Receita líquida cresce 7,7% e EBITDA proforma atinge R$ 1,1 bilhão no 3T14

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Receita líquida cresce 7,7% e EBITDA proforma atinge R$ 1,1 bilhão no 3T14"

Transcrição

1 Receita líquida cresce 7,7% e EBITDA proforma atinge R$ 1,1 bilhão no 3T14 São Paulo, 05 de novembro de 2014 A COSAN LIMITED (NYSE: CZZ; BM&FBovespa: CZLT33) e a COSAN S.A. INDÚSTRIA E COMÉRCIO (BM&FBovespa: CSAN3) anunciam hoje seus resultados referentes ao terceiro trimestre de 2014 (3T14) composto por julho, agosto e setembro de Os resultados são apresentados de forma consolidada, de acordo com as regras contábeis adotadas no Brasil e internacionais (IFRS). Teleconferência de Resultados Português 06 de novembro de h00 (horário de Brasília) Tel: Código: COSAN Inglês 06 de novembro de h00 (horário de Brasília) Tel (BR): Tel (USA): Código: COSAN Destaques do 3T14 EBITDA de R$ 546 milhões na Raízen Combustíveis com crescimento de 6% do volume vendido comparado com 3T13 Raízen Energia tem EBITDA de R$ 631 milhões com margem de 27% Comgás atinge recorde de conexões de clientes comerciais e volume no segmento cresce 2,2% Eficiência operacional garante elevação de 3,1 milhões de toneladas na Rumo no trimestre Relações com Investidores 3T14 3T13 Sumário das Informações Financeiras - Cosan Proforma¹ 9M 14 9M 13 (Jul-Set) (Jul-Set) Valores em R$ MM (Jan-Set) (Jan-Set) Telefone: , ,9 Receita Líquida , ,1 Site: , ,6 Lucro Bruto 3.625, ,9 Definições do Ano: 12,0% 14,7% Margem Bruta (%) 12,3% 12,9% 3T14 - trimestre encerrado em 30 de setembro de T13 - trimestre encerrado em 30 de setembro de M14-9 meses iniciado em 1 de janeiro de 2014 e encerrado em 30 de setembro de M13-9 meses iniciado em 1 de janeiro de 2013 e encerrado em 30 de setembro de ,0 719,3 Lucro Operacional 1.574, , , ,7 EBITDA 2.969, ,8 10,3% 12,6% Margem EBITDA (%) 10,1% 11,0% (8,3) (12,0) Resultado de Equivalência Patrimonial (23,2) (14,7) 99,2 317,6 Lucro antes dos Acionistas não Controladores 624,1 294,5 15,2 205,9 Lucro Líquido 375,5 31,5 0,1% 2,2% Margem Líquida (%) 1,3% 0,1% 588,9 685,9 CAPEX 2.038, , , ,1 Dívida Líquida Proforma ( incl. operações de ações preferenciais) , , , ,1 Patrimônio Líquido e Acionistas Não Controladores , ,1 Nota 1: Considerando a consolidação de 50% dos resultados da Raízen Combustíveis e Raízen Energia 1 de 47

2 A. Destaques e Unidades de Negócios A.1 Unidades de Negócio Apresentamos a seguir uma seção específica para cada unidade de negócio da Companhia com as principais informações operacionais bem como análises dos resultados desde a receita líquida até o EBITDA. As unidades de negócio (segmentos reportáveis) estão assim organizadas: Raízen Combustíveis Distribuição de Combustíveis Raízen Energia Açúcar, Etanol e Cogeração Comgás Distribuição de Gás Natural Rumo Operações Logísticas Cosan Lubrificantes Lubrificantes, Óleos Básicos e Especialidades Radar Investimento em Propriedades Agrícolas Outros Negócios Estrutura Corporativa e Outros Investimentos 2 de 47

3 A.2 Resultado Cosan Consolidado Para efeito de demonstração das informações financeiras da Cosan Consolidado foram considerados 100% dos resultados da Comgás, Rumo, Cosan Lubrificantes, Radar e do segmento Outros Negócios. A partir de 1º de abril de 2013, mediante a adoção da norma contábil IFRS 11, os resultados da Raízen Energia e Combustíveis são apresentados na linha Resultado de Equivalência Patrimonial, considerando a participação proporcional (50%) no resultado. Ajustes e Eliminações representam saldos e transações entre os segmentos. O EBITDA divulgado ao longo deste relatório segue a Instrução CVM 527/12, divulgada em 04 de outubro de 2012 pela Comissão de Valores Mobiliários e pode diferir dos valores divulgados em períodos anteriores em virtude do ajuste de resultado de equivalência patrimonial. Por consequência, o EBITDA passa a ser constituído pelo lucro operacional antes das despesas financeiras, somado a depreciação e amortização e resultado de equivalência patrimonial. 3T14 3T13 EBITDA (Reconciliação ICVM 527) 9M 14 9M 13 15,2 205,9-92,6% Lucro Líquido do Período 375,5 31,5 n/a (75,8) (191,0) -60,3% (-) Resultado de Equivalência Patrimonial (461,9) (251,3) 83,8% - - n/a (-) Resultado Líquido Proveniente de Operações Descontinuadas - 3,4-100,0% 80,5 108,1-25,6% (+) Participação dos Acionistas não Controladores 237,6 251,3-5,4% (15,9) 117,8 n/a (+) Tributos sobre o Lucro 25,9 334,1-92,3% 299,8 132,9 n/a (+) Despesas (Receitas) Financeiras Líquidas 633,3 625,7 1,2% 172,9 153,4 12,7% (+) Depreciações e Amortizações 503,9 439,7 14,6% 476,8 527,1-9,6% EBITDA (antes da ICVM 527) 1.314, ,4-8,4% 75,8 191,0-60,3% (+) Resultado de Equivalência Patrimonial 461,9 251,3 83,8% 552,6 718,1-23,1% EBITDA (após ICVM 527) 1.776, ,6 5,4% - - n/a (+) Reclassificação de Operação Descontinuada² - (3,4) -100,0% 552,6 718,1-23,1% EBITDA Ajustado (após ICVM 527) 1.776, ,3 5,6% Nota 2: Em função da alienação do negócio de venda de açúcar no mercado de varejo representado pela Cosan Alimentos, a Companhia reclassificou os resultados desta unidade para a linha de operação descontinuada conforme requerido pelas normas contábeis IFRS5/CPC31 - Ativo Não Circulante mantido para Venda e Operação Descontinuada. 3 de 47

4 A seguir, apresentamos o resultado do 3T14 por unidade de negócio para todos segmentos detalhados anteriormente. Todas as informações refletem 100% de seus desempenhos financeiros, independentemente da participação da Cosan. Para fins de reconciliação do EBITDA consolidado, a coluna de Ajustes e Eliminações refere-se as eliminações dos lucros líquidos dos negócios controlados pela Cosan para fins de consolidação. O mesmo ajuste ocorre quando consideramos os resultados da Raízen para a composição do EBITDA. Em virtude da cisão efetivada em 01 de outubro de 2014 apresentamos nos anexos deste relatório uma tabela segregando os resultados da Cosan e Cosan Logística. Resultado por Unidade de Negócio 3T14 Comgás Rumo Lubrificantes Radar Outros Negócios Ajustes e Eliminações Consolidado Contábil Raízen Combustíveis Raízen Energia 50% Raízen Ajustes e Eliminações Receita Líquida 1.643,7 261,3 429,9 27,3 0, , , ,3 (8.332,6) (411,3) ,6 Custo de Produtos e Serviços (1.148,9) (180,7) (333,0) (6,9) 0,0 - (1.669,5) (13.621,9) (1.957,4) 7.789,7 411,3 (9.047,9) Lucro Bruto 494,8 80,6 96,9 20,4 0,0-692,8 711,9 373,9 (542,9) ,7 Margem Bruta (%) 30,1% 30,9% 22,5% 74,7% n/a n/a 29,3% 5,0% 16,0% 6,5% 12,0% Despesas com Vendas (165,1) - (64,5) (229,7) (299,9) (146,0) 222,9 - (452,6) Despesas Gerais e Administrativas (75,2) (20,9) (17,7) (8,9) (32,1) - (154,8) (95,5) (137,3) 116,4 - (271,2) Outras Receitas (Despesas) Operacionais (6,0) 1,0 0,4 18,8 (18,7) - (4,5) 83,8 23,3 (53,6) - 49,1 Resultado de Equivalência Patrimonial - 0,0 (1,5) - 201,3 (124,0) 75,8 3,9 (12,9) 4,5 (79,6) (8,3) Depreciação e Amortização 128,9 25,7 17,3 0,2 0,9-172,9 141,9 529,5 (335,7) 508,6 EBITDA 377,4 86,4 30,9 30,5 151,4 (124,0) 552,6 546,2 630,5 (588,4) (79,6) 1.061,3 Margem EBITDA (%) 23,0% 33,1% 7,2% n/a n/a n/a 23,4% 3,8% 27,0% 7,1% 10,3% Despesas financeiras (75,4) (9,8) 27,4 (0,2) (203,5) 3,1 (258,4) (38,7) (128,5) 83,6 (43,4) (385,4) Receitas financeiras 27,2 6,5 1,7 1,8 17,3 (3,1) 51,4 23,3 106,5 (64,9) 43,4 159,7 Variação cambial (80,9) 0,3 (46,0) - (82,8) - (209,3) (68,1) (266,8) 167,4 - (376,8) Derivativos 80,9-9,0-26,6-116,5 (3,3) 94,7 (45,7) - 162,2 IR/CS (66,3) (19,4) (2,0) (3,6) 107,1-15,9 (121,2) 63,1 29,0 - (13,2) Participação de não-controladores - (0,5) (80,0) (80,5) (7,1) - 3,5 - (84,0) Lucro Líquido 134,1 37,8 3,7 28,3 15,2 (204,0) 15,2 189,1 (29,9) (79,6) (79,6) 15,2 Resultado por Unidade de Negócio 9M 14 Comgás Rumo Lubrificantes Radar Outros Negócios Ajustes e Eliminações Consolidado Contábil Raízen Combustíveis Raízen Energia 50% Raízen Ajustes e Eliminações Receita Líquida 4.777,5 659, ,1 126,1 0, , , ,5 (23.826,1) (1.118,8) ,8 Custo de Produtos e Serviços (3.309,2) (432,8) (938,1) (55,3) 0,0 - (4.735,3) (39.029,5) (5.431,2) , ,8 (25.846,9) Lucro Bruto 1.468,4 226,9 264,0 70,8 0, , , ,3 (1.595,7) ,8 Margem Bruta (%) 30,7% 34,4% 22,0% 56,1% n/a n/a 30,0% 4,9% 18,0% 6,7% 12,3% Despesas com Vendas (473,9) - (186,7) (660,6) (884,9) (426,9) 655,9 - (1.316,5) Despesas Gerais e Administrativas (218,3) (63,6) (51,5) (25,7) (96,5) - (455,7) (296,5) (398,7) 347,6 - (803,3) Outras Receitas (Despesas) Operacionais (13,9) (0,5) 0,6 63,6 (153,3) - (103,5) 262,3 82,0 (172,1) - 68,6 Resultado de Equivalência Patrimonial - 0,0 (4,8) 0,0 879,2 (412,5) 461,9 11,2 (28,8) 8,8 (476,3) (23,2) Depreciação e Amortização 376,7 70,4 53,6 0,7 2,5-503,9 403, ,9 (913,6) 1.417,5 EBITDA 1.138,9 233,2 75,2 109,4 632,0 (412,5) 1.776, , ,8 (1.669,2) (476,3) 2.969,1 Margem EBITDA (%) 23,8% 35,4% 6,3% 86,8% n/a n/a 26,3% 3,6% 27,8% 7,0% 10,1% Despesas financeiras (217,6) (52,3) 62,6 (0,8) (557,9) 9,2 (756,6) (102,0) (370,6) 236,3 (43,4) (1.036,4) Receitas financeiras 65,7 28,6 3,3 7,7 76,4 (9,2) 172,4 69,8 252,2 (161,0) 43,4 376,9 Variação cambial (48,7) 0,6 (20,1) - (39,3) - (107,5) (15,1) (136,8) 76,0 - (183,5) Derivativos 48,7 - (6,6) - 16,3-58,4 (31,4) 139,1 (53,8) - 112,3 IR/CS (208,3) (47,0) (9,6) (11,4) 250,5 - (25,9) (327,6) (14,2) 170,9 - (196,8) Participação de não-controladores - (0,1) (237,5) (237,6) (22,0) - 11,0 - (248,6) Lucro Líquido 402,1 92,6 51,2 104,1 375,5 (650,0) 375,5 664,1 288,5 (476,3) (476,3) 375,5 Consolidado Proforma Consolidado Proforma 4 de 47

