MEDALHA DA FEBRE AMARELA Lisboa Agradecida à Devoção Humanitária

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MEDALHA DA FEBRE AMARELA Lisboa Agradecida à Devoção Humanitária"

Transcrição

1

2

3 Medalha da Febre Amarela, p MEDALHA DA FEBRE AMARELA Lisboa Agradecida à Devoção Humanitária Paulo Jorge Estrela Instituto Geográfico Português Lusíada. História, n.º 3/

4 Paulo Jorge Estrela 126 Lusíada. História, n.º 3/2006

5 Medalha da Febre Amarela, p Resumo Artigo de Falerística sobre a Medalha da Febre Amarela. Condecoração criada pelo Município de Lisboa, para agraciar todos aqueles que se haviam distinguido no combate ao flagelo que assolou Lisboa em 1857, e que, rapidamente, foi elevada à condição de condecoração nacional, sob o alto patrocínio do rei D. Pedro V. Enquadramento histórico, criação, desenvolvimento de todo o processo de concessão e distribuição da medalha. Apresentam-se ainda imagens da medalha (anverso e reverso), diplomas de concessão, Planta temática da cidade de Lisboa e um retrato fotográfico CDV, além de um anexo com a lista completa de todos os agraciados. Palavras-chave Lisboa / Febre Amarela / Cholera morbus / Condecoração / Medalha / Ordem Honorífica Abstract Phaleristic article about Portuguese Yellow fever Medal. Created by Lisbon Municipality and awarded to all who distinguished themselves in Lisbon during those 1857 tragic days, soon become an official national decoration under the high patronage of King Pedro V. Historical enlighten, medal creation and concession process development and award. All illustrated with a medal (obverse and reverse), two concession diplomas, and a thematic Lisbon city Plan, a CDV photographic portrait and an annexed complete medal roll. Key-words Lisbon / Yellow fever / Cholera morbus / Decoration / Medal / Honorific Order Lusíada. História, n.º 3/

6 Paulo Jorge Estrela 128 Lusíada. História, n.º 3/2006

7 Medalha da Febre Amarela, p Numa época em que tanto se fala de vírus gripais, em que termos como epidemia e pandemia se tornaram comuns no nosso dia-a-dia, pareceu-nos pertinente relembrar a situação epidémica ocorrida há cerca de 150 anos, em Lisboa, e que originou a criação da Medalha da Febre Amarela. Embora este trabalho pretenda ser um artigo de Falerística, isto é, o estudo de Condecorações (para os menos familiarizados com este vocábulo), é imprescindível fazer o enquadramento histórico desta época infeliz da cidade de Lisboa, e que decorreu entre os anos de 1856 e Já no ano de 1855, a capital portuguesa tinha sido assolada por um flagelo viral de enorme mortalidade, a chamada Cholera morbus, a que não foi alheia à sua rápida propagação, a fatal inexistência de cuidados médicos mínimos, aliada a uma completa falta de condições higieno-sanitárias das populações. Refira-se no entanto, que a mesma doença atacou outros pontos do país mas, por ser menor a densidade demográfica, os efeitos da mesma não foram tão nefastos. Em 1856 e durante dois anos, um outro flagelo, e de maiores e mais terríveis proporções assolou a cidade das sete colinas, vitimando mortalmente milhares de habitantes. Não era a primeira vez que a cidade de Lisboa sofria gravemente com este mesmo vírus. A primeira epidemia de Febre Amarela que grassou em Lisboa, ocorreu na década de 20 do século XVIII, após ter sido trazida da América Central. Em cerca de 3 meses causou perto de vítimas mortais, em especial entre os moradores dos bairros mais pobres (nomeadamente no lumpemproletariado) onde eram inexistentes quaisquer condições de higiene e salubridade pública. De 1856 a Dezembro de 1857, decorreram quase dois anos de triste memória para a capital. Mais de 10% da sua população foi contagiada por esta febre (entre 16 e pessoas), sendo as vítimas mortais em número próximo das Evidentemente que os principais lesados com esta epidemia continuaram a ser os habitantes dos bairros mais populares e antigos, como Alfama e Bairro Alto, onde as condições de higiene não haviam praticamente mudado desde da última epidemia de Febre Amarela, 130 anos antes! É difícil entender a dimensão da tragédia e como toda a vida da cidade foi alterada por uma sensação de terror generalizado. O Governo tomou algumas resoluções por forma a minimizar o impacto negativo de tal catástrofe, como sejam: a proibição dos jornais darem longas notícias sobre os óbitos, assim como de revelarem o número e nome das vítimas - inicialmente chegaram a ser publicadas Lusíada. História, n.º 3/

8 Paulo Jorge Estrela longas listas de vítimas nos jornais o que causava uma angústia e apreensão geral; os enterros passaram a ser efectuados à noite e sem qualquer pompa ou circunstância: somente uma carroça, um padre e evidentemente, o defunto; as casas de espectáculos, em especial os teatros e casinos, encerraram temporariamente, assim como foram criados Hospitais provisórios (em vários pontos da cidade) por os ditos oficiais serem em número manifestamente baixo para internarem o enorme, e sempre crescente, número de vítimas. Plano de Lisboa com o diagramma da epidemia da Febre amarela que esta cidade soffreo no anno de 1857, na escala 1: Anexo ao Relatório da epidemia de febre amarella em Lisboa no anno de Gabinete de Estudos Olisiponenses - Cota: P/CT 129-G. A consternação era geral e relatos da época fazem-nos visualizar uma cidade sombria em completo pânico e muito, muito triste. Quase todos os estabelecimentos comerciais encontravam-se encerrados, não só por falecimento de proprietários e empregados, como por muitos habitantes ainda sãos terem abandonado a cidade. A população, católica na sua quase totalidade, refugiava-se nas igrejas na tentativa de conforto espiritual e diariamente numerosas procissões de penitência e fé percorriam as ruas (que de resto se encontravam quase sempre desertas...) e mandavam-se rezar missas em todas as igrejas da cidade. Também altos funcionários, empregados públicos, eclesiásticos (incluindo o próprio Cardeal Patriarca), comerciantes e a população em geral, foram viver para localidades nos arredores de Lisboa ou mesmo em locais mais remotos da província. Ficaram somente na cidade os cidadãos mais carenciados e sem possiblidades de fugir, assim como uma série 130 Lusíada. História, n.º 3/2006

9 Medalha da Febre Amarela, p de pessoas abnegadas que procuravam ajudar os mais necessitados, sendo de destacar a figura do jovem rei D. Pedro V, que apesar da sua tenra idade (20 anos), cedo alcançou o respeito e admiração de todos os súbditos e estrangeiros por não abandonar a cidade e, pelo contrário, andar junto dos enfermos a dar conforto e esperança. Mas voltaremos, mais à frente, a realçar o papel deste monarca nesta crise social e a forma como o Município de Lisboa, de uma maneira inovadora, reconheceu publicamente o seu altruísmo, assim como de alguns outros dos seus cidadãos. Aproximadamente um ano após as feridas causadas por esta calamidade pública começarem a sarar, um Vereador da Câmara Municipal de Lisboa tem a original iniciativa de propor ao Município a criação de uma medalha para distinguir o mérito de todos aqueles que se haviam distinguido excepcionalmente no combate àquele flagelo: a Medalha da Febre Amarela. Medalha da Febre Amarela. Colecção particular É sobre esta condecoração portuguesa que iremos tratar, tendo a mesma nascido de iniciativa municipal mas que, rapidamente, foi elevada à condição de condecoração nacional, sob o alto patrocínio de Sua Majestade o rei D. Pedro V. Como já vimos, este monarca teve um papel de relevo neste árduo combate, não abandonando a linha da frente e elevando o moral de todos. Assim, e para distinguir este comportamento exemplar, a Câmara Municipal de Lisboa decide que também o jovem monarca deverá ser condecorado, sendo concedido a D. Pedro V a Medalha da Febre Amarela, grau ouro, que será única, sendo todas as outras concedidas no grau prata. Não sendo muito habitual, iremos apresentar o histórico desta medalha num modelo do tipo Fita do Tempo. Graças aos chamados Annaes do Municipio de Lisboa nos annos de , e ao Gabinete de Estudos Olisiponenses, no belo Palácio Beau Séjour, onde existe um exemplar desta publicação (cota Lusíada. História, n.º 3/

10 Paulo Jorge Estrela AL 192) podemos ter uma clara ideia de todas as Sessões da Câmara de Lisboa coevas da época. Podemos então, reconstruir passo-a-passo, com resumos da nossa responsabilidade, todo o processo de concepção, criação e distribuição desta condecoração, o que raramente acontece. Assim, e sempre referenciando os respectivos Annaes do Municipio de Lisboa com a sigla AML e os Diários de Governo com a sigla DG, iremos dar a conhecer este curioso processo. No fim, tentaremos esclarecer algumas questões levantadas mas, também partilharemos algumas outras dúvidas e incertezas. AML 11 / Sessão de 14 Junho 1858: Proposta do sr. Vereador, Dr. Levy Maria Jordão, para a concessão de uma medalha para reconhecimento aos indivíduos de todas as classes que prestaram, na ocasião de flagelo, relevantes serviços. A proposta resumia-se a dois pontos: - Que se mandasse cunhar uma medalha da prata com a seguinte configuração: Anverso: as armas da cidade de Lisboa, e a data 1857 ; Reverso: a legenda À caridade na occasião da febre amarella, a Cidade de Lisboa ; - Que essa medalha fosse oferecida aos referidos indivíduos pela Câmara Municipal. AML 12 / Sessão de 17 de Junho de 1858: Foi aprovada a proposta apresentada a 14, tendo sido incumbido o Presidente da Câmara de apresentar, para aprovação, o modelo final. AML 16 / Sessão de 23 de Agosto de 1858: Aprovou-se o modelo da medalha, apresentado pelo Sr. Presidente da Câmara. Medalha circular, com 32mm de diâmetro, da autoria do artista Francisco de Borja Freire e que apresentava algumas alterações ao modelo inicialmente proposto. Anverso: Figura alegórica representando a cidade de Lisboa, coroada de castelos e derramando coroas de louro com a mão direita, e com a esquerda encostada no escudo das armas de Lisboa, com a legenda Lisboa agradecida e no exergo 1858, havendo ainda, em letras mais pequenas, o nome do artista: Freire F. ; Reverso: legenda com À devoção humanitária circundada por uma coroa de louro. Foi igualmente comunicado que o custo do cunho seria de 72$000 réis, tendo sido tudo aprovado. AML 22 / Sessão de 27 de Novembro de 1858: Foi apresentada uma medalha já cunhada, que mereceu a aprovação de todos os presentes, e foi resolvido cunhar 200 em prata com o peso unitário de cinco e meias oitavas e mais uma em ouro com o peso de seis oitavas, destinada a ser oferecida a D. Pedro V. Proposta de 2 de Dezembro, para aprovação pelo Conselho do Distrito de Lisboa da despesa de 360$000 réis em que ficou orçamentada a cunhagem das ditas medalhas. 132 Lusíada. História, n.º 3/2006

11 Medalha da Febre Amarela, p AML 23 / 1858 É referido que tendo sido presente o modelo da medalha que se mandou fazer por deliberação de 23 de Agosto, fixou-se o número delas (sessão de 27 de Novembro) e oficiou-se ao Director da Casa da Moeda, pedindo-lhe para as mandar cunhar. Resolveu-se que a distribuição destas medalhas seria feita por classes: 1 em ouro e 200 em prata. AML 29 / Sessão de 14 de Março de 1859: Incumbiu-se o Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de apresentar a alocução que a Câmara teria de dirigir a Sua Majestade D. Pedro V, por ocasião da oferta da Medalha de ouro comemorativa da devoção humanitária na epidemia de Deliberou-se ainda, que a fita, em que se devia trazer pendente esta medalha, seria de cor amarela. AML 31 / Sessão de 28 de Março de 1859: Foi comunicado pelo sr. Presidente da Câmara Municipal de Lisboa que a deputação encarregada de apresentar a SM a dita medalha em ouro, cumprira a sua missão no dia 16 de Março de 1859, tendo sido recebida pelo rei com a costumada benevolência régia. É agora apresentada a alocução referente a esse acto solene e a resposta de D. Pedro V, ambas publicadas no Diário de Governo nº 73, de 28 de Março de Data da cerimónia: 16 de Março de Presidente da Câmara: Júlio Máximo de Oliveira Pimentel (futuro Visconde de Villa Maior). Senhor! Se os Monarchas tem a gloria e indisputavel prerogativa de conferir ao merito o premio que lhe é devido, não se pode tambem negar ao povo o direito de significar a sua gratidão para com aquelles que, nos momentos calamitosos em que a humanidade afflicta brada pelo auxilio das virtudes mais generosas, dedicam a sua intelligencia, visa, e fortuna, para lhe alliviar os soffrimentos, e combater o mal que o opprime. Por mais altos que se achem collocados na escala social esses heroes da humanidade, não lhes é por certo indifferente a gratidão do povo, nem os signaes por que este a expressa, por mais modestos que elles sejam. A Camara Municipal de Lisboa que reconhece quanto deve o povo da capital aos homens que, durante o flagello da ultima epidemia, o não abandonaram no meio das suas tormentosas angustias, resolveu commemorar a dedicação exemplar de tão benemeritos cidadãos, mandando cunhar uma medalha, para ser distribuida pelos que mais se distinguiram nessa longa e arriscada lucta. Vossa Magestade, permanecendo inabalavel no meio do perigo, animando com Sua Augusta Presença, com os seus cuidados e desvelos, os que trabalhavam e os que soffriam, conquistou o indisputavel direito de ser considerado o primeiro entre todos os que se arriscaram neste perigoso combate, como na peleja é sempre um valente General o primeiro entre os soldados. Assim a Camara Municipal, em nome da Cidade, vem hoje collocar nas Mãos de Lusíada. História, n.º 3/

