Aula 02. Parte Geral. I Pessoas (continuação) Formas de Extinção da Personalidade (continuação)

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aula 02. Parte Geral. I Pessoas (continuação) Formas de Extinção da Personalidade (continuação)"

Transcrição

1 Turma e Ano: 2016 (Master B) Matéria / Aula: Direito Civil Objetivo 02 Professor: Rafael da Mota Monitor: Paula Ferreira Aula 02 Parte Geral I Pessoas (continuação) 1. Pessoa Natural 1.1. Personalidade Formas de Extinção da Personalidade (continuação) Morte presumida com declaração de ausência b) Sucessão provisória Art. 33. O descendente, ascendente ou cônjuge que for sucessor provisório do ausente, fará seus todos os frutos e rendimentos dos bens que a este couberem; os outros sucessores, porém, deverão capitalizar metade desses frutos e rendimentos, segundo o disposto no art. 29, de acordo com o representante do Ministério Público, e prestar anualmente contas ao juiz competente. Em caso de retorno do ausente, este terá direito a reaver esses frutos e rendimentos caso o seu desaparecimento tenha sido justificado. Caso injustificado, não terá direito a reavêlos. Art. 33. Parágrafo único. Se o ausente aparecer, e ficar provado que a ausência foi voluntária e injustificada, perderá ele, em favor do sucessor, sua parte nos frutos e rendimentos.

2 Registre-se que somente poderá reaver o montante que tenha ficado em fundo de investimento (capitalizado), ou seja, não poderá reaver frutos e rendimentos que tenham sido auferidos por herdeiros necessários. Obs.: De acordo com o art. 28 do CC, a sentença que inaugura a fase de sucessão provisória só produz efeitos 180 dias após ter sido publicada. Art. 28. A sentença que determinar a abertura da sucessão provisória só produzirá efeito cento e oitenta dias depois de publicada pela imprensa; mas, logo que passe em julgado, proceder-se-á à abertura do testamento, se houver, e ao inventário e partilha dos bens, como se o ausente fosse falecido. Prazo mínimo de duração desta fase é 10 anos contados a partir do término dos 180 dias (art. 37 do CC). Portanto, a sucessão provisória tem prazo total de 10 anos dias. Art. 37. Dez anos depois de passada em julgado a sentença que concede a abertura da sucessão provisória, poderão os interessados requerer a sucessão definitiva e o levantamento das cauções prestadas. A sucessão provisória pode ser abreviada na hipótese do art. 38 do CC. Art. 38. Pode-se requerer a sucessão definitiva, também, provando-se que o ausente conta oitenta anos de idade, e que de cinco datam as últimas notícias dele. c) Sucessão definitiva Qualquer interessado pode requerer a abertura da sucessão definitiva. A partilha, que era provisória, torna-se então definitiva. O prazo desta fase é de 10 anos (art. 39 do CC). Art. 39. Regressando o ausente nos dez anos seguintes à abertura da sucessão definitiva, ou algum de seus descendentes ou ascendentes, aquele ou estes haverão só os bens existentes no estado em que se acharem, os sub- rogados em seu lugar, ou o preço que os herdeiros e demais interessados houverem recebido pelos bens alienados depois daquele tempo.

3 Parágrafo único. Se, nos dez anos a que se refere este artigo, o ausente não regressar, e nenhum interessado promover a sucessão definitiva, os bens arrecadados passarão ao domínio do Município ou do Distrito Federal, se localizados nas respectivas circunscrições, incorporando-se ao domínio da União, quando situados em território federal. Se o ausente retorna durante a sucessão definitiva ou algum de seu descendente ou ascendente, estes ou aquele terão direito a reaver seus bens no estado em que se encontram, os sub-rogados em seu lugar ou o preço de uma eventual venda. A declaração de morte presumida, no caso da ausência, ocorre no momento de abertura da sucessão definitiva. Obs. A propriedade transferida na sucessão definitiva é resolúvel, pois ele pode voltar no prazo de 10 anos. Art. 6º A existência da pessoa natural termina com a morte; presume-se esta, quanto aos ausentes, nos casos em que a lei autoriza a abertura de sucessão definitiva. O tempo total de procedimento será de: 21 anos e 180 dias (1 ano dias + 10 anos + 10 anos) se não deixar procurador. 23 anos e 180 dias (3 anos dias + 10 anos + 10 anos) se deixar procurador Capacidade Espécies De direito (genérico/jurídico) O conceito de capacidade de direito se confunde com o de personalidade, no viés patrimonial (aptidão de adquirir direitos e deveres). A única diferença entre elas é que a capacidade de direito pode sofrer limitações, e a personalidade não. De fato É a aptidão que a pessoa tem para praticar pessoalmente atos jurídicos. Se a pessoa não tem essa capacidade, ela é incapaz. A incapacidade pode ser absoluta (art. 3º, CC) ou

4 relativa (art. 4º). O primeiro pode praticar atos jurídicos desde que esteja representado, enquanto que o segundo deve estar assistido. Este rol de incapazes sofreu alteração recente pelo Estatuto do Deficiente (Lei /15). Este estatuto não é uma legislação protetiva do deficiente, isto porque, nosso Código Civil já faz esta proteção. O objetivo da lei é dar maior autonomia a estas pessoas e isto fica claro logo em seu artigo 1º: Art. 1º É instituída a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência), destinada a assegurar e a promover, em condições de igualdade, o exercício dos direitos e das liberdades fundamentais por pessoa com deficiência, visando à sua inclusão social e cidadania. Necessário fazer uma leitura do artigo antes e depois do Estatuto: Redação anterior Art. 3º. São absolutamente incapazes de exercer pessoalmente os atos da vida civil: I - os menores de dezesseis anos; Redação atual Art. 3º. São absolutamente incapazes de exercer pessoalmente os atos da vida civil os menores de 16 (dezesseis) anos II - os que, por enfermidade ou deficiência mental, não tiverem o necessário discernimento para a prática desses atos; III - os que, mesmo por causa transitória, não puderem exprimir sua vontade. Percebe-se que o único absolutamente incapaz, hoje, é o menor de 16 anos. O que aconteceu com o antigo inciso II? Eles passam a ser plenamente capazes. Quem tem uma enfermidade ou deficiência mental, e não tiver o necessário discernimento para a prática dos atos da vida civil hoje é considerado capaz. Já o antigo inciso III é agora o atual art. 4º, III, uma vez que eles deixaram de ser absolutamente incapazes e passaram a ser relativamente incapazes. Redação anterior Redação atual

