TABELA DE PREÇOS DE PROJETOS DE ARQUITETURA E ENGENHARIA SIN (SEM BDI)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TABELA DE PREÇOS DE PROJETOS DE ARQUITETURA E ENGENHARIA SIN 2011-2013 (SEM BDI)"

Transcrição

1 TABELA DE PREÇOS DE PROJETOS DE ARQUITETURA E ENGENHARIA SIN (SEM BDI) AGOSTO/2011 1

2 ÍNDICE GERAL 1. PROJETO DE ARQUITETURA PROJETO DE URBANISMO PROJETO DE URBANISMO PAISAGÍSTICO PROJETO DE AMBIENTAÇÃO PROJETO ESTRUTURAL COM FUNDAÇÕES EM EDIFICAÇÕES PROJETO ESTRUTURAL SEM FUNDAÇÕES EM EDIFICAÇÕES PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM EDIFICAÇÕES PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM ÁREAS DE URBANISMO PAISAGÍSTICO PROJETO DE TELEFONIA PROJETO DE CABEAMENTO LÓGICO PROJETO DE MONITORAMENTO E SEGURANÇA PROJETO DE INSTALAÇÕES HIDROSSANITÁRIAS EM EDIFICAÇÕES PROJETO DE INSTALAÇÕES HIDRAULICAS EM ÁREAS DE URBANISMO PAISAGÍSTICO PROJETO DE INSTALAÇÕES MECÂNICAS PROJETO DE COMBATE A INCÊNDIO PROJETO DE CLIMATIZAÇÃO PROJETO DE GÁS PROJETO DE DRENAGEM PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO PROJETO LUMINOTÉCNICO

3 21. PROJETO DE COMUNICAÇÃO VISUAL PROJETO DE ACÚSTICA SERVIÇOS E/OU ESTUDOS TOPOGRÁFICOS LEVANTAMENTO ARQUITETÔNICO DIGITALIZAÇÃO DE DESENHO DE PROJETO ESTUDOS E/OU SERVIÇOS GEOTÉCNICOS ESTUDOS DE VIABILIDADE SERVIÇOS AEROVIÁRIOS SERVIÇOS RODOVIÁRIOS RELATÓRIOS E/OU ESTUDOS DIVERSOS PLANOS DIVERSOS INSPEÇÃO E/OU VISTORIA TÉCNICA EM EDIFICAÇÕES INSPEÇÃO E/OU VISTORIA TÉCNICA EM ÁREAS DE URBANISMO PAISAGÍSTICO ORÇAMENTO COM QUANTITATIVOS E CRONOGRAMA EM EDIFICAÇÕES ORÇAMENTO COM QUANTITATIVOS E CRONOGRAMA EM ÁREAS DE URBANISMO PAISAGÍSTICO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS EM EDIFICAÇÕES ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS EM ÁREAS DE URBANISMO PAISAGÍSTICO PROJETO ARQUITETÔNICO DE LAYOUT PROJETO DE INSTALAÇÕES DE SISTEMAS ELETRÔNICOS

4 1. PROJETO DE ARQUITETURA Os Projetos de Arquitetura estão divididos em duas categorias levando em consideração a sua complexidade. Os tipos não citados deve se enquadrar na categoria que ele mais se aproxime: CATEGORIAS DE PROJETO EDIFICAÇÕES RURAIS EDIFICAÇÕES DE ARMAZENAMENTO I EDIFICAÇÕES DE HOSPEDAGEM SIMPLES EDIFICAÇÕES DE EXPOSIÇÕES SIMPLES EDIFICAÇÕES DE SERVIÇOS SIMPLES EDIFICAÇÕES ESPORTIVAS ABERTAS EDIFICAÇÕES ESPORTIVAS EDIFICAÇÕES DE TRANSPORTES EDIFICAÇÕES DE HOSPEDAGEM EDIFICAÇÕES INSTITUCIONAIS II EDIFICAÇÕES EDUCACIONAIS EDIFICAÇÕES DE SAÚDE EDIFICAÇÕES DE LAZER E CULTURA EDIFICAÇÕES GASTRONÔMICAS EDIFICAÇÕES DE COMÉRCIOS E SERVIÇOS EDIFICAÇÕES DE EXPOSIÇÕES EDIFICAÇÕES DE SEGURANÇA 4

5 Segue a seguir a tabela de preços por categoria: 1. PROJETO DE ARQUITETURA CAT. I CAT. II ATÉ ,74 22, ,11 18, ,49 15, ,87 12, ACIMA 6,56 9,44 2. PROJETO DE URBANISMO ATÉ 500 3, , , , ACIMA 1,31 3. PROJETO DE URBANISMO PAISAGÍSTICO ATÉ 500 3, , , , ACIMA 1,31 4. PROJETO DE AMBIENTAÇÃO ATÉ , , , , ACIMA 33,75 5

6 5. PROJETO ESTRUTURAL COM FUNDAÇÕES EM EDIFICAÇÕES ATÉ , , , , ACIMA 4,72 6. PROJETO ESTRUTURAL SEM FUNDAÇÕES EM EDIFICAÇÕES ATÉ 500 7, , , , ACIMA 3,30 7. PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM EDIFICAÇÕES ATÉ 500 5, , , , ACIMA 2,36 8. PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM ÁREAS DE URBANISMO PAISAGÍSTICO ATÉ 500 3, , , , ACIMA 1,31 6

7 9. PROJETO DE TELEFONIA Governo do Estado do Rio Grande do Norte ATÉ 500 2, , , , ACIMA 1, PROJETO DE CABEAMENTO LÓGICO ATÉ 500 2, , , , ACIMA 1, PROJETO DE MONITORAMENTO E SEGURANÇA ATÉ 500 3, , , , ACIMA 1, PROJETO DE INSTALAÇÕES HIDROSSANITÁRIAS EM EDIFICAÇÕES ATÉ 500 4, , , , ACIMA 1, PROJETO DE INSTALAÇÕES HIDRAULICAS EM ÁREAS DE URBANISMO PAISAGÍSTICO ATÉ 500 1, , , , ACIMA 0,71 7

8 14. PROJETO DE INSTALAÇÕES MECÂNICAS ATÉ , , , , ACIMA 33, PROJETO DE COMBATE A INCÊNDIO 16. PROJETO DE CLIMATIZAÇÃO 17. PROJETO DE GÁS 18. PROJETO DE DRENAGEM ATÉ 500 3, , , , ACIMA 1,47 ATÉ 500 5, , , , ACIMA 2,36 ATÉ 500 3, , , , ACIMA 1,47 ATÉ 500 1, , , , ACIMA 0,66 8

9 19. PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO 20. PROJETO LUMINOTÉCNICO Governo do Estado do Rio Grande do Norte ATÉ 500 1, , , , ACIMA 0,66 ATÉ 500 2, , , , ACIMA 1, PROJETO DE COMUNICAÇÃO VISUAL 22. PROJETO DE ACÚSTICA ATÉ 500 3, , , , ACIMA 1,31 ATÉ , , , , ACIMA 18, SERVIÇOS E/OU ESTUDOS TOPOGRÁFICOS LEVANTAMENTO TOPOGRÁFICO PLANI-ALTIMÉTRICO GEORREFERENCIADO SEMI-CADASTRAL DE EIXOS E SEÇÕES TRANSVERSAIS FAIXAS (km) R$/km ATÉ 3, ,00 3,61 - ACIMA 900,00 9