12 Paulo Jorge Estrela Vossa Magestade este modesto signal da sua incommensuravel gratidão, e espera que Vossa Magestade lhe não recusará a graça de o receber, pelo muito que elle significa, com a Benevolencia innata de Seu Regio Coração. Resposta de Sua Majestade el-rei D. Pedro V: Aceito com vivo reconhecimento a offerta, que a Camara Municipal de Lisboa acaba de depositar nas Minhas Mãos. Aprecio-a dobradamente pelo que ella significa, e pela fórma. Tudo quanto fosse mais que aquillo que a Camara Municipal fez, não satisfaria a minha ambição, se ambição eu tivesse do que não ha direito a esperar, e menos a exigir; e sendo sacrificio para quem o oferecesse, ficaria sendo remorso para quem não poderia recusal-o. Pareceu-Me sempre que a mais invejavel das recompensas, ás quaes o sentimento de honra liga um valor, que a philosophia se esforça em vão por desmerecer, é aquella que os companheiros de trabalho, e de perigos, nos votam sobre o chão mesmo da peleja. É a condecoração modesta do soldado, que o favor não tem direito, nem se lembra jámais de conferir. Esta que Me coube vale infinito para Mim, vale mais que tudo, tendo deixado passar perto de dois annos sobre um facto, que pedia o esquecimento de apreciações mais ou menos suspeitas, para ser olhado na sua verdadeira luz. Ha momentos, na vida do homem, em que é igualmente condemnavel contar de mais ou de menos comnosco. Não sômos juizes exclusivos nem da nossa necessidade, nem dos nossos merecimentos. A essa lei, que é para todos, não póde esquivar-se o Soberano. Tem de responder por Si, e pela instituição que representa; deve-se áquelles que o precederam, como aos que hão de seguir-se-lhe. Tem de velar pelo bem dos seus povos, e de nobilitar o seu officio, incompleto no conceito dos adoradores obstinados do passado, inutil ao ver d aquelles, que o creem conservado apenas para embargar ambições extremas. Se calculei, como agora, o que fazia, não sei. Sei que, do favor popular que acaso podesse colher, Ia disposto a conservar apenas a gratidão. Esse proposito compri-o. AML 34 / Sessão de 25 de Abril de 1859: Nomeou-se uma Comissão composta por 4 vereadores, para proceder ao apuramento dos indivíduos que mais se distinguiram, e que iriam receber as medalhas que a Câmara mandou cunhar, sendo eles: Gonçalves Corrêa, Rodrigues da Câmara, Fernandes Chaves e o Vereador fiscal, Alves Chaves AML 35 / Sessão de 3 de Maio de 1859: Foi recebido um ofício (com data de 27 de Abril) do Enfermeiro-Mor do Hospital de S. José, remetendo uma relação dos indivíduos que mais se haviam distinguido, e que foi reenviada para a Comissão de apreciação. AML 36 / Sessão de 16 de Maio de 1859: Foi aprovada a pertinente proposta apresentada pelo Vereador Dr. Ricardo Teixeira Duarte: 134 Lusíada. História, n.º 3/2006

13 Medalha da Febre Amarela, p Pelo artº da Carta Constitucional pertence ao rei conceder títulos, honras, ordens militares e distinções em recompensa de serviços feitos ao Estado Segue-se que ninguém pode usar de medalha oferecida por esta Câmara de cidadãos, que prestaram serviços distintos por ocasião da epidemia de febre amarela, sem que por S.M. seja autorizado o uso desta distinção; por isso proponho que a Câmara represente e peça graça da dita autorização não se entregando os diplomas sem que esta autorização seja concedida. AML 39 / Sessão de 1 de Junho de 1859: O Engenheiro Pezerat apresentou um ofício solicitando que a Câmara contemplasse com a referida medalha o Geómetra Francisco de Almeida e Silva e o Mestre das Obras, António dos Santos. AML 42 / Sessão de 20 de Junho de 1859: Foi apresentada, e lançada em acta, a relação dos cidadãos a quem a Câmara conferiu a medalha. AML 42 / Sessão de 27 de Junho de 1859: O Enfermeiro-Mor do Hospital de S. José, fez chegar à Câmara um novo ofício solicitando que a medalha fosse igualmente concedida ao Facultativo Manuel Carlos Teixeira e ao Secretário do Conselho de Saúde, José Pedro António Nogueira. Excepcionalmente, e porque já estavam distribuídas as 220 (???) medalhas mandadas cunhar, foi resolvido conceder-lhes somente o Diploma. AML 42 / 1859 Anexo com a referida Relação pag AML 43 / Sessão de 4 de Julho de 1859: Os senhores Vereadores Alves Chaves e Matos Pinto, propuseram que se concedessem mais medalhas a diversos indivíduos, o que não foi aprovado. O Conde de Paraty devolveu o diploma de concessão, e a respectiva medalha, alegando que os renunciava por motivos que foram considerados atendíveis. AML 43 / Sessão de 7 de Julho de 1859: O Vereador Fiscal apresentou uma proposta para que se mandasse cunhar e se concedessem mais 60 medalhas por serviços prestados, o que foi aprovado. O Sr. Esteves de Carvalho, propôs, e foi aprovado, que não se fizesse a distribuição das medalhas adicionais senão no final de Julho, por forma a permitir à respectiva Comissão a apreciação de todas as propostas. AML 44 / Sessão de 14 de Julho de 1859: Foi comunicado que o cidadão Luiz Dally se dirigiu aos Paços dos Concelho para agradecer a medalha assim como, foram chegando, vários ofícios de agradecimento pela concessão. Na mesma sessão foi enviado à Comissão de apreciação um ofício do Prior Lusíada. História, n.º 3/

14 Paulo Jorge Estrela da Freguesia das Mercês, solicitando uma medalha! AML 45 / Sessão de 28 de Julho de 1859: Foi comunicado o Acordão do Conselho do Distrito de Lisboa, de 12 desse mês, aprovando a deliberação de dia 7, para que se concedessem e mandassem cunhar mais 60 medalhas (por cerca de 100$000), além das 200 já anteriormente autorizadas (Acórdão do Conselho do Distrito de Lisboa, de 21 de Dezembro de 1859). Esta medalha municipal passa a ser considerada uma condecoração oficial nacional por deliberação régia. Decreto de 25 de Agosto de 1859 (Diário de Lisboa nº 206, 2 de Setembro de 1859) Attendendo ao que Me representou a Câmara municipal de Lisboa, Hei por bem Auctorisar a instituição de Medalha de prata, que ella fizera cunhar em commemoração dos distinctos serviços humanitarios, prestados durante a calamitosa epidemia da febre amarella na capital; e Permittir que as pessoas contempladas pela mesma Camara na distribuição da referida Medalha por tão assignalados actos de dedicação, possam usar deste distinctivo pendente de fita de côr amarella. O Ministro e Secretario de Estado dos Negocios do Reino assim o tenha entendido e faça executar. Paço de Mafra, em 25 de Agosto de 1859 = REI = Antonio Maria de Fontes Pereira de Mello. Decreto de 25 de Agosto de 1859 (Diário de Governo nº 206/1859). Biblioteca do Instituto Geográfico Português. Diário do Governo nº 206, de 2 de Setembro de Biblioteca do Instituto Geográfico Português. AML 50 / Sessão 1 de Setembro de 1859: Mandou-se pagar a Francisco de Borja Freire a quantia de 56$600 réis, pelo cunho de mais quarenta medalhas (???), que se mandaram cunhar para comemorar os serviços prestados por ocasião da febre amarela. 136 Lusíada. História, n.º 3/2006

15 Medalha da Febre Amarela, p AML 50 / 1859 Recepção do Decreto (cópia autenticada) de 25 de Agosto, cujo ofício, em anexo, informa que têm que ser enviados ao Ministério e Secretaria de Estado do Reino 2 exemplares do desenho da medalha, para que um deles seja autenticado e reenviado à Câmara Municipal de Lisboa para ficar junto a este decreto. AML 50 / 1859 Recepção da Portaria de 8 de Setembro de 1859, que devolve um dos desenhos da medalha, já devidamente autenticado com a rubrica do Ministro e Secretário de Estado do Reino. AML 51 / Sessão de 5 de Setembro de 1859: A Câmara Municipal de Lisboa deliberou oferecer uma das medalhas à Real Academia de Ciências de Lisboa, para a sua importante colecção de Numismática, e uma outra à Repartição-Geral do Correio, sendo para esse fim remetida ao Subinspector-Geral desta Repartição. AML 51 / Sessão de 8 de Setembro de 1859: Aprovada a relação adicional dos agraciados com a medalha. AML 52 / Sessão de 12 de Setembro 1859: Concedeu-se uma medalha ao cidadão António Carlos Esteves de Carvalho, membro da Comissão de Socorros na Freguesia da Santa Engrácia. Note-se que esta medalha deverá ser a mesma que foi devolvida pelo Conde de Paraty. AML 53 / Sessão de 29 de Setembro de 1859: Recepção do ofício do Subinspector-Geral dos Correios e Postas do Reino, agradecendo em nome dos seus empregados a medalha concedida àquela Repartição. Resolveu-se inutilizar o cunho da Medalha da Febre Amarela, e que fosse assim depositado no Arquivo. Foi esta a última referência a esta medalha encontrada nos referidos Annaes do Municipio de Lisboa, pelo que é de supôr que com a inutilização do cunho acabou o processo de concessão da Medalha da Febre Amarela.... Entre outros aspectos pertinentes que podem decorrer da leitura de todas as situações descritas pelos Annaes do Munícipio de Lisboa, salienta-se o facto de terem sido concedidas 260 medalhas e não 220, tal como referido pelo Contra-Almirante Alfredo Motta, na sua obra em referência bibliográfica, e que de alguma forma, é comummente repetido. Perdoem-nos os mais susceptíveis à crítica sobre a maneira de ser portuguesa Lusíada. História, n.º 3/

