É T I C A E C O M U N I C A Ç Ã O E M C I Ê N C I A : A I N C E R T E Z A E A C O M P L E X I D A D E

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "É T I C A E C O M U N I C A Ç Ã O E M C I Ê N C I A : A I N C E R T E Z A E A C O M P L E X I D A D E"

Transcrição

1 É T I C A E C O M U N I C A Ç Ã O E M C I Ê N C I A : A I N C E R T E Z A E A C O M P L E X I D A D E Fonte da imagem: Conclusões Mara de Sousa Freitas 6 de abril de 2021 Webinar Ética e Comunicação em Ciência a incerteza e a complexidade A mensagem técnica em modo simples Miguel Castanho A necessidade é a mãe da invenção. Platão 1

2 A mensagem técnica em modo simples Miguel Castanho A cultura científica e o legado perdido; O compromisso de cidadania e o monopólio político; A comunicação de ciência e a sociedade da sedução (Ensaio Sobre A Sociedade Da Sedução de Gilles Lipovetsky) O impulso endógeno, o Marketing, os interesses (conflito?); A comunicação da ciência e a ciência da comunicação (RP); A realidade e a sua representação; a verdade e a ficção (Ceci n est pas une Pipe) A mensagem técnica em modo simples Miguel Castanho A comunicação de ciência em Portugal, reflexões O monopólio da política partidária, a ausência de fundamentos claros, a falta de rigor científico e a sua propagação; O risco da alteração de papéis: os cientistas como sacerdotes, a ciência como religião «temos de confiar, ter fé»; O encanto das boas notícias (a ciência, os factos; a ética e a estética do discurso: o impacto na confiança?); O consequente paternalismo «Épreciso tranquilizar as pessoas» 2

3 A mensagem técnica em modo simples Miguel Castanho A ciência a acontecer ao minuto: entre a realidade e a ficção; O conhecimento/ciência como uma virtude (a excelência moral); A bússola dos cientistas: que orientação (?) A alteração permanente dos factos: ciência ou falta de evidência? A oportunidade para (re)afirmar e promover a cultura científica: perdemos por falta de comparência (responsabilidade, consequências?); A ciência mensagem # Comentário. Webinar Ética e Comunicação em Ciência a incerteza e a complexidade Comunicar o contributo cívico da ciência GRANADO, António; Comunicação de ciência: obrigações éticas. In. NEVES, MCP; CARVALHO, MG - Investigação Científica. Ética aplicada. Edições 70. dezembro d3e 2108 A Relevância e a utilidade pública O que a sociedade precisa saber Charge de 1888 intitulada "Os espíritos diabólicos da imprensa dos dias atuais". Fonte da imagem: 3

4 Comunicar o contributo cívico da ciência As atividades de comunicação do saber científico a diversos públicos = Comunicação de Ciência Cinco condições para a comunicação cientifica: 1. Honestidade; 2. Precisão; 3. Relevância de Processos; 4. Transparência de processos; 5. Especificação da incerteza quanto às conclusões. (KEOHANE, LANE e OPPENHEIMER, 2014) Comunicar o contributo cívico da ciência Os códigos de ética como ferramenta para promover e assegurar a validade e fiabilidade da informação; A reprodutibilidade de resultados como selo de integridade: o impacto sobre a confiança na ciência; A comunicação do risco exige rigor transparência sobre: Clareza sobre o que está em causa; Identificação dos valores e interesses em confronto; Qual o plano para fazer face às dificuldades. 4

5 Comunicar o contributo cívico da ciência Questões éticas de comunicação de ciência Para os Cientistas Comunicação de resultados e comunicações com o público (entrevista, conferência, artigo); A revisão por pares: fiabilidade, independência, interesses, financiamento; A revisão ética em investigação e a precisão dos dados/não omissão; Para os responsáveis de comunicação Os primeiros mediadores entre os cientistas e o público; Valores a respeitar: a integridade, a transparência e a competência. Para os jornalistas Prestação de contas ao público; Código deontológico dos jornalistas: o rigor e a honestidade, a responsabilidade e a lealdade, a não discriminação e o respeito pela privacidade Comunicar o contributo cívico da ciência Ser credível perante a opinião pública: 1. Transmitir com clareza as informações; 2. Explicar as opções em consideração; 3. Mostrar evidência sobre a melhor ciência; 4. Sublinhar que a ciência se baseia num processo constante de procura da verdade, com os melhores métodos disponíveis, a cada momento. 5

6 O que a ciência é? O que a ciência não é? O que pensamos que a ciência é? Uma visão completa da ciência é mais do que qualquer instância particular. Fonte da imagem: É obrigação ética dos cientistas usar os seus conhecimentos para o progresso da sociedade em que vivem e para ajudar a informar corretamente a população sobre as melhores opções a tomar. ANT ÓNIO GRANADO Fonte da imagem: 6

7 Ficha Técnica Criança Geopolítica Assistindo ao Nascimento do Novo Homem Autor: Salvador Dalí Ano: 1943 Técnica: Óleo sobre tela Tamanho: 45,5 cm X 50 cm Movimento: Surrealismo Webinar Ética e Comunicação em Ciência a incerteza e a complexidade A comunicação de ciência, em tempos de incerteza e risco, convoca a imprescindibilidade dos elementos éticos, como estratégia de reforço da confiança, da responsabilidade de cada cidadão e do compromisso social; O conhecimento passou a visar, maioritariamente, a resposta a esse compromisso: a procura de soluções efetivas para as necessidades individuais e coletivas. A ciência e os cientistas foram incitados a trabalhar na renovação e (re)afirmação desse contrato social, da solidariedade e cooperação como «estratégia de sobrevivência»; A pandemia veio lembrar a «influência do homem sobre o homem», e a necessidades desta dever ser mais positiva. O nosso caráter é o resultado da nossa conduta. Aristóteles 7

