5 o ANO CADERNO DE ATIVIDADES LÍNGUA PORTUGUESA. 3 o BIMESTRE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "5 o ANO CADERNO DE ATIVIDADES LÍNGUA PORTUGUESA. 3 o BIMESTRE"

Transcrição

1 5 o ANO CADERNO DE ATIVIDADES 3 o BIMESTRE

2

3 5 o ANO CADERNO DE ATIVIDADES 3 o BIMESTRE

4 Governador Cid Ferreira Gomes Vice-Governador Domingos Gomes de Aguiar Filho Secretária da Educação Maria Izolda Cela de Arruda Coelho Secretário Adjunto Maurício Holanda Maia Coordenadora de Cooperação com os Municípios Márcia Oliveira Cavalcante Campos Orientadora da Célula de Programas e Projetos Estaduais Lucidalva Pereira Bacelar Elaboração: Escola de Formação Permanente do Magistério ESFAPEM Ana Rosa de Andrade Parente Direção Cristiane Coelho Ferreira Gomes Coordenação dos Programas de Formação Artais Pinheiro de Andrade Acompanhamento dos Programas de Formação Samara Mesquita Lucas Acompanhamento dos Programas de Formação Maria Wanderliza Dias Angelim Assistente Técnica Wilson Linhares Assistente Técnico Colaboradores: Professores formadores de Língua Portuguesa: - Ana Fábia Cruz Barbosa - Francisca Elizabeth de Andrade Lima - Francisco Jackson Moreira de Sampaio - Francisca Lucélia Pereira Saldanha - Iana Mamede Accioly - Kátia Cristina Gomes Lino - Luidmila Tomaz de Sá - Marieta Parente Sobreira Professores formadores de Matemática: - Cícero Regnoberto de Alcântara - Evandro Júnior Alves Pinto - Francisco Jairo Gomes - Francisco Robério Linhares Rodrigues - Geraldo Gonçalves do Nascimento Júnior - João Paulo da Silva - Wendel Melo Andrade Projeto e Coordenação Gráfica Daniel Diaz Diagramacão Jozias Rodrigues Revisão Escola de Formação Permanente do Magistério ESFAPEM

5 Apresentação Cara professora, Caro professor, Com dedicação, elaboramos este caderno de atividades para que você professor(a) possa utilizá-lo com seus alunos. Priorizamos enriquecer o seu trabalho e qualificar as atividades desenvolvidas dentro da rotina de sala de aula, tornando-as mais dinâmicas, lúdicas e significativas. Esta são as razões da existência deste material do PAIC+5: fornecer a vocês, professores, sugestões de práticas para aperfeiçoar o trabalho docente e proporcionar trocas de experiências para a caminhada com êxito dentro do magistério. Toda essa gama de sugestões pretende valorizar as iniciativas de estímulo e de formação de leitores. O uso do caderno é efetivado pelas orientações didáticas referentes à cada atividade. E estas, quando bem apreendidas, é que favorecerão a realização das atividades pelos alunos com mais autonomia. E a você, dará a segurança em atingir os objetivos específicos de cada atividade. Cabe a você abraçar este material e realizar os objetivos a que ele se propõe, para então deixá-lo em outras mãos, como agora fazemos com você, na certeza de que serão sempre mãos generosas e competentes. Cordialmente, SEDUC/COPEM Coordenaçao de Cooperaçao com os Municípios Escola de Formação Permanente do Magistério - ESFAPEM

6

7 SUMÁRIO 3 o Bimestre Texto Texto Texto Texto Texto Texto Texto Texto Texto Texto Texto Texto Texto Texto Texto Texto Texto Texto Texto Texto

8

9 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO 9 TEXTO 01 DATA: / / GÊNERO: TIPO: FINALIDADE: Leia com atenção para responder as questões abaixo. O macaco e o crocodilo Fábula africana O macaco vivia numa mangueira perto da margem do rio. Certo dia, um crocodilo se aproximou. Humm, o crocodilo pensou, Estou com vontade de comer coração de macaco no jantar. Então, ele disse para o macaco: Desça da árvore para brincar comigo. Eu não posso brincar com estranhos respondeu o macaco. Mas eu quero lhe mostrar uma mangueira do outro lado do rio, que dá mangas muito melhores do que a sua árvore. É mesmo? exclamou o macaco. Mas eu não sei nadar. Não tem problema sorriu o crocodilo. Pule nas minhas costas que eu o ajudo a atravessar o rio. O macaco pulou nas costas do crocodilo. Logo estavam no meio do rio. De repente, o crocodilo começou a mergulhar, com o macaco ainda em suas costas. Socorro! Pare! Estou me afogando! gritou o macaco. Segure-se o crocodilo sorriu. Eu vou afogá-lo, pois quero comer coração de macaco no jantar, e você foi burro o suficiente para confiar em mim. Ah lamentou-se o macaco. Eu gostaria que tivesse me contado a verdade. Aí eu teria trazido meu coração comigo. Quer dizer que você deixou seu coração na mangueira? perguntou, descrente, o crocodilo. Mas é claro respondeu o macaco. Nesta selva perigosa os macacos não correm por aí com seus corações. Nós os deixamos em casa. Mas vou lhe dizer o que podemos fazer. Você me leva para a mangueira com frutas maduras, do outro lado do rio, e depois podemos voltar para pegar meu coração. Nada disso desdenhou o crocodilo. Vamos voltar e pegá-lo agora mesmo! Segure-se aí! Tudo bem concordou o macaco. Então o crocodilo deu meia volta e rumou para a mangueira do macaco. Assim que eles chegaram à margem, o macaco subiu na árvore e jogou uma manga na cabeça do crocodilo. Meu coração está aqui em cima, crocodilo estúpido! disse ele. Se quiser comê-lo, vai ter de subir aqui e pegar! O macaco e o crocodilo, Fábulas do mundo todo. São Paulo: Editora Melhoramentos, pp

10 10 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO 1. Onde se passa a história? 2. Quem são as personagens presentes no texto? 3. Na oração: Desça da árvore para brincar comigo. A palavra comigo (linha 4) se refere a quem? 4. No trecho: Mas eu quero lhe mostrar uma mangueira do outro lado do rio, que dá mangas muito melhores do que a sua árvore. A palavra destacada no trecho é o mesmo que (A) árvore frutífera. (B) árvore medicinal. (C) árvore seca. (D) árvore sombria. 5. A finalidade desse tipo de texto é (A) argumentar. (B) narrar. (C) persuadir. (D) sensibilizar. 6. Na frase: perguntou, descrente, o crocodilo. A palavra em negrito é o mesmo que (A) confiante. (B) fervoroso. (C) fielmente. (D) Incrédulo. 7. No trecho: Estou com vontade de comer coração de macaco no jantar. O uso das aspas nesse contexto, foi utilizado para (A) indicar uma citação. (B) fazer uma indagação. (C) suscitar alegria. (D) representar a fala. 8. Pelo desfecho do texto, percebe-se que o macaco foi (A) confuso. (B) esperto. (C) ingênuo. (D) paciente. 9. A partir do seu entendimento com o texto, dê uma moral para a história.

11 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO 11 TEXTO 02 DATA: / / GÊNERO: TIPO: FINALIDADE: Leia o texto abaixo. A sucuri A sucuri, a maior cobra do mundo, pode matar animais maiores que ela porque tem força suficiente para apertar e quebrar ossos. As cobras menores, como a coral, imobilizam suas presas mordendo-as e injetando-lhes veneno. 1. A palavra SUCURI no texto, faz referência a (A) uma espécie de anta. (B) uma espécie de cadela. (C) uma espécie de cobra. (D) uma espécie de jacaré. Lição de Casa São Paulo: Klick Editora Na frase:...a maior cobra do mundo... a palavra mundo dá ideia de (A) intensidade. (B) lugar. (C) modo. (D) tempo. 3. A linguagem utilizada foi (A) variedade padrão formal. (B) variedade padrão informal. (C) linguagem não-verbal. (D) linguagem mista. 4. A finalidade desse texto é. Leia o trecho abaixo. As cobras menores, como a coral, imobilizam suas presas mordendo-as e injetando-lhes veneno. 5. Reescreva o trecho acima trocando as palavras que estão em negrito pelos sinônimos correspondentes. Revise sua atividade para garantir 100% de seu aprendizado!!!

12 12 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO Rap da Felicidade Eu só quero é ser feliz Andar tranquilamente na favela Onde eu nasci E poder me orgulhar E ter a consciência de que o pobre tem seu lugar... Rap da Felicidade. MC Cidinho e MC Doce. Programa Um. Som Livre. 6. O texto está em forma de e tem como finalidade. 7. Você conhece a dupla da música? Que estilo musical é usado pelos cantores? 8. O assunto que trata a música é (A) a discriminação. (B) a infelicidade. (C) a moradia. (D) a violência. 9. Que tipo de felicidade o compositor retrata na música? 10. Dê sua opinião, a respeito da representação poética retratada em cada um dos versos. REVISE SUA ATIVIDADE PARA GARANTIR SEU APRENDIZADO!

13 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO 13 TEXTO 03 DATA: / / GÊNERO: TIPO: FINALIDADE: Suriá SURIÁ. Folha de São Paulo, São Paulo, 19 de jul. de Folhinha. 1. O texto tem características de e contém História em quadrinhos: balões (diálogos), personagens, pontuações enfáticas, onomatopéias (representando os diversos sons), interjeições (admirações), elementos da narrativa: introdução, desenvolvimento, conflito e desfecho. 2. Quem é Suriá no texto? 3. O que deu origem a história?

14 14 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO 4. No final do texto a personagem demonstra ser (A) arrogante. (B) egoísta. (C) interesseira. (D) parceira. 5. No terceiro quadrinho, na fala TAMBÉM EU! indica que a personagem está (A) admirada. (B) eufórica. (C) chorando. (D) pensando. 6. Vou fazer mais que isso... (1º quadrinho). O sinal de pontuação no final da frase indica que há uma (A) admiração. (B) continuidade. (C) pausa. (D) pergunta. 7. Na fala: MARGÔ! Quer voltar a ficar bem comigo e entrar numa história super-legal? É usado um tipo de linguagem (A) culta. (B) informal. (C) regional. (D) técnica. 8. Agora, reescreva a história em quadrinhos, transformando-a em um texto em prosa. Não esqueça de utilizar a linguagem própria dos diálogos quando for necessário: ponto-final; vírgula; travessão; dois-pontos; exclamação e interrogação. Capriche na sua caligrafia e procure revisar seu texto com atenção!

