POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES"

Transcrição

1 POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES Art. 1 O presente documento desenvolvido na Biblioteca Professor Doutor N. de Carvalho da FACSETE, através da Comissão de Biblioteca, estabelece os parâmetros que norteiem o desenvolvimento de coleções para composição do acervo bibliográfico. Parágrafo Único. Através desse documento pode-se traçar ainda um perfil do estado geral da coleção, apontar o método de trabalho para alcance dos objetivos e fundamentar as decisões. Art. 2 Os objetivos gerais visam: DOS OBJETIVOS I. permitir o crescimento racional e equilibrado do acervo; II. identificar os itens apropriados à formação da coleção; III. determinar critérios para a duplicação de títulos; IV. estabelecer prioridades na ocasião de aquisição de material; V. traçar diretrizes para o desbaste e descarte de material; VI. destacar a responsabilidade do corpo docente nas aquisições. DA FORMAÇÃO DO ACERVO Art. 3 O desenvolvimento de coleções é um trabalho de planejamento. A formação do acervo é um processo abordado sob uma perspectiva sistêmica e as atividades ligadas à construção da coleção não podem ser encaradas isoladamente. Art. 4 A Biblioteca, de acordo com seus recursos orçamentários, deverá adquirir diferentes tipos de materiais, tais como: livros, obras de referência, periódicos, mapas e multimeios. Estes materiais devem atender as seguintes finalidades: I. suprir os programas de ensino dos cursos de graduação e pósgraduação;

2 II. dar apoio aos programas de pesquisa e extensão da Universidade. DA POLÍTICA DE SELEÇÃO Art. 5 A elaboração de políticas para seleção demonstra-se necessária a começar por razões econômicas que exigem a determinação de prioridades. Art. 6 Uma boa política deve informar sobre: I. qual material (tanto no conteúdo, quanto no suporte) fará parte do acervo; II. quando e sob quais condições este material poderá ingressar no acervo (estabelecimento de políticas de seleção, aquisição, doação, permuta e compensação de multa); III. como será avaliada a importância do material no acervo da biblioteca (métodos para avaliação do acervo); IV. quando e sob quais condições ele será descartado do acervo; Art. 7 A Biblioteca deverá comportar materiais em qualquer suporte desde que a informação seja relevante para os objetivos da Instituição e comunidade que serve. Deverá respeitar as normas estabelecidas pelo presente documento e alterá-lo quando necessário, de acordo com pesquisas de demanda para determinado material do acervo. Art. 8 A Política de Desenvolvimento de Coleções é de responsabilidade do bibliotecário e da Comissão de Biblioteca da FACSETE. Qualquer funcionário ou usuário poderá opinar a respeito da Política adotada, porém, caberá ao bibliotecário, acatar ou não as sugestões, sempre justificando as tomadas de decisão. DOS CRITÉRIOS PARA SELEÇÃO Art. 9 Quando da formação do acervo, o material bibliográfico deve ser rigorosamente selecionado, observando os seguintes critérios: I. adequação do material aos objetivos e nível educacional da Instituição; II. autoridade do autor e/ou editor; III. atualidade;

3 IV. qualidade técnica; V. escassez de material sobre o assunto na coleção da Biblioteca; VI. preço acessível; VII. idioma acessível; VIII. número de usuários potenciais que poderão utilizar o material; IX. reputação do publicador ou produtor; X. condições físicas do material; XI. trabalhos acadêmicos que obedeçam às normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). DAS FONTES PARA SELEÇÃO Art. 10 No apoio a seleção de fontes de informação, a Biblioteca deve encaminhar todo o material bibliográfico de divulgação recebido ou solicitado no intuito de disseminar entre os docentes as novidades editoriais. Serão utilizadas diversas fontes de informação, dentre as quais: I. bibliografias gerais e especializadas; II. catálogos, listas e propagandas diversas de editores e livreiros; III. guias de literatura geral e especializadas DA SELEÇÃO DE LIVROS DEBIBLIOGRAFIA BÁSICA E COMPLEMENTAR Art. 11 O número de exemplares para compor a bibliografia básica, deve ser calculado com base nas exigências do INEP Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (MEC Ministério da Educação), além do exemplar que deverá permanecer no acervo da Biblioteca (reserva) com finalidade de consulta local, cujo procedimento é aconselhado pelo INEP. Art. 12 Os livros importados serão adquiridos quando não existir uma adequada tradução em português ou espanhol. Art. 13 Casos em que haja pedido de um número maior de exemplares efetuado pelos solicitantes, estes devem justificar a necessidade. DA SELEÇÃO DE LIVROS QUE NÃO PERTENCEM AOS PLANOS DE ENSINO Art. 14 Todo usuário (docente, discente, funcionário ou pessoas da comunidade) poderá sugerir a aquisição desse material. A prioridade será

4 dada para as solicitações dos usuários das Instituições a qual a Biblioteca está vinculada. Parágrafo Único. Após análise de pertinência, serão adquiridos de 01 (um) a 03 (três) exemplares desse material, de acordo com as possibilidades e demanda da Biblioteca, exceto nos casos em que haja pedido expresso efetuado pelos solicitantes que justifiquem a necessidade de um número maior de exemplares. DA SELEÇÃO DA COLEÇÃO DE REFERÊNCIA Art. 15 Por ser material que permanece na Biblioteca para consulta rápida e/ou empréstimo local, é necessário que se adquira ao menos 01 (um) exemplar de obras diversas com caráter de referência. Entretanto, dependendo da demanda ou exigência do docente, pode-se adotar a política de mais exemplares (exemplo: dicionários bilíngües, técnicos de área específica, entre outros). Parágrafo Único. Será de competência da Biblioteca a seleção desses materiais, consultando especialistas no assunto/área e dos professores, quando de interesse em plano de ensino. DA SELEÇÃO DE PERIÓDICOS Art. 16 A Biblioteca deve adquirir periódicos de informações gerais e especializadas (locais, estaduais, nacionais e internacionais), mas como são muitas as publicações periódicas existentes, a Biblioteca estabelece critérios de prioridade para aquisição das mesmas: I. periódicos cujos títulos já fazem parte da lista básica, conforme indicação dos docentes; II. periódicos para dar suporte aos conteúdos programáticos e propostas pedagógicas; III. periódicos para os cursos em fase de reconhecimento, implantação, credenciamento ou recredenciamento; IV. periódicos de referência nas diversas áreas de conhecimento dos cursos que a Instituição oferece (anuários, boletins, relatórios, almanaques)

5 1º A cada três anos, a Biblioteca deve realizar uma avaliação da coleção de periódicos correntes, com o objetivo de colher subsídios para tomada de decisão para a compra (ou interrupção da assinatura) dos mesmos. Para isso, a listagem dos títulos correntes será enviada aos Coordenadores dos Cursos para análise dos docentes, no sentido de se realizar: I - cancelamento de títulos que já não atendem as suas necessidades; II - inclusão de novos títulos necessários para o desenvolvimento do conteúdo programático e/ou atualização; III - manutenção dos títulos já adquiridos. 2º São critérios para inclusão de títulos de periódicos: I. títulos solicitados pelo corpo docente; II. títulos publicados na área sem que haja equivalente disponível na Biblioteca; III. quando houver necessidade de novo título em decorrência de alteração de currículo de disciplina; IV. quando houver a implantação de novos cursos. DA SELEÇÃO DE CD-ROM, DVD, FITAS DE VÍDEO E OUTROS MATERIAIS NÃO-CONVENCIONAIS Art. 17 Serão adquiridos quando estiverem constando em bibliografia básica ou quando comprovada a necessidade de tais recursos para o desenvolvimento do ensino. DA SELEÇÃO NO RECEBIMENTO DE DOAÇÕES Art. 18 A instituição ou pessoa física que doa obra para a Biblioteca deve encaminhar materiais em bom estado de conservação e reservando ao Setor o direito de dispor das obras doadas de acordo com seus critérios de seleção do acervo. 1º Recebimento de autor: I. critérios: geralmente integrado ao acervo, desde que, de alguma forma, atenda aos objetivos dos cursos ministrados pela instituição.

