ANALISE DE SANEAMENTO BASICO EM BAIRROS DE CONCEIÇAO DO ARAGUAIA-PA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANALISE DE SANEAMENTO BASICO EM BAIRROS DE CONCEIÇAO DO ARAGUAIA-PA"

Transcrição

1 9 ANALISE DE SANEAMENTO BASICO EM BAIRROS DE CONCEIÇAO DO ARAGUAIA-PA Kacieny Sousa Oliveira 1, Jhesse Alves Tavares 2, Vanessa Gomes Monterio 3 e Marcio Aparecido da Costa 4 1,2, 3,4 Graduandos do Curso de Tecnologia em Gestão Ambiental, IFPA Campus Conceição do Araguaia-Pa; e Resumo O presente trabalho trata de uma analise quantitativa e qualitativa sobre o abastecimento de água, sistema de esgotamento sanitário e resíduos sólidos em dois bairros do município de Conceição do Araguaia-PA, especificamente os bairros Setor Universitário e Vila dos Pescadores, visando diagnosticar os principais problemas e reclamações existentes nesses dois bairros referente serviços de saneamento básico prestado pelo município. Palavras-chave: saneamento básico, esgoto. INTRODUÇÃO Os serviços públicos de saneamento básico englobam os serviços cuja natureza seja o abastecimento de água, o esgotamento sanitário, o manejo de resíduos sólidos e o manejo de águas pluviais. O abastecimento de água e a destinação da água fornecida pelos serviços prioritariamente para o consumo humano, a higiene doméstica, dos locais de trabalho de convivência social e, secundariamente, como insumo ou matéria prima para atividades econômicas e para o desenvolvimento de atividades recreativas ou de lazer, a garantia do abastecimento em quantidade suficiente para promover a saúde pública e com qualidade (PNSB, 2005, p. 33)

2 10 A rede de esgoto tem função de levar para longe das casas a água suja. Portanto, a rede de esgotos pode proteger a população de uma cidade contra doenças que se transmitem pela água. A coleta de resíduos sólidos e a garantia do manejo dos resíduos sólidos de forma sanitária e ambientalmente adequada, a fim de promover a saúde pública e prevenir a poluição das águas superficiais e subterrâneas, do solo e do ar. O trabalho pretende desenvolver análises em torno do saneamento básico tendo como referência o município de Conceição do Araguaia, apresentando a realidade do sistema de abastecimento de água, esgotamento sanitário e o gerenciamento de resíduos sólidos que se encontram em condições inadequadas. Tomou-se conhecimento do índice da principal fonte de abastecimento de água, do serviço prestado pela companhia do município, das principais reclamações dos moradores mediante o serviço público, da importância da analise da água nas residências, da possibilidade de fontes alternativas e de pessoas que já contraíram doenças de veiculação hídrica. Para tanto foi identificado os tipos de sistema de esgotamento sanitário, a existência de coleta de resíduos sólidos, a frequência dessa coleta pelo serviço público, o tipo de transporte dos resíduos sólidos, a opinião dos moradores quanto a coleta de lixo em suas residências e o serviço, de limpeza pública da cidade. OBJETIVO GERAL Diagnosticar os serviços de abastecimento de água, sistema de esgotamento sanitário e resíduos sólidos no munícipio de Conceição do Araguaia, especificamente os bairros Vila dos Pescadores e Setor Universitário. OBJETIVO ESPECÍFICO

3 11 Analisar os principais problemas e reclamações existentes nos seguintes bairros Vila dos Pescadores e Setor Universitário referente serviços de saneamento básico prestado pelo município. METODOLOGIA A pesquisa foi realizada por meio de questionário, que embasou a pesquisa de campo, cujos dados foram analisados quanti-qualitativamente. Do universo de 151 famílias, sendo que 57 são moradores do bairro Vila dos Pescadores e 94 dos entrevistados são do Setor universitário. Os informantes foram entrevistados em suas próprias residências, no dia e horários marcados pela equipe, para os quais aplicamos um roteiro com perguntas abertas, que ao final forneceram informações pertinentes para este trabalho de pesquisa. Com o intuito de conhecer a realidade de Conceição do Araguaia com relação ao sistema abastecimento de água, esgotamento sanitário e manejo de resíduos em ambos os bairros, foi constituído uma amostra, a partir de um levantamento prévio, junto aos moradores dos bairros, Vila dos Pescadores e Setor Universitário, aplicando um questionário com sete questões sobre o abastecimento de água, três direcionadas ao sistema de esgotamento sanitário e cinco voltadas para a coleta de resíduos sólidos. RESULTADOS E DISCUSSÃO Segundo as pesquisas mostram que a principal fonte de abastecimento de água dos bairros é a rede pública, constatando que na Vila dos Pescadores de 57 residências 93% são abastecidas pela rede pública e 19% são fontes alternativas, no Setor universitário de 94 residências 81% é abastecida pela rede pública e 7% das famílias utiliza fonte alternativa. Também mostra pesquisa que na vila dos pescadores 32% dos entrevistados acha o serviço de abastecimento de água ruim, equivalente a 18 famílias, 17% acha o serviço bom equivalente a 10 famílias e 51% acha o serviço regular equivalente a 29 famílias, no setor

4 12 universitário 43% acha o serviço ruim equivalente a 33 famílias, 16% acha o serviço bom equivalente a 12 famílias e 41% acha o serviço regular equivalente a 31 famílias. Sobre as principais reclamações do serviço público de abastecimento de água. Tevese os seguintes resultados, na vila dos pescadores cerca de 48 famílias reclamam da qualidade da água equivalente a 84%, 8 famílias reclamam da falta de água que equivale a 14% e 2% que equivale a 1 família reclama do valor da tarifa, no setor universitário 71% das famílias entrevistadas que equivale a 67 residências reclamam da qualidade da água, 24% reclamam da falta d água cerca de 22 famílias e 5% reclamam do valor da tarifa cerca de 5 famílias. Nesta analise mostra que da água das residências entrevistadas, a maior parte dos moradores de ambos os bairros principalmente os do Setor Universitário não se preocupa em fazer a analise da água para constatar se água fornecida da rede pública está contaminada ou não, sendo que na vila dos pescadores 74% das residências não fazem a analise da água cerca de 42 famílias e 26% das residências faz a analise da água, no setor universitário 97% não faz a analise da água cerca de 91 famílias e somente 3% já fez a analise da água de sua residência cerca de 4 famílias, o mesmo observa-se nas residências que são abastecidas de fonte alternativa (poço). E com relação às de fonte alternativa, os poços estão na média de 15 a 25m de profundidade. No bairro Setor Universitário de 94 entrevistadas contatou-se que havia 67% dos poços mediam 15m de profundidade cerca de 5 famílias, 28% mediam cerca de 2 famílias e 5% mediam 25m cerca de 1 família. Já na vila dos Pescadores em que os entrevistados foram 57 residências em que a fonte alternativa foi apenas 75% que possuem poços com profundidade de 15 m cerca de 8 famílias e 25% mediam 20 m cerca de 7 famílias. Nestes dados pode ser observado à porcentagem da quantidade de pessoas que já contraíram doenças por veiculação hídrica. Segundo o relato dos moradores entrevistados. Constatou-se que na vila dos pescadores cerca de 91% das famílias dizem que não contraíram doença por veiculação hídrica equivalente a 52 famílias e 9% já contraíram doença através da água equivalente a 5 famílias, no setor universitário a maior parte das pessoas entrevistadas diz que ninguém da sua família ainda não tinha contraído doença por veiculação hídrica cerca de 94% equivale a 88 famílias

