Em busca do fôlego perdido

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Em busca do fôlego perdido"

Transcrição

1 gnv

2 Em busca do fôlego perdido Distante dos tempos áureos de crescimento Em 2012, o etanol enfrentou safra ruim e preços elevados, em meio a uma crise que se arrasta desde Por causa disso, motoristas que rodam maior quilometragem tornaram a utilizar o GNV acentuado, o GNV segue amargando dados negativos, após o aumento dos preços e as reversões nas conversões registrados nos últimos anos. Segundo números da Abegás, as vendas do insumo apresentaram retração de 1,5% (caindo de mil m3/ dia para mil m3/dia). A boa notícia é que o ritmo de retração desacelerou. Desde 2009, o segmento acumula índices negativos: em 2008, por exemplo, as vendas diárias do combustível batiam mil m 3, e caíram para mil m 3 no ano seguinte. Em 2010, o volume encolheu para mil m 3 e, em 2011, chegou a mil m 3. Ou seja, apesar de o setor ainda registrar números negativos, aos poucos, o ritmo de queda vem se reduzindo. Uma das razões para isso é o fato de que este também não foi um ano favorável ao principal concorrente do GNV, o etanol, que enfrentou ma melhoria sendo registrada somente de setembro a novembro. O Rio de Janeiro segue ostentando a maior frota do país, com mais de 817 mil veículos. No estado fluminense, além dos incentivos do governo para utilização de veículos movidos a GNV (redução de 75% do em 2012 uma safra ruim e preços IPVA), foram realizadas campanhas de 7.1 conversões estímulo para promover as vendas do elevados, em meio a uma crise que se Em unidades combustível, o que resultou em preços arrasta desde Por causa disso, mais interessantes. Vale destacar que motoristas que rodam maior quilometragem (caso de frotas de táxis, por o Rio de Janeiro dispõe das maiores reservas conhecidas de gás natural do exemplo) tornaram a utilizar o GNV. Na verdade, quem já tem veículo pronto para usar gás natural voltou a flertar com o combustível. O mau desempenho do etanol, entretanto, ainda não foi suficiente para trazer fôlego extra às conversões de novos automóveis. Em 2012, o número de conversões Brasil, e o governo do estado recebe royalties pela venda do gás. Sendo assim, é natural que as políticas públicas estimulem o consumo. São Paulo tem a segunda maior frota, com mais de 387 mil unidades. Em todo o Brasil, há quase 1,8 milhão de veículos rodando no país diminuiu 20%, com algu- com GNV, de acordo com dados do IBP. Fonte: IBP Relatório Anual da Revenda de Combustíveis

3 gnv Postos revendedores fechados As concessionárias de gás, de modo geral, adotaram medidas para estimular a venda do produto, lançando campanhas de marketing com o intuito de conquistar novos clientes. As ações, entretanto, não foram suficientes para trazer novo ânimo ao mercado, como comprova a redução no número de postos revendedores de gás veicular. Em dezembro de 2011, o país contabilizava revendas que comercializavam GNV; em 2012, houve queda para Várias razões estão por trás desse número: há casos em que o empresário desistiu de trabalhar com o produto, por causa do alto custo e baixo consumo; em outro, ocorre o fim de contrato por inadimplência da empresa; e existem, também, postos que recebiam o gás por meio dos chamados gasodutos virtuais (quando o gás é comprimido, entregue por carretas, e não pela rede de dutos), cujo custo elevado inviabilizava a operação. 7.2 postos GNV por estado RR AP 2011 = = 67 AC AM 2011 = = 2 RO PA TO MA PI 2011 = = 2 CE RN PB PE AL SE 2011 = = = = = = = = 10 MT 2011 = = = = 39 MS RS GO 2011 = = 4 PR SC SP DF MG 2011 = = 75 RJ 2011 = = = = 136 BA ES 2011 = = = = = = = = = = 35 TOTAL: 2011 = = = = 83 Nota: Os dados de 2012 são referentes ao mês de outubro. Fonte: IBP 54 Relatório Anual da Revenda de Combustíveis 2013

4 A dieta das margens Na média nacional, os preços do GNV se mantiveram estáveis, com pequena elevação a partir de abril, em função do reajuste dos valores do gás. O preço do combustível é baseado nos valores do dólar norte- -americano e em uma cesta de óleos combustíveis derivados do barril de petróleo. Quando o câmbio se desvaloriza, ou quando o petróleo sobe, o preço final do mix de suprimento sofre reajuste, determinado pelas agências reguladoras do setor. A variação média do preço das distribuidoras ficou em 8%, e a da revenda, em 7%, ou seja, os postos reduziram suas margens para tentar atrair o consumidor. E não se trata de uma ação isolada. Com exceção da comparação 2010/2011, quando não houve oscilação nos dois segmentos, desde 2006, a revenda tem absorvido parte da alta repassada pelas distribuidoras. Para se ter uma ideia, em janeiro de 2010, a margem média da revenda no GNV era de R$ 0,426 por metro cúbico e em dezembro de 2012, de R$ 0,407. A elevação de preços em abril de 2012, no entanto, não chegou a desestimular o consumo, já que os combustíveis líquidos (especialmente o etanol) também não se mostravam tão vantajosos no período. Em abril, quando houve a elevação, o preço médio nacional do GNV no posto revendedor era de R$ 1,694, enquanto o etanol custava R$ 1,986 por litro e a gasolina, R$ 2,742. No mês seguinte, o GNV passou a R$ 1,711, o etanol ficou em R$ 1,967 e a gasolina, em R$ 2,737. O preço do etanol só voltou a cair em agosto e o da gasolina se manteve estável até dezembro. No início do segundo semestre, algumas concessionárias de gás e postos 7.3 PREÇOS MÉDIOS NO DOWNSTREAM PREÇOS MÉDIOS NO DOWNSTREAM 2,5 2,0 2,5 1,5 2,0 1,0 1,5 1,0 Distribuidoras Postos Fonte: ANP Em R$/m ,6 margem média MARGEM da MÉDIA revenda DA REVENDA Em R$/m3 0,6 0,4 0,3 0,4 0,2 0,3 0,1 0,2 0,1 Fonte: ANP PREÇOS MÉDIOS NO DOWNSTREAM revendedores do produto perceberam, inclusive, um aumento da demanda. As margens dos revendedores acompanharam este movimento e alcançaram seus maiores picos entre os meses de maio e julho de 2012, voltando a cair a partir de setembro. A maior margem do ano foi observada em junho, com média de R$ 0,432/m 3 que, aliás, foi a melhor margem do setor desde fevereiro de 2010, quando ficou em R$ 0,443. Distribuidoras Postos MARGEM MÉDIA DA REVENDA Relatório Anual da Revenda de Combustíveis

