RELAÇÃO ENTRE METIONINA + CISTINA DIGESTÍVEIS E LISINA DIGESTÍVEL EM DIETA PARA CODORNAS JAPONESAS NA FASE PRÉ- INICIAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELAÇÃO ENTRE METIONINA + CISTINA DIGESTÍVEIS E LISINA DIGESTÍVEL EM DIETA PARA CODORNAS JAPONESAS NA FASE PRÉ- INICIAL"

Transcrição

1 RELAÇÃO ENTRE METIONINA + CISTINA DIGESTÍVEIS E LISINA DIGESTÍVEL EM DIETA PARA CODORNAS JAPONESAS NA FASE PRÉ- INICIAL Heder José D Avila Lima 1, Sergio Luiz de Toledo Barreto 2, Débora Lacerda Ribeiro Henriques 3, Renato Ferraz 3 1 Estudante de Doutorado em Zootecnia DZO/UFV Viçosa MG - Brasil. e- mail: 2 Professor Adjunto do Departamento de Zootecnia DZO/UFV Viçosa - MG. 3 Estudante de graduação em Zootecnia UFV Data de recebimento: 07/10/ Data de aprovação: 14/11/2011 RESUMO O experimento foi conduzido para avaliar a relação metionina + cistina digestíveis (M+C): lisina digestível na dieta de codornas japonesas na primeira semana de vida. Foram utilizadas codornas japonesas fêmeas com 1 dia de idade, peso de 7,59 + 0,15 g. As aves foram distribuídas em delineamento inteiramente ao acaso constituído por 5 dietas (relações metionina + cistina digestíveis : lisina digestível), com 10 repetições e 20 aves por unidade experimental. Para elaboração das rações experimentais foi formulada uma ração basal deficiente em metionina+cistina digestíveis. Esta ração basal foi suplementada com 5 níveis de DL- metionina (99 %), em substituição ao ácido glutâmico constituindo as 5 dietas experimentais que continham as seguintes relações metionina+cistina: lisina digestíveis: 0,54 (conteúdo da dieta basal, nível zero); 0,60; 0,66; 0,72 e de 0,78. Foram avaliados o consumo de ração (CR), a conversão alimentar (CA), o peso final (PF), o ganho de peso (GP) e a viabilidade (VIAB) das aves. Houve efeito das relações metionina + cistina digestível: lisina digestível sobre CR, CA, PF e GP. A VIAB não foi influenciada. A relação metionina + cistina : lisina digestível estimada em 0,75 (0,787 % de M+C / 1,05 % de lisina) proporcionou maior crescimento, desenvolvimento e melhor conversão alimentar das codornas japonesas na primeira semana de vida, suprindo também as outras relação aminoacídicas estimadas. PALAVRAS CHAVE: aminoácidos sulfurosos, Coturnix coturnix japonica, desempenho, proteína ideal RELATIONS OF METHIONINE PLUS CYSTINE TO DIGESTIBLE LYSINE IN DIETS OF NEWLY HATCHED JAPANESE QUAILS ABSTRACT The experiment was conducted to evaluate relations of methionine plus cystine to digestible lysine in diets of Japanese quails in the first week of life. Were used 1000 Japanese quail females with 1 day old, weighing g. The birds were distributed in a completely randomized design consisting of 5 diets (digestible methionine + cystine: digestible lysine), with 10 replicates and 20 birds per experimental unit. The birds received a basal diet deficient in methionine plus cystine, made from corn and soybean meal. This basal diet was supplemented with 5 levels of DL-methionine (99%), replacing glutamic acid in protein ENCICLOPÉDIA BIOSFERA, Centro Científico Conhecer - Goiânia, vol.7, N.13; 2011 Pág. 926

2 equivalents corresponding to the methionine + cystine: lysine, 0.54 (content of the basal diet, level zero); of 0.60, 0.66, 0.72 and Evaluated the feed intake (CR), feed conversion (CA), the final weight (PF), weight gain (GP) and viability (VIAB) of birds. There was a relations of methionine plus cystine: digestible lysine on CR, CA, PF and GP. The viability was not affected. The methionine plus cystine: digestible lysine ratio of around 0.75 (0.787% M + C / 1.05% lysine) showed higher growth, development and better feed conversion of Japanese quail during the first week of life, also supplying the estimated for other relations amino acids. KEYWORDS: Coturnix coturnix japonica, ideal protein, productive performance, sulfur amino acids INTRODUÇÃO O crescimento da criação de codornas, especialmente para a produção de ovos, tem sido uma constante contemporânea no Brasil. Com o aumento do número de aves alojadas e, por conseguinte da produção de ovos, o Brasil passou a ocupar o 2º lugar como maior produtor mundial de ovos de codorna, atrás apenas da China (Silva, 2009). Mesmo com a produção crescente, há pouca informação sobre a nutrição de codornas japonesas. Para viabilizar a exploração racional é necessária a realização de pesquisas, com vistas à implementação de corretos programas de alimentação, especialmente na fase inicial de criação das codornas, onde o volume de pesquisas é ainda menor, comparativamente à fase de produção. Com a disponibilidade de aminoácidos sintéticos no mercado, uma das alternativas para a redução dos custos e otimização das dietas seria a incorporação destes às rações. Alterações metabólicas, anatômicas e fisiológicas, anteriores à eclosão e na primeira semana de vida podem influenciar no padrão de exigências nutricionais da ave. Essas diferenças já foram referenciadas como bastante significativas na primeira semana de vida dos pintinhos, justificando o fornecimento de um padrão alimentar específico para essa fase. As codornas japonesas, utilizadas para postura, apresentam, ao nascer, peso entre 7,0 a 9,0 g, dobram os seus pesos em apenas quatro dias, triplicam-no aos oito e duplicam-no aos 28 (Murakami & Ariki, 1998). A lisina é considerada aminoácido referência no estabelecimento das exigências de proteína e de outros aminoácidos, quando se utiliza o conceito de proteína ideal na formulação das rações. Dentre os aminoácidos da ração, a metionina e a cistina são considerados fisiologicamente essenciais para mantença, crescimento das aves e para o desenvolvimento das penas, o que denota sua importância na primeira semana de vida das codornas. Neste sentido, objetivou-se com a presente pesquisa avaliar a relação entre metionina + cistina digestível e lisina digestível para codornas japonesas na fase pré-inicial. METODOLOGIA O experimento foi conduzido no Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Viçosa (DZO/UFV), tendo duração de 7 dias. Foram utilizadas codornas fêmeas da sub-espécie japonesa com 1 dia de idade, peso de 7,59 + 0,15 g. As aves foram distribuídas em delineamento inteiramente ao acaso constituído por 5 tratamentos (relações metionina + cistina digestíveis : lisina digestível), com 10 repetições e 20 aves por unidade experimental. As aves foram submetidas a uma ração basal, deficiente em metionina + cistina, ENCICLOPÉDIA BIOSFERA, Centro Científico Conhecer - Goiânia, vol.7, N.13; 2011 Pág. 927

3 formulada a base de milho e farelo de soja, contendo 20,52% de proteína bruta, 2900 kcal de EM/kg, 1,05% de lisina digestível e 0,567% de metionina + cistina digestível (M+C), correspondendo a uma relação de metionina + cisitina: lisina de 0,54 (Tabela 1). TABELA 1 - Composição percentual, química e valor nutricional da ração basal, na matéria natural, para codornas japonesas na fase de recria Ingredientes Porcentagens Milho Moído 63,25 Farelo de Soja (45%) 32,60 Calcário 1,18 Fosfato Bicálcico 1,07 Sal Comum 0,35 Mistura Mineral 1 0,05 Mistura Vitaminica 2 0,10 Cloreto de Colina (60%) 0,04 Antioxidante 3 0,01 Coccidiostático 4 0,05 L- Lisina 0,11 DL- Metionina 0,0 L- Treonina 0,18 L- Isoleucina 0,01 L-Glutâmico 0,50 Amido 0,50 Total 100,00 Composição Calculada Energia Metabolizável (kcal/kg) Proteína Bruta (%) 20,52 Cálcio (%) 0,80 Fósforo disponível (%) 0,30 Sódio (%) 0,15 Fibra bruta (%) 2,85 Aminoácidos digestíveis (%) Lisina 1,050 Metionina +Cistina 0,567 Triptofano 0,209 Treonina 0,855 Arginina 1,039 Isoleucina 0,823 Valina 0,798 1 Composição/kg de produto: Manganês: 160g, Ferro: 100g, Zinco: 100g, Cobre: 20g, Cobalto: 2g, Iodo: 2g, Excipiente q.s.p.: 1000 g. 2 Composição/kg de produto: Vit. A: U.I., Vit D 3 : U.I., Vit. E: U.I., Vit B 1 :2.500 mg, Vit B 2 : mg, Vit B 6 :5.000 mg, Ácido pantotênico: mg, Biotina: 200 mg, Vit. K: mg, Ácido fólico: 1.500mg, Ácido nicotínico: mg, Vit. B 12 : mg, Selênio: 150 mg, Veículo q.s.p.: 1.000g. 3 Butil-hidróxi-tolueno. 4 Coxistac 12% ENCICLOPÉDIA BIOSFERA, Centro Científico Conhecer - Goiânia, vol.7, N.13; 2011 Pág. 928