5 13 SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO Segundo a Politica Nacional de Saneamento Básico de 16 de maio de 2005, sobre o sistema de esgotamento sanitário, as empresas estaduais operam cerca de 14% dos municípios. Os municípios são responsáveis pela demanda restante, sendo irrelevante a participação da iniciativa privada nestes serviços. Nas analises sobre o tipo de sistema de esgotamento sanitário existente no município de Conceição do Araguaia nos respectivos bairros Vila dos Pescadores e Setor Universitário. Os daos apresenta que na vila dos pescadores 82% cerca de 46 famílias tem sistema de esgotamento individual e 18% tem sistema de esgotamento coletivo cerca de 10 famílias, no setor universitário 91% dos moradores despõe do sistema de esgotamento individual cerca de 86 famílias e 9% tem sistema coletivo cerca de 8 famílias. Nos dados a seguir apresenta a porcentagem do tipo de tratamento no caso dos sistemas individuais. Nos respectivos bairros Vila dos Pescadores cerca de 90% dos moradores não tem problema com a fossa que equivale a 47 famílias, 6% tem problema com meu cheiro da fossa cerca de 3 famílias e 4% tem outros tipos de problemas cerca de 2 famílias, no Setor Universitário 95% dos entrevistados admite não ter problemas com a fossa de sua residência cerca de 89 famílias e 5% das pessoas entrevistadas diz ter mau cheiro na fossa de sua residência cerca de 5 famílias. SISTEMA DE RESIDUOS SÓLIDOS Quanto ao sistema de tratamento dos resíduos sólidos segundo a Política de nacional de Saneamento (P.N.S.) de 2005, especificamente o Art. 2º paragrafo VI, VII a e b, considera-se serviços públicos de esgotamento sanitário a coleta, o transporte, o tratamento, e a disposição final de esgotos sanitários, incluindo os efluentes industriais compatíveis, bem como de lodos e de outros resíduos do processo de tratamento; serviços públicos de manejo de resíduos sólidos como a coleta, o transbordo e transporte, a triagem para fins de reuso ou reciclagem, o tratamento, inclusive por compostagem, e a disposição final de resíduos sólidos domiciliares, assemelhados e provenientes da limpeza pública

6 14 Nos dados seguintes define se há coleta de resíduos sólidos por parte do município nos bairros Vila dos Pescadores e Setor Universitário. Nos respectivos bairros já citados, 100% residências dispõe de coleta de resíduos sólidos por parte do município cerca de 151 entrevistados, porém todos sem tratamento. A coleta dos resíduos sólidos é feito pelo serviço publico do município. Segundo a frequência registradas nas analises, no bairro vila dos pescadores cerca de 81% dos entrevistados diz que a coleta de lixo acontece semanalmente equivale a 46 das residências, 12% diz que acontece diariamente cerca de 7 famílias e 7% outros diz que a coleta e feita de 15 a 30 dias cerca de 4 famílias, no setor universitário cerca de 93% dos moradores diz que a coleta e feita semanalmente equivale a 87 famílias, 5% diz que a coleta acontece diariamente cerca de 5 entrevistados e cerca de 2% outros diz que a coleta dos resíduos demora de 15 a 30 dias equivale a 2 famílias. Nos dados seguintes, mostra a forma de transporte desses resíduos sólidos. Na vila dos pescadores 54% do lixo residencial é transportado pelo caminhão compactador cerca 31 famílias, cerca de 26 famílias diz que 46% da coleta de lixo é feita pelo caminhão basculante, e no Setor Universitário 80% desses resíduos domésticos é coletado pelo caminhão basculante cerca de 75 famílias, 20% da coleta é feita pelo caminhão compactador cerca de 19 entrevistados e 0% os demais em ambos os bairros. Nas analises a seguir mostram a opinião dos moradores na questão da coleta dos resíduos domésticos feita pelo município. Na vila dos pescadores 49% dos moradores acham o serviço de coleta de lixo regular cerca de 28 famílias, 47% acham o serviço ruim cerca de 27 famílias e 4% acha o serviço bom cerca de 2 famílias, porem no Setor Universitário uma significativa parte dos moradores acham o serviço da coleta dos resíduos sólidos bom cerca de 31% que equivale a 29 famílias, 49% acha o serviço regular cerca de 46 famílias, 16% acham o serviço ruim cerca de 15 famílias e 4% acha o serviço público excelente cerca de 2 famílias. Os seguintes dados mostra a opinião dos moradores de ambos os bairros em relação ao serviço de limpeza pública da cidade no geral. Os moradores entrevistados do bairro Vila dos Pescadores acham o serviço de limpeza pública regular cerca de 44% que equivale a 25 casas entrevistadas, 46% acha os serviços prestados ruim cerca de 26 residência e 10% acham o serviço público bom cerca de 6 famílias. No Setor Universitário

7 15 41% dos entrevistados acham o serviço público regular cerca de 39 famílias, 33% acham o serviço bom cerca de 31 famílias e 26% acham o serviço de limpeza pública ruim cerca de 24 famílias. Nas fotografias tiradas durante a pesquisa mostra que o lixo e resto de construção jogado na rua pelos próprios moradores e a erosão do solo devido a época das chuvas, criando um buraco nas laterais da rua e arrastando todos esses sedimentos em direção ao rio. Também foi registrada uma construção sendo feita as margens do Córrego do Emerêncio, violando a área de proteção aos mananciais conforme o previsto no inciso V do art. 16 da Lei no 8.080, de 19 de setembro de Resíduos jogado a céu aberto podendo acarretar doenças prejudiciais a saúde do homem. CONCLUSÃO 1. Atualmente no município de Conceição do Araguaia nos bairros Vila dos Pescadores e Setor Universitário, em relação ao sistema de abastecimento de água, ambos os bairros ainda dependem do sistema da rede pública, a maior parte dos moradores entrevistados classifica o serviço de abastecimento de água regular a principal reclamação e devido à qualidade da água fornecida e no geral ninguém faz a analise da água de sua residência e nunca contraíram doença por veiculação hídrica. 2. O sistema de esgotamento sanitário no geral é individual e sem tratamento adequado, a maioria das residências possui sumidouro, as fossas encontradas não tinham nenhum tratamento, não apresentava problemas em relação ao mau cheiro. 3. O sistema de resíduos sólidos é feito pela prefeitura, toda semana através do caminhão compactador e o caminhão basculante, no geral os moradores acham o serviço de coleta de lixo regular, assim como a limpeza publica da cidade. Referencias

8 16 CNBB. Água, Fonte de Vida: Texto-base da CF São Paulo:Salesiana, Ministério das cidades. Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento - SNIS. Disponível em: Acesso em: 07 de maio de IBGE. Pesquisa Nacional de Saneamento Básico PNSB. Disponível em: em: 17 de maio de

DIAGNÓSTICO DO SANEAMENTO BÁSICO REALIZADO NOS BAIRROS VILA DA AMIZADE, OLARIA NORTE E SÃO LUIZ I, NO MUNICÍPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA - PA

DIAGNÓSTICO DO SANEAMENTO BÁSICO REALIZADO NOS BAIRROS VILA DA AMIZADE, OLARIA NORTE E SÃO LUIZ I, NO MUNICÍPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA - PA DIAGNÓSTICO DO SANEAMENTO BÁSICO REALIZADO NOS BAIRROS VILA DA AMIZADE, OLARIA NORTE E SÃO LUIZ I, NO MUNICÍPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA - PA Danilo Epaminondas Martins e Martins 1 Wilker Caminha dos Santos

Leia mais

DIAGNÓSTICO DO SANEAMENTO BÁSICO REALIZADO NOS BAIRROS VILA DA AMIZADE, OLARIA NORTE E SÃO LUIZ I, NO MUNICÍPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA PA

DIAGNÓSTICO DO SANEAMENTO BÁSICO REALIZADO NOS BAIRROS VILA DA AMIZADE, OLARIA NORTE E SÃO LUIZ I, NO MUNICÍPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA PA DIAGNÓSTICO DO SANEAMENTO BÁSICO REALIZADO NOS BAIRROS VILA DA AMIZADE, OLARIA NORTE E SÃO LUIZ I, NO MUNICÍPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA PA Danilo Epaminondas Martins e Martins IFPA, Instituto Federal

Leia mais

DIAGNÓSTICO DA COLETA DE LIXO REALIZADO NOS BAIRROS VILA DA AMIZADE, OLARIA NORTE E SÃO LUIZ I, NO MUNICÍPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA PA

DIAGNÓSTICO DA COLETA DE LIXO REALIZADO NOS BAIRROS VILA DA AMIZADE, OLARIA NORTE E SÃO LUIZ I, NO MUNICÍPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA PA Salvador/BA 25 a 28/11/2013 DIAGNÓSTICO DA COLETA DE LIXO REALIZADO NOS BAIRROS VILA DA AMIZADE, OLARIA NORTE E SÃO LUIZ I, NO MUNICÍPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA PA Wilker Jose Caminha dos Santos, Ramynngly

