FUNDAÇÃO SAELPA DE SEGURIDADE SOCIAL RELATÓRIO DE REFLEXÃO. 1º Trimestre 2008

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FUNDAÇÃO SAELPA DE SEGURIDADE SOCIAL RELATÓRIO DE REFLEXÃO. 1º Trimestre 2008"

Transcrição

1 RELATÓRIO DE REFLEXÃO 1º Trimestre INDICADORES DE CONTROLE 1. Orçamento administrativo 2. Recursos coletados 3. Recursos utilizados 4. Evolução do fundo administrativo 5. Evolução do patrimônio (nominal) 6. Evolução da rentabilidade (TIR) 7. Evolução das reservas matemáticas 8. Evolução do superávit/déficit 2. AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS INDICADOR 1 Orçamento administrativo Meta: Cumprir o orçamento anual do programa administrativo, no montante de R$ ,32, até dez/2008. Meta até mar/08 - R$ ,58 Realizado - R$ ,48 A meta prevista para o período foi cumprida com uma folga de 9,59%. Este resultado apresenta-se favorável à entidade. INDICADOR 2 Evolução dos recursos coletados Meta: Cumprir o orçamento anual do programa previdencial no item recursos coletados, em R$ ,96, até dez/2008. Meta até mar/08 - R$ ,68 Realizado - R$ ,18 A meta prevista para o período foi cumprida com ultrapassagem de 1,09% em relação ao valor previsto. Este resultado apresenta-se favorável à Entidade. 1

2 INDICADOR 3 Evolução dos recursos utilizados Meta: Cumprir o orçamento anual do programa previdencial no item recursos utilizados, em R$ ,50, até dez/2008. Meta até mar/08 - R$ ,76 Realizado - R$ ,50 Verifica-se que os valores utilizados no programa previdencial foram superiores em 1,23% se considerados os valores previstos no orçamento. Esta variação é o resultado de pagamentos de pecúlios e resgates, realizados no período, cujos valores foram superiores às previsões do orçamento. Considerando que a variação orçamentária definida para o exercício de 2008 foi inferior a 10% (+/-), podemos considerar que o valor realizado foi adequado. INDICADOR 4 Evolução do fundo administrativo Meta: Cumprir o orçamento anual do programa administrativo no item (constituição/reversão de fundos), acumulando valor igual ou superior a R$ ,80, até dez/2008. Meta até mar/08 - R$ ,90 Realizado - R$ ,18 Observa-se que o fundo administrativo acumulou um saldo acima do valor mínimo estabelecido pela meta do período, com uma variação de 9,43%, o que evidencia uma recuperação satisfatória (nesse caso quanto maior melhor) do fundo administrativo, já esperada. No mês de março/08 o fundo administrativo registrou valor superior ao total do ativo permanente da Entidade, regularizando a situação da Fundação demonstrada em 31/12/2007, e atendendo o que determina a legislação em vigor - Resolução nº 5, de 30/01/2002, alterada pela Resolução nº 10, de 05/07/2002, Anexo E, item V Normas Específicas, sub-item 2.4, Letra F. INDICADOR 5 Evolução do patrimônio (nominal) Meta: Obter crescimento nominal positivo para o Ativo de 1,87% até dez/2008. Meta até mar/08-0,45% Realizado - 0,32% 2

3 Essa meta estabelece o crescimento nominal dos ativos da Fundação, cujo resultado apurado para o 1º trimestre/08 demonstrou estar abaixo do valor previsto. Destaca-se que este fato decorre do desequilíbrio do plano de custeio e benefício da entidade, cujas entradas de novos recursos vem sendo inferiores aos desembolsos realizados com pagamentos de benefícios. Este desequilíbrio provoca a necessidade de resgate de valores das aplicações financeiras do plano, refletindo-se na redução da evolução do patrimônio nominal. INDICADOR 6 Evolução da rentabilidade (TIR) Meta: Obter uma rentabilidade anual da entidade medida pela TIR de 11,25% até dez/2008. Meta até mar/08-2,69% Realizado - 2,51% Essa meta permite visualizar a apuração da rentabilidade da carteira de investimentos pela TIR (taxa interna de retorno) e estabelece o crescimento dos ganhos no período considerado. O resultado positivo de 2,51% alcançado nos investimentos, ficou em um patamar pouco inferior à meta estabelecida pela FUNASA, bem como da meta atuarial que alcançou 3,14% no período. Importante ressaltar que, nos meses de janeiro e fevereiro/2008, a rentabilidade da carteira ficou acima do valor previsto, e que somente no mês de março/2008 este resultado foi inferior ao esperado. Registra-se que a rentabilidade dos investimentos tende a melhorar nos próximos meses em face de ajustes nas estratégias de aplicação implantadas imediatamente na carteira de Renda Fixa pelo UNIBANCO UAM. Tais estratégias devem adequar o portfólio do fundo de renda fixa da fundação à nova expectativa de evolução das taxas de juros do país, principal fator que contribuiu para a baixa rentabilidade pela TIR, no período analisado. INDICADOR 7 Evolução das provisões matemáticas no exercício de Meta: Cumprir o orçamento previdencial Constituições/Reversões de Provisões Atuariais em R$ ,00, até dez/

4 Essa meta objetiva acompanhar a evolução das provisões matemáticas da entidade dentro do exercício, considerando o orçamento geral da entidade para o período analisado. Meta até mar/08 (em R$) ,00 Realizado (em R$) - ( ,00) Quando da elaboração do orçamento geral da entidade para 2008, foi levado em consideração uma constituição (aumento da obrigação) para o período analisado de R$ ,00. O resultado realizado no período foi de uma reversão (redução da obrigação) de R$ ,00. Convém esclarecer que, a partir de janeiro/2008 o atuário alterou a forma de cálculo das reservas dos benefícios a conceder, tomando como base o valor mensal da folha de pagamento dos participantes ativos informada pela FUNASA. Este fato provocou a reversão dos valores acima comentados. Com isso o total das provisões matemáticas acumuladas até dez/07 no total de R$ ,00, passou para R$ ,00, representando uma diminuição percentual da obrigação de 1,86% no período. Nesse mesmo período o ativo total da entidade obteve um acréscimo nominal de 0,32% (ver item 5). INDICADOR 8 Evolução do superávit/déficit no exercício de Meta: Cumprir o orçamento geral para o exercício social de 2008, em R$ ( ,13) para o resultado do período (déficit). Essa meta objetiva acompanhar o resultado da entidade (superávit/déficit) dentro do exercício, considerando o orçamento geral da Fundação para o período analisado. Meta até mar/08 (em R$) - ( ,27) Realizado (em R$) ,37 A evolução das provisões matemáticas no exercício de 2008 (indicador 7), foi o motivo principal do resultado superavitário de R$ ,37 acumulado até 31 de março de O déficit total acumulado da entidade em dez/07, que era de R$ ( ,39), passou para R$ ( ,02) nesse período. Podemos concluir que o déficit acumulado é de característica exclusivamente técnica. Sua redução deve-se às mudanças, praticadas pelo atuário a partir de 4

