Comparativo do custo orçado e o realizado na concretagem dos pilares de sustentação do viaduto do Despraiado, em Cuiabá - MT

Save this PDF as:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Comparativo do custo orçado e o realizado na concretagem dos pilares de sustentação do viaduto do Despraiado, em Cuiabá - MT"

Transcrição

1 Comparativo do custo orçado e o realizado na concretagem dos pilares de sustentação do viaduto do Despraiado, em Cuiabá - MT Comparative costbudgeted andcarriedonconcretepillarsupportingthe viaduct's Despraiado in Cuiaba-MT João Bosco da Silva (1); Marcos de Oliveira Valin Jr (2) (1) Graduando no Curso Superior de Tecnologia em Construção de Edifícios, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso Campus Cuiabá (2) Professor Especialista do Departamento da Área de Construção Civil do IFMT Campus Cuiabá Resumo Rua Zulmira Canavarros, 95, Centro, Cuiabá MT e O superaquecimento do mercado da construção civil por conta do programa habitacional Minha Casa, Minha Vida, das obras de mobilidade urbana e da Arena Pantanal em Cuiabá - MT aumentaram muito a necessidade de mão de obra qualificada e do consumo de materiais como o concreto, aço, madeira, entre outros. Este estudo tem por escopo fazer um comparativo do custo orçado e o realizado, na construção dos pilares de sustentação do viaduto do Despraido, levando em conta que o custo da mão de obra e dos insumos necessários sofreu uma majoração durante a sua execução, devido à alta demanda, tendo em vista a lei econômica da oferta e demanda, onde afirma que quanto maior for à procura de um determinado bem, maior será seu preço. Os resultados permitiram evidenciar os impactos e influências nos quesitos técnicos e financeiros da obra. Palavra-Chave: custos, economia, mão de obra, concreto. Abstract The overheated construction market due to the housing program "Minha Casa, Minha Vida", the works of urban mobility and the Arena Pantanal in Cuiabá - MT, greatly increased the need for skilled labor and consumption of materials such as concrete, steel, wood, among others. This study aims to make a comparison of budgeted and actual cost, the construction of the pillars of the viaduct's Despraido, taking into account the cost of labor and inputs needed experienced an increase during their execution, due to high demand in view of the economic law of supply and demand, which states that the greater the demand for a particular good, the higher its price. The results have highlighted the impacts and influences on technical issues and financial work. Keywords: costs, economy, labor, concrete. ANAIS DO 54º CONGRESSO BRASILEIRO DO CONCRETO - CBC CBC 1

2 1 Introdução: Este estudo apresenta o orçamento na construção civil e suas variações de preços durante a execução da obra do viaduto do Despraiado em Cuiabá/MT, onde foram analisados o custo dos insumos do concreto (cimento, aço, brita, areia e aditivos) e da mão de obra, pois ao longo da construção do viaduto os preços destes insumos sofrem alterações, tendo em vista as obras de mobilidade urbana, construção da Arena Pantanal e outras obras que influenciaram diretamente nos preços, pois conforme preceitua a lei econômica, quanto maior a demanda de um determinado bem ou produto a tendência é que seu preço também aumente, embora existam outros fatores que devem ser considerados, tais como elasticidade de preço. O Brasil, atualmente vivencia um excelente momento para a construção civil, o setor vem crescendo, devido à demanda reprimida de residências e outros seguimentos de infraestrutura como: estradas, portos e aeroportos. Mato Grosso, como estado primário exportador, devido a sua característica econômica baseada na agroindústria, tem um parque industrial incipiente, como pode ser observado no Anuário Estatístico de 2010, da SEPLAN Secretaria de Estado de Planejamento e Coordenação Geral do Estado de Mato Grosso, podendo-se afirmar que as indústrias estão voltadas ao agronegócio como é relatado no capítulo XIV do referido Anuário, conforme evidenciado na tabela 01, pois cerca de mais de um terço dos valores da economia estadual giram em torno da agropecuária, enquanto que a construção civil obteve uma participação de 4,78%. Tabela 01 - Participação das atividades econômicas no valor adicionado bruto a preço básico no Estado de Mato Grosso, ATIVIDADES ECONÔMICAS Total 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 Agricultura, Silvicultura e Exp. Florestal 21,63 24,88 29,67 26,16 18,33 22,18 22,81 Pecuária e Pesca 8,11 6,89 5,68 6,01 6,94 5,94 6,04 Indústria Extração Mineral 0,21 0,23 0,28 0,17 0,24 0,14 0,15 Indústria de Transformação 9,66 9,01 11,06 10,28 9,17 8,19 8,05 Ind. da Constr. Civil 4,97 3,92 5,46 4,85 5,36 4,68 4,78 Energia e Água 2,34 2,93 3,07 3,35 3,34 3,43 3,01 Comércio e Serviço Manutenção Reparação 10,96 15,42 13,73 14,03 13,40 14,57 17,80 Alimentação e Alojamento 1,14 0,98 1,08 1,25 1,39 1,47 1,38 Transportes, Armazenagem e Correio 3,22 2,77 2,54 2,45 3,57 3,98 3,60 Serviços de Informação 2,15 2,32 2,07 2,28 2,39 2,11 1,74 Atividades Imobiliárias e Aluguéis 10,41 8,57 7,37 7,92 9,16 8,55 7,70 Interm. Financeira, Seguros e Previd. Complem. 4,79 3,87 3,02 3,60 4,34 4,06 3,30 Administração, Saúde e Educ. Pública 14,38 12,59 10,51 12,19 15,22 14,33 13,61 Saúde e Educação 1,33 1,17 1,16 1,84 2,54 2,30 1,99 Serviços Prestados às Empresas 2,16 2,11 1,23 1,48 1,96 1,80 1,97 Demais Serviços 2,56 2,35 2,06 2,12 2,65 2,30 2,09 Fonte: SEPLAN Secretaria de Estado de Planejamento do Estado de Mato Grosso. A Fédération Internationale de Football Assiciation (FIFA), escolheu o Brasil para sediar a Copa do Mundo de Futebol em A escolha foi divulgada no dia 31 de maio de 2009 e gerou muita alegria e euforia geral da população brasileira que é aficionada ANAIS DO 54º CONGRESSO BRASILEIRO DO CONCRETO - CBC CBC 2

3 pelo futebol. O regulamento da FIFA estabelece oito sedes para os jogos da primeira fase que envolvem trinta e duas equipes, porém como o Brasil é um país de extensão continental, foram acrescidas mais quatro sedes para melhor distribuição do evento, abrangendo todas as cinco regiões, inclusive aquelas onde não há agremiações na elite do futebol como é o caso da região norte e centro oeste. Uma vez que concedida o acréscimo das sedes começou a guerra entre as cidades pela escolha da sede, pois o evento incrementa a economia local, indubitavelmente deixando um legado enorme à população, pois a organização deste evento exige uma serie de investimentos em transporte, hotelaria e mobilidade urbana, acarretando o surgimento de novos empreendimentos. Na região centro-oeste a disputa foi entre os três estados uma vez que o Distrito Federal, devido ser a sede administrativa do país já estava confirmado, ficando a escolha praticamente entre Campo Grande capital de Mato Grosso do Sul e Cuiabá capital do Mato Grosso, sendo que Goiânia-GO ficou alijada do processo tendo em vista a proximidade com a Capital Federal. Durante o processo de escolha, uma comissão da FIFA, vistoriou as cidades candidatas e após um longo período de angustia a população de doze cidades, Cuiabá pôde soltar o grito de: somos sede da copa do mundo de Referencial Teórico 2.1 Processo Licitatório Com o advento de dois grandes eventos mundiais que ocorrerão no Brasil, a Copa do Mundo de Futebol e Olimpíadas, estão exigindo do governo grandes investimentos em obras e serviços, visto que esses eventos ocasionarão o aquecimento econômico, injetando na economia alguns bilhões de reais, e esses eventos farão com que o governo, cada vez mais contrate serviços e obras em diversos setores da economia. Nesse contexto, a Lei 8.666/93 que trata de Licitações e Contratos Administrativos, nunca esteve tão em evidência. Quando de sua criação, há duas décadas, a lei tinha como escopo a lisura dos processos de licitação, em estrito atendimento ao interesse público, bem como a segurança de que o contrato firmado seria executado até o seu término e na integralidade. Com essa finalidade é que foram criadas regras extremamente inflexíveis e rígidas, tais como as ligadas à exigência de apresentação de inúmeros documentos, garantias, penalidades e experiências no fornecimento do bem ou serviço a ser entregue a administração pública. Buscando desburocratizar o processo o TCU Tribunal de Contas da União em parceria com o Governo Federal tem se mobilizado no sentido de melhorar e dar celeridade as compras governamentais, pois uma concorrência leva aproximadamente seis meses para conclusão, incluindo a elaboração do instrumento convocatório, publicação e prazo recursais, entre outras etapas, tanto que foi criado o RDC Regime Diferenciado de Contratações, a fim de ampliar a eficiência nas contratações públicas e competitividade, no sentido de promover a troca de experiências e tecnologia e incentivar a inovação tecnológica. O edital da obra de Construção do Viaduto do Despraiado, foi publicado no diário Oficial do Estado em primeiro de março de 2012, e a abertura do certame se deu no dia nove de abril, no Auditório da SECOPA Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo FIFA 2014, onde estavam presentes os membros da Comissão Especial de Licitação de ANAIS DO 54º CONGRESSO BRASILEIRO DO CONCRETO - CBC CBC 3

