Copyright Viseu. Thiago Regina Lucas Martinez Renato Souza Junior Tiago Shima. Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Copyright Viseu. Thiago Regina Lucas Martinez Renato Souza Junior Tiago Shima. Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)"

Transcrição

1

2 Copyright Viseu Editor Capa Revisão Projeto Gráfico Thiago Regina Lucas Martinez Renato Souza Junior Tiago Shima Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) de Góes Soligo, Adriana Manual da Gestante / Adriana de Góes Soligo. Maringá : Viseu, ISBN Gestação 2. Ginecologia 3. Medicina I. Nome, Autor II. Título. 618 CDD Índice para catálogos sistemáticos: 1. Gestação: Medicina 61 Proibida a reprodução total ou parcial desta obra, de qualquer forma ou por qualquer meio eletrônico, mecânico, inclusive por meio de processos xerográficos, incluindo ainda o uso da internet, sem a permissão expressa da Editora Viseu, na pessoa de seu editor (Lei nº 9.610, de ). EDITORA VISEU LTDA. Av. São Paulo, 1061 Sala Maringá PR Telefone: +55 (44)

3 Este manual é dedicado às mulheres gestantes, que confiaram em mim e equipe os cuidados neste momento tão especial. Foi com esta experiência e estudo, que criamos este manual. Professora Dra. Adriana de Góes

4 SUMÁRIO I. Acompanhamento periódico...11 II. Idade gestacional...16 III. Minha primeira gravidez Gestação mês a mês...21 IV. Ultrassonografia obstétrica morfológica do primeiro trimestre...26 V. Teste pré-natal não invasivo (NIPT)...30 VI. Cuide do seu corpo Cuide do seu corpo O que comer durante a gravidez?...34 VII. Plano de parto...36 VIII. Tipos de parto Parto natural Parto normal Parto cesáreo...43 IX. Vacinas importantes na gestação...46 X. Segunda gravidez: o que esperar? Contrações e parto Importância de planejar...52 XI. Controle dos movimentos fetais na gravidez (mobilograma)...53 XII. Sinais de alerta para trabalho de parto...56 XIII. Amamentação...59 XIV. Questionamentos mais frequentes...63 XV. Gestação gemelar...69 XVI. Prematuridade...72 XVII. Pré-eclâmpsia ou Doença hipertensiva específica da gravidez (DHEG)...75 XVIII. Diabetes gestacional (DMG)...79 XIX. Trombofilia durante a gravidez...82 XX. Toxoplasmose durante a gravidez...87

5 XXI. Citomegalovírus (CMV) durante a gravidez...91 XXII. Rubéola durante a gravidez...93 XXIII. Zika virus durante a gravidez...96 XXIV. HIV: AIDS durante a gravidez XXV. Exercícios durante a gestação Exercícios durante a gestação Exercício para a saúde física e mental XXVI. Orientações gerais durante a gestação XXVII. Orientações gerais após o parto Alimentação e hidratação Amamentação Sangramento Cuidados com o recém-nascido XXVIII. Cuidados com a pele na gestação Tendência à pigmentação (manchas escuras e acastanhadas) Hipertricose (aumento de pêlos) e melhora dos cabelos Estrias Lesões e desordens vasculares Prurido na gestação Acne ou rosácea Cuidados gerais para a pele durante a gestação XXIX. Minha primeira gravidez após uma perda XXX. A maternidade XXXI. O sono do bebê Dormindo com os anjos Sete mitos sobre o sono do bebê XXXII. Baby blues XXXIII. Depressão pós-parto Referências bibliográficas Curriculo Adriana de Góes e Silva Soligo...160

6

7 I. ACOMPANHAMENTO PERIÓDICO

8 A gravidez é um momento sublime para toda mulher, mas também é um período que exige cuidados especiais, a fim de proteger a saúde da gestante e do bebê. Afinal, o corpo feminino passa por muitas transformações para se adaptar a essa nova condição. Nesse sentido, o acompanhamento pré-natal, que envolve a realização de uma série de exames durante a gestação, é fundamental para proporcionar uma gravidez mais segura e feliz. Com os exames, é possível identificar e tratar precocemente muitos problemas que, em geral, tendem a afetar a mulher e o bebê. Por isso, recomenda-se que as mães iniciem o pré-natal assim que souberem da gravidez. Ou melhor, que realizem os exames quando planejarem engravidar. Após confirmada a gestação, os primeiros exames solicitados são os de sangue, os quais poderão detectar várias alterações que podem interferir na evolução saudável de uma gravidez, como as anemias e as infecções bacterianas ou virais. Tais alterações podem ser corrigidas logo no início da gestação. Através de exame de sangue, verifica-se ainda, a tipagem sanguínea (ABO/fator Rh), a fim de checar a compatibilidade sanguínea do casal. A incompatibilidade sanguínea não tratada adequadamente na primeira gravidez pode levar a graves comprometimentos do feto em uma segunda gestação. Hoje, já existem medicações para solucionar o problema, indicadas a partir da primeira gestação. Além disso, outros exames importantes são os de sorologia para doenças infecciosas, por meio dos quais é possível detectar Hepatite B ou C, AIDS, Sífilis e outras parasitoses, como Toxoplasmose, Rubéola etc. Paralelamente, solicita-se o exame de urina, que permite detectar a existência de infecções urinárias, bastante comuns na gravidez. Isto se deve à compressão da bexiga pelo útero, à medida que ele cresce, levando a um esvaziamento incompleto da bexiga, o que aumenta a chance de infecção urinária. As infecções urinárias devem ser tratadas imediatamente, a fim de evitar complicações, como o parto prematuro. 12