5 Art. 4º São incapazes, relativamente a certos atos, ou à maneira de os exercer: I - os maiores de dezesseis e menores de dezoito anos; II - os ébrios habituais, os viciados em tóxicos, e os que, por deficiência mental, tenham o discernimento reduzido; III - os excepcionais, sem desenvolvimento mental completo; IV - os pródigos. I - os maiores de dezesseis e menores de dezoito anos; II - os ébrios habituais e os viciados em tóxico; III - aqueles que, por causa transitória ou permanente, não puderem exprimir sua vontade; IV - os pródigos. Foi alterado o inciso II e III. O antigo inciso II foi alterado, saindo desse inciso os que, por deficiência mental, tenham o discernimento reduzido. Esses tornam-se plenamente capazes. No inciso III, saem desse rol os excepcionais, sem desenvolvimento mental completo, que tornam-se capazes, e entra nesse rol os que, por causa transitória ou permanente, não puderem exprimir sua vontade (antigo inciso III do art. 3º). Após o Estatuto do Deficiente passam a ser plenamente capazes: Os que, por enfermidade ou deficiência mental, não tiverem o necessário discernimento para a prática desses atos; Os que, por deficiência mental, tenham o discernimento reduzido; Os excepcionais, sem desenvolvimento mental completo. Em suma, todos os deficientes mentais passam a ser plenamente capazes. A presunção que temos em lei é que essas pessoas com alguma deficiência mental (autismo, síndrome de Down, Alzheimer, etc.) são plenamente capazes. No entanto, nada impede que em alguma situação específica, aquele deficiente mental não consiga praticar os atos da vida civil, permitindo que os parentes/interessados, levem o problema ao Judiciário, por meio de uma Ação de Interdição e o Judiciário constitua aquela pessoa como sendo incapaz.

6 A incapacidade dos deficientes mentais hoje não vem mais da lei, ela decorre de uma decisão judicial e esta decisão deixa de ser declaratória e passa a ser constitutiva. Vejamos o art. 6º do Estatuto do Deficiente: Art. 6º A deficiência não afeta a plena capacidade civil da pessoa, inclusive para: I - casar-se e constituir união estável; II - exercer direitos sexuais e reprodutivos; III - exercer o direito de decidir sobre o número de filhos e de ter acesso a informações adequadas sobre reprodução e planejamento familiar; IV - conservar sua fertilidade, sendo vedada a esterilização compulsória; V - exercer o direito à família e à convivência familiar e comunitária; e VI - exercer o direito à guarda, à tutela, à curatela e à adoção, como adotante ou adotando, em igualdade de oportunidades com as demais pessoas. Assim, falar que os deficientes mentais hoje são capazes, interferirá em todos esses direitos. Portanto, como visto, a intenção do legislador é dar maior autonomia a estas pessoas Capacidade dos indígenas A capacidade do indígena esta previsto no artigo 4º, parágrafo único do Código Civil, que também sofreu alteração com o Estatuto do Deficiente. Redação anterior Art. 4º. Parágrafo único. A capacidade dos índios será regulada por legislação especial. Redação atual Art. 4º. Parágrafo único. A capacidade dos indígenas será regulada por legislação especial. Mudou-se a palavra índio para indígenas, como forma de se adotar um termo menos vexatório. A capacidade civil dos indígenas é regulada por legislação especial, o Estatuto do Indígena (Lei 6.001/73). Esta lei, muito peculiar, no art. 9º diz que o indígena é absolutamente incapaz.

7 Este artigo não se refere aqueles indígenas integrados a civilização, e sim aqueles que não possuem contato com nossa civilização. A FUNAI quem representa os indígenas absolutamente incapazes Atos que o menor entre 16 e 18 anos pode praticar sem assistência: Votar; Depor como testemunha (art. 228, I); Ser mandatário (art. 666); Obs. Para ser mandate, é necessário ser maior e capaz e para ser mandatário, não. Isto decorre da própria natureza do contrato de mandado. O mandatário atua em nome e como se fosse o mandante e, por isso, que este quem deve ser maior e capaz. Celebrar testamento (art , parágrafo único); Servir as Forças Armadas Hipóteses de emancipação (antecipação da capacidade plena do menor) Art. 5º. Parágrafo único, CC. Cessará, para os menores, a incapacidade: I - pela concessão dos pais, ou de um deles na falta do outro, mediante instrumento público, independentemente de homologação judicial, ou por sentença do juiz, ouvido o tutor, se o menor tiver dezesseis anos completos; II - pelo casamento; III - pelo exercício de emprego público efetivo; IV - pela colação de grau em curso de ensino superior; V - pelo estabelecimento civil ou comercial, ou pela existência de relação de emprego, desde que, em função deles, o menor com dezesseis anos completos tenha economia própria. A capacidade plena do menor acontece aos 18 anos, porém, existem 3 hipóteses em que essa emancipação acontece antes, previstas no artigo 5º, parágrafo único, CC, sendo elas: o Emancipação voluntária (inc. I, primeira parte)

8 A emancipação voluntária se dá por vontade dos pais, em favor de seus filhos, mediante a verificação de alguns requisitos: a) O menor deve ter no mínimo 16 anos; b) A vontade deve ser de ambos os pais (a não ser que um deles esteja morto ou ausente); c) A emancipação deve ser feita por instrumento público, sob pena de nulidade. Assim, caso a emancipação seja feita por instrumento particular, o ato será nulo. Se um dos pais não quiser emancipar, cabe ação judicial de suprimento de vontade. O menor ingressa com a ação representado pelo genitor que quer conceder a emancipação. Essa emancipação continua sendo voluntária, mesmo que a vontade de um dos pais seja suprida. o Emancipação judicial (inc. I, segunda parte) A emancipação judicial ocorre quando o tutor quer emancipar o seu tutelado (art. 5º, I, do CC), como forme de evitar que o tutor se aproveite, de alguma forma, do menor. o Emancipação legal (incs. II, III, IV e V) Por fim, a emancipação legal é aquela que ocorre por força de lei, podendo ocorrer: (i) Casamento: Para o casamento antes dos dezoito anos, é necessária a autorização de ambos os pais. Se um dos pais não quiser cabe ação judicial de suprimento de vontade (o menor ingressa com a ação representado pelo pai que quer autorizar o casamento). Frisa-se que a autorização dos pais não é para emancipar e sim para casar. Hoje a idade núbil é de 16 anos (art ), mas é possível se casar com idade inferior a 16 anos em caso de gravidez (art do CC), sempre, com autorização dos pais. Art O homem e a mulher com dezesseis anos podem casar, exigindo- se autorização de ambos os pais, ou de seus representantes legais, enquanto não atingida a maioridade civil. Art Excepcionalmente, será permitido o casamento de quem ainda não alcançou a idade núbil (art. 1517), para evitar imposição ou cumprimento de pena criminal ou em caso de gravidez.

9 (ii) exercício de emprego público efetivo (iii) colação de grau em curso de ensino superior: (iv) estabelecimento civil ou comercial, ou pela existência de relação de emprego, desde que, em função deles, o menor com dezesseis anos completos tenha economia própria.

