VENEZUELA J U N H O

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "VENEZUELA J U N H O"

Transcrição

1 J U N H O INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES

2 Contexto Económico do País Estrutura Setorial Comércio Internacional, Bilateral com Portugal e Oportunidades Apoio à Internacionalização do GBES: Unidade Internacional Premium Oferta Internacional do GBES Contactos

3 Ambiente de negócios e fatores chave Ambiente de negócios Facilidade de fazer negócios 180/185 (Doing Business 2013 ranking) Protecção dos inve stidores 181/185 Comércio transfronteiriço 166/185 Cumprimento de contratos 80/185 Caracas Liberdade Económica 174/177 (Economic Freedom 2013 ranking) Competitividade 126/144 (Global Competitiveness Index ranking) Requerimentos Bá sicos 126/144 Infraestruturas 120/144 Instituições 144/144 Potenciadores de Eficiência 117/144 Inovação e Sofisticação 135/144 Cosec (Risk group) 7 Classificação de 1 (risco menor) a 7 (risco maior) Standard & Poor s (Rating) (Classificação de AAA (menor risco) a D (risco maior, default)) Dívida longo prazo em moeda local B+ Dívida longo prazo em moeda estrangeira B+ Outlook Estável Capital: Caracas Língua Oficial: espanhol População (Milhões): 29.5 (2012) Área: 916 mil Km 2 Tempo: UTC Moeda: VEF (bolívar forte) Tipo de Governo: República Presidencialista Nº de Estados: 23 Religião: Catolicismo (maioria) Fontes: FMI, Banco Mundial, COSEC, World Economic Forum, Global Heritage. 03

4 Indicadores Macroeconómicos E 2014 E 2015 E PIB Preços correntes EUR mil milhões PIB taxa de crescimento real Percentagem Taxa de Desemprego Percentagem pop. ativa Taxa de Inflação Percentagem Taxa de Câmbio EUR/VEF Balança Corrente Percentagem do PIB E Estimativa. Fontes: FMI, Bloomberg. Saldo Orçamental Percentagem do PIB

5 Síntese económica A economia venezuelana encontra-se bastante centrada na extração, produção e exportação de petróleo. Possui das maiores reservas de petróleo e de gás natural do mundo e, em 2011, foi o 11º maior produtor mundial de petróleo. A Venezuela é também rica em minerais como o ferro, o carvão, o ouro e os diamantes. A evolução do PIB venezuelano apresenta uma forte correlação com os volumes de exportação de petróleo e o seu nível de preço nos mercados internacionais (em 2012, o petróleo representou cerca de 92% do total das exportações venezuelanas de bens). Em 2011, o PIB venezuelano cresceu 4.2%, trajectória que se manteve em 2012, com um crescimento de 5.5%. Para 2013, prevê-se um crescimento de 0.1%. Os E.U.A. são o principal parceiro comercial da Venezuela, concentrando 29% do volume de importações de bens e 48% do volume de exportações de bens realizadas, em Nesse ano, nas importações, bem como nas exportações, a China foi o 2º parceiro comercial. As trocas comerciais de Portugal com a Venezuela têm incrementado nos últimos anos, com grande destaque ao nível das exportações portuguesas (as exportações portuguesas de mercadorias apresentam uma taxa de crescimento médio anual (TCMA), entre 2007 e 2012, de 34.2%). Destacam-se as exportações de Máquinas e equipamentos, de Óleo de soja e de Medicamentos. Fontes: FMI, AICEP, ES Research Research Sectorial. 05

6 Integração Internacional ALADI Associação Latino-Americana de Integração Pretende o estabelecimento, de forma gradual e progressiva, de um mercado latinoamericano, através da aplicação de uma Preferência Tarifária Regional. Integra: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Cuba, Equador, México, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela. BID Banco Inter-Americano de Desenvolvimento Estabelecido em 1959, é a maior fonte de financiamento para o desenvolvimento na América Latina e Caribe, promovendo um programa de reformas que visa aumentar o nível de desenvolvimento da região. MERCOSUL Mercado Comum do Sul Visa promover o progresso económico e social entre os seus membros, através da constituição gradual de um Mercado Comum. São membros fundadores: Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai. Venezuela assinou tratado de adesão e aguarda ratificação. SELA Sistema Económico Latino-Americano e do Caribe Formado por 27 países latino-americanos, visa acelerar o desenvolvimento económico e social dos seus membros através da cooperação intra-regional e do estabelecimento de um sistema permanente de consulta e coordenação em assuntos de natureza económica e social. OEA Organização dos Estados Americanos Constituída em 1948 por 35 nações do continente americano, tem como objeivo promover práticas de boa gestão governamental, fortalecer os direitos humanos, incentivar a paz e segurança, expandir o comércio e encontrar soluções para os problemas provenientes da pobreza. Fontes: AICEP, ES Research - Research Sectorial. 06

7 Contexto Económico do País Estrutura Setorial Comércio Internacional, Bilateral com Portugal e Oportunidades Apoio à Internacionalização do GBES: Unidade Internacional Premium Oferta Internacional do GBES Contactos

8 Estrutura Setorial do PIB Destacado peso do setor petrolífero e da indústria transformadora. Reparticão do PIB por setores (2012) 13.2% Estado 12.3% Atividade extrativa petrolífera 0.5% Minérios 6.8% Serviços comunitários, sociais e pessoais 15.7% Indústria Transformadora 10.9% Serviços Imobiliários de Aluguer 6.2% Instituições Finan. e Seguros 7.5% Comunicações 4.0% Transporte e Armazenamento 2.5% Eletricidade e Água 9.0% Construção 11.2% Comércio e Serviços de reparação Fonte: Banco Central de Venezuela. 08

9 Estrutura setorial da economia (I) O Banco Central de Venezuela tem entre seus principais objetivos, a estabilidade de preços, a estabilidade do valor interno e externo da moeda. A Sudeban Superintendencia de Instituciones del Sector Bancario, é a entidade responsável pela supervisão e controlo da atividade bancária. No final de 2011, existiam 35 Instituições Bancárias no país, dos quais, 20 Bancos Universais, 5 Bancos Comerciais, 6 Bancos de Desarrollo e outros. Eram 25 as instituições de capital privado e representavam 71.3% das instituições do setor (eram 10 as instituições estatais). Maiores bancos a operar na Venezuela, 2012 SISTEMA FINANCEIRO Banco Total de Ativos (USD Mil milhões) Ranking mundial (Tier 1) Mercantil Servicios Financieros BBVA Banco Provincial 16.6 FO Banesco Banco Universal Banco Occidental de Descuento Banco de Venezuela Banco Bicentenario Fontes: Mercantil Servicios Financeiros, EIU, Banco Central de Venezuela, The Banker, World Economic Forum. FO (Foreign Owned): Este banco tem uma presença significativa na Colômbia mas consolida na casa mãe. 09

10 Estrutura setorial da economia (II) A economia venezuelana encontra-se bastante centrada na extração, produção e exportação de petróleo, estando a evolução do PIB do país bastante correlacionada com os volumes de exportação de petróleo e o seu nível de preço nos mercados internacionais. Em 2011, o petróleo representou cerca de 97% do valor das exportações venezuelanas de bens, tendo a economia apresentado um crescimento de 4.2%. PIB a preços correntes e exportações de petróleo, E SETOR PETROLÍFERO (I) PIB venezuelano (USD mil milhões) Escala esquerda Exportações petróleo (USD mil milhões) Escala direita E E E Fontes: FMI, BP Statistics, UNComtrade. E Estimativas. 010