9 Vale ressaltar que durante a gravidez, as alterações metabólicas provocam uma queda da imunidade da mãe. Dessa forma, uma infecção que normalmente poderia ser curada em alguns dias, em uma gestante pode levar muito mais tempo. Daí a importância do diagnóstico precoce. Logo após a confirmação da gravidez, recomenda-se ainda o teste de glicemia, essencial para verificar se a mãe é diabética ou se tem tendência para desenvolver a doença durante a gestação. A falta de controle da taxa de glicemia pode acarretar diversas consequências como parto prematuro e até perda do bebê. Os valores da glicemia de jejum podem ficar elevados por diversas razões. Caso isso aconteça, indica-se posteriormente o teste de sobrecarga oral de glicose. Nesse exame, ingere-se um líquido adocicado e, após duas horas, mede-se a taxa de glicemia no sangue, a fim de descartar a existência da diabetes. Geralmente, esses exames de glicemia de jejum e de sobrecarga oral de glicose são repetidos também no último trimestre da gravidez para confirmar se gestante não desenvolveu intolerância à glicose ou diabetes gestacional, devido também às alterações metabólicas. Com cerca de 28 semanas de gravidez, solicitam-se todos os exames iniciais de sangue, inclusive sorologia, para descartar a janela sorológica, já que existem vírus que demoram de três a seis meses para serem detectados em exames. O exame de ecocardiograma fetal está indicado para rastrear malformações no coração do bebê e deve ser feito quando há familiares com malformação cardíaca ou alteração cardiológica detectada no exame de ultrassonografia morfológica realizada em torno de 22 semanas de gravidez. Se necessário, o ecocardiograma fetal deve ser realizado em torno de 26 semanas de gravidez (entre 24 e 28 semanas). Além dos exames de sangue, está indicada, entre 35 e 37 semanas de gravidez, coleta de cultura de secreção vaginal e anal com pesquisa de estreptococo do grupo B, clamídia e gonococo. 13

10 A ultrassonografia é exame essencial na gravidez, para confirmar a idade gestacional e verificar se não há gravidez ectópica, ou seja, fora do útero. Recomenda-se a primeira ultrassonografia obstétrica entre 6 e 8 semanas de gravidez. Para descartar uma gravidez fora do útero e/ou abortamento, geralmente é solicitado também um exame de Beta-hCG quantitativo, que indica a concentração do hcg, hormônio produzido logo depois da fixação do embrião na parede do útero. Essa concentração deve aumentar progressivamente durante a gravidez. Se isso não ocorrer e se na ultrassonografia não foi possível detectar o saco gestacional no útero, deve ser considerada a possibilidade de uma gravidez ectópica ou abortamento. Os exames de ultrassonografia estão indicados nas diversas fases da gravidez. Veja a seguir os exames ultrassonográficos indicados: US morfológica do primeiro trimestre: está indicadoa com idade gestacional entre 11 e 13 semanas e seis dias. Leia mais sobre isso na página 23. US morfológica do segundo trimestre: deve ser realizada entre 20 a 24 semanas de gravidez. Esse exame tem a finalidade de avaliar o desenvolvimento dos órgãos internos do bebê. A partir de 26 semanas de gravidez, os exames de ultrassonografia podem ser complementados pela avaliação do fluxo sanguíneo entre o útero, placenta e bebê, denominado estudo de dopplerfluxometria colorido. Este exame é indicado para detectar alterações no fluxo sanguíneo, o que pode significar sofrimento fetal e, muitas vezes, indicar a interrupção da gestação precocemente. A partir do terceiro trimestre, os exames de ultrassonografia são indicados com intervalo específico para cada paciente, de acordo com os riscos da gravidez, doenças diagnosticadas e resultados dos exames realizados. Ultrassonografia 4D: este exame tem a finalidade de detectar 14

11 malformações da face do bebê ou para complementar algum achado no exame de ultrassonografia convencional (2D). Deve ser realizado entre 28 e 34 semanas para aquisição das melhores fotos do rostinho do bebê. Os pais adoram este exame, pois ameniza a ansiedade de saber como é o bebê. As imagens obtidas são muito parecidas com o bebê ao nascimento. À medida que os meses vão passando, é preciso redobrar a atenção aos sinais do corpo seja para evitar o parto prematuro, seja para indicar que o trabalho de parto já começou. 15

AULA Rede de atenção que garanta acesso, acolhimento e resolutividade

AULA Rede de atenção que garanta acesso, acolhimento e resolutividade AULA 10 A Rede Cegonha Implementada em 2011, a Rede Cegonha é uma Rede de cuidados que assegura às MULHERES o direito ao planejamento reprodutivo, à atenção humanizada à gravidez, parto e puerpério, e

Leia mais

Questão 01 Diagnóstico da gestação

Questão 01 Diagnóstico da gestação Saúde Da Mulher: Diagnóstico Da Gestação, Modificações Gravídicas e Pré Natal. Prof. Enf. Obstetra Hygor Elias Questão 01 Diagnóstico da gestação Segundo o Ministério da Saúde (MS, 2000), o diagnóstico

Leia mais

ATENDIMENTO PRÉ-NATAL PROF.ª LETICIA PEDROSO

ATENDIMENTO PRÉ-NATAL PROF.ª LETICIA PEDROSO ATENDIMENTO PRÉ-NATAL PROF.ª LETICIA PEDROSO Objetivos 1.Preparo físico e psicológico da gestante; 2.Prevenir, identificar e tratar patologias que possam ocorrer durante a gestação; 3.Controle obstétrico;

Leia mais

Dr. Fábio Cabar ASSISTÊNCIA PRÉ NATAL REDE CEGONHA DR. FÁBIO R. CABAR

Dr. Fábio Cabar ASSISTÊNCIA PRÉ NATAL REDE CEGONHA DR. FÁBIO R. CABAR Dr. Fábio Cabar Médico formado pela Faculdade de Medicina da USP. Residência Médica em Obstetrícia e Ginecologia no Hospital das Clínicas da USP. Foi médico preceptor do Departamento de Obstetrícia e Ginecologia

Leia mais

PRÉ-REQUISITO R4 ULTRASSONOGRAFIA (402)

PRÉ-REQUISITO R4 ULTRASSONOGRAFIA (402) PRÉ-REQUISITO R ULTRASSONOGRAFIA (0) RESIDÊNCIA MÉDICA (UERJ-FCM) 0 PRÉ-REQUISITO (R) / 0 PROVA ESCRITA OBSTETRÍCIA E GINECOLOGIA ) Gestante com nove semanas de idade gestacional (IG) inicia pré-natal

Leia mais

Vigilância no prénatal, puerpério 2017

Vigilância no prénatal, puerpério 2017 Vigilância no prénatal, parto e puerpério 2017 Doenças de transmissão vertical Outras: HTLV Tuberculose Malária Chagas Dengue Zika Chikungunya Principais Doenças de Transmissão Vertical no Brasil Sífilis

Leia mais

Copyright Viseu. Thiago Regina Lucas Martinez Renato Souza Junior Tiago Shima. Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)

Copyright Viseu. Thiago Regina Lucas Martinez Renato Souza Junior Tiago Shima. Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) Copyright Viseu Editor Capa Revisão Projeto Gráfico Thiago Regina Lucas Martinez Renato Souza Junior Tiago Shima Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) de Góes Soligo, Adriana Manual da

