DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO POSITIVADO: PACTOS INTERNACIONAIS EM ANÁLISE NO CONGRESSO NACIONAL ENTRE 1988 E 2011

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO POSITIVADO: PACTOS INTERNACIONAIS EM ANÁLISE NO CONGRESSO NACIONAL ENTRE 1988 E 2011"

Transcrição

1

2 ESTUDO DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO POSITIVADO: PACTOS INTERNACIONAIS EM ANÁLISE NO CONGRESSO NACIONAL ENTRE 1988 E 2011 Maria Ester Mena Barreto Camino Consultora Legislativa da Área XVIII Direito Internacional Público e Relações Internacionais ESTUDO FEVEREIRO / 2012 Câmara dos Deputados Praça 3 Poderes Consultoria Legislativa Anexo III - Térreo Brasília - DF

3 RESUMO Neste trabalho, dá-se sequência ao estudo intitulado A peça brasileira no cenário internacional em mil atos: reflexos do debate parlamentar entre 4 de outubro de 1988 e 31 de dezembro de 2010, com dois objetivos: a) inserir, no levantamento de dados anteriormente efetuado, relativo aos atos (ou pactos) internacionais celebrados pela República Federativa do Brasil, as informações novas, pertinentes ao ano de 2011, assim como informações adicionais referentes a 1988 (de 2 de janeiro e 3 de outubro, período imediatamente anterior à promulgação da Constituição de 1988); b) fazer a atualização geral de dados referentes ao período , fixando-se, como marco final, o início da sessão legislativa de 2012, recalculando-se os gráficos e tabelas apresentados no estudo anterior, para se traçar uma visão panorâmica quantitativa da tramitação legislativa de atos internacionais no Congresso Nacional, entre 1988 e 2011, indicando algumas tendências. Palavras-chave: Atos internacionais. Inserção no direito interno. Participação dos poderes executivo e legislativo. Período Dados quantitativos. Continuação de estudo anterior. ABSTRACT This paper is a follow up for the study named The Brazilian play in the international scenary, in a 1000 acts: reflections on the parliamentary debate between October 4th, 1988, and December 31, It has two main goals: a) to insert the quantitative information about 2011, as well as additional data about 1988 (fromjanuary 1st until October 3rd, period immediately before the promulgation of the 1988 Constitucion) in the data initially collected related to international treaties which have been signed by the Federative Republic of Brazil; b) to update the information gathered until the beginning of the 2012 Brazilian legislative year, calculating again the tables and graphics shown in the previous paper., in order to have an overall quantitative view of the Brazilian legislative debate concerning international treaties, between 1988 and 2011, as well as to point some tendencies. Key words: Treaties. Incorporation into Brazilian domestic law. Participation of executive and legislative powers. Period: Quantitative data. Follow up of previous study.. 2

4 LISTA DE SIGLAS AAPPC Acordo de Alcance Parcial de Promoção do Comércio ABACC Agência Brasileiro-Argentina de Contabilidade e Controle de Materiais Nucleares ABC Agência Brasileira de Cooperação Internacional AIEA Agência Internacional de Energia Atômica APCI Agência Peruana de Cooperación Internacional BID Banco Interamericano de Desenvolvimento (também IADB) BIRD Banco Internacional para a Reconstrução e Desenvolvimento CAET Conselho de Altos Estudos e de Avaliação Tecnológica da Câmara dos Deputados CAINDR Comissão da Amazônia, Integração Nacional e Desenvolvimento Regional 1 CAF Corporação Andina de Fomento CAPADR Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural CCJC Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania CCJR Comissão de Constituição e Justiça e de Redação CCTCI Comissão de Ciência, Tecnologia, Comunicação e Informática CD Câmara dos Deputados CDC Comissão de Defesa do Consumidor CDEIC Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio CDHM Comissão de Direitos Humanos e Minorias CDU Comissão de Desenvolvimento Urbano CEC Comissão de Educação e Cultura (Resolução 20, de 2004) CECD Comissão de Educação, Cultura e Desporto (Resolução 17, 1989) CEDI Centro de Documentação e Informação da Câmara dos Deputados Centro Sul Organização intergovernamental para desenvolver a cooperação Sul-Sul CEY Comissão Externa destinada a Apurar Massacre contra os Índios Yanomami 1 As comissões permanentes da Câmara dos Deputados, depois da Constituição de 1988, estão estabelecidas na Resolução nº 17, de 1989, da Câmara dos Deputados, tendo sido complementadas ou modificadas pelas Resoluções nº 10, de 1991; nº 25, de 1993; nºs 77 e 80, de 1995; nº 15, de 1996; nº 21, de 2001; nºs 27 e 29, de 2002; nº 20, de

5 CFFC Comissão de Fiscalização Financeira e Controle CLP Comissão de Legislação Participativa CMADS Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável CME Comissão de Minas e Energia CNUMAD Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento CPLP Comunidade dos Países de Língua Portuguesa CPI Comissão Parlamentar de Inquérito CREDN Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional CSPCCO Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado CSSF Comissão de Seguridade Social e Família CTASP Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público CTD Comissão de Turismo e Desporto (Resolução 20, de 2004) CVT Comissão de Viação e Transporte DCD Diário da Câmara dos Deputados DOU Diário Oficial da União FUMIN Fundo Multilateral de Investimentos GEF Global Environment Facility IBSA India, Brazil and South Africa Group /Grupo Índia, Brasil e África do Sul (IBAS) ICRANet International Center for Relativistic Astrophysics Network IHO International Hydrographic Organization IMO International Maritime Organization INMARSAT International Maritime Satellite Organization INTELSAT International Communications Satellite Consortium KEDO Korean Energy Development Organization MARPOL Convenção Internacional sobre Poluição Marinha Mercosul Mercado Comum do Sul Mesa Mesa Diretora da Câmara dos Deputados MIGA Agência Multilateral de Garantia de Investimentos MSC 4

6 OACI Organização da Aviação Civil Internacional (ICAO, em inglês) OIM Organização Internacional para as Migrações (IOM, em inglês) OIT Organização Internacional do Trabalho ONU Organização das Nações Unidas OPANAL Agência para a Proscrição de Armas Nucleares na América e no Caribe Projeto de PDS Projeto de no âmbito do Senado Federal PIC Previous Informed Consent RICD Regimento Interno da Câmara dos Deputados RMercosul Representação Brasileira no Parlamento do Mercosul SF Senado Federal SILEG Sistema de Informações Legislativas da Câmara dos Deputados TAC Treaty of Amity and Cooperation in Southeast Asia UIT União Internacional de Telecomunicações UNIDROIT Institut International pour l Unification du Droit UPU União Postal Universal WADA World Anti-Doping Agency 5

7 LISTA DE TABELAS, GRÁFICOS E QUADROS TABELA 1: RELAÇÃO DAS MENSAGENS PRESIDENCIAIS RECEBIDAS NA CÂMARA DOS DEPUTADOS QUADRO 1: RESULTADOS DA TRAMITAÇÃO LEGISLATIVA DE ATOS INTERNACIONAIS NA CÂMARA DOS DEPUTADOS ( ) GRÁFICO 1: BALANÇO DA TRAMITAÇÃO LEGISLATIVA DE ATOS INTERNACIONAIS ENTRE 1988 E GRÁFICO 2: RESULTADOS DA TRAMITAÇÃO LEGISLATIVA DE ATOS INTERNACIONAIS ( ) QUADRO 2: RESUMO INDICATIVO DAS MENSAGENS PRESIDENCIAIS CONTENDO ATOS INTERNACIONAIS ENCAMINHADAS PARA EXAME DO CONGRESSO NACIONAL ENTRE 1988 E GRÁFICO 3: QUANTIDADE DE ATOS INTERNACIONAIS/ANO ENCAMINHADOS AO CONGRESSO NACIONAL PELO EXECUTIVO GRÁFICO 4: ATOS INTERNACIONAIS ENVIADOS AO CONGRESSO EM GRÁFICO 5: QUANTIDADES DE PACTOS ENVIADOS AO CONGRESSO POR PRESIDENTE, FIRMADOS COM 4 REGIÕES GRÁFICO 6: EQUAÇÃO TEMPO VERSUS REMESSA DE PACTOS AO CONGRESSO

8 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO ATOS INTERNACIONAIS ENCAMINHADOS AO LEGISLATIVO ENTRE 1988 E ANÁLISE HIPÓTESES METODOLOGIA ESCOLHIDA PARA A ANÁLISE DAS HIPÓTESES: HIPÓTESE SELECIONADA PARA ANÁLISE: CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS APÊNDICES APÊNDICE 1: DISPOSITIVOS CONSTITUCIONAIS REFERENTES ÀS COMPETÊNCIAS DO PODER LEGISLATIVO EM MATÉRIA DE POLÍTICA EXTERIOR APÊNDICE 2: DISPOSITIVOS CONSTITUCIONAIS REFERENTES ÀS COMPETÊNCIAS DO PODER EXECUTIVO EM MATÉRIA DE POLÍTICA EXTERIOR Câmara dos Deputados. Todos os direitos reservados. Este trabalho poderá ser reproduzido ou transmitido na íntegra, desde que citados(as) o(a) autor(a) e a Consultoria Legislativa da Câmara dos Deputados. São vedadas a venda, a reprodução parcial e a tradução, sem autorização prévia por escrito da Câmara dos Deputados. Este trabalho é de inteira responsabilidade de seu(sua) autor(a), não representando necessariamente a opinião da Câmara dos Deputados. Editoração eletrônica: Francisco de Assis Almeida Filho. Levantamento de dados: colaboração de Paula Nakamura, do Centro de Documentação e Informação, e da equipe da Seção de Recuperação de Dados e Documentos da Consultoria Legislativa. 7