11 Estrutura setorial da economia (III) A Venezuela foi um dos membros fundadores da OPEC e é um importante player mundial no setor. Possui das maiores reservas de petróleo e gás natural do mundo. Em 2011, a Venezuela foi o 11º maior produtor mundial de petróleo e é um dos principais fornecedores de petróleo aos E.U.A., tendo também incrementado as relações comerciais de fornecimento de petróleo com a China. Produção de petróleo (Top 15 de países), 2011 (Milhões de barris) R/P 1 (top 5) (Anos) SETOR PETROLÍFERO (II) º maior produtor do rank ing mundial Médio Oriente América do Norte África Mundo Canadá >100 Venezuela >100 Arábia Saudita Rússia E.U.A. Irão China Canadá E.A.U. México Kuwait Iraque Venezuela Nigéria Brasil Noruega Casaquistão Kuwait Irão EAU Fontes: BP Statistics, AICEP. 1 Reserves-to-production ratio: nº de anos que durarão as reservas petrolíferas conhecidas, face ao actual volume de exploração. 011

12 Estrutura setorial da economia (IV) O turismo é um importante setor da economia venezuelana possuindo o país diversas potencialidades na área turística (geografia bastante variada, com praias, planícies e montanhas), algumas com necessidades de investimentos em infra-estruturas (como o turismo de negócios). Em 2012, o setor do turismo representou directamente, 3.1% do PIB venezuelano, e indirectamente, 8.6% do PIB. O continente sul americano foi o principal mercado emissor, representando em 2010, 34.2% do visitantes. No entanto, o número de turistas que visitam a Venezuela, cerca de 400 mil em 2010, é bastante inferior ao número de turistas venezuelanos, que ascenderam a 1.3 milhões, nesse ano. TURISMO Contribuição directa no PIB do setor do turismo, 2012 Turistas internacionais, (Milhares) Ranking País Mundial (USD mil milhões) (% do PIB) 5 Brasil México Média Mundial Venezuela Chile Perú Costa Rica Cuba Fontes: World Tourism Organization, World Travel & Tourism Council (WTTC), Ministerio del Poder Popular para el Turismo. 012

13 Contexto Económico do País Estrutura Setorial Comércio Internacional, Bilateral com Portugal e Oportunidades Apoio à Internacionalização do GBES: Unidade Internacional Premium Oferta Internacional do GBES Contactos

14 Comércio Internacional Parceiros Importações da Venezuela por país, 2012 Exportações da Venezuela por país, 2012 Ranking País 2012 (EUR Milhões) Share (%) TCMA (%) Ranking País 2012 (EUR Milhões) Share (%) TCMA (%) 1 E. U. A E. U. A China China Reino Unido Índia Brasil Singapura Colômbia Espanha Argentina República Dominicana México Brasil Espanha Malásia Itália Reino Unido Peru Alemanha Portugal Portugal Fonte: UNComtrade (mirror data). 14

15 Comércio Internacional Mercadorias importadas e exportadas (Mundo) Top 10 das importações venezuelanas, 2012 Top 10 das exportações venezuelanas, 2012 Produtos (N.C. 4) 2012 (EUR Milhões) Share (%) TCMA (%) Produtos (N.C. 4) 2012 (EUR Milhões) Share (%) TCMA (%) Óleos de petróleo ou de minerais betuminosos Óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos Medicamentos Óleos de petróleo ou de minerais betuminosos Partes e acessórios para tratores, autocarros, automóveis de passageiros, veículos automóveis para transporte de mercadorias Aparelhos elétricos para telefonia ou telegrafia, por fios, incluídos os aparelhos telefónicos por fio Minérios de ferro e seus concentrados, incluídas as pirites de ferro ustuladas (cinzas de pirites) Produtos ferrosos obtidos por redução directa dos minérios de ferro e outros produtos ferrosos Éteres, éteres-álcoois, éteres-fenóis, éteresálcoois-fenóis, peróxidos de álcoois Álcoois acíclicos e seus derivados halogenados, sulfonados, nitrados ou nitrosados Máquinas e aparelhos de terraplanagem, nivelamento, raspagem, escavação, compactação Coque de petróleo, betume de petróleo e outros resíduos dos óleos de petróleo ou de minerais betuminosos n. a Grupos eletrogéneos e conversores rotativos, elétricos Adubos (fertilizantes) minerais ou químicos, azotados (nitrogenados) Leite e nata, concentrados ou adicionados de açúcar ou de outros edulcorantes Ferro-ligas Milho Alumínio em formas brutas Animais vivos da espécie bovina Fonte: UNComtrade Amoníaco anidro ou em solução aquosa (amónia)

16 Comércio Internacional Relações bilaterais com Portugal (I) Balança de mercadorias e serviços de Portugal com a Venezuela, 2007, 2011 e 2012 (EUR milhões) Taxa de Crescimento Médio Anual (TCMA) TCMA das exportações = 34.2% TCMA das importações = 54.3% Saldo excedentário EUR 340 milhões Em 2012, 298 sociedades exportavam mercadorias para a Venezuela 19º (share: 0.7%) 35º (share: 0.3%) 522 Exportações Serviços (40%) 29% Importações Merc. (60%) Serviços (9%) Merc. (91%) Em 2011, 231 sociedades exportavam mercadorias para a Venezuela Exportações de mercadorias e serviços Importações de mercadorias e serviços Ranking e share enquanto cliente e fornecedor de Portugal (mercadorias) Fontes:INE, Banco de Portugal. 16

17 Comércio Internacional Relações bilaterais (mercadorias) com Portugal (II) Top 10 das importações portuguesas da Venezuela, 2012 Top 10 das exportações portuguesas para a Venezuela, 2012 Produtos (N.C. 4) Óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos Produtos ferrosos obtidos por redução directa dos minérios de ferro e outros produtos ferrosos esponjosos Recipientes para gases comprimidos ou liquefeitos, de ferro fundido, ferro ou aço 2012 (EUR Milhões) Share (%) n.d n.d n.d Ferro-ligas n.d Produtos de tabaco, manufaturados, incluídos seus sucedâneos manufaturados (excepto charutos, cigarrilhos e cigarros) TCMA (%) Produtos (N.C. 4) Transformadores elétricos, conversores eléctricos estáticos (por exemplo: rectificadores) e bobinas de reactância e de auto-indução Construções e suas partes (pontes e elementos de pontes, comportas, torres, pórticos, pilares colunas, portas e janelas) Refrigeradores, congeladores (freezers) e outro material, máquinas e aparelhos para a produção de frio, com equipamento elétrico Máquinas automáticas para processamento de dados e suas unidades; leitores magnéticos ou ópticos, máquinas para registar dados 2012 (EUR Milhões) Share (%) TCMA (%) n.d Medicamentos Chumbo, em formas brutas n.d Óleo de soja e suas fracções, mesmo refinados, mas não químicamente modificados n.d Álcool etílico não desnaturado, com um teor alcoólico em volume < 80% vol; aguardentes, licores e outras bebidas espirituosas Vidro "flotado" e vidro desbastado ou polido numa ou em ambas as faces, em chapas ou em folhas, mesmo com camada absorvente Máquinas e aparelhos para seleccionar, peneirar, separar, lavar, esmagar, moer, misturar ou amassar terras, pedras, minérios Preparações e conservas, de peixes; caviar e seus sucedâneos preparados a partir de ovas de peixe Caixas de fundição; placas de fundo para moldes; modelos para moldes n.d Carnes de animais da espécie suína frescas, refrigeradas ou congeladas n.d Preparações para molhos e molhos preparados; condimentos e temperos compostos; farinha de mostarda e mostarda preparada Móveis e suas partes, não especificadas nem compreendidas noutras posições Fonte: UNComtrade. 17

