ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA. Declaração de trabalho, serviços e especificações

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA. Declaração de trabalho, serviços e especificações"

Transcrição

1 ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA Declaração de trabalho, serviços e especificações A Contratada deverá executar o trabalho e realizar os serviços a seguir, indicados de acordo com as especificações e normas profissionais mencionados neste Apêndice B. NOTA: O Edital irá fornecer uma descrição geral dos serviços a serem prestados à Organização preparada pela Divisão Técnica. Licitantes, então, fornecerão sua própria proposta e metodologia para a realização das obras a serem executadas. A metodologia que ganhar ou proposta será então incorporado no Anexo I do contrato quando for finalizado. TERMO DE REFERÊNCIA Projeto GCP/BRA/080/EC assinado entre a FAO e o MMA PROJETO PACTO MUNICIPAL PARA A REDUÇÃO DO DESMATAMENTO NO MUNICÍPIO DE SÃO FÉLIX DO XINGU PA 1. ANTECEDENTES Uma das principais metas do Governo Federal consiste na redução dos índices de desmatamento, em especial na Amazônia Legal. O corte raso das florestas nativas é responsável pela maior parte das emissões de gases de efeito estufa do Brasil, perda de biodiversidade e recursos hídricos, acirramento dos conflitos fundiários na região e dilapidação do patrimônio útil às gerações futuras. Para enfrentar o problema do desmatamento, desde 2004 o governo executa o Plano de Ação para a Prevenção e o Controle do Desmatamento na Amazônia Legal PPCDAm o qual reúne 13 (treze) ministérios e quase duas dezenas de órgãos públicos no âmbito federal e estadual. Um dos principais resultados do PPCDAm é a queda da taxa do desflorestamento da Amazônia Legal. Apesar da visível redução no desmatamento verificada após 2004 resultado da implantação do PPCDAm, o desafio para conter o desmatamento na região ainda é grande. Uma das ações firmadas foi o Projeto Pacto Municipal para a Redução do Desmatamento estabelecido entre o Brasil e a União Europeia com o propósito de apoiar os esforços do Governo brasileiro para reduzir o desmatamento na Floresta Amazônica, em especial no município de São Félix do Xingu, no estado do Pará, que figura no topo da lista dos que mais desmatam na região. Iniciado em 2011, o Projeto tem duração prevista de três anos ( ). O Ministério do Meio Ambiente (MMA) é o responsável nacional pela execução do projeto, em parceria com as secretarias de meio ambiente do Estado do Pará e do Município de São Félix do Xingu. A contribuição europeia é administrada pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO), que opera em estreita articulação com o MMA. O objetivo geral do Projeto é contribuir para a redução do desmatamento na região Amazônica e para a diminuição das emissões brasileiras de gases de efeito estufa. O objetivo específico é prover o município de São Félix do Xingu de instrumentos adequados de gestão ambiental e territorial para controlar e monitorar o desmatamento. Os resultados esperados são:

2 1) Pacto municipal para a redução do desmatamento negociado e endossado pelos atores públicos, privados e da sociedade civil relevantes do Município; 2) Cadastro Ambiental Rural e mapeamento dos imóveis rurais do município realizados e integrados ao sistema estadual de monitoramento e licenciamento ambiental; 3) Plano Municipal de Recuperação de Áreas Degradadas elaborado e endossado pelos atores públicos, privados e da sociedade civil relevantes do município; e 4) Fortalecimento das capacidades técnicas e institucionais dos órgãos públicos operando no município para assegurarem, de forma mais eficiente e integrada, a gestão ambiental e territorial local. No quarto componente do projeto foi previsto a atividade 4.4. aprimoramento do sistema estadual de monitoramento e licenciamento ambiental. O objetivo da atividade foi manter a efetividade e continuidade das ações do projeto através do aprimoramento do Sistema Integrado de Monitoramento e Licenciamento Ambiental (Simlam), gerenciado pela Sema-PA. Buscando efetivar este aprimoramento do Simlam, em negociação com a Sema-PA ficou definido que a atividade apoiará a definição de parâmetros técnicos para a recuperação de áreas degradas (PRADs) bem como a construção do marco legal para elaboração e análise dos Planos dos PRADs. Por meio da estruturação dos trâmites legais e técnicos da Recuperação de Áreas Degradadas o estado poderá recepcionar, analisar e monitorar os PRADs, aprimorando assim, seu Sistema Integrado de Monitoramento e Licenciamento Ambiental. Ante o exposto, este termo de referência refere-se à contratação desses serviços. 2. JUSTIFICATIVA A ausência e/ou degradação de Áreas de Preservação Permanente (APP) e Reserva Legal (RL) potencializa os efeitos dos processos erosivos, levando ao assoreamento do Sistema hídrico, além de aumentar os riscos de extinção de muitas espécies vegetais e animais, visto que muitos utilizam essas áreas para abrigo, alimentação e deslocamento. O Código Florestal brasileiro é o principal instrumento norteador que disciplina sobre o uso e conservação das florestas brasileiras, devendo ser seguido e implementado em todos os estados da federação. A lei nº 12651/2012, que substitui o código florestal, traz novas possibilidades de recuperação para aquele produtor que necessita recuperar passivos nas APPs e Reserva legal. O governo brasileiro vem realizando políticas públicas de conservação e uso sustentável dos recursos naturais no país e, em particular, na Amazônia. Nesses, destacam-se: o Plano Nacional de Áreas Protegidas; a Lei de Gestão de Florestas Públicas (Lei nº /2006); o Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC) o Plano Nacional sobre a Mudança do Clima (PNMC), Plano Nacional de Promoção das Cadeias de Produtos da Sociobiodiversidade e o Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia Legal (PPCDAm). Em 2010, o Estado do Pará publicou o Decreto e a Lei que dispõe sobre a manutenção, recomposição, condução da regeneração natural, compensação e composição das Áreas de Reserva Legal (ARL) e Áreas de Preservação Permanente (APP). O Decreto Estadual em

