PRODUÇÃO DE AVES CAIPIRAS RECEBENDO RAÇÕES COM DIFERENTES NÍVEIS DO RESÍDUO DA RASPA DA MANDIOCA COM E SEM URUCUM

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PRODUÇÃO DE AVES CAIPIRAS RECEBENDO RAÇÕES COM DIFERENTES NÍVEIS DO RESÍDUO DA RASPA DA MANDIOCA COM E SEM URUCUM"

Transcrição

1 PRODUÇÃO DE AVES CAIPIRAS RECEBENDO RAÇÕES COM DIFERENTES NÍVEIS DO RESÍDUO DA RASPA DA MANDIOCA COM E SEM URUCUM Antonio Hugo Rabelo de Castro 1 ; Kênia Ferreira Rodrigues 2 ; 1 Aluno do Curso de Zootecnia; Campus de Araguaína; PIBIC/CNPq 2 Orientadora do Curso de Zootecnia; Campus de Araguaína; RESUMO O objetivo deste trabalho foi avaliar a inclusão do bagaço da mandioca nas rações de aves do tipo caipira e testar a bixina originada do urucum como agente pigmentante nas carcaças de aves do tipo caipira. Foram utilizadas 550 aves distribuídas num delineamento experimental inteiramente casualizado em esquema fatorial 2x3+1, sendo dois níveis de inclusão do bagaço de mandioca (10% e 20%), três níveis de inclusão do urucum como pigmentante (1, 2, e 3%), e um tratamento adicional que funcionou como testemunha, com quatro repetições, 28 piquetes, e 11 aves por unidade experimental. As aves foram devidamente vacinadas e alimentadas até os 30 dias de idade com uma ração do tipo inicial a base de milho e farelo de soja, e com uma suplementação de vitaminas e minerais. Para verificação do desempenho zootécnico foram avaliados os parâmetros: ganho de peso (GP), consumo de ração (CR) e conversão alimentar (CA). Determinou-se também o rendimento de carcaça. Concluiu-se que o nível de 10% de inclusão da raspa foi o que apresentou melhor resultado de desempenho, e que o nível de 2% do pigmentante foi o que proporcionou melhor ganho de peso, e que não houve alterações significativas no rendimento de carcaça. Palavras-chave: raspa de mandioca; urucum; desempenho zootécnico; rendimento de carcaça. INTRODUÇÃO O setor avícola nacional, principalmente ligado à avicultura de corte, tem levado o Brasil, nas últimas décadas, a posições de destaque como grande produtor e exportador de frangos. Essa Produção caracteriza-se pela obtenção de frangos em sistemas intensivos de produção, com linhagens geneticamente melhoradas para apresentarem bons índices de desempenho e é realizada em sua maior parte por grandes empresas, mediante sistemas de integração com produtores (FARIA, 2007). No entanto essa produção gera enormes custos com alimentação que pode chegar a 70 a 80 % do custo final da criação (COSTA; WAQUIL, 1999).

2 Mesmo com o aumento do consumo da carne de frango, observa-se ainda um interesse crescente no consumo de carnes com características alternativas, as quais podem ser obtidas mediante produção de aves com desenvolvimento lento e criadas com acesso a piquete, atendendo assim a um nicho de mercado constituído por uma faixa de consumidores mais exigentes. Essa ave, conhecida por caipira (região Sudeste), colonial (região Sul) ou capoeira (região Nordeste), tem características sensoriais diferenciadas das aves criadas em confinamento comercial, com carne mais escura e firme, sabor acentuado e menor teor de gordura na carcaça (TAKAHASHI et al., 2006). Para obter parâmetros produtivos e econômicos, uma das formas de reduzir o custo seria a utilização de subprodutos da agroindústria na alimentação animal. Esses resíduos, se não utilizados, serão liberados para o ambiente, provocando a poluição do mesmo (PELIZER; PONTIERI; MORAES, 2007). A mandioca (Manihot esculenta Crantz) é um alimento com grande potencial como alternativa alimentar animal visto seu alto potencial energético, podendo gerar vários resíduos, um deles é a raspa/bagaço de mandioca (BM), resíduo da extração da fécula, após ser descascada, triturada, retirada a fécula (amido) e seca. Possui um teor de 2450 kcal/kg de energia e 1,65% de proteína bruta (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - EMBRAPA, 1991). É produzida em todas as regiões do país, sendo o Pará o estado que abriga a maior produção na região norte (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, 2009). A América Latina é o principal produtor mundial de urucum (Bixa orellana L), apresentando uma produção anual de aproximadamente 17 mil toneladas, das quais 12 mil são originárias do Brasil (IBGE, 2009). O fruto contém proteínas, beta-caroteno e outros carotenoides, sendo os mais abundantes a Bixina e a Norbixina (CATÁLOGO RURAL, 2005). Objetivou-se no presente estudo determinar o nível de inclusão do bagaço de mandioca com e sem urucum em dietas para aves de crescimento lento nas fases de crescimento (29 a 56 dias) e final (57 a 84 dias), considerando o desempenho produtivo e rendimento de carcaça das aves. MATERIAL E MÉTODOS O ensaio foi realizado no setor de avicultura da Escola de Medicina Veterinária e Zootecnia. Foram adquiridos no mercado local 550 pintinhos de um dia do tipo caipira (Label Rouge), devidamente vacinados e criados até os 30 dias recebendo uma ração do tipo inicial, a base de milho

3 e farelo de soja com suplementação de uma fonte de minerais e vitaminas seguindo as recomendações de Rostagno et. al A partir dos 30 dias as aves foram pesadas e distribuídas nos piquetes de 100m2, num delineamento experimental inteiramente casualizado em esquema fatorial 2x3+1, sendo dois níveis de inclusão do bagaço de mandioca (10% e 20%), três níveis de inclusão do urucum como pigmentante (1, 2 e 3%) e um tratamento adicional que funcionará como testemunha, com 4 repetições, 28 piquetes e 11 aves por unidade experimental. Para cada fase experimental, foram formuladas as rações para atender as exigências nutricionais das aves segundo Rostagno et al. (2011) com os níveis de 10 e 20% de inclusão do bagaço da mandioca e 1, 2 e 3% de inclusão do pigmentante. Para o desempenho foram realizadas pesagens das aves e ração aos 28, 58 e 88 dias de idade para determinação do consumo, ganho de peso e conversão alimentar, e também anotada a mortalidade das aves. Em cada pesagem, duas aves de cada parcela experimental foram submetidas a jejum de 12 horas, e posteriormente insensibilizadas e abatidas por deslocamento cervical, realizando-se a sangria e a retirada das penas e vísceras para determinação do rendimento de carcaça. Os dados foram processados no programa estatístico SAS. Onde foi realizada análise de variância levando em consideração os níveis de inclusão do resíduo e dos pigmentantes e seus resultados comparados à testemunha. RESULTADOS E DISCUSSÃO Os resultados de consumo de ração (g), ganho de peso (g), e conversão alimentar são encontrados na tabela 3. Tabela 3 Efeito da inclusão de bagaço de mandioca e pigmentante urucum sobre o consumo de ração (CR), ganho de peso (GP), e conversão alimentar (CA) de frangos Label Rouge. Parâmetro Controle 10% de Bagaço de Mandioca 20% de Bagaço de Mandioca CV Urucum Urucum 1% 2% 3% 1% 2% 3% CR ,5a 7254,0b 6723,5c 7073,7a 6636,25c 6747,50b 2,45 GP ,0b 2253,0a 2121,0c 2007,2b 2133,5a 1947,0c 3,092

