Política de Gestão de Riscos Financeiros. 11 de Abril de 2013

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Política de Gestão de Riscos Financeiros. 11 de Abril de 2013"

Transcrição

1 Política de Gestão de Riscos Financeiros 11 de Abril de 2013

2 Índice Objetivos da Política Atribuições Riscos Financeiros Gerenciamento de Riscos Financeiros Gerenciamento de Dívida e Indicadores Financeiros Transações com Partes Relacionadas 1

3 Objetivos da Política Atribuições Riscos Financeiros Gerenciamento de Riscos Financeiros Gerenciamento de Dívida e Indicadores Financeiros Transações com Partes Relacionadas 2

4 Objetivos da Política Permitir à Companhia administrar os principais riscos financeiros seguindo uma política formal Estabelecer as diretrizes, limites, atribuições e procedimentos a serem adotados pela Companhia na execução das atividades que impliquem riscos financeiros Aperfeiçoar os processos de contratação, controle, contabilização, avaliação e monitoramento das operações financeiras expostas a riscos Instituição do Comitê de Gestão de Riscos Financeiros, que terá a atribuição de assegurar o cumprimento da Política de Gestão de Riscos Financeiros na Companhia 3

5 Objetivos da Política Atribuições Riscos Financeiros Gerenciamento de Riscos Financeiros Gerenciamento de Dívida e Indicadores Financeiros Transações com Partes Relacionadas 4

6 Objetivos da Política As principais partes envolvidas no processo de gestão de riscos financeiros são: Gestão dos Riscos Financeiros Conselho de Administração - Aprovar a Política e suas atualizações - Participar na decisão dos assuntos não cobertos pela Política - Revisar os desenquadramentos informados e avaliar e aprovar o plano de ação Comitê de Gestão de Riscos Financeiros - Assegurar o cumprimento da Política na Companhia - Levar à apreciação do Conselho de Administração qualquer exceção ou desenquadramento à Política - Formado por: Presidente do Conselho de Administração Vice-Presidente do Conselho de Administração Presidente da Companhia Diretor Financeiro (Secretário) Diretor Financeiro - Atuar dentro dos limites estabelecidos pela Política - Monitorar constantemente os níveis de exposição e o cumprimento dos limites estabelecidos - Informar ao Comitê de Gestão de Riscos Financeiros caso qualquer dos limites de exposição seja excedido 5

7 Objetivos da Política Atribuições Riscos Financeiros Gerenciamento de Riscos Financeiros Gerenciamento de Dívida e Indicadores Financeiros Transações com Partes Relacionadas 6

8 Riscos Financeiros Exposição a Variações de Taxas de Juros e Índices de Contratos de Locação Exposição a Variações de Taxas de Câmbio Exposição a Riscos de Crédito Exposição a Variações de Preços de Commodities 7

9 Objetivos da Política Atribuições Riscos Financeiros Gerenciamento de Riscos Financeiros Gerenciamento de Dívida e Indicadores Financeiros Transações com Partes Relacionadas 8

10 Gerenciamento de Riscos Financeiros Variação de Taxas de Juros e de Índices de Atualização de Contratos de Locação Política A Companhia não estará sujeita a limitações na exposição às diferentes taxas de juros nem a níveis máximos e mínimos para a relação entre exposição a taxas fixas e variáveis. A Companhia poderá adotar, em contratos de locação que celebrar, índices de atualização que entender aplicáveis. Monitoramento O Diretor Financeiro deverá monitorar e avaliar periodicamente as variações nas taxas de juros de mercado e nos índices de atualização e reportar os resultados da avaliação ao Comitê de Gestão de Riscos Financeiros, para apreciação. A Companhia poderá utilizar instrumentos de proteção (swaps) sujeito à aprovação do Comitê de Gestão de Riscos Financeiros. 9

11 Gerenciamento de Riscos Financeiros Flutuação de Taxas de Câmbio Política A Companhia não tem a obrigatoriedade de fazer proteção da exposição cambial, mas está autorizada a realizar operações de hedge se julgar necessário. A Companhia está autorizada a realizar, a qualquer momento, operações de contratos futuros de câmbio (Non Deliverable Forward e Deliverable Forward) e outros instrumentos, em cada moeda, no valor nocional líquido de sua exposição cambial com empréstimos e financiamentos e importações. A Companhia poderá realizar operações de captações em moeda estrangeira até o limite de 75% do seu patrimônio liquido. Monitoramento O Diretor Financeiro deverá manter um controle consolidado detalhado com todas as operações contratadas. O Diretor Financeiro deverá revisar mensalmente o valor justo de mercado das operações contratadas e realizar uma análise de sensibilidade para determinar o grau de exposição da Companhia. O Diretor Financeiro deverá reportar os resultados da avaliação ao Comitê de Gestão de Riscos Financeiros para sua apreciação. O Comitê de Gestão de Riscos Financeiros deverá imediatamente informar eventual desenquadramento ao Conselho de Administração. 10

12 Gerenciamento de Riscos Financeiros Risco de Crédito 1. Instituições Financeiras Depositárias de Recursos ou de Investimentos Financeiros Política Os recursos da Companhia poderão ser aplicados em Instituições Financeiras desde que os limites estabelecidos na Política para cada grau de risco sejam respeitados. Este tópico se refere basicamente a aplicações financeiras em CDB/CDI. Monitoramento O Diretor Financeiro deverá monitorar mensalmente o enquadramento dos limites 1 estabelecidos na Política e reportar mensalmente a posição ao Comitê de Gestão de Riscos Financeiros, para avaliação. A classificação de risco da instituição deverá ser feita baseada no rating, na escala nacional, de pelo menos uma das três seguintes agencias: Standard & Poor s, Moody s ou Fitch. Classificação em escala Nacional ou Equivalente na escala Global Limite por Instituição Financeira (%PL) 2 AAA ate A- 50% BBB+ ate BBB- 10% 1 Para o cálculo do cumprimento dos limites deve-se excluir os valores garantidos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC) ou órgão equivalente, uma vez que esses não representam risco de crédito para a Companhia 2 PL corresponde ao Patrimônio Líquido Consolidado da Companhia reportado no exercício fiscal do ano imediatamente anterior e do caixa consolidado do trimestre anterior 11

