Plano Estratégico Nacional do Turismo. Desafios do Turismo Sustentável do PATES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Plano Estratégico Nacional do Turismo. Desafios do Turismo Sustentável do PATES"

Transcrição

1 Ferramentas para a Sustentabilidade do Turismo Seminário Turismo Sustentável no Espaço Rural Castro Verde, 7 Março 2012 Teresa Bártolo 2012 Sustentare Todos os direitos reservados 2 Turismo é sem dúvida uma atividade com impacte na economia mundial M hóspedes 39,6 M de dormidas (+6%) 1,9 mil M proveitos (+6%) 12,2 M passageiros aeroportos (+9%) 8,1 mil M receitas do turismo (+7%) 42,5% do total de exportações de serviços 14% do total de exportações de bens e serviço Portugal está no TOP 20 dos destinos turísticos mais competitivos no mundo Fontes: Resultados do Turismo 2011, Turismo de Portugal; Banco de Portugal; Travel & Tourism Competitiveness Index (WEF). 1

2 3 Plano Estratégico Nacional do Turismo 5 Eixos estratégicos > Território, Destinos e Produtos > Marcas e Mercados > Qualificação de Recursos > Distribuição e Comercialização > Inovação e Conhecimento 11 Projetos I Produtos,Destinos e Pólos II Intervenção em ZTIs (Urbanismo, Ambiente e Paisagem) III Desenvolvimento de Conteúdos distintivos e inovadores IV Eventos V Acessibilidade Aérea VI Marcas, Promoção e Distribuição VII Programa de Qualidade VIII Excelência no Capital Humano IX Conhecimento e Inovação X Eficácia do relacionamento Estado-Empresa XI Modernização Empresarial 4 Desafios do Turismo Sustentável do PATES 1. Reduzir a sazonalidade da procura 2. Abordar o impacto do transporte turístico 3. Melhorar a qualidade do emprego no sector do turismo 4. Manter e melhorar a prosperidade e qualidade de vida da comunidade, em função da mudança 5. Minimizar o impacto da utilização de recursos e da produção de resíduos 6. Conservar e acrescentar valor ao património natural e cultural 7. Possibilitar o gozo de férias a todos 8. Utilizar o Turismo como ferramenta no desenvolvimento sustentável global Fonte: Plano de Acção para um Turismo Europeu mais Sustentável 2

3 5 Desafio: Criar um Turista mais consciente e informado Estudo realizado pela cadeia Accor sobre expectativas dos clientes sobre entrevistas Brasil, França, Reino Unido, Alemanha, Austrália e China Diferentes categorias de hotéis, desde hostel até hotel de luxo 6 Estudo sobre expectativas dos Turistas acerca da 8 em 10 hóspedes mostram-se preocupados com o desenvolvimento sustentável; Possuem elevadas expectativas quanto a acções concretas nas áreas: energia, água, resíduos e protecção das crianças; Hóspedes consideram-se um elemento fundamental na (logo a seguir aos governos); 1 em 2 hóspedes tem em consideração questões de na escolha do hotel; 7 em 10 hóspedes concordam totalmente que escolheriam um local menos bem localizado em função da sua ; 7 em 10 hóspedes concordam que escolheriam ficar num hotel mais caro em função da sua ; 66% dos hóspedes esperam o mesmo nível de conforto num hotel sustentável. 3

4 Qual o objetivo da para empresas do setor? Atracção de investimento Inovação nos serviços Atracção e retenção de clientes Redução de custos operacionais Aumento da eficiência organizacional Melhoria da reputação Valorização dos recursos naturais, culturais e patrimoniais que são base de muitas atividades turísticas Seminário Turismo Sustentável no Espaço Rural 01. Sustentabilidade. Como avaliar e como gerir? Anterior Próximo 4

5 9 A avaliação da é um processo complexo Sustentabilidade é um termo subjetivo, que resulta em diferentes interpretações. Varia por isso de acordo com o avaliador e com o referencial; Os temas em avaliação são específicos de acordo com as características das empresas, dos locais, dos públicos; Existe uma grande diversidade de ferramentas de avaliação e de gestão; Avaliação pouco orientada não gera mudança; A deve ser integrada na estratégia e gestão das organizações 10 Visão, missão valores Modelo de governo Políticas / Códigos Sistemas de gestão Práticas / Indicadores de desempenho 5

6 Comparação dos tipos de Ferramentas 11 Que empresas? Que vantagens? Princípios de Iniciantes na Orientação geral das acções relevantes Impacte Interno Processo Educativo e promoção da Custo Sem custos Exemplo: Global Sustainable Tourism Criteria Normativos para a implementação de sistemas de gestão Iniciantes na Implementação efetiva de procedimentos Interno Externo quando implica certificação Auditoria independente Custo da implementação pode ser elevado Normas ISO SA8000 OHSAS Certificações/selos de específicos sector Empresas com um percurso na Confirmação do desempenho Reputação Índices de Sustentabilidade (associados a financeiros) Empresas com percurso maduro Grande dimensão Cotadas em bolsa Confirmação do desempenho Reputação Externo Externo Verificação por orgãos próprios Custo depende do selo Green Globe EU Ecolable Tüv Ecohotel Chave Verde Verificação independente Sem custo DJSI FTSE4GOOD 12 Global Sustainable Tourism Criteria Aplicável a Hotéis e Operadores turísticos e a Destinos Agregam diversas entidades e especialistas do sector Iniciativa com critérios próprios + Reconhecimento de outros princípios Boa abordagem para uma empresa a iniciar o seu caminho na 6

7 15 EU Ecolabel ou Rótulo Ecológico Europeu Portugal Europa Atribuiu um total de licenças a produtos e serviços em 2011 Fonte: Abordagem ao ciclo de vida do produto critérios para as fases pré-operação e serviço Anterior Próximo 17 Green Globe Aplicável a empresas de viagens e turismo, divididas em 14 categorias 41 critérios e 337 indicadores Baseado noutros standards reconhecidos, por ex. normas ISO, Global Sustainable Tourism Criteria Fonte: 7

