Curso Aproveitamento de água de chuva em cisternas para o semi-árido 5 a 8 de maio de Construção de cisternas

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Curso Aproveitamento de água de chuva em cisternas para o semi-árido 5 a 8 de maio de 2009. Construção de cisternas"

Transcrição

1 Curso Aproveitamento de água de chuva em cisternas para o semi-árido 5 a 8 de maio de 2009 Tema 3: Construção de cisternas Rodolfo Luiz Bezerra Nóbrega Universidade Federal de Campina Grande Financiadores: Instituições Participantes:

2 Objetivo Apresentar as técnicas de construção de cisternas mais utilizadas no Semi-Árido, destacando suas principais características e limitações. Arte: José Ivomar P. de Sá

3 Roteiro Cisternas de ferrocimento Cisternas de tela e arame com fôrma Cisternas de tela galvanizada de alambrado Foto: Haroldo Schistek Cisternas de tijolos e argamassa Arte: José Ivomar P. de Sá Cisternas de placas de cimento Foto: Dieter Bühne

4 Cisternas de ferrocimento Em 1824 o inglês Josef Aspin patenteou o Cimento Portland; Em 1855 foi registrado o primeiro uso do ferrocimento pelo francês Lambot: um barco a remo.

5 Cisternas de ferrocimento Tela e arame com fôrma Construída sob a superfície Tem cerca de 2 metros de altura A base precisa ser concretada Foto: Haroldo Schistek Chapas de aço plano (2 m x 1 m) Fixação das chapas por cantoneiras e parafusos, em forma cilíndrica Foto: Haroldo Schistek

6 Cisternas de ferrocimento Tela e arame com fôrma Foto: Haroldo Schistek Primeiramente a forma é levantada e coberta com tela de arame A tela de arame deve passar por debaixo da forma e cobrir uma largura de aproximadamente 50 cm no fundo da cisterna. Depois de colocadas duas camadas de argamassa na parte exterior, a forma de aço é retirada, podendo ser reusada para construir outras cisternas. O interior é rebocado duas vezes e depois coberto com nata de cimento. Foto: Haroldo Schistek

7 Roteiro Cisternas de ferrocimento Cisternas de tela e arame com fôrma Cisternas de tela galvanizada de alambrado Foto: Haroldo Schistek Cisterna de tijolos e argamassa Autoria: José Ivomar P. de Sá Cisternas de placas de cimento Foto: Dieter Bühne

8 Cisternas de ferrocimento Tela galvanizada de alambrado Malha de 5 x 15 cm Arame de 3 mm de diâmetro Resistência a ruptura de 65/70 kgf/mm² Procedimentos e imagens sobre este tipo de cisterna são de propriedade do IRPAA (

9 Cisternas de ferrocimento Tela galvanizada de alambrado O primeiro passo é a fabricação das placas de cobertura. O concreto precisa estar sempre úmido para atingir resistência

10 Cisternas de ferrocimento Tela galvanizada de alambrado

11 Cisternas de ferrocimento Tela galvanizada de alambrado Corte da tela conforme das dimensões da fôrma Alinhar a tela Nivelar a superfície

12 Cisternas de ferrocimento Tela galvanizada de alambrado Colocar a tela recortada sobre a argamassa ainda fresca e aplicar outra com argamassa Pressionar a segunda camada contra a de baixo, de modo a garantir uma união perfeita dessas duas camadas Traço: 3 latas de areia grossa e 1 lata de cimento

13 Cisternas de ferrocimento Tela galvanizada de alambrado

14 Cisternas de ferrocimento Tela galvanizada de alambrado O raio da base deverá ter 1,59 metros; Essa medida significa a distância do centro até as paredes da cisterna; Após nivelada a base de areia grossa, coloca-se uma camada de concreto. Traço: 4 latas de brita, 3 latas de areia lavada e 1 lata de cimento

15 Cisternas de ferrocimento Tela galvanizada de alambrado Deve-se montar um cilindro com 10,20 metros de alambrado Dobra-se as extremidades com sobreposição de 20 cm

16 Cisternas de ferrocimento Tela galvanizada de alambrado O contrapisodeve ser preenchido na parte externa.

17 Cisternas de ferrocimento Tela galvanizada de alambrado Para manter o formato cilíndrico da tela de alambrado recomenda-se o uso de escoras; Durante a colocação do contrapiso, deve-se deixar uma pequena cavidade, a cada metro, para posterior colocação das escoras.

18 Cisternas de ferrocimento Tela galvanizada de alambrado Os sacos precisam ser lavados para promover a remoção de substâncias hidrofóbicas, originadas do processo de fabricação.

19 Cisternas de ferrocimento Tela galvanizada de alambrado 1ª camada externa Traço: 2 latas de areia grossa, 1 lata de areia média e 1 lata de cimento Esta camada serva para fixar, estabilizar o conjunto tela de alambrado/sombrite; Utiliza-se uma espátula flexível de nylon.

20 Cisternas de ferrocimento Tela galvanizada de alambrado Parede vista do lado de dentro, após a aplicação da primeira camada. Verificar se a argamassa penetrou bem na malha.

21 Cisternas de ferrocimento Tela galvanizada de alambrado Manter a superfície umedecida Viabilizar acesso à área interna

22 Cisternas de ferrocimento Tela galvanizada de alambrado 2ª camada externa Deve ser utilizada uma desempoladeira de aço para colocação da argamassa e uma de madeira para o alisamento; Espessura da camada: 1 cm; Deixar as pontas da tela de alambrado livres.

23 Cisternas de ferrocimento Tela galvanizada de alambrado 1ª e 2ª camadas internas Se procede da mesma maneira que as camadas externas; A espessura final da parede final será entre 4 e 5 cm; Entre as aplicações de cada camada (interna ou externa) deverá ser dado um intervalo de uma noite (máximo de 12 horas).

24 Cisternas de ferrocimento Tela galvanizada de alambrado Confeccionar uma junção da parede com o piso em formato meia-lua. No dia seguinte a colocação da última camada interna, colocar uma camada de 4 cm de argamassa no piso. No dia seguinte aplica-se no piso uma camada de nata de cimento.

25 Cisternas de ferrocimento Tela galvanizada de alambrado A superfície superior do disco precisa estar distante da borda super da cisterna 52 cm A colocação das placas deve ser realizada em sentidos opostos e deve ficar um espaço de aproximadamente 2,5 cm entre elas.

26 Cisternas de ferrocimento Tela galvanizada de alambrado A cisterna pronta

27 Cisternas de ferrocimento Principais vantagens: esse modo de construir assemelha-se à maneira de construir uma casa de taipa; apropriado tanto para vários tipos de projetos de construção de cisternas; escavação desnecessária e rápida construção Principais desvantagens: a proporção entre cimento, água e areia tem que ser respeitada rigorosamente; as paredes não devem ressecar durante a obra e nas duas semanas seguintes; a água aquece facilmente. Foto: Haroldo Schistek

28 Roteiro Cisternas de ferrocimento Cisternas de tela e arame com fôrma Cisternas de tela galvanizada de alambrado Foto: Haroldo Schistek Cisternas de tijolos e argamassa Autoria: José Ivomar P. de Sá Cisternas de placas de cimento Foto: Dieter Bühne

29 Cisternas de tijolos e argamassa Nesse contexto enquadramse: Cisternas de tijolos e cal; Cisternas de alvenaria com elementos estruturais.

