Desafios do Saneamento em Comunidades Isoladas. Câmara Técnica de Saneamento e Saúde em Comunidades Isoladas ABES São Paulo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Desafios do Saneamento em Comunidades Isoladas. Câmara Técnica de Saneamento e Saúde em Comunidades Isoladas ABES São Paulo"

Transcrição

1 Desafios do Saneamento em Comunidades Isoladas Câmara Técnica de Saneamento e Saúde em Comunidades Isoladas ABES São Paulo

2 População Rural 30 milhões de pessoas residem em localidades rurais no Brasil, representando aproximadamente 16% da população brasileira. (IBGE/2010) 8,1 milhões de domicílios rurais. (IBGE/2010)

3 População Rural por Unidade Federativa

4 População Rural por Município

5

6

7 Comunidades Isoladas: o que são? São loteamentos ou núcleos habitacionais localizados normalmente em áreas periféricas de cidades, ou comunidades, litorâneas ou não, de difícil acesso, cuja interligação aos sistemas principais de água e de esgotos do município demonstra-se economicamente inviável e necessitam de soluções independentes desses serviços. ABES - SP

8 Portaria GM/MS nº2.914/11 MS: Lei nº / 1900 (Lei Orgânica da Saúde) Art. 2º - A saúde é um direito fundamental do ser humano, devendo o Estado prover as condições indispensáveis ao seu pleno exercício. Parágrafo 1º - O dever do Estado de garantir a saúde consiste na reformulação e execução de políticas econômicas e sociais que visem à redução de riscos de doenças e de outros agravos e no estabelecimento de condições que assegurem acesso universal e igualitário ás ações e aos serviços para a sua promoção, proteção e recuperação.

9 Água para consumo humano água potável destinada à ingestão, preparação, produção de alimentos e à higiene pessoal, independentemente da sua origem Artigo 3º toda água destinada ao consumo humano, distribuída coletivamente por meio de sistema ou solução alternativa coletiva de abastecimento de água (Ex: carro-pipa) deve ser objeto do controle e da vigilância, com o objetivo de garantir a potabilidade da água, evitando que ofereça riscos á saúde.

10 A Portaria de Potabilidade da Água para consumo humano proíbe a distribuição de água sem tratamento à população. Artigo 4º Toda água destinada ao consumo humano proveniente de solução alternativa individual de abastecimento de água, independentemente de forma de acesso da população, está sujeita á vigilância da qualidade de água.

11 Formas de Abastecimento de Água Sistema de Abastecimento de Água (SAA) - Composto por um conjunto de obras civis, materiais e equipamentos, desde a zona de captação até as ligações prediais (fornecimento coletivo de água potável por meio de rede de distribuição). Solução Alternativa Coletiva (SAC) - Abastecimento coletivo destinado a fornecer água potável, com captação subterrânea ou superficial, com ou sem canalização e sem rede de distribuição. Solução Alternativa Individual (SAI) - Abastecimento de água para consumo humano que atende domicílios residenciais com uma única família, incluindo seus agregados familiares.

12 Tratamento da Água para Consumo Humano Abastecimento coletivo da água (SAA e SAC): Tratamento mínimo estabelecido pela Portaria GM/MS nº 2914/2011 Captação da água de manancial subterrâneo desinfecção ou cloração Garantir os residuais desinfetantes durante a distribuição e reservação. Abastecimento Individual de água (SAI): Tratamento Intradomiciliar Filtração da água Adição de hipoclorito de sódio a 2,5% ou fervura da água

13 Soluções Alternativas Individuais (SAI) dos Municípios do Litoral Norte MUNICÍPIOS SOLUÇÕES ALTERNATIVAS Nº DE IMÓVEIS POPULAÇÃO Número Sem tratamento ABASTECIDOS ABASTECIDA(*) Caraguatatuba (89%) Ilhabela (99%) São Sebastião (93%) Ubatuba ( 97%) TOTAL (95%) Período de levantamento 2005 a 2008 Fonte: RELATÓRIO DE SITUAÇÃO DAS SOLUÇÕES ALTERNATIVAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DO LITORAL NORTE DO ESTADO DA SÃO PAULO-CP-Água (*) abrange população fixa e flutuante

14 População dos Municípios do Litoral Norte MUNICÍPIO Caraguatatuba Ilhabela São Sebastião Ubatuba TOTAL Período de levantamento 2005 a 2008 Fonte: RELATÓRIO DE SITUAÇÃO DAS SOLUÇÕES ALTERNATIVAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DO LITORAL NORTE DO ESTADO DA SÃO PAULO-CP-Água (*) abrange população fixa e flutuante

15 Ilha Montão de Trigo (São Sebastião) Fonte: ABES SP

16 Nº de captações Número de Captações com Abastecimento Alternativo para consumo sem tratamento no Litoral Norte Número de captações utilizadas para abastecimento alternativo de água para consumo humano e número de captações sem tratamento nos municípios do Litoral Norte Nº de captações Captações sem tratamento Caraguatatuba Ilhabela São Sebastião Ubatuba Nº de captações Captações sem tratamento Período de levantamento 2005 a 2008

17 Número de imóveis e população abastecida pelas soluções alternativas de abastecimento de água para consumo humano nos municípios do Litoral Norte Nº imóveis atendidos Nº habitamtes atendidos Caraguatatuba Ilhabela São Sebastião Ubatuba Nº imóveis atendidos Nº habitamtes atendidos Período de levantamento 2005 a 2008

18 Vila Machado Área do Projeto

19 Residências dos Moradores- Vila Machado

20

21

22

23 Constatações: - A falta de conscientização da situação sanitária do bairro e os riscos que ela oferece não são somente da população, as autoridades municipais, através da Vigilância Sanitária e do Meio Ambiente não tem procedimentos que minimizem esses riscos. - Entre as carências sanitárias da população brasileira se destaca a falta de saneamento domiciliar e as demandas por sistemas de pequeno porte, em zonas rurais e periféricas dos centros urbanos.

24 Proposição: Por que não retornar a Oficina Municipal de Saneamento? - Levantamento e a identificação dos fatores de risco ambientais; - Fomentar e difundir o conceito de saneamento como ação de saúde pública; - Melhorias coletivas de pequeno porte, com ações de saneamento que atendem áreas de maior concentração populacional, com ações coletivas em unidades tipo escolas, creches, mercados, áreas de lazer, balneários, parques, etc.; - Melhorias sanitárias domiciliares, intervenções de saneamento no domicílio visando atender as necessidades básicas da população.

