A SI MESMO SE ESVAZIOU PARTE 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A SI MESMO SE ESVAZIOU PARTE 1"

Transcrição

1 PARTE 1 CAPÍTULO 1 A SI MESMO SE ESVAZIOU CONHECENDO A JESUS O que é a vida eterna. E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, O único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste. Jo 17.3 Estas palavras foram ditas pelo próprio Senhor Jesus. Ele está orando diante de seus discípulos. É sua última oração com eles. Seu coração está angustiado com a proximidade da morte ainda encontra forças para amá-los: amou-os até o fim (Jo 13.1). Nesta oração ele se refere à vida eterna, e então, como que pensando que os discípulos possam não entender o que isto significa, ele diz: que te conheçam ti...e a Jesus Cristo.... A vida eterna não é uma vida sem fim. Os ímpios terão uma vida sem fim na condenação, mas não terão vida eterna! O que Jesus chamava de vida eterna (no grego Zoe), é, na verdade, um tipo de vida. É a própria vida divina inserida no homem. E qual é a essência básica desta vida? Jesus está dizendo que é conhecer ao Pai e ao Filho. Muitos vêm a Deus buscando bênçãos. E Deus, que é infinitamente bondoso e poderoso, as concede. Mas o que Deus mais deseja é dar-se a si mesmo. Ele é a maior benção, que recebemos quando o conhecemos. Conhecê-lo é a maior e mais bendita aventura desta vida. Aquele que conhece o ama, pois vê nele a sua maior riqueza. Como conhecemos a Deus? Nesta oração Jesus fala sobre conhecer ao Pai e ao Filho. Mas antes ele já havia falado em conversa com seu discípulo Filipe que ao Pai seria conhecido através do Filho, pois o Filho encarnado revela como o Pai é. Filipe, há tempo estou convosco e não Me tens conhecido? Quem me vê a mim vê Ao Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai?Não Crês que eu estou no Pai e que o Pai está em Mim? As palavras que eu vos digo não as digo Por mim mesmo, mas ao Pai que permanece em Mim, e faz suas obras. (Jo ). Esta verdade depois foi salientada pelos apóstolos. O próprio João afirma na introdução de seu evangelho: (Jo 1.18). Ninguém jamais viu a Deus: o Deus unigênito que está no seio do Pai, é quem o revelou. Em uma das suas cartas aos coríntios, Paulo faz uma afirmação cheia de profundo significado. Porque Deus disse: das trevas resplandecerá a luz -, Ele mesmo resplandeceu em nossos corações, para Iluminação do conhecimento da glória de Deus na Face de Cristo. (2Co 4.6). A linguagem desse texto é um pouco complicada, mas a revelação contida nele é muito simples: o mesmo Deus que colocou luz nas trevas do universo também colocou luz em nossos corações. Quando ele fez isto, nós começamos a conhecer a sua glória. Mas aonde nós vimos esta glória? Na face de Cristo! 1

2 Então: A vida eterna está em conhecer ao Pai e ao Filho. Nós conhecemos ao Pai na face do Filho. Portanto, a vida eterna está em conhecermos a Jesus. A questão básica da vida não está em uma religião, ou em uma doutrina, ou em um conceito, mas está em uma pessoa, Jesus. Concordo que precisamos ter um conceito correto sobre a pessoa de Jesus, e a definição deste conceito se tornará uma doutrina. Mas o importante é conhecer Jesus e colocar nossos olhos nele. Necessitamos de um conhecimento interior realizado pelo próprio Deus, pois ele mesmo resplandeceu em nossos corações.... A questão básica da vida não está em Uma religião, ou em uma doutrina, ou Em um conceito, mas está em uma pessoa, Jesus. Recebendo revelação de Cristo Revelação: palavra não muito bem compreendida. Geralmente quando um irmão fala que teve uma revelação, está se referindo a algum fato, ou alguma verdade que ele desconhecia, mas que agora percebeu, descobriu ou entendeu. De fato, isto é um tipo de descoberta, mas a obra de Deus em nossos corações se refere a algo mais profundo do que isto. Muitas vezes ocorre quando uma verdade já conhecida em nosso intelecto é iluminada diante de nossos olhos espirituais e passamos a conhecê-la de uma forma pessoal e experimental. O que já conhecíamos mentalmente, agora cremos e experimentamos. Pedro Muitas vezes Jesus falou aos discípulos quem ele era, mas eles custaram a entender. Jesus esperava que o Pai lhes abrisse os olhos. Um dia Jesus perguntou: (Mt ). - Quem dizem os homens que eu sou? e depois E vocês o que dizem? Pedro então falou e eu imagino com que sorriso e voz enfática: - Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. Jesus então se alegrou. - Pedro, tu és bem-aventurado. Tu não aprendeste isto só porque ouviste com teus ouvidos humanos. Não está apenas registrado em teu cérebro. Tu crês nisto, Pedro? Então meu Pai falou contigo! Tu és um felizardo! Isto é revelação! O ladrão da cruz Esta história é bem mais impactante que a anterior. Ela nos traz um claro ensino sobre como Deus atua. Lembremo-nos do ambiente. Jesus tinha declarado: Esta é a vossa hora e o poder das trevas (Lc 22.53). Deus tirou toda a luz. Todo o ambiente era de cegueira e de pavor. Os discípulos de Jesus estavam confusos e amedrontados. Pensavam: O mestre foi derrotado. Maria, sua mãe, e João, seu mais intimo amigo, não estavam escondidos como os demais, mas estavam ali diante da cruz, perplexos e confundidos. Onde estavam os amigos de Jesus? Onde estavam os milhares que haviam sido curados e abençoados? Estavam todos desolados. Pensavam: O sonho acabou. Era a hora e o poder das trevas. Hora de cegueira total. Jesus, sozinho na cruz, foi abandonado pelo próprio Pai. Os pecados mais vis da raça impura estavam sendo colocados sobre ele. O Pai que não pode suportar o pecado, se afastou. Ao lado de Jesus apenas duas vozes. Provavelmente, nas últimas horas de fraqueza física eram as únicas vozes que ele podia ouvir. E o que eles diziam? Os dois blasfemavam. Os dois! Mateus e Marcos registraram isto (Mt 27.44; Mc 15.32) 2

3 Mas eis que o Pai resolve colocar os seus limites. Ele gosta de surpreender. Não quero ser irreverente, mas permito-me especular o que o Pai pensou: Mesmo na hora e poder das trevas eu vou reinar. Agora eu quero falar e vou falar. Vou mostrar o meu poder. Mandar um recado para meu Filho amado, e mostrar-lhe que eu estou no controle. E então ele falou com um dos dois ladrões, e foi fantástico! Maria não entendia! João não entendia! Pedro e os demais não entendiam! Ninguém entendia. Mas quando o Pai resolveu falar, um miserável ladrão que havia passado sua vida no pecado e na maldade e que acabara de blasfemar contra Jesus; de repente enxergou. E o que ele viu? Viu um Rei! Ele disse: - Jesus, lembra-te de mim quando vieres no teu reino. Quando todos viam um fracassado e derrotado, aquele homem viu um rei! Aleluia! Então imediatamente ele reconheceu seu pecado e maldade (Lc ), e se sujeitou a Cristo suplicando salvação (Lc 23.42). Os efésios. Isto é revelação. Em sua carta aos efésios, Paulo diz que estava orando para que eles entendessem algumas coisas: a esperança do seu chamamento, a riqueza da glória da sua herança nos santos e a suprema grandeza do seu poder (Ef 1.18,19). Mas se Paulo queria que os Efésios entendessem estas coisas por que simplesmente não as explicava? Ora certamente Paulo já tinha ensinado todas estas coisas, pois ficou três anos com eles. Já não era mais questão de falar e ouvir, mas sim de que recebessem revelação. Por isso Paulo estava orando. E o que pedia? Pedia: Espírito de sabedoria, de revelação e de conhecimento dele, tendo os seus corações iluminados (Ef ). Isto é revelação. Conosco é o mesmo Desde pequeno eu aprendi o Salmo 23. O Senhor é o meu pastor. Lindas palavras. Tremenda verdade. Mas por muitos anos elas não me foram muito úteis. Lembro-me nitidamente daquele dia em que estava angustiado comigo mesmo. Sentia-me totalmente atrapalhado em minha mente e em meu Espírito. Eu estava tão confuso com minas fraquezas que chegara ao limite, não suportava mais. Então não fui orar. Fui clamar. Desesperadamente pedir, buscar e bater. Você não faz isto quando pensa que é espiritual. Faz isto quando descobre que não é nada espiritual. Foi então que eu ouvi aquela voz. Amada e doce voz. Ela não disse que de agora em diante eu seria muito espiritual. Disseme algo bem simples: Eu sou o teu pastor. Lembro-me que chorei muito. Eu pensava assim: Mas eu sou uma ovelha muito boba e atrapalhada. E eu perguntava: Mas onde posso ir com um coração tão ruim? E a voz falava: Eu sou o pastor do teu coração. Eu vou conduzir teu coração. Foi um dos dias mais felizes da minha vida. Então pude começar a dizer: O Senhor é meu pastor. A palavra já não estava apenas em meu intelecto, estava viva no meu coração. E agora podia crer de fato e de verdade. Isto é revelação. A manifestação exterior. Não estou dizendo que toda revelação deve ter características dramáticas, com desespero, com choro, com intensa alegria. Se pensarmos dessa forma poderemos errar, buscando apenas emoções. Quando não aprendemos separa alma de espírito confundimos toda experiência emocional com obra do Espírito Santo e isto produz muita confusão. Toda obra que vem do Espírito Santo tem característica de envolver revelações sobre a natureza humana, sobre o pecado,a justiça e o juízo; ou sobre a face de Cristo em quaisquer de suas manifestações e perfeições. Não fico entusiasmado com manifestações que não são resultados de que Deus falou ao homem. Geralmente elas trazem grande aparência de espiritualidade e parecem conter grande fogo. Mas depois demonstram ser da emoção e para a emoção. Não têm valor eterno. Não fico entusiasmado com Manifestações que não são o O resultado de que Deus falou Ao homem. 3

4 Por outro lado podemos nos perguntar: Pode o homem receber o conhecimento dos céus e ficar impassível? Pode contemplar com os olhos do seu coração a face de Cristo sem que todo seu interior estremeça? Creio que com choro ou sem choro; seja com intensa vibração ou na quietude da devoção silenciosa, a revelação sempre produz forte impacto no homem interior e muda tanto a ele como à sua história. Antes do pentecoste os discípulos estavam cheios da palavra de Cristo. Contudo, não havia intensa revelação. Por isso, estavam inoperantes e Jesus mandou que esperassem. Após o pentecoste tudo se tornou coerente e cheio de sentido. Então eles saíram a proclamar e a conquistar o mundo. Tiveram clara revelação de Cristo e sua glória. Amaram-no como nunca antes. Não ficaram esperando outro pentecoste. Hoje é comum na igreja a busca por novos pentecostes. Alguns recebem experiências intensas e saem a propangandeá-las. Mas depois, não vivem com cristo nem tampouco o anunciam. Ficam esperando e propagando o próximo evento onde haverá um novo pentecoste. Falta revelação. Falta a face de Cristo. A revelação de Cristo encanta e cativa Certo dia Jesus começou a colher o que já havia plantado (Mt ). Encontrou a Simão Pedro e a André, seu irmão. Os dois estavam pescando. Então Jesus lhes fez um chamamento inusitado. Foi uma verdadeira loucura para o homem natural. - Vinde após a mim. Sigam-me. - Mas e o barco e as redes Senhor? - Deixem tudo aí. - E o que nós vamos fazer? - Vou ensinar a vocês outro tipo de pescaria. - Como seria isto Senhor? Nós já conhecemos todo tipo de pescaria desta região. E tu és um carpinteiro! Nunca te vimos pescando. - Já disse que é outro tipo de pescaria. Vou ensinar vocês a pescarem homens. Penso que eles ficaram perplexos, cheios de interrogações. Mas as escrituras dizem que eles deixaram imediatamente as redes e o seguiram. Logo depois Jesus encontra outros dois, Tiago e João, filhos de Zebedeu. Também eram pescadores e estavam dentro do barco consertando as redes junto com seu Pai. Parece que Jesus gostava de atrapalhar o trabalho do pessoal. Estava começando a abalar a indústria pesqueira da região. Novamente a mesma conversa estranha. Agora em diante do pai deles. Imagino Zebedeu reclamando: - Mas esta é a empresa de nossa família! Como vou levá-la adiante sem meus filhos? - Zebedeu, creio que você dará conta sozinho. Vou pedir ao meu pai e ele vai lhe dar forças. Deixa os rapazes decidirem. Tiago e João se olham com um sorriso e decidem - Vamos nessa! Deixaram não apenas o barco, mas também o seu pai. Que loucura! Anos atrás, quando a princípio estávamos aprendendo sobre o evangelho do reino, ouvimos e meditamos muito nessa passagem. Muitas vezes ouvi comentários do tipo: - Que obediência tão imediata! Façamos assim também! Entender estas foi fundamental para nossa carreira com Cristo. Um discípulo é alguém que ouve e obedece. Nos últimos anos, tendo descoberto um pouco mais da beleza de Cristo, passei a ver nesta passagem algo que não via antes. Ninguém faria o que estes homens fizeram se não tivesse um mínimo de revelação. Muitos não o fizeram. O jovem rico não o fez, porque não tinha revelação. Mas que revelação eles tinham neste momento? Pouca! Penso que isto é o mais maravilhoso! Lembremos bem o que conhecemos sobre Cristo hoje e o que estes homens não conheciam e não poderiam saber naquele momento: Eles não sabiam que estavam diante do próprio Criador de todo universo. Não sabiam de todos os milagres que Jesus iria realizar, dos mortos que ele iria ressuscitar, ou que andaria sobre as águas. 4