8 É T I C A E C O M U N I C A Ç Ã O E M C I Ê N C I A : A I N C E R T E Z A E A C O M P L E X I D A D E Conclusões Mara de Sousa Freitas 6 de abril de

APROVADO EM ASSEMBLEIA A 9 DE MARÇO DE 2014 PARTIDO LIVRE

APROVADO EM ASSEMBLEIA A 9 DE MARÇO DE 2014 PARTIDO LIVRE CÓDIGO DE ÉTICA DO LIVRE APROVADO EM ASSEMBLEIA A 9 DE MARÇO DE 2014 PARTIDO LIVRE Preâmbulo O LIVRE é um partido aberto às pessoas, em que se procura a máxima transparência e a partilha de decisões. Isto

Leia mais

RANSP. RÊNCIA Código de conduta da FPC

RANSP. RÊNCIA Código de conduta da FPC RANSP RÊNCIA Código de conduta da FPC Código de Conduta O Código de Conduta da Fundação Portuguesa das Comunicações (FPC) apresenta dois objetivos fundamentais: regular as obrigações de transparência,

Leia mais

FUNDAÇÃO SANTA MARIA DA SILVA CÓDIGO DE CONDUTA. As fundações são instituições privadas sem fins lucrativos que visam contribuir

FUNDAÇÃO SANTA MARIA DA SILVA CÓDIGO DE CONDUTA. As fundações são instituições privadas sem fins lucrativos que visam contribuir FUNDAÇÃO SANTA MARIA DA SILVA CÓDIGO DE CONDUTA As fundações são instituições privadas sem fins lucrativos que visam contribuir para o bem comum, para o desenvolvimento sustentável e para a promoção de

Leia mais

FUNDAÇÃO AGA KHAN PORTUGAL CÓDIGO DE CONDUTA

FUNDAÇÃO AGA KHAN PORTUGAL CÓDIGO DE CONDUTA FUNDAÇÃO AGA KHAN PORTUGAL CÓDIGO DE CONDUTA ÍNDICE 1. Introdução... 3 2. Missão... 3 3. Principais objetivos... 3 4. Legalidade... 4 5. Governação... 4 6. Principais regras de conduta... 4 7. Transparência...

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA CENTRO COMUNITÁRIO IRMANDADE DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DA BATALHA

CÓDIGO DE ÉTICA CENTRO COMUNITÁRIO IRMANDADE DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DA BATALHA CÓDIGO DE ÉTICA CENTRO COMUNITÁRIO IRMANDADE DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DA BATALHA 02-05-2012 1 Introdução... 3 2 Principais objetivos do Código... 3 3 Âmbito de aplicação... 4 4 Legislação e Ética...

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA DA FUNDAÇÃO VISABEIRA INSTITUIÇÃO DE SOLIDARIEDADE SOCIAL CÓDIGO DE CONDUTA

CÓDIGO DE CONDUTA DA FUNDAÇÃO VISABEIRA INSTITUIÇÃO DE SOLIDARIEDADE SOCIAL CÓDIGO DE CONDUTA CÓDIGO DE CONDUTA DA FUNDAÇÃO VISABEIRA INSTITUIÇÃO DE SOLIDARIEDADE SOCIAL (Aprovado em reunião do Conselho de Administração de 28 de Março de 2014) PREÂMBULO As fundações são instituições privadas sem

Leia mais

E NORMAS DE CONDUTA GABINETE DE AUDITORIA INTERNA (GAI)

E NORMAS DE CONDUTA GABINETE DE AUDITORIA INTERNA (GAI) CÓDIGO de ÉTICA E NORMAS DE CONDUTA GABINETE DE AUDITORIA INTERNA (GAI) «Para um serviço de excelência» 2015 INTRODUÇÃO O presente Código de Ética do Gabinete de Auditoria Interna (GAI) da Direção-Geral

Leia mais

Capital Estatuário: ,00 Euros - NUIMPC CÓDIGO DE ÉTICA

Capital Estatuário: ,00 Euros - NUIMPC CÓDIGO DE ÉTICA CÓDIGO DE ÉTICA 1 Índice 1. Introdução... 3 2. Âmbito de aplicação... 3 3. Princípios de actuação da SPMS, EPE... 4 3.1. Legalidade... 4 3.2. Não discriminação, igualdade de tratamento e imparcialidade...

Leia mais

ÍNDICE 01 MENSAGEM DO CEO MISSÃO PRINCIPIOS E VALORES DIREITOS DO COLABORADOR CONDUTA DO COLABORADOR.

ÍNDICE 01 MENSAGEM DO CEO MISSÃO PRINCIPIOS E VALORES DIREITOS DO COLABORADOR CONDUTA DO COLABORADOR. CÓDIGO DE ÉTICA CÓDIGO DE ÉTICA CUTBRIK 2 ÍNDICE 01 MENSAGEM DO CEO 03 02 MISSÃO. 04 03 PRINCIPIOS E VALORES.. 04 04 DIREITOS DO COLABORADOR. 05 05 CONDUTA DO COLABORADOR. 06 06 CONDUTA DO FORNECEDOR..

