Plano de Segurança da Informação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Plano de Segurança da Informação"

Transcrição

1 FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC-GO GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GOVERNANÇA DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO BRUNO CATTANY EDUARDO ROCHA FERNANDO BAPTISTA Plano de Segurança da Informação GOIÂNIA-GO DEZEMBRO/2015

2 Introdução Este documento regulamenta os ativos e software levantados no Plano de Risco, tendo em vista a questão do fornecimento dos serviços e sua relação com a segurança. Objetivo Esclarecer, definir e descrever os ativos de software e hardware, os serviços e seus gerenciamentos, assim como os seus respectivos usuários. Cliente dos ativos de software e hardware O restaurante ComerBem conta com uma equipe de funcionários diversificados, onde estes são os próprios usuários/clientes dos ativos de softwares levantado no Plano de Risco. Conduta do usuário Os usuários/clientes dos softwares que estão implantados na empresa, devem usufruí-los de forma a visar sempre o bem e crescimento da empresa. Nenhum tipo de tecnologia deve ser usado indevidamente de forma que infrinja as normas de segurança e políticas de uso. Caso seja identificado algum abuso ou mal uso por parte do cliente, serão aplicadas advertências e/ou processos, conforme o grau de impacto. É de obrigação da empresa/organização manter todos os usuários/clientes cientes e com total acesso a política de segurança. A empresa colhe a assinatura do usuário, confirmando que o mesmo está ciente da política de segurança. Uma vez que o usuário/cliente não corresponder as políticas da empresa, o mesmo será penalizado verbalmente e poderá até mesmo ser mandado embora por justa causa. Exemplo de uma situação: O usuário/cliente não autorizado a abrir uma máquina e retirar um periférico da mesma, estará infligindo as normas da política da empresa.

3 Gerenciamento do Nível de Serviço, Capacidade e Disponibilidade ATIVOS DE SOFTWARE Controle de Estoque É um módulo do sistema responsável por controlar todas as entradas e saídas de produtos. Ele conta com formulários bem elaborados para registro dos produtos. O sistema também conta com gráficos, relatórios e diversas análises da situação real de estocagem, desta forma, oferecendo informações amplas e em tempo real do estoque da empresa. CRM (Gestão de Relacionamento com Cliente) É um módulo do sistema responsável por gerenciar toda troca de informações com o cliente final da empresa. Ele possui usabilidade fácil, sendo bastante acessível e produtivo para os funcionários que a utilizam. Conta com diversos relatórios para demonstrar o grau de satisfação dos clientes finais. Financeiro É um módulo do sistema responsável por controlar toda a parte financeira da empresa. Ela abarca todo fluxo de caixa, despesas, receitas, notas fiscais, etc. Conta com diversos relatórios e gráficos de fácil uso, fornecendo informações rápidas e precisas da situação financeira da organização. RH É um módulo do sistema responsável por gerenciar o departamento de recursos humanos da empresa. Conta com formulários bem elaborados em seus cadastros, fornecendo uma ampla informação do contexto envolvido. Possui relatórios de fácil abstração, fornecendo rapidamente as informações necessárias.

4 Sistema de Monitoramento É um módulo do sistema responsável por gerenciar a segurança física do estabelecimento do restaurante. Ele controla todos os seus dispositivos de segurança física instalados, fornecendo acompanhamento em tempo real, assim como diversas informações sobre questões de segurança. Possui um controle de histórico e backups, fornecendo de forma ampla e fácil arquivos que sejam necessários resgatar. Controle de Entrada e Saida(Veiculos) É um módulo do sistema responsável por controlar toda entrada e saída de veículos no estabelecimento. Conta com diversos relatórios e gráficos, fornecendo informações úteis para o plano estratégico da empresa. Isso tudo com uma boa usabilidade. Sistema Operacional Presente em todas as máquinas que estão implantadas na empresa, o sistema operacional Windows 7 Profissional, conta com diversos recursos/funcionalidades necessários para uso diário dos funcionários, além de ser um dos requisitos para a execução do sistema da empresa. Sistema de Gerenciamento de Redes É um módulo do sistema responsável por gerenciar o departamento de redes. Conta com diversas funcionalidades de monitoramento das redes, assim como uma ampla configuração para controlar o tráfego, acesso, etc. Conta com relatórios e logs diversificados, oferecendo informações para gerenciar a segurança da rede. ATIVOS DE HARDWARE Computador Desktop

5 Os computadores desktops devem atender os seus funcionários durante toda sua jornada de trabalho, uma vez que estarão em total funcionamento ao longo deste período e estes estarão trabalhando com dados e informações da empresa. Para cada funcionário que necessite usar o sistema, conforme a sua tarefa, haverá um desktop para que a relação entre capacidade e demanda esteja equilibrado. Sua disponibilidade deve ser integral, uma vez que são os equipamentos principais integrantes do sistema da empresa. Relógio Ponto Biométrico O relógio de ponto biométrico tem por finalidade controlar a frequência dos funcionários da empresa. Trata-se de um equipamento sofisticado e utilizado diariamente pelos funcionários da empresa. A empresa possui apenas um relógio ponto biométrico para toda a demanda de funcionários da empresa. A sua disponibilidade deve ser integral, uma vez que o controle de frequência da empresa é de sua função. Modem/Roteador/Switch São equipamentos que fazem parte da estrutura de redes da empresa. Suas capacidades deve estar alinhada aos requisitos e plano estratégico da empresa, uma vez que são determinantes para a bom fluidez do sistema como um todo. Sua relação entre demanda e capacidade estão equilibrados, sendo que possui diversos destes aparelhos, conforme a necessidade. A disponibilidade deve ser em tempo integral. PDA Equipamento de auxílio para capturar dados e transmitir este aos sistemas integrados da empresa. A empresa conta com um PDA para cada garçom que irá atender os clientes finais em suas mesas, desta forma a capacidade está alinhada à demanda. A sua disponibilidade deve ser em tempo integral, caso contrário, o controle de pedidos sofrerá impactos. Câmeras Equipamentos que fazem parte do sistema de segurança. A empresa conta com 6 câmeras espalhadas em lugares estratégicos. Sua disponibilidade deve ser de 24hrs, uma vez que é requisito fundamental para gerenciamento da segurança física do restaurante. Servidor