A capacidade civil. Artigos 3º e 4º do Código Civil

A capacidade civil. Artigos 3º e 4º do Código Civil Artigos 3º e 4º do Código Civil capacidade absoluta A incapacidade traduz a falta de aptidão para praticar pessoalmente atos da vida civil. Encontra-se nessa situação a pessoa a quem falte capacidade de

Leia mais

Aula 21. Estatuto da Pessoa com Deficiência

Aula 21. Estatuto da Pessoa com Deficiência Turma e Ano: Direito Processual Civil - NCPC (2016) Matéria / Aula: Estatuto da Pessoa com Deficiência (Parte I). Capacidade Civil (Parte I). / 21 Professor: Edward Carlyle Monitora: Laryssa Marques Aula

Leia mais

Noções de Direito Civil. Professora Ana Carla Ferreira Marques

Noções de Direito Civil. Professora Ana Carla Ferreira Marques Noções de Direito Civil Professora Ana Carla Ferreira Marques E-mail: anacarlafmarques86@gmail.com P A R T E G E R A L LIVRO I DAS PESSOAS TÍTULO I DAS PESSOAS NATURAIS CAPÍTULO I DA PERSONALIDADE E DA

Leia mais

Direito Civil. Pessoas Naturais: Personalidade e Capacidade. Professor Fidel Ribeiro.

Direito Civil. Pessoas Naturais: Personalidade e Capacidade. Professor Fidel Ribeiro. Direito Civil Pessoas Naturais: Personalidade e Capacidade Professor Fidel Ribeiro www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Civil DAS PESSOAS NATURAIS DA PERSONALIDADE E DA CAPACIDADE INTRODUÇÃO Conforme

Leia mais

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA PESSOA NATURAL

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA PESSOA NATURAL PESSOA NATURAL Capacidade Jurídica 1 Conceito de pessoa natural Conceito de personalidade (jurídica ou civil) (patrimonial) (existencial) Conceito de capacidade 2 COMPREENDENDO A SISTEMÁTICA DO CÓDIGO

Leia mais

Referência Legislativa: artigos 3º ao 5º da Lei n /02 (Código Civil)

Referência Legislativa: artigos 3º ao 5º da Lei n /02 (Código Civil) AULA 07 PONTO: 06/07 Objetivo da aula: Pessoa natural. Conceito. Começo da personalidade natural. Individualização. Capacidade e incapacidade. Conceito. Espécies. Cessação da incapacidade. Pessoa natural.

Leia mais

Pessoa Natural Personalidade Pergunta-se: 1 - Início da Personalidade da Pessoa Teoria natalista Art. 2.º 2 Nascituro Conceito Pergunta-se:

Pessoa Natural Personalidade Pergunta-se: 1 - Início da Personalidade da Pessoa Teoria natalista Art. 2.º 2 Nascituro Conceito Pergunta-se: Personalidade É a aptidão genérica para ser titular de direitos contrair deveres. Pergunta-se: os animais possuem personalidade? 1 - Início da Personalidade da Pessoa Teoria natalista Art. 2.º A personalidade

Leia mais

Direito Civil. Existência, Personalidade e Capacidade

Direito Civil. Existência, Personalidade e Capacidade Direito Civil Existência, Personalidade e Capacidade Código Civil A parte geral do Código Civil subdivide-se em três livros: Pessoas: trata dos sujeitos da relação jurídica. Bens: trata dos objetos da

Leia mais

Monster. Concursos. 1º Encontro. Direito Privado

Monster. Concursos. 1º Encontro. Direito Privado Monster Concursos Direito Privado 1º Encontro NOSSO EDITAL Direito Privado 2.3.1. Personalidade jurídica 2.3.2. Capacidade jurídica 2.3.3. Pessoa jurídica 2.3.4. Responsabilidade 2.3.4.1 Fato jurídico

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO PROCESSUAL CIVIL.

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO PROCESSUAL CIVIL. CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Aula Ministrada pelo Prof. Fábio Batista Cáceres. 1-) Capacidade Civil: É o estudo da possibilidade de praticar ou não os atos da vida civil, sem contaminar

Leia mais

ESTATUTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

ESTATUTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA ESTATUTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Prof. Caio Silva de Sousa - A Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência, com suporte na Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência rompeu com

Leia mais

PESSOAS NATURAIS E SUJEITOS DE DIREITOS

PESSOAS NATURAIS E SUJEITOS DE DIREITOS PESSOAS NATURAIS E SUJEITOS DE DIREITOS Entes personalizados: pessoas que têm personalidade jurídica naturais e jurídicas - aplica-se o princípio da legalidade ampla (tudo é permitido, salvo o que é proibido

Leia mais

Código Civil Lei , 10 de Janeiro de 2002

Código Civil Lei , 10 de Janeiro de 2002 Código Civil Lei 10.406, 10 de Janeiro de 2002 DA PERSONALIDADE E DA CAPACIDADE Art. 1o Toda pessoa é capaz de direitos e deveres na ordem civil. Art. 2o A personalidade civil da pessoa começa do nascimento

Leia mais

Prof. (a) Naiama Cabral

Prof. (a) Naiama Cabral Prof. (a) Naiama Cabral DIREITOS HUMANOS @naiamacabral @monster.concursos Olá pessoal me chamo Naiama Cabral, Sou advogada e professora no Monster Concursos, e há algum tempo tenho ajudado diversos alunos

Leia mais

Aula 3 A Pessoa Natural 1ª Parte: Por Marcelo Câmara

Aula 3 A Pessoa Natural 1ª Parte: Por Marcelo Câmara Por Marcelo Câmara texto Sumário: 1 -texto A PESSOA NATURAL: 1.1 Pessoas reconhecidas pela ordem jurídica: naturais e jurídicas. 1.2 A personalidade jurídica: modos de aquisição e perda. 1.2.1 Docimasia

Leia mais

A PERSONALIDADE CIVIL E O NOVO CÓDIGO. A Concepção e o Nascimento

A PERSONALIDADE CIVIL E O NOVO CÓDIGO. A Concepção e o Nascimento A PERSONALIDADE CIVIL E O NOVO CÓDIGO Rénan Kfuri Lopes, adv. Sumário: I - A Concepção e o Nascimento II - A Incapacidade Absoluta III A Incapacidade Relativa IV - A Capacidade Civil e a Emancipação V

Leia mais

Instituições de Direito FEA

Instituições de Direito FEA Instituições de Direito FEA MÓDULO II INTRODUÇÃO A CONCEITOS JURÍDICOS BÁSICOS DE DIREITO PRIVADO! Pessoa natural ou física! Personalidade jurídica! Capacidade de direito e de fato 1 ! Pessoa natural:

Leia mais

Pós Graduação Direito de Família e Sucessões. Da Pessoa Natural.

Pós Graduação Direito de Família e Sucessões. Da Pessoa Natural. Pós Graduação Direito de Família e Sucessões. Prof. Nelson Sussumu Shikicima. Aula ministrada dia 28/02/2018. Da Pessoa Natural. O início da personalidade civil se dá com o nascimento com vida, artigo

Leia mais

Quem é o empresário individual? É a pessoa física que exerce atividade empresarial.

