MANUAL DE PROCEDIMENTOS E ADESÃO AO PROJETO SETORIAL LATITUDE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL DE PROCEDIMENTOS E ADESÃO AO PROJETO SETORIAL LATITUDE"

Transcrição

1 MANUAL DE PROCEDIMENTOS E ADESÃO AO PROJETO SETORIAL LATITUDE Pelo presente instrumento a Associação Brasileira de Arte Contemporânea - ABACT apresenta o Manual de Procedimentos e Adesão referente às regras de participação nas ações de promoção e fomento a internacionalização das galerias de arte contemporânea no âmbito do Projeto Setorial Latitude ( Manual ). As partes envolvidas no gerenciamento do projeto são (i) a ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ARTE CONTEMPORÂNEA - ABACT, pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, que tem como objetivo atender seus associados e promover a arte contemporânea e a cultura nacional, e (ii) a AGÊNCIA BRASILEIRA DE PROMOÇÃO DE EXPORTAÇÕES E INVESTIMENTOS (Apex Brasil) que atua na promoção comercial de produtos e serviços brasileiros no exterior e na atração de investimentos estrangeiros diretos (IED) para setores estratégicos da economia brasileira vinculada ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). O intuito deste Manual é para que todas as galerias de arte contemporânea interessadas em participar das ações de promoção de internacionalização tenham ciência das regras, dos critérios, dos direitos e deveres das partes que compõem o Projeto Latitude. Este documento é válido para o período de maio/2013 a dezembro/2014, podendo ser atualizado pela ABACT após este período. CLÁUSULA PRIMEIRA: FILIAÇÃO AO PROJETO LATITUDE 1.1. Poderão integrar o quadro de filiados ao Projeto Latitude: a) Os associados da ABACT, ou seja, as galerias de arte contemporânea brasileiras, em território nacional, que cumpram os requisitos descritos no Artigo 8º do Estatuto Social da ABACT ( Associados ABACT ); ou

2 b) Quaisquer galerias de arte contemporânea não associada à ABACT, mas que desejem participar do Projeto Latitude ( Participantes Latitude ), desde que atendam aos seguintes critérios: (i) comprovem que atuam como galeria de arte contemporânea, com sede no Brasil; (ii) entreguem cópia autenticada e atualizada de seu contrato social; (iii) apresentem certidão negativa junto à Receita Federal; (iv) comprovem a realização de, no mínimo, 4 (quatro) exposições por ano; (v) comprovem que representam e comercializam, no mínimo, 04 (quatro) artistas vivos brasileiros; e (vi) tenham Carta de apresentação de um dos Associados Fundadores Os Participantes Latitude serão admitidos mediante subscrição dos documentos de adesão ao Projeto Latitude, quais sejam, o Termo de Adesão e a Ficha Cadastral, os quais fazem parte do presente Manual sob a forma de Anexo I e Anexo II Quando da renovação do Convênio entre a ABACT e a Apex-Brasil, um novo Termo de Adesão deverá ser assinado confirmando sua intenção em continuar como Participante Latitude O Associado ABACT ou Participante Latitude (em conjunto denominados Filiados ) poderá gozar dos benefícios do Projeto Latitude imediatamente, não sendo aplicado qualquer período de carência Serão aplicadas mensalidades distintas conforme a categoria de Filiado: a) Associados ABACT: Estão isentos do pagamento da Taxa de Filiação ao Projeto Latitude. b) Participantes Latitude: estão sujeitos ao pagamento de uma Taxa de Filiação no valor de R$350,00 (trezentos e cinquenta reais) por mês, que serão cobrados através de boleto bancário com vencimento sempre no dia 05 de cada mês A finalidade da mensalidade é o custeio de despesas operacionais, administrativas, bancárias e impostos da ABACT relativas ao Projeto Latitude, 1.7. As mensalidades dos Participantes Latitude serão reajustadas anualmente ou conforme deliberação da entidade executora ABACT.

3 1.8. Os Filiados desde já se comprometem a entregar à ABACT, dentro dos prazos estabelecidos, todos os documentos, prestações de conta, relatórios de resultado e documentos especificados dentro das ações do Projeto Latitude, bem como preenchimento da Pesquisa Setorial anual. CLÁUSULA SEGUNDA: DESISTÊNCIA E DESFILIAÇÃO 2.1. O Participante Latitude, uma vez preenchido o Termo de Adesão, terá o compromisso de permanecer vinculado ao convênio em vigência até o seu término, cumprindo com todas as obrigações assumidas. O descumprimento desta cláusula acarretará na rejeição de novo pedido de adesão como Participante Latitude por um período de 12 (doze) meses a contar do descumprimento O Associado ABACT poderá se desligar do projeto Latitude por iniciativa própria a qualquer tempo e sem custos, desde que comunique por escrito com 30 dias de antecedência, não possua débitos financeiros nem compromissos de Contrapartida não cumpridos junto à entidade executora ABACT. Antes de seu desligamento deverá quitar todos seus débitos e cumprir com todos os compromissos contratuais assumidos Perderá sua qualidade de Filiado aquele que deixar de cumprir suas obrigações financeiras por 3 (três) meses e que informado por escrito, não as sane no prazo de 30 (trinta) dias, contados do recebimento da notificação Ficará suspenso o Filiado que deixar de entregar os documentos mencionados na cláusula O Filiado associado que estiver inadimplente por mais de 30 dias estará vetado de participar de quaisquer eventos realizados no âmbito do Projeto e/ou ter acesso às documentações exclusivas.

4 2.5. Não há restrições à readmissão de Filiados, desde que quitadas suas pendências financeiras (se houver). CLÁUSULA TERCEIRA: DEVERES DOS FILIADOS 3.1. São deveres dos Filiados: a) Cumprir e fazer cumprir este Manual; b) Acatar as resoluções do Comitê Gestor do Projeto e das entidades apoiadoras (ABACT e Apex-Brasil); c) Contribuir para o prestígio e prosperidade do setor; d) Cooperar prontamente com o fornecimento de dados e informações sempre que solicitado pela gerência do projeto; e) Enviar à ABACT documentos comprobatórios de Contrapartidas da participação em eventos ou feiras internacionais organizados no âmbito do Projeto, segundo Contrato de Parceria a ser firmado com cada Filiado ou Participante Latitude conforme previsto no Regulamento de Convênios da Apex-Brasil. CLÁUSULA QUARTA: DIREITOS DOS FILIADOS 4.1. As atividades do Projeto Latitude estão vinculadas à promoção comercial internacional das galerias brasileiras de arte contemporânea São direitos dos Filiados, desde que estejam quites com as suas obrigações financeiras e demais deveres, participar de quaisquer assuntos relacionados ao Projeto, como: a) Encontros Temáticos; b) Workshops e seminários;

