programa TSP? A norma FSC-STD , que pode ser acessada no site do FSC Internacional ( 3. A quem se aplica? O programa TSP se aplica a organismos que não são obrigados a ter a certificação FSC em nenhuma das modalidades (Manejo florestal e, especialmente, Cadeia de Custódia neste caso de acordo com os requisitos da norma FSC-STD ), mas que desejam: Promover, recomendar ou evidenciar os produtos certificados FSC por ela produzidos, distribuídos ou consumidos; Comunicar uma parceria ou ação que envolva o selo FSC; Comunicar ou informar sobre o selo FSC, seus benefícios, características e condições;

2 Promover o FSC como um sistema de certificação florestal voluntária de apoio ao manejo florestal responsável; Entidades de educação e pesquisa, ong s ambientais ou sociais, pessoas físicas, estudantes e meios de comunicação em geral que informem sobre o sistema FSC: a proposta, o histórico, as regras de manejo florestal responsável ou qualquer outro tema a ele relacionado -, devem se registrar no programa TSP. Neste primeiro ano, não serão cobradas aprovações para este tipo de uso da marca/nome do FSC. IMPORTANTE! Certificadoras, entidades de consultorias e assessorias que prestam serviços relacionados à certificação FSC, também devem se registrar no programa TSP. Todos os Empreendimentos / organismos / entidades / organizações que aderirem ao TSP passarão a ser tratados como Licenciados. 4. Quais são as marcas registradas do FSC? O logo FSC tick-tree (árvore) As iniciais FSC O nome Forest Stewardship Council As marcas FSC só podem ser aplicadas a um produto por parte de organizações certificadas. O programa TSP só licencia o uso das marcas FSC para fins promocionais e/ou educativos (em materiais publicitários, informativos etc), nunca podendo ser utilizadas em produtos ou de forma a gerar confusão no consumidor. 5. Por que aderir? As vantagens em aderir ao programa são várias. Além de receber orientações seguras em relação ao emprego correto da marca FSC, as organizações registradas no sistema TSP terão seus dados divulgados nos websites do FSC Brasil e do FSC Internacional, logos aprovados prontos para serem aplicados à disposição. Por fim, portadoras de um certificado TSP poderão divulgar seus dados na recém-lançada plataforma FSC Marketplace, voltada à facilitação de negócios envolvendo produtos FSC. 6. Como aderir ao programa TSP?

3 Interessados devem enviar o formulário de solicitação de registro devidamente preenchido e assinado, para (assunto: Solicitação Registro TSP ) ou pelo correio para a sede do FSC Brasil. Ao receber o formulário, a equipe do FSC Brasil entrará em contato para passar instruções quanto aos documentos necessários à adesão, prazos e demais etapas para conclusão do processo. Adiantamos, entretanto que, uma vez aceito, o solicitante receberá um número de licença próprio (identificado por documento oficial), e documento com orientações em relação ao uso e aplicação das marcas, bem como, o modelo de formulário de solicitação de aprovação de uso da marca FSC, nome ou sigla. Como é o processo de aprovação? As principais etapas do processo de aprovação incluem: PARA O REGISTRO Interessados em fazer uso promocional das marcas registradas FSC preenchem e encaminham formulário de solicitação de registro ao Programa TSP devidamente assinado; FSC Brasil aprova a solicitação e encaminha o Acordo de Licença para assinatura pelo empreendimento solicitante, e instruções de pagamento da taxa anual correspondente à categoria solicitada; Uma vez assinado o Acordo de Licença, e devidamente encaminhado para o FSC Brasil, bem como o comprovante de pagamento da taxa, o FSC Brasil emitirá um número de licença ao empreendimento que passa a ser chamado de Licenciado; FSC Brasil registra o empreendimento e faz upload de seus dados na base de dados do FSC Internacional mensalmente FSC Brasil encaminha documento com orientações em relação ao uso e aplicação das marcas, bem como, o modelo de formulário de solicitação de aprovação de uso da logomarca PARA APROVAÇÃO DE USO DA MARCA POR MATERIAL ESPECÍFICO O licenciado interessado em aprovar algum material específico envia o formulário de solicitação de uso da logomarca, junto com provas do material(ais) a ser(em) aprovado(s), juntamente com os documentos fiscais eventualmente necessários; FSC Brasil avalia solicitação com base na norma de aplicação do logo e compara informações divulgadas com os dados constantes nas notas fiscais referentes a cada um dos pedidos de aprovação; Em até 5 dias úteis, o FSC Brasil emite parecer positivo ou negativo sobre o material. Caso a resposta seja positiva, este envia os logos solicitados; caso falte algum documento, a aprovação do uso da logomarca será condicionada à entrega do mesmo.

4 Exemplo de verificação de notas: Uma empresa interessada em publicar um catálogo de vendas que divulgue produtos certificados FSC deverá enviar uma cópia deste catálogo ao FSC Brasil, assim como cópias das notas fiscais emitidas por seus fornecedores. O FSC Brasil irá comparar ambos e assegurar que o que está sendo anunciado de fato corresponde ao produto. 7. Quanto custa? As taxas cobradas dos empreendimentos que aderirem ao programa TSP são diferentes de acordo com a natureza da organização, e, da quantidade de materiais (impressos ou audiovisuais) nos quais a mesma quer usar a logomarca, nome ou sigla do FSC requerendo aprovação para tal. A tabela abaixo apresenta os valores finais, calculados a partir da lógica de custos, ou seja, os valores pagos por cada licenciado são proporcionais aos custos que o FSC Brasil vai ter para licenciar e aprovar cada material com a sua logomarca, nome ou sigla. Organizações sem fins lucrativos Categoria Serviços prestados Valor Final 1 2 Registro e 1-10 aprovações (ano) Registro e Aprovações ilimitadas (ano) Organizações com fins lucrativos R$362,48 R$543,72 Categoria Serviços prestados Valor Final Registro e 1-5 aprovações (ano) Registro e 6-10 aprovações (ano) Registro e Aprovações ilimitadas (ano) R$1.087,44 R$1.449,92 R$2.718,60 Ressaltamos ainda que 20% destes valores acima são repassados ao FSC Internacional. 8. Faz sentido o FSC cobrar qualquer taxa dos empreendimentos que divulgam a sua marca? Como os valores de cobrança foram definidos?

