MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO"

Transcrição

1 MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO Biblioteca Central Prédio Sede Aberto ao público Rua Riachuelo, 115, térreo, sala 23 Cep: São Paulo/SP Fone/Fax (11) /9026 Biblioteca Gabriel Gabriel Neto Fórum da Barra Funda Acesso restrito (Membros e Estagiários) Fone:

2 Sumário 1. Conheça a biblioteca Serviços Empréstimo Empréstimo entre Bibliotecas Reprodução Pesquisa (doutrina, legislação e jurisprudência) Produtos oferecidos Boletim da Biblioteca Livros Informativo Jurídico Corrente Periódicos Links sugeridos para pesquisa Catálogo Online Como Pesquisar Selecionar registros para impressão Imprimir registros selecionados Dicas Base de Legislação (normas do MP) Como Pesquisar Exemplo de registro Anexo I Regulamento Anexo II - Modelo de Autorização

3 1. CONHEÇA A BIBLIOTECA A Biblioteca "César Salgado" recebeu este nome em homenagem a um dos grandes juristas que integraram o Ministério Público do Estado de São Paulo, José Augusto César Salgado, que exerceu o cargo de Procurador Geral da Justiça por três vezes e liderou a instituição com a força genuína das grandes personalidades. Constituída inicialmente, por volta de 1951, com material recebido da Associação Paulista do Ministério Público. Atualmente, a Biblioteca possui cerca de volumes, entre livros, folhetos e periódicos. Trata-se de um acervo especializado na área jurídica, com coleções importantes para o conhecimento da legislação, jurisprudência e doutrina, voltado para a atuação dos Membros do Ministério Público. Além dos Membros, Servidores, Estagiários e Estudantes da ESMP, a Biblioteca disponibiliza seu acervo para consulta ao público em geral. O funcionamento da biblioteca é regulamentado pelo Ato Normativo nº 774/2013 PGJ, 23/05/2013, publicada no Diário Oficial do Estado, Poder Executivo, Seção I, de 11 de junho de Horário de Funcionamento: Usuário interno 9h às 19h Usuário externo 11h às 19h 2. SERVIÇOS 2.1 EMPRÉSTIMO O empréstimo é permitido aos Procuradores, Promotores de Justiça, Servidores, Estagiários do Ministério Público, Estudantes da Escola Superior do Ministério Público e outras instituições públicas, mediante inscrição junto a Biblioteca. Prazos para devolução: Membros 14 dias, com limite de 6 livros Servidores, Estagiários e Estudantes 7 dias, com limite de 3 livros Sendo este prazo renovado, em caso de necessidade. A inscrição pode ser feita na Biblioteca mediante preenchimento de ficha cadastral com nome, endereço residencial, local de trabalho, cargo, telefones, número da carteira de identidade, e assinatura. 3

4 Pedimos aos usuários que comuniquem alterações de endereço e telefones (Cap. V, Regulamento Interno da Biblioteca) EMPRÉSTIMO ENTRE BIBLIOTECAS (EEB) Se a Biblioteca não dispuser de um título ou documento, é feita pesquisa em Bancos de Dados via Internet ou por telefone através do contato direto com centros de documentação, bibliotecas e outras instituições. Este tipo de empréstimo é feito para a Biblioteca, de acordo com o regulamento de cada instituição. Por isso, há critérios diferenciados que devem ser observados para usufruir deste serviço: ser Membro do MP, cumprir rigorosamente o prazo estipulado para devolução e não dispor de outro meio de obtenção do material. A Biblioteca se encarrega da retirada do material solicitado apenas em instituições e bibliotecas próximas ao edifício sede do Ministério Público REPRODUÇÃO Este serviço é prestado exclusivamente para Promotores e Procuradores e órgãos da administração do MP. A produção de cópias reprográficas ou escaneamento é restrita a uma cota diária não cumulativa, por usuário, que deverá encaminhar autorização para a execução do serviço, quando o pedido for feito por intermédio de estagiários ou auxiliares do órgão (Cap. VI, Regulamento Interno da Biblioteca). 2.4 PESQUISA A biblioteca possui uma equipe composta de profissionais da informação, oficiais e auxiliares de promotoria e estagiários de direito, treinados para orientar e executar as pesquisas solicitadas pelos senhores Promotores e Procuradores. Utilizam como principais ferramentas de pesquisa: o acervo livros, folhetos e periódicos da biblioteca, bases de dados bibliográficos, jurisprudenciais e legislativas disponíveis em CD-ROM e Internet. 3. PRODUTOS OFERECIDOS A biblioteca divulga através do site oficial da Instituição materiais bibliográficos recebidos por doação e compra. Os usuários interessados poderão solicitar o cadastramento para recebimento dos nossos produtos, através do 4

5 3.1. BOLETIM DA BIBLIOTECA LIVROS Boletim de divulgação mensal das obras novas recebidas pela Biblioteca e que estão disponíveis para empréstimo e consulta. Apresenta uma relação de livros com link para acessar o sumário. Endereço: 5

6 3.2 INFORMATIVO JURÍDICO CORRENTE - PERIÓDICOS Boletim de divulgação quinzenal, com referências bibliográficas dos artigos selecionados publicados em revistas recebidas pela Biblioteca. Apresenta uma relação com link para acessar o sumário. Endereço: 6

7 3.3. LINKS SUGERIDOS PARA PESQUISA Apresenta relação de links mais utilizados pelos pesquisadores para facilitar a busca por bases bibliográficas, de Legislação Federal, Estadual e Municipal, Projetos de Leis, Diários Oficiais, Tribunais de Justiça, Ministérios Públicos e outros. Endereço: 7

8 3.4. CATÁLOGO ONLINE O software utilizado pela biblioteca é o PHL 8.2, sistema especialmente desenvolvido para administração de coleções e serviços de bibliotecas, proporcionando acesso rápido às informações desejadas e facilitando a localização das obras nas estantes. O Catálogo online contempla o acervo das bibliotecas do Ministério Público do Estado de São Paulo. Contendo Bases de Livros, Folhetos, Periódicos, Artigos, Atos PGJ (a partir de 1991) e Avisos PGJ (a partir de 1997) e normas relacionadas à área de atuação do Ministério Público. Endereço: 8

9 3.4.1 COMO PESQUISAR Acesse o site oficial do Ministério Público clique em SERVIÇOS e escolha a opção Biblioteca, e em seguida acesse o link Catálogo online. A busca pode ser expressa com um termo simples, um termo truncado, um termo composto, um elemento específico, ou através de uma expressão de busca utilizando os operadores lógicos ou seus símbolos equivalentes (AND ou *), (OR ou +) e (NOT ou ^). Os operadores booleanos podem ser combinados em uma mesma expressão: ((inquérito civil) + (ação civil pública)) * brasil Para pesquisar em todas as bases, digite no campo as palavras-chaves, selecione uma das opções: todas as palavras ; qualquer palavra ; frase exata ou expressão e clique em Buscar Exemplo: AÇÃO CIVIL PÚBLICA O sistema apresentará relação de registros em todas as bases (livros, folhetos, artigos, legislação); indicando a quantidade de itens sobre o tema, a localização na estante, e a biblioteca que possui a obra. 9

10 SELECIONAR REGISTROS PARA IMPRESSÃO Para selecionar os itens de interesse para impressão clique na opção selecionar. Obs.: ao realizar uma nova busca, os itens selecionados da pesquisa anterior são anulados. 10

11 IMPRIMIR REGISTROS SELECIONADOS Para imprimir clique em Imprime seleção no final da página, aparecerá relação dos itens selecionados em forma de referência bibliográfica com indicação da biblioteca, clique em imprimir 11

12 3.4.4 DICAS A opção PREFERÊNCIAS também é utilizada para restringir o resultado de busca, selecionar acervo de uma determinada Biblioteca, palavras em um campo específico, idioma e/ou tipo de documento: 12