5 janeiro de 2008, na base de cálculo das reservas dos benefícios a conceder, conforme já justificado nos comentários do indicador OUTROS ITENS DE ACOMPANHAMENTO Fluxo de Caixa Mensal: o saldo inicial do período foi de R$ ,48. As entradas em caixa resultaram em um montante de R$ ,34, que somado aos resgates de aplicações no valor de R$ ,00 em fev/08 e R$ ,00 em mar/08, totalizaram ao final do período R$ ,34. As saídas resultaram em R$ ,46, no período analisado. Com essa movimentação, o saldo em caixa em 31/03/2008 é de R$ ,36. Fundo de Renda Fixa administrado pelo Unibanco: o valor das aplicações posicionado em 31/12/2007 era R$ ,63. O resultado nominal acumulado no período referente às aplicações da carteira administrada pelo Unibanco foi de 0,85%, em decorrência das movimentações de entradas e saídas efetuadas no período. O saldo da carteira em 31/03/2008 é de R$ ,52. Fluxo Operacional do Programa Previdencial (inclusive provisões): registrase no período um total de contribuições no valor de R$ ,18, sendo R$ ,04 das patrocinadoras, R$ ,09 dos participantes e R$ ,83 de provisões, e ainda R$ ,22 relativos a remuneração de contribuições em atraso, recursos provenientes de contribuições contratadas e outros recursos. As despesas com pagamento de benefícios de aposentados e pensionistas foram de R$ ,29. As despesas apropriadas com reserva de poupança foram de R$ ,69, enquanto que o montante de pecúlios pagos atingiu R$ 3.862,15. Foram provisionadas ainda despesas com abono anual no montante de R$ ,81, foi registrado como outras despesas R$ 213,56. As despesas administrativas (15%) foram de R$ ,35. O resultado do fluxo operacional no período foi negativo em R$ ,67. Provisões matemáticas acumuladas: no período analisado, o saldo acumulado dos benefícios concedidos é de R$ ,00 e os benefícios a conceder estão no patamar de R$ ,00. A soma desses benefícios importa em R$ ,00. Considerando o montante de reservas a constituir da ordem de R$ ,00, referente às entradas amortizantes de serviços passados, as reservas matemáticas estão posicionadas em um patamar de R$ ,00. 5

6 Recursos Coletados (receitas previdenciais recebidas): nesse item estão sendo comentadas as receitas previdenciais recebidas, as quais são oriundas das contribuições vertidas ao plano de custeio, portanto não contempla provisões: 1 - contribuição das patrocinadoras MÊS NORMAL ESPECIAL ANO Valor (R$) Valor (R$) Valor (R$) JAN/ , , ,81 FEV/ , , , , , ,99 MAR/ , , , , , ,30 2 contribuição dos participantes ATIVO NORMAL ASSISTIDOS AUTO- MÊS FINANCIADO ANO Valor (R$) Valor (R$) Valor (R$) Valor (R$) JAN/ , , , ,08 FEV/ , , , , , , , , , , , ,09 MAR/ , , , ,76 As contribuições das patrocinadoras e dos participantes totalizaram, no período, o valor de R$ ,13. Recursos utilizados (desembolsos com despesas previdenciais): nesse item estão sendo comentadas as quantidades de benefícios apropriados pela competência para pagamento e o montante das despesas com os mesmos, sem inclusão de provisões: 6

7 1 - benefícios de prestação continuada MÊS APOSENTADORIAS PENSÕES Total Geral Qtd. Pensões / ANO Quant. Valor (R$) pessoas. Valor (R$) Valor (R$) JAN/ , / , ,96 FEV/ , / , , , / , , , , , MAR/ ,13 172/ , ,85 2 benefícios de prestação única MÊS RESERVA DE POUPANÇA PECÚLIO Total Geral ANO Quant. Valor (R$) Quant. Valor (R$) Valor (R$) JAN/ , ,01 FEV/ , , , , , , , , MAR/ , , ,33 João Pessoa, 25 de abril de 2008 Diretoria: Setor Técnico: Rosilda Regis Vieira da Costa Expedito Eduardo de Lucena Catanduba Elenita Maria de Figueiredo Nóbrega Antônio Adeilton de Assis Lira Manuel Henrique de Almeida Inácio Rodrigues de Souza Neto 7

ANEXO A PLANIFICAÇÃO CONTÁBIL PADRÃO

ANEXO A PLANIFICAÇÃO CONTÁBIL PADRÃO Plano de Contas Padrão, contendo alterações pela Instrução SPC nº 34/2009 ANEXO A PLANIFICAÇÃO CONTÁBIL PADRÃO I CARACTERÍSTICAS 1. O plano de contas é formado por codificação alfanumérica. 2. A parte

Leia mais

Cafbep - Plano Prev-Renda 1

Cafbep - Plano Prev-Renda 1 Cafbep - Plano Prev-Renda 1 Parecer Atuarial Para fins da avaliação atuarial referente ao exercício de 2013 do Plano Prev-Renda da Cafbep Caixa de Previdência e Assistência aos Funcionários do Banco do

Leia mais

Balancete Contábil. Referência: Nov/2014. Emissão: 06/01/2015 20:16:15 Página 1 de 11. Balancete(s): 020-PCD - Plano de Contribuição Definida

Balancete Contábil. Referência: Nov/2014. Emissão: 06/01/2015 20:16:15 Página 1 de 11. Balancete(s): 020-PCD - Plano de Contribuição Definida Referência: Balancete(s): 020-PCD - Plano de Contribuição Definida 1.0.0.0.00.00.00.00 ATIVO 252.277.203,94 D 21.631.143,77 20.124.040,12 1.507.103,65 D 253.784.307,59 D 1.1.0.0.00.00.00.00 DISPONÍVEL

