FUNDO DE INVESTIMENTO VOTORANTIM SOBERANO REFERENCIADO DI

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FUNDO DE INVESTIMENTO VOTORANTIM SOBERANO REFERENCIADO DI"

Transcrição

1 FUNDO DE INVESTIMENTO VOTORANTIM SOBERANO REFERENCIADO DI CNPJ/MF Nº / Capítulo I Da Constituição e das Características Artigo 1º - O FUNDO DE INVESTIMENTO VOTORANTIM SOBERANO REFERENCIADO DI, doravante denominado abreviadamente FUNDO, constituído sob a forma de condomínio aberto, com prazo indeterminado de duração, destinado à captação de recursos junto a investidores em geral, é regido por este Regulamento e pelas disposições legais aplicáveis. Artigo 2º - O FUNDO é destinado a investidores que procurem fundos de investimento que se utilizem de títulos públicos federais (na modalidade de compra final e/ou operações compromissadas), e que visem o acompanhamento, no longo prazo, da taxa DI over, apurada com base nas operações de emissão de depósitos interfinanceiros pré-fixados, pactuados por um dia e registrados na CETIP Câmara de Custódia e Liquidação, e divulgada pela ANDIMA - Resenha Diária da Associação Nacional das Instituições do Mercado Financeiro ( Taxa DI ). Artigo 3º - As aplicações efetuadas no FUNDO estarão sujeitas à incidência de Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro, ou relativas a Títulos e Valores Mobiliários IOF e de Imposto de Renda Retido na Fonte IRRF, na forma da legislação em vigor. Parágrafo Primeiro - Caso o condômino resgate sua aplicação no prazo de 01 a 29 dias a contar da aplicação, o rendimento bruto da referida aplicação estará sujeito à incidência de IOF, de acordo com a tabela decrescente fixada pela

2 Secretaria da Receita Federal do Brasil. Nos casos de resgate a partir do 30º dia a contar da respectiva aplicação, o condômino estará isento desse tributo. Parágrafo Segundo - INCIDIRÁ SOBRE O GANHO NOMINAL DA APLICAÇÃO IMPOSTO DE RENDA À ALÍQUOTA DETERMINADA PELA REGULAMENTAÇÃO EM VIGOR, QUE VARIA DE 15% (QUINZE POR CENTO) A 22,5% (VINTE E DOIS VÍRGULA CINCO POR CENTO), CONSIDERANDO O PRAZO MÉDIO DA CARTEIRA DO FUNDO, CALCULADO SEGUNDO AS REGRAS ESTABELECIDAS PELA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL, E, ADICIONALMENTE, O PERÍODO DE PERMANÊNCIA DO COTISTA NO FUNDO. Parágrafo Terceiro - ESTE FUNDO BUSCA MANTER UMA CARTEIRA DE ATIVOS COM PRAZO MÉDIO SUPERIOR A 365 DIAS, O QUE PODE LEVAR A UMA MAIOR OSCILAÇÃO NO VALOR DA COTA SE COMPARADA À DE FUNDOS SIMILARES COM PRAZO INFERIOR. O TRATAMENTO TRIBUTÁRIO APLICÁVEL AO INVESTIDOR DESTE FUNDO DEPENDE DO PERÍODO DE APLICAÇÃO DO INVESTIDOR BEM COMO DA MANUTENÇÃO DE UMA CARTEIRA DE ATIVOS COM PRAZO MÉDIO SUPERIOR A 365 DIAS. NÃO HÁ GARANTIA DE QUE O FUNDO TERÁ O TRATAMENTO TRIBUTÁRIO PARA FUNDOS DE LONGO PRAZO. Capítulo II Da Administração e Custódia Artigo 4º - O FUNDO é administrado e gerido pela Votorantim Asset Management D.T.V.M. Ltda., instituição devidamente autorizada pela Comissão de Valores Mobiliários ( CVM ) para o exercício da atividade de administração de carteira de valores mobiliários, com sede na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Avenida das Nações Unidas, , Torre A, 7º andar, inscrito no CNPJ/MF nº / , doravante denominada abreviadamente ADMINISTRADOR. Parágrafo Primeiro Os ativos que comporão a carteira do FUNDO serão custodiados pelo CITIBANK DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS S.A., instituição financeira devidamente credenciada pela

3 Comissão de Valores Mobiliários, com sede na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Av. Paulista, 1111, 2º andar, inscrita no CNPJ/MF nº / Parágrafo Segundo - Os serviços de auditoria independente serão prestados ao FUNDO pela PriceWaterhouseCoopers Auditores Independentes, observadas as normas que disciplinam o exercício dessa atividade. Artigo 5º - O ADMINISTRADOR, observadas as limitações deste Regulamento, tem poderes para exercer todos os atos necessários à administração do FUNDO, bem assim para exercer todos os direitos inerentes aos ativos financeiros e às modalidades operacionais que integrem a carteira do FUNDO, inclusive o de ação e o de comparecer e votar em assembléias gerais e especiais. Parágrafo Primeiro - Fica estabelecido que o ADMINISTRADOR deste Fundo, na qualidade de GESTOR, adota Política de Exercício de Direito de Voto em Assembléias, que disciplina os princípios gerais, o processo decisório e quais as matérias relevantes obrigatórias para os exercícios do direito de voto pelo gestor do Fundo em assembléias de sociedades nas quais o Fundo participe. Tal política orienta as decisões do gestor em assembléias de detentores de títulos e valores mobiliários que confiram aos seus titulares o direito de voto. Parágrafo Segundo - A Política de Exercício de Direito de Voto adotada pelo ADMINISTRADOR, cuja cópia é entregue ao cotista no momento de seu ingresso no FUNDO, foi registrada na Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais ANBIMA e está divulgada no sítio do ADMINISTRADOR na rede mundial de computadores (internet) ( Artigo 6º - Compete ao ADMINISTRADOR, na qualidade de representante do FUNDO, efetuar a contratação da prestação de serviços de terceiros, sendo o respectivo pagamento a ser percebido pelos prestadores de serviços realizados diretamente pelo FUNDO, o qual será subtraído da taxa de remuneração a ser paga ao ADMINISTRADOR, conforme Artigo 12 deste Regulamento.

4 Parágrafo Único - O ADMINISTRADOR somente poderá contratar, em nome do FUNDO, para os serviços previstos no artigo 56 da Instrução nº 409 da Comissão de Valores Mobiliários, conforme alterada, pessoas jurídicas, integrantes ou não do Sistema Financeiro Nacional. Artigo 7º - É vedado ao administrador praticar os seguintes atos em nome do FUNDO: I receber depósito em conta corrente; II contrair ou efetuar empréstimos, salvo em modalidade autorizada pela CVM; III prestar fiança, aval, aceite ou coobrigar-se sob qualquer outra forma; IV vender cotas à prestação, sem prejuízo da integralização a prazo de cotas subscritas; V prometer rendimento predeterminado aos cotistas; VI realizar operações com ações fora de bolsa de valores ou de mercado de balcão organizado por entidade autorizada pela CVM, ressalvadas as hipóteses de distribuições públicas, de exercício de direito de preferência e de conversão de debêntures em ações, exercício de bônus de subscrição e nos casos em que a CVM tenha concedido prévia e expressa autorização; VII utilizar recursos do fundo para pagamento de seguro contra perdas financeiras de cotistas, e VIII praticar qualquer ato de liberalidade. Capítulo III Da Política de Investimento Artigo 8º - O FUNDO estará 100% alocado em títulos e valores mobiliários de emissão do Tesouro Nacional ou do Banco Central e/ou operações compromissadas lastreadas nesses mesmos títulos. Parágrafo Primeiro - O ADMINISTRADOR gerenciará a carteira do FUNDO tendo como meta atingir rentabilidade mensal próxima à Taxa DI, através do acompanhamento dos riscos envolvidos e dos cenários traçados nos mercados de renda fixa (títulos públicos) e de derivativos.

5 Parágrafo Segundo - Fica estabelecido que a meta de rentabilidade acima descrita não se caracteriza como promessa, garantia ou sugestão de rentabilidade, consistindo apenas em objetivo a ser perseguido pelo ADMINISTRADOR. Artigo 9º - A Carteira do FUNDO poderá ser composta pelos seguintes ativos: ATIVO / OPERAÇÃO NORMAS DE ENQUADRAMENTO GENÉRICAS PERMITIDO (SIM /NÃO) Mínimo aplicado em relação ao Patrimônio Líquido do FUNDO Máximo aplicado em relação ao Patrimônio Líquido do FUNDO Risco em exposição a posições no mercado de juros: SIM 95% 100% Pré-fixados SIM 0% 5% Pós fixados SIM 95% 100% Risco em exposição a posições no mercado de índices de preços Risco em exposição a posições no mercado de moedas Risco em exposição a posições no mercado de renda variável Risco em exposição a posições no mercado de commodities Risco em exposição a posições no mercado de dívida externa Compra e venda de um mesmo ativo no mesmo dia (daytrade). TVM E OPERAÇÕES COMPROMISSADAS, DEPÓSITOS E APLICAÇÕES FINANCEIRAS (A) Títulos de emissão do Tesouro Nacional e/ou do Banco Central do Brasil: SIM 0% 100% Pré-fixados SIM 0% 100% Pós fixados SIM 0% 100% Indexados a índices de preços SIM 0% 100% Com rendimentos referenciados em moeda nacional SIM 0% 100% Com rendimentos referenciados em moeda estrangeira, desde que sem exposição cambial SIM 0% 100% (B) Títulos emitidos por instituições financeiras, depósitos e aplicações financeiras: Pré-fixados Pós fixados Indexados a índices de preços Com rendimentos referenciados em moeda nacional Com rendimentos referenciados em moeda estrangeira Com BAIXO RISCO DE CRÉDITO Com MÉDIO RISCO DE CRÉDITO Com ALTO RISCO DE CRÉDITO De emissão ou com co-obrigação de uma mesma instituição financeira ou empresas a ela ligadas De emissão do ADMINISTRADOR ou de empresas a ele ligadas (C) Títulos emitidos por instituições não-financeiras:

6 Pré-fixados Pós fixados Indexados a índices de preços Com rendimentos referenciados em moeda nacional Com rendimentos referenciados em moeda estrangeira Com BAIXO RISCO DE CRÉDITO Com MÉDIO RISCO DE CRÉDITO Com ALTO RISCO DE CRÉDITO De emissão ou com co-obrigação de uma mesma pessoa jurídica ou empresas a ela ligadas (D) Operações compromissadas: SIM 0% 100% Lastreadas em títulos públicos federais SIM 0% 100% Lastreadas em títulos privados de BAIXO RISCO DE CRÉDITO Lastreadas em títulos privados de MÉDIO RISCO DE CRÉDITO Lastreadas em títulos privados de ALTO RISCO DE CRÉDITO (B) + (C) (A) + (B) + (C) + (D) SIM 0% 100% Operações de empréstimos de Títulos e Valores Mobiliários, onde o FUNDO é o emprestador Operações de empréstimos de Títulos e Valores Mobiliários, onde o FUNDO é o tomador do empréstimo COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTOS (E) Cotas de fundos de investimento reguladas pela Instrução No. 409 da Comissão Valores Mobiliários ( CVM ), e alterações posteriores: Fundos classificados como de "Curto Prazo" Fundos classificados como "Referenciados" Fundos classificados como de "Renda Fixa" Fundos classificados como de "Ações" Fundos classificados como "Cambiais" Fundos classificados como de "Dívida Externa" Fundos classificados como de "Multimercado" Enquadradas pela Resolução No do Conselho Monetário Nacional ( CMN ) NÃO enquadradas pela Resolução No do CMN Administrados por seu ADMINISTRADOR ou empresa a ele ligada Administrados por TERCEIROS Limitação, por cada fundo investido, EXCETO em fundos de investimento de dívida externa Limitação, por cada fundo investido, EM fundos de investimento de dívida externa (F) Cotas de fundos de investimento imobiliário, fundos de investimento em direitos creditórios e fundos de investimento em cotas de fundos de investimento em direitos creditórios: De BAIXO RISCO DE CRÉDITO De MÉDIO RISCO DE CRÉDITO De ALTO RISCO DE CRÉDITO (E) + (F) RENDA VARIÁVEL

7 Ações admitidas à negociação no mercado à vista de bolsa de valores ou entidade do mercado de balcão organizado Ações de emissão do ADMINISTRADOR Vendas a descoberto de ações dentro das modalidades e de acordo com as normas estabelecidas pela Bovespa, utilizandose, inclusive, de operações de empréstimo de ações na forma regulamentada pela Comissão de Valores Mobiliários Operações de empréstimo de ações, onde o FUNDO é o emprestador Operações de empréstimo de ações, onde o FUNDO é o tomador do empréstimo INSTRUMENTOS DERIVATIVOS Instrumentos financeiros derivativos na modalidade COM GARANTIA envolvendo contratos referenciados em taxas de juros, câmbio, índices de preços, commodities, tais como futuros, opções e swaps, para HEDGE da carteira SIM -100% 100% Instrumentos financeiros derivativos na modalidade SEM GARANTIA envolvendo contratos referenciados em taxas de juros, câmbio, índices de preços, commodities, tais como futuros, opções e swaps, para HEDGE da carteira Instrumentos financeiros derivativos na modalidade COM GARANTIA envolvendo contratos referenciados em taxas de juros, câmbio, índices de preços, commodities, tais como futuros, opções e swaps como PARTE INTEGRANTE da carteira Instrumentos financeiros derivativos na modalidade SEM GARANTIA envolvendo contratos referenciados em taxas de juros, câmbio, índices de preços, commodities, tais como futuros, opções e swaps como PARTE INTEGRANTE da carteira Uso de instrumentos derivativos para produzir Exposições que gerem perda superior ao Patrimônio Líquido do Fundo limitadas a *NA Não Aplicável SIM -100% 100% Parágrafo Primeiro As classificações BAIXO, MÉDIO e ALTO RISCO DE CRÉDITO, citadas na tabela acima, serão efetuadas de acordo com os seguintes critérios: Baixo risco de crédito Médio risco de crédito Standard&Poors Moodys FitchRating Grau de investimento Votorantim - Rating Interno AAA Aaa AAA A+ AA+, AA, AA- Aa1, Aa2, Aa3 AA+, AA, AA- A A+, A, A- A1, A2, A3 A+, A, A- A- BBB+ Baa1 BBB+ B+ BBB Baa2 BBB B BBB- Baa3 BBB- B-

8 Alto risco de crédito Grau especulativo BB+, BB, BB- Ba1, Ba2, Ba3 BB+, BB, BB- C+ B+, B, B- B1, B2, B3 B+, B, B- C CCC, CC, C Caa, Ca, C CCC, CC, C C- D WR DDD WR Ratings em Escala Nacional Parágrafo Segundo - É permitida a utilização de derivativos para se buscar os objetivos da política de investimento, desde que não produza exposições que gerem possibilidade de perda superior ao valor do patrimônio líquido do FUNDO. Parágrafo Terceiro Não serão permitidas quaisquer operações que apresentem risco de crédito, exceto risco soberano. Parágrafo Quarto - Os resultados provenientes da carteira do FUNDO serão incorporados ao seu patrimônio. Parágrafo Quinto - O processo de análise e seleção dos ativos componentes do FUNDO é executado, mensalmente, pela comissão de investimentos e pela comissão de renda fixa e renda variável do ADMINISTRADOR, levando-se em conta o cenário econômico e a análise fundamentalista. Adicionalmente, a alocação do patrimônio líquido do FUNDO em títulos emitidos por empresas privadas é submetida a um processo de análise de crédito. Artigo 10 Este fundo de investimento utiliza estratégias com derivativos como parte integrante da sua política de investimento. Tais estratégias, da forma como são adotadas, podem resultar em significativas perdas patrimoniais para seus cotistas. Parágrafo Único As aplicações realizadas no FUNDO não contam com garantia do ADMINISTRADOR ou do Fundo Garantidor de Créditos FGC, não podendo o ADMINISTRADOR ser responsabilizado por eventuais depreciações dos ativos que compõem a carteira do FUNDO ou prejuízos decorrentes de flutuações do mercado, risco de crédito, ou eventos extraordinários de qualquer natureza, como, por exemplo, os de caráter político, econômico ou financeiro, que impliquem condições adversas de liquidez ou de negociação atípica nos mercados

9 de atuação do FUNDO. Da mesma forma, não poderá ser imputada ao ADMINISTRADOR qualquer responsabilidade por eventuais prejuízos que venham a sofrer os condôminos em caso de liquidação do FUNDO ou resgate de suas cotas. Artigo 11 O FUNDO observa às vedações estabelecidas na Resolução CMN nº para administradores de fundos de investimentos. Parágrafo Primeiro - É de responsabilidade exclusiva de cada cotista a verificação e acompanhamento do enquadramento do cotista aos limites estabelecidos na Resolução CMN nº 3.792, quanto aos seus recursos garantidores. Parágrafo Segundo O depósito de margem será limitado a 15% (quinze por cento) da posição em títulos da dívida pública mobiliária federal, títulos e valores mobiliários de emissão de instituição financeira autorizada a funcionar pelo Bacen e ações pertencentes ao Índice Bovespa. Parágrafo Terceiro O valor total dos prêmios de opções pagos será limitado a 5% (cinco por cento) da posição em títulos da dívida pública mobiliária federal, títulos e valores mobiliários de emissão de instituição financeira autorizada a funcionar pelo Bacen e ações pertencentes ao Índice Bovespa. Capítulo IV Da Política de Administração e Gerenciamento de Risco Artigo 12 - O ADMINISTRADOR possui uma área de gerenciamento de risco e compliance, responsável pelo monitoramento diário da exposição dos ativos que compõem a carteira do FUNDO ao risco e pela adequação dessa exposição aos cenários conjunturais definidos pela política de investimento prevista neste Regulamento.

10 Parágrafo Primeiro - O ADMINISTRADOR busca controlar o risco de crédito da carteira do FUNDO por meio da diversificação de ativos, da análise de crédito dos emissores dos ativos e respectivas emissões, e do monitoramento diário da exposição incorrida pelos ativos que compõem a carteira do FUNDO. Parágrafo Segundo - O ADMINISTRADOR busca controlar o risco de liquidez da carteira do FUNDO por meio da diversificação de ativos, da análise da liquidez dos ativos e do monitoramento diário da exposição incorrida pelos ativos que compõem a carteira do FUNDO. Parágrafo Terceiro Os procedimentos seguintes são utilizados pelo ADMINISTRADOR para a avaliação do risco de mercado da carteira do FUNDO: (i) cálculo diário do Valor em Risco com confiança de 95%; (ii) análise de sensibilidade a variações bruscas de mercado, definidas por oscilações historicamente ocorridas e/ou por cenários de stress; (iii) acompanhamento da correta marcação a mercado de todos os ativos e derivativos que compõem a carteira do FUNDO. Parágrafo Quarto - Não obstante o monitoramento rigoroso dos riscos existentes por parte do ADMINISTRADOR, os cotistas do FUNDO poderão sofrer perdas patrimoniais. Parágrafo Quinto - Os métodos utilizados pelo ADMINISTRADOR para o gerenciamento de riscos do FUNDO não constituem garantia contra eventuais perdas patrimoniais que possam ser incorridas pelo FUNDO, de forma que nenhuma responsabilidade poderá ser imputada ao ADMINISTRADOR por qualquer prejuízo sofrido pelos cotistas em caso de liquidação do FUNDO ou resgate de suas cotas. Capítulo V Da Remuneração do ADMINISTRADOR Artigo 13 - O ADMINISTRADOR receberá, pelos serviços de administração e gestão do FUNDO, a remuneração anual de 0,15% (zero vírgula quinze por

11 cento) sobre o valor do Patrimônio Líquido do FUNDO, sendo esta taxa provisionada diariamente adotando-se o critério pro-rata dias úteis do ano em vigor, e cobrada, mensalmente, até o 5º dia útil do mês subseqüente. Parágrafo Único O ADMINISTRADOR poderá, de forma unilateral, reduzir a taxa de administração estipulada no Artigo 13, devendo, neste caso, comunicar o fato imediatamente à CVM e ao condômino, bem como promover a devida alteração deste Regulamento. Artigo 14 O ADMINISTRADOR não cobrará taxa de performance, taxa de ingresso ou de saída do FUNDO. Capítulo VI Da Emissão, Colocação e Resgate das Cotas Artigo 15 - As cotas do FUNDO são nominativas, intransferíveis e serão mantidas em contas de depósito em nome de seu titular. Parágrafo Primeiro - Admite-se a transferência de cotas do FUNDO na hipótese de decisão judicial, execução de garantia ou sucessão universal. Parágrafo Segundo - A qualidade de condômino caracteriza-se pela inscrição do nome do condômino no registro de cotistas do FUNDO. Artigo 16 - Na emissão de cotas do FUNDO, será utilizado o valor da cota calculado a partir do patrimônio líquido do dia anterior ao da efetiva disponibilidade de recursos, devidamente atualizado por um dia. Artigo 17 - As cotas do FUNDO podem ser resgatadas a qualquer tempo com rendimento. Parágrafo Único Os feriados de âmbito estadual e municipal na praça-sede da instituição administradora em nada afetarão os movimentos solicitados nas demais praças em que houver expediente bancário normal.