6 II. estão incluídos neste item os documentos digitais originados da conclusão dos cursos de graduação e pós-graduação, acompanhados da folha de aprovação. 2º Recebimento de editoras: I. critérios: geralmente integrado ao acervo, desde que, de alguma forma, atenda aos objetivos dos cursos ministrados pela instituição. 3º Recebimento de terceiros: I. critérios: somente através de listagem, antecipada à doação, dos documentos a serem doados com os seguintes dados mínimos: livro - autor, título, editora, ano, assunto. periódico título, ano, número, volume, editora, data. outros materiais tipo de documento, autor, título, editora, ano, assunto. II. pertinência: após análise de pertinência, serão selecionados os documentos que poderão ser aceitos como doação. Parágrafo Único. A Biblioteca poderá incorporar ou não o material ao acervo e descartá-lo quando o mesmo não estiver de acordo com os objetivos e normas estipuladas pelo Setor. DO RECEBIMENTO DE DOAÇÕES DE LIVROS Art. 19 Serão aceitos títulos que satisfaçam as necessidades de informação e que constem nas Bibliografias básica e complementar dos cursos de graduação e pósgraduação e seja coerente com a proposta pedagógica. DO RECEBIMENTO DE DOAÇÕES DE PERIÓDICOS Art. 20 Serão aceitos periódicos doados no suporte impresso, CD-ROM que apresentarem as seguintes condições: I. fascículos faltantes de títulos assinados ou permutados pela Biblioteca; II. coleções completas de interesse da comunidade universitária de critérios estipulados para seleção do presente documento;

7 III. fascículos com boas condições de uso, sem rabiscos ou danos, com exceção de títulos de extrema importância (material de alta demanda e/ou poucas publicações sobre o assunto), bem como edições consideradas raras. DO RECEBIMENTO DE DOAÇÕES DE CD-ROM,DVD, FITAS DE VÍDEO E OUTROS MATERIAIS NÃO-CONVENCIONAIS Art. 21 Serão aceitos materiais em boas condições de uso, visibilidade e sonorização, sem danos, que estejam de acordo com a política de seleção do material específico. DA AQUISIÇÃO Art. 22 O processo de aquisição de dá através de compra, doação ou permuta. Devem ser observados os arts. 23, 24, 25 para maior clareza dos processos de aquisição. DA COMPRA Art. 23 Devido às restrições orçamentárias e à grande quantidade de documentos produzidos nas diversas áreas do conhecimento, torna-se impossível uma biblioteca universitária adquirir todo o material bibliográfico disponível no mercado editorial. Sendo assim, a Biblioteca estabelece as seguintes prioridades para a compra de material bibliográfico: I. bibliografia básica e complementar de livros e obras de referência para os cursos de graduação e pós-graduação em fase de reavaliação, reconhecimento e implantação; II. periódicos de referência; III. assinaturas de periódicos, cujos títulos já fazem parte da lista básica, conforme indicação dos docentes; IV. documentos para desenvolvimento de pesquisa desde que vinculada à universidade. Parágrafo Único. Os casos não previstos serão submetidos à apreciação do Responsável pela Biblioteca A DOAÇÃO

8 Art. 24 O recebimento de doação para compor o acervo deve observar o que está apontado nos arts. 18. A doação feita por autores e editoras são as mais bem aceitas no processo de doação, visto que são, geralmente, últimas edições publicadas. Desta forma, podemos manter novidades bibliográficas para os usuários e de forma atualizada. DA PERMUTA Art. 25 Consiste no envio de publicações e no recebimento e controle das publicações recebidas das instituições cadastradas. É um serviço que requer um controle de movimentação das publicações periódicas, bem como dos livros que chegam e são enviados por intermédio de doação DO DESBASTE Art. 26 O processo de desbaste é aquele em que os documentos passam por uma análise, retirando-os das estantes para posterior processo de descarte. Usa-se o termo desbaste para a retirada do documento do acervo por motivo determinado. Em função da falta de espaço físico nas bibliotecas, este processo precisa ser sistemático. 1º Todo material bibliográfico passível de descarte deverá ser submetido, antes, a um processo de desbaste pelo docente, especialista da área, observando os seguintes critérios: I. desatualização: este critério se aplica principalmente às obras cujos conteúdos já foram superados por novas edições. Entretanto, para aplicação deste critério, deve-se levar em consideração, principalmente, a área de conhecimento a que se refere à obra. II. inadequação de conteúdo: obras cujos conteúdos não interessam à Universidade, as incorporadas ao acervo anteriormente sem uma seleção prévia e/ou escritas em línguas pouco acessíveis. III. condições físicas (sujas, infectadas, deterioradas ou rasgadas): após rigorosa análise do conteúdo e relevância da obra, esta deverá ser recuperada se for considerada de valor e não disponível no mercado para substituição. Quando houver possibilidade de substituição e o seu custo

9 for inferior ao da recuperação do material, deve-se adquirir outro exemplar e o material deverá ser descartado. IV. duplicatas: número excessivo de cópias de um mesmo título em relação à demanda. V. pouco ou nenhum uso: observando as estatísticas de uso do documento, pode-se analisar se o documento foi usado e com que periodicidade. VI. outros: critérios diferentes dos anteriormente citados que poderão influir na disponibilidade da qualidade do acervo. 2º O docente da área elegerá os documentos para desbaste e posterior descarte, cuja formalização está no preenchimento do formulário de desbaste e descarte específico (ANEXO 1) devidamente validado por este profissional na folha principal e ocasionais anexos e com a ciência do bibliotecário responsável pelo acervo. 3º Havendo urgência no desbaste e na impossibilidade momentânea do docente especializado se fazer presente, o bibliotecário responsável fará o procedimento de desbaste, removendo para o setor de Serviços Técnicos, para posterior análise deste profissional. DOS CRITÉRIOS PARA DESBASTE DE LIVROS Art. 27 Os livros serão desbastados conforme critérios do artigo 26. Se observada a probabilidade de uma pesquisa histórica ou comparada, deverá permanecer na estante ao menos um exemplar da edição antiga. DOS CRITÉRIOS PARA DESBASTE DE PERIÓDICOS Art. 28 Os critérios para desbaste de periódicos está ligado diretamente ao uso, entretanto, podem ser alterados mediante acordo entre o responsável pela Biblioteca e consulta ao corpo docente e usuários. Inclusive, também deve ser dada a observância aos critérios estabelecidos no artigo 26. Outros critérios deverão ser observados: I. periódicos de interesse temporário;

10 II. Periódicos com repertório de jurisprudência e doutrina serão descartados em casos específicos com a devida justificativa; III. fascículos de periódicos recebidos em duplicata; IV. jornais, por assinatura, serão descartados a cada 7 dias; DOS CRITÉRIOS PARA DESBASTE DE CD-ROM,DVD, FITAS DE VÍDEO E OUTROS MATERIAIS NÃO-CONVENCIONAIS Art. 29 Multimeios e outros materiais não convencionais serão desbastados conforme critérios estabelecidos no art. 26. Se observada a probabilidade de uma pesquisa histórica ou comparada, os materiais, se em condições, devem permanecer no acervo. Parágrafo Único. A temporalidade para desbastes se baseia conforme as áreas de conhecimento a seguir: I. Ciências Exatas e Tecnológicas (exceto Informática) de 2 em 2 anos; II. Informática de 1 em 1 ano; III. Humanidades e Ciências Sociais de 3 em 3 anos; IV. Saúde de 2 em 2 anos. DO DESCARTE Art. 30 O processo de descarte abrange o destino a ser dado ao documento após o desbaste. Sendo assim, os documentos desbastados devem seguir os seguintes destinos para descarte: I. doação para instituições sem fins lucrativos; II. doação para bibliotecas carentes; III. reciclagem. Este processo só ocorrerá caso os documentos desbastados não atendam os dois itens anteriores ou se tratarem de periódicos (revistas, jornais, papers, etc.). 1º A Biblioteca deverá manter listagem com os dados completos das instituições sem fins lucrativos e bibliotecas, passíveis de doação. 2º Os documentos, quando enviados para doação, serão acompanhados por uma carta de encaminhamento de doação, protocolada, pela Biblioteca.