5 c) Ações de Capacitação; d) Central de Serviços; e) Feiras internacionais; g) Projeto Comprador/Imagem Art Immersion Trips ; j) Comunicação e divulgação (site, newsletters, redes sociais) São ações todas aquelas delineadas no âmbito do Convênio firmado entre Apex-Brasil e ABACT Todas as informações fornecidas à ABACT pelos Filiados por qualquer meio, incluindo o conteúdo de relatórios, questionários e pesquisas, serão mantidas por ela em caráter confidencial As análises publicadas pela ABACT trarão somente dados consolidados, não incluindo dados individualizados dos Filiados. O teor dos dados consolidados a serem divulgados deverão ser previamente aprovados pela Diretoria da ABACT A política de apoio financeiro em Feiras Internacionais para os Filiados obedece à segmentação do grupo por níveis de internacionalização. Os critérios de segmentação são dados objetivos coletados periodicamente e analisados a partir (i) das respostas das galerias à Pesquisa Setorial, (ii) do histórico de apoios recebidos individualmente pelo Projeto Latitude e (iii) dos dados de exportação das empresas fornecidos pela Apex-Brasil A depender do enquadramento das galerias nos níveis de internacionalização, estas poderão receber Apoio Operacional ou Apoio Promocional do Projeto Apoio Operacional caracteriza-se pela ajuda de custo para cobrir despesas com aluguel de stand. Apoio Promocional caracteriza-se pela ajuda de custo para cobrir despesas de divulgação.

6 Galerias em processo inicial de internacionalização recebem Apoio Operacional e galerias mais internacionalizadas recebem Apoio Promocional Os valores estabelecidos para os dois tipos de apoio são definidos de acordo com recursos disponíveis do Projeto Latitude para cada ação e informados às galerias participantes daquela ação com a devida antecedência. CLÁUSULA QUINTA: COMPETÊNCIAS 5.1. A ABACT é a entidade executora do Projeto. Cabe à Diretoria da ABACT assegurar o andamento de todas as atividades previstas pelo Projeto Latitude. É função validar as ações, os orçamentos e a contratação de profissionais e prestadores de serviços para o Projeto Latitude A Diretoria da ABACT deve (i) atuar diretamente nas questões relativas ao Projeto Latitude, quando solicitado pelo Comitê Gestor e pela Apex-Brasil (ii) zelar pela transparência e pelo bom andamento do Projeto Latitude A ABACT deve seguir as orientações e as determinações da Apex-Brasil referentes ao Projeto e especificadas nos documentos no âmbito do Convênio. Cabe ainda à ABACT responder juridicamente pelo Projeto, além de ser a responsável pelo gerenciamento físico e financeiro dos recursos aportados pela Apex-Brasil. COMITÊ GESTOR 5.4. O Comitê Gestor é composto por no máximo 12 membros, entre os quais [gerência executiva do Projeto Latitude, gestor de projetos da Apex-Brasil, presidente da entidade executora e demais componentes designados pela ABACT e pela Apex-Brasil] Compete ao Comitê Gestor, servir de fórum para validação dos aspectos mais importantes do Projeto, reorientar as ações, caso necessário, avaliar os resultados do Projeto e pensar estrategicamente o futuro do Projeto.

7 5.6. O Comitê Gestor se reunirá ordinariamente a cada 3 (três) meses e extraordinariamente sempre que convocado por qualquer de seus membros A convocação do Comitê Gestor deverá ocorrer por via eletrônica, com antecedência mínima de 10 (dez) dias As decisões do Comitê Gestor serão tomadas por no mínimo 50% +1 dos membros presentes à reunião, sendo certo que, após cada reunião, deverá ser lavrada uma Ata que será assinada por todos os presentes Em caso de ausência de qualquer dos membros do Comitê Gestor por duas reuniões consecutivas, tal membro deverá ser substituído. GERÊNCIA EXECUTIVA DO PROJETO 5.9. O processo de contratação da Gerente Executiva do Projeto deve seguir as regras da Apex-Brasil e da ABACT e existir juridicamente mediante Contrato de Prestação de Serviços, por tempo determinado, assinado pela ABACT e pelo contratado. Os honorários do gerente Executivo serão determinados pelo Gestor da Apex-Brasil e a Diretoria Executiva da ABACT O gerente executivo é responsável pela execução das atividades do Projeto Latitude e pela coordenação da equipe de trabalho do Projeto, bem como de seus prestadores de serviços. Responderá diretamente à Diretoria Executiva da ABACT e ao Gestor da Apex- Brasil. Em hipótese alguma há vínculos empregatícios com a ABACT. CONSULTORIAS ESPECIALIZADAS As consultorias especializadas serão contratadas seguindo as diretrizes estratégicas do Projeto Latitude e são exclusivas do Projeto. Não são aceitas consultorias que não

8 atendam ao projeto e nem exercidas por funcionários, dirigentes ou membros do conselho diretor da ABACT ou da Apex-Brasil O processo de contratação de consultorias deve seguir as regras da Apex-Brasil e da ABACT e existir juridicamente mediante contrato assinado pela ABACT e pelo contratado. O prazo dos serviços e os honorários são determinados pela gerência executiva do Projeto e aprovados pela ABACT Em hipótese alguma há vínculos empregatícios com a ABACT.

TERMO DE ADESÃO. Para participação em Projetos de Promoção de Exportação

TERMO DE ADESÃO. Para participação em Projetos de Promoção de Exportação TERMO DE ADESÃO Para participação em Projetos de Promoção de Exportação A empresa..., de CNPJ n.º..., por seu(s) representante(s) legal(is), adere ao projeto BRAZILIAN PUBLISHERS, proposto à APEX-Brasil

Leia mais

REDE PETRO - BACIA DE CAMPOS REGIMENTO INTERNO

REDE PETRO - BACIA DE CAMPOS REGIMENTO INTERNO REDE PETRO - BACIA DE CAMPOS REGIMENTO INTERNO CAPITULO I DA ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA Art. 1º - A Organização Administrativa corresponde à estrutura da REDE PETRO-BC que tem como finalidade garantir

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA APOIO FINANCEIRO DE CURSOS E SEMINÁRIOS

INSTRUÇÕES PARA APOIO FINANCEIRO DE CURSOS E SEMINÁRIOS INSTRUÇÕES PARA APOIO FINANCEIRO DE CURSOS E SEMINÁRIOS O instrumento administrativo Cursos e Seminários aplica-se a eventos pontuais como reuniões, capacitações e workshops previstos para serem realizados

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2015

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2015 EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2015 1. DO OBJETO 1.1. O presente edital tem por objeto realizar uma chamada pública nacional para seleção de projetos que contribuam para o empoderamento das mulheres

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP Programa de Estudos Pós-Graduados em Economia