4 CA 3,39 3,39a 3,22b 3,17c 3,52a 3,11c 3,46b 3,39 RE 76,45 75,88 77,18 75,28 76,91 80,03 76,58 A análise dos dados mostrou uma diferença significativa quanto à inclusão de bagaço de mandioca e dos níveis de pigmentantes sobre todas as características de desempenho, observando-se uma interação significativa entre os fatores para as variáveis consumo de ração e conversão alimentar. Podemos observar os melhores resultados de desempenho para o nível de 10% de inclusão do bagaço contra o nível de 20% de inclusão. Quanto aos níveis de pigmentantes, estudados dentro de cada nível de inclusão do bagaço (10 e 20%), pode-se observar um melhor ganho de peso quando usamos 2% de inclusão do urucum. Não houve efeito significativo para rendimento de carcaça. Estes resultados são preliminares e ainda estão sendo realizadas as análises laboratoriais de carcaça e pigmentação da pele dos animais para posteriores conclusões. LITERATURA CITADA CATÁLOGO RURAL. Disponível em: < Acesso em: 02 nov COSTA, T. V. M.; WAQUIL, P. D. Comércio intra-mercosul de frangos: intensidade, orientação regional e vantagens comparativas. Teoria da Evidência Econômica, v. 7, n. 12, p. 9-35, EMBRAPA, Centro Nacional de Pesquisa de Suínos e Aves, Tabela de composição química e valores energéticos de alimentos para aves e suínos, 3 Ed., Concórdia, 97p., 1991 (Documentos n 19 EMBRAPA - CNPSA). FARIA, P. B. Desempenho e qualidade de carcaças e carne de frangos criados em sistema alternativo. Lavras, MG: Universidade Federal de Lavras, p. Tese (Doutorado em Ciências e Tecnologia de Alimento) Universidade Federal de Lavras, 2007 IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Produção da extração vegetal e silvicultura, v.24, p. Disponível em: < Acesso em: 02 nov ISSN: IBGE- Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística Disponível em: < >. Acesso em: 09 mai

5 PELIZER, L. H.; PONTIERI, M. H.; MORAES, I. de O. Utilização de resíduos agroindustriais em processos biotecnológicos como perspectiva de redução do impacto ambiental. Journal of Technology Management e Innovation, v. 2, n. 2, p , ROSTAGNO, H. S.; ALBINO, L. F. T.; DONZELE, J. L.; GOMES, P. C.; FERREIRA, A. S.; OLIVEIRA, R. F.; LOPES, D. C.; BARRETO, S. L. T. Tabelas brasileiras para aves e suínos: Composição dos alimentos e exigências nutricionais. Viçosa: UFV, p. SILVA, D. J.; QUEIROZ, A. C. Análise de alimentos, métodos químicos e biológicos. 3.ed. Viçosa, UFV, SOUSA, J. P. L. Avaliação do bagaço de mandioca em rações para frangos de corte. Araguaína TO p. Dissertação (Mestrado em Ciência Animal Tropical), Universidade Federal do Tocantins, TAKAHASHI, S. E.; MENDES, A. A.; SALDANHA, E. S. P. B.; PIZZOLANTE, C. C. K.; PELÍCIA, K.; GARCIA, R.G.; PAZ, I. C. L. A.; QUINTEIRO, R. R. Efeito do sistema de criação sobre o desempenho e rendimento de carcaça de frangos de corte tipo colonial. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia. v.58, n.4, p , 2006 AGRADECIMENTOS À Deus, familiares, amigos, e professores. "O presente trabalho foi realizado com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico CNPq Brasil"

11 a 14 de dezembro de 2012 Campus de Palmas

11 a 14 de dezembro de 2012 Campus de Palmas PARAMETROS HEMATÓLOGICOS E BIOQUÍMICOS DO SANGUE, BIOMETRIA E HISTOMORFOMETRIA DOS ORGÃOS E TRATO DIGESTÓRIO DE FRANGOS CAIPIRAS SUBMETIDOS A DIETAS COM INCLUSÃO DO BAGAÇO DE MANDIOCA, COM E SEM ADIÇÃO

Leia mais

Substituição do farelo de soja pela torta de babaçu em rações balanceadas para frangos de corte na fase de 22 a 42 dias de idade

Substituição do farelo de soja pela torta de babaçu em rações balanceadas para frangos de corte na fase de 22 a 42 dias de idade Substituição do farelo de soja pela torta de babaçu em rações balanceadas para frangos de corte na fase de 22 a 42 dias de idade Carla Fonseca Alves 1 ; Roberta Gomes Marçal Vieira Vaz 2 ; Mônica Calixto

Leia mais

DIFERENTES NÍVEIS DE SUBSTITUIÇÃO DO MILHO POR TORTA DE COCO BABAÇU EM RAÇÕES DE FRANGOS LABEL ROUGE DE 1 A 28 DIAS DE IDADE

DIFERENTES NÍVEIS DE SUBSTITUIÇÃO DO MILHO POR TORTA DE COCO BABAÇU EM RAÇÕES DE FRANGOS LABEL ROUGE DE 1 A 28 DIAS DE IDADE DIFERENTES NÍVEIS DE SUBSTITUIÇÃO DO MILHO POR TORTA DE COCO BABAÇU EM RAÇÕES DE FRANGOS LABEL ROUGE DE 1 A 28 DIAS DE IDADE Rayleiane Cunha Lima¹; Rubens Fausto da Silva² ¹ Aluna do curso de zootecnia

Leia mais

11 a 14 de dezembro de 2012 Campus de Palmas

11 a 14 de dezembro de 2012 Campus de Palmas Avaliação do efeito da inclusão da farinha do mesocarpo do babaçu sobre o rendimento de carcaça, rendimento de cortes nobres e composição corporal de frangos de corte na fase de 22 a 42 dias de idade Luciana

Leia mais

DESEMPENHO DE TRÊS DIFERENTES LINHAGENS DE FRANGOS DE CRESCIMENTO LENTO NA FASE INICIAL

DESEMPENHO DE TRÊS DIFERENTES LINHAGENS DE FRANGOS DE CRESCIMENTO LENTO NA FASE INICIAL DESEMPENHO DE TRÊS DIFERENTES LINHAGENS DE FRANGOS DE CRESCIMENTO LENTO NA FASE INICIAL Raphael Rodrigues dos SANTOS* 1, Saullo Diogo de ASSIS 1, Nadja Susana Mogyca LEANDRO 1, Juliana Pinto MACHADO 1,

Leia mais

VI Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí VI Jornada Científica 21 a 26 de outubro de 2013

VI Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí VI Jornada Científica 21 a 26 de outubro de 2013 Substituição de promotores de crescimento a base de antibióticos por extrato etanólico de própolis em dietas para frangos de corte na fase de 1 a 42 dias de idade Wesley Caetano VIEIRA 1 ; Adriano GERALDO

Leia mais

EFEITOS DA INCLUSÃO DE FARINHA DE FOLHAS DE MANDIOCA SOBRE O DESEMPENHO EM FRANGOS DE CORTE EM CRESCIMENTO

EFEITOS DA INCLUSÃO DE FARINHA DE FOLHAS DE MANDIOCA SOBRE O DESEMPENHO EM FRANGOS DE CORTE EM CRESCIMENTO EFEITOS DA INCLUSÃO DE FARINHA DE FOLHAS DE MANDIOCA SOBRE O DESEMPENHO EM FRANGOS DE CORTE EM CRESCIMENTO Autores : Marli Terezinha Dalmolin KOCK, Rita de Albernaz Gonçalves da SILVA. Identificação autores:

Leia mais

Níveis de lisina digestível em rações para poedeiras semipesadas no período de 47 a 62 semanas de idade e seus efeitos sobre o desempenho produtivo.

Níveis de lisina digestível em rações para poedeiras semipesadas no período de 47 a 62 semanas de idade e seus efeitos sobre o desempenho produtivo. Níveis de lisina digestível em rações para poedeiras semipesadas no período de 47 a 62 semanas de idade e seus efeitos sobre o desempenho produtivo. Angélica Santana CAMARGOS¹; Adriano GERALDO²; Sérgio

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE URUCUM NA ALIMENTAÇÃO DE FRANGOS DA LINHAGEM LABEL ROUGE

UTILIZAÇÃO DE URUCUM NA ALIMENTAÇÃO DE FRANGOS DA LINHAGEM LABEL ROUGE UTILIZAÇÃO DE URUCUM NA ALIMENTAÇÃO DE FRANGOS DA LINHAGEM LABEL ROUGE Dyjoan Whenys Dias ASSUNÇÃO* 1, Josilene Correa ROCHA 1, Osvaldo Júnior Cavalcante SILVA 1, Gislene Cardoso de SOUZA 1, André Lúcio

Leia mais

DESEMPENHO DE FRANGOS DE CORTE FÊMEAS RECEBENDO DIETAS COM NÍVEIS DE VALINA

DESEMPENHO DE FRANGOS DE CORTE FÊMEAS RECEBENDO DIETAS COM NÍVEIS DE VALINA DESEMPENHO DE FRANGOS DE CORTE FÊMEAS RECEBENDO DIETAS COM NÍVEIS DE VALINA Jovane Lino RIBEIRO* 1, Thuani Venâncio da Silva PEREIRA 2, Lucélia Alves do NASCIMENTO 1, Alessandra Luiza de SOUZA 1, Suelem