Leia mais

Vigilância no prénatal, puerpério 2017

Vigilância no prénatal, puerpério 2017 Vigilância no prénatal, parto e puerpério 2017 Doenças de transmissão vertical Outras: HTLV Tuberculose Malária Chagas Dengue Zika Chikungunya Principais Doenças de Transmissão Vertical no Brasil Sífilis

Leia mais

LEI Nº 4.035. De: 04 de julho de 2014. A CÂMARA MUNICIPAL DE UMUARAMA, ESTADO DO PARANÁ, aprovou, e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 4.035. De: 04 de julho de 2014. A CÂMARA MUNICIPAL DE UMUARAMA, ESTADO DO PARANÁ, aprovou, e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 4.035 De: 04 de julho de 2014. Desafeta do domínio público os imóveis localizados no CONJUNTO HABITACIONAL SONHO MEU, na cidade de Umuarama - PR. A CÂMARA MUNICIPAL DE UMUARAMA, ESTADO DO PARANÁ,

Leia mais

Vigilância e prevenção das Doenças de transmissão vertical 2016/2017

Vigilância e prevenção das Doenças de transmissão vertical 2016/2017 Vigilância e prevenção das Doenças de transmissão vertical 2016/2017 Principais Doenças de Transmissão Vertical no Brasil Sífilis congênita HIV-AIDS Hepatites B e C Rubéola congênita Toxoplasmose congênita

Leia mais

Figura I Experiência prévia em Teatro dos alunos do 1º período do Curso de Graduação em Teatro da EBA/UFMG no 1º semestre de 2009.

Figura I Experiência prévia em Teatro dos alunos do 1º período do Curso de Graduação em Teatro da EBA/UFMG no 1º semestre de 2009. Lista de Figuras Figura I Experiência prévia em Teatro dos alunos do 1º período do Curso de Graduação em Teatro da EBA/UFMG no 1º semestre de 2009. Figura 2- Local onde os alunos, com experiência prévia,

Leia mais

Saúde da Mulher Prof. Hygor Elias

Saúde da Mulher Prof. Hygor Elias Saúde da Mulher Prof. Hygor Elias Ano: 2016 Banca: CESPE Órgão: TCE PA Prova: Auditor de Controle Externo Área Administrativa Enfermagem Comrelaçãoàassistênciadeenfermagemnaatençãobásicaàgestantenoprénatal

Leia mais

Prevenir é muito melhor

Prevenir é muito melhor Saúde da mulher Prevenir é muito melhor Mulheres costumam cuidar muito bem dos outros: filhos, namorado, marido, pais... Mas essa energia toda precisa ser usada também a seu favor. Cuidar da própria saúde

Leia mais

CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA DA UFSC. Atualizado para

CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA DA UFSC. Atualizado para SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE COORDENADORIA DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA HOSPITAL UNIVERSITÁRIO BLOCO E3 (DIDÁTICO-PEDAGÓGICO)

Leia mais

ANEXOS FETAIS. Profª: Karin

ANEXOS FETAIS. Profª: Karin ANEXOS FETAIS Profª: Karin É um órgão formado por tecido materno e fetal, realiza a troca gasosa de O2 e CO2 e nutrientes entre mãe e feto, implantada no fundo do corpo do útero. A face materna é de cor

Leia mais

TABELA DE CONTRIBUIÇÃO DO SEGURADO EMPREGADO, DOMÉSTICO E AVULSO

TABELA DE CONTRIBUIÇÃO DO SEGURADO EMPREGADO, DOMÉSTICO E AVULSO TABELA DE CONTRIBUIÇÃO DO SEGURADO EMPREGADO, DOMÉSTICO E AVULSO A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2010 Salário-de-contribuição (R$) INSS até 1.040,22 8,00% de 1.040,23 até 1.733,70 9,00% de 1.733,71 até 3.467,40

Leia mais

PORTARIA Nº. 5, DE 21 DE FEVEREIRO DE 2006.

PORTARIA Nº. 5, DE 21 DE FEVEREIRO DE 2006. PORTARIA Nº. 5, DE 21 DE FEVEREIRO DE 2006. Inclui doenças na relação nacional de notificação compulsória, define doenças de notificação imediata, relação dos resultados laboratoriais que devem ser notificados

Leia mais

CARTÃO DA GESTANTE AGENDAMENTO. Nome. Endereço. Município. Bairro. Telefone. Nome da Operadora. Registro ANS. ANS- nº

CARTÃO DA GESTANTE AGENDAMENTO. Nome. Endereço. Município. Bairro. Telefone. Nome da Operadora. Registro ANS. ANS- nº CARTÃO DA GESTANTE Nome ANS- nº 0004 Endereço Município Bairro Telefone Nome da Operadora Registro ANS AGENDAMENTO Hora Nome do profissional Sala ANS- nº 0004 1 Idade Estado Civil Peso anterior Altura (cm)

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIAS DE 22 DE JUNHO DE 2012

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIAS DE 22 DE JUNHO DE 2012 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIAS DE 22 DE JUNHO DE 2012 O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio

Leia mais

Patologias Obstétricas

Patologias Obstétricas Patologias Obstétricas Do 1º Trimestre: HIPERÊMESE GRAVÍDICA É um quadro patológico constituído por vômitos intensos. Ocorre: nos primeiros 3 meses. Incidência: É mais comum em primigestas. Causas: Físicas

Leia mais

FORMULÁRIO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Nome: Telefone: Registro Acadêmico (RA): Curso: Semestre e ano de ingresso no Curso: Período:

FORMULÁRIO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Nome: Telefone: Registro Acadêmico (RA):   Curso: Semestre e ano de ingresso no Curso: Período: Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Campo Mourão Diretoria de Graduação e Educação Profissional Coordenação de Engenharia Eletrônica FORMULÁRIO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

Leia mais

OS DIREITOS DAS GESTANTES. Maria Angélica Rezende Silveira

OS DIREITOS DAS GESTANTES. Maria Angélica Rezende Silveira 1 OS DIREITOS DAS GESTANTES Maria Angélica Rezende Silveira 2 17,10 Somos simples servos, fizemos apenas o que devíamos fazer Lc. APRESENTAÇÃO O objetivo deste pequeno trabalho é esclarecer as gestantes

Leia mais

SÍFILIS MATERIAL DE APOIO.