5 gnv Gás industrial Quase 50% do gás natural consumido no Brasil tem como destino a indústria. O GNV responde por menos de 10% do consumo total, mas é o terceiro maior destino do insumo. A vice- liderança fica por conta da geração de eletricidade, cuja demanda está atrelada ao volume de chuvas nos reservatórios das hidrelétricas. Em 2012, o GNV consumiu mil m 3 /dia, quantidade 1,5% menor do que a registrada em 2011 (de mil m 3 /dia). O mercado com maior incremento do uso de gás natural foi o de geração de eletricidade, com um crescimento da ordem de 101,20% em relação ao ano anterior. 7.5 COMERCIALIZAÇÃO DE GÁS NATURAL PELAS CONCESSIONÁRIAS ESTADUAIS (Em m 3 / dia) Automotivo Industrial Residencial Comercial Geração de Eletricidade Cogeração Outros Total Fonte: Abegás RR AP AM PA MA CE RN AC RO TO PI PB PE AL SE MT BA 7.6 ALÍQUOTAS DE ICMS GO DF 25% 18% 17% 12% MS PR SP MG RJ ES Fonte: Fecombustíveis SC RS 56 Relatório Anual da Revenda de Combustíveis 2013

6 Campanhas tentam alavancar consumo Desde 2011, várias campanhas foram promovidas pelas concessionárias de gás com o intuito de divulgar os benefícios e o rendimento do GNV, além de abordar as vantagens ambientais do produto, sua segurança e o fato de ser um combustível que não pode ser adulterado. Em algumas regiões, parcerias com oficinas convertedoras trouxeram também a redução dos valores dos kits de conversão. Tudo para tentar recuperar o fôlego do setor. Confira, a seguir, algumas ações: Em São Paulo, a Comgás promoveu, em outubro, a redução do preço do kit de conversão, em parceria com as oficinas instaladoras que integram o Projeto 10 e os fabricantes de sistemas de GNV. Além da diminuição do valor do kit, a concessionária ofereceu um bônus aos taxistas de R$ 500 (a validade da campanha foi até 8 de dezembro). No Rio de Janeiro, que lidera os índices de conversão de veículos, a CEG e a CEG-Rio diminuíram em 5% o valor cobrado pelo GNV aos postos de todo o estado, nos meses de março e abril. A redução no preço foi de R$ 5 por metro cúbico. A Copergás, de Pernambuco, retomou em 2012 a campanha Pit Stop, em parceria com o Sindicombustíveis e a Associação dos Instaladores, oferecendo um bônus para os motoristas que instalassem o kit de conversão em seu veículo. No Rio Grande do Sul, a Sulgás firmou parcerias com redes de financiamento (como o Banrisul), para conceder linhas de crédito destinadas à conversão de veículos. Mais gás em São Paulo No final de agosto, o BNDES liberou R$ 1,135 bilhão para a Comgás, principal concessionária que atua no estado paulista e maior distribuidora de gás natural canalizado do país. Os recursos representam 56% do valor total dos investimentos previstos para o período e serão usados na expansão da rede de distribuição de gás natural, entre 2012 e O projeto inclui a construção de mais 27 quilômetros de gasodutos para fechar o anel metropolitano de São Paulo. Segundo a Comgás, o foco principal da expansão são os clientes residenciais e industriais. Porém, uma vez construída a rede de distribuição, é mais fácil fazer a capilarização para eventuais clientes interessados, ou mesmo para outros mercados (caso dos postos de combustíveis). Cerca de um mês antes, em julho, outra concessionária que atua no estado, a Gás Natural Fenosa, também se comprometeu junto à Arsesp a promover investimentos para expansão de sua rede. Como a empresa não cumpriu a totalidade dos investimentos previstos para o ciclo anterior (de 2005 a 2010) em relação à expansão da infraestrutura, a Arsesp rebaixou sua margem média de lucro para o ciclo atual (2010 a 2015) e determinou que o grupo invista R$ 175,5 milhões para ampliação da rede. A empresa assinou, inclusive, um TAC, reafirmando a data prevista de distribuição do gás natural canalizado, via tubulação, para a região sudoeste do estado de São Paulo (cidade de Itapetininga), até dezembro de Fique de olho a Com a elevação de preços da gasolina e do etanol, o GNV tende a se manter competitivo. Os especialistas do setor acreditam em um crescimento lento, da ordem de 3% a 4% ao ano, dependendo dos estímulos e das campanhas de incentivo voltadas ao consumidor; a De acordo com dados da ANP, o Brasil tem reservas em áreas terrestres suficientes para elevar a oferta do combustível em 360% na próxima década. A oferta nacional de gás natural pode saltar dos atuais 65 milhões de m 3 por dia para cerca de 300 milhões de m 3 por dia, entre 2025 e Relatório Anual da Revenda de Combustíveis

$ $ Sem folga à vista

$ $ Sem folga à vista gasolina Sem folga à vista Nunca se consumiu tanta gasolina no Brasil. Somente em, a demanda cresceu 12%, totalizando 39,7 milhões de metros cúbicos. Um patamar recorde, especialmente se levarmos em conta

Leia mais

Panorama do Mercado Brasileiro. Richard Nicolas De Jardin

Panorama do Mercado Brasileiro. Richard Nicolas De Jardin Panorama do Mercado Brasileiro Richard Nicolas De Jardin Linha do Tempo Falta de Infraestrutura Poucos Postos Segmento de Taxi Privatizações Crescimento da Infraestrutura Novos mercados Aumento das Vendas

Leia mais

Carga Tributária dos Combustíveis por Estado. Referência: Junho/2015

Carga Tributária dos Combustíveis por Estado. Referência: Junho/2015 Carga Tributária dos Combustíveis por Estado Referência: Junho/2015 Pontos importantes da Lei 12.741/2012 para a revenda de combustíveis Art. 1º Emitidos por ocasião da venda ao consumidor de mercadorias

Leia mais

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) ANEXO I BICICLETA ESCOLAR Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) Assunto: Adesão à ata de registro de preços nº 70/2010 do pregão eletrônico nº 40/2010. 1 2 BICICLETA 20 - AC,

Leia mais

$ $ À espera da competitividade

$ $ À espera da competitividade etanol À espera da competitividade foi mais um ano de sufoco para o setor sucroalcooleiro, que ainda sente os reflexos da crise de 2008, que deixou as usinas sem crédito, justamente quando haviam assumido