10 23.2. LEVANTAMENTO TOPOGRÁFICO PLANI-ALTIMÉTRICO GEORREFERENCIADO SEMI-CADASTRAL COM CURVAS DE NÍVEIS, COTAS E PONTOS NOTÁVEIS FAIXAS (ha) R$/ha ATÉ 1 600,00 1, ,00 5, ,00 20, ,00 100,01 - ACIMA 235, LEVANTAMENTO TOPOGRÁFICO PLANI-ALTIMÉTRICO GEORREFERENCIADO COM CADASTRAMENTO FAIXAS (ha) R$/ha ATÉ ,00 1, ,00 5, ,00 20, ,00 100,01 - ACIMA 470, ESTUDOS E/OU SERVIÇOS TOPOGRÁFICOS DIVERSOS DISCRIMINAÇÃO R$/un LOCAÇÃO DE OBRA (m²) 3,62 LEVANTAMENTO TOPOGRÁFICO DE ALINHAMENTOS E LOCAÇÃO CORRIDA (m) 1,32 LEVANTAMENTO TOPOGRÁFICO PLANIMÉTRICO GEORREFERENCIADO DE ÁREA (ha) 96,00 CADASTRO TÉCNICO DE ADUTORAS, EMISSÁRIOS, REDE DE DISTR. ÁGUA E DE COLETA DE ESGOTOS (m) 0, LEVANTAMENTO ARQUITETÔNICO ATÉ 500 1, , , , ACIMA 0,16 10

11 25. DIGITALIZAÇÃO DE DESENHO DE PROJETO ATÉ 500 1, , , , ACIMA 0, ESTUDOS E/OU SERVIÇOS GEOTÉCNICOS 27. ESTUDOS DE VIABILIDADE 28. SERVIÇOS AEROVIÁRIOS FUROS SPT (unid) R$/unid ATÉ , , , , ACIMA 674,00 ATÉ 500 0, , , , ACIMA 0,07 SERVIÇOS (m) R$/m ESTUDOS AERONÁUTICOS 6,14 PROJETO BÁSICO / AS BUILT 5,50 CONSULTORIA TÉCNICA 4,10 AVALIAÇÃO TÉCNICA 2,60 ESTUDO DE AVALIAÇÃO TÉCNICA 2, SERVIÇOS RODOVIÁRIOS SERVIÇOS (m) R$/m PROJETO BÁSICO / AS BUILT 7,50 CONSULTORIA TÉCNICA 5,15 AVALIAÇÃO TÉCNICA 3,35 ESTUDO TÉCNICO 3,35 VISTORIA TÉCNICA 2,25 ANÁLISE TÉCNICA 1,25 11

12 30. RELATÓRIOS E/OU ESTUDOS DIVERSOS ATÉ 500 1, , , , ACIMA 0, PLANOS DIVERSOS ATÉ 500 1, , , , ACIMA 0, INSPEÇÃO E/OU VISTORIA TÉCNICA EM EDIFICAÇÕES ATÉ 500 3, , , , ACIMA 0, INSPEÇÃO E/OU VISTORIA TÉCNICA EM ÁREAS DE URBANISMO PAISAGÍSTICO ATÉ 500 1, , , , ACIMA 0,10 12

13 34. ORÇAMENTO COM QUANTITATIVOS E CRONOGRAMA EM EDIFICAÇÕES ATÉ 500 5, , , , ACIMA 0, ORÇAMENTO COM QUANTITATIVOS E CRONOGRAMA EM ÁREAS DE URBANISMO PAISAGÍSTICO ATÉ 500 2, , , , ACIMA 0, ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS EM EDIFICAÇÕES ATÉ 500 2, , , , ACIMA 0, ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS EM ÁREAS DE URBANISMO PAISAGÍSTICO ATÉ 500 0, , , , ACIMA 0,08 13

14 38. PROJETO ARQUITETÔNICO DE LAYOUT CAT. I CAT. II ATÉ ,74 22, ,11 18, ,49 15, ,87 12, ACIMA 6,56 9, PROJETO DE INSTALAÇÕES DE SISTEMAS ELETRÔNICOS ATÉ 500 5, , , , ACIMA 2,36 Observações: a) Em função da elaboração dos quantitativos, inseridos nos projetos, poderão ser acrescentados 10% sobre o valor dos referidos projetos. 14

GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA DE ESTADO DOS TRANSPORTES E OBRAS PÚBLICAS INSTITUTO DE OBRAS PÚBLICAS DO ESPÍRITO SANTO 2016 R0

GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA DE ESTADO DOS TRANSPORTES E OBRAS PÚBLICAS INSTITUTO DE OBRAS PÚBLICAS DO ESPÍRITO SANTO 2016 R0 PROJETOS PARA EDIFICIOS EDUCACIONAIS LEVANTAMENTO ARQUITETÔNICO M2 R$ 4,34 PROJETO REDES ELÉTRICAS M2 R$ 10,00 LEVANTAMENTO DE CARGAS E REDES ELÉTRICAS M2 R$ 2,11 PROJETO TELEFÔNICO M2 R$ 3,01 PROJETO

Leia mais

ENGENHARIA CONSULTIVA

ENGENHARIA CONSULTIVA TABELA DE PREÇOS ENGENHARIA CONSULTIVA 2 - TABELA DE PREÇOS - PROJETOS E ENGENHARIA CONSULTIVA - 02-2016 R0_aprovada.xls 1 RECURSOS HUMANOS 1.1 RECURSOS HUMANOS 1.1.1 8868 COORDENADOR (MENSALISTA) MÊS

Leia mais

0 km 5 km 10 km 15 km 20 km 25 km 30 km 35 km 40 km Escala gráfica (a escala em baixo representa no total 40 km reduzidos no mapa) Lugar geométrico, pontos situados à mesma distancia da origem Esta

Leia mais

Sistemas de Fundação. Sobre o Projeto de Fundações. Prof. MSc. Douglas M. A. Bittencourt FUNDAÇÕES AULA 02.