5 Não sabia do impacto quer iria causar à nação. Não sabiam da perseguição que iria sofrer. Não sabiam que iria morrer cheio de amor por eles. E que esta morte seria a redenção de suas vidas. E o que eles poderiam imaginar sobre a sua ressurreição e sobre os quarenta ensinando após ressuscitar? Tampouco sabiam que Jesus seria recebido nos céus e teria um nome sobre todo nome! E edificaria um novo povo celestial chamado igreja onde os gentios teriam lugar junto a Deus. E que viria habitar neste povo e este seria sua casa. E derramaria sobre este povo o seu Espírito e poder para conquistar as nações. E depois de tudo voltaria para casar com sua noiva e reinar sobre a terra por mil anos. E assim habitaria com eles para todo sempre. O que sabiam eles? Eles não sabiam quase nada do que conhecemos hoje sobre Jesus. No entanto, deixaram tudo e o seguiram! Como é possível? Na verdade, se nos é revelada uma pequena parte daquilo que é a face de Jesus Cristo, isto será suficiente para nos cativar o coração. Eles conheciam pouco sobre Jesus, mas isto foi suficiente. Talvez já tivessem ouvido alguns ensinamentos. Na convivência com Jesus observaram seu cuidado com as pessoas, a majestade de sua calma e paciência. E viram a mais pura sinceridade e honestidade nos seus olhos. E o Pai lhes revelou algo que era bem menos do que conheceriam mais tarde, mas já era o suficiente para que deixassem tudo. Era só um pouquinho, mas era revelação. Revelação da face de Cristo. Quão admirável e amável é este Jesus! Antigamente, quando eu lia esta passagem ficava muito impressionado com a obediência daqueles homens. Mas agora percebo que muito mais impressionante foi o poder de atração que havia no Senhor e que os cativou. Que homem tão amável é este? Ele é Jesus, o Verbo encarnado. Vale a pena deixar qualquer coisa para andar com ele. E nós que hoje conhecemos muito mais do que os discípulos conheciam naquela ocasião, temos revelação? Estamos impactados? Já brilhou sobre nós a luz do seu rosto? Consideramos a renúncia como um peso incômodo, ou deixamos as redes alegremente para segui-lo a pescar homens? Na verdade, se nos é revelada uma Pequena parte do que é a face de Jesus Cristo, isto será suficiente Para cativar nosso coração. A revelação de Cristo é crescente Oséias disse: Conheçamos e prossigamos em conhecer o Senhor. (Os 6.3). Em sua carta aos colossenses Paulo diz que eles deveriam estar: crescendo no pleno conhecimento do Senhor (Cl 1.10). Já vimos que Paulo orava para que os Efésios tivessem mais conhecimento de Cristo. E mais adiante fala que a maturidade viria com o pleno conhecimento do Filho de Deus (Ef 4.13). Pedro falou sobre o conhecimento completo daquele que nos chamou... (2Pe 1.3). O conhecimento pessoal é dinâmico. Precisa crescer. Em nosso relacionamento matrimonial, a cada ano que passa vamos conhecendo melhor nosso conjugue. E a cada dia o relacionamento vai ficando mais íntimo. Sabemos melhor como agradar um ao outro. Conhecemos nossos 5

6 gostos e necessidades. É assim também com respeito a Cristo. A diferença é que com Jesus o relacionamento é inteiramente espiritual e depende de fatores espirituais. As chaves para receber a revelação Estamos convencidos de que precisamos contemplar a face de Cristo. Sabemos que este não é um conhecimento intelectual, mas vem através da revelação dada pelo Senhor. Como podemos obter mais revelação de Cristo? Nas escrituras vemos que há dois aspectos aparentemente opostos, mas que paradoxalmente andam juntos. Por um lado a revelação é Soberana. Pedro recebeu revelação, porém Judas não a recebeu. Um ladrão compreendeu, mas o outro não. Jesus disse que ninguém poderia ir a ele se não fosse concedido pelo Pai. Paulo estava pregando em Filipos para um grupo de mulheres. O Senhor abriu o coração de Lídia para entenderas coisas que Paulo dizia (At 16.14), e não abriu o entendimento de outras pessoas que estavam presentes. Vemos então que Deus é soberano e se revela a quem quer. Mas então o que podemos fazer? Cruzamos os braços e esperamos? Se Deus quiser se revelar a nós ficaremos gratos, do contrário somos desprezados por Deus e destinados à perdição? Não. Deus não é assim. Deus quer revelarse a todos os homens. E não o faz por quê? Sendo pequeninos Jesus nos dá a primeira chave. Ele ora ao Pai e diz: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque ocultaste estas coisas aos sábios e entendidos, e as revelaste aos pequeninos (Mt 11.25). Esta é a chave. Queremos receber revelação? Temos que ser pequeninos. Como é o pequenino? É o contrário do sábio e do entendido, que na linguagem de é o nossos dias é o sabichão. Isto não quer dizer que devamos ser ignorantes e iletrados. Não é algo inerente ao intelecto, mas ao coração. Qualquer homem, seja ele culto ou iletrado, pode ser um sabichão, se ele confia nas suas próprias opiniões. Este homem nunca poderá aprender nada com Deus. Ele discute com Deus e refuta as escrituras. Por outro lado, qualquer homem, mesmo o mais culto de todos, pode ser um pequenino, se tiver consciência de sua pequenez. Sabe que toda a sua cultura não serve para nada no reino Deus. Queremos conhecer mais de Cristo? Não há escolha; já está determinado. Temos que ser pequeninos. Do contrário o Pai não revelará, mas nos esconderá a verdade. Sejamos, portanto, pequeninos. Não saibamos nada diante de Deus, então poderemos conhecê-lo mais. E por que as coisas são assim? Jesus disse: porque assim foi do teu agrado (Mt 11.26). Se isto foi suficiente para Jesus, também deve ser para nós. Ao invés de especularmos sobre os desígnios de Deus para com as pessoas, devemos repetir: assim foi do teu agrado. Olhando para Jesus Outra chave nos é dada na carta aos Hebreus. Olhando firmemente ao autor e consumador da fé (Hb 12.2). Em nenhum lugar diz para ficarmos olhando para a face do Pai. Queremos conhecer ao Pai? Jesus diz: - Olhem para mim que vocês vão ver como é o Pai. A escritura não diz em nenhum lugar para ficarmos olhando para o Espírito Santo. O Espírito não é o revelado é o revelador. Ele não ilumina nossos olhos para vermos a ele mesmo, mas para vermos o Filho. Paulo disse que as coisas que ocorreram com os antigos eram alegóricas (Gl 4.24). Isto é: eram acontecimentos reais que tinham um sentido simbólico e espiritual que ia além dos fatos, pois apontavam para verdades que só mais tarde seriam compreendidas. No Velho Testamento há uma bela figura da trindade em ação. Em Gênesis, no capítulo 24, nós vemos a história do casamento de Isaque com Rebeca, onde Abraão manda o servo Elieser buscar uma noiva para seu filho. Nesta história, podemos ver uma tipologia da Trindade atuando com a igreja. Abraão faz o tipo do Pai, que quer uma noiva para o Filho. O Filho, Jesus, é tipificado por Isaque que espera a noiva. E Rebeca é um tipo da igreja, a noiva. Onde está o Espírito Santo? O Espírito Santo é tipificado pelo servo Elieser, que foi buscar e preparar a noiva. Os presentes que são levados por ele, tipificam os dons, os ministérios e a graça concedida. Servem para mostrar a riqueza e a grandeza do noivo. É interessante observar como o servo Elieser teve cuidado para não chamar atenção sobre si mesmo. Ele queria encher os olhos de Rebeca com a riqueza de Isaque. 6

7 Há doutrinas modernas que procuram modificar o lugar do Espírito Santo. Parece muito bíblico e bonito, mas traz o prejuízo de afastar os nossos olhos da pessoa de Cristo. Nunca houve problema nem competição na trindade. Ela é perfeita em seu amor e humildade divina. O Pai quer centralizar todas as coisas no Filho e elevá-lo sobre toda criação. O Filho então se humilhou, esvaziou-se e sujeitou-se ao Pai. O Espírito Santo não encarnou, nem se esvaziou ou morreu numa cruz. Por isso, ele só quer exaltar a glória do Filho e iluminar os olhos de todos os homens para que o adorem. Maravilhosa trindade! Necessitamos do Espírito, dependemos do Espírito, sem ele não podemos andar. O Espírito Santo é quem nos comunica a vida de Cristo. É quem nos ilumina e nos consola. Ele quer que olhemos para Jesus. Do contrário ele não pode trabalhar em nossas vidas. Creio que o Espírito Santo nem goste de trabalhar se não for para a glória de Cristo na igreja. A grande alegria Assim, pois: Sejamos, pequeninos e Olhemos para Jesus. Era ainda o começo das eras. Os anjos haviam sido criados. Quase não se falava sobre as criaturas de barro. Não passava de um projeto. Ninguém tinha visto, nem conseguia imaginar como seriam. Entretanto, os anjos, em suas mais variadas ordens, apenas comentavam entre si sobre a grande alegria e gozo que sentiam por conhecer e Adorar a Deus. Quando não estavam diante do trono adorando e servindo ao criador, quase não conseguiam pensar em nada a não ser no retorno àquele lugar bendito. Deslumbrael e Admirael, em um momento destes se encontram. Admirael inicia a conversa: - Amado Deslumbrael, como estás brilhando hoje! Não me lembro de que estavas assim da última vez que te vi há dois séculos eternos¹ atrás. - Ah! Admirael. É que acabo de passar um tempo eterno muito precioso diante do trono. - Hum... Posso entender. Estivestes admirando a sua beleza. Deslumbrael não diz nada. Fecha os olhos em silêncio e seu rosto parece que brilha mais um pouco. No seu coração ressoam as palavras. Santo! Santo! Santo! Admirael percebe e espera um pouco para não atrapalhar seu querido amigo. Depois de um pequeno instante que pode ser toda uma eternidade ele fala. - Eu não era e agora sou. Para vê-lo ele me formou. De olhos me dotou. Oh quão satisfeito estou. - Lembro-me da primeira vez diz Deslumbrael. Creio que foi quando abri meus olhos. Lá estava ele. De alguma maneira eu soube imediatamente que eu vinha dele e era para ele. Foi muita bondade do meu Senhor! Ao que Admirael responde, pensando na trindade. - É... Muita bondade! O mais incrível é que ele (s) não precisava (m) ter feito isto. Ele (s) se basta (m)!² Ele (s) não precisava (m) de nós para reconhecer sua beleza e adorá-lo (s), mas mesmo assim nos criou (criaram)! - Tu és um bem-aventurado Admirael. - Tu és um bem-aventurado Deslumbrael. - Somos felizes. - Realmente felizes. - Ele é Santo. Ele é belo. - Ele é Santo repete Deslumbrael. Ele é Santo e magnificamente belo. 7

8 Eles se olham com pureza. Os olhos de ambos brilham como uma estrela. Suas asas se tocam. Então eles se afastam. Dentro de alguns séculos eternos vão se encontrar novamente. Certamente estarão ainda mais brilhantes, deslumbrados e admirados. Notas ¹Um século eterno é algo imaginável para a nossa mente acostumada com o tempo. Talvez coubesse em um segundo eterno toda história da humanidade e ao mesmo tempo um século eterno inteiro dentro de um segundo nosso. ²Aqui há uma linguagem angelical impossível de ser traduzida em qualquer língua humana. Ocorre quando eles se referem ao Deus Triuno, pois ao mesmo tempo o número é singular e plural... CAPÍTULO2 O CRIADOR E A CRIATURA Uma diferença infinita Eu sou o Senhor que faço Todas as coisas. Is Se quisermos assimilar melhor o ato da encarnação do Verbo na pessoa de Jesus Cristo e o quanto isto foi algo espantoso e inexplicável, devemos dedicar algum tempo para meditar na diferença fantástica entre o Criador e sua criatura. Nunca poderemos entender claramente. Só Deus sabe a dimensão disto. Nós, como criaturas, não temos a vivência da grandeza da deidade. Não sabemos o que é ter todo poder e autoridade, toda a ciência, e estar em todo lugar enchendo tudo e todos. Só podemos pensar que a diferença é infinita. É tão imensa que não conseguimos nem imaginá-la. Pensemos um pouco: 1. Deus sempre existiu. Antes da criação do mundo ele era por toda a eternidade. Nossa pequena mente não consegue nem imaginar o que seja isto. Antes que os montes nascessem e se criassem a terra e o mundo, de eternidade a eternidade, tu és Deus (Sl 90.2). 2. Deus sabe todas as coisas. Tudo o que já aconteceu, todo ato de cada criatura, qualquer pensamento, bom ou mau, revelado ou oculto aos demais, Deus o sabe. E não somente isto. Ele sabe também todo o futuro. Tudo o que há de acontecer ele o sabe em todos os detalhes. 3. Ele também pode todas as coisas. Não há coisa alguma que seja impossível para Deus. Ele criou o imenso universo do nada. Pense bem. DO NADA! Apenas falou e tudo veio a existir. Um universo riquíssimo. Os detalhes são todos uma surpresa e uma revelação da mente exuberante e criativa de Deus. Milhares de milhões de estrela no céu. Animais de tantas e tão belas espécies. Há peixes na profundidade dos mares que homem nenhum viu ainda. Há estrelas que telescópio algum jamais alcançou. O universo microscópio das células compostas de moléculas, formadas por átomos, constituídos de prótons e elétrons, e estes, por fótons de composição ignorada. E toda esta abundância de seres e coisas criadas coexiste harmoniosamente, compondo um universo surpreendentemente equilibrado e coeso. A vida jorra como um milagre contínuo a ponto de ser considerada comum e destituída de admiração. Basta olhar com atenção para uma simples abelha e ficaremos novamente surpresos e maravilhados. Seis mil anos de ciência humana não foram suficientes para desvendar todos os segredos deste universo. Quando o homem tenta compor suas próprias teorias não consegue produzir algo menos estúpido do que a macaquice de Darwin. Mas a consciência de cada homem grita que há um Deus nos céus. E quão grandioso ele é! 4. E Deus não é somente eterno, onisciente, onipotente Criador. Ele está presente em todo universo e sustenta todas as coisas pela palavra do seu poder. Nele está toda a santidade. Dele emana amor perfeito e inextinguível. Ele é absolutamente justo. Nunca comete um erro de julgamento, nunca equivoca. Criatura nenhuma poderá acusá-lo de nada. Ele é a perfeição absoluta. De seu amor fluem paciência e lon- 8