Leia mais

Código de Ética e Condita do PO CH. Agosto Programa Operacional Capital Humano

Código de Ética e Condita do PO CH. Agosto Programa Operacional Capital Humano Código de Ética e Condita do PO CH Agosto 2015 CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DO PROGRAMA OPERACIONAL CAPITAL HUMANO 1. DEFINIÇÃO O Código de Ética do PO CH é o instrumento no qual se inscrevem os valores e

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA Janeiro de

CÓDIGO DE CONDUTA Janeiro de CÓDIGO DE CONDUTA Janeiro de 2010 1 1. ÂMBITO DE APLICAÇÃO O presente Código de Conduta (a seguir designado por «Código») estabelece linhas de orientação em matéria de ética profissional para todos os

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA FUNDAÇÃO DR. AGOSTINHO ALBANO DE ALMEIDA

CÓDIGO DE CONDUTA FUNDAÇÃO DR. AGOSTINHO ALBANO DE ALMEIDA CÓDIGO DE CONDUTA FUNDAÇÃO DR. AGOSTINHO ALBANO DE ALMEIDA (Aprovado em reunião do Conselho de Administração de 25/06/2014) INTRODUÇÃO A Fundação Dr. Agostinho Albano de Almeida (doravante designada «Fundação»),

Leia mais

Código de Ética. 1 Introdução

Código de Ética. 1 Introdução CÓDIGO DE ÉTICA Código de Ética Ética não é apenas uma questão de conduta. O cumprimento aos seus princípios básicos é de fundamental importância para a boa imagem de quem os pratica e, principalmente,

Leia mais

DECLARAÇÃO SOBRE OS DIREITOS DAS PESSOAS PERTENCENTES A MINORIAS NACIONAIS OU ÉTNICAS, RELIGIOSAS E LINGUÍSTICAS

DECLARAÇÃO SOBRE OS DIREITOS DAS PESSOAS PERTENCENTES A MINORIAS NACIONAIS OU ÉTNICAS, RELIGIOSAS E LINGUÍSTICAS DECLARAÇÃO SOBRE OS DIREITOS DAS PESSOAS PERTENCENTES A MINORIAS NACIONAIS OU ÉTNICAS, RELIGIOSAS E LINGUÍSTICAS Adotada pela Assembleia Geral das Nações Unidas na sua resolução 47/135, de 18 de dezembro

Leia mais

Código de conduta. Aristóteles Ética a Nicómaco

Código de conduta. Aristóteles Ética a Nicómaco Código de conduta Toda a teoria da conduta tem de ser apenas um esquema, e não um sistema exacto ( ) os temas de conduta e comportamento não têm em si nada de fixo e invariável, tal como os temas de saúde.

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA PARCERIAS DE BASE LOCAL POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO SOCIO-ECONÓMICO DA COMUNIDADE LOCAL

CÓDIGO DE CONDUTA PARCERIAS DE BASE LOCAL POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO SOCIO-ECONÓMICO DA COMUNIDADE LOCAL CÓDIGO DE CONDUTA PARCERIAS DE BASE LOCAL POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO SOCIO-ECONÓMICO DA COMUNIDADE LOCAL Índice Enquadramento 3 Relacionamento com Parceiros 4 Relacionamento Institucional com Outras Entidades

Leia mais

Unidade de Recursos Humanos

Unidade de Recursos Humanos 2016 1 CODIGO DE ÉTICA E CONDUTA 2016 INTRODUÇÃO O presente tem como objectivo, não só estar em consonância com a alínea a) do ponto 3 da Recomendação do Conselho de Prevenção da Corrupção de 7 de Novembro

Leia mais

Diretrizes de Conduta Profissional. Diretores e Colaboradores. Sistema ABIMAQ / SINDIMAQ / IPDMAQ

Diretrizes de Conduta Profissional. Diretores e Colaboradores. Sistema ABIMAQ / SINDIMAQ / IPDMAQ Diretrizes de Conduta Profissional Diretores e Colaboradores Sistema ABIMAQ / SINDIMAQ / IPDMAQ 08/10/2010 A. Diretrizes Básicas de Conduta...3 A.1. Conformidade...3 A.2. Respeito à lei...3 A.3. Responsabilidade

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA DOS TRABALHADORES

CÓDIGO DE CONDUTA DOS TRABALHADORES CÓDIGO DE CONDUTA DOS TRABALHADORES DA SECRETARIA-GERAL DO MF Índice Introdução 2 I - Âmbito 3 II Objectivos 3 III - Princípios Gerais 4 IV - Relações Internas e Externas 6 V Vigência, Publicidade e Revisão

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA Introdução O Teatro Nacional D. Maria II é uma entidade pública empresarial, criada pelo Decreto-lei n.º 158/2007, de 27 de Abril, cuja missão é a prestação do serviço público

Leia mais

União Europeia Bruxelas, 25 de novembro de 2015 (OR. en)

União Europeia Bruxelas, 25 de novembro de 2015 (OR. en) Conselho da União Europeia Bruxelas, 25 de novembro de 2015 (OR. en) 14201/15 RECH 278 NOTA de: Comité de Representantes Permanentes (1.ª Parte) para: Conselho n.º doc. ant.: 13930/15 RECH 272 Assunto:

Leia mais

Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo. Código de Ética e Conduta Profissional da CCDR-LVT

Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo. Código de Ética e Conduta Profissional da CCDR-LVT Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo Código de Ética e Conduta Profissional Agosto 2009 Código de Ética e Conduta Profissional Um Código de Ética e Conduta Profissional

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA DA AVALIAÇÃO

CÓDIGO DE ÉTICA DA AVALIAÇÃO CÓDIGO DE ÉTICA DA AVALIAÇÃO 2014 FICHA TÉCNICA Título: Código de Ética da Avaliação Edição: Gabinete de Avaliação e Auditoria Camões, Instituto da Cooperação e da Língua, I.P. Ministério dos Negócios

