BC Sistemas Operacionais

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BC 1518 - Sistemas Operacionais"

Transcrição

1 BC Sistemas Operacionais Sistema de Arquivos (aula 10 - Parte1) Prof. Marcelo Z. do Nascimento Prof. Marcelo Z. do Nascimento 1

2 Introdução Arquivos Atributos de Arquivos Roteiro Extensão de Arquivos Operações de Arquivos Diretórios Gerência de Alocação de Espaço em Disco Leituras Sugeridas Exercícios 2

3 Introdução Um processo pode armazenar uma quantidade limitada de informações dentro de seu próprio espaço de endereçamento; Tem capacidade restrita ao tamanho do espaço de endereçamento virtual; Quando o processo termina, a informação é perdida? Quando múltiplos processos precisam acessar à informação? O SO abstrai do conceito de processador para criar a abstração de um processo e abstrai o conceito de memória física para oferecer ao processo o espaço de endereçamento (virtual). 3

4 Introdução Um processo deve ser capaz de ler e gravar grande volume de dados em dispositivos como fitas e discos de forma permanente; A maneira pela qual o sistema operacional estrutura e organiza estas informações é através da implementação de arquivos; Arquivo é uma coleção de informações correlatas (registros) que recebe um nome e é gravado no armazenamento secundário: Criada pelo processo; Espaço de endereçamento =>usado para modelar o disco. 4

5 Introdução Os processos podem ler arquivos existentes e criar novos; A informação contida no arquivo deve ser persistente, ou seja, não pode ser afetada pela criação e pelo termino de um processo; Poderá desaparecer se o proprietário removê-lo. De modo geral, a parte do SO que trata dos arquivos é conhecida como sistema de arquivos. 5

6 Arquivos Quando um processo cria um arquivo => recebe um nome, quando termina, o arquivo continua existindo e outros processos podem ter acesso a ele simplesmente pelo nome; As informações contidas em um arquivo são definidas pelo seu criador; Exemplo: arquivo de texto é uma seqüência de caracteres ASCII organizados em linhas. O SO administra de maneira a facilitar ao acesso ao seu conteúdo; Informações sobre arquivos são guardadas em uma estrutura de diretório, a qual é mantida em disco rígido. 6

7 Nomeação de arquivos Arquivos é um mecanismo de abstração: Arquivos Isola o usuário dos detalhes sobre como e onde a informação está armazenada e como os discos funcionam. Quando arquivos são criados, nomes são atribuídos a eles e são referenciados por meio de seus nomes; Muitos sistemas de arquivos permitem nomes com tamanhos de até 255 caracteres. Letras, números e alguns caracteres especiais podem compor nomes dos arquivos: Exemplo: A-Z, a-z, 0-9, %,!, ) e &. 7

8 Exemplos Tipos de Arquivos 8 Sistemas Operacionais

9 Atributos de Arquivo Nome única informação armazenada no formato legível para o ser humano Identificador um número identifica o arquivo dentro do sistema de arquivos Tipo necessário para sistemas que admitem diferentes tipos de arquivos Localização ponteiro para localização do arquivo dentro do dispositivo Tamanho tamanho do arquivo Proteção controla quem pode ler, escrever e executar Data, hora, e identificação do usuário dados úteis para proteção, segurança e último acesso 9

10 Arquivo - Extensão Alguns sistemas, as extensões de arquivos constituem apenas convenções e não são impostas pelo SO; Sistemas Unix: Exemplo: aula1.txt pode ser algum tipo de arquivo texto, mas o nome serve mais para lembrar o proprietário, não oferece qualquer informação real para proprietário; Mas os compiladores podem exigir que arquivos tenha uma extensão; Exemplo: aula1.c O Windows atribui significados a cada extensão: Exemplo: aula1.doc irá inicializar o Microsoft Word. 10

11 Arquivo - Extensão Alguns sistemas suportam uma extensão relacionada ao arquivo: MS-DOS: 1-3 caracteres (Ex.: exemplo.txt); suporta apenas uma extensão; UNIX: extensão pode conter mais de 3 caracteres; UNIX suporta mais de uma extensão: Ex.: exemplo.c.z (arquivo com compressão); UNIX também permite que arquivos sejam criados sem extensão. 11

12 Extensão de arquivos - Exemplos Extensão Significado File.bak Arquivo de backup Arquivos File.gif File.hlp File.mp3 File.pdf File.txt Formato de imagens gráficas (Graphical Interchange Format) Arquivo de ajuda Arquivo de áudio padrão MPEG (Moving Picture Expert Group padrão de compressão de vídeo digital e áudio) Arquivo Portable Document Format Arquivo texto 12

13 Arquivos - Classificação Usuário: Alto nível Interface como os arquivos aparecem? Como arquivos são nomeados e protegidos? Quais operações podem ser realizadas? S.O.: Baixo nível Como arquivos são armazenados fisicamente? Como arquivos são referenciados (links)? 13

14 Operações de Arquivos O sistema de arquivo disponibiliza um conjunto de rotinas que permite às aplicações realizarem operações de E/S; Aplicação O SO pode fornecer chamadas ao sistema para criar, ler, excluir, etc. Rotinas de E/ S Dispositivos Fonte: Machado, F. B; Maia, L. P. Arquitetura de Sistema Operacionais, 3º ed., LTC,

15 Criar: Operações sobre Arquivos Duas etapas são necessárias: espaço no sistema de arquivo e uma entrada para o novo arquivo precisa ser feita no diretório; Escrever: Fazer um system Call com o nome do arquivo e as informações a serem escritas; Ler: Um system call que especifica o nome do arquivo e onde na memória o próximo bloco do arquivo deve ser colocado. Reposicionar dentro de um arquivo: O diretório é pesquisado em busca de entrada correta, e o ponteiro da posição atual do arquivo é reposicionado para determinado valor 15

16 Apagar: Operações sobre Arquivos Procura-se o arquivo nomeado no diretório e libera o espaço do arquivo e apaga-se a entrada no diretório. Truncar: Se quiser apagar o conteúdo de um arquivo, mas manter seus atributos de forma que seu tamanho seja igual a zero e seu espaço seja liberado. 16

17 Abertura de Arquivos Um conjunto de informações (dados) são necessário para gerenciar um arquivo aberto; O SO mantém uma tabela de arquivos aberto; Várias informações estão associadas ao arquivo aberto: Ponteiro de Arquivo: ponteiro para localização da ultima leitura/escrita pelo processo que abriu o arquivo Contador de arquivo aberto: contador do número de vez que o arquivo foi aberto permite remover dados da tabela de arquivo aberto quando o último processo é fechado Localização em disco do arquivo: as informações para localizar o arquivo no disco são mantidas na memória Direito de acesso: permitir ou negar requisições de E/S subsequentes 17

18 Lock de arquivo Fornece funcionalidade semelhante aos locks de leitor/escritor de sincronização de processos; Lock compartilhado: semelhante a um lock de leitor, em que vários processos podem obter o lock ao mesmo tempo; Lock exclusivo: comporta-se semelhante como um lock de escritor, apenas um processo por vez. Também pode oferecer o mecanismo: obrigatória: quando um processo obtiver o arquivo impede que qualquer outro processo tenha acesso ao arquivo Ex. Windows consultivo:obtém o lock manualmente no momento em que for acessar o arquivo Ex. Unix 18