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP Programa de Estudos Pós-Graduados em Economia EDITAL PARA O PROCESSO SELETIVO 2º/2015 Coordenador: Prof. Dr. Antônio Corrêa de Lacerda Vice-Coordenadora: Profa. Dra. Regina Maria d Aquino Fonseca Gadelha Estarão abertas, no período de 01/04/2015 a

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA AFRAC ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMAÇÃO PARA O COMÉRCIO

REGIMENTO INTERNO DA AFRAC ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMAÇÃO PARA O COMÉRCIO REGIMENTO INTERNO DA AFRAC ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMAÇÃO PARA O COMÉRCIO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. O Regimento Interno da AFRAC - Associação Brasileira de Automação para o Comércio,

Leia mais

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários ESTATUTO DA LIGA GERIATRIA E GERONTOLOGIA - LIG Capítulo I - Da Natureza e Finalidade ART. 1º - A LIGA DE GERIATRIA E GERONTOLOGIA é uma entidade sem fins lucrativos, com duração ilimitada, sob a supervisão

Leia mais

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários ESTATUTO DA LIGA ACADÊMICA DE ESPORTES E SAÚDE - LIES Capítulo I - Da Natureza e Finalidade ART. 1º - A Liga Acadêmica de Esportes e Saúde é uma entidade sem fins lucrativos, com duração ilimitada, sob

Leia mais

POLÍTICA DE CRÉDITO DA COOPERATIVA DE CRÉDITO MÚTUO DOS SERVIDORES DA SEGURANÇA PÚBLICA DE SÃO PAULO - CREDIAFAM

POLÍTICA DE CRÉDITO DA COOPERATIVA DE CRÉDITO MÚTUO DOS SERVIDORES DA SEGURANÇA PÚBLICA DE SÃO PAULO - CREDIAFAM POLÍTICA DE CRÉDITO DA COOPERATIVA DE CRÉDITO MÚTUO DOS SERVIDORES DA SEGURANÇA DAS DEFINIÇÕES 1. A política de crédito da Cooperativa de Crédito Mútuo dos Servidores da Segurança Pública de São Paulo

Leia mais

FUNDO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE BELÉM-PA E DO TESOURO MUNICIPAL EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS- Nº 01/2015

FUNDO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE BELÉM-PA E DO TESOURO MUNICIPAL EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS- Nº 01/2015 FUNDO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO DE BELÉM-PA E DO TESOURO MUNICIPAL 1 PREÂMBULO RESOLUÇÃO Nº 05/2015 Publica o Edital de Seleção de Projetos das Organizações Não-Governamentais, a serem apoiados

Leia mais

2. QUEM PODE PARTICIPAR

2. QUEM PODE PARTICIPAR EDITAL 1. Edital Instituto Walmart 1.1. Este edital é uma iniciativa do Instituto Walmart com o objetivo de identificar, reconhecer e estimular o desenvolvimento de projetos por organizações da sociedade

Leia mais

GET - GRUPO DE ESTUDOS EM TRANSPORTES, ASSOCIAÇÃO CIENTIFICA. Estatutos. Versão aprovada em assembleia geral de 5 de Janeiro de 2007

GET - GRUPO DE ESTUDOS EM TRANSPORTES, ASSOCIAÇÃO CIENTIFICA. Estatutos. Versão aprovada em assembleia geral de 5 de Janeiro de 2007 GET - GRUPO DE ESTUDOS EM TRANSPORTES, ASSOCIAÇÃO CIENTIFICA Estatutos Versão aprovada em assembleia geral de 5 de Janeiro de 2007 Capítulo I Da denominação, dos fins e da sede da Associação Artigo 1º

Leia mais

Edital 02/2015 Saldo Remanescente

Edital 02/2015 Saldo Remanescente Edital 02/2015 Saldo Remanescente EDITAL Nº 02/2015 CMDCA EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA DE PROJETOS PARA FINANCIAMENTO NO ANO DE 2015 O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente CMDCA, no

Leia mais

MANUAL DE SERVIÇOS 1. PLANO DE ASSISTÊNCIA JURÍDICA FAMILIAR PAF

MANUAL DE SERVIÇOS 1. PLANO DE ASSISTÊNCIA JURÍDICA FAMILIAR PAF MANUAL DE SERVIÇOS 1. PLANO DE ASSISTÊNCIA JURÍDICA FAMILIAR PAF 1.1 SERVIÇOS PRESTADOS Souza & Evangelista Advocacia e Consultoria Jurídica propicia atividades jurídicas privativas de advogados nas vias

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE CUIDADOS PALIATIVOS. Núcleo da Região Autónoma dos Açores Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos NRA - APCP

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE CUIDADOS PALIATIVOS. Núcleo da Região Autónoma dos Açores Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos NRA - APCP ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE CUIDADOS PALIATIVOS Núcleo da Região Autónoma dos Açores Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos NRA - APCP abril de 2012 Núcleo Regional dos Açores da Associação Portuguesa

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EXPORTAÇAO DE ARTESANATO

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EXPORTAÇAO DE ARTESANATO REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EXPORTAÇAO DE ARTESANATO Da organização e funcionamento da associação Art. 1. Para o cumprimento do conjunto de diretrizes e princípios previstos nos Estatutos

Leia mais

Perguntas freqüentes Projeto Serviços e Cidadania

Perguntas freqüentes Projeto Serviços e Cidadania Perguntas freqüentes Projeto Serviços e Cidadania 1. Sobre o Projeto 1.1. O que é o Projeto Serviços e Cidadania? É um canal de serviços gratuitos que oferece apoio nas áreas de gestão, jurídica e comunicação

Leia mais

Serviço Nacional de Aprendizagem Rural

Serviço Nacional de Aprendizagem Rural Serviço Nacional de Aprendizagem Rural REGULAMENTO DOS PROCEDIMENTOS PARA CELEBRAÇÃO DE TERMOS DE COOPERAÇÃO Estabelece diretrizes, normas e procedimentos para celebração, execução e prestação de contas

Leia mais

Edital 1/2014. Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica

Edital 1/2014. Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica Edital 1/2014 Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica A (PoloSul.org) torna pública a presente chamada e convida os interessados para apresentar propostas de incubação

Leia mais

Sociedade PÓLO DE EXPORTAÇÃO DE SERVIÇOS DE SOFTWARE DO PLANALTO MÉDIO REGIMENTO INTERNO

Sociedade PÓLO DE EXPORTAÇÃO DE SERVIÇOS DE SOFTWARE DO PLANALTO MÉDIO REGIMENTO INTERNO Sociedade PÓLO DE EXPORTAÇÃO DE SERVIÇOS DE SOFTWARE DO PLANALTO MÉDIO REGIMENTO INTERNO Aprovado em Reunião Ordinária do Conselho de Administração conforme registro em ata. Este Regimento Interno Regulamenta