9 DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO POSITIVADO: PACTOS INTERNACIONAIS EM ANÁLISE NO CONGRESSO NACIONAL ENTRE 1988 E 2011 Maria Ester Mena Barreto Camino 1. INTRODUÇÃO Este estudo atende a uma demanda da Consultoria Legislativa e tem o objetivo de complementar e dar sequência a trabalho anterior, intitulado A peça brasileira no cenário internacional em mil atos: reflexos do debate parlamentar entre 4 de outubro de 1988 e 31 de dezembro de , elaborado por solicitação do Conselho de Altos Estudos e de Avaliação Tecnológica da Câmara dos Deputados (CAET) 3. Na abordagem anterior, analisou-se a tramitação de atos internacionais no Congresso Nacional em períodos correspondentes a cinco diferentes chefias do Poder Executivo: dois duplos mandatos presidenciais, ou seja, dois períodos de oito anos imediatamente subsequentes, sob um mesmo Presidente da República, livremente eleito e reeleito pelo povo brasileiro a cada quatro anos (fato não muito comum na história republicana pregressa do país), adicionados à parte de um mandato de transição, sob Presidente da República eleito de forma indireta; somado a um mandado de um presidente eleito, que foi completado por seu vicepresidente, cada um dos dois permanecendo na chefia da nação por aproximadamente dois anos, ou seja, compararam-se os duplos mandatos dos Presidentes Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva, com a parte final do mandato do Presidente José Sarney e os mandatos dos Presidentes Fernando Collor e Itamar Franco Esse trabalho teve, como ponto de partida, dados coletados entre 2007 e 2008 para projeto de pesquisa apresentado em 2006 à UNIMEP e selecionado para o curso de pós-graduação stricto sensu em Direito, utilizados em dissertação de mestrado intitulada A participação do Congresso Nacional na implementação dos atos internacionais ambientais: , orientada pelo Prof. Dr. Paulo Affonso Leme Machado, que teve como examinador interno o Prof. Dr. Jorge Luís Mialhe e examinador externo o Prof. Dr. Gilberto Passos de Freitas. 8

10 Adiciona-se, nesta oportunidade, ao conjunto de dados mencionado, aqueles pertinentes aos atos internacionais enviados em 2011, primeiro ano do mandato da primeira mulher a ocupar a chefia do Poder Executivo brasileiro, a Presidente Dilma Roussef. Soma-se, ademais, o conjunto de informações pertinentes aos atos internacionais encaminhados ao Parlamento durante todo o ano de 1988, incluindo-se os meses anteriores à promulgação da Constituição Federal, que não constavam dos estudos anteriores. Compararam-se os dados obtidos no Sistema de Informações Legislativas referentes à tramitação de Projetos de lei e outras proposições 4 com as informações constantes tanto do Diário Oficial da União, quanto do Diário da Câmara dos Deputados. Consultaram-se, ainda, autos de tramitação legislativa e avulsos pertinentes às matérias em apreciação no Congresso Nacional. De forma a facilitar a visualização do conjunto de dados, utilizaram-se tabelas, quadros e gráficos, podendo-se, a partir deles, observar uma inflexão em 2011, senão uma ruptura, nos fluxos administrativos que vinham sendo adotados em relação ao encaminhamento de atos internacionais ao Congresso Nacional nos períodos presidenciais imediatamente antecedentes. A partir das constatações feitas, traçaram-se hipóteses, que se procurou analisar com os dados disponíveis, sob o prisma quantitativo. Neste estudo, como nos anteriores, utiliza-se da expressão ato internacional como o gênero, no qual cabem as várias espécies de instrumentos internacionais possíveis (tratados, convenções, convênios, acordos, protocolos, declarações conjuntas etc.), muito embora a Convenção de Viena sobre o Direito dos Tratados tenha, em seu art. 2, I, a, tenha eleito a expressão tratado como aquela na qual as diferentes espécies de pactos podem ser incluídas. A análise desse aspecto foi objeto dos estudos anteriores, optando-se por não abordá-la neste estudo. Todavia, em função de existir abalizada doutrina divergente, com o devido respeito às opiniões contrárias, ressalta-se que se optou tanto neste, como nos trabalhos que o antecederam, por utilizar a expressão ato internacional (pacto ou instrumento de qualquer espécie) como gênero, no qual todas os demais tipos de atos internacionais cabem, em vez da 4 Disponível em: 9

11 expressão tratado, entre outras razões, para evitar a colisão, ou confusão, entre a espécie tratado e o gênero tratado. Ademais, pode-se considerar que atos internacionais, bilaterais ou multilaterais, de quaisquer espécies, sejam o resultado daquilo que se tratou. Pensa-se que, em função da acepção do verbo treat, em inglês, língua na qual a Convenção de Viena foi, fundamentalmente, debatida, tratado pode até ser considerada a melhor expressão para gênero de ato internacional em inglês, mas, não, em nossa modesta opinião, em português, até por ensejar duplicidade de entendimento (tratado=gênero; tratado=espécie). No âmbito dos atos internacionais, de outro lado, podem estar incluídas as manifestações de vontade unilaterais (enviar um contingente a serviço da paz), bilaterais, multilaterais e os vários tipos de acertos ou negócios jurídicos entre pessoas jurídicas de Direito Internacional Público. Inicia-se, assim, esta análise com a inserção dos novos dados obtidos, à qual se segue uma análise quantitativa desses dados. O aprofundamento das reflexões apresentadas e uma análise qualitativa dos dados obtidos serão objeto de estudo complementar. 10

12 2. ATOS INTERNACIONAIS ENCAMINHADOS AO LEGISLATIVO ENTRE 1988 E 2011 Tabela 1: Relação das mensagens presidenciais recebidas na Câmara dos Deputados / / / / /2/1988 (OIT) 5 22/2/ /4/ /4/1988 SUBMETE À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL OS TEXTOS DE RECOMENDAÇÕES ADOTADAS PELA CONFERENCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO, EM DIVERSAS OCASIÕES, NO PERIODO DE 1962 A (Explicação: recomendações números 117, 118, 119, 121, 122, 123, 127, 129, 130, 136, 137, 138, 140, 141, 142, 143, 146, 147 E 171). SUBMETE A CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO TRATADO DE INSTITUCIONALIZAÇÃO DO PARLAMENTO LATINO-AMERICANO CONCLUIDO EM LIMA. SUBMETE A CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO TRATADO DE EXTRADIÇÃO, CELEBRADO ENTRE O BRASIL E A ESPANHA, EM BRASILIA, A 2 DE FEVEREIRO DE SUBMETE A CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO ACORDO SOBRE PREVENÇÃO, CONTROLE, FISCALIZAÇÃO E REPRESSÃO AO USO INDEVIDO E AO TRAFICO ILICITO DE ENTORPECENTES E DE SUBSTANCIAS PSICOTROPICAS, ASSINADO COM A REPÚBLICA DO PARAGUAI, EM BRASILIA, EM 29 DE MARÇO DE 1988 Ordinária 13/1988 Ordinária 9/1989 Ordinária 71/1989 Ordinária 23/1988 Rejeitado e arquivado, no Senado Federal, em 11/9/2000 (art. 254, do SF) DL 6/1989 (DOU 22/3/1988, p.4721, col. DL 75/89 (DOU 30/11/89, p.21977, col. DL 239/91 (DOU 18/12/91, p.29373, col. 2). 5 Optou-se por adicionar, nesta coluna, as regiões geográficas lato sensu dos países ou dos organismos internacionais convenentes que firmaram atos internacionais com o Brasil, com eventual indicação de assunto, para facilitar a recuperação eletrônica de dados. Para essas referências a regiões do globo, fez-se a opção de considerar como América Latina e Caribe a região composta por todos os países das Américas ao Sul, somados ao México, América Central e Caribe e; nesse segmento, computaram-se os pactos referentes ao Mercosul; também não se fez uma subdivisão entre Ásia e Oriente Médio e consideraram-se Turquia (conquanto parcialmente europeia) e Timor Leste (por vezes considerado Oceania) na Ásia. Os pactos referentes à língua portuguesa foram computados na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), não na Europa, América, Ásia ou África. 11

13 / / / / / / / /4/1988 (OIT) 5/5/1988 (OIT) 25/4/ /5/1988 (OIT) 23/5/1988 (OIT) 18/5/1988 (OIT) 28/6/1988 (UPU) SUBMETE A CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DA CONVENÇÃO 144, DA ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (OIT), RELATIVA A CONSULTAS TRIPARTITES PARA PROMOVER A APLICAÇÃO DAS NORMAS INTERNACIONAIS DO TRABALHO, ADOTADA EM GENEBRA EM 1976, DURANTE A 61ª SESSÃO DA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO.( Explicação: CONVENÇÃO 144). SUBMETE A CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DA CONVENÇÃO 153, DA ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (OIT), RELATIVA A DURAÇÃO DO TRABALHO E PERIODOS DE DESCANSO NOS TRANSPORTES POR RODOVIAS, ADOTADA EM GENEBRA EM 1979, DURANTE A 65 SESSÃO DA CONFERENCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO. SUBMETE A CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL, O TEXTO DO ACORDO SOBRE SANIDADE ANIMAL PARA O INTERCAMBIO DE ANIMAIS E PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL, ASSINADO COM A REPUBLICA DA COLOMBIA, EM BOGOTA, A 9 DE FEVEREIRO DE SUBMETE A CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DA CONVENÇÃO 154, DA ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (OIT), RELATIVA A PROMOÇÃO DA NEGOCIAÇÃO COLETIVA, ADOTADA EM GENEBRA EM 1981, DURANTE A SEXAGESIMA SETIMA SESSÃO DA CONFERENCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO. SUBMETE A CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DA CONVENÇÃO 140, DA ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (OIT), RELATIVA A LICENÇA REMUNERADA PARA ESTUDOS, ADOTADA EM GENEBRA EM 1974, DURANTE A QUINQUAGESIMA NONA SESSÃO DA CONFERENCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO. SUBMETE, À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL, O TEXTO DA CONVENÇÃO 141, DA ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (OIT), RELATIVA AS ORGANIZAÇÃO DE TRABALHADORES RURAIS E SUA FUNÇÃO NO DESENVOLVIMENTO ECONOMICO E SOCIAL, ADOTADA EM GENEBRA EM 1975, DURANTE A SEXAGESIMA SESSÃO DA CONFERENCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO. SUBMETE A CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DOS ATOS FINAIS DO XIX CONGRESSO DA UNIÃO POSTAL UNIVERSAL, REALIZADO EM HAMBURGO, REPÚBLICA FEDERAL DA ALEMANHA, EM JULHO DE Ordinária 17/1988 Ordinária 364/1996 Ordinária 19/1988 Ordinária 20/1988 Ordinária 21/1988 Ordinária 61/1991 Ordinária 39/1989 DL 6/1989 (DOU 5/6/89, p.8713, col. Rejeitado na Câmara dos Deputados em 5/3/1997 e arquivado (DCD 6/3/97, p. 5823, col.2). DL 228/91(DOU 20/12/91, p.28839, col. DL 22/92 (DOU 13/5/92, p.5977, col. 01) DL 234/91 (DOU 17/12/91, p.29184, col. 01) DL 5/93 (DOU 5/4/93, p.4301, col. DL 43/1990 (DOU 9/11/90, p.21344, col. 12