9 ganimidade incomparáveis. Seu perdão é a coroa de sua justiça. Nunca pensou nem projetou nada que não fosse revestido do mais puro e límpido amor. Pensemos um pouco agora sobre nós, simples criaturas. O que somos? Que é o homem, que dele te lembres? (Sl 8.4). Certamente, fomos maravilhosamente formados. Nossos pensamentos são cheios da capacidade dedutiva e criativa. Amamos, nos reproduzimos, instruímos nossos filhos, construímos edifícios, aviões, medicamentos e toda espécie de diversão e entretenimento. Todavia, devemos ter cuidado! Porque o primeiro ser que admirou sua própria beleza esqueceu-se de que ela não foi criada por ele mesmo, mas dada por Deus. Então encheu-se de orgulho e soberba, corrompeu-se e perdeu-se para sempre. Não temos que nos comparar com as demais criaturas. Se quisermos ter uma visão mais clara do nosso lugar de criatura devemos nos comparar ao Criador. Assim descobriremos nosso lugar. Se nos compararmos com um ratinho, por exemplo, provavelmente vamos achar que somos grande coisa, pois estamos comparando uma criatura superior homem com outra inferior ratinho. Nosso pensamento vai ser representado por um gráfico mais ou menos assim: CRIATURA X CRIATURA O homem O ratinho Estamos muitíssimo acima dos ratinhos Mas se colocarmos Deus nesse gráfico, vamos ter um grande problema, pois não haverá papel onde ele caiba. Precisaríamos de uma folha de papel de tamanho infinito. Ficaria mais ou menos assim: DEUS X CRIATURA DEUS O homem O ratinho Deus está infinitamente acima de nós Você compreendeu? Não haveria onde colocar Deus no gráfico, porque ele ficaria no infinito. Milhões de folhas não seriam suficientes para desenhar este gráfico. Compreendemos que há duas ordens de seres em todo universo. Uma delas é composta pelas criaturas. Nesse grupo estão os anjos, os homens e os animais de todas as espécies: os peixes, os cachorros, os tatus, os ratos e até os 9

10 insetos e vermes. Todos fazem parte desta ordem de seres inferiores que não vieram a existir nem substituem por si mesmos, foram criados. A outra ordem é composta por três pessoas apenas: O Pai, O Filho e o Espírito Santo. A trindade eterna. O Deus criador de tudo que subsiste por si mesmo. De maneira que, segundo a essência de nosso ser, por termos sido criados à imagem de Deus, estamos bem mais próximos dele do que de um ratinho. Mas segundo a ordem de grandeza estamos mais próximos do rato do que de Deus. A diferença entre o Criador E a criatura é infinita Penso que isto era o que Deus queria comunicar a Israel quando dizia: não temas, ó vermezinho de Jacó, povozinho de Israel... (Is 41.14). Em outro lugar diz: Eis que as nações são consideradas por ele como uma gota de um balde, e como o pó miúdo das balanças (Is 40.15). A reflexão sobre estas palavras leva-nos a admirar ainda mais compreender nunca a encarnação do Verbo, a beleza de Belém. Esta é a cidade mais bela da história da humanidade. A essência da vida Alguns séculos eternos depois, Admirael e Deslumbrael se encontram novamente. Seus olhos agora já não pareciam uma estrela distante. Assemelhavam-se mais a uma explosão, à criação de uma nova estrela. O rosto deles expressava um deslumbramento amadurecido. Séculos de adoração haviam transformado este serviço, que agora já não era apenas deslumbrante e excitante. Era mais do que isto. Era como uma fonte de vida. Admirar ao Deus Triuno já não era questão de prazer e de alegria. Tornou-se a essência de suas vidas. Deslumbrael diz: - Amigo Admirael. Vejo que se passou contigo o mesmo que se passou comigo. Vejo em teus olhos a essência da mais profunda admiração. - Sim, amado Deslumbrael. E vejo nos teus a mais profunda satisfação. - Ó precioso amigo. A Trindade é perfeita! Como eu não estaria satisfeito? - Sim amigo. Ele (s) é (são) perfeito (s). - Hoje eu não sei o que me dá mais prazer: adorá-lo ou obedecê-lo. Quando ele me ordena fazer algo, eu tenho que sair da sala do trono para cumprir sua ordem. Mas não sei como explicar. Parece que a sala do trono vai junto comigo aonde quer que eu vá. Tenho grande satisfação em obedecer suas ordens. Quando volto com a ordem cumprida à sala do trono, sinto que a adoração ma dá mais satisfação do que antes! É impressionante, parece que isto não tem mais fim. - Glória a Deus, o todo poderoso! Disse Admirael. - Glória a Deus em tudo e em todos! Disse Deslumbrael. CAPÍTULO 3 A INSENSATEZ DA CRIATURA A loucura de pretender se igualar ao Criador! Os que te virem te contemplarão, hão de fitar-se E dizer-te: É este o homem que fazia estremecer A terra e tremer os reinos? Is

11 Inexidade Naqueles tempos eternos houve perplexidade geral. Algo inusitado em todas as eras agora acontecera. Os seres fiéis custavam a crer que de fato aquilo havia ocorrido, pois demonstrava um contra senso, uma quase impossibilidade. Depois de tantas eras de adoração como podia acontecer semelhante coisa? Logo após o comunicado oficial que veio do trono, as notícias correram rapidamente. No pulsar de uma estrela todos já estavam sabendo, embora muitos continuassem com dificuldade para compreender a razão dos fatos e todas as suas implicações. O que ocorreu foi inédito. Algo dantes nunca conhecido. Não havia palavras para definir estes sentimentos. As línguas dos anjos tiveram que ser acrescidas de novos termos tais como: insensatez, queda ira, desgosto e muitos outros. Era isto o que Deslumbrael sentia, quando absorto pensava nos últimos acontecimentos. Desgosto. Como aquele querubim pudera ter feito semelhante coisa? Foi quando eterna e instantaneamente apareceu seu amigo Admirael que foi logo falando. - Estás pensando nele também, não? - Surpreendido, Deslumbrael respondeu Sim, como todos os demais. - Tu o conheceste pessoalmente? indagou Admirael. - Sim. Nunca conversamos, mas pude vê-lo várias vezes quando estive na sala do trono. E tu? - Também o conheci respondeu Admirael. Era maravilhosamente belo, mais do que todos nós. Não me recordo de uma única vez em que ali estive e que ele não estivesse também. - E chegaste a falar com ele? - Sim. Por um breve instante eterno. Na última vez em que o vi, ele já tinha uma aparência estranha. Sua beleza exterior ainda era a mesma, mas seus olhos pareciam não ter mais o deslumbramento crescente. Tive sentimentos novos que não conhecia. Ele também começou uma conversa estranha comigo sobre um outro reino. Não sei explicar, mas senti uma necessidade de me afastar dele. Nunca entendi bem isto. Mas agora estou entendendo. Sou feliz por haver me afastado. Houve um momento de silêncio entre os dois. Estavam perplexos com seus novos sentimentos. Quase não sabiam o que dizer. Depois de alguns momentos eternos Admirael quebrou o silêncio. Que inexidade¹! É esta palavra, não? disse ele. Ao que Deslumbrael respondeu É isto. Grande inexidade! - Mas por que ele sentiu necessidade disto? perguntou Admirael. - O Altíssimo disse que foi por algo chamado mentira. O que eu não consigo entender como ele pôde pensar que teria sucesso contra o Todo Poderoso Deus Triuno! Como ele pôde imaginar tal coisa? - Isto é o que está sendo chamado de loucura respondeu Admirael. - E houve tantos que creram nesta mentira e abraçaram a loucura! - Sim, na verdade foi um terço de nós todos. Incrível não? - Sim, incrível! Se é que eu já entendo bem o significado desta nova palavra. Passou-se mais um século eterno antes que um deles voltasse falar novamente. Foi Admirael quem começou. - Apesar de toda nossa perplexidade nada mudou. O Glorioso segue cada dia mais belo e maravilhoso aos nossos olhos. 11

12 - Sim respondeu Deslumbrael como glorificou ele a sua majestade fulminando os inimigos! O querubim perdido agora se chama Satanás. É a mais feia e abominável de todas as criaturas e juntamente com ele os seus seguidores. Foram destituídos e aniquilados. Novas palavras tiveram que ser criadas para expressar toda a desventura deles. - Mas para o Altíssimo tudo continua como antes. - Sim. Com exceção de uma coisa. Ele começou a falar muito sobre a raça de barro. Parece que o projeto já está em pleno andamento. Os que estão mais próximos do trono dizem que nunca o viram tão grandiosamente feliz. A felicidade dele é sempre infinita. Ele não precisa de nada mais. Porém, este projeto tornou-se o centro de todas as suas atividades. Observe como o Altíssimo tem planos que excedem nosso entendimento! - Ele é santo. Ele é belo. - Ele é santo repete Deslumbrael. Ele é santo e magnificamente belo. - Glória a Deus o todo poderoso! Disse Admirael. - Glória a Deus em tudo e em todos! Afirmou Deslumbrael. Neste momento eles são surpreendidos com a chamada. É o seu bendito turno de adoração. Pela primeira vez vão estar juntos na sala do trono. Suas asas se elevam. Partem em direção à glória excelsa, o trono de seu bendito Criador, o Deus Triuno. Seus olhos brilham ainda mais. No seu coração ressoa potentemente: Santo! Santo! Santo! Notas ¹ Inexidade Como os anjos estavam se adaptando a novas palavras que surgiram no seu vocabulário, estavam usando esta para qual não temos uma boa tradução. Inexidade significa uma coisa para qual nunca poderá haver uma explicação completa. A estupidez do belo querubim Estupidez. Palavra grosseira. Mas que expressa bem tudo o que aconteceu com o querubim. Isto pode ser observado na leitura dos textos a seguir: Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filho da alva! Como foste lançado por terra, tu que debilitavas as nações! Tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono e no monte da congregação me assentarei, nas extremidades do Norte; subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo. Contudo, serás precipitado para o reino dos mortos, no mais profundo do abismo. Isaías Veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo: Filho do homem, levanta uma lamentação contra o rei de Tiro e dizelhe: Assim diz o SENHOR Deus: Tu és o sinete da perfeição, cheio de sabedoria e formosura. Estavas no Éden, jardim de Deus; de todas as pedras preciosas te cobrias: o sárdio, o topázio, o diamante, o berilo, o ônix, o jaspe, a safira, o carbúnculo e a esmeralda; de ouro se te fizeram os engastes e os ornamentos; no dia em que foste criado, foram eles preparados. Tu eras querubim da guarda ungido, e te estabeleci; permanecias no monte santo de Deus, no brilho das pedras andavas. Perfeito era nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado até que se achou iniqüidade em ti. Na multiplicação do teu comércio, se encheu o teu interior de violência, e pecaste; pelo que te lançarei, profanado, fora do monte de Deus e te farei perecer, ó querubim da guarda, em meio ao brilho das pedras. Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; lanceite por terra, diante dos reis te pus, para que te contemplem. Pela multidão das tuas iniqüidades, pela injustiça do teu comércio, profanaste os teus santuários; eu, pois, fiz sair do meio de ti um fogo, que te consumiu, e te reduzi a cinzas sobre a terra, aos olhos de todos os que te contemplam. Todos os que te conhecem entre os povos estão espantados de ti; vens a ser objeto de espanto e jamais subsistirás.. Ezequiel A quem se referem às Escrituras nestas passagens? A princípio parece ser a um homem, porque cita o rei de Tiro (Ez 28.12). Mas logo nos damos conta de que está se referindo a um ser espiritual, pois estava no Éden (vs.13) e era o querubim da guarda. Era, portanto, um ser celestial. Vejamos o que diz sobre ele: 12