Leia mais

Plano de Abastecimento do Novo Diesel S50 e S10

Plano de Abastecimento do Novo Diesel S50 e S10 Plano de Abastecimento do Novo Diesel S50 e S10 ALLAN KARDEC DUAILIBE Diretor Anfavea 30 de Maio, 2011 Sistema Nacional de Abastecimento de Combustíveis Produtor de Biodiesel e Etanol Produtor de GNV,

Leia mais

$ $ Alto consumo. Nova fase: S10

$ $ Alto consumo. Nova fase: S10 diesel Alto consumo Em 2013, o cenário do mercado de diesel no país prosseguiu trajetória ascendente, assim como em anos anteriores. Impulsionado pela forte demanda pelo combustível, o faturamento do segmento

Leia mais

Congresso Minas Petro

Congresso Minas Petro Belo Horizonte / MG - 25 e 26 de Outubro Congresso Minas Petro IX Congresso de Postos Revendedores de Combustíveis de Minas Gerais Painel de Debates sobre Perspectivas da Revenda diante da nova Matriz

Leia mais

Sublimites estaduais de enquadramento para. Nacional 2012/2013. Vamos acabar com essa ideia

Sublimites estaduais de enquadramento para. Nacional 2012/2013. Vamos acabar com essa ideia Sublimites estaduais de enquadramento para o ICMS no Simples Nacional 2012/2013 Vamos acabar com essa ideia 4 CNI APRESENTAÇÃO Os benefícios do Simples Nacional precisam alcançar todas as micro e pequenas

Leia mais

Sumário. Expediente. Estatísticas e Mercado...4. Relatório ABEGÁS - Mercado e Distribuição Ano VI - Nº 46 - Janeiro 2012

Sumário. Expediente. Estatísticas e Mercado...4. Relatório ABEGÁS - Mercado e Distribuição Ano VI - Nº 46 - Janeiro 2012 Sumário...4 Expediente Conselho Deliberativo ABEGÁS - Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado Presidente: Luis Domenech Vice-Presidente: Aldo Guedes Conselheiros: Bruno Armbrust,

Leia mais

PROGRAMA DE MONITORAMENTO DA QUALIDADE DOS COMBUSTÍVEIS PMQC

PROGRAMA DE MONITORAMENTO DA QUALIDADE DOS COMBUSTÍVEIS PMQC PROGRAMA DE MONITORAMENTO DA QUALIDADE DOS COMBUSTÍVEIS PMQC SUPERINTEDÊNCIA DE BIOCOMBUSTÍVEIS E DE QUALIDADE DE PRODUTOS SBQ Alexandre de Souza Lima Salvador Junho/2008 AGENTES DO ABASTECIMENTO Posição

Leia mais

Converter carro para GNV reduz gastos; veja prós e contras

Converter carro para GNV reduz gastos; veja prós e contras Converter carro para GNV reduz gastos; veja prós e contras Carro com dinheiro no compartimento do combustível: Para quem percorre quilometragens altas, a economia com o GNV pode compensar o custo do kit

Leia mais

Geração de Emprego Formal no NOTA CONJUNTURAL DO OBSERVATÓRIO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, JULHO DE 2011

Geração de Emprego Formal no NOTA CONJUNTURAL DO OBSERVATÓRIO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, JULHO DE 2011 Geração de Emprego Formal no RIO DE JANEIRO NOTA CONJUNTURAL DO OBSERVATÓRIO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, JULHO DE 211 1 211 O crescimento da economia fluminense nos últimos

Leia mais

Propostas do Governo para o ICMS

Propostas do Governo para o ICMS Propostas do Governo para o ICMS Audiência pública da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal Brasília, 11 de março de 2013 Avaliação geral Proposta do Governo vai na direção correta em termos

Leia mais

Sumário. Expediente. Estatísticas e Mercado...03. Relatório ABEGÁS - Mercado e Distribuição Ano VI - Nº 50 - Julho 2012

Sumário. Expediente. Estatísticas e Mercado...03. Relatório ABEGÁS - Mercado e Distribuição Ano VI - Nº 50 - Julho 2012 Sumário...03 Expediente Conselho Deliberativo ABEGÁS - Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado Presidente: Luis Domenech Vice-Presidente: Aldo Guedes Conselheiros: Bruno Armbrust,

Leia mais

Investe São Paulo. Campinas, 17 de março de 2015

Investe São Paulo. Campinas, 17 de março de 2015 Investe São Paulo Campinas, 17 de março de 2015 Missão Ser a porta de entrada para novos investimentos e a expansão dos negócios existentes, gerando inovação tecnológica, emprego e renda. Promover a competitividade

Leia mais

MERCADO DE CAPITALIZAÇÃO JANEIRO / ABRIL -2011

MERCADO DE CAPITALIZAÇÃO JANEIRO / ABRIL -2011 MERCADO DE CAPITALIZAÇÃO JANEIRO / ABRIL -2011 1 MERCADO DE CAPITALIZAÇÃO: O Mercado de títulos de capitalização vem mantendo crescimentos fortes e retornos robustos. Nesse período o volume de vendas atingiu

Leia mais

A Carreira Muller. As melhores soluções para sua empresa

A Carreira Muller. As melhores soluções para sua empresa ABRIL 2.013 A Carreira Muller ESTUDO REEMBOLSO QUILOMETRAGEM ABRIL 2013 As melhores soluções para sua empresa A Carreira Muller é uma empresa de consultoria empresarial que desenvolve e implanta soluções

Leia mais

$ $ $ $ $ $ $ $ $ Um novo mercado

$ $ $ $ $ $ $ $ $ Um novo mercado diesel Um novo mercado Por mais um ano, as vendas de diesel superaram o desempenho do PIB, encerrando com expansão de 5,2% no volume e respondendo por quase 50% da matriz veicular brasileira. Foram quase

Leia mais

Crescer agregando valor

Crescer agregando valor Crescer agregando valor Marcio Araujo de Lacerda Presidente do Conselho de Administração Maio de 2008 1/XX Orientações do Governo Mineiro Para Minas Gerais: Um Estado para Resultados Visão: Tornar Minas

Leia mais

Centro de Artes e Esportes Unificados, Sertãozinho SP. UBS Elpidio Moreira Souza AC. UPA município de Ribeirão Pires SP

Centro de Artes e Esportes Unificados, Sertãozinho SP. UBS Elpidio Moreira Souza AC. UPA município de Ribeirão Pires SP Centro de Artes e Esportes Unificados, Sertãozinho SP UBS Elpidio Moreira Souza AC Quadra da Escola Municipal Érico de Souza, Águas Lindas GO UPA município de Ribeirão Pires SP UBS Clínica da Família,

Leia mais

Guerra Fiscal e Desenvolvimento Regional. Audiência Pública Senado Federal 18 de outubro de 2011

Guerra Fiscal e Desenvolvimento Regional. Audiência Pública Senado Federal 18 de outubro de 2011 Guerra Fiscal e Desenvolvimento Regional Audiência Pública Senado Federal 18 de outubro de 2011 Quem ganha com a Guerra Fiscal? O país perde Porque grande parte dos incentivos é concedido a importações

Leia mais

De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012.