5 B. Resultado por Unidade de Negócio B.1 Raízen Combustíveis Apresentamos abaixo os resultados da Raízen Combustíveis, unidade de negócio de distribuição e comercialização de combustíveis por meio da rede de postos franqueados sob a marca Shell, fornecimento para clientes industriais e abastecimento de aeronaves. Em virtude da adoção da norma contábil IFRS 11 Negócios em conjunto, desde abril de 2013 a Cosan deixou de consolidar a Raízen em seu balanço patrimonial, demonstrações de resultado e dos fluxos de caixas, sendo que o resultado desta unidade de negócio passou a ser reportado apenas na linha de Resultado de Equivalência Patrimonial. Devido à relevância da Raízen nas informações financeiras da Cosan, reportaremos individualmente o desempenho desse segmento. Receita Líquida 3T14 3T13 Composição das Vendas 9M 14 9M , ,2 12,5% Vendas de Combustíveis , ,8 15,7% 831,7 756,1 10,0% Etanol 2.566, ,4 23,0% 5.557, ,6 13,1% Gasolina , ,4 15,6% 6.512, ,7 15,6% Diesel , ,7 17,7% 1.271, ,0-1,4% Aviação 3.837, ,4 3,9% 160,9 147,9 8,8% Outros Produtos 480,2 428,0 12,2% A receita líquida da Raízen Combustíveis no 3T14 totalizou R$ 14,3 bilhões, representando um incremento de 12,5% em relação ao valor reportado no 3T13. Este incremento foi gerado principalmente pelo aumento de 6,1% no volume total de combustíveis vendidos no período, com destaque para o diesel e a gasolina, que cresceram respectivamente 7,4% e 7,9% na comparação entre os trimestres. O preço médio dos produtos vendidos teve crescimento de 6,1%, saindo de R$ 2.083/m3 no 3T13 para R$ 2.210/m3 no 3T14, basicamente devido à correção de preço da gasolina e do diesel praticados pela Petrobras no fim de 2013, bem como a elevação do preço médio do etanol entre os períodos. A rede de postos revendedores Shell finalizou o 3T14 com postos e 930 lojas de conveniência. 5 de 47

6 Combustíveis Volume (Milhões de litros) e Preço Médio Unitário (R$/m³) T13 3T12 3T14 3T13 9M13 9M14 Etanol Gasolina Diesel Aviação Outros Preço Médio Estoques Estoque de Combustíveis Custo dos Produtos Vendidos 30/09/ /09/2013 Var. % 000 m³ 534,2 731,9-27,0% R$'MM 1.069, ,8-17,9% R$/m³ 2.002, ,2 12,5% 3T14 3T13 Custo de Produto Vendido 9M 14 9M 13 (13.621,9) (12.077,2) 12,8% Custo de Produto Vendido (39.029,5) (33.652,3) 16,0% Em linha com o crescimento do volume vendido e em função do aumento de preços praticados pela Petrobras, o custo dos produtos vendidos pela Raízen Combustíveis no 3T14 apresentou crescimento 12,8% em relação 3T13 e totalizou R$ 13,6 bilhões. Lucro Bruto 3T14 3T13 Lucro Bruto 9M 14 9M ,9 660,0 7,9% Lucro Bruto 2.000, ,5 10,5% 5,0% 5,2% -0,2 p.p. Margem Bruta (%) 4,9% 5,1% -0,2 p.p. No 3T14 o lucro bruto da Raízen Combustíveis foi de R$ 711,9 milhões, montante 7,9% superior a R$ 660,0 milhões reconhecidos no 3T13. A margem bruta no 3T14 foi de 5,0% praticamente em linha com o mesmo período do ano passado. 6 de 47

7 Despesas com vendas, gerais e administrativas 3T14 3T13 Despesas com Vendas, Gerais e Adm. 9M 14 9M 13 (299,9) (263,1) 14,0% Despesas com Vendas (884,9) (776,0) 14,0% (95,5) (99,7) -4,2% Despesas Gerais e Administrativas (296,5) (280,4) 5,7% 83,8 66,3 26,4% Outras Receitas/(Despesas) Operacionais 262,3 213,6 22,8% As despesas com vendas da Raízen Combustíveis no 3T14 atingiram R$ 299,9 milhões, representando um crescimento de 14,0% em relação ao 3T13, em virtude do maior volume de combustíveis vendido no período, que eleva os gastos com fretes e despesas logísticas. No 3T14 as despesas gerais e administrativas foram de R$ 95,5 milhões, 4,2% inferiores aos R$ 99,7 milhões reportados no 3T13. As outras receitas operacionais totalizaram R$ 83,8 milhões no 3T14 e são compostas por fee de merchandising, royalties de lojas de conveniência, receita de aluguéis e o resultado da alienação de ativos. EBITDA 3T14 3T13 EBITDA 9M 14 9M ,2 483,1 13,1% EBITDA 1.495, ,3 13,0% 3,8% 3,8% 0,0 p.p Margem EBITDA (%) 3,6% 3,7% -0,1 p.p. No 3T14 o EBITDA da Raízen Combustíveis totalizou R$ 546,2 milhões, apresentando um crescimento de 13,1% em relação ao 3T13. A margem EBITDA manteve-se estável na comparação entre os trimestres e totalizou 3,8%. Investimentos 3T14 3T13 CAPEX 9M 14 9M ,7 143,4 36,5% CAPEX 602,3 386,2 56,0% O investimento total da Raízen Combustíveis no 3T14 totalizou R$ 195,7 milhões, incremento de 36,5% em relação ao 3T13. No trimestre foram feitos investimentos relacionados à captação e renovação de contratos com revendedores, investimentos na rede de postos revendedores, gastos em saúde, segurança e meio ambiente (SSMA), bem como outras iniciativas relativas à logística e distribuição. 7 de 47

8 B.2 Raízen Energia Abaixo seguem os resultados do segmento Raízen Energia, cuja principal atividade é a produção e a comercialização de uma variedade de produtos derivados de cana-de-açúcar, incluindo açúcar bruto (denominado VHP), etanol anidro e hidratado, além das atividades relacionadas à cogeração de energia a partir do bagaço da cana e operações de trading de etanol. Em virtude da adoção da norma contábil IFRS 11 Negócios em conjunto, a Cosan deixou de consolidar a Raízen em seu balanço patrimonial, demonstrações de resultado e dos fluxos de caixas, sendo que o resultado desta unidade de negócio passou a ser reportado apenas na linha de Resultado de Equivalência Patrimonial. Devido à relevância da Raízen nas informações financeiras da Cosan, reportaremos individualmente o desempenho desse segmento. Dados de Produção Raízen Energia Durante o 3T14 a Raízen Energia operou 24 usinas de produção de açúcar, etanol e cogeração de energia com capacidade de moagem total de 66,8 milhões de toneladas de cana-de-açúcar por ano safra. 3T14 3T13 9M 14 9M 13 Dados Operacionais (Jul-Set) (Jul-Set) Var. % (Jan-Set) (Jan-Set) Var. % ,8% Cana Moída ,1% ,9% Cana Moída Propria ( Mil Tons ) ,0% ,3% Cana Moída terceiros ( Mil Tons ) ,8% 139,9 135,4 3,3% ATR Cana ( Kg / Ton ) 132,7 129,7 2,3% 73,8 86,8-15,0% TCH (Toneladas por hectare) 76,6 86,5-11,4% 96,2% 94,0% 2,2 p.p Nível de Mecanização ( % ) 96,7% 94,5% 2,2 p.p Produção ,6% Açúcar ,5% ,8% Produção - (Mil Tons) Açúcar Bruto ,1% ,7% Produção - (Mil Tons) Açúcar Branco ,4% ,2% Etanol ,7% ,8% Produção - (Mil M3) Etanol Anidro ,6% ,0% Produção - (Mil M3) Etanol Hidratado ,4% O volume de cana-de-açúcar moída pela Raízen Energia no 3T14 totalizou 24,5 milhões de toneladas, 8,8% inferior ao volume moído no 3T13, quando o total reportado foi de 26,8 milhões de toneladas. Esta redução ocorreu devido ao clima muito seco, que prejudicou o processo de plantio e crescimento da canade-açúcar afetando o nível de moagem no trimestre. Do total de cana moída, aproximadamente 53,4% foi oriundo de cana de fornecedores, enquanto 46,6% foi proveniente de cana própria, incluindo parceiros agrícolas. 8 de 47