15 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO 15 TEXTO 04 DATA: / / GÊNERO: TIPO: FINALIDADE: Leia o texto para responder as questões abaixo. Saudosa Maloca Se o sinhô num tá lembrado, dá licença de contá, é que onde agora está esse edifício arto, era uma casa véia, um palacete assombradado. Foi aqui, seu moço, que eu, Mato Grosso e o Joca construímo nossa maloca. Mas um dia, nóis nem pode sealembrá, veio os home co as ferramenta: o dono mandôderrubá. Adoniran Barbosa, tirada do livro de Carmen Silvia Carvalho, Construindo a Escrita: Leitura e Interpretação, ilustração de Carlos Avalone e Célia Kofuji, São Paulo, Ática, 1996, volume 3, p O texto é do gênero do tipo e tem como finalidade. 2. A poesia trata sobre (A) uma casa antiga. (B) uma nova casa. (C) um sonho real. (D) uma casa destruída.

16 16 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO 3. A linguagem empregada no poema é típica de (A) pessoas que moram na zona rural. (B) pessoas que são intelectuais. (C) pessoas que estudam na escola. (D) pessoas que conversam no MSN. 4. Transcreva o poema, transformando-o num texto em prosa. Utilize a linguagem variedade padrão formal. Saudosa Maloca 5. Em: construímos nossa maloca (v-9). A palavra em destaque pode ser substituída sem mudança de sentido por (A) casa. (B) cidade. (C) mansão. (D) palácio. 6. No verso: Veio os home co as ferramenta: A expressão sublinhada quer dizer (A) com as (B) como as (C) comoas (D) como-as 7. Treino ortográfico. está construímos as contar nós alto lembrar mandou velha com derrubar

17 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO 17 TEXTO 05 DATA: / / GÊNERO: TIPO: FINALIDADE: Leia o texto para responder as questões abaixo. Mamãe, Por favor, não mate a Fifi. Ela é minha amiguinha. Eu gosto muito dela. Escolha outra para fazer as coxinhas, tá? Um beijão, Lilica. 1. O texto pertence ao gênero e tem como finalidade. As características do texto são 2. A destinatária do bilhete é a remetente. 3. Qual o assunto principal do texto? 4. Fifi no texto é (A) uma ave. (B) um mamífero. (C) um pássaro. (D) um réptil. 5. Na frase: Escolha outra para fazer as coxinhas, tá? A pontuação empregada no final da frase indica (A) uma admiração. (B) uma conclusão. (C) uma ordem. (D) um pedido.

18 18 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO 6. A palavra tá que se encontra em negrito no texto, é marca de linguagem utilizada (A) em grupos de colegas e familiares. (B) na escola com um grupo de professores. (C) em textos formais. (D) em manuais de instruções. 7. Agora, escreva um bilhete para seu amigo (a), utilize as características que são do gênero textual solicitado.

19 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO 19 TEXTO 06 DATA: / / GÊNERO: TIPO: FINALIDADE: Leia o texto. Calvin e Haroldo - Um dia na escola WATTERSON, B. Felino selvagem psicopata homicida vol. 1. Best Expressão Social e Editora Ltda, p O assunto central do texto é. 2. As frases utilizadas pelo Calvin nos 1º, 2º e 3º quadrinhos são tipo de frases (A) conclusivas. (B) explicativas. (C) interrogativas. (D) negativas. 3. No último quadrinho, percebemos que Calvin (A) não conseguiu ir à escola pela manhã. (B) ficou satisfeito com sua rotina escolar. (C) ficou doente e teve que ir ao médico. (D) continuou insatisfeito com sua rotina. 4. Pelo desfecho da história, o personagem acha a escola.

20 20 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO 5. Reescreva a narrativa da tirinha transformando as falas dos 1º, 2º e 3º quadrinhos em frases afirmativas (exclua o conectivo não ), siga o modelo usando aspas para marcar as falas dos dois personagens. Então, é só dar continuidade ao texto abaixo, baseado na tirinha. Eu quero me levantar...

21 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO 21 TEXTO 07 DATA: / / GÊNERO: TIPO: FINALIDADE: Leia o texto. ONDE ESTÁ ARMAZENADA A ÁGUA DOCE? GELO, GELEIRAS E NEVE - 69% SUBSOLO, NAS ROCHAS - 30,7% LAGOS - 0,25% ATMOSFERA - 0,04% RIOS - 0,010% GRIMSHAW, C. Terra. São Paulo: Editora Callis, p. 7. (Coleção Conexões!) 1. O texto informativo é um gênero textual que tem a finalidade de informar as pessoas, sensibilizá-las sobre determinado assunto. Observe a parte de baixo do texto, onde tem a fonte de onde foi tirada a informação. Quem produziu esse material informativo? 2. De acordo com o texto, podemos encontrar a maior quantidade de água salgada do planeta em (A) rios e oceanos. (B) oceanos e cachoeiras. (C) mares e oceanos. (D) riachos e oceanos.

22 22 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO 3. Onde encontramos a menor quantidade de água doce no planeta? 4. Qual a quantidade de água doce presente no planeta? 5. Podemos encontrar a água doce armazenada em 6. A finalidade do texto em estudo é 7. Na sua opinião, a que público o texto se dirige?

23 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO 23 TEXTO 08 DATA: / / GÊNERO: TIPO: FINALIDADE: Leia o texto. Texto I Anedotinhas do Bichinho da Maçã O cara está jantando e a comida é tão ruim que ele não aguenta: Por favor, garçom, eu não consigo engolir esta comida. Chama o gerente. Não adianta. Ele também não vai conseguir. Ziraldo. Anedotinhas do Bichinho da Maçã. São Paulo. Melhoramentos, No trecho: O cara está jantando e a comida é tão ruim que ele não aguenta. O termo ele (linha 1) se refere (A) ao cliente. (B) ao empresário. (C) ao garçom. (D) ao gerente. 2. A palavra cara em negrito no texto, é um tipo de linguagem usada como (A) gíria. (B) formal. (C) informal. (D) regional. 3. A finalidade do texto lido é (A) anunciar. (B) divertir. (C) emocionar. (D) propagar.

24 24 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO 4. A frase que apresenta o humor do texto é respectivamente (A) O cara está jantando e a comida é tão ruim que ele não aguenta. (B) Por favor garçom eu não consigo engolir a comida. (C) Chama o gerente. (D) Não adianta. Ele também não vai conseguir. 5. Segundo o texto, o cliente não conseguiu comer a comida, porquê (A) estava estragada. (B) estava péssima. (C) estava muito deliciosa. (D) não estava cozida. Texto Ii PASSOS para andar com segurança PASSOS para andar com segurança. Detran, DF, (Folder GDF)

25 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO O objetivo do texto é (A) divertir o leitor. (B) passar uma informação. (C) instruir sobre trânsito. (D) emocionar as crianças. 7. A partir da imagem, quantas instruções estão representadas através da sinalização da faixa de pedestre? (A) Apenas uma. (B) Duas. (C) Quatro. (D) Três. 8. Conforme a fonte existente no final do texto, qual o órgão responsável pela segurança do trânsito? 9. Identifique no texto os verbos que estão no imperativo e que dão ideia de instrução.

26 26 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO TEXTO 09 DATA: / / GÊNERO: TIPO: FINALIDADE: Texto I Computador Com um cabo de vassoura fabricamos cavalinhos, com carretéis e barbantes estendemos telefones que conversam além do fio. Com pés de meia já velhos fazemos bolas novinhas, com chuchus, grandes boiadas, e com caixas de sapatos, muitos carros de um trenzinho. Quem quiser nossos serviços não busque fadas nem mágicos, aperte o botão da infância programe apenas meninos. Elza Beatriz Texto Ii Grandes Invenções A ciência moderna é cheia de inventos, mistérios e descobertas. Por exemplo. Quem inventou a batata frita? Quem descobriu o cachorro-quente? Quem inventou a pizza quatro queijos? E o sorvete de casquinha? E o bolo de aniversário? E a paçoca? E refrigerante gelado com canudinho? Uma das maiores descobertas do mundo em que vivemos, senão me falha a memória, foi o café com leite com pão e manteiga. Fico imaginando o trabalhão que não deu. Primeiro, o inventor precisou sair por aí experimentando todas as frutas para descobrir aquela, a certa, a única que quando a gente torra vira pó de café preto.

27 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO 27 Depois, precisou encontrar o trigo, fazer a farinha de trigo e, ainda por cima, que amassando a farinha de trigo com um pouco de água e sal, surge a massa de fazer pão. E mais. Teve que descobrir que da gordura do leite sai a manteiga e antes ir de bicho em bicho, por esse mundo afora, até achar o leite certo. Quanto sacrifício o tal inventor não fez! Outra coisa. Não deve ter sido nada fácil descobrir que leite nasce em bicho fêmea e não nasce em bicho macho. Já imaginou o pobre inventor tentando ordenhar um leão? Credo! Quanta dor de cabeça! Quanto risco de vida! No fim, depois de tanto coice, mordida, unhada, ferroada, bicada e dentada, quando o inventor descobriu a vaca holandesa, sempre risonha, balançando o rabo, pastando e mugindo calmamente nas fazendas, deve ter sido um alívio. Quem inventou o café com leite com pão e manteiga está de parabéns. Gênio é gênio. Ricardo Azevedo. O menino de língua de fora. Editora Ática, São Paulo. 1. Quais as diferenças entre o texto I e o texto II? (A) Tratam de invenções diferenciadas. (B) Não possuem o mesmo gênero e autor. (C) Tem a mesma finalidade. (D) Falam sobre experimentos. 2. O texto I trata sobre a utilidade do computador e o texto II fala sobre (A) uma variedade de curiosidades e descobertas. (B) apenas sobre a descoberta do pó do café. (C) várias descobertas de espécies animais. (D) sobre o inventor do café com leite. 3. Qual o assunto tratado nos dois textos? 4. A oração que dá ideia de opinião é (A) A ciência moderna é cheia de inventos... (B) Quanto sacrifício o tal inventor não fez! (C) Fico imaginando o trabalhão que não deu. (D) Gênio é gênio. 5. No trecho: Quem descobriu o cachorro-quente? A pontuação inserida no final da frase indica (A) uma dúvida. (B) uma curiosidade. (C) uma conclusão. (D) uma interrupção.

28 28 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO 6. Qual das invenções citadas nos dois textos você gostaria de conhecer melhor? Pesquise em livros ou internet, explicite e apresente depois para sua turma.

29 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO 29 TEXTO 10 DATA: / / GÊNERO: TIPO: FINALIDADE: Leia o texto com atenção. Festas e tradições (Fragmento) 5 10 A festa do carnaval é muito antiga. Dizem que sua origem vem das festas do início da primavera no Egito Antigo. Outros dizem que o carnaval surgiu a partir das festas greco-romanas realizadas para comemorar a colheita. Nessas ocasiões os escravos podiam brincar à vontade. Enfim, o certo é que o costume chegou a Portugal no século XIV e recebeu o nome de Entrudo. A idéia central do carnaval é brincar bastante antes de chegar a Quaresma, que se inicia na quarta-feira de cinzas e vai até a Páscoa. Isso por que, segundo as tradições da religião católica, a Quaresma é um período de respeito em que não devem existir abusos e festejos. [...] O samba é o principal ritmo do carnaval e já era praticado nas senzalas, no tempo dos escravos. Dizem que a palavra samba se originou da palavra africana semba, que significa umbigada, um dos movimentos mais comuns que os participantes de uma roda de samba costumavam fazer. O lundu, espécie de primo do samba, também era praticado nas fazendas. [...] SANTA ROSA, Nereide Schilaro. Festas e tradições. São Paulo: Moderna, O assunto abordado no texto é (A) a tradição carnavalesca. (B) como brincar o carnaval. (C) a origem do termo carnaval. (D) os participantes carnavalescos. 2. No trecho: Enfim, o certo é que o costume chegou a Portugal no século XIV.... O termo enfim no início do trecho dá ideia de (A) alternância. (B) oposição. (C) conclusão. (D) condição.

