Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RELATÓRIO DE GESTÃO.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RELATÓRIO DE GESTÃO."

Transcrição

1 Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RELATÓRIO DE GESTÃO Exercício de 2011 Brasília

2 Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RELATÓRIO DE GESTÃO Exercício de 2011 Relatório de Gestão do exercício de 2011 apresentado aos órgãos de controle interno e externo, nos termos do art. 70 da Constituição Federal, elaborado de acordo com as disposições da IN TCU 63/2010, da DN TCU 108/2010, da DN TCU 117/2011 e da Portaria TCU 123/2011. Brasília, 31/03/2012 2

3 Presidente da República Dilma Vana Rousseff Ministério da Educação Aloízio Mercadante Secretaria Executiva do MEC José Henrique Paim Fernandes Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Luiz Cláudio da Costa Diretoria de Tecnologia e Disseminação de Informações Educacionais Andrea de Miranda Ramos Kern Diretoria de Estatísticas Educacionais Carlos Eduardo Moreno Sampaio Diretoria de Avaliação da Educação Superior Claudia Maffini Griboski Diretoria de Avaliação da Educação Básica Alexandre André dos Santos Diretoria de Gestão e Planejamento Denio Menezes da Silva Diretoria de Estudos Educacionais Luziele Maria de Souza Tapajós Gabinete do Inep Marcos Nunes Soares 3

4 4

5 SUMÁRIO 1 IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE JURISDICIONADA PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA RESPONSABILIDADES INSTITUCIONAIS DA UNIDADE ESTRATÉGIA DE ATUAÇÃO FRENTE ÀS RESPONSABILIDADES INSTITUCIONAIS PROGRAMAS DE GOVERNO SOB A RESPONSABILIDADE DA UJ Execução do Programa de Governo sob a Responsabilidade da UJ Execução Física das Ações Realizadas pela UJ DESEMPENHO ORÇAMENTÁRIO E FINANCEIRO Programação Orçamentária da Despesa Programação de Despesas Correntes Programação de Despesas de Capital Execução Orçamentária da Despesa Execução Orçamentária de créditos recebidos pela UJ por movimentação Indicadores Institucionais RECONHECIMENTO DE PASSIVOS MOVIMENTAÇÕES E OS SALDOS DE RAP PAGAMENTOS E CANCELAMENTOS DE RESTOS A PAGAR DE EXERCÍCIOS ANTERIORES RECURSOS HUMANOS DA UNIDADE COMPOSIÇÃO DO QUADRO DE SERVIDORES ATIVOS COMPOSIÇÃO DO QUADRO DE SERVIDORES INATIVOS E PENSIONISTAS DEMONSTRAÇÃO DOS CUSTOS DE PESSOAL DA UNIDADE JURISDICIONADA TERCEIRIZAÇÃO DA MÃO DE OBRA EMPREGADA PELA UJ INDICADORES GERENCIAIS DE RECURSOS HUMANOS TRANSFERENCIAS REALIZADAS INSTRUMENTOS DE TRANSFERÊNCIAS VIGENTES NO EXERCÍCIO INFORMAÇÕES SOBRE A PRESTAÇÃO DE CONTAS RELATIVAS AOS CONVÊNIOS, TERMOS DE COOPERAÇÃO E CONTRATOS DE REPASSE DECLARAÇÃO REFERENTE A CONTRATOS E CONVÊNIOS DECLARAÇÃO DE BENS E RENDAS FUNCIONAMENTO DO SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DA UJ SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL NA AQUISIÇÃO DE BENS GESTÃO DO PATRIMÔNIO IMOBILIÁRIO GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO CARTÕES DE PAGAMENTO DO GOVERNO FEDERAL RENÚNCIA TRIBUTÁRIA DECLARAÇÃO DO CONTADOR CONTRATAÇÃO DE CONSULTORES ANEXO I DELIBERAÇÕES DO TCU E CGU DELIBERAÇÕES DO TCU ATENDIDAS NO EXERCÍCIO RECOMENDAÇÕES DA CGU ATENDIDAS NO EXERCÍCIO RECOMENDAÇÕES DA CGU PENDENTES DE ATENDIMENTO AO FINAL DO EXERCÍCIO ANEXO II RECOMENDAÇÕES DA AUDITORIA INTERNA RECOMENDAÇÕES DA UNIDADE DE CONTROLE INTERNO OU DE AUDITORIA INTERNA ATENDIDAS NO EXERCÍCIO ANEXO III - FIGURAS, QUADROS E TABELAS

6 LISTAS TABELAS Tabela I Etapas e atividades do Censo da Educação Superior 2010 Tabela II Estatísticas Básicas de Graduação (presencial e a distância) e Pós-Graduação por Categoria Administrativa Brasil 2010 QUADROS Quadro I Identificação da UJ Relatório de Gestão Individual Quadro II Etapas e Fases do Simec Quadro III Demonstrativo da Execução por Programa de Governo Quadro IV Execução Física das Ações Quadro V Alterações nas ações do Inep 2011 x 2012 Quadro VI Identificação da Unidade Orçamentária Quadro VII Programação de Despesas Correntes Quadro VIII Programação de Despesas Capital Quadro IX Quadro Resumo da Programação da Despesa e da Reserva de Contingência Quadro X Movimentação Orçamentária por Grupo de Despesa Quadro XI Despesas por modalidade de contratação dos créditos originários da UJ Quadro XII Despesas correntes por grupo e elemento de despesa dos créditos originários da UJ Quadro XIII Despesas de capital por grupo e elemento de despesa dos créditos originários da UJ Quadro XIV Despesas por modalidade de contratação dos créditos recebidos por movimentação Quadro XV Despesas correntes por grupo e elemento de despesa dos Créditos Recebidos por Movimentação Quadro XVI Despesas de capital por grupo e elemento de despesa dos Créditos Recebidos por Movimentação Quadro XVIIa Indicador de desempenho dos participantes do Enem por escola de Ensino Médio Quadro XVIIb Indicador de participantes avaliados no Enem Quadro XVIIIa Indicador de alunos avaliados no Saeb e na Prova Brasil Quadro XVIIIb Indicador de escolas avaliadas Quadro XIXa Indicador de alunos avaliados no Pisa Quadro XIXb Indicador da média de desempenho no Pisa Quadro XXa Indicador de cumprimento de prazo para publicação do Censo Escolar da Educação Básica 6

7 Quadro XXb Indicador de diferença entre número de eventos de capacitação realizados e número demandado Quadro XXc Indicador da porcentagem de escolas de educação básica que responderam ao censo em 2011 Quadro XXd Indicador da diferença entre números de convênios com estados previsto e número realizado Quadro XXIa Relação entre IES cobertas pelo Censo e IES do Cadastro e-mec Quadro XXIb Relação entre a data prevista para divulgação do censo e a data de publicação da sinopse estatística Quadro XXIIa Quadro da medição de desempenho da Diretoria de Estudos Educacionais (Dired) Quadro XXIIb Fórmula da medição de desempenho da Diretoria de Estudos Educacionais (Dired) Quadro XXIIIa Indicador da relação entre avaliações previstas e realizadas Quadro XXIIIb Indicador do número de estudantes participantes do Enade Quadro XXIIIc Indicador da qualidade das IES e dos cursos de graduação do sistema federal de ensino, avaliados no ano em fase de recredenciamento e renovação de reconhecimento Quadro XXIV: Quadro Situação dos Restos a Pagar dos Exercícios Anteriores Quadro XXVa Força de Trabalho da UJ Situação apurada em 31/12 Quadro XXVb Situações que reduzem a força de trabalho da UJ Situação em 31/12 Quadro XXVc Detalhamento da estrutura de cargos em comissão e funções gratificadas da UJ Situação em 31/12 Quadro XXVd Quantidade de servidores da UJ por faixa etária - Situação apurada em 31/12 Quadro XXVe Quantidade de Servidores da UJ por Nível de Escolaridade Situação em 31/12 Quadro XXVf Composição do Quadro de Servidores Inativos Situação em 31 de dezembro Quadro XXVg Composição do Quadro de Instituidores de Pensão - Situação apurada em 31/12 Quadro XXVh Composição do Quadro de Estagiários Quadro XXVi: Custos de pessoal no exercício em referencia e nos dois anteriores Quadro XXVj Esclarecimento sobre por que não se aplica item sobre cargos e atividades inerentes a categorias funcionais do plano de cargos da unidade jurisdicionada Quadro XXVk Autorizações para realização de concursos públicos ou provimento adicional para substituição de terceirizados Quadro XXVl Contratos de prestação de serviços de limpeza e higiene e vigilância ostensiva Quadro XXVm Contratos de prestação de serviços com locação de mão de obra Quadro XXVIa Caracterização dos instrumentos de transferências vigentes no exercício de referência Quadro XXVIb Resumo dos instrumentos celebrados pela UJ nos três últimos exercícios Quadro XXVIc Resumo dos instrumentos de transferência que vigerão em 2011 e exercícios seguintes 7

8 Quadro XXVId Resumo da prestação de contas sobre transferências concedidas pela UJ na modalidade de convênio, termo de cooperação e de contratos de repasse Quadro XXVIe Visão Geral da análise das prestações de contas de Convênios e Contratos de Repasse Quadro XXVII Demonstrativo do cumprimento, por autoridades e servidores da UJ, da obrigação de entregar a DBR Quadro XXVIII - ESTRUTURA DE CONTROLES INTERNOS DA UJ Quadro XXIX - GESTÃO AMBIENTAL E LICITAÇÕES SUSTENTÁVEIS Quadro XXX Distribuição espacial dos bens imóveis de uso especial locados de terceiros XXXI Gestão da Tecnologia da Informação da unidade jurisdicionada Quadro XXXIIa Relatório de cumprimento das recomendações do TCU Quadro XXXIIb Relatório de cumprimento das recomendações do TCU Quadro XXXIIc Relatório de cumprimento das recomendações do TCU Quadro XXXIId Relatório de cumprimento das recomendações do TCU Quadro XXXIIIa Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Quadro XXXIIIb - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Quadro XXXIIIc - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Quadro XXXIIId - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Quadro XXXIIIe - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Quadro XXXIIIf - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Quadro XXXIIIg - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Quadro XXXIIIh - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Quadro XXXIIIi - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Quadro XXXIIIj - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Quadro XXXIIIk - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Quadro XXXIIIl - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Quadro XXXIIIm - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Quadro XXXIIIn - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Quadro XXXIIIo - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Quadro XXXIIIp - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Quadro XXXIIIq - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Quadro XXXIIIr - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Quadro XXXIIIs - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Quadro XXXIIIt - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Quadro XXXIIIu - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Quadro XXXIIIv - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Quadro XXXIIIw - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Quadro XXXIIIx - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Quadro XXXIIIy - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício 8

9 Quadro XXXIIIz - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Quadro XXXIIIaa - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Quadro XXXIIIab - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Quadro XXXIIIac - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Quadro XXXIIIad - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Quadro XXXIIIae - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício (ver Anexo) Quadro XXXIIIaf - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício (ver Anexo) Quadro XXXIVa Situação das Deliberações do OCI que Permanecem Pendentes de Atendimento no Exercício Quadro XXXIVb Situação das Deliberações do OCI que Permanecem Pendentes de Atendimento no Exercício Quadro XXXVa Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Quadro XXXVb Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Quadro XXXVc Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Quadro XXXVd Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Quadro XXXVe Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Quadro XXXVf Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Quadro XXXVg Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Quadro XXXVh Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Quadro XXXVi Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício (ver Anexo) Quadro XXXVj Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Quadro XXXVk Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Quadro XXXVl Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Quadro XXXVm Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Quadro XXXVn Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício 9

10 Quadro XXXVo Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Quadro XXXVp Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Quadro XXXVq Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Quadro XXXVr Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Quadro XXXVs Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Quadro XXXVt Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Quadro XXXVu Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Quadro XXXVw Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Quadro XXXVx Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Quadro XXXVy Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Quadro XXXVz Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Quadro XXXVaa Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Quadro XXXVab Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Quadro XXXVac Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Quadro XXXVad Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Quadro XXXVae Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Quadro XXXVaf Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Quadro XXXVag Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Quadro XXXVah Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Quadro XXXVai Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício 10

11 Quadro XXXVaj Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício (ver Anexo) Quadro XXXVI Declaração de que as demonstrações contábeis do exercício refletem corretamente a situação orçamentária, financeira e patrimonial da unidade jurisdicionada Quadro XXXVIIa Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIIb Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIIc Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIId Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIIe Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIIf Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais adro XXXVIIg Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIIh Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIIi Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIIj Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIIk Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIIl Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIIm Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIIn Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIIo Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIIp Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIIq Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIIr Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais 11

12 Quadro XXXVIIs Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIIt Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIIu Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIIv Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIIw Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIIx Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIIy Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIIz Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIIaa Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIIab Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIIac Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIIad Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIIae Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIIaf Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIIag Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIIah Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIIai Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIIaj Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Quadro XXXVIIak Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais 12

13 FIGURAS Figura I Mapa estratégico da DTDIE Figura II Fluxograma do cálculo dos indicadores de qualidade Figura III Diagrama do projeto de regionalização de atendimento Figura IV Formulário digital de coordenador geral Figura V Página do Sistema de controle automático do pagamento de avaliadores Figura VI Formulário de Inscrição do Módulo Evento Figura VII Formulário para encerramento da fase processual de avaliação 13

14 1 IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE JURISDICIONADA Quadro I Identificação da UJ Relatório de Gestão Individual Poder e Órgão de Vinculação Poder: Executivo Órgão de Vinculação: Ministério da Educação Código SIORG: 244 Identificação da Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Denominação abreviada: INEP Código SIORG: 249 Código LOA: Código SIAFI: Situação: Ativa Natureza Jurídica: Autarquia Principal Atividade: Administração Pública em Geral Código CNAE: Telefones/Fax de Fax: (061) (061) contato: 3600 (061) Página na Internet: Endereço Postal: SRTVS Quadra 701 Bloco M, Edifício Sede do INEP Normas relacionadas à Unidade Jurisdicionada Normas de criação e alteração da Unidade Jurisdicionada Criação: Lei 9.448, de 14 de março de 1997 Outras normas infralegais relacionadas à gestão e estrutura da Unidade Jurisdicionada Estruturação: Decreto 4.633, de 21 de março de 2003 Nova estrurura: Decreto 6.317, de 20 de dezembro de Manuais e publicações relacionadas às atividades da Unidade Jurisdicionada Regimento Interno: DOU de 25 de agosto de Unidades Gestoras e Gestões relacionadas à Unidade Jurisdicionada Unidades Gestoras relacionadas à Unidade Jurisdicionada Código SIAFI Nome N/A N/A Gestões relacionadas à Unidade Jurisdicionada Código SIAFI Nome N/A N/A Relacionamento entre Unidades Gestoras e Gestões Código SIAFI da Unidade Código SIAFI da Gestão Gestora N/A N/A 14

15 2 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA 2.1 RESPONSABILIDADES INSTITUCIONAIS DA UNIDADE O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) tem como missão promover estudos, pesquisas e avaliações sobre o Sistema Educacional Brasileiro, com os objetivos de subsidiar a formulação e implementação de políticas públicas para a área educacional a partir de parâmetros de qualidade e equidade bem como de produzir informações claras e confiáveis a gestores, pesquisadores, educadores e público em geral. Com esse objetivo, o Instituto produz levantamentos censitários, com coletas de dados e avaliações da educação básica e ensino superior, que retratam as necessidades dos sistemas educacionais detalhadamente. Tais dados subsidiam as definições de políticas públicas e possibilitam a ação precisa dos gestores, com informações de periodicidade em geral, anual ou bienal por município, estabelecimento de ensino e, mais recentemente, por docente e estudante. Além disso, as pesquisas e avaliações amostrais possibilitam maior abrangência das análises, o que permite um amplo diagnóstico da educação brasileira e o estudo dos resultados das políticas já implementadas. Com tamanha produção de dados, o Inep tem atuado no incentivo à formação de pesquisadores aptos a estudarem os dados da educação brasileira. Além disso, iniciou parcerias com instituições de pesquisa interessadas no desenvolvimento de núcleos voltados à pesquisa educacional com foco em política pública. Além de levantar dados, avaliar a qualidade da educação brasileira e estudar as informações coletadas, o Inep tem um importante papel de divulgação dos dados, sejam eles brutos, com foco em público de pesquisadores, sejam eles tratados, com foco em gestores, estudantes e seus familiares e público em geral. Com base no Decreto nº 6.317, de 20 de dezembro de 2007, art. 1º, Anexo I, o Inep, criado pela Lei nº 378, de 13 de janeiro de 1937, transformado em autarquia federal vinculada ao Ministério da Educação, nos termos da Lei nº 9.448, de 14 de março de 1997, alterada pela Lei nº , de 29 de agosto de 2001, tem por finalidades: I. planejar, coordenar e subsidiar o desenvolvimento de estudos e pesquisas educacionais, em articulação com o Ministério da Educação; II. planejar, organizar, manter, orientar e coordenar o desenvolvimento de sistemas de estatísticas educacionais e de projetos de avaliação educacional, visando ao estabelecimento de indicadores educacionais e de desempenho das atividades educacionais no país; III. planejar e operacionalizar as ações e procedimentos referentes à avaliação da Educação Básica; IV. planejar e operacionalizar as ações e procedimentos referentes à avaliação da educação superior; V. desenvolver e implementar, na área educacional, sistemas de informação e documentação que abranjam estatísticas, avaliações educacionais e gestão das políticas educacionais; 15

16 VI. subsidiar a formulação de políticas na área de educação, mediante a elaboração de diagnósticos, pesquisas e recomendações decorrentes dos indicadores e das avaliações da educação básica e superior; VII. definir e propor parâmetros, critérios e mecanismos para a realização de exames de acesso à educação superior; VIII. promover a disseminação das estatísticas, dos indicadores e dos resultados das avaliações, dos estudos, da documentação e dos demais produtos de seus sistemas de informação; IX. apoiar os Estados, o Distrito Federal e os Municípios no desenvolvimento de projetos e sistemas de estatísticas e de avaliação educacional; X. articular-se, em sua área de atuação, com instituições nacionais, estrangeiras e internacionais, mediante ações de cooperação institucional, técnica e financeira, bilateral e multilateral; e XI. apoiar o desenvolvimento e a capacitação de recursos humanos necessários ao fortalecimento de competências em avaliação e em informação educacional no país. Foram considerados como objetivos estratégicos do Órgão as principais ações de levantamento de dados realizadas pelo Inep, entre elas: Censo Escolar: o Censo Escolar da Educação Básica é o maior e mais importante levantamento estatístico educacional brasileiro, sobre todas as etapas e modalidades de ensino da educação básica, compondo um quadro detalhado sobre alunos, docentes, turmas e escolas. Os dados levantados são fundamentais para a formulação de políticas educacionais nas três esferas de governo, para elaboração de novos diagnósticos sobre a educação no Brasil, e constituem a base de cálculo dos coeficientes para a distribuição dos recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e dos programas educacionais do Ministério da Educação (MEC). Além disso, os dados sobre movimento e rendimento, coletados logo após o encerramento do ano letivo, juntamente com o desempenho escolar obtido nas avaliações realizadas pelo Inep (SAEB e Prova Brasil), integram o cálculo do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), indicador que serve de referência para as metas do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE). Censo Superior: o Censo da Educação Superior é realizado anualmente e tem por objetivo coletar dados sobre a educação superior brasileira, oferecendo informações detalhadas sobre a realidade atual e as grandes tendências do setor aos dirigentes das Instituições, aos gestores das políticas educacionais, aos pesquisadores e à sociedade em geral. Com a nova sistemática e o aplicativo web de coleta de dados desenvolvidos no decorrer de 2009, o Inep aumentou a pertinência e a precisão das informações coletadas, destacando-se a ampliação das unidades de informação do Censo, com a inclusão de informações individualizadas sobre alunos e docentes, e o aperfeiçoamento e a ampliação dos formulários da pesquisa, com a inclusão de quesitos sobre características dos docentes, dos alunos e dos cursos. Os novos dados adquiridos servirão de base para novas séries estatísticas e para a elaboração de indicadores sobre a produtividade e a qualidade da Educação Superior no Brasil. Cadastro de docentes: coleta realizada anualmente junto às instituições de ensino superior para manter atualizados os dados dos docentes atuantes no nível superior de ensino. Laboratório de Experiências Inovadoras em Gestão Educacional: o laboratório é voltado para os dirigentes educacionais municipais e tem como objetivo reunir e disseminar boas práticas ou 16

17 tecnologias educacionais de êxito na melhoria da qualidade da educação. É uma ferramenta nova de comunicação com o gestor que vem sendo aprimorada para ser complementada com estudos e informações de interesse do gestor educacional. Em parceria com SEB/MEC e FNDE, além da participação da Unesco e UNDIME, o Inep promove, no âmbito do laboratório, o Prêmio de Inovação em Gestão Educacional (realizado pela primeira vez em 2006, com sua segunda edição em 2008), que é o principal meio de prospecção de experiências do laboratório e tem a função de incentivar e valorizar tais iniciativas, além de divulgar experiências de sucesso. Entre as avaliações de desempenho educacional e certificação promovidas pelo Inep, estão os exames internacionais, como o PISA, e os oferecidos nacionalmente, conforme apresentados a seguir, produzidos pelo Instituto. O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) tem como um dos seus objetivos a democratização do acesso ao Ensino Superior, o que demanda total qualidade na produção dos instrumentos de medida utilizados e na operacionalização necessária a aplicação das provas. Em 2011, o Enem avaliou aproximadamente 4 milhões de estudantes e a previsão para o ano de 2012 é que participem do Exame 5 milhões de estudantes com realização em outubro. Em decorrência das críticas da sociedade sobre aspectos normativos, legais e processuais na execução do Exame Nacional do Ensino Médio - ENEM, o Inep alterou a forma de contratação de empresas especializadas para a realização das suas Avaliações e Exames, outrora realizada por licitação na modalidade técnica e preço, passou a ser dividida em 3 (três) etapas: serviços gráficos contratados por pregão eletrônico, serviços de transporte de instrumentos e materiais por inexigibilidade e serviços de aplicação por meio de dispensa de licitação. Ainda, no intuito de minimizar os riscos inerentes ao processo de avaliação em larga escala, o Inep firmou parcerias por meio de Termos de Cooperação com o Comando Maior das Forças Armadas e com as Secretarias de Segurança Pública para assegurar a segurança necessária no transporte e aplicação das provas. Outras ações estratégicas foram iniciadas, a exemplo da contratação de consultoria para análise de risco (Módulo) e construção de parceria com o INMETRO Instituto Nacional de Metrologia para certificação dos processos institucionais. O Exame Nacional para Certificação de Competências (Encceja) tem como objetivo promover a certificação do jovem e adulto que não concluiu os estudos à época do ensino regular. No Brasil o Encceja promove a certificação apenas em nível fundamental, uma vez que o Enem promove a certificação em nível médio. Entretanto, o Encceja realizado no Japão promove certificação em ambos os níveis. Em 20 de março de 2011 houve aplicação do Encceja Nacional com pessoas avaliadas. Já a aplicação para pessoas privadas de liberdade e jovens sob medida socioeducativa foi aplicado no dia 13 de maio de 2011 e a aplicação Japão realizada nos dias 14 e 15 de maio de 2011 tiveram participantes ao todo. O Celpe-Bras Exame para Certificação de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros avalia a compreensão oral, a compreensão escrita, a produção oral e a produção escrita da Língua Portuguesa de forma integrada e é dividido em duas etapas: Parte Coletiva e Parte Individual. Este é o único Certificado Brasileiro de Proficiência em Português como língua estrangeira, reconhecido oficialmente. É conferido em quatro níveis: intermediário, intermediário superior, avançado, e avançado superior. Em 2011, foram realizadas duas edições do Exame sendo a primeira em abril e a segunda edição realizada em outubro com a participação de inscritos. Já existe a previsão para aplicação da primeira edição do Celpe-Bras em abril de A Avaliação Nacional da Educação Básica Aneb (SAEB) permite produzir resultados sobre o desempenho de grupos de alunos organizados em estratos amostrais, e a Avaliação Nacional 17

18 do Rendimento Escolar Anresc (Prova Brasil) prioriza e evidencia os resultados de cada unidade escolar da rede pública de ensino. O Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) fundamenta o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), que mensura a qualidade do ensino no País combinando os indicadores de rendimento (aprovação, reprovação e distorção idade/série) produzidos pelo CENSO Escolar e o desempenho obtido pela Avaliação Nacional do Rendimento Escolar Anresc (Prova Brasil) e Avaliação Nacional da Educação Básica Aneb. Os resultados desse índice são utilizados pelo Ministério da Educação para estabelecer políticas públicas em educação e como critério para a distribuição de recursos técnicos e financeiros, provenientes do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e outras fontes. Cabe ressaltar, que o IDEB define o plano de metas da educação brasileira, visando o alcance em 2022 de nível compatível ao dos países desenvolvidos. No exercício de 2011, houve aplicação das Avaliações (Anresc e Aneb) no período de 07 a 18 de novembro de 2011, em 26 Estados e no Distrito Federal, em escolas da rede pública de ensino, urbanas e rurais, com pelo menos 20 estudantes matriculados nos 5º e 9º anos do ensino fundamental regular, organizadas no regime de 09 anos, e nas 4ª e 8ª séries do ensino fundamental regular de 08 anos. A divulgação dos resultados dessas Avaliações está planejada para A Avaliação da Alfabetização Infantil Provinha Brasil: trata-se de um instrumento de aferição do desempenho escolar que consiste na avaliação da alfabetização nos anos iniciais do ensino fundamental. Os resultados da avaliação da alfabetização são de grande interesse para gestores de políticas públicas das diferentes instâncias político-administrativas, pelo provimento de informações que lhes permitem diagnosticar o quadro da realidade educacional brasileira e contribuir para a definição de prioridades em projetos e programas a serem implementados para a melhoria dos sistemas de ensino; para a comunidade escolar: diretores e professores, que disporão de indicadores e informações sobre o desempenho dos alunos de uma forma geral, apontando para os aspectos do ensino-aprendizagem, de gestão, entre outros que deverão ser reforçados; para universidades e instituições de estudos e pesquisas, em articulação com as administrações educacionais, que poderão ampliar sua capacidade técnica e o conhecimento científico na área de avaliação educacional, contribuindo para a melhoria do desempenho do setor no Brasil; para profissionais que trabalham com a educação em nível federal e nas secretarias estaduais e municipais, que poderão ampliar sua capacidade técnica para o desenvolvimento de avaliações; para a população em geral, que contará com informações mais qualificadas, permitindo-lhe o exercício de controle e pressão social em torno da melhoria de indicadores educacionais. Em 2011, houve a primeira aplicação da Provinha Brasil de Matemática. O material para a aplicação das provas de leitura do 1º semestre pelas redes de ensino foi disponibilizado no sítio do Inep em maio de 2011, no endereço No 2º semestre foi disponibilizado o material de leitura e de matemática partir de agosto de O Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (PISA) é um exame amostral, realizado a cada três anos pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e tem por objetivo fornecer aos países participantes os indicadores comparativos internacionais, a fim de subsidiar políticas de melhoria da educação. Para a aplicação do Pisa, os países participantes do Programa obedecem a uma metodologia específica que consiste em adequação do material de apoio e pré-testagem dos itens a serem utilizados nas provas. Em 2011, o Inep procedeu à preparação da base de dados de escolas sorteadas para aplicação do Pré-Teste PISA 2012, a contratação de serviços gráficos, de distribuição de material de aplicação e de apoio e, de Instituição especializada para aplicação do Exame. Em 2012, haverá a aplicação em maio com a participação estimada de 902 escolas e estudantes. 18

19 TERCE - Organizado pelo Laboratório Latino-americano de Avaliação da Qualidade da Educação (LLECE) da UNESCO/Santiago, tem como objetivo identificar as características dos estudantes, das turmas, das escolas, dos professores e das famílias dos alunos que estão associadas ao desempenho, dando ênfase a fatores que possam gerar políticas de melhoria da qualidade da educação. O Terce avalia as 3ª e 6ª séries do ensino fundamental nas disciplinas de Matemática, Linguagem (leitura e escrita) e Ciências. O Terce ocorre uma vez a cada três anos. Em 2011, LLECE fomentou diversas atividades entre elas estão a elaboração e a revisão de itens para a próxima aplicação e o pré-teste piloto em Brasília. O Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), instituído pela Lei /2004, dispõe sobre o processo nacional de avaliação da educação superior a ser realizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), por meio da Diretoria de Avaliação da Educação Superior (DAES). Os três principais componentes deste sistema são: avaliação das instituições de educação superior; avaliação dos cursos de graduação; e avaliação do desempenho acadêmico de seus estudantes. Os resultados produzidos pelo SINAES têm por finalidade avaliar a qualidade dos cursos ofertados no País e subsidiar os processos de regulação e supervisão da educação superior realizado pelo Ministério da Educação. Em 2011, a operacionalização do SINAES se deu pela ação orçamentária 8257 (Avaliação da Educação Superior). Destacamos, também, a realização nesta mesma ação do Exame para fins de Revalidação de diplomas médicos obtido em instituições de educação superior estrangeiras REVALIDA Observatório da Educação: tem como objetivo fomentar a criação de grupos de pesquisadores na área educacional, oferecendo financiamento para pesquisas, especialmente bolsas de mestrado e doutorado, cujos projetos foram escolhidos a partir de seleção pública. Núcleos de Estudos sobre Educação: o projeto Núcleos de Estudos sobre Educação visa criar, recuperar, modernizar e equipar núcleos de estudos sobre educação, além de viabilizar financeiramente o desenvolvimento de estudos e pesquisas educacionais. Estudos e pesquisas desenvolvidos nesses núcleos estão direcionados a subsidiar gestores educacionais no processo decisório para o estabelecimento de políticas educacionais e, também, são usados como fonte de informação consolidada para usuários em geral. Além de levantar dados, avaliar a qualidade da educação brasileira e estudar as informações coletadas, o Inep tem um importante papel de divulgação dos dados, sejam eles brutos, com foco em público de pesquisadores, sejam eles tratados, com foco em gestores, estudantes e seus familiares e público em geral. Essas divulgações são feitas de diversas maneiras, as principais são: Linha editorial: publicações de pesquisa periódicas como a Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos (RBEP), relatórios técnicos e estatísticos dos dados produzidos pelo Inep, além de textos para discussão e outros títulos avulsos. Bases completas de dados (microdados): as bases de dados resultantes dos levantamentos realizados pelo Inep são distribuídas em CDs ou disponibilizadas via Internet, para facilitar o acesso aos pesquisadores. 19

20 Participação de eventos: além dos eventos produzidos pelo Inep, o Instituto participa de eventos cujo público seja especialmente interessado no tema educação (SBPC, ANPED, ANPEC, eventos da UNDIME, CONSED, secretarias de educação etc.), buscando levar informações e estudos disponibilizados pelo Instituto ao conhecimento de um maior número de pessoas, bem como colher informações para renovar a percepção que o Inep tem das questões que esses grupos estão levantando e contribuir com as respostas desejadas. Sítio do Inep: a página do Inep na Internet é uma das principais formas de acesso a todos os dados do Instituto. Nela estão disponíveis as bases de dados, as publicações em formato digital, além de muitas informações já tratadas e organizadas para facilitar o acesso dos interessados a estatísticas e outras informações sobre educação disponibilizadas pelo Inep. 20

21 2.2 Estratégia de atuação frente às responsabilidades institucionais Para a realização do Censo Escolar da Educação Básica em todo o território nacional, o INEP trabalha em parceira com as Secretarias Estaduais de Educação, que coordenam os processos em cada estado, conforme a Portaria N 316 de 4 de abril de 2007 e Decreto N de 4 de abril de Anualmente, o Inep repassa, por meio de convênio, recursos financeiros às instituições parceiras para viabilizar a execução local. Esses recursos são utilizados em despesas, tais como: passagens e diárias, treinamentos de equipes, digitação, material de consumo e compra de equipamentos. A equipe responsável pela Coordenação Nacional do Censo, no Inep, orienta as equipes estaduais e acompanha toda a execução para que o processo de coleta ocorra em condições satisfatórias e dentro do cronograma previsto. Esse acompanhamento é fundamental e garante que o Censo seja realizado com qualidade. As informações são declaradas ao Censo por meio do Sistema Educacenso, via Internet. Durante e após a coleta são realizadas análises e críticas de consistências, a fim de garantir que os dados sejam os mais precisos possíveis. O Censo da Educação Superior é realizado anualmente junto às Instituições de Educação Superior (IES), responsáveis pelas informações declaradas, de acordo com o Decreto nº 6.425, de 4 de abril de A coleta visa a obter dados sobre a educação superior brasileira, oferecendo informações detalhadas sobre a realidade atual e as grandes tendências do setor aos dirigentes das Instituições, aos gestores das políticas educacionais, aos pesquisadores e à sociedade em geral. No intuito de obter dados mais precisos na Educação Superior realizou estudos e desenvolveu um novo sistema para a coleta de dados, para o Censo da Educação Superior Para tanto, utilizou-se como estratégia a realização de consultas às Instituições de Ensino Superior (IES), a entidades representativas do setor e a especialistas, primeiramente sobre a necessidade de estatísticas em educação superior e, em seguida, sobre as modificações dos formulários da pesquisa, com vistas a ampliar a qualidade técnica e a pertinência das informações do Censo. No Censo da Educação Superior 2010, novas iniciativas foram tomadas com vista a ampliar a qualidade das estatísticas produzidas. A primeira ação foi a integração com o Cadastro e-mec, em atendimento à Portaria Normativa nº 40, de 12 de dezembro de A interoperabilidade permitiu que não houvesse duplicação na coleta de IES e cursos, bem como possibilitou que fosse reduzida a carga ao respondente, que não necessitava cadastrar novamente uma IES ou curso na base de dados do Inep. E para aumentar a fidedignidade dos dados informados, o Censo integrou-se ainda com a Receita Federal ao validar o CPF de alunos e docentes, evitando assim duplicações de registros. Para o volume de modificações, os usuários foram treinados sobre o sistema de coleta ao longo de três semanas (7 a 25 de fevereiro de 2011), gerando o seguinte resumo de participação: Especificação Total Número de IES convidadas que participaram da Apresentação 826 Número de IES convidadas que não participaram da Apresentação Número de IES convidadas para a Apresentação Ademais, para ampliar os debates sobre a qualidade dos dados coletados, tratados e disseminados, o Inep promoveu o I Encontro Nacional do Censo da Educação Superior entre os dias 9 e 11 de novembro de 2011, após a coleta. O objetivo do evento foi reafirmar e aprimorar princípios e práticas de qualidade das estatísticas educacionais. Houve ainda um descobrimento de formas inovadoras de gestão compartida e responsiva do nível central estatal para a sociedade civil, bem como o inverso. 21

22 Considera-se, então, que as mudanças realizadas buscaram o atendimento do Acórdão nº 2043/2010 TCU e do Relatório de Auditoria do TC nº /2009-9, além dos demais normativos vigentes. Foram buscadas soluções integradas ao usuário para melhorar progressivamente a qualidade das informações presentes no questionário do Censo da Educação Superior. A melhoria, todavia, buscou respeitar a coerência e comparabilidade das estatísticas, mantendo-as compatíveis, seja no interior de um conjunto de dados ou ao longo do tempo, seja entre regiões, países e junto a dados provenientes de outras fontes. Adicionalmente, com as iniciativas citadas, o Inep buscou aproximar-se, ainda mais, das entidades representativas da educação superior. O objetivo foi atender à necessidade de gerar de mecanismos de incentivo para que as IES respondessem de forma completa e apropriada ao questionário do Censo da Educação Superior, conforme item b) do supracitado Acórdão e Relatório de Auditoria. A manutenção do Banco Nacional de Itens BNI, um acervo de itens de provas associados a uma série de informações que permitem a montagem de testes capazes de estimar com maior precisão a proficiência dos estudantes. Todavia, há a demanda de uma maior quantidade de itens com evidente qualidade técnica para a ampliação do banco, para melhor atender às necessidades das avaliações. A estratégia para ampliação do BNI se fundamenta nas parcerias firmadas com especialistas e Instituições de Ensino Superior IES em todo o país por meio do cadastro de colaboradores do BNI criado por Chamada Pública em 2010 e por Termo de Cooperação firmado com as IES. O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), como ferramenta para democratizar as oportunidades de acesso às vagas federais de ensino superior, possibilitar a mobilidade acadêmica e induzir a reestruturação dos currículos do ensino médio possibilita às universidades optar entre quatro possibilidades de utilização do novo exame como processo seletivo: como fase única, com o sistema de seleção unificada, informatizado e on-line; como primeira fase; combinado com o vestibular da instituição; como fase única para as vagas remanescentes do vestibular. Ante as novas demandas políticas e sociais, foi promovida a capacitação e motivação de servidores de modo a alcançar maior qualidade de seus produtos. Tecnologia da Informação 1) Análise do andamento do plano estratégico da unidade ou do órgão em que a unidade esteja inserida. Em virtude da solicitação por parte do Tribunal de Contas da União de criação de um Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação, capaz de direcionar as ações estratégicas, para transformar o órgão responsável pelas soluções de tecnologia em um setor alinhado com a área de negócios, o Secretário Executivo do Ministério da Educação, em reunião do Comitê Gestor de Tecnologia da Informação, solicitou às instituições participantes do Comitê a realização de um processo de Planejamento Estratégico de Tecnologia Integrado, de forma que as diretrizes estratégicas discutidas possibilitassem a convergência de ideias e posteriores decisões. 22

23 O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), representado pela Diretoria de Tecnologia e Disseminação de Informações Educacionais (DTDIE), o Ministério da Educação e a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) empreenderam o processo presente, formalizado pela Portaria de n 01, de 05 de agosto de O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) optou por contratar empresa especializada para tal fim, e designou profissionais para composição do Grupo de Trabalho, além de auxiliar nos eventos de todas as instituições. Após a designação formal da Comissão, foram realizados diversos encontros, de forma a encontrar a melhor metodologia de planejamento, e empreendidos eventos, com a participação da alta e média administração de cada órgão, de forma a possibilitar às três instituições um formato simples e efetivo de construção das diretrizes e declarações estratégicas. O resultado final, obtido em dezembro de 2011, foi encaminhado para apreciação pela coordenação do Grupo de Trabalho e posterior publicação, prevista para o início de Na Figura I (ver Anexo) é apresentado o Mapa Estratégico da DTDIE contendo os elementos a serem perseguidos para o período de ) Análise do plano de ação da unidade referente ao exercício de 2011 As ações da DTDIE durante o ano de 2011 foram norteadas pelas necessidades elencadas no Plano Diretor de Tecnologia da Informação do Inep (PDTI) , assim como pelas metas assumidas, através do Plano de Metas do Inep 2011/2012, relacionadas à Estratégia Geral de Tecnologia da Informação EGTI 2011 do Sistema de Administração de Recursos de Informação e Informática SISP. Ao longo do ano de 2011 a DTDIE buscou efetuar a execução das ações propostas através das seguintes estratégias: Terceirização das atividades de cunho técnico/operacional de modo aderente à legislação em vigor; Gestão, acompanhamento e controle da execução dos contratos de TI através dos servidores em exercício na unidade; e Gestão, acompanhamento e controle contínuo do alcance das metas e objetivos estabelecidos. Vale ressaltar que durante o exercício de 2011 ocorreu a efetivação de contratações objetivando a aderência à jurisprudência do Tribunal de Contas da União - TCU e normativos da Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão SLTI/MP no tange os processos de contratação dos serviços de TI, gestão dos respectivos contratos e adoção de métricas que permitem a vinculação dos pagamentos ao tamanho dos serviços solicitados e entregues. Como estratégia para assegurar a confiabilidade das análises, diagnósticos e informações sobre as condições da educação brasileira, a Diretoria de Estudos Educacionais - DIRED tem trabalhado com rigor metodológico, empregando as melhores técnicas de pesquisa, além de manter diálogo permanente com a comunidade acadêmica e usuários sobre problemas relevantes do cenário atual, procedimentos metodológicos e novos projetos. 23

24 A utilização da Internet como meio de comunicação com a sociedade assume um papel estratégico na interface entre o Estado e a sociedade. A DIRED tem envidado esforços na divulgação de sua produção via portal institucional na Internet, produzindo produtos específicos para esse canal de acesso da sociedade, cada vez mais relevante. Os assuntos estão com uma abordagem sintética, linguagem acessível e programação visual agradável, de maneira a alcançar um público mais amplo. Tal prática, busca tornar acessíveis aos gestores públicos e à sociedade como um todo, análises, diagnósticos e informações sobre as condições da educação brasileira. Permite, dessa forma, aumentar o poder de disseminação das informações produzidas. O Inep tem como atribuição planejar e operacionalizar ações e procedimentos referentes à avaliação da Educação Superior. Os resultados de tais avaliações geram informações que subsidiam as definições de políticas públicas e possibilitam a ação precisa dos gestores. O Instituto tem seguido as determinações legais na implementação dos processos avaliativos e está em consonância com o disposto nas orientações legais pertinentes à avaliação da Educação Superior, a Lei nº /2004, que instituiu a Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (Conaes), órgão colegiado do qual fazem parte diferentes representações da sociedade, do MEC e também do Inep, para fins de deliberação sobre os procedimentos do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES). Da mesma forma a atuação da Comissão Técnica de Acompanhamento da Avaliação (CTAA), instância definida na Portaria MEC nº 1.027/2006, para julgar, em grau de recurso, os resultados das avaliações consignadas nos relatórios das Comissões in loco, quando solicitado tanto pelas Instituições de Ensino Superior (IES) como pelas Secretarias do MEC. Operações Logísticas dos Exames Relatório de Distribuição dos Exames 2011 O presente relatório tem como finalidade apresentar os dados da Coordenação de Distribuição e Infraestrutura quanto as operações logísticas de Distribuição para aplicação dos Exames do INEP no exercício de As informações são apresentadas por Exame e desmembradas de forma alcançar uma visão panorâmica de cada evento sob o aspecto quantitativo relacionada a estrutura utilizada para o armazenamento, os Materiais distribuídos e a logística de distribuição. Além disso, as melhorias implementadas no processo em 2011, visando minimizar o risco constante durante as fases de distribuição e aplicação dos exames. 1. ENEM Estrutura para armazenamento 01 Unidade central de armazenamento na Cidade de Osasco 4º BIL 70 Batalhões do Exército nos Estados de aplicação 06 Batalhões da Policial Militar nos Estados de aplicação 639 Unidades Distribuidora dos Correios Material Distribuído Total de provas (normal, braile, ampliada e Ledor) 24

25 Malotes CDL s (Container Desmontável Leve) kg Peso do material distribuído Logística de Distribuição Total de rotas de distribuição Km Quilômetros percorridos 2. ENADE Estrutura para Armazenamento 01 Unidade central de armazenamento na Cidade de Osasco 4º BIL 570 Unidades Distribuidora dos Correios 194 CDL s (Container Desmontável Leve) Material Distribuído Total de provas Malotes Kg Peso do material distribuído Logística de Distribuição 786 Total de rotas de distribuição 3. ENEM PPL Estrutura para armazenamento 01 Unidade central de armazenamento na Cidade de Osasco 4º BIL 168 Unidades Distribuidora dos Correios Material Distribuído Total de provas 1632 Malotes 103 CDL s (Container Desmontável Leve) kg Peso do material distribuído Logística de Distribuição 284 Total de rotas de distribuição 4. ENCCEJA Estrutura para armazenamento 683 Unidades Distribuidora dos Correios Material Distribuído Total de provas Malotes 64 CDL s (Container Desmontável Leve) Kg Peso do material distribuído 25

26 5. ENCEJJA PPL Estrutura para armazenamento 156 Unidades Distribuidora dos Correios Material Distribuído Total de provas) 656 Malotes 23 CDL s (Container Desmontável Leve) kg Peso do material distribuído 6. PROVA BRASIL Estrutura para armazenamento 01 Unidade central de armazenamento na Cidade de Osasco 4º BIL 1476 Unidades Distribuidora dos Correios Material Distribuído Total de provas Malotes CDL s (Container Desmontável Leve) kg Peso do material distribuído 7. Mecanismo de Controle, Sigilo e Segurança A complexidade do processo logístico para os exames do INEP que necessitam de sigilo e segurança ampliou a necessidade de consolidar mecanismos de controle, sigilo e segurança em todo o fluxo. Para isso, foram implementadas as seguintes melhorias visando minimizar os riscos durante as fases de Distribuição e Aplicação dos Exames. Criação da Unidade de Operações Logística para dar centralidade no processo de coordenação, gestão e monitoramento das operações de produção, distribuição e aplicação dos exames de avaliação do INEP. Contratação de uma empresa especializada em fazer o gerenciamento de risco de todo o processo. Instituição de um comitê de Assessoramento das operações de Segurança na Distribuição dos instrumentos de Avaliação do INEP com a atribuição de planejar, estabelecer diretrizes, acompanhar e monitorar todo o processo de distribuição e aplicação das provas sob o ponto de vista da segurança. Formalização de Termo de cooperação com o Ministério da Defesa para armazenar em local seguro o material a ser distribuído, além disso, dar apoio na distribuição em locais onde os correios não conseguem alcançar. Formalização de Termo de Convênio ou compromisso com as 27 Secretarias Estaduais de Segurança Pública para garantir a segurança através das escoltas do material nas Rodovias Estaduais e segurança nos locais de aplicação. 26

27 Formalização de Termo de Cooperação com a PRF (Policia Rodoviária Federal) para garantir as escoltas do material em Rodovias Federais. Aprimoramento da gestão estratégica com a unitisação virtual do material a ser transportado provas e material administrativo logo após consolidação da base de inscrições do Enem, o que permite: Determinação prévia do dimensionamento de postos e entrepostos de armazenagem por todo Brasil; Dimensionamento das equipes de manuseio em cada um desses locais; estimativa do tipo e quantitativo de transporte desde a saída da unidade de produção até a aplicação do exame; Estimativa do efetivo a ser alocado nos postos e entrepostos de armazenagem para garantia das condições de segurança; Dimensionamento da operação reversa, inclusas as mesmas normas aplicadas para a operação de distribuição. Criação de Sistema de Monitoramento de Rotas MAPA, que viabilizou dentre outras: Planejamento prévio, com antecedência mínima de sete dias, dos deslocamentos de material ente os pontos de armazenagem; Planejamento prévio, com no mínimo sete dias, das escoltas empregadas em cada deslocamento de material da operação, sendo informados ao Inep, pelo agente de segurança, efetivo e veículos a serem empregues na escolta; Possibilidade de reagendamento das escoltas devido à incompatibilidade de agenda, com antecedência mínima de sete dias; e Monitoramento em tempo real, por parte dos gestores do Inep, dos deslocamentos do material e da execução de suas respectivas escoltas. Programa de Certificação de Pessoas O Inep tem como finalidade institucional desenvolver e implementar, na área educacional, sistemas de informação e documentação que abranjam estatísticas, avaliações educacionais, práticas pedagógicas e de gestão das políticas educacionais. No cumprimento destas funções, o Inep tem sob sua responsabilidade a aplicação, a produção gráfica e a distribuição dos materiais de Exames e Avaliações sob tutela do Ministério da Educação. Assim, a cada nova aplicação dos Exames e Avaliações, o Inep, avalia os procedimentos utilizados pelas empresas contratadas para realizar os Exames e Avaliações com o intuito de aprimorar os processos e evitar problemas principalmente in-loco. Em 2011 apesar de todos os avanços alcançados e das melhorias implementadas por conta do modelo de gestão integrada de monitoramento de processos e riscos, constatou-se, por meio da análise dos relatórios de acompanhamento das aplicações realizadas pelos servidores do órgão, a necessidade de melhorar a capacitação dos agentes envolvidos nas aplicações dos Exames: coordenadores estaduais, municipais de local de aplicação e aplicadores. Diante desse cenário e de reuniões realizadas pela equipe de Unidade de Operações Logísticas do Inep, concluiu-se que a há a necessidade de criar um Programa de Certificação de 27

28 Pessoas com o intuito de proporcionar uma atuação de qualidade dos colaboradores nos Exames e Avaliações do Inep deferentemente da capacitação específica para os dias de provas ministrada pelas empresas aplicadoras. O Programa de Certificação de Pessoas abordará assuntos gerais a todos os Exames do INEP entre eles: a contextualização institucional do INEP e dos Exames, o papel e a função de cada agente envolvido, sigilo e segurança, critérios de seleção dos locais de provas entre outros. No entanto, implementar tal programa, que visa alinhar os conhecimentos e procedimentos necessários para a aplicação por meio da troca de experiência entre os colaboradores envolvidos, contempla três etapas, a saber: 1. Evento de Alinhamento para Aplicação de Exames e Avaliações do Inep Essa etapa envolve a parceria do Inep com o Centro de Educação à Distancia da Universidade de Brasilia (Cead/Unb) por se tratar de um órgão que promove e facilita o acesso à educação e ao conhecimento humano nas suas diversas áreas, buscando superar obstáculos de distância física e temporal por meio das mais variadas ferramentas de interatividade, considerandose também além de sua capacidade técnica, aspectos geográficos facilitadores da interlocução imediata e da resolução de problemas. Assim, o evento é na modalidade à distância, utilizando-se da plataforma virtual moodle para permitir a implantação do aplicativo como forma de conduzir as atividades em todas as suas etapas, com o objetivo de integrar e contextualizar os conhecimentos teóricos e práticos dos colaboradores que, em rede nacional, atuaram na aplicação do Enem A Rede IPFES (rede de Instituições Federais de Educação Superior concebida em 2011 como com o intuito de auxiliar o Inep no acompanhamento da aplicação dos Exames e Avaliações) também participará do evento contribuindo com experiências positivas no sentido aprimorar o processo de aplicação. 2. Concepção da Matriz de Requisitos para Alinhamento das Aplicações de Exames e Avaliações do Inep: Com base nas informações coletadas e compartilhadas entre os colaboradores acima citados no evento, o Cead elaborará uma MATRIZ DE REQUISITOS para cada tópico tratado no evento (conteúdo) que permitirá ao Inep proceder o ALINHAMENTO das informações para assim aprimorar suas futuras aplicações. Essa matriz apresentará os indicadores individuais quanto aos níveis de aderência dos participantes do evento nas atividades ministradas, ou seja, a proficiência alcançada por cada um em relação aos conteúdos transmitidos. 3. Certificação de Pessoas: Após participação no evento, os colaboradores serão incentivados a procurarem uma Instituição certificadora para pleitearem um certificado que comprove os conhecimentos adquiridos durante o evento estando assim aptos a trabalharem futuramente nas Avaliações e Exames do Inep. Para proceder o processo de certificação o Inep fará uma parceira com o Inmetro que contribuirá com a acreditação das Instituições Certificadoras que serão credenciadas no país para tal função. Todas as três etapas do programa de certificação de pessoas tem como principal, além de aprimorar o processo de aplicação dos Exames e Avaliações, por meio da unificação de 28

29 conhecimentos e procedimentos, constituir um Cadastro Nacional de Aplicadores de Exames e Avaliações do Inep com dados cadastrais de colaboradores aptos e certificados para atuarem como tal. MODELO DE GESTÃO DE RISCOS Visando à redução dos riscos operacionais em seus processos essenciais, o Inep solicitou à empresa Módulo a elaboração de documento que apresentasse uma metodologia de Gestão de Riscos e de operação da Sala de Gestão Integrada de Riscos, projetada na Autarquia para coordenar, controlar, monitorar e executar a Gestão de Riscos de quaisquer atividades fins do Inep. A Gestão de Riscos possibilita tratar com eficácia as incertezas, bem como os riscos e as oportunidades a elas associadas. A abordagem estruturada de Gestão de Riscos permite uma melhor compreensão de seus processos, pessoas, tecnologias e conhecimentos e, consequentemente, a redução da materialização de eventos que impactem negativamente em seus objetivos. A Sala de Gestão Integrada de Riscos funciona como um centro de operações e monitoramento de riscos e suporte às questões relacionadas a riscos. Subsidia a tomada de decisões por meio do acompanhamento das principais informações originárias da execução do processo; de seus executores; dos sistemas, internos e externos; e notícias dos diversos tipos de mídia; de modo a identificar possíveis situações de riscos ou ocorrências de eventos críticos, permitindo a adoção antecipada de medidas com o objetivo de minimizar impactos negativos para a instituição. As funções básicas são: Coordenar as atividades de Gestão de Riscos; Disseminar a cultura de Gestão de Riscos; Manter a Alta Gestão ciente dos riscos encontrados e de outras informações correlatas; Assessorar as demais áreas nos assuntos referentes à Gestão de Riscos. Para consecução de suas atividades, a Sala de Gestão Integrada de Riscos faz uso de um software de Gestão de Riscos denominado Risk Manager. O uso do software tem por objetivo consolidar e ser o repositório das informações que são relevantes à Gestão de Riscos, tais como: Inventário do contexto da Gestão de Riscos; Registro e monitoração de eventos e incidentes; Repositório de conhecimento para riscos; Ferramenta de apoio na coleta de informações: o A partir de análises de riscos ou integrando-se a outros sistemas. Ferramenta de apoio para a comunicação e consulta de riscos. Na Sala de Gestão Integrada de Riscos é possível monitorar a execução do processo levando-se em conta as seguintes premissas: 29

30 Assegurar que os eventos, negativos ou não, sejam avaliados para identificar eventuais oportunidades de melhorias; Identificar eventuais desvios nos cronogramas de execução que possam caracterizar potenciais riscos ao processo alvo; Monitorar a execução do processo para que os recursos materiais, humanos e orçamentários previstos estejam disponíveis; Monitorar o ambiente externo, em especial a mídia jornalística e redes sociais, para se antecipar a eventuais ameaças; Assegurar que as análises de riscos sejam conduzidas dentro dos prazos esperados e de forma a antecipar riscos; Assegurar que os planos de tratamento ocorram dentro dos prazos esperados. SIMEC Outra inovação advinda com o funcionamento da Sala de Gestão Integrada de Riscos foi a utilização do Sistema Integrado de Monitoramento do Ministério da Educação SIMEC, como ferramenta rastreadora de informações acerca da operação logística dos exames e avaliações do Inep no ano de 2011, em especial do Enem geral e do Enem aplicado às pessoas privadas de liberdade. Esta medida permitiu ao Inep implementar um sistema de controle e acompanhamento das etapas e fases do processo, que é o SIMEC. Segue abaixo uma descrição das Etapas/Fases: 30

31 Quadro II Etapas e Fases do Simec ETAPAS/FASES GT de Implementação de Melhorias Formação do Cadastro Nacional BNI Banco Nacional de Itens Estruturação da Operação Execução Encerramento ESCOPO São 15 (quinze) Grupos de Trabalhos GT s específicos constituídos em diversas frentes de atuação para implementação de melhorias junto ao Exame do ENEM Consiste na fase de feitura do Termo de Cooperação, com a consequente definição do público alvo, reunindo assim material necessário para a realização do Exame ENEM, desenvolvendo Módulos com conteúdos programáticos específicos, para elaborar o Sistema de Inscrição, bem como a plataforma ambiental, com a definição do local de hospedagem de cada Módulo, ensejando assim o Programa de Formação, com sua validação do ambiente virtual e por fim o Programa de Certificação de Pessoas no Sistema de Certificação do INMETRO. É um banco de dados de questões, composto pelos seguintes instrumentos: Definição das características do sistema do BNI, definição da matriz da base de elaboração de itens, elaboração de itens, com a consequente elaboração do edital de chamada pública, definição do processo de capacitação dos colaboradores para elaboração de itens, estruturação da operação pré-testagem de itens, revisão/ melhorias da produção gráfica, elaboração do plano amostral/ aplicação (pré-teste), validação pedagógica e revisão de itens, armazenamento dos itens, transferência de itens para a concepção dos instrumentos, articulação interna para preparação do ambiente seguro com sua respectiva responsabilidade técnica sobre o contrato. É a fase de Estruturação e Articulações Institucionais da operação ENEM 2012 abrangendo a elaboração do Edital e sua consequente publicação, definição do Sistema de Inscrição, articulação com parcerias Institucionais (segurança), Governança em gestão de riscos, análise de produto e liberação de pagamento, que inclui o Plano Operacional do Exame, concepção dos cadernos de questões (P1+P2+P3), bem como do material de aplicação, Criação de Comissão especializada para acompanhamento das inscrições até o processo decisório homologado, divulgação dos locais de provas e seu consequente Planejamento Operacional, preparação e criação do Centro de Gestão de TI para os layouts do ambiente. É composta pelo Monitoramento de todos esses instrumentos, a saber: Ensalamento, Emalotamento, Envelopamento, Distribuição do Material Administrativo, Preparação dos locais de Armazenamento, Distribuição dos cadernos de questões, Operação Pré- Exame, Aplicação do Exame, Impressão das provas, Impressão do Material Administrativo, Preparação do ambiente da Gráfica, Preparação da Sala de Situação, Entrega da Mídia e Diagramação, Produção Gráfica. É a última fase, compreendendo o Monitoramento da Operação Pós-Exame, ou seja, Operação reversa, correção de provas objetivas, composta de matriz de correção, digitalização e processamento, relatório gerencial, plano de consistência da base de dados e correção de provas discursivas com seus respectivos procedimentos: matriz de correção, cadastro de corretores, plano de capacitação de corretores, sistema web de correção, plano de consistência de resultados, relatório gerencial, posterior a essas correções, divulga-se os resultados, englobando aqui a consolidação da base de dados dos resultados. E, ainda compõem essa fase de vista de provas, e a composição da Comissão especializada de análise do resultado até o processo decisório homologatório. E, por fim, a homologação da base de correção. Assim, as etapas e fases da operação foram estruturadas em processos, subprocessos, atividades e dentro destas as tarefas a serem executadas, validadas e certificadas como itens de Check List. 31

32 Esta metodologia de monitoramento permitiu o controle do passo a passo da operação, com o acompanhamento diário da execução das tarefas relacionadas às atividades pelos técnicos responsáveis, que eram validadas e certificadas pelos gestores do Inep, registrando login, data e hora da ocorrência, inclusive, em várias situações sendo necessário anexar documentos comprobatórios como evidência do cumprimento da tarefa ou item de Check List. Para se ter uma ideia da dimensão e estrutura do Simec, em 2011 foram identificadas 06 Etapas, 44 Processos, 44 Subprocessos, 266 Atividades e Check List. CRIAÇÃO DE ÍNDICE DE PREÇOS DE REFERÊNCIA DO INEP (IPR-Inep) À medida que aumenta a importância das notas do Enem, cresce a necessidade de adotar mecanismos que garantam a qualidade gerencial dos procedimentos operativos. Para o alcance de sua missão institucional o Inep necessita operacionalizar procedimentos e ações para aplicação dos instrumentos pedagógicos de avaliação e coleta de dados mediante contratação de insumos variados em diferentes localidades do território nacional. Assim, para garantir a contratação de preços justos tornou-se imprescindível ao Inep construir uma base de referencia de preço para construção das planilhas de custos que balizarão essas contratações. Neste sentido, o Inep celebrou contrato com a Fundação Getúlio Vargas que teve por objeto a prestação dos serviços de consultoria para realizar pesquisa sobre as bases de referência de preços para o custo da mão de obra, serviços e outros insumos utilizados na realização dos Exames e das Avaliações realizadas pelo Inep. As principais atividades relacionadas ao citado contrato envolve: Levantamento e análise da dinâmica de aplicação dos Exames e das Avaliações do Inep; Identificação e descrição dos requerimentos operacionais para efetivação de cada atividade/tarefa destinada à realização dos exames e avaliações do Inep; Revisão do rol de insumos. Padronização dos insumos catalogados que deverão ter seus custos levantados. Elaboração de instrumentos de coleta. Aplicação do método definido para realização de levantamento dos preços dos insumos catalogados. Análise de consistência dos preços coletados. Estruturação de catálogo contendo banco de referência de preços (mínimo e máximo) para o custo da mão de obra e insumos complementares para realização dos exames e das avaliações do Inep, classificado por insumo. Realização de oficina de capacitação de servidores do Inep na metodologia utilizada nos levantamentos realizados e nos procedimentos para uso e atualização do Catálogo de Referências de Preços. Considerando a especificidade das contratações realizadas pelo Inep a partir desse parâmetro a autarquia terá condições de construir o modelo de gestão das contratações e se assegurar de que os 32

33 valores atribuídos aos serviços estão coerentes com o mercado, evitando assim incorrer em contratações equivocadas, sejam por preço excessivo, sejam por preços inexequíveis. 33

34 2.3 PROGRAMAS DE GOVERNO SOB A RESPONSABILIDADE DA UJ Execução do Programa de Governo sob a Responsabilidade da UJ Quadro III Demonstrativo da Execução por Programa de Governo Código no PPA 1449 Denominação Tipo do Programa Objetivo Geral Objetivos Específicos Gerente Público Alvo Inicial Dotação Estatísticas e Avaliações Educacionais Apoio às Políticas Públicas e Áreas Especiais Produzir informações claras e confiáveis aos gestores, pesquisadores, educadores e público em geral, de forma a subsidiar a formulação e implementação de políticas públicas para a área educacional. Malvina Tania Tuttman Governo e Comunidade Acadêmica Informações orçamentárias e financeiras do Programa Final Despesa Empenhada Despesa Liquidada Restos a Pagar não processados Em R$ 1,00 Valores Pagos Ordem Indicador (Unidade medida) Informações sobre os resultados alcançados Referência Data Índice inicial Índice final Índice previsto no exercício Índice atingido no exercício Fórmula de Cálculo do Índice - Análise do Resultado Alcançado - Ordem Indicador (Unidade medida) Referência Data Índice inicial Índice final Índice previsto no exercício Índice atingido no exercício Fórmula de Cálculo do Índice - Análise do Resultado Alcançado - Fonte: CGOFC/DGP Ação 0181 Pagamento de Aposentadorias e Pensões Servidores Civis Essa é uma ação padronizada cuja finalidade é garantir o pagamento devido aos servidores civis inativos do Poder Executivo ou aos seus pensionistas, em cumprimento às disposições contidas em regime previdenciário próprio. Não houve problemas na execução dessa ação. Ação 09HB Contribuição da União, de suas Autarquias e Fundações para o Custeio do Regime de Previdência dos Servidores Públicos Federais 34

35 Essa é uma ação padronizada cuja finalidade é assegurar o pagamento da contribuição da União, de suas Autarquias e Fundações para o custeio do regime de previdência dos servidores públicos federais, na forma do art. 8º da Lei nº , de 18 de junho de Não há meta física prevista. Não houve problemas na execução dessa ação. Ação 2000 Administração da Unidade Esta é uma ação padronizada cuja finalidade é custear as despesas de natureza administrativa que não puderem ser apropriadas em ações finalísticas ou em programas finalísticos. A Ação 2000 está diretamente ligada à manutenção das atividades administrativas do órgão, que utiliza uma área total de 9.298,32m2, com a seguinte composição: 2 Subsolo, destinado a garagem, casa de máquinas e gráfica; 1 Subsolo, destinado a garagem, depósitos, e salas, com acesso independente e iluminação e ventilação natural; Térreo, destinado a portaria, recepção, 3 sanitários, salão corrido, auditório com 90 lugares e pé-direito de 4,20m; 6 pavimentos tipo, constituídos por salão corrido, copa e sanitários masculino e feminino; Entre as despesas realizadas no âmbito da ação, citamos principalmente assinaturas de jornais e revistas, material de consumo administrativo, energia elétrica, locação do Edifício Dário Macedo (sede do Inep), taxas e impostos, telefonia, terceirização de mão de obra, correios, diárias e passagens, transportes em geral, ressarcimento moradia e pessoal cedido, manutenção predial e de veículos e aquisição de materiais permanentes administrativos, todas originárias de processos licitatórios nos termos da Lei no 8.666/1993, tornando-as adequadas aos valores de mercado. Diárias e Passagens A partir de abril de 2009, foi implantado no Inep o Sistema de Concessão de Diárias e Passagens (SCDP), desenvolvido pelo MPOG, seguindo orientações da CGU. A introdução desse sistema permitiu que os órgãos de controle tivessem acesso aos dados referentes a gastos de diárias e viagens realizadas pelo Inep, que totalizou em 2011 uma despesa de R$ ,48 (trezentos e quarenta e nove mil cento e cinco reais e quarenta e oito centavos) em diárias e R$ ,91 (quatrocentos e vinte e quatro mil vinte e sete reais e noventa e um centavos) em passagens. Esses gastos com diárias e passagens, bem como com material de expediente, são relativos às seguintes áreas, que compõem a estrutura regimental do Inep: Presidência do Inep; Chefia de Gabinete; Diretoria de Gestão e Planejamento; Auditoria Interna; Procuradoria Jurídica; 35