12 Artigo 18 No resgate a conversão de cotas deve ser efetuada pelo valor da cota calculado a partir do patrimônio líquido do dia anterior ao da respectiva solicitação, devidamente atualizado por um dia, e o pagamento deve ser efetuado no dia da solicitação. Artigo 19 Aplicações e resgates deverão ser solicitados, por meio apropriado, ao ADMINISTRADOR, em sua sede ou agências até as 15:00 h. para que tenham validade para o mesmo dia. Parágrafo Primeiro As aplicações no FUNDO podem ser efetuadas por meio de débito em conta investimento ou por ordem de pagamento. Parágrafo Segundo - Os resgates poderão ser efetuados em cheque, crédito em conta investimento ou ordem de pagamento. Artigo 20 - Em casos excepcionais de iliquidez dos ativos componentes da carteira do FUNDO, inclusive em decorrência de pedidos de resgates incompatíveis com a liquidez existente, ou que possam implicar alteração do tratamento tributário do FUNDO ou do cotista, em prejuízo deste último, o ADMINISTRADOR poderá declarar o fechamento do FUNDO para a realização de resgates, sendo obrigatória a convocação de Assembléia Geral Extraordinária, no prazo máximo de 1 (um) dia, para deliberar, no prazo de 15 (quinze) dias, a contar da data do fechamento para resgate, sobre as seguintes possibilidades: I - substituição do ADMINISTRADOR, do gestor ou de ambos; II - reabertura ou manutenção do fechamento do FUNDO para resgate; III - possibilidade do pagamento de resgate em títulos e valores mobiliários; IV - cisão do FUNDO; e V liquidação do FUNDO. Parágrafo Primeiro - O ADMINISTRADOR responderá aos condôminos pelos prejuízos que lhes tenham sido causados em decorrência da não utilização dos poderes conferidos no caput deste artigo.

13 Parágrafo Segundo O ADMINISTRADOR deverá comunicar imediatamente a CVM sobre o fechamento do FUNDO para resgate, em qualquer caso. Artigo 21 - É facultado ao ADMINISTRADOR suspender, a qualquer momento, novas aplicações no FUNDO. Capítulo VII Da Assembléia Geral Artigo 22 É de competência privativa da assembléia geral de condôminos do FUNDO a deliberação sobre as seguintes matérias: I as demonstrações contábeis apresentadas pelo ADMINISTRADOR; II a substituição do ADMINISTRADOR, do gestor ou do custodiante do FUNDO; III a fusão, a incorporação, a cisão, a transformação ou a liquidação do FUNDO; IV o aumento da taxa de administração; V a alteração da política de investimento; e VI a alteração do Regulamento. Artigo 23 A assembléia geral será convocada por correspondência encaminhada aos condôminos com, no mínimo, 10 (dez) dias de antecedência de sua realização, na qual devem constar dia, hora e local em que será realizada a assembléia geral. Parágrafo Único A presença da totalidade dos condôminos supre a falta de convocação. Artigo 24 A assembléia geral será instalada com a presença de qualquer número de condôminos, sendo as deliberações tomadas pela maioria de votos dos presentes, cabendo a cada quota 1 (um) voto.

14 Artigo 25 Sem prejuízo do disposto neste Capítulo VII, o ADMINISTRADOR poderá determinar a substituição da assembléia geral por processo de consulta formal, sendo dispensadas, neste caso, a convocação e a realização de reunião do condômino. Parágrafo Primeiro A consulta formal será realizada por correio eletrônico a ser enviado aos condôminos, com a descrição da matéria a ser deliberada. Os condôminos deverão responder a consulta ao ADMINISTRADOR no prazo de 5 (cinco) dias úteis a contar do recebimento do referido correio eletrônico. Parágrafo Segundo Para fins do disposto neste Artigo 25, será considerado consultado o condômino para o qual for enviado o correio eletrônico. Capítulo VIII Dos Encargos do Fundo Artigo 26 - Constituirão encargos do FUNDO, as seguintes despesas, que lhe poderão ser debitadas pelo ADMINISTRADOR: I taxas, impostos ou contribuições federais, estaduais, municipais ou autárquicas, que recaiam ou venham a recair sobre os bens, direitos e obrigações do FUNDO; II despesas com o registro de documentos em cartório, impressão, expedição e publicação de relatórios e informações periódicas previstas neste Regulamento; III despesas com correspondência de interesse do fundo, inclusive comunicações ao condômino; IV honorários e despesas do auditor independente; V emolumentos e comissões pagas por operações do FUNDO; VI honorários de advogado, custas e despesas processuais correlatas, incorridas em razão de defesa dos interesses do FUNDO, em juízo ou fora dele, inclusive o valor da condenação imputada ao fundo se for o caso; VII parcela de prejuízos não coberta por apólices de seguro e não decorrente diretamente de culpa por dolo dos prestadores dos serviços de administração no exercício de suas respectivas funções;

15 VIII despesas relacionadas, direta ou indiretamente, ao exercício de direito de voto do FUNDO pelo administrador ou por seus representantes legalmente constituídos, em assembléias gerais das companhias nas quais o fundo detenha participação; IX despesas com custódia e liquidação de operações com títulos e valores mobiliários, ativos financeiros e modalidades operacionais; X despesas com fechamento de câmbio, vinculadas às suas operações ou com certificados ou recibos de depósito de valores mobiliários. XI taxas de administração e de performance, conforme previsto nos artigos 13 e 14 deste Regulamento. Capítulo IX Da Política de Divulgação Artigo 27 - O ADMINISTRADOR deverá disponibilizar cópias deste Regulamento em sua sede e agências para o condômino do FUNDO. Parágrafo Único O ADMINISTRADOR fornecerá ao cotista, quando do seu ingresso no FUNDO, uma cópia deste Regulamento. Artigo 28 - O ADMINISTRADOR informará os condôminos, via correspondência eletrônica, bem como divulgará ampla e imediatamente, inclusive por meio do sítio da CVM na Internet ( qualquer ato ou fato relevante com relação ao FUNDO, de modo a garantir aos condôminos acesso às informações que possam, direta ou indiretamente, influenciar sua decisão quanto à permanência no FUNDO. Parágrafo Primeiro - As informações a que se refere este artigo serão mantidas disponíveis para o condômino na sede e agências do ADMINISTRADOR. Parágrafo Segundo Para fins do disposto neste Regulamento considera-se correio eletrônico, após a devida autorização do cotista, uma forma de correspondência válida entre o ADMINISTRADOR e o cotista.

16 Artigo 29 - O ADMINISTRADOR disponibilizará diariamente, em sua sede, a composição completa da carteira, discriminando todos os títulos e valores mobiliários, aos cotistas. Parágrafo Único Os cotistas poderão, sempre que entenderem necessário, solicitar ao ADMINISTRADOR o envio da discriminação da carteira em periodicidade diversa daquela prevista no Artigo 32, por meio de correspondência a ser encaminhada ao ADMINISTRADOR, devidamente assinada por seus representantes legais. Artigo 30 - O ADMINISTRADOR deverá divulgar, diariamente, em sua sede, e manter disponíveis em sua sede e agências, o valor do patrimônio líquido do FUNDO, o valor da cota e as rentabilidades acumuladas no mês e no ano civil a que se referirem. Parágrafo Único - A divulgação das informações previstas no caput do artigo pode ser providenciada por meio de entidades de classe de instituições do Sistema Financeiro Nacional, desde que realizadas em periódicos de ampla veiculação, observada a responsabilidade do ADMINISTRADOR pela regularidade destas informações. Artigo 31 O ADMINISTRADOR deverá remeter mensalmente aos condôminos extrato de conta contendo: a) nome do FUNDO e o número de seu registro no CNPJ; b) nome, endereço e número de registro do ADMINISTRADOR no CNPJ; c) nome do condômino; d) saldo e valor das cotas no início e no final do período e a movimentação ocorrida ao longo do mesmo; e) rentabilidade do FUNDO auferida entre o último dia útil do mês anterior e o último dia útil do mês de referência do extrato; f) data de emissão do extrato da conta; e g) o telefone, o correio eletrônico e o endereço para correspondência do serviço de atendimento ao condômino.

17 Artigo 32 O ADMINISTRADOR colocará à disposição dos cotistas, até o dia 10 do mês subseqüente, em sua sede ou na página da CVM na internet, o balancete, demonstrativo da composição e diversificação de carteira e o perfil mensal, conforme definido pela CVM. Artigo 33 - O ADMINISTRADOR deverá fornecer anualmente aos condôminos documento contendo informações sobre os rendimentos auferidos no ano civil e, com base nos dados relativos ao último dia do mês de dezembro, sobre o número de cotas de sua propriedade e respectivo valor. Artigo 34 - Os cotistas poderão, sempre que entenderem necessário para o esclarecimento de dúvidas ou o envio de reclamações, contatar o serviço de atendimento ao cotista disponibilizado pelo ADMINISTRADOR por meio do telefone: Capítulo X Das Demonstrações Contábeis Artigo 35 - O exercício social do FUNDO tem início em primeiro de dezembro de cada ano e término em 30 de novembro do ano subseqüente. Artigo 36 - As demonstrações contábeis anuais do FUNDO devem ser auditadas por auditor independente registrado na Comissão de Valores Mobiliários. Artigo 37 O ADMINISTRADOR deve remeter, através do Sistema de Envio de Documentos disponível na página da CVM na rede mundial de computadores, os seguintes documentos, conforme modelos disponíveis na referida página: I informe diário, no prazo de 2 (dois) dias úteis; II mensalmente, até 10 (dez) dias após o encerramento do mês a que se referirem: a) balancete; b) demonstrativo da composição e diversificação de carteira; e c) perfil mensal.