6 Parte fundamental para o funcionamento do sistema e dos serviços de TI. Por se tratar de uma grande demanda, a empresa conta com 2 servidores robustos para oferecer capacidade suficiente de processamento. Sua disponibilidade deve ser em tempo integral, uma vez que todos os módulos do sistema dependem de seu funcionamento. Access Point São equipamentos que fazem parte da estrutura de redes da empresa. São responsáveis pela grande demanda de redistribuição do sinal de internet. A empresa conta com 3 destes equipamentos espalhados estrategicamente pela estrutura física do restaurante, visando atender a grande demanda de usuários. A disponibilidade deve ser integral. Caso apenas um destes equipamentos venha a ficar indisponível, o impacto não é de grande relevância. Passado este limite, o impacto negativo em relação a distribuição de internet será amplamente notável. Leitora de Código de Barras (Estacionamento) São equipamentos que fazem parte do sistema de controle de entrada e saída de veículos. A empresa conta com duas leitoras, uma para cada catraca presente no estacionamento do restaurante, desta forma sua capacidade está alinhada à demanda exigida. A sua disponibilidade deve ser integral, uma vez que o controle de entrada e saída do veículo depende fundamentalmente do seu funcionamento.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL GOIANO CÂMPUS POSSE-GO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL GOIANO CÂMPUS POSSE-GO Normas para uso dos Laboratórios de Informática vinculados a Coordenação do Curso de Informática e ao Departamento de Tecnologia da Informação do IF Goiano Câmpus Posse GO. POSSE GO 2015 Sumário TÍTULO

Leia mais

Plano de Segurança da Informação

Plano de Segurança da Informação Faculdade de Tecnologia Plano de Segurança da Informação Alunos: Anderson Mota, André Luiz Misael Bezerra Rodrigo Damasceno. GTI 5 Noturno Governança de tecnologia da informação Prof. Marcelo Faustino

Leia mais

Motivos para você ter um servidor

Motivos para você ter um servidor Motivos para você ter um servidor Com a centralização de dados em um servidor, você poderá gerenciar melhor informações comerciais críticas. Você pode proteger seus dados tornando o backup mais fácil.

Leia mais

ITIL v3 - Operação de Serviço - Parte 1

ITIL v3 - Operação de Serviço - Parte 1 ITIL v3 - Operação de Serviço - Parte 1 É na Operação de Serviço que se coordena e realiza as atividades e processos necessários para fornecer e gerenciar serviços em níveis acordados com o usuário e clientes

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS DE REDE

ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS DE REDE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS DE REDE Introdução O administrador de redes geovanegriesang@ifsul.edu.br www.geovanegriesang.com Gerenciamento de redes Gerenciamento de rede é o ato de iniciar, monitorar e modificar

Leia mais

REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA - 2015

REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA - 2015 REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA - 2015 Os laboratórios de informática utilizados pelos alunos das Faculdades Integradas Camões se encontram nas duas sedes: Treze de Maio e Muricy, funcionando

Leia mais

Plano de Sustentação (PSus)

Plano de Sustentação (PSus) Plano de Sustentação (PSus) Aquisição de microcomputadores tipo estação de trabalho (desktop) Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis IBAMA Planejamento da Contratação

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA 1. DESCRIÇÃO DA SOLUÇÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA 1. DESCRIÇÃO DA SOLUÇÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ESTUDO TÉCNICO PRELIMINAR DA CONTRATAÇÃO 1. DESCRIÇÃO DA SOLUÇÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Aquisição de sistema de videoconferência para todo o IFRO 2. DEFINIÇÃO E ESPECIFICAÇÃO DE REQUISITOS 2.1. Necessidade

Leia mais

PROCESSOS DE CRIAÇÃO DE APLICATIVOS

PROCESSOS DE CRIAÇÃO DE APLICATIVOS PROCESSOS DE CRIAÇÃO DE APLICATIVOS Joaldo de Carvalho Wesley Oliveira Irlei Rodrigo Ferraciolli da Silva Rodrigo Clemente Thom de Souza INTRODUÇÃO O mundo está dominado pelos dispositivos móveis. A cada

Leia mais

Departamento de Dermatologia da Universidade Federal de São Paulo Núcleo detecnologia da Informação (NUTI)

Departamento de Dermatologia da Universidade Federal de São Paulo Núcleo detecnologia da Informação (NUTI) Departamento de Dermatologia da Universidade Federal de São Paulo Núcleo detecnologia da Informação (NUTI) Coordenador: Paulo Celso Budri Freire Aprovada pelo Conselho do Departamento de Dermatologia da

Leia mais

TI - Política de Segurança da Informação FSB Comunicações

TI - Política de Segurança da Informação FSB Comunicações T TI - Política de Segurança da Informação FSB Comunicações Versão 1.2 24/08/2015 1 1. Introdução A informação é um ativo que possui grande valor para a FSB Comunicações, devendo ser adequadamente utilizada

Leia mais

GBD PROF. ANDREZA S. AREÃO

GBD PROF. ANDREZA S. AREÃO GBD PROF. ANDREZA S. AREÃO Dado, Informação e Conhecimento DADO: Estímulos captados pelos sentidos humanos; Símbolos gráficos ou sonoros; Ocorrências registradas (em memória, papel, etc.); Indica uma situação

Leia mais

Manual do Usuário do Produto EmiteNF-e. Manual do Usuário

Manual do Usuário do Produto EmiteNF-e. Manual do Usuário Manual do Usuário Produto: EmiteNF-e Versão: 1.2 Índice 1. Introdução... 2 2. Acesso ao EmiteNF-e... 2 3. Configurações Gerais... 4 3.1 Gerenciamento de Usuários... 4 3.2 Verificação de Disponibilidade

Leia mais

O Prefeito Constitucional de Picuí/PB, usando de suas atribuições legais,

O Prefeito Constitucional de Picuí/PB, usando de suas atribuições legais, DECRETO Nº 012, de 05 de agosto de 2009. DISPÕE SOBRE O USO DOS SERVIÇOS DE ACESSO À INTERNET AOS ÓRGÃOS E DEPARTAMENTOS QUE INTEGRAM A ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL DE PICUÍ E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Prefeito

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES. O que é PROINFO?