30 Cisternas de tijolos e argamassa Características: Não possuem padrão definido; Geralmente são totalmente subterrâneas; Muito utilizadas em áreas urbanas.

31 Cisternas de tijolos e argamassa Principais vantagens: Técnica de construção conhecida; A construção pode ser interrompida; Estrutura mais resistente a tensões. Principais desvantagens: Arte: José Ivomar P. de Sá Necessárias atividades de escavação; Uso de aditivos para impermeabilização; Construção mais demorada e onerosa; Exige uma maior habilidade técnica dos pedreiros.

32 Roteiro Cisternas de ferrocimento Cisternas de tela e arame com fôrma Cisternas de tela galvanizada de alambrado Foto: Haroldo Schistek Cisternas de tijolos e argamassa Autoria: José Ivomar P. de Sá Cisternas de placas de cimento Foto: Dieter Bühne

33 Cisternas de placas de cimento Características: Tipo de cisterna que tem sido mais construído no Semi-Árido Brasileiro; Possui modelo padronizado e bem difundido: 16 m³; Sua multiplicação foi motivada pela possibilidade de incluir a participação dos moradores na sua construção; Idéia criada por um pedreiro do interior de Sergipe, há mais de 35 anos; Possui metodologia de construção dividida em etapas bem definidas.

34 Cisternas de placas de cimento Etapas: Diagnóstico e planejamento da obra; Marcação e escavação do buraco; Fabricação das placas e dos caibros; Levantamento das paredes; Montagem da cobertura; Colocação do sistema de captação e manejo da água. Procedimentos e algumas imagens sobre este tipo de cisterna são de propriedade do CÁRITAS (

35 Cisternas de placas de cimento Diagnóstico e planejamento da obra: Análise da eficiência do modelo de 16 m³ para as condições do local.

36 Cisternas de placas de cimento Marcação e escavação do buraco. Projeto Cisternas MCT/FINEP/CNPq

37 Cisternas de placas de cimento Marcação e escavação do buraco. Piso da cisterna visto de cima

38 Cisternas de placas de cimento Fabricação das placas e dos caibros. Utiliza-se colher de pedreiro e régua Traço: 4,5 latas de areia média para 1 lata de cimento

39 Cisternas de placas de cimento Fabricação das placas e dos caibros. Para a cisterna de 16 m³ são aproximadamente necessárias aproximadamente 63 placas. Para retirada das fôrmas, são necessárias pequenas pancadas.

40 Cisternas de placas de cimento Fabricação das placas e dos caibros. A fabricação dos caibros é feita com massa de concreto e com vergalhão retorcido. Fazer um molde de 6 x 6 x 6 cm com comprimento de 1,66 m

41 Cisternas de placas de cimento Levantamento das paredes. Fazer uma camada de concreto entre 3 e 4 centímetros de espessura na base; Iniciar o assentamento das placas, antes da base secar. Traço: 3 latas de brita e 1 lata de cimento. Projeto Cisternas MCT/FINEP/CNPq

42 Cisternas de placas de cimento Levantamento das paredes.

43 Cisternas de placas de cimento Levantamento das paredes. Projeto Cisternas MCT/FINEP/CNPq

44 Cisternas de placas de cimento Levantamento das paredes. Projeto Cisternas MCT/FINEP/CNPq

45 Cisternas de placas de cimento Montagem da cobertura.

46 Cisternas de placas de cimento Montagem da cobertura.

47 Cisternas de placas de cimento Montagem da cobertura.

48 Cisternas de placas de cimento Montagem da cobertura.

49 Cisternas de placas de cimento Montagem da cobertura.

50 Cisternas de placas de cimento Montagem da cobertura.

51 Cisternas de placas de cimento Colocação do sistema de captação e manejo de água.

52 Cisternas de placas de cimento Principais vantagens: Ferramentas e materiais disponíveis em quase todos os locais da zona rural; Muito eficaz para projetos que precisam de várias cisternas em um curto espaço de tempo; Baixo custo de construção. Principais desvantagens: Tensões podem facilmente provocar fissuras na parede da cisterna; Difícil detecção de vazamentos na parte sob a superfície.

53 Bibliografia recomendada Anais dos Simpósios Brasileiros de Captação e Manejo de Água dechuva ABCMAC. Apresentação Técnica de Diferentes Tipos de Cisternas, Construídas em Comunidades Rurais do Semi-árido Brasileiro. Gnadlinger, J In: I Simpósio Brasileiro de Captação e ManejodeÁguadeChuva.Petrolina PE. Uma nova tecnologia de construção de cisternas usando como estrutura básicas tela galvanizada de alambrado. Schistek, H In: V Simpósio Brasileiro de Captação e Manejo de Água dechuva.teresina PI. Construindo a solidariedade no Semi-Árido: cisterna de placas (manual). Cáritas Brasileira. Disponível em:

Cisterna de Tela de Alambrado

Cisterna de Tela de Alambrado INSTITUTO REGIONAL DA PEQUENA AGROPECUÁRIA APROPRIADA - IRPAA Cisterna de Tela de Alambrado Uma tecnologia de FERROCIMENTO Haroldo Schistek O CIMENTO 1824 o inglês Josef Aspin patenteou o Cimento Portland

Leia mais

Como Construir 1- Escavação do buraco 2- Fabricação das Placas

Como Construir 1- Escavação do buraco 2- Fabricação das Placas Como Construir Para construir uma cisterna, o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) investe R$ 1,6 mil. Além de materiais de construção, o recurso também é utilizado para a mobilização

Leia mais

Apresentação Técnica de Diferentes Tipos de Cisternas, Construídas em Comunidades Rurais do Semi-árido Brasileiro

Apresentação Técnica de Diferentes Tipos de Cisternas, Construídas em Comunidades Rurais do Semi-árido Brasileiro Apresentação Técnica de Diferentes Tipos de Cisternas, Construídas em Comunidades Rurais do Semi-árido Brasileiro João Gnadlinger IRPAA, C. P. 21 48900-000 Juazeiro - BA, Brasil E-mail: ircsa@netcap.com.br

Leia mais

UMA NOVA TECNOLOGIA DE CONSTRUÇÃO DE CISTERNAS USANDO COMO ESTRUTURA BÁSICAS TELA GALVANIZADA DE ALAMBRADO. Harald Schistek 1 hskjua@superig.com.