13 A riqueza e esplendor de Lúcifer Ele era um ser belíssimo e majestoso entre as criaturas: Estava no Éden (vs.13) dá entender que foi criado antes do homem; Os ornamentos foram preparados no dia em que ele foi criado (vs.13) isto significa que tais ornamentos vieram existir por causa da criação deste ser; Era o querubim da guarda (vs.14) isto fala de sua autoridade; Ungido (vs.14) refere-se ao poder que lhe foi outorgado; Te estabeleci (vs.14) não tinha apenas autoridade e unção. Recebeu também um posto. Um alto lugar na hierarquia celestial; Permanecia no monte santo de Deus (vs.14) tinha livre acesso a Deus e estava sempre em sua presença; Andava no brilho das pedras (vs.14) destaca a aparência que ele tinha. Era luminoso, brilhante, lindo, destacava-se entre todos; Perfeito eras (vs.15) sendo que Deus atribui imperfeições aos anjos (Jó 4.18). Mas não encontrava imperfeições neste querubim! É difícil imaginar tudo o que isto significava. Ele estava sempre diante de Deus, o que fazia dele um assistente e participante muito ativo nos projetos e no governo de Deus sobre a sua criação. O respeito demonstrado pelo arcanjo Miguel (Jd.9) indica que este havia estado sob autoridade antes de sua queda. Grande formosura e poder tinha este ser celestial. A vaidade de Lúcifer. Os olhos. Sempre os olhos. O querubim, assim como todos os demais seres celestiais, tinha olhos para ver a Deus, ser plenamente satisfeito em contemplar sua glória e encher-se de gozo ao bendizê-lo. Entretanto, em determinado momento, o querubim colocou seus olhos no lugar errado. Colocou-os em si mesmo. Neste momento, ele começou a apreciar sua própria formosura e resplendor (vs.17), passou a considerar-se digno de reconhecimento, esquecendo-se de que aquela beleza tinha sido dada por Deus quando o criou. Ele não havia criado a si mesmo, portanto não tinha nenhum mérito em ser tão belo. Toda sua beleza era expressão do poder criador e da bondade de Deus. Como a vaidade é ridícula! A corrupção da Sabedoria de Lúcifer. Esta corrupção da sabedoria é que estamos chamando de insensatez. Lúcifer era cheio de sabedoria dada por Deus, mas no momento em que começou a envaidecer-se, sua sabedoria foi corrompida, pervertida e degenerada. Então ele tornou-se um inconseqüente, um louco, perdendo toda a sensatez. O absurdo da vaidade nunca é parcial. Quando ela entra corrompe todos os pensamentos e destrói qualquer indício de juízo. O querubim começou com vaidade e prosseguiu com total cegueira a respeito de Deus. Em algum momento ele começou a duvidar da bondade e da justiça de Deus pensando mais ou menos assim: Não é justo que Deus receba todas as honras e tenha o controle de tudo. Eu também tenho muita beleza para ser reconhecida e muita autoridade que deve ser atacada. Deus está equivocado. Ele é muito centralizador. Ele quer mandar, mandar e mandar. Quer receber glória e adoração a todo tempo. E nós, pobres criaturas só temos que obedecer, obedecer e obedecer. E entregar-lhe toda a honra e reconhecimento por tudo. Isto não é justo! Neste momento, a sabedoria do querubim já estava completamente destruída. Não havia mais o mínimo equilíbrio. Se ele meditasse um segundo apenas sobre a infinita diferença entre o Criador Eterno e a criatura, talvez tivesse escapado do próprio laço. Mas não. Ele persistiu, acreditou nos seus próprios pensamentos e nesse momento trouxe à existência a única coisa que foi criada por ele. Algo que até então não existia em toda criação. Ele criou a menti- 13

14 ra. Sua mais estimada filha que tomou conta do seu coração. Ele foi a primeira vitima de sua criação. Todos estes pensamentos equivocados a respeito da justiça e da bondade de Deus passaram a reinar em seu coração iníquo e vieram a tornar-se sua bandeira e seu estandarte. Tornou-se conhecido como pai da mentira (Jo 8.44). A loucura de Lúcifer posta em ação. Já afirmamos que a vaidade nunca é parcial. Ela leva à completa loucura. Toma conta da criatura e a leva aos atos mais inimagináveis. Pois foi assim com o querubim. Tanto ele creu que podia se igualar ao Criador que resolveu desafia-lo. O texto de Isaías 14 nos mostra que: Quis estar acima das estrelas de Deus (vs.13). Ambicionou um trono (vs.13). Desejou ser semelhante ao altíssimo (vs. 14). A partir daí ele se tornou Satanás que quer dizer O inimigo. Então começou a agir. Saiu a fazer comércio injusto e violento (Ez 28.16, 18). O que significa isto? Certamente Satanás usou seu poder, influência e dons para seduzir os anjos e demais seres celestiais. Ofereceu-lhes cargos e posições superiores aos que eles tinham no reino de Deus. Estava agora criando o reino das trevas. E Deus considerou que Satanás agira com violência e injustiça contra a soberania divina. A insensatez é demonstrada como absurda. A insensatez é absurda, inconseqüente e risível. Lembre-se: A DIFERENÇA ENTRE O CRIADOR E A CRIATURA É INFINITA. Como pode a criação competir com o Criador? Que loucura! O que Deus faz quando vê a criatura querendo enfrentá-lo? Ele se ri e se ira! Leia o Salmo e aprenda a rir-se com Deus desta vã imaginação. Imagine a seguinte situação: Você entra em sua casa com sua mulher e filhos e encontra um presunçoso rato sentado na poltrona da sala que olha para você e diz: A partir de hoje vou governar sua casa junto com você. E quero todo o respeito e reconhecimento da parte de sua mulher e de seus filhos. Seria uma loucura! Imediatamente você procuraria uma vassoura para encerrar de vez com esta história. Se não a encontrasse, um simples chute poderia acabar com o problema. O que Deus fez? Ele varreu a Satanás de sua posição e o lançou por terra (Ez 28.17), o destinou ao abismo (Is 14.15), o consumiu com fogo e o reduziu a cinzas (Ez 28.18). Satanás então passou a ser criatura mais horrível e asquerosa de todo o universo. Tornou-se imundo e repulsivo. Seria muito mais fácil e possível, um pequeno rato tornar-se governante de sua casa do que qualquer criatura enfrentar a Deus. Pois a diferença entre uma criatura superior como um homem e uma inferior como um rato pode ser enorme, mas a diferença entre o Criador e a criatura é muitíssimo maior. Como já vimos, é infinita. A insensatez de Adão Seria mais fácil um rato tornar-se o Governador de sua casa do que qualquer Criatura poder competir com Deus. Ó se a loucura tivesse alcançado apenas os anjos! Mas não foi assim. Deus é livre e desejou uma família de muitos filhos à sua imagem, e por isso, também livres. O amor não pode ser obrigatório. Não pode ser a única opção. Deve ser uma escolha consciente, caso contrário não é amor. Que marido lúcido teria alegria em uma esposa que se casou com ele porque não tinha outra opção? Ele quer ser escolhido e amado. Assim é Deus. Ele quis que Adão optasse: a árvore da vida que significava viver constantemente dependendo de Deus ou a árvore do conhecimento do bem e do mal, que significava viver por si e para si próprio. Adão era feliz, encontrava-se com Deus todos os dias, aprendia com ele e pouco a pouco poderia conhecê-lo melhor. Certamente chegaria o dia em Adão poderia ver a Deus em toda a sua glória e esplendor. Mas antes deveria 14

15 passar pela grande escolha: árvore da vida, que dá vida abundante em uma eterna dependência, ou a árvore do conhecimento do bem e do mal que dá para morte por meio da independência. A semente de Lúcifer Ao ler Gênesis 3 podemos entender verdades importantes referentes a desobediência e morte espiritual de nossos pais. E compreender a rebelião como essência do pecado. Com esta clareza, chegaremos mais facilmente ao real significado do arrependimento anunciado por Jesus e pelos apóstolos, pois esta é a condição proposta a todos que querem fazer parte do reino de Deus. Que façam o oposto do que fez Adão. Ele era dependente de Deus e se tornou independente. Quem quiser fazer o caminho de volta precisa crer em Jesus, arrepender-se, negar-se a si mesmo, abandonando sua independência. Isto já está bem claro, tanto no referido livro Jesus Cristo é o Senhor, como também em muitos estudos e publicações que se multiplicam pela igreja em todo lugar nos últimos 30 anos. Quero enfocar apenas um aspecto, um importante detalhe do relato de Gênesis 3, a afirmação de Satanás: como Deus sereis.... Esta havia sido sua mentira, loucura e insensatez: propor a Adão e Eva serem como Deus. Ainda que fosse apenas em um aspecto ser como Deus em conhecer o bem e o mal esta era proposta. E ela foi aceita por nossos pais. Eles acreditaram na mentira e tornaram-se parte da loucura deste século. Qual é a loucura? A de não perceber que: A diferença entre o Criador e A criatura é infinita. Já sabemos o resultado. A corrupção e a degradação que havia em Satanás passaram também ao homem. Este se tornou malévolo e homicida. Toda a descendência de Adão agora estava também contaminada. Ao invés de encher a terra com filhos e filhas à imagem de Deus, Adão gerou homens à sua própria imagem corrompida, e temos em Gênesis o relato de uma raça degenerada e imunda que entristeceu e desfaleceu o coração do Deus Santo e cheio de glória. O relato de Gn nos dá uma idéia do que se passou em seu coração amoroso e santo. Me arrependo disse Deus. Qual se tornou a marca dessas criaturas? Elas passaram a ser idênticas ao querubim caído. O que ele queria? Governo, reconhecimento e glória. Esta podridão morta que impera no anjo insano passou agora para dentro dos homens e estranhou-se em sua carne. Eles amam a posição, o reconhecimento e a glória que pertencem unicamente a Deus. Tornaram-se raça louca e leviana (Dt ; Is 1.2-6). Os que já foram libertos da cegueira sabem que a história não termina assim. Antes dos tempos eternos tudo já havia sido planejado (Ef 1.3-5; Ap 13.8). Não vamos rever toda a história, apenas o fundamental. Precisamos entender onde está o remédio para tanta loucura. Antes, fantasiemos um pouco mais. O dia da grande tristeza Os homens querem liberdade para Governar suas vidas e amam a Posição, reconhecimento e a glória que Pertencem unicamente a Deus. Eles tornaram-se amigos muito íntimos. O Todo Poderoso seguidamente lhes atribuía tarefas para cumprirem juntos. E estavam juntos no dia eterno que ficou conhecido como O dia da grande tristeza do Altíssimo. Foi um abalo muito maior do que o anterior. Não que tenha surpreendido ao Altíssimo. A verdade é que o problema já era esperado e toda a solução já estava planejada, mas mesmo assim os céus inteiros puderam sentir o que aconteceu com o seu glorioso Senhor. - Alguns serafins estão dizendo que viram lágrimas descendo pelas escadarias do trono disse Deslumbrael. - Sim respondeu Admirael. Naquele dia não ficamos conhecendo o significado da palavra tristeza? 15

16 triste? - Isso mesmo confirmou Deslumbrael Como poderíamos estar alegres se o nosso glorioso Criador estava - É espantoso como O Glorioso se importa com eles, não? A reação dele foi tão diferente daquele dia da rebelião do anjo enlouquecido! Os mais chegados ao trono dizem que emana dali algo que está sendo chamado de inigualável amor. O que será que significa isto? Deslumbrael então mudou um pouco o assunto Conheceste alguém que viu os de barro? perguntou. - Sim. Falei com alguns serafins. Disseram-me algumas coisas estranhas. Falaram que os de barro parecem muito inferiores a nós. Estão presos num lugar chamado terra e de lá não podem sair. Não têm asas, não voam e não têm nenhuma de nossas capacidades e dons. Precisam constantemente alimentar-se de alguns elementos de sua própria terra, e algumas vezes fecham os olhos e ficam horas deitados sem fazer nada. Parece que precisam disto, do contrário ficam muito fracos. - Eu também encontrei um querubim que esteve por lá. Ele agora é o encarregado de guardar o lugar de onde eles foram expulsos. - Sim? E o que ele falou? - Disse-me algumas coisas sobre algumas promessas que foram feitas pelo Altíssimo referindo-se a um dos descendentes das criaturas de barro. Diz ele que é algo que ninguém em lugar nenhum conseguiu até agora compreender, pois é um mistério que só vai ser revelado no devido momento. - Também ouvi dos serafins algumas coisas semelhantes. Disseram que a partir de agora tudo o que acontecerá com os de barro e com o referido descendente será um espetáculo¹ para todos nós. Dizem ainda que haverá surpresas grandiosas, duas grandes festas, e muitas outras festas menores², em cada uma delas veremos o Altíssimo cheio de alegria e vamos nos alegar com ele. O que será tudo isto? - Ainda não sabemos, mas certamente surgirá ainda maior beleza no Grandioso Triuno. Não é sempre assim? - É confirmou Admirael. É sempre assim, para glória de nosso poderoso Deus Triuno, e para o deleite de todos nós que temos olhos para vê-lo. O Altíssimo e Santo Senhor será ainda mais glorificado. Deslumbrael e Admirael começaram a dançar. Primeiro lentamente, num compasso suave, pouco a pouco com maior vibração. A cadência celestial cheia de música e de intensidade da mais pura adoração. Mesmo não estando na sala do trono seus olhos brilhavam intensamente. Em seu interior cantavam, não, bradavam. E quase todos os seres podiam ouvir. Santo! Santo! Santo!... Santo! Santo! Santo! Notas ¹ Esta parte do diálogo esta respaldada em Ef e Co 4.9 ² Estas duas festas referem-se à exaltação de Cristo e às bodas do Cordeiro. E as festas menores ao regozijo entre os anjos por todo pecador que se arrepende. 16

17 CAPÍTULO 4 A GRANDE SURPRESA DO UNIVERSO O esvaziamento infinito Porque um menino nos nasceu, Um filho se nos deu Is 9.6 Os de Barro Há muito que o principal assunto entre todos era os de barro. Deslumbrael e Admirael estavam naquele mesmo momento eterno trocando idéias sobre a história deles. Ainda era muito difícil entender o conjunto dos fatos. Na verdade, a raça era toda muito rebelde. Nenhum dos seres celestiais podia compreender por que o Altíssimo não consumia com fogo todo aquele lugar e seus habitantes. Era notícia a diferença entre o juízo que houvera para com o querubim louco e seus seguidores, e o que agora vinha sobre os de barro. Admirael falava: - Algumas vezes o Juiz Excelso parece que se ira ao extremo e consome os rebeldes com fogo, mas isto é muito raro. - Mas lembra-te do dilúvio, Admirael? Quase toda a raça foi exterminada! - Sim, mesmo assim ele poupou alguns. Há algo a este respeito que está acima do meu entendimento. Deus nunca desiste deles! - Isto é realmente novo disse Deslumbrael. Alguns deles até dizem querer servi-lo, mas nunca obedecem completamente. Numa hora obedecem e noutra não. São seres realmente muito estranhos. Até agora não houve ninguém que entendesse bem a razão deste tratamento dado por Deus. - Creio que comecei a perceber alguma coisa no dia da prova de Abraão, o pai da raça especial que até agora é chamada de Israel. Talvez eu pudesse ter entendido melhor se soubesse o que é ter um filho. Os de barro dão grande valor a isto. - É verdade, pois temos observado que um filho é muito capaz de mudar muito o comportamento deles. Aprendem até mesmo a exercer alguns atos de bondade e generosidade que nunca tinham feito antes, pois gostam mais dos filhos do que de qualquer outra pessoa. - Pois foi isso mesmo que me fez pensar. explicou Admirael. Ouviste sobre o quanto o Grandioso Triuno se alegrou naquele dia? - Sim, todos souberam disto. - Ocorre que este Abraão nem sempre foi tão obediente assim. Nasceu numa casa que tinha muitos ídolos. Demorava a entender bem as ordens, mentiu a respeito de sua esposa, e quando pensou que Deus estava demorando a fazer as coisas, inventou uma solução! Com isso ele conseguiu um grande problema para ele mesmo, pois ficou sem saber o que fazer com o seu primeiro filho que era da escrava. - É isto que me espanta. Que o Altíssimo aceite alguém assim! Alguém que inventa as próprias ordens que vai obedecer! - Veja, Deslumbrael. Este Abraão não foi rebelde em tudo. Veja o grande sacrifício que foi para ele, se dispor a obedecer à ordem do Senhor, quando mandou que oferecesse seu próprio filho! - Pensar nisto só me deixa perplexo! Tenho cada vez menos respostas e mais perguntas! Como um desobediente pode obedecer com sacrifício? Como um obediente pode desobedecer? Mas o que mais me surpreende é como o Altíssimo gosta deles, e como se contenta com apenas um pouco de obediência, misturada com desobediência. Será 17