13 Gerenciamento de Riscos Financeiros Risco de Crédito 2. Títulos de Renda Fixa em Dívida de Companhias Brasileiras ou Estrangeiras / Títulos Públicos (exceto CDBs) Política A Companhia poderá investir em títulos de renda fixa até o valor correspondente a 100% do Caixa 1 desde que os limites estabelecidos na política para cada grau de risco sejam respeitados. A classificação de risco do emissor deverá ser feita baseada no rating, na escala local (do país da operação) ou equivalente na escala global e na moeda de denominação do papel, de pelo menos uma das três seguintes agências: Standard & Poor s, Moody s ou Fitch. Monitoramento O Diretor Financeiro deverá monitorar mensalmente o enquadramento dos limites estabelecidos na Política e reportar mensalmente a posição ao Comitê de Gestão de Riscos Financeiros, para avaliação Classificação em escala Nacional ou Equivalente na escala Global Limite por Emissor (%PL) 2 AAA ate AA- ou Títulos Públicos 3 100% A ate A- ou Títulos Públicos 3 25% BBB+ ate BBB- 10% Menor que BBB - 3% 1 Corresponde ao Caixa e Equivalentes de Caixa consolidado reportados pela Companhia no trimestre imediatamente anterior 2 PL corresponde ao Patrimônio Líquido Consolidado da Companhia reportado no exercício fiscal do ano imediatamente anterior 3 Títulos Públicos incluem LTN, NTN-F, NTN-B, NTN-B Principal e LFT ou outros similares. 12

14 Gerenciamento de Riscos Financeiros Risco de Crédito 3. Fundos de Investimento Política A Companhia poderá manter recursos em fundos de investimentos desde que: (i) os recursos mantidos no total dos fundos sejam limitados a 15% do Patrimônio Líquido Consolidado 1 Monitoramento O Diretor Financeiro deverá monitorar mensalmente o enquadramento dos limites estabelecidos na Política e reportar mensalmente a posição ao Comitê de Gestão de Riscos Financeiros, para avaliação (ii) os recursos mantidos em um único fundo de investimento sejam limitados a 15% do Patrimônio Líquido Consolidado 1 ; e 1 Corresponde ao Patrimônio Líquido Consolidado da Companhia reportado no exercício fiscal do ano imediatamente anterior. 13

15 Gerenciamento de Riscos Financeiros Risco de Crédito 4. Instrumentos Financeiros Derivativos no Mercado de Balcão Política A Companhia poderá efetuar operações de hedging no mercado de balcão apenas com instituições financeiras com ranking igual ou superior a A-. A classificação de risco da instituição deverá ser feita baseada no rating, na escala local (do país de origem) ou na escala global equivalente aplicável, de pelo menos uma das três seguintes agências: Standard & Poor s, Moody s ou Fitch. Monitoramento O Diretor Financeiro deverá monitorar mensalmente o enquadramento dos limites estabelecidos na Política e deverá reportar mensalmente a posição ao Comitê de Gestão de Riscos Financeiros, para avaliação 1 Corresponde ao Patrimônio Líquido Consolidado da Companhia reportado no exercício fiscal do ano imediatamente anterior. 14

16 Gerenciamento de Riscos Financeiros Risco de Crédito 5. Contas a Receber de Clientes Política O risco das contas a receber de clientes de atacado deverá ser monitorado segundo política específica estabelecida pela Companhia. Parte significativa das vendas atuais da Companhia são realizadas através de cartões de crédito. Como as administradoras de cartões de crédito assumem 100% do risco de crédito dessas vendas, o risco de crédito para a Companhia resume-se às administradoras de cartões de crédito. Monitoramento O Diretor Financeiro deverá monitorar mensalmente o enquadramento dos limites estabelecidos na Política e deverá reportar mensalmente a posição ao Comitê de Gestão de Riscos Financeiros, para avaliação. A Companhia poderá manter recebíveis com as administradoras de cartões de crédito que possuam classificação de risco baseada em pelo menos uma das três principais agências (Standard & Poors, Moody s ou Fitch) com rating em escala local (do país de origem) ou equivalente na escala global, aplicável igual ou superior a A- 15

17 Gerenciamento de Riscos Financeiros Variações de Preços de Commodities Política A Companhia não tem a obrigatoriedade de fazer proteção contra possíveis variações nos preços de commodities, mas está autorizada a realizar operações de hedge se julgar necessário. A Companhia poderá contratar instrumentos financeiros para obter proteção para operações com commodities com cotação de preço no mercado futuro, respeitando o limite máximo de contratação de instrumentos financeiros de até 50% do volume de commodities previstos para serem utilizados pela Companhia nos próximos 12 meses. Monitoramento O Diretor Financeiro deverá monitorar periodicamente a variação nos preços das principais commodities utilizadas e avaliar junto ao Comitê de Gestão de Riscos Financeiros a necessidade de contratação de proteção. 16

18 Agenda Objetivos da Política Atribuições Riscos Financeiros Gerenciamento dos Riscos Financeiros Gerenciamento de Dívida e Indicadores Financeiros Transações com Partes Relacionadas 17

19 Gerenciamento de Dívida e Indicadores Financeiros Gerenciamento de Dívida e Indicadores Financeiros Política A Companhia deve buscar manter uma relação de pelo menos 40% de dívida de longo prazo em relação ao seu endividamento total A Companhia deverá respeitar os seguintes indicadores financeiros: Monitoramento O Diretor Financeiro deverá monitorar mensalmente os indicadores financeiros definidos na Política e reportar os resultados ao Comitê de Gestão de Riscos Financeiros, para apreciação. (i) Dívida bancária líquida / Patrimônio Líquido Consolidado 1 : máximo de 2,5 vezes. (ii) Caixa e equivalentes de caixa: mínimo de R$ 50 milhões para as necessidades operacionais, acrescido do serviço das dívidas financeiras com vencimento no trimestre subsequente. (iii) Conforme mencionado anteriormente, no tópico Flutuações de Taxas de Câmbio, a Companhia poderá realizar operações de captações em moeda estrangeira até o limite de 75% do seu Patrimônio Líquido. 18

20 Objetivos da Política Atribuições Riscos Financeiros Gerenciamento dos Riscos Financeiros Gerenciamento de Dívida e Indicadores Financeiros Transações com Partes Relacionadas 19

21 Transações com Partes Relacionadas Transações com Partes Relacionadas Política Monitoramento A Companhia e suas controladas podem realizar entre si operações financeiras, desde que sejam realizadas em condições de mercado. Operações envolvendo outras partes relacionadas à Companhia (que não suas controladas), deverão respeitar as disposições do Estatuto Social da Companhia e a legislação e regulamentação aplicáveis. O Diretor Financeiro deverá monitorar mensalmente os indicadores financeiros definidos na Política e reportar os resultados ao Comitê de Gestão de Riscos Financeiros, para apreciação. 20

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DIRECIONAL ENGENHARIA S.A.