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [00.469.585/0001-93] FACEB - FUNDACAO DE PREVIDENCIA DOS EMPREGADOS DA CEB PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2006.0068-11] CEBPREV ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2013 Atuário

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 3 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS 11- FOLHA SALÁRIO DA PATROCINADORA

Leia mais

Renda Vitalícia por Aposentadoria por SRB - INSS Benefício Definido Capitalização Crédito Unitário Projetado Invalidez (1)

Renda Vitalícia por Aposentadoria por SRB - INSS Benefício Definido Capitalização Crédito Unitário Projetado Invalidez (1) PARECER ATUARIAL PLANO DE BENEFÍCIOS REB 1998 AVALIAÇÃO ANUAL 2005 Fl. 1/6 ENTIDADE SIGLA: FUNCEF 1 CÓDIGO: 01523 2 RAZÃO SOCIAL: FUNCEF-FUNDAÇÃO DOS ECONOMIÁRIOS FEDERAIS 18 3 PLANO NOME DO PLANO: REB

Leia mais

2004 78 52.164 4.897 13 47.254 38.474 7.531 1.249 28 28 52.270 48 7 41 68.125. Receitas. Despesas 75.017 19.369 26.261) 15.903) 16.

2004 78 52.164 4.897 13 47.254 38.474 7.531 1.249 28 28 52.270 48 7 41 68.125. Receitas. Despesas 75.017 19.369 26.261) 15.903) 16. 7,7% 7,% 6,17% 31 DE DEZEMBRO DE ATIVO DISPONÍVEL REALIZÁVEL Operações com Participantes PERMANENTE Imobilizado TOTAL DO ATIVO PASSIVO EXIGÍVEL OPERACIONAL EXIGÍVEL ATUARIAL PROVISÕES MATEMÁTICAS Benefícios

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: FUSESC 2- CÓDIGO: 00552 3- RAZÃO SOCIAL: FUNDACAO CODESC DE SEGURIDADE SOCIAL 4- NÚMERO DE PLANOS: 3

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: FUSESC 2- CÓDIGO: 00552 3- RAZÃO SOCIAL: FUNDACAO CODESC DE SEGURIDADE SOCIAL 4- NÚMERO DE PLANOS: 3 FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 3 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 20.020.006-38 - PLANO DE BENEFÍCIOS MULTIFUTURO I 12- OBSERVAÇÕES: ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

Leia mais

Relatório anual do Plano de Benefícios Multifuturo I

Relatório anual do Plano de Benefícios Multifuturo I Relatório anual do Plano de Benefícios Multifuturo I Pareceres PARECER ATUARIAL DA AVALIAÇÃO REALIZADA EM 31/12/2009 Considerações iniciais O presente parecer tem por objetivo apresentar nossas considerações

Leia mais

Resolução CNPC Nº. 8 de 31 de outubro de 2011. (Publicado no D.O.U. Nº 241, de 16 de dezembro de 2011, seção I)

Resolução CNPC Nº. 8 de 31 de outubro de 2011. (Publicado no D.O.U. Nº 241, de 16 de dezembro de 2011, seção I) Resolução CNPC Nº. 8 de 31 de outubro de 2011. (Publicado no D.O.U. Nº 241, de 16 de dezembro de 2011, seção I) Dispõe sobre os procedimentos contábeis das entidades fechadas de previdência complementar,

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [49.323.025/0001-15] SUPREV-FUNDACAO MULTIPATROCINADA DE SUPLEMENTACAO PREV PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [1985.0012-92] PB USIBA ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014 Atuário

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [01.225.861/0001-30] REGIUS SOCIEDADE CIVIL DE PREVIDENCIA PRIVADA PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2012.0017-18] PB CD-02 ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014 Atuário Responsável

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: SUPREV 2- CÓDIGO: 00984 3- RAZÃO SOCIAL: SUPREV-FUNDACAO MULTIPATROCINADA SUPLEMENTAÇAO PREVIDENCIARIA

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: SUPREV 2- CÓDIGO: 00984 3- RAZÃO SOCIAL: SUPREV-FUNDACAO MULTIPATROCINADA SUPLEMENTAÇAO PREVIDENCIARIA FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 8 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 19.810.009-92 - PLANO DE BENEFÍCIOS N.º 001 - BROOKLYN 12- OBSERVAÇÕES: ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 1 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 20.050.042-11 - PLANO PREVER DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS

Leia mais

MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Conselho de Gestão da Previdência Complementar RESOLUÇÃO CGPC Nº. 28, DE 26 DE JANEIRO DE 2009.

MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Conselho de Gestão da Previdência Complementar RESOLUÇÃO CGPC Nº. 28, DE 26 DE JANEIRO DE 2009. (DOU nº. 27, de 09 de fevereiro de 2009, Seção 1, páginas 44 a 49) MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Conselho de Gestão da Previdência Complementar RESOLUÇÃO CGPC Nº. 28, DE 26 DE JANEIRO DE 2009. Dispõe

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [10.530.382/0001-19] FUNDO DE PREVIDENCIA COMPLEMENTAR DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE PERNAMBUCO-ALEPEPREV PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2008.0048-56] ALEPEPREV ENCERRAMENTO

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Celular CRT

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Celular CRT Demonstrações Financeiras Relatório Anual 04 Visão Prev Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Visão Celular CRT Período: 04 e 03 dezembro R$ Mil Descrição 04 03 Variação (%). Ativos.85.769

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - PBS Telesp Celular Exercício: 2013 e 2012 - dezembro - R$ Mil

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - PBS Telesp Celular Exercício: 2013 e 2012 - dezembro - R$ Mil Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios PBS Telesp Celular Exercício: 203 e 202 dezembro R$ Mil Descrição 203 202 Variação (%) Relatório Anual 203 Visão Prev. Ativos Disponível Recebível

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [08.071.645/0001-27] CIASPREV - CENTRO DE INTEGRACAO E ASSISTENCIA AOS SERVIDORES PUBLICOS PREVIDENCIA PRIVADA PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2005.0049-11] PREVINA ENCERRAMENTO

Leia mais

demonstração da Mutação do ativo Líquido

demonstração da Mutação do ativo Líquido Período: dezembro de 2010 R$ mil demonstração da Mutação do ativo Líquido Visão ATelecom Descrição 2010 A) Ativo Líquido - Início do Exercício 2.207 1. Adições 4.979 (+) Contribuições 4.727 (+) Resultado