5 De fato, tanto os empreendimentos que fazem uso promocional da marca FSC quanto o próprio sistema FSC beneficiam-se mutuamente disso. Afinal, enquanto os primeiros associam suas marcas à marca FSC (e com isso transmitem uma mensagem de responsabilidade socioambiental ao seu consumidor), o segundo é disseminado junto a diversos públicos (e os conceitos de certificação e diferenciação de produtos também ganha). Porém, se o uso promocional não se der de forma segura, a marca FSC não será mais vista como um instrumento de diferenciação de produtos e os benefícios acima mencionados não se concretizarão. Para evitar que isso ocorra, o FSC definiu critérios mínimos para o uso promocional da marca, cujo cumprimento será assegurado pelos escritórios nacionais do FSC. Os valores de cobrança foram definidos justamente com base nos recursos que serão dispendidos pelo FSC Brasil para a realização de tal verificação. Em outras palavras: os custos não foram definidos em função do valor da marca FSC, e sim do custo do serviço que será prestado pelo FSC Brasil, o qual envolve a aprovação dos pedidos de uso promocional da marca. A ideia, portanto, é cobrir custos mínimos da prestação do serviço envolvidos no trâmite de liberação do uso promocional da marca. 9. Os valores são os mesmos em todos os países? Não. Como mencionado na questão anterior, os valores cobrados de organismos brasileiros interessados em fazer uso promocional das marcas registradas do FSC referem-se aos recursos dispendidos pelo FSC Brasil para sua liberação. Portanto, cada escritório nacional do FSC ao redor do mundo tem seu próprio sistema de cobrança. Tal flexibilidade do sistema procura evitar a simples oneração do uso da marca e assegurar que os valores sejam realistas e compatíveis com a realidade local. 10. Preciso aderir ao programa TSP sendo que já faço uso promocional da marca FSC? Sim. A partir de agosto/2012, organismos interessados em fazer - ou continuar fazendo - uso promocional de qualquer das marcas FSC deverão estar plenamente registrados junto ao FSC Brasil. 11. É possível desistir da adesão ao programa uma vez que determinado organismo tenha aderido?

6 Sim. Para tanto, basta informar o FSC Brasil sobre a desistência. Porém, vale ressaltar que os valores cobrados são anuais e não serão reembolsados ainda que tal organismo tenha desistido de sua adesão antes da expiração do período de cobrança. 12. Como checar se um código TSP é válido? Assim como qualquer outro certificado, os códigos TSP podem ser checados na base de dados do FSC Internacional, disponível na página Lá constam os organismos que receberam autorização para uso promocional das marcas registradas do FSC, separados por país. Vale ressaltar que o código TSP tem um formato diferente: enquanto os certificados seguem o formato FSC C000000, os códigos TSP seguem o formato FSC N Isso porque a letra C designa entes certificados (certificate holders) e a letra N designa entes não certificados (non certificate holders). 13. Quais são os dados contidos nesta base de dados? Quando um código TSP é informado, o sistema mostra informações sobre o país onde a licença foi dada e a organização / o organismo que a recebeu.

Envolva-se! Venha ser um membro do FSC!

Envolva-se! Venha ser um membro do FSC! Envolva-se! Venha ser um membro do FSC! O seu apoio é fundamental para continuarmos a trabalhar pelo futuro de nossas florestas, da fauna, da flora e dos povos que nela habitam. Um planeta com qualidade

Leia mais

Grupo de Estudos de Voluntariado Empresarial. 1º Encontro 2011 Aspectos Legais do Voluntariado 09/02/2011

Grupo de Estudos de Voluntariado Empresarial. 1º Encontro 2011 Aspectos Legais do Voluntariado 09/02/2011 Grupo de Estudos de Voluntariado Empresarial 1º Encontro 2011 Aspectos Legais do Voluntariado 09/02/2011 Introdução Uma das principais características legais do voluntariado é o não vínculo empregatício,

Leia mais

Forest Stewardship Council. Guia rápido de marcas para Portadores de Certificado

Forest Stewardship Council. Guia rápido de marcas para Portadores de Certificado Forest Stewardship Council Guia rápido de marcas para Portadores de Certificado Sobre as marcas do FSC e este guia rápido As marcas do FSC são a principal ferramenta de comunicação dos portadores de certificados

Leia mais

Política do Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE

Política do Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE Política do Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE O Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE visa fortalecer a missão de desenvolver a nossa terra e nossa gente e contribuir para

Leia mais

Guia passo a passo. Como se tornar um pequeno produtor certificado FSC

Guia passo a passo. Como se tornar um pequeno produtor certificado FSC Guia passo a passo Como se tornar um pequeno produtor certificado FSC INTRODUÇÃO AO FSC O que é o FSC? O FSC é uma organização independente, não governamental e sem fins lucrativos criada para promover

Leia mais

EDITAL PROGRAMA AMBIENTA NOVELIS PELA SUSTENTABILIDADE 5ª Edição 2014-2015

EDITAL PROGRAMA AMBIENTA NOVELIS PELA SUSTENTABILIDADE 5ª Edição 2014-2015 EDITAL PROGRAMA AMBIENTA NOVELIS PELA SUSTENTABILIDADE 5ª Edição 2014-2015 A Novelis, líder global em laminados e reciclagem de alumínio, está presente em 11 países com 26 instalações operacionais e conta

Leia mais

1.1 Poderão participar projetos fotográficos inéditos contendo de 10 (dez) a 20 (vinte) fotografias.

1.1 Poderão participar projetos fotográficos inéditos contendo de 10 (dez) a 20 (vinte) fotografias. Nova Fotografia 2013 Convocatória O projeto anual Nova Fotografia tem por objetivo criar um espaço permanente para exposição de projetos fotográficos de artistas promissores e ainda pouco conhecidos que

Leia mais

PROGRAMA FORTALECER Edital de Projetos REGULAMENTO

PROGRAMA FORTALECER Edital de Projetos REGULAMENTO PROGRAMA FORTALECER Edital de Projetos REGULAMENTO Sumário 1. O EDITAL... 2 1.1. Natureza e objetivos... 2 1.2. Princípios orientadores... 2 1.3. Foco temático do edital... 2 2. QUEM PODE PARTICIPAR...