Leia mais

MANIFESTO PORTUGAL MAIS LIBERAL

MANIFESTO PORTUGAL MAIS LIBERAL MANIFESTO PORTUGAL MAIS LIBERAL Este é o tempo de Portugal aprender com o passado, entender os desafios do presente e, sobretudo, assegurar a evolução que fortaleça a esperança no nosso futuro coletivo

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA DA CRUZ VERMELHA PORTUGUESA

CÓDIGO DE CONDUTA DA CRUZ VERMELHA PORTUGUESA Documento 1 CÓDIGO DE CONDUTA DA CRUZ VERMELHA PORTUGUESA 1 Princípios Fundamentais da Cruz Vermelha Portuguesa. Os princípios fundamentais são o ideário do Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do

Leia mais

Autoria: Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGEstE) Edição: Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGEstE)

Autoria: Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGEstE) Edição: Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGEstE) CÓDIGO DE CONDUTA FICHA TÉCNICA Titulo: Código de Conduta Autoria: () Edição: () Morada: Praça de Alvalade, nº 12 Telefone.: 218 433 900 e-mail: atendiment@dgeste.mec.pt URL: https://www.dgeste.mec.pt

Leia mais

Agrupamento de Escolas Amadeo de Souza-Cardoso

Agrupamento de Escolas Amadeo de Souza-Cardoso ANO LETIVO: 2016/2017 Amadeo de Souza-Cardoso Critérios Gerais de Avaliação do Agrupamento Dando cumprimento ao disposto no Decreto-Lei 139/2012, na sua redação atual, e no Despacho normativo nº 1-F/2016,

Leia mais

Código de Conduta. dos Colaboradores da Fundação Instituto Arquitecto José Marques da Silva

Código de Conduta. dos Colaboradores da Fundação Instituto Arquitecto José Marques da Silva Código de Conduta dos Colaboradores da Fundação Instituto Arquitecto José Marques da Silva Outubro de 2012 1 Índice Introdução 3 Artigo 1º 4 Artigo 2º 4 Artigo 3º. 4 Artigo 4º. 5 Artigo 5º. 5 Artigo 6º.

Leia mais

FUNDAÇÃO ILÍDIO PINHO CÓDIGO CONDUCTA

FUNDAÇÃO ILÍDIO PINHO CÓDIGO CONDUCTA FUNDAÇÃO ILÍDIO PINHO CÓDIGO CONDUCTA ÍNDICE 1 PREÂMBULO 2 ENQUADRAMENTO ESTRATÉGICO 3 OBJETIVOS DO CÓDIGO DE CONDUTA DA FUNDAÇÃO 4 ÂMBITO 5 REGRAS DE CONDUTA E VALORES DEONTOLÓGICOS 5.1 Padrões de comportamento

Leia mais

Normas para fornecedores

Normas para fornecedores Normas para fornecedores Como parte do compromisso contínuo da Arconic com as práticas de negócios éticas e sustentáveis, nos dedicamos a trabalhar em parceria com nossos fornecedores, contratantes e todos

Leia mais

O Código de Ética e Conduta Profissional da ACM(Association for Computing Machinery) Código de Ética da ACM. Código de Ética da ACM

O Código de Ética e Conduta Profissional da ACM(Association for Computing Machinery) Código de Ética da ACM. Código de Ética da ACM Códigos de Ética em Computação O Código de Ética e Conduta Profissional da ACM(Association for Computing Machinery) SCC 207 Computadores e Sociedade I Não há diretrizes específicas para todos os casos

Leia mais

Código de Conduta Operador da Rede Nacional de Transporte de Gás Natural. Edição: 1 Data:

Código de Conduta Operador da Rede Nacional de Transporte de Gás Natural. Edição: 1 Data: Código de Conduta Operador da Rede Nacional de Transporte de Gás Natural Edição: 1 Data: 20.04.2011 O Operador da Rede Nacional de Transporte de Gás Natural é a entidade concessionária da Rede Nacional

Leia mais

PRINCÍPIOS BÁSICOS RELATIVOS À FUNÇÃO DOS ADVOGADOS

PRINCÍPIOS BÁSICOS RELATIVOS À FUNÇÃO DOS ADVOGADOS PRINCÍPIOS BÁSICOS RELATIVOS À FUNÇÃO DOS ADVOGADOS Adotados pelo Oitavo Congresso das Nações Unidas para a Prevenção do Crime e o Tratamento dos Delinquentes, realizado em Havana, Cuba, de 27 de agosto

Leia mais

CIDADANIA... PARA QUÊ?

CIDADANIA... PARA QUÊ? Instituto de Educação Infantil e Juvenil VERÃO, 2018. Londrina, Nome: de Ano: Tempo Início: Término: Total: Edição especial MMXVIII Fase 2 Grupo B CIDADANIA... PARA QUÊ? 1. Vamos ajudar a Marilda a verificar

Leia mais

Senhor Presidente Senhores Deputados Senhores Membros do Governo

Senhor Presidente Senhores Deputados Senhores Membros do Governo DEPUTADO PEDRO GOMES PLURALISMO NA COMUNICAÇÃO SOCIAL INTERVENÇÃO 16ABR2008 A liberdade de imprensa e o pluralismo da comunicação social são elementos constitutivos do Estado de Direito democrático. Verdadeiramente,

Leia mais

A PARTICIPAÇÃO SOCIAL COMO MÉTODO DE GOVERNO

A PARTICIPAÇÃO SOCIAL COMO MÉTODO DE GOVERNO A PARTICIPAÇÃO SOCIAL COMO MÉTODO DE GOVERNO O Processo 2007: Debates e elaborações acerca de um Sistema Nacional de Participação Social; 2011 a 2013: cerca de 45 debates com organizações da sociedade