16 Paulo Jorge Estrela mas parece-nos ser tipicamente português, a forma como há toda uma discrepância entre os vários exemplares autorizados e orçamentados, os encomendados e os efectivamente cunhados e entregues e por fim, liquidados. Houve sempre que fazer acertos administrativos para que, no termo do processo, a CML tivesse como pagar as 260 medalhas... Para o caso de futura conferência das duas relações anexas, não deverá ser estranho o facto de nelas constarem 261 nomes e não os referidos 260. Recorda-se que o Conde de Paraty devolveu a sua medalha por motivos atendíveis o que fez ser possível agraciar um outro cidadão Sabe-se da existência de exemplares idênticos mas do tipo miniatura com cerca de 15mm de diâmetro, mas desconhece-se o seu gravador ou em que contexto foram cunhados. No entanto, acreditamos ser uma mera produção comercial, idêntica a situações semelhantes ocorridas com outras medalhas. De salientar termos encontrado na Lista de Antiguidades de Oficiais da Armada de 1872, referência a alguns nomes que não constam nas relações oficiais, mas que de alguma forma foi-lhes averbada a dita medalha. Desconhecemos, por agora, se a Câmara Municipal de Lisboa mandou passar Diplomas a novos agraciados (a exemplo de um precedente aberto - AML 42 / mas que na altura ficou sem efeito por terem aumentado o número de medalhas a conceder) ou se, se trata do averbamento de uma qualquer Ordem militar concedida em virtude de serviços prestados durante essa epidemia e que foi mal averbada, ou ainda, se terá existido uma outra explicação que agora nos escapa... Pensamos ser mais plausível a primeira hipótese até pelo conhecimento que temos de que, numa colecção particular existirá um ofício da CML, datado de 10 de Agosto de 1869, a comunicar a concessão da Medalha da Febre Amarela, a um cidadão de nome António Avelino Azimont. No entanto, nada podemos adiantar sobre se houve mais medalhas realmente cunhadas e concedidas... Não obstante os respectivos processos individuais existentes no Arquivo Central de Marinha pouco ajudarem a esclarecer esta situação, aqui ficam os nomes desses Oficiais da Armada, para memória futura: Capitão-Tenente, José Francisco Schultz; Capitão-Tenente, Luiz Caetano de Novaes; 2º Subinspector de Saúde Naval, Francisco José dos Santos Chaves. Apesar de não se tratar directamente da Medalha da Febre Amarela, parecenos ser muito oportuno referir um facto ocorrido 5 anos após as últimas concessões e claro, respeitante ao mesmo surto epidémico e à temática da falerística. D Luiz I, por alturas festivas do seu matrimónio com D. Maria Pia, e como forma de recordar o seu falecido irmão, D. Pedro V, e ainda para reconhecer publicamente todos aqueles que haviam servido exemplarmente, quando do surto de febre amarela em Lisboa, vai conceder a a 221 súbditos a mais alta Ordem honorífica portuguesa - a Ordem Militar da Torre e Espada, do valor, lealdade e mérito (Decretos de 1 e 14 de Agosto de 1862, publicados no Diário de Governo nº 194, de 29 de Agosto de 1862). Tal número surpreende de imediato qualquer leitor, mesmo aqueles mais ha- 138 Lusíada. História, n.º 3/2006

17 Medalha da Febre Amarela, p bituados a exageros ocorridos com a concessão desta Ordem quando da Guerra Civil de ou da Guerra da Patuleia, a título de exemplo. O acto em si de agraciar com tal Ordem (actualmente mais ligada a grandes feitos militares) combatentes de uma guerra menos convencional contra os flagelos e doenças que assolavam Portugal e as suas colónias, era algo que no século XIX acontecia com alguma normalidade. No entanto, mais curioso é o facto de somente 96 destes serem indivíduos que não haviam sido já condecorados com a Medalha da Febre Amarela. Assim, destes 221 nomes (4 grau de Oficial e 216 grau de Cavaleiro), 125 de grau Cavaleiro e 3 elevados ao grau de Oficial, haviam já sido condecorados ccom a Medalha de Febre Amarela, o que na prática, trata-se de uma dupla recompensa pelo mesmo acto, o que vai contra os princípios éticos (mas à data não regulamentados) subjacentes à concessão de condecorações... Graças ao imenso e valioso acervo patrimonial do Gabinete de Estudos Olisiponenses, é-nos possível apresentar (pela primeira vez, cremos) um raro Diploma de concessão da Medalha da Febre Amarela. Ao mesmo tempo é apresentado um Diploma de concessão da Ordem Militar da Torre e Espada, do valor, lealdade e mérito, grau de Cavaleiro, atribuido ao mesmo médico - Francisco Alberto de Oliveira - e que se encontra numa colecção particular. Quis o destino que estes dois documentos (um em mãos públicas e o outro em particulares), importantes testemunhos de um momento histórico e de uma acção pessoal digna de realce, Diploma de Concessão da Medalha da Febre amarela ao Francisco Alberto de Oliveira (Lisboa, 20 de Junho de 1859). Gabinete de Estudos Olisiponenses - Cota: MS Mç 267. Diploma de Concessão da Ordem Militar da Torre e Espada grau de Cavaleiro, ao Francisco Alberto de Oliveira. (Lisboa, 15 de Outubro de 1859 assinatura do rei D. Luiz I). Colecção particular. Lusíada. História, n.º 3/

18 Paulo Jorge Estrela voltassem a encontrar-se, enobrecendo uma vez mais, o referido munícipe de Lisboa, tantos anos depois do triste episódio... Cruz da Cholera Morbus À imagem do realizado pelo Município de Lisboa, também a Câmara Municipal dos Olivais (à época uma circunscrição administrativa nos arredores de Lisboa) deliberou a criação de uma condecoração para premiar aqueles que mais abnegadamente se haviam distinguido no combate à Cholera Morbus, naquele Concelho, durante o ano de Em Sessão de 28 de Julho de 1859, é proposto (e aprovado) pelo Presidente da Câmara Municipal dos Olivais, José Maria da Costa Bueno Cevallos de Villas Boas, a criação desta nova insígnia de Mérito. Esta terrível cólera, que tanto vitimou os habitantes dos concelhos dos Olivais, Belém e de Lisboa durante os anos de 1855 e 1856, foi combatida diariamente por alguns dos seus cidadãos mais altruístas. Em Sessão camarária de 25 de Agosto do mesmo ano, é declarado que esta insígnia deveria ser concedida somente a 20 munícipes do concelho dos Olivais, o que faz com que esta seja uma das mais raras condecorações portuguesas do século XIX. Esta declaração é aprovada em 6 de Setembro, por Acordão do Conselho do Distrito de Lisboa, ficando no entanto, dependente da respectiva autorização régia (tal como havia acontecido com a Medalha da Febre Amarela, da Câmara Municipal de Lisboa) para os agraciados poderem usar as mesmas no lado esquerdo do peito, o que desconhecemos se chegou a haver essa autorização. De igual forma, não conhecemos o respectivo Diploma de concessão nem tão pouco a curta lista de condecorados A par destas incertezas, sabe-se que as mesmas foram cunhadas de acordo Cruz da Cholera morbus (C. M. dos Olivais). Desenho in obra de Lopes Fernandes em referência bibliográfica. Colecção particular. 140 Lusíada. História, n.º 3/2006

19 Medalha da Febre Amarela, p com o desenho proposto pela Câmara, tendo um espécime sido oferecido à Academia Real de Ciências de Lisboa, de acordo com Lopes Fernandes, na sua obra em referência bibliográfica. Como se percebe ainda existem algumas dúvidas sobre todo este processo pelo que acreditamos, em breve, obter mais resultados sobre a investigação em curso para assim, poderemos publicar a sua conclusão, fechando este capítulo da Falerística, que é a Medalha da Febre Amarela e a Cruz da Cholera morbus... Esperando que nunca mais a capital seja testemunha de tal calamidade pública, resta-nos agora apreciar o gesto de reconhecimento público que a edilidade lisboeta protagonizou. Foi uma deliberação importante para a história da falerística nacional, apesar de não ter havido continuidade. Situações semelhantes vindouras, como a ocorrida com a gripe pneumónica, em 1918, tiveram reconhecimento público com a concessão da Medalha de Serviços Distintos da Cruz Vermelha Portuguesa 1. Referência ainda para o facto de uns anos mais tarde, em 1894, o Reino Unido ter criado, também, uma condecoração para agraciar todos aqueles que se distinguiram no combate contra a mortífera peste bubónica na sua colónia de Hong Kong, que grassou no território entre Maio e Setembro desse mesmo ano: a Hong Kong Plague Medal. Uma palavra final de agradecimento aos colaboradores do Gabinete de Estudos Olisiponenses (CML), sempre profissionais, simpáticos e colaborantes, assim como aos meus colegas do Centro para a Documentação e Informação do Instituto Geográfico Português. Um sentido obrigado aos meus amigos e coleccionadores de militaria, em especial ao Doutor Humberto Nuno de Oliveira, a Dom Vasco Telles da Gama e a Leonildo Ponçe de Almeida, e claro, à minha revisora de textos e querida companheira, Teresa. Bem hajam! 1 ESTRELA, Paulo, Medalha da CVP prémio por serviços distintos na guerra e na paz. Lusíada. História 2, pp Lusíada. História, n.º 3/

20 Paulo Jorge Estrela BIBLIOGRAFIA Estrela, Paulo Jorge (2005) Medalha da CVP prémio por serviços distintos na guerra e na paz. Lusíada. História. 2. pp Fernandes, Manuel Bernardo Lopes (1861) Memória das Medalhas e Condecorações Portuguezas e das Estrangeiras com relação a Portugal. Lisboa. Academia Real das Sciências de Lisboa Lamas, Arthur (1916) Medalhas Portuguesas e estrangeiras referentes a Portugal, Volume I, Parte I: Medalhas Comemorativas. Lisboa. Tipografia de Adolpho de Mendonça Leitão, Alexandre José dos Santos (1897) Colecção Numismática. Porto. Typographia Central Motta, Contra-Almirante Alfredo (1981) A Medalha da Febre Amarela. Moeda Revista Portuguesa de Numismática, Vol. VI nº 3 (Maio/Junho 1981). Lisboa Pereira, Manoel Joaquim (1898) Medalhas e Condecorações Portuguezas e algumas estrangeiras referentes a Portugal que possue o Museu Municipal do Porto. Porto. Imprensa Civilisação Reis, Pedro Batalha (1959) Guia da mais notável colecção de medalhas portuguesas reunida em Portugal. Lisboa. Oficina Gráfica Serrano, Maria Alice Pereira de Lima (1966) A Ordem Militar Portuguesa da Torre e Espada subsídios para a sua história. Lisboa. Papelaria Fernandes AAVV (1859) Relatório da epidemia de febre amarella em Lisboa no anno de 1857, feito pelo Conselho Extraordinario de Saúde Pública do Reino creado por Decreto de 29 de Setembro de Lisboa. Imprensa Nacional AAVV (1873) Lista da Armada referida a 31 de Dezembro de 1872 coordenada na Direcção Geral de Marinha. Lisboa. Imprensa Nacional AAVV (1860) Annaes do Municipio de Lisboa nos annos de Lisboa. Imprensa Nacional Diários de Lisboa e de Governo Ordens de Exército Ordens à Armada 142 Lusíada. História, n.º 3/2006

21 Medalha da Febre Amarela, p ANEXO: Lista nominal dos condecorados com a Medalha da Febre Amarela e com indicação das funções desempenhadas durante a epidemia ou a freguesia de actuação, sempre que conhecidas. A. Dobigne Alexandre Joaquim de Sequeira Lopes Comissão de Socorros C Alexandre José da Silva Campos C Álvaro Augusto Saraiva do Valle Abrantes C André Avellino Barradas André Joaquim Monteiro Regedor da Freguesia de Santo Estevão Angelo de Souza Prado António Alfredo da Silva Freguesia da Madalena António Carlos Esteves de Carvalho C António Correia Belém C António da Silva Tulio Freguesia de Santa Justa António de S. Francisco de Assis Eclesiástico António de Sequeira Nazareth António dos Santos Mestre Geral das Obras da C.M. Lisboa C António dos Santos Monteiro Director da Alfândega António Emidio Duarte Pinheiro Regedor da Freguesia da Madalena António Fernandes Comissão de Socorros (Santa Catarina) C António Ferreira Regedor da Freguesia da Pena C António Francisco Franco Prior da Freguesia da Pena C António Germano de Carvalho Ferreira Associação Comercial António Joaquim Baptista Freguesia da Madalena António Joaquim Pereira Cabo, Alfama António Joaquim Pinto Regedor, Alfama António José Affonso Prior da Freguesia da Encarnação C António José Bastos Escrivão da Freguesia dos Martires António José da Rosa Torres Eclesiástico, Freguesia do Sacramento C António José Gonçalves Basto Regedor da Freguesia de S. Nicolau C António José Soares Freguesia da Encarnação António Luiz Maria Comissão da Freguesia das Mercês António Luiz Zamith Sociedade Zamith António Manuel de Santa Anna Enfermeiro C António Maria Barbosa C António Maria da Luz Rego C António Maria de Oliveira Soares António Maria dos Santos Brilhante António Maria Vellez Comissão Freguesia de S. Nicolau C António Martins Eclesiástico C António Martins Pereira Médico António Máximo Verol Freguesia da Conceição C António Nunes Regedor da Freguesia das Mercês Lusíada. História, n.º 3/