4 Obras e Serviços de Engenharia, nomeados em portaria bem como os representantes das empresas participantes da concorrência, o Consórcio Atracon, constituído pelas empresas: Atrativa Engenharia Ltda., e Constral Construtora Ltda., Consórcio Jardim Gilberti, constituído pelas empresas: Construtora Gilberti Ltda. e Dario Jardim Engenharia e Construção Ltda. e Três Irmãos Engenharia Ltda. Foram inabilitadas as empresas: Consórcio Jardim Gilberti, por não atender ao item 13.4, b e c, III do Edital, uma vez que não comprovou ter executado serviços referentes à protensão de cordoalha e Aço CP190 RB; e Três Irmãos Engenharia Ltda., por não atender ao mesmo item, ou seja, não comprovou ter executado serviços com cordoalha e Aço CP 190 RB, bem como não atendeu às quantidades mínimas exigidas quanto à tubulação de drenagem urbana de D 0,60m, concreto estrutural e fornecimento, preparo e colocação de aço. Dessa forma sagrou-se vencedora do processo o Consórcio Atracon com o valor de R$ ,29 (dezessete milhões, setecentos sessenta cinco mil, duzentos vinte nove reais e vinte nove centavos), em contrato assinado entre as partes em 28 de maio de 2012, sendo emitida a ordem de serviços no dia posterior e recebida pela empresa em 01 de junho pelo Consórcio Atracon Ltda. 2.2 Orçamento: Definição Existem diversas definições de orçamentos, porém na construção civil tem-se à ideia de que o orçamento é resultante de um montante dos serviços previstos e planejados, necessários a execução de uma obra, variando conforme o tipo. Seguindo essa linha de raciocino pode-se dizer que orçar é a previsão do custo de uma obra, ainda no projeto, em antes da sua execução. É uma previsão dos custos dos bens e serviços necessários para edificação, ou seja, o estabelecimento dos preços dos serviços e dos materiais a serem empregados na obra. Um orçamento pode se referir ao todo de um empreendimento, ou se referir apenas a alguns itens (serviços) de uma obra. Tomando como exemplo a construção de um muro: o custo irá variar conforme seu projeto e suas características para qual o mesmo será destinado, como por exemplo saber se é um muro de divisa, se vai sustentar empuxo do terreno ao lado (arrimo), se vai receber impermeabilização, entre outros fatores. Para outros tipos de serviços os pontos a serem levados em consideração poderão ser outros, como por exemplo, no revestimento externo de um edifício com pastilhas cerâmicas deve-se verificar se há necessidade de remoção do revestimento existente, a necessidade de andaime, o tipo, os equipamentos de segurança, verificando a viabilidade de locação ou aquisição. A previsão dos custos e preços pode variar com o nível de conhecimento que o orçamentista tem do projeto, ficando o sucesso de um empreendimento, entre outros fatores, dependente do acerto entre o que foi previsto (orçado) e o que irá ocorrer na prática. O orçamento é um dos elementos para a tomada de decisões, junto com o cronograma físico-financeiro. O proprietário (cliente) deve saber a priori se terá condições de arcar com os custos ou, no caso de uma obra própria, a construtora precisa saber como será o desembolso ao longo da obra. No caso de uma concorrência para a execução de obra pública, não importando a modalidade (tomada de preços, carta- ANAIS DO 54º CONGRESSO BRASILEIRO DO CONCRETO - CBC CBC 4

5 convite, etc.) existe a obrigatoriedade legal da previsão dos preços para que o órgão público possa escolher que empresa irá executar a obra Formação de preços e custos A formação de preços e os custos na construção civil, via de regra, são orçados por serviço e determinados equipamentos que fazem parte do cotidiano de uma obra. A produção é elaborada de acordo com o projeto inicial, o qual definiu quando e quanto de cada etapa da obra deve ser construído, de acordo com as composições unitárias, apresentadas em diversas unidades: metro, m², m³, homens-hora despendidos na execução do serviço, hora de máquina, e outras. O preço na construção civil, geralmente, é definido pelo modelo, abaixo em que, soma-se os CD corresponde aos custos incorridos, diretamente, na execução dos serviços e IBDI, denominado de índice dos Benefícios e Despesas Indiretas, engloba os custos indiretos a serem suportados por cada serviço. Preço = CD IBDI. Preço = [ CD{MO+ MT+ EQ+ ES} x IBDI] Onde: CD Custos diretos MO Mão-de-obra MT Materiais ou insumos EQ Equipamentos utilizados na obra ES Encargos Sociais IBDI Índice dos Benefícios e Despesas Indiretas O custo de cada serviço em que foi subdividido um projeto é composto segundo a quantificação e os custos da mão de obra, dos insumos, dos equipamentos e dos encargos sociais necessários à sua consecução. As obras públicas têm suas peculiaridades, pois quando é contratado o executor através de um processo licitatório, já se tem o projeto básico da obra com todo o orçamento pormenorizado da obra, então os licitantes irão adequar os valores dentro das perspectivas da margem de lucro pretendida. Uma vez conhecido o vencedor do certame, o órgão contratante monta uma equipe de fiscalização com o escopo de acompanhar a execução da obra conforme cronograma, que inclusive também é determinado no projeto básico. Devido ao acirramento da concorrência, a implementação de novas tecnologias e do surgimento de novos processos construtivos, vem ocorrendo um forte embate entre os atores do mercado, situação que propiciou o aparecimento de um novo paradigma, situação que estreitou as margens de lucro praticadas pelas empresas (LOPES et al, 2003), situação ilustrada na figura 1. Lucro = ƒ(preço ΣCustos) ANAIS DO 54º CONGRESSO BRASILEIRO DO CONCRETO - CBC CBC 5

6 O novo paradigma do cenário atual, principalmente vem atingindo as empresas que atuam em regime de livre concorrência, o preço vem se comportando como variável independente, sendo que o custo continua estabelecido pelos fornecedores de insumos e a margem de lucro passou a se comportar como variável dependente. Figura 01 - Evolução da equação para formação de preços. Equação para formação de preços Período E Preço = Custo + Margem de lucro v o l Década de 60 Margem de lucro = Custo Preço u ç Década de 90 Custo = Preço Margem de lucro ã o Futuro próximo Fonte: (LOPES et al, 2003) Levantamento quantitativo Esta etapa da elaboração do orçamento consiste, em levantar de forma sistemática e técnica as quantidades de serviços informados nas especificações (projetos e memoriais), analisando a necessidade de estimar alguns serviços que não foram devidamente especificados, mas que são essenciais e necessários à obra. As quantidades dos serviços devem ser transferidas para a planilha, adotando-se as unidades correspondentes a cada tipo de serviço. É recomendado utilizar um memorial ou roteiro de cálculos no levantamento das quantidades em sequência aos itens colocados na planilha orçamentária, para facilitar a conferência em caso de dúvida posterior e para, também, manter um histórico do trabalho realizado Levantamento de preços O levantamento dos preços ou cotação deve ser feito preferencialmente junto a fornecedores dos materiais, equipamentos ou serviço na praça (local) onde a obra será executada. No caso da não existência de determinado insumo na localidade, deve-se fazer a cotação junto ao fornecedor mais próximo, considerando o frete para transporte. Em último caso e para estimativas de custos, pode-se recorrer as revistas especializadas ou publicações técnicas de cotação de preços na construção civil. É salutar, também, recorrer a uma planilha de cotação de preços para garantir um histórico sobre o trabalho realizado. A planilha de cotação de preços deve conter, no mínimo, as seguintes informações: data da cotação, nome dos fornecedores, itens a serem pesquisados, unidades dos itens pesquisados, valor de cada item, condições de pagamento e dados do fornecedor (telefone e contato). ANAIS DO 54º CONGRESSO BRASILEIRO DO CONCRETO - CBC CBC 6

7 2.2.5 Composição dos custos Segundo PEREIRA (2002) em sua apostila Composição de custos para obras rodoviárias da Universidade Federal do Paraná, afirma que: A previsão dos custos e preços dependerá muito do grau de conhecimento que o orçamentista tem do projeto, ficando o sucesso de um empreendimento, entre outros fatores, dependente do acerto entre o que foi previsto (orçado) e o que irá ocorrer na prática (custeio). (PEREIRA 2002). Para cada bem ou serviço listados na coluna item da planilha orçamentária existirá um cálculo detalhado do custo ou preço unitário na unidade correspondente. A composição é elaborada após a realização da pesquisa (cotação) dos preços dos insumos contidos nas tabelas de composição de custos/preços para orçamentos. As quantidades dos materiais, horas de mão-de-obra, horas de equipamentos por unidade de serviço podem ser obtidas conforme segue: tabelas de composição de preços (TCPO da Editora Pini), cadernos de encargos; apropriação direta, estimativa de consumos e manuais dos fabricantes de equipamentos e materiais. Os valores obtidos definem uma média, sendo aceitável uma pequena margem de erros devido às características peculiares de cada obra ou serviço, como por exemplo: método construtivo, clima, motivação do pessoal, manutenção de ferramentas e equipamentos, controle geométrico (nível e prumo) e outros Leis sociais trabalhistas Também chamados de encargos trabalhistas, são contribuições obrigatórias a que estão sujeitos os empregadores, variando de acordo com o ramo de atividade. Na construção civil, podendo variar até de obra para obra. Os percentuais que incidem sobre a mão-de-obra tem grande custo embutido na contratação, ao final chegamos a quase duas vezes o valor pago ao trabalhador, questão que faz com os empresários do setor mobilizem os congressistas no sentido de reduzir a onerosa carga para geração de emprego no setor BDI Benefícios e Despesas Indiretas Natural que toda atividade empresarial almeje lucro, e como o setor da construção civil requer muitas vezes vultosos imobilizados, todo investidor quer que seu capital retorne no mais curto prazo possível, para se chegar ao preço de um serviço ou obra, sobre o montante obtido para o custo deve-se acrescentar um percentual chamado de BDI, a fim de embutir as despesas administrativas, financeiras, tributárias da construtora e o lucro almejado no empreendimento. Na construção civil, é cada vez mais comum as construtoras executarem uma obra por administração, cobrando taxas de administração. Desse percentual, a construtora obterá seu lucro e cobrirá as despesas indiretas que tiver na execução da obra. Convém, entretanto, contabilizar todas as despesas decorrentes do exercício de uma atividade empresarial, fazendo o levantamento dos custos administrativos, mantendo o controle sobre os tributos e os juros pagos pelo capital tomado de terceiros, fazendo valer a alavancagem financeira. Não existe uma fórmula para determinar o BDI mais adequado para cada tipo de empreendimento, mas em geral adotam-se valores percentuais próximos de 20% (variando de 10% a 35%). ANAIS DO 54º CONGRESSO BRASILEIRO DO CONCRETO - CBC CBC 7

