Rondonópolis 61 anos Uma história contada por quem a construiu!

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Rondonópolis 61 anos Uma história contada por quem a construiu!"

Transcrição

1 Rondonópolis, EDIÇÃO 413 VALOR R$ 3,00 EDIÇÃO ESPECIAL - 61 ANOS DE RONDONÓPOLIS Rondonópolis 61 anos Uma história contada por quem a construiu! Empresas, políticos, cidadãos comuns, trabalhadores de todas as áreas e acontecimentos marcantes fazem a história de uma cidade. Em seus 61 anos de emancipação política, Rondonópolis viveu páginas memoráveis e até hoje conserva na memória de quem viveu e na curiosidade de quem é mais novo fatos que ocorreram no século passado e que refletem até hoje em todos os setores da cidade. Com mais de 200 mil habitantes, é a potência econômica e referência em quase tudo na região sul. De braços abertos ganha milhares de novos moradores todo novo ano, Cândido Borges Leal, o Candinho : um dos prefeitos mais lembrados da história pág.09 acomodando cada um com boas condições de trabalho e qualidade de vida. Como todos os centros em franco desenvolvimento, a medida que crescem os pontos positivos, também preocupam as mazelas sociais. São 18 homens que já dirigiram a cidade, centenas de vereadores que por toda Mato Grosso do Sul é o estado onde mais nasceu prefeitos de Rondonópolis pág.03 a história fizeram as leis que norteiam até hoje o dia a dia dos cidadãos. Nunca um negro assumiu a cadeira de prefeito e jamais a população elegeu alguém nascido na cidade para a chefia do Executivo. Estas e outras curiosidades e histórias contadas por quem a fez, de fato, trazemos Moradores da década de 60 visitam Casario nesta edição especial de aniversário. Marechal Rondon escolheu Rondonópolis, como muitos escolheram criar seus filhos a beira do Rio Vermelho. A natureza, fonte de qualidade de vida, foi agredida pela população, mas ainda resistia e premia com sua beleza os olhos pág.07 de quem visita o horto florestal, as cachoeiras e as tantas outras paisagens existentes em meio aos km² de área pertencente ao Município. A terra de um povo abençoado por Deus, que com muito trabalho é o responsável por tudo o que se tem hoje por aqui... Museu Rosa Boróro: Parte da história de Rondonópolis pág.11 Córrego Arareau: símbolo da história de Rondonópolis e exemplo do desrespeito ao meio ambiente pág.05 Dr. Ariel, símbolo de profissional da medicina aliado ao humanismo, faz parte da história da cidade pág.04

2 página 2 Jornal Folha Regional Rondonópolis: um retrato bem feito do Brasil Poucas cidades no país retratam com tanta exatidão o cenário econômico e cultural nacional, com seus pontos negativos e positivos, como Rondonópolis. Esta senhora de 61 anos, que no mundo etário dos municípios na verdade é um bebê que ainda tem muito a crescer, está para o Brasil assim como o Brasil está para o mundo. Quem está de fora vê enorme potencial de produção e pujança econômica, e de fatos os dois existem, mas de perto ainda há desigualdades sociais a serem sanadas. Entre o povo, os mais de 200 mil que moram aqui trouxeram um pouquinho de cada uma das cinco regiões do país. O rondonopolitano nativo toma o chimarrão e fala guri como os gaúchos, com a mesma facilidade que come o pão de queijo que veio de minas e a tapioca do nordeste, assim como toma o Açaí do Pará ou tereré do Paraguai. Este cenário multifacetado, permite que qualquer um que chegue na terra de Rondon se sinta em casa rapidamente, não só porque vai encontrar na maior cidade da região sul algumas características de sua terra natal, trazidas por gente que fez o seu mesmo itinerário antes, mas porque certamente em poucos dias já vai ser chamado para um churrasco na casa de alguém que recém conheceu, mas que o tratará como amigo de infância. É mentira quem diz que o que atrai e mantém pessoas que não nasceram em Rondonópolis morando aqui até o fim da vida seja apenas as boas ofertas de emprego, porque só isso não manteria nenhum ser humano satisfeito. Ganhar um bom dinheiro todo mês e sentir a magia da natureza ao ver araras voando em meio a zona urbana, de fato, encantam quem nunca viu isso, mas Rondonópolis tem algo a mais, assim como o Brasil tem, que ninguém sabe dizer exatamente o que é, no entanto, é como um imã ao coração. Muitos políticos, religiosos e cidadãos comuns, do passado e do presente, marcaram a história da cidade com lutas e trabalhos Expediente EDITORA EDITORA & MARKETING CNPJ: / Av. Cuiabá, Ed. Santa Clara 3º Andar Sala 33 - Centro CEP: Rondonópolis - MT Fone: DIRETOR RESPONSÁVEL Evandro Oliveira dos Santos JORNALISTA & REDAÇÃO Evandro Oliveira dos Santos / DRT-MT 1062 AGÊNCIA DE REPORTAGEM Denis Maris (B.J. Leite Publicidade) AGÊNCIA DE NOTÍCIAS Hevandro Peres Soares DIAGRAMAÇÃO e ARTE Sidney Lucas Bernardo SECRETÁRIA & DIGITADORA Vera Lucia Soares pontuais, mas seria injustiça citar alguns, que acabaram entrando um pouco mais em evidência, e menosprezar o feito de gente que atuou nos bastidores e que foram verdadeiros anjos na vida de muitos. Neste 10 de dezembro de 2014, a homenagem deve ser rendida a todos, sem exceção, desde o especialista em medicina mais conceituado, ao técnico em informático, o artesão, o músico, o advogado, o gari, as mulheres trabalhadoras O rondonopolitano nativo toma o chimarrão e fala guri como os gaúchos, com a mesma facilidade que come o pão de queijo que veio de minas e a tapioca do nordeste, assim como toma o Açaí do Pará ou tereré do Paraguai da Coder, os sorveteiros, o comerciante, o fazendeiro, o pequeno produtor e todos que acordam cedo rotineiramente e lutando pelo melhor de suas vidas acabam por ser um parte importante da engrenagem forte que move em velocidade invejável o crescimento de Rondonópolis. Para quem ainda não sabe o tamanho e importância de Rondonópolis no âmbito econômico e social de Mato Grosso e Brasil, segue alguns dados: A cidade é hoje a 2ª maior economia do estado de Mato Grosso e está entre as 100 maiores economias do país, com um PIB de mais de 5 bilhões de reais. Considerada a Capital nacional do agronegócio, hoje os potenciais de produção de matéria prima e também industriais são invejáveis, especialmente depois da chegada da esmagadora Noble, instalada próxima a outro marco da história recente: o terminal da América Latina Logística - ALL, capaz de receber e escoar o montante de mais de mil caminhões por dia, simplesmente a maior estrutura ferroviária de toda a América Latina. Nos últimos anos, a revista Pequenas Empresas Grandes Negócios, da editora Globo, mostra estudo exclusivo, feito pela consultoria paulistana Geografia de Mercado que deu origem à lista de 25 cidades boas para se empreender no Brasil e Rondonópolis está no 7º lugar entre as cidades de pequeno e médio porte, como grande oportunidade de investimento. Rondonópolis lucrou US$ 662,99 milhões no primeiro semestre de 2014 com as exportações agrícolas, sendo a cidade que mais cresceu sua produção do ano passado para cá. O potencial turístico da cidade também é notadamente invejável. Quem nunca conheceu, por exemplo, o complexo da Carimã deve o fazer imediatamente. Em outros locais do campo, a natureza acaricia a alma de quem sabe apreciá-la. A cachoeira do gavião, por exemplo, é linda, assim como o Parque Ecológico João Basso, área de preservação ambiental recheada de grutas, inscrições rupestres e trilhas que levam à Cidade de Pedra. O potencial arqueológico do parque atrai especialista europeu e de várias outras partes do mundo constantemente. A rodovia do peixe reúne diversas paisagens magníficas e paredes rochosas em meio a cursos d água que surpreende quem nunca imaginou ter tão perto de sua casa cenários tão belos e acessíveis. O aniversário é da cidade, mas a festa é de todos que a amam e que escrevem com seu suor as páginas do dia a dia na maior do sul de Mato Grosso. O futuro é extremamente convidativo, o presente é motivador e o Folha Regional também se orgulha de ter participado do seu passado tão belo, Rondonópolis. COLABORADORES Rivian Dias (foto) Clube 7 (site) Macsuel Oliveira (foto) Kinoite (Foto) Agora MT (site) GazetaMT (site) Primeira Hora (site) DEPT. DISTRIBUIÇÃO WB Entregas Valdivan Xavier Lucas Melo Tiragem: Marketing e_mail: As matérias e artigos assinados, são de inteira responsabilidade de seus autores, os originais não serão devolvidos. Rondonópolis, cidade do Marechal. Era a letra de um antigo hino que tocava no início das programações de rádios nos idos dos anos 70, entrando para os 80. Os sonhos daquela tenra infância, hoje, muitos deles se realizaram no que se tornou a promissora cidade do Marechal. Uma cidade futurista que faculta oportunidades a todos que aqui chegam com intenções de criar um futuro. Uma jovem cidade com todos os problemas que tem qualquer empreendimento novo criando experiências no seu amadurecimento. Rondonópolis está no rumo do caminho certo, mas, para que ele dê certo precisa muito doravante do empenho e o engajamento de todos nesse crescimento. Ao fazer sessenta e um anos, Rondonópolis ainda é uma grande promessa, pois tem demografia, tem geografia espacial, e tem ao seu redor águas em abundância. Os grandes desbravadores do mundo escolhiam suas moradas onde tivesse muita água para suster o povo, Rondon e seus correligionários não fugiram a regra ao escolher a terra dos autóctones Bororos para depositar nela um grande sonho de cidade. Rondonópolis é uma encruzilhada étnica, pela confluência que aqui se deu do encontro do espírito de vários povos, principalmente dos nordestinos os primeiros desbravadores a chegarem atraídos pelo cheiro das notícias da * Por Max Ferraz A Rondonópolis que deu e pode dar ainda mais certo extração de minério na região, mais propriamente a região de Poxoréu que por muito tempo foi à mãe de Rondonópolis, mais tarde, os povos de Minas Gerais, São Paulo, os gaúchos e até de outros países. Segundo historiadores, o município originalmente era conhecido como Ponte de Pedra, por causa do rio de mesmo nome que banhava a região. Com a passagem da Comissão Rondon pela região, a fim de fazer levantamentos para a construção de linhas telegráficas, veio o tenente Otávio Pitaluga, que mediu e instituiu as diretrizes para uma futura cidade. Com esse projeto, a localidade foi rebatizada de Rondonópolis, em homenagem ao Marechal Rondon, em De lá para cá foi uma invasão desordenada de imigrantes que hoje em dia é difícil mensurar com precisão quem são eles nessa amálgama cultural. Já teve vários títulos, dentre eles a de Rainha do Algodão, mais tarde, Capital nacional do agronegócio, Rainha da soja e por aí vai. Por ser uma cidade com inúmeras influências culturais não tem ainda uma iconografia chancelada pela aprovação da atual população que represente identitariamente Rondonópolis. No seu franco crescimento ele atingiu várias áreas importantes, mas, ainda há muito por crescer. Na área da cultura, Rondonópolis deu um salto quantitativo de 360 graus ao ganhar uma secretaria de cultura das mãos do intrépido prefeito Percival dos Santos Muniz que atendeu ao clamor do queremismo dos artistas. Uma secretaria para pensar justamente nas dificuldades que passa a cultura local e encontrar caminhos que levem a possíveis soluções, trabalhar com a rica historicidade local e a capacitação dos sujeitos que militam e fazem cultura na terra de Rondon. O processo cultural rondonopolitano é multifacético, riquíssimo, variável e colorido. De uma pluralidade imensa capaz de revelar o âmago da profundidade da alma de seu povo. Mais, muito desse processo cultural, historicamente vem, ao longo do tempo, sendo executado de maneira informal, quando ele poderia ser parte integrante de um processo econômico muito mais estruturado. Enfim, sair da informalidade para ser gerador de renda, fazer parte do PIB, gerar trabalho de carteira assinada, gerar condição de cidadania. A idéia é: desobstacularizar as barreiras históricas impostas à cultura de modo geral, criar espaços genuinamente cultural, atingir severamente a redução da desigualdade e do afastamento criado pelos próprios artistas, oferecer ao novo sujeito que está chegando à sensação de pertencimento, esse mesmo sujeito que outrora fora espirrado de dentro pra fora do processo por descrença na cultura ou por preguiça participativa. O CMPC - Conselho Municipal de Política Cultural - em muitas de suas missões fez a sua parte implementando todas as leis que compreendem o sistema municipal de cultura e, aguarda que tão logo o executivo aprecie e envie ao legislativo para ser votado e assim, a cultura ter por vias de leis garantidas todos os seus direitos. Que esse aniversário de sessenta e um anos sirva para várias reflexões para o mundo das artes. Dentre elas, de que o novo sempre vem, e não podemos viver de ecos de um passado glorioso quando nossa missão precípua hoje é viver o agora e criar novas possibilidades. Max Ferraz é músico, compositor, militante cultural e atual presidente do Conselho Municipal de Cultura Rondonópolis Terra mãe No cenário nacional, Rondonópolis, avante! Apresente seus valores Para que o mundo se encante Com o seu traje de gala De beleza exuberante. São vastas as cachoeiras E águas quentes naturais. Donde estou no Casario Vejo a beleza do Cais, As marges do rio Vermelho Passando lento demais. Vejo também um barqueiro A favor da correnteza, Rumo à Cidade de Pedra Onde a mão da Natureza Arquiteturas maravilhas Para exaltar a Beleza. Rondonópolis Terra Mãe Onde se produz o grão, Nosso povo hoje se alegra Demonstrando exaltação. O seu berço acolhedor Nos fez juz a esse chão. Óh! Rondon, terra querida, Parabéns pelo seu dia. O calendário de hoje Lembrarei numa alegria Imensurável, porém Sem fazer demagogia. Ademir Lopes do Amaral