8 18 Tüv Eco-hotel Aplicável a: Hotéis Aldeamentos turísticos Aparthotéis Empresas do sector da industria hoteleira Áreas avaliadas Política e organização ambiental; Segurança; Motivação dos colaboradores; Gestão dos recursos energéticos; Gestão dos resíduos; Água e efluentes Substâncias perigosas; Comunicação externa; Alimentos e cozinha; Instalações interiores; Gestão de compras e de custos; Transportes; Formação; Instalações exteriores e meio envolvente Chave verde 19 Bandeira Azul Reconhecimento de boas práticas ambientais Hotéis e parques de campismo Critérios Guia e Obrigatórios: I Gestão Ambiental (8); II Envolvimento dos colaboradores (6); III Informação aos Clientes (7); IV Água (20); V Higiene e Limpezas (4); VI Resíduos (11); VII Energia (25); VIII Alimentação e bebidas (4); IX Ambiente Interior(7); X Ambiente exterior, parques e áreas ajardinadas (9); XI Actividades ao ar livre (5); XII Gestão de topo (4). Zonas balneares, portos de recreio e marinas, embarcações de recreio Critérios Guia e Imperativos: Informação e Educação Ambiental (6); Qualidade da Água (5); Gestão Ambiental e Equipamentos (14); Segurança e Serviços (7). 8

9 Seminário Turismo Sustentável no Espaço Rural 02. Considerações finais Anterior Próximo 25 Conclusões Diversidade de ferramentas que contribuem para um Turismo mais sustentável Existem ferramentas que permitem às empresas construir internamente um caminho de melhoria contínua outras apenas fazem um reconhecimento do nível de Credibilidade incerta de algumas certificações e selos: falta de independência na verificação, facilidade no cumprimento de requisitos Maioria das ferramentas potencia a reputação da empresa Falta de reconhecimento do significado das certificações por parte do Turista 9

10 Obrigada! Teresa Bártolo Anterior 10

Case study. Novo Conceito de Hotelaria SUSTENTABILIDADE 360 NA HOTELARIA EM PORTUGAL EMPRESA ENVOLVIMENTO

Case study. Novo Conceito de Hotelaria SUSTENTABILIDADE 360 NA HOTELARIA EM PORTUGAL EMPRESA ENVOLVIMENTO Case study 2010 Novo Conceito de Hotelaria SUSTENTABILIDADE 360 NA HOTELARIA EM PORTUGAL EMPRESA A Inspira, uma joint-venture formalizada em 2006 entre o grupo Blandy, com sede na Madeira e larga experiência

Leia mais

Compromisso para o Crescimento Verde e o Turismo

Compromisso para o Crescimento Verde e o Turismo www.pwc.pt Compromisso para o Crescimento Verde e o Turismo 16 Cláudia Coelho Diretora Sustainable Business Solutions da Turismo é um setor estratégico para a economia e sociedade nacional o que se reflete

Leia mais

DESAFIO PORTUGAL 2020

DESAFIO PORTUGAL 2020 DESAFIO PORTUGAL 2020 Estratégia Europa 2020: oportunidades para os sectores da economia portuguesa Olinda Sequeira 1. Estratégia Europa 2020 2. Portugal 2020 3. Oportunidades e desafios para a economia

Leia mais

Turismo de Portugal é pioneiro na sustentabilidade

Turismo de Portugal é pioneiro na sustentabilidade Divulgação do primeiro relatório Turismo de Portugal é pioneiro na sustentabilidade O Turismo de Portugal apresentou ontem o seu Relatório de Sustentabilidade, tornando-se no primeiro Instituto Público

Leia mais

O Sistema Integrado de Gestão de Qualidade e Ambiente da Câmara Municipal de Esposende

O Sistema Integrado de Gestão de Qualidade e Ambiente da Câmara Municipal de Esposende SEMINÁRIO: QUALIDADE E EXCELÊNCIA NA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO ÃO Porto, 3 e 4 de Novembro de 2005 O Sistema Integrado de Gestão de Qualidade e Ambiente da Câmara Municipal de Esposende Carla Dias carla.dias@cm-esposende.pt

Leia mais

TURISMO E COMPETITIVIDADE

TURISMO E COMPETITIVIDADE TURISMO E COMPETITIVIDADE Rui Vinhas da Silva Presidente da Comissão Diretiva Braga 15 de janeiro de 2015 Portugal 2020 DOMÍNIOS TEMÁTICOS COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO CAPITAL HUMANO INCLUSÃO

Leia mais

Enquadramento Turismo Rural

Enquadramento Turismo Rural Enquadramento Turismo Rural Portugal é um País onde os meios rurais apresentam elevada atratividade quer pelas paisagens agrícolas, quer pela biodiversidade quer pelo património histórico construído o

Leia mais

O PATRIMÓNIO NATURAL E O DO ALGARVE. Conversas sobre a Ria Formosa 3 de Março de 2011

O PATRIMÓNIO NATURAL E O DO ALGARVE. Conversas sobre a Ria Formosa 3 de Março de 2011 O PATRIMÓNIO NATURAL E O DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO DO ALGARVE Conversas sobre a Ria Formosa 3 de Março de 2011 1. PENT - estratégia para o desenvolvimento do Turismo em Portugal RCM 53/2007, de 04 de Abril

Leia mais

INOVAÇÃO E SOCIEDADE DO CONHECIMENTO

INOVAÇÃO E SOCIEDADE DO CONHECIMENTO INOVAÇÃO E SOCIEDADE DO CONHECIMENTO O contexto da Globalização Actuação Transversal Aposta no reforço dos factores dinâmicos de competitividade Objectivos e Orientações Estratégicas para a Inovação Estruturação

Leia mais

Permanente actualização tecnológica e de Recursos Humanos qualificados e motivados;