Leia mais

CURVA DE CRESCIMENTO DA LINHAGEM DE FRANGO DE CORTE CARIJÓ

CURVA DE CRESCIMENTO DA LINHAGEM DE FRANGO DE CORTE CARIJÓ CURVA DE CRESCIMENTO DA LINHAGEM DE FRANGO DE CORTE CARIJÓ Raphael Rodrigues dos SANTOS* 1, Saullo Diogo de ASSIS 1, Nadja Susana Mogyca LEANDRO 1, Marcos Barcellos CAFÉ 1, Juliana Pinto MACHADO 1, Maria

Leia mais

RELATÓRIO DE PESQUISA - 49

RELATÓRIO DE PESQUISA - 49 RELATÓRIO DE PESQUISA - 49 2005 Disponível em nosso site: www.lisina.com.br Redução de Proteína Dietética Aplicando o Conceito de Proteína Ideal em Frangos de Corte Introdução A disponibilidade de aminoácidos

Leia mais

Substituição do milho pela farinha do mesocarpo de babaçu em rações balanceadas para frangos de corte de um a 21 dias de idade

Substituição do milho pela farinha do mesocarpo de babaçu em rações balanceadas para frangos de corte de um a 21 dias de idade Substituição do milho pela farinha do mesocarpo de babaçu em rações balanceadas para frangos de corte de um a 2 dias de idade Luciana Pereira Nabute Cunha ; Roberta Gomes Marçal Vieira Vaz 2 ; Flávia Luzia

Leia mais

DESEMPENHO E CARACTERÍSTICAS DE CARCAÇA DE SUÍNOS EM TERMINAÇÃO SUPLEMENTADOS COM DIFERENTES NÍVEIS DE RACTOPAMINA NA DIETA

DESEMPENHO E CARACTERÍSTICAS DE CARCAÇA DE SUÍNOS EM TERMINAÇÃO SUPLEMENTADOS COM DIFERENTES NÍVEIS DE RACTOPAMINA NA DIETA DESEMPENHO E CARACTERÍSTICAS DE CARCAÇA DE SUÍNOS EM TERMINAÇÃO SUPLEMENTADOS COM DIFERENTES NÍVEIS DE RACTOPAMINA NA DIETA Marcos L. DIAS 1 ; Fábio R. de ALMEIDA 1 ; Helena M. F. da SILVA 1 ; Antônio

Leia mais

CARACTERISTICAS DE VÍSCERAS E GORDURA ABDOMINAL DE FRANGOS DA LINHAGEM LABEL ROUGE ALIMENTADOS COM DIFERENTES NÍVEIS DE URUCUM

CARACTERISTICAS DE VÍSCERAS E GORDURA ABDOMINAL DE FRANGOS DA LINHAGEM LABEL ROUGE ALIMENTADOS COM DIFERENTES NÍVEIS DE URUCUM CARACTERISTICAS DE VÍSCERAS E GORDURA ABDOMINAL DE FRANGOS DA LINHAGEM LABEL ROUGE ALIMENTADOS COM DIFERENTES NÍVEIS DE URUCUM Josilene Correa ROCHA* 1, Osvaldo Júnior Cavalcante SILVA 1, Gislene Cardoso

Leia mais

Características da carcaça e da carne de tourinhos terminados em confinamento com dietas contendo grão de milheto e inclusão de glicerina bruta

Características da carcaça e da carne de tourinhos terminados em confinamento com dietas contendo grão de milheto e inclusão de glicerina bruta Características da carcaça e da carne de tourinhos terminados em confinamento com dietas contendo grão de milheto e inclusão de glicerina bruta Bruna Gomes Pereira 1 ; João Restle 2 1 Aluno do Curso de

Leia mais

Helena M. F. da SILVA 1 ; Fábio R. ALMEIDA 1 ; Marcos L. DIAS 1 ; Gustavo F. RODRIGUES 1 ; Letícia G. M. AMARAL 2 ; Níkolas O.

Helena M. F. da SILVA 1 ; Fábio R. ALMEIDA 1 ; Marcos L. DIAS 1 ; Gustavo F. RODRIGUES 1 ; Letícia G. M. AMARAL 2 ; Níkolas O. VIABILIDADE ECONÔMICA DO USO DE RACTOPAMINA EM RAÇÕES PARA SUÍNOS EM TERMINAÇÃO DE DIFERENTES POTENCIAIS GENÉTICOS PARA GANHO DE PESO OU SÍNTESE DE CARNE MAGRA Helena M. F. da SILVA 1 ; Fábio R. ALMEIDA

Leia mais

RELATÓRIO DE PESQUISA - 42

RELATÓRIO DE PESQUISA - 42 2005 RELATÓRIO DE PESQUISA - 42 Disponível em nosso site: www.lisina.com.br Exigências de Lisina Digestível de Suínos Machos Castrados de Alto Potencial Genético dos 95 aos125 kg Introdução O peso ao abate

Leia mais

ACEITABILIDADE DE OVOS COM BASE NA DEGUSTAÇÃO E PIGMENTAÇÃO DA GEMA

ACEITABILIDADE DE OVOS COM BASE NA DEGUSTAÇÃO E PIGMENTAÇÃO DA GEMA ACEITABILIDADE DE OVOS COM BASE NA DEGUSTAÇÃO E PIGMENTAÇÃO DA GEMA Ouros, C.C*¹; Pantolfi, N.¹; Vivas, D.N.¹; Baptista, P.S.¹; Domingues, R.M.²; Laurentiz, A.C.³ ¹ Discente do curso de Zootecnia Unesp

Leia mais

RELATÓRIO DE PESQUISA - 47

RELATÓRIO DE PESQUISA - 47 RELATÓRIO DE PESQUISA - 47 2005 Disponível em nosso site: www.lisina.com.br Exigência de Lisina Utilizando o Conceito de Proteína Ideal para Fêmeas Suínas dos 30 aos 60 kg Selecionadas para Deposição de

Leia mais

RELATÓRIO DE PESQUISA - 48

RELATÓRIO DE PESQUISA - 48 RELATÓRIO DE PESQUISA - 48 2005 Disponível em nosso site: www.lisina.com.br Exigência de Lisina Utilizando o Conceito de Proteína Ideal para Fêmeas Suínas dos 60 aos 95 kg Selecionadas para Deposição de

Leia mais

RELATÓRIO DE PESQUISA - 35

RELATÓRIO DE PESQUISA - 35 RELATÓRIO DE PESQUISA - 35 2003 NÍVEL DE LISINA NAS RAÇÕES DE FRANGOS DE CORTE: Experimento 1 22 a 42 dias de idade Experimento 2 36 a 49 dias de idade Introdução O nível de lisina das rações de frangos

Leia mais

11 a 14 de dezembro de 2012 Campus de Palmas

11 a 14 de dezembro de 2012 Campus de Palmas Avaliações de parâmetros hematológicos e bioquímicos do sangue de frango de corte na fase de 22 a 42 dias alimentados com diferentes níveis de farinha do mesocarpo do babaçu Ariane de Sousa Rodrigues 1

Leia mais

Desempenho de leitões em fase de creche alimentados com soro de leite.

Desempenho de leitões em fase de creche alimentados com soro de leite. VII Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG campus Bambuí, VII Jornada Científica ou I Mostra de Extensão, 21 a 23 de outubro de 2014. Desempenho de leitões em fase de creche alimentados com soro de leite.