14 / / / / / / / /6/1988 (OIT) 28/6/1988 (OIT) 28/6/1988 (OIT) 28/6/1988 (África) 28/6/1988 (Ásia) 28/6/ /6/1988 SUBMETE A CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DA CONVENÇÃO 139, DA ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (OIT), SOBRE A PREVENÇÃO E CONTROLE DE RISCOS PROFISSIONAIS CAUSADOS PELAS SUBSTANCIAS OU AGENTES CANCERIGENOS. SUBMETE A CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DA CONVENÇÃO 155, DA ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (OIT), SOBRE A SEGURANÇA E SAUDE DOS TRABALHADORES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO, ADOTADA EM GENEBRA EM 1981, DURANTE A SEXAGESIMA SETIMA SESSÃO DA CONFERENCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO. SUBMETE A CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DA CONVENÇÃO 158, DA ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (OIT), SOBRE O TERMINO DA RELAÇÃO DO TRABALHO POR INICIATIVA DO EMPREGADOR, ADOTADA EM GENEBRA EM 1982, DURANTE A SEXAGESIMA SEXTA SESSÃO DA CONFERENCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO. SUBMETE A CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO ACORDO DE CRIAÇÃO DA COMISSÃO MISTA, CELEBRADO ENTRE O GOVERNO DA REPUBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O GOVERNO DA REPUBLICA DA GUINÉ, EM WASHINGTON, DC. A 4 DE ABRIL DE SUBMETE A CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DA CONVENÇÃO DESTINADA A EVITAR A DUPLA TRIBUTAÇÃO E PREVENIR A EVASÃO FISCAL EM MATERIA DE IMPOSTO SOBRE A RENDA, FIRMADA EM NOVA DELHI, A 26 DE ABRIL DE 1988, ENTRE O BRASIL E A INDIA. SUBMETE A CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO ACORDO DE COPRODUÇÃO CINEMATOGRÁFICA, CELEBRADO ENTRE O GOVERNO DA REPUBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O GOVERNO DA REPUBLICA DA VENEZUELA, EM BRASILIA, A 17 DE MAIO DE SUBMETE A CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO ACORDO DE COOPERAÇÃO ECONOMICA, CELEBRADO ENTRE O GOVERNO DA REPUBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O GOVERNO DA REPUBLICA SOCIALISTA DA TCHECOSLOVAQUIA, EM BRASILIA, A 12 DE MAIO DE Ordinária 53/1989 Ordinária 95/1989 Ordinária 62/1989 Ordinária 54/1989 Ordinária 76/1989 Ordinária 71/1989 Ordinária 44/1989 DL 3/1990 (DOU 9/5/90), p. 8717, col. 01 DL 02/1992 (DOU18/3/92, p.3473, col. DL 68/1992 (DOU 17/9/1992, p.12936, col. DL 53/1989 (DOU 5/10/89, p.17857, col. DL 214/91 (DOU 13/11/91, p.25581, col. DL 57/1989 (DOU 6/10/89, p.18001, col. DL 85/1989 (DOU 15/12/1989, p.23186, col. 13

15 / /1988 (anexada à 385/1988) 305/1988 (anexada à 287/1988) 306/ / / / /6/1988 8/8/1988 (Europa/ empréstimo espanhol) 12/9/1988 (Europa / empréstimo espanhol) 12/9/1988 (OIT) 12/9/1988 (ONU/genética) 12/9/1988 (África) 29/8/1988 SUBMETE A CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO ACORDO PARA O ESTABELECIMENTO DE UMA ZONA 'NON-AEDIFICANDI' AO LONGO DA FRONTEIRA DO BRASIL COM A VENEZUELA, CELEBRADO EM BRASILIA A 17 DE MAIO DE SUBMETE A CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO CONVENIO DE COOPERAÇÃO ENTRE O GOVERNO DA REPUBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O GOVERNO DO REINO DA ESPANHA PARA REALIZAÇÃO DE OBRAS PREVISTAS NO ESTUDO DE REVITALIZAÇÃO DO CENTRO HISTORICO DE JOÃO PESSOA CAPITAL DO ESTADO DA PARAIBA. SUBMETE A CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O CONVENIO DE COOPERAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DE OBRAS PREVISTAS NO ESTUDO DE REVITALIZAÇÃO DO CENTRO HISTORICO DE JOÃO PESSOA, CAPITAL DO ESTADO DA PARAIBA E DO PROTOCOLO ANEXO AO CONVENIO DE COOPERAÇÃO PARA REALIZAÇÃO DE OBRAS PREVISTAS NO ESTUDO DE REVITALIZAÇÃO DO CENTRO HISTORICO DE JOÃO PESSOA, PARAIBA, CORRESPONDENTE AO FINANCIAMENTO DE OBRAS PARA O ANO DE 1988, CELEBRADOS ENTRE O GOVERNO DA REPUBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O GOVERNO DO REINO DA ESPANHA, EM BRASILIA, A 26 DE ABRIL DE SUBMETE A CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO ACORDO SOBRE COOPERAÇÃO TECNICA COM OUTROS PAISES DA AMERICA LATINA E DA AFRICA ENTRE O BRASIL E A OIT, CONCLUIDO EM GENEBRA, EM 29 DE JULHO DE SUBMETE A CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL OS TEXTOS DO ESTATUTO E PROTOCOLO DO CENTRO INTERNACIONAL DE ENGENHARIA GENETICA E BIOTECNOLOGIA (CIEGB), ASSINADOS PELO BRASIL EM 05 DE MAIO DE SUBMETE A CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO ACORDO COMERCIAL ASSINADO COM A REPÚBLICA DO ZIMBABUE, EM HARARE, A 20 DE JUNHO DE SUBMETE A CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO ACORDO DE COOPERAÇÃO CULTURAL, EDUCACIONAL E CINTÍFICA, ASSINADO COM A FINLÂNDIA, EM HELSINQUE, A 02 DE JUNHO DE Ordinária 41/1989 Ordinária 73/1989 Ordinária 73/1989 Ordinária 42/1989 Ordinária 55/1989 Ordinária 98/1989 Ordinária 87/1989 DL 54/89 (DOU 5/10/1989, p.17857, col. DL 73/1989 (DOU 27/11/89, p.21627, col. DL 73/1989 (DOU 27/11/89, p.21627, col. DL 16/1990(DOU 12/7/90, p.13419, col. DL 76/1989 (DOU 30/11/89, p.21977, col. DL 5/1990 (DOU 9/5/90, p.8717, col. DL 21/1990 (DOU 24/8/90, p.16087, col. 14

16 / / / / / / / /1989 8/9/ /9/1988 (Ásia) 14/9/1988 (África) 28/11/ /11/1988 8/12/1988 (Ásia) 16/02/1989 (ONU/clima) 09/03/1989 (África) SUBMETE A CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO ACORDO, POR TROCA DE NOTAS, QUE DEFINE PROCEDIMENTOS PARA A RESTITUIÇÃO DE VEICULOS ROUBADOS OU FURTADOS, NO BRASIL OU NO PARAGUAI, E LOCALIZADOS, NO BRASIL OU NO PARAGUAI, E LOCALIZADOS NO TERRITORIO DA OUTRA PARTE, CELEBRADO ENTRE OS GOVERNOS DA REPUBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E DA REPUBLICA DO PARAGUAI, EM ASSUNÇÃO, A 28 DE JULHO DE SUBMETE A CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO NA AREA DE TECNOLOGIA INDUSTRIAL CONCLUIDO COM O GOVERNO DA REPUBLICA POPULAR DA CHINA, EM PEQUIM, A 06 DE JULHO DE SUBMETE A CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO ACORDO QUE CRIA UMA COMISSÃO MISTA ENTRE O GOVERNO DA REPUBLICA FEDERATIVA DO BRASIL, E O GOVERNO DA REPUBLICA TOGOLESA. SUBMETE À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO ACORDO DE COOPERAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL ENTRE A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E CUBA, CELEBRADO EM BRASÍLIA, EM 29 DE ABRIL DE 1988 SUBMETE À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO ACORDO SOBRE PREVENÇÃO, CONTROLE, FISCALIZAÇÃO E REPRESSÃO AO USO INDEVIDO E AO TRÁFICO ILÍCITO DE ENTORPECENTES E DE SUBSTÂNCIAS PSICOTRÓPICAS, ENTRE O BRASIL E A GUIANA, ASSINADO EM GEORGETOWN, A 16 DE SETEMBRO DE SUBMETE A CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO ACORDO DE COOPERAÇÃO CIENTIFICA E TECNOLOGICA, CELEBRADO ENTRE O GOVERNO DA REPUBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O GOVERNO DA REPUBLICA ISLAMICA DO PAQUISTÃO, EM ISLAMABAD, EM 1º DE OUTUBRO DE SUBMETE À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DA CONVENÇÃO DE VIENA PARA A PROTEÇÃO DA CAMADA DE OZÔNIO, DE 1985, E O PROTOCOLO DE MONTREAL SOBRE SUBSTÂNCIA QUE DESTROEM A CAMADA DE OZÔNIO, DE SUBMETE À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO ACORDO DE COOPERAÇÃO ECONÔMICA ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O GOVERNO DA REPÚBLICA ARGELINA DEMOCRÁTICA E POPULAR. Ordinária 24/1989 Ordinária 63/1988 Ordinária 64/1988 Ordinária 65/1988 Ordinária 77/1989 Ordinária 88/1989 Ordinária 92/1989 Ordinária 74/1989 DL 73/1988 (DOU 5/12/88, p.23566, col. DL 72/1989 (DOU 24/11/1989, p.21531, col. DL 70/1989 (DOU 24/11/1989, p , col. 02) DL 60/1989 (DOU 20/10/1989, p.18945, col. DL 80/1989 (DOU 11/12/1989, p , col. DL 79/1989 (DOU 7/12/1989, p , col. DL 91/1989 (DOU 27/12/1989, p , col. DL 71/1989 (DOU 24/11/1989, p , col. 15