9 No 3T14 o nível de mecanização do processo de colheita de cana própria alcançou 96,2% e o nível do ATR da cana totalizou 139,9 kg/tonelada, representando um crescimento 3,3% ao valor reportado no 3T13, principalmente em função do clima mais seco que proporcionou maior concentração de açúcares totais na cana no período. A produtividade agrícola, medida pela tonelada de cana por hectare (TCH), totalizou 73,8 ton/ha no 3T14, apresentando uma redução de 15,0% quando comparado com o 3T13 em que o valor reportado foi 86,8 ton/ha, em decorrência do déficit hídrico sofrido pela região Centro-Sul desde o final da safra 2013/14. A idade média do canavial foi de 3,4 anos no 3T14 em função da renovação das áreas de cultivo de cana própria durante a safra e o período de entressafra. O mix de produção do 3T14 foi mais voltado a produção de açúcar, com 56,6% da cana-de-açúcar moída destinada a este produto, totalizando 1,9 milhão de toneladas de açúcar e 903 milhões de litros de etanol produzidos. Receita Líquida 3T14 3T13 Composição das Vendas 9M 14 9M 13 (Jul-Set) (Jul-Set) Var.% Valores em R$ MM (Jan-Set) (Jan-Set) Var.% 2.331, ,7-28,2% Receita Operacional Líquida 6.622, ,3-6,4% 1.075, ,3-28,0% Venda de Açúcar 2.883, ,2-15,9% 254,8 211,7 20,3% Mercado Interno 746,6 595,3 25,4% 820, ,6-35,9% Mercado Externo 2.136, ,8-24,6% 952, ,8-37,4% Venda de Etanol 3.152, ,8-2,2% 528,3 870,4-39,3% Mercado Interno 1.551, ,4-9,9% 145,2 339,7-57,3% Mercado Externo 644,3 850,5-24,3% 278,5 309,7-10,1% Trading 957,1 650,8 47,1% 230,6 153,3 50,4% Cogeração de Energia 432,8 263,6 64,2% 73,6 81,4-9,6% Outros Produtos e Serviços 153,6 159,8-3,8% A receita líquida da Raízen Energia totalizou R$ 2,3 bilhões no 3T14, 28,2% inferior ao valor reportado no 3T13 que foi de R$ 3,2 bilhões. Os menores volumes vendidos de açúcar e etanol, bem como a queda dos preços médios de açúcar e etanol praticados no mercado externo, foram os principais responsáveis pela redução da receita líquida no trimestre. Adicionalmente, houve queda da receita pela atividade de trading de etanol no mercado externo. Venda de Açúcar A receita líquida pela venda de açúcar no 3T14 totalizou R$ 1,1 bilhão, representando uma queda de 28,0% em relação ao reportado no 3T13. No período houve uma redução de 22,9% no volume vendido deste produto, com destaque para o mercado externo, cuja contração nas vendas foi de 30,8% comparado ao mesmo período do ano anterior, principalmente devido à 9 de 47

10 postergação de embarques para o final da safra 2014/15 e consequente incremento de estoques. A receita líquida também foi impactada pela redução de 6,5% no preço médio do açúcar, que saiu de R$ 988/tonelada no 3T13 para R$ 924/tonelada no 3T14. No mercado externo a queda do preço foi ainda mais acentuada atingindo recuo de 7,4% em linha com o comportamento dos preços da commodity no período. Açúcar Volume Vendido (Mil tons) e Preço Médio Unitário (R$/ton) , , , , , , , , , , ,3 872,9 248,6 290,8 983,8 698, ,7 838,8 3T13 3T14 YTD M13 YTD M14 Volume MI Volume Volume ME MI Preço Volume MI ME Preço Preço MEMI Preço ME Estoques de Açúcar Estoque de Açúcar 30/09/ /09/2013 Var. % '000 ton 1.580, ,0 45,4% R$'MM 1.168,8 746,6 56,6% R$/ton 739,8 686,8 7,7% Vendas de Etanol No 3T14 a receita líquida pela venda de etanol totalizou R$ 952,0 milhões, representando uma redução de 37,4% em relação ao 3T13. A redução da receita líquida na comparação entre os trimestres é explicada, principalmente, pelo menor volume vendido em 39,1%, devido à postergação de embarques do produto para o final da safra 2014/15, parcialmente compensada pelo aumento de 2,7% no preço médio praticado no período, que saiu de R$ 1.352/m³ no 3T13 para R$ 1.389/m³ no 3T de 47

11 A receita líquida proveniente das operações de trading de etanol no mercado externo atingiu R$ 278,5 milhões no 3T14 movimentando um volume total de 178,5 milhões de litros. Etanol Volume Vendido (Milhões de litros) e Preço Médio Unitário (R$/m³) , , ,7 355, , , , ,7 534,2 173,8 598,1 225,0 685,2 420,3 428,0 380,3 178,5 38, ,0 101, ,4 725, ,9 96, , ,9 132, ,9 405,5 132,5 3T13 3T14 983,8 151,4 9M13 983, ,7 248,8 9M ,7 YTD T 2012 YTD YTD T 2013 YTD 2013 Volume MI MI Volume ME ME MI Preço Trading Volume MIME Preço Preço ME MI Preço Preço ME ME ,8 337,2 233,6 455,0 YTD 2012 Estoques de Etanol Estoque de Etanol 30/09/ /09/2013 Var. % '000 m³ 1.082,0 653,0 65,7% R$'MM 1.268,6 720,4 76,1% R$/m³ 1.172, ,2 6,3% Cogeração de Energia Todas as 24 usinas da Raízen Energia produzem energia e são autossuficientes e 13 unidades vendem a energia excedente do processo de cogeração. No 3T14 a receita líquida pela venda de energia apresentou um incremento de 50,4% em relação ao 3T13 e totalizou R$ 230,6 milhões. Esta variação é explicada principalmente pelo aumento de 51,0% do preço médio, que atingiu R$ 258/MWh no 3T14 e em virtude do maior volume de vendas spot na comparação entre os trimestres. O volume total de energia vendida no trimestre foi de 892,2 mil MWh permanecendo praticamente em linha com o volume reportado no mesmo período do ano passado. 11 de 47

12 Energia Elétrica Volume Vendido ( 000 MWh) e Preço Médio Unitário (R$/MWh) , , ,3 895,5 892, , , , ,8 2T12 Volume Preço Médio 2T13 3T13 3T14 YTD12 Volume Volume Preço Médio 9M13 Preço Médio YTD13 9M14 Outros Produtos e Serviços A receita líquida de outros produtos e serviços totalizou R$ 73,6 milhões no 3T14, redução de 9,6% em relação ao 3T13. Esta receita se refere, principalmente, à venda de muda de cana-de-açúcar, vapor, melaço e insumos para prestadores de serviço na área agrícola. Custo de Produtos Vendidos O custo dos produtos vendidos pela Raízen Energia segue apresentado em conjunto com seus custos médios unitários, excluindo-se os efeitos de depreciação e amortização (custo caixa). 3T14 3T13 Custo de Produto Vendido 9M 14 9M 13 (1.957,4) (2.520,6) -22,3% Custo dos produtos vendidos (5.431,2) (5.864,0) -7,4% (870,9) (1.048,2) -16,9% Açúcar (2.316,5) (2.486,4) -6,8% (597,1) (1.037,7) -42,5% Etanol (1.880,1) (2.240,2) -16,1% (288,5) (297,2) -2,9% Trading (945,5) (636,4) 48,6% (68,6) (59,2) 15,8% Cogeração de Energia (134,2) (119,4) 12,3% (132,4) (78,4) 68,9% Outros (155,0) (381,8) -59,4% Custos Médios (caixa) Unitários³ (510,5) (500,0) 2,1% Custo (caixa) do Açúcar (R$/ton) (519,9) (501,6) 3,6% (837,4) (895,0) -6,4% Custo (caixa) do Etanol (R$/m³) (840,9) (860,4) -2,3% Nota 3: Os custos médios unitários representam o custo-caixa, onde não são considerados depreciações e amortizações de plantio e trato cultural, depreciação agrícola(máquinas e equipamentos), depreciação industrial e manutenção de entressafra. No 3T14 o custo dos produtos vendidos pela Raízen Energia totalizou R$ 2,0 bilhões, 22,3% inferior em relação ao 3T13. Esta redução decorre, principalmente, do menor volume vendido de açúcar e etanol no trimestre, em função da postergação de embarques para o final da safra 2014/ de 47