4 Esta ração basal foi suplementada com 5 níveis de DL- metionina (99%), em substituição ao ácido glutâmico em equivalente protéico correspondente à relação metionina + cistina: lisina de 0,54 (conteúdo da dieta basal, 0,567% de metionina mais cistina digestíveis, nível zero de suplementação de DL-metionina); relação de 0,60 (0,630% de metionina + cistina digestíveis, 0,06% de DL-metionina); de 0,66 (0,693% de metionina + cistina digestíveis, 0,12% de DL-metionina); de 0,72 (0,756% de metionina + cistina digestíveis, 0,18% de DL-metionina) e de 0,78 (0,819% de metionina + cistina digestíveis, 0,24% de DL-metionina), de modo que as dietas permaneceram isoprotéicas, isocalóricas e isonitrogênicas. As aves receberam ração e água à vontade. Foram mantidas as relações aminoacídicas com a lisina, propostas pelo NRC (1994), exceto para metionina + cistina digestíveis: lisina digestível as quais variaram em função da relação proposta por Pinto et al. (2003). Os valores nutricionais dos ingredientes utilizados para a formulação da dieta estão apresentados em Rostagno et al. (2011). Foram avaliados o consumo de ração (CR), a conversão alimentar (CA), o peso final (PF), o ganho de peso (GP) e a viabilidade (VIAB) das aves. Os efeitos dos tratamentos foram estimados por meio de análise das variáveis pelos modelos de regressão linear e quadrática, conforme o melhor ajustamento obtido para cada variável. RESULTADOS E DISCUSSÃO Houve aumento (P<0,01) do consumo de ração até a relação entre metionina + cistina digestíveis e lisina digestível de 0,72 (Tabela 2), conforme demonstrado na equação: CR - Ŷ = 12, ,6762X 32,9365X 2 ; R 2 = 0,99. Segundo Silva (2009) as codornas japonesas consomem cerca de 1,76 g de ração no primeiro dia de vida e, logo, atingem 6,6 g aos sete dias. Codornas alimentadas com níveis adequados de metionina + cistina e melhor relação destes com a lisina, apresentaram maior desenvolvimento corporal e desta forma um maior consumo de ração acumulado. A viabilidade das aves não foi influenciada (P>0,05) pelas relações entre metionina + cistina digestíveis e lisina digestível. Dietas inadequadas com as características genéticas, de crescimento e precocidade das codornas, poderiam piorar a viabilidade das aves, proporcionando menos aves aptas à fase de produção. Foi constatado efeito (P<0,01) sobre a conversão alimentar, o peso final e o ganho de peso até as relações de 0,75; 0,74 e 0,74 entre metionina + cistina digestíveis e lisina digestível, respectivamente, em conformidade com as equações: CA - Ŷ= 6, ,6643X + 7,73810X 2 ; R 2 = 0,95; PF - Ŷ: 56, ,233X 147,222 X 2 R 2 =0,99; GP - Ŷ= 65, ,276X - 149,603X 2 ;R 2 = 0,99. ENCICLOPÉDIA BIOSFERA, Centro Científico Conhecer - Goiânia, vol.7, N.13; 2011 Pág. 929

5 TABELA 2 Consumo de ração (CR), conversão alimentar (CA), peso final (PF), ganho de peso (GP) e viabilidade (VIAB) de codornas japonesas em função das relações M+C : lisina digestível na ração. Relações Metionina + Cistina digestível : lisina Parâmetros digestível CV (%) CR 1 (g) CA 1 (g/g) PF 1 (g) GP 1 (g) VIAB ns (%) 0,54 0,60 0,66 0,72 0,78 3,72 4,35 4,66 4,87 4,72 2,26 2,04 1,94 1,95 1,87 19,17 22,46 24,42 25,12 25,32 11,56 14,91 16,82 17,51 17,71 98,50 98,02 98,50 98,00 98,50 1 Efeito Quadrático (P<0,01); ns Efeito não significativo (P>0,05). Oliveira (2007) avaliando plantéis de codornas verificou 22,1 g de peso médio das aves aos 7 dias de idade. Na presente pesquisa, à exceção de 0,54, as demais relações entre metionina + cistina digestível e lisina digestível proporcionaram peso aos 7 dias (PF) superior ao encontrado por Oliveira (2007). Ainda que para o consumo de ração tenha sido estimada a relação de 0,72 e 0,74 para peso final e ganho de peso; considerando também a exigência mais elevada de proteína na fase inicial de vida das aves, o nível de 0,787% de metionina + cistina, relação com a lisina de 0,75; foi mais eficiente para conversão alimentar. De acordo com Corzo (2005), de todos os aminoácidos, a cistina é a que mais contribui para a síntese de queratina e para a manutenção das penas, enquanto que as propriedades da metionina, como a de principal doadora de grupos metil, a torna essencial para o crescimento. Silva (2009) recomenda uma relação entre metionina + cistina digestível e lisina digestível de 0,67 para o período de 1 a 21 dias de idade das codornas, já Rostagno et al. (2011) recomenda uma relação de 0,68 para a fase total de cria e recria. Entretanto, não se encontra na literatura estudos exclusivos à primeira semana de vida destas aves. Para uma dieta pré-inicial a relação entre metionina + cistina digestíveis e lisina digestível de 0,75; correspondente ao nível de 0,787 % de metionina + cistina na ração e 1,05 % de lisina possibilitou melhor conversão alimentar, suprindo também as outras relação aminoacídicas estimadas. A utilização de aminoácidos sintéticos e do conceito de proteína ideal na ração de codornas japonesas na fase de recria, pode possibilitar a diminuição do teor de proteína bruta da dieta, como neste estudo, e possivelmente, a conseqüente redução da excreção de nitrogênio e menor impacto negativo de poluição ambiental. CONCLUSÕES A relação entre metionina + cistina digestíveis e lisina digestível de 0,75 (0,787 % de metionina + cistina / 1,05 % de lisina) proporciona maior crescimento, desenvolvimento e melhor conversão alimentar da codorna japonesa na primeira semana de vida, possivelmente possibilitando às aves melhores condições corporais para a maturidade sexual e produção de ovos. 6,7 7,5 4,0 5,7 2,7 ENCICLOPÉDIA BIOSFERA, Centro Científico Conhecer - Goiânia, vol.7, N.13; 2011 Pág. 930

6 AGRADECIMENTOS À Granja Fujikura de Suzano SP e à Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais FAPEMIG - pelo apoio na condução desta pesquisa. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS CORZO, A.; KIDD, M.T.; THAXTON, J.P. et al. Dietary tryptophan effects on growth and stress responses of male broiler chicks. British Poultry Science, v.46, p , MURAKAMI, A.E., ARIKI, J. Produção de Codornas Japonesas. Jaboticabal. FUNEP p. NATIONAL RESEARCH COUNCIL- NRC. Nutrient requirements of poultry. National Academy Press, Washington, D. C., p , OLIVEIRA, B. L. Manejo em granjas automatizadas de codornas de postura comercial. In: III SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE COTURNICULTURA, Lavras, Anais... Lavras, Minas Gerais: Núcleo de Estudos em Ciência e Tecnologia Avícolas, p PINTO, R.; FERREIRA, A.S.; DONZELE, J.L. et al. Exigência de metionina mais cistina para codornas japonesas em crescimento. Revista da Sociedade Brasileira de Zootecnia, v.32, n.5, p , ROSTAGNO, H. S.; ALBINO, L. F. T.; DONZELE, J. L. et al. Tabelas Brasileiras para Aves e Suinos : Composição de Alimentos e Exigências Nutricionais. 3.ed. VIÇOSA: UFV, Departamento de Zootecnia, p. SILVA, J.H.V. Tabelas para codornas japonesas e européias. Jaboticabal SP: Funep, p. ENCICLOPÉDIA BIOSFERA, Centro Científico Conhecer - Goiânia, vol.7, N.13; 2011 Pág. 931

