EM FOCO. PESSOAL BRASILETROS, comece 2013 com suas contas em dia BRASILETROS. e previdenciária. Brasiletros altera Taxa de Juros

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EM FOCO. PESSOAL BRASILETROS, comece 2013 com suas contas em dia BRASILETROS. e previdenciária. Brasiletros altera Taxa de Juros"

Transcrição

1 BRASILETROS EM FOCO Educação EMPRÉSTIMO financeira e previdenciária PESSOAL BRASILETROS, comece 2013 com suas contas em dia Conheça o Programa EDUcativo da Brasiletros. Aprenda a arte das finanças e conheça o segmento de previdência. Portfólio dos investimentos Pág. 7 Brasiletros altera Taxa de Juros Pág. 8

2 Editorial Parece que o planeta Terra está se sacudindo em todos os sentidos... Diariamente, estamos nos deparando com eventos de abalos econômicos, sociais, sísmicos, enfim, de toda a sorte. Acho que Deus levantou o dedo para que toda a humanidade reflita sobre os caminhos percorridos até agora. Se avaliarmos as condições climáticas, qualquer um verifica que o limite de saturação está próximo ou já chegou. Os abalos sísmicos, furacões, tempestades, degelo da calota polar, contrastando com regiões de extrema seca, demonstram, nitidamente, o quão vulnerável encontra-se o nosso sofrido planeta. As condições de diversas sociedades estão abaladas por conflitos, miséria e degradação humana. E a Economia? Essa, diz respeito diretamente ao nosso segmento previdenciário, na medida em que envolve investimentos de recursos, atividade fundamental para a garantia dos benefícios dos participantes das Entidades de Previdência Complementar, passa também por profundas turbulências. Este tema é tão importante que mereceu a atenção especial do 33º Congresso Brasileiro dos Fundos de Pensão realizado pela ABRAPP no mês de Outubro de Resumo 04. Perfil 05. Empréstimo Pessoal 06. Saúde e Bem Estar 07. Investimentos 08. Meta Atuarial 09. Avaliação Institucional 11. Educação Previdenciária 12. Notas Diversas E é essa economia, que envolve e revolve todo o planeta, que também está em um momento de transição, motivo pelo qual o carro-chefe do referido Congresso foi a Transição para um novo tempo. Mas se não podemos efetivamente interferir nos aspectos climáticos e sociais (e até temos como, mas não é esse o foco que quero me deter aqui), estamos inexoravelmente inseridos nos aspectos econômicos, já que somos agentes diretos desse processo. Se tirarmos o foco da turbulência global, e isto é difícil neste mundo tão globalizado, temos matéria de sobra para nos debruçarmos internamente. No Brasil, a queda da taxa de juros, a necessidade de incremento nos setores de infraestrutura, a enorme demanda por mão de obra especializada, a busca por investimentos alternativos, e tantos outros, são pontos a serem atentamente avaliados para o avanço dos novos tempos no nosso segmento. É consenso de todos os setores da economia, tanto no aspecto pessoal como institucional, que pessoas e organizações (e aí destaco os Fundos de Pensão) terão que aprender a conviver com maiores riscos se quiserem obter maiores rentabilidades nos seus investimentos. E por isto mesmo, alerta-se tanto para a implementação de controles internos e avaliação de riscos, visando coabitar-se da melhor forma, e prudentemente, diante do atual momento de crise mundial e setorial que estamos vivenciando em todos os aspectos (climático, social, econômico etc.). Sempre ouvi dizer que as crises, além de criar oportunidades, servem para reflexão e promovem mudanças em busca de um mundo melhor... Estamos exatamente nesse momento, no olho do furacão, na Transição para um novo tempo. Mas estamos conscientes, no que nos diz respeito, tendo em vista que a Brasiletros vem desenvolvendo estudos para melhorar a sua performance em todas as áreas em que atua. Queremos levar essa tranquilidade ao nosso participante, convidando-o a participar cada vez mais - lendo os informativos e jornais da Entidade, visitando o site institucional e o hot site Educativo, e apreciando as novidades que estamos oferecendo -, nos colocando à disposição para o esclarecimento de dúvidas que possam existir. Essa também é nossa missão. Luís Carlos Silva Miranda Diretor-Presidente 2

3

4 Perfil HUMBERTO ROCHA Aos 72 anos, Humberto Rocha tem um longo tempo de serviços prestados à BRASILETROS. Sr. Humberto B. da Rocha, sua esposa Sra. Lenice Fernandes da Rocha e seu neto. Membro do Conselho Fiscal de 2002 a 2011, e atual membro do Conselho Deliberativo, cujo mandato encerra-se em 2015, Humberto tem vasta bagagem no que diz respeito à Seguridade Social e representou os conselheiros da BRASILETROS no 33º Congresso dos Fundos de Pensão. Nas linhas abaixo, traçamos o perfil deste profissional, contando um pouco de sua vivência, suas preferências e um pouco de sua visão sobre a BRASILETROS. Brasiletros em Foco: Quando começou a trabalhar? Humberto: - Comecei a trabalhar no comércio aos 14 anos, em uma pequena padaria de São Gonçalo, junto com meu Pai. Em agosto de 1959, fui para a Prefeitura Municipal de São Gonçalo onde fiquei até agosto de 1962, quando fui contratado pelo Banco Hipotecário e Agrícola do Estado de Minas Gerais onde trabalhei até setembro de 1966, ano de minha formatura em Ciências Econômicas pela Universidade Federal Fluminense. Ingressei na CBEE-Cia Brasileira de Energia Elétrica em março de 1967, onde me aposentei em abril de BF: Quanto tempo contribui para a previdência social? Humberto: - Considerando o período pós-aposentadoria, trabalhei por mais 10 anos, perfazendo 48 anos de recolhimentos para a Previdência Social. BF: Quando teve seu primeiro contato com previdência complementar? Humberto: - Assim que fui admitido na CBEE, foi criada a Brasiletros e imediatamente me tornei participante dela. BF: A mudança de mentalidade do brasileiro a respeito da previdência privada já mudou? Humberto: - Digo que jovens, em geral, não pensam em previdência, ainda mais complementar; é uma coisa cujo efeito só é sentido no momento da aposentadoria, por isso acho que deveria ser ensinado na escola. BF: O que falta para mudar? Se já mudou, o que ainda falta? Humberto: - Recentemente, foi criada a Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal do Poder Executivo- Funpresp-Exe pelo Decreto nº 7.808, de 20/09/2012, tratando-se de uma grande mudança. BF: Como classifica sua participação no 33º Congresso de Fundos de Pensão? Humberto: - O Congresso foi realizado tendo como referência a Previdência dos Funcionários Públicos do Poder Executivo-Funpresp e a queda da taxa de juros com a consequente redução da taxa de desconto para avaliação do valor presente dos passivos das fundações. Com a taxa de juros em queda, as fundações não conseguem mais aplicações para seus ativos como vinha acontecendo, o que obriga os gestores financeiros a dirigirem sua atenção para ativos de maior risco. BF: Tendo como parâmetro sua participação, o que a BRASILETROS ainda pode oferecer a seus participantes? Humberto: - Basicamente, o objetivo da Fundação Brasiletros é a complementação de aposentadorias, o que vem sendo feito de acordo com os planos que são administrados por ela. Qualquer benefício que, porventura, venha a ser pleiteado, deverá ser acompanhado de respectiva reserva, cuja formação é sempre feita por contribuições da patrocinadora e dos participantes. 4