De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012. De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012. Os casos de Invalidez Permanente representaram a maioria das indenizações pagas

Leia mais

Resultados do 2T09. Teleconferência de Resultados

Resultados do 2T09. Teleconferência de Resultados Resultados do 2T09 Teleconferência de Resultados Destaques do 2T09 2 Destaques do 2T09 em linha com a estratégia geral da Companhia Nossas conquistas do 2T09 são refletidas nos resultados da Companhia

Leia mais

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

SONDAGEM INDUSTRIAL PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2004 RESULTADOS DE RIO BRANCO - ACRE

SONDAGEM INDUSTRIAL PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2004 RESULTADOS DE RIO BRANCO - ACRE O QUE É A SONDAGEM INDUSTRIAL A Sondagem é uma pesquisa qualitativa realizada trimestralmente pela CNI e pelas Federações das s de 19 estados do país (AC, AL, AM, BA, CE, ES, GO, MG, MS, MT, PA, PB, PE,

Leia mais

ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA - MAIO/2015

ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA - MAIO/2015 ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA - MAIO/2015 O COMÉRCIO VAREJISTA NO BRASIL A Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) tem

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF UF Tecnologia Velocidade Quantidade de Acessos AC ATM 12 Mbps a 34Mbps 3 AC ATM 34 Mbps

Leia mais

MERCADO BRASILEIRO DE SEGUROS

MERCADO BRASILEIRO DE SEGUROS MERCADO BRASILEIRO DE SEGUROS PRESTAMISTA RESULTADOS E INDICADORES JAN A MAIO 2010 09-07-2010 1 MERCADO BRASILEIRO DE SEGUROS PRESTAMISTA Esse conjunto encerrou o período com um volume de vendas de R$

Leia mais

PERFIL DOS FABRICANTES DE ESTRUTURAS DE AÇO. Resumo Executivo Pesquisa 2013

PERFIL DOS FABRICANTES DE ESTRUTURAS DE AÇO. Resumo Executivo Pesquisa 2013 PERFIL DOS FABRICANTES DE ESTRUTURAS DE AÇO Resumo Executivo Pesquisa 2013 APRESENTAÇÃO Em ação conjunta para o melhor conhecimento das capacidades do mercado brasileiro da construção em aço, o CBCA Centro

Leia mais

A Taxa Média de Retorno do Patrimônio Líquido foi equivalente a uma aplicação financeira com remuneração anual de 34,69% contra 24,94%.

A Taxa Média de Retorno do Patrimônio Líquido foi equivalente a uma aplicação financeira com remuneração anual de 34,69% contra 24,94%. 1- INTRODUÇÃO: A SUSEP liberou no dia 07/03/2015 os números do Mercado de Seguros e Previdência referente ao mês de janeiro 2015. Cabe ainda lembrar que esses números se referem ao banco de dados SES o

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA Nível superior Cargo 1: Contador DF Brasília/Sede da Administração Central 35 1820 52,00 Nível médio Cargo 2: Agente Administrativo AC Rio Branco/Sede da SRTE 2 1496 748,00 Nível médio Cargo 2: Agente

Leia mais

Desvio de Finalidade Papel Imune

Desvio de Finalidade Papel Imune Desvio de Finalidade Papel Imune Compliance com as Leis de Defesa da Concorrência ALERTA: Evitar quaisquer discussões ou conversações sobre temas sensíveis à livre competição entre as empresas associadas,

Leia mais

Índice de mortes no Carnaval é o menor em dez anos

Índice de mortes no Carnaval é o menor em dez anos Índice de mortes no Carnaval é o menor em dez anos Brasília, 14 de fevereiro 2013 A Polícia Rodoviária Federal registrou queda nas estatísticas do Carnaval nos 70 mil quilômetros de rodovias federais brasileiras.

Leia mais

Mortos e Acidentes por Unidade Federativa

Mortos e Acidentes por Unidade Federativa e Acidentes por Unidade Federativa - 2016 Data: 23/05/2017 FILTROS: Veículos: Todos, Caminhões, Ônibus Valores: Absolutos Estado: Todos BR: Todas Estados com maior número de mortes e acidentes - 2016 Este

Leia mais

Indenizações Pagas Quantidades

Indenizações Pagas Quantidades Natureza da Indenização Jan a Dez 2011 % Jan a Dez 2012 % Jan a Dez 2012 x Jan a Dez 2011 Morte 58.134 16% 60.752 12% 5% Invalidez Permanente 239.738 65% 352.495 69% 47% Despesas Médicas (DAMS) 68.484

Leia mais

Gestão da Qualidade da Banda Larga

Gestão da Qualidade da Banda Larga Gestão da Qualidade da Banda Larga Agência Nacional de Telecomunicações Brasília, 17 de maio de 2013 METODOLOGIA DE MEDIÇÃO INDICADORES DE BANDA LARGA FIXA Avaliações realizadas através de medidores instalados

Leia mais

Contas Regionais do Brasil 2010

Contas Regionais do Brasil 2010 Diretoria de Pesquisas Contas Regionais do Brasil 2010 Coordenação de Contas Nacionais frederico.cunha@ibge.gov.br alessandra.poca@ibge.gov.br Rio, 23/11/2012 Contas Regionais do Brasil Projeto de Contas

Leia mais

(MLRV) SEGURO GARANTIA ESTENDIDA JAN A MAIO DE 2015 SUSEP SES. lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1

(MLRV) SEGURO GARANTIA ESTENDIDA JAN A MAIO DE 2015 SUSEP SES. lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1 SEGURO GARANTIA ESTENDIDA JAN A MAIO DE 2015 SUSEP SES lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1 1- INTRODUÇÃO: O seguro de Garantia Estendida tem como objetivo fornecer ao segurado, facultativamente

Leia mais

POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS

POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS Seminário POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS LEGISLAÇÃO, FISCALIZAÇÃO E POLÍTICA DE SEGURANÇA Brasília DF 13 de setembro de 2012 Regulamentação da atividade de mototaxista Mesmo diante da ausência