UMA NOVA TECNOLOGIA DE CONSTRUÇÃO DE CISTERNAS USANDO COMO ESTRUTURA BÁSICAS TELA GALVANIZADA DE ALAMBRADO. Harald Schistek 1 hskjua@superig.com. CAPTAÇÃO E MANEJO DE ÁGUA DE CHUVA PARA SUSTENTABILIDADE DE ÁREAS RURAIS E URBANAS TECNOLOGIAS E CONSTRUÇÃO DA CIDADANIA TERESINA, PI, DE 11 A 14 DE JULHO DE 2005 UMA NOVA TECNOLOGIA DE CONSTRUÇÃO DE CISTERNAS

Leia mais

UMA NOVA TECNOLOGIA DE CONSTRUÇÃO DE CISTERNAS USANDO COMO ESTRUTURA BÁSICAS TELA GALVANIZADA DE ALAMBRADO

UMA NOVA TECNOLOGIA DE CONSTRUÇÃO DE CISTERNAS USANDO COMO ESTRUTURA BÁSICAS TELA GALVANIZADA DE ALAMBRADO UMA NOVA TECNOLOGIA DE CONSTRUÇÃO DE CISTERNAS USANDO COMO ESTRUTURA BÁSICAS TELA GALVANIZADA DE ALAMBRADO Harald Schistek 1 hskjua@superig.com.br RESUMO Para o sucesso da captação de água da chuva para

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA INSTALAÇÃO DE FOSSA SÉPTICA E SUMIDOURO EM SUA CASA

INSTRUÇÕES PARA INSTALAÇÃO DE FOSSA SÉPTICA E SUMIDOURO EM SUA CASA INSTRUÇÕES PARA INSTALAÇÃO DE FOSSA SÉPTICA E SUMIDOURO EM SUA CASA A participação da Comunidade é fundamental Na preservação do Meio Ambiente COMPANHIA DE SANEAMENTO AMBIENTAL DO DISTRITO FEDERAL ASSESSORIA

Leia mais

Termo de Referência Construção de Cisternas em Unidades Habitacionais do Programa Nacional de Habitação Rural PNHR

Termo de Referência Construção de Cisternas em Unidades Habitacionais do Programa Nacional de Habitação Rural PNHR Termo de Referência Construção de Cisternas em Unidades Habitacionais do Programa Nacional de Habitação Rural PNHR 1 1. Público Alvo As famílias a serem beneficiadas com a construção de cisternas devem

Leia mais

CISTERNA DE FERRO CIMENTO

CISTERNA DE FERRO CIMENTO APOSTILA CISTERNA CISTERNA DE FERRO CIMENTO 1) CAVAR A ÁREA DO PISO COM 1,00 A MAIS DOQUE O DIÂMETRO DA CISTERNA CISTERNA 16000 LITROS RAIO = 1,50 M DIÂMETRO = 3,00 M DIÂMETRO BASE = 4,00 M PROFUNDIDADE

Leia mais

CISTERNA DE PLACAS PRÉ-MOLDADAS

CISTERNA DE PLACAS PRÉ-MOLDADAS CISTERNA DE PLACAS PRÉ-MOLDADAS José Afonso Bezerra Matias, Técnico de Campo do Programa de Aplicação de Tecnologia Apropriada às Comunidades PATAC., José Dias Campos, Centro de Educação Popular e Formação

Leia mais

Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética

Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética REVESTIMENTO DE FACHADA Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética Documentos de referência para a execução do serviço: Projeto arquitetônico Projeto de esquadrias NR 18 20

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO MEMORIAL DESCRITIVO

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Reforma muro lateral, calçadas e cercas E. M. E. F. Marcelino José Bento Champagnat GENERALIDADES Execução por empreitada global O presente

Leia mais

Projeto de Avicultura Colonial PAC/ 2009 Embrapa Clima Temperado Aviário para 300 Aves de Postura, com captação de água pluvial.

Projeto de Avicultura Colonial PAC/ 2009 Embrapa Clima Temperado Aviário para 300 Aves de Postura, com captação de água pluvial. Projeto de Avicultura Colonial PAC/ 2009 Embrapa Clima Temperado Aviário para 300 Aves de Postura, com captação de água pluvial. Responsável: : João Pedro Zabaleta Pesquisador II, Agricultura Familiar

Leia mais

ESTUDO PARA IMPERMEABILIZAÇÃO NA INTERFACE ESTRUTURA METÁLICA E ALVENARIA

ESTUDO PARA IMPERMEABILIZAÇÃO NA INTERFACE ESTRUTURA METÁLICA E ALVENARIA ESTUDO PARA IMPERMEABILIZAÇÃO NA INTERFACE ESTRUTURA METÁLICA E ALVENARIA Joel Henrique Rohr 1 Resumo: Uma das patologias existentes na construção civil são as infiltrações. Um dos pontos críticos das

Leia mais

B4-271 Construção participativa de sistemas individuais de esgotamento sanitário em comunidades rurais.

B4-271 Construção participativa de sistemas individuais de esgotamento sanitário em comunidades rurais. B4-271 Construção participativa de sistemas individuais de esgotamento sanitário em comunidades rurais. Machado, Diogo Faria¹; Andrade, Amanda de Oliveira²; Maia, Hérksson Mota³; Rezende, Ana Augusta Passos

Leia mais

Construção de Edifícios I Instalações Sanitárias 21-26

Construção de Edifícios I Instalações Sanitárias 21-26 Construção de Edifícios I Instalações Sanitárias 21-26 6. FOSSAS SEPTICAS As fossas sépticas são unidades de tratamento primário de esgotos domésticos que detêm os despejos por um período que permita a

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO nº 07

BOLETIM TÉCNICO nº 07 BOLETIM TÉCNICO nº 07 CONSTRUÇÃ O DE CISTERNAS Esta obra é licenciada sob termos de direito autoral livre, licença "Creative Commons" Attribution-Noncommercial-Share Alike 2.5 Brazil. Isto significa que:

Leia mais

Casas com paredes de concreto Reportagem: Jamila Venturini

Casas com paredes de concreto Reportagem: Jamila Venturini Casas com paredes de concreto Reportagem: Jamila Venturini O sistema de construção com paredes de concreto moldadas in loco permite executar com agilidade e economia obras de grande escala como condomínios,

Leia mais

Dicas importantes para você construir ou reformar a sua casa.

Dicas importantes para você construir ou reformar a sua casa. Distribuição gratuita Dicas importantes para você construir ou reformar a sua casa. 1 Este folheto fornece informações úteis para orientá-lo na construção ou reforma de sua casa. Qualquer construção ou

Leia mais

DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 04. FUNDAÇÃO

DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 04. FUNDAÇÃO DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 04. FUNDAÇÃO Av. Torres de Oliveira, 76 - Jaguaré CEP 05347-902 - São Paulo / SP FUNDAÇÃO 1. TIPO DE SOLO A primeira parte da casa a ser construída são suas fundações, que

Leia mais

Telhas GraviColor. Beleza e modernidade para o seu projeto.