13 4. BASE DE LEGISLAÇÃO A Base de Legislação contém: Atos Normativos e não normativos, Avisos, Súmulas do CSMP, Teses do Setor Recursos Extraordinários, Portarias, Comunicados e Ordem de Serviços da DGMP. Apresenta a situação da norma (vigência, alteração, revogação), legislação ou normas correlatas com links para acessar a íntegra. 4.1 COMO PESQUISAR Para acessar a base de dados de Legislação, selecione em Preferências a Opção Legislação no campo Tipo de Documento. A busca é permitida por assunto ou por número, com 5 dígitos e ano,com 4 dígitos. Algumas siglas foram adotadas para facilitar a busca: Lei LEI Lei Complementar - LCP Decreto DEC Decreto Lei DEL Projeto de Lei PL Projeto de Lei Complementar PLC Ato ATO Aviso AVISO Resolução RES Portaria PRT Comunicado COM Assento ASSENTO Tese TESE Súmula SUM Exemplos: a) LCP ou LCP*00667 b) DEC ou DEC*27422 c) AVISO ou AVISO d) TESE três formas de pesquisar atos: e) ATO º - recupera todos os Atos nº 103 f) ATO º - recupera exatamente o Ato 103/1998 g) ATO * 103* 1998 ou ATO º - recupera todos os registros mencionados h) ATO-00 4º - recupera TODOS os Atos 13

14 4.2. EXEMPLO DE REGISTRO: 14

15 ANEXO I SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA ATO NORMATIVO Nº 774/2013 PGJ, DE 23 DE MAIO DE 2013 O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo artigo 19, incisos X, alíneas a e e, e XII, alínea c, da Lei Complementar n.º 734, de 26 de novembro de 1993; CONSIDERANDO a necessidade de aprimoramento, atualização e dinamização do Regulamento Interno das Bibliotecas do Ministério Público, RESOLVE EDITAR O SEGUINTE ATO NORMATIVO: Art. 1º. O funcionamento das Bibliotecas Central e Setoriais do Ministério Público do Estado de São Paulo será regido pelo Regulamento contido no Anexo deste Ato Normativo. Art. 2º. Este Ato Normativo entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário, em especial o Ato Normativo n. 244/00-PGJ, de 05 de dezembro de São Paulo, 23 de maio de Márcio Fernando Elias Rosa Procurador-Geral de Justiça ANEXO REGULAMENTO INTERNO DAS BIBLIOTECAS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO Capítulo I Disposições gerais Art. 1º. O presente regulamento estabelece normas sobre o funcionamento da Biblioteca Central e das Bibliotecas Setoriais do Ministério Público do Estado de São Paulo. Art. 2º. As bibliotecas são subordinadas à Subprocuradoria-Geral de Justiça Institucional, integrando a Área de Documentação e Divulgação. Capítulo II - Do Acesso Art. 3º. O acesso ao acervo das bibliotecas é público, mediante identificação pessoal. Art. 4º. O acesso ao acervo das Bibliotecas Setoriais é exclusivo dos membros, servidores e estagiários do Ministério Público do Estado de São Paulo, salvo o da Biblioteca do Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional (Escola Superior do Ministério Público). 15

16 Art. 5º. É proibido nas bibliotecas: I o uso de aparelhos de telefonia celular ou qualquer outro aparelho sonoro; II a prática do fumo e a ingestão de alimentos e bebidas; III a prática comercial ou publicitária, salvo os casos autorizados pela Subprocuradoria-Geral de Justiça Institucional. Art. 6º. São deveres do usuário: I o zelo pelo patrimônio e pela conservação do acervo das bibliotecas; II a manutenção do silêncio nos seus recintos; III a devolução do material emprestado dentro dos prazos estabelecidos. 1º. O usuário deverá colocar bolsas, sacolas, pastas, livros e materiais no guarda-volumes da recepção, utilizado exclusivamente durante a permanência do usuário no recinto, cuja chave ficará sob sua responsabilidade. 2º. O usuário é responsável pelos ônus decorrentes da reposição da chave nos casos de dano ou extravio e da troca do cadeado. 3º. As bibliotecas não são responsáveis por objetos ou valores armazenados, colocados ou abandonados nas suas dependências ou nos guarda-volumes. 4º. O usuário deverá colocar os materiais consultados sobre a respectiva mesa de estudo. Art. 7º. O horário de funcionamento das bibliotecas será fixado pela Subprocuradoria-Geral de Justiça Institucional. Capítulo III - Dos serviços e produtos Art. 8º. As bibliotecas oferecem aos usuários, dentre outros, os seguintes serviços e produtos: I - atendimento e orientação para pesquisa e levantamento bibliográfico; II - pesquisa de legislação, jurisprudência e doutrina pelos bancos de dados disponíveis; III - empréstimo, restrito: a) aos membros, servidores e estagiários do Ministério Público; 16

17 b) aos alunos e docentes da Escola Superior do Ministério Público; c) às bibliotecas de outros órgãos ou entidades. IV - intercâmbio entre bibliotecas, restrito aos membros do Ministério Público; V - reprodução de material bibliográfico restrito aos membros do Ministério Público; VI - divulgação de livros e artigos de periódicos pelo informativo jurídico-corrente; VII - acesso ao catálogo virtual através de terminais de consulta e de meios eletrônicos ou cibernéticos. Seção I - Da Pesquisa Art. 9º. A pesquisa será executada após solicitação pessoal ou por qualquer outro meio idôneo. Parágrafo único. As pesquisas serão atendidas, preferencialmente, pela ordem cronológica dos pedidos, e cadastradas. Seção II - Do empréstimo, Renovação, Reserva e Devolução Art. 10. O empréstimo de obras do acervo será permitido aos usuários indicados no inciso III do art. 8º, observados os seguintes requisitos: I - prévia inscrição no cadastro da biblioteca; II - comprovação de sua condição funcional ou acadêmica; III solicitação escrita do interessado. Art. 11. A solicitação poderá ser feita por intermédio de terceiro autorizado por escrito que deverá conter: I - a identificação do usuário e da pessoa autorizada à retirada física; II - a indicação dos materiais a serem retirados. Parágrafo único. A autorização terá validade de 30 (trinta) dias, prorrogável mediante solicitação escrita do interessado. Art. 12. Poderá ser concedido ao público o empréstimo de material bibliográfico para reprodução, mediante a apresentação de documento oficial, retido até a devolução do material no prazo máximo de uma hora. Parágrafo único. Será permitida a retirada de, no máximo, 05 (cinco) volumes para reprodução. 17

18 Art. 13. Salvo casos excepcionais a critério da Diretoria da Área de Documentação e Divulgação, é proibido o empréstimo de: I - enciclopédias, dicionários, códigos recentes e demais obras de referência ou legislação; II - publicações periódicas; III - obras raras; IV - obras que, em razão de seu estado de conservação ou por outro motivo relevante, a retirada seja inconveniente. Art. 14. Salvo casos excepcionais a critério da Diretoria da Área de Documentação e Divulgação, é permitido o empréstimo de, no máximo: I - 06 (seis) volumes a cada retirada, para os membros do Ministério Público; II - 03 (três) volumes a cada retirada, para os demais usuários referidos no inciso III do art. 8º. Art. 15. O prazo para devolução do material emprestado será de: I - 14 (quatorze) dias, para membros do Ministério Público; II - 07 (sete) dias, para os demais usuários arrolados no inciso III do art. 8º. 1º. O prazo poderá ser prorrogado ou renovado por igual período se não houver reserva para outro usuário, mediante requerimento por qualquer meio idôneo. 2º. Vencido o prazo, sem devolução, serão tomadas as medidas cabíveis. 3º. Em caso de necessidade, as bibliotecas poderão solicitar a devolução do material retirado antes do término do prazo. 4º. A falta de devolução ou a ausência de prorrogação ou renovação do prazo constitui em mora ao usuário independentemente de prévio aviso. Art. 16. A reserva de material obedecerá a ordem cronológica dos pedidos. Art. 17. É proibida a transferência de obra emprestada de um usuário para outro. Art. 18. O usuário é responsável pela conservação do material emprestado, inclusive dano ou extravio. Seção III - Empréstimo entre Bibliotecas (EEB) 18