8 Evidentemente, que se a empresa precisa manter equipes, seja pela impossibilidade de dispensa ou por ter obra programada na sequência, ela pode executar obras pelo custo, considerando BDI igual a zero, ou bem próximo de zero. Em resumo, a definição do BDI é de competência dos dirigentes da empresa, cabendo aos técnicos (engenharia e contabilidade) manter e fornecer as informações que irão auxiliar na decisão. Para avaliar as despesas indiretas é necessário manter um permanente controle sobre a origem das despesas efetuadas pela construtora. Na relação apresentada a seguir, são mostrados os itens que, no mínimo, devem ser levados em conta para se ter um controle razoável das despesas indiretas. 3 O Viaduto O viaduto do Despraiado, em Cuiabá MT, servirá para desafogar o transito entre as Av. Afonso Pena e a Av. Miguel Sutil, que com o desenvolvimento da região da estrada da Guia, devido a construção de condomínios horizontais, e recentemente com o início da construção de um resort com praia artificial composto de quatro torres, acarretou um estrangulamento do entroncamento, além de existir uma faculdade na Av. Afonso Pena, e esta rota serve de acesso também ao Centro Político Administrativo, para moradores dos bairros adjacentes. O site de notícias RD News, em 06/11/2012, apresentou o seguinte destaque com relação à obra do viaduto: Dentre as grandes obras de mobilidade urbana que estão em andamento na Grande Cuiabá, o Viaduto do Despraiado, que fica na Avenida Miguel Sutil na região do Parque Mãe Bonifácia, é a primeira a ser entregue à população. A inauguração está prevista para em março de A obra já está com 100% das fundações e drenagem executadas, 80% dos pilares levantados e nos próximos dias terá iniciado a colocação das vigas que fazem parte da estrutura superior. A pista marginal de um lado foi concluída e a do outro lado já está em fase final. Figura 02 - Perspectiva do viaduto do Despraiado Fonte: Divulgação SECOPA Como é sabido a obra não ficou pronta no prazo previsto, mas é uma das mais adiantadas dentro da planta de mobilidade urbana. ANAIS DO 54º CONGRESSO BRASILEIRO DO CONCRETO - CBC CBC 8

9 A figura 02 apresenta uma perspectiva de como será o viaduto. O segmento da rodovia BR-070/163/364/MT correspondente a Av. Miguel Sutil constitui-se numa das mais importantes vias estruturais de Cuiabá. Pelo fato de interligar vários bairros e abrigar uma diversificada rede de estabelecimentos comerciais e de serviços em seu entorno, esta atrai um grande número de automóveis. Em função disso, diariamente ocorrem congestionamentos nas interseções principalmente nos horários de pico. 4 Os Pilares Pilares são elementos estruturais lineares de eixo reto, usualmente disposto na vertical, em que as forças normais de compressão são preponderantes e cuja função principal é receber as ações atuantes nos diversos níveis e conduzi-las até as fundações. O dimensionamento dos pilares está baseado na verificação do pilar mais carregado, que em questão é o P9. Os esforços foram encontrados através de software especifico, onde estabelece toda a carga que irão receber e o deslocamento destas cargas. O projeto básico da infraestrutura detalha que as sondagens foram realizadas no período de estiagem, sendo assim o lençol freático se encontra mais profundo, porém na época da execução da obra, se o lençol estiver aflorado recomenda o uso de ar comprimido, devido à saturação do solo, no intuito de proteger os trabalhadores que executarão as escavações. O início da obra o coincidiu com o período de estiagem, fato que contribuiu para minimizar os custos com a execução. As figuras 03 e 04 apresentam o P9 que é o mais profundo, e o que receberá a maior carga, com profundidade 4,68m de tubulão ar comprimido e 3m de céu aberto e 4,98 de pilar, ao todo da base até o ponto onde será instalada superestrutura, tem mais de 14 metros, onde serão necessários quase 30 metros cúbicos de concreto. Localização do P9D, justamente próximo ao vão central do viaduto parte mais elevado do solo, onde há o entroncamento das avenidas Miguel Sutil e Afonso Pena Figura 03 Locação dos pilares. Fonte: Projeto básico da SECOPA ANAIS DO 54º CONGRESSO BRASILEIRO DO CONCRETO - CBC CBC 9

10 Figura 04 - Perspectiva do tubulão do viaduto do Despraiado. Fonte: Projeto básico da SECOPA A metodologia adotada para a estimativa dos níveis do lençol freático foi à média aritmética entre os níveis de água dos furos de Sondagens executados em janeiro de 2010, (figura 05) que é a profundidade de 2,95 m aproximando para 3,00m. Para cada sondagem de poço efetuada foi elaborado um Boletim de Sondagem com as coordenadas localizando os furos, as cotas de profundidade das distintas camadas detectadas e a classificação expedita dos materiais constituintes. Figura 05 Sondagem. Fonte: Projeto básico da SECOPA ANAIS DO 54º CONGRESSO BRASILEIRO DO CONCRETO - CBC CBC 10

11 A cidade de Cuiabá é opulenta em recursos hídricos: diversos rios, ribeirões e córregos deságuam na bacia do rio Cuiabá. O boletim de sondagem acima descreve as características do lençol freático da região realizado através de SPT Standad Penetretion Test. Referente ao solo, o Estado de Mato Grosso é bastante diversificado quanto à natureza dos solos, conforme constatado em estudos realizados pela Embrapa, RADAMBRASIL e, mais recentemente, pela Secretaria de Estado de Planejamento e Coordenação Geral de Mato Grosso (SEPLAN-MT). 5 Comparativo orçado realizado A lei 8666/93, Artigo 6º preceitua que para se contratar a execução de uma obra se faz necessário que se tenha o projeto básico, e no Inciso IX Alínea f do referido artigo condiciona que deverá ter: orçamento detalhado do custo global da obra, fundamentado em quantitativos de serviços e fornecimentos propriamente avaliados. O projeto básico estabelece as condições em que os serviços serão elaborados, seguindo o rito processual a SECOPA, lançou edital para a confecção do projeto básico do Viaduto do Despraiado com extensão de 325,40 (trezentos e vinte cinco metros e quarenta centímetros) com 18 (dezoito metros) de largura, composto de 4 pistas de rolamento. De acordo com PEREIRA (2002) tomando por base que o orçamento de uma obra consiste no conhecimento minucioso do custo de cada uma de suas etapas ou serviços, deve-se conhecer a composição dos custos unitários de cada serviço. Para a elaboração da composição do custo unitário de qualquer serviço de engenharia, notadamente aos que se referem à execução de obras viárias, é necessário que se conheça basicamente a composição dos custos de utilização dos equipamentos, a composição ou dimensionamento de cada equipe, o custo de aquisição dos materiais básicos envolvidos na execução dos serviços, os custos da mão-de-obra envolvida, com respectiva escala salarial e encargos, os custos unitários dos transportes e a elaboração da Planilha de Custo Unitário do Serviço. Os valores orçados para a construção dos quarentas e dois pilares que darão sustentação ao viaduto, consistem nos serviços de infraestrutura e mesoestrutura, que contam com escavação de aproximadamente 127 metros tubulões a céu aberto e 141 a ar comprimido com diâmetros de 1,60m (um metro e sessenta centímetros), serão utilizados mais de metros cúbicos de concreto com resistência mínima a compressão de 25 MPa, o consumo de aço CA 50 será algo em torno de 103t (cento e três toneladas), abaixo apresentamos os quantitativos e valores orçados no projeto básico, levantados e orçados pela Exímia Construções e Serviços Ltda., cujo valores ficam em R$ ,12 (três milhões, novecentos um mil, vinte um reais e doze centavos), conforme apresentado na tabela 02. Já a tabela 03 apresenta os preços do Consórcio Atracon, que diferem em apenas R$8.668,48 (oito mil, seiscentos sessenta oito reais e quarenta oito centavos), que representa pouco mais de 0,22% (zero inteiro, vinte dois percentuais), valores muito próximos dos orçado pela SECOPA. A cláusula quarta do contrato 032/2013 pactuado entre a SECOPA e o Consórcio Atracon, institui no parágrafo quarto A parcela dos preços contratuais em reais poderão ser reajustados elos índices setoriais utilizados pelo DNIT para o setor Rodoviário, ANAIS DO 54º CONGRESSO BRASILEIRO DO CONCRETO - CBC CBC 11

12 apurados e fornecido pela Fundação Getúlio Vargas, após 1 (um) ano, desde o mês da proposta que é o mesmo do orçamento preestabelecido no edital, no termos do Art. 3º 1º da Lei no , de 14/02/01. Não se admitirá nenhum encargo financeiro, como juro, despesas bancária e ônus semelhantes. Tal procedimento somente será admitido se, após prorrogação, a vigência do ajuste for superior a 12 meses, em atendimento aos temos do Art. 2º da lei no /2001. Como as outras duas concorrentes não foram habilitadas no rito processual da concorrência, não é possível saber quais foram os valores ofertadas pelas concorrentes, e como a cláusula quarta do contrato firmado entre as partes, coíbe reajustes é de bom tom inferir que o Consórcio Atracon, tenha trabalhado com uma margem ínfima de desconto, com a inabilitação das concorrentes não podemos fazer um comparativo, entre as três empresas concorrentes, e como as empresas que compõe o Consórcio detêm expertise no ramo de construção de obras publica já são conhecedores da legislação pertinentes a reajustes. Tabela 02 - Valores orçado pela: Exímia Construções e Serviços Ltda. Código Discriminação Unid. Quant Pr. Unit. (R$) Valor parcial (R$) 1.1 INFRAESTRUTURA s/n Tubulão a céu aberto diâmetro externo = m 126, , ,34 1,60m AC/BC/PC (Fck=25MPa) s/n Tubulão ar comprimido D=1,60m prof. até m 141, , ,47 12m lâmina d água LF- AC/BC/PC(Fck=25MPa) 2 S 03 Esc.p/alarg. Base tub. Af comp. Prof. Até m 3 322, , , m LF s/n For., lnç. concreto base tub ar comp até 12m m 3 322, , ,00 LF-AC/BC/PC(Fck=25MPa) 2 S 03 Escavação manual de cavas em material 1ª m 3 60,948 44, , cat. 2 S 03 Confecção e lanç. De concr. Magro em m 3 4, , , betoneira AC/BC 2 S 03 Reaterro e compactação m 3 39,291 24,93 979, MESOESTRUTURA 2 S 03 Forma de placa compensada plastificada m ,770 41, , S 03 Concr estr. fck=25mpa-c raz.uso ger conf. m , , , Lanç AB/BC 2 S 03 Fornecimento, preparo e colocação forma kg ,70 7, , aço CA 50 2 S 03 Aparelho Apoio em neoprene fretado-for e kg 4.253,500 40, , Aplic. s/n For. E aplic de adesivos estrutural a base de kg 358,500 67, ,08 2 S resina epóxi Sikadura 32 ouequivalente Escoramento com madeira de OEA m ,070 54, ,8 Valor total ,12 Fonte: SECOPA Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo FIFA 2014 ANAIS DO 54º CONGRESSO BRASILEIRO DO CONCRETO - CBC CBC 12