Permanente actualização tecnológica e de Recursos Humanos qualificados e motivados; VISÃO Ser a empresa líder e o fornecedor de referência do mercado nacional (na área da transmissão de potência e controlo de movimento) de sistemas de accionamento electromecânicos e electrónicos, oferecendo

Leia mais

A Construção Sustentável e o Futuro

A Construção Sustentável e o Futuro A Construção Sustentável e o Futuro Victor Ferreira ENERGIA 2020, Lisboa 08/02/2010 Visão e Missão O Cluster Habitat? Matérias primas Transformação Materiais e produtos Construção Equipamentos Outros fornecedores

Leia mais

Polis Litoral Operações Integradas de Requalificação e Valorização da Orla Costeira

Polis Litoral Operações Integradas de Requalificação e Valorização da Orla Costeira Polis Litoral Operações Integradas de Requalificação e Valorização da Orla Costeira OBJECTIVOS DO POLIS LITORAL: (RCM n.º 90/2008, de 3 de Junho) a) Proteger e requalificar a zona costeira, tendo em vista

Leia mais

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO::

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO:: ::ENQUADRAMENTO:: :: ENQUADRAMENTO :: O actual ambiente de negócios caracteriza-se por rápidas mudanças que envolvem a esfera politica, económica, social e cultural das sociedades. A capacidade de se adaptar

Leia mais

CONFERÊNCIA: O futuro dos territórios rurais. - Desenvolvimento Local de Base Comunitária. Painel 1: Coesão e Sustentabilidade Territorial

CONFERÊNCIA: O futuro dos territórios rurais. - Desenvolvimento Local de Base Comunitária. Painel 1: Coesão e Sustentabilidade Territorial Painel 1: Coesão e Sustentabilidade Territorial 5 Augusto Ferreira Departamento Técnico - CONFAGRI MINHA TERRA - Federação Portuguesa de Associações de Desenvolvimento Local 20.Set.2013 Hotel da Estrela

Leia mais

INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE DE DESTINOS TURÍSTICOS. Novembro de 2014

INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE DE DESTINOS TURÍSTICOS. Novembro de 2014 INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE DE DESTINOS TURÍSTICOS Novembro de 2014 1 Competitividade de Destinos Emergência nos estudos sobre estratégia empresarial Indústria, empresas, países, organizações Diferentes

Leia mais

Certificação nas Escolas de Hotelaria e Turismo

Certificação nas Escolas de Hotelaria e Turismo Tradicional Sonolenta Provocadora Certificação nas Escolas de Hotelaria e Turismo Dúvidas e Certezas A necessidade de implementar sistemas formais de certificação é tão premente nas Escolas de Hotelaria

Leia mais

MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA

MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA VISÃO Ser a empresa líder e o fornecedor de referência do mercado nacional (na área da transmissão de potência e controlo de movimento) de sistemas de accionamento electromecânicos

Leia mais

Energia: Sustentabilidade e redução de custos.

Energia: Sustentabilidade e redução de custos. . dossier / Energia Pág: 36 Área: 15,00 x 20,27 cm² Corte: 1 de 6 Energia: Sustentabilidade e redução de custos. 2015 marca o ano Internacional da Luz. No que diz respeito ao consumo de energia, os hotéis

Leia mais

2006-2015. Bolsa de Turismo de Lisboa 18 de Janeiro 2006

2006-2015. Bolsa de Turismo de Lisboa 18 de Janeiro 2006 2006-2015 Bolsa de Turismo de Lisboa 18 de Janeiro 2006 Portugal 2015 Portugal 2015 - Metas 2005 2015 Douro Douro Oeste Oeste Serra da Estrela Serra da Estrela Alqueva Litoral Alentejano Litoral Alentejano

Leia mais

Benefícios da Certificação no Sector do Turismo. Orador: Carla Pinto

Benefícios da Certificação no Sector do Turismo. Orador: Carla Pinto Benefícios da Certificação no Sector do Turismo I. Apresentação da APCER II. Serviços e Benefícios no Sector do Turismo III. Certificação no Sector do Turismo I. APRESENTAÇÃO DA APCER 1. Quem Somos Início

Leia mais

A sustentabilidade nas compras públicas. Paula Trindade LNEG

A sustentabilidade nas compras públicas. Paula Trindade LNEG A sustentabilidade nas compras públicas Paula Trindade LNEG SEMINÁRIO SUSTENTABILIDADE ENERGÉTICA NAS COMPRAS PÚBLICAS 12 Novembro 2013 Caldas da Raínha Estrutura da apresentação - O que são compras sustentáveis

Leia mais

Seminário CNIS - APCER QUALIDADE - Pressuposto de Diferenciação. Sistemas de Gestão

Seminário CNIS - APCER QUALIDADE - Pressuposto de Diferenciação. Sistemas de Gestão Seminário CNIS - APCER QUALIDADE - Pressuposto de Diferenciação Sistemas de Gestão 27 de Outubro de 2007 Dora Gonçalo Directora de Certificação e de Auditores www.apcer.pt Agenda Desafios e Organizações

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO NACIONAL DO TURISMO. Para o Desenvolvimento do Turismo em Portugal. Síntese

PLANO ESTRATÉGICO NACIONAL DO TURISMO. Para o Desenvolvimento do Turismo em Portugal. Síntese PLANO ESTRATÉGICO NACIONAL DO TURISMO Para o Desenvolvimento do Turismo em Portugal Síntese 1 O PENT - Plano Estratégico Nacional do Turismo é uma iniciativa governamental, da responsabilidade do Ministério

Leia mais

A excelência é o nosso objectivo. E o seu?

A excelência é o nosso objectivo. E o seu? A excelência é o nosso objectivo. E o seu? Quem somos A experiência ao serviço do seu negócio A actuar no mercado desde 1977, a Petrochem Produtos Químicos de Portugal especializou-se no fabrico de soluções

Leia mais

Porque é que o Turismo. é essencial para a Economia Portuguesa?