22 Paulo Jorge Estrela António Pimenta Regedor da Freguesia do Sacramento C António Pinto Roquette Interno do Hospital C António Rodrigues Sampaio António Rogério Gromicho Couceiro Ministro do Estado C António Thomaz Pacheco Associação Comercial C Archibald Turner Augusto Frederico Ferreira Associação Comercial C Augusto João de Mesquita Augusto José Gonçalves Lima (Dr.) Administrador do Bairro do Rossio Augusto Maria Quintella Emauz Advogado Bartholomeu José de Carvalho Freguesia das Mercês C Bernardino António Gomes Médico C Bernardino Augusto da Silva Heitor Bernardo José Soares Freguesia de S. Julião C Caetano Maria da Silva Beirão Médico Camillo José de Gouvêa Juíz C Carlos de Carvalho Osório Coadjuctor da Freguesia de S. Paulo C Carlos Esteves de Carvalho Comissão de Socorros na Freguesia de Santa Engrácia C Carlos Miguel Augusto May Figueira Médico C Casimiro de Sousa Freguesia de S. Paulo C Casimiro Ignácio Pereira Freguesia de Santa Catarina C Casimiro Simão da Cunha Médico Christovão José Franco Bravo Comandante da Guarda Municipal de Lisboa Claudino Martins Eclesiástico C Cláudio Francisco Nunes Cabo da Freguesia de Santa Justa C Conde de Sobral Governador Civil Diocleciano António Pedro Freire Chefe da 1ª Rep. da Secretaria-Geral da C.M. Lisboa Diogo António Correia de Sequeira Pinto Conselho de Saúde C Diogo Baptista dos Santos Cadet C Domingos da Silva Eclesiástico C Domingos Félix Branco Freguesia de S. José Domingos Francisco Lopes Regedor da Freguesia dos Mártires C Domingos Lopes da Silva Eclesiástico Domingos Ricardo Ramalho Freguesia de S. José Duarte Cairus Associação Comercial Duarte Ferreira Severino C Eleuterio Sabino da Silva Elias dos Santos Miranda Emigdio José de Oliveira Cabo do Bairro de Alcântara Ernesto Augusto Gomes Fernando Leite de Sousa Pereira de Foios Freguesia de Santa Cruz do Castelo C Filippe Augusto Barbosa C Fortunato Chamiço Jr. Associação Comercial C Fortunato José Moniz Wanzeller C Francisco Alberto de Oliveira C Francisco António Alves de Azevedo Farmacêutico 144 Lusíada. História, n.º 3/2006

23 Medalha da Febre Amarela, p Francisco António Barral Médico C Francisco António Brandão C Francisco António Namorado C Francisco de Almeida Brandão e Sousa Alfândega Grande Francisco de Assis e Almeida Francisco de Assis Gomes Freguesias de Santa Justa e S. Nicolau C Francisco José da Costa Lobo Francisco José dos Santos Chaves Jr. Francisco José Salustiano de Mesquita Aluno da Escola Médica C Francisco Lourenço dos Santos Prior da Freguesia de Santa Catarina C Francisco Lourenço Hypólito Garcez Escrivão da Freguesia de Santa Justa Francisco Maria de Méra OF Francisco Marques Pereira Prior da Freguesia da Conceição Francisco Pereira de Figueiredo Interno do Hospital C Francisco Teixeira da Cunha Freguesia de S. Julião Francisco Xavier de Seixas Lemos Lacerda Castello Branco Freguesia dos Anjos Francisco Xavier Monteiro Cabo do Bairro de Alcântara Frederico Biester Jr. Freguesia do Sacramento C Frederico Zacharias de Oliveira e Sousa Gregório José Ribeiro de Freitas Administrador substituto do Bairro Alto C Gregório Vaz Rans de Campos Barreto Fróes Freguesia de Santa Justa C Guilherme Cândido Borges de Sousa Freguesia dos Mártires Guilherme Centazzi Guilherme Joaquim da Silva Abranches Conselho de Saúde C Herculano Teixeira da Cunha Freguesia de S. Julião C Ignácio José dos Santos Coadjuctor da Freguesia de S. Nicolau Ignácio Quintino de Avellar C Ignácio Rodrigues dos Santos Freguesia de Santa Catarina C Isac Amsalak Jacques François Barbier Jerónimo José de Carvalho Médico Freguesia de S. Nicolau C João António de Azevedo Coutinho Comissão, Freguesia de Santo Estevão C João Baptista de Seixas Administrador do Bairro de Alfama João Cândido Ribeiro de Moraes C João Cardoso Ferraz de Miranda Administrador substituto do Rossio C João Clemente Mendes Médico João Cypriano Ferreira C João de Mattos Pinto Vereador C João Gomes Roldão Associação Comercial C João Gregório Gonçalves Correia C João Guilherme Leitão de Magalhães Capelão da Sé João Joaquim Henriques de Abreu João José de Sousa e Silva Eclesiástico C João Lino Empregado na Câmara Municipal João Luiz de Carvalho João Luiz Pereira Escrivão do Regedor do Sacramento Lusíada. História, n.º 3/

24 Paulo Jorge Estrela João Maximiano Gonçalves Correia C João Miguel Alves C João Pereira Médico C João Rodrigues Cardoso Sociedade Zamith João Venancio Pinto Freguesia de S. José Joaquim António de Aguiar Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa Joaquim António Saraiva do Valle Abrantes Joaquim Eleutherio Gaspar Gomes Médico C Joaquim Emigdio Cabo da Freguesia de S. José Joaquim Fernandes Esteves Rosa C Joaquim Ferreira de Barros Freguesia de S. Miguel C Joaquim Henrique Fradesso da Silveira Joaquim Isidoro de Passos Freguesia de Alcântara C Joaquim Jorge Passano Regedor da Freguesia dos Anjos Joaquim José Rodrigues da Câmara C Joaquim Manuel dos Santos Aluno da Escola Médica Joaquim Pedro Abranches Bizarro Médico Joaquim Pedro Lourenço Venade Major da 5ª Companhia da Guarda Municipal de Lisboa Joaquim Theotonio da Cunha Freguesia da Sé C Joaquim Theotonio da Silva C Jorge Henrique Brandt Médico C José Baptista Mancio Regedor da Freguesia da Encarnação José Amaro da Costa Escriturário do Hospital José António Mendes Regedor, Alfama José António Pereira Serzedello José António Rodrigues Membro da Comissão de Santa Catarina C José Baptista Cardoso Klerk C José Caldeira Pinto de Albuquerque Juiz José Cândido Loureiro Médico C José Carlos Nunes Regedor substituto da Freguesia de S. Paulo C José da Rocha Martins Furtado Prior da Freguesia de Santa Justa José de Almeida Ramalho Porteiro do Cemitério do Alto de S. João José de Oliveira Mattos Capelão do Hospital C José de Sande Magalhães Mexia Salema Juíz de Direito José Dionísio Correia Administrador da Botica do Hospital C José do Nascimento Gonçalves Correia C José Eduardo de Magalhães Coutinho C José Emilio da Silva Barros Eclesiástico José Fernandes de Macedo Administrador do Cemitério do Alto de S. João José Firmo Ferreira dos Santos C José Gregório da Silva Acharnador da Freguesia do Sacramento C José Gualdino de Carvalho e Silva José Ignácio Rodrigues Barreto Ajudante do Escrivão de Assentos José Isidoro Jorge C José Isidoro Vianna C José Joaquim Alves Chaves 146 Lusíada. História, n.º 3/2006

25 Medalha da Febre Amarela, p C José Lino Alves Chaves Regedor da Freguesia de S. Mamede C José Luiz do Nascimento Regedor da Freguesia de S. Miguel de Alfama José Luiz Teixeira Mendes José Manuel de Santa Anna da Cunha Castello Branco Sociedade Zamith Regedor da Freguesia de Santos C José Maria Alves Branco Jr. C José Maria Barbosa Freguesia da Pena José Maria Frazão C José Maria Lino Teixeira Escrivão da Freguesia de Santa Catarina José Mendes de Assumpção C José Mesquita da Roza Freguesia da Conceição José Miguel Marques Rego Freguesia do Socorro C José Pedro António Nogueira Secretário do Conselho de Saúde C José Ribeiro Major da 2ª Companhia da Guarda Municipal de Lisboa José Rodrigues José Rodrigues Correia Cabo do Bairro de Alcântara Regedor da Freguesia de Alcântara C José Thiago Fontana Eclesiástico C José Vicente de Oliveira Freguesia de S. José C José Xavier de Mello Freguesia de S. Tiago C Júlio Caldas Aulete Freguesia do Sacramento C Júlio Máximo de Oliveira Pimentel OF Leopoldo Saraiva da Silva Cardeira C Levy Maria Jordão (Dr.) Vereador da Câmara Municipal Luiz António de Oliveira Machado Luiz António Soares Negociante Freguesia de S. Julião C Luiz Brignoli Jr. Médico C Luiz Caetano da Guerra Santos C Luiz César Bourquin OF Luiz da Câmara Major da 1ª Companhia da Guarda Municipal de Lisboa Luiz Dally Conselho de Saúde C Luiz de Almeida Albuquerque Secretário do Governo Civil C Luiz José da Costa Eclesiástico Luiz José dos Reis Luiz Telles de Mello Manuel António Alves Manuel Carlos Teixeira Manuel Cezário de Araújo e Silva Enfermeiro Fiscal Freguesia da Pena Eclesiástico Oficial Maior do Hospital de S. José Manuel de Jesus Coelho C Manuel de Moura Coutinho Cabo da Freguesia de S. Nicolau Manuel de Santa Anna Noronha Manuel Gil Eclesiástico C Manuel José Mendes Freguesia da Lapa C Manuel José Ribeiro da Costa Freguesia de S. Paulo Manuel Lourenço de Carvalho Manuel Maria Rodrigues de Bastos Freguesia da Lapa Médico C Manuel Moniz Vieira C Manuel Nicolau de Bettencourt Pitta Médico Lusíada. História, n.º 3/

26 Paulo Jorge Estrela C Manuel Rodrigues Perdigão Eclesiástico Manuel Salustiano Damasceno Monteiro Presidente da Câmara Municipal C Manuel Thomaz Lisboa Médico C Maria José Liberato Pereira (D.) Freguesia de Santa Catarina Marquez de Ficalho Marquez de Loulé C Martinho Alvéolos Durão Farmacêutico C Matheus Cezário Rodrigues Moacho Médico, Conselho de Saúde C Matheus dos Santos Oliveira Regedor, Alfama C Matheus José Baptista Miguel dos Santos Enfermeiro Miguel Januário Fernandes Branco Narciso Zeferino Lopes Cabo da Freguesia dos Mártires Nicolau Marques Coelho Cabo, Alfama Nuno de Sá Pamplona C Nuno José Severo Ribeiro de Carvalho C Pedro Francisco da Costa Alvarenga Médico Pedro José da Silva Leitão Jr. Administrador do Bairro de Alcântara C Porfirio do Amaral Rego C Rodrigo Botelho da Fonseca Paganino Jr. Rodrigo Vasconcellos Pereira de Mello (D.) Prior da Freguesia do Socorro C Sabino José de Sousa Freguesia dos Anjos Sebastião José de Abreu Associação Comercial Sebastião Maria de Assis e Brito Silvério Antão Barata Salgueiro Prior da Freguesia de S. Nicolau C Thomaz António Carneiro Freguesia de S. Nicolau C Thomaz Antunes de Mendonça Freguesia de Santa Catarina C Thomaz de Aquino Alves Regedor da Freguesia da Lapa Thomaz Germano Farinha C Thomaz José Rodrigues Freguesia da Madalena Thomaz Oom Director da Alfândega Municipal Visconde de Santa Isabel, Júlio Augusto Ferreira Associação Comercial Visconde Thamberg Zeferino Pedroso Gomes da Silva Correio Geral Academia Real das Sciências de Lisboa X Conde de Paraty Freguesia de Santa Isabel Nota: O C e OF na primeira coluna indica que o mesmo cidadão foi igualmente agraciado, por D. Luiz I, com a Ordem Militar da Torre e Espada, do valor, lealdade e mérito (Diário de Lisboa nº 194, de 29 de Agosto de 1862), no grau de Cavaleiro ou de Oficial, respectivamente. Na última linha, o X indica uma concessão renunciada e devolvida. 148 Lusíada. História, n.º 3/2006

27 Medalha da Febre Amarela, p CDV Carte de Visite, do fotógrafo de Lisboa, Alfred Fillon. Eclesiástico de identidade desconhecida. Além do colar da Ordem da Torre e Espada ostenta as miniaturas da mesma Ordem, da Ordem Militar de Cristo e da Medalha da Febre Amarela. Colecção particular. Lusíada. História, n.º 3/