SÍFILIS MATERIAL DE APOIO. SÍFILIS MATERIAL DE APOIO www.hilab.com.br Segundo o Ministério da Saúde, a sífilis, em sua forma adquirida, teve um crescimento de 5.174% entre 2010 e 2015. A forma congênita, transmitida da mãe para

Leia mais

GESTANTE CARTÃO DA AGENDAMENTO NOME ENDEREÇO BAIRRO MUNICÍPIO UF TELEFONE NOME DA OPERADORA POSTAL SAÚDE. REGISTRO ANS nº

GESTANTE CARTÃO DA AGENDAMENTO NOME ENDEREÇO BAIRRO MUNICÍPIO UF TELEFONE NOME DA OPERADORA POSTAL SAÚDE. REGISTRO ANS nº CARTÃO DA GESTANTE NOME ENDEREÇO BAIRRO MUNICÍPIO UF TELEFONE NOME DA OPERADORA POSTAL SAÚDE REGISTRO ANS nº 41913-3 AGENDAMENTO Data Hora Nome do Profissional Sala Carta de Informação à Gestante O parto

Leia mais

Introdução Descrição da condição

Introdução Descrição da condição Introdução Descrição da condição Diabetes mellitus: desordem metabólica resultante de defeito na secreção e\ou ação do hormônio insulina. Consequência primária: hiperglicemia. Crônica: diagnóstico de diabetes.

Leia mais

M a n u e l C e l e s t i n o V i l e l a T e i x e i r a d e A l m e i d a

M a n u e l C e l e s t i n o V i l e l a T e i x e i r a d e A l m e i d a M a n u e l C e l e s t i n o V i l e l a T e i x e i r a d e A l m e i d a AV A L I A Ç Ã O D O E F E I T O D E F O G O S F L O R E S T A I S N O R E G I M E D E E S C O A M E N T O E N A Q U A L I D

Leia mais

CARTÃO DA GESTANTE. Agendamento. Nome. Endereço. Bairro Município UF. Telefone. Nome da Operadora. Registro ANS. Data Hora Nome do profissional Sala

CARTÃO DA GESTANTE. Agendamento. Nome. Endereço. Bairro Município UF. Telefone. Nome da Operadora. Registro ANS. Data Hora Nome do profissional Sala CARTÃO DA GESTANTE Nome Endereço Bairro Município UF Telefone Nome da Operadora Registro ANS Agendamento Hora Nome do profissional Sala 1 Carta de Informação à Gestante O parto é um momento muito especial,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 084/2015 CONSU/IFAC.

RESOLUÇÃO Nº 084/2015 CONSU/IFAC. RESOLUÇÃO Nº 084/2015 CONSU/IFAC. Dispõe sobre o Regulamento das Atribuições da Coordenação Técnico Pedagógica COTEP do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre IFAC. O PRESIDENTE SUBSTITUTO

Leia mais

Consulta odontológica

Consulta odontológica Consulta odontológica 18 17 16 15 14 13 12 11 21 22 23 24 25 26 27 28 48 47 46 45 44 43 42 41 31 32 33 34 35 36 37 38 Legenda *- Mancha branca ativa Ca - Lesão cavitada ativa PF - Prótese fi xa O - Mancha

Leia mais

GESTANTE CARTÃO DA. Agendamento. Nome. Endereço. Bairro Município UF. Telefone. Nome da Operadora. Registro ANS. Data Hora Nome do profissional Sala

GESTANTE CARTÃO DA. Agendamento. Nome. Endereço. Bairro Município UF. Telefone. Nome da Operadora. Registro ANS. Data Hora Nome do profissional Sala FUNDAÇÃO CHESF DE ASSISTÊNCIA E SEGURIDADE SOCIAL CARTÃO DA GESTANTE Nome Endereço Bairro Município UF Telefone Nome da Operadora Registro ANS Agendamento Hora Nome do profissional Sala 1 Carta de Informação

Leia mais

Um novo olhar... Um novo olhar...

Um novo olhar... Um novo olhar... PROJETO: PROJETO: REGULARIZAÇÃO REGULARIZAÇÃO AMBIENTAL AMBIENTAL NA NA PERSPECTIVA PERSPECTIVA DO DO DESENVOLVIMENTO DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL TERRITORIAL AGROECOLÓGICO AGROECOLÓGICO DOS DOS ASSENTAMENTOS

Leia mais

CARTÃO DA GESTANTE CARTÃO DA GESTANTE. Central de agendamento: Dúvidas sobre sua gestação: Nome.

CARTÃO DA GESTANTE CARTÃO DA GESTANTE. Central de agendamento: Dúvidas sobre sua gestação: Nome. CARTÃO DA GESTANTE CARTÃO DA GESTANTE Central de agendamento: 2463-6000 Dúvidas sobre sua gestação: 2463-6052 Nome Endereço Bairro Município UF www.nextsaude.com.br Telefone Anotações: Agendamento: Hora

Leia mais

CARTÃO DA GESTANTE AGENDAMENTO. (11) Opção 2 - Opção 2. Nome do Profissional. Data. Ligue!

CARTÃO DA GESTANTE AGENDAMENTO. (11) Opção 2 - Opção 2. Nome do Profissional. Data. Ligue! cegonha@trasmontano.com.br CARTÃO DA GESTANTE Nome: Endereço: Bairro: Município: UF: Telefone: Celular: AGENDAMENTO Hora Nome do Profissional Sala Ligue! (11) 3293 1515 Opção 2 - Opção 2 P R O G R A M

Leia mais

DAS COORDENAÇÃO DE EIXO_TECNOLÓGICO

DAS COORDENAÇÃO DE EIXO_TECNOLÓGICO DAS COORDENAÇÃO DE EIXO_TECNOLÓGICO TÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADES Art. 1 - À coordenação de eixo-tecnológico compete: I - Convocar e presidir as reuniões do Colegiado de Curso; II - Submeter à Coordenação

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DA PÓS- GRADUAÇÃO LATO-SENSU EM MEDICINA FETAL

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DA PÓS- GRADUAÇÃO LATO-SENSU EM MEDICINA FETAL DA PÓS- GRADUAÇÃO LATO-SENSU EM MEDICINA FETAL 2015 1 PROJETO PEDAGÓGICO CALENDÁRIO ESCOLAR CALENDÁRIO DA PÓS-GRADUAÇÃO EM MEDICINA FETAL PERINATAL/ ESTÁCIO DE SÁ 2015 JANEIRO FEVEREIRO 1 2 3 1 2 3 4 5

Leia mais

Microcefalia na atenção básica

Microcefalia na atenção básica Microcefalia na atenção básica Enfoque da Medicina Fetal Dra. Jamile Simas Abi Saab MICROCEFALIA NA ATENÇÃO BÁSICA Microcefalia: malformação congênita em que o cérebro não se desenvolve de maneira adequada.