25 A saúde da população tem que ter o mesmo nível de importância que a contaminação dos cursos d agua.

26 Obrigada! Ana Lúcia Brasil Coordenadora da Câmara Técnica de Saneamento e Saúde em Comunidades Isoladas da ABES SP (11) /

Boletim Epidemiológico VIGIAGUA

Boletim Epidemiológico VIGIAGUA 01 de agosto de 2016 Página 1/7 GLOSSÁRIO 1. Programa de Vigilância da Qualidade da Água no Ceará Água para consumo humano: Aquela utilizada para beber, preparação de alimentos e higiene corporal. Água

Leia mais

Gestão de riscos sanitários relacionados ao abastecimento de água para consumo humano no Brasil

Gestão de riscos sanitários relacionados ao abastecimento de água para consumo humano no Brasil Taller Internacional sobre Gestión de Riesgos Sanitarios relacionados com el Agua Potable y el Saneamento Gestão de riscos sanitários relacionados ao abastecimento de água para consumo humano no Brasil

Leia mais

Desafios frente à segurança da água para consumo humano no Rio Grande do Sul

Desafios frente à segurança da água para consumo humano no Rio Grande do Sul Desafios frente à segurança da água para consumo humano no Rio Grande do Sul Julce Clara da Silva MSc. Saúde Coletiva UNISINOS Engª.Quimica Sanitarista Coordenadora VIGIAGUA DVAS Porto Alegre, 27 de setembro

Leia mais

ALTERNATIVA DE TRATAMENTO DE ÁGUA DE ABASTECIMENTO PARA ÁREAS RURAIS

ALTERNATIVA DE TRATAMENTO DE ÁGUA DE ABASTECIMENTO PARA ÁREAS RURAIS ALTERNATIVA DE TRATAMENTO DE ÁGUA DE ABASTECIMENTO PARA ÁREAS RURAIS Daniela de Matos Ferreira (1) ; Lucas Reinaldo de Oliveira (2) ; Suélliton Alves da Silva (3) ; Silania Lima Pereira (4) (1)Universidade

Leia mais

CONHEÇA O CONTROLE DE QUALIDADE DA ÁGUA QUE VOCÊ CONSOME

CONHEÇA O CONTROLE DE QUALIDADE DA ÁGUA QUE VOCÊ CONSOME CONHEÇA O CONTROLE DE QUALIDADE DA ÁGUA QUE VOCÊ CONSOME O SAAE Serviço Autônomo de Água e Esgoto da cidade de Governador Valadares-MG, é uma Autarquia Municipal, criada pela Lei Municipal Nº276 de 01/09/1952,

Leia mais

Projeto piloto para implantação de tecnologias alternativas em saneamento na comunidade de Rodamonte Ilhabela - SP

Projeto piloto para implantação de tecnologias alternativas em saneamento na comunidade de Rodamonte Ilhabela - SP Projeto piloto para implantação de tecnologias alternativas em saneamento na comunidade de Rodamonte Ilhabela - SP Histórico RELATÓRIO DE SITUAÇÃO DAS SOLUÇÕES ALTERNATIVAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DO

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO QUESTIONÁRIO. NÚMERO DE CADASTRO DA ENTIDADE NO MUNICÍPIO (Preenchido de acordo com o Relatório de Números Cadastrais / IBGE)

IDENTIFICAÇÃO DO QUESTIONÁRIO. NÚMERO DE CADASTRO DA ENTIDADE NO MUNICÍPIO (Preenchido de acordo com o Relatório de Números Cadastrais / IBGE) Diretoria de Pesquisas - DPE Coordenação de População e Indicadores Sociais - COPIS PESQUISA NACIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO - 0 ABASTECIMENTO DE ÁGUA AA BLOCO 0 0 IDENTIFICAÇÃO DO QUESTIONÁRIO NÚMERO DE

Leia mais

Dispõe sobre a vigilância sanitária da qualidade da água para consumo humano nas frentes de trabalho e dá outras providências.

Dispõe sobre a vigilância sanitária da qualidade da água para consumo humano nas frentes de trabalho e dá outras providências. PORTARIA CVS Nº 11, de 21/07/2011 Dispõe sobre a vigilância sanitária da qualidade da água para consumo humano nas frentes de trabalho e dá outras providências. A Diretoria Técnica do Centro de Vigilância

Leia mais

AVALIAÇÃO DAS AÇÕES DE VIGILÂNCIA DA QUALIDADE DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO NO MUNICÍPIO DE RIO BRANCO-ACRE.

AVALIAÇÃO DAS AÇÕES DE VIGILÂNCIA DA QUALIDADE DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO NO MUNICÍPIO DE RIO BRANCO-ACRE. AVALIAÇÃO DAS AÇÕES DE VIGILÂNCIA DA QUALIDADE DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO NO MUNICÍPIO DE RIO BRANCO-ACRE. Lúcia Monteiro Dias Gomes 1 ; Maura Regina Ribeiro 2 & Vanuza Salgado Moreira 3 RESUMO Este estudo

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA. Prospectiva, Planejamento Estratégico e Prognóstico do PMSB e PMGIRS

AUDIÊNCIA PÚBLICA. Prospectiva, Planejamento Estratégico e Prognóstico do PMSB e PMGIRS AUDIÊNCIA PÚBLICA Prospectiva, Planejamento Estratégico e Prognóstico do PMSB e PMGIRS Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB) e Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (PMGIRS) de

Leia mais

CASE: SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ÁGUA SIMPLIFICADOS SIMAE JOAÇABA, HERVAL D OESTE E LUZERA 31/10/2017

CASE: SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ÁGUA SIMPLIFICADOS SIMAE JOAÇABA, HERVAL D OESTE E LUZERA 31/10/2017 CASE: SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ÁGUA SIMPLIFICADOS JOAÇABA, HERVAL D OESTE E LUZERA 31/10/2017 ÁREA DE ATUAÇÃO O Autarquia Intermunicipal: com autonomia administrativa, financeira e orçamentária. Joaçaba

Leia mais

PANORAMA BAIANO DAS ENTIDADES ATUANTES NO ABASTECIMENTO DE ÁGUA NO MEIO RURAL

PANORAMA BAIANO DAS ENTIDADES ATUANTES NO ABASTECIMENTO DE ÁGUA NO MEIO RURAL PANORAMA BAIANO DAS ENTIDADES ATUANTES NO ABASTECIMENTO DE ÁGUA NO MEIO RURAL Maria Valéria G. de Q. Ferreira Renavan Andrade Sobrinho Anésio Miranda Fernandes Neli Bonfim Cerqueira Jefferson Cerqueira

Leia mais

Fatores de risco à saúde humana relacionados ao consumo humano de água de mananciais subterrâneos Gerenciamento e Controle.