5 Empréstimo Pessoal Empréstimo: Você precisa? Segundo a revista americana Money, em um período de 10 anos, 78% das pessoas têm algum imprevisto. E estes imprevistos normalmente demandam dinheiro para ajudar na solução. A maioria das famílias brasileiras não está preparada para enfrentar as eventualidades. Poupar e investir de maneira a formar uma reserva de emergência não é um hábito do brasileiro. Como nunca sabemos quando precisaremos dispor de uma quantia de forma imediata, o ideal é ter sempre um fundo de reserva. Porém, quando o imprevisto acontece, a maioria busca os empréstimos pessoais ou, o que é mais complexo, entram no rotativo do cartão de crédito ou do cheque especial. Porém, obter recursos através de empréstimo pode ser uma solução adequada quando não se tem o fundo de reserva. Mas, esta decisão deve ocorrer de forma consciente, através de uma análise lúcida sobre sua real necessidade e os impactos à sua vida financeira e de sua família. É importante, também, saber dimensionar corretamente a quantia a ser solicitada e destinar os recursos à sua real necessidade. 1 2 Algumas perguntas que podem ajudar a tomar a decisão: Para que preciso do empréstimo? É importante saber a razão para avaliar se é de fato um imprevisto ou se a mesma poderia ter sido evitada (uma decisão de compra errada, um crediário desnecessário ou uma viagem que pode ser adiada, por exemplo). Quanto preciso? É primordial saber dimensionar corretamente a quantia a ser solicitada para que seja usada de forma racional e com um objetivo específico. Com dinheiro excedente na mão, a tendência será usá-lo com supérfluos Há formas de se autofinanciar? É possível alavancar a verba necessária de outras fontes, como um trabalho excepcional, ou com seus próprios familiares, parentes, vizinhos e amigos? Como vou pagar? Para responder a isso é necessário estudar bem o planejamento financeiro pessoal, confirmando se existem recursos suficientes para amortizar a dívida a ser contraída. Que tipo de financiamento é o mais adequado? Após definir todos os itens anteriores, é preciso descobrir qual tipo de financiamento é o mais adequado. Realize uma pesquisa sobre as alternativas de empréstimo existentes no mercado e quais se encaixam em suas necessidades, identificando aquela que melhor irá atendê-lo a curto, médio e longo prazos. Em algumas situações, o custo total do financiamento obtido junto aos agentes financeiros (taxa de juros acrescidas das despesas de impostos, documentação, taxas de abertura de crédito, garantias etc.) pode ser maior que o financiamento direto com fornecedores. Deste modo, o empreendedor deve estar sempre atento a todos os custos que envolvem um financiamento. em foco 5

6 06. Saúde e Bem Estar Alimentação saudável no verão O verão é uma das épocas mais aguardadas do ano. Além de ser o período preferido para as férias, é um momento perfeito para o lazer e os esportes. É também a época do ano em que os termômetros atingem as temperaturas mais altas, fazendo com o que nosso organismo necessite de mais líquido e sais minerais, além de ter mais trabalho para manter a temperatura constante. Por isso, é fundamental adotar uma alimentação saudável, leve e equilibrada, e cuidar da hidratação do organismo. Algumas regras de alimentação e cuidados com o corpo podem ajudar nesta tarefa. A principal é dar preferência a frutas e legumes, e evitar frituras e alimentos gordurosos. Além disso, abuse dos sucos de frutas, pois eles hidratam e fornecem muitos nutrientes, mas precisam ser feitos a partir de frutas frescas. Evite sucos artificiais, porque eles são ricos em calorias e contêm conservantes e corantes. Outro ótimo aliado para a hidratação é a água de coco. Ela é rica em vitaminas e minerais, contém aminoácidos, carboidratos, antioxidantes, enzimas e outros nutrientes. Tem um conteúdo eletrolítico - mineral iônico semelhante ao plasma humano e por isso é reconhecida internacionalmente como melhor reidratante oral. A água de coco promove o equilíbrio da química do corpo, previne aterosclerose, reduz a pressão arterial e o risco de doença cardíaca, deixa o sistema imunológico mais ativo, facilita as funções renais e a digestão, e controla os níveis de glicemia no sangue. Se precisar de mais uma razão para adotar essa bebida, acrescentamos que ela tem propriedade antienvelhecimento e melhora o desempenho físico. Mas não se deve substituir a água mineral por água de coco. Beba ambas. Alimentos ricos em carboidratos, principalmente os feitos com farinha de trigo refinada, devem ser substituídos por alimentos feitos com farinha integral. Assim, podem ser consumidos o pão, biscoito e bolo integral. Isso aliado a alimentos que contenham fibras e dão sensação de saciedade, pode permitir perder alguns quilos durante o verão. Prefira carne branca à vermelha, pois permite melhor digestão, além de manter a pele bonita e saudável, porque o bom funcionamento do organismo ajuda a pele a respirar. Os peixes podem ser consumidos à vontade. Deve-se ficar atento às bebidas alcoólicas. Além de conter calorias extras, quando ingeridas em grandes quantidades podem levar à desidratação e perda intensa de líquido pelo organismo. E não trazem nenhum benefício à saúde. Se for consumir doce, prefira sorvetes e picolés de frutas, que usam água e não leite no preparo. Já existem, no mercado, opções sem açúcar. Abacaxi, melancia, melão, limão e maracujá são as melhores opções. É muito importante, também, o cuidado na preparação dos alimentos. O manuseio correto, a higiene, a qualidade e frescor dos produtos devem ser observados para evitar contaminação e intoxicação, já que no calor as bactérias se proliferam com maior velocidade. Outras dicas importantes: Prefira frutas pouco calóricas e que contenham bastante líquido, como a melancia e o melão; Coma mais vezes e em menor quantidade. As refeições devem ser feitas de três em três horas; Nada de fazer dietas malucas nessa estação. O segredo é se alimentar corretamente; Utilize o sistema a vapor ao cozinhar legumes. Ajuda a preservar melhor os nutrientes e evita adição de gordura aos legumes; Evite ingerir líquidos durante as refeições. Esse hábito atrapalha o processo digestivo, podendo causar gases e constipação. Aproveite o verão com saúde e energia! 06

7 RENTABILIDADE DOS INVESTIMENTOS E INDICADORES PORTFÓLIO DOS INVESTIMENTOS INVESTIMENTOS Renda Fixa Renda Variável Investimentos Estruturados Imóveis Oper.com Participantes Total dos Investimentos Contribuições Contratadas Total c/contribuições Contratadas Dezembro/2012 % 1,77 4,75 0,12 0,21 1,08 2,09 1,03 1,91 ANO/2012 % 23,87 12,49 5,75 65,79 3,29 23,77 12,31 21,66 Investimentos CDI IBX-50 Meta Atuarial 0,53 5,05 1,23 8,41 9,87 12,57 PORTFÓLIO DOS INVESTIMENTOS CONSOLIDADO (R$ Mil) Investimentos Estruturados (1,3%) Imóveis (4,2%) Contrib.Contratadas (18,5%) Renda Fixa (62,5%) Investimentos Estruturados (1,8%) Imóveis (5,8%) Contrib.Contratadas (16,2%) Renda Fixa (61,9%) Oper. c/participantes 25 (0%) Renda Variável (13,5%) POSIÇÃO : 31/12/2011 Total: Oper. c/participantes (0,2%) Renda Variável (14,1%) PORTFÓLIO DOS INVESTIMENTOS - PCA (R$ mil) POSIÇÃO : 31/12/2012 Total: OBS: Os Gráficos consolidados acima contemplam os investimentos do Plano PCA, PACV e Operações Administrativas. Investimentos Estuturados (0,9%) Imóveis (5,5%) Contribuições Contratadas (24,1%) Renda Fixa (57,4%) Operações c/participantes 1,564 (0,2%) Imóveis (7,6%) Contibuições Contratadas (21,1%) Renda Fixa (57,9%) Oper. c/participantes 25 (0%) Renda Variável (12,1%) POSIÇÃO : 31/12/2011 Total: Investimentos Estruturados (1,1%) Renda Variável (12,2%) POSIÇÃO : 31/12/2012 Total: PORTFÓLIO DOS INVESTIMENTOS - PACV (R$ mil) Renda Variável (18,7%) Investimentos Estruturados (2,6%) Renda Variável (20,7%) Investimentos Estruturados (4,2%) Oper. Participantes (0,5%) Renda Fixa (78,7%) POSIÇÃO : 31/12/2011 Total: Renda Fixa (74,6%) POSIÇÃO : 31/12/2012 Total: em foco 07