Leia mais

Vigilância no pré-natal, parto e puerpério 2018

Vigilância no pré-natal, parto e puerpério 2018 Vigilância no pré-natal, parto e puerpério 2018 Doenças de transmissão vertical Principais patógenos e formas de transmissão Outras: HTLV Tuberculose Malária Chagas Dengue Chikungunya ZIKA Gilbert, 2004

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 030/2012 CONSEPE (Vide Resolução nº 007/2013-CONSEPE)

RESOLUÇÃO Nº 030/2012 CONSEPE (Vide Resolução nº 007/2013-CONSEPE) RESOLUÇÃO Nº 030/2012 CONSEPE (Vide Resolução nº 007/2013-CONSEPE) Aprova alteração curricular do Curso de Licenciatura em Teatro, do Centro de Artes - CEART, da Fundação Universidade do Estado de Santa

Leia mais

CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA DA UFSC. Atualizado para

CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA DA UFSC. Atualizado para SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE COORDENADORIA DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA HOSPITAL UNIVERSITÁRIO BLOCO E3 (DIDÁTICO-PEDAGÓGICO)

Leia mais

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL = SAÚDE PERFEITA

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL = SAÚDE PERFEITA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL = SAÚDE PERFEITA Vol. I Rômulo B. Rodrigues 2 3 RODRIGUES, Rômulo B. ALIMENTAÇÃO SAÚDE SAUDÁVEL = PERFEITA Vol.I / Rômulo B. Rodrigues. Ed. Clube de autores. 2015. Capa e Diagramação:

Leia mais

Estresse, alimentação, obesidade e cigarro podem influenciar fertilidade

Estresse, alimentação, obesidade e cigarro podem influenciar fertilidade Ter filho não é tarefa fácil: exige cuidados intensos desde o primeiro mês de gestação até, pelo menos, os 18 anos de idade. Alimentação, educação, saúde e vestuário são itens imprescindíveis que os pais

Leia mais

PARALISIA CEREBRAL: COMO PREVENIR?

PARALISIA CEREBRAL: COMO PREVENIR? PARALISIA CEREBRAL: COMO PREVENIR? MAS AFINAL, O QUE É PARALISIA CEREBRAL? A paralisia Cerebral (PC) é um distúrbio da postura e dos movimentos, causado por alguma complicação que ocorreu no desenvolvimento

Leia mais

Departamento de Obstetrícia e Ginecologia Programa para o 3º ano - Disciplinas de Ginecologia e Obstetrícia (05/02 à 17/04/18)

Departamento de Obstetrícia e Ginecologia Programa para o 3º ano - Disciplinas de Ginecologia e Obstetrícia (05/02 à 17/04/18) Departamento de Obstetrícia e Ginecologia Programa para o 3º ano - Disciplinas de Ginecologia e Obstetrícia - 2018 (05/02 à 17/04/18) 3º ano B2 - sala 11 Data Dia Semana G&O Período Tema Professor 8h -

Leia mais

TAÇAS DE PORTUGAL. (Palmarés)

TAÇAS DE PORTUGAL. (Palmarés) Fundada em TAÇAS DE PORTUGAL (Palmarés) Edição I ANO 1989 LOCAL Lisboa DATA 16-12-1989 VENCEDOR Clube Desportivo Operário Clube Recreativo dos Anjos 1.5 Grupo Desportivo Operário Edição II ANO 1990 LOCAL

Leia mais

MUNICÍPIO DE JUAZEIRO ESTADO DA BAHIA

MUNICÍPIO DE JUAZEIRO ESTADO DA BAHIA LEI Nº 2.293 / 2012 Dispõe sobre a instituição do Bairro Monte Castelo no âmbito urbano do Município de Juazeiro Bahia e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE JUAZEIRO, Estado da Bahia, no uso

Leia mais

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR Curso Engenharia civil Ano letivo 2013/2014 Unidade Curricular Tecnologia das construções ECTS 4 Regime Obrigatório Ano 2º Semestre 1º semestre Horas de trabalho globais Docente (s) Maria de Jesus de Almeida

Leia mais

INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA Turma I - 3as e 5as feiras - 8 h

INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA Turma I - 3as e 5as feiras - 8 h UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DEPARTAMENTO DE SOCIOLOGIA Disciplina: INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA Turma I - 3as e 5as feiras - 8 h Professor: Prof. Dr. Sergio B. F. Tavolaro sergiotavolaro@unb.br

Leia mais

Prefeitura Municipal de Venda Nova do Imigrante

Prefeitura Municipal de Venda Nova do Imigrante I - INTRODUÇÃO II - OBJETO III - DOS ÓRGÃOS E UNIDADES INTEGRANTES DO REGISTRO IV - CONDIÇÕES GERAIS PARA PARTICIPAÇÃO V - DO RECEBIMENTO DA DOCUMENTAÇÃO E DA PROPOST VI - ABERTURA DOS ENVELOPES VII -

Leia mais

INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA Turma I - 3as e 5as feiras, às 8 h

INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA Turma I - 3as e 5as feiras, às 8 h UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DEPARTAMENTO DE SOCIOLOGIA Disciplina: INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA Turma I - 3as e 5as feiras, às 8 h Professor: Prof. Dr. Sergio B. F. Tavolaro sergiotavolaro@unb.br

Leia mais

ANEXO I. Tabela I Reitoria. Nível Cargo Vagas

ANEXO I. Tabela I Reitoria. Nível Cargo Vagas ANEXO I Tabela I Reitoria Nível C Auxiliar em Assuntos Educacionais 1 Nível C Auxiliar de Administração 4 Assistente em Administração 12 Técnico em Arquivo 2 Informática 1 Técnico em Secretariado 3 Técnico

Leia mais

DISTÚRBIOS METABÓLICOS DO RN

DISTÚRBIOS METABÓLICOS DO RN DISTÚRBIOS METABÓLICOS DO RN Renato S Procianoy Prof. Titular de Pediatria da UFRGS Chefe do Serviço de Neonatologia HCPA Editor Jornal de Pediatria DISTÚRBIOS METABÓLICOS DO RN Hipoglicemia Hipocalcemia

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL

DIREITO CONSTITUCIONAL DIREITO CONSTITUCIONAL Parte 2 Prof. Alexandre Demidoff Art. 7º IV - salário mínimo, fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender a suas necessidades vitais básicas e às de sua família com