Porque é que o Turismo. é essencial para a Economia Portuguesa? Porque é que o Turismo é essencial para a Economia Portuguesa? 14 milhões de hóspedes Vindos do Reino Unido, Alemanha, Espanha, França, Brasil, EUA Num leque de países que alarga ano após ano. 9,2 % do

Leia mais

MINISTÉRIO DO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO AMBIENTE REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DO AMBIENTE O Ministério do Ambiente tem o prazer de convidar V. Exa. para o Seminário sobre Novos Hábitos Sustentáveis, inserido na Semana Nacional do Ambiente que terá

Leia mais

Iniciativa PE2020. A Engenharia como fator de competitividade Projetos colaborativos. António Manzoni/Vilar Filipe

Iniciativa PE2020. A Engenharia como fator de competitividade Projetos colaborativos. António Manzoni/Vilar Filipe Iniciativa PE2020 A Engenharia como fator de competitividade Projetos colaborativos António Manzoni/Vilar Filipe Novembro 2013 Projeto Engenharia 2020 Preocupações macroeconómicas Papel da engenharia na

Leia mais

Seminário CNIS - APCER QUALIDADE - Pressuposto de Diferenciação. Qualidade e Certificação

Seminário CNIS - APCER QUALIDADE - Pressuposto de Diferenciação. Qualidade e Certificação Seminário CNIS - APCER QUALIDADE - Pressuposto de Diferenciação Qualidade e Certificação 27 de Outubro de 2007 Gabriela Lopes Direcção de Certificação e de Auditores www.apcer.pt Agenda O que é a certificação?

Leia mais

O contributo do Cluster Habitat Sustentável

O contributo do Cluster Habitat Sustentável O contributo do Cluster Habitat Sustentável Victor Ferreira Plataforma para a Construção Sustentável Seminário Construção Sustentável CONCRETA 2011 20/10/2011 Visão e Missão O Cluster Habitat? agregador

Leia mais

MODELOS INTEGRADOS DE COMERCIALIZAÇÃO DA OFERTA: a Central de Reservas Portugal Rural

MODELOS INTEGRADOS DE COMERCIALIZAÇÃO DA OFERTA: a Central de Reservas Portugal Rural I Seminário sobre Turismo Rural e Natureza Diferenciar o Produto, Qualificar a Oferta, Internacionalizar o Sector MODELOS INTEGRADOS DE COMERCIALIZAÇÃO DA OFERTA: a Central de Reservas Portugal Rural TÂNIA

Leia mais

Índice. rota 3. Enquadramento e benefícios 6. Comunicação Ética 8. Ética nos Negócios 11. Promoção para o Desenvolvimento Sustentável 13. Percurso 1.

Índice. rota 3. Enquadramento e benefícios 6. Comunicação Ética 8. Ética nos Negócios 11. Promoção para o Desenvolvimento Sustentável 13. Percurso 1. rota 3 CLIENTES Rota 3 Índice Enquadramento e benefícios 6 Percurso 1. Comunicação Ética 8 Percurso 2. Ética nos Negócios 11 Percurso 3. Promoção para o Desenvolvimento Sustentável 13 responsabilidade

Leia mais

O que é a Responsabilidade Social Empresarial?

O que é a Responsabilidade Social Empresarial? O que é a Responsabilidade Social Empresarial? 1.5. Campos de acção da RSE Resumo O mundo dos negócios é extremamente heterogéneo. Assim as diferentes abordagens e estratégias sobre responsabilidade compromisso

Leia mais

O turismo e o seu contributo para o desenvolvimento da Madeira

O turismo e o seu contributo para o desenvolvimento da Madeira O turismo e o seu contributo para o desenvolvimento da Madeira Lisboa, 5 de Julho 2012 Bruno Freitas Diretor Regional de Turismo da Madeira O Destino Madeira A Região Autónoma da Madeira (RAM) ocupa, desde

Leia mais

TURISMO DE PORTUGAL HORIZONTE 2015

TURISMO DE PORTUGAL HORIZONTE 2015 TURISMO DE PORTUGAL HORIZONTE 2015 João Cotrim de Figueiredo 10 Out 2014 Turismo: crescimento e resiliência No século do Turismo? Mais de 1.100 milhões de turistas em 2014 OMT prevê crescimento médio anual

Leia mais

Desenvolvimento Local nos Territórios Rurais: desafios para 2014-2020

Desenvolvimento Local nos Territórios Rurais: desafios para 2014-2020 Desenvolvimento Local nos Territórios Rurais: desafios para 2014-2020 Seminário Turismo Sustentável no Espaço Rural: Experiências de Sucesso em Portugal e na Europa Castro Verde - 06 de Março 2013 Joaquim

Leia mais

Implementação e Certificação de um Sistema I+D+I. Fev. 2008

Implementação e Certificação de um Sistema I+D+I. Fev. 2008 Implementação e Certificação de um Sistema I+D+I Fev. 2008 Medeiros genda 1. Áreas de negócio Martifer; 2. Martifer Energia Equipamentos para energia S.A.; 3. Certificações Obtidas 4. Porquê IDI? 5. Objectivo

Leia mais

Atelier SUDOE INTELIGENTE

Atelier SUDOE INTELIGENTE Atelier SUDOE INTELIGENTE Do SUDOE 2007-2013 à Estratégia 2020 Promoção da inovação e constituição de redes estáveis de cooperação em matéria tecnológica Melhoria da sustentabilidade para a proteção e

Leia mais

\ BOAS PRÁTICAS NA ENERGIA A Gestão de Energia como Ferramenta de Gestão Empresarial

\ BOAS PRÁTICAS NA ENERGIA A Gestão de Energia como Ferramenta de Gestão Empresarial \ BOAS PRÁTICAS NA ENERGIA A Gestão de Energia como Ferramenta de Gestão Empresarial Workshop Eficiência Energética e Sustentabilidade Ambiental nas empresas CTCV 25 de Fevereiro de 2014 \ BOAS PRÁTICAS