13 Tabela 03 - Valores orçados pelo Consórcio Atracon Código Discriminação Unid. Quant Pr. Unit. (R$) Valor parcial (R$) 1.1 INFRAESTRUTURA s/n Tub a céu aberto diâmetro externo = 1,60m m 126, , ,68 AC/BC/PC (fck=25mpa) s/n Tub ar comp D=1,60m prof. até 12m lâm d água m 141, , ,67 LF-AC/BC/PC(Fck=25MPa) 2 S 03 Esc.p/alarg. Base tub. Af comp. Prof. Até 12m m 3 322, , , LF s/n For., lnç. concreto base tub ar comp até 12m m 3 322, , ,00 LF-AC/BC/PC(Fck=25MPa) 2 S 03 Escavação manual de cavas em material 1ª cat m 3 60,948 44, , S 03 Confecção e lanç. De concr. Magro em m 3 4, , , betoneira AC/BC 2 S 03 Reaterro e compactação m 3 39,291 24,93 979, MESOESTRUTURA 2 S 03 Forma de placa compensada plastificada m ,7 41, , S 03 Concr estr. fck=25mpa-c raz.uso ger conf. Lanç m ,4 392, , AB/BC 53 2 S 03 Fornecimento, preparo e colocação forma aço kg , , CA 50,70 2 S 03 Aparelho Apoio em neoprene fretado-for e Aplic. kg 4.253,5 40, , s/n For. E aplic de adesivos estrutural a base de kg 358,500 67, ,08 2 S resina epóxi Sikadura 32 ou equivalente Escoramento com madeira de OEA m ,0 70 Fonte: Consórcio Atracon Ltda. 54, ,2 ANAIS DO 54º CONGRESSO BRASILEIRO DO CONCRETO - CBC CBC 13 Valor total ,64 Os valores realizados pelo Consórcio Atracon Ltda., não sofreram variações, devido à construtora líder do Consórcio a Atrativa Construtora Ltda., ter uma grande experiência no trato com obras rodoviárias, e além do que a ordem de serviços quando foi recebida o reajuste da mão de obra do setor de construção civil já havia ocorrido, pois a data base da categoria é em maio, durante o período de execução da infra e meso estrutura não houveram grandes variações nos preços dos insumos necessários a realização dos pilares do viaduto, fatores que contribuíram para que os valores orçados ficassem dentro do projetado, além do mais, quando foi iniciada a obra o período chuvoso já havia extinguido, não sendo necessário modificar o método de escavação dos tubulões, sendo uma recomendação do projeto básico, caso houvesse instabilidade do solo, o método de escavação ao invés de ser a céu aberto deveria ser substituído por ar comprimido para proteção dos operários responsáveis pela escavação. O fato de haver escassez de mão-de-obra devido ao aquecimento do mercado da construção civil, o Consórcio quase não absorveu mão-de-obra local, 95% do pessoal

14 envolvido neste período da obra foram de outras unidades da federação, portanto não teve problemas com esse insumo, já os principais componentes do concreto, como o cimento e o aço são regidos por oligopólio (do grego "oligoi", poucos, e "polein", vender, significando "poucos para vender"); assim que se sagrou vencedor da licitação, o Consórcio negociou o cimento com uma fábrica local o fornecimento do montante necessário, e quanto ao aço, já havia outra negociação anterior com um fabricante, sendo assim o preço foi garantido, destarte com os principais e mais caros insumos do concreto o Consórcio conseguiu manter os preços estimados no orçamento. O prazo de execução do ficou dentro do estabelecido no cronograma físico, conforme as medições realizadas, pois, com cinco meses de obras as medições já somavam o montante de R$ ,90 (quatro milhões, oitocentos quatro mil, novecentos onze reais e noventa centavos), valores que superam os custos da infra e mesoestrutura. Portanto, dento do cronograma estabelecido, então com os cálculos de prazo dentro do estimado os preços dos insumos ficaram no patamar estabelecido inicialmente pelo Consórcio. Não foi possível a apresentação da planilha de execução do Consórcio Atracon Ltda., uma vez que o mesmo não forneceu, tendo em vista que se trata de informação estratégica da empresa, mas, em entrevista com o responsável pela direção, informou que os valores são os que estão disponíveis no processo licitatório, sendo assim inferimos que não houve diferença entre o orçado e o realizado. 7 Conclusão: No campo econômico é possível algumas vezes detectar a ocorrência de comportamentos como o adotado nesta obra, ou seja, o desejo do empreendedor de maximizar seu lucro, sob quaisquer condições. E do outro lado da relação econômica temos também o consumidor, que está sempre à procura do menor preço a pagar. Desse complexo comportamento consolidado, e que surge a necessidade de se fazer um orçamento prevendo todas as possíveis variáveis que podem interferir nos preços dos bens e serviços que serão empregados na obra, mas como valor máximo já é sabido antes de iniciar o processo de disputa, cabe ao empreendedor trabalhar de forma a manter o prazo e negociar com fornecedores. Queremos ressaltar que o escopo do artigo foi fazer uma mera avaliação do orçado e o realizado de uma obra que está inserida na planta de mobilidade urbana do Governo de Mato Groso, com fito de atender exigências da FIFA para a realização da copa do mundo. O resultado obtido com a pesquisa, foi que devido à expertise da empresa e sua larga experiência em obras rodoviárias, concluímos que não houve sobressaltos nos valores entre o orçado e o realizado, esse fato se deu devido a uma série de fatos que contribuíram, dentre eles podemos destacar: período de estiagem, reajuste da classe operária no mês em que a obra iniciou e acordos firmados entre os principais fornecedores dos insumos em destaque o aço e o cimento. Os fatos narrados contribuíram sobre maneira para que não houvesse diferença entre os valores, portanto, o Consórcio pode manter a margem de lucro almejada para o empreendimento. ANAIS DO 54º CONGRESSO BRASILEIRO DO CONCRETO - CBC CBC 14

15 Bibliografia: LOPES, Oscar Ciro; LIBRELOTTO, Liziane Ilha & AVILA, Antonio Victorino. Orçamento de Obras. Universidade do Sul de Santa Catarina UNISUL Florianópolis - SC, Versão MATO GROSSO - Secretaria de Estado de Planejamento e Coordenação Geral. Anuário Estatístico Vol. 32, PEREIRA, D.M.; RATTON, E.; BLAS I, G.F.; KUSTER FILHO, W. Composição de Custos Rodoviários, Diretório Acadêmico de Engenharia Civil, Universidade Federal do Paraná, Republica Federativa do Brasil. Lei 8666/93 Lei de Licitações e Contratos Administrativos. Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso. Planilha do Consórcio Atracon Ltda Viaduto do Despraiado. Disponível em: G= &IDOBRA=22035&tipo=I, Acessado em 09/04/2013. SINDUSCON SP. Encargos Sociais. Disponível em: Acessado em 09/05/2013 SECOPA MT. Licitações. Disponível em: Acessado em 03/03/2013. RD NEWS. Secopa promete Viaduto do Despraiado pronto em março. Disponível em: Acessado em 02/04/2013. ANAIS DO 54º CONGRESSO BRASILEIRO DO CONCRETO - CBC CBC 15

ANÁLISE DOS CUSTOS DAS OBRAS PÚBLICAS André Mainardes Berezowski Controlador de Recursos Públicos

ANÁLISE DOS CUSTOS DAS OBRAS PÚBLICAS André Mainardes Berezowski Controlador de Recursos Públicos ANÁLISE DOS CUSTOS DAS OBRAS PÚBLICAS André Mainardes Berezowski Controlador de Recursos Públicos Conflito de interesses nas contratações públicas Administrador Público Empresa consultoria Empreiteira

Leia mais

INSTITUTO COMUNITÁRIO GRANDE FLORIANÓPOLIS - ICOM

INSTITUTO COMUNITÁRIO GRANDE FLORIANÓPOLIS - ICOM INSTITUTO COMUNITÁRIO GRANDE FLORIANÓPOLIS - ICOM DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2007 E PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES A BDO International é uma rede mundial

Leia mais

PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA PMCMV Fundo de Arrendamento Residencial - FAR PROJETO BÁSICO

PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA PMCMV Fundo de Arrendamento Residencial - FAR PROJETO BÁSICO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA PMCMV Fundo de Arrendamento Residencial - FAR PROJETO BÁSICO CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA EXECUÇÃO DO PROJETO DE TRABALHO TÉCNICO SOCIAL EMPREENDIMENTO RESIDENCIAL: ALPHA.

Leia mais

Experiência: Gestão Estratégica de compras: otimização do Pregão Presencial

Experiência: Gestão Estratégica de compras: otimização do Pregão Presencial Experiência: Gestão Estratégica de compras: otimização do Pregão Presencial Hospital de Clínicas de Porto Alegre Responsável: Sérgio Carlos Eduardo Pinto Machado, Presidente Endereço: Ramiro Barcelos,

Leia mais

CARTA CONVITE Nº 012/2014. Confecção, aplicação e instalação de comunicação visual da nova exposição de média duração.