Leia mais

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE NBC TE ENTIDADE FECHADA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE NBC TE ENTIDADE FECHADA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE NBC TE ENTIDADE FECHADA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DISPOSIÇÕES GERAIS 1. Esta norma estabelece critérios e procedimentos específicos para estruturação das demonstrações

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [49.323.025/0001-15] SUPREV-FUNDACAO MULTIPATROCINADA DE SUPLEMENTACAO PREV PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [1990.0016-29] PLANO DE BENEFÍCIOS BD ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Vivo Prev

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Vivo Prev Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Vivo Prev Exercício: 2013 e 2012 dezembro R$ Mil Descrição 2013 2012 Variação (%) Relatório Anual 2013 Visão Prev 1. Ativos Disponível Recebível Investimento

Leia mais

Demonstrações Financeiras. SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA (Em milhares) Exercícios findos em 31 de dezembro de 2002 e 2001

Demonstrações Financeiras. SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA (Em milhares) Exercícios findos em 31 de dezembro de 2002 e 2001 Demonstrações Financeiras SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA Exercícios findos em 31 de dezembro de 2002 e 2001 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Índice Balanço Patrimonial... Quadro 1 Demonstração do

Leia mais

Regius - Plano de Benefícios 03 1

Regius - Plano de Benefícios 03 1 Regius - Plano de Benefícios 03 1 Parecer Atuarial Avaliamos atuarialmente o Plano de Benefícios 03 da Regius Sociedade Civil de Previdência Privada em 31/12/2010, com o objetivo de identificar sua situação

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [07.083.033/0001-91] CABEC-CAIXA DE PREVIDENCIA PRIVADA DO BEC PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [1979.0019-11] BD ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2011 Atuário Responsável VICENTE

Leia mais

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Junho/2010

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Junho/2010 1 ATIVO 72.608.824,13 D 30.147.120,69 29.842.629,99 72.913.314,83D 1.1 DISPONÍVEL 190.258,33 D 1.771.877,67 1.812.144,85 149.991,15D 1.1.1 IMEDIATO 190.258,33 D 1.771.877,67 1.812.144,85 149.991,15D 1.1.1.2

Leia mais

Plano de Benefícios 1 Plano de Benefícios PREVI Futuro Carteira de Pecúlios CAPEC

Plano de Benefícios 1 Plano de Benefícios PREVI Futuro Carteira de Pecúlios CAPEC Relatório PREVI 2013 Parecer Atuarial 2013 74 Plano de Benefícios 1 Plano de Benefícios PREVI Futuro Carteira de Pecúlios CAPEC 1 OBJETIVO 1.1 O presente Parecer Atuarial tem por objetivo informar sobre

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: ELETRA

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: ELETRA DA transmitida à Previc em 27/03/2013 às 11:08:58 Número do protocolo: 005549 INFORMAÇÕES CADASTRAIS ENTIDADE Código: 0134-5 CNPJ: 02.884.385/0001-22 Sigla: ELETRA Razão Social: ELETRA FUNDACAO CELG DE

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 3 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS 11- FOLHA SALÁRIO DA PATROCINADORA

Leia mais

ANEXO DE METAS FISCAIS AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO FINANCEIRA E ATUARIAL. (Artigo 4º 2º, inciso IV, alínea a da Lei Complementar nº 101/2000)

ANEXO DE METAS FISCAIS AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO FINANCEIRA E ATUARIAL. (Artigo 4º 2º, inciso IV, alínea a da Lei Complementar nº 101/2000) ANEXO DE METAS FISCAIS AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO FINANCEIRA E ATUARIAL (Artigo 4º 2º, inciso IV, alínea a da Lei Complementar nº 101/2000) PLANO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE LONDRINA

Leia mais

PARECER ATUARIAL 2014

PARECER ATUARIAL 2014 PARECER ATUARIAL 2014 Plano de Benefícios 1 Plano de Benefícios PREVI Futuro 1. OBJETIVO 1.1. O presente Parecer Atuarial tem por objetivo informar sobre a qualidade da base cadastral, as premissas atuariais,

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Multi

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Multi Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Visão Multi Exercício: 013 e 01 dezembro R$ Mil Descrição 013 01 Variação (%) Relatório Anual 013 Visão Prev 1. Ativos Recebível Investimento Ações

Leia mais

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Maio/2013

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Maio/2013 1 ATIVO 110.659.714,85 D 11.382.915,50 12.144.413,81 109.898.216,54 D 1.1 DISPONÍVEL 676.336,92 D 5.039.632,26 5.650.035,90 65.933,28 D 1.1.1 IMEDIATO 676.336,92 D 5.039.632,26 5.650.035,90 65.933,28 D

Leia mais

SECRETARIA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO DEMONSTRATIVO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO ATUARIAL DOS PLANOS DE BENEFÍCIOS

SECRETARIA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO DEMONSTRATIVO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO ATUARIAL DOS PLANOS DE BENEFÍCIOS FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO DEMONSTRATIVO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO ATUARIAL DOS PLANOS DE BENEFÍCIOS ENTIDADE RAZÃO SOCIAL: FUNDAÇÃO BANESTES DE SEGURIDADE SOCIAL 3 DADOS DOS PLANOS NÚMERO DE PLANOS:

Leia mais

PARECER ATUARIAL Exercício de 2014. INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social

PARECER ATUARIAL Exercício de 2014. INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social PARECER ATUARIAL Exercício de 2014 INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social Plano de Benefícios PCD INERGUS Março de 2015 1 PARECER ATUARIAL Avaliamos atuarialmente o Plano de Benefícios PCD INERGUS

Leia mais

CADERNO APOS Nº 1. PROCEDIMENTOS PARA ACOMPANHAMENTO DO DESEMPENHO DE SEU PLANO DA SISTEL Edição 2 (abril/15)

CADERNO APOS Nº 1. PROCEDIMENTOS PARA ACOMPANHAMENTO DO DESEMPENHO DE SEU PLANO DA SISTEL Edição 2 (abril/15) CADERNO APOS Nº 1 PROCEDIMENTOS PARA ACOMPANHAMENTO DO DESEMPENHO DE SEU PLANO DA SISTEL Edição 2 (abril/15) 1 1 Introdução... 3 2 Quadro Balancete Sintético (superávit ou déficit do plano) mensal... 3

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Telest Celular

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Telest Celular Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Visão Telest Celular Exercício: 2013 e 2012 dezembro R$ Mil Descrição 2013 2012 Variação (%) Relatório Anual 2013 Visão Prev 1. Ativos Recebível Investimento

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [02.884.385/0001-22] ELETRA FUNDACAO CELG DE SEGUROS E PREVIDENCIA PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2000.0069-65] PLANO CELGPREV ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2011 Atuário Responsável

Leia mais

JESSÉ MONTELLO Serviços Técnicos em Atuária e Economia Ltda.

