Procedimento Geral. Denominação: Procedimento Geral de Comunicação Interna e Externa. Emissão: 29/10/2014 Revisão : 14/11/2016.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Procedimento Geral. Denominação: Procedimento Geral de Comunicação Interna e Externa. Emissão: 29/10/2014 Revisão : 14/11/2016."

Transcrição

1 Denominação: Procedimento de Comunicação Interna e Externa Dono do Processo: Tipo do Doc. Emissão: 29/10/2014 Revisão : 14/11/2016 Empresa Área Numero Rev: 01 Controle de alterações Revisão Data Local da Revisão Descrição 00 29/10/ Elaboração do Documento 01 28/10/ Revisão do documento 02 14/11/ Revisão do documento P á g i n a 1 7

2 1. Objetivo O objetivo do presente procedimento é estabelecer a metodologia utilizada na Enel Soluções para receber, documentar e responder a comunicações relevantes de partes interessadas externas, relacionadas a temas de SMS, e manter a comunicação interna entre os vários níveis e funções da organização quanto aos aspectos ambientais e perigos de segurança e saúde, bem como envolvimento e consulta aos funcionários quanto a mudanças que afetem a sua segurança e saúde no local de trabalho. 2. Atribuições e Responsabilidades A equipe de Comunicação e Marketing da Enel Soluções é responsável pelo processo de comunicação interna e externa tais como revistas, jornais, televisão, intranet, internet, que dependendo do assunto, contará com o apoio da gestão responsável por ela. Cabe às áreas de SMS, Administração e do Jurídico da Enel Soluções a responsabilidade do recebimento, documentação e resposta à comunicações pertinentes, oriundas de partes interessadas, tais como órgãos e entidades ambientais. As áreas de SMS e Comunicação e Marketing são responsáveis pelo processo de divulgação e disposição da Política de Segurança, Meio Ambiente e Saúde da Enel Soluções, que poderá ser feita através de cartilhas, cartazes, intranet, vídeo ou outras ferramentas de divulgação que julgar mais adequada. 3. Documentos de Referência ABNT NBR ISO 14001:2004 OHSAS 18001:2007 Manual do Sistema de Gestão Integrado de Segurança, Meio Ambiente e Saúde Enel Soluções P á g i n a 2 7

3 4. Terminologia Partes Interessadas: Indivíduo ou grupo interessado ou afetado pelo desempenho de segurança, meio ambiente e saúde da organização, tal como: empregado, cliente, acionista, comunidade vizinha, órgão ambiental, organização não governamental, etc. Solicitação de Partes Interessadas (externas e internas): Reclamações, manifestações e visitas. Meios de Comunicação: Qualquer meio de comunicação disponível, como quadros de aviso, cartilhas, reuniões, publicações internas, correio eletrônico, rádio, televisão, etc. Órgão: Definição genérica para qualquer nível hierárquico gerencial da estrutura organizacional da Enel Soluções. Documento: Informação e o meio no qual está contida. 5. Comunicação Interna Os canais de comunicação estabelecidos para situações de emergência que envolvam impactos ambientais e danos à segurança e saúde estão tratados no PG 005 Procedimento de Emergência. Os aspectos/impactos e perigos/riscos considerados significativos são divulgados internamente através da intranet, cartilhas, palestras, treinamentos e outros meios em que a empresa julgar necessário. Mudanças que afetem o meio ambiente, a segurança e saúde no local de trabalho serão comunicadas através de uma das ferramentas de comunicação listadas abaixo e será dada a oportunidade aos funcionários de enviarem suas sugestões através do SMS Enel Soluções: P á g i n a 3 7

4 A comunicação interna da Enel Soluções se dá através de diversos canais, dentre eles: 5.1 Pasta do Sistema de Segurança, Meio Ambiente e Saúde na Rede da Enel Soluções Acessível a todos os colaboradores diretos, contendo informações necessárias sobre o Sistema de Gestão Integrado de SMS. 5.2 Linha Direta Acessível a todos os colaboradores diretos, através de e da intranet. 5.3 Banners, folders, cartazes Disponíveis nas áreas administrativas e operacionais da Enel Soluções, com informações como Política, Objetivos e Metas e próximos eventos ligados ao Sistema de Segurança, Meio Ambiente e Saúde. Poderá ser utilizado para divulgar troca de experiências entre colaboradores diretos e indiretos da Enel Soluções. 5.4 Cartilha de divulgação do Sistema de Segurança, Meio Ambiente e Saúde Cartilha contendo informações sobre o SMS (política do sistema de gestão, comunicação, dentre outras informações), distribuída para a toda a força de trabalho por ocasião de palestras dos multiplicadores e disponível na Rede da Enel Soluções. 5.5 Palestras realizadas no auditório do Edifício Sede Eventos esporádicos, agendados previamente com um objetivo específico para os colaboradores diretos e indiretos (dia mundial do meio ambiente, círculo de palestras, campanhas de prevenção a saúde, Semanas internas de Prevenção a Acidentes de Trabalho SIPAT, Programa Bem Viver, etc.) P á g i n a 4 7

5 5.6 Código de Ética Enel Soluções É disponibilizado a todo colaborador direto, contendo informações sobre ética de sua conduta perante a empresa, tendo como princípios gerais, respeito à segurança, meio ambiente e saúde, bem como a conduta para empregados A Enel Soluções tem como objetivo assegurar a participação de qualquer colaborador direto e indireto na identificação de problemas ambientais ou de segurança e saúde, na avaliação das políticas e objetivos de SMS e na sugestão para a melhoria do comportamento de seus funcionários, criou um canal de comunicação que se dá através do SMS Enel Soluções: 5.8 Envolvimento dos colaboradores É assegurado a qualquer colaborador o direito a comunicação de situações de risco que eventualmente identifique em seu ambiente de trabalho, bem como o conhecimento pleno do potencial de risco a que possa estar sujeito, mesmo em caso de mudanças que influenciem o SMS. As eventuais alterações que possam afetar a Segurança, o Meio Ambiente e Saúde dos colaboradores são comunicadas nos Diálogos Diários de Segurança DDS, neste evento é dada a oportunidade de se manifestarem a respeito. Por ocasião de investigação de eventuais incidentes, é assegurado aos colaboradores envolvidos o direito a ser ouvido pela equipe de investigação e resposta às suas intervenções. P á g i n a 5 7