11 3º A Biblioteca será a única remetente da doação, aceitando indicações de Instituições e Bibliotecas para futuras doações. DO DESCARTE DE MONOGRAFIAS E ARTIGOS Art. 31 As monografias e artigos de final de curso devem ser descartados: I. no caso de monografias em suporte de papel (capa dura) a cada (três) 3 anos até a sua extinção; II. no caso de CD/DVD a cada (cinco) 5 anos até sua extinção; III. no formato digital inserida na base de dados da instituição deverá ter sua guarda permanente. Art. 32 A partir de 1º de outubro de 2014, fica estabelecido que: 1. Todos os trabalhos de conclusão de curso, independente do nível (graduação ou pós-graduação), devem ser encaminhados à Biblioteca; 2. Serão recebidas todas as monografias aprovadas pelas bancas examinadoras, e que obedeçam às normas estabelecidas pela ABNT / VANCOUVER e aos padrões mínimos de qualidade; 3. Os artigos dos cursos de odontologia deverão ser entregues obedecendo às normas estabelecidas pelo sistema VANCOUVER e os demais pelas normas da ABNT; 4. A ficha catalográfica é um elemento obrigatório nas monografias e não será exigida nos artigos; 5. As monografias deverão ser entregues em 01 cópia impressa e 01 cópia em mídia digital (CD/DVD); 6. Os artigos deverão ser entregues em uma cópia em mídia digital (CD/DVD); 7. A cópia impressa deverá ser encadernada em capa dura na cor preta com letras em dourado; 8. A cópia em mídia digital obedecerá aos modelos estabelecidos no anexo, em formato PDF; 9. A folha de aprovação deverá ser digitalizada após avaliação da Banca Examinadora e inserida no CD-ROM, em formato PDF;

12 10. O autor deverá preencher e assinar o protocolo de entrega (anexo) para a disponibilização total e/ou parcial da monografia/artigo em meio eletrônico; 11. A versão eletrônica só será inserida na base de dados de Trabalhos Científicos, mediante assinatura do termo de autorização da divulgação. DO DESCARTE DE TESES E DISSERTAÇÕES Art. 33 As teses e dissertações em suporte de papel ou em mídia digital terão a sua guarda permanente na biblioteca. DESCARTE DE PERIÓDICOS Art. 34 Observar o que está determinado no Art. 28. DA AVALIAÇÃO Art. 35 A avaliação sistemática da coleção deve ser entendida como o processo utilizado para se determinar o valor e a adequação da coleção em função dos objetivos da Biblioteca e da própria universidade, possibilitando traçar diretrizes quanto à aquisição, acessibilidade e descarte. Art. 36 A Biblioteca deverá realizar o inventário do seu acervo anualmente e, de dois em dois anos, o acervo (exceto periódicos que serão avaliados de 03 em 03 anos) deverá ser analisado para e tomada de decisão à luz da Política de Desenvolvimento de Coleções em função de assegurar o crescimento consciente da coleção. Art. 37 Anualmente, a Política de Desenvolvimento de Coleções deverá ser submetida à revisão pela Comissão para garantir a adequação do acervo à comunidade que serve e aos objetivos da Instituição.

13 Anexo 1 FORMULÁRIO DE DESBASTE E DESCARTE De acordo com o regulamento da Biblioteca Professor Doutor N. de Carvalho da Faculdade de Tecnologia de Sete Lagoas, após a avaliação através de docente e/ou um bibliotecário, encaminha a(s) obra(s) relacionada(s) na listagem para reciclagem e/ou doação visando à renovação do acervo e a atualização informacional acadêmica Critérios Desatualização ( ) Inadequação de conteúdo ( )

14 Duplicatas em excesso ( ) Condições físicas do documento ( ) Falta de uso ( ) Outro ( ) qual? DOAÇÃO ( ) RECICLAGEM ( ) HISTÓRICO Contém lista anexa: sim ( ) não ( ) Avaliado por (nome e assinatura): Docente: Bibliotecário: Assinaturas: Recebedor da doação (uso da Biblioteca): Nome: RG: CPF: Instituição: CNPJ: Tel.: Set Lagoas, / /.

FIC FACULDADES INTEGRADAS DE CASSILÂNDIA POLÍTICA DE AQUISIÇÃO, EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DAS BIBLIOTECAS DAS FACULDADES INTEGRADAS DE CASSILÂNDIA

FIC FACULDADES INTEGRADAS DE CASSILÂNDIA POLÍTICA DE AQUISIÇÃO, EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DAS BIBLIOTECAS DAS FACULDADES INTEGRADAS DE CASSILÂNDIA FIC FACULDADES INTEGRADAS DE CASSILÂNDIA POLÍTICA DE AQUISIÇÃO, EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DAS BIBLIOTECAS DAS FACULDADES INTEGRADAS DE CASSILÂNDIA CASSILÂNDIA 2010 POLÍTICA DE AQUISIÇÃO, EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE BIBLIOTECAS

SISTEMA INTEGRADO DE BIBLIOTECAS POLÍTICA DE ATUALIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE ACERVO 1. OBJETIVOS A política de desenvolvimento da coleção tem os seguintes objetivos: Permitir o crescimento racional e equilibrado do acervo em todos os

Leia mais

1. PROCESSO DE PREPARAÇÃO PARA DEFESA DE DISSERTAÇÃO OU TESE

1. PROCESSO DE PREPARAÇÃO PARA DEFESA DE DISSERTAÇÃO OU TESE PROCEDIMENTOS PARA DEFESA DE DISSERTAÇÃO/TESE E DIPLOMAÇÃO STRICTO SENSU 1. PROCESSO DE PREPARAÇÃO PARA DEFESA DE DISSERTAÇÃO OU TESE Aluno: Após integralizar os requisitos necessários para obtenção do

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS REITORIA ASSESSORIA PARA DESENVOLVIMENTO ACADÊMICO Biblioteca Universitária

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS REITORIA ASSESSORIA PARA DESENVOLVIMENTO ACADÊMICO Biblioteca Universitária Regulamento do Serviço de Empréstimo entre Bibliotecas Externas (SEEBE/UFLA) Art. 1. O presente regulamento dispõe sobre o funcionamento do Serviço de Empréstimo entre Bibliotecas Externas, doravante denominado

Leia mais

FACULDADE DE INHUMAS EDITAL Nº 05/2016 REINGRESSO, TRANSFERÊNCIA INTERNA, TRANSFERÊNCIA EXTERNA E PORTADOR DE DIPLOMA

FACULDADE DE INHUMAS EDITAL Nº 05/2016 REINGRESSO, TRANSFERÊNCIA INTERNA, TRANSFERÊNCIA EXTERNA E PORTADOR DE DIPLOMA EDITAL Nº 05/2016 REINGRESSO, TRANSFERÊNCIA INTERNA, TRANSFERÊNCIA EXTERNA E PORTADOR DE DIPLOMA A Direção Acadêmica da Faculdade de Inhumas FacMais, no uso de suas atribuições regimentais e de acordo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ REITORIA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA COMISSÃO DE NORMALIZAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ REITORIA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA COMISSÃO DE NORMALIZAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ REITORIA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA COMISSÃO DE NORMALIZAÇÃO Como preencher o formulário para elaboração da ficha catalográfica Resumo: Detalha para os usuários o preenchimento

Leia mais

Tutorial para buscas no catálogos dos acervos nas bibliotecas

Tutorial para buscas no catálogos dos acervos nas bibliotecas Tutorial para buscas no catálogos dos acervos nas bibliotecas Os acervos nas bibliotecas da UFG são compostos por: Livros Periódicos (revistas científicas) Jornais Revistas de generalidades CDs DVDs Fitas

Leia mais

NORMAS GERAIS PARA EMPRÉSTIMOS E CONSULTAS DE OBRAS BIBLIOTECA PROF o EDILSON GOLNÇALVES

NORMAS GERAIS PARA EMPRÉSTIMOS E CONSULTAS DE OBRAS BIBLIOTECA PROF o EDILSON GOLNÇALVES NORMAS GERAIS PARA EMPRÉSTIMOS E CONSULTAS DE OBRAS BIBLIOTECA PROF o EDILSON GOLNÇALVES Cap. I - DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 - A Biblioteca presta seus serviços à Comunidade Acadêmica da FACULDADE

Leia mais

Resolução Normativa PUC n o 021/05

Resolução Normativa PUC n o 021/05 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS Resolução Normativa PUC n o 021/05 Campinas (SP), 20-12-05 DESTINATÁRIO: TODAS AS UNIDADES DA PUC-CAMPINAS ASSUNTO: ENSINO SISTEMA DE BIBLIOTECAS E INFORMAÇÃO

Leia mais

O edital obedecerá aos critérios do Regimento Interno da FACPP: CAPÍTULO II (Art Art. 90). Ver documento a seguir:

O edital obedecerá aos critérios do Regimento Interno da FACPP: CAPÍTULO II (Art Art. 90). Ver documento a seguir: O edital obedecerá aos critérios do Regimento Interno da FACPP: CAPÍTULO II (Art. 79 - Art. 90). Ver documento a seguir: 1 FORMAS DE ACESSO AOS CURSOS - DO PROCESSO SELETIVO A MATRÍCULA DE ACORDO COM O

Leia mais

RELATÓRIO DA BIBLIOTECA MINISTRO OLAVO BILAC PINTO

RELATÓRIO DA BIBLIOTECA MINISTRO OLAVO BILAC PINTO INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES RELATÓRIO DA BIBLIOTECA MINISTRO OLAVO BILAC PINTO Dezembro 2014 1 SUMÁRIO: Pág. A.) Informações Estruturais e do Acervo... 04 1. Serviços oferecidos aos usuários...