Leia mais

Campanha Nacional Certificar para Ganhar o Futuro

Campanha Nacional Certificar para Ganhar o Futuro Campanha Nacional Certificar para Ganhar o Futuro 19 Junho de 2007 Ponta Delgada Universidade dos Açores José Romão Leite Braz Administrador Finançor Agro Alimentar, S.A. Índice Breve descrição do Grupo

Leia mais

Critérios de selecção

Critérios de selecção Emissor: GRATER Entrada em vigor: 01-06-2009 Associação de Desenvolvimento Regional Abordagem LEADER Critérios de selecção Os projectos serão pontuados através de fórmulas ponderadas e terão de atingir

Leia mais

ORIGEM OBJECTIVOS: Iniciado em 2004, por um desafio lançado ado pelo Governo Português, para o Campeonato Europeu de Futebol. MISSÃO: Criar e desenvolver, em contínuo, nuo, uma Rede de Estabelecimentos

Leia mais

1. Eixo(s) em que se insere Eixo 3 Qualidade de vida nas zonas rurais e diversificação da economia rural

1. Eixo(s) em que se insere Eixo 3 Qualidade de vida nas zonas rurais e diversificação da economia rural MEDIDA 3.1 Diversificação da Economia e Criação de Emprego 1. Eixo(s) em que se insere Eixo 3 Qualidade de vida nas zonas rurais e diversificação da economia rural 2. Enquadramento Regulamentar Artigo

Leia mais

PRIMEIROS PASSOS DA AAE EM PORTUGAL APLICAÇÃO À ESTRATÉGIA DE INVESTIMENTO DO PARQUE ALQUEVA

PRIMEIROS PASSOS DA AAE EM PORTUGAL APLICAÇÃO À ESTRATÉGIA DE INVESTIMENTO DO PARQUE ALQUEVA PRIMEIROS PASSOS DA AAE EM PORTUGAL APLICAÇÃO À ESTRATÉGIA DE INVESTIMENTO DO PARQUE ALQUEVA Maria do Rosário Partidário, Sofia Antunes, Júlio de Jesus e Marta Garcia LOCALIZAÇÃO Localizado no Concelho

Leia mais

Victor Ferreira Plataforma Construção Sustentável Entidade Gestora do Cluster Habitat Sustentável

Victor Ferreira Plataforma Construção Sustentável Entidade Gestora do Cluster Habitat Sustentável 2ª CONFERÊNCIA PASSIVHAUS PORTUGAL 2014 29 de Novembro de 2014 Aveiro - Centro Cultural e de Congressos Victor Ferreira Plataforma Construção Sustentável Entidade Gestora do Cluster Habitat Sustentável

Leia mais

Consultoria Estratégica

Consultoria Estratégica Quem somos e o que fazemos A Select Advisor é uma empresa de Consultoria Estratégica Ajudamos à criação de valor, desde a intenção de investimento e angariação de parcerias até ao apoio de candidaturas

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS 1 de 6 - mobilidade humana e OBJECTIVO: Identifica sistemas de administração territorial e respectivos funcionamentos integrados. O Turismo Guião de Exploração Indicadores sobre o turismo em Portugal 27

Leia mais

Certificação da Qualidade numa Empresa a nível Nacional

Certificação da Qualidade numa Empresa a nível Nacional Certificação da Qualidade numa Empresa a nível Nacional Quem somos Origem, posição actual Actividade iniciada em 1952. O prestígio de meio século de presença no mercado, A Qualidade dos produtos que comercializa

Leia mais

Certificar para Ganhar o Futuro. Orador: Carla Pinto

Certificar para Ganhar o Futuro. Orador: Carla Pinto Certificar para Ganhar o Futuro Agenda APCER Quem Somos? Porquê Certificar para Ganhar o Futuro? Região da Beira Baixa como Mercado com Potencial Acções Previstas Quem Somos Início de actividade em 1996;

Leia mais

Referenciais da Qualidade

Referenciais da Qualidade 2008 Universidade da Madeira Grupo de Trabalho nº 4 Controlo da Qualidade Referenciais da Qualidade Raquel Sousa Vânia Joaquim Daniel Teixeira António Pedro Nunes 1 Índice 2 Introdução... 3 3 Referenciais

Leia mais

Boas Práticas Ambientais. Hotéis e Pousadas

Boas Práticas Ambientais. Hotéis e Pousadas Hotéis e Pousadas 2008 Índice Introdução Principais Resultados Utilização Racional de Energia Gestão de Resíduos Uso Eficiente da Água Certificação Ambiental Conceitos 2 Introdução A estratégia nacional

Leia mais

www.fiveleafsystem.com APRESENTAÇÃO DO PROJECTO 2013 2014

www.fiveleafsystem.com APRESENTAÇÃO DO PROJECTO 2013 2014 www.fiveleafsystem.com APRESENTAÇÃO DO PROJECTO 2013 2014 O QUE É O FIVE-LEAF SYSTEM O Five-Leaf System é um sistema dinâmico de avaliação da performance ecológica do sector turístico, que em cinco níveis

Leia mais

PO AÇORES 2020 FEDER FSE

PO AÇORES 2020 FEDER FSE Apresentação pública PO AÇORES 2020 FEDER FSE Anfiteatro C -Universidade dos Açores -Ponta Delgada 04 de marçode 2015 PO AÇORES 2020 UM CAMINHO LONGO, DIVERSAS ETAPAS A definição das grandes linhas de

Leia mais

O ENOTURISMO. Conceito:

O ENOTURISMO. Conceito: Conceito: O conceito de enoturismo ainda está em formação e, a todo o momento, vão surgindo novos contributos; Tradicionalmente, o enoturismo consiste na visita a vinhas, estabelecimentos vinícolas, festivais

Leia mais

A. Novo Paradigma de Desenvolvimento

A. Novo Paradigma de Desenvolvimento S E M I N Á R I O AUDITORIAS DE VALOR 11 de Outubro de 2010 A. Novo Paradigma de Desenvolvimento 2007/2013 Passagem do Objectivo 1 (Convergência) para o Objectivo 2 (Competitividade e Emprego). Alteração