36 Sendo assim, apesar de a Ação 2000 estar diretamente ligada à manutenção das atividades administrativas do órgão, as medidas adotadas ao longo do ano visaram propiciar as condições adequadas para o cumprimento dessas ações rotineiras, mas foram também voltadas para aquelas iniciativas de caráter estruturantes que pudessem fortalecer o Inep, fazendo com que suas ações operacionais sejam cada vez mais transparentes, eficazes e eficientes. Principais Problemas Com relação às ações que apresentaram problemas de execução em 2011, vale ressaltar a rescisão do contrato n 04/2011, firmado com a empresa BNRH MANUTENÇAO E SERVIÇOS INDUSTRIAIS LTDA, cujo objeto era a prestação de serviços de secretariado. Cabe esclarecer ainda que, a referida rescisão foi feita de forma amigável, por acordo entre as partes, de acordo com o artigo 79, inciso II, da Lei n 8.666/1993. Contratações No que se refere à execução dos contratos administrativos realizados na Ação 2000, no ano de 2011, destacam-se: Nº DO CONTRATO EMPRESA MODALIDADE DE LICITAÇÃO VALOR 11/2011 CEDRO, RVA, SARKIS e Estrutural DISPENSA R$ ,00 Objeto do contrato: locação do imóvel situado no SRTVS, Quadra 701, Bloco M, Ed. Dário Macedo, em Brasília. Contrato firmado no dia , com vigência de 60 meses. Nº DO CONTRATO EMPRESA MODALIDADE DE LICITAÇÃO VALOR 02/2010 MEGA LUZ ENGENHARIA LTDA. PREGÃO ELETRÔNICO R$ ,05 Objeto do contrato: manutenção predial, elétrica, hidráulica, alvenaria. Nº DO CONTRATO EMPRESA MODALIDADE DE LICITAÇÃO VALOR 21/2008 JUIZ DE FORA EMPRESA DE VIGILÂNCIA LTDA PREGÃO ELETRÔNICO R$ ,08 Objeto do contrato: serviços de vigilância patrimonial e eletrônica. Nº DO CONTRATO EMPRESA MODALIDADE DE LICITAÇÃO VALOR 12/2007 GLOBALIS VIAGENS E TURISMO LTDA PREGÃO ELETRÔNICO R$ ,00 Objeto do contrato: fornecimento de passagens aéreas e terrestres, para atendimento das necessidades de viagens dos servidores e colaboradores eventuais do INEP e a operacionalização de reservas e serviços afins. 36

37 Ação 20CW Assistência Médica aos Servidores e Empregados Exames Periódicos Essa é uma ação padronizada cuja finalidade é proporcionar aos servidores ativos condições para a manutenção da saúde física e mental, por meio da realização dos exames médicos periódicos para os servidores públicos federais ativos. Não foi possível o cumprimento da meta física. O Inep não possui equipe médica em seu quadro de pessoal. Há, portanto, a necessidade de contratação do serviço. Foi efetuada pesquisa junto às empresas operadoras de plano de saúde, com vistas à realização de pregão eletrônico, e nenhuma empresa manifestou interesse na prestação do serviço. A Fundação de Seguridade Social (GEAP) é a única entidade que realiza os exames médicos periódicos, entretanto a legislação vigente não permite a realização de convênios para esta finalidade, que é a única modalidade de prestação de serviço da GEAP aos órgãos públicos. Ação 2004 Assistência Médica e Odontológica aos Servidores, Empregados e seus Dependentes Essa é uma ação padronizada cuja finalidade é proporcionar aos servidores, empregados, seus dependentes e aos pensionistas condições para a manutenção da saúde física e mental. A assistência à saúde suplementar aos servidores do Inep é prestada mediante convênios firmados com a Fundação de Seguridade Social (GEAP) e com a Associação Assistencial dos Servidores do Ministério da Fazenda (ASSEFAZ), e mediante, ainda, o auxílio de caráter indenizatório, por meio de ressarcimento. Não houve problemas na execução dessa ação. A meta física foi cumprida, e a discrepância entre a meta prevista e a realizada, deve-se pelo fato da Assistência Médica ser realizada por demanda, ou seja, por solicitação de adesão do servidor. Ação 2010 Assistência Pré-Escolar aos Dependentes dos Servidores e Empregados Essa é uma ação padronizada cuja finalidade é oferecer aos servidores, durante a jornada de trabalho, condições adequadas de atendimento aos seus dependentes, conforme Decreto nº 977, de 10 de novembro de Não houve problemas na execução dessa ação. Ação 2011 Auxílio-Transporte aos Servidores e Empregados Essa é uma ação padronizada cuja finalidade é efetivar o pagamento de auxílio-transporte em pecúnia destinado ao custeio parcial das despesas realizadas com transporte coletivo pelo servidor, nos deslocamentos de sua residência para o local de trabalho e vice-versa, de acordo com a Lei nº 7.418, de 16 de dezembro de 1985, e alterações. Não houve problemas na execução dessa ação. Ação 2012 Auxílio-Alimentação aos Servidores e Empregados Essa é uma ação padronizada cuja finalidade é conceder auxílio-alimentação, sob a forma de pecúnia, pago na proporção dos dias trabalhados, para custeio das despesas realizadas com alimentação do servidor, de acordo com o art. 3º da Lei nº 9.527, de 10 de dezembro de A meta física foi cumprida. Não houve problemas na execução dessa ação. Ação 2272 Gestão e Aministração do Programa 37

38 No exercício de 2011, as despesas realizadas estão vinculadas principalmente à adequação da infraestrutura de TI da Instituição e desenvolvimento de sistemas para o cumprimento da sua missão. Portanto, as principais despesas orçamentárias vinculadas à ação, no montante de R$ ,00 (vinte e sete milhões, quatrocentos e setenta e quatro mil, quinhentos e noventa reais), na natureza de despesa de equipamento e material permanente, referem-se à aquisição de equipamentos tais como: Solução de Controle de Acesso, Solução de Balanceamento de Cargas, Solução de Infraestrutura de Dados, Solução de virtualização de servidores, servidores para sistema gerenciador de banco de dados, ampliação da solução de monitoramento NOC/SOC, expansão da solução de IPS e de Firewall, aquisição de Shelf e discos Sata para ampliação do equipamentos de armazenamento de dados, dentre outros. Além disso, com recursos disponibilizados pela Diretoria de Gestão e Planejamento, foi possível a aquisição de outros equipamentos tais como: servidores de Rede e Solução de Data Loss Prevetion (DLP), além de microcomputadores e notebooks, considerando a necessidade de fornecer apoio às demais áreas do Inep para a informatização de funções de interesse corporativo e para o desenvolvimento de serviços e produtos informatizados. Quanto ao montante de despesas de custeio, o total de R$ ,00 (vinte e oito milhões, trezentos e cinquenta e três mil, seiscentos e nove reais) refere-se aos serviços de atualização das licenças de software imprescindíveis ao desenvolvimento dos trabalhos do órgão (Oracle, Programas SAS, etc.), implantação do Projeto de Business Intelligence (BI) bem como à aquisição de licenças de softwares Microsoft, Toad, Stata, Red Hat, JBoss, antivírus Mcafee, ou para permitir um melhor aproveitamento do parque computacional, como os softwares de virtualização, Fábrica de Software, contratação de manutenção preventiva e corretiva da rede estabilizada de energia, dados e voz, renovação de assistência técnica para solução de infraestrutura de comunicação de dados, subscrições do sistema operacional Red Hat Enterprise Linux, manutenção e suporte técnico de equipamentos no-breaks e Storages, acesso à infovia, aquisição de material de consumo, prestação de serviço de envio de mensagens, suporte de ferramenta de modelagem de dados, entre outros. Assim, tendo em vista a relevância das informações coletadas pelo Inep, e as constantes mudanças e modernizações que os sistemas vêm sofrendo é de extrema importância que a infraestrutura acompanhe as mudanças e forneça toda a base operacional para os novos sistemas e serviços de rede que o Inep necessita disponibilizar. Nesse sentido foram conjugados esforços para continuar promovendo ações de melhoria na infraestrutura computacional do Inep que visam o melhor aproveitamento de hardware, software, serviços de rede e utilização de novas tecnologias. A ampliação da infraestrutura computacional, tanto em nível de hardware quanto de softwares, garante a robustez e a estabilidade dos serviços do Inep que têm como principal foco o atendimento ao cidadão.ressalta-se também que todas as despesas realizadas foram necessárias e feitas com critério. As aquisições/contratações foram efetuadas com observância da legislação vigente e acompanhadas adequadamente. Quanto à adequação dos valores dos gastos a parâmetros competitivos de mercados, cabe observar que os custos incorridos foram compatíveis com a natureza dos serviços licitados ou contratados observados o grau de adequação dos valores dos gastos a parâmetros competitivos de mercado, não tendo sido detectado nenhum problema que merecesse destaque. 38

39 Ação 4000 Estudos e Pesquisas Educacionais Deu-se continuidade à parceria entre a Capes e o Inep para o fomento à pesquisa e à formação de recursos humanos em educação, com a utilização do banco de dados do Inep no âmbito do Observatório da Educação. No exercício de 2011, foram investidos R$ ,00 no pagamento de bolsas para o desenvolvimento de projetos de pesquisa, por meio de Termos de Cooperação firmados com a CAPES/MEC. No âmbito do projeto Núcleos de Estudos em Educação, foram realizadas 5 transferências. As instituições beneficiadas foram: Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) R$ ,54; Universidade Federal da Bahia (Ufba) R$ ,43; Ação Educativa Assessoria, Pesquisa e Informação (R$ ,16); Centro de Estudo de Cultura Contemporânea (Cedec) R$ ,20 ; Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) R$ ,00. No ano de 2011, o orçamento da ação 4000 contou com recursos da ordem de R$ ,00, dos quais 85% foram executados. A execução financeira sofreu impacto devido ao não pagamento do AAE em 2011 dos itens elaborados para a Prova Docente, pois estes ainda estão em processo de validação pela Comissão Assessora da Prova Docente e dependem da agenda desses professores. Dos R$ ,00 empenhados, foi executado em 2011 o valor de R$ ,00. Foram atingidos 90% da meta física prevista para o exercício. Ação 4014 Censo Escolar da Educação Básica Anualmente, o Inep repassa recursos financeiros aos Estados, por meio de convênios, com o objetivo de apoiar as atividades de execução do censo escolar. Essa é sem dúvida a melhor forma para se executar o censo, uma vez que, ao descentralizar recursos, ganha-se na economia com tempo e com os recursos humanos utilizados na coleta. O recurso total repassado às Secretarias Estaduais de Educação para a execução do Censo Escolar 2011 foi de R$ ,00 (cinco milhões, novecentos e três mil, oitocentos e quarenta e seis reais), representando cerca de 70% do orçamento previsto para Esse repasse é de significativa relevância para o alcance da meta prevista. Foram 22 as Unidades Federadas (UF) que firmaram convênio com o Inep para a realização do Censo Escolar no exercício 2011, as 7 restantes tiveram problemas com mudanças internas ocorridas nas Secretarias, com as prestações de contas e com dificuldades com o sistema. A ação orçamentária 4014 é constituída por uma única fonte de recursos, a fonte 112 (Tesouro). O recurso aprovado para a ação foi de R$ ,00 (Dezesseis milhões seiscentos e setenta e nove mil reais). A meta física da Ação 4014 (Censo Escolar da Educação Básica) foi plenamente alcançada. Entretanto, cabe ressaltar que foram formalizados somente 22 convênios com as Secretarias Estaduais de Educação, dos 27 previstos, em razão das dificuldades com a elaboração da proposta decorrente de mudanças internas nas Secretarias, com a prestação de contas e demais dificuldades com o sistema. 39

40 Ação 4017 Exames Nacionais de Habilidades e Competências Nesta ação estão concentradas as seguintes atividades: Exame Nacional do Ensino Médio Enem Exame Nacional para Certififação de Competências de Jovens e Adultos Encceja Celpe-Bras Exame para Certificação de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros Dentre os principais gastos com o Enem elencamos: Atividade Valor Aplicação do Exame Serviços Gráficos Correios Pré-Teste BNI Termos de Cooperação Apoio a aplicação Convênios com Secretarias de Segurança Pública Call Center Diárias e Passagens Termos de Cooperação Elaboração e Revisão de Itens Diversos Total Do valor total, R$ (sessenta e quatro milhões setecentos e trinta e quatro mil oitocentos e cinquenta e seis reais) foram descentralizados pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação FNDE, através de Termo de Cooperação firmado, com o objetivo de complementar o orçamento necessário à realização do exame. Tais recursos foram aplicados exclusivamente na contratação do Consórcio Cespe/Cesgranrio, responsável pela aplicação do exame. Dentre os principais gastos com o Encceja elencamos: Atividade Valor Aplicação do Exame Serviços Gráficos Correios Eventos Diárias e Passagens Auxílio Avaliação Educacional Aplicação no Exterior Total

41 Ação 4022 Avaliação da Educação Básica Nesta ação estão concentradas as seguintes atividades: Prova Brasil Provinha Brasil Saeb Dentre os principais gastos com o Prova Brasil elencamos: Atividade Valor Aplicação do Exame Serviços Gráficos Correios Pré-Teste BNI Termos de Cooperação Apoio a aplicação Convênios com Secretarias de Segurança Pública Call Center Diárias e Passagens Termos de Cooperação Elaboração e Revisão de Itens Diversos Total Do valor total, R$ (quarenta e três milhões oitocentos e setenta e um mil e setenta e cinco reais) foram descentralizados pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação FNDE, através de Termo de Cooperação firmado, com o objetivo de complementar o orçamento necessário à realização do exame. Tais recursos foram aplicados exclusivamente na contratação do Consórcio Cespe/Cesgranrio, responsável pela aplicação do exame. Ação 6291 Avaliações Internacionais de Alunos Os principais gastos foram: Atividade Valor Pré-Teste do Pisa Participações junto a OCDE, Orealc e Riaces Auxílio Avaliação Educacional Diárias e Passagens Diversos Total Ação 4572 Capacitação de Servidores Públicos Federais em Processos de Qualificação e Requalificação 41

42 Essa é uma ação padronizada cuja finalidade é promover a qualificação e requalificação de pessoal com vistas à melhoria continuada dos processos de trabalho, dos índices de satisfação pelos serviços prestados à sociedade e do crescimento profissional. No momento da elaboração da proposta orçamentária para 2011, o SIMEC, sistema de captação da proposta do Ministério da Educação, não apresentou a ação 4572 no rol das ações disponíveis para o detalhamento da proposta. Por consequência a ação 4572 não fez parte do PLOA Em 2011 foi solicitado crédito especial para inclusão da ação. Ação 6503 Censo Escolar da Educação Superior A ação orçamentária 6503 é constituída por uma única fonte de recursos, a fonte 112 (Tesouro). A previsão inicial de recursos foi de R$ ,00 (um milhão e quinhentos mil reais). A meta física da Ação 6503 (Censo da Educação Superior) foi plenamente alcançada. Entretanto, cabe ressaltar alguns pontos que não permitiram a execução dos recursos conforme o planejado: No início do exercício de 2011, em decorrência da limitação da emissão de passagens e diárias, estabelecida pelo Decreto 7.446, de 01/03/2011, essa Diretoria realizou a capacitação da coleta do Censo Superior 2010 com o apoio do MEC, da Capes e do CNE, que disponibilizaram seus auditórios, e com a parceria de 826 instituições de ensino superior que vieram com recursos próprios e não com os do Inep, como de costume. Diferentemente do planejado, que envolvia o pagamento de diárias para os respondentes de todas IES, em razão de novas alterações metodológicas, como a integração do e-mec. Na intenção de oferecer uma capacitação à distância, houve a tentativa de contratar empresa que elaborasse um vídeo para ser disponibilizado via internet. Porém, o prazo e os recursos disponíveis não seriam suficientes para pensar uma metodologia, elaborar e disponibilizar o vídeo aos usuários, inviabilizando tal solução e prorrogando-a para o exercício seguinte. Ação 8257 Avaliação da Educação Superior É constituída por duas fontes de recursos, a fonte 112 (Tesouro) e a fonte 175. Esta última é de arrecadação da Taxa de Avaliação in loco das instituições de educação superior e dos cursos de graduação, instituída pela Lei n , de 19/05/2004. A dotação aprovada na Lei Orçamentária Anual de 2011 foi de R$ (setenta e dois milhões, duzentos e cinquenta mil reais), sendo oriundos da fonte 112 o montante de R$ (quarenta e dois milhões, duzentos e setenta e um mil e novecentos e setenta e oito reais) e da fonte 175 o montante de R$ (trinta e dois milhões, novecentos e setenta e oito mil e vinte e dois reais). Houve, ainda, um cancelamento de crédito no valor de R$ ,00 (doze milhões de reais). A execuçao total da ação somou R$ ,00 (sessenta e três milhões cento e vinte e três mil oitocentos e cinquenta e oito reais). Para a operacionalização do Sinaes, em especial das avaliações in loco de instituições de educação superior e de cursos de graduação, faz-se necessário a emissão de passagens e diárias aos 42

43 avaliadores do Banco de Avaliadores do Sinaes para as visitas externas, em cumprimento à legislação aplicável. Ressalta-se que em 2011 foram realizadas mais de avaliações externas, o que significa dizer que mais de passagens foram emitidas, pois cada comissão de avaliação conta com no mínimo dois integrantes. Também destacamos que cada integrante da comissão faz jus ao Auxílio de Avaliação Educacional (AAE), no valor de R$ 1.200,00 (mil e duzentos reais), mediante o fechamento do relatório de avaliação. O AAE foi instituído pela Lei n /2007 e regulamentado pelo Decreto 6.092/2007 e suas alterações. A natureza de despesa com maior peso na ação orçamentária 8257 (Avaliação da Educação Superior) foi com Pessoa Jurídica, pois nesta rubrica foi contratada a empresa responsável pela aplicação da prova do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes para mais de (trezentos e setenta e seis mil) alunos concluintes inscritos. 43

44 2.3.2 Execução Física das Ações Realizadas pela UJ Quadro IV Execução Física das Ações Programa Ação Tipo da Ação Prioridade Unidade de Medida Meta prevista Meta realizada Meta a ser realizada em OP HB OP A A A 4 Censo Realizado A 4 Avaliação Realizada A 4 Servidor Capacitado A A 4 Avaliação Realizada A 4 Pessoa Beneficiada CW A 4 Servidor Beneficiado A 4 Servidor Beneficiado A 4 Servidor Beneficiado A 4 Pessoa Avaliada A 4 Censo Realizado A 4 Avaliação Realizada A 4 Criança Atendida A 4 Informação Disponibilizada OP G5 OP Fonte: CGOFC/DGP Na elaboração do novo PPA , houve a aglutinação de algumas ações, tendo em vista a nova estrutura do Plano Plurianual. As metas físicas previstas para 2012, lançadas no quadro acima, estão refletindo tais aglutinações. Segue abaixo uma tabela para ilustrar as aglutinações ocorridas nas ações do Inep. 44

45 Quadro V Alterações nas ações do Inep 2011 x 2012 Ação 2011 Ação 2012 Programa / Sub-Ações Programa Temático Educação Básica 4017 Enem - Encceja - Celpe Brás RM Prova Brasil - Provinha - Aneb 6291 Pisa - Participações Internacionais Censo Escolar da Ed. Básica Programa Temático Educação Superior RN Enade / Revalida / Arcu-Sul / Avaliações / Prova Docente Censo Escolar da Ed. Superior Programa de Gestão e Manutenção do MEC Estudos e Pesquisas - Núcleos de Estudos RH Gerenciamento das Políticas de Educação Administração da Unidade - OCC Publicidade Capacitação H1 Administração da Unidade - Pessoal 00G5 Previdência da Sent. Judicial 0005 Sentença Judicial 09HB 09HB Contribuição à Previdência Assistência Médica Auxílio Pré-Escolar Auxílio Transporte Auxílio Alimentação 20CW 20CW Exames Periódicos Previdência de Inativos e Pensionistas da União Inativos e Pensionistas 45

46 Ação 6503 Censo da Educação Superior A meta física da Ação 6503 (Censo da Educação Superior) foi plenamente alcançada, com a realização do Censo da Educação Superior 2010, exercício Todas as etapas e atividades do Censo da Educação Superior 2010 foram realizadas em conformidade com a Portaria 107, de 16 de maio de 2011, distribuídas da seguinte maneira: Tabela I Etapas e atividades do Censo da Educação Superior 2010 Datas e períodos Etapas e atividades do Censo da Educação Superior /02/2011 a 29/05/ /05/2011 a 29/05/ /05/2011 a 20/06/ /06/2011 a 22/07/2011 Período de coleta de dados, por digitação de questionários on line e por importação de dados pela internet. Período de verificação de consistência dos dados coletados e envio para as IES dos respectivos relatórios de inconsistências Período de conferência, retificação e validação dos dados pelas IES Período de consolidação e homologação dos dados para divulgação do Censo 25/07/2011 Divulgação dos dados consolidados do Censo Fonte: Inep Após a análise de consistência dos dados coletados, conferências, correções e confirmações das informações pelas instituições de educação superior, os dados foram consolidados através da elaboração da Sinopse e do Resumo Técnico de divulgação do Censo da Educação Superior 2010, com análise das séries históricas de matrícula, docentes, cursos, concluintes, instituições, vagas, inscritos e ingressos, como forma de identificar tendências e comportamento no ensino euperior brasileiro. Adicionalmente, foram disponibilizados aos usuários os microdados do Censo, permitindo consultas personalizadas, guardado o sigilo das informações pessoais. A tabela abaixo resume as principais estatísticas do Censo 2010: Tabela II Estatísticas Básicas de Graduação (presencial e a distância) e Pós-Graduação por Categoria Administrativa Brasil 2010 Graduação Estatísticas Básicas Total Geral Categoria Administrativa Pública Total Federal Estadual Municipal Privada Instituições Cursos Matrículas de Graduação Ingressos (todas as formas) Concluintes Funções Docentes em Exercício¹ Pós-Graduação Matrículas de Pós-Graduação Graduação e Pós-Graduação Matrículas Total²

47 Razão Matrículas Total 2 /Funções Docentes em Exercício 18,97 13,67 13,15 14,42 14,68 22,21 Fonte: MEC/Inep Notas: (1) Corresponde ao número de vínculos de docentes a instituições que oferecem cursos de graduação. A atuação docente não se restringe, necessariamente, aos cursos de graduação. (2) Inclui matrículas de Graduação e de Pós-Graduação. Por abranger a educação superior, foi realizada a reunião técnica do Network para Coleta e Adjudicação das Informações Descritivas do Sistema Escolar sobre Estruturas, Políticas e Práticas educacionais (Nesli), no âmbito desta ação, na cidade do Rio de Janeiro, nos dias 5 e 6 de outubro de O Nesli é uma instância de assessoramento técnico da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), composta por 29 países, entre eles o Brasil, que coletam e desenvolvem estudos sobre dados quantitativos e descritivos dos sistemas de ensino e sobre as políticas educacionais dos países que integram o grupo. Além disso, também elabora estudos técnicos, pesquisas e levantamentos para a análise e monitoramento dos indicadores educacionais existentes, visando à comparabilidade internacional. O network é responsável por desenvolver indicadores sobre ambiente educacional e organização das escolas, assim como estudos de comparabilidade internacional sobre características dos sistemas educacionais, do ambiente de aprendizagem, da organização escolar, de equidade, accountability e dos sistemas de avaliação de professores. Os dados são coletados por meio de questionários regulares e ad hoc. É por meio do Nesli que se conhecem as estruturas educacionais dos diferentes países, o que possibilita uma comparação internacional mais acurada e inserida em um contexto, onde também são discutidos indicadores internacionais desenvolvidos para auxiliar nas investigações de realidade social inerente à educação. Os recursos utilizados para a execução das Ações 4014 (Ação do Censo da Educação Básica) e 6503 (Censo da Educação Superior) são oriundos do Tesouro, sendo as despesas realizadas em conformidade com a Lei 8.666, de 21 de junho de 1993, e suas respectivas alterações. Os gastos mais significativos foram realizados com emissão passagens e diárias para pesquisadores institucionais e técnicos de informática das Instituições de Ensino Superior (IES), por ocasião das capacitações sobre o novo sistema de coleta do Censo. As adversidades técnicas encontradas durante a realização do Censo 2010 foram resolvidas com ajustes técnicos no sistema, que são sempre realizados e imprescindíveis para superar imprevistos e atender às especificidades requeridas, a fim de garantir o sucesso das atividades desenvolvidas no âmbito da Ação No Censo 2010, intensificou-se o contato com as Instituições de Ensino Superior (IES), na busca de fortalecer essa parceria, que foi fundamental não somente para garantir o preenchimento das informações, como também para viabilizar a interoperabilidade entre sistemas. Certamente, o trabalho realizado pelas instituições parceiras é de grande relevância, pois identifica as necessidades de adequações, correções e evoluções, a fim de tornar possível resolver os diversos imprevistos que ocorrem durante a coleta e melhorar significativamente a qualidade das informações produzidas. Dessa forma, diversas reuniões técnicas foram realizadas em Brasília com a presença de representantes de instituições de educação superior brasileiras de distintas categorias administrativas e organizações acadêmicas além de entidades representativas. Ação 4017 Exames e Certificações 47

48 As atividades desempenhadas por meio da Ação 4017 são: Exame Nacional do Ensino Médio (Enem); Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja); e Exame para Certificação de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros (CELPE- Bras). O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) tem caráter facultativo a egressos e concluintes do ensino médio, o exame avalia competências e habilidades de modo a oferecer referência para que cada cidadão possa proceder à sua autoavaliação ao final da educação básica, à certificação educacional e, a partir daí, ter acesso aos cursos da educação superior. Os resultados do exame são utilizados pelos estudantes como uma das formas de ingresso em instituições de ensino superior, públicas e privadas, além de serem um dos pré-requisitos para a obtenção das bolsas de estudos do Programa Universidade para Todos (ProUni). As universidades possuem autonomia e poderão optar entre quatro possibilidades de utilização do novo exame como processo seletivo: como fase única, com o sistema de seleção unificada; como primeira fase; combinado com o vestibular da instituição; como fase única para as vagas remanescentes do vestibular. O Enem também pode ser utilizado pelos maiores de dezoito anos que não concluíram o ensino médio em idade própria para fins de certificação de conclusão dessa fase da educação básica. Foi aplicado nos dias 22 e 23 de outubro de 2011 e, seu público-alvo foram os egressos e os concluintes do ensino médio no ano de O exame contou com a participação de candidatos presentes às provas nos dias de prova. A aplicação do Enem para pessoas privadas de liberdade e jovens sob medida socioeducativa foi realizada nos dias 28 e 29 de novembro de 2011, para participantes. Para 2012, há previsão para realização do Enem em novembro com estimativa de 5 milhões de participantes. A fim de mitigar possíveis falhas e promover maior nível de segurança em todos os procedimentos para a realização do Enem, foram mapeados os riscos constantes no processo de modo a identificar os gargalos e melhorar a performance de aplicação do exame. Essas atividades foram executadas com o apoio da empresa Módulo de consultoria. No Brasil, o Exame para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) promove a certificação das competências dos egressos e concluintes apenas em nível fundamental, pois a certificação em nível médio é feita por meio do Enem. O exame fundamental foi realizado no dia 20 de março de 2011 e teve pessoas avaliadas. Já a aplicação a pessoas privadas de liberdade e a jovens sob medida socioeducativa, realizada no dia 13 de maio de 2011, e a aplicação Japão, realizada nos dias 14 e 15 de maio de 2011, tiveram participantes ao todo. Para a aplicação Encceja Japão, o Inep firmou Termo de Cooperação com o Ministério das Relações Exteriores (MRE), viabilizado assim, o transporte do material de aplicação e a logística de aplicação das provas naquele país. Há previsão para realização da próxima edição do Encceja Brasil no final de O Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros (Celpe-Bras), único certificado brasileiro de proficiência em português como língua estrangeira reconhecido 48

49 oficialmente, tem aplicação no Brasil e em outros países, com o apoio do MRE. Conferido em dois níveis parcial (Primeiro Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa) e pleno (Segundo Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa) aos estrangeiros com desempenho satisfatório, garante a certificação de proficiência expedida pela SESu (Secretaria de Educação Superior), mediante o resultado de avaliação efetuada por uma comissão ad hoc. Internacionalmente, é aceito em empresas e instituições de ensino como comprovação de competência na língua portuguesa. O Celpe-Bras tem duas edições anuais. Em 2011, a primeira foi aplicada no primeiro semester, nos dias 27 e 28 de abril; e, a segunda, nos dias 25, 26 e 27 de outubro. As provas foram impressas e embaladas pela gráfica contratada pelo Inep. A identificação foi realizada pelos servidores da Daeb. A distribuição se deu parte via malote das embaixadas, parte pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT). A correção foi realizada por colaboradores contratados pelo Inep através do Decreto 7.114, de 19/02/2010, com o acompanhamento de servidores da Daeb. O exame contou com inscrições homologadas e certificações, na primeira edição; e inscrições homologadas (sendo que houve inscrições) na segunda edição do exercício de 2011, distribuídas em 28 países. Ação 4022 Avaliações Educacionais da Educação Básica O Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb) foi reinstituído através da Portaria Ministerial 931, de 21/03/2005, sob a forma de dois processos de avaliação, nos quais a Avaliação Nacional da Educação Básica (Aneb) permite produzir resultados sobre o desempenho de grupos de alunos organizados em estratos amostrais, e a Avaliação Nacional do Rendimento Escolar (Anresc, ou Prova Brasil) prioriza e evidencia os resultados de cada unidade escolar da rede pública de ensino. Entre as informações produzidas a partir dos dados da Prova Brasil, pode-se citar: As informações sobre o desempenho dos alunos, em Língua Portuguesa e Matemática, por unidade escolar resultado oferecido por série e disciplina, no formato de médias de desempenho e pela distribuição do percentual de alunos em níveis de uma escala de desempenho. Esses dados permitem aos professores e diretores verificar, nas áreas, temas ou tópicos avaliados, quais habilidades já foram desenvolvidas e quais ainda não foram atingidas pelos alunos, além de possibilitar a demarcação de metas curriculares a serem alcançadas para melhorar a aprendizagem. Os níveis da escala se constituem em indicadores do grau de equidade do desempenho atingido. As médias de desempenho e a distribuição do percentual de alunos nas escalas, agregadas no nível do Brasil, das regiões, dos estados e dos municípios e das dependências administrativas, tornam possível aos gestores municipais e estaduais uma visão do conjunto das unidades de ensino compreendidas por sua administração, assim como de outros segmentos que compõem o sistema educacional. Os eventuais problemas de aprendizagem apontados podem servir de parâmetro para a elaboração, o planejamento e o desenvolvimento de políticas educacionais. 49

50 Realizado a cada dois anos em todo o sistema de ensino regular, o Saeb é uma avaliação padronizada de desempenho, para medir habilidades e competências em Língua Portuguesa e Matemática, por amostragem, nos ensinos fundamental e médio. A Prova Brasil é uma avaliação padronizada de desempenho, universal, da rede pública de ensino regular fundamental, realizada a cada dois anos. As informações produzidas por essa avaliação esclarecem a sociedade sobre alguns dos resultados do processo de ensino e aprendizagem, colocando à disposição de administradores, gestores, professores, diretores de escolas, alunos e especialistas um instrumental que permite um olhar mais qualitativo sobre as redes e sobre cada estabelecimento de ensino. Avaliação amostral, por sua vez, o Saeb visa apresentar, também, resultados de desempenho em Língua Portuguesa e Matemática por estado, região e país, localização (urbana/rural), dependência administrativa (redes municipal, estadual, federal e particular), além de outros estratos de interesse. A partir das informações do Saeb, o MEC e as Secretarias Estaduais de Educação podem definir ações voltadas para a correção dos problemas identificados e dirigir seu apoio técnico e financeiro tanto para o desenvolvimento e aperfeiçoamento das redes de ensino, quanto para a redução das desigualdades ainda existentes no sistema educacional. A partir do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) é uma metodologia usada para medir a qualidade do ensino no país, em uma escala que combina os indicadores de rendimento (aprovação, reprovação e distorção idade/série) produzidos pelo Censo Escolar e o desempenho obtido dos resultados da Aneb e Anresc. No exercício de 2011, a aplicação das avaliações (Anresc e Aneb) se deu no período de 07 a 18 de novembro de 2011, em 26 Estados e no Distrito Federal. Participaram as escolas da rede pública de ensino, urbanas e rurais, com pelo menos 20 estudantes matriculados nos 5º e 9º anos do ensino fundamental regular que estejam organizadas no regime de 09 anos, e nas 4ª e 8ª séries do ensino fundamental regular de 08 anos, conforme base de dados do Censo da Educação Básica. Em parceria com a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e municípios, o Inep realizou edição especial da Anresc (Prova Brasil) 2011 para a participação especial de municípios que não possuem escolas com a quantidade mínima de 20 estudantes matriculados no 5 ano (4ª série) do ensino fundamental regular de escolas municipais, de modo a calcular as médias da Anresc (Prova Brasil) de seu município, pré-requisito para cálculo do Ideb. A edição de 2011 contou com a participação de aproximadamente (cinco milhões e seiscentos mil) alunos e cerca de (cinquenta e nove mil) escolas. Desde 2008, tem sido aplicada a Provinha Brasil de Leitura, em atendimento ao Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), mas em 2011 aconteceu a primeira aplicação da Provinha de Matemática, com o objetivo oferecer às redes de ensino um instrumento mais completo de acompanhamento da evolução da qualidade da alfabetização, prevenindo assim, o diagnóstico tardio dos déficits de letramento. Dessa forma, contribui-se para a melhoria da qualidade de ensino e a redução das desigualdades, em consonância com as metas e políticas estabelecidas pelas diretrizes da educação nacional. A Daeb tem a responsabilidade de preparar todo o material de aplicação bem como o referencial teórico da Provinha Brasil, disponibilizando duas provas por ano para que as escolas avaliem seus alunos em idade de alfabetização. 50

51 Desde 2009, juntamente com instituições federais e estaduais de ensino, a Daeb desenvolve cooperação técnica no que diz respeito à elaboração dos instrumentos e à elaboração e revisão do referencial teórico da Provinha Brasil de Leitura e Matemática. Em 2011, também aplicou pré-teste de instrumentos para as avaliações dos exercícios futuros. Trata-se de um instrumento de aferição do desempenho escolar que consiste na avaliação da alfabetização nos anos iniciais do ensino fundamental. Os resultados da avaliação da alfabetização são de grande interesse: para gestores de políticas públicas das diferentes instâncias políticoadministrativas, pois o provimento de informações lhes permite diagnosticar o quadro da realidade educacional brasileira e contribuir para a definição de prioridades em projetos e programas a serem implementados para a melhoria dos sistemas de ensino; para a comunidade escolar, pois diretores e professores disporão de indicadores e informações sobre o desempenho dos alunos de uma forma geral, apontando para os aspectos do ensino-aprendizagem, de gestão, entre outros que deverão ser reforçados; para universidades e instituições de estudos e pesquisas, em articulação com as administrações educacionais, que poderão ampliar sua capacidade técnica e o conhecimento científico na área de avaliação educacional, contribuindo para a melhoria do desempenho do setor no Brasil; para profissionais que trabalham com a educação em nível federal e nas secretarias estaduais e municipais, que poderão ampliar sua capacidade técnica para o desenvolvimento de avaliações; para a população em geral, que contará com informações mais qualificadas, permitindolhe o exercício de controle e pressão social em torno da melhoria de indicadores educacionais. A Avaliação da Alfabetização Infantil Provinha Brasil, identifica o nível de alfabetização em Língua Portuguesa das crianças após um ano de escolarização e incentiva a intervenção pedagógica e administrativa em tempo de sanar as dificuldades detectadas. O material para a aplicação das provas de leitura do primeiro semestre pelas redes de ensino foi disponibilizado no sítio do Inep em maio de 2011, no endereço No 2º semestre foi disponibilizado o material de leitura e de matemática partir de agosto de Ação 6291 Avaliações Internacionais de Alunos O Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa) é um exame amostral, realizado a cada três anos pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), com objetivo de fornecer aos países participantes os indicadores comparativos internacionais, a fim de subsidiar políticas de melhoria da educação. Para a aplicação do Pisa, os países participantes do programa obedecem a uma metodologia específica que consiste em adequação do material de apoio e pré-testagem dos itens a serem utilizados nas provas. A cada aplicação, um dos três domínios principais Matemática (2003); Ciências (2006) e Leitura (2009) recebe especial atenção. Os itens de cada aplicação do Pisa são analisados por todos os países participantes do programa e pré-testados com um ano de antecedência. O Brasil participará das seguintes avaliações na edição do Pisa 2012: (i) Leitura; (ii) Matemática; (iii) Ciências; (iv) Resolução de Problemas; (v) Leitura Eletrônica; (vi) Matemática Eletrônica e (vii) Letramento Financeiro. Em 2011, o Inep procedeu à preparação da base de dados de escolas sorteadas para aplicação do Pré-Teste Pisa 2012, a contratação de serviços gráficos, de distribuição de material de aplicação e de apoio e, de Instituição especializada para aplicação do Exame. Em 2012, estima-se que a avaliação seja aplicada em aproximadamente 902 escolas, com a participação de aproximadamente estudantes. A aplicação deverá ocorrer no período de 2 a 31 de maio de

52 Para a realização do pré-teste dos instrumentos da Edição 2012 do Exame, em 2011, foi firmado Termo de Cooperação com o Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação (CAEd) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), objetivando a operacionalização da aplicação em papel e a aplicação piloto da prova eletrônica. O Terce é organizado pelo Laboratório Latino-americano de Avaliação da Qualidade da Educação (Llece), da Unesco/Santiago, e conta com a participação dos seguintes países da América Latina e Caribe: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, Guatemala, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, República Dominicana, Uruguai e do estado mexicano de Nuevo Leon. O objetivo do Terce é identificar as características dos estudantes, das turmas, das escolas, dos professores e das famílias dos alunos que estão associadas ao desempenho, dando ênfase a fatores que possam gerar políticas de melhoria da qualidade da educação. O Terce avalia as 3ª e 6ª séries do ensino fundamental nas disciplinas de Matemática, Linguagem (leitura e escrita) e Ciências. O Terce ocorre uma vez a cada três anos. Em 2011, o Llece fomentou diversas atividades, entre elas, a elaboração e revisão de itens para a próxima aplicação e o pré-teste piloto em Brasília. Banco Nacional de Itens (BNI) O Banco Nacional de Itens atende a todas as subações anteriores. Trata-se de um acervo de questões ou itens de provas associados a uma série de informações que permitem a montagem de testes capazes de estimar com maior precisão a proficiência dos estudantes. Todavia, há a demanda de uma maior quantidade de itens para a constituição do banco, para melhor atender a necessidades das avaliações. A relevância dos exames e avaliações para a educação brasileira está relacionada aos impactos diretos na vida de milhões de brasileiros e estrangeiros que a eles se submetem e à utilização dos seus resultados nas políticas educacionais. Tamanho impacto aponta para importância de se ter um banco de itens de alta qualidade técnica que atenda a construção de instrumentos de medidas (provas) de qualidade. A implementação dos exames e avaliações de responsabilidade da Daeb requer a participação integral do BNI no que diz respeito aos instrumentos utilizados nos mesmos, que tem como uma de suas funções institucionais a elaboração e montagem dos cadernos de provas para a aplicação dos exames e avaliações. Para tanto, foi desenvolvida uma sistemática para a construção dos itens, consistente de: elaboração, revisão pedagógica, pré-testagem para validação empírica e parametrização estatística. Entre essas etapas, o pré-teste configura-se como um dos momentos primordiais, pois é a partir dele que os itens são validados para utilização em avaliações definitivas. A Daeb costumava adquirir itens através de licitações com empresas especializadas na área de concursos e avaliações, a um custo bastante alto e uma qualidade que não atendia ao que o Inep pretendia em termos de qualidade nas avaliações e exames. A partir de 2009, os itens dos exames e avaliações passaram a ser elaborados pela Daeb, primeiramente com a equipe técnica do BNI e, a partir de 2010, com a colaboração de especialistas de todo o país, por meio da criação do cadastro de colaboradores através de chamada pública de credenciamento, para atender às necessidades dos exames e avaliações com relação à elaboração, revisão e correção de itens. Com o propósito de atender a demanda contínua e de aumentar a participação da comunidade acadêmica nos processos de avaliação, a Daeb publicou em 2011 um Edital de Chamada Pública convocando as instituições públicas de ensino superior a participarem, com seu corpo docente, na elaboração e revisão de itens para o BNI. Em 2011 foram firmados 24 termos de cooperação com Instituições Federais Ensino Superior (Ifes) em todo o país. 52

53 Atualmente estão credenciados cerca de 800 colaboradores das quatro áreas do conhecimento. Para a elaboração e correção dos instrumentos, foram realizadas 10 oficinas de capacitação de colaboradores em Brasília. Foram realizadas 04 oficinas de elaboração e revisão de itens (duas, para o Enem; uma para Encceja nível médio; e uma para Encceja nível fundamental), com a produção de itens. A partir dos convênios com a Ifes foram produzidos itens. Parte desses itens foi pré-testada em outubro de 2011 e parte foi utilizada para a montagem de provas das edições dos exames O BNI também realizou as oficinas de correção de provas das duas edições do Celpe-Bras, que totalizaram correções. Ação 4014 Censo Escolar da Educação Básica A meta física da Ação 4014 (Censo Escolar da Educação Básica) foi plenamente alcançada, com a realização do censo escolar exercício 2011 e a divulgação dos resultados finais no Diário Oficial da União (DOU) do dia 19 de dezembro, por meio da Portaria 1.746, de 16 de dezembro de Foram contabilizados cerca de 51 milhões de matrículas em 194 mil escolas que oferecem cursos nas diferentes etapas e modalidades de ensino da educação básica. Destaca-se que 84,5% de matrículas e 80,7% de escolas pertencem à rede pública de ensino. Análises e críticas de consistência dos dados, realizadas durante todo processo de execução do censo escolar, resultam na melhoria da qualidade das informações, uma vez que tratam as informações inconsistentes (por exemplo, a exclusão dos registros de alunos em duplicidade), para que se expresse com maior precisão a realidade observada, melhorando a eficiência do gasto público. Cabe ressaltar que a melhoria da qualidade das informações coletadas vem contribuindo também para a diminuição das demandas relacionadas aos resultados do censo escolar encaminhados por Órgãos de Controle, Ministério Público, Secretarias Estaduais e Municipais de Educação, eentre outros. A preparação do Censo Escolar 2011 iniciou-se durante a realização do Encontro Nacional do Censo Escolar 2010, em Foz do Iguaçu/PR, com a avaliação do Censo Escolar 2010 e a análise das propostas e sugestões levantadas, buscando equilibrar as necessidades operacionais do Sistema e dos Estados e, ainda, as demandas por informação das instituições parceiras e órgãos do MEC, identificadas no levantamento anterior. Foram realizadas todas as atividades previstas para a preparação e execução do Censo Escolar 2011, as quais detalhamos a seguir: manutenções corretivas/evolutivas, adequações e homologação do Sistema Educacenso; definição e publicação do cronograma de execução do Censo Escolar 2011; repasse dos recursos financeiros às Secretarias Estaduais de Educação, mediante convênio, com base nos novos critérios definidos, para apoiar a realização do Censo Escolar de 2011, conforme a Portaria 47, de 09 de março de 2011, publicada no DOU de 10 de março de 2011; realização de 4 (quatro) Encontros Regionais do Censo Escolar 2011, com o objetivo de orientar e capacitar as equipes estaduais para a execução do censo, contando com a participação de 117 técnicos das equipes estaduais e de municípios capitais; realização de treinamento de 65 operadores do Fala Brasil , para apoio à coleta do Censo Escolar ª etapa Situação do aluno, em 31 de janeiro e 1º de fevereiro de 2011; e 22 de março de 2011, para o período de retificação; 53

54 realização de treinamento de 54 operadores do Fala Brasil para apoio à coleta do Censo Escolar ª etapa, de 23 a 27 de maio de 2011; e 13 e 14 de setembro de 2011, para o período de retificação; realização de treinamento para 2 técnicos da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Setec/MEC, para apoio à coleta do Censo Escolar 2011, em 31 de maio de elaboração de conteúdos e disponibilização de hot site; acompanhamento dos procedimentos de formalização, execução e prestação de contas dos convênios Inep/Secretarias Estaduais de Educação, realizados por meio do Sistema de Gestão de Convênios (SICONV); liberação do Sistema Educacenso para entrada de dados,via internet, no dia 25 de maio de 2011; liberação para migração de dados dos Estados que possuem seus cadastros, a partir de 06/06/2011; publicação da Portaria 235, de 04 de agosto de 2011, que estabelece parâmetros para a validação e a publicação das informações declaradas ao censo escolar, com vistas ao controle de qualidade e define as atribuições dos responsáveis pela declaração das informações; assistência técnica contínua às unidades de estatística das secretarias estaduais de educação; preparação e emissão de relatórios de gestores para os municípios; verificação das informações e planejamento e implantação da infraestrutura necessária para correção de dados; publicação dos dados preliminares do Censo 2011, em 22 de setembro de 2011; abertura do banco de dados para correção e ajustes das informações, em 22 de setembro de 2011; análise e críticas de consistência dos dados corrigidos e/ou ajustados; tratamento das duplicidades de cadastro de alunos do banco de dados do Educacenso ao todo foram tratadas no Inep duplicidades de cadastro; tratamento das duplicidades de cadastro de docentes do banco de dados do Educacenso ao todo foram tratadas no Inep duplicidades de cadastro. homologação dos dados para publicação dos resultados finais do Censo Escolar 2011; publicação dos resultados finais do Censo 2011 em 19 de dezembro de 2011; realização do Encontro Nacional do Censo Escolar 2011, no período de 12 a 16 de dezembro, em São Luís/MA, com o objetivo de avaliar a execução do censo escolar, informar as mudanças para a coleta da 2ª etapa do Censo Escolar 2011 Situação do Aluno e levantar subsídios e propostas de aperfeiçoamento para 2012; início da preparação dos dados para elaboração da Sinopse Estatística da Educação Básica 2011, após a publicação dos resultados finais, visando sua editoração e posteriormente publicação, devendo estar concluída entre os meses de abril e junho de 2012; 54

55 recálculo do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2009, após as revisões das taxas de rendimento, finalizadas em 2010, e dos desempenhos no Saeb, disponibilizados apenas em junho de 2011, que incluem a reaplicação de provas e a revista das notas; recálculo das Médias por escola do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2010, após recursos impetrados pelas escolas solicitando a revisão de notas e alunos vinculados às escolas no sentido de reavaliar quem comporia suas médias; planejamento e elaboração do Resumo Técnico de divulgação do Censo Escolar 2011, com análise das séries históricas de matricula e estabelecimentos, como forma de identificar tendências e comportamento no sistema educacional brasileiro; planejamento, definição, cálculo, documentação e monitoramento dos indicadores da Educação Básica 2010: indicadores gerais e indicadores especiais (taxas de rendimento escolar e taxas de fluxo escolar); planejamento, definição, conferência e documentação das Tabelas Simplificadas (TS) do Censo Escolar 2010, para serem utilizadas para disseminação dos dados e pelas Secretarias de Educação; apoio à área administrativa da DEED no desenvolvimento de mecanismos e critérios técnicos para subsidiar a distribuição de recursos nos convênios firmados entre o Inep e as Secretarias de Educação para realização do Censo Escolar; realização da segunda fase do Projeto Suriname, fruto da cooperação técnica INEP Suriname, para fortalecimento metodológico do censo escolar desenvolvido naquele país; organização de treinamento estatístico nas Secretarias de Educação elaboração do material didático para o treinamento sobre o cálculo e utilização de indicadores nos setores de estatística das Secretarias de Educação; está sendo realizada a Pesquisa de Controle de Qualidade do Censo Escolar 2011, com o objetivo de gerar informações sobre a fidedignidade dos dados declarados e sobre os contextos gerenciais das escolas, no que tange aos registros administrativos dos alunos que orientam as informações prestadas no Censo Escolar, e que podem ter impactos sobre a coleta e a qualidade dos dados informados. A divulgação dos resultados está prevista para o primeiro semestre de Encontra-se em curso a execução do módulo Situação do Aluno, relativo ao Censo Escolar da Educação Básica 2011, que fornecerá, a partir abril de 2012, dados sobre rendimento/movimento escolar de cada aluno em Cabe ressaltar, como ação inovadora, que a Diretoria de Estatísticas Educacionais (DEED) adotou em 2011, diversas medidas para garantir a qualidade e a confiabilidade dos dados informados ao Censo Escolar da Educação Básica, como a publicação da Portaria nº 213, de 25 de julho de 2011, que instituiu um Grupo de Trabalho (GT) para analisar e propor melhorias nos processos do censo da educação básica, bem como mecanismos que aperfeiçoem a qualidade das informações. De forma a atender recomendações da Controladoria Geral da União (CGU), no sentido de melhorar os processos de gestão do censo escolar da educação básica, sobretudo no que tange ao incremento da transparência e a interlocução com o controle social, o grupo de trabalho 55

56 integrado por representantes do Inep e da CGU, estes últimos como membros colaboradores, teve o prazo de 90 dias para apresentar à presidência do Inep o relatório final de seus trabalhos. A metodologia utilizada pelo GT contemplou a realização de sete reuniões ocorridas, entre os dias 28 de julho e 17 de outubro de 2011, além de eventuais trabalhos de campo e pesquisas documentais que possibilitaram o debate e a apresentação de propostas de soluções aos problemas identificados. Posteriormente, seguiu-se à distribuição de tarefas, por pares, visando à elaboração do texto do relatório final que, submetido à apreciação de todo o grupo, foi aprovado. Considerando os resultados dos trabalhos, descritos no relatório final desse GT, ao receber alguma denúncia sobre irregularidade na prestação das informações ao censo escolar em curso, o Inep deverá entrar em contato com o gestor responsável pela rede de ensino para sua manifestação. O Inep poderá, ainda, solicitar, por amostragem, documentação que possa comprovar a veracidade das informações lançadas no sistema sob pena de os dados declarados não serem considerados para as estatísticas oficiais. Para denúncias referentes ao censo escolar de anos anteriores ao último censo escolar publicado, conforme a recomendação do GT, o Inep, por meio da Diretoria de Estatísticas Educacionais, realizará a partir dessas denúncias um mapeamento dinâmico de riscos, por base territorial (município), agregando informações de diversas fontes, de modo a otimizar as suas atividades de controle. Essas fontes incluem as denúncias recebidas pelo Inep, pelos órgãos de controle, relatórios da CGU (sorteio de municípios), ou notícias veiculadas na imprensa. As informações no Mapa de Riscos comporão uma planilha ponderada que permitirá o escalonamento de municípios, de forma dinâmica e decrescente de risco, que norteará as ações de capacitação presencial e capacitação por meio da Educação a Distância (EAD); ações de controle preventivo (auditoria interna); e verificação por meios informáticos dos dados informados, no período de validação de dados. Na execução do censo escolar em 2011, estiveram envolvidos 18 funcionários da Coordenação-Geral do Censo Escolar da DEED e, em média, 6 funcionários por Coordenação Estadual de Estatística, perfazendo um total de 162 pessoas. Ressaltamos que as instituições parceiras envolvem, ainda, uma média de 5 funcionários de cada uma, de suas regionais ou pólos de ensino em cada Estado. Há que se considerar, ainda, mais 11 funcionários da Coordenação-Geral de Controle de Qualidade do Censo Escolar da DEED/Inep, que realizaram os trabalhos de análise de informações e elaboração de estudos específicos e 4 funcionários da Assessoria Administrativa do Gabinete da DEED/Inep, responsável pelo acompanhamento do planejamento/orçamento, pelo acompanhamento dos convênios e contratos, pela organização dos eventos e pelas capacitações do censo escolar. Os funcionários da DEED sempre participam de cursos oferecidos por outras instituições, com objetivo de atualizar e aprimorar os conhecimentos técnicos pertinentes às atividades executadas, conforme pode ser verificado no relatório da Ação 4572 sob a responsabilidade da Diretoria de Gestão e Planejamento do Inep. Vale ressaltar que as equipes dessa Diretoria capacitam os técnicos das Coordenações de Estatísticas nos Estados e municípios capitais sobre o Sistema Educacenso, para execução do censo escolar em todo o país, e, também, sobre os convênios do censo escolar. Em 2011 foram capacitados 317 técnicos das Secretarias Estaduais de Educação. Em toda a evolução de processos, ajustes técnicos são sempre realizados e imprescindíveis para superar imprevistos e atender a especificidades requeridas, a fim de garantir o sucesso das atividades desenvolvidas no âmbito da Ação

57 Desafio e grande dificuldade enfrentada desde o início da coleta individualizada do censo escolar em 2007 é o esforço da equipe do Inep para evitar e identificar a duplicidade de cadastro de alunos e docentes na base de dados. Como possui uma base única, o Educacenso é acessado por mais de 351 mil usuários, o que facilita o aparecimento de cadastros duplicados. Considerando a dimensão e a diversidade do nosso país, o fortalecimento dessa parceria é de extrema importância tanto para garantir a execução do censo escolar, uma vez que os estados possuem maior conhecimento de seus municípios, escolas e demais especificidades, como para otimizar recursos, uma vez que ao descentralizá-los o Inep ganha na economia com tempo e com os recursos humanos utilizados na coleta. Uma conquista dessa parceria foi o sucesso da implementação e da estabilização do processo de informatização do censo escolar. Todo esse processo contribuiu para favorecer as relações estado/escolas, estado/municípios e entre estados na troca de experiências, tornando a atuação estadual mais engajada, já que também são responsáveis pelas informações declaradas ao censo escolar. Cabe ressaltar que, a cada ano, avaliam-se, junto às instituições parceiras, tanto o Sistema Educacenso quanto os procedimentos de operacionalização da coleta, o que tem tornado possível resolver as diversas situações que ocorrem durante a coleta, melhorando significativamente a qualidade das informações produzidas. Em 2011, com os objetivos de avaliar a fidedignidade das informações prestadas ao censo escolar, de estimar a margem de erro dessas informações e, ainda, de levantar possíveis dificuldades dos informantes em manusear o sistema Educacenso, foi realizada a Pesquisa de Controle de Qualidade em uma amostra de escolas estaduais e municipais que oferecem o ensino fundamental regular em todos os estados do Brasil. Houve, inclusive, a participação efetiva das Coordenações Estaduais do Censo Escolar e de Secretarias Estaduais e Municipais de Educação, que contribuíram na divulgação da pesquisa para as escolas selecionadas e ofereceram apoio logístico durante todo o processo da pesquisa de campo. Para viabilizar a execução dessa pesquisa, foi contratada a empresa Datamétrica Consultoria Pesquisa e Telemarketing, sediada em Recife/PE, em pregão eletrônico. Ação 4000 Estudos, Pesquisas e Avaliações Educacionais Esta Ação tem como objetivo essencial contribuir para a melhoria e a qualidade da aprendizagem, tornando disponíveis dados e informações imprescindíveis para diagnosticar e monitorar a realidade educacional brasileira e fundamentar as ações de planejamento. As informações disponibilizadas constituem-se em auxílio ao processo decisório para o estabelecimento de políticas educacionais, a partir de estudos, pesquisas, levantamentos, análises estatísticas, soluções tecnológicas e construção de indicadores. Na composição do relatório foram selecionadas as atividades de maior relevância na consecução da missão do Inep, relacionadas a seguir: No âmbito das pesquisas e estudos Núcleos de Estudos sobre Educação O Núcleo de Estudo sobre Educação tem por objetivo selecionar projetos de criação ou manutenção de núcleos de estudos para o desenvolvimento de pesquisas educacionais. As pesquisas desenvolvidas nesses núcleos estão direcionadas a subsidiar gestores educacionais no processo decisório para estabelecimento de políticas educacionais. 57

58 Destacam-se as parcerias com renomadas instituições de ensino superior e pesquisa para desenvolver estudos e pesquisas que respondam a questões de interesse do Inep, do Ministério da Educação. Isso, não só proporcionou o crescimento técnico das equipes envolvidas, bem como possibilitou contar com a colaboração de profissionais de notório saber, vinculados aos centros de excelência em pesquisa educacional. Os projetos de pesquisas têm a duração de aproximadamente 2 anos. As parcerias firmadas em 2010 com as instituições Ação Educativa, Centro de Estudos de Cultura Contemporânea (Cedec), Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), Fundação Getúlio Vargas (FGV), SEC Bahia/Instituto Anísio Teixeira, Universidade de São Paulo (USP), Universidade Federal da Bahia (UFBA) e Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) tiveram sua continuidade em Vale ressaltar que além das parcerias firmadas em 2010, em 2011 foram estabelecidas mais 2 parcerias (termos de cooperação técnica) com a Universidade Federal Fluminense (UFF) Portaria 97, de 29 de abril de 2011 e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Portaria 73, de 1º de abril de Foram realizadas visitas in loco para acompanhamento e fiscalização dos projetos nos núcleos de estudos das seguintes instituições conveniadas: Fundação Getúlio Vargas (FGV), Convênio /2010; Centro de Estudos de Cultura Contemporânea (Cedec), Convênio /2010; Universidade de São Paulo (USP), Leste, Convênio /2010 e Ribeirão Preto, Convênio /2010; Núcleo da Ação Educativa, Convênio /2010; Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), Convênio Ainda no contexto de fomento a estudos e pesquisas, em 2011, 2 núcleos de estudos educacionais foram constituídos ou modernizados, sendo que 33 projetos de pesquisas estão sendo desenvolvidos. O projeto Núcleos de Estudos sobre Educação visa a criar, recuperar, modernizar e equipar núcleos de estudos sobre educação, além de viabilizar financeiramente o desenvolvimento de estudos e pesquisas educacionais. Os estudos e pesquisas desenvolvidos nesses núcleos estão direcionados a subsidiar gestores educacionais no processo decisório para o estabelecimento de políticas educacionais e também como fonte de informação consolidada para os usuários em geral. Temos também, o Acordo de Cooperação Técnica com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), para a realização da Pesquisa Equidade nas Aprendizagens. Essa pesquisa teve por objetivo analisar fatores associados a proficiencia dos alunos por meio dos dados da Prova Brasil. A pesquisa está sendo realizada pela equipe do BID-Washington e conta com apoio do INEP no tocante ao fornecimento de dados e esclarecimentos técnicos. Destaca-se ainda, A parceria com o BNDES que tem como objetivo fomentar conjuntamente o desenvolvimento de pesquisas científicas em temas relacionados à educação pública. Essa parceria deu origem a uma chamada pública para o desenvolvimento de estudos de avaliação de impacto na área de educação. A participação do INEP se dá somente na área técnica por meio de apoio e fornecimento de informações educacionais necessárias aos estudos. Dessa forma, há um projeto em andamento que contempla nove avaliações de impacto de políticas educacionais. Observatório da Educação O Observatório da Educação é um programa de fomento que visa o desenvolvimento de estudos e pesquisas na área de educação com uso dos dados produzidos pelo Inep. Tem como finalidade contribuir para a criação, o fortalecimento e a ampliação de programas de pós-graduação stricto sensu na temática da educação. Outra perspectiva é a formação de recursos humanos 58

59 capacitados para atuação nas áreas de gestão de políticas educacionais, avaliação educacional e formação de docentes. Em 2011 foram investidos R$ ,00 no pagamento de bolsas para o desenvolvimento de projetos de pesquisa. Pesquisa Perfil dos Dirigentes Municipais de Educação Com essa pesquisa, pretende-se levantar as características dos dirigentes municipais de educação para subsidiar a elaboração de políticas de capacitação e de apoio técnico-administrativo aos gestores e secretarias municipais de educação. Em 2011, ocorreu a preparação e acompanhamento dos microdados que serão divulgados junto com o relatório final da Pesquisa Nacional sobre o Perfil dos Dirigentes Municipais de educação. Realização de estudos e análises de impacto de políticas educacionais para subsidiar o monitoramento das ações das secretarias do MEC: No âmbito dos estudos e avaliações de políticas educacionais No ano de 2011, foram desenvolvidos os trabalhos no âmbito da Prova Nacional de Concurso para Ingresso na Carreira Docente e também no Prêmio Inovação em Gestão Educacional, além de vários estudos e pesquisas desenvolvidos dentro dessas grandes ações. Laboratório de Experiências Inovadoras em Gestão Educacional O Laboratório de Experiências Inovadoras em Gestão Educacional constitui-se em um espaço de investigação e um instrumento estratégico para subsidiar ações e políticas sociais, fornecendo informações, análises e propostas de ação que sinalizem novas práticas educacionais. Neste intuito, aprofunda seus conhecimentos sobre pesquisas atuais em gestão educacional e cria espaço de intercâmbio entre especialistas sobre temas como avaliação de programas e projetos educacionais, situação da educação e dos docentes, equidade, gestão e planejamento e o sistema educativo. O Prêmio Inovação em Gestão Educacional, além de reconhecer e valorizar o bom trabalho desenvolvido pelas secretarias municipais de educação, propõe-se a contribuir para a disseminação, em âmbito nacional, de boas práticas de gestão educacional, indicando às demais redes de ensino experiências inovadoras, viáveis e, principalmente, geradoras de melhorias nos processos e resultados educacionais locais. Neste exercício de 2011 foram realizadas as seguintes etapas: 1ª etapa de avaliação: processo de triagem realizada pelos técnicos do Inep, observando os critérios estabelecidos no edital; 2ª etapa de avaliação: seleção das 20 experiências pela Comissão Julgadora; 3ª etapa de avaliação: Avaliação in loco das 20 experiências finalistas; A 4ª etapa de avaliação ficou para o ano de 2012, conforme explicado adiante no item principais problemas. 59

60 A terceira edição do Prêmio Inovação de Gestão Educacional 2011 recebeu 389 experiências, espalhadas em 22 estados e 237 municípios em todo o País. Ao final do concurso, serão premiadas 10 experiências exitosas em gestão educacional. Prova Nacional de Concurso para Ingresso na Carreira Docente A Prova Nacional de Concurso para Ingresso na Carreira docente foi instituída pela Portaria Normativa MEC 03, de 02 de março de 2011, como uma avaliação para subsidiar a admissão de docentes para a educação básica no âmbito dos estados, municípios e do Distrito Federal. Adicionalmente, por meio de um boletim individual de resultados, a prova proporcionará parâmetros para a autoavaliação dos candidatos à docência. Além disso, os resultados agregados poderão oferecer informações relevantes para subsidiar políticas públicas de formação continuada e auxiliar na avaliação da formação inicial. As principais atividades desenvolvidas foram: discussão sobre critérios psicométricos da prova com especialistas; reuniões com a Comissão Assessora da Prova para delineamento da Matriz de Referência, a partir de laboratórios cognitivos; reestruturação e discussão da Matriz de Referência; apresentação da Matriz de Referência nos fóruns estaduais, regionais e nacionais da Undime e também no Comitê de Governança; realização de chamada pública para elaboradores e revisores de itens; realização de capacitação para credenciamento de elaboradores e revisores de itens no BNI-Docente, realização de oficinas de elaboração e revisão de itens para o Banco Nacional de Itens BNI-Docente; realização de oficina de revisão linguística de itens do BNI- Docente; realização de processo de validação de itens com a Comissão Assessora. No âmbito de construção de indicadores Índice Geral de Cursos IGC O Índice Geral de Cursos da Instituição (IGC) foi criado para subsidiar a avaliação in loco das instituições de ensino superior. É uma média ponderada das notas da graduação (obtidas a partir do CPC) e da pós-graduação dos cursos da IES (obtidas a partir da nota Capes). No ano de 2011, ocorreu a Divulgação do Índice Geral de Cursos da Instituição (IGC) O Inep vem intensificando, cada vez mais, esforços no aprimoramento dos indicadores da educação brasileira. No âmbito assessoria técnica de publicação do Inep A Assessoria Técnica de Editoração e Publicações, vinculada à Diretoria de Estudos e Pesquisas Educacionais do Inep, é responsável pelo gerenciamento da linha editorial do Inep; pela qualidade do padrão gráfico das publicações; pela manutenção e atualização do site de publicações e pela edição da Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos e da Revista Em Aberto; pela contratação de serviços gráficos e pela guarda do back-up das publicações produzidas pelo Inep e/ou em parceria com outras instituições. Destacam-se as seguintes iniciativas: divulgação do boletim eletrônico Na Medida, com a publicação dos estudos "O impacto do Programa Bolsa Família sobre a frequência escolar: uma análise de diferenças em diferenças a partir da Pnad", "Demanda por professores na pré-escola", "Qual o perfil 60