Quem é o empresário individual? É a pessoa física que exerce atividade empresarial. Prof. Thiago Gomes Quem é o empresário individual? É a pessoa física que exerce atividade empresarial. O empresário individual realiza atualmente atividades que não necessitam de grandes investimentos.

Leia mais

I (revogado); II (revogado); III (revogado)...

I (revogado); II (revogado); III (revogado)... REDAÇÃO ATUAL Art. 3º São absolutamente incapazes de exercer pessoalmente os atos da vida civil: I - os menores de dezesseis anos; II - os que, por enfermidade ou deficiência mental, não tiverem o necessário

Leia mais

Pessoa com deficiência e capacidade civil. Lei Brasileira de Inclusão Desafios para sua concretização

Pessoa com deficiência e capacidade civil. Lei Brasileira de Inclusão Desafios para sua concretização Pessoa com deficiência e capacidade civil Lei Brasileira de Inclusão Desafios para sua concretização Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência - 2007 Decreto nº 6.949, de 25

Leia mais

O ESTATUTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA E OS IMPACTOS SOBRE A CURATELA

O ESTATUTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA E OS IMPACTOS SOBRE A CURATELA Daniela de Carvalho Mucilo O ESTATUTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA E OS IMPACTOS SOBRE A CURATELA Daniela de Carvalho Mucilo Lei 13.146/2015: Art. 1 o É instituída a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com

Leia mais

5 Direitos básicos da pessoa com deficiência

5 Direitos básicos da pessoa com deficiência Turma e Ano: Estatuto da Pessoa com Deficiência / 2016 Matéria / Aula: Estatuto do Deficiente parte III / 03 Professor: Rafael da Mota Monitor: Lívia Dias Bria Aula 03 5 Direitos básicos da pessoa com

Leia mais

Aula 04. O Art. 228 do Código Civil, que elenca esse rol, foi alterado pelo Estatuto. Esse artigo, antes da alteração dizia:

Aula 04. O Art. 228 do Código Civil, que elenca esse rol, foi alterado pelo Estatuto. Esse artigo, antes da alteração dizia: Turma e Ano: Estatuto da Pessoa com Deficiência / 2016 Matéria / Aula: Estatuto do Deficiente parte IV / 04 Professor: Rafael da Mota Monitor: Lívia Dias Bria Aula 04 8.5 Alterações no Código Civil B)

Leia mais

Relativamente incapaz

Relativamente incapaz FIT/UNAMA Curso: Bacharelado em Direito Aula 05: Emancipação Disciplina: Teoria Geral do Direito Civil Professora Dra. Nazaré Rebelo E-mail: professoranazarerebelo@gmail.com EMANCIPAÇÃO Emancipação é a

Leia mais

IUS RESUMOS. Da capacidade. Organizado por: Samille Lima Alves

IUS RESUMOS. Da capacidade. Organizado por: Samille Lima Alves Da capacidade Organizado por: Samille Lima Alves SUMÁRIO I. A TEORIA DAS INCAPACIDADES CIVIS... 3 1. Revisão sobre os termos gerais de capacidade... 3 1.1 Conceito de capacidade... 3 1.2 Capacidade de

Leia mais

NOÇÕES DE DIREITO. facebook.com/professoratatianamarcello

NOÇÕES DE DIREITO. facebook.com/professoratatianamarcello NOÇÕES DE DIREITO facebook.com/professoratatianamarcello facebook.com/tatiana.marcello.7 @tatianamarcello EDITAL CONHECIMENTOS BANCÁRIOS - ASPECTOS JURÍDICOS Noções de direito aplicadas às operações de

Leia mais

Conhecimentos Bancários

Conhecimentos Bancários Conhecimentos Bancários Módulo 2 PRODUTOS 1- SFN 2- PRODUTOS 3- MERCADO FINANCEIRO Módulo 2 - PRODUTOS OPERAÇÕES PASSIVAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS OPERAÇÕES ATIVAS CAPTAÇÃO DE RECURSOS: DEPÓSITO À VISTA

Leia mais

Direito Empresarial. Aula 03. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho

Direito Empresarial. Aula 03. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Direito Empresarial Aula 03 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos multimídia

Leia mais

Responsabilidade civil responsabilidades especiais

Responsabilidade civil responsabilidades especiais Responsabilidade civil responsabilidades especiais ANDRÉ BORGES DE CARVALHO BARROS Advogado militante; Especialista em Direito Processual Civil pela PUC-SP; Mestre em Direito Civil Comparado pela PUC-SP;

Leia mais

Objetivo: Propiciar ao aluno a compreensão das formas de extinção da personalidade jurídica da pessoa natural e suas consequencias.

Objetivo: Propiciar ao aluno a compreensão das formas de extinção da personalidade jurídica da pessoa natural e suas consequencias. AULA 08 PONTO: 09 Objetivo da aula: Pessoa natural. Modos de extinção. Registro. Ausência. Curadoria. Sucessão provisória e sucessão definitiva. Tópico do plano de Ensino: Ausência. Curadoria. Sucessão

Leia mais

Curso de Férias: Direito Civil recentes transformações

Curso de Férias: Direito Civil recentes transformações Curso de Férias: Direito Civil recentes transformações MARCELO TRUZZI OTERO Advogado militante; Mestre e Doutor em Direito pela PUC/SP; Professor da Escola Paulista de Direito - EPD; Professor da Pós-Graduação

Leia mais

Renata Tibyriçá Defensora Pública do Estado

Renata Tibyriçá Defensora Pública do Estado Renata Tibyriçá Defensora Pública do Estado Defensoria Pública é instituição prevista na Constituição Federal (art. 134), presta assistência jurídica gratuita à população necessitada (geralmente são atendidas

Leia mais

Instituições de Direito Público e Privado. Parte III Pessoas

Instituições de Direito Público e Privado. Parte III Pessoas Instituições de Direito Público e Privado Parte III Pessoas 1. Pessoas Definição Personalidade A personalidade é um atributo jurídico. Todo homem tem aptidão para desempenhar na sociedade um papel jurídico,

Leia mais

Conceito: Ser humano considerado sujeito de obrigações e direitos. Toda pessoa é capaz de direitos e deveres na ordem civil (Art. 1., CC).

Conceito: Ser humano considerado sujeito de obrigações e direitos. Toda pessoa é capaz de direitos e deveres na ordem civil (Art. 1., CC). Direito Civil I 1 Pessoa natural (física): Conceito: Ser humano considerado sujeito de obrigações e direitos. Toda pessoa é capaz de direitos e deveres na ordem civil (Art. 1., CC). 2 Personalidade : Conjunto

Leia mais

NOÇÕES GERAIS DE DIREITO CONCEITO. É um conjunto de normas de conduta impostas para regularizar a convivência humana em sociedade.