18 III anualmente, no prazo de 90 (noventa) dias, contados a partir do encerramento do exercício a que se referirem, as demonstrações contábeis acompanhadas do parecer do auditor independente; IV formulário padronizado com as informações básicas do FUNDO, sempre que houver alteração do Regulamento, na data de início da vigência das alterações deliberadas em assembléia.

19 FUNDO DE INVESTIMENTO VOTORANTIM SOBERANO REFERENCIADO DI CNPJ/MF Nº / Pelo presente e para todos os efeitos declaro que me foi entregue, nesta data, o regulamento e o prospecto do FUNDO, se for o caso, atestando, igualmente, estar ciente: (i) da política de investimento do FUNDO, do grau de risco desta operação, da possibilidade de ocorrência de perda do patrimônio. (ii) que a Votorantim Asset Management Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. poderá receber remuneração de distribuição decorrente do investimento que o FUNDO efetuar em Fundos de Investimento administrados por terceiros sendo possível que a referida remuneração seja diferenciada em virtude dos diversos Fundos de Investimento receptores das aplicações. São Paulo, / / Titular da conta (assinatura) Nome/Razão Social: CPF/CNPJ:

20 VOTORANTIM ASSET MANAGEMENT D.T.V.M. LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS I) OBJETO: A presente política de voto trata do exercício do direito de voto pelos fundos de investimento geridos pela Votorantim Asset Management DTVM Ltda.. ( VAM ou Gestor ), cujas políticas de investimento autorizem a alocação em ativos financeiros que contemplem o direito de voto em assembléias gerais ( Assembléias ), especificamente quando forem deliberadas nas Assembléias as matérias descritas nesta Política a respeito dos ativos financeiros que compõem as carteiras dos respectivos fundos de investimento. Esta Política de Voto será aplicável a todos os fundos de investimento geridos pela VAm e que tenham expressamente aderido a esta Política de Voto em seus respectivos regulamentos. Nos termos do Código de Auto-Regulação da Associação Nacional dos Bancos de Investimento ANBID para os Fundos de Investimento, a presente Política de Voto poderá ser dispensada nos seguintes casos: I. Fundos exclusivos ou restritos, desde que aprovada, em assembléia, a inclusão de cláusula no regulamento destacando que a VAM não adota Política de Voto para o fundo; II. ativos financeiros de emissor com sede social fora do Brasil; e III. certificados de depósito de valores mobiliários BDRs. II) PRINCÍPIOS GERAIS E PROCEDIMENTOS PARA O EXERCÍCIO DO VOTO: A VAM, no cumprimento das disposições desta Política de Voto, atuará no melhor interesse dos cotistas dos fundos de investimento geridos pela VAM, de forma a respeitar seu dever fiduciário e garantir tratamento eqüânime para todos os investidores dos referidos fundos. As decisões de voto serão discutidas e aprovadas em comitê especialmente formado para esse fim ( Comitê de Proxy Voting ), serão registradas e formalizadas em ata e publicadas no sítio da VAM na rede mundial de computadores (internet): (

21 Mesmo nos casos de não adesão à Política de Voto por determinado fundo de investimento, o Gestor, a seu único e exclusivo critério, e sempre com vistas a atuação no melhor interesse de seus fundos de investimento, poderá votar em Assembléias de matérias que considerar pertinentes, com o objetivo de defender os interesses dos condôminos, seguindo os Princípios Gerais e Diretrizes desta Política. Constituem Matérias Relevantes Obrigatórias para o exercício do direito de voto pela VAM, nos termos desta Política de Voto: I. no caso de ações, seus direitos e desdobramentos: a) eleição de representantes de minoritários nos Conselho de Administração, se aplicável; b) aprovação de planos de opções para remuneração de administradores da companhia, se incluir opções de compra dentro do preço (preço de exercício da opção é inferior ao da ação subjacente, considerando a data de convocação da assembléia); c) aquisição, fusão, incorporação, cisão, alterações de controle, reorganizações societárias, alterações ou conversões de ações e demais mudanças de estatuto social, que possam, no entendimento do gestor, gerar impacto relevante no valor do ativo detido pelo Fundo de Investimento; e d) demais matérias que impliquem tratamento diferenciado; II. no caso de ativos financeiros de renda fixa ou mista: alterações de prazo ou condições de prazo de pagamento, garantias, vencimento antecipado, resgate antecipado, recompra e/ou remuneração originalmente acordadas para a operação; III. no caso de cotas de Fundos de Investimento: a) alterações na política de investimento que alterem a classe CVM ou o tipo ANBID do Fundo de Investimento; b) mudança de administrador ou gestor, que não entre integrantes do seu conglomerado ou grupo financeiro; c) aumento de taxa de administração e/ou taxa de performance (performance fee) e/ou criação de taxas de entrada e/ou saída; d) alterações nas condições de resgate que resultem em aumento do prazo de saída; e) fusão, incorporação ou cisão que propicie alteração das condições elencadas nas alíneas anteriores; f) liquidação do Fundo de Investimento; e g) assembléia de cotistas nos casos previstos no art. 16 da Instrução CVM nº 409/04, referente ao fechamento do fundo para resgates em casos excepcionais de iliquidez de ativos componentes da carteira. Ainda que as Assembléias versem sobre Matérias Relevantes Obrigatórias, o exercício do direito de voto pelo Gestor não será obrigatório nas seguintes hipóteses:

22 I. Quando a Assembléia ocorrer em qualquer cidade que não seja capital de Estado e não seja possível voto à distância; II. Quando o custo relacionado com o exercício do voto não for compatível com a participação do ativo financeiro no Fundo de Investimento; III. Quando a participação total dos Fundos de Investimento sob gestão, sujeitos à Política de Voto, na fração votante na matéria, for inferior a 5% (cinco por cento) e nenhum Fundo de Investimento possuir mais que 10% (dez por cento) de seu patrimônio no ativo em questão, ambos mensurados na data da convocação da Assembléia; e IV. Quando as informações disponibilizadas pela empresa não forem suficientes, mesmo após solicitação de informações adicionais e esclarecimentos, para a tomada de decisão. É facultado ao Gestor não votar nas Assembléias dos ativos financeiros cuja emissão seja de empresas do Grupo Votorantim e/ou coligadas, conforme definição da Instrução CVM 409 e alterações posteriores. Adicionalmente, se o gestor entender que o seu julgamento a respeito das matérias a serem votadas possa ser afetado por possível conflito de interesse, se reserva ao direito de não votar. III) DO COMITÊ DE PROXY VOTING O Comitê de Proxy Voting da VAM é responsável pela tomada da decisão de voto da VAM nas Assembléias. O Comitê de Proxy Voting é composto pelos representantes das áreas abaixo da VAM, contando cada um com 1 (um) voto: Gestão de Renda Fixa e Multimercados; Gestão de Renda Variável; Gestão de Fundo de Fundos; Risco e Compliance. Os representantes das Áreas de Gestão no Comitê de Proxy Voting serão convocados de acordo com o tipo de ativo, não sendo, portanto, obrigatória a presença dos 3 (três) representantes de Gestão em todos os comitês. O Comitê de Proxy Voting poderá contar com a participação e consultoria de outras áreas, tais como Análise Econômica, Produtos e área Legal e Societário da VAM, entre outras. Não há periodicidade pré-definida para reuniões do Comitê de Proxy Voting, as quais serão realizadas quando necessárias para a definição de voto da VAM nas Assembléias. Havendo empate na contagem dos votos dos representantes convocados para determinada reunião do Comitê de Proxy Voting, caberá ao Diretor Executivo da VAM proferir a decisão a ser tomada.

23 Todas as decisões serão formalizadas em ata, a qual será acompanhada do parecer de cada representante da área participante e da justificativa para a decisão final de voto. IV) DO CONTROLE E EXECUÇÃO DO VOTO EM ASSEMBLÉIA O controle do processo de execução da Política de Voto é de responsabilidade da área de Produtos (Legal & Societário) da VAM. Cabe ao Gestor, ou ao representante legal por ele definido e autorizado, a responsabilidade de proferir o voto em Assembléia de acordo com a decisão do Comitê de Proxy Voting. Para isso, o Administrador do Fundo dará representação legal para o exercício do direito de voto. Nos casos de matérias relevantes não obrigatórias e/ou conflitos de interesse, em que o gestor decidir por não proferir voto em Assembléia, a decisão será registrada, formalizada em ata e publicada no site da VAM (

Aplicações e resgates adicionais Não há para investidores fundos de investimentos administrados pela Votorantim Asset Management DTVM Ltda.