Sistemas de Fundação. Sobre o Projeto de Fundações. Prof. MSc. Douglas M. A. Bittencourt FUNDAÇÕES AULA 02. Sistemas de Fundação Sobre o Projeto de Fundações FUNDAÇÕES AULA 02 Prof. MSc. Douglas M. A. Bittencourt prof.douglas.pucgo@gmail.com ENGENHARIA DE FUNDAÇÕES Sistemas de fundação Geotecnia e Estrutura

Leia mais

COMPREENSÃO DE PROJETOS (PARTE I - Teoria)

COMPREENSÃO DE PROJETOS (PARTE I - Teoria) UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL COMPREENSÃO DE PROJETOS (PARTE I - Teoria) Projeto Arquitetônico Projeto Estrutural TC_042 - CONSTRUÇÃO CIVIL IV PROFESSORA: ELAINE SOUZA

Leia mais

COMPREENSÃO DE PROJETOS (PARTE IV - Teoria)

COMPREENSÃO DE PROJETOS (PARTE IV - Teoria) UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL COMPREENSÃO DE PROJETOS (PARTE IV - Teoria) Projeto Prevenção de Incêndio TC_042 - CONSTRUÇÃO CIVIL IV PROFESSORA: ELAINE SOUZA MARINHO CONCEITOS

Leia mais

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO / NOTURNO PROGRAMA DE DISCIPLINA

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO / NOTURNO PROGRAMA DE DISCIPLINA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO / NOTURNO PROGRAMA DE DISCIPLINA DISCIPLINA: INSTALAÇÕES PREDIAIS HIDRÁULICO-SANITÁRIAS CÓDIGO: EHR031 CLASSIFICAÇÃO: OBRIGATORIA PRÉ-REQUISITO: não tem CARGA HORÁRIA:

Leia mais

Curso Técnico Integrado em EDIFICAÇÕES MATRIZ CURRICULAR. Módulo/Semestre 1 Carga horária total: 480h. Unidade Curricular Semestral.

Curso Técnico Integrado em EDIFICAÇÕES MATRIZ CURRICULAR. Módulo/Semestre 1 Carga horária total: 480h. Unidade Curricular Semestral. Curso Técnico Integrado em EDIFICAÇÕES CÂMPUS FLORIANÓPOLIS MATRIZ CURRICULAR Módulo/Semestre 1 Carga horária total: 480h Unidade Curricular C/H Semestral Pré-Requisito Português e Hist da Liter. Bras.

Leia mais

ORÇAMENTO E CALCULO DO CUSTO DE OBRAS

ORÇAMENTO E CALCULO DO CUSTO DE OBRAS ORÇAMENTO E CALCULO DO CUSTO DE OBRAS Realização 27 e 28 de Março de 2015 Este curso tem por objetivo tornar o aluno apto a elaborar orçamentos e calculo do custo de obras de: Edificações,Estruturas, Terraplanagem,

Leia mais

DISCIPLINAS MÓDULO 01

DISCIPLINAS MÓDULO 01 Matriz Curricular do Curso Subsequente Técnico em Edificações Educação Profissional Técnica de Nível Médio IFBA - Campus Ilhéus Período de Vigência: 2012.2 ao atual S MÓDULO 01 1º MÓDULO: FUNDAMENTOS Pré-requisito:

Leia mais

DESENHO DE ESTRUTURAS AULA 1. Profª. Angela A. de Souza

DESENHO DE ESTRUTURAS AULA 1. Profª. Angela A. de Souza AULA 1 A CONCEPÇÃO ESTRUTURAL DE EDIFICIOS Etapas de um Projeto de Edificação A idealização de um projeto parte do princípio que devemos procurar ajuda de um profissional especializado, que irá nos ajudar

Leia mais

Marcelo Lobregatt. Rua: Assembléia de Deus, Nº 39 / Centro / cep: Habilitação: (13) / ID:125*83445

Marcelo Lobregatt. Rua: Assembléia de Deus, Nº 39 / Centro / cep: Habilitação: (13) / ID:125*83445 Sexo: Masculino Data Nascimento: 12, Abril de 1972 Estado Civil: Solteiro Nacionalidade: Brasileira Estado/ São Paulo / Edereço: Rua: Assembléia de Deus, Nº 39 / Centro / cep:11500-040 Habilitação: A/B

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DE PROVAS PO2

PROGRAMAÇÃO DE PROVAS PO2 DE PROVAS PO2 TURMA: 82113 30/05/2016 SEG INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO URBANO 31/05/2016 TER SEM AVALIAÇÃO 01/06/2016 QUA TEORIA E HIS. ARQUITETURA 02/06/2016 QUI SEM AVALIAÇÃO 03/06/2016 SEX ESTÉTICA E

Leia mais

Instalações Hidráulicas e o Projeto de Arquitetura 9ª edição

Instalações Hidráulicas e o Projeto de Arquitetura 9ª edição Instalações Hidráulicas e o Projeto de Arquitetura 9ª edição PARTE I INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAIS 1 ÁGUA FRIA Entrada e fornecimento de água fria Compartimento que abriga o cavalete Medição de água

Leia mais

Anexo I IX, da a Lei que nº se..., refere de o... artigo de da Lei nº... de... de 2016

Anexo I IX, da a Lei que nº se..., refere de o... artigo de da Lei nº... de... de 2016 Anexo I IX, da a Lei que nº se..., refere de o... artigo de... 54 da Lei nº... de... de 2016 GRUPO SITUAÇÃO ATUAL SITUAÇÃO NOVA ATENDENTE DE ENFERMAGEM-130205 AGENTE DE SAUDE-860045 ATENDENTE DE ENFERMAGEM-840001

Leia mais

Aula 17- ARQ-011 Desenho Técnico 1: Representação de projetos de arquitetura (seg. NBR-6492: 1994) Antonio Pedro Carvalho

Aula 17- ARQ-011 Desenho Técnico 1: Representação de projetos de arquitetura (seg. NBR-6492: 1994) Antonio Pedro Carvalho Aula 17- ARQ-011 Desenho Técnico 1: Representação de projetos de arquitetura (seg. NBR-6492: 1994) Antonio Pedro Carvalho Técnicas Desenho a mão livre De maneira geral é a representação do projeto nas

Leia mais

Endereço: Setor Comercial Sul, Quadra 02, Edifício São Paulo sala 312 a 315. Telefones: / / (WhatsApp)

Endereço: Setor Comercial Sul, Quadra 02, Edifício São Paulo sala 312 a 315. Telefones: / / (WhatsApp) Endereço: Setor Comercial Sul, Quadra 02, Edifício São Paulo sala 312 a 315 (próximo à estação Galeria do Metrô) Telefones: 61 3224 6737 / 3224 6363 / 99625 0513 (WhatsApp) Horário de Atendimento: 08h00

Leia mais

ÁREA DO CONCURSO: TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL

ÁREA DO CONCURSO: TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL PROGRAMA E BIBLIOGRAFIA DO CONCURSO PARA PROVIMENTO DE VAGA DE PROFESSOR ADJUNTO EM REGIME DE 20 HORAS SEMANAIS PARA O DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE MATERIAIS E CONSTRUÇÃO ÁREA DO CONCURSO: TÉCNICAS DE

Leia mais

INTRODUÇÃO A TOPOGRAFIA ARQUITETURA E URBANISMO / AGRONOMIA / ENGENHARIA CIVIL PROF. LUIZ MIGUEL DE BARROS

INTRODUÇÃO A TOPOGRAFIA ARQUITETURA E URBANISMO / AGRONOMIA / ENGENHARIA CIVIL PROF. LUIZ MIGUEL DE BARROS INTRODUÇÃO A TOPOGRAFIA ARQUITETURA E URBANISMO / AGRONOMIA / ENGENHARIA CIVIL PROF. LUIZ MIGUEL DE BARROS LUIZMIGUEL.BARROS@YAHOO.COM.BR O QUE É TOPOGRAFIA??? Grego Português Topos Lugar, ambiente Graphen