Fatores de risco à saúde humana relacionados ao consumo humano de água de mananciais subterrâneos Gerenciamento e Controle. 2º Simpósio Brasileiro Saúde e Ambiente Desenvolvimento, conflitos territoriais e saúde: ciência e movimentos sociais para a justiça ambiental na políticas públicas. 19 à 22 de outubro de 2014 Minascentro

Leia mais

DIAGNÓSTICO DO SANEAMENTO BÁSICO RURAL NO MUNICÍPIO DE PORTO DO MANGUE/RN, SEMIÁRIDO BRASILEIRO

DIAGNÓSTICO DO SANEAMENTO BÁSICO RURAL NO MUNICÍPIO DE PORTO DO MANGUE/RN, SEMIÁRIDO BRASILEIRO DIAGNÓSTICO DO SANEAMENTO BÁSICO RURAL NO MUNICÍPIO DE PORTO DO MANGUE/RN, SEMIÁRIDO BRASILEIRO Allan Viktor da Silva Pereira (1); Gabriela Nogueira Cunha (1); Jose Paiva Lopes Neto (2); Leonardo Almeida

Leia mais

entrevistados. Dentre os outros tipos de sistema, os mais citados foram o abastecimento com carro pipa e cisternas.

entrevistados. Dentre os outros tipos de sistema, os mais citados foram o abastecimento com carro pipa e cisternas. 59 entrevistados. Dentre os outros tipos de sistema, os mais citados foram o abastecimento com carro pipa e cisternas. 45% 40% 35% 30% 25% 20% 15% 10% 5% 0% 4,21% 36,39% 41,34% Não respondeu chafariz Distribuição

Leia mais

CONHEÇA O CONTROLE DE QUALIDADE DA ÁGUA QUE VOCÊ CONSOME

CONHEÇA O CONTROLE DE QUALIDADE DA ÁGUA QUE VOCÊ CONSOME CONHEÇA O CONTROLE DE QUALIDADE DA ÁGUA QUE VOCÊ CONSOME O SAAE Serviço Autônomo de Água e Esgoto da cidade de Governador Valadares-MG, é uma Autarquia Municipal, criada pela Lei Municipal Nº276 de 01/09/1952,

Leia mais

ABASTECIMENTO DE ÁGUA NO MUNICIPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA PARÁ

ABASTECIMENTO DE ÁGUA NO MUNICIPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA PARÁ ABASTECIMENTO DE ÁGUA NO MUNICIPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA PARÁ Thuanny Paula de Almeida Nascimento IFPA Instituto Federal do Pará, Campus Conceição do Araguaia, graduanda em tecnologia em Gestão Ambiental,

Leia mais

SANEAMENTO NA ÁREA RURAL

SANEAMENTO NA ÁREA RURAL SANEAMENTO NA ÁREA RURAL Anelise Nardi Hüffner Engenheira Ambiental, MSc. em Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental Contextualização Área Urbana Área Rural Densidade demográfica, diferenciação e mudança

Leia mais

Avanços da Vigilância da Qualidade da Água no Brasil

Avanços da Vigilância da Qualidade da Água no Brasil 1 Seminário Estadual Água e Saúde do Rio Grande do Sul Avanços da Vigilância da Qualidade da Água no Brasil Tiago de Brito Magalhães CGVAM/DSAST/SVS/MS Porto Alegre/RS, setembro de 2017 SE DATASUS DEMAS

Leia mais

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTOS DE ITAPIRA

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTOS DE ITAPIRA SIMISA Sistema Municipal de Informações em Saneamento Básico Serviços Públicos de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário INFORMAÇÕES 1. Informações Água: AG001: POPULAÇÃO TOTAL ATENDIDA COM ABASTECIMENTO

Leia mais

Aula 2 - CONCEPÇÃO DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO

Aula 2 - CONCEPÇÃO DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO Aula 2 - CONCEPÇÃO DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO NBR 12 211 - Estudos de concepção de sistemas públicos de abastecimento de água 2.1 - Definição e Objetivos Objetivo de um Sistema público de Abastecimento

Leia mais

Rua Nereu Ramos, 580, Centro, São Lourenço do Oeste CEP FONE (0xx)

Rua Nereu Ramos, 580, Centro, São Lourenço do Oeste CEP FONE (0xx) RELATÓRIO ANUAL DE QUALIDADE DA ÁGUA DISTRIBUÍDA CASAN - COMPANHIA CATARINENSE DE ÁGUAS E SANEAMENTO AGÊNCIA DE SÃO LOURENÇO DO OESTE SAA São Lourenço Unidade I CNPJ 82 508 433/0123-95 Responsável legal:

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental

MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental 1o. SEMINÁRIO NACIONAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL A Lei 11.445/07 e suas implicações na gestão do Saneamento Básico do Brasil. Alexandre

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE Resolução SS- 293, de 25 /10 / 96 Estabelece os procedimentos do Programa de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano no Estado de São Paulo e dá providências correlatas. O Secretário da Saúde,

Leia mais

Sistema de Abastecimento de Água - SAA. João Karlos Locastro contato:

Sistema de Abastecimento de Água - SAA. João Karlos Locastro contato: 1 Sistema de Abastecimento de Água - SAA João Karlos Locastro contato: prof.joaokarlos@feitep.edu.br 2 Sistema de Abastecimento Definição: De acordo com a NBR 12211/92 trata-se de um conjunto de obras,

Leia mais

Resumo do processo de tratamento da água do SAAE

Resumo do processo de tratamento da água do SAAE APRESENTAÇÃO Conforme o artigo 6º, inciso III da lei 8.078 de 1990 são direitos do consumidor: - a informação adequada e clara sobre os diferentes produtos e serviços, com especificação correta de quantidade,

Leia mais

Relatório Anual de Qualidade da Água

Relatório Anual de Qualidade da Água Relatório Anual de Qualidade da Água - 2016 Com o objetivo de atender ao Decreto Federal nº 5.440/05 que estabelece os procedimentos para a divulgação de informações ao consumidor sobre a qualidade da

Leia mais

Painel 1 Situação atual do Rio Grande do Sul Deficiência de Saneamento e os Impactos na Saúde no RS