RELATÓRIO DE PESQUISA - 47

RELATÓRIO DE PESQUISA - 47 RELATÓRIO DE PESQUISA - 47 2005 Disponível em nosso site: www.lisina.com.br Exigência de Lisina Utilizando o Conceito de Proteína Ideal para Fêmeas Suínas dos 30 aos 60 kg Selecionadas para Deposição de

Leia mais

Teor de metionina + cistina para codornas de corte do nascimento aos 21 dias de idade

Teor de metionina + cistina para codornas de corte do nascimento aos 21 dias de idade Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., v.67, n.1, p.242-248, 2015 Teor de metionina + cistina para codornas de corte do nascimento aos 21 dias de idade [Total methionine + cystine level for European quail from

Leia mais

DESEMPENHO DE FRANGOS DE CORTE FÊMEAS RECEBENDO DIETAS COM NÍVEIS DE VALINA

DESEMPENHO DE FRANGOS DE CORTE FÊMEAS RECEBENDO DIETAS COM NÍVEIS DE VALINA DESEMPENHO DE FRANGOS DE CORTE FÊMEAS RECEBENDO DIETAS COM NÍVEIS DE VALINA Jovane Lino RIBEIRO* 1, Thuani Venâncio da Silva PEREIRA 2, Lucélia Alves do NASCIMENTO 1, Alessandra Luiza de SOUZA 1, Suelem

Leia mais

RELATÓRIO DE PESQUISA - 44

RELATÓRIO DE PESQUISA - 44 RELATÓRIO DE PESQUISA - 44 2005 Disponível em nosso site: www.lisina.com.br Exigência de Metionina mais Cistina Digestíveis para Suínos Machos Castrados dos 60 aos 95 kg Introdução A sucessiva seleção

Leia mais

RELATÓRIO DE PESQUISA - 42

RELATÓRIO DE PESQUISA - 42 2005 RELATÓRIO DE PESQUISA - 42 Disponível em nosso site: www.lisina.com.br Exigências de Lisina Digestível de Suínos Machos Castrados de Alto Potencial Genético dos 95 aos125 kg Introdução O peso ao abate

Leia mais

DIFERENTES PESOS CORPORAIS AO FINAL DA FASE DE RECRIA SOBRE O DESEMPENHO PRODUTIVO DE CODORNAS JAPONESAS. mail:

DIFERENTES PESOS CORPORAIS AO FINAL DA FASE DE RECRIA SOBRE O DESEMPENHO PRODUTIVO DE CODORNAS JAPONESAS. mail: DIFERENTES PESOS CORPORAIS AO FINAL DA FASE DE RECRIA SOBRE O DESEMPENHO PRODUTIVO DE CODORNAS JAPONESAS Heder José D Avila Lima 1, Sergio Luiz de Toledo Barreto 2, Diane Santos Melo 3, Natália de Souza

Leia mais

Exigência de proteína bruta para codornas européias no período de crescimento

Exigência de proteína bruta para codornas européias no período de crescimento [Crude protein requirement for European quails during the growing period] A.B. Fridrich, B.D. Valente, A.S. Felipe-Silva, M.A. Silva*, G.S.S. Corrêa, D.O. Fontes, I.C. Ferreira Escola de Veterinária da

Leia mais

GLOBAL SCIENCE AND TECHNOLOGY (ISSN ) VIABILIDADE ECONÔMICA DO USO DE FITASE EM RAÇÕES PARA CODORNAS JAPONESAS EM POSTURA

GLOBAL SCIENCE AND TECHNOLOGY (ISSN ) VIABILIDADE ECONÔMICA DO USO DE FITASE EM RAÇÕES PARA CODORNAS JAPONESAS EM POSTURA 58 GLOBAL SCIENCE AND TECHNOLOGY (ISSN 1984-3801) VIABILIDADE ECONÔMICA DO USO DE FITASE EM RAÇÕES PARA CODORNAS JAPONESAS EM POSTURA Heder José D'Avila Lima * ; Sergio Luiz de Toledo Barreto 1 ; Fernanda

Leia mais

RELATÓRIO DE PESQUISA - 48

RELATÓRIO DE PESQUISA - 48 RELATÓRIO DE PESQUISA - 48 2005 Disponível em nosso site: www.lisina.com.br Exigência de Lisina Utilizando o Conceito de Proteína Ideal para Fêmeas Suínas dos 60 aos 95 kg Selecionadas para Deposição de

Leia mais

RELATÓRIO DE PESQUISA - 49

RELATÓRIO DE PESQUISA - 49 RELATÓRIO DE PESQUISA - 49 2005 Disponível em nosso site: www.lisina.com.br Redução de Proteína Dietética Aplicando o Conceito de Proteína Ideal em Frangos de Corte Introdução A disponibilidade de aminoácidos

Leia mais

Desempenho de codornas de corte submetidas a diferentes níveis de proteína bruta e energia metabolizável

Desempenho de codornas de corte submetidas a diferentes níveis de proteína bruta e energia metabolizável Ciência Rural, Desempenho Santa Maria, de codornas Online de corte submetidas a diferentes níveis de proteína bruta e energia metabolizável. ISSN 0103-8478 1 Desempenho de codornas de corte submetidas

Leia mais

EFEITO RESIDUAL DOS NÍVEIS DE METIONINA + CISTINA SOBRE O DESEMPENHO PRODUTIVO DE POEDEIRAS NA FASE FINAL DE POSTURA

EFEITO RESIDUAL DOS NÍVEIS DE METIONINA + CISTINA SOBRE O DESEMPENHO PRODUTIVO DE POEDEIRAS NA FASE FINAL DE POSTURA EFEITO RESIDUAL DOS NÍVEIS DE METIONINA + CISTINA SOBRE O DESEMPENHO PRODUTIVO DE POEDEIRAS NA FASE FINAL DE POSTURA Luciana Freitas FERNANDES* 1, Marcelo Helder Medeiros SANTANA 1, Antonia Valcemira Domingos

Leia mais

HEDER JOSÉ D AVILA LIMA

HEDER JOSÉ D AVILA LIMA HEDER JOSÉ D AVILA LIMA RELAÇÕES METIONINA + CISTINA, TREONINA E TRIPTOFANO COM A LISINA E NÍVEIS DE LISINA DIGESTÍVEL EM RAÇÕES PARA CODORNAS JAPONESAS NA FASE DE CRESCIMENTO Tese apresentada à Universidade

Leia mais

Artigo Número 10 DETERMINAÇÃO DAS EXIGÊNCIAS DE AMINOÁCIDOS SULFURADOS PARA SUÍNOS NA FASE DE TERMINAÇÃO. Introdução

Artigo Número 10 DETERMINAÇÃO DAS EXIGÊNCIAS DE AMINOÁCIDOS SULFURADOS PARA SUÍNOS NA FASE DE TERMINAÇÃO. Introdução Artigo Número 10 DETERMINAÇÃO DAS EXIGÊNCIAS DE AMINOÁCIDOS SULFURADOS PARA SUÍNOS NA FASE DE TERMINAÇÃO Fabrício de A. Santos 1, Juarez Lopes Donzele, Márvio L.T. de Abreu, Leandro Hackenhaar Introdução

Leia mais

AMÉRICA LATINA MATRIZES ROSS 308 AP (AP95) Especificações Nutricionais. An Aviagen Brand

AMÉRICA LATINA MATRIZES ROSS 308 AP (AP95) Especificações Nutricionais. An Aviagen Brand 1 AMÉRICA LATINA MATRIZES ROSS 308 AP (AP95) Especificações Nutricionais An Aviagen Brand Introdução Este encarte contém as recomendações nutricionais para a matriz Ross 308 AP (AP95) de empenamento lento

Leia mais

DIFERENTES NÍVEIS DE SUBSTITUIÇÃO DO MILHO POR TORTA DE COCO BABAÇU EM RAÇÕES DE FRANGOS LABEL ROUGE DE 1 A 28 DIAS DE IDADE

DIFERENTES NÍVEIS DE SUBSTITUIÇÃO DO MILHO POR TORTA DE COCO BABAÇU EM RAÇÕES DE FRANGOS LABEL ROUGE DE 1 A 28 DIAS DE IDADE DIFERENTES NÍVEIS DE SUBSTITUIÇÃO DO MILHO POR TORTA DE COCO BABAÇU EM RAÇÕES DE FRANGOS LABEL ROUGE DE 1 A 28 DIAS DE IDADE Rayleiane Cunha Lima¹; Rubens Fausto da Silva² ¹ Aluna do curso de zootecnia

Leia mais

Exigência de metionina + cistina total para codornas de corte em crescimento

Exigência de metionina + cistina total para codornas de corte em crescimento Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., v.58, n.3, p.414-420, 2006 Exigência de metionina + cistina total para codornas de corte em crescimento [Total methyonine + cystine requirement for meat type quails during