PERGUNTAS FREQUENTES. O que é PROINFO? PERGUNTAS FREQUENTES O que é PROINFO? O Programa Nacional de Tecnologia Educacional (ProInfo) é um programa educacional criado pela Portaria nº 522/MEC, de 9 de abril de 1997, para promover o uso pedagógico

Leia mais

Acionamento através de senha*, cartão de proximidade e biometria. Compatível com fechaduras magnéticas, eletroímãs e cancelas.

Acionamento através de senha*, cartão de proximidade e biometria. Compatível com fechaduras magnéticas, eletroímãs e cancelas. 1/8 Visão Geral: Instalação e configuração simplificada. Alta capacidade de armazenamento de registros e usuários. Acionamento através de senha*, cartão de proximidade e biometria. Compatível com fechaduras

Leia mais

Conceitos Básicos de Rede. Um manual para empresas com até 75 computadores

Conceitos Básicos de Rede. Um manual para empresas com até 75 computadores Conceitos Básicos de Rede Um manual para empresas com até 75 computadores 1 Conceitos Básicos de Rede Conceitos Básicos de Rede... 1 A Função de Uma Rede... 1 Introdução às Redes... 2 Mais Conceitos Básicos

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SGP-503-R01 GESTÃO DE DEMANDAS DE TI DA SGP

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SGP-503-R01 GESTÃO DE DEMANDAS DE TI DA SGP MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SGP-503-R01 GESTÃO DE DEMANDAS DE TI DA SGP 06/2016 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO 2 17 de junho de 2016. Aprovado, Antonia Valeria Martins Maciel 3 PÁGINA INTENCIONALMENTE

Leia mais

Visão do Sistema Operacional

Visão do Sistema Operacional Visão do Sistema Operacional programadores e analistas usuários programas, sistemas e aplicativos Usuários Sistema Operacional memória discos Hardware UCP fitas impressoras monitores O que é um Sistema

Leia mais

Segurança da Informação. Boas práticas para manter seu banco de dados sempre seguro, íntegro e disponível.

Segurança da Informação. Boas práticas para manter seu banco de dados sempre seguro, íntegro e disponível. Segurança da Informação Boas práticas para manter seu banco de dados sempre seguro, íntegro e disponível. Márcio de Souza Almeida Consultor em Bancos de Dados Auditor de Sistemas de Informação Professor

Leia mais

Diagrama lógico da rede da empresa Fácil Credito

Diagrama lógico da rede da empresa Fácil Credito Diagrama lógico da rede da empresa Fácil Credito Tabela de endereçamento da rede IP da rede: Mascara Broadcast 192.168.1.0 255.255.255.192 192.168.1.63 Distribuição de IP S na rede Hosts IP Configuração

Leia mais

SOCIEDADE DE EDUCAÇÃO E CULTURA DE GOIANIA LTDA FACULDADE PADRÃO SUMÁRIO CAPÍTULO I 4 DA ORGANIZAÇÃO 4 CAPÍTULO II 5 DOS FUNCIONÁRIOS 5

SOCIEDADE DE EDUCAÇÃO E CULTURA DE GOIANIA LTDA FACULDADE PADRÃO SUMÁRIO CAPÍTULO I 4 DA ORGANIZAÇÃO 4 CAPÍTULO II 5 DOS FUNCIONÁRIOS 5 SUMÁRIO CAPÍTULO I 4 DA ORGANIZAÇÃO 4 CAPÍTULO II 5 DOS FUNCIONÁRIOS 5 CAPÍTULO III 5 DA INFRAESTRUTURA 5 Seção I 6 Das Dependências 6 Seção II 6 Do Hardware e Software 6 Seção III 7 Das Manutenções 7

Leia mais

Política de Segurança da Informação

Política de Segurança da Informação Política de Segurança da Informação Documento Política de Segurança da Informação Data Revisão Responsável Área 14/07/2008 1.0 Thiago Lima da Silva Suporte Interno ÍNDICE Introdução...4 1.Pessoal...4 1.1.Prestadores

Leia mais

UM SISTEMA WEB PARA TORCEDORES EM CAMPEONATOS ESPORTIVOS ESTUDANTIS

UM SISTEMA WEB PARA TORCEDORES EM CAMPEONATOS ESPORTIVOS ESTUDANTIS UM SISTEMA WEB PARA TORCEDORES EM CAMPEONATOS ESPORTIVOS ESTUDANTIS Leonardo Assunção Rossi 1 NIPETI 2 - Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS), Campus Nova Andradina Leonardo.a.rossi72@gmail.com

Leia mais

1. Referencial Teórico a essência da informática para a administração pública

1. Referencial Teórico a essência da informática para a administração pública Evento: 2º Encontro de Iniciação Científica da Faculdade Apogeu Local: Dependências da Faculdade Apogeu Dia: 11/05/12 Profª ESp. Marcelo Wendell Brandão Relatora: Aluno Joanã Dos Santos PAINEL: A verdadeira

Leia mais

Máquinas Virtuais: Windows 2008 Server

Máquinas Virtuais: Windows 2008 Server Máquinas Virtuais: Windows 2008 Server André Luiz Silva de Moraes chameandre@gmail.com Faculdade Senac http://www.senacrs.com.br Feira das Oportunidades 04 de Maio de 2011 1 / 11 1 Conceitos Básicos Definições

Leia mais

Plano de Segurança da Informação

Plano de Segurança da Informação Faculdade de Tecnologia SENAC - Goiás Projeto Integrador Governança da Tecnologia da Informação Plano de Segurança da Informação Diego Miranda José Rodrigues Neto Romário Sena Warley Gabriel Plano de Segurança

Leia mais

PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS

PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS INSTITUTO EDUCACIONAL DO ESTADO DE SÃO PAULO FACULDADE DE BAURU PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS BAURU 2014 PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS. 1. INTRODUÇÃO A Faculdade

Leia mais

Requisitos de Sistemas

Requisitos de Sistemas Bancos de Dados III Acesso Cliente Servidor Arquiteturas Rogério Costa rogcosta@inf.puc-rio.br 1 Requisitos de Sistemas Grande competitividade no mercado TI deve apoiar a empresa atendendo com agilidade.