3 Jornal Folha Regional página 3 Mato Grosso do Sul é o estado onde mais nasceu prefeitos de Rondonópolis Se ninguém nunca entendeu porque muitas vezes na história dos 61 anos de Rondonópolis a capital do Mato Grosso do Sul, Campo Grande, parecia muito mais próxima a Rondonópolis, do ponto de vista de referência, escolha e de busca tanto dos órgãos públicos para a área da saúde e vários outros setores, com seus mais de 460 quilômetros de distância, em comparação a Cuiabá, capital de Mato Grosso, que fica a pouco mais de 200, a história explica o porquê. O estado vizinho foi onde nasceram quatro dos 16 prefeitos eleitos que a terra de Rondon já teve em toda sua trajetória pós emancipação política, ocorrida em 10 de dezembro de Ao todo, porém, 18 homens passaram pela chefia do Executivo, mas dois deles acabaram assumindo o Executivo ser ter tido a escolha direta da população para isso, foi o caso do então presidente da Câmara de Vereadores, Ananias Filho, que assumiu depois que a justiça eleitoral cassou por crime eleitoral, de uma só vez, Zé Carlos do Pátio e Marília Salles juntos, os dois que haviam se elegido em 2008 como prefeito e vice, respectivamente. Ananias ficou apenas sete meses como prefeito (05/2012 a 1/2013). Coisa parecida ocorreu também com Antônio Joaquim Alves, o Antônio Abóbora (8/62 a 8/63), quando Luthero Lopes deixou a prefeitura para ser deputado estadual e o vice da época, Lauro de Oliveira Mendes, não quis assumir. Campo Grande foi a cidade que trouxe ao mundo dois prefeitos da história de Rondonópolis: Curiosidades Rondonópolis nunca elegeu um prefeito negro; Hermínio J. Barreto (1/89 a1/93), que além de chefe de executivo foi vereador e deputado estadual, e é a terra natal do falecido engenheiro Luthero Lopes (1/59 a 8/62), terceiro gestor da história da cidade. Rondonópolis ainda foi comandada pelos sul-mato-grossenses Walter de Souza Ulisséia (2/77 a 1/83), que era de Corumbá, e Fausto Faria (5/86 a 12/88), que veio da cidade de Paranaíba e ganhou a prefeitura ao lado de Bezerra, em sua segunda passagem pela prefeitura. Farias assumiu o Executivo, quando o então prefeito renunciou para se candidatar a governador. Depois de Mato Grosso do Sul, o Paraná e o próprio Mato Grosso foram onde nasceram três prefeitos cada da história de Rondonópolis. Cáceres, Chapada dos Guimarães e Guiratinga, são os municípios de nascimento de Hélio Garcia (1/67 a 1/70), Carlos Gomes Bezerra (1º mandato 2/83 a 5/86 e 2º mandato 1/93 a 3/94) e Percival Muniz (primeiro mandato 12/98 a 1/2001; segunda mandato 1/2001 a 1/2005 e terceiro mandato 1/2013 a dias atuais), exatamente na mesma ordem. Percival, na verdade, nasceu em Ipiaú, no estado da Bahia, mas veio recém-nascido e acabou tendo seu registro de nascimento feito em terras mato-grossenses. Do Paraná vieram Zé Carlos do Pátio (1/2009 a 5/2012), nascido em Londrina; Rogério Salles (3/94 a 1/97), que nasceu em Francisco Beltrão e foi eleito vice de Bezerra, assumindo a cadeira depois da ida do segundo para o senado, e Sátyro Pohl Moreira de Castilho (2/62 a 1/67), o capitão do Exército que era de União da Vitória. O vizinho Goiás e o estado da Bahia, verdadeiro exportador de matéria humana de qualidade para o Brasil, foram outros a contribuir com a história de Rondonópolis. A próxima Mineiros, que fica poucos quilômetros depois da divisa entre Goiás e Mato Grosso, é a terra de nascimento do Dr. Alberto de Carvalho (1/97 a 2/99), que renunciou do cargo depois de denúncias contra sua gestão, dando lugar ao seu vice Percival Muniz. Goiás é também a terra de Daniel Martins de Moura (1/55 a 1/59), que veio ao mundo em Porto Nacional, e foi o primeiro eleito de Rondonópolis após sua emancipação. Os baianos Rosalvo Farias (1/54 a 1/55), de Barra do Mendes, primeiro homem na história nomeado a comandar o executivo local, e Antônio Abóbora (8/62 a 2/63), de Santana, fecham a lista dos estados que tiveram mais de um representante. Cândido Borges Leal (1/73 a 2/77), o farmacêutico de Pirajuí, é o único paulista que veio a Rondonópolis e conseguiu ocupar a cadeira de prefeito. Mesmo com uma população imigrante das mais fortes da cidade, apenas Zanete Cardinal (1/70 a 1/73) conseguiu alcançar o topo da política municipal como um gaúcho de nascimento, da cidade de Bossoroca. Do estado vizinho, Adílton Sachetti (1/2005 a a/2009) é o catarinense da lista, tendo como cidade de origem o município de Criciúma. Hevandro Soares Nos 61 anos de história nenhuma mulher foi eleita chefe do Executivo Municipal Nenhum prefeito da história se elegeu e posteriormente reelegeu cumprindo o total de tempo que lhe caberia nos dois mandatos; A cidade nunca elegeu alguém nascido em Rondonópolis para o cargo de prefeito; Marília Salles foi a primeira mulher da história a sentar na cadeira de prefeito, quando assumiu por alguns dias o mandato, durante afastamento temporário de Zé Carlos do Pátio, em A professora rondonopolitana Vilma Moreira dos Santos, foi a 1ª vereadora e 1ª parlamentar matogrossesse negra na Assembléia Legislativa de MT Marlene Silva de Oliveira Santos, a única presidente da Câmara mulher da história de Rondonópolis Se eleger uma prefeita parece um desafio ainda a ser cumprido, a barreira da presidência da Câmara de Vereadores é um obstáculo já ultrapassado na história de Rondonópolis. Apesar disso, Marlene Silva de Oliveira Santos, natural de São Carlos, no estado de São Paulo, foi a única mulher que presidiu a casa de leis municipais, sendo gestora de 1989 a 1991, durante a 9º legislatura. Antes e depois dela passaram por este cargo: José de Oliveira Lellis, Rozendo Ferreira de Souza, Antônio Berriel, Leopoldo Vilas Boas, Antônio Cearense Alexandrino Alencar, Antônio Finazzi (Tuniquinho), Cornélio Nunes Viana, Ludovico Vieira de Camargo, Adevair Ferreira Marques, Walter Ulisséa, Antônio Frange, Valdivino Alves, Getúlio Balbino, Ildon Maximiano Peres, Odilon Augusto de Brito, José Roosevelt Braga, Antônio Alberto Schommer, Miguel Ramos, Antônio Lourenço Neto (Campo Limpo), João Klimaschewsk, Joldeque Soares Gomes, Ananias Martins de Souza, Milton Gomes da Costa (Miltão), Mauro Deveza Costa, Juary Miranda, Abel Vilela, Lourisvaldo Manoel de Oliveira (Fulô), Mohamed Zaher, Ananias Martins de Souza Filho, Hélio Pichioni e Ibrahim Zaher. Mais novos Os mais jovens da história da presidência da Câmara de Vereadores de Rondonópolis foram Abel Vilela, em 2001, que foi eleito pelos colegas o presidente da mesa diretora aos 27 anos e Walter Ulisséa, que Ibrahin é um dos cinco presidentes mais jovens da história mais de sua trajetória a frente viria a ser prefeito, mas também aos 27 já era o responsável pela presidência da Câmara, no ano de O atual presidente, Ibrahim Zaher, assumiu o cargo mais alto do legislativo local quando ainda tinha 29 anos, em 2013, e está junto a mais dois presidentes que com a mesma idade conseguiram o feito: Mauro Deveza da Costa, quando em 1999 teve a responsabilidade de ser o gestor da 11º legislatura e Rossevelt, que em 1977, presidia a mesa diretora também a um ano de completar 30.

4 página 4 Jornal Folha Regional MAIS DE 61 MOTIVOS PARA VIVER AQUI IDEALIZADORES DE UMA RONDONÓPOLIS GRANDIOSA De Armazém, para Ferragista Miranda O saudosopioneiro José de Souza Miranda veio da Bahia para Mato Grosso a pé, segundo conta o seu filho José Miranda, que seguiria mais tarde a mesma profissão do pai, e se tornaria também um próspero comerciante.o senhor José de Souza chegou a Mato Grosso na década de 1950, residiu primeiramente na localidade de Jarudore, onde montou um comércio, alguns anos mais tarde conheceu aquela que seria a sua esposa, Laurita Alves Miranda. Posteriormente vieram de mudança para Rondonópolis, reiniciando aqui as atividades comerciais, na qual sempre foram bem sucedidos. O casal teve cinco filhos,josé Miranda Filho, Maria da Glória, Maria Sirlene, Edna Alves e Adriane. José elaurita sempre dedicaramatenção especial a família, dando a todos os O tradicional e querido médico pediatra rondonopolitano, Ariel Marqes, é natural de Recife, capital pernambucana. Veio o mundo em uma família humilde, filho de Pedro Fernandes da Silva um servidor operário e Sebastiana Marques da Silva. Apesar da infância pobre, o carinho e a atençãoespecial dos pais sempre foram constantes à ele e suas irmãs Alba Marques e Aria Marques. Ariel conheceu a sua esposa Lídia no ano de 1956 na Faculdade Federal de Pernambuco, casaram-se e tiveram4 filhos: Ariel Filho, Ana Lídia, Angela Patrícia e Ariene Cristina, nascida em Rondonópolis. A vida lhes reservou também filhos adotivos que foram criados com todo o carinho. O médico fala com emoção sobre a sua inspiradora trajetória de vida. O meu sonho desde criança era ser médico, e aos 8 anos de idade eu já assinava Dr. Ariel, com o grande apoio dos meus pais, muita luta cheguei a Faculdade Federal de Pernambuco onde me formei. Depois de formado cliniquei durante 5 anos em Recife, posteriormente mudei para a cidade de Governador Valadares MG. Com o passar do tempo comecei a sentir um desejo de mudança, a minha verdadeira intenção era estar em um lugar onde eu pudesse ser cada vez mais útil a sociedade em geral, então fui conhecer Campo Grande ainda Estado de Mato Grosso,de lá fui conhecer Cuiabá. Ao pernoitar aqui em Rondonópolis gostei do lugar, encontrei o ambiente propício para o ideal de meu coração, se lembra. O pediatra ainda lembrou de pessoas importantes na sua história. Quando conheci o Almir Donato que já estava aqui há algum tempo, a nossa amizade fortaleceu ainda mais o meu objetivo. Nesse período acabei conhecendo também o Dr. Perrone, Dr. Muniz e o Dr. Foster. Como não havia setor especializado em pediatria na filhos muito carinho, e incentivo nos estudos. O empresário José Miranda Filho, fala sobre os bons momentos que passou durante a sua infância em Rondonópolis, um tempo não muito distante, mas que ainda não existia a Praça dos Carreiros. O nosso lazer era no Rio Arareau, onde passávamos horas brincando com os amigos, às vezes pescando ou nadando. Para se ter uma idéia, o Rio Arareau tinha uma água limpa, pura e transparente, onde muitas senhoras lavavam as roupas dos seus familiares. Sei que algumas pessoas já disseram isso, mas vale a pena repetir, nós somos testemunhas daqueles bons tempos que não voltam mais. A nossa infância foi muito feliz, eu e minhas irmãsestudamos na Escola Sagrado Coração de Jesus. cidade idealizei e fundamos o Pronto Socorro Menino Jesus, instalado na rua 13 de Maio, hoje centro da cidade. Naquela época existiam três hospitais em Rondonópolis: o Samaritano, o São Marcos e o Rondonópolis. E o nosso pronto socorro era o único especializado em pediatria com um quadro clínico de muitos casos de reidratação. O nosso atendimento era feito de forma humana e fraternal 80% das pessoaseram atendidas gratuitamente, nós doávamos as internações. Nunca fizemos distinção de classe social, e condição financeira. Nós praticávamos também a filantropia, distribuíamos agasalhos, e apoiávamosas pessoas no que era possível., pontua. Em 1982 Ariel conta que passou a trabalhar na rede Aescola La Salle também já existia, mas nossos pais preocupados com a distância, preferiram que nos estudássemos na Escola Sagrado. Para chegar na escola La Salleera necessário passar pelas trilhas na mata, o que representava perigo para as crianças naquela época, relembra. Miranda Filho, como muitos empresários, ressalta que o negócio da família cresceu no ritmo do desenvolvimento de Rondonópolis. O meu pai inaugurou o Armazém Miranda no ano de 1963, depois de alguns anos comprou o prédio pertencente ao senhor Daniel Martins de Moura, localizado na D. Pedro II onde funcionava a antiga fábrica dos refrigerantesmarajá. Com o passar do tempo, a construção e o inicio das feiras na Praça dos Carreiros, muita gente nova começou a chegar trazendo mercadorias para vender. A partir desse período começamos também a crescer, mas alguns anos depois com o surgimento dos supermercados o Armazém Miranda, que até então vendia secos e molhados a granel (arroz, feijão, carne seca, ovos, café, óleo, batatas etc.) começou a declinar em virtude do surgimento dos supermercados, detalha. A partir do então momento da história lembrado pelo entrevista, é que em 1983 foi feita a mudança de Armazém para Ferragista Miranda, onde começou-se a vender implementos agrícolas para os sitiantes da região, produtos de jardinagem, utilidades domésticas em geral. Hoje continuamos vendendo pequenos implementos e produtos utilitários para fazendas. Temos clientes que há 40 anos continuam conosco, comprando na Ferragista Miranda (...) Nos dias de hoje atuamos também pública de saúde, atendendo cerca de 40 pessoas por dia. Ele ainda atuou no PA de 1998 a Toda essa trajetória de vida, segundo o que garante, lhe trouxe grandes alegrias. Agradeço a Deus por ter me dado a oportunidade de dedicar minha vida em benefício do próximo, ressaltou o médico. Nos dias de hoje o Dr. ArielMarques, continua atendendo os seus pacientes em sua residência, e mantém a mesma filosofia, atendimento humanitário e filantropia. Uma vida desprendidade aquisições de bens materiais e voltada para as causas espirituais, de acordo com o que comenta. Sou espírita da linhagem de Alan Kardec, afinal é dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado. A pratica do bem está acima de na área da construção civil, temosalguns imóveis locados, e todos os nossos parceiros, companheiros de trabalho, sempre acreditaram no potencial da cidade. Sobre a expectativa quanto ao futuro, o empresário vê dias ainda melhores pela frente. Rondonópolis é o futuro de Mato Grosso. Aqui vivemos com dignidade. Criei os meus filhos e os ensinei da mesma forma que aprendi. Parabenizo a todos os rondonopolitanos, e aqueles que aqui chegaram de outras localidades, Dr. Ariel, símbolo de profissional da medicina aliado ao humanismo, faz parte da história da cidade Dr. Ariel Marques Fernandes e sua esposa, Dra. Lídia Souza Marques tudo, nem a casa que eu moro é minha, não tenho bens. Mas o progresso é inevitável, vemos a cidade de Rondonópolis hoje com 61 anos de emancipação política administrativa. O futuro desta cidade será, cada vez mais brilhante, no campo educacional estamos crescendo, já temos o curso de medicina, e muitos outros de grande importância para o desenvolvimento da sociedade em geral. A Dra. Lídia complementa; Apesar de todo o crescimento a cidade continua fraterna, nunca tivemos uma decepção, o povo é nossa família. Todos nós nos sentimos ligados ao grande amor de Deus, parabéns a todos os moradores desta querida cidade que tanto amamos., finalizou Reportagem; Denis Maris os filhos de coração desta maravilhosa terra que amamos. Quero agradecer aos meus filhos Yuri,aos gêmeos Pedro e Paulo, a minha esposa Magda Regina Dariva, aos meus parentes, clientes e amigos, e ao Jornal Folha Regional pela oportunidade. Desejo nesta data, muitas felicidades à todos que residem nesta maravilhosa terra de Rondon. Finalizou o empresário pioneiro José Miranda Filho. Reportagem; Denis Maris