19 Art. 19. O empréstimo entre bibliotecas de outros órgãos e entidades com as quais as Bibliotecas do Ministério Público mantêm cadastro de intercâmbio é restrito aos membros do Ministério Público, e será efetuado mediante: I - consulta prévia e confirmação da disponibilidade da obra pela biblioteca cedente. II - preenchimento de formulário específico, contendo: a) qualificação do interessado; b) indicação das obras desejadas; c) identificação, assinatura, carimbo e número do Conselho Regional de Biblioteconomia do bibliotecário responsável. 1º. O prazo para devolução do material obtido respeitará as normas da biblioteca cedente. 2º. O atraso, o extravio ou danos causados ao material sujeitarão o usuário à responsabilização prevista neste Regulamento. Seção IV - Da reprodução do material Art. 20. A reprodução de material bibliográfico é restrita aos membros do Ministério Público, mediante solicitação por escrito através de meio idôneo, contendo a indicação do material desejado. Art. 21. A reprodução poderá ser efetuada mediante extração de cópia reprográfica ou digitalização de artigos de periódicos, jurisprudência, legislação, parte ou capítulo de livros, sendo vedada: I a reprodução integral de livros; II - a extração de cópias do material considerado raro pela Diretoria da Área de Documentação e Divulgação. Art. 22. Decorridos 60 (sessenta) dias, o material reproduzido e não retirado será inutilizado. Seção V Do Informativo Jurídico Corrente Art. 23. O Informativo Jurídico Corrente (IJC) é meio de divulgação quinzenal de livros e revistas recentemente incorporados ao acervo, disponibilizado em seu sítio eletrônico. 1º. O acesso ao sumário e ao texto integral depende da disponibilidade na rede mundial de computadores. 19

20 2º. Os usuários cadastrados receberão o referido Informativo por mensagem eletrônica. Seção VI Do Catálogo Virtual Art. 24. O acesso ao acervo e aos serviços poderá ser efetuado pelo Catálogo Virtual, disponível nos terminais de consulta e de meios eletrônicos ou cibernéticos com orientação de consulta ao usuário. Capitulo IV Da Responsabilidade Art. 25. O usuário é responsável por extravio ou dano ao material, estando sujeito à substituição da obra às suas expensas. Art. 26. Em caso de extravio ou dano de obras raras ou esgotadas, a indenização será arbitrada pela Subprocuradoria-Geral de Justiça Institucional, baseada, entre outros critérios, nas referências do mercado especializado. Art. 27. Enquanto o usuário não restituir a obra emprestada ou resgatar o dano ou extravio não poderá obter empréstimo. Parágrafo único. Se a mora for superior a 03 (três) meses, e ainda se devolvida a obra, a restrição do caput persistirá por prazo igual ao atraso, salvo se houver requerimento de outro usuário, hipótese na qual aquele impedimento será contado em dobro. Capítulo V - Das disposições finais Art. 28. O usuário poderá solicitar à Diretoria da Área de Documentação e Divulgação a aquisição de material bibliográfico mediante requerimento, inclusive formulário disponível no sítio eletrônico ou por mensagem eletrônica. Art. 29. Compete à Diretoria da Área de Documentação e Divulgação: I - a aprovação da aceitação ao recebimento de material bibliográfico doado, submetendo-a ao referendo da Subprocuradoria-Geral de Justiça Institucional; II a coordenação das medidas necessárias ao bom andamento dos serviços; III a elaboração e apresentação à Subprocuradoria-Geral de Justiça Institucional de relatório anual das atividades. 20

21 1º. A doação será avaliada segundo os critérios de seleção, devendo o doador assinar o Termo de Doação de Publicações no qual constará cláusula de assentimento à possibilidade de encaminhamento total ou parcial das publicações para outras bibliotecas a título de doação ou permuta. 2º. O relatório anual indicará, entre outros dados: I - a quantidade de usuários atendidos; II - o acervo; III as sugestões para aperfeiçoamento do serviço. Art. 30. Os casos omissos serão resolvidos pela Subprocuradoria-Geral de Justiça Institucional. Publicado em: Diário Oficial: Poder Executivo - Seção I, São Paulo, v.123, n.97, p.66, de 24 de maio de Diário Oficial: Poder Executivo - Seção I, São Paulo, v.123, n.107, p.62, de 11 de junho de 2013 (Retificação do art.17). ANEXO II 21

22 MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO AUTORIZAÇÃO (empréstimos e cópias reprográficas) Eu, (nome do Membro), autorizo (nome do funcionário ou estagiário), _(cargo), RG ou Matrícula: material solicitado: a retirar ( ) cópia reprográfica ( ) empréstimo de obras (Especificar) São Paulo, / / Carimbo e assinatura 22

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DO CONSELHO FEDERAL DE CONTA- BILIDADE

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DO CONSELHO FEDERAL DE CONTA- BILIDADE REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DO CONSELHO FEDERAL DE CONTA- BILIDADE CAPÍTULO I Da finalidade Art. 1º A Biblioteca do Conselho Federal de Contabilidade terá por finalidade: I - proporcionar ao presidente,

Leia mais

PORTARIA DETRAN/RS Nº 456, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2010. Institui a Biblioteca do DETRAN/RS e dá outras disposições. O DIRETOR-PRESIDENTE DO

PORTARIA DETRAN/RS Nº 456, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2010. Institui a Biblioteca do DETRAN/RS e dá outras disposições. O DIRETOR-PRESIDENTE DO PORTARIA DETRAN/RS Nº 456, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2010. Institui a Biblioteca do DETRAN/RS e dá outras disposições. O DIRETOR-PRESIDENTE DO DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

Leia mais

REGIMENTO INTERNO REDE DE BIBLIOTECAS FACULDADE PADRÃO

REGIMENTO INTERNO REDE DE BIBLIOTECAS FACULDADE PADRÃO REGIMENTO INTERNO REDE DE BIBLIOTECAS FACULDADE PADRÃO 2015 REGIMENTO REDE DE BIBLIOTECAS FACULDADE PADRÃO Título I Das Disposições Preliminares Capítulo I Das Disposições Gerais Art. 1º - Este regulamento

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CIDADE LUZ FACILUZ TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. CAPÍTULO I Dos usuários e das inscrições

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CIDADE LUZ FACILUZ TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. CAPÍTULO I Dos usuários e das inscrições 1 REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CIDADE LUZ FACILUZ TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º - Este regulamento disciplina as normas que regem o funcionamento da biblioteca e as relações funcionais

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA SUMÁRIO 1 - INTRODUÇÃO... 3 2 - DO REGULAMENTO E SUA APLICAÇÃO... 3 3 - DAS INSCRIÇÕES... 3 4 - DO ACERVO... 3 5 - DO PRAZO DE EMPRÉSTIMO E QUANTIDADES DE VOLUMES... 4 6 - DA

Leia mais

CAPÍTULO I. Da finalidade. Art. 1º A Biblioteca do Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo terá por finalidade:

CAPÍTULO I. Da finalidade. Art. 1º A Biblioteca do Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo terá por finalidade: NORMATIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA NELSON RODRIGUES, DO CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO ESTADO DE SÃO PAULO CAPÍTULO I Da finalidade Art. 1º A Biblioteca do Conselho Regional de Contabilidade