NOÇÕES GERAIS DE DIREITO CONCEITO. É um conjunto de normas de conduta impostas para regularizar a convivência humana em sociedade. NOÇÕES GERAIS DE DIREITO CONCEITO É um conjunto de normas de conduta impostas para regularizar a convivência humana em sociedade. Sentido Subjetivo (Jus est Facultas Agendi) A possibilidade individual

Leia mais

QUADRO COMPARATIVO. Redação Art. 3º São absolutamente incapazes de exercer pessoalmente os atos da vida civil os menores de 16 (dezesseis) anos.

QUADRO COMPARATIVO. Redação Art. 3º São absolutamente incapazes de exercer pessoalmente os atos da vida civil os menores de 16 (dezesseis) anos. QUADRO COMPARATIVO Código Civil/2002 Art. 3 o São absolutamente incapazes de exercer pessoalmente os atos da vida civil: I - os menores de dezesseis anos; II - os que, por enfermidade ou deficiência mental,

Leia mais

5. A cessação da menoridade pelo casamento ocorre: a) em qualquer idade;

5. A cessação da menoridade pelo casamento ocorre: a) em qualquer idade; SIMULADO DIREITO CIVIL DOMICÍLIO CIVIL CAPACIDADE DIREITOS DA PERSONALIDADE 1. Felipe, que no próximo mês irá completar 16 anos de idade, embora tenha nascido surdo-mudo, aprendeu a exprimir sua vontade.

Leia mais

I) PERSONALIDADE: 2. Início da Personalidade: 1) Teoria Natalista. 2) Teoria Concepcionista. 3) Teoria da Personalidade Condicionada

I) PERSONALIDADE: 2. Início da Personalidade: 1) Teoria Natalista. 2) Teoria Concepcionista. 3) Teoria da Personalidade Condicionada Turma e Ano: Flex A (2014) Matéria / Aula: Civil (Parte Geral) / Aula 04 Professor: Rafael da Motta Mendonça Conteúdo: I) Personalidade: Início da Personalidade: Teoria Concepcionista; Teoria da Personalidade

Leia mais

Art. 27 - rol de legitimados. Partilha Provisória dos bens do ausente. Com procurador - 3 anos contados do desaparecimento

Art. 27 - rol de legitimados. Partilha Provisória dos bens do ausente. Com procurador - 3 anos contados do desaparecimento Turma e Ano: Flex A (2014) Matéria / Aula: Direito Civil (Parte Geral) / Aula 05 Professor: Rafael da Motta Mendonça Conteúdo: II) Ausência: Sucessão Definitiva. III)Capacidade: Espécies de Capacidade

Leia mais

CAPACIDADE E DOMICÍLIO

CAPACIDADE E DOMICÍLIO CAPACIDADE E DOMICÍLIO Aula 8 CAPACIDADE CIVIL Capacidade de direito Aptidão para ser titular de posições jurídicas Capacidade de fato Aptidão para exercer pessoalmente os atos da vida civil CAPACIDADE

Leia mais

CÓDIGO CIVIL. O Código Civil é divido em duas partes: I. Parte geral: estuda a relação jurídica. Sujeitos: Pessoas naturais Pessoas jurídicas.

CÓDIGO CIVIL. O Código Civil é divido em duas partes: I. Parte geral: estuda a relação jurídica. Sujeitos: Pessoas naturais Pessoas jurídicas. CÓDIGO CIVIL O Código Civil é divido em duas partes: I. Parte geral: estuda a relação jurídica. Sujeitos: Objeto: Forma: Pessoas naturais Pessoas jurídicas Bens Negócio jurídico II. Parte Especial: 1.

Leia mais

5 Celebração e Prova do Casamento, Ritos matrimoniais, Cerimônia do casamento, Suspensão da cerimônia, 85

5 Celebração e Prova do Casamento, Ritos matrimoniais, Cerimônia do casamento, Suspensão da cerimônia, 85 Sumário Nota do Autor à lfi edição, xiii 1 Introdução ao Direito de Família, 1 1.1 Compreensão, 1 1.2 Lineamentos históricos, 2 1.3 Família moderna. Novos fenômenos sociais, 5 1.4 Natureza jurídica da

Leia mais

Direito Civil: Notas de Aulas dos Curso de Gestão de Marketing:

Direito Civil: Notas de Aulas dos Curso de Gestão de Marketing: Direito Civil: Notas de Aulas dos Curso de Gestão de Marketing: Uso Interno e Exclusivo dos Alunos do Curso de Gestão de Marketing da UNIFAI. A leitura deste não isenta a da bibliografia indicada. Bibliografia:

Leia mais

A extinção da personalidade ocorre com a morte, que pode ser natural, acidental ou presumida.

A extinção da personalidade ocorre com a morte, que pode ser natural, acidental ou presumida. Turma e Ano: Turma Regular Master A Matéria / Aula: Direito Civil Aula 04 Professor: Rafael da Mota Mendonça Monitora: Fernanda Manso de Carvalho Silva Personalidade (continuação) 3. Extinção da personalidade:

Leia mais

Práticas de Planejamento Tributário Profa. Dra. Silvia Mara Novaes Sousa Bertani

Práticas de Planejamento Tributário Profa. Dra. Silvia Mara Novaes Sousa Bertani 1 Sujeitos de direito e capacidade O ordenamento jurídico destina-se a reger as relações sociais entre indivíduos e grupos. Em toda relação jurídica, duas ou mais pessoas (sujeitos de direito) ficam ligadas

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº,DE 2011 (Do Sr. Aguinaldo Ribeiro)

PROJETO DE LEI Nº,DE 2011 (Do Sr. Aguinaldo Ribeiro) PROJETO DE LEI Nº,DE 2011 (Do Sr. Aguinaldo Ribeiro) Altera o 2º do art. 10 da Lei 9.263, de 12 de janeiro de 1996, que trata do planejamento familiar, de forma a permitir a realização da laqueadura tubárea

Leia mais

CAPACIDADE JURÍDICA E O EXERCÍCIO DE DIREITOS SEXUAIS E REPRODUTIVOS. Andrea Parra

CAPACIDADE JURÍDICA E O EXERCÍCIO DE DIREITOS SEXUAIS E REPRODUTIVOS. Andrea Parra Apoio: Realização: CAPACIDADE JURÍDICA E O EXERCÍCIO DE DIREITOS SEXUAIS E REPRODUTIVOS Andrea Parra andparra@gmail.com - @andreparrafo Sexualidade Sexualidade de pessoas con discapacidade Maternidade

Leia mais

Prof. (a) Naiama Cabral

Prof. (a) Naiama Cabral Prof. (a) Naiama Cabral DIREITOS HUMANOS @naiamacabral @monster.concursos Olá pessoal me chamo Naiama Cabral, Sou advogada e professora no Monster Concursos, e há algum tempo tenho ajudado diversos alunos