18 Oportunidades de exportação de mercadorias (I) Conjunto de produtos (mercadorias) identificadas como necessidades (importações venezuelanas, com capacidade portuguesa de produção e exportação, representando oportunidades para aumentar o volume de exportações portuguesas para a Venezuela. Top 10 das Oportunidades de exportação para a Venezuela Inseticidas, rodenticidas, fungicidas, herbicidas, inibidores de germinação e reguladores de crescimento para plantas, desinfectantes e produtos semelhantes Mobiliário para medicina, cirurgia, odontologia ou veterinária; cadeiras para salões de cabeleireiro e cadeiras semelhantes, com dispositivos de orientação ou de elevação Construções pré-fabricadas, mesmo incompletas ou ainda não montadas Legumes de vagem, secos, em grão, mesmo pelados ou partidos Instrumentos e aparelhos para medicina, cirurgia, odontologia e veterinária, incluídos os aparelhos de cintilografia e outros aparelhos eletromédicos Açúcares de cana ou de beterraba e sacarose quimicamente pura, no estado sólido Quadros, painéis, consolas, cabinas, armários e outros suportes, para comando elétrico ou distribuição de energia elétrica, incluídos os que incorporam instrumentos Motores e geradores, elétricos (exceto os grupos eletrogéneos) Máquinas e aparelhos para colheita ou debulha de produtos agrícolas, incluídas as enfardadeiras de palha ou forragem; cortadores de relva e ceifeiras Reagentes de diagnóstico ou de laboratório em qualquer suporte e reagentes de diagnóstico ou de laboratório preparados, mesmo apresentados num suporte Fontes: UNComtrade, OCDE, ES Research - Research Sectorial. 18

19 Oportunidades de exportação de mercadorias (II) Top 10 das Oportunidades de exportação para a Venezuela (Valores e ranking das importações venezuelanas mundiais) Produtos (N.C. 4) Instrumentos e aparelhos para medicina, cirurgia, odontologia e veterinária, incluídos os aparelhos de cintilografia e outros aparelhos eletromédicos Máquinas e aparelhos para colheita ou debulha de produtos agrícolas, incluídas as enfardadeiras de palha ou forragem; cortadores de relva e ceifeiras Reagentes de diagnóstico ou de laboratório em qualquer suporte e reagentes de diagnóstico ou de laboratório preparados, mesmo apresentados num suporte 2006 (EUR Milhões) 2011 (EUR Milhões) TCMA (%) Rank 2011 Share (%) Motores e geradores, elétricos (exceto os grupos eletrogéneos) Quadros, painéis, consolas, cabinas, armários e outros suportes, para comando elétrico ou distribuição de energia elétrica, incluídos os que incorporam instrumentos Açúcares de cana ou de beterraba e sacarose químicamente pura, no estado sólido Construções pré-fabricadas, mesmo incompletas ou ainda não montadas Mobiliário para medicina, cirurgia, odontologia ou veterinária; cadeiras para salões de cabeleiro e cadeiras semelhantes, com dispositivos de orientação ou de elevação Inseticidas, rodenticidas, fungicidas, herbicidas, inibidores de germinação e reguladores de crescimento para plantas, desinfetantes e produtos semelhantes Legumes de vagem, secos, em grão, mesmo pelados ou partidos Fontes: UNComtrade, OCDE, ES Research - Research Sectorial. 19

20 Oportunidades de exportação de mercadorias (III) Nuvem de Oportunidades de exportação para a Venezuela Máquina e aparelhos Máquinas e aparelhos de uso agrícola, hortícola ou florestal, para preparação ou trabalho do solo ou para cultura Aparelhos mecânicos, mesmo manuais, para projetar, dispersar ou pulverizar líquidos ou pós; extintores, mesmo carregados Máquinas para limpeza, seleção ou peneiração de grãos ou de produtos hortícolas secos; máquinas e aparelhos para a indústria de moagem Máquinas e aparelhos para trabalho da pasta de papel, do papel ou do cartão, incluídas as cortadeiras de todo os tipos, e suas partes Partes reconhecíveis como exclusiva ou principalmente destinadas a motores e geradores elétricos, grupos eletrogéneos e conversores rotativos elétricos Ferro e Cobre Barras de ferro ou aço não ligado, simplesmente forjadas, laminadas, estiradas ou extrudadas, a quente, incluídas as que tenham sido submetidas a torção após laminagem Obras de vidro, não especificadas nem compreendidas noutras posições Fogões de sala (aquecedores de ambiente), caldeiras de fornalha, fogões de cozinha, incluídos os que possam ser utilizados acessoriamente no aquecimento central Cordas, cabos, entrançados, lingas e artefactos semelhantes, de ferro ou aço (exceto produtos isolados para usos elétricos, assim como, rede retorcida e arame Telas metálicas, incluídas as telas contínuas ou sem fim, grades e redes, de fios de ferro ou aço Veículos e embarcações Bicicletas e outros ciclos, incluídos os triciclos, sem motor Partes e acessórios de motocicletas, bicicletas e outros ciclos e de cadeiras de rodas e outros veículos para inválidos Iates e outros barcos e embarcações de recreio ou de desporto; barcos a remos e canoas Obras de pedra e produtos cerâmicos Pedras naturais de cantaria ou de construção (exceto de ardósia) trabalhadas e obras destas pedras Abrasivos naturais ou artificiais, em pó ou em grãos, aplicados sobre matérias têxteis, papel, cartão ou outras matérias Ladrilhos e placas (lajes), para pavimentação ou revestimento, não vidrados nem esmaltados, de cerâmica Pias, lavatórios, colunas para lavatórios, banheiras, bidés, sanitários, reservatórios de autoclismos Outros Calçado com sola exterior e parte superior de borracha ou plástico Mobiliário para medicina, cirurgia, odontologia ou veterinária (por exemplo: mesas de operação, mesas de exames) Camiseiros (camisas), blusas, blusas-camiseiros, de uso feminino (excepto de malha, assim como, camisolas interiores) 20

21 Contexto Económico do País Estrutura Setorial torial Comércio Internacional, Bilateral com Portugal e Oportunidades Apoio à Internacionalização do GBES: Unidade Internacional Premium Oferta Internacional do GBES Contactos

22 Apoio à Internacionalização do GBES (I) O BES é o banco nacional com maior presença internacional e com a melhor oferta internacional: pelo 7º ano consecutivo foi galardoado com o prémio The Best Trade Finance Bank. Espanha: Sucursal Reino Unido: Sucursal BES e BESI França: Subsidiária BES Vénétie Luxemburgo: Sucursal Itália: Banco delle Tre Venezie Polónia: Subsidiária BES e BESI Triângulo Estratégico: África -Brasil Península Ibérica E.U.A. Nova Iorque: Sucursal BES e BESI Miami: Subsidiária ES Bank of Florida, México: Escritório de representação BES e BESI Venezuela: Sucursal China: Escritório de representação Hong Kong: Subsidiária BESI Macau: Subsidiária BES Oriente Mumbai: BESI Brasil: Subsidiária BESI Cabo Verde: BES Cabo Verde Marrocos: Banque Marocaine du Commerce Extérieur Argélia: Banque Extérieur d'algérie Líbia: Subsidiária Aman Bank África do Sul: Escritório de representação BES Angola: Subsidiária BES Angola Moçambique: Moza Banco 22

23 Apoio à Internacionalização do GBES (II) A Sucursal da Venezuela tem o objetivo de ser o principal Banco da comunidade portuguesa residente na Venezuela, garantindo um adequado apoio às empresas portuguesas com negócios no país e às empresa venezuelanas com negócios em Portugal. Sucursal do BES na Venezuela a funcionar desde Janeiro de 2012 como Banco Universal, com uma Agência em Caracas para o público em geral e áreas dedicadas para Empresas e Banca Privada. Mercado bastante importante, onde a Comunidade Portuguesa representa mais de 500 mil residentes na Venezuela, sendo os luso descendentes uma parte muito significativa. Sendo um Banco Universal, apresenta um grande enfoque e apoio à comunidade portuguesa quer ao nível dos Clientes particulares como das empresas portuguesas com negócios e interesses no país, para além das empresas venezuelanas com negócios em Portugal. Ampla oferta de produtos e serviços disponíveis: Gestão do quotidiano (contas DO e depósitos a prazo) e internet banking em implementação; Componente transacional no mercado doméstico (cheques, cartões e transferências); Gestão de Tesouraria e produtos cambiais locais; Produtos de crédito adequados ao mercado local. 23