30 30 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO 3. Em: A festa do carnaval é muito antiga. A palavra antiga (linha 1) é circunstância de (A) intensidade. (B) lugar. (C) modo. (D) tempo. 4. De acordo com o texto, o SAMBA se originou (A) de uma palavra africana semba. (B) de uma palavra estrangeira sibiea. (C) de uma palavra latina sabra (D) de uma palavra portuguesa samba. 5. Para que serve esse tipo de texto? 6. Complete as lacunas com as palavras existentes no texto: FESTA E TRADIÇÕES. A festa do é muito antiga. Dizem que sua origem vem das festas do início da no Antigo. Outros dizem que o carnaval surgiu a partir das festas realizadas para comemorar a. Nessas ocasiões os podiam à vontade. Enfim, o certo é que o costume chegou a no século XIV e recebeu o nome de. A ideia do carnaval é brincar bastante antes de chegar a, que se inicia na quarta-feira de cinzas e vai até a. Isso por que, segundo as tradições da, a Quaresma é um período de em que não devem existir e. [...] O é o principal do carnaval e já era praticado nas senzalas, no dos escravos. Dizem que a palavra samba se originou da palavra africana, que significa, um dos movimentos mais comuns que os participantes de uma roda de samba costumavam fazer. O, espécie de primo do samba, também era praticado nas. [...] 7. A partir do contexto, a palavra quaresma (linha 6) significa respectivamente

31 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO 31 TEXTO 11 DATA: / / GÊNERO: TIPO: FINALIDADE: Leia o texto para responder as questões abaixo. Crescendo 1 - Um recém-nascido ainda não é capaz de caminhar e falar. 2 - Uma menina de 2 anos já possui pernas fortes o bastante para ficar de pé e andar. 3 - Aos 5 anos, seu desenvolvimento já permite a ela correr e participar de jogos. 4 Aos 10 anos, seus braços e pernas são mais longos, e ela é capaz de realizar movimentos precisos e complexos, como escrever com bastante segurança. 5 - Aos 13 anos, o crescimento rápido produz muitas mudanças no corpo que se prepara para a vida adulta. 6 - Aos 20 anos, as pessoas têm seu corpo completamente formado. LOPES, Vera; LARA, Anésia. Tudo da Trama: Língua Portuguesa. Belo Horizonte: Dimensão, v. 4. p O objetivo do texto é (A) dar informações sobre as fases do crescimento. (B) dar instruções de como andar ainda bebê. (C) contar uma história sobre crescimento. (D) relatar sobre a vida das pessoas.

32 32 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO 2. De acordo com o texto, qual a idade que a criança já pode correr e participar de jogos? (A) Dois anos. (B) Cinco anos. (C) Dez anos. (D) Vinte anos. 3. O texto lido está organizado em (A) parágrafos. (B) versos e estrofes. (C) sequência numérica. (D) ingredientes e modo de preparar. 4. Podemos classificar a fase de uma criança até que faixa etária? (A) De zero a 10 anos de idade. (B) De treze a dezenove anos. (C) De vinte anos acima. (D) De quarenta a cinquenta anos. 5. Para chegar a fase adulta, a faixa etária é de (A) vinte anos. (B) dez anos. (C) quinze anos. (D) treze anos. 6. Uma criança poderá chegar a ficar de pé e andar a partir de qual idade? (A) Dois anos. (B) Três anos. (C) Seis meses. (D) Cinco anos. 7. O assunto principal do texto é (A) as fases do desenvolvimento humano. (B) a faixa etária de uma adolescente. (C) as dificuldades das fases de crescimento. (D) como um adulto deve sobreviver. 8. Complete as lacunas com a faixa etária correspondente de acordo com o texto lido. 1 - Um ainda não é capaz de caminhar e falar. 2 - Uma menina já possui pernas fortes o bastante para ficar de pé e andar. 3 - Aos, seu desenvolvimento já permite a ela correr e participar de jogos. 4 Aos, seus braços e pernas são mais longos, e ela é capaz de realizar movimentos precisos e complexos, como escrever com bastante segurança. 5 - Aos, o crescimento rápido produz muitas mudanças no corpo que se prepara para a vida adulta. 6 - Aos, as pessoas têm seu corpo completamente formado. Leia o texto Crescimento para confirmar as palavras do texto lacunado.

33 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO 33 TEXTO 12 DATA: / / GÊNERO: TIPO: FINALIDADE: Leia com atenção os dois textos para responder corretamente às questões abaixo. Texto I Mata Atlântica No início da colonização do Brasil a Mata Atlântica cobria uma extensa faixa, do Rio Grande do Norte ao Rio Grande do Sul. O movimento de ocupação das terras, do litoral para o interior, foi provocando o desaparecimento da Mata e o surgimento de plantações de cana de açúcar, café, pastagens e cidades. Hoje, restam apenas cinco por cento da Mata Atlântica original. (...) A Mata Atlântica foi e ainda é muito agredida na expansão das cidades, na formação de pastos e, principalmente, na produção de carvão. Em vários pontos do sul da Bahia até São Paulo a cena é a mesma: a floresta nativa é cortada, sua madeira e queimada em pequenos fornos de barro e o carvão e transportado em caminhões para abastecer as indústrias. SALDANHA, P. Mata Atlântica. 4. ed. Rio de Janeiro: Ediouro, Texto Ii Como inventar o mundo Primeiramente invente uma bola e deixe-a deslizar no espaço sideral. Depois deixe que a água escorra nela, por inteiro, para que ela não morra de sede. Em seguida, ponha montanhas e florestas para que ela possa respirar. E com o seu dedinho mágico vá arrumando as coisas: uma montanha aqui, um rio ali, uma floresta acolá. A paisagem está pronta para ser habitada. Depois, muito depois, você cria o homem e torça para ele não destruir o seu mundo. CLAVER, Ronald. Como inventar o mundo. In: ALMEIDA, Zélia. Alfa, Beta, etc: Língua Portuguesa. Belo Horizonte: Dimensão, v.4. p.26.

34 34 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO 1. O texto I argumenta sobre a devastação da Mata Atlântica e o texto II faz uma ironia de forma instrucional (A) aos animais. (B) as crianças. (C) ao governo. (D) aos homens. 2. De acordo com o primeiro texto restam apenas (A) 5% da mata original. (B) 3% da mata original. (C) 100% da mata original. (D) 50% da mata original. 3. No trecho: Em vários pontos do sul da Bahia até São Paulo a cena é a mesma. A expressão que se destaca pode ser invertida por (A) condição. (B) contradição. (C) informação. (D) prioridade. 4. Em Atlântica cobria uma extensa faixa... A palavra extensa é o mesmo que (A) baixa. (B) forte. (C) imensa. (D) mínima. 5. O que os dois textos tem em comum? (A) O assunto abordado. (B) A crítica ambiental. (C) Fonte bibliográfica. (D) O gênero textual. 6. O primeiro texto tem o gênero e o segundo. E são do tipo e. 7. No trecho: E com o seu dedinho mágico vá arrumando as coisas: O sinal de pontuação encontrado no final do trecho serve para (A) fazer um questionamento. (B) indicar uma surpresa. (C) concluir um pensamento. (D) dar uma explicação.

35 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO Dê sua opinião sobre os textos. Mata Atlântica Como inventar o mundo Revise sua atividade para garantir um aprendizado nota 10!

36 36 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO TEXTO 13 DATA: / / GÊNERO: TIPO: FINALIDADE: Leia com atenção o texto para responder às questões. Texto I Deliciosos Sorvetes Brasileiros Sorvete de Caju (Região Nordeste) Ingredientes 3 xícaras de suco de caju 1 litro de água 3 xícaras de açúcar Misture todos os ingredientes numa tigela e leve ao congelador. Texto II Sorvete de Morango (Região Sudeste) Ingredientes 4 xícaras de morango amassado e peneirado 2 xícaras de açúcar 1 litro de leite Misture todos os ingredientes numa tigela e leve ao congelador. 1. Há semelhanças nos dois textos, que são (A) as mesmas receitas. (B) os mesmos ingredientes. (C) a estrutura e o gênero textual. (D) a mesma cultura culinária.

37 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO O primeiro texto é um tipo de receita nordestina e o segundo (A) é típico da culinária sulista. (B) é típico da culinária nortista. (C) é típico da culinária sudestina. (D) é típico da culinária estrangeira. 3. A finalidade do texto é (A) anunciar. (B) encantar. (C) informar. (D) instruir. 4. Os dois textos tratam sobre um tipo de receita que poderá ser servida como (A) um aperitivo. (B) uma bebida. (C) uma refeição. (D) uma sobremesa. 5. O texto é divido em e. 6. Dos dois tipos de sorvetes qual é o de sua preferência? 7. Agora use sua imaginação e crie uma receita que você gostaria de saborear. INGREDIENTES MODO DE PREPARO BOM APETITE!

38 38 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO TEXTO 14 DATA: / / GÊNERO: TIPO: FINALIDADE: Leia o texto com atenção para responder às questões. Calvin e Haroldo - E daí? (WATTERSON, B. Felino selvagem psicopata homicidavol. 1. Best Expressão Social e Editora Ltda, p. 39.) 1. Os personagens da tirinha são e. 2. O assunto principal do texto é (A) o descaso com os problemas. (B) a preocupação com os valores da vida. (C) a desinformação dos personagens. (D) uma maneira de gritar. 3. Na expressão: E DAÍ?!. (3º quadrinho) sugere que o personagem (A) não está nada preocupado. (B) está emotivo demais. (C) encontra-se tristonho. (D) está preocupado demais.

39 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO Na frase: E daí?! (4º quadrinho) o sinal de pontuação indica (A) uma continuidade. (B) um explicação. (C) uma dúvida. (D) uma resposta. 5. No 2º quadrinho da tirinha a personagem (A) está gritando com o amigo. (B) está enfatizando o sentido da frase do 1º quadrinho. (C) está exemplificando um tipo de situação. (D) está chorando de desgosto da vida. 6. No trecho: Eu decidi parar de me preocupar com as coisas. O termo eu no primeiro quadrinho se refere (A) ao Calvin. (B) ao autor. (C) ao Haroldo. (D) ao leitor. 7. Em De agora em diante o meu grito de guerra é: E DAÍ?!. A expressão grifada no trecho é circunstância de (A) intensidade. (B) lugar. (C) modo. (D) tempo. 8. É hora de reescrever o texto (E daí?!), utilizando o diálogo e a pontuação adequada.