Painel 1 Situação atual do Rio Grande do Sul Deficiência de Saneamento e os Impactos na Saúde no RS Lucia Mardini DVAS Painel 1 Situação atual do Rio Grande do Sul Deficiência de Saneamento e os Impactos na Saúde no RS Saneamento & Saúde Publica 1903 Oswaldo Cruz - causa de algumas epidemias a presença

Leia mais

Curso de Capacitação a Distância em Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano

Curso de Capacitação a Distância em Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano Curso de Capacitação a Distância em Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano Módulo II Procedimentos Operacionais da Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano UNIDADE 3 Cadastramento

Leia mais

TÍTULO: SANEAMENTO RURAL NO BAIRRO TANQUINHO VELHO NO MUNICÍPIO DE JAGUARIÚNA

TÍTULO: SANEAMENTO RURAL NO BAIRRO TANQUINHO VELHO NO MUNICÍPIO DE JAGUARIÚNA TÍTULO: SANEAMENTO RURAL NO BAIRRO TANQUINHO VELHO NO MUNICÍPIO DE JAGUARIÚNA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: Engenharias INSTITUIÇÃO(ÕES): FACULDADE DE JAGUARIÚNA - FAJ

Leia mais

DIAGNÓSTICO DO SANEAMENTO BÁSICO REALIZADO NOS BAIRROS VILA DA AMIZADE, OLARIA NORTE E SÃO LUIZ I, NO MUNICÍPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA - PA

DIAGNÓSTICO DO SANEAMENTO BÁSICO REALIZADO NOS BAIRROS VILA DA AMIZADE, OLARIA NORTE E SÃO LUIZ I, NO MUNICÍPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA - PA DIAGNÓSTICO DO SANEAMENTO BÁSICO REALIZADO NOS BAIRROS VILA DA AMIZADE, OLARIA NORTE E SÃO LUIZ I, NO MUNICÍPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA - PA Danilo Epaminondas Martins e Martins 1 Wilker Caminha dos Santos

Leia mais

INFLUÊNCIA DE FOSSAS NEGRAS NA CONTAMINAÇÃO DE POÇOS SUBTERRÂNEOS NA COMUNIDADE VILA NOVA, ITAIÇABA-CEARÁ 1

INFLUÊNCIA DE FOSSAS NEGRAS NA CONTAMINAÇÃO DE POÇOS SUBTERRÂNEOS NA COMUNIDADE VILA NOVA, ITAIÇABA-CEARÁ 1 1 INFLUÊNCIA DE FOSSAS NEGRAS NA CONTAMINAÇÃO DE POÇOS SUBTERRÂNEOS NA COMUNIDADE VILA NOVA, ITAIÇABA-CEARÁ 1 Yanna Julia Dantas de Souza 2, Jardson Álvaro Freitas Bezerra 3, Hozineide Oliveira Rolim 4,

Leia mais

DIAGNÓSTICO DOS TIPOS DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO DOMICILIAR NO ESTADO DA PARAÍBA

DIAGNÓSTICO DOS TIPOS DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO DOMICILIAR NO ESTADO DA PARAÍBA DIAGNÓSTICO DOS TIPOS DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO DOMICILIAR NO ESTADO DA PARAÍBA Gean Carlos Pereira de Lucena 1 ; Pedro Tiago Pereira de Sousa 1 ; Pablo Rodrigo da Costa Florêncio 2 ; Jéssica Araújo Leite

Leia mais

twitter.com/funasa

twitter.com/funasa FUNDAÇÃO NACIONAL DE SÁUDE Fundação pública vinculada ao Ministério da Saúde Missão Institucional: Promover a saúde pública e a inclusão social por meio de ações de saneamento e saúde ambiental. Área de

Leia mais

O ABASTECIMENTO DE ÁGUA NO BAIRRO ÁREA VERDE EM SANTARÉM/PA

O ABASTECIMENTO DE ÁGUA NO BAIRRO ÁREA VERDE EM SANTARÉM/PA O ABASTECIMENTO DE ÁGUA NO BAIRRO ÁREA VERDE EM SANTARÉM/PA Saúde, Segurança e Meio Ambiente Marcelo Silva Garcia 1 1 Elana Thayna da Silva Vieira 2 1 Gleiciane Menezes da Silva 3 2 Elen Conceição Leal

Leia mais

REFLEXÃO SOBRE OS SERVIÇOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DE ESGOTO DA CIDADE DE POMBAL PB

REFLEXÃO SOBRE OS SERVIÇOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DE ESGOTO DA CIDADE DE POMBAL PB REFLEXÃO SOBRE OS SERVIÇOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DE ESGOTO DA CIDADE DE POMBAL PB Rayanne Maria Galdino Silva 1 ; Vitória Régia do Nascimento Lima 3 ; Gleyton Lopes Barbosa Lacerda 1 ; Airton Gonçalves

Leia mais

Relatório de Potabilidade

Relatório de Potabilidade Relatório de Potabilidade 2017 www.aguasdepenha.com.br A Águas de Penha é a concessionária responsável pelo abastecimento de água no município de Penha, em Santa Catarina. A companhia faz parte da Aegea

Leia mais

I-139 ESTUDO DA QUALIDADE DA ÁGUA DE MANANCIAIS SUBTERRÂNEOS UTILIZADOS COMO FONTE DE ABASTECIMENTO DO MUNICÍPIO DE CRATO - CEARÁ

I-139 ESTUDO DA QUALIDADE DA ÁGUA DE MANANCIAIS SUBTERRÂNEOS UTILIZADOS COMO FONTE DE ABASTECIMENTO DO MUNICÍPIO DE CRATO - CEARÁ 22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 14 a 19 de Setembro 2003 - Joinville - Santa Catarina I-139 ESTUDO DA QUALIDADE DA ÁGUA DE MANANCIAIS SUBTERRÂNEOS UTILIZADOS COMO FONTE DE

Leia mais

Eixo 3 Democratização do território e Inclusão Social

Eixo 3 Democratização do território e Inclusão Social Eixo 3 Democratização do território e Inclusão Social Formulação de diretrizes e ações da Agenda Regional e Agendas Municipais. Objetivo do eixo Considerar as demandas e necessidades sociais e as desigualdades

Leia mais

LINHAS DE FINANCIAMENTO E INCENTIVOS PARA IMPLANTAÇÃO DE PEQUENOS SISTEMAS DE SANEAMENTO

LINHAS DE FINANCIAMENTO E INCENTIVOS PARA IMPLANTAÇÃO DE PEQUENOS SISTEMAS DE SANEAMENTO LINHAS DE FINANCIAMENTO E INCENTIVOS PARA IMPLANTAÇÃO DE PEQUENOS SISTEMAS DE SANEAMENTO Juliana de Senzi Zancul 21 de Junho de 2013 População Rural Cerca de 30 milhões de pessoas residem em localidades