13 A Raízen Energia realizou custos operacionais abaixo dos patamares alcançados no 3T13, além de obter uma melhora na qualidade da matéria-prima com a elevação no nível de ATR em 3,3% na comparação entre os trimestres, saindo de 135,4 kg/tonelada no 3T13 para 139,9 kg/tonelada no 3T14. O custo unitário dos produtos produzidos também foi impactado pelos fatores abaixo relacionados: Elevação de 4,5% do custo do quilo de ATR divulgado pelo CONSECANA, que foi de R$ 0,4637/kg no 3T14 comparado com R$ 0,4439/kg no 3T13 e que impacta o custo da cana de fornecedores; Redução da produtividade agrícola do canavial, representada pelo menor nível de tonelada de cana por hectare (TCH), que saiu de 86,8 no 3T13 para 73,8 no 3T14. Lucro Bruto 3T14 3T13 Lucro Bruto 9M 14 9M ,9 726,1-48,5% Lucro Bruto 1.191, ,3-1,7% 204,3 444,1-54,0% Açúcar 566,9 941,8-39,8% 19,0% 29,8% -10,7 p.p. Margem Bruta Açúcar (%) 19,7% 27,5% -7,7 p.p. 44,8% 49,4% -4,6 p.p. Margem Bruta (Caixa) Açúcar (%) 43,6% 48,3% -4,6 p.p. 76,4 172,4-55,7% Etanol 315,4 332,9-5,3% 11,3% 14,2% -2,8 p.p. Margem Bruta Etanol (%) 14,4% 12,9% 1,4 p.p 37,0% 29,7% 7,4 p.p Margem Bruta (Caixa) Etanol (%) 40,1% 33,9% 6,3 p.p (10,0) 12,4 n/a Trading 11,6 14,4-19,3% -3,6% 4,0% -7,6 p.p. Margem Bruta Trading (%) 1,2% 2,2% -0,8 p.p. 162,0 94,0 72,3% Cogeração de Energia 298,7 144,1 n/a 70,3% 61,3% 8,9 p.p Margem Bruta Cogeração de Energia (%) 69,0% 54,7% 14,5 p.p (58,7) 3,0 n/a Outros Produtos e Serviços (1,3) (222,0) -99,4% No 3T14 o lucro bruto da Raízen Energia totalizou R$ 373,9 milhões, representando uma redução de 48,5% em relação ao 3T13, quando o lucro bruto reportado foi de R$ 726,1 milhões. O lucro bruto pela venda de açúcar teve queda de 54,0% na comparação entre os trimestres, totalizando R$ 204,3 milhões no 3T14. O resultado pela venda de etanol foi de R$ 76,4 milhões, 55,7% inferior ao reportado no 3T13. Diferentemente do resultado apresentado pelo açúcar e etanol, a venda de energia elétrica apresentou lucro bruto superior ao reportado no 3T13, totalizando R$ 162,0 milhões no 3T14, incremento de vendas de 72,3%. O resultado pela venda de outros produtos e serviços foi negativo em R$ 58,7 milhões impactado pela perda (efeito não caixa) de R$ 64,6 milhões proveniente 13 de 47

14 da variação negativa do valor justo do ativo biológico e produto agrícola reconhecida no custo do 3T14. Despesas com vendas, gerais e administrativas 3T14 3T13 Despesas com Vendas, Gerais e Adm. 9M 14 9M 13 (146,0) (223,8) -34,8% Despesas com Vendas (426,9) (533,6) -20,0% (137,3) (134,8) 1,9% Despesas Gerais e Administrativas (398,7) (401,6) -0,7% As despesas com vendas da Raízen Energia totalizaram R$ 146,0 milhões no 3T14, 34,8% inferiores ao valor reportado no 3T13, em função do menor volume de vendas de açúcar e etanol para o mercado externo, reduzindo os gastos com fretes, despesas logísticas e elevação portuária. As despesas gerais e administrativas apresentaram um incremento de 1,9% na comparação entre trimestres, saindo de R$ 134,8 milhões no 3T13, para R$ 137,3 milhões no 3T14. EBITDA 3T14 3T13 EBITDA 9M 14 9M ,5 900,5-30,0% EBITDA 1.842, ,1 6,9% 27,0% 27,7% -0,7 p.p. Margem EBITDA (%) 27,8% 24,4% 3,5 p.p No 3T14 a Raízen Energia apresentou EBITDA de R$ 630,5 milhões, redução de 30,0% em relação ao 3T13, em que o valor reportado foi de R$ 900,5 milhões. A margem EBITDA apresentou recuo 0,7p.p atingindo 27,0% no 3T14. 3T14 3T13 EBITDA 9M 14 9M ,5 900,5-30,0% EBITDA 1.842, ,1 6,9% 64,6 6,4 n/a (+) Variação do Ativo Biológico (1,5) 219,4 n/a 695,1 906,9-23,4% EBITDA Ex-Ativo Biológico 1.841, ,6-5,3% O EBITDA da Raízen Energia ajustado pelos efeitos do ativo biológico apresentou uma queda de 23,4% e totalizou R$ 695,1 milhões no trimestre. 14 de 47

15 Hedge A posição de volumes e preços de açúcar fixados com tradings ou via instrumentos financeiros derivativos em 30 de setembro de 2014, assim como os contratos de derivativos de câmbio, contratados pela Raízen Energia com o propósito de proteção dos fluxos de caixa futuros, são resumidos como se segue: Sumário das Operações de Hedge em 30/09/ Açúcar 2014/ /16 NY11 Volume (mil tons) 2.613,8 565,8 Preço Médio ( US$/lb) 17,94 17,44 Câmbio US$ Volume (US$ mm) 1.075,7 226,3 Preço Médio (R$/US$) 2,38 2,66 Nota 4: A Tabela acima demonstra a cobertura de hedge levando-se em consideração os anos-safra e com término em 31/03/2015 e 31/03/2016, respectivamente. Impactos Hedge Accounting A Raízen Energia vem adotando o hedge accounting na modalidade de fluxo de caixa para determinados instrumentos financeiros derivativos designados para cobertura de risco de preço do açúcar sobre as receitas de exportação. A tabela abaixo demonstra a expectativa de transferência do saldo de ganhos/perdas do patrimônio líquido em 30 de setembro de 2014 para receita operacional líquida da Raízen Energia 5 em exercícios futuros, de acordo com o período de cobertura dos instrumentos de hedge designados. Exercício de Realização - (R$MM) Derivativo Mercado Risco 2014/ /16 Total Futuro OTC/NYBOT NY#11 133,4 7,6 141,0 Futuro BMF&BOVESP Etanol 0,3-0,3 ACC e PPE Dívida Cambio (96,6) (80,9) (177,5) (=) Impacto do Hedge Accounting 37,1 (73,3) (36,1) (-) IR Diferido (12,6) 24,9 12,3 (=) Ajuste a Avaliação Patrimonial 24,5 (48,4) (23,8) Nota 5: A tabela acima demonstra 100% dos ganhos/perdas reclassificadas para o patrimônio líquido no âmbito do hedge accounting. Como a Cosan possui participação de 50% na Raízen Energia, o hedge accounting impactará proporcionalmente a linha de Outros Resultados Abrangentes no patrimônio líquido da Cosan. 15 de 47

16 Investimentos 3T14 3T13 CAPEX 9M 14 9M ,4 433,6-10,7% CAPEX Total 1.963, ,0 1,9% 248,3 309,3-19,7% CAPEX Operacional 1.400, ,7-1,9% 223,2 250,6-10,9% Ativos Biológicos 636,8 709,4-10,2% 8,3 9,7-14,1% Manutenção de Entressafra 487,6 483,0 1,0% 8,4 15,5-45,8% SSMA e Sustaining 78,6 48,4 62,4% 7,2 30,4-76,4% Mecanização 186,3 122,4 52,2% 1,2 3,1-60,6% Industrial 11,2 64,5-82,6% 139,1 124,3 11,9% CAPEX de Expansão 562,6 499,3 12,7% 0,3 3,7-92,9% Projetos de Cogeração 4,9 46,5-89,4% 138,8 120,6 15,1% Expansão e Outros projetos 557,7 452,8 23,2% O capex da Raízen Energia totalizou R$ 387,4 milhões no 3T14, uma redução de 10,7% em relação ao 3T13 em que o valor reportado foi de R$ 433,6 milhões. Os dispêndios em ativos biológicos tiveram redução de 10,9%, principalmente devido à diminuição no volume de plantio de 15 mil ha em virtude de condições climáticas desfavoráveis (seca). Os investimentos em mecanização agrícola tiveram queda de 76,4% em relação ao 3T13, em função das aquisições de máquinas/equipamentos para corte, carregamento e transporte realizadas no trimestre passado, devido a condições comerciais mais atrativas. Os investimentos em expansão apresentaram um incremento principalmente em função do avanço físico do projeto de etanol de segunda geração. Entretanto houve redução de dispêndios pela finalização dos projetos de concentração de vinhaça nas unidades Jataí e Zanin e de separação de palha na unidade Barra. 16 de 47

17 B.3 Comgás Apresentamos nesta seção os resultados da Comgás, unidade de negócio de distribuição e comercialização de gás natural na área de concessão composta por 177 municípios distribuídos pela Região Metropolitana de São Paulo, Região Administrativa de Campinas, Baixada Santista e Vale do Paraíba no Estado de São Paulo. Volumes Vendidos 3T14 3T13 Volumes Vendidos 9M 14 9M 13 (Jul-Set) (Jul-Set) Var.% Valores em R$ MM (Jan-Set) (Jan-Set) Var.% ,7% Venda de Gás Total ,6% ,9% Venda de Gás - sem termo ,3% ,2% Residencial ,1% ,2% Comercial ,9% ,2% Industrial ,8% ,7% Cogeração ,9% ,7% Automotivo ,9% n/a Termogeração ,5% Seguem as explicações paras as variações trimestrais dos volumes apresentadas na tabela acima: Residencial: Temperaturas elevadas no terceiro trimestre de 2014 frente ao mesmo período de 2013, que reduziu o consumo para o aquecimento de água para banho em toda base de clientes com aquecedores a gás natural. Além disso, o programa de Incentivo à Redução de Consumo de Água, implementado pela Sabesp, também impactou fortemente o consumo de gás natural nas residências com aquecedores. Comercial: Adição de novos clientes nos últimos 12 meses, sendo 370 no terceiro trimestre de Industrial: Desempenho da economia e baixa atividade industrial no período. Além disso, o mês de setembro foi impactado por conta da parada do polo petroquímico, em que as principais plantas petroquímicas suspenderam o consumo para manutenção, evento este que acontece em média a cada 5 anos. Cogeração: Saída de dois clientes que tiveram as operações de suas plantas interrompidas no final de 2013, por questões mercadológicas (segmento Têxtil) anulando assim o efeito dos clientes que se mantiveram na base e consumiram acima do previsto em virtude do alto preço da energia elétrica no mercado spot. 17 de 47

