Panorama do Setor de Açúcar e Álcool. Alexandre Enrico Figliolino

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Panorama do Setor de Açúcar e Álcool. Alexandre Enrico Figliolino"

Transcrição

1 Panorama do Setor de Açúcar e Álcool Alexandre Enrico Figliolino SETEMBRO, 2012

2 SUMÁRIO SEÇÃO 1 SEÇÃO 2 SEÇÃO 3 SEÇÃO 4 SEÇÃO 5 Avaliação Setorial Desempenho Econômico-Financeiro Quadro Evolutivo Setorial Conclusões Projeto Greenfield 2

3 SEÇÃO 1 Avaliação Setorial 3

4 Moagem Centro-Sul Ca ana ( MM Tons) Chuvas Cana Seca Bisada Início Recuperação 630 Seca % 18% 12% 6% 0% a) Taxa de Crescimento ( Anu 100 6% 0 12% Moagem Taxa Anual FONTE: ITAÚ BBA / CANAPLAN 4

5 VALE DE OFERTA DE CANA; HORA DE INVESTIR EM CANAVIAIS... Aspectos chave: 1. Reforma dos canaviais; 2. Tecnologia e Fundamentos

6 Produtividade Centro-Sul Produtividade Agrícola (TCH) ATR Médio (Kg / Ton) Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 FONTE: CTC/ ÚNICA 6

7 Produtividade e Produção de Etanol Centro-Sul ,000 8, ,000 6,000 Ton Ca ana / Ha ,922 6,891 7,630 7,610 7,392 7,655 7,303 7,682 7,267 7,163 5,661 5,000 4,000 6,248 3,000 Etanol / Ha Litros de 20 2, , E FONTE: ITAÚ BBA Litros de etanol/ ha Produtividade (ton/ ha) 7

8 Produção de Açúcar O Brasil continuará a ser o principal fornecedor global 15,7 60 MM M Ton /12 15/16 E 20/21 E Exportação Consumo Doméstico FONTE: ÚNICA 8

9 Etanol vs Gasolina Preços do etanol hidratado e da gasolina C ao consumidor brasileiro 3.0 R$ / Litro Preço Gasolina Comum ao Cons umidor Preço Etanol ao Cons umidor Paridade 70% Preço Etanol ao Produtor 1.0 Cus to de Produção FONTE: ANP / ÚNICA 9

10 Paridades R$ / ATR FONTE: ITAÚ BBA 10

11 Etanol (Hidratado e Anidro) vs Açúcar Centro-Sul Lp equiv. Cetns/ Açúcar ESALQ / Spot jun/12 jul/12 ago/12 set/12 out/12 nov/12 dez/12 jan/13 fev/13 Etanol Hidratado (BMF) Previsão de Etanol Anidro (BMF) Açúcar (NY#11) FONTE: ITAÚ BBA 11

12 Diferencial de preços dos combustíveis no Brasil Utilização de etanol pela frota flex FONTE: ITAÚ BBA 12

13 ATR Produção de Açúcar Centro-Sul 60% 54.74% 56.44% 56.26% 50% 40% 49.48% 49.87% 44.03% 45.78% 39.48% 49.64% 42.45% 52.31% 44.71% 48.42% 49.00% 30% 20% 10% 0% 2006/ / / / / / /13 E Unidades Flexíveis Mix de Açúcar FONTE: ITAÚ BBA 13

14 Futuros Spot Mensais do Açúcar Bruto Base 1 FONTE: ITAÚ BBA 14

15 Custo de Arrendamento Centro-Sul US$ / ha / ano Araçatuba Assis Fernandopolis Jau Ourinhos Piracicabai Pres. Prudente Ribeirão Preto S.J. Rio Preto média FONTE: ITAÚ BBA 15

16 Usinas Centro-Sul /08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 10 Quantidade de Usinas em Operação Quantidade de Novas Usinas FONTE: ITAÚ BBA 16

17 Custo de Produção Estimado Base: açúcar bruto antes do custo de financimento e da depreciação C ents / Lp Tailândia Austrália África do Sul Brasil (Centro Sul) FONTE: ITAÚ BBA 17

18 Bioeletricidade Potencial para Venda de Excedentes 20/21 15,287 15/16 8,610 Três Belo Monte 11/12 4,158 2,000 4,000 6,000 8,000 10,000 12,000 14,000 Realizado só 1,002 MegaWatt Médio FONTE: ÚNICA 18

19 SEÇÃO 2 Desempenho Econômico-Financeiro 19

20 Amostra da Carteira IBBA Grupos: 64 Safra: 11/12 Capacidade: 474 mm ton Moagem: 350 mm ton INDICADORES VALOR TOTAL EBITDA R$ MM CAPEX DESPESA FINANCEIRA AUMENTO DO ENDIVIDAMENTO CUSTO MÉDIO DA DÍVIDA R$ MM R$ MM R$ 5 Bi % FONTE: ITAÚ BBA 20

21 Margem EBITDA (%) Dívida Líquida / Moagem (R$ / ton) 45% 40% 35% 30% 25% 20% 15% 26% 30% 18% 23% 25% 30% 29% 42% 15% CAPACIDADE REALIZADO % 5% 0% 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 Top 5 Last /06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 Top 5 Last 5 28 Dívida Líquida / Ebitda (x) Custo Caixa (US$ cents / lb) /06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 Top 5 Last /06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 Top 5 Last 5

22 Análise Financeira Amostra da Carteira IBBA 50% 45% 40% 35% Marg gem Ebitda 30% 25% 20% 15% 10% 5% 0% Dívida Líquida / Capacidade de Moagem (R$ / ton) FONTE: ITAÚ BBA 22

23 GRANDES GRUPOS COM PLENO ACESSO À CAPITAL Quantidade de Grupos: 12 GRUPO NACIONAIS COM EXCELENTE PERFORMANCE OPERACIONAL E ENDIVIDAMENTO ADEQUADO Quantidade de Grupos: 30 Capacidade d de Moagem: 232 mm ton Representatividade: 36% do Centro-Sul Capacidade de Moagem: 185 mm ton Representatividade: 29 % do Centro-Sul GRUPOS EM RECUPERAÇÃO COM ELEVADA ALAVANCAGEM GRUPOS QUE NECESSITAM PASSAR POR PROCESSO DE FUSÃO AQUISIÇÃO Quantidade de Grupos: 26 Capacidade de Moagem: 104 mm ton Representatividade: 16% do Centro-Sul Representatividade: 18% do Centro-Sul