Leia mais

MANUAL DO PROPRIETÁRIO RIO

MANUAL DO PROPRIETÁRIO RIO MANUAL DO PROPRIETÁRIO RIO Prezado Cliente, A fim de facilitar seu dia-a-dia a Zitune Empreendimentos Imobiliários, criou o manual do proprietário. Através deste manual você poderá esclarecer suas principais

Leia mais

Prezado(a) Aluno(a),

Prezado(a) Aluno(a), Prezado(a) Aluno(a), Esta cartilha irá orientar você sobre como proceder para aderir ao FIES e como realizar o aditamento semestralmente até a conclusão de seu curso. As informações são bem objetivas e

Leia mais

Regulamento do projeto "50 Telhados"

Regulamento do projeto 50 Telhados Regulamento do projeto "50 Telhados" Iniciativa Fevereiro de 2014 Sumário 1. Contextualização... 3 2. Missão do projeto 50 Telhados... 3 3. Objetivo... 3 3.1. Pequenas cidades... 3 4. Benefícios para empresas/clientes/cidades

Leia mais

Programa Bolsa-Sênior

Programa Bolsa-Sênior CHAMADA PÚBLICA 09/2015 Programa Bolsa-Sênior A Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Paraná divulga a presente Chamada Pública e convida as instituições de ensino

Leia mais

PROPOSTA COMERCIAL PARA ABERTURA DE EMPRESA

PROPOSTA COMERCIAL PARA ABERTURA DE EMPRESA PROPOSTA COMERCIAL PARA ABERTURA DE EMPRESA PROPOSTA DE ABERTURA DE EMPRESA INDIVIDUAL / SOCIEDADE / EIRELI É com grande satisfação que agradecemos a oportunidade de apresentarmos nossa proposta comercial,

Leia mais

Lei de acesso a informações públicas: principais pontos

Lei de acesso a informações públicas: principais pontos Lei de acesso a informações públicas: principais pontos Íntegra do texto 1. Quem deve cumprir a lei Órgãos públicos dos três poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) dos três níveis de governo (federal,

Leia mais

PROGRAMAS E PROJETOS SOCIAIS

PROGRAMAS E PROJETOS SOCIAIS PROGRAMAS E PROJETOS SOCIAIS Click Intranet https://intranet.unifesp.br/ Você deve acessar a Intranet com seu login (Nome escolhido para entrar no sistema) Coloque sua senha Caso você não seja cadastrado

Leia mais

Informações gerais. Formação Inicial de Instrutores de Condução

Informações gerais. Formação Inicial de Instrutores de Condução Informações gerais Formação Inicial de Instrutores de Condução Condições de Acesso 12º Ano completo, equivalente ou superior 2 anos de Carta de Condução Não possuir doença contagiosa ou deficiência física

Leia mais

Regulamento do projeto "50 Telhados"

Regulamento do projeto 50 Telhados Regulamento do projeto "50 Telhados" Iniciativa Novembro de 2013 Sumário 1. Contextualização... 3 2. Missão do projeto 50 Telhados... 3 3. Objetivo... 3 4. Benefícios para empresas/clientes/cidades participantes...

Leia mais

K21 SEREIS BRASIL 2015 K KIDS. ETAPA: Maresias - SP. CHEGADA: Na praia, em frente ao Bar Os Alemão, endereço Av. Francisco Loup, 991, Maresias, São

K21 SEREIS BRASIL 2015 K KIDS. ETAPA: Maresias - SP. CHEGADA: Na praia, em frente ao Bar Os Alemão, endereço Av. Francisco Loup, 991, Maresias, São K21 SEREIS BRASIL 2015 K KIDS ETAPA: Maresias - SP LARGADA: Na praia, em frente ao Bar Os Alemão, endereço Av. Francisco Loup, 991, Maresias, São Sebastião, Estado de São Paulo CHEGADA: Na praia, em frente

Leia mais

PROGRAMA INTEGRADO DE PÓS-GRADUAÇÃO PARA ESTRANGEIROS DA FIOCRUZ (PRINTE/PG)

PROGRAMA INTEGRADO DE PÓS-GRADUAÇÃO PARA ESTRANGEIROS DA FIOCRUZ (PRINTE/PG) 1 PROGRAMA INTEGRADO DE PÓS-GRADUAÇÃO PARA ESTRANGEIROS DA (PRINTE/PG) 1. Objetivo Geral Promover a cooperação para a qualificação de estrangeiros de nível superior nas áreas de conhecimento para as quais

Leia mais

SAN.A.IN.NA 35. Controle de Acesso aos Serviços Disponíveis ao Fornecedor no Portal da Sanasa na INTERNET 1. FINALIDADE

SAN.A.IN.NA 35. Controle de Acesso aos Serviços Disponíveis ao Fornecedor no Portal da Sanasa na INTERNET 1. FINALIDADE ISO 91 1 / 7 SUMÁRIO: 1. FINALIDADE 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO 3. CONCEITOS BÁSICOS 4. SENHA DE CONTROLE DE ACESSO 5. ASSINATURA ELETRÔNICA 6. NORMAS QUE DEVERÃO SER CONSULTADAS ANTES DE GERAR O REQUERIMENTO

Leia mais

PROJETO DE LEI N /2013, DE SETEMBRO DE 2013. Dispõe sobre a Regulamentação do Marketing Multinível ou de Rede E dá outras providências

PROJETO DE LEI N /2013, DE SETEMBRO DE 2013. Dispõe sobre a Regulamentação do Marketing Multinível ou de Rede E dá outras providências PROJETO DE LEI N /2013, DE SETEMBRO DE 2013 Dispõe sobre a Regulamentação do Marketing Multinível ou de Rede E dá outras providências O Congresso Nacional Decreta: CAPITULO I DAS DEFINIÇÕES DO QUE SE ENTENDE

Leia mais

NORMA FSC. Norma para a certificação de operações da cadeia de custódia Multi-site. FSC-STD-40-003 (Versão 1-0) PT