5 Jornal Folha Regional página 5 Córrego Arareau: símbolo da história de Rondonópolis e exemplo do desrespeito ao meio ambiente Morador fala com nostalgia de quando a água era limpa O comerciante Gilson Alves da Silva, de 57 anos de idade, chegou a Rondonópolis, junto aos familiares, quando a cidade havia a apenas 14 anos se emancipado de Poxoréo e ainda tinha pouco mais de 20 mil habitantes. Logo quando se mudou, vindo da comunidade rural Varjão, que fica entre Rondonópolis e a vizinha Guiratinga, o personagem da reportagem especial do Folha Regional foi morar a 300 metros de um límpido e rico córrego, o Arareau. A proximidade com o manancial, levou Gilson a ter uma relação muito próxima com a natureza e a maioria das Eu me lembro muito bem que eu e meus irmãos, primos e vizinhos adorávamos nadar, pescar e o Arareau era onde a gente conseguia fazer isto com segurança principais histórias de infância que ele lembra sempre são contadas tendo como cenário principal o mais tradicional afluente local do Rio Vermelho. Obviamente que a vida naquele tempo, não só para uma criança como para um adulto, era muito diferente de agora e a diversão da molecada estava no contato com a natureza. Eu me lembro muito bem que eu e meus irmãos, primos e vizinhos adorávamos nadar, pescar e o Arareau era onde a gente conseguia fazer isto com segurança, além d o fato de ser muito próximo a nossa casa, já que desde o início nos instalamos na região onde hoje é o centro, próximo ao Jardim Brasília, conta, ao revisitar as margens do córrego onde era o seu ponto de encontro com todos os amigos da época e que hoje tem o verde da mata contrastando com móveis e utensílios domésticos, que por não terem mais serventia foram abandonados ali por moradores. Ao caminhar na beira do córrego com a companhia da reportagem, Gilson foi pouco a pouco lembrando e comparando o Arareau de antes e o de agora. O antigo morador afirma que não coloca toda a culpa do estado atual do espaço apenas na falta de consciência ambiental da população, mas afirma que faltou num passado longínquo e até num passado recente leis e a fiscalização que agora vigoram com mais afinco. O Arareau é só mais um exemplo da falha gritante que ocorreu no passado, onde as pessoas imaginavam que isto que ocorre hoje nunca aconteceria. E quando falo isto, digo principalmente em relação ao poder público. Esta exigência de agora sobre a proteção da margem de 100 metros ou 50 metros, dependendo da largura do rio, é algo muito recente, que se tivesse sido pensada e botada em prática antes, na formação da cidade, hoje nós poderíamos ter outra realidade. Mas infelizmente no Brasil é assim: só depois que a coisa já foi para o brejo é que decidem agir, criticou. Novamente voltando o foco de sua fala aos momentos vividos no passado, Gilson lembra que nem mesmo os gols de Pelé transmitidos no rádio ou as tradicionais radionovelas eram capazes de fazer com que os domingos de sol estralado do fim da década de 60 e início da de 70 em Rondonópolis fossem mais atrativos dentro de casa do que contemplando a natureza que ainda reinava na jovem cidade. O Arareau era navegável, conforme atesta Alves, e a variedade de espécies de peixes que podiam ser pegas no córrego atiçava os moradores a buscar conforto e diversão em sua beirada. Eu cansei de pegar e comer pintado pego aqui neste lugar, além de piau e tantas outras espécies de peixes grandes que subiam. Daqui muitas famílias tiravam o seu sustento, porque a fonte de alimentação naquela época parecia inesgotável. Hoje ainda é possível ver peixes em alguns pontos, mas quem tem coragem de comer?, indagou, com tom de revolta. Conforme foi ocorrendo o alastramento populacional da cidade e a formação de bairros como o próprio Jardim Brasília, Jardim Cuiabá, Pioneiro, Santo Antônio, Vila Cardoso e tantos outros que margeiam o Arareau, Gilson confidencia que viu a degradação do córrego ocorrer aos poucos, como um paciente consumido continuamente por uma doença grave. O que de água hoje desce e desagua no Rio Vermelho, o comerciante assegura: não é nem a metade do que tinha antigamente. O começo da morte de um rio é o assoreamento e isto está ocorrendo aqui. A enxurrada carregada de barro das partes mais altas da cidade desce com toda força, não encontra mais a vegetação que antes a segurava e vai parar com tudo dentro do Arareau. Isto é preocupante e hoje, por exemplo, a maioria dos pontos deste córrego não tem como navegar. O curso de água que passa por aqui é, no mínimo, 60% a menos do que passava antigamente. A cor da água então não dá nem para comparar, lamenta. Se pra ele quando criança e adolescente o Arareau era sinônimo de diversão e comida na mesa, para sua mãe, por exemplo, Gilson conta que o córrego era um aliado nas tarefas domésticas. As mulheres de Rondonópolis dos anos 60 e 70 lavavam roupa em um local específico do manancial, próximo onde é hoje a ponte da rua José Barriga. Questionado se ele tem esperança que o curso d água volte a ter a qualidade que tinha antes, o O assoriamento do córrego é uma das principais preocupações de Gilson rondonopolitano afirma que mesmo com tantas agressões ainda é possível um resgate. A gente não é especialista nisso, mas eu acho que o principal é fazer um reflorestamento das margens. Junto a isso obviamente é necessário promover uma campanha educativa com os moradores, especialmente os que residem nas ruas que ficam perto do rio, e remover para outras casas aqueles que tiverem em áreas de risco, destruir estas residências e plantar árvore, não tem outro jeito (...) Eu sinto pelas crianças de hoje não terem a infância que eu tive. Hoje eles têm a internet e a televisão, mas com certeza eu prefiro o Arareau que eu tinha, concluiu. Hevandro Soares MAIS DE 61 MOTIVOS PARA VIVER AQUI DECLARAÇÕES DE AMOR A RONDONÓPOLIS Hermélio Silva - Escritor Bela moça casadoira é essa cidade que sempre me traz de volta, nas mais diversas circunstâncias. Já lhe prometi nunca mais sair do seu seio por diversas vezes, mas como um lesa-pátria, quebro a jura de amor eterno. Sempre retorno mais maduro e com as mesmas promessas de outrora, como se fosse o único e último compromisso inquebrantável. Manoel Rodrigues - Administrador de Imóveis Me sinto muito feliz nesta cidade, aqui construí minha família criei os meus três filhos, agradeço a Deus e especialmente a minha esposa Teda Miranda Rodriges. Nós amamos esta cidade, parabéns rondonopolitanos pelos 61 anos de emancipação política administrativa. Ronaldo Amâncio da Cruz Rondonópolis só me deu coisas boas, estou aqui desde 1981, através do meu trabalho conheci muitas pessoas, fiz muitas amizades. Desejo a todos nesta data muitas felicidades, sou apaixonado por esta cidade que me deu o meu ganha pão. Luiz Carlos Lacerda - Moto taxixta Sou rondonopolitano de coração, vim da cidade de Votuporanga SP, estou muito feliz por ter constituído minha família aqui, é a melhor cidade do mundo. É Preciso que os administradores de um pouco mais de amor, carinho e atenção para a nossa gente. Gilberto Gamela - Comerciante Não tem melhor, Rondonópolis é uma cidade mãe, tem muita coisa a ser feita, e com certeza podemos melhorar ainda mais. Jaime Guidio - Instrutor de Defesa Pessoal Rondonópolis é a melhor cidade do Brasil, pode melhorar mais, é preciso que as autoridades incentivem mais a Cultura e o Esporte. É muito bom comemorar os 61 anos de vida desta cidade que amamos. Valdeci Silva de Almeida - Artesã Eu adoro Rondonópolis e não gosto que falem mal da cidade, moro aqui há 54 anos, peço para as autoridades melhorar a segurança e a saúde, que ainda estão precárias. Parabéns pelos 61 anos neste dia 10 de Dezembro. Luzia Santos Tavares - Técnica em enfermagem Gosto muito do clima quente desta cidade, não é a toa que a população rondonopolitana é amiga e expressa muito calor humano. C omo em todos os lugares, aqui também temos problemas, queria destacar especialmente a questão da falta de segurança. É preciso que as autoridades estejam mais atentas. Parabéns à todos pela comemoração dos 61 anos de Rondonópolis. Miguel Ferreira Cruz - Esportista Rondonópolis é o coração do Brasil, um pedaço da minha vida, é a cidade que eu amo. Sebastião dos Santos - Tiãozinho Cuiabano - Empresário Estou aqui desde 1976, Rondonópolis é tudo de bom, dou graças a Deus por ter construído minha família nesta terra de Rondon. Felicidades a todos nesta data comemorativa dos 61 anos da cidade. Erlan Pereira - Pastor Evangélico A cidade de Rondonópolis é muito representativa para mim, apesar de não ter nascido aqui, tenho uma filha rondonopolitana Hadassa. As pessoas que aqui vem chegam a procura de uma vida melhor, trabalho, lazer, progresso pessoal e familiar, e são bem recebidas. Que Jesus abençoe a todos os moradores deste município. Airton Ferreira de Almeida - Cabeça - Comerciante Aqui eu tenho boas, e inesquecíveis amizades, moro em Rondonópolis desde 1970, naquele período podia-se dormir de portas abertas, a cidade era tranqüila. Nos dias de hoje com a chegada do progresso tudo mudou, a cidade fiou violenta, precisamos de mais segurança.

6 página 6 Jornal Folha Regional Comercial Rio Negro: Uma bela história de pai para filho O jovem Marcus Humberto Richard Rodrigues Ribeiro Tosta, de 33 anos de idade, é proprietário e principal responsável administrativo pelo Comercial Rio Negro, localizado na Avenida Bandeirantes e um dos mais tradicionais do segmento da mercearia de Rondonópolis. O estabelecimento escreve sua história de existência há 50 anos no Município, sendo 13 deles com Marcus no comando. Mas o que fez então um jovem de 18 anos assumir uma responsabilidade tão grande de ser o cabeça do negócio da família? Um triste, mas ao mesmo tempo belo roteiro escrito pelo destino. João Ribeiro Tosta, pai de Marcus, era um dos muitos aventureiros que nos anos 60 saia dos principais centros econômicos do Brasil e vinha se aventurar em Mato Grosso, vendendo para o povo nativo e para os novos moradores que vinham de todas regiões do Brasil, qualquer tipo de produto da linha doméstica. João e seus irmãos, cansaram de fazer o trajeto de Ribeirão Preto a Rondonópolis lotados de mercadoria de lá para cá, retornando lotados de sucata recolhida aqui para vender lá. A dificuldade encontrada nas viagens e o potencial de crescimento e de vendas encontrados em terras mato-grossenses, fizeram os jovens empreendedores se atentarem para a possibilidade de virarem empresários na nova cidade. O Comercial Rio Negro, nasceu com este mesmo nome há cerca de um quarteirão de distância de onde é hoje, mas também situado na Bandeirantes. Apesar do investimento feito, as viagens para Ribeirão Preto seguiam a todo vapor e a maioria da família ainda seguia morando no estado de São Paulo. Rondonópolis, porém, havia conquistado o coração de João, que decidiu adotar a nova terra como lugar para criar seus filhos. Nascido na nova cidade, Marcus conta que sempre nutriu admiração pelo pai, mas confessa que na juventude o seu gosto pelo trabalho não era lá dos maiores. Eu só vinha no comércio do meu pai buscar dinheiro, trabalhava muito pouco para dizer que ajudava ele, como deveria ser, lembra. Em 2001, a vida trouxe a Marcus e a família Tosta um abalo imensurável: João falecia de maneira inesperada, deixando o destino da família e do principal ganha pão, o comercial Rio Negro, incertos. Mas a dor da perda do seu progenitor, fez o jovem Marcus de uma hora para outra transformar- -se em um empresário de sucesso. Assumir e continuar passando confiança à freguesia já conquistada por João foi um desafio, conforme lembra o atual proprietário. Porém, a necessidade de manter o legado e fazer valer a história do pai falaram mais alto para ele. Aqui no Comercial Rio Negro sempre houve esta relação muito próxima com o cliente, de amizade realmente. E isto não foi eu quem implantei. Tem gente que chega aqui e num momento nostalgia lembra de 20 ou 30 anos atrás, onde ele comprava aqui, ai conta um acontecimento e isto é muito legal. Eu sigo esta linha de ter uma conversa mais calorosa mesmo, oferecer um café ou um tereré, até porque é assim que eu consigo o meu diferencial. Não adianta eu querer encarar os grandes mercados de frente. É desleal, não tem como, ressalta Marcus. Outra característica conservada nos 50 anos de história do Rio Negro, além do atendimento, é a maneira de comercialização dos produtos. Cereais, por exemplo, e vários outros itens são vendidos de maneira in natura no quilo a quilo, como tradicionalmente ocorria no passado. O modelo de pesagem do estabelecimento se digitalizou recentemente e até poucos anos atrás o comércio contava com um balanceiro profissional, que também era um dos grandes poetas da história da cidade: Valdir Xavier. O Valdir era o braço direito do meu pai e acabou sendo muito importante também na minha história. Ele foi certamente um segundo pai para mim e tenho certeza que teria muito mais dificuldade para conseguir chegar até onde estou hoje se não fosse ele. A experiência dele, os nortes que me dava e a segurança que eu sentia nele foram fundamentais para o negócio continuar seguindo em frente, reconhece Marcus. Há dois anos, Valdir que já estava aposentado, mas ainda seguia trabalhando ao lado de Marcus, deu o segundo grande baque na vida de Tosta. Ele tinha sido diagnosticado com câncer, mas a gente nunca imagina que vai ocorrer o pior. Um dia ele me disse que ia parar de trabalhar e ir casa para morrer porque não estava aguentando mais. Eu até disse para ele pelo amor de Deus não dizer uma coisa dessa, mas infelizmente isto acabou se confirmando pouco tempo depois, lamenta o empresário. Como homenagem ao principal funcionário da história do comércio, que torceu o nariz e ficou emburrado por meses quando Marcus comprou a balança digital, um poema de Valdir com sua imagem estão gravados no fundo do estabelecimento, local exato onde por mais de duas décadas trabalhou o poeta. Eu consegui fazer esta homenagem em vida para ele. Hoje é legal olhar para cá e lembrar dele, sacramentou Tosta, com um sorriso no rosto. Hevandro Soares Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon: patrono de Rondonópolis Seu nome era Cândido Mariano da Silva Rondon, era descendente de bandeirantes paulistas e de espanhóis dos Pireneus, tendo do lado materno, sangue de índios Boróros e Terenos. Talvez seja devido a isso o seu grande amor aos índios. Nasceu na Sesmaria do Morro Redondo, nos campos do Mimoso, ao sul do Estado de MT, na época em que se iniciava a nossa guerra com o Paraguai e por coincidência, no mesmo dia em que o Congresso de Assunção homenageava Francisco Solano Lopes, dando-lhe o título de Marechal em 5 de Maio de l865. Será que sob tal coincidência, espírito de batalhas deveria seguir mais tarde a carreira militar e vir a ser um Marechal? Cândido Mariano da Silva, nasceu órfão de pai e seu sobrenome Rondon, foi acrescentado mais tarde, pois era o sobrenome de sua avó Rosa Rondon, mas isso depois de ter sido permitido pelo o Ministério da Guerra, em 28 /11/l890. Com apenas dois anos de idade,perdeu também a mãe, Claudina Evangelista, cujo nome ele homenagearia na Escola Claudina Evangelista, de Mimoso. Cândido Mariano da Silva, depois da morte de sua mãe, foi criado pela madrinha, dona Joaquina e pelo avó João Evangelista. Aprendeu as primeiras Homenagem feita por Marcus a Valdir Xavier letras com um sargento veterano da Guerra do Paraguai, Jacinto Hélio de Almeida.Ao deixar Mimoso, aos 7 anos de idade, ele já sábia ler. Atendendo um pedido de seu falecido irmão, seu tio Manoel Rodrigues da Silva Rondon, levou o menino para Cuiabá, onde concluiu os seus estudos primários. Ali, Cândido Mariano da Silva, passou a estudar e viveu em pleno campo, lidando com animais, nadando no Rio Cuiabá, domando novilhos e ao mesmo tempo em que auxiliava o seu tio, trabalhando como caixeiro em sua venda terminando o curso primário, ingressou no Liceu Cuiabano, onde fez o curso secundário. Nesse mesmo Liceu, aos l6 anos já era professor primário. Mas a carreira militar o atraía e sendo assim, seguiu para o Rio de Janeiro, onde sentou praça no 3º Regimento de Artilharia a Cavalo em 26 de Novembro de l88l, passando logo a freqüentar a Escola Militar e a Escola Superior de Guerra. Não posso deixar de frisar, que Cândido Mariano da Silva, sempre figurou com um dos melhores alunos. A seguir cursou Engenharia Militar e obteve o título de Bacharel em Matemática e Ciências Físicas e Naturais. A seguir lecionou nessa mesma Escola quando ainda era Tenente, inclusive sobre Astronomia e Mecânica Racional, no ano de l888 era Alferes. Aluno, e em l890, já era 2º Tenente de Artilharia e Tenente do Estado Maior da 1º classe. Ele era um dos discípulos de Beijamim Constant e também um de seus alunos, predileto. Por ocasião da Proclamação da República em l5 de Novembro de l889, ele estava perto de Beijamim Constant, quando o Marechal Deodoro da Fonseca proclamou a República. Nessa época Cândido Mariano da Silva tinha 24 anos e meio. Em l890, nomearam-no ajudante da comissão construtora da linha telegráfica Cuiabá- Registro do Araguaia. Dois anos depois era capitão de engenharia em l903, Major da mesma Arma. Desde esse ano l890, deixou o Rio de Janeiro,para cumprir o seu dever no sertão. E no sertão tornou-se um evangelizador dos silvícolas e um bandeirante científico, quase toda a sua existência. Rondon desbravou e colocou no mapa de nosso País km, devidamente reconhecidos, estudados e servidos por telégrafos e estradas. Em l907,o então Presidente da República, Dr. Afonso Pena, mandou chamá-lo e perguntou-lhe: Major Cândido Rondon, é possível ligar Mato Grosso ao Amazonas por telégrafo? É só querer Senhor Presidente foi a resposta singela desse grande herói. Foi criado, então a Comissão de Linhas Telegráficas Estratégicas de Mato Grosso ao Amazonas e Rondon era o seu Major-Chefe, permanecendo nessas funções até l930. Essa comissão ficou mais tarde conhecida como a Comissão Rondon. Em 3 anos Rondon ligava Cuiabá a Santo Antônio da Madeira, entrosando a nova linha no circuito telegráfico nacional, fato importantíssimo para o Brasil, naquele tempo. Foi um trabalho item, que se desdobrou por mais de 250 léguas, em pleno sertão e em matas somente percorridas pelos aborígenes e estendeu-se poz mais de 300 léguas, através do Amazonas. Tempo depois, Rondon encontrou um grande chefe, o General Gomes Carneiro, que também pregava o respeito aos índios,tendo declarado, numa ordem do dia, em l890. Arquivo Folha Regional / Ed. 58 Pg. 06 Ano 2005