28 Humberto Nuno de Oliveira e Paulo Jorge Estrela 250 Lusíada. História, n.º 3/2006

LIVRO DE MATRÍCULAS NOME

LIVRO DE MATRÍCULAS NOME LIVRO DE MATRÍCULAS - 1838-1877 NOME COTA - 20 - PERSPECTIVA/ORDINÁRIOS Nºs Páginas Abdon Ribeiro de Figueiredo 5 10 Adolfo Cirilo de Sousa Carneiro 93 Adolfo Nunes 99v 102 Albano Cordeiro Cascão 89 91v

Leia mais

Viseu Manuel António de Jesus Almeida A 12R/16-A 28/11/ /11/ Lisboa Rui José Fonseca Penedo A 59R/17-A 13/03/ /03/2020 FLU 0453

Viseu Manuel António de Jesus Almeida A 12R/16-A 28/11/ /11/ Lisboa Rui José Fonseca Penedo A 59R/17-A 13/03/ /03/2020 FLU 0453 N.º Viseu Manuel António de Jesus Almeida A 12R/16-A 28/11/2016 28/11/2019 - Lisboa Rui José Fonseca Penedo A 59R/17-A 13/03/2017 13/03/2020 FLU 0453 Lisboa Mário José Fonseca Fernandes de Carvalho A 98R/17-A

Leia mais

Dossiê da Unidade Curricular

Dossiê da Unidade Curricular Turnos - Prática-Laboratorial - PL1 André Vieira Viana (a61034) António Manuel Pereira do Anjo (a67660) Beatriz Ribeiro Pires Loureiro (a68876) Bruno Miguel da Silva Barbosa (a67646) Carlos Rafael Cruz

Leia mais

GENEALOGIA MINEIRA Fontes Primárias - documentos civis

GENEALOGIA MINEIRA Fontes Primárias - documentos civis 70 40v 1752 Damião Costa João de Souza Costa 52 44v 1774 alferes Damião Francisco Mendes Inês de Jesus de Andrade 47 45v 1783 Daniel Gonçalves Ferreira João Machado de Azevedo 52 36 1774 David Pereira

Leia mais

MEMORIAL 25 ANOS OSWALDO OLIVEIRA 2014

MEMORIAL 25 ANOS OSWALDO OLIVEIRA 2014 1º EURICO MIGUEL VIEGAS GOMES 45 1 25 1 18 2º FILIPE MIGUEL DA SILVA MOREIRA 16 0 1 15 3º PARCÍDIO CABRAL DE ALMEIDA SUMMAVIELLE 8 1 6 1 4º NUNO RICARDO CARDOSO BOAVIDA 5 0 1 4 5º ANTÓNIO JOSÉ ALVES RAMOS

Leia mais

Sérgio Ricardo Rodrigues de Almeida

Sérgio Ricardo Rodrigues de Almeida Nº de Oferta Ordem Pontuação Nome do Docente 2142 1 92 Sérgio Ricardo Rodrigues de Almeida 2142 2 75 Bruno Rodrigo Marques Tavares 2142 3 70 Helena Isabel Amaral Rocha 2142 4 69 Paulo Nuno Veloso de Carvalho

Leia mais

C. C. S. Moçambique Tete - Fingoé 1972 a 1974

C. C. S. Moçambique Tete - Fingoé 1972 a 1974 C. C. S. Batalhão de Caçadores 3885 Companhia de Comandos e Serviços Moçambique Tete - Fingoé 1972 a 1974 Lista de Militares à data do regresso a Lisboa Posto Nome Coronel José da Silva Pinto Ferreira

Leia mais

ESCOLA DE TROPAS PÁRA QUEDISTAS

ESCOLA DE TROPAS PÁRA QUEDISTAS RELAÇÃO DE PÁRA-QUEDISTAS MILITARES 13496 JOSÉ NASCIMENTO BARROSO 1 13497 VIRGÍLIO ANTÓNIO GONÇALVES 1 13498 ANTÓNIO MANUEL CABAÇA ALMEIDA 1 13499 MANUEL ANTÓNIO ALMEIDA SANTOS 1 13500 ALBERTO CARVALHO

Leia mais

25 DE MAIO DE Cerimónia de Juramento de Bandeira dos Alunos do 1º Ano do Curso General Raúl Augusto Esteves

25 DE MAIO DE Cerimónia de Juramento de Bandeira dos Alunos do 1º Ano do Curso General Raúl Augusto Esteves 25 DE MAIO DE 2018 Cerimónia de Juramento de Bandeira dos Alunos do 1º Ano do Curso General Raúl Augusto Esteves PROGRAMA 25 DE MAIO DE 2018 15H00 Chegada de S. Exa. o Chefe do Estado-Maior do Exército

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE ALBERTO SAMPAIO

ESCOLA SECUNDÁRIA DE ALBERTO SAMPAIO DATA DE REALIZAÇÃO: 23 de Janeiro às 15h20 min. Sala: A 3.5 C ADRIANA FERNANDES PEREIRA E ADRIANA GOMES ROCHA A ADRIANA JOSÉ F RODRIGUES F AFONSO RODRIGUES F O CARNEIRO A ALEXANDRA PATRÍCIA F F OLIVEIRA

Leia mais

Fundo Diocesano do Clero Ano de 2016

Fundo Diocesano do Clero Ano de 2016 Fundo Diocesano do Clero Ano de 2016 CLERO DIOCESANO Abílio da Costa Oliveira Adão da Silva Lima 440,00 Adelino Vaz de Araújo 75,00 Agostinho de Araújo Pinto de Barros Incardinado em F Agostinho José Caldas

Leia mais

CONTABILIDADE (PÓS-LABORAL)

CONTABILIDADE (PÓS-LABORAL) CONTABILIDADE (PÓS-LABORAL) Ano lectivo: 2011-12 Estatuto Trabalhador-Estudante Cód. Aluno Nome Resultado 57 Diana Carla Loureiro Ribeiro Deferido 75 Maria Francisca de Antas de Barros Caldeira Deferido

Leia mais

ESCOLA DE TROPAS PÁRA QUEDISTAS

ESCOLA DE TROPAS PÁRA QUEDISTAS RELAÇÃO DE PÁRA-QUEDISTAS MILITARES 8859 HENRIQUE DE MORAIS DA SILVA CALDAS 1 8860 MANUEL DA SILVA LOPES 1 8861 JOSÉ MARIA ISÁA 1 8862 JOSÉ MARTINS DE SÁ 1 8863 FRANCISCO PEREIRA SOUSA 1 8864 AMÉRICO ANÇOS

Leia mais

ESCOLA DE TROPAS PÁRA-QUEDISTAS

ESCOLA DE TROPAS PÁRA-QUEDISTAS RELAÇÃO DE PÁRA-QUEDISTAS MILITARES 40188 LUÍS FILIPE ARAÚJO GARCIA 1 40189 VASCO PAIVA 1 40190 JOÃO MARTINS 1 40191 RUI SANTOS 1 40192 LUÍS MAMÃO 1 40193 HÉLDER PINTO 1 40194 JOSÉ BARTOLOMEU 1 40195 ADRIANO

Leia mais

ESCOLA DE TROPAS PÁRA QUEDISTAS

ESCOLA DE TROPAS PÁRA QUEDISTAS RELAÇÃO DE PÁRA-QUEDISTAS MILITARES 31048 ORLANDO DA SILVA DOMINGUES 1 31049 JOAQUIM BRITES VENÂNCIO TOMÁS 1 31050 CLÁUDIO HENRIQUE JÚDICIBUS LOPES 1 31051 JOSÉ HILÁRIO DE AGUIAR CALHEIROS 1 31052 ADÉRITO

Leia mais

Acácio da Cunha Carvalho. Adriano de Lima Freitas. Alberto António M. Caldas Afonso. Alexandre de Freitas Peixoto Dias. Alexandre Dias de Freitas

Acácio da Cunha Carvalho. Adriano de Lima Freitas. Alberto António M. Caldas Afonso. Alexandre de Freitas Peixoto Dias. Alexandre Dias de Freitas Acácio da Cunha Carvalho Adriano de Lima Freitas Alberto António M. Caldas Afonso Alexandre de Freitas Peixoto Dias Alexandre Dias de Freitas Alfredo de Sousa Ribeiro Alípio Germano do Couto B. Barbosa

Leia mais

ESCOLA DE TROPAS PÁRA-QUEDISTAS

ESCOLA DE TROPAS PÁRA-QUEDISTAS RELAÇÃO DE PÁRA-QUEDISTAS MILITARES 37065 ANTÓNIO MANUEL CARRAÇA 1 37066 JOÃO MANUEL CHIBANTE LOURENÇO 1 37067 JOSÉ JOAQUIM RIBEIRO DE OLIVEIRA 1 37068 MANUEL FERNANDO DA SILVA 1 37069 CARLOS MANUEL BERTOLO

Leia mais

CONSELHO DISTRITAL DO PORTO. Recursos da Prova de Aferição

CONSELHO DISTRITAL DO PORTO. Recursos da Prova de Aferição 35816 Alberto Neves 10 12 12 Admitido 36037 Alexandra Cruz Pereira 10 10 11 Admitido 36019 Alexandre Cunha Ribeiro 10 13 10 Admitido 35737 Ana Almeida Campos 11 12 15 Admitido 32166 Ana Belém Cardoso 10

Leia mais

6.º Ano de Escolaridade Turma A

6.º Ano de Escolaridade Turma A Ano Escolar 0 / 0 Turma A 00 Escola Básica Bernardino Machado 066 ANA MARGARIDA BARROS MARQUES 07808 ANA OLIVEIRA GONÇALVES 70 ANDRÉ AZEVEDO ABREU 0860 ANDRÉ FILIPE DA SILVA COSTA 698 BERNARDO FERREIRA

Leia mais

3.ª Companhia do Batalhão de Artilharia 6223/73

3.ª Companhia do Batalhão de Artilharia 6223/73 3.ª Companhia do Batalhão de Artilharia 6223/73 Oficiais Capitão Miliciano Paulo Miguel de Macedo Cocco Alferes Milicianos Aldiro de Oliveira e Castro António Amaral Rodrigues José Carlos Matos Arinto

Leia mais

ESCOLA DE TROPAS PÁRA QUEDISTAS

ESCOLA DE TROPAS PÁRA QUEDISTAS RELAÇÃO DE PÁRA-QUEDISTAS MILITARES 2853 FRANCISCO GONÇALVES BORDEIRA 1 2854 AMÉRICO ARMANDO SILVA 1 2855 ANTÓNIO JOSÉ LIMA PIRES 1 2856 JOAQUIM MARQUES JAIME 1 2857 EDMUNDO JOSÉ GODINHO 1 2858 HERMENEGILDO

Leia mais

SENADO DE SÃO PAULO 1891 REPÚBLICA VELHA 1892 REPÚBLICA VELHA

SENADO DE SÃO PAULO 1891 REPÚBLICA VELHA 1892 REPÚBLICA VELHA SENADO DE SÃO PAULO 1891 REPÚBLICA VELHA ANTÔNIO CARLOS DE ARRUDA BOTELHO (CONDE DO PINHAL) PRP 24606 ANTÔNIO DE SOUZA CAMPOS PRP 25009 ANTÔNIO PINHEIRO DE ULHÔA CINTRA (BARÃO DE JAGUARA) PRP 25468 AUGUSTO

Leia mais

Nº Candidato Nome Tipo de Habilitação. 1 38, Ana Paula Lemos Machado Correia Qualificação Profissional

Nº Candidato Nome Tipo de Habilitação. 1 38, Ana Paula Lemos Machado Correia Qualificação Profissional Ordenação Graduação Profissional Nome da Escola : Data final da candidatura : Grupo de Recrutamento: Agrupamento de Escolas D. Pedro IV, Vila do Conde 2016-03-01 100 - Educação Pré-Escolar Ficheiro gerado

Leia mais

encabeçada pelo Eng. António Carlos Laranjo da Silva como candidato a Presidente do Conselho Diretivo Regional

encabeçada pelo Eng. António Carlos Laranjo da Silva como candidato a Presidente do Conselho Diretivo Regional Lista apresentada para a eleição do Conselho Diretivo Regional, Mesa da Assembleia Regional, Conselhos Regionais de Colégio e Delegações Distritais da Região Sul encabeçada pelo Eng. António Carlos Laranjo

Leia mais

CONCURSO DE DOCENTES

CONCURSO DE DOCENTES CONCURSO DE DOCENTES Grupo de Recrutamento 540 - Eletrotecnia ANO ESCOLAR DE 2017/2018 LISTA DEFINITIVA DE NÃO COLOCAÇÃO CONTRATAÇÃO INICIAL E RESERVA DE RECRUTAMENTO NECESSIDADES TEMPORÁRIAS 25-08-2017