40 40 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO Capriche na caligrafia, ortografia e, principalmente, na pontuação!

41 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO 41 TEXTO 15 DATA: / / GÊNERO: TIPO: FINALIDADE: Leia o texto para responder às questões. 1. O objetivo do cartaz é (A) vender creme dental. (B) comprar escovas novas. (C) prevenir contra as cáries. (B) divertir o leitor. 2. No trecho Como manter seu sorriso saudável?, o ponto de interrogação tem efeito (A) de questionar. (B) de desafiar. (C) de apresentar. (D) de uma pausa.

42 42 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO 3. O slogan do cartaz é. 4. Em que tipo de suporte o gênero textual em estudo pode ser encontrado? 5. Quais as recomendações importantes no cartaz? 6. Qual foi a intenção comunicativa da imagem presente no suporte? 7. Agora é a sua vez de criar um cartaz! Lembre-se: um cartaz precisa ser atraente, por isso, os cartazes geralmente são curtos e apresentam um texto interessante ou estimulante. A linguagem costuma ser simples e direta, de acordo com o perfil do público que seus autores pretendem atingir. Então, mãos à obra, é hora de mostrar tudo o que você aprendeu!

43 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO 43 TEXTO 16 DATA: / / GÊNERO: TIPO: FINALIDADE: Leia o texto para responder as questões com atenção. Que medo! Minha mãe ouviu um barulho de noite! Quando ela olhou, tinha um homem embaixo da cama! Era um ladrão? Que nada, era meu pai! Ele também tinha ouvido o barulho. 1. Este texto é engraçado, porque (A) a mãe ouviu um barulho. (B) o ladrão entrou em casa. (C) a mãe se escondeu embaixo da cama. (D) o pai era o mais medroso de todos. 2. O travessão usado no texto serviu para (A) marcar a fala do personagem. (B) introduzir a fala do personagem. (C) fazer uma pergunta direta. (D) dar uma explicação. 3. O humor da anedota encontra-se na frase (A) Minha mãe ouviu um barulho de noite! (B) Era um ladrão? (C) Que nada, era meu pai! ele também tinha ouvido o barulho. (D) Quando ela olhou, tinha um homem embaixo da cama! 4. No trecho: Ele também tinha ouvido o barulho. (linha 4). A palavra negritada no trecho se refere (A) ao irmão. (B) ao ladrão. (C) ao narrador. (D) ao pai.

44 44 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO 5. O trecho que dá ideia de lugar é (A)...tinha um homem embaixo da cama! (B)...ouviu um barulho de noite. (C)...Quando ela olhou. (D) Ele também tinha ouvido o barulho! 6. A frase do texto que expressa uma indagação é 7. Complete as lacunas do texto Que medo!, inserindo os verbos correspondentes. Que medo! Minha mãe um barulho de noite! Quando ela, tinha um homem embaixo da cama! um ladrão? Que nada, meu pai! Ele também o barulho. 8. Na frase: Minha mãe ouviu um barulho de noite! a palavra minha (linha 1) dá ideia de (A) demonstração. (B) indefinição. (C) pessoa. (D) posse. 9. O conflito do texto inicia quando (A) a mãe ouve um barulho. (B) imagina ser um ladrão. (C) o pai fica debaixo da cama. (D) a noite chega. 10. Na fala: Que nada, era meu pai!. Indica que quem está falando é (A) o ladrão. (B) a filha. (C) a mãe. (D) o narrador.

45 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO Pelo desfecho da narrativa o pai era simplesmente (A) corajoso. (B) audacioso. (C) medroso. (D) autêntico. 12. Você conhece alguma anedota? Escreva-a abaixo, use adequadamente a pontuação.

46 46 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO TEXTO 17 DATA: / / GÊNERO: TIPO: FINALIDADE: Leia o texto para responder as questões corretamente. Mafalda A menina mais crítica dos quadrinhos teria hoje 40 anos se não tivesse sido aposentada aos oito anos por seu criador. É que Quino a fez envelhecer em tempo real (durante os anos em que a publicou).mafalda tinha um espírito crítico e uma sagacidade típica das crianças de raciocínio rápido. Possuía um globo (o mundo) doente em casa e ouvia sempre o noticiário do jornal tendo uma excelente tirada para cada nova notícia. Muitos anos antes do jargão de Garfield sobre as segundas-feiras, Mafalda já odiava sopa. Na música, porém, era apaixonada pelos Beatles. Tinha um irmão inocente a quem apresentava o mundo aos poucos, o pequeno Guille. Três colegas e amigos de escola: Suzanita (uma conservadora de classe média, cuja principal preocupação era casamento e filhos); o neurótico Filipo, cuja angústia paralisava seus sentidos (e refugiava-se nas fantasias do seu herói Cavaleiro Solitário); Manolito (filho do rude dono do mercado, com quem aprendia a tamancadas os duros valores capitalistas). Conheceu seu grande parceiro e alma gêmea durante umas férias na praia: Miguelito. Talvez tenha se casado com ele Se bem que não consigo pensar na Mafalda casando. Talvez esteja amancebada, quem sabe? Difícil saber, já que seu criador, como disse se nega a dar-nos notícias dela desde Quino, na verdade, tem um certo mal-estar com a ênfase que a personagem tem até hoje no mundo e que obscurece a longa produção de cartuns feita por ele desde então. Apesar da atualidade inegável da jovem Mafalda, ainda assim é preciso reconhecer que Quino continua produzindo de modo genial seus cartuns. Verdadeiras obras-primas da crítica ao homem moderno (ou será pós-moderno?).

47 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO O texto lido pode ser caracterizado como 2. Para que serve esse tipo de texto? 3. Quem são os personagens que fazem parte do contexto de Mafalda? 4. Justifique o trecho: Mafalda tinha um espírito crítico e uma sagacidade típica das crianças de raciocínio rápido. 5. O que Mafalda mais gosta de fazer? 6. Que características marcam com mais ênfase a personagem? 7. O que Mafalda não gosta em hipótese alguma? 8. Qual das personagens tem mais aproximação com Mafalda? 9. Que personagens fazem parte de sua família?

48 48 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO 10. Em Mafalda tinha um espírito crítico e uma sagacidade típica das crianças de raciocínio rápido. A palavra sagacidade no trecho é um tipo de linguagem (A) científica. (B) coloquial. (C) culta. (D) regional. 11. No trecho: Talvez tenha se casado com ele. O termo que está em negrito é circunstância de (A) alternância. (B) afirmação. (C) conclusão. (D) dúvida e uma sagacidade típica das crianças de raciocínio rápido. A palavra destacada pode ser substituída por (A) astúcia. (B) criatividade. (C) rebeldia. (D) tolerância. 13. Em Possuía um globo (o mundo) doente em casa e ouvia sempre o noticiário do jornal... O parênteses usado no trecho foi usado para (A) exclamar. (B) explicar. (C) interrogar. (D) interromper.

49 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO 49 TEXTO 18 DATA: / / GÊNERO: TIPO: FINALIDADE: Leia o texto com atenção para responder as questões abaixo. Haverá água quando a gente ficar velho? 5 10 O meu amigo Marcelo está super preocupado. É que ele leu que, do jeito como a gente trata a água do planeta, pode ser que no futuro, quando ele ficar velho, não exista mais nenhuma gota de água. De água limpa pelo menos... Eu não entendo muito sobre esse assunto, mas acho que ele tem razão de ficar preocupado. Você já andou por ai e viu como as pessoas desperdiçam água. É um tal de ficar lavando carro com mangueira ligada o tempo todo ou então lavando o quintal, como se o chão fosse um lugar que devesse ficar limpo como um prato em que a gente fosse comer. O pior é quando você passa pelas avenidas e vê um monte de porcaria que as fabricas jogam na água, como se os rios fossem assim uma enorme privada.(...) Essas pessoas, especialmente as pessoas já grandinhas, parecem que não estão nem um pouco preocupadas com o mundo que vai ficar para a gente... Eu não quero um mundão seco e com um monte de cocô no lugar dos rios! Já imaginou? Vida da gente. Belo Horizonte: Formato, Marcelo está preocupado com (A) a possível falta d água no futuro. (B) o preço da água. (C) se ele vai ter água. (D) a água que ele desperdiça. 2. Qual trecho do texto comprova que os personagens são amigos? (A) O que é que as pessoas estão pensando? (B) De água limpa pelo menos. (C) O meu amigo Marcelo está super preocupado. (D) Eu não quero um mundão seco...

50 50 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO 3. No trecho: Haverá água quando a gente ficar velho?. A pontuação no final do trecho indica (A) uma curiosidade. (B) uma dúvida. (C) um pensamento. (D) um questionamento. 4. A frase que indica uma opinião da narradora é (A) O meu amigo Marcelo está super preocupado. (linha 1) (B) mas acho que ele tem razão de ficar preocupado. (linha 5) (C) De água limpa pelo menos... (linha 4) (D) É que ele leu que, do jeito como a gente trata a água... (linha 1) 5. No trecho... ligada o tempo todo ou então lavando o quintal... (linha 7). O termo que está em destaque indica (A) alternância. (B) conclusão. (C) explicação. (D) oposição. 6. Em Eu não entendo muito sobre esse assunto.... (linha 5), é um tipo de frase (A) afirmativa. (B) exclamativa. (C) interrogativa. (D) negativa. 7. O texto lido é do tipo (A) argumentativo. (B) instrucional (C) persuasivo. (D) poético. 8. O tema central do texto é (A) a possível falta d água no planeta. (B) a vasta água no planeta. (C) a garantia de água no planeta. (D) a consciência sobre água no planeta.

51 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO Dê sua opinião a respeito do texto: Haverá água quando a gente ficar velho?

52 52 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO TEXTO 19 DATA: / / GÊNERO: TIPO: FINALIDADE: Leia o texto para responder todas as questões corretamente. 5 Era um pobre diabo caminhando para os setenta anos, antipático, cabelo branco, curto e duro, como uma escova, barba e bigode do mesmo teor; muito macilento, com uns óculos redondos que lhe aumentavam o tamanho da pupila e davam-lhes à cara uma expressão de abutre, perfeitamente de acordo com o seu nariz adunco e com sua boca sem lábios; viam-se-lhe ainda todos os dentes, mas tão gastos que pareciam limados até o meio. Andava sempre de preto, com um guarda-chuva debaixo do braço e um chapéu de Braga enterrado nas orelhas. (AZEVEDO, Aluísio. O cortiço. Rio de Janeiro: Tecnoprint S.A., s. d. p. 22). 1. O texto está em forma de (A) narrativa. (B) descrição. (C) poesia. (D) instrução. 2. Como o texto descreve a personagem? (A) Apenas fisicamente. (B) Somente psicologicamente. (C) Fisicamente e psicologicamente. (D) De forma superficial. 3. Como ela era fisicamente?