Leia mais

Palavras-chave: agroindústria, alimentos alternativos, codornas europeias, resíduo de fruta

Palavras-chave: agroindústria, alimentos alternativos, codornas europeias, resíduo de fruta INCLUSÃO DO RESÍDUO DA POLPA DO MARACUJÁ SOBRE DESEMPENHO DE CODORNAS DE CORTE Iva Carla de Barros AYRES* 1, Romilton Ferreira de BARROS JUNIOR¹, Geraldo Roberto Quintão LANA 1, Sandra Roseli Valerio LANA

Leia mais

Efeito dos níveis de triptofano digestível em dietas para codornas japonesas em postura

Efeito dos níveis de triptofano digestível em dietas para codornas japonesas em postura Revista Brasileira de Zootecnia ISSN impresso: 1516-3598 ISSN on-line: 1806-9290 www.sbz.org.br R. Bras. Zootec., v.37, n.6, p.1012-1016, 2008 Efeito dos níveis de triptofano digestível em dietas para

Leia mais

Composição química e valor energético de alimentos de origem animal utilizados na alimentação de codornas japonesas 1

Composição química e valor energético de alimentos de origem animal utilizados na alimentação de codornas japonesas 1 Revista Brasileira de Zootecnia 2011 Sociedade Brasileira de Zootecnia ISSN 1806-9290 www.sbz.org.br Composição química e valor energético de alimentos de origem animal utilizados na alimentação de codornas

Leia mais

Exigência de metionina + cistina para frangas de reposição na fase recria de 13 a 18 semanas de idade

Exigência de metionina + cistina para frangas de reposição na fase recria de 13 a 18 semanas de idade Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., v.64, n.6, p.1691-1698, 2012 Exigência de metionina + cistina para frangas de reposição na fase recria de 13 a 18 semanas de idade [Requirement of methionine plus cystine

Leia mais

USO DE MICROALGA NA ALIMENTAÇÃO DE CODORNAS JAPONESAS MELHORA A QUALIDADE DOS OVOS

USO DE MICROALGA NA ALIMENTAÇÃO DE CODORNAS JAPONESAS MELHORA A QUALIDADE DOS OVOS USO DE MICROALGA NA ALIMENTAÇÃO DE CODORNAS JAPONESAS MELHORA A QUALIDADE DOS OVOS Jéssica Daliane DILKIN 1, Marindia A. KOLM 1, Maurício BARRETA 1, Fernando TAVERNARI 2, Aline ZAMPAR 1, Aleksandro S.

Leia mais

Exigência de Metionina mais Cistina para Codornas Japonesas em Crescimento 1. Methionine plus Cystine Requirement for Growing Japanese Quails

Exigência de Metionina mais Cistina para Codornas Japonesas em Crescimento 1. Methionine plus Cystine Requirement for Growing Japanese Quails Exigência de Metionina mais Cistina para Codornas Japonesas em Crescimento 1 Rogério Pinto 2, Aloízio Soares Ferreira 3, Juarez Lopes Donzele 3, Luiz Fernando Teixeira Albino 3, Martinho de Almeida e Silva

Leia mais

CURVA DE CRESCIMENTO DA LINHAGEM DE FRANGO DE CORTE CARIJÓ

CURVA DE CRESCIMENTO DA LINHAGEM DE FRANGO DE CORTE CARIJÓ CURVA DE CRESCIMENTO DA LINHAGEM DE FRANGO DE CORTE CARIJÓ Raphael Rodrigues dos SANTOS* 1, Saullo Diogo de ASSIS 1, Nadja Susana Mogyca LEANDRO 1, Marcos Barcellos CAFÉ 1, Juliana Pinto MACHADO 1, Maria

Leia mais

EFEITO DE NÍVEIS DIETÉTICOS DE CÁLCIO E FÓSFORO DISPONÍVEL SOBRE O DESEMPENHO E QUALIDADE DOS OVOS DE CODORNAS JAPONESAS

EFEITO DE NÍVEIS DIETÉTICOS DE CÁLCIO E FÓSFORO DISPONÍVEL SOBRE O DESEMPENHO E QUALIDADE DOS OVOS DE CODORNAS JAPONESAS 135 EFEITO DE NÍVEIS DIETÉTICOS DE CÁLCIO E FÓSFORO DISPONÍVEL SOBRE O DESEMPENHO E QUALIDADE DOS OVOS DE CODORNAS JAPONESAS ( EFECTS OF DIETARY CALCIUM AND PHOSPHORUS LEVELS ON PERFORMANCE AND EGG SHELL

Leia mais

Metionina mais cistina digestível e relação metionina mais cistina digestível: lisina para codornas japonesas

Metionina mais cistina digestível e relação metionina mais cistina digestível: lisina para codornas japonesas Metionina mais cistina digestível e relação metionina mais cistina digestível: lisina para codornas japonesas Digestible methionine plus cystine and relation digestible methionine plus cystine: lysine

Leia mais

III Seminário: Sistemas de Produção Agropecuária - Zootecnia

III Seminário: Sistemas de Produção Agropecuária - Zootecnia NÍVEIS DE LISINA TOTAL E RESPOSTAS ZOOTÉCNICAS PARA SUÍNOS EM CRESCIMENTO E TERMINAÇÃO Cheila Roberta Lehnen 1*, Paulo Alberto Lovatto 2, Ines Andretta 1, Bruno Neutzling Fraga 1, Marcos Kipper da Silva

Leia mais

GLOBAL SCIENCE AND TECHNOLOGY (ISSN ) DENSIDADE INICIAL DE ALOJAMENTO DE CODORNAS JAPONESAS NA FASE DE POSTURA

GLOBAL SCIENCE AND TECHNOLOGY (ISSN ) DENSIDADE INICIAL DE ALOJAMENTO DE CODORNAS JAPONESAS NA FASE DE POSTURA GLOBAL SCIENCE AND TECHNOLOGY (ISSN 1984-3801) DENSIDADE INICIAL DE ALOJAMENTO DE CODORNAS JAPONESAS NA FASE DE POSTURA Heder José D Avila Lima 1*, Sergio Luiz Toledo Barreto 1, Matheus Henrique Valeriano

Leia mais

NÍVEIS DE SUPLEMENTAÇÃO DE COLINA NA DIETA DE CODORNAS JAPONESAS EM POSTURA LEVELS OF CHOLINE SUPPLEMENTATION IN THE DIET OF LAYING JAPANESE QUAILS

NÍVEIS DE SUPLEMENTAÇÃO DE COLINA NA DIETA DE CODORNAS JAPONESAS EM POSTURA LEVELS OF CHOLINE SUPPLEMENTATION IN THE DIET OF LAYING JAPANESE QUAILS 118 REIS, de R.S. et al. NÍVEIS DE SUPLEMENTAÇÃO DE COLINA NA DIETA DE CODORNAS JAPONESAS EM POSTURA Renata de Souza Reis¹, Sérgio Luiz de Toledo Barreto¹, Eriane de Paula¹, Jorge Cunha Lima Muniz¹, Gabriel

Leia mais

Exigência de valina e isoleucina para codornas de corte no período de um a 14 dias e de 15 a 35 dias de idade

Exigência de valina e isoleucina para codornas de corte no período de um a 14 dias e de 15 a 35 dias de idade Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., v.68, n.4, p.1000-1006, 2016 Exigência de valina e isoleucina para codornas de corte no período de um a 14 dias e de 15 a 35 dias de idade Valine and isoleucine requirement

Leia mais

NÍVEIS DE LISINA PARA FRANGOS DE CORTE NOS PERÍODOS DE 22 A 42 E DE 43 A 49 DIAS DE IDADE 1

NÍVEIS DE LISINA PARA FRANGOS DE CORTE NOS PERÍODOS DE 22 A 42 E DE 43 A 49 DIAS DE IDADE 1 NÍVEIS DE LISINA PARA FRANGOS DE CORTE NOS PERÍODOS DE 22 A 42 E DE 43 A 49 DIAS DE IDADE 1 Níveis de Lisina para frangos de corte nos períodos... 759 Lysine levels for broilers in the periods from 22

Leia mais

EFEITO DE DIFERENTES NÍVEIS DE BALANÇO ELETROLÍTICO E PROTEÍNA SOBRE AS AMINOTRANSFERASES HEPÁTICAS EM FRANGOS DE CORTE AOS SETE DIAS DE IDADE

