7ª Conferência Municipal Produção Mais Limpa Cidade de São Paulo. São Paulo, 21 de Maio Maria Luiza Barbosa

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "7ª Conferência Municipal Produção Mais Limpa Cidade de São Paulo. São Paulo, 21 de Maio 2008. Maria Luiza Barbosa"

Transcrição

1 7ª Conferência Municipal Produção Mais Limpa Cidade de São Paulo São Paulo, 21 de Maio 2008 Maria Luiza Barbosa

2 Responsabilidade Social Projetos desenvolvidos pela UNICA Instituto Banco Mundial Programa de Responsabilidade Social Cooperativa e Competitiva Sustentável Programa Parcerias Sustentáveis IBASE Balanço Social IBASE entre 2003 e 2005 participaram 47 usinas em 2007 estarão participando 70 usinas Responsabilidade Social GRI Relatório GRI 10 usinas em 2007 Instituto Ethos Indicadores de Responsabilidade Social Empresarial primeira etapa: 33 associadas, segunda etapa: 30 associadas Projeto Tear Parceria - BID/FUMIN / INST. ETHOS / UNICA Usina Santaelisa Vale

3 Responsabilidade Social A Unica possui um núcleo de responsabilidade social desde 2001, com programas e metas definidas e orientadas, e tem procurado ampliar o envolvimento com público interno das empresas, atuar na capacitação de profissionais e no desenvolvimento do processo de responsabilidade social junto a cadeia de fornecedores das empresas do setor.

4 Balanço Social Desde 2003 a Unica orienta e incentiva todos os seus associados a fazer o seu balanço social anualmente. Modelo IBASE Instituto de Análises Sociais e Econômicas. O Balanço Social é um demonstrativo que reúne indicadores econômicos, indicadores sociais internos e externos, referentes a projetos, benefícios e ações dirigidas aos empregados, acionistas, investidores e, a comunidade.

5 MODELO BALANÇO SOCIAL Balanço Social Anual / 2007 Empresa: 1 - Base de Cálculo 2007 Valor (Mil reais) 2006 Valor (Mil reais) Receita líquida (RL) 0 0 Resultado operacional (RO) 0 0 Folha de pagamento bruta (FPB) Indicadores Sociais Internos Valor (mil) % sobre FPB % sobre RL Valor (mil) % sobre FPB % sobre RL Alimentação 0 Encargos sociais compulsórios 0 Previdência privada 0 Saúde 0 Segurança e saúde no trabalho 0 Educação 0 Cultura 0 Capacitação e desenvolvimento profissional 0 Creches ou auxílio-creche 0 Participação nos lucros ou resultados 0 Outros 0 Total - Indicadores sociais internos 0

6 MODELO BALANÇO SOCIAL 3 - Indicadores Sociais Externos Valor (mil) % sobre RO % sobre RL Valor (mil) % sobre RO % sobre RL Educação 0 Cultura 0 Saúde e saneamento 0 Esporte 0 Combate à fome e segurança alimentar 0 Outros 0 Total das contribuições para a sociedade 0 Tributos (excluídos encargos sociais) 0 Total - Indicadores sociais externos Indicadores Ambientais Valor (mil) % sobre RO % sobre RL Valor (mil) % sobre RO % sobre RL Investimentos relacionados com a produção/ operação da empresa 0 Investimentos em programas e/ou projetos externos 0 Total dos investimentos em meio ambiente 0 Quanto ao estabelecimento de metas anuais para minimizar resíduos, o consumo em geral na produção/ operação e aumentar a eficácia na utilização de recursos naturais, a empresa ( ) não possui metas ( ) cumpre de 51 a 75% ( ) cumpre de 0 a 50% ( ) cumpre de 76 a 100% ( ) não possui metas ( ) cumpre de 51 a 75% ( ) cumpre de 0 a 50% ( ) cumpre de 76 a 100%

7 MODELO BALANÇO SOCIAL 5 - Indicadores do Corpo Funcional Nº de empregados(as) ao final do período 0 0 Nº de admissões durante o período 0 0 Nº de empregados(as) terceirizados(as) 0 0 Nº de estagiários(as) 0 0 Nº de empregados(as) acima de 45 anos 0 0 Nº de mulheres que trabalham na empresa 0 0 % de cargos de chefia ocupados por mulheres 0,00% 0,00% Nº de negros(as) que trabalham na empresa 0 0 % de cargos de chefia ocupados por negros(as) 0,00% 0,00% Nº de portadores(as) de deficiência ou necessidades especiais 0 0

8 MODELO BALANÇO SOCIAL 6 - Informações relevantes quanto ao exercício da cidadania empresarial 2007 Metas 2008 Relação entre a maior e a menor remuneração na empresa 0 0 Número total de acidentes de trabalho 0 0 Os projetos sociais e ambientais desenvolvidos pela empresa foram definidos por: ( ) direção ( ) direção e gerências ( ) todos(as) empregados(as) ( ) direção (x ) direção e gerências ( ) todos(as) empregados(as) Os pradrões de segurança e salubridade no ambiente de trabalho foram definidos por: ( ) direção e gerências ( ) todos(as) empregados(as) ( ) todos(as) + Cipa ( ) direção e gerências ( ) todos(as) empregados(as) (x ) todos(as) + Cipa Quanto à liberdade sindical, ao direito de negociação coletiva e à representação interna dos(as) trabalhadores(as), a empresa: ( ) não se envolve ( ) segue as normas da OIT ( ) incentiva e segue a OIT ( ) não se envolverá ( ) seguirá as normas da OIT (x ) incentivará e seguirá a OIT A previdência privada contempla: ( ) direção ( ) direção e gerências ( ) todos(as) empregados(as) ( ) direção ( ) direção e gerências (x ) todos(as) empregados(as) A participação dos lucros ou resultados contempla: ( ) direção ( ) direção e gerências ( ) todos(as) empregados(as) ( ) direção ( ) direção e gerências ( x) todos(as) empregados(as) Na seleção dos fornecedores, os mesmos padrões éticos e de responsabilidade social e ambiental adotados pela empresa: ( ) não são considerados ( ) são sugeridos ( ) são exigidos ( ) não serão considerados ( x) serão sugeridos ( ) serão exigidos Quanto à participação de empregados(as) em programas de trabalho voluntário, a empresa: ( ) não se envolve ( ) apóia ( ) organiza e incentiva ( ) não se envolverá ( ) apoiará (x ) organizará e incentivará Número total de reclamações e críticas de consumidores(as): na empresa no Procon na Justiça na empresa no Procon na Justiça % de reclamações e críticas atendidas ou solucionadas: na empresa % no Procon % na Justiça % na empresa % no Procon % na Justiça % Valor adicionado total a distribuir (em mil R$): Em 2007: Em 2006: Distribuição do Valor Adicionado (DVA): 7 - Outras Informações 0 % governo % colaboradores(as) % acionistas % terceiros % retido % governo % colaboradores(as) % acionistas % terceiros % retido