53 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO E psicologicamente? 5. Em... à cara uma expressão de abutre. A palavra destacada (linha 3) é um tipo de comparação (A) figurada. (B) criativa. (C) real. (D) errada. 6. Complete as lacunas do texto com os adjetivos que estão no texto lido anteriormente. Era um pobre diabo caminhando para os setenta anos,, cabelo, e, como uma escova, barba e bigode do mesmo teor; muito, com uns óculos redondos que lhe aumentavam o tamanho da pupila e davam-lhes à cara uma expressão de, perfeitamente de acordo com o seu nariz e com sua boca sem lábios; viam-se-lhe ainda todos os dentes, mas tão que pareciam limados até o meio. Andava sempre de, com um guarda-chuva debaixo do braço e um chapéu de Braga enterrado nas orelhas. 7. No trecho: barba e bigode do mesmo teor; muito macilento... As palavras que estão em negrito (linha 2) podem ser substituídas por (A) estilo e pálido. (B) nome e magro. (C) gabarito e forte. (D) tamanho e esbelto. 8. As palavras em negrito no texto é marca de linguagem (A) informal. (B) culta. (C) regionalista. (D) científica.

54 54 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO TEXTO 20 DATA: / / GÊNERO: TIPO: FINALIDADE: O Conto da Mentira Todo dia Felipe inventava uma mentira. Mãe, a vovó tá no telefone!. A mãe largava a louça na pia e corria até a sala. Encontrava o telefone mudo. O garoto havia inventado morte do cachorro, nota dez em matemática, gol de cabeça em campeonato de rua. A mãe tentava assustá-lo: Seu nariz vai ficar igual ao do Pinóquio!. Felipe ria na cara dela: Quem tá mentindo é você! Não existe gente de madeira!. O pai de Felipe também conversa com ele: Um dia você contará uma verdade e ninguém acreditará! Felipe ficava pensativo. Mas, no dia seguinte. Então, aconteceu o que seu pai alertara. Felipe assistia a um programa na TV. A apresentadora ligou para o número do telefone da casa dele. Felipe tinha sido sorteado. O prêmio era uma bicicleta: É verdade, mãe! A moça quer falar com você no telefone pra combinar a entrega da bicicleta. É verdade!. A mãe de Felipe fingiu não ouvir. Continuou preparando o jantarem silêncio. Resultado: Felipe deixou de ganhar o prêmio. Então ele começou a reduzir suas mentiras. Até que um dia deixou decontá-las. Bem, Felipe cresceu e tornou-se um escritor. Voltou a criar histórias. Agora sem culpa e sem medo. No momento está escrevendo um conto. É a história de um menino que deixa de ganhar uma bicicleta porque mentia... AUGUSTO, Rogério. FOLHA DE SÃO PAULO. São Paulo. Miniconto. Folhinha 14 jun F8 C Com base no texto, pode-se dizer que Felipe quando era criança costumava (A) escrever. (B) estudar. (C) obedecer. (D) mentir. 2. A intenção comunicativa do texto é (A) contar uma história fictícia. (B) emocionar através de versos. (C) ensinar a escrever um conto. (D) persuadir o leitor.

55 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO O uso frequente das aspas no texto, serve para (A) acrescentar explicações. (B) marcar a fala dos personagens. (C) explicar as etapas do procedimento. (D) dar uma pausa nas frases. 4. Em Quem tá mentindo é você! a palavra que está sublinhada no trecho (linha 5) é um tipo de linguagem: (A) falada entre familiares e amigos. (B) ensinada na gramática e dicionários. (C) discursada em plenária parlamentar. (D) descrita nos manuais de instrução. 5. No trecho: A apresentadora ligou para o número do telefone da casa dele. A quem se refere o termo dele? (A) Ao narrador. (B) Ao pai. (C) Ao filho. (D) Ao Pinóquio. 6. Na oração: Então ele começou a reduzir suas mentiras. (linha 13), a palavra grifada pode ser substituída por (A) aumentar. (B) diminuir. (C) estabilizar. (D) terminar. 7. O assunto central do conto são (A) as mentiras. (B) as verdades. (C) as invenções. (D) as conversas. 8. Felipe não foi contemplado com o prêmio porque (A) sua mãe não entendeu o telefonema. (B) suas mentiras contribuíram muito. (C) falava sempre a verdade para todos. (D) ele não acreditou no telefonema.

56 56 CADERNO DE ATIVIDADES 5 o ANO 9. Pela conclusão da narrativa, a personagem se transformou (A) num ator. (B) num escritor. (C) num jornalista. (D) num vendedor. 10. Leia o trecho abaixo e dê sua opinião a respeito da frase que está em negrito. Agora sem culpa e sem medo. No momento está escrevendo um conto. É a história de um menino que deixa de ganhar uma bicicleta porque mentia....

Duração: Aproximadamente um mês. O tempo é flexível diante do perfil de cada turma.

Duração: Aproximadamente um mês. O tempo é flexível diante do perfil de cada turma. Projeto Nome Próprio http://pixabay.com/pt/cubo-de-madeira-letras-abc-cubo-491720/ Público alvo: Educação Infantil 2 e 3 anos Disciplina: Linguagem oral e escrita Duração: Aproximadamente um mês. O tempo

Leia mais

Respostas dos alunos para perguntas do Ciclo de Debates

Respostas dos alunos para perguntas do Ciclo de Debates Respostas dos alunos para perguntas do Ciclo de Debates 1º ano do Ensino Fundamental I O que você gosta de fazer junto com a sua mã e? - Dançar e jogar um jogo de tabuleiro. - Eu gosto de jogar futebol

Leia mais

Não é o outro que nos

Não é o outro que nos 16º Plano de aula 1-Citação as semana: Não é o outro que nos decepciona, nós que nos decepcionamos por esperar alguma coisa do outro. 2-Meditação da semana: Floresta 3-História da semana: O piquenique

Leia mais

Meu pássaro de papel

Meu pássaro de papel ALUNO (A): ANO: 3º TURMA: (A) (C) PROFESSOR (A): VALOR DA AVALIAÇÃO: 40 pontos DATA: CENTRO EDUCACIONAL SAGRADA FAMÍLIA 22 / 08 / 2013 TRIMESTRE: 2º NOTA: COMPONENTE CURRICULAR: LÍNGUA PORTUGUESA ENSINO

Leia mais

Atividade: Leitura e interpretação de texto. Português- 8º ano professora: Silvia Zanutto

Atividade: Leitura e interpretação de texto. Português- 8º ano professora: Silvia Zanutto Atividade: Leitura e interpretação de texto Português- 8º ano professora: Silvia Zanutto Orientações: 1- Leia o texto atentamente. Busque o significado das palavras desconhecidas no dicionário. Escreva

Leia mais

Arthur de Carvalho Jaldim Rubens de Almeida Oliveira CÃO ESTELAR. EDITORA BPA Biblioteca Popular de Afogados

Arthur de Carvalho Jaldim Rubens de Almeida Oliveira CÃO ESTELAR. EDITORA BPA Biblioteca Popular de Afogados Arthur de Carvalho Jaldim Rubens de Almeida Oliveira O CÃO ESTELAR EDITORA BPA Biblioteca Popular de Afogados Texto e Pesquisa de Imagens Arthur de Carvalho Jaldim e Rubens de Almeida Oliveira O CÃO ESTELAR

Leia mais

endereço: data: telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA O 6.O ANO EM 2013 Disciplina: Prova: português

endereço: data: telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA O 6.O ANO EM 2013 Disciplina: Prova: português Nome: N.º: endereço: data: telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA O 6.O ANO EM 2013 Colégio Disciplina: Prova: português desafio nota: Texto para as questões de 1 a 3. Material: 1 xícara quase cheia de farinha

Leia mais

Narrador Era uma vez um livro de contos de fadas que vivia na biblioteca de uma escola. Chamava-se Sésamo e o e o seu maior desejo era conseguir contar todas as suas histórias até ao fim, porque já ninguém

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO 1

PROJETO PEDAGÓGICO 1 PROJETO PEDAGÓGICO 1 Projeto Pedagógico Por Beatriz Tavares de Souza* Título: Maricota ri e chora Autor: Mariza Lima Gonçalves Ilustrações: Andréia Resende Formato: 20,5 cm x 22 cm Número de páginas: 32

Leia mais

A.C. Ilustrações jordana germano

A.C. Ilustrações jordana germano A.C. Ilustrações jordana germano 2013, O autor 2013, Instituto Elo Projeto gráfico, capa, ilustração e diagramação: Jordana Germano C736 Quero-porque-quero!! Autor: Alexandre Compart. Belo Horizonte: Instituto

Leia mais

Luís Norberto Pascoal

Luís Norberto Pascoal Viver com felicidade é sucesso com harmonia e humildade. Luís Norberto Pascoal Agradecemos aos parceiros que investem em nosso projeto. ISBN 978-85-7694-131-6 9 788576 941316 Era uma vez um pássaro que

Leia mais

HISTÓRIA DE LINS. - Nossa que cara é essa? Parece que ficou acordada a noite toda? Confessa, ficou no face a noite inteira?

HISTÓRIA DE LINS. - Nossa que cara é essa? Parece que ficou acordada a noite toda? Confessa, ficou no face a noite inteira? HISTÓRIA DE LINS EE PROF.PE. EDUARDO R. de CARVALHO Alunos: Maria Luana Lino da Silva Rafaela Alves de Almeida Estefanny Mayra S. Pereira Agnes K. Bernardes História 1 Unidas Venceremos É a história de

Leia mais

Os encontros de Jesus. sede de Deus

Os encontros de Jesus. sede de Deus Os encontros de Jesus 1 Jo 4 sede de Deus 5 Ele chegou a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, que ficava perto das terras que Jacó tinha dado ao seu filho José. 6 Ali ficava o poço de Jacó. Era mais ou

Leia mais

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

Aluno(a): Nº. Disciplina: Português Data da prova: 03/10/2014. P1-4 BIMESTRE. Análise de textos poéticos. Texto 1. Um homem também chora

Aluno(a): Nº. Disciplina: Português Data da prova: 03/10/2014. P1-4 BIMESTRE. Análise de textos poéticos. Texto 1. Um homem também chora Lista de Exercícios Aluno(a): Nº. Professor: Daniel Série: 9 ano Disciplina: Português Data da prova: 03/10/2014. P1-4 BIMESTRE Análise de textos poéticos Texto 1 Um homem também chora Um homem também

Leia mais

Lembro-me do segredo que ela prometeu me contar. - Olha, eu vou contar, mas é segredo! Não conte para ninguém. Se você contar eu vou ficar de mal.

Lembro-me do segredo que ela prometeu me contar. - Olha, eu vou contar, mas é segredo! Não conte para ninguém. Se você contar eu vou ficar de mal. -...eu nem te conto! - Conta, vai, conta! - Está bem! Mas você promete não contar para mais ninguém? - Prometo. Juro que não conto! Se eu contar quero morrer sequinha na mesma hora... - Não precisa exagerar!