Leia mais

ESTRUTURA ORGANIZACIONAL. Chefe do Poder Executivo ÓRGÃOS DE ASSESSORAMENTO ÓRGÃOS DE NATUREZA FIM

ESTRUTURA ORGANIZACIONAL. Chefe do Poder Executivo ÓRGÃOS DE ASSESSORAMENTO ÓRGÃOS DE NATUREZA FIM ESTRUTURA ORGANIZACIONAL Chefe do Poder Executivo Fundação Cultural de Rio do Sul Fundação Municipal de Desportos ÓRGÃOS DE ASSESSORAMENTO Gabinete do Prefeito Gabinete do Vice-Prefeito Procuradoria Geral

Leia mais

Identidade Digital do Governo Federal

Identidade Digital do Governo Federal Identidade Digital do Governo Federal Identidade Digital do Governo Federal Direcionamentos Barra de Governo Redes Sociais Portal Padrão Instrução Normativa Fluxo de desenvolvimento de projetos digitais

Leia mais

Superintendência do Espaço Físico Diretrizes Orçamentárias para 2015

Superintendência do Espaço Físico Diretrizes Orçamentárias para 2015 Superintendência do Espaço Físico Diretrizes Orçamentárias para 2015 1. Recursos SEF 1.1. Custeio - Dotação Básica - Manutenção e Reposição de Equipamentos de Informática - Treinamento de Recursos Humanos

Leia mais

EBOOK PROJETO TÉCNICO SIMPLIFICADO (AVCB/CLCB)

EBOOK PROJETO TÉCNICO SIMPLIFICADO (AVCB/CLCB) EBOOK PROJETO TÉCNICO SIMPLIFICADO (AVCB/CLCB) Etapas para o pedido de AVCB/CLCB PTS, para edificações que não necessita de emissão de ART/RRT. Dúvidas de enquadramento da sua atividade (veja aqui) 1º)Entre

Leia mais

2 o. Relatório de Acompanhamento dos Estudos BR-101/ES, BR-101/BA e BR-470/SC. 22 de abril de 2009

2 o. Relatório de Acompanhamento dos Estudos BR-101/ES, BR-101/BA e BR-470/SC. 22 de abril de 2009 2 o. Relatório de Acompanhamento dos Estudos BR-101/ES, BR-101/BA e BR-470/SC 22 de abril de 2009 Fases e principais atividades dos estudos Estudo de tráfego Estudo de engenharia Estudo jurídicoregulatório

Leia mais

ALEXIOS CENTRO LOCALIZAÇÃO ALEXIOS JAFET - AHD. Distancia do centro: 23 km (percurso de carro) Distancia do centro: 16 km (em linha reta)

ALEXIOS CENTRO LOCALIZAÇÃO ALEXIOS JAFET - AHD. Distancia do centro: 23 km (percurso de carro) Distancia do centro: 16 km (em linha reta) ENTIDADE: ASSOCIAÇÃO POR HABITAÇÃO COM DIGNIDADE (AHD) ASSESSORIA: AMBIENTE ARQUITETURA REGIME DE CONSTRUÇÃO: ADM DIRETA ( AUTOGESTÃO) MODALIDADE DA CONTRATAÇÃO: AQUISIÇÃO DE TERRENO E CONSTRUÇÃO Nº S:

Leia mais

BIOGÁS de ETE PARA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA. CASE da ETE RIBEIRÃO PRETO

BIOGÁS de ETE PARA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA. CASE da ETE RIBEIRÃO PRETO BIOGÁS de ETE PARA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA CASE da ETE RIBEIRÃO PRETO Atuação do Grupo no Brasil Ribeirão Preto 1995 População Atendida 680.000 Mogi Mirim 2008 População Atendida: 130.000 Tratamento

Leia mais

Painel: GESTÃO TÉCNICA E OPERACIONAL. Título da Palestra: CASE GALEÃO/REUSO. Palestrante: MARCELO STEPHANES

Painel: GESTÃO TÉCNICA E OPERACIONAL. Título da Palestra: CASE GALEÃO/REUSO. Palestrante: MARCELO STEPHANES I ENCONTRO DAS S 13 a 15 de maio de 2009 - Campo Grande MS Realização: SINTERCON Painel: GESTÃO TÉCNICA E OPERACIONAL Título da Palestra: CASE GALEÃO/REUSO Palestrante: MARCELO STEPHANES Empresa: CDN SERVIÇOS

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS NS037 POÇOS DE VISITA TIPOS 3A, 3B e 3C Revisão: 03 Abr.

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS NS037 POÇOS DE VISITA TIPOS 3A, 3B e 3C Revisão: 03 Abr. SUMÁRIO 1. Objetivo e campo de aplicação...2 2. Referências...2 3. Definições...2 4. Condições para início dos serviços...3 5. Materiais e equipamentos necessários...3 6. Métodos e Procedimentos de Execução...3

Leia mais

Departamento de Tecnologia da Arquitetura Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Universidade de São Paulo

Departamento de Tecnologia da Arquitetura Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Universidade de São Paulo Departamento de Tecnologia da Arquitetura - FAUUSP Departamento de Tecnologia da Arquitetura Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Universidade de São Paulo FAUUSP Docentes Responsáveis: Prof. José Borelli

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA OT - IBR 006/2016

ORIENTAÇÃO TÉCNICA OT - IBR 006/2016 ORIENTAÇÃO TÉCNICA OT - IBR 006/2016 ANTEPROJETO DE ENGENHARIA Primeira edição: em consulta pública até 16/03/2017 Palavras-Chave: obras públicas; anteprojeto; auditoria; contratação integrada; RDC. 11

Leia mais

Procedimentos. de projetos

Procedimentos. de projetos Procedimentos para aprovação de projetos 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura 1 via; III. Memorial de Cálculo

Leia mais

PROJETO ARQUITETÔNICO

PROJETO ARQUITETÔNICO PROJETO ARQUITETÔNICO CEG218 Desenho arquitetônico I Prof. Márcio Carboni UFPR - DEGRAF - CEG218 DESENHO ARQUITETÔNICO I - Prof. Márcio Carboni 1 ORGANIZAÇÃO DA AULA Etapas de projeto arquitetônico Elementos

Leia mais

Fátima Gonçalves. BIM uma tecnologia de gerenciamento de informação com tecnologia TRIMBLE

Fátima Gonçalves. BIM uma tecnologia de gerenciamento de informação com tecnologia TRIMBLE Fátima Gonçalves BIM uma tecnologia de gerenciamento de informação com tecnologia TRIMBLE Trimble Transforming the Way the World Works ANÁLISE RAPIDEZ MODELAGEM OTIMIZAÇÃO PRODUTIVIDADE COLABORAÇÃO CONECTIVIDADE

Leia mais

MANUAL DE OBRAS DE SANEAMENTO MOS 3ª EDIÇÃO

MANUAL DE OBRAS DE SANEAMENTO MOS 3ª EDIÇÃO 3ª EDIÇÃO ÍNDICE GERAL P/ 1/5 0 DISPOSIÇÕES GERAIS DEFINIÇÃO, ORÇAMENTO... 2/39 CONTRATO, SUBCONTRATAÇÃO... 6/39 PRAZO DE EXECUÇÃO, GARANTIA DE SERVIÇO... 7/39 INST. DA OBRA, PESSOAL DA CONTRATADA... 8/39