61 desejado para um ingressante no magistério? A visão dos profissionais de escolas com bons resultados no Ideb 2007" e "Quem são os jovens que não frequentam escola e que não estão no mercado de trabalho?; edição de 3 Cds contendo a versão final e completa do Compêndio Trajetória e Estado da Arte da Formação em Engenharia, Arquitetura e Agronomia. (um CD e três volumes); publicação em mídia impressa e digital (CD) da Coleção 1º Ciclo Avaliativo do Sinaes Volume I: Análise dos Resultados do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes das áreas de Ciências da Saúde, Ciências Agrárias e Serviço Social Enade ; Volume II: Caracterização dos cursos de graduação das Ciências da Saúde, Ciências Agrárias e Serviço Social: análise do Conceito Preliminar de Curso CPC obtido em 2008; e Volume III: Estudo Analítico dos Relatórios de Autoavaliação das Comissões Próprias de Avaliação CPA; publicação de 3 números 230, 231 e 232 da Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos (RBEP) ; atualização, revisão e diagramação para o portal do Inep da segunda edição (2011) do livro A Universidade no Brasil: concepções e modelos ; publicação do Perfil dos Dirigentes Municipais de Educação 2010; diagramação do Caderno de Instruções para o Censo Escolar 2011, para divulgação na página do Inep; Pisa Em Foco: Publicação mensal da OCDE, diagramada em português (versão original em inglês), para divulgação na página do Inep. Foram diagramadas 10 publicações; capítulo 8 do relatório da OCDE, diagramado em português (versão original em inglês), para divulgação na página do Inep; criação de arte projeto gráfico e diagramação de manuais para o Enem/2011: manual do candidato, manual do participante, manual de recuperação de senha; Provinha Brasil Leitura (diagramação): guia de aplicação, guia de correção, reflexões sobre a prática e caderno do aluno; Provinha Brasil Matemática (diagramação): guia de aplicação, guia de correção e caderno do aluno; digitalização dos números da Revista Em Aberto e disponibilização eletrônica na página do Inep e no Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (Seer), completando a coleção; Dando continuidade ao boletim eletrônico Na Medida, em 2011, foram elaborados 8 estudos, sendo 4 publicados. Com essa iniciativa, o Inep qualifica e amplia o debate acerca da educação no País. O boletim é composto por estudos descritivos e/ou analíticos dentro da temática educacional. Por meio da divulgação desse boletim, pretende-se ampliar a disseminação de informações no âmbito dos produtos e estudos do Inep, visando à minimização dos ruídos que se instauram pela falta de informação qualificada disponível, com fácil acesso; qualificar a discussão sobre a educação, a partir de informações veiculadas; disseminar a imagem institucional do Inep como instituição capaz de pautar um debate educacional qualificado, embasado nos dados existentes; e incentivar no Inep uma nova cultura, de produção e divulgação de pequenos estudos. 61

62 No âmbito de participação e realização de eventos para a disseminação de informações educacionais No que se refere à disseminação de informações sobre temas de interesse para a condução das políticas públicas educacionais, bem como dos resultados de estudos e pesquisas elaborados ou apoiados pelo Inep, pesquisadores da Dired participaram e promoveram diversos eventos com esse propósito. Houve uma grande participação do público-alvo, o que contribuiu para uma profícua discussão dos temas debatidos, bem como para a promoção da troca de experiências entre os participantes. Realização de seminário conjunto Inep-Ipea Base de Microdados Educacionais evento que abordou as bases de dados e pesquisas em andamento no Inep acerca dos temas educacionais; realização de workshop de trabalho da Pesquisa Equidade nas Aprendizagens, na representação do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), em Brasília/DF; participação em workshop de resultados de pesquisa (Estudos de Equidade e Qualidade de Educação), promovido pelo BID em Washington/EUA; participação, discussão e apresentação do tema Prova Nacional de Concurso para o Ingresso na Carreira Docente em diversos fóruns estaduais, regionais e nacionais da Undime. participação e apresentação da palestra a respeito de Avaliações: Provinha Brasil, Prova Brasil e Ideb no seminário temático Avaliação e Indicadores da Qualidade da Educação, no dia 20 de maio de 2011, na Universidade Unilassalle, em Canoas/RS; participação e apresentação no V Congresso Brasileiro de Avaliação Psicológica, com o trabalho A Noção de Competências em Avaliações Educacionais de Larga Escala, no período de 31 de maio a 04 de junho de 2011, em Bento Gonçalves/RS; participação na palestra e debate sobre a Prova Docente, na Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, no dia 06 de junho de 2011, em Porto Alegre/RS; participação em seminário do núcleo de pesquisa Educação de Jovens e Adultos: insumos, processos e resultados, no dia 10/06/11, em São Paulo/SP; participação no evento Aulas Nota 10, Analisando e Melhorando a Prática em Sala de Aula Treinamento dos Treinadores, cujo objetivo central foi capacitar os participantes para a utilização do método Stallings (ferramenta de observação em sala de aula), para medirem o tempo efetivamente utilizado com atividades acadêmicas em sala de aula, no período de 13 a 16 de junho de 2011, no Rio de Janeiro/RJ; participação e ministração do curso sobre Avaliações Educacionais em Larga Escala no Brasil, no 20º EPENN, entre 23/08/11 e 26/08/11, em Manaus/AM; participação no seminário Prova Brasil de Matemática: Revelações e Possibilidades de Avanços, no dia 03 de dezembro de 2011, na Universidade Cruzeiro do Sul, em São Paulo/SP; 62

63 apresentação do Prêmio Inovação em Gestão Educacional e Banco de Experiências em Gestão Educacional, no 3º Seminário do Programa Observatório da Educação (Obeduc) e 1º Seminário do Programa Observatório da Educação Escolar Indígena (Obeduc Indígena), em 08 e 09/11/2011, no edifício-sede da CAPES; participação no 1º Encontro Nacional do Censo de Educação Superior, de 09 a 11 /11/2011, em Belo Horizonte/BH; participação no evento Prova Brasil de matemática: revelações e possibilidades de avanços nos saberes de alunos de 4ª série/5º ano e indicativos para formação de professores, no dia 03/12/2011, em São Paulo/SP; participação e apresentação da palestra a respeito de Avaliações: Provinha Brasil, Prova Brasil e Ideb no seminário temático Avaliação e Indicadores da Qualidade da Educação, no dia 20/05/2011, na Universidade Unilasalle, em Canoas/RS; participação em reunião no BNDES sobre a Avaliação dos Projetos da Chamada Pública nº 4, no dia 18/02/11, no Rio de Janeiro/RJ; participação em reunião para tratar do 3º Seminário do Observatório da Educação; participação na realização do 3º Seminário do Observatório da Educação e 1º Seminário do Observatório Indígena; participação em reunião na Fipe, que teve por objetivo apresentar regras do convênio a ser assinado entre o BNDES e a FIPE (instituição vencedora da Chamada Pública de Educação BNDES/Inep), no dia 28/04/11 no FIPE, em São Paulo/SP; participação em reunião do GT de Transporte Escolar; participação em reunião no FNDE para discussão de pesquisa sobre transporte escolar; participação da 6º Reunião da Associação Brasileira de Avaliação Educacional (Abave), de 31 de agosto a 02 de setembro de 2011, em Fortaleza/CE; participação em reunião com pesquisadores do Observatório da Educação (Uerj), para tratar de uso de dados sigilosos, no dia 08/09/2011, e na Reunião no BNDES para tratar da avaliação dos projetos dos convênios firmados, no dia 09 de setembro de 2011, no Rio de Janeiro/RJ; participação na 34ª Reunião Anual Anped, no período de 02 a 05/10/11, no Centro de Convenções de Natal/RN, tendo com temática central Educação e Justiça Social; participação da reunião do Network dos Sistemas Educacionais (Nesli), da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), no período de 05 a 06/10/11, na cidade do Rio de Janeiro/RJ; realização de reunião técnica com a Comissão Assessora da Prova Nacional de Concurso para Ingresso na Carreira Docente, para tratar das atividades desenvolvidas no ano de 2011, das perspectivas e da agenda de trabalho para 2012, no dia 08/12/11, no Inep. Não foi realizada a Cerimônia de Premiação do Prêmio Inovação 2011 pelos fatores a seguir. A 4ª Etapa de avaliação (reunião da Comissão Julgadora para definição das 10 experiências 63

64 que receberão o Prêmio Inovação 2011), prevista para 21/12/2011 teve que ser transferida para 2012 em função de: atraso na indicação de nomes para a comissão julgadora, pela SEB, o que levou a atraso na segunda etapa de avaliação, realizada apenas em 30/09/2011 (atraso de 15 dias em relação à agenda inicial); dificuldade de agenda dos municípios no mês de outubro e início de novembro para a 3ª etapa de avaliação (avaliação in loco), em função dos feriados do período e da localização geográfica de um deles na Ilha de Marajó/PA (atraso de mais 15 dias em relação à agenda inicial); atraso na entrega de relatórios para a 4ª etapa de avaliação pelos consultores contratados para a avaliação in loco, em função da dificuldade de agenda dos municípios; em função disso, a cerimônia de premiação ficou para 2012, porque depende da realização da 4ª etapa de avaliação. A estratégia de execução do projeto Núcleos de Estudos em Educação compreende o apoio à execução de estudos e pesquisas em educação. As instituições interessadas apresentam projetos com base em edital de chamada pública. Para apoiá-las, o Inep transfere recursos financeiros por meio de convênio ou termo de cooperação. No exercício de 2011, havia a previsão de transferência de R$ ,00 para as instituições conveniadas, considerando as parcelas referentes ao exercício financeiro de 2011 e novas contratações de instituições de pesquisa. Ação 8257 Avaliação da Educação Básica A meta física estabelecida na Lei Orçamentária Anual (LOA) foi de realizar avaliações; e a meta realizada foi de avaliações, cumprindo a contento o que se planejou. Desse total, referem-se a relatórios fechados de visitas in loco a instituições de educação superior e a cursos de graduação e aos cursos participantes do Enade Os principais resultados alcançados no âmbito da referida ação são: Avaliação de Instituições de Educação Superior e de Cursos de Graduação As atividades de avaliações externas das Instituições de Educação Superior (IES) e dos cursos de graduação têm por finalidade identificar o perfil institucional e o significado de sua atuação, bem como as condições de ensino oferecidas aos estudantes. As avaliações externas são realizadas por meio de visitas in loco de especialistas das respectivas áreas do conhecimento cadastrados no Banco de Avaliadores do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (BASis), o qual foi instituído pela Portaria Ministerial 1.027, de 15 de maio de 2006, atualmente regido pela Portaria Ministerial 40/2007, com redação de dezembro de O BASis é um sistema aberto que possibilita a inscrição, a qualquer momento, de docentes que cumpram os requisitos legais interessados em se tornarem avaliadores do Inep, resultando na ampliação da participação da comunidade acadêmica no processo nacional de avaliação da educação superior. 64

65 Nesse contexto, a capacitação dos avaliadores do BASis é condição imprescindível para garantir a convergência de procedimentos técnicos em relação à utilização pelo avaliador de diferentes instrumentos de avaliação por ocasião da aferição das condições de funcionamento das IES e dos cursos. Portanto, em 2011 foram capacitados 305 avaliadores, de forma presencial, para uso dos instrumentos de avaliação institucional e de cursos de graduação. Os eventos de capacitação ocorreram no próprio prédio do Inep, privilegiando grupos de 50 docentes e desonerando dessa forma o orçamento de gasto de aluguel de espaços privados para eventos. Ainda no segundo semestre de 2011, foi criado o Documento Orientador para Avaliadores do Banco de Avaliadores do Sinaes (Basis), um espécie de manual que tem por finalidade contribuir com a capacitação, o preparo e o suporte necessários para a atuação do avaliador na avaliação in loco. Destaca-se, também, em 2011, a finalização dos trabalhos de revisão dos instrumentos de avaliação externa. Esta atividade contou com o apoio de especialistas nomeados em pela Portaria 387, de 27 de setembro de 2010, e culminou com a proposta de um único instrumento de avaliação de cursos, que substituirá os instrumentos de autorização, reconhecimento e renovação de reconhecimento, nas modalidades presencial e a distância, nos graus tecnológico, licenciatura e bacharelado, incluindo os cursos de Pedagogia, Medicina e Direito, que tinham instrumentos exclusivos. O resultado foi homologado pelo Ministro da Educação e publicado no Diário Oficial em 13 de dezembro de 2011 (Portaria 1741, de dezembro de 2011). Os procedimentos para as avaliações externas das IES e dos cursos de graduação foram desenvolvidos em consonância com o previsto na Lei /2004, com a Portaria Normativa 40, de 12 de dezembro de 2007, consolidada em 29 de dezembro de 2010 e demais legislações pertinentes. Em 2011, foram realizadas visitas in loco para avaliação de instituições de educação superior e/ou cursos de graduação, nas modalidades presencial e a distância, com o objetivo de subsidiar as secretarias competentes do Ministério da Educação quando da concessão dos atos regulatórios de credenciamento e recredenciamento de IES, autorização, reconhecimento e renovação de reconhecimento de cursos de graduação. Vale ressaltar que o fluxo de trabalho e gerenciamento de informações relativas aos processos de regulação da educação superior do sistema federal de educação é feito via sistema eletrônico e-mec, iniciando-se na Secretaria (Seres) do Ministério da Educação e seguindo para o Inep a fim de que sejam realizadas as avaliações in loco. Comissão Técnica de Acompanhamento da Avaliação (CTAA) A Comissão Técnica de Acompanhamento de Avaliação (CTAA), órgão colegiado de acompanhamento dos processos de avaliação institucional e de cursos de graduação no âmbito do Sinaes, foi criada pela Portaria MEC 1.027/2006. Atualmente a CTAA é regulamentada pela Portaria Normativa n 40/2007, com redação consolidada pelo DOU de 29/12/2010 e pelo seu regimento interno. A CTAA é formada por 25 integrantes, entre eles representantes do MEC, do Inep e docentes oriundos das diferentes áreas do conhecimento com notória competência científicoacadêmica e reconhecida experiência em avaliação ou gestão da educação superior. A Comissão foi criada com o objetivo de garantir transparência aos procedimentos de avaliação do Sinaes. A Portaria Normativa 40/2007 determina que a CTAA, ao analisar os recursos sobre as avaliações 65

66 realizadas pelas comissões do Inep, posicione-se indicando se o resultado expresso no relatório de avaliação deverá ser mantido, reformado ou alterado. Também são atribuições da CTAA realizar a seleção final do banco de avaliadores do Sinaes; decidir pelos casos de exclusão de avaliadores do banco; zelar pelo cumprimento das diretrizes do Sinaes; e assessorar o Inep sempre que necessário. Dos 888 processos julgados em 2011, a CTAA decidiu por anular o relatório de 27 comissões e determinar nova avaliação, 3% do total dos processos julgados. Foram confirmados 293 pareceres de comissões 33% dos processos julgados, e reformados 491 relatórios 55% dos processos julgados. A CTAA também não conheceu do recurso de 77 processos julgados 9% do total. Grande parte dos relatórios que tiveram reforma de parecer deve-se ao fato de terem sido utilizados instrumentos com indicadores imprescindíveis, resultando em relatório sem conceito. A esses processos coube à CTAA reformar e emitir conceito. Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) O Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), componente curricular obrigatório, tem como objetivo avaliar o curso por meio do desempenho dos alunos. No ano em questão, 33 áreas do conhecimento participaram do exame (Arquitetura e Urbanismo e Engenharia; Biologia, Ciências Sociais, Computação, Filosofia, Física, Geografia, História, Letras, Matemática e Química; Licenciatura em Pedagogia, Educação Física, Artes Visuais e Música; e tecnólogo em Alimentos, Construção de Edifícios, Automação Industrial, Gestão da Produção Industrial, Manutenção Industrial, Processos Químicos, Fabricação Mecânica, Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Redes de Computadores e Saneamento Ambiental). Ao todo, foram inscritos mil estudantes concluintes. A prova foi aplicada no dia 06/11/2011 em municípios, tendo sido registrada a participação de concluintes, o que corresponde a 80,5% do total de inscritos. A prova foi realizada diretamente pelo Inep, que utilizou o Banco Nacional de Itens (BNI) Enade Para tanto, foi publicado o Edital de Chamada Pública 8, de junho de 2011, que regulamentou o cadastramento de docentes interessados em participar como elaboradores ou revisores de itens do BNI-Enade Registrou-se a inscrição de docentes de IES públicas e privadas de todas as unidades da federação. Foram selecionados/convocados para a etapa de capacitação em elaboração e revisão de itens 495 docentes, dos quais 440 participaram da atividade. A fase seguinte, elaboração e revisão de itens, contou com a participação de 416 docentes, incluindo 26 revisores de língua portuguesa. Foram elaborados intens, dos quais (66,65) foram homologados pelo Inep e (34,45) foram descartados pelos revisores técnico-pedagógicos ou pela Comissão técnica/inep. Como em 2010, o questionário do estudante do Enade 2011 foi preenchido eletronicamente pelos alunos. O sistema permitiu aos estudantes concluintes acesso direto e ágil ao questionário, participando da pesquisa on-line. As IES, por sua vez, puderam acompanhar o acesso dos estudantes ao questionário, demanda constante das instituições. O questionário eletrônico do estudante representa grande economia para o Inep, com relação ao modelo usado anteriormente. 66

67 O sistema de pedidos de dispensa do Enade 2011 foi modificado para atender às modificações estabelecidas pela Portaria Normativa 40/2007, em sua atual redação, e pela Portaria 436/2011. A principal modificação foi o ajustamento, no ambiente do coordenador de curso, de funcionalidade que permite o cadastramento de dispensa de estudantes por parte da própria IES. Após o momento inicial de dispensa de estudantes pela IES, o Inep também analisará solicitações de dispensa apresentadas eletronicamente. Os insumos do Enade 2011 foram divulgados em caráter restrito às IES em setembro de 2011, a partir de um sistema de consulta ligado ao sistema eletrônico e-mec. As IES impetraram seus recursos apenas por meio eletrônico, diminuindo custos operacionais ao Inep e promovendo a celeridade na análise dos pedidos de esclarecimentos acerca dos insumos utilizados para o cálculo dos indicadores. Indicadores de Qualidade da Educação Superior Os indicadores de qualidade da educação superior referente ao ano de 2010, Conceito Enade e Conceito Preliminar de Curso (CPC), foram calculados com base nos resultados da avaliação dos cursos pelo Exame Nacional de Desempenho de Estudantes Enade de O Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição (IGC), por sua vez, foi calculado com base nos resultados dos CPCs obtidos no Ciclo Avaliativo e dos conceitos da Capes acerca dos programas de pós-graduação, como mostra a Figura II (ver Anexo). A Portaria 338, de 16 de setembro de 2011, estabeleceu os procedimentos de divulgação dos indicadores de qualidade de 2010 às IES, que passaram pelas etapas descritas a seguir. No período de 20 a 30 de setembro de 2010, os insumos utilizados no cálculo dos indicadores foram disponibilizados às IES, por meio do sistema e-mec, para conhecimento e análise. Nesse período, o procurador institucional confirmava estes insumos e, caso fosse necessário, solicitava a retificação dos mesmos. Também foram disponibilizadas as Notas Técnicas que descrevem o cálculo de cada indicador, tanto pelo sistema e-mec quanto pelo site do Inep. Após esse período, os pedidos de retificação foram analisados pela equipe da Daes responsável pelo cálculo dos indicadores, pela equipe do censo da educação superior e pela equipe da Capes. Realizadas as retificações corretamente justificadas, os indicadores Conceito Enade, CPC e IGC foram divulgados apenas às instituições, em novembro de No dia 17 de novembro de 2011, os indicadores foram divulgados no Diário Oficial da União e no sistema e-mec para consulta pública. Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Estrangeira (Revalida) O projeto-piloto do Exame Nacional para fins de Revalidação de Diplomas Médicos expedidos por instituições de educação estrangeira (Revalida) foi realizado em 2010, já em 2011 ocorreu a sua primeira edição. Para tanto, o Inep utilizou o Banco Nacional de Itens (Revalida), o qual se constitui em um acervo de questões (ou itens) elaboradas a partir da matriz de correspondência curricular, republicada pela Portaria Interministerial 278, de 17 de março de

68 A montagem das provas permitiu que os conteúdos, competências e habilidades previstas na matriz citada fossem contemplados nos itens elaborados com o objetivo de estimar com a maior precisão possível o estabelecimento de aprendizagem (conhecimento), definição do perfil de habilidades e competências que deve ter o graduado para o exercício profissional ou o médico já formado, para ingresso ou conclusão da residência médica e certificação para especialista. Por meio do Edital de Chamada Pública 6, de 06 de maio de 2011, a Diretoria de Avaliação da Educação Superior/Inep regulamentou o cadastramento de médicos docentes interessados em participar como elaboradores ou revisores de itens do BNI-Revalida Registraram-se 167 inscrições de docentes de IES públicas e privadas de todas as unidades da federação. A Comissão de Análise de Itens (CAI), que contou com a presença de 15 especialistas médicos e docentes, com experiência em avaliação, estabeleceu a nota de corte, através do método de Angoff modificado. A prova escrita foi aplicada no dia 11 de setembro de 2011, já a de habilidades clínicas foi aplicada nos dias 15 e 16 de outubro de Destaca-se o sistema eletrônico Revalida, desenvolvido pela TI do Inep para atender às demandas que envolveram o processo avaliativo deste porte, capaz de proporcionar a comunicação entre todos os envolvidos: técnicos do Inep, examinandos participantes do Revalida 2011, universidades públicas brasileiras que aderiram ao exame, reitores, substitutos, membros da Subcomissão de Revalidação de Diplomas Médicos, representantes da Secretaria de Educação Superior (Sesu/MEC) e representantes do Ministério da Saúde, desde a inscrição até o recebimento do resultado final do exame. O acesso ao sistema foi realizado pelo endereço por onde aconteceram, inclusive, as inscrições para o exame, permitindo a geração de boleto bancário para pagamento e confirmação da inscrição. Na primeira etapa do exame foram inscritos 677 examinandos, oriundos de 28 nacionalidades; 536 participaram das provas objetivas e provas discursivas; e 96 foram aprovados para a 2 etapa. O Brasil teve maior representatividade no exame, seguido da Bolívia, Peru, Colômbia, Argentina, Cuba, Uruguai, República Dominicana, Venezuela, entre outros. Dos 96 aprovados na primeira etapa, 86 se habilitaram para a segunda etapa e 75 estiveram presentes. Na prova de habilidades clínicas, 65 médicos obtiveram aprovação e poderão revalidar o seu diploma no Brasil. Para isso, o participante aprovado deverá procurar a universidade pública apta que firmou o Termo de Adesão com a Secretaria de Educação Superior (Sesu/MEC) para a revalidação dos diplomas médicos. Vale ressaltar que entre os 65 aprovados no resultado final do exame, há 13 nacionalidades 31 brasileiros, 4 bolivianos, 6 colombianos, 6 argentinos, 3 peruanos, 1 alemão, 3 cubanos, 3 equatorianos, 3 da Venezuela, 2 da Nicarágua, 1 cabo-verdiano, 1 francês e 1 dominicano, de médicos diplomados em 11 países: 15 em Cuba; 14, Bolívia; 13, Argentina; 6, Colômbia; 5, Peru; 4, Venezuela; 3, Equador; 2, Nicarágua; 1, Paraguai; 1, Alemanha; e 1, França. Ação 2272 GAP Em 2011, os principais resultados obtidos na Ação 2272 com o apoio da Coordenação-Geral de Infraestrutura e Serviços foram: 68

69 a) aquisição de soluções e ativos de rede para a implantação do projeto de regionalização de atendimento (replicação dos dados, servidores de aplicação e servidores de banco de dados), que foi elaborado com o objetivo de garantir altíssima disponibilidade para serviços críticos do Inep, criando uma extensão do Datacenter do Inep em outras regiões do país, como mostra a Figura III (ver Anexo). A solução em questão contempla os seguintes itens: Sistema de Prevenção de Intrusão (IPS), que possui capacidade para processar 10 GBPS de tráfego, sem prejuízo perceptível no acesso aos sistemas; Solução de Controle de Acesso (Firewall), que possui capacidade para processar 10 GBPS de tráfego e efetuar o controle de acesso a redes de comunicação e a internet; Solução de NOC/SOC (Network Operation Center Centro de Operação de Rede / Security Operation Center Centro de Operação de Segurança), que possui como missão o gerenciamento proativo de eventos e comportamento do ambiente de TI do Inep, podendo assim agregar a este ambiente um índice de disponibilidade, integridade, confidencialidade, conformidade e não-repúdio mais adequado a seus sistemas); Solução de Balanceamento de Tráfego, visando melhorar a disponibilidade e principalmente a integridade dos serviços web; Sistema de Mensageria (AntiSpam), para efetuar o controle no envio e recebimento de mensagens indesejadas (Spam). Portanto, a estrutura possui alto grau de complexidade, porque envolve diversos componentes e tecnologias que agregadas resultam em uma solução robusta e confiável, conforme o ambiente exige. O projeto inicia com a disponibilidade de ativos de rede, balanceamento de carga e segurança de rede, ou seja, soluções e ativos já utilizados na instituição, tais como: Firewall Checkpoint, IPS SourceFire, Balanceador de carga F5, Armazenamento de dados NetApp, etc. Assim, a chamada célula descentralizadora será implantada em Brasília e servirá de modelo e de base de replicação para as demais regiões, a começar pela região Sudeste. O objetivo do projeto é diminuir o fluxo de acesso ao Datacenter Brasilia, permitindo um atendimento mais ágil e eficiente para as regiões contempladas. Ademais, tem por objetivo, entre outros, ampliar o acervo tecnológico do Inep com a finalidade de viabilizar o cumprimento do compromisso de ajustamento de conduta firmado com Ministério Público, por meio do qual o Inep se comprometeu, entre outras questões, a conceder aos participantes da próxima edição do Enem, a vista das provas discursivas, ainda que por meio eletrônico, bem como a oportunidade de apresentação de recurso fundamentado contra a correção, devendo apresentar respostas fundamentadas a tais recursos. Os equipamentos ainda serão essenciais para a realização do Enem on line futuramente, que é uma proposta ministerial. 69

70 Outra grande realização foi a ampliação da solução de virtualização e servidores, por meio da aquisição de novos servidores Blade Server Cisco, o que permitirá a criação de um ambiente escalável e flexível para atendimento a necessidades futuras. No decorrer dos últimos anos, o número de serviços disponibilizados e a quantidade de usuários respectivos aumentaram significativamente, o que gerou a necessidade de equipamentos com maior capacidade de computação e novas funcionalidades. As instruções em hardware dos servidores auxiliam nas tarefas novas de virtualização. Além disso, a ampliação das demandas exige mais equipamentos que permitirão implementar políticas de alta disponibilidade dos serviços com mais qualidade e maior segurança e, ainda, aprimorar a qualidade dos serviços prestados através de um tempo de resposta satisfatório, a confiança, a disponibilidade e a fidedignidade dos serviços e dos dados a serem ofertados para a formulação de políticas públicas. O Inep já utiliza como solução de servidores os equipamentos Blade Server Cisco e virtualização de servidores, utilizando licenças de software da VMware, adquiridos em 2010 e, em 2011, novos equipamentos e licenças foram adquiridos tendo em vista os seguintes fatores técnicos: escalabilidade do sistema adquirido anteriormente redução de complexidade automação de tarefas integração entre rede virtual e física site redundante Portanto, essa ampliação visa melhorar e agilizar os processos/serviços de computação de dados; principalmente, diminuir o tempo de processamento e aumentar a capacidade de utilização do parque vigente para atender a demanda crescente. Ademais foi adquirida mais uma solução de infraestrutura de comunicação de dados (switch), diante da necessidade de ampliar a rede de comunicação de dados para manter a estabilidade e continuidade dos atendimentos diretos ao cidadão. Por sua vez, foi providenciada a ampliação dos discos do Storage solução de armazenamento de dados nas arquiteturas NAS (CIFS e NFS) existente por meio da aquisição de mais 04 Shef de 450 GB e 03 Shelf Sata de 1 TB. Sobre o assunto, cabe ressaltar que a aquisição adicional de itens para ampliação do equipamento de armazenamento de dados corporativos tornou-se necessária, considerando que a central de armazenamento de dados adquirida atende também os grandes exames como o Enem e precisa garantir o atendimento a todos os usuários e suprir o crescimento e o armazenamento dos dados com segurança e disponibilidade em todos os sistemas envolvidos. Além disso, foram adquiridos 20 novos servidores para sistema gerenciador de banco de dados, com o propósito de agilizar os processos/serviços disponibilizados via internet e, principalmente, aumentar a capacidade de processamento e otimizar a disponibilidade dos serviços para atender à demanda crescente. 70

71 Por outro lado, buscando sempre a melhoria na qualidade dos serviços prestados à sociedade observou-se que havia a necessidade de novos recursos de segurança. A solução encontrada foi a aquisição de uma solução Data Loss Prevention (DLP), que tem como objetivo proteger o Inep contra riscos de transferência não-autorizada de informações, monitorando as informações confidenciais compatíveis com as rotinas de operação do ambiente do Inep. A aquisição feita visa melhorar a infraestrutura de segurança dos dados armazenados e prover um serviço com confidencialidade e autenticidade para as informações dos seguintes programas: Exame Nacional do Ensino Médio (Enem); Censo da Educação Básica (EducaCenso); Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade); Censo da Educação Superior; Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja). Destaca-se, ainda, que com a aquisição da referida solução, o Inep espera melhorar a confidencialidade das informações, evitando assim o uso indevido das mesmas, para que não coloquem em risco as informações críticas e sigilosas do Instituto. Além desses, merecem destaque a expansão da solução da plataforma web Ironport (filtro de conteúdo) para utilização no ambiente seguro do Inep. Tal solução permitirá o gerenciamento no controle dos filtros web com maior facilidade para criação e análise de permissões de acesso, consolidação de relatórios de acesso e, principalmente, a performance de seus serviços web aos seus usuários corporativos. Outro resultado obtido em 2011 que merece especial destaque é a implantação do Projeto de Business Intelligence (BI), a começar do processo de aquisição, passando pela instalação de vários produtos e busca de capacitação dos profissionais do Inep frente à nova tecnologia, que possibilitou a construção no Inep de um sistema informatizado em ambiente web com acesso a metadados, conceitos, definições, restrições de uso, onde os usuários, de forma orientada, podem ter acesso aos dados com possibilidade de fazerem múltiplos cruzamentos para extraírem do sistema as informações agregadas, análise das informações por assunto, estudo de comportamentos e outros. Foi também contratada uma empresa para prestação de serviços de suporte de atendimento ao usuário, suporte tecnológico a ambiente computacional de infraestrutura de redes, seus meios de comunicação, sistemas funcionais e processos de execução, para tarefas operacionais demandadas pelo Inep. A contratação em questão atende a exigências da Instrução Normativa 04/2010 e todos os serviços prestados são formalizados através de Ordem de Serviço (OS), o que permite ao Inep levantar a base de conhecimento de todas as atividades realizadas pelo prestador de serviço contratado e as condições da prestação do serviço especificado na OS, como: acordo de nível de serviço, resultados esperados e indicadores de desempenho para exigências contratuais. Os resultados alcançados com essa contratação contribuíram para manter a integridade das bases de dados do Inep, para manter a infraestrutura do Inep dentro dos padrões e normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), e garantiram, ainda, suportar a infraestrutura 71

72 telefônica da Instituição e o atendimento das demandas requisitadas de pesquisas educacionais bem como a divulgação dos dados da educação brasileira. Cabe registrar também a aquisição de novas licenças de uso perpétuo de Sistema Gerenciado de Banco de Dados (SGBD) Oracle, treinamento e mentoring, que se tornou necessária pelo fato de o Inep possuir inúmeros sistemas que garantem a qualidade dos dados e das informações coletadas, produzidas, analisadas, processadas e disseminadas no âmbito de suas diretorias, que atuam a partir de levantamentos censitários e avaliações dos diversos níveis de ensino, em todo o território nacional. Dentre essas ações está o EducaCenso, sistema responsável pela coleta de informações sobre a educação básica nacional que servirão de base para o fomento de políticas públicas. Outra ação significativa é o atendimento às necessidades do Enem, para inscrição e divulgações de informações relativas a mais de cinco milhões de estudantes. Tendo em vista que os sistemas foram desenvolvidos na infraestrutura de banco de dados Oracle, já existente no Inep, desde 1996, houve necessidade de ampliação do cenário atual, para atender à demanda, considerando-se que os produtos Oracle: possuem arquitetura complexa para ambientes heterogêneos; são portados para qualquer ambiente computacional, inclusive linux; permitem armazenar e tratar qualquer tipo de dado, estruturado ou não estruturado; são produtos de banco de dados dotados de recursos nativos de segurança, tais como: criptografia de dados armazenados e auditoria de acessos com um baixo custo de processamento, dispensando outros produtos; possuem capacidade de administração centralizada de usuários, aumentando a segurança do ambiente e diminuindo os custos de manutenção; permitem automatização das melhores práticas de administração de serviços de banco de dados; permitem que o Inep continue a administrar as bases de dados e sistemas críticos com informações que residem e utilizam o SGBDR Oracle; permitem que, por meio do SGBDR Oracle, seja implementada arquitetura que possibilite a adição de hardware para atender a demanda crescente por volume de dados, com o objetivo de ampliar a capacidade de processamento do ambiente. Assim, foram adquiridas novas licenças dos softwares Oracle normalmente utilizados na instituição, pelo fato de que as soluções integradas oferecidas por estes softwares operarem em conjunto criando processos de gestão contínua da segurança, em monitorando, detectando e respondendo às vulnerabilidades existentes, além de proteção on-line contra as ameaças a essas fragilidades em potencial, sendo, portanto, os que atendem às necessidades do Inep, uma vez que oferecem segurança para os projetos na arquitetura cliente-servidor e web, resguardando a integridade dos bancos de dados e sites da instituição. Ademais, em 2011, foram implementadas várias melhorias visando garantir na infraestrutura física: escalabilidade de recursos; arquitetura planejada; fontes de energia redundantes; sistema antiincêndio e ar-condicionado de precisão; e no tocante à infraestrutura tecnológica: rotas e fibras 72

73 redundantes; cabeamento estruturado; roteadores/switches; servidores e sistemas de srmazenamento. Quanto às ações de segurança e gerenciamento: alto padrão de segurança física; circuito Fechado de TV; biometria para acesso (com impressão digital); ampliação dos sistemas de firewall; ampliação de Sistemas de Prevenção de Intrusos; ampliação do Sistema de Monitoramento (NOC/SOC); aquisição de Solução Data Loss Prevention (DLP); atualização do balanceador de cargas. Além dessas ações, para viabilizar o cumprimento da missão institucional, no âmbito da Ação 2272, a Coordenação-Geral de Sistemas de Informação contribuiu com a contratação de prestação de serviços técnicos de tecnologia da informação em regime de fábrica de software para desenvolvimento e manutenção de sistemas a partir da adoção de uma métrica o ponto de função. A nova forma de contratação adotada se contrapõe à então existente, na qual os pagamentos eram realizados com base na quantidade de homens/hora necessários para a realização dos serviços solicitados. Assim sendo, a mudança de paradigma levou à necessidade de substituição dos contratos então vigentes, que eram baseados em homens/hora e postos de trabalho. Publicação de portaria de criação do Comitê Executivo de TI (Ceti) Em 11 de agosto de 2011, foi publicada a Portaria 283 que institui no âmbito do Inep, o Comitê Executivo de Tecnologia da Informação (Ceti), com caráter deliberativo, objetivando o estabelecimento de políticas e diretrizes para integração dos sistemas que compõem a plataforma operacional, assim como promover o alinhamento da área de negócio com a área de TI, em consonância com o Programa de Modernização do Poder Executivo Federal. Publicação do regimento interno do Comitê Executivo de TI. Em 27 de dezembro de 2011, foi publicada a Portaria 450, que aprova o regimento interno do Comitê Executivo de TI do Inep. Publicação de portaria de institucionalização da Política de Segurança e Comunicações do Inep e de Criação do Comitê de Segurança da Informação. Em 11 de agosto de 2011, foi publicada a Portaria nº 282 que institui a Política de Segurança da Informação e cria o Comitê de Segurança da Informação (CSI) do Inep. Publicação de portaria que institui o processo de contratação e gestão de contratos de bens e serviços de TI. Em 31 de outubro de 2011, foi publicada a Portaria 399 que institui o processo de contratação e de gestão de contratos de bens e serviços de TI do Inep em consonância com a Instrução Normativa/SLTI/MP nº 4/2010, bem como o processo de demandas de serviços à Diretoria de Tecnologia e Disseminação de Informações Educacionais (DTDIE). 73

74 Publicação de portaria que estabelece a Metodologia de Gestão e Desenvolvimento de Sistemas (MGDS) do Inep. Em 31 de outubro de 2011, foi publicada a Portaria 400 que estabelece a Metodologia de Gestão e Desenvolvimento de Sistemas (MGDS) como metodologia padrão para desenvolvimento de sistemas no Inep. Elaboração do Plano Estratégico de TI. No ano de 2011, formou-se equipe composta por servidores do Inep para a elaboração do Planejamento Estratégico de TI (Peti) do Inep. O Peti está finalizado e apenas pendente de aprovação. Elaboração do Manual de contratações de TI. O documento elaborado descreve os processos, atividades e artefatos envolvidos no Modelo de Contratação de Soluções de TI ( MCTI), com o objetivo de apoiar os profissionais na realização do processo de contratação de soluções de TI. Desenvolvimento/Manutenção de Sistemas. Desenvolvimento/Manutenção de aproximadamente 86 (oitenta e seis) sistemas, tais como: Enem2011, Revalida, Encceja, Enade, Laboratório, Mercosul, Censo Superior, Censo Básico, Ideb, e outros. Destacamos a seguir a evolução de alguns sistemas em 2011: Banco Nacional de Itens (BNI) BNI é um sistema responsável pelo tratamento de oficinas para elaboração e revisão de itens para os exames do INEP, como: Prova Brasil, Encceja, Enade, Enem, Prova Docente, Provinha Brasil e Revalida. Contribuições para o órgão: O sistema foi reconstruído para atender novas necessidades de negócio. A solução atual permite o uso do sistema numa plataforma web. Inep ADM Módulo administrativo da DGP O Sistema Administrativo (ADM) está sendo concebido para atender as necessidades da DGP. Ele é composto por vários módulos, parcialmente destacados a seguir: controle de acesso às instalações (gráficas terceirizadas, áreas restritas do Inep). O cliente homologou as soluções já desenvolvidas, entretanto solicitou novas funcionalidades e ajustes que só poderão ocorrer com a contratação da fábrica de software; cadastramento de contratos o módulo permitirá cadastramento de terceiros e as informações de contratos associadas aos mesmos; 74

75 controle de execução de contratos permitirá controlar as informações básicas comuns a todos os contratos geridos pelos executores técnicos no INEP. Entretanto, nesse módulo não serão tratadas as especificidades de cada contrato (a cargo de cada gestor), apenas o nível de informação necessário para dar visibilidade ao andamento do contrato e possibilitar seus pagamentos. Contribuições para o órgão: melhoria na gestão do conhecimento com os registros das necessidades do negócio de controle de acesso às instalações, bem como construção de 90% do modulo; melhoria na gestão do conhecimento com os registros das necessidades do negócio do cadastramento de contratos, bem como construção de 80% do modulo; melhoria na gestão do conhecimento com os registros das necessidades do negócio da execução de contratos, bem como construção de 80% do modulo; automatização de processos; cadastro único de pessoas. EducaCenso O Sistema Web Educacenso continua sendo um dos principais sistemas do Inep. É responsável pela coleta de dados sobre o ensino básico e fundamental. Em virtude da evolução do negócio foram necessárias algumas manutenções evolutivas. O sistema contém várias funcionalidades, como o cadastro de alunos, cadastro de docentes, cadastro de turmas, remanejamento de alunos, remanejamento de docentes, remanejamento de turmas, remanejamento de alunos admitidos após o censo, exportação de dados, importação de dados, fechamento do censo, relatórios on-line, relatórios gerenciais. Contribuições: Sistema crítico e fundamental para definição de políticas públicas, pelo fato de ser uma base com todo o panorama da educação básica nacional, que é encaminhada para diversos órgãos gestores de programas do governo, como, por exemplo, o FNDE; A evolução do sistema possibilita uma entrega rápida das informações aos demais órgãos do Governo, além de possibilitar ao Inep relatório fidedigno e acompanhamento da coleta por parte das secretarias estaduais e municipais de ensino. Situação do Aluno Japão Sistema responsável por coletar o movimento e rendimento de todos os alunos que estudam no Japão. No ano de 2011, foi realizada a segunda fase do censo escolar. Funcionalidades contidas no módulo: admitir alunos após o censo; 75

76 informar a situação dos alunos; Encerrar o ano escolar; relatórios on-line. Contribuições: O sistema apresenta o resultado do ano escolar das escolas brasileiras homologadas pelo MEC e localizadas no Japão, de acordo com o panorama informado na primeira etapa do censo escolar; Baseado no panorama informado na primeira fase do censo escolar, é possível analisar o resultado do ano escolar e identificar ações para melhorar a educação nestas escolas e prestar um suporte maior às famílias de brasileiros residentes no Japão, seja através de melhoria de infraestrutura, ou melhoria na formação de docentes, entre outras medidas. Situação do Aluno O sistema é responsável por coletar o movimento e rendimento de todos os alunos informados no EducaCenso. Tendo em vista a evolução do negócio, foram necessárias algumas manutenções evolutivas. Funcionalidades contidas no módulo: admitir alunos após o censo; informar a situação dos alunos; encerrar o ano escolar; relatórios on-line; relatórios gerenciais; relatórios gestores. Contribuições: o sistema possui uma base de dados com o resultado do ano escolar nacional. Além disso, as informações coletadas nesta fase são base fundamental para o cálculo do Ideb; com base no panorama informado na primeira fase do censo escolar é possível analisar o resultado do ano escolar e construir programas ou políticas públicas para melhorar a educação básica do país, seja através de melhoria de infraestrutura das escolas, ou melhoria na formação de docentes, dentre outras medidas. Sistema de Segurança Inep (SSI) O SSI é um Sistema concebido com o propósito de agregar aos sistemas de informação do Inep um alto nível de segurança, centralizando os usuários em base de dados única e disponibilizando rotinas de autenticação, criptografia, processo de recuperação de senhas, auditoria, 76

77 controle de acesso, entre outras rotinas de segurança. As funcionalidades disponíveis no sistema são referentes a login de usuário; reenvio de senha; alteração de senha; cadastro de novo usuário. Contribuições: com uma base única, é possível controlar os acessos aos sistemas internos do Inep. Centralização de informações, uniformização de rotinas de autenticação, uniformização de padrões de usuários, rotinas de segurança, recuperação de informações, melhores práticas de segurança em desenvolvimento de SW para as demais aplicações integradas que utilizam componentes SSI; diminuição do custo de desenvolvimento de novas aplicações; trilha de auditoria integrada, padronização de perfil e ações, integração de sistemas; facilidade na gestão de contas como bloqueio de permissões; API s de integração; integração via Forms SEAM; alto nível de segurança e controle de acesso das aplicações, agilidade no desenvolvimento de novos sistemas, maior agilidade nos testes de segurança; facilidade de integração. Revalidação de Diplomas (Revalida) É um sistema que realiza o gerenciamento do exame nacional de revalidação no Brasil dos diplomas emitidos por instituições de ensino superiores estrangeiras. O Revalida contempla a funcionalidade de gerenciar as Instituições de Ensino Superior (IES) que realizarão as revalidações dos diplomas dos candidatos. Possibilita também a realização de inscrições online dos candidatos em cada uma das fases do exame, gerencia a efetivação dos pagamentos das taxas referentes a cada fase, além de divulgar os locais da realização das avaliações e a lista dos aprovados no exame de revalidação. Contribuições: o Revalida é amplamente utilizado e pode ter acesso interno e externo, com usuários devidamente cadastrados e autenticados no sistema; o sistema foi desenvolvido para contemplar a revalidação de diversos cursos, porém, o curso de Medicina foi utilizado como projeto piloto no sistema. Cadastro de Instituições Públicas Federais de Ensino Superior (IPFES) O sistema é responsável pelo cadastro de Instituições Públicas Federais de Ensino Superior (IPFES) e seus integrantes de rede, interessadas em participar da concepção e composição da rede nacional de IPFES para atuação na aplicação dos exames e avaliações promovidos pelo Inep. Contribuições: 77

78 Cadastro de posto de aplicação de provas (ver figura IV, Anexo, com exemplo de formulário digital para coordenador geral). Enem Exame Nacional de Ensino Médio O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) passou por uma reformulação. O exame passou a ser utilizado como forma de seleção unificada nos processos seletivos das universidades públicas federais e para a obtenção da certificação de conclusão do Ensino Médio. O Enem visa a automatizar o máximo de processos para realização do exame. O Sistema possibilita a inscrição do candidato, o acompanhamento da inscrição, a realizar a conciliação bancária do pagamento da inscrição, disponibilização do local de prova e a disponibilização do Resultado do Exame. Suas funcionalidades principais são: inscrição do candidato; acompanhamento da inscrição do candidato; conciliação bancária do pagamento da inscrição; disponibilização do local de prova para os candidatos e disponibilização do resultado do exame para o candidato. Contribuições: o Enem é um dos principais exames realizados pelo Inep e por meio dos sistemas ele atinge mais de 5 milhões de inscritos (candidates); inscrição do candidato no exame a fase de inscrição registra os dados pessoais e de identificação do candidato, endereço, escolaridade, local onde deseja fazer o exame, necessidades especiais e auxílios, possibilita solicitar certificação do ensino médio e registra as informações do questionário socioeconômico. O candidato poderá optar por carência, ter sua inscrição isenta de pagamento por ser concluinte de escola pública ou emitir a GRU pelo próprio sistema para pagamento via Banco do Brasil; integração com a Receita Federal via MEC o sistema possui uma integração com a Receita Federal com a qual são recuperados os dados pessoais, nome do candidato, data de nascimento e nome da mãe do candidate, por meio do CPF, elemento obrigatório no ato da inscrição; conciliação bancária para os inscritos que geraram a GRU e efetuaram o pagamento, o sistema efetua a conciliação bancária do pagamento e disponibiliza a informação de confirmação da inscrição para consulta no módulo de acompanhamento mediante autenticação do candidate; Acompanhamento das Inscrições através desse módulo, durante o período de inscrição, o candidato poderá consultar sua inscrição, a situação de pagamento e alterar seus dados. Poderá também recuperar e alterar sua senha de acesso; consulta do Local de Prova pelo candidato após o término das inscrições, os candidatos são alocados nos locais de prova e acessam o sistema para consultar onde o seu exame será aplicado; consulta do resultado do exame pelo candidato após a conclusão do exame o candidato acessa o sistema para consultar as suas notas. 78

79 Pagamento de avaliador Tendo em vista a necessidade de melhorias no controle dos pagamentos realizados para os avaliadores pelo sistema Siafi foi realizada uma reconstrução do sistema, como mostra a figura V (ver Anexo). Contribuições: geração automática de memorando para pagamento do auxílio avaliação educacional; controle dos pagamentos já realizados para cada avaliador; integração com o sistema Siafi, avaliação e controle de teto de recebimento do auxílio avaliação educacional; automatização de procedimentos; facilidade de manutenção, uma vez que foi padronizada a codificação do sistema. Evento Módulo criado para permitir que o Inep faça abertura de qualquer tipo de evento, como mostra a figura VI (ver Anexo). Inicialmente foi concedido para atender os seminários do Sinaes. Contribuições para o órgão: possibilidade de gerar vários tipos de eventos; automatização de processos. Encerramento de fase processual de avaliação Tendo em vista o envio incorreto de processos para avaliação no Inep, foi desenvolvida a solução que permite que a Daes encerre a fase do processo, como mostra a figura VII (ver Anexo). Contribuições para o órgão: autonomia para Diretoria de Avaliação da Educação Superior (Daes); redução de processos enviados para avaliação no Inep. Dessa forma, as atividades realizadas na Ação 2272, constantes deste Relatório de Gestão, tiveram como objetivo principal contribuir de maneira decisiva para que os objetivos e metas institucionais sejam atingidos. A Ação 2272 não tem uma meta definida no Plano Plurianual (PPA), todavia, o desempenho foi bastante satisfatório, graças à aprovação do orçamento proposto pelo Inep que permitiu a aquisição dos itens planejados que eram considerados indispensáveis ao bom andamento dos projetos de TI. 79

80 Por outro lado, a Ação contou com a complementação de recursos disponbilizados pela Diretoria de Gestão e Planejamento, que garantiram a aquisição de equipamentos, produtos e serviços que deram sustentação aos sistemas de informação do Inep e melhoraram os mecanismos de segurança das informações armazenadas com o intuito de facilitar a governança de TI, considerada indispensável para promoção do controle, da transparência e da monitoração requeridos para que se promova o uso assertivo dos recursos de TI nas atividades de modernização e otimização dos sistemas de informação que apoiam as atividades do Inep. 80

81 2.4 Desempenho Orçamentário e Financeiro Programação Orçamentária da Despesa Quadro VI Identificação da Unidade Orçamentária Denominação das Unidades Orçamentárias Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Código da UO Código SIAFI da UGO

82 CRÉDITOS LOA Programação de Despesas Correntes Quadro VII Programação de Despesas Correntes Origem dos Créditos Orçamentários Grupos de Despesas Correntes 1 Pessoal e Encargos Sociais 2 Juros e Encargos da Dívida 3- Outras Despesas Correntes Exercícios Exercícios Exercícios Dotação proposta pela UO PLOA LOA Suplementares Especiais Abertos Reabertos Extraordinários Abertos Reabertos Créditos Cancelados Outras Operações Total Fonte: CGOFC/DGP 82

83 CRÉDITOS LOA Programação de Despesas de Capital Quadro VIII Programação de Despesas Capital Origem dos Créditos Orçamentários Grupos de Despesa de Capital 4 Investimentos 5 Inversões Financeiras 6- Amortização da Dívida Exercícios Exercícios Exercícios Dotação proposta pela UO PLOA LOA Suplementares Especiais Abertos Reabertos Extraordinários Abertos Reabertos Créditos Cancelados Outras Operações Total Fonte: CGOFC/DGP 83

84 CRÉDITOS LOA Quadro Resumo da Programação de Despesas Quadro IX Quadro Resumo da Programação da Despesa e da Reserva de Contingência Origem dos Créditos Orçamentários Despesas Correntes Despesas de Capital 9 Reserva de Contingência Exercícios Exercícios Exercícios Dotação proposta pela UO PLOA LOA Suplementares Especiais Abertos Reabertos Extraordinários Abertos Reabertos Créditos Cancelados Outras Operações Total Fonte: CGOFC/DGP 84

85 O Orçamento do Inep, nos últimos exercícios, tem sofrido significativas alterações em seu orçamento, sobretudo devido as constantes mudanças nas metodologias de aplicação de seus principais exames, oriundo de demandas do Ministério da Educação, aliado a constante necessidade de aprimorar e aperfeiçoar os processos relacionados. Como consequência, a necessidade de ajustes orçamentários tem sido uma constante no decorrer dos exercícios, apesar do orçamento destinado ao Órgão, na ocasião das Propostas Orçamentárias, tentar refletir a real necessidade. Um outro fator que influencia as diferenças entre os orçamentos a cada ano está no fato de alguns exames serem aplicados de forma sazonal, com intervalos de 2 ou 3 anos. 85

86 Movimentação Orçamentária por Grupo de Despesa Quadro X Movimentação Orçamentária por Grupo de Despesa Natureza da Movimentação de Crédito Movimentação Interna Movimentação Externa UG concedente ou recebedora Classificação da ação 1 Pessoal e Encargos Sociais Despesas Correntes 2 Juros e Encargos da Dívida 3 Outras Despesas Correntes Concedidos Recebidos Concedidos , , , , , , , , , , , ,33 Recebidos ,61 UG Despesas de Capital Natureza da Movimentação concedente Classificação da ação de Crédito ou 5 Inversões 6 Amortização da 4 Investimentos recebedora Financeiras Dívida Movimentação Interna Movimentação Externa Concedidos Recebidos Concedidos , , Recebidos Fonte: CGOFC/DGP 86

87 As movimentações concedidas em 2011 representaram 4% do orçamento total disponível para execução do órgão, e tiveram as seguintes destinações: Publicidade de Utilidade Pública: despesa realizada exclusivamente pelo órgão central do MEC; Observatório da Educação: parceria firmada entre o Inep e a Capes, visando ao incentivo ao desenvolvimento de estudos e pesquisas em nível de pós-graduação por meio de concessão de bolsas de mestrado e doutorado. Tais estudos são concentrados nas informações constantes dos bancos de dados do Inep; Contrato de Call Center: contrato firmado e gerenciado pelo MEC para terceirização de postos de trabalho para teleatendimento. O Inep transfere o orçamento correspondente aos postos utilizados; Prodoc OEI: Projeto de Cooperação Técnica firmado pelo MEC e a OEI, com participação de vários órgãos do MEC, cujo gerenciamento está a cargo do FNDE; Enem e Enade: apoio do Comando do Exército, da Força Aérea Brasileira FAB, da Marinha, do Ministério da Defesa e do Departamento de Polícia Rodoviária Federal na escolta e no armazenamento das provas. Núcleos de Estudos: visa criar, recuperar, modernizar e equipar núcleos de estudos sobre educação, além de viabilizar financeiramente o desenvolvimento de estudos e pesquisas educacionais Aplicação do Encceja no Exterior: Termo de Cooperação firmado anualmente com o Ministério das Relações Exteriores, para transferência de recursos às embaixadas e consulados brasileiros nos países onde serão aplicados o exame. Elaboração e Revisão de Itens para o Enem Aplicação do Pré-Teste do Pisa Mestrado: Parceria com a UFJF referente a um programa de mestrado para os servidores do Inep. Assessoramento pelo Innmetro às atividades do Enem Em 2011, tendo em vista os ajustes necessários aos procedimentos de aplicação dos principais exames do Inep, foi firmado com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educaçaõ FNDE, termos de cooperação para complementar o orçamento necessário aos custos com a aplicação do Enem e Prova Brasil. Os valores descentralizados em Pessoal e Encargos Sociais referem-se a Sentenças Judiciais. 87

88 2.4.4 Execução Orçamentária da Despesa Execução Orçamentária de Créditos Originários da UJ Quadro XI Despesas por modalidade de contratação dos créditos originários da UJ Modalidade de Contratação Modalidade de Licitação Despesa Liquidada Despesa paga Convite Tomada de Preços Concorrência Pregão Concurso Consulta Registro de Preços Contratações Diretas Dispensa Inexigibilidade Regime de Execução Especial Suprimento de Fundos Pagamento de Pessoal Pagamento em Folha Diárias Outros Totais Fonte: CGOFC/DGP 88

89 Quadro XII Despesas correntes por grupo e elemento de despesa dos créditos originários da UJ Grupos de Despesa Despesa Empenhada Despesa Liquidada RP não processados Valores Pagos Exercícios Despesas de Pessoal VENCIMENTOS E VANTAGENS FIXAS - PESSOAL CIVIL OBRIGACOES PATRONAIS CONTRATACAO POR TEMPO DETERMINADO Demais elementos do grupo Juros e Encargos da Dívida 3 Outras Despesas Correntes OUTROS SERVICOS DE TERCEIROS-PESSOA JURIDICA OUTROS AUXILIOS FINANCEIROS A PESSOA FISICA PASSAGENS E DESPESAS COM LOCOMOCAO Demais elementos do grupo Totais Fonte: CGOFC/DGP 89

90 Quadro XIII Despesas de capital por grupo e elemento de despesa dos créditos originários da UJ Grupos de Despesa Despesa Empenhada Despesa Liquidada RP não processados Valores Pagos Exercícios Investimentos EQUIP.E MATERIAL PERMANENTE - OP.INTRA- ORC. OUTROS SERVICOS DE TERCEIROS-PESSOA JURIDICA Inversões Financeiras Amortização da Dívida Totais Fonte: CGOFC/DGP 90

91 Com relação à tabela de execução orçamentária por modalidade de contratação, as alterações detectadas entre os exercícios de 2010 e 2011, justificam-se no fato do critério de contratação relacionadas às atividades que envolvem os principais exames do Inep, do aumento do volume de atividades já desempenhadas, aliados a necessidade de adequação da área de TI frente ao aumento de volume de informações produzidas. Com relação a diferença nas despesas de pessoal está no fato dos servidores temporários (Lei 8.745) até 2010 eram pagos como custeio. O aumento no gasto com pessoa jurídica deve-se, principalmente, pela aplicação do Prova Brasil em Este exame é aplicado a cada 2 anos. O valor de diárias, constante no Quadro A.2.8, refere-se a despesas relacionadas, exclusivamente, a servidores. Os valores citados referem-se à execução total do orçamento do Inep, incluindo o orçamento descentralizado para outros órgãos por meio de Termos de Cooperação. 91

92 2.4.5 Execução Orçamentária de créditos recebidos pela UJ por movimentação Quadro XIV Despesas por modalidade de contratação dos créditos recebidos por movimentação Modalidade de Contratação Despesa Liquidada Despesa paga Licitação Convite Tomada de Preços Concorrência Pregão Concurso Consulta Contratações Diretas Dispensa Inexigibilidade Regime de Execução Especial Suprimento de Fundos Pagamento de Pessoal Pagamento em Folha Diárias Outras Totais Fonte: CGOFC/DGP 92

93 Quadro XV Despesas correntes por grupo e elemento de despesa dos Créditos Recebidos por Movimentação Grupos de Despesa Despesa Empenhada Despesa Liquidada RP não processados Valores Pagos Exercícios Despesas de Pessoal Juros e Encargos da Dívida 3- Outras Despesas Correntes OUTROS SERVICOS DE TERCEIROS-PESSOA JURIDICA Totais Fonte: CGOFC/DGP - 93

94 Quadro XVI Despesas de capital por grupo e elemento de despesa dos Créditos Recebidos por Movimentação Grupos de Despesa Despesa Empenhada Despesa Liquidada RP não processados Valores Pagos Exercícios Investimentos Inversões Financeiras Amortização da Dívida Totais Fonte: CGOFC/DGP 94

95 O valor recebido por descentralização de crédito foi oriundo do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação FNDE, por meio de Termos de Cooperação firmados para complementar o orçamento necessário as atividades do Enem e Prova Brasil. Tal orçamento foi destinado, exclusivamente, na contratação dos consórcios responsáveis pelas aplicações dos dois exames. 95

96 2.4.6 Indicadores Institucionais Ação 4017 Exames e Certificações Quadro XVIIa Indicador de desempenho dos participantes do Enem por escola de Ensino Médio Dados gerais do indicador Nome do indicador Objetivo do indicador Tipo Área responsável Fórmula de cálculo e método de medição Desempenho dos participantes do Enem por escola de Ensino Médio Aferir parâmetros de qualidade das escolas que ofertam o Ensino Médio Efetividade Daeb/CGEC Fonte dos dados Banco de dados do Inep Evolução dos dados do indicador Meta para o exercício a que se refere o relatório Total de escolas com indicador do Enem/Total de escolas de Ensino Médio Resultado no exercício a que se refere o relatório Resultado no 1º exercício anterior ao do relatório Resultado no 2º exercício anterior ao do relatório 1 Os resultados do exercício 2011 estão em fase de elaboração 7,70% Não se aplica, o indicador foi previsto para os resultados da aplicação 2009 Quadro XVIIb Indicador de participantes avaliados no Enem Dados gerais do indicador Nome do indicador Participante avaliado no Enem Objetivo do indicador Aferir o desempenho individual dos participantes Tipo Eficiência Área responsável Daeb/CGEC Fórmula de cálculo e método de medição Número de participantes efetivos/número de inscritos Fonte dos dados Banco de dados do Inep Evolução dos dados do indicador Meta para o exercício a que se refere o relatório Resultado no exercício a que se refere o relatório Resultado no 1º exercício anterior ao do relatório Resultado no 2º exercício anterior ao do relatório 80% 78,4% 70,5% 59% 96

97 Ação 4022 Avaliações educacionais Quadro XVIIIa Indicador de alunos avaliados no Saeb e na Prova Brasil Dados gerais do indicador Nome do indicador Objetivo do indicador Tipo Área responsável Fórmula de cálculo e método de medição Fonte dos dados Evolução dos dados do indicador Meta para o exercício a que se refere o relatório 100% Alunos avaliados no Saeb e na Prova Brasil Aferir o percentual de alunos avaliados no Saeb/Prova Brasil em relação ao número de alunos previstos para as avaliações Eficácia Coordenação-Geral do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica Nº de alunos avaliados /Nº de alunos previstos para avaliação Os dados são originários das bases do Censo Escolar do ano anterior à realização da pesquisa, para estimar a população a ser investigada. Os dados efetivos da população pesquisada são extraídos das bases de dados de resultados da aplicação em campo. Resultado no exercício a que se refere o relatório Os resultados finais estão sendo elaborados. Quadro XVIIIb Indicador de escolas avaliadas Dados gerais do indicador Nome do indicador Objetivo do indicador Tipo Área responsável Fórmula de cálculo e método de medição Fonte dos dados Evolução dos dados do indicador Meta para o exercício a que se refere o relatório 100% Resultado no 1º exercício anterior ao do relatório A avaliação é aplicada de 2 em 2 anos. Não houve aplicação em Resultado no 2º exercício anterior ao do relatório 81,34% Escolas avaliadas Aferir o percentual de escolas avaliadas em relação ao número de escolas previstas para avaliação Eficácia Coordenação-Geral do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica Nº de escolas avaliadas /Nº previsto de escolas Bases do Censo Escolar do ano anterior à realização da pesquisa, para estimar a população a ser investigada. Os dados efetivos da população pesquisada são extraídos das bases de dados de resultados da aplicação em campo Resultado no exercício a que se refere o relatório Os resultados finais estão sendo elaborados. Resultado no 1º exercício anterior ao do relatório A avaliação é aplicada de 2 em 2 anos.não houve aplicação em Resultado no 2º exercício anterior ao do relatório 98,96% 97

98 Ação 6291 Avaliações Internacionais de Alunos Quadro XIXa Indicador de alunos avaliados no Pisa Dados gerais do indicador Nome do indicador Aluno avaliado no Pisa Aferir o percentual de alunos avaliados no Pisa em relação ao número de alunos Objetivo do indicador previstos para as avaliações. Tipo Eficácia Área responsável Diretoria de Avaliação da Educação Básica Aluno efetivamente avaliado/estimativa inicial de alunos avaliados Fórmula de cálculo e Método de aferição: aplicação de prova da avaliação, por amostragem, nas escolas método de medição brasileiras, programado para acontecer em ciclos, a cada três anos, cobrindo áreas de leitura, matemática e ciências. Conselho Australiano de Pesquisas Educacionais (Acer) e Coordenadoria-Geral do Fonte dos dados Sistema de Avaliação da Educação Básica/Daeb Evolução dos dados do indicador Resultado no 2º Meta para o exercício a Resultado no exercício a Resultado no 1º exercício exercício anterior ao do que se refere o relatório que se refere o relatório anterior ao do relatório relatório A pesquisa de 2009 iniciou o segundo ciclo de avaliações internacionais do Pisa e a sua amostra não é comparável à do ciclo anterior. Assim, fica comprometida a informação dos eventos anteriores. Poderemos ter esta comparação a partir da pesquisa que será realizada em Quadro XIXb Indicador da média de desempenho no Pisa A pesquisa de 2009 iniciou o segundo ciclo de avaliações internacionais do Pisa e a sua amostra não é comparável à do ciclo anterior. Assim, fica comprometida a informação dos eventos anteriores. Poderemos ter esta comparação a partir da pesquisa que será realizada em Dados gerais do indicador Nome do indicador Média de desempenho no Pisa Objetivo do indicador Aferir o percentual de médias de desempenho do Pisa 2009 em relação à avaliação anterior. Tipo Eficácia Área responsável Diretoria de Avaliação de Educação Básica (Daeb) Média apurada em 2009/média apurada em 2006 Fórmula de cálculo e Método de aferição: comparativo entre os relatórios de resultados dos exames de 2006 e método de medição 2009 Fonte dos dados Conselho Australiano de Pesquisas Educacionais (Acer) e Coordenadoria-Geral do Sistema de Avaliação da Educação Básica/Daeb Evolução dos dados do indicador Meta para o exercício a que se refere o relatório Resultado no exercício a que se refere o relatório. Resultado no 1º exercício anterior ao do relatório. Resultado no 2º exercício anterior ao do relatório. 1 Não houve aplicação Não houve aplicação será realizada em 2012 será realizada em ,038 98