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DIRECIONAL ENGENHARIA S.A. DIRECIONAL ENGENHARIA S.A. VERSÃO 3.0 APROVADA NA RCA DE 04 / JUL / 2016 Índice OBJETIVO... 3 A) Política para Contratação de Financiamentos... 3 B) Política de Aplicações Financeiras... 4 VERSÃO 3.0 APROVADA

Leia mais

POLÍTICA FINANCEIRA E MANUAL DE PROCEDIMENTOS

POLÍTICA FINANCEIRA E MANUAL DE PROCEDIMENTOS POLÍTICA FINANCEIRA E MANUAL DE PROCEDIMENTOS C o n t e ú d o GESTÃO DE RISCOS... 3 CRÉDITO... 11 COBRANÇA... 17 Preparado por (Document Owner): Date: Name Title Unit Approved by: Date: Name Title Unit

Leia mais

DIRECIONAL ENGENHARIA S.A. CNPJ/MF nº / NIRE:

DIRECIONAL ENGENHARIA S.A. CNPJ/MF nº / NIRE: ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 23 DE JUNHO DE 2017 1. DATA, HORA E LOCAL: Realizada aos 23 dias do mês de junho de 2017, às 10:00 horas, na sede da Companhia, na Rua dos Otoni,

Leia mais

Política de Investimentos Plano D

Política de Investimentos Plano D Política de Investimentos Plano D Aprovada na 276ª Reunião Ordinária do Conselho Deliberativo em 24/08/2017 VIGÊNCIA: 11/07/2017 a 31/12/2017 (Horizonte: 2017 a 2021) CONTEÚDO 1. O PLANO D... 2 2. ADMINISTRADOR

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DOS INVESTIMENTOS FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DOS INVESTIMENTOS FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DOS INVESTIMENTOS FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT POL BP - 004/2017 24/08/2017 POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DOS INVESTIMENTOS 1. OBJETIVO... 2 2. APLICAÇÃO... 2 3.

Leia mais

POLÍTICAS INTERNAS Gerenciamento de Risco

POLÍTICAS INTERNAS Gerenciamento de Risco POLÍTICAS INTERNAS Gerenciamento de Risco POLÍTICAS INTERNAS GERENCIAMENTO DE RISCO JANEIRO DE 2019. 1. OBJETIVO A presente política tem por objetivo apresentar a estrutura organizacional para mensuração,

Leia mais

DIRECIONAL ENGENHARIA S.A. CNPJ/MF nº / NIRE:

DIRECIONAL ENGENHARIA S.A. CNPJ/MF nº / NIRE: DIRECIONAL ENGENHARIA S.A. CNPJ/MF nº 16.614.075/0001-00 NIRE: 313.000.258-37 ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 04 DE JULHO DE 2016 1. DATA, HORA E LOCAL: Realizada aos 04 dias do

Leia mais

POLÍTICA DE APLICAÇÕES FINANCEIRAS

POLÍTICA DE APLICAÇÕES FINANCEIRAS POLÍTICA DE APLICAÇÕES FINANCEIRAS 11/08/2017 INFORMAÇÃO INTERNA SUMÁRIO 1 OBJETIVO... 3 2 DIRETRIZES... 3 3 ABRANGÊNCIA, EXCEÇÕES, VEDAÇÕES E CONSIDERAÇÕES GERAIS.. 3 4 DEFINIÇÕES... 7 5 LIMITES DE ALOCAÇÃO

Leia mais

Política de Investimentos Plano D

Política de Investimentos Plano D Política de Investimentos Plano D Aprovada na 135ª Reunião Extraordinária do Conselho Deliberativo em 23/12/2015 VIGÊNCIA: 01/01/2016 a 31/12/2016 (Horizonte: 2016 a 2020) CONTEÚDO 1. O PLANO D... 2 2.

Leia mais

Política de Investimentos PGA

Política de Investimentos PGA Política de Investimentos PGA Aprovada na 135ª Reunião Extraordinária do Conselho Deliberativo em 23/12/2015 VIGÊNCIA: 01/01/2016 a 31/12/2016 (Horizonte: 2016 a 2020) SUMÁRIO 1. O PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA

Leia mais

Política de Investimentos Plano A/B

Política de Investimentos Plano A/B Política de Investimentos Plano A/B Aprovada na 135ª Reunião Extraordinária do Conselho Deliberativo em 23/12/2015 VIGÊNCIA: 01/01/2016 a 31/12/2016 (Horizonte: 2016 a 2020) SUMÁRIO 1. O PLANO A/B... 2

Leia mais

Manual de Gerenciamento de Risco de Liquidez de Fundos de Investimento da Sparta Administradora de Recursos Ltda.

Manual de Gerenciamento de Risco de Liquidez de Fundos de Investimento da Sparta Administradora de Recursos Ltda. Manual de Gerenciamento de Risco de Liquidez de Fundos de Investimento da Sparta Administradora de Recursos Ltda. Atualizado em 12/02/2015 Capítulo I Finalidade e Abrangência Art. 1º O presente Manual

Leia mais

Política Financeira e De Gestão de Riscos

Política Financeira e De Gestão de Riscos Política Financeira e De Gestão de Riscos Sumário Em um mundo de negócios marcado por incertezas, a Biosev S.A. prospera por administrar os riscos que enfrenta em todas as áreas em que atua. O risco financeiro

Leia mais

ATA DA REUNIÃO REALIZADA EM 27 DE DEZEMBRO DE 2013

ATA DA REUNIÃO REALIZADA EM 27 DE DEZEMBRO DE 2013 ATA DA REUNIÃO REALIZADA EM 27 DE DEZEMBRO DE 2013 Aos 27 dias do mês de dezembro de 2013, às quinze horas, reuniram-se na sede da Fundação Previdenciária IBM, na Avenida Pasteur 138, Rio de Janeiro, inscrita

Leia mais

MANUAL DE GESTÃO DE RISCOS

MANUAL DE GESTÃO DE RISCOS MANUAL DE GESTÃO DE RISCOS Junho, 2016 1 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 3 2. COMITÊ DE RISCO... 3 3. RISCO DE MERCADO... 5 4. RISCO DE CRÉDITO... 6 5. RISCO DE LIQUIDEZ... 7 6. RISCO DE CONTRAPARTE... 7 7. RISCO

Leia mais

2.1. Esta Política aplica-se a todas as entidades do grupo SOMOS Educação.

2.1. Esta Política aplica-se a todas as entidades do grupo SOMOS Educação. POLÍTICA DE TRANSAÇÕES COM PARTES RELACIONADAS 1. Objetivo 1.1. A presente Política de Transações com Partes Relacionadas ("Política") tem por objetivo estabelecer as regras e os procedimentos a serem

Leia mais

KPR INVESTIMENTOS LTDA.