6 6. Comunicação Externa A comunicação externa da Enel Soluções se dá através de diversos canais, dentre eles: 6.1 Internet Disponibiliza a política e outras informações sobre segurança, meio ambiente e saúde da Enel Soluções. 6.2 Relatório de Sustentabilidade Elaborado a partir das diretrizes do Global Reporting Initiative (GRI) e dos indicadores do Pacto Global, segundo o modelo atualmente adotado por todas as empresas do Grupo Enel Brasil, do qual a Enel Soluções faz parte. Por meio desta publicação, a empresa divulga, de forma abrangente e transparente, seus compromissos com seus vários públicos e seu desempenho empresarial, nas dimensões econômica, social, ambiental e saúde e segurança dos colaboradores. Este relatório está disponível na internet e é fornecido a todos os colaboradores O está disponível na internet para o acesso de qualquer parte interessada. NOTA: Os itens 6.2 e 6.3 também são utilizados como ferramentas de comunicação interna e externa. 6.4 Cartilhas A comunicação com os visitantes, a fim de assegurar que os mesmos conheçam os perigos e riscos a que estão eventualmente expostos ao entrarem nas instalações da empresa, é realizada através de cartilhas autoexplicativas. P á g i n a 6 7

7 7. Comunicação com fornecedores e terceirizados A comunicação com fornecedores e terceirizados será realizada por meio de reuniões onde são apresentados e discutidos os resultados ou através de contato direto via e- mail 8. Controle de Registros O controle de registros será realizado pela equipe de SMS da Enel Soluções, com arquivamento físico e virtual. Elaborado por : Isabelle Crisóstomo Aprovado por : Carlos Eduardo C. de Souza P á g i n a 7 7

Procedimento Geral. Denominação: Procedimento Geral de Comunicação Interna e Externa. P á g i n a 1 8. Dono do Processo: Leonardo Sant Anna Reis

Procedimento Geral. Denominação: Procedimento Geral de Comunicação Interna e Externa. P á g i n a 1 8. Dono do Processo: Leonardo Sant Anna Reis Denominação: Procedimento de Comunicação Interna e Externa Tipo do Doc. Empresa Área Numero Dono do Processo: Leonardo Sant Anna Reis Emissão: 29/10/2014 Revisão: 02/10/2017 Rev: 03 Controle de alterações

Leia mais

Impresso em 26/08/2015 13:39:41 (Sem título)

Impresso em 26/08/2015 13:39:41 (Sem título) Aprovado ' Elaborado por Andrea Gaspar/BRA/VERITAS em 02/12/2013 Verificado por Cristiane Muniz em 05/12/2013 Aprovado por Denis Fortes/BRA/VERITAS em 06/12/2013 ÁREA GRH Tipo Procedimento Regional Número

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) A CONCERT Technologies S.A. prioriza a segurança de seus Colaboradores, Fornecedores,

Leia mais

PROCEDIMENTO DE TREINAMENTO, CONSCIENTIZAÇÃO E COMPETÊNCIA

PROCEDIMENTO DE TREINAMENTO, CONSCIENTIZAÇÃO E COMPETÊNCIA APROVAÇÃO: DATA: 28.06.07 PÁGINA : 1/7 CONTROLE DE REVISÕES: Revisão Data Itens modificados Observações 00 23.02.2006 - - 01 18.06.2007 Anexo 01 Alteração de Documentos a serem treinados para Documentos

Leia mais

Implantação de Sistema Gestão Integrado SGI integração dos Sistemas de Gestão da Qualidade. Gestão da Segurança e Saúde Ocupacional

Implantação de Sistema Gestão Integrado SGI integração dos Sistemas de Gestão da Qualidade. Gestão da Segurança e Saúde Ocupacional IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO - QUALIDADE, MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL Empresa: Cristal Raidalva Rocha OBJETIVO Implantação de Sistema Gestão Integrado SGI integração dos

Leia mais

POLÍTICA AMBIENTAL CTM - FARMANGUINHOS POLÍTICA AMBIENTAL

POLÍTICA AMBIENTAL CTM - FARMANGUINHOS POLÍTICA AMBIENTAL Identificação: DSMS 06 POLÍTICA AMBIENTAL CTM - FARMANGUINHOS Aprovação: 04/05/2013 POLÍTICA AMBIENTAL Política Ambiental do Instituto de Tecnologia em Fármacos, unidade de Jacarepaguá, onde são fabricados

Leia mais

Número: IT-DRH-SST-001. Revisão: 00 CIPA. Data: Página 1 de 6 SUMÁRIO

Número: IT-DRH-SST-001. Revisão: 00 CIPA. Data: Página 1 de 6 SUMÁRIO Página 1 de 6 SUMÁRIO 1. Objetivo... 3 2. Escopo... 3 3. Referências... 3 4. Definições... 3 Conceitos... 3 Siglas... 3 5. Detalhamento... 4 Atribuições da... 4 Constituição da... 4 Treinamento da... 4

Leia mais

Vamos relatar! Modelo de relatório Nível C da GRI

Vamos relatar! Modelo de relatório Nível C da GRI Vamos relatar! Modelo de relatório Nível C da GRI Nome da empresa: Preenchido por: Nome: Cargo: E-mail: Telefone: Após ter preenchido este folder, envie uma cópia para a GRI no endereço: Global Reporting

Leia mais

OHSAS 18001:2007 SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL

OHSAS 18001:2007 SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL OHSAS 18001:2007 SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL Requisitos gerais, política para SSO, identificação de perigos, análise de riscos, determinação de controles. CICLO DE PDCA (OHSAS 18001:2007) 4.6 ANÁLISE

Leia mais

O Sistema de Gestão de Responsabilidade Social

O Sistema de Gestão de Responsabilidade Social Securitas Portugal O Sistema de Gestão de Responsabilidade Social Agosto de 2016 1 O Sistema de Gestão da Responsabilidade Social A SECURITAS desenvolveu e implementou um Sistema de Gestão de aspetos de

Leia mais

OUVIDORIA GERAL Criada como estrutura organizacional em 2005, a Ouvidoria Geral

OUVIDORIA GERAL Criada como estrutura organizacional em 2005, a Ouvidoria Geral A Ouvidoria Geral da Petrobras fechou o ano de 2007 com uma grande c o n q u i s ta : a a p r o va ç ã o das Políticas e Criada como estrutura organizacional em 2005, a Ouvidoria Geral é vinculada ao Conselho

Leia mais

Sumário. 1. Política de Sustentabilidade da Rede D Or São Luiz Objetivos Abrangência Diretrizes...2