19 Organização de Arquivos Consiste em como os seus dados estão internamente armazenados; Arquivos podem ser estruturados de diferentes maneiras: a) Seqüência não estruturada de bytes Para o SO, os arquivos são apenas conjuntos de bytes; SO não se importa com o conteúdo do arquivo; Significado deve ser atribuído pelos programas em nível de usuário (aplicativos); Exemplo: UNIX e Windows; 19

20 Organização de Arquivos b) Árvores de registros (tamanho variado), cada qual com um campo chave em uma posição fixa: Visualizar um arquivo como um conjunto de registros; Exemplo: Banco de Dados Ana Cláudia Teresa Byte Beatriz Camila Daniele Patrícia Tina Vanessa Isabela Maria (a) Organização não-estruturada Registro (b) Organização Indexada Fonte: Machado, F. B; Maia, L. P. Arquitetura de Sistema Operacionais, 3º ed., LTC,

21 Arquivos regulares são aqueles que contêm informações dos usuários; Exemplo: UNIX e Windows; Tipos de arquivos Diretórios são arquivos responsáveis por manter a estrutura do Sistema de Arquivos; Arquivos especiais de caractere são aqueles relacionados com E/S e utilizados para modelar dispositivos seriais de E/S; Ex.: impressora, interface de rede, terminais; Diretório: /dev/lp; Arquivos especiais de bloco são aqueles utilizados para modelar discos; Diretório: /dev/hda1; 21

22 $ ls -l /home/davidson Exemplo: Linux $ -rwxr--r-- 1 davidson davidson :27 apt-list Dono: Definido como pelo usuário que criou o arquivo, Grupo: As permissões em nível de grupo, Outros: Simplesmente, todos os usuários que não são você mesmo nem pertencem ao seu grupo primário. Leitura (r), Escrita (w), Execução (x). 22

23 Estrutura de Diretório: Partições Deseja-se ter vários sistemas de arquivos em um disco, com um espaço de swap ou disco não formatado; O sistema de arquivos pode ser dividido em partições. Cada disco possui no mínimo uma partição, que é uma estrutura de baixo nível, em que arquivos e diretórios residem. Cada partição é tratada como um disco separado; As partes podem ser combinadas para formar estruturas maiores, conhecidas como volume ou disco virtual. 23

24 Tabela de conteúdo do volume: Cada partição possui informações sobre os arquivos armazenados nela. Estrutura de Diretório: Partições O diretório mantém informações sobre os arquivos da partição específica - como o nome, localização, tamanho e tipo. O diretório pode ser visto como uma tabela de símbolos que traduz o nome do arquivo em posição para o mesmo ser manipulado. 24

25 Estrutura de Diretório: Partições 25 Sistemas Operacionais

26 Tabela de partição MBR Estrutura de Diretório: Partições Disco Partições Boot Super bloco Gerenc. de Espaço livre I-nodes Diretório Raiz Arquivos Diretórios Contém parâmetros (tipo do SA, número de blocos) sobre o sistema de arquivos e é carregado na memória 26

27 O diretório pode ser visto como uma tabela de símbolos, que traduz nomes de arquivo nas entradas de diretório; As operações em um diretório: Estrutura de Diretório: Conceitos Procurar por um arquivo:procurar a entrada para um determinado arquivo Criar um arquivo: Excluir um arquivo: Listar um diretório: listar os arquivos Renomear um arquivo: Atravessar o sistema de arquivo: acessar cada diretório e cada arquivo dentro de uma estrutura de diretório. 27

28 Estrutura do Diretório Uma coleção de nodes contendo informações sobre todos os arquivos Directory Arquivos F 1 F 2 F 3 F 4 F n Ambos as estruturas de arquivos e diretórios resiem no disco 28

29 Exemplos de operações com diretório (UNIX): Create; Delete; Estrutura de Diretório: Conceitos Opendir; Closedir; Readdir; Rename; 29

30 Estrutura de diretórios de nível único Apenas um diretório contém todos os arquivos diretório raiz (root directory); Estrutura de Diretório: Conceitos Identificação Proteção Organização Localização Atributos Desvantagem: Sistemas com vários usuários podem criar arquivos como mesmo nome; Diretórios Arquivos Fonte: Machado, F. B; Maia, L. P. Arquitetura de Sistema Operacionais, 3º ed., LTC,

31 Estrutura de diretórios com dois níveis Cada usuário possui um diretório privado; Sem conflitos de nomes de arquivos; Estrutura de Diretório: Conceitos Usuário 1 Usuário 2 Arquivo 1 Arquivo 2 Arquivo 3 Usuário 3 Arquivo 1 Arquivo 1 Usuário n Arquivo 2 Arquivo 3 User File Directory (UFD) Arquivos Fonte: Machado, F. B; Maia, L. P. Arquitetura de Sistema Operacionais, 3º ed., LTC,

32 Estrutura de diretórios hierárquicos: Usuários podem criar diversos diretórios que agrupam arquivos; Estrutura de Diretório: Conceitos Diretório 1 Arquivo 1 Arquivo 2 Busca eficiente; Usuário 1 Diretório 2 Arquivo 1 Capacidade de agrupamento Usuário 2 Usuário 3 Arquivo 1 Arquivo 1 Diretório corrente (diretório de trabalho) cd /spell/mail/prog Usuário n Diretório Raiz Diretório 1 Arquivo 1 Arquivo 2 Arquivo 1 Arquivo 2 Fonte: Machado, F. B; Maia, L. P. Arquitetura de Sistema Operacionais, 3º ed., LTC,

33 Caminho de um arquivo O método requer técnicas pelas quais os arquivos são acessados; Estrutura de Diretório: Conceitos Disco C:/ Carlos Ivan Ivan Paulo Teste Pessoal Soma.exe Fonte: Machado, F. B; Maia, L. P. Arquitetura de Sistema Operacionais, 3º ed., LTC,

34 Dois diferentes maneiras: Caminho absoluto (absolute path name); Caminho relativo (relative path name); Diretórios Caminho absoluto: consiste de um caminho a partir do diretório raiz até o arquivo; É único; Exemplo: UNIX: /usr/ast/mailbox; Windows: \usr\ast\mailbox. 34

35 Diretórios Caminho relativo: utilizado em conjunto com o diretório corrente; Usuário estabelece um diretório como sendo o diretório corrente; nesse caso caminhos não iniciados no diretório raiz são tido como relativos ao diretório corrente; Exemplo: Absoluto: cp /usr/ast/mailbox /usr/ast/mailbox.bak Relativo: /usr/ast: cp mailbox mailbox.bak 35

36 Diretório em Grafo Acíclico Uma estrutura de árvore proíbe o compartilhamento de arquivos ou diretório; Com grafo acíclico é possível o compartilhamento de arquivos e subdiretórios, ou seja, o mesmo arquivo ou subdiretório pode estar em dois diretórios diferentes. 36

37 Diretório em Grafo Acíclico Compartilhamento pode ser implementado por: link: é criado um ponteiro, para outro arquivo ou subdiretório; duplicar informações: pode gerar inconsistências de informação; lista de referências ao arquivo: entradas no diretório ou links simbólicos Eliminação de um arquivo ou diretório: retirada dolink: não afeta o arquivo, arquivo ou diretório é eliminado se todos os links forem removidos; retirada da referência da lista de referências: arquivo só é eliminado quando a lista estiver vazia ->é preciso somente de um contador de referências, se contador = 0, arquivo pode ser eliminado. 37