Leia mais

TERMO DE USO E POLÍTICA DE PRIVACIDADE

TERMO DE USO E POLÍTICA DE PRIVACIDADE TERMO DE USO E POLÍTICA DE PRIVACIDADE A Organex Serviços de Software LTDA ( Organex ) estabelece nestes Termos de Uso e Política de Privacidade as condições para utilização do site www.organex.com.br

Leia mais

7 perguntas para fazer a qualquer fornecedor de automação de força de vendas

7 perguntas para fazer a qualquer fornecedor de automação de força de vendas 7 perguntas para fazer a qualquer fornecedor de automação de força de vendas 1. O fornecedor é totalmente focado no desenvolvimento de soluções móveis? Por que devo perguntar isso? Buscando diversificar

Leia mais

Rotinas úteis e diárias para facilitar o uso do sistema Winsati pelo usuário.

Rotinas úteis e diárias para facilitar o uso do sistema Winsati pelo usuário. Rotinas úteis e diárias para facilitar o uso do sistema Winsati pelo usuário. Rotina para quando clicar no ícone do Winsati e ele não inicializar Podem acontecer dois casos: 1. Caso 1: No caso de clicar

Leia mais

GESTÃO DE RISCO OPERACIONAL

GESTÃO DE RISCO OPERACIONAL GESTÃO DE RISCO OPERACIONAL Definição de Risco Operacional Riscos Operacionais cobrem as instâncias onde a corretora pode sofrer perdas inerentes direta ou indiretamente a processos internos falhos ou

Leia mais

1. Objetivos dos Laboratórios de Informática fixo e móveis; Os Laboratórios de Informática têm como objetivo atender às seguintes necessidades da IES:

1. Objetivos dos Laboratórios de Informática fixo e móveis; Os Laboratórios de Informática têm como objetivo atender às seguintes necessidades da IES: REGULAMENTO PARA USO DOS LABORATORIOS DE INFORMATICA E DA INTERNET NA FACULDADE REDENTOR POR PARTE DE PROFESSORES E ALUNOS 1. Objetivos dos Laboratórios de Informática fixo e móveis; Os Laboratórios de

Leia mais

FEATI Faculdade de Educação, Administração e Tecnologia de Ibaiti Mantida pela União das Instituições Educacionais do Estado de São Paulo UNIESP Av.

FEATI Faculdade de Educação, Administração e Tecnologia de Ibaiti Mantida pela União das Instituições Educacionais do Estado de São Paulo UNIESP Av. REGULAMENTO Laboratórios de Informática da Faculdade de Educação, Administração e Tecnologia de Ibaiti - FEATI SUMÁRIO Objetivo... 3 1 Uso dos recursos... 3 2 Proibições... 4 3 Manutenções... 4 4 Responsabilidades...

Leia mais

Universidade Federal de Pernambuco Curso de Engenharia Naval Departamento de Engenharia Mecânica

Universidade Federal de Pernambuco Curso de Engenharia Naval Departamento de Engenharia Mecânica REGULAMENTO LABORATÓRIO DE SIMULAÇÃO E VISUALIZAÇÃO (LSIVI) Este regulamento visa melhorar o aproveitamento dos recursos computacionais do Laboratório de Simulação e Visualização da Engenharia Naval, satisfazendo

Leia mais

Módulo 12 Gerenciamento Financeiro para Serviços de TI

Módulo 12 Gerenciamento Financeiro para Serviços de TI Módulo 12 Gerenciamento Financeiro Módulo 12 Gerenciamento Financeiro para Serviços de TI Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a

Leia mais

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO E USO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO DA COMPANHIA BRASILEIRA DE DISTRIBUIÇÃO

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO E USO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO DA COMPANHIA BRASILEIRA DE DISTRIBUIÇÃO POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO E USO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO DA COMPANHIA BRASILEIRA DE DISTRIBUIÇÃO Aprovada em Reunião do Conselho de Administração da Companhia realizada em 29 de agosto

Leia mais

Catálogo de Serviços Tecnologia da Informação

Catálogo de Serviços Tecnologia da Informação Catálogo de Serviços Tecnologia da Informação Marcio Mario Correa da Silva TRT 14ª REGIÃO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TRT-14ª Região 2013 Sumário 1. Descrição: Acesso à Internet... 3 2. Descrição: Acesso

Leia mais

UNICEUB OTIMIZA A DISTRIBUIÇÃO DE SOFTWARES EM SEUS LABORATÓRIOS COM VIRTUALIZAÇÃO DE APLICAÇÃO

UNICEUB OTIMIZA A DISTRIBUIÇÃO DE SOFTWARES EM SEUS LABORATÓRIOS COM VIRTUALIZAÇÃO DE APLICAÇÃO Case de Sucesso Integrando CIOs, gerando conhecimento. UNICEUB OTIMIZA A DISTRIBUIÇÃO DE SOFTWARES EM SEUS LABORATÓRIOS COM VIRTUALIZAÇÃO DE APLICAÇÃO Perfil O UniCEUB é um dos pioneiros de ensino na capital

Leia mais

19/09/2009 MEIOS DE COMUNICAÇÃO. REDES E COMUNICAÇÃO DE DADOS George Gomes Cabral FIO DE PAR TRANÇADO

19/09/2009 MEIOS DE COMUNICAÇÃO. REDES E COMUNICAÇÃO DE DADOS George Gomes Cabral FIO DE PAR TRANÇADO MEIOS DE COMUNICAÇÃO No caso de armazenamento de dados, o termo meio significa o meio de armazenamento usado. No contexto atual, meio significa aos fios, cabos e outros recursos para transferência de dados.