24 SEÇÃO 3 Quadro Evolutivo Setorial 24

25 Principais Players de Açúcar e Etanol Capacidade de Moagem (mm tons) 2011/ Lincoln Junqueira Notes: %. 2. Ponderada pelas Participações Acionárias. Expansão até 2015/2016 FONTE: ITAÚ BBA E RELATÓRIOS DAS EMPRESAS

26 Potenciais Sinergias da Integração: Posicionamento e Rentabilidade Nos últimos anos, houve um processo de verticalização na cadeia de valor do setor de açúcar e álcool, com maior agilidade na consolidação do segmento downstream... Upstream Downstream Produção Logística Trading de Açúcar Varejo e Distribuição de Etanol Pré é-consolidação 300 Grupos Econômicos Rodoviário ~10 Grupos Econômicos Atual Modais ferroviários e dutos mais desenvolvidos? Cenário 230 Grupos Econômicos 3 Grandes Grupos Econômicos Considerações Mercado de commodity em processo de Novos Entrantes Mercado já consolidado e consolidação (mais lento do que no organizado com projeção de segmento downstream) margens estáveis para os próximos Margens podem ficar mais atrativas anos nos próximos anos Oportunidade de integração Tradings consideram que posicionamento Consolidação do segmento no upstream é estratégico para ter acesso upstream pode oferecer desafios e à matéria-prima e manter cativos seus alterar captura de valor na cadeia negócios como um todo FONTE: ITAÚ BBA... e esse processo tende a continuar em direção ao segmento upstream nos próximos anos 26

27 Impactos da Consolidação 1 Concentração Setorial 2005/2006 Concentração Setorial 2010/2011 Concentração Setorial por Capacidade de Moagem Top 10 30% Outros 70% Top 10 43% Outros 57% 2 Top 5 Players por Capacidade de Moagem (mm ton) Top 5 Capacidade 2005/2006 (mm tons) 36 Capacidade Média: 15.4 mm tons Top 5 Capacidade 2010/2011 (mm tons) Capacidade média: 33.0 mm tons Expansão até Top 5 Players Highlights dos Acionistas Top 5 players: 100% Acionistas Brasileiros Top 5 players: 100% com capital estrangeiro na base acionária. FONTE: SITES DAS EMPRESAS, RELATÓRIOS DAS EMPRESAS E ITAÚ BBA

28 Processo de Consolidação Tendência e Dinâmica Alguns novos players internacionais e nacionais não vêm performando de forma adequada; Mais de 150 mm de tons de capacidade foram negociados nos últimos 3 anos, porém neste ano nenhuma transação relevante foi observada; Alguns grandes grupos demonstram apetite para atingir, no médio e longo prazo, um tamanho entre 50 e 100 mm de ton; Potenciais transações entre líderes não estão descartadas; Oportunidades de aquisições dentro da área de influência de consolidadores também podem ocorrer; Poucos potenciais novos entrantes hoje restritos a tradings e petroleiras. FONTE: ITAÚ BBA 28

29 Processo Acelerado de Consolidação Transações Recentes de M&A Selecionadas ( ) Alvo Comprador Stake Adquirido (%) Capacidade de Moagem do Alvo (mm ton) Alvo Comprador Stake Adquirido (%) Capacidade de Moagem do Alvo (mm ton) % % 6 GO Usina Mandu % 100% 7 3 Usina Beneálcol + 100% % 12 + Merger % % 11 + Usina Zanin 100% % 15 SP + 100% 7 Vale do Ivaí + 100% 3 Usina Rio Vermelho + 100% 1.5 Usina Cofercatu Lincoln + 100% 1.5 Junqueira + 83% Usina Vertente + 50% Goiás + 50% 7 + Merger 10 + Merger % ? + 100% 1.8 FONTE: EMPRESAS, ITAÚ BBA E VALOR ECONÔMICO Total 160* * Ponderada pela participação adquirida

30 SEÇÃO 4 Conclusões 30

31 Conclusões ASPECTOS POSITIVOS Apreciação do dólar; Boa rentabilidade do açúcar tem possibilitado zerar a conta; Petróleo por volta de US$ 100/ barril no mercado internacional; Condições climáticas adversas no Hemisfério Norte; Linhas de crédito apropriadas para plantio e estocagem; Maior alinhamento de interesses entre setor privado, Petrobrás e Governo. ASPECTOS NEGATIVOS EXPECTATIVAS Rentabilidade inexistente no etanol hidratado; Situação financeira preocupante em 1/3 das empresas do setor; Canaviais em recuperação ainda apresentando rendimentos abaixo do histórico; Nenhum incentivo à produção de bioeletricidade; Ainda não se conseguiu chegar a uma política para o etanol no longo prazo; Restrição de aquisição de terras por investidores estrangeiros; Leis e normas trabalhistas muito complicadas (NR 31); Gap na melhoria das variedades de cana-de-açúcar. Criação de mecanismos de desoneração fiscal que aumente a competitividade do etanol em relação ao combustível fóssil, reconhecendo suas externalidades positivas; Mecanismo de ajuste de preços com regras claras no longo prazo que gere confiança nos agentes; Desenvolvimento e disseminação de novas tecnologias que dêem resposta aos nossos atuais problemas e que promovam a volta da eficiência e da 31 produtividade.

32 Obrigado.

Situação atual e perspectivas para o setor sucroenergético

Situação atual e perspectivas para o setor sucroenergético 23 de julho de 2015 Situação atual e perspectivas para o setor sucroenergético Antonio de Padua Rodrigues Diretor técnico ROTEIRO I. Perspectivas para a safra 2015/2016 II. Mercados de açúcar e de etanol

Leia mais

Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2014/2015

Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2014/2015 Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2014/2015 São Paulo, 23 de abril de 2014 ROTEIRO I. Safra 2013/2014 na região Centro-Sul: dados finais Condições climáticas e agronômicas Moagem e produção Mercados

Leia mais

Reunião Pública 2013 Safra 13/14

Reunião Pública 2013 Safra 13/14 Reunião Pública 2013 Safra 13/14 Grupo São Martinho 300.000 ha Área agrícola de colheita 4 usinas São Martinho, Iracema, Santa Cruz e Boa Vista 21 milhões de tons Capacidade de processamento de cana de

Leia mais

Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2013/2014

Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2013/2014 Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2013/2014 São Paulo, 29 de abril de 2013 ROTEIRO I. Safra 2012/2013 na região Centro-Sul: dados finais Moagem e produção Mercados de etanol e de açúcar Preços e

Leia mais

Tereos Internacional Resultados do Primeiro Trimestre 2014/15

Tereos Internacional Resultados do Primeiro Trimestre 2014/15 Tereos Internacional Resultados do Primeiro Trimestre 20 São Paulo 12 de agosto de 2014 Principais Iniciativas e Destaques do Operacional 2 Cana-de-açúcar Brasil: Aumento dos benefícios do programa Guarani