9 Instituto Banco Mundial Uma iniciativa importante da UNICA foi sua parceria com o Instituto Banco Mundial para desenvolver o Programa de Responsabilidade Social Corporativa e Competitividade Sustentável nas empresas associadas e nas universidades de São Paulo. Participaram 2400 pessoas. Objetivo: Despertar a consciência social e ambiental alinhadas com a consciência econômica já instalada. Incentivar atitudes e práticas individuais e corporativas alinhadas com o princípio da sustentabilidade.

10 Próxima Geração de Líderes Participaram alunos de 11 universidades de São Paulo. Objetivo: capacitar universitários das faculdades de economia, administração e agronomia no programa de responsabilidade social. Responsabilidade Social Corporativa 120 executivos membros da diretoria das associadas da Unica. Objetivo: introduzir os participantes no desafio da implementação da prática de modelos de negócios e estratégias do desenvolvimento sustentável.

11 Parcerias Sustentáveis pessoas Participam: gerentes das empresas afiliadas a Única, representantes da rede de fornecedores, clientes, representantes do governo local, líderes de ONGs, representantes da imprensa local. Objetivo: capacitar toda a cadeia do setor para entenderem melhor seus interesses comuns e interdependências dos seus stakeholders, e como devem gerenciar melhor os aspectos sociais e ambientais para uma produtividade mais limpa e redução de possíveis riscos.

12 Construindo Parcerias Na Comunidade Local Participantes: gerentes das afiliadas da Unica, oficiais do governo local, sociedade civil e líderes comunitários. Objetivo: Desenvolver capacidade das partes interessadas locais para conjuntamente endereçar a chave para o desenvolvimento dos desafios face às comunidades locais. Sociedade civil e líderes comunitários locais.

13 Indicadores Em abril de 2006, a Unica firmou parceria com o Instituto Ethos para a implementação dos Indicadores Ethos de Responsabilidade Social Empresarial. Essa ferramenta de gestão tem por finalidade mapear, por meio de um questionário de auto-avaliação, como está cada empresa. Participaram 32 usinas com 650 participantes

14 Os Sete Temas e o Sistema Empresarial Meio Ambiente Governo e Sociedade Comunidade Fornecedores Valores, Transparência e Governança CONTEXTO EMPRESARIAL Público Interno Consumidores e Clientes Comunidade Governo e Sociedade Meio Ambiente Fonte: UniEthos Educação para a Responsabilidade Social e o Desenvolvimento Sustentável

15 Média UNICA X Média Mercado (Banco de Dados Ethos) Valores, Transp. e Govern. 3,81 4,52 Público Interno 3,52 4,05 Meio Ambiente 3,08 3,48 Fornecedores 2,10 3,27 Consumidores e Clientes 3,85 5,82 Comunidade 3,21 3,35 Governo e Sociedade 3,12 3, Média Atual ÚNICA Média do Banco de dados Ethos

16 Projeto Tear Tecendo Redes Responsáveis Parceria BID/ Ethos/ UNICA Objetivos: Desenvolver e consolidar a visão estratégica do negócio sob a ótica da sustentabilidade em toda a cadeia produtiva. Estimular o desenvolvimento do processo de responsabilidade social em todos os agentes vinculados ao setor: usinas, fornecedores e clientes. A empresa do setor sucroalcooleiro que participa deste programa é a Santelisavale com seus fornecedores e clientes, e tem duração de 24 meses.

17 Relatório de Sustentabilidade GRI Global Reporting Initiative A Unica através de seminários vem capacitando e orientando suas afiliadas a elaborar seus relatórios de sustentabilidade. O modelo de relatório GRI, vêem se tornando um padrão internacional de comunicação do desempenho sócioambiental multisetorial, reconhecido por instituições financeiras, ONGs e governo bem como o setor público e privado. Os dados quantitativos bem como os estudos de caso apresentados podem ser auditados por terceira parte, assim como o balanço fiscal.

18 Vantagens do Relatório Consciência de riscos; Comprometimento e transparência com todas as partes interessadas; Atração de capital favorável; Melhoria do sistema de gestão; Encorajamento à inovação; Melhoria contínua;

19 Iniciativas Sócioambientais Os 110 associados da Unica desenvolvem centenas de projetos nas áreas esportivas, qualidade de vida, saúde, educação, cultura, educação ambiental e projetos de educação profissionalizantes.