Telhas GraviColor. Beleza e modernidade para o seu projeto. Telhas GraviColor Telhas e Tijolos www.telhado.com Beleza e modernidade para o seu projeto. Telhas GraviColor Estilo, inovação e qualidade. As Telhas GraviColor chegam ao mercado trazendo o rústico com

Leia mais

Construção de Edícula

Construção de Edícula Guia para Construção de Edícula Guia do montador Mais resistência e conforto para sua vida. As paredes com Placas Cimentícias Impermeabilizadas e Perfis Estruturais de Aço Galvanizado para steel framing

Leia mais

MAXIJUNTA - 3 EM 1 PRODUTO:

MAXIJUNTA - 3 EM 1 PRODUTO: INDICAÇÕES: Argamassa colante de assentamento e rejuntamento simultâneo flexível de alta adesividade para áreas internas e externas. Assenta e rejunta pastilhas de porcelana e cerâmica até 7,5 x 7,5 cm,

Leia mais

Aplicações Xadrez Pigmento em Pó

Aplicações Xadrez Pigmento em Pó Dê asas à sua imaginação nas diversas aplicações do Pó Xadrez. Aplicações Xadrez Pigmento em Pó O PÓ XADREZ é um pigmento concentrado que proporciona efeitos decorativos em diversas aplicações. Mais econômico,

Leia mais

COMPONENTES. Chapa de gesso: 3 tipos

COMPONENTES. Chapa de gesso: 3 tipos Paredes internas Estrutura leve GESSO ACARTONADO Fixado em perfis de chapa de aço galvanizado (esqueleto de guias e montantes) Parede: chapas de gesso em uma ou mais camadas Superfície pronta para o acabamento

Leia mais

Curso Aproveitamento de água de chuva em cisternas para o semi-árido 5 a 8 de maio de 2009

Curso Aproveitamento de água de chuva em cisternas para o semi-árido 5 a 8 de maio de 2009 Curso Aproveitamento de água de chuva em cisternas para o semi-árido 5 a 8 de maio de 2009 Tema 2 Projeto de sistemas de aproveitamento de água de chuva Rodolfo Luiz Bezerra Nóbrega Universidade Federal

Leia mais

CGP. diâmetro interno = 0,30m; parte submersa do sépto = 0,20m; capacidade de retenção = 18 litros; diâmetro nominal da tubulação de saída DN 75.

CGP. diâmetro interno = 0,30m; parte submersa do sépto = 0,20m; capacidade de retenção = 18 litros; diâmetro nominal da tubulação de saída DN 75. Memorial de cálculo Projeto: Residência Renato Cortez Assunto: Saneamento ecológico a/c Renato Cortez 1. caixa de gordura De acordo com a NBR 8160, para a coleta de apenas uma cozinha, pode-ser uma caixa

Leia mais

REVESTIMENTO DEFACHADA. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

REVESTIMENTO DEFACHADA. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I REVESTIMENTO DEFACHADA Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I FUNÇÕES DO REVESTIMENTO DE FACHADA Estanqueida de Estética CONDIÇÕES DE INÍCIO

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. 2.0 - Calçadas Externas/rampa/escada:

MEMORIAL DESCRITIVO. 2.0 - Calçadas Externas/rampa/escada: PROJETO Nº 051/2013 Solicitação: Memorial Descritivo Tipo da Obra: Reforma, ampliação e adequação acesso Posto de Saúde Santa Rita Área existente: 146,95 m² Área ampliar: 7,00 m² Área calçadas e passeio:

Leia mais

Parede de Garrafa Pet

Parede de Garrafa Pet CONCEITO As paredes feitas com garrafas pet são uma possibilidade de gerar casas pré fabricadas através da reciclagem e é uma solução barata e sustentável. As garrafas pet são utilizadas no lugar dos tijolos

Leia mais

Crescendo com Você. Montagem de Sistemas

Crescendo com Você. Montagem de Sistemas Crescendo com Você Montagem de Sistemas Estocagem Armazene as chapas em local seco e abrigado. Transporte as chapas de duas em duas. Transporte as chapas na posição vertical. Os calços devem ter 5 cm de

Leia mais

Conceito AULA 4. Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil

Conceito AULA 4. Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil AULA 4 Gesso Acartonado Prof. Dr. Luiz Sergio Franco Escola Politécnica da USP Dep. de Engenharia de Construção Civil Construção

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Municipio de Venâncio Aires

Estado do Rio Grande do Sul Municipio de Venâncio Aires MEMORIAL DESCRITIVO Obra: OBRAS CIVIS, REFORMA E INSTALAÇÕES - PMAT PAVIMENTO TÉRREO E SUPERIOR DA PREFEITURA MUNICIPAL Local: Rua Osvaldo Aranha-nº 634 Venâncio Aires EXECUÇÃO E SERVIÇOS A execução dos

Leia mais

Construção. Impermeabilizante liquido para preparo de concreto e argamassa. Descrição do Produto Usos. Características / Vantagens.

Construção. Impermeabilizante liquido para preparo de concreto e argamassa. Descrição do Produto Usos. Características / Vantagens. Ficha do Produto Edição 22/04/2011 Sikacim Impermeabilizante Construção Sikacim Impermeabilizante Impermeabilizante liquido para preparo de concreto e argamassa. Descrição do Produto Usos Características

Leia mais

Soluções de Alto Desempenho para Construção PRODUTO MULTIUSO PARA OBRAS ECONÔMICAS

Soluções de Alto Desempenho para Construção PRODUTO MULTIUSO PARA OBRAS ECONÔMICAS Soluções de Alto Desempenho para Construção PRODUTO MULTIUSO PARA OBRAS ECONÔMICAS + + desempenho por m² AMP ARGAMASSA MODIFICADA COM POLÍMERO ( + ) MEMBRANA POLIMÉRICA O BAUCRYL ECOVEDA é um polímero

Leia mais

METODOLOGIA DE EXECUÇÃO - PASSO A PASSO PARA CONSTRUIR ALVENARIAS DE BLOCOS VAZADOS DE CONCRETO

METODOLOGIA DE EXECUÇÃO - PASSO A PASSO PARA CONSTRUIR ALVENARIAS DE BLOCOS VAZADOS DE CONCRETO METODOLOGIA DE EXECUÇÃO - PASSO A PASSO PARA CONSTRUIR ALVENARIAS DE BLOCOS VAZADOS DE CONCRETO Segurança Antes do início de qualquer serviço, verificar a existência e condições dos equipamentos de segurança

Leia mais

PISOS EM CONCRETO ARMADO

PISOS EM CONCRETO ARMADO PISOS EM CONCRETO ARMADO CONCEITOS BÁSICOS Pisos armados são estruturas constituídas por placas de concreto, armadura em telas soldadas posicionada a 1/3 da face superior, por juntas com barras de transferência,

Leia mais

Ficha Técnica de Produto Rejunta Já! Acrílico Código: RJA001 e RJA101

Ficha Técnica de Produto Rejunta Já! Acrílico Código: RJA001 e RJA101 1. Descrição: O é mais uma solução inovadora, que apresenta praticidade e agilidade para o rejuntamento de pisos, azulejos, pastilhas, porcelanatos em áreas internas, externas, molháveis, molhadas. O principal