Sumário. 1. Política de Sustentabilidade da Rede D Or São Luiz Objetivos Abrangência Diretrizes...2 Rede D Or São Luiz Sumário 1. Política de Sustentabilidade da Rede D Or São Luiz...2 1.1. Objetivos...2 1.2. Abrangência...2 1.3. Diretrizes...2 Diretriz Econômica...2 Diretriz Social...3 Diretriz Ambiental...4

Leia mais

Portaria nº /11/2011

Portaria nº /11/2011 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Portaria nº 1782 28/11/2011 O Reitor Pro Tempore do Instituto

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE SMS

SISTEMA DE GESTÃO DE SMS PROCEDIMENTO CAPACITAÇÃO TÉCNICA Nº PE-SMS-015 Fl. 1/6 Rev. Data Descrição Executado Verificado Aprovado 0 18/10/2010 Emissão Inicial CGS JMn NDF SISTEMA DE GESTÃO DE SMS Propriedade e uso exclusivo da

Leia mais

PRÊMIO VITAE-RIO CICLO 2016 Rev DMP NATUREZAS DAS PROATIVIDADES, PERGUNTAS PARA VALIDAÇÃO E DIRETRIZES ASSOCIADAS CRITÉRIO 1

PRÊMIO VITAE-RIO CICLO 2016 Rev DMP NATUREZAS DAS PROATIVIDADES, PERGUNTAS PARA VALIDAÇÃO E DIRETRIZES ASSOCIADAS CRITÉRIO 1 PRÊMIO VITAE-RIO CICLO 2016 Rev DMP 13-04-2016 DAS PROATIVIDADES, PERGUNTAS PARA VALIDAÇÃO E DIRETRIZES ASSOCIADAS CRITÉRIO 1 DIRETRIZES DE SSO/SMS ASSOCIADA ITEM 1.1 - TEOR DO REQUISITO - IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Principais diferenças entre a ISO e a OHSAS 18001

Principais diferenças entre a ISO e a OHSAS 18001 1 Principais diferenças entre a ISO 45001 e a OHSAS 18001 Entenda o que mudou da OHSAS 18001 para a ISO 45001. 2 Por que a ISO 45001? Principais Mudanças Calendário de Implementação Por que a ISO 45001?

Leia mais

POLÍTICA SISTEMA NORMATIVO POLÍTICA INTEGRADA DO SISTEMA DE GESTÃO DE MEIO AMBIENTE E SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO LAJ.DIR.POL.

POLÍTICA SISTEMA NORMATIVO POLÍTICA INTEGRADA DO SISTEMA DE GESTÃO DE MEIO AMBIENTE E SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO LAJ.DIR.POL. SISTEMA NORMATIVO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO LAJ.DIR.POL.0001 INTEGRADA DO SISTEMA DE GESTÃO DE MEIO AMBIENTE E SAÚDE E 00 APROVADO POR DIRETORIA INTEGRADA DO SISTEMA DE SUMÁRIO 1. RESUMO... ERRO! INDICADOR

Leia mais

SÉRIE ISO SÉRIE ISO SÉRIE ISO GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL

SÉRIE ISO SÉRIE ISO SÉRIE ISO GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL 1993 - CRIAÇÃO DO COMITÊ TÉCNICO 207 (TC 207) DA ISO. NORMAS DA : ISO 14001 - SISTEMAS DE - ESPECIFICAÇÃO COM ORIENTAÇÃO PARA USO. ISO 14004 - SISTEMAS DE - DIRETRIZES GERAIS SOBRE PRINCÍPIOS, SISTEMAS

Leia mais

Avaliação socioambiental de fornecedores

Avaliação socioambiental de fornecedores Avaliação socioambiental de fornecedores IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA Razão Social: CNPJ: Material/serviço que fornece: Responsável pelas informações: Cargo: Telefone: E-mail: Questionário Gostaríamos de conhecer

Leia mais

Guia da Advocacia Sustentável

Guia da Advocacia Sustentável Guia da Advocacia Sustentável CESA - CENTRO DE ESTUDOS DAS SOCIEDADES DE ADVOGADOS CESA fundado em 30 de junho de 1983 com a ideia de reunir as principais Sociedades de Advogados de São Paulo e trocar

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO INTERNA DA UNIMED CAMPO GRANDE Núcleo de Comunicação e Marketing agosto de 2016

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO INTERNA DA UNIMED CAMPO GRANDE Núcleo de Comunicação e Marketing agosto de 2016 POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO INTERNA DA UNIMED CAMPO GRANDE Núcleo de Comunicação e Marketing agosto de 2016 1. INTRODUÇÃO A imagem da Unimed Campo Grande é uma responsabilidade de todos. A forma como nos comunicamos

Leia mais

POLÍTICA ENGAJAMENTO DE STAKEHOLDERS ÍNDICE. 1. Objetivo...2. 2. Abrangência...2. 3. Definições...2. 4. Diretrizes...3. 5. Materialidade...

POLÍTICA ENGAJAMENTO DE STAKEHOLDERS ÍNDICE. 1. Objetivo...2. 2. Abrangência...2. 3. Definições...2. 4. Diretrizes...3. 5. Materialidade... ENGAJAMENTO DE STAKEHOLDERS Folha 1/8 ÍNDICE 1. Objetivo...2 2. Abrangência...2 3. Definições...2 4. Diretrizes...3 5. Materialidade...7 Folha 2/8 1. Objetivos 1. Estabelecer as diretrizes que devem orientar

Leia mais

Lista de Verificação de Auditorias Internas do SGI - MA - SST

Lista de Verificação de Auditorias Internas do SGI - MA - SST 4.1 Requisitos Gerais 4.2 Política: Ambiental e de SST A empresa possui uma Política Ambiental e de SST? A Política é apropriada a natureza, escala, impactos ambientais e perigos e riscos das suas atividades,

Leia mais

OBJETIVO... 2 ABRANGÊNCIA... 2 POLÍTICAS...