38 Montagem SO => capacidade de montar vários sistemas de arquivos. Constrói tabelas de montagem que contêm informações sobre os nomes de caminhos do ponto de montagem e sobre os dispositivos que armazena cada sistema de arquivo. Montagem => combina vários sistemas de arquivo em um único espaço de nomes (conjunto de arquivos que pode ser identificado por um único sistema de arquivo). Exemplo: Windows montado em C: sistema arquivo seguinte D; Unix alguns sistemas de arquivos são montados em um dos diretórios localizados em /mnt/. 38

39 Montagem SO => verifica se o dispositivo contém um sistema de arquivo válido. O sistema de arquivo é montado no ponto de montagem especificado. SO pode proibir a montagem sobre diretórios que contém arquivos (a) Sistema Existente. (b) Partição não montada 39

40 Contra danos físicos (confiabilidade) acessos impróprios (proteção) Proteção Confiabilidade: cópia de arquivos com intervalos regulares Proteção resultado direto da habilidade de acessar arquivos Níveis de Proteção de Sistemas não permitem o acesso a outros usuários, não precisam de proteção (default) têm proteção completa, proibindo o acesso têm livre acesso sem nenhuma proteção 40

41 Lista de acesso pode ser muito grande dependendo da forma de implementação; Redução do tamanho da lista: Proteção operações de leitura, escrita e execução classificação dos usuários em grupos proprietário: usuário que criou o arquivo grupo: vários usuários que compartilham e necessitam de acesso similar ao arquivo universo: todos os outros usuários 41

42 Classificação: três campos para definir a proteção; Cada campo = coleção de bits que controlam o acesso, a cada bit está associado uma permissão; Exemplo: Unix três campos com três bits ( 0 = negado, 1 = permitido) r = acesso de leitura w = acesso de escrita x = acesso de execução Proteção 42

43 Windows XP Controle de Acesso 43 Sistemas Operacionais

44 Unix Exemplo de Acesso 44 Sistemas Operacionais

45 Alocação Contígua Gerência de Alocação de Espaço em Disco É armazenado cada arquivo como um bloco contíguo de dados no disco; Arquivo Bloco Extensão A. TXT 4 B. TXT 10 C. TXT Ex. Escrita em CD e DVD Fonte: Machado, F. B; Maia, L. P. Arquitetura de Sistema Operacionais, 3º ed., LTC,

46 Alocação Contígua Gerência de Alocação de Espaço em Disco Vantagem: desempenho é excelente porque o arquivo todo pode ser lido do disco numa única operação; Desvantagens: Não é viável a menos que o tamanho máximo do arquivo seja conhecido no momento que o arquivo é criado. Fragmentação externa. 46

47 Alocação Encadeada Gerência de Alocação de Espaço em Disco Organizado como um conjunto de blocos ligados logicamente no disco, independente de sua posição física. Usa um ponteiro no início do arquivo Fonte: TANENBAUM, A. Sistemas Operacionais Modernos. Rio de Janeiro: PHB, 2ª ed.,

48 Alocação Encadeada Gerência de Alocação de Espaço em Disco Vantagem: não há fragmentação externa já que todo bloco do disco pode ser usado; Desvantagem: Acesso aos arquivos é realizado seqüencialmente aos blocos dos arquivos. Isso exige muitas buscas e o acesso a disco deve acessar seqüencialmente cada setor do arquivo Fonte: TANENBAUM, A. Sistemas Operacionais Modernos. Rio de Janeiro: PHB, 2ª ed.,

49 Gerência de Alocação de Espaço em Disco Alocação Encadeada usando uma tabela na memória O ponteiro é colocado em uma tabela na memória ao invés de ser colocado no bloco (File Allocation Table); Ex. MS-DOS Fonte: TANENBAUM, A. Sistemas Operacionais Modernos. Rio de Janeiro: PHB, 2ª ed.,

50 Gerência de Alocação de Espaço em Disco Alocação Encadeada usando uma tabela na memória Vantagem: O encadeamento permanece na memória, assim pode ser seguido sem fazer qualquer referência ao disco; Desvantagem: Toda a tabela deve estar na memória Fonte: TANENBAUM, A. Sistemas Operacionais Modernos. Rio de Janeiro: PHB, 2ª ed.,

51 Alocação Indexada Gerência de Alocação de Espaço em Disco Cada arquivo tem seu próprio bloco de índice Bloco de índice Ex. Ext2fs e NTFS Fonte: Machado, F. B; Maia, L. P. Arquitetura de Sistema Operacionais, 3º ed., LTC,

52 Alocação Indexada Gerência de Alocação de Espaço em Disco Vantagem: O bloco de índice somente é carregado na memória quando o seu respectivo arquivo está aberto (em uso); Desvantagem: sofre desperdício de espaço, pois o ponteiro do bloco de índice é em geral maior do que o de alocação encadeada (parte do bloco). 52

53 Sistema de Arquivos Atributos de Arquivos Extensão de Arquivos Diretórios: Partições Estrutura: Níveis Sumário Gerência de Alocação de Espaço em Disco: Alocação contígua Alocação encadeada Alocação indexada 53

54 Leituras Sugeridas Silberschatz, A., Galvin, P. B. Gagne, G. Sistemas Operacionais com Java. 7º edição. Editora Campus, TANENBAUM, A. Sistemas Operacionais Modernos. Rio de Janeiro: Pearson, 3 ed

55 Acesse o link abaixo: Notas de Aula Obrigado!!! 55

56 Exercícios 1.Quais as formas de alocação de espaços em discos? Liste e explique as características (vantagens e problemas) de cada técnica. 2.Explique o objetivo das operações open e close aplicadas em arquivos. 3.Quais as vantagens e desvantagens de usar locks obrigatório em vez de locks de consulta, cujo uso dita a critério do usuário? 56

Funções de um SO. Gerência de processos Gerência de memória Gerência de Arquivos Gerência de I/O Sistema de Proteção

Funções de um SO. Gerência de processos Gerência de memória Gerência de Arquivos Gerência de I/O Sistema de Proteção Sistemas de Arquivos Funções de um SO Gerência de processos Gerência de memória Gerência de Arquivos Gerência de I/O Sistema de Proteção 2 Sistemas Operacionais Necessidade de Armazenamento Grandes quantidades

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Gerência de Arquivos Edson Moreno edson.moreno@pucrs.br http://www.inf.pucrs.br/~emoreno Sumário Conceituação de arquivos Implementação do sistemas de arquivo Introdução Sistema de

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais SISTEMAS DE ARQUIVOS MACHADO/MAIA: CAPÍTULO 11 Prof. Pedro Luís Antonelli Anhanguera Educacional SISTEMAS DE ARQUIVOS - INTRODUÇÃO O armazenamento e a recuperação de informações é

Leia mais

Sistemas Operacionais 3º bimestre. Dierone C.Foltran Jr. dcfoltran@yahoo.com

Sistemas Operacionais 3º bimestre. Dierone C.Foltran Jr. dcfoltran@yahoo.com Sistemas Operacionais 3º bimestre Dierone C.Foltran Jr. dcfoltran@yahoo.com Sistema de Arquivos (1) Todas as aplicações precisam armazenar e recuperar informações. Considerações sobre os processos: Espaço

Leia mais

Sistemas de Informação. Sistemas Operacionais 4º Período

Sistemas de Informação. Sistemas Operacionais 4º Período Sistemas de Informação Sistemas Operacionais 4º Período SISTEMA DE ARQUIVOS SUMÁRIO 7. SISTEMA DE ARQUIVOS: 7.1 Introdução; 7.2 s; 7.3 Diretórios; 7.4 Gerência de Espaço Livre em Disco; 7.5 Gerência de