18 18 que ele vai aceitar que eles fiquem aprendendo a obedecer pouco a pouco? Eles morrem sem nunca aprender a ser totalmente obedientes e adoradores! - Começo a pensar disse Admirael, que O Grandioso Criador não está satisfeito com isto. Certamente, ele tem um plano maior. Se não aceitou a desobediência do querubim, não vai aceitar a de ninguém. - Mas como será isto? Já se passaram 4 mil anos terrenos e nunca surgiu até agora um único de barro que fosse totalmente obediente como nós e sem nenhum resquício da vaidade e do orgulho. Eles surgem no mundo dessa forma e mesmo vivendo 120 anos, nunca aprendem completamente. - Estes são os fatos, Deslumbrael. Estes são os fatos. Mas tenho uma inexplicável certeza de que algo vai acontecer e estas coisas vão mudar. As coisas não vão permanecer assim. - Como você pode ter tanta certeza disto Admirael? Milhares já nasceram e todos são inúteis. Os melhores entre eles não poderiam viver um só segundo aqui no céu. O Altíssimo nunca permitirá. Como você tem esta certeza? - Não te lembras de que ele falou de um descendente? - Sim, mas já nasceram milhares deles e todos foram iguais. Mesmo os mais tementes praticam muitos atos de desobediência. Acredito que sempre serão assim. Por que pensas diferente? - É por causa dele, meu amigo. Por causa dele. Ele nunca fez nada errado. Esta raça de barro não pode ser um engano. Ele gosta demasiado dela. Ele a ama e até hoje nenhum de nós entendeu nem como nem por quê. Mas eu sei que algo grande há de acontecer. Algo grande há de acontecer. - Por fim Deslumbrael assentiu É verdade Admirael. É verdade. Tenho muitas interrogações e muitas surpresas, mas nenhuma dúvida, nenhum questionamento. Seja como for, aconteça algo ou não, tenho absoluta certeza de que o Altíssimo nunca fará nada contra sua própria santidade. Tudo o que foi escrito até aqui visa ajudar nossa mente limitada a meditar um pouco mais na grandeza do que foi a encarnação do Verbo. Vamos revisar resumidamente: 1. A diferença entre o Criador e a criatura é infinita. 2. O querubim perfeito olhou para si mesmo e se envaideceu. 3. Em seu coração criou-se a mentira tanto a respeito do caráter de Deus como a respeito de si mesmo. 4. Sua sabedoria, corrompeu-se totalmente e ele então passou a considerar a rebelião e a instituição de um novo reino uma coisa justa e possível. 5. A partir daí ele consumou sua loucura, barganhou com os anjos e foi violento contra o Senhor. 6. Deus criou para si mesmo uma nova raça, o homem, à sua imagem, para formar uma família que se deleitasse nele e o glorificasse. 7. Satanás então comercializava seu próprio homem seduzindo-o com sua mentira e levando-o a participar da sua loucura. Isto levou o homem à morte. Querido leitor, você está convencido de que a diferença entre o Criador e a criatura é infinita? Vê com clareza que o Criador é Deus excelso, infinito, incomparável, indizível, inexplicável, grandioso a um ponto tal que nossas mentes não podem compreendê-lo? Percebe que ele é o único digno de Glória honra e poder, pois criou todas as coisas e todos seres que existem, e criatura nenhuma tem absolutamente nenhum mérito por aquilo que é ou pelas capacidades e dons que possui? Está o seu coração convencido de que a rebelião de Satanás e do homem que foi completa loucura, pois a criatura nunca poderá se igualar ao Criador? Entende que isto é uma estupidez, tanto por ser uma idéia perversa que desconsidera a grandeza do Criador como por ser uma impossibilidade? Se você está consciente de todas estas coisas, então junte-se a mim para olharmos aquela que hoje eu considero a mais maravilhosa demonstração da perfeita santidade de Deus: a Encarnação do Verbo.

19 Uma maravilha inexplicável Toda vez que vou falar disto sinto-me um pouco frustrado. Nunca senti ter conseguido colocar em palavras o que vejo e o que sinto. Creio simplesmente que não há palavras. Penso também que nem mesmo no céu poderemos compreender completamente. Como poderíamos? Deus, Criador, se fez homem, criatura! É isso mesmo! O criador desceu ao lugar da criatura! Mas a diferença entre um e outro não era infinita? Como isso poderia ser possível? Não sei. E nunca vou saber. Eu nunca fui Deus. Sempre fui uma criatura. Nunca tive toda sabedoria, nunca criei o mundo e seres incontáveis, nunca fui o possuidor de toda a glória e dignidade. Como vou saber o significado desta viagem infinita, deste esvaziamento, inconcebível? Só Jesus sabe. Foi ele quem fez esta viagem. Não tenho a mínima condição de explicar esta maravilhosa encarnação, mas desde o dia em que esta verdade saltou aos meus olhos de forma tão clara e surpreende, não há nada que me constranja o coração mais do que isto. Não posso entender, mas posso me maravilhar como é bom! Não posso captar, porém posso adorar e sinto que encontrei meu lugar. Não posso explicar, contudo levo dentro de mim uma forte vontade de proclamar, bradar e até gritar e sinto que estou fazendo o melhor que uma criatura pode fazer. Há uma outra coisa que eu devo fazer, mas disto falarei mais adiante. Junte-se a mim para olharmos aquela Que hoje eu considero a mais maravilhosa Demonstração da perfeição da santidade de Deus: A encarnação do Verbo. Certa vez estávamos em uma reunião com os líderes da igreja. Era um momento de muita oração e louvores. Havia uma doce presença do Espírito entre nós. Eu estava envolvido por aquela atmosfera, quando em dado momento abri meus olhos e Eduardo, um dos amados companheiros de ministério, estava ajoelhado ao meu lado. Olhei mais atentamente e vi que ele chorava muito sobre a sua bíblia aberta. Então pensei: certamente a uma benção aí. Quem sabe não poderia haver algo para mim também?. E havia. Eu me inclinei e perguntei ao irmão o que Deus lhe estava falando. Eduardo então apontou enfaticamente para o texto aberto diante dele Lc e entre lágrimas me disse: Olha aqui. Jesus de joelhos! Deus não deve se ajoelhar e pedir! Deus deve mandar e ordenar, mas Jesus está ajoelhado e pedindo!. E seguiu chorando e adorando enquanto me levantava. Ele estava maravilhado. Eu estou maravilhado. Você também não está? Ó Belém, cidade amada, Tão pequena e singela. A ti desceu o meu Rei. Não és porventura a mais bela? Reis nasceram na Pérsia. O no Egito Faraós. Mas eu teu seio Belém querida, Um menino, minha vida. Quisera eu ser poeta, Expor em palavras meu coração. Mas juntos, todos os versos Insuficientes serão. Belém Efrata preciosa, Rainha de todas cidades. Em ti nasceu a beleza do universo. Te amo Belém. Te amo Belém. 19

20 Um impressionante contraste Pensemos nisto. Vejamos alguns contrates. A criatura, limitada e necessitada quis ser grandiosa como o Deus Criador. O bendito Verbo de Deus, o próprio Criador de todas as coisas se dispôs a tornar-se para todo o sempre uma criatura. Ele encarnou na pessoa de Jesus e vai ser Deus-Homem Jesus por toda a eternidade, e isso em nada o constrange, pois ele se alegrava em referir-se constantemente a si mesmo como o Filho do homem. E na hora mesma da encarnação ele disse: Sacrifício e oferta não quiseste, antes corpo me formaste... eis aqui estou para fazer, ó Deus, a tua vontade (Hb ). Foi um esvaziamento infinito! A criatura considerou a submissão e obediência ao Criador como coisa injusta e enfadonha e quis independência e governo. O Deus sempiterno que tem o direito de governar sobre tudo, dispôs-se a ser uma simples criatura e como tal veio para obedecer, obedecer e obedecer, e nisto também se gloriava A minha comida consiste em fazer a vontade daquele que me enviou, e realizar a sua obra (Jo 4.34); e também: Eu faço sempre o que lhe agrada (Jo 8.29); e na hora de maior angústia: Não seja como eu quero e sim como tu queres (Mt 26.39); e Faça-se a tua vontade (Mt 26.42); Não procuro a minha própria vontade, e, sim, daquele que me enviou (Jo 5.30); e mais: Porque eu desci do céu não para fazer a minha própria vontade, e, sim, a vontade daquele que me enviou (Jo 6.38); Não se cansava de repetir: Assim procedo para que o mundo saiba que eu amo o Pai e que faço como o Pai me ordenou (Jo 14.31). Foi um esvaziamento prático! A criatura necessitada e dependente quis bastar-se a si mesma. O dono de todos os recursos e fonte de todo bem, alegrou-se em ser uma criatura que de si mesma nada podia fazer e em tudo e para tudo dependia do Pai. Ele dizia: Eu nada posso fazer de mim mesmo (Jo 5.30); e As palavras que eu vos digo não as digo por mim mesmo, mas o Pai que permanece em mim, faz suas obras (Jo 14.10). Lembremo-nos de que Jesus, na terra, estava destituído de sua glória anterior (Jo 17.5). Após a sua ressurreição e exaltação passou a ser homem plenamente Deus de que Paulo fala em Cl 2.9, mas antes não. Por isso, ele necessitou da unção e orientação do Espírito Santo para fazer a obra do Pai como qualquer um de nós necessita (Mt 3.16). Foi um esvaziamento completo! A criatura nada fez e nada criou. Tudo o que tinha havia recebido. Mesmo assim, quis ter o reconhecimento, a honra e a glória. Enquanto que o Deus de toda glória e digno de todo reconhecimento e louvor, tornou-se uma criatura e deu sempre toda a glória reconhecimento e louvor ao Pai. O Pai é maior do que eu (Jo 14.28). Jesus nunca procurou glória e reconhecimento. Fazia milagres tremendos, mas proibia que fossem divulgados (Lc 8.56). Não buscou a glória de nascimento (Jo 1.46), nem de cultura (Jo 7.15), nem de posses (Mt 8.20) ou de aparência agradável (Is 53.2). Veio disposto a ser desprezado e o mais rejeitado entre os homens Foi um esvaziamento com plena humilhação. A criatura, gerada para servir, quer ser o centro das atenções e quer que todos ao seu redor a sirvam. Aquele que é o Senhor, tornou-se servo para sempre. Viveu hoje para interceder por nós (Hb 7.25; Rm 8.34). E o mais incrível: depois de tudo, lá no céu, há de cingir-se, dar-nos lugar à mesa e, aproximando-se nos servirá (Lc 12.37). Seu esvaziamento não foi apenas em relação a Deus, mas em relação ao homem, e isso, para todo o sempre! Foi um esvaziamento eterno. Jesus, a alegria da terra. Dizem que o conhecido compositor Johan Sebastian Bach foi um genuíno cristão. Não pesquisei sua biografia para confirmar isto, mas creio que deva ter sido mesmo, pois tinha o coração voltado para compor músicas em homenagem ao Senhor. Uma de suas mais conhecidas composições é Jesus, a alegria dos homens. Estamos acostumados a ouvi-la em toda parte principalmente em casamentos. Um dia ao meditar neste título tão original, pensei no quanto ele é verdadeiro. Nesta terra tão aflita, e cheia de perversidades, sofrimento, angústia e desesperança provocadas pelo pecado e maldade dos homens. Neste mundo de alegrias vãs e passageiras, ilusões, mentiras e esperanças que insistem em desvanecer. Neste lugar tenebroso e vil há uma única alegria que não perece e que satisfaz plenamente. Ela tem um nome precioso que é Jesus. 20

Chamados Para a Comunhão de Seu Filho (Mensagem entregue pelo irmão Stephen Kaung em Richmound- Virginia-USA no dia 11 de fevereiro de 2007)

Chamados Para a Comunhão de Seu Filho (Mensagem entregue pelo irmão Stephen Kaung em Richmound- Virginia-USA no dia 11 de fevereiro de 2007) Chamados Para a Comunhão de Seu Filho (Mensagem entregue pelo irmão Stephen Kaung em Richmound- Virginia-USA no dia 11 de fevereiro de 2007) Por favor, poderiam abrir em primeira aos Coríntios, a primeira

Leia mais

A Palavra de Deus. - É na Palavra de Deus que o homem encontra o conhecimento a respeito da Vida, de onde viemos e onde vamos viver a eternidade.