Leia mais

DOCUMENTO DE GESTÃO Número 007/2019 Conselho de Administração 27 de fevereiro de 2019

DOCUMENTO DE GESTÃO Número 007/2019 Conselho de Administração 27 de fevereiro de 2019 DOCUMENTO DE GESTÃO Número 007/2019 Conselho de Administração 27 de fevereiro de 2019 POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES E DE PORTA-VOZES INTERESSADO Conselho de Administração UNIDADE RESPONSÁVEL Presidência

Leia mais

PROJETO DE PROPOSTA DE RESOLUÇÃO

PROJETO DE PROPOSTA DE RESOLUÇÃO Parlamento Europeu 2014-2019 Documento de sessão 28.5.2015 B8-0000/2015 PROJETO DE PROPOSTA DE RESOLUÇÃO apresentada na sequência da pergunta com pedido de resposta oral B8-xxx/xxxx nos termos do artigo

Leia mais

Código de Ética. Versão resumida para Parceiros e Fornecedores

Código de Ética. Versão resumida para Parceiros e Fornecedores Código de Ética Versão resumida para Parceiros e Fornecedores Apresentação do Código de Ética NOS Para a NOS as questões éticas e deontológicas são fundamentais. O profissionalismo, a integridade e a transparência

Leia mais

CÓDIGO de CONDUTA. Operador da Rede Nacional de Transporte de Energia Eléctrica. Edição: 1 Data:

CÓDIGO de CONDUTA. Operador da Rede Nacional de Transporte de Energia Eléctrica. Edição: 1 Data: CÓDIGO de CONDUTA do Operador da Rede Nacional de Transporte de Energia Eléctrica O Operador da Rede Nacional de Transporte de Energia Eléctrica é a entidade concessionária da Rede Nacional de Transporte

Leia mais

8808/19 hrl/ml 1 TREE.1.B

8808/19 hrl/ml 1 TREE.1.B Conselho da União Europeia Bruxelas, 8 de maio de 2019 (OR. en) 8808/19 AUDIO 71 DIGIT 88 NOTA de: para: n.º doc. ant.: 8769/19 Assunto: Secretariado-Geral do Conselho Comité de Representantes Permanentes/Conselho

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA FUNDO ATIVO DE CAPITAL DE RISCO ANGOLANO (FACRA)

CÓDIGO DE CONDUTA FUNDO ATIVO DE CAPITAL DE RISCO ANGOLANO (FACRA) CÓDIGO DE CONDUTA DO FUNDO ATIVO DE CAPITAL DE RISCO ANGOLANO (FACRA) O FACRA deve apoiar o desenvolvimento de capital de risco em Angola, incentivando e apoiando os empresários, e realizar investimentos

Leia mais

FUNDAÇÃO PORTUGAL ÁFRICA CÓDIGO DE CONDUTA

FUNDAÇÃO PORTUGAL ÁFRICA CÓDIGO DE CONDUTA FUNDAÇÃO PORTUGAL ÁFRICA CÓDIGO DE CONDUTA Introdução A Fundação Portugal África é uma pessoa coletiva de direito privado e fins de utilidade pública que se rege pelos seus estatutos e, em tudo o que neles

Leia mais

Resolução n.º 27/94, de 26 de Agosto

Resolução n.º 27/94, de 26 de Agosto Resolução n.º 27/94, de 26 de Agosto Página 1 de 7 A Administração Pública, no desempenho da sua insubstituível função social, deve, através dos seus trabalhadores, pautar a sua conduta por princípios,

Leia mais

Um guia para o colaborador

Um guia para o colaborador A bússola Geberit Um guia para o colaborador Missão Valores Princípios operacionais Fatores de sucesso O que fazemos O que nos guia Como colaboramos O que determina o nosso sucesso Caros colaboradores

Leia mais

Código de. Conduta ALL ABOUT COMMITMENT _.

Código de. Conduta ALL ABOUT COMMITMENT _. Código de Conduta ALL ABOUT COMMITMENT _ www.arfaiceramics.com Mensagem da Gerência Cada pessoa é deveras importante no cumprimento da missão global da empresa Acredito que o sucesso de uma empresa está

Leia mais

MENSAGENS DE LISBOA 29 de setembro de

MENSAGENS DE LISBOA 29 de setembro de MENSAGENS DE LISBOA 29 de setembro de 2017 QUAL É O FUTURO DA INTERNET? A Internet constitui-se como uma outra dimensão da sociedade, a digital, ou como um outro e novo contexto em que se constrói a sociedade.

Leia mais

Agrupamento de Escolas Piscinas Olivais Escola. Ano letivo 2014 / Planificação de DPS (Desenvolvimento Pessoal e Social)

Agrupamento de Escolas Piscinas Olivais Escola. Ano letivo 2014 / Planificação de DPS (Desenvolvimento Pessoal e Social) Agrupamento de Escolas Piscinas Olivais Escola Ano letivo 2014 / 2015 Planificação de DPS (Desenvolvimento Pessoal e Social) TEMA Sugestões de abordagem Estratégias / Atividades Educação Cívica - A Escola

Leia mais

Documento. Código de Ética Revisão 02. Índice

Documento. Código de Ética Revisão 02. Índice CÓDIGO DE ÉTICA Índice 1. Introdução... 3 1.1. Missão... 3 1.2. Visão... 3 1.3. Lema... 3 1.4. Política da Qualidade... 3 1.5. Atividades desenvolvidas na Instituição... 3 1.5.1. Atividades de Integração