Aplicações e resgates adicionais Não há para investidores fundos de investimentos administrados pela Votorantim Asset Management DTVM Ltda. FUNDO DE INVESTIMENTO VOTORANTIM RENDA FIXA IRF-M 1+ CNPJ/MF Nº 10.342.116/0001-62 NOVEMBRO/2011 Administração, Gestão, Distribuição e Serviços de Terceiros Administrador Votorantim Asset Management DTVM

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS POLÍTICA DE VOTO DTVM

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS POLÍTICA DE VOTO DTVM Página 1/6 TÍTULO: CLASSIFICAÇÃO: FINALIDADE: ELABORADOR: POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS NORMA ESTRATÉGICA Promover as orientações para o exercício do direito de voto em assembleias

Leia mais

Votorantim Asset Management DTVM Ltda. (CNPJ n.º 03.384.738/0001-98)

Votorantim Asset Management DTVM Ltda. (CNPJ n.º 03.384.738/0001-98) FUNDO DE INVESTIMENTO VOTORANTIM EAGLE MULTIMERCADO CRÉDITO PRIVADO CNPJ 00.836.263/0001-35 JUNHO/ 2013 Administração, Gestão, Distribuição e Serviços de Terceiros Administrador Votorantim Asset Management

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembléias Gerais

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembléias Gerais Política de Exercício de Direito de Voto em Assembléias Gerais Capítulo I: Aplicação e Objeto 1.1. Pelo presente documento, a ARBITRAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. ( Gestora ) vem, nos termos do Código ANBIMA

Leia mais

BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03

BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03 BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03 PROSPECTO AVISOS IMPORTANTES I. A CONCESSÃO DE REGISTRO PARA A VENDA DAS COTAS DESTE FUNDO NÃO IMPLICA, POR PARTE DA

Leia mais

REGULAMENTO DO DAYCOVAL MULTIFUNDS FUNDO DE INVESTIMENTO EM QUOTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CAPÍTULO I - DO FUNDO

REGULAMENTO DO DAYCOVAL MULTIFUNDS FUNDO DE INVESTIMENTO EM QUOTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CAPÍTULO I - DO FUNDO Este Regulamento integra a ata da Assembleia Geral Extraordinária do DAYCOVAL MULTIFUNDS FUNDO DE INVESTIMENTO EM QUOTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO de 16 de janeiro de 2015. REGULAMENTO DO

Leia mais

SICREDI - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES VALE CNPJ 11.087.074/0001-23 REGULAMENTO

SICREDI - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES VALE CNPJ 11.087.074/0001-23 REGULAMENTO SICREDI - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES VALE CNPJ 11.087.074/0001-23 REGULAMENTO CAPÍTULO I - DO FUNDO 1. O SICREDI - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES VALE, doravante designado FUNDO, constituído sob a

Leia mais

REGULAMENTO DO BANRISUL PREMIUM FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA DE LONGO PRAZO

REGULAMENTO DO BANRISUL PREMIUM FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA DE LONGO PRAZO REGULAMENTO DO BANRISUL PREMIUM FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA DE LONGO PRAZO Administrado pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. CNPJ/MF 92.702.067/0001-96 CAPÍTULO I - DO FUNDO Art. 1. O BANRISUL

Leia mais

ALFAPREV MIX 25 - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO PREVIDENCIÁRIO CNPJ/MF 03.469.407/0001-50 REGULAMENTO

ALFAPREV MIX 25 - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO PREVIDENCIÁRIO CNPJ/MF 03.469.407/0001-50 REGULAMENTO ALFAPREV MIX 25 - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ/MF 03.469.407/0001-50 REGULAMENTO CAPÍTULO I DO FUNDO 1.1 O ALFAPREV MIX 25 - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS

Leia mais

Artigo 5º - A relação completa dos prestadores de serviços pode ser consultada no Formulário de Informações Complementares do FUNDO.

Artigo 5º - A relação completa dos prestadores de serviços pode ser consultada no Formulário de Informações Complementares do FUNDO. FUNDO Artigo 1º - O Fundo de Investimento em Ações CAIXA Brasil Ibovespa, doravante designado, abreviadamente, FUNDO, é um Fundo de Investimento constituído sob a forma de condomínio aberto, com prazo

Leia mais

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDO DE INVESTIMENTO CAIXA BRASIL IDkA IPCA 2A TÍTULOS PÚBLICOS RENDA FIXA LONGO PRAZO

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDO DE INVESTIMENTO CAIXA BRASIL IDkA IPCA 2A TÍTULOS PÚBLICOS RENDA FIXA LONGO PRAZO FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDO DE INVESTIMENTO CAIXA BRASIL IDkA IPCA 2A TÍTULOS PÚBLICOS RENDA FIXA LONGO PRAZO Data de Competência: 07/06/2016 1. CNPJ 14.386.926/0001-71 2. PERIODICIDADE

Leia mais

REGULAMENTO DO BANRISUL FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES

REGULAMENTO DO BANRISUL FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES REGULAMENTO DO CNPJ/MF 88.198.056/0001-43 Administrado pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. CNPJ/MF 92.702.067/0001-96 CAPÍTULO I - DO FUNDO Art. 1º. O, doravante designado abreviadamente FUNDO,

Leia mais

CAPÍTULO III - DA COMPOSIÇÃO E DIVERSIFICAÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO

CAPÍTULO III - DA COMPOSIÇÃO E DIVERSIFICAÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO CAPÍTULO I - DO FUNDO Artigo 1º O CAIXA FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS PETROBRAS IV CAIXA FMP FGTS PETROBRAS IV, doravante designado, abreviadamente, FUNDO, é uma comunhão de recursos, constituído sob

Leia mais

Artigo 5º - A relação completa dos prestadores de serviços pode ser consultada no Formulário de Informações Complementares do FUNDO.

Artigo 5º - A relação completa dos prestadores de serviços pode ser consultada no Formulário de Informações Complementares do FUNDO. FUNDO Artigo 1º - O Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento CAIXA Cambial Dólar, doravante designado, abreviadamente, FUNDO, é um Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento

Leia mais

DA CONSTITUIÇÃO E DAS CARACTERÍSTICAS

DA CONSTITUIÇÃO E DAS CARACTERÍSTICAS MB SUPER REFERENCIADO DI LONGO PRAZO - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO CNPJ: 03.420.190/0001-94 ALTERADO PELA AGO DO DIA 30/04/2015 REGULAMENTO DA CONSTITUIÇÃO E DAS CARACTERÍSTICAS

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS GRADIUS GESTÃO DE CARTEIRAS DE VALORES MOBILIÁRIOS LTDA.

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS GRADIUS GESTÃO DE CARTEIRAS DE VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS GRADIUS GESTÃO DE CARTEIRAS DE VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. CAPÍTULO I Definição e Finalidade Artigo 1º A presente Política de Exercício de Direito

Leia mais

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CAIXA VALE DO RIO DOCE Data de Competência: 27/01/2016 1. CNPJ 04.885.820/0001-69 2. PERIODICIDADE MÍNIMA PARA DIVULGAÇÃO DA COMPOSIÇÃO

Leia mais

Artigo 2º - O FUNDO destina-se a acolher investimentos de pessoas físicas e pessoas jurídicas privadas e públicas, doravante designados, Cotista.

Artigo 2º - O FUNDO destina-se a acolher investimentos de pessoas físicas e pessoas jurídicas privadas e públicas, doravante designados, Cotista. FUNDO Artigo 1º - O Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento CAIXA Premium Renda Fixa Referenciado DI Longo Prazo, doravante designado, abreviadamente, FUNDO, é um Fundo de Investimento

Leia mais

POLÍTICA DE DIREITO DE VOTO

POLÍTICA DE DIREITO DE VOTO POLÍTICA DE DIREITO DE VOTO Superintendência de Riscos e Compliance Página 1 Índice 1. Introdução e Objetivo... 3 2. Exclusões... 3 3. Vigência... 4 4. Princípios Gerais... 4 5. Conflito de Interesse...

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCICO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS (POLÍTICA DE PROXY VOTING)

POLÍTICA DE EXERCÍCICO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS (POLÍTICA DE PROXY VOTING) Documento: Política de Exercício de Direito de Voto em Assembléias Gerais (Política de Proxy Voting) POLÍTICA DE EXERCÍCICO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS (POLÍTICA DE PROXY VOTING) A, doravante

Leia mais

Política Institucional

Política Institucional ÍNDICE 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA E ESCOPO... 2 3. DIRETRIZES E PRINCIPIOS GERAIS... 2 4. PROCEDIMENTOS RELATIVOS A POTENCIAIS CONFLITOS DE INTERESSE... 3 5. PROCESSO DECISÓRIO DE VOTO... 3 6. EXERCÍCIO

Leia mais

ESTE FUNDO PODE ESTAR EXPOSTO A SIGNIFICATIVA CONCENTRAÇÃO EM ATIVOS DE RENDA VARIÁVEL DE POUCOS EMISSORES, APRESENTANDO OS RISCOS DAÍ DECORRENTES.

ESTE FUNDO PODE ESTAR EXPOSTO A SIGNIFICATIVA CONCENTRAÇÃO EM ATIVOS DE RENDA VARIÁVEL DE POUCOS EMISSORES, APRESENTANDO OS RISCOS DAÍ DECORRENTES. ESTE PROSPECTO FOI PREPARADO COM AS INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS AO ATENDIMENTO DAS DISPOSIÇÕES DO CÓDIGO ANBIMA DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS PARA OS FUNDOS DE INVESTIMENTO, BEM COMO ÀS NORMAS EMANADAS

Leia mais

MINUTA REGULAMENTO DO BB REFERENCIADO DI 500 FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CNPJ 03.308.312/0001-55 CAPÍTULO I - DO FUNDO

MINUTA REGULAMENTO DO BB REFERENCIADO DI 500 FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CNPJ 03.308.312/0001-55 CAPÍTULO I - DO FUNDO MINUTA REGULAMENTO DO BB REFERENCIADO DI 500 FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CNPJ 03.308.312/0001-55 CAPÍTULO I - DO FUNDO Artigo 1º - O BB REFERENCIADO DI 500 FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CRÉDITO PRIVADO TRAVESSIA INVESTIMENTO NO EXTERIOR 23.352.