Leia mais

O Presidente do Conselho Regional de Contabilidade de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

O Presidente do Conselho Regional de Contabilidade de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais e regimentais, PORTARIA CRCMG Nº 137/2009 APROVA ALTERAÇÕES NO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA PROFESSOR ANTÔNIO LOPES DE SÁ. O Presidente do Conselho Regional de Contabilidade de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

CAPÍTULO I DO REGULAMENTO E SUA APLICAÇÃO

CAPÍTULO I DO REGULAMENTO E SUA APLICAÇÃO 1 CAPÍTULO I DO REGULAMENTO E SUA APLICAÇÃO Art.1º - Institui o regulamento da BIBLIOTECA DA FACULDADE UNISSA DE SARANDI, com o objetivo de definir normas para prestação e utilização dos serviços e garantir

Leia mais

BOLETIM DE SERVIÇO Nº 24

BOLETIM DE SERVIÇO Nº 24 MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA SECRETARIA - EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE GESTÃO E INOVAÇÃO DIVISÃO DE GESTÃO DA INFORMAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO

Leia mais

BIBLIOTECA UEZO REGULAMENTO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

BIBLIOTECA UEZO REGULAMENTO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Este documento tem por finalidade formalizar e instituir as normas de utilização da biblioteca, no que tange aos produtos e serviços oferecidos pela

Leia mais

RESOLUÇÃO GP N. 23 DE 14 DE AGOSTO DE 2014.

RESOLUÇÃO GP N. 23 DE 14 DE AGOSTO DE 2014. RESOLUÇÃO GP N. 23 DE 14 DE AGOSTO DE 2014. Dispõe sobre o funcionamento da Biblioteca Desembargador Marcílio Medeiros. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SANTA CATARINA, considerando o exposto

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I Das disposições gerais Art. 1º. A Biblioteca, tem por objetivo oferecer suporte informacional à toda Instituição, podendo ser aberta à comunidade para consulta bibliográfica.

Leia mais

BIBLIOTECA REGULAMENTO E NORMAS

BIBLIOTECA REGULAMENTO E NORMAS BIBLIOTECA REGULAMENTO E NORMAS Taquaritinga - SP Conteúdo I n s t i t u t o T a q u a r i t i n g u e n s e d e E n s i n o S u p e r i o r TÍTULO I... 1 DO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA... 1 CAPÍTULO I...

Leia mais

ESCOLA DE ENFERMAGEM WENCESLAU BRAZ BIBLIOTECA MADRE MARIE ANGE REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA MADRE MARIE ANGIE

ESCOLA DE ENFERMAGEM WENCESLAU BRAZ BIBLIOTECA MADRE MARIE ANGE REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA MADRE MARIE ANGIE ESCOLA DE ENFERMAGEM WENCESLAU BRAZ BIBLIOTECA MADRE MARIE ANGE REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA MADRE MARIE ANGIE ITAJUBÁ-MG 2012 CAPÍTULO I Da Biblioteca e seu funcionamento CAPÍTULO II Do usuário Seção

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA FACULDADE SÃO CAMILO-MG

REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA FACULDADE SÃO CAMILO-MG 1 REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA FACULDADE SÃO CAMILO-MG CAPÍTULO I Disposição preliminares Art 1º A Biblioteca da Faculdade São Camilo-MG tem por objetivo geral apoiar as atividades de ensino-aprendizagem

Leia mais

REGULAMENTO EMPRÉSTIMO E CONSULTA DO ACERVO BIBLIOTECA DA FANORPI. Capítulo I Das Disposições Preliminares

REGULAMENTO EMPRÉSTIMO E CONSULTA DO ACERVO BIBLIOTECA DA FANORPI. Capítulo I Das Disposições Preliminares REGULAMENTO EMPRÉSTIMO E CONSULTA DO ACERVO BIBLIOTECA DA FANORPI Capítulo I Das Disposições Preliminares Art. 1º- A Biblioteca, presta seus serviços à comunidade acadêmica da FANORPI e região, com a intenção

Leia mais

Fatec Pindamonhangaba

Fatec Pindamonhangaba Regulamento da Biblioteca CAPÍTULO I - APRESENTAÇÃO Art. 1º - A Biblioteca da FATEC Faculdade de Tecnologia de Pindamonhangaba, rege-se pelo Regimento desta Instituição e por este Regulamento. Art. 2º

Leia mais

Governo do Estado do Espírito Santo Procuradoria Geral do Estado

Governo do Estado do Espírito Santo Procuradoria Geral do Estado REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DA PROCURADORIA GERAL DO ESTADO. Dispõe sobre o Regimento Interno da Biblioteca da PGE. O PROCURADOR-GERAL DO ESTADO, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pela

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA

REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DA COMPETÊNCIA Art.1º. A Biblioteca da Faculdade Canção Nova tem atribuição de desenvolver e implantar política de desenvolvimento do respectivo acervo e promover o tratamento,

Leia mais

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS. Art. 2º As Bibliotecas da Univás estão a serviço da comunidade, oferecendo aos usuários:

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS. Art. 2º As Bibliotecas da Univás estão a serviço da comunidade, oferecendo aos usuários: REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS CAPÍTULO I DA FINALIDADE Art. 1 Este Regulamento normatiza o funcionamento das Bibliotecas da Universidade do Vale do Sapucaí Univás, mantida pela Fundação de Ensino Superior

Leia mais

Art. 1º Atualizar o Regulamento que disciplina o funcionamento da Biblioteca do Tribunal Regional do Trabalho, conforme o que segue:

Art. 1º Atualizar o Regulamento que disciplina o funcionamento da Biblioteca do Tribunal Regional do Trabalho, conforme o que segue: ATO EJTRT Nº 03/2014 O DIRETOR DA ESCOLA JUDICIAL DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO, no uso de suas atribuições regimentais e regulamentares, CONSIDERANDO os objetivos da Escola Judicial do

Leia mais

INSTRUÇÃO Nº 15, DE 17 DE AGOSTO DE 2010.

INSTRUÇÃO Nº 15, DE 17 DE AGOSTO DE 2010. Sistema Integrado de Normas Jurídicas do Distrito Federal SINJ-DF INSTRUÇÃO Nº 15, DE 17 DE AGOSTO DE 2010. A PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO DE ENSINO E PESQUISA EM CIÊNCIAS DA SAÚDE, no uso das atribuições que

Leia mais

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS: CENTRAL E INFANTIL

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS: CENTRAL E INFANTIL REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS: CENTRAL E INFANTIL DA NATUREZA Art. 1º - A Biblioteca do Colégio Catarinense, apresentando características inovadoras, alicerçada no conhecimento e na qualidade na prestação

Leia mais

PORTARIA FATEC / PRESIDENTE PRUDENTE Nº 18/2008 DE 23 DE JUNHO DE 2008.

PORTARIA FATEC / PRESIDENTE PRUDENTE Nº 18/2008 DE 23 DE JUNHO DE 2008. PORTARIA FATEC / PRESIDENTE PRUDENTE Nº 18/2008 DE 23 DE JUNHO DE 2008. Estabelece normas para utilização da Biblioteca da Faculdade de Tecnologia de Presidente Prudente. O Diretor da Faculdade de Tecnologia

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA GEORGE ALEXANDER. Capítulo I Disposições Preliminares

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA GEORGE ALEXANDER. Capítulo I Disposições Preliminares UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA GEORGE ALEXANDER Capítulo I Disposições Preliminares Art. 1º Este regulamento disciplina o funcionamento da Biblioteca George Alexander

Leia mais

Regulamento Interno da Biblioteca Liliana Gonzaga Rede Gonzaga de Ensino Superior

Regulamento Interno da Biblioteca Liliana Gonzaga Rede Gonzaga de Ensino Superior Capítulo 1 - INTRODUÇÃO Art. 1. Este regulamento visa definir normas para a prestação de serviços da Biblioteca e a utilização dos serviços oferecidos pela Biblioteca Liliana Gonzaga e Faculdade REGES

Leia mais

Definir os procedimentos para a gestão dos acervos bibliográficos do PJAC.