NORMA FSC. Norma para a certificação de operações da cadeia de custódia Multi-site. FSC-STD-40-003 (Versão 1-0) PT FOREST STEWARDSHIP COUNCIL INTERNATIONAL CENTER NORMA FSC Norma para a certificação de operações da cadeia de custódia Multi-site FSC-STD-40-003 (Versão 1-0) PT 2007 Forest Stewardship Council A.C. Todos

Leia mais

Convocatória Nova Fotografia 2016

Convocatória Nova Fotografia 2016 Convocatória Nova Fotografia 2016 O projeto anual Nova Fotografia tem por objetivo criar um espaço permanente para exposição de projetos fotográficos de artistas promissores e ainda pouco conhecidos que

Leia mais

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO E

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO E PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO - ANEXOS - ANEXO I - PROCEDIMENTOS PARA CAPACITAÇÃO INTERNA DO REQUERIMENTO Art. 1º - A capacitação interna poderá ser proposta pela Reitoria, Pró-Reitorias ou Diretorias

Leia mais

VORTALbonus PROGRAMA '15 REGULAMENTO

VORTALbonus PROGRAMA '15 REGULAMENTO VORTALbonus PROGRAMA '5 REGULAMENTO 0. QUEM PODE PARTICIPAR? 0. O QUE É NECESSÁRIO PARA PARTICIPAR? 03. QUE TRANSAÇÕES NA PLATAORMA DÃO DIREITO A VORTALbonus? 0.. Todos os utilizadores registados na plataforma

Leia mais

CARTILHA INSCRIÇÃO MUNICIPAL E REDESIM

CARTILHA INSCRIÇÃO MUNICIPAL E REDESIM CARTILHA INSCRIÇÃO MUNICIPAL E REDESIM 1- ATRAVÉS DA REDESIM PORTAL REGIN 1.1 -SOLICITAÇÃO DE INSCRIÇÃO MUNICIPAL ( EMPRESA SEM REGISTRO NA JUCEB) PASSO 1: PEDIDO DE VIABILIDADE DE INSCRIÇÃO A empresa

Leia mais

Este é um projeto comercial criado pela empresa FelipeZCelulares.com.br

Este é um projeto comercial criado pela empresa FelipeZCelulares.com.br Este é um projeto comercial criado pela empresa FelipeZCelulares.com.br As informações aqui disponíveis são apenas um breve resumo. Caso tenha qualquer dúvida ou necessite de maiores informações, entre

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Renda de Cidadania

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Renda de Cidadania Instrução Operacional nº 27 SENARC/MDS Brasília, 22 janeiro de 2009. Divulga aos municípios orientações sobre a utilização do Sistema de Atendimento e Solicitação de Formulários (Sasf) 1 APRESENTAÇÃO O

Leia mais

Instrução Normativa PROEX/IFRS nº 13, de 17 de dezembro de 2013.

Instrução Normativa PROEX/IFRS nº 13, de 17 de dezembro de 2013. Instrução Normativa PROEX/IFRS nº 13, de 17 de dezembro de 2013. Estabelece o fluxo e os procedimentos para o registro, a análise e o acompanhamento das ações de extensão do IFRS e dá outras providências.

Leia mais

Perguntas e Respostas sobre Portabilidade de Carência em Planos de Saúde

Perguntas e Respostas sobre Portabilidade de Carência em Planos de Saúde Perguntas e Respostas sobre Portabilidade de Carência em Planos de Saúde Atos Normativos ANS Agência Nacional de Saúde Suplementar Resolução Normativa 186, de 14 de janeiro de 2009 - ANS Instrução Normativa

Leia mais

TERMO DE USO SERVIÇO VIVO REDES SOCIAIS USSD

TERMO DE USO SERVIÇO VIVO REDES SOCIAIS USSD TERMO DE USO SERVIÇO VIVO REDES SOCIAIS USSD As disposições abaixo regulam a utilização do serviço Vivo Redes Sociais ( Serviço ), desenvolvido pela Myriad e ofertado pela TELEFÔNICA BRASIL S/A, doravante

Leia mais

Uma vez feito o pagamento você poderá enviar um e-mail ou fax com o comprovante para o seguinte:

Uma vez feito o pagamento você poderá enviar um e-mail ou fax com o comprovante para o seguinte: DEPARTAMENTO FINANCEIRO DA CORPORATE GIFTS O departamento financeiro da Corporate Gifts orgulha-se pela nossa capacidade de fornecer aos nossos clientes um serviço seguro, preciso e imediato. Será um prazer

Leia mais

MÓDULO 14 Sistema de Gestão da Qualidade (ISO 9000)

MÓDULO 14 Sistema de Gestão da Qualidade (ISO 9000) MÓDULO 14 Sistema de Gestão da Qualidade (ISO 9000) Ao longo do tempo as organizações sempre buscaram, ainda que empiricamente, caminhos para sua sobrevivência, manutenção e crescimento no mercado competitivo.

Leia mais

Modalidade Franqueado

Modalidade Franqueado PRÊMIO o cumprimento ABF DESTAQUE de todos os critérios FRANCHISING deste Categoria regulamento, selecionando Sustentabilidade os melhores trabalhos. Modalidade Franqueado REGULAMENTO Objetivos O Prêmio

Leia mais

Regulamento PAPSummer 2015

Regulamento PAPSummer 2015 Regulamento PAPSummer 2015 Artigo 1º Objectivos do programa, montante e designação das bolsas 1. O programa PAPSummer pretende dar a oportunidade a estudantes portugueses (Estudante) de desenvolver um

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS CONDUTORES DA TOCHA OLÍMPICA RIO 2016

PERGUNTAS E RESPOSTAS CONDUTORES DA TOCHA OLÍMPICA RIO 2016 PERGUNTAS E RESPOSTAS CONDUTORES DA TOCHA OLÍMPICA RIO 2016 1. Quando se dará o início da indicação de condutores? O início se dará às 10h00 do dia 10 de setembro de 2015. 2. Posso me indicar para ser

Leia mais

1. Tela de Acesso pg. 2. 2. Cadastro pg. 3. 3. Abas de navegação pg. 5. 4. Abas dados cadastrais pg. 5. 5. Aba grupo de usuários pg.