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CRÉDITO PRIVADO TRAVESSIA INVESTIMENTO NO EXTERIOR 23.352. FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CRÉDITO PRIVADO TRAVESSIA INVESTIMENTO NO EXTERIOR 23.352.186/0001-43 Mês de Referência: Novembro de 2015 CLASSIFICAÇÃO ANBIMA:

Leia mais

INVEST CLUBE RIO PRETO CNPJ/MF 07.959.303/0001-85 EDITAL DE CONVOCAÇÃO ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA

INVEST CLUBE RIO PRETO CNPJ/MF 07.959.303/0001-85 EDITAL DE CONVOCAÇÃO ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA INVEST CLUBE RIO PRETO CNPJ/MF 07.959.303/0001-85 EDITAL DE CONVOCAÇÃO ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA O Banco Cooperativo Sicredi S.A. ( Administrador ), inscrito no CNPJ sob o nº 01.181.521/0001-55,

Leia mais

SICREDI FAPI - FUNDO DE APOSENTADORIA PROGRAMADA INDIVIDUAL CNPJ 03.564.825/0001-27 CAPÍTULO I - DO FUNDO

SICREDI FAPI - FUNDO DE APOSENTADORIA PROGRAMADA INDIVIDUAL CNPJ 03.564.825/0001-27 CAPÍTULO I - DO FUNDO SICREDI FAPI - FUNDO DE APOSENTADORIA PROGRAMADA INDIVIDUAL CNPJ 03.564.825/0001-27 CAPÍTULO I - DO FUNDO 1. O SICREDI FAPI - FUNDO DE APOSENTADORIA PROGRAMADA INDIVIDUAL, doravante designado FUNDO, constituído

Leia mais

BANPARÁ FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ 00.857.364/0001-92 PROSPECTO

BANPARÁ FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ 00.857.364/0001-92 PROSPECTO BANPARÁ FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ 00.857.364/0001-92 PROSPECTO AS INFORMAÇÕES CONTIDAS NESSE PROSPECTO ESTÃO EM CONSONÂNCIA COM O REGULAMENTO DO FUNDO, PORÉM

Leia mais

BRESSER AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES

BRESSER AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES BRESSER AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES REGULAMENTO DO FUNDO O BRESSER AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES, regido pelas disposições do presente Regulamento, e regulado pelas Instruções CVM nº 302

Leia mais

POLÍTICA DE VOTO 1. INTRODUÇÃO E OBJETIVO

POLÍTICA DE VOTO 1. INTRODUÇÃO E OBJETIVO POLÍTICA DE VOTO 1. INTRODUÇÃO E OBJETIVO A BRAM Bradesco Asset Management S.A DTVM ( BRAM ) aderiu ao Código de Autorregulação de Fundos de Investimento ( Código ) da Associação Brasileira das Entidades

Leia mais

3 - AVISOS E ADVERTÊNCIAS:

3 - AVISOS E ADVERTÊNCIAS: MB ESPECIAL RENDA FIXA LONGO PRAZO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CNPJ 01.605.448/0001-00 DATA DO PROSPECTO 30/04/2015 1 - DAS CARACTERÍSTICAS DO FUNDO: O MB ESPECIAL RENDA FIXA

Leia mais

PROSPECTO CAIXA FI SEBRAE RF LONGO PRAZO

PROSPECTO CAIXA FI SEBRAE RF LONGO PRAZO PROSPECTO CAIXA FI SEBRAE RF LONGO PRAZO CLASSIFICAÇÃO DO FUNDO ANBIMA RENDA FIXA ESTE PROSPECTO FOI PREPARADO COM AS INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS AO ATENDIMENTO DAS DISPOSIÇÕES DO CÓDIGO ANBIMA DE REGULAÇÃO

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO SINERGIA

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO SINERGIA ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO SINERGIA I Denominação e Objetivo Artigo 1º O Clube de Investimento SINERGIA é constituído por número limitado de membros que têm por objetivo a aplicação de recursos

Leia mais

BANRISUL ABSOLUTO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ/MF nº 21.743.480/0001-50 PROSPECTO

BANRISUL ABSOLUTO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ/MF nº 21.743.480/0001-50 PROSPECTO BANRISUL ABSOLUTO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ/MF nº 21.743.480/0001-50 PROSPECTO AS INFORMAÇÕES CONTIDAS NESSE PROSPECTO ESTÃO EM CONSONÂNCIA COM O REGULAMENTO DO FUNDO, PORÉM NÃO O SUBSTITUI.

Leia mais

ALFA TOTAL JGP HEDGE - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO INVESTIDOR QUALIFICADO CNPJ/MF 11.039.

ALFA TOTAL JGP HEDGE - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO INVESTIDOR QUALIFICADO CNPJ/MF 11.039. ALFA TOTAL JGP HEDGE - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ/MF 11.039.121/0001-63 REGULAMENTO CAPÍTULO I DO FUNDO 1.1 O ALFA TOTAL JGP HEDGE - FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

SICREDI FUNDO DE INVESTIMENTO INSTITUCIONAL RENDA FIXA IRF-M LONGO PRAZO

SICREDI FUNDO DE INVESTIMENTO INSTITUCIONAL RENDA FIXA IRF-M LONGO PRAZO Porto Alegre, 21 de maio de 2013 SICREDI FUNDO DE INVESTIMENTO INSTITUCIONAL RENDA FIXA IRF-M LONGO PRAZO ESTE PROSPECTO FOI PREPARADO COM AS INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS AO ATENDIMENTO DAS DISPOSIÇÕES DO CÓDIGO

Leia mais

REGULAMENTO DO BB CURTO PRAZO AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CNPJ: 00.071.477/0001-68 CAPÍTULO I DO FUNDO

REGULAMENTO DO BB CURTO PRAZO AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CNPJ: 00.071.477/0001-68 CAPÍTULO I DO FUNDO REGULAMENTO DO BB CURTO PRAZO AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CNPJ: 00.071.477/0001-68 CAPÍTULO I DO FUNDO Artigo 1º - O BB CURTO PRAZO AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

FIEX HSBC PREMIER FUNDO DE INVESTIMENTO NO EXTERIOR HSBC PREMIER PROSPECTO. ADMINISTRAÇÃO e GESTÃO: HSBC BANK BRASIL S.A.

FIEX HSBC PREMIER FUNDO DE INVESTIMENTO NO EXTERIOR HSBC PREMIER PROSPECTO. ADMINISTRAÇÃO e GESTÃO: HSBC BANK BRASIL S.A. FIEX HSBC PREMIER FUNDO DE INVESTIMENTO NO EXTERIOR HSBC PREMIER PROSPECTO ADMINISTRAÇÃO e GESTÃO: HSBC BANK BRASIL S.A. BANCO MÚLTIPLO Atualizado em março de 2004 Fundo de Investimento no Exterior HSBC

Leia mais

FUNDO PAULISTA DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ nº 00.828.371/0001-66 REGULAMENTO CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO, CARACTERÍSTICAS, OBJETIVOS E PÚBLICO-ALVO

FUNDO PAULISTA DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ nº 00.828.371/0001-66 REGULAMENTO CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO, CARACTERÍSTICAS, OBJETIVOS E PÚBLICO-ALVO FUNDO PAULISTA DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ nº 00.828.371/0001-66 REGULAMENTO CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO, CARACTERÍSTICAS, OBJETIVOS E PÚBLICO-ALVO ARTIGO 1º - O FUNDO PAULISTA DE INVESTIMENTO RENDA

Leia mais

PROSPECTO CAIXA FI AÇÕES PETROBRAS PRÉ-SAL

PROSPECTO CAIXA FI AÇÕES PETROBRAS PRÉ-SAL PROSPECTO CAIXA FI AÇÕES PETROBRAS PRÉ-SAL CLASSIFICAÇÃO DO FUNDO ANBIMA: AÇÕES SETORIAIS FOCO DE ATUAÇÃO: PETROBRAS ESTE PROSPECTO FOI PREPARADO COM AS INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS AO ATENDIMENTO DAS DISPOSIÇÕES

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIA

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIA POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIA 1. OBJETIVO O objetivo desta Política de Exercício de Direito de Voto é estabelecer regras no que diz respeito ao exercício do direito de voto em

Leia mais

BANRISUL PERFORMANCE FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ/MF 97.261.093/0001-40 EDITAL DE CONVOCAÇÃO ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA

BANRISUL PERFORMANCE FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ/MF 97.261.093/0001-40 EDITAL DE CONVOCAÇÃO ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA CNPJ/MF 97.261.093/0001-40 EDITAL DE CONVOCAÇÃO ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA Convocamos os Srs. Condôminos do Fundo para, reunidos em Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária, a realizar-se

Leia mais

PROSPECTO CAIXA FI AÇÕES SMALL CAPS ATIVO

PROSPECTO CAIXA FI AÇÕES SMALL CAPS ATIVO PROSPECTO CAIXA FI AÇÕES SMALL CAPS ATIVO CLASSIFICAÇÃO DO FUNDO ANBIMA: AÇÕES SMALL CAPS ESTE PROSPECTO FOI PREPARADO COM AS INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS AO ATENDIMENTO DAS DISPOSIÇÕES DO CÓDIGO ANBIMA DE

Leia mais

ALFA ORBIS DI FUNDO DE INVESTIMENTO REFERENCIADO LONGO PRAZO. CNPJ nº 02.733.802/0001-36 REGULAMENTO CAPÍTULO I DO FUNDO

ALFA ORBIS DI FUNDO DE INVESTIMENTO REFERENCIADO LONGO PRAZO. CNPJ nº 02.733.802/0001-36 REGULAMENTO CAPÍTULO I DO FUNDO CNPJ nº 02.733.802/0001-36 REGULAMENTO CAPÍTULO I DO FUNDO 1.1 O ALFA ORBIS DI FUNDO DE INVESTIMENTO REFERENCIADO LONGO PRAZO ( FUNDO ), é um fundo de investimento constituído sob a forma de condomínio

Leia mais

ALFA SPECIAL - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES. CNPJ nº 00.575.922/0001-27 REGULAMENTO CAPÍTULO I DO FUNDO

ALFA SPECIAL - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES. CNPJ nº 00.575.922/0001-27 REGULAMENTO CAPÍTULO I DO FUNDO ALFA SPECIAL - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ nº 00.575.922/0001-27 REGULAMENTO CAPÍTULO I DO FUNDO 1.1 O ALFA SPECIAL - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES ( FUNDO ), é um fundo de investimento constituído

Leia mais

Versão Revisada em 1º de Outubro de 2015

Versão Revisada em 1º de Outubro de 2015 POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO E COMPANHIAS EMISSORAS DE ATIVOS FINANCEIROS QUE CONTEMPLEM O DIREITO DE VOTO E INTEGREM AS CARTEIRAS DOS FUNDOS

Leia mais

ALFA DIVIDENDOS - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES INVESTIDOR QUALIFICADO CNPJ/MF Nº 10.758.216/0001-74 REGULAMENTO

ALFA DIVIDENDOS - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES INVESTIDOR QUALIFICADO CNPJ/MF Nº 10.758.216/0001-74 REGULAMENTO ALFA DIVIDENDOS - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES INVESTIDOR QUALIFICADO CNPJ/MF Nº 10.758.216/0001-74 REGULAMENTO CAPÍTULO I DO FUNDO 1.1 O ALFA DIVIDENDOS - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES INVESTIDOR QUALIFICADO

Leia mais

PROSPECTO DO PARANÁ FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO SENTER CNPJ/MF N.º 03.148.543/0001-49 AGOSTO 2010

PROSPECTO DO PARANÁ FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO SENTER CNPJ/MF N.º 03.148.543/0001-49 AGOSTO 2010 PROSPECTO DO PARANÁ FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO SENTER CNPJ/MF N.º 03.148.543/0001-49 AGOSTO 2010 Classificação do FUNDO junto à Comissão de Valores Mobiliários

Leia mais

EXPLORITAS ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA LTDA POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS

EXPLORITAS ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA LTDA POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS EXPLORITAS ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA LTDA POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS Agosto de 2012 A Exploritas Administração Financeira Ltda ( Gestora ), gestora de Fundos de Investimento

Leia mais

REGULAMENTO DO SANTANDER FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO INTELIGENTE RENDA FIXA CURTO PRAZO CNPJ/MF n.º 02.908.