Leia mais

ABASTECIMENTO DE ÁGUA NO MUNICIPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA PARÁ

ABASTECIMENTO DE ÁGUA NO MUNICIPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA PARÁ ABASTECIMENTO DE ÁGUA NO MUNICIPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA PARÁ Thuanny Paula de Almeida Nascimento IFPA Instituto Federal do Pará, Campus Conceição do Araguaia, graduanda em tecnologia em Gestão Ambiental,

Leia mais

DIAGNÓSTICO DO SISTEMA DE SANEAMENTO BÁSICO DO BAIRRO VILA NOVA NO MUNICIPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA-PA

DIAGNÓSTICO DO SISTEMA DE SANEAMENTO BÁSICO DO BAIRRO VILA NOVA NO MUNICIPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA-PA DIAGNÓSTICO DO SISTEMA DE SANEAMENTO BÁSICO DO BAIRRO VILA NOVA NO MUNICIPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA-PA Rubens Chaves Rodrigues (1) Engenheiro Sanitarista pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Mestre

Leia mais

DIAGNÓSTICO DA GERAÇÃO E RECOLHA DE RESÍDUOS SÓLIDOS NA ZONA URBANA DO MUNICIPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA - PA

DIAGNÓSTICO DA GERAÇÃO E RECOLHA DE RESÍDUOS SÓLIDOS NA ZONA URBANA DO MUNICIPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA - PA Goiânia/GO 19 a 22/11/2012 DIAGNÓSTICO DA GERAÇÃO E RECOLHA DE RESÍDUOS SÓLIDOS NA ZONA URBANA DO MUNICIPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA - PA Maxwel Lima Santos, IFPA Instituto Federal do Pará, graduando do

Leia mais

A PNSB e o Saneamento Rural

A PNSB e o Saneamento Rural A PNSB e o Saneamento Rural Antônio Tadeu Ribeiro de Oliveira Gerente de Estudos e Pesquisas Sociais VI Seminário Nacional de Saneamento Rural João Pessoa, 07.11.2012 A PNSB Pesquisa Nacional de Saneamento

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL BANCO DE DADOS REGIONAL VALE DO RIO PARDO. Eixo temático: Infraestrutura

OBSERVATÓRIO DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL BANCO DE DADOS REGIONAL VALE DO RIO PARDO. Eixo temático: Infraestrutura OBSERVATÓRIO DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL BANCO DE DADOS REGIONAL VALE DO RIO PARDO Eixo temático: Infraestrutura O eixo temático Infraestrutura do Banco de Dados Regional reúne dados estatísticos secundários

Leia mais

Título: Relação da água da chuva com os poços de abastecimento público do Urumari em Santarém Pará, Brasil. Área Temática: Meio Ambiente

Título: Relação da água da chuva com os poços de abastecimento público do Urumari em Santarém Pará, Brasil. Área Temática: Meio Ambiente Título: Relação da água da chuva com os poços de abastecimento público do Urumari em Santarém Pará, Brasil. Área Temática: Meio Ambiente Responsável pelo trabalho: Iara Lina de Sousa Silva Instituição:

Leia mais

DIREITO AMBIENTAL. Proteção do meio ambiente em normas infraconstitucionais. Diretrizes Nacionais de Saneamento Básico Lei n de 2007 Parte 2

DIREITO AMBIENTAL. Proteção do meio ambiente em normas infraconstitucionais. Diretrizes Nacionais de Saneamento Básico Lei n de 2007 Parte 2 DIREITO AMBIENTAL Proteção do meio ambiente em normas infraconstitucionais Diretrizes Nacionais de Saneamento Básico Lei n 11.445 de 2007 Parte 2 Prof. Rodrigo Mesquita II - gestão associada: associação

Leia mais

MEMÓRIA DE EVENTO VERA CRUZ Leitura Social do Diagnóstico em Oficina do PMSBP

MEMÓRIA DE EVENTO VERA CRUZ Leitura Social do Diagnóstico em Oficina do PMSBP Parte integrante do processo de Mobilização Social para Elaboração do Plano de Saneamento Básico Abastecimento de água Esgotamento sanitário Drenagem e manejo de águas pluviais urbanas Limpeza urbana e

Leia mais

SANEAMENTO BÁSICO PESQUISA NACIONAL DE GESTÃO MUNICIPAL DO SANEAMENTO BÁSICO GMSB BLOCO 02 IDENTIFICAÇÃO DA PREFEITURA

SANEAMENTO BÁSICO PESQUISA NACIONAL DE GESTÃO MUNICIPAL DO SANEAMENTO BÁSICO GMSB BLOCO 02 IDENTIFICAÇÃO DA PREFEITURA Diretoria de Pesquisas - DPE Coordenação de População e Indicadores Sociais - COPIS PESQUISA NACIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO - 008 GESTÃO MUNICIPAL DO SANEAMENTO BÁSICO GMSB BLOCO 0 IDENTIFICAÇÃO DO QUESTIONÁRIO

Leia mais

MEMÓRIA DE EVENTO - CARAÍVA Leitura Social do Diagnóstico em Oficina do PMSBP

MEMÓRIA DE EVENTO - CARAÍVA Leitura Social do Diagnóstico em Oficina do PMSBP Parte integrante do processo de Mobilização Social para Elaboração do Plano de Saneamento Básico Abastecimento de água Esgotamento sanitário Drenagem e manejo de águas pluviais urbanas Limpeza urbana e

Leia mais

FORMULÁRIO DE CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO

FORMULÁRIO DE CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO FORMULÁRIO DE CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO É expressamente proibido qualquer tipo de intervenção em Área de Preservação Permanente. Deverá ser observada rigorosamente a formatação deste formulário,

Leia mais

ANÁLISE DO SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO DO MUNICÍPIO DE CAMBUQUIRA

ANÁLISE DO SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO DO MUNICÍPIO DE CAMBUQUIRA ANÁLISE DO SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO DO MUNICÍPIO DE CAMBUQUIRA Lucas José de Andrade 1 Luana Ferreira Mendes 2 Educação ambiental RESUMO Como uma questão essencialmente de saúde pública, o acesso

Leia mais

DIAGNÓSTICO DO SANEAMENTO BÁSICO RURAL NO MUNICÍPIO DE PORTO DO MANGUE/RN, SEMIÁRIDO BRASILEIRO

DIAGNÓSTICO DO SANEAMENTO BÁSICO RURAL NO MUNICÍPIO DE PORTO DO MANGUE/RN, SEMIÁRIDO BRASILEIRO DIAGNÓSTICO DO SANEAMENTO BÁSICO RURAL NO MUNICÍPIO DE PORTO DO MANGUE/RN, SEMIÁRIDO BRASILEIRO Allan Viktor da Silva Pereira (1); Gabriela Nogueira Cunha (1); Jose Paiva Lopes Neto (2); Leonardo Almeida

Leia mais

Análise situacional a partir da utilização de dados secundários. 12 de dezembro de 2016

Análise situacional a partir da utilização de dados secundários. 12 de dezembro de 2016 Análise situacional a partir da utilização de dados secundários 12 de dezembro de 2016 O saneamento rural em números De acordo com o IBGE o Brasil possui uma população de cerca de 29.800.000 habitantes,

Leia mais

DIAGNÓSTICO DA QUALIDADE DO SANEAMENTO BÁSICO EM CINCO BAIRROS NO MUNICÍPIO DE XIQUE-XIQUE/BA

DIAGNÓSTICO DA QUALIDADE DO SANEAMENTO BÁSICO EM CINCO BAIRROS NO MUNICÍPIO DE XIQUE-XIQUE/BA DIAGNÓSTICO DA QUALIDADE DO SANEAMENTO BÁSICO EM CINCO BAIRROS NO MUNICÍPIO DE XIQUE-XIQUE/BA Andrezza Rodrigues Vilas Boas de Morais (1) andrezzadedeza@hotmail.com Aleandra de Sena Silva 2 aleandra.sena@outlook.com.br

Leia mais

ANÁLISE DO TRATAMENTO DE ÁGUA E ESGOTO NO ESTADO DO TOCANTINS

ANÁLISE DO TRATAMENTO DE ÁGUA E ESGOTO NO ESTADO DO TOCANTINS ANÁLISE DO TRATAMENTO DE ÁGUA E ESGOTO NO ESTADO DO TOCANTINS Paulo R. Sousa¹ Rafael M. S. Oliveira² Aurelio P. Picanço³ Resumo: As questões ligadas ao saneamento do meio ainda são um grande desafio para