Definir os procedimentos para a gestão dos acervos bibliográficos do PJAC. Código: MAP-DIINF-002 Versão: 00 Data de Emissão: 01/01/2013 Elaborado por: Gerência de Acervos Aprovado por: Diretoria de Informação Institucional 1 OBJETIVO Definir os procedimentos para a gestão dos

Leia mais

ESCOLA TÉCNICA DAMA E FACULDADE DAMA Regulamento Biblioteca DAMA

ESCOLA TÉCNICA DAMA E FACULDADE DAMA Regulamento Biblioteca DAMA ESCOLA TÉCNICA DAMA E FACULDADE DAMA Regulamento Biblioteca DAMA 1 INFORMAÇÕES GERAIS A Biblioteca DAMA é um órgão suplementar da Escola Técnica DAMA e Faculdade DAMA, com regulamento próprio, conforme

Leia mais

Aprova o Regulamento da Biblioteca do Campus Curitiba do Instituto Federal do Paraná (IFPR).

Aprova o Regulamento da Biblioteca do Campus Curitiba do Instituto Federal do Paraná (IFPR). RESOLUÇÃO Nº 001/2012 DA DIREÇÃO GERAL Aprova o Regulamento da Biblioteca do Campus Curitiba do Instituto Federal do Paraná (IFPR). O Diretor Geral, no uso de suas atribuições, resolve disciplinar as normas

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008 REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA

FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008 REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008 REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA Revisão 00 31/08/2009 Edição inicial Revisão 01 29/06/2011 - Nova redação para o Cap. I,

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008 REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA

FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008 REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008 REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA Revisão 00 31/08/2009 Edição inicial Revisão 01 29/06/2011 Nova redação para o Cap. I, art.

Leia mais

Art. 2º. A Biblioteca oferece aos seus usuários salas de estudo em grupo, cabines de estudo individuais e terminais de consulta e pesquisa.

Art. 2º. A Biblioteca oferece aos seus usuários salas de estudo em grupo, cabines de estudo individuais e terminais de consulta e pesquisa. REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CECÍLIA MEIRELES FACULDADE METROPOLITANA Este regulamento visa estabelecer padrões e normas referentes ao funcionamento da Biblioteca Cecília Meireles da Faculdade Metropolitana,

Leia mais

REGULAMENTO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA GETÚLIO VARGAS

REGULAMENTO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA GETÚLIO VARGAS REGULAMENTO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA GETÚLIO VARGAS A Presidente da Academia de Educação Montenegro, no uso de suas atribuições regimentais e regulamentares, tendo em vista o Regimento Interno das Faculdades

Leia mais

REGULAMENTO BIBLIOTECA DA FACULDADE FIP / MAGSUL DE PONTA PORÃ

REGULAMENTO BIBLIOTECA DA FACULDADE FIP / MAGSUL DE PONTA PORÃ REGULAMENTO BIBLIOTECA DA FACULDADE FIP / MAGSUL DE PONTA PORÃ Este regulamento visa estabelecer padrões e normas referentes ao funcionamento da Biblioteca das Faculdades MAGSUL, objetivando sempre o aperfeiçoamento

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS E LETRAS DE ASSIS REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ACÁCIO JOSÉ SANTA ROSA

FACULDADE DE CIÊNCIAS E LETRAS DE ASSIS REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ACÁCIO JOSÉ SANTA ROSA FACULDADE DE CIÊNCIAS E LETRAS DE ASSIS 1 REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ACÁCIO JOSÉ SANTA ROSA CAPÍTULO I DO ACESSO E DO FUNCIONAMENTO Artigo 1º A Biblioteca destina-se especialmente ao corpo docente e discente,

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS DO TOCANTINS REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DA FACIT

FACULDADE DE CIÊNCIAS DO TOCANTINS REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DA FACIT FACULDADE DE CIÊNCIAS DO TOCANTINS REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DA FACIT TÍTULO I DAS FINALIDADES Art.1º. O presente documento tem por finalidade estabelecer normas e rotinas para o funcionamento

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CAMPINEIRA DE ENSINO SUPERIOR E CULTURA - ACESC Instituto de Ensino Superior de Americana - IESA

ASSOCIAÇÃO CAMPINEIRA DE ENSINO SUPERIOR E CULTURA - ACESC Instituto de Ensino Superior de Americana - IESA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA Capítulo I Disposições Preliminares Artigo 1º. - O presente regulamento estabelece normas de uso e funcionamento da Biblioteca do IESA - Instituto de Ensino Superior de Americana.

Leia mais

Fundação Presidente Antônio Carlos - FUPAC Faculdade Presidente Antônio Carlos de Aimorés

Fundação Presidente Antônio Carlos - FUPAC Faculdade Presidente Antônio Carlos de Aimorés REGULAMENTO DA BIBLIOTECA Regulamenta o funcionamento da biblioteca no âmbito da Faculdade Presidente Antônio Carlos de Aimorés. Capítulo I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento tem por

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008 REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA

FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008 REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008 REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA Revisão 00 31/08/2009 Edição inicial Revisão 01 29/06/2011 - Nova redação para o Cap. I,

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 17/CUn DE 10 DE ABRIL DE 2012. Regulamenta o Programa de Monitoria da Universidade Federal de Santa Catarina

RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 17/CUn DE 10 DE ABRIL DE 2012. Regulamenta o Programa de Monitoria da Universidade Federal de Santa Catarina RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 17/CUn DE 10 DE ABRIL DE 2012 Regulamenta o Programa de Monitoria da Universidade Federal de Santa Catarina O PRESIDENTE DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal de Santa

Leia mais

SISTEMA DE BIBLIOTECAS DO IFRS

SISTEMA DE BIBLIOTECAS DO IFRS Manual do Usuário: SISTEMA DE BIBLIOTECAS DO IFRS Em 2013 foi adquirido o Sistema de Gerenciamento de Bibliotecas Pergamum para todas Bibliotecas do IFRS. A implantação está sendo feita de acordo com as

Leia mais

O CONSELHO UNIVERSITÁRIO APROVOU E EU, VICE- REITORA, NO USO DE MINHAS ATRIBUIÇÕES ESTATUTÁRIAS E REGIMENTAIS, SANCIONO A SEGUINTE RESOLUÇÃO:

O CONSELHO UNIVERSITÁRIO APROVOU E EU, VICE- REITORA, NO USO DE MINHAS ATRIBUIÇÕES ESTATUTÁRIAS E REGIMENTAIS, SANCIONO A SEGUINTE RESOLUÇÃO: R E S O L U Ç Ã O N o 007/2011-COU CERTIDÃO Certifico que a presente resolução foi afixada em local de costume, nesta Reitoria e no site http://www.scs.uem.br, no dia 28/4/2011. Aprova Regulamento de Uso

Leia mais

Capítulo 1 Dos termos

Capítulo 1 Dos termos Resolução n 03 do Conselho de Ensino Superior O Conselho de Ensino Superior da Faculdade Três de Maio SETREM reformula o Regulamento da Biblioteca José de Alencar e dá outras providências. Capítulo 1 Dos

Leia mais

NORMAS DE ATENDIMENTO DA REDE DE BIBLIOTECAS

NORMAS DE ATENDIMENTO DA REDE DE BIBLIOTECAS 1. OBJETIVO As presentes NORMAS DE ATENDIMENTO regulam os procedimentos para utilização do espaço físico e acervo das Bibliotecas da Estácio. 2. DEFINIÇÕES Pergamum - Sistema Integrado de Bibliotecas utilizado

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento estabelece normas de uso e funcionamento da biblioteca do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO BARRIGA VERDE

CENTRO UNIVERSITÁRIO BARRIGA VERDE CENTRO UNIVERSITÁRIO BARRIGA VERDE REGULAMENTO DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA CENTRO UNIVERSITÁRIO BARRIGA VERDE - UNIBAVE REGULAMENTO DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADE Art.