KPR INVESTIMENTOS LTDA. POLÍTICA DE CONTROLE DE RISCOS KPR INVESTIMENTOS LTDA. CNPJ/MF 23.361.939/0001-87 NIRE 35.229.490.246 São Paulo POLÍTICA DE CONTROLE DE RISCOS 1. O presente Capítulo dispõe acerca da política de controle

Leia mais

Política de Gestão de Riscos decorrentes do Mercado Financeiro Versão 23/12/2014. Energisa S.A.

Política de Gestão de Riscos decorrentes do Mercado Financeiro Versão 23/12/2014. Energisa S.A. Política de Gestão de Riscos decorrentes do Mercado Financeiro Versão 23/12/2014 Energisa S.A. 1 Sumário 1. OBJETIVO... 3 2. VALIDADE... 3 3. GESTÃO DE RISCOS DE MERCADO FINANCEIRO... 3 4. ORIGENS DOS

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DA LOCALIZA RENT A CAR S.A. Companhia Aberta. CNPJ nº / NIRE nº

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DA LOCALIZA RENT A CAR S.A. Companhia Aberta. CNPJ nº / NIRE nº 02/04/2018 10:50 POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DA LOCALIZA RENT A CAR S.A. Companhia Aberta CNPJ nº 16.670.085/0001 55 NIRE nº 3130001144 5 Av. Bernardo de Vasconcelos, nº 377, Bairro Cachoeirinha, Belo Horizonte,

Leia mais

POLÍTICA DE APLICAÇÕES FINANCEIRAS

POLÍTICA DE APLICAÇÕES FINANCEIRAS 11/10/2016 Informação Pública ÍNDICE 1 OBJETIVO... 4 2 DIRETRIZES... 4 3 ABRANGÊNCIA, EXCEÇÕES, VEDAÇÕES e CONSIDERAÇÕES GERAIS... 4 3.1 Abrangência... 4 3.2 Exceções... 5 3.3 Vedações... 7 3.4 Considerações

Leia mais

POLÍTICA DE APLICAÇÕES FINANCEIRAS

POLÍTICA DE APLICAÇÕES FINANCEIRAS POLÍTICA DE APLICAÇÕES FINANCEIRAS 26/07/2019 INFORMAÇÃO PUBLICA SUMÁRIO 1 OBJETIVO... 3 2 DIRETRIZES... 3 3 REFERÊNCIA... 3 4 ABRANGÊNCIA, EXCEÇÕES, VEDAÇÕES E CONSIDERAÇÕES GERAIS 4 5 DEFINIÇÕES... 7

Leia mais

Política de Investimentos Plano C

Política de Investimentos Plano C Política de Investimentos Plano C Aprovada na 135ª Reunião Extraordinária do Conselho Deliberativo em 23/12/2015 VIGÊNCIA: 01/01/2016 a 31/12/2016 (Horizonte: 2016 a 2020) SUMÁRIO 1. O PLANO C... 2 2.

Leia mais

PRINCIPAIS PRODUTOS E PERFIL DO INVESTIDOR

PRINCIPAIS PRODUTOS E PERFIL DO INVESTIDOR PRINCIPAIS PRODUTOS E PERFIL DO INVESTIDOR CARACTERÍSTICAS DOS PRODUTOS DE RENDA FIXA OS PRINCIPAIS PRODUTOS DE RENDA FIXA PERFIL DE RISCO DO INVESTIDOR Quais são as diferenças básicas entre Renda Fixa

Leia mais

Na hora de investir, conte com o conhecimento e a segurança do maior grupo financeiro de Portugal.

Na hora de investir, conte com o conhecimento e a segurança do maior grupo financeiro de Portugal. Na hora de investir, conte com o conhecimento e a segurança do maior grupo financeiro de Portugal. 1 Grupo Caixa Geral de Depósitos A CGD é o maior grupo financeiro português e detém a maior plataforma

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS E CONTROLES INTERNOS - ORIGINAL ASSET MANAGEMENT

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS E CONTROLES INTERNOS - ORIGINAL ASSET MANAGEMENT POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS E CONTROLES INTERNOS - ORIGINAL ASSET MANAGEMENT Índice A) OBJETIVOS 3 B) APROVAÇÃO 3 C) ABRANGÊNCIA 3 D) DISPOSIÇÕES GERAIS 3 1. DEFINIÇÕES 3 2. ESTRUTURA DE CONTROLE E DIRETRIZES

Leia mais

PROPOSTA DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO PARA NOVA REDAÇÃO DOS ARTIGOS 21 A 29 DO ESTATUTO SOCIAL, QUE TRATAM DOS CARGOS E ATRIBUIÇÕES DA DIRETORIA

PROPOSTA DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO PARA NOVA REDAÇÃO DOS ARTIGOS 21 A 29 DO ESTATUTO SOCIAL, QUE TRATAM DOS CARGOS E ATRIBUIÇÕES DA DIRETORIA PROPOSTA DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO PARA NOVA REDAÇÃO DOS ARTIGOS 21 A 29 DO ESTATUTO SOCIAL, QUE TRATAM DOS CARGOS E ATRIBUIÇÕES DA DIRETORIA Senhores Acionistas, O Conselho de Administração da Metalfrio

Leia mais

Morgan Stanley Administradora de Carteiras S.A. Estrutura de Gestão de Risco Política

Morgan Stanley Administradora de Carteiras S.A. Estrutura de Gestão de Risco Política Morgan Stanley Administradora de Carteiras S.A. Estrutura de Gestão de Risco Política Data Efetiva 12 de Agosto de 2016 Departmento Responsável Aprovado por Informação de Contato Diretoria de Riscos Gerente

Leia mais

Safra Plus DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em

Safra Plus DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em Safra Plus DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro Demonstrações financeiras em 31 de março de 2004 e de 2003 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores

Leia mais

Política de Hedge Financeiro da Eletrobras

Política de Hedge Financeiro da Eletrobras Política de Hedge Financeiro da Eletrobras outubro 2009 Política de Hedge Financeiro da Eletrobras Sumário 1. Escopo e Objetivos 2. Premissas 3. Diretrizes 4. Atribuições 5. Considerações Finais 7 8 8

Leia mais

Política de Gestão de Riscos decorrentes do Mercado Financeiro Versão 10 de maio de Energisa S.A.