Leia mais

A Institucionalização da

A Institucionalização da Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde A Institucionalização da Vigilância da Qualidade da Água e a melhoria do acesso a água de consumo humano no Brasil Guilherme Franco Netto Vigilância

Leia mais

Purificação das águas: tratamento de água para abastecimento

Purificação das águas: tratamento de água para abastecimento Universidade Federal de Juiz de Fora Instituto de Ciências Exatas Departamento de Química Química Ambiental (2017/2) Química das Águas (Parte 3a) Purificação das águas: tratamento de água para abastecimento

Leia mais

Título: Relação da água da chuva com os poços de abastecimento público do Urumari em Santarém Pará, Brasil. Área Temática: Meio Ambiente

Título: Relação da água da chuva com os poços de abastecimento público do Urumari em Santarém Pará, Brasil. Área Temática: Meio Ambiente Título: Relação da água da chuva com os poços de abastecimento público do Urumari em Santarém Pará, Brasil. Área Temática: Meio Ambiente Responsável pelo trabalho: Iara Lina de Sousa Silva Instituição:

Leia mais

ÁGUA:abastecimento para consumo humano

ÁGUA:abastecimento para consumo humano UFPR Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Setor de Ciências da Saúde Departamento de Saude Comunitária ÁGUA:abastecimento para consumo humano Profa. Eliane Carneiro Gomes Disciplina de

Leia mais

Regularização fundiária de territórios caiçaras: instrumentos e possibilidades

Regularização fundiária de territórios caiçaras: instrumentos e possibilidades Regularização fundiária de territórios caiçaras: instrumentos e possibilidades Oficina Gestão da Orla e Regularização Fundiária de Imóveis da União 09/11/2015, Caraguatatuba "Arco-íris na plataforma de

Leia mais

II SEMINÁRIO NACIONAL ROTAS TECNOLÓGICAS PARA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS COM A RECICLAGEM POPULAR

II SEMINÁRIO NACIONAL ROTAS TECNOLÓGICAS PARA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS COM A RECICLAGEM POPULAR II SEMINÁRIO NACIONAL ROTAS TECNOLÓGICAS PARA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS COM A RECICLAGEM POPULAR DESAFIOS PARA A CONSTRUÇÃO DE UMA ROTA TECNOLÓGICA DE RECICLAGEM DE RESÍDUOS ORGÂNICOS NOS MUNICÍPIOS DA

Leia mais

Cadastro do Sistema /Solução Alternativa de Abastecimento de Água para Consumo Humano

Cadastro do Sistema /Solução Alternativa de Abastecimento de Água para Consumo Humano ANEXO I da Resolução SS 65 de 12 de maio de 2005 Cadastro do Sistema /Solução Alternativa de Abastecimento de Água para Consumo Humano Nome do Sistema/Solução Alternativa: Regional de Saúde: Código IBGE:

Leia mais

TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA. Nº. 016/ 2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013

TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA. Nº. 016/ 2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013 TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA Nº. 016/ 2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013 S Capacitação de Técnicos e Gestores para Elaboração do Plano Municipal de Saneamento Básico Módulo I Infraestrutura de Abastecimento

Leia mais

GRUPO TEMÁTICO MORADIA E MOBILIDADE

GRUPO TEMÁTICO MORADIA E MOBILIDADE GRUPO TEMÁTICO MORADIA E MOBILIDADE Maio de 2013 Litoral Norte 2 HABITAÇÃO E DINÂMICAS URBANAS Taxa Geométrica de Crescimento Anual (2000 2010) Incremento Populacional (2000 2010) INCREMENTO POPULACIONAL

Leia mais

O OLHAR DO SETOR SAÚDE

O OLHAR DO SETOR SAÚDE 4º Seminário Estadual Áreas Contaminação e Saúde: Contaminação do Saúde e Recursos s Hídricos São Paulo, 8 e 9 de dezembro de 2005 TEMA 3 POLÍTICAS PÚBLICAS PARA CONTROLE E VIGILÂNCIA DA QUALIDADE/DISPONI

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DA QUALIDADE DA ÁGUA 2017

RELATÓRIO ANUAL DA QUALIDADE DA ÁGUA 2017 RELATÓRIO ANUAL DA QUALIDADE DA ÁGUA 2017 A Companhia de Saneamento Ambiental de Atibaia - SAAE, com sede na Praça Roberto Gomes Pedrosa, 11 - Centro - Atibaia - SP, Telefone 4414-3500 e atendimento ao

Leia mais

I-152 PROPOSTA DE ALTERNATIVA PARA AMPLIAÇÃO DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM.

I-152 PROPOSTA DE ALTERNATIVA PARA AMPLIAÇÃO DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM. I-152 PROPOSTA DE ALTERNATIVA PARA AMPLIAÇÃO DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM. Jaqueline Maria Soares (1) Engenheira Sanitarista pela Universidade Federal do Pará -

Leia mais

Aula 4: Química das Águas

Aula 4: Química das Águas QUÍMICA AMBIENTAL 2S 2015 Aula 4: Química das Águas Parte 3a Purificação e Águas: Tratamento de água para abastecimento Thalles Pedrosa Lisboa Departamento de Química UFJF Água Apesar de 75% da superfície

Leia mais

Conversando com as Águas - Itu/SP. Monitoramento e análise da qualidade das águas em situações de emergência.