Leia mais

Termo de Adesão ao Projeto Setorial Eletroeletrônicos Brasil (PS Eletroeletrônicos Brasil 2014 2016)

Termo de Adesão ao Projeto Setorial Eletroeletrônicos Brasil (PS Eletroeletrônicos Brasil 2014 2016) A empresa, CNPJ nº, representada por seu(s) representante(s) legal(ais), adere ao Projeto Setorial para Exportação de Eletroeletrônicos, agora denominado Eletroeletrônicos Brasil, sob o número de convênio

Leia mais

EDITAL PARA INSCRIÇÃO DE ARQUITETOS E URBANISTAS PARA PRESTAÇÃO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA -CONVÊNIO DEFENSORIA PÚBLICA - CAU/SP

EDITAL PARA INSCRIÇÃO DE ARQUITETOS E URBANISTAS PARA PRESTAÇÃO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA -CONVÊNIO DEFENSORIA PÚBLICA - CAU/SP EDITAL PARA INSCRIÇÃO DE ARQUITETOS E URBANISTAS PARA PRESTAÇÃO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA -CONVÊNIO DEFENSORIA PÚBLICA - CAU/SP O Conselho de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo CAU/SP, nos termos do Convênio

Leia mais

Regulamento Interno. de Estágios

Regulamento Interno. de Estágios Regulamento Interno de Estágios Índice Apresentação... 3 Capítulo 1 Caracterização e objetivo do estágio... 3 Capítulo 2 - Oferta de vagas de estágio... 4 Capítulo 3 - Duração do estágio... 5 Capítulo

Leia mais

SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A.

SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A. SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REGIMENTO INTERNO DOS COMITÊS COMITÊ DE FINANÇAS E ORÇAMENTO APROVADO PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EM 24 DE SETEMBRO DE 2014 SUMÁRIO I INTRODUÇÃO

Leia mais

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA PORTARIA Nº 339, DE 12 DE AGOSTO DE 2010

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA PORTARIA Nº 339, DE 12 DE AGOSTO DE 2010 INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA PORTARIA Nº 339, DE 12 DE AGOSTO DE 2010 Dispõe sobre a implantação e o funcionamento do Programa de Cooperação Internacional - PROCIN do Instituto de Pesquisa

Leia mais

Regimento Interno da Associação Ambientalista Pimentão

Regimento Interno da Associação Ambientalista Pimentão Regimento Interno da Associação Ambientalista Pimentão página 1-4 Regimento Interno da Associação Ambientalista Pimentão CAPÍTULO I Da Regulamentação do Regimento Interno Art. 1º - O presente Regimento

Leia mais

Novas Regras Básicas para Estrutura e Funcionamento do FBEI

Novas Regras Básicas para Estrutura e Funcionamento do FBEI 1 Novas Regras Básicas para Estrutura e Funcionamento do FBEI 1. Finalidade O FBEI é uma instância de organização e articulação interinstitucional, suprapartidária, que agrega diversos órgãos, organizações

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 32/CUn, DE 27 DE AGOSTO DE 2013.

RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 32/CUn, DE 27 DE AGOSTO DE 2013. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA ÓRGÃOS DELIBERATIVOS CENTRAIS CAMPUS UNIVERSITÁRIO TRINDADE CEP: 88040-900 FLORIANÓPOLIS SC TELEFONES: (48) 3721-9522 - 3721-4916 FAX: (48)

Leia mais

REGULAMENTO DO SETOR FINANCEIRO

REGULAMENTO DO SETOR FINANCEIRO 1 REGULAMENTO DO SETOR FINANCEIRO O Professor Dr. Marcus Vinícius Crepaldi, Diretor Geral da Faculdade de Tecnologia do Ipê FAIPE no uso das atribuições que lhe confere o Regimento Interno e, considerando

Leia mais

POLÍTICA DE RELACIONAMENTO COM CORRESPONDENTES NO PAÍS

POLÍTICA DE RELACIONAMENTO COM CORRESPONDENTES NO PAÍS POLÍTICA DE RELACIONAMENTO COM CORRESPONDENTES NO PAÍS Belo Horizonte, Novembro de 2013. Diretoria de Crédito Consignado Diretoria Executiva Comercial Diretoria Executiva Administrativa e de Atendimento

Leia mais

Ações de Adaptação de Comunidades e seus Ecossistemas aos Eventos Climáticos

Ações de Adaptação de Comunidades e seus Ecossistemas aos Eventos Climáticos PROCESSO SELETIVO 2011 Ações de Adaptação de Comunidades e seus Ecossistemas aos Eventos Climáticos REGULAMENTO Prezado Gestor, Criado em 2006, o Instituto HSBC Solidariedade é responsável por gerenciar

Leia mais

Programa CI-BRASIL RN-009/2010

Programa CI-BRASIL RN-009/2010 Programa CI-BRASIL RN-009/2010 Revoga as RN-010/2008 e RN-016/2009 O Presidente do CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO - CNPq, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA, SEDE E DURAÇÃO

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA, SEDE E DURAÇÃO REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA, SEDE E DURAÇÃO Art. 1º O Colegiado Estadual de Procuradores e Advogados Municipais de Santa Catarina, que passará a utilizar com exclusividade a denominação

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Grupo PETRA S.A. Departamento de Tecnologia da Informação POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Início da Vigência: 01/Maio/2010 Propriedade do Grupo PETRA S.A. 1. INTRODUÇÃO Este documento foi elaborado

Leia mais

Art. 18º. Cabe ao Aluno Beneficiado:

Art. 18º. Cabe ao Aluno Beneficiado: SISTEMA DE INCLUSÃO EDUCACIONAL ESTUDE JÁ BRASIL REGULAMENTO I DO SISTEMA Art. 1. - O ESTUDE JÁ BRASIL é um sistema de INCLUSÃO EDUCACIONAL e tem por objetivos: I incentivar o cadastramento de cidadãos

Leia mais

INFORME DO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS

INFORME DO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS INFORME DO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS FACULDADE INDEPENDENTE DO NORDESTE A Direção Geral da Faculdade Independente do Nordeste, com vistas à chamada para seleção de alunos para o Programa Ciência

Leia mais

Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007

Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007 Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007 1 Do programa e objetivo 1.1 O Programa CAFP/BA (Centros Associados para o Fortalecimento

Leia mais

ESTATUTO ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO (ANPARQ)

ESTATUTO ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO (ANPARQ) ESTATUTO ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO (ANPARQ) CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, REGIME JURÍDICO, DURAÇÃO, SEDE E FORO Art. 1 - A Associação Nacional de Pesquisa

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS INOVADORAS CDTI/UNITINS SELEÇÃO DE EMPRESAS EDITAL Nº 007, 13/08/2009.