Leia mais

SORGO - UMA BOA ALTERNATIVA PARA REDUÇÃO DOS CUSTOS DE ALIMENTAÇÃO

SORGO - UMA BOA ALTERNATIVA PARA REDUÇÃO DOS CUSTOS DE ALIMENTAÇÃO Data: Junho/2001 SORGO - UMA BOA ALTERNATIVA PARA REDUÇÃO DOS CUSTOS DE ALIMENTAÇÃO Estamos iniciando a colheita de uma safra de Sorgo, que segundo estimativas deve girar ao redor de 1,350 a 1,500 milhões

Leia mais

POTENCIAL DO URUCUM E SEUS RESÍDUOS PARA PIGMENTAÇÃO DOS PRODUTOS AVÍCOLAS

POTENCIAL DO URUCUM E SEUS RESÍDUOS PARA PIGMENTAÇÃO DOS PRODUTOS AVÍCOLAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA POTENCIAL DO URUCUM E SEUS RESÍDUOS PARA PIGMENTAÇÃO DOS PRODUTOS AVÍCOLAS Ednardo Rodrigues Freitas Prof - DZ/CCA/UFC

Leia mais

Carla Fonseca Alves 1 ; Roberta Gomes Marçal Vieira Vaz 2 ; Lília Alves da Cruz 3

Carla Fonseca Alves 1 ; Roberta Gomes Marçal Vieira Vaz 2 ; Lília Alves da Cruz 3 Avaliações de parâmetros histomorfométricos de fígado e intestino delgado de frangos de corte na fase de 22 a 42 dias de idade, alimentados com diferentes níveis de farinha do mesocarpo do babaçu Carla

Leia mais

Inclusão de diferentes tipos de emulsificantes em dietas para frangos de corte e seus efeitos sobre o desempenho

Inclusão de diferentes tipos de emulsificantes em dietas para frangos de corte e seus efeitos sobre o desempenho Inclusão de diferentes tipos de emulsificantes em dietas para frangos de corte e seus efeitos sobre o desempenho Vitor Colossal da Silva 1 ; Marllon José Karpeggiane de Oliveira 2 ; Sandersson Santos Fonseca

Leia mais

MÉTODOS ALTERNATIVOS DE MUDA FORÇADA EM POEDEIRAS COMERCIAIS

MÉTODOS ALTERNATIVOS DE MUDA FORÇADA EM POEDEIRAS COMERCIAIS MÉTODOS ALTERNATIVOS DE MUDA FORÇADA EM POEDEIRAS COMERCIAIS Larissa O. CARVALHO 1 ; Renata M. de SOUZA²; Alexandre T. FERREIRA 3 ; Jonathan MENDES 4 ; Hemerson J. ALMEIDA 5 RESUMO Foi realizado experimento

Leia mais

RELATÓRIO DE PESQUISA - 44

RELATÓRIO DE PESQUISA - 44 RELATÓRIO DE PESQUISA - 44 2005 Disponível em nosso site: www.lisina.com.br Exigência de Metionina mais Cistina Digestíveis para Suínos Machos Castrados dos 60 aos 95 kg Introdução A sucessiva seleção

Leia mais

INTRODUÇÃO. Sombrio. Sombrio. Sombrio.

INTRODUÇÃO. Sombrio.     Sombrio. Sombrio. SUBSTITUIÇÃO DA SILAGEM DE MILHO (Zea mays) POR SILAGEM DE CASCA E RASPA DE MANDIOCA (Manihot sculenta Crantz) A ALIMENTAÇÃO DE OVELHAS DE DESCARTE CONFINADAS 1 Rodrigo Dalhanholli 2 ; Elias Donadel 3

Leia mais

DESEMPENHO DE FRANGOS DE CORTE ALIMENTADOS COM QUIRERA DE ARROZ

DESEMPENHO DE FRANGOS DE CORTE ALIMENTADOS COM QUIRERA DE ARROZ DESEMPENHO DE FRANGOS DE CORTE ALIMENTADOS COM QUIRERA DE ARROZ MANZKE, Naiana Enhardt¹; BRUM JR, Berilo de Souza²; VALENTE, Beatriz Simões³; HENRICH, Leomar¹; SCHEUERMANN, Bruna¹; PALUDO, Bianca¹; PITONI,

Leia mais

Avaliação da curva de crescimento de frangos de corte e índices zootécnicos no sistema de produção do IFMG campus Bambuí

Avaliação da curva de crescimento de frangos de corte e índices zootécnicos no sistema de produção do IFMG campus Bambuí Avaliação da curva de crescimento de frangos de corte e índices zootécnicos no sistema de produção do IFMG campus Bambuí Chrystiano Pinto de RESENDE 1 ; Everto Geraldo de MORAIS 2 ; Marco Antônio Pereira

Leia mais

Suplementação de carboidrases e fitase em dietas para poedeiras semipesadas e seus efeitos sobre o desempenho

Suplementação de carboidrases e fitase em dietas para poedeiras semipesadas e seus efeitos sobre o desempenho Suplementação de carboidrases e fitase em dietas para poedeiras semipesadas e seus efeitos sobre o desempenho Karina Aurora Rodrigues GOMES 1, Adriano GERALDO 2, Sérgio Domingos SIMÃO³, Filipe Soares NOGUEIRA

Leia mais

ECONOMICIDADE DA SUBSTITUIÇÃO MILHO PELO RESÍDUO ÚMIDO DA EXTRAÇÃO DE FÉCULA DE MANDIOCA NA TERMINAÇÃO DE TOURINHOS EM CONFINAMENTO

ECONOMICIDADE DA SUBSTITUIÇÃO MILHO PELO RESÍDUO ÚMIDO DA EXTRAÇÃO DE FÉCULA DE MANDIOCA NA TERMINAÇÃO DE TOURINHOS EM CONFINAMENTO ECONOMICIDADE DA SUBSTITUIÇÃO MILHO PELO RESÍDUO ÚMIDO DA EXTRAÇÃO DE FÉCULA DE MANDIOCA NA TERMINAÇÃO DE TOURINHOS EM CONFINAMENTO José Jorge dos Santos Abrahão 1, Jair de Araújo Marques 1*, Daniel Perotto

Leia mais

Alimentos Alternativos disponíveis no Nordeste para Alimentação de Aves Tipo Caipira

Alimentos Alternativos disponíveis no Nordeste para Alimentação de Aves Tipo Caipira Alimentos Alternativos disponíveis no Nordeste para Alimentação de Aves Tipo Caipira Professor Carlos Bôa-Viagem Rabello Departamento de Zootecnia Universidade Federal Rural de Pernambuco Recife Pernambuco

Leia mais

Utilização de diferentes tipos de emulsificantes na alimentação de frangos de corte e seus efeitos sobre o rendimento de carcaça

Utilização de diferentes tipos de emulsificantes na alimentação de frangos de corte e seus efeitos sobre o rendimento de carcaça Utilização de diferentes tipos de emulsificantes na alimentação de frangos de corte e seus efeitos sobre o rendimento de carcaça Sandersson Santos Fonseca 1 ; Marllon José Karpeggiane de Oliveira 2 ; Vitor

Leia mais

COLORAÇÃO DE FRANGOS DE CRESCIMENTO LENTO ALIMENTADOS COM DIETAS CONTENDO URUCUM

COLORAÇÃO DE FRANGOS DE CRESCIMENTO LENTO ALIMENTADOS COM DIETAS CONTENDO URUCUM COLORAÇÃO DE FRANGOS DE CRESCIMENTO LENTO ALIMENTADOS COM DIETAS CONTENDO URUCUM Suelem Larissa dos Santos FAUSTINO* 1, Josilene Correa ROCHA 1, Osvaldo Júnior Cavalcante SILVA 1, Alessandra Luiza de SOUZA

Leia mais

AVALIAÇÃO DO RENDIMENTO DE CARCAÇA, BIOMETRIA DO TRATO INTESTINAL E PESO REALTIVO DAS VISCERAS DE DUAS LINHAGENS CAIPIRA ABATIDAS AOS 85 DIAS DE IDADE

AVALIAÇÃO DO RENDIMENTO DE CARCAÇA, BIOMETRIA DO TRATO INTESTINAL E PESO REALTIVO DAS VISCERAS DE DUAS LINHAGENS CAIPIRA ABATIDAS AOS 85 DIAS DE IDADE AVALIAÇÃO DO RENDIMENTO DE CARCAÇA, BIOMETRIA DO TRATO INTESTINAL E PESO REALTIVO DAS VISCERAS DE DUAS LINHAGENS CAIPIRA ABATIDAS AOS 85 DIAS DE IDADE Aline Ferreira Amorim 1, Joana Patrícia Lira de Sousa

Leia mais

Avaliação química de resíduo de fecularia

Avaliação química de resíduo de fecularia Avaliação química de resíduo de fecularia Thais Matos CEACERO¹; Mariana Resende CASTRO¹; Rafael Antonio Nunes COURA ¹; Luis Carlos MACHADO²; Melina Laura Moretti PINHEIRO¹ ¹ Aluno do curso de Zootecnia

Leia mais

11 a 14 de dezembro de 2012 Campus de Palmas

11 a 14 de dezembro de 2012 Campus de Palmas Desempenho de machos de aptidão leiteira alimentados com dietas contendo grão de milho inteiro ou moído com ou sem inclusão de farelo do mesocarpo de babaçu Odimar de Sousa Feitosa 1 ; João Restle 2 1

Leia mais

Uso da Ora-Pro-Nobis para Codornas Japonesas em Fase de Postura

Uso da Ora-Pro-Nobis para Codornas Japonesas em Fase de Postura Uso da Ora-Pro-Nobis para Codornas Japonesas em Fase de Postura Juliano José de Oliveira COUTINHO 1 ; Jeferson Éder Ferreira de OLIVEIRA 2 ; Luiz Carlos MACHADO 3 ; 1 Bacharelando em Zootecnia DCA/IFMG/Bambuí/

Leia mais

Sérgio Domingos SIMÃO¹; Adriano GERALDO²; Angélica Santana CAMARGOS³; Luiz Carlos MACHADO 4 ; Tiago Antonio SANTOS³.