OBJETIVO... 2 ABRANGÊNCIA... 2 POLÍTICAS... Sumário 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. POLÍTICAS... 2 3.1 ACESSO AO CANAL DE DENÚNCIAS... 2 3.1.1 DENÚNCIA COM IDENTIFICAÇÃO... 3 3.1.2 DENÚNCIA ANÔNIMA... 3 3.2 RECEBIMENTOS DOS PROTOCOLOS DE

Leia mais

Ata de Reunião de Análise Crítica pela Alta Direção

Ata de Reunião de Análise Crítica pela Alta Direção Nº da Ata: 01/14 Data:14/05/2014 Página 1 de 12 Assunto: Análise Crítica SA 8000 Local: Sala de Reunião - Diretoria Elaborado por: Mário Júnior Aprovado por: Nelson Carvalho PARTICIPANTES: PARTICIPANTES

Leia mais

Segurança e Auditoria de Sistemas

Segurança e Auditoria de Sistemas Segurança e Auditoria de Sistemas ABNT NBR ISO/IEC 27002 0. Introdução 1 Roteiro Definição Justificativa Fontes de Requisitos Análise/Avaliação de Riscos Seleção de Controles Ponto de Partida Fatores Críticos

Leia mais

Você sabe fazer a nova auto-avaliação? Conheça os atalhos Marcelo Kós Diretor Técnico de Assuntos Industriais - Abiquim

Você sabe fazer a nova auto-avaliação? Conheça os atalhos Marcelo Kós Diretor Técnico de Assuntos Industriais - Abiquim Você sabe fazer a nova auto-avaliação? Conheça os atalhos Marcelo Kós Diretor Técnico de Assuntos Industriais - Abiquim A Estrutura do Atuação Responsável Elemento Visão Missão Valores Princípios Diretrizes

Leia mais

POLÍTICA ORGANIZACIONAL

POLÍTICA ORGANIZACIONAL Assunto: Segurança da Informação Corporativa Diretoria Responsável: Diretoria de Tecnologia da Informação Normas vinculadas: ISO 27001, CODEC Publicado em: 08/06/2017 Revisão até: 08/06/2019 1. Objetivo

Leia mais

Política de Divulgação. de Informações

Política de Divulgação. de Informações Política de Divulgação de Informações Fone 55 41 3316 3000 Site www.tecpar.br e-mail tecpar@tecpar.br Pág. 1/6 SUMÁRIO INTRODUÇÃO...3 CAPÍTULO I - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES...3 CAPÍTULO II - DA RESPONSABILIDADE...3

Leia mais

Atuação Responsável Compromisso com a sustentabilidade. Atuação Responsável Um compromisso da Indústria Química

Atuação Responsável Compromisso com a sustentabilidade. Atuação Responsável Um compromisso da Indústria Química Atuação Responsável Compromisso com a sustentabilidade O Atuação Responsável é uma ética empresarial, compartilhada pelas empresas associadas à Abiquim Missão do Atuação Responsável Promover o aperfeiçoamento

Leia mais

POLÍTICA DE PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO E COMBATE À CORRUPÇÃO

POLÍTICA DE PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO E COMBATE À CORRUPÇÃO POLÍTICA DE PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO E COMBATE À CORRUPÇÃO > VERSÃO 2 / 8 1. INTRODUÇÃO A Política de Prevenção à Lavagem de Dinheiro e Combate à Corrupção ( Política ) visa promover a adequação

Leia mais

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS O INDICADORES ETHOS Os Indicadores Ethos são uma ferramenta de gestão criada em 2000 pelo Instituto Ethos e que esta em sua terceira geração.

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PÚBLICA

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PÚBLICA POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PÚBLICA ÍNDICE 1. OBJETIVO... 3 2. ABRANGÊNCIA... 3 3. DIRETRIZES... 3 3.1. TREINAMENTO E CONSCIENTIZAÇÃO... 3 3.2. COOPERAÇÃO ENTRE ORGANIZAÇÕES... 3 3.3. CONDUTAS

Leia mais

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS O INDICADORES ETHOS Os Indicadores Ethos são uma ferramenta de gestão criada em 2000 pelo Instituto Ethos e que esta em sua terceira geração.

Leia mais

POLÍTICA DE OUVIDORIA

POLÍTICA DE OUVIDORIA SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. PARTES INTERESSADAS... 3 3. PRINCÍPIOS GERAIS... 3 4. PRAZOS DE ATENDIMENTO... 4 5. DAS OBRIGAÇÕES DO OUVIDOR... 4 6. CANAIS DE OUVIDORIA... 4 7. RELATÓRIOS PERIÓDICOS...

Leia mais

DIRETRIZES DA POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

DIRETRIZES DA POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO DIRETRIZES DA POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO ÍNDICE 1. OBJETIVO... 2 2. APLICAÇÃO... 2 3. REFERÊNCIA... 2 4. CONCEITOS... 2 5. RESPONSABILIDADES... 3 6. PRINCÍPIOS E DIRETRIZES... 3 6.1. Disposições

Leia mais

Política de Denúncias. Código Data da Emissão Área Emissora Versão POL-DIR-002 Julho/2017 Diretoria de Governança 1.0

Política de Denúncias. Código Data da Emissão Área Emissora Versão POL-DIR-002 Julho/2017 Diretoria de Governança 1.0 Política de Denúncias Área Emissora POL-DIR-002 Julho/2017 Diretoria de Governança 1.0 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. BASE LEGAL E NORMAS DE REFERÊNCIA... 3 4. ABRANGÊNCIA... 3 5. CANAL

Leia mais

POLÍTICA INSTITUCIONAL DE GESTÃO DE CONTINUIDADE DOS NEGÓCIOS

POLÍTICA INSTITUCIONAL DE GESTÃO DE CONTINUIDADE DOS NEGÓCIOS POLÍTICA INSTITUCIONAL DE GESTÃO DE CONTINUIDADE DOS NEGÓCIOS 1. INTRODUÇÃO A Política Institucional de Gestão de Continuidade dos Negócios do Conglomerado Mercantil do Brasil foi construída baseando-se

Leia mais

COMUNICAÇÃO PARA VALORIZAR A VIDA

COMUNICAÇÃO PARA VALORIZAR A VIDA COMUNICAÇÃO PARA VALORIZAR A VIDA LEONARDO MANSUR COORDENADOR TÉCNICO DE COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL Abril de 2012 QUEM SOMOS SOMOS A SAMARCO. UMA EMPRESA BRASILEIRA, FORNECEDORA DE MINÉRIO DE FERRO DE ALTA

Leia mais

SGI-MA-001. Sistema de Gestão Integrada

SGI-MA-001. Sistema de Gestão Integrada SGI-MA-1 1/23 SGI-MA-1 Sistema de Gestão Integrada SGI-MA-1 2/23 Sumário 1 INTRODUÇÃO... 4 2 ESCOPO E ABRANGÊNCIA DO SISTEMA DE GESTÃO... 5 2.1 ESCOPO... 5 2.2 EXCLUSÕES DO ESCOPO... 5 3 POLÍTICA DA GESTÃO...