JESSÉ MONTELLO Serviços Técnicos em Atuária e Economia Ltda. PARECER ATUARIAL V.1- Custos para o exercício seguinte em relação ao anterior: 1) A aplicação da metodologia de cálculo atuarial estabelecida para o plano de benefícios da FUNCASAL, utilizando as hipóteses

Leia mais

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Maio/2012

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Maio/2012 1 ATIVO 103.099.161,56 D 21.051.568,01 20.800.568,57 103.350.161,00 D 1.1 DISPONÍVEL 170.618,82 D 10.279.904,19 10.329.287,48 121.235,53 D 1.1.1 IMEDIATO 170.618,82 D 10.279.904,19 10.329.287,48 121.235,53

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [01.541.775/0001-37] HP PREV SOCIEDADE PREVIDENCIARIA PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [1996.0026-19] PLANO HP PREV ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014 Atuário Responsável MIRIA

Leia mais

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Fevereiro/2013

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Fevereiro/2013 1 ATIVO 115.678.223,34 D 40.374.433,45 40.033.273,64 116.019.383,15 D 1.1 DISPONÍVEL 101.250,59 D 19.093.776,18 19.079.771,98 115.254,79 D 1.1.1 IMEDIATO 101.250,59 D 19.093.776,18 19.079.771,98 115.254,79

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [01.182.491/0001-00] OABPREV-RS - FUNDO DE PENSAO MULTIPATROCINADO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, SECCIONAL DO RIO GRANDE DO SUL [2006.0013-29]

Leia mais

FUNASA - FUNDAÇÃO SAELPA DE SEGURIDADE SOCIAL

FUNASA - FUNDAÇÃO SAELPA DE SEGURIDADE SOCIAL Sistema de bilidade Pag: 0000001 1 ATIVO 23.063.936,76 565.484,12 453.390,75 23.176.030,13 1.1 DISPONIVEL 78.905,21 230.390,51 253.352,97 55.942,75 1.1.1 IMEDIATO 76.905,21 158.725,33 181.687,79 53.942,75

Leia mais

PARECER ATUARIAL Exercício de 2014. INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social. Plano de Origem - BD. Março de 2015

PARECER ATUARIAL Exercício de 2014. INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social. Plano de Origem - BD. Março de 2015 PARECER ATUARIAL Exercício de 2014 INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social Plano de Origem - BD Março de 2015 1 PARECER ATUARIAL Avaliamos atuarialmente o Plano de Benefícios Previdenciários do

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: ELETRA

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: ELETRA DA transmitida à Previc em 27/03/2013 às 11:10:46 Número do protocolo: 005262 INFORMAÇÕES CADASTRAIS ENTIDADE Código: 0134-5 CNPJ: 02.884.385/0001-22 Sigla: ELETRA Razão Social: ELETRA FUNDACAO CELG DE

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E DE 2003 SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA FGV PREVI

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E DE 2003 SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA FGV PREVI DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E DE 2003 SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA FGV PREVI SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA - FGV PREVI DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE

Leia mais

Rio de Janeiro, 14 de fevereiro de 2014.

Rio de Janeiro, 14 de fevereiro de 2014. Rio de Janeiro, 14 de fevereiro de 2014. STEA:- 80/2014/153 Ilma. Sra. Dra. Jussara Carvalho Salustino M.D. Diretora Presidente da ECOS Ref:- Parecer Atuarial sobre o Balanço de 31/12/2013 Plano BD Prezada

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [05.054.648/0001-64] CX DE PREV E ASSIS AOS FUNC DO B EST DO PARA SA CAFBEP PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2002.0009-56] PREV-RENDA ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014 Atuário

Leia mais

RDEC 06 Demonstrações Contábeis. Junho 2015

RDEC 06 Demonstrações Contábeis. Junho 2015 RDEC 06 Demonstrações Contábeis Junho 2015 Diretoria de Administração Brasília, julho de 2015 1. Introdução Este relatório tem por objetivo apresentar as demonstrações contábeis da Fundação de Previdência

Leia mais

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, A Resolução CFC n.º 1.329/11 alterou a sigla e a numeração desta Norma de NBC TE 11 para ITG 2001 e de outras normas citadas: de NBC T 19.27 para NBC TG 26; de NBC T 1 para NBC TG ESTRUTURA CONCEITUAL.

Leia mais

Parecer Atuarial. Cadastro. Características do Plano. Hipóteses Atuariais

Parecer Atuarial. Cadastro. Características do Plano. Hipóteses Atuariais Parecer Atuarial Avaliamos atuarialmente o Plano PREV-RENDA da CAFBEP Caixa de Previdência e Assistência aos Funcionários do Banco do Estado do Pará, patrocinado pelo BANPARÁ com o objetivo de identificar

Leia mais

FUNDAÇÃO LIBERTAS. Avaliação Atuarial de 2014. Plano de Benefícios CODEMIG Prev CNPB 2013.0016-65. Parecer Atuarial 057/15

FUNDAÇÃO LIBERTAS. Avaliação Atuarial de 2014. Plano de Benefícios CODEMIG Prev CNPB 2013.0016-65. Parecer Atuarial 057/15 FUNDAÇÃO LIBERTAS Avaliação Atuarial de 2014 Plano de Benefícios CODEMIG Prev CNPB 2013.0016-65 Parecer Atuarial 057/15 Fevereiro/2015 PARECER ATUARIAL 1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS Atendendo as disposições

Leia mais

PARECER ATUARIAL Exercício de 2014. INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social PLANO SALDADO INERGUS (PSI) Março de 2015

PARECER ATUARIAL Exercício de 2014. INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social PLANO SALDADO INERGUS (PSI) Março de 2015 PARECER ATUARIAL Exercício de 2014 INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social PLANO SALDADO INERGUS (PSI) Março de 2015 1 PARECER ATUARIAL Avaliamos atuarialmente o Plano de Benefícios Previdenciários