Leia mais

TRAÇO Proporções e consumo de materiais

TRAÇO Proporções e consumo de materiais TRAÇO Proporções e consumo de materiais Prof. Marco Pádua Em cada fase da obra usamos diferentes proporções de aglomerantes (cimento e cal), e agregados (areia e pedra) cujo objetivo pode visar: resistência,

Leia mais

Gesso Acartonado CONCEITO

Gesso Acartonado CONCEITO CONCEITO As paredes de gesso acartonado ou Drywall, são destinados a dividir espaços internos de uma mesma unidade. O painel é composto por um miolo de gesso revestido por um cartão especial, usado na

Leia mais

MAXIJUNTA - PASTILHAS DE PORCELANA

MAXIJUNTA - PASTILHAS DE PORCELANA INDICAÇÕES: Argamassa colante de assentamento e rejuntamento simultâneo flexível, de alta adesividade, para áreas internas e externas. O Maxijunta Pastilhas de Porcelana é indicado principalmente para

Leia mais

MOGIBASE IMPERMEABILIZANTE DE CONCRETO E ARGAMASSAS

MOGIBASE IMPERMEABILIZANTE DE CONCRETO E ARGAMASSAS MOGIBASE IMPERMEABILIZANTE DE CONCRETO E ARGAMASSAS COMPOSIÇÃO: Sais inorgânicos e estabilizantes. PROPRIEDADES: Impermeabilizante de concreto e argamassas. MOGIBASE é de fácil aplicação e não altera os

Leia mais

DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 06. LAJE

DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 06. LAJE DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 06. LAJE Av. Torres de Oliveira, 76 - Jaguaré CEP 05347-902 - São Paulo / SP LAJE As lajes são estruturas destinadas a servirem de cobertura, forro ou piso para uma edificação.

Leia mais

Knauf Folheto Técnico. Knauf Flexboard Porque a mente criativa gera mais que linhas retas.

Knauf Folheto Técnico. Knauf Flexboard Porque a mente criativa gera mais que linhas retas. Knauf Folheto Técnico 01 / 2015 Knauf Flexboard Porque a mente criativa gera mais que linhas retas. Knauf Flexboard Flexboard é a mais delgada chapa Knauf Drywall, desenvolvida especialmente para permitir

Leia mais

Comprimento...420 mm. Largura...330 mm. Telhas por m²...10,4 pçs. Peso médio por telha... 4,7 Kg. Distância máx entre ripas...

Comprimento...420 mm. Largura...330 mm. Telhas por m²...10,4 pçs. Peso médio por telha... 4,7 Kg. Distância máx entre ripas... Infomações Técnicas TELHAS As telhas de concreto CASA FORTE são do tipo Coppo Vêneto e são fabricadas em conformidade com a NBR 13.858-1 e atendem as especificações da NBR 13.858-2. Possuem encaixes perfeitos

Leia mais

MANTA POLIMÉRICA é um impermeabilizante flexível a base de cimentos especiais modificados com polímeros acrílicos de excelente qualidade.

MANTA POLIMÉRICA é um impermeabilizante flexível a base de cimentos especiais modificados com polímeros acrílicos de excelente qualidade. Data da última revisão: 03/2011 DEFINIÇÃO MANTA POLIMÉRICA é um impermeabilizante flexível a base de cimentos especiais modificados com polímeros acrílicos de excelente qualidade. MANTA POLIMÉRICA é fácil

Leia mais

IMPERMEABILIZAÇÕES REVESTIMENTO DE CALHAS E LAJES

IMPERMEABILIZAÇÕES REVESTIMENTO DE CALHAS E LAJES IMPERMEABILIZAÇÕES REVESTIMENTO DE CALHAS E LAJES Prof. Marco Pádua A cobertura é uma fase importante da edificação. Não só a questão estética deve ser considerada, como a escolha dos elementos, a posição

Leia mais

Usando Formas de Metal: Tecnologia para a Construção de Cisternas Redondas para Captação d água da Chuva

Usando Formas de Metal: Tecnologia para a Construção de Cisternas Redondas para Captação d água da Chuva Usando Formas de Metal: Tecnologia para a Construção de Cisternas Redondas para Captação d água da Chuva Elizabeth Szilassy Agência dos Correios 55.140-000 Tacaimbó PE Brasil E-mail: tacaimbo@netstage.com.br

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO Rio Branco, Acre Brasil

MEMORIAL DESCRITIVO Rio Branco, Acre Brasil MEMORIAL DESCRITIVO Rio Branco, Acre Brasil ÍNDICE DO MEMORIAL DESCRITIVO 1. INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE O PROJETO 2. CONSTRUÇÃO 3. INSTALAÇÕES 4. COBERTURA 5. DISPOSIÇÕES FINAIS 1. INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE

Leia mais

MACTRASET foi desenvolvido para evitar e eliminar definitivamente umidade e infiltrações, sendo de preparo e aplicação muito fáceis.

MACTRASET foi desenvolvido para evitar e eliminar definitivamente umidade e infiltrações, sendo de preparo e aplicação muito fáceis. Data da última revisão: 01/2010 DEFINIÇÃO MACTRASET foi desenvolvido para evitar e eliminar definitivamente umidade e infiltrações, sendo de preparo e aplicação muito fáceis. MACTRASET resiste às pressões

Leia mais

Do Objeto: CARNEIRAS PRÉ-MOLDADAS DE CONCRETO e GAVETÁRIOS PARA CEMITÉRIOS

Do Objeto: CARNEIRAS PRÉ-MOLDADAS DE CONCRETO e GAVETÁRIOS PARA CEMITÉRIOS LAUDO TÉCNICO Objeto do laudo: Gavetário para Cemitérios Responsável técnico pelo laudo: Engº Civil e Engº de Segurança do Trabalho, Sergio Provesi CREA 023991-9 Anotação de Responsabilidade Técnico: nº

Leia mais

porcelanato interno ficha técnica do produto

porcelanato interno ficha técnica do produto 01 DESCRIÇÃO: votomassa é uma argamassa leve de excelente trabalhabilidade e aderência, formulada especialmente para aplicação de revestimentos cerâmicos e s em áreas internas. 02 CLASSIFICAÇÃO TÉCNICA:

Leia mais

Sistema para Tratamento de Juntas Brasilit. Leveza, resistência e rapidez para sua obra.