8 Meta Atuarial Brasiletros altera Taxa de Juros e Tábua de Mortalidade dos Planos de Benefícios A estabilidade na economia é pré-requisito para o crescimento sustentável de um país e, portanto, para uma sociedade com mais justiça. Após mais de uma década de gestão econômica dedicada à busca de solidez no controle da inflação, a esperada queda da taxa de juros no país e o controle nas contas externas e no equilíbrio fiscal, apontam que o Brasil alcançou um ciclo de crescimento sustentado, o que nos compara à economia de países do primeiro mundo. Dos indicadores acima citados, o que afeta diretamente os Fundos de Pensão é a redução da taxa de juros no mercado financeiro, que poderá ser observada com a trajetória de declínio da taxa Selic (Sistema Especial de Liquidação e de Custódia), que é uma taxa referencial de juros da economia. A redução teve início há mais de um ano, em novembro de 2011, quando a taxa era de 11%, tendo sido reduzida para 7,25%, em novembro de A queda da taxa de juros no país é uma mudança importante na gestão de investimentos dos Fundos, que terá a necessidade de diversificação para rentabilizar os recursos que administram o pagamento dos atuais e futuros benefícios, buscando no mercado novas formas para garantir a mudança nas hipóteses atuariais. A taxa de juros é uma das variáveis mais suscetíveis dentro do modelo de custeio dos fundos de pensão, haja vista envolver processos de capitalização com períodos longos, que vão desde a fase de acumulação das reservas até o efetivo pagamento dos benefícios de aposentadoria. A redução desta taxa provoca grande impacto no 8 passivo atuarial e na determinação do custeio de um plano, dado que ela representa a expectativa de retorno dos investimentos no longo prazo. A rentabilidade dos investimentos é fundamental para que o sistema funcione normalmente, pois caso não conquiste o retorno esperado, certamente faltarão recursos para honrar os compromissos. Por isso, a adequação da taxa de juros deve ser cuidadosa e estar em consonância com a política de investimentos das contribuições recebidas e já capitalizadas. Neste sentido, a taxa de juros deve representar a expectativa da taxa de rentabilidade dos ativos financeiros do Plano no longo prazo, e não resultados de oscilações no curto prazo. Atualmente, menos de 60% dos fundos de pensão brasileiros utilizam taxas inferiores ao teto de 6% nas projeções atuariais. Taxas de Juros adotadas nas EFPCs 100% 90% 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% 0% 6% 5% 5% 4% 23% 29% 31% 11% 61% 49% 43% 2009 entre 5% e 6% 17% 22% % menos que 5% Longevidade A expectativa de vida da população brasileira continua aumentando e, dentro de vinte anos, o país terá um perfil demográfico muito próximo ao que se observa hoje nas nações mais desenvolvidas. A Tábua de Mortalidade atualmente utilizada para a avaliação dos compromissos da BRASILETROS é a AT-2000, que também representa um risco atuarial, de acordo com o Art. 12 da Resolução CGPC 13/2004: Todos os riscos que possam comprometer a realização dos objetivos da EFPC devem ser continuamente identificados, avaliados, controlados e monitorados. Atualmente, 48% dos fundos de pensão brasileiros adotam a Tábua AT nas projeções atuariais. Tábuas adotadas pelas EFPC 100% 90% 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% 0% OUTRAS 38% 45% 48% 53% 45% 42% 2009 AT-2000 RP AT-83 IBGE

9 Avaliação Atuarial Para determinar o dimensionamento das Reservas Matemáticas necessárias aos compromissos da Fundação para com os seus participantes, anualmente o atuário oficial (profissional que avalia as reservas, custeio e os riscos relacionados com os planos de benefícios, visando mantê-los permanentemente equilibrados) realiza a Avaliação Atuarial, e estima uma série de eventos futuros, chamados Hipóteses ou Premissas Atuariais que consideram as expectativas econômicas, financeiras, biométricas, experiência estatística, políticas de recursos humanos etc. e, com base nessas informações, faz projeções que, em um determinado momento ou ambiente, são consideradas praticamente certas e que, com o decorrer do tempo ou mudanças no entorno, podem ser vistas como improváveis, tal como a queda das taxas de juros no Brasil e o aumento da expectativa de vida da população brasileira, as quais vêm desenhando uma nova realidade para os Fundos de Pensão, que precisam se adequar a esse novo cenário. Nesse sentido, o atuário deverá rever seus estudos, para que os custos do Plano e as Reservas Matemáticas estejam adequados. Desde 2009, a Diretoria da Fundação vem realizando estudos sobre os impactos com a redução da taxa de juros para adequação à nova situação econômica, como as demais Entidades do país. Desta forma, a Brasiletros, em consonância com essa situação e até mesmo por recomendações do órgão legislador e fiscalizador, viu a necessidade de reduzir a taxa em função do risco decorrente de oscilações nas taxas de retorno das aplicações financeiras dos recursos em relação à taxa de juros da Avaliação Atuarial e promoveu, em 31/12/2012, a alteração da hipótese de Taxa de Juros, reduzindo-a de 6% a.a. para 5,5% a.a., bem como a adoção da tábua AT-2000, as quais foram aprovadas em reunião do Conselho Deliberativo realizada em 04/12/2012. Essas alterações de hipóteses geram reflexos nas provisões matemáticas dos assistidos do PCA e do PACV, os quais serão cobertos pelo resultado favorável do exercício de 2012 nos investimentos desses Planos, bem como redução na expectativa do valor do benefício futuro dos participantes ativos do PACV, que optarem pelo recebimento do benefício de aposentadoria na forma de renda mensal vitalícia, em função da maior longevidade dos participantes (que altera o fator atuarial que serve de base de cálculo do benefício) e da redução da expectativa da rentabilidade, o que poderá ser minimizado com aumento de contribuições e postergação do momento de aposentadoria, além da rentabilidade futura dos investimentos desses recursos. Em reunião realizada em 20/12/2012, o Conselho Deliberativo da Fundação autorizou a postergação dos efeitos da Conheça as mudanças e como os Planos serão afetados: Plano PCA Plano de Complementação de Aposentadoria (Benefício Definido - fechado para novas inscrições desde 1999) PACV Plano de Aposentadoria de Contribuição Variável. (criado em Janeiro de 1999) Impactos Elevação das Provisões Matemáticas Participante Assistido Participante Ativo Elevação das Provisões Matemáticas Participante Assistido Participante Ativo implantação do novo fator atuarial, que definem o valor da renda mensal vitalícia a partir de 01/03/2013. Assim, os participantes ativos do Plano PACV (Plano de Aposentadoria de Contribuição Variável) que estejam elegíveis e, por motivo de desligamento da Patrocinadora, requererem o benefício até 28/02/2013, não sofrerão nenhum impacto, uma vez que terão os cálculos realizados nas condições atuais. Os contratos de empréstimos aos participantes e o Contrato de Reserva a Amortizar entre a Fundação e a Patrocinadora também serão revisados. Mudança A cobertura da elevação das provisões será suportada pelo superávit acumulado de 2012; Não haverá alteração do benefício já concedido; Não haverá alteração do benefício a ser concedido. A cobertura da elevação das provisões será suportada pelo superávit acumulado de 2012; Não haverá alteração do benefício já concedido; Benefício Esperado 1) Forma de Pagamento Renda Vitalícia Haverá redução da expectativa dos novos benefícios de renda mensal vitalícia, em função da substituição dos fatores atuariais utilizados para a determinação da renda. Cálculo: Renda Vitalícia = Contribuições Acumuladas Fator Atuarial 2) Forma de Pagamento Renda Certa Não haverá redução da expectativa dos novos benefícios de renda por período certo. Cálculo: Renda Certa = Contribuições Acumuladas Prazo de Recebimento em foco 09

10 Avaliação Institucional Pesquisa de satisfação Visão Avaliação dos participantes Nos meses de novembro e dezembro/2012, a BRASILETROS colocou em campo a 4ª edição da Pesquisa de Satisfação Visão - Avaliação dos participantes, junto a seus participantes ativos, assistidos e beneficiários, objetivando mensurar o grau de satisfação dos participantes acerca do desempenho e da gestão da Entidade. Foram considerados os seguintes aspectos: administração dos Planos de Benefícios; melhoria do entendimento das regras dos Planos; atendimento; ferramentas de comunicação; e, gestão dos recursos financeiros. Nesta edição da pesquisa, também foram levantados alguns dados para traçar o perfil dos participantes quanto ao segmento de finanças pessoais e para avaliar o grau de conhecimento do Programa EDUcativo programa de educação financeira e previdenciária da BRASILETROS, bem como as ferramentas e os conteúdos disponibilizados no Hot site (www.educativobrasiletros. com.br), lançado em junho de A pesquisa foi aplicada a todos os participantes, totalizando indivíduos, separados em dois grupos: Ativos Responderam a pesquisa 101 participantes, de um total de 1.136, representando 8,9% da massa. Assistidos Beneficiários Outros Responderam a pesquisa 638 participantes, de um total de 2.759, representando 19% da massa. Média Geral de Satisfação / % SATISFEITO 84% 9% NEUTRO 10% % 6% 5% INSATISFEITO NÃO RESPONDEU Os resultados possibilitarão traçar ações direcionadas aos pontos considerados passíveis de melhorias e servirão de norte para conduzir as metas de Feedback 360º Avaliação Institucional Manter controle acerca do desempenho de uma instituição é fundamental atualmente. Dentro deste contexto, analisar o desempenho diante do universo que a entidade se relaciona é tarefa essencial. Nessa ótica, a BRASILETROS realizou, nos meses de novembro e dezembro de 2012, a 3ª edição da Pesquisa de Satisfação de Múltiplas Fontes (Pesquisa 360º). Os questionários eletrônicos foram enviados através de , protegidos por login e senha, para que os colaboradores, patrocinadoras, conselheiros, consultores, prestadores de serviço, associações da classe e instituições financeiras dessem a sua opinião sobre o clima organizacional e o desempenho da entidade nas atividades desenvolvidas entre as partes. A pesquisa foi aplicada para 07 grupos distintos, totalizando 91 indivíduos. Com ponderação de 1 a 5, foi considerada a pontuação 5 como o grau máximo (Muito Satisfeito) e 1 o grau mínimo (Muito Insatisfeito). Média geral de Satisfação = 92% 10 Os resultados das duas pesquisas encontram-se disponíveis para consulta no site da BRASILETROS (www.brasiletros.com.br).