Leia mais

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS DO UNISAL

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS DO UNISAL REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS DO UNISAL 2016 Apresentação Este documento estabelece condições e procedimentos para a utilização dos serviços, materiais e instalações das Bibliotecas do UNISAL, para garantir

Leia mais

EDITAL Nº 87, DE 13 DE DEZEMBRO DE ABERTURA DE PROCESSO DE INGRESSO DE DIPLOMADO PARA OS CURSOS SUPERIORES DO IFRS CÂMPUS PORTO ALEGRE

EDITAL Nº 87, DE 13 DE DEZEMBRO DE ABERTURA DE PROCESSO DE INGRESSO DE DIPLOMADO PARA OS CURSOS SUPERIORES DO IFRS CÂMPUS PORTO ALEGRE Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Câmpus Porto Alegre EDITAL Nº 87, DE 13 DE DEZEMBRO DE

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA ESCOLA DE VETERINÁRIA DA UFMG

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA ESCOLA DE VETERINÁRIA DA UFMG REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA ESCOLA DE VETERINÁRIA DA UFMG CAPÍTULO I Da finalidade e administração Art.1º - A Biblioteca da Escola de Veterinária da UFMG terá como finalidade proporcionar ao corpo docente,

Leia mais

REQUISIÇÃO / SOLICITAÇÃO DE COMPRA DE MATERIAL BIBLIOGRÁFICO GUIA RÁPIDO

REQUISIÇÃO / SOLICITAÇÃO DE COMPRA DE MATERIAL BIBLIOGRÁFICO GUIA RÁPIDO REQUISIÇÃO / SOLICITAÇÃO DE COMPRA DE MATERIAL BIBLIOGRÁFICO GUIA RÁPIDO Acessar http://150.162.1.90:8080/pergamumweb/home_geral/index.jsp#) Digitar nome de usuário, senha e captcha Para efetuar uma solicitação

Leia mais

Na UMC a Biblioteca é um órgão ligado à Vice-reitoria de Planejamento e tem as seguintes finalidades:

Na UMC a Biblioteca é um órgão ligado à Vice-reitoria de Planejamento e tem as seguintes finalidades: Biblioteca UMC Na UMC a Biblioteca é um órgão ligado à Vice-reitoria de Planejamento e tem as seguintes finalidades: reunir, organizar e facilitar o acesso a todo o material institucional destinado ao

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA REDE DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS FACULDADES DOCTUM

REGULAMENTO INTERNO DA REDE DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS FACULDADES DOCTUM REGULAMENTO INTERNO DA REDE DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS FACULDADES DOCTUM REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO Art. 1.º A Biblioteca, órgão suplementar da instituição, é vinculada

Leia mais

REGULAMENTO. CAPÍTULO II DO HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO Artigo 3º - O horário de atendimento da Biblioteca segue o período de atividades do campus.

REGULAMENTO. CAPÍTULO II DO HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO Artigo 3º - O horário de atendimento da Biblioteca segue o período de atividades do campus. 1 SOROCABA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS BIBLIOTECA Rodovia João Leme dos Santos, KM 110 - SP-264 Bairro do Itinga Sorocaba - São Paulo - Brasil CEP 18052-780 Telefone: (15) 3229-6000 (PABX) Home

Leia mais

PLANO DE ATUALIZAÇÃO, MANUTENÇÃO DO ACERVO E INFRAESTRUTURA DA BIBLIOTECA DR. HERMETO DE PÁDUA COSTA

PLANO DE ATUALIZAÇÃO, MANUTENÇÃO DO ACERVO E INFRAESTRUTURA DA BIBLIOTECA DR. HERMETO DE PÁDUA COSTA BIBLIOTECA DR. HERMETO DE PÁDUA COSTA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DO SUL DE MINAS FACESM PLANO DE ATUALIZAÇÃO, MANUTENÇÃO DO ACERVO E INFRAESTRUTURA DA BIBLIOTECA DR. HERMETO DE PÁDUA COSTA

Leia mais

BIBLIOTECA RUY BARBOSA

BIBLIOTECA RUY BARBOSA Informações Gerais O sistema de bibliotecas compreende a biblioteca central e a biblioteca setorial da Pós-Graduação. A biblioteca é um órgão fundamental de referência e apoio às atividades de ensino,

Leia mais

III- apostilas; IV- catálogos; V- referências; MANUAL DO ALUNO VII- folhetos e separatas; IX- Fitas de vídeo;

III- apostilas; IV- catálogos; V- referências; MANUAL DO ALUNO VII- folhetos e separatas; IX- Fitas de vídeo; Este manual foi elaborado com o objetivo de informar aos usuários as rotinas e procedimentos de utilização da Biblioteca, permitindo uma interação melhor com os nossos serviços. III- apostilas; IV- catálogos;

Leia mais

Recadastramento Nacional. Pesquisa sobre o Perfil dos/as Assistentes Sociais no Brasil: condições de trabalho e exercício profissional

Recadastramento Nacional. Pesquisa sobre o Perfil dos/as Assistentes Sociais no Brasil: condições de trabalho e exercício profissional Recadastramento Nacional Pesquisa sobre o Perfil dos/as Assistentes Sociais no Brasil: condições de trabalho e exercício profissional Substituição das atuais carteiras e cédulas de Identidade Profissional

Leia mais

REGULAMENTO. Biblioteca. Das Disposições Gerais

REGULAMENTO. Biblioteca. Das Disposições Gerais Biblioteca REGULAMENTO Das Disposições Gerais Artigo 1 º - As Bibliotecas da UMC, subordinadas à Vice-Reitoria destinam-se ao atendimento do corpo docente, corpo discente, estagiários, ex-alunos e funcionários,

Leia mais

FACULDADE SÃO PAULO RECREDENCIADA NO MEC PELA PORTARIA Nº 284, DE 23 DE MARÇO DE 2015 Biblioteca Acadêmica

FACULDADE SÃO PAULO RECREDENCIADA NO MEC PELA PORTARIA Nº 284, DE 23 DE MARÇO DE 2015 Biblioteca Acadêmica BIBLIOTECA PROFESSOR JOSÉ MASTRANGELO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. Este regulamento visa melhorar o aproveitamento dos recursos da Biblioteca, satisfazendo ao máximo as necessidades de seus usuários.