Política de Gestão de Riscos decorrentes do Mercado Financeiro Versão 10 de maio de Energisa S.A. Política de Gestão de Riscos decorrentes do Mercado Financeiro Versão 10 de maio de 2018 Energisa S.A. 1 Sumário 1. OBJETIVO... 3 2. VALIDADE... 3 3. GESTÃO DE RISCOS DE MERCADO FINANCEIRO... 3 4. ORIGENS

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS COSAN S.A. Aprovada na reunião do Conselho de Administração da Companhia realizada em 29 de outubro de 2018.

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS COSAN S.A. Aprovada na reunião do Conselho de Administração da Companhia realizada em 29 de outubro de 2018. DA COSAN S.A. Aprovada na reunião do Conselho de Administração da Companhia realizada em 29 de outubro de 2018. SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. APLICAÇÃO E VIGÊNCIA... 3 3. CONSIDERAÇÕES... 3 3.1. OBJETIVOS...

Leia mais

MERCADO DE CAPITAIS E BANCOS E SERVIÇOS FINANCEIROS

MERCADO DE CAPITAIS E BANCOS E SERVIÇOS FINANCEIROS MERCADO DE CAPITAIS E BANCOS E SERVIÇOS FINANCEIROS 21/2/2017 BANCO CENTRAL SUBMETE À CONSULTA PÚBLICA MINUTA DE RESOLUÇÃO QUE DISPÕE SOBRE A EMISSÃO DE LETRA IMOBILIÁRIA GARANTIDA (LIG) No dia 30 de janeiro

Leia mais

Índice Agentes Envolvidos Procedimento do Disclosure

Índice Agentes Envolvidos Procedimento do Disclosure Índice 1. Finalidade da Política de Investimentos...3 1.1. A Fundação SICOOB de Previdência Privada...3 1.2. Constituição da Política de investimentos e Plano de aplicação de recursos...3 1.3. Funções

Leia mais

BONSUCESSO ASSET ADMINISTRADORA DE RECURSOS LTDA

BONSUCESSO ASSET ADMINISTRADORA DE RECURSOS LTDA ELABORAÇÃO: APROVAÇÃO: GERÊNCIA DE RISCOS JULIANA PENTAGNA GUIMARÃES Diretoria da Sociedade LEANDRO SALIBA Diretoria da Sociedade INDICE 1. OBJETIVO... 2 2. REFERÊNCIAS... 2 3. CONCEITO... 2 4. ABRANGÊNCIA...

Leia mais

POLÍTICA PARA TRANSAÇÕES COM PARTES RELACIONADAS TOTVS S.A.

POLÍTICA PARA TRANSAÇÕES COM PARTES RELACIONADAS TOTVS S.A. POLÍTICA PARA TRANSAÇÕES COM PARTES RELACIONADAS DA TOTVS S.A. Aprovada em Reunião do Conselho de Administração da TOTVS S.A. realizada em 16 de Março de 2017 1 Política para Transações com Partes Relacionadas

Leia mais

Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários

Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários Em atendimento à instrução nº 558 da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), de 26 de março de 2015, a presente política visa apresentar as diretrizes de

Leia mais

COMPANHIA DE GÁS DE SÃO PAULO COMGÁS POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS

COMPANHIA DE GÁS DE SÃO PAULO COMGÁS POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DA COMPANHIA DE GÁS DE SÃO PAULO COMGÁS Aprovada na reunião do Conselho de Administração da Companhia realizada em 11 de Fevereiro de 2019. Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 1.1. OBJETIVO... 3 1.2. DEFINIÇÕES

Leia mais

128/128/ /133/ /218/ 101 1º

128/128/ /133/ /218/ 101 1º 1º Trimestre 2014 1 Aviso Importante Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de crescimento, projeções de resultados e estratégias futuras

Leia mais

Data da última atualização 03/10/2017

Data da última atualização 03/10/2017 Política Política de Gestão de Riscos dos Fundos de Investimento e Carteiras Data da última atualização 03/10/2017 1. Objetivo Este documento estabelece princípios, diretrizes e responsabilidades adotados

Leia mais

POLÍTICA ORGANIZACIONAL

POLÍTICA ORGANIZACIONAL Diretoria Responsável: Diretoria de Controles Internos, Riscos e Compliance Normas vinculadas: Publicado em: 20/03/2019 Revisão até: 20/03/2021 1. Objetivo Esta Política tem por objetivo estabelecer as

Leia mais

Código Revisão Data Emissão Aprovação POL /05/2017 GEFIN RCA

Código Revisão Data Emissão Aprovação POL /05/2017 GEFIN RCA Código Revisão Data Emissão Aprovação POL 09.00002 1.0 03/05/2017 GEFIN RCA Título: Política de Gestão de Derivativos Sumário 1 OBJETIVO... 2 2 ABRANGÊNCIA... 2 3 DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA... 2 4 DEFINIÇÕES...

Leia mais

Relatório Anual da Dívida 2008 Plano Anual de Financiamento 2009

Relatório Anual da Dívida 2008 Plano Anual de Financiamento 2009 Dívida Pública Federal Brasileira Relatório Anual da Dívida 2008 Plano Anual de Financiamento 2009 Janeiro 2009 B R A S Í L I A Dívida Pública Federal Brasileira Relatório Anual da Dívida RAD 2008 Resultados

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PLANO DE BENEFÍCIO DEFINIDO - PBDC

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PLANO DE BENEFÍCIO DEFINIDO - PBDC 1. Introdução A FUNDAÇÃO DE PREVIDÊNCIA DA CASA DA MOEDA DO BRASIL CIFRÃO é uma Entidade Fechada de Previdência Complementar, sem fins lucrativos, independência patrimonial e administrativa, constituída

Leia mais

MANUAL PARA GERENCIAMENTO DE RISCOS MANUAL PARA GERENCIAMENTO DE RISCOS AGOSTO

MANUAL PARA GERENCIAMENTO DE RISCOS MANUAL PARA GERENCIAMENTO DE RISCOS AGOSTO 1 MANUAL PARA GERENCIAMENTO DE RISCOS 2 1 - Objetivo... 3 2 - Identificação dos riscos... 3 I. Risco de Crédito.... 3 II. Risco de Mercado.... 3 III. Risco de Liquidez.... 3 IV. Risco Operacional.... 3