24 Apoio à Internacionalização do GBES (III) A Unidade Internacional Premium (UIP) oferece serviços especializados de apoio às empresas portuguesas na exportação e/ou investimento direto nos mercados internacionais, dando resposta às mais diversas solicitações nas diferentes geografias. Dispõe de cinco Desks Internacionais, geograficamente especializados, compostos por experientes gestores multiespecialistas. Mercados Maduros & China Europa de Leste, Ásia & Médio Oriente América Latina Norte de África & Turquia África 24

25 Contexto Económico do País Estrutura Setorial Comércio Internacional, Bilateral com Portugal e Oportunidades Apoio à Internacionalização do GBES: Unidade Internacional Premium Oferta Internacional do GBES Contactos

26 Oferta Internacional do GBES Uma Oferta Global e Inovadora no Apoio à Internacionalização das Empresas Portuguesas ES Research: Informação de Mercados Banca de Investimento Grupo Multipessoal Estudos macro-económicos; Estudos setoriais; Market research. Project Finance; M&A; Corporate Finance. Recrutamento de quadros especializados (M Search); Outsourcing, trabalho temporário, formação e consultoria com presença em Angola e Espanha. Banca Comercial Capital de Risco Tranquilidade Business Development; Apoio na Abertura de Conta / KYC; Apoio controlo/centralização de tesouraria; Cobertura de Risco Cambial; Apoio à Exportação/Importação; Trade Finance; Financiamento ao Importador; Garantias Bancárias / Stand By Letter of Credit. Factoring internacional - acordo com a Eurofactor para uso da respectiva cobertura europeia; Apoio na procura de parceiros de negócio. Apoio como parceiro de projectos de internacionalização; ES Ventures; ES Capital; 2bCapital; Espírito Santo Rockefeller Global Energy Fund. Seguros de transporte internacional. 26

27 Contexto Económico do País Estrutura Setorial Comércio Internacional, Bilateral com Portugal e Oportunidades Apoio à Internacionalização do GBES: Unidade Internacional Premium Oferta Internacional do GBES Contactos

28 Unidade Internacional Premium Diretor Coordenador Ricardo Bastos Salgado Diretor Coordenador Miguel Frasquilho Marta Mariz Directora de Negócio Internacional e Instituições Financeiras Francisco Mendes Palma Head Sectoral Strategist Susana Barros Luís Ribeiro Rosa Desk América Latina Pedro Silva Nuno Ferreira Negócio Internacional Research Sectorial Paulo Talhão Paulino Conceição Leitão João Pereira Miguel Isabel Linhares Cotta Sílvia Vieira da Silva Instituições Financeiras Patrícia Agostinho Salvador Salazar Leite Miguel Bidarra José Manuel Botelho Celina Luís Disclaimer O estudo foi realizado pelo Espírito Santo Research - Research Sectorial com um objetivo meramente informativo. Todo o seu conteúdo é baseado em informação disponível ao público e obtida a partir de diversas fontes, incluindo meios de informação especializados, fontes oficiais e outras consideradas credíveis. Contudo, o Espírito Santo Research - Research Sectorial não garante a sua exatidão ou integralidade. As opiniões expressas nesta apresentação referem-se apenas ao momento presente e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio. As informações e opiniões apresentadas não constituem nenhuma recomendação de investimento. O Espírito Santo Research Research Sectorial não aceita nenhum tipo de responsabilidade sobre quaisquer perdas ou danos provenientes da utilização desta apresentação. As opiniões emitidas não vinculam o BES, não podendo o BES, por isso, ser responsabilizado, em qualquer circunstância e por qualquer forma, por erros, omissões ou inexatidões da informação constante neste documento ou que resultem do uso dado a essa informação. A reprodução de parte ou totalidade desta publicação é permitida, desde que a fonte seja expressamente mencionada. 28

VENEZUELA N O V E M B R O INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES

VENEZUELA N O V E M B R O INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES N O V E M B R O 2 0 1 3 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES Contexto Económico do País Estrutura Setorial Comércio Internacional, Bilateral com Portugal e Oportunidades Apoio à Internacionalização

Leia mais

Líbia Oportunidades de exportação

Líbia Oportunidades de exportação Líbia Oportunidades de exportação Research Sectorial Fórum Missão Exportar 11 de Dezembro de 2008 Top 10 exportações de mercadorias portuguesas, 2008 E (% total) Obras de ferro fundido, ferro ou aço 2.9%

Leia mais

VENEZUELA J U L H O

VENEZUELA J U L H O J U L H O 2 0 1 4 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES Contexto Económico do País Estrutura Setorial Comércio Internacional, Bilateral com Portugal e Oportunidades Apoio à Internacionalização do

Leia mais

VENEZUELA N O V E M B R O INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES

VENEZUELA N O V E M B R O INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES N O V E M B R O 2 0 1 2 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES Contexto Económico do País Estrutura Sectorial Comércio Internacional, Bilateral com Portugal e Oportunidades Apoio à Internacionalização

Leia mais

Angola Oportunidades de exportação

Angola Oportunidades de exportação Angola Oportunidades de exportação Research Sectorial Fórum Missão Exportar 11 de Dezembro de 2008 Top 10 exportações de mercadorias portuguesas, 2008 E (% total) Obras de ferro fundido, ferro ou aço 2.9%

Leia mais

Argélia Oportunidades de exportação

Argélia Oportunidades de exportação Argélia Oportunidades de exportação Research Sectorial Fórum Missão Exportar 11 de Dezembro de 2008 Top 10 exportações de mercadorias portuguesas, 2008 E (% total) Obras de ferro fundido, ferro ou aço

Leia mais

Brasil Oportunidades de exportação

Brasil Oportunidades de exportação Brasil Oportunidades de exportação Research Sectorial Fórum Missão Exportar 11 de Dezembro de 2008 Top 10 exportações de mercadorias portuguesas, 2008 E (% total) Obras de ferro fundido, ferro ou aço 2.9%

Leia mais

África do Sul Oportunidades de exportação

África do Sul Oportunidades de exportação África do Sul Oportunidades de exportação Research Sectorial Fórum Missão Exportar 11 de Dezembro de 2008 Top 10 exportações de mercadorias portuguesas, 2008 E (% total) Obras de ferro fundido, ferro ou

Leia mais

Moçambique Oportunidades de exportação

Moçambique Oportunidades de exportação Moçambique Oportunidades de exportação Research Sectorial Fórum Missão Exportar 11 de Dezembro de 2008 Top 10 exportações de mercadorias portuguesas, 2008 E (% total) Obras de ferro fundido, ferro ou aço

Leia mais

VENEZUELA J U N H O

VENEZUELA J U N H O J U N H O 2 0 1 2 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES Contexto Económico do País Estrutura Sectorial Comércio Internacional, Bilateral com Portugal e Oportunidades Apoio à Internacionalização do

Leia mais

China Oportunidades de exportação

China Oportunidades de exportação China Oportunidades de exportação Research Sectorial Fórum Missão Exportar 11 de Dezembro de 2008 Top 10 exportações de mercadorias portuguesas, 2008 E (% total) Obras de ferro fundido, ferro ou aço 2.9%

Leia mais

Portugal: Estatísticas de Relacionamento Económico com a Argélia

Portugal: Estatísticas de Relacionamento Económico com a Argélia Balança Comercial de Bens de Portugal com a Argélia Var % 17/13 a Var % 18/17 b Exportações 527,4 588,1 565,5 463,2 295,4-11,7 67,6 69,5 2,8 Importações 400,7 712,3 566,2 373,8 313,4 1,8 41,8 165,0 295,2

Leia mais

Emiratos Árabes Unidos Oportunidades de exportação

Emiratos Árabes Unidos Oportunidades de exportação Emiratos Árabes Unidos Oportunidades de exportação Research Sectorial Fórum Missão Exportar 11 de Dezembro de 2008 Top 10 exportações de mercadorias portuguesas, 2008 E (% total) Obras de ferro fundido,

Leia mais

Nigéria - Caracterização Sócio Económico

Nigéria - Caracterização Sócio Económico Caracterização Sócio Económica Nigéria Maio 2009 Nigéria - Caracterização Sócio Económico A. Ficha Perfil Nigéria B. Contexto Social C. Enquadramento Económico D. Relações Comerciais Internacionais E.