20 Os macro projetos apresentados podem ser vistos por etapas pela figura abaixo:

21 Muito obrigada!

Balanço Social das Empresas

Balanço Social das Empresas Balanço Social das Empresas Aqui inicia-se a construção do Balanço Social de sua empresa, no modelo proposto pelo Ibase. Este importante documento deve ser resultado de um amplo processo participativo

Leia mais

ANEXO II - MODELO PARA ENTIDADES COM FINS NÃO ECONÔMICOS

ANEXO II - MODELO PARA ENTIDADES COM FINS NÃO ECONÔMICOS ANEXO II - MODELO PARA ENTIDADES COM FINS NÃO ECONÔMICOS INSTITUIÇÃO:SOCIEDADE ESPIRITA OBREIROS DA VIDA ETERNA CNPJ: 82.898.230/0001-84 ENDEREÇO: NATUREZA JURÍDICA: ( x ) ASSOCIAÇÃO ( ) FUNDAÇÃO ( ) COOPERATIVA

Leia mais

Balanço Socioambiental

Balanço Socioambiental Balanço Socioambiental Identificação Instituição Associação dos Portadores da Sindrome de Down Natureza Jurídica Associação Registro no CMAS Utilidade Pública Estadual Isenta da cota patronal INSS Não

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL NO SETOR SUCROALCOOLEIRO

RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL NO SETOR SUCROALCOOLEIRO CANA SUL 2008 RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL NO SETOR SUCROALCOOLEIRO Maria Luiza Barbosa Campo Grande, 23 de agosto de 2008 RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL É a forma de gestão que se define pela

Leia mais

Comunidade. Relacionamento Comunitário

Comunidade. Relacionamento Comunitário Balanço Social 2003 Balanço Social 2003 Inserção social e comprometimento com a melhoria da qualidade de vida das comunidades: marcas da Fundação CSN traduzidas em investimentos em educação, desenvolvimento

Leia mais

Informações Corporativas

Informações Corporativas 2 SUMÁRIO Responsabilidade Social e Ambiental 04 Políticas e Compromissos Público Interno Benefícios Clientes/Consumidores Comunidade Educação Outras Ações Projeto Geração de Renda Voluntariado Tabela

Leia mais

A consolidação do modelo

A consolidação do modelo C A P Í T U L O 2 A consolidação do modelo Nos últimos anos, o balanço social modelo Ibase tornou-se a principal ferramenta por meio da qual as empresas são estimuladas a conhecer, sistematizar e apresentar

Leia mais

Ramo de atividade: 2 - Indicadores de Corpo Funcional Cooperado(as)Empregado(as) Nº Total Cooperado(as)Empregado(as) Nº Total

Ramo de atividade: 2 - Indicadores de Corpo Funcional Cooperado(as)Empregado(as) Nº Total Cooperado(as)Empregado(as) Nº Total Balanço Social 2 Unimed Brasil Balanço Social Parcial - Identificação Nome da cooperativa: UNIMED SÃO JOSÉ DOS CAMPOS Ramo de atividade: Saúde Atuação da cooperativa: Local CNPJ: 6.24.57/- 5 Tempo de existência:

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CASA SÃO JOSÉ BALANÇO SOCIAL

ASSOCIAÇÃO CASA SÃO JOSÉ BALANÇO SOCIAL 1. IDENTIFICAÇÃO RAZÃO SOCIAL Associação Casa São José CNPJ 18.093.657/0001-06 ENDEREÇO Rua Marcus Aurélio Homem, 366 - Carvoeira/Serrinha CEP 88040-440 Florianópolis TELEFONE (48) 3234-3800 SITE/EMAIL

Leia mais

BALANÇO SOCIAL: UM ESTUDO DA EVOLUÇÃO DOS INDICADORES SOCIAIS DE UMA INSTITUIÇÃO FINANCEIRA BRASILEIRA

BALANÇO SOCIAL: UM ESTUDO DA EVOLUÇÃO DOS INDICADORES SOCIAIS DE UMA INSTITUIÇÃO FINANCEIRA BRASILEIRA ISSN 1984-9354 BALANÇO SOCIAL: UM ESTUDO DA EVOLUÇÃO DOS INDICADORES SOCIAIS DE UMA INSTITUIÇÃO FINANCEIRA BRASILEIRA Carlos Eduardo de Oliveira (UFU) Kamyr Gomes de Souza (UFU) Lorena de Almeida (UFU)

Leia mais

200 anos fazendo o futuro do Brasil

200 anos fazendo o futuro do Brasil 200 anos fazendo o futuro do Brasil Ao completar 200 anos, o Banco do Brasil reafirma sua trajetória de maior fomentador do desenvolvimento do País, aliando em seus negócios crescimento econômico a desenvolvimento

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL DAS EMPRESAS ELETROBRAS SUSTENTABILIDADE E M P R E S A R I A L Política de Sustentabilidade Empresarial das Empresas Eletrobras DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras,

Leia mais

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras 2010 Declaração Nós, das Empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável das áreas onde atuamos e

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL 2/11 Sumário 1. Conceito... 3 2. Objetivo... 3 3. Áreas de aplicação... 3 4. Diretrizes... 4 4.1 Princípios... 4 4.2 Estratégia de e Responsabilidade

Leia mais

Balanço social: diversidade, participação e segurança do trabalho

Balanço social: diversidade, participação e segurança do trabalho João Sucupira* INDICADORES Balanço social: diversidade, participação e segurança do trabalho O balanço social está se tornando uma peça importante não só para prestar contas à sociedade das ações das empresas

Leia mais

Alguns conceitos e definições

Alguns conceitos e definições Alguns conceitos e definições Introdução A preocupação das organizações com temas associados à ética, cidadania, inclusão social, desenvolvimento econômico e sustentável vem aumentando a cada dia. Empresas

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DO APL CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESPÍRITO SANTO 2010/2014

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DO APL CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESPÍRITO SANTO 2010/2014 PLANO DE DESENVOLVIMENTO DO APL CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESPÍRITO SANTO 2010/2014 RESUMO 1. APRESENTAÇÃO Com a missão de promover ações para o fortalecimento do segmento da construção civil no Espírito Santo,

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE DO GRUPO INVEPAR

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE DO GRUPO INVEPAR DE DO GRUPO INVEPAR PÁGINA Nº 2/5 1. INTRODUÇÃO Desenvolver a gestão sustentável e responsável nas suas concessões é um componente fundamental da missão Invepar de prover e operar sistemas de mobilidade

Leia mais

Cargo/Função: Analista de Marketing Telefone de Contato (49) 3301-7013 E-mail para contato: luana@coopercarga.co m.br

Cargo/Função: Analista de Marketing Telefone de Contato (49) 3301-7013 E-mail para contato: luana@coopercarga.co m.br ANEXO I - MODELO PARA ORGANIZAÇÕES RAZÃO OU DENOMINAÇÃO SOCIAL: Cooperativa de Transporte de Cargas do Estado de Santa Catarina CNPJ: 81800849/0001-41 ENDEREÇO: Rua Marechal Deodoro, nº36 centro. Concórdia