Conversando com as Águas - Itu/SP. Monitoramento e análise da qualidade das águas em situações de emergência. Conversando com as Águas - Itu/SP Monitoramento e análise da qualidade das águas em situações de emergência. Relatório preliminar, segunda versão Kit de Imprensa Novembro de 2014 O Projeto Conversando

Leia mais

ANALISE DE SANEAMENTO BASICO EM BAIRROS DE CONCEIÇAO DO ARAGUAIA-PA

ANALISE DE SANEAMENTO BASICO EM BAIRROS DE CONCEIÇAO DO ARAGUAIA-PA 9 ANALISE DE SANEAMENTO BASICO EM BAIRROS DE CONCEIÇAO DO ARAGUAIA-PA Kacieny Sousa Oliveira 1, Jhesse Alves Tavares 2, Vanessa Gomes Monterio 3 e Marcio Aparecido da Costa 4 1,2, 3,4 Graduandos do Curso

Leia mais

ESTADO DO PARÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE PIÇARRA

ESTADO DO PARÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE PIÇARRA LEI MUNICIPAL N.183/2013. Institui o Plano Manicipal de Saneamento Básico do Município de Piçarra, instrumento da Política Municipal de Saneamento Básico e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

Relatório Anual de Qualidade da Água -2012

Relatório Anual de Qualidade da Água -2012 Relatório Anual de Qualidade da Água -2012 Com o objetivo de atender ao Decreto Federal nº 5.440/05 que estabelece os procedimentos para a divulgação de informações ao consumidor sobre a qualidade da água

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DA QUALIDADE DA ÁGUA 2014

RELATÓRIO ANUAL DA QUALIDADE DA ÁGUA 2014 RELATÓRIO ANUAL DA QUALIDADE DA ÁGUA 2014 A Companhia de Saneamento Ambiental de Atibaia - SAAE, com sede na Praça Roberto Gomes Pedrosa, 11 - Centro - Atibaia - SP, Telefone 4414-3500 e atendimento ao

Leia mais

Análise situacional a partir da utilização de dados secundários. 12 de dezembro de 2016

Análise situacional a partir da utilização de dados secundários. 12 de dezembro de 2016 Análise situacional a partir da utilização de dados secundários 12 de dezembro de 2016 O saneamento rural em números De acordo com o IBGE o Brasil possui uma população de cerca de 29.800.000 habitantes,

Leia mais

Experiências do Saneamento Rural Espírito Santo PRÓ- RURAL / CESAN

Experiências do Saneamento Rural Espírito Santo PRÓ- RURAL / CESAN Experiências do Saneamento Rural Espírito Santo PRÓ- RURAL / CESAN 3º PAINEL EXPERIÊNCIAS NA ESTRUTURAÇÃO DE GESTÃO SUSTENTÁVEL PARA COMUNIDADES RURAIS ISOLADAS Estado do Espírito Santo Localização: Região

Leia mais

INTRODUÇÃO. Objetivo geral

INTRODUÇÃO. Objetivo geral Geoprocessamento aplicado ao Estudo do ICH - Índice de Carência Habitacional para o Município de São Jose dos Campos a partir dos censos demográficos de 2000 e 2010 Thamy Barbara Gioia Disciplina Introdução

Leia mais

DIAGNÓSTICO DO SANEAMENTO BÁSICO REALIZADO NOS BAIRROS VILA DA AMIZADE, OLARIA NORTE E SÃO LUIZ I, NO MUNICÍPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA PA

DIAGNÓSTICO DO SANEAMENTO BÁSICO REALIZADO NOS BAIRROS VILA DA AMIZADE, OLARIA NORTE E SÃO LUIZ I, NO MUNICÍPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA PA DIAGNÓSTICO DO SANEAMENTO BÁSICO REALIZADO NOS BAIRROS VILA DA AMIZADE, OLARIA NORTE E SÃO LUIZ I, NO MUNICÍPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA PA Danilo Epaminondas Martins e Martins IFPA, Instituto Federal

Leia mais

REALIZAÇÃO: APOIO TÉCNICO:

REALIZAÇÃO: APOIO TÉCNICO: REALIZAÇÃO: APOIO TÉCNICO: PROGRAMAÇÃO 19:00 RECEPÇÃO E ENTREGA DE MATERIAIS 19:15 INTRODUÇÃO AO SANEAMENTO 19:35 DIAGNÓSTICO BAIRROS 20:00 ESPAÇO PARA COLOCAÇÕES DAS ASSOCIAÇÕES E DAS AUTORIDADES Controle

Leia mais

GRUPO TEMÁTICO MORADIA E MOBILIDADE. Abril de 2013

GRUPO TEMÁTICO MORADIA E MOBILIDADE. Abril de 2013 GRUPO TEMÁTICO MORADIA E MOBILIDADE Abril de 2013 2 PRECARIEDADE HABITACIONAL Déficit por novas moradias Municípios N. unidades Peruíbe 1868 Itanhaém 6048 Mongaguá 1228 Praia Grande 6637 Santos 16876 São

Leia mais

Experiências em Educação Ambiental no Município de Barros Cassal/RS. ÁGUA

Experiências em Educação Ambiental no Município de Barros Cassal/RS. ÁGUA Seminário Experiências de Educação Ambiental na Bacia Hidrográfica do Rio Pardo Experiências em Educação Ambiental no Município de Barros Cassal/RS. ÁGUA Berço da Nascente da Bacia Hidrográfica do Rio

Leia mais

Proposta de Plano Nacional de Saneamento Básico PLANSAB

Proposta de Plano Nacional de Saneamento Básico PLANSAB 1º. Seminário Franco-Brasileiro Sobre Saúde Ambiental Água, Saúde e Desenvolvimento Proposta de Plano Nacional de Saneamento Básico PLANSAB Ernani Ciríaco de Miranda Gerente de Projetos Especialista em

Leia mais

DIAGNÓSTICO DA UTILIZAÇÃO DE CISTERNAS PARA ARMAZENAMENTO DE ÁGUAS PLUVIAIS NO SERTÃO PARAIBANO

DIAGNÓSTICO DA UTILIZAÇÃO DE CISTERNAS PARA ARMAZENAMENTO DE ÁGUAS PLUVIAIS NO SERTÃO PARAIBANO DIAGNÓSTICO DA UTILIZAÇÃO DE CISTERNAS PARA ARMAZENAMENTO DE ÁGUAS PLUVIAIS NO SERTÃO PARAIBANO Jéssica Araújo Leite Martildes 1 ; Elisângela Maria da Silva 2 Universidade Federal de Campina Grande UFCG

Leia mais

MANUAL ORIENTATIVO PROGRAMA SANEPAR RURAL

MANUAL ORIENTATIVO PROGRAMA SANEPAR RURAL MANUAL ORIENTATIVO PROGRAMA SANEPAR RURAL Página 1 de 13 SUMÁRIO 1 OBJETIVO... 3 2 CONCEITUAÇÃO... 3 3 PROCESSO PARA ATENDIMENTO EM COMUNIDADES RURAIS... 6 4 CRITÉRIO DE SELEÇÃO... 8 5 OBRIGAÇÕES... 9

Leia mais

PAIC: Litoral Norte - Relatório Parcial de Levantamento de Dados

PAIC: Litoral Norte - Relatório Parcial de Levantamento de Dados PAIC: Litoral Norte - Relatório Parcial de Levantamento de Dados Projeto de Avaliação de Impactos Cumulativos - PAIC Litoral Norte Relatório Parcial de Levantamento de Dados novembro, 2017 OBJETIVOS DO