Leia mais

Manual de Segurança e Saúde do Trabalho SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...2

Manual de Segurança e Saúde do Trabalho SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...2 00 Folha: 1de1 SUMÁRIO SUMÁRIO...1 1. APRESENTAÇÃO...2 2. RESPONSABILIDADE DA DIREÇÃO...3 2.1 POLÍTICA DE SEGURANÇA....3 2.2 OBJETIVOS DA SEGURANÇA...4 2.3 ORGANIZAÇÃO DA EMPRESA PARA A SEGURANÇA...5 2.3.1

Leia mais

Apresentação Cegelec. Apresentação Cegelec

Apresentação Cegelec. Apresentação Cegelec Apresentação Cegelec Apresentação Cegelec Brasil - Junho de 2007 Grupo Cegelec Nosso Grupo Colaboradores: 26.000 Faturamento: 2.6 bilhões de euros Atuação : + de 30 países Vendas por Setor Vendas por Região

Leia mais

Aprovado por: Leonardo Neri Data: 04/12/2017

Aprovado por: Leonardo Neri Data: 04/12/2017 SUMÁRIO 0. Histórico da Alteração e Distribuição 1. Objetivo 2. Aplicação 3. Glossário 4. Descrição das Etapas 4.1. 4.2. Definição dos processos de comunicação interna Meios de Comunicação Interna 4.2.1.

Leia mais

Operacionalização de Ouvidoria Recursos e Ferramentas de Apoio. Seminário de Atualização e Implantação de Ouvidoria do Sistema Unimed Julho/2013

Operacionalização de Ouvidoria Recursos e Ferramentas de Apoio. Seminário de Atualização e Implantação de Ouvidoria do Sistema Unimed Julho/2013 Operacionalização de Ouvidoria Recursos e Ferramentas de Apoio Seminário de Atualização e Implantação de Ouvidoria do Sistema Unimed Julho/2013 Canais de Entrada A Unimed Vitória possui como canais de

Leia mais

PLANO DE TRABALHO 2014 COMISSÃO DE ÉTICA. Titulares: Robleik Barbosa (Presidente) José Messias de Oliveira Junisley Mundim de Oliveira

PLANO DE TRABALHO 2014 COMISSÃO DE ÉTICA. Titulares: Robleik Barbosa (Presidente) José Messias de Oliveira Junisley Mundim de Oliveira PLANO DE TRABALHO 2014 Titulares: Robleik Barbosa (Presidente) José Messias de Oliveira Junisley Mundim de Oliveira Suplentes: Ronaldo Vasconcelos da Silva Francisco Cesar de Sousa Carlos André Cavalcante

Leia mais

Módulo 7. NBR ISO Interpretação dos requisitos: 4.3.3, 4.4, 4.4.1, 4.4.2, 4.4.3, 4.4.4, Exercícios

Módulo 7. NBR ISO Interpretação dos requisitos: 4.3.3, 4.4, 4.4.1, 4.4.2, 4.4.3, 4.4.4, Exercícios Módulo 7 NBR ISO 14001 - Interpretação dos requisitos: 4.3.3, 4.4, 4.4.1, 4.4.2, 4.4.3, 4.4.4, 4.4.5 Exercícios 4.3 Planejamento 4.3.3 Objetivos e metas e programa de gestão ambiental A organização deve

Leia mais

MANUAL DE PESSOAL CAPÍTULO 2: CONSTITUIR COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA

MANUAL DE PESSOAL CAPÍTULO 2: CONSTITUIR COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA 1 MÓDULO 20: SEGURANÇA NO TRABALHO CAPÍTULO 2: CONSTITUIR COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA ANEXOS: 1 Fluxo do Subprocesso Constituir Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA 2 Formulário

Leia mais

Projeto de Parceria Institucional

Projeto de Parceria Institucional Terceiro Congresso de Engenharia de Produção da Região Sul Projeto de Parceria Institucional 22 a 24 de abril de 2014 Instituto Superior Tupy IST/SOCIESC Mestrado Profissional em Engenharia de Produção

Leia mais

Empresas Eletrobras no combate ao Aedes aegypti

Empresas Eletrobras no combate ao Aedes aegypti Empresas Eletrobras no combate ao Aedes aegypti Relatório semanal de ações - 22 a 26 de fevereiro Eletrobras holding 1. Divulgação, em informativo diário para o público interno, de três notas, em dias

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE OCUPACIONAL

SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE OCUPACIONAL PROCEDIMENTO IDENTIFICAÇÃO DE ASPECTOS AMBIENTAIS E AVALIAÇÃO DOS IMPACTOS SOBRE O MEIO AMBIENTE Nº PE-SMS-017 Fl. 1/8 Rev. Data Descrição Executado Verificado Aprovado 0 A B 22/06/12 10/09/13 30/04/15

Leia mais

Relatório Semestral por Órgão ou Unidade. De 1º de janeiro a 30 de junho de 2017

Relatório Semestral por Órgão ou Unidade. De 1º de janeiro a 30 de junho de 2017 Relatório Semestral por Órgão ou Unidade De 1º de janeiro a 30 de junho de 2017 Órgão / Unidade: Secretaria: Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo SECRETRIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO,

Leia mais

PLANO DE TRABALHO 2013 COMISSÃO DE ÉTICA. Titulares: Robleik Barbosa (Presidente) José Messias de Oliveira Junisley Mundim de Oliveira

PLANO DE TRABALHO 2013 COMISSÃO DE ÉTICA. Titulares: Robleik Barbosa (Presidente) José Messias de Oliveira Junisley Mundim de Oliveira PLANO DE TRABALHO 2013 Titulares: Robleik Barbosa (Presidente) José Messias de Oliveira Junisley Mundim de Oliveira Suplentes: Francisco Cesar de Sousa Wanderson Lopes Lamounier Carlos André Cavalcante

Leia mais

SUMÁRIO DE REVISÕES. Rev. Data DESCRIÇÃO E/OU ITENS REVISADOS

SUMÁRIO DE REVISÕES. Rev. Data DESCRIÇÃO E/OU ITENS REVISADOS PGSGA/09 Registros do SGA Página 1 de 7 SUMÁRIO DE REVISÕES Rev. Data DESCRIÇÃO E/OU ITENS REVISADOS 0 10/01/2014 Emissão original consolidando práticas adotadas no PSS, anteriormente não documentadas