Leia mais

Anuncie na revista oficial da raça Campolina Marchador. Midia Kit

Anuncie na revista oficial da raça Campolina Marchador. Midia Kit Anuncie na revista oficial da raça Campolina Marchador. Midia Kit Foto: Mairo Wellington Criada em 1870 por Cassiano Campolina para ser utilizada pela guarda do Imperador D. Pedro II, a raça Campolina

Leia mais

Índice da apresentação

Índice da apresentação Cenário da reparação de veículos 2013 Índice da apresentação 1. Indicadores 2. Ameaças e oportunidades 3. Cenário futuro Indicadores Total 5.565 Municípios NORTE 449 Amazonas 62 Pará 143 Rondônia 52 Acre

Leia mais

PANORAMA DO SETOR EVOLUÇÃO

PANORAMA DO SETOR EVOLUÇÃO EVOLUÇÃO A Indústria Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos apresentou um crescimento médio deflacionado composto de 10% nos últimos 16 anos, tendo passado de um faturamento "ExFactory",

Leia mais

Anteprojeto de Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas

Anteprojeto de Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas Avanços e Pontos para Reflexão Renato da Fonseca Secretário-Executivo do Conselho da Micro e Pequena Empresa da Confederação Nacional da Indústria Pontos para reflexão Por que devemos criar um regime especial

Leia mais

AVALIAÇÕES E PERSPECTIVAS ESTRATÉGIAS PARA OS PROJETOS IV SEMINÁRIO NACIONAL DO PNCF

AVALIAÇÕES E PERSPECTIVAS ESTRATÉGIAS PARA OS PROJETOS IV SEMINÁRIO NACIONAL DO PNCF AVALIAÇÕES E PERSPECTIVAS ESTRATÉGIAS PARA OS PROJETOS IV SEMINÁRIO NACIONAL DO PNCF Crédito Fundiário no combate a pobreza rural: Sustentabilidade e qualidade de vida 2011 PROGRAMA NACIONAL DE CRÉDITO

Leia mais

RELATÓRIO DA GERÊNCIA DE MONITORAMENTO PANORAMA DO COOPERATIVISMO BRASILEIRO - ANO 2011

RELATÓRIO DA GERÊNCIA DE MONITORAMENTO PANORAMA DO COOPERATIVISMO BRASILEIRO - ANO 2011 RELATÓRIO DA GERÊNCIA DE MONITORAMENTO PANORAMA DO COOPERATIVISMO BRASILEIRO - ANO 2011 Março 2012 SUMÁRIO I - EVOLUÇÃO DO NÚMERO DE COOPERATIVAS, COOPERADOS E EMPREGADOS, 3 II - ANÁLISE POR RAMO, 8 2.1

Leia mais

ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA FEV/2015

ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA FEV/2015 ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA FEV/015 O COMÉRCIO VAREJISTA NO BRASIL APRESENTA RETRAÇÃO NAS VENDAS EM FEVEREIRO A Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) realizada pelo Instituto Brasileiro

Leia mais

Transporte Escolar nos Estados e no DF. Novembro/2011

Transporte Escolar nos Estados e no DF. Novembro/2011 Transporte Escolar nos Estados e no DF Novembro/2011 UFs onde existe terceirização total ou parcial (amostra de 16 UFs) AC AL AP AM DF GO MT MS PB PI RJ RN RO RR SE TO TERCEIRIZAÇÃO TERCEIRIZAÇÃO TERCEIRIZAÇÃO

Leia mais

5.500 postos de serviço

5.500 postos de serviço 5.500 postos de serviço Em 2009, a Ipiranga manteve sua trajetória de expansão acelerada da escala, com a aquisição das operações da rede de distribuição de combustíveis da Texaco no Brasil e investimentos

Leia mais

(MLRV) CRÉDITO INTERNO JAN A MAIO DE 2015 SUSEP SES. lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1

(MLRV) CRÉDITO INTERNO JAN A MAIO DE 2015 SUSEP SES. lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1 CRÉDITO INTERNO JAN A MAIO DE 2015 SUSEP SES lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1 1- INTRODUÇÃO: Também chamado seguro de crédito doméstico, esse seguro oferece cobertura com validade no território

Leia mais

4» Quadra escolar Maria Nascimento Paiva. 1» Centro de Artes e Esportes Unificados. 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308

4» Quadra escolar Maria Nascimento Paiva. 1» Centro de Artes e Esportes Unificados. 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308 1 2 8 1» Centro de Artes e Esportes Unificados Rio Branco AC 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308 Recanto das Emas DF 3» Creche Ipê Rosa Samambaia DF 4» Quadra escolar Maria Nascimento

Leia mais

Redução dos preços da gasolina e do óleo diesel na refinaria PAULO CÉSAR RIBEIRO LIMA

Redução dos preços da gasolina e do óleo diesel na refinaria PAULO CÉSAR RIBEIRO LIMA Redução dos preços da gasolina e do óleo diesel na refinaria PAULO CÉSAR RIBEIRO LIMA JANEIRO/2009 Paulo César Ribeiro Lima 2 Redução dos preços da gasolina e do óleo diesel na refinaria Esta Nota Técnica

Leia mais

AUTOMÓVEIS JAN A JUNHO 2015

AUTOMÓVEIS JAN A JUNHO 2015 AUTOMÓVEIS JAN A JUNHO 2015 Como sabemos a modalidade de Automóveis ainda é o carro-chefe do segmento de seguros. Desde a renúncia fiscal (IPI), aumento de crédito e taxa de juros mais coerentes, que a

Leia mais

GÁS NATURAL A PREÇO JUSTO!

GÁS NATURAL A PREÇO JUSTO! GÁS NATURAL A PREÇO JUSTO! 14º Encontro de Energia FIESP Matriz Segura e Competitiva Luis Henrique Guimarães São Paulo, 5 de agosto de 2013 1 AGENDA Princípios que norteiam a apresentação O que é Preço

Leia mais

Inovação. no Estado de São Paulo. Políticas Públicas para a promoção da Ciência, Tecnologia e

Inovação. no Estado de São Paulo. Políticas Públicas para a promoção da Ciência, Tecnologia e Políticas Públicas para a promoção da Ciência, Tecnologia e no Estado de São Paulo Inovação Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia Subsecretaria de Ciência e Tecnologia Vantagens

Leia mais

TRANSPORTE ESCOLAR PROGRAMAS DE APOIO DO GOVERNO FEDERAL

TRANSPORTE ESCOLAR PROGRAMAS DE APOIO DO GOVERNO FEDERAL TRANSPORTE ESCOLAR PROGRAMAS DE APOIO DO GOVERNO FEDERAL PAULO DE SENA MARTINS Consultor Legislativo da Área XV Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia MAIO/2008 Paulo de Sena Martins 2 2008