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS INOVADORAS CDTI/UNITINS SELEÇÃO DE EMPRESAS EDITAL Nº 007, 13/08/2009. 1 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS INOVADORAS CDTI/UNITINS SELEÇÃO DE EMPRESAS EDITAL Nº 007, 13/08/2009. A Fundação Universidade do Tocantins UNITINS torna público

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, DURAÇÃO E FINALIDADE

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, DURAÇÃO E FINALIDADE REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, DURAÇÃO E FINALIDADE Art. 1º - O Conselho Municipal do Idoso CMI de Carlos Barbosa, criado pela Lei Municipal nº 1754,

Leia mais

B - Programa de Inclusão, Capacitação para Filhos, Dependentes Legais e Estudantes

B - Programa de Inclusão, Capacitação para Filhos, Dependentes Legais e Estudantes Bolsas de estudo A - Programa de Capacitação do PROFESSOR/AUXILIAR Todo PROFESSOR/AUXILIAR tem direito a bolsa de estudo integral, incluindo matrícula, em cursos de graduação, sequenciais e pós-graduação

Leia mais

1º Edital Petrobras de Festivais de Música

1º Edital Petrobras de Festivais de Música 1º Edital Petrobras de Festivais de Música REGULAMENTO OBJETIVOS DO EDITAL O apoio previsto neste regulamento tem como objetivos promover: 01. a formação de público para os diversos segmentos da música

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO COORDENADORIA DE PROJETOS EDITAL 002/2014

PRÓ-REITORIA DE INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO COORDENADORIA DE PROJETOS EDITAL 002/2014 PRÓ-REITORIA DE INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO COORDENADORIA DE PROJETOS EDITAL 002/2014 1. Abertura Abertura de inscrições para o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Tecnológica e Inovação

Leia mais

CHECK LIST PROGRAMA SEGUNDO TEMPO PADRÃO. I. Efetuar o Credenciamento da Entidade no SICONV (via Internet www.convenios.gov.br);

CHECK LIST PROGRAMA SEGUNDO TEMPO PADRÃO. I. Efetuar o Credenciamento da Entidade no SICONV (via Internet www.convenios.gov.br); CHECK LIST PROGRAMA SEGUNDO TEMPO PADRÃO I. Efetuar o Credenciamento da Entidade no SICONV (via Internet www.convenios.gov.br); II. Efetuar o Cadastramento da Entidade no SICONV e validação das informações

Leia mais

2.1.3.1 Atender aos requisitos de qualificação básica para membro da Diretoria;

2.1.3.1 Atender aos requisitos de qualificação básica para membro da Diretoria; POLÍTICA DE ELEIÇÕES DO PMI RIO I ABRANGÊNCIA Esta política se aplica ao processo de Eleições bianual promovido pelo PMI RIO em acordo com o Estatuto do chapter. II - REQUISITOS PARA O CREDENCIAMENTO:

Leia mais

PROGRAMA DE CRÉDITO EDUCATIVO - INVESTCREDE REGULAMENTO

PROGRAMA DE CRÉDITO EDUCATIVO - INVESTCREDE REGULAMENTO PROGRAMA DE CRÉDITO EDUCATIVO - INVESTCREDE 1. DAS INFORMAÇÕES GERAIS REGULAMENTO 1.1 - O presente regulamento objetiva a concessão de Crédito Educativo para estudantes devidamente Matriculados nos cursos

Leia mais

CONSELHO DE GESTORES MUNICIPAIS DE CULTURA DE SANTA CATARINA CONGESC

CONSELHO DE GESTORES MUNICIPAIS DE CULTURA DE SANTA CATARINA CONGESC CONSELHO DE GESTORES MUNICIPAIS DE CULTURA DE SANTA CATARINA CONGESC Regimento Interno CAPÍTULO I - Da Denominação, Natureza, Sede e Duração Art. 1º. O CONSELHO DE GESTORES MUNICIPAIS DE CULTURA DE SANTA

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DO HOSPITAL MATERNO INFANTIL PRESIDENTE VARGAS. Capítulo I Da denominação e sede

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DO HOSPITAL MATERNO INFANTIL PRESIDENTE VARGAS. Capítulo I Da denominação e sede REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DO HOSPITAL MATERNO INFANTIL PRESIDENTE VARGAS Capítulo I Da denominação e sede Art. 1º A Associação dos Amigos do Hospital Materno-Infantil Presidente Vargas,

Leia mais

Programa de Apoio a Vendas de Obras Audiovisuais

Programa de Apoio a Vendas de Obras Audiovisuais Programa de Apoio a Vendas de Obras Audiovisuais O Programa de Apoio a Vendas de Obras Audiovisuais visa incentivar a venda de obras audiovisuais brasileiras a compradores internacionais, em todas as janelas

Leia mais

ESTATUTO DO COMITÊ DE AUDITORIA DO CONSELHO DIRETOR 23 DE OUTUBRO DE 2014

ESTATUTO DO COMITÊ DE AUDITORIA DO CONSELHO DIRETOR 23 DE OUTUBRO DE 2014 ESTATUTO DO COMITÊ DE AUDITORIA DO CONSELHO DIRETOR 23 DE OUTUBRO DE 2014 I. FINALIDADE A finalidade do Comitê de Auditoria da AGCO Corporation (a Empresa ) é auxiliar o Conselho Diretor (o Conselho )

Leia mais

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS. Junho, 2006 Anglo American Brasil

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS. Junho, 2006 Anglo American Brasil MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS Junho, 2006 Anglo American Brasil 1. Responsabilidade Social na Anglo American Brasil e objetivos deste Manual Já em 1917, o Sr. Ernest Oppenheimer, fundador

Leia mais

TERMO DE ADESÃO A ANTECIPAÇÃO DE PREMIAÇÃO PARA INVESTIMENTO EM MÍDIA

TERMO DE ADESÃO A ANTECIPAÇÃO DE PREMIAÇÃO PARA INVESTIMENTO EM MÍDIA TERMO DE ADESÃO A ANTECIPAÇÃO DE PREMIAÇÃO PARA INVESTIMENTO EM MÍDIA A FAEL E O POLO (NOME FANTASIA) CELEBRAM O PRESENTE TERMO VISANDO A ANTECIPAÇÃO DE VALORES, PARA UTILIZAÇÃO EXCLUSIVA EM MÍDIA, COMO

Leia mais

AYTY-INCUBADORA DE EMPRESAS DO IFAM EDITAL Nº 003/2014 INCUBADORA DE EMPRESAS

AYTY-INCUBADORA DE EMPRESAS DO IFAM EDITAL Nº 003/2014 INCUBADORA DE EMPRESAS AYTY-INCUBADORA DE EMPRESAS DO IFAM EDITAL Nº 003/2014 INCUBADORA DE EMPRESAS Parceria Instituição Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas IFAM, Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa, Extensão