EFEITO DE DIFERENTES NÍVEIS DE BALANÇO ELETROLÍTICO E PROTEÍNA SOBRE AS AMINOTRANSFERASES HEPÁTICAS EM FRANGOS DE CORTE AOS SETE DIAS DE IDADE MINAFRA, CIBELE S.; LOPES JÚNIOR, CARLOS O.; VIU, MARCO ANTONIO DE O.; MORAES, GEORGE H. K.; REZENDE, CÍNTIA S. M.; CYSNEIROS, CRISTINE DOS S. S.; FERRAZ, HENRIQUE T.; LOPES, DYOMAR T. Efeito de diferentes

Leia mais

NÍVEIS DE TRIPTOFANO DIGESTÍVEL NA DIETA E A QUALIDADE DOS OVOS DE CODORNAS JAPONESAS DE 21 A 30 SEMANAS DE IDADE

NÍVEIS DE TRIPTOFANO DIGESTÍVEL NA DIETA E A QUALIDADE DOS OVOS DE CODORNAS JAPONESAS DE 21 A 30 SEMANAS DE IDADE ARS VETERINARIA,Jaboticabal,SP,v.24, n.3, 193-199, 2008. ISSN 0102-6380 NÍVEIS DE TRIPTOFANO DIGESTÍVEL NA DIETA E A QUALIDADE DOS OVOS DE CODORNAS JAPONESAS DE 21 A 30 SEMANAS DE IDADE DIGESTIBLE TRYPTOPHAN

Leia mais

Suplementação de glicina para pintos de corte submetidos a dietas com diferentes relações treonina:lisina digestíveis

Suplementação de glicina para pintos de corte submetidos a dietas com diferentes relações treonina:lisina digestíveis Suplementação de glicina para pintos de corte submetidos a dietas com diferentes relações treonina:lisina digestíveis Glycine supplementation to broiler chicks subjected to diets with different digestible

Leia mais

Níveis de metionina + cistina para características de desempenho e de carcaça em codornas de corte EV2

Níveis de metionina + cistina para características de desempenho e de carcaça em codornas de corte EV2 Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., v.62, n.4, p.940-947, 2010 Níveis de metionina + cistina para características de desempenho e de carcaça em codornas de corte EV2 [Methionine + cystine requirements for performance

Leia mais

DESEMPENHO DE TRÊS DIFERENTES LINHAGENS DE FRANGOS DE CRESCIMENTO LENTO NA FASE INICIAL

DESEMPENHO DE TRÊS DIFERENTES LINHAGENS DE FRANGOS DE CRESCIMENTO LENTO NA FASE INICIAL DESEMPENHO DE TRÊS DIFERENTES LINHAGENS DE FRANGOS DE CRESCIMENTO LENTO NA FASE INICIAL Raphael Rodrigues dos SANTOS* 1, Saullo Diogo de ASSIS 1, Nadja Susana Mogyca LEANDRO 1, Juliana Pinto MACHADO 1,

Leia mais

AVALIAÇÃO DE CONCENTRADO PROTEICO DE SOJA SELECTA EM PEIXES

AVALIAÇÃO DE CONCENTRADO PROTEICO DE SOJA SELECTA EM PEIXES AVALIAÇÃO DE CONCENTRADO PROTEICO DE SOJA SELECTA EM PEIXES Banco de dados de digestibilidade dos nutrientes de ingredientes tradicionais e novos para nutrição de Truta e Striped Bass F.T. Barrows 1, T.G.

Leia mais

NÍVEIS DE METIONINA+CISTINA PARA FRANGAS LEVES DE 1 A 6 SEMANAS DE IDADE SOBRE O PESO DOS ÓRGÃOS

NÍVEIS DE METIONINA+CISTINA PARA FRANGAS LEVES DE 1 A 6 SEMANAS DE IDADE SOBRE O PESO DOS ÓRGÃOS NÍVEIS DE METIONINA+CISTINA PARA FRANGAS LEVES DE 1 A 6 SEMANAS DE IDADE SOBRE O PESO DOS ÓRGÃOS Francisco Jardel BARBOSA* 1, Jalceyr Pessoa Figueiredo Júnior 2, Fernando Guilherme Perazzo Costa 3, Marcelo

Leia mais

Níveis de lisina digestível em rações para poedeiras semi-pesadas no período de 28 a 44 semanas e seus efeitos sobre o desempenho 1.

Níveis de lisina digestível em rações para poedeiras semi-pesadas no período de 28 a 44 semanas e seus efeitos sobre o desempenho 1. Níveis de lisina digestível em rações para poedeiras semi-pesadas no período de 28 a 44 semanas e seus efeitos sobre o desempenho 1. Tiago Antônio dos SANTOS 2 ; Adriano GERALDO 3 ; Eduardo Terra NOGUEIRA

Leia mais

RELATÓRIO DE PESQUISA - 37

RELATÓRIO DE PESQUISA - 37 RELATÓRIO DE PESQUISA - 37 2003 Disponível em nosso site: www.lisina.com.br SUPLEMENTAÇÃO DE AMINOÁCIDOS NA DIETA PARA POEDEIRAS COMERCIAIS Introdução As dietas para poedeiras ainda são formuladas baseando-se

Leia mais

Exigências nutricionais de treonina digestível para poedeiras semipesadas no segundo ciclo de produção

Exigências nutricionais de treonina digestível para poedeiras semipesadas no segundo ciclo de produção Revista Brasileira de Zootecnia 2010 Sociedade Brasileira de Zootecnia ISSN 1806-9290 www.sbz.org.br Exigências nutricionais de treonina digestível para poedeiras semipesadas no segundo ciclo de produção

Leia mais

Níveis de lisina digestível em rações para poedeiras no período de 24 a 40 semanas de idade

Níveis de lisina digestível em rações para poedeiras no período de 24 a 40 semanas de idade Revista Brasileira de Zootecnia ISSN 1516-3598 (impresso) ISSN 1806-9290 (on-line) www.sbz.org.br R. Bras. Zootec., v.38, n.9, p.1726-1731, 2009 Níveis de lisina digestível em rações para poedeiras no

Leia mais

DESEMPENHO DE FRANGOS DE CORTE ALIMENTADOS COM DIETAS CONTENDO ÓLEO DE SOJA. Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, Goiás, Brasil

DESEMPENHO DE FRANGOS DE CORTE ALIMENTADOS COM DIETAS CONTENDO ÓLEO DE SOJA. Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, Goiás, Brasil DESEMPENHO DE FRANGOS DE CORTE ALIMENTADOS COM DIETAS CONTENDO ÓLEO DE SOJA Rafaela Cavalcante CALIXTO* 1, Lucyana Vieira COSTA 1, João Darós MALAQUIAS JÚNIOR 1, Maria Ivete de MOURA 1, Francine Oliveira

Leia mais

ATUALIZAÇÃO DOS VALORES DE BALANÇO ELETROLÍTICO TOTAL PARA FRANGOS DE CORTE DOS 28 AOS 34 DIAS DE IDADE

ATUALIZAÇÃO DOS VALORES DE BALANÇO ELETROLÍTICO TOTAL PARA FRANGOS DE CORTE DOS 28 AOS 34 DIAS DE IDADE ATUALIZAÇÃO DOS VALORES DE BALANÇO ELETROLÍTICO TOTAL PARA FRANGOS DE CORTE DOS 28 AOS 34 DIAS DE IDADE Pedro Henrique Alves FAGUNDES* 1, Wagner Azis Garcia de ARAÚJO 1, Dielly Inez de Oliveira LACERDA

Leia mais

Exigência de Metionina Mais Cistina para Codornas Japonesas em Postura 1. Methionine Plus Cystine Requirement for Laying Japanese Quails

Exigência de Metionina Mais Cistina para Codornas Japonesas em Postura 1. Methionine Plus Cystine Requirement for Laying Japanese Quails Exigência de Metionina Mais Cistina para Codornas Japonesas em Postura 1 Rogério Pinto 2, Juarez Lopes Donzele 3, Aloízio Soares Ferreira 3, Luiz Fernando Teixeira Albino 3, Rita da Trindade Ribeiro Nobre

Leia mais

RELATÓRIO DE PESQUISA - 41

RELATÓRIO DE PESQUISA - 41 RELATÓRIO DE PESQUISA - 41 2004 Disponível em nosso site: www.lisina.com.br NÍVEL DE LISINA DIGESTÍVEL PARA AS DIETAS PRÉ-INICIAIS DE PINTOS DE CORTE Introdução Objetivo Material e Métodos A utilização

Leia mais

Exigência de metionina + cistina para frangas de reposição na fase cria de sete a 12 semanas de idade

Exigência de metionina + cistina para frangas de reposição na fase cria de sete a 12 semanas de idade Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., v.64, n.6, p.1699-1706, 2012 Exigência de metionina + cistina para frangas de reposição na fase cria de sete a 12 semanas de idade [Requirement of methionine + cystine for