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO MOGNO FUNDO DE FUNDOS CNPJ/MF nº / PERFIL DO FUNDO (02/04/2018) Praia de Botafogo,

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO MOGNO FUNDO DE FUNDOS CNPJ/MF nº / PERFIL DO FUNDO (02/04/2018) Praia de Botafogo, FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO MOGNO FUNDO DE FUNDOS CNPJ/MF nº 29.216.463/0001-77 PERFIL DO FUNDO (02/04/2018) Código de Negociação MGFF11 Código ISIN BRMGFFCTF008 Local de Atendimento aos Cotistas

Leia mais

3º Trimestre Confidencial

3º Trimestre Confidencial 3º Trimestre 2015 1 Aviso Importante Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de crescimento, projeções de resultados e estratégias futuras

Leia mais

a.1 - Riscos de taxa de câmbio nos investimentos no exterior:

a.1 - Riscos de taxa de câmbio nos investimentos no exterior: 5.1 Descrever, quantitativa e qualitativamente, os principais riscos de mercado a que o emissor está exposto, inclusive em relação a riscos cambiais e a taxas de juros A Companhia pode participar em operações

Leia mais

Política de Investimentos PGA

Política de Investimentos PGA Política de Investimentos PGA Aprovada na 145ª Reunião Extraordinária do Conselho Deliberativo em 21/12/2017 VIGÊNCIA: 01/01/2018 a 31/12/2018 (Horizonte: 2018 a 2022) SUMÁRIO 1. O PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA

Leia mais

Morgan Stanley Administradora de Carteiras S.A. Estrutura de Gestão de Risco Política

Morgan Stanley Administradora de Carteiras S.A. Estrutura de Gestão de Risco Política Morgan Stanley Administradora de Carteiras S.A. Estrutura de Gestão de Risco Política Data Efetiva 08 de Janeiro de 2018 Departmento Responsável Aprovado por Informação de Contato Diretoria de Riscos Gerente

Leia mais

Gestão da Dívida da CEMIG

Gestão da Dívida da CEMIG 1 Gestão da Dívida da CEMIG Cristiano Corrêa de Barros Superintendência de Gestão de Finanças Corporativas 13 de maio de 2005 2 Conteúdo Condições Atuais de Mercado Diretrizes para a Captação de Recursos

Leia mais

Relatório de Gestão de Riscos

Relatório de Gestão de Riscos Relatório de Gestão de Riscos - 2017 Sax S/A Crédito, Financiamento e Investimento Relatório para atender aos requisitos estabelecidos nas resoluções 4.090, 3.464, 3.721, 3.380 e 3.988, do Conselho Monetário

Leia mais

Política de Investimentos

Política de Investimentos Política de Investimentos Previ-Siemens Sociedade de Previdência Privada Plano de Gestão Administrativa - 2018-2022 Índice I. Introdução... 3 II. Diretrizes Gerais... 3 III. Diretrizes de Alocação de Recursos...

Leia mais

128/128/ /133/ /218/ 101 2º

128/128/ /133/ /218/ 101 2º 2º Trimestre 2013 1 Aviso Importante Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de crescimento, projeções de resultados e estratégias futuras

Leia mais

Divulgação Quantitativa de Informações

Divulgação Quantitativa de Informações Divulgação Quantitativa de Informações Gestão de Riscos e Adequação do Capital Regulamentar Relatório contendo informações referentes à gestão de riscos, ao Patrimônio de Referência Exigido (PRE) e à adequação

Leia mais

Política de Gerenciamento de Risco de Mercado Maio 2017

Política de Gerenciamento de Risco de Mercado Maio 2017 Política de Gerenciamento de Risco de Mercado Maio 2017 Elaboração: Risco Aprovação: Comitê Executivo Classificação do Documento: Público ÍNDICE 1. OBJETIVO... 3 2. ABRANGÊNCIA... 3 3. DEFINIÇÕES... 3

Leia mais

Política de Gestão de Risco de Investimento

Política de Gestão de Risco de Investimento Política de Gestão de Risco de Investimento Política da Schroder Brasil Junho de 2016 Todos os direitos reservados pela Schroders. Nenhuma parte desta comunicação poderá ser reproduzida ou transmitida

Leia mais

Política de Gerenciamento de Riscos de Mercado

Política de Gerenciamento de Riscos de Mercado Política de Gerenciamento de Riscos de Mercado 1/16 Índice 1. Introdução... 3 1.1. Objetivo... 3 1.2. Abrangência... 3 1.3. Validade... 4 1.4. Divulgação... 4 2. Definições e Responsabilidades... 5 3.

Leia mais

Política de Investimentos PGA

Política de Investimentos PGA Política de Investimentos PGA Aprovada na 150ª Reunião Extraordinária do Conselho Deliberativo em 20/12/2018 VIGÊNCIA: 01/01/2019 a 31/12/2023 (Horizonte: 2019 a 2023) Sumário 1. O PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA

Leia mais

Política de Gestão de Risco Financeiro

Política de Gestão de Risco Financeiro Política de Gestão de Risco Financeiro Índice Introdução... 2 Objetivos... 2 Atribuições... 3 Descrição dos riscos financeiros... 4 Exposição às flutuações das taxas de juros... 4 Exposição às variações

Leia mais

Demonstração Financeira Enel Brasil Investimentos Sudeste S.A. 31 de dezembro de 2017

Demonstração Financeira Enel Brasil Investimentos Sudeste S.A. 31 de dezembro de 2017 Demonstração Financeira Enel Brasil Investimentos Sudeste S.A. 31 de dezembro de 2017 Balanço patrimonial Em 31 de dezembro de 2017 (Em reais) Notas 31/12/2017 Ativo Circulante Caixa e equivalentes de

Leia mais

Descrição da Estrutura de Gerenciamento Risco de Liquidez -

Descrição da Estrutura de Gerenciamento Risco de Liquidez - Descrição da Estrutura de Gerenciamento 2011 - Risco de Liquidez - Sumário: 1. Introdução:... 3 2. Objetivo:... 3 3. Diretrizes de Gestão:... 3 4. Responsabilidades:... 4 4.1. Conselho de Administração:...