Sérgio Domingos SIMÃO¹; Adriano GERALDO²; Angélica Santana CAMARGOS³; Luiz Carlos MACHADO 4 ; Tiago Antonio SANTOS³. Inclusão de enzimas em rações de poedeiras semipesadas para diminuição dos custos de produção e seus efeitos sobre o desempenho. Sérgio Domingos SIMÃO¹; Adriano GERALDO²; Angélica Santana CAMARGOS³; Luiz

Leia mais

29/03/2012. Métodos para determinar exigências nutricionais de aminoácidos e de energia para monogástricos. Dr. Luciano Hauschild

29/03/2012. Métodos para determinar exigências nutricionais de aminoácidos e de energia para monogástricos. Dr. Luciano Hauschild UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Campus de Jaboticabal Faculdade de ciências Agrárias e Veterinárias Prova didática: concurso público- Edital nº 229/2010-FCAV Dr. Luciano Hauschild

Leia mais

Resumo: Objetivou-se com o presente estudo avaliar a associação da fitase com um complexo enzimático

Resumo: Objetivou-se com o presente estudo avaliar a associação da fitase com um complexo enzimático Resumo Expandido Título da Pesquisa: Suplementação de carboidrases e fitase em ditas para poedeiras semi-pesadas e seus efeitos sobre o desempenho Palavras-chave: enzimas; monogástricos; disponibilização

Leia mais

Desempenho de frangos de corte alimentados com níveis crescentes de inclusão de glicerina purificada na fase de 8 a 21 dias de idade

Desempenho de frangos de corte alimentados com níveis crescentes de inclusão de glicerina purificada na fase de 8 a 21 dias de idade Desempenho de frangos de corte alimentados com níveis crescentes de inclusão de glicerina purificada na fase de 8 a 21 dias de idade Latóya de Sousa Bezerra 1 ; Roberta Gomes Marçal Vieira Vaz 2 ; Mônica

Leia mais

Universidade Estadual de Ponta Grossa / Departamento de Zootecnia / Castro-PR. Palavras chaves: Avicultura, Lactobacillus sp, probióticos.

Universidade Estadual de Ponta Grossa / Departamento de Zootecnia / Castro-PR. Palavras chaves: Avicultura, Lactobacillus sp, probióticos. BIOMETRIA E ph DO TRATO DIGESTÓRIO DE FRANGOS DE CORTE SOB DESAFIO DE CAMA REUTILIZADA E ALTA DENSIDADE Liliane Heuert (PROVIC/UEPG), Bruno Machado, Kátia Nagano, Shivelly Galetto, Bruna Fittkau, Felipe

Leia mais

Níveis de lisina digestível em rações para poedeiras semi-pesadas no período de 28 a 44 semanas e seus efeitos sobre o desempenho 1.

Níveis de lisina digestível em rações para poedeiras semi-pesadas no período de 28 a 44 semanas e seus efeitos sobre o desempenho 1. Níveis de lisina digestível em rações para poedeiras semi-pesadas no período de 28 a 44 semanas e seus efeitos sobre o desempenho 1. Tiago Antônio dos SANTOS 2 ; Adriano GERALDO 3 ; Eduardo Terra NOGUEIRA

Leia mais

RELATÓRIO DE PESQUISA - 41

RELATÓRIO DE PESQUISA - 41 RELATÓRIO DE PESQUISA - 41 2004 Disponível em nosso site: www.lisina.com.br NÍVEL DE LISINA DIGESTÍVEL PARA AS DIETAS PRÉ-INICIAIS DE PINTOS DE CORTE Introdução Objetivo Material e Métodos A utilização

Leia mais

ANÁLISE DA COMPOSIÇÃO CENTESIMAL DE RAÇÃO PARA FRANGOS DE CORTE MACHOS DE UMA EMPRESA DO SUL DE SANTA CATARINA.

ANÁLISE DA COMPOSIÇÃO CENTESIMAL DE RAÇÃO PARA FRANGOS DE CORTE MACHOS DE UMA EMPRESA DO SUL DE SANTA CATARINA. ANÁLISE DA COMPOSIÇÃO CENTESIMAL DE RAÇÃO PARA FRANGOS DE CORTE MACHOS DE UMA EMPRESA DO SUL DE SANTA CATARINA. Felipe ALANO MILANEZ UNESC- Universidade do Extremo Sul Catarinense. Nova Veneza Santa Catarina

Leia mais

Resumo Expandido Título da Pesquisa

Resumo Expandido Título da Pesquisa Resumo Expandido Título da Pesquisa: Substituição de promotores de crescimento a base de antibióticos por extrato etanólico de própolis em dietas para frangos de corte na fase de 1 a 42 dias de idade.

Leia mais

ATUALIZAÇÃO DOS VALORES DE BALANÇO ELETROLÍTICO TOTAL PARA FRANGOS DE CORTE DOS 28 AOS 34 DIAS DE IDADE

ATUALIZAÇÃO DOS VALORES DE BALANÇO ELETROLÍTICO TOTAL PARA FRANGOS DE CORTE DOS 28 AOS 34 DIAS DE IDADE ATUALIZAÇÃO DOS VALORES DE BALANÇO ELETROLÍTICO TOTAL PARA FRANGOS DE CORTE DOS 28 AOS 34 DIAS DE IDADE Pedro Henrique Alves FAGUNDES* 1, Wagner Azis Garcia de ARAÚJO 1, Dielly Inez de Oliveira LACERDA

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA. Disciplina: PRODUÇÃO DE AVES NA MEDICINA VETERINÁRIA Código da Disciplina: VET246

PROGRAMA DE DISCIPLINA. Disciplina: PRODUÇÃO DE AVES NA MEDICINA VETERINÁRIA Código da Disciplina: VET246 PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: PRODUÇÃO DE AVES NA MEDICINA VETERINÁRIA Código da Disciplina: VET246 Curso: MEDICINA VETERINÁRIA Semestre de oferta da disciplina: 7 período Faculdade responsável: MEDICINA

Leia mais

DESEMPENHO DE FRANGOS DE CORTE ALIMENTADOS COM DIETAS CONTENDO ÓLEO DE SOJA. Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, Goiás, Brasil

DESEMPENHO DE FRANGOS DE CORTE ALIMENTADOS COM DIETAS CONTENDO ÓLEO DE SOJA. Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, Goiás, Brasil DESEMPENHO DE FRANGOS DE CORTE ALIMENTADOS COM DIETAS CONTENDO ÓLEO DE SOJA Rafaela Cavalcante CALIXTO* 1, Lucyana Vieira COSTA 1, João Darós MALAQUIAS JÚNIOR 1, Maria Ivete de MOURA 1, Francine Oliveira

Leia mais

Milheto na alimentação de poedeiras. Trabalho avalia efeitos da suplementação do grão alternativo como fonte energética nas rações.

Milheto na alimentação de poedeiras. Trabalho avalia efeitos da suplementação do grão alternativo como fonte energética nas rações. Grão alternativo Milheto pode substituir o milho em até 100% na ração Milheto na alimentação de poedeiras Trabalho avalia efeitos da suplementação do grão alternativo como fonte energética nas rações Autores:

Leia mais

Uso do grão de arroz na alimentação de suínos e aves

Uso do grão de arroz na alimentação de suínos e aves Uso do grão de arroz na alimentação de suínos e aves O Brasil é o décimo maior produtor mundial de arroz e fora do continente Asiático o Brasil é o maior produtor de arroz. O volume de produção na safra

Leia mais

Uso do resíduo da casquinha de milho como fonte de fibras para coelhos em crescimento

Uso do resíduo da casquinha de milho como fonte de fibras para coelhos em crescimento Uso do resíduo da casquinha de milho como fonte de fibras para coelhos em crescimento Bruna Pontara Vilas Boas RIBEIRO¹; Luiz Carlos Machado²; Marcelo Gaspary Martins 1 ; Tiago Antônio dos Santos 1 ; Eduardo

Leia mais

Alimentação do Frango Colonial

Alimentação do Frango Colonial Alimentação do Frango Colonial Alimentação Para os sistemas mais rudimentares e em pequena escala recomenda-se adquirir a ração de fornecedor idôneo, de preferência certificado para Boas Práticas de Fabricação-BPF.