Leia mais

Programa de Acesso à Informação Eletrônica PAI-e Capacitação de Usuários em Informação Científica e Tecnológica

Programa de Acesso à Informação Eletrônica PAI-e Capacitação de Usuários em Informação Científica e Tecnológica Programa de Acesso à Informação Eletrônica PAI-e Capacitação de Usuários em Informação Científica e Tecnológica Semana da Economia - 2010 Palestra: As fontes de Informação em meio eletrônico disponíveis

Leia mais

POLÍTICA DE ATUALIZAÇÃO E DE EXPANSÃO DO ACERVO DA BIBLIOTECA

POLÍTICA DE ATUALIZAÇÃO E DE EXPANSÃO DO ACERVO DA BIBLIOTECA POLÍTICA DE ATUALIZAÇÃO E DE EXPANSÃO DO ACERVO DA BIBLIOTECA Considerando o crescimento da demanda de informação no meio acadêmico, foi definida a Política de Atualização e de Expansão do Acervo da Biblioteca,

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO CEPE Nº 79/2008

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO CEPE Nº 79/2008 CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO CEPE Nº 79/2008 Assunto: Aprova o Regulamento do Sistema de Bibliotecas do Centro Universitário UNA. O Presidente do Conselho

Leia mais

REGULAMENTO DO RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO/TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

REGULAMENTO DO RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO/TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO REGULAMENTO DO RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO/TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Normatiza a elaboração e apresentação do Relatório Final de Estágio do Curso de Tecnologia em Processos Gerenciais, que compreende

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO NÚCLEO DE TELEVISÃO E RÁDIOS UNIVERSITÁRIAS - NTVRU

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO NÚCLEO DE TELEVISÃO E RÁDIOS UNIVERSITÁRIAS - NTVRU SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO NÚCLEO DE TELEVISÃO E RÁDIOS UNIVERSITÁRIAS - NTVRU EDITAL Nº 01/2016 SELEÇÃO DE ESTUDANTES DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UFPE PARA O PROGRAMA DE

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE HUMANIDADES, ARTES E CIÊNCIAS PROFESSOR MILTON SANTOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE HUMANIDADES, ARTES E CIÊNCIAS PROFESSOR MILTON SANTOS .!!! UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE HUMANIDADES, ARTES E CIÊNCIAS PROFESSOR MILTON SANTOS EDITAL PET/IHAC 2017 SELEÇÃO DE BOLSISTAS A Diretoria do Instituto de Humanidades, Artes e Ciências

Leia mais

TAEs e DOCENTES. Módulo Biblioteca Uso dos Serviços da Biblioteca

TAEs e DOCENTES. Módulo Biblioteca Uso dos Serviços da Biblioteca TAEs e DOCENTES Módulo Biblioteca Uso dos Serviços da Biblioteca 1 2 IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO Este documento demonstra os procedimentos para uso dos serviços disponíveis no módulo Biblioteca dentro do

Leia mais

OBS-3: Na ficha catalográfica, ( CDD) deverá constar as 05 palavras indicadas quando da solicitação da Banca.

OBS-3: Na ficha catalográfica, ( CDD) deverá constar as 05 palavras indicadas quando da solicitação da Banca. PROCEDIMENTOS APÓS A DEFESA ( Alunos) O aluno deverá acessar o link da Biblioteca http://www2.unifesp.br/home_diadema/biblio_prod_servicos.html ( Orientação e normalização de trabalhos acadêmicos segundo

Leia mais

Faculdade de Tecnologia Senai Cimatec

Faculdade de Tecnologia Senai Cimatec Faculdade de Tecnologia Senai Cimatec Núcleo de Documentação e Informação - NDI BIBLIOTECA Salvador 014 Faculdade de Tecnologia Senai Cimatec Núcleo de Documentação e Informação NDI BIBLIOTECA MANUAL DE

Leia mais

1º Para os casos de transferência externa serão aceitas apenas as inscrições para áreas afins,

1º Para os casos de transferência externa serão aceitas apenas as inscrições para áreas afins, EDITAL NRCA-SJP N.º 06/2016 DISPÕE SOBRE OS PROCESSOS DE INGRESSO POR TRANSFERÊNCIA EXTERNA E PORTADOR DE DIPLOMA AOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE FAE SÃO JOSÉ DOS PINHAIS. A Coordenadora do Núcleo

Leia mais

DIAGRAMA DE LEITURA DO FLUXOGRAMA DAS ATIVIDADES DE ESTÁGIO

DIAGRAMA DE LEITURA DO FLUXOGRAMA DAS ATIVIDADES DE ESTÁGIO DIAGRAMA DE LEITURA DO FLUXOGRAMA DAS ATIVIDADES DE LEGENDA, COM CORES, PARA IDENTIFICAR AS AÇÕES NO FLUXOGRAMA NÚMERO DA PÁGINA ONDE SE ENCONTRA O PROCEDIMENTO Mnnnnnnnnnnnnnnnnnn Zccccccccccc AÇÕES VINCULADAS

Leia mais

EDITAL Nº 027/2014 PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

EDITAL Nº 027/2014 PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EDITAL Nº 027/2014 PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU A Diretoria de Pós-graduação e Extensão do Centro Universitário Senac, no uso de suas atribuições torna pública

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A UTILIZAÇÃO DAS BIBLIOTECAS DOS CAMPI DO IFES

ORIENTAÇÕES PARA A UTILIZAÇÃO DAS BIBLIOTECAS DOS CAMPI DO IFES ORIENTAÇÕES PARA A UTILIZAÇÃO DAS BIBLIOTECAS DOS CAMPI DO IFES As Bibliotecas dos campi do Instituto Federal do Espírito Santo (IFES) têm como missão atender os alunos, professores e servidores, fornecendo

Leia mais

POSSE, EXERCÍCIO E DOCUMENTAÇÃO PARA INGRESSO

POSSE, EXERCÍCIO E DOCUMENTAÇÃO PARA INGRESSO EDITAL n.º 822/2012 - CRS. POSSE, EXERCÍCIO E DOCUMENTAÇÃO PARA INGRESSO CONCURSO PÚBLICO PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS DE SOLDADO POLICIAL MILITAR (QPM 1-0) E DE SOLDADO BOMBEIRO MILITAR (QPM 2-0) DA POLÍCIA

Leia mais

DEPARTAMENTO de BIBLIOTECA

DEPARTAMENTO de BIBLIOTECA DEPARTAMENTO de BIBLIOTECA Principais Serviços Acesso ao catálogo on-line. Consulta ao acervo, reserva e renovação on-line ou pessoalmente. Empréstimo domiciliar. Empréstimo e devolução em qualquer biblioteca

Leia mais

I CONCURSO DE POESIAS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO: PRÊMIO FERREIRA GULLAR

I CONCURSO DE POESIAS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO: PRÊMIO FERREIRA GULLAR I CONCURSO DE POESIAS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO: PRÊMIO FERREIRA GULLAR A Universidade Estadual do Maranhão torna público o presente edital destinado à comunidade acadêmica (discentes, docentes,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO UNIDADE ACADÊMICA DE GARANHUNS COLEGIADO DE COORDENAÇÃO DIDÁTICA (CCD)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO UNIDADE ACADÊMICA DE GARANHUNS COLEGIADO DE COORDENAÇÃO DIDÁTICA (CCD) 1 RESOLUÇÃO N o 004/2007 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO UNIDADE ACADÊMICA DE GARANHUNS COLEGIADO DE COORDENAÇÃO DIDÁTICA (CCD) EMENTA: Dispõe sobre o Regimento Interno

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO LICENCIATURA EM MATEMÁTICA IFSP/CJO

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO LICENCIATURA EM MATEMÁTICA IFSP/CJO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO LICENCIATURA EM MATEMÁTICA IFSP/CJO Art. 1 o - Visando possibilitar a melhor adequação dos Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC), obrigatório e que corresponde

Leia mais

Faculdade de Ciências Empresariais Colegiado Curso de Administração

Faculdade de Ciências Empresariais Colegiado Curso de Administração EDITAL DE SELEÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS PARA PUBLICAÇÃO NA REVISTA ADMINISTRAÇÃO EM FOCO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS EMPRESARIAIS FACEMP 3ª EDIÇÃO EDIÇÃO 2016 ADMINISTRAÇÃO EM FOCO

Leia mais

NORMATIZAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO A - TCC (30-460) E DO PROJETO INTERDISCIPLINAR (30-094)

NORMATIZAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO A - TCC (30-460) E DO PROJETO INTERDISCIPLINAR (30-094) UNIVERSIDADE REGIONAL INTEGRADA DO ALTO URUGUAI E DAS MISSÕES DEPARTAMENTO DE ENGENHARIAS E CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA NORMATIZAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO A - TCC (30-460)

Leia mais

1. Requerimento de Inscrição devidamente preenchido, indicando Programa, Curso, Linha de Pesquisa e o Idioma selecionado para o Exame de Proficiência;