Leia mais

REGIMENTO INTERNO Aprovado dia 02 de julho de 1982

REGIMENTO INTERNO Aprovado dia 02 de julho de 1982 REGIMENTO INTERNO Aprovado dia 02 de julho de 1982 Artigo 1º. - A FUNDAÇÃO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM AGRONOMIA, MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA - FUNEP, além das disposições constantes de seu Estatuto

Leia mais

MANUAL DO ASSOCIADO CINEMA DO BRASIL

MANUAL DO ASSOCIADO CINEMA DO BRASIL MANUAL DO ASSOCIADO CINEMA DO BRASIL O que é o Cinema do Brasil O Cinema do Brasil surgiu em 2006 por meio de uma iniciativa do então presidente do SIAESP - Sindicato da Indústria Audiovisual do Estado

Leia mais

Mais informações com os organizadores da feira no e-mail: aynur.meric@ite-exhibitions.com

Mais informações com os organizadores da feira no e-mail: aynur.meric@ite-exhibitions.com Sumário 1) Informações gerais sobre a Feira... 2 2) Setores promovidos na feira... 2 3) Sobre a Feira... 2 4) Sobre a participação brasileira na World Food Moscou 2015... 2 4.1) Pavilhão Nacional de Alimentos

Leia mais

PARCERIA BRASILEIRA PELA ÁGUA

PARCERIA BRASILEIRA PELA ÁGUA PARCERIA BRASILEIRA PELA ÁGUA Considerando a importância de efetivar a gestão integrada de recursos hídricos conforme as diretrizes gerais de ação estabelecidas na Lei 9.433, de 8.01.1997, a qual institui

Leia mais

FORUM PERMANENTE DA AGENDA 21 LOCAL DE SAQUAREMA REGIMENTO INTERNO. CAPITULO 1-Da natureza, sede, finalidade, princípios e atribuições:

FORUM PERMANENTE DA AGENDA 21 LOCAL DE SAQUAREMA REGIMENTO INTERNO. CAPITULO 1-Da natureza, sede, finalidade, princípios e atribuições: FORUM PERMANENTE DA AGENDA 21 LOCAL DE SAQUAREMA REGIMENTO INTERNO CAPITULO 1-Da natureza, sede, finalidade, princípios e atribuições: Artigo I: O Fórum Permanente da Agenda 21 de Saquarema, criado pelo

Leia mais

ESTATUTO DA ANPTECRE

ESTATUTO DA ANPTECRE ESTATUTO DA ANPTECRE ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM TEOLOGIA E CIÊNCIAS DA RELIGIÃO CAPÍTULO I DA NATUREZA, SEDE, DURAÇÃO Art. 1º A ANPTECRE Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa

Leia mais

Edital do Programa Jovens Talentos para a Ciência 2014/2015

Edital do Programa Jovens Talentos para a Ciência 2014/2015 Edital do Programa Jovens Talentos para a Ciência 2014/2015 A Comissão de Gerenciamento do Programa Jovens Talentos para Ciência da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, nomeada pela

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE INOVAÇÃO DE FIBRIA CELULOSE S.A. CAPÍTULO I DO COMITÊ DE INOVAÇÃO

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE INOVAÇÃO DE FIBRIA CELULOSE S.A. CAPÍTULO I DO COMITÊ DE INOVAÇÃO REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE INOVAÇÃO DE FIBRIA CELULOSE S.A. CAPÍTULO I DO COMITÊ DE INOVAÇÃO 1. O Comitê de Inovação (o "Comitê") é um órgão colegiado de assessoramento e instrução, instituído pelo

Leia mais

Regimento Interno do Comitê de Remuneração e Sucessão

Regimento Interno do Comitê de Remuneração e Sucessão Regimento Interno do Comitê de Remuneração e Sucessão 1 ARTIGO Artigo 1º - NATUREZA, OBJETO E APROVAÇÃO DO REGIMENTO INTERNO Artigo 2º - COMPOSIÇÂO, CARGOS E MANDATOS Artigo 3º - DA PRESIDÊNCIA E SECRETARIADO

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO CRPSI

ESTATUTO SOCIAL DO CRPSI ESTATUTO SOCIAL DO CRPSI ESTATUTO REGISTRADO NO CARTÓRIO DE REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS JURÍDICAS DA COMARCA DE CONCEIÇÃO DO COITÉ BAHIA, sob Número: 6.893, protocolo 2, fls. 117, Registro n.º 477, livro

Leia mais

PORTO ORGANIZADO DE SANTOS PLANO DE AUXÍLIO MÚTUO

PORTO ORGANIZADO DE SANTOS PLANO DE AUXÍLIO MÚTUO PORTO ORGANIZADO DE SANTOS PLANO DE AUXÍLIO MÚTUO ESTRUTURA ORGANIZACIONAL CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS, DA COMPOSIÇÃO E DA FILIAÇÃO Artigo 1º O Plano de Auxílio Mútuo PAM, do Porto Organizado de Santos, é

Leia mais

PROGRAMA DE BOLSAS UNIVESP BOLSAS DE APOIO ACADÊMICO E TECNOLÓGICO

PROGRAMA DE BOLSAS UNIVESP BOLSAS DE APOIO ACADÊMICO E TECNOLÓGICO BOLSAS DE APOIO ACADÊMICO E TECNOLÓGICO Normas e Procedimentos 1. DISPOSIÇÕES GERAIS A UNIVESP instituiu, por deliberação de seu Conselho de Curadores, o PROGRAMA DE BOLSAS UNIVESP, com as características

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA (NEPEC/UCB)

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA (NEPEC/UCB) REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA (NEPEC/UCB) CAPÍTULO I - DO NEPEC E SEUS OBJETIVOS Artigo 1º - O presente Regulamento disciplina as atribuições,

Leia mais

ABF ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE FRANCHISING REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE ÉTICA CAPÍTULO I DA COMISSÃO DE ÉTICA

ABF ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE FRANCHISING REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE ÉTICA CAPÍTULO I DA COMISSÃO DE ÉTICA ABF ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE FRANCHISING REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE ÉTICA CAPÍTULO I DA COMISSÃO DE ÉTICA Art. 1º. A Comissão de Ética, órgão nomeado pelo Conselho Diretor da ABF, é responsável pela

Leia mais

EDITAL 05/2015 PROPESP/FADESP PROGRAMA DE APOIO À COOPERAÇÃO INTERINSTITUCIONAL PACI SUBPROGRAMA COOPERAÇÃO INTERNACIONAL

EDITAL 05/2015 PROPESP/FADESP PROGRAMA DE APOIO À COOPERAÇÃO INTERINSTITUCIONAL PACI SUBPROGRAMA COOPERAÇÃO INTERNACIONAL EDITAL 05/2015 PROPESP/FADESP PROGRAMA DE APOIO À COOPERAÇÃO INTERINSTITUCIONAL PACI SUBPROGRAMA COOPERAÇÃO INTERNACIONAL A Pró- Reitoria de Pesquisa e Pós- Graduação (PROPESP) e a Fundação de Amparo e