11 Educação Previdenciária Resultados do Programa de Visita aos Polos No período de 02 a 19/10/2012, a Fundação Ampla de Seguridade Social - Brasiletros deu início a atividades presenciais junto a seus participantes. Essa iniciativa faz parte do Programa de Educação Previdenciária, promovido pela Entidade, que busca propiciar a melhoria na estrutura do planejamento financeiro e previdenciário dos seus participantes, com o fornecimento de informações e esclarecimento de dúvidas relacionadas a sistemas de finanças, Previdência Social e Complementar, através da realização de palestras e arenas de integração nos Polos das Patrocinadoras. Através do Programa de Visitas aos Polos das Patrocinadoras, a Brasiletros disseminou informações gerais sobre o Regulamento dos Planos de Benefícios por ela administrados, orientações sobre finanças pessoais, além do Programa de Educação Previdenciária PEP, parceria firmada com o Instituto Nacional de Seguridade Social - INSS, direcionada a uma abordagem mais específica sobre os assuntos relacionados aos benefícios do referido órgão. Confira os resultados das visitas aos Polos no site da Brasiletros. Estatística de Participações 39% Participaram Os resultados da Visita aos Polos podem ser acompanhados no Hot site do Programa EDUcativo (www.educativobrasiletros.com.br). em foco 11

12 NOTAS DIVERSAS Nota Jornal Revisão dos parâmetros técnico-atuariais. No dia 29/11/2012, o Conselho Nacional de Previdência Complementar (CNPC) decidiu reduzir o teto da meta atuarial dos fundos de pensão, gradualmente, de 6% para 4,5% até o ano de 2018, com redução de 0,25% a.a. já a partir de O que é Meta Atuarial É o percentual mínimo exigido para a rentabilidade dos investimentos de um plano de previdência, visando garantir o cumprimento dos compromissos futuros - o pagamento dos benefícios. A meta atuarial é fixada, geralmente, como sendo a taxa de juros adotada na avaliação atuarial conjugada a um índice de inflação. Guarda de documentos Em dezembro de 2012, o acervo físico documental da BRASILETROS foi totalmente transferido para a IRON MOUNTAIN, empresa prestadora de serviços especializada em guarda de documentos. Desta forma, foi possível garantir a segurança do arquivo histórico institucional e de todas as informações pertinentes à Entidade. Esta transferência se deu após o término da digitalização de documentos da BRASILETROS, que possibilita a consulta das informações via sistema de Gerenciamento de Dados. BRASILETROS contrata nova empresa de auditoria Buscando aperfeiçoar ainda mais a gestão de qualidade dos serviços internos, a BRASILETROS contratou a empresa de auditoria externa Deloitte Touche Tohumatsu, com o objetivo de realizar o fechamento contábil do exercício de Certificação Em consonância ao disposto na Resolução CMN nº 3.792/2009, no que tange à Certificação Profissional dos administradores e demais participantes do processo decisório dos investimentos, informamos que a Brasiletros vem cumprindo os prazos estabelecidos desde 2010 e, até Dezembro/2012, já certificou mais de 50% do contingente a ser focado (AETQ Administrador Estatutário Tecnicamente Qualificado, DIREX Diretoria Executiva, DELIB Conselho Deliberativo, COMIN Comitê de Investimentos, e Gestor(a) da área de Investimentos). Desta forma, buscamos constantemente a qualificação de nossos colaboradores com vistas a uma competente gestão da Entidade. Alterações no Estatuto e Regulamentos dos Planos de Benefícios Através do Portal da PREVIC - Superintendência Nacional de Previdência Complementar, foi encaminhada, em 13/12/2012, documentação evidenciando e justificando as alterações propostas para o Estatuto e os Regulamentos do Plano de Complementação de Aposentadoria PCA e do Plano de Aposentadoria de Contribuição Variável - PACV, para análise e aprovação por parte daquele órgão regulador e fiscalizador. Os procedimentos adotados pela Fundação observaram os dispositivos legais, que determinam a comunicação das alterações aos Participantes e Assistidos dos Planos com 30 (trinta) dias de antecedência do encaminhamento da documentação à PREVIC. A comunicação aos Participantes e Assistidos, das alterações propostas nos referidos documentos, ocorreu através de Informativos enviados pelos Correios e via s, aos colaboradores da Ampla, Endesa Brasil e da própria Brasiletros. O material está disponibilizado no site da Brasiletros (www.brasiletros.com.br) para acesso de todos os participantes. EXPEDIENTE: BRASILETROS EM FOCO Fundação Ampla de Seguridade Social. Av. Visconde do Rio Branco, 429 / 5º andar Cep Centro Niterói / RJ Tel.: (21) Diretor-Presidente: Luís Carlos Silva Miranda; Diretor de Investimentos, Administração e Finanças: Oscar Henrique Campos Jara; Diretora de Seguridade: Dilma Nascimento. Comunicação Brasiletros: Fábio Alves de Brito. Edição, redação e projeto gráfico: SV Studio Virtual Consultoria e Sistemas.

Fundação Previdenciária IBM. Resumo Relatório Anual 2013 PLANO DE BENEFÍCIOS DA IBM BRASIL. 1 Relatório Anual - IBM

Fundação Previdenciária IBM. Resumo Relatório Anual 2013 PLANO DE BENEFÍCIOS DA IBM BRASIL. 1 Relatório Anual - IBM Fundação Previdenciária IBM Resumo Relatório Anual 2013 PLANO DE BENEFÍCIOS DA IBM BRASIL 1 VIVER O PRESENTE, DE OLHO NO FUTURO Caro participante, Muitos dizem que é melhor viver intensamente o presente

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Telest Celular

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Telest Celular Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Visão Telest Celular Exercício: 2013 e 2012 dezembro R$ Mil Descrição 2013 2012 Variação (%) Relatório Anual 2013 Visão Prev 1. Ativos Recebível Investimento

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Vivo Prev

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Vivo Prev Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Vivo Prev Exercício: 2013 e 2012 dezembro R$ Mil Descrição 2013 2012 Variação (%) Relatório Anual 2013 Visão Prev 1. Ativos Disponível Recebível Investimento

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - PBS Telesp Celular Exercício: 2013 e 2012 - dezembro - R$ Mil

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - PBS Telesp Celular Exercício: 2013 e 2012 - dezembro - R$ Mil Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios PBS Telesp Celular Exercício: 203 e 202 dezembro R$ Mil Descrição 203 202 Variação (%) Relatório Anual 203 Visão Prev. Ativos Disponível Recebível

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Multi

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Multi Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Visão Multi Exercício: 013 e 01 dezembro R$ Mil Descrição 013 01 Variação (%) Relatório Anual 013 Visão Prev 1. Ativos Recebível Investimento Ações

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: FUSESC 2- CÓDIGO: 00552 3- RAZÃO SOCIAL: FUNDACAO CODESC DE SEGURIDADE SOCIAL 4- NÚMERO DE PLANOS: 3

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: FUSESC 2- CÓDIGO: 00552 3- RAZÃO SOCIAL: FUNDACAO CODESC DE SEGURIDADE SOCIAL 4- NÚMERO DE PLANOS: 3 FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 3 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 20.020.006-38 - PLANO DE BENEFÍCIOS MULTIFUTURO I 12- OBSERVAÇÕES: ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [83.564.443/0001-32] FUNDACAO CODESC DE SEGURIDADE SOCIAL PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2002.0046-92] MULTIFUTURO II ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2013 Atuário Responsável

Leia mais

PARECER ATUARIAL Exercício de 2014. INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social