3 questão cita que os parâmetros para Recuperação devem ser definidos pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e estipula um prazo de 90 dias para a mesma disponibilizar a lista das espécies florestais de ocorrência regional a serem utilizadas nos Planos de Recuperação de Áreas Degradadas - PRADs. A ausência de parâmetros para a implantação de projetos de restauração florestal em larga escala no estado torna fundamental a construção e adoção de conceitos e diretrizes, que possam orientar a SEMA e outros interessados na elaboração, análise e monitoramento dos PRADs, resultando, assim, na criação de um sistema estadual de gestão de reserva legal e APP o qual possibilitará o monitoramento permanentemente e a regularização dos imóveis rurais com passivo ambiental no Estado. 3. OBJETO Contratar consultoria especializada para a definição de parâmetros técnicos e metodológicos para recuperação de áreas degradadas e construção de marco legal, orientadores para a recuperação florestal no estado do Pará. Atividade 4.4. do Documento de Projeto. 4. METODOLOGIA DE TRABALHO E ATIVIDADES A metodologia de trabalho e atividades deverão ser descritas na proposta técnica considerando os seguintes aspectos: a) Preparação e Planejamento do Trabalho Nesta primeira etapa a contratada deverá realizar reuniões com as instituições responsáveis pelo acompanhamento do trabalho (MMA, FAO), com a SEMA (ponto focal e equipe técnica), autoridades estaduais, a fim de identificar os gargalos e objetivos primordiais da consultoria. b) Avaliação prévia da situação atual A partir das reuniões realizadas e insumos (relatórios, estudos de caso, documentos) a contratada deverá realizar uma avaliação prévia da situação e apresentar aos parceiros seu ponto de vista sobre a situação atual, possibilidades futuras, e expectativas quanto ao trabalho desenvolvido. Também será necessário reunir informações sobre as lições aprendidas nos demais estados da Amazônia sobre os procedimentos adotados nos PRAD s. Para a elaboração do marco legal, deverão ser feitas análises detalhadas da legislação ambiental estadual e federal em vigor e de outras experiências na Amazônia. A contratada deverá propor minutas de atualização dos atos normativos existentes e apresentar orientações técnicojurídicas para implementação do sistema estadual de recuperação e gestão de reserva legal e APPs. Todas as fases deverão ser acompanhadas pela Sema-PA por intermédio de reuniões com a equipe técnica a fim de identificar os gargalos da legislação atual. c) Parâmetros Técnicos e Metodológicos do PRAD Deverão ser definidos métodos de recuperação de APP e RL (Condução da regeneração natural de espécies nativas, plantio de espécies nativas, plantio de espécies nativas conjugado com condução da regeneração natural de espécies nativas, regimes de cotas ambientais). Ademais, serão descritas as metodologias de elaboração, implantação, avaliação e monitoramento dos PRADs que

4 estão sendo ou deverão ser adotados na SEMA-PA. Ainda, espera-se a elaboração de um roteiro operacional para recebimento e análise dos PRADs a ser usado/adotado nos procedimentos da SEMA-PA. Também será necessário descrever as metodologias de adoção, avaliação e monitoramento do sistema de cotas ambientais (CRA), previstos na nova legislação que substituiu o código florestal. Todas as fases deverão ser acompanhadas pela SEMA-PA, MMA e parceiros por intermédio de reuniões com a equipe técnica a fim de identificar os problemas atuais nos processos de elaboração, implantação e monitoramento de PRAD s, assim como os principais objetivos e metas para o tema. d) Elaboração dos Produtos Com base nos resultados das atividades desenvolvidas será elaborado um documento preliminar que deverá ser avaliado pelo MMA, com apoio da SEMA-PA. O primeiro documento deverá conter o Produto 1 Construção de parâmetros técnicos, com a adoção de conceitos e diretrizes, para orientar a recepção, análise e monitoramento das ações de recuperação de passivos em APPs e Reserva Legal no estado do Pará. O segundo documento será o Produto 2 - Marco Legal: proposta de arcabouço legal com a definição de parâmetros técnicos para elaboração, recebimento, análise e monitoramento dos Planos de Recuperação de Áreas Degradadas PRADs, a serem implementados no Estado do Pará. A versão final de cada produto será entregue após avaliação e aceite do MMA, após eventuais adequações caso seja identificada necessidade. e) Participação em Seminário A contratada deverá prever a participação em um seminário, a ser organizado pela SEMA- PA, para apresentar os resultados do trabalho de forma didática.

5 5. PRODUTOS A empresa contratada deverá apresentar como produtos: Produto 1 Construção de parâmetros técnicos, com a adoção de conceitos e diretrizes, para orientar a recepção, análise e monitoramento das ações de recuperação de passivos em APPs e Reserva Legal no estado do Pará. Este produto deverá definir parâmetros técnicos para elaboração, recebimento, análise e monitoramento dos Planos de Recuperação de Passivos em APPs e Reserva Legais a serem implementados no Estado do Pará, contendo: a) Definição dos métodos de restauração de área de reserva legal - ARL e área de preservação permanente - APP

6 b) Descrição das metodologias de elaboração e implantação dos PRADs a serem analisados pela SEMA-PA, considerando o item a; c) Descrição das metodologias de avaliação e monitoramento dos PRADs a serem utilizados na SEMA-PA; d) Parâmetros técnicos para elaboração dos planos de recuperação de áreas degradadas a serem implementados pela SEMA-PA; e) Indicar também os aspectos técnicos e metodológicos a serem adotados sobre a opção de Cotas de Reserva Ambiental, segundo disposto no novo Código Florestal. f) Roteiro operacional para o recebimento e análise dos PRADs a serem avaliados pela SEMA-PA com critérios mínimos para avaliação dos PRADs em APP e Reserva Legal. Observação: A contratada utilizará como insumo para as atividades a lista de espécies a ser fornecida pela Sema/PA. Produto 2 - Marco Legal: proposta de arcabouço legal com a definição de parâmetros técnicos para elaboração, recebimento, análise e monitoramento dos Planos de Recuperação de Áreas Degradadas PRADs, a serem implementados no Estado do Pará. Este produto deverá apresentar: a) análise da legislação ambiental estadual em vigor (especialmente a lei 7381 e o decreto 2099) à luz da nova lei /2012 e propor minutas de atualização dos atos normativos existentes; b) propor minuta de regulamentação do regime de servidão florestal em florestas públicas (referido no Decreto Estadual 2099); c) determinar os critérios para escolha de áreas de compensação da Reserva Legal; d) apresentar orientações técnico-jurídicas para implementação do sistema estadual de recuperação e gestão de reserva legal e APPs. 6. PRAZOS E CRONOGRAMA DE DESEMBOLSO Produtos Prazos Porcentagem para pagamento Produto 1 Até o 60 dia 60% Produto 2 Até o 120 dia 40%

7 7. LOCAL DE TRABALHO Belém Pará 8. TEMPO DE DURAÇÃO DO CONTRATO Os serviços serão executados de Abril a Agosto de CONTRAPARTIDA DA SEMA a) Definir ponto focal para acompanhamento das atividades deste termo de referência; b) Custear passagens e pagamento de diárias para os técnicos da SEMA envolvidos no acompanhamento deste TDR, até a entrega dos produtos pela contratada; 10. TIPO DE CONTRATO Solicitação de Proposta (RFP Request for Proposal) 11. MONITORAMENTO DO CONTRATO Caberá à entidade executora nacional do Projeto de Cooperação Técnica PCT GCP/BRA/080/EC e ao Ministério do Meio Ambiente a responsabilidade pelo acompanhamento de todas as etapas das atividades realizadas pela consultoria contratada, bem como a obtenção de quaisquer esclarecimentos julgados necessários relativos à execução dos trabalhos. A FAO fará a supervisão geral dos trabalhos com base na informação da contratada e da Direção do Projeto.