Leia mais

PORTUGUÊS 2 o BIMESTRE

PORTUGUÊS 2 o BIMESTRE A GERAÇÃO DO CONHECIMENTO AVALIAÇÃO DE CONTEÚDO DO GRUPO V Transformando conhecimentos em valores www.geracaococ.com.br Unidade Portugal Série: 4 o ano (3 a série) Período: TARDE Data: 9/6/2010 PORTUGUÊS

Leia mais

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA DESENGANO FADE IN: CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA Celular modelo jovial e colorido, escovas, batons e objetos para prender os cabelos sobre móvel de madeira. A GAROTA tem 19 anos, magra, não

Leia mais

NAP NÚCLEO DE APOIO PEDAGÓGICO I

NAP NÚCLEO DE APOIO PEDAGÓGICO I NAP NÚCLEO DE APOIO PEDAGÓGICO I EDUCADORA: SILVANA CAMURÇA DISCIPLINA: PORTUGUÊS EDUCANDO: Nº. ANO TURMA: DATA: / / TRIMESTRE: II REVISÃO GERAL PARA A PARCIAL SOM DO /S/ - FAMÍLIA DE PALAVRAS DERIVADAS

Leia mais

Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008

Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Meu nome é Alexandre da Silva França. Eu nasci em 17 do sete de 1958, no Rio de Janeiro. FORMAÇÃO Eu sou tecnólogo em processamento de dados. PRIMEIRO DIA

Leia mais

A LIBERDADE COMO POSSÍVEL CAMINHO PARA A FELICIDADE

A LIBERDADE COMO POSSÍVEL CAMINHO PARA A FELICIDADE Aline Trindade A LIBERDADE COMO POSSÍVEL CAMINHO PARA A FELICIDADE Introdução Existem várias maneiras e formas de se dizer sobre a felicidade. De quando você nasce até cerca dos dois anos de idade, essa

Leia mais

Freelapro. Título: Como o Freelancer pode transformar a sua especialidade em um produto digital ganhando assim escala e ganhando mais tempo

Freelapro. Título: Como o Freelancer pode transformar a sua especialidade em um produto digital ganhando assim escala e ganhando mais tempo Palestrante: Pedro Quintanilha Freelapro Título: Como o Freelancer pode transformar a sua especialidade em um produto digital ganhando assim escala e ganhando mais tempo Quem sou eu? Eu me tornei um freelancer

Leia mais

Produtividade e qualidade de vida - Cresça 10x mais rápido

Produtividade e qualidade de vida - Cresça 10x mais rápido Produtividade e qualidade de vida - Cresça 10x mais rápido Você já pensou alguma vez que é possível crescer 10 vezes em várias áreas de sua vida e ainda por cima melhorar consideravelmente sua qualidade

Leia mais

A criança e as mídias

A criança e as mídias 34 A criança e as mídias - João, vá dormir, já está ficando tarde!!! - Pera aí, mãe, só mais um pouquinho! - Tá na hora de criança dormir! - Mas o desenho já tá acabando... só mais um pouquinho... - Tá

Leia mais

Colégio Nomelini Ensino Fundamental II LISTA Nº 04 9º ANO

Colégio Nomelini Ensino Fundamental II LISTA Nº 04 9º ANO Trazer a tarefa resolvida no dia: 22/03/2013 (Sexta-feira) Prof. Vanessa Matos Interpretação de textos LISTA Nº 04 9º ANO DESCRIÇÃO: A seleção de atividades é para a leitura e interpretação. Responda os

Leia mais

ENTRE FRALDAS E CADERNOS

ENTRE FRALDAS E CADERNOS ENTRE FRALDAS E CADERNOS Entre Fraldas e Cadernos Proposta metodológica: Bem TV Educação e Comunicação Coordenação do projeto: Márcia Correa e Castro Consultoria Técnica: Cláudia Regina Ribeiro Assistente

Leia mais

Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Geografia

Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Geografia COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Geografia Nome: Ano: 2º Ano 1º Etapa 2014 Colégio Nossa Senhora da Piedade Área do Conhecimento: Ciências Humanas Disciplina:

Leia mais

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele O Plantador e as Sementes Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele sabia plantar de tudo: plantava árvores frutíferas, plantava flores, plantava legumes... ele plantava

Leia mais

Palavras do autor. Escrever para jovens é uma grande alegria e, por que não dizer, uma gostosa aventura.

Palavras do autor. Escrever para jovens é uma grande alegria e, por que não dizer, uma gostosa aventura. Palavras do autor Escrever para jovens é uma grande alegria e, por que não dizer, uma gostosa aventura. Durante três anos, tornei-me um leitor voraz de histórias juvenis da literatura nacional, mergulhei

Leia mais

Avaliação Parcial de Rendimento em Leitura - 03

Avaliação Parcial de Rendimento em Leitura - 03 PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI SECRETARIA DE EDUCAÇÃO - SIAQUE ESCOLA: PROFESSOR: ALUNO: DATA / / PORTUGUÊS - 4ª SÉRIE / 5º ANO TURMA: TURNO: DATA: / / - Instruções gerais: - Este instrumento de verificação

Leia mais

Ler em família: viagens partilhadas (com a escola?)

Ler em família: viagens partilhadas (com a escola?) Ler em família: viagens partilhadas (com a escola?) Ação nº41/2012 Formadora: Madalena Moniz Faria Lobo San-Bento Formanda: Rosemary Amaral Cabral de Frias Introdução Para se contar histórias a crianças,

Leia mais

Ernest Hemingway Colinas como elefantes brancos

Ernest Hemingway Colinas como elefantes brancos Ernest Hemingway Colinas como elefantes brancos As colinas do outro lado do vale eram longas e brancas. Deste lado, não havia sombra nem árvores e a estação ficava entre duas linhas de trilhos sob o sol.

Leia mais

BOLA NA CESTA. Roteiro para curta-metragem de Marcele Linhares

BOLA NA CESTA. Roteiro para curta-metragem de Marcele Linhares BOLA NA CESTA Roteiro para curta-metragem de Marcele Linhares 25/04/2012 SINOPSE Essa é a história de Marlon Almeida. Um adolescente que tem um pai envolvido com a criminalidade. Sua salvação está no esporte.

Leia mais

Material: Uma copia do fundo para escrever a cartinha pra mamãe (quebragelo) Uma copia do cartão para cada criança.

Material: Uma copia do fundo para escrever a cartinha pra mamãe (quebragelo) Uma copia do cartão para cada criança. Radicais Kids Ministério Boa Semente Igreja em células Célula Especial : Dia Das mães Honrando a Mamãe! Principio da lição: Ensinar as crianças a honrar as suas mães. Base bíblica: Ef. 6:1-2 Texto chave:

Leia mais

Objetivo principal: aprender como definir e chamar funções.

Objetivo principal: aprender como definir e chamar funções. 12 NOME DA AULA: Escrevendo músicas Duração da aula: 45 60 minutos de músicas durante vários dias) Preparação: 5 minutos (se possível com introduções Objetivo principal: aprender como definir e chamar

Leia mais

Afonso levantou-se de um salto, correu para a casa de banho, abriu a tampa da sanita e vomitou mais uma vez. Posso ajudar? perguntou a Maria,

Afonso levantou-se de um salto, correu para a casa de banho, abriu a tampa da sanita e vomitou mais uma vez. Posso ajudar? perguntou a Maria, O Afonso levantou-se de um salto, correu para a casa de banho, abriu a tampa da sanita e vomitou mais uma vez. Posso ajudar? perguntou a Maria, preocupada, pois nunca tinha visto o primo assim tão mal

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Secretaria de Estado da Educação Superintendência Regional de Ensino de Carangola Diretoria Educacional

SERVIÇO PÚBLICO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Secretaria de Estado da Educação Superintendência Regional de Ensino de Carangola Diretoria Educacional SERVIÇO PÚBLICO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Secretaria de Estado da Educação Superintendência Regional de Ensino de Carangola Diretoria Educacional Sequencia Didática destinada aos Anos Finais do Ensino

Leia mais

Harmonizando a família

Harmonizando a família Harmonizando a família Narrador: Em um dia, como tantos outros, como e em vários lares a, mãe está em casa cuidando dos afazeres doméstic os, tranqüilamente. Porém c omo vem ac ontec endo há muito tempo,

Leia mais

A menina que queria visitar a tia

A menina que queria visitar a tia Cenas urbanas A menina que queria visitar a tia A menina, conversando com a jornaleira, na manhã de domingo, tinha o ar desamparado. Revolvia, com nervosismo, um lenço com as pontas amarradas, dentro

Leia mais

Sei... Entra, Fredo, vem tomar um copo de suco, comer um biscoito. E você também, Dinho, que está parado aí atrás do muro!

Sei... Entra, Fredo, vem tomar um copo de suco, comer um biscoito. E você também, Dinho, que está parado aí atrás do muro! Capítulo 3 N o meio do caminho tinha uma casa. A casa da Laila, uma menina danada de esperta. Se bem que, de vez em quando, Fredo e Dinho achavam que ela era bastante metida. Essas coisas que acontecem

Leia mais

O que é esse produto? Qual é a marca do produto? Que quantidade de produto há na embalagem? Em que país foi feito o produto?

O que é esse produto? Qual é a marca do produto? Que quantidade de produto há na embalagem? Em que país foi feito o produto? RÓTULOS Rótulo é toda e qualquer informação referente a um produto que esteja transcrita em sua embalagem. O Rótulo acaba por ser uma forma de comunicação visual, podendo conter a marca do produto e informações

Leia mais

PROJETO O AR EXISTE? PICININ, Maria Érica ericapicinin@ig.com.br. Resumo. Introdução. Objetivos

PROJETO O AR EXISTE? PICININ, Maria Érica ericapicinin@ig.com.br. Resumo. Introdução. Objetivos PROJETO O AR EXISTE? PICININ, Maria Érica ericapicinin@ig.com.br Resumo O presente projeto O ar existe? foi desenvolvido no CEMEI Juliana Maria Ciarrochi Peres da cidade de São Carlos com alunos da fase

Leia mais

FACULDADE EÇA DE QUEIRÓS

FACULDADE EÇA DE QUEIRÓS FACULDADE EÇA DE QUEIRÓS GISELE CRISTINA DE SANTANA FERREIRA PEREIRA JÉSSICA PALOMA RATIS CORREIA NOBRE PEDAGOGIA: PROJETO MENINA BONITA DO LAÇO DE FITA JANDIRA - 2012 FACULDADE EÇA DE QUEIRÓS GISELE CRISTINA

Leia mais

Na Internet Gramática: atividades

Na Internet Gramática: atividades Na Internet Gramática: atividades Dica: Antes de fazer as atividades abaixo, leia os documentos Modo subjuntivo geral e Presente do subjuntivo, no Banco de Gramática. 1. No trecho a seguir, extraído da

Leia mais

Roteiro para curta-metragem. Nathália da Silva Santos 6º ano Escola Municipalizada Paineira TEMPESTADE NO COPO