Sistema para Tratamento de Juntas Brasilit. Leveza, resistência e rapidez para sua obra. Sistema para Tratamento de Juntas Brasilit Leveza, resistência e rapidez para sua obra. Tratamento de Juntas Brasilit Existem vários tipos de tratamento de junta para as Placas Cimentícias. O tipo de tratamento

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE ALMIRANTE TAMANDARÉ DO SUL MEMORIAL DESCRITIVO

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE ALMIRANTE TAMANDARÉ DO SUL MEMORIAL DESCRITIVO MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: CALÇAMENTO COM PEDRAS DE BASALTO IRREGULAR ÁREA: 4.990,99m² - CONTRATO 1016190.50 LOCAL: Rua Andina M. de Quadros, Dosalina M. de Quadros e Manoel Ferreira da Silva no Bairro

Leia mais

09/05/2014. Execução de Contrapiso. Daniel Mussato Nº 091175 Erom Vyctor - Nº 091135. Daniel

09/05/2014. Execução de Contrapiso. Daniel Mussato Nº 091175 Erom Vyctor - Nº 091135. Daniel Execução de Contrapiso Daniel Mussato Nº 091175 Erom Vyctor - Nº 091135 Daniel 2 1 Estrutura do Trabalho Dados da obra Definição de Contrapiso /Principal função Principais Materiais e Equipamentos Utilizados

Leia mais

CÁLCULOS TELHADO. Prof. Eliseu Figueiredo Neto

CÁLCULOS TELHADO. Prof. Eliseu Figueiredo Neto CÁLCULOS TELHADO Prof. Eliseu Figueiredo Neto TELHADO 1) Conhecer o peso de cada telha; 2) Calcular quantas telhas vão. Telhado de meia água de 50 m2, quantas telhas de cerâmica eu usarei e qual o peso

Leia mais

Quanto aos esforços: compressão, tração e flexão; Flexibilidade de formas; Durabilidade; Transmissão de calor

Quanto aos esforços: compressão, tração e flexão; Flexibilidade de formas; Durabilidade; Transmissão de calor 1. CONCEITO: Produto resultante da associação íntima entre um aglomerante mais um agregado miúdo, mais um agregado graúdo e água (+ ferragens). 2. CARACTERÍSTICAS Quanto aos esforços: compressão, tração

Leia mais

BRICKA ALVENARIA ESTRUTURAL

BRICKA ALVENARIA ESTRUTURAL BRICKA ALVENARIA ESTRUTURAL BRICKA ALVENARIA ESTRUTURAL Indice ALVENARIA ESTRUTURAL MANUAL DE EXECUÇÃO E TREINAMENTO...1 O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL?...1 Seu trabalho fica mais fácil...1 CUIDADOS QUE

Leia mais

EXERCÍCIO PROJETO DO CANTEIRO DE OBRAS DE EDIFÍCIOS

EXERCÍCIO PROJETO DO CANTEIRO DE OBRAS DE EDIFÍCIOS EXERCÍCIO PROJETO DO CANTEIRO DE OBRAS DE EDIFÍCIOS Você foi incumbido do planejamento da execução do edifício habitacional, constituído por um subsolo, um pavimento térreo e oito pavimentos tipo, com

Leia mais

VEDAPREN cobre a estrutura com uma membrana impermeável e elástica.

VEDAPREN cobre a estrutura com uma membrana impermeável e elástica. Descrição VEDAPREN cobre a estrutura com uma membrana impermeável e elástica. Características Densidade: 1,02 g/cm 3 Aparência: Cor preta Composição básica: emulsão asfáltica modificada com elastômeros

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA OBRA.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA OBRA. INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAM ENTO DE ENGENHARIA E INFRAESTRUTURA BR 406 - Km 73 n 3500 Perímetro Rural do Município de João Câmara / RN, CEP: 59550-000

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO EXECUÇÃO DE PASSEIO PÚBLICO

MEMORIAL DESCRITIVO EXECUÇÃO DE PASSEIO PÚBLICO MEMORIAL DESCRITIVO EXECUÇÃO DE PASSEIO PÚBLICO AGUA BOA - MT AGROVILA SANTA MARIA Rua Projetada A - B - C Avenida Projetada - LD e LE 3.1 - CALÇADA 3.1.1- Introdução Calçamentos são elementos complementares

Leia mais

PISO EM CONCRETO ARMADO COM TELA E JUNTAS DE DILATAÇÃO (ESP=10CM) - FCK=>20MPa

PISO EM CONCRETO ARMADO COM TELA E JUNTAS DE DILATAÇÃO (ESP=10CM) - FCK=>20MPa CPU 01 SINAPI 88245 ARMADOR COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,02 15,05 0,30 SINAPI 88309 PEDREIRO COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,26 15,05 3,91 SINAPI 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 1,94 11,25

Leia mais

PMSP SMSP CALÇADAS DA AVENIDA PAULISTA 1 / 7 ESPECIFICAÇÃO E PROCEDIMENTOS REV. 0 JUL. 08

PMSP SMSP CALÇADAS DA AVENIDA PAULISTA 1 / 7 ESPECIFICAÇÃO E PROCEDIMENTOS REV. 0 JUL. 08 PMSP SMSP CALÇADAS DA AVENIDA PAULISTA 1 / 7 1. OBJETIVO: O objetivo deste documento é definir técnicas e procedimentos para intervenções e reparos sobre pisos de concreto moldado in loco, em conformidade

Leia mais

SISTEMAS CONSTRUTIVOS Professor:Regialdo BLOCOS DE CONCRETO

SISTEMAS CONSTRUTIVOS Professor:Regialdo BLOCOS DE CONCRETO SISTEMAS CONSTRUTIVOS Professor:Regialdo BLOCOS DE CONCRETO CONCEITO A tipologia estrutural composta por bloco, argamassa, graute e eventualmente armações é responsável por um dos sistemas construtivos

Leia mais

GUIAS & MONTANTES COBRA

GUIAS & MONTANTES COBRA GUIAS & MONTANTES COBRA EMPRESA I PROFILI SRL é uma empresa que produz perfis flexíveis em aço galvanizado para atender aos mais exigentes requisitos que se evoluem no contexto da arquitetura em geral.

Leia mais

FS-06. Fossa séptica. Componentes. Código de listagem. Atenção. FS-06-01 (L=3,00m) FS-06-02 (L=3,80m) FS-06-03 (L=5,40m) 01 27/12/10

FS-06. Fossa séptica. Componentes. Código de listagem. Atenção. FS-06-01 (L=3,00m) FS-06-02 (L=3,80m) FS-06-03 (L=5,40m) 01 27/12/10 - -03 1/5 - -03 2/5 - -03 3/5 - -03 4/5 DESCRIÇÃO Constituintes Lastro de concreto magro, traço 1:4:8, cimento, areia e brita. Fundo e vigas de concreto armado, moldados in loco: - Fôrmas de tábuas de

Leia mais

Grupo 30.24 A - Material de construção

Grupo 30.24 A - Material de construção O catálogo do grupo 30.24 A contém as especificações de material de construção. Os itens que estão destacados com a mesma coloração significam que possuem a mesma descrição, no entanto, possuem diferentes

Leia mais

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES OBRA: ESTACIONAMENTOS DO COMPLEXO MULTIEVENTOS E CAMPUS DE JUAZEIRO CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES 1/5 PISOS EXTERNOS Pavimentação em Piso Intertravado de Concreto Conforme delimitado