ANEXO III TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO III TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO III TERMO DE REFERÊNCIA Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Extrativismo e Desenvolvimento Rural Sustentável Departamento de Zoneamento Territorial Projeto GCP/BRA/080/EC PROJETO PACTO MUNICIPAL

Leia mais

ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA. Declaração de trabalho, serviços e especificações

ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA. Declaração de trabalho, serviços e especificações PROCESSO 012-2014 ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA Declaração de trabalho, serviços e especificações A Contratada deverá executar o trabalho e realizar os serviços a seguir, indicados de acordo com as especificações

Leia mais

ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA. Declaração de trabalho, serviços e especificações

ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA. Declaração de trabalho, serviços e especificações PROCESSO 026-2013 ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA Declaração de trabalho, serviços e especificações A Contratada deverá executar o trabalho e realizar os serviços a seguir, indicados de acordo com as especificações

Leia mais

ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA. Declaração de trabalho, serviços e especificações

ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA. Declaração de trabalho, serviços e especificações ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA Declaração de trabalho, serviços e especificações A Contratada deverá executar o trabalho e realizar os serviços a seguir, indicados de acordo com as especificações e normas

Leia mais

ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA. Declaração de trabalho, serviços e especificações.

ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA. Declaração de trabalho, serviços e especificações. PROCESSO 014-2014 ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA Declaração de trabalho, serviços e especificações. A Contratada deverá executar o trabalho e realizar os serviços a seguir, indicados de acordo com as especificações

Leia mais

PROCERRADO PROJETO DE REDUÇÃO DO DESMATAMENTO E DAS QUEIMADAS NO CERRADO DO PIAUÍ TERMO DE REFERÊNCIA

PROCERRADO PROJETO DE REDUÇÃO DO DESMATAMENTO E DAS QUEIMADAS NO CERRADO DO PIAUÍ TERMO DE REFERÊNCIA PROCERRADO PROJETO DE REDUÇÃO DO DESMATAMENTO E DAS QUEIMADAS NO CERRADO DO PIAUÍ Acordo de Doação Nº TF016192 TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA INDIVIDUAL DE LONGO

Leia mais

Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR Câmara temática de Insumos Agropecuários Brasília, 27 de maio de 2014

Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR Câmara temática de Insumos Agropecuários Brasília, 27 de maio de 2014 Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR Câmara temática de Insumos Agropecuários Brasília, 27 de maio de 2014 O QUE É O CAR O Cadastro Ambiental Rural - CAR, é o registro público eletrônico de âmbito

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural CAR Programa de Regularização Ambiental- PRA

Cadastro Ambiental Rural CAR Programa de Regularização Ambiental- PRA GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE Cadastro Ambiental Rural CAR Programa de Regularização Ambiental- PRA Belém- Pará Jun/2015 EVOLUÇÃO DO CAR NO PARÁ 2012-

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE MEIO AMBIENTE. Yvens Cordeiro Coordenador de Ordenamento Ambiental. Marcelo Auzier Gerência de Planejamento Ambiental

SECRETARIA DE ESTADO DE MEIO AMBIENTE. Yvens Cordeiro Coordenador de Ordenamento Ambiental. Marcelo Auzier Gerência de Planejamento Ambiental SECRETARIA DE ESTADO DE MEIO AMBIENTE Yvens Cordeiro Coordenador de Ordenamento Ambiental Marcelo Auzier Gerência de Planejamento Ambiental O QUE É O Cadastro Ambiental Rural - CAR-PA é um dos instrumentos

Leia mais

Desafios e oportunidades associadas ao Cadastro Ambiental Rural (CAR) 7ª CONSEGURO setembro 2015

Desafios e oportunidades associadas ao Cadastro Ambiental Rural (CAR) 7ª CONSEGURO setembro 2015 Desafios e oportunidades associadas ao Cadastro Ambiental Rural (CAR) 7ª CONSEGURO setembro 2015 Meta brasileira de redução das emissões até 2020 36,1% a 38,9% das 3.236 MM de tonco2eq de emissões projetadas

Leia mais

Proteção e Uso Sustentável das Florestas Tropicais

Proteção e Uso Sustentável das Florestas Tropicais Proteção e Uso Sustentável das Florestas Tropicais Estado Atual e perspectivas Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável Contribuições para políticas públicas Seminário Nacional Diálogos sobre

Leia mais

Orientações para o Apoio do Fundo Amazônia ao Cadastramento Ambiental Rural

Orientações para o Apoio do Fundo Amazônia ao Cadastramento Ambiental Rural Orientações para o Apoio do Fundo Amazônia ao Cadastramento Ambiental Rural 1. Apoio do Fundo Amazônia ao Cadastramento Ambiental Rural no bioma Amazônia... 2 2. Apoio do Fundo Amazônia ao Cadastramento

Leia mais

Diagnóstico de oportunidades de quebra de barreiras para acesso às políticas públicas da Agricultura Familiar em São Félix do Xingu, Pará.

Diagnóstico de oportunidades de quebra de barreiras para acesso às políticas públicas da Agricultura Familiar em São Félix do Xingu, Pará. TERMO DE REFERÊNCIA Diagnóstico de oportunidades de quebra de barreiras para acesso às políticas públicas da Agricultura Familiar em São Félix do Xingu, Pará. 1. Título: Diagnóstico de oportunidades para

Leia mais

AMAZÔNIA: NOVOS MECANISMOS LEGAIS PARA REDUÇÃO DO DESMATAMENTO 1

AMAZÔNIA: NOVOS MECANISMOS LEGAIS PARA REDUÇÃO DO DESMATAMENTO 1 AMAZÔNIA: NOVOS MECANISMOS LEGAIS PARA REDUÇÃO DO DESMATAMENTO 1 Carlos Felipe de Andrade Abirached², Lívia Marques Borges³ ² Advogado, especialista em Direito Ambiental. Mestrando em Política e Gestão

Leia mais

Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR

Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR O QUE ÉO CAR O Cadastro Ambiental Rural - CAR, é o registro público eletrônico de âmbito nacional, obrigatório para todos os imóveis rurais, com a finalidade

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria para promover estudos, formular proposições e apoiar as Unidades

Leia mais

Política Ambiental das Empresas Eletrobras

Política Ambiental das Empresas Eletrobras Política Ambiental das Empresas Eletrobras Versão 2.0 16/05/2013 Sumário 1 Objetivo... 3 2 Princípios... 3 3 Diretrizes... 3 3.1 Diretrizes Gerais... 3 3.1.1 Articulação Interna... 3 3.1.2 Articulação