Roteiro para curta-metragem. Nathália da Silva Santos 6º ano Escola Municipalizada Paineira TEMPESTADE NO COPO Roteiro para curta-metragem Nathália da Silva Santos 6º ano Escola Municipalizada Paineira TEMPESTADE NO COPO SINOPSE Sérgio e Gusthavo se tornam inimigos depois de um mal entendido entre eles. Sérgio

Leia mais

Ficha Técnica: Design e Impressão Mediana Global Communication

Ficha Técnica: Design e Impressão Mediana Global Communication Uma Cidade para Todos Ficha Técnica: Design e Impressão Mediana Global Communication Colaboração Nuno Oliveira, coordenador do Serviço de Psicologia do 1º ciclo do Ensino Básico da EMEC - Empresa Municipal

Leia mais

Para gostar de pensar

Para gostar de pensar Rosângela Trajano Para gostar de pensar Volume III - 3º ano Para gostar de pensar (Filosofia para crianças) Volume III 3º ano Para gostar de pensar Filosofia para crianças Volume III 3º ano Projeto editorial

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex praticante Clarice Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 08.10.2013 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h COR PRETA

Leia mais

OS AMIGOS NÃO SE COMPRAM

OS AMIGOS NÃO SE COMPRAM OS AMIGOS NÃO SE COMPRAM Era o dia 22 de dezembro. O Natal aproximava-se e o Pai Natal estava muito atarefado a preparar os sacos com os brinquedos. Muito longe dali, em Portugal, um menino chamado João

Leia mais

QUESTÃO 1 Nessa charge, o autor usou três pontos de exclamação, na fala da personagem, para reforçar o sentimento de

QUESTÃO 1 Nessa charge, o autor usou três pontos de exclamação, na fala da personagem, para reforçar o sentimento de Nome: N.º: endereço: data: telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 6.O ANO EM 2013 Disciplina: Prova: português desafio nota: Texto para a questão 1. (Disponível em: )

Leia mais

Jimboê. Português. Avaliação. Projeto. 3 o ano. 3 o bimestre

Jimboê. Português. Avaliação. Projeto. 3 o ano. 3 o bimestre Professor, esta sugestão de avaliação corresponde ao terceiro bimestre escolar ou às Unidades 5 e 6 do Livro do Aluno. Projeto Jimboê Português 3 o ano Avaliação 3 o bimestre 1 Avaliação Português NOME:

Leia mais

Goiânia, de de 2013. Nome: Professor(a): Elaine Costa. O amor é paciente. (I Coríntios 13:4) Atividade Extraclasse. O melhor amigo

Goiânia, de de 2013. Nome: Professor(a): Elaine Costa. O amor é paciente. (I Coríntios 13:4) Atividade Extraclasse. O melhor amigo Instituto Presbiteriano de Educação Goiânia, de de 2013. Nome: Professor(a): Elaine Costa O amor é paciente. (I Coríntios 13:4) Atividade Extraclasse Leia o texto abaixo para responder às questões 01 a

Leia mais

Matemática no Cardápio By Lauren

Matemática no Cardápio By Lauren Matemática tica no Cardápio By Lauren Usando Frações no Trabalho Eu sou um cozinheiro-chefe e uso frações todos os dias no trabalho. Meu trabalho está relacionado com medidas. Na maioria das vezes as coisas

Leia mais

Aula 05 - Compromissos

Aula 05 - Compromissos Aula 05 - Compromissos Objetivos Agendar compromissos, utilizando verbos no infinitivo ou a estrutura (ir) + ter que + verbos no infinitivo; conversar ao telefone, reconhecendo e empregando expressões

Leia mais

Quem te fala mal de. 10º Plano de aula. 1-Citação as semana: Quem te fala mal de outra pessoa, falará mal de ti também." 2-Meditação da semana:

Quem te fala mal de. 10º Plano de aula. 1-Citação as semana: Quem te fala mal de outra pessoa, falará mal de ti também. 2-Meditação da semana: 10º Plano de aula 1-Citação as semana: Quem te fala mal de outra pessoa, falará mal de ti também." Provérbio Turco 2-Meditação da semana: Mestre conselheiro- 6:14 3-História da semana: AS três peneiras

Leia mais

JOSÉ DE SOUZA CASTRO 1

JOSÉ DE SOUZA CASTRO 1 1 JOSÉ DE SOUZA CASTRO 1 ENTREGADOR DE CARGAS 32 ANOS DE TRABALHO Transportadora Fácil Idade: 53 anos, nascido em Quixadá, Ceará Esposa: Raimunda Cruz de Castro Filhos: Marcílio, Liana e Luciana Durante

Leia mais

DISCIPLINA: MATEMÁTICA DATA DA REALIZAÇÃO: 26/10/2015

DISCIPLINA: MATEMÁTICA DATA DA REALIZAÇÃO: 26/10/2015 3º ano A e B - FICHA DA SEMANA 1. Cada atividade terá uma data de realização e deverá ser entregue a professora no dia seguinte; 2. As atividades deverão ser copiadas e respondidas no caderno, de acordo

Leia mais

Professor BÓRIS em O DIREITO DE SER CRIANÇA

Professor BÓRIS em O DIREITO DE SER CRIANÇA Professor BÓRIS em O DIREITO DE SER CRIANÇA AUTORA Luciana de Almeida COORDENAÇÃO EDITORIAL Sílnia N. Martins Prado REVISÃO DE TEXTO Katia Rossini PROJETO GRÁFICO E DIAGRAMAÇÃO Linea Creativa ILUSTRAÇÕES

Leia mais

> Folha Dirigida, 18/08/2011 Rio de Janeiro RJ Enem começa a mudar as escolas Thiago Lopes

> Folha Dirigida, 18/08/2011 Rio de Janeiro RJ Enem começa a mudar as escolas Thiago Lopes > Folha Dirigida, 18/08/2011 Rio de Janeiro RJ Enem começa a mudar as escolas Thiago Lopes Criado em 1998, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), inicialmente, tinha como objetivo avaliar o desempenho

Leia mais

O menino e o pássaro. Rosângela Trajano. Era uma vez um menino que criava um pássaro. Todos os dias ele colocava

O menino e o pássaro. Rosângela Trajano. Era uma vez um menino que criava um pássaro. Todos os dias ele colocava O menino e o pássaro Era uma vez um menino que criava um pássaro. Todos os dias ele colocava comida, água e limpava a gaiola do pássaro. O menino esperava o pássaro cantar enquanto contava histórias para

Leia mais

Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa

Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa Olhando as peças Histórias de Deus:Gênesis-Apocalipse 3 a 6 anos Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa História Bíblica: Gênesis 41-47:12 A história de José continua com ele saindo da prisão

Leia mais

Empresário. Você curte moda? Gosta de cozinhar? Não existe sorte nos negócios. Há apenas esforço, determinação, e mais esforço.

Empresário. Você curte moda? Gosta de cozinhar? Não existe sorte nos negócios. Há apenas esforço, determinação, e mais esforço. Empresário Não existe sorte nos negócios. Há apenas esforço, determinação, e mais esforço. Sophie Kinsella, Jornalista Econômica e autora Você curte moda? Gosta de cozinhar? Ou talvez apenas goste de animais?

Leia mais

Prova bimestral. Língua portuguesa. A água. 4 o Bimestre 3 o ano. 1. Leia um trecho do texto A água, de Millôr Fernandes.

Prova bimestral. Língua portuguesa. A água. 4 o Bimestre 3 o ano. 1. Leia um trecho do texto A água, de Millôr Fernandes. Material elaborado pelo Ético Sistema de Ensino Ensino fundamental Publicado em 2011 Prova bimestral 4 o Bimestre 3 o ano Língua portuguesa Data: / / Nível: Escola: Nome: 1. Leia um trecho do texto A água,

Leia mais

Estórias de Iracema. Maria Helena Magalhães. Ilustrações de Veridiana Magalhães

Estórias de Iracema. Maria Helena Magalhães. Ilustrações de Veridiana Magalhães Estórias de Iracema Maria Helena Magalhães Ilustrações de Veridiana Magalhães 2 Era domingo e o céu estava mais azul que o azul mais azul que se pode imaginar. O sol de maio deixava o dia ainda mais bonito

Leia mais

VAMOS CONSTRUIR UMA CIDADE

VAMOS CONSTRUIR UMA CIDADE VAMOS CONSTRUIR UMA CIDADE Versão adaptada de Eugénio Sena para Wir Bauen Eine Stadt de Paul Hindemith 1. MARCHA (Entrada) Uma cidade nossa amiga Não queremos a cidade antiga. Nós vamos pensar tudo de

Leia mais

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento.

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. museudapessoa.net P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. R Eu nasci em Piúma, em primeiro lugar meu nome é Ivo, nasci

Leia mais

Eu sempre ouço dizer. Que as cores da pele são diferentes. Outros negros e amarelos. Há outras cores na pele dessa gente

Eu sempre ouço dizer. Que as cores da pele são diferentes. Outros negros e amarelos. Há outras cores na pele dessa gente De todas as cores Eu sempre ouço dizer Que as cores da pele são diferentes Que uns são brancos Outros negros e amarelos Mas na verdade Há outras cores na pele dessa gente Tem gente que fica branca de susto

Leia mais

Aula 3.1 Conteúdo: Elementos da narrativa: personagens, espaço, tempo, ação, narrador. Conto: conceitos e características LÍNGUA PORTUGUESA

Aula 3.1 Conteúdo: Elementos da narrativa: personagens, espaço, tempo, ação, narrador. Conto: conceitos e características LÍNGUA PORTUGUESA 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Aula 3.1 Conteúdo: Elementos da narrativa: personagens, espaço, tempo, ação, narrador. Conto: conceitos e características 3 CONTEÚDO E HABILIDADES

Leia mais

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses Estudo de Caso Cliente: Rafael Marques Duração do processo: 12 meses Coach: Rodrigo Santiago Minha idéia inicial de coaching era a de uma pessoa que me ajudaria a me organizar e me trazer idéias novas,

Leia mais

Alô, alô. www.bibliotecapedrobandeira.com.br

Alô, alô. www.bibliotecapedrobandeira.com.br Alô, alô Quero falar com o Marcelo. Momento. Alô. Quem é? Marcelo. Escuta aqui. Eu só vou falar uma vez. A Adriana é minha. Vê se tira o bico de cima dela. Adriana? Que Adriana? Não se faça de cretino.

Leia mais

Há 4 anos. 1. Que dificuldades encontra no seu trabalho com os idosos no seu dia-a-dia?