17 / / / / / / /03/ /03/1989 (África) 27/03/ /05/ /05/1989 (Ásia) 19/05/1989 SUBMETE À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO TRATADO DE ASSISTÊNCIA REGIONAL PARA EMERGÊNCIAS ALIMENTARES (TAREA), CONCLUÍDO COM OS GOVERNOS DA ARGENTINA, BOLÍVIA, COLÔMBIA, CUBA, EQUADOR, COSTA RICA, CHILE, HONDURAS, MÉXICO, PANAMÁ, PERU, URUGUAI, NICARÁGUA, PARAGUAI E VENEZUELA, EM CARACAS, A 08 DE ABRIL DE SUBMETE À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO ACORDO DE COOPERAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL, CELEBRADO ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O GOVERNO DA REPÚBLICA POPULAR DE BANGLADESH. SUBMETE À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO ACORDO SOBRE TRANSPORTE AÉREO REGULAR ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O GOVERNO DA REPÚBLICA DA VENEZUELA, ASSINADO EM CARACAS, A 11 DE NOVEMBRO DE SUBMETE À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO AJUSTE COMPLEMENTAR AO ACORDO BÁSICO DA COOPERAÇÃO CIENTÍFICA E TÉCNICA, CELEBRADO ENTRE OS GOVERNOS DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E A REPÚBLICA DO SURINAME, PARA O ESTABELECIMENTO DE UM PROGRAMA DE COOPERAÇÃO NA ÁREA DE PESQUISA SOBRE AGENTES PATÓGENOS DO DENDÊ, FIRMADO EM PARAMARIBO, EM 03 DE MARÇO DE SUBMETE À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DA CONVENÇÃO ENTRE OS GOVERNOS DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E DA REPÚBLICA DA CORÉIA DESTINADA A EVITAR A DUPLA TRIBUTAÇÃO E PREVENIR A EVASÃO FISCAL EM MATÉRIA DE IMPOSTOS SOBRE A RENDA, ASSINADA EM 07 DE MARÇO DE SUBMETE À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO CONVÊNIO, ENTRE OS GOVERNOS DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL, DA REPÚBLICA ARGENTINA, DA REPÚBLICA DO CHILE, DA REPÚBLICA DO PARAGUAI E DA REPÚBLICA ORIENTAL DO URUGUAI, SOBRE A CONSTITUIÇÃO DO COMITÊ REGIONAL DE SANIDADE VEGETAL - COSAVE, ASSINADO EM MONTEVIDÉU, A 09 DE MARÇO DE Ordinária 45/1989 Ordinária 78/1989 Ordinária 97/1989 Ordinária 96/1989 Ordinária 94/1989 Ordinária 107/1989 DL 52/1989 (DOU 04/10/1989, p , col. DL 213/1991 (DOU 8/11/1991, p , col. DL 165/1991 (DOU 24/06/1991, p , col. DL 81/1989 (DOU 11/12/1989, p , col. DL 205/1991 (DOU 08/10/1991, p , col. DL 19/1990 (DOU 10/08/1990, p , col. 16

18 / / / / / / / / /05/ /06/1989 (África) 14/07/ /06/ /06/ /08/1989 e Caribe/BID) 17/08/ /08/1989 SUBMETE À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO ACORDO ENTRE OS GOVERNOS DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E A REPÚBLICA DO SURINAME PARA A PREVENÇÃO, CONTROLE E REPRESSÃO DA PRODUÇÃO, TRÁFICO E CONSUMO ILÍCITOS DE ENTORPECENTES E SUBSTÂNCIAS PSICOTRÓPICAS, ASSINADO EM PARAMARIBO, A 03 DE MARÇO DE SUBMETE À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO ACORDO DE COPRODUÇÃO CINEMATOGRÁFICA, CELEBRADO ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O GOVERNO DA REPÚBLICA POPULAR DE ANGOLA, EM LUANDA, A 28 DE JANEIRO DE SUBMETE À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO ACORDO CONSTITUTIVO DA FACULDADE LATINO-AMERICANA DE CIÊNCIAS SOCIAIS (FLACSO). SUBMETE À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO CONVÊNIO BÁSICO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA, CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA, CELEBRADO ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O REINO DA ESPANHA, EM MADRI, A 13 DE ABRIL DE SUBMETE À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO ACORDO SOBRE COOPERAÇÃO CULTURAL, CELEBRADO ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA FEDERATIVA O BRASIL E O GOVERNO DA REPÚBLICA SOCIALISTA DA TCHECOSLOVÁQUIA, EM PRAGA, A 07 DE ABRIL DE SUBMETE À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL A ALTERAÇÃO DO CONVÊNIO CONSTITUTIVO DO BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO - (BID). SUBMETE À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO AJUSTE COMPLEMENTAR DE COOPERAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA, NO CAMPO DA INFORMÁTICA E COMPUTADORES, CELEBRADO ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O GOVERNO DA UNIÃO DAS REPÚBLICAS SOCIALISTAS SOVIÉTICAS, EM BRASÍLIA, A 06 DE JUNHO DE SUBMETE À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO TRATADO DE INTEGRAÇÃO, COOPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O GOVERNO DA REPÚBLICA ARGENTINA. Ordinária 105/1989 Ordinária 168/1989 Ordinária 40/1989 Ordinária 111/1989 Ordinária 106/1989 Ordinária 75/1989 Ordinária 130/1989 Ordinária 102/1989 DL 15/1990 (DOU 04/07/1990, p , col. DL 211/1991 (DOU 5/11/1991, p , col. DL 4/1990 (DOU 09/05/1990, p. 8717, col. DL 12/1990 (DOU 28/05/1990, p , col. DL 90/1989 (DOU 27/12/1989, p , col. DL 38/1990 (DOU 29/10/1990, p , col. DL 231/1991 (DOU 19/12/1991, p , col. DL 50/1989 (DOU 18/08/1989, p , col. 17

19 / / / / / / / /08/1989 (Ásia/Oriente Médio) 30/08/1989 (África) 30/08/ /08/1989 (África) 30/08/1989 (África) 30/08/1989 (África) 11/09/1989 (África) SUBMETE À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO ACORDO COMERCIAL ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O GOVERNO DO REINO HACHEMITA DA JORDÂNIA, SUBSCRITO EM AMÃ, A 15 DE JUNHO DE SUBMETE À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL OS TEXTOS DOS ACORDOS DE COOPERAÇÃO CIENTÍFICA, TÉCNICA E TECNOLÓGICA E DO PROTOCOLO COMPLEMENTAR AO ACORDO DE COOPERAÇÃO CIENTÍFICA, TÉCNICA E TECNOLÓGICA, CELEBRADO EM MAPUTO, A 01 DE JUNHO DE 1989, ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O GOVERNO DA REPÚBLICA POPULAR DE MOÇAMBIQUE. SUBMETE À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO PROTOCOLO QUE MODIFICA A CONVENÇÃO PARA EVITAR A DUPLA TRIBUTAÇÃO E PREVENIR A EVASÃO FISCAL EM MATÉRIA DE IMPOSTOS SOBRE A RENDA, FIRMADO EM BRASÍLIA, A 12 DE JUNHO DE 1989, ENTRE A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E A REPÚBLICA DA FINLÂNDIA. SUBMETE À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO ACORDO DE COOPERAÇÃO CULTURAL ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O GOVERNO DA REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE, CELEBRADO EM MAPUTO, EM PRIMEIRO DE JULHO DE SUBMETE À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO AJUSTE COMPLEMENTAR AO ACORDO DE COOPERAÇÃO ECONÔMICA, CIENTÍFICA E TÉCNICA NA ÁREA DE PESQUISA AGRÍCOLA E EXTENSÃO RURAL, ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O GOVERNO DA REPÚBLICA POPULAR DE ANGOLA, FIRMADO EM LUANDA, A 28 DE JANEIRO DE SUBMETE À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO ACORDO DE COPRODUÇÃO CINEMATOGRÁFICA, CELEBRADO ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O GOVERNO DA REPÚBLICA POPULAR DE MOÇAMBIQUE, EM MAPUTO, A PRIMEIRO DE JUNHO DE SUBMETE À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO PROTOCOLO COMPLEMENTAR AO ACORDO GERAL DE COOPERAÇÃO ENTRE O BRASIL E MOÇAMBIQUE NO CAMPO DA METEOROLOGIA, ASSINADO EM MAPUTO, A PRIMEIRO DE JUNHO DE Ordinária 119/1989 Ordinária 131/1989 Ordinária 132/1989 Ordinária 133/1989 Ordinária 169/1989 Ordinária 167/1989 Ordinária 134/1989 DL 6/1990 (DOU 10/05/1990, p. 8781, col. DL 34/1990 (DOU 26/10/1990, p , col. DL 25/1990 (DOU 17/09/1990, p , col. DL 39/1990 (DOU 30/10/1990, p , col. DL 81/1992(DOU 23/11/1992, p , col. DL 42/1990 (DOU 06/11/1990, p , col. DL 14/1990 (DOU 02/7/1990, p , col. 18

20 / / / / / / / /10/ /10/ /02/1989 (OMC) 13/03/ /03/ /03/1990 (ONU/drogas) 13/03/1990 SUBMETE À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO ACORDO PARA A CONSTRUÇÃO DE UMA PONTE SOBRE O RIO URUGUAI, ENTRE AS CIDADES DE SÃO BORJA E SANTO TOME, ENTRE A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E A REPÚBLICA ARGENTINA, CONCLUÍDO EM URUGUAIANA, EM 22 DE AGOSTO DE SUBMETE À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO CONVÊNIO EM COOPERAÇÃO JUDICIÁRIA EM MATÉRIA CIVIL, CELEBRADO ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O REINO DA ESPANHA, EM MADRID, A 13 DE ABRIL DE SUBMETE À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO ACORDO SOBRE O SISTEMA GLOBAL DE PREFERÊNCIAS COMERCIAIS - SGPC, ASSINADO EM ABRIL DE 1988, NA CIDADE DE BELGRADO. SUBMETE À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO CONVÊNIO MULTILATERAL CONSTITUTIVO DO CENTRO REGIONAL DE SISMOLOGIA PARA A AMERICA DO SUL, CELEBRADO ENTRE OS GOVERNOS DA REPÚBLICA DA BOLÍVIA, DA REPÚBLICA DO PERU, DA REPÚBLICA ORIENTAL DO URUGUAI E DA REPÚBLICA DA VENEZUELA, EM LIMA, A 18 DE JULHO DE 1971, UMA VEZ QUE TENHA RECEBIDO A COMPETENTE APROVAÇÃO PARA TAL. SUBMETE À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO ACORDO QUADRO DE COOPERAÇÃO ECONÔMICA, INDUSTRIAL, CIENTÍFICO-TECNOLÓGICA, TÉCNICA E CULTURAL, CELEBRADO ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O GOVERNO DA REPÚBLICA DA ITÁLIA, EM ROMA, A 17 DE OUTUBRO DE SUBMETE À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DA CONVENÇÃO CONTRA O TRÁFICO ILÍCITO DE ENTORPECENTES E SUBSTÂNCIAS PSICOTRÓPICAS, APROVADA EM VIENA, EM 20 DE DEZEMBRO DE SUBMETE À CONSIDERAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL O TEXTO DO AJUSTE COMPLEMENTAR ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O GOVERNO DA REPÚBLICA DO PARAGUAI SOBRE A CONSTITUIÇÃO DE UM PROGRAMA DE COOPERAÇÃO TÉCNICA, ASSINADO EM ASSUNÇÃO, EM 10, DE NOVEMBRO DE 1989, POR OCASIÃO DE VISITA PRESIDENCIAL ÀQUELE PAÍS. Ordinária 164/1989 Ordinária 171/1989 Ordinária 243/1990 Ordinária 109/1991 Ordinária 246/1990 Ordinária 378/1990 Ordinária 179/1990 DL 82/1989 (DOU 11/12/1989, p , col. DL 31/1990 (DOU 17/10/1990, p , col. DL 98/1991 (DOU 27/03/1991, p. 5557, col. DL 72/1992 (DOU 22/10/1992, p , col. DL 104/1991(DOU 05/6/1991, p , col. DL 162/1991 (DOU 17/06/1990, p , col. DL 35/1990 (DOU 26/10/1990, p , col. 19

O BRASIL NO CENÁRIO INTERNACIONAL: UMA PEÇA EM MAIS DE MIL ATOS (REFLEXOS DO DEBATE PARLAMENTAR ENTRE 4 DE OUTUBRO DE 1988 E 31 DE DEZEMBRO DE 2010)

O BRASIL NO CENÁRIO INTERNACIONAL: UMA PEÇA EM MAIS DE MIL ATOS (REFLEXOS DO DEBATE PARLAMENTAR ENTRE 4 DE OUTUBRO DE 1988 E 31 DE DEZEMBRO DE 2010) ESTUDO O BRASIL NO CENÁRIO INTERNACIONAL: UMA PEÇA EM MAIS DE MIL ATOS (REFLEXOS DO DEBATE PARLAMENTAR ENTRE 4 DE OUTUBRO DE 1988 E 31 DE DEZEMBRO DE 2010) Maria Ester Mena Barreto Camino Consultora Legislativa

Leia mais

CARTA-CIRCULAR N 2.070. Aos Bancos Múltiplos com Carteira Comercial, Bancos Comerciais e Caixas Econômicas.