Leia mais

EFEITO DO BALANÇO ELETROLÍTICO TOTAL (BET) EM DIETAS DE FRANGOS DE CORTE DOS 21 AOS 27 DIAS DE IDADE

EFEITO DO BALANÇO ELETROLÍTICO TOTAL (BET) EM DIETAS DE FRANGOS DE CORTE DOS 21 AOS 27 DIAS DE IDADE EFEITO DO BALANÇO ELETROLÍTICO TOTAL (BET) EM DIETAS DE FRANGOS DE CORTE DOS 21 AOS 27 DIAS DE IDADE Sinthia Pereira SIQUEIRA* 1, Wagner Azis Garcia de ARAÚJO 1, Dielly Inez de Oliveira LACERDA 2, Bruna

Leia mais

Atualização da proteína ideal para frangos de corte: arginina, isoleucina, valina e triptofano

Atualização da proteína ideal para frangos de corte: arginina, isoleucina, valina e triptofano Revista Brasileira de Zootecnia 2012 Sociedade Brasileira de Zootecnia ISSN 1806-9290 www.sbz.org.br Atualização da proteína ideal para frangos de corte: arginina, isoleucina, valina e triptofano Anastácia

Leia mais

Balanço de cálcio e fósforo e estudo dos níveis desses minerais em dietas para codornas japonesas (45 a 57 semanas de idade)

Balanço de cálcio e fósforo e estudo dos níveis desses minerais em dietas para codornas japonesas (45 a 57 semanas de idade) Revista Brasileira de Zootecnia 2010 Sociedade Brasileira de Zootecnia ISSN 1806-9290 www.sbz.org.br Balanço de cálcio e fósforo e estudo dos níveis desses minerais em dietas para codornas japonesas (45

Leia mais

AMÉRICA LATINA ROSS 308 AP (AP95) Especificações Nutricionais FRANGOS. An Aviagen Brand

AMÉRICA LATINA ROSS 308 AP (AP95) Especificações Nutricionais FRANGOS. An Aviagen Brand AMÉRICA LATINA FRANGOS ROSS 308 AP (AP95) Especificações Nutricionais 2017 An Aviagen Brand Introdução Nas seguintes tabelas são mostradas as especificações nutricionais para frangos de corte, considerando

Leia mais

(Coturnix coturnix japonica) MACHOS NA FASE DE 1 A 21 DIAS DE IDADE 1

(Coturnix coturnix japonica) MACHOS NA FASE DE 1 A 21 DIAS DE IDADE 1 410 EXIGÊNCIA DE CÁLCIO COSTA, PARA F. G. P. CODORNAS et al. JAPONESAS (Coturnix coturnix japonica) MACHOS NA FASE DE 1 A 21 DIAS DE IDADE 1 Calcium requirement for male japanese quails (Coturnix coturnix

Leia mais

DESEMPENHO E QUALIDADE DOS OVOS DE GALINHAS SEMI-PESADAS ALIMENTADAS COM RAÇÕES FORMULADAS COM DUAS EXIGÊNCIAS NUTRICIONAIS DIFERENTES

DESEMPENHO E QUALIDADE DOS OVOS DE GALINHAS SEMI-PESADAS ALIMENTADAS COM RAÇÕES FORMULADAS COM DUAS EXIGÊNCIAS NUTRICIONAIS DIFERENTES DESEMPENHO E QUALIDADE DOS OVOS DE GALINHAS SEMI-PESADAS ALIMENTADAS COM RAÇÕES FORMULADAS COM DUAS EXIGÊNCIAS NUTRICIONAIS DIFERENTES Silvia Vitória Santos de Carvalho ARAÚJO* 1, Túlio Leite REIS 1, Juan

Leia mais

Exigências de Treonina para Frangos de Corte Machos nas Fases de 1 a 20, 24 a 38 e 44 a 56 Dias de Idade 1

Exigências de Treonina para Frangos de Corte Machos nas Fases de 1 a 20, 24 a 38 e 44 a 56 Dias de Idade 1 Exigências de Treonina para Frangos de Corte Machos nas Fases de 1 a 20, 24 a 38 e 44 a 56 Dias de Idade 1 Anel Atencio 2, Luiz Fernando Teixeira Albino 3, Horacio Santiago Rostagno 3, Jean Eduardo de

Leia mais

PROGRAMAS DE ALIMENTAÇÃO COM 5 FASES PARA FRANGOS DE CORTE

PROGRAMAS DE ALIMENTAÇÃO COM 5 FASES PARA FRANGOS DE CORTE Data: Setembro/2002 PROGRAMAS DE ALIMENTAÇÃO COM 5 FASES PARA FRANGOS DE CORTE A evolução genética que vem ocorrendo nos Frangos de Corte trás como conseqüência, além da natural melhoria nos parâmetros

Leia mais

Níveis de lisina digestível em rações para poedeiras semipesadas no período de 47 a 62 semanas de idade e seus efeitos sobre o desempenho produtivo.

Níveis de lisina digestível em rações para poedeiras semipesadas no período de 47 a 62 semanas de idade e seus efeitos sobre o desempenho produtivo. Níveis de lisina digestível em rações para poedeiras semipesadas no período de 47 a 62 semanas de idade e seus efeitos sobre o desempenho produtivo. Angélica Santana CAMARGOS¹; Adriano GERALDO²; Sérgio

Leia mais

Exigências de cálcio e de fósforo disponível para codornas japonesas de 26 a 38 semanas de idade

Exigências de cálcio e de fósforo disponível para codornas japonesas de 26 a 38 semanas de idade Exigências de cálcio e de fósforo disponível para codornas japonesas de 26 a 38 semanas de idade Requirements for calcium and phosphorus available for Japanese quail of the 26 to 38 weeks of age VIEIRA,

Leia mais

Suplemento de nutrição e desempenho do frangos de corte

Suplemento de nutrição e desempenho do frangos de corte Suplemento de nutrição e desempenho do frango de corte frangos de corte cobb-vantress.com Introdução Este suplemento apresenta as metas de rendimento e desempenho dos seus frangos de corte Cobb5, bem como

Leia mais

Especificações Nutricionais para Frangos de Corte. Junho 2007

Especificações Nutricionais para Frangos de Corte. Junho 2007 Especificações Nutricionais para Frangos de Corte Junho 2007 Introdução Nas tabelas seguintes são apresentadas as especificações nutricionais para frangos de corte, considerando situações diversas de produção

Leia mais

Suplementação de carboidrases e fitase em dietas para poedeiras semipesadas e seus efeitos sobre o desempenho

Suplementação de carboidrases e fitase em dietas para poedeiras semipesadas e seus efeitos sobre o desempenho Suplementação de carboidrases e fitase em dietas para poedeiras semipesadas e seus efeitos sobre o desempenho Karina Aurora Rodrigues GOMES 1, Adriano GERALDO 2, Sérgio Domingos SIMÃO³, Filipe Soares NOGUEIRA

Leia mais

... Palavras-chave: ALT, AST, Avicultura, Enzimas, Nutrição Animal, Rim

... Palavras-chave: ALT, AST, Avicultura, Enzimas, Nutrição Animal, Rim MINAFRA, CIBELE S.; MORAES, GEORGE H. K.; CYSNEIROS, CRISTINE S. S.; REZENDE, CÍNTIA S. M.; VIU, MARCO ANTONIO DE O.; LOPES, DYOMAR T.; FERRAZ, HENRIQUE T. Avaliação dos níveis de balanço eletrolítico

Leia mais

Resumo: Objetivou-se com o presente estudo avaliar a associação da fitase com um complexo enzimático

Resumo: Objetivou-se com o presente estudo avaliar a associação da fitase com um complexo enzimático Resumo Expandido Título da Pesquisa: Suplementação de carboidrases e fitase em ditas para poedeiras semi-pesadas e seus efeitos sobre o desempenho Palavras-chave: enzimas; monogástricos; disponibilização

Leia mais

Desempenho e qualidade dos ovos de poedeiras comerciais alimentadas com rações contendo diferentes níveis de metionina e lisina 1

Desempenho e qualidade dos ovos de poedeiras comerciais alimentadas com rações contendo diferentes níveis de metionina e lisina 1 Revista Brasileira de Zootecnia 2010 Sociedade Brasileira de Zootecnia ISSN 1806-9290 www.sbz.org.br Desempenho e qualidade dos ovos de poedeiras comerciais alimentadas com rações contendo diferentes níveis

Leia mais

Exigências de Metionina + Cistina para Frangos de Corte Machos em Diferentes Fases de Criação 1