Leia mais

SOP - TADS Sistemas de Arquivos Cap 4 Tanenmbaum

SOP - TADS Sistemas de Arquivos Cap 4 Tanenmbaum SOP - TADS Sistemas de Arquivos Cap 4 Tanenmbaum Prof. Ricardo José Pfitscher dcc2rjp@joinville.udesc.br Material cedido por: Prof. Rafael Rodrigues Obelheiro Prof. Maurício Aronne Pillon Cronograma Introdução

Leia mais

UFRJ IM - DCC. Sistemas Operacionais I. Unidade IV Sistema de arquivos. Prof. Valeria M. Bastos Prof. Antonio Carlos Gay Thomé 13/06/2012 1

UFRJ IM - DCC. Sistemas Operacionais I. Unidade IV Sistema de arquivos. Prof. Valeria M. Bastos Prof. Antonio Carlos Gay Thomé 13/06/2012 1 UFRJ IM - DCC Sistemas Operacionais I Unidade IV Sistema de arquivos Prof. Valeria M. Bastos Prof. Antonio Carlos Gay Thomé 13/06/2012 1 ORGANIZAÇÃO DA UNIDADE Sistema de Arquivos Gerenciamento de E/S

Leia mais

Fundamentos de Sistemas Operacionais. Sistema de Arquivos. Prof. Edwar Saliba Júnior Março de 2007. Unidade 03-002 Sistemas de Arquivos

Fundamentos de Sistemas Operacionais. Sistema de Arquivos. Prof. Edwar Saliba Júnior Março de 2007. Unidade 03-002 Sistemas de Arquivos Sistema de Arquivos Prof. Edwar Saliba Júnior Março de 2007 1 Objetivos Facilitar o acesso dos usuários ao conteúdo dos arquivos; Prover uma forma uniforme de manipulação de arquivos, independente dos

Leia mais

BC 1518 - Sistemas Operacionais Sistema de Arquivos (aula 10 Parte 2) Prof. Marcelo Z. do Nascimento

BC 1518 - Sistemas Operacionais Sistema de Arquivos (aula 10 Parte 2) Prof. Marcelo Z. do Nascimento BC 1518 - Sistemas Operacionais Sistema de Arquivos (aula 10 Parte 2) Prof. Marcelo Z. do Nascimento 1 Gerência de espaço em disco Cópia de segurança do sistema de arquivo Roteiro Confiabilidade Desempenho

Leia mais

Sistema de Arquivos. Ambientes Operacionais. Prof. Simão Sirineo Toscani stoscani@inf.pucrs.br www.inf.pucrs.br/~stoscani

Sistema de Arquivos. Ambientes Operacionais. Prof. Simão Sirineo Toscani stoscani@inf.pucrs.br www.inf.pucrs.br/~stoscani Sistema de Arquivos Ambientes Operacionais Prof. Simão Sirineo Toscani stoscani@inf.pucrs.br www.inf.pucrs.br/~stoscani Gerência de Arquivos É um dos serviços mais visíveis do SO. Arquivos são normalmente

Leia mais

Sistemas de Arquivos. Sistemas Operacionais - Professor Machado

Sistemas de Arquivos. Sistemas Operacionais - Professor Machado Sistemas de Arquivos Sistemas Operacionais - Professor Machado 1 Armazenamento da Informação a Longo Prazo 1. Deve ser possível armazenar uma quantidade muito grande de informação 2. A informação deve

Leia mais

Estrutura Interna do KernelUNIX Sistema O. Estrutura Interna de Arquivos (1) Estrutura Seqüência. User application. Standard Unix libraries

Estrutura Interna do KernelUNIX Sistema O. Estrutura Interna de Arquivos (1) Estrutura Seqüência. User application. Standard Unix libraries Sistemas de Arquivos (Aula 23) Funções Profa. Gerência Sistema de um processos SO Patrícia D. CostaLPRM/DI/UFES de de de Proteção memória I/O Arquivos Necessidade 2 Sistemas Operacionais 2008/1 Grandes

Leia mais

Gerência do Sistema de Arquivos. Adão de Melo Neto

Gerência do Sistema de Arquivos. Adão de Melo Neto Gerência do Sistema de Arquivos Adão de Melo Neto 1 Gerência do Sistema de Arquivos Organização dos arquivos Estrutura de diretório Gerência de espaço livre Gerência de alocação de espaços em disco Proteção

Leia mais

Sistemas Operacionais: Sistema de Arquivos

Sistemas Operacionais: Sistema de Arquivos Sistemas Operacionais: Sistema de Arquivos Sistema de Arquivos Arquivos Espaço contíguo de armazenamento Armazenado em dispositivo secundário Estrutura Nenhuma: seqüência de bytes Registros, documentos,

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS ABERTOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

SISTEMAS OPERACIONAIS ABERTOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula 7-1. Sistema de Arquivos Sistema de arquivo nada mais é do que a maneira de como o sistema operacional organiza e administra os dados em um disco. Os arquivos são gerenciados pelo sistema operacional

Leia mais

Capítulo 6 Sistemas de Arquivos

Capítulo 6 Sistemas de Arquivos Capítulo 6 Sistemas de Arquivos 6.1 Arquivos 6.2 Diretórios 6.3 Implementação do sistema de arquivos 6.4 Exemplos de sistemas de arquivos 1 Armazenamento da Informação a Longo Prazo 1. Deve ser possível

Leia mais

Unix: Sistema de Arquivos. Geraldo Braz Junior

Unix: Sistema de Arquivos. Geraldo Braz Junior Unix: Sistema de Arquivos Geraldo Braz Junior 2 Arquivos Um arquivo é visto pelo SO apenas como uma seqüência de bytes: nenhuma distinção é feita entre arquivos ASCII, binários, etc.; Muitos programas

Leia mais

AULA 5 Sistemas Operacionais

AULA 5 Sistemas Operacionais AULA 5 Sistemas Operacionais Disciplina: Introdução à Informática Professora: Gustavo Leitão Email: gustavo.leitao@ifrn.edu.br Sistemas Operacionais Conteúdo: Partições Formatação Fragmentação Gerenciamento

Leia mais

Sistemas de Arquivos. Gerenciamento de Espaço em Disco

Sistemas de Arquivos. Gerenciamento de Espaço em Disco Sistemas de Arquivos Diretórios Gerenciamento de Espaço em Disco Implementação de Diretórios (1) Contém informações que permitem acessar os arquivos As entradas do diretório fornecem informações para encontrar

Leia mais

Sistemas Operacionais. Roteiro. Introdução. Marcos Laureano

Sistemas Operacionais. Roteiro. Introdução. Marcos Laureano Sistemas Operacionais Marcos Laureano 1/68 Roteiro Arquivos Organização de arquivos Diretórios Métodos de acesso Métodos de alocação em disco Fragmentação Tamanho de bloco Proteção de acesso 2/68 Introdução

Leia mais

Fundamentos de Sistemas Operacionais

Fundamentos de Sistemas Operacionais Fundamentos de Sistemas Operacionais Sistema de Arquivos - II Prof. Galvez Implementação de Arquivos Arquivos são implementados através da criação, para cada arquivo no sistema, de uma estrutura de dados