1. Tela de Acesso pg. 2. 2. Cadastro pg. 3. 3. Abas de navegação pg. 5. 4. Abas dados cadastrais pg. 5. 5. Aba grupo de usuários pg. Sumário 1. Tela de Acesso pg. 2 2. Cadastro pg. 3 3. Abas de navegação pg. 5 4. Abas dados cadastrais pg. 5 5. Aba grupo de usuários pg. 6 6. Aba cadastro de funcionários pg. 7 7. Pedidos pg. 12 8. Cartões

Leia mais

Edital FINATEC 04/2015 - Finatec / UnB. Participação em Eventos Científicos Internacionais

Edital FINATEC 04/2015 - Finatec / UnB. Participação em Eventos Científicos Internacionais Edital FINATEC 04/2015 - Finatec / UnB Participação em Eventos Científicos Internacionais A Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos - Finatec, pessoa jurídica de direito privado, sem fins

Leia mais

Poderão ser aceitos no programa os candidatos que obtiverem nota superior ou igual a 8 (oito), seguindo a distribuição indicada acima.

Poderão ser aceitos no programa os candidatos que obtiverem nota superior ou igual a 8 (oito), seguindo a distribuição indicada acima. INSTITUTO DE CIÊNCIAS MATEMÁTICAS E DE COMPUTAÇÃO - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICA - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES AOS PROCESSOS SELETIVOS nº

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA VOLUNTÁRIA 2008

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA VOLUNTÁRIA 2008 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS - UEMG ESCOLA DE DESIGN ED COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO NUCLEO INTEGRADOR DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS - NIPP PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA VOLUNTÁRIA 2008 Aprovado pelo

Leia mais

Art. 2º Este Ato Administrativo entra em vigor na data de sua assinatura, revogadas as disposições em contrário.

Art. 2º Este Ato Administrativo entra em vigor na data de sua assinatura, revogadas as disposições em contrário. ATO ADMINISTRATIVO REITORIA Nº 45/2015 Aprova o Edital do Processo Seletivo do Programa de Integralização de Créditos para a Conclusão do Curso Superior de Teologia Vestibular 1º semestre de 2016 O REITOR

Leia mais

Soluções inovadoras para sua empresa e para você. Apresentação Parceria Agência de Domésticas 4003-4733 (11) 3083-1529

Soluções inovadoras para sua empresa e para você. Apresentação Parceria Agência de Domésticas 4003-4733 (11) 3083-1529 Soluções inovadoras para sua empresa e para você. Apresentação Parceria Agência de Domésticas www.pagga.com.br www.paggadomesticos.com.br A nova Lei das Domésticas Com a Lei das Domés,cas, publicada em

Leia mais

PROCEDIMENTO DE ADESÃO AO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO DE BATERIAS DE VEÍCULOS USADAS (SIGBVU) DA VALORCAR

PROCEDIMENTO DE ADESÃO AO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO DE BATERIAS DE VEÍCULOS USADAS (SIGBVU) DA VALORCAR PROCEDIMENTO DE ADESÃO AO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO DE BATERIAS DE VEÍCULOS USADAS (SIGBVU) DA VALORCAR PARA PRODUTORES/IMPORTADORES DE BATERIAS DE VEÍCULOS ÍNDICE Introdução...3 1. Enquadramento Legal...4

Leia mais

PROGRAMA DE FIDELIDADE INTERLAGOS CARD REGULAMENTO

PROGRAMA DE FIDELIDADE INTERLAGOS CARD REGULAMENTO PROGRAMA DE FIDELIDADE INTERLAGOS CARD REGULAMENTO I DEFINIÇÕES 1.1. O Programa de Fidelidade do INTERLAGOS CARD é uma ação de relacionamento com clientes, caracterizada como programa de fidelização, que

Leia mais

EVENTOS E CONGRESSOS

EVENTOS E CONGRESSOS EVENTOS E CONGRESSOS O financiamento de eventos de caráter científico-tecnológico obedece à seguinte priorização: a) organização; b) participação coletiva; c) participação individual no país; d) participação

Leia mais

REGULAMENTO. 1.4.2. No término antecipado da ação promocional, a responsabilidade da Lenovo quanto à oferta ora estabelecida se dará por encerrada.

REGULAMENTO. 1.4.2. No término antecipado da ação promocional, a responsabilidade da Lenovo quanto à oferta ora estabelecida se dará por encerrada. REGULAMENTO Promoção COMPRE E GANHE DIA DAS MÃES LENOVO 1.A presente ação promocional é de responsabilidade da Lenovo Tecnologia (Brasil) Ltda., inscrita no CNPJ/MF sob o nº 07.275.920/0001-61, e beneficiará

Leia mais

Tudo Sobre Domínios! Registrar seu Domínio: Informações Importantes:

Tudo Sobre Domínios! Registrar seu Domínio: Informações Importantes: Registrar seu Domínio: Desejo apenas Registrar um Domínio utilizando os DNS de um provedor de hospedagem. Clique aqui para reservar seu domínio por 1 ano no Brasil.: http:///site/reserva.php?codreserva=1&s=vw1welpy

Leia mais

SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2 Atendente... 3

SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2 Atendente... 3 SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2 1. Login no sistema... 2 Atendente... 3 1. Abrindo uma nova Solicitação... 3 1. Consultando Solicitações... 5 2. Fazendo uma Consulta Avançada... 6 3. Alterando dados da

Leia mais

C E R T I F I C A Ç Ã O REGULAMENTO NACIONAL DE CERTIFICAÇÕES

C E R T I F I C A Ç Ã O REGULAMENTO NACIONAL DE CERTIFICAÇÕES C E R T I F I C A Ç Ã O REGULAMENTO NACIONAL DE CERTIFICAÇÕES Com o objetivo de melhorar o nível de confiabilidade e segurança das certificações emitidas pelas ASSESPRO REGIONAIS a favor de seus associados,

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS JURÍDICOS

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS JURÍDICOS CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS JURÍDICOS Pelo presente instrumento particular de Contrato de Prestação de Serviços Jurídicos, a empresa... (razão social da empresa), inscrita do CNPJ/MF sob o nº...,

Leia mais

Edital Instituto Sabin - 01/2015

Edital Instituto Sabin - 01/2015 Edital Instituto Sabin - 01/2015 Seleção pública de iniciativas empreendedoras socioambientais inovadoras para parceria com o Instituto Sabin O Instituto Sabin, torna público o presente Edital e convoca