Leia mais

27 de abril de 2016. Coletiva de imprensa ESTIMATIVA SAFRA 2016/2017

27 de abril de 2016. Coletiva de imprensa ESTIMATIVA SAFRA 2016/2017 27 de abril de 2016 Coletiva de imprensa ESTIMATIVA SAFRA 2016/2017 ROTEIRO I. Considerações sobre a atual situação do setor sucroenergético II. Bioeletricidade III. Condições climáticas e agronômicas

Leia mais

Desafios para o Investimento em Novas Usinas de Etanol no Brasil

Desafios para o Investimento em Novas Usinas de Etanol no Brasil Desafios para o Investimento em Novas Usinas de Etanol no Brasil Dezembro, 2011 11 Sumário SEÇÃO 1 SEÇÃO 2 SEÇÃO 3 SEÇÃO 4 Rápida Avaliação Setorial Desempenho Econômico-Financeiro Quadro Evolutivo Setorial

Leia mais

Painel 4 Perspectivas dos mercados de açúcar e etanol

Painel 4 Perspectivas dos mercados de açúcar e etanol BMFBovespa Seminário Perspectivas do Agribusiness 2012-2013 Painel 4 Perspectivas dos mercados de açúcar e etanol Andy Duff, Food & Agribusiness Research, Rabobank Brasil 22 de maio de 2012 Food & Agribusiness

Leia mais

REUNIÃO TÉCNICA DE ECONOMIA O SETOR SUCROALCOOLEIRO UMA RADIOGRAFIA DO SETOR

REUNIÃO TÉCNICA DE ECONOMIA O SETOR SUCROALCOOLEIRO UMA RADIOGRAFIA DO SETOR REUNIÃO TÉCNICA DE ECONOMIA O SETOR SUCROALCOOLEIRO UMA RADIOGRAFIA DO SETOR CELSO FUJIOKA Março de 2014 DIRETORIA DE ECONOMIA DA ANEFAC POTENCIAL DE CULTIVO O plantio da cana-deaçúcar ocupa menos de 1%

Leia mais

INFOSUCRO Perspectivas do Mercado de Etanol e Açúcar

INFOSUCRO Perspectivas do Mercado de Etanol e Açúcar INFOSUCRO Perspectivas do Mercado de Etanol e Açúcar Marcello Cuoco Rio de Janeiro, 28/11/11 AGENDA Overview dos mercados de Energia e Açúcar Perspectivas do mercado de Etanol ETH AGENDA Overview dos mercados

Leia mais

Açúcar: Informativo Quinzenal. Oferta se acentua e preços cedem. Indicador de Açúcar Cristal Cepea/Esalq Estado de São Paulo.

Açúcar: Informativo Quinzenal. Oferta se acentua e preços cedem. Indicador de Açúcar Cristal Cepea/Esalq Estado de São Paulo. Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada CEPEA/ESALQ/USP 25 de maio de 2011 Volume 1, Edição 22 Açúcar: Informativo Quinzenal Indicador de Açúcar Cristal Cepea/Esalq Estado de São Paulo DATA Valor

Leia mais

O IMPACTO DO ETANOL NO DESENVOLVIMENTO DE MINAS GERAIS

O IMPACTO DO ETANOL NO DESENVOLVIMENTO DE MINAS GERAIS CICLO DE DEBATES O IMPACTO DO ETANOL NO DESENVOLVIMENTO DE MINAS GERAIS LUIZ CUSTÓDIO COTTA MARTINS PRESIDENTE ASSSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MINAS GERAIS BELO HORIZONTE - MG 29/10/2009 A CANA COMO

Leia mais

ESTRUTURA SOCIETÁRIA

ESTRUTURA SOCIETÁRIA APIMEC 2011 ESTRUTURA SOCIETÁRIA 2 VANTAGENS COMPETITIVAS SMTO Matéria-Prima Um dos players mais integrados do Brasil (mais de 70% de cana própria) Ganhos de Escala Expertise na administração de grandes

Leia mais

Relatório de Resultados: 1T 14. A. Raízen Energia. Dados de Produção

Relatório de Resultados: 1T 14. A. Raízen Energia. Dados de Produção Os números apresentados neste relatório podem diferir dos números reportados pela Cosan como sendo referentes à Raízen. Isto se deve a algumas diferenças contábeis, principalmente em função de efeitos

Leia mais

Coletiva de imprensa BALANÇO DA SAFRA 2014/2015

Coletiva de imprensa BALANÇO DA SAFRA 2014/2015 Coletiva de imprensa BALANÇO DA SAFRA 2014/2015 ROTEIRO Safra 2014/2015 Bioeletricidade Políticas Públicas e Setoriais 1 - SAFRA 2014/2015 SAFRA 2014/2015 REGIÃO CENTRO-SUL Condições agrícolas e operacionais

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: ABRIL/2014 CEPEA - AÇÚCAR & ETANOL I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Relações de preços mercados interno e internacional

Leia mais

Situação atual e perspectivas para a retomada do crescimento

Situação atual e perspectivas para a retomada do crescimento Setor de cana-de-açúcar no Brasil: Setor de cana-de-açúcar no Brasil: Situação atual e perspectivas para a retomada do crescimento Luiz Carlos Corrêa Carvalho Canaplan X Seminário Guarani, safra 12/13

Leia mais

Projeções de custos e rentabilidade do setor sucroenergético na região Nordeste para a safra 2013/14: o desafio de sobrevivência dos fornecedores

Projeções de custos e rentabilidade do setor sucroenergético na região Nordeste para a safra 2013/14: o desafio de sobrevivência dos fornecedores Projeções de custos e rentabilidade do setor sucroenergético na região Nordeste para a safra 2013/14: o desafio de sobrevivência dos fornecedores Essa publicação apresenta as projeções de custos de produção

Leia mais

e Perspectivas para a Safra 13/14 Desafios para o Aumento da Produção Brasileira de Cana de Açúcar

e Perspectivas para a Safra 13/14 Desafios para o Aumento da Produção Brasileira de Cana de Açúcar Considerações sobre a Safra 12/13 e Perspectivas para a Safra 13/14 de Cana-de-Açúcar no Brasil Plinio Nastari, Ph.D. presidente, DATAGRO Desafios para o Aumento da Produção Brasileira de Cana de Açúcar