Leia mais

TRABALHO DE PARTO PREMATURO

TRABALHO DE PARTO PREMATURO MATERNIDADEESCOLA ASSISCHATEAUBRIAND Diretrizes assistenciais TRABALHO DE PARTO PREMATURO MEAC-UFC 1 TRABALHO DE PARTO PREMATURO José Felipe de Santiago Júnior Francisco Edson de Lucena Feitosa 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

Aula 20 Pré-Natal de Alto Risco IV: Doenças. Prof. Ricardo Mattos UNIG,

Aula 20 Pré-Natal de Alto Risco IV: Doenças. Prof. Ricardo Mattos UNIG, Saúde Integral da Mulher Aula 20 Pré-Natal de Alto Risco IV: Doenças Obstétricas Prof. Ricardo Mattos UNIG, 2009.1 Neoplasia Trofoblástica Gestacional Mola Hidatiforme A freqüência é de 1 caso para cada

Leia mais

CARREIRA DO BANCO CENTRAL DO

CARREIRA DO BANCO CENTRAL DO ESTUDO SOBRE OS PLANOS DE CARREIRA DO BANCO CENTRAL DO BRASIL PROPOSTA DE REVISÃO A SER SUBMETIDA À XXI ASSEMBLÉIA NACIONAL DELIBERATIVA AND DIAGNÓSTICO O Plano de Carreira do Banco Central do Brasil foi

Leia mais

ORGANIZADOR. Página 1 de 7

ORGANIZADOR. Página 1 de 7 RESIDÊNCIA MÉDICA UERJ 07 ULTRASSONOGRAFIA (R) / 0 PROVA DISCURSIVA Página de 7 RESIDÊNCIA MÉDICA UERJ 07 ULTRASSONOGRAFIA (R) / 0 PROVA DISCURSIVA ULTRASSONOGRAFIA ) Mulher de 9 anos, DUM em 8//5, realizou

Leia mais

Prefeitura Municipal de Buritirama publica:

Prefeitura Municipal de Buritirama publica: Prefeitura Municipal de Buritirama 1 Quarta-feira Ano IX Nº 411 Prefeitura Municipal de Buritirama publica: Aviso de Adjudicação do Pregão Presencial n. º 010/2018. Contratado: Lider Fardamentos e Artigos

Leia mais

Acho que estou grávida. E agora? Planejamento familiar. Iniciando o pré-natal

Acho que estou grávida. E agora? Planejamento familiar. Iniciando o pré-natal Gestação Saudável Introdução Os cuidados para uma gestação saudável envolvem a gestante, seu parceiro, familiares e também os profissionais de saúde, afinal, o acompanhamento médico é essencial para garantir

Leia mais

Planejamento familiar

Planejamento familiar Gestação Saudável Introdução Os cuidados para uma gestação saudável envolvem a gestante, seu parceiro, familiares e também os profissionais de saúde, afinal, o acompanhamento médico é essencial para garantir

Leia mais

Cartão da Gestante. Cartão da Gestante. REAL GRANDEZA - Fundação de Previdência e Assistência Social Agendamento. Data Hora Profissional Sala

Cartão da Gestante. Cartão da Gestante. REAL GRANDEZA - Fundação de Previdência e Assistência Social Agendamento. Data Hora Profissional Sala Operadora REAL GRANDEZA - Fundação de Previdência e Assistência Social Registro ANS 33131-7 Agendamento Data Hora Profissional Sala Carta de Informação à Gestante O parto é um momento muito especial, que

Leia mais

ANEXO X DADOS A SEREM INFORMADOS NAS DECLARAÇÕES DE TRÂNSITO

ANEXO X DADOS A SEREM INFORMADOS NAS DECLARAÇÕES DE TRÂNSITO ANEXO X DADOS A SEREM INFORMADOS NAS DECLARAÇÕES DE TRÂNSITO A. São dados da DTA: I. Identificação do beneficiário de trânsito: número de inscrição no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) ou número

Leia mais

Sumário. 1. Visão geral da enfermagem materna Famílias e comunidades Investigação de saúde do paciente recém nascido...

Sumário. 1. Visão geral da enfermagem materna Famílias e comunidades Investigação de saúde do paciente recém nascido... Sumário Parte I Papéis e relacionamentos 1. Visão geral da enfermagem materna...23 O processo de enfermagem...25 Planejamento familiar...26 Gestação na infância ou na adolescência...26 Gestação após os

Leia mais

Cartão da Gestante. Dados pessoais. Nome: Endereço: Bairro: Município: Telefone:

Cartão da Gestante. Dados pessoais. Nome: Endereço: Bairro: Município: Telefone: Cartão da Gestante Dados pessoais Nome: Endereço: Bairro: Município: Telefone: UF: São Paulo: Hospital de Clínicas Caieiras Av. Professor Carvalho Pinto, 53 Centro Caieiras SP (11) 4442-7400 Hospital Vitória

Leia mais

PORTARIA CFO-SEC-56, de 25 de fevereiro de 1999

PORTARIA CFO-SEC-56, de 25 de fevereiro de 1999 Página 1 PORTARIA CFO-SEC-56, de 25 de fevereiro de 1999 O Plenário do Conselho Federal de Odontologia, em reunião realizada no dia 25 de fevereiro de 1999, RESOLVE: Art. 1º. Referendar as deliberações

Leia mais

VI CONGRESSO BRASILEIRO DE GESTÃO AMBIENTAL

VI CONGRESSO BRASILEIRO DE GESTÃO AMBIENTAL O Biólogo no mercado de trabalho em Gestão Ambiental Prof. Dr. Murilo Damato Conselho Federal de Biologia CONSELHO FEDERAL DE BIOLOGIA -CFBio, Autarquia Federal, com personalidade jurídica de direito público,

Leia mais

ENFERMAGEM. SAÚDE DA MULHER Assistência de Enfermagem ao Parto/Aborto. Parte 6. Profª. Lívia Bahia

ENFERMAGEM. SAÚDE DA MULHER Assistência de Enfermagem ao Parto/Aborto. Parte 6. Profª. Lívia Bahia ENFERMAGEM SAÚDE DA MULHER Assistência de Enfermagem ao Parto/Aborto Parte 6 Profª. Lívia Bahia Assistência de Enfermagem ao Aborto Considera-se abortamento a interrupção da gestação até 22 semanas; Ou

Leia mais

Vanessa Maria Fenelon da Costa 2012

Vanessa Maria Fenelon da Costa 2012 Vanessa Maria Fenelon da Costa 2012 Estudo prospectivo de coorte Janeiro de 2009 a Agosto de 2011 Gestantes atendidas na Maternidade Henrique Horta do HOB e na Maternidade Otto Cirne do Hospital das Clínicas

Leia mais

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO SÍFILIS

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO SÍFILIS 27 de julho de 2016 Página 1/8 DEFINIÇÃO DE CASO Sífilis em gestante Caso suspeito: gestante que durante o pré-natal apresente evidencia clínica de sífilis, ou teste não treponêmico reagente com qualquer

Leia mais

Prefeitura Municipal de Pojuca publica:

Prefeitura Municipal de Pojuca publica: Prefeitura Municipal de Pojuca 1 Quinta-feira Ano VI Nº 1193 Prefeitura Municipal de Pojuca publica: Republicação do Anexo 6 do Relatório Resumido da Execução Orçamentária - 1º Bimestre 2018. Portaria

Leia mais

2ª feira 02/Dez/2013 - Edição nº 9097. de Umuarama.