1. Requerimento de Inscrição devidamente preenchido, indicando Programa, Curso, Linha de Pesquisa e o Idioma selecionado para o Exame de Proficiência; EDITAL DE SELEÇÃO DO PPGEL - 2017 I - INSCRIÇÃO Nível/Número de vagas: MESTRADO - 30 (trinta) DOUTORADO - 25 (vinte e cinco) Período de inscrição: 15 de agosto a 16 de setembro de 2016 Procedimento obrigatório:

Leia mais

Av.Dr. Ariberto Pereira da Cunha, 333 CEP Guaratinguetá-SP BRASIL (012) (012)

Av.Dr. Ariberto Pereira da Cunha, 333 CEP Guaratinguetá-SP BRASIL (012) (012) Curso de Graduação de Licenciatura em Matemática NORMAS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) 1. DO OBJETO a) No último ano do Curso de Graduação de Licenciatura em Matemática, o aluno deve desenvolver

Leia mais

EDITAL. Abertura de inscrições para a seleção de candidatos ao Programa de Mestrado em Administração da UNIP

EDITAL. Abertura de inscrições para a seleção de candidatos ao Programa de Mestrado em Administração da UNIP EDITAL Abertura de inscrições para a seleção de candidatos ao da UNIP Recomendado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior CAPES, de acordo com o Ofício CTC/CAPES de número 073/2005

Leia mais

FACULDADE DOM BOSCO REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS

FACULDADE DOM BOSCO REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS FACULDADE DOM BOSCO REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO Art. 1º As bibliotecas da Faculdade Dom Bosco compreendem duas unidades mantidas pelo Grupo Dom Bosco e subordinadas administrativamente

Leia mais

POSSE, EXERCÍCIO E DOCUMENTAÇÃO PARA INGRESSO

POSSE, EXERCÍCIO E DOCUMENTAÇÃO PARA INGRESSO EDITAL n.º 829/2012 - CRS. POSSE, EXERCÍCIO E DOCUMENTAÇÃO PARA INGRESSO CONCURSO PÚBLICO PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS DE SOLDADO POLICIAL MILITAR (QPM 1-0) E DE SOLDADO BOMBEIRO MILITAR (QPM 2-0) DA POLÍCIA

Leia mais

Universidade Federal de Juiz de Fora Programa de Pós-Graduação em Economia Edital de Seleção 2017 Mestrado

Universidade Federal de Juiz de Fora Programa de Pós-Graduação em Economia Edital de Seleção 2017 Mestrado Universidade Federal de Juiz de Fora Programa de Pós-Graduação em Economia Edital de Seleção 2017 Mestrado A Coordenação do Programa de Pós-Graduação em Economia (PPGE), da Faculdade de Economia, torna

Leia mais

BIBLIOTECA MARTINHO LUTERO CEULJI/ULBRA

BIBLIOTECA MARTINHO LUTERO CEULJI/ULBRA BIBLIOTECA MARTINHO LUTERO CEULJI/ULBRA Ji-Paraná 2016 1 CENTRO UNIVERSITÁRIO LUTERANO DE JI-PARANÁ Reitor Valmir Miguel de Souza Diretora Acadêmica Rosângela Kiekow da Rosa Diretora Administrativa Márcia

Leia mais

II Semana de Meio Ambiente. Regulamento do Concurso Online de Fotografia

II Semana de Meio Ambiente. Regulamento do Concurso Online de Fotografia 1-Tema: Conecte-se com a Natureza. 2-Objetivo: II Semana de Meio Ambiente Regulamento do Concurso Online de Fotografia Proporcionar aos estudantes amantes da fotografia a oportunidade de registrar momentos

Leia mais

Especificação de Caso de Uso

Especificação de Caso de Uso Especificação de Caso de Uso UCCITES014 Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor 14/10/2008 0.1 Criação do documento. Helane Nunes 27/10/2008 0.2 Revisão do documento e versionamento do documento

Leia mais

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Instituto de Ciências Sociais Aplicadas Curso de Graduação em Serviço Social.

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Instituto de Ciências Sociais Aplicadas Curso de Graduação em Serviço Social. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Instituto de Ciências Sociais Aplicadas Curso de Graduação em Serviço Social Edital 01/2017 NORMAS PARA CONSULTA À COMUNIDADE ACADÊMICA PARA A ESCOLHA DO(A)

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E DA EDUCAÇÃO FAED DIREÇÃO GERAL DG EDITAL DG/FAED Nº 07/2014

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E DA EDUCAÇÃO FAED DIREÇÃO GERAL DG EDITAL DG/FAED Nº 07/2014 EDITAL DG/FAED Nº 07/2014 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CONCURSO PARA CRIAÇÃO DE LOGOMARCA CURSO DE BIBLIOTECONOMIA DA FAED/ UDESC O Diretor Geral do Centro de Ciências Humanas e da Educação

Leia mais

AVALIAÇÃO INEP: ACERVO BIBLIOGRAFIA BÁSICA, BIBLIOGRAFIA

AVALIAÇÃO INEP: ACERVO BIBLIOGRAFIA BÁSICA, BIBLIOGRAFIA AVALIAÇÃO INEP: ACERVO BIBLIOGRAFIA BÁSICA, BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR E PERIÓDICOS ESPECIALIZADOS Seção de Planejamento e Desenvolvimento de Coleções Márcia Silvestre Bibliotecária (CRB-7/2890) silvestre@ndc.uff.br

Leia mais

ER Especificação de Requisitos. OSxxxxx_031 - Possibilidade de incluir CNPJ

ER Especificação de Requisitos. OSxxxxx_031 - Possibilidade de incluir CNPJ OSxxxxx_031 - Possibilidade de incluir CNPJ Abrangência: Sistemas de Software Sistema: Sistemasdesoftware.com Patrocinador: Anderson Martins de Souza Histórico de Versões e Revisões Data Versão Comentário

Leia mais

EDITAL Nº 13, DE 01 DE JULHO DE REPRESENTAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA NA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DO CAMPUS VACARIA DO IFRS

EDITAL Nº 13, DE 01 DE JULHO DE REPRESENTAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA NA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DO CAMPUS VACARIA DO IFRS EDITAL Nº 13, DE 01 DE JULHO DE 2016. REPRESENTAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA NA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DO CAMPUS VACARIA DO IFRS A Comissão Eleitoral Permanente, nomeada pela portaria 14/2016

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DO CAMPUS OSÓRIO. CAPÍTULO I Das finalidades

REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DO CAMPUS OSÓRIO. CAPÍTULO I Das finalidades REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DO CAMPUS OSÓRIO CAPÍTULO I Das finalidades Art. 1º A Biblioteca do tem como objetivos: I - proporcionar acesso adequado aos recursos informacionais de forma democrática,

Leia mais

Dados Pessoais do Servidor Ativo (preenchimento obrigatório) 1. Cadastro Matrícula1: 2. Cadastro Matrícula2:

Dados Pessoais do Servidor Ativo (preenchimento obrigatório) 1. Cadastro Matrícula1: 2. Cadastro Matrícula2: RECADASTRAMENTO DOS SERVIDORES DO MUNICIPIO DE URUGUAIANARS A realização deste Recadastramento não autoriza a alteração do regime de emprego (CLT) ou do regime de previdência social (RGPS). Documentos

Leia mais

TREINAMENTO DE BOLSISTAS

TREINAMENTO DE BOLSISTAS TREINAMENTO DE Centro de Difusão do Conhecimento BOLSISTAS CDC Treinamento 2013 CENTRO DE DIFUSÃO DO CONHECIMENTO CDC O CDC é composto por 16 bibliotecas: Biblioteca Universitária - acervo nas diversas

Leia mais

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES DA BMHS

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES DA BMHS POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES DA BMHS FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS-RJ / SB-BMHS FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS RIO DE JANEIRO SISTEMA DE BIBLIOTECAS BIBLIOTECA MARIO HENRIQUE SIMONSEN POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Universidade de São Paulo Faculdade de Direito de Ribeirão Preto Biblioteca REGULAMENTO

Universidade de São Paulo Faculdade de Direito de Ribeirão Preto Biblioteca REGULAMENTO Universidade de São Paulo Faculdade de Direito de Ribeirão Preto Biblioteca REGULAMENTO 1. Horário de Funcionamento - Período letivo: segunda a sexta-feira: 8-22h e sábados: 9-13h (sábados próximos à feriados