Leia mais

Projeto Nacional de Ações Integradas Público-Privadas para Biodiversidade PROBIO II AÇÕES DO MMA

Projeto Nacional de Ações Integradas Público-Privadas para Biodiversidade PROBIO II AÇÕES DO MMA Projeto Nacional de Ações Integradas Público-Privadas para Biodiversidade PROBIO II AÇÕES DO MMA COMPONENTE 1: Priorização da Biodiversidade em Setores Governamentais Objetivo: Implementar a Política Nacional

Leia mais

Divisão de. Avaliação e Perícia

Divisão de. Avaliação e Perícia Divisão de Avaliação e Perícia índice 3 5 6 a scot consultoria serviços de avaliação e perícia avaliação de imóveis rurais SUgestão de divisão de propriedades rurais Laudo de comprovação de produtividade

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 007

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 007 INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 007 Consultoria especializada (pessoa física) para elaborar e implantar novas metodologias

Leia mais

EDITAL Nº 003/2009/BRA/06/032 CÓDIGO ARRANJOS PRODUTIVOS

EDITAL Nº 003/2009/BRA/06/032 CÓDIGO ARRANJOS PRODUTIVOS EDITAL Nº 003/2009/BRA/06/032 CÓDIGO ARRANJOS PRODUTIVOS O Projeto BRA/06/032 comunica aos interessados que estará procedendo à contratação de consultoria individual, na modalidade produto, para prestar

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA - TNC

TERMO DE REFERÊNCIA - TNC Contratação de empresa para elaboração de Manual para Restauração Florestal e da Vegetação Nativa e aprimoramento do Programa de Regularização Ambiental PRA no Estado da Bahia. 1. CONTEXTO E JUSTIFICATIVA

Leia mais

ELEMENTOS PARA ESTRATÉGIA NACIONAL DE REDD+ DO BRASIL

ELEMENTOS PARA ESTRATÉGIA NACIONAL DE REDD+ DO BRASIL ELEMENTOS PARA ESTRATÉGIA NACIONAL DE REDD+ DO BRASIL Leticia Guimarães Secretaria de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental Ministério do Meio Ambiente Maputo, Moçambique, 2-4 de maio de 2012 Estrutura

Leia mais

As ações do Pacto serão delineadas de acordo com as seguintes prioridades:

As ações do Pacto serão delineadas de acordo com as seguintes prioridades: Finalidade A conservação da biodiversidade e de demais atributos da Mata Atlântica depende de um conjunto articulado de estratégias, incluindo a criação e a implantação de Unidades de Conservação, Mosaicos

Leia mais

Legislação Anterior Novo Código Florestal Avanços

Legislação Anterior Novo Código Florestal Avanços A APP era computada a partir das margens de rio ou cursos d água, pelo nível mais alto do período de cheia. Várzeas eram consideradas parte dos rios ou cursos d água, porque são inundadas durante o período

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE SECRETARIA EXECUTIVA DEPARTAMENTO DE POLÍTICAS PARA O COMBATE AO DESMATAMENTO

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE SECRETARIA EXECUTIVA DEPARTAMENTO DE POLÍTICAS PARA O COMBATE AO DESMATAMENTO MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE SECRETARIA EXECUTIVA DEPARTAMENTO DE POLÍTICAS PARA O COMBATE AO DESMATAMENTO Resposta ao Observatório do Clima sobre suas considerações ao Sumário de informações sobre como

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Programa Águas de Araucária

Mostra de Projetos 2011. Programa Águas de Araucária Mostra de Projetos 2011 Programa Águas de Araucária Mostra Local de: Araucária. Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: Secretaria Municipal

Leia mais

MBA em Direito Ambiental e Sustentabilidade

MBA em Direito Ambiental e Sustentabilidade CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Direito Ambiental e Sustentabilidade Coordenação Acadêmica - Escola de Direito FGV DIREITO RIO MBA em Direito Ambiental e Sustentabilidade - FGV

Leia mais

EXO ANEXO TEMÁTICO 2: Tema Prioritário II Manejo de Paisagem Linha de Ação Temática 2.1 Manejo Florestal Sustentável

EXO ANEXO TEMÁTICO 2: Tema Prioritário II Manejo de Paisagem Linha de Ação Temática 2.1 Manejo Florestal Sustentável EXO ANEXO TEMÁTICO 2: Tema Prioritário II Manejo de Paisagem Linha de Ação Temática 2.1 Manejo Florestal Sustentável 1. Objetivos da Chamada de Projetos para esta Linha de Ação Temática O objetivo da chamada

Leia mais

ATA DA REUNIÃO DE AUDIÊNCIA PRÉVIA SOLICITAÇÃO DE PROPOSTAS N.º 9420/2010

ATA DA REUNIÃO DE AUDIÊNCIA PRÉVIA SOLICITAÇÃO DE PROPOSTAS N.º 9420/2010 Às nove horas e quarenta minutos do dia dezenove de abril de dois mil e dez reuniram-se, na sede do PNUD Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento em Brasília (DF), representantes do PNUD, do Ministério

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural

Cadastro Ambiental Rural Cadastro Ambiental Rural E suas possíveis contribuições para a gestão de bacias hidrográficas Botucatu 28/06/2013 Caroline Vigo Cogueto Centro de Monitoramento Coordenadoria de Biodiversidade e Recursos

Leia mais

Histórico. Decreto 7.029/2009 (Decreto Mais Ambiente) Lei Federal 12.651/2012 Decreto 7.830/2012

Histórico. Decreto 7.029/2009 (Decreto Mais Ambiente) Lei Federal 12.651/2012 Decreto 7.830/2012 Histórico Decreto 7.029/2009 (Decreto Mais Ambiente) Lei Federal 12.651/2012 Decreto 7.830/2012 É criado o Cadastro Ambiental Rural - CAR, no âmbito do Sistema Nacional de Informação sobre Meio Ambiente

Leia mais

Tabelas Resumo das Diretrizes e Critérios para Aplicação do Fundo Amazônia Consolidação: 26.03.2010

Tabelas Resumo das Diretrizes e Critérios para Aplicação do Fundo Amazônia Consolidação: 26.03.2010 Tabelas Resumo das Diretrizes e Critérios para Aplicação do Fundo Amazônia Consolidação: 26.03.2010 Distribuição dos Recursos entre Áreas de Aplicação Área de Aplicação Limite de ção do total dos recursos

Leia mais

PMS-MT Cartilha. Breve histórico e Abrangência Objetivos gerais e benefícios esperados Componentes. Governança Funcionamento do Programa

PMS-MT Cartilha. Breve histórico e Abrangência Objetivos gerais e benefícios esperados Componentes. Governança Funcionamento do Programa PMS-MT Cartilha Breve histórico e Abrangência Objetivos gerais e benefícios esperados Componentes Fortalecimento da gestão ambiental municipal Contexto e benefícios Tarefas Regularização ambiental e fundiária