18 Automotivo: Renovação da frota. Apesar da queda do volume esse foi o terceiro trimestre consecutivo que o número de instalações do kit GNV em veículos aumentou em relação a 2013 com 873 conversões no 3T14, numero 37,9% superior ao do 3T13, quando ocorreram 633 conversões. Gás Natural Volume de Gás Vendido (milhões m³) e Novos Clientes Conectados (mil unidades) 105,4 36,4 92,3 33, , , T13 4T11 3T14 4T12 9M13 9M14 Volume Medidores Conectados Receita Líquida 3T14 3T13 Composição das vendas 9M 14 9M 13 (Jul-Set) (Jul-Set) Var.% Valores em R$ MM (Jan-Set) (Jan-Set) Var.% 2.019, ,1-2,2% Receita Operacional Bruta 5.868, ,8 1,2% 1.881, ,5 1,6% Venda de Gás 5.474, ,6 4,1% 245,8 239,8 2,5% Residencial 604,5 591,8 2,1% 86,4 80,7 7,1% Comercial 237,8 216,6 9,8% 1.319, ,2-2,8% Industrial 3.938, ,0 2,9% 69,3 74,0-6,5% Cogeração 219,3 228,3-4,0% 95,4 35,7 n/a Termogeração 286,9 210,9 36,0% 65,1 64,0 1,8% Automotivo 188,0 183,0 2,7% 126,2 204,4-38,3% Receita de Construção 361,3 513,7-29,7% 12,0 9,2 30,2% Outros 32,9 25,6 28,4% (376,1) (382,6) -1,7% Impostos e Contribuições sobre Vendas (1.091,1) (1.061,0) 2,8% 1.643, ,5-2,3% Receita Operacional Líquida 4.777, ,9 0,9% 1.506, ,2 2,6% Venda de Gás 4.386, ,1 4,4% 126,2 204,4-38,2% Receita de Construção - ICPC ,3 513,7-29,7% 10,6 8,9 18,9% Outros 29,8 21,1 41,5% A receita liquida de vendas e serviços da Comgás no 3T14 atingiu R$ 1,64 bilhão, uma redução de 2,3% quando comparado com o 3T13, cujo total foi de R$ 1,68 bilhão. Os aumentos nas tarifas de vendas, conforme deliberações ARSESP nº 455 e nº 496 foram as principais responsáveis pelas variações das Receitas de Vendas de Gás. Para chegar às novas tarifas, a ARSESP levou em consideração a inflação do período, bem como a elevação do custo do gás natural, fundamentalmente do gás importado. Este custo é puxado pela valorização do dólar e pelo custo médio do barril de petróleo nos contratos, que são os elementos principais da formação do custo do gás boliviano. 18 de 47

19 A queda na linha de Receita de Construção está diretamente relacionada ao menor nível de investimento durante o 3T14, essa variação pode ser explicada pelos altos investimentos realizados no projeto do RETAP durante o ano de Custo dos Produtos e Serviços 3T14 3T13 Custo de Produtos Vendidos 9M 14 9M 13 (Jul-Set) (Jul-Set) Var.% Valores em R$ MM (Jan-Set) (Jan-Set) Var.% (1.148,9) (1.198,6) -4,1% Custo de Produtos Vendidos (3.309,2) (3.410,4) -3,0% (1.022,7) (994,1) 2,9% Gás Natural (2.947,8) (2.896,6) 1,8% (126,2) (204,4) -38,2% Construção - ICPC 01 (361,3) (513,7) -29,7% No 3T14 o custo total de bens e serviços vendidos pela Comgás totalizou R$ 1,1 bilhão, decréscimo de 4,1% em relação ao 3T13 em que o valor reportado foi de R$ 1,2 bilhão. A queda do custo do gás natural pode ser explicada, principalmente, pelo menor volume distribuído no trimestre, excluindo termogeração. A variação na linha do custo de construção está diretamente ligada ao menor nível de investimento durante 3T14. Cabe lembrar que as diferenças entre o custo real incorrido, pago pela Comgás, e o custo de gás incluído na tarifa e cobrado dos clientes conforme estrutura tarifária definida pela ARSESP são acumuladas na conta corrente regulatória e são recuperadas/devolvidas conforme determinação do Regulador nos reajustes periódicos ou nas revisões tarifárias. Esse saldo é corrigido mensalmente pela taxa SELIC. Em 30 de setembro de 2014 o saldo da conta corrente regulatória acumulava R$ 209,1 milhões a favor da Comgás após a recuperação de R$ 14,3 milhões no 3T14. Conforme normas contábeis internacionais (IFRS), esse saldo não é contabilizado e, portanto quando nos referimos à sua normalização, trata-se de considerar esse ativo e/ou passivo como se houvesse sido contabilizado. Lucro Bruto 3T14 3T13 Lucro Bruto 9M 14 9M ,8 484,0 2,2% Lucro Bruto 1.468, ,6 10,8% 30,1% 28,8% 1,3 p.p Margem Bruta (%) 30,7% 28,0% 2,7 p.p O lucro bruto apurado pela Comgás no 3T14 foi de R$ 494,8 milhões, 2,2% superior ao 3T13 em que valor reportado foi de R$ 484,0 milhões. 19 de 47

20 Despesas com vendas, gerais e administrativas 3T14 3T13 Despesas com Vendas, Gerais e Adm. 9M 14 9M 13 (165,1) (157,2) 5,1% Despesas com Vendas (473,9) (429,4) 10,4% (75,2) (72,8) 3,2% Despesas Gerais e Administrativas (218,3) (219,4) -0,5% (6,0) (0,0) n/a Outras Receitas/(Despesas) Operacionais (13,9) (6,5) n/a As despesas com vendas da Comgás totalizaram R$ 165,1 milhões no 3T14, 5,1% superior ao 3T13 em que valor reportado foi de R$ 157,2 milhões, ocasionada principalmente pela maior depreciação dos investimentos realizados para expansão da rede. No 3T14 as despesas gerais e administrativas totalizaram R$ 75,2 milhões, 3,2% acima do 3T13, em que o valor reportado foi de R$ 72,8 milhões. EBITDA 3T14 3T13 EBITDA 9M 14 9M ,4 369,0 2,3% EBITDA 1.138,9 997,7 14,2% 23,0% 21,9% 1,0 p.p Margem EBITDA (%) 23,8% 21,1% 2,8 p.p 357,6 348,8 2,5% EBITDA Normalizado 979,6 941,6 4,0% 21,8% 20,7% 1,0 p.p Margem EBITDA Normalizada (%) 20,5% 19,9% 0,6 p.p A Comgás apresentou EBITDA de R$ 377,4 milhões no 3T14, 2,3% superior ao 3T13, com margem EBITDA de 23,0%. Quando normalizado pela conta corrente regulatória, o EBITDA do trimestre atingiu R$ 357,6 milhões, 2,5% superior ao montante reportado no 3T13. Investimentos 3T14 3T13 CAPEX 9M 14 9M ,7 248,4-30,9% CAPEX 491,7 642,8-23,5% No 3T14, a Comgás investiu R$ 171,7 milhões, valor que representa uma redução de 30,9% quando comparado aos R$ 248,4 milhões investidos no mesmo período de Essa variação pode ser explicada pelos altos investimentos realizados no projeto do RETAP durante o ano de Do total dos investimentos realizados durante o trimestre aproximadamente 73% foi destinado à expansão da rede de distribuição de gás. Foram adicionados 432 quilômetros de rede no trimestre. 20 de 47

21 B.4 Rumo Apresentamos a seguir os resultados da Rumo, empresa responsável por oferecer uma solução logística integrada para exportação de açúcar e outras commodities agrícolas composta por serviços de transporte, armazenagem e elevação portuária. Receita Líquida 3T14 3T13 Composição das Vendas 9M 14 9M 13 (Jul-Set) (Jul-Set) Var.% Valores em R$ MM (Jan-Set) (Jan-Set) Var.% 261,3 328,5-20,5% Receita Operacional Líquida 659,7 711,2-7,2% 190,7 270,9-29,6% Transporte 483,4 571,5-15,4% 65,2 54,5 19,6% Elevação Portuária 158,5 127,8 23,9% 5,5 3,1 75,0% Outros Serviços 17,9 11,7 52,2% No 3T14 a receita líquida da Rumo totalizou R$ 261,3 milhões, 20,5% inferior ao valor reportado no 3T13, em função da queda da receita de transporte, parcialmente compensado pelo crescimento das receitas de elevação portuária e outros serviços. Durante o 3T14 o volume de açúcar elevado pela Rumo totalizou 3,1 milhões de toneladas e foi 10,5% superior ao 3T13. A receita de elevação foi de R$ 65,2 milhões, 19,6% superior ao 3T13 em função de novos contratos de elevação firmados ao longo de Volume de Elevação (mil tons) 21 de 47

Relatório de Resultados: 1T 14. A. Raízen Energia. Dados de Produção

Relatório de Resultados: 1T 14. A. Raízen Energia. Dados de Produção Os números apresentados neste relatório podem diferir dos números reportados pela Cosan como sendo referentes à Raízen. Isto se deve a algumas diferenças contábeis, principalmente em função de efeitos

Leia mais

Raízen Combustíveis S.A.