Leia mais

PIT PROJETO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A NORMALIZAÇÃO

PIT PROJETO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A NORMALIZAÇÃO De 09 a 11 de junho de 2010 - Maceió - Alagoas PIT PROJETO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A NORMALIZAÇÃO Carlos Alberto de Moraes Borges carlos,borges@tarjab.com.br 10/06/2010 ABNT Associação Brasileira de

Leia mais

PROCEDIMENTO ELABORAÇÃO DE DATA BOOK E AS-BUILT

PROCEDIMENTO ELABORAÇÃO DE DATA BOOK E AS-BUILT FOLHA DE CAPA TÍTULO PROCEDIMENTO ELABORAÇÃO DE DATA BOOK E AS-BUILT NÚMERO ORIGINAL NÚMERO COMPAGAS FOLHA PR-59-911-CPG-001 1/15 CONTROLE DE REVISÃO DAS FOLHAS ESTA FOLHA DE CONTROLE INDICA EM QUE REVISÃO

Leia mais

PROJETO PRAÇA DA JUVENTUDE

PROJETO PRAÇA DA JUVENTUDE PROJETO PRAÇA DA JUVENTUDE Site: http://www.esporte.gov.br/ Blog: http://pracadajuventude.wordpress.com/ E-mail: pracadajuventude@esporte.gov.br CONSULTORES ARQUITETOS / ENGENHEIROS Carlos Alonso Cardoso

Leia mais

Business Intelligence Controlo de Projetos, Obras e Empresas com Gest

Business Intelligence Controlo de Projetos, Obras e Empresas com Gest Webinário Business Intelligence Controlo de Projetos, Obras e Empresas com Gest Arktec Portugal Lda A Arktec iniciou em Novembro de 2016 um conjunto de Webinários que visam dar a conhecer, de uma forma

Leia mais

SUGESTÃO DE FLUXO CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

SUGESTÃO DE FLUXO CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL SUGESTÃO DE FLUXO CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Nesse item e apresentada a Sugestão de Fluxo para integralização do curso de Engenharia Civil. Além dos nomes das disciplinas, aparecem os pré-requisitos,

Leia mais

TH 030- Sistemas Prediais Hidráulico Sanitários

TH 030- Sistemas Prediais Hidráulico Sanitários Universidade Federal do Paraná Engenharia Civil TH 030- Sistemas Prediais Hidráulico Sanitários Aula 15 Instalações Prediais de Esgoto Sanitário Profª Heloise G. Knapik 1 Instalações prediais de esgotamento

Leia mais

Avaliação de viab. e risco

Avaliação de viab. e risco Avaliação de viab. e risco Capítulo 3 -- parte 1 A proposta inicial Quatro finalidades: introduzir o conceito; testar as reações dos potenciais interessados; obter apoio; e estabelecer uma base para avaliação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ PREFEITURA UNIVERSITÁRIA SOLICITAÇÃO DE PROJETOS Projeto de Arquitetura e Engenharia

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ PREFEITURA UNIVERSITÁRIA SOLICITAÇÃO DE PROJETOS Projeto de Arquitetura e Engenharia UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ PREFEITURA UNIVERSITÁRIA SOLICITAÇÃO DE PROJETOS Projeto de Arquitetura e Engenharia COMO SOLICITAR UM PROJETO? Para solicitações de projetos de arquitetura e engenharia,

Leia mais

Contato QUEM SOMOS ATUAÇÃO. A gente tem que sonhar, senão as coisas não acontecem. Oscar Niemeyer

Contato QUEM SOMOS ATUAÇÃO. A gente tem que sonhar, senão as coisas não acontecem. Oscar Niemeyer QUEM SOMOS A SENTIDO ARQUITETURA é uma empresa especializada em elaboração de Projetos, Regularização de Imóveis e Consultoria em legalização imobiliária. A gente tem que sonhar, senão as coisas não acontecem.

Leia mais

VULKAN DO BRASIL PORTFÓLIO VULKAN SERVICE

VULKAN DO BRASIL PORTFÓLIO VULKAN SERVICE VULKAN DO BRASIL PORTFÓLIO VULKAN SERVICE 08/2016 VULKAN A VULKAN do Brasil é uma empresa do Grupo VULKAN, com matriz na Alemanha e presente no mercado mundial há mais de 120 anos, com fábricas, filiais

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL Registro 3 o trimestre de 2015 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado de São Paulo,

Leia mais

HORÁRIO DE AULAS PARA O CURSO DE ENGENHARIA CIVIL 1 a SÉRIE - 1º PERÍODO - 2 o. SEMESTRE DE 2016 (ingressantes Agosto de 2016)

HORÁRIO DE AULAS PARA O CURSO DE ENGENHARIA CIVIL 1 a SÉRIE - 1º PERÍODO - 2 o. SEMESTRE DE 2016 (ingressantes Agosto de 2016) 1 a SÉRIE - 1º PERÍODO - 2 o. SEMESTRE DE 2016 (ingressantes Agosto de 2016) 08-10 MAT0900-T1 Cálculo I MAT0900-T1 Cálculo I QUI 0912 T1 Química Geral FIS 0169 P3 Lab. de Física I FIS 0169 P7 Lab. de Física

Leia mais

Cartilha do Cliente. Cadastro de Tarefas

Cartilha do Cliente. Cadastro de Tarefas Cartilha do Cliente Cadastro de Tarefas Apresentação... 3 A quem se destina... 3 Módulo de Serviços... 3 Cadastros... 4 Tarefas... 4 Geral... 7 Ferramentas... 9 Materiais... 10 Perfil Profissional... 11

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO Procuradoria Geral Departamento de Administração Coordenação de Arquitetura e Engenharia

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO Procuradoria Geral Departamento de Administração Coordenação de Arquitetura e Engenharia ANEXO VIII ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO EXECUTIVO DE INSTALAÇÕES HIDROSSANITÁRIAS 1. Os projetos de instalações hidrossanitárias deverão atender às recomendações e especificações

Leia mais

SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO DEPARTAMENTO REGIONAL DO AMAZONAS TERMO DE REFERÊNCIA

SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO DEPARTAMENTO REGIONAL DO AMAZONAS TERMO DE REFERÊNCIA SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO DEPARTAMENTO REGIONAL DO AMAZONAS TERMO DE REFERÊNCIA Termo de referência para contratação de projeto de pavimentação, drenagem superficial e profunda no ramal de acesso ao Hotel

Leia mais

Painel de Fretes. Passo a Passo do Sistema Online

Painel de Fretes. Passo a Passo do Sistema Online Painel de Fretes Passo a Passo do Sistema Online Página Inicial 2 Seleção do Gráfico 3 Gráfico 1: Custos com transporte rodoviário de cargas (%) 4 Gráfico 1: Custos com transporte rodoviário de cargas

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL RM da Baixada Santista 1 o trimestre de 2016 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS), os empregos formais celetistas