Leia mais

Brasília, 28 de novembro de 2011. O que é o PPCerrado:

Brasília, 28 de novembro de 2011. O que é o PPCerrado: PPCerrado Brasília, 28 de novembro de 2011. 1 O que é o PPCerrado: É um Plano de Ação (tático-operacional) que reúne ações para a redução do desmatamento no Cerrado e a viabilização de alternativas de

Leia mais

Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste

Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste Ambiente Jurídico para PSA em Pernambuco KLAUS MACIEL Recife, 2010 Contextualização Global Política Nacional de Biodiversidade (Decreto n 4339/2002) Política

Leia mais

Saiba mais sobre o Novo Código Florestal Brasileiro e o CAR COLADO NA CAPA

Saiba mais sobre o Novo Código Florestal Brasileiro e o CAR COLADO NA CAPA Saiba mais sobre o Novo Código Florestal Brasileiro e o CAR COLADO NA CAPA Índice O que o agricultor brasileiro deve saber sobre o Novo Código Florestal?...1 Começando a regularizar o imóvel rural...2

Leia mais

Estratégias para evitar o desmatamento na Amazônia brasileira. Antônio Carlos Hummel Diretor Geral Serviço Florestal Brasileiro

Estratégias para evitar o desmatamento na Amazônia brasileira. Antônio Carlos Hummel Diretor Geral Serviço Florestal Brasileiro Estratégias para evitar o desmatamento na Amazônia brasileira Antônio Carlos Hummel Diretor Geral Serviço Florestal Brasileiro Perfil - 2-1. Fatos sobre Brasil 2. Contexto Florestal 3. Estratégias para

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS FIN 04 01 Vaga

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS FIN 04 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS FIN 04 01 Vaga 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria Financeira de conciliação das informações repassadas pelos

Leia mais

MORATÓRIA DA SOJA: Avanços e Próximos Passos

MORATÓRIA DA SOJA: Avanços e Próximos Passos MORATÓRIA DA SOJA: Avanços e Próximos Passos - Criação e Estruturação da Moratória da Soja - Realizações da Moratória da Soja - A Prorrogação da Moratória - Ações Prioritárias Relatório Apresentado pelo

Leia mais

03 de Dezembro de 2015

03 de Dezembro de 2015 Página 1 de 9 Marco Legal pertinente à área florestal no Brasil (1965 ao presente) Data de publicação Ato ou Lei Função 1 1965 Código Florestal Brasileiro Define diretrizes gerais para o uso e conservação

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA CONS-MON 04-09. 01 Vaga

TERMO DE REFERÊNCIA CONS-MON 04-09. 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS-MON 04-09 01 Vaga 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria de pessoa física para aprimoramento das estratégias e metodologias

Leia mais

RELATÓRIO DAS OFICINAS SOBRE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DOS PROJETOS DE ASSENTAMENTO DO PROGRAMA NACIONAL DE REFORMA AGRÁRIA

RELATÓRIO DAS OFICINAS SOBRE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DOS PROJETOS DE ASSENTAMENTO DO PROGRAMA NACIONAL DE REFORMA AGRÁRIA MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO MDA INSTITUTO NACIONAL DE COLONIZAÇÃO E REFORMA AGRÁRIA INCRA RELATÓRIO DAS OFICINAS SOBRE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DOS PROJETOS DE

Leia mais

CEFIR. Cadastro Estadual Ambiental Rural

CEFIR. Cadastro Estadual Ambiental Rural CEFIR Cadastro Estadual Ambiental Rural Dezembro.2013 SISEMA SISTEMA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE DESAFIO Tornar o Sistema mais ágil e compatibilizá-lo com as demandas da sociedade sem perder o foco na qualidade

Leia mais

Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR Câmara Setorial de Hortaliças

Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR Câmara Setorial de Hortaliças Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR Câmara Setorial de Hortaliças O QUE ÉCAR O Cadastro Ambiental Rural - CAR, é o registro público eletrônico de âmbito nacional, obrigatório para todos os imóveis

Leia mais

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA PARA MONITORAMENTO DE PROJETOS DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES DESENVOLVIDOS POR MEIO DE TÉCNICAS DE NUCLEAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO DOS TERMOS

Leia mais

EDITAL 03/2012/COMUNICAÇÃO BOLSA VERDE TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATO POR PRODUTO

EDITAL 03/2012/COMUNICAÇÃO BOLSA VERDE TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATO POR PRODUTO EDITAL 03/2012/COMUNICAÇÃO BOLSA VERDE TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATO POR PRODUTO I. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO PROJETO BRA/11/021 - PROGRAMA DE PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS COM INCLUSÃO SOCIAL (PSA)

Leia mais

Apoio a Programas de Conservação

Apoio a Programas de Conservação Apoio a Programas de Conservação OBJETIVOS Apoiar instituições para que desenvolvam ações de conservação em médio e longo prazo, na forma de programa, que resultem em medidas efetivas de conservação. As

Leia mais

2.- Necessidades Técnicas e Operacionais Associadas ao Código Florestal e ao CAR Cadastro Ambiental Rural

2.- Necessidades Técnicas e Operacionais Associadas ao Código Florestal e ao CAR Cadastro Ambiental Rural Agenda 1.- Contexto 2.- Necessidades Técnicas e Operacionais Associadas ao Código Florestal e ao CAR Cadastro Ambiental Rural 3. Necessidades Tecnológicas - Geo TI 4. Solução SIG CAR - Santiago e Cintra

Leia mais

Política Ambiental janeiro 2010

Política Ambiental janeiro 2010 janeiro 2010 5 Objetivo Orientar o tratamento das questões ambientais nas empresas Eletrobras em consonância com os princípios da sustentabilidade. A Política Ambiental deve: estar em conformidade com

Leia mais

Política Estadual de Governança Climática e Gestão da Produção Ecossistêmica

Política Estadual de Governança Climática e Gestão da Produção Ecossistêmica Política Estadual de Governança Climática e Gestão da Produção Ecossistêmica R E A L I Z A Ç Ã O : A P O I O : A Razão Diversos estados e municípios também estão avançando com suas políticas de mudanças

Leia mais

ACT entre OCB e MMA CAR REGULARIZAÇÃO AMBIENTAL. Brasilia, 13 maio de 2013.