Leia mais

PERSPECTIVAS PARA OS MERCADOS DE AÇÚCAR E ETANOL

PERSPECTIVAS PARA OS MERCADOS DE AÇÚCAR E ETANOL PERSPECTIVAS PARA OS MERCADOS DE AÇÚCAR E ETANOL Marcos Sawaya Jank Presidente da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (UNICA) São Paulo, 26 de maio de 2011 SOBRE A UNICA Maior organização representativa

Leia mais

O GOVERNO E O SETOR SUCROENERGÉTICO

O GOVERNO E O SETOR SUCROENERGÉTICO XIV SEMINÁRIO DE CANA-DE-AÇÚCAR STAB O GOVERNO E O SETOR SUCROENERGÉTICO Luciano Rodrigues Gerente de Economia e Estatística Vitória 24 de setembro de 2014 ROTEIRO I. Ascenção e declínio: o que aconteceu

Leia mais

Resultados dos 9M07 e 3T07 Safra 2006 / 07

Resultados dos 9M07 e 3T07 Safra 2006 / 07 4 Resultados dos 9M07 e 3T07 Safra 2006 / 07 SÃO MARTINHO APRESENTA LUCRO LÍQUIDO DE R$ 77,2 MILHÕES NO ACUMULADO DE 9M07 Receita Líquida Cresce 22,2% e Atinge 652,6 milhões nos 9M07 São Paulo, 15 de março

Leia mais

Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global

Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global Exportações de açúcar da empresa devem aumentar 86% na safra 2009/2010 A Copersucar completa

Leia mais

Resultados de 2007 Safra 2006/07

Resultados de 2007 Safra 2006/07 4 Resultados de 2007 Safra 2006/07 SÃO MARTINHO DIVULGA EBITDA AJUSTADO DE R$ 290,1 MILHÕES EM 2007 Margem EBITDA ajustado atinge 34,2%, apresentando aumento de 3,0 pontos percentuais São Paulo, 27 de

Leia mais

. Reafirmar a importância do etanol como tema estratégico para a economia, o meio-ambiente, a geração de empregos e o futuro do País

. Reafirmar a importância do etanol como tema estratégico para a economia, o meio-ambiente, a geração de empregos e o futuro do País o que é O QUE É. Lançado em Brasília em dezembro de 2011, o Movimento Mais Etanol visa detalhar e disseminar políticas públicas e privadas indispensáveis para: w O restabelecimento da competitividade do

Leia mais

Reunião APIMEC Dezembro, 2009

Reunião APIMEC Dezembro, 2009 Reunião APIMEC Dezembro, 2009 Aviso Esta apresentação contém declarações e informações prospectivas relacionadas a perspectivas da Companhia e a estimativas de resultados operacionais e financeiros. As

Leia mais

APRESENTAÇÃO SUMÁRIO BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS

APRESENTAÇÃO SUMÁRIO BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis EDIÇÃO N o 91 Agosto/2015 BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS

Leia mais

Ano I Boletim II Outubro/2015. Primeira quinzena. são específicos aos segmentos industriais de Sertãozinho e região.

Ano I Boletim II Outubro/2015. Primeira quinzena. são específicos aos segmentos industriais de Sertãozinho e região. O presente boletim analisa algumas variáveis chaves na atual conjuntura da economia sertanezina, apontando algumas tendências possíveis. Como destacado no boletim anterior, a indústria é o carro chefe

Leia mais

Edição 44 (Abril/2014)

Edição 44 (Abril/2014) Edição 44 (Abril/2014) Cenário Econômico: Prévia da inflação tem maior alta desde janeiro de 2013 O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15), considerado a prévia da inflação oficial,

Leia mais

COMO VOLTAR A ESTIMULAR PRODUÇÃO E CONSUMO NO SETOR SUCROENERGÉTICO. Plinio Nastari DATAGRO. FÓRUM NORDESTE 2013 Recife, PE 09 de Setembro de 2013

COMO VOLTAR A ESTIMULAR PRODUÇÃO E CONSUMO NO SETOR SUCROENERGÉTICO. Plinio Nastari DATAGRO. FÓRUM NORDESTE 2013 Recife, PE 09 de Setembro de 2013 COMO VOLTAR A ESTIMULAR PRODUÇÃO E CONSUMO NO SETOR SUCROENERGÉTICO Plinio Nastari DATAGRO FÓRUM NORDESTE 2013 Recife, PE 09 de Setembro de 2013 O Fim da Pobreza China: 1,35 bilhão pessoas (2012). Índia:

Leia mais

$ $ À espera da competitividade

$ $ À espera da competitividade etanol À espera da competitividade foi mais um ano de sufoco para o setor sucroalcooleiro, que ainda sente os reflexos da crise de 2008, que deixou as usinas sem crédito, justamente quando haviam assumido

Leia mais

Monitoramento da Cultura de Cana-de-Açúcar no Estado de São Paulo

Monitoramento da Cultura de Cana-de-Açúcar no Estado de São Paulo Versão Online Boletim No: 13 Novembro, 2015 Monitoramento da Cultura de Cana-de-Açúcar no Estado de São Paulo I. PANORAMA O atual cenário econômico brasileiro está preocupando diversos setores, inclusive

Leia mais

COSAN DAY 2012. Julio Fontana

COSAN DAY 2012. Julio Fontana COSAN DAY 2012 Julio Fontana Disclaimer Esta apresentação contém estimativas e declarações sobre operações futuras a respeito de nossa estratégia e oportunidades de crescimento futuro. Essas informações

Leia mais

Papel dos biocombustíveis na matriz energética brasileira

Papel dos biocombustíveis na matriz energética brasileira Papel dos biocombustíveis na matriz energética brasileira Agenda Arcabouço Legal Panorama Brasil o Matriz Energética Brasileira o Biodiesel o Etanol o Novos Biocombustíveis Comentários Finais Arcabouço

Leia mais

Teleconferência de Resultados do 3T09

Teleconferência de Resultados do 3T09 Teleconferência de Resultados do 3T09 2 Destaques do trimestre O forte resultado do 3T09 demonstrou nossa confortável posição competitiva na indústria de proteínas e confirmou os resultados esperados de

Leia mais

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO PANORAMA SEMANA DE 21 A 25 DE SETEMBRO de 2009 Semana de preço estável no mercado de Boi Gordo no Rio Grande do Sul, com o preço encerrando a semana a R$ 4,61/kg carcaça.