Leia mais

Serão exigidos os seguintes requisitos para se candidatar a Tutor Presencial com vistas à atuação nos Polos de Apoio Presencial:

Serão exigidos os seguintes requisitos para se candidatar a Tutor Presencial com vistas à atuação nos Polos de Apoio Presencial: EDITAL DE SELEÇÃO DE TUTORES PRESENCIAIS UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL POLOS DE CAMAÇARI JOÃO PESSOA CAMPINA GRANDE - CONDE EDITAL Nº 01/14 SELEÇÃO SIMPLIFICADA PARA TUTOR PRESENCIAL PARA PREENCHIMENTO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS E ENGENHARIAS FACULDADE DE GEOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS E ENGENHARIAS FACULDADE DE GEOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS E ENGENHARIAS FACULDADE DE GEOLOGIA REGULAMENTO N 02/2016 de 01 de março de 2016 Estabelece os procedimentos necessários à sistematização

Leia mais

V CONCURSO SINEPE/AM DE REDAÇÃO 2016 REGULAMENTO

V CONCURSO SINEPE/AM DE REDAÇÃO 2016 REGULAMENTO V CONCURSO SINEPE/AM DE REDAÇÃO 2016 REGULAMENTO O Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino Privado do Estado do Amazonas SINEPE/AM, torna pública a realização do V Concurso de Redação SINEPE/AM 2016,

Leia mais

Nome da Política Sistema de Bibliotecas. Assinatura Data: (dd/mm/aaaa) Assinatura Data: (dd/mm/aaaa) original. original arquivado) arquivado)

Nome da Política Sistema de Bibliotecas. Assinatura Data: (dd/mm/aaaa) Assinatura Data: (dd/mm/aaaa) original. original arquivado) arquivado) Código do Documento SISBAM 001 Nome da Política Sistema de Bibliotecas Versão Autor Aprovação Assinatura Data: (dd/mm/aaaa) Assinatura Data: (dd/mm/aaaa) (Ver no documento (Ver no documento (Ver no documento

Leia mais

43ª SELEÇÃO ANUAL DO PRÊMIO FNLIJ 2017 PRODUÇÃO 2016 REGULAMENTO

43ª SELEÇÃO ANUAL DO PRÊMIO FNLIJ 2017 PRODUÇÃO 2016 REGULAMENTO 43ª SELEÇÃO ANUAL DO PRÊMIO FNLIJ 2017 PRODUÇÃO 2016 REGULAMENTO DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - O Prêmio FNLIJ, criado pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil FNLIJ, seção brasileira do International

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA RECEBIMENTO DO DIPLOMA DE MESTRADO ENTREGAR À SECRETARIA DO PLE:

ORIENTAÇÕES PARA RECEBIMENTO DO DIPLOMA DE MESTRADO ENTREGAR À SECRETARIA DO PLE: ORIENTAÇÕES PARA RECEBIMENTO DO DIPLOMA DE MESTRADO ENTREGAR À SECRETARIA DO PLE: 1) 02 (duas) cópias encadernadas da dissertação: capa dura na cor preta, com escrita dourada. Adequar a dissertação às

Leia mais

2 DOS CURSOS, DOS TURNOS, ÁREA AFIM AO CURSO PRETENDIDO E DO NÚMERO DE VAGAS OFERECIDAS

2 DOS CURSOS, DOS TURNOS, ÁREA AFIM AO CURSO PRETENDIDO E DO NÚMERO DE VAGAS OFERECIDAS Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Câmpus Porto Alegre EDITAL Nº 160, DE 20 DE OUTUBRO DE

Leia mais

EDITAL. Abertura de inscrições para a seleção de candidatos ao Programa de Mestrado em Administração da UNIP

EDITAL. Abertura de inscrições para a seleção de candidatos ao Programa de Mestrado em Administração da UNIP EDITAL Abertura de inscrições para a seleção de candidatos ao da UNIP Recomendado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior CAPES, de acordo com o Ofício CTC/CAPES de número 073/2005

Leia mais

RESOLUÇÃO N.º 002/2013

RESOLUÇÃO N.º 002/2013 1 RESOLUÇÃO N.º 002/2013 Dispõe sobre aprovação do regulamento da biblioteca da. A Diretora Geral da, Senhora Aline Fernandes Galli, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela Legislação em vigor,

Leia mais

POSSE, EXERCÍCIO E DOCUMENTAÇÃO PARA INGRESSO

POSSE, EXERCÍCIO E DOCUMENTAÇÃO PARA INGRESSO EDITAL n.º 817/2012 - CRS. POSSE, EXERCÍCIO E DOCUMENTAÇÃO PARA INGRESSO CONCURSO PÚBLICO PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS DE SOLDADO POLICIAL MILITAR (QPM 1-0) E DE SOLDADO BOMBEIRO MILITAR (QPM 2-0) DA POLÍCIA

Leia mais

MANUAL VTWEB CLIENT URBANO

MANUAL VTWEB CLIENT URBANO MANUAL VTWEB CLIENT URBANO Conteúdo... 2 1. Descrição... 3 2. Cadastro no sistema... 3 2.1. Pessoa Jurídica... 3 2.2. Pessoa Física... 5 2.3. Concluir o cadastro... 6 3. Acessar o sistema... 6 3.1. Autenticar

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS CÂMPUS PIRES DO RIO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS CÂMPUS PIRES DO RIO EDITAL 002/2017 O Diretor do Câmpus da UEG de Pires do Rio faz saber que, no período de 15 a 17 de fevereiro de 2017 (quarta-feira a sexta-feira), estarão abertas as inscrições para admissão às vagas remanescentes

Leia mais

ANEXO 3 - Regulamento de TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC

ANEXO 3 - Regulamento de TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC ANEXO 3 - Regulamento de TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) Capítulo I Dos Objetivos Art. 1º - O presente Regulamento tem por objetivo estabelecer

Leia mais

GRUPO PROJEÇÃO DIRETORIA DE UNIDADE BIBLIOTECA

GRUPO PROJEÇÃO DIRETORIA DE UNIDADE BIBLIOTECA GRUPO PROJEÇÃO DIRETORIA DE UNIDADE BIBLIOTECA 1 POLÍTICA DE ATUALIZAÇÃO DO ACERVO Decisões sobre o que adquirir, que periódicos assinar, o que descartar, o que receber como doação e o que manter para

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO Fundação instituída nos termos da LEI nº de 21/10/1966 São Luís/MA ASSESSORIA DE INTERIORIZAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO Fundação instituída nos termos da LEI nº de 21/10/1966 São Luís/MA ASSESSORIA DE INTERIORIZAÇÃO REABERTURA DA CHAMADA INTERNA PARA FORMAÇÃO DE BANCO PROFESSORES BOLSISTAS DA CAPES-PARFOR REFERENTE AO EDITAL Nº 243/2016 PROEN A Universidade Federal do Maranhão (UFMA), por intermédio da Pró-Reitoria

Leia mais

INSTITUTO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS VALE DO PARANAPANEMA LTDA CNPJ: / FACULDADES INTEGRADAS DE TAGUAÍ

INSTITUTO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS VALE DO PARANAPANEMA LTDA CNPJ: / FACULDADES INTEGRADAS DE TAGUAÍ VALE DO PARANAPANEMA LTDA CNPJ: 19.412.711/0001-30 POLÍTICA DE AQUISIÇÃO, ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) TAGUAÍ SP 2015 Política de Aquisição, Atualização e Manutenção

Leia mais

EDITAL Nº 001/2017 COLÉGIO METODISTA AMERICANO EDITAL DE SELEÇÃO DE DOCENTE

EDITAL Nº 001/2017 COLÉGIO METODISTA AMERICANO EDITAL DE SELEÇÃO DE DOCENTE EDITAL Nº 001/2017 COLÉGIO METODISTA AMERICANO EDITAL DE SELEÇÃO DE DOCENTE A Direção Pedagógica do e a Gestão de Pessoas, no uso de suas atribuições, tornam público o PROCESSO SELETIVO DE PROFESSORES

Leia mais

SPA Sistema de Gestão de Processos Eletrônicos

SPA Sistema de Gestão de Processos Eletrônicos UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA UFSC SPA Sistema de Gestão de Processos Eletrônicos Caderno de Exemplos e Exercícios Módulo Solicitações CADASTRO DE SOLICITAÇÃO Faça o login com a mesma senha utilizada