ACT entre OCB e MMA CAR REGULARIZAÇÃO AMBIENTAL. Brasilia, 13 maio de 2013. entre OCB e MMA CAR REGULARIZAÇÃO AMBIENTAL Brasilia, 13 maio de 2013. Fato motivador Lei 12.651/2012 Desoneração da regularização ambiental das propriedades, através da metodologia do cadastro ambiental

Leia mais

Programa Fundo Amazônia / Ministério do Meio Ambiente de apoio ao Cadastramento Ambiental Rural

Programa Fundo Amazônia / Ministério do Meio Ambiente de apoio ao Cadastramento Ambiental Rural Programa Fundo Amazônia / Ministério do Meio Ambiente de apoio ao Cadastramento Ambiental Rural 1 OBJETIVO Apoio financeiro a projetos que viabilizem a adesão de proprietários rurais ao Cadastro Ambiental

Leia mais

ELABORAÇÃO DE MANUAL PARA RESTAURAÇÃO ECOLÓGICA DE APPs e RLs PARA ANGÉLICA E MUNICÍPIOS VIZINHOS - MS

ELABORAÇÃO DE MANUAL PARA RESTAURAÇÃO ECOLÓGICA DE APPs e RLs PARA ANGÉLICA E MUNICÍPIOS VIZINHOS - MS ELABORAÇÃO DE MANUAL PARA RESTAURAÇÃO ECOLÓGICA DE APPs e RLs PARA ANGÉLICA E MUNICÍPIOS VIZINHOS - MS 1. Contextualização e Justificativa A The Nature Conservancy (TNC) é uma organização sem fins lucrativos,

Leia mais

1. DOCUMENTOS A SEREM APRESENTADOS

1. DOCUMENTOS A SEREM APRESENTADOS Secretaria de Estado do Meio SEMA-MT Roteiro Básico de Projeto de Compensação de Área de Reserva Legal (ARL) 1. DOCUMENTOS A SEREM APRESENTADOS I T E M N º. D O C U M E N T O S E X I G I D O S O B S E

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PROCESSO LICITATÓRIO 015/2013. Declaração de trabalho, serviços e especificações

TERMO DE REFERÊNCIA PROCESSO LICITATÓRIO 015/2013. Declaração de trabalho, serviços e especificações 1 ANEXO 3 TERMO DE REFERÊNCIA PROCESSO LICITATÓRIO 015/2013 Declaração de trabalho, serviços e especificações A Contratada deverá executar o trabalho e realizar os serviços a seguir, indicados de acordo

Leia mais

Carta à sociedade referente à participação no Plano de Investimentos do Brasil para o FIP

Carta à sociedade referente à participação no Plano de Investimentos do Brasil para o FIP Carta à sociedade referente à participação no Plano de Investimentos do Brasil para o FIP Prezado(a)s, Gostaríamos de agradecer por sua participação e pelas contribuições recebidas no âmbito da consulta

Leia mais

PROJETO IICA/BRA/09/005 TERMO DE REFERÊNCIA: MODALIDADE PRODUTO

PROJETO IICA/BRA/09/005 TERMO DE REFERÊNCIA: MODALIDADE PRODUTO INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA PROJETO IICA/BRA/09/005 TERMO DE REFERÊNCIA: MODALIDADE PRODUTO 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratar consultoria por produto para formular

Leia mais

1. DOCUMENTOS A SEREM APRESENTADOS

1. DOCUMENTOS A SEREM APRESENTADOS Secretaria de Estado do Meio SEMA-MT Roteiro Básico de Projeto de Desoneração de Área de Reserva Legal (ARL) 1. DOCUMENTOS A SEREM APRESENTADOS I T E M N º. D O C U M E N T O S E X I G I D O S O B S E

Leia mais

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1.374, DE 08 DE ABRIL DE 2003. Publicado no Diário Oficial nº 1.425. Dispõe sobre a Política Estadual de Educação Ambiental e adota outras providências. O Governador do Estado do Tocantins Faço

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERENCIA PROCESSO LICITATÓRIO Nº 006/2011- FAO/GCP/BRA/070/EC

ANEXO I TERMO DE REFERENCIA PROCESSO LICITATÓRIO Nº 006/2011- FAO/GCP/BRA/070/EC FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION OF THE UNITED NATIONS ORGANISATION DES NATIONS UNIES POUR L ALIMENTATION ET L AGRICULTURE ORGANIZACION DE LAS NACIONES UNIDAS PARA LA AGRICULTURA Y LA ALIMENTACION ORGANIZAÇÃO

Leia mais

Moratória da Soja no Bioma Amazônia Brasileiro

Moratória da Soja no Bioma Amazônia Brasileiro Moratória da Soja no Bioma Amazônia Brasileiro Uma iniciativa multistakeholder de sucesso no combate ao desflorestamento Conferência da Convenção-Quadro sobre Mudança do Clima Copenhague, Dinamarca Dezembro

Leia mais

Dúvidas e Esclarecimentos sobre a Proposta de Criação da RDS do Mato Verdinho/MT

Dúvidas e Esclarecimentos sobre a Proposta de Criação da RDS do Mato Verdinho/MT Dúvidas e Esclarecimentos sobre a Proposta de Criação da RDS do Mato Verdinho/MT Setembro/2013 PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A CRIAÇÃO DE UNIDADE DE CONSERVAÇÃO 1. O que são unidades de conservação (UC)?

Leia mais

ambientais e sociedade em geral dos municípios, e entre estes e a realidade da gestão ambiental local e regional.

ambientais e sociedade em geral dos municípios, e entre estes e a realidade da gestão ambiental local e regional. TR Nº TERMO DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE PESSOA JURÍDICA PARA CRIAÇÃO E PRODUÇÃO DE VÍDEO INSTITUCIONAL EDUCATIVO SOBRE OS CONCEITOS, A LEGISLAÇÃO, OS PROCEDIMENTOS E AS METODOLOGIAS

Leia mais

Plataforma Ambiental para o Brasil

Plataforma Ambiental para o Brasil Plataforma Ambiental para o Brasil A Plataforma Ambiental para o Brasil é uma iniciativa da Fundação SOS Mata Atlântica e traz os princípios básicos e alguns dos temas que deverão ser enfrentados na próxima

Leia mais

Regularização Fundiária de Unidades de Conservação Federais

Regularização Fundiária de Unidades de Conservação Federais Programa 0499 Parques do Brasil Objetivo Ampliar a conservação, no local, dos recursos genéticos e o manejo sustentável dos parques e áreas de proteção ambiental. Indicador(es) Taxa de proteção integral

Leia mais

RELATÓRIO DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COE INSTITUTO BRASILEIRO DE PESQUISA E GESTÃO DE CARBONO CO2 ZERO

RELATÓRIO DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COE INSTITUTO BRASILEIRO DE PESQUISA E GESTÃO DE CARBONO CO2 ZERO RELATÓRIO DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COE INSTITUTO BRASILEIRO DE PESQUISA E GESTÃO DE CARBONO CO2 ZERO DECLARAÇÃO DE APOIO CONTÍNUO DO DIRETOR PRESIDENTE Brasília-DF, 29 de outubro de 2015 Para as partes