Leia mais

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO PARANÁ - FIEP Edson Campagnolo Presidente ECONOMIA, DESENVOLVIMENTO E FOMENTO

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO PARANÁ - FIEP Edson Campagnolo Presidente ECONOMIA, DESENVOLVIMENTO E FOMENTO FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO PARANÁ - FIEP Edson Campagnolo Presidente Marcelo Ivanildo dos Santos Alves Evânio Felippe Paola Castro de Oliveira CONTATOS Economia, Desenvolvimento e Fomento (41)

Leia mais

Agricultura em Portugal Apontamentos e Tendências

Agricultura em Portugal Apontamentos e Tendências Soluções BES Agricultura Agricultura em Portugal Apontamentos e Tendências Francisco Mendes Palma a csco e des a a Évora, Outubro 2012 Agricultura em Portugal 1. Cruzamento estratégico 2. Sector primário

Leia mais

Risco do país: C (AAA = risco menor; D = risco maior)

Risco do país: C (AAA = risco menor; D = risco maior) Informação Geral sobre a Líbia Área (km 2 ): 1 759 540 Primeiro-Ministro: Fayez al-sarraj População (milhões hab.): 6,2 (estimativa ) Risco de crédito: 7 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital: Tripoli

Leia mais

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO PARANÁ - FIEP Edson Campagnolo Presidente. SUPERINTENDÊNCIA DA FIEP Reinaldo Victor Tockus Superintendente

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO PARANÁ - FIEP Edson Campagnolo Presidente. SUPERINTENDÊNCIA DA FIEP Reinaldo Victor Tockus Superintendente FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO PARANÁ - FIEP Edson Campagnolo Presidente SUPERINTENDÊNCIA DA FIEP Reinaldo Victor Tockus Superintendente Marcelo Antonio Percicotti da Silva Gerente EQUIPE TÉCNICA:

Leia mais

Risco do país: CC (AAA = risco menor; D = risco maior)

Risco do país: CC (AAA = risco menor; D = risco maior) Informação Geral sobre a Argentina Área (km 2 ): 2 737 000 Vice-presidente: Amado Boudou População (milhões hab.): 42,7 (estimativa 2014) Risco de crédito: 7 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital:

Leia mais

Índia. Um parceiro a Privilegiar? Oportunidades de exportação.

Índia. Um parceiro a Privilegiar? Oportunidades de exportação. Research Sectorial Índia. Um parceiro a Privilegiar? Oportunidades de exportação. Francisco Mendes Palma IV Conferência Risco País COFACE 26 de Novembro de 2008 Índia - Dados Económicos 2007/8 E PIB (tvr,

Leia mais

Risco do país: C (AAA = risco menor; D = risco maior) Chefe de Estado: Fayez al-sarraj Tx. câmbio: 1 EUR = 1,53938 LYD (final de setembro 2016)

Risco do país: C (AAA = risco menor; D = risco maior) Chefe de Estado: Fayez al-sarraj Tx. câmbio: 1 EUR = 1,53938 LYD (final de setembro 2016) Informação Geral sobre a Líbia Área (km 2 ): 1 759 540 Primeiro-Ministro: Fayez al-sarraj População (milhões hab.): 6,3 (estimativa, FMI) Risco de crédito: 7 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital:

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A NORUEGA

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A NORUEGA BALANÇA 2010 2011 COMERCIAL Janeiro Janeiro 10/11 Exportações 110.358 102.076 109.757 84.033 82.639-6,3 7.679 7.339-4,4 Importações 690.390 691.848 695.311 587.216 529.486-6,2 46.491 23.918-48,6 Saldo

Leia mais

Venezuela Oportunidades de exportação

Venezuela Oportunidades de exportação Venezuela Oportunidades de exportação Research Sectorial Fórum Missão Exportar 11 de Dezembro de 2008 Top 10 exportações de mercadorias portuguesas, 2008 E (% total) Obras de ferro fundido, ferro ou aço

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM O BRASIL

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM O BRASIL Exportações 254.642 258.186 319.807 294.500 440.817 16,8 49,7 Importações 1.232.969 1.381.192 1.363.316 887.528 1.046.727-1,6 17,9 Saldo -978.327-1.123.006-1.043.509-593.028-605.910 -- -- Coeficiente de

Leia mais

Geografia. O Comércio Exterior do Brasil. Professor Luciano Teixeira.

Geografia. O Comércio Exterior do Brasil. Professor Luciano Teixeira. Geografia O Comércio Exterior do Brasil Professor Luciano Teixeira www.acasadoconcurseiro.com.br Geografia O BRASIL NO COMÉRCIO EXTERIOR O comércio exterior é a troca de bens e serviços realizada entre

Leia mais

Acontecimentos Recentes. Indicadores Econômicos

Acontecimentos Recentes. Indicadores Econômicos Nome Oficial: República do Chile Capital: Santiago Presidente: Sebastian Piñera(desde março de 2018) População (est. 2017): 18,4 milhões de habitantes Moeda: Peso chileno PIB (est. 2017): US$ 251,2 bilhões

Leia mais

Panamá - Síntese País

Panamá - Síntese País Informação Geral sobre o Panamá Área (km 2 ): 75 517 Vice-Presidente: Isabel Saint Malo de Alvarado População (milhões hab.): 4,1 (estimativa FMI 2017) Risco de crédito: 3 (1 = risco menor; 7 = risco maior)

Leia mais

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO PARANÁ - FIEP Edson Campagnolo. OBSERVATÓRIO SISTEMA FIEP Marília De Souza

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO PARANÁ - FIEP Edson Campagnolo. OBSERVATÓRIO SISTEMA FIEP Marília De Souza FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO PARANÁ - FIEP Edson Campagnolo OBSERVATÓRIO SISTEMA FIEP Marília De Souza Geraldo Morceli Bolzani Junior Marcelo Ivanildo dos Santos Alves Evânio Felippe Thiago Ramos

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES CATARINENSES 1

BALANÇA COMERCIAL EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES CATARINENSES 1 BALANÇA COMERCIAL DE SC BALANÇA COMERCIAL EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES CATARINENSES 1 EXPORTAÇÕES CATARINENSES - NOVEMBRO/2015 As exportações catarinenses cresceram 7,12 no mês de novembro de 2015 em relação

Leia mais

PARAGUAI Comércio Exterior

PARAGUAI Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC PARAGUAI Comércio Exterior Agosto de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

URUGUAI Comércio Exterior

URUGUAI Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC URUGUAI Comércio Exterior Agosto de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Argélia - Síntese País

Argélia - Síntese País Informação Geral sobre a Argélia Área (km 2 ): 2 381 741 Primeiro-Ministro: Ahmed Ouyahia População (milhões hab.): 41,2 (janeiro ) Risco de crédito: 4 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital: Argel

Leia mais

EXPORTAÇÕES CATARINENSES - JULHO/2016

EXPORTAÇÕES CATARINENSES - JULHO/2016 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES EXPORTAÇÕES CATARINENSES - As exportações catarinenses diminuiram 1,5 no mês de julho de 2016 em relação a junho, totalizando US$ 658.228.265. Obtivemos uma participação

Leia mais

México J U N H O

México J U N H O México J U N H O 2 0 1 3 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES Contexto Económico do País Estrutura Setorial Comércio Internacional, Bilateral com Portugal e Oportunidades Apoio à Internacionalização

Leia mais

Paraguai - Síntese País

Paraguai - Síntese País Informação Geral sobre o Paraguai Área (km 2 ): 406 752 Risco de crédito: 5 (1 = risco menor; 7 = risco maior) População (milhões hab.): 6,8 ( 2016, estimativa FMI) Risco do país: BB (AAA = risco menor;

Leia mais

Comércio Externo de Bens (10 9 USD) 1 000,0 3,0 2013b 2014b 2015c 2016c 2017c 2,5 Crescimento real do PIB 1,2 0,5 1,3 2,0 2,6 n.d.