A Palavra de Deus. - É na Palavra de Deus que o homem encontra o conhecimento a respeito da Vida, de onde viemos e onde vamos viver a eternidade. A Palavra de Deus 2 Timóteo 3:16-17 Pois toda a Escritura Sagrada é inspirada por Deus e é útil para ensinar a verdade, condenar o erro, corrigir as faltas e ensinar a maneira certa de viver. 17 E isso

Leia mais

MANUAL. Esperança. Casa de I G R E J A. Esperança I G R E J A. Esperança. Uma benção pra você! Uma benção pra você!

MANUAL. Esperança. Casa de I G R E J A. Esperança I G R E J A. Esperança. Uma benção pra você! Uma benção pra você! MANUAL Esperança Casa de I G R E J A Esperança Uma benção pra você! I G R E J A Esperança Uma benção pra você! 1O que é pecado Sem entender o que é pecado, será impossível compreender a salvação através

Leia mais

9.9 Jesus Cristo é homem perfeito

9.9 Jesus Cristo é homem perfeito 9.9 Jesus Cristo é homem perfeito Aula 48 Assim como é importante verificarmos na Palavra de Deus e crermos que Jesus Cristo é Deus, também é importante verificarmos e crermos na humanidade de Jesus após

Leia mais

2015 O ANO DE COLHER MAIO - 1 COMO SERÁ A CIDADE?

2015 O ANO DE COLHER MAIO - 1 COMO SERÁ A CIDADE? MAIO - 1 COMO SERÁ A CIDADE? Texto: Apocalipse 21:1-2 Então vi um novo céu e uma nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra tinham passado; e o mar já não existia. Vi a cidade santa, a nova Jerusalém,

Leia mais

A Unidade de Deus. Jesus Cristo é o Único Deus. Pai Filho Espírito Santo. Quem é Jesus? Como os Apóstolos creram e ensinaram? O que a Bíblia diz?

A Unidade de Deus. Jesus Cristo é o Único Deus. Pai Filho Espírito Santo. Quem é Jesus? Como os Apóstolos creram e ensinaram? O que a Bíblia diz? A Unidade de Deus Quem é Jesus? Como os Apóstolos creram e ensinaram? O que a Bíblia diz? Vejamos a seguir alguns tópicos: Jesus Cristo é o Único Deus Pai Filho Espírito Santo ILUSTRAÇÃO Pai, Filho e Espírito

Leia mais

#62. O batismo do Espírito Santo (continuação)

#62. O batismo do Espírito Santo (continuação) O batismo do Espírito Santo (continuação) #62 Estamos falando sobre alguns dons do Espírito Santo; falamos de suas obras, dos seus atributos, como opera o novo nascimento e, por último, estamos falando

Leia mais

Naquela ocasião Jesus disse: "Eu te louvo, Pai, Senhor dos céus e da terra, porque escondeste estas coisas dos sábios e cultos, e as revelaste aos

Naquela ocasião Jesus disse: Eu te louvo, Pai, Senhor dos céus e da terra, porque escondeste estas coisas dos sábios e cultos, e as revelaste aos As coisas encobertas pertencem ao Senhor, ao nosso Deus, mas as reveladas pertencem a nós e aos nossos filhos para sempre, para que sigamos todas as palavras desta lei. Deuteronômio 29.29 Naquela ocasião

Leia mais

Apostila Fundamentos. Batismo nas Águas. batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo... Mt 28:19

Apostila Fundamentos. Batismo nas Águas. batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo... Mt 28:19 Apostila Fundamentos Batismo nas Águas batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo... Mt 28:19 B a t i s m o n a s Á g u a s P á g i n a 2 Batismo nas Águas Este é outro passo que está

Leia mais

CAPÍTULO 2. O Propósito Eterno de Deus

CAPÍTULO 2. O Propósito Eterno de Deus CAPÍTULO 2 O Propósito Eterno de Deus Já falamos em novo nascimento e uma vida com Cristo. Mas, a menos que vejamos o objetivo que Deus tem em vista, nunca entenderemos claramente o porque de tudo isso.

Leia mais

Curso de Discipulado

Curso de Discipulado cidadevoadora.com INTRODUÇÃO 2 Este curso é formado por duas partes sendo as quatro primeiras baseadas no evangelho de João e as quatro últimas em toda a bíblia, com assuntos específicos e muito relevantes

Leia mais

QUEM É JESUS. Paschoal Piragine Jr 1 31/08/2015

QUEM É JESUS. Paschoal Piragine Jr 1 31/08/2015 1 QUEM É JESUS Jo 1 26 Respondeu João: Eu batizo com água, mas entre vocês está alguém que vocês não conhecem. 27 Ele é aquele que vem depois de mim, e não sou digno de desamarrar as correias de suas sandálias

Leia mais

EVANGELHO DE JOÃO, Cap. 3. Evangelho de João Cap. 3. 1 Havia, entre os fariseus, um homem chamado Nicodemos, um dos principais dos judeus.

EVANGELHO DE JOÃO, Cap. 3. Evangelho de João Cap. 3. 1 Havia, entre os fariseus, um homem chamado Nicodemos, um dos principais dos judeus. EVANGELHO DE JOÃO, Cap. 3 LEMBRETE IMPORTANTE: As palavras da bíblia, são somente as frases em preto Alguns comentários explicativos são colocados entre os versículos, em vermelho. Mas é apenas com o intuito

Leia mais

A Diferença entre DEUS e seu FILHO

A Diferença entre DEUS e seu FILHO A Diferença entre DEUS e seu FILHO João 4.22 Vós adorais o que não sabeis; nós adoramos o que sabemos porque a salvação vem dos judeus. Mateus 15.9 Mas, em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos

Leia mais

O Arrebatamento da Igreja

O Arrebatamento da Igreja Texto Base: 1Ts 4.13-18 O Arrebatamento da Igreja "Não queremos, porém, irmãos, que sejais ignorantes com respeito aos que dormem, para não vos entristecerdes como os demais, que não têm esperança. Pois,

Leia mais

JESUS É A LUZ DO MUNDO João 8.12 Pr. Vlademir Silveira IBME 24/03/13

JESUS É A LUZ DO MUNDO João 8.12 Pr. Vlademir Silveira IBME 24/03/13 JESUS É A LUZ DO MUNDO João 8.12 Pr. Vlademir Silveira IBME 24/03/13 INTRODUÇÃO O Evangelho de João registra 7 afirmações notáveis de Jesus Cristo. Todas começam com Eu sou. Jesus disse: Eu sou o pão vivo

Leia mais

#61. 10.14 O batismo do Espírito Santo

#61. 10.14 O batismo do Espírito Santo 10.14 O batismo do Espírito Santo #61 Estudamos o novo nascimento e vimos como o Espírito Santo realiza essa obra juntamente com a Palavra de Deus. Tínhamos que entender o novo nascimento e como alguém

Leia mais

TUDO POR AMOR. Tudo por amor, divinal, infinita graça, salvou a todos nós! Jesus cumpriu o plano de amor, seu sangue, seu sofrer Foi tudo por amor!

TUDO POR AMOR. Tudo por amor, divinal, infinita graça, salvou a todos nós! Jesus cumpriu o plano de amor, seu sangue, seu sofrer Foi tudo por amor! TUDO POR AMOR A dor, o espinho vil, as lágrimas, o seu sofrer, o meu Senhor na cruz está. Não posso suportar! O que o fez se entregar, pagar o preço lá na cruz? Como um cordeiro foi morrer pra vir me resgatar!

Leia mais

O PAI É MAIOR DO QUE O FILHO

O PAI É MAIOR DO QUE O FILHO O PAI É MAIOR DO QUE O FILHO O PAI É MAIOR DO QUE O FILHO Vós ouviste o que vos disse: Vou e retorno a vós. Se me amásseis, ficaríeis alegres por eu ir para o Pai, porque o Pai é maior do que eu. João

Leia mais

Personal Commitment Guide. Guia de Compromisso Pessoal

Personal Commitment Guide. Guia de Compromisso Pessoal Personal Commitment Guide Guia de Compromisso Pessoal Nome da Igreja ou Evento Nome do Conselheiro Telefone 1. Salvação >Você já atingiu um estágio na vida em que você tem a certeza da vida eterna e que

Leia mais

De Luiz Carlos Cardoso e Narda Inêz Cardoso

De Luiz Carlos Cardoso e Narda Inêz Cardoso Água do Espírito De Luiz Carlos Cardoso e Narda Inêz Cardoso EXISTE O DEUS PODEROSO QUE DESFAZ TODO LAÇO DO MAL QUEBRA A LANÇA E LIBERTA O CATIVO ELE MESMO ASSIM FARÁ JESUS RIO DE ÁGUAS LIMPAS QUE NASCE

Leia mais

O que é o batismo nas águas? Por que o fazemos? Como deve ser ministrado, quando e para quem?

O que é o batismo nas águas? Por que o fazemos? Como deve ser ministrado, quando e para quem? O Batismo nas Águas O que é o batismo nas águas? Por que o fazemos? Como deve ser ministrado, quando e para quem? É UMA ORDENANÇA DE JESUS O batismo é uma ordenança clara de Jesus para todo aquele que

Leia mais

Álbum: O caminho é o Céu

Álbum: O caminho é o Céu Álbum: O caminho é o Céu ETERNA ADORAÇÃO Não há outro Deus que seja digno como tu. Não há, nem haverá outro Deus como tu. Pra te adorar, te exaltar foi que eu nasci, Senhor! Pra te adorar, te exaltar foi

Leia mais

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL ESTUDO 4 Palavra Viva RELEMBRANDO SANTIFICAÇÃO Nossos três grandes inimigos: O MUNDO A CARNE O D IABO 'Porque a carne milita contra o Espírito, e o Espírito, contra a carne, porque

Leia mais

Autoridade Espiritual

Autoridade Espiritual Autoridade Espiritual Parte 1 A Importância da Autoridade O Trono e Autoridade de Deus: O Senhor tem estabelecido o seu trono nos céus, e o seu reino domina sobre tudo. 20 Bendizei ao Senhor, todos os

Leia mais

Portanto, sempre existiu aqueles que eram de Deus, e aqueles que não eram de Deus, ou seja, os santos, e os pecadores.

Portanto, sempre existiu aqueles que eram de Deus, e aqueles que não eram de Deus, ou seja, os santos, e os pecadores. Santidade ao Senhor Antigo Testamento Ex 28:36 "Também farás uma lâmina de ouro puro e nela gravarás à maneira de gravuras de selos: Santidade ao Senhor." Novo testamento 1 Pe 1:15 "mas, como é santo aquele

Leia mais

SE SOUBERMOS PERDOAR Ó CARA IRMÃ CLARA, SE SOUBERMOS PERDOAR

SE SOUBERMOS PERDOAR Ó CARA IRMÃ CLARA, SE SOUBERMOS PERDOAR CANTO 1 - LOUVOR DA CRIAÇÃO D Bm G Em A7 D Bm G Em A7 Aleluia! Aleluia! Aleluia! Aleluia! D F#m G Em A7 1. Javé o nosso Deus é poderoso, seu nome é grande em todas as nações D F#m G Em A7 Na boca das crianças

Leia mais

ESTUDOS PARA AS CÉLULAS AS SETE VERDADES ESSÊNCIAIS DO EVANGELHO

ESTUDOS PARA AS CÉLULAS AS SETE VERDADES ESSÊNCIAIS DO EVANGELHO 1 ESTUDOS PARA AS CÉLULAS AS SETE VERDADES ESSÊNCIAIS DO EVANGELHO LIÇÃO Nº 01 DIA 16/06/2014 INTRODUÇÃO: Vamos começar uma nova série de estudos em nossas células. Esta será uma série muito interessante

Leia mais

Tudo que você precisa saber a respeito de Deus está esta escrito no Salmo 23. Tudo que você precisa saber a teu respeito está escrito no Salmo 23.

Tudo que você precisa saber a respeito de Deus está esta escrito no Salmo 23. Tudo que você precisa saber a teu respeito está escrito no Salmo 23. Tema: DEUS CUIDA DE MIM. Texto: Salmos 23:1-6 Introdução: Eu estava pesando, Deus um salmo tão poderoso até quem não está nem ai prá Deus conhece uns dos versículos, mas poderosos da bíblia e o Salmo 23,

Leia mais

O Princípio de Autoridade Espiritual

O Princípio de Autoridade Espiritual O Princípio de Autoridade Espiritual Só tem autoridade aquele que se submete as autoridades. A lei do universo é o auto-sacrifício Auto-sacrifício é o fundamento sobre o qual o universo foi construído

Leia mais

Cristo e Este Crucificado (Mensagem entregue pelo irmão Stephen Kaung em Richmond- Virginia-USA no dia 11 de março de 2007)

Cristo e Este Crucificado (Mensagem entregue pelo irmão Stephen Kaung em Richmond- Virginia-USA no dia 11 de março de 2007) Cristo e Este Crucificado (Mensagem entregue pelo irmão Stephen Kaung em Richmond- Virginia-USA no dia 11 de março de 2007) Poderiam abri em primeira aos Coríntios capítulo 2, vamos ler todo o capítulo.