CARTA-CIRCULAR N 2.070. Aos Bancos Múltiplos com Carteira Comercial, Bancos Comerciais e Caixas Econômicas. CARTA-CIRCULAR N 2.070 Aos Bancos Múltiplos com Carteira Comercial, Bancos Comerciais e Caixas Econômicas. Divulga relação das missões diplomáticas, repartições consulares de carreira e representações

Leia mais

AGENDA DE SAÚDE EM TRAMITAÇÃO NA CÂMARA DOS DEPUTADOS

AGENDA DE SAÚDE EM TRAMITAÇÃO NA CÂMARA DOS DEPUTADOS ESTUDO AGENDA DE SAÚDE EM TRAMITAÇÃO NA CÂMARA DOS DEPUTADOS Fábio de Barros Correia Gomes Consultor Legislativo da Área XVI Saúde Pública, Sanitarismo ESTUDO MARÇO/2014 Câmara dos Deputados Praça dos

Leia mais

As instituições internacionais e a reorganização do espaço geográfico mundial

As instituições internacionais e a reorganização do espaço geográfico mundial As instituições internacionais e a reorganização do espaço geográfico mundial ONU A ONU (Organização das Nações Unidas) foi fundada no dia 24 de outubro de 1945, em São Francisco, Estados Unidos. O encontro

Leia mais

COMITÊ INTERAMERICANO CONTRA O TERRORISMO (CICTE)

COMITÊ INTERAMERICANO CONTRA O TERRORISMO (CICTE) COMITÊ INTERAMERICANO CONTRA O TERRORISMO (CICTE) DÉCIMO PERÍODO ORDINÁRIO DE SESSÕES OEA/Ser.L/X.2.10 17 a 19 de março de 2010 CICTE/DEC.1/10 Washington, D.C. 19 março 2010 Original: inglês DECLARAÇÃO

Leia mais

Es t i m a t i v a s

Es t i m a t i v a s Brasileiros no Mundo Es t i m a t i v a s Ministério das Relações Exteriores - MRE Subsecretaria Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior - SGEB Departamento Consular e de Brasileiros no Exterior

Leia mais

Mercados. informação regulamentar. Portugal Acordos Bilaterais Celebrados

Mercados. informação regulamentar. Portugal Acordos Bilaterais Celebrados Mercados informação regulamentar Portugal Acordos Bilaterais Celebrados Janeiro 2013 Índice 5 NOTA DE PRÉVIA 6 ENQUADRAMENTO GERAL A 7 ÁFRICA DO SUL 7 ALBÂNIA 7 ALEMANHA 8 ANDORRA 8 ANGOLA 9 ANGUILLA 10

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2015

Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Volume 42 Ano base 2014 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2013-2014

Leia mais

Declaração de Brasília: Rumo à Cidadania Sul- Americana

Declaração de Brasília: Rumo à Cidadania Sul- Americana Declaração de Brasília: Rumo à Cidadania Sul- Americana XI Conferência Sul-Americana sobre Migrações Brasília, de 19 a 21 de outubro de 2011 Declaração de Brasília Rumo à Cidadania Sul-Americana Os representantes

Leia mais

Material Complementar ENTENDA COMO FUNCIONA O CONGRESSO NACIONAL E A TRAMITAÇÃO DE PROPOSTAS LE- GISLATIVAS

Material Complementar ENTENDA COMO FUNCIONA O CONGRESSO NACIONAL E A TRAMITAÇÃO DE PROPOSTAS LE- GISLATIVAS Material Complementar ENTENDA COMO FUNCIONA O CONGRESSO NACIONAL E A TRAMITAÇÃO DE PROPOSTAS LE- GISLATIVAS Fluxo Simplificado do Processo Legislativo na Câmara dos Deputados O Senado Federal é composto

Leia mais

X CONFERÊNCIA DE MINISTROS DA DEFESA DAS AMÉRICAS PUNTA DEL ESTE - REPÚBLICA ORIENTAL DO URUGUAI 8 A 10 DE OUTUBRO DE 2012

X CONFERÊNCIA DE MINISTROS DA DEFESA DAS AMÉRICAS PUNTA DEL ESTE - REPÚBLICA ORIENTAL DO URUGUAI 8 A 10 DE OUTUBRO DE 2012 X CONFERÊNCIA DE MINISTROS DA DEFESA DAS AMÉRICAS PUNTA DEL ESTE - REPÚBLICA ORIENTAL DO URUGUAI 8 A 10 DE OUTUBRO DE 2012 DECLARAÇÃO DE PUNTA DEL ESTE (10 de outubro de 2012) Os Ministros da Defesa e

Leia mais

ATOS INTERNACIONAIS REFERENTES À COOPERAÇÃO JUDICIÁRIA PENAL, CRIMINALIDADE TRANSNACIONAL E LAVAGEM DE DINHEIRO

ATOS INTERNACIONAIS REFERENTES À COOPERAÇÃO JUDICIÁRIA PENAL, CRIMINALIDADE TRANSNACIONAL E LAVAGEM DE DINHEIRO ESTUDO ATOS INTERNACIONAIS REFERENTES À COOPERAÇÃO JUDICIÁRIA PENAL, CRIMINALIDADE TRANSNACIONAL E LAVAGEM DE DINHEIRO Maria Ester Mena Barreto Camino Consultora Legislativa da Área XVIII Direito Internacional

Leia mais

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS. www.prochile.gob.cl

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS. www.prochile.gob.cl CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS www.prochile.gob.cl O Chile surpreende pela sua variada geografia. Suas montanhas, vales, desertos, florestas e milhares de quilômetros de costa, o beneficiam

Leia mais

INSS Diretoria de Benefícios

INSS Diretoria de Benefícios IV CONFERÊNCIA BRASILEIROS NO MUNDO INSS Diretoria de Benefícios Praia do Forte, 20 de novembro de 2013 ACORDOS INTERNACIONAIS Globalização Principais objetivos ou finalidades dos Acordos Internacionais

Leia mais

Estatutos da RIICOTEC

Estatutos da RIICOTEC ESTATUTO DA REDE INTERGOVERNAMENTAL IBEROAMERICANA DE COOPERAÇÃO TÉCNICA PARA O DESENVOLVIMENTO DE POLÍTICAS INTEGRAIS PARA AS PESSOAS IDOSAS E PESSOAS COM DEFICIÊNCIA (RIICOTEC) 1 (Com as modificações

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA GABINETE DE SEGURANÇA INSTITUCIONAL AGÊNCIA BRASILEIRA DE INTELIGÊNCIA

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA GABINETE DE SEGURANÇA INSTITUCIONAL AGÊNCIA BRASILEIRA DE INTELIGÊNCIA AGÊNCIA BRASILEIRA DE INTELIGÊNCIA SEGURANÇA GERAL E SEGURANÇA PÚBLICA: AÇÕES PREVENTIVAS E REPRESSIVAS Brasília, 17 de agosto de 2011 SUMÁRIO 1. SISTEMA BRASILEIRO DE INTELIGÊNCIA 2. AGÊNCIA BRASILEIRA

Leia mais

VII. VIAGENS DO SECRETÁRIO-GERAL E DO SECRETÁRIO-GERAL ADJUNTO

VII. VIAGENS DO SECRETÁRIO-GERAL E DO SECRETÁRIO-GERAL ADJUNTO VII. VIAGENS DO SECRETÁRIO-GERAL E DO SECRETÁRIO-GERAL ADJUNTO 140 Viagens do Secretário-Geral Conferência sobre o Sistema Interamericano São Domingos, República Dominicana, 2 e 3 de junho de 2005 Trigésimo

Leia mais

MENSAGEM N.º 671, DE 2009 (Do Poder Executivo)

MENSAGEM N.º 671, DE 2009 (Do Poder Executivo) CÂMARA DOS DEPUTADOS MENSAGEM N.º 671, DE 2009 (Do Poder Executivo) Aviso nº 603/2009 C. Civil Submete à deliberação do Congresso Nacional o Texto do Acordo Geral de Cooperação entre o Governo da República

Leia mais

Apresentação: Competências da DCE; Atividades recentes: atuação digital e Ciência sem Fronteiras; PEC-G e PEC-PG.