Leia mais

CAMPANHA BELEZA NATURAL JORNAL EXTRA REGULAMENTO

CAMPANHA BELEZA NATURAL JORNAL EXTRA REGULAMENTO CAMPANHA BELEZA NATURAL JORNAL EXTRA REGULAMENTO 1. Esta campanha é uma promoção realizada em parceria pela INFOGLOBO COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÕES S.A. (Infoglobo), empresa sediada na capital do estado

Leia mais

[ 1 ] ARQUITETO SUSTENTÁVEL Passo a passo para criar projetos de casas sustentáveis em Steel Frame e Container

[ 1 ] ARQUITETO SUSTENTÁVEL Passo a passo para criar projetos de casas sustentáveis em Steel Frame e Container [ 1 ] [ 2 ] Este e-book tem como objetivo explicar de forma direta e dinâmica com uma linguagem simples o passo a passo de como elaborar projetos de casas sustentáveis utilizando como forma construtiva

Leia mais

150,00 un 225, , , ,20 150,00 un 56, , , ,40

150,00 un 225, , , ,20 150,00 un 56, , , ,40 Item Nome Quantid Un Unitário Total Total Item Material Mão de obra 19.0 Inst. Elétricas, Telec. E Informática 310.568,25 181.780,20 128.788,05 19.1 Serviços Rede Lógica 19.1.1 19.1.2 19.1.3 19.1.4 19.1.5

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE PERNAMBUCO CAMPUS IPOJUCA COORDENAÇÃO DE SEGURANÇA DO TRABALHO HORÁRIO MÓDULO II MANHÃ

INSTITUTO FEDERAL DE PERNAMBUCO CAMPUS IPOJUCA COORDENAÇÃO DE SEGURANÇA DO TRABALHO HORÁRIO MÓDULO II MANHÃ HORÁRIO 2016.2 MÓDULO II MANHÃ 1ª 07:00 07:45 Patologia Técnicas de Industrial Atividade Portuária Indústria de Petróleo e Gás 2ª 07:45 08:30 Patologia 3ª 08:30 09:15 Patologia Técnicas de Industrial Técnicas

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL BACHARELADO INSTITUC IONAIS CH TEÓRICA

MATRIZ CURRICULAR CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL BACHARELADO INSTITUC IONAIS CH TEÓRICA FAHESA - Faculdade de Ciências Humanas, Econômicas e da Saúde de Araguaína ITPAC - INSTITUTO TOCANTINENSE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS LTDA. Av. Filadélfia, 568 Setor Oeste Araguaína TO CEP 77.816-540 / Fone:

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria INMETRO/DIMEL n.º 148, de 27 de agosto de 2002.

Leia mais

ESTUDO PRELIMINAR SISTEMAS ELÉTRICOS

ESTUDO PRELIMINAR SISTEMAS ELÉTRICOS ESTUDO PRELIMINAR SISTEMAS ELÉTRICOS OBRA : ECO INDEPENDÊNCIA LOCAL : Rua Souza Coutinho CONSTRUÇÃO : Fortenge Construções Empreendimentos Ltda REVISÃO : ØØ 06/10/2005 EMISSÃO INCIAL Eco Independência

Leia mais

Projetos de Engenharia e Arquitetura

Projetos de Engenharia e Arquitetura Projetos de Engenharia e Arquitetura Mudança de Paradigma No passado Projetos Centralizados Foco nas Tarefas Individuais Foco na Lucratividade Profissional Mono Tarefa Concorrência Local Foco no Documento

Leia mais

Fonte: KAWAKAMI (2009)

Fonte: KAWAKAMI (2009) Fonte: KAWAKAMI (2009) Fonte: KAWAKAMI (2009) Fonte: KAWAKAMI (2009) Fonte: KAWAKAMI (2009) Fonte: KAWAKAMI (2009) Fonte: KAWAKAMI (2009) Fonte: KAWAKAMI (2009) Fonte: KAWAKAMI (2009) 4 LEED s no Brasil

Leia mais

Plano de Pormenor de ARRABALDE DA PONTE PEÇAS DESENHADAS

Plano de Pormenor de ARRABALDE DA PONTE PEÇAS DESENHADAS Plano de Pormenor de ARRABALDE DA PONTE PEÇAS DESENHADAS CÂMARA MUNICIPAL DE LEIRIA - 2012 Plano de Pormenor Arrabalde da Ponte Índice dos Desenhos Nº DESENHO DOCUMENTO DESIGNAÇÃO ESCALA ENQ ENQUADRAMENTO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS NS035 POÇOS DE VISITA TIPOS 1A,1B e 1C Revisão: 03 Mai/10 SUMÁRIO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS NS035 POÇOS DE VISITA TIPOS 1A,1B e 1C Revisão: 03 Mai/10 SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Objetivo e campo de aplicação...2 2. Referências...2 3. Definições...2 4. Condições para início dos serviços...3 5. Materiais e Equipamentos necessários...3 6. Métodos e Procedimentos de Execução...3

Leia mais

Introdução a Tecnologia da Informação

Introdução a Tecnologia da Informação Introdução a Tecnologia da Informação Informática Básica Software de apresentação Prof. Jonatas Bastos Power Point p Faz parte do pacote Microsoft Office; p Software com muitos recursos para construção

Leia mais

JUNTAS DE FREGUESIA, INSTITUIÇÕES E AGREMIAÇÕES PRIVADAS DE BENEFICÊNCIA, CULTURAIS, DESPORTIVAS E OUTRAS DE INTERESSE PÚBLICO

JUNTAS DE FREGUESIA, INSTITUIÇÕES E AGREMIAÇÕES PRIVADAS DE BENEFICÊNCIA, CULTURAIS, DESPORTIVAS E OUTRAS DE INTERESSE PÚBLICO ÁGUA * CONSUMO DE ÁGUA DOMÉSTICO 1º Escalão (0 5 m 3 /mês) 2º Escalão (6 15 m 3 /mês) 3º Escalão (16 a 25 m 3 /mês) 4º Escalão (superior a 25 m 3 /mês) 0,5118 0,7603 1,2632 2,0355 COMÉRCIO, INDÚSTRIA E

Leia mais

TÍTULO: DESENVOLVIMENTO DE PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA SISTEMAS DE ABASTECIMENTO E ESGOTAMENTO.