Leia mais

A ESPERANÇA QUE VEM DO ALTO. Romanos 15:13

A ESPERANÇA QUE VEM DO ALTO. Romanos 15:13 A ESPERANÇA QUE VEM DO ALTO Romanos 15:13 - Ora o Deus de esperança vos encha de toda a alegria e paz em crença, para que abundeis em esperança pela virtude do Espírito Santo. Só Deus pode nos dar uma

Leia mais

CD: Ao Sentir. Alencastro e Patrícia. 1- Ao Sentir Jairinho. Ao sentir o mundo ao meu redor. Nada vi que pudesse ser real

CD: Ao Sentir. Alencastro e Patrícia. 1- Ao Sentir Jairinho. Ao sentir o mundo ao meu redor. Nada vi que pudesse ser real Alencastro e Patrícia CD: Ao Sentir 1- Ao Sentir Jairinho Ao sentir o mundo ao meu redor Nada vi que pudesse ser real Percebi que todos buscam paz porém em vão Pois naquilo que procuram, não há solução,

Leia mais

Consolidação para o Discipulado - 1

Consolidação para o Discipulado - 1 Consolidação para o Discipulado - 1 Fortalecendo o novo convertido na Palavra de Deus Rev. Edson Cortasio Sardinha Consolidador/a: Vida consolidada: 1ª Lição: O Amor de Deus O amor de Deus está presente

Leia mais

1ª Leitura - Ex 17,3-7

1ª Leitura - Ex 17,3-7 1ª Leitura - Ex 17,3-7 Dá-nos água para beber! Leitura do Livro do Êxodo 17,3-7 Naqueles dias: 3 O povo, sedento de água, murmurava contra Moisés e dizia: 'Por que nos fizeste sair do Egito? Foi para nos

Leia mais

#93r. 11.7 O Apocalipse X Mateus 24

#93r. 11.7 O Apocalipse X Mateus 24 11.7 O Apocalipse X Mateus 24 #93r Há uma grande semelhança entre a sequência dos acontecimentos do período da Tribulação, descritos no livro do Apocalipse, com relação a Mateus 24. Vamos hoje, analisar

Leia mais

Escola da Bíblia Rua Rio Azul, 200, Boa Viagem CEP: 51.030-050 Recife PE

Escola da Bíblia Rua Rio Azul, 200, Boa Viagem CEP: 51.030-050 Recife PE AS GRANDES DOUTRINAS DA BÍBLIA LIÇÃO 07 O QUE A BÍBLIA DIZ A RESPEITO DA SALVAÇÃO INTRODUÇÃO Chegamos ao que pode ser o tópico mais importante desta série: a salvação. Uma pessoa pode estar equivocada

Leia mais

Apostila de Fundamentos. Arrependimento. Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados...

Apostila de Fundamentos. Arrependimento. Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados... Apostila de Fundamentos Arrependimento Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados... (Atos 3:19) A r r e p e n d i m e n t o P á g i n a 2 Arrependimento É muito importante

Leia mais

SUMÁRIO Páginas A alegria 10 (A alegria está no coração De quem já conhece a Jesus...) Abra o meu coração 61 (Abra o meu coração Deus!...

SUMÁRIO Páginas A alegria 10 (A alegria está no coração De quem já conhece a Jesus...) Abra o meu coração 61 (Abra o meu coração Deus!... SUMÁRIO Páginas A alegria 10 (A alegria está no coração De quem já conhece a Jesus...) Abra o meu coração 61 (Abra o meu coração Deus!...) A cada manhã 71 (A cada manhã as misericórdias se renovam...)

Leia mais

TEMPOS DE SOLIDÃO. Jó 23:8-11

TEMPOS DE SOLIDÃO. Jó 23:8-11 TEMPOS DE SOLIDÃO Jó 23:8-11 Na semana passada, eu falei muito sobre maldições, punições e castigos que Deus envia aos desobedientes e rebeldes. Falei sobre a disciplina Divina, cuja finalidade é o verdadeiro

Leia mais

ELABORAÇÃO UMA LITURGIA. Adoração e Louvor Aula 10

ELABORAÇÃO UMA LITURGIA. Adoração e Louvor Aula 10 ELABORAÇÃO UMA LITURGIA Adoração e Louvor Aula 10 Os cânticos e hinos devem ser previamente escolhidos conforme o tema do culto, a mensagem e o momento litúrgico. Exemplo Prático: Liturgia do dia 01-12-2013

Leia mais

A FAMILIA DE DEUS TEM UM NOME

A FAMILIA DE DEUS TEM UM NOME A FAMILIA DE DEUS TEM UM NOME Toda família tem um nome, este nome é o identificador de que família pertence esta pessoa, o qual nos aqui no Brasil chamamos de Sobrenome. Então este nome além de identificar

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

CONHECENDO O ESPÍRITO SANTO. APOSTILA DA CLASSE DE NOVOS MEMBROS Volume 06 de 07

CONHECENDO O ESPÍRITO SANTO. APOSTILA DA CLASSE DE NOVOS MEMBROS Volume 06 de 07 CONHECENDO O ESPÍRITO SANTO APOSTILA DA CLASSE DE NOVOS MEMBROS Volume 06 de 07 A trindade sempre existiu, mas se apresenta com maior clareza com vinda de Cristo e a redação do Novo Testamento. Por exemplo,

Leia mais

A Bíblia afirma que Jesus é Deus

A Bíblia afirma que Jesus é Deus A Bíblia afirma que Jesus é Deus Há pessoas (inclusive grupos religiosos) que entendem que Jesus foi apenas um grande homem, um mestre maravilhoso e um grande profeta. Mas a Bíblia nos ensina que Jesus

Leia mais

A cena começa com uma descida. Então, quem desceu se Jesus tomou o livro e se assentou?

A cena começa com uma descida. Então, quem desceu se Jesus tomou o livro e se assentou? A resposta para sua pergunta é Sim, e Não. Permita-me explicar porque as duas coisas. Eu creio que o Cordeiro saiu do Trono SIM, mas eu NÃO creio que ele desceu. Há aqueles que defendem a tese de que o

Leia mais

Curso Bíblico. Discipulado de Integração. Discipulado de Integração

Curso Bíblico. Discipulado de Integração. Discipulado de Integração Curso Bíblico Discipulado de Integração Curso Bíblico Gratuito Para Novos Discípulos de Jesus Cristo Quando aceitamos o evangelho, cremos em Jesus Cristo como nosso Salvador e Senhor, temos o nascimento

Leia mais

JESUS CRISTO A HISTÓRIA DE. David C Cook. All Rights Reserved

JESUS CRISTO A HISTÓRIA DE. David C Cook. All Rights Reserved A HISTÓRIA DE JESUS CRISTO ESTA É A VERDADEIRA HISTÓRIA DE JESUS CRISTO. ELE ERA UM HOMEM, MAS ERA MUITO MAIS DO QUE ISSO. ELE É O FILHO ÚNICO DE DEUS. É CLARO QUE ELE ERA PODEROSO. ATÉ O VENTO E O MAR

Leia mais

ECBR PROFESSORA PRISCILA BARROS

ECBR PROFESSORA PRISCILA BARROS CANTATA DE NATAL 2015 ECBR PROFESSORA PRISCILA BARROS 1. O PRIMEIRO NATAL AH UM ANJO PROCLAMOU O PRIMEIRO NATAL A UNS POBRES PASTORES DA VILA EM BELÉM LÁ NOS CAMPOS A GUARDAR OS REBANHOS DO MAL NUMA NOITE

Leia mais

ESTUDOS NO EVANGELHO DE JOÃO

ESTUDOS NO EVANGELHO DE JOÃO ESTUDOS NO EVANGELHO DE JOÃO ESTUDO 1 NOVA VIDA O presente curso ajudará você a descobrir fatos da Palavra de Deus, fatos os quais você precisa para viver a vida em toda a sua plenitude. Por este estudo

Leia mais

HUMILDADE- A VERDADEIRA GRANDEZA

HUMILDADE- A VERDADEIRA GRANDEZA HUMILDADE- A VERDADEIRA GRANDEZA Ministério de Mulheres Aulas: 1 - Abertura - Tudo começa na Mente 2- Considerações gerais sobre a humildade 3- Manifestações Orgulho 4- Orgulho - personagens bíblicos 5-

Leia mais

CAMINHOS. Caminhos (Prov. 14:12) Paulo Cezar e Jayro T. Gonçalves

CAMINHOS. Caminhos (Prov. 14:12) Paulo Cezar e Jayro T. Gonçalves CAMINHOS Caminhos (Prov. 14:12) Paulo Cezar e Jayro T. Gonçalves Posso pensar nos meus planos Pros dias e anos que, enfim, Tenho que, neste mundo, Minha vida envolver Mas plenas paz não posso alcançar.

Leia mais

HAMARTIOLOGIA A DOUTRINA DO PECADO

HAMARTIOLOGIA A DOUTRINA DO PECADO Pr. Jorge Luiz Silva Vieira P á g i n a 1 A origem do pecado: HAMARTIOLOGIA A DOUTRINA DO PECADO Deus não pode pecar Ele é Santo (I Pe 1.16; I Jo 1.5) e não pode ser tentado pelo mal e a ninguém tenta

Leia mais

Princípios de Fé Estudo 1

Princípios de Fé Estudo 1 Estudo 1 1 Tema: A fé e a comunhão Texto Base: o que temos visto e ouvido anunciamos também a vós outros, para que vós, igualmente, mantenhais comunhão conosco. Ora, a nossa comunhão é com o Pai e com

Leia mais

PERTO DE TI AUTOR: SILAS SOUZA MAGALHÃES. Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma.

PERTO DE TI AUTOR: SILAS SOUZA MAGALHÃES. Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma. PERTO DE TI Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma. Jesus! Perto de ti, sou mais e mais. Obedeço a tua voz. Pois eu sei que tu és Senhor, o

Leia mais

Introdução à 26/05/2011 A doutrina de Cristo segundo as escrituras Divindade de Cristo O que a história da igreja fala sobre o assunto? A Igreja Primitiva No início do século II, o cristianismo era uma

Leia mais

UM NOVO JEITO DE ORAR!

UM NOVO JEITO DE ORAR! Semana 13 a 18 de Julho célula@pibnet.com.br Momento 1-30 min- Quebra-Gelo e Lanche. Líder: nesse momento de chegada das pessoas priorize servir o lanche e ter um momento de descontração. Momento 2 - NOVA

Leia mais

GRAÇA E FÉ por Rev. Fernando Almeida

GRAÇA E FÉ por Rev. Fernando Almeida 1 GRAÇA E FÉ por Rev. Fernando Almeida Introdução Muitos de nós ouvimos, com certa freqüência, pregadores que ao fazerem apelo, dizem coisas do tipo: dê uma chance para Jesus ou ainda deixe Jesus entrar

Leia mais

Tipos de cristãos que amadurecem

Tipos de cristãos que amadurecem Tipos de cristãos que amadurecem TEXTO BÍBLICO BÁSICO Romanos 12.1-5 1 Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que

Leia mais

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 1 a Edição Editora Sumário Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9 Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15 Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 Santos, Hugo Moreira, 1976-7 Motivos para fazer

Leia mais

7 E o Espírito é o que dá testemunho, porque o Espírito é a verdade. 8 Porque três são os que dão testemunho: o Espírito, e a água, e o sangue; e

7 E o Espírito é o que dá testemunho, porque o Espírito é a verdade. 8 Porque três são os que dão testemunho: o Espírito, e a água, e o sangue; e I João 1 1 O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que contemplamos e as nossas mãos apalparam, a respeito do Verbo da vida 2 (pois a vida foi manifestada, e nós

Leia mais

IV FÓRMULAS DE BÊNÇÃO PARA LAUDES E VÉSPERAS

IV FÓRMULAS DE BÊNÇÃO PARA LAUDES E VÉSPERAS IV FÓRMULAS DE BÊNÇÃO PARA LAUDES E VÉSPERAS I. Nas celebrações do Tempo Advento Deus omnipotente e misericordioso, que vos dá a graça de comemorar na fé a primeira vinda do seu Filho Unigénito e de esperar

Leia mais

igrejabatistaagape.org.br [1] Deus criou o ser humano para ter comunhão com Ele, mas ao criá-lo concedeu-lhe liberdade de escolha.

igrejabatistaagape.org.br [1] Deus criou o ser humano para ter comunhão com Ele, mas ao criá-lo concedeu-lhe liberdade de escolha. O Plano da Salvação Contribuição de Pr. Oswaldo F Gomes 11 de outubro de 2009 Como o pecado entrou no mundo e atingiu toda a raça humana? [1] Deus criou o ser humano para ter comunhão com Ele, mas ao criá-lo

Leia mais

TEMPO DO NATAL I. ATÉ À SOLENIDADE DA EPIFANIA HINOS. Vésperas

TEMPO DO NATAL I. ATÉ À SOLENIDADE DA EPIFANIA HINOS. Vésperas I. ATÉ À SOLENIDADE DA EPIFANIA No Ofício dominical e ferial, desde as Vésperas I do Natal do Senhor até às Vésperas I da Epifania do Senhor, a não ser que haja hinos próprios: HINOS Vésperas Oh admirável

Leia mais

Disciples of Christ Church Ministerio vida com vida Israel Costa 1

Disciples of Christ Church Ministerio vida com vida Israel Costa 1 Disciples of Christ Church Ministerio vida com vida Israel Costa 1 Refletindo Sua glória, em meio a ventos contrários. Entretanto, o barco já estava longe, a muitos estádios da terra, açoitado pelas ondas;

Leia mais

O ÚNICO REFÚGIO ETERNO. Quarta-feira, 17de abril de 2013. Buenos Aires, Argentina.

O ÚNICO REFÚGIO ETERNO. Quarta-feira, 17de abril de 2013. Buenos Aires, Argentina. Quarta-feira, 17de abril de 2013. Buenos Aires, Argentina. NOTA AO LEITOR Nossa intenção é fazer uma transcrição fiel e exata desta Mensagem, tal como foi pregada. Portanto, qualquer erro neste livreto

Leia mais

Dia 24 - DOAR. Você consegue ver mudanças internas?