Comércio Externo de Bens (10 9 USD) 1 000,0 3,0 2013b 2014b 2015c 2016c 2017c 2,5 Crescimento real do PIB 1,2 0,5 1,3 2,0 2,6 n.d. Informação Geral sobre Cabo Verde Área (km 2 ): 4 033 Primeiro-Ministro: José Maria Neves População: 538 535 (estimativa 2014) Risco de crédito: 6 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital: Praia Unidade

Leia mais

Risco do país: B (AAA = risco menor; D = risco maior) Chefe de Estado: José Eduardo dos Santos Tx. Câmbio: 1 EUR = 117,8535 AOA (janeiro 2015)

Risco do país: B (AAA = risco menor; D = risco maior) Chefe de Estado: José Eduardo dos Santos Tx. Câmbio: 1 EUR = 117,8535 AOA (janeiro 2015) Informação Geral sobre Angola Área (km 2 ): 1 246 700 Vice-Presidente: Manuel Vicente População (milhões hab.): 22,1 (estimativa ) Risco de crédito: 5 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital: Luanda

Leia mais

TIMOR-LESTE N O V E M B R O INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES

TIMOR-LESTE N O V E M B R O INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES TIMOR-LESTE N O V E M B R O 2 0 1 3 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES Contexto Económico do País Estrutura Setorial Comércio Internacional, Bilateral com Portugal e Oportunidades Apoios à Internacionalização:

Leia mais

EMIRADOS ÁRABES UNIDOS

EMIRADOS ÁRABES UNIDOS Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC EMIRADOS ÁRABES UNIDOS Balança Comercial com o Brasil e com o mundo

Leia mais

México - Síntese País

México - Síntese País Informação Geral sobre o México Área (km 2 ): 1 964 375 Risco de crédito: 3 (1 = risco menor; 7 = risco maior) População (milhões hab.): 129,2 (Estimativa ) Risco do país: BBB (AAA = risco menor; D = risco

Leia mais

MÉXICO. Estados Unidos Mexicanos. Cidade do México. Chefe de Estado e de Governo. Enrique Peña Nieto. Área (Km2)

MÉXICO. Estados Unidos Mexicanos. Cidade do México. Chefe de Estado e de Governo. Enrique Peña Nieto. Área (Km2) Estados Unidos Mexicanos Capital Língua oficial Chefe de Estado e de Governo Cidade do México Castelhano Enrique Peña Nieto Área (Km2) 1 964 375 População (2015) Moeda Taxa de Câmbio (Média Set. 2016)

Leia mais

ISRAEL. Balança Comercial com o Brasil e com o mundo

ISRAEL. Balança Comercial com o Brasil e com o mundo Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC ISRAEL Balança Comercial com o Brasil e com o mundo Maio de 2018

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES CATARINENSES 1

BALANÇA COMERCIAL EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES CATARINENSES 1 BALANÇA COMERCIAL DE SC BALANÇA COMERCIAL EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES CATARINENSES 1 EXPORTAÇÕES CATARINENSES - As exportações catarinenses declinaram 29,7 no mês de janeiro de 2016 em relação a dezembro,

Leia mais

800,0 600,0. Principais Produtos Exportados Principais Produtos Importados

800,0 600,0. Principais Produtos Exportados Principais Produtos Importados Informação Geral sobre Itália Área (km 2 ): 301 333 Primeiro-Ministro: Matteo Renzi População (milhões hab.): 61,1 (estimativa ) Risco de crédito: (*) Capital: Roma Risco do país: BB (AAA = risco menor,

Leia mais

EXPORTAÇÕES CATARINENSES - JUNHO/2016

EXPORTAÇÕES CATARINENSES - JUNHO/2016 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES EXPORTAÇÕES CATARINENSES - As exportações catarinenses diminuiram 3,6 no mês de junho de 2016 em relação a maio, totalizando US$ 668.061.551. Obtivemos uma participação

Leia mais

EGITO Comércio Exterior

EGITO Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC EGITO Comércio Exterior Junho de 2014 Índice. Dados Básicos. Principais

Leia mais

Fevereiro 2015 São Paulo, 19 de Março de 2015 FEVERE REIRO REGISTRA O MENOR VALOR PARA AS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DESDE JANEIRO DE 2010.

Fevereiro 2015 São Paulo, 19 de Março de 2015 FEVERE REIRO REGISTRA O MENOR VALOR PARA AS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DESDE JANEIRO DE 2010. Fevereiro 2015 São Paulo, 19 de Março de 2015 FEVERE REIRO REGISTRA O MENOR VALOR PARA AS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DESDE JANEIRO DE 2010. Em fevereiro de 2015 as exportações brasileiras somaram US$ 12,1

Leia mais

Risco do país: B (AAA = risco míminimo; D = risco máximo) Chefe de Estado: Vladimir Putin Tx. câmbio (média): 1 EUR = 75,0459 RUB (janeiro 2015)

Risco do país: B (AAA = risco míminimo; D = risco máximo) Chefe de Estado: Vladimir Putin Tx. câmbio (média): 1 EUR = 75,0459 RUB (janeiro 2015) Informação Geral sobre a Rússia Área (km 2 ): 17 075 400 Primeiro-Ministro: Dmitry Medvedev População (milhões hab.): 142,3 (estimativa 2014) Risco de crédito: 4 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital:

Leia mais

Risco do país: D (A1 = risco menor; D = risco maior) Chefe de Estado: Bounnhang Vorachith Tx. câmbio (fim do período): 1 EUR = K (2015)

Risco do país: D (A1 = risco menor; D = risco maior) Chefe de Estado: Bounnhang Vorachith Tx. câmbio (fim do período): 1 EUR = K (2015) Informação Geral sobre o Laos Área (km 2 ): 236 800 Primeiro-Ministro: Thongloun Sisoulith População (milhões hab.): 7,0 (estimativa 2015) Risco de crédito: 7 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital:

Leia mais

Argélia - Síntese País

Argélia - Síntese País Informação Geral sobre a Argélia Área (km 2 ): 2 381 741 Primeiro-Ministro: Abdelmalek Sellal População (milhões hab.): 40,4 (janeiro 2016) Risco de crédito: 3 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital:

Leia mais

México - Síntese País

México - Síntese País México - Síntese País Informação Geral sobre o México Área (km 2 ): 1 964 375 Risco de crédito: 3 (1 = risco menor; 7 = risco maior) População (milhões hab.): 129,2 (Estimativa 2017) Risco do país: BBB

Leia mais

Botswana - Síntese País

Botswana - Síntese País Informação Geral sobre o Botswana Área (km 2 ): 581 730 Vice-Presidente: Ponatshego Kedikilwe População (milhões hab.): 2,26 (2015) Risco de crédito: 2 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital: Gaborone

Leia mais

COLÔMBIA M A I O

COLÔMBIA M A I O M A I O 2 0 1 4 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES Contexto Económico do País Estrutura Setorial Comércio Internacional, Bilateral com Portugal e Oportunidades Apoios à Internacionalização: Unidade

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A GUINÉ-BISSAU

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A GUINÉ-BISSAU BALANÇA COMERCIAL 2005 2006 2007 2008 Var % a 05/09 Var % b 09/10 Exportações 24.078 27.067 34.532 40.401 33.466 10,0 27.576 34.044 23,5 Importações 996 1.164 508 580 1.376 27,9 1.254 314-75,0 Saldo 23.081