7 Jornal Folha Regional página 7 Moradores da década de 60 visitam Casario, falam da Rondonópolis de antigamente e exaltam família Cury Maria de Lourdes Dantas, 75, morou com quatro filhos e o marido, Albino Saldanha Dantas, de 1961 a 1962 em uma das tradicionais residências de três peças do Casario, um dos símbolos do início da urbanização de Rondonópolis e que na época pertencia a família Cury. Um pouco mais novo, Osvaldo Barbosa de Lima, o Bacaré, atualmente com 57, chegou na cidade mais tarde e viveu no local de 1969 a Na última semana, a convite do Folha Regional, os dois fizeram uma emocionada visita ao residencial que os recebeu quando haviam acabado de chegar na então nova cidade; ele vindo de Brasília com o pai, mãe e os irmãos, e ela do estado de Minas Gerais, onde havia morado por pouco tempo depois que casou e veio com o marido do nordeste. Lourdes olhava parte da parede de barro conservada de uma das casas quando lembrava o custo de um mil réis para morar um mês no local. Sem o conforto que se tem hoje, mas com muito mais calor humano, a idosa ressalta que era normal a troca de alimentos entre os moradores e nem mesmo a ocasião de todo mundo ter que usar o mesmo banheiro fazia com que o desentendimento tomasse conta entre um e outro. Eu tenho lembranças boas porque não tinha essa correia que tem hoje. Todo mundo vivia calmo e as pessoas se ajudavam. Na minha época, ainda não haviam construído aquele monte de banheiro e era um só para todo mundo, mas havia respeito que era o mais importante. Se faltava açúcar a gente pedia para o vizinho e quando ele pedia arroz a gente dava. Essa falta de segurança que tem hoje era uma coisa que nem passava pela cabeça da gente, afirmou. Bacaré diz que apesar de ter chego em Rondonópolis com nove anos, indo passar alguns dias em uma das únicas duas pensões que tinha na época, a Minas Goiás, para depois vim passar seis anos com a família no Casario, ele se considera totalmente rondonopolitano de coração. Depois de acompanhar tantas décadas passando com nomes fazendo a história da cidade e dias sendo marcados de maneira positiva e negativamente na vida das pessoas, o antigo morador diz sentir uma injustiça com o reconhecimento geral pelo que fez a família Cury. Era cobrado para morar aqui, mas esta família, na minha opinião, que foram os verdadeiros Registro histórico; Casario a 50 anos atrás fundadores de Rondonópolis. Assisto as sessões da Câmara, os noticiários da TV e vejo um monte de gente ganhando moção de aplauso em Rondonópolis e outras homenagens e eles não são reconhecidos da maneira que deveriam. Isto é triste porque não é valorizado a historia real de Rondonópolis. Contam muita história, mas a verdade é outra, lamenta Bacará que se diz amigo pessoal até hoje do Moisés filho. Sentados em um dos vários bancos que chegaram junto a um processo de investimento e revitalização feito pelo atual prefeito Percival Muniz, Lourdes e Bacaré lembram que a cheia do Rio Vermelho era extremamente devastadora e tinha o poder de mudar a realidade das pessoas que moravam ali: A gente subia as coisas para cima da casa porque a água vinha sem piedade mesmo, relembrou Bacará. Lourdes conta que era normal ter que sair por um tempo das casas nos períodos chuvosos. Meu cunhado, que morava nas primeiras casas, tinha que sair de casa mesmo, até que o rio baixasse. Não tinha o que fazer, falou. Lourdes lembra que teve de sair um ano logo após a sua chegada no Casario porque o marido rapidamente conseguiu emprego do outro lado do rio, onde havia uma chácara das mesmas freiras que eram as responsáveis da época pela escola Sagrado Coração de Jesus, que funciona até hoje e onde os filhos estudavam. Apesar da rápida passagem, ela conta que o acolhimento que PLAZA LANCHES: 29 anos de tradição com estrutura moderna para rondonopolitanos Os clientes do Plaza Lanches foram contemplados com um novo visual, mais atraente, com a modernização do espaço, que ganhou uma rampa de acesso para os deficientes físicos. Agora também com Internet WI-FI. Também com pedidos pelo site sem despesas com telefone. Os proprietários Jânio Nunes de Oliveira e sua esposa Lioci Borges, estão felizes com o progresso que beneficia os frequentadores da casa. Jânio fala sobre a importância das mudanças que tem como objetivo oferecer mais conforto e qualidade aos seus clientes. Nós mudamos o Layout, e estamos divulgando o nosso slogan, (Desde 1985 do jeito que você gosta), dentro das inovações estamos com produção própria de alimentos, com o nosso tempero especial. A padronização sempre fez parte dos nossos serviços, e desta forma já estamos organizando as nossas franquias. Abrimos a nossa segunda loja Plaza Lanches II na Av. Fernando Correia da Costa. O empresário detalha que conta com uma equipe de 28 garçons, todos uniformizados para bem atender os clientes. A lanchonete ainda conta com Play Grounds oferecendo mais conforto e tranquilidade para as famílias que vem ao Plaza com as suas crianças. Estamos preparados para crescer com esta cidade que nesta data comemora 61 anos de emancipação. Segundo o entrevistado, todo planejamento é feito em cima da vontade dos consumidores. Tudo o que fazemos é pensando em nossos clientes sobre tudo procurando oferecer à eles mais conforto e qualidade. Venham nos visitar, a nossa loja 01 fica na Rua D. Pedro II, Vila Aurora, telefone / e a nossa loja 02 na Av. Fernando Correia da Costa próximo a Praça Brasil, telefones / , Queremos desejar a todos os rondonopolitanos muitas felicidades e progresso constante. Ressaltou o proprietário Jânio Nunes. ; Denis Maris Plaza Lanches I, na rua Dom Pedro II, Vila Aurora com restaurante completo Plaza Lanches II, nova loja na Fernando Correia da Costa, próx. a praça Brasil recebiam as pessoas ali talvez era o principal motivo que fizeram as pessoas gostarem e muitas delas continuarem até hoje em Rondonópolis. A maioria das pessoas que moravam ali, assim como foi meu caso, era gente que vinha de longe e chegado recentemente. Não tinha muita coisa na cidade, tinha muito mato ao redor, mas era gostoso porque tinha muita criança, as pessoas recebiam bem uma as outras, então acho que isto fazia quem chegava se sentir em casa, relata Lourdes. Osvaldo riu quando se lembrou de algumas diferenças gritantes entre a realidade de do século passado e de agora. A gente vinha do rio com aquela fieira de peixe, ali devia ter uns quatro quilos, mas ia vender para quem? Era peixe demais. Eu entrava no bota com meus amigos, o bote abaixava e peixe pulava dentro do barco, agora isto é difícil acreditar hoje em dia. Me lembro também de quando começou a surgir a Coophalis e eu disse para o meu pai comprar um terreno lá e ele falou: o que eu quero fazer lá no meio daquele mato? Agora quanto custa um terreno lá hoje?, indaga. Ambos disseram uma curiosidade: não fazia tanto calor em Rondonópolis nos anos 60, o que para Lourdes tem uma simples explicação. Cortaram as árvores e não cuidaram da natureza. O progresso é bom, mas perdemos a paz e algumas outras coisas, finalizou. Hevandro Soares

8 página 8 Jornal Folha Regional curiosidades: Segundo crença popular, quando os bugios que existem no horto cantam vorazmente é sinal que deve chover nas próximas horas Os machos da espécie arara vermelha que comumente são encontrados no horto se diferem das fêmeas por ter o bico mais comprido e estreito. loteamento, mas sempre foi um amante da natureza. Sempre dizia que esta mata que ele conservava ia ser muito importante, então o horto foi um presente que, desde o início, meu pai quis dar a Rondonópolis, enfatizou Goulart. Júlio, o pai, hoje com 98 anos, adquiriu no passado a fazenda que congrega boa parte de onde é hoje o bairro Vila Goulart do próprio pai, Francisco de Paula Goulart, logo que chegou na cidade, no ano de Francisco havia chego um pouco antes, em 1945, e por sua vez havia comprado as terras a beira do Rio Vermelho de Marechal Cãndido Rondon. Ao todo, a propriedade tinha 40 mil hectares. Aos 61 anos, Júlio, o filho, garante que toda a família Goulart se orgulha de ter feito parte tão ativamente da formação habitacional e da história geral de Rondonópolis. O horto, especificamente, que leva o nome da avó do engenheiro, é um patrimônio tão rico que, de fato, não tinha razão de ser apenas de um só dono, na visão do engenheiro. Hoje isto aqui é um dos locais mais visitados da cidade, seja o fim de semana, ou mesmo nos inícios da manhã e fim de tarde, onde o pessoal faz atividade esportiva, este ambiente é o mais propício para isto. Moro bem aqui perto e desfruto deste local Rondonópolis Oh! Rondonópolis querida Berço sonhado de outrora Esperança e dádiva de vida Onde o progresso vigora Terra de gente valente Operários com o pé no futuro Egrégora do amor persistente De heróis trabalhando duro Teu progresso é inevitável Tua glória sem limite Teu Povo é sempre afável Tua pujânça haverá que imite Será o orgulho desta nação Impondo seu trabalho fecundo Alicerçado pari e passu à educação O horto foi um presente que, desde o início, meu pai quis dar a Rondonópolis, diz Júlio Goulart Um dos locais mais encantadores de Rondonópolis, o Bosque Municipal Izabel Dias Goulart, o Horto Florestal, não foi obra do mero acaso ou fruto de uma decisão de alguma esfera jurídica ou de um grupo preservacionista. Quem garante é o engenheiro civil Júlio Goulart, filho de Júlio Dias Goulart, o homem que por conta própria cedeu a área para o Município fazer virar um símbolo do meio ambiente e um dos cartões postais da, hoje, maior cidade da região sul de Mato Grosso. Ao lado da reportagem, Júlio passeou pelas trilhas construídas em meio aos 15 hectares do parque, onde existe, além da mata, playground, lanchonete, áreas de lazer e pistas de caminhada. Ele contou o que pensava seu pai quando preservou esta área para que ela se tornasse o que é hoje. Ele (pai) trabalhava com com minha família, assim como várias outras famílias de Rondonópolis. Meu pai, mesmo hoje já com idade avançada, se sente até hoje muito honrado por ter tido este cuidado de preservar este local, comenta o entrevistado. Não só o horto municipal, mas o povoa- o trabalho de algum prefeito. Ele preferiu dividir os méritos ao contar a história. Ocorreu que em 1984, o prefeito Carlos Bezerra pediu a área para a Prefeitura e o meu pai cedeu, mas a primeira mata não era exatamente do tamanho que vemos hoje. Logo os prefeitos que foram vindos depois, argumentaram a necessidade de expansão do parque, aí foi dado um hectare em uma gestão, mais três em outra, até que se chegasse ao parque nas condições que vemos hoje: cercado e com algumas intervenções feitas. As benfeitorias foram feitas por vários deles (prefeitos), explicou. mento da margem do Rio Vermellho do lado da Vila Goulart é tido como um exemplo por Júlio, já que se respeitou os limites e os trâmites legais para impulsionar a habitação. É só olhar do outro lado do rio e ver o que fizeram na Vila Canaã e tantos outros locais lindos que desordenadamente foi povoado. Agora do lado de cá, o máximo que se encontra é algumas famílias de antigos pescadores, mas não há prédios, construções mal feitas, tampouco poluição como do outro lado. Também nos orgulhamos disso, diz Júlio. Sobre a data exata de doação do horto ao patrimônio público, Júlio não fez questão de precisar, nem mesmo enalteceu Questionado se mudaria algo no horto, Júlio fez apenas uma observação de investimento: Acho que poderia ser repovoado de árvore o canto esquerdo do bosque, próximo ao horto hotel, com árvores frutíferas e outras espécies nativas. Agora o que eu vejo todo ano é a prefeitura fazendo uma gradeação da terra, um abatimento do mato que cresce, mas aquele lado sempre esta mais aberto e ralo (...) No mais, creio que toda população deve seguir aproveitando do local, respeitando os animais, a flora e todos os seres vivos que ali habitam porque na verdade a casa é deles, nós somos só visita, concluiu. Hevandro Soares Escritor Odair C. Costa apresentando seu livro: A Colcha de Retalhos na redação do Folha Regional especialmente para a edição de aniversário de Rondonópolis