PARECER ATUARIAL Exercício de 2014. INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social PARECER ATUARIAL Exercício de 2014 INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social Plano de Benefícios PCD INERGUS Março de 2015 1 PARECER ATUARIAL Avaliamos atuarialmente o Plano de Benefícios PCD INERGUS

Leia mais

Renda Vitalícia por Aposentadoria por SRB - INSS Benefício Definido Capitalização Crédito Unitário Projetado Invalidez (1)

Renda Vitalícia por Aposentadoria por SRB - INSS Benefício Definido Capitalização Crédito Unitário Projetado Invalidez (1) PARECER ATUARIAL PLANO DE BENEFÍCIOS REB 1998 AVALIAÇÃO ANUAL 2005 Fl. 1/6 ENTIDADE SIGLA: FUNCEF 1 CÓDIGO: 01523 2 RAZÃO SOCIAL: FUNCEF-FUNDAÇÃO DOS ECONOMIÁRIOS FEDERAIS 18 3 PLANO NOME DO PLANO: REB

Leia mais

Principais Destaques

Principais Destaques Aumento do Patrimônio Atingimento da Meta Atuarial Principais Destaques 1. Perfil Institucional A Fundação CAGECE de Previdência Complementar CAGEPREV, criada através da Lei Estadual nº 13.313, de 30 de

Leia mais

Relatório anual do Plano de Benefícios Multifuturo I

Relatório anual do Plano de Benefícios Multifuturo I Relatório anual do Plano de Benefícios Multifuturo I Pareceres PARECER ATUARIAL DA AVALIAÇÃO REALIZADA EM 31/12/2009 Considerações iniciais O presente parecer tem por objetivo apresentar nossas considerações

Leia mais

Cafbep - Plano Prev-Renda 1

Cafbep - Plano Prev-Renda 1 Cafbep - Plano Prev-Renda 1 Parecer Atuarial Para fins da avaliação atuarial referente ao exercício de 2013 do Plano Prev-Renda da Cafbep Caixa de Previdência e Assistência aos Funcionários do Banco do

Leia mais

Parecer Atuarial. Cadastro. Características do Plano. Hipóteses Atuariais

Parecer Atuarial. Cadastro. Características do Plano. Hipóteses Atuariais Parecer Atuarial Avaliamos atuarialmente o Plano PREV-RENDA da CAFBEP Caixa de Previdência e Assistência aos Funcionários do Banco do Estado do Pará, patrocinado pelo BANPARÁ com o objetivo de identificar

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [49.323.025/0001-15] SUPREV-FUNDACAO MULTIPATROCINADA DE SUPLEMENTACAO PREV PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [1990.0016-29] PLANO DE BENEFÍCIOS BD ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 3 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS 11- FOLHA SALÁRIO DA PATROCINADORA

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL [29.959.574/0001-73] FUNDACAO DE PREVIDENCIA DOS SERVIDORES DO IRB PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: TIPO: RETIFICADORA: [1977.0001-18] PLANO A ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2012 COMPLETA

Leia mais

12. Como é o caso de pensão por morte de quem ainda está contribuindo para a previdência?

12. Como é o caso de pensão por morte de quem ainda está contribuindo para a previdência? Tel: 0800 941 7738 1 Educação Financeira Esta Cartilha tem como abjetivo mostrar a importância da educação financeira e previdenciária aos advogados participantes da OABPrev-RJ para que possam organizar

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [02.884.385/0001-22] ELETRA FUNDACAO CELG DE SEGUROS E PREVIDENCIA PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2000.0069-65] PLANO CELGPREV ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2011 Atuário Responsável

Leia mais

JESSÉ MONTELLO Serviços Técnicos em Atuária e Economia Ltda.

JESSÉ MONTELLO Serviços Técnicos em Atuária e Economia Ltda. PARECER ATUARIAL V.1- Custos para o exercício seguinte em relação ao anterior: 1) A aplicação da metodologia de cálculo atuarial estabelecida para o plano de benefícios da FUNCASAL, utilizando as hipóteses

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL [02.884.385/0001-22] FUNDACAO CELG DE SEGUROS E PREVIDENCIA MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: OUTROS 30/04/2015 Atuário Responsável DANIEL PEREIRA DA SILVA MIBA: 1146 MTE: 1146 DA transmitida à Previc em 29/05/2015

Leia mais

Recupere a saúde financeira e. garanta um futuro tranquilo Reitoria da UNESP, 13/05/2015

Recupere a saúde financeira e. garanta um futuro tranquilo Reitoria da UNESP, 13/05/2015 Recupere a saúde financeira e garanta um futuro tranquilo Reitoria da UNESP, 13/05/2015 Objetivo geral Disseminar conhecimento financeiro e previdenciário dentro e fora da SP-PREVCOM buscando contribuir

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 3 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS 11- FOLHA SALÁRIO DA PATROCINADORA

Leia mais

SOLVÊNCIA DE PLANOS DE BENEFÍCIOS, COMPARTILHAMENTO DE RISCOS E SEUS EFEITOS NA GESTÃO DAS EFPC. João Marcelo Carvalho

SOLVÊNCIA DE PLANOS DE BENEFÍCIOS, COMPARTILHAMENTO DE RISCOS E SEUS EFEITOS NA GESTÃO DAS EFPC. João Marcelo Carvalho SOLVÊNCIA DE PLANOS DE BENEFÍCIOS, COMPARTILHAMENTO DE RISCOS E SEUS EFEITOS NA GESTÃO DAS EFPC João Marcelo Carvalho Agenda COMPARTILHAMENTO DE RISCOS SOLVÊNCIA CONCLUSÕES 2 Agenda COMPARTILHAMENTO DE

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [49.323.025/0001-15] SUPREV-FUNDACAO MULTIPATROCINADA DE SUPLEMENTACAO PREV PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [1985.0012-92] PB USIBA ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014 Atuário

Leia mais

Introdução à atuária. Universidade de Cuiabá Tangará da Serra Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Noções de Atuária

Introdução à atuária. Universidade de Cuiabá Tangará da Serra Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Noções de Atuária Universidade de Cuiabá Tangará da Serra Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Noções de Atuária Introdução à atuária Aula 01 Prof. Dr. Junio C. Martinez O ATUÁRIO Profissão regulamentada em 03/04/1970

Leia mais

Regius - Plano de Benefícios 03 1

Regius - Plano de Benefícios 03 1 Regius - Plano de Benefícios 03 1 Parecer Atuarial Avaliamos atuarialmente o Plano de Benefícios 03 da Regius Sociedade Civil de Previdência Privada em 31/12/2010, com o objetivo de identificar sua situação

Leia mais

GLOSSÁRIO DE TERMOS TÉCNICOS ATUARIAIS

GLOSSÁRIO DE TERMOS TÉCNICOS ATUARIAIS GLOSSÁRIO DE TERMOS TÉCNICOS ATUARIAIS A Abono Anual: Pagamento da 13ª (décima terceira) parcela anual do benefício de renda continuada. Abono de Natal: (v. Abono Anual). Administrador Especial: Pessoa

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [08.071.645/0001-27] CIASPREV - CENTRO DE INTEGRACAO E ASSISTENCIA AOS SERVIDORES PUBLICOS PREVIDENCIA PRIVADA PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2005.0049-11] PREVINA ENCERRAMENTO

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL [02.884.385/0001-22] FUNDACAO CELG DE SEGUROS E PREVIDENCIA MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: OUTROS 30/04/2015 Atuário Responsável DANIEL PEREIRA DA SILVA MIBA: 1146 MTE: 1146 DA transmitida à Previc em 29/05/2015

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [01.182.491/0001-00] OABPREV-RS - FUNDO DE PENSAO MULTIPATROCINADO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, SECCIONAL DO RIO GRANDE DO SUL [2006.0013-29]

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: SUPREV 2- CÓDIGO: 00984 3- RAZÃO SOCIAL: SUPREV-FUNDACAO MULTIPATROCINADA SUPLEMENTAÇAO PREVIDENCIARIA

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: SUPREV 2- CÓDIGO: 00984 3- RAZÃO SOCIAL: SUPREV-FUNDACAO MULTIPATROCINADA SUPLEMENTAÇAO PREVIDENCIARIA FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 8 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 19.810.009-92 - PLANO DE BENEFÍCIOS N.º 001 - BROOKLYN 12- OBSERVAÇÕES: ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [10.530.382/0001-19] FUNDO DE PREVIDENCIA COMPLEMENTAR DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE PERNAMBUCO-ALEPEPREV PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2008.0048-56] ALEPEPREV ENCERRAMENTO