Leia mais

Nº Versão/Data: Validade: /10/2015 OUTUBRO/2016 MKT. 02 CRIAÇÃO MACROPROCESSO MARKETING E COMUNICAÇÃO PROCESSO CRIAÇÃO

Nº Versão/Data: Validade: /10/2015 OUTUBRO/2016 MKT. 02 CRIAÇÃO MACROPROCESSO MARKETING E COMUNICAÇÃO PROCESSO CRIAÇÃO 1 de 9 CRIAÇÃO MACROPROCESSO E COMUNICAÇÃO PROCESSO CRIAÇÃO CRIAÇÃO 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DOCUMENTOS RELACIONADOS... 2 4. PROCEDIMENTOS... 2 4.1 Preenchimento do Formulário... 2 4.2 ANÁLISE

Leia mais

POLÍTICA DE COMPLIANCE, CONTROLES INTERNOS E CUMPRIMENTO DA INSTRUÇÃO CVM 558/15

POLÍTICA DE COMPLIANCE, CONTROLES INTERNOS E CUMPRIMENTO DA INSTRUÇÃO CVM 558/15 POLÍTICA DE COMPLIANCE, CONTROLES INTERNOS E CUMPRIMENTO DA INSTRUÇÃO CVM 558/15 SOMENTE PARA USO INTERNO Este material foi elaborado pela Atmos Capital Gestão de Recursos Ltda. ( Atmos Capital ou Gestora

Leia mais

Não Conformidade, Ação Corretiva e Ação Preventiva

Não Conformidade, Ação Corretiva e Ação Preventiva 1. HISTÓRICO DE REVISÕES Revisão: 02 Página 1 de 6 DATA REVISÃO RESUMO DE ALTERAÇÕES 20/08/2013 00 Emissão inicial 21/08/2014 01 03/12/2015 02 Definição mais clara da sistemática de tratativa de cargas

Leia mais

Manual da Qualidade. Sistema de Gestão da Qualidade

Manual da Qualidade. Sistema de Gestão da Qualidade Manual da Qualidade Sistema de Gestão da Qualidade 1 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO... 2. DEFINIÇÃO... 3. ESCOPO... 4. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE... 5. RESPONSABILIDADE DA DIREÇÃO... 6. GESTÃO DE RECURSOS...

Leia mais

PLANO DE TRABALHO 2015 COMISSÃO DE ÉTICA. Titulares: Maiara Sobral Silva (Presidente) Israel de Paula Maiara Ronaldo Vasconcelos da Silva

PLANO DE TRABALHO 2015 COMISSÃO DE ÉTICA. Titulares: Maiara Sobral Silva (Presidente) Israel de Paula Maiara Ronaldo Vasconcelos da Silva PLANO DE TRABALHO 2015 Titulares: Maiara Sobral Silva (Presidente) Israel de Paula Maiara Ronaldo Vasconcelos da Silva Suplentes: Evandro Lima de Sousa Edwardes Amaro Galhardo Thelma Valentina de Oliveira

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO AMBIENTAL ESTRATÉGICA DO PROGRAMA DE INVESTIMENTOS DA CELESC-D

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO AMBIENTAL ESTRATÉGICA DO PROGRAMA DE INVESTIMENTOS DA CELESC-D RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO AMBIENTAL ESTRATÉGICA DO PROGRAMA DE INVESTIMENTOS DA CELESC-D Procedimento de Engajamento de Partes Interessadas 1.0 Introdução A seguir é apresentado o detalhamento do Stakeholder

Leia mais

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA BANCOS DE DADOS E CADASTROS DE CONSUMIDORES E FORNECEDORES

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA BANCOS DE DADOS E CADASTROS DE CONSUMIDORES E FORNECEDORES BANCOS DE DADOS E CADASTROS DE CONSUMIDORES E FORNECEDORES Curso de Pós-Graduação em Direito do Consumidor - Aula 26 Artigo 43 do Código de Defesa do Consumidor O consumidor, sem prejuízo do disposto no

Leia mais

INSTRUÇÃO DE TRABALHO

INSTRUÇÃO DE TRABALHO Título: ELABORAÇÃO E PLANEJAMENTO DE PROJETOS DE PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO (PD&I) REVISÃO: 00 PÁGINA: 1 / 6 Data: 01/03/16 Período de vigência: 04 anos SUMÁRIO 1. Objetivo 2. Campo de Aplicação

Leia mais

PRESIDÊNCIA SUMÁRIO 1. ATUAÇÃO DO SIC ATENDIMENTO AO CIDADÃO TRANSPARÊNCIA ATIVA SOLICITAÇÕES DE INFORMAÇÕES...

PRESIDÊNCIA SUMÁRIO 1. ATUAÇÃO DO SIC ATENDIMENTO AO CIDADÃO TRANSPARÊNCIA ATIVA SOLICITAÇÕES DE INFORMAÇÕES... RELATÓRIO DO SERVIÇO DE INFORMAÇÕES AO CIDADÃO (SIC) 2015 SUMÁRIO 1. ATUAÇÃO DO SIC... 3 2. ATENDIMENTO AO CIDADÃO... 4 3. TRANSPARÊNCIA ATIVA... 7 4. SOLICITAÇÕES DE INFORMAÇÕES... 11 1. ATUAÇÃO DO SIC

Leia mais

SERVIÇO DE INFORMAÇÕES AO CIDADÃO

SERVIÇO DE INFORMAÇÕES AO CIDADÃO RELATÓRIO DO SERVIÇO DE INFORMAÇÕES AO CIDADÃO (SIC) 2014 SUMÁRIO 1. ATUAÇÃO DO SIC... 5 2. TRANSPARÊNCIA ATIVA... 6 3. SOLICITAÇÕES DE INFORMAÇÕES... 9 1. ATUAÇÃO DO SIC O Serviço de Informações ao

Leia mais

Plano de Comunicação Empresarial. Preparado por Beatrice Boechat MBA UFF disciplina: Comunicação Empresarial

Plano de Comunicação Empresarial. Preparado por Beatrice Boechat MBA UFF disciplina: Comunicação Empresarial 1 Plano de Comunicação Empresarial Preparado por Beatrice Boechat MBA UFF disciplina: Comunicação Empresarial 2 TEMPLATE DE PLANO DE COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL [Ponto de partida para Plano de Comunicação