Leia mais

MEDIÇÃO DO GRAU DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS EMPRESAS: UM ESTUDO EMPÍRICO-ANALÍTICO DOS BALANÇOS SOCIAIS PUBLICADOS NO BRASIL EM 2005

MEDIÇÃO DO GRAU DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS EMPRESAS: UM ESTUDO EMPÍRICO-ANALÍTICO DOS BALANÇOS SOCIAIS PUBLICADOS NO BRASIL EM 2005 MEDIÇÃO DO GRAU DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS EMPRESAS: UM ESTUDO EMPÍRICO-ANALÍTICO DOS BALANÇOS SOCIAIS PUBLICADOS NO BRASIL EM 2005 Fernando SILVA DE OLIVEIRA Universidade Federal de Pernambuco (Brasil)

Leia mais

Questionário de Levantamento de Informações

Questionário de Levantamento de Informações Questionário de Levantamento de Informações Critérios para Inclusão de Empresas no Fundo Ethical 1 INTRODUÇÃO Nos últimos anos se observou um aumento significativo da preocupação das empresas com questões

Leia mais

Tema 10. Responsabilidade social e ambiental

Tema 10. Responsabilidade social e ambiental Tema 10. Responsabilidade social e ambiental O novo ciclo de que o Estado começa a viver precisa incluir mais dois conceitos além de prosperidade econômica: inclusão social e responsabilidade ambiental.

Leia mais

A gestão da prática do voluntariado como responsabilidade social, no contexto da estratégia organizacional. Fundação ArcelorMittal

A gestão da prática do voluntariado como responsabilidade social, no contexto da estratégia organizacional. Fundação ArcelorMittal A gestão da prática do voluntariado como responsabilidade social, no contexto da estratégia organizacional Fundação ArcelorMittal ArcelorMittal Maior produtora de aço do mundo com mais de 222.000 empregados

Leia mais

Ações Empresariais com Agregação de Valor

Ações Empresariais com Agregação de Valor GESTÃO CORPORATIVA Ações Empresariais com Agregação de Valor Heleni de Mello Fonseca Diretora de Gestão Empresarial 1 ESTRATÉGIA EMPRESARIAL DA CEMIG 2003/2006 Alinhada ao direcionamento do Sócio Majoritário,

Leia mais

Responsabilidade Social

Responsabilidade Social EXERCÍCIO DE CIDADANIA Em 2005, a Fundação investiu R$ 20 milhões em projetos socialmente responsáveis nas áreas de educação, cultura, desenvolvimento comunitário, esporte e saúde oral. Atendeu mais de

Leia mais

A RESPONSABILIDADE SOCIAL INTEGRADA ÀS PRÁTICAS DA GESTÃO

A RESPONSABILIDADE SOCIAL INTEGRADA ÀS PRÁTICAS DA GESTÃO A RESPONSABILIDADE SOCIAL INTEGRADA ÀS PRÁTICAS DA GESTÃO O que isto tem a ver com o modelo de gestão da minha Instituição de Ensino? PROF. LÍVIO GIOSA Sócio-Diretor da G, LM Assessoria Empresarial Coordenador

Leia mais

1º Congresso Alianças Sociais Responsabilidade Social Corporativa em prol da Sustentabilidade

1º Congresso Alianças Sociais Responsabilidade Social Corporativa em prol da Sustentabilidade 1º Congresso Alianças Sociais Responsabilidade Social Corporativa em prol da Sustentabilidade Curitiba 30 de outubro de 2012 Agenda Sustentabilidade: Várias Visões do Empresariado Desenvolvimento sustentável;

Leia mais

Pesquisa de opinião Profissional de comunicação e sustentabilidade

Pesquisa de opinião Profissional de comunicação e sustentabilidade Pesquisa de opinião Profissional de comunicação e sustentabilidade O Instituto ABERJE de Pesquisas (DATABERJE) realizou uma pesquisa de opinião sobre sustentabilidade com mulheres da área de comunicação,

Leia mais

O exercício e a gestão da responsabilidade social empresarial nas instituições de ensino

O exercício e a gestão da responsabilidade social empresarial nas instituições de ensino O exercício e a gestão da responsabilidade social empresarial nas instituições de ensino Ricardo Young Instituto Ethos VII Congresso Brasileiro de Gestão Educacional São Paulo - SP 25/03/2009 Instituto

Leia mais

Marketing/Vendas. Financeiro/Controladoria. Recursos Humanos e área Corporativa (por ex.. estratégia, comunicação) Outros

Marketing/Vendas. Financeiro/Controladoria. Recursos Humanos e área Corporativa (por ex.. estratégia, comunicação) Outros Favor indicar sua função na empresa: 54% N=107 5% 11% 2% 12% 16% P&D Marketing/Vendas Produção Financeiro/Controladoria Recursos Humanos e área Corporativa (por ex.. estratégia, comunicação) Outros Outros:

Leia mais

A atuação da Cemig em Sustentabilidade Empresarial

A atuação da Cemig em Sustentabilidade Empresarial A atuação da Cemig em Sustentabilidade Empresarial Companhia Energética de Minas Gerais - Cemig Superintendência de Sustentabilidade Empresarial Adiéliton Galvão de Freitas Presença em 19 estados brasileiros

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EMPRESA

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EMPRESA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EMPRESA 1 MÁRIO GOMES FILHO Graduação: Engenharia Civil - 1983 Pós : Educação Ambiental 1999 Pós : Gestão Ambiental 2002 2 A empresa Sabesp - Companhia de Saneamento Básico do Estado

Leia mais

Potencial humano com prioridade para intervenções no âmbito do emprego privado e público, da educação e formação e da formação avançada, promovendo a

Potencial humano com prioridade para intervenções no âmbito do emprego privado e público, da educação e formação e da formação avançada, promovendo a Potencial humano com prioridade para intervenções no âmbito do emprego privado e público, da educação e formação e da formação avançada, promovendo a mobilidade, a coesão social e a igualdade de género,

Leia mais

PROPRIEDADE REGISTRADA. O que fazer para alcançar ar o Desenvolvimento Empresarial Sustentável?