Leia mais

DIAGNÓSTICO DA DESTINAÇÃO FINAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS DOMICILIARES NO ESTADO DA PARAÍBA

DIAGNÓSTICO DA DESTINAÇÃO FINAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS DOMICILIARES NO ESTADO DA PARAÍBA DIAGNÓSTICO DA DESTINAÇÃO FINAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS DOMICILIARES NO ESTADO DA PARAÍBA Gean Carlos Pereira de Lucena 1 ; Pedro Tiago Pereira de Sousa 1 ; Pablo Rodrigo da Costa Florêncio 1, João Filipe

Leia mais

Município de Visconde do Rio Branco 1. Aspectos Gerais

Município de Visconde do Rio Branco 1. Aspectos Gerais Projeto Preparatório para o Gerenciamento dos Recursos Hídricos do Paraíba do Sul Município de Visconde do Rio Branco 1. Aspectos Gerais O município de Visconde do Rio Branco tem uma população total de

Leia mais

MEMÓRIA DE EVENTO ARRAIAL D AJUDA Leitura Social do Diagnóstico em Oficina do PMSBP

MEMÓRIA DE EVENTO ARRAIAL D AJUDA Leitura Social do Diagnóstico em Oficina do PMSBP Parte integrante do processo de Mobilização Social para Elaboração do Plano de Saneamento Básico Abastecimento de água Esgotamento sanitário Drenagem e manejo de águas pluviais urbanas Limpeza urbana e

Leia mais

Pesquisa Nacional de Saneamento Básico PNSB /09/2009

Pesquisa Nacional de Saneamento Básico PNSB /09/2009 Pesquisa Nacional de Saneamento Básico PNSB 2008 09/09/2009 HISTÓRICO 1974: o primeiro levantamento estatístico sobre saneamento básico foi realizado, num convênio firmado com o Ministério da Saúde, no

Leia mais

POLUIÇÃO DA ÁGUA NO CÓRREGO SÃO LUIZ

POLUIÇÃO DA ÁGUA NO CÓRREGO SÃO LUIZ POLUIÇÃO DA ÁGUA NO CÓRREGO SÃO LUIZ Paulo Henrique Teles da Silva (*), Hellison Silva Mota, Adirailton Araújo. *Acadêmico do Curso de Tecnologia em Gestão Ambiental do Instituto Federal de Educação Ciência

Leia mais

Situação e Arcabouço Conceitual da Disposição de RSU

Situação e Arcabouço Conceitual da Disposição de RSU Introdução A ABRELPE Treinamento para Operação de Aterros Sanitários Situação e Arcabouço Conceitual da Disposição de RSU ABRELPE: Associação Nacional, sem fins lucrativos, fundada em 1976 e desde 1996

Leia mais

IV CONGRESSO MINEIRO DOS SERVIÇOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO

IV CONGRESSO MINEIRO DOS SERVIÇOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO IV CONGRESSO MINEIRO DOS SERVIÇOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO REGULAÇÃO NO SETOR DE SANEAMENTO: A BUSCA PELA EFICIÊNCIA E UNIVERSALIZAÇÃO Edilson Eduardo Werneck Machado Engenheiro Divisão de Engenharia

Leia mais

PERCEPÇÃO DOS MORADORES SOBRE A GESTÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS NO BAIRRO CARANAZAL, NO MUNICÍPIO DE SANTARÉM -PA, BRASIL

PERCEPÇÃO DOS MORADORES SOBRE A GESTÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS NO BAIRRO CARANAZAL, NO MUNICÍPIO DE SANTARÉM -PA, BRASIL PERCEPÇÃO DOS MORADORES SOBRE A GESTÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS NO BAIRRO CARANAZAL, NO MUNICÍPIO DE SANTARÉM -PA, BRASIL Josciane Carneiro Oliveira(*), Sabrina Santos da Costa, Rose Caldas de Souza Meira

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO QUESTIONÁRIO. NÚMERO DE CADASTRO DA ENTIDADE NO MUNICÍPIO (Preenchido de acordo com o Relatório de Números Cadastrais / IBGE)

IDENTIFICAÇÃO DO QUESTIONÁRIO. NÚMERO DE CADASTRO DA ENTIDADE NO MUNICÍPIO (Preenchido de acordo com o Relatório de Números Cadastrais / IBGE) Diretoria de Pesquisas DPE Coordenação de População e Indicadores Sociais COPIS PESQUISA NACIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO 0 ESGOTAMENTO SANITÁRIO ES BLOCO 0 0 IDENTIFICAÇÃO DO QUESTIONÁRIO NÚMERO DE CADASTRO

Leia mais

Recursos Hídricos. A interação do saneamento com as bacias hidrográficas e os impactos nos rios urbanos

Recursos Hídricos. A interação do saneamento com as bacias hidrográficas e os impactos nos rios urbanos 74 a Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia Recursos Hídricos A interação do saneamento com as bacias hidrográficas e os impactos nos rios urbanos SECRETARIA DE RECURSOS HÍDRICOS E QUALIDADE AMBIENTAL

Leia mais

1) Conceitos e definições:

1) Conceitos e definições: SANEAMENTO: A EDUCAÇÃO AMBIENTAL E A MELHORIA DAS CONDIÇÕES DE VIDA - COLETA E TRATAMENTO DE ESGOTOS 1) Conceitos e definições: 1.1) Esgoto: É um sistema destinado a escoar e tratar os dejetos dos diversos

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO QUESTIONÁRIO. NÚMERO DE CADASTRO DA ENTIDADE NO MUNICÍPIO (Preenchido de acordo com o Relatório de Números Cadastrais / IBGE)

IDENTIFICAÇÃO DO QUESTIONÁRIO. NÚMERO DE CADASTRO DA ENTIDADE NO MUNICÍPIO (Preenchido de acordo com o Relatório de Números Cadastrais / IBGE) Diretoria de Pesquisas - DPE Coordenação de População e Indicadores Sociais - COPIS PESQUISA NACIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO - 0 ABASTECIMENTO DE ÁGUA AA BLOCO 0 0 IDENTIFICAÇÃO DO QUESTIONÁRIO NÚMERO DE

Leia mais

Percepção da água pelos moradores do bairro do Buraco Fundo, povoado de Gargaú, São Francisco do Itabapoana

Percepção da água pelos moradores do bairro do Buraco Fundo, povoado de Gargaú, São Francisco do Itabapoana Percepção da água pelos moradores do bairro do Buraco Fundo, povoado de Gargaú, São Francisco do Itabapoana Giselly Leite de Carvalho Palavras-chave: Água. Gargaú. Manguezal. Introdução É de conhecimento

Leia mais

Anais 5º Simpósio de Gestão Ambiental e Biodiversidade (21 a 23 de junho 2016) Sessão Temática: Saúde e Meio Ambiente

Anais 5º Simpósio de Gestão Ambiental e Biodiversidade (21 a 23 de junho 2016) Sessão Temática: Saúde e Meio Ambiente Sessão Temática: Saúde e Meio Ambiente AVALIAÇÃO DA OPINIÃO PÚBLICA SOBRE O SERVIÇO DE SANEAMENTO BÁSICO DO MUNICÍPIO DE TRÊS RIOS-RJ Alexandrina Juscélia Feitosa de Souza 1 ; Jessica da Silva Correa 1

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DA CONTABILIDADE EM EMERGIA

CONTRIBUIÇÕES DA CONTABILIDADE EM EMERGIA Vendrametto, Lilian P. Agustini, Carlos A. Di Projeto de Lei 1.991/2007-5.564564 municípios - Milhões de empresas - Milhões de pessoas Gerador Projeto de Lei 1.991/2007 Das 27 cidades-capital no Brasil,

Leia mais

ANEXO C Exemplo de Protocolo de Auditoria Ambiental para Identificação de Aspectos Ambientais

ANEXO C Exemplo de Protocolo de Auditoria Ambiental para Identificação de Aspectos Ambientais ANEXO C Exemplo de Protocolo de Auditoria Ambiental para Identificação de Aspectos Ambientais PROTOCOLO DE AUDITORIA AMBIENTAL PARTE 1 IDENTIFICAÇÃO EMPREENDIMENTO: LOCALIZAÇÃO: DATA: PERÍODO: Início:

Leia mais

MEMÓRIA DE EVENTO BAIANÃO Leitura Social do Diagnóstico em Oficina do PMSBP

MEMÓRIA DE EVENTO BAIANÃO Leitura Social do Diagnóstico em Oficina do PMSBP Parte integrante do processo de Mobilização Social para Elaboração do Plano de Saneamento Básico Abastecimento de água Esgotamento sanitário Drenagem e manejo de águas pluviais urbanas Limpeza urbana e

Leia mais

MEMÓRIA DE EVENTO TRANCOSO Leitura Social do Diagnóstico em Oficina do PMSBP

MEMÓRIA DE EVENTO TRANCOSO Leitura Social do Diagnóstico em Oficina do PMSBP Parte integrante do processo de Mobilização Social para Elaboração do Plano de Saneamento Básico Abastecimento de água Esgotamento sanitário Drenagem e manejo de águas pluviais urbanas Limpeza urbana e

Leia mais

O Jardim Canadá no IBGE

O Jardim Canadá no IBGE O Jardim Canadá no IBGE Apps > Mapa > Municípios Nova Lima ( código 3144805) Pirâmide Etária Famílias Fecundidade Migração Religião Nupcialidade Domicílios Educação Deficiência Trabalho Rendimento Nova

Leia mais

OUTRAS MEDIDAS DE IMPORTÂNCIA SANITÁRIA

OUTRAS MEDIDAS DE IMPORTÂNCIA SANITÁRIA OUTRAS MEDIDAS DE IMPORTÂNCIA SANITÁRIA MANEJO DE ÁGUAS PLUVIAIS Processo de expansão urbana sistema de drenagem é o mais destacado pois seus transtornos são imediatos INUNDAÇÕES ALAGAMENTO MANEJO DE ÁGUAS

Leia mais

ANÁLISE DA EVOLUÇÃO DO ÍNDICE DE TRATAMENTO DE ESGOTO NOS ESTADOS DO NORDESTE NOS ANOS DE 2010 A 2014

ANÁLISE DA EVOLUÇÃO DO ÍNDICE DE TRATAMENTO DE ESGOTO NOS ESTADOS DO NORDESTE NOS ANOS DE 2010 A 2014 VII Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental ANÁLISE DA EVOLUÇÃO DO ÍNDICE DE TRATAMENTO DE ESGOTO NOS ESTADOS DO NORDESTE NOS ANOS DE 2010 A 2014 Ulisses Costa de Oliveira (*), Petronio Silva de Oliveira,

Leia mais

Aluna do curso de Engenharia Ambiental e Sanitária da Universidade Federal da Fronteira Sul, campus Cerro Largo/RS 3

Aluna do curso de Engenharia Ambiental e Sanitária da Universidade Federal da Fronteira Sul, campus Cerro Largo/RS 3 AVALIAÇÃO DAS ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTO DO MUNICÍPIO DE CAMPINA DAS MISSÕES 1 EVALUATION OF THE SEWAGE TREATMENT STATIONS OF THE CITY OF CAMPINA DAS MISSÕES Bianca Dos Santos Antes 2, Roselaine

Leia mais

RESUMO EXPANDIDO. Palavras-chave: Resíduos Sólidos da Construção e da Demolição (RCD s), Gestão ambiental, Sustentabilidade.

RESUMO EXPANDIDO. Palavras-chave: Resíduos Sólidos da Construção e da Demolição (RCD s), Gestão ambiental, Sustentabilidade. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO COORDENADORIA GERAL DE PESQUISA Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica PIBIC Campus Universitário

Leia mais

ESGOTAMENTO SANITÁRIO AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO DO MUNICÍPIO DE ARROIO GRANDE/RS

ESGOTAMENTO SANITÁRIO AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO DO MUNICÍPIO DE ARROIO GRANDE/RS ESGOTAMENTO SANITÁRIO AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO DO MUNICÍPIO DE ARROIO GRANDE/RS Cauana Schumann cauanaschumann@gmail.com Mateus Torres Nazari nazari.eas@gmail.com Carliana Rouse Favretto

Leia mais

PAINEL 1: RESÍDUOS SÓLIDOS E RECURSOS HÍDRICOS: ASPECTOS DE ENGENHARIA, SAÚDE E MEIO AMBIENTE

PAINEL 1: RESÍDUOS SÓLIDOS E RECURSOS HÍDRICOS: ASPECTOS DE ENGENHARIA, SAÚDE E MEIO AMBIENTE 8º Fórum Internacional de Resíduos Sólidos (FIRS) PAINEL 1: RESÍDUOS SÓLIDOS E RECURSOS HÍDRICOS: ASPECTOS DE ENGENHARIA, SAÚDE E MEIO AMBIENTE Prof. Dr. Cleverson V. Andreoli Diretor da Andreoli Eng.

Leia mais

I SANEAMENTO BÁSICO EM COMUNIDADES RURAIS DE LAVRAS, MINAS GERAIS

I SANEAMENTO BÁSICO EM COMUNIDADES RURAIS DE LAVRAS, MINAS GERAIS I-135 - SANEAMENTO BÁSICO EM COMUNIDADES RURAIS DE LAVRAS, MINAS GERAIS Gabriela Rezende de Souza (1) Engenheira Ambiental e Sanitarista pela Universidade Federal de Lavras (UFLA). Mestranda em Recursos

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE. Servidores municipais: Resp. SASB:

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE. Servidores municipais: Resp. SASB: PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE Servidores municipais: Resp. SASB: Tabela Erro! Nenhum texto com o estilo especificado foi encontrado no documento..1 - Checklist para levantamento de informações

Leia mais

INTRODUÇÃO. Objetivo geral

INTRODUÇÃO. Objetivo geral Geoprocessamento aplicado ao Estudo do ICH - Índice de Carência Habitacional para o Município de São Jose dos Campos a partir dos censos demográficos de 2000 e 2010 Thamy Barbara Gioia Disciplina Introdução

Leia mais

Álvaro Menezes e Pedro Scazufca

Álvaro Menezes e Pedro Scazufca Sustentabilidade no fornecimento de água: a importância de utilização da rede pública de abastecimento e a preservação da água do aquífero subterrâneo em Manaus Álvaro Menezes e Pedro Scazufca Recursos

Leia mais

Proteção e recuperação de mananciais para abastecimento público de água

Proteção e recuperação de mananciais para abastecimento público de água Proteção e recuperação de mananciais para abastecimento público de água Proteção e recuperação de mananciais para abastecimento público de água Assegurar água bruta em quantidade e qualidade para o SAA

Leia mais

UMA REFLEXÃO A PARTIR DO PENSAMENTO DE CICLO DE VIDA

UMA REFLEXÃO A PARTIR DO PENSAMENTO DE CICLO DE VIDA I Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental - I COBESA UMA REFLEXÃO A PARTIR DO PENSAMENTO DE CICLO DE VIDA Doutoranda em Engenharia Industrial (PEI/UFBA) Pesquisadora do Teclim e do LabMad,

Leia mais

MEMÓRIA DE EVENTO Leitura Social do Diagnóstico em Oficina do PMSBP

MEMÓRIA DE EVENTO Leitura Social do Diagnóstico em Oficina do PMSBP Parte integrante do processo de Mobilização Social para Elaboração do Plano de Saneamento Básico Abastecimento de água Esgotamento sanitário Drenagem e manejo de águas pluviais urbanas Limpeza urbana e

Leia mais

4º Painel SANEAMENTO BÁSICO. Gerenciamento integrado de resíduos sólidos urbanos

4º Painel SANEAMENTO BÁSICO. Gerenciamento integrado de resíduos sólidos urbanos 4º Painel SANEAMENTO BÁSICO Gerenciamento integrado de resíduos sólidos urbanos Engenheira Sanitarista Flávia Vieira Guimarães Orofino Departamento Técnico Companhia Melhoramentos da Capital - COMCAP RESÍDUOS

Leia mais

AVALIAÇÃO SOBRE A IMPLEMENTAÇÃO DA AGENDA 21 NO BRASIL: O CASO DO TEMA AMPLIAÇÃO DO ALCANCE DOS SERVIÇOS QUE SE OCUPAM DE RESÍDUOS

AVALIAÇÃO SOBRE A IMPLEMENTAÇÃO DA AGENDA 21 NO BRASIL: O CASO DO TEMA AMPLIAÇÃO DO ALCANCE DOS SERVIÇOS QUE SE OCUPAM DE RESÍDUOS AVALIAÇÃO SOBRE A IMPLEMENTAÇÃO DA AGENDA 21 NO BRASIL: O CASO DO TEMA AMPLIAÇÃO DO ALCANCE DOS SERVIÇOS QUE SE OCUPAM DE RESÍDUOS Anaxsandra Lima Duarte INTRODUÇÃO Estimativas da Agenda 21 Global: até

Leia mais

1. No dia 13 de setembro de 2017 foi publicado o Decreto nº ( Decreto ), da lavra do chefe do Poder Executivo do Município de Goiânia.