Leia mais

UNIÃO DOS ESCOTEIROS DO BRASIL

UNIÃO DOS ESCOTEIROS DO BRASIL UNIÃO DOS ESCOTEIROS DO BRASIL EDITAL DE SELEÇÃO E FINANCIAMENTO DE PROJETOS ESCOTEIROS -1/2013 A União dos Escoteiros do Brasil torna público o Edital para seleção e financiamento de projetos escoteiros,

Leia mais

O sistema é dividido por quatro menus principais: Cadastro, Comercial, Estoque e Pesquisa como verá a seguir:

O sistema é dividido por quatro menus principais: Cadastro, Comercial, Estoque e Pesquisa como verá a seguir: Visão Rápida do sistema Administrativo LC O sistema Administrativo LC é um sistema completo para administrar o seu escritório, loja ou comercio em geral. Nosso sistema pode ser customizado a necessidade

Leia mais

- REGULAMENTO - PROGRAMA VOLUNTARIADO JUVENIL

- REGULAMENTO - PROGRAMA VOLUNTARIADO JUVENIL - REGULAMENTO - PROGRAMA VOLUNTARIADO JUVENIL Artigo 1.º Objetivos O programa Voluntariado Juvenil visa promover a participação cívica dos jovens em ações de voluntariado de interesse social e comunitário,

Leia mais

Manual Cartão Pesquisa /CNPq. Atualizado em 25/08/2014

Manual Cartão Pesquisa /CNPq. Atualizado em 25/08/2014 Manual Cartão Pesquisa /CNPq Atualizado em 25/08/2014 Sumário Introdução... 3 Cartão BB Pesquisa... 4 Passo a Passo... 8 Perguntas e Respostas.... 14 Cartão BB Pesquisa O Cartão BB Pesquisa éresultado

Leia mais

MESTRADO 2010/2. As aulas do Mestrado são realizadas no Campus Liberdade, já as matrículas na área de Relacionamento.

MESTRADO 2010/2. As aulas do Mestrado são realizadas no Campus Liberdade, já as matrículas na área de Relacionamento. MESTRADO 2010/2 GERAL 1. Onde são realizadas as aulas do Mestrado? E as matrículas? As aulas do Mestrado são realizadas no Campus Liberdade, já as matrículas na área de Relacionamento. 2. Qual a diferença

Leia mais

1. OBJETIVO Prestar atendimento ao cidadão de maneira rápida, eficiente e eficaz, de acordo com os requisitos especificados pelo cliente.

1. OBJETIVO Prestar atendimento ao cidadão de maneira rápida, eficiente e eficaz, de acordo com os requisitos especificados pelo cliente. Sistema de Gestão da Qualidade SUPERINTENDÊNCIA DE VAPT VUPT E ATENDIMENTO AO PÚBLICO INSTRUÇÃO DE TRABALHO DE ATENDIMENTO AO CIDADÃO - DEPARTAMENTO DE ÁGUA E ESGOTO DE CALDAS NOVAS - DEMAE Responsável:

Leia mais

REGULAMENTO. Capítulo 1º. Definições:

REGULAMENTO. Capítulo 1º. Definições: REGULAMENTO A OPERADORA E AGÊNCIA DE VIAGENS CVC TUR LTDA., o Presenteador e o Presenteado do VALE-VIAGEM CVC, a primeira, na qualidade de prestadora de serviços de turismo, e o segundo, aderindo às condições

Leia mais

Inscrições/Submissões

Inscrições/Submissões Inscrições/Submissões Orientações Gerais As inscrições serão feitas exclusivamente online, no site do evento, pelo link Inscrições/Submissões > Formulário de inscrição. O preenchimento correto dos dados

Leia mais

Termo Aditivo ao Contrato de Abertura, Movimentação e Manutenção de Conta de Depósito à Vista Adesão a Serviços de Liquidação Cetip

Termo Aditivo ao Contrato de Abertura, Movimentação e Manutenção de Conta de Depósito à Vista Adesão a Serviços de Liquidação Cetip Termo Aditivo ao Contrato de Abertura, Movimentação e Manutenção de Conta de Depósito à Vista Adesão a Serviços de Liquidação Cetip CONTA CORRENTE (uso exclusivo do banco) Razão Social do Titular Endereço

Leia mais

Material de apoio. Portaria SNJ nº 252, de 27/ 12/ 12, publicada no D.O.U. de 31/ 12 /12. Manual do usuário. Manual da nova comprovação de vínculo.

Material de apoio. Portaria SNJ nº 252, de 27/ 12/ 12, publicada no D.O.U. de 31/ 12 /12. Manual do usuário. Manual da nova comprovação de vínculo. Material de apoio Material de apoio Portaria SNJ nº 252, de 27/ 12/ 12, publicada no D.O.U. de 31/ 12 /12. Manual do usuário. Manual da nova comprovação de vínculo. Informações Gerais O sistema CNES/MJ

Leia mais

EDITAL PRGDP Nº 29/2014

EDITAL PRGDP Nº 29/2014 EDITAL PRGDP Nº 29/2014 A PRGDP/UFLA, no uso de suas atribuições, e considerando a Lei nº 11.091, de 12/01/2005, Decreto nº 5.707, de 23/02/2006 e a Resolução CUNI nº 56 de 29/10/2013, torna público que

Leia mais

ÁREA DE FORMAÇÃO: CONTRAIR CRÉDITO CARTÃO DE CRÉDITO

ÁREA DE FORMAÇÃO: CONTRAIR CRÉDITO CARTÃO DE CRÉDITO ÁREA DE FORMAÇÃO: CONTRAIR CRÉDITO CARTÃO DE CRÉDITO Índice O que é o cartão de crédito? Ficha de Informação Normalizada (FIN) Modalidades de reembolso Custo do crédito Taxas máximas Livre revogação Contrato

Leia mais

1. APRESENTAÇÃO. 1.1. Objetivo Geral

1. APRESENTAÇÃO. 1.1. Objetivo Geral PRÁTICA 1) TÍTULO FEEDBACK DE INTERAÇÕES CLIENTES E GESTORES REDES SOCIAIS 2) DESCRIÇÃO DA PRÁTICA - limite de 8 (oito) páginas: 1. APRESENTAÇÃO O Serviço de Monitoramento em Redes Sociais da Infraero,