REGULAMENTO DO SANTANDER FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO INTELIGENTE RENDA FIXA CURTO PRAZO CNPJ/MF n.º 02.908. O presente Regulamento é parte integrante da Ata de Assembleia Geral de Cotistas do Santander Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento Inteligente Curto Prazo, realizada em 29 de abril

Leia mais

EMERALD Gestão de Investimentos Ltda - Gestão de fundos de Investimento

EMERALD Gestão de Investimentos Ltda - Gestão de fundos de Investimento EMERALD Gestão de Investimentos Ltda Gestão de fundos de Investimento DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS ENTIFICAÇÃO Versão Publicado em A revisar em 02//25 1 DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO

Leia mais

Novembro/2011 BRADESCO PRIVATE FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO BTG PACTUAL HIGH YIELD PROSPECTO

Novembro/2011 BRADESCO PRIVATE FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO BTG PACTUAL HIGH YIELD PROSPECTO Novembro/2011 BRADESCO PRIVATE FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO BTG PACTUAL HIGH YIELD PROSPECTO CNPJ nº. 06.190.203/0001-74 Cidade de Deus, Prédio Prata, 4º andar,

Leia mais

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES BANRISUL MERCADO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA LONGO PRAZO CNPJ/MF 15.283.719/0001-54

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES BANRISUL MERCADO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA LONGO PRAZO CNPJ/MF 15.283.719/0001-54 FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES BANRISUL MERCADO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA LONGO PRAZO CNPJ/MF 15.283.719/0001-54 ESTE FORMULÁRIO FOI PREPARADO COM AS INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS AO ATENDIMENTO

Leia mais

ZENITH FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ N 04.787.992/0001-08

ZENITH FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ N 04.787.992/0001-08 ESTE PROSPECTO FOI PREPARADO COM AS INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS AO ATENDIMENTO DAS DISPOSIÇÕES DO CÓDIGO ANBIMA DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS PARA OS FUNDOS DE INVESTIMENTO, BEM COMO ÀS NORMAS EMANADAS

Leia mais

REGULAMENTO DO MODAL LION FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO. Capítulo I Constituição e Características

REGULAMENTO DO MODAL LION FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO. Capítulo I Constituição e Características REGULAMENTO DO MODAL LION FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO Capítulo I Constituição e Características Artigo 1º O MODAL LION FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO (doravante designado FUNDO), constituído

Leia mais

Porto Alegre, 06 de fevereiro de 2014 SICREDI - FUNDO DE INVESTIMENTO INSTITUCIONAL RENDA FIXA IRF-M 1

Porto Alegre, 06 de fevereiro de 2014 SICREDI - FUNDO DE INVESTIMENTO INSTITUCIONAL RENDA FIXA IRF-M 1 Porto Alegre, 06 de fevereiro de 2014 SICREDI - FUNDO DE INVESTIMENTO INSTITUCIONAL RENDA FIXA IRF-M 1 ESTE PROSPECTO FOI PREPARADO COM AS INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS AO ATENDIMENTO DAS DISPOSIÇÕES DO CÓDIGO

Leia mais

ITAÚ PERSONNALITÉ RENDA FIXA FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO

ITAÚ PERSONNALITÉ RENDA FIXA FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO ITAÚ PERSONNALITÉ RENDA FIXA FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CNPJ 00.832.424/0001-12 MENSAGEM DO ADMINISTRADOR Prezado Cotista, Este FUNDO, constituído sob a forma de condomínio

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO EXECUTIVE LONGO PRAZO. CNPJ n.º: 21.170.347/0001-52 REGULAMENTO

FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO EXECUTIVE LONGO PRAZO. CNPJ n.º: 21.170.347/0001-52 REGULAMENTO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO EXECUTIVE LONGO PRAZO CNPJ n.º: 21.170.347/0001-52 REGULAMENTO CAPÍTULO I - DO FUNDO 1. O FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO EXECUTIVE LONGO

Leia mais

CNPJ 05.086.234/0001-17 PERIODICIDADE MÍNIMA PARA DIVULGAÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO

CNPJ 05.086.234/0001-17 PERIODICIDADE MÍNIMA PARA DIVULGAÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO BRB FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM RENDA FIXA DI LONGO PRAZO 500 FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES Competência: 19/01/2016 CNPJ 05.086.234/0001-17 PERIODICIDADE MÍNIMA

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3.922. Da Alocação dos Recursos e da Política de Investimentos. I - as disponibilidades oriundas das receitas correntes e de capital;

RESOLUÇÃO Nº 3.922. Da Alocação dos Recursos e da Política de Investimentos. I - as disponibilidades oriundas das receitas correntes e de capital; RESOLUÇÃO Nº 3.922 Dispõe sobre as aplicações dos recursos dos regimes próprios de previdência social instituídos pela União, Estados, Distrito Federal e Municípios. O Banco Central do Brasil, na forma

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3.922. Da Alocação dos Recursos e da Política de Investimentos. I - as disponibilidades oriundas das receitas correntes e de capital;

RESOLUÇÃO Nº 3.922. Da Alocação dos Recursos e da Política de Investimentos. I - as disponibilidades oriundas das receitas correntes e de capital; RESOLUÇÃO Nº 3.922 Dispõe sobre as aplicações dos recursos dos regimes próprios de previdência social instituídos pela União, Estados, Distrito Federal e Municípios. O Banco Central do Brasil, na forma

Leia mais

REGULAMENTO DO BRASILPREV TOP ATUARIAL FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ 05.786.931/0001-80 CAPÍTULO I - DO FUNDO

REGULAMENTO DO BRASILPREV TOP ATUARIAL FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ 05.786.931/0001-80 CAPÍTULO I - DO FUNDO REGULAMENTO DO BRASILPREV TOP ATUARIAL FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ 05.786.931/0001-80 CAPÍTULO I - DO FUNDO Art. 1º - O BRASILPREV TOP ATUARIAL FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA, doravante designado

Leia mais

NÃO HÁ GARANTIA DE QUE ESTE FUNDO TERÁ O TRATAMENTO TRIBUTÁRIO PARA FUNDOS DE LONGO PRAZO.

NÃO HÁ GARANTIA DE QUE ESTE FUNDO TERÁ O TRATAMENTO TRIBUTÁRIO PARA FUNDOS DE LONGO PRAZO. PROSPECTO WESTERN ASSET SOVEREIGN II SELIC REFERENCIADO FUNDO DE INVESTIMENTO CNPJ/MF Nº 07.892.335/0001-00 ESTE PROSPECTO FOI PREPARADO COM AS INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS AO ATENDIMENTO DAS DISPOSIÇÕES DO

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO DE RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO UNICRED CENTRAL RJ. CNPJ n.º 07.038.766/0001-04 REGULAMENTO

FUNDO DE INVESTIMENTO DE RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO UNICRED CENTRAL RJ. CNPJ n.º 07.038.766/0001-04 REGULAMENTO FUNDO DE INVESTIMENTO DE RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO UNICRED CENTRAL RJ CNPJ n.º 07.038.766/0001-04 REGULAMENTO CAPÍTULO I - DO FUNDO 1. O FUNDO DE INVESTIMENTO DE RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO UNICRED CENTRAL

Leia mais

POLÍTICA DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS

POLÍTICA DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS POLÍTICA DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS CAPÍTULO I Definição 1.1 A presente Política, adotada em conformidade com o Código de Auto-Regulação da ANBIMA para os Fundos de Investimento, disciplina os princípios

Leia mais

ITAÚ FAPI RENDA FIXA - Fundo de Aposentadoria Programada Individual CNPJ - 02.177.812/0001-32 REGULAMENTO

ITAÚ FAPI RENDA FIXA - Fundo de Aposentadoria Programada Individual CNPJ - 02.177.812/0001-32 REGULAMENTO CAPÍTULO I - DO FUNDO 1 - O ITAÚ FAPI RENDA FIXA - FUNDO DE APOSENTADORIA PROGRAMADA INDIVIDUAL, designado FUNDO, constituído sob a forma de condomínio aberto, com prazo indeterminado de duração, é regido

Leia mais

INSTRUÇÃO CVM N.º 411, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2004. Altera a Instrução CVM n o 409, de 18 de agosto de 2004.

INSTRUÇÃO CVM N.º 411, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2004. Altera a Instrução CVM n o 409, de 18 de agosto de 2004. INSTRUÇÃO CVM N.º 411, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2004 Altera a Instrução CVM n o 409, de 18 de agosto de 2004. O PRESIDENTE DA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS - CVM torna público que o Colegiado, em reunião

Leia mais

Safra SAFRA BOLSA AMERICANA FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO PREVIDENCIÁRIO CNPJ Nº 18.766.