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA

CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA FOR-MAR C E N T R O D E F O R M A Ç Ã O P R O F I S S I O N A L D A S P E S C A S E D O M A R ÍNDICE 01 Objetivos e Âmbito de aplicação do Código de Ética e de Conduta 02 Missão

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA Março 2017 Este código é propriedade da V.S. Serviços Financeiros Ltda. É proibida a cópia, distribuição ou uso indevido deste documento sem expressa autorização da V.S. Serviços

Leia mais

Ano: 2014/2015 Mots croisés 9- Porto Editora Nº de aulas aprox: 64/65

Ano: 2014/2015 Mots croisés 9- Porto Editora Nº de aulas aprox: 64/65 Ano: 2014/2015 Mots croisés 9- Porto Editora Nº de aulas aprox: 64/65 CALENDARIZAÇÃO Competências Áreas temáticas/ Vocabulário Conteúdos morfosintáticos 1. PERÍODO 26 +/27 aulas Compreensão Oral É capaz

Leia mais

12 PRINCÍPIOS PARA O DIÁLOGO INTER-RELIGIOSO A NÍVEL LOCAL

12 PRINCÍPIOS PARA O DIÁLOGO INTER-RELIGIOSO A NÍVEL LOCAL 12 PRINCÍPIOS PARA O DIÁLOGO INTER-RELIGIOSO A NÍVEL LOCAL O CONHECIMENTO E A COMPREENSÃO DA SITUAÇÃO RELIGIOSA LOCAL 01 As autoridades locais são convidadas a tomar consciência do papel que a religião

Leia mais

EDUCAÇÃO E FAMÍLIA. Manuel I. Miguéns

EDUCAÇÃO E FAMÍLIA. Manuel I. Miguéns Nota prévia EDUCAÇÃO E FAMÍLIA Manuel I. Miguéns As sociedades modernas, dominadas por enormes quantidades de informação que circulam ao alcance da mão, marcadas pelas mudanças rápidas e pela complexificação

Leia mais

Código de Conduta do Comercializador de Último Recurso de Gás Natural

Código de Conduta do Comercializador de Último Recurso de Gás Natural Código de Conduta do Comercializador de Último Recurso de Gás Natural A EDP Gás Serviço Universal, na observância dos Valores do Grupo EDP, designadamente de Transparência, Rigor, Integridade, Ética, Confiança,

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA MUNICÍPIO DA POVOAÇÃO

CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA MUNICÍPIO DA POVOAÇÃO CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA MUNICÍPIO DA POVOAÇÃO Índice Preâmbulo... 3 CAPÍTULO I... 3 Disposições gerais... 3 CAPÍTULO II... 4 Princípios Gerais... 4 CAPÍTULO III... 6 Direitos e Deveres... 6 2 Preâmbulo

Leia mais

DEONTOLOGIA POLICIAL. Código Deontológico do Serviço Policial

DEONTOLOGIA POLICIAL. Código Deontológico do Serviço Policial ESCOLA PRÁTICA DE POLÍCIA DEONTOLOGIA POLICIAL 2 - Como zeladores pelo cumprimento da lei, os membros das forças de segurança cultivam e promovem os valores do humanismo, justiça, integridade, honra, dignidade,

Leia mais

PRINCÍPIOS BÁSICOS RELATIVOS À INDEPENDÊNCIA DA MAGISTRATURA. Princípios Básicos Relativos à Independência da Magistratura

PRINCÍPIOS BÁSICOS RELATIVOS À INDEPENDÊNCIA DA MAGISTRATURA. Princípios Básicos Relativos à Independência da Magistratura PRINCÍPIOS BÁSICOS RELATIVOS À INDEPENDÊNCIA DA MAGISTRATURA Adotados pelo Sétimo Congresso das Nações Unidas para a Prevenção do Crime e o Tratamento dos Delinquentes, realizado em Milão de 26 de agosto

Leia mais

Palavras-Chave: Código; Ética. Todos os Profissionais do CHLP

Palavras-Chave: Código; Ética. Todos os Profissionais do CHLP Palavras-Chave: Código; Ética Destinatários Todos os Profissionais do CHLP Elaboração Aprovação Assinatura (s) Responsável (eis) pela Aprovação Conselho de Administração Conselho de Administração Originais

Leia mais

A DEONTOLOGIA NA RADIO

A DEONTOLOGIA NA RADIO Este texto foi traduzido e adaptado pela AD a partir de um documento elaborado por L.P.G. LA NATION, intitulado " O que é a deontologia jornalística", com o objectivo de definir o quadro ético dos profissionais

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA FUNDAÇÃO AURÉLIO AMARO DINIZ. (Aprovado em reunião do Conselho de Administração de 25 de janeiro de ata n.