9 Jornal Folha Regional página 9 Cândido Borges Leal, o Candinho : um dos prefeitos mais lembrados da história Cândido Borges Leal dirigiu a cidade entre 1973 e 1976 O único paulista e farmacêutico que comandou Rondonópolis em toda sua história, Cândido Borges Leal, o Candinho, até hoje tem seu nome facilmente lembrado até mesmo por quem não viveu a época de seu mandato, que iniciou em 1973 e foi até A originalidade do nome Candinho, no entanto, não é a única explicação da popularidade do político histórico, que ficou conhecido como o maior centro cafeeiro do planeta, em meados do século XX, a vontade dos três jovens em desbravar novas terras falou mais alto. Em cima de um caminhão, praticamente transportaram uma farmácia completa para Rondonópolis. Os medicamentos e móveis chegaram e fizeram história. A farmácia Santa Terezinha, dos irmãos Borges Lealna Marechal Rondon, foi todo cuidadoso me ajudando a fazer a extração, o que normalmente seria papel da mãe fazer. Acontece que o carinho dele era tanto que ele tomava a frente e fazia questão de ajudar, relembra Muniz. Já sobre seu tempo a frente da prefeitura, a viúva detalha que enquanto prefeito Candinho sabia absolutamente tudo o que estava ocorrendo na cidade. Ele era daqueles que acordava bem cedo e antes de se dirigir até a prefeitura passava pessoalmente em todas as obras que estavam sendo feitas. Quando chegava para trabalhar já ia direto cobrar os responsáveis. Então realmente não dava para enganá-lo. Para ele, ser prefeito era uma missão que ele agarrou muito forte, diz Aninha. Se por um lado enérgico, Candinho foi quem instituiu uma sopa (merenda) para trabalhadores de serviços diversos da cidade na época, o que atualmente é demanda atendida pela Companhia de Desenvolvimento de Rondonópolis Coder. As chamadas obras humanas que o político fez enquanto prefeito, deram a ele uma simbologia de paizão, algo que foi confirmado no dia ao MDB, onde Muniz militava. Nunca houve uma rixa entre os dois, Percival ia em casa e tudo mais, mas realmente eles eram de lados opostos da política. Mas depois que eles viraram sogro e genro de fato as coisas se acalmaram de vez, brinca Ana Carla. Entre as principais obras de Candinho, muitas delas foram para a área da educação com construção de escolas, como a Albino Saldanha Dantas na Vila Goulart, que serviu especificamente para atender as crianças que moravam do outro lado do rio e que sem a ponte hoje existente eram obrigados a atravessar o Rio Vermelho rotineiramente de canoa para estudar. O ex-prefeito também foi o responsável pela pavimentação asfáltica de boa parte do quadrilátero central, além de ter sido em sua gestão que foi aberta e inaugurada a avenida Presidente Médici. Apesar de todas estas deliberações, Candinho, que deixou a vida em 1996, fez questão de deixar outro legado na lembrança das pessoas. Outros políticos até se apossaram do asfalto que ele fez no centro e disseram que eram eles que tinham feito, FOTO: ROGER ANDRADE Ana Carla Muniz tinha uma relação muito próxima ao pai Ana Dehemica Luz Borges Leal, a Dona Aninha, viúva de Candinho foi o sexto homem a ser eleito prefeito de Rondonópolis, mas sim a forma com que conduziu sua vida, seus negócios, a relação com os amigos e o futebol, além da intensidade que amou o próximo e sua família. Nascido em Pirajuí, uma promissora cidade que fica a menos de 100 quilômetros dos importantes municípios de Marília e Bauru, no rico estado de São Paulo, coragem foi o que nunca faltou para Candinho e os seus irmãos Elzio e Nelson. Mesmo morando no lugar que Candinho em seus momentos de atleta. Ele foi um dos fundadores do futebol amador local a primeira da Terra de Rondon. Em entrevista ao Folha Regional, a esposa de Candinho, Ana Dehemica Luz Borges Leal, considera que o senso de humanidade do marido frente a farmácia foi crucial para sua chegada à política. Ele definitivamente não tinha horário para atender ninguém. Como não tinha médico naquela época como tem hoje, qualquer enfermidade que acontecia na família o pessoal procurava era o farmacêutico e ele entendia esta responsabilidade. Jamais houve da parte dele uma relação profissional com as pessoas, era algo mais pessoal mesmo. Ele se preocupava e isto o tornou muito popular, o que o levou a política, lembra Aninha, como é carinhosamente conhecida. A atual secretária de Educação de Rondonópolis e primeira dama da cidade, Ana Carla Muniz, é filha de Candinho, e considera que a militância popular local tenha iniciado com a história do pai. Apesar de ter orgulho da trajetória política do progenitor, Ana ressalta as relações familiares e o carinho que recebeu de Candinho ao relatar as emoções que a faz lembra-lo. Quando eu tive meus primeiros filhos, eu tinha leite, mas não conseguia amamentar. Lembro dele de sua morte, segundo lembra a filha. Creio que ficou provado para todos nós o tanto que ele cuidava das pessoas no dia do seu velório. A quantidade de gente que apareceu foi realmente confortador, ressalta Ana Carla. Adversário de Percival A filha ainda lembra que com a efervescência política oriunda do período ditadura, a sua união com o atual prefeito Percival Muniz teve que transpassar uma barreira: o pai era do Arena II, partido adversário mas eu acho que o principal que ficou dele foi mesmo este amor que ele tinha por Rondonópolis e pelas pessoas. Ele jogava futebol, adorava se reunir com os amigos, amava os filhos, sobrinhos e a família toda. Ele gostava de gente, finalizou Aninha, que viveu 33 anos ao lado do marido. Além de Ana Carla, Candinho teve mais dois filhos: Gina Borges Leal e Rogério Borges Leal. - Hevandro Soares Farmácia Sta. Terezinha, da família Borges Leal, a primeira de Rondonópolis

10 página 10 Jornal Folha Regional Joselito Pereira da Silva Zelito Sapateiro O freguês da feira da Praça dos Carreiros Joselito Pereira da Silva, 64 anos natural de Poxoréo, casado com Maia José da Silva, ambos tem três filhos Claudio Pereira da Silva, Claudia Maysa da Silva e Claudinéia Pereira da Silva. Cinco netos fazem a felicidade dos avós. Joselito mudou-se para Rondonópolis quando ainda era criança. Na adolescência procurava uma profissão que pudesse montar o seu próprio ramo de negócio. E assim foi, aos 16 anos de idade incentivado pelo colega o sapateiro Piza resolveu montar a sapataria. JORNAL FOLHA REGIONAL; VOCE QUE ACOMPANHOU DE PER- TO O CRESCIMENTO DE RONDONÓPOLIS DURAN- TE ESSES ANOS TODOS, O QUE TE MARCOU MAIS NESSA QUESTÃO? Zelito; Sem dúvida o ponto alto do crescimento de Rondonópolis começou com a feira da Praça dos Carreiros. Os feirantes vinham de vários lugares com suas mercadorias em carros de boi para serem vendidas aqui. Vinha gente de Poxoréo, Jarudore, Guiratinga, essas cidades eram cheias depequenos produtores rurais. Muitos criavam bois, carneiros, porcos, galinhas e traziam para serem vendidos aqui. JFR; O QUE REPRE- SENTAVA A FEIRA PARA A sociedade RONDOnoPOLITANA DA ÉPoca? Zelito; A feira na verdade era também um grande encontro de amigos e compadres, traziam-se as notícias das cidades vizinhas. Laços, vínculos de grande amizade que se tornavam depois em festejados casamentos em nossa região. Com a feira da Praça Carreiros, descobriiu-se a vocação de Rondonópolis para esse grande desenvolvimento que a cidade vive. Era um ambiente de convivência com a natureza, havia também uma mangueira na Rua Otávio Pitaluga com a Mal. Rondon, sempre com a presença dos índios Bororos. JFR; QUAL A IM- PORTÂNCIA DA FAMÍLIA NA SUA VIDA? Zelito; Eu sempre brincava quando era jovem, que eu me casaria só se fosse com mulher goiana. E eu tive que ir pra Goiás e acabei conhecendo a minha esposa, elaé natuiral daquele estado e nós casamos aqui em Rondonópolis. A família tem uma importância fundamental na estabilidade do homem. É necessário que as pessoas prestem bastante a atenção nos pequenos detalhes dentro de casa, e dê a sua colaboração a esposa e filhos. Os pequenos detalhes influenciam na felicidade do casal, e acima de tudo ter muita paciência em todas as situações. JFR; NA SUA OPI- NIÃO NOS DIAS DE HOJE O QUE MAIS FAZ FALTA EM RONDONÓPOLIS? Zelito; Um bom atendimento na Saúde, o atendimento é um grande problema, o povo paga seus impostos, e a saúde tem um atendimento precário. Essa é uma questão fundamental que está faltando para o bem estar e a qualidade de vida dos rondonopolitanos, a saúde do jeito que está machuca a gente. JFR; RONDONÓPOlis NA SUA TOTALIDADE ESTÁ DENTRO DAS SUAS ESPECTATIVAS NA QUES- TÃO DESENVOLVIMEN- TO, O QUE REPRESENTA DEUS PARA O ZELITO, E QUAL É O SEU TIME DO CORAÇÃO? Zelito; Surpreedente, nós não esperavamos esse avanço todo em tão pouco tempo, hoje quando você sai num horário de pico dirigindo pelas ruas da cidade encontramos grandes engarrafamentos. Deus é o grande ser criador do céu e da terra, nos dá essa força, Deus é tudo. O meu time do coração é o União, eu carrego no peito um medalhão com símbolo do Campeão de 2010, e no Rio de Janeiro eu sou Botafoguense. Denis Maris Arquivo Folha Regional / Ed. 205 Pg. 07 Ano 2010