Leia mais

ANEXO ÚNICO AO EDITAL Nº 2.338/2016-CRS

ANEXO ÚNICO AO EDITAL Nº 2.338/2016-CRS ANEXO ÚNICO AO EDITAL Nº 2.338/2016-CRS RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA INGRESSO a) 01 (uma) foto 3x4 colorida, recente de frente; b) Cédula de identidade do Paraná ou protocolo de seu requerimento junto ao

Leia mais

EDITAL N 001/2017 DO CENTRO DE LÍNGUAS DO CAC/UFG EXAME DE SUFICIÊNCIA EM LÍNGUA ESTRANGEIRA

EDITAL N 001/2017 DO CENTRO DE LÍNGUAS DO CAC/UFG EXAME DE SUFICIÊNCIA EM LÍNGUA ESTRANGEIRA EDITAL N 001/2017 DO DO CAC/UFG EXAME DE SUFICIÊNCIA EM LÍNGUA ESTRANGEIRA O Centro de Línguas da Universidade Federal de Goiás Regional Catalão, projeto de extensão da Unidade Acadêmica Especial de Letras

Leia mais

EDITAL Nº 02/2012 Convênio UNISINOS - UEMA

EDITAL Nº 02/2012 Convênio UNISINOS - UEMA EDITAL Nº 02/2012 Convênio UNISINOS - UEMA PROCESSO DE SELEÇÃO PARA INGRESSO NO CURSO DE MESTRADODO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃOEM LINGUÍSTICA APLICADA ANO LETIVO DE 2013/1 Reconhecido pelo Parecer nº 0083/2003

Leia mais

RESOLUÇÃO N 008/2013

RESOLUÇÃO N 008/2013 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA (UNILA) CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N 008/2013 Regulamenta as Atividades Acadêmicas Complementares nos cursos de graduação

Leia mais

REGULAMENTO PARA FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA IR. IRACEMA FARINA

REGULAMENTO PARA FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA IR. IRACEMA FARINA REGULAMENTO PARA FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA IR. IRACEMA FARINA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - A Biblioteca Ir. Iracema Farina atende alunos, professores, coordenadores, diretores acadêmicos,

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Londrina Departamento de Biblioteca

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Londrina Departamento de Biblioteca Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Londrina Departamento de Biblioteca REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ - Campus Londrina DA

Leia mais

UNIVERSIDADE GAMA FILHO SISTEMA DE BIBLIOTECAS BIBLIOTECA CENTRAL NELSON DE AZEVEDO BRANCO

UNIVERSIDADE GAMA FILHO SISTEMA DE BIBLIOTECAS BIBLIOTECA CENTRAL NELSON DE AZEVEDO BRANCO Título do Projeto: Apresentação das bibliografias de conclusão de curso na mídia CD-ROM. Objetivo: Padronizar a apresentação das bibliografias de conclusão de curso da Universidade Gama Filho a serem entregues

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA HOSPITAL MUNICIPAL HENRIQUE LAGE MUNICÍPIO DE LAURO MULLER SC EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N 001/2016

ESTADO DE SANTA CATARINA HOSPITAL MUNICIPAL HENRIQUE LAGE MUNICÍPIO DE LAURO MULLER SC EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N 001/2016 EDITAL DE RETIFICAÇÃO N 001/2016 O MUNICÍPIO DE LAURO MULLER - SC em atendimento a Lei Municipal n 1.126 de 25 de Setembro de 2001 torna público a Retificação n 001/2016 ao Edital de Concurso Público n

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DAS FACULDADES INTEGRADAS RUI BARBOSA E DO COLÉGIO RUI BARBOSA TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DAS FACULDADES INTEGRADAS RUI BARBOSA E DO COLÉGIO RUI BARBOSA TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DAS FACULDADES INTEGRADAS RUI BARBOSA E DO COLÉGIO RUI BARBOSA TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º - Este regulamento disciplina as normas que regem o funcionamento da biblioteca

Leia mais

Documento de Especificação de Requisitos

Documento de Especificação de Requisitos Documento de Especificação de Requisitos Versão: 1.0 com Modelo de Casos de Uso Responsável: Ricardo de Almeida Falbo 1. Introdução Este documento apresenta a especificação de requisitos para a informatização

Leia mais

Muito obrigada pela sua participação.

Muito obrigada pela sua participação. Saída da Pesquisa>> Instruções para preenchimento da pesquisa a) Responda as distintas perguntas selecionando a opção ou indicando as cantidades ou informações correspondentes, de acordo com a pergunta.

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DO PPGEL-2015

EDITAL DE SELEÇÃO DO PPGEL-2015 EDITAL DE SELEÇÃO DO PPGEL-2015 I - INSCRIÇÃO Nível: MESTRADO E DOUTORADO Número de vagas: MESTRADO - 30 (trinta) DOUTORADO - 25 (vinte e cinco) Período de inscrição: 18 de agosto a 26 de setembro de 2014

Leia mais

FACULDADE JOSÉ AUGUSTO VIEIRA

FACULDADE JOSÉ AUGUSTO VIEIRA EDITAL N.º 08/2010 FUNDAÇÃO JOSÉ AUGUSTO VIEIRA PROCESSO SELETIVO PARA ACEITAÇÃO DE TRANSFERÊNCIA INTERNA, EXTERNA, REINGRESSO E PORTADORES DE DIPLOMA E DISCIPLINA ISOLADA. Pelo presente edital, tornamos

Leia mais

PROGRAMA DE MESTRADO PROFISSIONAL EM SAÚDE PERINATAL DA MATERNIDADE ESCOLA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO

PROGRAMA DE MESTRADO PROFISSIONAL EM SAÚDE PERINATAL DA MATERNIDADE ESCOLA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO Edital nº 01/2016 CHAMADA DE CANDIDATOS PARA MATRÍCULA E SELEÇÃO PARA O ESTÁGIO PROBATÓRIO DO PROGRAMA DE MESTRADO PROFISSIONAL EM SAÚDE PERINATAL DA MATERNIDADE ESCOLA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE

Leia mais

NÚCLEOS DE ENSINO Convite 2011

NÚCLEOS DE ENSINO Convite 2011 A Reitoria, por intermédio da Pró-Reitoria de Graduação PROGRAD, torna público e CONVIDA os professores da UNESP, interessados em Educação, a apresentarem propostas para obtenção de financiamento de projetos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ - UFOPA INSTITUTO DE ENGENHARIAS E GEOCIÊNCIAS CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ - UFOPA INSTITUTO DE ENGENHARIAS E GEOCIÊNCIAS CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ - UFOPA INSTITUTO DE ENGENHARIAS E GEOCIÊNCIAS CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO RESOLUÇÃO COLEGIADO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 01 / 2014 - DE 10

Leia mais

FBN/SEBP-MT - CADASTRO DE BIBLIOTECA DE PUBLICAS

FBN/SEBP-MT - CADASTRO DE BIBLIOTECA DE PUBLICAS FBN/SEBP-MT - CADASTRO DE BIBLIOTECA DE PUBLICAS DADOS GERAIS Pessoa Jurídica Pessoa Física Inscrição Estadual Nome da Biblioteca: Nome Fantasia Natureza Jurídica Telefone Geral E-mail Geral Site Logim

Leia mais

Catálogo Pergamum - Sistema de Bibliotecas da UFPA

Catálogo Pergamum - Sistema de Bibliotecas da UFPA Catálogo Pergamum - Sistema de Bibliotecas da UFPA Através do Catálogo Pergamum, do Sistema de Bibliotecas da UFPA, o usuário tem acesso as informações bibliográficas dos acervos das bibliotecas do Sistema

Leia mais

Anexo D - Passo a Passo na emissão de CD e- CNPJ A1

Anexo D - Passo a Passo na emissão de CD e- CNPJ A1 Anexo D - Passo a Passo na emissão de CD e- CNPJ A1 ESTE PASSO A PASSO DESCREVE AS AÇÕES QUE VOCÊ AGR DEVERÁ SEGUIR PARA EMITIR UM CERTIFICADO DIGITAL e- CNPJ A1 ATENÇÃO: Antes de iniciar o processo de

Leia mais