CARTA CONVITE Nº 012/2014. Confecção, aplicação e instalação de comunicação visual da nova exposição de média duração. Santos, 17 de outubro de 2014. CARTA CONVITE Nº 012/2014 Confecção, aplicação e instalação de comunicação visual da nova exposição de média duração Museu do Café O Instituto de Preservação e Difusão da

Leia mais

Relatório elaborado pela. ONG Sustentabilidade e Participação

Relatório elaborado pela. ONG Sustentabilidade e Participação CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ORGÃOS - FESO Centro de Ciência e Tecnologia - CCT Curso de Engenharia de Produção NAI - Núcleo de Atividades Complementares Relatório elaborado pela ONG Sustentabilidade

Leia mais

Anteprojeto, Projeto Básico, Projeto Executivo e Orçamento para Licitação

Anteprojeto, Projeto Básico, Projeto Executivo e Orçamento para Licitação Anteprojeto, Projeto Básico, Projeto Executivo e Orçamento para Licitação Introdução Temos como objetivo oferecer conhecimento jurídico necessário para a compreensão do ambiente privado e da administração

Leia mais

LEI Nº. 1.361/2010 14 de abril de 2010. Autoria: Poder Executivo Municipal

LEI Nº. 1.361/2010 14 de abril de 2010. Autoria: Poder Executivo Municipal LEI Nº. 1.361/2010 14 de abril de 2010. Autoria: Poder Executivo Municipal ALTERA DISPOSITIVOS NA LEI Nº.1.303, DE 08 DE JULHO DE 2009, QUE REGULAMENTA NO MUNICIPIO DE CAMPO NOVO DO PARECIS O TRATAMENTO

Leia mais

Auditoria de Meio Ambiente da SAE/DS sobre CCSA

Auditoria de Meio Ambiente da SAE/DS sobre CCSA 1 / 8 1 OBJETIVO: Este procedimento visa sistematizar a realização de auditorias de Meio Ambiente por parte da SANTO ANTÔNIO ENERGIA SAE / Diretoria de Sustentabilidade DS, sobre as obras executadas no

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCOS BANCO ABN AMRO S.A. Setembro de 2013

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCOS BANCO ABN AMRO S.A. Setembro de 2013 RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCOS BANCO ABN AMRO S.A. Setembro de 2013 SP Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 700, 4º andar Itaim Bibi São Paulo SP CEP: 04542000 Tel: (11) 30737400 Fax: (11) 30737404

Leia mais

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S.A. - ELETROBRAS PREGÃO ELETRÔNICO DAC N 26/2010

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S.A. - ELETROBRAS PREGÃO ELETRÔNICO DAC N 26/2010 1 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S.A. - ELETROBRAS PREGÃO ELETRÔNICO DAC N 26/2010 RELATÓRIO SOBRE A IMPUGNAÇÃO APRESENTADA PELA VIVO S/A. I - EXPOSIÇÃO A VIVO S/A, sociedade

Leia mais

1º Concurso - Universidades Jornalismo e Publicidade - Maio Amarelo 2016

1º Concurso - Universidades Jornalismo e Publicidade - Maio Amarelo 2016 1º Concurso - Universidades Jornalismo e Publicidade - Maio Amarelo 2016 Justificativa O Movimento Maio Amarelo nasceu com uma só proposta: chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e

Leia mais

REGULAMENTO HACKATHON KIMBERLY-CLARK EDIÇÃO HUGGIES

REGULAMENTO HACKATHON KIMBERLY-CLARK EDIÇÃO HUGGIES REGULAMENTO HACKATHON KIMBERLY-CLARK EDIÇÃO HUGGIES Este regulamento contém as regras aplicáveis ao Hackathon Kimberly-Clark Edição Huggies ( Evento ), promovida pela KIMBERLY-CLARK BRASIL INDÚSTRIA E

Leia mais

DIREX Elaboração de Orçamentos sob a Égide da Lei 8666/1993 e do Regime Diferenciado de Contratação

DIREX Elaboração de Orçamentos sob a Égide da Lei 8666/1993 e do Regime Diferenciado de Contratação Elaboração de Orçamentos sob a Égide da Lei 8666/1993 e do Regime Diferenciado de Contratação Coordenação-Geral de Custos de Infraestrutura de Transportes Diretoria Executiva Legislação Aplicada Lei 12.462,

Leia mais

Sondagem do Setor de Serviços

Sondagem do Setor de Serviços Sondagem do Setor de Serviços % Setor 2004 2005 2006 2007 2008 2009 Agropecuária 5,9 4,9 4,7 4,8 5,0 5,2 Indústria 25,8 25,1 24,7 23,9 23,3 21,8 Serviços 54,1 55,8 56,5 57,3 56,8 58,9 Impostos líquidos

Leia mais

LT 500kV MARIMBONDO - ASSIS MEMORIAL DO PROJETO BÁSICO DE FUNDAÇÕES

LT 500kV MARIMBONDO - ASSIS MEMORIAL DO PROJETO BÁSICO DE FUNDAÇÕES 24/09/2013 Complementação torres MF SA 0A 03/05/2013 Emissão Inicial MF SA Rev. Data Descrição Por Aprovação Nome da Obra Título do Documento Projeto MARCOS F. 24/09/2013 Nº Rev Folha 1/13 Aprovação SÉRGIO

Leia mais

BRASÍLIA (61) 3327-1142 ELO@ELOCONSULTORIA.COM SCN, QD. 2, BL. A, 1º ANDAR ED. CORPORATE FINANCIAL CENTER

BRASÍLIA (61) 3327-1142 ELO@ELOCONSULTORIA.COM SCN, QD. 2, BL. A, 1º ANDAR ED. CORPORATE FINANCIAL CENTER BRASÍLIA (61) 3327-1142 ELO@ELOCONSULTORIA.COM SCN, QD. 2, BL. A, 1º ANDAR ED. CORPORATE FINANCIAL CENTER SÃO PAULO (11) 5081-7950 SAOPAULO@ELOCONSULTORIA.COM RUA CUBATÃO, 929 CONJ. 116 VILA MARIANA HOME

Leia mais

IMPACTO DA ATIVIDADE FISCALIZATÓRIA SOBRE A MELHORIA DA QUALIDADE NA PRESTAÇÃO DO SERVIÇO PÚBLICO DE DRENAGEM URBANA NO DISTRITO FEDERAL

IMPACTO DA ATIVIDADE FISCALIZATÓRIA SOBRE A MELHORIA DA QUALIDADE NA PRESTAÇÃO DO SERVIÇO PÚBLICO DE DRENAGEM URBANA NO DISTRITO FEDERAL IMPACTO DA ATIVIDADE FISCALIZATÓRIA SOBRE A MELHORIA DA QUALIDADE NA PRESTAÇÃO DO SERVIÇO PÚBLICO DE DRENAGEM URBANA NO DISTRITO FEDERAL Carolinne Isabella Dias Gomes (1) Possui Bacharelado e Licenciatura

Leia mais

Profa. Cleide de Freitas. Unidade II PLANO DE NEGÓCIOS

Profa. Cleide de Freitas. Unidade II PLANO DE NEGÓCIOS Profa. Cleide de Freitas Unidade II PLANO DE NEGÓCIOS O que vimos na aula anterior Ideias e Oportunidades Oportunidades x Experiência de mercado O que é um plano de negócios? Identificação e análise de

Leia mais

Projetos na construção civil. Projetos na construção civil. Projeto Arquitetônico. Projeto Arquitetônico Planta Baixa. Projeto Arquitetônico

Projetos na construção civil. Projetos na construção civil. Projeto Arquitetônico. Projeto Arquitetônico Planta Baixa. Projeto Arquitetônico Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Engenharia Civil Tecnologia da Construção Civil I Elementos constitutivos de um projeto interpretação, exame e análise Projeto

Leia mais

2.2 Estruturar ação de oficina de integração com gestores, trabalhadores, usuários e familiares da RAPS, redes de saúde e rede intersetorial.

2.2 Estruturar ação de oficina de integração com gestores, trabalhadores, usuários e familiares da RAPS, redes de saúde e rede intersetorial. Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas Coordenação Geral de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas. II Chamada para Seleção de Redes Visitantes

Leia mais

CLÁUSULA PRIMEIRA DO OBJETO

CLÁUSULA PRIMEIRA DO OBJETO CONTRATO ADMINISTRATIVO PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA CONSTRUÇÃO DE ALAMBRADO NO ASILO BETEL, QUE ENTRE SI FAZEM O MUNICÍPIO DE CASTILHO e a empresa A. a Z. COMÉRCIO, REPRESENTAÇÃO E SERVIÇOS

Leia mais

CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE CONTABILIDADE

CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE CONTABILIDADE CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE CONTABILIDADE CONTRATO DE GESTÃO IGAM/ABHA N 002/2009 = TERMO DE REFERÊNCIA = REPETIÇÃO DE PROCESSO PROCESSO SELETIVO 004-A/2012 ARAGUARI - MG ABRIL / 2012 1. INTRODUÇÃO 1.1.