Leia mais

Guia para Comprovação de Investimentos

Guia para Comprovação de Investimentos Guia para Comprovação de Investimentos 1 2 4 5 Introdução Acompanhamento na Fase de Análise ETAPA 1 Comprovação Financeira ETAPA 2 Comprovação Física ETAPA Comprovação Jurídica ETAPA 4 Liberação Penalidades

Leia mais

REGULAMENTO PROMOÇÃO CARREFOUR GARANTIA ESTENDIDA TELEMARKETING

REGULAMENTO PROMOÇÃO CARREFOUR GARANTIA ESTENDIDA TELEMARKETING REGULAMENTO PROMOÇÃO CARREFOUR GARANTIA ESTENDIDA TELEMARKETING Dados da Promotora: Cardif do Brasil Seguros e Garantias S.A. CNPJ: 08.279.191/0001-84 Rua Campos Bicudo, 98 1º ao 7º andar, São Paulo -

Leia mais

Novas Formas de Aprender e Empreender

Novas Formas de Aprender e Empreender Novas Formas de Aprender e Empreender DÚVIDAS FREQUENTES 1. Sobre o Prêmio Instituto Claro, Novas Formas de Aprender e Empreender 1.1. O que é o Prêmio? O Prêmio Instituto Claro Novas Formas de Aprender

Leia mais

COMPREENDENDO MELHOR O APOIO DA FAPEMIG À PROTEÇÃO INTELECTUAL DE INVENTORES INDEPENDENTES

COMPREENDENDO MELHOR O APOIO DA FAPEMIG À PROTEÇÃO INTELECTUAL DE INVENTORES INDEPENDENTES COMPREENDENDO MELHOR O APOIO DA FAPEMIG À PROTEÇÃO INTELECTUAL DE INVENTORES INDEPENDENTES 1- A FAPEMIG apoia, tecnicamente e financeiramente, os inventores independentes na proteção e manutenção de invenções,

Leia mais

MANUAL DE ANOTAÇÃO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA - ART (SP/MT/MS)

MANUAL DE ANOTAÇÃO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA - ART (SP/MT/MS) MANUAL DE ANOTAÇÃO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA - ART (SP/MT/MS) Sumário 1 - Procedimentos para obter 1ª ART Eletrônica... 2 2 Como obter o Termo de Responsabilidade Técnica... 3 3 - Encaminhar documentos

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho CONVÊNIO COM ENTIDADES DE CLASSE IT. 23 05 1/5 1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para a celebração de convênios com Entidades de Classe para a concessão de recursos, pelo Sistema Confea/Crea, para medidas

Leia mais

REGULAMENTO Prêmio IEL de Estágio 2014

REGULAMENTO Prêmio IEL de Estágio 2014 REGULAMENTO Prêmio IEL de Estágio 2014 Curitiba, Fevereiro de 2014 Sumário 1. O PRÊMIO... 3 2. OBJETIVOS... 4 3. CATEGORIAS DE PREMIAÇÃO... 5 4. ETAPAS DE AVALIAÇÃO... 5 5. PREMIAÇÃO... 5 6. PARTICIPAÇÃO/INSCRIÇÃO...

Leia mais

Manual do Estagiário

Manual do Estagiário CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA FACULDADE DE TECNOLOGIA NILO DE STÉFANI - JABOTICABAL Manual do Estagiário CURSO DE TECNOLOGIA EM BIOCOMBUSTÍVEIS 2º Semestre de 2014 Sumário 1 Informações

Leia mais

INTERNATIONAL FEDERATION OF MEDICAL STUDENTS ASSOCIATIONS OF BRAZIL

INTERNATIONAL FEDERATION OF MEDICAL STUDENTS ASSOCIATIONS OF BRAZIL INTERNATIONAL FEDERATION OF MEDICAL STUDENTS ASSOCIATIONS OF BRAZIL Edital de VAGAS EXTRAS E REMANESCENTES PIN 2014-2015 CONTEÚDO 1. Sobre o Edital 02 2. Disposições Gerais 03 3. Como Proceder 04 4. Sobre

Leia mais

O processo de filiação de clubes/entidades é SEMPRE efetuado através da respetiva associação.

O processo de filiação de clubes/entidades é SEMPRE efetuado através da respetiva associação. Atualizado em 30 outubro 2012 1. Regime Transitório As normas constantes neste documento vigorarão até à entrada em funcionamento da plataforma eletrónica para a gestão das filiações e inscrições em eventos

Leia mais

OBSERVATÓRIO NACIONAL ON COORDENAÇÃO DE GEOFÍSICA COGE PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL PCI/MCTI CHAMADA 01/2013

OBSERVATÓRIO NACIONAL ON COORDENAÇÃO DE GEOFÍSICA COGE PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL PCI/MCTI CHAMADA 01/2013 OBSERVATÓRIO NACIONAL ON COORDENAÇÃO DE GEOFÍSICA COGE PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL PCI/MCTI CHAMADA 01/2013 A Coordenação de Geofísica (COGE) do Observatório Nacional torna pública a abertura

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA ANHEMBI MORUMBI

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA ANHEMBI MORUMBI EDITAL 03/2014 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA ANHEMBI MORUMBI A Pró-reitora de Pesquisa, por meio da Coordenadoria de Pesquisa da Universidade Anhembi Morumbi torna público o

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO INTEGRADO DE DESIGN E ENGENHARIA DE PRODUTO - LIDEP

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO INTEGRADO DE DESIGN E ENGENHARIA DE PRODUTO - LIDEP REGULAMENTO DO LABORATÓRIO INTEGRADO DE DESIGN E ENGENHARIA DE PRODUTO - LIDEP A Coordenadora da Faculdade de Ciência e Tecnologia de Montes Claros FACIT, no uso de suas atribuições regimentais, considerando

Leia mais

O CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DE PERNAMBUCO, no uso das atribuições que lhe confere o Artigo 10 da Lei nº 5.

O CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DE PERNAMBUCO, no uso das atribuições que lhe confere o Artigo 10 da Lei nº 5. Resolução nº 007, de 27 de maio de 2015 Disciplina a cessão e locação do auditório e das salas de treinamento destinados à eventos e reuniões na sede do CRMV-PE O CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA

Leia mais

PROGRAMA DE BOLSAS UNIVESP BOLSAS DE APOIO ACADÊMICO E TECNOLÓGICO

PROGRAMA DE BOLSAS UNIVESP BOLSAS DE APOIO ACADÊMICO E TECNOLÓGICO BOLSAS DE APOIO ACADÊMICO E TECNOLÓGICO Normas e Procedimentos 1. DISPOSIÇÕES GERAIS A UNIVESP instituiu, por deliberação de seu Conselho de Curadores, o PROGRAMA DE BOLSAS UNIVESP, com as características

Leia mais

PROGRAMA DE CRÉDITO EDUCATIVO - INVESTCREDE REGULAMENTO

PROGRAMA DE CRÉDITO EDUCATIVO - INVESTCREDE REGULAMENTO PROGRAMA DE CRÉDITO EDUCATIVO - INVESTCREDE 1. DAS INFORMAÇÕES GERAIS REGULAMENTO 1.1 - O presente regulamento objetiva a concessão de Crédito Educativo para estudantes devidamente Matriculados nos cursos

Leia mais

-------------------------------------- I GERAL ----------------------------------------

-------------------------------------- I GERAL ---------------------------------------- REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DO CATAVENTO E FÁBRICAS DE CULTURA -------------------------------------- I GERAL ---------------------------------------- Artigo 1º - Este regulamento

Leia mais

Manual do Usuário. Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem Usuário Meio de Hospedagem

Manual do Usuário. Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem Usuário Meio de Hospedagem Manual do Usuário Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem Usuário Meio de Hospedagem Julho de 2011 1 Sumário 1. Introdução... 3 2. Siglas... 3 3. Descrição do Sistema... 3 4. Como utilizar

Leia mais

norma técnica Padrão de Segurança e Saúde: avaliação do desempenho em segurança e saúde das empresas colaboradoras Código: NT.00047.GN-SP.

norma técnica Padrão de Segurança e Saúde: avaliação do desempenho em segurança e saúde das empresas colaboradoras Código: NT.00047.GN-SP. norma técnica Padrão de Segurança e Saúde: avaliação do desempenho em segurança e saúde das empresas colaboradoras Código: NT.00047.GN-SP.ESS Edição: 1 O texto seguinte corresponde a uma tradução do Procedimento

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE ASSISTÊNCIA PROTEÇÃO A CARTÕES PLANO 1

CONDIÇÕES GERAIS DE ASSISTÊNCIA PROTEÇÃO A CARTÕES PLANO 1 CONDIÇÕES GERAIS DE ASSISTÊNCIA PROTEÇÃO A CARTÕES PLANO 1 1. QUADRO RESUMO DE SERVIÇOS ITEM SERVIÇOS LIMITES DO SERVIÇO 1 Assistência Global de Proteção a Cartões e Serviço de Solicitação de Cartão Substituto

Leia mais

CARTILHA PARA O USO DA MARCA

CARTILHA PARA O USO DA MARCA Página 1 de 11 PROCEDIMENTO DO SISTEMA DE GESTÃO Este procedimento é parte integrante do Sistema de Gestão da Qualidade da BRICS. Quando disponível em domínio público, está sujeito a alterações sem aviso

Leia mais

2ª Olimpíada de Empreendedorismo Universitário

2ª Olimpíada de Empreendedorismo Universitário 2ª Olimpíada de Empreendedorismo Universitário da Universidade Federal de Goiás CATEGORIA 2 EMPREENDEDORISMO SOCIAL Agosto de 2015 REGULAMENTO CATEGORIA 2 EMPREENDEDORISMO SOCIAL 1. APRESENTAÇÃO A Categoria

Leia mais

O Acordo de Haia Relativo ao Registro. Internacional de Desenhos Industriais: Principais características e vantagens

O Acordo de Haia Relativo ao Registro. Internacional de Desenhos Industriais: Principais características e vantagens O Acordo de Haia Relativo ao Registro Internacional de Desenhos Industriais: Principais características e vantagens Publicação OMPI N 911(P) ISBN 92-805-1317-X 2 Índice Página Introdução 4 Quem pode usufruir

Leia mais

2º PRÊMIO SESCAP-PR DE JORNALISMO. Regulamento

2º PRÊMIO SESCAP-PR DE JORNALISMO. Regulamento 2º PRÊMIO SESCAP-PR DE JORNALISMO Regulamento 1. OBJETIVO: O PRÊMIO SESCAP-PR DE JORNALISMO é uma iniciativa do Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias,

Leia mais

FUNDO DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO DAS FEDERADAS E NÚCLEOS ASSOCIATIVOS DA ABP FADEF/ABP

FUNDO DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO DAS FEDERADAS E NÚCLEOS ASSOCIATIVOS DA ABP FADEF/ABP EDITAL 004/2015/FADEF FUNDO DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO DAS FEDERADAS E NÚCLEOS ASSOCIATIVOS DA ABP FADEF/ABP A Associação Brasileira de Psiquiatria ABP torna público e convoca os interessados a apresentarem

Leia mais

RIO GRANDE DO SUL CONTROLE INTERNO

RIO GRANDE DO SUL CONTROLE INTERNO 1/15 A Coordenadoria do Sistema de Controle Interno do Município, considerando: - O volume de recursos recebidos pelo Município a título de repasse de outros entes da Federação via Convênio ou Contrato

Leia mais

EDITAL / REGULAMENTO TREZE: O PALCO DA CULTURA 10ª EDIÇÃO

EDITAL / REGULAMENTO TREZE: O PALCO DA CULTURA 10ª EDIÇÃO EDITAL / REGULAMENTO TREZE: O PALCO DA CULTURA 10ª EDIÇÃO I. DO OBJETO 1.1. Através de processo de seleção, irá proporcionar a apresentação de 25 trabalhos produzidos por artistas, grupos ou companhias

Leia mais

SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA

SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA Veja como funciona, como contratar, quais os seus direitos e como reclamar no caso de problemas. COMO FUNCIONA A transmissão pode ser via cabo, satélite ou microonda, sendo

Leia mais