Leia mais

A VISÃO do ENERGYIN Motivos da sua criação & Objectivos

A VISÃO do ENERGYIN Motivos da sua criação & Objectivos Pólo da Competitividade e Tecnologia da Energia (PCTE) O papel do PCTE na energia solar em Portugal 8 e 9 de Fevereiro de 2010 António Mano - EDP Antonio.ermidamano@edp.pt A VISÃO do ENERGYIN Motivos da

Leia mais

setembro 2009 nº5 research www.sustentare.pt Turismo sustentável e a sua importância para o sector em Portugal

setembro 2009 nº5 research www.sustentare.pt Turismo sustentável e a sua importância para o sector em Portugal setembro 2009 nº5 research www.sustentare.pt Turismo sustentável e a sua importância para o sector em Portugal setembro 2009 research p.2 Índice p.3 p.4 p.4 p.6 p.10 p.14 p.16 p.22 p.22 p.23 p.25 p.27

Leia mais

Apoios à Internacionalização e à Inovação. António Costa da Silva Santarém, 26 de setembro de 2014

Apoios à Internacionalização e à Inovação. António Costa da Silva Santarém, 26 de setembro de 2014 Apoios à Internacionalização e à Inovação António Costa da Silva Santarém, 26 de setembro de 2014 ALENTEJO PRIORIDADES PARA UMA ESPECIALIZAÇÃO INTELIGENTE 1. Alimentar e Floresta 2. Recursos Naturais,

Leia mais

Certificação de Sistemas de Gestão. ACIF_SGS Funchal, 4 de Junho de 2008

Certificação de Sistemas de Gestão. ACIF_SGS Funchal, 4 de Junho de 2008 Certificação de Sistemas de Gestão ACIF_SGS Funchal, 4 de Junho de 2008 Sumário 1. Certificação de Sistemas de Gestão Qualidade (ISO 9001:2000); 2. Certificação de Sistemas de Gestão Ambiental (ISO 14001:2004);

Leia mais

Comunidade Intermunicipal da Beira Interior Sul

Comunidade Intermunicipal da Beira Interior Sul Comunidade Intermunicipal da Beira Interior Sul 1. Identificação do Recurso Endógeno e do Território Alvo PROVERE Beira Baixa: Terras de Excelência : Conjugar a valorização do território, dos produtos

Leia mais

A Gestão da Qualidade foca o produto; Tem como objectivo a satisfação do cliente.

A Gestão da Qualidade foca o produto; Tem como objectivo a satisfação do cliente. OBJECTIVOS DE UM SISTEMA DE GESTÃO A Gestão da Qualidade foca o produto; Tem como objectivo a satisfação do cliente. A Gestão da Segurança foca o indivíduo, o colaborador; Tem como objectivo a sua protecção

Leia mais

Portugal Brasil Moçambique Polónia

Portugal Brasil Moçambique Polónia www.promover.pt www.greatteam.pt Portugal Brasil Moçambique Polónia QUEM SOMOS - Prestamos serviços técnicos de consultoria de gestão e formação nos diversos setores da economia. - Presentes em Lisboa,

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA E COMÉRCIO

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA E COMÉRCIO REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA E COMÉRCIO Carta de Serviço O MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA E COMÉRCIO, órgão central do Estado que superintende a área da Indústria e Comércio. ATRIBUIÇÕES São

Leia mais

TURISMO NÁUTICO GERADOR DE RIQUEZA MARTINHO FORTUNATO

TURISMO NÁUTICO GERADOR DE RIQUEZA MARTINHO FORTUNATO TURISMO NÁUTICO GERADOR DE RIQUEZA MARTINHO FORTUNATO Setembro de 2009 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. PENT (Plano Estratégico Nacional do Turismo) 3. TURISMO NÁUTICO NA EUROPA E NO MUNDO 4. O SECTOR EM PORTUGAL

Leia mais

por AUDITORIAS DE CONFORMIDADE LEGAL SISTEMAS DE GESTÃO DO AMBIENTE 2005/2006 por Requisitos Legais 1. Processo de por 2. Requisitos Legais 3. Classificação das Não Conformidades 1 Processo de Abordagem

Leia mais

- a educação no sentido da sustentabilidade; - a qualidade ambiental.

- a educação no sentido da sustentabilidade; - a qualidade ambiental. O Projecto ecoxxi procura reconhecer as boas práticas de sustentabilidade desenvolvidas ao nível do município, valorizando um conjunto de aspectos considerados fundamentais à construção do Desenvolvimento

Leia mais

CIDADES INTELIGENTES DIREITO DA ENERGIA RITA NORTE

CIDADES INTELIGENTES DIREITO DA ENERGIA RITA NORTE CIDADES INTELIGENTES DIREITO DA ENERGIA RITA NORTE CIDADES INTELIGENTES NOTAS INTRODUTÓRIAS As cidades - espaços de oportunidades, desafios e problemas Diagnóstico dos espaços urbanos: Transformação demográfica

Leia mais

ECO XXI Acção de formação. 11 de fevereiro de 2014 Amadora

ECO XXI Acção de formação. 11 de fevereiro de 2014 Amadora ECO XXI Acção de formação 11 de fevereiro de 2014 Amadora Júri Sérgio Guerreiro Director do Departamento de Estudos e Planeamento António Fontes Director, Área Institucional Ana Isabel Fonseca Moiteiro

Leia mais

Status da Certificação do

Status da Certificação do Status da Certificação do Turismo Sustentável no Brasil Enabling Developing Countries to Seize Eco-Label Opportunities Projeto de Cooperação em Rotulagem Ambiental Do que vamos falar? Turismo no Brasil

Leia mais

Benefícios da Certificação para a Administração Pública

Benefícios da Certificação para a Administração Pública Benefícios da Certificação para a Administração Pública Hélder Estradas, 7 de Maio de 2008 Agenda 1 - Resumo Histórico da Certificação em Portugal; 2 - Vantagens da Certificação; 3 - Processo de Certificação.