Exigências de Metionina + Cistina para Frangos de Corte Machos em Diferentes Fases de Criação 1 Exigências de Metionina + Cistina para Frangos de Corte Machos em Diferentes Fases de Criação 1 Anel Atencio 2, Luiz Fernando Teixeira Albino 3, Horacio Santiago Rostagno 3, Flávio Medeiros Vieites 4 RESUMO

Leia mais

ATUALIZAÇÃO DOS VALORES DE BALANÇO ELETROLÍTICO TOTAL PARA FRANGOS DE CORTE DOS 28 AOS 42 DIAS DE IDADE

ATUALIZAÇÃO DOS VALORES DE BALANÇO ELETROLÍTICO TOTAL PARA FRANGOS DE CORTE DOS 28 AOS 42 DIAS DE IDADE ATUALIZAÇÃO DOS VALORES DE BALANÇO ELETROLÍTICO TOTAL PARA FRANGOS DE CORTE DOS 28 AOS 42 DIAS DE IDADE Hérica da Silva MESSIAS* 1, Wagner Azis Garcia de ARAÚJO 1, Dielly Inêz de Oliveira LACERDA 2, Eduardo

Leia mais

Página 2 de 10 Valor estimado: R$ ,5000 para: SOLUTION AGRONEGOCIOS LTDA - ME - ME, pelo melhor lance de R$ ,0000. Itens do grupo: 12 - R

Página 2 de 10 Valor estimado: R$ ,5000 para: SOLUTION AGRONEGOCIOS LTDA - ME - ME, pelo melhor lance de R$ ,0000. Itens do grupo: 12 - R Página 1 de 10 Pregão Eletrônico MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Media e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciencia e Tecnologia Catarinense Campus Camboriú Termo de Adjudicação do

Leia mais

Alimentação do Frango Colonial

Alimentação do Frango Colonial Alimentação do Frango Colonial Alimentação Para os sistemas mais rudimentares e em pequena escala recomenda-se adquirir a ração de fornecedor idôneo, de preferência certificado para Boas Práticas de Fabricação-BPF.

Leia mais

Efeito da utilização de farelo de girassol na dieta sobre o desempenho de frangos de corte 1

Efeito da utilização de farelo de girassol na dieta sobre o desempenho de frangos de corte 1 Revista Brasileira de Zootecnia ISSN 1516-3598 (impresso) ISSN 1806-9290 (on-line) www.sbz.org.br R. Bras. Zootec., v.38, n.9, p.1745-1750, 2009 Efeito da utilização de farelo de girassol na dieta sobre

Leia mais

Palavras-chave: ALT, AST, Avicultura, Enzimas, Nutrição Animal, Rim

Palavras-chave: ALT, AST, Avicultura, Enzimas, Nutrição Animal, Rim MINAFRA, CIBELE S.; MORAES, GEORGE H. K.; REZENDE, CÍNTIA S. M.; VIEITES, FLÁVIO M.; VIU, MARCO ANTONIO DE O.; CYSNEIROS, CRISTINE S. S.; LOPES, DYOMAR T.; FERRAZ, HENRIQUE T. Avaliação dos níveis de balanço

Leia mais

Exigência de Arginina Digestível para Frangos de Corte Machos em Diferentes Fases 1

Exigência de Arginina Digestível para Frangos de Corte Machos em Diferentes Fases 1 Exigência de Arginina Digestível para Frangos de Corte Machos em Diferentes Fases 1 Anel Atencio 2, Luiz Fernando Teixeira Albino 3, Horacio Santiago Rostagno 3, Débora Cristine de Oliveira Carvalho 4,

Leia mais

Exigência de energia metabolizável de codornas de corte no período de 1 a 14 dias de idade

Exigência de energia metabolizável de codornas de corte no período de 1 a 14 dias de idade Revista Brasileira de Zootecnia 2011 Sociedade Brasileira de Zootecnia ISSN 1806-9290 www.sbz.org.br Exigência de energia metabolizável de codornas de corte no período de 1 a 14 dias de idade Carina Scherer

Leia mais

RODRIGO SANTANA TOLEDO. Exigência Nutricional de Lisina e de Proteína Bruta para Frangos de Corte Criados em Ambiente Limpo e Sujo

RODRIGO SANTANA TOLEDO. Exigência Nutricional de Lisina e de Proteína Bruta para Frangos de Corte Criados em Ambiente Limpo e Sujo RODRIGO SANTANA TOLEDO Exigência Nutricional de Lisina e de Proteína Bruta para Frangos de Corte Criados em Ambiente Limpo e Sujo Tese apresentada à Universidade Federal de Viçosa, como parte das exigências

Leia mais

Níveis de vitamina E em dietas para suínos dos 85 aos 120 kg suplementadas com ractopamina no desempenho e nas características de carcaça

Níveis de vitamina E em dietas para suínos dos 85 aos 120 kg suplementadas com ractopamina no desempenho e nas características de carcaça Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 10., 2013. Belo Horizonte Níveis de vitamina E em dietas para suínos dos 85 aos 120 kg suplementadas com ractopamina no desempenho e nas características

Leia mais

NÍVEIS DE LISINA DIGESTÍVEL EM DIETAS BASEADAS NO CONCEITO DE PROTEÍNA IDEAL PARA FRANGOS DE CORTE NA FASE INICIAL

NÍVEIS DE LISINA DIGESTÍVEL EM DIETAS BASEADAS NO CONCEITO DE PROTEÍNA IDEAL PARA FRANGOS DE CORTE NA FASE INICIAL Níveis de lisina digestível em dietas baseadas no conceito de proteína ideal para frangos de corte na fase inicial 101 NÍVEIS DE LISINA DIGESTÍVEL EM DIETAS BASEADAS NO CONCEITO DE PROTEÍNA IDEAL PARA

Leia mais

Suplemento: Desempenho e Nutrição para frangos de corte

Suplemento: Desempenho e Nutrição para frangos de corte Suplemento: Desempenho e Nutrição para Frangos de Corte frangos de corte cobb-vantress.com Introdução Este suplemento apresenta metas de desempenho e rendimento para os seus frangos de corte Cobb500, juntamente

Leia mais

RELATÓRIO DE PESQUISA - 35

RELATÓRIO DE PESQUISA - 35 RELATÓRIO DE PESQUISA - 35 2003 NÍVEL DE LISINA NAS RAÇÕES DE FRANGOS DE CORTE: Experimento 1 22 a 42 dias de idade Experimento 2 36 a 49 dias de idade Introdução O nível de lisina das rações de frangos

Leia mais

INCLUSÃO DE FARINHA DE VÍSCERAS NA RAÇÃO DE CODORNAS JAPONESAS EM POSTURA 1 INCLUSION OF POULTRY OFFAL MEAL IN THE DIET OF LAYING JAPANESE QUAILS

INCLUSÃO DE FARINHA DE VÍSCERAS NA RAÇÃO DE CODORNAS JAPONESAS EM POSTURA 1 INCLUSION OF POULTRY OFFAL MEAL IN THE DIET OF LAYING JAPANESE QUAILS 158 RENATA, S.R. et al. INCLUSÃO DE FARINHA DE VÍSCERAS NA RAÇÃO DE CODORNAS JAPONESAS EM POSTURA 1 Renata de Souza Reis 2, Sérgio Luiz de Toledo Barreto 2, Gabriel da Silva Viana 2, Michele de Oliveira

Leia mais

matrizes Suplemento de Manejo de Matrizes Empenamento Lento Fêmea cobb-vantress.com

matrizes Suplemento de Manejo de Matrizes Empenamento Lento Fêmea cobb-vantress.com Suplemento de Manejo de Matrizes Empenamento Lento Fêmea matrizes cobb-vantress.com Introdução Este Suplemento de Manejo de Matrizes Cobb deve ser utilizado em conjunto com o Manual de Manejo de Matrizes

Leia mais

matrizes Suplemento de Manejo de Matrizes Empenamento Rápido Fêmea cobb-vantress.com

matrizes Suplemento de Manejo de Matrizes Empenamento Rápido Fêmea cobb-vantress.com Suplemento de Manejo de Matrizes Empenamento Rápido Fêmea matrizes cobb-vantress.com Introdução Este Suplemento de Manejo de Matrizes Cobb deve ser utilizado em conjunto com o Manual de Manejo de Matrizes

Leia mais

SORGO - UMA BOA ALTERNATIVA PARA REDUÇÃO DOS CUSTOS DE ALIMENTAÇÃO

SORGO - UMA BOA ALTERNATIVA PARA REDUÇÃO DOS CUSTOS DE ALIMENTAÇÃO Data: Junho/2001 SORGO - UMA BOA ALTERNATIVA PARA REDUÇÃO DOS CUSTOS DE ALIMENTAÇÃO Estamos iniciando a colheita de uma safra de Sorgo, que segundo estimativas deve girar ao redor de 1,350 a 1,500 milhões