PROPRIEDADE REGISTRADA. O que fazer para alcançar ar o Desenvolvimento Empresarial Sustentável? . O que fazer para alcançar ar o Desenvolvimento Empresarial Sustentável? . Conceitos: Responsabilidade Social Ecoeficiência Conceitos Responsabilidade Social - é a relação ética e transparente da organização

Leia mais

VALID / Relatório de Sustentabilidade / 2011. Gestão

VALID / Relatório de Sustentabilidade / 2011. Gestão 54 VALID / Relatório de Sustentabilidade / 2011 8. Gestão VALID / Relatório de Sustentabilidade / 2011 55 8. Gestão PÚBLICOS DE RELACIONAMENTO A Valid desenvolve seus relacionamentos com os públicos de

Leia mais

sobrevivência reforçada

sobrevivência reforçada Conceito Realização de princípios, visão e missão. Orientação das ações dos colaboradores. Postura social da empresa com os seus diferentes públicos. Empresas sensíveis, não voltadas apenas para produção

Leia mais

O estado da arte da sustentabilidade empresarial. A gestão da sustentabilidade como pilar de sucesso das companhias no longo prazo

O estado da arte da sustentabilidade empresarial. A gestão da sustentabilidade como pilar de sucesso das companhias no longo prazo O estado da arte da sustentabilidade empresarial A gestão da sustentabilidade como pilar de sucesso das companhias no longo prazo A Usina82 Missão Contribuir para que companhias de todos os setores incorporem

Leia mais

Responsabilidade Social Corporativa

Responsabilidade Social Corporativa Responsabilidade Social Corporativa João Paulo Vergueiro jpverg@hotmail.com Stakeholders GOVERNOS ORGANISMOS INTERNACIONAIS FORNECEDORES CONCORRENTES INDÚSTRIA DA COMUNICAÇÃO ACIONISTAS PROPRIETÁRIOS EMPRESA

Leia mais

Economia,Mercado e Empresas de Construção Civil: a sustentabilidade na prática. Paulo Itacarambi Instituto Ethos Setembro de 2008

Economia,Mercado e Empresas de Construção Civil: a sustentabilidade na prática. Paulo Itacarambi Instituto Ethos Setembro de 2008 Economia,Mercado e Empresas de Construção Civil: a sustentabilidade na prática Paulo Itacarambi Instituto Ethos Setembro de 2008 Paulo Itacarambi SBCS08 1 Como Alcançar o Desenvolvimento Sustentável? Políticas

Leia mais

Processo 2013. 05 de março de 2013. www.isebvmf.com.br

Processo 2013. 05 de março de 2013. www.isebvmf.com.br Processo 2013 05 de março de 2013 www.isebvmf.com.br Conselho Deliberativo do ISE (CISE) Órgão máximo de governança do índice Tem como missão garantir um processo transparente de construção do índice e

Leia mais

A Bolsa e a sustentabilidade

A Bolsa e a sustentabilidade A Bolsa e a sustentabilidade Izalco Sardenberg Diretor Instituto BM&FBOVESPA Outubro/2009 BM&FBOVESPA Quem somos Maior bolsa da América Latina. Uma das 5 maiores do mundo em valor de mercado (US$ 15 bilhões).

Leia mais

Responsabilidade social corporativa 1

Responsabilidade social corporativa 1 Responsabilidade social corporativa 1 Responsabilidade social corporativa 3 Copyright by Editora Komedi, 2008 Diretor: Sérgio Vale Assistente Editorial: Aline Vieira Said Daher Gerente de Vendas: Sandro

Leia mais

Consultoria e Marketing COMO TORNAR O TREINAMENTO UMA FERRAMENTA DE LUCRATIVIDADE

Consultoria e Marketing COMO TORNAR O TREINAMENTO UMA FERRAMENTA DE LUCRATIVIDADE COMO TORNAR O TREINAMENTO UMA FERRAMENTA DE LUCRATIVIDADE A melhor idéia, sem gente boa, não vai a lugar algum. Carlos Alberto Sicupira Controlador da ABInBev Presidente do Conselho das Lojas Americanas

Leia mais

O BNDES e os Investimentos Sociais de

O BNDES e os Investimentos Sociais de INVESTIMENTOS SOCIAIS DE EMPRES O BNDES e os Investimentos Sociais de Empresas Angela Regina P. Macedo Departamento de Operações Sociais Área de Inclusão Social Out/2007 OBJETIVO INVESTIMENTOS SOCIAIS

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

Projeto de Gestão pela Qualidade Rumo à Excelência

Projeto de Gestão pela Qualidade Rumo à Excelência Projeto de Gestão pela Qualidade Rumo à Excelência Introdução O panorama que se descortina para os próximos anos revela um quadro de grandes desafios para as empresas. Fatores como novas exigências dos

Leia mais

Introdução da Responsabilidade Social na Empresa

Introdução da Responsabilidade Social na Empresa Introdução da Responsabilidade Social na Empresa Vitor Seravalli Diretoria Responsabilidade Social do CIESP Sorocaba 26 de Maio de 2009 Responsabilidade Social Empresarial (RSE) é uma forma de conduzir

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS

SISTEMA DE INCENTIVOS Organismo Intermédio Formação Ação SISTEMA DE INCENTIVOS PROJETOS CONJUNTOS FORMAÇÃO-AÇÃO FSE O objetivo específico deste Aviso consiste em conceder apoios financeiros a projetos exclusivamente de formação

Leia mais

Análise dos 3 balanços

Análise dos 3 balanços C A P Í T U L O 3 Análise dos balanços O Ibase criou uma base de dados para armazenar e disponibilizar as informações dos balanços sociais publicados pelas empresas que elaboram seus relatórios socioambientais

Leia mais

ELEIÇÃO 2014 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA BRASIL 27 DO BRASIL QUE TEMOS PARA O BRASIL QUE QUEREMOS E PODEMOS DIRETRIZES GERAIS DE GOVERNO