Leia mais

AMARES 17 DE FEVEREIRO DE 2018 LISTA A

AMARES 17 DE FEVEREIRO DE 2018 LISTA A BRAGA ELEI ÇÃO DEDELEGADOSDI STRI TO >> AMARES MARTINHO DE JESUS VIEIRA DE FARIA JOÃO CARLOS MARQUES GOMES DOS SANTOS JOSÉ DE SOUSA BRANDÃO ANTÓNIO MARTINS PEIXOTO MANUEL JOAQUIM DE SOUSA PEREIRA JOAQUIM

Leia mais

ESCOLA DE TROPAS PÁRA QUEDISTAS

ESCOLA DE TROPAS PÁRA QUEDISTAS RELAÇÃO DE PÁRA-QUEDISTAS MILITARES 29585 MANUEL ALEXANDRE RIBEIRO DE SOUSA 1 29625 JOÃO HENRIQUE DA CRUZ ANTUNES 1 29631 MÁRIO CARLOS SOUSA BARBOSA 1 29730 PAULO JORGE ROCHA PENA MONTEIRO 1 29731 GUY

Leia mais

UNIVERSIDADE DO MINHO CADERNOS ELEITORAIS DEFINITIVOS DOS TRABALHADORES DOCENTES E INVESTIGADORES DA ESCOLA DE ENGENHARIA - GUALTAR

UNIVERSIDADE DO MINHO CADERNOS ELEITORAIS DEFINITIVOS DOS TRABALHADORES DOCENTES E INVESTIGADORES DA ESCOLA DE ENGENHARIA - GUALTAR Nº Nome Categoria Provimento 5721 Abdur Rais Investigador Auxiliar CTFP - Com o contéudo e caraterísticas do ECIC 1747 Adriano José Conceição Tavares Professor Associado CTFP - Tempo indeterminado em Regime

Leia mais

ESCOLA DE TROPAS PÁRA-QUEDISTAS

ESCOLA DE TROPAS PÁRA-QUEDISTAS RELAÇÃO DE PÁRA-QUEDISTAS MILITARES 38894 ANTÓNIO COLAÇO GABRIEL 1 38895 ANTÓNIO MANUEL DE MATOS GRILO 1 38896 JOSÉ MANUEL FONSECA MIGUENS 1 38897 AMIEL MILTON PINTO DE SOUSA 1 38898 JOSÉ MANUEL FERREIRA

Leia mais

Amarante, Conde de v. Teixeira, Francisco da Silveira Pinto da Fonseca

Amarante, Conde de v. Teixeira, Francisco da Silveira Pinto da Fonseca Índice Alfabético A A, Joana de Castro Lima Gonçalves Monte 20; Abreu, Ana Isabel de Sousa e 19; Almeida, José Vasquez de v. Almeida, José Osório de Almeida, José Vasquez Osório de 106; 107; 109; Almeida,

Leia mais

RESULTADO DE CANDIDATURAS AO CONCURSO Nº ED-3/2017

RESULTADO DE CANDIDATURAS AO CONCURSO Nº ED-3/2017 Prova de Direito 123611 Afonso Esteves da Silva Reis 163 16 - Matemática 125 147.8 Admitido -- Direito 122692 Afonso Oliveira Figueiredo Ferreira 157 18 - Português 116 140.6 Remetido para a 3ª Fase --

Leia mais

Cadernos Eleitorais. Eleições para os Órgãos Sociais da AAAFML

Cadernos Eleitorais. Eleições para os Órgãos Sociais da AAAFML 2 F Adolfo José Rommel Rangel 4 F Alberto Albino Granado Escalda 215 Alexandre Castro Caldas 7 F Álvaro José Alves Manito 201 Ana Cristina de Brito Almeida Sampaio Cruz 261 Ana Luísa Bettencourt Lucas

Leia mais

CADERNOS ELEITORAIS - ASSEMBLEIA DOCENTES

CADERNOS ELEITORAIS - ASSEMBLEIA DOCENTES CADERNOS ELEITORAIS - ASSEMBLEIA DOCENTES Nº pess. Nome completo Categoria profissional 13990 Adriano José Carvalho Rodrigues Professor Associado 12084 Américo Manuel Costa Figueiredo Professor Catedrático

Leia mais

Cidadãos Republicanos do Concelho de Santo Tirso

Cidadãos Republicanos do Concelho de Santo Tirso Cidadãos Republicanos do Concelho de Santo Tirso e respectivas profissões, inscritos em Novembro de 1910, conforme instruções do Partido Republicano Português As mulheres, por serem trabalhadores independentes,

Leia mais

Lista Graduada de candidatos à Contratação de Escola

Lista Graduada de candidatos à Contratação de Escola Lista Graduada de candidatos à Contratação de Escola Grupo de Recrutamento: 620 - Educação Física Ordenação Graduação Profissional Nº Candidato Nome 1 27,434 7243488056 Hugo Ramos de Mascarenhas 2 27,207

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Índice Eleição realizada em 25 de Abril de 1976 (13):... 4 Partido Socialista (6):... 4 Partido Popular Democrático (3):... 4 Partido do Centro Democrático Social (2):... 4 Partido Comunista Português

Leia mais

Lista de Medalhados 2011

Lista de Medalhados 2011 Pessoal Docente e Não Docente com 35 anos ANA BELA DE JESUS MARTINS ANA MARIA VIEIRA DA SILVA VIANA CAVALEIRO ANTÓNIO ESTÊVÃO DA NAIA FERREIRA ANTÓNIO MANUEL DE BRITO FERRARI ALMEIDA ANTÓNIO MORAIS CARLOS

Leia mais

1 37, Maria Fernanda da Silva Correia 19/11/ , Maria Luísa Gomes Correia 22/11/

1 37, Maria Fernanda da Silva Correia 19/11/ , Maria Luísa Gomes Correia 22/11/ Nome da Escola : Data final da candidatura : Agrupamento de Escolas Rodrigues de Freitas, Porto 2017-09-18 Grupo de Recrutamento: 510 - Física e Química Nº Escola : 152950 Nº Horário : 33 Nº Horas: 7 Ficheiro

Leia mais

Fernando Simão António Manuel Viena Vítor Manuel Duarte Alves Assis Hermenegildo Catarino oliveira António Lourenço João Manuel José Duarte Boto

Fernando Simão António Manuel Viena Vítor Manuel Duarte Alves Assis Hermenegildo Catarino oliveira António Lourenço João Manuel José Duarte Boto Fernando Simão António Manuel Viena Vítor Manuel Duarte Alves Assis Hermenegildo Catarino oliveira António Lourenço João Manuel José Duarte Boto Fernando Luís Viegas José Luís Martins Dias Rogério Nunes

Leia mais

aelousada.net página 1 de 1 RESULTADOS Escola: Escola Básica de Lousada Centro, Lousada Código: AMC Classificação Código PET do Aluno

aelousada.net página 1 de 1 RESULTADOS Escola: Escola Básica de Lousada Centro, Lousada Código: AMC Classificação Código PET do Aluno Escola: Escola Básica de Lousada Centro, Lousada Código: AMC do Aluno ANA ISABEL DA SILVA MAGALHÃES 24 Inferior a A2 ANABELA QUEIRÓS MENDES 26 Inferior a A2 ANDRÉ EMANUEL SANTOS BARBOSA 41 Inferior a A2

Leia mais

Ornishow International C.O.M. Do Douro 2016

Ornishow International C.O.M. Do Douro 2016 Ornishow International C.O.M. Do Douro 2016 Nº Expositor STAM Nome 1 747F LUIS MIGUEL CASTRO SOUSA 2 392D PAULO AMARAL ALEGRIA 3 380D AURELIO COSTA PEREIRA 4 083L ORLANDO MARINHO MARTINS FERREIRA 5 354J

Leia mais

Contratação de escola (Decreto-Lei n.º 132/2012, de 27 de junho) Lista Ordenada de Candidatos - Grupo de recrutamento 550 (Horário n.

Contratação de escola (Decreto-Lei n.º 132/2012, de 27 de junho) Lista Ordenada de Candidatos - Grupo de recrutamento 550 (Horário n. Contratação de escola 2012-2013 (Decreto-Lei n.º 132/2012, de 27 de junho) Lista Ordenada de Candidatos - Grupo de recrutamento 550 (Horário n.º 28) 1 Nuno Álvaro Baptista Filipe 2 Ricardo Jorge Teixeira

Leia mais

MEI 2011/12 EEng - UMinho nome ACS

MEI 2011/12 EEng - UMinho nome ACS ACS Bio CG Adão Carlos Fernandes Rodrigues Ana Isabel Sampaio André António dos Santos da Silva André Couto da Silva André Pimenta Ribeiro Andreia Patrícia Matias da Silva Bruno Miguel Almeida Santos Carlos

Leia mais

ESCOLA DE TROPAS PÁRA QUEDISTAS

ESCOLA DE TROPAS PÁRA QUEDISTAS RELAÇÃO DE PÁRA-QUEDISTAS MILITARES 28036 MÁRIO ANTÓNIO BARROCO PENICHE 1 28126 ANTÓNIO CARLOS COSTA DE CARVALHO BARROS 1 28165 JOÃO PAULO FARIA GOMES 1 28205 VÍTOR MANUEL CONCEIÇÃO SERRA 1 28217 MIGUEL

Leia mais

ESCOLA DE TROPAS PÁRA QUEDISTAS

ESCOLA DE TROPAS PÁRA QUEDISTAS RELAÇÃO DE PÁRA-QUEDISTAS MILITARES 2668 JOSÉ AGOSTINHO MELO FERREIRA PINTO 1 2669 JOSÉ HENRIQUE MELO DE CARVALHO 1 2670 CÉSAR DA SILVA ALEXANDRE 1 2671 MANUEL PARRACHO ALFREDO 1 2672 LUÍS MANUEL CARVALHO

Leia mais

III ORNISHOW Internacional do Douro - Gondomar

III ORNISHOW Internacional do Douro - Gondomar III ORNISHOW Internacional do Douro - Gondomar Nº Exp.: 1 Nome: LUIS MIGUEL CASTRO SOUSA Classificação Secção Classe 1º F1 462 1º F1 468 Nome: VITOR DANIEL BARBOSA COSTA 1º F1 174 2º F1 176 3º F1 182 Nome:

Leia mais

Agrupamento de Escolas n.º 1 de Gondomar

Agrupamento de Escolas n.º 1 de Gondomar 1 3416370473 Anabela Maria Ribeiro Cardoso 35,167 18,061 17,000 20,000 17,000 20,000 14,000 17,660 17,861 a) e) 2 7299241617 Maria da Graça dos Santos Azevedo 36,214 18,599 10,000 20,000 20,000 20,000

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Portela e Moscavide, Loures. Nº Candidato Nome. 3 27, Paulo Jorge Gonçalves Barbosa de Sousa

Agrupamento de Escolas de Portela e Moscavide, Loures. Nº Candidato Nome. 3 27, Paulo Jorge Gonçalves Barbosa de Sousa Nome da Escola : Data final da candidatura : Grupo de Recrutamento: Ficheiro gerado em : Agrupamento de Escolas de Portela e Moscavide, Loures 2017-10-02 Nº Escola : 171141 620 - Educação Física Nº Horário

Leia mais

CONCURSO DE DOCENTES

CONCURSO DE DOCENTES CONCURSO DE DOCENTES Grupo de Recrutamento 540 - Eletrotecnia ANO ESCOLAR DE 2018/2019 LISTA DEFINITIVA DE NÃO COLOCAÇÃO CONCURSO EXTERNO ORDINÁRIO 23-07-2018 Página 1 de 6 Grupo 109 1969986697 ANTÓNIO

Leia mais

PORTO. Via: Sala de Prova: Académica. 2 Abel Ricardo Sequeiros de Araújo de Almeida Carneiro. 7 Álana Alves Pereira Russo

PORTO. Via: Sala de Prova: Académica. 2 Abel Ricardo Sequeiros de Araújo de Almeida Carneiro. 7 Álana Alves Pereira Russo M1 2 Abel Ricardo Sequeiros de Araújo de Almeida Carneiro 7 Álana Alves Pereira Russo 13 Alfredo Hugo Pinheiro de Sousa Leite Ribeiro 16 Ana Aquilina Cunha Ribeiro 27 Ana Catarina Maia Pontes 34 Ana Cláudia

Leia mais

dia/mês Nº NOMES nº carta tipo de

dia/mês Nº NOMES nº carta tipo de Zona de Caça Municipal Encosta do Dão - processo n.º 5856 ICNF Lista de caçadores inscritos. Época Venatória 2017/2018 Rola-comum e pombo - processo de espera nº carta tipo de dia/mês Nº NOMES caçador