Leia mais

PERGUNTAS & RESPOSTAS

PERGUNTAS & RESPOSTAS PL nº 1992, DE 2007 FUNPRESP PERGUNTAS & RESPOSTAS 1. ORÇAMENTO: PL sem dotação orçamentária? O governo enviou, no dia 06 de fevereiro, de 2012 um projeto de lei (PLN nº 1, de 2012; MSG nº 24/2012) que

Leia mais

SECRETARIA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO DEMONSTRATIVO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO ATUARIAL DOS PLANOS DE BENEFÍCIOS

SECRETARIA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO DEMONSTRATIVO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO ATUARIAL DOS PLANOS DE BENEFÍCIOS FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO DEMONSTRATIVO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO ATUARIAL DOS PLANOS DE BENEFÍCIOS ENTIDADE RAZÃO SOCIAL: FUNDAÇÃO BANESTES DE SEGURIDADE SOCIAL 3 DADOS DOS PLANOS NÚMERO DE PLANOS:

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO ATUARIAL- RA 06/14

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO ATUARIAL- RA 06/14 RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO ATUARIAL- RA 06/14 Plano de Benefícios Previdenciários do Advogado - Adv-PREV Fundo de Pensão Multipatrocinado da Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional de Goiás e da CASAG -

Leia mais

INFORMA REDUÇÃO DO CUSTEIO ADMINISTRATIVO - QUE DIFERENÇA FAZ?

INFORMA REDUÇÃO DO CUSTEIO ADMINISTRATIVO - QUE DIFERENÇA FAZ? INFORMA Edição nº 4 Dezembro/2015 REDUÇÃO DO CUSTEIO ADMINISTRATIVO - QUE DIFERENÇA FAZ? Para administrar os planos de benefícios, a Regius utiliza os recursos advindos do custeio administrativo previdencial,

Leia mais

Os resultados de 2013 e as perspectivas para 2014

Os resultados de 2013 e as perspectivas para 2014 w w w. f u n b e p. c o m. b r Informativo bimestral do FUNBEP - Fundo de Pensão Multipatrocinado março/abril 2014 ano12 nº64 Fechamento autorizado. Pode ser aberto pela ECT. Os resultados de 2013 e as

Leia mais

PARECER ATUARIAL 2014

PARECER ATUARIAL 2014 PARECER ATUARIAL 2014 Plano de Benefícios 1 Plano de Benefícios PREVI Futuro 1. OBJETIVO 1.1. O presente Parecer Atuarial tem por objetivo informar sobre a qualidade da base cadastral, as premissas atuariais,

Leia mais

Rio de Janeiro, 14 de fevereiro de 2014.

Rio de Janeiro, 14 de fevereiro de 2014. Rio de Janeiro, 14 de fevereiro de 2014. STEA:- 80/2014/153 Ilma. Sra. Dra. Jussara Carvalho Salustino M.D. Diretora Presidente da ECOS Ref:- Parecer Atuarial sobre o Balanço de 31/12/2013 Plano BD Prezada

Leia mais

Programa de Certificação REGUS Módulo Atuarial. Brasília DF, 24 de maio de 2013 1

Programa de Certificação REGUS Módulo Atuarial. Brasília DF, 24 de maio de 2013 1 Programa de Certificação REGUS Módulo Atuarial Brasília DF, 24 de maio de 2013 1 Programa Definição de Atuária, aplicações na previdência complementar e atuação do atuário Obrigações atuariais estabelecidas

Leia mais

GLOSSÁRIO DE TERMOS TÉCNICOS DA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR

GLOSSÁRIO DE TERMOS TÉCNICOS DA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR GLOSSÁRIO DE TERMOS TÉCNICOS DA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PREVINORTE O presente Glossário tem por objetivo transmitir uma noção do significado de palavras e expressões usadas no segmento de Previdência

Leia mais

Orgulho de ser OABPREV

Orgulho de ser OABPREV RELATÓRIO ANUAL 2008 Av. Hercílio Luz nº 639, sala 211 - Centro - Florianópolis - SC - CEP: 88020-000 Fones: (48) 3222-7440 e 3222-7450 - www.oabprev-sc.org.br APRESENTAÇÃO Orgulho de ser OABPREV Acreditamos

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 1 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 20.050.042-11 - PLANO PREVER DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS

Leia mais

Relatório de Seguridade

Relatório de Seguridade Relatório Fevereiro/2013 O relatório da área de seguridade tem por finalidade apresentar as principais atividades desenvolvidas no mês, informando os números e valores relativos ao período de fevereiro

Leia mais

PARECER ATUARIAL Exercício de 2014. INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social. Plano de Origem - BD. Março de 2015

PARECER ATUARIAL Exercício de 2014. INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social. Plano de Origem - BD. Março de 2015 PARECER ATUARIAL Exercício de 2014 INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social Plano de Origem - BD Março de 2015 1 PARECER ATUARIAL Avaliamos atuarialmente o Plano de Benefícios Previdenciários do

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 1 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 20.050.042-11 - PLANO PREVER DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS

Leia mais

RELATÓRIO DE CONTROLES INTERNOS 1º SEMESTRE DE 2012 MANIFESTAÇÃO DO CONSELHO FISCAL

RELATÓRIO DE CONTROLES INTERNOS 1º SEMESTRE DE 2012 MANIFESTAÇÃO DO CONSELHO FISCAL RELATÓRIO DE CONTROLES INTERNOS 1º SEMESTRE DE 2012 MANIFESTAÇÃO DO CONSELHO FISCAL Em cumprimento ao que determina o Art. 62 da Resolução CMN nº 3.456, de 01/06/2007, e o Art. 19, 20 e 23 da Resolução

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 1- SIGLA: OABPREV 2- CÓDIGO: 04501 4- NÚMERO DE PLANOS: 1 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 20.070.021-83 - PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DO ADVOGADO - PREV DADOS

Leia mais

Relatório do Estudo de Aderência de Hipóteses

Relatório do Estudo de Aderência de Hipóteses PSS - Seguridade Social Relatório do Estudo de Aderência de Hipóteses Agosto, 2014 Esta página está em branco intencionalmente PSS - Seguridade Social i Sumário Seção 1 : Introdução... 1 Seção 2 : Objetivos...

Leia mais

O PAC e você. Saiba mais sobre o funcionamento do PAC. editorial

O PAC e você. Saiba mais sobre o funcionamento do PAC. editorial Informativo bimestral da Fundação Itaubanco julho/agosto2003 ano1 nº2 O PAC e você Saiba mais sobre o funcionamento do PAC editorial Nesta edição, apresentamos uma matéria especial sobre o Plano de Aposentadoria

Leia mais

Dos novos sistemas à certificação, é nas pesquisas que a satisfação aparece. DESTAQUES. pág. 3

Dos novos sistemas à certificação, é nas pesquisas que a satisfação aparece. DESTAQUES. pág. 3 Fundação Ampla de Seguridade Social set 2010 a fev 2011 n º 21 9912222370/2008-DR/RJ Brasiletros Retrospectiva 2010 DESTAQUES Dos novos sistemas à certificação, é nas pesquisas que a satisfação aparece.

Leia mais

CARTILHA DO PLANO D FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT

CARTILHA DO PLANO D FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT CARTILHA DO PLANO D Cartilha - Plano D INTRODUÇÃO Você está recebendo a Cartilha do Plano D. Nela você encontrará um resumo das principais características do plano. O Plano D é um plano moderno e flexível

Leia mais

GLOSSÁRIO TERMOS UTILIZADOS PARA FUNDOS DE PENSÃO. ABRAPP. Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência

GLOSSÁRIO TERMOS UTILIZADOS PARA FUNDOS DE PENSÃO. ABRAPP. Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência GLOSSÁRIO ABRAPP. Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar. ASSISTIDOS. Participante ou Beneficiário(s) em gozo de benefício. ATUÁRIO. Profissional técnico especializado,

Leia mais

Contextualizando os Investimentos em 2012. O Olhar do órgão Fiscalizador

Contextualizando os Investimentos em 2012. O Olhar do órgão Fiscalizador Contextualizando os Investimentos em 2012 O Olhar do órgão Fiscalizador Brasília Maio/2012 1 Agenda A PREVIC e Dados do setor Impacto de Mudanças nas Taxas de Juros Alteração Res. CGPC 18 Guia PREVIC de

Leia mais

Cartilha do Participante

Cartilha do Participante Benefício definido (Eletra 01) BENEFICIO DEFINIDO Cartilha do Participante Introdução A ELETRA Fundação Celg de Seguros e Previdência é uma entidade fechada de previdência privada, de fins previdenciários