2ª feira 02/Dez/2013 - Edição nº 9097. de Umuarama. 24 2ª feira 02/Dez/2013 - Edição nº 9097 de Umuarama. 2ª feira 02/Dez/2013 - Edição nº 9097 25 ANEXO I DO REGULAMENTO A QUE SE REFERE O DECRETO Nº 9510/2013 26 2ª feira 02/Dez/2013 - Edição nº 9097 ANEXO

Leia mais

Vigilância no pré-natal, parto e puerpério 2018

Vigilância no pré-natal, parto e puerpério 2018 Vigilância no pré-natal, parto e puerpério 2018 Doenças de transmissão vertical Principais doenças e formas de transmissão vertical Outras DTV: HTLV Tuberculose Malária Chagas Dengue Chikungunya ZIKA Momento

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 191/2011 EMENTA: DISPÕE SOBRE OS EXAMES A SEREM REALIZADOS NA REDE PÚBLICA DE SAÚDE E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

PROJETO DE LEI Nº 191/2011 EMENTA: DISPÕE SOBRE OS EXAMES A SEREM REALIZADOS NA REDE PÚBLICA DE SAÚDE E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. PROJETO DE LEI Nº 191/2011 EMENTA: DISPÕE SOBRE OS EXAMES A SEREM REALIZADOS NA REDE PÚBLICA DE SAÚDE E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. Autor(es): Deputado LUIZ MARTINS A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO RIO

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DELIBERAÇÃO Nº 26/2014 Estabelece a estrutura departamental do Instituto de Ciências Sociais. O CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO, no uso da competência que lhe atribui o parágrafo único

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 021/2010 CONSEPE (Alterada pela Resolução nº 032/2010 CONSEPE)

RESOLUÇÃO Nº 021/2010 CONSEPE (Alterada pela Resolução nº 032/2010 CONSEPE) RESOLUÇÃO Nº 021/2010 CONSEPE (Alterada pela Resolução nº 032/2010 CONSEPE) Aprova alterações curriculares no Programa de Pós Graduação em Ciências do Movimento Humano do Centro de Ciências da Saúde e

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DE PSICOLOGIA MÓDULO FUNÇÕES SUB-FUNÇÕES C/H Bases Humanas e Ciências Humanas MÓDULO I Sociais Ciências Sociais Comportamento

MATRIZ CURRICULAR DE PSICOLOGIA MÓDULO FUNÇÕES SUB-FUNÇÕES C/H Bases Humanas e Ciências Humanas MÓDULO I Sociais Ciências Sociais Comportamento INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE LONDRINA - INESUL CARGA HORÁRIATOTAL DO CURSO 4250 horas relógio CARGA HORÁRIA DE ESTÁGIO 700 horas relógio CARGA HORÁRIA DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES 350 horas relógio

Leia mais

XXII CONGRESSO NACIONAL DO CERIMONIAL PÚBLICO XXII CONCEP REGRAS PARA ENVIO E APRESENTAÇÃO TRABALHOS CIENTÍFICOS ORAL E POSTÊR

XXII CONGRESSO NACIONAL DO CERIMONIAL PÚBLICO XXII CONCEP REGRAS PARA ENVIO E APRESENTAÇÃO TRABALHOS CIENTÍFICOS ORAL E POSTÊR 1 XXII CONGRESSO NACIONAL DO CERIMONIAL PÚBLICO XXII CONCEP REGRAS PARA ENVIO E APRESENTAÇÃO TRABALHOS CIENTÍFICOS ORAL E POSTÊR CONGRESSO O XXII Congresso Nacional do Cerimonial Público a ser realizado

Leia mais

Diabetes na gravidez

Diabetes na gravidez Diabetes na gravidez Diabetes Doença conhecida desde o século II da era cristão Diabetes: em grego sifão eliminação exagerada de água pelo organismo Mellitus: em latim doce como mel urina adocicada Diabetes

Leia mais

MANUAL DO PARTICIPANTE

MANUAL DO PARTICIPANTE MANUAL DO PARTICIPANTE 1. DA ORGANIZAÇÃO DO CONGRESSO I. O Congresso Empreende Litoral, é o maior evento de empreendedorismo da Região Meio Norte do Brasil, voltado para estudantes e comunidade de um modo

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES RESULTADOS

PERGUNTAS FREQUENTES RESULTADOS PERGUNTAS FREQUENTES RESULTADOS ÍNDICE Quando devo fazer os testes de diagnóstico de gravidez? Quais as chances de gêmeos? E de trigêmeos? Page 3 Page 5 Quando termina o tratamento? Page 7 Onde e com quem

Leia mais

Serologias antes e durante a Gravidez:

Serologias antes e durante a Gravidez: Serologias antes e durante a Gravidez: Quais Quando Porquê Ana Luísa Areia, Serviço de Obstetrícia A MDM / CHUC PROGRAMA DE FORMAÇÃO em SAÚDE MATERNA Atualizações em obstetrícia e neonatologia Janeiro

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DE RISCO GESTACIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA

CLASSIFICAÇÃO DE RISCO GESTACIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA CLASSIFICAÇÃO DE RISCO GESTACIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA Dra. Cássia Elena Soares Fluxograma de Pré-Natal Mulher com suspeita de gravidez Atraso menstrual Náusea Suspensão ou irregularidade do uso do contraceptivo

Leia mais

Disciplina: Específica

Disciplina: Específica UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO Concurso Público para provimento de vagas de cargos Técnico-Administrativos Edital nº 293/2016 Resultado do julgamento dos recursos interpostos contra as questões