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA FUNDAÇÃO AURÉLIO AMARO DINIZ. (Aprovado em reunião do Conselho de Administração de 25 de janeiro de ata n. CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA FUNDAÇÃO AURÉLIO AMARO DINIZ (Aprovado em reunião do Conselho de Administração de 25 de janeiro de 2018 - ata n.º 445) Preâmbulo Nos termos do Art.º 7º do Anexo à Lei nº 24/2012,

Leia mais

DE 17 SETEMBRO DE 2019 A 23 JUNHO DE 2020

DE 17 SETEMBRO DE 2019 A 23 JUNHO DE 2020 PORTO DE 17 SETEMBRO DE 2019 A 23 JUNHO DE 2020 CANDIDATURAS ATÉ 9 DE SETEMBRO 1ª EDIÇÃO 2019-20 Para mais informações e inscrições contacte: Liga Portuguesa de Futebol Profissional S: www.ligaportugal.pt

Leia mais

Sonae Sierra Brasil Código de Conduta

Sonae Sierra Brasil Código de Conduta Sonae Sierra Brasil Código de Conduta INTRODUÇÃO O Que é Nosso Código de Conduta? Nosso Código de Conduta estabelece e promove os aspectos fundamentais de comportamento ético que, na opinião da nossa Companhia,

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA. Versão 1.0 Novembro de Centro de Educação Especial de Rio Maior. O Ninho SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

CÓDIGO DE ÉTICA. Versão 1.0 Novembro de Centro de Educação Especial de Rio Maior. O Ninho SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE Centro de Educação Especial de Rio Maior O Ninho SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE CÓDIGO DE ÉTICA Versão 1.0 Novembro de 2011 Aprovado em Reunião da Direção a: _22_ /_11_ /_2011_ Centro de Educação Especial

Leia mais

e capitalização dos projectos gestão projectos Santander, 26 Junho 2009

e capitalização dos projectos gestão projectos Santander, 26 Junho 2009 A comunicação e capitalização dos projectos Seminário gestão projectos Santander, 25-26 26 Junho 2009 IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO Comissão Europeia pede reforço de actividades de comunicação por todos os

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA. Para alcançar este objectivo, uma compilação dos princípios e das regras a seguir continuadamente quer internamente, quer

CÓDIGO DE CONDUTA. Para alcançar este objectivo, uma compilação dos princípios e das regras a seguir continuadamente quer internamente, quer CÓDIGO DE CONDUTA No mundo actual dos negócios reveste-se de particular relevância a ética pessoal e profissional de todos quantos colaboram numa empresa, respeitando, mediante uma adequada conduta, a

Leia mais

O presente Código de Conduta identifica os valores da LusoAtlântica ( LAT ) e consagra as mais relevantes regras de conduta profissional.

O presente Código de Conduta identifica os valores da LusoAtlântica ( LAT ) e consagra as mais relevantes regras de conduta profissional. I. O Código O Código de Conduta (Código) é uma declaração de compromisso de cada um para fazer, em cada momento, o que é certo e se afirmar como um parceiro de confiança. É uma ferramenta para apoiar as

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA DO GABINETE DE PLANEAMENTO E POLÍTICAS

CÓDIGO DE CONDUTA DO GABINETE DE PLANEAMENTO E POLÍTICAS CÓDIGO DE CONDUTA DO GABINETE DE PLANEAMENTO E POLÍTICAS ABRIL 2010 Código de Conduta do GPP 1. Enquadramento 2 2. Princípios gerais 2 2.1. Igualdade de tratamento e não discriminação 2 2.2. Diligência,

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA. Santi, Estevão, Cabrera Advogados

CÓDIGO DE CONDUTA. Santi, Estevão, Cabrera Advogados CÓDIGO DE CONDUTA Santi, Estevão, Cabrera Advogados 1 Código de Conduta Santi, Estevão, Cabrera Advogados 1 MANIFESTAÇÃO DE POSICIONAMENTO O escritório SANTI, ESTEVÃO, CABRERA Advogados ( SEC Advogados

Leia mais

Propostas de alteração do PCP (artigos 4.º e 6.º) ( )

Propostas de alteração do PCP (artigos 4.º e 6.º) ( ) D e CDS-PP do Projeto de do D e CDS/PP ESTABELECE O REGIME JURÍDICO DA COBERTURA JORNALÍSTICA EM PERÍODO ELEITORAL E REGULA A PROPAGANDA ELEITORAL ATRAVÉS DE MEIOS DE LEI QUE DEFINE OS PRINCÍPIOS QUE REGEM

Leia mais

Curso de Formação Intensiva: Comunicação com os media

Curso de Formação Intensiva: Comunicação com os media Curso de Formação Intensiva: Comunicação com os media 1. Objetivos gerais Dar a conhecer as especificidades do contexto mediático português e dotar os participantes de capacidades e competências técnicas

Leia mais

Desafios para a manutenção da qualidade e independência regulatória

Desafios para a manutenção da qualidade e independência regulatória Desafios para a manutenção da qualidade e independência regulatória Dra. Maria Cristina Portugal Presidente da ERSE, Portugal 21 de maio de 2018 ERSE Quem somos Entidade responsável pela regulação dos

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA DA CÂMARA MUNICIPAL DE NORDESTE CAPÍTULO I

CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA DA CÂMARA MUNICIPAL DE NORDESTE CAPÍTULO I CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA DA CÂMARA MUNICIPAL DE NORDESTE O Código de Ética e Conduta profissional é um documento que define os modelos de comportamento a observar pelos profissionais do Município de

Leia mais

BANCO CENTRAL EUROPEU

BANCO CENTRAL EUROPEU PT A presente versão consolidada não oficial do Código de Conduta dos membros do Conselho do BCE destina-se unicamente a fins de informação. B BANCO CENTRAL EUROPEU CÓDIGO DE CONDUTA DOS MEMBROS DO CONSELHO

Leia mais

O Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa Pedro Santana Lopes CÓDIGO DE BOAS PRÁTICAS DOS TRABALHADORES 5

O Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa Pedro Santana Lopes CÓDIGO DE BOAS PRÁTICAS DOS TRABALHADORES 5 Os valores vertidos neste Código devem ser sentidos como princípios a serem incorporados e vividos com convicção por todos os colaboradores, sendo inseparáveis da sua identidade, da sua atividade e da

Leia mais

Relevância de uma associação profissional na defesa do acesso à informação. Alexandra Lourenço