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [00.469.585/0001-93] FACEB - FUNDACAO DE PREVIDENCIA DOS EMPREGADOS DA CEB PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2006.0068-11] CEBPREV ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2013 Atuário

Leia mais

INSTRUÇÃO PREVIC Nº 5, DE 01 DE NOVEMBRO DE 2013

INSTRUÇÃO PREVIC Nº 5, DE 01 DE NOVEMBRO DE 2013 INSTRUÇÃO PREVIC Nº 5, DE 01 DE NOVEMBRO DE 2013 Dispõe sobre os procedimentos a serem observados pelas entidades fechadas de previdência complementar na divulgação de informações aos participantes e assistidos

Leia mais

Plano de Benefícios 1 Plano de Benefícios PREVI Futuro Carteira de Pecúlios CAPEC

Plano de Benefícios 1 Plano de Benefícios PREVI Futuro Carteira de Pecúlios CAPEC Relatório PREVI 2013 Parecer Atuarial 2013 74 Plano de Benefícios 1 Plano de Benefícios PREVI Futuro Carteira de Pecúlios CAPEC 1 OBJETIVO 1.1 O presente Parecer Atuarial tem por objetivo informar sobre

Leia mais

FUNDAMENTOS DA PREVIDÊNCIA

FUNDAMENTOS DA PREVIDÊNCIA FUNDAMENTOS DA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Ensino a distância ÍNDICE I) O QUE É PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR? II) SISTEMA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR III) MARCOS REGULATÓRIOS IV) PLANOS DE BENEFÍCIOS V) ENTIDADES

Leia mais

PARECER ATUARIAL Exercício de 2014. INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social PLANO SALDADO INERGUS (PSI) Março de 2015

PARECER ATUARIAL Exercício de 2014. INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social PLANO SALDADO INERGUS (PSI) Março de 2015 PARECER ATUARIAL Exercício de 2014 INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social PLANO SALDADO INERGUS (PSI) Março de 2015 1 PARECER ATUARIAL Avaliamos atuarialmente o Plano de Benefícios Previdenciários

Leia mais

2º Semestre de 2010 2

2º Semestre de 2010 2 1 2 2º Semestre de 2010 O objetivo deste material é abordar os pontos principais do Plano de Benefícios PreviSenac e não substitui o conteúdo do regulamento. 3 4 Índice PreviSenac para um futuro melhor

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: ELETRA

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: ELETRA DA transmitida à Previc em 27/03/2013 às 11:08:58 Número do protocolo: 005549 INFORMAÇÕES CADASTRAIS ENTIDADE Código: 0134-5 CNPJ: 02.884.385/0001-22 Sigla: ELETRA Razão Social: ELETRA FUNDACAO CELG DE

Leia mais

JORNAL. O futuro chega rápido Atlântico registrou maior número de adesões desde sua criação. 4, 5 e 6

JORNAL. O futuro chega rápido Atlântico registrou maior número de adesões desde sua criação. 4, 5 e 6 JORNAL n o 30 ano X 1 o quadrimestre de 2014 Uma Publicação da Fundação Atlântico de Seguridade Social O futuro chega rápido Atlântico registrou maior número de adesões desde sua criação. 4, 5 e 6 Comunicação

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [01.541.775/0001-37] HP PREV SOCIEDADE PREVIDENCIARIA PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [1996.0026-19] PLANO HP PREV ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014 Atuário Responsável MIRIA

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [07.083.033/0001-91] CABEC-CAIXA DE PREVIDENCIA PRIVADA DO BEC PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [1979.0019-11] BD ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2011 Atuário Responsável VICENTE

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 2 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS 11- FOLHA SALÁRIO DA PATROCINADORA

Leia mais

PLANO DE BENEFÍCIOS PREVMAIS. Avaliação Atuarial de 2014 Plano de Benefícios PrevMais CNPB 2006.0034-29 Parecer Atuarial 045/15 Fevereiro 2015

PLANO DE BENEFÍCIOS PREVMAIS. Avaliação Atuarial de 2014 Plano de Benefícios PrevMais CNPB 2006.0034-29 Parecer Atuarial 045/15 Fevereiro 2015 156 Relatório Anual de Informações 2014 PLANO DE BENEFÍCIOS PREVMAIS Avaliação Atuarial de 2014 Plano de Benefícios PrevMais CNPB 2006.0034-29 Parecer Atuarial 045/15 Fevereiro 2015 1. Considerações Iniciais

Leia mais

A... Aceitação Ato de aprovação pela entidade de uma proposta efetuada.

A... Aceitação Ato de aprovação pela entidade de uma proposta efetuada. A... Aceitação Ato de aprovação pela entidade de uma proposta efetuada. Adesão Característica do contrato de previdência privada, relativa ao ato do proponente aderir ao plano de previdência. Administradores

Leia mais

ANEXO DE METAS FISCAIS AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO FINANCEIRA E ATUARIAL. (Artigo 4º 2º, inciso IV, alínea a da Lei Complementar nº 101/2000)

ANEXO DE METAS FISCAIS AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO FINANCEIRA E ATUARIAL. (Artigo 4º 2º, inciso IV, alínea a da Lei Complementar nº 101/2000) ANEXO DE METAS FISCAIS AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO FINANCEIRA E ATUARIAL (Artigo 4º 2º, inciso IV, alínea a da Lei Complementar nº 101/2000) PLANO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE LONDRINA

Leia mais

As mudanças mais importantes no Bradesco Previdência

As mudanças mais importantes no Bradesco Previdência As mudanças mais importantes no Bradesco Previdência No dia 21 de julho, o RH do Banco Bradesco e diretores do Bradesco Previdência expuseram, a cerca de 50 dirigentes sindicais, as mudanças no plano de

Leia mais

HSBC INSTITUIDOR FUNDO MÚLTIPLO. Plano Acricel de Aposentadoria ACRICELPrev

HSBC INSTITUIDOR FUNDO MÚLTIPLO. Plano Acricel de Aposentadoria ACRICELPrev HSBC INSTITUIDOR FUNDO MÚLTIPLO Plano Acricel de Aposentadoria ACRICELPrev Plano Acricel de Aposentadoria ACRICELPrev Esta Cartilha vai ajudar você a entender melhor o Plano Acricel de Aposentadoria ACRICELPrev,

Leia mais

demonstração da Mutação do ativo Líquido

demonstração da Mutação do ativo Líquido Período: dezembro de 2010 R$ mil demonstração da Mutação do ativo Líquido Visão ATelecom Descrição 2010 A) Ativo Líquido - Início do Exercício 2.207 1. Adições 4.979 (+) Contribuições 4.727 (+) Resultado

Leia mais

plano Taesaprev Editada em fevereiro de 2012

plano Taesaprev Editada em fevereiro de 2012 plano Taesaprev Editada em fevereiro de 2012 Apresentação Ativo, rentabilidade, renda fixa, perfil de investimento... Se você tem o hábito de se informar sobre como anda o dinheiro investido no seu plano

Leia mais

Cartilha Plano EPE DOCUMENTOS INSTITUCIONAIS ELETROS

Cartilha Plano EPE DOCUMENTOS INSTITUCIONAIS ELETROS Cartilha Plano EPE Esta cartilha foi criada com o intuito de oferecer informações objetivas sobre previdência, o plano CV EPE e a importância de poupar para garantir um futuro mais tranqüilo. Os pontos

Leia mais

Solvência, o terceiro ângulo da regulamentação

Solvência, o terceiro ângulo da regulamentação Solvência Solvência, o terceiro ângulo da regulamentação POR RENÉ RUSCHEL Resultados estáticos, embora exigidos pela legislação, pouco ajudam a compreender o verdadeiro estado econômico-atuarial dos planos

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 2 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS 11- FOLHA SALÁRIO DA PATROCINADORA

Leia mais

Versão atualizada em março de 2011

Versão atualizada em março de 2011 Versão atualizada em março de 2011 Apresentação Ativo, rentabilidade, renda fixa, perfil de investimento... Se você tem o hábito de se informar sobre como anda o dinheiro investido no seu plano previdenciário,

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: ELETRA

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: ELETRA DA transmitida à Previc em 27/03/2013 às 11:10:46 Número do protocolo: 005262 INFORMAÇÕES CADASTRAIS ENTIDADE Código: 0134-5 CNPJ: 02.884.385/0001-22 Sigla: ELETRA Razão Social: ELETRA FUNDACAO CELG DE

Leia mais

CARTILHA PLANO CELPOS CD

CARTILHA PLANO CELPOS CD CARTILHA PLANO CELPOS CD ORIGINAL PLUS O QUE É O PLANO CELPOS CD? O Plano Misto I de Benefícios CELPOS CD é um plano de previdência complementar cujo benefício de aposentadoria programada é calculado de

Leia mais

Relatório Anual de 2009

Relatório Anual de 2009 Relatório Anual de 2009 Prezado participante A ReckittPrev tem a satisfação de apresentar seu relatório anual referente ao exercício de 2009. Nas páginas a seguir, você vai encontrar retrato atualizado

Leia mais

ENTENDA MELHOR! O TAC da tábua de mortalidade e o crédito gerado na conta do Plano B

ENTENDA MELHOR! O TAC da tábua de mortalidade e o crédito gerado na conta do Plano B ENTENDA MELHOR! O TAC da tábua de mortalidade e o crédito gerado na conta do Plano B 1 Relembrando os critérios de cálculo da MAT vitalícia O participante do plano B tem a opção, quando atingidos os critérios

Leia mais

Os noticiários abandonaram um pouco o tema.