Leia mais

ÍNDICE DE INFECÇÃO POR SÍFILIS EM MULHERES NO MUNICÍPIO DE VIÇOSA M.G. Introdução

ÍNDICE DE INFECÇÃO POR SÍFILIS EM MULHERES NO MUNICÍPIO DE VIÇOSA M.G. Introdução ANAIS IX SIMPAC 239 ÍNDICE DE INFECÇÃO POR SÍFILIS EM MULHERES NO MUNICÍPIO DE VIÇOSA M.G Fernanda Maria Brandão 2, Carla Alcon Tranin 3 Resumo: Este estudo objetivou demonstrar os índices de sífilis em

Leia mais

ALCANÇOU OBJETIVO 2 PARCIALMENTE,

ALCANÇOU OBJETIVO 2 PARCIALMENTE, PROVA PRÁTICA: GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA ESTAÇÃO: 07 A recorrente alega que no comando da estação solicita-se explicar o significado de BI-RADS 3, chance da lesão evoluir para câncer e em quanto tempo

Leia mais

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil) Editor Thiago Regina Projeto Gráfico e Editorial Rodrigo Rodrigues Revisão Jade Coelho Copidesque Renata Souza Capa Tiago Shima Copyright Viseu Todos os direitos desta edição são reservados à Editora Viseu

Leia mais

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOS HOSPITAIS PÚBLICOS (INTERNAMENTO) EM PORTUGAL CONTINENTAL 2012

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOS HOSPITAIS PÚBLICOS (INTERNAMENTO) EM PORTUGAL CONTINENTAL 2012 Escola Nacional de Saúde Pública Universidade Nova de Lisboa Grupo de Disciplinas de Gestão em Organizações de Saúde AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOS HOSPITAIS PÚBLICOS (INTERNAMENTO) EM PORTUGAL CONTINENTAL

Leia mais

Vigilância e prevenção das Doenças de transmissão vertical

Vigilância e prevenção das Doenças de transmissão vertical Vigilância e prevenção das Doenças de transmissão vertical - 2015 Principais Doenças de Transmissão Vertical no Brasil Sífilis congênita HIV-AIDS Hepatites B e C Rubéola congênita Toxoplasmose congênita

Leia mais

LEI Nº 9.665, DE 13 DE DEZEMBRO DE Autor: Poder Executivo

LEI Nº 9.665, DE 13 DE DEZEMBRO DE Autor: Poder Executivo LEI Nº 9.665, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011. Autor: Poder Executivo Fixa o subsídio da carreira dos Profissionais do Serviço de Trânsito do Estado de Mato Grosso do Departamento Estadual de Trânsito - DETRAN/MT

Leia mais

Agenda Paroquial 2017/2018. Movidos pelo. amor de Deus. A alegria do Evangelho é a nossa missão

Agenda Paroquial 2017/2018. Movidos pelo. amor de Deus. A alegria do Evangelho é a nossa missão Agenda Paroquial 2017/2018 Movidos pelo amor de Deus A alegria do Evangelho é a nossa missão Paróquia do amial Rua Nova do Tronco, 504 4250-340 PORTO Tel: 228 348 850 E-mail: geral@paroquiadoamial.pt Secretaria

Leia mais

ASSISTÊNCIA PRÉ-NATAL

ASSISTÊNCIA PRÉ-NATAL ASSISTÊNCIA PROTOCOLO DE PACTUAÇÃO TÉCNICA Rotinas e padronizações são importantes desde que possam fornecer as informações necessárias para cada nível de decisão, facilitando a tomada de decisões. Da

Leia mais

Agravos prevalentes à saúde da. gestante. Profa. Dra. Carla Marins Silva

Agravos prevalentes à saúde da. gestante. Profa. Dra. Carla Marins Silva Agravos prevalentes à saúde da gestante Profa. Dra. Carla Marins Silva Gestação A gestação é um fenômeno fisiológico e, por isso mesmo, sua evolução se dá na maior parte dos casos sem intercorrências

Leia mais

ENFERMAGEM ATENÇÃO BÁSICA E SAÚDE DA FAMÍLIA. Parte 10. Profª. Lívia Bahia

ENFERMAGEM ATENÇÃO BÁSICA E SAÚDE DA FAMÍLIA. Parte 10. Profª. Lívia Bahia ENFERMAGEM ATENÇÃO BÁSICA E SAÚDE DA FAMÍLIA Parte 10 Profª. Lívia Bahia Enfermagem no acompanhamento do Pré Natal de baixo risco na Atenção Básica Apesar da redução importante da mortalidade infantil

Leia mais

SUMÁRIO PLANO DECENAL MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE ITUIUTABA-MG

SUMÁRIO PLANO DECENAL MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE ITUIUTABA-MG SUMÁRIO PLANO DECENAL MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE ITUIUTABA-MG ANEXO I METAS E ESTRATÉGIAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL... 1 ANEXO II METAS E ESTRATÉGIAS DO ENSINO FUNDAMENTAL... 3 ANEXO III METAS E ESTRATÉGIAS DO

Leia mais

Avaliação dos exames realizados durante o pré-natal no primeiro e terceiro trimestres da gravidez

Avaliação dos exames realizados durante o pré-natal no primeiro e terceiro trimestres da gravidez 1 Avaliação dos exames realizados durante o pré-natal no primeiro e terceiro trimestres da gravidez Renata Ramos Menezes 1, discente de Enfermagem, renata.ramos.menezes@hotmail.com; José Marcos de Jesus

Leia mais

AMBULATÓRIO DE ENDOCRINOLOGIA OBSTÉTRICA ENDOB

AMBULATÓRIO DE ENDOCRINOLOGIA OBSTÉTRICA ENDOB AMBULATÓRIO DE ENDOCRINOLOGIA OBSTÉTRICA ENDOB 1- Hipóteses diagnósticas que devem ser encaminhadas para este ambulatório 1a) Diabetes Mellitus Tipo 1, Tipo 2, Gestacional (DMG): com indicação de administração

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO Publicado em: 08/05/2019 Edição: 87 Seção: 1 Página: 3 Órgão: Atos do Poder Executivo

DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO Publicado em: 08/05/2019 Edição: 87 Seção: 1 Página: 3 Órgão: Atos do Poder Executivo DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO Publicado em: 08/05/2019 Edição: 87 Seção: 1 Página: 3 Órgão: Atos do Poder Executivo DECRETO Nº 9.784, DE 7 DE MAIO DE 2019 Declara a revogação, para ns do disposto no art. 16

Leia mais