99 Ação 4014 Censo Escolar da Educação Básica Quadro XXa Indicador de cumprimento de prazo para publicação do Censo Escolar da Educação Básica Dados Gerais do indicador Nome do indicador Objetivo do indicador Tipo Área responsável Fórmula de cálculo e método de medição Fonte dos dados Evolução dos dados do indicador Meta para a data de publicação do Censo Escolar para o exercício a que se refere o relatório Diferença entre a data de publicação final do Censo Escolar da Educação Básica e a data prevista para a sua publicação. Indica o cumprimento dos prazos estabelecidos para a publicação do Censo Escolar da Educação Básica. Como a gestão de vários recursos da educação pelo FNDE depende das informações do censo, a publicação na data prevista permite o repasse dos recursos de forma eficiente e dentro dos prazos legalmente estabelecidos. Eficácia Coordenação-Geral do Censo Escolar da Educação Básica DPF DPPF = DIFDATA, onde: DPF: Data da publicação final no DOU DPPF: Data prevista para a publicação do Censo no DOU DIFDATA = Diferença entra data de publicação e a data prevista Diário Oficial da União (Portaria INEP/GP 45, de 12/02/2010, que divulga o cronograma para as diversas etapas e atividades do processo de execução do Censo Escolar da Educação Básica; e Portaria MEC/GM 1.413, publicada em 17/12/2010, que divulga o resultado final do Censo da Educação Básica). Data de publicação do Censo Escolar para o exercício a que se refere o relatório. Resultado no ano de exercício a que se refere o relatório. Resultado no 1º exercício anterior ao do relatório 30/11/ /12/ dias 20 dias Resultado no 2º exercício anterior ao do relatório 25 dias (16/01/09-22/12/08) Quadro XXb Indicador de diferença entre número de eventos de capacitação realizados e número demandado Dados Gerais do indicador Relação entre o número de eventos de capacitação realizados para as equipes das Nome do indicador Secretarias Estaduais de Educação e o número demandado. As informações coletadas e processadas pelo Censo da Educação Básica são dados importantes para o planejamento e acompanhamento de diferentes políticas públicas e programas governamentais da área de educação, para todas as esferas de governo (federal, estadual e municipal). Capacitar as equipes estaduais para que saibam Objetivo do indicador manusear e retirar informações do banco de dados do Educacenso é fundamental e é um trabalho importante que a Deed/Inep realiza com objetivo de contribuir para qualificação as políticas públicas e programas locais pelo uso das informações do Censo pelos gestores estaduais e municipais de educação. Tipo Eficácia Área responsável Coordenação-Geral do Censo Escolar da Educação Básica Fórmula de cálculo e método (Número de estados que solicitaram capacitações durante o ano / Número de de medição solicitações atendidas (capacitações in loco realizadas)) x 100 Fonte dos dados Arquivo de correspondências formais, passagens e diárias pagas. Evolução dos dados do indicador Resultado no 2º Meta para o exercício a que se Resultado no exercício a Resultado no 1º exercício exercício anterior ao do refere o relatório que se refere o relatório anterior ao do relatório relatório 100% das demandas por capacitação das Secretarias Estaduais de Educação atendidas. (9 x 100) / 9 = 100% (11 x 100) / 11 = 100% (9 x 100) / 9 = 100% 99

100 Quadro XXc Indicador da porcentagem de escolas de educação básica que responderam ao censo em 2011 Dados Gerais do indicador Nome do indicador Porcentagem de escolas de educação básica que responderam ao censo em 2011 As pesquisas censitárias pressupõem a abrangência de toda a população de um território, no caso do Censo Escolar da Educação Básica: todas as escolas de educação básica brasileiras. Este indicador fornece um dado importante sobre o trabalho de Objetivo do indicador mobilização realizado pelo Inep/MEC para o preenchimento do Censo Escolar e o trabalho dos parceiros nos estados e municípios para alcançar a totalidade das escolas brasileiras. Tipo Eficácia Área responsável Coordenação-Geral do Censo Escolar da Educação Básica Fórmula de cálculo e (Número de Escolas que responderam ao Censo em 2009 / Número de Escolas do método de medição Cadastro do Educacenso ( * ) ) x 100 Fonte dos dados Consulta ao Banco de Dados do Educacenso, após o fechamento da coleta. Evolução dos dados do indicador Meta para o exercício a que se refere o relatório Resultado no exercício a que se refere o relatório Resultado no 1º exercício anterior ao do relatório Resultado no 2º exercício anterior ao do relatório 100% 97,80% ( / ) * ,67% ( / )*100 98,00% ( / )*100 (*): Excetuadas as escolas extintas no ano anterior. Quadro XXd Indicador da diferença entre números de convênios com estados previsto e número realizado Dados Gerais do indicador Relação entre o número de convênios com os estados realizados e o número de convênios Nome do indicador previstos. O censo da educação básica apresenta uma sistemática complexa de operação e sua viabilidade depende das parcerias estabelecidas entre o Inep e as Secretarias de Educação Objetivo do indicador dos 26 estados e do Distrito Federal. Nesse sentido, o Inep repassa recursos às Secretarias Estaduais de Educação, com o objetivo de apoiar todas as atividades de execução do Censo Escolar em todos os seus levantamentos, a cada exercício. Tipo Área responsável Fórmula de cálculo e método de medição Fonte dos dados Eficácia Coordenação-Geral do Censo Escolar da Educação Básica /Assessoria Administrativa - DEED NCR NCP = AMC, onde: NCR: Número de convênios realizados no exercício NCP: Número de convênios previstos para o exercício AMC: Alcance da Meta de Convênios Realizados Consulta aos processos de formalização e prestação de contas dos convênios firmados com as Secretarias Estaduais de Educação de todas as Unidades Federadas. Evolução dos dados do indicador Meta para o exercício a que se refere o relatório Resultado no exercício a que se refere o relatório Resultado no 1º exercício anterior ao do relatório Resultado no 2º exercício anterior ao do relatório 0 - (27 convênios) 5 - (22 convênios) 1 - (26 convênios) 0 - (27 convênios) 100

101 Ação 6503 Censo Escolar da Educação Superior Quadro XXIa Relação entre IES cobertas pelo Censo e IES do Cadastro e-mec Dados Gerais do indicador Nome do indicador Relação entre IES cobertas pelo Censo e IES do Cadastro e-mec Objetivo do indicador Cobertura da atividade censitária dentro do universo de instituições de educação superior do país Tipo Eficácia Área responsável Coordenação-Geral do Censo da Educação Superior Fórmula de cálculo e método de medição Número de IES recenseadas / Número de IES que constam no Cadastro de e-mec com situação de funcionamento em atividade Fonte dos dados Acesso ao banco de dados do Censo da Educação Superior e acesso ao Cadastro e- MEC Evolução dos dados do indicador Meta para o exercício a que se refere o relatório Resultado no exercício a que se refere o relatório Resultado no 1º exercício anterior ao do relatório Resultado no 2º exercício anterior ao do relatório /2.377= /2.314= /2.252=1 Quadro XXIb Relação entre a data prevista para divulgação do censo e a data de publicação da sinopse estatística Dados Gerais do indicador Nome do indicador Relação entre a data prevista para divulgação do censo e a data de publicação da sinopse estatística Objetivo do indicador Acompanhamento da capacidade de cumprimento dos prazos previstos no planejamento Tipo Eficiência Área responsável Coordenação-Geral do Censo Educação Superior Fórmula de cálculo e método de medição (Dia de divulgação da sinopse estatística) - (Dia previsto para divulgação da sinopse estatística) = Dias de diferença da data prevista Fonte dos dados Data prevista no planejamento e data de divulgação da sinopse estatística na página do Inep na Internet Evolução dos dados do indicador Meta para o exercício a que se refere o relatório Resultado no exercício a que se refere o relatório Resultado no 1º exercício anterior ao do relatório Resultado no 2º exercício anterior ao do relatório dias +90 dias +89 dias 101

102 Ação 4000 Estudos e Pesquisas Educacionais Quadro XXIIa Quadro da medição de desempenho da Diretoria de Estudos Educacionais (Dired) 1. Fomento à Pesquisa - 20 PONTOS Meta Contratar projetos de pesquisa para apoio no âmbito do Projeto Núcleos de Estudos em Educação -10 pontos Manter as bolsas de estudos dos projetos selecionados do Observatório da Educação - 10 pontos 2. Realização de Estudo e Pesquisa 50 PONTOS Meta Elaborar o Relatório de apresentação dos resultados da Pesquisa Nacional sobre o Perfil dos Dirigentes Municipais de Educação - 10 pontos Realizar estudos para compor o boletim eletrônico "Na Medida", Publicação do Boletim - 10 pontos Reestruturação e elaboração final da Matriz de Referência - 10 pontos: Etapa 1: refinamento da Matriz de Referência da Prova do Exame; Etapa 2: reestruturação da Matriz de Referência da Prova do Exame Nacional de Ingresso na Carreira Docente. Resultado Previsto no Exercício Resultado Alcançado no exercício Resultado Previsto no Exercício Resultado Alcançado no exercício Elaborar itens para o Banco Nacional de Itens da Prova Docente - 10 pontos: Etapa 1: lançamento da Chamada Pública para seleção de elaboradores e revisores de itens para compor o Banco de Colaboradores do Banco Nacional de Itens da Prova Nacional de Concurso para Ingresso na Carreira Docente (BNI-Docente); Etapa 2: Divulgação dos candidatos selecionados na chamada pública para oficina de capacitação de elaboradores e revisores de itens para o BNI- Docente; Etapa 3: convocação dos candidatos aprovados na Chamada Pública para oficinas de Capacitação de elaboradores e revisores de itens; Etapa 4: realização de oficinas de capacitação de elaboradores e revisores de itens; Etapa 5: realização de oficinas de elaboração e revisão de itens Entrega do Prêmio Inovação pontos Não realizado 3. Apoio e Disseminação de Informações Educacionais - 30 PONTOS Meta Apoiar e atender os diversos públicos com o provimento de dados educacionais - 10 pontos Publicar livros e textos para discussão sobre temas educacionais - 10 pontos Disseminar as avaliações educacionais realizadas pelo Inep - 10 pontos Resultado Previsto no Exercício Resultado Alcançado no exercício A medição do desempenho da Diretoria de Estudos Educacionais (Dired) tem como principal parâmetro a capacidade que a diretoria tem de ofertar conhecimento para subsidiar políticas educacionais. Para tanto foi elaborado a Taxa de Alcance do Conjunto de Metas Físicas Previstas para o exercício de Trata- se de um indicador de eficácia, o qual tem por objetivo medir, de forma quantitativa, o desempenho das principais metas estabelecidas para As metas 102

103 físicas abrangem o conjunto das principais atividades realizadas pela diretoria com vistas a cumprir sua missão institucional de realizar estudos e pesquisas. O quadro descreve o conjunto de metas estabelecidas pela Dired para o exercício de Foi estabelecida uma unidade de medida de 0 a 100 para pontuar os resultados alcançados. A pontuação foi distribuída entre 3 grupos de metas segundo seu grau de importância e 10 informações disponibilizadas. Trata-se de um indicador de eficácia, o qual tem por objetivo medir, de forma quantitativa, o desempenho das principais metas estabelecidas para As metas físicas abrangem o conjunto das principais atividades realizadas pela diretoria com vistas a cumprir sua missão institucional de realizar estudos e pesquisas. Quadro XXIIb Fórmula da medição de desempenho da Diretoria de Estudos Educacionais (Dired) Fórmula de cálculo e método de medição Soma dos resultados previstos no exercício. Unidade de Medida Valor decimal entre 0 e 100. Interpretação Maior-melhor. Quanto mais próximo de 100, maior é alcance do conjunto de metas físicas previstas para o exercício de Diretoria de Estudos Educacionais: coordenadores de atividades que informam sobre o Fonte dos dados andamento e a conclusão de atividades e a consequente contabilização dos resultados da ação sob sua responsabilidade. Evolução dos dados do indicador Indicador Resultado Previsto no Exercício Resultado Alcançado no Exercício Taxa de alcance do conjunto de metas físicas previstas para o exercício A disponibilização de informações educacionais tem como principal foco subsidiar as políticas públicas educacionais. O esforço da Ação 4000 é que essas informações sejam produzidas e disseminadas para que alcancem esse objetivo. No entanto, ao tentar mensurar ou medir o impacto das informações produzidas e disseminadas pela ação, constata-se a dificuldade em quantificá-lo, inviabilizando a construção de um indicador de efetividade, sendo que, na maioria das vezes, o que se consegue é apontar os resultados obtidos, mas o efeito destes aparecem de forma subjetiva na sociedade. 103

104 Ação 8257 Avaliação da Educação Superior Quadro XXIIIa Indicador da relação entre avaliações previstas e realizadas Dados Gerais do indicador Nome do indicador Avaliações realizadas. Objetivo do indicador Medir avaliações realizadas no ano em relação à meta prevista no PPA. Tipo Eficácia Área responsável Coordenação-Geral de Controle de Qualidade da Educação Superior Fórmula de cálculo e método de medição N de avaliações realizadas no ano / meta prevista no PPA x 100 Fonte dos dados Lei Orçamentária Anual - LOA Evolução dos dados do indicador Resultado no Meta para o exercício Resultado no 1º exercício a que se Resultado no 2º exercício a que se refere o exercício anterior ao refere o relatório anterior ao do relatório (2009) relatório do relatório (2010) (2011) 100% /14.000=100% 8.381/6.454 = 130% 8.629/ = 82,97% Quadro XXIIIb Indicador do número de estudantes participantes do Enade Dados Gerais do indicador Nome do indicador Estudantes participantes do Enade. Medir o percentual de participação dos estudantes ingressantes e concluintes no Objetivo do indicador Enade, a fim de garantir maior qualidade no processo avaliativo dos estudantes da educação superior. Tipo Eficiência Área responsável Coordenação-Geral de Controle de Qualidade da Educação Superior Fórmula de cálculo e N de ingressantes e concluintes que participaram do Enade / universo de estudantes método de medição habilitados (inscritos) no ano x 100 Fonte dos dados Base de dados do Inep Evolução dos dados do indicador Resultado no exercício a Resultado no 1º exercício Resultado no 2º exercício Meta para o exercício a que se refere o relatório anterior ao do relatório anterior ao do relatório que se refere o relatório (2011) (2010) (2009) 100% / = 80,5% / = 63,27%c / /=72,74 % Quadro XXIIIc Indicador da qualidade das IES e dos cursos de graduação do sistema federal de ensino, avaliados no ano em fase de recredenciamento e renovação de reconhecimento Dados Gerais do indicador Instituições de Educação Superior (IES) e cursos de graduação com conceito maior ou Nome do indicador igual a 3 no ciclo avaliativo do SINAES Medir a qualidade das IES e dos cursos de graduação do sistema federal de ensino, Objetivo do indicador avaliados no ano em fase de recredenciamento e renovação de reconhecimento. Tipo Efetividade Área responsável Coordenação-Geral de Controle de Qualidade da Educação Superior N de avaliações de IES e de cursos de graduação em fase de recredenciamento e renovação de reconhecimento avaliados no ano com conceito maior ou igual a 3 Fórmula de cálculo e (padrão mínimo de qualidade) / número total de avaliações de IES e cursos de método de medição graduação em fase de recredenciamento e renovação de reconhecimento realizadas no ano x 100 Fonte dos dados Base de dados do Inep Evolução dos dados do indicador Resultado no exercício a Resultado no 1º exercício Resultado no 2º exercício Meta para o exercício a que se refere o relatório anterior ao do relatório anterior ao do relatório que se refere o relatório (2011) (2010) (2009) 100% 1289/1371= 94,01% 1154/1282 = 90,02% 516/630 = 81,90% 104

105 3 RECONHECIMENTO DE PASSIVOS Não ocorreu no período. 105

106 4 MOVIMENTAÇÕES E OS SALDOS DE RAP 4.1 PAGAMENTOS E CANCELAMENTOS DE RESTOS A PAGAR DE EXERCÍCIOS ANTERIORES Quadro XXIV: Quadro Situação dos Restos a Pagar dos Exercícios Anteriores Restos a Pagar Processados Ano de Inscrição Montante Inscrito Cancelamentos acumulados Pagamentos acumulados Saldo a Pagar em 31/12/ , , , , Ano de Inscrição Montante Inscrito Restos a Pagar não Processados Cancelamentos acumulados Pagamentos acumulados Saldo a Pagar em 31/12/ , , , , , , , , , , , ,29 0 Observações: Fonte: CGOFC/DGP 4.2 ANÁLISE CRÍTICA A inscrição em restos a pagar de valores elevados é uma realidade constante no Inep. Os principais exames, Enem, Enade e Prova Brasil, são aplicados no final do exercício. Os valores gastos com as atividades diretamente relacionadas, quais seja, aplicação, correios e gráfica, somam cerca de 60% do orçamento total do Inep. Os créditos adicionais, que geralmente tem sido aprovados no final do exercício, contribuem para as inscrições de restos a pagar. Quanto as demais despesas, o Inep tem buscado a cada ano aprimorar o acompanhamento e controle da execução orçamentária, de forma que a inscrição em restos a pagar não processados, seja realizada de forma adequada, conforme determina a legislação. Os saldos a pagar de exercícios anteriores encontram-se justificados pelos executores técnicos. Cerca de R$ 130 mil serão cancelados e o restante aguarda faturamente por parte dos fornecedores. 106

107 5 RECURSOS HUMANOS DA UNIDADE 5.1 COMPOSIÇÃO DO QUADRO DE SERVIDORES ATIVOS Demonstração da Força de Trabalho à Disposição da Unidade Jurisdicionada Quadro XXVa Força de Trabalho da UJ Situação apurada em 31/12 Quantidade Tipologias dos Cargos Lotação Autorizada Efetiva Ingressos no exercício Egressos no exercício 1. Servidores em cargos efetivos ( ) Membros de poder e agentes políticos Servidores de carreira ( ) Servidores de carreira vinculada ao órgão Servidores de carreira em exercício descentralizado Servidores de carreira em exercício provisório Servidores requisitados de outros órgãos e esferas Servidores com Contratos Temporários Total de Servidores (1+2) Fonte: COGEP/DGP 107

108 5.1.2 Situações que Reduzem a Força de Trabalho Efetiva da UJ Quadro XXVb Situações que reduzem a força de trabalho da UJ Situação em 31/12 Tipologias dos afastamentos Quantidade de pessoas na situação em 31 de dezembro 1. Cedidos ( ) Exercício de Cargo em Comissão Exercício de Função de Confiança Outras situações previstas em leis específicas (especificar as leis) 4 2. Afastamentos ( ) Para Exercício de Mandato Eletivo Para Estudo ou Missão no Exterior Para Serviço em Organismo Internacional Para Participação em Programa de Pós-Gradução Stricto Sensu no País 3 3. Removidos ( ) De oficio, no interesse da Administração A pedido, a critério da Administração A pedido, independentemente do interesse da Administração para acompanhar cônjuge/companheiro 3.4. A pedido, independentemente do interesse da Administração por Motivo de saúde A pedido, independentemente do interesse da Administração por Processo seletivo 0 4. Licença remunerada ( ) Doença em pessoa da família Capacitação 0 5. Licença não remunerada ( ) Afastamento do cônjuge ou companheiro Serviço militar Atividade política Interesses particulares Mandato classista 0 6. Outras situações (Especificar o ato normativo) 0 7. Total de servidores afastados em 31 de dezembro ( ) 16 Fonte: COGEP/DGP 108

109 5.1.3 QUANTIFICAÇÃO DOS CARGOS EM COMISSÃO E DAS FUNÇÕES GRATIFICADAS DA UJ Quadro XXVc Detalhamento da estrutura de cargos em comissão e funções gratificadas da UJ Situação em 31/12 Tipologias dos cargos em comissão e das funções gratificadas Autorizada Lotação Efetiva Ingressos no exercício Egressos no exercício 1. Cargos em comissão Cargos natureza especial Grupo direção e assessoramento superior Servidores de carreira vinculada ao órgão Servidores de carreira em exercício descentralizado Servidores de outros órgãos e esferas Sem vínculo Aposentados Funções gratificadas Servidores de carreira vinculada ao órgão Servidores de carreira em exercício descentralizado Servidores de outros órgãos e esferas Total de servidores em cargo e em função (1+2) Fonte: COGEP/DGP Qualificação do quadro de pessoal da UJ segundo a idade Quadro XXVd Quantidade de servidores da UJ por faixa etária - Situação apurada em 31/12 Tipologias do Cargo Até 30 anos Quantidade de Servidores por Faixa Etária De 31 a 40 anos De 41 a 50 anos De 51 a 60 anos 1. Provimento de cargo efetivo Membros de poder e agentes políticos Servidores de carreira Servidores com contratos temporários Provimento de cargo em comissão Cargos de natureza especial Grupo direção e assessoramento superior Funções gratificadas Totais (1+2) Fonte: COGEP/DGP Acima de 60 anos 109

110 5.1.5 Qualificação do Quadro de Pessoal da Unidade Jurisdicionada, segundo a Escolaridade Quadro XXVe Quantidade de Servidores da UJ por Nível de Escolaridade Situação em 31/12 Tipologias do Cargo Quantidade de pessoas por nível de escolaridade Provimento de cargo efetivo Membros de poder e agentes políticos 1.2. Servidores de Carreira Servidores com Contratos Temporários Provimento de cargo em comissão 2.1. Cargos de Natureza Especial 2.2. Grupo Direção e Assessoramento Superior 2.3. Funções gratificadas 3. Totais (1+2) Legenda / Nível de Escolaridade: 1 - Analfabeto; 2 - Alfabetizado sem cursos regulares; 3 - Primeiro grau incompleto; 4 - Primeiro grau; 5 - Segundo grau ou técnico; 6 - Superior; 7 - Aperfeiçoamento / Especialização / Pós-Graduação; 8 Mestrado; 9 Doutorado/Pós Doutorado/PhD/Livre Docência; 10 - Não Classificada. Fonte: COGEP/DGP 5.2 COMPOSIÇÃO DO QUADRO DE SERVIDORES INATIVOS E PENSIONISTAS Classificação do Quadro de Servidores Inativos da UJ segundo o Regime de Proventos e de Aposentadoria Quadro XXVf Composição do Quadro de Servidores Inativos Situação em 31 de dezembro Regime de proventos / Regime de aposentadoria Servidores aposentados até 31/12 Quantidade Aposentadorias iniciadas no exercício de referência 1. Integral Voluntária Compulsória 1.3 Invalidez Permanente Outras 2. Proporcional Voluntária Compulsória Invalidez Permanente 2.4 Outras 3. Totais (1+2) 19 5 Fonte: COGEP/DGP 110

111 5.2.2 Demonstração das origens das pensões pagas pela UJ Quadro XXVg Composição do Quadro de Instituidores de Pensão - Situação apurada em 31/12 Regime de proventos do servidor instituidor 1. Aposentado Quantidade de Beneficiários de Pensão Acumulada até 31/12 Iniciada no exercício de referência 1.1. Integral Não Não 1.2. Proporcional Não Não 2. Em Atividade Não Não 3. Total (1+2) Fonte: COGEP/DGP 5.3 Composição do Quadro de Estatutários Quadro XXVh Composição do Quadro de Estagiários Em R$ 1,00 Nível de escolaridade Quantitativo de contratos de estágio vigentes 1º Trimestre 2º Trimestre 3º Trimestre 4º Trimestre Despesa no exercício 1. Nível superior Área Fim Área Meio Nível Médio Área Fim Área Meio Total (1+2) Fonte: COGEP/DGP 111

112 Exercícios Exercícios Exercícios Exercícios Exercícios Exercícios Exercícios 5.4 DEMONSTRAÇÃO DOS CUSTOS DE PESSOAL DA UNIDADE JURISDICIONADA Quadro XXVi: Custos de pessoal no exercício em referência e nos dois anteriores Despesas Variáveis Tipologias Exercícios Venc. e Vant. fixas Retrib. Gratif. Adic. Indeniz. Benefícios Assist. e Previd. Demais despesas variáveis DEA Decis. Judic. Total Membros de poder e agentes políticos Servidores de carreira que não ocupam cargo de provimento em comissão Servidores com contratos temporários Servidores cedidos com ônus ou em licença Servidores ocupantes de cargos de natureza especial Servidores ocupantes de cargos do grupo de direção e assessoramento superior Servidores ocupantes de funções gratificadas Fonte: COGEP/DGP 112

113 5.5 TERCEIRIZAÇÃO DA MÃO DE OBRA EMPREGADA PELA UJ Informações sobre Terceirização de Cargos e Atividades do Plano de Cargos do Órgão Quadro XXVj Esclarecimento sobre por que não se aplica item sobre cargos e atividades inerentes a categorias funcionais do plano de cargos da unidade jurisdicionada Descrição dos cargos e atividades do Quantidade no final do exercício Ingressos Egressos no plano de cargos do órgão em que há no ocorrência de servidores terceirizados exercício exercício Análise crítica da situação da terceirização no órgão Fonte: COGEP/DGP Não se aplica. Conforme se constata no Art. 53 da Lei nº de 19/10/2006, transcrito: "Art. 53. Ficam estruturadas, para o exercício exclusivo no Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira - INEP, as carreiras de: 1. Pesquisa e Desenvolvimento de Informações e Avaliações Educacionais, composta de cargos de Pesquisador-Tecnologista em Informações e Avaliações Educacionais, de nível superior, com atribuições voltadas às atividades especializadas de produção, análise e disseminação de dados e informações de natureza estatística, bem como ao planejamento, supervisão, orientação, coordenação e desenvolvimento de sistemas e projetos de avaliações educacionais em todos os níveis e modalidades de ensino e do desenvolvimento de sistemas e projetos de avaliações educacionais, bem como de sistemas de informação e documentação que abranjam todos os níveis e modalidades de ensino; 2. Suporte Técnico em Informações Educacionais, composta de cargos de Técnico em Informações Educacionais, de nível intermediário, com atribuições voltadas ao suporte, produção e apoio técnico especializado às atividades de planejamento, orientação e coordenação do desenvolvimento de sistemas e projetos de avaliações educacionais, bem como de sistemas de informação e documentação que abranjam a produção, análise e disseminação de dados e informações de natureza estatística e pesquisas educacionais em todos os níveis e modalidades de ensino." E ainda a conforme o Termo de Referência de contratação de apoio administrativo do pregão eletrônico 28/2011 última contratação para esse fim segue as atribuições dos cargos contratados: ATIVIDADES BÁSICAS I. realizar cálculos tendo por base dados oriundos da administração e/ou de legislações específicas; II. utilização sistemas informatizados de busca de dados e informações e de controles de processos, com a finalidade de fornecer subsídios aos técnicos do Inep em sua atividade-fim; 113

114 III. recebimento, ordenamento e encaminhamento de documentos contábeis e assemelhados; IV. elaboração, transcrição, conferência e/ou formatação de relatórios, planilhas, memorandos, ofícios e demais correspondências, segundo modelos pré-estabelecidos e de acordo com dados fornecidos pelo Inep; V. auxiliar na organização da agenda de eventos administrativos, contábeis e de pessoal para o dia, semana e mês, incluindo a listagem de vencimento de obrigações e direitos; VI. auxiliar os técnicos do Inep na manutenção de banco de dados, por meio da inserção, alteração ou exclusão de dados em sistemas informatizados ou não, posterior emissão de relatórios e conferência de dados; VII. pesquisar e efetuar busca de textos, legislações e artigos por meio de publicações técnicas diversas e/ou da Internet, com a transcrição, tabulação e formatação dos dados obtidos utilizando-se de editores de textos, planilhas e/ou relatórios; VIII. realizar pesquisa de dados em documentos e relatórios do Inep com sua posterior compilação e transcrição em relatórios, textos e planilhas, conforme formulários e/ou modelos pré-definidos; IX. executar e/ou conferir cálculos aritméticos, transcrição para meios eletrônicos de memorandos, ofícios, levantamentos, tabelas, quadros, correspondências, conforme modelos pré-definidos e com base em dados fornecidos; X. lançamento de dados em sistemas informatizados, recebimento, triagem, controle e acompanhamento de documentos e demandas oriundas das unidades do Inep por meio da transcrição dos dados em sistemas informatizados e/ou formulários e conseqüente emissão de relatórios, planilhas e tabelas, com a eventual realização de cálculos aritméticos; XI. assistir e subsidiar os analistas do Inep nas atividades relacionadas às áreas administrativas, contábeis e de recursos humanos, conforme o local onde o posto de serviços for alocado, mediante a apresentação de subsídios e informações técnicos nas áreas especificadas; XII. dar suporte administrativo à área de treinamento; XIII. auxiliar na elaboração da folha de pagamento, quando requisitado, por meio do preenchimento de dados em sistemas informatizados e posterior conferência de relatórios 114

115 5.5.2 Autorizações Expedidas pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão para Realização de Concursos Públicos para Substituição de Terceirizados Quadro XXVk Autorizações para realização de concursos públicos ou provimento adicional para substituição de terceirizados Nome do órgão autorizado a realizar o concurso ou provimento adicional Norma ou expediente autorizador, do exercício e dos dois anteriores Número Data Quantidade autorizada de servidores Não houve autorização para a realização de concurso público ou provimento adicional para substituição de terceirizados Fonte: COGEP/DGP 115

116 5.5.3 Informações sobre Contratação de Serviços de Limpeza, Higiene e Vigilância Ostensiva pela Unidade Quadro XXVl Contratos de prestação de serviços de limpeza e higiene e vigilância ostensiva Unidade Contratante Nome: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP UG/Gestão: CNPJ: / Informações sobre os contratos Ano do contrato Área Natureza Identificação do Contrato CNPJ da Empresa Contratada Período contratual de execução das atividades contratadas Nível de Escolaridade exigido dos trabalhadores contratados F M S Sit. Início Fim P C P C P C 2008 V O 21/ / /07/ /07/ P 2009 L O 34/ / /08/ /08/ P 2009 L O 38/ / /08/ /08/ P 2009 L O 39/ / /08/ /08/ P Área: (L) Limpeza e Higiene; (V) Vigilância Ostensiva. Natureza: (O) Ordinária; (E) Emergencial. Nível de Escolaridade: (F) Ensino Fundamental; (M) Ensino Médio; (S) Ensino Superior. Situação do Contrato: (A) Ativo Normal; (P) Ativo Prorrogado; (E) Encerrado. Fonte: COGEP/DGP 116

117 5.5.4 Informações sobre Locação de Mão de Obra para Atividades Não Abrangidas pelo Plano de Cargos do Órgão Quadro XXVm Contratos de prestação de serviços com locação de mão de obra Unidade Contratante Nome: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP UG/Gestão: CNPJ: / Informações sobre os contratos Período contratual de execução das atividades contratadas Nível de escolaridade exigido dos trabalhadores contratados Ano do Identificação CNPJ da Empresa Sit. Área Natureza contrato do Contrato Contratada F M S Início Fim P C P C P C O 03/ / /02/ /03/ A E 14/ / /08/ /08/ E O 47/ / /10/ /10/ E O 46/ / /11/ /11/ P O 38/ / /10/ /10/ P O 59/ / /12/ /11/ P O 16/ / /04/ /04/ P O 30/ / /08/ /08/ P O 04/ / /02/ /01/ E O 48/ / /11/ /01/ P O 06/ / /02/ /02/ P O 02/ / /01/ /01/ P LEGENDA Área: Natureza: (O) Ordinária; (E) Emergencial. 1. Conservação e Limpeza; 8. Reprografia; Nível de Escolaridade: (F) Ensino fundamental; (M) Ensino médio; (S) Ensino 2. Segurança; 9. Telecomunicações; superior. 3. Vigilância; 10. Manutenção de bens móvies 4. Transportes; 11. Manutenção de bens imóveis Situação do Contrato: (A) Ativo Normal; (P) Ativo prorrogado; (E) Encerrado. 5. Informática; 12. Brigadistas 6. Copeiragem; 13. Apoio Adm. Menores Aprendizes Quantidade de trabalhadores: (P) Prevista no contrato; (C) Efetivamente contratada. 7. Recepção; 14. Outras Fonte: COGEP/DGP 117

118 Cumpre ressaltar que, em cumprimento ao Acórdão TCU 1520/2006-P e ao Termo de Conciliação Judicial celebrado com o Ministério Público do Trabalho, foi realizado, em 2010, processo de contratação de empresa especializada na prestação de serviços de secretariado e de suporte operacional para as diversas atividades e funções necessárias ao seu funcionamento, com o objetivo de suprir demandas de atividades de atendimento, uma vez que inexiste no Inep cargo que contemple em sua essência atribuições de secretariado executivo, para o desenvolvimento de atividades de natureza complexa junto aos dirigentes do primeiro escalão do Inep, secretariado, com formação acadêmica de nível médio, para atividades de média complexidade, com atuação nas diversas unidades da estrutura do órgão e contínuo, que desempenhará suas atividades no serviço de apoio operacional, em atividades de recepção e entrega de documentos, reprografia etc., todos de acordo com o que estabelece o Decreto 2.271/1997. Até meados de 2011, a manutenção da infraestrutura de TI era realizada por equipe composta de servidores do Inep e colaboradores terceirizados. Todavia, com a edição da Instrução Normativa 04/2010, o contrato até então vigente foi substituído por uma contratação baseada em uma nova métrica, que permite a vinculação dos pagamentos ao tamanho dos serviços solicitados e entregues. Portanto, os contratos de terceirização, antes baseados em homem/hora e postos de trabalho, cederam lugar à contratação de prestação de serviços técnicos de TI mediante ordens de serviço dimensionadas pela métrica de pontos de função e de Unidade de Serviço Técnico (UST). Entendemos, ainda, que os contratos supracitados são caracterizados como atividades materiais acessórias, instrumentais ou complementares aos assuntos que constituem área de competência legal do Inep, conforme art. 1 do Decreto 2.271, de 7 de julho de Sendo assim, a mão de obra utilizada na prestação desses serviços não pode ser substituída por servidores públicos concursados. 118

119 5.6 INDICADORES GERENCIAIS DE RECURSOS HUMANOS Por meio da Portaria MEC nº e da Portarias Inep nº 300, datadas de 27 de agosto de 2010 e publicadas no Diário Oficial da União de 30 de agosto de 2010, foram estabelecidos os critérios e procedimentos referentes às gratificações de desempenho individual e institucional aos servidores do Quadro de Pessoal Efetivo do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep. A Portaria MEC nº 1.095/2010 estabelece os critérios e procedimentos específicos de atribuições a serem observados para a realização das avaliações de desempenho individual e institucional e o pagamento da Gratificação de Desempenho de Atividades Especializadas e Técnicas de Informações e Avaliações Educacionais GDIAE, devida aos ocupantes do cargo de Pesquisador-Tecnologista em Informações e Avaliações Educacionais da Carreira de Pesquisa e Desenvolvimento de Informações e Avaliações Educacionais e do cargo de Técnico em Informações Educacionais da Carreira de Suporte Técnico em Informações Educacionais, e da Gratificação de Desempenho de Atividades de Estudos, Pesquisas e Avaliações Educacionais GDINEP, devida aos ocupantes de cargos de provimento efetivo de níveis superior, intermediário e auxiliar do Plano Especial de Cargos do Inep PECINEP. A Portaria Inep nº 301/2010 estabelece os critérios e procedimentos específicos de atribuições a serem observados para a realização das avaliações de desempenho individual e institucional e o pagamento da Gratificação de Desempenho do Plano Geral de Cargos do Poder Executivo GDPGPE, devida aos ocupantes de cargos de provimento efetivo de níveis superior e intermediário do Plano Geral de Cargos do Poder Executivo PGPE. 119

120 6 TRANSFERENCIAS REALIZADAS 6.1 INSTRUMENTOS DE TRANSFERÊNCIAS VIGENTES NO EXERCÍCIO Relação dos Instrumentos de Transferências Vigentes no Exercício Quadro XXVIa Caracterização dos instrumentos de transferências vigentes no exercício de referência Unidade Concedente ou Contratante Nome: INEP CNPJ: / UG/GESTÃO: / Modalid ade Nº do instrumento Beneficiário Informações sobre as transferências Valores Pactuados Global R$ Contrapartida R$ Valores Repassados Vigência Acumulado até No exercício exercício Início Fim / / , , , ,00 18/07/ /04/ / / , , , ,00 18/07/ /04/ / / , , , ,00 18/07/ /04/ / / , , , ,00 08/07/ /04/ / / , , , ,00 03/08/ /04/ / / , , , ,00 03/08/ /04/ / / , , , ,00 18/07/ /04/ / / , , , ,50 12/08/ /04/ / / , , , ,00 29/08/ /04/ / / , , , ,00 29/08/ /04/ / / , , , ,00 12/08/ /03/ / / , , , ,16 09/09/ /04/ Sit. 120

121 Modalid ade Nº do instrumento Beneficiário Informações sobre as transferências Valores Pactuados Global R$ Contrapartida R$ Valores Repassados Vigência Acumulado até No exercício exercício Início Fim / / , , , ,73 08/09/ /04/ / / , , , ,00 08/09/ /04/ / / , , , ,00 05/09/ /04/ / / , , , ,00 08/09/ /04/ / / , , , ,50 29/09/ /04/ / / , , , ,00 24/11/ /04/ / / , , , ,00 21/11/ /04/ / / , , , ,00 24/11/ /04/ / / , , , ,02 15/12/ /04/ / / , , , ,00 17/10/ /04/ / / , , ,54 17/10/ /12/ / / , , , ,49 29/08/ /12/ / / , , , ,67 22/08/ /12/ / / , , , ,58 22/08/ /12/ / / , , , ,98 22/08/ /12/ / / , , , ,91 08/09/ /12/ / / , , , ,05 08/09/ /12/ / / , , , ,78 29/08/ /12/ / / , , , ,00 08/09/ /08/ / / , , , ,53 08/09/ /12/ / / , , , ,70 08/09/ /12/ Sit. 121

122 Modalid ade Nº do instrumento Beneficiário Informações sobre as transferências Valores Pactuados Global R$ Contrapartida R$ Valores Repassados Vigência Acumulado até No exercício exercício Início Fim / / , , , ,83 19/10/ /12/ / / , , , ,00 08/09/ /12/ / / , , , ,67 29/08/ /12/ / / , , , /09/ /12/ / / , , , ,09 08/09/ /12/ / / , , , ,10 26/09/ /12/ / / , , , ,00 29/09/ /12/ / / , , , ,95 28/09/ /12/ / / , , , ,00 26/09/ /08/ / / , , ,00 08/09/ /12/ / / , , , ,68 06/10/ /12/ / / , , , ,00 26/09/ /12/ / / , , , ,15 14/01/ /12/ / / , , , ,69 07/10/ /12/ / / , , , ,00 26/09/ /12/ / / , ,46 fev/11 mai/ / / , ,80 mar/11 out/ / / , ,60 jan/11 mai/ / / , ,00 fev/11 dez/ / / , ,00 abr/11 dez/ / / , ,37 mai/11 ago/11 4 Sit. 122

123 Modalid ade Nº do instrumento Beneficiário Informações sobre as transferências Valores Pactuados Global R$ Contrapartida R$ Valores Repassados Vigência Acumulado até No exercício exercício Início Fim 3 08/ / , ,00 jul/11 ago/ / / , ,84 jul/09 dez/ / / , ,00 ago/11 jul/ / / , ,00 ago/11 jul/ / / , ,00 ago/11 jul/ / / , ,00 ago/11 jul/ / / , ,80 ago/11 nov/ / / , ,79 set/11 out/ / / , ,00 set/11 ago/ / / , ,00 ago/11 jul/ / / , ,00 out/11 dez/ / / , ,08 ago/11 dez/ / / , ,00 ago/11 jul/ / / , ,00 ago/11 jul/ / / , ,00 ago/11 jul/ / / , ,00 ago/11 jul/ / / , ,00 set/11 ago/ / / , ,00 set/11 ago/ / / , ,00 set/11 ago/ / / , ,00 set/11 ago/ / / , ,00 set/11 ago/12 1 Sit. 123

124 Modalid ade Nº do instrumento Beneficiário Valores Pactuados Global R$ Contrapartida R$ Valores Repassados Vigência Acumulado até No exercício exercício Início Fim 3 28/ / , ,00 set/11 ago/ / / , ,00 set/11 ago/ / / , ,00 set/11 ago/ / / , ,00 set/11 ago/ / / , ,00 set/11 ago/ / / , ,00 set/11 ago/ / / , ,00 set/11 ago/ / / , ,00 set/11 ago/ / / , ,00 set/11 ago/ / / , ,00 out/11 set/ / / , ,00 out/11 out/ / / , ,08 set/11 dez/ / / , , ,00 out/11 dez/ / / , ,00 nov/11 set/ / / , ,56 out/11 dez/ / / , ,28 nov/11 dez/ / / , ,00 nov/09 dez/12 1 LEGENDA Modalidade: Situação da Transferência: 1 - Convênio 1 - Adimplente 5 - Excluído 2 - Contrato de Repasse 2 - Inadimplente 6 - Rescindido 3 - Termo de Cooperação 3 - Inadimplência Suspensa 7 - Arquivado 4 - Termo de Compromisso 4 - Concluído Fonte: CGLCC/DGP Sit. 124

125 6.1.2 Quantidade de Instrumentos de Transferências Celebrados e Valores Repassados nos Três Últimos Exercícios Quadro XXVIb Resumo dos instrumentos celebrados pela UJ nos três últimos exercícios Unidade Concedente ou Contratante Nome: INEP CNPJ: / UG/GESTÃO: / Modalidade Quantidade de instrumentos celebrados em cada exercício Montantes repassados em cada exercício, independentemente do ano de celebração do instrumento (em R$ 1,00) Convênio , ,39 Termo de Cooperação , ,13 Totais , ,52 Fonte: CGLCC/DGP 125

126 6.1.3 Informações sobre o Conjunto de Instrumentos de Transferências que Vigerão no Exercício de 2012 e Seguintes Quadro XXVIc Resumo dos instrumentos de transferência que vigerão em 2011 e exercícios seguintes Unidade Concedente ou Contratante Nome: INEP CNPJ: / UG/GESTÃO: / Modalidade Qtd. de instrumentos com vigência em 2012 e seguintes Contratados Valores (R$ 1,00) Repassados até 2011 Previstos para 2012 % do Valor global repassado até o final do exercício de 2011 Convênio , , ,97 50% Termo de Cooperação , , ,00 99% Totais , , ,97 82% Fonte: CGLCC/DGP 126

127 6.2 INFORMAÇÕES SOBRE A PRESTAÇÃO DE CONTAS RELATIVAS AOS CONVÊNIOS, TERMOS DE COOPERAÇÃO E CONTRATOS DE REPASSE Quadro XXVId Resumo da prestação de contas sobre transferências concedidas pela UJ na modalidade de convênio, termo de cooperação e de contratos de repasse Unidade Concedente Nome: INEP CNPJ: / UG/GESTÃO: / Exercício da prestação das contas Quantitativos e montante repassados Instrumentos (Quantidade e Montante Repassado) Convênios Termo de Cooperação Anteriores a 2009 Contas prestadas Contas NÃO prestadas Contas prestadas Contas NÃO prestadas Contas prestadas Fonte: CGLCC/DGP Contas NÃO prestadas Contas NÃO prestadas Quantidade Montante Repassado , ,13 Quantidade Todas foram prestadas Todas foram prestadas Montante Repassado Quantidade Montante Repassado , ,73 Quantidade Todas foram prestadas Todas foram prestadas Montante Repassado Quantidade Montante Repassado , ,98 Quantidade Todas foram prestadas Todas foram prestadas Montante Repassado Quantidade Todas foram prestadas Todas foram prestadas Montante Repassado 127

128 6.2.1 Informações sobre a Análise das Prestações de Contas de Convênios e de Contratos de Repasse Quadro XXVIe Visão Geral da análise das prestações de contas de Convênios e Contratos de Repasse Unidade Concedente ou Contratante Nome: INEP CNPJ: / UG/GESTÃO: / Exercício da prestação das contas Exercícios anteriores a 2009 Quantitativos e montantes repassados Instrumentos Convênios Em R$ 1,00 Termo Cooperação Quantidade de contas prestadas Com prazo de análise ainda não vencido Com prazo de análise vencido Quantidade Contas analisadas Montante repassado (R$) Contas analisadas Contas NÃO analisadas Contas Não analisadas Quantidade Aprovada Quantidade Reprovada Quantidade de TCE Quantidade Todas foram analisadas Todas foram analisadas Montante repassado (R$) , ,13 Quantidade de contas prestadas Contas analisadas Contas NÃO analisadas Quantidade Aprovada Quantidade Reprovada Quantidade de TCE Quantidade Todas foram analisadas Todas foram analisadas Montante repassado (R$) , ,73 Quantidade de contas prestadas Contas analisadas Contas NÃO analisadas Contas NÃO analisadas Fonte: CGLCC/DGP Quantidade Aprovada Quantidade Reprovada Quantidade de TCE Quantidade Todas foram analisadas Todas foram analisadas Montante repassado , ,98 Todas foram Todas foram Quantidade analisadas analisadas Montante repassado de 128

129 6.3 ANÁLISE CRÍTICA Não existem convênios inadimplentes até a presente data. Os recursos transferidos e não utilizados foram devolvidos após o término da vigência dos convênios Nos 3 últimos exercícios foram transferidos de acordo com o cronograma de desembolso apresentado. Até o presente momento, foram adotadas em 2012 as medidas cabíveis para transferência da 2ª parcela dos convênios de As prestações de contas até 2011 encontram-se aprovadas, tendo sido tomados todos os tramites legais para sua aprovação. Controle através de planilha e sistema. 129

130 7 DECLARAÇÃO REFERENTE A CONTRATOS E CONVÊNIOS DECLARAÇÃO Eu, LUIZ AUGUSTO LUCINDA, CPF n , Coordenador-Geral de Recursos Logísticos, Aquisições e Convênios, exercido na Diretoria de Gestão e Planejamento, declaro junto aos órgãos de controle interno e externo que todas as informações referentes a contratos, convênios e instrumentos congêneres firmados até o exercício de 2011 por esta Unidade estão disponíveis e atualizadas, respectivamente, no Sistema Integrado de Administração de Serviços Gerais SIASG e no Sistema de Gestão de Convênios, Contratos de Repasse e Termos de Parceria SICONV, conforme estabelece o art. 19 da Lei nº , de 9 de agosto de 2010 e suas correspondentes em exercícios anteriores. Brasília, 31 de março de Original assimado por LUIZ AUGUSTO LUCINDA CPF: Coordenador-Geral de Recursos Logísticos, Aquisições e Convênios Diretoria de Gestão e Planejamento 130

131 8 DECLARAÇÃO DE BENS E RENDAS 8.1 SITUAÇÃO DO CUMPRIMENTO DAS OBRIGAÇÕES IMPOSTAS PELA LEI 8.730/93 Quadro XXVII Demonstrativo do cumprimento, por autoridades e servidores da UJ, da obrigação de entregar a DBR Detentores de Cargos e Funções obrigados a entregar a DBR Autoridades (Incisos I a VI do art. 1º da Lei nº 8.730/93) Cargos Eletivos Funções Comissionadas (Cargo, Emprego, Função de Confiança ou em comissão) Fonte: CGLCC/DGP Situação em relação às exigências da Lei nº 8.730/93 Obrigados a entregar a DBR Entregaram a DBR Não cumpriram a obrigação Obrigados a entregar a DBR Entregaram a DBR Não cumpriram a obrigação Quantidad e Momento da Ocorrência da Obrigação de Entregar a DBR Posse ou Início do exercício de Função ou Cargo Final do exercício da Função ou Cargo Final do exercício financeiro Obrigados a entregar a DBR Entregaram a DBR Não cumpriram a obrigação O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais por meio da Coordenação Geral de Gestão de Pessoas e Organização solicita aos servidores nomeados em funções comissionadas que preencham e assinem no momento da posse, um formulário de autorização de acesso à Declaração de Ajuste Anual do imposto de renda da pessoa física, para acesso aos dados constantes da base da Receita Federal do Brasil a qualquer momento. A referida Autorização de Acesso à Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda é utilizada para fins de cumprimento à exigência contida no 4 do artigo 13 da Lei n 8.429, de 1992, o acesso às declarações anuais apresentadas à Secretaria da Receita Federal do Brasil, com as respectivas retificações, tendo em vista o disposto no 2 do Decreto n 5.483, de 30 de junho de A forma de gerenciamento do formulário de Autorização de Acesso à Declaração Anual de Imposto de Renda é feita manualmente pela Coordenação de Gestão de Pessoas e Organização e arquivada em pastas em meio físico (papel) em armários dentro da Coordenação. 131

132 9 FUNCIONAMENTO DO SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DA UJ Quadro XXVIII - ESTRUTURA DE CONTROLES INTERNOS DA UJ Aspectos do sistema de controle interno Avaliação Ambiente de Controle Os altos dirigentes da UJ percebem os controles internos como essenciais à consecução dos objetivos da unidade e dão suporte adequado ao seu funcionamento. X 2.Os mecanismos gerais de controle instituídos pela UJ são percebidos por todos os servidores e funcionários nos diversos níveis da estrutura da unidade. X 3.A comunicação dentro da UJ é adequada e eficiente. X 4.Existe código formalizado de ética ou de conduta. X 5.Os procedimentos e as instruções operacionais são padronizados e estão postos em documentos formais. X 6.Há mecanismos que garantem ou incentivam a participação dos funcionários e servidores dos diversos níveis da estrutura da UJ na elaboração dos procedimentos, das X instruções operacionais ou código de ética ou conduta. 7.As delegações de autoridade e competência são acompanhadas de definições claras das responsabilidades. X 8.Existe adequada segregação de funções nos processos da competência da UJ. X 9.Os controles internos adotados contribuem para a consecução dos resultados planejados pela UJ. X Avaliação de Risco Os objetivos e metas da unidade jurisdicionada estão formalizados. X 11.Há clara identificação dos processos críticos para a consecução dos objetivos e metas da unidade. X 12.É prática da unidade o diagnóstico dos riscos (de origem interna ou externa) envolvidos nos seus processos estratégicos, bem como a identificação da probabilidade X de ocorrência desses riscos e a consequente adoção de medidas para mitigá-los. 13.É prática da unidade a definição de níveis de riscos operacionais, de informações e de conformidade que podem ser assumidos pelos diversos níveis da gestão. X 14.A avaliação de riscos é feita de forma contínua, de modo a identificar mudanças no perfil de risco da UJ, ocasionadas por transformações nos ambientes interno e externo. X 15.Os riscos identificados são mensurados e classificados de modo a serem tratados em uma escala de prioridades e a gerar informações úteis à tomada de decisão. X 16.Existe histórico de fraudes e perdas decorrentes de fragilidades nos processos internos da unidade. X 17.Na ocorrência de fraudes e desvios, é prática da unidade instaurar sindicância para apurar responsabilidades e exigir eventuais ressarcimentos. X 18.Há norma ou regulamento para as atividades de guarda, estoque e inventário de bens e valores de responsabilidade da unidade. X Procedimentos de Controle Existem políticas e ações, de natureza preventiva ou de detecção, para diminuir os riscos e alcançar os objetivos da UJ, claramente estabelecidas. X 20.As atividades de controle adotadas pela UJ são apropriadas e funcionam consistentemente de acordo com um plano de longo prazo. X 21.As atividades de controle adotadas pela UJ possuem custo apropriado ao nível de benefícios que possam derivar de sua aplicação. X 22.As atividades de controle adotadas pela UJ são abrangentes e razoáveis e estão diretamente relacionados com os objetivos de controle. X Informação e Comunicação A informação relevante para UJ é devidamente identificada, documentada, armazenada e comunicada tempestivamente às pessoas adequadas. X 24.As informações consideradas relevantes pela UJ são dotadas de qualidade suficiente para permitir ao gestor tomar as decisões apropriadas. X 25.A informação disponível à UJ é apropriada, tempestiva, atual, precisa e acessível. X 26.A Informação divulgada internamente atende às expectativas dos diversos grupos e indivíduos da UJ, contribuindo para a execução das responsabilidades de forma eficaz. X 27.A comunicação das informações perpassa todos os níveis hierárquicos da UJ, em todas as direções, por todos os seus componentes e por toda a sua estrutura. X 132

133 Monitoramento O sistema de controle interno da UJ é constantemente monitorado para avaliar sua validade e qualidade ao longo do tempo. X 29.O sistema de controle interno da UJ tem sido considerado adequado e efetivo pelas avaliações sofridas. X 30.O sistema de controle interno da UJ tem contribuído para a melhoria de seu desempenho. X Considerações gerais: LEGENDA Níveis de Avaliação: (1) Totalmente inválida: Significa que o fundamento descrito na afirmativa é integralmente não aplicado no contexto da UJ. (2) Parcialmente inválida: Significa que o fundamento descrito na afirmativa é parcialmente aplicado no contexto da UJ, porém, em sua minoria. (3) Neutra: Significa que não há como afirmar a proporção de aplicação do fundamento descrito na afirmativa no contexto da UJ. (4) Parcialmente válida: Significa que o fundamento descrito na afirmativa é parcialmente aplicado no contexto da UJ, porém, em sua maioria. (5) Totalmente válido. Significa que o fundamento descrito na afirmativa é integralmente aplicado no contexto da UJ. Fonte: GAB/INEP 133

134 10 SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL NA AQUISIÇÃO DE BENS Quadro XXIX - GESTÃO AMBIENTAL E LICITAÇÕES SUSTENTÁVEIS Aspectos sobre a gestão ambiental Avaliação Licitações Sustentáveis A UJ tem incluído critérios de sustentabilidade ambiental em suas licitações que levem em consideração os processos de extração ou fabricação, utilização e descarte dos produtos e matérias primas. X com a afirmação acima, quais critérios de sustentabilidade ambiental foram aplicados? 2. Em uma análise das aquisições dos últimos cinco anos, os produtos atualmente adquiridos pela unidade são produzidos com menor consumo de matéria-prima e maior quantidade de conteúdo reciclável. 3. A aquisição de produtos pela unidade é feita dando-se preferência àqueles fabricados por fonte não poluidora bem como por materiais que não prejudicam a natureza (ex. produtos de limpeza biodegradáveis). X X 4. Nos procedimentos licitatórios realizados pela unidade, tem sido considerada a existência de certificação ambiental por parte das empresas participantes e produtoras (ex: ISO), como critério avaliativo ou mesmo condição na aquisição de produtos e serviços. X tem sido considerada nesses procedimentos? 5. No último exercício, a unidade adquiriu bens/produtos que colaboram para o menor consumo de energia e/ou água (ex: torneiras automáticas, lâmpadas econômicas). X desses produtos sobre o consumo de água e energia? 6. No último exercício, a unidade adquiriu bens/produtos reciclados (ex: papel reciclado). X adquiridos? 7. No último exercício, a instituição adquiriu veículos automotores mais eficientes e menos poluentes ou que utilizam combustíveis alternativos. X utilizado foi incluído no procedimento licitatório? 8. Existe uma preferência pela aquisição de bens/produtos passíveis de reutilização, reciclagem ou reabastecimento (refil e/ou recarga). X sido manifestada nos procedimentos licitatórios? 9. Para a aquisição de bens/produtos é levada em conta os aspectos de durabilidade e qualidade de tais bens/produtos. X 134

135 10. Os projetos básicos ou executivos, na contratação de obras e serviços de engenharia, possuem exigências que levem à economia da manutenção e operacionalização da edificação, à redução do consumo de energia e água e à utilização de tecnologias e materiais que reduzam o impacto ambiental. 11. Na unidade ocorre separação dos resíduos recicláveis descartados, bem como sua destinação, como referido no Decreto nº 5.940/ Nos últimos exercícios, a UJ promoveu campanhas entre os servidores visando a diminuir o consumo de água e energia elétrica. X X X campanha (palestras, folders, comunicações oficiais, etc.)? 13. Nos últimos exercícios, a UJ promoveu campanhas de conscientização da necessidade de proteção do meio ambiente e preservação de recursos naturais voltadas para os seus servidores. X campanha (palestras, folders, comunicações oficiais, etc.)? Considerações Gerais: LEGENDA Níveis de Avaliação: (1) Totalmente inválida: Significa que o fundamento descrito na afirmativa é integralmente não aplicado no contexto da UJ. (2) Parcialmente inválida: Significa que o fundamento descrito na afirmativa é parcialmente aplicado no contexto da UJ, porém, em sua minoria. (3) Neutra: Significa que não há como afirmar a proporção de aplicação do fundamento descrito na afirmativa no contexto da UJ. (4) Parcialmente válida: Significa que o fundamento descrito na afirmativa é parcialmente aplicado no contexto da UJ, porém, em sua maioria. (5) Totalmente válida: Significa que o fundamento descrito na afirmativa é integralmente aplicado no contexto da UJ. Fonte: CGLCC/DGP 135

136 11 GESTÃO DO PATRIMÔNIO IMOBILIÁRIO 11.1 GESTÃO DE BENS IMÓVEIS DE USO ESPECIAL O Inep não possui imóvel próprio, sendo o seu edifício-sede alugado e não pertencente à União. Quadro XXX Distribuição espacial dos bens imóveis de uso especial locados de terceiros BRASIL Quantidade de Imóveis locados de terceiros pela UJ Localização Geográfica Exercício 2011 Exercício 2010 DF 1 1 Brasília 1 1 Subtotal Brasil 1 1 EXTERIOR Subtotal Exterior 0 0 Total (Brasil + Exterior) 1 1 Fonte: COGEP/DGP A locação da atual sede do Inep, à SRTVS, Quadra 701, Bloco M, visou a atender demandas institucionais existentes à época, uma vez que a área que o Instituto ocupava no 4º andar do anexo do Ministério da Educação, na esplanada dos Ministérios, estava se mostrando insuficiente para o eficaz atendimento de suas atribuições, haja vista a nova política educacional do governo, que criou novos programas, projetos e ações a serem implementados no âmbito desta autarquia. Deve-se considerar, ainda, que o Inep contava, na ocasião, com uma força de trabalho de 389 pessoas e estava sendo realizado concurso público para preenchimento de vagas em suas carreiras, o que efetivamente proveu para o Instituto 109 (cento e nove) novos servidores no ano de 2008, 98 (noventa e oito) novos servidores no ano de 2009 e, por último, mais 8 (oito) novos servidores no ano de 2010, totalizando um aumento no número de colaboradores da ordem de 215 pessoas, um acréscimo de 55,27%. Cabe destacar que a precariedade da estrutura e do espaço físico que se tinha para comportar o Instituto alcançou magnitude tal que foi necessário instalar provisoriamente a Diretoria de Avaliação da Educação Básica (Daeb) em espaço alugado no Edifício Varig, além de ter resultado em determinação ministerial de mudança do Inep. Assim, consultada a Gerência Regional de Patrimônio da União sobre a disponibilidade de imóvel com área útil de aproximadamente m2 (metros quadrados) para instalação do Inep, a Gerência nos informou não possuir nenhum disponível. Desta feita, foi constituída comissão, pela Portaria 236-A, de 21 de dezembro de 2007, para efetuar pesquisa no mercado imobiliário de Brasília em busca de imóvel que possuísse características que atendessem às suas necessidades, ou seja, que possuísse Habite-se, com área útil situada entre 8.500,00 e ,00 m2, constituída por grandes espaços que permitissem arranjos espaciais compatíveis com as atividades do Inep; fosse localizado no Plano Piloto de Brasília, em 136

137 área que possuísse equipamentos urbanos básicos, que fosse constituído de materiais e acabamentos de primeira qualidade; e pudesse ser ocupado com exclusividade pelo Instituto. Após as diligências de visita e avaliação, o Edifício Dario Macedo, atual Edifício Sede do Inep, foi selecionado como melhor opção de locação ou aquisição de sede para o Instituto, por ser compatível com suas necessidades, atendendo aos pressupostos da comissão, haja vista possuir localização central próxima à Esplanada dos Ministérios com diversos equipamentos urbanos (bancos, restaurantes, serviços e demais facilidades), de fácil acesso e com grande oferta de transporte coletivo. Possuindo, inclusive, materiais e acabamentos de primeira qualidade, além de, segundo informações dos proprietários, estar com a documentação do imóvel completa e atualizada. 137

138 12 GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 12.1 GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO XXXI Gestão da Tecnologia da Informação da unidade jurisdicionada Planejamento da área Quesitos a serem avaliados 1. Há planejamento institucional em vigor ou existe área que faz o planejamento da UJ como um todo. Avaliação Há Planejamento Estratégico para a área de TI em vigor. X 3. Há comitê que decida sobre a priorização das ações e investimentos de TI para a UJ. X Perfil dos Recursos Humanos envolvidos 4. Quantitativo de servidores e de terceirizados atuando na área de TI Há carreiras específicas para a área de TI no plano de cargos do Órgão/Entidade. X Segurança da Informação 6. Existe uma área específica, com responsabilidades definidas, para lidar estrategicamente com segurança da informação. 7. Existe Política de Segurança da Informação (PSI) em vigor que tenha sido instituída mediante documento específico. Desenvolvimento e Produção de Sistemas 8. É efetuada avaliação para verificar se os recursos de TI são compatíveis com as necessidades da UJ. 9. O desenvolvimento de sistemas quando feito na UJ segue metodologia definida. X 10. É efetuada a gestão de acordos de níveis de serviço das soluções de TI do Órgão/Entidade oferecidas aos seus clientes. 11. Nos contratos celebrados pela UJ é exigido acordo de nível de serviço. X Contratação e Gestão de Bens e Serviços de TI 12. Nível de participação de terceirização de bens e serviços de TI em relação ao desenvolvimento interno da própria UJ. 13. Na elaboração do projeto básico das contratações de TI são explicitados os benefícios da contratação em termos de resultado para UJ e não somente em termos de TI. 14. O Órgão/Entidade adota processo de trabalho formalizado ou possui área específica de gestão de contratos de bens e serviços de TI. 15. Há transferência de conhecimento para servidores do Órgão/Entidade referente a produtos e serviços de TI terceirizados? Considerações Gerais: LEGENDA Níveis de avaliação: (1) Totalmente inválida: Significa que a afirmativa é integralmente NÃO aplicada ao contexto da UJ. (2) Parcialmente inválida: Significa que a afirmativa é parcialmente aplicada ao contexto da UJ, porém, em sua minoria. (3) Neutra: Significa que não há como afirmar a proporção de aplicação do fundamento descrito na afirmativa no contexto da UJ. (4) Parcialmente válida: Significa que a afirmativa é parcialmente aplicada ao contexto da UJ, porém, em sua maioria. (5) Totalmente válida: Significa que a afirmativa é integralmente aplicada ao contexto da UJ. Fonte: DTDIE/Inep 43,8 X X X X X X X X 138

139 O planejamento da área de tecnologia para 2011 foi feito principalmente para garantir a infraestrutura de tecnologia da informação e comunicação adequada às atividades administrativas e finalísticas do Inep O perfil dos recursos humanos utilizados na execução da ação contempla profissionais de várias formações, principalmente da área de TI, sendo utilizados todos os recursos que se fazem necessários à consecução dos objetivos propostos para o exercício e para os compromissos firmados. Dessa forma, no exercício de 2011, a TI contou com a colaboração de 55 profissionais. Parte desses profissionais foi submetida a diversos treinamentos, com o intuito de capacitá-los e/ou aprimorar seus conhecimentos para o desempenho de suas atividades. No que tange à segurança da informação, esta foi promovida por meio da expansão da solução da plataforma web Ironport (filtro de conteúdo), da ampliação do Sistema de Prevensão de Intrusão (IPS), da Solução de Controle de Acesso (Firewall) e do Sistema de Mensageria (AntiSpam) bem como da aquisição de novos ativos a exemplo da solução Data Loss Prevention (DLP), que tem como objetivo proteger o Inep contra riscos de transferência não autorizada de informações, monitorando as informações confidenciais compatíveis com as rotinas de operação do ambiente do Inep. O desenvolvimento e produção de sistemas foram planejados de modo a garantir a disponibilidade de sistemas de TIC essenciais ao próprio Inep, à administração pública e à sociedade que sejam de responsabilidade da autarquia. Por sua vez, as contratações de bens e serviços de TI foram precedidas de planejamento, elaboradas em harmonia com o Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI). É mister frisar que não foi solicitado nenhum crédito ao longo do período, tendo a DTDIE contado com a parceria de outras diretorias para dar cobertura às aquisições programadas para o exercício que necessitavam de recursos adicionais, sem prejuízo de suas finalidades. Ressalte-se, ainda, que as ações executadas demandaram contratações de terceiros, reuniões e apoio técnico dos diversos parceiros. Quanto às parcerias, destacam-se aquelas firmadas principalmente com o Ministério da Educação e o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), que possibilitaram a aquisição de microcomputadores e notebooks e de serviços à plataforma de produtos Red Hat/JBoss em operação nos respectivos órgãos. No exercício de 2011 foi feita uma transferência de recursos vinculados à Ação 2272 totalizando R$ ,00 (um milhão e setenta e oito mil reais), em decorrência a da celebração do Termo de Cooperação 001/2009, firmado com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) visando ao aprimoramento da sistemática de gestão do Ministério da Educação em seus processos de formulação, implantação e avaliação do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), destacando-se no âmbito do Inep as seguintes contribuições: Evolução da metodologia e processos de definição e implementação de sistemas informatizados; Otimização dos frameworks utilizados pela equipe DTDIE; Aumento da maturidade de governança de TI do Inep; 139