Leia mais

Nexcode Systems, todos os direitos reservados. Documento versão 16.1.1 1

Nexcode Systems, todos os direitos reservados. Documento versão 16.1.1 1 Nexcode Systems, todos os direitos reservados. Documento versão 16.1.1 1 1 - INTRODUÇÃO NEXCODE NOTE, também conhecido como NEXNOTE, é um conjunto de soluções de software desenvolvidas pelas Nexcode Systems

Leia mais

Introdução Ciclo de vida tradicional de desenvolvimento Prototipagem Pacotes de software Desenvolvimento de 4ª geração Terceirização

Introdução Ciclo de vida tradicional de desenvolvimento Prototipagem Pacotes de software Desenvolvimento de 4ª geração Terceirização Prof. Ricardo José Pfitscher Material elaborado com base em: José Luiz Mendes Gerson Volney Lagemann Introdução Ciclo de vida tradicional de desenvolvimento Prototipagem Pacotes de software Desenvolvimento

Leia mais

É uma parte fundamental de um software; É a parte do sistema visível para o usuário, através da qual, ele se comunica para realizar suas tarefas;

É uma parte fundamental de um software; É a parte do sistema visível para o usuário, através da qual, ele se comunica para realizar suas tarefas; Revisão 2 É uma parte fundamental de um software; É a parte do sistema visível para o usuário, através da qual, ele se comunica para realizar suas tarefas; Texto, Imagens, Sons, Cores são utilizados para

Leia mais

POLÍTICA DE USO DOS RECURSOS DE. Versão 1.0

POLÍTICA DE USO DOS RECURSOS DE. Versão 1.0 POLÍTICA DE USO DOS RECURSOS DE Versão 1.0 Versão 1.0 Pág. 1 Considerações Gerais 1 - A Tecnologia da Informação fica definida como a responsável pela gestão dos Sistemas de Informação e dos Recursos de

Leia mais

Unidade IV GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade IV GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade IV GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI - Tecnologia da informação SI - Tecnologia da informação Com a evolução tecnológica surgiram vários setores onde se tem informatização,

Leia mais

DESCRIÇÃO SUCINTA DO SISTEMA SCAP

DESCRIÇÃO SUCINTA DO SISTEMA SCAP Descrição Sucinta do Sistema - 2 - SUMÁRIO DESCRIÇÃO SUCINTA DO SISTEMA SCAP Light... 3 1 - O que é o Sistema SCAP Light... 3 2 - Características Gerais... 3 3 - Funcionalidades do Sistema SCAP Light...

Leia mais

Manual do usuário. Viewer

Manual do usuário. Viewer Manual do usuário Viewer Outubro / 2010 Manual do Heron Viewer Índice Heron Viewer... 2 Instalação... 2 Configuração... 5 Configurando o servidor (Computador que acompanha o aparelho Heron)... 5 Configurando

Leia mais

SLA - Service Level Agreement (Acordo de Nível de Serviço) Gerenciamento de Estoque

SLA - Service Level Agreement (Acordo de Nível de Serviço) Gerenciamento de Estoque 1 / 7 SLA - Service Level Agreement (Acordo de Nível de Serviço) Gerenciamento de Estoque Código: : Data de Publicação: Cliente: Faculdade de Tecnologia SENAC-GO 2 / 7 Identificação e Histórico do Documento

Leia mais

NORMA TÉCNICA PARA IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SISTEMAS OU APLICAÇÕES NO BANCO DE DADOS CORPORATIVO

NORMA TÉCNICA PARA IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SISTEMAS OU APLICAÇÕES NO BANCO DE DADOS CORPORATIVO NORMA TÉCNICA PARA IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SISTEMAS OU APLICAÇÕES NO BANCO DE DADOS CORPORATIVO Referência: NT-AI.04.02.01 http://www.unesp.br/ai/pdf/nt-ai.04.02.01.pdf Data: 27/07/2000 STATUS: EM VIGOR A

Leia mais

Introdução à Segurança da Informação 2. Aécio Costa

Introdução à Segurança da Informação 2. Aécio Costa Introdução à Segurança da Informação 2 Aécio Costa Classificação das informações Pública Informa ç ã o que pode vir a p ú blico sem maiores consequ ê ncias danosas ao funcionamento normal da empresa Interna

Leia mais

O termo compliance é originário do verbo, em inglês, to comply, e significa estar em conformidade com regras, normas e procedimentos.

O termo compliance é originário do verbo, em inglês, to comply, e significa estar em conformidade com regras, normas e procedimentos. POLÍTICA DE COMPLIANCE INTRODUÇÃO O termo compliance é originário do verbo, em inglês, to comply, e significa estar em conformidade com regras, normas e procedimentos. Visto isso, a REAG INVESTIMENTOS

Leia mais

ANEXO I TERMO DE ADESÃO. Atenção: Leia cuidadosamente este contrato antes de se tornar um usuário do PMA

ANEXO I TERMO DE ADESÃO. Atenção: Leia cuidadosamente este contrato antes de se tornar um usuário do PMA ANEXO I TERMO DE ADESÃO Atenção: Leia cuidadosamente este contrato antes de se tornar um usuário do PMA INTERNET GRATUITA. 1. ÍNTEGRA DO TERMO 1.1. Os termos abaixo se aplicam aos serviços oferecidos pela

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental 1.0 PROPÓSITO A Política de Responsabilidade Socioambiental ( PRSA ) do Banco CNH Industrial Capital S.A. tem, como finalidade, estabelecer princípios e diretrizes que norteiem as ações da Instituição

Leia mais

GATI Gestão de Atendimento Inteligente. Manual de Uso. powered by OPUS Software v1.0

GATI Gestão de Atendimento Inteligente. Manual de Uso. powered by OPUS Software v1.0 GATI Gestão de Atendimento Inteligente Manual de Uso powered by OPUS Software v1.0 2 Gestão de Atendimento Inteligente A Gati Gestão de Atendimento Inteligente registra todo tipo de comunicação entre as

Leia mais

Figura 1: Como um PABX IP se integra na Rede. PSTN, em português, é Rede de Telefonia Pública Comutada.