Leia mais

Capítulo 6. Gerenciamento de Arquivos. 6.1 Arquivos 6.2 Diretórios 6.3 Implementação (6.3.1 a 6.3.6) 6.4 Exemplos

Capítulo 6. Gerenciamento de Arquivos. 6.1 Arquivos 6.2 Diretórios 6.3 Implementação (6.3.1 a 6.3.6) 6.4 Exemplos Capítulo 6 Gerenciamento de Arquivos 6.1 Arquivos 6.2 Diretórios 6.3 Implementação (6.3.1 a 6.3.6) 6.4 Exemplos 1 Armazenamento de longo prazo 1. Deve guardar grandes volumes de dados. 2. Informação armazenada

Leia mais

Arquitetura de Sistemas Operacionais

Arquitetura de Sistemas Operacionais rquitetura de Sistemas Operacionais Francis Berenger Machado Luiz Paulo Maia Complementado por Sidney Lucena (Prof. UNIRIO) Capítulo 11 Sistema de rquivos 11/1 Organização de rquivos Um arquivo é constituído

Leia mais

Sistema de Arquivos FAT

Sistema de Arquivos FAT Sistemas Operacionais Sistema de Arquivos FAT Edeyson Andrade Gomes www.edeyson.com.br FAT A FAT é o sistema de arquivos usado pelo MS-DOS e outros sistemas operacionais baseados em Windows para organizar

Leia mais

GERENCIAMENTO DE DISPOSITIVOS

GERENCIAMENTO DE DISPOSITIVOS 2 SISTEMAS OPERACIONAIS: GERENCIAMENTO DE DISPOSITIVOS E ARQUIVOS Introdução à Microinformática Prof. João Paulo Lima Universidade Federal Rural de Pernambuco Departamento de Estatística e Informática

Leia mais

Capacidade = 512 x 300 x 20000 x 2 x 5 = 30.720.000.000 30,72 GB

Capacidade = 512 x 300 x 20000 x 2 x 5 = 30.720.000.000 30,72 GB Calculando a capacidade de disco: Capacidade = (# bytes/setor) x (méd. # setores/trilha) x (# trilhas/superfície) x (# superfícies/prato) x (# pratos/disco) Exemplo 01: 512 bytes/setor 300 setores/trilha

Leia mais

Prof. Marcos Ribeiro Quinet de Andrade Universidade Federal Fluminense - UFF Pólo Universitário de Rio das Ostras - PURO

Prof. Marcos Ribeiro Quinet de Andrade Universidade Federal Fluminense - UFF Pólo Universitário de Rio das Ostras - PURO Conceitos básicos e serviços do Sistema Operacional Prof. Marcos Ribeiro Quinet de Andrade Universidade Federal Fluminense - UFF Pólo Universitário de Rio das Ostras - PURO Tipos de serviço do S.O. O S.O.

Leia mais

Aula 01 Visão Geral do Linux

Aula 01 Visão Geral do Linux Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina Administração de Redes de Computadores Aula 01 Visão Geral do Linux Prof. Gustavo Medeiros de Araujo Profa.

Leia mais

Sistemas Operacionais Arquivos

Sistemas Operacionais Arquivos Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul UEMS Curso de Licenciatura em Computação Sistemas Operacionais Arquivos Prof. José Gonçalves Dias Neto profneto_ti@hotmail.com Introdução Os arquivos são gerenciados

Leia mais

AULA 4 Sistemas Operacionais

AULA 4 Sistemas Operacionais AULA 4 Sistemas Operacionais Disciplina: Introdução à Informática Professor: Gustavo Leitão Email: gustavo.leitao@ifrn.edu.br Sistemas Operacionais Conteúdo: Continuação S.O Funções Básicas Sistema de

Leia mais

Sistemas Operacionais. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Sistemas Operacionais. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Sistemas Operacionais Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Estruturas de Sistemas Operacionais Um sistema operacional fornece o ambiente no qual os programas são executados. Internamente,

Leia mais

Revisão Aula 3. 1. Explique a MBR(Master Boot Record)

Revisão Aula 3. 1. Explique a MBR(Master Boot Record) Revisão Aula 3 1. Explique a MBR(Master Boot Record) Revisão Aula 3 1. Explique a MBR(Master Boot Record). Master Boot Record Primeiro setor de um HD (disco rígido) Dividido em duas áreas: Boot loader

Leia mais

Sistema de Arquivos EXT3

Sistema de Arquivos EXT3 Sistema de Arquivos EXT3 Introdução Ext3 é uma nova versão do Ext2. Possui as mesmas estruturas do ext2, além de adicionar as propriedades do Journal. O uso do Ext3 melhora na recuperação do sistema(dados),

Leia mais

Sistemas de Arquivos. Arquivos e Diretórios Características e Implementação Tadeu Ferreira Oliveira - tadeu.ferreira@ifrn.edu.br

Sistemas de Arquivos. Arquivos e Diretórios Características e Implementação Tadeu Ferreira Oliveira - tadeu.ferreira@ifrn.edu.br Sistemas de Arquivos Arquivos e Diretórios Características e Implementação Tadeu Ferreira Oliveira - tadeu.ferreira@ifrn.edu.br Tadeu Ferreira IFRN 2016 Sistemas de Arquivos Objetivos Armazenar uma quantidade

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais FATEC-PB Professor: Gustavo Wagner gugawag@gmail.com 1 Capítulo 6 Sistemas de Arquivos 6.1 Arquivos 6.2 Diretórios 6.3 Implementação do sistema de arquivos 6.4 Exemplos de sistemas

Leia mais

Sistemas Operacionais. Andrique Amorim www.andrix.com.br professor@andrix.com.br. Gerência de Arquivos

Sistemas Operacionais. Andrique Amorim www.andrix.com.br professor@andrix.com.br. Gerência de Arquivos Andrique Amorim www.andrix.com.br professor@andrix.com.br Gerência de Arquivos Gerência de Arquivos Um sistema operacional tem por finalidade permitir que o usuários do computador executem aplicações,

Leia mais

Sistemas de Arquivos. Sistemas de arquivos: Mecanismos para armazenamento on-line e acesso de dados e programas.

Sistemas de Arquivos. Sistemas de arquivos: Mecanismos para armazenamento on-line e acesso de dados e programas. Sistemas de Arquivos Sistemas de arquivos: Mecanismos para armazenamento on-line e acesso de dados e programas. Sistemas de Arquivos Um sistema de arquivos implica: Conceituação de arquivos e diretórios

Leia mais

ROM-BIOS Inicialização Sistemas de Arquivos Formatação

ROM-BIOS Inicialização Sistemas de Arquivos Formatação ROM-BIOS Inicialização Sistemas de Arquivos Formatação 1 ROM-BIOS ROM-BIOS Basic Input/Output System (Sistema Básico de Entrada/Saída). O termo é incorretamente conhecido como: Basic Integrated Operating

Leia mais

Introdução à Computação: Sistemas de Computação

Introdução à Computação: Sistemas de Computação Introdução à Computação: Sistemas de Computação Beatriz F. M. Souza (bfmartins@inf.ufes.br) http://inf.ufes.br/~bfmartins/ Computer Science Department Federal University of Espírito Santo (Ufes), Vitória,

Leia mais

Laboratório de Hardware

Laboratório de Hardware Laboratório de Hardware Prof. Marcel Santos Responsável por implementar em software um recurso que não existe no hardware. O hardware oferece simplesmente um grande conjunto de bytes contíguos, e a tarefa