Leia mais

VALIDAÇÃO DE UMA EQUAÇÃO PARA PREDIÇÃO DO VALOR ENERGÉTICO DO MILHO COM DIFERENTES GRAUS DE MOAGEM E MÉTODOS DE FORMULAÇÃO DAS DIETAS

VALIDAÇÃO DE UMA EQUAÇÃO PARA PREDIÇÃO DO VALOR ENERGÉTICO DO MILHO COM DIFERENTES GRAUS DE MOAGEM E MÉTODOS DE FORMULAÇÃO DAS DIETAS ANAIS VALIDAÇÃO DE UMA EQUAÇÃO PARA PREDIÇÃO DO VALOR ENERGÉTICO DO MILHO COM DIFERENTES GRAUS DE MOAGEM E MÉTODOS DE FORMULAÇÃO DAS DIETAS TM BERTOL 1 *, JV LUDKE 1, DL ZANOTTO 1, A COLDEBELLA 1 1 Embrapa

Leia mais

Ciência Rural ISSN: Universidade Federal de Santa Maria Brasil

Ciência Rural ISSN: Universidade Federal de Santa Maria Brasil Ciência Rural ISSN: 0103-8478 cienciarural@mail.ufsm.br Universidade Federal de Santa Maria Brasil Haese, Douglas; Kill, João Luís; Ramalho Haddade, Ismail; Saraiva, Alysson; Vitória, Edney Leandro; Del

Leia mais

Exigência de Treonina para Pintos de Corte no Período de 1 a 21 Dias de Idade 1. Threonine Requirement for Broiler Chicks From 1 to 21 Days of Age

Exigência de Treonina para Pintos de Corte no Período de 1 a 21 Dias de Idade 1. Threonine Requirement for Broiler Chicks From 1 to 21 Days of Age Rev. bras. zootec., v.28, n.1, p.122-126, 1999 Exigência de Treonina para Pintos de Corte no Período de 1 a 21 Dias de Idade 1 Rita da Trindade Ribeiro Nobre Soares 2, Luiz Fernando Teixeira Albino 3,

Leia mais

Níveis nutricionais de treonina digestível para poedeiras comerciais durante o segundo ciclo de postura

Níveis nutricionais de treonina digestível para poedeiras comerciais durante o segundo ciclo de postura Revista Brasileira de Zootecnia 2010 Sociedade Brasileira de Zootecnia ISSN 1806-9290 www.sbz.org.br Níveis nutricionais de treonina digestível para poedeiras comerciais durante o segundo ciclo de postura

Leia mais

Interdisciplinar: Revista Eletrônica da UNIVAR ISSN X Ano de publicação: 2014 N.:11 Vol.:1 Págs.

Interdisciplinar: Revista Eletrônica da UNIVAR  ISSN X Ano de publicação: 2014 N.:11 Vol.:1 Págs. Interdisciplinar: Revista Eletrônica da UNIVAR http://revista.univar.edu.br ISSN 1984-431X Ano de publicação: 2014 N.:11 Vol.:1 Págs.:51-55 INFLUÊNCIA DO SEXO E DA IDADE NA DETERMINAÇÃO DA ENERGIA METABOLIZÁVEL

Leia mais

Manual de Padrões de Desempenho

Manual de Padrões de Desempenho Matrizes Edição 2 W-36 Manual de Padrões de Desempenho Resumo do Desempenho Viabilidade Fêmea, 1 18 semanas 96% Viabilidade Fêmea, 19 75 semanas 95% Viabilidade Macho, 1 18 semanas 85% Viabilidade Macho,

Leia mais

Energia metabolizável para aves dos farelos de soja das variedades convencionais e geneticamente modificada

Energia metabolizável para aves dos farelos de soja das variedades convencionais e geneticamente modificada Energia metabolizável para aves dos farelos de soja das variedades convencionais e geneticamente modificada Poultry metabolizable energy of soybean meal from conventional and genetically modified varieties

Leia mais

RELATÓRIO DE PESQUISA - 32

RELATÓRIO DE PESQUISA - 32 RELATÓRIO DE PESQUISA - 32 USO DE TREONINA NA DIETA PARA DIMINUIR A PROTEÍNA BRUTA E SEU EFEITO SOBRE O DESEMPENHO E RENDIMENTO DE CARCAÇA DE FRANGOS DE CORTE ESTUDO 2 Introdução Objetivo No relatório

Leia mais

RELATÓRIO DE PESQUISA - 31

RELATÓRIO DE PESQUISA - 31 RELATÓRIO DE PESQUISA - 31 USO DE TREONINA NA DIETA PARA DIMINUIR A PROTEÍNA BRUTA E SEU EFEITO SOBRE O DESEMPENHO E RENDIMENTO DE CARCAÇA DE FRANGOS DE CORTE ESTUDO 1 Introdução A nova disponibilidade

Leia mais

Relações metionina + cistina: lisina digestíveis para codornas de corte machos em fase de terminação

Relações metionina + cistina: lisina digestíveis para codornas de corte machos em fase de terminação Relações metionina + cistina: lisina digestíveis para codornas de corte machos em fase de terminação Relations of methionine plus cystine to lysine digestible of males meat quails in termination phase

Leia mais

Exigências de Proteína Bruta e Energia Metabolizável para Codornas Japonesas Criadas para a Produção de Carne 1

Exigências de Proteína Bruta e Energia Metabolizável para Codornas Japonesas Criadas para a Produção de Carne 1 R. Bras. Zootec., v.31, n.2, p.675686, 2002 Exigências de Proteína Bruta e Energia Metabolizável para Codornas Japonesas Criadas para a Produção de Carne 1 Newton Tavares Escocard de Oliveira 2, Martinho

Leia mais

Níveis Dietéticos de Proteína Bruta para Frangos de Corte de 1 a 21 e 22 a 42 Dias de Idade 1

Níveis Dietéticos de Proteína Bruta para Frangos de Corte de 1 a 21 e 22 a 42 Dias de Idade 1 Níveis Dietéticos de Proteína Bruta para Frangos de Corte de 1 a 21 e 22 a 42 Dias de Idade 1 Fernando Guilherme Perazzo Costa 2, Horacio Santiago Rostagno 3, Luiz Fernando Teixeira Albino 3, Paulo Cezar

Leia mais

Exigência de Lisina para Codornas Japonesas em Postura 1. Lysine Requirement for Laying Japanese Quails

Exigência de Lisina para Codornas Japonesas em Postura 1. Lysine Requirement for Laying Japanese Quails Exigência de Lisina para Codornas Japonesas em Postura 1 Rogério Pinto 2, Aloízio Soares Ferreira 3, Juarez Lopes Donzele 3, Martinho de Almeida e Silva 4, Rita da Trindade Ribeiro Nobre Soares 5, Gislene

Leia mais

Programas de Alimentação Frangos de Corte

Programas de Alimentação Frangos de Corte PRINCÍPIOS EM NUTRIÇÃO DE AVES Programas de Alimentação Frangos de Corte Prof. Dr. Luciano Hauschild Msc. Jaqueline de Paula Gobi Disciplina: Nutrição de Monogástricos Jaboticabal - junho 2016 INTRODUÇÃO

Leia mais

Níveis de sódio na ração de codornas japonesas em postura. Sodium levels in diet of laying japanese quails

Níveis de sódio na ração de codornas japonesas em postura. Sodium levels in diet of laying japanese quails Níveis de sódio na ração de codornas japonesas em postura Sodium levels in diet of laying japanese quails LIMA, Heder José D Avila 1* ; BARRETO, Sergio Luiz de Toledo 2 ; PAULA, Eriane de 2 ; DUTRA, Daniel

Leia mais

Níveis de sódio na ração de codornas japonesas em postura. Sodium levels in diet of laying japanese quails

Níveis de sódio na ração de codornas japonesas em postura. Sodium levels in diet of laying japanese quails Níveis de sódio na ração de codornas japonesas em postura Sodium levels in diet of laying japanese quails LIMA, Heder José D Avila 1* ; BARRETO, Sergio Luiz de Toledo 2 ; PAULA, Eriane de 2 ; DUTRA, Daniel

Leia mais

Níveis de metionina + cistina digestível para poedeiras leves no período de 42 a 58 semanas de idade

Níveis de metionina + cistina digestível para poedeiras leves no período de 42 a 58 semanas de idade Revista Brasileira de Zootecnia 2010 Sociedade Brasileira de Zootecnia ISSN 1806-9290 www.sbz.org.br Níveis de metionina + cistina digestível para poedeiras leves no período de 42 a 58 semanas de idade

Leia mais