Leia mais

Workshop formativo: Ampelografia das Castas do Vinho Verde I

Workshop formativo: Ampelografia das Castas do Vinho Verde I Workshop formativo: Ampelografia das Castas do Vinho Verde I numerosos sinónimos. Objectivos: A ampelografia é a disciplina da botânica e da agronomia que estuda, identifica e classifica as variedades,

Leia mais

Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros. Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014

Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros. Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014 Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014 O desafio Horizonte 2020 Compromissos Nacionais Metas UE-27 20%

Leia mais

Estabelecimento da Diretriz Organizacional

Estabelecimento da Diretriz Organizacional Estabelecimento da Diretriz Organizacional AULA 3 Bibliografia: Administração Estratégica: Planejamento e Implantação da Estratégia SAMUEL C. CERTO & J. P. PETERTO ASSUNTO: Três importantes considerações

Leia mais

Redução da Dependência Energética de Portugal Principal Desafio:

Redução da Dependência Energética de Portugal Principal Desafio: Redução da Dependência Energética de Portugal Principal Desafio: Mudança de paradigma energético em Portugal, com um implícito Desenvolvimento Sustentável suportado no seu crescimento económico, justiça

Leia mais

Empreendimentos Turísticos Como Instalar ou Reconverter Novo Regime Jurídico

Empreendimentos Turísticos Como Instalar ou Reconverter Novo Regime Jurídico Empreendimentos Turísticos Como Instalar ou Reconverter Novo Regime Jurídico, Turismo de Portugal, I.P. Rua Ivone Silva, Lote 6, 1050-124 Lisboa Tel. 211 140 200 Fax. 211 140 830 apoioaoempresario@turismodeportugal.pt

Leia mais

Plataforma Global Find. Uma ferramenta para localização empresarial. 10 de Novembro de 2009. Maria Alexandre Costa, Engª

Plataforma Global Find. Uma ferramenta para localização empresarial. 10 de Novembro de 2009. Maria Alexandre Costa, Engª Plataforma Global Find Uma ferramenta para localização empresarial 10 de Novembro de 2009 Maria Alexandre Costa, Engª A aicep Global Parques integra o universo da aicep Portugal Global Agência para o Investimento

Leia mais

Consultoria e Formação, em Entidades Públicas e Privadas, de Sistemas de Gestão de:

Consultoria e Formação, em Entidades Públicas e Privadas, de Sistemas de Gestão de: Consultoria e Formação, em Entidades Públicas e Privadas, de Sistemas de Gestão de: Qualidade e IT Service Management Investigação, Desenvolvimento e Inovação (IDI) Ambiente Higiene e Segurança no Trabalho

Leia mais

Imagem Global e Reputação da Indústria Automobilística

Imagem Global e Reputação da Indústria Automobilística Imagem Global e Reputação da Indústria Automobilística Contexto Durante a história recente, as percepções públicas a respeito da indústria automobilística tem reagido de acordo com eventos e marcos globais

Leia mais

Certificação de Meios de Hospedagens

Certificação de Meios de Hospedagens Certificação de Meios de Hospedagens NBR 15401:2006 - Meios de Hospedagem Sistema de Gestão da Sustentabilidade Sistema A Norma NBR 15401:2006 Meios de Hospedagem Sistema de Gestão da Sustentabilidade

Leia mais

Green Value Energy Building Solutions ACTIVE LIGHTS. 100% effective when it s needed

Green Value Energy Building Solutions ACTIVE LIGHTS. 100% effective when it s needed Green Value Energy Building Solutions ACTIVE LIGHTS TM 100% effective when it s needed 01. Apresentação A Green Value, Energy Building Solutions foi constituída em 2007 com o objectivo de dar resposta

Leia mais

III. DESENVOLVIMENTO DA PROGRAMAÇÃO FINANCEIRA DO INVESTIMENTO

III. DESENVOLVIMENTO DA PROGRAMAÇÃO FINANCEIRA DO INVESTIMENTO PIDDAR 2009 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 111 III. DESENVOLVIMENTO DA PROGRAMAÇÃO FINANCEIRA DO INVESTIMENTO PIDDAR 2010 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 113 Quadro I Programação do Investimento por Programas

Leia mais

Conjunto de pessoas que formam a força de trabalho das empresas.

Conjunto de pessoas que formam a força de trabalho das empresas. 1. OBJETIVOS Estabelecer diretrizes que norteiem as ações das Empresas Eletrobras quanto à promoção do desenvolvimento sustentável, buscando equilibrar oportunidades de negócio com responsabilidade social,

Leia mais

IERA um projeto gerador de oportunidades. 30 de junho de 2015 celso guedes de carvalho

IERA um projeto gerador de oportunidades. 30 de junho de 2015 celso guedes de carvalho IERA um projeto gerador de oportunidades 30 de junho de 2015 celso guedes de carvalho um projeto da Região A criação da IERA foi um desafio estratégico assumido por 14 parceiros comprometidos com a promoção

Leia mais

Tema II: Elaboração e Acompanhamento do Plano de Acção

Tema II: Elaboração e Acompanhamento do Plano de Acção GRUPO 2 Áreas Protegidas em processo de adesão à CETS Parques en proceso de adhesion a la CETS Tema II: Elaboração e Acompanhamento do Plano de Acção ELABORAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO PLANO DE ACÇÃO Exemplo

Leia mais

IV Seminário Plataformas Logísticas Ibéricas

IV Seminário Plataformas Logísticas Ibéricas IV Seminário Plataformas Logísticas Ibéricas Preparar a Retoma, Repensar a Logística 10 de Novembro NOVOHOTEL SETUBAL Comunicação: Factores de Atractividade da oferta logística do Alentejo Orador: Dr.