Leia mais

CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO

CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO Art. 1º O Laboratório de Línguas é um órgão complementar de fomento ao ensino, pesquisa, extensão, e prestação de serviços vinculado ao Centro de Letras e Ciências Humanas sob

Leia mais

REGULAMENTO. Art. 1º - O Programa de inclusão educacional BOLSAS EDUCAR tem os seguintes objetivos:

REGULAMENTO. Art. 1º - O Programa de inclusão educacional BOLSAS EDUCAR tem os seguintes objetivos: REGULAMENTO I DO PROGRAMA Art. 1º - O Programa de inclusão educacional BOLSAS EDUCAR tem os seguintes objetivos: I incentivar a aderência ao Programa de indivíduos que atendam aos requisitos exigidos neste

Leia mais

EDITAL 01/2015 ABEMEL

EDITAL 01/2015 ABEMEL EDITAL 01/2015 ABEMEL O Presidente da Associação Brasileira dos Exportadores de Mel (ABEMEL), no uso de suas atribuições legais, com base na legislação vigente e no termo do Convênio firmado com a Agência

Leia mais

EDITAL DE CREDENCIAMENTO DE EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS DE TREINAMENTO

EDITAL DE CREDENCIAMENTO DE EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS DE TREINAMENTO 1 EDITAL DE CREDENCIAMENTO DE EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS DE TREINAMENTO O SENAR PR SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM RURAL - Administração Regional do Paraná, com sede à Rua Marechal Deodoro, 450-16º

Leia mais

PROGRAMA JOVENS TALENTOS PARA A CIÊNCIA (PJT CIC) DIRETRIZES

PROGRAMA JOVENS TALENTOS PARA A CIÊNCIA (PJT CIC) DIRETRIZES PROGRAMA JOVENS TALENTOS PARA A CIÊNCIA (PJT CIC) DIRETRIZES SOBRE O PROGRAMA Em 2012 a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico

Leia mais

TERMO DE ADESÃO A CONTRATO DE OPERAÇÃO DE PLANO PRIVADO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE. Associado: Endereço: CNPJ: Inscrição Estadual: Representante legal:

TERMO DE ADESÃO A CONTRATO DE OPERAÇÃO DE PLANO PRIVADO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE. Associado: Endereço: CNPJ: Inscrição Estadual: Representante legal: TERMO DE ADESÃO A CONTRATO DE OPERAÇÃO DE PLANO PRIVADO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE Associado: Endereço: CNPJ: Inscrição Estadual: CEP: Telefone: Representante legal: RG: CPF: 1. Por este termo, o associado

Leia mais

MANUAL DE GERENCIAMENTO DO RISCO DE CRÉDITO

MANUAL DE GERENCIAMENTO DO RISCO DE CRÉDITO 1 - INTRODUÇÃO As exposições sujeitas ao risco de crédito são grande parte dos ativos da COGEM. Por isso, o gerenciamento do risco dessas exposições é fundamental para que os objetivos da Cooperativa sejam

Leia mais

CONTRATO DESENVOLVIMENTO DE WEBSITE

CONTRATO DESENVOLVIMENTO DE WEBSITE CONTRATO DESENVOLVIMENTO DE WEBSITE Pelo presente instrumento, JEAN DOUGLAS TOLEDO RODRIGUES JUNIOR ME (MOTOBOYS DO BRASIL), com sede na FREI HILÁRIO, 101 FUNDOS. CAMPINAS. SÃO JOSÉ SC. CEP: 88101-310,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS PROFISSIONAIS LIBERAIS, REPRESENTANTES COMERCIAIS E EMPRESARIAIS ABRAPRE ABRE BRASIL CNPJ

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS PROFISSIONAIS LIBERAIS, REPRESENTANTES COMERCIAIS E EMPRESARIAIS ABRAPRE ABRE BRASIL CNPJ REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS PROFISSIONAIS LIBERAIS, REPRESENTANTES COMERCIAIS E EMPRESARIAIS ABRAPRE ABRE BRASIL CNPJ nº 13.649.902/0001-03 DA ASSOCIAÇÃO Artigo 1º - A Associação Brasileira

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DEFINIÇÃO

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DEFINIÇÃO CAPÍTULO I DA NATUREZA E DEFINIÇÃO Art. 1º As atividades de Pesquisa da Universidade de Santo Amaro UNISA buscam fomentar o conhecimento por meio da inovação técnica, científica, humana, social e artística,

Leia mais

POLÍTICA CORPORATIVA. Todos os profissionais do Grupo Camargo Corrêa, locados em todas as unidades e países onde o Grupo atua.

POLÍTICA CORPORATIVA. Todos os profissionais do Grupo Camargo Corrêa, locados em todas as unidades e países onde o Grupo atua. 1 Objetivos Estimular a participação cidadã dos profissionais das empresas do Grupo Camargo Corrêa em ações de voluntariado empresarial por meio do do Instituto Camargo Corrêa; Contribuir com o desenvolvimento

Leia mais

POLÍTICA DO BANCO SOBRE A AUDITORIA DE PROJETOS E ENTIDADES. (Documento AF-100) Washington, DC. Consultas: (202) 623-1617 y 2235 dev-fmr@iadb.

POLÍTICA DO BANCO SOBRE A AUDITORIA DE PROJETOS E ENTIDADES. (Documento AF-100) Washington, DC. Consultas: (202) 623-1617 y 2235 dev-fmr@iadb. Banco Interamericano de Desenvolvimento POLÍTICA DO BANCO SOBRE A AUDITORIA DE PROJETOS E ENTIDADES (Documento AF-100) Washington, DC. Consultas: (202) 623-1617 y 2235 dev-fmr@iadb.org 1 Í N D I C E Página

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 021/2007 DO CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG

RESOLUÇÃO Nº 021/2007 DO CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas. UNIFAL-MG Comissão Permanente de Propriedade Intelectual RESOLUÇÃO Nº 021/2007 DO CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG

Leia mais

II O contato com culturas distintas constitui-se em um importante instrumento de formação intelectual dos estudantes da IES;

II O contato com culturas distintas constitui-se em um importante instrumento de formação intelectual dos estudantes da IES; CONSIDERANDO QUE: I É de interesse da IES aprimorar o ensino, propiciando aos seus estudantes, estabelecer e desenvolver relações com instituições de ensino localizadas em países distintos através da participação

Leia mais

REGULAMENTO DE CONVÊNIOS DA APEX-BRASIL 1

REGULAMENTO DE CONVÊNIOS DA APEX-BRASIL 1 REGULAMENTO DE CONVÊNIOS DA APEX-BRASIL 1 1. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS 1.1. Este Regulamento normatiza os convênios celebrados entre a Apex- Brasil e as entidades públicas e/ou privadas, com ou sem fins lucrativos,