Leia mais

O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO E O SETOR DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS TENDÊNCIAS DOS MERCADOS PARA 2012/2013 E OS CENÁRIOS DE LONGO PRAZO Carlos Cogo Agosto/2012 LA NIÑA PROVOCA FORTES QUEBRAS EM SAFRAS DE GRÃOS O

Leia mais

Indústria Automobilística: O Desafio da Competitividade Internacional

Indústria Automobilística: O Desafio da Competitividade Internacional Encontro Econômico Brasil-Alemanha Indústria Automobilística: O Desafio da Competitividade Internacional Jackson Schneider Presidente Anfavea Blumenau, 19 de novembro de 2007 1 Conteúdo 2 1. Representatividade

Leia mais

Crescimento Real: Expansão e Aprimoramento da Infraestrutura. Alexandre Mattos Setten Diretor de Logística Copersucar

Crescimento Real: Expansão e Aprimoramento da Infraestrutura. Alexandre Mattos Setten Diretor de Logística Copersucar Crescimento Real: Expansão e Aprimoramento da Infraestrutura Alexandre Mattos Setten Diretor de Logística Copersucar Comércio Internacional Consumo Mundial Produção Mundial Açúcar: demanda mundial em crescimento...

Leia mais

JOINT VENTURE MPX / E.ON. Rio de Janeiro Janeiro 2012

JOINT VENTURE MPX / E.ON. Rio de Janeiro Janeiro 2012 JOINT VENTURE MPX / E.ON Rio de Janeiro Janeiro 2012 AVISO LEGAL Esta apresentação contém algumas afirmações e informações prospectivas relacionadas a Companhia que refletem a atual visão e/ou expectativas

Leia mais

Açúcar: quebra da cana, mas não do açúcar. Lucas Brunetti Economista

Açúcar: quebra da cana, mas não do açúcar. Lucas Brunetti Economista Açúcar: quebra da cana, mas não do açúcar Lucas Brunetti Economista Tópicos Crop Tour: efeito da seca El Niño: se vier será mais fraco Conjuntura no resto do mundo e preços Crop Tour: São Paulo e Triângulo

Leia mais

CONSECANA - Conselho de Produtores de Cana-de-Açúcar, Açúcar e Etanol do Estado de São Paulo

CONSECANA - Conselho de Produtores de Cana-de-Açúcar, Açúcar e Etanol do Estado de São Paulo CONSECANA - Conselho de Produtores de Cana-de-Açúcar, Açúcar e Etanol do Estado de São Paulo CIRCULAR Nº 02/12 DATA: 17 de abril de 2012 Ref.: Nova metodologia de apuração dos indicadores de preço do açúcar

Leia mais

Programa de desenvolvimento de tecnologias de 2ª geração no PAISS. Carlos Eduardo Calmanovici Julho, 2012

Programa de desenvolvimento de tecnologias de 2ª geração no PAISS. Carlos Eduardo Calmanovici Julho, 2012 Programa de desenvolvimento de tecnologias de 2ª geração no PAISS Carlos Eduardo Calmanovici Julho, 2012 PAISS Etanol 2G 1. Motivação 2. Programa 2G 3. Perspectivas e discussão PAISS Etanol 2G 1. Motivação

Leia mais

Relatório Analítico 27 de março de 2012

Relatório Analítico 27 de março de 2012 VENDA Código de Negociação Bovespa TGM A3 Segmento de Atuação Principal Logística Categoria segundo a Liquidez 2 Linha Valor de M ercado por Ação (R$) 29,51 Valor Econômico por Ação (R$) 32,85 Potencial

Leia mais

15 de Outubro de 2015

15 de Outubro de 2015 out-14 nov-14 nov-14 dez-14 jan-15 jan-15 fev-15 mar-15 mar-15 abr-15 abr-15 mai-15 jun-15 jun-15 jul-15 jul-15 ago-15 set-15 set-15 jun-07 set-07 dez-07 mar-08 jun-08 set-08 dez-08 mar-09 jun-09 set-09

Leia mais

Medida Provisória 532/2011

Medida Provisória 532/2011 Ciclo de palestras e debates Agricultura em Debate Medida Provisória 532/2011 Manoel Polycarpo de Castro Neto Assessor da Diretoria da ANP Chefe da URF/DF Maio,2011 Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural

Leia mais

O déficit de produção de etanol no Brasil entre 2012 e 2015: determinantes, consequências e sugestões de política

O déficit de produção de etanol no Brasil entre 2012 e 2015: determinantes, consequências e sugestões de política Biocombustíveis BNDES Setorial 35, p. 277 302 O déficit de produção de etanol no Brasil entre 2012 e 2015: determinantes, consequências e sugestões de política Artur Yabe Milanez Diego Nyko Jorge Luiz

Leia mais

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 3T14

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 3T14 Relações com Investidores DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 3T14 Apresentação: José Rubens de la Rosa CEO José Antonio Valiati CFO & Diretor de Relações com Investidores Thiago A. Deiro Gerente Financeiro &

Leia mais

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1T15

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1T15 Relações com Investidores DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1T15 Apresentação: José Rubens de la Rosa CEO José Antonio Valiati CFO & Diretor de Relações com Investidores Thiago Deiro Gerente Financeiro & de

Leia mais

Allan Kardec Duailibe Diretor

Allan Kardec Duailibe Diretor Allan Kardec Duailibe Diretor Audiência Pública Câmara dos Deputados Comissão de Minas e Energia 25 de Maio, 2011 A POLÍTICA DOS BIOCOMBUSTÍVEIS NO BRASIL Objetivos definidos na Lei n º 9.478/97: Alargar

Leia mais

A COMPETITIVIDADE DO ETANOL BRASILEIRO

A COMPETITIVIDADE DO ETANOL BRASILEIRO Desafios estratégicos setoriais Petróleo, etanol e biocombustíveis diferenciais estratégicos A COMPETITIVIDADE DO ETANOL BRASILEIRO Marcos S. Jank Presidente da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (UNICA)

Leia mais

Biocombustíveis. Também chamados de agrocombustíveis

Biocombustíveis. Também chamados de agrocombustíveis Biocombustíveis Também chamados de agrocombustíveis Biomassa É o combustível obtido a partir da biomassa: material orgânico vegetal ou animal Uso tradicional: lenha, excrementos Etanol: álcool combustível.