Leia mais

Regulamentos de Segurança, Saúde e Bem-Estar no Trabalho do Grupo Telefónica

Regulamentos de Segurança, Saúde e Bem-Estar no Trabalho do Grupo Telefónica Regulamentos de Segurança, Saúde e Bem-Estar no Trabalho do Grupo Telefónica Norma corporativa Aprovada pelo Comitê Executivo da Telefónica S.A. Telefónica, S.A. 1 a dição - 29 de outubro de 2018 ÍNDICE

Leia mais

Relatório Estatístico

Relatório Estatístico SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE FURG Gabinete da Reitora Ouvidoria da Universidade Federal do Rio Grande FURG Relatório Estatístico Exercício 2015 e 1º

Leia mais

GESTÃO DE MELHORIA CONTÍNUA

GESTÃO DE MELHORIA CONTÍNUA Objetivos do treinamento: Abordagem sobre istema de Gestão Discutir conceitos de: Não Conformidade; ação corretiva, preventiva e melhoria. Controle de não conformidade, Apresentação dos procedimentos PG

Leia mais

SERVIÇO DE INFORMAÇÕES AO CIDADÃO

SERVIÇO DE INFORMAÇÕES AO CIDADÃO RELATÓRIO DO SERVIÇO DE INFORMAÇÕES AO CIDADÃO (SIC) DEZEMBRO DE 2013 SUMÁRIO 1. ATUAÇÃO DO SIC... 5 2. ATENDIMENTO AO CIDADÃO... 6 3. TRANSPARÊNCIA ATIVA... 9 4. SOLICITAÇÕES DE INFORMAÇÕES... 12 1.

Leia mais

POLÍTICA DE TRATAMENTO DE RECLAMAÇÕES, CONFLITOS OU DESAVENÇAS

POLÍTICA DE TRATAMENTO DE RECLAMAÇÕES, CONFLITOS OU DESAVENÇAS POLÍTICA DE TRATAMENTO DE RECLAMAÇÕES, CONFLITOS OU DESAVENÇAS A CCT Conceitual Construções LTDA considera cada reclamação como uma oportunidade de melhorar o serviço que desenvolve para seus clientes,

Leia mais

CENTRO DE ESTUDOS E PESQUISAS DR. JOÃO AMORIM

CENTRO DE ESTUDOS E PESQUISAS DR. JOÃO AMORIM Regulamento Interno Código: RI.GC.GR.EST.001 Governança Corporativa Versão: 001 Gestão de Relacionamento Data da Emissão: Estratégia 28/08/2015 Comitê de Governança CAPITULO I DA FINALIDADE Art. 1º O presente

Leia mais

DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS. Unidade de Tecnologia da Informação e Comunicação - UTIC

DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS. Unidade de Tecnologia da Informação e Comunicação - UTIC DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS Unidade de Tecnologia da Informação e Comunicação - UTIC ÁREAS DE ATUAÇÃO Modernização e Manutenção da Infraestrutura de TI Desenvolvimento, Manutenção e Suporte a

Leia mais

Monitoramento do Pacto pela Erradicação do Trabalho Escravo Plataforma de apoio Balanço 2011/2012 Por: Leandro de Souza Estrutura da apresentação 1. Breve introdução 2. Perfil dos signatários 3. Ações

Leia mais

NORMA OPERACIONAL 01/2014. Regras e normas de comunicação interna e publicações

NORMA OPERACIONAL 01/2014. Regras e normas de comunicação interna e publicações NORMA OPERACIONAL 01/2014 Regras e normas de comunicação interna e publicações O Presidente e Diretor Geral da Fundação Comunitária Tricordiana de Ensino, no uso de suas atribuições e tendo em vista a

Leia mais

Consultoria Automotiva

Consultoria Automotiva 2017 Consultoria Automotiva OFICINA AUTO MECÂNICA CNPJ/MF 27.596.994/0001-07 Rev. 01 15/05/2017 Sumário Prefácio...4 Capítulo 1 Apresentação...4 1.1 Serviços ofertados...5 Capítulo 2 Mercado...5 2.1 Oportunidades...5

Leia mais

ANEXO B Exemplo de Protocolo de Auditoria do SGA

ANEXO B Exemplo de Protocolo de Auditoria do SGA ANEXO B - EXEMPLO DE PROTOCOLO DE AUDITORIA DO SGA ANEXO B Exemplo de Protocolo de Auditoria do SGA O protocolo de auditoria de sistema de gestão ambiental, apresentado a seguir, foi publicado em GESTÃO

Leia mais

Seminário de avaliação parcial

Seminário de avaliação parcial Seminário de avaliação parcial Rio de Janeiro, 22 de junho de 2005 1 MECANISMOS DE INOVAÇÃO DA GESTÃO DE PRODUÇÃO DE MATERIAIS E SERVIÇOS DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO Membros UFSC Universidade Federal de

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (OFICINA 08)

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (OFICINA 08) SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (OFICINA 08) Oficina 07 Política de Meio Ambiente, Segurança e Saúde no Trabalho Objetivos, Metas e Programas 4.2 Política de SSTMA A Alta Administração

Leia mais

SOBRE ESTE RELATÓRIO 8

SOBRE ESTE RELATÓRIO 8 SOBRE ESTE RELATÓRIO 8 SOBRE ESTE RELATÓRIO [G4-28, G4-30 E G4-31] O Relatório de Sustentabilidade é uma publicação anual da Unimed-BH, como parte do seu compromisso com a transparência e a prestação de

Leia mais

Questões sobre a IS014001

Questões sobre a IS014001 Professor: Carlos William Curso/ Disciplina/Período: Administração/ Gestão Ambiental/ 2º ano Aluno: Lázaro Santos da Silva Questões sobre a IS014001 1. A NBR ISO 14001:2004 foi concebida para estabelecer

Leia mais

R E G U L A M E N T O 2017

R E G U L A M E N T O 2017 R E G U L A M E N T O 2017 www.asmaiseticasdobrasil.org.br Iniciativa e Realização www.eticanosnegocios.org.br R E G U L A M E N T O INICIATIVA E REALIZAÇÃO A iniciativa e realização desta iniciativa é

Leia mais

2. Do Período de Realização 2.1. A SIPAT terá início em 13/03/2017 e término previsto em 15/09/2017.

2. Do Período de Realização 2.1. A SIPAT terá início em 13/03/2017 e término previsto em 15/09/2017. S E M A N A I N T E R N A D E P R E V E N Ç Ã O D E A C I D E N T E S S I P A T 2 0 1 7 Emissão: 30/01/2017 Revisão: 02 Data da Revisão: 17/03/2017 Este procedimento visa fornecer subsídios para o desenvolvimento