Leia mais

SUSTENTABILIDADE COMO ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO - Sector Eléctrico -

SUSTENTABILIDADE COMO ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO - Sector Eléctrico - SUSTENTABILIDADE COMO ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO - Sector Eléctrico - APE Energia e Ambiente metas e políticas Maio 2004 António Neves de Carvalho EDP Electricidade de Portugal, S.A. Gabinete de Ambiente

Leia mais

Contributo do Balanced Scorecard para Competitividade Sustentável das Organizações

Contributo do Balanced Scorecard para Competitividade Sustentável das Organizações Contributo do Balanced Scorecard para Competitividade Sustentável das Organizações Rita Almeida Dias 18 Setembro de 2012 2012 Sustentare Todos os direitos reservados Anterior Próximo www.sustentare.pt

Leia mais

Eficiência Energética + Comercialização de Energia Oportunidades Conjuntas 16/10/08

Eficiência Energética + Comercialização de Energia Oportunidades Conjuntas 16/10/08 Eficiência Energética + Comercialização de Energia Oportunidades Conjuntas 16/10/08 RME Rio Minas Energia Participações S.A Luce Brasil Fundo de Investimentos - LUCE Missão da Light: Ser uma grande empresa

Leia mais

Ecorkhotel Évora, Suites & SPA

Ecorkhotel Évora, Suites & SPA 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa O Ecorkhotel Évora, Suítes & SPA (Ecorkhotel) surge como uma unidade hoteleira com um conceito inovador e uma arquitetura e construção únicas a

Leia mais

Execução Anual das Grandes Opções do Plano

Execução Anual das Grandes Opções do Plano das Grandes Opções do Plano 01 EDUCAÇÃO 01 01 EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR E ENSINO BÁSICO 01 01 /1 Infraestruturas de Ano Anos seguintes Anos Anteriores Ano 01 01 /1 1 Centro Escolar de Caria 0102 07010305 E

Leia mais

Certificar para Ganhar o Futuro Leiria, 17 de Maio 2007 José Leitão CEO APCER

Certificar para Ganhar o Futuro Leiria, 17 de Maio 2007 José Leitão CEO APCER Certificar para Ganhar o Futuro Leiria, 17 de Maio 2007 José Leitão CEO APCER www.apcer.pt AGENDA APCER: Quem Somos Porquê Certificar para Ganhar o Futuro? Campanha Nacional Objectivos Região Centro como

Leia mais

APO AUTORIDADE PÚBLICA OLÍMPICA

APO AUTORIDADE PÚBLICA OLÍMPICA RIO + 20 Estratégias e Ações sobre Resíduos para Cidades Sustentáveis Rio de Janeiro, 22 de junho de 2012 Rio: Oportunidades e Desafios para o Desenvolvimento Sustentável DESENVOLVIMENTO ALIADO À CONSERVAÇÃO

Leia mais

Mais valias dos Relatórios de Sustentabilidade Um contributo da PT

Mais valias dos Relatórios de Sustentabilidade Um contributo da PT Mais valias dos Relatórios de Sustentabilidade Um contributo da PT A Responsabilidade Social Corporativa no Contexto da Internacionalização Abril, 2014 AGENDA QUEM SOMOS SUSTENTABILIDADE A IMPORTÂNCIA

Leia mais

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Setembro de 2010 Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente

Leia mais

7ª Edição da Semana da Responsabilidade Social

7ª Edição da Semana da Responsabilidade Social 7ª Edição da Semana da Responsabilidade Social Mudança e inovação para novos estilos de vida Exemplos da aplicação dos 10 princípios pelos membros do GCNP - O caso do Ritz Four Seasons Hotel Lisboa - Menú

Leia mais

O Desafio da Sustentabilidade no Setor Petroquímico

O Desafio da Sustentabilidade no Setor Petroquímico Seminário Nacional de Gestão Sustentável nos Municípios Relato de Experiências O Desafio da Sustentabilidade no Setor Petroquímico Porto Alegre, 28 de Março de 2008 Roteiro Empresa Cenários Conceitos Dimensão

Leia mais

. evolução do conceito. Inspecção 3. Controlo da qualidade 4. Controlo da Qualidade Aula 05. Gestão da qualidade:

. evolução do conceito. Inspecção 3. Controlo da qualidade 4. Controlo da Qualidade Aula 05. Gestão da qualidade: Evolução do conceito 2 Controlo da Qualidade Aula 05 Gestão da :. evolução do conceito. gestão pela total (tqm). introdução às normas iso 9000. norma iso 9000:2000 gestão pela total garantia da controlo

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Universidade de Évora, 10 de março de 2015 Identidade, Competitividade, Responsabilidade Lezíria do Tejo Alto Alentejo Alentejo Central Alentejo Litoral

Leia mais

PPP e Desenvolvimento de Competências Desenvolvimento e implementação de projetos de parcerias de desenvolvimento público-privadas

PPP e Desenvolvimento de Competências Desenvolvimento e implementação de projetos de parcerias de desenvolvimento público-privadas 13 de maio de 2015 PPP e Desenvolvimento de Competências Desenvolvimento e implementação de projetos de parcerias de desenvolvimento público-privadas Virpi Stucki Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento

Leia mais

INTEGRAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO

INTEGRAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA ESCOLA SUPERIOR AGRÁRIA DE COIMBRA INTEGRAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO Elaborado por: Carla Latas nº 3501 Rui Soares nº 3508 Ana Lopes nº 3512 Coimbra, 02 de Junho de 2005.

Leia mais

COMERCIALIZAÇÃO E MARKETING DE PRODUTOS ALIMENTARES DE QUALIDADE (DOP) QUEIJO SERRA DA ESTRELA

COMERCIALIZAÇÃO E MARKETING DE PRODUTOS ALIMENTARES DE QUALIDADE (DOP) QUEIJO SERRA DA ESTRELA Ovinicultura Actividade Tradicional e de Futuro 1.º Encontro Jovem Produtor de Queijo Serra da Estrela COMERCIALIZAÇÃO E MARKETING DE PRODUTOS ALIMENTARES DE QUALIDADE (DOP) QUEIJO SERRA DA ESTRELA Maria

Leia mais