ELEIÇÃO 2014 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA BRASIL 27 DO BRASIL QUE TEMOS PARA O BRASIL QUE QUEREMOS E PODEMOS DIRETRIZES GERAIS DE GOVERNO ELEIÇÃO 2014 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA BRASIL 27 DO BRASIL QUE TEMOS PARA O BRASIL QUE QUEREMOS E PODEMOS DIRETRIZES GERAIS DE GOVERNO CUMPRIR E FAZER CUMPRIR A CONSTITUIÇÃO 1. Cumprir e fazer cumprir a

Leia mais

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL Outubro de 2008 1 INTRODUÇÃO A Política de Desenvolvimento Social formaliza e orienta o compromisso da PUCRS com o desenvolvimento social. Coerente com os valores e princípios

Leia mais

Arauco do Brasil S.A. Pacto Global. Comunicação de Progresso Relatório Executivo COP 2013

Arauco do Brasil S.A. Pacto Global. Comunicação de Progresso Relatório Executivo COP 2013 Arauco do Brasil S.A. Pacto Global Comunicação de Progresso Relatório Executivo COP 2013 Curitiba, 19 de maio de 2014 1 Introdução ao COP 2013 Para uma maior objetividade e eficiência, o COP 2013 da Arauco

Leia mais

Questionário para Instituidoras

Questionário para Instituidoras Parte 1 - Identificação da Instituidora Base: Quando não houver orientação em contrário, a data-base é 31 de Dezembro, 2007. Dados Gerais Nome da instituidora: CNPJ: Endereço da sede: Cidade: Estado: Site:

Leia mais

RSA NAS EMPRESAS: CONSTRUÇÃO DO CAMPO. Responsabilidade Social e Ambiental Aula 05

RSA NAS EMPRESAS: CONSTRUÇÃO DO CAMPO. Responsabilidade Social e Ambiental Aula 05 RSA NAS EMPRESAS: CONSTRUÇÃO DO CAMPO Responsabilidade Social e Ambiental Aula 05 2 / 21 TENSÕES CONTEMPORÂNEAS Como gerir o conflito proveniente das tensões contemporâneas entre o público e o privado?

Leia mais

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades;

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades; POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE OBJETIVO Esta Política tem como objetivos: - Apresentar as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente as inovações

Leia mais

http://indicadores.ethos.org.br/relatorioexternodiagnostico.aspx?id=1,2,...

http://indicadores.ethos.org.br/relatorioexternodiagnostico.aspx?id=1,2,... 1 de 42 26/3/2009 16:54 Roberta Cleci Elisa Albiero, você está acessando os dados da empresa Unimed Cidadã Minhas Empresas Meu Cadastro Ajuda Sair 2008 Página Inicial Visualizar Questionário Resumo Relatórios

Leia mais

Responsabilidade Social Empresarial

Responsabilidade Social Empresarial Responsabilidade Social Empresarial Henry Ford: produto e preço - Gestão de Produto e Processo. Jerome McCarty e Philip Kotler: produto, preço, praça (ponto de venda) e promoção. - Gestão de Marketing.

Leia mais

Projetos e Ações Sociais

Projetos e Ações Sociais Projetos e Ações Sociais DATAPREV 2004 Comitê de Ações Sociais da Dataprev Pág. 1 Projetos Sociais Internos Além das iniciativas de fortalecimento da Responsabilidade Social Empresarial, a Dataprev deu

Leia mais

CONSELHO TEMÁTICO DE MEIO AMBIENTE

CONSELHO TEMÁTICO DE MEIO AMBIENTE CONSELHO TEMÁTICO DE MEIO AMBIENTE Confederação Nacional da Indústria - CNI Mapa Estratégico da Indústria - O mapa define objetivos, metas, programas capazes de consolidar o Brasil como uma economia competitiva,

Leia mais

Café com Responsabilidade. Sustentabilidade: a competência empresarial do futuro. Vitor Seravalli

Café com Responsabilidade. Sustentabilidade: a competência empresarial do futuro. Vitor Seravalli Café com Responsabilidade Sustentabilidade: a competência empresarial do futuro Vitor Seravalli Manaus, 11 de Abril de 2012 Desafios que o Mundo Enfrenta Hoje Crescimento Populacional Desafios que o Mundo

Leia mais

Correntes de Participação e Critérios da Aliança Global Wycliffe [Versão de 9 de maio de 2015]

Correntes de Participação e Critérios da Aliança Global Wycliffe [Versão de 9 de maio de 2015] Correntes de Participação e Critérios da Aliança Global Wycliffe [Versão de 9 de maio de 2015] Introdução As Organizações da Aliança Global Wycliffe desejam expressar a unidade e a diversidade do Corpo

Leia mais

Dilemas e avanços da Responsabilidade Social Empresarial

Dilemas e avanços da Responsabilidade Social Empresarial Dilemas e avanços da Responsabilidade Social Empresarial O Trabalho do Instituto Ethos Ricardo Young Presidente do UniEthos e presidente do Conselho Deliberativo do Instituto Ethos Brasília, março de 2005

Leia mais

Desenvolve Minas. Modelo de Excelência da Gestão

Desenvolve Minas. Modelo de Excelência da Gestão Desenvolve Minas Modelo de Excelência da Gestão O que é o MEG? O Modelo de Excelência da Gestão (MEG) possibilita a avaliação do grau de maturidade da gestão, pontuando processos gerenciais e resultados

Leia mais

Resultados da Pesquisa IDIS de Investimento Social na Comunidade 2004

Resultados da Pesquisa IDIS de Investimento Social na Comunidade 2004 Resultados da Pesquisa IDIS de Investimento Social na Comunidade 2004 Por Zilda Knoploch, presidente da Enfoque Pesquisa de Marketing Este material foi elaborado pela Enfoque Pesquisa de Marketing, empresa

Leia mais

PROJETO DA REDE SOCIAL BRASILEIRA POR CIDADES JUSTAS E SUSTENTÁVEIS

PROJETO DA REDE SOCIAL BRASILEIRA POR CIDADES JUSTAS E SUSTENTÁVEIS PROJETO DA REDE SOCIAL BRASILEIRA POR CIDADES JUSTAS E SUSTENTÁVEIS 1 Índice I. Problema e Oportunidade...03 II. Objetivo geral e específicos...05 III. Resultados esperados e meios de sua verificação...07