Leia mais

FAELCE BALANCETE - PLANO BD

FAELCE BALANCETE - PLANO BD 1.0.0.0.00.00.00.00-0 ATIVO 899.515.203,93 D 67.662.538,92 D 64.438.245,91 C 902.739.496,94 D 1.1.0.0.00.00.00.00-0 DISPONÍVEL 325.432,37 D 42.535.575,90 D 42.379.443,24 C 481.565,03 D 1.1.1.0.00.00.00.00-0

Leia mais

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Junho/2015

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Junho/2015 1 ATIVO 135.948.021,65 D 7.972.075,13 7.101.821,40 136.818.275,38 D 1.1 DISPONÍVEL 112.965,02 D 3.486.006,70 3.402.114,43 196.857,29 D 1.1.1 IMEDIATO 112.965,02 D 3.486.006,70 3.402.114,43 196.857,29 D

Leia mais

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Julho/2015

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Julho/2015 1 ATIVO 136.818.275,38 D 11.173.181,50 9.398.611,67 138.592.845,21 D 1.1 DISPONÍVEL 196.857,29 D 4.296.773,25 4.309.777,52 183.853,02 D 1.1.1 IMEDIATO 196.857,29 D 4.296.773,25 4.309.777,52 183.853,02

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL [29.959.574/0001-73] FUNDACAO DE PREVIDENCIA DOS SERVIDORES DO IRB PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: TIPO: RETIFICADORA: [1977.0001-18] PLANO A ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2012 COMPLETA

Leia mais

COMPOSIÇÃO DO ATIVO REAL DO FUNDO - FEVEREIRO DE 2009

COMPOSIÇÃO DO ATIVO REAL DO FUNDO - FEVEREIRO DE 2009 I COMPOSIÇÃO DO ATIVO O Ativo Real corresponde ao somatório dos valores do Ativo Financeiro mais o Ativo Não-Financeiro, evidenciando as alterações patrimoniais ocorridas durante o exercício. COMPOSIÇÃO

Leia mais

Seguem as dúvidas recebidas até o momento sobre o sistema DAweb.

Seguem as dúvidas recebidas até o momento sobre o sistema DAweb. Rio de Janeiro, 24 de fevereiro de 2014. Seguem as dúvidas recebidas até o momento sobre o sistema DAweb. 1- Na estatística de tempo médio de contribuição, teria que colocar observação para os Regulamentos

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [83.564.443/0001-32] FUNDACAO CODESC DE SEGURIDADE SOCIAL PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2002.0046-92] MULTIFUTURO II ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2013 Atuário Responsável

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 2 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS 11- FOLHA SALÁRIO DA PATROCINADORA

Leia mais

FUNDAÇÃO LIBERTAS DE SEGURIDADE SOCIAL

FUNDAÇÃO LIBERTAS DE SEGURIDADE SOCIAL FUNDAÇÃO LIBERTAS DE SEGURIDADE SOCIAL Avaliação Atuarial Especial de Setembro PLANO DE BENEFÍCIOS 2 - RP2 MINASCAIXA CNPB 1979.0034-83 Relatório 119/13 Outubro/2013 1 ÍNDICE 1.1 OBJETIVO DA AVALIAÇÃO

Leia mais

GLOSSÁRIO TERMOS UTILIZADOS PARA FUNDOS DE PENSÃO. ABRAPP. Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência

GLOSSÁRIO TERMOS UTILIZADOS PARA FUNDOS DE PENSÃO. ABRAPP. Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência GLOSSÁRIO ABRAPP. Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar. ASSISTIDOS. Participante ou Beneficiário(s) em gozo de benefício. ATUÁRIO. Profissional técnico especializado,

Leia mais

Fundação Previdenciária IBM. Resumo Relatório Anual 2013 PLANO DE BENEFÍCIOS DA IBM BRASIL. 1 Relatório Anual - IBM

Fundação Previdenciária IBM. Resumo Relatório Anual 2013 PLANO DE BENEFÍCIOS DA IBM BRASIL. 1 Relatório Anual - IBM Fundação Previdenciária IBM Resumo Relatório Anual 2013 PLANO DE BENEFÍCIOS DA IBM BRASIL 1 VIVER O PRESENTE, DE OLHO NO FUTURO Caro participante, Muitos dizem que é melhor viver intensamente o presente

Leia mais

Paulo Teixeira Brandão - Conselheiro Deliberativo da Petros Eleito pelos Participantes

Paulo Teixeira Brandão - Conselheiro Deliberativo da Petros Eleito pelos Participantes NOSSA LUTA CONTINUA Paulo Teixeira Brandão - Conselheiro Deliberativo da Petros Eleito pelos Participantes Prezados participantes da PETROS. Em anexo o arquivo contendo a apresentação abaixo reproduzida,

Leia mais

REGULAMENTO DO PGA TÍTULO I FINALIDADE

REGULAMENTO DO PGA TÍTULO I FINALIDADE REGULAMENTO DO PGA TÍTULO I FINALIDADE Art.1º - O presente Regulamento do Plano de Gestão Administrativa - PGA da Ceres estabelece critérios e limites para definição do plano de custeio administrativo

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA ÍNDICE CAPÍTULO I - DA FINALIDADE CAPÍTULO II - DO GLOSSÁRIO CAPÍTULO III - DA CONSTITUIÇÃO DO PGA CAPÍTULO IV - DAS FONTES DE CUSTEIO ADMINISTRATIVO CAPÍTULO

Leia mais

Gestão Econômica e Financeira. Comitê de Investimentos

Gestão Econômica e Financeira. Comitê de Investimentos Fundo de Aposentadoria e Previdência Social dos Servidores Efetivos do Município de Barra do Rio Azul-RS. Gestão Econômica e Financeira. Comitê de Investimentos RELATORIO GESTÃO FINANCEIRA 01/2015 O Comitê

Leia mais

Bungeprev Fundo Múltiplo de Previdência Privada Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2007 e de 2006 e parecer dos auditores independentes

Bungeprev Fundo Múltiplo de Previdência Privada Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2007 e de 2006 e parecer dos auditores independentes Bungeprev Fundo Múltiplo de Previdência Privada Demonstrações e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes Aos Administradores, Participantes e Patrocinadores Bungeprev Fundo