Leia mais

REALIDADE DO ACESSO AOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO BÁSICO DE UMA COMUNIDADE RURAL DO MUNICÍPIO DE BOQUEIRÃO-PB

REALIDADE DO ACESSO AOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO BÁSICO DE UMA COMUNIDADE RURAL DO MUNICÍPIO DE BOQUEIRÃO-PB REALIDADE DO ACESSO AOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO BÁSICO DE UMA COMUNIDADE RURAL DO MUNICÍPIO DE BOQUEIRÃO-PB Fernanda Gomes Bernardino (1) (1) Universidade Estadual da Paraíba, fernandabernardino@live.com

Leia mais

NORMA TÉCNICA NT/SAAE 003/2017 PARA DIMENSIONAMENTO DE RESERVATÓRIOS DE ÁGUA FRIA

NORMA TÉCNICA NT/SAAE 003/2017 PARA DIMENSIONAMENTO DE RESERVATÓRIOS DE ÁGUA FRIA NORMA TÉCNICA NT/SAAE 003/2017 PARA DIMENSIONAMENTO DE RESERVATÓRIOS DE ÁGUA FRIA SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Referências Normativas 3 Definições 4 Reservatórios de Água Prediais 5 Condições Gerais 6 Disposições

Leia mais

Escritório Central: Rua Leandro Longo, s/n Centro CEP: Rio dos Cedros SC Fone: (47)

Escritório Central: Rua Leandro Longo, s/n Centro CEP: Rio dos Cedros SC Fone: (47) RELATORIO ANUAL DE QUALIDADE DA ÁGUA DISTRIBUÍDA CASAN - COMPANHIA CATARINENSE DE ÁGUAS E SANEAMENTO AGÊNCIA DE RIO DOS CEDROS Responsável legal: Diretor Presidente Valter Gallina As informações complementares

Leia mais

DIAGNÓSTICO DE MICROSSISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA NA ÁREA URBANA DE SANTARÉM - PARÁ

DIAGNÓSTICO DE MICROSSISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA NA ÁREA URBANA DE SANTARÉM - PARÁ DIAGNÓSTICO DE MICROSSISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA NA ÁREA URBANA DE SANTARÉM - PARÁ Caio Augusto Nogueira Rodrigues (*), José Cláudio Ferreira dos Reis Junior, Bianca Kristhine Santos Nascimento, Tiago

Leia mais

Anais 5º Simpósio de Gestão Ambiental e Biodiversidade (21 a 23 de junho 2016) QUALIDADE DA ÁGUA NO MUNICÍPIO DE ARANTINA-MG

Anais 5º Simpósio de Gestão Ambiental e Biodiversidade (21 a 23 de junho 2016) QUALIDADE DA ÁGUA NO MUNICÍPIO DE ARANTINA-MG QUALIDADE DA ÁGUA NO MUNICÍPIO DE ARANTINA-MG Valéria Garcez de Oliveira 1 ; Fabíola de Sampaio Rodrigues Grazinoli Garrido 2 ( 1 Discente da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Av. Prefeito

Leia mais

AVALIAÇÃO DO SANEAMENTO EM DISTRITO RURAL DO VALE DO JEQUITINHONHA, MINAS GERAIS.

AVALIAÇÃO DO SANEAMENTO EM DISTRITO RURAL DO VALE DO JEQUITINHONHA, MINAS GERAIS. 2 SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SAÚDE E AMBIENTE Desenvolvimento, Conflitos Territoriais e Saúde: Ciênciae Moimentos Sociais para a Justiça Ambiental nas Políticas Públicas 19-22 de outubro de 2014, Minascentro,

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE Resolução SS 4, de 10 de Janeiro de 2003. (Publicado no D.O.E de 11/01/2003, seção 1. pág. 35 Publicada retificação parcial no D.ºE de 13/02/2003, seção 1. pág.22) Estabelece os procedimentos e responsabilidades

Leia mais

Escritório Central: Rua Aderbal R. da Silva, s/n Centro CEP: Doutor Pedrinho SC Fone: (47)

Escritório Central: Rua Aderbal R. da Silva, s/n Centro CEP: Doutor Pedrinho SC Fone: (47) RELATORIO ANUAL DE QUALIDADE DA ÁGUA DISTRIBUÍDA CASAN - COMPANHIA CATARINENSE DE ÁGUAS E SANEAMENTO AGÊNCIA DE DOUTOR PEDRINHO Responsável legal: Diretor Presidente Valter Gallina As informações complementares

Leia mais

Foz do Brasil Limeira. Maio/2013

Foz do Brasil Limeira. Maio/2013 Foz do Brasil Limeira Maio/2013 2 Unidade Limeira Concessão Plena (água e esgoto) Responsável pela gestão dos serviços de captação, produção, tratamento e distribuição de água potável, bem como coleta,

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENAÇÃO DOS INSTITUTOS DE PESQUISA CENTRO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENAÇÃO DOS INSTITUTOS DE PESQUISA CENTRO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENAÇÃO DOS INSTITUTOS DE PESQUISA CENTRO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA SUS SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE RESOLUÇÃO SS-45 DE 31 DE JANEIRO DE 1992 Institui o Programa de Vigilância

Leia mais

ANÁLISE PRELIMINAR DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA EM SÃO LUÍS DO MARANHÃO, BRASIL

ANÁLISE PRELIMINAR DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA EM SÃO LUÍS DO MARANHÃO, BRASIL ANÁLISE PRELIMINAR DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA EM SÃO LUÍS DO MARANHÃO, BRASIL Recursos Naturais Alexandre Nava Fabri 1 Juliana de Faria Lima Santos 2 Isadora de Queiroz da Silva 3 Halana Tereza

Leia mais

Escritório Central: Rua Celso Ramos, 1303 Centro CEP: Benedito Novo SC Fone: (47)

Escritório Central: Rua Celso Ramos, 1303 Centro CEP: Benedito Novo SC Fone: (47) RELATORIO ANUAL DE QUALIDADE DA ÁGUA DISTRIBUÍDA CASAN - COMPANHIA CATARINENSE DE ÁGUAS E SANEAMENTO AGÊNCIA DE BENEDITO NOVO Responsável legal: Diretor Presidente Valter José Gallina As informações complementares

Leia mais

Saneamento com Responsabilidade Ambiental, Automação e Controle Elton Gonçalves Coordenador do Grupo Especial de Perdas. Brasil