Leia mais

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO PRODUTIVO DE TOURINHOS NELORE, ALIMENTADOS COM FARINHA AMILÁCEA DE BABAÇU, NA REGIÃO NORTE DO BRASIL

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO PRODUTIVO DE TOURINHOS NELORE, ALIMENTADOS COM FARINHA AMILÁCEA DE BABAÇU, NA REGIÃO NORTE DO BRASIL AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO PRODUTIVO DE TOURINHOS NELORE, ALIMENTADOS COM FARINHA AMILÁCEA DE BABAÇU, NA REGIÃO NORTE DO BRASIL Leide Karla Ribeiro Loureiro 1 ; Glauco Mora Ribeiro 2 ; 1 Aluno do Curso de

Leia mais

VIABILIDADE ECONÔMICA DO USO DE QUIRERA DE ARROZ EM SUBSTITUIÇÃO PARCIAL AO MILHO PARA RAÇÕES DE AVES NOS ANOS DE 2007 A 2012

VIABILIDADE ECONÔMICA DO USO DE QUIRERA DE ARROZ EM SUBSTITUIÇÃO PARCIAL AO MILHO PARA RAÇÕES DE AVES NOS ANOS DE 2007 A 2012 VIABILIDADE ECONÔMICA DO USO DE QUIRERA DE ARROZ EM SUBSTITUIÇÃO PARCIAL AO MILHO PARA RAÇÕES DE AVES NOS ANOS DE 2007 A 2012 TIAGO ARAUJO RODRIGUES 1 ;PRISCILA DE OLIVEIRA MORAES²;JULIANA KLUG NUNES²;VERÔNICA

Leia mais

VI Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí VI Jornada Científica 21 a 26 de outubro de 2013

VI Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí VI Jornada Científica 21 a 26 de outubro de 2013 Comparativo entre suínos castrados pelo método tradicional (castração cirúrgica) e o método de imunocastração¹ Rayane Fonseca MIRANDA², Bruno Côrrea da SILVA³, Silvana Lúcia dos Santos MEDEIROS 4, Mateus

Leia mais

V Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus

V Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Seleção e difusão de variedades melhoradas de mandioca no Assentamento Margarida Alves em Bambuí - MG. Raul Magalhães FERRAZ 1 ; Luiz Fernando Ghetti PEREIRA ¹ ; Willian Sabino RODRIGUES ¹ ; Raiy Magalhães

Leia mais

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DO GLICEROL PARA ALIMENTAÇÃO DE OVINOS

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DO GLICEROL PARA ALIMENTAÇÃO DE OVINOS AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DO GLICEROL PARA ALIMENTAÇÃO DE OVINOS Vitória Luisa Almeida Lira 1 ; Ana Cristina Holanda Ferreira 2 ; Lorena da Mota Lima Bringel 3 1 Aluna do Curso de Zootecnia; Campus de Araguaína-TO;

Leia mais

ATUALIZAÇÃO DOS VALORES DE BALANÇO ELETROLÍTICO TOTAL PARA FRANGOS DE CORTE DOS 28 AOS 42 DIAS DE IDADE

ATUALIZAÇÃO DOS VALORES DE BALANÇO ELETROLÍTICO TOTAL PARA FRANGOS DE CORTE DOS 28 AOS 42 DIAS DE IDADE ATUALIZAÇÃO DOS VALORES DE BALANÇO ELETROLÍTICO TOTAL PARA FRANGOS DE CORTE DOS 28 AOS 42 DIAS DE IDADE Hérica da Silva MESSIAS* 1, Wagner Azis Garcia de ARAÚJO 1, Dielly Inêz de Oliveira LACERDA 2, Eduardo

Leia mais

PROGRAMAS DE ALIMENTAÇÃO COM 5 FASES PARA FRANGOS DE CORTE

PROGRAMAS DE ALIMENTAÇÃO COM 5 FASES PARA FRANGOS DE CORTE Data: Setembro/2002 PROGRAMAS DE ALIMENTAÇÃO COM 5 FASES PARA FRANGOS DE CORTE A evolução genética que vem ocorrendo nos Frangos de Corte trás como conseqüência, além da natural melhoria nos parâmetros

Leia mais

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DE FRANGOS DE CORTE EM DIFERENTES DENSIDADES POPULACIONAL AVALIADOS 7 A 21 DIAS DE IDADE

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DE FRANGOS DE CORTE EM DIFERENTES DENSIDADES POPULACIONAL AVALIADOS 7 A 21 DIAS DE IDADE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DE FRANGOS DE CORTE EM DIFERENTES DENSIDADES POPULACIONAL AVALIADOS 7 A 21 DIAS DE IDADE Primeiro AUTOR* 1, Mírian das Mercês Pereira da SILVA 2, Kedma Nayra da Silva MARINHO 2,

Leia mais

ESTIMATIVA DA QUANTIDADE E DESTINO DE RESÍDUOS ORGÂNICOS DE AVIÁRIOS PRODUZIDOS NA REGIÃO SUDOESTE DO PARANÁ

ESTIMATIVA DA QUANTIDADE E DESTINO DE RESÍDUOS ORGÂNICOS DE AVIÁRIOS PRODUZIDOS NA REGIÃO SUDOESTE DO PARANÁ 1 II CONGRESSO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA UTFPR CÂMPUS DOIS VIZINHOS ESTIMATIVA DA QUANTIDADE E DESTINO DE RESÍDUOS ORGÂNICOS DE AVIÁRIOS PRODUZIDOS NA REGIÃO SUDOESTE DO PARANÁ Fabio César Bratti 1, Laércio

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CONSUMO E PESO DE BEZERROS DA RAÇA GIROLANDO ALIMENTADOS COM CONCENTRADO FARELADO OU PELETIZADO DURANTE A FASE DE ALEITAMENTO

AVALIAÇÃO DO CONSUMO E PESO DE BEZERROS DA RAÇA GIROLANDO ALIMENTADOS COM CONCENTRADO FARELADO OU PELETIZADO DURANTE A FASE DE ALEITAMENTO AVALIAÇÃO DO CONSUMO E PESO DE BEZERROS DA RAÇA GIROLANDO ALIMENTADOS COM CONCENTRADO FARELADO OU PELETIZADO DURANTE A FASE DE ALEITAMENTO FERREIRA, F.O.B. 1 ; BARBOSA, K.A. 1 ; SENE, G.A. 1 ; JAYME, D.G.

Leia mais

DESEMPENHO INICIAL DE FRANGOS DE CRESCIMENTO LENTO ALIMENTADOS COM TORTA DE ALGODÃO

DESEMPENHO INICIAL DE FRANGOS DE CRESCIMENTO LENTO ALIMENTADOS COM TORTA DE ALGODÃO DESEMPENHO INICIAL DE FRANGOS DE CRESCIMENTO LENTO ALIMENTADOS COM TORTA DE ALGODÃO Mara Regina Ribeiro CARDOSO¹, Kênia Ferreira RODRIGUES 2, Aline Ferreira AMORIM* 3, Valquíria Sousa SILVA 4, Edelson

Leia mais

11 a 14 de dezembro de 2012 Campus de Palmas

11 a 14 de dezembro de 2012 Campus de Palmas GRÃO DE MILHETO E GLICEROL COMO FONTES ALTERNATIVAS DE ENERGIA NA TERMINAÇÃO EM CONFINAMENTO DE TOURINHOS: DESEMPENHO PRODUTIVO E AVALIAÇÃO COMPORTAMENTAL Djacir Luiz Batista Santos 1 ; Fabrícia Rocha

Leia mais

VALIDAÇÃO DE UMA EQUAÇÃO PARA PREDIÇÃO DO VALOR ENERGÉTICO DO MILHO COM DIFERENTES GRAUS DE MOAGEM E MÉTODOS DE FORMULAÇÃO DAS DIETAS

VALIDAÇÃO DE UMA EQUAÇÃO PARA PREDIÇÃO DO VALOR ENERGÉTICO DO MILHO COM DIFERENTES GRAUS DE MOAGEM E MÉTODOS DE FORMULAÇÃO DAS DIETAS ANAIS VALIDAÇÃO DE UMA EQUAÇÃO PARA PREDIÇÃO DO VALOR ENERGÉTICO DO MILHO COM DIFERENTES GRAUS DE MOAGEM E MÉTODOS DE FORMULAÇÃO DAS DIETAS TM BERTOL 1 *, JV LUDKE 1, DL ZANOTTO 1, A COLDEBELLA 1 1 Embrapa

Leia mais

USO DE MICROALGA NA ALIMENTAÇÃO DE CODORNAS JAPONESAS MELHORA A QUALIDADE DOS OVOS

USO DE MICROALGA NA ALIMENTAÇÃO DE CODORNAS JAPONESAS MELHORA A QUALIDADE DOS OVOS USO DE MICROALGA NA ALIMENTAÇÃO DE CODORNAS JAPONESAS MELHORA A QUALIDADE DOS OVOS Jéssica Daliane DILKIN 1, Marindia A. KOLM 1, Maurício BARRETA 1, Fernando TAVERNARI 2, Aline ZAMPAR 1, Aleksandro S.