Leia mais

INDUSTRIALIZAÇÃO POR ENCOMENDA: EFICIÊNCIA EM PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO. Desenvolvido por:

INDUSTRIALIZAÇÃO POR ENCOMENDA: EFICIÊNCIA EM PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO. Desenvolvido por: INDUSTRIALIZAÇÃO POR ENCOMENDA: EFICIÊNCIA EM PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO. Desenvolvido por: 2014 PRIMEIRA PARTE: DEFINIÇÃO E VANTAGENS O que é a industrialização por encomenda? É uma forma de ganhar eficiência

Leia mais

Indenizações Pagas Quantidades

Indenizações Pagas Quantidades Natureza da Indenização Jan a Dez 2012 % Jan a Dez 2013 % Jan a Dez 2013 x Jan a Dez 2012 Morte 60.752 1 54.767 9% - Invalidez Permanente 352.495 69% 444.206 70% 2 Despesas Médicas (DAMS) 94.668 19% 134.872

Leia mais

RELATÓRIO ABEGÁS MERCADO E DISTRIBUIÇÃO. Ano II - Nº 07 - Janeiro/2008

RELATÓRIO ABEGÁS MERCADO E DISTRIBUIÇÃO. Ano II - Nº 07 - Janeiro/2008 RELATÓRIO ABEGÁS MERCADO E DISTRIBUIÇÃO Ano II - Nº 07 - Janeiro/2008 Sumário Panorama... 4 Estatísticas e Mercado... 5 Expediente Diretoria Executiva ABEGÁS - Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras

Leia mais

AUTOMÓVEIS JAN A ABRIL 2015

AUTOMÓVEIS JAN A ABRIL 2015 AUTOMÓVEIS JAN A ABRIL 2015 Como sabemos a modalidade de Automóveis ainda é o carro-chefe do segmento de seguros. Desde a renúncia fiscal (IPI), aumento de crédito e taxa de juros mais coerentes, que a

Leia mais

MENSAGEM DA ADMINISTRAÇÃO A QGEP Participações iniciou o ano de 2011 com uma sólida posição financeira. Concluímos com sucesso a nossa oferta pública inicial de ações em fevereiro, com uma captação líquida

Leia mais

CAFÉ DA MANHÃ FRENTE PARLAMENTAR

CAFÉ DA MANHÃ FRENTE PARLAMENTAR CAFÉ DA MANHÃ FRENTE PARLAMENTAR Situação Atual do Setor Têxtil e de Confecção Aguinaldo Diniz Filho Presidente da Abit Brasília, 19 de junho de 2013 PERFIL DO SETOR ESTRUTURA DA CADEIA TEXTIL E DE CONFECÇÃO

Leia mais

RISCOS NOMEADOS E OPERACIONAIS JAN A MAIO DE 2012

RISCOS NOMEADOS E OPERACIONAIS JAN A MAIO DE 2012 RISCOS NOMEADOS E OPERACIONAIS JAN A MAIO DE 2012 1 ANÁLISE RISCOS NOMEADOS E OPERACIONAIS: Essa análise está calcada nos números divulgados pela SUSEP referente ao período de jan a maio de 2012 através

Leia mais

Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015. Perspectivas da economia / Comprometimento de renda. Novembro/2015. Copyright Boa Vista SCPC 1

Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015. Perspectivas da economia / Comprometimento de renda. Novembro/2015. Copyright Boa Vista SCPC 1 Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015 Perspectivas da economia / Comprometimento de renda Novembro/2015 Copyright Boa Vista SCPC 1 Objetivo, metodologia e amostra o Objetivo: Pesquisa para

Leia mais

Brasília, agosto de 2012.

Brasília, agosto de 2012. Brasília, agosto de 2012. Contas de Governo Cap. 4 (Análise Setorial) Execução do gasto Orçamentário (OFSS + RPNP) Gasto tributário (renúncia de receita) Resultado da atuação governamental no exercício

Leia mais

Objetivos. 1. Fazer o diagnóstico das condições de saúde bucal da população brasileira em 2010. 2. Traçar comparativo com a pesquisa SB Brasil 2003

Objetivos. 1. Fazer o diagnóstico das condições de saúde bucal da população brasileira em 2010. 2. Traçar comparativo com a pesquisa SB Brasil 2003 Objetivos 1. Fazer o diagnóstico das condições de saúde bucal da população brasileira em 2010 2. Traçar comparativo com a pesquisa SB Brasil 2003 3. Avaliar o impacto do Programa Brasil Sorridente 4. Planejar

Leia mais

PANORAMA DO SETOR. Evolução do setor 2. Crescimento do setor x crescimento da economia 3. Comparativo de índices de preços 4. Comércio Exterior 5

PANORAMA DO SETOR. Evolução do setor 2. Crescimento do setor x crescimento da economia 3. Comparativo de índices de preços 4. Comércio Exterior 5 PANORAMA DO SETOR Evolução do setor 2 Crescimento do setor x crescimento da economia 3 Comparativo de índices de preços 4 Comércio Exterior 5 Perfil Empresarial 8 Mercado Brasileiro 11 Canais de distribuição

Leia mais

ANÁLISE MERCADO DE SEGUROS AUTOMÓVEIS JAN A MAIO 2014 NÚMEROS SUSEP SES

ANÁLISE MERCADO DE SEGUROS AUTOMÓVEIS JAN A MAIO 2014 NÚMEROS SUSEP SES ANÁLISE MERCADO DE SEGUROS AUTOMÓVEIS JAN A MAIO 2014 NÚMEROS SUSEP SES lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1 1- INTRODUÇÃO: Como sabemos a SUSEP, no intuito de aperfeiçoar as avaliações de

Leia mais

Resultados da atuação do Bradesco em APL s

Resultados da atuação do Bradesco em APL s Resultados da atuação do Bradesco em APL s Atuação do Bradesco em APL s Por Região NORDESTE 97 APL`S NORTE 48 APL`S CENTRO-OESTE 41 APL`S SUDESTE 102 APL`S SUL 40 APL`S Posição Setembro/2013 Atuação com

Leia mais

O Desempenho do Investimento Público do Ceará, 2007 2012, uma análise comparativa entre os Estados.