11 Jornal Folha Regional página 11 Museu Rosa Boróro - Onde parte da história de Rondonópolis se encontra donopolitano no período de 1960 a 1997, ficou desta forma intronizado na história cultural do município. Após o tombamento em 19 de Agosto de 1997 a edificação foi destinada ao Museu Rosa Bororo. Posteriormente o prédio passou por uma restauração, que foi coordenada pela Mestra Laci Maria de Araújo Alves e Dra. Luci Léa Lopes Martins Tesouro, ambas professoras do Departamento de História da UFMT. Em 15 de Agosto de 1997 foi criada a Associação dos Amigos do Museu Rosa Bororo estavam presentes a essa reunião cerca de cinqüenta e três componentes. A entidade tem como objetivo principal promover as atividades do Museu, segundo o jornalista Cairon coordenador da instituição, vários eventos culturais, exposições temáticas aconteceram neste ano de 2014 naquele espaço. A presença do público tem sido satisfatória, recebendo também visitas das escolas municipais, estaduais e universidades. O coordenador enfatizou ainda que no mês de novembro teve início o curso de Organização de Eventos, numa parceria Museu/SENAC, cujo término está previsto para o mês de Fevereiro. Da redação; Denis Maris c/museu Rosa Bororo A história da criação do Museu Rosa Boróro foi tecida junto a história da própria cidade, entre os anos de 1988 a O prefeito municipal Fausto de Souza Farias estabeleceu pela primeira na história do município, normas para a preservação do Patrimônio Histórico Cultural Rondonópolis definindo os objetos de preservação. O Museu Rosa Bororo foi fundado em 25 de Abril de 1988, em Agosto do mesmo ano criou-se a primeira Comissão de Tombamento do Patrimônio Municipal. A mesma Lei atribuiu a um Decreto Municipal, o processo de operacionalização das garantias legais. Assim o Decreto número de 19 de Agosto de 1987, estabeleceu as normas para o processo de tombamento. A história de Rondonópolis é entrelaçada de forma iconográfica, através de objetos antigos, que foram doados pela população. Rádios, televisores, ferros de passar antigos que funcionavam a carvão, telefones antigos, sandália de escravo, máquinas manuais de moer café, todos estão impregnados pelas vibrações de sua própria história. Além de um vasto material histórico pessoal doado pelo saudoso benemérito José Sobrinho. O prédio que também abrigou o Poder Legislativo ron- RONDONÓPOLIS 61 ANOS: Escola EMOP, 49 anos fazendo história na educação A Escola Estadual Major Otávio Pitaluga, EEMOP, foi criada pelo Decreto número 973 de 01 de Julho de 1965, inicialmente teve como nome Escola Técnica de Comércio e funcionou em caráter de empréstimo na Escola Estadual Marechal Dutra, até que em 1971 terminou a construção onde funciona atualmente, em 1972 é inaugurado o Centro Educacional Major Otávio Pitaluga, neste mesmo ano foi cedida para o funcionamento do curso Magistério e Escola Técnica. Durante todo o seu processo de criação, e consequentemente processo histórico, essa A primeira escola de Rondonópolis Colégio Sagrado Coração de Jesus Segundo o professor Lenine Póvoas, D. Wunibaldo, sentindo o desenvolvimento de Rondonópolis, decidiu dar apoio às irmãs catequistas franciscanas na criação do Colégio Sagrado Caração de Jesus. Antes funcionava precariamente, em instalações instituição ofereceu vários cursos, dentre eles Ensino Fundamental, Segundo Grau Técnico em Contabilidade, Secretariado, Normal dentre outros. Algumas personalidades ilustres que ministraram aulas na Escola EEMOP, o juiz de direito Dr. Pedro Pereira Campos Filho, o ex prefeito e advogado saudoso Walter Ulissea, o ex prefeito, advogado Dr. Carlos Gomes Bezerra, e o ex secretário de educação e diretor do curso de Direito da UNIC Dr. Antonio Schommer. O Patrono da Escola EE- MOP Major Otávio Pitaluga nasceu na capital Cuiabá no dia 05 de novembro de 1880, além de simples e improvisadas como em toda a frente pioneira. De acordo com o caderno crônicas das irmãs catequistas franciscanas, houve dificuldades, visto que quase nada havia no povoado: desde a água que era buscada no Rio Arareau até as salas de aula que eram militare era jornalista, foi Deputado Estadual representante político da antiga região leste de Mato Grosso (Alto Araguaia, Itiquira, e Povoação do Rio Vermelho). Era amigo pessoal e companheiro de farda de Marechal Cândido Rondon. A instituição educacional é um estabelecimento de Ensino Público conforme determinação do Conselho Estadual de Educação de Mato Grosso e SEDUC/ MT. Funciona nos três períodos, manhã, tarde e noite abrigando nas suas instalações aproximadamente alunos. Mas o tempo presente está sendo valorizado pelos alunos, superlotadas devido a escassez de professores. Durante toda a década de 1950, o ensino de Rondonópolis ficou restrito ao nível primário; funcionavam as escolas Sagrado Coração de Jesus, Adventista, algumas escolas municipais e o e pelos professores, que estão comemorando os 61 anos de Rondonópolis com muita alegria. A escola EEMOP foi destaque este ano nas Olimpíadas de Química, como conta o professor Vagner José Martins; Cerca de 350 alunos se inscreveram na primeira fase, 108 foram selecionados na segunda. Tivemos uma boa classificação recebemos 7 medalhas, 28 menções honrosas, uma medalha de ouro, uma medalha de prata e cinco de bronze. O nosso aluno Sergio Antonio Ederli, foi o único que acertou 100% das questões, já estamos classificados para a fase nacional. Salientou o professor Vagner. A professora Leila Clair Santos Ederli mãe do aluno Sergio ressaltou que se sente muito feliz com o êxito do filho, e sobre tudo com o apoio da escola e de todo o corpo docente. A equipe gestora é formada pelo professor Jovenil Messias da Silva (diretor), Rosana Ramon, Marco Aurélio Texeira de Araújo, Paulo Alves Pereira (coordenadores), Camila Polinati Silva (secretária). O Conselho Deliberativo da Comunidade Escolar tem como presidente Claudinei Antonio Bolognez, como tesoureiro Givanildo Fávero e no cargo de secretária Carolina de Ribamar. A Escola EE- MOP através de sua equipe gestora saúda e comemora esta data com todos os rondonopolitanos. Da redação; Denis Maris c/história Roo Aylon do Carmo curso particular Nossa Senhora das Graças, da professora Arolda Deutti Silva. Somente na década de 1960 foram criados cursos ginasiais: Ginásio La Salle, Ginásio Estadual e Ginásio Treze de Junho. Assim, no início de 1953 foi inaugurada a primeira etapa do colégio, colégio novo era uma das principais construções da cidade. Hoje o Colégio Sagrado Coração de Jesus, conta com 11 salas de aula, funcionando em três períodos, acolhendo um número de 986 alunos e desenvolvendo projetos variados como: CIDADANIA, EDUCAÇÃO AMBIENTAL, RELAÇÕES HUMANAS, ESCOLA PARA PAIS, entre outras, afirmou a então diretora Irmã Francis.

12

Discurso proferido pelo Deputado GERALDO RESENDE (PMDB/MS), em sessão no dia 16/12/2009. DOURADOS, CIDADE DO MEU CORAÇÃO!

Discurso proferido pelo Deputado GERALDO RESENDE (PMDB/MS), em sessão no dia 16/12/2009. DOURADOS, CIDADE DO MEU CORAÇÃO! Discurso proferido pelo Deputado GERALDO RESENDE (PMDB/MS), em sessão no dia 16/12/2009. DOURADOS, CIDADE DO MEU CORAÇÃO! Senhor presidente Senhoras e senhores deputados. No próximo dia 20 de dezembro

Leia mais

Minha História de amor

Minha História de amor Minha História de amor Hoje eu vou falar um pouco sobre a minha história de amor! Bem, eu namoro à distância faz algum tempinho. E não é uma distância bobinha não, são 433 km, eu moro em Natal-Rn, e ela

Leia mais

Verticalização 'cerca' casas em bairros de São Paulo

Verticalização 'cerca' casas em bairros de São Paulo Verticalização 'cerca' casas em bairros de São Paulo Onda de empreendimentos imobiliários deixa moradores ilhados. Entre 2001 e 2010 foram lançados 3.420 edifícios residenciais na capital. Maria Aparecida

Leia mais

É Maria quem nos convida a refletir e guardar no coração a

É Maria quem nos convida a refletir e guardar no coração a É Maria quem nos convida a refletir e guardar no coração a vida e projeto de seu FILHO. A missão dela era nos dar Jesus e fez isso de maneira ímpar. Vamos refletir nos fatos na vida de Jesus onde ELA está

Leia mais

29/03/2006. Discurso do Presidente da República

29/03/2006. Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, na visita às futuras instalações do campus da Universidade Federal do Estado de São Paulo Guarulhos-SP, 29 de março de 2006 Meus queridos e minhas queridas companheiras da

Leia mais

Pobreza: ontem x hoje

Pobreza: ontem x hoje Pobreza: ontem x hoje Constantina, é uma pequena e aconchegante cidade localizada no Norte do Rio Grande do Sul, tem hoje em torno de 10 mil habitantes, por ser cativante e acolhedora, é reconhecida e

Leia mais

O Sr. MARCUS VICENTE (PTB-ES) pronuncia o. seguinte discurso: Senhor Presidente, Senhoras e Senhores

O Sr. MARCUS VICENTE (PTB-ES) pronuncia o. seguinte discurso: Senhor Presidente, Senhoras e Senhores 13/12/2005 O Sr. MARCUS VICENTE (PTB-ES) pronuncia o seguinte discurso: Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, ao se aproximar o final do ano e o verão, gostaria de trazer a este plenário uma

Leia mais

(Na foto, Francisco aos oito meses)

(Na foto, Francisco aos oito meses) História de Vida de Francisco José de Souza Sperb A história de vida de Francisco José de Souza Sperb é contada com a colaboração e interesse de sua irmã Valquíria Maria de Souza Sperb. Neste relato foram

Leia mais

Suelen e Sua História

Suelen e Sua História Suelen e Sua História Nasci em Mogi da Cruzes, no maternidade Santa Casa de Misericórdia no dia 23 de outubro de 1992 às 18 horas. Quando eu tinha 3 anos de idade fui adotada pela tia da minha irmã, foi

Leia mais

ITAMAR FRANCO um sonhador

ITAMAR FRANCO um sonhador ITAMAR FRANCO um sonhador ITAMAR AUGUSTO CAUTIEIRO FRANCO nasceu em alto-mar, a bordo do navio Itaimbé, que em Tupi-guarani significa pedra pontuda*, no dia 28 de Junho de 1929. Filho do engenheiro Augusto

Leia mais

Altos da Serra - Capítulo Altos da Serra. Novela de Fernando de Oliveira. Escrita por Fernando de Oliveira. Personagens deste Capítulo

Altos da Serra - Capítulo Altos da Serra. Novela de Fernando de Oliveira. Escrita por Fernando de Oliveira. Personagens deste Capítulo Altos da Serra - Capítulo 03 1 Altos da Serra Novela de Fernando de Oliveira Escrita por Fernando de Oliveira Personagens deste Capítulo Altos da Serra - Capítulo 03 2 CENA 01. CAPELA / CASAMENTO. INTERIOR.

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO I ETAPA LETIVA GEOGRAFIA 3.º ANO/EF

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO I ETAPA LETIVA GEOGRAFIA 3.º ANO/EF SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA MANTENEDORA DA PUC Minas E DO COLÉGIO SANTA MARIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO I ETAPA LETIVA GEOGRAFIA 3.º ANO/EF 2016 Caro(a) aluno(a), É tempo de conferir os conteúdos estudados

Leia mais

Uma Boa Prenda. Uma boa prenda a ofertar É a doação do amor É estar pronto a ajudar Quem vive com uma dor.

Uma Boa Prenda. Uma boa prenda a ofertar É a doação do amor É estar pronto a ajudar Quem vive com uma dor. Uma Boa Prenda Uma boa prenda a ofertar É a doação do amor É estar pronto a ajudar Quem vive com uma dor. Prenda essa que pode Ser dada por um qualquer Seja rico ou seja pobre Simples homem ou mulher.

Leia mais

Estatuto do Idoso LEI N 0 10.741, DE 1 0 DE OUTUBRO DE 2003. Autor da Lei SENADO FEDERAL. Senador PAULO PAIM PT/RS

Estatuto do Idoso LEI N 0 10.741, DE 1 0 DE OUTUBRO DE 2003. Autor da Lei SENADO FEDERAL. Senador PAULO PAIM PT/RS SENADO FEDERAL Senador PAULO PAIM PT/RS Autor da Lei Estatuto do Idoso LEI N 0 10.741, DE 1 0 DE OUTUBRO DE 2003 Dispõe sobre o Estatuto do Idoso e dá outras providências. BRASÍLIA 2008 Reimpressão, 2008

Leia mais

VIVA OS PAIS PAI, MELHOR AMIGO!

VIVA OS PAIS PAI, MELHOR AMIGO! VIVA OS PAIS PAI, MELHOR AMIGO! Não existe melhor amigo que o pai! Pai pequena palavra, não obstante, grande em amor, capaz de renunciar tudo a favor do filho que ama! Muitas vezes é difícil para o filho

Leia mais

1.º C. 1.º A Os livros

1.º C. 1.º A Os livros 1.º A Os livros Os meus olhos veem segredos Que moram dentro dos livros Nas páginas vive a sabedoria, Histórias mágicas E também poemas. Podemos descobrir palavras Com imaginação E letras coloridas Porque

Leia mais

Um ato de amor sonhador ao mundo

Um ato de amor sonhador ao mundo Um ato de amor sonhador ao mundo Este livro esta aberto para qualquer idade, pois relata uma historia de amor com a nossa sociedade, uma garotinha de 09 anos de idade busca fazer a diferença sempre dando

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 72 Discurso na solenidade de descerramento

Leia mais

UMA HISTÓRIA DE AMOR

UMA HISTÓRIA DE AMOR UMA HISTÓRIA DE AMOR Nunca fui de acreditar nessa história de amor "á primeira vista", até conhecer Antonio. Eu era apenas uma menina, que vivia um dia de cada vez sem pretensões de me entregar novamente,

Leia mais

Real Brazilian Conversations #21 Premium PDF Guide Brazilian Portuguese Podcast, by RLP reallylearnportuguese.com

Real Brazilian Conversations #21 Premium PDF Guide Brazilian Portuguese Podcast, by RLP reallylearnportuguese.com Subjects on this conversation: How it is like to live in Uberlândia MG. Context: In this conversation André talks to his aunt Edmárcia, about the city of Uberlândia, in Minas Gerais state. She tells us

Leia mais

HOMENAGEM AO CENTENÁRIO

HOMENAGEM AO CENTENÁRIO 5º almoço de confraternização de Aposentados e Pensionistas do Sindifisco Nacional DS Salvador presta HOMENAGEM AO CENTENÁRIO do Auditor Fiscal Augusto Lopes de Almeida Filho Presidente e vice-presidente

Leia mais

HISTÓRIA DE VIDA DE UM PIONEIRO NOS TRANSPORTES COLETIVOS EM SANTA CRUZ DO SUL: DEOMAR DE OLIVEIRA LOPES

HISTÓRIA DE VIDA DE UM PIONEIRO NOS TRANSPORTES COLETIVOS EM SANTA CRUZ DO SUL: DEOMAR DE OLIVEIRA LOPES HISTÓRIA DE VIDA DE UM PIONEIRO NOS TRANSPORTES COLETIVOS EM SANTA CRUZ DO SUL: DEOMAR DE OLIVEIRA LOPES Fundador da Empresa Oliveira, hoje denominada TC Catedral. A história de vida de Deomar de Oliveira

Leia mais

HISTÓRIAS DA AJUDARIS 16. Agrupamento de Escolas de Sampaio

HISTÓRIAS DA AJUDARIS 16. Agrupamento de Escolas de Sampaio HISTÓRIAS DA AJUDARIS 16 Agrupamento de Escolas de Sampaio JOÃO FRAQUINHO Era uma vez um menino que estava muito fraquinho, não tinha força para nada nem para se pôr de pé. Estava deitado no chão da rua,

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE ROLÂNDIA cmrarolandia.pr.gov.br

CÂMARA MUNICIPAL DE ROLÂNDIA cmrarolandia.pr.gov.br CÂMARA MUNICIPAL DE ROLÂNDIA cmrarolandia.pr.gov.br Data: 27/01/2016 Hora: 00:00:00 A cidade de Rolândia comemorara nesta quinta-feira (28) 72 anos de aniversário. Rolândia ficou mais jovem após um Projeto

Leia mais

Lutas e Superação. História de Amélia Malheiros

Lutas e Superação. História de Amélia Malheiros Lutas e Superação História de Amélia Malheiros A inspiradora história de uma mulher que não tem medo de lutar por seus ideias e sonhos... Nesse livro contaremos a inspiradora história de Amélia Malheiros,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 31 Discurso em jantar comemorativo

Leia mais

ANTES NUNCA, DO QUE TARDE DEMAIS! Obra Teatral de Carlos José Soares

ANTES NUNCA, DO QUE TARDE DEMAIS! Obra Teatral de Carlos José Soares AN O ANTES NUNCA, DO QUE TARDE DEMAIS! Obra Teatral de Carlos José Soares o Literária ata Soares OC. ento Social. Dois casais discutem a vida conjugal, sofrendo a influências mútuas. Os temas casamento,

Leia mais

Projeto Intermunicipal Ruas da Lezíria

Projeto Intermunicipal Ruas da Lezíria Município do Cartaxo Agrupamento Marcelino Mesquita Escola Básica do 1.º ciclo n.º 2 do Cartaxo Projeto Intermunicipal Ruas da Lezíria Ano Letivo 2011/2012 Turma 2.º A Bilhete de Identidade e se a turma

Leia mais

como comprar uma franquia FranquIa Não basta querer. Você precisa conhecer o sistema e saber se está preparado para comprar uma franquia.

como comprar uma franquia FranquIa Não basta querer. Você precisa conhecer o sistema e saber se está preparado para comprar uma franquia. minha primeira FranquIa como comprar uma franquia Não basta querer. Você precisa conhecer o sistema e saber se está preparado para comprar uma franquia. O nosso propósito! Redes franqueadoras que apoiam

Leia mais

Tudo o que você precisa saber e fazer para Iniciar Consultoras e Formar sua Equipe!