Leia mais

A memória é um recurso fundamental e de extrema importância para a operação de qualquer Sistema Computacional; A memória trata-se de uma grande

A memória é um recurso fundamental e de extrema importância para a operação de qualquer Sistema Computacional; A memória trata-se de uma grande A memória é um recurso fundamental e de extrema importância para a operação de qualquer Sistema Computacional; A memória trata-se de uma grande região de armazenamento formada por bytes ou palavras, cada

Leia mais

Acadêmicos: Luís Fernando Martins Nagata Gustavo Rezende Vinícius Rezende Santos

Acadêmicos: Luís Fernando Martins Nagata Gustavo Rezende Vinícius Rezende Santos Acadêmicos: Luís Fernando Martins Nagata Gustavo Rezende Vinícius Rezende Santos Pilhas de Dispositivos Drivers no Windows Vista podem fazer todo trabalho sozinho; Uma requisição pode passar por uma seqüência

Leia mais

implementação Nuno Ferreira Neves Faculdade de Ciências de Universidade de Lisboa Fernando Ramos, Nuno Neves, Sistemas Operativos, 2014 2015

implementação Nuno Ferreira Neves Faculdade de Ciências de Universidade de Lisboa Fernando Ramos, Nuno Neves, Sistemas Operativos, 2014 2015 Sistemas de ficheiros: implementação Nuno Ferreira Neves Faculdade de Ciências de Universidade de Lisboa Objetivos da aula Descrever algunsdetalhes daimplementação deumsistema de ficheiros Discutir algoritmos

Leia mais

AULA 16 - Sistema de Arquivos

AULA 16 - Sistema de Arquivos AULA 16 - Sistema de Arquivos Arquivos podem ser vistos como recipientes que contêm dados ou como um grupo de registros correlatos. Os arquivos armazenam informações que serão utilizadas, em geral, por

Leia mais

Sistemas de Arquivos NTFS

Sistemas de Arquivos NTFS Sistemas de Arquivos NTFS Apresentação Desenvolvido pela Microsoft na década de 80 para o Windows NT Baseado no HPFS da IBM Versões NTFS 1.1(ou 4) NTFS NTFS 5 Sistema de Arquivos NTFS Unidade fundamental

Leia mais

Fundamentos de Arquivos e Armazenamento Secundário

Fundamentos de Arquivos e Armazenamento Secundário Fundamentos de Arquivos e Armazenamento Secundário Cristina D. A. Ciferri Thiago A. S. Pardo Leandro C. Cintra M.C.F. de Oliveira Moacir Ponti Jr. Armazenamento de Dados Armazenamento primário memória

Leia mais

Sistemas de Ficheiros. Ficheiros Diretórios Implementação de sistemas de ficheiros Exemplos de sistemas de ficheiros

Sistemas de Ficheiros. Ficheiros Diretórios Implementação de sistemas de ficheiros Exemplos de sistemas de ficheiros Sistemas de Ficheiros Ficheiros Diretórios Implementação de sistemas de ficheiros Exemplos de sistemas de ficheiros 1 Armazenamento de Informação de Longo Prazo 1. Deve armazenar grandes massas de dados

Leia mais

Figura 01 Kernel de um Sistema Operacional

Figura 01 Kernel de um Sistema Operacional 01 INTRODUÇÃO 1.5 ESTRUTURA DOS SISTEMAS OPERACIONAIS O Sistema Operacional é formado por um Conjunto de rotinas (denominado de núcleo do sistema ou kernel) que oferece serviços aos usuários e suas aplicações

Leia mais

Arquitetura de Computadores. Sistemas Operacionais IV

Arquitetura de Computadores. Sistemas Operacionais IV Arquitetura de Computadores Sistemas Operacionais IV Introdução Multiprogramação implica em manter-se vários processos na memória. Memória necessita ser alocada de forma eficiente para permitir o máximo

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS. Sistemas de Arquivos Apostila 09

SISTEMAS OPERACIONAIS. Sistemas de Arquivos Apostila 09 SISTEMAS OPERACIONAIS Sistemas de Arquivos Apostila 09 1.0 INTRODUÇÃO Sistema de Arquivos: conceito de arquivo, métodos de acesso, estrutura de diretório, estrutura do sistema de arquivos, métodos de alocação

Leia mais

LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS. PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO

LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS. PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO Sistema Operacional Conteúdo retirado do livro Sistemas Operacionais Marcos Aurélio Pchek Laureano Diogo Roberto Olsen

Leia mais

SISTEMA DE ARQUIVOS. Instrutor: Mawro Klinger

SISTEMA DE ARQUIVOS. Instrutor: Mawro Klinger SISTEMA DE ARQUIVOS Instrutor: Mawro Klinger Estrutura dos Discos As informações digitais, quer sejam programas ou dados do usuário, são gravadas em unidades de armazenamento. O HD é uma unidade de armazenamento

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS

SISTEMAS OPERACIONAIS SISTEMAS OPERACIONAIS Sistema de Arquivos Andreza Leite andreza.leite@univasf.edu.br Plano de Aula Arquivos Organização de arquivos Diretórios Métodos de acesso Métodos de alocação em disco Fragmentação

Leia mais

Sistemas de Ficheiros. 1. Ficheiros 2. Directórios 3. Implementação de sistemas de ficheiros 4. Exemplos de sistemas de ficheiros

Sistemas de Ficheiros. 1. Ficheiros 2. Directórios 3. Implementação de sistemas de ficheiros 4. Exemplos de sistemas de ficheiros Sistemas de Ficheiros 1. Ficheiros 2. Directórios 3. Implementação de sistemas de ficheiros 4. Exemplos de sistemas de ficheiros Organização de um Sistema Operativo System Call Handler File System 1...

Leia mais

Aula 3. Sistemas Operacionais. Prof: Carlos Eduardo de Carvalho Dantas (carloseduardoxpto@gmail.com) http://carloseduardoxp.wordpress.

Aula 3. Sistemas Operacionais. Prof: Carlos Eduardo de Carvalho Dantas (carloseduardoxpto@gmail.com) http://carloseduardoxp.wordpress. Sistemas Operacionais Aula 3 Prof: Carlos Eduardo de Carvalho Dantas (carloseduardoxpto@gmail.com) http://carloseduardoxp.wordpress.com Nunca cone em um computador que você não pode jogar pela janela.

Leia mais

IFPE. Disciplina: Sistemas Operacionais. Prof. Anderson Luiz Moreira

IFPE. Disciplina: Sistemas Operacionais. Prof. Anderson Luiz Moreira IFPE Disciplina: Sistemas Operacionais Prof. Anderson Luiz Moreira SERVIÇOS OFERECIDOS PELOS SOS 1 Introdução O SO é formado por um conjunto de rotinas (procedimentos) que oferecem serviços aos usuários

Leia mais

Sistema de Arquivos. Sistemas de Arquivos

Sistema de Arquivos. Sistemas de Arquivos Sistemas de Arquivos Definições Básicas 1.Um arquivo é uma unidade lógica de informação criado por processos. As informações podem representar instruções e dados de qualquer tipo [1]. Exemplo de arquivos.

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Aula 6 Estrutura de Sistemas Operacionais Prof.: Edilberto M. Silva http://www.edilms.eti.br Baseado no material disponibilizado por: SO - Prof. Edilberto Silva Prof. José Juan Espantoso

Leia mais

O WINDOWS 98 é um sistema operacional gráfico, multitarefa, produzido pela Microsoft.