Leia mais

RESOLUÇÃO MPS/CNPC Nº 16, DE 19 DENOVEMBRO DE 2014

RESOLUÇÃO MPS/CNPC Nº 16, DE 19 DENOVEMBRO DE 2014 RESOLUÇÃO MPS/CNPC Nº 16, DE 19 DENOVEMBRO DE 2014 (Publicado no D.O.U, Nº 227, de 24 de novembro de 2014) Altera a Resolução nº 26, de 29 de setembro de 2008, do Conselho de Gestão da Previdência Complementar,

Leia mais

CARTILHA PLANO CELPOS CD

CARTILHA PLANO CELPOS CD CARTILHA PLANO CELPOS CD ORIGINAL PLUS O QUE É O PLANO CELPOS CD? O Plano Misto I de Benefícios CELPOS CD é um plano de previdência complementar cujo benefício de aposentadoria programada é calculado de

Leia mais

RDEC 08 Demonstrações Contábeis. Agosto 2015

RDEC 08 Demonstrações Contábeis. Agosto 2015 RDEC 08 Demonstrações Contábeis Agosto 2015 Diretoria de Administração Brasília, Setembro de 2015 1. Introdução Este relatório tem por objetivo apresentar as demonstrações contábeis da Fundação de Previdência

Leia mais

Sumário. Planos de Contribuição Variável

Sumário. Planos de Contribuição Variável Planos de Contribuição Variável Sumário Plano Sanasa Parecer atuarial sobre o balanço...2 Demonstrações patrimonial e de resultados de plano de benefícios de natureza previdencial...7 Demonstrativo de

Leia mais

Prestação de Contas Libertas - 2014

Prestação de Contas Libertas - 2014 Prestação de Contas Libertas - 2014 participantes aposentados pensionistas patrocinadoras Na Libertas, é assim. Sumário - Prestação de Contas 2014 Relatório Anual de Informações - RAI 2014 Documentação

Leia mais

9- VALOR 6- 8- ÚLTIMA 7- INÍCIO DE RESGATE SALÁRIO DA 5- PLANOS 19.980.014-74 - PLANO DE 35% DA MEDIA SALARIAL R$ 440.797,11 8.441 R$ 281.990.

9- VALOR 6- 8- ÚLTIMA 7- INÍCIO DE RESGATE SALÁRIO DA 5- PLANOS 19.980.014-74 - PLANO DE 35% DA MEDIA SALARIAL R$ 440.797,11 8.441 R$ 281.990. FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO DEMONSTRATIVO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO ATUARIAL DOS PLANOS ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 4- NÚMERO DE PLANOS: 4 5- PLANOS 19.980.014-74 - PLANO DE 35% DA MEDIA SALARIAL 9- VALOR

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO DEMONSTRATIVO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO ATUARIAL DOS PLANOS DE BENEFÍCIOS 1- SIGLA: BUNGEPREV 2- CÓDIGO: 3861 3- RAZÃO SOCIAL: BUNGEPREV - Fundo Múltiplo de Prev idência Priv

Leia mais

GLOSSÁRIO DE TERMOS TÉCNICOS ATUARIAIS

GLOSSÁRIO DE TERMOS TÉCNICOS ATUARIAIS GLOSSÁRIO DE TERMOS TÉCNICOS ATUARIAIS A Abono Anual: Pagamento da 13ª (décima terceira) parcela anual do benefício de renda continuada. Abono de Natal: (v. Abono Anual). Administrador Especial: Pessoa

Leia mais

FUNDAÇÃO CHESF DE ASSISTÊNCIA E SEGURIDADE SOCIAL FACHESF

FUNDAÇÃO CHESF DE ASSISTÊNCIA E SEGURIDADE SOCIAL FACHESF FUNDAÇÃO CHESF DE ASSISTÊNCIA E SEGURIDADE SOCIAL FACHESF DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS E NOTAS EXPLICATIVAS 2010 SOBRE OS PLANOS DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS E DE GESTÃO ADMINISTRATIVA CNPJ Nº 42.160.192/0001-43

Leia mais

Cartilha Plano A. Índice

Cartilha Plano A. Índice Cartilha Plano A Cartilha Plano A Índice Apresentação A Previnorte Histórico Patrimônio Plano de Benefícios e Plano de Custeio Salário Real de Contribuição Jóia Requisitos exigidos para filiação à PREVINORTE

Leia mais

ÍNDICE. Introdução. 1. Demonstração Patrimonial e de Resultados. 2. Política de Investimentos 2010. 3. Distribuição de Investimentos

ÍNDICE. Introdução. 1. Demonstração Patrimonial e de Resultados. 2. Política de Investimentos 2010. 3. Distribuição de Investimentos Relatório Anual 2009 ÍNDICE Introdução 1. Demonstração Patrimonial e de Resultados 2. Política de Investimentos 2010 3. Distribuição de Investimentos 4. Parecer Atuarial 5. Parecer dos Auditores Independentes

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DAS APLICAÇÕES DOS RECURSOS PREVIDENCIÁRIOS TRIMESTRE: ABRIL - JUNHO DE 2008

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DAS APLICAÇÕES DOS RECURSOS PREVIDENCIÁRIOS TRIMESTRE: ABRIL - JUNHO DE 2008 INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA À SAÚDE DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE SANTA MARIA IPASSP SM DIRETORIA EXECUTIVA RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DAS APLICAÇÕES DOS RECURSOS PREVIDENCIÁRIOS

Leia mais

Resultados da gestão orçamentária e financeira do Estado do Rio Grande do Norte: análise comparativa - Período: 2010 a 2014

Resultados da gestão orçamentária e financeira do Estado do Rio Grande do Norte: análise comparativa - Período: 2010 a 2014 Resultados da gestão orçamentária e financeira do Estado do Rio Grande do Norte: análise comparativa - Período: 2010 a 2014 Introdução Este relatório apresenta os principais resultados da gestão orçamentária

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA ÍNDICE

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA ÍNDICE 1 REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA ÍNDICE CAPÍTULO I DA FINALIDADE CAPÍTULO II DO GLOSSÁRIO CAPÍTULO III DA FORMA DE GESTÃO DOS RECURSOS CAPÍTULO IV DA CONSTITUIÇÃO DO PGA CAPÍTULO V

Leia mais

Plano de Contribuição Definida

Plano de Contribuição Definida Plano de Contribuição Definida Gerdau Previdência CONHEÇA A PREVIDÊNCIA REGIME DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Oferecido pelo setor privado, com adesão facultativa, tem a finalidade de proporcionar uma proteção