140 Agregação de conhecimento e experiências na área de sistemas de TI; Melhoria e evolução de sistemas de alta importância educacional e de sistemas subsidiadores de definição de políticas públicas, como o Enade, Censo da Educação Básica, Censo da Educação Superior, Sistema Enem, Sistema AAE, Sistema e-mec, Sistema de Monitoramento e Acompanhamento de Processos Administrativos (Mapa), Sistema do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos (Revalida), entre outros. Vale ressaltar que novas frentes estão sendo planejadas para a continuidade da evolução tecnológica e da maturidade de governança, por meio da contratação de consultorias visando a melhoria da qualidade dos produtos, dos processos e das metodologias que envolvem os principais sistemas informatizados do Inep. 140

141 13 CARTÕES DE PAGAMENTO DO GOVERNO FEDERAL Não ocorreu no período. 14 RENÚNCIA TRIBUTÁRIA Não se aplica a Natureza Jurídica do Órgão. 141

142 15 DECLARAÇÃO DO CONTADOR Quadro XXXVI Declaração de que as demonstrações contábeis do exercício refletem corretamente a situação orçamentária, financeira e patrimonial da unidade jurisdicionada DECLARAÇÃO DO CONTADOR Denominação completa (UJ) Código da UG INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA Declaro que os demonstrativos contábeis constantes do Sistema Siafi (Balanços Orçamentário, Financeiro e Patrimonial e a Demonstração das Variações Patrimoniais, previstos na Lei n.º 4.320, de 17 de março de 1964) relativas ao exercício de 2011 refletem adequada e integralmente a situação orçamentária, financeira e patrimonial da unidade jurisdicionada que apresenta Relatório de Gestão. Estou ciente das responsabilidades civis e profissionais desta declaração. Local BRASÍLIA Data 08/02/2012 Contador Responsável CARLOS SÉRGIO PAIVA FERREIRA CRC nº DF /O Original assimado por 142

143 16 CONTRATAÇÃO DE CONSULTORES 16.1 CONTRATAÇÃO DE CONSULTORES NA MODALIDADE PRODUTO, NO ÂMBITO DOS PROJETOS DE COOPERAÇÃO TÉCNICA COM ORGANISMOS INTERNACIONAIS Quadro XXXVIIa Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Educação do Século XXI: Educação, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Valores R$ 1,00 Sigla Pnud Código BRA/04/049 Código do Contrato: 2010/ Objetivo da consultoria: Produzir indicadores a respeito da infra-estrutura das escolas, com base na Teoria da Resposta ao Item, utilizando as bases de dados do INEP (Censo Escolar) e relacionar tais indicadores com o desempenho escolar dos alunos (SAEB). Período de Vigência Remuneração Início Término Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício em Total pago até o final do exercício 04/11/ /11/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição Data prevista de entrega PRODUTO 1 - Docto técnico contendo estudo sobre as aplicações da Teoria de Resposta ao Item (TRI) na área educacional, com ênfase em indicadores de condições de oferta. 08/12/ ,00 PRODUTO 2 - Docto técnico contendo análise aprofundada dos modelos probabilísticos que fundamentam a TRI, fazendo referências a aplicações aos dados do Censo da Ed 19/01/ ,00 Básica. PRODUTO 3 - Documento técnico contendo: a) Análise descritiva dos itens que compõem o Censo Escolar, com indicação de quais itens deverá servir para a estimativa do traço latente (nível da condição de oferta das escolas); b) Justificativa embasada tecnicamente do 30/03/ ,00 padrão de resposta dos itens definidos e da escolha do modelo mais adequado a TRI. PRODUTO 4 - a) Docto técnico contendo descritivo do modelo da TRI selecionado e validado pelo Inep. b) Base de dados com estimativa dos parâmetros dos itens selecionados 15/06/ ,00 nas etapas anteriores. PRODUTO 5 Base de dados contendo estimativa do traço latente de interesse - nível das condições de oferta das escolas. Documento técnico contendo análise da correlação deste 08/09/ ,00 indicador com o desempenho escolar. PRODUTO 6 a) Descrição dos métodos, modelos e itens utilizados e resultados obtidos b) Resultado da capacitação dos servidores indicados. 11/11/ ,00 Consultor contratado Nome do consultor: ROBERTA LOBODA BIONDI CPF: Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: A vigência inicial do contrato era até 10/10/2011. Aditivos de prazo: 1º Aditivo 10/10/2011 a 11/11/2011. Pagamentos: Produto 1 14/10/2010 Produto 4 28/06/2011 Produto 2 20/01/2011 Produto 5 03/10/2011 Produto 3 31/03/2011 Produto 6 24/11/2011 Valor 143

144 Quadro XXXVIIb Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Educação do Século XXI: Educação, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Valores R$ 1,00 Sigla Pnud Código BRA/04/049 Código do Contrato: 2010/ Objetivo da consultoria: Produzir indicadores a respeito das características socioeconômicas dos alunos, com base na Teoria da Resposta ao Item (TRI), utilizando as bases de dados do INEP (SAEB) e relacionar tais indicadores com o desempenho escolar dos alunos. Período de Vigência Remuneração Início Término Total pago até o Total Previsto no Total previsto Total pago no final do contrato no exercício exercício exercício 04/11/ /11/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição PRODUTO 1 - Documento técnico contendo estudo sobre as aplicações da Teoria de Resposta ao Item (TRI) na área educacional, com ênfase em indicadores socioeconômico dos estudantes. PRODUTO 2 - Documento técnico contendo análise aprofundada dos modelos probabilísticos que fundamentam a Teoria de Resposta ao Item (TRI), fazendo referências a aplicações baseadas em questionários socioeconômicos. PRODUTO 3 - Documento técnico contendo: a) Análise descritiva dos itens que compõem o questionário socioeconômico, com indicação de quais itens deverá servir para a estimativa do traço latente (nível socioeconômico dos estudantes das escolas); b) Justificativa embasada tecnicamente do padrão de resposta dos itens definidos e da escolha do modelo mais adequado a TRI. PRODUTO 4 - a) Documento técnico contendo descritivo do modelo da TRI selecionado e validado pelo Inep. b) Base de dados com estimativa dos parâmetros dos itens selecionados nas etapas anteriores. PRODUTO 5 - Documento técnico contendo: a) Estimativas dos parâmetros obtidos e do traço latente de interesse. b) Análise da correlação deste indicador com o desempenho escolar PRODUTO 6 - Documento técnico contendo: a) Descrição dos métodos, modelos e itens utilizados e resultados obtidos b) Resultado da capacitação dos servidores indicados. Consultor contratado Nome do consultor: Priscilla de Albuquerque Tavares CPF: Data prevista de entrega Valor 08/12/ ,00 19/01/ ,00 30/03/ ,00 15/06/ ,00 08/09/ ,00 11/11/ ,00 Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: A vigência inicial do contrato era até 10/10/2011. Aditivos de prazo: 1º Aditivo 10/10/2011 a 11/11/2011. Pagamentos: Produto 1 14/10/2010 Produto 4 28/06/2011 Produto 2 20/01/2011 Produto 5 03/10/2011 Produto 3 31/03/2011 Produto 6 24/11/2011 em 144

145 Quadro XXXVIIc Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Educação do Século XXI: Educação, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Código do Contrato: 2010/ Valores R$ 1,00 Sigla Pnud Código BRA/04/049 Objetivo da consultoria: Realizar revisão de processos administrativos afetos à Diretoria de Gestão e Planejamento notadamente àqueles relacionados a compras, contratos e logística. Período de Vigência Remuneração Início Término Total pago até o Total Previsto no Total previsto Total pago no final do contrato no exercício exercício exercício 23/07/ /01/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição PRODUTO 1: Documento técnico contendo o diagnóstico e identificação dos processos administrativos pertinentes à Diretoria de Logística e Planejamento do INEP. PRODUTO 2: Documento técnico contendo o fluxo operacional de 50 % dos processos identificados no produto 1, indicando as suas interfaces e contendo proposta de melhoriade processo. PRODUTO 3: Documento técnico contendo o fluxo operacional de 50 % dos processos identificados no produto 1, indicando as suas interfaces e contendo proposta de melhoriade processo. PRODUTO 4: Documento técnico contendo manuais e propostas de normas de procedimentos e processo administrativos aplicáveis a área de logística de 50 % dos processos identificados no produto 1. PRODUTO 5: Documento técnico contendo manuais e propostas de normas deprocedimentos e processo administrativos aplicáveis a área de logística de 50 % dos processos identificados no produto 1. PRODUTO 6: Documento técnico contendo o relato das dificuldades encontradas naimplantação dos manuais e normativos e a indicação das ações necessárias a sua implementação. Consultor contratado Data prevista de entrega Valor 20/08/ ,00 29/09/ ,00 19/10/ ,00 18/11/ ,00 17/12/ ,00 19/01/ ,00 Nome do consultor: ÂNGELA MÁRCIA LOUREIRO PEROCCO CPF: Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: Pagamentos: Produto 1 08/09/2010 Produto 4 29/11/2010 Produto 2 07/10/2010 Produto 5 10/12/2010 Produto 3 29/10/2010 Produto 6 25/01/2011 em 145

146 Quadro XXXVIId Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Educação do Século XXI: Educação, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Código do Contrato: 2011/ Valores R$ 1,00 Sigla Pnud Código BRA/04/049 Objetivo da consultoria: Realizar análises e proposições destinadas à disponibilização no Portal de Software Público de ferramentas e sistemas desenvolvidos pelo Inep. Período de Vigência Início Término Remuneração Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício em Total pago até o final do exercício 21/01/ /12/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição Produto 1: Documento técnico "A" contendo a analise da documentação do Inep e a consonância com as exigências do portal do software publico para disponibilização de softwares institucionais como softwares livres, bem como as recomendações de adaptações à documentação institucional, de forma que os novos sistemas desenvolvidos possam atender à exigência mínima de documentação para torná-los disponíveis como software livre; Produto 2: Documento técnico "B" contendo a análise dos sistemas institucionais candidatos a serem disponibilizados como software público, bem como a identificação do sistema a ser utilizado na Prova de Conceito. Produto 3: Documento técnico "C" contendo o projeto Prova de Conceito, contemplando cronogramas, metas, premissas, restrições e métodos e métricas de avaliação; Produto 4: Documento técnico "D" contendo descritivo da realização do projeto Prova de Conceito. O documento deverá conter os artefatos gerados nesta etapa. Produto 5: Documento técnico "E" contendo as propostas de operacionalização dos artefatos e documentos necessários para disponibilização dos sistemas institucionais como software público, bem como justificativas técnicas para cada um dos sistemas candidatos. O documento deverá, ainda, conter proposta do MGDS reformulado. Produto 6: Documento técnico F contendo: Avaliação final do Projeto Prova de Conceito; Manuais e documentos técnicos referentes a software público; e Descritivo de transferência de conhecimento. Consultor contratado Nome do consultor: FLÁVIO SEVERINO ALVES CPF: Data prevista de entrega Valor 07/03/ ,00 20/04/ ,00 20/06/ ,00 08/09/ ,00 28/10/ ,00 30/12/ ,00 Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: Pagamentos: Produto 1 09/03/2011 Produto 4 12/09/2011 Produto 2 29/04/2011 Produto 5 27/10/2011 Produto 3 20/06/2011 Produto 6 16/01/

147 Quadro XXXVIIe Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Educação do Século XXI: Educação, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Valores em R$ 1,00 Sigla Pnud Código BRA/04/049 Código do Contrato: 2011/ Objetivo da consultoria: Formular o Plano de Projeto de Implementação do SIGA - Sistema Gerencial de Acompanhamento, sistema que permite a visualização, em tempo real e por gráficos e mapas, de indicadores referentes aos exames e programas educacionais realizados pelo Inep, de forma a subsidiar o acompanhamento, monitoramento e tomada de decisão. Período de Vigência Remuneração Início Término Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício Total pago até o final do exercício 21/01/ /12/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição Produto 1: Documento técnico "A" contendo análise do protótipo do SIGA, a identificação das necessidades gerenciais e sugestões de melhorias/mudanças na estrutura de TI, se for o caso. Produto 2: Documento técnico "B" contendo os artefatos, recursos, ferramentas e componentes a serem utilizados para a implementação do SIGA. Produto 3: Documento técnico "C" contendo relação dos sistemas candidatos para integração ao SIGA, contemplando detalhamento das especificações (técnicas e de banco de dados) para cada sistema. Produto 4: Documento técnico "D" contendo Projeto de Implementação do SIGA, contemplando as premissas, restrições, responsabilidades, atribuições, metas e cronograma. Produto 5: Documento técnico "E" contendo projeto Prova de Conceito (POC) implementado. Produto 6:Documento técnico "F" contendo resultado da avaliação final do POC, manuais e demais documentos desenvolvidos e o descritivo da transferência de conhecimento. Consultor contratado Nome do consultor: GABRIEL VICENTE VIRAGINI CPF: Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: Data prevista de entrega Valor 07/03/ ,00 20/04/ ,00 20/06/ ,00 08/09/ ,00 28/10/ ,00 30/12/ ,00 Pagamentos: Produto 1 18/03/2011 Produto 4 12/09/2011 Produto 2 29/04/2011 Produto 5 27/10/2011 Produto 3 20/06/2011 Produto 6 12/12/

148 Quadro XXXVIIf Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Educação do Século XXI: Educação, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Código do Contrato: 2010/ Valores R$ 1,00 Sigla Pnud Código BRA/04/049 em Objetivo da consultoria: Realizar estudo do desempenho das Instituições de Ensino Superior com análise do impacto da implementação do SINAES para a melhoria da qualidade da educação superior no 2º ciclo avaliativo. Período de Vigência Início Término Remuneração Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício Total pago até o final do exercício 02/10/ /06/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição Produto 1: Documento Técnico contendo: Resultado da análise parcial dos instrumentos (questionário dos estudantes, questionário do coordenador) dos alunos e cursos que realizaram o ENADE 2005 e 2008, nas regiões do País, a partir de amostragem, delineando a configuração geral do Exame no 2º ciclo avaliativo. Produto 2 Documento técnico contendo: Resultado da análise parcial do desempenho dos estudantes que realizaram o ENADE 2005 e 2008, pelas estatísticas gerais da Prova, da Formação Geral e do Componente Específico, a partir de amostragem, nas cinco regiões do país. Data prevista de entrega Valor 10/01/ ,00 09/02/ ,00 Produto 3 Documento técnico contendo: Resultado da consolidação das análises dos estudantes e das instituições que participaram do ENADE 2005 e 2008, nas cinco regiões do país, a partir de amostragem, contemplando as práticas de alto impacto sobre a aprendizagem. 28/06/ ,00 Consultor contratado Nome do consultor: OTÍLIA MARIA LÚCIA BARBOSA SEIFFERT CPF: Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: A vigência inicial do contrato era até 28/03/2011. Aditivo de prazo: 1º aditivo de prazo 28/03/2011 a 28/04/2011; 2º aditivo de prazo 28/04/2011 a 28/06/2011. Pagamentos: Produto 1 16/02/2011 Produto 2 04/03/2011 Produto 3 01/07/

149 Quadro XXXVIIg Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Educação do Século XXI: Educação, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Código do Contrato: 2010/ Valores R$ 1,00 Sigla Pnud Código BRA/04/049 em Objetivo da consultoria: Realizar estudo do desempenho das Instituições de Ensino Superior com análise do impacto da implementação do SINAES para a melhoria da qualidade da educação superior no 2º ciclo avaliativo. Período de Vigência Remuneração Início Término Total Total Previsto no Total pago Total pago até o previsto no contrato no exercício final do exercício exercício 13/12/ /07/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição Produto 1 Documento técnico contendo: Resultado da análise parcial dos relatórios das Comissões de Auto-Avaliação (CPA) dos cursos participantes do Enade 2005 e 2008, a partir de amostragem, nas cinco regiões do país. Produto 2 Documento técnico contendo: Resultado da análise parcial dos relatórios das Comissões de Auto-Avaliação (CPA) dos cursos participantes do Enade 2005 e 2008 para levantamento das melhorias nas Instituições de Educação Superior, nas cinco regiões do país, a partir de amostragem, caracterizando as IES. Data prevista de entrega Valor 21/01/ ,00 15/05/ ,00 Produto 3 Documento técnico contendo: Consolidação das análises dos relatórios de auto-avaliação das Comissões Próprias de Avaliação (CPAs) dos cursos participantes do Enade 2005 e 2008, nas cinco regiões do país, a partir de amostragem, contemplando as dimensões do SINAES no âmbito da política de avaliação da educação superior. 08/07/ ,00 Consultor contratado Nome do consultor: MARIA BEATRIZ BALENA DUARTE CPF: Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: A vigência inicial do contrato era até 07/04/2011. Aditivo de prazo: 1º aditivo de prazo 28/03/2011 a 09/05/2011; 2º aditivo de prazo 28/04/2011 a 08/07/2011. Pagamentos: Produto 1 08/02/2011 Produto 2 18/05/2011 Produto 3 14/07/

150 Quadro XXXVIIh Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Educação do Século XXI: Educação, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Código do Contrato: 2010/ Valores R$ 1,00 Sigla Pnud Código BRA/04/049 Objetivo da consultoria: Realizar estudo do desempenho das Instituições de Ensino Superior com análise do impacto da implementação do SINAES para a melhoria da qualidade da educação superior no 2º ciclo avaliativo. Período de Vigência Início Término Remuneração Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício em Total pago até o final do exercício 02/12/ /06/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição Produto 1 Documento técnico contendo: Resultado da análise parcial das justificativas dos cursos com Conceitos Preliminares de Curso insatisfatórios (CPC= 1 e 2) no Enade 2005 e 2008, nas cinco regiões do país, a partir de amostragem, contemplando as dimensões de qualidade da educação superior. Produto 2 Documento técnico contendo: Resultado da análise parcial das justificativas dos cursos com Conceitos Preliminares de Curso insatisfatórios (CPC= 1 e 2) no Enade 2005 e 2008, nas cinco regiões do país, a partir de amostragem, comparando as questões do questionário da Avaliação Discente da Educação Superior e do Coordenador de Curso nos itens que guardam correspondência de conteúdos. Produto 3 Documento técnico contendo: Resultado da consolidação das análises das justificativas nos relatórios de autoavaliação dos cursos de graduação considerando o Conceito Preliminar de Curso insatisfatório (CPC=1 e 2) no Enade 2005 e 2008, a partir de amostragem, nas cinco regiões do país. Consultor contratado Nome do consultor: ROSELI PIOLI ZANETIN CPF: Data prevista de entrega Valor 10/01/ ,00 09/02/ ,00 28/06/ ,00 Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: A vigência inicial do contrato era até 28/03/2011. Aditivo de prazo: 1º aditivo de prazo 28/03/2011 a 28/04/2011; 2º aditivo de prazo 28/04/2011 a 28/06/2011. Pagamentos: Produto 1 04/02/2011 Produto 2 24/03/2011 Produto 3 04/07/

151 Quadro XXXVIIi Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Educação do Século XXI: Educação, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Código do Contrato: 2010/ Valores em R$ 1,00 Sigla Pnud Código BRA/04/049 Objetivo da consultoria: Realizar estudo do desempenho das Instituições de Ensino Superior com análise do impacto da implementação do SINAES para a melhoria da qualidade da educação superior no 2º ciclo avaliativo. Período de Vigência Início Término Remuneração Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício Total pago até o final do exercício 02/12/ /06/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição Produto 1 Documento técnico contendo: Resultado da análise parcial das políticas de acompanhamento dos egressos contidas nos relatórios das Comissões Próprias de Avaliação (CPA) dos cursos que compõem o 2º ciclo avaliativo do SINAES, conforme instruções da CONAES, nas cinco regiões do país, a partir de amostragem, contemplando o perfil dos egressos. Produto 2 Documento técnico contendo: Resultado da análise parcial das políticas de acompanhamento dos egressos contidas nos relatórios das Comissões Próprias de Avaliação (CPA) dos cursos que compõem o 2º ciclo avaliativo do SINAES, conforme instruções da CONAES, nas cinco regiões do país, a partir de amostragem, contemplando as características das instituições de educação superior (IES). Produto 3 Documento técnico contendo: Consolidação do resultado das análises das políticas de acompanhamento dos egressos contidas nos relatórios das Comissões Próprias de Avaliação (CPA) dos cursos que compõem o 2º ciclo avaliativo do SINAES, conforme instruções da CONAES, nas cinco regiões do país, a partir de amostragem, contemplando o perfil dos estudantes egressos e caracterizando as instituições de educação superior (IES) no contexto educacional. Consultor contratado Nome do consultor: MARÍLIA COSTA MOROSINI CPF: Data prevista de entrega Valor 10/01/ ,00 09/02/ ,00 28/06/ ,00 Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: A vigência inicial do contrato era até 28/03/2011. Aditivo de prazo: 1º aditivo de prazo 28/03/2011 a 28/04/2011; 2º aditivo de prazo 28/04/2011 a 28/06/2011. Pagamentos: Produto 1 04/02/2011 Produto 2 04/03/2011 Produto 3 30/06/

152 Quadro XXXVIIj Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Educação do Século XXI: Educação, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Código do Contrato: 2010/ Valores R$ 1,00 Sigla Pnud Código BRA/04/049 Objetivo da consultoria: Realizar estudo do desempenho das Instituições de Ensino Superior com análise do impacto da implementação do SINAES para a melhoria da qualidade da educação superior no 2º ciclo avaliativo. Período de Vigência Início Término Remuneração Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício em Total pago até o final do exercício 02/12/ /06/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição Produto 1 Documento técnico contendo: Resultado da análise parcial de questionários emitidos aos estudantes com melhores desempenhos no ENADE, dos cursos que compõem o 2º ciclo avaliativo, a fim de identificar identidades profissionais dos estudantes, a partir de amostragem, nas cinco regiões do país. Produto 2 Documento técnico contendo: Resultado da análise parcial de questionários emitidos aos alunos com melhores desempenhos no ENADE, dos cursos que compõem o 2º ciclo avaliativo comparando as habilidades desenvolvidas no processo educacional com as expectativas do mercado de trabalho, a partir de amostragem, nas cinco regiões do país. Produto 3 Documento técnico contendo: Consolidação do resultado das análises parciais dos levantamentos dos dados sobre o estudante egresso com melhores desempenhos no ENADE dos cursos que compõem o 2º ciclo avaliativo, o mercado de trabalho e o respectivo nível salarial, nas cinco regiões do país, a partir de amostragem, contemplando a absorção destes estudantes no mercado de trabalho e as contribuições da educação superior para a formação de profissionais. Consultor contratado Nome do consultor: AMÂNDIA MARIA DE BORBA CPF: Data prevista de entrega Valor 10/01/ ,00 09/02/ ,00 28/06/ ,00 Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: A vigência inicial do contrato era até 28/03/2011. Aditivo de prazo: 1º aditivo de prazo 28/03/2011 a 28/04/2011; 2º aditivo de prazo 28/04/2011 a 28/06/2011. Pagamentos: Produto 1 08/02/2011 Produto 2 04/03/2011 Produto 3 06/07/

153 Quadro XXXVIIk Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Educação do Século XXI: Educação, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Código do Contrato: 2010/ Valores R$ 1,00 Sigla Pnud Código BRA/04/049 Objetivo da consultoria: Realizar levantamentos e estudos visando a elaboração de um Plano de Gestão da Segurança Orgânica para o Inep. Período de Vigência Início Término Remuneração Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício em Total pago até o final do exercício 08/09/ /10/ , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição PRODUTO 1:Documento técnico contendo diagnóstico das condições de segurança e resultado do estudo de situação identificando vulnerabilidades e fatores de risco, contemplando os meios, os recursos e os procedimentos necessários à promoção da segurança da instituição. PRODUTO 2:Documentos técnicos contendo Plano de Segurança Orgânica, Normas de Segurança e Plano de (Gestão) de Contingência. PRODUTO 3: Documento técnico contendo os pontos de desvios de implementação identificados em relação aos Planos e Normas de Segurança e Contingências propostos e as ações corretivas adotadas. Consultor contratado Nome do consultor: JOSÉ PALOMINHAS F. DOS SANTOS FILHO Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: Pagamentos: Produto 1 28/10/2010 Produto 2 18/01/2011 Produto CPF: Data prevista de entrega Valor 08/10/ ,00 17/11/ ,00 17/12/ ,00 153

154 Quadro XXXVIIl Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Educação do Século XXI: Educação, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Código do Contrato: 2011/ Valores R$ 1,00 Sigla Pnud Código BRA/04/049 Objetivo da consultoria: Atualizar, adaptar e estruturar os materiais da área de Leitura que farão parte do pré-teste do PISA 2012, a ser realizado em maio de 2011 no Brasil. Período de Vigência Início Término Remuneração Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício em Total pago até o final do exercício 24/02/ /04/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição PRODUTO 1: Documento técnico contendo os questionários da escola e do estudante e os itens da avaliação de leitura em computador e seus codificadores adaptados. Consultor contratado Nome do consultor: CLÉRIA MARIA COSTA CPF: Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: Pagamentos: Produto 1 02/05/2011 Data prevista de entrega Valor 11/04/ ,00 154

155 Quadro XXXVIIm Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Educação do Século XXI: Educação, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Código do Contrato: 2011/ Valores R$ 1,00 Sigla Pnud Código BRA/04/049 Objetivo da consultoria: Atualizar, adaptar e estruturar os materiais da área de Leitura que farão parte do pré-teste do PISA 2012, a ser realizado em maio de 2011 no Brasil. Período de Vigência Início Término Remuneração Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício em Total pago até o final do exercício 25/02/ /05/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição Data prevista de entrega Valor PRODUTO 1: Documento técnico contendo os itens adaptados da avaliação de letramento em papel e os seus respectivos codificadores. 06/04/ ,00 PRODUTO 2: Documento técnico contendo manual do aplicador e do coordenador da escola atualizado e adaptado, bem como a versão nacional final da avaliação de leitura em computador e do guia de codificação. Consultor contratado Nome do consultor:márcia SILVA TEIXEIRA CPF: Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: Pagamentos: Produto 1 02/05/2011 Produto 2 02/05/ /05/ ,00 155

156 Quadro XXXVIIn Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Educação do Século XXI: Educação, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Código do Contrato: 2011/ Valores R$ 1,00 Sigla Pnud Código BRA/04/049 Objetivo da consultoria: Atualizar, adaptar e estruturar os materiais da área de Matemática que farão parte do préteste do PISA 2012, a ser realizado em maio de 2011 no Brasil. Período de Vigência Início Término Remuneração Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício em Total pago até o final do exercício 24/02/ /05/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição PRODUTO 1: Documento técnico contendo a versão nacional final da avaliação de matemática e resolução de problemas em computador e da avaliação em papel e os seus respectivos guias de codificação. Consultor contratado Nome do consultor: SARA REJANE DE FREITAS OLIVEIRA CPF: Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: Pagamentos: Produto 1 02/05/2011 Data prevista de entrega Valor 11/05/ ,00 156

157 Quadro XXXVIIo Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Educação do Século XXI: Educação, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Código do Contrato: 2011/ Valores R$ 1,00 Sigla Pnud Código BRA/04/049 Objetivo da consultoria: Atualizar, adaptar e estruturar os materiais que farão parte do pré-teste do PISA 2012, com foco na análise e adequação dos materiais da área de Matemática no que se refere às competências a serem avaliadas, bem como ao emprego correto de termos de acordo com a linguagem própria da escola. Período de Vigência Início Término Remuneração Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício em Total pago até o final do exercício 15/02/ /04/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição PRODUTO 1: Documento técnico contendo o resultado da análise e adequação dos itens da avaliação de matemática e resolução de problemas em computador e dos itens da avaliação em papel e os seus respectivos codificadores no que se refere às competências a serem avaliadas, bem como ao emprego correto de termos de acordo com a linguagem própria da escola. Consultor contratado Nome do consultor: JORGE CÁSSIO COSTA NÓBRIGA CPF: Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: Pagamentos: Produto 1 16/05/2011 Data prevista de entrega Valor 18/04/ ,00 157

158 Quadro XXXVIIp Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Educação do Século XXI: Educação, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Código do Contrato: 2011/ Valores R$ 1,00 Sigla Pnud Código BRA/04/049 Objetivo da consultoria: Realizar a verificação da adequação à realidade brasileira dos itens da avaliação de leitura; bem como dos manuais do pré-teste do PISA 2012, a ser realizado em maio de 2011 no Brasil. Período de Vigência Início Término Remuneração Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício em Total pago até o final do exercício 17/02/ /04/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição Data prevista de entrega Valor PRODUTO 1: Documento técnico contendo análise e adequação dos itens da avaliação de leitura em computador e seus codificadores no que se refere às competências a serem avaliadas, bem como ao emprego correto de termos de 18/04/ ,00 acordo com a linguagem própria da escola e também a verificação da adequação à realidade brasileira desses instrumentos. Consultor contratado Nome do consultor: PAULA MARIA COBUCCI RIBEIRO CPF: DIAS Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: Pagamentos: Produto 1 02/05/

159 Quadro XXXVIIq Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Educação do Século XXI: Educação, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Código do Contrato: 2011/ Valores R$ 1,00 Sigla Pnud Código BRA/04/049 Objetivo da consultoria: Realizar a verificação da adequação à realidade brasileira dos itens da avaliação de leitura; bem como dos manuais do pré-teste do PISA 2012, a ser realizado em maio de 2011 no Brasil. Período de Vigência Início Término Remuneração Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício em Total pago até o final do exercício 21/02/ /04/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição PRODUTO 1: Documento técnico contendo verificação da adequação à realidade brasileira do manual do aplicador, manual do coordenador da escola e dos questionários da escola e do estudante. Consultor contratado Nome do consultor: SINARA BERTHOLDO DE ANDRADE CPF: Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: Pagamentos: Produto 1 02/05/2011 Data prevista de entrega Valor 25/04/ ,00 159

160 Quadro XXXVIIr Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Educação do Século XXI: Educação, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Código do Contrato: 2011/ Valores R$ 1,00 Sigla Pnud Código BRA/04/049 Objetivo da consultoria: Realizar a verificação da adequação à realidade brasileira dos itens da avaliação de matemática e resolução de problemas em computador e dos itens da avaliação em papel e seus respectivos codificadores do pré-teste, do PISA 2012 e seus codificadores, a ser realizado em maio de 2011 no Brasil. Período de Vigência Início Término Remuneração Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício em Total pago até o final do exercício 17/02/ /04/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição PRODUTO 1: Documento técnico contendo o resultado da verificação da adequação à realidade brasileira dos itens da avaliação de matemática e resolução de problemas em computador e dos itens da avaliação em papel e seus respectivos codificadores. Consultor contratado Nome do consultor: JANETE SANDER COSTA CPF: Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: Pagamentos: Produto 1 02/05/2011 Data prevista de entrega Valor 29/06/ ,00 160

161 Quadro XXXVIIs Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Valores R$ 1,00 em Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Educação do Século XXI: Educação, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Sigla Pnud Código BRA/04/049 Código do Contrato: 2011/ Objetivo da consultoria: Atualizar, adaptar e estruturar os materiais que farão parte do pré-teste do PISA 2012, sob o aspecto da organização final dos instrumentos e materiais que comporão o processo de teste a ser realizado em maio de Período de Vigência Remuneração Início Término Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício Total pago até o final do exercício 18/02/ /07/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição PRODUTO 1: Documento contendo Material de Orientação do Projeto Pisa para professores e diretores da Educação Básica PRODUTO 2: Documento contendo a versão nacional final dos questionários da escola e do estudante, elaborado a partir da consolidação das versões do Brasil e de Portugal PRODUTO 3: Documento técnico contendo descrição do processo para adaptação dos instrumentos do pré-teste do Pisa 2012; da metodologia empregada para estruturação dos materiais de aplicação e dos resultados obtidos. Consultor contratado Nome do consultor: ERIKA MÁRCIA BAPTISTA CARAMORI CPF: Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: Pagamentos: Produto 1 01/04/2011 Produto 2 16/05/2011 Produto 3 14/07/2011 Data prevista de entrega Valor 30/03/ ,00 16/05/ ,00 05/07/ ,00 161

162 Quadro XXXVIIt Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Educação do Século XXI: Educação, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Valores R$ 1,00 Sigla Pnud Código BRA/04/049 Código do Contrato: 2011/ Objetivo da consultoria: Realizar análise exploratória na base de dados do sistema de atendimento ao cidadão do Inep para apurar fenômenos que possam avaliar a sua atuação junto a estudantes, dirigentes de IES e demais gestores públicos, tendo por referência e foco às demandas recebidas no período de julho a dezembro de 2010, sobre a aplicação do Enem Período de Vigência Remuneração Início Término Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício em Total pago até o final do exercício 25/04/ /09/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição PRODUTO 1: Documento técnico "A" contendo resultado da análise exploratória das demandas recebidas para o Enem-2010, incluindo descritovo da justificativa e metodologia utilizada para análise da base de dados; bem como a base de dados das demandas do Enem-2010, corrigida e validada. PRODUTO 2: Documento técnico "B" contendo resultado da análise comparativa entre os resultados obtidos e o rol de elementos necessários para aplicação o Enem, com indicação de melhorias e detalhamento de elementos necessários à realização de pesquisa ampla de satisfação. Consultor contratado Nome do consultor: ROBERTO ALMEIDA CAMPOS DE OLIVEIRA Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: Pagamentos: Produto 1 29/07/2011 Produto 2 23/09/2011 CPF: Data prevista de entrega Valor 04/07/ ,00 08/09/ ,00 162

163 Quadro XXXVIIu Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Educação do Século XXI: Educação, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Código do Contrato: 2011/ Valores R$ 1,00 Sigla Pnud Código BRA/04/049 Objetivo da consultoria: Consultoria especializada para organizar, consolidar e elaborar manuais relativos aos procedimentos de aplicação dos exames do INEP Período de Vigência Início Término Remuneração Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício em Total pago até o final do exercício 18/07/ /12/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição PRODUTO 1 - Documento técnico contendo Manual operacional contendo a metodologia de aplicação dos Pré-Testes e a identificação das interfaces internas e externas. PRODUTO 2 Documento técnico contendo Manual operacional contendo a descrição da metodologia de aplicação do ENEM e a identificação das interfaces internas e externas. PRODUTO 3 Documento técnico contendo Manual operacional contendo a descrição da metodologia de aplicação do ENCCEJA e a identificação das interfaces internas e externas. PRODUTO 4 Documento técnico contendo Manual operacional contendo a descrição da metodologia de aplicação do ENADE e a identificação das interfaces internas e externas. PRODUTO 5 Documento técnico contendo Manual operacional contendo a descrição da metodologia de aplicação da PROVA BRASIL e a identificação das interfaces internas e externas. Consultor contratado Nome do consultor: ÂNGELA MÁRCIA LOUREIRO PEROCCO Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: Pagamentos: Produto 1 03/10/2011 Produto 2 31/10/2011 Produto 3 29/11/2011 Produto 4 12/12/2011 Produto 5 13/01/2012 CPF: Data prevista de entrega Valor 01/09/ ,00 21/09/ ,00 26/10/ ,00 15/11/ ,00 15/12/ ,00 163

164 Quadro XXXVIIv Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Educação do Século XXI: Educação, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Valores R$ 1,00 Sigla Pnud Código BRA/04/049 Código do Contrato: 2011/ Objetivo da consultoria: Realizar o delineamento amostral para realização da Pesquisa de Controle de Qualidade do Censo Escolar 2011, contemplando a definição, seleção e fornecimento da amostra de escolas características do plano amostral, universo de investigação, unidade amostral, variável de interesse, estratos de interesse, estratos de seleção, dimensionamento da amostra, critérios de substituição de escolas perdidas, calculo do erro da amostra, calculo dos pesos amostrais, critério de expansão dos dados. Período de Vigência Remuneração Início Término Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício em Total pago até o final do exercício 07/07/ /03/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição Data prevista de entrega Valor PRODUTO 1: D1.a - Docto contendo definição e detalhamento do Plano Amostral para realização da Pesquisa de Controle de Qualidade do Censo Escolar 2011, especificando todas as etapas, os critérios e as decisões aplicadas, tais como as definições, tamanho da amostra, as unidades de aplicação, as unidades de reposição, estimadores, estratos de interesse, municípios de localização das escolas da amostra e demais informações pertinentes. D1.b - Base de Dados contendo amostra preliminar selecionada para realização da Pesquisa de Controle de Qualidade do Censo Escolar 2011, com base no cadastro de escolas do Censo Escolar 2010 (contendo o cadastro da escola com logradouro, número de matriculas do ensino fundamental por série, código e nome da escola, código e nome do município de localização da escola.) 15/08/ ,00 PRODUTO 2: D2 Docto contendo a amostra definitiva das escolas selecionada para realização da Pesquisa de Controle de Qualidade do Censo Escolar 2011, com base nos dados do Censo Escolar 2011, sendo essa um ajuste da amostra preliminar selecionada com base nos dados do Censo Escolar 2010, detalhando o critério e procedimentos para a identificação das escolas substitutas e contendo informações de logradouro, número de matriculas do ensino fundamental por série, código e nome da escola, código e nome do município de localização da escola. PRODUTO 3: D3.a Docto contendo o detalhamento dos procedimentos técnicos adotados para o cálculo das estimativas finais das matrículas no ensino fundamental regular, respectivos erros amostrais e intervalos de confiança para o total Brasil e para os estratos de interesse da Pesquisa de Controle de Qualidade do Censo Escolar 2011 e informações necessárias para serem utilizadas em futuras análises estatísticas. D3.b - Base de dados contendo estimativas finais das matrículas no ensino fundamental regular, respectivos erros amostrais e intervalos de confiança para o total Brasil e para os estratos de interesse da Pesquisa de Controle de Qualidade do Censo Consultor contratado Nome do consultor: MILTON MATTOS DE SOUZA CPF: Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: Pagamentos: Produto 1 06/09/2011 Produto 3 a vencer Produto 2 14/10/ /09/ ,00 15/03/ ,00 164

165 Quadro XXXVIIw Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Educação do Século XXI: Educação, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Valores R$ 1,00 Sigla Pnud Código BRA/04/049 Código do Contrato:2011/ Objetivo da consultoria: Pesquisar as realidades educacionais das escolas indígenas na Região Norte - Roraima (escolas do povo Yanomâmi), apontando caractéristicas e destacando especificidades de seus projetos Políticopedagógicos. Período de Vigência Remuneração Início Término Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício em Total pago até o final do exercício 26/09/ /04/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição Data prevista de entrega Valor Documento contendo Estudo Técnico 1: Documento contendo a proposta metodológica e instrumentos de coleta sobre os projetos políticos-pedagógicos das escolas indígenas do povo Yanomâmi. 26/10/ ,00 Documento contendo Estudo Técnico 2: Documento técnico contendo estudo sobre a realidade educacional do povo Yanomãmi, de acordo com a metodologia aprovada no produto 1, bem como reflexão acerca das discurssões e sugestões expostas em reuniões com o Inep e Secad/MEC e Funai. Consultor contratado 30/04/ ,00 Nome do consultor: MARCO ANTÔNIO LAZARIN CPF: Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: A vigência inicial do contrato era até 30/12/2011. Aditivo de prazo: 1º aditivo 30/12/2011 a 30/04/2012 Pagamentos: Produto 1 05/12/2011 Produto 2 a vencer 165

166 Quadro XXXVIIx Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Educação do Século XXI: Educação, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Código do Contrato: 2011/ Valores R$ 1,00 Sigla Pnud Código BRA/04/049 Objetivo da consultoria: Pesquisar as realidades educacionais das escolas indígenas na Região Norte 2 - Alto Rio Negro (escolas dos povos Tuyuka e Baniwa da região de São Gabriel da Cachoeira - AM), apontando características e destacando especificidades de seus Projetos Político-pedagógicos. Período de Vigência Início Término Remuneração Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício em Total pago até o final do exercício 26/09/ /04/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição Documento contendo Estudo Técnico 1: Documento contendo a proposta metodológica e instrumentos de coleta sobre os projetos político-pedagógicos das escolas indígenas dos povos Tuyuka e Baniwa. Documento contendo Estudo Técnico 2: Documento técnico contendo estudo sobre a realidade educacional dos povos Tuyuka e Baniwa, de acordo com a metodologia aprovada no produto 1, bem como reflexão acerca das discussões e sugestões expostas em reuniões com o Inep e Secad/Mec e Funai. Consultor contratado Nome do consultor: LAISE LOPES DINIZ CPF: Data prevista de entrega Valor 26/10/ ,00 30/04/ ,00 Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: A vigência inicial do contrato era até 30/12/2011. Aditivo de prazo: 1º aditivo 30/12/2011 a 30/04/2012 Pagamentos: Produto 1 14/12/2011 Produto 2 a vencer 166

167 Quadro XXXVIIy Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Educação do Século XXI: Educação, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Código do Contrato: 2011/ Valores R$ 1,00 Sigla Pnud Código BRA/04/049 em Objetivo da consultoria: Pesquisar as realidades educacionais das escolas indígenas na Região Centro-Oeste - Mato Grosso (escolas dos povos Ikpeng e Kuikuro da região do Alto da Terra Indígena Xingu), apontando características e destacando especificidades de seus Projetos Político-pedagógicos; Período de Vigência Início Término Remuneração Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício Total pago até o final do exercício 26/09/ /02/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição Documento contendo Estudo Técnico 1: Documento contendo a proposta metodológica e instrumentos de coleta sobre os projetos político-pedagógicos das escolas indígenas dos povos Ikpeng e Kuikuro. Documento contendo Estudo Técnico 2: Documento técnico contendo estudo sobre a realidade educacional dos povos Ikpeng e Kuikuro, de acordo com a metodologia aprovada no produto 1, bem como reflexão acerca das discussões e sugestões expostas em reuniões com o Inep e Secad/Mec e Funai. Consultor contratado Nome do consultor: EDINALDIMAR BARBOSA DA SILVA CPF: Data prevista de entrega Valor 26/10/ ,00 29/02/ ,00 Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: A vigência inicial do contrato era até 30/12/2011. Aditivo de prazo: 1º aditivo 30/12/2011 a 29/02/2012. Pagamentos: Produto 1 05/12/2012 Produto 2 a vencer 167

168 Quadro XXXVIIz Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Educação do Século XXI: Educação, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Código do Contrato: 2011/ Valores R$ 1,00 Sigla Pnud Código BRA/04/049 Objetivo da consultoria: Pesquisar as realidades educacionais das escolas indígenas na Região Nordeste - Pernambuco (escolas do povo Xucuru), apontando características e destacando especificidades de seus Projetos Político-pedagógicos Período de Vigência Início Término Remuneração Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício em Total pago até o final do exercício 26/09/ /04/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição Documento contendo Estudo Técnico 1: Documento contendo a proposta metodológica e instrumentos de coleta sobre os projetos político-pedagógicos das escolas indígenas do povo Xucuru. Documento contendo Estudo Técnico 2: Documento técnico contendo estudo sobre a realidade educacional do povo Xucuru, de acordo com a metodologia aprovada no produto 1, bem como reflexão acerca das discussões e sugestões expostas em reuniões com o Inep e Secad/Mec e Funai. Consultor contratado Nome do consultor: CAROLINE FARIAS LEAL MENDONÇA CPF: Data prevista de entrega Valor 26/10/ ,00 30/04/ ,00 Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: A vigência inicial do contrato era até 30/12/2011. Aditivo de prazo: 1º aditivo 30/12/2011 a 30/04/2012. Pagamentos: Produto 1 05/12/2012 Produto 2 a vencer 168

169 Quadro XXXVIIaa Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Educação do Século XXI: Educação, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Valores R$ 1,00 Sigla Pnud Código BRA/04/049 Código do Contrato: 2011/ Objetivo da consultoria: Elaborar instrumentos metodológicos e de coleta de informações relativas ao desempenho das escolas e dos alunos indígenas nas avaliações SAEB/Prova Brasil, Provinha Brasil, Encceja e Enem, tendo por fonte de pesquisa a Base de Dados do Censo Escolar do Inep e os indicadores de desempenho utilizados por este órgão. Período de Vigência Remuneração Início Término Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício em Total pago até o final do exercício 12/09/ /03/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição PRODUTO 1: Documento contendo a proposta de metodologia e de instrumentos de coleta ampla de dados sobre os indicadores de desempenho das escolas e estudantes indígenas brasileiros nas avaliações educacionais Saeb/Prova Brasil, Provinha Brasil, Encceja e Enem, especificando, quando possível, os dados pertinentes à situação das escolas e estudantes dos povos indígenas Yanomâmi, Baniwa, Tuyuka, Ikpeng, Kuikuro e Xucuru. PRODUTO 2: Documento contendo Estudo Analítico sobre os indicadores de desempenho de estudantes e escolas indígenas brasileiras, e, quando possível, incluindo também a interpretação e análise específicas dos indicadores de desempenho das escolas e estudantes dos povos indígenas Yanomâmi, Baniwa, Tuyuka, Ikpeng, Kuikuro e Xucuru nas avaliações Saeb/Prova Brasil, Provinha Brasil, Encceja e Enem. Consultor contratado Data prevista de entrega Valor 11/10/ ,00 20/03/ ,00 Nome do consultor: DENISE REIS COSTA CPF: Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: A vigência inicial do contrato era até 12/12/2011. Aditivo de prazo: 1º aditivo 12/12/2011 a 30/12/2012; 2º aditivo 30/12/2011 a 10/02/2012; 3º aditivo 10/02/2012 a 20/03/2012. Pagamentos: Produto 1 14/12/2011 Produto 2 a vencer 169

170 Quadro XXXVIIab Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Valores R$ 1,00 Sigla PNUD Código Educação do Século XXI: Estudos, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais BRA 04/049 Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Código do Contrato: 2011/ Objetivo da consultoria: Realizar estudos avaliativos de experiências inovadoras em educação selecionadas pelo Inep cujos resultados subsidiarão a tomada de decisão da Comissão Julgadora na indicação de 10(dez) experiências educacionais de 10(dez) municípios distintos para o Prêmio Inovação em Gestão Educacional Período de Vigência Início Término Remuneração Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício em Total pago até o final do exercício 05/10/ /12/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição Produto 1- Documento técnico contendo: Descritivo sobre o processo de avaliação in loco das 4 (quatro) experiências observadas, com registros fotográficos, registro das entrevistas e documentos disponibilizados pelas secretarias de educação; Relatórios de Avaliação in loco (Experiências 1 e 2), com no mínimo 15 e no máximo 20 páginas, cada, contemplando os seguintes cinco tópicos: Contexto Local; Antecedentes; Foco e Implementação da Inovação; Resultados e Impactos da Inovação; Limites, Possibilidade e Desafios da Inovação Produto 2 - Dois documentos expositivos (para uma futura publicação pelo Inep) sobre os aspectos observados e analisados na avaliação in loco das experiências 1 e 2, abordando os seguintes tópicos: contexto, descrição da experiência, caracterização dos desafios, objetivos, caráter inovador da experiência; soluções inovadoras; principais resultados; recursos utilizados; parcerias estabelecidas e aprendizado do município. Consultor contratado Nome do consultor: Gilmara da Silva CPF: Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: Pagamentos: Produto 1 15/12/2011 Produto 2 17/01/2012 Data prevista de entrega Valor 30/11/ ,00 30/12/ ,00 170

171 Quadro XXXVIIac Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Valores R$ 1,00 Sigla PNUD Código Educação do Século XXI: Estudos, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais BRA 04/049 Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Código do Contrato: 2011/ Objetivo da consultoria: Realizar estudos avaliativos de experiências inovadoras em educação selecionadas pelo Inep cujos resultados subsidiarão a tomada de decisão da Comissão Julgadora na indicação de 10(dez) experiências educacionais de 10(dez) municípios distintos para o Prêmio Inovação em Gestão Educacional Período de Vigência Início Término Remuneração Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício em Total pago até o final do exercício 05/10/ /12/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição Produto 1- Documento técnico contendo: Descritivo sobre o processo de avaliação in loco das 4 (quatro) experiências observadas, com registros fotográficos, registro das entrevistas e documentos disponibilizados pelas secretarias de educação; Relatórios de Avaliação in loco (Experiências 11 e 12), com no mínimo 15 e no máximo 20 páginas, cada, contemplando os seguintes cinco tópicos: Contexto Local; Antecedentes; Foco e Implementação da Inovação; Resultados e Impactos da Inovação; Limites, Possibilidade e Desafios da Inovação Produto 2 - Dois documentos expositivos (para uma futura publicação pelo Inep) sobre os aspectos observados e analisados na avaliação in loco das experiências 11 e 12, abordando os seguintes tópicos: contexto, descrição da experiência, caracterização dos desafios, objetivos, caráter inovador da experiência; soluções inovadoras; principais resultados; recursos utilizados; parcerias estabelecidas e aprendizado do município. Consultor contratado Nome do consultor: Frederico Neves Condé CPF: Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: Pagamentos: Produto 1 14/12/2011 Produto 2 17/01/2012 Data prevista de entrega Valor 30/11/ ,00 30/12/ ,00 171

172 Quadro XXXVIIad Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Valores R$ 1,00 Sigla PNUD Código Educação do Século XXI: Estudos, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais BRA 04/049 Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Código do Contrato: 2011/ Objetivo da consultoria: Realizar estudos avaliativos de experiências inovadoras em educação selecionadas pelo Inep cujos resultados subsidiarão a tomada de decisão da Comissão Julgadora na indicação de 10(dez) experiências educacionais de 10(dez) municípios distintos para o Prêmio Inovação em Gestão Educacional Período de Vigência Início Término Remuneração Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício em Total pago até o final do exercício 05/10/ /12/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição Produto 1 - Documento técnico contendo: Descritivo sobre o processo de avaliação in loco das 4 (quatro) experiências observadas, com registros fotográficos, registro das entrevistas e documentos disponibilizados pelas secretarias de educação; Relatórios de Avaliação in loco (Experiências 13 e 14), com no mínimo 15 e no máximo 20 páginas, cada, contemplando os seguintes cinco tópicos: Contexto Local; Antecedentes; Foco e Implementação da Inovação; Resultados e Impactos da Inovação; Limites, Possibilidade e Desafios da Inovação. Produto 2 - Dois documentos expositivos (para uma futura publicação pelo Inep) sobre os aspectos observados e analisados na avaliação in loco das experiências 13 e 14, abordando os seguintes tópicos: contexto, descrição da experiência, caracterização dos desafios, objetivos, caráter inovador da experiência; soluções inovadoras; principais resultados; recursos utilizados; parcerias estabelecidas e aprendizado do município. Consultor contratado Nome do consultor: Fabiane Robl CPF: Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: Pagamentos: Produto 1 14/12/2011 Produto 2 17/01/2012 Data prevista de entrega Valor 30/11/ ,00 30/12/ ,00 172

173 Quadro XXXVIIae Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Valores R$ 1,00 Sigla PNUD Código Educação do Século XXI: Estudos, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais BRA 04/049 Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Código do Contrato: 2011/ em Objetivo da consultoria: Realizar estudos avaliativos de experiências inovadoras em educação selecionadas pelo Inep cujos resultados subsidiarão a tomada de decisão da Comissão Julgadora na indicação de 10(dez) experiências educacionais de 10(dez) municípios distintos para o Prêmio Inovação em Gestão Educacional Período de Vigência Início Término Remuneração Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício Total pago até o final do exercício 05/10/ /12/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição Produto 1 - Documento técnico contendo: Descritivo sobre o processo de avaliação in loco das 4 (quatro) experiências observadas, com registros fotográficos, registro das entrevistas e documentos disponibilizados pelas secretarias de educação; Relatórios de Avaliação in loco (Experiências 15 e 16), com no mínimo 15 e no máximo 20 páginas, cada, contemplando os seguintes cinco tópicos: Contexto Local; Antecedentes; Foco e Implementação da Inovação; Resultados e Impactos da Inovação; Limites, Possibilidade e Desafios da Inovação. Produto 2 - Dois documentos expositivos (para uma futura publicação pelo Inep) sobre os aspectos observados e analisados na avaliação in loco das experiências 15 e 16, abordando os seguintes tópicos: contexto, descrição da experiência, caracterização dos desafios, objetivos, caráter inovador da experiência; soluções inovadoras; principais resultados; recursos utilizados; parcerias estabelecidas e aprendizado do município. Consultor contratado Nome do consultor: Daisy Clécia Vasconcelos da Silva CPF: Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: Pagamentos: Produto 1 15/12/2011 Produto 2 17/01/2012 Data prevista de entrega Valor 30/11/ ,00 30/12/ ,00 173

174 Quadro XXXVIIaf Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Valores R$ 1,00 Sigla PNUD Código Educação do Século XXI: Estudos, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais BRA 04/049 Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Código do Contrato: 2011/ Objetivo da consultoria: Realizar estudos avaliativos de experiências inovadoras em educação selecionadas pelo Inep cujos resultados subsidiarão a tomada de decisão da Comissão Julgadora na indicação de 10(dez) experiências educacionais de 10(dez) municípios distintos para o Prêmio Inovação em Gestão Educacional Período de Vigência Início Término Remuneração Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício em Total pago até o final do exercício 05/10/ /12/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição Produto 1 - Documento técnico contendo: Descritivo sobre o processo de avaliação in loco das 4 (quatro) experiências observadas, com registros fotográficos, registro das entrevistas e documentos disponibilizados pelas secretarias de educação; Relatórios de Avaliação in loco (Experiências 17 e 18), com no mínimo 15 e no máximo 20 páginas, cada, contemplando os seguintes cinco tópicos: Contexto Local; Antecedentes; Foco e Implementação da Inovação; Resultados e Impactos da Inovação; Limites, Possibilidade e Desafios da Inovação. Produto 2 - Dois documentos expositivos (para uma futura publicação pelo Inep) sobre os aspectos observados e analisados na avaliação in loco das experiências 17 e 18, abordando os seguintes tópicos: contexto, descrição da experiência, caracterização dos desafios, objetivos, caráter inovador da experiência; soluções inovadoras; principais resultados; recursos utilizados; parcerias estabelecidas e aprendizado do município. Consultor contratado Nome do consultor: Alexandre Martins Joca CPF: Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: Pagamentos: Produto 1 16/12/2011 Produto 2 17/01/2012 Data prevista de entrega Valor 30/11/ ,00 30/12/ ,00 174

175 Quadro XXXVIIag Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Valores R$ 1,00 Sigla PNUD Código Educação do Século XXI: Estudos, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais BRA 04/049 Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Código do Contrato: 2011/ Objetivo da consultoria: Realizar estudos avaliativos de experiências inovadoras em educação selecionadas pelo Inep cujos resultados subsidiarão a tomada de decisão da Comissão Julgadora na indicação de 10(dez) experiências educacionais de 10(dez) municípios distintos para o Prêmio Inovação em Gestão Educacional Período de Vigência Início Término Remuneração Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício em Total pago até o final do exercício 05/10/ /12/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição Produto 1 - Documento técnico contendo: Descritivo sobre o processo de avaliação in loco das 4 (quatro) experiências observadas, com registros fotográficos, registro das entrevistas e documentos disponibilizados pelas secretarias de educação; Relatórios de Avaliação in loco (Experiências 9 e 10), com no mínimo 15 e no máximo 20 páginas, cada, contemplando os seguintes cinco tópicos: Contexto Local; Antecedentes; Foco e Implementação da Inovação; Resultados e Impactos da Inovação; Limites, Possibilidade e Desafios da Inovação. Produto 2 - Dois documentos expositivos (para uma futura publicação pelo Inep) sobre os aspectos observados e analisados na avaliação in loco das experiências 9 e 10, abordando os seguintes tópicos: contexto, descrição da experiência, caracterização dos desafios, objetivos, caráter inovador da experiência; soluções inovadoras; principais resultados; recursos utilizados; parcerias estabelecidas e aprendizado do município. Consultor contratado Nome do consultor: Gláucia Melasso Garcia de Carvalho CPF: Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: Pagamentos: Produto 1 14/12/2011 Produto 2 17/01/2012 Data prevista de entrega Valor 30/11/ ,00 30/12/ ,00 175

176 Quadro XXXVIIah Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Valores R$ 1,00 Sigla PNUD Código Educação do Século XXI: Estudos, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais BRA 04/049 Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Código do Contrato: 2011/00395 Objetivo da consultoria: Realizar estudos avaliativos de experiências inovadoras em educação selecionadas pelo Inep cujos resultados subsidiarão a tomada de decisão da Comissão Julgadora na indicação de 10(dez) experiências educacionais de 10(dez) municípios distintos para o Prêmio Inovação em Gestão Educacional Período de Vigência Início Término Remuneração Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício em Total pago até o final do exercício 05/10/ /12/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição Produto 1 - Documento técnico contendo: Descritivo sobre o processo de avaliação in loco das 4 (quatro) experiências observadas, com registros fotográficos, registro das entrevistas e documentos disponibilizados pelas secretarias de educação; Relatórios de Avaliação in loco (Experiências 19 e 20), com no mínimo 15 e no máximo 20 páginas, cada, contemplando os seguintes cinco tópicos: Contexto Local; Antecedentes; Foco e Implementação da Inovação; Resultados e Impactos da Inovação; Limites, Possibilidade e Desafios da Inovação. Produto 2 - Dois documentos expositivos (para uma futura publicação pelo Inep) sobre os aspectos observados e analisados na avaliação in loco das experiências 19 e 20, abordando os seguintes tópicos: contexto, descrição da experiência, caracterização dos desafios, objetivos, caráter inovador da experiência; soluções inovadoras; principais resultados; recursos utilizados; parcerias estabelecidas e aprendizado do município. Consultor contratado Nome do consultor: Marina Ranieri Cesana CPF: Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: Pagamentos: Produto 1 15/12/2011 Produto 2 17/01/2012 Data prevista de entrega Valor 30/11/ ,00 30/12/ ,00 176

177 Quadro XXXVIIai Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Valores R$ 1,00 Sigla PNUD Código Educação do Século XXI: Estudos, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais BRA 04/049 Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Código do Contrato: 2011/ Objetivo da consultoria: Realizar estudos avaliativos de experiências inovadoras em educação selecionadas pelo Inep cujos resultados subsidiarão a tomada de decisão da Comissão Julgadora na indicação de 10(dez) experiências educacionais de 10(dez) municípios distintos para o Prêmio Inovação em Gestão Educacional Período de Vigência Início Término Remuneração Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício em Total pago até o final do exercício 05/10/ /12/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição Produto 1 - Documento técnico contendo: Descritivo sobre o processo de avaliação in loco das 4 (quatro) experiências observadas, com registros fotográficos, registro das entrevistas e documentos disponibilizados pelas secretarias de educação; Relatórios de Avaliação in loco (Experiências 5 e 6), com no mínimo 15 e no máximo 20 páginas, cada, contemplando os seguintes cinco tópicos: Contexto Local; Antecedentes; Foco e Implementação da Inovação; Resultados e Impactos da Inovação; Limites, Possibilidade e Desafios da Inovação. Produto 2 - Dois documentos expositivos (para uma futura publicação pelo Inep) sobre os aspectos observados e analisados na avaliação in loco das experiências 5 e 6, abordando os seguintes tópicos: contexto, descrição da experiência, caracterização dos desafios, objetivos, caráter inovador da experiência; soluções inovadoras; principais resultados; recursos utilizados; parcerias estabelecidas e aprendizado do município. Consultor contratado Nome do consultor: Maria do Pilar Cunha e Silva CPF: Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: Pagamentos: Produto 1 15/12/2011 Produto 2 17/01/2012 Data prevista de entrega Valor 30/11/ ,00 30/12/ ,00 177

178 Quadro XXXVIIaj Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Valores R$ 1,00 Sigla PNUD Código Educação do Século XXI: Estudos, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais BRA 04/049 Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Código do Contrato: 2011/ Objetivo da consultoria: Realizar estudos avaliativos de experiências inovadoras em educação selecionadas pelo Inep cujos resultados subsidiarão a tomada de decisão da Comissão Julgadora na indicação de 10(dez) experiências educacionais de 10(dez) municípios distintos para o Prêmio Inovação em Gestão Educacional Período de Vigência Início Término Remuneração Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício em Total pago até o final do exercício 05/10/ /12/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição Produto 1 - Documento técnico contendo: Descritivo sobre o processo de avaliação in loco das 4 (quatro) experiências observadas, com registros fotográficos, registro das entrevistas e documentos disponibilizados pelas secretarias de educação; Relatórios de Avaliação in loco (Experiências 3 e 4), com no mínimo 15 e no máximo 20 páginas, cada, contemplando os seguintes cinco tópicos: Contexto Local; Antecedentes; Foco e Implementação da Inovação; Resultados e Impactos da Inovação; Limites, Possibilidade e Desafios da Inovação. Produto 2 - Dois documentos expositivos (para uma futura publicação pelo Inep) sobre os aspectos observados e analisados na avaliação in loco das experiências 3 e 4, abordando os seguintes tópicos: contexto, descrição da experiência, caracterização dos desafios, objetivos, caráter inovador da experiência; soluções inovadoras; principais resultados; recursos utilizados; parcerias estabelecidas e aprendizado do município. Consultor contratado Nome do consultor: Maria das Graças Galvão de Souza CPF: Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: Pagamentos: Produto 1 15/12/2011 Produto 2 16/12/2011 Data prevista de entrega Valor 30/11/ ,00 30/12/ ,00 178

179 Quadro XXXVIIak Consultores contratados na modalidade produto no âmbito dos projetos de cooperação técnica com organismos internacionais Identificação da Organização Internacional Cooperante Nome da Organização Programa das Nações Unidas para o desenvolvimento Identificação do(s) Projeto(s) de Cooperação Técnica Título do Projeto Valores R$ 1,00 Sigla PNUD Código Educação do Século XXI: Estudos, Pesquisas, Estatísticas e Avaliações Educacionais BRA 04/049 Informações sobre os contratos de consultoria na modalidade Produto Código do Contrato: 2011/ Objetivo da consultoria: Realizar estudos avaliativos de experiências inovadoras em educação selecionadas pelo Inep cujos resultados subsidiarão a tomada de decisão da Comissão Julgadora na indicação de 10(dez) experiências educacionais de 10(dez) municípios distintos para o Prêmio Inovação em Gestão Educacional Período de Vigência Início Término Remuneração Total Previsto no contrato Total previsto no exercício Total pago no exercício em Total pago até o final do exercício 05/10/ /12/ , , , ,00 Insumos Externos Honorários, passagens e diárias Produtos Contratados Descrição Produto 1 - Documento técnico contendo: Descritivo sobre o processo de avaliação in loco das 4 (quatro) experiências observadas, com registros fotográficos, registro das entrevistas e documentos disponibilizados pelas secretarias de educação; Relatórios de Avaliação in loco (Experiências 7 e 8), com no mínimo 15 e no máximo 20 páginas, cada, contemplando os seguintes cinco tópicos: Contexto Local; Antecedentes; Foco e Implementação da Inovação; Resultados e Impactos da Inovação; Limites, Possibilidade e Desafios da Inovação. Produto 2 - Dois documentos expositivos (para uma futura publicação pelo Inep) sobre os aspectos observados e analisados na avaliação in loco das experiências 7 e 8, abordando os seguintes tópicos: contexto, descrição da experiência, caracterização dos desafios, objetivos, caráter inovador da experiência; soluções inovadoras; principais resultados; recursos utilizados; parcerias estabelecidas e aprendizado do município. Consultor contratado Nome do consultor: Luciana Beatriz de Oliveira Bar de Carvalho CPF: Observações sobre a execução físico/financeira do contrato: Pagamentos: Produto 1 14/12/2011 Produto 2 17/01/2012 Data prevista de entrega Valor 30/11/ ,00 30/12/ ,00 179