Raízen Combustíveis S.A. Balanço patrimonial consolidado e condensado (Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) Ativo 30.06.2014 31.03.2014 Passivo 30.06.2014 31.03.2014 Circulante Circulante Caixa e equivalentes

Leia mais

COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002

COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002 COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002 Desempenho Em ambiente de queda da atividade na indústria automobilística, a Iochpe-Maxion apresentou um crescimento de 8,4% nas vendas no terceiro

Leia mais

Reunião Pública 2013 Safra 13/14

Reunião Pública 2013 Safra 13/14 Reunião Pública 2013 Safra 13/14 Grupo São Martinho 300.000 ha Área agrícola de colheita 4 usinas São Martinho, Iracema, Santa Cruz e Boa Vista 21 milhões de tons Capacidade de processamento de cana de

Leia mais

Evolução do lucro líquido (em milhões de reais) - jan fev mar abr mai jun jul ago set

Evolução do lucro líquido (em milhões de reais) - jan fev mar abr mai jun jul ago set DISCUSSÃO E ANÁLISE PELA ADMINISTRAÇÃO DO RESULTADO NÃO CONSOLIDADO DAS OPERACÕES: PERÍODO DE JANEIRO A SETEMBRO DE 2001 COMPARATIVO AO PERÍODO DE JANEIRO A SETEMBRO DE 2000 (em milhões de reais, exceto

Leia mais

Tereos Internacional Resultados do Primeiro Trimestre 2014/15

Tereos Internacional Resultados do Primeiro Trimestre 2014/15 Tereos Internacional Resultados do Primeiro Trimestre 20 São Paulo 12 de agosto de 2014 Principais Iniciativas e Destaques do Operacional 2 Cana-de-açúcar Brasil: Aumento dos benefícios do programa Guarani

Leia mais

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas)

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) Para maiores informações, contatar: Daniel de Andrade Gomes TELEFÔNICA

Leia mais

Cosan S.A. Indústria e Comércio Companhia Aberta CNPJ nº 50.746.577/0001-15

Cosan S.A. Indústria e Comércio Companhia Aberta CNPJ nº 50.746.577/0001-15 Relatório da Administração - Março de Em cumpri às disposições legais e estatutárias, a S.A. Indústria e Comércio submete à apreciação de seus acionistas, o Relatório da Administração e as correspondentes

Leia mais

Divulgação de resultados 3T13

Divulgação de resultados 3T13 Brasil Brokers divulga seus resultados do 3º Trimestre do ano de 2013 Rio de Janeiro, 13 de novembro de 2013. A Brasil Brokers Participações S.A. (BM&FBovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no

Leia mais

Resultados 1T07 10 de maio de 2007

Resultados 1T07 10 de maio de 2007 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 102% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 32% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 1T07. As demonstrações financeiras da Companhia são elaboradas

Leia mais

Resultados 2005 Resultados 2005

Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 1T06 Bovespa: RSID3 NYSE (ADR): RSR2Y Receita Líquida alcança R$ 85,2 milhões VGV totaliza R$ 94,3 milhões Vendas contratadas crescem 63% São Paulo, 11 de maio

Leia mais

Divulgação de Resultados Segundo Trimestre de 2015

Divulgação de Resultados Segundo Trimestre de 2015 Divulgação de Resultados Segundo Trimestre de 2015 Apresentação da Teleconferência 06 de agosto de 2015 Para informações adicionais, favor ler cuidadosamente o aviso ao final desta apresentação. Divulgação

Leia mais

Teleconferência de Resultados. Desempenho do 4T 2013 e de 2013. MAHLE Metal Leve S.A. 20 de março de 2014 12h00 (horário de Brasília) 1 MAHLE

Teleconferência de Resultados. Desempenho do 4T 2013 e de 2013. MAHLE Metal Leve S.A. 20 de março de 2014 12h00 (horário de Brasília) 1 MAHLE Teleconferência de Resultados Desempenho do 4T 2013 e de 2013 MAHLE Metal Leve S.A. 20 de março de 2014 12h00 (horário de Brasília) 1 Destaques 2013 Receita Líquida de Vendas de R$ 2.393,8 milhões em 2013,

Leia mais

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos.

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos. São Paulo, 13 de maio de 2013 - A Unidas S.A. ( Companhia ou Unidas ) anuncia os seus resultados do primeiro trimestre de 2012 (). As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 30

Leia mais

Banco Santander (Brasil) S.A.

Banco Santander (Brasil) S.A. Banco Santander (Brasil) S.A. Resultados em BR GAAP 4T14 3 de Fevereiro de 2015 INFORMAÇÃO 2 Esta apresentação pode conter certas declarações prospectivas e informações relativas ao Banco Santander (Brasil)

Leia mais

Desempenho Econômico- Financeiro 1T15

Desempenho Econômico- Financeiro 1T15 Desempenho Econômico- Financeiro 1T15 Mensagem da Administração Senhores (as) Acionistas: Conforme mencionado no final do exercício de 2014, concluímos com pleno sucesso o processo que converteu em capital

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

Suzano Papel e Celulose anuncia os resultados consolidados do 2º trimestre de 2006

Suzano Papel e Celulose anuncia os resultados consolidados do 2º trimestre de 2006 Suzano Papel e Celulose anuncia os resultados consolidados do 2º trimestre de 2006 Ebitda consolidado pro-forma com Ripasa atinge US$125 milhões São Paulo, 19 de julho de 2006. Suzano Papel e Celulose

Leia mais

Divulgação de Resultados do 4T13 e 2013

Divulgação de Resultados do 4T13 e 2013 R$ milhões R$ milhões R$ milhões R$ milhões Divulgação de Resultados do 4T13 e 2013 As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto quando indicado o contrário e, a partir de 2011,

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T14

Divulgação de Resultados 1T14 Divulgação de Resultados 1T14 A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity ( Fundos

Leia mais

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2015 (1T15 ) Resultados 1T15. www.lojasrenner.com.br/ri Página 0 de 9

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2015 (1T15 ) Resultados 1T15. www.lojasrenner.com.br/ri Página 0 de 9 Resultados 1T15 www.lojasrenner.com.br/ri Página 0 de 9 LOJAS RENNER S.A. Companhia constituída em 1965 e de capital aberto desde 1967. Capital totalmente pulverizado desde 2005, com 100% de free float,

Leia mais

Teleconferência de Resultados. 4T12 e 2012

Teleconferência de Resultados. 4T12 e 2012 Teleconferência de Resultados e 2012 28 de fevereiro de 2013 Aviso Legal Algumas das informações aqui contidas se baseiam nas hipóteses e perspectivas atuais da administração da Companhia que poderiam

Leia mais

Teleconferência Resultados 3T10

Teleconferência Resultados 3T10 Teleconferência Resultados 3T10 Sexta-feira, 5 de Novembro de 2010 Horário: 14:00 (horário de Brasília) 12:00 (horário US EDT) Tel: + 55 (11) 4688-6361 Código: LASA Replay: + 55 (11) 4688-6312 Código:

Leia mais

Lucro Líquido de R$ 239 milhões no 1T15, crescimento de 34%; Margem EBITDA de 9,6%, com aumento de 0,7 p.p.

Lucro Líquido de R$ 239 milhões no 1T15, crescimento de 34%; Margem EBITDA de 9,6%, com aumento de 0,7 p.p. Lucro Líquido de R$ 239 milhões no 1T15, crescimento de 34%; Margem EBITDA de 9,6%, com aumento de 0,7 p.p. No 1T15, a receita líquida totalizou R$ 5,388 bilhões, estável em relação ao 1T14 excluindo-se

Leia mais

Apresentação de Resultados 1T15

Apresentação de Resultados 1T15 Apresentação de Resultados 1T15 1 Destaques do Período Início da operação comercial de quatro parques do LEN A-3 2011 Início da operação comercial: 04 de março de 2015 Os outros 5 parques serão conectados

Leia mais

INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO

INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO Aos Srs. Acionistas Investco S.A. Anexo I - Comentários dos Diretores da Companhia Contas dos Administradores referentes ao exercício social encerrado em 31.12.2012.

Leia mais

TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 1T15

TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 1T15 TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 1T15 RESULTADOS FINANCEIROS CONSOLIDADOS RECEITA LÍQUIDA 300,1 361,1 20,3% EBITDA AJUSTADO 56,5 68,7 21,6% MARGEM EBITDA AJUSTADO 1 17,9% 18,4% 0,5 p.p. LUCRO LÍQUIDO AJUSTADO

Leia mais

Divulgação de Resultados 2014

Divulgação de Resultados 2014 São Paulo - SP, 10 de Fevereiro de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity

Leia mais

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014 Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta Novembro de 2014 OFERTA VOLUNTÁRIA DE PERMUTA DE AÇÕES No dia 30 de outubro realizamos o leilão da oferta voluntária. A adesão dos minoritários do Santander

Leia mais

LIGHT ENERGIA S.A. 1º TRIMESTRE DE 2013

LIGHT ENERGIA S.A. 1º TRIMESTRE DE 2013 Rio de Janeiro, 10 de maio de 2013. LIGHT ENERGIA S.A. 1º TRIMESTRE DE 2013 Desempenho Operacional LIGHT ENERGIA (GWh) 1T13 1T12 % Venda no Ambiente de Contratação Regulada 263,7 1.052,0-74,9% Venda no

Leia mais

Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ).

Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ). Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 25 de Outubro de 2005. Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ). (Os

Leia mais

EARNINGS RELEASE 2T12 e 1S12

EARNINGS RELEASE 2T12 e 1S12 São Paulo, 15 de agosto de 2012 - A Inbrands S.A. ( Inbrands ou Companhia ), uma empresa de consolidação e gestão de marcas de lifestyle e moda premium do Brasil, anuncia hoje os resultados do segundo

Leia mais

EARNINGS RELEASE 2008 e 4T08 Cemig D

EARNINGS RELEASE 2008 e 4T08 Cemig D EARNINGS RELEASE 2008 e 4T08 Cemig D (Em milhões de reais, exceto se indicado de outra forma) --------- Lucro do Período A Cemig Distribuição apresentou, no exercício de 2008, um lucro líquido de R$709

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CIA CAT. DE ÁGUAS E SANEAMENTO - CASAN Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CIA CAT. DE ÁGUAS E SANEAMENTO - CASAN Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Fluxo de Caixa 6 Demonstração das Mutações

Leia mais

EBITDA cresce 10,8% no 3T15 e Margem EBITDA atinge 57,9%

EBITDA cresce 10,8% no 3T15 e Margem EBITDA atinge 57,9% Resultados 3T15 EBITDA cresce 10,8% no 3T15 e Margem EBITDA atinge 57,9% Belo Horizonte, 10 de novembro de 2015 - A Companhia de Locação das Américas (Locamerica) (BM&FBOVESPA: LCAM3) divulga seus resultados

Leia mais

INDICADORES FINANCEIROS

INDICADORES FINANCEIROS Relatório 2014 Um Olhar para o Futuro DESEMPENHO ECONÔMICO ECONÔMICA www.fibria.com.br/r2014/desempenho-economico/ 126 INDICADORES FINANCEIROS A Fibria encerrou 2014 com lucro líquido de R$ 163 milhões,

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - VIX LOGÍSTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - VIX LOGÍSTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Earnings Release 1T15

Earnings Release 1T15 Santo André, 05 de maio de 2015: A CVC Brasil Operadora e Agência de Viagens S.A. (BM&FBOVESPA: CVCB3), maior operadora de turismo das Américas, informa aos seus acionistas e demais participantes do mercado

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA CAPÍTULO 33 Este Capítulo é parte integrante do Livro Contabilidade Básica - Finalmente Você Vai Entender a Contabilidade. 33.1 CONCEITOS A demonstração dos fluxos de caixa evidencia as modificações ocorridas

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T15

Divulgação de Resultados 1T15 São Paulo - SP, 06 de Maio de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

RELATÓRIO DE RESULTADOS 3T15

RELATÓRIO DE RESULTADOS 3T15 RELATÓRIO DE RESULTADOS 3T15 São Paulo, 5 de novembro de 2015 A RUMO LOGÍSTICA OPERADORA MULTIMODAL S.A. (BM&FBovespa: RUMO3) ( Rumo ALL ) e a COSAN LOGÍSTICA S.A. (BM&FBovespa: RLOG3) ( Cosan Logística

Leia mais

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO 1. DESTAQUES O ano de 2016 começou com o cenário macroeconômico muito parecido de 2015, uma vez que o mercado continua com tendências negativas em relação a PIB, inflação e taxa de juros. Novamente a Ouro

Leia mais

6 Balanço Patrimonial - Passivo - Classificações das Contas, 25 Exercícios, 26

6 Balanço Patrimonial - Passivo - Classificações das Contas, 25 Exercícios, 26 Prefácio 1 Exercício Social, 1 Exercícios, 2 2 Disposições Gerais, 3 2.1 Demonstrações financeiras exigidas, 3 2.2 Demonstrações financeiras comparativas, 4 2.3 Contas semelhantes e contas de pequenos,

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2014 - SUZANO PAPEL E CELULOSE SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2014 - SUZANO PAPEL E CELULOSE SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapanema S/A Resultados do 3º trimestre de 2015

Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapanema S/A Resultados do 3º trimestre de 2015 Resultados do 3º trimestre de 2015 São Paulo, 13 de novembro de 2015 A Administração da Empresa de Distribuição de Energia do Vale Paranapanema ( EDEVP ou Companhia ) apresenta os resultados do terceiro

Leia mais

Brasil Brokers divulga seus resultados do 2º Trimestre de 2010

Brasil Brokers divulga seus resultados do 2º Trimestre de 2010 Brasil Brokers divulga seus resultados do 2º Trimestre de 2010 Rio de Janeiro, 16 de agosto de 2010. A Brasil Brokers Participações S.A. (BM&FBovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no mercado de

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/25 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 4 Balanço Patrimonial Passivo 6 Demonstração do Resultado 9 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Projeções de custos e rentabilidade do setor sucroenergético na região Nordeste para a safra 2013/14: o desafio de sobrevivência dos fornecedores

Projeções de custos e rentabilidade do setor sucroenergético na região Nordeste para a safra 2013/14: o desafio de sobrevivência dos fornecedores Projeções de custos e rentabilidade do setor sucroenergético na região Nordeste para a safra 2013/14: o desafio de sobrevivência dos fornecedores Essa publicação apresenta as projeções de custos de produção

Leia mais

Nota de Crédito PJ. Janeiro 2015. Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014

Nota de Crédito PJ. Janeiro 2015. Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014 Nota de Crédito PJ Janeiro 2015 Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014 mai/11 mai/11 Carteira de Crédito PJ não sustenta recuperação Após a aceleração verificada em outubro, a carteira de crédito pessoa jurídica

Leia mais

Os resultados do segundo trimestre e primeiro semestre de 2014 consolidam as Empresas BRF S.A.

Os resultados do segundo trimestre e primeiro semestre de 2014 consolidam as Empresas BRF S.A. BRF RESULTADOS 2T14 Os resultados do segundo trimestre e primeiro semestre de 2014 consolidam as Empresas BRF S.A. As declarações contidas neste relatório relativas à perspectiva dos negócios da Empresa,

Leia mais

Contexto Operacional. Operação. Receita Líquida. 12,9 bilhões. Composição da Receita Consolidada (%)

Contexto Operacional. Operação. Receita Líquida. 12,9 bilhões. Composição da Receita Consolidada (%) 103 Contexto Operacional A seguir seguem os comentários sobre o desempenho da S.A. referentes ao exercício de 2014. Com intuito de proporcionar a visibilidade anual dos resultados, tais comentários são

Leia mais

INFORMAÇÕES CONSOLIDADAS 1T14

INFORMAÇÕES CONSOLIDADAS 1T14 Caxias do Sul, 12 de maio de 2014 - A Marcopolo S.A. (BM&FBOVESPA: POMO3; POMO4), divulga os resultados do primeiro trimestre de 2014 (1T14). As demonstrações financeiras são apresentadas de acordo com

Leia mais

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A CEMEPE INVESTIMENTOS S/A RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. as demonstrações contábeis do exercício encerrado

Leia mais

Informações Trimestrais 4º trimestre e exercício de 2015 (4T15 e 2015) Relatório da Administração

Informações Trimestrais 4º trimestre e exercício de 2015 (4T15 e 2015) Relatório da Administração Informações Trimestrais 4º trimestre e exercício de 2015 (4T15 e 2015) Relatório da Administração Prezados acionistas A administração da WLM Indústria e Comércio S.A. (WLM), em conformidade com as disposições

Leia mais

Apresentação de Resultados 2T11

Apresentação de Resultados 2T11 Apresentação de Resultados 2T11 Aviso Legal Aviso Legal Encontra-se em curso a distribuição pública inicial primária e secundária de certificados de depósitos de ações ( Units ) de emissão da Abril Educação

Leia mais

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO QUARTO TRIMESTRE DE 2013 (4T13 ) LOJAS RENNER S.A.

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO QUARTO TRIMESTRE DE 2013 (4T13 ) LOJAS RENNER S.A. LOJAS RENNER S.A. Companhia constituída em 1965 e de capital aberto desde 1967. Capital totalmente pulverizado desde 2005, com 100% de free float, sendo considerada a primeira corporação brasileira. Negociada

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - GENERAL SHOPPING BRASIL SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - GENERAL SHOPPING BRASIL SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Fluxo de Caixa 5 Demonstração das Mutações

Leia mais

EARNINGS RELEASE 1º SEMESTRE 2007

EARNINGS RELEASE 1º SEMESTRE 2007 Geração e Transmissão S.A. Cemig Geração e Transmissão S.A CNPJ 06.981.176/0001-58 EARNINGS RELEASE 1º SEMESTRE 2007 1 ---------- Lucro Líquido A Cemig Geração e Transmissão apresentou, no primeiro semestre

Leia mais

Relatório de Resultados 2T 2015

Relatório de Resultados 2T 2015 MMX - Resultados Referentes ao 2º trimestre de 2015 Rio de Janeiro, 14 de agosto de 2015 A MMX Mineração e Metálicos S.A. ( Companhia ou MMX ) (Bovespa: MMXM3) anuncia seus resultados referentes ao 2º

Leia mais

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000)

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000) Blumenau SC, 27 de julho de 2007 A Cremer S.A. (Bovespa: CREM3), distribuidora de produtos para a saúde e também líder na fabricação de produtos têxteis e adesivos cirúrgicos, anuncia hoje seus resultados

Leia mais

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A.

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A. Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 17.488 25.888 Fornecedores e outras obrigações 17.561 5.153 Contas a receber

Leia mais

RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015

RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015 RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015 AVISO Nesta apresentação nós fazemos declarações prospectivas que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações têm como base crenças e suposições

Leia mais

metanor s.a. METANOR S.A. Metanol do Nordeste Camaçari - Bahia - Brasil Relatório da Administração de 2010 Metanol do Nordeste

metanor s.a. METANOR S.A. Metanol do Nordeste Camaçari - Bahia - Brasil Relatório da Administração de 2010 Metanol do Nordeste METANOR S.A. Camaçari - Bahia - Brasil Relatório da Administração de 2010 Senhores Acionistas, Em conformidade com as disposições legais e estatutárias, a administração da METANOR S.A. submete à apreciação

Leia mais

Brasil Brokers divulga seus resultados do 4º Trimestre de 2009

Brasil Brokers divulga seus resultados do 4º Trimestre de 2009 Brasil Brokers divulga seus resultados do 4º Trimestre de 2009 Rio de Janeiro, 10 de março de 2010. A Brasil Brokers Participações S.A. (Bovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no mercado de intermediação

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 Americana SP, 23 de março de 2005 A VIVAX S.A. (Bovespa: VVAX11), ou Companhia, segunda maior operadora de TV a Cabo do Brasil, em número de assinantes, e uma das principais

Leia mais

DESTAQUES DO PERÍODO (2T11)

DESTAQUES DO PERÍODO (2T11) QUALICORP REGISTRA CRESCIMENTO DO TRIMESTRE NO NÚMERO DE BENEFICIÁRIOS DE 18,5%, RECEITA LÍQUIDA DE 43,9%, EBITDA AJUSTADO DE 36,6% EM RELAÇÃO AO 2T10 1 São Paulo, 12 de agosto de 2011. A QUALICORP S.A.