Leia mais

Relação de Alunos. Ano Letivo 2015 / Afonso Malheiro Ribeiro. 2 Ana Beatriz Lopes de Carvalho. 3 Bruno Filipe Silva Barbosa 2 Sim

Relação de Alunos. Ano Letivo 2015 / Afonso Malheiro Ribeiro. 2 Ana Beatriz Lopes de Carvalho. 3 Bruno Filipe Silva Barbosa 2 Sim 569 - Agrupamento de Escolas de Pedome 8965 - EB/JI de Bairro Turma : G 5 / 6 5 Afonso Malheiro Ribeiro -9-9 8 Ana Beatriz Lopes de Carvalho --9 99-5-7 Bruno Filipe Silva Barbosa Sim 59 Ema Neiva Dias

Leia mais

Tempo de Serviço antes da profissionaliz ação. Tempo de Serviço após Classificação da Profissional profissionali zação

Tempo de Serviço antes da profissionaliz ação. Tempo de Serviço após Classificação da Profissional profissionali zação Nome da Escola : Data final da candidatura : 2017-10-16 Agrupamento de Escolas Rodrigues de Freitas, Porto Nº Escola : 152950 Nº Horário : 50 Grupo de Recrutamento: 510 - Física e Química Nº Horas: 7 Ficheiro

Leia mais

COMPOSIÇÃO DOS ÓRGÃOS SOCIAIS DA FUNDAÇÃO MÁRIO SOARES

COMPOSIÇÃO DOS ÓRGÃOS SOCIAIS DA FUNDAÇÃO MÁRIO SOARES COMPOSIÇÃO DOS ÓRGÃOS SOCIAIS DA FUNDAÇÃO MÁRIO SOARES Conselho de Administração: Após o termo formal, em 31.12.2016, dos seus mandatos, os membros do Conselho de Administração designados para o quinquénio

Leia mais

ARBITRAGEM. C O M U N I C A D O O F I C I A L C O N S E L H O D E A R B I T R A G E M N º : d e 2 6. j u l h o

ARBITRAGEM. C O M U N I C A D O O F I C I A L C O N S E L H O D E A R B I T R A G E M N º : d e 2 6. j u l h o C O M U N I C A D O O F I C I A L C O N S E L H O D E A R B I T R A G E M N º : 0 0 1 d e 2 6. j u l h o. 2 0 1 8 P a r a c o n h e c i m e n t o d o s S ó c i o s O r d i n á r i o s e d e m a i s i n

Leia mais

ESCOLA DE TROPAS PÁRA-QUEDISTAS

ESCOLA DE TROPAS PÁRA-QUEDISTAS RELAÇÃO DE PÁRA-QUEDISTAS MILITARES 41310 RUI SOARES VAZ 1 41319 ASCENDINO SILVA BERNARDES 1 41320 PEDRO RICARDO LOPES CARDOSO 1 41321 PAULO FERNANDO DE CASTRO E SILVA 1 41322 RUI JORGE PIMENTEL NEVES

Leia mais

35.º Curso de Formação em Ética e Deontologia Profissional. 30 de Janeiro, 5 e 6 de Fevereiro de Ordem dos Engenheiros - Região Sul

35.º Curso de Formação em Ética e Deontologia Profissional. 30 de Janeiro, 5 e 6 de Fevereiro de Ordem dos Engenheiros - Região Sul Nome Ana Filipa Xavier Guimarães Santos Ana Luisa Soares Pereira Ana Rita Correia Mendes Lopes André Ricardo Caetano Guerreiro António Carlos Urbano Alves Ferrão António Maria Guerreiro Candeias Camacho

Leia mais

CAÇADORES CONTEMPLADOS - 1 CAÇADORES NÃO COMTEMPLADOS

CAÇADORES CONTEMPLADOS - 1 CAÇADORES NÃO COMTEMPLADOS Lista caçadores época venatória 2017/2018- TORDO E ESTORNINHO M.; após sorteio em 26 de DEZEMBRO 2016 CAÇADORES CONTEMPLADOS - 1 CAÇADORES NÃO COMTEMPLADOS - 0 Candidatos época venatória 2017/2018- tordos

Leia mais

LISTAS ANO LECTIVO 09/10 CRECHE - BERÇÁRIO

LISTAS ANO LECTIVO 09/10 CRECHE - BERÇÁRIO CRECHE - BERÇÁRIO AFONSO MIGUEL MOTA BESSA ANA BEATRIZ DA COSTA RIBEIRO BRUNO FILIPE ERNANDES JACINTO CAROLINA BEATRIZ VAZ OLIVEIRA FRANCISCO DIAS ALVES FRANCISCO S. ABREU FERNANDES GONÇALO DINIS AZEVEDO

Leia mais

Data final da candidatura : Ficheiro gerado em : 05/03/ :03:05. Graduação Profissional. Nº Candidato. Ordenação

Data final da candidatura : Ficheiro gerado em : 05/03/ :03:05. Graduação Profissional. Nº Candidato. Ordenação Nome da Escola : Escola Secundária Viriato, Abrave Data final da candidatura : 2014-03-03 Grupo de Recrutamento: 410 - Filosofia Ficheiro gerado em : 05/03/2014 10:03:05 Ordenação Graduação Profissional

Leia mais

Equipas Projeto FEUP 15/16 MIEEC

Equipas Projeto FEUP 15/16 MIEEC Equipas Projeto FEUP 15/16 MIEEC Turma 1MIEEC01 201305683 Ana Filipa Sousa Barros 1MIEEC01_4 201504274 Ana Luísa Cardoso Macedo 1MIEEC01_1 201506789 Ana Sofia Gomes Alves 1MIEEC01_2 201505595 António José

Leia mais

Agrupamento Gonçalo Mendes da Maia

Agrupamento Gonçalo Mendes da Maia -1A Básica de Cidade Jardim, Vermoim, Maia 1 Ana Domingues Silva 6 05-05-2009 1 1 X 19754 2 Ana Rita O. S. Pitrez 6 02-06-2009 1 1 X 19784 3 David Gomes F. B. Proença 6 01-04-2009 1 1 X 19731 4 Filipa

Leia mais

Ministério da Educação e Ciência

Ministério da Educação e Ciência Data realização: segunda, 18 de junho às 14:00 h Sala: 4 14348127 ADRIANA ISABEL PEREIRA RIBEIRO 1 14581488 ADRIANA RAQUEL BARBOSA SOUSA 2 14172404 ADRIANA SILVA DE CARVALHO 3 14557115 ALDA DANIELA SILVA

Leia mais

Carlos Alberto Bráz Simões 0 S C.D.C.L. Leiria Luis Paulo Ribeiro de Castro 0 S C.C. Matosinhos

Carlos Alberto Bráz Simões 0 S C.D.C.L. Leiria Luis Paulo Ribeiro de Castro 0 S C.C. Matosinhos GERAL 1 75 00988 Joaquim Filipe Rosa Luis 6 S C.E.T Casal Alentejano 24 25 24 23 96 2 65 01394 António Paulo Moreira Azevedo 2 S C.C. Matosinhos 24 23 23 23 93 3 21 01244 João Carlos Martins Quintas 3

Leia mais

Listagem de alunos 9º1. Ano/Turma: Ano letivo 2017/2018 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CAMILO CASTELO BRANCO

Listagem de alunos 9º1. Ano/Turma: Ano letivo 2017/2018 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CAMILO CASTELO BRANCO 9º1 31764 1 Adriana Rego Andrade 14 Francês CCM 31754 2 Ana Carolina da Costa Alves 14 EMRC Francês CCM 31703 3 Ana Catarina Abreu Gonçalves 13 Francês CCM 31790 4 Ana Francisca Gomes Miranda 14 Francês

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Pinhel Quadro de Mérito

Agrupamento de Escolas de Pinhel Quadro de Mérito É 1º PERÍODO Quadro de Mérito 1º Período A B C D E F G H I J L M N O P Alunos i - 1º CEB 11 João Duarte Dias Sebastião 14 Leonor Sofia Tenreiro Vilar Monteiro Morgado 17 Marta Gonçalves Gomes 5 Duarte

Leia mais

GENEALOGIA MINEIRA Fontes Primárias - documentos civis

GENEALOGIA MINEIRA Fontes Primárias - documentos civis 1 108 2231 1782 Lauriana de Souza José Leite Toscano 2 26 649 1838 Lauriana Pereira Manuel Alves de Almeida 1 139 2906 1879 Lauriano de Souza Ferreira Fortunato de Souza Ferreira 2 129 2605 1852 Leandra

Leia mais

28/08/ ,000 16/05/ /02/ ,000 30/05/ /11/ ,000 21/05/2003

28/08/ ,000 16/05/ /02/ ,000 30/05/ /11/ ,000 21/05/2003 Ordenação Graduação 1 25,101 5261738245 Nº Candidato Nome Maria da Graça Fernandes Cardoso Data de Nascimento Tempo de Serviço antes da profissionalização Tempo de Serviço após da profissionalização Classificação

Leia mais

20,099. Agrupamento de Escolas de Monção. Nome da Escola : Nº Escola : Data final da candidatura :

20,099. Agrupamento de Escolas de Monção. Nome da Escola : Nº Escola : Data final da candidatura : Nome da Escola : Agrupamento de Escolas de Monção Nº Escola : 153023 Data final da candidatura : 23-02-2016 Grupo de Recrutamento: 110-1º Ciclo do Ensino Básico Ficheiro gerado em : 24/02/2016 08:02:59

Leia mais

ESCOLA DE TROPAS PÁRA QUEDISTAS

ESCOLA DE TROPAS PÁRA QUEDISTAS RELAÇÃO DE PÁRA-QUEDISTAS MILITARES 29756 MÁRIO FERNANDO MARTINS BAPTISTA CAMPOS 1 29759 NUNO MIGUEL DOS SANTOS VELOSO 1 29766 PAULO JORGE RIBEIRO NOGUEIRA 1 29812 VÍTOR MANUEL MARTINS DE SOUSA 1 29921

Leia mais

Concurso em oferta de escola - Grupo 420 (Geografia)

Concurso em oferta de escola - Grupo 420 (Geografia) Concurso em oferta de escola - Grupo 420 (Geografia) Lista ordenada pela graduação profissional Ordenação Graduação Profissional Nome 1 22,868 Joana de Sousa Cunha Fonseca 2 22,844 Helena Patrícia Lopes

Leia mais

EDITAL n.º 206 LISTAS DEFINITIVAMENTE ADMITIDAS ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE COSTA DA CAPARICA

EDITAL n.º 206 LISTAS DEFINITIVAMENTE ADMITIDAS ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE COSTA DA CAPARICA Pág. 1/7 EDITAL n.º 206 LISTAS DEFINITIVAMENTE ADMITIDAS ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE COSTA DA CAPARICA Maria Emília de Sousa, Presidente da faz público, nos termos do artigo 35.º da Lei Eleitoral dos Titulares

Leia mais

Campeões Karting

Campeões Karting Campeões Karting 1967-2015 CLASSE I CLASSE III 1967 Manuel Carlos da Maia João José Correia Filipe CLASSE I CLASSE II 1968 Victor José de Azevedo Névoa Amândio Afonso Marques CLASSE I CLASSE II 1969 Casteliano

Leia mais

1 26, Carmen Maria Lopes Caeiro ,000 31/05/ , Sandrina Crespo Gomes ,000 28/05/2001

1 26, Carmen Maria Lopes Caeiro ,000 31/05/ , Sandrina Crespo Gomes ,000 28/05/2001 Nome da Escola : Agrupamento Vertical de Portel Lista de Candidatos oferta de escola - grupo 420 Nº Escola : 130140 Nº Horário : 3 Ficheiro gerado em : 20/09/2012 16:09:45 Data final da candidatura : 2012-09-19

Leia mais

Sócios Honorários ENTIDADES INDIVIDUALIDADES CHIPIDEA MICROELECTRÓNICA, SA (2007) IVAN GASPAROVIC (2005) Presidente da República da Eslováquia

Sócios Honorários ENTIDADES INDIVIDUALIDADES CHIPIDEA MICROELECTRÓNICA, SA (2007) IVAN GASPAROVIC (2005) Presidente da República da Eslováquia Sócios Honorários ENTIDADES CHIPIDEA MICROELECTRÓNICA, SA (2007) INDIVIDUALIDADES D. EURICO DIAS NOGUEIRA (2011) Arcebispo Emérito de Braga JOSÉ VEIGA SIMÃO (2011) Professor Catedrático Jubilado da Universidade