Figura 1: Como um PABX IP se integra na Rede. PSTN, em português, é Rede de Telefonia Pública Comutada. O Que é um PABX IP? Um PABX IP é um sistema completo de telefonia que fornece chamadas telefônicas em cima da redes de dados IP. Todas as conversações são enviadas como pacotes de dados sobre a rede. A

Leia mais

Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 03/08/2012 1.0 Versão Inicial do Documento Rodrigo Montes

Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 03/08/2012 1.0 Versão Inicial do Documento Rodrigo Montes WebZine Manager Vi Ver 1.1 Histórico de Revi Data Ver Descrição Autor 03/08/2012 1.0 Ver Inicial do Documento Rodrigo Montes 18/08/2012 1.1 Adicionados os tópicos 5,6,7 e 8 ao Documento Guilherme Cardozo

Leia mais

Especificação Técnica Sistema ABS TEM+

Especificação Técnica Sistema ABS TEM+ Especificação Técnica Sistema ABS TEM+ A solução ABS TEM+ desenvolvida pela Vergence é baseada no conceito de TEM (Telecom Expenses Management), o qual visa a aplicação de melhoras em relação à tecnologia,

Leia mais

SISTEMA OPERACIONAL MAC OS

SISTEMA OPERACIONAL MAC OS MANUAL PROTECT Versão R15 SISTEMA OPERACIONAL MAC OS Copyright GVT 2015 www.gvtprotect.com.br 1 1 Índice 1 Índice... 2 2 GVT PROTECT... 3 2.1 Requisitos Mínimos De Sistema... 3 2.2 Sistemas Operacionais

Leia mais

Versão para atualização do Gerpos Retaguarda

Versão para atualização do Gerpos Retaguarda Versão para atualização do Gerpos Retaguarda A Gerpos comunica a seus clientes que nova versão do aplicativo Gerpos Retaguarda, contendo as rotinas para emissão da Nota Fiscal Eletrônica, já está disponível.

Leia mais

Conceito de Rede e seus Elementos. Prof. Marciano dos Santos Dionizio

Conceito de Rede e seus Elementos. Prof. Marciano dos Santos Dionizio Conceito de Rede e seus Elementos Prof. Marciano dos Santos Dionizio Conceito de Rede e seus Elementos O conceito de rede segundo Tanenbaum é: um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações

Leia mais

Programação com acesso a BD. Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br

Programação com acesso a BD. Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br Programação com acesso a BD Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br 1 Introdução BD desempenha papel crítico em todas as áreas em que computadores são utilizados: Banco: Depositar ou retirar

Leia mais

3 - AUXILIAR A DTI NA FISCALIZAÇÃO E EXECUÇÃO DO CONTRATO, ACOMPANHANDO OS CHAMADOS, PRAZOS

3 - AUXILIAR A DTI NA FISCALIZAÇÃO E EXECUÇÃO DO CONTRATO, ACOMPANHANDO OS CHAMADOS, PRAZOS Sumário 1 - AUXÍLIO E ORIENTAÇÃO AOS USUÁRIOS NO ACIONAMENTO DA CENTRAL, NO CASO DE INCIDENTES.... 2 2 - ACIONAMENTO DO GESTOR DA UNIDADE QUANTO À AQUISIÇÃO DE PEÇAS E COMPONENTES PARA OS EQUIPAMENTOS

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Equipamentos de Redes Prof. Eduardo Cabos de redes O cabo de rede é composto de 8 pares de fios de cobre separados por cores e é responsável por fazer a comunicação entre os computadores

Leia mais

1. LICENCIAMENTO 2. SUPORTE TÉCNICO

1. LICENCIAMENTO 2. SUPORTE TÉCNICO 1. LICENCIAMENTO 1.1. Todos os componentes da solução devem estar licenciados em nome da CONTRATANTE pelo período de 36 (trinta e seis) meses; 1.2. A solução deve prover suporte técnico 8 (oito) horas

Leia mais

2. Cadastrar Cargo de Funcionário: Gestão> Cadastro> RH> Cargo Cadastro auxiliar necessário quando for preciso cadastrar os funcionários da loja.

2. Cadastrar Cargo de Funcionário: Gestão> Cadastro> RH> Cargo Cadastro auxiliar necessário quando for preciso cadastrar os funcionários da loja. ASASYS INFORMÁTICA GUIA DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO DO CTRL HORÁRIO A. PREPARATIVO CONTROLE DE HORARIO Antes de fazer a instalação e configuração do Controle de Horário, é necessário que previamente seja

Leia mais

GARANTIA LIMITADA DO FABRICANTE NOKIA PARA NOKIA COM WINDOWS PHONE

GARANTIA LIMITADA DO FABRICANTE NOKIA PARA NOKIA COM WINDOWS PHONE GARANTIA LIMITADA DO FABRICANTE NOKIA PARA NOKIA COM WINDOWS PHONE ATENÇÃO! Esta Garantia Limitada do Fabricante ( Garantia ) aplica-se apenas a produtos Nokia com o Windows Phone autênticos, vendidos

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PROCESSO Nº XXXXXXX

TERMO DE REFERÊNCIA PROCESSO Nº XXXXXXX < Nome do órgão/entidade> TERMO DE REFERÊNCIA PROCESSO Nº XXXXXXX Página 1 de 6 1. DO OBJETO (Informar o que essencialmente você pretende adquirir. Ainda não é o detalhamento da configuração). Ex.: Aquisição

Leia mais

POLÍTICA DE PRIVACIDADE

POLÍTICA DE PRIVACIDADE POLÍTICA DE PRIVACIDADE Veja como protegemos suas informações. 1. DA ABRANGÊNCIA DESTA POLÍTICA DE PRIVACIDADE a. Como a Advisenet usa informações pessoais? Este documento explicita a forma pela qual a

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO AMAZONAS ACP NET Transmissor de Dados Manual do Usuário