Leia mais

RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 1T10 156.512.000,00

RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 1T10 156.512.000,00 RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 156.512.000,00 Resultados do RESULTADOS São Paulo, 14 de maio de 2010 A BRADESPAR [BM&FBOVESPA: BRAP3 (ON), BRAP4 (PN); LATIBEX: XBRPO (ON), XBRPP (PN)]

Leia mais

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades.

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Apresentamos as Demonstrações Financeiras da Mehir Holdings S.A. referente ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2004 e as respectivas Notas

Leia mais

A Companhia de Concessões Rodoviárias Concluiu a Aquisição da Renovias Concessionária S/A.

A Companhia de Concessões Rodoviárias Concluiu a Aquisição da Renovias Concessionária S/A. A Companhia de Concessões Rodoviárias Concluiu a Aquisição da Renovias Concessionária S/A. As informações financeiras e operacionais abaixo, exceto onde indicado em contrário, referem-se a prática contábil

Leia mais

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS.

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. I. BALANÇO ATIVO 111 Clientes: duplicatas a receber provenientes das vendas a prazo da empresa no curso de suas operações

Leia mais

Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010

Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010 54 RELATÓRIO ANUAL GERDAU 2011 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS RESUMIDAS Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010 GERDAU S.A. e empresas controladas BALANÇOS PATRIMONIAIS CONSOLIDADOS

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2015 - UNIDAS S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2015 - UNIDAS S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Resultados de 2007 Safra 2006/07

Resultados de 2007 Safra 2006/07 4 Resultados de 2007 Safra 2006/07 SÃO MARTINHO DIVULGA EBITDA AJUSTADO DE R$ 290,1 MILHÕES EM 2007 Margem EBITDA ajustado atinge 34,2%, apresentando aumento de 3,0 pontos percentuais São Paulo, 27 de

Leia mais

Earnings Release 4T14

Earnings Release 4T14 Santo André, 05 de fevereiro de 2015: A CVC Brasil Operadora e Agência de Viagens S.A. (BM&FBOVESPA: CVCB3), maior operadora de turismo da América Latina, informa aos seus acionistas e demais participantes

Leia mais

1T05. Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005. Resultado do 1 o trimestre de 2005. Principais Destaques

1T05. Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005. Resultado do 1 o trimestre de 2005. Principais Destaques Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005 Divulgação Imediata Cot. da Ação PNB CLSC6) em 31/03/05: R$ 0,90/ação Valoriz. No 1T05: -16% Valor de Mercado R$ : 694 milhões US$

Leia mais

1º Trimestre de 2009 Teleconferência de Resultados. 14 de Maio de 2009

1º Trimestre de 2009 Teleconferência de Resultados. 14 de Maio de 2009 1º Trimestre de 2009 Teleconferência de Resultados 14 de Maio de 2009 Aviso Legal Informações e Projeções Algumas das afirmações aqui contidas se baseiam nas hipóteses e perspectivas atuais da administração

Leia mais

Lucro líquido atinge R$6,4 milhões no 1T15, crescimento de 28,6%

Lucro líquido atinge R$6,4 milhões no 1T15, crescimento de 28,6% Resultados 1T15 Lucro líquido atinge R$6,4 milhões no 1T15, crescimento de 28,6% Belo Horizonte, 6 de maio de 2015 - A Companhia de Locação das Américas (Locamerica) (BM&FBOVESPA: LCAM3) divulga seus resultados

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 1. Introdução Em 31 de dezembro de 2014 a SANEAGO operava os sistemas de abastecimento de água e coleta e/ou tratamento de esgoto de 225 dos 246 municípios do Estado de Goiás,

Leia mais

RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2013(1T13)

RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2013(1T13) LOJAS RENNER S.A. Companhia constituída em 1965 e de capital aberto desde 1967. Capital totalmente pulverizado desde 2005, com 100% de free float, sendo considerada a primeira corporação brasileira. Negociada

Leia mais

Destaques Financeiros e Operacionais Consolidados

Destaques Financeiros e Operacionais Consolidados nte São Paulo, 7 de maio de 2010 A General Shopping Brasil S/A [BM&FBovespa: GSHP3], empresa com expressiva participação no mercado de shoppings centers do Brasil, anuncia hoje seus resultados do primeiro

Leia mais

Receita Operacional Líquida alcança R$ 20,9 milhões, aumento de 9,7% ante o trimestre anterior

Receita Operacional Líquida alcança R$ 20,9 milhões, aumento de 9,7% ante o trimestre anterior Última Cotação em 30/09/2014 FBMC4 - R$ 20,60 por ação Total de Ações: 726.514 FBMC3: 265.160 FBMC4: 461.354 Valor de Mercado (30/09/2014): R$ 20.269,7 mil US$ 9.234,5 mil São Bernardo do Campo, 12 de

Leia mais

4 trimestre de 2010. Sumário Executivo. Itaú Unibanco Holding S.A.

4 trimestre de 2010. Sumário Executivo. Itaú Unibanco Holding S.A. 4 trimestre de 2010 Sumário Executivo Apresentamos, abaixo, informações e indicadores financeiros do (Itaú Unibanco) do quarto trimestre de 2010 e do exercício findo em 31 de dezembro de 2010. (exceto

Leia mais

RESULTADOS 2T11. Grupo Pão de Açúcar e Globex Utilidades. 26 de julho de 2011

RESULTADOS 2T11. Grupo Pão de Açúcar e Globex Utilidades. 26 de julho de 2011 RESULTADOS 2T11 Grupo Pão de Açúcar e Globex Utilidades 26 de julho de 2011 DESTAQUES DO 2T11 Impacto macroeconômico > IPCA 12 meses: +6,7% > Crescimento real GPA Alimentar: +2,3% > Aumento taxa Selic

Leia mais

EARNINGS RELEASE 1T12

EARNINGS RELEASE 1T12 São Paulo, 16 de maio de 2012 - A Inbrands S.A. ( Inbrands ou Companhia ), uma empresa de consolidação e gestão de marcas de lifestyle e moda premium do Brasil, anuncia hoje os resultados do 1º trimestre

Leia mais

TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 3T14

TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 3T14 TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 3T14 RESULTADOS FINANCEIROS CONSOLIDADOS (R$ MILHÕES) 3T13 3T14 Var.% 9M13 9M14 Var.% RECEITA LÍQUIDA 315,8 342,8 8,5% 858,4 937,5 9,2% EBITDA AJUSTADO¹ 67,1 78,3 16,7% 157,5

Leia mais

Apresentação de Resultados 2T12. 10 de agosto de 2012

Apresentação de Resultados 2T12. 10 de agosto de 2012 Apresentação de Resultados 2T12 10 de agosto de 2012 Aviso Legal Esta apresentação contém certas declarações futuras e informações relacionadas à Companhia que refletem as visões atuais e/ou expectativas

Leia mais

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2015 (2T15 ) LOJAS RENNER S.A.

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2015 (2T15 ) LOJAS RENNER S.A. Resultados 2T15 LOJAS RENNER S.A. Companhia constituída em 1965 e de capital aberto desde 1967. Capital totalmente pulverizado desde 2005, com 100% de free float, sendo considerada a primeira corporação

Leia mais

Reestruturação operacional reduz os custos e as despesas operacionais, proporcionando Ebitda de R$ 2,4 milhões.

Reestruturação operacional reduz os custos e as despesas operacionais, proporcionando Ebitda de R$ 2,4 milhões. Última Cotação em 30/09/2013 FBMC4 - R$ 43,90 por ação Total de Ações: 726.514 FBMC3: 265.160 FBMC4: 461.354 Valor de Mercado (30/09/2013): R$ 31.893,9 milhões US$ 14.431,7 milhões São Bernardo do Campo,

Leia mais

Agenda. A Companhia. Nossa Operação. 3 Nossa Performance Financeira

Agenda. A Companhia. Nossa Operação. 3 Nossa Performance Financeira APIMEC RIO Resultados do 1T12 Diretoria Econômico-Financeira e de Relações com Investidores Aviso Esta apresentação pode conter considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas

Leia mais

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006.

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. São Paulo, 28 de fevereiro de 2007 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia seu resultado

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 4T14

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 4T14 VISÃO GERAL DA COMPANHIA A Iochpe-Maxion é uma companhia global, líder mundial na produção de rodas automotivas, um dos principais produtores de componentes estruturais automotivos nas Américas e também

Leia mais

Notas Explicativas. Armando Madureira Borely armando.borely@globo.com

Notas Explicativas. Armando Madureira Borely armando.borely@globo.com CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Home page: www.crc.org.br - E-mail: cursos@crcrj.org.br Notas Explicativas Armando Madureira Borely armando.borely@globo.com (Rio de Janeiro)

Leia mais

SEÇÃO 27 REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVOS. Dezembro 2011. Elaborado por:

SEÇÃO 27 REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVOS. Dezembro 2011. Elaborado por: Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Telefones: 11 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento); fax 11 3824-5487 E-mail: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 MBK Securitizadora S.A. Demonstrações Financeiras

Leia mais

Resultados dos 9M07 e 3T07 Safra 2006 / 07

Resultados dos 9M07 e 3T07 Safra 2006 / 07 4 Resultados dos 9M07 e 3T07 Safra 2006 / 07 SÃO MARTINHO APRESENTA LUCRO LÍQUIDO DE R$ 77,2 MILHÕES NO ACUMULADO DE 9M07 Receita Líquida Cresce 22,2% e Atinge 652,6 milhões nos 9M07 São Paulo, 15 de março

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - ALPARGATAS SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - ALPARGATAS SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011

Abril Educação S.A. Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011 Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 31 de dezembro de

Leia mais

Banrisul Armazéns Gerais S.A.

Banrisul Armazéns Gerais S.A. Balanços patrimoniais 1 de dezembro de 2012 e 2011 Nota Nota explicativa 1/12/12 1/12/11 explicativa 1/12/12 1/12/11 Ativo Passivo Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 4 17.891 18.884 Contas

Leia mais