Tudo o que você precisa saber e fazer para Iniciar Consultoras e Formar sua Equipe! Tudo o que você precisa saber e fazer para Iniciar Consultoras e Formar sua Equipe! A Sessão de Cuidados com a Pele é a base para qualquer negócio bem sucedido na Mary Kay, e eu sei que realizando Sessões

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO II ETAPA LETIVA GEOGRAFIA 3.º ANO/EF 2015

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO II ETAPA LETIVA GEOGRAFIA 3.º ANO/EF 2015 SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA MANTENEDORA DA PUC Minas E DO COLÉGIO SANTA MARIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO II ETAPA LETIVA GEOGRAFIA 3.º ANO/EF 2015 Caro(a) aluno(a), É tempo de conferir os conteúdos estudados

Leia mais

Feira de Fátima Reúne Trabalho e Lixo

Feira de Fátima Reúne Trabalho e Lixo Feira de Fátima Reúne Trabalho e Lixo Carlos Marcelo Oliveira Sales Marina Moreira Mamede Eduardo Freire Universidade de Fortaleza, Fortaleza CE RESUMO O presente trabalho apresenta as fases de uma matéria

Leia mais

Henrique era um menino de oito anos de idade...

Henrique era um menino de oito anos de idade... 1 Henrique era um menino de oito anos de idade... Havia muita tristeza no ar por causa da doença de Henrique. Pessoas iam e vinham trazendo água fresca e toalhas limpas para passarem em seu rosto e corpo

Leia mais

Bagé (RS) - Patrimônio Cultural: que história é essa?

Bagé (RS) - Patrimônio Cultural: que história é essa? Bagé (RS) - Patrimônio Cultural: que história é essa? A memória do futuro. Fronteira, Pampa, Campanha, Bagé, História, Patrimônio Cultural Há algum tempo, não tanto quanto deveria, mas em tempo para que

Leia mais

A Rádio. Gramado, Serra Gaúcha. Abrangência: - 48 municípios de habitantes.

A Rádio. Gramado, Serra Gaúcha. Abrangência: - 48 municípios de habitantes. A Rádio Gramado, Serra Gaúcha Abrangência: - 48 municípios - 1.306.229 de habitantes. Economia de Gramado gera R$ 523 milhões/ano, correspondente a 12,9% do PIB do RS Opera em Classe A1 com potência de

Leia mais

O grande silêncio aliado a revolta quanto ao resultado das eleições em Barra do Corda

O grande silêncio aliado a revolta quanto ao resultado das eleições em Barra do Corda O grande silêncio aliado a revolta quanto ao resultado das eleições em Barra do Corda Barra do Corda participou de um processo eleitoral neste ano de 2016 como nunca visto antes na história do município.

Leia mais

Identificação. ML01 Duração da entrevista 21:39 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1953 (59) Local de nascimento/residência

Identificação. ML01 Duração da entrevista 21:39 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1953 (59) Local de nascimento/residência 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 Identificação ML01 Duração da entrevista 21:39 Data da entrevista 4-8-2012 Ano de nascimento (Idade) 1953 (59) Local de nascimento/residência

Leia mais

Aos Poetas. Que vem trazer esperança a um povo tristonho, Fazendo os acreditar que ainda existem os sonhos.

Aos Poetas. Que vem trazer esperança a um povo tristonho, Fazendo os acreditar que ainda existem os sonhos. Aos Poetas Venho prestar homenagem a uma grande nação, Que são os nossos poetas que escrevem com dedicação, Os poemas mais lindos e que por todos são bemvindos, Que vem trazer esperança a um povo tristonho,

Leia mais

Nº 8 C Domingo II do Tempo Comum Do Evangelho de hoje, retiramos vários ensinamentos para a nossa vida. Naquele casamento, onde estava Jesus,

Nº 8 C Domingo II do Tempo Comum Do Evangelho de hoje, retiramos vários ensinamentos para a nossa vida. Naquele casamento, onde estava Jesus, Nº 8 C Domingo II do Tempo Comum-20.1.13 Do Evangelho de hoje, retiramos vários ensinamentos para a nossa vida. Naquele casamento, onde estava Jesus, ia haver uma grande tristeza, porque o vinho se tinha

Leia mais

FICHA SOCIAL Nº 123 INFORMANTE: SEXO: IDADE: ESCOLARIZAÇÃO: LOCALIDADE: PROFISSÃO: DOCUMENTADORA: TRANSCRITORA: DIGITADORA: DURAÇÃO:

FICHA SOCIAL Nº 123 INFORMANTE: SEXO: IDADE: ESCOLARIZAÇÃO: LOCALIDADE: PROFISSÃO: DOCUMENTADORA: TRANSCRITORA: DIGITADORA: DURAÇÃO: FICHA SOCIAL Nº 123 INFORMANTE: M.A.M.B. SEXO: Masculino IDADE: 27 anos - Faixa II ESCOLARIZAÇÃO: 9 a 11 anos (2º grau incompleto) LOCALIDADE: Batateira - Zona Urbana PROFISSÃO: Comerciante DOCUMENTADORA:

Leia mais

Era uma vez Um conto da felicidade de um jovem casal

Era uma vez Um conto da felicidade de um jovem casal Era uma vez Um conto da felicidade de um jovem casal Era uma vez Assim começa um conto de verdade. E o que segue embaixo é um conto que o mundo raramente viu igual. O conto começa na Dinamarca. Era uma

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 73 Discurso na cerimónia de inauguração

Leia mais

O Japão e o Brasil têm mantido um relacionamento de

O Japão e o Brasil têm mantido um relacionamento de Discurso do Embaixador Kunio UMEDA Sessão Especial pelos 120 Anos do Estabelecimento das Relações Diplomáticas entre Japão e Brasil Câmara Legislativa do Distrito Federal Brasília, 1º de outubro de 2015

Leia mais

biografia de tiradentes

biografia de tiradentes biografia de tiradentes Tiradentes (1746-1792) foi o líder da Inconfidência Mineira, primeiro movimento de tentativa de libertação colonial do Brasil. Ganhou a vida de diferentes maneiras, além de militar

Leia mais

PRONUNCIAMENTO SOBRE INAUGURAÇÃO DE POÇO ARTESIANO QUE ATENDERÁ MAIS DE CINCO MIL FAMÍLIAS EM MANAUS DEPUTADO MARCELO SERAFIM (PSB-AM)

PRONUNCIAMENTO SOBRE INAUGURAÇÃO DE POÇO ARTESIANO QUE ATENDERÁ MAIS DE CINCO MIL FAMÍLIAS EM MANAUS DEPUTADO MARCELO SERAFIM (PSB-AM) PRONUNCIAMENTO SOBRE INAUGURAÇÃO DE POÇO ARTESIANO QUE ATENDERÁ MAIS DE CINCO MIL FAMÍLIAS EM MANAUS DEPUTADO MARCELO SERAFIM (PSB-AM) Senhoras Deputadas, Senhores Deputados, Povo do Estado do Amazonas,

Leia mais

A minha vida sempre foi imaginar. Queria ter um irmãozinho para brincar...

A minha vida sempre foi imaginar. Queria ter um irmãozinho para brincar... O pequeno Will A minha vida sempre foi imaginar. Queria ter um irmãozinho para brincar... Então um dia tomei coragem e corri até mamãe e falei: - Mãeee queria tanto um irmãozinho, para brincar comigo!

Leia mais

Olhando o Aluno Deficiente na EJA

Olhando o Aluno Deficiente na EJA Olhando o Aluno Deficiente na EJA ConhecendoJoice e Paula Lúcia Maria Santos Tinós ltinos@ffclrp.usp.br Apresentando Joice e Paula Prazer... Eu sou a Joice Eu sou a (...), tenho 18 anos, gosto bastante

Leia mais

79 Dias. por. Ton Freitas

79 Dias. por. Ton Freitas 79 Dias por Ton Freitas Registro F.B.N.: 684988 Contato: ton.freitas@hotmail.com INT. HOSPITAL/QUARTO - DIA Letreiro: 3 de março de 1987. HELENA, branca, 28 anos, está grávida e deitada em uma cama em

Leia mais

A LOIRA DO CEMITÉRIO. Por JULIANO FIGUEIREDO DA SILVA

A LOIRA DO CEMITÉRIO. Por JULIANO FIGUEIREDO DA SILVA A DO CEMITÉRIO Por JULIANO FIGUEIREDO DA SILVA TODOS OS DIREITOS RESERVADOS RUA: ALAMEDA PEDRO II N 718 VENDA DA CRUZ SÃO GONÇALO E-MAIL: jfigueiredo759@gmail.com TEL: (21)92303033 EXT.PRAÇA.DIA Praça

Leia mais

Anexo 2.2- Entrevista G1.2

Anexo 2.2- Entrevista G1.2 Entrevistado: E1.2 Idade: Sexo: País de origem: Tempo de permanência 53 anos Masculino Cabo-Verde 40 anos em Portugal: Escolaridade: 4ª classe Imigrações prévias : -- Língua materna: Outras línguas: Agregado

Leia mais

Hospital do Barreiro, em BH, passa a funcionar com 20% da

Hospital do Barreiro, em BH, passa a funcionar com 20% da 1 de 11 22/11/2016 15:24 g1 globoesporte gshow famosos & etc vídeos ASSINE JÁ CENTRAL E-MAIL ENTRAR MENU G1 Minas Gerais MENU G1 Minas Gerais 22/11/2016 14h38 - Atualizado em 22/11/2016 14h38 Hospital

Leia mais

Estação de Braga. Cheguei a Braga. Lá vim eu no meu lugar à janela. E o mundo lá fora

Estação de Braga. Cheguei a Braga. Lá vim eu no meu lugar à janela. E o mundo lá fora Roteiro de Braga Estação de Braga Cheguei a Braga. Lá vim eu no meu lugar à janela. E o mundo lá fora a correr e eu a querer apanhá-lo. E sentada no meu lugar corri, e de olhos atentos via vida e gente,

Leia mais

DATA: 02 / 12 / 2013 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 3.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA:

DATA: 02 / 12 / 2013 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 3.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA DATA: 0 / / 03 UNIDADE: III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 3.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR:

Leia mais

VALORES RESPONSABILIDADE 11 SOLIDARIEDADE 1 RESPEITO 19 PERSEVERENÇA 2 HUMILDADE 4 AMOR AO PRÓXIMO 2 CARATER 5 FÉ 2 MORAL 3 SABER OUVIR 1

VALORES RESPONSABILIDADE 11 SOLIDARIEDADE 1 RESPEITO 19 PERSEVERENÇA 2 HUMILDADE 4 AMOR AO PRÓXIMO 2 CARATER 5 FÉ 2 MORAL 3 SABER OUVIR 1 Vilhena/Rondônia VALORES RESPONSABILIDADE 11 SOLIDARIEDADE 1 RESPEITO 19 PERSEVERENÇA 2 HUMILDADE 4 AMOR AO PRÓXIMO 2 CARATER 5 FÉ 2 MORAL 3 SABER OUVIR 1 DIGNIDADE 2 COMPROMISSO 2 ÉTICA 3 HONESTIDADE

Leia mais

Num bonito dia de inverno, um grupo de crianças brincava no recreio da sua escola,

Num bonito dia de inverno, um grupo de crianças brincava no recreio da sua escola, Pátio da escola Num bonito dia de inverno, um grupo de crianças brincava no recreio da sua escola, quando começara a cair encantadores flocos de neve. Entre eles estava o Bernardo, um menino muito curioso

Leia mais

1983 UM NOVO JEITO DE COMPRAR

1983 UM NOVO JEITO DE COMPRAR 1983 UM NOVO JEITO DE COMPRAR O IGUATEMI APRESENTOU AOS GAÚCHOS O MODELO SHOPPING CENTER, TRANSFORMANDO O HÁBITO DE FAZER COMPRAS QUE ATÉ ENTÃO ERA RESTRITO AO CENTRO DA CIDADE. TROUXE UM NOVO FORMATO

Leia mais

Anexo Entrevista G2.5

Anexo Entrevista G2.5 Entrevista G2.4 Entrevistado: E2.5 Idade: 38 anos Sexo: País de origem: Tempo de permanência em Portugal: Feminino Ucrânia 13 anos Escolaridade: Imigrações prévias: --- Ensino superior (professora) Língua

Leia mais

ATITUDES QUE INFLUENCIAM

ATITUDES QUE INFLUENCIAM ATITUDES QUE INFLUENCIAM ATITUDES QUE INFLUENCIAM A MENINA DO VALE, de Bel Pesce QUEM É BEL PESCE? Nasceu em SP (20/02/1988). Fundadora da FazINOVA (2013). Autora do livro A Menina do Vale, disponibilizado

Leia mais

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DE MINAS GERAIS. Discurso Dra. Christiane Cidadã Honorária Cataguases

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DE MINAS GERAIS. Discurso Dra. Christiane Cidadã Honorária Cataguases DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DE MINAS GERAIS Discurso Dra. Christiane Cidadã Honorária Cataguases Inicialmente, gostaria de agradecer e cumprimentar o Vereador Serafim Couto Spindola pela iniciativa de

Leia mais

Os Dois Mundos de Minas Gerais

Os Dois Mundos de Minas Gerais O Que é Minas Gerais Hoje?... Os Dois Mundos de Minas Gerais Heitor de Souza Miranda, 8A Foi possível observar dois mundos mineiros em nossa viagem. Um deles, o mais estudado, é o mundo da arte, da história,

Leia mais

Ronaldo Roscoe

Ronaldo Roscoe Ronaldo Roscoe 31 9994-2839 A MASB é o resultado da fusão da competência, credibilidade, experiência e excelência da Metro Participações Imobiliárias, Alicerce Empreendimentos e Santa Bárbara Desenvolvimento

Leia mais

1. Disse Jesus: Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim não terá mais fome e quem crê em mim jamais terá sede. Jo 6,35

1. Disse Jesus: Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim não terá mais fome e quem crê em mim jamais terá sede. Jo 6,35 1. Disse Jesus: Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim não terá mais fome e quem crê em mim jamais terá sede. Jo 6,35 Senhor Jesus, Tu tens palavras de vida eterna e Tu revelas-te a nós como Pão da vida

Leia mais

Ângelo Mário Emanuela Coutinho Geraldo Oliveira MANGABEIRA

Ângelo Mário Emanuela Coutinho Geraldo Oliveira MANGABEIRA MANGABEIRA Ângelo Mário Emanuela Coutinho Geraldo Oliveira MANGABEIRA Sumário Introdução 03 Localização geográfica 04 História 06 Depoimento de uma moradora 09 Curiosidades 11 Pontos de encontro da comunidade

Leia mais

Com Maria, ao encontro do sonho de Deus. Novena a Nossa Senhora, pelas vocações em Portugal

Com Maria, ao encontro do sonho de Deus. Novena a Nossa Senhora, pelas vocações em Portugal Com Maria, ao encontro do sonho de Deus. Novena a Nossa Senhora, pelas vocações em Portugal 18 de maio - Maria, pronta a servir com amor Hoje lembramos a simplicidade e generosidade de Maria, que logo

Leia mais

Livro conta história sobre as tradicionais bonecas de pano artesanais

Livro conta história sobre as tradicionais bonecas de pano artesanais Livro conta história sobre as tradicionais bonecas de pano artesanais A publicação Que boneca é essa? é fruto das pesquisas de Macao Goés e Graça Seligman. As duas conversaram com mulheres de 50 a 90 anos.