1. No dia 13 de setembro de 2017 foi publicado o Decreto nº ( Decreto ), da lavra do chefe do Poder Executivo do Município de Goiânia. 1. No dia 13 de setembro de 2017 foi publicado o Decreto nº 2.639 ( Decreto ), da lavra do chefe do Poder Executivo do Município de Goiânia. 2. O Decreto modifica o Decreto nº 728, de 14 de março de 2016,

Leia mais

O ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO MUNICIPAL E A GESTÃO DO RESÍDUO SÓLIDO NOS MUNICÍPIOS DA AMOG

O ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO MUNICIPAL E A GESTÃO DO RESÍDUO SÓLIDO NOS MUNICÍPIOS DA AMOG O ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO MUNICIPAL E A GESTÃO DO RESÍDUO SÓLIDO NOS MUNICÍPIOS DA AMOG Márcio Pioli (1), José de Paula Silva (2) e José Eduardo Zaia (3). (1) Márcio Pioli, Doutorando em Promoção

Leia mais

3º. A excepcionalidade prevista no 1º deste artigo não se aplica aos resíduos orgânicos industriais.

3º. A excepcionalidade prevista no 1º deste artigo não se aplica aos resíduos orgânicos industriais. RESOLUÇÃO CONAMA Nº 481, de 03/10/2017 Estabelece critérios e procedimentos para garantir o controle e a qualidade ambiental do processo de compostagem de resíduos orgânicos, e dá outras providências.

Leia mais

Plano de Gerenciamento Integrado de Resíduos Sólidos do Consórcio 4 Ambiental: Consórcio Intermunicipal para o Desenvolvimento Ambiental Sustentável

Plano de Gerenciamento Integrado de Resíduos Sólidos do Consórcio 4 Ambiental: Consórcio Intermunicipal para o Desenvolvimento Ambiental Sustentável para o Desenvolvimento Ambiental Sustentável PLANO DE GERENCIAMENTO INTEGRADO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DO CONSORCIO INTERMUNICIPAL PARA O DESENVOLVIMENTO AMBIENTAL SUSTENTAVEL - 4AMBIENTAL, COMPOSTO PELOS MUNICÍPIOS

Leia mais

O ABASTECIMENTO DE ÁGUA NO BAIRRO ÁREA VERDE EM SANTARÉM/PA

O ABASTECIMENTO DE ÁGUA NO BAIRRO ÁREA VERDE EM SANTARÉM/PA O ABASTECIMENTO DE ÁGUA NO BAIRRO ÁREA VERDE EM SANTARÉM/PA Saúde, Segurança e Meio Ambiente Marcelo Silva Garcia 1 1 Elana Thayna da Silva Vieira 2 1 Gleiciane Menezes da Silva 3 2 Elen Conceição Leal

Leia mais

BLOCO 05 SISTEMA DE COLETA DE ESGOTO SANITÁRIO DO DISTRITO NA ÁREA DE ATUAÇÃO DA ENTIDADE

BLOCO 05 SISTEMA DE COLETA DE ESGOTO SANITÁRIO DO DISTRITO NA ÁREA DE ATUAÇÃO DA ENTIDADE Diretoria de Pesquisas - DPE Coordenação de População e Indicadores Sociais - COPIS PESQUISA NACIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO - 0 ESGOTAMENTO SANITÁRIO - plificado IDENTIFICAÇÃO: NÚMERO DO CADASTRO DA ENTIDADE

Leia mais

PLANEJAMENTOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO: UMA METODOLOGIA DE APOIO À GESTÃO PÚBLICA LOCAL E UM ESTUDO DE CASO

PLANEJAMENTOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO: UMA METODOLOGIA DE APOIO À GESTÃO PÚBLICA LOCAL E UM ESTUDO DE CASO PLANEJAMENTOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO: UMA METODOLOGIA DE APOIO À GESTÃO PÚBLICA LOCAL E UM ESTUDO DE CASO Programa Desenvolvimento Econômico e Social Sustentável da Região Oeste do Paraná Prefeituras

Leia mais

IV Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental

IV Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental ANÁLISE DA PERCEPÇÃO DA POPULAÇÃO SOBRE O GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NO MUNICÍPIO DE WANDERLEY - BAHIA. Maria Clara Novais Belo Francisco dos Santos Graduanda em Engenharia Sanitária e

Leia mais

RECEPÇÃO DE CALOUROS COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS UFES Campus ALEGRE

RECEPÇÃO DE CALOUROS COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS UFES Campus ALEGRE RECEPÇÃO DE CALOUROS 2017-1 COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS UFES Campus ALEGRE RECEPÇÃO DE CALOUROS 2017-1 Dr. Anderson Lopes Peçanha Professor da Universidade Federal do Espírito Santo Departamento

Leia mais

PROBLEMAS SÓCIOAMBIENTAIS URBANOS RELACIONADOS AO ABASTECIMENTO DE ÁGUA DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM-PA. RESUMO

PROBLEMAS SÓCIOAMBIENTAIS URBANOS RELACIONADOS AO ABASTECIMENTO DE ÁGUA DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM-PA. RESUMO PROBLEMAS SÓCIOAMBIENTAIS URBANOS RELACIONADOS AO ABASTECIMENTO DE ÁGUA DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM-PA. Danilo Oliveira Ferreira (1) Luana Menna Barreto de Vilhena Anderson Abdon Santos da Silva Jairo

Leia mais

Sensibilização dos moradores do bairro abolição IV, Mossoró-RN á respeito da destinação adequada do lixo.

Sensibilização dos moradores do bairro abolição IV, Mossoró-RN á respeito da destinação adequada do lixo. Sensibilização dos moradores do bairro abolição IV, Mossoró-RN á respeito da destinação adequada do lixo. Cursista: Jaciara da Silva Pereira Tutora: Camila Maia Professor formador: Michael Hrncir Grupo:

Leia mais

Panorama Pós Plano Municipal de Saneamento: A Experiência de Alagoinhas BA

Panorama Pós Plano Municipal de Saneamento: A Experiência de Alagoinhas BA Panorama Pós Plano Municipal de Saneamento: A Experiência de Alagoinhas BA Miler Pereira Alves, Urbanista, Especializando em Gestão Ambiental. Nélia Lima Machado, Engenheira Sanitarista, Mestre em Engenharia

Leia mais

Municípios integrantes do Diagnóstico

Municípios integrantes do Diagnóstico HISTÓRICO O Diagnóstico de saneamento no entorno do Lago de Furnas é uma das ações resultantes do Diálogo de Concertação para o Desenvolvimento Sustentável do Lago de Furnas, iniciado em dezembro de 2003,

Leia mais

GESTÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NO MUNICÍPIO DE VITÓRIA DA CONQUISTA-BA. Mineia Venturini Menezes 1 Altemar Amaral Rocha 2 INTRODUÇÃO

GESTÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NO MUNICÍPIO DE VITÓRIA DA CONQUISTA-BA. Mineia Venturini Menezes 1 Altemar Amaral Rocha 2 INTRODUÇÃO GESTÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NO MUNICÍPIO DE VITÓRIA DA CONQUISTA-BA Mineia Venturini Menezes 1 Altemar Amaral Rocha 2 INTRODUÇÃO Um dos grandes desafios da sociedade atual está em gerir adequadamente