Leia mais

CONTRATO Nº 189/2012

CONTRATO Nº 189/2012 CONTRATO Nº 189/2012 Pelo presente instrumento particular, o MUNICÍPIO DE CANDELÁRIA, Pessoa Jurídica de Direito Público, com sede na Av. Pereira Rego, 1665, representada neste ato por seu, Sr. LAURO MAINARDI,

Leia mais

REGULAMENTO I OLIMPÍADA A PRÁXIS DO SERVIÇO PÚBLICO

REGULAMENTO I OLIMPÍADA A PRÁXIS DO SERVIÇO PÚBLICO REGULAMENTO I OLIMPÍADA A PRÁXIS DO SERVIÇO PÚBLICO 1. Apresentação O Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB), Campus João Pessoa, por meio da Departamento de Gestão e Desenvolvimento

Leia mais

05/2016 775707/2012 - MTE/SENAES CAMP

05/2016 775707/2012 - MTE/SENAES CAMP Cotação Prévia de Preço Nº. 05/2016 Convênio Nº 775707/2012 - MTE/SENAES CAMP Projeto: Centro de Formação e Apoio à Assessoria Técnica em Economia Solidária CFES Regional Sul. Critério: Menor Preço e Melhor

Leia mais

Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas. Novo Mercado de. Renda Fixa

Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas. Novo Mercado de. Renda Fixa Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas Novo Mercado de Renda Fixa CAPÍTULO I PROPÓSITO E ABRANGÊNCIA Art. 1º - O objetivo deste Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para o Novo Mercado

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR)

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Código: CONSPROC 2010 Prestação de serviço técnico especializado, modalidade de consultoria

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Justificativa

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Justificativa MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO, DIVERSIDADE E INCLUSÃO DIRETORIA DE POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS E CIDADANIA COORDENAÇÃO GERAL DE DIREITOS HUMANOS

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA PROJETO WORKSHOP DE EMPREENDEDORISMO PARA A POLÍTICA DE PREVENÇÃO À CRIMINALIDE E VIOLÊNCIA NO ESTADO DE MINAS GERAIS

TERMO DE REFERÊNCIA PARA PROJETO WORKSHOP DE EMPREENDEDORISMO PARA A POLÍTICA DE PREVENÇÃO À CRIMINALIDE E VIOLÊNCIA NO ESTADO DE MINAS GERAIS TERMO DE REFERÊNCIA PARA PROJETO WORKSHOP DE EMPREENDEDORISMO PARA A POLÍTICA DE PREVENÇÃO À CRIMINALIDE E VIOLÊNCIA NO ESTADO DE MINAS GERAIS MODALIDADE: CONCORRÊNCIA ESPECIAL CRITÉRIO DE JULGAMENTO:

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE DOURADO CNPJ 51.814.960/0001-26. Projeto Básico

PREFEITURA MUNICIPAL DE DOURADO CNPJ 51.814.960/0001-26. Projeto Básico Projeto Básico Reforma no fechamento e construção de cobertura de proteção na Escola Municipal Maria do Carmo Balestero Gutierre 1.0 Objeto Trata-se da obra de pintura do muro de fechamento (em alvenaria),

Leia mais

3 Metodologia de pesquisa

3 Metodologia de pesquisa 3 Metodologia de pesquisa Esta pesquisa foi concebida com o intuito de identificar como a interação entre o gerenciamento de projetos e o planejamento estratégico estava ocorrendo nas empresas do grupo

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC RENDA FIXA SIMPLES 22.918.245/0001-35 Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC RENDA FIXA SIMPLES 22.918.245/0001-35 Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC RENDA FIXA SIMPLES 22.918.245/0001-35 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o SANTANDER

Leia mais

O JOVEM COMERCIÁRIO: TRABALHO E ESTUDO

O JOVEM COMERCIÁRIO: TRABALHO E ESTUDO O JOVEM COMERCIÁRIO: TRABALHO E ESTUDO O comércio sempre foi considerado como porta de entrada para o mercado de trabalho sendo, assim, um dos principais setores econômicos em termos de absorção da população

Leia mais

CHAMADA MCT / FINEP ENERGIA DE PRODUTOS E SERVIÇOS COM TECNOLOGIA INOVADORA NA ÁREA DE

CHAMADA MCT / FINEP ENERGIA DE PRODUTOS E SERVIÇOS COM TECNOLOGIA INOVADORA NA ÁREA DE CHAMADA MCT / FINEP Ministério da Ciência e Tecnologia / Financiadora de Estudos e Projetos IDENTIFICAÇÃO DE PRODUTOS E SERVIÇOS COM TECNOLOGIA INOVADORA NA ÁREA DE ENERGIA O Ministério da Ciência e Tecnologia

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE EDITAL Nº. 02 /2015/SES/CEFOR-PB

ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE EDITAL Nº. 02 /2015/SES/CEFOR-PB ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE EDITAL Nº. 02 /2015/SES/CEFOR-PB EDITAL DE SELEÇÃO PARA O CURSO DESCENTRALIZADO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DO TRABALHO E EDUCAÇÃO NA SAÚDE A Escola Nacional

Leia mais

Contrata Consultor na modalidade Produto

Contrata Consultor na modalidade Produto Contrata Consultor na modalidade Produto PROJETO 914BRZ4012 EDITAL Nº 005/2010 1. Perfil: TR 007/2010-CGS - CIÊNCIAS SOCIAIS APLICÁVEIS 3. Qualificação educacional: Graduação na área de CIÊNCIAS SOCIAIS

Leia mais

por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, ou outro documento com mesmo valor legal; 3 (três) anos, no mínimo, de experiência

por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, ou outro documento com mesmo valor legal; 3 (três) anos, no mínimo, de experiência AGÊNCIA DE PROMOÇÃO DE EXPORTAÇÕES DO BRASIL - APEX-BRASIL EDITAL No- 1, DE 31 DE AGOSTO DE 2006 PROCESSO SELETIVO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS E FORMAÇÃO DE CADASTRORESERVA EM EMPREGOS DE NÍVEL SUPERIOR

Leia mais

Certificado de Recebíveis Imobiliários CRI

Certificado de Recebíveis Imobiliários CRI Renda Fixa Certificado de Recebíveis Imobiliários CRI Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI O produto O Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI) é um título que gera um direito de crédito ao

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO

TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA MANUTENÇÃO CORRETIVA, COM FORNECIMENTO DE PEÇAS, EM RÁDIOS TRANSCEPTORES DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE SALVADOR - DEPUTADO LUÍS EDUARDO MAGALHÃES.

Leia mais

Anúncio de adjudicação de contrato

Anúncio de adjudicação de contrato 1/ 18 ENOTICES_icmartins 27/10/2011- ID:2011-149873 Formulário-tipo 3 - PT União Europeia Publicação no suplemento do Jornal Oficial da União Europeia 2, rue Mercier, L-2985 Luxembourg Fax (352) 29 29-42670

Leia mais

VERSÃO RESPOSTAS PROVA DE MARKETING

VERSÃO RESPOSTAS PROVA DE MARKETING UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DE RIBEIRÃO PRETO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DE ORGANIZAÇÕES PROCESSO SELETIVO DOUTORADO - TURMA 2011 VERSÃO

Leia mais

PROCESSO DE SELEÇÃO DE DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE EMPREENDEDORISMO DE IMPACTO EDITAL I - 2016 LIBRIA

PROCESSO DE SELEÇÃO DE DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE EMPREENDEDORISMO DE IMPACTO EDITAL I - 2016 LIBRIA 1) - APRESENTAÇÃO PROCESSO DE SELEÇÃO DE DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE EMPREENDEDORISMO DE IMPACTO EDITAL I - 2016 LIBRIA A Aceleradora Libria (www.projetolibria.com.br) abre o seu segundo edital de inscrições

Leia mais

PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO

PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO NORMA Nº: NIE-CGCRE-140 APROVADA EM DEZ/2015 Nº 01/07 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Histórico

Leia mais

MANUTENÇÃO E RESTAURAÇÃO DE OBRAS

MANUTENÇÃO E RESTAURAÇÃO DE OBRAS MANUTENÇÃO E RESTAURAÇÃO DE OBRAS Prof. Arq. Aline Fernandes 2013 PATOLOGIA DE FUNDAÇÕES Fases que os problemas podem ocorrer ou ser originados: - Caracterização do comportamento do solo; - Análise e projeto

Leia mais

Antes de investir, compare o fundo com outros da mesma classificação.

Antes de investir, compare o fundo com outros da mesma classificação. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS SOBERANO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO RENDA FIXA - SIMPLES CNPJ/MF: Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ASSISTÊNCIA A PROGRAMAS ESPECIAIS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ASSISTÊNCIA A PROGRAMAS ESPECIAIS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ASSISTÊNCIA A PROGRAMAS ESPECIAIS TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO TOR/FNDE/DTI/MEC

Leia mais

MINUTA DE CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Nº. /2015 CAPEAMENTO ASFÁLTICO Pelo presente instrumento particular de prestação de serviços, o MUNICÍPIO

MINUTA DE CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Nº. /2015 CAPEAMENTO ASFÁLTICO Pelo presente instrumento particular de prestação de serviços, o MUNICÍPIO MINUTA DE CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Nº. /2015 CAPEAMENTO ASFÁLTICO Pelo presente instrumento particular de prestação de serviços, o MUNICÍPIO DE IBIRAPUITÃ, pessoa jurídica de direito público interno,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 02/2014

RESOLUÇÃO Nº 02/2014 RESOLUÇÃO Nº 02/2014 O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente - CMDCA, no uso das atribuições que lhe confere a Lei Federal 8.069/1990, da Lei Municipal 1.261 de 16/03/2005 - com as

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB EDITAL Nº 02/2009 CAPES/DEB PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À

Leia mais

EDITAL nº 17/2016 PRÊMIO CAPES DE TESE - EDIÇÃO 2016 TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

EDITAL nº 17/2016 PRÊMIO CAPES DE TESE - EDIÇÃO 2016 TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS EDITAL nº 17/2016 PRÊMIO CAPES DE TESE - EDIÇÃO 2016 A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Capes, instituída como Fundação Pública, criada pela Lei nº. 8.405, de 09 de janeiro de

Leia mais

Minuta de Instrução Normativa

Minuta de Instrução Normativa Minuta de Instrução Normativa INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº [NÚMERO], DE Dispõe sobre o Plano Anual de Atividades de Auditoria Interna (Paint), os aspectos relativos aos trabalhos de auditoria e o Relatório Anual

Leia mais

DECRETO nº 2.303/2012

DECRETO nº 2.303/2012 Prefeitura Municipal de Fontoura Xavier RS. Município criado em 09.07.1965 Lei Federal nº 4974/65 CNPJ nº 87612768/0001-02 Fone Fax (0xx)54.389.1511 e (0xx)54.389.1122 Av. 25 de Abril, 920 Fontoura Xavier

Leia mais

ANEXO 2 - TERMO DE REFERÊNCIA PLANO DE CONTROLE AMBIENTAL SIMPLIFICADO PCAS I. CONTEÚDO MÍNIMO DO PLANO DE CONTROLE AMBIENTAL SIMPLIFICADO PCAS

ANEXO 2 - TERMO DE REFERÊNCIA PLANO DE CONTROLE AMBIENTAL SIMPLIFICADO PCAS I. CONTEÚDO MÍNIMO DO PLANO DE CONTROLE AMBIENTAL SIMPLIFICADO PCAS ANEXO 2 - TERMO DE REFERÊNCIA PLANO DE CONTROLE AMBIENTAL SIMPLIFICADO PCAS I. CONTEÚDO MÍNIMO DO PLANO DE CONTROLE AMBIENTAL SIMPLIFICADO PCAS O Plano de Controle Ambiental Simplificado deverá conter

Leia mais

Estimativas de Arrecadação de Impostos Próprios Estaduais e Municipais, Transferências Constitucionais e os 25% Constitucionais da Educação

Estimativas de Arrecadação de Impostos Próprios Estaduais e Municipais, Transferências Constitucionais e os 25% Constitucionais da Educação 1 Estimativas de Arrecadação de Impostos Próprios Estaduais e Municipais, Transferências Constitucionais e os 25% Constitucionais da Educação Resumo O presente estudo objetivou levantar dados sobre o total

Leia mais

3.1. Para execução dos SERVIÇOS objeto do presente CONTRATO, o CLIENTE deverá pagar à LIGHT o montante de R$ [XXXX] (xxxx por extenso xxxx).