Leia mais

Ministério Público: Família e Sucessões. Oswaldo Peregrina Rodrigues

Ministério Público: Família e Sucessões. Oswaldo Peregrina Rodrigues Ministério Público: Família e Sucessões Oswaldo Peregrina Rodrigues Promotor de Justiça em São Paulo Professor Universitário (PUC/SP) Funções Essenciais à Justiça (CR/1988) Poder Judiciário (arts. 92/126)

Leia mais

Introdução ao Direito de Família Casamento e União Estável Formalidades Preliminares. Habilitação para o Casamento

Introdução ao Direito de Família Casamento e União Estável Formalidades Preliminares. Habilitação para o Casamento Sumário 1 Introdução ao Direito de Família 1.1 Compreensão 1.2 Lineamentos Históricos 1.3 Família Moderna. Novos Fenômenos Sociais 1.4 Natureza Jurídica da Família 1.5 Direito de família 1.5.1 Características

Leia mais

Ao se analisar o tempo que perdura a ausência, três momentos distintos podem ser destacados, a saber:

Ao se analisar o tempo que perdura a ausência, três momentos distintos podem ser destacados, a saber: FIT/UNAMA Curso: Bacharelado em Direito Aula 08: Ausência Disciplina: Teoria Geral do Direito Civil Professora Dra. Nazaré Rebelo E-mail: professoranazarerebelo@gmail.com Ausência Pelo novo estatuto legal

Leia mais

ESTATUTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

ESTATUTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA ESTATUTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Disposições Gerais, Da Igualdade e Da Não-Discriminação e Parte 3 Profa. Sandra Kiefer Art. 6º LBI A deficiência não afeta a plena capacidade civil da pessoa, inclusive

Leia mais

IUS RESUMOS. A extinção da personalidade natural. Organizado por: Samille Lima Alves

IUS RESUMOS. A extinção da personalidade natural. Organizado por: Samille Lima Alves A extinção da personalidade natural Organizado por: Samille Lima Alves SUMÁRIO I. A EXTINÇÃO DA PERSONALIDADE NATURAL... 3 1. Noções gerais sobre a extinção da personalidade... 3 2. Os casos de morte da

Leia mais

Direito Civil. Da Curadoria dos Bens do Ausente. Professor Fidel Ribeiro.

Direito Civil. Da Curadoria dos Bens do Ausente. Professor Fidel Ribeiro. Direito Civil Da Curadoria dos Bens do Ausente Professor Fidel Ribeiro www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Civil DA CURADORIA DOS BENS DO AUSENTE AUSÊNCIA: Iniciaremos o estudo do nosso próximo tópico

Leia mais

RENATO ALBUQUERQUE DIREITO CIVIL 64 QUESTÕES DE PROVAS DA BANCA ORGANIZADORA DO CONCURSO SEFAZ/MS E DE OUTRAS INSTITUIÇÕES DE MS GABARITADAS.

RENATO ALBUQUERQUE DIREITO CIVIL 64 QUESTÕES DE PROVAS DA BANCA ORGANIZADORA DO CONCURSO SEFAZ/MS E DE OUTRAS INSTITUIÇÕES DE MS GABARITADAS. RENATO ALBUQUERQUE DIREITO CIVIL 64 QUESTÕES DE PROVAS DA BANCA ORGANIZADORA DO CONCURSO SEFAZ/MS E DE OUTRAS INSTITUIÇÕES DE MS GABARITADAS. Seleção das Questões: Prof. Renato Albuquerque Coordenação

Leia mais

II CONGRESSO JURÍDICO VILA RICA UNIVERISDADE FEDERAL DE OURO PRETO DIREITOS DA PERSONALIDADE, BIODIREITO E A CAPACIDADE DOS INCAPAZES Maria de Fátima Freire de Sá Diogo Luna Moureira IMAGEM, CULTURA E

Leia mais

Aula nº. 03. CAPACIDADE (continuação)

Aula nº. 03. CAPACIDADE (continuação) Página1 Curso/Disciplina: Direito Civil Objetivo Aula: Personalidade - 03 Professor(a): Rafael da Mota Mendonça Monitor(a): Sarah Padilha Gonçalves Aula nº. 03 CAPACIDADE (continuação) 1. Teoria das Incapacidades

Leia mais

A CAPACIDADE SOB A PERSPECTIVA JURÍDICA RESUMO

A CAPACIDADE SOB A PERSPECTIVA JURÍDICA RESUMO A CAPACIDADE SOB A PERSPECTIVA JURÍDICA Chantal Cardoso Cekiera e Sousa Kátia Pedrosa Vieira RESUMO Este trabalho foi desenvolvido com base em uma análise feita ao artigo A essência da capacidade para

Leia mais

Modular Direito de Família Invalidade do Casamento Fernando Viana Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

Modular Direito de Família Invalidade do Casamento Fernando Viana Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Modular Direito de Família Invalidade do Casamento Fernando Viana 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Invalidade do Casamento Casamento Nulo Art. 1.548. É nulo

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Aula Ministrada pelo Prof. Nelson Sussumu Shikicima

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Aula Ministrada pelo Prof. Nelson Sussumu Shikicima CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Aula Ministrada pelo Prof. Nelson Sussumu Shikicima 1-) Prática de família e sucessões: A-) Casamento: a) Impedimentos matrimoniais: Previsto perante

Leia mais

Direito Civil. Estado. Professor Fidel Ribeiro.

Direito Civil. Estado. Professor Fidel Ribeiro. Direito Civil Estado Professor Fidel Ribeiro www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Civil ESTADO Carlos Roberto Gonçalves, em Curso De Direito Civil Esquematizado 2016, volume I, pág. 169 A palavra estado

Leia mais

OS IMPACTOS DA CRIAÇÃO DO ESTATUTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO COMBATE À INTOLERÂNCIA SOCIAL

OS IMPACTOS DA CRIAÇÃO DO ESTATUTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO COMBATE À INTOLERÂNCIA SOCIAL 70 OS IMPACTOS DA CRIAÇÃO DO ESTATUTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO COMBATE À INTOLERÂNCIA SOCIAL RESUMO ARAN, Alana Thaís. 1 SOUZA, Ieda Maria Berger. 2 O presente trabalho visa discorrer como a criação

Leia mais

7. Casamento inválido. 7. Casamento inválido -> Casamento Inexistente. São de três espécies: Requisitos de Exisitência:

7. Casamento inválido. 7. Casamento inválido -> Casamento Inexistente. São de três espécies: Requisitos de Exisitência: 7. Casamento inválido São de três espécies: A) Casamento Inexistente B) Casameto Nulo 7. Casamento inválido -> Casamento Inexistente Requisitos de Exisitência: 1. Deferença de sexo 2. Consentimento 3.