Leia mais

BREVE HISTÓRICO SANEAMENTO BÁSICO

BREVE HISTÓRICO SANEAMENTO BÁSICO BREVE HISTÓRICO SANEAMENTO BÁSICO DECADA DE 50 Criação dos Serviços Autônomos de Água e Esgotos - SAAE 1968 - CRIAÇÃO BNH Agente financeiro oficial da política de habitação e saneamento 1969 - Instituição

Leia mais

FORMULÁRIO DE CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO

FORMULÁRIO DE CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO FORMULÁRIO DE CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO É expressamente proibido qualquer tipo de intervenção em Área de Preservação Permanente. Deverá ser observada rigorosamente a formatação deste formulário,

Leia mais

INFLUÊNCIA DE FOSSAS NEGRAS NA CONTAMINAÇÃO DE POÇOS SUBTERRÂNEOS NA COMUNIDADE VILA NOVA, ITAIÇABA-CEARÁ 1

INFLUÊNCIA DE FOSSAS NEGRAS NA CONTAMINAÇÃO DE POÇOS SUBTERRÂNEOS NA COMUNIDADE VILA NOVA, ITAIÇABA-CEARÁ 1 1 INFLUÊNCIA DE FOSSAS NEGRAS NA CONTAMINAÇÃO DE POÇOS SUBTERRÂNEOS NA COMUNIDADE VILA NOVA, ITAIÇABA-CEARÁ 1 Yanna Julia Dantas de Souza 2, Jardson Álvaro Freitas Bezerra 3, Hozineide Oliveira Rolim 4,

Leia mais

DIAGNÓSTICO DO ABASTECIMENTO DE ÁGUA ATRAVÉS DA PERCEPÇÃO DOS MORADORES DO BAIRRO CARANAZAL NO MUNICÍPIO DE SANTARÉM-PA, BRASIL

DIAGNÓSTICO DO ABASTECIMENTO DE ÁGUA ATRAVÉS DA PERCEPÇÃO DOS MORADORES DO BAIRRO CARANAZAL NO MUNICÍPIO DE SANTARÉM-PA, BRASIL DIAGNÓSTICO DO ABASTECIMENTO DE ÁGUA ATRAVÉS DA PERCEPÇÃO DOS MORADORES DO BAIRRO CARANAZAL NO MUNICÍPIO DE SANTARÉM-PA, BRASIL Sabrina Santos da Costa (*), Josciane Carneiro Oliveira, Rose Caldas de Souza

Leia mais

3.6 LEOPOLDINA Sistema Existente de Abastecimento de Água

3.6 LEOPOLDINA Sistema Existente de Abastecimento de Água 3.6 LEOPOLDINA O sistema de abastecimento público de água em Leopoldina é operado e mantido pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais - COPASA, empresa de âmbito estadual, através do sistema operacional

Leia mais

SANEAMENTO NA ÁREA RURAL

SANEAMENTO NA ÁREA RURAL SANEAMENTO NA ÁREA RURAL Anelise Nardi Hüffner Engenheira Ambiental, MSc. em Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental Contextualização Área Urbana Área Rural Densidade demográfica, diferenciação e mudança

Leia mais

PERCEPÇÃO AMBIENTAL DOS MORADORES E COMERCIANTES RIBEIRINHOS DO PORTO DE NAVEGAÇÃO NO MUNICÍPIO DE ILHA SOLTEIRA/SP

PERCEPÇÃO AMBIENTAL DOS MORADORES E COMERCIANTES RIBEIRINHOS DO PORTO DE NAVEGAÇÃO NO MUNICÍPIO DE ILHA SOLTEIRA/SP PERCEPÇÃO AMBIENTAL DOS MORADORES E COMERCIANTES RIBEIRINHOS DO PORTO DE NAVEGAÇÃO NO MUNICÍPIO DE ILHA SOLTEIRA/SP Manoel, L.O. 1* ; Oliveira, M. 2 ;Carvalho, S.L. 3 1 UNESP/Campus Ilha Solteira/SP, e-mail:

Leia mais

LEI Nº 4.127, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2011

LEI Nº 4.127, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2011 LEI Nº 4.127, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2011 Dispõe sobre a Política Municipal de Saneamento Básico, cria o Conselho Municipal de Saneamento, o Fundo Municipal de Saneamento e dá outras providências. lei: A

Leia mais

Percepção ambiental no bairro da Vila Luizão/São Luís - Ma. Alunos: Allysson Maciel, Ellen Raquel, Fabrício e Luziene Souza

Percepção ambiental no bairro da Vila Luizão/São Luís - Ma. Alunos: Allysson Maciel, Ellen Raquel, Fabrício e Luziene Souza Percepção ambiental no bairro da Vila Luizão/São Luís - Ma Alunos: Allysson Maciel, Ellen Raquel, Fabrício e Luziene Souza Introdução A Vila Luizão é um bairro localizado na Ilha de São Luís/MA, próximo

Leia mais

TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA. Nº. 016/ 2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013

TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA. Nº. 016/ 2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013 TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA Nº. 016/ 2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013 S Capacitação de Técnicos e Gestores para Elaboração do Plano Municipal de Saneamento Básico Módulo I Limpeza Urbana e Manejo de

Leia mais

ARTIGO COM APRESENTAÇÃO BANNER - RECURSOS HÍDRICOS

ARTIGO COM APRESENTAÇÃO BANNER - RECURSOS HÍDRICOS ARTIGO COM APRESENTAÇÃO BANNER - RECURSOS HÍDRICOS ANALISE DA DISPOSIÇÃO ENTRE POÇOS E FOSSAS NO BAIRRO OLIVEIRA BRITO, CIDADE DE CAPANEMA, PARÁ, BRASIL KATHERINNE THAISA BRITO LIMA, RONNIERY DA SILVA

Leia mais

RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS E SEUS IMPACTOS SOCIOAMBIENTAIS NA CIDADE DE FORTALEZA/CE

RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS E SEUS IMPACTOS SOCIOAMBIENTAIS NA CIDADE DE FORTALEZA/CE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS E SEUS IMPACTOS SOCIOAMBIENTAIS NA CIDADE DE FORTALEZA/CE Laisa Carneiro Alves (¹), Carla Bastos Vidal(²) (¹) Faculdades Nordeste, laiisaalves@hotmail.com RESUMO Este trabalho

Leia mais

ASPECTOS LEGAIS DA POLÍTICA DE SANEAMENTO BÁSICO E DE RECURSOS HÍDRICOS

ASPECTOS LEGAIS DA POLÍTICA DE SANEAMENTO BÁSICO E DE RECURSOS HÍDRICOS AILTON FRANCISCO DA ROCHA Superintendente de Recursos Hídricos Secretaria de Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos de Sergipe 09 DE DEZEMBRO DE 2015 POLÍTICA NACIONAL DE RECURSOS HÍDRICOS (LEI Nº 9.433/1997):

Leia mais

Escola Politécnica da Universidade de São Paulo PHD 2537 ÁGUA EM AMBIENTES URBANOS POLÍTICA DE DRENAGEM URBANA NO BRASIL

Escola Politécnica da Universidade de São Paulo PHD 2537 ÁGUA EM AMBIENTES URBANOS POLÍTICA DE DRENAGEM URBANA NO BRASIL Escola Politécnica da Universidade de São Paulo PHD 2537 ÁGUA EM AMBIENTES URBANOS POLÍTICA DE DRENAGEM URBANA NO BRASIL 2005 Política de Drenagem Urbana no Brasil Alunos: COMPONENTES Fábio Luiz Pereira

Leia mais

Plano de Aquisições SIGLAS E ABREVIATURAS

Plano de Aquisições SIGLAS E ABREVIATURAS Public Disclosure Authorized Public Disclosure Authorized Public Disclosure Authorized Public Disclosure Authorized Plano de Aquisições SIGLAS E ABREVIATURAS APA Área de Preservação Ambiental CAAB Companhia

Leia mais

O QUE É SANEAMENTO? SANEAMENTO BÁSICO. - água. - esgoto. - resíduos sólidos (lixo) - drenagem pluvial

O QUE É SANEAMENTO? SANEAMENTO BÁSICO. - água. - esgoto. - resíduos sólidos (lixo) - drenagem pluvial Belo Horizonte, 6 de março de 2012 O QUE É SANEAMENTO? - água SANEAMENTO BÁSICO - esgoto - resíduos sólidos (lixo) - drenagem pluvial Definições da Lei 11.445/2007 POLUIÇÃO DAS ÁGUAS ESGOTO AGROTÓXICOS