Os noticiários abandonaram um pouco o tema. Jornal da Sistel distribui superávit...pág. 4 Brasília, AGOSTO de 2009 Edição n o 123 Seu investimento pós-crise Conheça a rentabilidade dos planos de previdência da Sistel no primeiro trimestre de 2009

Leia mais

Plano de Previdência Complementar. Manual do Participante Fenacor Prev

Plano de Previdência Complementar. Manual do Participante Fenacor Prev Plano de Previdência Complementar Manual do Participante Fenacor Prev 1 Índice Introdução...3 O Programa de Previdência Fenacor Prev...3 Contribuições...4 Investimentos...5 Benefício Fiscal...5 Benefícios

Leia mais

Sumário. Planos instituídos. Plano Aduanaprev. Parecer Atuarial... 85. Parecer Atuarial... 46. Balanço do plano... 59. Balanço do plano...

Sumário. Planos instituídos. Plano Aduanaprev. Parecer Atuarial... 85. Parecer Atuarial... 46. Balanço do plano... 59. Balanço do plano... Sumário Planos instituídos Plano Aduanaprev Parecer Atuarial... 02 Balanço do plano... 07 Demonstrativo de investimentos... 08 Plano ANAPARPREV Parecer Atuarial... 10 Balanço do plano... 12 Demonstrativo

Leia mais

SAIBA TUDO SOBRE O PLANO III DE PREVIDÊNCIA PRIVADA!

SAIBA TUDO SOBRE O PLANO III DE PREVIDÊNCIA PRIVADA! SAIBA TUDO SOBRE O PLANO III DE PREVIDÊNCIA PRIVADA! Prezado participante, 2 Brasil Foods Sociedade de Previdência Privada Cartilha Plano III Um dos grandes objetivos da política de recursos humanos de

Leia mais

Material Explicativo. Plano de Benefícios de Contribuição Definida da IBM Brasil. FUNDAÇÃO previdenciária IBM

Material Explicativo. Plano de Benefícios de Contribuição Definida da IBM Brasil. FUNDAÇÃO previdenciária IBM Material Explicativo Plano de Benefícios de Contribuição Definida da IBM Brasil FUNDAÇÃO previdenciária IBM 2 Material Explicativo Fundação Previdenciária IBM A DIREÇÃO DO SEU FUTURO Lembre-se! O objetivo

Leia mais

Perfis de Investimento

Perfis de Investimento Perfis de Investimento Manual Perfis de Investimento Manual Perfis de Investimento Índice Objetivo... 3 Introdução... 3 Falando sobre sua escolha e seu plano... 3 Perfis de Investimento... 5 Principais

Leia mais

Guia PCD. Conheça melhor o Plano

Guia PCD. Conheça melhor o Plano Guia PCD Conheça melhor o Plano Índice De olho no Futuro...3 Quem é a Fundação Centrus?...5 Conhecendo o Plano de Contribuição Definida - PCD...6 Contribuições do Participante...7 Saldo de Conta...8 Benefícios

Leia mais

DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES ALEGRE. Porto Alegre, novembro de 2010

DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES ALEGRE. Porto Alegre, novembro de 2010 DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE Porto Alegre, novembro de 2010 REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL Os servidores públicos ocupantes de cargo

Leia mais

PARECER ATUARIAL Plano RJPREV-CD

PARECER ATUARIAL Plano RJPREV-CD Universidade Federal do Ceará - UFC Faculdade de Economia, Administração, Atuária, Contabilidade e Secretariado FEAAC Curso de Ciências Atuariais PARECER ATUARIAL Plano RJPREV-CD de encerramento do exercício

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [05.054.648/0001-64] CX DE PREV E ASSIS AOS FUNC DO B EST DO PARA SA CAFBEP PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2002.0009-56] PREV-RENDA ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014 Atuário

Leia mais

Previdência no Brasil. Regime de Previdência Complementar. Regimes Próprios dos Servidores Públicos. Regime Geral de Previdência Social

Previdência no Brasil. Regime de Previdência Complementar. Regimes Próprios dos Servidores Públicos. Regime Geral de Previdência Social As Entidades Fechadas de participantes desta pesquisa, conhecidas como Fundos de Pensão, fazem parte do Sistema de. Os Fundos de Pensão desenvolveram-se e modernizaram-se ao longo dos últimos anos graças

Leia mais

Termos e Condições para opção pelos Novos Perfis de Investimentos

Termos e Condições para opção pelos Novos Perfis de Investimentos Termos e Condições para opção pelos Novos Perfis de Investimentos Conforme aprovado pelo Conselho Deliberativo em reunião realizada em 4 de abril de 2011 a São Bernardo implementará em 1º de julho de 2011

Leia mais

Plano TELOS Contribuição Variável - I

Plano TELOS Contribuição Variável - I Plano TELOS Contribuição Variável - I A sua empresa QUER INVESTIR NO SEU FUTURO, E VOCÊ? A sua empresa sempre acreditou na importância de oferecer um elenco de benefícios que pudesse proporcionar a seus

Leia mais

Actuarial Assessoria e Consultoria Atuarial Ltda Benjamin Constant, 67 Cj.404 CEP 80060 020 Curitiba Pr Fone/Fax (41)3322-2110 www.actuarial.com.

Actuarial Assessoria e Consultoria Atuarial Ltda Benjamin Constant, 67 Cj.404 CEP 80060 020 Curitiba Pr Fone/Fax (41)3322-2110 www.actuarial.com. Fundação AMAZONPREV Poder Executivo e Assembléia AVALIAÇÃO ATUARIAL Ano Base: 2014 Data Base: 31/12/2013 Índice 1. Introdução... 02 2. Participantes e Beneficiários... 02 3. Data Base dos Dados e da Avaliação...

Leia mais

PERFIS DE INVESTIMENTO

PERFIS DE INVESTIMENTO PERFIS DE INVESTIMENTO Índice 3 Apresentação 3 Como funciona a ELETROS? 4 Como são os investimentos em renda variável? 5 Como são os investimentos em renda fixa? 6 Como são os investimentos nos demais

Leia mais

Página 1 de 7 Demonstrativo de Resultados da Avaliação Atuarial - 2014 RJ - PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA CNPJ : 32512501000143 SIAFI : 985925 Cadastro de Nome do Plano : Plano Previdenciário QUADRO

Leia mais

Planos BD reduzem meta atuarial

Planos BD reduzem meta atuarial Atenção para o novo endereço da Fundação na internet: www.fundacaoitauunibanco.com.br Informativo bimestral da Fundação Itaú Unibanco março/abril2013 ano11 nº59 Planos BD reduzem meta atuarial Usada para

Leia mais

Previdência Social. Joel Fraga da Silva - Atuário

Previdência Social. Joel Fraga da Silva - Atuário Regime Próprio de Previdência Social Gestão Atuarial Dos RPPS Bento Gonçalves RS Joel Fraga da Silva - Atuário 1 Avaliação Atuarial Calcular as Reservas Matemáticas: representam o compromisso do RPPS Passivo

Leia mais

Plano de Previdência Complementar. Manual do Participante FenacorPrev

Plano de Previdência Complementar. Manual do Participante FenacorPrev Plano de Previdência Complementar Manual do Participante FenacorPrev Índice Introdução... 3 O Programa de Previdência FenacorPrev... 3 Contribuições... 4 Investimentos... 5 Benefício Fiscal... 6 Benefícios

Leia mais