TÍTULO: DESENVOLVIMENTO DE PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA SISTEMAS DE ABASTECIMENTO E ESGOTAMENTO. Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S/A TÍTULO: DESENVOLVIMENTO DE PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA SISTEMAS DE ABASTECIMENTO E ESGOTAMENTO. TEMA: IV RECURSOS HÍDRICOS NOME DOS AUTORES: Engª Adriana

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTO ESPECÍFICO CÓD. 07. A ART- Anotação de Responsabilidade Técnica, deve ser registrada:

PROVA DE CONHECIMENTO ESPECÍFICO CÓD. 07. A ART- Anotação de Responsabilidade Técnica, deve ser registrada: 16 PROVA DE CONHECIMENTO ESPECÍFICO CÓD. 07 QUESTÃO 41 A ART- Anotação de Responsabilidade Técnica, deve ser registrada: a) em determinados serviços de execução e fiscalização de obras. b) em todo ou qualquer

Leia mais

ADEQUAÇÕES A NBR 9077 Nos Blocos Administrativo e Auditório ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS. CAMPUS BAGÉ Barras Antipânico e Inversão de Portas

ADEQUAÇÕES A NBR 9077 Nos Blocos Administrativo e Auditório ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS. CAMPUS BAGÉ Barras Antipânico e Inversão de Portas ADEQUAÇÕES A NBR 9077 Nos Blocos Administrativo e Auditório ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS CAMPUS BAGÉ Barras Antipânico e Inversão de Portas Setembro de 2011. GENERALIDADES A presente especificação refere-se

Leia mais

CONGRESSO NACIONAL COMISSÃO MISTA DE PLANOS, ORÇAMENTOS PÚBLICOS E FISCALIZAÇÃO PROJETO DE LEI DE REVISÃO DO PLANO PLURIANUAL PARA

CONGRESSO NACIONAL COMISSÃO MISTA DE PLANOS, ORÇAMENTOS PÚBLICOS E FISCALIZAÇÃO PROJETO DE LEI DE REVISÃO DO PLANO PLURIANUAL PARA CONGRESSO NACIONAL COMISSÃO MISTA DE PLANOS, ORÇAMENTOS PÚBLICOS E FISCALIZAÇÃO PROJETO DE LEI DE REVISÃO DO PLANO PLURIANUAL PARA 2004-2007 (Projeto de Lei nº 41/2005-CN) PARECER DA COMISSÃO SUBSTITUTIVO

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO

PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura; III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de

Leia mais

Ensino Médio completo e curso na área de informática (editor de texto e planilha eletrônica) ,00

Ensino Médio completo e curso na área de informática (editor de texto e planilha eletrônica) ,00 CARGOS ESCOLARIDADE / PRÉ- REQUISITOS A B C D E Auxiliar de Serviços Gerais Ensino Fundamental Incompleto. 23 69 40 937,00 Cozinheiro Ensino Fundamental Incompleto 1 3 40 937,00 Merendeira Ensino Fundamental

Leia mais

3º Risk Engineering Workshop - 23 de Agosto de 2016 Ronoel Souza Zurich Brasil Seguros Risk Engineering

3º Risk Engineering Workshop - 23 de Agosto de 2016 Ronoel Souza Zurich Brasil Seguros Risk Engineering 3º Risk Engineering Workshop - 23 de Agosto de 2016 Ronoel Souza Zurich Brasil Seguros Risk Engineering Pergunta Interativa Quem gerencia a manutenção dos sistemas de combate a incêndio na sua empresa?

Leia mais

ANEXO III PROJETOS EXECUTIVOS DE ENGENHARIA DOS LAGOS ARTIFICIAIS E DAS OBRAS DE INFRAESTRUTURA DA FASE 01 DO SAPIENS PARQUE

ANEXO III PROJETOS EXECUTIVOS DE ENGENHARIA DOS LAGOS ARTIFICIAIS E DAS OBRAS DE INFRAESTRUTURA DA FASE 01 DO SAPIENS PARQUE ANEXO III PROJETOS EXECUTIVOS DE ENGENHARIA DOS LAGOS ARTIFICIAIS E DAS OBRAS DE INFRAESTRUTURA DA FASE 01 DO SAPIENS PARQUE Sumário 1 Objetivo... 4 2 Características Principais... 4 2.1 Área de Intervenção...

Leia mais

CONCESSÃO DA ESTAÇÃO DE TRANSBORDO CLERISTON ANDRADE (ESTAÇÃO DA LAPA) SECRETARIA MUNICIPAL DE MOBILIDADE - SEMOB 1

CONCESSÃO DA ESTAÇÃO DE TRANSBORDO CLERISTON ANDRADE (ESTAÇÃO DA LAPA) SECRETARIA MUNICIPAL DE MOBILIDADE - SEMOB 1 CONCESSÃO DA ESTAÇÃO DE TRANSBORDO CLERISTON ANDRADE (ESTAÇÃO DA LAPA) SECRETARIA MUNICIPAL DE MOBILIDADE - SEMOB 1 ESTAÇÃO DA LAPA Inaugurada em 7 de novembro de 1982; Maior terminal rodoviário de Salvador;

Leia mais

P A P E L E C E L U L O S E

P A P E L E C E L U L O S E P A P E L E C E L U L O S E 2 0 1 5 02 02 www.alvenius.ind.br Sistemas tubulares revestidos: Criando conexões, estabelecendo alianças Após décadas de atuação em diversos mercados, com significativos investimentos

Leia mais

SINALIZAÇÃO UNIVERSAL ACESSIBILIDADE NA MOBILIDADE URBANA E A NOVA NBR 9050 : 2015

SINALIZAÇÃO UNIVERSAL ACESSIBILIDADE NA MOBILIDADE URBANA E A NOVA NBR 9050 : 2015 SINALIZAÇÃO UNIVERSAL ACESSIBILIDADE NA MOBILIDADE URBANA E A NOVA NBR 9050 : 2015 O SER HUMANO Estatística Alarmante "As quedas fatais entre idosos representam cerca de 12% de todos os óbitos na população

Leia mais

Esgotos Sanitários Ventilação e Dimensionamento

Esgotos Sanitários Ventilação e Dimensionamento Esgotos Sanitários Ventilação e Dimensionamento Etapas de Projeto: Etapas de Projeto: Etapas de Projeto: Vista de instalação de esgoto sob laje e shaft em edifício comercial (Fonte: www.suzuki.arq.br).

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO DE PROJETO

PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO DE PROJETO 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de Cálculo

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO DE PROJETO

PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO DE PROJETO 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de Cálculo

Leia mais

SISTEMAS DE ABASTECIMENTO E DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA

SISTEMAS DE ABASTECIMENTO E DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA Adução / Estudo Económico de Sistemas de Adução Impactos económicos do faseamento das obras: Verificar se as economias de escala de executar menos faseamentos compensa as soluções alternativas de adiar

Leia mais

PLANO DE PORMENOR DA FONTE DA TELHA

PLANO DE PORMENOR DA FONTE DA TELHA CÂMARA MUNICIPAL DE ALMADA Arquitetura Paisagista Plano de Pormenor - Lisboa, Março 2015 - PLANO DE PORMENOR DA FONTE DA TELHA Fonte da Telha > Estimativa Orçamental DEMOLIÇÕES 1. Edifícios e estruturas

Leia mais

VAGAS SUJEITAS A ALTERAÇÃO!!!!!!!