Leia mais

Tutorias da FDUL Mapa de Seleção de Tutores Ano Letivo 2018/ º Semestre. 1.º Ano

Tutorias da FDUL Mapa de Seleção de Tutores Ano Letivo 2018/ º Semestre. 1.º Ano Tutorias da FDUL Mapa de Seleção de Tutores Ano Letivo 2018/2019 2.º Semestre 1.º Ano José Mariana Pedrosa Costa Alberto Vieira) Marques da Fonseca Teoria Geral do Civil II Economia II Constitucional II

Leia mais

Quadro de Excelência 2015/ º Ano 2015/2016

Quadro de Excelência 2015/ º Ano 2015/2016 Quadro de Excelência 2015/2016 7.º Ano 2015/2016 Estrela Soutinho Verde Domingues Esteves 5 Francisca Nunes Bento Faria Leonor 5 Joana Varandas da Costa Azevedo da Ponte 5 Elisabete Filipa Areias Marques

Leia mais

1 38,942 Ana Paula Lemos Machado Correia. 2 36,014 Maria da Graça dos Santos Azevedo. 4 34,340 Maria Jacinta Estrela Pina Gomes

1 38,942 Ana Paula Lemos Machado Correia. 2 36,014 Maria da Graça dos Santos Azevedo. 4 34,340 Maria Jacinta Estrela Pina Gomes CONTRATAÇÃO DE ESCOLA 2015/2016 Grupo de recrutamento Horário n.º: 47 100-Pré Escolar N.º de horas: 25 Ordenação Graduação Profissional Nome 1 38,942 Ana Paula Lemos Machado Correia 2 36,014 Maria da Graça

Leia mais

Anexo I. Lista de Candidatos Admitidos

Anexo I. Lista de Candidatos Admitidos Anexo I Lista de Candidatos Admitidos N.º de ordem Nome 1 Alexandre Manuel Martins Portugal dos Santos Oliveira 2 Ana Carolina Sousa Ferreira 3 Ana Cristina Pires Raposo 4 Ana Guadalupe Pais Martins 5

Leia mais

Exames Práticos Medicina 4º Ano Turmas 5, 6, 7 e 8

Exames Práticos Medicina 4º Ano Turmas 5, 6, 7 e 8 SEGUNDA FEIRA, 11 DE NOVEMBRO: Prof. Doutor Manuel Sobrinho Simões e Dra. Ana Varela Dia 11 de novembro 9 horas Serviço de Hematologia (Piso 9) 1. João Manuel Teixeira de Oliveira 2. João Paulo Araújo

Leia mais

Nome Lugar Intrumento Escalão José Joaquim Ribeiro Almeida 3º Bombardino Infantil João Pedro Cunha Pereira 1º Bombardino Infantil Luis Carlos Pinto

Nome Lugar Intrumento Escalão José Joaquim Ribeiro Almeida 3º Bombardino Infantil João Pedro Cunha Pereira 1º Bombardino Infantil Luis Carlos Pinto Nome Lugar Intrumento Escalão José Joaquim Ribeiro Almeida 3º Bombardino Infantil João Pedro Cunha Pereira 1º Bombardino Infantil Luis Carlos Pinto Freitas 2º Tuba Infantil Cristophe Teixeira Antunes Menção

Leia mais

Tutorias da FDUL Mapa de Seleção de Tutores Ano Letivo 2018/ º Semestre. 1.º Ano

Tutorias da FDUL Mapa de Seleção de Tutores Ano Letivo 2018/ º Semestre. 1.º Ano Tutorias da FDUL Mapa de Seleção de Tutores Ano Letivo 2018/2019 2.º Semestre 1.º Ano Disciplina Turma (Regência) Tutores Selecionados José Mariana Pedrosa Costa Alberto Vieira) Marques da Fonseca Daniel

Leia mais

Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores DIVISÃO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS

Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores DIVISÃO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS 1 512018227 João José Gonçalves da Cunha 123714036 1 512018227 Francisco José Vieira 191189790 2 512057133 Manuel Hermínio Soares Silveira Machado 178151491 2 512057133 José Vítor Martins Toste 192649485

Leia mais

ESCOLA DE TROPAS PÁRA-QUEDISTAS

ESCOLA DE TROPAS PÁRA-QUEDISTAS RELAÇÃO DE PÁRA-QUEDISTAS MILITARES 33407 RUI CARLOS PEREIRA CAMPOS 1 33773 NUNO FÁTIMA DA CUNHA 1 33838 JOSÉ CORREIA DE BRITO 1 33839 JORGE HERMÍNIO MADEIRA PEREIRA 1 33840 MÁRIO RUI FERREIRA SEGURO 1

Leia mais

LISTA DE MEDALHADOS 2012

LISTA DE MEDALHADOS 2012 Pessoal Docente e Não Docente com 35 Anos ANA MARIA DA ROCHA SILVA ANTÓNIO FERREIRA PEREIRA DE MELO CASIMIRO ADRIÃO PIO DINIS GOMES DE MAGALHÃES DOS SANTOS JOAQUIM MANUEL VIEIRA MARIA DE LURDES DE SOUSA

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE SEOMARA DA COSTA PRIMO Nº de Código Telefone: Fax: Rua Elias Garcia, Amadora

ESCOLA SECUNDÁRIA DE SEOMARA DA COSTA PRIMO Nº de Código Telefone: Fax: Rua Elias Garcia, Amadora ESCOLA SECUNDÁRIA DE SEOMARA DA COSTA PRIMO Nº de Código 402 760 - Telefone: 21 498 59 90 - Fax: 21 498 59 99 Rua Elias Garcia, 329-2700-323 Amadora Contratação de Escola Técnicos Especializados Horário

Leia mais

2.ª Companhia do Batalhão de Artilharia 6223/73

2.ª Companhia do Batalhão de Artilharia 6223/73 2.ª Companhia do Batalhão de Artilharia 6223/73 Oficiais Capitão Miliciano Manuel Cavaleiro Baptista Alferes Milicianos Joaquim de Amaral José António Ramos F. Antunes Victor Edmundo Proenço da Silva Sargentos

Leia mais

Quadros de Honra e de Mérito

Quadros de Honra e de Mérito Quadros de Honra e de Mérito Escola Básica de São Pedro da Cova (ATUALIZADO NO DIA 17/10/2017) 5.º ANO BERNARDO FILIPE R. AMARO BRUNO DANIEL O. OLIVEIRA CAROLINA FERREIRA MARINHO INÊS FILIPA N. LASCASAS

Leia mais

QUADRODEMÉRITO 2º PERÍODO

QUADRODEMÉRITO 2º PERÍODO QUADRODEMÉRITO 2º PERÍODO Quadro de Mérito 2º Período A B C D E F G H I J L M N O P Alunos 1-1º CEB 3 António Pedro Pires Bernardo 14 Leonor Sofia T. Vilar Loureiro Morgado 17 Marta Gonçalves Gomes 1 Adriana

Leia mais

4. CONSTITUIÇÃO DAS VEREAÇÕES DA CÂMARA MUNICIPAL DE COIMBRA

4. CONSTITUIÇÃO DAS VEREAÇÕES DA CÂMARA MUNICIPAL DE COIMBRA 4. CONSTITUIÇÃO DAS VEREAÇÕES DA CÂMARA MUNICIPAL DE COIMBRA 1974-2013 1 DURAÇÃO DOS MANDATOS COMPOSIÇÃO DA VEREAÇÃO CARGOS TIPO DE NOMEAÇÃO NOTAS 1974 02/05/1974 1 Rui Braga Carrington da Costa Octávio

Leia mais

Maria Helena Kol de Carvalho Santos Almeida de Melo Rodrigues Arnaldo Lobo Moreira Pego

Maria Helena Kol de Carvalho Santos Almeida de Melo Rodrigues Arnaldo Lobo Moreira Pego Para cumprimento do Art. 58.º, n.º 2, do Estatuto e dos Arts. 33.º, n.º 1, e 34.º do Regulamento de Eleições e Referendos, em face dos resultados apurados na Assembleia Eleitoral realizada na Região Sul,

Leia mais

14 21, Carla Alexandra Rodrigues Basto Cardoso de Ferreira Bastidas

14 21, Carla Alexandra Rodrigues Basto Cardoso de Ferreira Bastidas Nome da Escola : Agrupamento de Escolas Dr. António da Costa Contreiras, Armação de Pêra, Silves Nº Escola : 145269 Nº Horário : 79 Ficheiro gerado em : 01/04/2013 08:04:27 Data final da candidatura :

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. COSTA MATOS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. COSTA MATOS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. COSTA MATOS ESCOLA BÁSICA DR. COSTA MATOS Ano Letivo 2012/2013 ALUNOS COM MELHOR APROVEITAMENTO ESCOLAR 5º Ano Turma - 5º A 3 Catarina da Costa Carvalho 5 Diana Isabel Valente

Leia mais

Cédula Nome Profissional

Cédula Nome Profissional 28680L Alexandra de Lemos Mendes 201 39270P Amândio Novais 201 38513P Amável Pina Alves 201 39290P Ana Cristina Teixeira Lopes 201 39259P Ana Esteves Fernandes 201 39307P Ana Luísa A Gomes 201 39418P Ana

Leia mais

3 Horas BTT Gião. Lista de Inscritos - 3 Horas BTT Gião

3 Horas BTT Gião. Lista de Inscritos - 3 Horas BTT Gião Lista de Inscritos - 1 CASTRO GONÇALVES Ricardo Filipe MASTER MAS 2 PINTO FERREIRA Luis Miguel MASTER MAS 3 RODRIGUES TAIPA Armando Agostinho MASTER MAS 4 PEDROSA NUNES João Pedro MASTER MAS 5 SABINO SOARES

Leia mais

ESCOLA DE TROPAS PÁRA-QUEDISTAS

ESCOLA DE TROPAS PÁRA-QUEDISTAS RELAÇÃO DE PÁRA-QUEDISTAS MILITARES 40570 MARCO ANTÓNIO ANDRÉ HENRIQUES 1 40571 PEDRO MIGUEL PEREIRA MONTEIRO 1 40572 JOÃO PAULO DA SILVA LOPES 1 40573 ÓSCAR EDGAR DE ABREU CANIÇO 1 40574 HUGO SIMÕES MORGADO

Leia mais

Agrupamento de Escolas Martim de Freitas Escola Básica 2,3 Martim de Freitas Relação de Alunos

Agrupamento de Escolas Martim de Freitas Escola Básica 2,3 Martim de Freitas Relação de Alunos Turma : A 16613 1 Afonso Almeida Silva 16641 2 Alexandre Silva Van Velze 15916 3 Ana Carolina Lemos Costa Peixoto 14 S 16644 4 Ana Catarina Silva Teixeira 18156 5 Ana Margarida Baptista Valente Mexia Leitão

Leia mais

Mónica Alexandra Lourenço Mota 16,997 1º. Maria Arminda Araújo Cardoso Oliveira 16,790 2º. Isabel Cristina Gala Ribeiro Moitalta 16,641 3º 16,405 4º

Mónica Alexandra Lourenço Mota 16,997 1º. Maria Arminda Araújo Cardoso Oliveira 16,790 2º. Isabel Cristina Gala Ribeiro Moitalta 16,641 3º 16,405 4º Lista de ordenação e seleção para o grupo 100 Candidatos Pontuação Ordenação Final Mónica Alexandra Lourenço Mota 16,997 1º Maria Arminda Araújo Cardoso Oliveira 16,790 2º Isabel Cristina Gala Ribeiro

Leia mais

Porto Joaquim Bruno de Sousa Padilha F-C 3386/18-F-C 29/01/ /01/2021 FLU 3042

Porto Joaquim Bruno de Sousa Padilha F-C 3386/18-F-C 29/01/ /01/2021 FLU 3042 N.º Porto Joaquim Bruno de Sousa Padilha F-C 3386/18-F-C 29/01/2018 29/01/2021 FLU 3042 Lisboa Luís Manuel de Jesus Alves F-C 3387/18-F-C 29/01/2018 29/01/2021 FLU 1315 Lisboa Manuel Fernando Vitório Dias

Leia mais

Universidade Católica Portuguesa

Universidade Católica Portuguesa Universidade Católica Portuguesa Ano Lectivo 2008/09 Faculdade I.C.S. Fase 1ª fase Tipo de Curso Licenciatura Tipo de Candidato Normal Resultado das Candidaturas por Faculdade Nº Documento Número Nome

Leia mais