Há 4 anos. 1. Que dificuldades encontra no seu trabalho com os idosos no seu dia-a-dia? Entrevista A13 I Experiência no lar Há quanto tempo trabalha no lar? Há 4 anos. 1 Qual é a sua função no lar? Encarregada de Serviços Gerais. Que tarefas desempenha no seu dia-a-dia? O contacto directo

Leia mais

Texto 1 O FUTEBOL E A MATEMÁTICA Modelo matemático prevê gols no futebol Moacyr Scliar

Texto 1 O FUTEBOL E A MATEMÁTICA Modelo matemático prevê gols no futebol Moacyr Scliar PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS BANCO DE QUESTÕES - LÍNGUA PORTUGUESA - 5 ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ========================================================================== Texto 1 O FUTEBOL E A MATEMÁTICA

Leia mais

Nome: n.º 3ª série Barueri, / / 2009 Disciplina: Língua Portuguesa 2ª POSTAGEM A BOLA

Nome: n.º 3ª série Barueri, / / 2009 Disciplina: Língua Portuguesa 2ª POSTAGEM A BOLA Nome: n.º 3ª série Barueri, / / 2009 Disciplina: Língua Portuguesa 2ª POSTAGEM ATIVIDADES DE LÍNGUA PORTUGUESA 3ª S SÉRIES A-B-C-D A BOLA O pai deu uma bola de presente ao filho. Lembrando o prazer que

Leia mais

FIM DE SEMANA. Roteiro de Curta-Metragem de Dayane da Silva de Sousa

FIM DE SEMANA. Roteiro de Curta-Metragem de Dayane da Silva de Sousa FIM DE SEMANA Roteiro de Curta-Metragem de Dayane da Silva de Sousa CENA 1 EXTERIOR / REUNIÃO FAMILIAR (VÍDEOS) LOCUTOR Depois de uma longa semana de serviço, cansaço, demoradas viagens de ônibus lotados...

Leia mais

Dedico este livro a todas as MMM S* da minha vida. Eu ainda tenho a minha, e é a MMM. Amo-te Mãe!

Dedico este livro a todas as MMM S* da minha vida. Eu ainda tenho a minha, e é a MMM. Amo-te Mãe! Dedico este livro a todas as MMM S* da minha vida. Eu ainda tenho a minha, e é a MMM. Amo-te Mãe! *MELHOR MÃE DO MUNDO Coaching para Mães Disponíveis, www.emotionalcoaching.pt 1 Nota da Autora Olá, Coaching

Leia mais

GRUPO VI 2 o BIMESTRE PROVA A

GRUPO VI 2 o BIMESTRE PROVA A Sistema de Ensino Unidade Portugal Série: 6 o ano (5 a série) Período: MANHÃ Data: 24/6/2009 PROVA GRUPO GRUPO VI 2 o BIMESTRE PROVA A Nome: Turma: Valor da prova: 4,0 Nota: Sou água cristalina Sou água

Leia mais

Quem tem medo da Fada Azul?

Quem tem medo da Fada Azul? Quem tem medo da Fada Azul? Lino de Albergaria Quem tem medo da Fada Azul? Ilustrações de Andréa Vilela 1ª Edição POD Petrópolis KBR 2015 Edição de Texto Noga Sklar Ilustrações Andréa Vilela Capa KBR

Leia mais

Roteiro para curta-metragem. Aparecida dos Santos Gomes 6º ano Escola Municipalizada Paineira NÃO ERA ASSIM

Roteiro para curta-metragem. Aparecida dos Santos Gomes 6º ano Escola Municipalizada Paineira NÃO ERA ASSIM Roteiro para curta-metragem Aparecida dos Santos Gomes 6º ano Escola Municipalizada Paineira NÃO ERA ASSIM SINOPSE José é viciado em drogas tornando sua mãe infeliz. O vício torna José violento, até que

Leia mais

Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros

Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros s de gramática do uso da língua portuguesa do Brasil Sugestão: estes exercícios devem ser feitos depois de estudar a Unidade 14 por completo

Leia mais

Amanda Pereira de Farias Fernandes Lima. A Boneca da Imaginação. Biblioteca Popular de Afogados BPA Recife - PE

Amanda Pereira de Farias Fernandes Lima. A Boneca da Imaginação. Biblioteca Popular de Afogados BPA Recife - PE Amanda Pereira de Farias Fernandes Lima A Boneca da Imaginação Biblioteca Popular de Afogados BPA Recife - PE Amanda Pereira de Farias Fernandes Lima Capa e pesquisa de imagens Amanda P. F. Lima A Boneca

Leia mais

Desafio para a família

Desafio para a família Desafio para a família Família é ideia de Deus, geradora de personalidade, melhor lugar para a formação do caráter, da ética, da moral e da espiritualidade. O sonho de Deus para a família é que seja um

Leia mais

Celia Regina Lopes Feitoza

Celia Regina Lopes Feitoza Celia Regina Lopes Feitoza Se quiser falar ao coração do homem, há que se contar uma história. Dessas que não faltam animais, ou deuses e muita fantasia. Porque é assim, suave e docemente que se despertam

Leia mais

TIPOS DE BRINCADEIRAS E COMO AJUDAR A CRIANÇA BRINCAR

TIPOS DE BRINCADEIRAS E COMO AJUDAR A CRIANÇA BRINCAR TIPOS DE BRINCADEIRAS E COMO AJUDAR A CRIANÇA BRINCAR As crianças precisam atravessar diversos estágios no aprendizado de brincar em conjunto, antes de serem capazes de aproveitar as brincadeiras de grupo.

Leia mais

Obedecer é sempre certo

Obedecer é sempre certo Obedecer é sempre certo Obedecer. Palavra fácil de entender, mas muitas vezes difícil de colocar em prática. Principalmente quando não entendemos ou concordamos com a orientação dada. Crianças recebem

Leia mais

coleção Conversas #7 - ABRIL 2014 - f o? Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça.

coleção Conversas #7 - ABRIL 2014 - f o? Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça. Eu quero não parar coleção Conversas #7 - ABRIL 2014 - de consigo.o usar que eu drogas f o? aç e Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS da Editora

Leia mais

Chantilly, 17 de outubro de 2020.

Chantilly, 17 de outubro de 2020. Chantilly, 17 de outubro de 2020. Capítulo 1. Há algo de errado acontecendo nos arredores dessa pequena cidade francesa. Avilly foi completamente afetada. É estranho descrever a situação, pois não encontro

Leia mais

este ano está igualzinho ao ano passado! viu? eu não falei pra você? o quê? foi você que jogou esta bola de neve em mim?

este ano está igualzinho ao ano passado! viu? eu não falei pra você? o quê? foi você que jogou esta bola de neve em mim? viu? eu não falei pra você? o quê? este ano está igualzinho ao ano passado! foi você que jogou esta bola de neve em mim? puxa, acho que não... essa não está parecendo uma das minhas... eu costumo comprimir

Leia mais

PORTUGUÊS 2 o BIMESTRE

PORTUGUÊS 2 o BIMESTRE AVALIAÇÃO DE CONTEÚDO DO GRUPO VI Unidade Portugal Série: 4 o ano (3 a série) Período: MANHÃ Data: 29/6/2011 PORTUGUÊS 2 o BIMESTRE Nome: Turma: Valor da prova: 3,5 Nota: Eixo temático Proteção ao meio

Leia mais

A PREENCHER PELO ALUNO

A PREENCHER PELO ALUNO Prova Final do 1.º e do 2.º Ciclos do Ensino Básico PLNM (A2) Prova 43 63/2.ª Fase/2015 Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho A PREENCHER PELO ALUNO Nome completo Documento de identificação Assinatura

Leia mais

A DIVERSIDADE NA ESCOLA

A DIVERSIDADE NA ESCOLA Tema: A ESCOLA APRENDENDO COM AS DIFERENÇAS. A DIVERSIDADE NA ESCOLA Quando entrei numa escola, na 1ª série, aos 6 anos, tinha uma alegria verdadeira com a visão perfeita, não sabia ler nem escrever, mas

Leia mais

Uma Conexão Visual entre Trabalhadores da Lavoura de Cana-de-Açúcar, no Brasil, e Suas Famílias

Uma Conexão Visual entre Trabalhadores da Lavoura de Cana-de-Açúcar, no Brasil, e Suas Famílias 1/35 Pai, Estou Te Esperando Uma Conexão Visual entre Trabalhadores da Lavoura de Cana-de-Açúcar, no Brasil, e Suas Famílias Fotos de Emma Raynes, 2007 2/35 Retratos dos Trabalhadores da Lavoura de Cana-de-Açúcar

Leia mais

ano Literatura, Leitura e Reflexão Se m e s t re A r ua de José Ricardo Moreira

ano Literatura, Leitura e Reflexão Se m e s t re A r ua de José Ricardo Moreira 2- Literatura, Leitura e Reflexão 2- ano o Se m e s t re A r ua de s o n s o d o t José Ricardo Moreira PEI_LLR_2ano_2S_H1.indb 1 12/06/2012 18:18:06 Capítulo 1 A sua rua tem calçada? A minha tem! A sua

Leia mais

O pato perto da porta o pato perto da pia o pato longe da pata o pato pia que pia

O pato perto da porta o pato perto da pia o pato longe da pata o pato pia que pia PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS BANCO DE QUESTÕES - LÍNGUA PORTUGUESA - 2 ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ==================================================================== TEXTO 1 O PATO 01- De acordo com o

Leia mais

ALEGRIA ALEGRIA:... TATY:...

ALEGRIA ALEGRIA:... TATY:... ALEGRIA PERSONAGENS: Duas amigas entre idades adolescentes. ALEGRIA:... TATY:... Peça infanto-juvenil, em um só ato com quatro personagens sendo as mesmas atrizes, mostrando a vida de duas meninas, no

Leia mais

coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - u s a r Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - u s a r Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - Sou so profes r a, Posso m a s n ão parar d aguento m e ai ensinar s? d a r a u la s Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. A

Leia mais

Cópia autorizada. II

Cópia autorizada. II II Sugestões de avaliação Português Compreensão de texto 2 o ano Unidade 5 5 Unidade 5 Compreensão de texto Nome: Data: Leia este texto expositivo e responda às questões de 1 a 5. As partes de um vulcão

Leia mais

os botões emocionais Rodrigo T. Antonangelo

os botões emocionais Rodrigo T. Antonangelo Entendendo os botões emocionais dos seus clientes Rodrigo T. Antonangelo Olá amigo e amiga, seja bem-vindo(a) a mais um exercício muito importante que vai te ajudar a levar seus negócios ao próximo degrau.

Leia mais

AS MULHERES DE JACÓ Lição 16

AS MULHERES DE JACÓ Lição 16 AS MULHERES DE JACÓ Lição 16 1 1. Objetivos: Ensinar que Jacó fez trabalho duro para ganhar um prêmio Ensinar que se nós pedirmos ajuda de Deus, Ele vai nos ajudar a trabalhar com determinação para obter

Leia mais

A Rainha, o guarda do tesouro e o. papel que valia muito ouro

A Rainha, o guarda do tesouro e o. papel que valia muito ouro A Rainha, o guarda do tesouro e o papel que valia muito ouro Há muito, muito tempo atrás, havia uma rainha que governava um reino chamado Portugal. Essa rainha chamava-se D. Maria I e como até tinha acabado

Leia mais