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DO VALE DO ITAPECURU

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DO VALE DO ITAPECURU REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DO VALE DO ITAPECURU Este regulamento visa estabelecer padrões e normas referente ao funcionamento da Biblioteca da Faculdade do Vale do Itapecuru - FAI, objetivando

Leia mais

FACULDADE DE ARARAQUARA

FACULDADE DE ARARAQUARA SUMÁRIO CAPÍTULO I: CONSTITUIÇÃO, FINALIDADES E COMPETÊNCIAS... 2 CAPÍTULO II: DO CADASTRO DE USUÁRIOS... 3 CAPÍTULO III: DA CONSULTA AO ACERVO... 4 CAPÍTULO IV: DOS EMPRÉSTIMOS... 4 CAPÍTULO V: DO ATRASO

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS: Art. 1 - A Biblioteca da FACSETE Faculdade Sete Lagoas, tem como objetivo, a disseminação da informação através da aquisição, organização, e conservação

Leia mais

3. DAS INSTALAÇÕES E DA INFRA-ESTRUTURA

3. DAS INSTALAÇÕES E DA INFRA-ESTRUTURA Regulamento Interno da Biblioteca do Instituto J. Andrade 1. MISSÃO A biblioteca tem como missão atender às necessidades da comunidade acadêmica do Instituto J. Andrade, em suas atividades de estudo, ensino,

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ACADÊMICA

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ACADÊMICA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ACADÊMICA Aprovado pela Resolução Consuni nº. 15/08, de 21/05/08. CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E DO FUNCIONAMENTO Art. 1º A Biblioteca Acadêmica, órgão de apoio às atividades do

Leia mais

Regulamento da Biblioteca. Este Regulamento define normas para a prestação e utilização dos serviços da Biblioteca.

Regulamento da Biblioteca. Este Regulamento define normas para a prestação e utilização dos serviços da Biblioteca. PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO Biblioteca Paulo Lacerda de Azevedo Regulamento da Biblioteca Este Regulamento define normas para a prestação e utilização dos serviços da Biblioteca. Usuários da Biblioteca Alunos

Leia mais

Regulamento da Biblioteca São José

Regulamento da Biblioteca São José 1 Regulamento da Biblioteca São José Pato Branco - PR 2 SUMÁRIO DO REGULAMENTO E SUA APLICAÇÃO... 3 DA NATUREZA E FINS... 3 DO ACERVO... 4 DO HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO... 4 DA ORGANIZAÇÃO... 5 DO PESSOAL...

Leia mais

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA - UNILUS

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA - UNILUS REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA - UNILUS Este regulamento visa estabelecer padrões e normas referentes ao funcionamento do Sistema de Bibliotecas do Centro Universitário Lusíada

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO TOCANTINS PORTARIA Nº 41, DE 21 DE AGOSTO DE 2012.

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO TOCANTINS PORTARIA Nº 41, DE 21 DE AGOSTO DE 2012. MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO TOCANTINS PORTARIA Nº 41, DE 21 DE AGOSTO DE 2012. Aprova o Regulamento Interno da Biblioteca da PR/TO. O PROCURADOR-CHEFE DA PROCURADORIA

Leia mais

Manual de uso e Regras da Biblioteca

Manual de uso e Regras da Biblioteca Manual de uso e Regras da Biblioteca A Biblioteca é parte integrante do processo educativo da ETEC Dr. Emílio Hernandes Aguilar, de forma a alcançar o desenvolvimento das competências de informação, ensino,

Leia mais

Regimento Interno. - Adotar padrões ou critérios de organização e administração da biblioteca da Fundação Educacional "Dr. Raul Bauab" Jahu.

Regimento Interno. - Adotar padrões ou critérios de organização e administração da biblioteca da Fundação Educacional Dr. Raul Bauab Jahu. Regimento Interno Título I: Dos objetivos e competências Art. 1º: A Biblioteca, órgão da Fundação Educacional "Dr. Raul Bauab" - Jahu, tem por finalidade oferecer apoio informativo aos usuários, proporcionando

Leia mais

A qualquer usuário é permitido o acesso à Biblioteca de Saúde Pública, bem como a consulta aos seus acervos, nos dias e horários de funcionamento.

A qualquer usuário é permitido o acesso à Biblioteca de Saúde Pública, bem como a consulta aos seus acervos, nos dias e horários de funcionamento. A BIBLIOTECA DE SAÚDE PÚBLICA A Biblioteca de Saúde Pública, que integra a Rede de Bibliotecas da Fiocruz, foi criada em 1954 e tem como missão contribuir para o desenvolvimento da Saúde Pública através

Leia mais

Regulamento da Biblioteca do Instituto de Seguros de Portugal. Capítulo I ASPECTOS GERAIS

Regulamento da Biblioteca do Instituto de Seguros de Portugal. Capítulo I ASPECTOS GERAIS Regulamento da Biblioteca do Instituto de Seguros de Portugal Capítulo I ASPECTOS GERAIS Artigo 1.º Objecto 1. O presente Regulamento estabelece um conjunto de normas a serem observadas e cumpridas pelos

Leia mais

Regulamento da Biblioteca. Este Regulamento define normas para a prestação e utilização dos serviços da Biblioteca.

Regulamento da Biblioteca. Este Regulamento define normas para a prestação e utilização dos serviços da Biblioteca. PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO Biblioteca Paulo Lacerda de Azevedo Regulamento da Biblioteca Este Regulamento define normas para a prestação e utilização dos serviços da Biblioteca. Usuários da Biblioteca Alunos

Leia mais

REGIMENTO INTERNO BIBLIOTECA MACHADO DE ASSIS

REGIMENTO INTERNO BIBLIOTECA MACHADO DE ASSIS REGIMENTO INTERNO BIBLIOTECA MACHADO DE ASSIS Aprova o Regimento da Biblioteca do Colégio Cenecista Dr. Julio Cesar Ribeiro Neves e dá outras providências. A Diretora do Colégio Cenecista Dr. Julio Cesar

Leia mais

Biblioteca UNIFESP Campus Diadema

Biblioteca UNIFESP Campus Diadema Endereço: Rua Manoel da Nóbrega, 1149, Centro Diadema, CEP: 09910-720 Tel.: 3319-3460 e-mail: biblioteca.diadema@unifesp.br Horário de funcionamento: De segunda a sexta: das 8:00 às 20:45hs Sábados: das

Leia mais

SISTEMA DE BIBLIOTECAS DO IFRS. Manual do Usuário

SISTEMA DE BIBLIOTECAS DO IFRS. Manual do Usuário SISTEMA DE BIBLIOTECAS DO IFRS Manual do Usuário Acesso Rápido Apresentação 2 Consulta ao Catálogo do SiBIFRS 3 Pesquisa geral 5 Opções de consulta 7 Detalhamento da obra 8 Detalhamento da obra Guia Exemplares

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO Secretaria de Estado de Cultura SEC/MT Biblioteca Publica Estadual Estevão de Mendonça

ESTADO DE MATO GROSSO Secretaria de Estado de Cultura SEC/MT Biblioteca Publica Estadual Estevão de Mendonça REGULAMENTO DA POLÍTICA DE EMPRESTIMO DOMICILIAR CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO A Biblioteca Pública Estadual Estevão de Mendonça (BPEEM) criada pelo decreto n.º 307, de 26 de março de 1912, regulamentada

Leia mais

REGIMENTO DA BIBLIOTECA. Rosmar Tobias FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÃ DO NORTE

REGIMENTO DA BIBLIOTECA. Rosmar Tobias FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÃ DO NORTE REGIMENTO DA BIBLIOTECA Rosmar Tobias FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÃ DO NORTE SUMÁRIO 1 DOS OBJETIVOS... 3 2 DA ORGANIZAÇÃO TÉCNICA... 3 3 DA ESTRUTURA ADMINISTRATIVA... 3 4 DO HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO...