Leia mais

EXPORTAÇÕES CATARINENSES - MARÇO/2016

EXPORTAÇÕES CATARINENSES - MARÇO/2016 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES MAR/2016 EXPORTAÇÕES CATARINENSES - As exportações catarinenses cresceram 16,4 no mês de março de 2016 em relação a fevereiro, totalizando US$ 633.694.574. Obtivemos

Leia mais

Turquemenistão - Síntese País

Turquemenistão - Síntese País Informação Geral sobre o Turquemenistão Área (km 2 ): 488 100 Risco de crédito: 6 (1 = risco menor; 7 = risco maior) População (milhões hab.): 5,4 () Risco do país: CCC (AAA = risco menor; D = risco maior)

Leia mais

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO PARANÁ - FIEP Edson Campagnolo Presidente. SUPERINTENDÊNCIA DA FIEP Reinaldo Victor Tockus Superintendente

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO PARANÁ - FIEP Edson Campagnolo Presidente. SUPERINTENDÊNCIA DA FIEP Reinaldo Victor Tockus Superintendente FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO PARANÁ - FIEP Edson Campagnolo Presidente SUPERINTENDÊNCIA DA FIEP Reinaldo Victor Tockus Superintendente Marcelo Antonio Percicotti da Silva Gerente EQUIPE TÉCNICA:

Leia mais

Panamá - Síntese País

Panamá - Síntese País Informação Geral sobre o Panamá Área (km 2 ): 75 517 Vice-Presidente: Isabel Saint Malo de Alvarado População (milhões hab.): 4,1 (estimativa ) Risco de crédito: 3 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital:

Leia mais

MÉXICO J U N H O 2 0 1 4

MÉXICO J U N H O 2 0 1 4 J U N H O 2 0 1 4 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES Contexto Económico do País Estrutura Setorial Comércio Internacional, Bilateral com Portugal e Oportunidades Apoio à Internacionalização do

Leia mais

EXPORTAÇÕES CATARINENSES - FEVEREIRO/2016

EXPORTAÇÕES CATARINENSES - FEVEREIRO/2016 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES FEV/2016 EXPORTAÇÕES CATARINENSES - FEVEREIRO/2016 As exportações catarinenses cresceram 32,5 no mês de fevereiro de 2016 em relação a janeiro, totalizando US$ 544.767.677.

Leia mais

Jamaica - Síntese País

Jamaica - Síntese País Informação Geral sobre a Jamaica Área (km 2 ): 10 991 Primeiro-Ministro: Andrew Holness População (milhões hab.): 2,8 (estimativa 2016) Risco de crédito: 7 (1 = risco menor; 7 = risco maior Capital: Kingston

Leia mais

PERU J U N H O INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES

PERU J U N H O INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES J U N H O 2 0 1 3 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES Contexto Económico do País Estrutura Setorial Comércio Internacional, Bilateral com Portugal e Oportunidades Apoios à Internacionalização: Unidade

Leia mais

Marrocos - Síntese País

Marrocos - Síntese País Informação Geral sobre Marrocos Área (km 2 ): 710 850 Primeiro-Ministro: Saad Eddine El Othmani População: 35,3 milhões (estimativa 2016) Risco de crédito: 3 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital:

Leia mais

Macau (China) - Síntese País

Macau (China) - Síntese País Informação Geral sobre Macau Área (km 2 ): 29,2 Chefe do Executivo: Fernando Chui População (milhares hab.): 643 (estimativa ) Risco de crédito: 2 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital: Cidade de

Leia mais

EXPORTAÇÕES CATARINENSES JANEIRO/2017

EXPORTAÇÕES CATARINENSES JANEIRO/2017 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES EXPORTAÇÕES CATARINENSES As exportações catarinenses declinaram 21,7 no mês de janeiro de 2017 em relação a dezembro de 2016, totalizando US$ 564.227.428. Obtivemos

Leia mais

Logística em Angola. Comércio Bilateral Liliana Louro 23 Março 2016

Logística em Angola. Comércio Bilateral Liliana Louro 23 Março 2016 Logística em Angola Comércio Bilateral Liliana Louro 23 Março 2016 Grupo Bureau Veritas A nossa identidade : Uma Empresa Global 66.500 Colaboradores 1.400 Escritórios e Laboratórios em 140 países Europa

Leia mais

Angola. Oportunidades de exportação de mercadorias. Clube PME Internacional. Francisco Mendes Palma Espírito Santo Research Sectorial Maio 2009

Angola. Oportunidades de exportação de mercadorias. Clube PME Internacional. Francisco Mendes Palma Espírito Santo Research Sectorial Maio 2009 Angola Oportunidades de exportação de mercadorias Clube PME Internacional Francisco Mendes Palma Espírito Santo Research Sectorial Maio 2009 Angola - Oportunidades de exportação I - A economia angolana

Leia mais

Risco do país: BBB (A = risco menor; D = risco maior)

Risco do país: BBB (A = risco menor; D = risco maior) Informação Geral sobre o Peru Área (km 2 ): 1 285 216 Primeiro-Ministro: Fernando Zavala População (milhões hab.): 31,5 (estimativa ) Risco de crédito: 3 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital: Lima

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES CATARINENSES 1

BALANÇA COMERCIAL EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES CATARINENSES 1 BALANÇA COMERCIAL DE SC BALANÇA COMERCIAL EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES CATARINENSES 1 EXPORTAÇÕES CATARINENSES - OUTUBRO/2015 As exportações catarinenses declinaram 8,58 no mês de outubro de 2015 em relação

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Fevereiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Fevereiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Fevereiro 2014 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM FEVEREIRO Exportações As exportações registraram queda, mesmo com o efeito favorável do

Leia mais

Hungria - Síntese País

Hungria - Síntese País Informação Geral sobre a Hungria Área (km 2 ): 93 030 Primeiro-Ministro: Viktor Orban População (milhões hab.): 9,7 (estimativa ) Risco de crédito: (*) Capital: Budapeste Risco do país: BB (AAA = risco

Leia mais

Iraque - Síntese País

Iraque - Síntese País Informação Geral sobre o Iraque Área (km 2 ): 441 839 População (milhões hab.): 35,161 (estimativa ) Primeiro-Ministro: Haider al-abadi Risco de crédito: Fora de cobertura Risco do país: CCC (AAA = risco

Leia mais

LÍBANO Comércio Exterior

LÍBANO Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC LÍBANO Comércio Exterior Junho de 2014 Índice. Dados Básicos. Principais

Leia mais

REDUÇÃO DAS IMPORTAÇÕES ASSEGURA SUPERÁVIT DA BALANÇA COMERCIAL EM 2015

REDUÇÃO DAS IMPORTAÇÕES ASSEGURA SUPERÁVIT DA BALANÇA COMERCIAL EM 2015 São Paulo, 05 de fevereiro de 2016 Dezembro 2015 REDUÇÃO DAS IMPORTAÇÕES ASSEGURA SUPERÁVIT DA BALANÇA COMERCIAL EM 2015 A balança comercial brasileira encerrou o ano de 2015 com um superávit de US$ 19,7

Leia mais

Argentina - Síntese País

Argentina - Síntese País Informação Geral sobre a Argentina Área (km 2 ): 2 737 000 Vice-presidente: Gabriela Michetti População (milhões hab.): 43,8 (estimativa ) Risco de crédito: 6 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital:

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Setembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Setembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Setembro 2015 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM SETEMBRO Exportações Houve contabilização como exportação de uma plataforma de petróleo e

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 13,4 BILHÕES EM 2015

BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 13,4 BILHÕES EM 2015 São Paulo, 18 de dezembro de 2015 Novembro 2015 BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 13,4 BILHÕES EM 2015 Em novembro, a corrente de comércio brasileira totalizou US$ 335,3 bilhões, o que significou

Leia mais

BRASIL - LÍBANO RELAÇÕES COMERCIAIS

BRASIL - LÍBANO RELAÇÕES COMERCIAIS Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC BRASIL - LÍBANO RELAÇÕES COMERCIAIS Foto: shutterstock.com INVEST