Apresentação: Competências da DCE; Atividades recentes: atuação digital e Ciência sem Fronteiras; PEC-G e PEC-PG. Apresentação: Competências da DCE; Atividades recentes: atuação digital e Ciência sem Fronteiras; PEC-G e PEC-PG. Competências da Divisão: Tratamento político dos temas educacionais nos fóruns multilaterais

Leia mais

MRE ABC CGRM CGPD CGRB

MRE ABC CGRM CGPD CGRB 1 Organograma da ABC MRE ABC CGRM CGPD CGRB 2 Competências da ABC Coordenar, negociar, aprovar e avaliar a cooperação técnica internacional do país. Coordenar todo o ciclo da cooperação técnica internacional

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2012

Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Volume 39 Ano base 2011 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2010-2011

Leia mais

POLÍTICA EXTERNA, DEMOCRACIA. DESENVOLVIMENTO

POLÍTICA EXTERNA, DEMOCRACIA. DESENVOLVIMENTO POLÍTICA EXTERNA, DEMOCRACIA. DESENVOLVIMENTO GESTÃO do MÍNÍSTRO CEISO AMORÍM NO itamaraty AqosTO 95A DEZEMBRO 94 / FUNDAÇÃO ALEXANDRE DE GUSMÃO Brasília 1995 Tricentenário do nascimento de Alexandre de

Leia mais

Náutica. Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima. Lisboa, 8 de Fevereiro de 2012

Náutica. Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima. Lisboa, 8 de Fevereiro de 2012 Náutica Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima Lisboa, 8 de Fevereiro de 2012 Aicep Portugal Global é uma agência pública de natureza empresarial, cuja missão é: Atrair investimento estrangeiro para

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2013

Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Volume 40 Ano base 2012 Guia de leitura Guia de leitura O Guia de Leitura tem o propósito de orientar

Leia mais

Da coexistência internacional à cooperação multilateral: o papel da ONU e da OMC nas relações internacionais

Da coexistência internacional à cooperação multilateral: o papel da ONU e da OMC nas relações internacionais Da coexistência internacional à cooperação multilateral: o papel da ONU e da OMC nas relações internacionais A Cooperação Internacional tem por objetivo conduzir o conjunto de atores que agem no cenário

Leia mais

Promulga o Instrumento de Criação do Fundo Reestruturado do Meio Ambiente Global, firmado em Genebra, em 16 de março de 1994.

Promulga o Instrumento de Criação do Fundo Reestruturado do Meio Ambiente Global, firmado em Genebra, em 16 de março de 1994. Tratados e Acordos Internacionais DECRETOS Decreto nº 7.993, de 24.04.2013 Promulga a Proposta de Participação do Brasil na Quarta Recomposição dos Recursos do Fundo para o Meio Ambiente Global - GEF-4,

Leia mais

O Brasil e os Tribunais Internacionais: entre o direito interno e o direito internacional

O Brasil e os Tribunais Internacionais: entre o direito interno e o direito internacional Minicurso de extensão O Brasil e os Tribunais Internacionais: entre o direito interno e o direito internacional Realização: Grupo de pesquisa Crítica & Direito Internacional O Brasil e a Corte Internacional

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Superior SESu Diretoria de Desenvolvimento da Rede de Instituições Federais de Ensino Superior DIFES

Ministério da Educação Secretaria de Educação Superior SESu Diretoria de Desenvolvimento da Rede de Instituições Federais de Ensino Superior DIFES Ministério da Educação Secretaria de Educação Superior SESu Diretoria de Desenvolvimento da Rede de Instituições Federais de Ensino Superior DIFES EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº 03 DE 05 DE ABRIL DE 2013 PROCESSO

Leia mais

Resumo dos resultados da enquete CNI

Resumo dos resultados da enquete CNI Resumo dos resultados da enquete CNI Brasil - México: Interesse empresarial para ampliação do acordo bilateral Março 2015 Amostra da pesquisa No total foram recebidos 45 questionários de associações sendo

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2014

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2014 FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2014 Disciplina: Direito Internacional Departamento IV Direito do Estado Docente Responsável: Fernando Fernandes da Silva Carga Horária Anual: 100 h/a Tipo: Anual

Leia mais

Acordo-Quadro de Associação entre o MERCOSUL e a República do Suriname

Acordo-Quadro de Associação entre o MERCOSUL e a República do Suriname Acordo-Quadro de Associação entre o MERCOSUL e a República do Suriname A República Argentina, a República Federativa do Brasil, a República do Paraguai, a República Oriental do Uruguai, a República Bolivariana

Leia mais

LISTA DE REPRESENTAÇÕES SOI 2012 AGÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIA ATÔMICA AIEA PAÍSES MEMBROS

LISTA DE REPRESENTAÇÕES SOI 2012 AGÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIA ATÔMICA AIEA PAÍSES MEMBROS 1 LISTA DE REPRESENTAÇÕES SOI 2012 AGÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIA ATÔMICA AIEA ÁFRICA DO SUL ARÁBIA SAUDITA BRASIL CANADÁ COREIA DO SUL EGITO EQUADOR HOLANDA ITÁLIA JORDÂNIA NÍGER SUÉCIA ALEMANHA ARGENTINA

Leia mais

FIT FOR A NEW ERA ECONOMIA DAS LÍNGUAS PORTUGUESA E ESPANHOLA LÍNGUA, COMÉRCIO EXTERNO E INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PERSPECTIVAS EMPRESARIAIS

FIT FOR A NEW ERA ECONOMIA DAS LÍNGUAS PORTUGUESA E ESPANHOLA LÍNGUA, COMÉRCIO EXTERNO E INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PERSPECTIVAS EMPRESARIAIS LÍNGUA, COMÉRCIO EXTERNO E Paternoster Square Londres ECONOMIA DAS LÍNGUAS PORTUGUESA E ESPANHOLA INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PERSPECTIVAS EMPRESARIAIS Francisco Cary 19 de Maio de 2011 O Mercado dos Países

Leia mais

COMUNICADO CONJUNTO DOS PRESIDENTES DOS ESTADOS PARTES DO MERCOSUL E DOS ESTADOS ASSOCIADOS DECLARAÇÃO DE OURO PRETO

COMUNICADO CONJUNTO DOS PRESIDENTES DOS ESTADOS PARTES DO MERCOSUL E DOS ESTADOS ASSOCIADOS DECLARAÇÃO DE OURO PRETO COMUNICADO CONJUNTO DOS PRESIDENTES DOS ESTADOS PARTES DO MERCOSUL E DOS ESTADOS ASSOCIADOS DECLARAÇÃO DE OURO PRETO Os Presidentes dos Estados Partes do MERCOSUL e dos Estados Associados, reunidos na

Leia mais

O Brasil no Relatório Mundial sobre Drogas 2008

O Brasil no Relatório Mundial sobre Drogas 2008 O Brasil no Relatório Mundial sobre Drogas 2008 I. Ópio - Consumo De acordo com pesquisas domiciliares [CEBRID 2005], o maior mercado de opiáceos na América do Sul é o Brasil, com cerca de 600 mil usuários,

Leia mais

50º CONSELHO DIRETOR 62 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL

50º CONSELHO DIRETOR 62 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE 50º CONSELHO DIRETOR 62 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL Washington, D.C., EUA, 27 de setembro a 1º de outubro de 2010 Tema 4.17 da agenda CD50/26

Leia mais

CONVENÇÃO INTERAMERICANA CONTRA O TERRORISMO

CONVENÇÃO INTERAMERICANA CONTRA O TERRORISMO CONVENÇÃO INTERAMERICANA CONTRA O TERRORISMO Os Estados Partes nesta Convenção, Tendo presente os propósitos e princípios da Carta da Organização dos Estados Americanos e da Carta das Nações Unidas; Considerando

Leia mais

Ministério da Educação - MEC Secretaria de Educação Superior SESu Diretoria de Políticas e Programas de Graduação - Dipes

Ministério da Educação - MEC Secretaria de Educação Superior SESu Diretoria de Políticas e Programas de Graduação - Dipes Ministério da Educação - MEC Secretaria de Educação Superior SESu Diretoria de Políticas e Programas de Graduação - Dipes EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº 13, DE 30 DE ABRIL DE 2015 PROCESSO SELETIVO 2016 PARA

Leia mais

Principais Parlamentares Cotados para Presidir as Comissões Permanentes da Câmara em 2014. Parlamentares Cotados

Principais Parlamentares Cotados para Presidir as Comissões Permanentes da Câmara em 2014. Parlamentares Cotados Principais Parlamentares Cotados para Presidir as Comissões Permanentes da Câmara em 2014 Comissão Parlamentares Cotados PT Vicente Cândido (SP) Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania CCJC Cândido

Leia mais

Presidentes das Comissões Permanentes da Câmara em 2014

Presidentes das Comissões Permanentes da Câmara em 2014 Presidentes das Comissões Permanentes da Câmara em 2014 Comissão Presidente PT Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania CCJC Vicente Cândido (SP) Comissão de Seguridade Social e Família CSSF Amauri

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI COMPLEMENTAR Nº 97, DE 9 DE JUNHO DE 1999 Dispõe sobre as normas gerais para a organização, o preparo e o emprego das Forças Armadas.

Leia mais

Cada grupo irá explorar os blocos econômicos que serão definidos em sala de aula.

Cada grupo irá explorar os blocos econômicos que serão definidos em sala de aula. Trabalho 01 dividido em 2 partes 1ª Parte Cada grupo irá explorar os blocos econômicos que serão definidos em sala de aula. 2ª Parte Perguntas que serão expostas após a apresentação da 1ª Parte, e que

Leia mais

A LEI 11.161 E A REALIDADE DO ENSINO DO ESPANHOL NAS ESCOLAS ESTADUAIS EM LONDRINA.

A LEI 11.161 E A REALIDADE DO ENSINO DO ESPANHOL NAS ESCOLAS ESTADUAIS EM LONDRINA. A LEI 11.161 E A REALIDADE DO ENSINO DO ESPANHOL NAS ESCOLAS ESTADUAIS EM LONDRINA. Massao Kawahama 1 Orientadora: Profª. Drª. Amanda Pérez Montañés 2 RESUMO O objetivo principal deste trabalho é mostrar

Leia mais

Nota de trabalho. Estado actual das negociações comerciais multilaterais sobre os produtos agrícolas REPRESENTAÇÃO COMERCIAL

Nota de trabalho. Estado actual das negociações comerciais multilaterais sobre os produtos agrícolas REPRESENTAÇÃO COMERCIAL MISSÃO PERMANENTE DA REPÚBLICA DE ANGOLA JUNTO DA ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS REPRESENTAÇÃO COMERCIAL GENEBRA - SUÍÇA Estado actual das negociações comerciais multilaterais sobre os produtos agrícolas

Leia mais

ACORDOS INTERNACIONAIS

ACORDOS INTERNACIONAIS Direito Internacional Profª Mestre Ideli Raimundo Di Tizio p 53 ACORDOS INTERNACIONAIS ONU SDN (Sociedade ou Liga das Nações) Foi criada com a intenção de manter a paz. No seu período de atividade, contudo,

Leia mais

XLVIII Cúpula de Chefes de Estado do MERCOSUL e Estados Associados 17 de Julho de 2015

XLVIII Cúpula de Chefes de Estado do MERCOSUL e Estados Associados 17 de Julho de 2015 XLVIII Cúpula de Chefes de Estado do MERCOSUL e Estados Associados 17 de Julho de 2015 1 INTRODUÇÃO A 48ª Cúpula de Chefes de Estado do MERCOSUL e Estados Associados será realizada em Brasília, no dia