O WINDOWS 98 é um sistema operacional gráfico, multitarefa, produzido pela Microsoft. WINDOWS O WINDOWS 98 é um sistema operacional gráfico, multitarefa, produzido pela Microsoft. Área de Trabalho Ligada a máquina e concluída a etapa de inicialização, aparecerá uma tela, cujo plano de fundo

Leia mais

Sistemas Operacionais Arquivos. Carlos Ferraz (cagf@cin.ufpe.br) Jorge Cavalcanti Fonsêca (jcbf@cin.ufpe.br)

Sistemas Operacionais Arquivos. Carlos Ferraz (cagf@cin.ufpe.br) Jorge Cavalcanti Fonsêca (jcbf@cin.ufpe.br) Sistemas Operacionais Arquivos Carlos Ferraz (cagf@cin.ufpe.br) Jorge Cavalcanti Fonsêca (jcbf@cin.ufpe.br) Copyright Carlos Ferraz Cin/UFPE Implementação do Sistema de Arquivos Sistemas de arquivos são

Leia mais

SISTEMAS DE ARQUIVOS Sistemas operacionais

SISTEMAS DE ARQUIVOS Sistemas operacionais Técnico em Informática SISTEMAS DE ARQUIVOS Sistemas operacionais Professor Airton Ribeiro de Sousa Sistemas operacionais Sistema de Arquivos pode ser definido como uma estrutura que indica como os dados

Leia mais

Campus - Cachoeiro Curso Técnico de Informática. Sistema de Arquivos. Prof. João Paulo de Brito Gonçalves

Campus - Cachoeiro Curso Técnico de Informática. Sistema de Arquivos. Prof. João Paulo de Brito Gonçalves Campus - Cachoeiro Curso Técnico de Informática Sistema de Arquivos Prof. João Paulo de Brito Gonçalves Introdução É com o sistema de arquivos que o usuário mais nota a presença do sistema operacional.

Leia mais

Armazenamento Secundário. SCE-183 Algoritmos e Estruturas de Dados II

Armazenamento Secundário. SCE-183 Algoritmos e Estruturas de Dados II Armazenamento Secundário SCE-183 Algoritmos e Estruturas de Dados II 1 Armazenamento secundário Primeiro tipo de armazenamento secundário: papel! Cartões perfurados HDs, CD-ROM, floppy disks, memórias

Leia mais

Visão Geral de Sistemas Operacionais

Visão Geral de Sistemas Operacionais Visão Geral de Sistemas Operacionais Sumário Um sistema operacional é um intermediário entre usuários e o hardware do computador. Desta forma, o usuário pode executar programas de forma conveniente e eficiente.

Leia mais

Entendendo as Permissões de Arquivos no GNU/Linux

Entendendo as Permissões de Arquivos no GNU/Linux Entendendo as Permissões de Arquivos no GNU/Linux Mario Luiz Bernardinelli (mariolb@gmail.com) 14 de Maio de 2009 Resumo Cada sistema operacional possui características próprias e o entendimento de seu

Leia mais

5.1 Sistemas de Arquivos

5.1 Sistemas de Arquivos Capítulo 5 Os Sistemas de Arquivos 5.1 Sistemas de Arquivos Neste capítulo nós iremos examinar, a partir da visão do usuário, as estruturas que possibilitam o armazenamento persistente de informações no

Leia mais

6 - Gerência de Dispositivos

6 - Gerência de Dispositivos 1 6 - Gerência de Dispositivos 6.1 Introdução A gerência de dispositivos de entrada/saída é uma das principais e mais complexas funções do sistema operacional. Sua implementação é estruturada através de

Leia mais

Periféricos e Interfaces Ano lectivo 2003/2004 Docente: Ana Paula Costa. Aula Teórica 11

Periféricos e Interfaces Ano lectivo 2003/2004 Docente: Ana Paula Costa. Aula Teórica 11 Sumário: O disco rígido e a disquete estrutura física. Como os dados são armazenados fisicamente. Como o MS-DOS organiza o disco. O registo de boot. Aula Teórica 11 Leitura Recomendada: Capítulos 28 e

Leia mais

4 Estrutura do Sistema Operacional. 4.1 - Kernel

4 Estrutura do Sistema Operacional. 4.1 - Kernel 1 4 Estrutura do Sistema Operacional 4.1 - Kernel O kernel é o núcleo do sistema operacional, sendo responsável direto por controlar tudo ao seu redor. Desde os dispositivos usuais, como unidades de disco,

Leia mais

Hardware (Nível 0) Organização. Interface de Máquina (IM) Interface Interna de Microprogramação (IIMP)

Hardware (Nível 0) Organização. Interface de Máquina (IM) Interface Interna de Microprogramação (IIMP) Hardware (Nível 0) Organização O AS/400 isola os usuários das características do hardware através de uma arquitetura de camadas. Vários modelos da família AS/400 de computadores de médio porte estão disponíveis,

Leia mais

Sistema de Arquivos. Ciclo 5 AT1. Prof. Hermes Senger / Hélio Crestana Guardia

Sistema de Arquivos. Ciclo 5 AT1. Prof. Hermes Senger / Hélio Crestana Guardia Sistema de Arquivos Ciclo 5 AT1 Prof. Hermes Senger / Hélio Crestana Guardia Referência: Deitel Cap. 13 Nota O presente material foi elaborado com base no material didático do livro Sistemas Operacionais,

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS

SISTEMAS OPERACIONAIS SISTEMAS OPERACIONAIS Tópico 4 Estrutura do Sistema Operacional Prof. Rafael Gross prof.rafaelgross@fatec.sp.gov.br FUNÇÕES DO NUCLEO As principais funções do núcleo encontradas na maioria dos sistemas

Leia mais

Notas da Aula 15 - Fundamentos de Sistemas Operacionais

Notas da Aula 15 - Fundamentos de Sistemas Operacionais Notas da Aula 15 - Fundamentos de Sistemas Operacionais 1. Software de Entrada e Saída: Visão Geral Uma das tarefas do Sistema Operacional é simplificar o acesso aos dispositivos de hardware pelos processos

Leia mais

Resumo. Prof. Alejandro - Introdução à Sistemas Operacionais Resumo Informativo, complemente o material assistindo as Aulas 19/08/2015 1

Resumo. Prof. Alejandro - Introdução à Sistemas Operacionais Resumo Informativo, complemente o material assistindo as Aulas 19/08/2015 1 Resumo 19/08/2015 1 1. Tipos de Software 2. Introdução aos Sistemas Operacionais 3. Os Arquivos 4. Funções do Sistema Operacional 5. Programas Utilitários do Sistema Operacional 6. Termos Básicos 7. Tipos

Leia mais

Prof. Bruno Calegaro

Prof. Bruno Calegaro Prof. Bruno Calegaro Fazendo o uso de chamadas de sistema, o usuário pode realizar operações de manipulação nos arquivos ou diretórios As operações de entrada e saída básicas são: create open read write

Leia mais

Permissões de compartilhamento e NTFS - Parte 1

Permissões de compartilhamento e NTFS - Parte 1 Permissões de compartilhamento e NTFS - Parte 1 Autor: Júlio Battisti - Site: www.juliobattisti.com.br Segurança, sem dúvidas, é um dos temas mais debatidos hoje, no mundo da informática. Nesse tutorial

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Aula 13 Gerência de Memória Prof.: Edilberto M. Silva http://www.edilms.eti.br Baseado no material disponibilizado por: SO - Prof. Edilberto Silva Prof. José Juan Espantoso Sumário