Leia mais

Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial e aos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial - 1

Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial e aos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial - 1 Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial pela Igualdade Racial e à sua agenda de trabalho expressa nos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial 1. Considerando que a promoção da igualdade

Leia mais

Planejamento do CBN 2008. Política Nacional de Normalização. Processo de produção de normas. Antecedentes. Objetivo. Propor a

Planejamento do CBN 2008. Política Nacional de Normalização. Processo de produção de normas. Antecedentes. Objetivo. Propor a Objetivo Planejamento do CBN 2008 Propor a Política Nacional de Normalização. Processo de produção de normas Antecedentes Normas nacionais devem ser: necessárias e demandadas utilizadas acordadas o mais

Leia mais

A Estratégia de Responsabilidade Social da CAIXA em seus 148 anos

A Estratégia de Responsabilidade Social da CAIXA em seus 148 anos A Estratégia de Responsabilidade Social da CAIXA em seus 148 anos Superintendência Regional de Negócios Rio de Janeiro Centro Plínio Magalhães Fonseca Gerente Regional 07 de Outubro de 2009 Responsabilidade

Leia mais

ESTADO DO PARÁ Município de Altamira PODER EXECUTIVO

ESTADO DO PARÁ Município de Altamira PODER EXECUTIVO LEI N.º 1.638, DE 20 DE OUTUBRO DE 2006. Institui a Lei de Responsabilidade Social do e dá outras Providências. A PREFEITA DE ALTAMIRA, Estado do Pará, no uso de suas atribuições legais, faz saber que

Leia mais

Núcleo Regional de Piên

Núcleo Regional de Piên Núcleo Regional de Piên Municípios participantes Lapa Mandirituba Quitandinha Tijucas do Sul Agudos do Sul Campo do Tenente Piên Rio Negro Ações prioritárias para a região Objetivo 1: Erradicar a extrema

Leia mais

Biblioteca Digital Comunitária

Biblioteca Digital Comunitária Biblioteca Digital Comunitária Mostra Local de: Londrina Categoria do projeto: I Projetos em Andamento (projetos em execução atualmente) Nome da Instituição/Empresa: Sicoob Norte do Paraná Cidade: Londrina

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2013-2017 COOPERATIVISMO: QUEM MOVIMENTA SÃO AS PESSOAS

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2013-2017 COOPERATIVISMO: QUEM MOVIMENTA SÃO AS PESSOAS PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2013-2017 COOPERATIVISMO: QUEM MOVIMENTA SÃO AS PESSOAS MENSAGEM DO PRESIDENTE O cooperativismo vive seu momento de maior evidência. O Ano Internacional das Cooperativas, instituído

Leia mais

CURSO 2014 MG GOVERNANÇA CORPORATIVA - PRINCÍPIOS E PRÁTICAS

CURSO 2014 MG GOVERNANÇA CORPORATIVA - PRINCÍPIOS E PRÁTICAS Apoio: CURSO 2014 MG GOVERNANÇA CORPORATIVA - PRINCÍPIOS E PRÁTICAS Neste curso o IBGC aborda, com uma visão prática, os motivadores para a aplicação dos instrumentos de Governança Corporativa. Destaca

Leia mais

Como se viu, a base dessa estruturação foram os Eixos Referenciais, que passaremos a descrever:

Como se viu, a base dessa estruturação foram os Eixos Referenciais, que passaremos a descrever: Conforme se pode inferir da publicação Planejamento Estratégico do Sistema Profissional 2009-2014: O Sistema Profissional é composto por organizações - com identidade e características próprias que devem

Leia mais

Principais estudos e a perspectiva dos investidores. Roberta Simonetti GVces

Principais estudos e a perspectiva dos investidores. Roberta Simonetti GVces O VALOR DO ISE Principais estudos e a perspectiva dos investidores Roberta Simonetti GVces Conteúdo Principais tendências: investidores e executivos Risco vs. Retorno Ganhos de valor Valores tangíveis

Leia mais

Balanço Social 2004 Departamento Municipal de Água e Esgotos Prefeitura Municipal de Porto Alegre

Balanço Social 2004 Departamento Municipal de Água e Esgotos Prefeitura Municipal de Porto Alegre Balanço Social 2004 Departamento Municipal de Água e Esgotos Prefeitura Municipal de Porto Alegre Íice Apresentação Perfil do Departamento Missão Histórico 04 05 Iicadores de Desempenho Social Público

Leia mais

Micro-Química Produtos para Laboratórios Ltda.

Micro-Química Produtos para Laboratórios Ltda. Micro-Química Produtos para Laboratórios Ltda. Resumo Com a globalização e os avanços tecnológicos, as empresas estão operando num ambiente altamente competitivo e dinâmico. As organizações que quiserem

Leia mais

MANUAL OPERACIONAL PLANO DE DESENVOLVIMENTO PRELIMINAR PDP

MANUAL OPERACIONAL PLANO DE DESENVOLVIMENTO PRELIMINAR PDP MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DO DESENVOLVIMENTO DA PRODUÇÃO DEPARTAMENTO DE MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS MANUAL OPERACIONAL PLANO DE DESENVOLVIMENTO PRELIMINAR

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental PRSA

Política de Responsabilidade Socioambiental PRSA 1. OBJETIVO Em atendimento à Resolução do Banco Central do Brasil nº 4.327 de 25 de abril de 2014, que dispõe sobre as diretrizes que devem ser observadas no estabelecimento e na implementação da Política

Leia mais

Gestão Operacional do Negócio Distribuição Alinhada ao Modelo Regulatório. José Maria de Macedo

Gestão Operacional do Negócio Distribuição Alinhada ao Modelo Regulatório. José Maria de Macedo Gestão Operacional do Negócio Distribuição Alinhada ao Modelo Regulatório José Maria de Macedo Diretor de Distribuição e Comercialização Maio de 2008 1/XX Cemig Distribuição em números Descrições Posição:

Leia mais

O Instituto LIFE é responsável pelo

O Instituto LIFE é responsável pelo LIFE CertificaçãoLIFE Lasting Initiative For Earth O Instituto LIFE é responsável pelo desenvolvimento e gestão do sistema de Certificação LIFE. A Certificação LIFE reconhece organizações que desenvolvem

Leia mais

Sustentabilidade nos Negócios

Sustentabilidade nos Negócios Sustentabilidade nos Negócios Apresentação O programa Gestão Estratégica para a Sustentabilidade foi oferecido pelo Uniethos por nove anos. Neste período os temas ligados à sustentabilidade começam a provocar

Leia mais

FORUM BRASILEIRO DE FINANÇAS SOCIAIS E NEGÓCIOS DE IMPACTO DARIO GUARITA NETO

FORUM BRASILEIRO DE FINANÇAS SOCIAIS E NEGÓCIOS DE IMPACTO DARIO GUARITA NETO FORUM BRASILEIRO DE FINANÇAS SOCIAIS E NEGÓCIOS DE IMPACTO DARIO GUARITA NETO Maio/2014 1 O NOSSO NEGÓCIO É PRODUZIR MADEIRA CERTIFICADA 2 2 3 PORQUE AGORA O CONSUMIDOR TEM O PODER NAS SUAS MÃOS 4 QUESTÕES

Leia mais

Nome e contato do responsável pelo preenchimento deste formulário: Ubiratan de Brito Fonseca e Mariana Oliveira marianap@mh1.com.

Nome e contato do responsável pelo preenchimento deste formulário: Ubiratan de Brito Fonseca e Mariana Oliveira marianap@mh1.com. PRÊMIO ABF- AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Categoria Franqueado Dados da empresa Razão Social: Instituto Amapaense de Línguas Ltda. Nome Fantasia: Instituto Amapaense de Línguas

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2014

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2014 EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2014 1. DO OBJETO 1.1. O presente edital tem por objeto realizar uma chamada pública nacional para seleção de projetos sociais. O edital destina-se às organizações

Leia mais

Incentivos Fiscais ao Esporte

Incentivos Fiscais ao Esporte Incentivos Fiscais ao Esporte Lei nº 11.438/06 (Lei Federal de Incentivo ao Esporte) José Ricardo Rezende Advogado e Profissional de Ed. Física Autor do Manual Completo da Lei de Incentivo ao Esporte MECÂNICA

Leia mais

Antonio Carlos Lago Analista Ambiental - IBAMA

Antonio Carlos Lago Analista Ambiental - IBAMA 3º Seminário de Comunicação Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável P A L E S T R A COMUNICAÇÃO PARA A TRANSFORMAÇÃO SOCIAL Antonio Carlos Lago Analista Ambiental - IBAMA Relações Públicas P e Jornalista

Leia mais

RSC e Valor Compartilhado Uma nova forma de ver a relação com a comunidade.

RSC e Valor Compartilhado Uma nova forma de ver a relação com a comunidade. RSC e Valor Compartilhado Uma nova forma de ver a relação com a comunidade. SUSTENTABILIDADE Comportamento alinhado com os valores básicos da sustentabilidade. Ecológico Sustentável Social Sustentabilidade

Leia mais

INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE CONSTRUTORA QUEIROZ GALVÃO

INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE CONSTRUTORA QUEIROZ GALVÃO INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE CONSTRUTORA QUEIROZ GALVÃO Sobre o relatório O Relatório Anual Queiroz Galvão 2012 inspira-se, pelo segundo ano consecutivo, nas diretrizes da metodologia Global Reporting

Leia mais

Balanço Social no Setor Público

Balanço Social no Setor Público Balanço Social no Setor Público A empresa ao interagir com a comunidade em que se insere, contribui para a construção da cidadania. No entanto, a responsabilidade social tende a provocar mudanças no comportamento

Leia mais

P&D Marketing/Vendas Produção Financeiro/Controladoria RH e área Corporativa Outros

P&D Marketing/Vendas Produção Financeiro/Controladoria RH e área Corporativa Outros Favor indicar sua função na empresa: 37% 23% N=30 7% 13% 7% 13% P&D Marketing/Vendas Produção Financeiro/Controladoria RH e área Corporativa Outros Outros: Agrônomo Agrícola Gestão da Qualidade e Meio

Leia mais

As organizações Sociais no novo espaço público brasileiro

As organizações Sociais no novo espaço público brasileiro As organizações Sociais no novo espaço público brasileiro CESA Centro de Estudos das Sociedades de Advogados São Paulo, 25 de setembro de 2007. Contexto Planetário Equação Insustentável O planeta Terra

Leia mais

LEI N 21.156, DE 17 DE JANEIRO DE 2014. INSTITUI A POLÍTICA ESTADUAL DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DA AGRICULTURA FAMILIAR.

LEI N 21.156, DE 17 DE JANEIRO DE 2014. INSTITUI A POLÍTICA ESTADUAL DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DA AGRICULTURA FAMILIAR. LEI N 21.156, DE 17 DE JANEIRO DE 2014. INSTITUI A POLÍTICA ESTADUAL DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DA AGRICULTURA FAMILIAR. (PUBLICAÇÃO - MINAS GERAIS DIÁRIO DO EXECUTIVO - 18/01/2014 PÁG. 2 e 03)

Leia mais

José Galló Diretor-presidente

José Galló Diretor-presidente b a l a n ç o s o c i a l 2 0 0 8 Carta do Presidente Lançar o primeiro Balanço Social da Lojas Renner é motivo de celebração para todos que, no decorrer da trajetória dessa Companhia, construíram com

Leia mais

Análise Comparativa à Filosofia, à Ideologia e aos Princípios de Atuação das Associações Sindicais e Patronais

Análise Comparativa à Filosofia, à Ideologia e aos Princípios de Atuação das Associações Sindicais e Patronais Estudo 2015 Análise Comparativa à Filosofia, à Ideologia e aos Princípios de Atuação das Associações Sindicais e Patronais OPBPL Novembro de 2009 e Março de 2015 http://opbpl.cies.iscte-iul.pt O OPBPL

Leia mais