VAGAS SUJEITAS A ALTERAÇÃO!!!!!!! 05/01/2016 VAGAS SUJEITAS A ALTERAÇÃO!!!!!!! Ocupação Descrição Experiência Escolaridade Cursos Nº da Vaga Qtde. Vagas Atendente balconista auxiliar de dentista Auxiliar de Marceneiro Bombeiro Civil para

Leia mais

8h20min 9h10min. Introdução à arte, Introdução à arte, arquitetura e urbanismo. Iniciação à prática científica. 9h10min 10h

8h20min 9h10min. Introdução à arte, Introdução à arte, arquitetura e urbanismo. Iniciação à prática científica. 9h10min 10h Horário das aulas TURMA 2017-1ª Fase - Curso ARQUITETURA E URBANISMO Integral 07h30min 08h20min Iniciação à prática científica SALA 304 Introdução à arte, arquitetura e urbanismo Murad Vaz Daniella Reche

Leia mais

Plano de Aquisições do Primeiro Ano

Plano de Aquisições do Primeiro Ano Public Disclosure Authorized Public Disclosure Authorized Public Disclosure Authorized Public Disclosure Authorized Plano de Aquisições do Primeiro Ano SIGLAS E ABREVIATURAS APA Área de Preservação Ambiental

Leia mais

Dimensionamento - Sistema Predial de água Fria. Instalações Hidrossanitárias Profª Bárbara Silvéria

Dimensionamento - Sistema Predial de água Fria. Instalações Hidrossanitárias Profª Bárbara Silvéria Dimensionamento - Sistema Predial de água Fria Instalações Hidrossanitárias Profª Bárbara Silvéria Estimativa de Consumo Diário (CD) Estimativa de Consumo Diário (CD) Prédios de até 2 pavimentos não necessitam

Leia mais

APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM COMO ELEMENTO DE REFORÇO EM RECOMPOSIÇÃO DE PISTA DA RODOVIA SP-88

APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM COMO ELEMENTO DE REFORÇO EM RECOMPOSIÇÃO DE PISTA DA RODOVIA SP-88 APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM COMO ELEMENTO DE REFORÇO EM RECOMPOSIÇÃO DE PISTA DA RODOVIA SP-88 Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Colaboração: Eng. Pedro Henrique Plassa ABRIL 1997 Revisado

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura 1 via; III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de Cálculo

Leia mais

SECRETARIA DE GESTÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA CONCURSOS PÚBLICOS PARA PROVIMENTO DE CARGOS EDITAL DE ABERTURA 08/2017

SECRETARIA DE GESTÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA CONCURSOS PÚBLICOS PARA PROVIMENTO DE CARGOS EDITAL DE ABERTURA 08/2017 SECRETARIA DE GESTÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA S PÚBLICOS PARA PROVIMENTO DE CARGOS EDITAL DE ABERTURA 08/2017 PAULA SCHILD MASCARENHAS, Prefeita Municipal de Pelotas, por meio da Secretaria de Gestão

Leia mais

Instruções para Uso dos Guias e Especificações Técnicas

Instruções para Uso dos Guias e Especificações Técnicas Instruções para Uso dos Guias e Especificações Técnicas 1. Introdução As orientações aqui contidas têm o objetivo de auxiliar a FRANQUEADA na instalação da AGF. Seguindo todas as orientações e tirando

Leia mais

O TÚNEL FAIAL/CORTADO (MADEIRA)

O TÚNEL FAIAL/CORTADO (MADEIRA) O TÚNEL FAIAL/CORTADO (MADEIRA) SRES MADEIRA Eng.º Carlos Bandeira Seminário Gestão da Segurança e da Operação e Manutenção de Redes Rodoviárias e Aeroportuárias I - INTRODUÇÃO A mobilidade das pessoas

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura via física e via digital; III. Memorial de Cálculo de Área Construída e

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE AGRONOMIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE AGRONOMIA UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE AGRONOMIA PROJETO FINAL CURRAL DE MANOBRAS 1000 ANIMAIS Trabalho apresentado como parte dos requisitos

Leia mais

Qualificação Profissional Mínima Exigível aos Engenheiros e outros Técnicos na Atividade da Construção (DECLARAÇÕES)

Qualificação Profissional Mínima Exigível aos Engenheiros e outros Técnicos na Atividade da Construção (DECLARAÇÕES) Qualificação Profissional Mínima Exigível aos Engenheiros e outros Técnicos na Atividade da Construção (DECLARAÇÕES) Lei n.º 40/2015 de 1 de junho Aprova o regime jurídico que estabelece a qualificação

Leia mais

in-placas sinalização fotoluminescente

in-placas sinalização fotoluminescente Rua Silveira Martins, 160-4º andar - sala 08 Sé - São Paulo - SP - CEP 01019-000 e-mail: in.placas@gmail.com tel.: (11) 5082-3705 in-placas sinalização fotoluminescente Personalizadas e Linha 40 cód.

Leia mais

APRESENTAÇÃO PLANICON ENGENHARIA LTDA.

APRESENTAÇÃO PLANICON ENGENHARIA LTDA. APRESENTAÇÃO PLANICON ENGENHARIA LTDA. PROJETO E OBRA INTEGRADOS 1 Principais Projetos Infraestrutura Rodoviária e Ferroviária 1.1 Projetos básico e executivo de viadutos de acesso da BR040/RJ km 114

Leia mais

GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS Sistemas Prediais: (Instalações Elétricas e Hidrossanitárias)

GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS Sistemas Prediais: (Instalações Elétricas e Hidrossanitárias) GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS Sistemas Prediais: (Instalações Elétricas e Hidrossanitárias) AGENDA 1 2 3 Apresentação Palestrante Informações necessárias no projeto Sistemas Prediais: Especialidades 4

Leia mais

Eldorado Business Tower

Eldorado Business Tower Os desafios das soluções de sistemas prediais em edifícios altos: o caso do Eldorado Business Tower Engº.Luis Fernando Ciniello Bueno Gerente Geral de Obras Requisitos do Projeto > Ser Conectável > Ser

Leia mais

APRESENTAÇÃO PLANICON ENGENHARIA LTDA.

APRESENTAÇÃO PLANICON ENGENHARIA LTDA. APRESENTAÇÃO PLANICON ENGENHARIA LTDA. PROJETO E OBRA INTEGRADOS 1 Principais Projetos Saneamento 1.1 Obras do entorno da Usina Hidrelétrica Belo Monte Projeto básico e executivo de obras para atendimento

Leia mais

ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO

ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA Faculdade de Tecnologia e Ciências - FTC Unidade Vitória da Conquista BA Colegiado de Engenharia Civil Prof. Philipe do Prado

Leia mais

ETAPAS DE UMA OBRA. Professora: Mayara Custódio Fonte:

ETAPAS DE UMA OBRA. Professora: Mayara Custódio Fonte: ETAPAS DE UMA OBRA Professora: Mayara Custódio Fonte: www.obraviva.com.br Site desenvolvido por uma família de Conselheiro Lafaiete (MG), com o intuito de explicar detalhadamente as etapas da construção

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DO PROJETO DE UMA ESTRUTURA (ETAPA PRELIMINAR)

DESENVOLVIMENTO DO PROJETO DE UMA ESTRUTURA (ETAPA PRELIMINAR) DESENVOLVIMENTO DO PROJETO DE UMA ESTRUTURA (ETAPA PRELIMINAR) DADOS NECESSÁRIOS PARA DEFINIR O PRODUTO (ESTRUTURA): Projeto Arquitetônico Plantas dos pavimentos tipos/subsolo/cobertura/ático Número de

Leia mais