Leia mais

JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU Seção Judiciária do Rio Grande do Norte Secretaria Administrativa

JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU Seção Judiciária do Rio Grande do Norte Secretaria Administrativa PORTARIA Nº 108-JF/RN, DE 23 DE FEVEREIRO DE 2006. O DIRETOR DO FORO DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO RIO GRANDE DO NORTE, no uso de suas atribuições legais e, CONSIDERANDO: a) o aumento do número do acervo da biblioteca

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA FACISABH

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA FACISABH REGULAMENTO DA BIBLIOTECA FACISABH Belo Horizonte 2014 REGULAMENTO DA BIBLIOTECA FACISABH 1 Da Finalidade da Biblioteca A Biblioteca FacisaBH tem como finalidade proporcionar ao corpo docente, discente

Leia mais

FACULDADE FRUTAL FAF REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCRITORA MAGNÓLIA ROSA

FACULDADE FRUTAL FAF REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCRITORA MAGNÓLIA ROSA FACULDADE FRUTAL FAF REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCRITORA MAGNÓLIA ROSA Frutal/MG 2014 1 UNIÃO DAS INSTITUIÇÕES EDUCACIONAIS DO ESTADO DE SÃO PAULO PRESIDENTE: José Fernando Pinto da Costa VICE-

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 110, DE 21 DE JULHO DE 2010

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 110, DE 21 DE JULHO DE 2010 Publicada no Boletim de Serviço, nº 8 em 6/8/2010. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 110, DE 21 DE JULHO DE 2010 Dispõe sobre a administração de bens móveis patrimoniais no âmbito da Secretaria do Supremo Tribunal

Leia mais

FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA PROF. PÍNDARO MACHADO SOBRINHO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA PROF. PÍNDARO MACHADO SOBRINHO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA PROF. PÍNDARO MACHADO SOBRINHO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. Este regulamento disciplina o funcionamento da Biblioteca Prof.

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS KROTON EDUCACIONAL SA

REGULAMENTO INTERNO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS KROTON EDUCACIONAL SA REGULAMENTO INTERNO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS KROTON EDUCACIONAL SA CONTROLE DE REVISÕES* Editadoem: Revisado em: Revisado por: Históricoda revisão: 04/07/2014 - - Primeira versão corporativa. * As atualizações

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE RESOLUÇÃO CONSUN Nº 009/2012

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE RESOLUÇÃO CONSUN Nº 009/2012 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE RESOLUÇÃO CONSUN Nº 009/2012 Regulamenta o Programa de Monitoria da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul. Alterada pela

Leia mais

REGULAMENTO DA DEFESA DE DISSERTAÇÃO DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM AUTOMAÇÃO E CONTROLE DE PROCESSOS - IFSP DO OBJETIVO

REGULAMENTO DA DEFESA DE DISSERTAÇÃO DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM AUTOMAÇÃO E CONTROLE DE PROCESSOS - IFSP DO OBJETIVO REGULAMENTO DA DEFESA DE DISSERTAÇÃO DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM AUTOMAÇÃO E CONTROLE DE PROCESSOS - IFSP DO OBJETIVO Normatiza as atividades relacionadas à defesa de dissertação e estabelece

Leia mais

Biblioteca Mercedes Silva Pinto. Manual da Biblioteca. Aprenda a utilizar os recursos da Biblioteca Visite-a sempre e aproveite o acervo disponível

Biblioteca Mercedes Silva Pinto. Manual da Biblioteca. Aprenda a utilizar os recursos da Biblioteca Visite-a sempre e aproveite o acervo disponível Biblioteca Mercedes Silva Pinto Manual da Biblioteca Aprenda a utilizar os recursos da Biblioteca Visite-a sempre e aproveite o acervo disponível REGULAMENTO COMPLETO DA BIBLIOTECA I. Regulamento do Uso

Leia mais

Art. 2º Este Ato Administrativo entra em vigor na data de sua assinatura, revogadas as disposições em contrário.

Art. 2º Este Ato Administrativo entra em vigor na data de sua assinatura, revogadas as disposições em contrário. ATO ADMINISTRATIVO REITORIA Nº 16/2015 Aprova o Edital do Processo Seletivo dos Cursos Superiores na modalidade a Distância Vestibular 2º Semestre de 2015 O REITOR DA UNIVERSIDADE METODISTA DE SÃO PAULO,

Leia mais

FUNDAÇÃO HEMOCENTRO DE RIBEIRÃO PRETO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA

FUNDAÇÃO HEMOCENTRO DE RIBEIRÃO PRETO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA Este regulamento tem por objetivo estabelecer normas referentes ao funcionamento da Biblioteca. CAPÍTULO I MISSÃO INSTITUCIONAL DA FUNDAÇÃO HEMOCENTRO DE RIBEIRÃO PRETO (FUNDHERP)

Leia mais

REGULAMENTO DE BIBLIOTECAS

REGULAMENTO DE BIBLIOTECAS REGULAMENTO DE BIBLIOTECAS Este regulamento visa estabelecer padrões e normas para o funcionamento das Bibliotecas das Unidades de Ensino mantidas pela PITÁGORAS, objetivando sempre o aperfeiçoamento dos

Leia mais

FACULDADE SALESIANA DOM BOSCO DE PIRACICABA

FACULDADE SALESIANA DOM BOSCO DE PIRACICABA FACULDADE SALESIANA DOM BOSCO DE PIRACICABA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA A biblioteca Pe. Mário Quilici, da Faculdade Salesiana Dom Bosco de Piracicaba tem por objetivo proporcionar aos professores, alunos,

Leia mais

Regulamento da Biblioteca da Escola Superior da Magistratura da AJURIS

Regulamento da Biblioteca da Escola Superior da Magistratura da AJURIS Regulamento da Biblioteca da Escola Superior da Magistratura da AJURIS Preâmbulo Ficam sujeitos a este regulamento, sem prejuízo de outras normas vigentes, todos os usuários da Biblioteca da Escola Superior

Leia mais

Avenida Loja Maçônica Renovadora 68, no. 100 - CEP 14785-002 - Barretos/SP. Regulamento. Capítulo I. Disposições preliminares

Avenida Loja Maçônica Renovadora 68, no. 100 - CEP 14785-002 - Barretos/SP. Regulamento. Capítulo I. Disposições preliminares Regulamento Capítulo I Disposições preliminares Art. 1º. Este regulamento disciplina o funcionamento da Biblioteca Dr. Ranulpho Prata da Faculdade de Ciências da Saúde de Barretos Dr. Paulo Prata (FACISB).