Leia mais

POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE CRÉDITO E CONTRAPARTE BAHIA AM RENDA FIXA LTDA

POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE CRÉDITO E CONTRAPARTE BAHIA AM RENDA FIXA LTDA POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE CRÉDITO E CONTRAPARTE BAHIA AM RENDA FIXA LTDA 01. OBJETIVO:... 2 02. CONCEITUAÇÃO / DEFINIÇÃO:... 2 03. RESPONSABILIDADES:... 2 03.01. Responsáveis pela execução

Leia mais

Política de Gerenciamento de Risco de Mercado e do IRRBB Maio de 2018

Política de Gerenciamento de Risco de Mercado e do IRRBB Maio de 2018 Política de Gerenciamento de Risco de Mercado e do IRRBB Maio de 2018 Elaboração: Risco Aprovação: COMEX Classificação do Documento: Público ÍNDICE 1. OBJETIVO... 3 2. ABRANGÊNCIA... 3 3. DEFINIÇÕES...

Leia mais

Safra Classic DI - Fundo de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 30 de setembro de 2004 e

Safra Classic DI - Fundo de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 30 de setembro de 2004 e Safra Classic DI - Fundo de Investimento Financeiro Demonstrações financeiras em 30 de setembro de 2004 e parecer de auditores independentes Parecer dos auditores independentes Aos Quotistas e ao Administrador

Leia mais

Política de Investimentos 2007 Previ-Siemens Sociedade de Previdência Privada

Política de Investimentos 2007 Previ-Siemens Sociedade de Previdência Privada Política de Investimentos 2007 Previ-Siemens Sociedade de Previdência Privada I Introdução Este documento formaliza os objetivos e restrições dos investimentos relativos à gestão de recursos da Previ-Siemens,

Leia mais

10 - POLÍTICA DE RISCO DE MERCADO

10 - POLÍTICA DE RISCO DE MERCADO 1. INTRODUÇÃO A política de Risco de Mercado do Banco é definida pela Diretoria, considerando os normativos em vigor e as melhores práticas de governança. Para atingir seus objetivos a Instituição desenvolveu

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS EXERCÍCIO DE 2012

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS EXERCÍCIO DE 2012 POLÍTICA DE INVESTIMENTOS EXERCÍCIO DE 2012 INTRODUÇÃO A presente política de investimentos estabelece os princípios e diretrizes que devem reger os investimentos dos recursos do Instituto de Previdência

Leia mais

Política de Gerenciamento de Risco de Mercado BAHIA AM RENDA VARIÁVEL LTDA

Política de Gerenciamento de Risco de Mercado BAHIA AM RENDA VARIÁVEL LTDA Política de Gerenciamento de Risco de Mercado BAHIA AM RENDA VARIÁVEL LTDA 1. OBJETIVO:... 2 2. CONCEITUAÇÃO / DEFINIÇÃO:... 2 3. ABRANGÊNCIA / ÁREAS ENVOLVIDAS:... 2 4. RESPONSABILIDADES:... 2 04.01.

Leia mais

Banco do Brasil: Destaques

Banco do Brasil: Destaques 4º Trimestre 2014 1 Aviso Importante Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de crescimento, projeções de resultados e estratégias futuras

Leia mais

SUL AMÉRICA S.A. REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS

SUL AMÉRICA S.A. REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS SUL AMÉRICA S.A. COMPANHIA ABERTA DE CAPITAL AUTORIZADO CVM Nº 21121 CNPJ/MF 29.978.814/0001-87 NIRE 3330003299-1 REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS ÍNDICE: CAPÍTULO I - INTRODUÇÃO CAPÍTULO II

Leia mais

Fundação de Previdência dos Empregados da CEB

Fundação de Previdência dos Empregados da CEB Prezado(a) participante, Seguem informações referentes à Política de Investimento para o Plano Complementar de Benefícios da FACEB, Plano de Benefícios CEBPREV e Plano Administrativo - PGA, aprovada em

Leia mais

Política de Gestão de Risco de Crédito

Política de Gestão de Risco de Crédito 1/5 2/5 ÍNDICE 1 Introdução e objetivo... 3 2. Diretrizes... 3 3. Responsabilidades... 3 3.1. Equipe de Análise de Crédito do Gestor... 3 3.2. Gestor do fundo de investimentos... 3 3.3. Gestor de Risco

Leia mais

33/81/ /196/ 128/128/ 128 1º Trimestre 70/133/ /218/ /190/ /231/ /231/ 246

33/81/ /196/ 128/128/ 128 1º Trimestre 70/133/ /218/ /190/ /231/ /231/ 246 1º Trimestre 2015 1 Aviso Importante Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de crescimento, projeções de resultados e estratégias futuras

Leia mais

POLÍTICA DE RISCO DE CRÉDITO WMS Código da circular: [WM-5] Data da publicação: [ ]

POLÍTICA DE RISCO DE CRÉDITO WMS Código da circular: [WM-5] Data da publicação: [ ] SUMÁRIO RESUMO Define diretrizes específicas de gestão e de controles de riscos de crédito para o gestor de recursos de terceiros do conglomerado Itaú Unibanco. 1. Objetivo Estabelecer a estrutura de gestão

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCOS. Introdução

RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCOS. Introdução RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCOS Introdução A Administração acredita que a gestão efetiva de riscos é vital para o sucesso da Instituição e conseqüentemente mantém um ambiente de gerenciamento de riscos que

Leia mais

Gestão das Dívidas. Conteúdo

Gestão das Dívidas. Conteúdo Gestão das Dívidas Conteúdo Política de Gestão de Risco no Mercado Financeiro Títulos Emitidos de Dívida Perfil das Dívidas Classificação de Risco das Dívidas Indicadores Financeiros (Versão Resultados

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatório de Gerenciamento de Riscos Estrutura de Gerenciamento de Capital Informações Adicionais e Dados Quantitativos Banco Mizuho do Brasil SA. 14/03/2014 1 Estrutura de Gerenciamento de Capital 1.

Leia mais

GERENCIAMENTO INTEGRADO DE RISCOS CORPORATIVOS, CONTROLES INTERNOS E COMPLIANCE. Histórico de Revisões. Elaboração do Documento.

GERENCIAMENTO INTEGRADO DE RISCOS CORPORATIVOS, CONTROLES INTERNOS E COMPLIANCE. Histórico de Revisões. Elaboração do Documento. Histórico de Revisões Versão: 01 Data de Revisão: Histórico: Elaboração do Documento. Índice I. Objetivo... 1 II. Abrangência... 1 III. Documentação Complementar... 1 IV. Conceitos e Siglas... 2 V. Responsabilidades...