Leia mais

PLANO DE BENEFÍCIOS PREVMAIS. Avaliação Atuarial de 2014 Plano de Benefícios PrevMais CNPB 2006.0034-29 Parecer Atuarial 045/15 Fevereiro 2015

PLANO DE BENEFÍCIOS PREVMAIS. Avaliação Atuarial de 2014 Plano de Benefícios PrevMais CNPB 2006.0034-29 Parecer Atuarial 045/15 Fevereiro 2015 156 Relatório Anual de Informações 2014 PLANO DE BENEFÍCIOS PREVMAIS Avaliação Atuarial de 2014 Plano de Benefícios PrevMais CNPB 2006.0034-29 Parecer Atuarial 045/15 Fevereiro 2015 1. Considerações Iniciais

Leia mais

Relatório de Seguridade

Relatório de Seguridade Relatório Fevereiro/2013 O relatório da área de seguridade tem por finalidade apresentar as principais atividades desenvolvidas no mês, informando os números e valores relativos ao período de fevereiro

Leia mais

Gestão Econômica e Financeira. Comitê de Investimentos

Gestão Econômica e Financeira. Comitê de Investimentos Fundo de Aposentadoria e Previdência Social dos Servidores Efetivos do Município de Barra do Rio Azul-RS. Gestão Econômica e Financeira. Comitê de Investimentos RELATORIO GESTÃO FINANCEIRA 03/2015 O Comitê

Leia mais

15 Disponível. 1. Adições. 4 Recebível. (+) Contribuições. 398 Investimento. -1 Empréstimos e Financiamentos. 2. Destinações - - - (-) Benefícios

15 Disponível. 1. Adições. 4 Recebível. (+) Contribuições. 398 Investimento. -1 Empréstimos e Financiamentos. 2. Destinações - - - (-) Benefícios Demonstração do Ativo Líquido por Plano Benefícios PBS Telemig Celular Período: 015 e 0 zembro R$ Mil Demonstração da Mutação do Ativo Líquido por Plano Benefícios PBS Telemig Celular / Período: 015 e

Leia mais

O número de participantes e assistidos no mês de março de 2007 apresentou a seguinte

O número de participantes e assistidos no mês de março de 2007 apresentou a seguinte 1. Introdução O relatório da área de seguridade tem por finalidade apresentar as principais atividades desenvolvidas no mês, informando os números e valores relativos ao período de março de 2007, bem como

Leia mais

Fundo de Aposentadoria e Previdência Social dos Servidores Efetivos do Município de Barra do Rio Azul-RS. Gestão Econômica e Financeira.

Fundo de Aposentadoria e Previdência Social dos Servidores Efetivos do Município de Barra do Rio Azul-RS. Gestão Econômica e Financeira. Fundo de Aposentadoria e Previdência Social dos Servidores Efetivos do Município de Barra do Rio Azul-RS. Gestão Econômica e Financeira. Comitê de Investimentos RELATORIO GESTÃO FINANCEIRA 06/2015 O Comitê

Leia mais

Relatório de Seguridade

Relatório de Seguridade Relatório Maio/2012 O relatório da área de seguridade tem por finalidade apresentar as principais atividades desenvolvidas no mês, informando os números e valores relativos ao período de maio de 2012,

Leia mais

Fundo de Aposentadoria e Previdência Social dos Servidores Efetivos do Município de Barra do Rio Azul-RS. Gestão Econômica e Financeira.

Fundo de Aposentadoria e Previdência Social dos Servidores Efetivos do Município de Barra do Rio Azul-RS. Gestão Econômica e Financeira. Fundo de Aposentadoria e Previdência Social dos Servidores Efetivos do Município de Barra do Rio Azul-RS. Gestão Econômica e Financeira. Comitê de Investimentos RELATORIO GESTÃO FINANCEIRA 07/2015 O Comitê

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL [02.884.385/0001-22] FUNDACAO CELG DE SEGUROS E PREVIDENCIA MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: OUTROS 30/04/2015 Atuário Responsável DANIEL PEREIRA DA SILVA MIBA: 1146 MTE: 1146 DA transmitida à Previc em 29/05/2015

Leia mais

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO A PARTICIPANTE DO PLANO DE BENEFICIO CEBPREV.

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO A PARTICIPANTE DO PLANO DE BENEFICIO CEBPREV. REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO A PARTICIPANTE DO PLANO DE BENEFICIO CEBPREV. Sumário Capítulo I Da finalidade...1 Capítulo II - Dos contratantes...1 Capítulo III - Dos limites individuais...2 Capítulo IV -

Leia mais

Fundo de Aposentadoria e Previdência Social dos Servidores Efetivos do Município de Barra do Rio Azul-RS. Gestão Econômica e Financeira.

Fundo de Aposentadoria e Previdência Social dos Servidores Efetivos do Município de Barra do Rio Azul-RS. Gestão Econômica e Financeira. Fundo de Aposentadoria e Previdência Social dos Servidores Efetivos do Município de Barra do Rio Azul-RS. Gestão Econômica e Financeira. Comitê de Investimentos RELATORIO GESTÃO FINANCEIRA 04/2015 O Comitê

Leia mais

Relatório de Seguridade

Relatório de Seguridade Re Relatório de Seguridade Relatório de Seguridade Relatório Maio/2015 O relatório da área de seguridade tem por finalidade apresentar as principais atividades desenvolvidas no mês, informando os números

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL [02.884.385/0001-22] FUNDACAO CELG DE SEGUROS E PREVIDENCIA MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: OUTROS 30/04/2015 Atuário Responsável DANIEL PEREIRA DA SILVA MIBA: 1146 MTE: 1146 DA transmitida à Previc em 29/05/2015

Leia mais

RESOLUÇÃO CGPC Nº XX - MINUTA V.1_SPC, 30ABR2009. Quadro Comparativo

RESOLUÇÃO CGPC Nº XX - MINUTA V.1_SPC, 30ABR2009. Quadro Comparativo RESOLUÇÃO CGPC Nº XX - MINUTA V.1_SPC, 30ABR2009 Quadro Comparativo O PRESIDENTE DO CONSELHO DE GESTÃO DA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR, no uso das atribuições que lhe conferem os artigos 5º, 18 e 74 da Lei

Leia mais