Leia mais

Obra: Ampliação Câmara de Vereadores Local : VRS- 801 Almirante Tamandaré do Sul - RS Proprietário: Prefeitura Municipal de Almirante Tamandaré do Sul

Obra: Ampliação Câmara de Vereadores Local : VRS- 801 Almirante Tamandaré do Sul - RS Proprietário: Prefeitura Municipal de Almirante Tamandaré do Sul MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Ampliação Câmara de Vereadores Local : VRS- 801 Almirante Tamandaré do Sul - RS Proprietário: Prefeitura Municipal de Almirante Tamandaré do Sul 1. O presente memorial tem por

Leia mais

Sistema de Forros Trevo Drywall

Sistema de Forros Trevo Drywall Nome da Empresa Endereço Tel/Fax (88) 3571-6019 Site E-mail DADOS DO FABRICANTE Trevo Industrial de Acartonados S/A. Av.Josias Inojosa de Oliveira 5000 - Distrito Industrial do Cariri Juazeiro do Norte

Leia mais

CONFECÇÃO DE LAJES PRE-MOLDADAS DE CIMENTO. (Confeccionadas com Argamassa de Cimento e Areia Grossa Lavada) - Traço: 1: 3 -

CONFECÇÃO DE LAJES PRE-MOLDADAS DE CIMENTO. (Confeccionadas com Argamassa de Cimento e Areia Grossa Lavada) - Traço: 1: 3 - CONFECÇÃO DE LAJES PRE-MOLDADAS DE CIMENTO (Confeccionadas com Argamassa de Cimento e Areia Grossa Lavada) - Traço: 1: 3 - Autor: Cláudio Cardoso Técnico em Saneamento Básico Na construção de Melhorias

Leia mais

ESQUADRIAS MÉTODO EXECUTIVO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turmas C01, C02 e C03 Disc. Construção Civil II

ESQUADRIAS MÉTODO EXECUTIVO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turmas C01, C02 e C03 Disc. Construção Civil II E ESQUADRIAS MÉTODO EXECUTIVO Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turmas C01, C02 e C03 Disc. Construção Civil II MÉTODO EXECUTIVO Cuidados no Recebimento Formas de Instalação

Leia mais

PROJETO DE CHOCADEIRA PARA 84 OVOS DE GALINHA CAIXA DE MADEIRA Autor: Randolfo Ribeiro

PROJETO DE CHOCADEIRA PARA 84 OVOS DE GALINHA CAIXA DE MADEIRA Autor: Randolfo Ribeiro PROJETO DE CHOCADEIRA PARA 84 OVOS DE GALINHA CAIXA DE MADEIRA Autor: Randolfo Ribeiro PROJETO DE CHOCADEIRA EM CAIXA DE MADEIRA Capacidade 84 ovos de galinha Autor: Randolfo Ribeiro Este projeto contém

Leia mais

CONTRAPISO Documentos de referência Condições para o início dos trabalhos Preparo da base Marcação do nível do contrapiso

CONTRAPISO Documentos de referência Condições para o início dos trabalhos Preparo da base Marcação do nível do contrapiso CONTRAPISO 1 camada (s) de argamassa (s) que pode ser aplicada sobre a laje ou lastro de concreto, sobre camada de impermeabilização* ou sobre camada de isolamento térmico/acústico* (* na maioria das vezes

Leia mais

DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 13. TELHADO

DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 13. TELHADO DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 13. TELHADO Av. Torres de Oliveira, 76 - Jaguaré CEP 05347-902 - São Paulo / SP TELHADO A cobertura de uma casa constitui-se de um telhado ou de uma laje. Neste capítulo, mostraremos

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO - REFORMA

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO - REFORMA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO - REFORMA Projeto:... REFORMA POSTO DE SAÚDE Proprietário:... PREFEITURA MUNICIPAL DE IRAÍ Endereço:... RUA TORRES GONÇALVES, N 537 Área a Reformar:... 257,84

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO DOS PISOS VINÍLICOS EM MANTAS FORTHFLEX, FORTHPISO, FORTHVINYL, CARAVAN E PASTILLE FLOOR

MANUAL DE INSTALAÇÃO DOS PISOS VINÍLICOS EM MANTAS FORTHFLEX, FORTHPISO, FORTHVINYL, CARAVAN E PASTILLE FLOOR MANUAL DE INSTALAÇÃO DOS PISOS VINÍLICOS EM MANTAS FORTHFLEX, FORTHPISO, FORTHVINYL, CARAVAN E PASTILLE FLOOR ANTES DA INSTALAÇÃO: Para podermos ter uma excelente apresentação da instalação não dependemos

Leia mais

Situação errada: piso escorregadio

Situação errada: piso escorregadio A calçada deve ser construída a partir do meio-fio (guia) de concreto pré-moldado instalado pela Prefeitura ou pelo loteador, que faz parte do acabamento com 15cm de altura entre o passeio e a rua. Os

Leia mais

Materiais de Construção Civil. Aula 07. Gesso para Construção Civil

Materiais de Construção Civil. Aula 07. Gesso para Construção Civil Materiais de Construção Civil Aula 07 Gesso para Construção Civil Taciana Nunes Arquiteta e Urbanista Gesso para Construção Civil O gesso é um mineral aglomerante produzido a partir da calcinação da gipsita,

Leia mais

Eliminação de vazamentos em cisternas de captação de água da chuva

Eliminação de vazamentos em cisternas de captação de água da chuva Eliminação de vazamentos em cisternas de captação de água da chuva Harald Schistek 1 Palestra proferida no 7º Simpósio de Captação e Manejo de Água de Chuva, em Outubro de 2009, em Caruaru - PE O meu povo

Leia mais

2. INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS

2. INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Banheiros Públicos Rincão do Segredo Local: Rua Carlos Massman - Rincão do Segredo Alm. Tam. do Sul-RS Proprietário: Município de Almirante Tamandaré do Sul / RS 1. O presente

Leia mais

Cal Altamente Expansivo para Demolições. O que é

Cal Altamente Expansivo para Demolições. O que é Cal Altamente Expansivo para Demolições O que é O DEMOX é uma argamassa muito expansiva para demolição, corte de rochas e concreto. O DEMOX age em função da dilatação de seu volume, exercendo nas paredes

Leia mais

Knauf Safeboard Sistemas de proteção radiológica 0% chumbo. 100% segurança.

Knauf Safeboard Sistemas de proteção radiológica 0% chumbo. 100% segurança. Knauf Safeboard Sistemas de proteção radiológica 0% chumbo. 100% segurança. Estabilidade, resistência a Raio X, facilidade de controle e manutenção, peso reduzido e características inovadoras. Descrição

Leia mais

Blocos e Alicerces CONCEITO

Blocos e Alicerces CONCEITO CONCEITO Os blocos são elementos estruturais de grande rigidez que são ligados pelas vigas baldrame. Sua profundidade varia de 0,5 a 1 metro. São utilizados quando há atuação de pequenas cargas, como em

Leia mais

FAQ - Frequently Asked Questions (Perguntas Frequentes)

FAQ - Frequently Asked Questions (Perguntas Frequentes) FAQ - Frequently Asked Questions (Perguntas Frequentes) 1- Qual tipo de aço da vigota e qual a sua norma? São produzidas com aço estrutura ZAR 345, com revestimento Z275, no qual segue as prescritivas

Leia mais

Telha GraviColor. Sofisticação acima de tudo.