3.1. Para execução dos SERVIÇOS objeto do presente CONTRATO, o CLIENTE deverá pagar à LIGHT o montante de R$ [XXXX] (xxxx por extenso xxxx). CONTRATO PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS QUE ENTRE SI CELEBRAM, LIGHT SERVIÇOS DE ELETRICIDADE S/A, DE UM LADO, E XXXXXXXXXXX, DE OUTRO LADO. LIGHT SERVIÇOS DE ELETRICIDADE S/A, com sede na Av. Marechal Floriano

Leia mais

1º Termo Aditivo ao Edital de Licitação de Tomada de Preço nº 01/2015 do CRFa 3ª

1º Termo Aditivo ao Edital de Licitação de Tomada de Preço nº 01/2015 do CRFa 3ª 1º Termo Aditivo ao Edital de Licitação de Tomada de Preço nº 01/2015 do CRFa 3ª Fica aditado o Edital de Licitação na modalidade de Tomada de Preço n. 01/2015, do CRFa 3ª, para constar que: 1. O item

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Pato Branco Departamento de Projetos e Obras MEMORIAL DESCRITIVO

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Pato Branco Departamento de Projetos e Obras MEMORIAL DESCRITIVO Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Pato Branco Departamento de Projetos e Obras PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ MEMORIAL DESCRITIVO EXECUÇÃO DE ADEQUAÇÃO

Leia mais

Prefeitura Municipal de Votorantim

Prefeitura Municipal de Votorantim PROJETO DE LEI ORDINÁRIA N.º 013/2016 PROJETO DE LEI ORDINÁRIA N.º 006/2016 Dispõe sobre as Diretrizes Orçamentárias para o exercício de 2017 e dá outras providências. ERINALDO ALVES DA SILVA, PREFEITO

Leia mais

Gerenciamento do Escopo do Projeto (PMBoK 5ª ed.)

Gerenciamento do Escopo do Projeto (PMBoK 5ª ed.) Gerenciamento do Escopo do Projeto (PMBoK 5ª ed.) De acordo com o PMBok 5ª ed., o escopo é a soma dos produtos, serviços e resultados a serem fornecidos na forma de projeto. Sendo ele referindo-se a: Escopo

Leia mais

ICMS SÃO PAULO. Livro EXCELL.indd 44 10/04/14 17:11

ICMS SÃO PAULO. Livro EXCELL.indd 44 10/04/14 17:11 ICMS SÃO PAULO Livro EXCELL.indd 44 10/04/14 17:11 INSTRUMENTO PARTICULAR DE COMPRA E VENDA DE CREDITOS DE ICMS - ESTADO DE SÃO PAULO DE FORMA ONEROSA contratante, CNPJ. Endereço, cidade, estado, na cidade

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE POLITICAS SOBRE DROGAS - COMAD REGULAMENTO

CONSELHO MUNICIPAL DE POLITICAS SOBRE DROGAS - COMAD REGULAMENTO EDITAL Nº 01 / 2014 - DISPÕE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DO CONCURSO PARA ESCOLHA DA LOGOMARCA DO. REGULAMENTO O Conselho Municipal de Políticas sobre Drogas do município de Santos convida os universitários

Leia mais

PEQUENAS EMPRESAS E PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS TENDÊNCIAS E PRÁTICAS ADOTADAS PELAS EMPRESAS BRASILEIRAS

PEQUENAS EMPRESAS E PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS TENDÊNCIAS E PRÁTICAS ADOTADAS PELAS EMPRESAS BRASILEIRAS PEQUENAS EMPRESAS E PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS TENDÊNCIAS E PRÁTICAS ADOTADAS PELAS EMPRESAS BRASILEIRAS EMENTA O presente estudo tem por finalidade abordar o comportamento recente das pequenas empresas na

Leia mais

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA DO CAFÉ TORRADO E MOÍDO

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA DO CAFÉ TORRADO E MOÍDO SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA DO CAFÉ TORRADO E MOÍDO Janeiro 2016 Substituição Tributária do Café Torrado e Moído Introdução Em função das modificações promovidas pela Lei Complementar n.º 147/2014 no Estatuto

Leia mais

REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS

REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS INTRODUÇÃO Esse documento orienta as aquisições da Agência de Desenvolvimento e Inovação de Guarulhos, doravante denominada AGENDE, inscrita no CNPJ nº

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2007 PROCESSO Nº

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) Contrato por Produto Nacional

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) Contrato por Produto Nacional TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) Contrato por Produto Nacional Número e Título do Projeto: BRA/09/004 Fortalecimento da CAIXA no seu processo de internacionalização

Leia mais

O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Institui o Estatuto da Metrópole, altera a Lei nº 10.257, de 10 de julho de 2001, e dá outras providências. O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Esta Lei, denominada

Leia mais

REF: Questionamentos do edital de EDITAL DE PREGÃO PRESENCIAL Nº. 002/2015 PROCESSO SECOM Nº. 371/2014

REF: Questionamentos do edital de EDITAL DE PREGÃO PRESENCIAL Nº. 002/2015 PROCESSO SECOM Nº. 371/2014 TIM CELULAR S/A CNPJ: 04.206.050/0001-80 - Insc.Estadual: 116.049.102.113 AV. GIOVANNI GRONCHI, NO. 7143, VILA ANDRADE SÃO PAULO (SP) - CEP: 05.724-006 --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

CCT 2005/2006 - Sindirepa e Sirvepa

CCT 2005/2006 - Sindirepa e Sirvepa CCT 2005/2006 - Sindirepa e Sirvepa CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO - 2.005/2.006. CATEGORIA ECONÔMICA SINDIREPA-PR Sindicato da Indústria de Reparação de Veículos e Acessórios do Estado do Paraná. CNPJ

Leia mais

QUESTIONAMENTO ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 03/2014 - BNDES

QUESTIONAMENTO ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 03/2014 - BNDES QUESTIONAMENTO ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 03/2014 - BNDES Item 1.2 Grupo 1 do termo de referencia No grupo 1 o órgão solicita protocolo ISDN. Solicitamos que seja permitido o protocolo

Leia mais

Manual. Alambique. A Engenharia nos Empreendimentos. Anexo VIII

Manual. Alambique. A Engenharia nos Empreendimentos. Anexo VIII Manual A Engenharia nos Empreendimentos Alambique Anexo VIII ALAMBIQUE 1- Empreendimento Descrição: Entende-se como Alambique o empreendimento industrial que produz aguardente/cachaça e compreende desde

Leia mais

Soluções Inovadoras. FlyFlex. Fly Solution

Soluções Inovadoras. FlyFlex. Fly Solution Soluções Inovadoras FlyFlex Versão 1.00 Fly Solution O Software FlyFlex 1.00 FlyFlex é um software desenvolvido pela empresa Fly Solution para atender a necessidade de gestão de negócios de pequenas e

Leia mais

ANEXO I EDITAL - CONVITE nº 008/2005-ANATEL-ER01 PROCESSO nº 53504.017.798/2005 PROJETO BÁSICO

ANEXO I EDITAL - CONVITE nº 008/2005-ANATEL-ER01 PROCESSO nº 53504.017.798/2005 PROJETO BÁSICO ANEXO I EDITAL - CONVITE nº 008/2005-ANATEL-ER01 PROCESSO nº 53504.017.798/2005 PROJETO BÁSICO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA DO SISTEMA DE AR CONDICIONADO ESCRITÓRIO REGIONAL

Leia mais

1. DO OBJETO: Aquisição de Capachos Personalizados com ENTREGA ÚNICA conforme especificação abaixo para utilização no Prédio Sede da SEFAZ.

1. DO OBJETO: Aquisição de Capachos Personalizados com ENTREGA ÚNICA conforme especificação abaixo para utilização no Prédio Sede da SEFAZ. Código de Classificação: 13.02.01.15 TERMO DE REFERÊNCIA 1. DO OBJETO: Aquisição de Capachos Personalizados com ENTREGA ÚNICA conforme especificação abaixo para utilização no Prédio Sede da SEFAZ. 2. DA

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. O projeto deverá seguir os critérios do projeto básico estabelecido pela Comissão Especial de Obras do CAU/AL (arquivo básico).