Leia mais

DIREITO CIVIL - AULA 2 TEORIA GERAL DO DIREITO CIVIL QUESTÕES COMENTADAS

DIREITO CIVIL - AULA 2 TEORIA GERAL DO DIREITO CIVIL QUESTÕES COMENTADAS ESCOLA SUPERIOR DA MAGISTRATURA DE PERNAMBUCO DIREITO CIVIL - AULA 2 TEORIA GERAL DO DIREITO CIVIL QUESTÕES COMENTADAS 1. (FCC - 2012 - TRT - 1ª REGIÃO (RJ) - Juiz do Trabalho) Em relação às pessoas naturais

Leia mais

Divisão de Poderes. Poder Executivo

Divisão de Poderes. Poder Executivo Divisão de Poderes Poder Executivo O Poder Executivo é exercido pelo Chefe de Governo que, no Brasil, é o Presidente da República, sua função é governar e administrar o Estado, mas em âmbito federal pode

Leia mais

CEN E TRO O D E E E N E SI S N I O O S U S PE P R E IO I R O E E D ES E E S N E VO V L O V L I V M I EN E TO O - CES E E S D

CEN E TRO O D E E E N E SI S N I O O S U S PE P R E IO I R O E E D ES E E S N E VO V L O V L I V M I EN E TO O - CES E E S D CENTRO DE ENSINO SUPERIOR E DESENVOLVIMENTO - CESED FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS - FACISA DIREITO EMPRESA I Professor: Jubevan Caldas de Sousa Empresário e Empresa Abandonando os antigos conceitos

Leia mais

T E O R I A GER A L D O DIREITO CIVIL

T E O R I A GER A L D O DIREITO CIVIL ROTEIRO DE AULA Ponto 05 Capacidade da Pessoa Natural 01. Capacidade É a aptidão da pessoa para exercer direitos e assumir obrigações, ou seja, de atuar sozinha perante o complexo das relações jurídicas.

Leia mais

AULA 16. Espécies de Intervenção de terceiro no novo CPC. d) Incidente de desconsideração da personalidade jurídica

AULA 16. Espécies de Intervenção de terceiro no novo CPC. d) Incidente de desconsideração da personalidade jurídica Turma e Ano: Master A (2015) 25/05/2015 Matéria / Aula: Direito Processual Civil / Aula 16 Professor: Edward Carlyle Silva Monitor: Alexandre Paiol CONTEÚDO DA AULA: curiae AULA 16 Incidente de desconsideração

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO CIVIL.

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO CIVIL. CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO CIVIL. Aula Ministrada pelo Prof. Durval Salge Junior (Aula 31/08/2017) Contratos, requisitos de validade, princípios. Conceito de contrato: convergência de declarações

Leia mais

2. Tópicos Especiais em Pessoas e Direitos de Personalidade. Tópicos Especiais em Direito Civil

2. Tópicos Especiais em Pessoas e Direitos de Personalidade. Tópicos Especiais em Direito Civil 2. Tópicos Especiais em Pessoas e Direitos de Personalidade Tópicos Especiais em Direito Civil Personalidade e Capacidade Toda pessoa é dotada de personalidade, isto é, tem capacidade para figurar em uma

Leia mais

Pós Graduação em Direito de Família e Sucessões. Prof. Nelson Sussumu Shikicima. Aula dia 12/12/2018. Exoneração de alimentos.

Pós Graduação em Direito de Família e Sucessões. Prof. Nelson Sussumu Shikicima. Aula dia 12/12/2018. Exoneração de alimentos. Pós Graduação em Direito de Família e Sucessões. Prof. Nelson Sussumu Shikicima. Aula dia 12/12/2018. Exoneração de alimentos. Observe a peça de Exoneração disponibilizada pelo professor!!! Foro de competência

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO Partes, Procuradores, Representação, Substituição Processual e Litisconsórcio Das Partes. Prof ª.

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO Partes, Procuradores, Representação, Substituição Processual e Litisconsórcio Das Partes. Prof ª. DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO Partes, Procuradores, Representação, Substituição Processual e Litisconsórcio Das Partes Prof ª. Eliane Conde Partes no Processo do Trabalho O autor é chamado de reclamante,

Leia mais

DIREITO CIVIL : PARTE GERAL

DIREITO CIVIL : PARTE GERAL DIREITO CIVIL : PARTE GERAL ANA LÚCIA AUGUSTO SILVA ESPECIALISTA EM DIREITO DE FAMÍLIA E SUCESSÕES NA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PUC/SP. ESPECIALISTA EM DIREITO PROCESSUAL CIVIL NA

Leia mais

Pós Graduação Direito de Família e Sucessões. Poder Familiar.

Pós Graduação Direito de Família e Sucessões. Poder Familiar. Pós Graduação Direito de Família e Sucessões. Prof. Nelson Sussumu Shikicima. Aula ministrada dia 14/02/2018. Poder Familiar. Extinção do poder familiar é definitiva e ocorre quando: Morte do menor ou

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO PROCESSUAL CIVIL.

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO PROCESSUAL CIVIL. CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Aula Ministrada pelo Prof. Joseval M. Viana 1-) Pessoa Natural: Previsão no art. 1º ao art. 10 do C.C. ATENÇÃO: Direitos da personalidade previsão no

Leia mais

INTERDIÇÃO X TOMADA DE DECISÃO APOIADA

INTERDIÇÃO X TOMADA DE DECISÃO APOIADA INTERDIÇÃO X TOMADA DE DECISÃO APOIADA Evolução Legislativa Lei das Doze Tábuas Roma 451 ac. Tábua IV: Uma criança nascida com grave deformidade física deverá ser morta em seguida. Se o pai vender o filho

Leia mais

MATERIAL DE LEITURA OBRIGATÓRIA AULA 09

MATERIAL DE LEITURA OBRIGATÓRIA AULA 09 PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO DE FAMÍLIA E SUCESSÕES. Aula Ministrada pelo Prof. Nelson Sussumu Shikicima 1-) Casamento Efeitos Patrimoniais Conti.: a) Princípios: Variedade do regime de Bens: - Comunhão Parcial

Leia mais

PESSOAS NO CÓDIGO CIVIL

PESSOAS NO CÓDIGO CIVIL PESSOAS NO CÓDIGO CIVIL www.trilhante.com.br ÍNDICE 1. PERSONALIDADE JURÍDICA, CAPACIDADE E LEGITIMAÇÃO...5 Sujeitos da Relação Jurídica...6 2. COMEÇO DA PERSONALIDADE NATURAL E PERSONALIDADE JURÍDICA

Leia mais

ESTATUTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

ESTATUTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA ESTATUTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Tutela, da Curatela e da Tomada de Decisão Apoiada Parte 2 Prof. Caio Silva de Sousa - Do rol dos relativamente incapazes (artigo 4º do Código Civil) os que, por deficiência

Leia mais

Direito Civil. Direito de Família. Prof. Marcio Pereira

Direito Civil. Direito de Família. Prof. Marcio Pereira Direito Civil Direito de Família Prof. Marcio Pereira Direito de Família O Direito de Família divide-se em quatro espécies: direito pessoal, direito patrimonial, união estável, tutela e curatela. Casamento