180 Segue abaixo análise referente às contratações de consultores, conforme apresentado pelas respectivas áreas demandantes: DEED No que tange o trabalho realizado pelo Consultor Milton Mattos de Souza no âmbito do Projeto 04/049 e analisando os resultados alcançados no exercício de 2011, informamos que a contratação foi eficaz, posto que atendeu aos objetivos do Inep constantes em contrato, tendo sido realizado o delineamento amostral para realização da Pesquisa de Controle de Qualidade do Censo Escolar 2011, contemplando a definição, seleção e fornecimento da amostra de escolas características do plano amostral, universo de investigação, unidade amostral, variável de interesse, estratos de interesse, estratos de seleção, dimensionamento da amostra, critérios de substituição de escolas perdidas, calculo do erro da amostra. Cabe salientar a importância da contratação para garantir o atingimento dos resultados pretendidos com a Pesquisa de Controle de Qualidade 2011 e a oportunidade de aquisição de novos conhecimentos especializados, por parte dos técnicos do Inep, no acompanhamento de pesquisas amostrais probabilísticas, na elaboração de relatórios de análises estatísticas baseados em dados coletados em pesquisas amostrais probabilísticas e o no tratamento e manipulação dessas bases de dados. Ressaltamos que houve apenas uma intercorrência administrativa no período de vigência do contrato, relacionada com a necessidade de prorrogação da data de entrega último produto do consultor (produto 3), prevista inicialmente para o dia 31/12/2011, e prorrogada para o dia 15/03/2012, em razão da sua execução estar vinculada à entrega do Produto D8 - Análise, conclusões e recomendações do contrato com a empresa Datamétrica Consultoria, Pesquisa e Telemarketing que sofreu atraso em função da necessidade de republicação do Edital do Pregão Eletrônico 12/2011/DEED, no qual a referida empresa foi vencedora. É importante informar que essa questão foi devidamente equacionada e superada, não prejudicando os resultados dos trabalhos. DAEB O Projeto deve efetivamente alavancar as iniciativas relativas à pesquisa do Inep. Para tanto, em 2011, foram contratados consultores na modalidade produto com objetivo de desenvolver novas metodologias e construir conhecimento a fim de criar subsídios para constituição de avaliações educacionais específicas dos povos indígenas pela Diretoria. Também, foi feita contratação por produto para atualizar, adaptar e estruturar todo o material relativo à aplicação do pré-teste do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa) Em 2012, pretendemos finalizar as pesquisas e estudos já iniciados, a exemplo da investigação da realidade educacional indígena, criando subsídios para implementação de avaliações educacionais específicas para povos indígenas tendo por fonte de pesquisa a Base de Dados do Censo Escolar do Inep e os indicadores de desempenho utilizados por este Órgão. Ainda se pretende realizar pesquisas relativas à Testagem Adaptativa Computadorizada (CAT), estudos de consistência e validade dos parâmetros psicométricos, das bases de dados e preparação de Microdados, analisar e disseminar os dados das avaliações realizadas pela Daeb, realizar estudos para reorientações metodológicas em avaliações educacionais institucionais 180

181 valorizando a diversidade cultural dos povos indígenas, entre outras investigações para a melhoria da qualidade da Educação Básica. DTDIE Em 2011, no âmbito do Projeto BRA/04/049, foram contratadas duas consultorias na modalidade produto as quais foram de fundamental importância para o Inep, as quais possibilitaram: 1. a implementação do SIGA - Sistema Gerencial de Acompanhamento, sistema este que permite a visualização, em tempo real e por gráficos e mapas, de indicadores referentes aos exames e programas educacionais realizados pelo Inep, de forma a subsidiar o acompanhamento, o monitoramento e a tomada de decisão. O sistema em questão foi utilizado com muito sucesso na última edição do Exame Nacional do Ensino Médio ENEM. 2. apresentar análises e proposições destinadas à disponibilização, no Portal de Software Público, de ferramentas e sistemas desenvolvidos pelo Inep. Portanto, considerando que a Diretoria de Tecnologia e Disseminação de Informações Educacionais agregou grande conhecimento e experiência no ano de 2011, por meio da incorporação dos resultados obtidos nos produtos das duas consultorias prestadas, a intenção desta Diretoria é a de permanecer no contínuo processo de evolução e melhoria tecnológica, por meio da utilização de metodologias e processos atuais, inovadores, modernos, ágeis e seguros. Nesse sentido a DTDIE tem realizado várias análises e discussões, a fim de otimizar a implementação do Projeto BRA/04/049, de forma a trazer ganhos e melhorias nos processos internos. Nessas análises, foram identificadas necessidades focadas na avaliação e na melhoria da qualidade dos processos e sistemas desenvolvidos na Diretoria que, em 2012, promoverá os meios para a contratação de consultoria especializada, de forma a agregar resultados eficientes na qualidade e metodologia internas. DAES No intuito de melhorar a qualidade e fortalecer as ações em desenvolvimento, foram contratadas 5 (cinco) Consultores(as) para a realização de estudos referentes às áreas avaliadas pelo Enade 2005 e 2008, que foram: Arquitetura e Urbanismo, Biologia, Ciências Sociais, Computação, Engenharia, Filosofia, Física, Geografia, História, Letras, Matemática, Pedagogia, Química, Tecnologia em Alimentos, Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Tecnologia em Automação Industrial, Tecnologia em Construção de Edifícios, Tecnologia em Fabricação Mecânica, Tecnologia em Gestão da Produção Industrial, Tecnologia em Manutenção Industrial, Tecnologia em Processos Químicos, Tecnologia em Redes de Computadores e Tecnologia em Saneamento Ambiental. Dos estudos realizados, buscou-se: 181

182 1. analisar os resultados do Enade 2005 e 2008 nos cursos Arquitetura e Urbanismo, Engenharia e Pedagogia, focalizando o desempenho dos estudantes na prova, buscando apreender o que instituições e cursos agregaram ao conhecimento dos estudantes; 2. caracterizar os cursos em cada região geográfica do país em sua distribuição por área, por unidade federativa, por categoria administrativa e por organização acadêmica a partir do CPC obtido e considerando cada uma das três dimensões da Avaliação de Cursos de Graduação. No estudo, foram analisadas as justificativas e ações propostas apresentadas por cursos que obtiveram CPC insatisfatório e as justificativas dos cursos com CPC satisfatório; 3. contribuir para o aperfeiçoamento do processo permanente de autoavaliação institucional e dos instrumentos de avaliação utilizados. Para tanto, foi realizada a análise dos relatórios de autoavaliação produzidos pelas Comissões Próprias de Avaliação (CPAs) das IES com cursos avaliados nas áreas das Arquitetura e Urbanismo, Biologia, Ciências Sociais, Computação, Engenharia, Filosofia, Física, Geografia, História, Letras, Matemática, Pedagogia, Química, Tecnologia em Alimentos, Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Tecnologia em Automação Industrial, Tecnologia em Construção de Edifícios, Tecnologia em Fabricação Mecânica, Tecnologia em Gestão da Produção Industrial, Tecnologia em Manutenção Industrial, Tecnologia em Processos Químicos, Tecnologia em Redes de Computadores e Tecnologia em Saneamento Ambiental em fase de renovação de reconhecimento. A análise foi definida com base nas orientações da Conaes em consonância com as dez dimensões do Sinaes. 4. apresentar o resultado da análise final das políticas de acompanhamento dos egressos contidas nos relatórios das Comissões Próprias de Avaliação (CPAs) dos cursos que compõem o 2º ciclo avaliativo do SINAES, conforme instruções da CONAES, nas cinco regiões do país, a partir de amostragem. 5. Enfocar, de forma inédita, o aluno egresso e a empregabilidade apresenta os resultados do desempenho dos estudantes concluintes que realizaram o Enade 2005 e 2008, objetivando a inter-relação do contexto socioeconômico, do desempenho do egresso e da sua condição de empregabilidade. Desta forma, conclui-se que dada à complexidade dos estudos e às peculiaridades de cada um deles, a contratação por produto de consultores, especialistas, veio ampliar os nossos olhares diante do contexto do SINAES, de forma bastante eficaz. DIRED 1. VINCULAÇÃO COM O PRODOC Resultado 4 A Educação do Século XXI Projetada 182

183 Produto / Atividade do Projeto: Produto 4.1 Estudos e Pesquisas inovadoras para a Educação Brasileira Atividade Realizar estudos, pesquisas e análise sobre condicionantes da educação no Brasil Meta do Projeto: Estudos Realizados A Diretoria de Estudos Educacionais (Dired) tem entre seus objetivos realizar, incentivar e promover estudos e pesquisas educacionais a partir das estatísticas e avaliações produzidas pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa Educacionais Anísio Teixeira) para subsidiar decisões de políticas e programas públicos. Com objetivo de produzir indicadores a respeito da infra-estrutura das escolas, com base na Teoria da Resposta ao Item, utilizando as bases de dados do INEP (Censo Escolar) e relacionar tais indicadores com o desempenho escolar dos alunos (SAEB), foram contratados 2 consultores na modalidade produto. A construção dessa medida possibilita um grande ganho metodológico em futuras análises e estudos produzidos pelo Inep sobre a qualidade da educação básica do país. Consultores: Roberta Loboda Biondi e Priscilla de Albuquerque Tavares 2. VINCULAÇÃO COM O PRODOC Resultado 4 A Educação do Século XXI Projetada. Produto 4.5 Práticas Inovadoras dos Paradigmas da Educação Pesquisada. Atividade Acolher experiências bem sucedidas das redes de ensino, bem como, de escolas individualmente, analisando-as e divulgando-as para gestores da política educacional e sociedade em geral. Meta: Um concurso nacional sobre experiências inovadoras, realizado com prêmios concedidos. Em relação ao Projeto BRA/04/049 uma das ações da Dired é a realização da terceira edição do Prêmio Inovação em Gestão Educacional (Portaria Ministerial Nº 471, de 26 de abril de 2011) que tem por finalidades identificar, conhecer e tornar públicas as experiências das redes e sistemas de ensino consideradas como práticas inovadoras de gestão. Como parte do processo de avaliação dessas boas práticas houve a necessidade de realizar avaliações in loco de 20 experiências selecionadas pelo Inep e elaborar relatórios cujos resultados subsidiariam a tomada de decisão da Comissão Julgadora para a indicação de 10 (dez) experiências educacionais de 10 (dez) municípios distintos. Para o desenvolvimento da avaliação in loco foram contratados 10 consultores na modalidade produto que realizaram visitas a 20 municípios localizados dentre as cinco as regiões do país. A avaliação in loco exigiu conhecimentos e experiência anterior em pesquisa na área educacional, em especifico em políticas públicas e gestão educacional, considerando também conhecimentos nas áreas de planejamento educacional, gestão de pessoas, didática e avaliação da aprendizagem escolar, diversidade e inclusão escolar. As exigências de contratação presentes no edital colaboraram para a escolha de profissionais que realizaram a contento a atividade de avaliação e elaboração de materiais (relatórios de campo) que subsidiaram os trabalhos da Comissão Julgadora para a escolha final de 10 projetos, que serão premiados em 2012, ano que concluiremos os trabalhos desta terceira edição. Desse modo contribui-se para o cumprimento das atribuições do Inep quanto a realização de estudos, prospecção e disseminação de boas práticas em gestão educacional. 183

184 Consultores: Gilmara da Silva, Frederico Neves Condé, Fabiane Robl, Daisy Clécia Vasconcelos da Silva, Alexandre Martins Joca, Gláucia Melasso Garcia de Carvalho, Marina Ranieri Cesana, Maria do Pilar Cunha e Silva, Maria das Graças Galvão de Souza e Luciana Beatriz de Oliveira Bar de Carvalho. 184

185 ANEXO I DELIBERAÇÕES DO TCU E CGU 185

186 15.1 DELIBERAÇÕES DO TCU ATENDIDAS NO EXERCÍCIO Quadro XXXIIa Relatório de cumprimento das recomendações do TCU Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Deliberações do TCU Deliberações expedidas pelo TCU Código SIORG Ordem Processo Acórdão Item Tipo Comunicação Expedida 01 TC / / e 1.7 Ofício 774/2011 Órgão/entidade objeto da determinação e/ou recomendação Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Código SIORG Descrição da Deliberação: apure os valores gastos com pagamento de diárias e passagens aos servidores ou a quaisquer colaboradores do Enem 2010 incluindo os militares que atuaram na escolta das provas que tenham decorrido exclusivamente da reaplicação do exame; informe a este Tribunal a situação das providências com vistas ao ressarcimento dos referidos valores pela contratada, cujas falhas na execução do contrato deram causa à reaplicação, encaminhando documentação comprobatória da apuração dos valores, contemplando, no mínimo, a identificação das localidades para as quais foram necessários os deslocamentos dos servidores ou colaboradores, o nome dos beneficiários dos pagamentos, as datas dos deslocamentos e os números das ordens bancárias; 1.7. recomendar ao Inep que institua controle sistematizado da execução operacional do Enem mediante a expedição de normativos ou manuais, baseado no mapeamento de todas as atividades e etapas inerentes à consecução do exame e na avaliação dos riscos da operação, definindo, claramente, as atribuições para os diversos níveis de responsabilidade dos agentes encarregados por validar cada ato que apresente relevância na dinâmica do processo; Providências Adotadas Setor responsável pela implementação Diretoria de Gestão e Planejamento 249 Código SIORG Síntese da providência adotada: Foi possível imputar o valor final de R$ ,80 (vinte e sete mil cento e cinquenta e um reais e oitenta centavos), relativo ao pagamento de deslocamento de escolta para 64 municípios de 176 policiais O Gestor informa no Memorando /DGP/INEP-MEC de 04/08/2011, no item 6, que: Conforme folhas 568, Nota nº 12/2011, feita análise técnica quanto a manifestação da empresa, ouve o reconhecimento de que tal ressarcimento não deveria ocorrer em face de que a operação se deu de forma simultânea com o primeiro dia de aplicação presídio, além do que, a previsão contratual de segurança dos objetos estava contida na responsabilidade da ECT (grifo nosso) 1.7 Estão sendo adotadas providências na melhoria dos processos de gestão do ENEM e dos demais exames do Inep, conforme detalhado em documentação encaminhada por meio do OFÍCIO/MEC/INEP/GAB Nº 02701, de 10/08/2011, à 6ª SECEX.. Síntese dos resultados obtidos Melhoria dos processos de gestão dos exames do Inep. Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Com relação ao Item , o Gestor aponta dificuldades na apuração dos valores exclusivamente gastos com diárias e passagens na reaplicação do dia 15/12/2010, conforme detalhado em documentação encaminhada por meio do OFÍCIO/MEC/INEP/GAB Nº 02701, de 10/08/2011, à 6ª SECEX. 186

187 Quadro XXXIIb Relatório de cumprimento das recomendações do TCU Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Deliberações do TCU Deliberações expedidas pelo TCU Código SIORG Ordem Processo Acórdão Item Tipo Comunicação Expedida 02 TC / / Órgão/entidade objeto da determinação e/ou recomendação Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira - INEP 249 Código SIORG Descrição da Deliberação: 9.9. determinar ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira - INEP que: informe a este Tribunal, no prazo de 15 (quinze) dias, a contar da ciência desta deliberação, a forma como foi calculado o valor de R$ ,30 (quarenta e sete milhões, cento e vinte e três mil, quatrocentos e dezesseis reais, trinta centavos), referente ao ressarcimento, pelo Consórcio Connase, de gastos efetuados pelo INEP na contratação emergencial para aplicação do segundo ENEM em 2009, explicitando se essa quantia considerou os seguintes aspectos: custo dos serviços pagos que necessitaram ser refeitos, inclusive os que eventualmente tenham sido prestados pela ECT, bem como os eventuais reembolsos dos valores pagos a título de inscrição aos candidatos que desistiram de prestar o exame em razão do adiamento; valores pagos a maior, caracterizados pela quitação de parcelas referentes a custos variáveis com base na estimativa de de candidatos, quando a quantidade real foi de , cuidando-se para não haver superposição em relação à indenização pelos danos decorrentes do vazamento das provas; insira, em situações em que for imprescindível, a previsão de pagamento com base em estimativas para posterior ajuste, ou qualquer outra hipótese de pagamento antecipado, no termo do contrato e no instrumento convocatório, conforme determina o art. 38 do Decreto /86, juntamente com a previsão das cautelas e garantias indispensáveis para evitar a ocorrência de prejuízos como os ocorridos no Contrato nº 27/2009, insira no edital ou termo de referência parâmetros, tecnicamente justificados, que demonstrem que os serviços constantes dos atestados de capacidade técnica sejam considerados compatíveis com o objeto licitado, de forma a evitar a violação aos princípios da vinculação ao instrumento convocatório e do julgamento objetivo, conforme observado na Concorrência 04/2009; Providências Adotadas Setor responsável pela implementação Diretoria de Gestão e Planejamento 249 Código SIORG Síntese da providência adotada: Designada comissão de servidores estáveis conforme Portaria nº 087, de 09 de abril de 2010, com o objetivo de apurar os valores a serem ressarcidos à União. Foi encaminhada, mediante OFÍCIO/MEC/INEP/GAB Nº , de 16 de março de 2011, à 6ª SECEX, Nota Técnica nº 06/DGP/INEP-MEC contendo as informações solicitadas e As providências estão contempladas nos atuais Termos de Referência, Editais e Contratos celebrados pelo Inep, objetivando a prestação de serviços especializados de impressão gráfica, distribuição e aplicação de todos os Exames. Síntese dos resultados obtidos Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há. 187

188 Quadro XXXIIc Relatório de cumprimento das recomendações do TCU Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Deliberações do TCU Deliberações expedidas pelo TCU Código SIORG Ordem Processo Acórdão Item Tipo Comunicação Expedida 03 TC / / Órgão/entidade objeto da determinação e/ou recomendação Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Código SIORG Descrição da Deliberação: 1.6. Dar ciência da presente deliberação, com envio da respectiva cópia, às seguintes entidades para adoção das medidas cabíveis: ao Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) relativamente à suspeita de burla ao censo escolar no município de Santa Luzia do Paruá (MA); Providências Adotadas Setor responsável pela implementação Diretoria de Estatísticas Educacionais 249 Código SIORG Síntese da providência adotada: A rede de ensino municipal de Santa Luzia do Paruá (MA) foi incluída no Mapa de Riscos, de modo a permitir a ação do Inep e da CGU, ser mais efetiva no sentido de garantir a constante melhoria da qualidade dos dados declarados ao Censo Escolar. Síntese dos resultados obtidos As informações no Mapa de Risco comporão uma planilha ponderada que permitirá o escalonamento de municípios, de forma dinâmica e decrescente de risco, que norteará as ações de capacitação presencial e capacitação por meio da Educação a Distância (EAD); ações de controle preventivo (Auditoria Interna); e verificação por meios informáticos dos dados informados, no período de validação de dados. Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há. 188

189 Quadro XXXIId Relatório de cumprimento das recomendações do TCU Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Deliberações do TCU Deliberações expedidas pelo TCU Código SIORG Ordem Processo Acórdão Item Tipo Comunicação Expedida 04 TC / / Órgão/entidade objeto da determinação e/ou recomendação Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Código SIORG Descrição da Deliberação: 9.2. determinar ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira que encaminhe ao TCU, no prazo de noventa dias, a contar da ciência desta deliberação, plano de ação contendo providências a serem adotadas com vistas a aprimorar os controles sobre as informações declaradas ao Censo Escolar da Educação Básica, inclusive por meio de verificações in loco, conforme previsto no art. 55, inciso IV, de seu Regimento Interno, aprovado pela Portaria/MEC nº 2.255, de 25/8/2003, de modo a reduzir a incidência de erros e fraudes nos dados; Providências Adotadas Setor responsável pela implementação Diretoria de Estatísticas Educacionais 249 Código SIORG Síntese da providência adotada: Foi encaminhado por meio do OFÍCIO/MEC/INEP/GAB Nº de 17/06/2011 ao Secretário de Macroavaliação Governamental do TCU, dentro do prazo estabelecido, Plano de Providências com o intuito de aprimorar os controles sobre as informações declaradas ao Censo Escolar da Educação Básica. Síntese dos resultados obtidos Contratação de entidade especializada para operacionalização dos procedimentos relativos à pesquisa de verificação dos dados informados ao Censo Escolar/2011, com o estabelecimento da margem de erros das estatísticas educacionais a partir de metodologias estatísticas. Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há. 189

190 15.2 RECOMENDAÇÕES DA CGU ATENDIDAS NO EXERCÍCIO Quadro XXXIIIa Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Quadro XLIIIa - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI Ordem Código SIORG Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/entidade objeto da recomendação Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Código SIORG Descrição da Recomendação: Adote providências junto ao Ministério da Educação e ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão MPOG, no sentido de suprir as demandas de pessoal no campo de TI frente às necessidades atuais do Inep/MEC, em especial na ampliação da relevância dos processos de avaliação, como o ENEM e o ENADE. Providências Adotadas Setor responsável pela implementação DGP; DTDIE 249 Código SIORG Síntese da providência adotada: A Diretoria de Gestão e Planejamento informou que a recomendação foi plenamente atendida e demonstrada por meio da publicação do Edital de Seleção de Contratos Temporários da União nº 1 MEC, de 23/08/2011, publicado no DOU de 24/08/2011. Também, a Diretoria de Tecnologia e Disseminação de Informações Educacionais DTDIE, mediante MEMO/MEC/INEP/DTDIE/Nº de 14/10/2011, informou: Foi aberto um Processo Seletivo para contratação temporária com 164 vagas para postos de nível superior para desempenho de atividades técnicas da área de tecnologia da Informação e de Engenharia/Arquitetura. Entidade responsável: Centro de Seleções e de Promoção de Eventos Cespe Quantidade de vagas para o Inep: 10 Período de inscrição: 29 de agosto a 12 de setembro de Data de realização das provas: 16 de outubro de O total de inscritos é de 1.135, estando a demanda por vaga de acordo com a tabela anexada. Todavia, ressaltamos que as atividades estratégicas de TI no Inep estão sob a responsabilidade de servidores públicos ou contratados temporários da União. A DTDIE se expressou no sentido de: Reforçar junto ao MPOG a necessidade de criação de uma carreira de TI para que o Inep possa realizar concurso para contratação de servidores efetivos. Síntese dos resultados obtidos Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor A DTDIE se expressou no sentido de: Reforçar junto ao MPOG a necessidade de criação de uma carreira de TI para que o Inep possa realizar concurso para contratação de servidores efetivos.. 190

191 Quadro XXXIIIb - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI Ordem Código SIORG Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/entidade objeto da recomendação Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Código SIORG Descrição da Recomendação: Adotar Critérios consistentes na elaboração dos projetos básicos, evitando a inclusão de itens desnecessários à execução do contrato. Providências Adotadas Setor responsável pela implementação DGP 249 Código SIORG Síntese da providência adotada: Providência adotada, juntando para tal planilha contendo consolidação do quantitativo dos insumos utilizados e pagos nas duas edições do BNI de 2010 e na edição de Sobre a execução do contrato, anexamos, ainda, manifestação da área técnica executora demonstrando a sua regularidade no cumprimento e atendimento dos objetivos contratados, que motivou, inclusive, a prorrogação de sua vigência. Além disso, foi elaborado o Manual de Acompanhamento e Controle de Execução dos Contratos da Unidade de Produção Gráfica. Síntese dos resultados obtidos Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há. 191

192 Quadro XXXIIIc - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI Ordem Código SIORG Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/entidade objeto da recomendação Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Código SIORG Descrição da Recomendação: Que o INEP, em suas contratações diretas, observe a necessidade de avaliar o preço orçado junto ao mercado, conforme preconizado na Lei e nos entendimentos do TCU Acórdão 269/ Câmara e 819/2005-Plenário. Providências Adotadas Setor responsável pela implementação DGP 249 Código SIORG Síntese da providência adotada: Recomendação plenamente atendida em todos os processos licitatórios 2010 e Além disso, encontra-se em fase final a contratação de instituição especializada para a realização de pesquisa de âmbito nacional com vistas à criação da cesta base de preços de referência dos insumos (recursos humanos e materiais) necessários à contratação do Inep para a realização dos seus exames, inclusive serviços de impressão gráfica com características especiais de sigilo e segurança. Síntese dos resultados obtidos Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há. 192

193 Quadro XXXIIId - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI Ordem Código SIORG Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/entidade objeto da recomendação Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Código SIORG Descrição da Recomendação: Abstenha-se de realizar empenhos tendo como credor o próprio Inep, contrariando as normas de direito financeiro da Lei 4.320/64, a transparência aludida na LCP 101/2000 e o contido no Acórdão 2.731/2008. Providências Adotadas Setor responsável pela implementação DGP 249 Código SIORG Síntese da providência adotada: Recomendação sendo objeto de análise no âmbito da Coordenação-Geral de Contabilidade e Custos da União da STN via Subsecretaria de Planejamento e Orçamento do Ministério da Educação, motivado pelo Ofício nº 2615, de 04/08/2011. Síntese dos resultados obtidos Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há. 193

194 Quadro XXXIIIe - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI Ordem Código SIORG Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/entidade objeto da recomendação Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Código SIORG Descrição da Recomendação: Efetuar entendimentos com a STN/MF de modo que os pagamentos de avaliadores possam ser efetuados via SIAFI com o atendimento de requisitos mínimos de transparência e controle, as normas de direito financeiro da Lei 4.320/64, a transparência aludida na LCP 101/2000 e o contido no Acórdão 2.731/2008. Providências Adotadas Setor responsável pela implementação DGP 249 Código SIORG Síntese da providência adotada: Recomendação saneada, tendo em conta o atendimento da solicitação constante do OFÍCIO MEC/INEP/DGP Nº de 04/08/2011, dirigido ao Senhor Subsecretário de Planejamento e Orçamento do Ministério da Educação, por meio do qual foi dado conhecimento, àquela autoridade, das constatações e recomendações da CGU, entendendo, o senhor Diretor de Gestão e Planejamento do Inep, que esse procedimento não fere nenhum princípio da administração pública, reafirmando que embora os empenhos sejam estimados de forma global, vinculados ao objeto das avaliações (pagamentos de AAE aos avaliadores e das diárias), todos os pagamentos são realizados individualmente por CPF estando disponível para consulta no SIAFI. Mediante OFÍCIO Nº 03/2012-GAB/SPO/SE/MEC de 18 de janeiro de 2012, a Subsecretária de Planejamento e Orçamento-Substituta, dá conhecimento ao Inep de que aquela subsecretaria resolveu, preliminarmente, fazer contato com a Secretaria de Tesouro Nacional STN, informando sobre a necessidade de regularizar tal procedimento, o que veio a acontecer com a inserção de novo item na macrofunção/siafi nº , com a seguinte redação: De maneira excepcional, para não dificultar a execução dos pagamentos, é aceitável a emissão, sempre justificada, de empenhos que tenham como beneficiários uma unidade gestora do SIAFI, desde que haja viabilidade operacional. Esse procedimento deverá ser adotado apenas quando não se tratar de processos licitatórios e de contratações. Além disso, os pagamentos devem referir-se a despesas cujos valores das mercadorias ou serviços, quando individualizados, sejam considerados de pequeno vulto, como diárias, bolsas e suprimento de fundos. A informação individualizada deve estar detalhada em sistema estruturante ou corporativo, de forma que permita o controle fora do SIAFI, como amparo para controle, transparência e prestação de contas. Síntese dos resultados obtidos Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há. 194

195 Quadro XXXIIIf - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI Ordem Código SIORG Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/entidade objeto da recomendação Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Código SIORG Descrição da Recomendação: Que o INEP, em suas contratações diretas, observe a necessidade de se avaliar o preço orçado junto ao mercado, conforme preconizado na Lei e nos entendimentos do TCU. Providências Adotadas Setor responsável pela implementação DGP 249 Código SIORG Síntese da providência adotada: O entendimento do Inep é de que foram utilizados parâmetros de preços praticados no mercado relativo aos insumos utilizados nas avaliações, para fundamentar o custo aluno contratado para aplicação do ENADE/2010, conforme devidamente demonstrado no processo administrativo nº / Para a edição do ENADE/2011, também como demonstrado no processo administrativo nº / , atendendo à recomendação, foi realizado consulta/pesquisa às instituições: Cespe/Unb; Fundação Cesgranrio; CAEd e Fundação Carlos Chagas, por considerar, neste caso, que as mencionadas instituições dispõem de condições técnicas para a sua realização. Além disso, encontra-se em fase final a contratação de instituição especializada para a realização de pesquisa de âmbito nacional com vistas à criação da cesta base de preços de referência dos insumos (recursos humanos e materiais) necessários à contratação do Inep para a realização dos seus exames. Síntese dos resultados obtidos Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há. 195

196 Quadro XXXIIIg - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI Ordem Código SIORG Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/entidade objeto da recomendação Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Código SIORG Descrição da Recomendação: Que o Inep/MEC, doravante, em suas contratações diretas observe a necessidade de se avaliar o preço orçado junto ao mercado, conforme preconizado na Lei nº 8.666/93. Providências Adotadas Setor responsável pela implementação DGP 249 Código SIORG Síntese da providência adotada: O entendimento do Inep é de que o projeto Revalida/2010 teve o caráter piloto e que foram utilizados parâmetros de preços praticados no mercado para fundamentar o custo aluno contratado para aplicação do Exame, conforme devidamente demonstrado no processo administrativo nº / Para a edição do Revalida/2011, também como demonstrado no processo administrativo nº / , atendendo à recomendação, foram realizadas consulta/pesquisa às instituições: Universidade Estadual do Amazonas; Universidade Federal do Ceará; Universidade Federal do Rio de Janeiro, Universidade de Brasília; Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e Universidade Federal do Rio Grande do Sul, por considerar, neste caso, que as mencionadas instituições dispõem de condições técnicas para a sua realização. Além disso, encontra-se em fase final a contratação de instituição especializada para a realização de pesquisa de âmbito nacional com vistas à criação da cesta base de preços de referência dos insumos (recursos humanos e materiais) necessários à contratação do Inep para a realização dos seus exames. Síntese dos resultados obtidos Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há. 196

197 Quadro XXXIIIh - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI Ordem Código SIORG Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/entidade objeto da recomendação Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Código SIORG Descrição da Recomendação: Recomenda-se ao INEP a realização de ampla pesquisa de preços no mercado, de forma a possibilitar estimativa correta dos valores contratados e a compatibilidade dos preços propostos com os praticados no mercado, conforme disposto nos Arts. 7º, 2º, inciso II; 43, inciso IV, e Art. 48, inciso II da Lei nº 8.666/93. Providências Adotadas Setor responsável pela implementação DGP 249 Código SIORG Síntese da providência adotada: Recomendação plenamente atendida em todos os processos licitatórios 2010 e Além disso, encontra-se em fase final a contratação de instituição especializada para a realização de pesquisa de âmbito nacional com vistas à criação da cesta base de preços de referência dos insumos (recursos humanos e materiais) necessários à contratação do Inep para a realização dos seus exames, inclusive serviços de impressão gráfica com características especiais de sigilo e segurança. Síntese dos resultados obtidos Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há. 197

198 Quadro XXXIIIi - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI Ordem Código SIORG Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/entidade objeto da recomendação Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Código SIORG Descrição da Recomendação: Recomenda-se ao INEP que observe nas contratações os custos unitários estimados pela administração, por servirem de balizamento para a análise das propostas dos licitantes, de modo a evitar contratações com insumos que apresentem valores superiores aos praticados no mercado. Providências Adotadas Setor responsável pela implementação DGP 249 Código SIORG Síntese da providência adotada: Recomendação plenamente atendida em todos os processos licitatórios 2010 e Além disso, encontra-se em fase final a contratação de instituição especializada para a realização de pesquisa de âmbito nacional com vistas à criação da cesta base de preços de referência dos insumos (recursos humanos e materiais) necessários à contratação do Inep para a realização dos seus exames, inclusive serviços de impressão gráfica com características especiais de sigilo e segurança. Síntese dos resultados obtidos Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há. 198

199 Quadro XXXIIIj - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI Ordem Código SIORG Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/entidade objeto da recomendação Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Código SIORG Descrição da Recomendação: Que o INEP evite nos procedimentos licitatórios a ocorrência de situações que possam restringir a competitividade do certame. Providências Adotadas Setor responsável pela implementação DGP 249 Síntese da providência adotada: Recomendação plenamente atendida em todos os processos licitatórios 2010 e Síntese dos resultados obtidos Código SIORG Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há. 199

200 Quadro XXXIIIk - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI Ordem Código SIORG Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/entidade objeto da recomendação Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Código SIORG Descrição da Recomendação: Recomenda-se ao INEP a realização de ampla pesquisa de preços no mercado, de forma a possibilitar a estimativa correta dos valores contratados e a compatibilidade dos preços propostos com os praticados no mercado, conforme disposto nos Arts. 7º, 2º, inciso II; 43, inciso IV; e Art. 48, inciso II da Lei nº 8.666/93. Providências Adotadas Setor responsável pela implementação DGP 249 Código SIORG Síntese da providência adotada: Recomendação plenamente atendida em todos os processos licitatórios 2010 e Além disso, encontra-se em fase final a contratação de instituição especializada para a realização de pesquisa de âmbito nacional com vistas à criação da cesta base de preços de referência dos insumos (recursos humanos e materiais) necessários à contratação do Inep para a realização dos seus exames, inclusive serviços de impressão gráfica com características especiais de sigilo e segurança. Síntese dos resultados obtidos Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há. 200

201 Quadro XXXIIIl - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI Ordem Código SIORG Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/entidade objeto da recomendação Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Código SIORG Descrição da Recomendação: Que o Inep, nas contratações de impressão com segurança e sigilo, especifique os insumos em custos fixos e custos variáveis, nos moldes do BDI de obras, onde se dimensionem aquilo que realmente não pode ser especificado individualmente. Providências Adotadas Setor responsável pela implementação DGP 249 Código SIORG Síntese da providência adotada: Encontra-se em fase final a contratação de instituição especializada para a realização de pesquisa de âmbito nacional com vistas à criação da cesta base de preços de referência dos insumos (recursos humanos e materiais) necessários à contratação do Inep para a realização dos seus exames, inclusive serviços de impressão gráfica com características especiais de sigilo e segurança. Síntese dos resultados obtidos Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há. 201

202 Quadro XXXIIIm - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI Ordem Código SIORG Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/entidade objeto da recomendação Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Código SIORG Descrição da Recomendação: Estabeleça medidas preventivas na designação de fiscais de contratos, com a produção de normatização interna, contemplando a fiel definição de responsabilidades e atribuições na designação de fiscais de contratos, informando as providências adotadas à CGU após 60 dias do recebimento do Relatório definitivo. Providências Adotadas Setor responsável pela implementação DGP 249 Código SIORG Síntese da providência adotada: Recomendação plenamente atendida e demonstrada por meio da elaboração e publicação da Portaria nº 263, de 10/08/2011, relativo à normatização dos procedimentos para solicitação de aquisição de bens ou serviços no âmbito do Inep. Síntese dos resultados obtidos Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há. 202

203 Quadro XXXIIIn - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI Ordem Código SIORG Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/entidade objeto da recomendação Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Código SIORG Descrição da Recomendação: Avalie as atribuições de funcionários de empresas terceirizadas, adotando medidas corretivas e informando as providências adotadas à CGU após 60 dias do recebimento do Relatório definitivo. Providências Adotadas Setor responsável pela implementação DGP 249 Código SIORG Síntese da providência adotada: Recomendação atendida, juntando para tal cópia do Memorando Circular nº 49/DGP/INEP-MEC, de 31/05/2011. Adicionalmente, informa-se que estamos concluindo edição de Portaria com as determinações e responsabilizações aos dirigentes e chefias das unidades do Inep, na ocorrência de eventuais situações futuras que venham ser observadas em relação ao fato apontado no Relatório. Síntese dos resultados obtidos Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor 203

204 Quadro XXXIIIo - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI Ordem Código SIORG Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/entidade objeto da recomendação Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Código SIORG Descrição da Recomendação: Procure apresentar os documentos solicitados. Caso não seja possível, apure a causa da impossibilidade da apresentação dos documentos, promovendo, também, a apuração das responsabilidades, no que couber. Providências Adotadas Setor responsável pela implementação DGP 249 Código SIORG Síntese da providência adotada: Quanto ao item 58 da Solicitação de Auditoria nº /004, a recomendação foi plenamente atendida, juntando para tal Termo de Aceitação de Produtos e Serviços de implantação do Sistema Ágora no Inep, objeto do Termo de Conciliação nº CCAF/CGU/AGU/SRG 011/2008, resultado do Processo nº / Quanto ao Item Nº 57, mediante MEMO/MEC/INEP/AUDIN Nº de 03/02/2012, a Auditoria Interna reiterou à Diretoria de Gestão Planejamento informações sobre o resultado das medidas judiciais adotadas pela Procuradoria- Regional da União 1ª Região em virtude da responsabilização da empresa RM Segurança e Proteção Ltda. pelo furto de bens pertencentes ao Inep, apurada no Processo de Sindicância / , constituído por meio da Portaria nº 92/2005 do Inep. Aquela Diretoria devolveu os autos à Audin, mediante despacho datado de 07/02/2012, solicitando encaminhamento à Projur, para manifestação daquela unidade, por se tratar de demanda judicial. A Procuradoria Jurídica exarou o DESPACHO/PGF/PF/INEP Nº 041/2012 de 09/02/2012, por meio do qual informou no quarto parágrafo que: Segundo extrato de consulta processo anexado à contracapa dos autos, a referida ação deu origem ao processo n , o qual tramitou na 1ª Vara da Seção Judiciária do Distrito Federal e já se encontra arquivado desde 28/05/2010. Síntese dos resultados obtidos Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há. 204

205 Quadro XXXIIIp - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI Ordem Código SIORG Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/entidade objeto da recomendação Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Código SIORG Descrição da Recomendação: Adote providências para que a empresa substitua os empregados por outros que atendam os requisitos do projeto básico, informando à CGU a situação atualizada. Providências Adotadas Setor responsável pela implementação DTDIE 249 Código SIORG Síntese da providência adotada: O Contrato nº 14/2005, firmado com a Cast Informática S/A, tendo por objeto a contratação de empresa para os serviços técnicos em tecnologia da informação, para prover suporte à operacionalização das atividades desenvolvidas no Inep na área de Serviços de Suporte Técnico de Infraestrutura visando à execução dos programas e ações governamentais a cargo da Autarquia, expirou em 14/08/2011. Síntese dos resultados obtidos Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há. 205

206 Quadro XXXIIIq - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI Ordem Código SIORG Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/entidade objeto da recomendação Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Código SIORG Descrição da Recomendação: Que o Inep/MEC avalie se o serviço terceirizado prestados de forma irregular em relação ao projeto básico causou dano ao erário, utilizando, se necessário, o apoio técnico da Auditoria Interna, informando à CGU as medidas adotadas. Providências Adotadas Setor responsável pela implementação DTDIE 249 Código SIORG Síntese da providência adotada: Os serviços terceirizados foram efetivamente prestados com esmero, eficiência e dentro dos melhores padrões de qualidade, garantindo que a Instituição cumprisse com a sua missão. Por sua vez, os prazos estabelecidos também foram todos cumpridos a contento. Não foi constatada ocorrência de dano ao erário. Síntese dos resultados obtidos Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor 206

207 Quadro XXXIIIr - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI Ordem Código SIORG Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/entidade objeto da recomendação Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Descrição da Recomendação: Código SIORG Promova a regularização da situação apontada, informando à CGU o adimplemento pela UFC do acordado. Providências Adotadas Setor responsável pela implementação DGP 249 Código SIORG Síntese da providência adotada: Recomendação atendida. Juntando para tanto Termo de Aceitação de Produtos e Serviços de implantação do Sistema Ágora no Inep, objeto do Termo de Conciliação nº CCAF/CGU/AGU/SRG 011/2008, resultado do Processo nº / Síntese dos resultados obtidos Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor 207

208 Quadro XXXIIIs - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI Ordem Código SIORG Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/entidade objeto da recomendação Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Código SIORG Descrição da Recomendação: Instaure processo administrativo com vistas à aplicação da penalidade ao consórcio pelo descumprimento de Cláusula contratual, observando-se o devido processo legal e o contraditório. Providências Adotadas Setor responsável pela implementação DGP 249 Código SIORG Síntese da providência adotada: A Diretoria de Gestão e Planejamento em atendimento à recomendação, mediante Memorando nº /DGP/INEP- MEC de 23/02/2012, reportou-se ao Contrato Nº 52/2009, tendo transcrito as alíneas d e h do item II da Cláusula 8ª, onde estão definidas responsabilidades do Consórcio no que se refere à correção/substituição de qualquer serviço que não atenderem aos padrões definidos pelo Inep. Dá conhecimento do processo administrativo nº / que constituiu Comissão de Sindicância, tendo expressado que constata-se que o Consórcio responsabilizou-se integralmente pela reaplicação da prova, sem ônus adicionais ao Inep. Considerou que foram atendidas as responsabilizações nas mencionadas alíneas e cumpridas as cláusulas contratuais. Além disso, foram adotadas providências adicionais, onde a DGP, por meio do Ofício nº 1014, de 12/03/2012, solicitou ao Consórcio (Cespe) a apresentação de informações sobre o ocorrido, a fim de concluir os procedimentos administrativos. A DGP apresentou a esta Audin o Ofício Cespe/UnB 758, de 20/03/2012, com os esclarecimentos requeridos, o que ensejou o seu encaminhamento por meio do Memorando/DGP nº 1885, de 23/03/2012 para a Unidade de Operações Logísticas do Inep que fará a instrução do procedimento administrativo para apresentação, de forma conclusiva, das providências a serem adotadas. Síntese dos resultados obtidos Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há. 208

209 Quadro XXXIIIt - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI Ordem Código SIORG Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/entidade objeto da recomendação Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Descrição da Recomendação: Adote nas descentralizações realizadas avaliação criteriosa de custos envolvidos. Código SIORG Providências Adotadas Setor responsável pela implementação DAEB 249 Código SIORG Síntese da providência adotada: A Diretoria de Avaliação da Educação Básica, por meio do MEMO. nº /2012 DAEB/INEP-MEC de 23/02/2012, prestou o seguinte esclarecimento: A Daeb adotou as recomendações da CGU, fazendo constar dos projetos básicos das descentralizações, planilhas de custos, baseadas em levantamentos de preços praticados no mercado e minuciosa análise das propostas apresentadas pelas instituições interessadas. Síntese dos resultados obtidos Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há. 209

210 Quadro XXXIIIu - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI Ordem Código SIORG Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/entidade objeto da recomendação Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Código SIORG Descrição da Recomendação: Que o Inep/MEC reavalie os custos envolvidos na descentralização à UFSC, utilizando, se necessário, o apoio técnico da Auditoria Interna, solicitando o estorno do valor repassado a maior, se for o caso, informando à CGU as medidas adotadas. Providências Adotadas Setor responsável pela implementação DAEB 249 Código SIORG Síntese da providência adotada: A Daeb prestou esclarecimentos complementares com a justificativa dos custos da realização do Prolibras 2010, pela Universidade Federal de Santa Catarina-UFSC. No documento encaminhado a esta Audin/INEP consta quadro demonstrativo com o total de inscritos, total estimado de fiscais certificados em LIBRAS, total de fiscais de sala e total de salas, além do detalhamento por insumo utilizado na aplicação, especificando o valor unitário estimado, o quantitativo por item, a unidade de medida do item e o custo total do insumo. Na nota de rodapé da planilha encaminhada constam as informações de memória de cálculo tomando como parâmetro para referenciar a demanda de itens e custos unitário os mesmos parâmetros utilizados pelas demais avaliações realizadas no ano de Portanto, apresentou informações sobre a reprodução por meio de DVD s e de que os resultados já foram divulgados e os certificados dos aprovados emitidos. Informou que o exame contou com inscritos/pagantes o que requereu um detalhado e minucioso trabalho de aplicação por equipes e serviços especializados em todas as atividades do início ao fim do processo. Síntese dos resultados obtidos Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há. 210

211 Quadro XXXIIIv - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI Ordem Código SIORG Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida PARTE I Órgão/entidade objeto da recomendação Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Código SIORG Descrição da Recomendação: Que o Inep, em suas contratações, mormente aquelas por dispensa de licitação, adote a prática de consulta à organizações/empresas similares no mercado a título de pesquisa de preços, de modo a avaliar os preços praticados junto a outras fontes. Providências Adotadas Setor responsável pela implementação DGP 249 Código SIORG Síntese da providência adotada: Encontra-se em fase final a contratação de instituição especializada para a realização de pesquisa de âmbito nacional com vistas à criação da cesta base de preços de referência dos insumos (recursos humanos e materiais) necessários à contratação do Inep para a realização dos seus exames, inclusive serviços de impressão gráfica com características especiais de sigilo e segurança. Síntese dos resultados obtidos Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há. 211

212 Quadro XXXIIIw - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI Ordem Código SIORG Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida PARTE I Órgão/entidade objeto da recomendação Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Código SIORG Descrição da Recomendação: Adotar critérios de sustentabilidade ambiental na aquisição de bens e serviços no âmbito da unidade. Providências Adotadas Setor responsável pela implementação DGP 249 Síntese da providência adotada: Recomendação plenamente atendida. Síntese dos resultados obtidos Código SIORG Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há. 212

213 Quadro XXXIIIx - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI Código SIORG Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida 2484 / DSEDU II/DS/SFC/CGU-PR Relatório de Demandas Especiais nº / sobre 24 fatos e atos ocorridos na gestão do Censo Escolar da Educação Básica no município de Nova Iguaçu RJ. Órgão/entidade objeto da recomendação Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Código SIORG Descrição da Recomendação: Nº da CONSTATAÇÃO: Item do Relatório DESCRIÇÃO DA RECOMENDAÇÃO: 1. Proceder a conferência in loco dos dados informados no Censo Escolar de 2009 pela Prefeitura Municipal de Nova Iguaçu; 2. Alterar o resultado do Censo Escolar de 2009 informando ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação FNDE e a Secretaria de Estado da Fazenda do Rio de Janeiro de forma que se proceda ao ajuste/estorno dos valores indevidamente repassados; 3. Aprimorar os mecanismos de análise e avaliação da qualidade da informação prestada pelas escolas, utilizando como subsídio os dados levantados pela fiscalização da CGU, dentro de uma política de gestão de riscos para fiscalização in loco do próprio INEP de modo a avaliar neste município a qualidade dos dados informados ao Censo; 4. Revise e dê publicidade aos normativos referentes ao registro de alunos no Censo Escolar, incorporando especialmente orientações quanto a informações de alunos que participaram dos diversos programas do governo tais como: Mais Educação (SECAD), Segundo Tempo (Ministério dos Esportes), etc. Nº da CONSTATAÇÃO: Item do Relatório DESCRIÇÃO DA RECOMENDAÇÃO: 1. Orientar os gestores municipais sobre a necessidade de guarda e conservação dos registros dos alunos matriculados, que comprovem a veracidade dos dados enviados ao censo escolar, bem como, da necessidade de registro da frequência dos alunos que fizerem parte de turmas de educação integral; 2. Articular com a Secretária de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade do Ministério da Educação SECAD/MEC, sobre a obrigatoriedade da frequência nas atividades complementares do Programa Mais Educação de modo que possa ser feita a correta orientação aos gestores municipais quando do preenchimento desse programa no Censo Escolar da Educação Básica. Nº da CONSTATAÇÃO: Item do Relatório DESCRIÇÃO DA RECOMENDAÇÃO: 1. Orientar os gestores municipais que somente informem ao Censo Escolar como alunos em turno integral aqueles que apresentem registro de frequência em atividades obrigatórias de no mínimo 35 (trinta e cinco) horas semanais. Nº da CONSTATAÇÃO: Item do Relatório DESCRIÇÃO DA RECOMENDAÇÃO: 1. Proceder a conferência in loco dos dados informados no Censo Escolar de 2009 pela Prefeitura Municipal de Nova Iguaçu; 2. Alterar o resultado do Censo Escolar de 2009 informando ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação FNDE e a Secretaria de Estado da Fazenda do Rio de Janeiro de forma que se procede ao ajuste/estorno dos valores indevidamente repassados; 3. Aprimorar os mecanismos de análise e avaliação da qualidade da informação prestada pelas escolas, utilizando como subsídio os dados levantados pela fiscalização da CGU, dentro de uma política de gestão de riscos para fiscalização in loco do próprio INEP de modo a avaliar neste município a qualidade dos dados informados ao Censo; 4. Revise e dê publicidade aos normativos referentes ao registro de alunos no Censo Escolar, incorporando especialmente orientações quanto a informações de alunos que participam dos diversos programas do governo tais como: Mais Educação (SECAD), Segundo Tempo (Ministério dos Esportes), etc. Nº da CONSTATAÇÃO: Item do Relatório DESCRIÇÃO DA RECOMENDAÇÃO: 1. Orientar aos gestores municipais que somente informem ao Censo Escolar os alunos efetivamente matriculados, registrados no Censo Escolar e que estejam frequentando a escola até a data de referência do censo. Nº da CONSTATAÇÃO: Item do Relatório DESCRIÇÃO DA RECOMENDAÇÃO: 1. Aprimorar os mecanismos de análise e avaliação da qualidade da informação prestada pelas escolas utilizando como subsídio os dados levantados pela fiscalização da CGU, dentro de uma política de gestão de riscos para 213

214 fiscalização in loco do próprio INEP de modo a avaliar neste município a qualidade dos dados informados ao censo; 2. Nos casos em que forem identificados alunos cadastrados em duplicidade, apenas homologue os dados do censo após a correção dos dados pelos gestores municipais. Nº da CONSTATAÇÃO: Item do Relatório DESCRIÇÃO DA RECOMENDAÇÃO: 1. Proceder a conferência in loco dos dados informados no Censo Escolar de 2009 pela Prefeitura Municipal de Nova Iguaçu; 2. Alterar o resultado do censo Escolar de 2009 informando ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação FNDE e a Secretaria de Estado da Fazenda do Rio de Janeiro de forma que se proceda ao ajuste/estorno dos valores indevidamente repassados; 3. Aprimorar os mecanismos de análise e avaliação da qualidade da informação prestada pelas escolas, utilizando como subsídio os dados levantados pela fiscalização da CGU, dentro de uma política de gestão de riscos para fiscalização in loco do próprio INEP de modo a avaliar neste município a qualidade dos dados informados ao censo; 4. Revise e dê publicidade aos normativos referentes ao registro de alunos no Censo Escolar, incorporando especialmente orientações quanto a informações de alunos que participam dos diversos programas do governo tais como: Mais Educação (SECAD), Segundo Tempo (Ministério dos Esportes), etc. Providências Adotadas Setor responsável pela implementação DEED 249 Código SIORG Síntese da providência adotada: A Diretoria de Estatísticas Educacionais, mediante MEMO/MEC/INEP/DEED Nº de 22/12/2010, encaminhado à Controladoria-Geral da União por meio do OFÍCIO/MEC/INEP/GAB Nº de 19/01/2011 presta os esclarecimentos necessários quanto às medidas adotadas, dando conhecimento de que solicitou formalmente a CGU a criação de um GT (Grupo de Trabalho) entre esta Autarquia e aquela Controladoria-Geral da União, para definição de critérios que pudessem ser estabelecidos com intuito de sanear as irregularidades como as que foram constatadas no referido Relatório de Fiscalização. Em decorrência de reunião com a equipe da CGU realizada em 14/06/2011, foi acordado que seria elaborado outro ofício para encaminhamento de informações complementares às já prestadas. A Diretoria de Estatísticas Educacionais exarou o MEMO MEC/INEP/DEED Nº de 21/06/2011, por meio do qual foi dado atendimento ao pleito. Síntese dos resultados obtidos Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Os esclarecimentos prestados pela Diretoria de Estatísticas Educacionais contemplam as medidas adotadas pelo Inep contendo justificativas sobre a dificuldade/impossibilidade de inspeção in loco objetivando ao saneamento das questões abordadas. 214

215 Quadro XXXIIIy - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI Código SIORG Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida / DSEDU II/DS/SFC/CGU-PR (30º Sorteio) Órgão/entidade objeto da recomendação OS: Nº Constatação: 500. Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Código SIORG Descrição da Recomendação: SUMÁRIO DA CONSTATAÇÃO: Divergência entre o quantitativo de alunos informado no Censo Escolar e o quantitativo registrado nos diários de classe. Situação que foi evidenciada nos municípios: Campestre, Alvarães, Olho d Àgua das Flores, Cruz das Almas, Gentil do Ouro, Acarapé, Penaforte, Inhumas, Padre Bernardo, Buritirana, São João do Paraíso, Capitão Andrade, Chapada do Norte, José Gonçalves de Minas, Rondolândia, Pau D Arco, Cacimbas, Belém de Maria, Venturosa, Santa Rita do Pardo, Altos, Severiano Melo, Rorainópolis, Cerro Grande do Sul, Itaqui, Calmon, Cordilheira Alta, Cerqueira César, Marianópolis do Tocantins. DESCRIÇÃO DA RECOMENDAÇÃO: Recomendamos ao Inep aprimorar os mecanismos de análise e avaliação da qualidade da informação prestada pelas escolas, utilizando como subsídio os dados levantados pela fiscalização da CGU, dentro de uma política de gestão de riscos para fiscalização in loco do próprio INEP de modo a avaliar neste município a qualidade dos dados informados ao Censo. Providências Adotadas Setor responsável pela implementação Código SIORG DEED 249 Síntese da providência adotada: O Inep realiza o controle da qualidade das informações declaradas ao censo e a validação dessas informações, em parceria com os gestores estaduais e municipais de educação, por meio de consistências estatísticas, conforme recomenda a Portaria Ministerial nº 316, de 04/04/2007, sendo desenvolvidas por meio de: a) críticas de consistência de entrada de dados, ou seja, aquelas feitas pelo próprio sistema, durante o preenchimento das informações pelas escolas, que validam ou não os campos do sistema Educacenso, a exemplo do preenchimento do campo matrícula sem o preenchimento do campo professor; b) relatórios de verificações das informações que identificam duplicidade de matrículas em distintas redes de ensino, alunos matriculados em mais de uma UF, alunos matriculados no mesmo turno em escolas diferentes, docentes que atuam em nível de ensino incompatível com a escolaridade, docentes que atuam em escolas de Estados diferentes, docentes vinculados em mais de 5 escolas, comparativos de matrículas com o ano anterior, dentre outros. Esses relatórios são executados durante o processo de preenchimento dos dados e encaminhados aos coordenadores estaduais do Censo Escolar, que por sua vez os encaminham para os municípios e escolas; c) relatórios executados após o fechamento dos dados e publicação dos resultados preliminares, encaminhados aos gestores municipais, com verificações sobre matrículas, condição de funcionamento das escolas, dependência administrativa, informação sobre convênio e filantropia, para conferência, correção ou confirmação dos dados. Esses relatórios são também encaminhados aos gestores estaduais de educação; d) rotinas de verificação dos resultados, com diferentes desagregações e anos, abrangendo variações de matrículas e de estabelecimentos de ensino por etapas/modalidades de ensino por Regiões Geográficas, Unidades da Federação, dependências administrativas, séries, idades dentre outras, comparados com os resultados de outros levantamentos estatísticos, tais como os levantamentos censitários realizados pelo IBGE. Ressalta-se, ainda, que o Inep realizará uma pesquisa amostral de Controle de Qualidade do Censo Escolar, a fim de verificar a fidedignidade das informações declaradas por escolas em relação ao número de alunos matriculados no ensino fundamental regular e integrar de forma sistemática esse procedimento metodológico de controle de qualidade à sua rotina, estabelecendo periodicidade e determinando qual etapa/modalidade de ensino será verificada. Síntese dos resultados obtidos Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há. 215

216 Quadro XXXIIIz - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI Código SIORG Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida 2292 / DSEDU II/DS/SFC/CGU- 26 PR (30º Sorteio) Órgão/entidade objeto da recomendação OS: Nº Constatação: 501. Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Código SIORG Descrição da Recomendação: SUMÁRIO DA CONSTATAÇÃO: Inadequação de fichas de matrícula de alunos. Situação que foi evidenciada nos municípios: Olho d Àgua das Flores, Wagner, Acarapé, Penaforte, Buritirana, São João do Paraíso, Urbano Santos, Belém de Maria, Tamandaré, Altos, Barra D Alcântara, Pimenta Bueno, Cordilheira Alta. DESCRIÇÃO DA RECOMENDAÇÃO: Recomendamos ao INEP orientar aos gestores municipais sobre a necessidade do preenchimento criterioso das informações do Censo Escolar, evitando divergências entre as informações prestadas ao Censo e o número de alunos matriculados. Providências Adotadas Setor responsável pela implementação DEED 249 Código SIORG Síntese da providência adotada: A recomendação é repassada às Secretarias Estaduais e Municipais das Capitais de Educação, instituições parceiras e multiplicadoras de informações e, consequentemente, disseminada para as regionais de ensino, as secretarias municipais de educação e as escolas, no período de orientação da coleta. O Inep já encaminha correspondência aos gestores municipais informando sobre a necessidade de manterem os cadastros das escolas atualizados, sobre a importância da guarda e conservação dos registros dos alunos matriculados e do seu correto preenchimento, ressaltando as determinações do Decreto nº 6.425, de 4 de abril de 2008 que dispõe sobre o censo anual da educação e da Portaria Ministerial nº 316, de 04/04/2007. Síntese dos resultados obtidos Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há. 216

217 Quadro XXXIIIaa - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI Código SIORG Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida 2292 / DSEDU II/DS/SFC/CGU- 27 PR (30º Sorteio) Órgão/entidade objeto da recomendação OS: Nº Constatação: 502. Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Código SIORG Descrição da Recomendação: SUMÁRIO DA CONSTATAÇÃO: Inexistência de documentação comprobatória referente ao Censo Escolar Situação que foi evidenciada nos municípios: Campestre, Gentil do Ouro, Penaforte, Urbano Santos, José Gonçalves de Minas, Rondolândia, Viseu, Barra D Alcântara, Cerro Grande do Sul, Itaqui. DESCRIÇÃO DA RECOMENDAÇÃO: Recomendamos ao INEP orientar aos gestores municipais sobre a necessidade de guarda e conservação dos registros dos alunos matriculados, que comprovem a veracidade dos dados enviados ao Censo Escolar. Providências Adotadas Setor responsável pela implementação DEED 249 Código SIORG Síntese da providência adotada: A recomendação é repassada às Secretarias Estaduais e Municipais das Capitais de Educação, instituições parceiras e multiplicadoras de informações e, consequentemente, disseminada para as regionais de ensino, as secretarias municipais de educação e as escolas, no período de orientação da coleta. O Inep já encaminha correspondência aos gestores municipais informando sobre a necessidade de manterem os cadastros das escolas atualizados, sobre a importância da guarda e conservação dos registros dos alunos matriculados e do seu correto preenchimento, ressaltando as determinações do Decreto nº 6.425, de 4 de abril de 2008 que dispõe sobre o censo anual da educação e da Portaria Ministerial nº 316, de 04/04/2007. Síntese dos resultados obtidos Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há. 217

218 Quadro XXXIIIab - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI Código SIORG Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida 2292 / DSEDU II/DS/SFC/CGU- 28 PR (30º Sorteio) Órgão/entidade objeto da recomendação OS: Nº Constatação: 503. Código SIORG Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Descrição da Recomendação: SUMÁRIO DA CONSTATAÇÃO: Aluno informado ao Censo Escolar não constante no diário de classe Situação que foi evidenciada nos municípios: São João do Paraíso, Cacimbas, Belám de Maria, Altos, Itaqui. DESCRIÇÃO DA RECOMENDAÇÃO: Recomendamos ao INEP orientar aos gestores municipais que somente informem ao Censo Escolar os alunos efetivamente matriculados e consequentemente registrados em diário escolar. Providências Adotadas Setor responsável pela implementação Código SIORG DEED 249 Síntese da providência adotada: O Censo Escolar é uma pesquisa anual e declaratória, realizada em regime de colaboração entre a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, mediante a coleta de dados descentralizada. Desde 2007, o censo é realizado por meio do sistema informatizado de levantamento de dados, o Educacenso, na coleta, organização, transmissão e disseminação dos dados censitários, mediante a organização de quatro cadastros individuais de informações, que são preenchidos a partir das fichas de matrículas e registros escolares. Por esta razão, anualmente, o Inep realiza encontros regionais e nacionais com o objetivo de orientar as Secretarias Estaduais e Municipais das Capitais de Educação, instituições parceiras e multiplicadoras de informações, onde é repassada a recomendação e, consequentemente, disseminada para as regionais de ensino, as secretarias municipais de educação e as escolas, no período de orientação da coleta. O Inep já encaminha correspondência aos gestores municipais informando sobre a necessidade de manterem os cadastros das escolas atualizados, sobre a importância da guarda e conservação dos registros dos alunos matriculados e do seu correto preenchimento, ressaltando as determinações do Decreto nº 6.425, de 4 de abril de 2008 que dispõe sobre o censo anual da educação e da Portaria Ministerial nº 316, de 04/04/2007. Síntese dos resultados obtidos Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há. 218

219 Quadro XXXIIIac - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI Ordem 29 Código SIORG Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida 2292 / DSEDU II/DS/SFC/CGU- OS: Nº PR (30º Sorteio) Constatação: 504. Órgão/entidade objeto da recomendação Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Código SIORG Descrição da Recomendação: SUMÁRIO DA CONSTATAÇÃO: Existência de escolas desativadas. Situação que foi evidenciada nos municípios: Caridade do Píaui. DESCRIÇÃO DA RECOMENDAÇÃO: Recomendamos ao INEP orientar aos gestores municipais no sentido de manterem atualizados os cadastros das escolas. Providências Adotadas Setor responsável pela implementação DEED 249 Código SIORG Síntese da providência adotada: Anualmente, o Inep realiza encontros regionais e nacionais com o objetivo de orientar as Secretarias Estaduais e Municipais das Capitais de Educação, instituições parceiras e multiplicadoras de informações, onde é repassada a recomendação e, consequentemente, disseminada para as regionais de ensino, as secretarias municipais de educação e as escolas, no período de orientação da coleta. O Inep já encaminha correspondência aos gestores municipais informando sobre a necessidade de manterem os cadastros das escolas atualizados, sobre a importância da guarda e conservação dos registros dos alunos matriculados e do seu correto preenchimento, ressaltando as determinações do Decreto nº 6.425, de 4 de abril de 2008 que dispõe sobre o censo anual da educação e da Portaria Ministerial nº 316, de 04/04/2007. Síntese dos resultados obtidos Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há. 219

220 Quadro XXXIIIad - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Código SIORG Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida / DSEDU II/DS/SFC/CGU- PR (30º Sorteio) Órgão/entidade objeto da recomendação OS: Nº Constatação: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Código SIORG Descrição da Recomendação: SUMÁRIO DA CONSTATAÇÃO: Alunos informados ao Censo Escolar não localizados na escola. Situação que foi evidenciada nos municípios: Acarapé. DESCRIÇÃO DA RECOMENDAÇÃO: Recomendamos ao INEP orientar aos gestores municipais que somente informem ao Censo Escolar os alunos efetivamente matriculados no ano letivo. Providências Adotadas Setor responsável pela implementação DEED 249 Código SIORG Síntese da providência adotada: O Censo Escolar é uma pesquisa anual e declaratória, realizada em regime de colaboração entre a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, mediante a coleta de dados descentralizada. Desde 2007, o censo é realizado por meio do sistema informatizado de levantamento de dados, o Educacenso, na coleta, organização, transmissão e disseminação dos dados censitários, mediante a organização de quatro cadastros individuais de informações, que são preenchidos a partir das fichas de matrículas e registros escolares. Por esta razão, anualmente, o Inep realiza encontros regionais e nacionais com o objetivo de orientar as Secretarias Estaduais e Municipais das Capitais de Educação, instituições parceiras e multiplicadoras de informações, onde é repassada a recomendação e, consequentemente, disseminada para as regionais de ensino, as secretarias municipais de educação e as escolas, no período de orientação da coleta. O Inep já encaminha correspondência aos gestores municipais informando sobre a necessidade de manterem os cadastros das escolas atualizados, sobre a importância da guarda e conservação dos registros dos alunos matriculados e do seu correto preenchimento, ressaltando as determinações do Decreto nº 6.425, de 4 de abril de 2008 que dispõe sobre o censo anual da educação e da Portaria Ministerial nº 316, de 04/04/2007. Síntese dos resultados obtidos Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há. 220