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO AMAZONAS ACP NET Transmissor de Dados Manual do Usuário Objetivo Orientar o(s) usuário(s) na utilização do sistema, bem como esclarecer possíveis situações de inconsistências na transmissão de dados via internet. Conteúdo O manual do usuário está dividido em:

Leia mais

GERENCIAR GARANTIA E FISCALIZAR MOVIMENTAÇÃO DE BENS DE TI 1 OBJETIVO

GERENCIAR GARANTIA E FISCALIZAR MOVIMENTAÇÃO DE BENS DE TI 1 OBJETIVO GERENCIAR GARANTIA E FISCALIZAR MOVIMENTAÇÃO DE BENS DE TI Proposto por: Equipe da Divisão de Equipamentos de TI (DIETI) Analisado por: Departamento de Suporte e Atendimento (DEATE) Aprovado por: Diretoria

Leia mais

O Gerenciamento de Documentos Analógico/Digital

O Gerenciamento de Documentos Analógico/Digital Tipos de GED: Document imaging Document management Document Imaging / Document Management O Gerenciamento de Documentos Analógico/Digital Mundo analógico Criação Revisão Processamento Arquivo Mundo digital

Leia mais

Principais Responsabilidades:

Principais Responsabilidades: DESENHO DE CARGO E TAREFAS DO DESENVOLVEDOR WEB Conhecimento dos sistemas gerenciadores de banco (MySQL), modelagem de dados, inglês técnico. Conhecimento em plataformas e metodologias de desenvolvimento

Leia mais

O que é backup/cópia de segurança

O que é backup/cópia de segurança FATEC Americana Análise de Sistemas e Tecnologias da Informação Diagnóstico e solução de problemas de TI II Prof. Humberto Celeste Innarelli O que é backup/cópia de segurança Em informática, backup é a

Leia mais

LISTA DE VERIFICAÇAO DO SISTEMA DE GESTAO DA QUALIDADE

LISTA DE VERIFICAÇAO DO SISTEMA DE GESTAO DA QUALIDADE Questionamento a alta direção: 1. Quais os objetivos e metas da organização? 2. quais os principais Produtos e/ou serviços da organização? 3. Qual o escopo da certificação? 4. qual é a Visão e Missão?

Leia mais

Documento de Especificação de Requisitos

Documento de Especificação de Requisitos Sistema Móvel de Diário Escolar (SIMDE) Documento de Especificação de Requisitos Versão 3 Índice 1 PREFÁCIO... 4 2 INTRODUÇÃO... 5 3 GLOSSÁRIO... 6 4 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS DO USUÁRIO... 7 5 ARQUITETURA

Leia mais

PANDION MANUAL DO USUÁRIO (versão 1.0)

PANDION MANUAL DO USUÁRIO (versão 1.0) Secretaria de Tecnologia da Informação Coordenadoria de Suporte Técnico aos Usuários PANDION MANUAL DO USUÁRIO (versão 1.0) SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. CADASTRAMENTO NECESSÁRIO PARA UTILIZAR O PANDION...

Leia mais

Alinhando Produção de Software e TI Copyright 2004 Jorge H C Fernandes. Todos os direitos Reservados

Alinhando Produção de Software e TI Copyright 2004 Jorge H C Fernandes. Todos os direitos Reservados Alinhando Produção de e TI White paper Prof. Dr. Jorge Henrique Cabral Fernandes jhcf@cic.unb.br Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília Junho de 2004 Conteúdo 1 - Organizações precisam

Leia mais

COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO URBANO PROJETO DE LEI Nº 5.663, DE 2013

COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO URBANO PROJETO DE LEI Nº 5.663, DE 2013 COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO URBANO PROJETO DE LEI Nº 5.663, DE 2013 Acrescenta inciso ao art. 52 da Lei nº 10.257, de 10 de julho de 2001, que regulamenta os arts. 182 e 183 da Constituição Federal, estabelece

Leia mais

Política de Segurança. Aldair Chaves, Alan Messias, Fábio Maia, Naiane Reis, Raul Libório

Política de Segurança. Aldair Chaves, Alan Messias, Fábio Maia, Naiane Reis, Raul Libório Política de Segurança Aldair Chaves, Alan Messias, Fábio Maia, Naiane Reis, Raul Libório Salvador, Novembro de 2007 NECESSIDADE DA IMPLEMENTAÇÃO DE SEGURANÇA NA EMPRESA Gerencia de recursos e funcionários,

Leia mais

Projeto: Implantação de Sistema Objetivo

Projeto: Implantação de Sistema Objetivo Projeto: Implantação de Sistema Objetivo Permitir ao aluno o contato com sistemas de informação gerenciais e com algumas fases de implantação de sistemas, como, análise do sistema, definição da matriz

Leia mais

O Computador na Escola. Prof. José Maurício S. Pinheiro

O Computador na Escola. Prof. José Maurício S. Pinheiro O Computador na Escola Prof. José Maurício S. Pinheiro Centro Universitário itá i de Volta Redonda d UniFOA - 2007 As utilidades do computador na escola Capacitação de professores Ferramenta pedagógica

Leia mais

I Efetivação do compromisso social do IFAL com o Estado de Alagoas;

I Efetivação do compromisso social do IFAL com o Estado de Alagoas; PROGRAMA DE APOIO AO INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS PARA O DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES INTEGRADAS PROIFAL 1. OBJETIVO Apoiar o Instituto Federal de Alagoas IFAL nas atividades de ensino, pesquisa e extensão

Leia mais

1) Verifique se o Microsoft.Net Framework 3.5 está instalado, para isto, abrir o Painel de Controle e verificar:

1) Verifique se o Microsoft.Net Framework 3.5 está instalado, para isto, abrir o Painel de Controle e verificar: Antes de instalar qualquer programa do ifox iticket, verificar: 1) Verifique se o Microsoft.Net Framework 3.5 está instalado, para isto, abrir o Painel de Controle e verificar: Caso não encontre o Microsoft.Net

Leia mais

LEVANTAMENTO DE HARDWARES PARA O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Graphics