Leia mais

Pró-Reitoria de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação. Resumo Expandido

Pró-Reitoria de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação. Resumo Expandido Pró-Reitoria de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação Resumo Expandido Título da Pesquisa: Inclusão de enzimas em rações de poedeiras semipesadas para diminuição dos custos de produção e seus efeitos sobre

Leia mais

DESEMPENHO DE FRANGOS DE CORTE ALIMENTADOS COM ORÉGANO ENTRE 7 A 28 DIAS DE IDADE

DESEMPENHO DE FRANGOS DE CORTE ALIMENTADOS COM ORÉGANO ENTRE 7 A 28 DIAS DE IDADE DESEMPENHO DE FRANGOS DE CORTE ALIMENTADOS COM ORÉGANO ENTRE 7 A 28 DIAS DE IDADE Flávia Silveira VASCONCELOS* 1, Rivia Maria Prates de SOUZA¹, Maysa Eduarda COSTA ¹, Alexandre Vinhas de SOUZA¹, Marcos

Leia mais

Avaliação e Seleção de Híbridos e Variedades de Girassol

Avaliação e Seleção de Híbridos e Variedades de Girassol Avaliação e Seleção de Híbridos e Variedades de Girassol Salasar, Flávia P.L.T. 1 ; Carvalho, Claudio G.P. DE. 2 ; Marques, Camila.R.G. 3 1 Centro Universitário Filadélfia, 2 Embrapa Soja, 3 Universidade

Leia mais

Ganho de Peso de Coelhos de Diferentes Grupos Genéticos

Ganho de Peso de Coelhos de Diferentes Grupos Genéticos VI Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - Campus Bambuí VI Jornada Científica 21 a 26 de outubro de 2013 Ganho de Peso de Coelhos de Diferentes Grupos Genéticos Felipe Evangelista PIMENTEL¹, Luiz Carlos

Leia mais

Título da Pesquisa: Palavras-chave: Campus: Tipo Bolsa Financiador Bolsista (as): Professor Orientador: Área de Conhecimento: Resumo

Título da Pesquisa: Palavras-chave: Campus: Tipo Bolsa Financiador Bolsista (as): Professor Orientador: Área de Conhecimento: Resumo Título da Pesquisa: Comparativo entre suínos castrados pelo método tradicional (castração cirúrgica ) e o método imunocastração. Palavras-chave: suínos imunocastrados, vacina anti-gnrh, castração cirúrgica.

Leia mais

QUALIDADE DE OVOS DE GALINHAS POEDEIRAS HISEX BROWN EM FUNÇÃO DA UTILIZAÇÃO DE PIGMENTANTES ALTERNATIVOS NA DIETA

QUALIDADE DE OVOS DE GALINHAS POEDEIRAS HISEX BROWN EM FUNÇÃO DA UTILIZAÇÃO DE PIGMENTANTES ALTERNATIVOS NA DIETA QUALIDADE DE OVOS DE GALINHAS POEDEIRAS HISEX BROWN EM FUNÇÃO DA UTILIZAÇÃO DE PIGMENTANTES ALTERNATIVOS NA DIETA Nayara Emanoelle Matos e SILVA* 1, Donaldo Antonio Nunes JUNIOR¹, Fernandes Jesuino Muquissai

Leia mais

Aveia Preta (Avena stringosa) como fonte de volumoso em substituição à silagem de milho na terminação de cordeiros

Aveia Preta (Avena stringosa) como fonte de volumoso em substituição à silagem de milho na terminação de cordeiros Aveia Preta (Avena stringosa) como fonte de volumoso em substituição à silagem de milho na terminação de cordeiros Ricardo Cruz Vargas¹, Carlos Alberto de Carvalho², Cassio Roberto Silva Noronha³, Mariane

Leia mais

VARIABILIDADE DE ACESSOS DE MANDIOCA COLORIDA E AçUCARADA

VARIABILIDADE DE ACESSOS DE MANDIOCA COLORIDA E AçUCARADA VARIABILIDADE DE ACESSOS DE MANDIOCA COLORIDA E AçUCARADA QUANTO A RESISTÊNCIA DE PERCEVEJO-DE-RENDA (Vatiga illudens DRAKE, 1922) (HEMIPTERA: TINGIDAE) Marijaldo Francisco dos Santos 1, Silvana Vieira

Leia mais

DIAGNÓSTICO DA REALIDADE DOS CRIATÓRIOS DE AVES NA COMUNIDADE BASE FÍSICA IPANGUAÇU/RN

DIAGNÓSTICO DA REALIDADE DOS CRIATÓRIOS DE AVES NA COMUNIDADE BASE FÍSICA IPANGUAÇU/RN DIAGNÓSTICO DA REALIDADE DOS CRIATÓRIOS DE AVES NA COMUNIDADE BASE FÍSICA IPANGUAÇU/RN José Geraldo Bezerra Galvão Júnior Departamento de Gestão Fazenda-Escola IFRN Campus Ipanguaçu E-mail: josegeraldo@cefetrn.br

Leia mais

Inclusão de ractopamina na dieta de suíno na fase de terminação

Inclusão de ractopamina na dieta de suíno na fase de terminação Inclusão de ractopamina na dieta de suíno na fase de terminação Lucas Marques Silva COSTA¹; Silvana Lucia Medeiros dos SANTOS²;Guilherme Salviano AVELAR³;Wesley Caetano VIEIRA³; Rômulo Candido Aguiar FERREIRA;

Leia mais

FIBRA BRUTA EM DIETAS DE POEDEIRAS LEVES EM FASE INICIAL DE POSTURA

FIBRA BRUTA EM DIETAS DE POEDEIRAS LEVES EM FASE INICIAL DE POSTURA FIBRA BRUTA EM DIETAS DE POEDEIRAS LEVES EM FASE INICIAL DE POSTURA Mayara Borges CRISTOFOLI* 1, Mariane Benedita Ramos de ARRUDA 1, Mariana Elias BORGES 2, Maria Auxiliadora de OLIVEIRA 1, Alisson Verbenes

Leia mais

Utilização de probióticos em aves

Utilização de probióticos em aves Área de Ensino, Pesquisa e Extensão em Avicultura de Corte Relatório de Experimento Utilização de probióticos em aves Responsável: Profa. Dra. Ibiara Correia de Lima Almeida Paz Botucatu Dezembro de 2017

Leia mais

Desempenho de frangos de corte suplementados com complexo multienzimático

Desempenho de frangos de corte suplementados com complexo multienzimático Desempenho de frangos de corte suplementados com complexo multienzimático Anderson Luiz de Assis INÁCIO 1, Israel Marques da SILVA 2, Adriano GERALDO 3, Clara Costa Zica GONTIJO 3, Joyce Augusta FERREIRA

Leia mais

11 a 14 de dezembro de 2012 Campus de Palmas

11 a 14 de dezembro de 2012 Campus de Palmas Comportamento, medidas morfométricas e características de carcaça e da carne de machos de aptidão leiteira alimentados com grão de milho inteiro ou moído com ou sem inclusão de farelo do mesocarpo de babaçu

Leia mais

AVALIAÇÃO FÍSICO-QUÍMICA E SENSORIAL DE ABÓBORA E MORANGA CRISTALIZADAS PELO PROCESSO DE AÇUCARAMENTO LENTO.