O Desempenho do Investimento Público do Ceará, 2007 2012, uma análise comparativa entre os Estados. Enfoque Econômico é uma publicação do IPECE que tem por objetivo fornecer informações de forma imediata sobre políticas econômicas, estudos e pesquisas de interesse da população cearense. Por esse instrumento

Leia mais

Retomada do mercado do GNV: Principais Benefícios

Retomada do mercado do GNV: Principais Benefícios Retomada do mercado do GNV: Principais Benefícios Professor Edmar de Almeida Grupo de Economia da Energia Instituto de Economia UFRJ PLANO DA APRESENTAÇÃO Contexto atual do mercado de GNV no Brasil Oportunidades

Leia mais

Fundação de Economia e Estatística Centro de Informações Estatísticas Núcleo de Contabilidade Social

Fundação de Economia e Estatística Centro de Informações Estatísticas Núcleo de Contabilidade Social Fundação de Economia e Estatística Centro de Informações Estatísticas Núcleo de Contabilidade Social COMENTÁRIOS ACERCA DOS NÚMEROS FINAIS DO PIB DO RS E DAS DEMAIS UNIDADES DA FEDERAÇÃO EM 2010 Equipe

Leia mais

GNV. Combustível de baixo impacto ambiental para frotas de Táxis.

GNV. Combustível de baixo impacto ambiental para frotas de Táxis. GNV Combustível de baixo impacto ambiental para frotas de Táxis. REUNIÃO DE ESPECIALISTAS SOBRE TRANSPORTE URBANO SUSTENTÁVEL MODERNIZAR E TORNAR ECOLÓGICA A FROTA DE TÁXIS NAS CIDADES LATINO AMERICANAS

Leia mais

INDÚSTRIA NAVAL NO BRASIL

INDÚSTRIA NAVAL NO BRASIL INDÚSTRIA NAVAL NO BRASIL DÉCADA DE 70 E 80 O BRASIL CHEGOU A SER O 2º PRODUTOR MUNDIAL DE EMBARCAÇÕES EMPREGAVA 40 MIL TRABALHADORES DIRETOS E CERCA DE 160 MIL INDIRETOS DÉCADA DE 90 Abertura indiscriminada

Leia mais

ANÁLISE MERCADO DE SEGUROS GARANTIAS JAN A DEZ 2014 NÚMEROS SUSEP - SES (02/03/2015)

ANÁLISE MERCADO DE SEGUROS GARANTIAS JAN A DEZ 2014 NÚMEROS SUSEP - SES (02/03/2015) ANÁLISE MERCADO DE SEGUROS JAN A DEZ 2014 NÚMEROS SUSEP - SES (02/03/2015) lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1 1- INTRODUÇÃO: Como sabemos a SUSEP, no intuito de aperfeiçoar as avaliações

Leia mais

O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE?

O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE? O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE? Instrumento que permite o financiamento, por meio de incentivos fiscais, de projetos esportivos aprovados pelo Ministério do Esporte. BASE LEGAL: Lei 11.438/06 -

Leia mais

1º Trimestre de 2009 Teleconferência de Resultados. 14 de Maio de 2009

1º Trimestre de 2009 Teleconferência de Resultados. 14 de Maio de 2009 1º Trimestre de 2009 Teleconferência de Resultados 14 de Maio de 2009 Aviso Legal Informações e Projeções Algumas das afirmações aqui contidas se baseiam nas hipóteses e perspectivas atuais da administração

Leia mais

A agenda que está na mesa: A agenda do ICMS e do PIS-Cofins

A agenda que está na mesa: A agenda do ICMS e do PIS-Cofins A agenda que está na mesa: A agenda do ICMS e do PIS-Cofins Fórum Estadão Brasil Competitivo Bernard Appy outubro de 2012 Relevância da agenda PIS e Cofins ICMS Relevância da agenda PIS e Cofins ICMS Relevância

Leia mais

PROCOMPI Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Indústrias. 6ª Conferência Brasileira de APLs Brasília - DF

PROCOMPI Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Indústrias. 6ª Conferência Brasileira de APLs Brasília - DF PROCOMPI Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Indústrias 6ª Conferência Brasileira de APLs Brasília - DF Dezembro de 2013 OBJETIVO Promover a competitividade das micro e pequenas empresas

Leia mais

Breve Panorama do Gás Natural no Brasil

Breve Panorama do Gás Natural no Brasil Breve Panorama do Gás Natural no Brasil WAGNER MARQUES TAVARES Consultor Legislativo da Área XII Recursos Minerais, Hídricos e Energéticos NOVEMBRO/2009 Wagner Marques Tavares Consultor Legislativo 2 SUMÁRIO

Leia mais

profissional: desafios e integração

profissional: desafios e integração O papel das IES na formação profissional: desafios e integração da equipe de saúde Clarice A. Ferraz Coordenadora d Geral das Ações Técnicas em Educação na Saúde e Formação de Profissionais de Nível Médio

Leia mais

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 Situação da microcefalia no Brasil Até 21 de novembro, foram notificados 739 casos suspeitos de microcefalia, identificados em 160 municípios de nove

Leia mais

Vantagens do uso do Selo da Agricultura Familiar para os empreendimentos da Bahia

Vantagens do uso do Selo da Agricultura Familiar para os empreendimentos da Bahia Vantagens do uso do Selo da Agricultura Familiar para os empreendimentos da Bahia Guilherme Cerqueira Mateus e Souza 1 Daniel Costa Ferreira 2 Jeandro L. Ribeiro 3 1 Economista (UFBA), Consultor do PNUD/MDA/

Leia mais

ENERGIAS ALTERNATIVAS E TECNOLOGIAS DE PRODUÇÃO LIMPAS: DESAFIOS E OPORTUNIDADES

ENERGIAS ALTERNATIVAS E TECNOLOGIAS DE PRODUÇÃO LIMPAS: DESAFIOS E OPORTUNIDADES ENERGIAS ALTERNATIVAS E TECNOLOGIAS DE PRODUÇÃO LIMPAS: DESAFIOS E OPORTUNIDADES FONTES DE ENERGIA Hídrica Eólica Biomassa Solar POTENCIAL HÍDRICO Fonte: Eletrobras, 2011. APROVEITAMENTO DO POTENCIAL HIDRELÉTRICO

Leia mais

Falta de mão-de-obra qualificada dificulta aumento da competitividade da indústria

Falta de mão-de-obra qualificada dificulta aumento da competitividade da indústria Sondagem Especial da Confederação Nacional da Indústria CNI O N D A G E M Especial Ano 5, Nº.3 - setembro de 2007 Falta de mão-de-obra qualificada dificulta aumento da competitividade da indústria Mais

Leia mais

PROGRAMA DE FISCALIZAÇÃO EM ENTES FEDERATIVOS 2º CICLO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO

PROGRAMA DE FISCALIZAÇÃO EM ENTES FEDERATIVOS 2º CICLO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO PROGRAMA DE FISCALIZAÇÃO EM ENTES FEDERATIVOS 2º CICLO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO UF / Ação de Governo Valor a ser Fiscalizado AC R$ 99.891.435,79 Apoio à Alimentação Escolar na Educação Básica (PNAE) R$