Leia mais

POLÍTICA DE RISCO DE CRÉDITO, DE CONCENTRAÇÃO E DE CONTRAPARTE DOS FUNDOS E CARTEIRAS GERIDOS PELO SICREDI

POLÍTICA DE RISCO DE CRÉDITO, DE CONCENTRAÇÃO E DE CONTRAPARTE DOS FUNDOS E CARTEIRAS GERIDOS PELO SICREDI POLÍTICA DE RISCO DE CRÉDITO, DE CONCENTRAÇÃO E DE CONTRAPARTE DOS FUNDOS E CARTEIRAS GERIDOS PELO SICREDI Versão: outubro/2016 1. OBJETIVO Em conformidade com a Política de Gerenciamento de Riscos dos

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos. Informações Adicionais e. Dados Quantitativos

Relatório de Gerenciamento de Riscos. Informações Adicionais e. Dados Quantitativos Relatório de Gerenciamento de Riscos Informações Adicionais e Dados Quantitativos Avaliação da adequação do Patrimônio de Referência (PR) face à estrutura e contexto operacional O processo de monitoramento

Leia mais

Instrumentos financeiros e a contabilidade de hedge

Instrumentos financeiros e a contabilidade de hedge A evolução das demonstrações contábeis no Brasil Rumo à convergência Instrumentos financeiros e a contabilidade de hedge Tadeu Cendón Agosto 2009 Instrumentos financeiros - definição Ativo financeiro Passivo

Leia mais

Demonstração da Composição e Diversificação das Aplicações em 31 de janeiro de 2006.

Demonstração da Composição e Diversificação das Aplicações em 31 de janeiro de 2006. Demonstração da Composição e Diversificação das Aplicações em 31 de janeiro de 2006. Aplicações/Especificação Espécie/ Quantidade Cotação Valor Atual % Sobre Forma ( em R$ ) ( R$ Mil ) o Ativo 1.COTAS

Leia mais

Divulgação Quantitativa de Informações. Gestão de Riscos e Alocação de Capital

Divulgação Quantitativa de Informações. Gestão de Riscos e Alocação de Capital Divulgação Quantitativa de Informações Gestão de Riscos e Alocação de Capital Conglomerado Financeiro e Consolidado Econômico-Financeiro Banco de Brasília S.A. 1º Trimestre/2011 Índice MÓDULO 1 DISPOSIÇÕES

Leia mais

Divulgação Quantitativa de Informações

Divulgação Quantitativa de Informações Divulgação Quantitativa de Informações Gestão de Riscos e Adequação do Capital Regulamentar Relatório contendo informações referentes à gestão de riscos, ao Patrimônio de Referência Exigido (PRE) e à adequação

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL Resolução 3.988/2011. Área Responsável: Risco de Crédito e Capital Gerência de Capital

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL Resolução 3.988/2011. Área Responsável: Risco de Crédito e Capital Gerência de Capital ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL Área Responsável: Risco de Crédito e Capital Gerência de Capital Sumário RELATÓRIO DE ACESSO PÚBLICO ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL... 3 1. INTRODUÇÃO... 3

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS OCCAM BRASIL GESTÃO DE RECURSOS LTDA.

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS OCCAM BRASIL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS OCCAM BRASIL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. Versão: setembro/2018 1. Objetivo: Esta Política tem por objetivo estabelecer os fundamentos associados ao processo de gestão de riscos

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS 2011-2012 DEZEMBRO DE 2011-1 - INTRODUÇÃO I.1 A Política de Investimentos das reservas financeiras do RPPS têm como objetivo fornecer ao gestor da entidade as diretrizes em relação

Leia mais

POLÍTICA ORGANIZACIONAL

POLÍTICA ORGANIZACIONAL Diretoria Responsável: Diretoria de Controles Internos, Riscos e Compliance Normas vinculadas: Publicado em: 02/01/2019 Revisão até: 02/01/2021 1. Objetivo Esta política tem por objetivo definir as alçadas

Leia mais

Instrumentos Financeiros Derivativos

Instrumentos Financeiros Derivativos Instrumentos Financeiros Derivativos 1. As operações com instrumentos financeiros derivativos realizadas por conta própria pelas instituições financeiras, demais instituições autorizadas a funcionar pelo

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos (Pilar lll)

Relatório de Gerenciamento de Riscos (Pilar lll) Relatório de Gerenciamento de Riscos (Pilar lll) Índice Introdução... 3 Estrutura de Gerenciamento de Riscos... 3 Informações Qualitativas... 3 Risco de Crédito... 3 Risco de Mercado... 5 Risco de Liquidez...

Leia mais

Estrutura de Gerenciamento de Riscos Conglomerado Morgan Stanley

Estrutura de Gerenciamento de Riscos Conglomerado Morgan Stanley Estrutura de Gerenciamento de Riscos Conglomerado Morgan Stanley Fevereiro/2018 Sumário 1 Introdução... 1 1.1 Gerenciamento de Riscos... 1 2 Risco de Mercado e Liquidez... 1 2.1 Definição de Risco de Mercado...

Leia mais

Política de Investimentos

Política de Investimentos Política de Investimentos Previ-Siemens Sociedade de Previdência Privada 2019-2023 Índice I. Introdução... 3 II. Diretrizes Gerais... 3 III. Diretrizes de Alocação de Recursos... 3 IV. Perfis de Investimentos...

Leia mais

2014 a Política de Investimentos. Fundos Assistenciais

2014 a Política de Investimentos. Fundos Assistenciais 2014 a 2018 Política de Investimentos Fundos Assistenciais ... 1... 2... 2 2.1 MARGEM DE ALOCAÇÃO... 2 2.2 DIVERSIFICAÇÃO... 3 2.2.1 Requisitos Principais... 3 2.2.2 Aprovação do Conselho Deliberativo...

Leia mais

Safra Corporate DI - Fundo de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2004 e de

Safra Corporate DI - Fundo de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2004 e de Safra Corporate DI - Fundo de Investimento Financeiro Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2004 e de 2003 e parecer de auditores independentes Demonstração da composição e diversificação das

Leia mais

CIFRÃO. Fundação de Previdência da Casa da Moeda do Brasil. Política de Investimentos Plano de Benefício Definido Cifrão - PBDC

CIFRÃO. Fundação de Previdência da Casa da Moeda do Brasil. Política de Investimentos Plano de Benefício Definido Cifrão - PBDC CIFRÃO Fundação de Previdência da Casa da Moeda do Brasil Política de Investimentos 2017-2021 Plano de Benefício Definido Cifrão - PBDC Esta Política de Investimentos tem por finalidade estabelecer os

Leia mais