Leia mais

O QUE É O CAR? Lei 12.651/2012 Novo Código Florestal

O QUE É O CAR? Lei 12.651/2012 Novo Código Florestal 1 MARCO LEGAL MARCO LEGAL O QUE É O CAR? Lei 12.651/2012 Novo Código Florestal Cadastro Ambiental Rural CAR: Âmbito Nacional Natureza declaratória Obrigatório para todas as propriedades e posses Base de

Leia mais

Instrumentos Legais de Proteção Ambiental em Propriedades Rurais

Instrumentos Legais de Proteção Ambiental em Propriedades Rurais Instrumentos Legais de Proteção Ambiental em Propriedades Rurais Uberlândia Minas Gerais Abril de 2015 Índice Introdução... 2 Instrumentos de planejamento e gestão do uso do solo... 2 Zoneamento Ecológico-

Leia mais

LEGISLAÇÃO AMBIENTAL E FLORESTAL

LEGISLAÇÃO AMBIENTAL E FLORESTAL LEGISLAÇÃO AMBIENTAL E FLORESTAL PROFESSORA ENG. FLORESTAL CIBELE ROSA GRACIOLI OUTUBRO, 2014. OBJETIVOS DA DISCIPLINA DISCUTIR PRINCÍPIOS ÉTICOS QUESTÃO AMBIENTAL CONHECER A POLÍTICA E A LEGISLAÇÃO VOLTADAS

Leia mais

Faço saber que a Assembleia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

Faço saber que a Assembleia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES LEI Nº 2.713, DE 9 DE MAIO DE 2013. Publicada no Diário Oficial nº 3.876 Institui o Programa de Adequação Ambiental de Propriedade e Atividade Rural TO-LEGAL, e adota outras providências. O Governador

Leia mais

Instrumentos Econômicos para a Gestão Ambiental Rural na Amazônia: desafios e oportunidades

Instrumentos Econômicos para a Gestão Ambiental Rural na Amazônia: desafios e oportunidades Instrumentos Econômicos para a Gestão Ambiental Rural na Amazônia: desafios e oportunidades Eduardo Bandeira de Mello Chefe do Departamento de Meio Ambiente Cuiabá, 21 de agosto de 2007 SUMÁRIO 1. Desenvolvimento

Leia mais

Pacto pela Valorização da Floresta e pelo Fim do Desmatamento na Amazônia 1

Pacto pela Valorização da Floresta e pelo Fim do Desmatamento na Amazônia 1 Pacto pela Valorização da Floresta e pelo Fim do Desmatamento na Amazônia 1 Introdução Os signatários deste documento propõem à sociedade brasileira um Pacto Nacional pela Valorização da Floresta e pelo

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA nº 2014.0425.00020-0

TERMO DE REFERÊNCIA nº 2014.0425.00020-0 MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE SECRETARIA DE BIODIVERSIDADE E FLORESTAS (SBF) DIRETORIA DE ÁREAS PROTEGIDAS (DAP) PROGRAMA ÁREAS PROTEGIDAS DA AMAZÔNIA (ARPA) TERMO DE REFERÊNCIA nº 2014.0425.00020-0 OBJETIVO:

Leia mais

CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRODUZIR VÍDEOS PARA AS INICITAIVAS DE CONSERVAÇÃO DA THE NATURE CONSERVANCY,

CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRODUZIR VÍDEOS PARA AS INICITAIVAS DE CONSERVAÇÃO DA THE NATURE CONSERVANCY, Termo de Referência CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRODUZIR VÍDEOS PARA AS INICITAIVAS DE CONSERVAÇÃO DA THE NATURE CONSERVANCY, EM SÃO FÉLIX DO XINGU, NO ESTADO DO PARÁ. INTRODUÇÃO E CONTEXTO A The Nature

Leia mais

1.1.1 SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE

1.1.1 SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE BINETE DO SECRETÁRIO PUBLICADA NO DOE DE 25-06-2010 SEÇÃO I PÁG 75 RESOLUÇÃO SMA-061, DE 24 DE JUNHO DE 2010 Define as diretrizes para a execução do Projeto Mina D água - Projeto de Pagamento por Serviços

Leia mais

Avaliação do Desmatamento e do Cadastro Ambiental Rural (CAR) no Pará: bases para o Programa Municípios Verdes Heron Martins* Carlos Souza Jr.

Avaliação do Desmatamento e do Cadastro Ambiental Rural (CAR) no Pará: bases para o Programa Municípios Verdes Heron Martins* Carlos Souza Jr. Avaliação do Desmatamento e do Cadastro Ambiental Rural (CAR) no Pará: bases para o Programa Municípios Verdes Heron Martins* Carlos Souza Jr. O governo do estado do Pará lançou o Programa Municípios Verdes

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS CUL 07-09 01 Vaga

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS CUL 07-09 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS CUL 07-09 01 Vaga 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria de pessoa física para realizar ações e organizar atividades

Leia mais

Prefeitura Municipal de Jaboticabal

Prefeitura Municipal de Jaboticabal LEI Nº 4.715, DE 22 DE SETEMBRO DE 2015 Institui a Política Municipal de estímulo à produção e ao consumo sustentáveis. RAUL JOSÉ SILVA GIRIO, Prefeito Municipal de Jaboticabal, Estado de São Paulo, no

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERENCIA PROCESSO LICITATÓRIO Nº 010/2011- FAO/GCP/BRA/070/EC

ANEXO I TERMO DE REFERENCIA PROCESSO LICITATÓRIO Nº 010/2011- FAO/GCP/BRA/070/EC FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION OF THE UNITED NATIONS ORGANISATION DES NATIONS UNIES POUR L ALIMENTATION ET L AGRICULTURE ORGANIZACION DE LAS NACIONES UNIDAS PARA LA AGRICULTURA Y LA ALIMENTACION ORGANIZAÇÃO

Leia mais

Programa Mato-grossense de Municípios Sustentáveis Registro de Experiências municipais 1

Programa Mato-grossense de Municípios Sustentáveis Registro de Experiências municipais 1 Programa Mato-grossense de Municípios Sustentáveis Registro de Experiências municipais 1 Conceito de Tecnologia Social aplicada a Municípios Sustentáveis: "Compreende técnicas, metodologias e experiências

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Sustentável da Unidade Familiar. 9 de agosto de 2011

Plano de Desenvolvimento Sustentável da Unidade Familiar. 9 de agosto de 2011 Plano de Desenvolvimento Sustentável da Unidade Familiar 9 de agosto de 2011 Agricultura familiar é a forma de produção em que predominam: interação entre gestão, trabalho e direção do processo produtivo;