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE ESTUDANTES PARA O QUADRO DE ESTAGIÁRIOS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL CURSO SUPERIOR DIREITO

PROCESSO SELETIVO DE ESTUDANTES PARA O QUADRO DE ESTAGIÁRIOS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL CURSO SUPERIOR DIREITO PROCESSO SELETIVO DE ESTUDANTES PARA O QUADRO DE ESTAGIÁRIOS DO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL CURSO SUPERIOR DIREITO EDITAL Nº 002/2016 PORTO ALEGRE A DIREÇÃO DAS PROMOTORIAS DE JUSTIÇA DE DEFESA DOS

Leia mais

REGULAMENTO PARA FUNCIONAMENTO DAS BIBLIOTECAS ITE - INSTITUIÇÃO TOLEDO DE ENSINO BAURU

REGULAMENTO PARA FUNCIONAMENTO DAS BIBLIOTECAS ITE - INSTITUIÇÃO TOLEDO DE ENSINO BAURU REGULAMENTO PARA FUNCIONAMENTO DAS BIBLIOTECAS ITE - INSTITUIÇÃO TOLEDO DE ENSINO BAURU TÍTULO I - Disposições Gerais Art. 1º - As Bibliotecas da Instituição Toledo de Ensino de Bauru, órgãos suplementares,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 129, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2011

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 129, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2011 Publicada no Boletim de Serviço nº 12, de 7 dez. 2011, p. 7-11 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 129, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2011 Dispõe sobre o funcionamento da Biblioteca Ministro Victor Nunes Leal do Supremo Tribunal

Leia mais

REGULAMENTO. BIBLIOTECA Dr. ÉLCIO COSTA COUTO

REGULAMENTO. BIBLIOTECA Dr. ÉLCIO COSTA COUTO 1 REGULAMENTO BIBLIOTECA Dr. ÉLCIO COSTA COUTO DA FINALIDADE ARTIGO 1º - A biblioteca Dr. Élcio Costa Couto da Faculdade de Filosofia Ciências e Letras do Alto São Francisco FASF, mantida pelas Obras Sociais

Leia mais

REGULAMENTO DA Biblioteca Campus UFRJ-Macaé Professor Aloísio Teixeira/FUNEMAC

REGULAMENTO DA Biblioteca Campus UFRJ-Macaé Professor Aloísio Teixeira/FUNEMAC REGULAMENTO DA Biblioteca Campus UFRJ-Macaé Professor Aloísio Teixeira/FUNEMAC 1- Horário de Funcionamento 08:00 às 21:00 horas ininterruptas. No período de férias, o horário será reduzido. 2- Normas do

Leia mais

REGIMENTO BIBLIOTECA FANOR

REGIMENTO BIBLIOTECA FANOR REGIMENTO BIBLIOTECA FANOR FACULDADES NORDESTE Direção Geral Marcelo Adler Coordenação Geral Acadêmica Humberto Barroso da Fonseca Supervisão da Biblioteca Francisca Carla Pereira Pinto Bernardo I. DA

Leia mais

BIBLIOTECA Pe CARLOS LEÔNCIO ALVES DA SILVA FACULDADE SALESIANA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA

BIBLIOTECA Pe CARLOS LEÔNCIO ALVES DA SILVA FACULDADE SALESIANA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA BIBLIOTECA Pe CARLOS LEÔNCIO ALVES DA SILVA FACULDADE SALESIANA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA Recife, 2010 1. Objetivo A Biblioteca Pe Carlos Leôncio Alves da Silva, tem como objetivo atuar junto à comunidade

Leia mais

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS DO SISTEMA INTEGRADO INESUL

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS DO SISTEMA INTEGRADO INESUL REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS DO SISTEMA INTEGRADO INESUL Estrutura Organizacional Presidente da Entidade Mantenedora Dinocarme Aparecido Lima Diretora Geral Vergínia Aparecida Mariani Missão Formar agentes

Leia mais

Regimento da Biblioteca Rev.: 01 Data: 07/07/2008

Regimento da Biblioteca Rev.: 01 Data: 07/07/2008 COMPLEXO DE ENSINO SUPERIOR DE SANTA CATARINA - CESUSC FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE FLORIANÓPOLIS - FCSF Credenciada pela Portaria MEC n. 109, de 10 de fevereiro de 2000 (DOU 11.02.2000) BIBLIOTECA

Leia mais

Regulamento da Biblioteca

Regulamento da Biblioteca Regulamento da Biblioteca Art. 1º A Biblioteca da Unicampo - Faculdade União de Campo Mourão é regida pelo presente Regulamento e por normas adicionais emitidas pelos órgãos competentes da Faculdade União

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS E REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE HERRRERO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS E REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE HERRRERO MANUAL DE PROCEDIMENTOS E REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE HERRRERO CURITIBA 2015 MANUAL DE PROCEDIMENTOS E REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE HERRRERO Curitiba 2015 Rua Álvaro Andrade, 345 Bairro

Leia mais

REGULAMENTO GERAL. SISTEMA DE BIBLIOTECAS IESI Faculdade Max Planck BIBLIOTECA HENRIQUE SCHULZ E HEV CAMPUS II. Sumário

REGULAMENTO GERAL. SISTEMA DE BIBLIOTECAS IESI Faculdade Max Planck BIBLIOTECA HENRIQUE SCHULZ E HEV CAMPUS II. Sumário SISTEMA DE BIBLIOTECAS IESI Faculdade Max Planck BIBLIOTECA HENRIQUE SCHULZ E HEV CAMPUS II. REGULAMENTO GERAL Sumário I. Do Regulamento e sua aplicação... 2 II. Dos usuários da Biblioteca... 2 III. Do

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE E ESCOLA TÉCNICA NOVO RUMO

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE E ESCOLA TÉCNICA NOVO RUMO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE E ESCOLA TÉCNICA NOVO RUMO SUMÁRIO TÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 3 DA INSTITUIÇÃO BIBLIOTECA... 3 DA FINALIDADE DESTE REGULAMENTO... 3 PRINCÍPIOS DA BIBLIOTECA...

Leia mais

TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Regulamento TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - Este regulamento objetiva normalizar os aspectos de funcionamento da estrutura e administração da Biblioteca Júlio Bordignon da. TÍTULO II DOS

Leia mais

DECRETO Nº 29.290, DE 22 DE JULHO DE 2008 DODF de 23.07.2008

DECRETO Nº 29.290, DE 22 DE JULHO DE 2008 DODF de 23.07.2008 DECRETO Nº 29.290, DE 22 DE JULHO DE 2008 DODF de 23.07.2008 Dispõe sobre o afastamento para estudo, congressos, seminários ou reuniões similares de servidor e empregado da Administração Pública Distrital

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA FAME

REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA FAME REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA FAME Letícia do Carmo Miranda Bibliotecária FAME - CRB 6 / 2443 BARBACENA/MG 2014 Capítulo I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regimento contém as normas que disciplinarão

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA FACULDADE BÍBLICA DAS ASSEMBLEIAS DE DEUS FABAD PINDAMONHANGABA, SP, 2012 1 INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE A BIBLIOTECA Função: Atender à comunidade acadêmica em suas necessidades bibliográficas

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CECÍLIA MEIRELES

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CECÍLIA MEIRELES REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CECÍLIA MEIRELES 1) DO ACESSO E DO FUNCIONAMENTO 1.1) Horário de funcionamento: De segunda a sexta-feira, das 8h às 18h50min. 1.2) Quem pode usar a Biblioteca: I. Alunos regularmente

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO PRESIDÊNCIA PORTARIA CNMP-PRESI N.º 88 DE 26 DE OUTUBRO DE 2010.

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO PRESIDÊNCIA PORTARIA CNMP-PRESI N.º 88 DE 26 DE OUTUBRO DE 2010. PORTARIA CNMP-PRESI N.º 88 DE 26 DE OUTUBRO DE 2010. Regulamenta a utilização, manutenção e controle do Sistema de Telefonia fixa e móvel, no âmbito do Conselho Nacional do Ministério Público. O PRESIDENTE

Leia mais

BIBLIOTECA PROFESSOR VIDAL VANHONI

BIBLIOTECA PROFESSOR VIDAL VANHONI BIBLIOTECA PROFESSOR VIDAL VANHONI NORMAS DE FUNCIONAMENTO O acervo desta Biblioteca está à disposição: - Da comunidade em geral, para consultas; - Dos alunos, professores(as) e funcionários(as) da FESP

Leia mais