Leia mais

Artigo I. Artigo II. Artigo III. A cooperação a que se refere o presente Convénio compreenderá:

Artigo I. Artigo II. Artigo III. A cooperação a que se refere o presente Convénio compreenderá: Decreto n.º 66/97 de 30 de Dezembro Convénio sobre Prevenção do Uso Indevido e Repressão do Tráfico Ilícito de Estupefacientes e de Substâncias Psicotrópicas entre o Governo da República Portuguesa e o

Leia mais

PAÍSES AIEA AGÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIA ATÔMICA

PAÍSES AIEA AGÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIA ATÔMICA PAÍSES AIEA AGÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIA ATÔMICA 1. Canadá 2. Comunidade da Austrália 3. Estado da Líbia 4. Estados Unidos da América 5. Federação Russa 6. Japão 7. Reino da Arábia Saudita 8. Reino

Leia mais

150 a SESSÃO DO COMITÊ EXECUTIVO

150 a SESSÃO DO COMITÊ EXECUTIVO ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE 150 a SESSÃO DO COMITÊ EXECUTIVO Washington, D.C., EUA, 18 22 de junho de 2012 Tema 4.10 da Agenda Provisória CE150/20, Rev. 1 (Port.) 23

Leia mais

Os Estados Partes no presente Protocolo:

Os Estados Partes no presente Protocolo: Resolução da Assembleia da República n.º 32/98 Protocolo de 1988 para a Repressão de Actos Ilícitos de Violência nos Aeroportos ao Serviço da Aviação Civil Internacional, complementar à Convenção para

Leia mais

Processo de internalização do Tratado sobre o Comércio de Armas no Brasil

Processo de internalização do Tratado sobre o Comércio de Armas no Brasil Processo de internalização do Tratado sobre o Comércio de Armas no Brasil PROCESSO DE INTERNALIZAÇÃO DO TRATADO SOBRE O COMÉRCIO DE ARMAS NO BRASIL INSTITUTO SOU DA PAZ JANEIRO DE 2014 2 Introdução Com

Leia mais

REDE DE INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EM SAÚDE DA COMUNIDADE DE PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA EM IST, VIH E SIDA (RIDES IST - SIDA CPLP)

REDE DE INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EM SAÚDE DA COMUNIDADE DE PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA EM IST, VIH E SIDA (RIDES IST - SIDA CPLP) REDE DE INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EM SAÚDE DA COMUNIDADE DE PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA EM IST, VIH E SIDA (RIDES IST - SIDA CPLP) 1 REDE DE INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EM SAÚDE DA COMUNIDADE DE

Leia mais

Programa de Estudantes - Convênio de Pós-graduação - PEC-PG - 2006

Programa de Estudantes - Convênio de Pós-graduação - PEC-PG - 2006 Programa de Estudantes - Convênio de Pós-graduação - PEC-PG - 2006 1. Do objeto: O Ministério das Relações Exteriores (MRE), por intermédio do Departamento Cultural (DC), a Coordenação de Aperfeiçoamento

Leia mais

Relatório PIBIC Aluno: Guilherme de França Teixeira Prof. Orientadora: Andrea Ribeiro Hoffmann. Meio Ambiente no Mercosul

Relatório PIBIC Aluno: Guilherme de França Teixeira Prof. Orientadora: Andrea Ribeiro Hoffmann. Meio Ambiente no Mercosul Relatório PIBIC Aluno: Guilherme de França Teixeira Prof. Orientadora: Andrea Ribeiro Hoffmann Meio Ambiente no Mercosul 1 Introdução e Objetivos O Mercado Comum do Cone Sul foi criado em 1992 com a ratificação

Leia mais

200 4 Anuário Estatístico

200 4 Anuário Estatístico 2004 Anuário Estatístico REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA Presidente MINISTÉRIO DO TURISMO WALFRIDO SILVINO DOS MARES GUIA Ministro INSTITUTO BRASILEIRO DE TURISMO EMBRATUR EDUARDO

Leia mais

Agenda Internacional 2009

Agenda Internacional 2009 Agenda Internacional 2009 CNI: estratégia institucional Visão Estratégica Mapa Estratégico Uma visão sobre o futuro do país e da indústria (2007-2015) Identifica prioridades estratégicas Participação de

Leia mais

VERSÕES CONSOLIDADAS

VERSÕES CONSOLIDADAS 9.5.2008 PT Jornal Oficial da União Europeia C 115/1 VERSÕES CONSOLIDADAS DO TRATADO DA UNIÃO EUROPEIA E DO TRATADO SOBRE O FUNCIONAMENTO DA UNIÃO EUROPEIA (2008/C 115/01) 9.5.2008 PT Jornal Oficial da

Leia mais

ESTATUTO DA ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA

ESTATUTO DA ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA ESTATUTO DA ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA Nós, representantes democraticamente eleitos dos Parlamentos de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné- Bissau, Moçambique, Portugal,

Leia mais

ORGANIZAÇÕES INTERNACIONAIS

ORGANIZAÇÕES INTERNACIONAIS ORGANIZAÇÕES INTERNACIONAIS ENTIDADES CRIADAS POR ESTADOS-NAÇÕES INSTITUIÇÕES MULTILATERAIS INTERESSES EM COMUM REGULAÇÃO PRÓPRIA ÓRGÃOS DE DIREÇÃO DIREITO DE LEGAÇÃO - OBSERVADOR CARÁTER GERAL DE COOPERAÇÃO

Leia mais

TRATADO INTERAMERICANO DE ASSISTÊNCIA RECÍPROCA

TRATADO INTERAMERICANO DE ASSISTÊNCIA RECÍPROCA TRATADO INTERAMERICANO DE ASSISTÊNCIA RECÍPROCA Em nome de seus Povos, os Governos representados naconferência Interamericana para a Manutenção da Paz e da Segurança no Continente, animados pelo desejo

Leia mais

Ação Cultural Externa Relatório Anual 2011 - Indicadores DSPDCE - 2012

Ação Cultural Externa Relatório Anual 2011 - Indicadores DSPDCE - 2012 Ação Cultural Externa Relatório Anual 0 Indicadores DSPDCE 0 .Iniciativas apoiadas pelo IC a) Número (total): 0 b) Montante global:.0,0,* Áreas Geográficas África América Ásia Europa Médio Oriente e Magrebe

Leia mais

Comércio (Países Centrais e Periféricos)

Comércio (Países Centrais e Periféricos) Comércio (Países Centrais e Periféricos) Considera-se a atividade comercial, uma atividade de alto grau de importância para o desenvolver de uma nação, isso se dá pela desigualdade entre o nível de desenvolvimento

Leia mais

Tributação Internacional Junho 2014

Tributação Internacional Junho 2014 www.pwc.pt/tax Tributação Internacional Junho 2014 Perante a aldeia global em que vivemos, atuar apenas no mercado doméstico não é suficiente. De facto, a internacionalização é um requisito obrigatório

Leia mais

IUPERJ/UCAM CÂMARA DOS DEPUTADOS/CEFOR MÁRCIA RODRIGUES DA CRUZ

IUPERJ/UCAM CÂMARA DOS DEPUTADOS/CEFOR MÁRCIA RODRIGUES DA CRUZ IUPERJ/UCAM CÂMARA DOS DEPUTADOS/CEFOR MÁRCIA RODRIGUES DA CRUZ Legislativo trans formador? As modificações do Legislativo nos projetos de lei do Executivo Brasília 2009 MÁRCIA RODRIGUES DA CRUZ Legislativo

Leia mais

COMUNICADO CONJUNTO DOS PRESIDENTES DO MERCOSUL E ESTADOS ASSOCIADOS

COMUNICADO CONJUNTO DOS PRESIDENTES DO MERCOSUL E ESTADOS ASSOCIADOS Tradução do espanhol realizada pela SM COMUNICADO CONJUNTO DOS PRESIDENTES DO MERCOSUL E ESTADOS ASSOCIADOS Os Presidentes do MERCOSUL e Estados Associados, reunidos na cidade de Córdoba, em 21 de julho

Leia mais

INFORMAÇÕES para Candidatos Estrangeiros

INFORMAÇÕES para Candidatos Estrangeiros PEC-PG PG PROGRAMA DE ESTUDANTES-CONVÊNIO DE PÓS-GRADUAÇÃO INFORMAÇÕES para Candidatos Estrangeiros Este material visa auxiliar o Candidato Estrangeiro a se informar sobre o Programa de Bolsas de Estudos

Leia mais

Sumário. I - O tráfego internacional de telecomunicações; II Da União Internacional das Telecomunicações UIT;

Sumário. I - O tráfego internacional de telecomunicações; II Da União Internacional das Telecomunicações UIT; A tributação das telecomunicações: A alteração do Tratado de Melbourne e suas implicações na tributação internacional de Telecom Incidência de IRRF e CideRoyalties nas operações de interconexão Sumário

Leia mais

Blocos Econômicos. MERCOSUL e ALCA. Charles Achcar Chelala

Blocos Econômicos. MERCOSUL e ALCA. Charles Achcar Chelala Blocos Econômicos MERCOSUL e ALCA Charles Achcar Chelala Blocos Econômicos Tendência recente, com origens na década de 50, com a CEE Comunidade Econômica Européia Em 2007 fez 50 anos Objetivos Fortalecer

Leia mais

O TRATADO DE COOPERAÇÃO AMAZÔNICA

O TRATADO DE COOPERAÇÃO AMAZÔNICA O TRATADO DE COOPERAÇÃO AMAZÔNICA As Repúblicas da Bolívia, do Brasil, da Colômbia, do Equador, da Guiana, do Peru, do Suriname e da Venezuela, CONSCIENTES da importância que para cada uma das Partes têm

Leia mais

Refúgio no Brasil Uma Análise Estatística Janeiro de 2010 a Outubro de 2014

Refúgio no Brasil Uma Análise Estatística Janeiro de 2010 a Outubro de 2014 Refúgio no Brasil Uma Análise Estatística Janeiro de 21 a Outubro de 214 O Brasil é signatário dos principais tratados internacionais de direitos humanos e é parte da Convenção das Nações Unidas de 1951

Leia mais

Decreto nº 77.374, de 01.04.76

Decreto nº 77.374, de 01.04.76 Decreto nº 77.374, de 01.04.76 Promulga a Convenção sobre a Proibição do Desenvolvimento, Produção e Estocagem de Armas Bacteriológicas (Biológicas) e à Base de toxinas e sua Destruição. O PRESIDENTE DA

Leia mais

TREINAMENTO EM PROTEÇÃO INTERNACIONAL DE REFUGIADOS DECLARAÇÃO DE CARTAGENA 1 CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES I