Leia mais

A importância do Investimento Privado na Concessão dos

A importância do Investimento Privado na Concessão dos A importância do Investimento Privado na Concessão dos Serviços Públicos Regulados Geraldo Villin Prado ABAR Mai/09 Demanda Anual de Investimentos no Brasil ENERGIA ELÉTRICA PETRÓLEO & GÁS (*) TRANSPORTES/

Leia mais

O SISTEMA DE AQUECIMENTO SOLAR NO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA. Mara Luísa Alvim Motta Gerente Executiva GERÊNCIA NACIONAL DE MEIO AMBIENTE

O SISTEMA DE AQUECIMENTO SOLAR NO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA. Mara Luísa Alvim Motta Gerente Executiva GERÊNCIA NACIONAL DE MEIO AMBIENTE O SISTEMA DE AQUECIMENTO SOLAR NO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA Mara Luísa Alvim Motta Gerente Executiva GERÊNCIA NACIONAL DE MEIO AMBIENTE Crédito Imobiliário 2003 a 2010 75,92 47,05 275.528 MCMV 660.980

Leia mais

Transplantes de órgãos crescem 24,3% Qui, 24 de Setembro de 2009 00:00

Transplantes de órgãos crescem 24,3% Qui, 24 de Setembro de 2009 00:00 Qui, 24 de Setembro de 29 : Aumento é relativo ao número de procedimentos realizados com órgãos de doadores falecidos no primeiro semestre de 29 em relação ao primeiro semestre de 28. Ministério da Saúde

Leia mais

A Expansão da Rede de Distribuição de Gás Natural da Comgas

A Expansão da Rede de Distribuição de Gás Natural da Comgas A Expansão da Rede de Distribuição de Gás Natural da Comgas Marcelo Menicucci Esteves Diretor de Suprimentos e Projetos de Energia São Paulo - 11/11/2004 Congresso Brasileiro de Eficiência Energética e

Leia mais

EVOLUÇÃO & PROGNÓSTICOS

EVOLUÇÃO & PROGNÓSTICOS APRESENTAÇÃO POPULAÇÃO CARCERÁRIA BRASILEIRA O objetivo deste trabalho, elaborado pela Comissão de Monitoramento e Avaliação do DEPEN, é realizar um levantamento, de forma sucinta, sobre o quadro evolutivo

Leia mais

Relatório de Atividades ABCR - 2012

Relatório de Atividades ABCR - 2012 Relatório de Atividades ABCR - 2012 O ano de 2012 foi de transição na ABCR, em razão da mudança da gestão da sua Diretoria Executiva, e dos demais órgãos que a compõem. Eleita e empossada no final de março,

Leia mais

6º Censo da Reciclagem de PET no Brasil 2009/2010

6º Censo da Reciclagem de PET no Brasil 2009/2010 6º Censo da Reciclagem de PET no Brasil 2009/2010 Reciclagem de PET no Brasil 2009 Censo Por quê? O Censo é a metodologia mais indicada quando a população é pequena e a variabilidade dentro da população

Leia mais

MERCADO BRASILEIRO DE SEGUROS TRANSPORTES INTERNACIONAIS

MERCADO BRASILEIRO DE SEGUROS TRANSPORTES INTERNACIONAIS MERCADO BRASILEIRO DE SEGUROS TRANSPORTES INTERNACIONAIS I BIMESTRE -2013 1 O segmento de Transportes Internacionais encerrou o mês de janeiro com um volume de produção de R$ 85 milhões contra R$ 84 milhões

Leia mais

INDÚSTRIA DE ALIMENTOS

INDÚSTRIA DE ALIMENTOS DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INDÚSTRIA DE ALIMENTOS OUTUBRO DE 2015 PRODUTOS INDÚSTRIA DE ALIMENTOS NO BRASIL 2012 EXPORTAÇÕES US$ 43 Bilhões (23%) 23% Ásia 22% União Europeia FATURAMENTO

Leia mais

ÍNDICE RELATÓRIO SIOR 2012. Pág. 02 NOTÍCIAS 2011/2012. Pág. 03 ANÁLISE DAS DEMANDAS. Pág. 04 GRÁFICO DE DEMANDAS POR ESTADO. Pág.

ÍNDICE RELATÓRIO SIOR 2012. Pág. 02 NOTÍCIAS 2011/2012. Pág. 03 ANÁLISE DAS DEMANDAS. Pág. 04 GRÁFICO DE DEMANDAS POR ESTADO. Pág. RELATÓRIO SIOR 2012 ÍNDICE NOTÍCIAS 2011/2012 ANÁLISE DAS DEMANDAS GRÁFICO DE DEMANDAS POR ESTADO TEMPO DE ATENDIMENTO DEMANDAS CONSIDERADAS PROCEDENTES MAPA DAS PRINCIPAIS DEMANDAS CONSIDERADAS PROCEDENTES

Leia mais

COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PROJETO DE LEI N o 1.013, DE 2011 Dispõe sobre a fabricação e venda, em território nacional, de veículos utilitários movidos a óleo diesel, e dá

Leia mais

CASTIGLIONE (MLRV) SEGURO GARANTIA UM MERCADO NERVOSO

CASTIGLIONE (MLRV) SEGURO GARANTIA UM MERCADO NERVOSO SEGURO GARANTIA UM MERCADO NERVOSO A SUSEP acabou de divulgar os números referentes ao período de janeiro a novembro de 2011. Sem sombra de dúvidas o SES Sistema de Estatísticas da SUSEP é o único instrumento

Leia mais

EDITAL SG/MPU N.º 27, DE 2 DE OUTUBRO DE 2007.

EDITAL SG/MPU N.º 27, DE 2 DE OUTUBRO DE 2007. VA PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO DE 4/10/2007, SEÇÃO 3, PÁG.. EDITAL SG/MPU N.º 27, DE 2 DE OUTUBRO DE 2007. Divulgar a distribuição de vagas do Concurso Público para provimento de cargos e formação

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE AS Micro e pequenas empresas RANKING DOS ESTADOS 2012

CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE AS Micro e pequenas empresas RANKING DOS ESTADOS 2012 CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE AS Micro e pequenas empresas RANKING DOS ESTADOS 2012 Tributos incluídos no Simples Nacional Brasília 19 de setembro de 2013 ROTEIRO 1 2 3 4 O PROJETO RESULTADOS DIFERENÇA NAS ALÍQUOTAS

Leia mais