Leia mais

Teleconferência de Resultados 2T15. 31 de julho de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 2T15. 31 de julho de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 2T15 31 de julho de 2015 Magazine Luiza Destaques do 2T15 Vendas E-commerce Ganho consistente de participação de mercado Redução na receita líquida de 10,1% para R$2,1 bilhões

Leia mais

VENDAS DE HIDRATADO CRESCEM 10,5% EM 2014

VENDAS DE HIDRATADO CRESCEM 10,5% EM 2014 Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano X 19/fevereiro/2015 n. 433 VENDAS DE HIDRATADO CRESCEM 10,5% EM 2014 Compilados os dados finais de 2014 pela ANP foi possível analisar claramente o crescimento

Leia mais

Etanol Bioeletricidade - Energia limpa e renovável da cana de açúcar

Etanol Bioeletricidade - Energia limpa e renovável da cana de açúcar Etanol Bioeletricidade - Energia limpa e renovável da cana de açúcar Jadir Silva Oliveira Gerente de Meio Ambiente - SIAMIG Forum Mineiro de Energía Renovável Local : BDMG - Belo Horizonte/MG 03 de Junho

Leia mais

AÇÚCAR EM NOVA YORK ASSUME VANTAGEM SOBRE PREÇOS DO HIDRATADO EM RIBEIRÃO PRETO

AÇÚCAR EM NOVA YORK ASSUME VANTAGEM SOBRE PREÇOS DO HIDRATADO EM RIBEIRÃO PRETO Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano XVII 07/setembro/2015 n. 591 AÇÚCAR EM NOVA YORK ASSUME VANTAGEM SOBRE PREÇOS DO HIDRATADO EM RIBEIRÃO PRETO A finalização da primeira semana de setembro

Leia mais

3T11 Resultados do 4T10

3T11 Resultados do 4T10 0 APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS 3T11 Resultados do 4T10 1 Aviso importante Esta apresentação contém declarações e informações prospectivas a respeito da General Shopping. Estas declarações e informações

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SUCO DE LARANJA NOVEMBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SUCO DE LARANJA NOVEMBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SUCO DE LARANJA NOVEMBRO DE 2015 PRODUTOS DISTRIBUIÇÃO DA PRODUÇÃO DE LARANJA NO CINTURÃO CITRÍCOLA 49% Farelo 85% laranja para indústria 45% Suco 98%

Leia mais

Fonte: MAPA e RFA/USA. Elaboração: INTL FCStone

Fonte: MAPA e RFA/USA. Elaboração: INTL FCStone Commodity Insight Agosto de 2013 Analistas Thadeu Silva Diretor de Inteligência de Mercado Thadeu.silva@intlfcstone.com Pedro Verges Analista de Mercado Pedro.verges@intlfcstone.com Natália Orlovicin Analista

Leia mais

Combustíveis BOLETIM CEPER. Ribeirão Preto/SP. Prof. Dr. Luciano Nakabashi André Ribeiro Cardoso e Simone Prado Araujo

Combustíveis BOLETIM CEPER. Ribeirão Preto/SP. Prof. Dr. Luciano Nakabashi André Ribeiro Cardoso e Simone Prado Araujo Neste boletim são apresentadas informações e uma breve análise sobre o comportamento dos preços dos principais combustíveis automotivos, etanol e gasolina comum, com base nos dados de preço coletados pela

Leia mais

Açúcar Relatório de Mercado Março de 2014 MERCADO INDUSTRIAL

Açúcar Relatório de Mercado Março de 2014 MERCADO INDUSTRIAL Açúcar MERCADO INDUSTRIAL PRODUÇÃO CANA, AÇÚCAR E ETANOL As unidades produtoras do Centro-Sul processaram 149.271 toneladas de cana-de-açúcar na primeira quinzena de fevereiro, volume 3,8% menor ante as

Leia mais

Monitoramento da Cultura de Cana-de-Açúcar no Estado de São Paulo

Monitoramento da Cultura de Cana-de-Açúcar no Estado de São Paulo Versão Online Boletim No: 02/2014 Dezembro, 2014 Monitoramento da Cultura de Cana-de-Açúcar no Estado de São Paulo I. PANORAMA DA SAFRA A área destinada à produção de cana-deaçúcar na safra 2014/15 apresentou

Leia mais

RELOP III Reunião Anual Rio de Janeiro, 04 de novembro de 2010

RELOP III Reunião Anual Rio de Janeiro, 04 de novembro de 2010 Os Biocombustíveis no Brasil RELOP III Reunião Anual Rio de Janeiro, 04 de novembro de 2010 SUMÁRIO 1. Alguns dados d sobre o Brasil e a ANP 2. Os biocombustíveis no Brasil 3. O etanol 4. O biodiesel PANORAMA

Leia mais

VASCO DIAS LUIS HENRIQUE GUIMARÃES

VASCO DIAS LUIS HENRIQUE GUIMARÃES COSAN DAY 2016 VASCO DIAS LUIS HENRIQUE GUIMARÃES DISCLAIMER Esta apresentação contem estimativas prospectivas futuro. sobre nossa estratégia e oportunidades para o crescimento Essa informação é baseada

Leia mais

Pedro Mizutani acredita que setor sucroenergético deve sentir uma recuperação mais acelerada da crise

Pedro Mizutani acredita que setor sucroenergético deve sentir uma recuperação mais acelerada da crise Pedro Mizutani acredita que setor sucroenergético deve sentir uma recuperação mais acelerada da crise A crise econômica afeta o setor sucroenergético principalmente, dificultando e encarecendo o crédito

Leia mais

Safra 2016/2017. Safra 2015/2016

Safra 2016/2017. Safra 2015/2016 Valores de ATR e Preço da Tonelada de Cana-de-açúcar - Consecana do Estado do Paraná Safra 2016/2017 Mar/16 0,6048 0,6048 0,6048 66,04 73,77 Abr 0,6232 0,6232 0,5927 64,72 72,29 Mai 0,5585 0,5878 0,5868

Leia mais

Unopar. Dezembro 2011 KROT11

Unopar. Dezembro 2011 KROT11 Unopar Dezembro 2011 KROT11 Notas Importantes As afirmações contidas neste documento relacionadas a perspectivas sobre os negócios, projeções sobre resultados operacionais e financeiros e aquelas relacionadas

Leia mais

- Assessoria de Mercado de Capitais e Empresarial Ltda - Consultores Ltda

- Assessoria de Mercado de Capitais e Empresarial Ltda - Consultores Ltda 19/02/2010 CETIP S.A BALCÃO ORGANIZADO DE ATIVOS E DERIVATIVOS A Companhia A CETIP S.A. - Balcão Organizado de Ativos e Derivativos ( Companhia ou CETIP ) opera o maior Mercado Organizado para Ativos de

Leia mais

Cana de açúcar para indústria: o quanto vai precisar crescer

Cana de açúcar para indústria: o quanto vai precisar crescer Cana de açúcar para indústria: o quanto vai precisar crescer A demanda crescente nos mercados interno e externo por combustíveis renováveis, especialmente o álcool, atrai novos investimentos para a formação