Leia mais

IV CONEFLOR III SEEFLOR/ Vitória da Conquista (BA), 25 a 28 de Novembro de Resumo Expandido - [948] ISSN:

IV CONEFLOR III SEEFLOR/ Vitória da Conquista (BA), 25 a 28 de Novembro de Resumo Expandido - [948] ISSN: Percepção Ambiental das Águas em Ambientes Urbanos do Semiárido: O caso de Mossoró-RN Kleane Targino Oliveira Pereira (1) ; Marco Antonio Diodato (2) (1) Estudante de Engenharia Florestal; Universidade

Leia mais

Cenário Atual do Saneamento

Cenário Atual do Saneamento Cenário Atual do Saneamento Conhecimento ainda é privilégio de poucos 31% da população desconhece o que é Saneamento, somente 3% o relacionam à Saúde e 41% não pagaria para ter seu domicílio ligado à rede

Leia mais

Desafios do Saneamento em Comunidades Isoladas. Câmara Técnica de Saneamento e Saúde em Comunidades Isoladas ABES São Paulo

Desafios do Saneamento em Comunidades Isoladas. Câmara Técnica de Saneamento e Saúde em Comunidades Isoladas ABES São Paulo Desafios do Saneamento em Comunidades Isoladas Câmara Técnica de Saneamento e Saúde em Comunidades Isoladas ABES São Paulo População Rural 30 milhões de pessoas residem em localidades rurais no Brasil,

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS LEI / 08/ 2010 DECRETO 7.404/ 12/ 2010

Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS LEI / 08/ 2010 DECRETO 7.404/ 12/ 2010 Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS LEI 12.305 / 08/ 2010 DECRETO 7.404/ 12/ 2010 Cenário brasileiro de resíduos sólidos Aumento da: População nas cidades 50% mundial 85% Brasil (IBGE, 2010).

Leia mais

PREVENÇÃO. You created this PDF from an application that is not licensed to print to novapdf printer (http://www.novapdf.com)

PREVENÇÃO. You created this PDF from an application that is not licensed to print to novapdf printer (http://www.novapdf.com) PREVENÇÃO I CONTEXTO II A PRÁTICA III DESAFIOS I CONTEXTO I CONTEXTO 1. LEI Nº 9.433/1997 - Política Nacional de Recursos Hídricos - PNR Art. 1º Fundamentos... Bacia hidrográfica unidade territorial para

Leia mais

Perguntas e respostas

Perguntas e respostas Perguntas e respostas 1. O que é o ranking? É um instrumento de avaliação do setor do saneamento no Brasil que identifica o quão próximo os municípios estão da universalização do saneamento. Ele apresenta

Leia mais

Conceição do Araguaia-Pa. Av. Couto Magalhães, S/N, Setor Universitário; oliveiragessi@hotmail.com.br e leonaldo2690@hotmail.com

Conceição do Araguaia-Pa. Av. Couto Magalhães, S/N, Setor Universitário; oliveiragessi@hotmail.com.br e leonaldo2690@hotmail.com DIAGNÓSTICO SANITÁRIO DO BAIRRO CENTRO EM CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA, PA Géssica Oliveira da Silva 1 e Leonaldo Carvalho da silva 2 1,2 Graduandos do Curso de Tecnologia em Gestão Ambiental, IFPA Campus Conceição

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DA PREOCUPAÇÃO E CONSCIENTIZAÇÃO DO BAIRRO PLANALTO UNIVERSITÁRIO DE QUIXADÁ CE COM A DESTINAÇÃO DO SEU LIXO RECICLÁVEL

IDENTIFICAÇÃO DA PREOCUPAÇÃO E CONSCIENTIZAÇÃO DO BAIRRO PLANALTO UNIVERSITÁRIO DE QUIXADÁ CE COM A DESTINAÇÃO DO SEU LIXO RECICLÁVEL IDENTIFICAÇÃO DA PREOCUPAÇÃO E CONSCIENTIZAÇÃO DO BAIRRO PLANALTO UNIVERSITÁRIO DE QUIXADÁ CE COM A DESTINAÇÃO DO SEU LIXO RECICLÁVEL Gilson de Oliveira Claudino (1), Pollyana Maria Pimentel Monte (2)

Leia mais

CAPÍTULO 12 SANEAMENTO AMBIENTAL

CAPÍTULO 12 SANEAMENTO AMBIENTAL CAPÍTULO 12 SANEAMENTO AMBIENTAL..Sanear... Seria aproveitar os nossos resíduos? Saber onde descartá-los? Somente as autoridades teriam soluções para os nossos problemas? Ou temos nossa parcela de contribuição?

Leia mais

Como atender às necessidades da produção e do meio ambiente?

Como atender às necessidades da produção e do meio ambiente? Como atender às necessidades da produção e do meio ambiente? Encontre pontos de melhorias e adequações para a sua empresa e diminua gastos com multas ambientais Índice Introdução Tipos de Efluentes e Resíduos

Leia mais

AVALIAÇÃO DA PERCEPÇÃO AMBIENTAL DA SOCIEDADE DE MORAÚJO- CEARÁ, FRENTE ÀS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DO MUNICÍPIO.

AVALIAÇÃO DA PERCEPÇÃO AMBIENTAL DA SOCIEDADE DE MORAÚJO- CEARÁ, FRENTE ÀS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DO MUNICÍPIO. AVALIAÇÃO DA PERCEPÇÃO AMBIENTAL DA SOCIEDADE DE MORAÚJO- CEARÁ, FRENTE ÀS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DO MUNICÍPIO. Eliel Albuquerque Aguiar 1, Francisco Bruno Monte Gomes 1, Érika da Silva Azevedo 1 Antônia

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO DE SELEÇÃO 2012 MESTRADO EM ENGENHARIA SANITÁRIA

EDITAL DO PROCESSO DE SELEÇÃO 2012 MESTRADO EM ENGENHARIA SANITÁRIA EDITAL DO PROCESSO DE SELEÇÃO 2012 MESTRADO EM ENGENHARIA SANITÁRIA Edital No. 001/2011- O Programa de Pós-graduação em Engenharia Sanitária da Universidade Federal do Rio Grande do Norte faz saber que

Leia mais

as margens do reservatório, resíduos de lixo como garrafas plásticas, socos plásticos, papéis. Em relação á ocupação humana no interior da sub-bacia

as margens do reservatório, resíduos de lixo como garrafas plásticas, socos plásticos, papéis. Em relação á ocupação humana no interior da sub-bacia 76 as margens do reservatório, resíduos de lixo como garrafas plásticas, socos plásticos, papéis. Em relação á ocupação humana no interior da sub-bacia do rio Vacacaí Mirim apresenta um agravante que é

Leia mais

PREND Programa de Recebimento de Efluentes Não Domésticos

PREND Programa de Recebimento de Efluentes Não Domésticos SEUS ESGOTOS TRATADOS POR QUEM MAIS ENTENDE DO ASSUNTO Uma das grandes preocupações das empresas hoje em dia é o tratamento e a destinação de seus esgotos. A Sabesp está preparada para receber e tratar

Leia mais

Proteção de nascentes

Proteção de nascentes Para contribuir com a preservação e a melhoria da qualidade da água e da saúde das famílias na área rural, deve ser realizado um conjunto de ações: Ÿ Ÿ Ÿ Proteger adequadamente as nascentes; Tratar adequadamente

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA. Prospectiva, Planejamento Estratégico e Prognóstico do PMSB e PMGIRS

AUDIÊNCIA PÚBLICA. Prospectiva, Planejamento Estratégico e Prognóstico do PMSB e PMGIRS AUDIÊNCIA PÚBLICA Prospectiva, Planejamento Estratégico e Prognóstico do PMSB e PMGIRS Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB) e Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (PMGIRS) de

Leia mais

Estado da Bahia Prefeitura Municipal de Porto Seguro Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Planejamento

Estado da Bahia Prefeitura Municipal de Porto Seguro Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Planejamento Estado da Bahia Prefeitura Municipal de Porto Seguro Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Planejamento Diagnóstico Sócioparticipativo/Mobilização Social/Plano de Saneamento Plano Municipal de Saneamento

Leia mais