221 Quadro XXXIIIae - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI Ordem 32 Identificação do Relatório de Auditoria 720 / DSEDU II/DS/SFC/CGU-PR de 15/03/2011 (32º Sorteio) Órgão/entidade objeto da recomendação Item do RA Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Código SIORG Comunicação Expedida Código SIORG Descrição da Recomendação: Nº da CONSTATAÇÃO: OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 004, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 005, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002. Situação que foi evidenciada nos municípios: Tabatinga/AM, Arataca/BA, Heliópolis/BA, Iuiú/BA, Independência/CE, Umirim/CE, Pedro Canário/ES, Americano do Brasil/GO, Penalva/MA, Senador La Rocque/MA, Senador Cortes/MG, Douradina/MS, Maracaju/MS, Nova Maringá/MT, São Felix do Araguaia/MT, Imaculada/PB, Santa Filomena/PE, Surubim/PE, São João da Serra/PI, Congonhinhas/PR, Pinhalão/PR, Santo Inácio/PR, Pedro Velho/RN, Pendências/RN, Cerejeiras/RO, Bom Jardim da Serra/SC, Nossa Senhora das Dores/SE, Ribeirão Branco/SP, Vargem/SP, Xambioá/TO, São João de Iracema/SP e Branquinha/AL. DESCRIÇÃO DA RECOMENDAÇÃO: Recomendamos ao INEP aprimorar os mecanismos de análise e avaliação da qualidade da informação prestada pelas escolas, utilizando como subsídio os dados levantados pela fiscalização da CGU, dentro de uma política de gestão de riscos para fiscalização in loco do próprio INEP de modo a avaliar neste município a qualidade dos dados informados ao censo. Nº da CONSTATAÇÃO: OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 004, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 003. Situação que foi evidenciada nos municípios: Tabatinga/AM, Arataca/BA, Penalva/BA, Senador La Rocque/MA, Douradina/MS, Nova Maringá/MT, Anajás/PA, Imaculada/PB, Riacho dos Cavalos/PB, Santa Filomena/PE, Surubim/PE, São João da Serra/PI, Pedro Velho/RN, Pendências/RN, Toropi/RS, Capinzal/SC, Ribeirão Branco/SP e Branquinha/AL. DESCRIÇÃO DA RECOMENDAÇÃO: Recomendamos ao INEP orientar aos gestores municipais sobre a necessidade de guarda e conservação dos registros dos alunos matriculados e da importância do seu correto preenchimento. Nº da CONSTATAÇÃO: OS: Nº Constatação: 004, OS: Nº Constatação: 004, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 004, OS: Nº Constatação: 004, OS: Nº Constatação: 005, OS: Nº Constatação: 004, OS: Nº Constatação: 004, OS: Nº Constatação: 004, OS: Nº Constatação: 003. Situação que foi evidenciada nos municípios: Tabatinga/AM, Arataca/BA, Heliópolis/BA, Penalva/BA, Senador La Rocque/MA, Nova Maringá/MT, São Felix do Araguaia/MT, Santa Filomena/PE, Surubim/PE e Cerejeiras/RO. DESCRIÇÃO DA RECOMENDAÇÃO: Recomendamos ao INEP orientar aos gestores municipais que somente informem ao Censo Escolar os alunos efetivamente matriculados e consequentemente registrados em diário escolar. Nº da CONSTATAÇÃO: OS: Nº Constatação: 004, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação:

222 Situação que foi evidenciada nos municípios: Americano do Brasil/GO, Alto Alegre/RS e Vargem/SP. DESCRIÇÃO DA RECOMENDAÇÃO: Recomendamos ao INEP orientar aos gestores municipais para que as escolas forneçam ao censo escolar informações idênticas às constantes nos documentos dos alunos. Nº da CONSTATAÇÃO: OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 004, OS: Nº Constatação: 004. Situação que foi evidenciada nos municípios: São Felix do Araguaia/MT, Normandia/RR, Bom Jardim da Serra/SC e Ribeirão Branco/SP. DESCRIÇÃO DA RECOMENDAÇÃO: Recomendamos ao INEP orientar às Secretarias de Educação dos Municípios que preencham as fichas de matrículas de acordo com a Portaria nº 156/2004 do INEP. Nº da CONSTATAÇÃO: OS: Nº Constatação: 004. Situação que foi evidenciada nos municípios: Alto Alegre/RS. DESCRIÇÃO DA RECOMENDAÇÃO: Recomendamos ao INEP orientar aos gestores municipais para que os documentos que servem de base para o censo escolar estejam adequadamente preenchidos, especialmente no tocante às assinaturas pertinentes. Nº da CONSTATAÇÃO: OS: Nº Constatação: 004. Situação que foi evidenciada nos municípios: Bom Jardim da Serra/SC. DESCRIÇÃO DA RECOMENDAÇÃO: Recomendamos ao INEP orientar ao Município que o censo deve ser preenchido conforme preconiza a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de Nº da CONSTATAÇÃO: OS: Nº Constatação: 003. Situação que foi evidenciada nos municípios: Nossa Senhora das Dores/SE. DESCRIÇÃO DA RECOMENDAÇÃO: Recomendamos ao INEP orientar aos gestores municipais sobre a necessidade de guarda e conservação dos registros dos alunos matriculados, que comprovem a veracidade dos dados enviados ao Censo Escolar. Nº da CONSTATAÇÃO: OS: Nº Constatação: 002. Situação que foi evidenciada nos municípios: Ribeirão Branco/SP. DESCRIÇÃO DA RECOMENDAÇÃO: Recomendamos ao INEP orientar aos gestores municipais sobre a necessidade do correto preenchimento dos dados do censo e de eficiência na apresentação dos dados quando requeridas informações dos alunos matriculados. Providências Adotadas Setor responsável pela implementação DEED 249 Código SIORG Síntese da providência adotada: A Diretoria de Estatísticas Educacionais, mediante MEMO/MEC/INEP/DEED Nº de 11/04/2011, encaminhou resposta prestando os devidos esclarecimentos quanto às medidas já adotadas e os procedimentos futuros, visando atender às recomendações da Controladoria-Geral da União CGU referente à 32ª Etapa do Programa de Fiscalização a partir de sorteios públicos relativos ao Censo Escolar da Educação Básica. Referido memorando foi encaminhado à CGU por meio do OFÍCIO/MEC/INEP/GAB Nº de 12/04/2011. A Diretoria salientou que o encaminhamento de situações, como as constatadas pela CGU, seriam analisadas no âmbito do GT (Grupo de Trabalho), que se encontrava em processo de estruturação pelo Inep, com a participação de representantes da Autarquia e da Controladoria-Geral da União. Síntese dos resultados obtidos Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há. 222

223 Quadro XXXIIIaf - Cumprimento das deliberações do OCI atendidas no exercício (ver Anexo) Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI 33 Ordem Identificação do Relatório de Auditoria 1053 / DSEDU II/DS/SFC/CGU- PR de 15/04/2011 (33º Sorteio) Órgão/entidade objeto da recomendação Item do RA Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Código SIORG Comunicação Expedida Código SIORG Descrição da Recomendação: Nº da CONSTATAÇÃO: OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 004, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 004, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002. Situação que foi evidenciada nos municípios: Colônia Leopoldina, Flexeiras, Ibicaraí, Nazaré, Beberibe, Pacujá, Laranja da Terra, Urutaí, Benedito Leite, Bequimão, Nova Colinas, Divino, Mateus Leme, São João Evangelista, Corguinho, Marcelândia, Cachoeira do Piriá, Tavares, Esperantina, Lagoa de São Francisco, Pesqueira, São José da Coroa Grande, Serrita, Califórnia, Sapucaia, Caiçara do Rio do Vento, Santana do Matos, São Felipe D Oeste, Salto do Jacuí, Capela e Mirassol. DESCRIÇÃO DA RECOMENDAÇÃO: Recomendamos ao INEP aprimorar os mecanismos de análise e avaliação da qualidade da informação prestada pelas escolas, utilizando os dados fornecidos pelas escolas, e os dados levantados pela fiscalização in loco realizada pela CGU como subsídio. Nº da CONSTATAÇÃO: OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 004, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 004, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 004, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 002, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 003. Situação que foi evidenciada nos municípios: Colônia Leopoldina, Flexeiras, Benjamin Constant, Ibicaraí, Nazaré, Pacujá, Laranja da Terra, Urutaí, Benedito Leite, Bequimão, Corguinho, Marcelândia, Cachoeira do Piriá, Tavares, Esperantina, Lagoa de São Francisco, Pesqueira, São José da Coroa Grande, Serrita, Sapucaia, Santana do Matos, Capela, Cristais Paulista, Mirassol e Porangaba. DESCRIÇÃO DA RECOMENDAÇÃO: Recomendamos ao INEP orientar aos gestores municipais sobre a necessidade de guarda e conservação dos registros dos alunos matriculados e da importância do seu correto preenchimento. Nº da CONSTATAÇÃO: OS: Nº Constatação: 005, OS: Nº Constatação: 004, OS: Nº Constatação: 004, OS: Nº Constatação: 004, OS: Nº Constatação: 004, OS: Nº Constatação: 003, OS: Nº Constatação: 004. Situação que foi evidenciada nos municípios: Ibicaraí, Nova Colinas, Marcelândia, São José da Coroa Grande, Serrita, São Felipe D Oeste e Capela. DESCRIÇÃO DA RECOMENDAÇÃO: Recomendamos ao INEP orientar aos gestores municipais que somente informem ao Censo Escolar os alunos efetivamente matriculados e consequentemente registrados em diário escolar. Nº da CONSTATAÇÃO: OS: Nº Constatação: 002, Situação que foi evidenciada nos municípios: Cocalzinho de Goiás, DESCRIÇÃO DA RECOMENDAÇÃO: Orientar o gestor municipal quanto ao cumprimento das normas do Censo 223

224 Escolar, as quais determinam que os dados apurados relativos às matrículas de alunos devem ser condizentes com os constantes dos diários de classe das escolas. Nº da CONSTATAÇÃO: OS: Nº Constatação: 005, Situação que foi evidenciada nos municípios: São José da Coroa Grande DESCRIÇÃO DA RECOMENDAÇÃO: Recomendamos ao INEP orientar aos gestores municipais que somente informem ao Censo Escolar os alunos efetivamente matriculados e que estejam frequentando as aulas no período de realização do Censo. Providências Adotadas Setor responsável pela implementação DEED 249 Código SIORG Síntese da providência adotada: A Diretoria de Estatísticas Educacionais, mediante MEMO/MEC/INEP/DEED Nº de 22/06/2011, encaminhou resposta prestando os devidos esclarecimentos quanto às medidas já adotadas e os procedimentos futuros, visando atender às recomendações da Controladoria-Geral da União CGU referente à 33ª Etapa do Programa de Fiscalização a partir de sorteios públicos relativos ao Censo Escolar da Educação Básica. Referido memorando foi encaminhado à CGU por meio do OFÍCIO/MEC/INEP/AUDIN Nº de 24/06/2011. A Diretoria salientou que o encaminhamento de situações como as constatadas nos relatórios resultantes das fiscalizações realizadas pela CGU, seriam analisadas no âmbito do GT (Grupo de Trabalho), com a participação de representantes do Ministério da Educação, desta Autarquia e da Controladoria-Geral da União. A Diretoria de Estatísticas Educacionais em atendimento ao OFÍCIO Nº 3981/2011 TCU/SECEX-MA protocolado no Inep em 20/12/2011, encaminhando cópia do Acórdão Nº 2184/2011 TCU 1ª Câmara de 12/04/2011, por meio do qual foi dado conhecimento no item 1.6.4, de burla ao Censo Escolar no Município de Santa Luzia do Paruá (MA), teve oportunidade de prestar informações atualizadas, conforme MEMO Nº DEED/INEP-MEC, de 20/01/2012, relativamente às proposições do Grupo de Trabalho instituído pela Portaria Nº 213, de 25/07/2011. Esclareceu que: Considerando os resultados dos trabalhos do Grupo de trabalho instituído pelo Inep com a colaboração da CGU, dentro do Plano de Contingências para as Crises, o Inep ao receber alguma denúncia sobre irregularidade na prestação das informações ao Censo Escolar, deverá entrar em contato com o gestor responsável pela rede de ensino para sua manifestação. O Inep poderá, ainda, solicitar, por amostragem, documentação que possa comprovar a veracidade das informações lançadas no sistema sob pena dos dados declarados não serem considerados para as estatísticas oficiais. Ainda como recomendação do GT, o Inep, por meio da Diretoria de Estatísticas Educacionais, realizará o mapeamento dinâmico de riscos, por base territorial (município), agregando informações de diversas fontes, de modo a otimizar as suas atividades de controle. Essas fontes incluem as denúncias recebidas pelos órgãos de controle. (...) As informações no Mapa de Riscos comporão uma planilha ponderada que permitirá o escalonamento de municípios, de forma dinâmica e decrescente de risco, que norteará as ações de capacitação presencial e capacitação por meio da Educação a Distância (EAD); ações de controle preventivo (Auditoria Interna); e verificação por meios informáticos dos dados informados, no período de validação de dados. Síntese dos resultados obtidos Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há. 224

225 15.3 RECOMENDAÇÕES DA CGU PENDENTES DE ATENDIMENTO AO FINAL DO EXERCÍCIO Quadro XXXIVa Situação das Deliberações do OCI que Permanecem Pendentes de Atendimento no Exercício Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI Código SIORG Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/entidade objeto da recomendação Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Código SIORG Descrição da Recomendação: Avalie as atribuições de funcionários de empresas terceirizadas, adotando medidas corretivas e informando as providências adotadas à CGU após 60 dias do recebimento do Relatório definitivo. Providências Adotadas Setor responsável pela implementação DGP 249 Código SIORG Justificativa para o seu não cumprimento: Conclusão de Portaria com as determinações e responsabilizações aos dirigentes e chefias das unidades do Inep, na ocorrência de eventuais situações futuras que venham ser observadas em relação ao fato apontado no Relatório. Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor 225

226 Quadro XXXIVb Situação das Deliberações do OCI que Permanecem Pendentes de Atendimento no Exercício Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Recomendações do OCI Recomendações expedidas pelo OCI Código SIORG Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/entidade objeto da recomendação Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP 249 Descrição da Recomendação: Código SIORG Apurar a responsabilidade em virtude da deficiência da atuação da fiscalização do contrato. Providências Adotadas Setor responsável pela implementação DTDIE 249 Código SIORG Justificativa para o seu não cumprimento: A Auditoria Interna, mediante MEMO/MEC/INEP/AUDIN Nº , de 08/02/12, reiterou junto à Chefia de Gabinete do Inep atendimento a esta recomendação. Considerando que até o momento da conclusão dos trabalhos, no que concerne ao Plano de Providências Permanente, não houve pronunciamento quanto à decisão ou providências para a apuração de responsabilidade, tão logo ocorra o atendimento, a Auditoria Interna encaminhará a informação à Controladoria-Geral da União. Análise crítica dos fatores positivos/negativos que facilitaram/prejudicaram a adoção de providências pelo gestor 226

227 ANEXO II RECOMENDAÇÕES DA AUDITORIA INTERNA 227

228 16.1 RECOMENDAÇÕES DA UNIDADE DE CONTROLE INTERNO OU DE AUDITORIA INTERNA ATENDIDAS NO EXERCÍCIO Quadro XXXVa Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação Descrição da Recomendação Nota de Auditoria nº 04/ /07/2011 Nota de Auditoria nº 04/2011 OFÍCIO/MEC/INEP/AUDIN Nº Diretoria de Gestão e Planejamento e Diretoria de Avaliação da Educação Superior Processo nº que trata da contratação de empresa especializada no ramo de engenharia para a prestação de serviços técnicos de manutenção preditiva, preventiva, corretiva e remanejamento em ativos patrimoniais, com fornecimento de todas as peças, materiais e mão de obra necessários à manutenção do prédio do INEP - Contrato nº 02/2010. Da análise efetuada recomendamos ; 1- Realizar levantamento nos contratos vigentes no INEP de serviços continuados sobre a existência de cláusula que preveja a repactuação de preços dos contratos, nos casos cabiveis, bem como atentar para a sua inclusão nos editais e contratos vindouros, qunado for o caso, 2 - Proceder a realização da pesquisa de preços de mercado com a obtenção de no mínimo 3 ( três) propostas que comprovem a vantajosidade para a administração da prorrogação contratual antes do encaminhamento das respectivas minutas de termo aditivo à análise da Procuradoria jurídica; 3- Inserir no processo o resultado da pesquisa de mercado ou proceder à sua realizaçã, ou ainda apresentar justificativas para a sua não realização, em virtude de contrariar a legislação e o entendimento vigente no âmbito do Tribunal de Contas da União; 4 - Proceder à correção da numeração do processo. Providências adotadas pela unidade interna responsável Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação Diretoria de Gestão e Planejamento - Coordenação Geral de Recursos Logisticos, Aquisições e Convênios. Síntese das providências adotadas O Coordenador Geral de Recursos Logisticos, Aquisições e Convênios, mediante despacho datado de 23 de setembro de 2011, informou que foi realizada nova pesquisa de mercado, empresas do ramos de manutenção predial e engenharia, totalizando 17 (dezessete) empresas contatadas. Confirmou- se a dificuldade de tal tarefa, pois é notório o saber de que as empresa demoram em mandar tais pesquisas ou, tendo conhecimento que é uma ferramenta para prorrogação de contrato, não enviam a cotação de seus serviços. Informou, que não obteve êxito na tarefa, onde consta apenas uma proposta de empresa. Síntese dos Resultados Obtidos O Coordenador- Geral de Recursos Logísticos, Aquisições e Convênios, mediante despacho datado de 23 de setembro de 2011, informou que não obteve êxito na tarefa, pois contou apenas com a proposta de uma empresa. Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Diante da dificuldade enfretada pela Coordenação Geral de Recursos Logísticos, Aquisições e Convênios, no que se refere à obtenção de preços no mercado, não foi possível evidenciar a vantagem econômica para a Administração. 228

229 Quadro XXXVb Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação Relatório de Auditoria nº 01/ /01/ DAEB - DIRETORIA DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA Descrição da Recomendação Processo nº / Consórcio Fundação Cesgranrio referente ao acompanhamento da 2º aplicação do Pre-Teste 2010 para formação do Banco Nacional de Itens-BNI do INEP nas cidades de Porto Alegre/RS, Canoas/RS e Fortaleza/CE no período de 04/10/2010 a 08/10/2010, da análise fetuada recomendamos: Reiterar junto ao consórcio sobre a importância da segurança do exame e a importância deste no desenvolvimento do Banco Nacional de Itens, uma vez, no caso de Porto Alegre, a segurança não atendeu ao exigido no Contrato nº 22/2010, tendo em vista o local alocado para a guarda dos materiais e o deslocamento dos malotes ( carros dos carregadores), um quarto com janela de vidro sem grades no segundo andar; Quando da resposta do consórcio, analisar o procedimento de glosa em razão da utilização de apenas um quarto de hotel para a secretaria e armazenamento dos malotes;2.1.1 Planejar com maior precisão os quantitativos de instituições que realemnte participarão do pré-este, com intuíto de se evitar problemas de logística e, consequetemente, falhas no processo; Adotar providências no sentido de que, para qualquer estado em que seja aplicado o pré-teste, seja enviado, no mínimo, um orepresentante da Diretoria, tendo em vista o efetivo acompanhamento do conrato pelo Gestor para fins de atesto dos serviços e correção das falhas em tempo hábil, em coanformidade com a cláusula NONA do contrato 22/ DO ACOMPANHAMENTO E FISCALIZAÇÃO DOS SERVIÇOS; Que a DAEB atente para o fornecimento de dados corretos de modo a se evitar problemas de logística de definição de aplicadores; Analisar o conteúdo do treinamento, uma vez que percebeu-se em muitos casos, que os coordenadores não estavam preparados para as devidas explicações e não cumpriram o mínimo exigido para a aplicação do Pré-teste em ambos os estados; Reavaliar as horas de treinamento, vez que não foram utilizadas as 8 ( oito) horas cobradas na planilha de custos Capacitação dos Coordenadores de Aplicação (centralizada) e Aplicadores (UF), e exigir no próximo Plano de Aplicação a realização de treinamento para os aplicadores, bem como, reavaliar na planilha de custos a carga horária mínima de treinamento, pois constatou-se no máximo duas horas para passar todo o conteúdo. Glosar os valores das horas de treinamento não utilizadas; Glosar os valores referentes aos kits que deveriam ter sido entregues no dia do treinamento no valor de R$ 25,00 (vinte e cinco reais) para cada participante; Glosar os valores referentes às diárias de campo no valor de R$ 45,00 (quarenta e cinco reais) por aplicador, uma vez que no próprio treinamento 229

230 dado pela contratada foi dito que o único valor que seria repassado tanto aos coordenadores como para os aplicadores, seria referente à aplicação, e no caso destes, no Rio Grande do Sul, de R$ 68,00 (sessenta e oito) reais bruto; Elaborar critérios rígidos acerca da seleção e designação de coordenadores estaduais e aplicadores de prova, cobrando do Consórcio o estrito atendimento a esses critérios quando da designação dos coordenadores e aplicadores. A título de sugestão, sem prejuízo de outras medidas consideradas pertinentes pelo gestor do contrato, estabelecer um número mínimo de participação das pessoas selecionadas em trabalhos dessa natureza, que deverá ser comprovado pelas empresas formadoras do Consórcio Proibir ao Consórcio a seleção e designação de funcionários das próprias instituições de ensino como aplicadores e/ou coordenadores de aplicação das provas nessas instituições, de modo a garantir a lisura dos exames; Instruir a contratada quanto à reserva de aplicadores para casos fortuitos ou de força maior para fins de não prejudicar a aplicação das provas; Determinar ao Consórcio que cobre o estrito cumprimento das determinações constantes do Manual do Aplicador por parte dos aplicadores e coordenadores de aplicação; Reforçar a importância de ler as recomendações mínimas para a realização da prova, pois em algumas escolas não foram lidas por parte dos coordenadores e/ou aplicadores; Proceder à glosa dos valores relativos a itens constantes da planilha de custos e não comprovados pelo Consórcio, a exemplo das alíneas i a v do item d relativo ao estado do Ceará quando do pagamento ao Consórcio Advertir ao Consórcio quanto à obrigatoriedade do acompanhamento da execução da operação reverso pelos seus coordenadores, pois no caso do estado do Ceará não houve acompanhamento por meio do seu representante, e sim da empresa que serviu de pólo de armazenamento aprimorar o texto dos ofícios encaminhados às Secretarias Estaduais de Educação (Ofício Circular MEC/INEP/DAEB nº ) e às escolas selecionadas para participação no Pré-Teste (Ofício Circular DAEB/INEP/MEC nº ), enaltecendo a importância do Banco Nacional de Itens (BNI) para a educação brasileira e da participação das escolas por meio dos seus alunos para a formação do referido banco; elaborar um texto padrão a ser proferido pelos coordenadores de aplicação e professores/diretores das escolas anteriormente à aplicação das provas, com vistas à uniformização do discurso acerca do BNI, sua formação e finalidade; estudar a possibilidade de se desenvolver um vídeo institucional, no qual o Ministro da Educação e/ou Presidente do INEP falassem sobre a importância do BNI para a educação brasileira e a necessidade da participação individual de cada um dos alunos selecionados para a formação do BNI e, consequentemente, para a educação brasileira. Tal vídeo poderia ser disponibilizado aos diretores das escolas selecionadas para apresentação aos alunos anteriormente à aplicação das provas, como forma de estimular a participação dos alunos e dirimir antecipadamente eventuais questionamentos; e; estudar a possibilidade de se elaborar um Certificado de Participação a ser enviado às escolas participantes do Pré-Teste de Questões do BNI, agradecendo a colaboração dos funcionários e estudantes dessas escolas quanto à participação no Pré-Teste. Providências adotadas pela unidade interna responsável Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação Diretoria da Avaliação da Educação Básica Síntese das providências adotadas 230

231 Quanto à existência em alguns estados de um único espaço físico para secretaria, manuseio e guarda do material, a equipe da DAEB verificou que na maioria dos casos, apesar de ser somente um local, havia duas salas, uma para cada fim, o que cumpre com o exigido. No relatório do servidor que acompanhou as atividades no Ceará há a especificação de que os materiais foram guardados em uma sala de uma empresa de segurança com câmeras e segurança 24h. A sala de armazenamento era trancada com uma chave e o segurança tinha instruções para permitir somente o coordenador local e a coordenadora estaduala abrirem. O manuseio era feito na mesma empresa de segurança. Encaminharemos um ofício solicitando ao consórcio esclarecimentos quanto ao ocorrido no Rio Grande do Sul; A uniformidade entre os procedimentos adotados pelo Consórcio (Cespe/Cesgranrio) tem sido objeto de cobrança por parte do Inep. Neste sentido, foi solicitado que todos os materiais utilizados pelas empresas do consórcio (manuais e materiais administrativos) fossem os mesmos. Entretanto, considerando as observações do tópico 9, notificaremos o consórcio. No relatório geral de treinamento encaminhado pelo consórcio, consta que os treinamentos de coordenadores e de aplicadores foram realizados no período de 22 de setembro a 04 de outubro de 2010 e teve a duração de 8 horas. Ainda de acordo com o referido relatório, o treinamento de coordenadores da Cesgranrio ocorreu no dia 22 de setembro de 2010 e do Cespe no dia 28 de setembro de Já o treinamento dos aplicadores nos polos ocorreu no dia 04 de outubro de De todo modo, considerando as observações feitas pela Auditoria e pela equipe da DAEB em relação ao Rio Grande do Sul, Ceará e Rio de Janeiro, um ofício será encaminhado ao consórcio solicitando esclarecimentos. De acordo com o relatório geral de treinamento encaminhado pelo consórcio, foi entregue aos coordenadores e aplicadores os materiais de capacitação aprovados pelo Inep e impressos na gráfica, juntamente com um bloco de anotações, caneta, CD com a apresentação e cópia do material administrativo. A inexistência desses kits no Rio Grande do Sul e no Ceará será questionada ao consórcio. No Rio de Janeiro, a DAEB verificou que os coordenadores de aplicação receberam o kit, mas não foi possível constatar a entrega do kit aos aplicadores. Ao fazer o acompanhamento do serviço prestado, a DAEB focou suas atenções na constatação ou não do pleno atendimento da demanda, mas não foi possível averiguar questões relativas aos valores que os aplicadores estavam recebendo. Maiores esforços serão apresentados neste quesito nas próximas aplicações a fim de aperfeiçoar o procedimento de monitoramento das aplicações;quanto a ausência de transporte para o pessoal e para o material também foi detectada em outros pólos de aplicação sob o monitoramento da DAEB. Somente Bahia e Goiás possuíam transporte contratado, mas não atendiam a todos os locais de aplicação,esclarecimentos já foram solicitados, todavia, iremos ratificar o pedido. As questões com duas alternativas iguais, na verdade, referem-se somente a uma questão, mas por razão da rotação dos blocos para montagem dos cadernos de prova, ela acaba se repetindo em vários cadernos. Durante a revisão desta questão, identificou-se um problema em um dos distratores e, ao consertar, ficaram duas alternativas iguais. Quanto ao problema nos cadernos 7 e 8, uma página contendo 3 itens foi duplicada durante o processo de diagramação e isso no foi percebido. Considerando a complexidade relacionada à elaboração de itens e à montagem de cadernos de provas com blocos incompletos balanceados, tecnicamente não há de se considerar que as ocorrências descritas no tópico 7 (Solicitação de Auditoria 39/2010) representem falhas ou imputam responsabilidades a equipe de elaboradores, revisores ou coordenadores do pré-teste. Foram levados a campo cerca de 720 itens, dos quais somente há relato de problemas em 4 itens, o que representa 0,006% do total de questões. Ademais, três pontos devem ser ressaltados: (1) uma das funções do pré-teste é avaliar a qualidade dos itens para que itens com problemas não sejam colocados em uma avaliação do Inep. Assim, é parte do processo do pré-teste identificar problemas que não tinham sido detectados anteriormente pela revisão dos professores e consequentemente, modificar e aprimorar tais itens para futuras aplicações; (2) os problemas mencionados não causaram custo adicional ao processo. (3) como o pré-teste não tem o objetivo de avaliar os alunos, mas sim o item, problemas específicos em itens não acarretam em prejuízos na aplicação. Síntese dos Resultados Obtidos Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há 231

232 Quadro XXXVc Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação Relatório de Auditoria nº 02/ /11/2011 DIRED - Diretoria De Estudos Educacionais Descrição da Recomendação Convênio nº / Recomendações seja solicitado ao Convenente, a inclusão da documentação referente à contrapartida em bens e serviços, no SICONV, utilizada na execução do objeto até o presente. sugerimos uma análise mais acurada por parte da área técnica do Inep, na execução dos projetos de pesquisa para avaliar a necessidade de prorrogação, ou não da vigência do Convênio, uma vez que as metas, etapas e fases programadas no Convênio, correm o risco de não serem concluídas no prazo previsto de vigência, o qual expira em 11/02/2012, fato este corroborado pela convenente. Além dos princípios da impessoalidade, moralidade e economicidade, as entidades privadas sem fins lucrativos deverão realizar, no mínimo, cotação prévia de preços no mercado, nos moldes dos artigos 45 a 47 da Portaria Interministerial n 127 de Enquanto o SICONV não permite a realização da cotação prévia, poderão fazer a cotação de preços no mercado, mediante a apresentação de no mínimo três orçamentos. Solicitar a manifestação do CEDEC quanto a não realização de, no mínimo, cotação prévia de preços no mercado, nos moldes dos artigos 45 a 47 da Portaria n 127 de O Inep proceda a designação de um representante legal do convênio, em atendimento ao contido no Art. 53, da Portaria Interministerial nº 127, de 29/05/2008. Convênio nº / Recomendaçõesa seja realizada uma análise mais acurada por parte da área técnica da execução dos projetos de pesquisa no sentido de avaliar a necessidade de uma revisão do Convênio com vistas a adequar o orçamento e a capacidade de execução da Universidade de São Paulo, uma vez que as Metas 1 e 2 estão sendo realizadas pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto - FEA-RP-USP, enquanto que a Meta 3, está a cargo da Escola de Artes, Ciências e Humanidades EACH/USP LESTE em São Paulo/SP; b) seja solicitado da Convenente, a inclusão da documentação referente à contrapartida em bens e serviços, no SICONV, utilizada na execução do objeto até o presente; c) a convenente na aquisição de bens e serviços comuns, utilize a modalidade pregão, nos termos da Lei nº , de 17 de julho de 2002, e do regulamento previsto no Decreto nº 5.450, de 31 de maio de 2005, sendo utilizada preferencialmente a sua forma eletrônica. Na sua inviabilidade, deverá ser devidamente justificada pela autoridade competente do convenente; d) nas concessões de diárias sejam observados os valores constantes da legislação do Governo Federal. e) O Inep proceda a designação de um representante legal do convênio em atendimento ao contido no Art. 53, da Portaria Interministerial nº 127, de 29/05/2008. Providências adotadas pela unidade interna responsável Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação DIRED 232

233 Síntese das providências adotadas As recomendações foram exaradas no relatório com a participação de servidor da área técnica responsável pelo acompanhamento da execução do convênio, bem como por técnico da Auditoria Interna. Assim, a DIRED deverá adotar as providências de saneamento das constatações junto às Convenentes. Síntese dos Resultados Obtidos Acompanhamento da área técnica na execução do convênio Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há 233

234 Quadro XXXVd Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação Descrição da Recomendação Relatório de Auditoria nº 03/ /12/2011 OFÍCIO/MEC/INEP/AUDIN Nº Diretoria da Avaliação da Educação Básica Providências adotadas pela unidade interna responsável Acompanhamento do exame do ENEM 2011 para pessoas privadas de liberdade nas cidades de Belo Horizonte e Contagem no Estado de Minas Gerais- Recomendação: Tendo em vista que os aplicadores do presídio foram os próprios servidores dos presídios e que não houve aplicadores especiais, nem assistentes de unidade de aplicação, recomendamos que o Gestor atente para os fatos elencados por ocasião do atesto dos serviços constantes na Nota Fiscal a ser apresentada pela contratada, bem como verifique junto à contratada se os serviços constantes na planilha B- FASE 2- Tópico 4, a exemplo dos aplicadores, aplicadores especiais e assistentes de unidades de aplicação foram realmente utilizados em outros presídios, para que o gestor atente na hora de atestar e pagar a Nota Fiscal à contratada. Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação Síntese das providências adotadas Não houve resposta Síntese dos Resultados Obtidos Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor 234

235 Quadro XXXVe Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Relatório de Auditoria nº 04/ /12/ OFÍCIO/MEC/INEP/AUDIN Nº /01/2011 Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação Descrição da Recomendação DTDIE E DGP Em cumprimento à Ordem de Serviço nº 02 de 09/11/ Processo / Pregão Eletrônico 15/2011, recomendamos: Recomendação: 3.1.1: Quando das próximas licitações, a DTDIE deverá demonstrar nos documentos pertinentes à IN 04/2010 o efetivo planejamento com vistas à contratação, de forma a ficar evidenciada a transparência quanto à solução/equipamento a ser adquirido. Providências adotadas pela unidade interna responsável Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação DTDIE Síntese das providências adotadas Esta Diretoria acatará a recomendação feita pela Auditoria e procurará ser mais clara e objetiva na apresentação dos argumentos de alinhamento ao planejamento nas próximas contratações, apesar de discordar da constatação, talvez porque não nos tenha sido apontado quais elementos não foram suficientes para mostrar a existência do planejamento. Síntese dos resultados obtidos Conforme detalhado na página 2 do Relatório nº 4/2011 a equipe de auditoria elenca toda a documentação apresentada pela DTDIE no processo e ressalta que foram atendidas formalmente as exigências da IN 04/2010 SLTI/MPOG. O que se questiona é o conteúdo das peças apresentadas as quais contem texto padrão para todos os processos de aquisição. Todavia, haja vista a concordância da DTDIE com a recomendação, acatamos a sua manifestação. Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há 235

236 Quadro XXXVf Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação Descrição da Recomendação Relatório de Auditoria nº 04/ /12/ OFÍCIO/MEC/INEP/AUDIN Nº /01/2011 DTDIE E DGP Providências adotadas pela unidade interna responsável Em cumprimento à Ordem de Serviço nº 02 de 09/11/ Processo / Pregão Eletrônico 15/2011, recomendamos: Recomendação 3.2.1: Recomendamos à DTDIE providenciar planejamento de necessidades com especificação de quantitativos em seu PDTI. Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação DTDIE Síntese das providências adotadas A construção do PDTI do Inep para o período 2008 a 2011 foi feita pela Empresa Brasileira de Negócios e Consultoria Ltda. EBNC, conforme Contrato nº 74/2008. Durante os trabalhos de auditoria da Controladoria da União CGU foram analisados o Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI), juntamente com as documentações de elaboração do plano e de criação do comitê diretivo de TI. Sobre o assunto o posicionamento da CGU foi o seguinte: O PDTI contemplou satisfatoriamente todas as áreas analisadas, e, apesar de não haver um Planejamento estratégico institucional, no processo de criação do planejamento estratégico de TI pôde-se observar pesquisas junto ao órgão de necessidades de TI, de forma que o planejamento contivesse diretrizes relacionadas com as atividades e a missão do órgão. Existe um comitê diretivo de TI em funcionamento no âmbito do ministério da educação, que possui membros do INEP, dispondo sobre às áreas de TI do MEC como um todo, determinando inclusive prioridades de investimento e alocação de recursos. Cabe registrar como ponto positivo na gestão, que o PDTI apresenta uma análise completa do órgão, problemáticas, planos de ação, contratação, investimentos, capacitação, dentre outros, com metodologias bem definidas e sugestões claras de melhoria na gestão de TI. Síntese dos resultados obtidos Acatamos as justificativas apresentadas, recomendando a observância ao art. 4º da referida IN: Art. 4º As contratações de que trata esta Instrução Normativa deverão ser precedidas de planejamento, elaborado em harmonia com o PDTI, alinhado ao planejamento estratégico do órgão ou entidade. Parágrafo único. Inexistindo o planejamento estratégico formalmente documentado, será utilizado o documento existente no órgão ou entidade, a exemplo do Plano Plurianual ou instrumento equivalente, registrando no PDTI a ausência do planejamento estratégico do órgão ou entidade e indicando os documentos utilizados. Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há 236

237 Quadro XXXVg Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação Descrição da Recomendação Relatório de Auditoria nº 04/ /12/ OFÍCIO/MEC/INEP/AUDIN Nº /01/2011 DTDIE E DGP Providências adotadas pela unidade interna responsável Em cumprimento à Ordem de Serviço nº 02 de 09/11/ Processo / Pregão Eletrônico 15/2011, Recomendamos à DTDIE e à DGP absterem-se de prever a inclusão de itens que não atendam às necessidades específicas do INEP, sem previsão de contratação dos respectivos produtos. Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação DTDIE Síntese das providências adotadas Manifestação DTDIE: Esta Diretoria discorda do posicionamento da auditoria com relação a aquisição de itens sem previsão, uma vez que os itens não solicitados na primeira contratação seriam adquiridos e instalados no ano de O projeto de replicação dos dados, servidores de aplicação e servidores de banco de dados Regionalização de Atendimento, foi elaborado com o objetivo de garantir altíssima disponibilidade para serviços críticos do INEP, criando uma extensão do Datacenter do Inep em outras regiões do país. Portanto, ratificamos que o Instituto se propõe com o processo em questão adquirir ativos de tecnologia necessários a montagem de células de atendimento a seu fluxo de requisições, sendo que estas seriam implantadas de forma segmentada. O objetivo de tal projeto é diminuir o fluxo de acesso ao Datacenter Brasilia, permitindo um atendimento mais ágil e eficiente para as regiões contempladas. Ademais, conforme demonstra o termo constante do anexo 2, o INEP firmou, no dia 09 de agosto de 2011, com o Ministério Público Federal, Compromisso de Ajustamento de Conduta, através do qual se comprometeu, dentre outras questões, a conceder aos participantes da edição do ENEM 2011, a vista das provas discursivas, ainda que por meio eletrônico, bem como a oportunidade de apresentação de recurso fundamentado contra a correção, devendo apresentar respostas fundamentadas a tais recursos. Dessa forma, as contratações decorrentes do Pregão Eletrônico nº 15/2011 bem como uma série de outras realizadas no âmbito interno da Autarquia têm por objetivo, dentre outros, o de ampliar o acervo tecnológico do INEP com a finalidade de viabilizar o cumprimento do compromisso de ajustamento de conduta firmado, sendo indispensável, pois, não só ao sucesso do ENEM 2011 como também à garantia de direitos fundamentais aos participantes do exame. Além disso, o Inep estaria se preparando para a realização do Enem on line futuramente, que é uma proposta ministerial. Assim sendo, como toda aquisição depende da existência de recursos e em 2011 o Inep não dispunha de recursos suficientes para suprir todas as necessidades de uma só vez, optou-se pelo Sistema de Registro de Preços e os recursos para os itens não adquiridos em 2011 foram incluídos na Proposta Orçamentária para Portanto, reafirmamos que não houve inclusão de itens que não atendem às necessidades do Inep porque com o atendimento regionalizado o Inep busca não só a redundância geográfica definida nas normas de segurança, mas, também, otimizar o acesso a seus sistemas nas diversas regiões do país, consoante justificado no Termo de Referência elaborado para orientar a contratação. Manifestação DGP: Deve-se esclarecer que esta recomendação é de competência exclusiva das unidades demandantes das contratações de bens e serviços a serem realizadas pela área de compras da DGP. Neste caso e em todos os 237

238 outros do Inep, a recomendação direciona-se às unidades que elaboram seus projetos e os encaminham para a área de compras da Autarquia. A DGP executa os procedimentos de aquisição de bens e serviços com observância à legislação e ao sistema governamental de compras. As questões relacionadas a esta recomendação, são, portanto, especificidades associadas aos projetos e um dos requisitos técnicos a ser observado quando da elaboração de Projetos Básicos ou Termos de Referência pela área técnica. Concluindo, é da competência e responsabilidade das áreas técnicas/demandantes a definição dos produtos/serviços, quantitativos a serem adquiridos, bem como demais condições atreladas aos bens e/ou serviços a serem contatados. Sendo, assim, solicitamos reconsiderar o direcionamento desta recomendação à DGP área de compras, posto que não é de sua competência tal definição. Síntese dos resultados obtidos Quanto à manifestação da DGP acatamos as justificativas apresentadas. Quanto à manifestação da DTDIE e o respectivo complemento acatamos parcialmente as justificativas apresentadas tendo em vista o fato de que o projeto de replicação dos dados, servidores de aplicação e servidores de banco de dados Regionalização de Atendimento, citado pela Diretoria, não está contemplado no processo de formalização, ainda, o Termo de Referência e a documentação anexa não contemplam a estratégia de contratação em dois exercícios, nem tampouco a existência da alegada restrição orçamentária. Desse modo, recomendamos nos processos doravante instaurados a inclusão de toda e qualquer documentação referente à aquisição pretendida. Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há 238

239 Quadro XXXVh Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação Descrição da Recomendação Relatório de Auditoria nº 04/ /12/ OFÍCIO/MEC/INEP/AUDIN Nº /01/2011 DTDIE Em cumprimento à Ordem de Serviço nº 02 de 09/11/ Processo / Pregão Eletrônico 15/2011, Recomendação 3.3.1: Recomendamos à DTDIE solicitar às empresas que forneçam, quando da formação de preços, especificação detalhada e de acordo com as exigências do Termo de Referência. Providências adotadas pela unidade interna responsável Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação DTDIE Síntese das providências adotadas Cabe esclarecer que os pedidos formulados aos representantes das empresas são no sentido de que as cotações sejam apresentadas de acordo com as exigências do Termo de Referência, porém as mesmas nem sempre apresentam propostas conforme solicitado. Assim, a equipe da DTDIE está sendo orientada que nas futuras contratações outras fontes sejam consultadas para a realização da pesquisa do preço estimado da contratação, tais como: Orçamentos solicitados no mercado; Contratos de outros órgãos e outras entidades sites oficiais; Valores oficiais e tarifas públicas, quando for o caso; Revistas e outras publicações técnicas. Síntese dos Resultados Obtidos Acatamos a manifestação apresentada. Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há 239

240 Quadro XXXVi Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício (ver Anexo) Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação Descrição da Recomendação Relatório de Auditoria nº 04/ /12/ OFÍCIO/MEC/INEP/AUDIN Nº /01/2011 DGP Em cumprimento à Ordem de Serviço nº 02 de 09/11/ Processo / Pregão Eletrônico 15/2011, Recomendação 3.4.1: Recomendamos à DGP a criação de mecanismos de controle de rotina, com vistas a verificar a autenticidade dos documentos encaminhados pelas empresas consultadas pelas Diretorias deste Instituto, de forma a evitar o comprometimento das estimativas de custos. Providências adotadas pela unidade interna responsável Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação DGP Síntese das providências adotadas A licitação é um ato formal, realizado em estrita observância às disposições legais vigentes e ao ordenamento jurídico. Consta da legislação que trata da matéria todas as exigências me as condições que devem ser observados na realização do procedimento licitatório. Inclusive, as penalidades que poderão ser aplicadas aos participantes da licitação pela prática de qualquer ato ilícito, com o intuito de fraudar a licitação, fato que configuraria crime e como tal deve ser tratado. Sendo assim, todos aqueles que estejam envolvidos de alguma forma no certame licitatório, especialmente os servidores e licitantes, têm conhecimento pleno da legislação, portanto, ao participarem do processo assumem automaticamente o compromisso formal de observarem rigorosamente as determinações legais. A prática adotada pela Administração Pública quando da realização das licitações, em todas as suas fases, é de que nas relações jurídicas existe a presunção da boa fé, conforme conceito abaixo: A boa-fé, no sentido objetivo, é um dever das partes, dentro de uma relação jurídica, se comportara tornando por fundamento a confiança que deve existir, de maneira correta e leal; mais especificamente, caracteriza-se como retidão e honradez, dos sujeitos de direito que participam de uma relação jurídica, pressupondo o fiel cumprimento do estabelecido. Martins (2000, p.73) Neste sentido, como a norma geral considera a presunção da boa fé, deve-se refletir sobre o que poderia vir a ser a...criação de mecanismos de controle de rotina, com vistas a verificar a autenticidade dos documentos.... Como não se tem registro de que a Comissão entrou entrado em contato in loco com a equipe de compras para conhecer os procedimentos adotados atualmente no setor, resta esclarecer que o Inep contabilizou neste ano mais de 200 procedimentos de compras, ou seja, desde AAE, Dispensa, Cotação, Pregão, etc.; Enfim, a interpretação da legislação é clara neste sentido... A boa-fé, no sentido objetivo, é um dever das partes, dentro de uma relação jurídica... Ou seja, aqueles com os quais a administração trata no dia a dia, os de boa fé, irão responder por atos ilícitos se identificadas e comprovadas ações de ma fé. Desde já o setor de compras coloca-se à disposição para que outros olhares conheçam como é feito e o auxilie na construção de um modelo desejável e factível. Para tal, deverá ser vivenciado o processo, em processo, para que não se elabore algo inexequível e/ou que promova conflitos de interpretações nas relações e praticas jurídica - público/privado. Concluindo, é importante conhecer o que, como foi feito e como vem sendo feitas para o universo de 200 contratações, somente em Síntese dos Resultados Obtidos 240

241 O que se pretendeu com a recomendação acima foi aprimorar os mecanismos de controle já existentes. Não se estabeleceu quais mecanismos devem ser adotados, em função de que o gestor é o conhecedor da capacidade operacional da sua área, dando a liberdade para a escolha dos mecanismos adequados à sua realidade. Não se trata de adoção de mecanismos de rotinas na totalidade dos processos. Pode ser utilizada uma amostra, estabelecendo, por exemplo, um valor mínimo a partir do qual o respectivo processo de contratação receberia um tratamento diferenciado. Reconhecendo as dificuldades operacionais alegadas pela DGP, tais mecanismos poderiam ser implementados pelas diretorias demandantes, desde que, por outro setor que não aquele responsável pela elaboração do Termo de Referência e demais documentos motivadores da contratação em questão. Outra alternativa seria fazer constar dos autos do processo os documentos oficiais de solicitação de proposta, encaminhados às empresas de modo a conferir maior legitimidade ao processo. Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há 241

242 Quadro XXXVj Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação Descrição da Recomendação Relatório de Auditoria nº 04/ /12/ OFÍCIO/MEC/INEP/AUDIN Nº /01/2011 Gabinete da Presidência do Inep Providências adotadas pela unidade interna responsável Em cumprimento à Ordem de Serviço nº 02 de 09/11/ Processo / Pregão Eletrônico 15/2011, recomendamos: Recomendação : Recomendamos ao Gabinete da Presidência dar conhecimento deste Relatório à Polícia Federal, para subsidiar os trabalhos de investigação que estão sendo desenvolvidos por aquele Órgão. Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação GABINETE DA PRESIDÊNCIA Síntese das providências adotadas Por meio do Ofício Mec/Inep/Audin nº 323, de 18/01/2012, foi encaminhado ao Departamento de Polícia Federal, a documentação referente ao Pregão 15/2011, incluindo o Relatório de Auditoria nº 04/2011. Síntese dos Resultados Obtidos Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há 242

243 Quadro XXXVk Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação Descrição da Recomendação Relatório de Auditoria nº 04/ /12/ OFÍCIO/MEC/INEP/AUDIN Nº /01/2011 DGP Providências adotadas pela unidade interna responsável Em cumprimento à Ordem de Serviço nº 02 de 09/11/ Processo / Pregão Eletrônico 15/2011, recomendamos: Recomendação3.5.1: Recomendamos à DGP a criação de mecanismos de controle de rotina com vistas a verificar a autenticidade dos documentos encaminhados pelas empresas vencedoras de itens dos pregões realizados por este Instituto. Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação DGP Síntese das providências adotadas Considere-se para esta recomendação nosso esclarecimento já apresentado em relação ao item de recomendação já que se enquadra no mesmo entendimento. Síntese dos Resultados Obtidos Repetimos o teor da análise da auditoria referente ao item , sugerindo a criação de norma no âmbito do Inep contendo os procedimentos afetos a cada área no tocante aos processos de aquisição de bens e serviços. Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há 243

244 Quadro XXXVl Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação Relatório de Auditoria nº 04/ /12/ OFÍCIO/MEC/INEP/AUDIN Nº /01/2011 DGP Descrição da Recomendação Em cumprimento à Ordem de Serviço nº 02 de 09/11/ Processo / Pregão Eletrônico 15/2011, recomendamos: Recomendação 3.5.2: Recomendamos à DGP providenciar a abertura de processo administrativo contra a empresa em questão, respeitando o contraditório e ampla defesa, com vistas à anulação do contrato nº 38/2011 e a aplicação das penalidades cabíveis, contemplando inclusive a possibilidade de declaração de inidoneidade da empresa responsável. Deverá, ainda, ser verificada junto à PROJUR as medidas administrativas cabíveis quanto ao não pagamento e devolução dos produtos entregues. Providências adotadas pela unidade interna responsável Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação DGP Síntese das providências adotadas O processo com a recomendação será devidamente instruído e encaminhado ao Gabinete da Presidência para que o dirigente máximo da Autarquia delibere sobre a matéria. Síntese dos Resultados Obtidos Acatamos a manifestação da DGP Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há 244

245 Quadro XXXVm Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação Relatório de Auditoria nº 04/ /12/ OFÍCIO/MEC/INEP/AUDIN Nº /01/2011 GABINETE DA PRESIDÊNCIA Descrição da Recomendação Em cumprimento à Ordem de Serviço nº 02 de 09/11/ Processo / Pregão Eletrônico 15/2011, recomendamos: Recomendação 3.5.3: Recomendamos ao Gabinete da Presidência dar conhecimento deste Relatório à Polícia Federal, para subsidiar os trabalhos de investigação que estão sendo desenvolvidos por aquele Órgão. Providências adotadas pela unidade interna responsável Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação GABINETE DA PRESIDÊNCIA Síntese das providências adotadas Por meio do Ofício Mec/Inep/Audin nº 323, de 18/01/2012, foi encaminhado ao Departamento de Polícia Federal, a documentação referente ao Pregão 15/2011, incluindo o Relatório de Auditoria nº 04/2011. Síntese dos Resultados Obtidos Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há 245

246 Quadro XXXVn Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Relatório de Auditoria nº 04/ /12/ OFÍCIO/MEC/INEP/AUDIN Nº /01/2011 Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação GABINETE DA PRESIDÊNCIA Descrição da Recomendação Em cumprimento à Ordem de Serviço nº 02 de 09/11/ Processo / Pregão Eletrônico 15/2011, recomendamos: Recomendação 3.6.1: Recomendamos ao Gabinete da Presidência providenciar uma reunião com as Diretorias deste Instituto, com participação da Audin e da Projur para definição da obrigatoriedade e competência de análise da documentação técnica, de habilitação e das propostas relativas aos pregões e demais modalidades de licitação instaurados no INEP com vistas à contratação de bens e serviços, cujo resultado deverá ser objeto de normatização interna no âmbito do INEP. Providências adotadas pela unidade interna responsável Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação GABINETE DA PRESIDÊNCIA Síntese das providências adotadas Manifestação DTDIE: Esta Diretoria não tem objeção alguma à recomendação, colocando-se à disposição para o debate na busca da eficiência administrativa. No tocante à área de TI, esclarecemos que em breve será divulgado o Manual de contratações de TI, que está sendo finalizado e revisado pela equipe GSISP, e que irá auxiliar os servidores da DTDIE nos processos de contratação e na gestão de contratos de TI. Inicialmente a ideia era produzir apenas uma cartilha para orientar na gestão dos contratos, no entanto, percebendo as necessidades de orientação também quanto ao planejamento da contratação, o foco do documento foi ampliado. O documento em questão ainda incluirá orientações mais aprofundadas quanto à realização de pesquisas de preço e quanto a realização de vistorias técnicas. Síntese dos Resultados Obtidos Acatamos a manifestação da DTDIE ficando pendente a normatização dos procedimentos afetos a cada área conforme análise do item Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há 246

247 Quadro XXXVo Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação Descrição da Recomendação Relatório de Auditoria nº 04/ /12/ OFÍCIO/MEC/INEP/AUDIN Nº /01/2011 DGP Em cumprimento à Ordem de Serviço nº 02 de 09/11/ Processo / Pregão Eletrônico 15/2011, recomendamos: Recomendação 3.7.1: Recomendamos à DGP a adoção de providências quanto à apresentação da garantia contratual pela empresa, correspondente ao Lote 04. Providências adotadas pela unidade interna responsável Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação DGP Síntese das providências adotadas As providências já foram tomadas e reiteradas com o envio de várias solicitações de apresentação da garantia contratual pela empresa Jeta Soluções e Serviços em Tecnologia da Informação Ltda., que alega que está providenciado o citado documento. Oportuno ressaltar, contudo, que trata-se de documento que visa garantir a execução do contrato e conforme informações da DTDIE os produtos adquiridos já foram entregues e instalados. Síntese dos Resultados Obtidos Acatamos a manifestação da DGP sugerindo o condicionamento do pagamento à apresentação da garantia contratual, vez que, ainda resta pendente de implementação da empresa o suporte técnico contratado. Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há 247

248 Quadro XXXVp Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação Relatório de Auditoria nº 04/ /12/ OFÍCIO/MEC/INEP/AUDIN Nº /01/2011 DTDIE E DGP Descrição da Recomendação Em cumprimento à Ordem de Serviço nº 02 de 09/11/ Processo / Pregão Eletrônico 15/2011, recomendamos: Recomendação 3.8.1: Recomendamos à DTDIE proceder à glosa do valor de R$ ,00 quando do pagamento da Nota Fiscal nº 0176 de 29/09/2011, em virtude da contestação às informações prestadas pela Empresa, e do fato de que a instalação foi realizada por Consultor do Inep. Providências adotadas pela unidade interna responsável Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação DTDIE Síntese das providências adotadas A instalação foi feita por profissional indicado pela empresa vencedora do certame e os contratos firmados no âmbito de organismos internacionais não exigem exclusividade. Assim, mesmo prestando consultoria para o Inep, tudo indica que o profissional poderia prestar serviço para qualquer outra empresa desde que não houvesse descontinuidade nas atividades objeto de seu contrato. Quando consultada a respeito da instalação do objeto do Contrato nº 38, a empresa Monal Informática informou o nome de um profissional, nome esse que não foi confirmado pelos técnicos do INEP que acompanharam a instalação. Dessa forma, constatou-se que a instalação foi feita por outro profissional, o qual era consultor do Pnud no âmbito de Projeto executado sob a responsabilidade do Inep. O contrato firmado com o consultor em questão tinha como objetivo formular o Plano de Projeto de Implementação do SIGA Sistema Gerencial de Acompanhamento, sistema este que permite a visualização, em tempo real e por gráficos e mapas, de indicadores referentes aos exames e programas educacionais realizados pelo Inep, de forma a subsidiar o acompanhamento, monitoramento e tomada de decisão. Cabe esclarecer, ainda, que nos contratos firmados no âmbito de organismos internacionais o contratado executa o objeto como consultor independente, sem subordinação jurídica ou hierárquica de qualquer espécie. Portanto, mesmo prestando consultoria para o Inep, o profissional poderia prestar serviço para qualquer outra empresa desde que não houvesse descontinuidade nas atividades objeto de seu contrato. Assim sendo, a execução dos serviços de instalação foi feita por profissional que naquele momento representava a empresa e, uma vez concluídos os serviços, estes foram atestados, conforme procedimento adotado em todos os processos de aquisição. Síntese dos Resultados Obtidos Acatamos parcialmente a manifestação da DTDIE, uma vez que não consta do processo de pagamento a alteração, pela empresa, do funcionário designado para instalação da solução. A questão do pagamento deverá ser objeto de análise quando da instauração do Processo contra a empresa Monal Informática Ltda conforme recomendação Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há 248

249 Quadro XXXVq Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação Relatório de Auditoria nº 04/ /12/ OFÍCIO/MEC/INEP/AUDIN Nº /01/2011 DTDIE E DGP Descrição da Recomendação Em cumprimento à Ordem de Serviço nº 02 de 09/11/ Processo / Pregão Eletrônico 15/2011, recomendamos: Recomendação3.8.2: Recomendamos à DTDIE abster-se de utilizar os serviços de Consultores para a instalação de equipamentos/softwares adquiridos pelo INEP nos casos em que os respectivos contratos prevejam a instalação pela empresa contratada, por não haver pertinência com a contratação, por produto, em Tecnologia da Informação. Providências adotadas pela unidade interna responsável Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação DTDIE Síntese das providências adotadas A DTDIE, não utiliza os serviços de consultores para instalação de equipamentos/softwares adquiridos pelo Inep, nem tampouco solicita ou sugere às empresas nomes de profissionais para a realização dos serviços. Portanto, o contrato firmado tinha como objetivo formular o Plano de Projeto de Implementação do SIGA Sistema Gerencial de Acompanhamento, sistema este que permite a visualização, em tempo real e por gráficos e mapas, de indicadores referentes aos exames e programas educacionais realizados pelo Inep, de forma a subsidiar o acompanhamento, monitoramento e tomada de decisão. Síntese dos Resultados Obtidos Acatamos parcialmente a manifestação da DTDIE recomendando que quando do atesto de notas fiscais relativas à instalação de equipamentos/softwares seja feita a identificação do profissional da empresa responsável pelos serviços. Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há 249

250 Quadro XXXVr Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação Descrição da Recomendação Relatório de Auditoria nº 04/ /12/ OFÍCIO/MEC/INEP/AUDIN Nº /01/2011 GABINETE DA PRESIDÊNCIA Providências adotadas pela unidade interna responsável Em cumprimento à Ordem de Serviço nº 02 de 09/11/ Processo / Pregão Eletrônico 15/2011, recomendamos: Recomendação 3.8.3: Recomendamos ao Gabinete da Presidência dar conhecimento do presente Relatório à Comissão de Sindicância instaurada pela Portaria nº 421, com vistas à apuração de responsabilidade dos servidores envolvidos no atesto da referida Nota Fiscal, em virtude de se atestar serviço não prestado. Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação GABINETE DA PRESIDÊNCIA Síntese das providências adotadas Por meio do Ofício Mec/Inep/Audin nº 223, de 13/01/2012, foi encaminhado à Comissão de Sindicancia instituída pela Portaria nº 421 Inep, a documentação referente ao Pregão 15/2011, incluindo o Relatório de Auditoria nº 04/2011. Síntese dos Resultados Obtidos Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há 250

251 Quadro XXXVs Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação Descrição da Recomendação Relatório de Auditoria nº 04/ /12/ OFÍCIO/MEC/INEP/AUDIN Nº /01/2011 DTDIE E DGP Em cumprimento à Ordem de Serviço nº 02 de 09/11/ Processo / Pregão Eletrônico 15/2011, recomendamos: Recomendação 3.9.1: Recomendamos à DGP, em virtude do disposto na Cláusula Treze dos Contratos 37/2011, 38/2011, 39/2011 e 40/2011 consultar formalmente a DTDIE e a Projur no tocante ao caso em questão, antes de se decidir pela glosa ou não dos valores relativos aos Serviços de Suporte Técnico. De qualquer forma, em caso de se entender cabível o pagamento, providenciar a devolução pelas empresas dos valores já pagos antecipadamente, prática vedada pelos artigos 62 e 63 da Lei 4320/64, já que o pagamento por esse tipo de serviço deve ser mensal, e não em uma única parcela, sendo que nos casos em que os pagamentos não tenham sido efetuados deverá ser solicitada às empresas a retificação das Notas Fiscais apresentadas. Providências adotadas pela unidade interna responsável Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação DGP E DTDIE Síntese das providências adotadas Manifestação DGP: Os processos foram instruídos conforme recomendação, documento (anexo I) Manifestação DTDIE: A Cláusula Treze dos Contratos DO SERVIÇO DE SUPORTE TÉCNICO E ATUALIZAÇÃO DE VERSÕES DURANTE O PRAZO DE GARANTIA, descreve as condições sob as quais os serviços de suporte deverão ser prestados durante o período de garantia, ou seja, descreve o processo que irá vigorar durante todo o período contratual (um ano) e não apenas um único mês. As empresas credenciadas a representar os fabricantes, ao solicitarem a geração das licenças, informam o período de suporte/atualização. O fabricante, por sua vez, ao gerar a licença, vincula a validade do suporte ao referido período, ou seja, o direito a uso do suporte já está disponibilizado a partir do momento em que é gerada a licença. Assim, o fabricante, ao gerar a licença, cobra o valor da licença e o valor de todo o período de suporte, ou seja, finalizado o período de garantia/suporte o produto continuará funcionando, porém sem suporte e sem autorização para atualização ou correções. Quando o Inep for renovar o suporte para os produtos, será gerada uma nova licença, onde estará incluso o novo período de suporte. Cabe esclarecer que após a instalação das licenças, não há como precisar quantas vezes a empresa virá ao Instituto prestar o referido suporte, pois não há como prever quando a solução pode apresentar problema, ou ainda, não há como prever quantas atualizações ou correções o referido produto poderá vir a ter. Portanto, trata-se de suporte técnico de acordo com a necessidade, que é bem distinto da manutenção preventiva e corretiva que é mensal. 251

252 No intuito de melhor esclarecer sobre o assunto juntamos ao presente cópia do Edital do Pregão Eletrônico nº 31/2011, do Tribunal de Contas da União TCU, relativo a aquisição de 40 atualizações de licenças do software VMWARE VSphere 4 Enterprise para VMWARE VSphere 4 Enterprise Plus, incluindo direito de atualização de versão e suporte técnico (Basic Suport) da solução por 36 (trinta e seis) meses, e renovação do direito de atualização de versão e suporte técnico (Basic Support) de 1 licença do software VMware VCenter Server, pelo mesmo período, podendo ser verificado o pagamento integral dos itens relativos ao recebimento das atualizações/suporte consoante Cláusula Décima Terceira dos contratos nºs 27/2011 e 60/2011 firmados com as empresas X2S Informática e Cimcorp Comércio Internacional e Informática S/A respectivamente, conforme anexo 3. Síntese dos Resultados Obtidos Acatamos a manifestação da DGP. Quanto à manifestação da DTDIE registramos que na contratação do TCU, utilizada como exemplo, não se faz menção de que durante o periodo de garantia a execução dos serviços de suporte deverá ser realizada por profissional certificado pelo fabricante e sem custos adicionais para a Contratante, como no caso dos contratos do Inep. Quanto à alegação relativa ao pagamento antecipado, entendemos que cabe à Administração, e não à empresa contratada, estabelecer a forma de pagamento, que deverá ser estabelecida no Termo de Referência. Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há 252

253 Quadro XXXVt Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação Relatório de Auditoria nº 04/ /12/ OFÍCIO/MEC/INEP/AUDIN Nº /01/2011 DTDIE E DGP Descrição da Recomendação Em cumprimento à Ordem de Serviço nº 02 de 09/11/ Processo / Pregão Eletrônico 15/2011, recomendamos: Recomendação 3.9.2: Recomendamos à DTDIE e à DGP que nos casos de contratações onde houver a necessidade de serviços de suporte mensal, fora do prazo de garantia, os respectivos valores não sejam pagos na sua totalidade, e sim, mensalmente. Providências adotadas pela unidade interna responsável Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação DIDIE E DGP Síntese das providências adotadas Manifestação DTDIE: Esta Diretoria entende que não há contradição conforme esclarecimentos prestados no item anterior. Manifestação DGP: A recomendação é adstrita às unidades responsáveis pela elaboração dos Projetos Básico ou Termo de Referência, à exemplo do que foi mencionado na Recomendação 3.2.2, já que o contrato espelha os itens e requisitos requeridos pelos projetos recebidos na DGP/Área de Compras Síntese dos Resultados Obtidos Acatamos a manifestação da DGP. Quanto à manifestação da DTDIE mantemos o nosso entendimento de que cabe à Administração, e não à empresa contratada, estabelecer a forma de pagamento, que deverá ser estabelecida no Termo de Referência, mantendo a recomendação original apenas para a DTDIE. Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há 253