Leia mais

Clarion S/A Agroindustrial CLAN3 / CLAN4

Clarion S/A Agroindustrial CLAN3 / CLAN4 CLARION S/A - AGROINDUSTRIAL Apresentação APIMEC-DF 11/08/2009 Apresentação APIMEC-RIO 12/08/2009 DISCLAIMER Esta apresentação contém declarações/afirmações envolvendo projeções futuras. Tais afirmações

Leia mais

Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Abril de 2012 Expectativa de expansão da safra 2012/13 do complexo sucroalcooleiro no Brasil poderá ser afetada pelo clima seco Regina Helena Couto Silva Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Leia mais

MERCADO DO ETANOL BRASILEIRO: COMPOSIÇÃO DE PREÇOS E PERSPECTIVAS

MERCADO DO ETANOL BRASILEIRO: COMPOSIÇÃO DE PREÇOS E PERSPECTIVAS MERCADO DO ETANOL BRASILEIRO: COMPOSIÇÃO DE PREÇOS E PERSPECTIVAS Sara Lucia da Silva Ribas (UFOP) saraluribas@yahoo.com.br Bruna de Fatima Pedrosa Guedes Flausinio (UFOP) brunafpguedes@gmail.com Este

Leia mais

Classificação da Informação: Uso Irrestrito

Classificação da Informação: Uso Irrestrito Cenário Econômico Qual caminho escolheremos? Cenário Econômico 2015 Estamos no caminho correto? Estamos no caminho correto? Qual é nossa visão sobre a economia? Estrutura da economia sinaliza baixa capacidade

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional Março de 205 Sumário A VIA VAREJO EM RESUMO B POSICIONAMENTO DA VIA VAREJO C DESTAQUES DO 4T4 2 Sumário A VIA VAREJO EM RESUMO B POSICIONAMENTO DA VIA VAREJO C DESTAQUES DO 4T4

Leia mais

Apresentação de Resultados 4T14

Apresentação de Resultados 4T14 Apresentação de Resultados 4T14 0 Aviso Geral Algumas afirmações nesta apresentação podem ser projeções ou afirmações sobre expectativas futuras. Tais afirmações estão sujeitas a riscos conhecidos e desconhecidos

Leia mais

Mercado global. vive momento de mudanças

Mercado global. vive momento de mudanças DATAGRO Mercado global vive momento de mudanças A indústria mundial de açúcar e etanol, setor no qual o Brasil figura como um dos principais líderes, vive um cenário de transformações. Enquanto no país

Leia mais

AGRONEGÓCIO CANAVIEIRO SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS LUIZ CARLOS CORRÊA CARVALHO CANAPLAN EVENTO STAB, CANA CRUA ESALQ/USP, 02/10/13

AGRONEGÓCIO CANAVIEIRO SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS LUIZ CARLOS CORRÊA CARVALHO CANAPLAN EVENTO STAB, CANA CRUA ESALQ/USP, 02/10/13 AGRONEGÓCIO CANAVIEIRO SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS LUIZ CARLOS CORRÊA CARVALHO CANAPLAN EVENTO STAB, CANA CRUA ESALQ/USP, 02/10/13 UM NOVO E COMPLEXO MUNDO AUMENTO POPULACIONAL PROCESSO GLOBAL COM INTENSA

Leia mais

Teleconferência de Resultados 2014 e 4T14. 27 de fevereiro de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 2014 e 4T14. 27 de fevereiro de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 2014 e 4T14 27 de fevereiro de 2015 Magazine Luiza Destaques 2014 Vendas E-commerce Despesas Operacionais EBITDA Ajustado Luizacred Lucro Líquido Ajustado Crescimento da receita

Leia mais

GANHOS DO ETANOL HIDRATADO SUPERAM AÇÚCAR BRUTO EM NOVA YORK EM QUASE 10%

GANHOS DO ETANOL HIDRATADO SUPERAM AÇÚCAR BRUTO EM NOVA YORK EM QUASE 10% Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano XVII 0613/julho/2015 n. 583 GANHOS DO ETANOL HIDRATADO SUPERAM AÇÚCAR BRUTO EM NOVA YORK EM QUASE 10% O encerramento de junho foi marcado por mais um período

Leia mais

Teleconferência de Resultados 2T15. 23 de julho de 2015

Teleconferência de Resultados 2T15. 23 de julho de 2015 Teleconferência de Resultados 2T15 23 de julho de 2015 Aviso Legal As informações contidas nesta apresentação poderão incluir afirmações que representem "forward looking statements" nos termos do disposto

Leia mais

A Crise Internacional e os Desafios para o Brasil

A Crise Internacional e os Desafios para o Brasil 1 A Crise Internacional e os Desafios para o Brasil Guido Mantega Outubro de 2008 1 2 Gravidade da Crise Crise mais forte desde 1929 Crise mais grave do que as ocorridas nos anos 1990 (crise de US$ bilhões

Leia mais

A FORMAÇÃO DOS PREÇOS DO ETANOL HIDRATADO NO MERCADO BRASILEIRO DE COMBUSTÍVEIS

A FORMAÇÃO DOS PREÇOS DO ETANOL HIDRATADO NO MERCADO BRASILEIRO DE COMBUSTÍVEIS A FORMAÇÃO DOS PREÇOS DO ETANOL HIDRATADO NO MERCADO BRASILEIRO DE COMBUSTÍVEIS Prof. Drº Nilton Cesar Lima Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade Universidade Federal de Alagoas AGENDA Objetivos

Leia mais

UMA SOLUÇÃO PARA O ETANOL BRASILEIRO

UMA SOLUÇÃO PARA O ETANOL BRASILEIRO UMA SOLUÇÃO PARA O ETANOL BRASILEIRO O Brasil tem o programa mais bem sucedido de substituição de combustível fóssil por combustível renovável no mundo. Esse resultado só foi possível pela resposta do

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional Disclaimer Nossas estimativas e declarações futuras têm por embasamento, em grande parte, expectativas atuais e projeções sobre eventos futuros e tendências financeiras que afetam

Leia mais

Fusões e Aquisições no Setor Sucroalcooleiro e a Promoção da Bioeletricidade

Fusões e Aquisições no Setor Sucroalcooleiro e a Promoção da Bioeletricidade Fusões e Aquisições no Setor Sucroalcooleiro e a Promoção da Bioeletricidade Nivalde J. de Castro 1 Guilherme de A. Dantas 2 A indústria sucroalcooleira brasileira passa por um intenso processo de fusões

Leia mais

Agronegócio Brasileiro: Cana-de-Açúcar. Visão de curto prazo - Safras 2015/16 a 2017/18. Canaplan Consultoria Técnica Ltda WWW.CANAPLAN.COM.