Dia 24 - DOAR. Você consegue ver mudanças internas? Jesus deu a resposta aos fariseus naquele dia. Portanto, deem aos pobres o que está dentro dos seus copos e dos seus pratos, e assim tudo ficará limpo para vocês. (Lc 11.41). Com aquela Palavra, Ele tocou

Leia mais

UMA AVALIAÇÃO DA MÚSICA DA NOSSA IGREJA

UMA AVALIAÇÃO DA MÚSICA DA NOSSA IGREJA UMA AVALIAÇÃO DA MÚSICA DA NOSSA IGREJA Aula 8 Objetivo: Capacitar o aluno para avaliar toda música (os hinos, cânticos espirituais, solos, cânticos para o coral, etc.) que cantamos e ouvimos. Segunda

Leia mais

Vinho Novo Viver de Verdade

Vinho Novo Viver de Verdade Vinho Novo Viver de Verdade 1 - FILHOS DE DEUS - BR-LR5-11-00023 LUIZ CARLOS CARDOSO QUERO SUBIR AO MONTE DO SENHOR QUERO PERMANECER NO SANTO LUGAR QUERO LEVAR A ARCA DA ADORAÇÃO QUERO HABITAR NA CASA

Leia mais

CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo. CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo

CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo. CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo Tens uma tarefa importante para realizar: 1- Dirige-te a alguém da tua confiança. 2- Faz a pergunta: O que admiras mais em Jesus? 3- Regista a resposta nas linhas.

Leia mais

Igreja Batista Renovada de Boituva www.igrejabatista.boituvasp.com.br

Igreja Batista Renovada de Boituva www.igrejabatista.boituvasp.com.br 34 Lição 5 A Quem deve ser batizado? Antes de subir ao céu, o Senhor Jesus Cristo ordenou aos seus discípulos: E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o Evangelho a toda a criatura. Quem crê e for batizado

Leia mais

PREGAÇÃO DO DIA 08 DE MARÇO DE 2014 TEMA: JESUS LANÇA SEU OLHAR SOBRE NÓS PASSAGEM BASE: LUCAS 22:61-62

PREGAÇÃO DO DIA 08 DE MARÇO DE 2014 TEMA: JESUS LANÇA SEU OLHAR SOBRE NÓS PASSAGEM BASE: LUCAS 22:61-62 PREGAÇÃO DO DIA 08 DE MARÇO DE 2014 TEMA: JESUS LANÇA SEU OLHAR SOBRE NÓS PASSAGEM BASE: LUCAS 22:61-62 E, virando- se o Senhor, olhou para Pedro, e Pedro lembrou- se da palavra do Senhor, como lhe havia

Leia mais

Autoridade Espiritual

Autoridade Espiritual Autoridade Espiritual Romanos 13:1-7 (Submissão à autoridade) 1 Toda alma esteja sujeita às autoridades superiores; por que não há autoridade que não venha de Deus; e as autoridades que há foram ordenadas

Leia mais

O seu conceito das religiões é como o seguinte quadro?

O seu conceito das religiões é como o seguinte quadro? ...as religiões? Sim, eu creio que sim, pois não importa a qual religião pertença. O importante é apoiar a que tem e saber levá-la. Todas conduzem a Deus. Eu tenho minha religião e você tem a sua, e assim

Leia mais

Direitos reservados Domingos Sávio Rodrigues Alves Uso gratuito, permitido sob a licença Creative Commons 1

Direitos reservados Domingos Sávio Rodrigues Alves Uso gratuito, permitido sob a licença Creative Commons 1 1 O caminho da harmonia. Colossenses 3 e 4 Col 3:1-3 Introdução: Portanto, já que vocês ressuscitaram com Cristo, procurem as coisas que são do alto, onde Cristo está assentado à direita de Deus. Mantenham

Leia mais

Hinário SOIS BALIZA De Germano Guilherme

Hinário SOIS BALIZA De Germano Guilherme Hinário SOIS BALIZA De Germano Guilherme Edição oficial do CICLUMIG Flor do Céu De acordo com revisão feita pelo Sr. Luiz Mendes do Nascimento, zelador do hinário. www.mestreirineu.org 1 01 - DIVINO PAI

Leia mais

TIPOS DE BATISMO. Existem historicamente três formas de Batismo: por imersão, por afusão (derramamento) e por aspersão.

TIPOS DE BATISMO. Existem historicamente três formas de Batismo: por imersão, por afusão (derramamento) e por aspersão. TIPOS DE BATISMO Existem historicamente três formas de Batismo: por imersão, por afusão (derramamento) e por aspersão. A forma praticada no Novo Testamento era por imersão, conforme vemos: A palavra grega

Leia mais

Os encontros de Jesus. sede de Deus

Os encontros de Jesus. sede de Deus Os encontros de Jesus 1 Jo 4 sede de Deus 5 Ele chegou a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, que ficava perto das terras que Jacó tinha dado ao seu filho José. 6 Ali ficava o poço de Jacó. Era mais ou

Leia mais

Curso Bíblico Básico (Nível Médio) Parte VII

Curso Bíblico Básico (Nível Médio) Parte VII COMUNIDADE CRISTÃ ASSEMBLEIA DOS JUSTOS SISTEMA EDUCACIONAL BÍBLICO ECLESIÁSTICO DEPARTAMENTO DE CURSO BÍBLICO BÁSICO Curso Bíblico Básico (Nível Médio) Parte VII A Divindade do Senhor Jesus Este é o assunto

Leia mais

Demonstração de Maturidade

Demonstração de Maturidade Demonstração de Maturidade TEXTO BÍBLICO BÁSICO 2 Reis 4.12-17 12 - Então disse ao seu servo Geazi: Chama esta sunamita. E chamando-a ele, ela se pôs diante dele. 13 - Porque ele tinha falado a Geazi:

Leia mais

DOMINGO VII DA PÁSCOA. Vésperas I

DOMINGO VII DA PÁSCOA. Vésperas I DOMINGO VII DA PÁSCOA (Onde a solenidade da Ascensão não é transferida para este Domingo). Semana III do Saltério Hi n o. Vésperas I Sa l m o d i a Salmos e cântico do Domingo III. Ant. 1 Elevado ao mais

Leia mais

CRISTOLOGIA: DOUTRINA DE CRISTO

CRISTOLOGIA: DOUTRINA DE CRISTO CRISTOLOGIA: DOUTRINA DE CRISTO ETERNIDADE DEUS PAI LOGUS ESPIRITO SANTO A TRINDADE 1Jo.5.7 LOGUS QUER DIZER PALAVRA OU VERBO SE REFERE AO FILHO NA ETERNIDADE I - SUA PRÉ-EXISTÊNCIA 1 - SUA EXISTÊNCIA

Leia mais

Bíblia Sagrada N o v o T e s t a m e n t o P r i m e i r a E p í s t o l a d e S ã o J o ã o virtualbooks.com.br 1

Bíblia Sagrada N o v o T e s t a m e n t o P r i m e i r a E p í s t o l a d e S ã o J o ã o virtualbooks.com.br 1 Bíblia Sagrada Novo Testamento Primeira Epístola de São João virtualbooks.com.br 1 Capítulo 1 1 O que era desde o princípio, o que temos ouvido, o que temos visto com os nossos olhos, o que temos contemplado

Leia mais

Jesus revela-nos que Deus é. Pai. Conselho Inter-paroquial de Catequese Esporões, 24 de Janeiro de 2008

Jesus revela-nos que Deus é. Pai. Conselho Inter-paroquial de Catequese Esporões, 24 de Janeiro de 2008 Jesus revela-nos que Deus é Pai Conselho Inter-paroquial de Catequese Esporões, 24 de Janeiro de 2008 Quem inventou Deus? Desde sempre que os homens acreditaram na existência de forças muito poderosas

Leia mais

O SENHOR É A NOSSA BANDEIRA. William Soto Santiago Sábado, 28 de Fevereiro de 2015 Vila Hermosa -Tabasco México

O SENHOR É A NOSSA BANDEIRA. William Soto Santiago Sábado, 28 de Fevereiro de 2015 Vila Hermosa -Tabasco México O SENHOR É A NOSSA BANDEIRA William Soto Santiago Sábado, 28 de Fevereiro de 2015 Vila Hermosa -Tabasco México Reverendo William Soto Santiago, Ph. D. CENTRO DE DIVULGAÇÃO DO EVANGELHO DO REINO http://www.cder.com.br

Leia mais

Batalha Espiritual Existe Um Mundo Que não se vê, Mas É Real!

Batalha Espiritual Existe Um Mundo Que não se vê, Mas É Real! Batalha Espiritual Existe Um Mundo Que não se vê, Mas É Real! É o mundo invisível que funciona em paralelo com o Mundo Real, que é visível e que todos nós contemplamos! Romanos 1:20 Efésios 3:10 O Espaço

Leia mais

Tempo do Natal. Vésperas

Tempo do Natal. Vésperas Tempo do Natal. DESDE A SOLENDADE DA EPFANA Hinos Vésperas Rei Herodes, porque temes A vinda de Cristo Rei, Que veio trazer aos homens Dos Céus o reino e a lei? Foram os Magos seguindo A estrela do Oriente

Leia mais

Curso Bíblico. Lição 7 FAZEI DISCÍPULOS

Curso Bíblico. Lição 7 FAZEI DISCÍPULOS Curso Bíblico Lição 7 Lembre-se que é da vontade de Deus que todos os homens se salvem: Isto é bom e aceitável diante de Deus, nosso Salvador, o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao

Leia mais

Esperança em um mundo mal Obadias 1-21. Propósito: Confiar em Cristo independente do mundo em que vivemos.

Esperança em um mundo mal Obadias 1-21. Propósito: Confiar em Cristo independente do mundo em que vivemos. Esperança em um mundo mal Obadias 1-21 Propósito: Confiar em Cristo independente do mundo em que vivemos. Introdução Obadias É o livro mais curto do Antigo Testamento. Quase nada se sabe sobre o autor.

Leia mais

Grupo de Evangelismo. Igreja Vida em Cristo

Grupo de Evangelismo. Igreja Vida em Cristo 1 GE Grupo de Evangelismo Igreja Vida em Cristo 2 GE Grupo de Evangelismo Índice Apresentação... 3 Introdução ao GE (Grupo de Evangelismo)... 4 Primeira semana... 5 Segunda semana... 6 Terceira semana...

Leia mais

Decorando a Palavra de Deus

Decorando a Palavra de Deus Livro 1 página 73 Lição Dez Decorando a Palavra de Deus A Palavra de Deus (a Bíblia) é muito importante na vida do crente. Ela é uma fonte inesgotável de conhecimento, força e inspiração. Já aprendemos

Leia mais

Prisões mentais. Escrito por Mário Moreno Dom, 05 de Junho de 2011 15:37. Prisões mentais

Prisões mentais. Escrito por Mário Moreno Dom, 05 de Junho de 2011 15:37. Prisões mentais Prisões mentais Hoje podemos afirmar que há satan o adversário conseguiu algo muito grande quando fez o homem pecar além de fazer dele um peregrino fora do Gan Éden e de tirar-lhe a imortalidade. O adversário

Leia mais

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa.

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Encontro com a Palavra Agosto/2011 Mês de setembro, mês da Bíblia 1 encontro Nosso Deus se revela Leitura Bíblica: Gn. 12, 1-4 A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Boas

Leia mais

A Família que Vence 1

A Família que Vence 1 A Família que Vence 1 Requisitos para Vencer Quem é meu inimigo A quem obedeço Comprometimento Treinamento Espírito de Prontidão Vigilância Fé 2 Ameaças à Família Mudança no Conceito de Família A Emancipação

Leia mais

PREGAÇÃO DO DIA 30 DE NOVEMBRO DE 2013 TEMA : A LUTA PELA FÉ PASSAGEM BASE: FILIPENSES 1:27-30

PREGAÇÃO DO DIA 30 DE NOVEMBRO DE 2013 TEMA : A LUTA PELA FÉ PASSAGEM BASE: FILIPENSES 1:27-30 PREGAÇÃO DO DIA 30 DE NOVEMBRO DE 2013 TEMA : A LUTA PELA FÉ PASSAGEM BASE: FILIPENSES 1:2730 FILIPENSES 1:2730 Somente deveis portarvos dignamente conforme o evangelho de Cristo, para que, quer vá e vos

Leia mais

LIÇÃO 3 Jesus, O Filho de Deus

LIÇÃO 3 Jesus, O Filho de Deus LIÇÃO 3 Jesus, O Filho de Deus Nesta Lição Estudará... O Filho e O pai A Eterna União entre o Pai e o Filho O Reconhecimento do Pai pelo Filho O Reconhecimento do Filho pelo Pai O Filho e os Seus Seguidores

Leia mais

1. Quão esplêndida é vida da igreja, um jardim! Como vida plena a nós. Oh, que jardim!

1. Quão esplêndida é vida da igreja, um jardim! Como vida plena a nós. Oh, que jardim! 1. Quão esplêndida é vida da igreja, um jardim! Quão esplêndida é a vida da igreja, um jardim! Cristo, nossa experiência, cresce aqui. Ele é fresco, tão amável, Disponível para mim E a todos santos em

Leia mais

POR QUE COISAS MÁS ACONTECEM SE EXISTE DEUS?

POR QUE COISAS MÁS ACONTECEM SE EXISTE DEUS? POR QUE COISAS MÁS ACONTECEM SE EXISTE DEUS? Recentemente, uma notícia chamou atenção nos jornais: uma mãe, que acabara de buscar o seu filho de 02 anos em uma creche, empurrava o carrinho de bebê ao longo

Leia mais

XV DOMINGO DO TEMPO COMUM

XV DOMINGO DO TEMPO COMUM XV DOMINGO DO TEMPO COMUM Jesus chamou os doze Apóstolos e começou a enviá-los dois a dois 1. Admonição de entrada 2. Entrada: Em nome do Pai Refrão: Em nome do Pai, em nome do Filho, em nome do Espírito

Leia mais

Caminho, verdade e vida: Definições de Jesus; Marcas em seus discípulos (Jo.14:1-11)

Caminho, verdade e vida: Definições de Jesus; Marcas em seus discípulos (Jo.14:1-11) Caminho, verdade e vida: Definições de Jesus; Marcas em seus discípulos (Jo.14:1-11) Mensagem 1 A metáfora do Caminho Introdução: A impressão que tenho é que Jesus escreveu isto para os nossos dias. Embora

Leia mais