Telha GraviColor. Sofisticação acima de tudo. Telha GraviColor Sofisticação acima de tudo. Telhas GraviColor Estilo, inovação e qualidade. As telhas GraviColor chegam ao mercado trazendo o rústico com design inovador, dando um toque de sofisticação

Leia mais

guia de instalação cisterna vertical

guia de instalação cisterna vertical guia de instalação cisterna vertical FORTLEV CARACTERÍSTICAS FUNÇÃO Armazenar água pluvial ou água potável à temperatura ambiente. APLICAÇÃO Residências, instalações comerciais, fazendas, escolas ou qualquer

Leia mais

ESTUFAS DE BAIXO CUSTO MODELO PESAGRO-RIO (Informe Técnico 29, ISSN 0101-3769)

ESTUFAS DE BAIXO CUSTO MODELO PESAGRO-RIO (Informe Técnico 29, ISSN 0101-3769) 1 ESTUFAS DE BAIXO CUSTO MODELO PESAGRO-RIO (Informe Técnico 29, ISSN 0101-3769) Marco Antonio de Almeida Leal Luiz Carlos Santos Caetano José Márcio Ferreira INTRODUÇÃO Atualmente existem várias atividades

Leia mais

Eixo Temático ET-08-011 - Recursos Hídricos NOVAS TECNOLOGIAS PARA MELHOR APROVEITAMENTO DA CAPTAÇÃO DA ÁGUA DE CHUVA

Eixo Temático ET-08-011 - Recursos Hídricos NOVAS TECNOLOGIAS PARA MELHOR APROVEITAMENTO DA CAPTAÇÃO DA ÁGUA DE CHUVA 413 Eixo Temático ET-08-011 - Recursos Hídricos NOVAS TECNOLOGIAS PARA MELHOR APROVEITAMENTO DA CAPTAÇÃO DA ÁGUA DE CHUVA Maria Isabel Cacimiro Xavier Estudante de Graduação em Gestão Ambiental, IFPB,

Leia mais

ESTRUTURA CONSTRUÇÃO COM TÁBUAS CONSTRUÇÃO EM COMPENSADO. 5 32 x 44. 4 32 x 68. 3 Serrado de. 6 Cavernas do meio do barco. 8 44 x 143 1.

ESTRUTURA CONSTRUÇÃO COM TÁBUAS CONSTRUÇÃO EM COMPENSADO. 5 32 x 44. 4 32 x 68. 3 Serrado de. 6 Cavernas do meio do barco. 8 44 x 143 1. ESTRUTURA 17 18 Serrado de 20 x 193 CONSTRUÇÃO COM TÁBUAS 5 32 x 44 14 16 x 143 4 32 x 68 3 Serrado de 32 x 143 3 Cavernas da popa ao meio do barco: 32 x 143 6 Cavernas do meio do barco até proa: 32 x

Leia mais

Soluções em Autoconstrução Praticidade, economia e agilidade na sua obra

Soluções em Autoconstrução Praticidade, economia e agilidade na sua obra Aços Longos Soluções em Autoconstrução Praticidade, economia e agilidade na sua obra Sapatas Arame Recozido Trançadinho Pregos Treliças Nervuradas Murfor Produto Belgo Bekaert Malhas Top Telas Soldadas

Leia mais

Simples, resistente e fácil de montar.

Simples, resistente e fácil de montar. Simples, resistente e fácil de montar. Economia e resistência são as principais qualidades da telha Vogatex. Possui peso reduzido e simplicidade estrutural, exigindo o mínimo de mão-de-obra e madeiramento

Leia mais

OBRAS DE TERRA MUROS DE ARRIMO OU DE CONTENÇÃO

OBRAS DE TERRA MUROS DE ARRIMO OU DE CONTENÇÃO OBRAS DE TERRA MUROS DE ARRIMO OU DE CONTENÇÃO CURSO: Engenharia Civil SÉRIE: 10º Semestre DISCIPLINA: Obras de Terra CARGA HORÁRIA SEMANAL: 02 aulas-hora CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 40 aulas-hora 1.DEFINIÇÕES

Leia mais

DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 14. MUROS

DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 14. MUROS DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 14. MUROS Av. Torres de Oliveira, 76 - Jaguaré CEP 05347-902 - São Paulo / SP MUROS Os muros são construções feitas de alvenaria de blocos de concreto ou tijolos, que tem a

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO MEMORIAL DESCRITIVO

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO MEMORIAL DESCRITIVO Ampliação E.M.E.I. Manoel dos Santos Ribeiro Bairro José Alcebíades de Oliveira GENERALIDADES Execução por Empreitada Global O presente memorial

Leia mais

Vantagens das Telhas Spot

Vantagens das Telhas Spot Vantagens das Telhas Spot Resistência e Longevidade A alta qualidade dos materiais e a tecnologia do processo produtivo da Spot, possibilitam uma resistência superior a 250 kgf, garantindo assim a longevidade

Leia mais

Graus de orçamento. Orçamento preliminar estimar os quantitativos de concreto, aço e fôrma do edifício abaixo:

Graus de orçamento. Orçamento preliminar estimar os quantitativos de concreto, aço e fôrma do edifício abaixo: Graus de orçamento Exercício da aula passada Orçamento preliminar Graus de orçamento Orçamento preliminar estimar os quantitativos de concreto, aço e fôrma do edifício abaixo: Área de 300 m² por pavimento

Leia mais

2.1. Considerações Gerais de Lajes Empregadas em Estruturas de Aço

2.1. Considerações Gerais de Lajes Empregadas em Estruturas de Aço 23 2. Sistemas de Lajes 2.1. Considerações Gerais de Lajes Empregadas em Estruturas de Aço Neste capítulo são apresentados os tipos mais comuns de sistemas de lajes utilizadas na construção civil. 2.1.1.

Leia mais

DISCIPLINA: SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E SANEAMENTO PROFESSOR: CÁSSIO FERNANDO SIMIONI

DISCIPLINA: SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E SANEAMENTO PROFESSOR: CÁSSIO FERNANDO SIMIONI ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA

Leia mais

BIANCO. Preparo do substrato As superfícies devem estar limpas, porosas, isentas de pó ou oleosidade e serem umedecidas antes da aplicação.

BIANCO. Preparo do substrato As superfícies devem estar limpas, porosas, isentas de pó ou oleosidade e serem umedecidas antes da aplicação. Produto é uma resina sintética, de alto desempenho, que proporciona excelente aderência das argamassas aos mais diversos substratos. Confere maior plasticidade e, assim, maior resistência ao desgaste e

Leia mais