Leia mais

Portugal: Estatísticas de Relacionamento Económico com o Equador

Portugal: Estatísticas de Relacionamento Económico com o Equador Balança Comercial de Bens de Portugal com o Equador 16/12 a b Exportações 13,7 21,5 16,8 17,0 9,6-1,7 3,3 7,9 140,0 Importações 12,7 16,5 14,4 14,1 18,5 11,7 8,4 12,8 52,4 Saldo 1,0 4,9 2,4 2,9-8,8 --

Leia mais

Risco do país: BBB (A = risco menor; D = risco maior) Chefe de Estado: Pedro Pablo Kuczynski Tx. câmbio: 1 EUR = 3,8307 PEN (fim de agosto 2017)

Risco do país: BBB (A = risco menor; D = risco maior) Chefe de Estado: Pedro Pablo Kuczynski Tx. câmbio: 1 EUR = 3,8307 PEN (fim de agosto 2017) Informação Geral sobre o Peru Área (km 2 ): 1 285 216 Primeiro-Ministro: Fernando Zavala População (milhões hab.): 31,5 (estimativa 2016) Risco de crédito: 3 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital:

Leia mais

Paraguai - Síntese País

Paraguai - Síntese País Informação Geral sobre o Paraguai Área (km 2 ): 406 752 Risco de crédito: 5 (1 = risco menor; 7 = risco maior) População (milhões hab.): 6,9 ( 2017, estimativa FMI) Risco do país: BB (AAA = risco menor;

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES CATARINENSES 1

BALANÇA COMERCIAL EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES CATARINENSES 1 BALANÇA COMERCIAL DE SC BALANÇA COMERCIAL EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES CATARINENSES 1 EXPORTAÇÕES CATARINENSES - SETEMBRO/2015 As exportações catarinenses declinaram 6,23 no mês de setembro de 2015 em relação

Leia mais

Marrocos - Síntese País

Marrocos - Síntese País Informação Geral sobre Marrocos Área (km 2 ): 710 850 Primeiro-Ministro: Saad Eddine El Othmani População: 35,7 milhões (estimativa ) Risco de crédito: 3 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital: Rabat

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM O MÉXICO

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM O MÉXICO PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM O MÉXICO COMÉRCIO DE BENS BALANÇA COMERCIAL 2005 2006 2007 2008 2009 2010 Exportações 86.252 139.320 120.078 222.472 203.638 405.623 Importações 256.206 261.236 225.481

Leia mais

Grécia - Síntese País

Grécia - Síntese País Informação Geral sobre a Grécia Área (km 2 ): 131 957 Primeiro-Ministro: Alexis Tsipras População (milhões hab.): 10,9 Risco de crédito: (*) Capital: Atenas Risco do país: CCC (AAA = risco menor, D = risco

Leia mais

Equador - Síntese País

Equador - Síntese País Informação Geral sobre o Equador Área (km 2 ): 276 840 Vice-Presidente: Jorge Glas População (milhões hab.): 16,5 () Risco de crédito: 6 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital: Quito Risco do país:

Leia mais

Guiné Equatorial - Síntese País

Guiné Equatorial - Síntese País Informação Geral sobre a Guiné Equatorial Área (km 2 ): 28 051 População (mil hab.): 820,9 (2014) Capital: Malabo Língua oficial: Espanhol, Francês e Português Chefe de Estado: Teodoro Obiang Nguema Mbasogo

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES CATARINENSES 1

BALANÇA COMERCIAL EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES CATARINENSES 1 BALANÇA COMERCIAL DE SC BALANÇA COMERCIAL EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES CATARINENSES 1 EXPORTAÇÕES CATARINENSES - As exportações catarinenses declinaram 7,44 no mês de agosto de 2015 em relação a julho, totalizando

Leia mais

Argentina - Síntese País

Argentina - Síntese País Informação Geral sobre a Argentina Área (km 2 ): 2 737 000 Vice-presidente: Gabriela Michetti População (milhões hab.): 43,6 (estimativa ) Risco de crédito: 7 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital:

Leia mais

Abril 2015 São Paulo, 19 de maio de 2015 BALANÇA COMERCIAL REGISTRA NOVO SUPERÁVIT EM ABRIL

Abril 2015 São Paulo, 19 de maio de 2015 BALANÇA COMERCIAL REGISTRA NOVO SUPERÁVIT EM ABRIL Abril 2015 São Paulo, 19 de maio de 2015 BALANÇA COMERCIAL REGISTRA NOVO SUPERÁVIT EM ABRIL A balança comercial brasileira registou superávit de pouco mais de US$ 500 milhões em abril, próximo ao resultado

Leia mais

Rússia - Síntese País

Rússia - Síntese País Informação Geral sobre a Rússia Área (km 2 ): 17 075 400 Primeiro-Ministro: Dmitry Medvedev População (milhões hab.): 147 () Risco de crédito: 4 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital: Moscovo Risco

Leia mais

Espanha - Síntese País

Espanha - Síntese País Informação Geral sobre Espanha Área (km 2 ): 504 880 Primeiro-Ministro: Mariano Rajoy População (milhões hab.): 46,4 (estimativa ) Risco de crédito: (*) Capital: Madrid Risco do país: BBB (AAA=risco menor;

Leia mais

África do Sul - Síntese País

África do Sul - Síntese País Informação Geral sobre a África do Sul Área (km 2 ): 1 219 090 Vice-Presidente: Cyril Ramaphosa População (milhões hab.): 56 () Risco de crédito: 4 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital: Pretória

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A HOLANDA

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A HOLANDA Var % a Expedições 1.331.620 1.324.196 1.277.000 1.147.102 1.400.821 2,0 22,1 Chegadas 2.683.100 2.838.406 3.025.235 2.812.231 2.928.279 2,4 4,1 Saldo -1.351.480-1.514.210-1.748.235-1.665.129-1.527.459

Leia mais

Estónia - Síntese País

Estónia - Síntese País Informação Geral sobre a Estónia Área (km 2 ): 45 277 Primeiro-Ministro: Juri Ratas População (milhões hab.): 1,3 () Risco de crédito: (*) Capital: Tallinn Risco do país: A (AAA=risco menor; D=risco maior)

Leia mais

RESEARCH SETORIAL BRASIL NOVEMBRO 2014 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES

RESEARCH SETORIAL BRASIL NOVEMBRO 2014 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES RESEARCH SETORIAL BRASIL NOVEMBRO 2014 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES RESEARCH SETORIAL Contexto Económico do País Estrutura Setorial Comércio Internacional, Bilateral com Portugal e Oportunidades

Leia mais

Abril , , , ,2

Abril , , , ,2 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA ABRIL 2010 US$ milhões FOB EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Período Dias Valor Média Valor Média Valor Média Valor Média Úteis p/dia útil p/dia útil p/dia útil p/dia

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Junho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Junho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Junho 2014 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JUNHO Exportações A forte redução no mês foi causada pela contabilização como exportação da

Leia mais

CRESCEM AS EXPORTAÇÕES DE MANUFATURADOS PARA OS ESTADOS UNIDOS EM 2015

CRESCEM AS EXPORTAÇÕES DE MANUFATURADOS PARA OS ESTADOS UNIDOS EM 2015 São Paulo, 30 de novembro de 2015 Outubro 2015 CRESCEM AS EXPORTAÇÕES DE MANUFATURADOS PARA OS ESTADOS UNIDOS EM 2015 Em outubro, a corrente de comércio alcançou valor de US$ 30,1 bilhões, o que significou

Leia mais

Canadá - Síntese País e Relacionamento Bilateral

Canadá - Síntese País e Relacionamento Bilateral Informação Geral sobre o Canadá Área (km 2 ): 9 093 507 Primeiro-Ministro: Stephen Harper População (milhões hab.): 35,2 () Risco de crédito: (*) Capital: Ottawa Risco do país: A1 (A1 = risco menor; D

Leia mais