TERMO DE REFERÊNCIA. O projeto deverá seguir os critérios do projeto básico estabelecido pela Comissão Especial de Obras do CAU/AL (arquivo básico). 1. OBJETO E JUSTIFICATIVA. TERMO DE REFERÊNCIA Este termo de referência visa estabelecer os critérios mínimos para contratação de profissional e/ou empresa especializada e habilitada para apresentação

Leia mais

POLÍTICAS DE RECURSOS HUMANOS UNIDADE RECURSOS HUMANOS E PROCESSOS GERÊNCIA DE GESTÃO DE PROCESSOS

POLÍTICAS DE RECURSOS HUMANOS UNIDADE RECURSOS HUMANOS E PROCESSOS GERÊNCIA DE GESTÃO DE PROCESSOS POLÍTICAS DE RECURSOS HUMANOS COB UNIDADE RECURSOS HUMANOS E PROCESSOS GERÊNCIA DE GESTÃO DE PROCESSOS POLRH-001 GESTÃO DE CARGOS E SALÁRIOS Revisão: 03 ÁREA RESPONSÁVEL: Recursos Humanos SUMÁRIO CAPÍTULO

Leia mais

ARGANIL INVESTE MAIS REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL. Nota Justificativa

ARGANIL INVESTE MAIS REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL. Nota Justificativa ARGANIL INVESTE MAIS REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL Nota Justificativa Considerando que a competitividade da economia concelhia está na primeira linha das preocupações

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECOLÓGICA DA BAHIA COORDENAÇÃO TÉCNICA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECOLÓGICA DA BAHIA COORDENAÇÃO TÉCNICA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECOLÓGICA DA BAHIA COORDENAÇÃO TÉCNICA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA NORMAS COMPLEMENTARES PARA CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DO CEFET-BA Normas adicionais

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS (TJAM) COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO (CPL)

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS (TJAM) COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO (CPL) REFERÊNCIA Pedido de Impugnação ao edital do Pregão Eletrônico nº. 018/2016, processo administrativo nº 2015/20602, cujo objeto é a contratação de empresa especializada para o fornecimento e instalação

Leia mais

ANEXO I. TERMO DE REFERÊNCIA AQUISIÇÃO (Registro de Preços Pregão Eletrônico)

ANEXO I. TERMO DE REFERÊNCIA AQUISIÇÃO (Registro de Preços Pregão Eletrônico) ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA AQUISIÇÃO (Registro de Preços Pregão Eletrônico) 1. DO OBJETO - Fornecimento através do Sistema de Registro de Preços de material permanente Estantes, Armários e Roupeiros 2.

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER YIELD VIP REFERENCIADO DI CRÉDITO PRIVADO 01.615.744/0001-83 Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER YIELD VIP REFERENCIADO DI CRÉDITO PRIVADO 01.615.744/0001-83 Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER YIELD VIP REFERENCIADO DI CRÉDITO PRIVADO 01.615.744/0001-83 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

Anexo II - Planilha de Formação de Preço - Serviço de Vigilância - PRT24ª - Sede - Campo Grande/MS

Anexo II - Planilha de Formação de Preço - Serviço de Vigilância - PRT24ª - Sede - Campo Grande/MS Anexo II - Planilha de Formação de Preço - Serviço de Vigilância - PRT24ª - Sede - Campo Grande/MS ENTRADA DE DADOS - Convenção Coletiva de Trabalho 2013/2014 DATA BASE DA CATEGORIA: 01 de março I - REMUNERAÇÃO

Leia mais

RESOLUÇÃO CREDUNI 004/2015

RESOLUÇÃO CREDUNI 004/2015 RESOLUÇÃO CREDUNI 004/2015 Atualiza a Resolução CREDUNI 003/2015 de 8/09/2015 sobre critérios e taxas de juros de empréstimos e financiamentos de acordo com as condições oferecidas pelo cooperado modificando

Leia mais

2 03/11 Relatório Final R.A. O.S. O.A. PU. 1 30/09 Alterado Endereço do Terreno R.A. O.S. O.A. PU

2 03/11 Relatório Final R.A. O.S. O.A. PU. 1 30/09 Alterado Endereço do Terreno R.A. O.S. O.A. PU Código Rev. Folha SD.KLA.PA.RE.001 2 1/ Código do cliente Rev. 0 KLABIN S. A. PARANAGUA PR TERRENO ROCHA RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO GEOTÉCNICA FUROS DE SONDAGENS Cliente : KLABIN S. A. Obra : LEVANTAMENTO

Leia mais

FUNEPU Demonstrações Contábeis 2009. DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS em 31 de dezembro de 2009 acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

FUNEPU Demonstrações Contábeis 2009. DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS em 31 de dezembro de 2009 acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS em 31 de dezembro de 2009 acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes 1 FUNDAÇÃO DE ENSINO E PESQUISA DE UBERABA - FUNEPU CNPJ 20.054.326/0001-09 BALANÇO PATRIMONIAL PARA

Leia mais

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Nº 0558-2009-01 MÉDICO FISIATRA DS/REABILITAÇÃO R$ 4.105,18-20 horas semanais SESI-SP

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Nº 0558-2009-01 MÉDICO FISIATRA DS/REABILITAÇÃO R$ 4.105,18-20 horas semanais SESI-SP EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Nº 0558-2009-01 MÉDICO FISIATRA DS/REABILITAÇÃO R$ 4.105,18-20 horas semanais SESI-SP A Diretoria de Recursos Humanos do SESI-SP abre inscrições para candidatos interessados

Leia mais

Instruções para o cadastramento da Operação de Transporte e geração do Código Identificador da Operação de Transporte CIOT.

Instruções para o cadastramento da Operação de Transporte e geração do Código Identificador da Operação de Transporte CIOT. Instruções para o cadastramento da Operação de Transporte e geração do Código Identificador da Operação de Transporte CIOT. Versão: 16/03/12 As instruções abaixo aplicam-se a todas as Operações de Transportes

Leia mais

I. Descrição das ações de auditoria interna realizadas pela entidade durante o exercício de 2015:

I. Descrição das ações de auditoria interna realizadas pela entidade durante o exercício de 2015: I. Descrição das ações de auditoria interna realizadas pela entidade durante o exercício de 2015: Ação nº 1: Elaboração do Relatório Anual de Atividades de Auditoria Interna RAINT 2015, referente ao exercício

Leia mais

CANDIDATURA A BOLSA DE MÉ RITO PARA ESTUDOS PÓ S-GRADUADOS DO ANO ACADÉ MICO DE

CANDIDATURA A BOLSA DE MÉ RITO PARA ESTUDOS PÓ S-GRADUADOS DO ANO ACADÉ MICO DE 2016/2017 學 年 研 究 生 獎 學 金 申 請 申 請 人 可 於 研 究 生 資 助 發 放 技 術 委 員 會 的 網 上 系 統 直 接 填 寫 申 請 表 後, 列 印 及 簽 署, 並 連 同 其 他 申 請 文 件 交 到 大 學 生 中 心 ( 地 址 : 澳 門 荷 蘭 園 大 馬 路 68-B 號 華 昌 大 廈 地 下 B 座 ) CANDIDATURA A BOLSA

Leia mais

Prémio Jovem Empreendedor Regulamento. Municí pio de Grâ ndolâ

Prémio Jovem Empreendedor Regulamento. Municí pio de Grâ ndolâ Prémio Jovem Empreendedor Regulamento Municí pio de Grâ ndolâ Regulamento do Prémio Jovem Empreendedor Preâmbulo O empreendedorismo tem vindo a assumir, dadas as atuais circunstâncias económicas e sociais,

Leia mais

ABERTURA DE INSCRIÇÕES - CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DE 3º GRAU

ABERTURA DE INSCRIÇÕES - CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DE 3º GRAU UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS E DO TRABALHO EDITAL DE Nº 15 DE 12 DE FEVEREIRO DE 2014 Publicado no D.O.U. de 14/02/2014, seção 3, p. 88-91 ABERTURA DE INSCRIÇÕES -

Leia mais

Regulamento de Compras e Contratações de Serviços

Regulamento de Compras e Contratações de Serviços Regulamento de Compras e Contratações de Serviços Capítulo I INTRODUÇÃO Dos Princípios Art.1º- Este regulamento estabelece normas para a aquisição e alienação de bens e para a contratação de obras e serviços

Leia mais

PROJETO NBR 19000 - Adoção de Critérios da Qualidade Baseados nas Normas da Família NBR ISO 9000 para Fornecimento de Produtos

PROJETO NBR 19000 - Adoção de Critérios da Qualidade Baseados nas Normas da Família NBR ISO 9000 para Fornecimento de Produtos XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de outubro Olinda - Pernambuco - Brasil PROJETO NBR 19000 - Adoção de Critérios da Qualidade Baseados nas Normas da Família

Leia mais

ANEXO E: Análise de Risco e Providências Pertinentes - Conferência inicial

ANEXO E: Análise de Risco e Providências Pertinentes - Conferência inicial ANEXO E: Análise de Risco e Providências Pertinentes - Conferência inicial Credenciais dos patrocinadores Análise de risco do país Credibilidade do estudo de viabilidade e plano de negócios (incluindo

Leia mais

Dispõe sobre a regulamentação do uso obrigatório do simulador de direção veicular.

Dispõe sobre a regulamentação do uso obrigatório do simulador de direção veicular. DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO - DETRAN/PB Portaria nº 496/2014-DS João Pessoa, 15 de setembro de 2014. (Publicada no Diário Oficial de 19 de setembro de 2014) Dispõe sobre a regulamentação do uso obrigatório

Leia mais

Defender interesses difusos e coletivos, defender o regime democrático e a implementação de políticas constitucionais.

Defender interesses difusos e coletivos, defender o regime democrático e a implementação de políticas constitucionais. 1. Escopo ou finalidade do projeto Ampliar a efetividade do velamento que o Ministério Público exerce sobre as Fundações Privadas, de forma a garantir que este patrimônio social seja efetivamente aplicado

Leia mais

Minuta Circular Normativa

Minuta Circular Normativa Minuta Circular Normativa 1. INTRODUÇÃO 1.1. Objetivo a) Estabelecer princípios e diretrizes para orientar as ações de natureza socioambiental nos negócios da Desenbahia e no seu relacionamento com clientes

Leia mais

GOVERNANÇA NA FUNDAÇÃO BANCO DO BRASIL 1. INTRODUÇÃO

GOVERNANÇA NA FUNDAÇÃO BANCO DO BRASIL 1. INTRODUÇÃO GOVERNANÇA NA FUNDAÇÃO BANCO DO BRASIL 1. INTRODUÇÃO 1.1 As disposições contidas a seguir foram extraídas de documentos e de deliberações que regulam a atuação da Fundação Banco do Brasil, cuja consulta,

Leia mais