Safra SAFRA BOLSA AMERICANA FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO PREVIDENCIÁRIO CNPJ Nº 18.766. SAFRA BOLSA AMERICANA FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO PREVIDENCIÁRIO CNPJ Nº 18.766.488/0001-28 REGULAMENTO CAPÍTULO I - DO FUNDO 1.1 O SAFRA BOLSA AMERICANA FUNDO

Leia mais

I - o modelo de gestão a ser adotado e, se for o caso, os critérios para a contratação de pessoas jurídicas autorizadas ou credenciadas nos termos da

I - o modelo de gestão a ser adotado e, se for o caso, os critérios para a contratação de pessoas jurídicas autorizadas ou credenciadas nos termos da RESOLUCAO 3.506 Dispõe sobre as aplicações dos recursos dos regimes próprios de previdência social instituídos pela União, Estados, Distrito Federal e Municípios. O BANCO CENTRAL DO BRASIL, na forma do

Leia mais

Safra MANAGER APEX EQUITY HEDGE FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO

Safra MANAGER APEX EQUITY HEDGE FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO MANAGER APEX EQUITY HEDGE FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ Nº 13.667.539/0001-40 REGULAMENTO CAPÍTULO I - DO FUNDO 1.1. O MANAGER APEX EQUITY HEDGE FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

PROSPECTO VITÓRIA RÉGIA FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ Nº 05.384841/0001-63. Administradora SOLIDUS S/A CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS

PROSPECTO VITÓRIA RÉGIA FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ Nº 05.384841/0001-63. Administradora SOLIDUS S/A CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS ESTE PROSPECTO FOI PREPARADO COM AS INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS AO ATENDIMENTO DAS DISPOSIÇÕES DO CÓDIGO ANBIMA DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS PARA OS FUNDOS DE INVESTIMENTO, BEM COMO ÀS NORMAS EMANADAS

Leia mais

REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO PREV FIX RENDA FIXA CNPJ 05.107.310/0001-23 CAPÍTULO I - DO FUNDO

REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO PREV FIX RENDA FIXA CNPJ 05.107.310/0001-23 CAPÍTULO I - DO FUNDO REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO PREV FIX RENDA FIXA CNPJ 05.107.310/0001-23 CAPÍTULO I - DO FUNDO Art. 1º - O FUNDO DE INVESTIMENTO PREV FIX RENDA FIXA, doravante designado abreviadamente FUNDO, constituído

Leia mais

REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO CAIXA BRASIL IRF-M TÍTULOS PÚBLICOS RENDA FIXA LONGO PRAZO CNPJ: 14.508.605/0001-00

REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO CAIXA BRASIL IRF-M TÍTULOS PÚBLICOS RENDA FIXA LONGO PRAZO CNPJ: 14.508.605/0001-00 DO FUNDO REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO CAIXA BRASIL IRF-M Artigo 1º - O Fundo de Investimento CAIXA Brasil IRF-M Títulos Públicos Renda Fixa Longo Prazo, doravante designado, abreviadamente, FUNDO,

Leia mais

BI INVEST PREVIDÊNCIA IBOVESPA FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES BI INVEST PREVIDÊNCIA IBOVESPA - FIA CNPJ: 07.913.438/0001-00

BI INVEST PREVIDÊNCIA IBOVESPA FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES BI INVEST PREVIDÊNCIA IBOVESPA - FIA CNPJ: 07.913.438/0001-00 BI INVEST PREVIDÊNCIA IBOVESPA FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES BI INVEST PREVIDÊNCIA IBOVESPA - FIA CNPJ: 07.913.438/0001-00 Características Público Alvo O FUNDO destina-se ao público em geral, inclusive

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES AUXILIAR I CNPJ nº 54.070.966/0001-24. Mês de Referência: Março de 2016

FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES AUXILIAR I CNPJ nº 54.070.966/0001-24. Mês de Referência: Março de 2016 FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES AUXILIAR I CNPJ nº 54.070.966/0001-24 Mês de Referência: Março de 2016 Formulário de Informações Complementares O formulário contém um resumo das informações complementares

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO "NOVO LEBLON"

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO NOVO LEBLON ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO "NOVO LEBLON" I - Denominação e Objetivo ARTIGO 1º - O Clube de Investimento Novo Leblon, doravante designado Clube é constituído por número limitado de membros

Leia mais

PROSPECTO DO J.MALUCELLI FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ/MF N.º 06.228.245/0001-57 DEZEMBRO 2008

PROSPECTO DO J.MALUCELLI FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ/MF N.º 06.228.245/0001-57 DEZEMBRO 2008 PROSPECTO DO J.MALUCELLI FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ/MF N.º 06.228.245/0001-57 DEZEMBRO 2008 Classificação do FUNDO junto à Comissão de Valores Mobiliários

Leia mais

ITAÚ MAXI RENDA FIXA FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CNPJ 04.222.433/0001-42

ITAÚ MAXI RENDA FIXA FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CNPJ 04.222.433/0001-42 ITAÚ MAXI RENDA FIXA FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CNPJ 04.222.433/0001-42 MENSAGEM DO ADMINISTRADOR Prezado Cotista, Este FUNDO, constituído sob a forma de condomínio aberto,

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias Gerais. Resumo

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias Gerais. Resumo Resumo Estabelece os princípios que norteiam o exercício do direito de voto em assembleias gerais Sumário 1. Objetivo... 2 2. Público-alvo... 2 3. Dos Princípios Gerais... 2 4. Exercício Facultativo da

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO DXA Gestão de Investimentos Ltda. CNPJ/MF: 15.270.516/0001-23 NIRE: 33.2.0919466-6 Av. Rio Branco nº 89, 28º andar, Centro Rio de Janeiro/RJ - CEP 20.040-004 03

Leia mais

REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CAIXA PETROBRAS PRÉ-SAL CNPJ: 11.060.594/0001-42 DO FUNDO

REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CAIXA PETROBRAS PRÉ-SAL CNPJ: 11.060.594/0001-42 DO FUNDO DO FUNDO Artigo 1º - O Fundo de Investimento em Ações CAIXA Petrobras Pré-Sal, doravante designado, abreviadamente, FUNDO, é um Fundo de Investimento constituído sob a forma de condomínio aberto, com prazo

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS PETRA ASSET GESTÃO DE INVESTIMENTOS LTDA. Publicação 30/12/2015 - versão 001 Responsável: PETRA Asset Gestão de Investimentos Ltda. Documento - PÚBLICO

Leia mais

Exercício do Direito de Voto

Exercício do Direito de Voto Procedimento Exercício do Direito de Voto Data de Efetivação: 01/08/2014 ÍNDICE 1. Sumário... 2 2. Alterações das versões anteriores... 2 3. Escopo... 2 4. Responsabilidades... 2 5. Previsão Regulatória

Leia mais

Capítulo I - Do Fundo. Capítulo II - Do Público-Alvo

Capítulo I - Do Fundo. Capítulo II - Do Público-Alvo Capítulo I - Do Fundo Artigo 1 o - O NEO BBDC FEEDER FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO, doravante denominado FUNDO, constituído sob a forma de condomínio aberto, com

Leia mais

3) Ações, bônus ou recibos de subscrição e certificados de depósito de 0% 100%

3) Ações, bônus ou recibos de subscrição e certificados de depósito de 0% 100% CAPÍTULO I DO FUNDO Artigo 1 - O BLUE SKY FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CRÉDITO PRIVADO INVESTIMENTO NO EXTERIOR, doravante denominado FUNDO, constituído sob a forma de condomínio fechado, com prazo

Leia mais

REGULAMENTO ICATU SEG APOSENTADORIA US INDEX FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ/MF Nº 20.155.991/0001-99

REGULAMENTO ICATU SEG APOSENTADORIA US INDEX FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ/MF Nº 20.155.991/0001-99 REGULAMENTO ICATU SEG APOSENTADORIA US INDEX FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ/MF Nº 20.155.991/0001-99 CAPÍTULO I - FUNDO Artigo 1º O ICATU SEG APOSENTADORIA US INDEX FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO

Leia mais

Bradesco Private Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento Multimercado Commodities CNPJ 15.675.393/0001-00 1 a Alteração- 31.10.

Bradesco Private Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento Multimercado Commodities CNPJ 15.675.393/0001-00 1 a Alteração- 31.10. Capítulo I Do Fundo Artigo 1º - O BRADESCO PRIVATE FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO COMMODITIES, doravante denominado FUNDO, constituído sob a forma de condomínio aberto,

Leia mais

REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO CAIXA BRASIL 2018 I TÍTULOS PÚBLICOS RENDA FIXA CNPJ: 18.598.256/0001-08

REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO CAIXA BRASIL 2018 I TÍTULOS PÚBLICOS RENDA FIXA CNPJ: 18.598.256/0001-08 DO FUNDO Artigo 1º - O Fundo de Investimento CAIXA Brasil 2018 I Títulos Públicos Renda Fixa, doravante designado, abreviadamente FUNDO, é um Fundo de Investimento constituído sob a forma de condomínio

Leia mais

REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CAIXA IBOVESPA ATIVO CNPJ: 08.046.355/0001-23 DO FUNDO

REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CAIXA IBOVESPA ATIVO CNPJ: 08.046.355/0001-23 DO FUNDO DO FUNDO Artigo 1º - O Fundo de Investimento em Ações CAIXA Ibovespa Ativo, doravante designado, abreviadamente, FUNDO, é um Fundo de Investimento constituído sob a forma de condomínio aberto, com prazo

Leia mais

Regulamento do Fundo de Investimento em Ações Vokin K2 Dividendos CNPJ n o 13.962.941/0001-58 Alteração 3.12.2012

Regulamento do Fundo de Investimento em Ações Vokin K2 Dividendos CNPJ n o 13.962.941/0001-58 Alteração 3.12.2012 Capítulo I - Do Fundo Artigo 1 o O FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES VOKIN K2 DIVIDENDOS, doravante denominado FUNDO, constituído sob a forma de condomínio aberto, com prazo indeterminado de duração, é regido

Leia mais

PERIODICIDADE MÍNIMA PARA DIVULGAÇÃO DA COMPOSIÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO Mensal, até o dia 10 do mês subsequente ao de referência.

PERIODICIDADE MÍNIMA PARA DIVULGAÇÃO DA COMPOSIÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO Mensal, até o dia 10 do mês subsequente ao de referência. NORTHVIEW FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CRÉDITO PRIVADO 11.806.097/0001-40 Mês de Referência: Março de 2016 Formulário de Informações Complementares O formulário

Leia mais

REGULAMENTO DO BNY MELLON ARX CASH FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ nº 03.879.385/0001-05. Capítulo I Constituição e Características

REGULAMENTO DO BNY MELLON ARX CASH FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ nº 03.879.385/0001-05. Capítulo I Constituição e Características REGULAMENTO DO BNY MELLON ARX CASH FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ nº 03.879.385/0001-05 Capítulo I Constituição e Características Artigo 1º O BNY MELLON ARX CASH FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO

Leia mais