Leia mais

juiz de paz ministro religiosa

juiz de paz ministro religiosa juiz de paz ministro confissão religiosa Impedimentos matrimoniais Causas de anulabilidade Causas suspensivas Art. 1.521, CC Casamento nulo (art. 1.548, CC) Art. 1.550, CC Casamento anulável Art. 1.523,

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO Registro: 2016.0000553317 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo de Instrumento nº 2064765-87.2016.8.26.0000, da Comarca de São Paulo, em que são agravantes M. R. DOS S. (INTERDITO(A))

Leia mais

AULA 1 - PESSOAS NATURAIS E DOMICÍLIO

AULA 1 - PESSOAS NATURAIS E DOMICÍLIO AULA 1 - PESSOAS NATURAIS E DOMICÍLIO Nobre concurseiro(a), seguindo o programa de Direito Civil, os próximos assuntos a serem abordados são as pessoas. Tais assuntos têm como base legal o Código Civil,

Leia mais

LFBS Nº (Nº CNJ: ) 2016/CÍVEL

LFBS Nº (Nº CNJ: ) 2016/CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL. CURATELA. AÇÃO DE INTERDIÇÃO. SUBMISSÃO À CURATELA QUE AFETA TÃO SOMENTE AOS ATOS RELACIONADOS AOS DIREITOS DE NATUREZA PATRIMONIAL E NEGOCIAL. IMPOSSIBILIDADE DE RESTRIÇÃO DO EXERCÍCIO

Leia mais

MORTE E SUCESSÃO PROFA. ZÉLIA PRATES

MORTE E SUCESSÃO PROFA. ZÉLIA PRATES MORTE E SUCESSÃO PROFA. ZÉLIA PRATES MORTE DA PESSOA NATURAL 1. Modalidades gerais de sucessão Art. 1.786. A sucessão dá-se por lei ou por disposição de última vontade. 1.1. Sucessão legítima/intestado:

Leia mais

Direito Empresarial e. Trabalhista. Profa. Dra. Silvia Bertani. Profa. Dra. Silvia Mara Novaes Sousa Bertani.

Direito Empresarial e. Trabalhista. Profa. Dra. Silvia Bertani. Profa. Dra. Silvia Mara Novaes Sousa Bertani. Direito Empresarial e 1 Trabalhista Profa. Dra. Silvia Bertani www.silviabertani.wordpress.com silviabertani@gmail.com 2 Profa. Dra. Silvia Bertani www.silviabertani.wordpress.com www.facebook.com/profasilviamara

Leia mais

Direito Previdenciário

Direito Previdenciário Direito Previdenciário Beneficiários do RGPS Dependentes dos segurados Parte - 2 Prof. Bruno Valente - não emancipado; - de qualquer condição; - Menor de 21 anos; - Inválido / interditado. A emancipação

Leia mais

LEI BRASILEIRA DA INCLUSÃO (Estatuto da Pessoa com Deficiência) (Lei nº 13.146/2015)

LEI BRASILEIRA DA INCLUSÃO (Estatuto da Pessoa com Deficiência) (Lei nº 13.146/2015) LEI BRASILEIRA DA INCLUSÃO (Estatuto da Pessoa com Deficiência) (Lei nº 13.146/2015) Quantas pessoas com deficiência existentes no Brasil? Segundo o Censo Demográfico 2010, do IBGE, 45,6 milhões de brasileiros

Leia mais

UNIÃO ESTÁVEL TUTELA E CURATELA. Tutela - Conceito. Segundo Sílvio Rodrigues, podemos conceituar tutela como : TUTELA

UNIÃO ESTÁVEL TUTELA E CURATELA. Tutela - Conceito. Segundo Sílvio Rodrigues, podemos conceituar tutela como : TUTELA UNIÃO ESTÁVEL TUTELA E CURATELA Tutela - Conceito TUTELA Segundo Sílvio Rodrigues, podemos conceituar tutela como : "instituto de nítido caráter assistencial e que visa substituir o pátrio poder em face

Leia mais

Pós Graduação Direito de Família e Sucessões.

Pós Graduação Direito de Família e Sucessões. Pós Graduação Direito de Família e Sucessões. Prof. Nelson Sussumu Shikicima. Aula ministrada dia 02/10/2017. Variedade do regime de bens. Comunhão parcial de bens. Bens que não se comunicam na comunhão

Leia mais

O casamento é a união plena entre duas pessoas, na qual ambos têm os MESMOS direitos e deveres.

O casamento é a união plena entre duas pessoas, na qual ambos têm os MESMOS direitos e deveres. Casamento O casamento é a união plena entre duas pessoas, na qual ambos têm os MESMOS direitos e deveres. PRAZO PARA DAR ENTRADA No mínimo 40 (quarenta) dias antes da data prevista para celebração do casamento.

Leia mais

O HERDEIRO MAIOR E CAPAZ NOMEADO POR TESTAMENTO E A ESCRITURA PÚBLICA DE PARTILHA.

O HERDEIRO MAIOR E CAPAZ NOMEADO POR TESTAMENTO E A ESCRITURA PÚBLICA DE PARTILHA. O HERDEIRO MAIOR E CAPAZ NOMEADO POR TESTAMENTO E A ESCRITURA PÚBLICA DE PARTILHA. Sabido que ninguém pode ignorar o conteúdo das leis vigentes no país. Como proclamava o mestre e saudoso brasileiro, dr.

Leia mais

Tribunais Exercícios Direito Civil Exercício Nilmar de Aquino Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

Tribunais Exercícios Direito Civil Exercício Nilmar de Aquino Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Exercícios Direito Civil Exercício Nilmar de Aquino 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. TRE PR/2012 1. NÃO se destinando a vigência temporária, a lei

Leia mais

Da Formação, da Suspensão e da Extinção do Processo

Da Formação, da Suspensão e da Extinção do Processo Direito Processual Civil Da Formação, da Suspensão e da Extinção do Processo Da Formação do Processo Art. 312 Considera-se proposta a ação quando a petição inicial for protocolada, todavia, a propositura

Leia mais

INSTITUIÇÕES DE DIREITO

INSTITUIÇÕES DE DIREITO Instituições de Direito Profª Mestre Ideli Raimundo Di Tizio p 1 INSTITUIÇÕES DE DIREITO Conceito de Direito: É o conjunto de regras jurídicas (Leis) que disciplinam as relações do homem que vive em sociedade.

Leia mais

PRINCíPIO DA CONTINUIDADE DAS LEIS. Não se destinando a vigência temporária, a lei terá vigor até que outra a modifique ou revogue.

PRINCíPIO DA CONTINUIDADE DAS LEIS. Não se destinando a vigência temporária, a lei terá vigor até que outra a modifique ou revogue. PRINCíPIO DA CONTINUIDADE DAS LEIS Não se destinando a vigência temporária, a lei terá vigor até que outra a modifique ou revogue. (art. 2.º da Lei de Introdução às normas do Direito Brasileiro). Assim,

Leia mais