Leia mais

Sistemas de Arquivos. André Luiz da Costa Carvalho

Sistemas de Arquivos. André Luiz da Costa Carvalho Sistemas de Arquivos André Luiz da Costa Carvalho Sistemas de arquivos Sistema de arquivos é o nome que se dá a implementação da organização de dados em discos. Vai desde o acesso a baixo nível até a interface

Leia mais

03/11/2011. Apresentação. SA do Linux. Sistemas de Arquivos. Curso Tecnologia em Telemática. Disciplina Administração de Sistemas Linux

03/11/2011. Apresentação. SA do Linux. Sistemas de Arquivos. Curso Tecnologia em Telemática. Disciplina Administração de Sistemas Linux Apresentação Administração de Sistemas Curso Tecnologia em Telemática Disciplina Administração de Sistemas Linux Professor: Anderson Costa anderson@ifpb.edu.br Assunto da aula Aspectos do Sistema de Arquivos

Leia mais

Introdução aos Computadores

Introdução aos Computadores Os Computadores revolucionaram as formas de processamento de Informação pela sua capacidade de tratar grandes quantidades de dados em curto espaço de tempo. Nos anos 60-80 os computadores eram máquinas

Leia mais

Sistemas de Arquivos

Sistemas de Arquivos Sistemas Operacionais II Prof. Fernando Freitas Sistemas de Arquivos 6.1 Arquivos 6.2 Diretórios 6.3 Implementação do sistema de arquivos 6.4 Exemplos de sistemas de arquivos Material adaptado de: TANENBAUM,

Leia mais

Fundamentos de Sistemas Operacionais. GNU / Linux. Prof. Edwar Saliba Júnior Março de 2009. Unidade 04-002 GNU / Linux

Fundamentos de Sistemas Operacionais. GNU / Linux. Prof. Edwar Saliba Júnior Março de 2009. Unidade 04-002 GNU / Linux GNU / Linux Prof. Edwar Saliba Júnior Março de 2009 Conceitos Básico O S.O. é case sensitive, ou seja, sensível à caixa; Exemplo: o arquivo apple.txt é diferente do arquivo Apple.txt e podem conviver juntos

Leia mais

Capítulo 11: Implementação de Sistemas de Arquivos. Operating System Concepts 8 th Edition

Capítulo 11: Implementação de Sistemas de Arquivos. Operating System Concepts 8 th Edition Capítulo 11: Implementação de Sistemas de Arquivos Silberschatz, Galvin and Gagne 2009 Sobre a apresentação (About the slides) Os slides e figuras dessa apresentação foram criados por Silberschatz, Galvin

Leia mais

CAPÍTULO 7 NÍVEL DE LINGUAGEM DE MONTAGEM

CAPÍTULO 7 NÍVEL DE LINGUAGEM DE MONTAGEM CAPÍTULO 7 NÍVEL DE LINGUAGEM DE MONTAGEM 71 Introdução Difere dos níveis inferiores por ser implementado por tradução A tradução é usada quando um processador está disponível para uma mensagem fonte mas

Leia mais

Banco de Dados Aula 1 Introdução a Banco de Dados Introdução Sistema Gerenciador de Banco de Dados

Banco de Dados Aula 1 Introdução a Banco de Dados Introdução Sistema Gerenciador de Banco de Dados Banco de Dados Aula 1 Introdução a Banco de Dados Introdução Um Sistema Gerenciador de Banco de Dados (SGBD) é constituído por um conjunto de dados associados a um conjunto de programas para acesso a esses

Leia mais

Sistemas Operacionais. Conceitos de um Sistema Operacional

Sistemas Operacionais. Conceitos de um Sistema Operacional Sistemas Operacionais Conceitos de um Sistema Operacional Modo usuário e Modo Kernel Como já vimos são ambientes de execução diferentes no processador Há um conjunto de funções privilegiadas acessadas

Leia mais

Referencial do Módulo B

Referencial do Módulo B 1 Referencial do Módulo B Liga, desliga e reinicia correctamente o computador e periféricos, designadamente um scanner; Usa o rato: aponta, clica, duplo-clique, selecciona e arrasta; Reconhece os ícones

Leia mais

ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 1866

ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 1866 6.9 Memória Cache: A memória cache é uma pequena porção de memória inserida entre o processador e a memória principal, cuja função é acelerar a velocidade de transferência das informações entre a CPU e

Leia mais

Fundamentos de Sistemas Operacionais

Fundamentos de Sistemas Operacionais Fundamentos de Sistemas Operacionais Professor: João Fábio de Oliveira jfabio@amprnet.org.br (41) 9911-3030 Objetivo: Apresentar o que são os Sistemas Operacionais, seu funcionamento, o que eles fazem,

Leia mais

TÓPICO 7. Gerência de Arquivos

TÓPICO 7. Gerência de Arquivos TÓPICO 7 Gerência de Arquivos Sistemas de Arquivos Em um computador, os dados podem ser armazenados em vários dispositivos físicos diferentes (disco flexível, fita, disco rígido, CD, etc). Para simplificar

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 5 - Iniciando o modo texto. QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática

Sistema Operacional Unidade 5 - Iniciando o modo texto. QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática Sistema Operacional Unidade 5 - Iniciando o modo texto Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 OPERANDO EM MODO TEXTO... 3 Abrindo o terminal... 3 Sobre o aplicativo Terminal... 3 AS CORES

Leia mais

Capítulo 6 Sistemas de Arquivos

Capítulo 6 Sistemas de Arquivos Capítulo 6 Sistemas de Arquivos 6.1 Arquivos 6.2 Diretórios 6.3 Implementação do sistema de arquivos 6.4 Exemplos de sistemas de arquivos 1 Armazenamento da Informação a Longo Prazo 1. Deve ser possível

Leia mais

Arquitetura de Computadores. Tipos de Instruções

Arquitetura de Computadores. Tipos de Instruções Arquitetura de Computadores Tipos de Instruções Tipos de instruções Instruções de movimento de dados Operações diádicas Operações monádicas Instruções de comparação e desvio condicional Instruções de chamada

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Aula 07 Arquitetura de Sistemas Operacionais Prof. Maxwell Anderson www.maxwellanderson.com.br Introdução Conceitos já vistos em aulas anteriores: Definição de Sistemas Operacionais

Leia mais

FundamentosemInformática

FundamentosemInformática FundamentosemInformática 04 Software Conteúdo Conceito de Software Classificação de Softwares Conceito de Sistema Operacional(S.O.) FunçõesBásicasdeumS.O. um Arquivos Atributos Diretórios 1 -Conceitos

Leia mais

ACL Linux. O que são ACLs e por que usá-las?

ACL Linux. O que são ACLs e por que usá-las? ACL Linux O que são ACLs e por que usá-las? Motivação Unix utiliza um sistema de arquivo simples, mas poderoso Permissões para o dono, grupo do dono e demais Cada um possui 3 bits (r, w, x) 2 O que é ACL

Leia mais

Multiplexador. Permitem que vários equipamentos compartilhem um único canal de comunicação

Multiplexador. Permitem que vários equipamentos compartilhem um único canal de comunicação Multiplexadores Permitem que vários equipamentos compartilhem um único canal de comunicação Transmissor 1 Receptor 1 Transmissor 2 Multiplexador Multiplexador Receptor 2 Transmissor 3 Receptor 3 Economia

Leia mais