TREINAMENTO EM PROTEÇÃO INTERNACIONAL DE REFUGIADOS DECLARAÇÃO DE CARTAGENA 1 CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES I TREINAMENTO EM PROTEÇÃO INTERNACIONAL DE REFUGIADOS DECLARAÇÃO DE CARTAGENA 1 CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES I Recordando as conclusões e recomendações adotadas pelo Colóquio realizado no México sobre Asilo

Leia mais

aprovado no Foro de Ministros de Meio Ambiente (2004-2006) para 2005-2007.

aprovado no Foro de Ministros de Meio Ambiente (2004-2006) para 2005-2007. PROGRAMA LATINO-AMERICANO E CARIBENHO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL ACORDOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA ESTRATÉGIA DO PLACEA: 2005-2007 1 (DOCUMENTO EM VERSÃO PRELIMINAR) Introdução: Os especialistas em Gestão Pública

Leia mais

CATEGORIA: POPULAÇÃO PRISIONAL CATEGORIA: PERFIL DO PRESO

CATEGORIA: POPULAÇÃO PRISIONAL CATEGORIA: PERFIL DO PRESO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO PENITENCIÁRIO NACIONAL DIRETORIA DE POLÍTICAS PENITENCIÁRIAS SISTEMA NACIONAL DE INFORMAÇÕES PENITENCIÁRIAS ESTÁTÍSTICA SUSEPE - SUPERINTENDÊNCIA DOS SERVIÇOS PENITENCIÁRIOS

Leia mais

RELATÓRIO Nº, DE 2013

RELATÓRIO Nº, DE 2013 RELATÓRIO Nº, DE 2013 Da COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DEFESA NACIONAL, sobre a Mensagem nº 10, de 2013 (nº 28, de 1º de fevereiro de 2013, na origem), da Presidente da República, que submete à apreciação

Leia mais

AGENDA LEGISLATIVA FEDERAL

AGENDA LEGISLATIVA FEDERAL Negócios da Saúde e Direito Sanitário Direito Societário e Comercial Direito Econômico Direito Administrativo, Regulatório e Ambiental Direito Tributário Direito Trabalhista Direito de Família, Civil e

Leia mais

RELATÓRIO MUNDIAL SOBRE DROGAS WDR 2010 Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC)

RELATÓRIO MUNDIAL SOBRE DROGAS WDR 2010 Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) RELATÓRIO MUNDIAL SOBRE DROGAS WDR 2010 Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) Referências ao Brasil e ao Cone Sul 1 Cocaína Produção de cocaína A área global de cultivo de coca diminuiu

Leia mais

CASOS PRÁTICOS DA COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL EM MATÉRIA PENAL TIAGO SANTOS FARIAS

CASOS PRÁTICOS DA COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL EM MATÉRIA PENAL TIAGO SANTOS FARIAS CASOS PRÁTICOS DA COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL EM MATÉRIA PENAL TIAGO SANTOS FARIAS BASE NORMATIVA DA COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL TRATADOS BILATERAIS E MULTILATERAIS RECIPROCIDADE DIREITO INTERNO

Leia mais

Atualidades. Blocos Econômicos, Globalização e União Européia. 1951 - Comunidade Européia do Carvão e do Aço (CECA)

Atualidades. Blocos Econômicos, Globalização e União Européia. 1951 - Comunidade Européia do Carvão e do Aço (CECA) Domínio de tópicos atuais e relevantes de diversas áreas, tais como política, economia, sociedade, educação, tecnologia, energia, ecologia, relações internacionais, desenvolvimento sustentável e segurança

Leia mais

Acordos Internacionais

Acordos Internacionais Acordos Internacionais África do Sul Acordo de Cooperação entre a República Portuguesa e a República da África do Sul no Domínio Policial (Pretória, 22 de abril de 2002). Aprovado pelo Decreto n.º 23/02,

Leia mais

CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS

CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS laboratório associado Encontro de Ciência em Portugal 12 e 13 de Abril de 2007 Fundação Calouste Gulbenkian Lisboa LINHAS ESTRATÉGICAS Boaventura de Sousa Santos Comunidade ces

Leia mais

PAZ, FRAGILIDADE E SEGURANÇA A AGENDA PÓS-2015 E OS DESAFIOS À CPLP

PAZ, FRAGILIDADE E SEGURANÇA A AGENDA PÓS-2015 E OS DESAFIOS À CPLP PAZ, FRAGILIDADE E SEGURANÇA A AGENDA PÓS-2015 E OS DESAFIOS À CPLP 7 Maio 10 Horas NÚCLEO DE ESTUDANTES DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS ORGANIZAÇÃO: COM A PARTICIPAÇÃO: Paz, Fragilidade e Segurança A A G E

Leia mais

Organizações internacionais Regionais

Organizações internacionais Regionais Organizações internacionais Regionais Percurso 4 Geografia 9ºANO Profª Bruna Andrade e Elaine Camargo Os países fazem uniões a partir de interesses comuns. Esses interesses devem trazer benefícios aos

Leia mais

Subseção I Disposição Geral

Subseção I Disposição Geral Subseção I Disposição Geral Art. 59. O processo legislativo compreende a elaboração de: I - emendas à Constituição; II - leis complementares; III - leis ordinárias; IV - leis delegadas; V - medidas provisórias;

Leia mais

Primeiro Ciclo 2004-2005 Formulário de inscrição

Primeiro Ciclo 2004-2005 Formulário de inscrição INICIATIVA DA CEPAL COM O APOIO DA FUNDAÇÃO W.K. KELLOGG Primeiro Ciclo 2004-2005 Formulário de inscrição Os formulários para a inscrição estão disponíveis na página web da CEPAL, www.cepal.cl, e na do

Leia mais

A Participação do Conselho Superior da Magistratura em Organizações Internacionais

A Participação do Conselho Superior da Magistratura em Organizações Internacionais A Participação do Conselho Superior da Magistratura em Organizações Internacionais O Conselho Superior da Magistratura é membro de duas organizações internacionais que promovem a cooperação e concertação

Leia mais

Portugal 1 1974 Bilateral Portugal 1 1975 Bilateral Pescas Portugal 2 1975 Bilateral Cooperação e Amizade Portugal 3 1975 Bilateral Cooperação

Portugal 1 1974 Bilateral Portugal 1 1975 Bilateral Pescas Portugal 2 1975 Bilateral Cooperação e Amizade Portugal 3 1975 Bilateral Cooperação PAÍS N.º REGISTO LOMBADA NATUREZA Portugal 1 1974 Bilateral Portugal 1 1975 Bilateral Pescas DOMÍNIO Portugal 2 1975 Bilateral Cooperação e Amizade Portugal 3 1975 Bilateral Cooperação Portugal 4 1975

Leia mais

MERCOSUL. Subgrupo de Trabalho Nº 6 Meio Ambiente XXXI Reunião Ordinária do SGT Nº 6 Meio Ambiente Brasília, Brasil ANEXO III.

MERCOSUL. Subgrupo de Trabalho Nº 6 Meio Ambiente XXXI Reunião Ordinária do SGT Nº 6 Meio Ambiente Brasília, Brasil ANEXO III. MERCOSUL Subgrupo de Trabalho Nº 6 Meio Ambiente XXXI Reunião Ordinária do SGT Nº 6 Meio Ambiente Brasília, Brasil ANEXO III Resumo da Ata Brasília, 30 de agosto a 1º de setembro de 2004 RESUMO DA ATA

Leia mais

PARECER Nº, DE 2015. Relatora: Senadora VANESSA GRAZZIOTIN I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE 2015. Relatora: Senadora VANESSA GRAZZIOTIN I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2015 Da COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DEFESA NACIONAL, sobre a Indicação (INS) nº 3, de 2015, do Senador João Capiberibe, que sugere nos termos do art. 224 do Regimento Interno do Senado

Leia mais

I REUNIÃO DE MINISTROS DA ENERGIA DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA. Cascais, 23 de junho de 2015. Declaração de Cascais

I REUNIÃO DE MINISTROS DA ENERGIA DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA. Cascais, 23 de junho de 2015. Declaração de Cascais I REUNIÃO DE MINISTROS DA ENERGIA DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA Cascais, 23 de junho de 2015 Declaração de Cascais Os Ministros responsáveis pela Energia da Comunidade dos Países de Língua

Leia mais

MENSAGEM Nº 110, DE 2007

MENSAGEM Nº 110, DE 2007 COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL MENSAGEM Nº 110, DE 2007 Submete à consideração do Congresso Nacional, o texto do Memorando de Entendimento sobre Cooperação Trilateral em Agricultura

Leia mais

Mídia Kit. Informação de líder para líder

Mídia Kit. Informação de líder para líder Mídia Kit Informação de líder para líder 2014 AméricaEconomia Brasil América Economia é a única revista brasileira que oferece cobertura exclusiva e especializada da economia da América Latina em contexto

Leia mais

Implantação do Programa Visa Waiver. 26.11.2013 Audiência pública: Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado

Implantação do Programa Visa Waiver. 26.11.2013 Audiência pública: Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado Implantação do Programa Visa Waiver 26.11.2013 Audiência pública: Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado Chegadas internacionais Brasil XAmérica Latina Turistas internacionais (milhões)

Leia mais

Ingressos de Turistas Internacionais no RS por via de acesso

Ingressos de Turistas Internacionais no RS por via de acesso Anuário Estatístico de Turismo 2015 ano base 2014* *Publicado em 08/07/2015, pelo Ministério do Turismo. A publicação apresenta uma compilação de informações anuais relativas ao comportamento de diversos

Leia mais

CALENDÁRIO INTERNACIONAL SAF/SRI/PR - 2 0 1 5

CALENDÁRIO INTERNACIONAL SAF/SRI/PR - 2 0 1 5 JANEIRO CALENDÁRIO INTERNACIONAL SAF/SRI/PR - 2 0 1 5 19 a 21: I Reunião ( Stocktaking ) do processo de negociações intergovernamentais da Agenda Pós-2015. Local: Nova Iorque, EUA. 27 a 29: I Sessão de

Leia mais

Convenção sobre o Combate da Corrupção de Funcionários Públicos Estrangeiros em

Convenção sobre o Combate da Corrupção de Funcionários Públicos Estrangeiros em Convenção sobre o Combate da Corrupção de Funcionários Públicos Estrangeiros em Transações Comerciais Internacionais Preâmbulo As Partes, Considerando que a corrupção é um fenômeno difundido nas Transações

Leia mais

5 Tratados Internacionais e Medidas de Cooperação

5 Tratados Internacionais e Medidas de Cooperação 5 Tratados Internacionais e Medidas de Cooperação A cooperação internacional não depende da celebração de tratados para que possa ocorrer, porém não é possível negar a utilidade dos pactos formais de cooperação

Leia mais