254 Quadro XXXVu Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação Descrição da Recomendação Relatório de Auditoria nº 04/ /12/ OFÍCIO/MEC/INEP/AUDIN Nº /01/2011 DTDIE Providências adotadas pela unidade interna responsável Em cumprimento à Ordem de Serviço nº 02 de 09/11/ Processo / Pregão Eletrônico 15/2011, recomendamos: Recomendação : Recomendamos à DTDIE verificar o grau de parentesco entre os Senhores Clarkson Carmo de Saboia e Robério Ximenes de Saboia, bem como analisar e pronunciar-se formalmente quanto à conveniência da permanência do Sr. Robério como prestador de serviços do INEP caso seja confirmada eventual relação de parentesco. Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação DTDIE Síntese das providências adotadas Quanto à questão específica da terceirização de serviços, tem-se que o art. 7º do Decreto 7.203/10 prevê a necessidade de os editais de licitação para contratação de empresa terceirizada veda expressamente que "familiar de agente público preste serviços no órgão ou entidade em que este exerça cargo em comissão ou função de confiança". Note-se que a Lei não veda a participação nas licitações de empresas que possuam funcionários parentes de servidores públicos, até porque seria inviável tal proibição. O que a lei veda é que o familiar de agente público preste serviços no órgão ou entidade em que o servidor exerça cargo em comissão ou função de confiança, o que evita favoritismo e tratamento diferenciado ao empregado terceirizado parente do agente público. Cabe esclarecer que o servidor Clarkson Carmo de Saboia Administrador de Redes Contrato Temporário da União (CTU) não exerce nenhum cargo de confiança na administração pública federal, uma vez que a lei que criou os CTUs veda inclusive que os mesmos sejam substitutos de servidores efetivos nomeados em cargos de confiança. Não obstante, a DTDIE pedirá esclarecimentos à Procuradoria Federal junto ao Inep quanto a possível conduta anti-ética. Quanto a existência de institucional, esclarecemos que a empresa DNA-TI, apresentou o Sr. Robério como parte integrante da equipe de monitoramento do NOC/SOC, daí o referido profissional possuir institucional assim como os demais profissionais da equipe, pois o cadastramento era necessário para a execução do trabalho. Os s institucionais para a equipe de monitoração foram criados para que aquela equipe pudesse entrar em contato com as outras equipes de TI do INEP informando sobre os incidentes que ocorressem na infraestrutura ou nos sistemas monitorados, uma vez que o monitoramento é feito em regime de 24 horas por dia, 7dias por semana. Assim, caso ocorresse um problema com o gateway (serviço/equipamento) de entrada de não seria possível encaminhar um externo para alguma conta interna do INEP, ou seja, os profissionais não teriam como alertar formalmente sobre o problema ocorrido. Posteriormente, no momento da instalação do equipamento fornecido pela empresa Jeta Soluções, o referido profissional foi apresentado como o técnico certificado e responsável pela instalação e suporte ao equipamento adquirido daquela empresa. 254

255 A esta equipe não cabe criticar contratações de empresas privadas do mercado. O ato de troca de empresas de um determinado funcionário no mercado não pode ser controlado pelo Inep e muito menos por esta equipe. Informamos, ainda, que em virtude do término do Contrato nº 53/2010 firmado com a empresa DNA-TI, todos os acessos e s institucionais dos prestadores de serviços (terceirizados) vinculados a esta empresa foram cancelados. Cabe ressaltar que o cadastramento de usuários das empresas prestadoras de serviços dentro do Inep, segue o mesmo padrão utilizado para as demais empresas conforme procedimentos constantes do anexo 4. Síntese dos Resultados Obtidos Mantemos a recomendação até o pronunciamento da Projur. Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há 255

256 Quadro XXXVw Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação Relatório de Auditoria nº 04/ /12/ OFÍCIO/MEC/INEP/AUDIN Nº /01/2011 DGP Descrição da Recomendação Em cumprimento à Ordem de Serviço nº 02 de 09/11/ Processo / Pregão Eletrônico 15/2011, recomendamos: Recomendação : Recomendamos à DGP determinar às empresas contratadas que não contratem funcionários para atuação no Inep que possuam parentesco com servidores, terceirizados ou consultores desta Autarquia. Providências adotadas pela unidade interna responsável Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação DGP Síntese das providências adotadas Referente à recomendação acima, ressaltamos que as vedações alusivas à prática indicada estão disciplinadas no âmbito do decreto n 7.203, de 04 de junho de 2010 e que esta DGP estará instruindo às Unidades Organizacionais que observem as disposições do referido instrumento para a elaboração de Termos de Referência e Editais, que envolvam a alocação de Mao de obra. Síntese dos Resultados Obtidos Acatamos a manifestação da DGP. Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há 256

257 Quadro XXXVx Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação Relatório de Auditoria nº 04/ /12/ OFÍCIO/MEC/INEP/AUDIN Nº /01/2011 DTDIE Descrição da Recomendação Em cumprimento à Ordem de Serviço nº 02 de 09/11/ Processo / Pregão Eletrônico 15/2011, recomendamos: Recomendação : Recomendamos à DTDIE que solicite da empresa documentação comprobatória que evidencie o cumprimento da Cláusula Treze do Contrato 37/2011. Providências adotadas pela unidade interna responsável Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação DTDIE Síntese das providências adotadas Esta Diretoria entende que é desprovida de embasamento a argumentação feita, pois a referida Cláusula é a que descreve a prestação do serviço de suporte e atualização de versões durante o prazo de garantia.considerando que a empresa assinou um contrato aceitando todas as suas condições, então toda vez que for acionada será prestado o serviço. Como os equipamentos foram recentemente instalados e não apresentaram nenhum tipo de problema, não houve necessidade de acionar o suporte técnico. Todavia, a título de exemplo, juntamos à presente o documento que é enviado pela empresa para comprovação de atendimento de chamados de natureza semelhante. Síntese dos Resultados Obtidos Acatamos parcialmente a manifestação da DTDIE, recomendando que se cobre a fiel execução dos serviços pela Contratada, conforme estabelecido no contrato. Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há 257

258 Quadro XXXVy Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação Relatório de Auditoria nº 04/ /12/ OFÍCIO/MEC/INEP/AUDIN Nº /01/2011 DTDIE Descrição da Recomendação Em cumprimento à Ordem de Serviço nº 02 de 09/11/ Processo / Pregão Eletrônico 15/2011, recomendamos: Recomendação : Em que pese a recomendação constante do item deste Relatório, recomendamos que a DTDIE apresente justificativas para a contratação individualizada de suporte técnico para cada STRING. Providências adotadas pela unidade interna responsável Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação DTDIE Síntese das providências adotadas Esta Diretoria novamente discorda da constatação feita pela Auditoria, por entender que a contratação do suporte técnico para cada String está correta. O Inep adquiriu 5 licenças/strings, portanto torna-se necessário adquirir o suporte para todas as licenças/strings adquiridas. Por exemplo: o Inep hoje tem licenças de antivírus para todos os microcomputares de sua rede local, e cada licença está coberta por seu respectivo suporte técnico, caso contrário teríamos licenças com suporte e outras sem suporte. Síntese dos Resultados Obtidos Por se tratar de questão eminentemente técnica, e dada a inexistência, no quadro desta Audin, de servidor com conhecimento na área de TI, deixamos registrada a manifestação da DTDIE, sem no entanto pronunciarmo-nos quanto a plausabilidade ou não da alegação. Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há 258

259 Quadro XXXVz Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação Descrição da Recomendação Relatório de Auditoria nº 04/ /12/ OFÍCIO/MEC/INEP/AUDIN Nº /01/2011 GABINETE DA PRESIDÊNCIA Providências adotadas pela unidade interna responsável Em cumprimento à Ordem de Serviço nº 02 de 09/11/ Processo / Pregão Eletrônico 15/2011, recomendamos: Recomendação : Recomendamos ao Gabinete da Presidência dar conhecimento deste Relatório à Polícia Federal, para subsidiar os trabalhos de investigação que estão sendo desenvolvidos por aquele Órgão. Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação GABINETE DA PRESIDÊNCIA Síntese das providências adotadas Por meio do Ofício Mec/Inep/Audin nº 323, de 18/01/2012, foi encaminhado ao Departamento de Polícia Federal, a documentação referente ao Pregão 15/2011, incluindo o Relatório de Auditoria nº 04/2011. Síntese dos Resultados Obtidos Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há 259

260 Quadro XXXVaa Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação Relatório de Auditoria nº 04/ /12/ OFÍCIO/MEC/INEP/AUDIN Nº /01/2011 DTDIE Descrição da Recomendação Em cumprimento à Ordem de Serviço nº 02 de 09/11/ Processo / Pregão Eletrônico 15/2011, recomendamos: Recomendação3.18.1: Quando da exigência de vistorias decorrentes de aquisições/serviços, quando cabíveis e realmente necessárias, que seja solicitado o documento assinado pelo representante legal da empresa designando expressamente o responsável técnico da empresa que fará a vistoria, sendo que o termo de vistoria deverá ser preenchido e assinado no momento da vistoria. Providências adotadas pela unidade interna responsável Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação DTDIE Síntese das providências adotadas Esta Diretoria ratifica a informação do subitem 3.6.1, que em breve será divulgado o Manual de contratações de TI (que está sendo finalizado e revisado) pela equipe GSISP onde estarão inclusas orientações mais aprofundadas quanto a realização de vistorias técnicas. Síntese dos Resultados Obtidos Acatamos a manifestação da DTDIE, solicitando o encaminhamento do referido Manual a esta Audin no prazo de 90 (noventa) dias, a contar do recebimento desta Nota Técnica. Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há 260

261 Quadro XXXVab Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Relatório de Auditoria nº 04/ /12/ OFÍCIO/MEC/INEP/AUDIN Nº /01/2011 Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação Descrição da Recomendação DGP Em cumprimento à Ordem de Serviço nº 02 de 09/11/ Processo / Pregão Eletrônico 15/2011, recomendamos: Recomendação : Recomendamos à DGP confirmar no sistema de controle de acesso ao prédio do Inep a entrada das pessoas identificadas nos documentos constantes das folhas 470, 501, 522 e 569, nas respectivas datas, e dar conhecimento a esta Audin, bem como à Comissão de Sindicância instaurada pela Portaria nº 421, de 21/11/2011. Providências adotadas pela unidade interna responsável Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação DGP Síntese das providências adotadas Quanto a recomendação acima, informamos: 1) Registramos que nas folhas 470, 501 e 529 foram encontrados no sistema de controle da portaria, nas datas especificadas, os registros de acesso da pessoa indicada no documento como responsável pela fiscalização do INEP. 2) Registramos que na folha 501 foi encontrado no sistema de controle da portaria, na data especificada, o registro de acesso da pessoa indicada no documento como representante da empresa. 3) Registramos que nas folhas 470 e 569, Não foram encontrados no sistema de controle da portaria, nas datas especificadas, registro de acesso das pessoas indicadas no documento como representantes das empresas. 4) Registramos que na folha 522, não há indicação de pessoas para verificação. Síntese dos Resultados Obtidos Acatamos a manifestação da DGP. Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há 261

262 Quadro XXXVac Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Relatório de Auditoria nº 04/ /12/ OFÍCIO/MEC/INEP/AUDIN Nº /01/2011 Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação DGP Descrição da Recomendação Em cumprimento à Ordem de Serviço nº 02 de 09/11/ Processo / Pregão Eletrônico 15/2011, recomendamos: Recomendação : Reforçamos o teor da recomendação constante do item Providências adotadas pela unidade interna responsável Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação DGP Síntese das providências adotadas Conforme já informado na Recomendação o processo com a recomendação será devidamente instruído e encaminhado ao Gabinete da Presidência para que o dirigente máximo da Autarquia delibere sobre a matéria. Síntese dos Resultados Obtidos Acatamos a manifestação da DGP. Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há 262

263 Quadro XXXVad Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação Descrição da Recomendação Relatório de Auditoria nº 04/ /12/ OFÍCIO/MEC/INEP/AUDIN Nº /01/2011 DTDIE E DGP Providências adotadas pela unidade interna responsável Em cumprimento à Ordem de Serviço nº 02 de 09/11/ Processo / Pregão Eletrônico 15/2011, recomendamos: Recomendação : Recomendamos à DTDIE e à DGP para que nos casos em que o suporte técnico mensal realmente necessite ser contratado a parte, sempre que possível ele contemple de modo integral o quantitativo da solução/equipamento/software adquirido, e não de modo individualizado, como no presente caso, evitando-se, dessa forma, inovações que possam causar prejuízo ao erário. Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação DTDIE E DGP Síntese das providências adotadas Manifestação DTDIE: Esta Diretoria esclarece que o detalhamento ocorreu para cumprir as determinações da IN 04/2010. Manifestação DGP: Considere-se para esta recomendação nossos esclarecimentos já apresentado em relação ao item de recomendação já seja, enquadra-se na mesma situação, sendo: Deve-se esclarecer que esta recomendação é de competência exclusiva das unidades demandantes das contratações de bens e serviços a serem realizadas pela área de compras da DGP. Neste caso e em todos os outros do Inep, a recomendação direciona-se às unidades que elaboram seus projetos e os encaminham para a área de compras da Autarquia. A DGP executa os procedimentos de aquisição de bens e serviços com observância à legislação e ao sistema governamental de compras. As questões relacionadas a esta recomendação, são, portanto, especificidades associadas aos projetos e um dos requisitos técnicos a ser observado quando da elaboração de Projetos Básicos ou Termos de Referência pela área técnica. A área de compras não tem competência para arbitrar ou proceder qualquer alteração nas especificações técnicas, condições/exigências estabelecidas no instrumento que referenciará a contratação. Concluindo, é da competência e responsabilidade das áreas técnicas/demandantes a definição dos produtos/serviços, quantitativos a serem adquiridos, bem como demais condições atreladas aos bens e/ou serviços a serem contatados. Sendo, assim, solicitamos reconsiderar o direcionamento desta recomendação à DGP área de compras, posto que não é de sua competência tal definição. Síntese dos Resultados Obtidos Acatamos a manifestação da DGP. Quanto à manifestação da DTDIE ressaltamos que a IN 04/2010 não contem dispositivo que determine a contratação individualizada de suporte técnico para cada software/licença. Desse modo mantemos a recomendação. Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há 263

264 Quadro XXXVae Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Relatório de Auditoria nº 04/ /12/ Comunicação Expedida/Data Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação Descrição da Recomendação OFÍCIO/MEC/INEP/AUDIN Nº /01/2011 DTDIE Em cumprimento à Ordem de Serviço nº 02 de 09/11/ Processo / Pregão Eletrônico 15/2011, recomendamos: Recomendação : Recomendamos à DTDIE disponibilizar documentação física e eletrônica com todas as instruções necessárias para o funcionamento das soluções adquiridas, bem como apresentar certificados ou documentos dos técnicos mencionados, que comprovem a habilitação na operação/configuração das soluções, ou fornecer justificativas no caso de inexistência. Providências adotadas pela unidade interna responsável Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação DTDIE Síntese das providências adotadas A Diretoria novamente vem discordar da constatação feita pela Auditoria, pois o que é necessário à operação/configuração das soluções adquiridas é de conhecimento dos técnicos deste Instituto. No que se refere à disponibilização de documentação física e eletrônica com as instruções necessárias para o funcionamento das soluções será providenciado posteriormente conforme a disponibilidade de pessoal desta diretoria. No tocante a certificados ou documentos técnicos no intuito de comprovar a habilitação a operação/configuração entende ser desnecessária, pois os mesmos já vêm desenvolvendo os serviços que atendem às expectativas desejadas. A prova de tal conhecimento, por exemplo, pôde ser observada com clareza, pois em 2011 os técnicos que operam os equipamentos/soluções no ambiente do Inep, efetuaram uma série de ajustes no ambiente que possibilitaram o pleno funcionamento do SISU; caso os mesmos não tivessem o referido conhecimento isto não teria sido possível. Portanto, todos os procedimentos comuns para operação e configuração das soluções adquiridas são de conhecimento dos técnicos do Inep. Quanto àqueles conhecimentos que não são rotineiros ou que venham a ser necessários à operação das soluções diante de algum problema, são complementados pelo suporte técnico da empresa fornecedora conforme estabelecido em contrato Quanto à ferramenta relativa ao lote 5 (BMC), cabe esclarecer que os analistas do Inep não são responsáveis pela operacionalização da solução. Existe uma equipe especializada que foi contratada para responder por isto, cabendo aos analistas o gerenciamento dos incidentes gerados e a gestão do contrato. No tocante à ferramenta do lote 6 (VTracker), o repasse de conhecimento ocorreu antes da realização do Enem à equipe de monitoração e aos técnicos da Assessoria de Imprensa. Vale ressaltar, por oportuno, que diante da suspensão dos procedimentos relacionados ao PE nº 15 não houve tempo hábil para que um número maior de usuários pudesse ser capacitado na ferramenta, não obstante esteja em pleno uso e as ocorrências estejam sempre sendo reportadas aos responsáveis pelo acompanhamento do Contrato. Síntese dos Resultados Obtidos A disponibilização da documentação física e eletrônica com as instruções necessárias para o funcionamento das soluções adquiridas faz-se primordial tendo em vista que os servidores que compõem a equipe capacitada no Inep na solução/equipamentos adquiridos por meio do PE nº 15/2011 foram contratados pelo Regime de CTU. Recomendamos a disponibilização no prazo de 90 (noventa) dias, a partir do recebimento desta nota técnica. Acatamos a manifestação da DTDIE quanto aos certificados ou documentos técnicos. Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há 264

265 Quadro XXXVaf Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação Relatório de Auditoria nº 04/ /12/ OFÍCIO/MEC/INEP/AUDIN Nº /01/2011 DGP Descrição da Recomendação Em cumprimento à Ordem de Serviço nº 02 de 09/11/ Processo / Pregão Eletrônico 15/2011, recomendamos: Recomendação : Solicitamos à DGP apresentar justificativas para o não encaminhamento dos pedidos de adesão às Atas de Registro de Preços feitos pela Casa Civil do Maranhão e pela DTI/MEC para apreciação pela DTDIE. Providências adotadas pela unidade interna responsável Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação DGP Síntese das providências adotadas Os pedidos mencionados acima foram encaminhados à DGP logo após a conclusão do certame licitatório e assinatura da Ata de Registro de Preços. Aliás, naquele momento não havia tal procedimento de encaminhar a solicitação para apreciação da unidade gestora da contratação. Adicionalmente, deve-se esclarecer que não há normativo que determine tal encaminhamento. Posteriormente ao pedido da Casa Civil do Maranhão outras solicitações chegaram a área de compras do Inep não apenas do Pregão 15 como também de outros que foram realizados pelo Inep. A partir de então, a DGP passou a adotar por iniciativa própria o procedimento de encaminhamento para manifestação prévia das áreas demandantes, por entender que seria recomendável que assim o fizesse como sendo uma boa prática de gestão e controle das contratações realizadas pelo sistema de Registro de Preços. Portanto, a inobservância de tal rotina naquele primeiro momento em que se deu a solicitação da Casa civil não configura descumprimento à legislação uma vez que este procedimento não está previsto na norma legal. Cabe ressaltar, ainda, que a partir daquele momento além de adotar o procedimento interno já mencionado a DGP propôs e foi aceito no Comitê de Compras do MEC, mais um procedimento como rotina. Ou seja, que todos os pedidos esternos de adesão às atas de registros de preços realizadas no Inep, MEC, Capes, e FNDE, fossem apreciados e deliberados a adesão ou não, pelo Comitê Central de Gestão dos processos de Compras e Contratos do MEC, cujas Autarquias estão vinculadas. Sendo assim, com os esclarecimentos acima, consta-se que não há normativo que determine tal encaminhamento e que o mesmo foi implantado posteriormente por iniciativa própria da DGP como boa prática de gestão e controle. Síntese dos Resultados Obtidos Acatamos a manifestação da DGP. Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há 265

266 Quadro XXXVag Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação Descrição da Recomendação Relatório de Auditoria nº 04/ /12/ OFÍCIO/MEC/INEP/AUDIN Nº /01/2011 DTDIE Providências adotadas pela unidade interna responsável Em cumprimento à Ordem de Serviço nº 02 de 09/11/ Processo / Pregão Eletrônico 15/2011, recomendamos: Recomendação : Recomendamos à DTDIE aprimorar a estratégia de contratação de equipamentos/soluções de TI, de modo a contemplar o quantitativo real necessário ao atendimento das necessidades do Inep. Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação DTDIE Síntese das providências adotadas As aquisições feitas no âmbito do Inep são discutidas no Comitê de Informação e Informática do Ministério da Educação, COMINF-MEC e seguem as orientações da resolução nº 2 de 17 de setembro de 2007 do MEC e da Portaria 263, de 10 de agosto de 2011 do Inep. O Comitê em questão foi instituído pela Portaria nº 810, de 24 de agosto de 2007 e é constituído pelo titular da Secretaria Executiva do Ministério da Educação e pelos representantes da Subsecretaria de Assuntos Administrativos do MEC, Coordenador-Geral de Informática e Telecomunicações do MEC, Coordenador-Geral de Informática da Capes, Diretor de Tecnologia do Inep e Diretor de Administração e Tecnologia do FNDE. A participação do Inep no Comitê está consignada na Portaria nº 189, de 11 de setembro de Considerando que o INEP já dispõe de equipamentos alocados no Datacenter da RNP e por sua vez está dentro do previsto a montagem de uma célula de atendimento regionalizado na RNP Brasília, logo é de fácil percepção que a ampliação do pedido inicial é a continuidade na implantação do projeto. Ressalte-se aqui que as aquisições feitas no âmbito do Inep são discutidas no Comitê de Informação e Informática do Ministério da Educação, COMINF-MEC e seguem as orientações da resolução nº 2 de 17 de setembro de 2007 do MEC e da Portaria 263, de 10 de agosto de 2011 do Inep. Portanto não houve nenhuma deficiência no planejamento da quantidade a ser adquirida porque os itens citados estavam incluídos desde o início no Termo de Referência e no edital do Pregão Eletrônico, consoante pode ser verificado na documentação do processo de aquisição. Assim, ratificando os esclarecimentos prestados no item 3.2.2, ressaltamos que, como o programa educacional brasileiro que vem sendo executado tem no INEP um dos seus pilares de desenvolvimento, a Instituição não pode abrir mão de estrutura tecnológica para garantir as demandas originadas por compromissos assumidos pelo Governo com a sociedade brasileira. Síntese dos Resultados Obtidos Quanto à manifestação da DTDIE e o respectivo complemento acatamos parcialmente as justificativas apresentadas tendo em vista o fato de que o projeto de replicação dos dados, servidores de aplicação e servidores de banco de dados Regionalização de Atendimento, citado pela Diretoria, não está contemplado no processo de formalização, ainda, o Termo de Referência e a documentação anexa não contemplam a estratégia de contratação em dois exercícios, nem tampouco a existência da alegada restrição orçamentária. Desse modo, recomendamos nos processos doravante instaurados a inclusão de toda e qualquer documentação referente à aquisição pretendida. Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há 266

267 Quadro XXXVah Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação Descrição da Recomendação Relatório de Auditoria nº 04/ /12/ OFÍCIO/MEC/INEP/AUDIN Nº /01/2011 DGP Providências adotadas pela unidade interna responsável Em cumprimento à Ordem de Serviço nº 02 de 09/11/ Processo / Pregão Eletrônico 15/2011, recomendamos: Recomendação : Recomendamos à DGP implementar mecanismo de controle de entrada de bens adquiridos pelo Inep no tocante à entrega e instalação dos mesmos. Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação DGP Síntese das providências adotadas 3) No caso específico do processo em análise, a IN N 04 de 12 de novembro de 2010, prevê para gerenciamento do contrato, os seguintes procedimentos: GERENCIAMENTO DO CONTRATO Art. 25. A fase de Gerenciamento do Contrato visa acompanhar e garantir a adequada prestação dos serviços e o fornecimento dos bens que compõem a Solução de Tecnologia da Informação durante todo o período de execução do contrato e compreende as seguintes tarefas: I - início do contrato, que abrange: a) elaboração do Plano de Inserção da contratada, observando o disposto no art. 11, inciso V desta norma, pelo Gestor do Contrato e pelos Fiscais Técnico, Administrativo e Requisitante do Contrato, que contemplará no mínimo: 1. o repasse à contratada de conhecimentos necessários à execução dos serviços ou ao fornecimento de bens; e 2. a disponibilização de infraestrutura à contratada, quando couber; b) realização de reunião inicial convocada pelo Gestor do Contrato com a participação dos Fiscais Técnico, Requisitante e Administrativo do Contrato, da contratada e dos demais intervenientes por ele identificados, cuja pauta observará, pelo menos: 1. presença do representante legal da contratada, que apresentará o preposto da mesma; 2. entrega, por parte da contratada, do termo de compromisso e do termo de ciência, conforme art. 15, inciso VI; 3. esclarecimentos relativos a questões operacionais, administrativas e de gerenciamento do contrato; II - encaminhamento formal de Ordens de Serviço ou de Fornecimento de Bens pelo Gestor do Contrato ao preposto da contratada, que conterão no mínimo: a) a definição e a especificação dos serviços a serem realizados ou bens a serem fornecidos; b) o volume de serviços a serem realizados ou a quantidade de bens a serem fornecidos segundo as métricas definidas em contrato; c) o cronograma de realização dos serviços ou entrega dos bens, incluídas todas as tarefas significativas e seus respectivos prazos; e d) a identificação dos responsáveis pela solicitação na Área Requisitante da Solução. III - monitoramento da execução, que consiste em: 267

268 a) confecção e assinatura do Termo de Recebimento Provisório, a cargo do Fiscal Técnico do Contrato, quando da entrega do objeto resultante de cada Ordem de Serviço ou de Fornecimento de Bens; b) avaliação da qualidade dos serviços realizados ou dos bens entregues e justificativas, de acordo com os Critérios de Aceitação definidos em contrato, a cargo dos Fiscais Técnico e Requisitante do Contrato; c) identificação de não conformidade com os termos contratuais, a cargo dos Fiscais Técnico e Requisitante do Contrato; d) verificação de aderência aos termos contratuais, a cargo do Fiscal Administrativo do Contrato; e) verificação da manutenção das condições classificatórias referentes à pontuação obtida e à habilitação técnica, a cargo dos Fiscais Administrativo e Técnico do Contrato; f) encaminhamento das demandas de correção à contratada, a cargo do Gestor do Contrato; g) encaminhamento de indicação de sanções por parte do Gestor do Contrato para a Área Administrativa; h) confecção e assinatura do Termo de Recebimento Definitivo para fins de encaminhamento para pagamento, a cargo do Gestor e do Fiscal Requisitante do Contrato, com base nas informações produzidas nas alíneas a a g deste inciso; i) autorização para emissão de nota(s) fiscal(is), a ser(em) encaminhada(s) ao preposto da contratada, a cargo do Gestor do Contrato; j) verificação das regularidades fiscais, trabalhistas e previdenciárias para fins de pagamento, a cargo do Fiscal Administrativo do Contrato; k) verificação da manutenção da necessidade, economicidade e oportunidade da contratação, a cargo do Fiscal Requisitante do Contrato; l) verificação de manutenção das condições elencadas no Plano de Sustentação, a cargo dos Fiscais Técnico e Requisitante do Contrato; m) encaminhamento à Área Administrativa de eventuais pedidos de modificação contratual, a cargo do Gestor do Contrato; e. n) manutenção do Histórico de Gerenciamento do Contrato, contendo registros formais de todas as ocorrências positivas e negativas da execução do contrato, por ordem histórica, a cargo do Gestor do Contrato; IV - transição contratual, quando aplicável, e encerramento do contrato, que deverá observar o Plano de Sustentação. 1º No caso de substituição ou inclusão de empregados por parte da contratada, o preposto deverá entregar termo de ciência assinado pelos novos empregados envolvidos na execução contratual, conforme art. 15, inciso VI. 2º Para cada contrato, deverá haver pelo menos uma Ordem de Serviço ou de Fornecimento de Bens, ou tantas quantas forem necessárias para consecução do objeto contratado. Art. 27. Os softwares resultantes de serviços de desenvolvimento deverão ser catalogados pela contratante e, sempre que aplicável, disponibilizados no Portal do Software Público Brasileiro de acordo com o regulamento do Órgão Central do SISP. Assim, depreende-se que existe controle e que o cumprimento dos procedimentos de entrega e conferência, no caso específico do processo em análise, seguiu ao estabelecido no Edital e na norma que disciplina a matéria, a saber: a IN N 04 de 12 de novembro de 2010, art. 25, art. 26, e art. 27, por intermédio dos representantes indicados, conforme portarias 363, 364, 365 e 366 em (anexo II). Síntese dos Resultados Obtidos Acatamos parcialmente a manifestação da DGP modificando a recomendação no sentido de aprimorar e normatizar os procedimentos existentes no Instituto. Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há 268

269 Quadro XXXVai Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação Relatório de Auditoria nº 04/ /12/ OFÍCIO/MEC/INEP/AUDIN Nº /01/2011 DGP Descrição da Recomendação Em cumprimento à Ordem de Serviço nº 02 de 09/11/ Processo / Pregão Eletrônico 15/2011, recomendamos: Recomendação3.20.1: Recomendamos à DGP não autorizar em caráter definitivo à adesão de outros órgãos ou entidades públicas às Atas de Registro de Preços decorrentes do Pregão 15/2011. Providências adotadas pela unidade interna responsável Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação DGP Síntese das providências adotadas Transcrevemos abaixo os itens do Edital do Pregão 15/2011 que tratam do critério de julgamento da licitação e da formulação dos lances, para melhor compreensão do assunto: 8 DA RECEPÇÃO, JULGAMENTO E DIVULGAÇÃO DAS PROPOSTAS 8.4. A classificação das propostas será pelo critério de MENOR PREÇO GLOBAL POR LOTE, considerando-se as somas dos valores unitários de cada Item, tomando-se como base a Planilha de Formação de Preços (Encarte C) do Termo de Referência que constitui o Anexo I deste Edital Serão desclassificadas as propostas que: a) não atenderem às exigências do presente Edital e seus Anexos; b) apresentarem valores simbólicos, irrisórios, inexeqüíveis ou excessivos, consideradas as condições já dispostas neste Edital e seus Anexos; c) apresentarem propostas alternativas; d) não apresentarem o preço unitário máximo para cada item. 9 DA FORMULAÇÃO DOS LANCES 9.1. Classificadas as Propostas, o Pregoeiro dará início à fase competitiva, quando então os licitantes poderão encaminhar lances exclusivamente por meio do sistema eletrônico. (Art. 24, do Decreto nº 5.450/2005) Assim como as propostas, os lances serão ofertados pelo MENOR VALOR UNITÁRIO POR ITEM, com custos incidentes; Como se vê, o edital definiu adequadamente e na forma recomendada para contratações desta natureza, os critérios de aceitabilidade de preços unitários, a contratação da proposta de menor preço global por lote, compatível com a estimativa da Administração, de forma a se evitar a prática do que se chama jogo de planilha. No presente caso, por força das disposições previstas no edital, foram ofertados lances para todos os itens (produtos) que compunham os lotes, ou seja estabeleceu-se disputa entre os licitantes para todos os itens, item a item, e ao final sagrou-se vencedora a empresa que ofertou o menor preço global por lote. Portanto, a nosso ver o modelo adotado de contratação não permitiu a prática do que se chama jogo de planilha. 269

270 Adicionalmente, deve-se considerar, ainda, que qualquer empresa cadastrada no sistema Comprasnet, sediada em qualquer lugar do Brasil, pode participar do pregão eletrônico, sendo que o sistema não permite identificar (nem o pregoeiro identifica), na fase de lance, quais são as empresas participantes do certame, fato que inviabiliza o chamado conluio. É oportuno ressaltar que as empresas citadas na reportagem jornalística participaram de lotes distintos, portanto, não concorreram entre si no mesmo lote, ou seja, cada uma competiu com as demais empresas do mercado que participaram do pregão. Para melhor compreensão do que poderia vir a permitir o tal jogo de planilha vamos ao exemplo: Suponhamos que a competição não tivesse sido item a item e os lances/cotações fossem realizados pelo valor global por lote. Aí sim, a empresa vencedora poderia, após o encerramento da fase de lance, já como vencedora do lote, apresentar sua planilha de preços, definindo os valores de cada item (produto) de acordo com sua conveniência e interesse, evidentemente respeitando o valor global cotado para o respectivo lote. Neste caso sim, a empresa vencedora poderia lançar o valor mais elevado para os itens (produtos) de maior demanda e valores menores para itens (produtos) de menor demanda. Tal fato não ocorreu no Pregão já que a disputa entre as licitantes foi item a item, para decisão final da licitante vencedora o valor global do lote. Portanto, conforme demonstrado, o modelo utilizado e os critérios de aceitabilidade das propostas estabelecidos no edital, competição item a item, não permitiram a prática do jogo de planilhas. Sendo assim, há um equívoco em observar indícios de jogo de planilhas. Ressalte-se, ainda, que os valores de todos os itens (produtos) contratados foram inferiores aos valores estimados no Termo de Referência apresentado pela área técnica. Síntese dos Resultados Obtidos Quanto às alegações apresentadas pela DGP esclarecemos que apenas reiteramos o teor da Recomendação original. Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há 270

271 Quadro XXXVaj Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida no exercício (ver Anexo) Caracterização da Recomendação expedida pela Unidade de Controle Interno ou Auditoria Interna Identificação do Relatório de Auditoria Data do Relatório de Auditoria Relatório de Auditoria nº 05/ /12/2011 Item do Relatório de Auditoria Comunicação Expedida/Data Nome da unidade interna da UJ destinatária da recomendação Descrição da Recomendação OFÍCIO/CIRCULAR/INEP/AUDIN Nº DE 22/12/2011 DGP e DAES Providências adotadas pela unidade interna responsável Recomendação: Que o Inep, para as próximas contratações de serviços dessa natureza, amplie a quantidade de convites, a fim de obter maior número de propostas de preços, visando dar maior transparência aos trabalhos de pesquisa de mercado, de forma a ficar evidenciada a vantajosidade para a Administração. Nome da unidade interna da UJ responsável pelo atendimento da recomendação DGP Síntese das providências adotadas Por meio do Memorando nº 8233/DGP/INEP-MEC, de 23/12/2011, a unidade se manifestou da seguinte maneira: 1. Acusamos o recebimento do Relatório de Auditoria nº 5/2011, objeto da contratação de empresa para a realização do exame REVALIDA/ Quanto à recomendação relativa à Constatação nº 3, esclarecemos que foi dada ampla publicidade às instituições e feita pesquisa para apresentação de propostas de preços na medida em que o Ofício Circular/MEC/INEP/DGP nº 132, de 28/06/2011, alcançou o universo de 07 instituições de ensino superior. 3. Por oportuno, deve ser observado que o encaminhamento foi feito para as instituições cujas localidades (capitais das UFs) constam do Projeto Base como opções dos candidatos para prestarem seus exames. 4. Tal lógica parte do pressuposto que as instituições situadas nas bases (locais) de aplicação pudessem oferecer melhores condições para a sua realização e propostas de preços. 5. Nesse sentido, garantiu-se nessa edição, atendendo à recomendação do Relatório da CGU 2010, a ampliação da consulta às instituições, com foco nas localidades cujas oportunidades de participação seriam mais evidentes. 6. Por fim, considera-se relavante a recomendação, porém, o entendimento é de que a mesma já foi plenamente atendida pelo que está demonstrado e evidenciado nos autos.(...) Síntese dos Resultados Obtidos A referida recomendação da CGU consta do item do Relatório de Auditoria Anual de Contas nº ª PARTE, no seguinte teor: Recomendação 1 - Que o INEP/MEC, doravante, em suas contratações diretas, observe a necessidade de se avaliar o preço orçado junto ao mercado, conforme preconizado na Lei 8.666/93. Em que pese considerarmos atendida a recomendação da CGU no presente caso, entendemos que nada obsta a ampliação do número de instituições de ensino superior consultadas para a realização do exame em Análise crítica dos fatores positivos e negativos que facilitaram ou prejudicaram a adoção de providências pelo gestor Não há 271

272 ANEXO III - FIGURAS, QUADROS E TABELAS 272

273 Figura I Mapa estratégico da DTDIE Fonte: DTDIE 273

274 Figura II Fluxograma do cálculo dos indicadores de qualidade Fonte: DTDIE 274

275 Figura III Diagrama do projeto de regionalização de atendimento Fonte: DTDIE 275

276 Figura IV Formulário digital de coordenador geral Fonte: DTDIE 276

277 Figura V Página do Sistema de controle automático do pagamento de avaliadores Fonte: DTDIE 277

278 Figura VI Formulário de Inscrição do Módulo Evento Fonte: DTDIE 278

279 Figura VII Formulário para encerramento da fase processual de avaliação Fonte: DTDIE 279

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep)

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) RELATÓRIO DE GESTÃO Exercício de 2010 Brasília - 2011 Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RELATÓRIO DE GESTÃO.

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RELATÓRIO DE GESTÃO. Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RELATÓRIO DE GESTÃO Exercício de 2012 Brasília - 2013 1 Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos

Leia mais

INEP RELATÓRIO DE GESTÃO 2009

INEP RELATÓRIO DE GESTÃO 2009 INEP RELATÓRIO DE GESTÃO 2009 Brasília março de 2010 Luiz Inácio Lula da Silva Ministério da Educação Fernando Haddad Secretaria Executiva do MEC José Henrique Paim Fernandes Instituto Nacional de Estudos

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 867, DE 4 DE JULHO DE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 867, DE 4 DE JULHO DE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 867, DE 4 DE JULHO DE 2012 Institui o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa e as ações do Pacto e define suas diretrizes gerais. O MINISTRO

Leia mais

16. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, PESQUISA E AVALIAÇÃO

16. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, PESQUISA E AVALIAÇÃO 16. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, PESQUISA E AVALIAÇÃO 16.1 SISTEMA DE INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA A LDBEN Lei n.º 9.394, de 20 de dezembro de 1996 delega à União as seguintes competências: a) Coletar, analisar e

Leia mais

Governança de TI no Ministério da Educação

Governança de TI no Ministério da Educação Governança de TI no Ministério da Educação José Henrique Paim Fernandes Secretário Executivo Ministério da Educação Novembro de 2008 Governança de TI no Ministério da Educação Contexto Gestão e Tecnologia

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 6.094, DE 24 DE ABRIL DE 2007. Dispõe sobre a implementação do Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação, pela União

Leia mais

EDITAL Nº 06 SECAD/MEC, DE 1º DE ABRIL DE 2009

EDITAL Nº 06 SECAD/MEC, DE 1º DE ABRIL DE 2009 EDITAL Nº 06 SECAD/MEC, DE 1º DE ABRIL DE 2009 SELEÇÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR PARA FOMENTO DA REDE DE EDUCAÇÃO PARA A DIVERSIDADE NO ÂMBITO DO SISTEMA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL UAB A União,

Leia mais

Detalhamento da Implementação Concessão de bolsa paga diretamente ao beneficiário e pagamento de demais despesas a ela vinculadas.

Detalhamento da Implementação Concessão de bolsa paga diretamente ao beneficiário e pagamento de demais despesas a ela vinculadas. Programa 1448 Qualidade na Escola Numero de Ações 48 Ações Orçamentárias 009U Concessão de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID Produto: Bolsa concedida Esfera: 10 Função: 12 - Educação Subfunção: 364

Leia mais

Atos do Poder Legislativo

Atos do Poder Legislativo Página 1 de 5 Atos do Poder Legislativo Nº 1154 - Sexta feira, 28 de agosto de 2009 Lei nº 12.020, de 27 de agosto de 2009 Dá nova redação ao inciso II do caput do art. 20 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro

Leia mais

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES SECRETARIA EXECUTIVA PRESTAÇÃO DE CONTAS ORDINÁRIA ANUAL RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCÍCIO DE 2013

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES SECRETARIA EXECUTIVA PRESTAÇÃO DE CONTAS ORDINÁRIA ANUAL RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCÍCIO DE 2013 MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES SECRETARIA EXECUTIVA PRESTAÇÃO DE CONTAS ORDINÁRIA ANUAL RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCÍCIO DE 2013 Brasília - DF / 2014 MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES SECRETARIA EXECUTIVA PRESTAÇÃO

Leia mais

REDAÇÃO FINAL MEDIDA PROVISÓRIA Nº 562-A, DE 2012 PROJETO DE LEI DE CONVERSÃO Nº 10 DE 2012

REDAÇÃO FINAL MEDIDA PROVISÓRIA Nº 562-A, DE 2012 PROJETO DE LEI DE CONVERSÃO Nº 10 DE 2012 REDAÇÃO FINAL MEDIDA PROVISÓRIA Nº 562-A, DE 2012 PROJETO DE LEI DE CONVERSÃO Nº 10 DE 2012 O CONGRESSO NACIONAL decreta: Dispõe sobre o apoio técnico ou financeiro da União no âmbito do Plano de Ações

Leia mais

Questionário de Governança de TI 2014

Questionário de Governança de TI 2014 Questionário de Governança de TI 2014 De acordo com o Referencial Básico de Governança do Tribunal de Contas da União, a governança no setor público compreende essencialmente os mecanismos de liderança,

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2006 PROCESSO Nº : 23036.000146/2007-28 UNIDADE AUDITADA

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES FACULDADE DE MATEMÁTICA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES FACULDADE DE MATEMÁTICA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES FACULDADE DE MATEMÁTICA REGIMENTO INTERNO DA FACULDADE DE MATEMÁTICA, CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES, UFPA.

Leia mais

Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES Principais aspectos

Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES Principais aspectos INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA DIRETORIA DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES Principais aspectos XIX SEMINÁRIO

Leia mais

V Encontro Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares

V Encontro Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares V Encontro Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares Programa Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares: uma política de apoio à gestão educacional Clélia Mara Santos Coordenadora-Geral

Leia mais

REGIMENTO DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA DO IF SUDESTE DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I

REGIMENTO DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA DO IF SUDESTE DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I REGIMENTO DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA DO IF SUDESTE DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I Disposições Preliminares Art. 1º A Auditoria Interna do IF Sudeste de Minas Gerais, está vinculada ao Conselho Superior,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 097/2014, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 097/2014, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS Conselho Superior Rua Ciomara Amaral de Paula, 167 Bairro Medicina 37550-000 - Pouso Alegre/MG Fone: (35)

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 14 da Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004, resolve:

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 14 da Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004, resolve: >PORTARIA Nº 2.051, DE 9 DE JULHO DE 2004 Regulamenta os procedimentos de avaliação do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), instituído na Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004.

Leia mais

CidadesDigitais. A construção de um ecossistema de cooperação e inovação

CidadesDigitais. A construção de um ecossistema de cooperação e inovação CidadesDigitais A construção de um ecossistema de cooperação e inovação CidadesDigitais PRINCÍPIOs 1. A inclusão digital deve proporcionar o exercício da cidadania, abrindo possibilidades de promoção cultural,

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO PROFISSIONAL EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM SAÚDE REGIMENTO INTERNO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO PROFISSIONAL EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM SAÚDE REGIMENTO INTERNO UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO PROFISSIONAL EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM SAÚDE REGIMENTO INTERNO I DOS OBJETIVOS E DA ESTRUTURAÇÃO GERAL DO MESTRADO Art.

Leia mais

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 Dispõe sobre a Política de Governança de Tecnologia da Informação do Tribunal de Contas da União (PGTI/TCU). O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, no uso de suas

Leia mais

Leis Federais. LEI N o 10.861, DE 14 DE ABRIL DE 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES e dá outras providências

Leis Federais. LEI N o 10.861, DE 14 DE ABRIL DE 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES e dá outras providências LEI N o 10.861, DE 14 DE ABRIL DE 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES e dá outras providências O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta

Leia mais

Presidência da República

Presidência da República Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 10.880, DE 9 DE JUNHO DE 2004. Institui o Programa Nacional de Apoio ao Transporte do Escolar - PNATE e o Programa de Apoio

Leia mais

REGIMENTO COPESE IFSULDEMINAS CAPÍTULO 1 DOS FINS CAPÍTULO 2 DA CONSTITUIÇÃO

REGIMENTO COPESE IFSULDEMINAS CAPÍTULO 1 DOS FINS CAPÍTULO 2 DA CONSTITUIÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS Rua Ciomara Amaral de Paula, 167 Bairro Medicina Pouso

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 27, DE 15 DE JANEIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 27, DE 15 DE JANEIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 27, DE 15 DE JANEIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO DOU de 16/01/2014 (nº 11, Seção 1, pág. 26) Institui o Plano Nacional de

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Diretoria de Estudos Educacionais (DIRED)

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Diretoria de Estudos Educacionais (DIRED) Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Diretoria de Estudos Educacionais (DIRED) Prova Docente Profa. Dra. Marcella Laureano Prottis Novembro de 2012

Leia mais

SEMINÁRIO DE GRADUAÇÃO ENADE 2015

SEMINÁRIO DE GRADUAÇÃO ENADE 2015 SEMINÁRIO DE GRADUAÇÃO ENADE 2015 ROTEIRO SINAES Princípios e concepções Os Ciclos Avaliativos do Enade e os Indicadores de Qualidade Enade 2015 PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DO SINAES Responsabilidade : responsabilidade

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA E COMPETÊNCIA

CAPÍTULO I DA NATUREZA E COMPETÊNCIA CAPÍTULO I DA NATUREZA E COMPETÊNCIA Art.1º - A SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE - SUSAM integra a Administração Direta do Poder Executivo, na forma da Lei nº 2783, de 31 de janeiro de 2003, como órgão responsável,

Leia mais

O Papel do MEC na Política Educacional Brasileira

O Papel do MEC na Política Educacional Brasileira O Papel do MEC na Política Educacional Brasileira Encontros MEC e Undime com Dirigentes Municipais de Educação Pradime I Etapa Foto: João Bittar Garantir o direito de aprender, para todos e para cada um.

Leia mais

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO ATRIBUIÇÕES E PRAZOS INTERMEDIÁRIOS DA LEI Nº 13.005/2014

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO ATRIBUIÇÕES E PRAZOS INTERMEDIÁRIOS DA LEI Nº 13.005/2014 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO ATRIBUIÇÕES E PRAZOS INTERMEDIÁRIOS DA LEI Nº 13.005/2014 ANA VALESKA AMARAL GOMES E PAULO SENA Consultores Legislativos da Área XV Educação, Cultura e Desporto SETEMBRO/2014

Leia mais

PDE Plano de Desenvolvimento da Educação

PDE Plano de Desenvolvimento da Educação PDE Plano de Desenvolvimento da Educação Secretaria de Educação Básica Ministério da Educação Foto: João Bittar Garantir o direito de aprender, para todos e para cada um. PLANO DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 10.880, DE 9 DE JUNHO DE 2004. Conversão da MPv nº 173, de 2004 Institui o Programa Nacional de Apoio ao Transporte do Escolar

Leia mais

AVALIAÇÃO, GESTÃO E QUALIDADE NO ENSINO SUPERIOR AS POLÍTICAS PÚBLICAS BRASILEIRAS

AVALIAÇÃO, GESTÃO E QUALIDADE NO ENSINO SUPERIOR AS POLÍTICAS PÚBLICAS BRASILEIRAS AVALIAÇÃO, GESTÃO E QUALIDADE NO ENSINO SUPERIOR AS POLÍTICAS PÚBLICAS BRASILEIRAS Fernanda de Cássia Rodrigues Pimenta UNICID 1 fernanda@educationet.com.br Prof. Dra. Celia Maria Haas UNICID 2 celiamhaas@uol.com.br

Leia mais

GABINETE DO MINISTRO

GABINETE DO MINISTRO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 1.007, DE 9 DE OUTUBRO DE 2013. Altera a Portaria MEC nº 168, de 07 de março de 2013, que dispõe sobre a oferta da Bolsa-Formação no âmbito do Programa Nacional de Acesso

Leia mais

EDITAL 02/2008 - PROJETO 914BRA1109 SELECIONA

EDITAL 02/2008 - PROJETO 914BRA1109 SELECIONA Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura EDITAL 02/2008 - PROJETO 914BRA1109 SELECIONA Consultor por Produto para Projeto da Organização das Nações Unidas para a Educação, a

Leia mais

Ministério da Educação GABINETE DO MINISTRO PORTARIA NORMATIVA Nº 18, DE 11 DE OUTUBRO DE 2012

Ministério da Educação GABINETE DO MINISTRO PORTARIA NORMATIVA Nº 18, DE 11 DE OUTUBRO DE 2012 Ministério da Educação GABINETE DO MINISTRO PORTARIA NORMATIVA Nº 18, DE 11 DE OUTUBRO DE 2012 Dispõe sobre a implementação das reservas de vagas em instituições federais de ensino de que tratam a Lei

Leia mais

Aberta e a Distância - CEAD, da UNIFAL-MG.

Aberta e a Distância - CEAD, da UNIFAL-MG. RESOLUÇÃO Nº 023/2011, DE 28 DE ABRIL DE 2011 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG O Conselho Universitário da UNIFAL-MG, no uso de suas atribuições regimentais e estatutárias,

Leia mais

Decreto nº 7.691, de 02 de Março de 2012

Decreto nº 7.691, de 02 de Março de 2012 Decreto nº 7.691, de 02 de Março de 2012 Diário Oficial da União nº 45, de 6 de março de 2012 (terça-feira) Seção 1 Págs. 24_27 Atos do Poder Executivo DECRETO Nº 7.691, DE 02 DE MARÇO DE 2012 Aprova a

Leia mais

EDITAL MEC/CAPES/FNDE

EDITAL MEC/CAPES/FNDE EDITAL MEC/CAPES/FNDE Seleção pública de propostas de projetos de iniciação à docência voltados ao Programa Institucional de Iniciação à Docência - PIBID O Ministério da Educação - MEC, por intermédio

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA 1. Número e Título do Projeto: OEI BRA/09/004 - Aprimoramento da sistemática de gestão do Ministério da Educação

Leia mais

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Esperidião Amin Helou Filho

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Esperidião Amin Helou Filho PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO Esperidião Amin Helou Filho 1 PROJETO DE LEI Nº 8.035, DE 2010. Ementa: Aprova o Plano Nacional de Educação para o decênio 2011-2020 e dá outras providências. 2 PROJETO DE LEI

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA No 18, DE 11 DE OUTUBRO DE 2012

PORTARIA NORMATIVA No 18, DE 11 DE OUTUBRO DE 2012 PORTARIA NORMATIVA No 18, DE 11 DE OUTUBRO DE 2012 Dispõe sobre a implementação das reservas de vagas em instituições federais de ensino de que tratam a Lei no 12.711, de 29 de agosto de 2012, e o Decreto

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL No-10, DE 11 DE JULHO DE 2013

PORTARIA INTERMINISTERIAL No-10, DE 11 DE JULHO DE 2013 PORTARIA INTERMINISTERIAL No-10, DE 11 DE JULHO DE 2013 Regulamenta o Decreto nº 7.385, de 8 de dezembro de 2010, que instituiu o Sistema Universidade Aberta do Sistema Único de Saúde (UNA-SUS). Os MINISTROS

Leia mais

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO N 12.653

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO N 12.653 Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO N 12.653 Estabelece a forma de organização e regulamenta o funcionamento das unidades administrativas da Secretaria de Trabalho e Geração

Leia mais

1.1. Definir a estrutura e o conteúdo pertinente aorelato Institucional (RI); 1.2. Apresentar as especificidades do Relato Institucional;

1.1. Definir a estrutura e o conteúdo pertinente aorelato Institucional (RI); 1.2. Apresentar as especificidades do Relato Institucional; MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA INEP COMISSÃO NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR CONAES DIRETORIA DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

Avaliação da Educação Básica. Saeb/Prova Brasil e Ideb

Avaliação da Educação Básica. Saeb/Prova Brasil e Ideb Avaliação da Educação Básica Saeb/Prova Brasil e Ideb Saeb/Prova Brasil O desafio de planejar uma avaliação Matriz de Referência Elaboração de Itens - Capacitação IES - Laboratório Cognitivo BNI Pré-Teste

Leia mais

20 12 RELATÓRIO DE GESTÃO

20 12 RELATÓRIO DE GESTÃO 20 12 RELATÓRIO DE GESTÃO SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEBRAE NACIONAL RELATÓRIO DE GESTÃO 2012 Brasília / 2012 2012. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas

Leia mais

PORTARIA-SEGEPRES Nº 1, DE 23 DE JANEIRO DE 2009

PORTARIA-SEGEPRES Nº 1, DE 23 DE JANEIRO DE 2009 PORTARIA-SEGEPRES Nº 1, DE 23 DE JANEIRO DE 2009 Dispõe acerca de competências, estrutura, lotação e alocação de funções de confiança da Secretaria- Geral da Presidência (Segepres). A SECRETÁRIA-GERAL

Leia mais

NOTA TÉCNICA 44 2013 A POLÍTICA NACIONAL DE INFORMAÇÃO E INFORMÁTICA EM SAÚDE E SEU PLANO OPERATIVO

NOTA TÉCNICA 44 2013 A POLÍTICA NACIONAL DE INFORMAÇÃO E INFORMÁTICA EM SAÚDE E SEU PLANO OPERATIVO NOTA TÉCNICA 44 2013 A POLÍTICA NACIONAL DE INFORMAÇÃO E INFORMÁTICA EM SAÚDE E SEU PLANO OPERATIVO Brasília, 28 de outubro de 2013 A POLÍTICA NACIONAL DE INFORMAÇÃO E INFORMÁTICA EM SAÚDE E SEU PLANO

Leia mais

RESOLUÇÃO CD/FNDE Nº 24 DE 04 DE JUNHO DE 2008

RESOLUÇÃO CD/FNDE Nº 24 DE 04 DE JUNHO DE 2008 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO CD/FNDE Nº 24 DE 04 DE JUNHO DE 2008 Estabelece orientações e diretrizes para o apoio financeiro às

Leia mais

Documento de Referência do Projeto de Cidades Digitais Secretaria de Inclusão Digital Ministério das Comunicações

Documento de Referência do Projeto de Cidades Digitais Secretaria de Inclusão Digital Ministério das Comunicações Documento de Referência do Projeto de Cidades Digitais Secretaria de Inclusão Digital Ministério das Comunicações CIDADES DIGITAIS CONSTRUINDO UM ECOSSISTEMA DE COOPERAÇÃO E INOVAÇÃO Cidades Digitais Princípios

Leia mais

Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação

Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação 1 Agenda Contexto SISP Planejamento de TI PDTI 2 SISP Sistema de Administração dos Recursos de Informação e Informática Decreto nº 1.048, de 21 de janeiro

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO. EDITAL DE SELEÇÃO UAB nº. 01/2006-SEED/MEC/2006/2007

EDITAL DE SELEÇÃO. EDITAL DE SELEÇÃO UAB nº. 01/2006-SEED/MEC/2006/2007 EDITAL DE SELEÇÃO EDITAL DE SELEÇÃO UAB nº. 01/2006-SEED/MEC/2006/2007 Segunda Chamada Pública para Seleção de Pólos Municipais de Apoio Presencial e de Cursos Superiores de Instituições de Ensino Superior

Leia mais

XLV PLENÁRIA NACIONAL DO FÓRUM DOS CONSELHOS ESTADUAIS DE EDUCAÇÃO - FNCE

XLV PLENÁRIA NACIONAL DO FÓRUM DOS CONSELHOS ESTADUAIS DE EDUCAÇÃO - FNCE XLV PLENÁRIA NACIONAL DO FÓRUM DOS CONSELHOS ESTADUAIS DE EDUCAÇÃO - FNCE Belém PA, 27 de dezembro de 2015 Um Plano orientador da ação estatal amplamente discutido CONAE 2010 3.000 pessoas, entre delegados,

Leia mais

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO 1. Projeto: Aprimoramento da sistemática de gestão

Leia mais

Capítulo I Da Origem. Capítulo II Dos Órgãos Colegiados

Capítulo I Da Origem. Capítulo II Dos Órgãos Colegiados NORMATIZAÇÃO ADMINISTRATIVA, DIDÁTICO-PEDAGÓGICA PARA AS ATIVIDADES DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NOS CURSOS TÉCNICOS NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA SETEC

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA SETEC MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA SETEC EDITAL SETEC Nº 02, 30 DE MAIO DE 2014 SISTEMA DE SELEÇÃO UNIFICADA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA - SISUTEC O Secretário

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 6.755, DE 29 DE JANEIRO DE 2009. Institui a Política Nacional de Formação de Profissionais do Magistério da Educação Básica,

Leia mais

UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO

UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO TÍTULO I - APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA... 1 TÍTULO II - DOS OBJETIVOS...

Leia mais

CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2011. Manual do Usuário

CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2011. Manual do Usuário MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA DIRETORIA DE ESTATÍSTICAS EDUCACIONAIS COORDENAÇÃO GERAL DO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Diretoria de Estatísticas Educacionais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Diretoria de Estatísticas Educacionais Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Diretoria de Estatísticas Educacionais RESULTADO DO CENSO DA EDUCAÇÃO BÁSICA 2009 O Censo Escolar, realizado anualmente pelo

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 141, DE 03 DE SETEMBRO DE 2009.

LEI COMPLEMENTAR Nº 141, DE 03 DE SETEMBRO DE 2009. LEI COMPLEMENTAR Nº 141, DE 03 DE SETEMBRO DE 2009. O GOVERNADOR DO ESTADO DE PERNAMBUCO: Dispõe sobre o Modelo Integrado de Gestão do Poder Executivo do Estado de Pernambuco. Faço saber que a Assembléia

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 5.622, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2005. Vide Lei n o 9.394, de 1996 Texto compilado Regulamenta o art. 80 da Lei n o 9.394, de

Leia mais

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 1.413, DE 10 DE JULHO DE 2013

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 1.413, DE 10 DE JULHO DE 2013 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 1.413, DE 10 DE JULHO DE 2013 Redefine as regras e critérios

Leia mais

O PROCURADOR EDUCACIONAL INSTITUCIONAL NO CONTEXTO DA AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

O PROCURADOR EDUCACIONAL INSTITUCIONAL NO CONTEXTO DA AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR O PROCURADOR EDUCACIONAL INSTITUCIONAL NO CONTEXTO DA AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR Resumo BETTEGA, Maria Odette UFPR mbettega@terra.com.br VIEIRA, Alboni Marisa Dudeque Pianovski PUCPR alboni@alboni.com

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 638, DE 22 DE JANEIRO DE 2008

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 638, DE 22 DE JANEIRO DE 2008 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 638, DE 22 DE JANEIRO DE 2008 Aprova o Regimento do Campus Universitário do Marajó-Soure. O REITOR DA UNIVERSIDADE

Leia mais

Perfil e Jornada de Trabalho da Equipe de Profissionais da Estação Juventude Local

Perfil e Jornada de Trabalho da Equipe de Profissionais da Estação Juventude Local PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA-GERAL SECRETARIA NACIONAL DE JUVENTUDE Perfil e Jornada de Trabalho da Equipe de Profissionais da Estação Juventude Local a) COORDENADOR ADJUNTO: 01 (Contratação Temporária

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 5.622, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2005. Vide Lei n o 9.394, de 1996 Regulamenta o art. 80 da Lei n o 9.394, de 20 de dezembro

Leia mais

INEP RELATÓRIO DE GESTÃO 2007

INEP RELATÓRIO DE GESTÃO 2007 INEP RELATÓRIO DE GESTÃO 2007 Brasília, março de 2008 República Federativa do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva Ministério da Educação Fernando Haddad Secretaria Executiva do MEC José Henrique Paim Fernandes

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 5.622, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2005. Vide Lei n o 9.394, de 1996 Regulamenta o art. 80 da Lei n o 9.394, de 20 de dezembro

Leia mais

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. PORTARIA nº 456, DE 04 DE NOVEMBRO DE 2010.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. PORTARIA nº 456, DE 04 DE NOVEMBRO DE 2010. INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA PORTARIA nº 456, DE 04 DE NOVEMBRO DE 2010. Institui a Política de Segurança da Informação e Comunicações POSIC, no âmbito do IPEA. O PRESIDENTE DO INSTITUTO DE

Leia mais

Art. 1º Aprovar o Regimento Interno da Divisão de Biblioteca DIBIB, anexo a esta Resolução. São João del-rei, 16 de fevereiro de 2009.

Art. 1º Aprovar o Regimento Interno da Divisão de Biblioteca DIBIB, anexo a esta Resolução. São João del-rei, 16 de fevereiro de 2009. RESOLUÇÃO N o 003, de 16 de fevereiro de 2009. Aprova Regimento Interno da Divisão de Biblioteca DIBIB. O PRESIDENTE DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI UFSJ, no uso de

Leia mais

PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA e AÇÕES DO PACTO

PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA e AÇÕES DO PACTO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA e AÇÕES DO PACTO Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa É um compromisso formal assumido pelos governos federal, do Distrito Federal, dos estados

Leia mais

V - promover a cooperação internacional na área de ciência, tecnologia e inovação;

V - promover a cooperação internacional na área de ciência, tecnologia e inovação; DECRETO Nº 7.642, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 * Programa Ciência sem Fronteiras. * Institui o Programa Ciência sem Fronteiras. A Presidenta da República, no uso das atribuições que lhe confere o art. 84,

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REDAÇÃO DO PROJETO DE LEI Aprova o Plano Municipal de Educação - PME e dá outras providências. O Prefeito do Município de vereadores decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Faço

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIRON - CPA

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIRON - CPA REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIRON - CPA Av. Mamoré, nº 1520, Bairro Três Marias CEP: 78919-541 Tel: (69) 3733-5000 Porto Velho - RO 1 CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

Leia mais

Compromisso Todos pela Educação. Garantir o direito de aprender, para todos e para cada um.

Compromisso Todos pela Educação. Garantir o direito de aprender, para todos e para cada um. Compromisso Todos pela Educação Garantir o direito de aprender, para todos e para cada um. Ministério da Educação SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA Maria do Pilar Lacerda A. Silva DEPARTAMENTO DE PROJETOS

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 14/5/2011, Seção 1, Pág.147. Portaria n 545, publicada no D.O.U. de 14/5/2012, Seção 1, Pág.147. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 012, de 27 de março de 2008. 1 (Modificado o Regimento pela Res. 022/2011 e 061/2011)

RESOLUÇÃO N o 012, de 27 de março de 2008. 1 (Modificado o Regimento pela Res. 022/2011 e 061/2011) RESOLUÇÃO N o 012, de 27 de março de 2008. 1 (Modificado o Regimento pela Res. 022/2011 e 061/2011) Cria o Núcleo de Educação a Distância (NEAD) e aprova seu Regimento Interno. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG

PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG Forplad Regional Sudeste 22 de Maio de 2013 Erasmo Evangelista de Oliveira erasmo@dgti.ufla.br Diretor de

Leia mais

PORTARIA-TCU Nº 150, DE 3 DE JULHO DE 2012

PORTARIA-TCU Nº 150, DE 3 DE JULHO DE 2012 PORTARIA-TCU Nº 150, DE 3 DE JULHO DE 2012 Dispõe sobre orientações às unidades jurisdicionadas ao Tribunal quanto à elaboração dos conteúdos dos relatórios de gestão referentes ao exercício de 2012. O

Leia mais

Planejando a Próxima Década. Alinhando os Planos de Educação

Planejando a Próxima Década. Alinhando os Planos de Educação Planejando a Próxima Década Alinhando os Planos de Educação EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 59, DE 11 DE NOVEMBRO DE 2009 Art. 4º O caput do art. 214 da Constituição Federal passa a vigorar com a seguinte redação,

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO ESCOLA MUNICIPAL DE GOVERNO

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO ESCOLA MUNICIPAL DE GOVERNO FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO ESCOLA MUNICIPAL DE GOVERNO SÃO CARLOS 2011 SUMÁRIO TÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º a 3º... 3 Capítulo I Da Natureza (art. 1º)... 3 Capítulo II Da Finalidade

Leia mais

Banco Nacional de Itens (BNI) do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade)

Banco Nacional de Itens (BNI) do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) Banco Nacional de Itens (BNI) do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) DIRETORIA DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR COORDENAÇÃO GERAL DO ENADE SINAES AVALIAÇÃO DE IES AVALIAÇÃO DE CURSOS AVALIAÇÃO

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação (PETI) Secretaria de Tecnologia da Informação Florianópolis, março de 2010. Apresentação A informatização crescente vem impactando diretamente

Leia mais

RESOLUÇÃO CSA N.º 07, DE 23 DE SETEMBRO DE 2014

RESOLUÇÃO CSA N.º 07, DE 23 DE SETEMBRO DE 2014 RESOLUÇÃO CSA N.º 07, DE 23 DE SETEMBRO DE 2014 Estabelece o Regulamento para a Oferta de Cursos de Pós Graduação Lato Sensu das Faculdades Ponta Grossa. A Presidente do Conselho Superior de Administração

Leia mais

FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013

FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013 FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013 Sete Lagoas Março de 2014 Sumário 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO... 4 1.1. Composição da Comissão

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO CARGO PROFESSOR BOLSISTA

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO CARGO PROFESSOR BOLSISTA CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO CARGO PROFESSOR BOLSISTA Edital nº 002/2015 de 07 de Maio de 2015. O Coordenador Geral do Núcleo de Ensino a Distância

Leia mais

Diagnóstico da Educação Municipal

Diagnóstico da Educação Municipal Diagnóstico da Educação Municipal Oneide Ferraz Alves Apoio Parceria Coordenação Técnica Iniciativa Temas 1º dia Planejamento Planejamento Educacional Plano Anual de Educação Diagnóstico da Educação no

Leia mais