Leia mais

PANORAMA GERAL DO PROGRAMA NO ESTADO

PANORAMA GERAL DO PROGRAMA NO ESTADO GOVERNO DO DO PARÁ SECRETARIA ESPECIAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E INCENTIVO À PRODUÇÃO-SEDIP PROGRAMA DE REDUÇÃO DA POBREZA E GESTÃO DOS RECURSOS NATURAIS DO PARÁ Incentivo Apoio Técnico Fortalecimento

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO EDITAL 040/2010 - PROJETO BRA/06/032 CÓDIGO: ARRANJO INSTITUCIONAL O Projeto BRA/06/032 comunica

Leia mais

Política Ambiental do Sistema Eletrobrás

Política Ambiental do Sistema Eletrobrás Política Ambiental do Sistema Eletrobrás POLÍTICA AMBIENTAL DO SISTEMA ELETROBRÁS 5 OBJETIVO Orientar o tratamento das questões ambientais nas empresas do Sistema Eletrobrás em consonância com os princípios

Leia mais

ELEMENTOS PARA A RECUPERAÇÃO DA VEGETAÇÃO NATIVA EM LARGA ESCALA

ELEMENTOS PARA A RECUPERAÇÃO DA VEGETAÇÃO NATIVA EM LARGA ESCALA ELEMENTOS PARA A RECUPERAÇÃO DA VEGETAÇÃO NATIVA EM LARGA ESCALA Equipe DCBio/SBF/MMA The Conservation-Restoration Workshop Déficit de vegetação nativa segundo a Lei 12.651/2012 Fonte: SAE, 2013 Milhões

Leia mais

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Secretaria do Meio Ambiente Secretaria da Agricultura e Abastecimento Dezembro de 2005 COBERTURA FLORESTAL (Inventário Florestal,

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA Procedência: 11ª Reunião da Câmara Técnica de Unidades de Conservação e 36ª Câmara Técnica de Assuntos Jurídicos Data: 27 e 28 de agosto

Leia mais

RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS

RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS Instituto Estadual do Ambiente - INEA Diretoria de Biodiversidade e Áreas Protegidas - DIBAP Gerência do Serviço Florestal - GESEF ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO Conceitos /

Leia mais

MINISTERIO DO MEIO AMBIENTE Secretaria Executiva Departamento de Politicas de Combate ao Desmatamento

MINISTERIO DO MEIO AMBIENTE Secretaria Executiva Departamento de Politicas de Combate ao Desmatamento MINISTERIO DO MEIO AMBIENTE Secretaria Executiva Departamento de Politicas de Combate ao Desmatamento Ações de Prevenção e Controle do Desmatamento no Brasil: Amazônia, Cerrado e Caatinga Brasília, setembro

Leia mais

Ferramentas de sensoriamento remoto e SIG aplicadas ao novo Código Florestal

Ferramentas de sensoriamento remoto e SIG aplicadas ao novo Código Florestal 1/36 Ferramentas de sensoriamento remoto e SIG aplicadas ao novo Código Florestal Teoria e Prática Eng. Allan Saddi Arnesen Eng. Frederico Genofre Eng. Matheus Ferreira Eng. Marcelo Pedroso Curtarelli

Leia mais

A Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro publica a seguinte lei: Capítulo I Das Disposições Preliminares

A Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro publica a seguinte lei: Capítulo I Das Disposições Preliminares Projeto de lei n. Institui a Política Estadual sobre Mudança do Clima e fixa seus princípios, objetivos, diretrizes e instrumentos. A Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro publica a seguinte

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Diagnóstico Ambiental e PRA (Projeto de Recuperação Ambiental)

TERMO DE REFERÊNCIA. Diagnóstico Ambiental e PRA (Projeto de Recuperação Ambiental) TERMO DE REFERÊNCIA Diagnóstico Ambiental e PRA (Projeto de Recuperação Ambiental) 1. Código: TDR_RRB_04 2. Título: Elaboração de diagnóstico ambiental consolidado em campo e PRA (Projeto de Recuperação

Leia mais

Linhas de Financiamento Setor Florestal. 1º Encontro Paulista de Biodiversidade São Paulo, 18 de novembro de 2009 Eduardo Canepa Raul Andrade

Linhas de Financiamento Setor Florestal. 1º Encontro Paulista de Biodiversidade São Paulo, 18 de novembro de 2009 Eduardo Canepa Raul Andrade Linhas de Financiamento Setor Florestal 1º Encontro Paulista de Biodiversidade São Paulo, 18 de novembro de 2009 Eduardo Canepa Raul Andrade Política Ambiental do BNDES O BNDES entende que investimentos

Leia mais

PROJETO BRA/04/029. Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* MAPEAMENTO DE

PROJETO BRA/04/029. Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* MAPEAMENTO DE PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* MAPEAMENTO DE Os currículos deverão ser encaminhados para o endereço eletrônico seguranca.cidada@mj.gov.br até o dia 20 de dezembro de 2015.

Leia mais

EDITAL 02/2011 TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATO POR PRODUTO

EDITAL 02/2011 TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATO POR PRODUTO EDITAL 02/2011 TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATO POR PRODUTO ENVIO DA PROPOSTA Caixa Postal nº 8575 CEP:.70.312-970 - Brasília-DF Observação: O CANDIDATO DEVERÁ OBRIGATORIAMENTE INFORMAR NA CAPA DO ENVELOPE

Leia mais

Soja não é fator relevante de desmatamento no Bioma Amazônia

Soja não é fator relevante de desmatamento no Bioma Amazônia Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais Nº 77/2014 abril Informativo digital sobre temas da cadeia produtiva da soja Soja não é fator relevante de desmatamento no Bioma Amazônia De acordo

Leia mais

LEGISLAÇÃO DO CRÉDITO RURAL

LEGISLAÇÃO DO CRÉDITO RURAL *PRONAF* Legislação LEGISLAÇÃO DO CRÉDITO RURAL Art. 187. A política agrícola será planejada e executada na forma da lei, com a participação efetiva do setor de produção, envolvendo produtores e trabalhadores

Leia mais

Sistema de Cadastro Ambiental Rural. Diretoria de Uso Sustentável da Biodiversidade e Florestas

Sistema de Cadastro Ambiental Rural. Diretoria de Uso Sustentável da Biodiversidade e Florestas Sistema de Cadastro Ambiental Rural Diretoria de Uso Sustentável da Biodiversidade e Florestas CAR - Lei 12.651/2012: Cadastro Ambiental Rural Lei 12.651/2012 É criado o Cadastro Ambiental Rural - CAR,

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural CAR A Revolução da Geoinformação Chegou ao Campo

Cadastro Ambiental Rural CAR A Revolução da Geoinformação Chegou ao Campo Cadastro Ambiental Rural CAR A Revolução da Geoinformação Chegou ao Campo Paulo Guilherme Cabral Secretário de Extrativismo e Desenvolvimento Rural Sustentável Ministério do Meio Ambiente Brasil CAR Cadastro

Leia mais