AVALIAÇÃO FÍSICO-QUÍMICA E SENSORIAL DE ABÓBORA E MORANGA CRISTALIZADAS PELO PROCESSO DE AÇUCARAMENTO LENTO. AVALIAÇÃO FÍSICO-QUÍMICA E SENSORIAL DE ABÓBORA E MORANGA CRISTALIZADAS PELO PROCESSO DE AÇUCARAMENTO LENTO. Nicodemos Braz Junior 1, Gilma Auxiliadora Santos Gonçalves 2, Elisvanir Ronaldo Simões 3, Matheus

Leia mais

Melhoramento de mandioca

Melhoramento de mandioca Melhoramento de mandioca Teresa Losada Valle teresalv@iac.sp.gov.br Temas Características do melhoramento de mandioca Obtenção de variedades para fins específicos Por que fazer melhoramento de mandioca?

Leia mais

EFEITO DE DIFERENTES NÍVEIS DE BALANÇO ELETROLÍTICO E PROTEÍNA SOBRE AS AMINOTRANSFERASES HEPÁTICAS EM FRANGOS DE CORTE AOS SETE DIAS DE IDADE

EFEITO DE DIFERENTES NÍVEIS DE BALANÇO ELETROLÍTICO E PROTEÍNA SOBRE AS AMINOTRANSFERASES HEPÁTICAS EM FRANGOS DE CORTE AOS SETE DIAS DE IDADE MINAFRA, CIBELE S.; LOPES JÚNIOR, CARLOS O.; VIU, MARCO ANTONIO DE O.; MORAES, GEORGE H. K.; REZENDE, CÍNTIA S. M.; CYSNEIROS, CRISTINE DOS S. S.; FERRAZ, HENRIQUE T.; LOPES, DYOMAR T. Efeito de diferentes

Leia mais

Palavras-chave: agroindústria, alimentos alternativos, codornas europeias, resíduo de fruta

Palavras-chave: agroindústria, alimentos alternativos, codornas europeias, resíduo de fruta INCLUSÃO DO RESÍDUO DA POLPA DO MARACUJÁ SOBRE DESEMPENHO DE CODORNAS DE CORTE Iva Carla de Barros AYRES* 1, Romilton Ferreira de BARROS JUNIOR¹, Geraldo Roberto Quintão LANA 1, Sandra Roseli Valerio LANA

Leia mais

Cristiano Kloeckner Kraemer Médico Veterinário Consultor Técnico

Cristiano Kloeckner Kraemer Médico Veterinário Consultor Técnico Cristiano Kloeckner Kraemer Médico Veterinário Consultor Técnico 18/10/2010 NOSSA EMPRESA Multimix Nutrição Animal: 100% Nacional com sede em Campinas SP. - Presente no mercado a 24 anos - Foco em nutrição

Leia mais

Níveis de inclusão de extrato de urucum e açafrão em dietas para poedeiras semipesadas e seus efeitos sobre o desempenho e coloração da gema dos ovos

Níveis de inclusão de extrato de urucum e açafrão em dietas para poedeiras semipesadas e seus efeitos sobre o desempenho e coloração da gema dos ovos II Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG campus Bambuí II Jornada Científica 19 a 23 de Outubro de 2009 Níveis de inclusão de extrato de urucum e açafrão em dietas para poedeiras semipesadas e seus efeitos

Leia mais

Avaliação de pesos de frangos alimentados com farelo de castanha do Brasil utilizando duas técnicas: parcelas subdivididas e a manava

Avaliação de pesos de frangos alimentados com farelo de castanha do Brasil utilizando duas técnicas: parcelas subdivididas e a manava Avaliação de pesos de frangos alimentados com farelo de castanha do Brasil utilizando duas técnicas: parcelas subdivididas e a manava Altemir da Silva Braga 1 Edcarlos Miranda de Souza 2 Natália da Silva

Leia mais

EFEITO DO BALANÇO ELETROLÍTICO TOTAL (BET) EM DIETAS DE FRANGOS DE CORTE DOS 21 AOS 27 DIAS DE IDADE

EFEITO DO BALANÇO ELETROLÍTICO TOTAL (BET) EM DIETAS DE FRANGOS DE CORTE DOS 21 AOS 27 DIAS DE IDADE EFEITO DO BALANÇO ELETROLÍTICO TOTAL (BET) EM DIETAS DE FRANGOS DE CORTE DOS 21 AOS 27 DIAS DE IDADE Sinthia Pereira SIQUEIRA* 1, Wagner Azis Garcia de ARAÚJO 1, Dielly Inez de Oliveira LACERDA 2, Bruna

Leia mais

POTENCIALIDADE DA GORDURA DE FRANGO COMO MATÉRIA PRIMA PARA A PRODUÇÃO DE BIODIESEL

POTENCIALIDADE DA GORDURA DE FRANGO COMO MATÉRIA PRIMA PARA A PRODUÇÃO DE BIODIESEL POTENCIALIDADE DA GORDURA DE FRANGO COMO MATÉRIA PRIMA PARA A PRODUÇÃO DE BIODIESEL Kênia Ferreira Rodrigues 1 Antonio Carlos Fraga 2 Pedro Castro Neto 3 José Antonio da Silva Maciel 4 Osvaldo Candido

Leia mais

CONSORCIO DE MILHO COM BRACHIARIA BRINZANTHA

CONSORCIO DE MILHO COM BRACHIARIA BRINZANTHA CONSORCIO DE MILHO COM BRACHIARIA BRINZANTHA Leydinaria Pereira da Silva¹; Aurélio Vaz-de-Melo 2 ; 1 Aluna do Curso de Química Ambiental da UFT; Campus de Gurupi; e-mail: nara-lin@hotmail.com ;PIVIC/UFT

Leia mais

VALOR NUTRITIVO DE TORTAS E SEMENTES DE OLEAGINOSAS

VALOR NUTRITIVO DE TORTAS E SEMENTES DE OLEAGINOSAS VALOR NUTRITIVO DE TORTAS E SEMENTES DE OLEAGINOSAS Antônio Ricardo Evangelista 1 Jalison Lopes 2 Antônio José Peron 3 Pedro Castro Neto 4 Antônio Carlos Fraga 5 RESUMO O experimento foi realizado com

Leia mais

RELAÇÃO ENTRE ENERGIA METABOLIZÁVEL E AMINOÁCIDOS SULFUROSOS SOBRE O PERFIL BIOQUÍMICO SÉRICO DE POEDEIRAS NA FASE DE PRODUÇÃO DE 24 A 44 SEMANAS

RELAÇÃO ENTRE ENERGIA METABOLIZÁVEL E AMINOÁCIDOS SULFUROSOS SOBRE O PERFIL BIOQUÍMICO SÉRICO DE POEDEIRAS NA FASE DE PRODUÇÃO DE 24 A 44 SEMANAS RELAÇÃO ENTRE ENERGIA METABOLIZÁVEL E AMINOÁCIDOS SULFUROSOS SOBRE O PERFIL BIOQUÍMICO SÉRICO DE POEDEIRAS NA FASE DE PRODUÇÃO DE 24 A 44 SEMANAS Márcia das Neves Soares (1); Sarah Gomes Pinheiro (1);

Leia mais

ALIMENTOS ALTERNATIVOS PARA FRANGOS DE CORTE

ALIMENTOS ALTERNATIVOS PARA FRANGOS DE CORTE ALIMENTOS ALTERNATIVOS PARA FRANGOS DE CORTE Letícia Maria Bonazoni AZARIAS* 1, Douglas Gomes VIEIRA 1,Thiago Rodrigues da SILVA 2, Eliseu Aparecido MESSIAS 1, Josias Ibanhes RODRIGUES 1, Rafael de Oliveira

Leia mais

NÍVEIS DE METIONINA+CISTINA PARA FRANGAS LEVES DE 1 A 6 SEMANAS DE IDADE SOBRE O PESO DOS ÓRGÃOS

NÍVEIS DE METIONINA+CISTINA PARA FRANGAS LEVES DE 1 A 6 SEMANAS DE IDADE SOBRE O PESO DOS ÓRGÃOS NÍVEIS DE METIONINA+CISTINA PARA FRANGAS LEVES DE 1 A 6 SEMANAS DE IDADE SOBRE O PESO DOS ÓRGÃOS Francisco Jardel BARBOSA* 1, Jalceyr Pessoa Figueiredo Júnior 2, Fernando Guilherme Perazzo Costa 3, Marcelo

Leia mais