Leia mais

1. DECLARAÇÃO DE SUPORTE CONTÍNUO DO DIRETOR EXECUTIVO (PROPRIETÁRIO OU PRESIDENTE NO CASO DE PEQUENAS EMPRESAS)

1. DECLARAÇÃO DE SUPORTE CONTÍNUO DO DIRETOR EXECUTIVO (PROPRIETÁRIO OU PRESIDENTE NO CASO DE PEQUENAS EMPRESAS) H.E. BanKi-moon Secretário Geral Nações Unidas Nova York, NY10017 EUA Referência: COMUNICAÇÃO DO PROGRESSO (COP - Communication on Progress) Período: 07/2015 à 06/2016 1. DECLARAÇÃO DE SUPORTE CONTÍNUO

Leia mais

Normas de Comunicação Interna e Publicações

Normas de Comunicação Interna e Publicações Normas de Comunicação Interna e Publicações (Anexo Único da Resolução 033/2016) COMUNICAÇÃO E MARKETING Regras e normas de comunicação interna e publicações O Setor de Comunicação e Marketing da Universidade

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE REMUNERAÇÃO LOJAS RENNER S.A. Capítulo I Dos Objetivos Gerais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE REMUNERAÇÃO LOJAS RENNER S.A. Capítulo I Dos Objetivos Gerais REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE REMUNERAÇÃO DE LOJAS RENNER S.A. Capítulo I Dos Objetivos Gerais Artigo 1º - O Comitê de Remuneração (o Comitê ) de Lojas Renner S.A. (a Companhia ), órgão estatutário, de

Leia mais

3º EDITAL SANTANDER/USP/FUSP DE Direitos Fundamentais e Políticas Públicas PRÓ-REITORIA DE CULTURA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA

3º EDITAL SANTANDER/USP/FUSP DE Direitos Fundamentais e Políticas Públicas PRÓ-REITORIA DE CULTURA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA 3º EDITAL SANTANDER/USP/FUSP DE Direitos Fundamentais e Políticas Públicas PRÓ-REITORIA DE CULTURA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA 1. OBJETIVO 1.1. O objetivo do presente edital é apoiar financeiramente projetos

Leia mais

SUMÁRIO DE REVISÕES. Rev. Data DESCRIÇÃO E/OU ITENS REVISADOS

SUMÁRIO DE REVISÕES. Rev. Data DESCRIÇÃO E/OU ITENS REVISADOS Página 1 de 10 SUMÁRIO DE REVISÕES Rev. Data DESCRIÇÃO E/OU ITENS REVISADOS 0 07/08/2013 Emissão original consolidando práticas adotadas no PSS, anteriormente não documentadas em forma de procedimento

Leia mais

PROCEDIMENTO DO SISTEMA ELABORAÇÃO E CONTROLE DE DOCUMENTOS DO SISTEMA DA QUALIDADE

PROCEDIMENTO DO SISTEMA ELABORAÇÃO E CONTROLE DE DOCUMENTOS DO SISTEMA DA QUALIDADE 1 de 7 : Situação Data Alteração 0.0 18.08.2010 Versão inicial 0.1 20.10.2010 Formatação do documento 0.2 28.06.2012 Inserção do acesso ao site do laboratório de apoio Álvaro. 0.3 01.04.2013 Inserção no

Leia mais

POLÍTICA SEGURANÇA DO TRABALHO

POLÍTICA SEGURANÇA DO TRABALHO POLÍTICA SEGURANÇA DO TRABALHO. MISSÃO Atender com excelência às demandas de nossos clientes, fornecendo serviços adequados as suas necessidades e expectativas. VALORES Queremos relacionamentos de longo

Leia mais

Programa de Integridade/ Compliance

Programa de Integridade/ Compliance Programa de Integridade/ Compliance Sumário Programa de Integridade... 3 Estrutura Organizacional... 4 Estrutura do Programa de Integridade... 6 1. Diretrizes Institucionais... 7 2. Governança Corporativa...

Leia mais

Mais informações: (31)

Mais informações: (31) Segundo a definição do GRI (Global Reporting Initiative), um dos principais desafios do desenvolvimento sustentável é a exigência de escolhas inovadoras e novas formas de pensar. Hoje o Brasil corporativo

Leia mais

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume VII Riscos Químicos Parte 2. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume VII Riscos Químicos Parte 2. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção Guia Técnico Segurança e Higiene no Trabalho Volume VII Riscos Químicos Parte 2 um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído sem

Leia mais

Código: MSFC-P-004 Versão: 05 Emissão: 10/2011 Última Atualização em: 02/2016

Código: MSFC-P-004 Versão: 05 Emissão: 10/2011 Última Atualização em: 02/2016 Política de Controles Internos Código: MSFC-P-004 Versão: 05 Emissão: 10/2011 Última Atualização em: 02/2016 OBJETIVO Garantir a aplicação dos princípios e boas práticas da Governança Corporativa, e que

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Unidades Gestoras: Diretoria de Gestão Estratégica e Controladoria - DIGEC Superintendência de Controladoria SUCON Área de Gestão de Capital e Riscos - ARGER

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL SGA SAMAE JS

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL SGA SAMAE JS PÁGINA 1/13 MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO SGA SAMAE JS PÁGINA 2/13 CONTROLE DE REVISÕES: Revisão Data Itens modificados Observações 00 29.06.2006 - - 01 27.06.2007 4.1 Requisitos Gerais Alteração do escopo

Leia mais

PLANO ANUAL DE TRABALHO DA OUVIDORIA

PLANO ANUAL DE TRABALHO DA OUVIDORIA 2017 PLANO ANUAL DE TRABALHO DA OUVIDORIA Instituto Federal Farroupilha 10/03/2017 Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. A OUVIDORIA DO... 3 2.1. Relacionamento com a Sociedade... 3 3. OBJETIVO DO PLANO DE TRABALHO...

Leia mais

O que é a Ouvidoria? O que faz a Ouvidoria?

O que é a Ouvidoria? O que faz a Ouvidoria? OUVIDORIA O que é a Ouvidoria? A Ouvidoria é um canal de 2ª instância de comunicação da BB Tecnologia e Serviços com clientes, funcionários, fornecedores e a sociedade em geral, permitindo-lhes buscar

Leia mais