Leia mais

Programa de Iniciação Científica Universidade de São Paulo

Programa de Iniciação Científica Universidade de São Paulo EDITAL 2014/2015 A Pró-Reitoria de e o Comitê Institucional do da USP, com base em diretrizes debatidas e acordadas pelo Conselho de tornam público o presente Edital de abertura de inscrições, visando

Leia mais

Considerando a apreciação e aprovação prévia da presente adequação pelo Comitê Jurídico do Conselho Curador da Fundação Padre Anchieta;

Considerando a apreciação e aprovação prévia da presente adequação pelo Comitê Jurídico do Conselho Curador da Fundação Padre Anchieta; A FUNDAÇÃO PADRE ANCHIETA CENTRO PAULISTA DE RÁDIO E TV EDUCATIVAS, pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, com o objetivo de sempre aprimorar o cumprimento de suas finalidades, nos termos

Leia mais

Política de Negociação de Valores Mobiliários de Emissão da KROTON EDUCACIONAL S.A. I Definições e Adesão

Política de Negociação de Valores Mobiliários de Emissão da KROTON EDUCACIONAL S.A. I Definições e Adesão Política de Negociação de Valores Mobiliários de Emissão da KROTON EDUCACIONAL S.A. I Definições e Adesão 1. As definições utilizadas no presente instrumento têm os significados que lhes são atribuídos

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 478, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2012.

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 478, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2012. RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 478, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2012. Dispõe sobre concessão de incentivos à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no âmbito do Estado do Rio Grande do Norte.

Leia mais

Pós-Graduação MBA em Gestão para Segurança de Alimentos a distância Turma 2010

Pós-Graduação MBA em Gestão para Segurança de Alimentos a distância Turma 2010 Faculdade de Tecnologia SENAI SC em Florianópolis EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PARA A PÓS-GRADUAÇÃO Pós-Graduação MBA em Gestão para Segurança de Alimentos a distância Turma 2010 A Faculdade de Tecnologia

Leia mais

Estrada Nacional nº 4 Km 158 7151-912 Borba Tel: 268891510 Fax: 268891529 geral@valorpedra.pt www.valorpedra.pt

Estrada Nacional nº 4 Km 158 7151-912 Borba Tel: 268891510 Fax: 268891529 geral@valorpedra.pt www.valorpedra.pt Artigo 1º. Denominação, Sede e duração 1. A Associação, sem fins lucrativos, adopta a denominação ASSOCIAÇÃO VALOR PEDRA, tem a sede na Estrada Nacional 4, km 158, Apartado 48 EC Borba, 7151-912 Borba,

Leia mais

Conselho Regional de Educação Física 11ª Região - Mato Grosso do Sul

Conselho Regional de Educação Física 11ª Região - Mato Grosso do Sul Informações necessárias para registro de Pessoa Jurídica: Cópia do comprovante de inscrição no CNPJ atualizado; Cópia da declaração de firma individual ou do contrato social, ata ou estatuto que a constituiu;

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I. DOS OBJETIVOS

ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I. DOS OBJETIVOS ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I. DOS OBJETIVOS Artigo 1º O Centro de Referência em Informação Ambiental com sede e foro na cidade de Campinas na Avenida Romeu Tortima 388, Cidade Universitária, é uma sociedade

Leia mais

Cartilha Plano A. Índice

Cartilha Plano A. Índice Cartilha Plano A Cartilha Plano A Índice Apresentação A Previnorte Histórico Patrimônio Plano de Benefícios e Plano de Custeio Salário Real de Contribuição Jóia Requisitos exigidos para filiação à PREVINORTE

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO EXAME DE SUFICIÊNCIA CATEGORIA ESPECIAL PARA OBTENÇÃO DO CERTIFICADO DE ATUAÇÃO EM PERÍCIA MÉDICA

EDITAL DE CONVOCAÇÃO EXAME DE SUFICIÊNCIA CATEGORIA ESPECIAL PARA OBTENÇÃO DO CERTIFICADO DE ATUAÇÃO EM PERÍCIA MÉDICA EDITAL DE CONVOCAÇÃO EXAME DE SUFICIÊNCIA CATEGORIA ESPECIAL PARA OBTENÇÃO DO CERTIFICADO DE ATUAÇÃO EM PERÍCIA MÉDICA Pelo presente edital, a Sociedade Brasileira de Perícias considerando: Médicas, o

Leia mais

REGIMENTO INTERNO Art. 1

REGIMENTO INTERNO Art. 1 REGIMENTO INTERNO Art. 1 - A Câmara de Conciliação, Mediação e Arbitragem da Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Rondonópolis, doravante denominada simplesmente CBMAE ACIR, instituída no

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR 1. Como são os cursos ofertados pela plataforma freire e quais os benefícios para os professores que forem selecionados? O professor sem formação poderá estudar nos

Leia mais

PROGRAMA FORTALECER Edital de Projetos REGULAMENTO

PROGRAMA FORTALECER Edital de Projetos REGULAMENTO PROGRAMA FORTALECER Edital de Projetos REGULAMENTO Sumário 1. O EDITAL... 2 1.1. Natureza e objetivos... 2 1.2. Princípios orientadores... 2 1.3. Foco temático do edital... 2 2. QUEM PODE PARTICIPAR...

Leia mais

Política de Patrocínio

Política de Patrocínio SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...02 1. OBJETIVO INSTITUCIONAL...03 2. OBJETIVOS ESTRATÉGICOS...04 3. LINHAS DE ATUAÇÃO...05 3.1 Projetos prioritários...05 3.2 Projetos que não podem ser patrocinados...05 4. ABRANGÊNCIA...06

Leia mais

1.3. Sobre as semestralidades a serem custeadas com recursos do FIESP incidirão os descontos de pontualidade previstos à época do pagamento.

1.3. Sobre as semestralidades a serem custeadas com recursos do FIESP incidirão os descontos de pontualidade previstos à época do pagamento. 1. DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES: 1.1. O Crédito Educativo Estudantil Projeção - FIESP é um programa privado de concessão de crédito estudantil, desenvolvido pelas Faculdades Projeção, destinado a custear

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA RESOLUÇÃO Nº 06/2013 DO CONSELHO DIRETOR SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Institui o Programa de Apoio à Qualificação (QUALI-UFU) mediante o custeio de ações de qualificação para os servidores efetivos: docentes

Leia mais

Regulamento das. Atividades Complementares

Regulamento das. Atividades Complementares BACHARELADO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS Regulamento das Atividades Complementares Osasco 2013 Apresentação Este documento apresenta um conjunto geral de normas e orientações sobre a realização das Atividades

Leia mais