Saneamento com Responsabilidade Ambiental, Automação e Controle Elton Gonçalves Coordenador do Grupo Especial de Perdas. Brasil Saneamento com Responsabilidade Ambiental, Automação e Controle Elton Gonçalves Coordenador do Grupo Especial de Perdas Brasil 19 a 21 de outubre de 2009 Hotel Transamérica São Paulo BRASIL Distrito Federal

Leia mais

Monitoramento da qualidade das águas de fontes alternativas de abastecimento do Bairro dos Ingleses- Florianópolis/SC (1)

Monitoramento da qualidade das águas de fontes alternativas de abastecimento do Bairro dos Ingleses- Florianópolis/SC (1) Monitoramento da qualidade das águas de fontes alternativas de abastecimento do Bairro dos Ingleses- Florianópolis/SC (1) Sônia Maria de Almeida(2); Claudi 'Ariane Gomes da Fonseca(3); Bruna Moraes Vicente(4);Guilherme

Leia mais

AULA 3 DIREITO À SAÚDE SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE

AULA 3 DIREITO À SAÚDE SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE FACULDADE CATÓLICA RAINHA DO SERTÃO CURSO DE FARMÁCIA DISCIPLINA: INTRODUÇÃO ÀS CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS PROFESSOR: MÁRCIO BATISTA AULA 3 DIREITO À SAÚDE SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE DIREITO À SAÚDE DIREITO À

Leia mais

Aplicação de Jardins Filtrantes como Sistemas Descentralizados no Tratamento de Esgoto Prof. Rodrigo de Freitas Bueno (SENAC)

Aplicação de Jardins Filtrantes como Sistemas Descentralizados no Tratamento de Esgoto Prof. Rodrigo de Freitas Bueno (SENAC) Aplicação de Jardins Filtrantes como Sistemas Descentralizados no Tratamento de Esgoto Prof. Rodrigo de Freitas Bueno (SENAC) rodrigo.fbueno@sp.senac.br 26 de Março de 2013 INTRODUÇÃO A qualidade da água

Leia mais

I SANEAMENTO BÁSICO EM COMUNIDADES RURAIS DE LAVRAS, MINAS GERAIS

I SANEAMENTO BÁSICO EM COMUNIDADES RURAIS DE LAVRAS, MINAS GERAIS I-135 - SANEAMENTO BÁSICO EM COMUNIDADES RURAIS DE LAVRAS, MINAS GERAIS Gabriela Rezende de Souza (1) Engenheira Ambiental e Sanitarista pela Universidade Federal de Lavras (UFLA). Mestranda em Recursos

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE SANEAMENTO RURAL (SISAR)

SISTEMA INTEGRADO DE SANEAMENTO RURAL (SISAR) SISTEMA INTEGRADO DE SANEAMENTO RURAL (SISAR) HISTÓRICO DO SANEAMENTO RURAL NO ESTADO DO CEARÁ Implantação do Programa KfW I pela CAGECE Criação da Gerência de Saneamento Rural - GESAR/CAGECE Replicação

Leia mais

DIAGNÓSTICO DA COLETA DE LIXO REALIZADO NOS BAIRROS VILA DA AMIZADE, OLARIA NORTE E SÃO LUIZ I, NO MUNICÍPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA PA

DIAGNÓSTICO DA COLETA DE LIXO REALIZADO NOS BAIRROS VILA DA AMIZADE, OLARIA NORTE E SÃO LUIZ I, NO MUNICÍPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA PA Salvador/BA 25 a 28/11/2013 DIAGNÓSTICO DA COLETA DE LIXO REALIZADO NOS BAIRROS VILA DA AMIZADE, OLARIA NORTE E SÃO LUIZ I, NO MUNICÍPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA PA Wilker Jose Caminha dos Santos, Ramynngly

Leia mais

Investimentos em Saúde em Ribeirão Preto

Investimentos em Saúde em Ribeirão Preto SECRETARIA DA SAUDE D Conquistas e Desafios na Atenção à Saúde Pública em Ribeirão Preto Darlene Caprari Pires Mestriner Assistente da Secretaria de Saúde Investimentos em Saúde em Ribeirão Preto 1 PORTARIA

Leia mais

Painel: Desafios e Metas de Abastecimento de Água e Tratamento de Esgoto

Painel: Desafios e Metas de Abastecimento de Água e Tratamento de Esgoto Painel: Desafios e Metas de Abastecimento de Água e Tratamento de Esgoto Paulo Massato Yoshimoto Diretor Metropolitano Sabesp 07/11/2011 Bacia do Alto Tietê Bacia do Sorocaba/ Médio Tietê Bacia do PCJ

Leia mais

Plano Diretor Participativo de Desenvolvimento Territorial do Município de Içara

Plano Diretor Participativo de Desenvolvimento Territorial do Município de Içara Uso e ocupação do solo Acessibilidade e Mobilidade Saneamento e Infraestrutura Desenvolvimento Econômico Perímetro Urbano e Parcelamento do solo Habitação Equipamentos e espaços públicos Patrimônio e Meio

Leia mais

DECRETO Nº. 385, DE 04 DE NOVEMBRO DE 2016.

DECRETO Nº. 385, DE 04 DE NOVEMBRO DE 2016. DECRETO Nº. 385, DE 04 DE NOVEMBRO DE 2016. "REAJUSTA OS VALORES DAS TARIFAS DOS SERVIÇOS DE ÁGUA E ESGOTO, BEM COMO OS DEMAIS SERVIÇOS PRESTADOS PELO SERVIÇO AUTÔNOMO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTO SAMAE-

Leia mais

Auditoria em Contratos de Execução de Obras de SAA e SES

Auditoria em Contratos de Execução de Obras de SAA e SES Auditoria em Contratos de Execução de Obras de SAA e SES Rogério de Medeiros Netto Salvador, 12 de julho de 2010 Água & Esgoto Importância Estima-se que 80 por cento de todas as moléstias e mais de um

Leia mais

AÇÕES DA VIGILÂNCIA EM ÁREAS DE RISCO

AÇÕES DA VIGILÂNCIA EM ÁREAS DE RISCO AÇÕES DA VIGILÂNCIA EM ÁREAS DE RISCO Município: Cotia S.P População estimada( IBGE/05 ) 175.008 habitantes Área 325 km 2 108 km 2 : Reserva Florestal 196 km 2 : Tendência Rural 21 km 2 : Cosmopolita Distância

Leia mais