Relevância de uma associação profissional na defesa do acesso à informação. Alexandra Lourenço Relevância de uma associação profissional na defesa do acesso à informação Alexandra Lourenço Transparência Accountability Cidadania Acesso à informação Democracia Acesso à informação Reconhecimento legal

Leia mais

faeces Código de Conduta e Ética

faeces Código de Conduta e Ética Código de Conduta e Ética Índice APRESENTAÇÃO DOS OBJETIVOS DA INTEGRIDADE PROFISSIONAL E PESSOAL DOS DEVERES DA RELAÇÃO COM OS DIRIGENTES, CONSELHEIROS, ESTAGIÁRIOS E EMPREGADOS 03 DA RELAÇÃO COM OS PATROCINADORES

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA DA CAIXA AGRICOLA DE TORRES VEDRAS

CÓDIGO DE CONDUTA DA CAIXA AGRICOLA DE TORRES VEDRAS CÓDIGO DE CONDUTA DA CAIXA AGRICOLA DE TORRES VEDRAS ÍNDICE 1 - PREÂMBULO 2 - ÂMBITO 3 - OBJECTIVOS 4-PRINCÍPIOSGERAIS 4.1 Igualdade de tratamento e não discriminação 4.2 - Profissionalismo, competência

Leia mais

ÁREA DE ESTUDOS E PLANEAMENTO

ÁREA DE ESTUDOS E PLANEAMENTO AEP ÁREA DE ESTUDOS E PLANEAMENTO PROPOSTA DE TRABALHOS 2015 AEP ÁREA DE ESTUDOS E PLANEAMENTO 1 IST, 18 Março 2015 Comemoração dos 20 anos da AEP, 17 junho 2013 ORGANIZAÇÃO 1. MISSÃO, VISÃO 2. VALORES

Leia mais

Intervenção da Direção-Geral do Consumidor no painel A perspetiva das autoridades reguladoras, de supervisão e de apoio ao consumidor

Intervenção da Direção-Geral do Consumidor no painel A perspetiva das autoridades reguladoras, de supervisão e de apoio ao consumidor Intervenção da Direção-Geral do Consumidor no painel A perspetiva das autoridades reguladoras, de supervisão e de apoio ao consumidor Direção-Geral do Consumidor ; Na prossecução da Política de Defesa

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA

CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA 1 Objetivos do Código de Ética A Câmara Municipal de Cascais está motivada em criar todas as condições necessárias para que os seus colaboradores desenvolvam as suas funções

Leia mais

Ética e Conduta Empresarial

Ética e Conduta Empresarial Ética e Conduta Empresarial Revisão 01 02-01-2015 Apreentação O presente documento, Contempla os elementos essenciais que devem estar presentes nas relações da MyMETRO com as diferentes partes interessadas.

Leia mais

O INTERESSE PÚBLICO DA AUDITORIA

O INTERESSE PÚBLICO DA AUDITORIA O INTERESSE PÚBLICO DA AUDITORIA José F.F. Tavares Diretor-Geral do Tribunal de Contas XII Congresso, setembro 2016 1 SUMÁRIO 1. Introdução 2. Gestão pública 3. Sistemas de contabilidade 4. Auditoria 5.

Leia mais

Declaração de Princípios - Declaração de Princípios - Partido Socialista

Declaração de Princípios - Declaração de Princípios - Partido Socialista 1. Partido Socialista é a organização política dos cidadãos portugueses e dos outros cidadãos residentes em Portugal que defendem inequivocamente a democracia e procuram no socialismo democrático a solução

Leia mais

Dicas sobre produção mediática: A produção de uma entrevista para o média escolar

Dicas sobre produção mediática: A produção de uma entrevista para o média escolar Sobre este documento Este documento tem por objetivo dar algumas sugestões e dicas acerca da produção de um trabalho jornalístico, nas suas diferentes fases, tendo em conta o contexto educativo e o enquadramento

Leia mais

Curso de Formação Intensiva: Comunicação com os media

Curso de Formação Intensiva: Comunicação com os media Curso de Formação Intensiva: Comunicação com os media 1. Objetivos gerais Dar a conhecer as especificidades do contexto mediático português e dotar os participantes de capacidades e competências técnicas

Leia mais

ASSEMBLEIA NACIONAL GABINETE DO PRESIDENTE

ASSEMBLEIA NACIONAL GABINETE DO PRESIDENTE ASSEMBLEIA NACIONAL GABINETE DO PRESIDENTE Discurso de S.E o Presidente da Assembleia nacional na abertura do Fórum da CNE subordinado ao tema O Processo Eleitoral e o Papel da Comunicação Social e Jornalistas.

Leia mais

Proposta de Política de Comunicação da Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Proposta de Política de Comunicação da Universidade Tecnológica Federal do Paraná MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ REITORIA Proposta de Política de Comunicação da Universidade Tecnológica Federal do Paraná OBS: Política elaborada pela comissão designada

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE SEGURADORES CÓDIGO DE CONDUTA APS DEZEMBRO 2013 CONDUTA APS DOCUMENTOS A4 SUB TÍTULO DE INSTITUCIONAL

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE SEGURADORES CÓDIGO DE CONDUTA APS DEZEMBRO 2013 CONDUTA APS DOCUMENTOS A4 SUB TÍTULO DE INSTITUCIONAL ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE SEGURADORES CÓDIGO DE CONDUTA APS DEZEMBRO 2013 CÓDIGO LAYOUT GERAL DE INSTITUCIONAL CONDUTA APS DOCUMENTOS A4 SUB TÍTULO No mundo atual dos negócios reveste se de particular relevância

Leia mais