Leia mais

Marcos Costa e Lucineide Costa

Marcos Costa e Lucineide Costa Marcos Costa e Lucineide Costa Binho, o menino que tinha medo do Conselho Tutelar Texto Copyright 2015, Marcos Costa e Lucineide Costa Ilustrações Copyright 2015, Roberta Krüger Este livro não pode ser

Leia mais

CONCURSO DE POESIA 2014

CONCURSO DE POESIA 2014 Certificados de Participação Alfredo Ferreira Martins Louro Augusto Jorge Ferreira da Silva Helena Cláudia Marques Gonçalves José Altino Pires Manuel Bastos Rodrigues Maria Adélia Jesus Alves Maria Angelina

Leia mais

História 4 o ano Unidade 8

História 4 o ano Unidade 8 História 4 o ano Unidade 8 Nome: Unidade 8 Data: 1. Associe as colunas. (A) Vila de São Vicente (B) Vila de São Paulo de Piratininga ( ) a produção de cana-de-açúcar não prosperou. ( ) tinha clima e solo

Leia mais

Unidade Portugal. Nome: 3 o ano (2ª série) Manhã. AVALIAÇÃO DE CONTEÚDO DO GRUPO XI 4 o BIMESTRE. A adivinhação do rei

Unidade Portugal. Nome: 3 o ano (2ª série) Manhã. AVALIAÇÃO DE CONTEÚDO DO GRUPO XI 4 o BIMESTRE. A adivinhação do rei Unidade Portugal Ribeirão Preto, de de 2011. Nome: 3 o ano (2ª série) Manhã AVALIAÇÃO DE CONTEÚDO DO GRUPO XI 4 o BIMESTRE Eixo temático Origens e descobertas Disciplina/Valor Português 4,0 Matemática

Leia mais

29/11/2009. Entrevista do Presidente da República

29/11/2009. Entrevista do Presidente da República Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na chegada ao hotel Villa Itália Cascais-Portugal, 29 de novembro de 2009 Jornalista: (incompreensível) Presidente:

Leia mais

Datas Especiais. MARÇO 08 - Dia Internacional da Mulher 11 - Dia Internacional das Vítimas do Terrorismo 14 - Dia dos Animais Dia Nacional da Poesia

Datas Especiais. MARÇO 08 - Dia Internacional da Mulher 11 - Dia Internacional das Vítimas do Terrorismo 14 - Dia dos Animais Dia Nacional da Poesia Datas Especiais JANEIRO 01 - Dia da Confraternização Universal Dia Mundial da Paz 04 - Dia Mundial do Braille 06 - Dia de Reis Dia da Gratidão 07 - Dia da Liberdade de Cultos 08 - Dia do Fotógrafo Dia

Leia mais

BONS Dias. Ano Pastoral Educativo Colégio de Nossa Senhora do Alto. Com Maria Desperta a. Luz. que há em TI

BONS Dias. Ano Pastoral Educativo Colégio de Nossa Senhora do Alto. Com Maria Desperta a. Luz. que há em TI BONS Dias Com Maria Desperta a Luz que há em TI 2ª feira, dia 12 de dezembro de 2016 III Semana (11 de dezembro): ALEGRAR Ontem, a Igreja celebrou o domingo da alegria: Jesus está para chegar e só Ele

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex Praticante Denise Local: Núcleo de Arte Albert Einstein Data: 03.12.2013 Horário: 10 h30 Duração da entrevista: 1h.

Leia mais

Caboclinha do Pará. Uma história de fé. Por Chris Tomazine

Caboclinha do Pará. Uma história de fé. Por Chris Tomazine Caboclinha do Pará Uma história de fé Por Chris Tomazine INTRODUÇÃO Eu imaginei minha vida de várias formas, mas nunca como um escritor, contudo, ao conhecer Dona Nazaré, sua generosidade e sua amizade

Leia mais

Dica: Antes de fazer as atividades abaixo, leia o documento Pretérito perfeito do indicativo, no Banco de Gramática.

Dica: Antes de fazer as atividades abaixo, leia o documento Pretérito perfeito do indicativo, no Banco de Gramática. Fim de semana Gramática: atividades Dica: Antes de fazer as atividades abaixo, leia o documento Pretérito perfeito do indicativo, no Banco de Gramática. Dois programas diferentes 1. Complete as lacunas

Leia mais

como diz a frase: nois é grossa mas no fundo é um amor sempre é assim em cima da hora a pessoa muda numa hora ela fica com raiva, triste, feliz etc.

como diz a frase: nois é grossa mas no fundo é um amor sempre é assim em cima da hora a pessoa muda numa hora ela fica com raiva, triste, feliz etc. SEGUIR EM FRENTE seguir sempre em frente, nunca desistir dos seus sonhos todos nós temos seu nivel ou seja todos nós temos seu ponto fraco e siga nunca desistir e tentar até voce conseguir seu sonho se

Leia mais

Tudo que a gente quer é ver você aqui.

Tudo que a gente quer é ver você aqui. Tudo que a gente quer é ver você aqui. Em outubro de 2011, o oeste catarinense deu as boas-vindas ao seu primeiro e único shopping. Trazendo inovação, praticidade e entretenimento, o Shopping Pátio Chapecó

Leia mais

Salmo 23.

Salmo 23. Anésio Rodrigues Salmo 23 www.bible.com/pt-br Bondade e Misericórdia me seguirão (Estudo sobre o Salmo 23) Salmo 23 Nova Versão Internacional Salmo 23 O Senhor é o meu pastor; de nada terei falta. Salmo

Leia mais

MOMENTOS POÉTICOS. Ademilson B dos Santos

MOMENTOS POÉTICOS. Ademilson B dos Santos MOMENTOS POÉTICOS Ademilson B dos Santos Momentos Poéticos A Ademilson Batista dos Santos Bairro: Parque dos Estados Rua: Curitiba 163 Louveira SP Segredos Segredos são segredos, Não se podem revelar.

Leia mais

Campanha Linha 1 Finalmente um shopping do nosso tamanho

Campanha Linha 1 Finalmente um shopping do nosso tamanho 2013 Linha 1 Finalmente um shopping do nosso tamanho Linha 1 - Finalmente um shopping do nosso tamanho Conceito Basta ler as primeiras postagens nas redes sociais para comprovar o que as pesquisas já apontavam

Leia mais

Essa data sempre será inesquecível. Seis de Março, 2016

Essa data sempre será inesquecível. Seis de Março, 2016 Essa data sempre será inesquecível. Seis de Março, 2016 Digamos onde acordou tudo alegre e assim permaneceu. Acho completamente impossível tentar descrever nas palavras o sentimento que sinto aqui dentro

Leia mais

Uma lição de vida. Graziele Gonçalves Rodrigues

Uma lição de vida. Graziele Gonçalves Rodrigues Uma lição de vida Graziele Gonçalves Rodrigues Ele: Sente sua falta hoje na escola, por que você não foi? Ela: É, eu tive que ir ao médico. Ele: Ah, mesmo? Por que? Ela: Ah, nada. Consultas anuais, só

Leia mais

Mais afetados pela crise, jovens deixam aluguel e voltam a morar com os pais

Mais afetados pela crise, jovens deixam aluguel e voltam a morar com os pais Mais afetados pela crise, jovens deixam aluguel e voltam a morar com os pais g1.globo.com/economia/noticia/mais-afetados-pela-crise-jovens-deixam-aluguel-e-voltam-a-morar-com-os-pais.ghtml Número de imóveis

Leia mais

O mar na gota de água

O mar na gota de água O mar na gota de água! O mar na gota de água, Página 1 Há uma pergunta que tem de ser feita: seja o que for que esteja a acontecer na minha vida, em qualquer altura, em tempos de alegria, em tempos de

Leia mais

Conhecendo um pouco da História do Distrito de Jaiba

Conhecendo um pouco da História do Distrito de Jaiba Conhecendo um pouco da História do Distrito de Jaiba Geisiana Lima de Jesus Jessica Oliveira Simões Juliana Lima de Jesus "Conhecendo um pouco da historia do Distrito de Jaiba" Polo de Cultura Digital

Leia mais

ROTEIRO DO DOCUMENTÁRIO

ROTEIRO DO DOCUMENTÁRIO PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO EMEF PROFª ROSA TOMITA Rua Ayrton Senna da Silva, 90 Jardim São José II Fone (12) 3929-2995 ROTEIRO DO DOCUMENTÁRIO Concurso

Leia mais

) ) .,. MEB- 50 ANOS ";.. QUANTO AFETO, QUANTA ALEGRIA RENOVADA EM CADA ENCONTRO... VIVA A VIDA! " MARIA ALICE ~ )

) ) .,. MEB- 50 ANOS ;.. QUANTO AFETO, QUANTA ALEGRIA RENOVADA EM CADA ENCONTRO... VIVA A VIDA!  MARIA ALICE ~ ) ) 1 ) ) ).,. I ) I MEB- 50 ANOS ";.. QUANTO AFETO, QUANTA ALEGRIA RENOVADA EM CADA ENCONTRO... VIVA A VIDA! " MARIA ALICE ) ) ~ ) ( ' A MUSICA DA CAMPANHA DAS ESCOLAS RADIOFONICAS LEVANTO JUNTO COM O SOL

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE JAHU ESTADO DE SÃO PAULO

CÂMARA MUNICIPAL DE JAHU ESTADO DE SÃO PAULO REQUERIMENTOS CÂMARA MUNICIPAL DE JAHU ESTADO DE SÃO PAULO Requerimento nº 568/2016 Requerendo ao Excelentíssimo Deputado Estadual Dr. Pedro Tobias que, junto ao Governo Estadual, estude e viabilize a

Leia mais

PREFÁCIO. Agradeço a DEUS, a minha família, aos meus pastores e a todos que acreditam no nosso sucesso. TEMA: NATAL

PREFÁCIO. Agradeço a DEUS, a minha família, aos meus pastores e a todos que acreditam no nosso sucesso. TEMA: NATAL BOM NATAL PREFÁCIO Agradeço a DEUS, a minha família, aos meus pastores e a todos que acreditam no nosso sucesso. TEMA: NATAL Que essa mensagem venha ser de grande valia para você caro leitor.que possamos

Leia mais

24/11/2006. Discurso do Presidente da República

24/11/2006. Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de comemoração dos 50 anos de inauguração da primeira fábrica da Mercedes-Benz no Brasil São Bernardo do Campo-SP, 24 de novembro de 2006 Eu prometo a vocês ser

Leia mais

Família Presente de Deus, Lugar de Amor

Família Presente de Deus, Lugar de Amor Família Presente de Deus, Lugar de Amor Amadas irmãs e amados irmãos, Paz e Bem! É com felicidade que trazemos mais este presente para a IMMF do Brasil: mais um encarte no caderno de formação! Um material

Leia mais

BOM DIA, SÔ JOÃO! BOM DIA, DONA ESPERANÇA!

BOM DIA, SÔ JOÃO! BOM DIA, DONA ESPERANÇA! ESTE MATERIAL FOI PREPARADO PELA EQUIPE DA SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO PARA QUE VOCÊ POSSA SABER MAIS SOBRE REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA RURAL DE TERRAS DEVOLUTAS. VAMOS COMEÇAR? A HISTÓRIA

Leia mais

Mensagem do dia 02 de Março Suas escolhas. Mensagem do dia 02 de Março de 2013 Suas escolhas

Mensagem do dia 02 de Março Suas escolhas. Mensagem do dia 02 de Março de 2013 Suas escolhas Mensagem do dia 02 de Março Suas escolhas Mensagem do dia 02 de Março de 2013 Suas escolhas Acredite: você é aquilo que acredita ser. Você tem aquilo que acredita poder ter. Você recebe da vida aquilo

Leia mais

Pensamento Positivo. Pr. Rodrigo Moraes

Pensamento Positivo. Pr. Rodrigo Moraes Pensamento Positivo Pr. Rodrigo Moraes Pensamento Positivo Pastor Rodrigo Moraes Igreja Nova Aliança Ministério Atraindo Vidas Para Deus - AVD 2015 Prefácio Esta é uma obra com o intuito de mostrar com

Leia mais

Quer. aumentar. vendas? suas. Temos mais de 500 mil consumidores pra você.

Quer. aumentar. vendas? suas. Temos mais de 500 mil consumidores pra você. Quer aumentar suas vendas? Temos mais de 500 mil consumidores pra você. Conheça o Camará Shopping e reserve a sua loja. Chegue primeiro a um mercado de mais de 500.000 consumidores com potencial de consumo

Leia mais

Você Gostaria que Pessoalmente Eu Te Ajudasse a Dobrar, Triplicar ou Talvez Quadruplicar Suas Vendas, Sem te cobrar nada por isso?

Você Gostaria que Pessoalmente Eu Te Ajudasse a Dobrar, Triplicar ou Talvez Quadruplicar Suas Vendas, Sem te cobrar nada por isso? Você Gostaria que Pessoalmente Eu Te Ajudasse a Dobrar, Triplicar ou Talvez Quadruplicar Suas Vendas, Sem te cobrar nada por isso? Do escritório de Natanael Oliveira São Caetano do Sul São Paulo Julho

Leia mais

Os vinhateiros. Referência Bíblica: Mateus

Os vinhateiros. Referência Bíblica: Mateus Os vinhateiros Referência Bíblica: Mateus 20. 1-16 Introdução: O que é de fato o Reino de Deus começa Jesus a explicar, circundado por muita gente que o escuta atentamente... Um senhor era dono de uma

Leia mais

APMT Lata 1902 D Ofício nº30

APMT Lata 1902 D Ofício nº30 Ofício nº19 Cuiabá, 14 de março de 1902 Estado, informando que o muro do Liceu Cuiabano caiu e pede providências. Ofício nº26 Cuiabá, 7 de abril de 1902 Estado, propondo a nomeação do cidadão Álvaro Afonso

Leia mais

O Sr. FEU ROSA (PP-ES) pronuncia o seguinte discurso: Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, em

O Sr. FEU ROSA (PP-ES) pronuncia o seguinte discurso: Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, em O Sr. FEU ROSA (PP-ES) pronuncia o seguinte discurso: Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, em instante de atenção comovida e em justo preito de reconhecimento, assomo a esta tribuna para reverenciar

Leia mais

realidade das profissões

realidade das profissões 12 12 Escolha Certa! Certa! As profissões As profissões do século do 21 século 21 Uma decisão difícil, extremamente pessoal. É dessa maneira que pode ser encarado esse momento crucial na vida do jovem:

Leia mais