Agronegócio Brasileiro: Cana-de-Açúcar. Visão de curto prazo - Safras 2015/16 a 2017/18. Canaplan Consultoria Técnica Ltda WWW.CANAPLAN.COM. Agronegócio Brasileiro: Cana-de-Açúcar Visão de curto prazo - Safras 2015/16 a 2017/18 Canaplan Consultoria Técnica Ltda WWW.CANAPLAN.COM.BR Agronegócio Brasileiro: Cana-de-açúcar O que será do Brasil

Leia mais

Locamerica 20 anos. Você espera o melhor. A gente faz. Dezembro / 2013

Locamerica 20 anos. Você espera o melhor. A gente faz. Dezembro / 2013 Locamerica 20 anos Você espera o melhor. A gente faz. Dezembro / 2013 SEÇÃO 1 Visão Geral da Companhia História de Empreendedorismo e Crescimento Uma história de sucesso, crescimento e rentabilidade 2012

Leia mais

CONJUNTURA ECONÔMICA

CONJUNTURA ECONÔMICA CONJUNTURA ECONÔMICA O mês de março de 2015 foi marcado pelo anúncio dos principais resultados da economia de 2014 e deste início de 2015. Dentre eles destacaramse o PIB, taxa de desemprego nas principais

Leia mais

BRF- Brasil Foods Conferência Santander Janeiro 2011

BRF- Brasil Foods Conferência Santander Janeiro 2011 BRF- Brasil Foods Conferência Santander Janeiro 2011 Os resultados do terceiro trimestre de 2010 consolidam as Empresas BRF - Brasil Foods S.A. e Sadia S.A. (subsidiária integral). Os resultados da Sadia

Leia mais

Teleconferência de Resultados 4T13 e 2013

Teleconferência de Resultados 4T13 e 2013 Teleconferência de Resultados 4T13 e 2013 14 de fevereiro de 2014 13h00 (Brasília) / 10h00 (US EST) Português: +55 (11) 2188-0155 Inglês: +1 (646) 843-6054 Código de Acesso: Marisa Nota de Ressalva E s

Leia mais

DADOS DA CONAB TRAZEM AJUSTES E INDICAM MUDANÇA NA TENDÊNCIA DO MERCADO

DADOS DA CONAB TRAZEM AJUSTES E INDICAM MUDANÇA NA TENDÊNCIA DO MERCADO Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano XVII 17/agosto/2015 n. 588 DADOS DA CONAB TRAZEM AJUSTES E INDICAM MUDANÇA NA TENDÊNCIA DO MERCADO A quinta-feira foi iniciada com a atualização de um importante

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas CAFÉ CAFÉ Bolsas BM&F ICE FUTURES Contrato Fechamento Máxima Mínimo Variação Contrato Fechamento Máxima Mínimo Variação SET13 136,80 136,50 135,80-1,80 SET 113,50 115,70 113,25-1,45

Leia mais

Apresentação dos Resultados do 1T07

Apresentação dos Resultados do 1T07 Apresentação dos Resultados do 1T07 As afirmações contidas neste documento relacionadas a perspectivas sobre os negócios, projeções sobre resultados operacionais e financeiros e aquelas relacionadas a

Leia mais

ÁREA DE MILHO CRESCEU 4,9% NA SAFRA 2012/2013, A MAIOR DESDE 1937, INDICANDO QUE O PAÍS COLHERIA UMA SAFRA RECORDE ESTE ANO

ÁREA DE MILHO CRESCEU 4,9% NA SAFRA 2012/2013, A MAIOR DESDE 1937, INDICANDO QUE O PAÍS COLHERIA UMA SAFRA RECORDE ESTE ANO GRÃOS: SOJA, MILHO, TRIGO e ARROZ TENDÊNCIAS DOS MERCADOS PARA 2012/2013 NO BRASIL E NO MUNDO Carlos Cogo Setembro/2012 PRODUÇÃO MUNDIAL DEVE RECUAR 4,1% NA SAFRA 2012/2013 ESTOQUES FINAIS MUNDIAIS DEVEM

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO OUTUBRO DE 2015 CALENDÁRIO AGRÍCOLA - FEIJÃO Safra 1ª - Safra das Águas 2ª - Safra da Seca 3ª - Safra de Inverno Principais Regiões Sul, Sudeste,

Leia mais

Indicadores de Preços de Açúcar para o Mercado Internacional. Detalhamento Metodológico

Indicadores de Preços de Açúcar para o Mercado Internacional. Detalhamento Metodológico Indicadores de Preços de Açúcar para o Mercado Internacional Detalhamento Metodológico Submetido em Abril de 2012 Aplica-se aos Indicadores de Preços do Açúcar para o Sistema Consecana do Estado de SP

Leia mais

Oportunidades e Desafios na Verticalização da Produção Agrícola RODOLFO HIRSCH RABOBANK

Oportunidades e Desafios na Verticalização da Produção Agrícola RODOLFO HIRSCH RABOBANK Oportunidades e Desafios na Verticalização da Produção Agrícola RODOLFO HIRSCH RABOBANK Agenda 1. Visão Geral do Rabobank 2. Integração Vertical: Introdução, Racional e Exemplos 3. Integração Vertical

Leia mais

Novo Marco Regulatório do Etanol Combustível no Brasil. Rita Capra Vieira Superintendência de Biocombustíveis e Qualidade de Produtos - ANP

Novo Marco Regulatório do Etanol Combustível no Brasil. Rita Capra Vieira Superintendência de Biocombustíveis e Qualidade de Produtos - ANP Novo Marco Regulatório do Etanol Combustível no Brasil Rita Capra Vieira Superintendência de Biocombustíveis e Qualidade de Produtos - ANP Novembro de 2011 Evolução dos Biocombustíveis no Brasil 1973 Primeira

Leia mais

RESULTADOS 3T11. Grupo Pão de Açúcar e Globex Utilidades. 4 de novembro de 2011

RESULTADOS 3T11. Grupo Pão de Açúcar e Globex Utilidades. 4 de novembro de 2011 RESULTADOS 3T11 Grupo Pão de Açúcar e Globex Utilidades 4 de novembro de 2011 ELETRO GPA ALIMENTAR AGENDA RESULTADOS Supermercados Proximidade Atacarejo Postos e Drogarias Hipermercado Lojas Especializadas

Leia mais

Apresentação de Resultados 2T12. 10 de agosto de 2012

Apresentação de Resultados 2T12. 10 de agosto de 2012 Apresentação de Resultados 2T12 10 de agosto de 2012 Aviso Legal Esta apresentação contém certas declarações futuras e informações relacionadas à Companhia que refletem as visões atuais e/ou expectativas

Leia mais