LEVANTAMENTO DE HARDWARES PARA O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Graphics LEVANTAMENTO DE HARDWARES PARA O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Sabe-se que para o desenvolvimento de software as empresas adotam computadores com um grande poder de processamento. Facilitando assim todo

Leia mais

AMBIENTE São os locais onde estão localizadas as estruturas e apresentam complexo contexto, caracterizados por mudanças e por uma multiplicidade de

AMBIENTE São os locais onde estão localizadas as estruturas e apresentam complexo contexto, caracterizados por mudanças e por uma multiplicidade de AMBIENTE São os locais onde estão localizadas as estruturas e apresentam complexo contexto, caracterizados por mudanças e por uma multiplicidade de forças que determinam o funcionamento, tendo um caráter

Leia mais

ITIL. Conteúdo. 1. Introdução. 2. Suporte de Serviços. 3. Entrega de Serviços. 4. CobIT X ITIL. 5. Considerações Finais

ITIL. Conteúdo. 1. Introdução. 2. Suporte de Serviços. 3. Entrega de Serviços. 4. CobIT X ITIL. 5. Considerações Finais ITIL Conteúdo 1. Introdução 2. Suporte de Serviços 3. Entrega de Serviços 4. CobIT X ITIL 5. Considerações Finais Introdução Introdução Information Technology Infrastructure Library O ITIL foi desenvolvido,

Leia mais

Diretoria Acadêmica de Gestão e Tecnologia da Informação

Diretoria Acadêmica de Gestão e Tecnologia da Informação Diretoria Acadêmica de Gestão e Tecnologia da Informação Campus Natal-Central Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte DIATINF / CNAT / IFRN Agosto de 2014 O IFRN O IFRN

Leia mais

Auditoria de Sistemas de Informação. Everson Santos Araujo <everson@por.com.br>

Auditoria de Sistemas de Informação. Everson Santos Araujo <everson@por.com.br> Auditoria de Sistemas de Informação Everson Santos Araujo 2 Abordagens Ao redor do computador Através do computador Com o computador 3 Ao redor do computador Auditoria de documento-fonte

Leia mais

Integração de livros fiscais com o Microsoft Dynamics AX 2009

Integração de livros fiscais com o Microsoft Dynamics AX 2009 Microsoft Dynamics AX Integração de livros fiscais com o Microsoft Dynamics AX 2009 White paper Este white paper descreve como configurar e usar a integração de livros fiscais entre o Microsoft Dynamics

Leia mais

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO, no uso de suas atribuições regimentais,

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO, no uso de suas atribuições regimentais, PORTARIA TRT/GP/DGCA Nº 583/2011 Institui o Comitê Técnico Temático de Configuração e Ativos de Serviço - ctconf. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO, no uso de suas atribuições

Leia mais

Tencologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: WEB I Conteúdo: Arquitetura de Software Aula 03

Tencologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: WEB I Conteúdo: Arquitetura de Software Aula 03 Tencologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: WEB I Conteúdo: Arquitetura de Software Aula 03 Agenda 1. Arquitetura de Software 1.1.Introdução 1.2.Vantagens da Arquitetura de Software

Leia mais

PORTARIA Nº 2529, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2015

PORTARIA Nº 2529, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2015 PORTARIA Nº 2529, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2015 Dispõe sobre as normas para utilização dos laboratórios de informática do Campus São Sebastião. O DIRETOR GERAL DO CAMPUS SÃO SEBASTIÃO DO INSTITUTO FEDERAL

Leia mais

LASERTECK SOFTECK FC MANUAL DO USUÁRIO

LASERTECK SOFTECK FC MANUAL DO USUÁRIO LASERTECK SOFTECK FC MANUAL DO USUÁRIO 2015 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 REQUISITOS DO SISTEMA... 3 3 INSTALAÇÃO... 3 4 O QUE MUDOU... 3 5 COMO COMEÇAR... 4 6 FORMULÁRIOS DE CADASTRO... 5 7 CADASTRO DE

Leia mais

Profa. Dra. Amanda Liz Pacífico Manfrim Perticarrari. amanda@fcav.unesp.br

Profa. Dra. Amanda Liz Pacífico Manfrim Perticarrari. amanda@fcav.unesp.br Profa. Dra. Amanda Liz Pacífico Manfrim Perticarrari amanda@fcav.unesp.br Documentário http://www.youtube.com/watch?v=sx1z_mgwds8 Introdução Computadores de primeira geração (1946 1959): A primeira geração

Leia mais

PORTARIA P N. 422, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2014.

PORTARIA P N. 422, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2014. PORTARIA P N. 422, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2014. Revisa o Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI para o período 2013-2018 e dá outras providências. O Presidente do TRE-RS, no uso de suas atribuições

Leia mais

Manual do. Almoxarifado

Manual do. Almoxarifado Manual do Almoxarifado Parnaíba 2013 APRESENTAÇÃO O Almoxarifado é o local destinado à guarda, localização, segurança e preservação do material adquirido, adequado à sua natureza, a fim de suprir as necessidades

Leia mais

Transmissor PrestContas. Manual do Usuário MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA GERAL DA REPÚBLICA GABINETE DO PROCURADOR-GERAL

Transmissor PrestContas. Manual do Usuário MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA GERAL DA REPÚBLICA GABINETE DO PROCURADOR-GERAL Transmissor PrestContas Manual do Usuário Versão do documento 1.0 1/14 Sumário 1.Introdução...3 2. Requisitos...3 3. Instalação...3 4. Utilização...4 4.1 Iniciar Aplicativo...4 4.2 Informar configurações

Leia mais

GUIA DE ESTÁGIO CURSOS TECNOLÓGICOS

GUIA DE ESTÁGIO CURSOS TECNOLÓGICOS GUIA DE ESTÁGIO CURSOS TECNOLÓGICOS 1 SUMÁRIO 3 INTRODUÇÃO 4 DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO 6 RESCISÃO DO CONTRATO DE ESTÁGIO 7 CONCLUSÃO DE CURSO 7 RELATÓRIO TÉCNICO 8 AVALIAÇÃO DE

Leia mais